Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06469


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV.
Segumlafeira 25
O /i/.l//Opublica-se todos os diasque nao
forem de guarda. O preco da asslgna tura he
deiJOOOi*. nerquarlel, pngoiadinnladoi. Os
annuneios dos assignantes'sao inseridos A
raso de 20 rs. por Hnlia, 40 ra. en. typo dif-
ireme, e as repeticoes-isela metnde. O no
asslgnanles pagar 80 rs. por linda e 160 ra.
^PIIASS DA LOA NO HEZ DE ABRIL.
Lita chela, a7, 1 hora 30 mln. da tard.
Mlngoanl*,alJ,s4horase 48 mo. da tard.
Luaiiora, a 2, s9borase34 min.dalard.
Crcscente, a, 20 U hora e48inin.da nauh.
i PARTIDA DOS CORREtOS.
Goianna e Parahiba. as segs,e sexlas-feiras.
Rio,G.-do-No.tc, quinlas-felras aoincio-dia.
Caho, SerlahOein. Ro-For,uoso.Porlo-v..lvo
Macelo, no !. a 11 e 21 le dada mez.
Garanduas e Bonito, a 8 e 2.1.
Itoa-Vitta e Flores, a 13 c 28.
Victoria, s quintas-feiras.
Olmda, lodos os dias.
PREAMAR DE MOJK.
Primelra, s 5 horas e 18 minutos da manh.
Segunda, s 5horas c 42 minutos da Urd.
de Abril de 1849.
das da semana.
10 Segunda, S. Jarge. Aud. do J. dos orph ,
do J.docivrledoJ. M.da2.v.
17 Terca. S. Fdclis de Sigmaringa Aud. do J.
do c. da l.v. cdw J. de na/, do 2. disl. do I.
18 Qtiarla. S. Marcha. Aud. do J. do c. da 2.
v.e doJ. de pai do2. dist.de t.
19 Quinta. S. Pedro Ralis. Aud. do J. dos
orph. edo J.M. da 1. v.
20 Sexta. S. Tertuliano. Aud. do J. do cir. e
do J. de paz. do I. dist. de I.
21 Satinado. S. Vital. Aud. do J. do clv. da 1.
v. e do J. de pat do 2. dist. de t.
22 Domingo. Fgida de ftossa Senhora.
N. 00.
CANDIOS NO DA 21 DE ABRIL.
Sobre Londres a 27'/. 4. por 1/009 r.a80d.
. Pars 350
. Lisboa ICO por cento de premio.
Rlo-dr-Jaueiro ao par.
Desc. de leu. d boas firmas al'/, X ao mez.
Acedes dactfap. de Reberibe, a50* ra.aop.
"nro.-Oiieas hespanholas. .*'/800 a 3I/W0
. Moldas dk lifiOO v. 17/200 a 7*01
deW400n. 10/900 a 14 . deOOO.... 9/20O a 9/J00
Pral-Patacoebraslleirog %/m a 2/M"
> Pesos coluinnarios. 1/980 a Ditos mexicanos..... 1/900 a 1
e>#
-------
MBTE OFFIfftAl
N* MINISTERIO DA GUERRA.
|DECRETO N. 59J DE 3 DE UARC0 DE 1849.
\pprova a tabella do mximo e do mlnno das ajudas
de culto aos ofliciacg do exerclto que vao cm scr-
vic'n para as provincias contraes do Imperio
llriporbrm, em conformidade de minha humediata
; imperial resoluto de dous do crreme, tomada sobre,
consulla do concelho supremo militar de aels de feve-
relro ultiwo.approvara tabella que marca a mximo e o
mnimo das ajudas de custo que se devem abonar aos
nfAciae* do exrrcilo que rfio em servifo para as provin-
cia* entris do imperio, aqual balxa com este, assig-
n.ida por Mauocl Keliiardo de Souxa e Mello, do incu
concelho, .ministro e aecrctarlo d'estado dos negocios 4a
marinos e iulerinimeutc dos da guerra, que assim o
I. tenha entendi c expeca os despachos necessarios. Pa-
i lacio do Illo-de-Janeiro, em 3 de marco de 1849, vlge-
j sinio-oilavo da independencia e do imperio Com a ru-
b ic.t de S. M. o Imperador.Manoel t'tliiarjn ii Soma
TABELLA DAS AJTIDAS DE CUSTOJJUE SE DEVEM
ABONAR AOS OFFICIAES QUE VO EM SERVIO
PARA AS PROVINCIAS CEN RAES DO IMPEHiO.
Pottoi dos t/fician- Distancias.
De brlgndeiro al Porcada
legoa de
marcha .
Mximo. Mnimo.
lenente-general in-
clusive........
De inajor at co-
ronel inclusive .
De IOre ale ca-
piao inclusive.
dem.
0,000
4,000
2,000
3,000
2,000
1.000
Idcni.
Palacio do Klo-dc-Janeiro, em 3 de marco de 4849
Manoel Filisardo de Souxe e Mello.
M1NISTKRK) DA JUSTICA.
Seuhor.A execuco de pena de mulla que lalvcx se
appllquc a 9/10 dos-crlmes comineltldos, depende a mor
parle das vetes de previa liquidacao e commutaco ef-
fectiva, ou simplesuicntc commlnatoria eui pena de nu-
tra naruresa. Enirelanlo, se eiceptuarinos as disposi-
efles Incompletas e quasl antinmicas dos arls. 55, 56 e
57 do cdigo criminal. arl. 891 do cdigo do processo
crimial, nada se havla a este respeito estabelecido
al W- ..
Nsse anno, o decreto de Itf de Janeiro, nos arts. 423
e srgi.imes, estabelecru alias srgis-que tsnUouulsa-
raiii a prlica e corlaram algumas duvidas que diaria
mente apparrciam.
Como, porm, o processo ah marcado exige repetidas
nllmatoese outras diligencias, acontece que cm falta
de pessoa Inleressada que as solicite com /.rio, ou minea
ae rralisam, ou Urde c fra do lempo conveniente.
Ora, em rrgra, os condemnados, se sollos, nao inte-
ressjiu cm promover cssas diligencias, sem as quaes
Sino cerlos de nao ser iiicoiiiinod-idos ; se presos, nao
emosineios necessarios para faxe-lo.
Os procuradores das cmaras em geral tambiui se
mosti un a este respeito uns que remlssos. E assim so-
br osjnlzes de rxccncdrs c seui escrlvdcs pesa comple-
tamente todo esse trabalho ex-olHcio ; nao admira, pois,
que .i mxima parte das multas impostas deixc de ter
ctrcuciio, ou a lenha tarda i Irregular.
Para evitar quauto cal e na competencia de un regu-
lainenlO estes inconveniente*, nos seis pi luciros arti-
go se estabilice urna lii|iidacao fclla ex-oIRcio, em
que se procuran! evitar todas as inliniaccs e delongas,
luarcando-sc para os actos iudispeusaveis piazoi lixos c
brevet.
(ioiiio, porm, deste peiisaiuento poder resultar al-
guma ves liquidacao menos pe fe la, os arls. 7, 8 e 9 la
cililam o meio de a emendar e subslituir por oulra l'eiia
com Indas as fnrmalidades, e gempre que o juiz, pro-
motor ou qualquer inleressadu o julgar conveniente.
Lii|(iidada a multa, os arts. 10 e II marcamos, pra-
zos para se ellectuar logo su.i reduceu oulra pena.
As regras para esta coiumutacan riam mui bem desen-
volvidas na arls. 431, 432, 433 e 434 do regulameuto
citado de 31 de Janeiro de 1842, e s para poupar a nc-
cessidade de o consultar se repello sua materia nos arls.
11.15
Eslas providencias, coadjuvadas pelas do arl. 25, d-
Dibjulrao por certo os iuconvenienles cima expostog.
Parecen ulil detenvolver lambn as regras sobre as
liaiicas ao pagamento da multas, acauleluudo os abu-
sos nfelliiiicuie assai frequentes de flaneas lllusonas;
assim como prohibir exprcaaameutc 4 prisao a pretex-
tos de mullas alias Ilquidas, como tao repetidas vezes
te ni acontecido, principalmente com os presos pobres,
<)iir, acabando de cumplir as outras penas, se viam re-
tidos cm prisao, sestskaber no menos quanto deviam sa-
tlsfaier para recobsWsua liberdade.
Talves fsse conveniente estaiieleeer alguns recursos
para aneudar as li.juidar.ucs, e alterar as regias, na re-
duccao dag inultas prisao ; mas tamo nao cabia na
competencia de mu reeulamento, e mais acertado pare-
cen reservar esta materia para sobre ella, em lempo
opporinno, chamar a allenco do poder legislativo.
Por ciuqiranio sao estas as providencias que, em for-
ma de rcgnlaiiiruto, e para cumplir as ordens de V. M.
I., rrspriiosamriite suouiettc approvoco de V. M. I.
o inals rcverenle e fiel subdito. Euzrbio de (Jueiro: Cou-
linko Maltn da Cmara.
RtCULAalEXTO'H. 595 DE 18 DE MARQO DE 1849
Kstabrlece a maneira por que s* deve proceder na liqui-
da.io das multas que foreui os reog condemnados,
tem como as regras sobro as llancas ao pagamento
orlUs, e o modo de f coinmutar em outras nenas.
Mei por bem, usando da atlribuico t|ue me con fe re o
rllgo eenlo e doug," paragrapdo dote da consliluicio,
decielaro scgulnle :
***" l'Ojuix daexecucfio, no mesmo despacho em
rrrne mandar cumprira sentenf a, ordenar ag diligencias
f necessanag para a liquidacao da mulla, ge a houver.
Arl. 2. Quando a mulla Idrde (autos por cento do
valor d qualquer ohjeclo, ae este j esliver liquidado e
eoiiliei ido, ojuis mandar "
i.i liquidada a multa.
fazer a cunta, e por ella dea-
guando, poiiai, o valor desso
lor cuiiliecidii. o juiz uouiear um arbltra-
~"*r, r. ter depols lugar a cona.
> a mulla lor correspondente a um cer-
t'inpo,. de vera o juli mandar ava|iar por
r quauto pode o comiruinado haver em ca-
da da pelos seus bous, emprego ou industria, para que
o contador, regulando-se por este arbitramento, desig-
ne a jomnia correspondente ao lempo marcado aa sen-
tenca. (Cdigo criminal, art. 55 )
Art. 4.a 0 arbitrador de que Iratam os arllgos antece-
dentes ser iiominalmente designado no despacho do
juiz, que em caso algum delxar sua designaco depen-
dente do escrlvSo, nem de qualquer tercclro, nem ines-
ino a titulo de infonnacao.
Art. 5.* No mesmo da em que lor o despacho entre-
gue ao escrivo, ou no dia immediato, ser o arbitra-
dor avisado e juramentado, dando logo, e em seguida, o
sen arbitramento fundamentado, por elleescriplocassig-
uailo, ou lavrado pelo escrivo e asxignado pelo arbitra-
dor. Se, poriu, o arbitramento depender de maior
exame, poder o juiz noiuear dous arbltradorcs em vez
de um, e marcar-lb.es umpraso improrogavel, que nao
exceda de nito dias para ambos coujiinclaiuenle.
Sendo advogados, terao vista dos autos ; nao o sendo,
podero i vainilla los uo cartorio, onde o escrivo Ih'os
franquear emquantn durar o praxo marcado.
Art. 6." Feito o arbitramento, Ir em vinte e quatro
horas o feito ao contador, independente de novo despa-
cho, e este em quarenta e oito horas improrogaveis li-
qudala a multa c tornar o frito ao cartorio.
Art. 7.* Esta liquidafo ser Intimada ao reo e ao pro-
curador da cmara, que poder dentro de cinco dias re-
querer nova liquidacao por arnitradores esrolhidos a
aproxmenlo das partes, para o que indicar cada urna
tres nouies, d'enlre os quaes o juiz escolliei um. Se
rssesdous assim rscolhidos discoidarem, o jis indicar
tercclro, que ser obrigado a concordar com algum dos
laudos, OU com o pi iineiro arbitainento^
Oiiein requerer a segunda liquidacao deve fazer as
intimacdCS e diligencias uecessarias para que se com ni
dentro de vinte dias ; e s no caso de impedimentos
alheios sua voutade, poder o juiz couceder-lhe outros
tantos das, alm do praso necesssrto para correr qual-
quer ciiaro, edllal, ou por precatoris.
Se nos prazos marcados nao se coucluir a segunda li-
quidafo, subsiste a primelra. Se, porm, o juiz en-
tender que essa primelra be evidentemente exagerada
ou diminuta, poder ex-ollicio ordenar que prosiga as
diligencias da segunda, oh mesmo que se faca iudepen-
deute de reelamaeo contra a primelra.
Art. 8.* Se algum dog arbltradorcs egcolhidos sobre
proposta da parte nao der laudo, ser processado cerno
desobediente, e substituido por oulro escolhido pelo
juu, indepeudente de audiencia dos iitercssados.
ArC 9." O aecuaador particular ou o promotor publi-
co pdeni espontanea ni en le appareccr a iutervir na li-
quidacao, qualquer que sej'a o seu estado, prefeiindo
uesse caso ao procurador da cmara. O julx tambem
pode ordenar que o promotor publico iutervenha. Nos
casos em que a inulta nao for applicada municipall-
dade, e sini a beneficio de terceiro, a este competem os
dircltos que cima ge reconliecciu no procurador da ca
inaia
Art. 10. Se contra primelra liquidacao nao se recla-
mar, e passadog oito dias, contados da inlimaco, o roo
nao liver pago a quautia liquidada, ser recolbido pri-
sa*, ou nejla conservado at prestar li.iuea idnea, ou
pagar, ( cdigo criminal, art. 5U ) ou cumplir a pena su-
bstitutiva da multa. ( Cdigo criminal, art. 57 )
Se houver ordenado nova liquidacao, os olio dias con-
tar-sc-lio da segunda inlimaco. guando, porm, essa
uo/a liquidacao houver sido requerida pelo roo, em vez
de segunda inlimaco, basta que ex-olficio o escrivo
assfgua em audiencia os olio dias, que coi re mu logo,
quer leuham estado preseules o reo c scus procurado
res, quer nao.
Art II. Concluido o prazo dos oitu dias, ge orco uo
liver pago, o escrivo f r logo as vinte c quairo horas
seguinles os autos conclusos ao juiz para reduzir a mul-
ta outra pena, segundo as regras segu ules
Art. IJ. Sea mulla tiver sido imposta ao ro condn-
nado em prisa o simples, por infraceo de um mesmo ar-
tigo de lei, ser commuuda em um terco mais da pena
de pristi que I de liver sido imposta por essa infraccio.
( Cdigo do processo, arl. 29.)
ArL 13. (biando nao se verificar a hypolhesc do ai li-
go antecdante e a mulla imposta for correspondente
a um crrlo espato de lempo, a comiuulacu ser em pri-
sao com trabadlo por esse mesmo lempo. Cdigo cri-
minal, art. 57 J
Art. l4. Quando a multa lor sem relaeo a lempo, o
juiz nouicai arbitr.idoies para calcularon o lempo de
prisao com trabalho urceggailo ao reo para ganhar a im-
portancia la multa, e nesse lempo Idc ser cominutada.
( Cdigo criminal, art. 57.)
Arl. 15. Quando nao houver prisa i com trabalho, ter
lugar a redueco desse lempa prisao simples com o
augmento da sexta parte do lempo. (Cdigo criminal,
art. 49.)
Art. 16. Felta a redueco, o reo ser inmediatamen-
te euviado a cumprir a pena substitutiva da multa, sal-
vo se esliver cinnpi indo nutra pena de maior ou igual
inlensidade ; ( cdigo criminal, arl. 61 ) devendo uies-
ino nesse caso fazer-se as comuiuuicaces ncccssarlas,
para, concluida tuna pena, comecarlogo o cumplimento
da oulra.
- Ksia dispo.Mcao nao coniprclicnd o caso de estar pro-
vado no processo que o reo ion meiog de pagar a mul-
ta, deveudo nessa hjpuiliesc conservar-sc cm prisao
iudefinidaueute at pagar. fCodigo criminal, arl. 56.)
Arl. 17. A todo o lempo que o rosatslizer cm dinliei-
ro a importancia da mulla ou da parle que Ihc fallar pa-
ra ge haver por cumprlda a semenca, ser posia em li-
berdade, nao ruando por ella prego. Tambem poder o
julx aduirltir fianza idnea ao pagamento em tempo ra-
z.oavel, que nao exceda de um mez, as mullas Inferio-
res a quatrocentna mil rs. ; de tres meses, has Inferiores
a um cont de ris ; e de seis uiezes, as outras. (Cdi-
go criminal, arla. 32 c 57.)
Arl. 18. S ser adiuillido a afiaucar .-
!. Uucni hypolhccar benl de-raz equivalentes a
multa e silos na mrsma comarca, mostrando que os.
possue livresc desembargados, e sb sua livre adminis-
li.u.o. .
1. Os que depositaron o cofre da amara munici-
pal o valor da mulla, em moeda, apolices da divida pu-
blica, de que mostraron ter a plena proprledadr, ou
trastes de uuro ou prala devIdaineiHi-avaliadoa, eque
cub aincoin gegiirancao valor da inulta. (Cdigo do
processo, arl. 107, ele! de 3 de dezembro de 1841, ari.
Ait. 10. O luis que admilllr ttaucaque nao teuha esses
requisitos, incurrer na mulla de 100/ a 200/. cscrivao
que nSo liver informado ao juls contra essa falta, socor-
rer na de 20/ a 80/. fiador que. son ter os iuoos de
fazer eflecliva a llanca, a asslguar, iucorrer em prisao
de um a tres meses, e as testemunhas de abono cm prisao
de oito dias a um mez. ( Lei de 5 de dezembro de 1841,
art ll2J i
Art. 90. Osjulsea.de dlrelto as correicoes exami-
nar* com especial allenco se os julies c eserhraes,
conudorrs carburadores teem cumprido com xelo cs-
tes^veres. impondo-lhes multas de 10/ate 100/. con-
forme m gravidade daa faltas.
Art.'l. Nlnguem poder ger recolhldo prisao, nem
nella conservado a pretexto da multa emquanto nao es-
liver liquidada. _
Arl. 22. As multas actualmente llllquidas serao lin-
inrdialainente liquidadas, mesmo quando os ros tcndain
outras penas de longa duracao a cumprir. Os rsenvaes
mandaran ix-ollicio conclusos aos juizes todos os pro-
cessos de execufo criminal em que houver mullas Il-
quidas : os juizes anio asle respeito as manares recom-
inendaces e diligencias.
Art. 23. Logo que as miilus eslivercm liquidadas, os
procuradores d is cmaras iniinicipars. ou as parles In-
teressadas, podero requerer contra os bens do mulla-
do as providencias uecessarias para se fascr eflecliva a
cohrauca.
Kuzebio de Queiroi Coullnho ilalloio da Cmara, do
uieii concelho, ministro e secretario de estado dos ne-
gocios da jstl.a, o tenha assim entendido e faca exc-
Palaciodo Rio-dc-Janeiro. em 18 de marco d i849.
vigesimo-oitavo da independencia e do imperio. -Com a
rubrica de S. M. o Imperador Kucebio de Qaeiroz lou-
linho Malloio da Cmara,
(.overlNo da'frovingia.
lllin. o Kim. Sr. Tenlio a honra de ctiniiiiu-
iiicsrn V. Ex que esla provincia se achr tran-
quilla. '
Dos guarde a V. Ex. Palacio dogovoino de Ser-
gipe. 2 de abril de 1849 lllm. e Kxm. Sr. desem-
bargador Manool Vieira Tosa, presidente M pro-
vincia de Pernatnbuco./icarias le (oes e rascon-
ellos.
lllm. e Exm. Sr. Tenlio a honra de participar
V- Ex que esta provincia a cha tranquilla.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do goven.o de S.-
Pnulo, 4 de abril de 1819-lllm. eExm..Sr. presi-
dente da provincia de Pernambuco. Vcenl Tires
da Mola.
lllm. e Exm. Sr. Tenho satisfagao de com-
municnr V. Ex., quo esta provincia se ocha tran-
quilla.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do governo da Ba-
bia, 17 de abril de 1819.-lllm. e Exm. Sr. presi-
dente da provincia de pernambuco.francisco 6o-
frtit'H Martn*.
CoQ>ftt Qtiarlel-general do commando das armas em Pernam-
buco, 2i de abril de 1H19.
'OIIDEM IH) DIA.
Toido cessado os motivos que deram lugar ao gover-
no da provincia subjeitar temporariamente n este cum-
ulando a guarda nacional uo destacada, eos corposde
voluntarlos e polica, faco setenta aos respectivos che-
fesque essa dependencia tcriuliiou em virtude de or-
dein do iiicsmo governo, que acabo de receber. restan-
do-me agradecer aos mesmos senhores, e as prajas em
geral, o comporlamciito que livcram durante esse pe-
riodo.
Semrlhanlonenle facn publico (iuc flcam suspensas
do primelro de malo em liante as raccors de rtapc que
graltiitamente sr mandou abonar s pracas em scrviro
no interior da pruviucia, e a loca parle de cainpaiiha;
devendo os corpos que pcrinaneccreui fra da capital
so conciderados comodeslacados. Assignado,
Joaquim Cielito.
Joii
TRIBUNAL DAHLAC\0.
SESSA0 EM 21 DE ABRIL DE 1819.
MKSIKNCU OO XM. Stia. CNCRLHEtHO AZKVEOO.
Prsenles o Srs. dcseinb.rgadorcs Poner, Ramos,
Villares Leflo, Souza e Rebello. faltando com causa o
Sr. dcsembaigador Hastoa, o Si. presidente dcclarnu
abena sesxao pelas des horas.
Julgaminloi.
Fram pronoatas e julgadas as appellaces clvcls em
que sao :
Anpellanle, Francisco Coelho da Funscca ; appellado,
Francisco Kidelis llarroso. Filran desprezados os
Appellalues,' os herdeiros do padre Antonio Therczo
de Ollvrira Antunes appellada, a fazenda provin-
cial. FAraia cbidos os embargos dos appellan-
Appellanlr, Anicaclo Jos de Mello ; appellado. Amo-
nio Vicente de Medeiros. -- Foi a semenca reformada.
Aniiellante, a fazenda uacional ; appellada, a cmara
inuuiclpal desta cidade. ~ Foi a senlciifa con i miada.
Appcllante. Vicente Alvcs Liuliares ; appellado, Ala-
noel Pinto Branda. Foi a seotenca con fu na! a
Appellanle. bernardo Amonio de Miranda -appellailo,
Tbom Correa de Araujo --Foi a semenca coui.i-
Appelamc, Antonio Lopes Perelra de Mello ; PPel'"
Jo, Antonio Joaquim de Almclda Guedes Atoaufo-
da nacional. Mandaran! rever oSr. detembargador
procurador da cora.
A appella9ao crime em que so :
Appellanle. ojuizo; appellado, Jos Honorato do Nas-
elinemo. Julgaram procedente a appellacao.
A pclicio pedindo habtas-iarpas do preso Joao llamas
ceno, foi deferida mandando-seque o dctenlor apre-
seulasse o paciente no tribunal da relafo, na sessSo
de 24 do crreme, c o Ur. chefe de polica respondes-
sc al o mesmo dia.
A peticao do preso Pedro ernandes Alves, pedindo un-
bros-eorpni, leve igual deferimeiito.
Napetico do preso Jos da Cosa llaplista, pedindo ka-
beaieorpui, se mandou que o careereiro o apre-
soilasse no tribunal da relacao, na aesaao de .> de
maio prximo futuro, e que o ilr. chefe de polica In-
formasse, ouvlndo o delegado de Seriuhacni
Assignou-se o primeiro dia para julgamento das ap-
pellacoes crimes em que sao :
Appellanle, o julio ; appellado. Vicente Ferreira, reo
Appe.late. a jusliCa appellado. Antonio Uuarte Leilc.
Appellanle, ojuio .appellado. Domingos Uves de Mo-
raes.
Edasappellacoesciveisemque saoi
Appcllante, Jos Cyprlano Lopes da Silva ; appellado,
Jos Antonio de Olivelra. i_...i
Appellanle, Goncalo Jos da Cosa ; appellado, Miguel
Gomes de Souza
Rertet.
Passou do Sr. desembargador Ponee ao ir. desem-
baruador Ramos a appe'lacao civcl em que sao :
Appellanle, Manoel Antonio da Silva Motta ; appellado,
Jos Goncalves Torres.
Passara.n doSr desembargador Villares aoSr. desem-
bargador Leso as appellaces elveig em que sao ;
Appellanle. Mendes !t Tarroso ; appellado, Francisco da
Silva Medeiros.
Appcllante, Joo Irlnco Cavalcanle de Albuquerque ,
appellado, Francisco Ferreira da Costa.
Apellantes, os herdeiros de h. Vicencla Joaquina da
l'onceicfio ; appellado, Francisco Joaquim Cardoso.
Passou do meisno Sr. desembargador ao Mr. Juiz de
direito Pereir Monleiro a appellacao civel em que sao:
AppellantfS, Jos Antonio Lourenfo e Auloniu t.omes
Villar ; appellado, Juliao Beranger.
Passou do Sr. desembargador I efio .ao Sr. desembarga-
do! Souza a appe*|lacao crime em que sao :
Appellanle, o juizo appellado, Antonio R.beiro de
Aoinc'smoSr. desembargador as appellaves civeisem
Appcilanles. Jos Po Machado c outros, appellado,
bcnlo Jos de Moura.-
Appellantc, Joo Pinto de lautos ; appellado, Manoel
F.lias de Moura. _
Passaram do Sr. desembargador Souxa ao Sr. desem-
bargador Rebello as appellatoes civetg rm que sao :
Appellamcs, Iguaclo Juaquim Fernaiides c nutro ; ap-
pellado, Manoel Claudio de Queiroz.
Appellanles, os herdeiros de Francisco Jos da Costa
appellado, Jos Joaquim Bexerra Cavalcanle.
Apprllanfe, o julxo da provedorra; appelladog, Can si
Appelianie, Jos Francisco Collares ; appellada, a fazen-
da nacional. ...
Appellanle, Manoel Ferreira da Silva Ramos ; appellado.
Francisco Feliciano Rodrigues Selle.
Passaram do ir. desembargador Rebello ao Sr._ des-
embargador Poner a appellaces- civeis ein que sao :
Anncllante, o coronel Joaquim Cavalcanle de Atuuquri-
qiie appellados, O. Ambroiia de tirito Itezeria e
A p'pclaiile. Mauocl Jos Soarea deAvillar; appellada,
U. Manuela Francisca Monleiro Regadas.
IHilribmicio.
Ao Sr. desembargadur SjMiia a appclla(io civel da ci-
dade da Parahiba em que sao : ., u____..
Apuellanics, a viuvac herdeiros de Jnse Vellio Brrelo ,
appellado, J .s Luit l'crelra l.liua. '
AoM. desembargador Rebello a appellacao civel da
comarca de Goianna cm que he :
Appellanle, Luis da Fonscca, tutor do menor Criarlo.
Ao Sr. desembargador Ponce a appclla$ao do juno
civcl desla cidade em que sao :
Aiqttllanlc, I) Maria de Jess Telseira tranco; appel-
lado, Marccllluo Jos Lopes.
Ao Sr. desembargador Hamos a appellacao civcl desla
cidade em que sao : .....
Anncllante Alfonso Jos de Albuquerque Mello ; ap-
pellada, a irmandade das almas da frcguezia do Re-
Ao Sr. desembargador Villares a appellacao civel do
juizo da fazenda da Fortaleta cm que sao :
Appcllante, o julxo : appellado, tulz Antonio Ferreira
de Albuquerque.
I.cvanlou-se a sessao pelas i horas.
-i~"~~"~-T"-!"
rado.
Appellanle
Juliao Beranger
, appellado, Jos Antonio
Loureuco. Foi a semenca confirmada.
Appcllante, Anoa Rayiuunda da Paz ; appellado, Joa-
uim Jos da Silva. Anniillou-se o processo.
Appellanle, Francisca de Salles Maraes Alvcs da Silva
Vppellado. o coronel Aulouio Francisco Perelra. -
Rcccbcraiii os embargos.
Amiclhinie Rila arla de S Andrade ; appellado, Au-
tlmio Jos de Mello. Foi reformada a semenca.
Annrllaiiia, Jos Rodrigues do Paco appellado. Ma-
nuel Pereira Magalhaes. Fil confirmada a scuicnca.
Aiipcllanle, Paniel Creen ; appellado. GarrelTMler
Kaiup. Maudou-se lavr.tr termo de desistencia.
Appellanle, Amonio Jos Pereira appellada, a faieu-
D.iMl e PEKNAHBUCU.
liten*, 93 1>X ADH1L. DI ltMt.
A 21 do crrenle deixou de funeciouar a asscmblea le-
cislaliva provincial, porque os Srs. depuiados se nao
reuniraui em numero gundenle para haver casa
NOTICIAS iSTRANOEaAS.
Recebemos vatios nmeros do .dos quaes o mais
recente he datado de 8 de marco prximo P""ao ""
cebemos tambo,, o Livarpool Journal de 7 dei mes,no
mez, e as noticias ...ai.....portantes, com que nestas
gazelas deparamos, sao as seguiuies :
|kclti.
r.,e reino con.erv.v.-,e tr.nqn.no pos^que^U-
mraPTesarrUe^gub^n\a baia.ba dada na India
Tonld^miia^rupunncada no 77-. e.tav.in em
., mas licidos contra o poder e a supremaca dos ingle-
'!"'" trie do Ihelum 30 a 40 mi. homens com um
paiqued.arlill.aria, segundo mis de SO pecas, e srgnn-
du oulros de 70.
i


99
m
*
s*2
O parlamento*prosegua regularmente ra seus traba
Un >s, todo occupado com os negocios do pal.
Os consol* ticaram, de 90 3/1 a 90 7/8; as aplleos do
banco, de 193 a 195; os tres por cento reduzidos, de
91 .i s a 91 1/2. Os fundos braslloiros fcar.mi a 83 1/2;
os hoyos a 82 l/t ; os cinco por cento dinamarqueses a
94 1/2 ; o >io i ii" por cento porlugueos a 2(i; os cinco
por cento hespanlioes a 17 f>/8 ; e os dous c incio por
cento hollandc/.cs, de 41 a 49 1/2.
IIEtPJNIIl.
O Tacto mals importante que temos para noticiar acer-
ca deste paiz, he a reapparico de Cabrera frente das
f reas monteinolinistas. A 19 de fevereiro achava-se
elle rom 200 hoinens un Barreda.
O cabed Iba Borges mandara eapingardear nodia2i
do mesmo mez a quatro camponezes de Palma e La-Po-
blota por se terem adiado em poder destes infelizes
.i-mi, cilicios do commandante de urna das columnas
las tropas da rainha, e no dia seguintc mandara lser
o mesmo a outros doui desgranados que habitavam na
Torre-drl-Espanol por um motivo aemclhsnte.
FIAHCA.
Parla ficra tranquillo; em Tolosa. porm, alguns dis-
turbios tlveram lugar no dia 24 de fevereiro, oanniver-
sario da revolucio. Os exaltados percorreram as ras,
ten o na cibera o onnrl rouye, e gritando Vive la r-
publique Hoclale I Vive Barbes! Vive la nionlagne!
Vive i793 sem que as autoridades tomassem ne-
nhumas medidas para impedi-los de dar este escndalo.
( unforme anuuncia o Evenement, o nuncio apostlico
Cin Pars apresenlra ao ministro dos negocios estrun-
griros a circular que o papa dirigir n todas as poten-
cias calholicas. O enviajo ponlicio fra depois rece-
bido palo presidente da repblica, ao qual entregara
urna carta autlmgrapha des. Santidade.
Corra em Paris que Mr. Bajocclil, oflicial as ordens do
presidente da repblica, o qual partir a 28 de fevereiro
pira Vienna, iaenctrregadn da uiisao de pedir ao go-
vernd austraco as cinzas do filho do imperador Vapo-
leSo, e de acoinpanha-las a Paris.
Mr. Meredes tinha partido por ordem do presidente da
repblica para Turiin, allm de procurar dissuadir atar-
los Alberto de renovar a guerra com a Austria.
No dia 12 de marco Mr. Passy propozna assembla na-
cional o augmentar a dotacito do presidente da repbli-
ca de 50,000 francos por mez sb o titulo de [rail de re-
prctrnlatim. A diicusso dcsta proposta fol de um carc-
ter extremamente tempestuoso; porm Mr. Passy, aju-
d.ido por Mr. Dufaure, cousegulo afnal que ella fuese
approvada.
loiiioniic communlca o correspondente do Times, os
M'rw dolO." e li. districtos de Parisacoinpanhadoi
por inultos ofticiaes da guarda nacional dirigiram-se no
dia 4 de marco prximo passado casa de Mr. Lamarti-
ne fiara o m de depositaren! em suas mos a bandeira
tricolor <|iic os eidadaos daqucllet districtos linliam
levado a 24 de fevereiro de 1848 da cmara dos deputa-
dos para o Hotel-de-Ville. Esta bandeira 4oi o primeiro
emblema que se levantara no momento da proclamaco
da repblica. O taire do i0. districto, fallando em o
nomo das duas deputacoes, disse a Mr. Lamartine, que a
bandeira histrica que elle Ihe aprrsentava nao podia
estar inelhor collocada do que no domicilio de unidos
eidadaos que mals honrosamente a tinliam defendido.
Mr. Lamartine, expressandoa sua gratidao, respondeu:
- F.sta bandeira me he sem duvida~chara, porquanto fui
a pruneira que cobrio o berco da repblica, e porque
loi i i mi.em a prlineiraque communicou esta repbli-
ca um caracier de nacionalidade, moderaco, un mi
midade c Iradicco, conforme com nossas mais gloriosas
lecordacocs. .-e esta repblica fr alguin diaatacada,
quer por seus sustentadores imprudentes, qur por
seus inimigos, vos vos reuniris eni redor destas cores,
hilas acharo em vos o mesmo herosmo e cnconiraro
em iniiii a inesma voz e o mesmo braco para def'eu-
de-las.
Os presos condemnados a mor te por causa do. assassi-
nato do genera^ Brea construirn! e decoraran) nm altar
dentro da prisao ein que se acham, c todos os di s um
sacerdote celebra o sacrificio incruento, ao qual elles
assistem com a maior devocao. Vapreau, que ainda nao
niilia feito sua primeira communho, estuda o catlie-
cisino, cesta sendo preparado para esta solemne ceremo-
nia por um seu coiupanhciro de nome < Impar i. Dos se
conipadeca delles !
Pill)Iea5oes ;i pedid..
Mov me nto do Porto.
RIO-DF.-JANKIRO.--ministerio DOS NEGOCIOS do
IMPERIO, EVI 0 DE SETEMBRO DE 1849.
Illm. KxrtvSr.-Sendo presen tea S.M. o Imperador oom-
cio de V.hxc.,n.25, com data de Si do inex passado, pedin-
do que se fixe o sentido do art. 108 da le de 19 de agosto
de i846, que determina que nos sessentadias anteriores e
nos tri o ta posteriores ao dia da elcicao primaria ae'suspen-
daemtodo o imperio o recrutamento; visto que porcausa
dai expreaiuM-elcicao primariaque se refere secun-
daria, entendem alguns que aquella disposlcao legisla-
tiva nao he applicavrl seno eleieo de eleitores, e
outros saitentain que,por Identidade de raz.io.ou ao me-
nos por analoga de direito, he comprehensiva da elei-
cao de vereadores e juites de paz : houve o mesmo
augusto Sen lio r por bem declarar que a mencionada dis-
posicao smente se refere s eleiies primarias, que sao
aquellas em que a inassa dos eidadaos votantes elege os
eleitores; nao se podenilo,portanlo, appilca-la s cleifles
de vereadorea e jiiizes de paz, porque essas sao dlrec- Aracaty ; hiale brasilelro JuB.rfoO.capilao Jos Joaqulm
I devem cntender-se no seu sen- Alves da bilva, carga varios gneros. Passageiros, Sil-
Naviot ntradoi ao dia 21.
Illia de San-Miguel; 22 dias, escuna ingleza Dolphim,
de 94 tuteladas, caplto V\ illiain I.cwis, equipagem 7,
em lastro ; ao capitn.
Liverpool; 34 das, brlgue inglez Ilivnl, de 144 tonela-
das, capitn W. Lloyad, equipagem ll, carga lajea-
das ; a Johoston Pater & Companhia.
Navios taidos no mismo dia.
Liverpool ; galera Ingleza Sword-Pith, capitn Richard
Oreen, carga assucare algodo. Passageiros, Domin-
gos Rosemunnd, uisso ; ManoeI Jos Fernandes Gul-
mares, Braalleiro ; Joao Pedro Adour. Francez ; Her-
inann Martina e 1 filho menor, Bremense ; Francisco
Eduardo Alves Vianna, Portuguez; John llowie,
Inglez.
Gibraltar ; brlgue inglez Albion. capitiio GeorgeFelhers,
carga asaucar
tas ; c as palavras da Ici
tido restricto, e nao amplia-lo. O qne communico
V. Exc, para seu conheciiucnto. Dos guarde a V. Exc.
Jote Pedro iai da Silaa.Sr. presidente da provincia
de Pernambuco.
i en do sido Vmc, por decreto de 25 de novembro do
anno prximo passado, removido do lugar de juiz de
din no dessa comarca para o da comarca de Pao-d'Alho
da provincia de Pernambuco, como me foi coinmunl-
cado em aviso de secretaria de oslado dos negocios da
.iusllca de 27 daquelie mez, a,,im Ih'o participo para
seu conhecimento e governo. lieos guarde a Vine. Pa-
lacio do governo de Sergipe, 3 de marco 1849.Zacariai
de (ioeie Vasconcellos.-Sr. )r. Jos Telles de Menezet,
ALFANDEGA.Rendimcnto do dia 21 22:888/193
Deicarregam lioje, 23 do torrente.
Escuna Antje earvo de pedia.
Barca Tejo incrcadorias.
Briguc Mary-Taylor idem.
Briguc Vert farinlia de trigo c papel.
Brlgue Leo tnercadorias.
Brigue Maria-Ftlit batatas.
IMI'ORTACO.
Zilia, barca francesa, viuda do Havre, entrada no
correnle mez, consignado a Adour S C, manifeslou o
seguinlc :
15 caixas fazendas de algodo, 1 dita dita de seda e al-
dao, 26 ditas crvilhas em couserva, 3 ditas pclxe em
conserva ; a J. Keller & C.
4 caixa fazendas de algodo e seda, 1 fardo panno de
l.i, 2caixas fazendas de dita; a Schafhcitlin k Tobler.
3caixas medicamentos, 1 fardo semenles de genebra ;
a II. F. de Souza.
102 turril e 50 meios ditos manteiga ; a N. O. Bicber
St Coiiipanliia.
1 caixa llvros iinprrssos; a Angelo Francisco Car-
nclro.
1 barril vinlio tinto; a Meuron&C.
i i H va si i luis e pe (enees, 2 ditas pclles preparadas;
a E. Boili.
150 caixas agoa-ardente ; S. Routier.
1 caixa chapeos c pertences, 17 ditas queijos; a
ordem.
3 caixas fazendas de algodo, 2 ditas ditas de la, 1
dita dita de seda ; a Kalkmanii & Roscmund.
50 barris, 30 uieios ditos e 1 boio manteiga, 2 boies
salsiclies; al., Ilroguirc.
1 barrica queijos ; a G. Heleno!
50 cestos < ti ipantie ; a F. Kobllllard.
1 caixa pelles preparadas ; a tlidler Coloiubicz St C.
1 caixa vlnho ; a J. Soum.
2 canas pianos ; a Vigues Ain.
9 caixas papel, 5 ditas ferrageus, 1 dita balaacaa, 9
ditas agoa de Colonia, 1 dita papel de.einbrulhe, 4 (lilas
chapeos. 3 ditas fazendas de la, 2 ditas ditas de linho,
i dita dita de algodo, I dita luvas, 3 ditas raleados, 20
Mr. Moretn, imriressor americano, o qual moriera [lilas vidros, I dita papel de vidro, 1 dita chapeo deso
ltimamente em Paris, deixra 40.000 libras para seren de algodao, 10 dilas e 2 barricas drogas, 4 caixas pelles
dadas, como um premio, a quem qur /|ue conseguir i preparadas, 1 caixa miudezas, 1 dita masas para cha-
construir urna machina que seja capaz de tirar i0,000J 'os, c 1 dita llores artiliciaes; a Avrial lriuos.
i M'nij,lares de qualquer gaieta dentro de urna hora,
ITALIA.
Este paiz continuava no mesmo estado em que o des-
crcvemoi em unidos nossos passadosnmeros. Segundo
anuuncia o National iam enmecar a i3 de marco as hos- a'>'' Aquino Fonseca.
tilidades entra Carlos Alberto e o exercilo austraco. I 1 caixa obras de llandres, 2 di
4 caixas chapeos, e dita chapeos de sol de seda, 1 dita
sus peso i ios e es, ovas, I dita diversos objectos.l dita pelles
preparadas, 1 dita modas, 1 dita chapeos de sol de algo-
do ; a Freinont. f
1 caixa livros impressos, 1 dita pelles, sapatos e papel;
O rei de aples havia proclamado una nova eonsti-
tnico para a Sicilia, dujos termos linliam merecido o
assentimento das potencias mediadoras. Ks os daremos
em substancia em o seguintc numero.
No dia 28 de fevereiro fra ractificado pela assembla
nacional romana o seguintc decreto do triumvirato exe-
ciilivo : O tribunal do snelo ofriclo (inquisicao ) tica
para semprc abolido em Roma. Una columna coinuic-
inorativa deste aclo ser levantada no largo que fica em
licnte do edificio, l hoje consagrado a to damnado
lim, para que a prosperidade nioesqueca este solemne
fello. O ministro das obras publicas he encarregado da
execucodesta obra.
(,)nando os offlciaes do governo entraram no edificio,
as nicas pessoas que acbaram ahi encarceradas fram
duas freirs, cujo comportamento tinha sido lao irre-
gular, que, a terem vestaes, teriaiu sido queimadas vi-
vas, e um liomeiii que se tinha dado por bispo, e nesta
cipacidade havia obrado no Egypto e na Siria at que
afin.il a sua impostura fra descoberta.
iUSTRIt.
O imperador, seguindo o iemplo dado pelo re da
Prnssia, dissolvera a assembla que se achava funcclo-
naiidn oin Kremsier, e publicara dous decretos, cstabe-
lecendo por sua pruprla autnridade tuna nova conslitui-
eflo. Um destes decretos, diz o Liverpool Journal,- refe-
rc-scas provincias austracas separadamente aquella*
que perteneem a cora hngara e ao reino lonibardo-ve-
neilaiio Elle garante a Igualdade de todas as scitas, a
liberdade de educafiio e da linprrnsa, o direito de peti-
c.io e de associcio para filis lcitos, e a isenco de
inda a prisao arbitraria. 0 mitro eonlm a constltuicu
para lodo o Imperio da Anstiia. Todas as tribus tem
ig.iaes direitos e sao igualmente habilitadas para man-
lerem sua nacionalidade e liiigoagem.
Quando o conde Stadiou inliino.i aos representantes
dopovoa resoluclo imperial de dar urna constiluico
iiionarchla, c ao mesmo lempo de dissolver a dieta, to-
llosos iiioml.ro. desta.sein excepc'o, protestaran, contra
nina tal medida.
las vidros, 2 ditas fa-
zendas de algodo, I dita obras de papelo, 1 dita ro-
ldas, 1 dita drogas, 1 barrica miudezas, 1 dita cscovas,
1 dita feragens, 1 dita bijuterias falsas ; a Cezar
Krugcr.
2 caixas cidos, 3 ditas chapeos de seda, 4 ditas vidros,
1 dita obras de papelao, 2 barricas fio de lalo, 1 caixa
llores artiliciaes, I dita instrumentos de cirurgia c obras
de nicias de la, 3 dilas pellucla, 1 dita papel pintado,
1 dita filas de seda e algodo ; a J. P. Adour & C.
I gaiola com 3 faises; a Mena da Fonseca.
1 caixa modas; a Miliochau.
CONSULADO CEItAL.
Rendimrnlo do dia 21.........
Diversas provincias..........
. 4:081/8(34
. 83/58b'
O correspondente do JVotionai em Co.istaiilinopla com- Couroi
municara com data de 25 de fevereiro que o general
hngaro Bem flora derrotado na Transylvania pelas fr-! BmIIi
, i^i un iinii k lia iiulr a I A..._t^ **' 1
cas combinadas da Austria e da llussia, c que oaaiussos
i i I iiuav.iin toda a honra da victoria, diiendo que se
elles nao loram, os AuMiiacos teriaiu sido dejfeltoi. '
' ALLIMINMa.
Nada de extraordinario havia all occorrido. As c-
maras bavaras linliam aido adiadas, e fallava-sc mullo
na renovaco
duca *
potencia ja mina dado uotlcia oiini.il da reslauraco do
hloqueio das cosas septeotrionaes e occidentars dos di-
tos ducados no dia 27 de fevereiro, mas nao havia an-
da certeza de tal aconteciuiento.
scsiu.
Este paiz Acara em paz ; mas. parece que he inevi-
tavel a guerra eutre elle ea Turqua.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 21............2:096/112
PRACA DO IU:CIFF,,2I DE A lili I!. DE 1849.
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista nmanal.
Cambios---------- Pela galera Stoord-Feth saccou-se a
27 e 20 e nielo d. por l/rs.
Algodao --.--_ Entraram 914 saccas. O de pri-
meira sorte vendeu-sc de 4,600 a
4,700 rs. por arroba, c o de segun-
da de 4,200 a 4,300 ra.
Aisucar---------------Smenle liveinos 96 caixas. F-
ram puncas as saccas viudas ao mer-
cado. Os piceos altearam : o en-
callado vendeu-se de 1,000 a 1,100
rs. por arroba sobre o ferro; o
em li ai a ic .do e eniaecado branco de
2/ a 2,500 rs. por arroba, e o masca-
vado de 1,780 a >,800 rs.
Couros -------------- Continuaram a vender-se a 105 rs.
por libra,
ao ----- u deposito he diminuto, e loi mul-
to procurado.
- Venderaiii-se mais de 40.000 arro-
bas. No lim da semana subirain os
precos, os qaaes regularan* as-
siui: de 3.000 a 2,600 rs. por arro-
ba da do Rio-Grande; e de 2/ a 2400
da de lluenos-Ayres.
vest c Ferreira dos Santos com 1 escravo, Jos Correia
dos Santos, Antonio Rodrigues branles, Joao Dama-
ceno e Silva.
Portos do sul; vapor brasilciro Imperador, comniandan
te o primeiro lente Ignacio Eugenio lavare. Alin
dos passageiros que trouxe dos porlos do norte para
os do sul leva'.-i seu bordo : para Macelo, Jos Baplista
Braga ; para a Baha, Augusto Sllroch, Francisco Jos
de Magalhea Bastos ; para o Rio-dc-Janelro, Joaquim
Jos liomes, Joao Antonio Fernandes de Carvalho
com 1 escravo e 1 dilo a entregar.
.Vni'ie entrado no dia22.
Villa da Granja ; sumaca brasileira Carlota, de 54 tone-
ladas, capilo Joao Lulz de S, equipagem 9, carga fa-
i inli.i, sola, taboado e couros miudos ; a Lulz Jos de
S Aiaujo. Passageiros, Manuel Alves da Silva, Portu-
guez ; Geraldo Ferreira Guedes, Hrasileiro.
yuvioi tahidoi no meimo dia.
Sanla-tlalliarlna ; patacho Inasileiru Satividade, capilo
Vital Jos da Molla, carga assucar e couros.
Lisboa ; brigue portuguez Triumphante, capitn Sabino
Antonio Cabo Aducida, carga assucar. Passageiros,
Jos Antonio Fernandes Braga, Custodio Velloso de
Araujo, Antonio Jos Dias, redro Payro, Portugue-
ses.
Philadelphia; barca americana Jofm-Farniin, capila
Paulo Smack, carga assucar.
Gibraltar ; polaca austraca l'eratle, capilo G. Mitalo-
vich, carga assucar.
Portos do norte ; vapor brasilciro Imperatrix, coinman-
dante o capilo de fragata Jezuino Lamego Costa. Alm
dos passageiros que trouxe dos portos do sul paraos
do norte leva a seu bordo : para Parahiba, N. Lrawen,
Pedro Antonio Bemardino, Mara Power com 1 filho
menor e urna rscra va ; para o Cea i ,1, Foiter W. Nasch,
Bruno Cabral de Goveia ; para o Maranhao, madame
Sauluncer comuma filha, oeadete Jos Vielra de Sou-
za, Manuel do Nascimcnto Braga, Manoel Antonio (Ion-
calves, Alberto Branco, Manoel Kontanc, Manoel do
Lago ; para o Para, Manoel Jos Antunes.
-- Est i cliegar do Rio-de-Janeiro a bem conhe
eida eveleira barca Ktpirito-Santo, a .qual vem
este porlo acabar deOrrgar, o deve eom muiln
pouca demora seguir para a cidadn do Porto e p0r
isso se avisa a quem se qizer transportar de p>ss.
gem para aquella culada e' auizer 1er esla dimi"
nula demora acharR na rererida barca os roais
excellentcs commodos nfio s pela grande camiri
que tem como o tombauilho:quem com antecedencia
quizer contratar a sua pnssagem ou carregara fru.
lo, dirija-se ao seu consignatario Francisco AI vea
da Cunlia na ra do Yigario. n. II, primeiro
andar.
Espera-se do Rin-dc-Janeiro|al 13 do correnle
o brigue portuguez Ttreeira capilflo Jos Antonio
Ribeiro de Freitas.e segu para asitbaideS.-Uiguei e
Terecira, com a maior brevidade possivel; srece-
,be passageiros para os quaes offerece excellen-
tes commodos : quem quizer ir de passigem, diri-
ja-se aos consignatarios, Olireira IroMos & Compa-
nhia, na na da Cruz, o. 9.
Para ilha dos Aco/es e Lisboa sahe impreleri-
"i velmeiiU', no dia 24 de abril, a polaca Soeida4.fe-
_ lia, poi se adiar com o carregamenlo quasi comple-
to : para o reslo da carga e alguns passageiros, aos
qtiacs oiTerece bons commodos, trata-se com ioo
'lavares Cordeiro, na rus do Vigario, n. 8.
Para o Rio-lle-Janeiro pretende sabir breva o
urigue Mercantit, por ter urna parle do carreganen-
to : quom no mesmo quizer carregar, embarcar es-
cravos, ou ir de passagem, eiilcnda-se com os con<
signatarios, Amorim Irmfios, na ra da Cadoia, nu-
mero 30.
Le lao.
EDITA L.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade, oficial da imperial
ordem da foia, eavalleiro da de Chriito e inspector da al-
fandega de Pernambuco, por S. SI. Imperial, etc. etc.
Faz saber que no dia 24 do correnle ao ineio-dia na
porta da alfandega se ho de arrematar em hasta publi-
ca 12 duzias de chapeos ilc palha, no valor de 240,000
ris, e 200 duiias de cour nidios no valor de 160.000 rs.,
impugnadas pelo guarda l.uiz Be/erra Montelra Padiiha,
no despacho por factura sdb n. 4460, sendo a arrema-
cao subjeila aos direilos. Alfandega, 19 de abril de I84U.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade.
Joo Keller & C. faro leilflo por inlervencSo
do corretor Oliveira, de grande e variado sorlimenlo
de fazendas de seda, la, liulio e de algodSo, as ssau
proprias do mercado : boje, 33 do correnle, i lo
horas da manlifia no seu armazem da ra da Gru.
=: O corrector Oliveira far leilao de grande porco
de mobilia, consistindo em consolos, metas redonda
para ineio de sala, ditas para Jogo, sofs, espelhos, lou-
cadores, caderasde inultas qualidades, marquezas, dif-
ferentes secretarias, armarios, quadroi lindissiuioi
com molduras domadas, carteira grande e outra* pe-
quenas, estantes para livros, e balco para escriplorio,
caiiuaps, e considcravcl quautidade de outros objectos,
nao mencionados para evitar a extenio deste annuocio:
qiiartafeii a, 25 do correnle, s 10 horas da manila, na
armazem c primeiro andar da casa n. 52, ra da Cadcia
do Rccife.
Avisos diversos.
Declaracoes.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia d audiencia
todos os dias uteis das duas horas da larde em dianle.
Pela subdelegada da freguezla de S.-Frei-Pedro-
Goncalves foi apprehendido, no da 15 do correte, a
tarde, um cavado alaso que vagava pelas ruaa s : quem
for seu dono dlrija-se mesina subdelegada, que dan-
do os signaes certos, ser entregue. Subdelegada da
fregueiia de S.-Krei-Pedro-Goiifalvej do Recifc, 20 de
abril de 1849. Francisco Mamede de Almeida, subdele-
gado suppleute.
Cartas seguras existentes n.i adininislracn do cor-
r ni para os Srs. Antonio Jos de Serqurira, Bernardo
Jos Lopes, Francisco Jos de Oliveira, ('.andina Agos-
tlnho.de Barros, JoAo Henriques da Silva Jnior, Jos
Antonio de Azevedo Santos, Jos Mamede Alves Ferrei-
ra, Manoel Antonio da Silva, Manoel 'oaquim Ramos e
Silva, Oliveira Irmnsat C, r.iiva Avisos martimos.
Carne -secca -
SS&tt eTls'etn? SS^SSS^ ea *......' "*- fiS ^S"" "" ,'T
isnria n,,h a^a*. ,. ir i\i a "I"', esu mentado com 2,800 barricas, v ndas
i. ni ii j i iiuiia dadu noticia oflicial da reslauraco do ,i n,... t.iI... a. .......
do Havre e Trieste. Os precos nao
silli craiu .-ilieaco, e lica ani em
ser 9,600 barricas.
Existcui no porto 62 einbarcaeoe, a saber.- 1 ameri-
cana, austriacaa. 20 brasilelras, .1 bremense, 3 dina-
uiaiquczas, 4 francezas, 1 hollaiideza, lOinglezas, 5por-
nguezas I prussiana, 2 sicillanai, 2 sardas, 2 suecas e
1 hespanhola.
Para o Aracaly pretende sabir al do vindouro o
hiate Novo-Olinda, por ter a umior parte de sua carga
tratada: quem nelle pertender carregar e ir de passa-
feni, se entender com o mestre do mesmo, Antonio
os Vianna,no Trapiche-Novo, ou na ra da Cadela-Vc-
Ihi. n. 17, segundo andar.
= Para o Rio-de-Janeiro segu viagem em poucos
dias o brigue nacional Deipique, por ter parle de seu
carregamenlo prompta: para o resto da carga, passa-
geiros e escravos, trata-se com Machado Si l'inheiro, na
ra do Vigario, n. 19, segundo andar, ou com o capilo
a bordo.
Para o Rio-de-Janeiro sahe impreterivelmente no
dia 2Ci do correnle, 0 patacho Diligente: recebe ainda
alguma carga uiiuda, passageiros c escravos, para o que
leui excclleutes coiumodoi : a tratar na ra do Vigario,
n. 5.
Para o Rio Cramle- lo-Sul prolende abir em
poneos dias o brigun Deoi-te-Cuare, por ter a sua
carga prompta ; iras ainda pode receber alguma
carga a frote, assim cmo escravos os prelenden-
tos cliiijiini-se n Rallar & Olivira na ra da Cadeia-
Velhn, armazem n. \->
Frelam-se duas barcadas una de 21 e outra de
30 caixas, pata o Cear ou Aracaly : os pretndan-
les, dirijain-sc ra da Cadeia do Recife loja de
ferrageus n. 59.
>- Para a Rubia segu, no dia 26 Jo crtente, o
patacho S.-Cruz : para o reslo da carga e passagei-
ros, Irata-se ao lado do Corpo-Santo, loja de massa-
nies, n. 25.
Para a Babia sabe em poucos dias o hiate S.-oJo:
para n reslo da carga e passageiros, trala-se com .No-
vaos & C, na ra do Trapiche, n. 34.
Para o Maranhao, tocaudo'no Cear, tahir em pou-
cos dia, o brigue-fsctiua F.aura : para o reslo da carga o
passageiros, Irata-se com o capito na praca, ou com
Novaes ti C, ua ra la Trapiche, a. 34.
Para o Rio-de-Janeiro sesjtt*. al a. dia M do
correule o brigue ismero ; quem quizer embar-
car escravos a frote ou ir de passagem para o que
tem asseiados commodos dirija-se a ra da Cadeia
do Recife n. 61, a tratar com Jo3o Jos' Fernan-
des Magalbfles
Para o Rio-de-Janeiro sahe-com a maior brevi-
dade possivel, por ter a nniiur parle da carga enga-
jada, o pilaclio nacional Francclina : para o reslo da
carga e osera vos, trata-se com Machado & l'iulioiro,
na ra do Vigario, n. (9, segundo andar.
\o publico.
Hontem desembarcou nesta nossa cidade o Sr. ca-
valheiro Augusto Luiz Moeser, viudo do Rio-de-Ja-
neiroe da Baha, a demorar-se por algumaa sema-
nas enlre nos. O Sr. Mooser lie o famoso rebeqeisla
a q'uem tantas vezes leem o jornnes do Rio Com o
melhor afn elogiado, e que mcreceu deS. II. o Im-
perador sor brindado com um riquissirao alfinete du
brilhantes, daqui se pdeajaizsrossons melodiosos
queo Sr. Moeser arrancada rabees,entumgrande con-
cert musical, como se o mesmoislrumetilo eslivtsse
acordado a exprimir a alta harmona. Tendo o Sr.
Moeser emdilVerentes lugares da Europa deleitado,
esempre com geral admira (fio aos amadores dessa
poesa dos ouvidos, e recebido brindes dos monar-
chas do Portugal, llespanha, Austria, etc., vcio tam-
ben) moslrar-se-nos a receber nossos parabens.
Ei-lo com nosco : e ler-sc-ha de annunciar por dif-
ferenles vezes os diversos concerlos quo terSo lugar
em o nosso Ihealro. .\3o precisamos recommondar
ao publico, o que sempre elle he o primeiro-a appa-
recer para apreciar. lim amador da msica.
fio eiioenlio lliiranliein aeham-se alguns cavallni
dos que ffiram tomados para conduzircm a bagagem da
columna que coiumandava o coronel Joao do Reg
Barros : quem se julgar com direito a elles vi ou manilo
ao mesmo engenho.
--Precisa-so de mu feilor para um sitio perto dota
praca : na travessa do Veras, n. 15.
Manoel Antonio Monleiro dos Santos, subdito por-
tuguez, val ao Cear.
-- Manuel Martins, Portuguez, retira-se para a Rabia.
Henrique Amante Chave ain, Francs de uacao, re-
tira se desta cidade com sua mulher eoilo filhos meno-
res, em consequencia de ter que seguir para ontevl-
deo: porlanto, se alguem se julgar seu credor queira
aprsenla* suas conlas em sua casa a qualquer hora do
dia para ser embolcado.
Procura-se un individuo que ji servase no exerci-
lo, ou que, tendo seu lempo de p'iac acabado, qeeira
continuar no misino servlco por mala quatro anoos :
no quartel do Hospicio, a tratar na segunda companhia.
Precisa-se de nina mullier para ama secca de urna
casa de pouca familia : na ra da Crac, loja de barbel-
ro, n. 53.
O abaixo assigoado sclentilic.i ao respellavel pu-
blico, tanto dcsta provincia, como de todas as niai
aonde seja preciso, que seu procurador actualmente be
o solicitador Joaquim de Albuquerque e Mello, a quein
leus couferido procuraco bastante para ledos os seus
negucius judici.ies, litando de uenbiiiii vigor toda e
qualquer outra anterior esta dHL conferida a outra
qualquer pessoa ; e para evitar Onvld.is futuras fazo
presente. Rcclre, "3 de abril de 1849.-hit Dios **
Silva.
Roga-se ao Ulan. Sr. Dr. Lourcnco Francisco de
Almeida Catanlio de annunciar por esta folba a casa de
sua residencia nosla praca, para ser procurado, alim de
tratar-se negocio de iutoresse particular.
Manoel Francisco Bastos, Porliiguei, val para <'
cei, levando em sua companhia a familia.
eb Francisco Joaquim Ouarte, Portuguez, vai a Ma-
celo, levando em sua companhia nina cscrava.
O bacharel Bernardo Jos Vieira
Coulinho, proprietario da livraria da ra doCollegio,
para evitar duvidas, ou fraudes uo futuro, declara que
nao deve a ningueiii qiiaulia alguma que conste de l-
talo de ualurcza civil ou coiuiik rcial que o annuncian-
te baja assiguado : as pessoas quo leen coalas com o
iiiesino auuunciante pdem apn scnia-las para ser**
pagas.
Relira-se para o Cear F, W. Nashr.
Ka pallara, trance** do Atierro da Boa-Vista, n. 50,
paatlsa-se de um amaasador que seja ixio en seu nlH-
cio e de uui preto, por aluguel, *ue lambcut enlcnda
de niasseira.
~ O abaixo assignado, tendo de retlrar-se para fra
da provincia com toda sua familia, roga a lodos que me
devem que Ihe veuliain pagar uo prazo de quinze das,
do contrario se usar dos meios judiciaes: assimcoiiio
rogaa todos aos scnbore que se julgareiu seiis cfadores
que liajain de apresentar suas cuntas no mesmo pra-
*o. Antonio Jote llabello Ouimaret


= 0 padre Manoel Nuues Martin, ubdito portugus
rrtira-ie para Uiboa/c*iu o tcu criado Lula Antonia
Goiivalvc;iambem PbrWfoer.
-- l)eencaininhou-se, desde o porto da ra Nava ate o
Wontciro, urna trouxa de roupa, sendo a malor parte
delta marcada coin a> seguintea lettra A. 1. S. A.: quem
der noticia delta, ser generosamente recompensado na
tu do Queimado, n. 32.
Precisa-ge de%lTiciaes de tanoeiro:
iiariin.de Santa-Hita, n. 85.
- O proprletarlo do sitio denominado Campo-Ver-
de --, coutigno a* CerredeT-do-BIpo, avlaa sos seohores
laeafcraran terreno en dito sitio, e 9,11c anda nna
latisaaerain as condicoe do aforamento, que teonam a
l>aaVde de comparecer ate o dia 30 do crreme em
a ra Direlta.no primeiro andar do (obrado o. a Hin
de oomprlrcm ai condicoe quesesubjeluram; na cer-
((iicsetSo os dito terreno! aforados de novo a
^RHHlei, se porvenlura se exiiiiirem detse
Wdla Indicado.
ulm ioe dos Santos piloto approvado pela
real academia de Lisboa, participa ao reipeltavcl publi-
co que abri a la aula de piloto na traveasa da Madre-
de-Deos, n. 3, segundo andar : os srnhore que quije-
ro 111 frequentar acharao aula aberla todos 01 das de se-
mana e das sanio dispensado, dede as nove bora da
inanhta alias duas horas da Urde, sendo cada alumno
0,000 rs. por mei.
-Aluga-aa tima cas propria pira padaria: no
beccedasBarreiris, n. 7.
-0 mlvogado Jos Bernardo GalvSo Alcinvorido
mudou o seu escriptorio para a ra do Graspo, n. 7,
firimeiro andar, por cima da toja doSr. |gnacio Vie-
gia .sendo a entrada pela ra do Collegio
--0 abaixo assignado avisa a todos as pessoas que
fcaram devendo contas a Manoel ftodrigues Pinto
hsjim de ai ir satisfazer na ra do Collegio, botica
n. 18, isto no prazo de 15 dias contados desta data;
dp contrario, passar a publicar por esta folln os
seus_ iionics por extenso. Como procurador do
mesmo cima, Joaquim Rodrigue Pinto.
- Traspassam-se as chaves do armazem n. 53 da
ra da Praia ,com loJos os seus pertences: na ra
das F'jres n. 25, so dir quem faz este negocio.
\ pessoa a quem fr offerecida urna flauts de
ebaio rom annnis, bomba o 5 chayes de prata, quei-
ru apprehende-ld o annunciar, ou dirija-se a ra
doNogucira, n 6, pois foi extravala do uina loja
no di 8 do corroo te dentro de una caixinlia de
madeira quo ser gratificada generosamente.
Precisa-te do una pessoa diligente para co-
drangs aqui na prag pagindo-sc-lhe porconta-
ro n do que cobrar somonte e dando fiador ios va -
lore de que tomar conla : n fallar com Guilhcrme
Selle lio Aterro-da-Boa-Vista, 11. 10.
Roga-se aosSrs. Francisco Euzebio de Farias ,
fassisno Alberto PimenU deSou/a Peres, Francisco
Jos Alves Cama e Manuel Jos llibeiro Gavalcante,
1I0 irem no Aterro-da-lloa-Vista, n. tO ou manda-
re m rrsposta das callas que receberam.
Na ra do Queimado, n. 14, se dir quem d di-
nhciroT premio. Ni misma cata vendem-se brincos
do ouro, tnedilhas, trancelins, correnles, annelues,
relugios, 3 cordas 2 flores de prata para cabera de
senliorn, un par de (velas, urna colcha da India,
urna liandeira nacional, e un gillielciro.
SianOel Resende llego, subdito poituguez, reli-
ra-se para fra do imperio.
--OSr. Albino Jos Fereir da Cunha dirija-se i
ra do l.ivranient'i, n. 21, quo se llie deseja fallar a
negocio de seu inleresse
-Jos Fermndes Ferreira, lendo de retirar-se pa-
ra fra do imperio avisa os seus credores que Ihei
aptesenteni suis cuntas at o piimeiro de maio, para
seren pagas.
- O Sr. Jeronymo Jos Ferreira queira por obse-
quio dirigirse a laja de louga da ra do l.ivramento
para receher urna carta viuda do Rio-de-Janciro,
pelo vapor Imperairiz, e que por ser do igual nome,
se lirou do coireio.
- Joaquim Jos-Ferreira subdito portuguoz ,
etlrc-te para fra do imperio.
Philogono Aduur, niio tendo podido despedir-se
pessoalraeiile de seus amigos nesla ciilade, visto a
hrevidade de sus viagem para a Europa roga-lhos o
queirim desculpar e oll'orece- Ibes seu prestidlo na
cidade de l'ai is
D, lloseninund, n3o tendo podido despedir-se
possoalmentedeseusimigos nesla pinga por cau-
sa da rapidez de sua viagem para u Europa roga-
llies o queiram desculpar, e oneieco-ldes seu pres-
umo.
DE^E^lpiMES.
>,-
J. A. S. Jane, artista, lem a honra de avisar ao rea-
peilavel publico, que contina a pf denles ar'.fl-
ciaes de porcellana assim como tambem lira us ca-
rina dos naturios, quo tanto damnificam os denles r
cooperam para o man hlito da bocea, n.1a sendo ti-
radas; caiga com ouro, prata e metal hirenos den-
les furados, na jua residencia, a ra estrcila do
Ruzario n. 16 Oannuncianle assevera a todas as
pessoas que se quizerem ulilisar dos seus ser virus,
que nflo exig-i paga alguma nn ficando os denles
tilo born pontos que nflr se, possam diflerengir dos
proprios naturaes, podondo-se mastignreom os mes-
mus toda a comida sein 1 menor dr neni receio e
por cujo motivo o aimuncianto espera na bondade de
indagas pessoas que precisaren! de seu pieslimo
que nlo o dcixem de procurar, avista dos minios
I exemptos que lem dado as pessoas que o lem pro-
tegido.
I*ara as pessoas que t curio-
uam seguir viagem.
rlia do Rangel, n. 9, continuam-se a lirar pas-
sapoitrg pira ntroe ron, ((o mperi0 f despaedam-
sftttcravosie correm-se fulbas ; ludo com brevida-
^reco milito commodo, como se temdado cx-
c lenle prova no decurso de 8 annoa.
-- Jn3u Hara da Silva e tiento Pereira de Resen-
les subditos de S M. Fidelissima retiram-ae para a
c ala d'Africi.
- O abaixo assignado, procurador di S. Casada
MuericarOia a inda, fazscieule (odas aspes-
f*,**J| Pfawiuros de 5 e 8 por ceuio a mesma S.
^PET de,,oervao tomada m mesa de 17 do
cotreuta Man todos pegando o juros de tO por cen-
to e a quem 0B0 convier pagar ditos juros, haja de
recolherseueprincipaes el juros vencidos al al
dad. Antonio Lobo Htbertim de Miranda Henriq*'-
Um administrador perito e sen familia se
propfio a administrar qualquer engenho, pois o qu
tem todos os conhecimentos precisos e pratica para
o qilo d eonhecimento de sua capacidade pelos Srs.
mais probos rquem de seu prostimose quizer ulili-
sar, dirija-se ra da Praia, armazem n. 9.
Antonio Joaquim Ferreira da Silva deixou de
vender bebidas espirituosas de produccSo brasileira
na sua venda da ra do Collegio, n. 16.
|>recisa-se deumeaixeiro que tenha pratica d
couros: no Forte-do-Hattos, prensa de algodilo,
de JosRibeirode Brito.
Quem annunciou querer urna prensa de copiar
cartas, encontrar duas na ra da Cadola, loja de
(azendas, n. 41.
Francisco de Albuquerque Mello, llrasilciro na-
to vii as Alagis.
--Oibaixo assignado faz sciente ao respeitavcl
publico que nSo se responsabilisa por qualquer coli-
sa que se d em nome do abaixo assignado, aioda
que seja com cscripto. Manoel Antonio Coelho d
Olivrira.
No pateo da matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4,
liram-se pissaporlcs para dentro e fra do imperio,
assim como despacham-se escravos, por prego com-
Qiodo.
-A viuva & Futios de Jofo Carlos Pereira de Bur-
gos Punce de Len vendem, ainda mesmo a prazo ,
ou a troco do escravos as casas terreas tendo cada
una 2salas, 2quartos cozinba fra quintal e ca-
cimba sitas na travessa do Marisco defronle da
nova matriz do S. Jus : no paleo do Carmo, sobra-
do n. 18.
Permuta-se por.um engenho um dos melhores
sitios desta cidade, tanto pela elegancia, como pe-
las commodidades que desejar-se pode, sito no Ar-
rnial, pcrteiicente a Viuva & Filhos do JoOo Carlos
Pereira de Burgos Ponce de lon : trata-so no paleo
do Carmo, sobrado n. 18.
I'recisa-se de urna ama de leile que saiba tra-
tar de urna crianca e do que Ihe diz respeito : na
ra da AssumpcJIo, n. 36, segundo andar.
Francisco deSouza Tavires, Portuguez, retira-
se pira fra da provincia.
Piecisa-sedeum criado: na ruado Hospicio,
U. 9.
Quem se propozer 1 fornecer capim para al-
guiiscnvallos, trazendo-o diariamente ra duHos-
picio, n. 9, haja de ubi appurecer para so cunvencio-
nar a respeilo.
O Sr. tenente Bernardo Jos da Graca lem urna
carta na livrariada praca da independencia, ns. 6 e 8.
Carlos Claudio Tresse, fabiicanle de orgflos e
realejos na ra da Flores, n. 19, avisa ao respeita-
vcl publico que concerta orgOos o realejos, poe
marchas modernas desle paz, concerta pianos sa-
ralinat, caixas de msicas accordSos e qualquer ins-
trumento que appareca : tambem faz obras novas ,
e vende um orgflo proprio para capelli, uu ilta-mr,
com boas vozes por prego commodo.
-- Jos Baplista da Fonseca Jnior tem para ven-
der no armazem do Bacelar defronte da escadinha
daalfandega ou na ra do Vigario, n. 25, a mc-
Ihorfarinha em saccasque ha 110 mercado, prego
menor que nenhum outro possuidor.
--Aluga-se o armazem do sobrado da ra da Cruz,
n. 18 : a tratar 110 mesmo armazem.
OITerece-se urna mullier branca, para ama scc-
ca de urna casa de pouca familia : quem a pretender,
dirija-se i ra do Burgos, na esquina do becco do
Noronha, prime i ro andar.
Engoninia-se roupa com perfeigito, por prego
commodo : no Alerro-di-Boa-Vista, a, 55.
Precisa-se de urna ama para urna casa de pou-
ca familia, quesaihaengommarecozmhsrcnm mais
necessidade : em Fra-de-l'oilas, ra do Pilar, n. 72,
segundo andar.
Manoel Duarle relira-se para fra do mporjo.
Jos de Medeiros lavares avisa aos Srs. que
teem penhores em seu poder que os vilo tirar al o
11 ni do mee Sein falla, porque o am uncanle lem
do ira Europa ; do contrario serfto vendidos para
seu pagamento. U innunciante tambem avisa as pes-
soas qus lhedevem, pura que Ihe vilo pagar ate ao
mencionado prazo; certas deque, se o tino fizercm .
se usar da le.
-O abaixo assignado, leudo de relirar-so para
fra do imperio, rga a todas as pessoas quo Ihe de-
*em venham pagar-lhe seus dbitos no prazo de 8
dias da .data deste ; certos de que qualquer que o
deixar de fnzer ver"b seu nome por extenso ueste
jornal quantias o qual a sna origen) assim romo o
mesmo abaixo assignado aproveita a occasiSo de
fazer publico que nSo pretende relirar-se sem niio
salisfaztr a lodosos seus credores a quem legal-
menle deva. Osdevedores que Ihe queiram pagar na
sua ausencia secntendcrlocom Joflo Jicintho Pe-
reira Cabral na ra larga do llozario, n. 29.
t'raneisto Jote Pardo.
Pcrderam-se, no dia 18do crrente, do bairro do
Becil'u do' de S -Antonio, 5 chavinhas cufiadas em
urna eorrenie de prata: quem as tiver acholo, far
u favor de as levar ao Hutel-Frincisco na ra da
Alfandega-Velha n. 9, que ser gratificado.
s Portuguczes abajxo declarados rctiram-sc
para fra do imperio : Ignacio Augusto de-Aguilar;
Joaquim Antonio lijas de Castro; ClaudinoFencira
Pinto; juse Jacinlbo e sua mullier; Jos Francisco
Moreira, sua mullier, e utn lilliu menor; Jos Joaquim
de Macedo ; Francisco Ineal o sua mullier; Berlo Jos
Pereira ; Antonio Coelho da Mola Bandeira; Jos
Joaquim de Pinho ; Manoel Huirte; Martinlio da Sil-
va Pereira ; Manoel da Costt Jnior, sua mullier e
nm (litio menor.
Avo ao respeitavcl publico
Guilherme Frodcrico"taller, como leuda de de-
morar-se por Inais algum lempo, pela' bastante con-
currencia que tem tidu avisa as pesseas que o lera
fallado para lirar retratos que apparegura quanto
Hites uestes 10 a 12 dias, O annunciante lem liis ni-
tratos do desembargador MUES MACHADO, tirados
a dagarrcolhypo, e que vender por pregos com-
modos.
Agencia de passaporles.
Na ra do Collegio, n. 10 e no Aterro-da-Boa-
,isla lojas ns. 48 e 78, conlinuam-so a Unr pissi,
porles, laulo para dentro como para foca do imperio-
assimoinodespacbam-se escravos: ludo com bre-
- O fabricanasdetln estabelecimento id.verte ao res-
peitavel pubateo desta cidade que ella lajasue pre-
sentemente um rico sorlimento de chapeos de sol,
assim como chapeos, de sol de seda furia-cores, dos
mais ricos que teem apparecido oeste mercado, e de
cores conhecidas; ditos pan senhbras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suat competentes fran-
jas de retroz, ludo que tem de mais moderno e do
melhor goslo; um completo sortimento de chapeos
de sol de panninho de todas as cores e detpdos os
tamaitos, para homens, senhoras e meimos: hi
tambem iguil sortimento de fatendas para cobrir ar-
magOes, tanto de sedas de cOres, como de panninhos
trancados e lisos imitando seda. Adverte-se que os
freguezes serflo servidos com brevidade, e se acha-
rffo satisfeitos da boa qualidade, do bom gosto e do
bom prego.
O afcri.lor roga a todas
as pessoas que conduzem mel. sgoardente, azeite
&c, para o mercado desta cidado em ancons; e que
anda no aferiram,que quanto antes venham aferir.
pois o lempo di iferigUo est a icabar-se,e os fiscaes
respectivos passarflo a dar as corridas Jo costume, e
aquellas que enconlrarem sem estar afondas neste
auno de l8*9,ser.1o multadas em 2,000 ris cada urna,
o obrigadas a aferir; assim como previne aos senho-
res de lojas, que, estando prximo o tempo da revi-
silo, no Ihes passar verba de reviso, sem que es-
tejam exactas com o padrflo da cmara, e para esse
fim j tem preparado urna porgflo de varas e eovados
j ateridos para aqucllesque precisaren.
i
Vi
vidade.
O doutor Caetano Xavier Pereira de Brito ,
formado em medicina ee.irurgia, loma honra
de offerecer o seu presumo ao rcspcitavel pu-
blico desta cidade, em sua casa no Aleo-la-
Boa-Vista n. 43 onde pode ser procurado ,
de mandila al s 9 llorase mcia e de larde das
3 lioras em dtante.
KBr-WMSNMr &MIB9a>S9a>9
Fabrica de espclhos.
Joo Dubois faz publico quo presentemente acaba
de montar tima fabrica de por ago em espclhos de
maioT (n menlio : as pessoas que se quizerem ulilisar
desua arte pode o procurar em casa de sua resi-
dencia na ra larga do llozario sobrado ns. 6 e 8.
Na casa de modns francezas do madama Millo-
chau ,Min Atorro-da-Boa-Visla n. 1, defronle do
ehafariz, recebcu-se pelo ultimo navio, viudo de
Franga um lindo escolliimento das ultimas modas,
eomosejam : collen'nhns ecamisinhas de cambraia
bordada, milito ricos; cabegesdebicos bordados;
cortes de vestidos de seda de barogn de garga de
cassa e de cambraia; lengos muito lindos, psr
gravata de senhora ; garga de seda, lisa e de todas
s cores ; fil de linho e deseda branco e pelo ;
ricas flores para enfeites do balese casanicntns ;
plumas para chpeos do senhora ; entre-meios bor-
dados de cambraia-. fina ; cambraia do linho; ricos
manteletes de seda de cores, muto ricos ; ditos pre-
tos enredados de tranga e franja; lengos de mo ,
de cambraia de linho ; fitas muito lindas o ricas;
trangas de seda de todas as cores para enfeites de
vestidos ; esparlilhos para senhora ; luvas de pel-
lica curias e compridas ; ditas de maia aherla ,
muito finas; trangas de algoJBo para enfeiles de rou-
poes do menino ; bicos de linho blondo e do seda ;
tarlitinas ; manteletes de hico prelo; chapeos de
seda e de palha para senhora e meninas; guang>s
de boloespara vestidos de senhora; rendas lisas de
linho edo seda mantas do lila e seda de muito
bonitas cores: toncas para senhora. Na mesma ca-
sa se fazem eflectivauenle vestidos, chapeos e ton-
cas de senhora da ultima moda e a prego mdico.
*?*?#* f#ff**i*^*#
4)
*> JOS ANAXETO, SANCRADOR E DENTISTA, #
? j bem condecido na sua arle, e morador na '.$
ra estrella do Rozario, ( bairro de Sanio- %
Antonio junto.i igreja, casa terrea, 11. 5, lem s)
a honra do particii ar ao respeilavel publico, e a seus freguezes n amigos, queseaeda muito i>
I rompi a qualquer dora do dia para prali- *
car, com muita dlicadeza qualquer opera- <
gld do sua aite, o por um prego muito com- *
_ modo, com lodos aiiuellcs que de seuspres- A
(/. timos se quizerem ulilisar, tanto 0111 sunca- <$
j sa, como fura della, mandaiido-se-lhe indica m
4 g.lo do lugar, nome da ra e numero da casa. *
<> F.lle lira dem denles, e. sangra o melhor possi- ^
4 vel : tambem caiga denles furados cariados) fl
> com iirata fina, ouro, ou qualquer outro me- #
?> tal branco; aparta perfeilamentc os denles da I
%.) frente; applica muilo bem venloznssarjadas; *
? o todas estas operagOos por um prego muilo W
? commodo a lodos issim como tambem em 4
|f sua casa corla muilo bem cabellos, faz bardas %
4 e amla navalhas. Na mesma casa vendem-se (4
> cxcellenles inslrumcntos para tirar denle, 4
t? tanto aos meninos como a pessoas grandes ; 4
a sader: bulicOes, (pencee) pequenis, rotas, "4
S curvas, e chaves, e lunas finas para apartar 4
denles. Tambem vendem-se metaes brancos 4
asi em laminas, para colgar denles Turados, e lu- 4
fjl do por pregos muilo commodos. -
###$ a$# No da 24 do correirte se I1S0 de arroma lar, por
venda por sera ultima praga na salu das audien-
cias e depois do linda a do doutor juiz do civel in-
terino di primeira vara 2 escravos penhorados po-
la fazenda provincial aos honleiros de Joilo da Silva
Sanios, o una casa terroa na ra do Pharol.em Fora-
de-Borlas por execugilo da mesma fazenda contra
US berdciios de l.ouieugo Currla
Prccisa-c alugar nm carro, ou ege, para coudu-
liruin doeiilcdaviiiiidaiifaa da ra deorlas ao largo
do Collegio, no da de relaco : quem pretender,
aprsente a sua propola cao do preco do aluguel, c do mais que julgar preciso,
11a ra do Caldcireiro por detrs do alai Ij rio, sobra-
n selm ir
-Compra-se um rlIHb inglez em meio uso: qnem
tiverannuncie. ,._..
- Compram-se garrafas vafjas, sendo RmTas, a
80 rs. cida urna : no armizem da ra da Madre-ae-
Deos, n. 36. ._
- Comprara-so toneis e quartolas metmo -
tindo adalidos, quesirvam para agoa : na ra ua
Modi, n. 11. ___ h.
-Compra-seurna preta, ou parda que c0^""'8
beme ongomme e seja desembarcada: nao so
olha a prego : na ra do Vigario, o. 24.
Vendas.
diubo 11. 4.
Crompras,
CHAPEOS DETSOL5H
Ra do Passeio, n. 5
Ol! que pexincba para o amavel e espeitivel pu-
ico : novas sedas da melhor qualidade que sepo-
_j fabricar, por serm deincommeuda e d melhor
fabrica de Franca, reeebidaa agora.
= Compra-e nina sacada de cantarla de Portugal :
nuem a livor annuncle ou dirija-se a ra da Aurora,
u. 4.
-Comprase urna correte de ouro para pescogo
da senhora : na ra do Rozario. segundo andar, n. i.
Compra-se um cavado para .sella, tendo bous
andires balsos : na ra do Trapiche, n. 44.
Gompre-souma canoa de amarello. de um so
pao, c de 8 a 10 caixas, ou urna barcaga de 10 a 12
pouc'o maisou meos : na ra da Caden do llecife,
n. 59 loja de ferragons.
Compra-se a Historia sagrada por Roimond : na
rus ealreila 4o llozario, n. 8.
Vende-se um sillo disUnle delta Braca tres quar-
tos de Irgoas, com grande caa de peora e cal e boa
commodos, com alvoredo, terreno frtil para planta-
edes, com sufficlencla de le podr ter dose vaceal de
lelte, olaria e barro para toda a qualidade de melrial, e
boro porto de embarque, com urna vrteme d'agaa que
corre todo anuo, proprio para qualquer pessoa que
queira einpregar alguna escravo netas proparedes que
o mesmo offerece. Unto de sr poder plantar, como ter
vaccas de leile e olaria, coinn por ser muito perlo do
Reclfc: a tratar ua ra do Queimado, n.7, prlinelro
andar.
Vendom-se na rua do Crespo, n. II, os seguinUs U-
vro : Dlcclonalre de 1 heologie par l'Abbe-Bergler, 8
vol., encad ; InitltuUons du Drolt de la Nature el de
-Geni par Ralneval, 2 vol.. encad. ; Ifouveau Dlellonare
de medeclne chlrurgie par A. Beclard Chomel. I vol.,
enrad. ; Novoau Vocabulalre Franca! ou lana a Sulvl
l'ortograpde adopte pour lTMellonalre de l'Academlr
par M Waille, 1 vol., encad. Almanach-Bollin duCom-
inerce de Pars, I vol., encad.; Diccionario Porluguej
de Moraei, y edlcao, novo, por 28/000 rs. : Diccionario
Parlu-Franc. e F. P., pelo capltaine Manoel de Soma, 2
vnliiiiies.
Vendem-se a partes que pertencein ao propieta-
rio em um sillo de torra propria de plantaiOoi, com
uina peqneua baixa, fine divide com una levada, com
rasa de taipa arruinada, e algum arvoredos de fructo,
uina pouca de madeira nova, c porta e jaoella, para
rerdi tio.icao da mesma;: na rua do Mondogo, n. 90.
Praca ta Independencia,
numero 57.
Aos 40:000^000.
Hillieies e molo dito, quarto, oliavoi e vigsimos
da lolorlas do Rio-de-Janelro : a ellei ante, que se>
acabem.
Vova pechincli'*.
Vondoin-sc eiteiras a rrialap multo superiores, eado
bastaute grande, malares, e pequeas, por proco com-
modo por ier a dinbolro : quem ai pretender, va ao
armazem da alfandoga, defronle do chafar!, ante que
se acabem.
Vinho malvasia branco.
Acaba do chegar de Lisboa urna pequea porcao
deale delicado e delicioilnimo vinho, em barrls de 7 riii
pipa : vendrm-sc no cae da Alfandoga, arinaaem n. 7,
de Dia .Ferreira, a viole mil rs., e por meuoi alguraa
coua a quem comprar mal de um barril.
= No armazem de Rayniond x Coiiipanhla, na rua do
Trapiche, n. 34, defronle do hotel Pistar, vendem-se
presuntos, queiii I udrlnoi, conerva| de dillerente
qualidade : tildo nial barato du que em outra qualquer
parto..Tambem aluga-ieo primeiro audar por cima do
menino armazem, o qual serve para escriptorio de qual-
quer negociante : a tratar com o molaos llajuiond &
Joinpanliia.
Vondom-io quatro linda molecoftl de iSaxO an-
iioi, sem vicio nnii molestia; uro lindo pardo de ele-
gante figura, de 18 annns, de boa conducta; tro pretos
de 20 a 30 anuo, bem reforcado, bom para todo o ser-
vico ; um preto de meia Idade, bom para litio ; uina
preta de 30 annos, que cozinba pcrfeitamenlc, faz doce
de toda as qualidade e vende na rua ; ama cabra, boa
para campo; uina preta de meia idade, que cozinha
bom, lava roupa, cngomiua lollrivel e cose: aa rua do
Vigario, o. 24.
Vende-se um tnoleque de 11 sanos,
poiico mais ou menos, sem vicios tem a-
chaques : na rui do Crespo, loja a. a A,
so dir quem vende.
Vende-se a ladernn da travessa dos llemedios ,
na l'ass.igem-ila-Magdalcna cujo local he o melhor
daquclla estrada ; lie muito afreguezada oom pou-
ncis fundos, comino lo para familia e birato o alu-
guel : na rua da Cadeia do llecife, n 31.
Vendo-so um cphriulia do 13 a 14 annos, sem
vicios nem achaques e que he proprio para pagem,
ou para aprender qualquer ofllcio : em Olinda, ven-
da defronle da cadeia.
Vendem-se 3 moloques de 19 a 18 innos; 1 Hf-
grinnasde13 a 16annos; 2escravos de meia ida-
de proprios para sitio ; 1 pardo de 22 annos, pro-
prio para lodo o servigo de campo; 3 escravas mogas
para todo o servigo : na rua Direila, n. 3.
Vende-se urna cadeira de arruar, por prerjo
commodo : na rua de S -Amaro, n. 8.
Vende-se tinta muilo lina, de diversas cores ,
em latas de 20 a 25 libras, por prego commodo : na
rua da Cadeia do Recif^, n 48.
Vendem-se gigos com champando em meias
garrafas, fabricado pelos vrdadeiros autores Laucn
Pere Fila: na rua da Cadeia do Kecife, n. 48.
Nu armazem do Bacelar, vende-se superior l-
rinha einsaccas grandes por prego commodo: a
tratar no mesmo armizem ou com Novaes & C., na
rua do Tsapiche, n. 34.
No armazem de Dias Ferreira no caes da Al-
nMega vendem-se os seguiutes gneros : lanuda
de mandioca muito superior ein saccas ; potassa
desembarcada ha poucos dias, em barricas peque-
nas; arcos de ferro, muilo baratos; loucindo de San-
tos em darris; fumo em folda para capas de cha-
rutos muilo superior.
- Vendem-sc 4 escravas, urna deltas por 350/rs.;
urna iiegiiutia de 14annos, com principios de ha-
bilidades ; um moleque de 13 anuos do linda figu-
ra : na rua do Fogo, ii. 23, se dir quem vende.
Na ra eslreila do llozario, n. 8, vendem-se car-
tas de a b c calhecismos, cartilhas, pautas, procu-
ragOes bastantes, apudaulas, Icllras, traslados, Mag-
num Lexicn dilodo composigSo latina, Selecta,
Fbulas, Virgilio, Horacio, Cadas de Cicero, eTe-
rencio.
Selm pira montara de senhora.
Em casa de Artamson llowie & Companhia, na rua
do Trapiche, n. 48, existe de resto um exceiienio
sellim inglez para monlaria desenhori, que so ven-
der maw em conla para liquidagilo de reciura.
-- Vendem-se qiieijos do serUo muito
superiores e frescos, cliegados pelo ulti-
mo vapor do Cear j n rua da Cruz, ar-
mazem de S Araujo, n. 33.
Vende-se manlaiga ngleza a 500, 560 e 40
rs. e oulros muilos erteitoa por preco coromodo^ao
pateo da S.-Cruz,, venda junto a padaria de urna so
porti. ....
i


V
Vendem-se cadeiras e marquezas deolcocom
assonlo de polliinha, lavatorios, meias comraodas,
mesas pequeas, ludo de amarello, e outros ob-
jectos, ludo de forte construcgilo e de gosto mo-
derno, por menos de seus valores : na ra das Gru-
yes, n. 31, toja de marcenciro defronte da lypogra-
phi'a.
I\irnlia de trigo SSSF
de superior qualidade e nova ; dita americana, om
meias barricas; dita gallega, em meias barricas;
cal virgem de Lisboa ; vinho do Porto em pipas e
barris de quarlo e oitavo superior o mais inferior;
fecbaduras para porta de armazem ; superior cha
liysson nacional deS.-Paulo; fariuba de mandioca ,
em saccaa, por preco commodo : na ra do Viga-
rio, armazem n. 11, de Francisco Alves da Cunta.
-- Vendo-se, ou aluga-se por proco muito com-
modo, e as pecas que conviem ao pretendente e pelo
tempo que quizer toda a quanlidade de meveis.como
bein cadeiras com assenlo de palhinha a '24,000,
32,000, 46,000,50,000,72,000 e 84,000 rs.; carleiras
para viagens, eom seus portences, relogios dcima
le mesa a 16,000 rs. cada um ; sopbs, commodas,
bancas, camas tanto com lastro de palhinha como
sem tilo ; mesas de differentes lmannos para jan-
tar; ditas elsticas; jogos do bancas para sala;
matquezas; estantes para livros; guarda-louga ,
anuarios; estojos para navalhas,o outros mu nos
objectos quo a vista dos preteudenles esUrilo paten-
tes : ua ra Nova, n. 67.
AlgocUio trancado da fabrica
ce Todos-os-Santos da
Haba,
muito proprio para saceos de assucar e roupa do es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Itiobcr & Com-
p mili i, na ra da Cruz, n. 4.
qualidadtM^m barris de 4 arrobas
mez polo b'rigue SI aria-Jote : a tra
, Bfeg
atar n
nda nesle
na ra do
da Fonseca ,
Contlnuam-se vendor cortes de vestidos de
cambraia com lindas barras, brancas e de
eores, que ja poucos reslam; meias compra-
das para senboia e meninas, azucs, mescla-
das, rouxas, esverdeadas e prelas, a 120,
160 e 200 rs. ; botOesdo duraque prelo a
40 rs. a duzia : no paleo do Carino, n 18,
segundo andar.
Vende-se cera de Lisboa, em grumo, o em bo-
gias de 6 e oito em libra bastante alva ; assim como
' tintas para pinturas grossas e finas ; pilo de ouro em
livros grandes e pequeos; covada nova; e outras
diogas recentemenle chegadas, por prego commodo:
na i na estrella do Hozarlo botica n. 10.
Ka ra Nova, n, fO,
vcmlem-so encerados de todas as larguras, muito
linos,com pinturas lambem finas, para mesas e
pianos, por prego commodo.
Ch roate desnude, fabricado
no Mnranho por Luiz Bot-
tentnt& Companhia
De todas as substancias alimentares que, sendo
em seu principio considerardas como cousas delu-
xo, lornam-se pelo lempo adiiinle de um usogcral,
o chocolate pode sem contradicg.lo, oceupar o pri-
meiro lugar.
l-IVeci i vilmente, quanlas pessoas no vemos nos
preferir boje ao uso do quelite cal o uso do choco-
late, e uisio seguir a opinio dos mdicos muis c-
lebres, que, de commum aecrdo sobre sitas precio-
sas qualidades, o indicam como um dos nossos me-
Jlions estomticos aquellas pessoas cuja saude be
dbil c delicada !. Protcrevm-no .os seus doen-
les acoiisilliam-mi aos velhos e o reronimeiiilam
s mais de familia para seus fillios. Km urna alav a,
n consumo vcrdadeiiamenle exliaordinaiio que to-
ilii.s as classes da sociedade fa/.em desle alimento,
he o mais bello elogio que nos llic podemos fazer.
Vende-sc na rna da Cadeia do Itecife, 11.25, dc-
f'enle do ecco-I.aigo, a 800 rs. a libia, aoudo se
diro amostras para se experimentar.
A 5oo ris.
Vendem-se su|ieriores penles para niarrafa, de lar-
taiup : na rua larga do llozario, n 24.
Na rua do RanRel n. 8, confronte ao beco do
Trcni, continua a liaver para vcuder, em grandes e pe-
queas pin o ii-,, arroz blanco c vcrinelho, em alquei-
n, e iiiesmo rm medidas miudas, por iiuiilo barato
preco ; lambem se vendeja peso de oito libraj para ci-
ma a rasao de 1/500 a arroba al 2^000 rs. ; beui como
eveiulem sacras com facililla da ierra e (|e lora, c limi-
to outros gneros de venda, ludo por menos preco do
> ie.u. para acabar com tal negocio.
SSSF
Alanoel da Silva Santos vende muito
superior farinba de trigo, chegada lti-
mamente a este mercado.
ltencao ao barato.
Na rua do l.ivranienlo, n. 14, vendem-se lcm;os de
seda de crtres, para homem e senhora pelo barato
preco de 1,280 rs. cada um ; um completo sorlimen-
to de chitas finas a 160, 180 e 200 rs. ; ditas escar-
ales a 220 rs. ; riscados de linho para calcas e jn-
quetas ; 'madapolfles fino", a 4,000 c 4,200 rs. con-
tras militas fa/endas que a vista fura volitado ao
comprador.
-- Vendem-se, por preco commodo, 16 dtizias de
assoalhodelouro, e algutn aislado para fechar
contns em duzhW oua relallio :"no armazem deca-
pimda esquina da rua das Flores, n. 1.
Vendem-se 2 prelas com habilidades; urna par-
da do 16 anuos ; um molequedo 18 anuos, de na-
CflO ; un dito crioulo, deSannos; um dilo de 20 an-
uos liom ollicial de ourives ; um pelo de meia ida-
de por preco commodo : no paleo da matriz de
S.-Antonio, u. 4, segundo andar, se dir quem
vende.
Aa casa franceza da rua No-
Rrum armazem de Antonio Augusto
ou na rua do Vigario, n. 19.
Taixas para en&'enbo.
Na fundigao de ferro da rua doBrum, acaba-se de
receber um c.ompletosorlimentode taixas de 4 a 8
oalmos de bocea as quaes acham-3c a venda por
preco commodo c com promptidSo embarcam-se,
ou carrogam-se em carros scpi despezas ao com-
prador.
Vcnde-se urna parda moga de bonita figura ,
que eugomma, cosee enzinha : na rua do Crespo,
n. 15, primeiro andar.
Fariuba e milito.
No caes do Hamos armazem das casas encama-
das, vendem-se saccas do tres quartas, por 3/ rs.
^cada urna e de alqueire a 4/rs. e sendo om por-
gffo de 10 saccas para cima se dar por menos: afian-
ga-se a boa qualiJade de ambos os gneros.
Vendem-se saccas com milho novo, a 3,000 rs.
cada urna e por menos sendo poreflo: no caes da
Alfandgn, armazem n. 1, junto aoarco da Coneoi-
c3o.
--Vende-sc um relogiod'ouro horizontal, hom re-
gulador, com sua corrate, por 100,000 rs. : em
(Hieda, botica "da rua do S.-P.ento.
-- No sobrado n. 5 do Aterro-da-Boa-Vista .onde
lem aula do primeiras leltras vende-se muito su-
perior tinta de escrever.
Vendem-se duas obras completas do Cantiles
em 3 v., da ultima o mais ntida edig.lo por prego
multo commodo : na rua Nova, loja 11. 56.
Vinho barato.
Acha-se cstabelccido na rua da Madre-de-Deos
n. 36, um armazem do
Vinhos da Figtieira
de ptima qualidade a prrgojde 1,360 rs, a cana-
da e a 180 rs. a garrafa e para nilo liuver dolo do
comprador serflo lacradas as garrafas o com rotu-
lo, recebendo-se a garrafa vasia e dando-se imine-
diamente a nutra cheia.: tembem ha barris muito
pequeos, proprios para quem passa a resta, O pro-
pietario deste estabelecimeato pede encarceida-
menle que se nfo illu.lam avallando pelo diminuto
preco e sem conliecimento do causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da eslima doj verda-
deros amantes da boa pinga ; ello corita que quem
urna vez provar continuar com gosto o sem arre-
pendimento. E o bom preco.'! A lodo o exposto
are; e-re o asseio e bom acoiidicioiainenlo, o que lu-
do so peder verificar em dito estabelecimenlo.
Madeira de pin lio.
na rua de Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um terceiro armazem com madeira de pinho
da mclhor qualidado que tcm vindo a esle mercado,
e serrada de todas as grossuraso comprime nlos :
endo-se pelo menorpreco que Tle possivel.
Aos fumantes de bomgosto.
No armazem de niolhados atrs do Corpo-Santo,
n. 66 recebe-se por lodos os vapores vindos do sul
puirilo de cigarrilhos hespanhes ditos de palha de
milho assim como superiores charutos de varias
qualidades : ludo se vende por prego mais barato do
que em oulra qualquer paite.
Vende-se sola, cornos corlidos, calcado virado,
para homem e senhora tamancos, bopetes do pan-
no fino para homem, chapeos de palhinha o de mas-
s.i, iiiai inqinm de cures surtidas, bezerro francez :
ludo por prego commodo : na rua do Liviainenlo
luja de cooros, junto ao nicho.
Vende-se o engenbo Novo do Cabo para paga-
mento da hypolhcca que nelle lem o Sr. Joflo Vieira
da Cunlia : quem o pietendcr dirjase ao mesmo en-
' genlm a tratar com Francisco Jos da Costa,
i Vendem-se piesunlos ingle/es para fiambre;
1 latas com holuchinhas de Lisboa ; ditas de araruta
j ditas de niariiielada de 1, 2 e 4 libras ; ditas de sar-
dinlius ; ditas de hervilhus ; ditas de thticolale de
Lisboa ; frascos do conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja ; barris com szeitonas brancas de Klvas
garrafas com vinho moscatel de Sctubal o da Ma-
deira; queijos de pialo, fresca es : ludo novo
chegado ullimamenle do l.isbi : na rua da Cruz ,
no Itecife, 11. 4.
Contiuuani-se a vender saccas com superior
colladas fabricas do Itio-Craudc-do-Sul, por pre-
go commodo : na rua da Moda, 11. 7.
CHA'BRASILEIHO.
Vende-se,ou armazem de niolhados atrs do
Corpo-Santo n. 66, o mais excellcnte ch produzi-
do em S.-Paulo q,ue lem viudo a este mercado
por prego inuilo conitiiodo.
Agencia da undico
Low-Moor, rua da tienzallu-
nova, n. 4(2.
Neste estnbflecimerito contina a ha-
vei om completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chias de vapor,c luchas de ferro batido e
coudo, de todos os tamaitos, para dito.
Vinho burato.
O proprielario deste estabelecimenlo, desejando
conservar os seus freguezes e nflo llie sendo possi-
vel pelo prego de 160 rs. a garrafa vislo ler o ge-
nero subido cerca de 20,000 rs. por pipa, em rasio
de nilo ler viudo ao mercado,(bem contra a sua von
tndej \-sc na dura 1 recisfio de augmentar o pre-
go e pelas rasOes apoutadas, cunta que seus fre-
guezes lhe faio fustiga o se nflo escandalisariio.
Luvas do pellica?
Vendem-sc luvas de pellica para senhora da me-
Ihor qualidade possivel; oculos de dilercutes graos e
na rua larga du llozario, n. 24,
va, ti. 69,
acaba-sede recebor, alm de outros mullos gene-
ros una nova marca de charutos da Babia, de qua-
lidade superior e de prego baratissimo, xaropesde
groseles, orchata, limio, espill o oulros refrescos :
ludo de supeiior qualidado. O rcspeitavel publico
achara sempre nesta casa um giande soilimeutu
de vinhos, licores doces e espirituosos, conservas de
eomeslives diversos : ludo por prego muito em
emita.
Vende-se cal virgem de Lisboa,.de supeiioi
vidros
Polassa.
Desembarcou ha poucos das urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior polassa, e se acbam a venda,
por preco mais batato do que ultima-
i mente se vcudia, na rua da Cadeia-Velha,
armazem de Bailar & liveira, n. ti,
Vendem-se, na rua da Cruz, n. 21,|iedrasde mar-
. moro l'raucezas para mesas redondas e consolos. -
Vendem-se, na rua Direita taberna 11. 53, sac-
Icas com um alqueire du milho novo, a 3,500 re.; di-
tas com arroz pilado; ditas com caf; ditas com
feijSo ; e tos os mais efeitos de venda mais barato do
que im outrn qualquer parte ; lem como urna por-
g!io de madeira de louro e oleo para marceneiro.e
travs do diversas grossurtis.
Vendem-se sellins inglezes e camas
de ferro : na rua daSenzalla-nova, n. 4^-
Vendem-se setins do todas as cures, proprios
para srmagAes de igrejas e para forros, por prego
muito em conta : na ruado Queimado, loja do so-
brado amarello, n. 29.
Polha de Fia ndres.
Vendem-se canas com folha de Flandres em
casa de J. J. Tasso Jnior : na rua do Amorim, n. 35.
Vendem-se cortes de cambraia de cores e'
modernos padrOes; riscados francezes finos;
chitas francezas largas e de novos padrOes ;
riscados largos, proprios para camisas; cas-
sas linas e de cores, goslos inteiramente no-
vos ; brimde puro linho, de cores o bran-
cos do listras; casimiras francezas de novos
padrOes; longos de seda da India; e outras
muitas fazeiidas finas: ludo por prego de
agradar aos compradores : na rua do Quei-
mado quatro-ci-ntos, loja do sobrado ama-
rello n. 29.
lidado do pasto he tal, a a abundancia d'agoa
nflo s da fazenda como des circunvizmhsnoss que
vive ludo farto e Um de mais a mais lugares 'pro-
prios para soltas, creados quasi pela natureza.
iropriedade propria r>ara criar gado de toda
iidade.no lugar da Pitombeira no Cariry-de-f,
juntoaoBodocong. Umjj)iigenho na comarca' ,
Coianna perlo da cidade^slfo em trras muito fer-
lois margem do Sirigy oom extensflo par. 4^
grandes ongeiihos, um marcado prximo ao outro
3ue lhe empresta a nielhoj commodidade desvitri-
o om ptima e plana estrada para a cidade, eom
maltas sufllcientes e multo maneiro por estar de-
prusio ha alguna annos ,pelo que neeessita de artos
repsros as obras que com quanto sejamde Ojalo o
arueira todava 'se teni arruinado. Faz-so qualquer
negocio por urna propriedade na comarca de Jt\
lugar de areias com ordinaria sufliclenci pu H
car-se um engenho segundo a bondido e mesmu
dimenso dnterreno : os preteudenles dirijam-se u
rua largado Rozario, n. 48, segundo andar.
Para bquidacao.
Na loja da rua do Crespo, ao p do areodeS.-An-
lonio n. 5 A, vendem-se cortes de cassa fiara vesti-
dos de cores (xas a 1,600 e 2,000 rs., bonitos pa-
drOes; cortes de casimiras clsticas para calcas, a
5,000 rs. ; ditos de fazenda de algodSo para calesa ,
do cores escurase muito encorpadas a 1,000 rs.;
urna porgflo de chitas escuras bous pannos, a 120
rs o covado ; cliapeos de sol, de se'da linos, a i/
rs. ; chales de garga, a 2,000 rs.; lengos para mflos,
de cassa pintada e arrendados a 240 rs.; e outris
muitas fazendas que a vista se patentearSo aos frs-
guezes. .^sb
Carne fresca nimio gorda.
No pateo do Paraso, agougue novo, n. r,
coma fronte amarella, haver todos os dias carno
fresca da piimeira sorte, e os pesos serflo feitosa
vontade dos compradores, indo a primeira vez, con-
tinuem a ir pelo agrado que acharfjo sempre 11
dedor, assim como lambem haver carneiro TBs 4a-
mingos gordos e dias santos.
Vende-se una linda escrava de nagSo, de 16 m
nos de muito boa conduela, ptima para mucama,
por saber engommar, coser e cozinbar ; um bonito
molecflo de nagflo Costa de 18 anuos, sem o me-
nor vicio, e que he bom ganhador de rua; umdito
de nagflo, bom para o trabaltio do campo um prelo
de 22 annos bom cozinheiro; um dito da mesma
idade, com ollicio Je sapBteiro ; um dito de meia
idade bom para estar em algum sitio: na rua das
l.arangeiras, n. II, segundo andar.
Vende-se um bom cavallo para sella : na rua
larga do Rozario, padaria n. 18.
Vende-se algodlo da tena a 200 rs. a tara : na
rua do Queimado, loja do sobrado amarello, u. 29.
Cha barato-
Vende-se muito bom cha, pelo prego do 500 rs. a
libra : na rua do Crespo, 11. 23.
A o barato.
Vendem-se cortes de cambraia de cores,a 3,000 rs.;
ditos de cassa a 2,000 rs,; riscados francezes a
200 rs. o covado : na rua do Queimado, quatro-can-
tos, loja do sobrado ama 1 ello, n. 29.
Na rua do Crespo, loja de
quatro portas n. I'i,
vendem-se os mais modernos corles de collets de
setim bordados a agulha delicados para nolvo% ou
bailes ; ditos de chamalote de cotes e gorgorito lu-
do de seda e de bonitos goslos : ricos cortes de cam-
brnia-sedu ; chitas francezas as mais modernas ; um
completo sui lmenlo de maulas de seda e de lilac
seda para senhora e meninas; "chales de sed de co-
res e presos, fazenda de peso ; lengos de selini para
grvala ; prelos e de cores ; veos de fil deberla pa-
ra chapeos ; lengos de muito boa seda par algibci-
ra ; casimira dos niel lio res goslos ; chapes de mas-
sa francezes, de bonitas formas; meias de Seda
brancas e prelas ; e outras umitas fazendas de bm
qualidade e gosto, que serio vi nd'das por prego que
hilo de agradar aos compradores ; ass'in como aiu.li
reslam alguns chapeos de castor que para se con-
cluir se venderiloa 4,000 rs.
.\a 1 ua Nova, n. 5,
vende-se um pardo de 32 anuos, bom carreiro.o
trabalhador de fouce e machado ; um! molecote de
18annos, de boa conduela*, o que se afianca o
No armazem do Bacolar, vende-se arroz do va-
por a 1,400 rs. a arroba.
Cania tlba.
Vende-se, na rua da Cruz, n. 21, una porgffo de
cera de carnauba do superior qualidade, e por to-
do o pr. go.
Presuntos.
Vendom-se superiores presuntos inglezes para
fiambro cliegados no ultimo navio: no armazem
do llraguez ao p do arco da.Conceigfio.
TIIEORIA
da interprelagao das Icis e ensaio sobres natureza do
censo consignatario, por Corris Telles : ira praca da
Independencia, livraria ns. 6e8.
Aindaexistcm no armazem da rua da Praia, n.
35 ,18 taboas de assoalho de amarello ha mais de
nmannn, asquaesse vendeni por diminuto prego,
para se fechar cuntas, o que faz arranjo para loja de
marcenciro, por as taboas estarem o mais secco pos-
sivel : a tratar nas Cinco-Pontas, n. 32.
_ Vendem-se enchertos de laranja seleta, ditas de
embigo, de lima de embigo, de liinao doce, pe desa-
potis, de pinha.de fructa^pau, c de liinao para cercas ;
no sitio do relogio, na estrada dos Afilelos, ao p do do
Sr. Oliveira.
Na loja de miudezas de quatro por-
tas da rua do Cabug, do Duarte, ven-
dem-se iranias de retroz, para mantele-
tes ; requifiles de seda ; cordo de ele-
gantes.croes, proprio para enfeites de
vestidos de senhora, e roupa de meni-
nos.
Ka loja de miudezas de quatro por-
tas da rua do Cabug, do Duarte, ven-
dem-se meias de seda pretas de Lisboa ;
ditas inglezas ; ditos de lino linho, p de
lio da Escocia ; frocos de cores ; loucas
leitas no IIio-de-Janeiro, e mantas para
meninas a 1,000 rs.; pecas de lilas com
lim loque tic avaiia, conlendo n!\ varas,
a 800 icis.
Vende-seo engenho denominado Drejo-de-S.-
Josc silo 4 legoas distante da ciuade da Victoria-
cm S.-Antflo, uioente o crrente com agoa; tem mui,
(a Ierra lano em partidos como em matlu virgem ,
cercado de valado muito limpo /nova e grande ca-
sa de vivenda, de pedra e lijlo com muilos com-
modos que ebegam duas grandes familias, pois s
de frente tem 152 palmos com boa mohilia de Ja-
caranda coomiodas, guarda-roupa, armarios com
louca.umrico apparelho de porcellana para cha,
anda nflo servido, bemeomo mais vidros, porta- comprador; urna preta de nagilo Costa proprta p-
licor etc., una grande borla de caf que da para la vender na rua, ou trabalhar do enxada.
vender por mais que se gaste, larangeiras, limei-
ras sidreiras, hananeiras eoulras muitas fruleiras
de diversas qualidades: vende-se com a safra ou
sem ella conforme a vontade do comprador ; assim
como gado e cavallo : tratar no mesmo engenho.
Vendem-se 6 prancbSes desicupira
por todo o preco : a ver no forte-do-
Ala I tos ao pedo chalaris etiatar na rua da
Cruz no liecife, n. 62.
Chocolate amargo de musgo
islndico,o 1 thesouro dopei-
to, preparado poi Mr. J.G.C.
A tosse, esta doenga lito commum quando descui-
dada, tilo graves silo suas consequencias quanto pa-
rece lgeira em seu princin, 1.1o matadora por si s
como (odas as outras dnengas que consomem a es-
pecie humana nilo linba para combate-la e des-
trui-la um medicamento especial o nico. Todas as
paslilhas e champes que leem apparecido at boje ,
leein sido impotentes. Ncncm acontecido isto com
o chocolate do musgo. O principio que forma a sua
base principal offerece propriedades incontestaveis
recoiihecidas depois de muito lempo, e nieguen
ignora os felizes resollados da sua spplicagflo em
as phleugn asas agudas, ou chronicas do pulmfio,
alTergao do pcitn phtysica, defini tosses, etc. ,
para dar lom ao estomago, abrir a vontade de co-
mer, conservar as gengivas o o bom alito, matar
as loinhiigas, principalmente nas criangas.
Vende-sc nicamente na rua do Queimado, n. 17.
Vende-seuma negra mo9a, que cozi-
nha e lava : quem a pretender dirija-se
a rua do Cabug, loja de miudez. s de
Guiniares
Vendo-se urna fazenda de gado nas cabecciras
de Cariry-de-Fra de nome Noruega com vertente
d'agoa permanente, ea melhor trra que se conh-
ce para criar e plantar, com extensfio para tres fa-
zendas sendo o seu nico elogio a gravidade de
no haver secca que mate o gado, visto ;que a q-
Nfio ha nada tSo barato.
Vendem-se cortes de caigas de casimira els-
tica padrOes novos pelo barato prego do
5,000 rs. : na rua do Queimado, loja do so-
brado amarello, n. 29.
Vende-se um cavallo bstanle gordo, bom cr-
regador baixo e meio : no Alerro-da-lloa-Vlsla, *
da 11. 2, se dir quem vende.
i ". "1"'
Escravos Fgidos
Fugio, no dia primeiro de margo prximo pas-
sado, do sitio Amliule no Cachana freguezia da
Varzca, urna preta de nome JoaniIa,de 40 annos pou-
co mais 011 menos, de boa csta.tniae corpolenta, an-
dar apalhetado, alguma cousa feia cabega compr-
da para tras ps grossos : quem a, pegar leve-a o
dito sitio que ser gdailicado.
--Fugio, jio da 18 de abril de 1849, 11 m pardo de
nome Flix de barba cerrada por baixo do qucixo
osuissas; levou vestido cagase camisa suja dctl-
godfio ; tem os 1 s c mlos um lano grossos e a pel-
le lixaJa com alguns signaes de ler tido bexigas:
quem o pegar leve-o rua do Apollo, n. 1 A, que
ser recompensado.
Fugio, no di 20 do corrnlc, um molequa
crioulo de nome Joaquim do 16 annoa cor prrta,
rosto redondo olhos pequeos ; tem as costas lu-
das corladas de chicolee encalotnbadas; he bai-
xo, secco do corpo ; levuu 3 paros de oalgas urna
branca de brim trangado, 3 camisas brancas, ouii
jaquela branca ; foi comprado no dia 16 do .Crren-
te ao Sr. Antonio da Silva Perciri, morador ne
Pogo-Redondo, comarca do Bonito; descuufia-so
que o dito moleque fosse seduzido para o mesmo lu-
gar : quem o negar ieve-o a rua Direita, 11. 3, qu
ser gratificado

!>*. : na rrp. de h. f m
iB49


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPYJHMFM4_T1DE8S INGEST_TIME 2013-04-12T23:11:11Z PACKAGE AA00011611_06469
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES