Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06466


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\ nno XXV.
Qiinta'fera 10
0 "/rTIOpublica-Betodotot diasque nao
f orcm de guarda. O prec-o da astignatura he
je 4*000rs. porqnartel, pago$ailiataini. Os
anmicioa do assignante* sao Inseridos
rasao de 86 rs. por Murta, 40 ti. ein typo dlf-
l'ciente, e as repelicoes pela inetade. Os nao
astignaolee pagaran 80 rs. porliulia e 160 rs.
em typo djll'ereula, por cada publicado.
I'IIASES DA LITA NO MEZ DF. ARB.1L.
La hela, a 7. 1 hora e 30 min. da tard.
Mng*nte, a 15,t 4lioraae 48min. datard.
La nova, a2,9horaae34 min.datara.
Cretcente, a, 29atll horas e48min.da manh.
PARTIR DOS CORREIOS.
Goianna e Parahiba, t eg. e aexlat-Yelrat.
Rio-G.-do-Norlc, quintttfelras aomoio-dia.
Cabo. Serlnbactn, Rlo-Formoao, Porto-Calvo
Macelo, no l. rite 21 de cada mez.
Garanhuus e Bonito, a 8 e Si.
Roa-Vista e Flores, a 13 c28.
Victoria, s qulntas-feiras.
Olinda, todos os dias.
PREAMAR DE HOJK.
Primeira, a 1 horas e 18 minutos da tard.
Segunda, a 1 horas c 42 minutos da manh.
de Abril de 1849.
N. *.
DAS DA SEMANA.
10 Segunda. N S. dos Prazeres. And. do J.
dos orph., do J. docivel e do J. M.da2.v.
17 Terca. S. Aniceto. And. do.I do c. da 1.
v. e do .1. de paz do 2. dlst. del.
18 Quana. S. Oaldino. And. do J. do c.da 2.
v. e do J. de pai do2. dist. de t.
19 Quinta. S. Hermogenes And. do J. dos
orph. e do J. M. da I. v.
20 Sena. S. Ignez de Monle Policiano. Aud.
do J. docir.edoJ.depazdol.disi.de t.
21 Sabbado. S. Anselmo. Aud. do J. do clv.
da 1. v. e do J. de paz do 2. dist. de t.
22 Domingo. Ss. Soter e Calo. a
CAMBIOS NO DA 18DE ABRIL.
Sobre landres a 2?'/ d. por 1/00.1 rs. a60 d.
Paria .'190
Lisboa ICO por cenlo de premio.
Rio-de-Jaoeiro ao par.
Desc. de lett. de boas firmas a 1'/. % ao mez.
Arenes da corap. de Rctteribe, a M3 rs. ao n.
C/nro.-Oncaa bespanhola. 30/800 a 31/000
Mordas de 6/400. 17*200 a 17/400
> de 6/400 n. 16/200 a 16/401'
de 4/000.... 9/900 a 9/400
Prele-Patacoetbratilelros 2/000 a 2/020
Pesos eolu.nnarios. 1/980 a 2/000
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/920
I-
PARTE OFFIC.AL.
I^v G.OVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 17 DE ABRIL.
Omcio.--* enete de pollcia, dlzcndo que, n3o tendo
o subdelegado de Mnribeca dado conla do motivo por
que prendera .1 Mariano Jos Ferrelra, e nao convlndo
que contine scmelhante prallc, recommenda a S. S.
hala de advenir ao diversos agentes policlacs s6b sua
juriidlccoqur jtnals deven, dcixar de declarar quaes
as'causasqucconcorrcrcm paraqualquer prisaoque hou-
vrrem de hzer.
Tiio__Ao mesmo, declarando que deve -S. S. louvar
em nome da presidencia os servidos que preslaram em
pro da ordem e Iranquilildadc publica no da 2 de fe-
verriro as cidados mencionados em seu oflicio de 11 do
frrenle.
Dito Ao director Interino do lyco,tclenlilicando-o
de que, emolanlo oulra colisa se nao resolver, a secre-
taria daqurlle lyco deve estar a cargo do professor mals
antl^o-do metmo estabeleclmcnto nos termos do l.*do
arl. 7." da le provincial numero 228 de 2 de teiembro
de 1848.
Hilo. Ao -mesmo, commiinicando que por despacho
de I:! do correte concedeu aos profesores de primeira
Miras Martlnho da Silva Costa Jnior, da povoaeio da
Haixa-Verdc, c Francisco de Paula Pcrelra de Andrade, da
villa de Naiarelh.permularem as respectiva cadeiras.
Fizer'aiu-ie Iguaes participaron ao inspector da lliesou-
rarra da fazenda provincial c as cmaras municipaes do,
Flores e Natareth.
Dito Ao jnli de paz do'prlmclro districto de Caruar,
declarando: prlmeiro, que as prximas elrlcoes ho de
all veriticar-se na igreja para que foi transferida a ma-
triz da fregnezia de S.-Caelano da Raposa,-Isto he, na
de nosoa Senhora das Dores ; pols que rssa transferencia
leve lugar em cumplimento de le : segundo, que, nao
devendo haver qnalincocHO antes das sobredltas eleicOes,
em consequrncla de ter sido dissolrida a cmara dos tic-
pillados, nada ha que resolver acerca do que Smc. re-
preaeplaarrspeifo.
Dito.Ao delegado do termo de Nazarrth, cicniii-
rnndo-n de que para diligencias, cujo fim seja prisiin
de rebeldes, deve Smc. entender-se com o coronel Jos
\ cente de Amorim llezcrra, que certo se prestar a
coadjuva-lo qnando suas rcquislcoes nao frcn contra-
rlss as Instrucces especiaes que tein; c recommendando
todo o rscnipnlo em taes diligencias em ordem a seren
respeltadas as leis e nao haver excesso algum da parle
do e-aecu torea.
Dito.Ao commandante superior interino da guarda
nacional dos municipio de inda e Iguarass, orde-
nando baja de expedir suas ordens para que o priineiro
batalhao da guarda nacional sbseu interino comman-
do superior preste una guarda de honra para acompa-
nliara procIssSo do Senhor aos enfermos, que a irman-
dsde do Santlssiino Sacramento da matriz de S.-Pedro-
Marlyr pretende fater sabir da mesm Igreja ein o dia
22 do crreme. Communicou-se referida irman-
dade.
Imii.--Ao commandante do corpo de pollcia, decla-
rando que, estando verificado o debito do quarlel -mes-
tic daqucllc corpo, ciinipre que.apezar de vencer elle
sold em eonsequencia de aluda nao estar demiuldo, v
indeniniando a fazenda provincial com o mesuro sold ;
e que, pols, se faca essa dcclaraco na folha a que Smc
se refere.
Dito.-Ao coronel Jos Maria de Barros Rarreto, di/.en-
do que Julio da Silva e Jos Mendes, que lurain feridos
uoalaque de Cruangy-Vclho, devem de ser incluidos lia
i < I n .ni de que Smc. traa.
l)ilo.--l)o secretario du governo ao da assembla le-
gislativa provincial, traiisiniltindo de ordem de S. Ex.
n Sr presidente da provincia, para seren prsenles a a-
quella assembla, as comas das cmara munieipaes do
Recre, Sanlo-Anlc-, Goianna, Po-d'-Alho, (.aranhuus
e Kmi.
Diiii..Vo mesmo. remetiendo, segundo fol ordenado
pelo Kxm. presidente da prottlocia, as posturas das c-
maras miiiiieipars da Ra-Vislae I'.mi, aliiude seren pre-
sentes a assembla legislativa provincial.
(iomm.'iiiiio das armas.
Quartet-general do commando das mrmai em Pernam-
bueo, 18 de abril de 1849.
OlUlF.M DO DIA.
Tendo de responder a concedi de guerra o Sr. coro-
nel graduado da primeira ciaste do exercllo Cypriano
Jos de Aimeida, o mareclial de campo graduado com-
iii indi ule da* armas desta provincia lem nomeadt para
presidente do mesmo concelho ao Exm. Sr. brigadeiro
Aleino Jos deOliveira, e para vogaes ao Exm. Sr. bri-
gadeiro Antonio Rodrigues de Mnenla, e aosSr*. coro-
neis Antonio Jos Victoriano Iturges da Fonsc'ca, Joo
Francisco (ihabv, Jos Bernardo Salgueiro, e Jos de
Barre* Fa lejo de 1.acceda, e recomenda que quanlo an-
tes te proceda ao mesmo.AssignadJote Joaqmm
Coclho.
QuarUlgeneral lo rommawlo dat umai dt 1'trnnmtinco, em
18 de abril de 1849.
ORDEM ADDIC10NAL A DO DA.
Determina o Exm. Sr. mareclial de campo graduado
los Joaqun! Cocino commandante das anuas,que o Sr.
alferes da terceiraclnssedn ejercito JoaquimJo9 Perelra
Vianna leja addido ao segundo batalhao de arlilharia a
pe para all laier o servico que Ihe competir, bein como
i|in-uSr. alfrrc da quana elasse Jorge Rodrigues Sc-
dreira, addido ao sexto batalhao de cacadores, passe a
...'.iTir no destacamento existente na fortaleza do Rrum,
OVnlinuando addido ao referido baUlho pa>a por elle
priceber os seu venciinents. Joti Pedro Heitor, aju-
danle de ordens interino.
u
TK1BUNAL DA UELACAO.
SESSAO EM 17 DE ABRIL DE 1*8*9.
MESIO*M'CM DO EXM. a. CONCaUiBiaO AZKVCDO
Presente os Srs descinbaigadorcs Ponce, Ramos,
Villares, Leo, *ousa e Rcbello, fallando com causa o
Sr. dnembargador Bastos, o Sr. presidente abri a sei-
sao pelas dea horas da inanbaa.
O Exm. Sr. presidente apresentou em mesa nm ollkio
do Exm. Sr. presidente da provincia, datado de 2 do
corrente mez, ao qii.il acompanhou a copla do decreto
de II de Janeiro do corrente anno, autorisando ao mes-
mo Sr. presidente a conceder' amnista aot Individuos
i'onipi-elieiidiilos na revoltifSo, que se tornarem dignos
da clemencia Imperial, depondo as armas e submet-
tendo-sc ao mesmo governo; cque alguna que eslii
no raso de merecerein j leeni gozado de tal amnista.
Outro do mesmo Kxm. Sr. presidente da provincia,
remetiendo coplas das portarlas detta dala, pelas quaes
resolve considerar vagos os cargos de supplenles do
juiz municipal c de orphos do termo do Cabo, que
nao estavam juramentados, e alterar a ordem em que
se achavam enllocados .os meamos supplenles.
Oulrn em que participa haver moneado para servir
interinamente o lugar de juiz municipal e de nrphiioa
do termo da Boa-Vista ao hachare! Miguel Goncnlves
Lima.
Apresentou inais oSr. concclheiro presidente tres
ofiicios a elle dirigidos.
Um du Dr. Claudio Manocl da Costa, em dala de 24
de marco pastado, participando acliar-sc oceupando o
lugar de ebefe de polica da provincia da Parahyba-do-
Nortc
Outro do Dr. Gervazlo Goncalvcs da Silva, em data
de II do corrente, coininunicaiido que no dia i patsra
a rxercer a vara do* fritos da fazenda desla cidade.
E o ultimo do Dr. Alexandre Bernartlino dot Res e
Silva, comniunirando estar no exerciclo da primeira
vara criminal desta cidade.
Fram propostas e julgadas as oppellacocs civeis ein
que sao :
Appellanle, o major Francisco Jos de Mello como
administrador da rapella de Nossa-Senhora-da-Es-
tancia ; appellada, Fraucisca Anglica do Sacramen-
to. Fram drsprciidos os embargos da appellada.
Appellanle, Joaqmm Francisco de Mello Cavalcante ;
appellado, Manoel Elias de Monra. Foram dcs-
preaados os embargos do appellado.
Appellanle, Jos Joaquim Gomes Duarle ; appellado,
('.andino Agoalinho de Barros. Fram despiezados
os embargos do appellante.
Appellanle, Jos Roberto de Morars Silva ; appella-
'd.is, Chrlslovo Starr 5l Comp. Fram despiezados
os embargo do appellanle.
Appellante, D. Francisca da Cunha Randelra de Mel-
lo ; appellado, Bernardo Antonio de Miranda. Man-
dou-se averliar a dizima.
Appellanle, D. abbadc do mosleiro de S.-IUnio ue
Olinda ; appellado, Manoel Camello V.alcacer e sua
inulher. Foi continuada a scnlcucu,
Appellanle, Joao Porfirio da Motta appellado, Mano-
el Autonii) dos Santos. --- Foi confirmada a senieiifa.
Appellanle, Prxedes da Fonceca Coulinho ; appella-
da, D. Maria Anna Joaquina da Silva, vitara, e herdei-
ros de Antonio da Silva llompanhla Fol a senlen-
ca cunfirmada.
Appellanle, Josefa Epifana da Fonceca ; appellado,
Manoel da Fonceca Silva.*- Reccbcraiu-se os em-
bargos da appellanle.
Appellante, Joaquim Jos do Naclmento ; appellado,
Fillppe Lucas da Cunha Lima. Fol confirmada a
tentenca.
Appellante, Joanna Ferrrira de Ge ; appell ido, Ale-
xandre Jos da Conceirfio. -- Foi confirmada a sen-
tenca com declarai ;in
Appellanle, Manoel Jos Goncalves ; appellado, Mano-
cl de Medflroi Munlz Foi a seittciica reformada.
Appellante, ojuiso ex-o/fico ; appellado, Joaquim dos
.Reis Gomes Mandou-Se vista ao Dr curador da
heranca, ao Dr. curador-geral, e ao Dr. drsembarga-
dor procurador da cora.
Appellanle, Joo Peieira Lagos ; appellado, llcrculano
Jos de Freitas. Fram julgados oa arligos de ha-
bilitacao. ,
Apprllante, Jos Rodrigues do Paco ; appellado, Jos
Fcrnandes Brasil. Maudoti-se ouvlr ao Sr. desem-
bargador procurador da cora.
Na revista civcl cm que silo : recorrentes, Galharina,
ci mua, e tena filhos ; recorrido, Vicente Pinheiro
de Lima.__Julgoii-se a favor dos recorrentes.
O aggravo de pelico de Prxedes da Fonscca Coulinho
com a fazenda nacional, teveprovlmeuto.
Foi assignado o priineiro dia til para o julgaiuento
das appellaccs civeis, em que sao : -
ApneUante, Francisco Coelho da onseca; appellado,
Francisco Fidclis Barroso.
Appellnntes, os herdeirot do padre Antonio Tlierezo de
Oliveira Antuncs appellada, a fazenda provincial.
Appellante, Anicacio Jos de Mello; appellado, Jos i i-
cente de Medcirot.
Appellanle, a fazenda nacional; appellada, a cmara
municipal. ,
Appellante, Bernardo Amonio de Miranda; appellado,
Ihom Crrela de Araujo.
Appellante, Antonio Lopes Pereira de Mello; appellado,
Amonio Joaquim de Aimeida Guedcs Alcanforado.
Appellanle, Juliao llerangci ; appellado, Jos Antonio
Lourenco. ;
Appellanle, Anna lia; inunda da Paz; appellado, Joaquim
Flix da Costa.
Appellante, Francisco de Paul Jloraes Alvcs ; appella-
do, o coronel Antonio Francisco Pereira.
Appellante, Rila Maria de S Andrade; appellado, An-
tonio Jos de Mello.
Appellante, Jo Rodrigue do Paco; appellado, Manoel
Pereira Magalhea. ..... ...
Appellante, ojuizo; appellado, Jos Honorato do Nat-
.' cimento. _
Appellante, Daniel Crean; appellado,GairesKllerKamp.
Retio.
Patsaram do Sr. detembargador Ponc,e ao Sr. descin-
barcador Villares, as appellacfS civeis em que ao:
Appellante, Jos Antonio Loureufo c Antonio bornea
Villar; appellado. Juliao Beranger.
Appellante, o julzo de ausente; appellado, Jos da
Costo Guiuiare.
Appellante, a fazenda publica das Alagas; appellado
Malheus de Araujo Caldas Chexo.
Appellante, o reverendo guardin de San-francisco;
appellada, a fazeuda publica. ,__
Patsaram do meamo Sr. Portee, ao Sr. detembargador
Ramos a appellacei civeis emque sao .
Appellante. Joaquim iot de Sanl'Anua Ljana; appella-
do, Joao de Alie uni Cisneirot.
Appellante, Jote I.azarv; appellado, Jote Tbomaz de
Campo Quaretma. '
Appellante, Alexandre Ferrelra dut Santot Camlnha
appellado, Joao Francisco Pegado.
Appellante, Jos Antonio Comes Jnior appellado o
juizo de capellas.
Apellante, Jouo Francisco dosSautos Slqueira; apellada,
D. Francisca Antonia Lina.
Appellanle, Joao de Mello Azcdo; appellado, Manoel
Maria Carnciro da Cunlia.
Appellanle, Manoel Antonio da Silva; appellado, Do-
mingos Jos Pereira Pacheco.
Appellante, Adolfo Wolechure; appellado. Frederico
llanser.
Appellanle, Miguel ItarbnzaGuinaraes-.appellados, Joao
Alvcs deCarvalho Porlo e oulroa.
Appellanle, o coronel Manoel Cavalcantc de Albuquer-
que ; appellado, Claudio Dubcux.
Appellanle, Francisco Barroso de Sonsa Cordeiro ; ap-
pellado, Francisco Barroso Rraga.
Appellante', Concalo Pereira de Sonsa; appellado, Ma-
noel Soares da Silva.
Passaram do Sr. detembargador Rainot ao Sr. detem-
bargador Villares as appcllafcs civeis em que sao :
Appellanle, Joao Irlneo Cavalcante de Alhuquerque;
appell ido, FranciscoTeixeira da Costa
Appellante, Lourenco-Beterra Correia ; appellado, Ma-
noel Joaquim Paschoal Ramos.
Appellante, a juslifa criminal de Olinda; appellado,
Vicente Ferrelra.
Appellaniet, os herdeiros de I). Vicencia Joaquins da
Conceicao; appellado, Francisco Joaquim lardoso.
Appellanle, n juttlca criminal do Sobral; appellado,
Domingos Alvcs de Moraes.
Appellanle, a justica criminal do Po-do-Alho ; appella-
do, Antonio Duarle.
Appellantes, Florencia de Andrade Beterra Castro e
a justica da cidade da Fortaleza ; appellado, Joaquim
l-'.-i i i-ir.i de Souza Jacaranda.
Passaram do Sr. detembargador \ llares ao Sr. des-
embargador l.eiio as appellaees civeis em que sJo;
Appvllanle, los Carlos da Silva; appellada, Maria Cus-
todia das Virgens.
Appellanle, Antonio Gomes Villar ; appellado, Joo Pi-
res Ferrelra.
Appellanle, Juvencio de Alcntara; appellado, Firuiino
Jos Flix da lio.a.
Appellanle, Arccnio Fortunato da Silva; appellado,
Gabriel Anlunes Penna.
Appellanle, Jo Carlos Teixeira'; appellado, Joaquim
Jos Pereira dr Sanl'Anna.
Appellanle, Viuva ti Filho de Jos de Oliveira ; ap-
pellado, Amaro Jos dos Prazeres.
A revista emque tan:
llccorrrute, Jos Joaquim de Goes ; recorrido, Jos An-
tonio de Araujo Urandao.
Dia de apparrcrr de Manoel Mtini/. Pereira, contra Ig-
nacio Ferrelra de Loyolla.
Passaram do Sr. desembargador T.e5o ao Sr. desem-
bargado r Souza as appellacOcsciveis em que sao:
Appellante, Ignacio Joaquim Fernndcs ; appellado, Ma-
nocl Claudio de Queiroz.
Appellante, Manoel Ferrelra da Silva Ramos; appellado,
Francisco Feliciano Rodrigues Selle.
Appellanle, Jos Francisco Collares ; appellada, a fa-
tenda publica.
Appellante, o jurto da provedoria ; appellado, Cals Si
I rian.
Appellante, ot herdeirot de Francisco Jos da t.osta
Gulmarac ; appellado, Jos Joaquim Bczerra Caval-
cantc.
Apprll.inle. Joaquim Antonio do Santos Andrade ; ap-
pellado, Antonio llolclho Piolo de Mesquita,
Apprll.inle, Jos Cyprianuo Lopes da Silva ; appellado,
Jos Antonio de Oliveira.
Appellanle, Claudio Dubcux ; appellado, Agostiuho
Henriques da Mlva. *
Passaram do Sr. desembargador Souza ao Sr. desem-
bargador IIebello as appellacoes civeis cm que sao :
Appellanle, Joaquim Cavolcante de Ahniqueique ap-
pelladot, I). Ambrolla de Brilo Beterra o outros
Appellanle, Gnncalo Jos da Costa ; appellado, Miguel
Comes de >mi a.
Appellante, Manocl Jos Soares de A velar ; appellada,
Manocla Francisca Monteiro Regadas.
Passaram do Sr. dcsemha'-gador Rebello ao Sr. desem-
bargador Ponce as appellacoes civeis em que sao :
Appellanle, Manoel Antonio da Silva Molla ; appellado,
Jos lioncalvca Torres.
Appellanle, Domingos Rodrigues dos Sautos e sua inu-
Iher ; appellado, Joaquim Nunet de Magalhaes c sua
mullicr.
Appellanle, Vicente Lardoso Ayres; appellada, Anu
Joaquina de Aimeida.
DiitribuicBo.
*AoSr. desembargador Leao as appellacoes civeis em
que sao :
Appellante, o coronel Antouio Alves Vianna ; appella-
dn, Francisco Severianno Rebello.
Appellante, o juizo dos ausentes ; appellado, Nicolao
O Bicber & C.
ApprIlajSo crime do Ass cm que sao :
Appellanle, Rernardo Ferrrira I.ins ; appellado, o juizo
Ao Sr. desembargador Souza a appellacao civel em
Appellante, Elena Maria de Jesut ; appellado, Jos
Francisco do Valle.
Ao Sr. desembargador Rabrllo a appellacao elvel cm
que tao:
Appellante, Francisco Goncalves de Medeiros ; appella-
do, A ndre Rarboza de Miranda
Ao Sr. detembargador Ponce a appcIlacSo elvel em
que sao:
Appellanle, Antonio de Padua Cezar de Mallos ; appel-
lado, Francisco de Paula Ferrrira Chaves.
Ao Sr. desembargador Ramos a appellacao civel em
Appellante, Josu de Jess Jardim ; appellado, Silves-
tre Joaquim do Nascimento. _
Ao Sr. desembargador Villares a appellacao civcl cm
Apnenale, Francitco Feneira da Silva ; appellado, o
padre Antonio Francitco de Sampaio.
A appellacao crlme em que sao :
Appellante, Manoel Lint Calda; appellado, o juizo de
dlrcltodo Ass.
Encerrou-sc a acttfio at 3 horas.
IIMItll) llr-KnViiBrCll.
BECirB, 1S DKABBlt DC 18<9
Ainda lioje os Srs. mrmbros da assembla legislativa
provincial se nao reuuiram ein mi.....m suMieirnle para
haver casa, e por isso a mesina assembla deixou de
funecionar.
Inl'oimam-nos de Olinda que os guardas n icion n -.
desta cidade, nutr'ora ahi destacados, ao recolherem-se
s resprclivas casas ein o dia 16 do crreme, em que f-
ram dispensados do servico cm que se achavam, prali-
iii un vai ios aclns, reprelii u.i\. i. un, C Clillliliosos
oulro ; i ,io he, li/ei.iiu grande alarido em fronte da
eadeia ; alroaram os ares com tiros de plvora sece.i ,
lerirain auin eseravod.i esludante Rabello, morador
na travessa das Cortezias, o qual eslava sentado na es
piina da mcsina travessa, nao provocara scmelhante
ei iiucnto. e ftlleceu pnucot minutos depois de o haver
recebido ; espancaram, cmfiin, a ce. lo prelo.
Chamamos a atlencao da auloridade publica para estes
fados, lano mais digno desrvora punieao, quanto par-
liraiu de individuos cuja principal divisa deve de ser,
amor i ordem e respello le; rognmos-lhe que,
proceda s necesiarias averiguaees a respello, c que,
verificados os mrsinos lacios, puna drvidaiiienlc a lodos
u mo. i un ii.un parle nelle.
Correspondencia.
Sri Redactores.Como as cousas boas, raras o pro-
vi tosas se devem annunciar na (aiel*, ou Otario ,
tanto que, quando acontece algum facto clebre, algu-
ma eoua rara e etupeuda, todo dlzein1' deve ir ii
(iazrlac entre as cousasproveitosa trcm.sem duvida,
lugar as sentenca da primeira e segunda instancia, vou
rogar-lhes o favor de 4ar-me um canlinho em seu Ma-
ri A pnlemir.1 jurdica abaixo transcripta ; favor que
desde j,i pcc.o, c espero que haja de repetir sempre que
lliet fr baler.i porta com as imiihas iinpnrliinacoes l>
o titulo("(irnica judicial. A.iudcin-me, Srt. redacto-
res, tiesta emprent, tenham paciencia com quem a lem
com milita gente. Se algncni nao agradar tacs pubii-
cacics, digam-lhe e repilani-lhes o amigo proloquio
O'iem flo gasta come mmn. Seu constante Icitor.
FAZENDA PROVINCIAL SERA' OBIUADA
PAGAR SELLO DAS I.ETTRAS?
A'
O aviso n. 148 de 6 de otilubro de 1X4? dcrlarou que
a exceprao ostahelocida no arl. 15 |da Ici n. 117 de 21
de outiibro de 1843 be so pora com a fazenda geral ; e
de confornildade com esta doutriii.i .foi julgado o se-
guiute: -
Scn'ii(i.
Desprezo ot einbargot a II. 18 visto 16 da le de 21 de otilubro de 1843 nao itcnta as Ihe-
souraria provinciars de pag irem o sello proporcional
laqiii'llcs casos que os particulares sao obrigados a pa-
.r, astim como no Toro nao Icem outro privilegio mal
o que l'.iter suas eobrancas, ou de mandar execnliva-
mcule: visla do que. e do que dispoe o arl. 13 da ci-
tada Ici, e mais aluda alista do arl. 55 do 1 do rrgula-
inrnto de 2(5 de abril de 1814, mando que sem embargo
dos embargos cumpra-te a tentenca embargada. Quan-
lo certid.io a II 24, ella nada prova, visto que nella
nao te diz a raso por que na recebedoria geral
nao se tein recebido o sello provincial, coutentandu-
em di/.er o escrivo daquella rrparti(ao que as letras
da theso'iraria uo tttlo sulijeitns ao setlo provincial.
como se elle fsse habilitado para certificar mals do qui-
se passa em ttia reparlicao, e o porque se procede di-
urna maneira antes que de oulra. Pague o embargan-
te ai cusas que o condemno. Recife, 14 de fevereiro
jc ig^o fran-firo Kndriguei Selle.
I'ublicaco a pedido. ___
que lis iniiaoiili' aninlidiuli-K c mtcoe<* !*-
rOMMa do llliu. IteveivmlIslilla r.
,Ioh|1iIiii Plt l*" 'nniiMis iiilitiia um
m>m sihti-o uiuigo < rfpeltAtlor.
Estatuas c padres consom o lempo,
tsaba o serr annoso,
Perece o [erro, o bronze,\e versos virem.
Bocio.
son Ero.
Por acerbos irvezes desgosloso.
Puf Incettant lilla atribulado,
Eu tenlioa lyra iniuha abandonado,
Nao teco mais um canto tonoroso.
Kis que chega o momento cm que he foreoso
Ouc sejas ein meus vrrtot celebrado,
O'Caiupos, cidado prestante, honrado,
Que o exilie um dever imperioto.
Krguendo agora a voz ooin ousadia,
I .olivo, exalto o leu nome ennoblecido,
Que a palria boje resptita, boje aprecia.
A gloria que le acea, que has seguido,
Na historia le abrir cm algum ma
Um disiincto lugar, lugar iibtao.
ODE.
fu uio careces de esplendor poMco,
Ten' o titulo Ira tal acees tuat.
. Roci.
O' cara musa minha, rompe agora
o orlado silencio que has guardado ,
O teu mimoso auxilio me he preciso
Nete fausto momento.
MUTILADO





dtt
2
Ben que negra triste.* ha longo lempo
Me o|iprlnia, me escurcca a phantasia
Pelos golpes cruel da cruel sorle
inir os milis dias mudarain ;
A uiiiili.i mente inflainma como quando,
lial'ejando-ine o pello brandainrnte
0 meliilluo praer, eu te Invocava,
E os meus rogos ouvias ;
Inspira-me sublime, nobrcs versos,
P'ra que possa pagar alio Iribuln
Ao mrito, virtude, que reclamam
Dos humanos o culto.
a
Arpejando n lyra, euhoje canto
1 ni digno cidadao, sacro levita,
Que, sea patria que adora inulto illustra,
He da igreja ornamento.
Fallo de li, Campos reipeitavel,
Que, chelo de bonra, brio e patriotismo,
Dotado de um.engenho esclarecido.
Da gloria ao templo sobes.
I'clo puro civismo que te adorna
Ao celebre Aristides teassemelhas ;
Se delle tensvos inesmos semimenlos,
Ters a mesnia lama.
Quantoi serviros o HRASII. te deve,
Prestados cora a tua sabia pluma,
Prestados entre as balas sibilantes
No campo da batalha !
O que, porm, te impeli procurando
Ao leu palz servir com sacrifieioa ?
0 desejo smente, ardenle e forte,
l>c ver feliz a patria I
i mu justica oa teus feltos te grangeam
Syinpatliias liis, respeito, eslima
Dos leus concldados que le dirigcm
Elevados encomios.
Se de louro te cobres como membro
Da communhao civil, assim obrando.
Como ungido miuistro de Dos sunimo
Veneracao mereces.
Oevangelho, case cdigo sagrado,
Ensina-le a melhor phllosophia ;
K pelos seus principios, si'ios, eternos,
O coraeao tu reges.
Moral augusta no leu pello mora,
Moral augusla dos teus labios mana,
1 nas mas aeces cbristjo le moslras,
Daliumaiiidade amigo.
Mais te realcas quando, grande Campos,
All'avel, generoso a mo calendes
A quem leu amparo pede, busca
Contra os males que sofl're.
r.'sum hroe un mouumento se erga,
Onde a posteridade em letlras d'uuro
U teu nnme inmortal leia, coulemple,
P ra te seguir ocxemplo.
Liverpool por Macelo ; barca ingleza Jaa.M-Si.rarl, ca-J Para o Maranhao, i<>ennio\uoCenT,Mremvou-
pllao Daniel Me. Farland, carga nasocar. ros dias o brlgue-escuna Laura : para o resto oa *****
Paraliiba ; hiate brasileiro Espadar!, capitao Viclorinolpassageiros, traase com o capitao na praca, u

GOMMEACIO.
AI.FANDhGA.Rendimenlo do dia 18 15:109/400
Ihscarregam hoje, 19 do corrate.
Rrigue Cent farinlia.
Hiate .S"m-7ofin fumo c charutos.
Hrigue Lean barris vaslos e abatidos.
Ihigue 7li.ni/e mcicadorias.
Hiate f'arahitano dem.
Ilarca Zilia dem,
brigue Hranduine banha de pnreo.
arca Tejo mercaduras.
IMPORTACO.
Anlje, escuna hollandeza, viuda de llollanda, entrada
no crrenle mes por franqua, consignada a llrcnder a
brandis e* Companhia, manifestou o seguinte :
til toneladas carvao de pedra, J39 caitas queijos, 82
barricas c JOUcaixas genebra, 87 jarras manteiga, 1)00
garrafoes oleo de linhaca aos inesmos consignatarios.
Ceres. brigue diiiamarquez, viudo de Malta, entrado
no crreme mez, consignado iN.O, I leber St Compa-
nhia. manifestou o seguinte :
1,725 bairicas fariuha de trigo, 30 calas papel para
cscrever ; aos inesmos consignatarios.
Itlary-Taytor, brigue ingle, viiutu da Escocia, entrado
no corrente mez, consignado a Adainsou Howie & Com-
panhia, manifestou o seguinte :
18 caixas fazendas de algodao ; a Johnsion Pater Si
Companhia.
29 barris tinta ; a Jones Paln t Coinpanbia.
150 barricas cervrja, 152 fardos e 40 caixas fatendas
de algodao, 9 fardos e 0 caixas ditas de linho, 25 tonela-
das llngoados de ferro, 2 caixas fazendas de algodao e
Ifia, 2 ditas cornos, I dlla chicotes, (i barris Iluta, 30
toneladas carvao de pedia, 6 caixas linhas de algodao,
5 barris manlciga. 1 barrica salitre, 4 caixas velas de se-
bo, 1-25 i'iubi'iillios aduellas, 706 barricas vasias, 23 quiu-
lacs ferro, 31 ditos ferro redondo, 74 ditos ferro em bar-
ia, 2 ditos ferro em folha, 1,000 barris plvora ; a Adain-
viii llovrie i Companhia.
/fontana, polaca hespanhola, vinda de Malaga, entrada
no correnle mez, consignada a Manocl Joaquim Ramos
e ."Uva, manifestou o seguinte :
40 barris azeile-doce, 4S quintaes chumbo de muni-
cao, 300 caixas c 74 meias ditas passas, 20 fardos alfa-
zeina, 2 caixas bixas, 200 ceiras figos, 300 oncas de ouro ;
ao inesmo consiguatario.
i'olof, brigue francs, viudo do Unir, enlrado.no cor-
rente mez, consignado a K. Lassrrre k Companhia, ina-
inl'r.sii.ii o seguidle :
74 barils e 40 mcios ditos manlciga, l caixas papel,
59 ditas velas, 100 ditas queijos, 1,100 barricas fariuha
de trigo, 2caixas chapeos, 12 voluntes cabos; a B. Las-
ierre 6, I iiinpaiihia.
1 caixa fitas, I dita dr gas ; a Avrial Frire.
CONSULADO (ERAL.
Rendimenlo do dia 18.........
Diversas provincias..........
. 5:378y?G3
. 352/z74
Jos Perclra, carga varios gneros.
Deca raides.
O juizde diroito da segunda vara crime desta
ciilile, Alexandre Rernardino dos Reis e Silva, acha"-
ieno exercicio do seu emprego, e mor na ra Hi-
reila, sobrado n. 21.
O lllm.Sr. capitao do porlo manda faier publico,
que o expediente desta capitana ter lugar todos os
dias, desde as nove horas da manha ate! as tres da larde,
em cujo te.npo ouvir s partes que Ihe tenham de fal-
lar sobre negocios ordinarios, e que antes, depois e
inesmo a qualqucr hora da nolle dar smente audleu-
cia a aquellas que, em consequencia de occurrcncias
extr .ordinarias, necessilarein por isso de promptas pro-
videncias da capitana.
Secretaria da capitana do porlo de Pernainbuco, 18 .
de abril de 1849. -- Secretarlo interino, obacharcl lito-1 pan la.
m Fernanda Sladeira de Caitro.
Pela subdelegada de San-Krei-Pedro-Concal-
vesfoi apprehendida urna prelada nonio Ignez, es-
crava, que diz ser, de Joo Marques Dourado, mora-
dor na ilha de Ita marac : quem se julgar rom direi-
lo a referida escrava, comparece na mesnia subde-
legara, munido dos complanles documentos. Sub-
delegara da reguezia de Saii-Krei-Pcdro-f.oncalves,
16 de abril de 18*9. Francisco Mamide de Almeida,
subdelegado supplente.
Novara & C, na ra do f raplclic, n. 34.
--Para o Hio-de-Janelro segu, al o da i
correute o brigue Attombro : quem qtuzer e
rar oscravos a frete oti ir de passagem para o que
tem asseiados e.ommodos dirija-se ra da Cadeii
do Rrcfe n. 61, a tratar com JoSo Jos reman-
des Magalhtes-
-- Para a Itahia salie, no dia 26 do correnle, o pa-
tacho S.-Crur. 'anda recebe alguma carga e pni-
eeiros trata-se ao lado do Corpo-Sanlo, loja de
THEATUO DE APOLLO
Sabbado, 21 di a6n/ de 1849.
Encerraiuento das representar/es francezas sob a dl-
i, i van doSr. I)ii|.i. .
REPRESENTACA'O EXTRAORDINARIA.
FII.HA DO DESTBBBAD0.
Drama novo em tres acios e a carcter pelo Sr. Ale-
xandre Domas,
DaNCA.
Passo nobre novo, dancado pela Sra. Camoin.
CASTO.
A grande aria O Italiano, cantada pela Sra. Aleandre
TOMBO!. OH LOTEBIA,
a exemjilo do theatro de Varis.
A tmbola compor-se-ha de quatro premios ; tres fc-
llzes c iini desgracado.
iita guarda-joias de prala para
seubora.
una guarnicao de escriptorio
de esmalte e ouro para es-
tante.
dous vasos de porcellana don-
rada.
niysterioto.
Cada pessoa receber orali's, urna vez que pague o bl
Ihete da entrada,un. numero de ordem para aeitraccao
da lotera, a qual teta lugar sobre o.a..viia/io. Ao pri-
meiro numero que se extrahir caliera o prthU'iro pre-
mio, e assiin por diante ate chegar ao mvstrriuso.
As pessoas que tomarem billictcs Uanie-iuao lero
dircito a dous nmeros.
i ma NOITE irayn|Sja|
Vaudcville em uin acto. .
THKATRO DL,JjAN-J*ACISCO.
ni...
massames, n. 25 Na mesma loja vende-se urna ca-
noa que carrega 300 a 350 lijlos ou troca-se por
lijlo e mesmo vende-so a dnhero ou a prazo.
- Para Liverpool pretende sahir no da 19 do cor-
renle a galera ingleza Sword-Fith, capilSo Ricardo
Creen : anda pile receber ilguns passageiros, para
o que tem superiores commodos : os pretendenles
irijam se aos consignatarios, Me. Calmont &Com-
mhia. .
--Est a chegar do Ro-de-Janeiro a ben. conne-
cida eveleira barca F:ipirUo-Santo, a qual vera a
esle porto acabar de ca regar, e deve com nimio
pouca demora seguir para a cidade do Porto e por
isso se avisa a quem se quizer transportar de passa-
gem para aquella cidade e quizer ler esla dimi-
nuta demora acharo na referida barca os mais
excellenles commodos no spela grande cmara
que tem como o lombadlho:quem com antecedencia
Primclio premio feliz.
Segundo
Terceiro
Oll.il (n
Domingo 22 de abril dsMkV.9 ter lagar o seguinte es-
pectculo.
Depois de ser cxrciita ma sympbouia
ALZ1ZA,
do compositor Guiseppc Ve*if. .reprifeiitar->e-ha o
mu lindo c novo i .una, uiigli.al francez, intitulado
A PONTE OO OHttO, y
ou
icces t i
da mae
A tXI'I.OS.i ll'm* I'ISSAUBM.
Este drama he unta dastHClhorea iraducede
chivo tbcatral de Lisboa, e ii. distribuido
seguinte :
O baro de Torald....... A. J. Rlbs%s
Bclino........... J. II. |.e
. Pedro.........- Sant
Paulo escudeiro....... l ofinlira.
M.irccllo.......... J. Alves. \
a w llia Matilde....... II. 8. (ardosjk
Escudairo confidente..... liulelho.
Anlonio, rendeiro vrlbo J. I.AIvi
Um joven camponez..... O mrninct
Julio, filho di llosa^viiia ,
llosalvina........
Lourenca......... D. Fellsnn
Claudina, inulher de Marcello I). Jesul
quizer contratar a sua passagem ou carregar a fre-
lo, ii ija-se ao seu consignatario Francisco Alves
da Cunha na rus do Vgario, n. II primeiro
andar.
Para o Aracaty tem de sabir com a possivel
brevidade o hiate Roto-Olinia, de que he mostr
Antonio Jos Vanna : quem nelle pretender carre-
gar, se entender cora o mesmo Vanna, no Trapi-
che-Novo, ou na ma da Cadeia-Velba, n. 17, segun-
do andar.
Para o Porlo sahir breve o veleiro brigue portu-
.guez frimarera. capitao Manoel de Azevedo Canario,
podeudo ainda receber alguma carga e passageiros : os
pretendenles podem tratar com o dito capllSo na pra^a,
ou com o consignatario, Antonio Joaquim de Souza lli-
belro.
Para Lisboa sahe mpreterivelmente no da 22
do correnle o brigue portuguez Triumphanle, capi-
to Sabino Antonio do Cabo Almeida : anda pode
receber alguma carga a frele e passageiros, para os
quaes oflerece os mais excellenles commodos i quem
pretender, dirija-se aos consignatarios, Oliveira Ir-
mflos & Companhia, na ruada Cruz, n. 9, ou ao re-
ferido capitno, na prarja do Commcrcio.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com a maior brevi-
dade possivel, por ler a maor parle da carga enga-
jada, o patacho nacional Franceliita : para o resto da
carga e escravos, trata-se com Machado & Pnheiro,
na ra do Vgario, n. 19, segundo andar.
Espera-se do Itio-de-Janeiro al 13 do corrente
o brigue portuguez Terctira capitflo Jos Antoiio
H||jkro ate Fieitas.e segu para as ilhasde S.-.Miguel,e
Trjceirar/com a maor brevidade possivel; s rece-
be passweiros para os quaos oflerece excelien-
tes commodos : quem quizer ir de passagem, diri-
ja-se aos citaaignalarios, Oliveira Irmfios & Compa-
nhia. uilB Cruz, u. 9. *
Salte para Lisboa no dia 21 do corrente a barca
poijugueza Ltftira, de que he capitao Anlonio Joa-
quilMaV'iKueMy>ar* resto da carga dirijma-se aos
seus cgfgigiialtytDs, Francisco Severiano Itabelloc
flho mo mMaTao capilo, na pra;a do Commer-
co. M
Para ilhaM Acores e Lisboa sabe mpreteri-
veliueiUe, no lia t J abril, a polaca Sociedadi-t'e-
tii, por se adiar rom o carrega metilo quasi comple-
to : para o rasto da carga e alguna passsgeiros, aos
quaes otTerece bous commoiftu, trata-se com Joao
lavare Cordeiio, na ra do Vigaiio, n. 8.
-- Paa o llio-de-Janeiro pretende sabir breve o
origue Mercantil, por ler nina parle do carregainen-
lo : quem no mesmo quizer carregar, embarcar es-
cravo, ou ir de passagem, enleiida-se com os con-
signatarios, Amuiiui Iriiios, na ra da Cadeis, nu-
a llosa. _____-..
.j-i":^^jp:
Leudes.
SOLDADOS E CAMI'ONKZES.
J. P, Adour& Companhia Tarflo leil.lo, por in-
_ ivciiqo do correlor Oliveira, do mais lindo sorti-
1 jov. de 7a I ment de fazendas de seda, lila, linho o de algodflo,
li. Josefa.^ Mpje muito agiaiianlo a seus freguezes: hoje,
'l-do corrente, as 10 horas da manhna, no seu arma-
rua da Cruz.
O director esforcar-s-ha por bem deseutpenba
graciosa parle de Pedro que loinou a si.
O corretor Oliveira far leil.lo de una excellen-
mobiha, e oulros peitences de casa, consistmlo
em sofas du mogno e de Jacaranda, cadeiras tanto
(os c de balando, mesas de meio
-mariuore, consolos, carleiras e
madeiras, guarda-vestidos, com
tornar o mais brllhantc possivel a peca que'escola** odas, espelhs grandesd e sala, loucadores, mesas
para esta nolte. Ue jantar clsticas, guarda-louca, aparador, mesas
No lini do drama Sania Ilusa ca jortn Fclismiuaca- dfcjogo e oulras diversas, bancas de costura, camas
laro o jocoso duelo intitulado Me ierro, apparelhos de porcellana para jantar, tapo-
O ZAiiU.UliKIRO DE CASAS PART1CULAKES |e linos e esleirs paru salas, lanlornos de casqui-
Flndo este, a mema joven externar fera rei.el'icao)rha'1 vasos eirrasC0S(|.fi PO"*" decrystal. relo-
ioile paiede, grrulas e copos, um sellin ingloz
a nova danca que lanos a|,plausos mereceu ni. di ti
de mal... p. p que tem por titulo
PAS HONCROIS NATIONAL.
Dar fin ao espectculo a linda farsa de composico
asi novo para montara de senhora, serpentinas
bronze, salvas, colheres, paliteiro e oulras obras
prala asshi como mais quatro escravos de na-
Rn, sendo tres para pagamento a Francisco Jos
i buza, por saldo do que Ihe (icou reslando o fal-
lecido Jausome : ludo sdb ascondicOesque se apre-
seulaiio : sexla-fcira, 20 do correnle, s 10 horas da
cas sernas c sublime enredo, val scena a pedido dejoiailhla, na casa u. 53, na da Cruz do Itecife, tCl-
e aeco nacional, viuda do Rio-de-Jaueiro, denominada
OJUDAS EM SBADO DE ALLELU1A.
Esla farsa, to bella por aru eslylo, como pprsuas ri-
5:731/037
Movimento do Porto.
Navios entrados no dia 18.
Parahiba; hiate hratlelro-Concefcio-Fhr-dai-Virtudes, de
24 lmelas, eapli.io Ellas do Rosario, equipagem 4, car-
ga loros de mangue : ao capitao.
Parahiba ; 24 horas, hiate brasileiro ParaHbano, de 3U
toneladas, tapelo Nicolao Francisco da Cosa, equi-
pagem 4, carga agurdenle ; a Leopoldo Jos da Cos-
ta araujo. Passageiros, Manuel de S Leilao, Placido
Kerreira t>omes, Brasilciros.
Navios sahidos no mesmo dia.
Lstate pelas ilhas dos Atores; barca portugueza Pin-
mmense, commandanleo caplto de mar e guerra Uto-
maz Heorlquc Valadiin, carga assucar. Alm dos pas-
sageiros que trouxe dos porlo. do sul leva a seu bor-
do : Manoel Jos Coelbo, Portugus
multas pessoas, e particularmente do Sr. Jorge Jnior
que era obsequio ao director se" dignou emala-la. A
vista que d o titulo a peca he dilllcultosissiina toda-
va Sania llosa apresenlar a PONTE DO DlABO__
queda passagem a unta giande torrente que desee por
empinados ruche dos, formando a vista da mais linda
cscala.
O director nao <1, espectculos um inmediatamente
apos outro, porque nao quer levar scena pecas corla-
das c mal dirigidas ; por isso toga ao respeitavei pu-
blico dispense as demoras, em grande parle devidas ao
lempo que he preciso gastar comensaiar actores notos
leeiro e quarlo andares.
Avisos diversos.
ira os quaes Sauta Rosa nao pode deixar de empetrar
indulgencia dos espectadores que hoitiait: com sius !
presencas o Ihealro sob sua direccau.
Os Sis. asignantes c mais pessoas que pretenderen)
camarotes pdciu mandar buscar a qualquer hora do I' "L."b
dia os ca loes na casa annexa ao iiicsiuo llirairo, re-
sidencia do director.
O abaixo assignado faz certo ao publico que elle
move execucao de senlenca pelo julto do civel da pri-
meira vara desta cidade do liedle contra seu devedor
Antonia Alves nandeira, e por isso se acba em praja
nni sliioiM lugar de Beberibc en. que inora o deredor,
que fot a*4liado smseisccntos mil ris, ej corren e.u
piac ; Mstinlo avisa por este que Minguen, contrate
si au '
ileia compra ou outro qualquer nrgiciu
sitio, que ha mullo se acha peuhorado c
3\
com o _
sobre o dito
eu. lil'glo. Carlos Joi.
'atorregados pelos credores do finado Antonio
de Cintjsn* convidan) a todos os credores do mesmo
:"- ; para apMntareit. no prazo de 3 dias conta do que
Principiara o direrClmenlo a oilo c uieia huras da noi- aquclle Aliado Ibes licoi* Revendo, e bem assim uola da
te com a chrgada das autor idudes.
Avisos ioar i timos.
Para a Babia sabe cu. puucos dias o hiate S.-oio:
para o resto da carga e passageiros, trata-se com No-
vaes t C, na ra do Trapiche, n. 34.
iju.'iuiia que dei. puf uiua vez para despendi das ques-
locs queenlao se moviaiu: c porque teuha de se retirar
um dos ucarregados, roga-se a presteza da apresenla-
i jo das cantas na ra das Cru/es, n. 30, para se poder
fazer u dividendo do diuheiru que ha e.n ser.
~ Precisa-se de uin calxeiro de idade de 14 a 1G an-
|ue en leuda de venda : no Becco-Largo do lied-
nos e que
fe, n. 6.
Na pracn do f ommercio, n. 2. primeiro andar, exis-
te urna carta para o Sr. Claudino do Reg Lima.
Precisa-sc de utna boa ama deleite, anda mesmo
rscrava : na pracn do Co.nmrcio, n. 2, primeiro andar
Jos Jacintho Furtado e sua mulher retiram-te pti
ra fra do imperio.
O abaixo assignado,respondendo ao annuncio con.
Ira elle feito por seu -lio o Sr. Feruaudes Eiras na tVjtriu
de l'ernambuco n. 85 de 17 de abril do corrente, uii qUP
iciiiln sido seu calxeiro desde l7 de abril de i838al |
de fevereiro de 1848 que por tua espontanea roiiiadv
delxou de ser mais caixeiro ; e, devendo ser logo pioj,
de seus ordenados, assim nao aconleceu, |iorque h\ tl,
iretido por 11 metes e 27 das que por inulta iust.nc.
fol que a 16 de fevereiro do corrente auno llie ptssou o
annunclado una Ictlra da quantia de 400/rs. a dautnte
zes, que se veuceu a l(i do corrente mez, etn pa8Uf
trut ordenadoi: ordenados de caixeiro astii.t pagos!!'
E como a mesma lettrafosse rebatida r apresenlada o
annunciado no dia de seu vcncimcnlo, be esla a raijo
pela qual o annunciado, paia negar-se ao pagamento
diz que a leltra se acha com muda oca de tima : a letir
fol chela pelo annuncianleein sua cosa e aceita e ai-
signada pelo annunciado em casa delle; ja a v que a
una n.Vo poda ser a mesma: he, pois, dahi que veiii clif-
ferenca da tinta no corpo da leltra c na assignalura da
mesilla, sendo ella a nica que deve ao annunciaute. D
exp'osto se couclue ser injusto aquclle annuncio, e a pie
tcnciu de cstoi var a viagern do annunciaute a prctesio
de verificar cotilas que teve com diversal pessoas eV
cujas cobrancas esteve o annunclanle encarregado. ns[
tas duvidas deveraiu ser lliadat ( como fram ) antes to
annunciado justar conlas com o annunciaute, > Ihe
patsar a mencionada lettra ; e se at esle lempo o an-
nunciado nao achou din ida uas conlas como diz ago-
r ha v-las .' S a inaginaco aluciada do mal he capas
para lanto I!... Se se pretende que um tal aonuncio
desacredite ao annunclanle, pelo contrario elle s des-
acredita ao patino que por tacs mcios nega-ie a pagar
o ordenado a teul calxeirot: se nao l'sse respeitar a mo-
destia, o annunclanle acompanharia ao aiiuuncitdo
apomando-ibc Tactos que em nada o abonein. Nestt ci-
dade ha nmiias pessoas do appelido Eiras, mas que toda-
va nao sao o annuiiciante i nao poda algum desles au>
nunclar a sua tbida ? Aprsenle o aunuuciado o Diaria:
o annunclanle nada deve netta cidade: quando se qui-
zer retirar ha de aiinunciar com o seu nome por iu-
teiro.
Recife, 17 de abril de 1849.Manoel .Inloiaio Femantes
Eiras.
Relaco dos animaea com suas cores que ae acliam
nrsle engeuho Crusahr, conduzidot pelat tropas que
aqui ettiveram, e de otitrat que daqul sablra.n, c qur
os trouxeram quando para aqui voliaram; assiu. como
um russo pedrez da saruclba ferida, uin mclladu, des-
de o mez de novembro quando aqui esleve as tropa du
Sr. coronel Bezerra; dous castaohut, e um rodado,
que forana tomados em eamiuho quando eu marclici
para Cruangy; lau.bem existe entre estes utna agua cas-
ta nlia, e um cavallo alazao que fram lomados no enge-
uho Moclo quando voltou a rca vinda da capital,
ttndo j entregue a.seus donos os oulras como cunsu
dos recibos que teuho das pessoas que daqul os levaraui:
existem preseniemente onze ca val lose quatro egoas. Co-
res dos mencionados aiiimaes ; dous cavados castaulioi,
tres eavallos mellados baios, tres rucos pedre.es, um
rudado, um alazo, un. foveiro, urna egoa castanba,
una pedreis, outra dita rusa, c oulra dita ala/a. 0t
donos que se acliareui com direilo aos mencionados
aniiiars os procuraro neste engenbo apreientaudo os
signaes, ferios, e mais piovas que se fazc.u precitas; li-
candocertot que da dala da pulilicacfto drslu a um mez,
nao appai ccendo seus competentes donos,ot remetiere!
para o deposito. Engenbo Crusahy, 15 de abril de 1849.
Aluga-se urna casa terrea cun bastante fundo, e
grande quintal todo murado, sila no Alerro-dos-A-
Fugados, propria para se eslabelecer nella urna poda-
ra pelas cominodidades que oll'erece, e ler o embarque
junto: que, pretender dirlja-te ra doQueimado,
n. 7.
Aluga-se o segundo andar da casan. Oda ra do
Queimado : trata-se na mesma casa.
Aluga-se um mnleque de idade de dezolto annos
para o servico de qualquer casa estrangeira, menos pea
cozlnha : na ra do Colleglo, n. 16, aegundo andar.
-- No dia 20 do coi rente, pera ule o Sr. Dr. juiz do ci-
vel da prlmeira vara, na tala dat audiencias, depois des-
ta te ha de arrematar a otaria con. terreno proprlo na
ra do Moodrgo, casa n. 135, com todas as proporcdei
para eilabeleclmeiilo de qualquer fundico, padaria ou
restilaco por ter bum porto de mar e serventa pela
dita ra, como j fol annunciado nos Diarios as. 75, 76 e
77: quem a pretender pode ir examina-la c comparecer
em dito dia, que he a ultima praca.
Jn.sc Francisco Beln, arrenda o seu sillo deno-
minado Sanl'Anna, em Parnameirini, com mu bou
..lanas, e grandes baixas para capiui, liom pastorailou-
ro para ammacs, inultos ps de varias arvores de fiuc-
tas e cafezeiros, boa agoa para beber, e algmuas casas
!|ue eslao no caso de rendcreui pelo seu bom estado e
a i,i este negocio por preco commodo.
INa ra Novh, n. Go, precisa-se de
olliciaes de alfaiate para ca!c is de panno.
Hermann Mehrtens relira-se para Liverpool, le-
vando em sua companhia um (illio menor de nouie
Thom.
O bacharel \ Coutinho,
estando a partir para Lisboa vende urna escravs du
servico de sua casa quo sabe cozirhar, coser, en-
gominaru fazer o mais servigo de casa he moca e
muito fiel:
JoSo Jos de Couvoia embarca para oRio-de-Ji-
neiro o csrravo Vicenlo pertencentea Antonio Se-
verino Pessoa, morador em Carirys-Novos, por
ordem que tom do mesmo Sr.
Jo3o Soarcs du Moura, Portuguez, relira-se pa-
ra a illia do S.-Miguel.
-Jos Antonio dos Santos Coelho embarca ptra o
Rio-de-Janeiro o moleque Miguel. de nteilo Ando-
la a entregar a seu senhor, Francisco Jo* r-
menla.
-- Precisa-se de urna ama : na ra dos Tanoei-
ros, n. 5.
--Francisca do Paula da Silva Cuitiiariles embar-
ca para o Rio-de-Janeiro a sua escrava de oaco,
de nome Mana.
PiTCist-so do urna mull, t parda ou p/eta o ti
queira servir de ma em urna-casa de pouca familia
dando-se-lhe o sustento e vestuario ;.na ra do Itm-
gel, n. 17.
~ A senhora Joaquina Igntria de Miranda, mora-
dora na ra do Livramenlo, baja de vir lirar o >su
penhor.no prazo de tres dias, do contrario sea ven-
dido, e nflo chegando para o principal e juros, cr i
mesma' senhora ubriga la pelo restan te.
-- Quem pretonder urna criada portugueza fiel
de honesto procedimento, pode diiigir-se A ra
Li vrauenti) n. 34, demanhla al s 9 horas o de lar-.
de das 3 al s ? e meia.
Ikeseja-se saber se nesta provincia, ou na das
Magdas existe Jus Lopes de Azevedo, natural ut
fregueziu de San-Salvadar du Macieita-ila-alaia, I"
pado do Porto em Poitugal, pois quo roga-se ao dito
Sr. ou a pessoa que possa dar noticias dell', u *'
vor du dingii-se a esla pirca, ua ra da Cadeia <
Itecife, n. defrunto do liecco-Largo, a lallar cota
.Manuel Jos do Nascimenlo o Silva. .
_ No palco da matriz de S.-Anlonin, sobrado n. .
tiram-se ptssapories para dentro e fra do impr"0^
assim como despacham-se escravos, por preco com-
modo.
e
do
l\
MUTILADO l


gm
9 ;S *=
O BRADO DA RASAO N. 18
achar-s-lia hoje ven la, ao meio-dia, nos lugares
ilo eoslunie icm mito do* dislribuJores.
-- Manoel itconre Rczerra, morador no engenho
Mnssupinho, roga aos Srs. em cujo poder 9e acham
s.'is cavados de spu dominio, que foram (omailos
por dArenles tropas que pelo mesmo engenho ps-
saram, queiram annunciar onde se acham para el-
le oa man.lar buscar; cojos cavallos Iccm os signaes
segundes : ora o la?.fio cnni estrella na testa sg-
nV|tre as ventas pe esquerdo branco do travado
parabais), dinas dourada-i, com dous ferros ; ou-
Iro rozilho-foveiro com um ervo grosso na pcrna
direita ; outro ruco-sujo, muito novo; oulro car-
dio, com as dinas divididas para os dous lados;
oulro pedrez earregador; e outro ruco.
Manoel Jpaquim Comes tem um escravo pardo,
inocuo e.ie bonita figura para vender.
--J*lto Baptista de Souza Portuguez, retira-se
para fra do imperio.
Manoel Ferreira Ramos manda para o MarnnhTo
o seu lUlio da menor idade, Antonio Ferreira Hamos.'
Si inflo l.uiz, ci ladflo francez, relira-se para os
portosdotul.
Jolo Baptista da Costa subdito portuguez, re-
iira-so par fra do imperio.
f Jos Nunes de Oliveira &Companhia vendern)
o seu armazem deseceos aoSr. Augusto Cesar Co-
laco d llenczes, sito no paleo da S.-Cruz ao p
du botica : quem se julgar seu credor, comprela
no mesmo armazem sexta-feira, 20 do corronte.
Aluga-so a leja do sobrado n. 40, no Aterro-da-
Boa-Vista, que faz asquina para o becco do Marlins,
prepria para qualquer casa de negocio, e com bons
commi'dospara familia; a tratar no pateo da S.-
G'ruz, n. 70, segundo andar.
Precisa-se alugar urna casa terrea, ou sobrado,
sendo em boa ra dando-se preferencia no bairro
da S-Antonio : quem liver, dirija-se ribera da
Boa-Vtsta venda da estrella, ou aiinuncie.
A pessoa' com qgem foi trocado casualmente
um chapeo deso, depanninho, por um de seda ve-
Iha. na casa do reverendo vigario da Uoa-Vista ,
queira annunciar onde so devo fazer a entrega.
-Quem se julgar com direitoaos foros das casas
ns. 116 e 18. sitas na ra de llortas e pertenecidos
aS Catada Miscricorda na Balda pod mandar re-
cebo-Ios na luado Vigario, n.7.
i. P Adour&CTfazcm sciente quena ausencia
de sen ocio, Philognno Adour, fica encarregado de
sua procuraeflo o .Sr. F. A. Dubourcq para tratar de
tolos os seusnegocios.
ATTRNCAO.
Joaqulm Concalves da Silva em eonspquencia de
liaveroulro de igual norne, declara pelo presente
jornal que de boje dianto so assignar Joaquim Con-
calves de- Alhuqnprque e Silva o que servir de go-
vrnu as pessoas com quem elle lem lido Iransac-
coes commerciaes, tanto nesta cidade como no Rio-
de-Janeiro Baha e ns demais provincias.
0|iiso assignado avisa a seus credores que a
requoiShento de Francisco Jos Harboza fura fecha-
da a sua casa de negocio, sita na travessj do liquc ,
e logo intimado para despejo, e foram recolhida*
as chayes em o deposito geral, Uto no da 30 do pr-
ximo pasado. Jas Uot Sanios Souta.
--Francisco Jos Ricardo Ferreira, subdito por-
luguer, retira-se para forado imperio.
-- Vicente Thumaz dos Santos relira-so do im-
perio.
Na ra Nova, venda n. 65, que foi do Sr. Anto-
nio Ferreira l.ima defronto da coebeira precisa-
se de um caixolro que lenha bastante ortica de
venda para receber urna por balando dando dador
8 sin conducta : d-se bom ordenado e far-se-hflo
Nata algunas conveniencias: a tratar na mesma
venda uu na casa junio, u 63.
-- A pessoa que precisar de um caixeiro le ra ,
ou >le eseripiorio para fra ou dentro desta capi-
tal annuncie.
Aluga-se um sitio sondo no Poc.o, Monteiro e
Caldcireiro, com bastantes arvoredos e que tonlia
casa cora eommudos suflicientes para urna pequea
familia: quem livor annuncie, ou dirija-se rua da
Conceicflo, n. 9.
FranciscoMamedc de Almeida Jnior embarca
para o llio-de-Janeiro a csciava Francisca.
-O annunciaiiie Antonio Jos Diasque nos Dia-
rios de 16. 17 18 do presente u ez diz que se
nina para a lluro; a a tratar de sua ss le he cai-
Xro da venda de Joflo Antonio Carpinteiro da Silva
se Jflo so eutende com oulro qualquer de igual
Momo. ->i
Avio ao respcitavel publico
Cuilerme Fredcrico Walter, como lenha de de-
morar-so por maja ,|gum teinb |ieU basUllle C0I1.
errencia que ten. lido, avisa as pessoas que o lem
alada para .,*,- retratos que appareca.u quauto
-des utes to i J2 das, aununciSiile tom liis re-
alos do desembargadorNCNES MACHADO, tirados
modos ^ ,,U' VCaUcr pr '"CSS Cm-
- Aluga se a muito expeliente e nova
rasa de tres andares da ra do Via
<> 23, propria nara qualquer S
ciaule, ou mesmo para faini
(lares apartados : a tratar
ra,n 7.
-- Joaquim Pereira Arantes, com loja de calcado,
Ztl .125 (l*vc,ircs 'unas, lomando em consideradlo que calcado s
se compra a d.nheiro, e os meamos Srs. estilo nim-
io alraaados nos seus pagamentos
AtteiifAo
O afericlor roga a todas
s pessoas que conduzem mel. agoardente, azeile
&c para o mercado desta cidade em ancoras; e que
anda nilo aferiram.qus quauto antes venham aterir.
pois o tem|io da afericflo est a acabar-se,e os fiscaes
respectivos passarlo dar as corridas Jo costume, e
aquellas que encontraren) sern estar ateridas nesto
auno de 1849,sero multadas em 2.000 ris cada urna,
e obrigadas a aterir; assim como previne aos senho-
res do lojas, que, estando prximo o lempo da revi-
sita, nao Ihes passar verba de revis.W, sem que es-
lejam exactas com o padrflo da cmara, e para esse
fim j lem preparado urna poreflo de varas e covados
j ateridos para aqucllesque precisarem.
WMMIWWm ifWMMi
I O doutorCaetan.o Xavier "Pereira deBrito,
ormadoem medicina ecirurgia lema honra
de ofTerecer o seu presumo ao rcspeilavol pu-
blico desta cidade cin sua casa no A Ierro-Ja-
j. Bos-Visla n. 43 onde podo ser procurado, 2
5 de manhfla al s 9 horase meia e de larde das
3 horas cmdtanle. 'k
*9TE)K-CBSBS>. 9 BMBM9t
CHAPEOS DISOljl
Rita do Passeio, n. 5
Oh! que pevincha para o amavel e respoilavel pu-
blico : novas sodas da melhor qualidade que sa po-
de fabricar, porserem deincommenda e da melhor
fabrica de Franca, receidas agora.
0 fabricante deste estabelecimento advorte ao res-
peitavel publico desta cidade que ello possue pre-
sentemente um rico sortimento de chapeos de sol,
assim como chapos de sol de seda furta-cres, dos
mais ricos, que teom apparecido nesto mercado, e de
cores coiihecidas ; ditos para sen huras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suas coiftpetontes fran-
jas de retroz, ludo que tem de ir ais moderno e do
melhor goslo; um completo sortimento de chapos
deso depanninho de todas as cores e de lodosos
tamanhos, para homens, senboras e meninos: ha
tambem igual sortimento de faiendas para cobrir ar-
macOes, tanto de sedas de cOres, como de paniiinlios
(raneados e lisos imitando seda. Adverte-se que os
freguezes serlo servidos com brevidade, e se acha-
rfio satisfoitos da boa qualidade, do bom goslo e do
bom proco. ..
-A viuva & Filhos de Joflo Carlos Pereira de Bur-
gos Punce de Leo vendem, aiuda mesmo a prazo ,
ou a troco do escravos as casas terreas leudo cada
urna 2 salas, 2quartos cozinhafra quntale ca-
cimba sitas na Iravossa do Marisco defronle da
nova matriz do S. Jos: no paleo do Carino, sobra-
do n. 18.
Os slmij.0 declarados reliram-se para forado
imperio : Jos Joaquim llenevides, Jos de Mello da
Silva Pimenlel e Antonio Moreira da Silva.
Fuilaraiu, na noitedia 15 para 16 do cor rente,
do dentro da gaveta do uiin coinuioda um pouco
do ouro contendo uns coraes azuo oncastoados o
com seus requififes dous pares de brincos de caba-
ca um brinquiulio de lilagrafla tres palmus do
Irancelim : a pessoa que aouber, ou Iho fr oll*creci-
do, lenha a bondadede embargar e participar no
breco da Viracflo 11.11, de onde foi roubado, que
ser gratificado.

.gano,
)r. nego-
lias, em au-
na mesma
JOS ANACI.KTO, SANGRADOR K DKNTlSTA. <
j bem conhecido na sua arte, e morador na >
ra eslreila do Rozario, ( bairro de Santo- <*$
Antonio ) junto igreja, casa tenca, n 5, lem JJ
a honra de pal tiipar ao respeitavcl publico, c ^
a seus freguezes e amigos, que se ai-ha muito a
* prompto a qualquer hora do dia para prati-
ir car, com umita dlicadeza qualquer opera-
fe e.lo do'sus arle, o por um preco muito com-
W modo, com lodos aquelles que de seus pres-
te trinos sequizercm utilisar, tanto em sua ca-
W sa, como fra dt-lla, mandando-s?-lhe indica
** cao do lugar, nomo da ra e nuinoio da casa. ,
%> Klle lira bem denles, >. sangra o u-.ellior possi- S
^ cl : tambem calca, denles furados ^cariados) 4
com piala lina, ouro, ou qualquer outro me- #
Ji> talbrauco; aparta pcrfeilameiite os denles da *t
{ frente; applica muito bem vcnloz.is sarjadas;
* c todas estas operacO.-s por um pceo uiiiil'o #
9? commodo a lodos : assim como tambem em *
W sua casa coila muito bem cabellos, faz barbas 'Z,
9 o amla navalhas. Na mesma casa vendem-se S
W excellentcs instruinentus pira lirar denles, f*
te' lauto aus meninos como a pessoas grandes ; 4
fe a saber : butices, {penca ) pequeas, retas, %
fe curvas, o chav s, e lunas linas para apartar' ^a
fe denles. Tambem venjeni-se inelaes brancos Jk
fe em laminas, para c. loar denles turados, e tu-'(a
fe: do por precos muito commodos.
fe iV. ti. Jos Adelo, sendo chamado, e 11.I0
fe platicando qualquer das operaces de sua
fe arte, soiflo pagas as suas passadasuu visitas,
fe visto perder seus iiiteressej em sua casa.
pela Loa graliii-
cacAo.
-- Na noite do dia 15 do correte roez, pelas
ledL'a' U,,0 ,5Crav" ll8 no",e Judo, de ida-
22annos pouco niaisou menos, cuiossienaes
s.ie>o aegumlo : aliura regular, cor fula; lem os
ct.Tr*c',,<1"s cravos, leudo aiuda no cal-
H o\!n3r^.ZCraV f',", esU "escaseando,
da a! el ?. V'*,0,l "'' Brosso; levou ves-
Si5aas^
cidade da Victoria, .ondej. Xrf'.'r,^" e
roaoueeadea, de onde ro remet ido ao aentmr
logase, purtaulo.as autoridades policiaea, ecai.i
1 'a de campo procedan) cm suas diligencias e. o-
Pndo-o, levem-o a ra Diieit, fabricare licores
n 17, que generosamente serflo recompensados.
diu 'l!C!f,"S'',de -uni fe'tor l'ar um engenho que
************** i **^*ft****;
Na casa de modas fiancezas de uiadnma Millo-
chau no Alorro-da-Boa-Visla 11. 1, defronle do
chafariz recebeu-sa icio ultimo navio, vindo de
Franca, um lindo escolhimenlo das ultimas modas,
comosejam : collerinhos ecamihinhas de cambraia
bordada, muilo ricos; cabecOesde bicos bordados;
corles de vestidos de seda de baregn de gares do
cassa e de cambraia; lencos muito lindos, para
grvala de senhora ; garca de seda, lisa n de todas
as cores; fil de ludio o deseda branco e piolo
ricas llores para enfeites de bailes e casamento*,
plumas para chapos do senhora ; enlrc-meios bor-
dados de cambraia fina; cambraia de linho; ricos
mauteleles de seda decores, muito ricos; ditos pre-
tbi'eufeitadosde tranca e franja; lencos de nulo ,
de cambraia de linho; fitas muilo lindas e ricas;
trancas de seda de todas as cores paro enfeites de
vestidos; esparlilhospara senhora; luvas de pel-
lica, cuitas e compridas ; ditas de insia berta
muito finas; trancas do algodflo para enfeites de rou-
pes de menino ; bicos de linho blondn o do seda ;
tarlalanas ; manteletes de bjeo preto ; chapos de
seda e de palha para senhora e meninas ; guarnices
de bolOespara vestidos do senhora ; rendas lisas de
linho e de seda ; mantas do l!ta e seda, de muito
bonitas cores; toucas para seuhoia. Na mesma ca-
ase lazum eOeclivamenlo veslidos, chapese ton-
cas de senhora da ultima moda e a preco mdico.
Fabrica de espedios.
Jo3o imbus faz publico que presentemente acaba
Hin0,i "?' abf ic* de Pr au e,n espelhos de
niaior larnanho : as pessoas que se quizerem ulilisar
i!n-" ,rie' ***** rc"r*"" em casa de sua resi-
dencia oa ra larga do Uozario sobrado us. 608.
1 f
Novo pBo de Provenga.
Na padaria do becco das Barroiras e no de- j
Psito da Eslrella.no Aterro-da-Boa-Vista, n. |f
39, fabnca-se o novo pSode Provenca, oqual
he fabricado pelo melhodo do seu primeiro
introductor que veio a esta provincia o com 9
as melhores farinhasque ha no mercado, c as- a.
seio que he possivel: da mesma sorle so fa- 1
bricam as faliasda rainba de llespanha bo- 1
linhos.biscoulos, biscoutinhos, faltas, cava- S
cas : ludo do melhor gosto possivel e proprio 1,
parach ; tambem ha bolachinha de Lisboa *
g em latas de 8 libras, por preco commodo; 8
g amendoas confeiladas e de varias qualidades. S
fMrffffurjiw mrnmmmmmmwmkm
--Precisa-sede urna ama para casa do homom sol-
teiro com pouca familia, que eugomme muito bem :
na travessa da Madro-de-Deos, n. 1, das 7 s 9. horas
da niariliaa.
Alugam-so os dous andares da casa da ra da
Cruz, n.40, ptimos para eseripiorio, 011 consula-
do : a tratar no primeiro andar da mesma'casa.
Acha-se justa e contratada a vendada paite da
casa terrea em clnlos foreiros na ra do Monde-
go, 11. 12 : a pessoa que se julgar com direilo a dita
casa, annuncie por esta follia, no prazo de lies dias ;
do contrario, se effeituara o dito negocio.
F.uahaixo assiguado, leudo de retirar-me para
a ciJade do Porto, por isso deixei de ser hortelfio
do Sr. Ignacio de Barros Brrelo, do engenho Ma-
enge, desde odia 10 do crrenle, llcando muilo
obrigado ao mesmo Sr. pelo bom tralamenlo com
que sempre me tratouduranto o lempo que estire
em sua casa. Jos Rodriget da Molla.
Quer -se arrendar um engenho pe lo desla pra-
a, preferimlo-se ao quo for de moer com agoa :
quem tiver annuncie, ou dirija-se ao subdelegado
da freguezia da Boa-Vista que dir quem o pre-
tende.
D-sedinheiroa premio, sobre ouro e prata .
na ra do Hospicio, sobradojunlo venda do leflo
do miro.
Domingos Alves da Cosa Rodrigues reira-se
para a Europa. '
--Jos Baptista da Fonseca Jnior tem paia ven-
der no armazem do Bacelar defronto da pseadinha
daalfandpga ou na ra do Vigaiio, n. 25, a me-
lhor farinha emsacensquo ha 110 morcado, a preco
rrienor que nenlium outro possuidor.
--Jolo da Silva Braga laz publico que vendeu a sua
loja deselleiro, que tinha na ra Nova, defronle do
oitmidanialiiz, enbriooulra da mesma ollicina do
SEI.I.EIRd, NA RIJA DOQIJEIMADO N. 9, onde os seus
freguezea acharflo sempre 1 completo sortimento de
obras daquclla arle, comosejam : sellins de lodas as
qualidades, lauto para 11 ontaria do hornera, como
para senhora, api arelhos militares, tanto para ca-
vallaiia, como para infantaria, ecolches do diver-
sos lamauhos e qualidades.
- Ci.eUno Eslellija Cavalcante Pessoa, lento su-
bsliluto de inglez e fiancez no lyco desla cidade,
Conlinua a ensmar os seguintes"preparatorios: os
dous de que he lenle, phylosophia e ihelorica : o
annunciaule proii:elte esfrcar-se alim deadianlar
seus discpulos, e habilita-los a exameem breve
tcu>| o a qualquer hora o enronlrarSo em casado
sua residencia, na ra do Queimado, n 7, primeiro
andar
-- O abaixo assignado Tai publico que, lendo acedado
a Manuel Antonio Feriiaudrs f.|ra9, leu caixeiro de uiiii-
toi .unios, una leitra da quaulia de 400,000 ra a n-is
meirs, cm dala de |0 dcft-veieiro dp curenle, aconte-
ce que nppar.'fa esla lellra com inudaii(a dclinta e com
o prazo de ijmis 111e7.es; e ponjue pode acontecer que
baja algiiina oulra que e queira aeoberlar, declara que
SO lem una lenr.i aceita pelo aniiuncianie, e lateada
pelo dilo Manorl Antonio ; e i|uab|uer outia que possa
appareeer, he falsa e iienhum vigor ter; e como llic
consla (|ue o dilo tlansrl Antonio Fernandrs Eiras an-
nuclara relirar-se para fra do imperio, oeeiiliando
pai le do nnnie que he couhecido, previne ijue o mes-
111 nao se pode retirar sem que priinriio o aniiuneian-
le nao vii iiiijue as comas que tem com dlfertOS, c de
cujas cobran(as esteve encarregado o mesmo Jlanod
Antonio. Jos t'crnamle Eiras.
- O aeridor, em coiifbriBi-
dade do ailigo8. do regulamcnlu da cmara, roga
aos Sis. fiscies, que estando a findar-.-e o lempo da
afeiicao anda nilo appareceu individuo algum para
aterir regoas de 10 palmos, craveiras que sfio oliri-
gad.is a iisarom todos os mesircs pedreiros, ca.rpi-
nas, cauteiros, vendedores de inadeiras e lodo a-
quelle que tem uccessidade dessa medida, alim de
que venham afei i-las, do contrario ser prejudica-
doemsua arremataQflo.
Agencia de passaporles.
Na rua do Collegio, 11. 10, e no Alerro-da-Boa-
Vista lojas ns. 48 e 78, continuam-se a tirar passa,
portes, lano para dentro como para fra do imperio-
assim como desnacham-se escravos: ludo com bre-
vidade.
Compra-scum foles psra folesrformigas: n
rua do Caes, loja n. 17. '
-- Compram-se tres leltrlnhas abertas em cajA M
J P : quem tiver annuncie.
Compram-se o vendem-se escravos : lamben) se
recebem de commisslo : na rua das l.arangeiras,
n. 14, segundo andar.
Compram-so loneis e quarlolas mesmo es-
tando abatidos que sirvan) para agoa : na rua da
Moda, n. 11.
Compra-se urna prela, ou parda que cozinhe
bem e engomme e seja desembarazada : nilo se
olha a preco : na rua do Vigario, n. 24.
Vendas.
Lotera do thcatro publico.
Estando vendida quasi metade dos bilhetes da ul-
tima terca parle da 18.' lotera do thcatro publico,
e apparocendo com a pacilicago da provincia algu-
ma influencia na compra dos bilhetes que restam, o
respectivo Ihesoureiro, levado por esla influencia
qpe espera nilo ser arretecida, designa odia 7 de
abril crrenle para o andamento das rodas, c Confia
nos amadores dcsle jogo que o coadjuvarflo ua reali-
saeflo do referido andamenlo.
Fabrica de Todos-os-Santos.
Eirmjno Jos Flix da Roza, com eseripiorio na
rua do Trapiche, o. 44 avisa aos seus freguezes que
acaba de receber pela escuna Curiosa novo sorti-
incnlo do excellente panno de algodflo entrancdo
daquella fabrica ptimo para ensaccar assucar e
para roupa de escravos. O annunciaule conla que,
alom da fazenda o desejo de animar o desenvol-
vimeiitode urna fabrica inteiramenle nocional, pro-
mover o prompto consumo da sua receita.
Ltl DA BOA RASAO.
Vende-se o coininentarlo critico a le de 18 de agosto
de I/I9, por Correa Tellea : na livrarla ni. 0 e 8 da prae 1
da Independencia.
-- Vendc-se urna canoa de carregar familia, boa qua-
lidade de madrira, a qual pega ate 10 pessoas : quem
3 quuer procure no porto da rua Nova a Domingos Soa-
res Ribciro.
Vende-se um escravo meen de bonita ligura. olli-
cial de calafate : na rua da Codela du Reclfe, toja de
louca, 11. 6.
Chocolate amargo de musgo
islndico,o thesour do pel-
lo, preparado por Mr. 4. G.C.
A tosse, esla docnca tilo commum quando descui-
dada, lito graves silo suas conseqiiencias quanto pa-
rece iigoira em seu princio, tilo matadora por si so
como lodas as oulrasdocn^as que consomem a es-
pecie Imiiiifiia nflo tintn para combalc-la e des-
trui-la mu medicamento especial o nico. Todas as
paslilhas echaropes que leem apparecido ato hoje ,
loem sido impotentes. Nilo lem acontecido isR-com
o chocolate de musgo. O piincipioque forma asna
base principal ofTerece propiedades incontestaveis
recouhecidas depois de muilo .lampo c ningoem
ignora os felizes resultados da sua applicacflo em
as phleugmasias agudas, ou chronicas do pulmflo,
alTcccflo do pcito, phlysica, defluxo losses, etc. ,
para dar tom ao estomago, abrir a vonlade de. co-
mer, conservar as gengivas e o bom adto, malar
as lomhrigas, principalmente as criangas.
Vcndo-se unicimentc na rua doQneimado, n. 17.
~ Vende-se urna prela crioula, de 2"> annns de
boa ligura o quo cozinha cose bem e faz lodo o
mais trrico de urna casa ; urna dilado 13 anuos, de
lionila ligura oplima para mucama, por coser
qualquer costura eser muito carinhosa para me-
ninos: vendem-se por seu dono retirar-so para fra
do impeiio: na rua da Praia-de-S.-llita ns 3 e 43.
Vende-se una linda cscrava de nagflo, de 16 ali-
os dn muito boa conduela, o, lima para mucama,
por saber '-ngoniniar, coser e cozinbar ; um bonito
molccflo dunacio Cosa, do l8annos, sem o me-
nor virio, o que lie bom ganhador de rua; um Jilo
de nacflo, bom para o trabadlo de campo ; um prelo
de 22 anuos bom cozinheiio ; um dito da mesma
(dude, com ollicio do sapaleiro; um dilo de meia
idado, bom paia e.slar em alguui ado: na rua das
l.arangeiras, n. 14, segundo andar.
--Na rua estreila do Rozario, n. 8, vendem-se car-
las de a b c calliccismos, carlillias, pautas, procu-
ragOes bastantes, apudaulas, lellras, traslados, Uag-
num Lexicn dito de composieflo latina, Selecta,
tabulas, Virgilio, Horacio, CaiUsde Cicero, e Te-
rencio.
Vende-se urna escrava com una filha de G an-
uos por pceo commodo : na rua do yueimado ,
n. 6.
No armazem do Bacelar, vende-se superior fa-
rinha em snecas grandes por preco commodo: H
tratar no mesmo armazem ou com Novaes & C. na
rua do Tsapiche, n. 34.
Vende-se ararula a 200 rs. a libra ; chourico ,
a 320 ra dita, superiore: na rua Direila, venda
n. 14.
'No armaren de Dias Ferreira, no caes da Al-
fandega vendem-se os seguintes gneros : farinha
de mandioca muito superior, em saccas ; potista
desembarcada ha poucos dias, em barricas peque-
as ; arcos de ferro, muilo baratos; loucinho de San-
ios em barril) fumo em folha para capas de cha-
rutos, muito sujierior.
Vendem-se 4 escravas, urna deltas por 350/rs.;
una negrinha de 14 anuos com principios de ha-
bilidades ; um muleque de 1.1 annos de linda figu-
ra : na rua do Fogo, n. 23, se dir quem vende.
,--Na loja do min lozas da rua do Crespo, n. II,
ha para vender 12 covados de seda com vara de lar-
gura, por preto muilo commodo.
-- No sobrado n. 5 do Aterro-dn-Boa-Vista onde
lem| aula de | rimeiras lellras vende-se muito
perior i)i,i,i de escrever.
su-
Couipras*
Compra-sea Historia sagrada por Itoimond : na
rua estreila do Rozario, n 8.
Compra-so um selhm inglez em incio uso quem
tiver annuncie.
--Compram-se 200 lijlos de marmoro : no Ater-
ro-da-Boa-Vista, o. 24.
Compram-se garrafas vasias, sendo limpas a
80 rs. cada urna : no armazem da rua da Madre-dc-
Deos, n. 36.
Compra-so urna pretaou preto sendo bom co-
imheiro, que nflo tenha vicios: a rua do Cres-
po, 11.
I'ara liquidacao.
Na loja da rua do Crespo, ao pe do arco de S.-An-
tonio n. 5 A, vendem-se cortos de cassa para vesli-
dos de cores finas a 1,600 o 2,000 rs., bonitos pa-
droes cortes de casimiras elsticas para calcas, a
5,000 r#; ditos de fazenda de algodflo para caifas ,
de cores escurase muito encorpadas a 1,000 rs. ;
urna poreflo do chitas escuras bous pannos, a 120
rs o rovado; chapeos do sol, de seda finos a 5/
rs. ; chales de garca, a 2,000 rs. ; Icnrjos para mflos,
de cassa pintada e arrendados, a 240 rs. ; e nutras
mudas fazendas que a visla so patentearflo aos fre-
guezes.
Carne fresca muilo gorda.
No paleo do Paraso, acougue novo, n. 27,
coma fenle amarella, ha#er todos os dias carne
fresca da primeira sorle, e os pesos serflo teitosa
vonlade dos compradores, indo a primeira vez, con-
tmuein a ir pelo agrado que acharflo sempre no ven-
dedor, assim como lambem llavero carneiio nos do-
mingos gordos c dias santos.
Vende-seo engenho denominado Brejo-de-S.-
Jose, silo 4 legoas distante da cidade da Victoria
em S.-Anlflo, ir.oenle o corrente com agoa; tem inul-
ta Ierra lanto em partidos como em malta virgem
cercado de valado muito limpo nova e grande ca-
sa de vivcnda, de pedra e lijlo com mudos com-
modos que cliegam duas grandes familias, pois s
de Trente tem 152 palmos com boa mohilia de ja-
caranda comniodas, guarda-roupa. armarios com
louca um rico oppareiho do porcellana para cha
anda nflo servido, bem como mais vidros norta-
licor, ele, urna grande borla do caf que da para
vender, por mais qua so gaste, larangeiras, rimei-
ras sidreras, b.iianeiras o nutras muilas fruteiras
de diversasi qualidades : vende-se com a safra ou
sem ella conforme a vonlade do cemprador ; assim
como gado ecavallo: tm.r no mesmo ,ngX
i
i
I

**


-- Vendem-se 2 escravos sendo um prelo. moco,
de bonita figura o um moleque de 12 annos ponco
masou menos, sem vicios nem achaques : na ra
do Crespo lojn n. 2 A, se dir quem vende.
Vendcm-se sellins nglczes c camas
de Ierro : na rna daSenzalla-nova, n. l\-x.
Agencia da fundicao
Low-Moor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Neste estabclecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro balido e
roado, de todos os tamanhos, para dito.
Vinho barato.
O proprielario deste eslabeleciment, despjando
conservar os seus freguezes o nflo lbo sendo possi-
vel pelo prego de 160 rs. garrafa, visto ter o ge-
nero subido cerca ile 20,000 rs. por pipa, em rasflo
de niin ter vindo ao mercado,fbem contra a sua von-
tadej ve-se na dura precisflo de augmentar o pre-
go e pelas rasOes apontadas, cunta que seus l"i --
giieze* llie faio fustiga ese nOo escandalisarflo.
Vendem-se barris com bren, no ar-
mazem n. '.'o, defronte da guarda da al -
fandega, por preco mnilo commodo: no
mesmo armazem compra-se um pardinho
nu moleque de doze a dezaseis annos: a
Iratai dts 9 at 4 horas da tarde.
Linas de pellica-
Vendem-se luvas de pellica para senhora da me-
lliorqualidade possivel; oculos de dlITercntes graos e
vidros : na ra larga do Rozario, n. 24,
Potassa.
Desembarcou na poucos das urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acham a venda,
por preco niais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia- Velha,
armazem de BailarfkUliveira, n. 12.
Vendem-se, na ra da Cruz, n. 21,pedrasde mar-
more trncelas para mesas redondas e consolos.
Vendem-se, na ra Direita taberna n. 53, sac-
ras com um alqueire de milito novo, a 3,500 rs.; di-
las com arroz pilado ; dilas com caf; ditas com
feijflo ; e tos os ntais efe i tos de venda mais barato do
que *m nutra qualquer parte ; bem como urna por-
eflo de madeira de louro o oleo para marccneiro.e
travs de diversas grossuras.
No armazem do Francisco las Ferreira no
caes da Alfandega vende-se feijflo mulatinlio sem
mistura e de omito boa qualidade.
Superiores cliarnlos.
No armazem de Vicente Ferreira da Costa, na ra
da Madre-Deos, vendem-se superiores charutos,
ebrgados da Baha no hiate S.-Denedielo cm caixas
e barricas, pelo diminuto prego de 6,500, 7,000 e 10,#
rs, o milheiro.
Vendem-se presuntos inplczes para fiambre;
latas com bolachinbas de Lisboa ; dilas do araruta ;
ditas de marinelada de l,2e4 libras ; ditas de sar-
dinbas ; ditas de heivilhas ; ditas de chocolate de
Lisboa ; frascos do conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja ; barris com zeitonas brancas de Klvas
garrafas cum vinho moscatel de Setubul e da Ma-
deira ; queijos de pralo, frescaes : ludo novo 1
chegado ltimamente do Lisboa : na ra da Cruz
noltrcife, n. 46.
Conlinuam-se a vender snecas com superior
colla das fabricas do liio-Crande-do-Sul, por pre-
go commodo : na ra da Moda, n. 7.
Madeira de pinito.
rsa rita de Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um lerceiro armazem rom madeira de pinho
da mclhor qualidade que tem vindo a osle mercado,
o serrada de todas as groseras e comprime nlos :
vende-se pelo menorpreco que he possivel.
Ao* fumantes de lom roslo.
No armazem de molhados atrs do Corpo-Santo,
n. 66 recebe-se por lodos os vapores vindos do aul
poroto de cigarrilhos hespanhes dilos de pal ha de
milbo assim como superiores chaiulos de varios
qualidades : tudo se vende por prego mais barato do
que emoulra quulquer paite.
Vendem-se saccas com superior
feijao mulalinbo, a 5,ooo rs. cada urna :
na porta da Alandfga,.armazem do La-
raleiro n. ao.
Vende-se o engenho Novo do Cabo para paga-
mento da hypolhrca que nelle lem o Sr. Jota Vieira
ila Cunha : quem o pretender dirijn-se 110 mesmo en-
genho a tratar com Francisco Jos da Costa.
CHA' BRASII.K1HO.
Vende-se,00 armazem de molhados, alias do
Corpo-Sanlo n. 66, o mais excollente clt produzi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por prego muito commodo.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Baha,
multo proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Rlober & Com-
panhia, na ra da Cruz, n. 4.
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos nglczes para
fiambre ehegados no ultimo navio: 110 armazem
do liraguez a o | do arco da.Conceigflo.
lo!ha de Fiandres.
Vendem-se canas com follta de Flandres: em
casa de J. J. Tasso Jnior : na ruado A mor m, n. 35.
Vinho barato.
Acha-sc cstabelccido na ra da Madre-de-Deos
n. 36, um armazem do
Vinlios da Figueira
de ptima qualidade a prego do 1,360 rs, a cana-
da ,e a 180 rs. a garrafa e para n.1o haver dolo do
comprador serSo lacradas as garrafas o com rotu-
lo, recebendo-se a garrafa vasia e dando-se imme-
diamente a outra cheia: tembem ha barris muito
pequeos, proprins para quem passa a festa. O pro-
prielario deste estabolccimenlo pede encarecida-
mente quo se nflo illudam avallando pelo diminuto
prego e sem conhecimento de causa a qualidade de
suafazonda, digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga ; elle conta que quem
urna vez provar continuara com gosto o sem arre-
pendimento. E o bom prego.". A todo o exposto
accresce o asseio e bom condicionamenlo, o que tu-
do se poder verificar em dito estabelecimento.
Vende-se urna cabra perfeila costureira, en-
gommadeira e cozinheirj i na ra larga do Bozario,
loja n. 35.
-- Vende-se um moleque do nagflo, de 16 a 18 an-
nos de elegante figura sadio e sem vicios, o qual
tem dous annos de ofilcio de calafate : no Aterro-da-
Boa -Vista n. 86, segundo andar.
Vende-se um bonito cabriole! discoberto e cm
bom uso pelo baratissimo prego de 250,000 rs.: na
ra do Crespo, n. 11.
Vende-se cal virgem de Lisboa, de superior
qualidade em barris de 4 arrobas chegada neste
mez pelo brigue Marta-Jote: a tratar na ra do
Brum armazem do Antonio Augusto da Fonseca ,
nu na ra do Vigario, n. 19.
Ao bom costo.
Na ra doQueimado vindo do Rozario, segun-
da loja n. 18, vendem-se os mais lindse superio-
res cortes de casimiras, pelo commodo prego do
7,000 rs.
-- Vende-se arroz grado do Maranhio, recento-
mente chegado : no armazem n. 1, ao p do arco da
Conceicfln a 2,000 rs. por arroba fazendo-se al-
guma differenga de cinco saccas para cima.
Cll baratO-
Vende-se muito bom che, pelo prego de 500 rs a
libra : na ra do Crespo, 11. 23.
Na ra do Queimado vindo do Rozario loja
n: 18, vendem-se chapeos de sol, de seda, pelo com-
modo prego de 5,500 rs.; ditos para senhora e me-
ninos a 3,000 rs. ; ditos pretos e brancos para ca-
bega de meninos, a 1,280 rs. ; lengos pretos de seda,
a 500 rs. ; ditos lloridos de lita com franjas para
hombros de senhora a 500 rs. ; alpaca lo liuho da
diversas cores, a 500 rs. ; chitas escuras de bous
pannos a 140 rs. o covado ; e outras muitas fazen-
das por commodo prego.
A o barato.
Vendem-se curtes de cambraia de cres.a 3,000 rs ;
ditos de cassa a 2,000 rs.; riscados francezes, a
200 rs. o covado : na ra do Queimado, quatro-can-
los, loja do sobrado amarello, n. 29.
Vendem-se setins do todas as cores, propros
para armagoes deigrejas e para forros, por prego
muito em conta : na ra do Queimado, loja do so-
brado amarello, n. 29.
Vende-se algodilo da trra ,e 200 is a vara : na
ra do Queimado, loja do sobrado amarello, n. 29.
cbm um jogo de bancas por prego barato : na ra
do Crespo, n. 15.
Lustro.
Vendem-se pelles de bezerro francezenvernizadas,
de muilo boa qualidade por trrem vindo de amos-
tras por prego commodo pelles grandes e so res*
ponde pela sua boa qualidade; bom como marro-
quim preto e de cores : na praga da Independencia,
ns 13e15.
Na ra das Cruzes, n. 22, segundo andar, ven-
dem-se 3 escravis, sendo urna engommadeira e
que cosechflo, cozinha e lava e asoulras com a
gumas habilidades.
Vendem-se saccas de feij.to manteiga, vindo do
lo-de-Jaueiro, por prego commodo : na ra larga
do Rozario, venda n. 25.
- Vndese urna burra bastante gor-
da e mansa : no pateo da Kibeira, nu-
mero 91.
Vendem-se cadeiras emarquezas de oleo com
assonto de palhinha, lavatorios, meias commodas,
mesas pequeas, tudo de amarello, e outros ob-
jectos, ludo de forlo construcgflo e de gosto mo-
derno, por menos de seus valores : na ra das Cru-
zes, n. 31, loja de marceneiro defronto da typogra-
phia.
Vende-se um pardo de 32 annos, bom carrei-
ro a trabalhador do fouce e machado ; 1 molecote
de 18 annos, de boa conducta o que se aflanga ao
comnrador ; urna preta de nagflo Costa, propria para
vender na ra ou trabalhardecnxada : na ra No-
va, n. 5.
Farinha de trico SSSF
de superior qualidade e nova ; dita americana, em
meias barricas; dita gallega, em meias barricas;
cal virgem de Lisboa ; vinho do Porto, em pipase
barris de quarto e oitavo superior e mais infeiior;
fechaduras para porta do armazem ; superior cha
hysson nacional deS.-Paulo; farinha de mandioca ,
em saccas por preco commodo : na ra do Viga-
rio armazem n-11, de Francisco Alves da Cunha.
--Vende-se, ou aluga-se por prego muito com-
modo, e as pegas que eonviem ao pretndeme e pelo
lempo que quizer toda a quanlidade de moveis.como
bem cadeiras com assenlo 1I0 palhinha a 24,000,
32,O00.45,O0O,5O,0OO,72,O00e84,O00 rs.; carteiras
para viagens, com seus pertences, relogios de cima
de mesa a 16,000 rs. cada um ; sopb.es, commodas,
bancas, camas tanto com lastro de palhinha como
sem elle ; mesas de differentes tamanhos para jun-
tar; dilas elsticas; jogos do bancas para sala;
marquezas ; estantes para livros; guanla-louga ,
armarios; estojes para navalhas.c outros miiilos
objectos quo a vista dos pretendenles cstarflo paten-
tes : na ra Nova, n 67.
Vendem-se cortes de cambraia do cores e
modernos padrOes; riscados francezes linos ;
chitas francezas largas e de novos padrOes;
riscados largos, propros pnra camisas; cas-
sas linas o de cie, goslos inteirameirte no-
vos ; brim de puro linho de cores e bran-
cos le lislras; casimiras francezas de novos
padifcs ; lengos ilc seda da India; contras
muitas fazendas finas : tudo por prego de
agradar aos compradores : na ra do Quei-
msilo quatro-centos, loja do sobrado ama-
rello n.29.
I Contlnuam-se a vender corles de vestidos de
I cambraia com lindas barras brancas e de
I cores, quej poucos resta m ; meias compri-
das para senhora e meninas, azues, mescla-
[ das, rouxas, esverdeadas o prelas a 120,
* 160 e 200 rs. ; hoWesde duraque preto a
I 40 rs. a duzia : no pateo do Carino 11. 18,
i segundo andar.
Vendem-se sapatoes blancos de so-
la e vira, para boniens < meninos, a mil
r<'is : na ra da Cadeia do lenle, n. q
Vende-se um preto de nagflo proprio para to-
do o servigo o qual he gaiihador e paga 80 rs. dia-
riamente por prego muito commodo e por menos
ser se fftr para fra da provincia : na ra das Flo-
res, n. 19.
Vendem-se sapates de couro de
lustro pelos baratissimos precos de3,ooo,
3,500 e 4000 rs- j dilos para menines,
de 0,000 a >, H>o rs. ; sapatos ditos p ra
sen lima, a 1,280 rs. ; ditos de marro-
(|niin,a 1,000 rs. ; dilos para bomem, a
1,200 : na rna da Cadeia do llccifc, nu-
mero 9.
--Km casa de llebrard & Companbia na ra do
Trapiche-Novo, n. 22, vundem-sc salame do Bolonha
e queijos de Gruyere, muito frescos.
No armazem do Bacelar, vende-se arroz de va-
por a 1,400 rs. a arroba.
INo \ tcrro-cla lioa-Visla, de-
fronte da boneca a troco
de dtnheiro ,
ha chegado ltimamente um novo c completo sorti-
mento de calgado francez de todas as qualidades,
(anto para bomem romo para senhora o criangas;
borzeguins para liumem, a 4,000 rs ; sapatftcs de lus-
tro a 5,00> rs. ; os muilo desejados sapalfcs do
Nanles ; sapatOes de cordoviio, para senhora, a U
rs. ; dilos do lustro, duraque, selim o mr.rroquim ;
os bem conliecidos sapatOes do Aracaly tanto para
homem como para .neninos : jdo por prego com-
modo.
Carnauba.
Vcnde-se, na ra da Cruz, n. 21, urna porgflo de
cera de carnauba do superior qualidade, e por lo-
do o prego.
Depreciaco.
Vendem-se pegas de cambraia com 21 covados ,
de bonsdesenhos, ptimas para cortinados e mes-
mo para vestidos sem menor avaria pelo barato-
prego de 3,500 rs.; cortes de cassa com 7 varas, que
ja valeram 6 e 7,000 rs. por 2,000, 2,500 e 3,000 rs.;
pegas de paiisienso, fingindo seda com 8 varas a
3,000 rs ; Ifla de boa qualidade, para vestidos, a 320
rs. o covado ; princeziuha de seda escura mal
transparente propria para mosquilciros, a 400 rs.
o covado : na ra do Crespo, n. 11
Vende-se urna duzia de cadeiras de pao d'oleo,
Chocolate desnude, fabricado
no liaranhio por Luiz Bot-
tentuit & Compauhia
De todas as substancias alimentares que, sendo
em seu principio considerardas como cousas de lu-
xo, lornam-se pelo lempo adianle de um uso geral,
o chocolate pode, sem conlra.licgflo, oceupar o pr-
meiro lugar.
Effeciivamentc, quintas pessoas nflo vemos nos
preferir hojo ao uso do quenle caf o uso do choco-
late, e nislo seguir a opiniflo dos mdicos mais ce-
lebres, que, de commum aecrdo sobre suas precio-
sas qualidades, o indicam como um dos nossos me-
Ihores estomticos aquellas pessoas cuja saude he
dbil e delicada !.. I'rcscrevem-no os seus doen-
tes acoiiselhnm-iio aos velhos e o recommendam
s ni "ns de familia para seus filhos. Km urna palavra,
0 consumo veriladeiramenle extraordinario que to-
das as classes da sociedade l'a/.em desle alimento
he o mais bello elogio que nos Ihe podemos fazer.
Vende-so na ra da Cadeia do Rocife, n. 25, de-
fronte do Becco-I.argo, a 800 ra. a libia, aondo se
dariTo amostras para se experimentar.
--Vende-se velliutina preta de superior qualida-
de, e outras muitas fazendas por prego commodo:
no Aterro-da-lloa-Vista, n. 60.
-- Vende-se urna casaca nova de panno azul, com
boloadura smarella.por 14,000 rs.: as Cinco-Pon-
(as, 11. 25.
Vende-so um sitio com casa de pedra e cal, com
commodossiillicientes para ter vacos de leile, no
lugar da Piranga, lerrono foreiro a Manoel Cavalcan-
ti ; tem 400 palmos de frente e 800 de fundo : as
Cinco Tontas, n. 13.
Vcnde-se cera do Lisboa, em grumo, o em bo-
gias de 6 e oito em libra bastante alva ; assim como
1 intas para pinturas grossas e finas ; pilo de ouro em
livros grandes e pequeos ; cevada nova; e outras
drogas recenlemente chegadas, por prego commodo:
na ra estrella do Rozarlo botica n. 10.
Vendem-se larangeiras capazes de receber en-
xerlo, e Innocuos para cerca na estrada dos Afftic-
tos, em urna mei'agoa.
~ Vende-se urna canoa aberla, de carga de 1,200
lijlos o 111 minio bol uso, por prego commodo:
na travessa das Barreiras n. 8.
Vende-se, as boticas de Tarandos, na ra es-
trella do Rozario, n. 10, e no principio da ra.da
Cruz, n 63, essoncia de losna do Sollino o mais
eflicaz tnico estomacal, serve para as dores nervo-
sas do estomago,.accelera a digeslflo, faz desappa-
recero amargo de bocea e os gazes do estomago,
desenvolve o apetite, cura as desinlerias chronicas,
* llautuosidadea serve para as criangas quo sof-
rem de Montera ou dijeeges alvinas liquidas e
muitas vi /es repetidas as quaes se acham os ali
melos mal dirigidos. As senhoras que padecen) de
chlorose, ou paluda cor acharSo na essencia de los-
na de Solline um remedio cllicat, o qual, sendo usa-
do por algum lempo as tornacoradas Tem sido do
grande vanlagem no iralamenlo da leucorrhea, ou
lloics brancas, e juntamente no fluxo sanguneo
proveniente de atona do ulero Kcu uso he mu sim-
ples. As pessoas adultas devem lomar duas collie-
1 inlias de manhfla em jejum e duas a noile quando
se quizerem agasalhar, dissolvidas em pequea
quanlidade d'agoa morna ; as criangas tomarflo urna
colherinlM de manhfla e outra a noite.
Vende-se um ptimo cavallo de eUribaria por
barato prego: as Cinco-Ponas, n. 31. Na mesnra
casa compra-se um oculo de armagfio.
I\a ra Nova, n. iO,
vendem-se encerados de toiat as larguras, mtiit*
Tinos,com pinturas tambam finas, para mesas e
pianos, por prego commodo.
Vende-se urna porgflo decora do carnauba de
boa qualidade, assim como saccas de superior gom-
ma : ludo vindo do Aracaty : a tratar com Antonio
Joaquim de Suuza Ribeiro,
A 5oo ris.
Vendem-se superiores pon tes para marrafa, de tar-
taruga : na ra larga do Rozario, n. 24.
No Aterro-da-Ba-Vista, n. 3, prmeiro andar,
receheu madama Porta, pelo ultimo navio cnegado
de Franga, um bonito sorlimonto das ultimas mo-
das daquelle paiz, sendo chapeos, mantas, vestidos,
ornamentos para cabega, luvas de differentes cuali-
dades e truitas outras fazendas : tudo para o uso das
senhoras e a pregos commodos.
Para os amantes do cha.
as Cinco-pontas padaria n. 40, vendem-se fallas
de ovos a 1.40 rs. a libra.
Vendcm-se coqueiros em bom estado dse plan-
taren) a 200 rs. cada p : na ra do Queimado n.
57. Na mesmacasa vende-se algodlo da malta, a \
220 rs. a vara.
Na ra do Il.inpel 11. 8, confronte ao beeo do
Trem, contina a haver para vender, em grandes e pe-
qoenas por;6ei, arroi hranco e vermclho, em alquei-
re, e mesmo em medidas oiiudas, por multo barato
preco ; tambein se vendeja peso de oito libra para ci-
ma a rasao de 1/500 a arroba al 2/000 rs.; bem como
te vi inicio laceas com farinha da trra e le lora, mul-
lo outros generot de venda, ludo por menas preco do
cusi para acabar com tal negocio.
Vende-se um pardo figura, ptimo pagem, sem vicio nem molestia; c se ali-
anca a conducta : na ra do Vigario, n. 24.
SSSF
iManod da Silva Santos vende muito
superior farinba de trigo, chegada nlti-
mamente a este mercado.
Vende-se marmelada a mais superior qire aqu
lem viudo da encarnada queja he bem conltefila ,
assim como castanhas ulii mmenle chegadas to Por-
to : na travessa do Hospital, n. 20.
- Vendem-se, por prego commodo, 16 duzias de
assoalho de louro, e algum custadu para fechar
contas em duzias ou a relalho : no armazem deca-
pim da esquina da ra das Flores, n. 1.
Vende-se urna preta de 20 a 22 annos, que co-
zinha bem o diario de una casa engq/nmae lava :
s se vende para o mallo ; na ra da Aurora, n. 50.
Vendem-se 2 prelas com habilidades; urna par-
da de 16 annos ; um moleque de 18 annos, de na-
gflo ; umdilocrioulo, de 8annos; um dito de 20an-
uos bom official de ourives ; um preto do meia ida-
do por prego commodo : no paleo da matriz de
S.-Antonio, n. 4, segundo andar, se dir' quem
vende.
A ellcs, freguezes.
Conlinuam-se a vender chapeos de palhinha fin,
muito bem foitos, pelo barato prego de 1,280 rs :
as Cinco-Pontas, n. 82, e na ra da Praia, n. 74.
-- Vende-se urna balanga para venda, as hacase
curenles sflo de rame, os pesos de bronze de 8 li-
bras at meia quarla ; um sellim inglez com pou-
co uso : as Cinco-Ponas, n. 71.
Veiuicm-e muilo boas taboas desedro : na rui
da Cadeia do Recife, casa de lioane Voule & C
Vondo-se um rico aderego obra muito ptima,
por prego o mais commodo possivel : na ra do
Rangel, n. 9.
Vende-se una porgflo de barris que foram de
linhaga :'na ra largado Rozario, n. 36, bolica de
Bartholomeu Francisco de Souza.
Farinha e nuil.o.
No caes do Ramos armazem das casas encama-
das vendem-sc saccas de tres quarlas, por 3/'{n.
rada una e de alqueire a 4/is. esendo cm por-
gflo de 10 saccas para cuna se dar por menos: afian-
ga-se a boa qualidade do ambos os gneros.
Vendem-se saccas com milho novo, a 3,000 rs,
cada urna, e por menos-sendo porgflo: no raes da
Alfandega, armazem n. 1, junto ao atoo da Concoi-
gflo.
Na ra da Piis, n. 50, ha farinha da Ierra de su-
perior quali dada a 3,500 rs. a s .cea.
Escravos Fgidos
~ Fugio, nos prmejrosdias de Janeiro prximo
passado do engenho S -Joiio freguezia do Cabo ,
um molecote de nome Anastacio do 14 a 16 annos,
de bonita figura rosto muito regular um poiieo
fulo, Talla baixoe brandamenle; letou cagase j-
quetade rlscadoazul e bonete : quem o pegar le-
va-ose dito engenho, ou noMondego, nesla enfa-
de casa de Luiz Gomes Ferreira, que recompensa-
r com 100,000 rs.
--No dia 5 do margo prximo passado, fugo, de
engedho Piabas, do Bom-Sucesso, municipio do
1'ortoCalvo provincia das Alagas, um escravo
crioulo, de nome Victorino; represonla ler 25 an-
nos ; ho alio e proporcionalmente grosso rosto re-
dondo e cicatrizado do bexigas, nariz chato barba,
posto que pouca espessa bem circulada boro fe-
lodemSbse ps; levou urna trouxa com algum
roupa contendo urna caiga branca de brim de qua-
dros outra de algodflo azul, jaquela de chila bran-
ca chapeo fino um estojo com navalhas e espe-
Iho um sacco de panno de rede que sem duvida Hi
servir do malote ; toca pfano; he bem desenvolvi-
do no fallar o andar, fcilmente pode passsr por
forro. Roga-scs autoridades policiaes capilflcsu
campo e pessoas particulares, que o apprehendamc
lovem-no a seu sonhor, Joflo l'uario Lopes de *
concellos, proprielario do dito engenho, ou ne
cidade a Lino Jos de Castro Araujo, na praga o
Cumniercio,u. 2, que serfle recompensado.
Contina u oslar fgida, desde o dia 27 do pas-
sado urna parda do nome Silvana cum o caben
corlado renlo da paite de deltas o comprldo'lte ren-
le testa pequea olhos na flor do msto, com c'
naos de bexigas anda do pouco lempo, beicos u
lano rouios; denles limados; tem una das ureli>
lascadas nu lugar do brinco.; levou vestido de ci"-
la cor de vinbu e chales quasi da mesma cor ; lem
os ps grandes o os dedos dos meamos bstanle
abortos : repiesenU 2 anuos pouco mais >u menos
quem a pegar leve-a a ra da Cadeia de S.-AnUiiii"i
n. 4, que aera generosamente recompensado.
t?MN. I NA TTP. DE M. F* V3 FAMA
849
MUTILADO L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUX8O1P0J_BNH18Y INGEST_TIME 2013-04-13T00:53:05Z PACKAGE AA00011611_06466
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES