Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06467


This item is only available as the following downloads:


Full Text

.Anno XXV.
Sexfa-feira
20
tft.
O DMH/Opublici-se todos os das que Rita
forera Se guarda. O pref o da assprnalura he
dr 41001) rs. porquarlel, pagoeailintHadot. Os
.innunw** dos assignantrs sao inseridos i
rasao de M ra. por liona, 40 r. eni lypo dif-
ieren!*, repelieres pe i melade. 0* nao
assignaiHe* pagarlo 80 ra. por llnlia e lGU rs.
ni lypotliireic'olc, por cada publlcacao.
P1IASES DA LA NO MEZ DE ABRIL.
Iaia seta, a 7. lhorae.'IOmln. da Urd.
Mlssgssswle. '"' *' *'""'" e 48 mo- da tai d.
iWnora, 3. As9horas e 34 min.datard.
Ureecsijte, a, 29til hora elSinlo.da maob.
n------ ._..______j
PARTIDA DOS CORREK*.
Coianna e Parahiba, f sega, e scxtas-feiras.
KIo-G.-do-Nortc, quinlas-felras aomoio-dia.
Cabo.Serlnhaem, Rlo-Forinoso, Porto-valvo
Macelo, no I. a 11 e 21 de cada mez.
Garanliuiu e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Visla e Flore, a 13 c 28.
Victoria, ai quintas-fciras.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE BOJE.
Prlmeira, as 2 horas e 0 minutos da Urd.
Segunda, s {horas e 30 minutos da marib.
le Abril de 1849.
N. sn.
DAS DA SEMANA.
l Segunda. N S. dos Prazeres. Aud. do J.
dosorph., do J. docivel edo J. M.da2.v.
1" Terca. S. Aniceto. And. do J do c. da I.
v. c do J. de par. do 2. dlst. de t.
18 Quarta. S. Galdino. Aud. da J. do c.da 2.
v. e do J. de pai do2. dlst. de t.
19 Quinta. S. Ilerniogcnea Aud. do J. dos
orph. edo J. M. da I. v.
20 Sesta. S. gnea de Monte Policiano. Aud.
do J. doclv. e do I. depazdo 1. dist. de t.
21 Sabbado. t>. Anselmo. Aud. do J. do civ.
da 1. v. e do J. de pn do 2. dist. de t.
22 D.miugo. Ss. Soler eCaio.'
CAMBIOS NO DA 10 DE ABRIL.
Sobre Londres a 27'/ d. por 1/001 rs. a (0 d.
Paris 350
Lisboa ICO por cenlo de premio.
Rio-de-Janeiro ao par.
Desc. de lett. de boas firmas a 1 Vi % ao mez.
Acides da coinp. de Beberibc, a 50f rs. ao p.
(Juro.Oncas bespanholas. 30/800 a 31/000
Modas de 6/foo r. 17/200 a 17/MO
. de 6/400 n. 10/200 a IfyiW
de 4/000.... 9/200 a 9/400
PraW-PatacrJesbrailletroi 2/000 a 2/020
Pesos columnarios. 1/980 a 2/tKMi
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/920
S*
DIARIO DE PERHTAMBUCO
:

MRTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 18 DE ABRIL
Ufflaio. Ao desembargodor procurador da corda,
' soberana c fazenda nacional, recommendando haja de
darosru parecer sobre o re<]uerimento que remelle,
ni'oinpanhado dr Informaran da cmara municipal desla
cidade, e assigoado pelos proprietarios de acougues
estabclrcidos na ra do Rangel.
Dito. Aojuizdepax presidente da junta qualiflua-
dora da freguezia de Cabrobd, acensando recebido o
aeu cilicio acoiupanliado da lista dos cidadaos que Imam
quaiifieados votantes n'aquella freguezia.
Dito. Do secretario do governo ao da assembla le-
gislativa provincial, remetiendo de ordcui do Esiu. Sr.
presidente da provincia, para que se digne de apresen-
lar aquella assembla, o ollicio da cmara municipal
de Matarelh, acoinpanhado do balancn da respectiva re-
crita e despesa ein o anno municipal lindo, ao quat vo
aunexog varios documentos, bem como so remenlo
para iwo futuro.
Portarla. O presidente da provincia, attendendo ao
que ihe represenlnu o commandanlc superior interino
da guarda nacional deOlinda e Iguarass, resolrc demil-
lirdo servico do prlmeiro ba tal lio da cidade de Olinda
o alferea porta-bandelra Joaquim Claudio' Monlelro
Jnior c o alferes da terceira companhia Antonio Jos
Kerreira. Cowmunicuu-sc ao coiumandante superior
respectivo.
PEhNAMBUC^.
Ciimnra municipal do Uccifts
.' SESSAO ORDINAIU A EH 15 DE MARCO DE 1819.
rnsiDK.vcu to sa. nuco e alduqukrqui.
Presentes os Srs. arros, Egidlo Kerreira, Barata, Vi-
anua, rallando coiu causa os Sis. Carneiro Moutriro e
Mamcde, e sem ella o Sr. Gaudino, pelo que fui consi-
derado Incurso lia multa respectiva, abrio-se a sessao,
sendo lida e approvada a acta da antecedente.
O secretarlo fes a leitura d'um ofllcio do fiscal de S.-
Jos, pedlndo escl.irrcimrntos sobre a disposiciio do art.
2. til. 3.' das posturas ein vigor, e consultando ae as
aguas rinpossadas no largo da rlbeira, procedentes do
chafara, devein ser csgoladas cusa da inuntcipalida-
de, uu da reapecliva coropanhia.Que, quanto pri-
ineira parle, se respondease ao fiscal que a postura no
citado artigo nao manda tapar os canos existentes, e
sim obrlga aos proprietarios de casas a construirem nos
aniones dellaa ou na ra sumidouros para receptculo
as aguas, com tanto que estas se n"o depositen) as
mesmas ras; e quanto segunda, que cumpre com-
panhia esgntar as agoas do chafarlz.
Urspacliarain-se as pelices de Joo Tilomas Pereira,
de Joan Rodrigues de Moura, de Thercza Goncalves de
Jess Aievedo, e levanlou-se a sessao. Eu, Jodo Jote
Fnnira de Aguiar, secretario a subserrvi. Canuiro
Alanitiro, pro-presidente.Barrnt. Ferr ira. -UameJe.
Vianna.llarala.A. de Btrot.
HELACO tOS Ol ITOS DA FIIECUEZIA DE S.-ANT0-
MO DO RECIPE, EM MARCO DE 1849.
Dia I." Antonia, parda, com 2 aunos, de coqueluxc
lilein.-los Amaro, pardo, solteiro, representando40
anuos, de bexigas com lodos os sacramentos.
{.Pedro, luanco, coiu 6 anuos incompletos, de be-
xigas.
demAntonio, preto, cscravo, com 30 anuos, de t-
tano ; sem sacramentos.
Idriii.JooBaplisla de Carvalho, pardo, casado, com
lili anuos, de uydropisia ; com todos os sacramentos.
:l Rosa, preta. cscrava, com 40 aunus, pblyslca ; com
a sania-unccao.
dem.-.Marcelino, pardo, com 9 annos, de bexigas.
4.Antonio Bastos, preto, forro, com (iO annos, de af-
frccSo no urgi dadigestan ; sem sacramentos.
5.Jos, brinco, com 3 mezes, de convulses.
I.--Antonio Joaquim Rodrigues, pardo, solteiro, com
42 annos. de gaslro ; sem .sacramentos.
dem.AutonTo, pardo,com C mezes, de tosse.
7.Amalia, branca,com 10 annos, de denles.
O.Jos, braiuo, logo depois de nascido.'
dem.Joaquina Fihppa do Sacramento, branca, com
,0 annos, de congestao cerebral ; sem sacramentos.
Idcin.Cabimiano, ciioulo, com 2 annos, de urna mc-
ninglie.
dem.--Adriana, parda, cscrava, com 9 dias, de t-
tano.
11. Jos Salusllano do Amparo, pardo, casado, do
corpo policial, com 30 annos, de bexigas : com todos
us sacramentos.
Mcm.Victoria, crioula, cscrava, com trinU annos,
de pniyslca pulmonar.
IdriH.Bernardo, pardo, escravo, com 50 annos, de
molestia de pello ; coiu todos os sacramentos.
dem.Jos, preto, cscravo, com 50 anuos, de bexi-
gas sem sacramentos.
""~yaooel da i unha Sobrcira, pardo, sultciro, do
corpo de voluntarios, com 30 anuos, de bala ; com lo-
uu* os sacramentos.
!d,c"'"Air,'eU0' branco, com 8 mezes, de convulsVs.
*_~Fo';5u"*a. branca, com 2 annos, de disenteria.
Idem.-Ouierla Africana Ferreira, branca, com 25 an-
mtos. S" "M vicer" com ,od0* 0* Mcra_
41l'^.l"^nOhd R,ocIll>^"'''passo, branco. casado.com
llK. "e',Mlle ""' Igun sacramentos.
dem .--Mana, parda, com 7 mezes "de bexigas.
i ).).--Amonio Basilio dus Santos, nardo olielrn a,,
eprponutlcl.., con, 25 anuo, de'be^s'^em'sacra!
Neiu.Feliciana, parda, com 3 meses, de bexigas
pulim,.;ar"a^i:, *"**' ""*"' """ lnn'' de PblJtle*
J^ell'cldnde, crioula, escrava.com | .0, e Con.
.l,(!e5?rf,'anci.IcoC*rneiro onteiro. nardo, casado.
o.n .,, ae gnprre. ; sen, sacra/nenio,
. crloulo, escravo, con. um l anno, de
c
17
clica.
^^rarre'do
10Hijipolito, crioulo. escravo, con 18 annos, de lie-
pautes aguda ; sem sacramentos,
demPedro, branco, com 1 anno, de losse.
20.-Theresu, parda, com 3dias,de espasmo.
22.-Anglica, crioula, cscrava, com i6meies, de tosse.
Idem.-Thomai, preto, escravo, de 22 annos, de gastro;
sem sacramentos.
23.Antonia, crioula, escrava, com 28 meses, de es-
pasmo.
I leni.Antonio, preto, cscravo, com 28 annos, de en-
fermidade nocerebro ; com todos os sacramentos.
Idein.-.Severina Mara do Espirito-Santo, branca, ca-
sada, com 30 annos, de bexigas ; confessada e ungida.
Idem.-Venancla Perpetua da 'ilveira, parda, solteira,
com 18 annos, de hepatites aguda ; com todos os sacra-
mentos.
iilem.-Hem viuda, parda, escrava, com50 dias, de tosse.
Mein.Antonia, parda, com 5 annos, de tosse.
24 (le.trujes, parda, escrava, com 5annos, de ente-
rites chronica.
dem -Lestemio, pardo, com 7 mezes, de tosse.
dem.Joaquim, preto, escravo, coiu 18 annos, de be-
xigas ; ungido.
25.--Anua, preta, escrava, com 3 dias. de espasmo .
dem -Antonio, pardo, escravo, coiu 2 mezes, de con-
vulsries.
26 -Mara, parda, com I anno, de tosse convulsa.
dem Juaiiua, crioula, escrava, com 33 annos, hidr-
pica ; com todos os sacramentos.
27.Francisca, preti, escrava, com50 annos, de apople-
Xa pulmonar.
28.-Mara Carlota Pereira de Olivcira, branca, casada,'
com 25 annos, de gaslro Interitcs ; smenle confes-
sada.
dem.Leandro, branco, com 18 mezes, de convul-
ses.
Idein.-Koitunato, prolo, escravo, com 20annos, phly-
sico ; sem sacramentos.
dem.Jos Jorge, pardo, com 9 annos, de apoplcxia ;
sem sacramentos.
Idem.-Maria, parda, com 2 meses, de desiuteria.
29.Ricardo, crioulo, com 4 annos, de bexigas.
Idrm.--Manuel, preto, escravo, cora G0 annos, de co-
lite aguda: sem sacramentos.
dem.--Bernardina de Sena, branca, viltva, represen-
landotK) annos, de disenteria; com todos os sacramentos.
dem.Juliana, crioula, escrava, coiu 4 annos, de gas-
tro aguda.
Ideiu.-Umbeliua, exposta, com 10 annos, de pneumo-
na ; com todos os sacramentos.
30.Isabel, branca, com 2 anuos, de gastro intentes.
dem.I.ni/., crioulo, escravo, cora 4 mezes, de moles-
tia Interior.
dem.Thomasia, crioula, cscrava, com 25 annos, de
i-Jlaminacode intestinos ; com todos os sacramentos.
dem.Emilia, parda, escrava, com 2 anuos, de tosse.
dem. Manoel Gonjalves Lima, pardo, casado, do
corpo policial, de bexigas ; com todos os sacramentos.
aIdcm.--Sevcrna Alves de Carvalho, solteira, com 80
3 nos, de molestia interior ; com todos os sacramentos.
Ao tuda 68 Santo-Antonio do Reclfc, 11 de abril de
1819.O vlgario, Venancio llenriquei de Keiende.
DIARIO Bf PIRNIIBITCO.
altura, i si abbu si um.
Pela terceira ve os^Srs. mrmbros da assembla legis-
lativa proviucial.se nao reiinlram rm numero snmcien-
te para haver casa, c por isso a uiesma assembla dcixou
de funecionar hoje.
Em menos de qulnrc dias, talvcz, tres casas dr nego-
cio teem sido rnubadas nrsta cidade : em principios do
corrente a loja de inludezas doSr. Oodeceira ;rm a se-
mana prxima pretrita a loja de fazcudas do Sr. llo-
re ira ; bontein, emfiii, a taberna do Sr. foao Jacin-
tho Morena, sita na ra das Crines, da qual levaran) os
ladnies o dinhelro c os penhores que cocontraram, bem
como alguns gneros.
E nao be su isso : as cartriras lambeni vao desappare-
cendo, como por magia, das algibriras daqucllcs que
as nao deixam sobre a mesa ao irem assistir qnalqurr
acto que tenha de ser concorrido ; ou elle haja de ve-
rilicar-se as ras e piafas, ou mesmo as casas do
SKN1IOU, onde he dejuppor que s busquein entrada os
que csllverem sb o dominio de inlcucoes uio puras
quanto devein de ser as de quem val dirieir preces a
DOS!!....
Cumpre, pola, que a polica, desenvolvrndo a maior
actividadee vigilancia,' nao s se de prrssa em descobrir
os perpetradores destes crtinrs, senao tambrin se cut-
penhe em puni-los drvldamente.

I'DIILIC/igAO \ PEDIDO.
ENFER31AHIA DE 31\RINI1\ KM PERNAMBCO.
JAIPIP^ cutalMlco das molestias Iratatlas nenia enfermara no trimestre
decorrido do I." de Janeiro ao ultimo de marro Re 184!.
NOMENCLATURA DAS ENFERMO A DES.
OBSERVAQOES.
Rronquites---------------------------
Embarazos nteslinaes ------------
Sarnas----------------------.--------
llcxigns--------------------------------------
Castigados------------------------------
Ulceras----------------------------------
Kraelutas --.....-------'------
Disenteria------------------------------
Cephalalgia----------------------------------
Alicessns--------'-------------------------
l lien na t sinos -------------------------------
Ferimonlos simples por golpes--------
Molestias venreas--------------------
ContusQos------------------------------
Ferimentos d'arma de fogo---------- -
Diarrhcas ------------
Hipcrtrophia do coiaQflo
Castro hepatitis---------------------------
Dito interites------------------------------
Febres inlcrmitcntos---------------------
Ditas intermitentes perniciosas
Virus boubatico -----------
DOres espasmo, liras-------------
Erisii elas-----------------------------------
Esquinencia------------------------------------
Febres inllammaUnias--------------- -
Clicas de chumbo---------------
Ophtalmia-------------.--------------
SOMMA........
31
206
237
ii
7
-'
2

1
i
1
2
5
39
6
15
2
171
f.l
14
13
9
I
2
10
1
1
l
1
2
5
:>7
6
'.:
3
1
1
s
II
3
2
9
4
169
Dos quarenta c cinco Te*
idos d'arma de fogo em o
dia 2 de fevereiro, tres sof-
freram amputac(5cs, a saber:
dous em um dos membros
inferiores, o um no braco
esquerdo. Este j leve alta ;
um driles est quasi boro,
e o ultimo nao se acha em
estado satisfactorio. Fal-
lecern! nicamente dous
do ttano, como Tica de-
monstrado no corpo dcste
manila.
Enfennaria de marinha de Pernambuco, 18 de abril de 1849.
Joaquim Jote Alaes ile Albuqutrque,
* Cirurgiffo da enfermara.
sssf- '
VARIKOADI.
REGINA CALLORUM.
K volubilidsdo prodigiosa do carcter do povo
rodigli
parto
frtncez tero a inalor parte do que goralmenle ae pro-
sume as continusdas mudanzas do sua forma de
governo.
A moda o domina as cousas mais, serias, como
lias mais futeis. No lia cullo, excepto o do amor da
patria, a qua o Francez seja mais Del do que ao dessa
ilivindado que parece ter surgido das agoas do
Senna, comooutr'ora Venus das ondas do mai Egeu.
Antes da revoluto de 1789, a moda no quera
saber de poltica. Do g*uarda-roupa linha dado um
pulo para o gabinete do poeta Da litteratura pro-
priamente dita passou i philosophJa e religiiTo.
Voltaire aeolheo-a em sous bracos, fez-lhe mil cari-
cias e a constitu!) ediclor do sous pampklels, de suas
desertar/Oes e de suas tragedias.
Durante a revolucilo, aehanJo-ae luJo vago,os
altares, o throno, oncarapitou-se era toda a parto
em quo pii lo ter cabimento, e assentou definitiva-
mente seu domicilio no terreno da poltica, sem to-
dava aban Jonar suas posarles antigs. Como Pro-
tlicu, nao mudou de formas; mas, como o sol, allu-
ni mi todo o borisnnte.
O Francez, apenas a vio ncslas alturas, adorou-a
no throno, na corte, no parlamento, como a linha
a lorado no toucadur, nos madrigaes, no thoalro, no
gabinete do historiador e do philosopho.
Emquanto a revoluto mudava todos os annos a
constituidlo, as cousas comamsmil maravilhas.
O Francez julgava-se no mellior dos mundos possi-
veis, quaihlo una manilla, ao acordar, via a cons-
tituirlo mudada,como o feilio da casaca edo rollete.
O directorio nflo tardou milito quo nao cheirasso
a mofo.
0 guorreiro das pyramides, chamado pelos Arabos
ilo deserto o sultio do fugo appareceu, e no
hoiivo icsistr. As imagina;des se escandecern! com
as maravilhosas doscrpi;Ocs dossas b.italhas que
assistiratn quarenta seclos, agachidos, dcqueixu
cabido, no cimo das pyramides, s margns do Nilo,
nopaizdos hyerogliplios, na Ierra dos Sesoslris o
dos l'tolomeus.
Nilo ha dnvida: convnha tentar a experiencia,
sabr como ficaria a l'ranra governada pelo stillUo
dofOgo, Abdallali-Ronapartc.
0 guerroiro, que do sou lado lambem linha voli-
tado de f.i/er a experiencia, passou a visitar o conce-
llio dos n o i nhenios; seus'granadeiros calara n bayo-
netas, e os canarios voaram pela jauella.
A li anea oxtasiou-so o achou ludo isto sublime,
magnifico. Nunca linha vistocousa igual. Que dra-
ma! Que situaces! Que destecho Porfftja hava
de agradar, como agradou.
0 actor que representou tilo bem o seu papel, sem
ensaio, nem ponto, tornou-sc para logo o homem da
moda por oxcellcncia. Uonaparle ideulificou-se com
ella, passou a sor um verdadeiro Coburgo dessa rai-
nb.i reinante. Foi para ella o mesmo que-he hoje u
principe Alberto a respeto da rainha Victoria.
E digam o que quizercm, esse homem nilo chegou
adominar tanto lempo senflo porque soubo satisfa-
zer maianulosamente a um lempo os interosses da
sociedade, sua amliieao, e esso desojo i usada vel do
novidade que constilue urna segunda natureza do
povo francez.
Ilonapsrte nunca quiz criar limo. Do anno em
anno mudava de situado, com a mesma facilidado
com que so muda de casaca.
De cnsul p-de-tripeca passou a cnsul nico,
vitalicio e hereditario. Depois pegn da corte e a
l'7. na cabera, empunhou um sceplrn, voltio una
capa, o mostrou-sc assim em presenta de todo o po-
vilco francez, quo applaudio muito, porgue a farda
do cnsul j eslava um tanto pelada e razia mu ver.
Se se Uves-e chamado re, a pilula era mais diulcil
de engolir; mas imperador, oh! lia via mil annos que
a Ierra de Franca nao conbecia semelhante autor-
daile. Valia a pena meter ligas aos defuntos contem-
porneos de Ca los Magno, monslrartdo-lhes que nflo
cram ellesssque linlum sido governados por um
imperador.
Infelizmente Napoleio deu-sr tilo bem enm a.co-
pla, oscoplro e a purpura, que tencionou com os
seus boliles no mudar mais de vestuario. Contenta-
v.i-se urna vez por outra, quando nilo linha que fa-
zer.de mecher na constituigao.quando ella ia crian-
do milito moro. Era pouco. Urna casa de mais ou
de menos n'uma casaca, nilo he cousa que de nos
olhos.
So tivesse nssumido o pontificado nos ltimos
minos do sou remado, tera governado mais lempo.
A moda bem Ihe aconselbou este passo; mas o
maldita zaiigoii-.se, e, segundo o seu mo costume,
puchou-lhe as orclhas, edeu-lhe um piparote no
nariz.
A rainha reinanto ultrajada tomou o caso a serio,
abandunoii o seu Coburgo, e foi ter com os Uour-
bons. lalo a algum lempo o pobre do 1'iHt-Caporal
dava rom os ossos ein Santa-Helena.
O imperio Italia durado dez annos. lie urna eter-
nidade nos dominios da moda. Quom he que por tilo
longo es)iar > de tompn p le suppurtar casacas o col-
Ictes doum mesmo filio?...
I.uiz XVIII appareceu, como um fato velho remo-
fado ; resuscitou como as cairas de ganga e as ca-
sacas dos toma-larguras.
A constituyo charnou-so carta ; mudou de nome.
e de forma. Ein lugar de um imperador houve um
rei. Rem j appareceu alguma differenca, so bem
quo operada pela resurreicHo dos morios. I'ouco
importa.
A moda faz destas, nilo urna, mas multas vezes.
Quando est cansada de novas combinsces.remecht
no guarda-roupado passado, lira de la urna casaca
ou um vestido ; etesourada daqui, tesourada dalli,
d-lhes aresdenovidadeo manda que corra sem
censura, sem sello.
I.uiz XVIII j era velho, e prtenlo hmido e bo-
lorento. A morle lintou a moda, roubando esta
victima ao seu cutello.
Carlos X foi o irmflo mais moco de seu irmao
mais velho; nm collcte que se manda fazer para
servir Com urna casaca queja nilo serve. Nada alte-
rou ; nem sequr mudou o nome carta Quando
entrn em Franca, depois de Napoleo, disse que
nada ha via do novo sonao um Francez de mais. PoiS
.o.



==**3
8

bom o velho re, cm breve se lornou recoco e re-
vaismnee ; e a moda Ihe disse : rus, que nada ha
do novo em Franca senflo-um Francez de menos.
Bou vigem, Sr. Carlos I
David j algum lempo que a atlenco publica, in-
fluida oceultamente pela divindade caprichosa que
caba mos do mencionar, voltava para o duquo de
Orlrans.
Ilei morto, re i posto. Carlos X no exilio, elle no
throno.
Luiz Filippe sempro era outra cousa. At all a
Franca tinha sido governada pela repblica e pela
monarr.hia, mais ou menos temperada. Agora La-
fayette, montado no seu cavallo branco, dizia ao po-
vo do Paris que ia ter urna monarchia com formulas
republicanase um rei-cidadfio, porque os outrosnflo
o tinlinm sido al all.
Ora, em verdade, o presente nflo era para despre-
zar; urna monarrhia-republica pareca cousa t.lo no-
va, que valia a pena experimentar.
Remis a mais a bandeira branca j eslava encar-
dida, e os lyzes mrenos. A carta j durava ha muito;
necessitava pelo menos de algumas lesouradas.
uein he que pode aturar em Franca urna constitui-
dlo que entra auno e saho anno sem so modificar, nem
sequr n'tmia virgula? ..
Uizem que l.uiz Fhilippu foi ingrato, egoiata, in-
fle] k su i origem, etc., etc. lio verdade ludo islo; nao
saeriflcou i divindade que o elevou nem sequruma
pera do seu pomar, ou um pintainho do seu galli-
nheiro. F. o esturrado nflo s a desamparou, como at
olfencfeu-a no mais scnsivel do seu corceo. Ligou-
so de inalleravcl amizade com um maldito puritano
que h detestava cordialnicnte.
Assim mesmo admira como durou tanto He que
moda, querendo passar de um extremo a outro, das
calcas justas para as largas, dos aleles curtos para
os compridos, queiia dar lempo a seus adnradores
parase enfastiaren! tanto dos trajes do lempo, que
aceitassem sem repugnancia qualquer novidade, por
extravagante que fosse.
Era a repblica que Ihe bailava os milos, e que
unidla, quando acliou lodo o povileu entrelido em
descalcar as ras do Paris, ella a atirou no meio da
praca, muito alegre e risonha, de bon na cabera e
p na m8o.
Com effeito, depois de um imperador e tres res,
nada havia mais palpitante de novidade do que urna
repblica .'
Pois viva a repblica !
Nenhum povo houve ainda to feliz como o parisi-
ense no dia 4 de fevereiro de 1848. Vio a rep-
blica como urna grite/te dn seu antigo conhecimeulo,
a companhoira de seus primeiros amores, e deu gra-
bas a lieos porque a patria eslava salva I E de certo,
poistudo eslava mudado. J nflo so uizia mais rei-
no, porm repblica franceza ; a corda tinha sido
substituida pelo bonel rouge, o governo do reino pelo
governo provisorio
Lamartine, Lt-dru-Rollin, Cavnignac, por mais sa-
crilicios que fizessem, nflo fram atteudidos: uo
consta que a moda gastasse o seu lempo em combi-
nar corles o r.-11ios de bluiai.
Apczar daquelle puchito de orelhas e offensivo pi-
parote, nunca a moda deslerrou inteiramcdte de seu
corceo a imagem seductora do seu primeiro aman-
te. Quando o vio exilado e morto em Sania -Hele-
na, empregou toda a sua afleicjio nos objeclosque
Ihe tinbam pertcncido. Assim fazem lodos os co-
ra coes sensiveis.
Entre estes objectos guardou mais cuidadosamen-
te 0 chapeo, a sohrccasaca e as bolas; e pendurou
ludo istn n'um cabido, que fez percoreer em Iriuiu-
pbo as roas de Pariz, ao som das salvas de artilharia,
e dos bravos c applausos estrepitosos do povo fran-
cez Deu a esse emblema do grande homein, em
dia do ova$!to o nome de presidenle.
Foi mui liem adiado. Eis-ahi urna novidade que
mais nova nilo pode ser.
A man ha lalvez a lourcira tire docabide a rale-
la do l'elil-Caporal, a dobre e, guardo ; O depois mel-
la-so a riamoricar algum rapazola.
lie bem possivel. que vale he que, para satisfa-
zcr sous caprichos, ha Ires dynaitias nio, promp-
tus paia o que der e vier: Bonapartistas, llourbons
e Orles ns.
F. nao lio preciso recorrer a novas combina^cs ;
basla vollar atrs e imitar o queja fez.
Ka primeira revoluto houve a republica-Diroclo-
rio, a republica-Uonaparte, depois Napoleflo, depois
do Napoleflo os llourbons, depois dos llourbons os
Orlcans.
No segunda j houve a repubca-Direclorio, existe
a repuhliea-.NapoleQo ; omanhfla virOo os Dourbons
u depois os Urleans
Felizmente a moda he umita bazinha ; contenta
a lodos : aos magros como aos gurdos ; aos altos
como aos baixos ; aos morenos romo aos claros.
Ilaja resignadlo que ha de chegar a vez de cada
um. ( Caboclo.)
CMMEACtQ.
AT.FANDF.GA.Rendimnio do dia 19 17:683/031
Hescarregam hoje, '0 lo corrente.
Brigue Ctm farlnha.
1.x una .imjt nicrvadorias.
Ilrigue Uo ideal,
arca Trjo dem.
Itriguc Muru-Taylvr dem.
Brigue ~Yolo[ dem.
IMPORTACO.
leo brigue portuguez, rindo de Lisboa, entrado no
ST-.yES: *>M,*> a Thon.az de Aquinu Fonse-
ca, nianifestou o teguintc :
jasiai, 1000 niomos de ceblas ; a Antonio Ignacio do
xotcs bolacha a riiouiaz de Aquli.o Fouscca.
Jn*i*M V'D TI,'"at e A<|Uno Fonscca
1 cailole semenles ; a Adolpho Sclirainm
cajxas cera lavrada ; a Antonio Joaqui.n Rodrigues.
CONSULADO CERAL.
Rendimnio do dia 19............4:/8GJO50
Diversas provincias.............170/49?
4:95/D47
Movimento do Porto.
___________________________________________ *_________________
Navios tahidos no dia 19.
Rio-Grande-do-Sul ; eicuna braslleira Tentadora, capi-
tn Manoel Antonio da .-Iva Marros, carga assucar e
al.
New-York luger dinamarquez I/yira, capitao i. J.
Muller, carga aincsina que trouxe.
Oburvafo.
Fundiou no Lamelrao o brigue-rscuna de guerra Pi-
roja.
EDITA L.
Perante a cmara municipal desta cidade te ho de
arrematar, a quem mais der, no dia 23 do corrate, ot
i.ilhaa dos acougues publicoi das Cinco-Punta, c Uoa-
\ i-i.i, que se acno devolutoi Paco da cmara muni-
cipal do Rccife, 19 de abril de IM'.i.Mjnael Caetano
Suares Carneiro Monleiro, pro-presidente.Manat Fir-
reira Accioti, secretario interino.
Principiar o dlverliinento a olio e meia hora da noi-
tc com a chegada das autoridades.
Avisos martimos.
A cmara municipal desta cidade fa tessao extra-
ordinaria no da 23 do correte.O secretarlo Interino,
Manoel Firreir.i Aeeioli.
O llliu. Sr. capitao dn porto manda faier publico,
que o expediente desta capitana ter lugar lodos o
dias, desde ni nove horas da manliaa at as tre da tarde,
(ni rujo teuipo ouvir s partes que Ihe tenhain de fal-
lar sobre negocios ordinarios, e que antea, depo9 e
mesmo a qualquer hora da noite dar smente audien-
cia a aquellas que, em consequencia de occurrenclas
extraordinarias, iircessitarem por Isso de prpuiptas pro-
videncias da capitana.
Secretaria da capitana do porto de Pcrnambuco, 18
de abril de 1849. Secretario interino, o bacbarel Iho-
mt Fernandtt lUadetia de Castro.
TIIEATRO DE APOLLO
S,i,/iio, 21 de abril de 1849.
I iiccri a lucillo das rrpresentaroes francezai sib a di-
i.-i-c;io do Sr. Dupr.
RF.PRF.SENTACA'0 EXTRAORDINARIA.
A PILHA DO DESTERRADO.
Drama novo em tres actos e a carcter pelo Sr. Ale-
xandre Dumas.
DANCA.
Passo nobre novo, danzado pela Sra. Camoin.
CANTO.
A gr.nde aria O Italiano, cantada pela Sra. Aiexandrc
TMBOLA OU I.oihlilA,
a exemplo do Iheatro de Paris.
A tmbola coinpnr-se-ha de quatro preii)ios ; trea fc-
IIUS e iini desgrafado.
Primriio premio feliz, um guarda-joias de piala para
senhora.
Segundo uina guarnl^ao de ricrlptorio
de esmalte e uuro para es-
tante.
Terceiro dous vasos de porcellana dou-
rada.
Quarto u uiyiteriato.
Cada pessoa receber gratis, urna vez que pague o bi-
lla -ic da entrada,um numero de ordeui para aextrac(o
da loteria, a qual ter lugar sobre o secnariu. Ao pri-
meiro mmelo que se cxiraliir cabera o pi iuiriru Ma-
nilo, e assim por diante ate chrgar ao inysterToio.
As petsoas <|ue toinarrm billa -tes deante-uiao erao
dircito a dous nmeros.
OMA NOITE I M VIAGKH.
Vaudcville em um acto.
TilM.\T110 M SAN-FU \CISCO.
Domingo 22 de abril de 1849 ter lugar o srguinle es-
pectculo.
Depois de ser circulada pela grande orebrstra a pti-
ma symphonla
AL/IRA,
do compositor Ouiseppe Verdy, representar-sc-ha o
mui lindo c novo drama, original francez, intitulado
A PONTE DO DI Al,
Para Baha sabe impreterlveliiiente no dia 22 do
correte blate Plor-do-Reeife, por j ter parte do seu
carregamento a bordo: para o resto e passagelros dirl-
jam-se a ruado Vigario, n. 5.
Para a Baha sahe em poneos dias o ltate S.-Jio:
para o reslo da carga e passageirot. trata-sc com No-
vaes & C, na ra dn Trapiche, n. 34.
Para o Maranho, tocando|no Crar, sal ir em pon-
eos dias o brigue-rscuna Laura : para o resto da carga e
passageiroa, trata-se com o capitao na praca, ou com
Novars & (.'., na ra do Trapiche, n. 34.
-- Para o Rio-de-Janelro segu, at o dia 2* do
correte, o brigue ^rnmoro : quem quizer embar-
rar escravos a frote ou ir de passagem para o que
tem asseiados commodos dirija-se ra da Cadeia
do Recite n. Cl, a tratar com /0S0 Jos Fernan-
O abaixo aaaigna.do tendo sido preso em o dia 3 de
feveireiro prolimo passado, quando lia tbido eral-
mente que nao lomou elle parte algiiina na revolta, nein
no assallo desta cidade no dia 2, foi recolhido cadeia
e depois removido para a forlalea das Cinco-Pontai
donde foi sollo por conseguir pi ovar a sua nnoceqcia c
a iiijusllca da prlsao. Entre os senllinenlot que Ihe f,
caram por occasio dos seus lofl'rlnienlos, sobre axhc u
de gratidao para com o Sr. Marlnhn, ex carcerelro da
cadeia, e para com os Sis. olficiaet superiores e ial>rlo
res, e cadetes do sexto balalho, que se aeia quartel-
lado naquella lorlale/.a, pelo bom tratamenu (jaMellra
recebeu ; e, fazendo publico o seu ijrailcciiiientl0rti
rece-lhes o sen nenhum prestiuio em qualquer momen-
to de sua existencia. Sao para o preso Lio graude al|-
vioos olliclo* de aiulzade recebidos na pritao.que tur u
uiaior dos delitos olvda-los depois de solt.
Josf ia Fonteca Silva.
Jeronymode Albujyif rque Mello vende,troca.ou ar-
reada os seus engenhos Ramos e Maeaco.moenlese cor-
rentes, sitos na frrgueiia do Po-do-Alho, distante dem
praca 9 leguas, nos quaes engenhos t lia duas pequai,
partes alhelas, sendo que una dellaa vende-se, ou n
auuuuciante por rilaste respousabilisa. O annunciau-
des Magalhiles. te faz todo o negocio, certo de que "o vende pdrpred.
Para a Rahia sahe, no dia 26 do eorrenle, o pa- ,$0 e s, pordeixar de residir naquella comarca por
tacho S.-Crur. : ainda recebe alguma carga e passa- sso vende tambem una proprledade de ierras que tem
geiros : trata-se ao lado do Corpo-Sanlo Inja de naquella freguezia, propria para engento. Dt engenhos
massames, n 25. Na mesma loja vende-se una ca- e a propriedade merecem mullo, unte pela fertiiidade
noa que crrega 300 a 350 lijlos, ou troca-se por o.produccao de seu. terreno, como p.
lijlo e mesmo vende-se a dinheiro ou a prazo.
Est a chegar do Rio-de-Janeiro a bem conhe-;
cida eveleira barca Etpirito-Santo, a qual vem a
osle porto acabar decarregar, e deve com muito
pouca demora seguir para a cidade do Porto e por
isso se avisa a quem se quizer transportar de passa-
gem para aquella cidade e quizer ter esta dimi-
nuta demora acharSo na referida barca os mais
excellentes commodos nflo s pela grande cmara
que tem como o tombadilho:quem com antecedencia
quizer contratar 8 sua passagem ou carregar a fre-
tc, dirija-se ao seu consignatario Francisco Alves
da Cunta i na ra do Vigario, n. 11 primeiro
andar.
Para o Aracaly tem de sabir com a possivel
hrevidade o hiale Noro-Olinda, de que he mestre
Antonio Jos Vianna : quem nelle pretender carre-
gar, so entender com o mesmo Vianna, no Trapi-
che-Novo, ou na ra da Cadeia-Velha, n. 17, segun-
do andar.
~ Para Lisboa sahe mpreterivelmente no dia 22
do eorrenle o brigue portuguez Trivmphante, capi-
tflo Sabino Antonio do Cabo Almeida : ainda pode
receber alguma carga a frete e passageiros, para os
quaes oflerece os mais excellentes commodos : quem
pretender, dirija-se aos consignatarios, Olivcira Ir-
mSns & Companhia, na ra da Cruz, n. 9, ou ao re-
ferido capitao, na praga do Commercio.
Para o Rio-dc-Janeiro sahe com a maior hrevi-
dade possivel, portera maior parto da carga enga-
jada, o patacho nacional Francelina : para o resto da
carga e escravos, trata-se com Machado & Pinhciro,
na ra do Vigario, n. 19, segundo andar.
Espcra-se do Itin-dc-Janeiro al 13 do corrente
o brigue portuguez Terceira capitlo Jos Antonio
Ribeiro de Freitas.e segu para as ilhasde S.-Miguei;e
Terceira, com a maior brevidado possivel; s rece-
be passageiros para os quaes ofierece excellen-
tes commodos : quem quizer ir de passagem, diri-
ja-se aos consignatarios, Olivcira Irmos & Compa-
nhia, na ra da Cruz, n. 9.
Sabe para Lisboa no dia 21 do corrente a barca
poilugue/a hrjeira, lo que lie capitao Antonio Joa-
qun Rodrigues: para o reslo da carga dirijma sesos
seus consignatarios, Francisco Severiano llabello&"
(ilho ou ao mesmo capitao, na pc,a do Commer-
cio.
--Para ilha dos Acores e Lisboa sahe impreleri-
velmente, no dia 24 de abril, a polaca Socitdade-t'e-
lii, por se adiar com o carregamento quasi comple-
to : para o resto da carga o alguns passageiros, aos
quaes o de rece bons commodos, trata-se com Joo
lavares Cordeiro, na ra do Vigario, n. 8.
Para o Rio-de-Janeiro pretende sabir breve o
ungue Mercuutil, por ter urna parte do carregamen-
to : quem no mesmo quizer carregar, embarcar es-
cravos, ou ir de passagem, enlonda-se com os con-
signatarios, a moi i tu Irmflos, na ra da Cadeia, nu-
mero 39.
I.eito,
' llolelho.
-Sania Rosa.
Coiinbra.
J. Alvrs.
S. Cardoto.'
Ouimaiies.
Alvitet.
U men. Joaq.
1 jov. de7au.
D. Josefa.
D. Kclisiiiina.
D. Jesulua.
A EXI'LOSO O'UNA nsia.Kl.
Este drama he uina das inelhores traducedes do ar-
chivo tliealral de Lisboa, e ir distribuido da maueira
seguale :
lleliao.........
O baro de Torald.....
Pedro .... .....
Paulo csimleiio.....
Maicillo ........
A velha Matilde.....
Escudeiro conlidente .
Antonio, rendeiro velhu .
Un joven cainpouez ..
Julio, lillio deRosalviua .
Rosalviua.....t
Lourenca ......
Claudina, nullicr de Marcello
SOLDADOS E CAMI'ONEZES.
O director esforcar-se-ha por bem deseuipeobar a
graciosa parte de Pedro que tumuu a si.
Santa Rosa, certo das benvolas attences que ot seus
protectores dem preslar-llic, c nao querendo que so*
bre si pese o allronluso epitheto de ingrato, destle i
prunictle nao se poupar a despeas c radigat, aiim de
tornai o mala brllhante possivel a peca me. cscollieu
para esta nolle. i
No fuu do drama Santa Rosa e a joven Fdia>M can-
tarao o jocoso duelo intitulado
O ZAHUMUEIRO DE CASAS PARTICULaiES.
Findo ette, a inesuia joven executar fem renelicaof
nova danca ii"" -"-------
d
PAS HONUROiS NATIONAL.
Dar flu ao espectculo a linda farsa de coiiiposlcfc
e aeco nacional, viuda do Rio-de-Jauelro, denomluaia
Le loes.
O corrctorOliveira far leilflo de una cxcellen-
temobilia.eoutros per lencos de casa, onsistindo
em sotos de mogno e de Jacaranda, cadeiras lano
usuacs corno do bracos e de balanco, mesas de meio
desala com pedra-marmore, consolos, carteirase
camas das referidas madeiras, guarda-vestidos, cotn-
niodas, espelhos grandesd e sala, toucadores, mesas
dojanlar clsticas, guarda-lou^a, aparador, mesas
de jogo c oulras diversas, bancas de costura, camas
do Ierro, apparelbos de porcellana para janlar, tape-
tes linos e esleirs para salas, lanternas de casqui-
uha, vasos e frascos de porcellana e de crystal, relo-
giode paiede, garrafas e copos, um seilin ingloz
quasi novo para montana de senhora, serpenlinas
de bronze, salvas, colhercs, paliteiro e oulras obras
de prala ; assim como mais qualro escravos de na-
o, sendo Ires para pagamento a Francisco Jos
Bai boza, por saldo do que Ihe ficou restando o fal-
lecido Jausome : tudosb as cundieres que se apre-
seiilaifio: boje, 20 do eorrenle, s 10 horas da
manhfla, na casa n. 53, ra da Cruz do llecife, ter-
ceiro e quarto andares.
Joflo Kcllor & C. furrio Icilflo por interveneflo
do corretor Oliveira, de grande e variado sortimenlo
defozendasdeseda, Ifla, linho edealgodflo, asmis
. ......",""' """ j" xreuura ,cm repeticaof proprias do morcado ; Haunda-feira "qi.i,; enrrn.
LTSP, .WKSSr '""^-"^ e- slOhorasda Zi8*m\'rZ&%%
ta Cruz,
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmento do dia 18 .
Pilo do da 19 .
T
O JUDAS EM SBALO DE ALLELU1A.
Esta farsa, lao bella por seu eslylo, como por suas rl
cas sienas etubliiiie enredo, vai trena a pedido di
multas pestoat, e particularmente do Sr. Jorge Juniot
que cm obsequio ao director se dlgnou eniaia-la. A
vista que da o titulo a peca he dittlcultosissiina ida-
vla Santa Rota apretentar a -J- PONTE DO DIAIIO__
queda pasagein a uina grande lgrente que desee por
empinados rochedos, formando a vitta da mais linda
cscala.
>\
di
bli
teinpo que h
para os ij
a indulg
pretencat
Qt)k
Avisos diversos.
e ne preciso gastar com eusaiar actoret novos,
MM| >anta Rosa n.io pode delxar de empellar
.** do* espectadnret que honrai com suas.
JSJseatio tob sua direccao.
es* iH)di
- O hachare! Bernardo Jos Vieira
Coutinho, proprieUiio da livraria da ra do Collegio
para evitar duvidaa, ou fraudes no futuro, declara une'
nao deve a ninguem quantla alguma que conste de ti-
tulo de uaturesa civil ou commercial que o aonuncian-
te baja assiguado : as pessoas que teein coutas com o
mesmo annuucianle pdeju apietenta-lat para seren
pagas.
-- Manuel Ferreira Costa vai a Uoa, comarca do Rlo-
roriuoto, e leva os teut dous escravos crioulos Lu
e Ignucia.
--- O abaixo assignado previne ao respectivo ihesou-
reiro da lotera do thcalro, que na occasio que ot re-
beldet entraraiu no engenho Camorilu Ihe levaran, o
liilhele n. 712. e o meio bilhete n. 175, da ultima
'ihr,I.a.i"r,.f daidec,raa-0|t"va lotera a favor das mesmas
obras do Iheatro; por isto avila ao 111
, mm i i ,T ca,a annexa ao niesuio iheatro re-1 Aliina ..., j ni tose Antunes feretra. -" r~" i r,tvlMI ui uaixwiru "" "'
~------------ ,,ld,nc"d0dirf* IQuTimidoV??.u^"a ,ne,m^c.M\Ca5a" 9da rUa dIui .nnuncio Par"f U de"tr deB" "P
obras, que o annuucianle nada dli a esse rctpcito. ,.
manda a qualquer que ot pretender que vexami,
los. O mesmo annuucianle precita negociar um en;
aliu perlo da praja, e que nao diste uiiit de clu.a
legoas.
Silvestre Jnaquim do Nasclmrnlo vai para lora do
imperio tratar de sua taude
Retira-se para oCear F. W. Nashr.
Deseiieaiiiiiiliaram-se do poder do director da com-
panhia franceza varias partes do drama Catbarina How-
ird, raso pela qual a dita companhia levou i tceaa
em a noite de 12 do corrente o referido drama horrl-
velmenie mutilado : quem, peto, tiver achado ai sobre-
ditas partes, dirija te ao candielro da tala, ou gra-
de do jiateo, que ter bem recompensado. O Montt-
Prelo
Fugio da companhia franceza, em a noite de 11 do
corrente, o coudc de Sucexs ; quem o pegar ou delre
der. noticia cena, ter boa graiiticacao : dirijlin-teas
Sr. arerbitpo de Contrrkairy, ou aS. M.-llei-por-bein.
Qualquer mestre de alfaiale que qnizer aprender
a dar tesouradaa tem torcer o- queixo, dlrija-a ao di-
rector da companhia francesa no Iheatro de Apello, on-
de em a noite de espectculo d lices desta arte em se-
mi-escurido O Neres.
S M. Uenrlquc VIH, tendo de retirar-te desta ci-
dade, vende em publico, ou particularmente as quatro
mesqiiinhas cadeiras, coinpreheudendo abi a do teu thro-
no de assento e costas de couro, que ornaram a sua sala
regia na ultima entrevista de Elhelwoodcom Caiharlua
Howard : sao trastes de multo increrlmento para os ar-
chiolagos : trata-se com ot diletantes do Diario a. 81.
O Joo maluco.
Urna petsoa que tributa suas sympalbias a Mr. A.
Dumas pergunta ao Sr. director da companhia france-
za, se o drama representado no Iheatro de Apollo cm a
noite de 12 do correte, he aquel le que sdl> o titulo Ca-
tharina Howard coiupoz lao eximio eteriptor, ou te lie
alguma parodia coinposta por S. S., e a que deu tal dc-
nominae.i para cajar aa cdulas
Os eucarregados pelos credores do tinado Antonio
de Carvalho convidam a todos os credoret do mesmo
para apretenlarem o prazo de 3 dial cotila do que
aquelle lia ido Ihes licou devendo, e bem assim ola da
quantla que deu por uina vez para despendi das ques-
toet que enlao se inovlam: c porque tenha de te retirar
um dot encarregados, roga-te a presteza da apresenla-
e.io dascontat na ra das Cruves, n. 30, para te poder
la/.i-r o dividendo do dinheiro que ha em ter.
Prccisa-se de uina boa ama de lelte, altada mesmo
escrava : na praca do Cnmnieicio, n. 2, primeiro andar.
Jos Jacintlio Furlado e sua mulber n liam-se pa-
ra fura dn imperio.
Aluga-se urna cata terrea coin batante fundo, e
grande quintal todo murado, sita no Alerre-dos-A-
legadot, proprla para se estabolecer nella uina p.-do-
ria pelas coiuinodidades que otferece, c ter u embarque
junto : quem pretender dlrlja-sc ra do Queimado,
ii. 7.
Aluga-sc um mnleque de idade de dezoilo anuos
para o servico de qualquer casa ettrangeira, meaos pera
cozinba : narua do Collegio, ti. I (i, segundo andar.
Jos Francitco llelm arrenda o teu tilio deno-
minado Sanl'Anna, em Pamaineirlm,.cvni mui boas
otarias, e graudes baixas para capiui.boiii pasloradou-
ro para animaes, inuitos pes de varias ai vores de inic-
iase cafezeiros, boa agoa para beber, e a Iguanas caas
?|ue cstau no cato de renderem pelo seu bom estado ; e
ai.i este negocio por puro comnioda.
Relacao dot animaet com. suas cores que te achain
neste engcuho Crusaby, cunduzldos pelas tropas que
aqui esliveram, r. de oulras que daqui sahiram, e que
ot trouxerain quando para aqui voltaratn i assim emuo
um rusto pedre/. da sarnelba le ida, um mellado, des-
de o nm de iiovembro quando aqui etfevc as tropas do
Sr. coronel Uezerra ; dous castaubos, e um rodada ,
que lr.iiii tomados em caminho quando eu marcial
para Cruangy; tambem existe entre estes uina agua cas-
tanba, eum cavallo alazao que foram tomados no enge-
nho Moclo quando vollou a loica viuda da capital,
tendo j entregue a seus donns os oulras como consta
dos recibos que le"nho das pessoas que daqui os levaraiu:
existan preseniauenle unir c.ivallos ciinalio egoas Co-
res dot mencionados animaes; dous cavarle castaubus,
Iret cavallos mellados baiot, tres rucos pediezes, um
rudado, um alazao, um foveiro, uina rgoa caslanba,
una pedreis, outra dita rusa, e outra dita ala/a. Os
doaos que se acharan com dircito aos mencionado!
animaes os procurarao neste engenho apresirntaudu os
signaes, ferros, e mais provat que se fazem precisas; r-
caadocerlos que da data da puhlicacao dette a um uirz,
no apparcendo seus competentes danos, os rcmetterrl
para o deposito. Engenho Crusah;, i5 de abril de 1849.
Na rua Nov.i, n. Go, precisa-sc de
olhciaes de alfaiate para ca'c .s de panno.
No paloo da matriz de S.-Antouin, sobrado n. *,
liram-se passapnrles para dentro e fra de imperio,
assim como despacliam-se escravos, por preeo eom-
modo.
Manoel Jacome Rezerra, morador no engenho
Mnssupinbo, roga aos Srs. em cujo poder se *cham
seis cavallos de seu dominio, que fram lomados
por dilTorentes tropas que pelo mesoio engenho pas-
saram, queiiam aiinunciar onde so chatn para el-
le os mandar buscar; cujos cavallos leem os signaes
scguinies: um alazflo ,com estrella na testa, sig-
nal en.tre as ventas p esquerdu branco do irtwdo
para baixo, clinasdouratlat, com dous ferros; ou-
tro rozilho-foveiro com um ervo grosso na perna
direita; outro rmo-Sujo, muito novo; uutro far-
dao com as dinas divididas para os dous lado!
oulro pedrez carregador; e oulro ruco. )
Manoel Joaquirn Comes letn um escravo pardo,
mogo e de bonita figura para vender. j
Joflo Haplisla de Souza Por tuguei, rolira-se
para fora do imperio.
Manoel Ferreira Ramos manda para O Msranliflo
0 seu IiIIh. de menor idade, Antonio Ferreira llanio*
SimfloLuiz ,cJadflo francez, retira-se pr* uS
portes do sal.
Joflo aptista da Costa subdito poiluguez, re-
tira-se para fra du imperio.
A pessoa que precisar de um caixeiro de rua >
MUTILADO l




J*l
-Precisa.e alugar uaa andar de sobrado em qual-
qnar rua do-bairro do Recite, com tanto que sen
niri poico commodo o decente: tn>tsr"nn na da
Cru, n. 51
oi!ia2i!e marro, apprtrecPu no engciiho Ta-
qnary, freguezia do S.-Antio, un prelo do nacflo
(.'abunda, e tilo alravessado que mal se uniendo di-
zcr que seu senhor mora no engenho Miguaipe :
quem quorque ni julijnr com direltoa elle appa-
reca, 011 mande no referido engenho Taquary, que,
risajste) os signaes cerlos I lie ser* entregue.
^IVrtmila-se por um engenho um dos melhores
-- Qnrr-se arrendar um engenho perto dcsta ]*'-
ca, preferindo-se ao quo for de moer com agoa :
3uom livr annuneie, 011 dirija-se ao subdelegado
a freguezia da Roa-Vista que dir quem o pre-
tende.
I'recisa-se de um ama para casa do homem sol-
teiro com pouca familia, que ehgomme muito bem :
na Iravessa da Madrc-do-l)eos, n. t, las 7 as 9 horas
da nfanhfla.
Domingos Alvos da Costa Rodrigues rcra-se
pera a Europa.
Jos Baplista da Konseca Jnior tem para ven-
mll '*1u,mJr'erclra Arantes, com loja decalcado,, fta |0a e miu.lezas de qu 1ro nor-
roga os scus devedores que venham pagar-lhesuas'
sftios dcsta cidade, tanto pola elegancia, como pe*, der no srmazem do Bacelar defronte da escadinha
as commodidades que desejar-se pode, sito no Ar-.da alfandega ou na ra do V gario, n. 25, a me-
raial, pertencente a Viua & Filhos de Joflo Carlos Ihor farinha em sarcas que ha no mercado, preco
Pereira de Burgos l'onco de l.eon : trala-se no pateo. menor que nenhim outro possuidor.
do Caraoo, lirado n. i. | JoOo da Silva Braga laz publico quo vendeu a sua
~ freersa-ee de urna ama de taita que saiba Ira-,loja de sellniro, que tinha na rus Nova, defrorrto do
tarde urna erlanca e do que llie diz respeito: na oillo da matriz, cabrio nutra da mesma ollicinade
rus da Assumpcflo, n. 38, segundo andar.
-- OfTercce-se una muiher casada para ama de le i -
le : quem a precisar, dirijs-se atrs de S.-Jos, n. 18.
Francisco de Souza lavares, Portugucz, retira-
se para Tora da provincia.
Preeisa-se alugar urna preta : quem a liver, di-
rija-se atrs de S.-Jos, n. 5.
OSr. J. 8. T. queira mandar pagar o importe da
cera que comprou na fabrica da ra da Sonzalla-Ve-
lha ; aJisdeclarar-sc-ha oseu nome por estonio.
"I'iecisa-sedcum criado: na ruado Hospicio,
u. 9. -
Quem se propozer a fornecer capim paraal-
gnns ravallos, trazendo-o diariamente ra do Hos-
picio, n. 9, baja de ahi apparecer para so convencio-
nsra respeito.
OSr. ManocIJos dos Santos, filho de Mara
Juanna da Cruz, procuro urna caria, viuda de Portu-
gal, ha ra doQueimado, n. 18, segunda loja.
O pi ufessor de inglez e fraocez do collegio das
aites ensina estas disciplinas na casa de sua resi-
dencia, na ra da Gloria, n 7.
v-OSr. lente Bernardo Jos da Crac* tem urna
caria na liviana da praca do Independencia, ns. 6 e 8.
-Se umdasrasOesda insJjtuicflo das folhas pu-
blicas he porque muilas Vezes pessoas do povo
lembram-se advertir ao magistrado, Ou qualquer
da gove nanea a necessidado do povo ao goveno ina-
dvertido} Sr. redactor.tenha paciencia laucar em sua
folha as seguintes liuhas ver se o Sr. fiscal alten-
dendo ajusta rasflodo pobre,como eu,o dos qunjlecm
necessidado de soccorr.s, ou enfermos, com caldos
dochambari, quo nflo ha remedio ase colber um
porque asscnlaram do vender por carne por extra-
ordinario preco, que a pobreza nao pJe chegar
consta quo en lodo sul o p do boi vai annexo a..
chambari, cortando-se no grosso da earne, do queso
vale muito a pobreza, c quasi sempre assim foi ; bo-
je quo a carno logra um extraordinario preco por
ouerasijQ.se tem intiodu/ido o chambari como car-
ne ha lauca ? Talvez a cmara municipal mo tenha
rellectido nisso Heos quuiraqueolho para isso com
mais atlencfio e zelo : nflo licaudoa ininha queixa
sem resposla, como oulras quo nflo menciono : o
que muito Ihe (padecer pola primeira vez O po-
bre enferm.
Carlos Claudio Tresso, fabricanlo do orgilos e
realejos, na ruada Flores, n. 1.9, avisa ao respeita-
vel publico quo concerta orgflos o realejos, pe
marchas modernas desle paiz concerta pianos sa-
ralinas, caixasdc msicas accordflos e qualquer ins-
(runenlo que appareca : lainbem faz obras novas,
o ven le um orgflo proprio para capella, ou alta-mr,
com boas vozes por preco commodo.
Aluga-seoarmazom do sobrado da ra da Cruz,
ii. is : a tratar no mosmo armazeui.
Offerece-se urna muiher branca, para ama sec-
im de urna casa de i nuca familia : quem a pretender,
dirija-sorua do Birlos, na esquina do becco do
Norunha, primeiro andar.
Engomma-se roupa com pcifoigo, por preco
commudo : no Alcrro-da-l!oa-Vistn, n. 55.
-- i'i ecisa-se de urna ama para urna casa de pou-
ca familia, que saiba engoinmar e cozinhar com mnis
necessidade : em Fra-de-l'ortas, ra do Pilar, 11. 72,
segundo andar.
Manoel Duarlo retira-so para fura'do imperio.
Jos de MeJeiros lavares avisa aos Srs. que
leem penhores em seu poder que os v3o tirar ateo
lint -o m*> sem falt, porque o *n. uncante Um
do ira Europa ; do contrario serflo vendidos" para
sen pagamento. O aununcianle taiiibem Bvisa as pes-
soas qus Iheddvem, para quo Ilievflo pagar ale ao
mencionado prazo ; certas deque, se o nto liicrem -
se usar da le.
- abaixo assignado, leudo de retirar-so paro
lora do imperio, ruga a todas as pessoas quo Ihe de-
vem venham pagar-llio scus dbitos no prazo do 8
das da dala desle ; cortos de que qualquer que o
deixar de fazer ver o seu nome por extenso ueste
jornal quanlias e qual a sua origeni assim como o
mcsiiiu abaixo assignado aproveita a occasiflo de
tazer publico que nflo prolende relirar-se som nao
..nudazir a lodosos scus credores a quem legel-
incnlo deva. Osde.Vedores que Ihe queira mi pagar na
sua ausencia so entenderflo com Joflo J icintliu Pe-
reua Labrar, ua ra lurga do Itozario, n. 29.
Francisco Jote Pato.
--lerderam-se, no dia 18do correte, do bairrodo
i.'Cifeao de S-Antonio, 5 cliavinhas coludas em
una correlo do prata : quom as liver ada lo fara
uiavordeas levar ao lintel-Francisco na la da
Alfaudega-Vellia n. 9, que sera gratificado.
ftodia 2 de feveroiro desapparecou um meni-
no de 8a 10 anuos, de nome Ciraco Xisto Monteiro,
pardo lngueiro, cabellos carapinliados, olhos a pro-
porcuo, nanz rombo, bocea a pioporcflu : quem o
uvbi era su* companhia, ou o liver adiado, dirija-
se ao becco do Falcflo 11, ?.
il'oituguezes abiixu declarados retiram-io
J"'!"ll?f*>Uo imperio : Ignacio Augusto doAguilar;
Ani.mio O.as de Castra; Cl.udini Fer.eira Pinto;
11 u"" su* muiher ; Josa Francisco Mor. ir,
r 1 miJ"er um lilho menor ; Jos Joaquim do Ma-
:.r_*22Bta.eo ,no"1 s" muiher; Berlo Jos Pe-
Antoni.) Coelho da Mattos Bandeira ; Jos
ia d t'mho ; Manoel Duarle; Marlinho da Sil-
nmlKe',or. Ua CsU Ju"iur' SUa l"ul"1"' e
Oa-scdiiiheiroa
P'einio,
sobre ouro e prata:
a venda do leflo
!; na .no Hospicio, sojnu
Cnw''fr 80,OSlJous''--,res da casa da ra da
do a' 1 .1 "Pl,mos Pra Mcriplorio, ou consula-
oo a tr*Ur no primeiro andar da mesma casa.
n e7d!.a > "ai*UBd. le'Jo de retirar-.ne para
dosr i!n9 !,0.'por ,S8>elxei de ser l.orlclflo
cu.*-Jf~aCI0 d2-,,,rro" B8,re'. do engenho Ma-
ob?h.H d," do crreme, licando muito
n t J? cs," Sr l'el bu'" iratameolo com
que sempre me tratou durante o te.-npo que estive
msua casa. Jost Rodriit, da MotkT
1 SF.LLEIRO, NA RA DOQUEIMADO N. 9, onde osseus
freguezes acharOo sempre 1 completo sorlimenlo de
obras daquclla arle, como sejam : sellins de todas as
qualidades, tanto para montara de homem, como
para senhora, apparelhos militares, tanto para ca-
vallaria, como para infantaria, ecolches do diver-
sos tamanhos e qualidades.
A viuva & Filhos de Joflo Carlos Pereira de Bur-
gos Ponce de Len vendem, anda mesmo a prazo ,
ou a troco do escravos as casas terreas leudo cada
urna 2 salas, 2 quartos cozinha fra quintal e ca-
cimba sitas na Iravessa do Marisco deironte da
nova matriz do S. Jos: no pateo do Carmo, sobra-
do n. 18.
Os abaixo declarados rctiram-sc para fra do
imperio : Jos Joaquim Renevides, Jos de Mello da
Silva Pimentcl e Antonio forelra d Silva. *
Fuitaram, na noite dia 15 para 16 do correte,
de dentro da gaveta de urna commoda um pouco
do ouro contendo uns coraes azucs encasloados e
com seus requififes dous pares de brincos de caba-
ca um lu iuqiiinho de filagrafla, tres palmos dn
Irancelim : a pessoa quesouber, ou Ihe for ofTcreci-
do tenha a bondade de embargar e participar no
becco da Viracllo n. II, de onde foi roubado, que
ser gratificado.
Na casa do modas frarfcezas do madama Millo-
chau no Atorro-da-Boa-Vista n. I, defronte do
chafariz, recebeu-se pelo ultimo navio, viudo do
Franca um lindo escolhimento das ultimas modas,
comospjam : collerinhos e caminhas de cambraia
bordada, muito ricos; cabecocs de bicos bordados;
cortes de vestidos do seda de barcg do garca de
cassa e de cambraia; lencos muito lindos, para
grvala de senhora ; garca de seda, lisa e de todas
as cores; fil de linho e deseda branco e pelo;
ricas flores para enfeiles do balese casamentos ;
plumas para chapeos de senhora ; entre-meios bor-
dados de cambraia fina; cambraia de linho; ricos
manteletes de seda de cores, muito ricos ; ditos pre-
tosenfeitadosde tranca e franja; lencos do inflo ,
de cambraia do linho ; fitas muito lindas 0 ricas ;
trancas de seda de ludas as cores para enfeiles de
vestidos ; esparllhos para senhora ; luvas de pel-
lica, curtas o compridas ; ditas de maia aborta ,
muito finas; trancas de algo l,lo para enfeiles do rou-
pfles do menino ; bicos de linho, blondo o de seda ;
tarlatanas ; manteletes de bico prelo; chapos de
seda e de palha para senhora e meninas ; guanicOes
de botos para vestidos de senhora ; rendas lisas de
linho e do seda ; mantas de lfla o seda, de muito
bonitas cores; toucas para senhora. Na mesma ca-
sa se fazem effeclvamenle vestidos, chapese tou-
cas de senhora da ultima moda e apceo mdico.
Jos Nones de Oliveira & Companhia venderain
o seu armazem de seceos ao Sr. Augusto Cesar Co-
laco de Menezes sito no pateo da S.-Cruz ao |
da botica : quem se julgar seu credor coinpaieca
no mesmo armazem sexta-feira, 20 do correle.
AI11 i:a -so a luja do sobrado 11. 40, 110 Aterro-da -
Boa-Vista, que faz asquina para o becco do Marliihs,
piopria para qualquer casa do negocio, e coin bous
com modos para familia; a tratar no pateo da S.-
Cruz, n. 70, segundo andar.
Precisa-se alugar urna casa torrea, ou sobrado,
sendo em boa tua dando-se preferencia no bairro
de S.-Antonio : quem liver, dirija-so rib ira da
Boa-Vista venda da estrella, ou aiiuuncie.
A pessoa com quem foi trocado casualmente
um chapeo de sol, do panninho, por um de seda vo-
ltio na casa do reverendo vigario da boa-Vista ,
queira aiiuunciar onde su deve fazer a entrega.
Quem se julgar com direiloaos foros das casas
ns. 1IC o 118, sitas ua tua de Hurtas o peilcnceulcs
a S Casa da Miscricorda na Babia pode maudarie-
cebc-los na la do Vigario, 11. 7.
J. P. Adour & C. fazem sciento que ni ausencia
de seu socio, Philogono Adour, lica eucarregado de
sua prucuraeflo oSr. F. A. Dubouicq para tratar do
lodos os seus negocios.
A'ITFNCAO.
Joaquim Concalvcsda Silva em consecuencia de
ha ver outro de igual nome, declara pilo" presente
jornal quo do boje diauto se assignar Joaquim Cun-
ea I ves de Albuqucrque e Silva o que servir de go-
veruo as pessoas com quem elle tem lido transac-
cOes commerciaes, tanto nesta cidado como no llio-
de-Jaueiro Babia e as domis provincias.
Francisco Jos Ricardo Ferreira, subdito por-
tugucz, relira-se para forado imperio.
-- Vicente Thoinaz dos Santos relira-so do im-
perio.
Na ra Nova, venda n. 65, que foi do Sr. Anto-
nio Ferreira l.ima ricfionte da cocheira precisa-
se de um caixolro que lenha bastante pralica de
venda para recabar uina por balanco dando fiador
a sua conduela : d-se bom ordenado e far-se-hflo
mais algumas conveniencias: a tratar na mesma
venda ou na casa junto, n 63.
O aununcianle Antonio Jo. Dias que nos Dia-
rios de 16, 17 e 18 do presente mez diz que se
retira para a Europa a tratar de sua Mude lio cai-
xoiro da venda de Joo Anlonio Carpiuleiro da Silva
& C. na ra Real do Manguinho 11. 52 : por is-
so nflo so enlende com oulro qualquer de igual
nomo.
\vho ao rcs|>ct;ivci publico
Cuilherme Frcdorico Waller, como lenha de de-
roorar-se por mais algum lempo, pela bstanle con-
currencia que lem lido avisa as pessoas que o tem
fallado para tirar relalos que apparecain quanto
antes nestes 10 a 12 dias, O aununcianle leu) liis re-
tratos do desembargador NtJNES MACHADO, tirados
a dagarreothypo, e que vender por precos com-
modos.
Agencia de passaportes.
71a ra do Collegio, n. 10 e no Aleno-da-Boa-
Vista lojaa na. 48 o 78, conlinuam-se a tirar passa,
portes, lauto para dentro como para fra do imperio-
assi 111 como desuacliam-so escravos: ludo com bre-
fraade.
fio da Escocia ; frocos de
contas, tomaii7m Mnsidra'^qiw^acd"**]*" d r,,a do Gabug, do Dnarte,- ven-
se compra a dinheiro, eos mesinos Srs. eslflo mui-[dcm-se inoias de seda pretas di: Lisboa ;
10 atrasados nos setis pagamentos. ... -. r r u~ A*.
... A dilas insjlezas ; ditas de lino linho, ene
AltcncAo pela boa gralili-
cacAo.
-- Ka noite do dia 15 do corrente mez, pelas
/ lloras, fugio o escravo de no>ne Julifln, do ida-
de de 22 annos pouco mais ou menos, cujossignaes
sao os seguintes : altura regular, cor fula; temos
eal.canhares radiados decravos, tendo ainda no cal-
cahar esquerdo um cravo que est descascando,
eotomozello dopdireito mais grosso; levou ves-
tida urna calca de panno prelo j usada, camisa do
madapoiaojaqueta de riscado azol.um lenco amarel-
lo.unia camisa, um lencol.e una calca de lista j usa-
da:dislo fazia urna tiouxa. Consta que seguir para a
a cidade da Victoria, aonde j esteve 12 annos, e
preso na cadeia, de onde foi remedido ao senhor.
loga-se, portanlo, as autoridades policiaes, o cap-
tfles de campo procedam em suas diligencias e, pe-
pando-o, levem-o a rus Direita, fabricaVIe licores,
n. 17, que generosamente serflo recompensados.
?;.' JOS A.NACI.F.TO,SANGRADOR E DENTISTA, #
j bem conhecido na sua arte, e morador na (?
*/ ra estrella do Rozario, ( bairro de Sanio- 4
# Antonio ; junto igreja, casa terrea, n. 5, tem 4
# a honra do participar ao respcilavel publico, e .S|
a seus freguezes o amigos, queseacha muito *
> 1 rompi a qualquer hora do dia para prali- # car, com muiu dlicadeza qualquer opera- #
f eflo do sua arle, c por um preco mu i lo com- m
m modo, com lodos aquelles que do scus pres- 9
4 sa, como fora della, mandando-se-lhe indica #
eflo do lugar, nome da ra e numero da casa. ?
# Elle lira bem denles, sangra o mclhor possi- # vel : tambem caiga denles furados (cariados) 4
k com prata lina, ouro, ou qualquer oulro me- #
4} tal branco; aparta perfeilainente os denles da
9 frente ; applira muito bem venlozas sarjadas ; #
o todas estas operaces por um prego muito %
commodo a todos 1 assimr como tambem em 4
suo cusa corla muito bem cabellos, faz barbas iev
e amla navalhas. Na mesina casa veiidcm-se -^
ixcellcnles instrumentos para tirar denles, ^
lano aos meninos como a pessoas grandes ; 4
a saber: bulicoes, l penca) pequeas, retas, if
curvas, e chaves, e lunas linas paru apartar 4
t denles. Tambem vendem-so metaes brancos
r em laminas, para clcar denles turados, e lu- 4
i- do por presos muilo commodos. S
."> N. II. Jos Anacilo, sendo chamado, e nflo
* praticando qualquer das operarOes do sua 4
(> arle, serflo pagas as suas paitada*ou visitas, $
C' visto perder seus interesses em sua casa. 4
9 -i
Compras.
Coiupra->e o drama cnlilulado Calliarina Howard,
(al qual fot irpresrutado no ihralro de Apollo em a noi-
te de 12 do crreme ; p ga-ae bem, e da-se de graiili-
va(5o um bllbete de Kalrrla para o prUiuio-|iompoio-
rspeclaculo-de-enlciraiueiilo-que (em de aprcseular
4-nunca-assi-louvada-conipaiihia-fraiicpi:a ; trala-ic
com os caboclinhoi grincos da rua dos Pire*, 11 880, uu
coma iiii.Jfr. Un l'rl.
Compra-se o culcllo-dc-follia-dc-llandrescoin que
oa noile de 12 de abril do anuo da graca de i84'J foi dc-
capilad.i a rainh.i de Inglaterra, (amarina-Howard ;
cujo ciKcllo pela tua boa tempera e riiormidade dar
bem qualro folbas de ua -.albas pira a machina de bar-
bear a vapor : a tallar com o Si 'Mundo-Me, 011 com o
1 -u til le uu sen vc-iiiho. O Uarba-lna.
Compra-sen Historia sagrada por Roimond : na
r.ia estreita do Itozario, n 8.
Compra-se um sellim inglez em meio uso : quem
liver aonuncie.
Conipram-se 200 lijlos de marmoto : no Ater-
ro-da -boa-Vista, n. 21.
Compram-so garrafas vasias, sendo limpas,
80 rs. cada una : no armazn da rua da Madre-de-
Dos. n. 3fi.
Compra-se urna preta OU prelo sendo bom co-
zinbeiru e quo uflu tenha vicios : na rua do Cres-
po, II.
Compra-se um fnles para folear formigas : na
rua do Caes, loja 11. 17.
Compram-so o vendem-se escravos : tambem su
rocebem de commissflo : na rua das l.nrangeiras,
n. 11, segundo andar.
Compram-so loncis e quarlolas mesmo es-
tando abatidos que sirvan para agua : ua rua da
Moda, 11. II.
Compra-so urna preta, ou parda que cozinhe
bem c cngoinnio e srja desembarazada -. nflo se
olha a preco : ua rua do Vigario, n. 24.
MI DA BOA RASO.
Vende-se o commrnlaiio critico a le de 18 de agosto
de I7C9, por Coi rea Te I les na liviana ni. tirSd.i praca
da liidepcndrncia.
THEOBIA
da inlerpretacoilas Icise rusa o sobre a nal 111 u/a do
Censo consignatario, porCorreia Telles : na pra^a la
Indeicndencia, livraria ns. 6e8
-- Aindaexistem no armazem da rua da Praia, n.
35 ,18 laboasde assoalho de amarello ha mais de
um anuo, asquaesse vcndeui por di un mito proco,
para se fechar contas, o que faz arranjo para loja de
marceneiro por as taimas estarem o mais secco pos-
sivel : a tratar lias Cinco-Ponas, 11. 32.
Vcndcin-ae cnebertos de l.nanj.i aeleta, d>(as de
euibigo, de lima de embigo, de limao docr, prs de sa-
polis, de pinha, de frucia-pao, e de limao para cercas :
no sitio do relogio, na estrada dos Alllictos, ao p do do
Sr. Oliveira.
Vende-ic um escravo 111090 de bnuila figura, of-
cial de calafate : na rua da Codeia do Recifc, loj.t de
la lie 1, 11. 6.
-- Na loja de miiidczas de qualrj por-
tas da rua do Dubug, do Dnarte, ven-
dem-se franjas de relroz, para mantele-
tes ; requififes de jsedj ; cordo de ele-
gantes croes, proprio para enfeiles de
vestidos Je t>enbora, e roupa de meni-
nos.
Vende-se urna escrava com urna (illia do 6 an-
nos por preco commodo : na rua do Queimadu
n. 6.
cores ; loucas
fcitas no llio-de-Janeiro, e mantas para
meninas a 1,000 rs.; pecas de fitas com
um toque deavarin, contendo *'| varas,
a 800 ris.
Vende-seo engenho denominado Brejo-de-S.-
Jos sito legoas distante da cidade da victoria,
em S.-Antflo. moente e crrente com agoa; tem mul-
ta Ierra lano em partidos como em malta virgem ,
cercado de valado, muito limpo nova e grande ca-
sa de vivenda, de pedra o lijlo, com muitos com-
modos que chegam duas grandes familias, pois s
de frente lem 152 palmos cora boa mohilia de Ja-
caranda commodas, guarda-roupa, armarios com
louca, um rico apparellio do porcellana para cha,
ainda nflo servido bomcomo mais vidros porta-
licor, etc., urna grande borla de caf que da para
vender por mais que so gaste, larangeiras, limei-
1 as sidreras. banain.1 iras o nutras mmlas fruteiras
de diversas qualidades: vende-se com a safra ou
sem ella conforme a vonlade do comprador assim
.como gado e eavallo : tratar no mesmo engenho.
Vendem-se 6 pranclides de sitipira
por todo o preco : a ver no ('orle do-
Ala t tos ao pedo chal'.iris tratar na rua da
Cruz no liecife, n. ta
Vende-seuma negra moca, que cozi-
nha e lava : quem a pretender dirija-se
n mi do ('abug, loja de miudez-is de
GuimarSes
Chocla le amargo ce musgo
islndico,o thesouro dopei*
to, preparado por .llr.J. G.C.
A tosse, esta doenca tito com num quando descui-
dada, tflo graves sflo suas consequencias quanto pa-
reen ligeira cni seu princin, tflo matadora por si s
Cumio Indas as mili as doencas que consoinem a es-
pecio humana nflo linba para combate-la e des-
lrui-l,i um medicamento especial c nico. Todas as
pasiilhas o eharopes que teem appareci lo al hoje ,
leem sido impotentes .No tem acontecido istocom
o chocolate de musgo. O piiucipio que forma a sua
baso principal ufleiece propnedades incontestaveis
leconbecidas depois do muito lempo e ninguem
ignora os felizes resultados da sua applicacflo em
as plilcugniasias agudas, ou chronicas du pulmflo,
aflecefto do pcito phlysifa, delluxn, tnsses, etc.,
para dar tom a o esloma go, abrir a vontado do co-
mer, conservar as gengivas e o bom alilo, matar
as lumhrigas, principal mente as criancas.
Vende-se unicameiile na rua doQneimado, n. 17.
Vende-se um firdanicnto, inda nflo serv lo, pa-
ra ollicial ou inferior do cavallaria do guarda nacio-
nal : na rua Nova. n. 16.
Vende-se urna fazenda de gado as cabeceiras
de Curiry-de-Fra de nome Noruega com verteute
d'agoa permanente, o a melhor Ierra que se conde-
ce para criar e plantar, coin estensiio para tres fa-
'.....las sendo o seu muco elogio a gravidade de
nflo lia ver secca quo mate o gado visto que a qua-
lidade do pisto he tal, e a abundancia d'agoa,
nflo s da fazenda como das circunvizinhancas, que
vive ludo falto e tem de mais a mais lugares pro-
prios para sullas, creados quasi pela nalureza. urna
priipriedade propria para criar gado de toda a qua-
lidade no lugar da Pitombeira no Canrv -de-lora,
junto ao llodocong. Um engenho na comarca de
Coianoa, peiioda ci lade, silo em Ierras muito fer-
iis i margein do Sirigy com extensflo para dous
grandes engenhos, um marcado prximo ao outro
que Ihe empresta a nielhor commodidudo desvian-
do em ptima o plana estrada para a cidade, com
maltas sullicienles o mullo maneiro pur estar de-
prusio ha alguns annos ,pelo que necessita de certos
reparos as obras que com quanto sejam de lijlo e
arueira todava se tem arruinado, l-az-so qualquer
negocio por una propriedado na comarca de algum
lugar de areias com ordinaria sulciencia pira edifi-
ca r-se um engenho segundo a bondade e mesmo
dimensflo doterreno : os pretendentes dirijam-se a
rua larga do Itozario, 11. 48, segundo andar.
Vende-se urna preta crioula, de 25 annos de
boa liguia e que cozinha. cose bem c faz ludo o
mais ser vico de urna casa ,- urna dita do 13 annos, do
bonita ligura ptima para mucama, por coser
i|iialquer costura eser muito carinhosa para me-
ninos: vendom-sc por seu duno rolirar-se para fra
do impeiio: na rua da l'raia-de-S.-Rita ns 25e43.
Vende-se urna linda escrava de naco, de IC an-
uos do muito boa conduela, ptima para mucama,
por saber engoinmar, coser e cozinhar; um bonito
molecflo de nacflo Costa de 18 annos ," sem o me-
nor virio, c que he bom ganhador de rus ; um dito
de nacflo, bom para o traba Ibo de campo ; um prelo
de --'-' anuos bom cozinheiro ; um dito da mesma
idado com ofiicio Je sapateiro ; um dito de mei
idade bom para estar em algum sitio: na rua das
l.aiangeiras, n. Ii, segundo andar.
--Na rua estreita do Rozario, n. 8, vendem-se car-
tas de a b e, cathecisnios, cartilhas, paulas, procu-
rarles bastantes, apudautas, lellras, traslados, lag-
num Lexicn dito do composi;8o latina, Selecta ,
l'abulas, Virgilio, Horacio, Cartas de Cicero, eTe-
rencio.
Para liquidadlo.
Na Inj i da rua do Crespo, ao p do arco de S.-An-
lonio n. A, vendem-se crlos de cassa para, vesti-
dos de cores flxas a 1,600 e 2,000 rs., bonitos pa-
drees ; cortes de casimiras elsticas para calcas, a
5,000 rs. ; ditos de fazenda de algodilo para calcas ,
de cores escuras e muilo encorpadas a 1,000 rs. ;
urna porqflo de chitas escuras, bon* pannos, a 120
rs 11 covado ; chapeos de sol, de seda fluos a 5/
rs. ; chales do garca, a 2,000 rs.; lencos para mos,
de cassa pintada e arrendados, a 20r*\;.a outras
muilas azendas quo a vista se patntemelo ao fre-
guezes.
Carne fresca miiilo gorda.
No pateo do Paraso, acougue novo, o. 97,
coma fronte amirella, haver lodos os dias carne
fresca da piimcira soite, e os pesos serflo feitos
voutaJe dos compradores, indo a primeira vez, con-
tinen! a ir pelo agrado que acharao sao)pre ua ven-
dedor, assim como tambem llavera, carneiro nos du-
mingos gordos e diat santos,
1 ........


-
'
&-
Vendom-se presuntos inglozes para fiambre;
UWi com bolachinhas do Lisboa ; ditas de aramia ;
ditas Je martnelada dmlias; litas de hervilhas ; ditas de checolate de
Lisboa ; frascos de conservas ; ditos d'agoa da flor
de laranja ; barris com azeitonas brancas de Elvas ;
f:irrjifns com v i litio moscatel de Setubal e da Ma-
deira; queijos de prato, fresca es: tudo novo e
chegado ltimamente do l.isbi : na ra da Cruz ,
no Kecife, n. 41.
Contlnuam-se a ; vender saccas com superior
colladas fabrica do Rio-Crande-do-Sul, por pre-
o commodo i na ra da Moda, n. 7.
Madeira de pfnho.
rairua de Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um terceiro armizem com madeira de pinho
da melhor-qualidade que tem vindo a este mercado,
e serrada de todas as grossuras e comprime otos:
vende-se pelo menorprego que he possvel.
Aos fumantes de bom gosto.
No armazem de moldados atrs do Corpo-Santo,
n. 66 recebe-se por lodos os vapores viudos do su I
porcSo de cigarriidos hespandes, ditos de palda de
mi I do assim como superiores cdarulos de varias
qualidades : ludo se vende por prego oais barato do
que em outra qualquer parte.
Vende-se sola, couros cortidos, calgado virado,
para homem esenhora lamancos, bonetes de pan-
no firuj pira domem, chapeos do paldinha e de mas-
a, marroqiiiin decores sortidas, bezerro francez :
ludo por preco commodo : na ra do Livramenlo ,
loja de couros, junto ao nidio.
Vende-se o engendo Novo do Cali para paga-
mento da iiypotdeca que nelle tem o Sr. Joilo Vieira
da Cunda : quem o pretender dirija-se ao mesmo on-
genho a tratar com Francisco Jos da Costa.
CHA' BRASILF.IRO.
Vende-se,ou armazem do molhados atrs do
Corpo-Santo, n. 66, o ruis excedente cha produzi-
do i'ins.-i-auo que tem viudo a este mercado
por preco muito commodo.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Saotos da
liahia,
muilo proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Bieber & Com-
pendia, ua ra da Croz, n. 4.
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos inglezes para
fiambre, edegados no ultimo navio: no armazem
do Braguez ao pe do arco da.Conceigflo.
l-olha de Flandres.
Vendem-se ranas com Tolda de Flandres: em
casa de J.J.Tasso Jnior: na ra do Amorim, n. 35.
Viiilio barato.
Acda-so cstabelccido na ra da Madrc-dc-Deos ,
n. 36, um armazem de
Y i nbos da Figueira
de'optima qualidade a preco de 1,360 rs, a cana-
da ,e a 180 rs. a garrafa ,e para nao daver dolo do
comprador serBo lacradas as garrafas e com rotu-
lo, recebendo-se a garrafa vasia, e dando-se imme-
liamente a outra cheia : tembem ha barris muito
pequeos, propriospara quem passa a festa. O pro-
prietario deste eslahelecimento pede encarecida-
mente que se nfio illudam avahando peo diminuto
preco e sem conhccimcnto do causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da eslima dos verda-
deros amantes da boa pinga ; elle conla que quem
urna voz provar continuar com gosto o sem arre-
pciidimento. K o bom prego .'! A lodo o exposto
accresce o asseio e bom acondicionamento. o que tu-
do so poder verificar em dito estabelecimento.
-- Vendem-se 2 eteravos sendo um preto, moco,
de bonita figura c um moleque de 12 annos pouco
maisou menos, sem vicios nem achaques : na ra
do Crespo loja n. 2 A, se dir quem vende.
Vendem-se sellins inglezes e camas
de ferro : na ra da Senzalla-nova, n. 4a.
Agencia da ftindicao
Low-lfoor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Nrste estabelecimento contina a ha-
ver nm completo sortimcnlo de moendas
e meias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e techas de ferro balido e
coado, de todos os lmannos, para dito.
Vinlio barato.
O proprietaiio dcste estabelecimento, desejando
conservar os seus reguezes c nflo Ihe sendo possi
vel pelo prego de 160 rs. a garrafa visto ler o ge-
nero subido cerca de 90.PC0 rs. por pipa em ras.lo
de nao ler viudo ao mercado,(bem contra a sua von-
ladeV *-se na duia preciso de augmentar o pro-
co e pelas rasOes apontadas, conla que seus fre-
guezrslho faioustiea ese n0o escandalisarilo.
Luvas de pellica-
Vendem-se luvas de pellica para senhora da mc-
lhor qualidade possivel; oculos de diferentes graos e
vid ros : na ra larga do Hoza rio, n. 24,
Potassa.
Deseni barcn ha poucos dias urna por-
cao de harria pequeos, com muito nova
e supeiior potassa, e se acham a venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se vendia, na ra da Cadeia- Vellia
armazem de Bailar & Uliveira, n. 12.
-Vendem-se, na ra da Cruz, n. 21,pedrasde mar-
more francezas para mesas redondas e consolos.
-- Vendem-se, na ra Direila taberna n. 53, sac-
cas com um alqueire de milho novo, a 3,500 rs.; di-
tas com arroz pilado; ditas com caf; ditas com
le i jilo ; e tos os mais efeitos de venda mais barato do
quo^moutra qualquer paite; bem como urna pc-
cilo de madeira de louro o oleo para marceneiro.e
travs de diversas grossuras.
Vende-se cal virgem de Lisboa, de superior
qualidade em barris de 4 arrobas cliegida neste
mez pelo brigue Maria-Jot: a tratar na ra do
--Vendem-sesetinsde todas as cores, proprios
para armsgoes de igrejas e para forros, por preco
muito em conta : na ra do Queimado, loja do so-
brado amarello, n. 29.
Vende-te algodao da trra ^ a 200 '8. a Tara : na
ra do Queimado, loja do sobrado amarello, n. 29.
Cha barato.
Vende-se muito bom cha, pelo prego de 500 rs. a
libra : na ra do Crespo, n. 23.
Na ra do Queimado vindo do Rozarlo, loj
n: 18, vendem-se chapos de sol, de seda, pelo com-
modo prego de 5,500 rs.; ditos para senhora e me-
ninos a 3,000 rs. ; ditos prelos e brancos para ca-
bega de meninos, a 1,280 rs. ; lengos pretos de seda,
a 500 rs. ; ditos floridos de 19a com franjas, para
hombros de senhora a 500 rs. ; alpaca de lindo da
diversas cores, a 500 rs.; chitas escuras de bons
pannos, a 140 rs. o covado ; e outras muitas fazon-
das por commodo prego.
Ao barato.
Vendem-se corles de cambraia de cores,a 3,000 rs.;
ditos de cassa a 2,000 rs.; riscados francezes, a
200 rs. o covado : na ra do Queimado, quatro-can-
tos, loja do sobrado amaiello, 11. 29.
Ao bom gosto.
Na ra do Queimado vindo do Rozario segun-
da loja n. 18, vendem-se os mais lindse superio-
res cortes de casimiras, pelo commodo prego do
7,000 rs.
Vendem-se cortes de cambraia do cores e
modernos padrOes; riscados francezes linos;
chitas francezas largase de novos padrOes;
riscados largos, proprios pnra camisas; cas-
sas finas o de cic, goslos inteiramente no-
vos ; brim de puro linho de cores e bran-
cos de listras ; casimiras francezas de novos
padrSes; lengos de seda da India ; e outras
muitas fazendas finas 1 tudo por prego de
agradar aos compradores : na ra do Quei-
mado quatro-cantos, loja do sobrado ama-
rello n.29.
Vendem-se sapales brancos de so-
la c vira, pnra bomens emeninos, a mil
ris : na na da Cadeia do Itecif, n. 9
Vendem-se sapa(5cs de couro de
lustr pelos baralissimos precos de 3,000,
3,5oo e 4>ooo rs. ; ditos para meninos
de 3,000 a a,5oo rs. ; sapaios ditos pura
senhora, a i,q8o rs. ; ditos de marro-
quinfa 1,000 rs. ; ditos para bonicm, s
i,200 : na ra da Cadeia do Kecife, nu-
mero 9.
No armazoro do Bacelar, vende-se arroz de va-
por a 1,400 rs. a arroba.
No Uerro-da Boa-A isla de-
fronte da boneea a troco
de dinheiro ,
ha chegado ltimamente um novo e completo sorti.
melo de calcado trance/ de todas as qualidades,
tanto para homem como para senhora e criangas
borzeguins para homem, a 4,000 rs ; sapalfies de lus-
tro a 5,000 rs. ; os muito drsejados sapales de
Nantes ; sapatOes de cordovo para senhora a 1/
rs. ; ditos do lustro, duraque, selitn c marroquim;
os bem condecidos sapatOes do Aracaly tanto para
domem como para .neninos ludo por prego com-
Vonde-s*,ou tluga-se por prego muito com-
modo, e as pegas que conviem ao protendente e pelo
tempo que quizer toda a quantidade de moveis.como
bem cadeiras com assento de. paldinha a 24,000,
32,000. 45,000, 50,000,72,000 e 84,000 rs.; carteiras
para viagens, com seus pertences, relogios de cima
de mesa a 16,000 rs. cada um ; sophs, commodas,
bancas, camas tanto com lastro de paldinha como
sem elle ; mesas de diferentes lmannos para jan-
lar; ditas elsticas; jogos de bancas para sala;
marquezas; estantes para livros; gutrda-louga ,
armarios ; estojos para navaldas e outros muitos
objectos que a vista dos pretendentes oslarSo paten-
tes : na ra Nova, n. 67.
Contlnuam-se a vender cortes de vestidos d
cambraia com lindas barras, brancas e de
cores, que j poucoslrestam; meias compri-
das para senhora e meninas, azues, mesela-
das, rouxas, esverdeadas e pro tas a 120,
160 e 200 rs. ; hotoesdo duraque prelo a
40 rs. a duzia : no pateo do Carato, n 18,
segundo andar.
modo.
Carnauba.
de superior qualidade e nova ; dita americana, em
malas barricas; dila gallega, em meias barricas;
cal virgem de Lisboa ; vindo do l'oilo, em pipas e
barris de quarto e oitavo superior o mais inferior;
echaduras para porta do armazem ; superior cha
liysson nacional de S.-Paulo; familia de mandioca ,
Hrum ,.armazem de Antonio Augusto da Fonseca I em saccas por preco commodo
ou na ra do Vigario, n. 19,
Vende-se, na ra da Cruz, n. 21, urna porgflo de
cera do carnauba do superior qualidade, e por lo-
do o pr. go.
Depreciacao.
Vendem-se pegas de cambraia com 21 covados ,
de bons desenhos, ptimas para cortinados e mes-
mo para vestidos sem a menor avaria pelo barato
prego de 3,500 rs.; cortes de cbsss com 7 varas, que
j valeram 6 e 7,000 rs. por 2,000, 2,500 o 3,000 rs.;
pegas de parisiense, fingindo seda com 8 varas, a
3,000 rs. ; Ifla de boa qualidade, para vestidos, a 320
rs. o covado; piincezinha de seda escura, mu
transparente, propria |ara mosquiteros, a 400 rs
o covado : na rus do Crespo, n. 11.
Vcnde-se urna duzia de cadeiras de [o d'olco,
com um jogode bancas por prego barato : na ra
do Crespo, n. 15.
Lustro.
Vendem-se pelles do bezerro francez envernizadas,
de muito boa qualidade, por Irreal vindo do amos-
tras por prego commodo pelles grandes e so res-
ponde pela sua boa qualidade; bem como marro-
quim prclo o de cores : na praga da Independencia,
ns I3e15.
-- Na na das Cruzes, n. 22, segundo andar, ven-
dem-se 3 oscravas, sendo urna engommadera o
quo coseedio, cozinha c lava o as outras coin al-
gumas habilidades.
- Vende-se urna burra bastante gor-
la e mansa no pateo da Uibtira, nu-
mero 91..
Vendem-se cadeiras e marquezas de oleo com
assento de palliinda, lavatorios, meias commodas,
mesas pequeas, tudo de amarello, e outros ob-
jectos, ludo de forto construcgflo e de gosto mo-
derno, por menos de seus valores ; na ra das Cru-
zo*, u. 3i, loja do marceneiro defronlo da lypogra-
pliia.
Vende-se um pardo de 32 annos bom carrei-
ro a trabalhador de fouce e machado; 1 molecote
do 18 annos, de boa conduela o que se aianga ao
comprador ; urna preta de nagilo Costa, propria para
vender na ra ou trahalhar deenxada : na ra No-
va, n. 5.
Cb colate desnude, fabricado
no Mamullan por Luiz Bot-
tentuit & Companhia
De todas as substancias alimentares que, sendo
em seu principio considerardas como cousas delu-
xo, lornam-se pelo tempo adianto de um uso geral,
o iiorolate podo, sem coulradicgilo, oceupar o pri-
meiro lugar.
Effeclivameiitc, quantas pessoas nSo vemos nos
preferir hojo ao uso do quente caf o uso do choco-
late, enisto seguir a opini.lo dos mdicos mais c-
lebres, que, de commum accordosobra suas precio-
sas qualidades, o indicam como um dos nossos me-
Ihores estomticos aquellas pessoas cuja saude he
dbil e delicada I.. I'rescrevam-no aos seus doen-
tes aronselham-no aos vcldos e o recommendam
s milis de familia psra saus fillios. Km urna palavra,
0 consumo verdaderamente extraordinario que to-
das as classes da sociedade fazem dcste alimento,
he o mais bello elogio que nos Ihe podemos fazer.
Vende-so na ra da Cadeia do Recife, n. 25, de-
fronte do Berco-I.argo, a 800 rs. a libra, aondo se
dar.lo amostras para se experimentar.
Vcnde-se velbutina preta de superior qualida-
de, e outras muitas fazendas por prego commodo
no Alerro-da-Boa-Vista, n. 60.
Vende-se urna casaca nova do panno azul, com
ahotoadura amarella,por 14,000 rs.: as Cinco-Pon-
las, n. 25.
Vende-se um sitio com casa de pedrae cal, com
commodossufllcientespara ter vaccas de Icito no
lugar do Piranga, terreno foreiro a Manoel Cavalcan-
ti; tem 400 palmos de frente e 800 de fundo: as
Cincn-Pontas. n. 13.
~ Vende-se cera de Lisboa, em grumo, e em bo-
giasdee eoitoem libra, bastante alva ; assim como
1 inias para pinturas grossas e finas; pilo deouro em
livros grandes e pequeos; cevada nova; e outras
drogas recentemenle chegadas, por prego commodo:
na ra estreita do Rozario botica n. 10.
Vende-se, as boticas de Paranhos na la es-
treita do Rozario, n. 10, e no principio da ra da
Cruz, n 63,essencia de losna de Sollino o mais
efficaz tnico estomacal, serve para as dores nervo-
sas do estomago, accelera a digestto faz desappa-
recero amargo de bocea e os gazes do estomago,
desenvolve o apetite, cura as desinterias chronicas,
aa flautuosidades serve para as criangas que sof-
frem de lienteria ou dijccgfles alvinas liquidas e
muitas vi zes repetidas as quaes se acham os ali-
mentos mal dirigidos. As senhoras que padecem de
chlorose, 011 paluda cracdar.lo na essencia de los-
na deSolline um remedio efficaz, o qual, sondo usa-'
doporalgum lempo, as tornacoradss Tem sido de
grande vanlagrm no tralamento da leucorrdea, ou
flores brancas, c juntamente no fluxo sanguneo
proveniente de atona do ulero. Seu uso he mui sim-
ples. As pessoas adultas devem tomar duas colde-
rinhns de mandila em jejume duas a noito quando
se quizerem agasaldar, dissolvidas cm pequea
quantidade d'agoa moma ; as criangas tomar3o urna
colherinha de mantilla e outra a noite.
Na ra Nt.va, n. O,
vendem-se encerados de todas as larguras muito
finos.com pinturas tambem finas, para mesas e
pianos, por prego commodo.
Vende-se urna porgo de cera do carnauba de
boa qualidade, assim como saccas de superior gom-
ma : tudo vindo do Aracaly a tratar com Antonio
Jiiiquirn deSuu/a Ribero.
A 5oo ris.
Vendem-so superiores pontea para marrara, de lar-
taruga : na ra larga do Rozario, n 24.
Na ra do Rangel n. 8, confronte ao beco do
Trem, contina a daver para vender, em grandes e pe-
il"' "as pi.rioes, arroz branco c verinrlho, rm alque i-
les, e mesmo nn medidas miuda, por multo barato
preco j tambem e vendeja peso de olto libras para ci-
ma a rasao de 1/500 a arroba at 2/000 rs.; bem como
e vi nd.-ni saccaa com farlnha da trra c de Aira, c limi-
tes outros gneros de venda, tudo por menas preco do
custo para acabar com tal negocio.
Vende-se um pardo de drzoito annos, de elegante
figura, ptimo pagem, leni vicios nci molestia; eicafi-
anca a conduela : na ra do Vigario, n. 24.
SSSF
Vende-se una porglo d* barris qaM Curia ,1,
lindaga : na ra larga do Rozario, n j*, uotica.;
llarllioloineu Francisco de Souza.
Farilaba e milho.
No caes do Ramos armazem das casas enea,
das, vendem-sc saccas do tres quarlas, por 3
cada uma e de alqueire a 4/rs. ,esendo omp'nr
gao de 10 saccas para cima so-dar por menos: aliin.
ga-se a boa qualidade de ambo* os gneros.
Vendem-se saccas com milho novo, 11,114, r,
cada ama e por menos sendo poroto: mh,, .'
Alfandega, armazem n. 1, junto ao arco di Cobck
gao.
Na ra da Praia, n. 50, lia farinha da torra da
perior qualidade, a 3,500 rs. a sacos.
ltencao ao barato.
Na ra do Livramenlo, n. 14, vendem-se lengos de
seda de cores, para homem a aenhoMk pelo barato
prego de 1,280 rs. cada um ; um contplelo sortimen-
to de chitas finas, a 160, 180 e 200 ra.; dta* escar-
ales a 220 rs. ; riscados de linho para calcas i,
qnetas; inadapolOes finos, a 4,000 e 4,900rs. ; aov-
tras muitas fazendas que a vista far- voatWe to
comprador.
\a casa franceza da ra No*
va, n. 69,
acaba-se de recebar, al.n de outros muitos gnt-
ros, uma nova marca de cdarulos .da Baha, dequi-
lidade superior e de prego baralissimo, xaropesit
groselrs, orchala, limito, capillo e outros refrescos
tudo de superior qualidade. O rcspeilavel pubiti
achara sempre nesta cusa um grande sotUraeaio
de vitihos, licores doces e espirituosos, conservaaie
comeslives diversos : tudo por prego muito era
conta.
Tai xas para engcubo.
Na fundigilo de ferro da ra doUrum, acaba-seda
receber um completo aortimenlode taixas de 4 a %
oalmos do bocea as quaes acham-se a venda por
prego commodo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem caFros sem despezas ao con.
prador.
Vende-se uma parda moga de benita fign,
queengomma, cosee cozinha: na ra do Crespo
11.15, primeiro andar.
Vende-se um relogio d'ouro horizontal, bom re-
gulador, com sus corrente, por 100,000 rs. em
Olinda, botica da ra do S -liento.
Vendem-se duas obras completas de Canutes,
em 3 v., da ultima o mais ntida edigiio por preco
muito commodo : na ra Nova, loja n. 56.
Na loja de mindezasda ra do Crespo, n II
ha para vender 12 covados de seda com vara de lar-
gura, por prego muito commodo.
-- No sobrado n. 5 do Aterro-da-Boa-Viata .onde
tem aula de primeiras lettras, vende-se muito su-
perior tinta de escrever.
-Vende-se araruta a 200 rs. a libra; cliourgo.
a 320 rs. dita, supenore: na ra Direila, Minia
Escravos Fgidos
Farinba detrito S.SSF
. na ra do Viga-
Ino, armazemn. II,de Francisco Alves da Cunta.
Manoel da Silva Santos vende muito
superior farinha de trigo, chegada lti-
mamente a este mercado.
Vcnde-se marmelada a mais superior que aqu
tem vindo da encarnada queja he bem condecida i
assim como castanhas ltimamente chegadas do Por-
to : na travessa do Hospital, n. 20.
-- Vendem-se, por prego commodo, 16 duzias de
assoalhodeb'uro, e algum custado para fechar
cotilas em duzias ou a retaldo : 110 armazem de ca-
pim da esquina da ra das Flores, n. 1.
Vende-se uma prelado 20 a 22 annos, queco-
zinda bem o diario de uma casa engomma e lava :
soso vende para o mallo : na ra da Aurora, n 50.
-- Vendem-se2 pretascom habilidades; uma par-
da do 16 annos ; um moleque de 18 anuos, de 11 a-
glo ; um diloerioulo, de 8annos; um dilo de 20an-
uos bom official de outives ; um prcto de meia ida-
do, por prego commodo .- no pateo da matr.z de
8.-Antonio, 11. 4, segundo andar, se dii quem
vende. ,
-Vende-se um rico aderego obra muito ptima, I
por prego o mais commodo possivel : na ra do
Rangel, n. 9.
Fugio, nos prlmeiros dias de Janeiro prximo
passado do engenho S -Joflo freguezia do Cajio ,
um molecote de nome Anastacio 00 14 a H annos,
de bonita figura rosto muito regular, um pouco
fulo falla baixo o blandamente ; levou caigas e ja-
quetade liscadoazul e bonete : quem o pegar le-
vo-ose dilo engenho, ou noUondego, nesta cida-
de casa de l.uiz Comes Farreira que recompensa-
r com 100,000 rs.
-- No dia 5 do margo prximo passado, fugio, do
cngeddo Piabas, do Bom-Sucesso, municipio do
Porto-Calvo provincia das Alagoas, Um rscravo
crioulo, de nomo Victorino; reprsenla ter 25 an-
uos : de alto e proporc'onalniento grosso rosto re-
dondo e cicatrizado do bexigas, nariz chato barba,
posto que pouca espessa bem encolada bem fci-
to de miii.se ps; lovou uma trouxa com alguna
roupa conlendo urna caiga branca de brim de qua-
dros outra de algodflo azul, jaqueta de chita bran-
ca chapeo fino um estojo com navalhas e espe-
Iho um sacco de panno de rede que sem duvida Iba
servir de malote ; toca pfano ; he bem desenvolvi-
do no fallar e andar fcilmente pode passar por
forro. Roga-se s autoridades policiaes, capitesde
campo e pessoas particulares, que o apprehejdsm e
levem-no a seu senhor, Joilo Duarie Lopes de Vas-
concellos, propietario do dito engenho, ou nesta
cidade a Lino Jos de Castro Acaujo, na praga do
Commercio.n. 2, que ser.lo reeOspenssdo.
Contina a estar fgida, desde o dia 27 do pas-
sado uma patda de nome Silveria cuoi o cabello
cortado rente da parto de detras e comprido na fren-
te, testa pequea olhos na llt>r do los'to, com sig-
nsesde bexigas anda de pouco lempo, beigos un
tSTlto rouios; denles limados; Um urna das nrelhas
lascadas no lugar do brinco ; levdrvestidD de chi-
le cor de viudo e chales qussi da mesma cor; leal
os 1 es grandes o os dedos dos mesmos bstanle)
abertos; representa 24 anuos pouco mais os menos:
qem a pegar love-a a ra da Cadeia de S.-Autotiio,
n 4, que sei generosamente recompensado.
Fugio, no dia primeiro de margo prximo pli-
sado, do sitio Ainbote no Cacliang freguezia di
Varzes, uma|prcta de nome Joanna.de 40 anuos pou-
co mais ou menos, de boa estatura o corpotenta, in-
dar apaldetado, alguma cousa feia cabega rompi-
da para Irs ps grossos : quem a pegar leve-a 10
dito sitio, que ser grtaillcado.
Fugio em margo prximo passado o preto
Agostindo, alto, bem rallante, de boa figura, d vio-
le e tantos annos; he official de calafate; consta que
anda pelas bandas do Cacbsng ve'ndendo leitee ou-
tras vezes pela estrada nova ; inculca-so forro:
quem o pegar leve-o em S.-Amaro, casa de Manoel
Carduzo da Fonseca, ou na praga do Comiricrcio a
qualquer hora.
Fugio, no dia 18 de abril de 1849, um pardo d
nome Flix do barba cerrada por baixo do queis"
esuissas; levou vestido cagase camisa stfja Wal-
godSo ; tem os 1 s e mos um tanto grossos e pel-
elixadacoro alguna signaes de ter tido bexigas:
luetn o pegar leve-o ra de Apollo, n. 1 A, que.
ser recompensado.
Fugio, no dia 30 de marga, do lugar do Cecilio,
povoagao de Bebehbe, o escravo Joilo, de nagSo An-
gola, diz ser crioulo, de estatura baixa, cor alguna
cousa fula marcado da bexigas, pouca barba, bs-
tanle desdentado ;quandtj falla gagucija; uuandu
anda estilam-lbe as juntas : quem o pegar leve-o a
ra du Cabug-, loja de cera, que sera recompensado.

PeRN. : KA TKP. DE M. F* DH TATM.*W9
MUTILADO
rrf ..
--* -
m*m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1EP40JUP_TAFLJ5 INGEST_TIME 2013-04-13T02:07:24Z PACKAGE AA00011611_06467
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES