Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06464


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Auno XXV.
Ter^a-fera 17
O DIrWOpubllca-setodoso diasque nao
forem de guarda. O preco da assgnatura he
do 4*00014 porqiiartel, pago mHitntnAot. Os
annuncios dos auignantes saolnscridos
ras:io de 20 rs. por Ihiha, 40rt. em typo dlf-
1 (rente, en repelcoct pela me tade. Os nao
' .issijj nantes pagaran 80 rs. por linha e 1(50 rs.
ein lypodillerentc, por cada publicado.
PHASES UA LA NO HEZ DE ABRIL.
La chela, a JA I ora e 30 mi. da Urd.
MioKoaule,at,s4lioraae 48iuln. datara.
I.uanov, a2.s9horase34 ralo, da Urd.
Cretccnle,a, 29 t 11 borat c48iuin.da uianji.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahiba, tegs. e sextaa-feirai.
[Uo-G.-do-Norle, qulotaa-felras aomelo-dia.
Cabo, SerinhSein, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no I .-a 11 e 21 de cada mea.
Garanhuus e Bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vsta e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-felrat.
(Huida, todos os dial.
PREAUAR DE BOJE.
Primeira, as II horas c 42 minutos da manh.
Segunda, as 12 horas e C minutos da Urd.
IARIO DE
de Abril de 1840.
N. 8.
DAS DA SEMANA.
U> Segunda. N S. dos Prazerrt. Aud. do J.
dosorph., do J. docivel edo J. M.da2.v.
17 Terca. S. Aniceto. Aud. doJ do c. da I.
v. e do J. de paz do 2. dist. de I.
18 Quarta. S.Galdino. Aud. do J.do c.da2.
v.edo J. depai do2. dist. de t.
19 Quinta. S. Hermogenet Aud. do J. dos
orph. e do J. M. da I. v.
20 Sexta. S. Ignez de Monte Policiano. Aud.
do J. docir.edoJ.de paz do 1. diit.de t.
21 Sabbado. >. Anselmo. Aud. do J. do civ.
da 1. v. e do I. de pai do 2. dist. de t.
22 Domingo. Ss. Soler eCaio.
CAMBIOS NO DIA1UDE ABRIL.
Sobre Londres a 27'/, d. por 1/001 rs. a 00 d.
. Paris 350
. Lisboa ICO por ceuto de gremio.
* Itio-de- laueiro .lo par.
Desc. de leu. d boas Urinas a I Vi % ao mrr-
Acortes da comp. de Bebribe, 401 ri.iijp-
W.ro.-Oncas hespanhlat. 30/800 a 31/000
. tf das de #400 v. 17/200 a VJW>
de S/400 n. 10/200 a lrJ/40P
de 4/000.... 9/M0a 9/40
Prala-Palacoetbratllelros /000 a 2/020
Pesos columnarioi. 1/980 a i/OW
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/92(1

--------~-i^a
PARTE OFFtCIAL.
C.ommaiic.o das armas.
fuartel-gtneral do oommando ii tvrmai em Pernam-
buco, 14 V abril rfe*i849
ORDEM DO DA.
' S. Exc. o Sr. marechal de campo graduado comman-
danie das armas manda publicar para canhccinciito
da guarnido a circular do minitlcio da guerra de 13
de marco ultimo, que por copia Ihc foi remetlida pelo
Kxin. Sr. presidente da provincia cin olUclo de 11 do
correnle.
. Copia Circular Io Seccao. lilis), e Exro
Sr. Ilavendo po'r bem S. M. o Imperador por
sii.i IminediaU e Imperial retolucao de 4 do corren-
te, eiu conibrinldade do parecer do concedi supremo
militar, e do da seccao de guerra c marinha do con ce-
ibo d'estado, determinar que lique estabelccido como
legra Uta que todas as licencas de favor concedidas
a qualqucr militar do exercllo dau direrlo aos agracia-
dos para ncrcebercui todos os seus venciinentos, e con-
tareui lempo de servico durante o lempo das referi-
das licencas ; oui excepcao, porm, daquelles vcncl-
inentot que por sereiu annexos ao emprego, ou exer-
ciclo que qualquer oceupar, e nao a acus posto ou
nacas, devem reverter a quein os substituir durante
o lempo em que estiverem rquclles militares ausentes
do dito emprego ; porque cm tal caso no deverao el-
les perceber rssea vencimentos, alini de que nao haja
duplcala de pasamento : assim o coinuiunico a V. F.xe.
para sua intellTgencia e governo. Dos guarde a V.
Exc. Palacio' do Itio-de-laaciro, em 13 de marco de
1849. Manoit Fdttardo di Anua Millo. Sr. pre-
sidente da provincia de Pernainbuco. Cuuipra-se
e registe-sc. Palacio do governo de Pe rnambuco, 4
de abril de 1849. Tena. Coulbriue. O olHclal
maior, Flmiunno Correa de llrlttn s
Fiualmcnle, que por despacho do Exin. Sr. presiden-
te da provincia de 13 do crreme fraui concedidos 25
das de lcenca de favor para I,- ii provincia da Para-
la ha do Norte tratar de seus negocios ao Sr. alferes do
2" batallio de cacadores addido ao 6* da wesma arma
Manuel Eloy Mendes.Jote Pedro lltitor, ajudanle d'or-
deiis interino.
I1IJIRI0 DEPERJIAIBICO.

PE..NAMBUCP,
Cmara municipal do Recife.
3.a SESSAO ORDINARIA EM 12 DE MARCO DR 1849.
PXESIDRNCIA DO SR. REG E ALBUQUERQUl
Presientes os Srs. Carneiro Monleiro, F.gidio Fcrreira,
Barata e Vianiia, fallando com causa participada os
Sis. Barrote Mamede, eseni ella o Sr. Gaudino pelo que
foi considerado iucurso ua multa respectiva, abrlo-to
a sessao, sendo lida e approvada a acta de anl.ee
denle.
0 secretario fez a leilura dos seguinlet ofhcioa:
1 ni do I)r. cliefe de polica da provincia, comnuini-
eando ler remettido ao procurador desia cmara a quau
lia de 171,000 rs. de inultas que, de couforiuidade com
aiss. 9, 90 108 do regulameuto u. iSO de 31 de Janei-
ro de I842,fdram impostas aoscstrangeiros constantes da
elacao que lenicliaQue se respondesse ao chefe de po-
lica, agradeceudo-lhc o ioterette que toma pelo bem
da munlcipalidade, fazendo-lhe notar que, exisiindo ha.
sete .Timos o tupradiio regulameuto, so agora sob sua
aduiiiiislracao foi que se deu cx.ccuc.ao as suas dspo-
sic quanlo as mullas pcrlencentes c uara; e que se
olliciasse ao couiador para debitar ao procurador aesta
quanlia,
Oulro da cmara municipal de Garanhuns, acensan-
do o rrcebimenlo dos desta coniinuoicaodo-lhe have-
11 ni pi estado juramentos os vicea-presidvnles noiuea.-
dos para esu provincia, e a pots* dada ao Exin. presi-
dentes actual. Inleirada.
A cmara, ein observancia das posturas em vigor, dcs-
ignou lujares para enlerramenio de carnet corruptas
e de iiiinaes morios; para collocacao de acougues e de
inatadourot; para sottar-se fogiietcSluscapcs e bom-
bas ; para praca de mercado de.liortalices, fructes e ou-
ii as especies de cuineslivcs e de capim e lenha.
Jiiiamenloii-se o quarta suppleuie do juiz de paz do-
primciro districlo do Poco, Florencio Jase Carueira
Monleiro.
Drspacliaram-se as petices de Josefa Mara de Abreu,
de Narciso Jos da tosa, dos mrreadores de peixe da
rebeira, e levantou-se a sessao.Eu, Joo Joii Ferrtira
di Aguiar,secretario a subserrvl. Urjo Albuqurrqur. pre-
sideiile.yre. CaniflroAJunleiro ferreiiM.Mmate.
Vi auna.
4" SESSO ORDINARIA EM 13 DE MARCO DE 1849.
niiiDLM.i. do sa. ntco i PresenUS os Srs. Carneiro Monleiro, narros. Egidio
Fcrrelia, Oarala, Maiuede e Vlauua, fallando aeiu causa
participada u Sr. Gaudino, pelo que foi considerado in-
clino na mulla respectiva, abiio-se a sessao, seudo lida
e approvada acta d'anteccdenle.
. O secretarlo Rrx a leilura de um rnelo do fiscal da
Ka-Vista. pedlndo que a cmara provldenciasse para
que no deseuiprnho de suas funeces fsse auxiliado
pela polica, visto que no corpode polica se Ihc neeou
o auxilio que requisilara para este liiu.- Que se soli-
citasse do Exm. presidente da provincia ordem para
<|ue d'ai|uelle corpo se desse o auxilio qUc fdsse priiul-
>it,ido por qualqucr flseal dcsta vldade.
OSr. vereador l'gldlo fui rncarregrdo de indagar do
piejo por que se vende o palmo de laga, c ordeuou-se
ao empleador que medlsse o sulu do m.uaduuro publico
para sabeV-se que quantidade dessa pedra ser precisa
liara calca-lo.
U, -|i.u'li.ir.iiu-se as pelcoes de Monoel Figueira de
Farla, de llosa Francisca de Miranda, de Antonio Jos
de Magalhaes Bastos, e levantou-sc a sessao. Eu, Joo
Jun Ftrrtira. de Aguiar, secretario a subscrevi.Higo r
Albnquernue, presidente.iVurror.fVrrrira.Fittnna.
Carneiro ttonhiio__faral.
cin, 17 umi 1M*).
Pela barca Teja, entrada hontem de Lisboa, recebe-
mos jornaes portugurzes at 17 de marco prximo lindo.
O reino de Portugal gozara de plena paz; e coinquan-
lo.as fblhas progresslslas como que se esmerasiem fin
excitar as paixes populares, prevalecendo-sc para isso
dos uliiiiius aconleciinentos da Italia, todava nao se ar-
rccelava que os seus esforcos fssem cordados de bom
tuccesso para a pessima causa que advngaiu; ao con-
trario, ludo Induiia acrer quenada arrehecerla o espiri-
to de ordem deque se acha dominada a malnria dos
Porlugurzes.
As enmaras legislativas proseguan! regularmente cm
seus Irabalhos; sendo que o governo contlouava a ter
malaria nellas.
Quanlo Franca, Prussla, Italia e alguns mitro pa-
ses do velho mundo cujas noticias havemos ltimamen-
te transmittdo aos lellores, nada adiaiiiam os jornaes
cuja recepeo accusainos mals cima; a rrspeito, porm,
da Inglaterra c llctpanha, com alguma cousa depara-
mos ah.
Referindo-se a gazeUs Inglesas al 7 de marco, o lija-
ra (U Uoecrnn de 13 desse mezaununcia que, inlerpel-
lado poi Mr. Cwjri a respeito dos negocios do ltio da-
Prala, lord Palmerslon declarara ein cortes cspciava
que Mr. Southern fara com Rosas alguma transacfau sa-
tisfactoria ; e acresceuU que o mesmo lord niaiiifesira
nao ser poasivel enviar agente nenlium para California
sem que se estabeleersse ahi um governo regular com
que se podesse enUbolar relacocS.
. O referido Diario diz que ua ultima daU os consolida-
dos inglezes liiiliam lie-ido a 92.
As novas de llespanlia, as quaes clicgam a 11 do mes
citado, sao multo satisfactorias no tocante ao Ihealro da
guerra.
Apus 17 horas de marchas Toreadas, o brigadelro Po-
res alcanera Cabrera em San-I,ourenco-de-Morunys. e
e o atacara com-tamanha felicidade que oobrigra a lu-
gir pela estrada de la Coma, acompanbado apenas de
tres boiueusde cavallai i i, depos de Ihe haver matado
ires homeiis c ferido a 11. Senhor do campo que o caudilho
oceupava, o general Riera 11 prisioneros, e arrecadara
30 espingardas, varias cananas e outros artigos bellicos ;
bem como a cavalgadura, a bagageia, os sellos, os oRi-
clos c os dcinnis papis desse cabecllha; podendo, de
inait a mals, destruir as salinas de la Coma que abriga-
vain a faceto e mais o hospital que ella estabelecra ua
casa chamada do Junen.
Ao passo que Cabrera era assim derroUdo, os ebefes
Mendoza, San-Romo e Martnez de Chalar caham em
poder da justica: -- Mavasal perde alguns comparsas em
um encontr com a columna de Vich, deixa quatro pri-
sioneros a esta frca, bem como todos Ot recrulas que
anteriormente havia tomado; e mals adan te (ein San-
Joo-de-lai-Abadesss) era sorpreudido pelo coronel
Santiago, que inatou-lhc onze liomens, fazeudo-lhe al-
guns prisoueiros e feridos : treze centralistas, dous
carlistas, inultos uioiitamolenistas e nao poucos repu-
blicanos solicitavaiu e nbtiuliam o indulto: ludo cami-
nhava, ciiifim, de maneira a Inspirar a graU etperanca
de que as grrimas sero brevemente dispersadas.
Antes de ler sido destrocado.Cabrera mandara arcabu-
sar brbaramente em San-Lorens-del-Pintes, o baiflode
Abeiiainui rico proprieUrio da Caulunha.que se Ibe a-
nresentira, chamado por urna caria multo altenciosa, e
que.supposto semprc houvesse sido cailisU,/iMea toda-
va que era mullo conveniente por termo a urna guerra
destruidora e sem proveto algum paraa causa cm nonie
da qual a prumovlam. Consummadoesse aclo de barbara
traieao, o cabecilha que o presidir, fizera nraticar ou-
trot iguaes contra dous ricos proprielaros de Busa.a sa-
ber : I. Francisco Casades e D. Jos Sena.
Quauto aos Irabalhos do parlamenta hespauhol, quai
que se limitavam qnesto da dotacao do clero, que es-
lava sendo calorosamente discutida.
Menle, dot direilos sagrados da Igreja de Jesus-Chrlsto,
cujas les teem por l'nn manter as proprledades e impe-
dir que as distraiam dos usos religiosos e pcdosos para
que cslo destinadas. Se a Intitulada assembla consli-
tulnte pretenden, pela gencralldade das palavras de que
se servio, tocar nSo somente as proprledades ecle-
sisticas e piedotas. mas tambem as propriedades da
universldade ou fndacOes purameule lelgas c civlt,
aindateinelhanles disposiedes sao nullas de pleno di-
reilo, por dimanaron de una rciiniao de facciosos que
por luda a especie de violencias, engauos e ingratldes
usurparaiii a auloridade legitima mals para oppriniir
do que para governar os estados da santa igreja.
lie, porttil, da vonlade de S. S. que se faja conde-
ce r a lodos e especialmente aos eslrangciros de qual-
qucr citad ou nacSo.quc as vendas, eiupbyteuscs, allic-
uayes, hypolhccas, ou outros contratos, qualqucr
que teja a sua uatureza, couseotida pela intitulada as-
seinblca c governo romano, leudo por objecto os bem
cccleslaslicos movis ou imiiinveis, ou quaesquer ou-
tras propriedades de mao-morta, sao c serao coinplela-
ucnte uullot e sem valor algum, devendo considerar-
se como obra de pessoas que por mn acto publico e ma-
nifest de inulio usurparen! os bens de outrem.
Porttil nao haver causa, motivo, ou prctexlodc
alguma especie que cm tempo algum possa tornar v-
lidos, anda incsiuo quaudo se trate de contratos que
aslgrejas c estabelecuuento* propietarios desses bens
costumam fazer, ou actos j principiados em virlude
de autoritaco ponlilicia ou autorlsacao dos bispos, ou
oulros superiores legilimos, dentro dos limites da sua
respectiva competencia ; porque de semelhautes aulo-,
risacoes, ou de qu.lqucr oulra clrcumsuncia analogao
jamis se poderia inferir que mu usurpador manifest
podesse fazer proseguir e consuinmar* o que so pode
ser cffecluado pelo proprielarlo ou legitimo adminis-
trador.
i. He por .isto que as Igrejas e outros esubeleciiuen-
los de mau-iiioria lerao seuipre e em lodo o tempo o
direitode rrliaier as propriedades movis e lmmoves,
livres de qualquer encargo com que os usurpadores a
qulzerein gravar, assim como lodos os seus fructos pro-
duzidos nesse lotervallo ; aquelles que os tiverem com-
prado, ou sobre ells li/.erem alguma transaccao, nao
pndcro reclamar das legtimos proprictarius jichi o
preco ajustado, nem outra qualquer coinpcnsaeao : sii
lerao recurso contra os usurpadores com que contra-
taran!.
a Em conseqiicnela da manifestaeao da vonlade do
soberano pontfice, o abaixo asslgnado, cardeal pro-se-
crelarin de astado, delta d couhecimenlu \. I'.x, por
ordem expressa do sanio padre, e vos pede ao mesmo lem-
po vos deis pressa cm a commuucar ao vosso governo,
para que o conferido da presente nota tenha a possivel
publicidade, e de lal sorle que todot aquelles que cou-
trurem com os referidos bens, nao possain allegar ig-
norancia.
O abaixo asslgnado felcila-sc de poder expressar
de novo a V. Ex. teus lentiiiientos de estima e distincla
i uiiMilciac.iu.Cardeal Hlonelti.
Communicado.
Ao leluinarmos hontem o nosso apauhado de noli-
cias, na parte relativa aos negocios da Italia, distemos
mis que o can!. .1 Antorelli, pro scureatfo de etlado di-
rigir, em noiue do soberano ponllfice/om protesto a lo-
dos os Miembros do corpodiptoinalico rirdcnlesem Gae-
ta contra a conflscac'o dos bens eccleslaslicot, decreta-
da pela consiituiuie romana. Ot lellores devem de es-
tar, sem duvlda, desrjosos da apreciareni este documen-
to; ctinipre, pois, que o ott'erecamos sua iiiedltcao,
lrauscreveiido-o das paginas do Diario do (imrrnu de
Lisboa para e-'a do nosso jornal. E-lo:
i atta, 19 difeaerriro di 1849.
A reunido de facciosos que, usurpando o nome de-
depuladot do povo, se ettabeleceu na capital do estado
poniilici. com o Ululo de assembla consllluintc ro-
mana, avancando com vehcuieiile audacia ua appllca-
cao do sen sysleina de impiedade, deinjuslica e de des-
truico, deu-se pressa, uestes ultimas das, ein te oceu-
par do projecto de le pelo qual todos os bens chamados
de iiio-iuorta sao declarados propriedade do estado,
b reserva de cerUs ditpotlcriet que se bao de tomar
para assegurar o elleto desU sacrilega espoliado da
propriedade movel e iinmovel, quea faccao pretende de-
cretar contra as igrejas e estabeleciinenlos pledosos, sem
excepcao alguma.
Este a t te nudo dos faciosos. e bem assim lodos os
seus .alentados passados e futuros, esUa j coudemiia-
dos aa sua orlgem pelas precedentes publica;es do
santo padre, e principalmente pela acta solemne, delle
dimanada no prnieiro de Janeiro. Prevendo, porm, os
arllflclot e dlabulca astuvlat que ot autoret detU es-
poliado ho de empregar para tirar o maior iuteiene
pottivel conforme com at tus vittas Inleretteiras, o
tanto padre, na sua qualidade de soberano poiillflce c
de soberano dos estados romanos, julgou opportuno
admoesUr a todos aquelles que, ou j ou no futuro,
qui/.erein contratar as referidas propriedades com o in-
ltulado governo de Roma, ou coni queiu por elle esli-
ver autorltado.
Estas dijposlcoes da assembla romana iinplicam
ama violacao a mals flagrante dat iinmuuveit regias
de dlrello uatural, sobre as quaes he baseado todo o di-
na de propriedade ; urna violacao das leis civis anti-
gs e moderna, as quaes, especialmente nos esudos
fonlilicios, sempre garanliram al propriedades dat igre-
at e dot ftlabrlecuucntos pos ; utua violacao, linal-
Ai'resiaino-uos cm annunciarno publico que esta
aqu a chegar.pro-elonle da Baha, o pavalleirooSr.
Augusto l.uiz Moescr, inaigno concertista junto s
cortes deSS. MM.o rei da l'russia e de Dinamarca.dos
quaes e de outros monarclias-da Europa leni recc-
bnlo diversos premios c presentes, pelo "nem que
desemnenha na rabeca diversas msicas, |liramlo
dell.i o's mais dintelis sous. No Rio-tle-J.neiio re.
cebeu elles muitos appIauso9 e elogios, dtegandn a
ser por SS. MM. II. brindado. A llaliia j reconhe-
ceu tambem o sen mrito arlislico, sendo cobeito de
endientes de applausos sempre que compareceu em
scena.
Pernambuco yai, pois, gozar tambem do qu; teem
gozado essas cidades, o contamos que o Sr. Mooser
nSo obler aqiti menos do que nestas teem alcan?ado.
Fazemo.s votos aos cos para que lite deom prosperB
viagem', o em breve o tundamos aqui para alhviar
um pouco as fadigas por que havemos passado.
PublicaQao a petl-ido.
lira si le Iros!... de novo afino a I va,
K o nume de Paiara,
Que os llsongeiros vales nSo inspira,
A niiiilia mente inflama.
1 SaJdiinaa. Od. Pynd. )
A Tupa gracat mil i A ierra he nona
Crcscei, lilhinbot. nosta Ierra he livrc
[A.J.dt Millo. Idyll.)
Sobre os cunts desta Oi.in"\.
Outr'ora lo populosa,
Meu trovr consagra anula
Sua historia to famusa.
Ao seu lado Maurica
llojc he della a nobre idea ;
Mais rica do que Amaitina,
Em tiiuinpho gloriosa.
Patria ininlia, ru le saiido !
I illio amante, eu te respeito !
Nunca a cr do gesto mudo
Se por ti exponho o peito.
Em dezasete ao quebrar
Teus grilbet, vi proclamar
U
O dever do sanguc dar
llefenilendo n leu ilii.il
Nao morreram ettes brios.
Bem que a causa est mudada :
Quanto correm nosso* rios,
Corre a fama desvelada
Vadeando o mar profundo,
A levar por todo o mundo
Nosso cntico jucundn
A' llberdade sagrada.
Dos legou aot llrasleros
Peito livre, pensar recto ;
Jamis pdein cmbusleiros
Abrogar o scu decreto.
As garantas do tlirono
Da ordem perpetuo abou,
Alerta, promptos, sem somnn,
Sustcnuro com arcelo.
Paral, pois, ambiciosos,
Recua! do vosso Inteuto :
Nossos bracos vigorosos
Sao da lei olirme asseuto.
t.inania, vrzes a auarcha
Erga o eolio, fra, impla,
Sempre, sempre, da a da.
Laliir cm deslenlo.
Os Ilusos que manchar.im
Ksse DUL'S l)E FEVKREIUO.
t ci lamente que aliusaram
Do carcter braslleiro :
Infelices!. Que queran?
F.llet mesmos n:lo salii.uu :
LIIIEIIADF. tdiziain....
I.iberdadc ap.'is dnlicro '
K sendo liberticidas
Proclainavam llberdade!.'
Mas pbalanges aguerridas
Proleslavam lealdade.
Ai! No da luc noto,
Eulrc o eslrnndo pavoroso
O mesmo povo brioso
Ksqueccu l'ratcrnldadf.
Rcpellidos inda a pon. o
Pelo i ii lie pulo BEZEURA.
Seu extremo furor Ion.
Mi .-.i ii .ii nao alerra;
N i Id .ii i a dura lide
A victoria nao decide
De COELHO que preside
Os bravos da nossa trra :
Como que voando vSo
JCm Aicas reforear-se, .
Tambem voi o grjo FALCAU,
No seu flanco val posur-se.
A peleja te Iravou,
O rebelde dcsmnlou,
Seus recursos acabuu,
Nao fez mais t|uc debaud ir-sr.
luipi ulicti.i rebelda!
Tanto sanguc derramado
Nao foi contra a lyrannia
Um esforoo precisado :
i ineiu, patria, lio lamenta
Kssa guerra Uo cruenta
Que eonsiei na, que cspavcnU
U leu povo malfadado!
J leut tilhos diligentes
Sobre as chainas e pelourot,
Contra as hosles dslldenles
Retgataiaui leus llietouros .
lloje cm da em paz exulta,
E leu novo brllho avulta ;
O'uin delirio nao sepulta
TanUt glorias, tamos louros.
Val, a'dej.valui ile Oi.Nda
Meu cantar pernambucauo,
Seja a paz nclla bem vinda,
Honra ao genio americano :
bella rainha do norte !
J redesle o septro forte :
MAURICF V'quc o comporte
Sobre as ondas do Ocano.
;

Por J. D. de SA. j
COMMERCIO.
:
Al.FANDEGA.Rendnicnlo do dia 14. .ttitiojwtt
Descarrigam hoj; 17 do corrale.
Bi gue Leo barrs vatiot ,e ceblas.
Hiale -rSan-7oio fumo, charutos e arcot de pao.
Hrlguc randwint farlnha, bolachinha e barricas
abatidas.
Barca Xitia mcrcadorias.
Brigue tooite dem.
IMPOUTACO.
iVavr, escuna ingleza, vinda de Lisboa entrada
no correlo mez, consignada a Le Bretn Senramm,
manifestou o seguinle : P.ic-n c...
30 pipas viudo linio da Figueira ; a Francisco >e-
veriano llabeilo. ., ,_ -
15 harria azeite doce, .1 saccas {rlfazema a Ma-
nuel Joaquim llamse Silva. .!., Mver.
i fardo'alc.ssus 1 baf rf **, **%>**J
sas drogas 1 dita broxas surtidas ; a Policarpo Jos
^JS^fSSSSSS^m. *> sr* rr**-
i fariulio fcdas de laa, 77 c.ixas 91 fardos laxen-
da de algodao ; a Johnslon Pater & Compauhia.
14 gigos cl4 meios-diloslouca, 1 caixa amotiraa ; a
Fox Brolbers.
1
I
MUTILADO
.co.




G fardos hiendas de algodo, .Ifardinhos ditos de la ;
a Me. Calmont& Companhia.
2 caixas machinismn, ScaMi el barrica ferragent,
50 barricas cnxadas, (i ditas dobradicas, 1 caixa relogios
de ouro e prala a S. P. Jolinslon 8c Cumpanhia.
I fardinhos fazendas de algodao a II. Gibson.
CONSULADO (ERAL.
Reiidiniento do dia 14.........
Diversas provincias ..........
. 4:526^50-1
. 281/024
4:807/619
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendinicn lo do dia 14............3:141/54
Movimenio do Porto.
.Yiii'iui iiiriiicn no tiii 16.
Havre ; 36 dlas, brigue francs Yolof, de 136 toneladas,
c.-ipitao Mnnnier, equipagem II, carga fazendas; B.
Lasserre &i Companhia.
Costa da Palagonla, tendo saludo de New-Bcdford ha
6 meces a pesca da balis, brigue americano Amatcan,
capito A. Taler ; no rapito.
NoTa-IIollanda, tendn sabido de Nantucket lia 43 das,
galera americana Falomae, de 387 toneladas, capito
OliverC. Sevaine, equipagem 26, carga azeite de es-
partnacetc; ao capitno.
IDITA L.
Miguel Archanjo Monleiio de Andrade, oficial da imperial
ordim da Iluta, cavallciro da de Chritto e inyector da al-
fanihga de Pernambuco, por S. II. Imperial, etc. fie.
Faz saber que no dia 18 do correte, ao nieio-dia, na
porta da mesina, se bao de arrematar libles, no valor
de 3R/4D0 ; II lampos para pratos, sendo 5 no valor de
13/000 e 6 no valor de 32/000: ludo de metal do prln-
cipee impugnado pelo guarda F.ancisco Rodrigues l'i-
nlieiro, no despacho por factura, sb n. 4,389 : sendo a
Pura Lisboa sabe impretcrivelmcnto no dia 22
do corrente o brigue portuguez Triumphanle, capi-
tilo Snbitio Antonio do Cabo Almeida : ainda polo
receber algum:i carga a frelo c passageiros, para os
quacs olTerece os mais oxcpllentcs comtnodos : quem
pretender, dirija-se aos consignatarios, Olivnira Ir-
mSns & Companhia, na rila da Cruz, n. 9, ou ao re-
ferido capililo, na prnca do Commorcio.
Para o Rin-dc-jaiiciro salte com a niaior brevi-
dade possivel, por ler a maior parle da carga enga-
jada, o patacho nacional h'rancelina : para o resto da
carga e escravos, trata-secom Machado & Pinheiro,
na ra do Vigario, n. 19, segundo andar.
-- Para a llahia na presente semane, por jalera
maior parle da carga do seu carregamento a bordo,
o hiate Flor-do-llecife, pregado c forrado de cobre :
para o resto da carga e passageiros, dirijam-se a
ra do Vigario, n. 5.
Para o Kio-de-Janeiro segu viagem, com loda
a brevidado por ler a maior parle do sua carga, o
brigue .S.-Manoel-Auijusln, capullo Manuel Simoes:
pode recebo alguma carga, passageiros e escravos a
Yeto : quem quizer embarcar entenda-scenrn o di-
to capitno ou com Manoel Ignacio de Oliveira n
piara do Commorcio, n. 6, primeiro andar.
-- F.spcra-so do Rio-de-Janeiro at 13 do corronte
o brigue portuguez Terceira capullo Jos Antonio
Itibeiro de Ficilas,e segu para as ilhasde S,-Miguele
Tcrceira, com a maior brevidade possivel; s rece-
be passageiros para os quaos olTerece excelen-
tes commodos : quem quizer ir de passagem, diri-
ja-so aos consignatarios, Oliveira Irmilos & Compa-
nhia, na ra Sabe para Lisboa no (lia 21 do rorrenlc a barca
portugueza Ligtira, do que he capito Antonio Joa-
qun) Rodrigues: para o resto da carga dirijniaseaos
seus consignatarios, Francisco Soveriano ltabello&
flho ou ao plasmo capitilo, na praga do Commer-
cio.
Para Iba dos Acores e Lisboa saho impreteri--J
velmenle, no dia 2* de abril, a polaca Sociedade-Fe-
lit, por se adiar ruin 0 carregamento quasi comple-
Quem precisar do urna ama secca para casa de
pouca familia, dirija-sen ra da.Roda, na casa pe-
gada a da tnesma roda.
Ilermann Mehrtens relira-se para Liverpool, le-
vando em sua companhia um filho menor de nome
Tliom.
Quem pretender urna criada portugueza fiel e
de honesto procedimenlo, pode dirigir-so ra do
l.ivramento n. 34, demanhia al s 9 lloras o do lar-
de das 3 at 8 4 e mcia.
Itcseja-sn saber su tiesta provincia, ou na das
Alagas existe Jos Lopes Je Azevedo, natural da
freguezia de San-Salvador da Macieira-da-Maia, his-
pido do Porto etn Portugal, pois que roga-se ao dito
Sr. ou a pessoaqe possa dar noticias dell", o. fa-
vor de dirigii-se a esta prrea, na ruada Cadeia do
llccife, n. 25, defronte do Recco-Largo, a fallar com
Manoel Jos do Naacimento o Silva.
3Mr3MfrMT> 9 a4BMMrtMtHM
arrematacaosubj.itaadireltos. Alfandega, 14 de abril. lo : para o resto da Carga C algunS passigoiros, aos
le 1849. Miguel Archanjo Monteiro de Andrade. qacs 01rt.reco hons COll.modos, trata-so com Joo
wmmimmiimm 'lavares Cordeiro, na ra do Vigario, n. 8.
O doutnr Caelano Xavier 'Pereira de Rrito,
formado em medicina edrurgia tem a honra
de olTerecer o seu prestmo ao rcspeitavel pu-
blico desta cidade, om sua casa no Aterro-la-
Roa-Vista n. 43, onde pode ser procurado,
de manhila al s 9 horase meia e de larde das
i 3 horas emdtante.
Silvestre Joaquim do Nasclinento val para a Europa.
Antonio Jos Das, com refinacao na ra das Laran-
geiras, faz publico que, por haver outro de Igual nome,
se aasignar de hoje em diinlc por Antonio Jos Das
Fernandes.
Antonio Jos Das, com refioacao na ra das Larau-
geiraa, faz publico que o auntincio de igual nome pu-
blicado no Diario de hontem de retirar se para fra do
imperio nao se eotende com elle.
-- Pede-se ao Sr. procurador bastante da senhora vlu-
va do fallecido 8r. lente Pantoja de comparecer na se-
cretaria do sexto batalhaode caradores, para negocio de
seu Interease.
Uve la ra roes.
Pela subdelegada de San-Frei-Pedro-Ooncal-
ves foi apprt'hendida urna prelade nome Ignez, es-
crava, que diz ser, de Joilo Marques Honrado, mora-
dor na ilha do Ita marac : quem se juigar rom drel-
io a referida eserava, compareca na mesnu subde-
legara, munido dos competentes domnenlos. Sub-
delegara da freguezia de Sari-Frei-I'edro Conexivos,
16 de abril de 1849. Francisco Mamede de Almeida,
Mihilrlegiidostipplcnte.
--Caitas seguras existentes no correio para os
Srs Jos Diogo da Silva, Jos Jeronyuo Monteiro,
Antonio Francisco Pereira, Manod Joaquim de Mi-
randa ii Souza, Roberto Comes Pereira do Carvalho,
Nunn Mara de Seixas, ausente a Thomaz de Paria,
Jos Teixeira Bastos e Manoel Jos Lopes.
O juizdedlreilo da segunda vara crnie desla
cidade, Alexandre Rernaidino dos Res e Silva, adia-
se no exercicio do seu emprego, o mora na ra Di-
reita, sobrado n. 21.
TIIEATKU DE APOLLO
Bateado, 21 de abril de 1849.
l.ncriTjineniu das representarnos franeczas sb a di-
reccodoSr. Dupr.
RKPHKSKNTACA'O EXTRAORDINARIA,
i Kll.lt* UO DHSTEHRAbO.
Drama novo em lies acto e a carcter pelo -Sr. Ale-
jandre li.iiu i..
DANCA.
Passo nobre novo, dancado pela Sra. Oaiiioin.
CANTO.
A grande aria O Italiano, cautada pela Sra. Alejandre
TOHIIOLA OU LOTF.IIIA,
a cxemplo do theatrv de Parii.
A tmbola compnr-sc-ha do qualro premios; tres l'e-
II/.es e um desgracado.
Primeiro premio feliz,
Para o Rio-de-Janeiro pretende sabir breve o
brigue Mercantil, por ler urna parte do carregamen-
to : quem no mesmo quizer c&rregar, embarcar es-
cravos, ou ir do passagem, entonda-se com os con-
signatarios, Amorim Irinflos, na ra da Cadeia, nu-
mero 39.
Para Lisboa por as ilhas dos licores sahir no
periodo da semana viudoura n barca portugueza
Fluminense, a qual ainda pode receber alguma carga
para os ditos pollos, bem como passageiros : quem
na mesma quizer carregar, ou seguir viagem se deve
anticipar a tomar passagem, garantindo so o bom
triilatiienlo, agazalho e coinmodos ludo por preco
rasoavel: para oque trata so com Amorim Irinflos,
ra da Cadeia, n. 39.
Para o Rio-de-Janeiro segu, em poucos dias ,
o brigue Assombro, de pi inicua marcha, por tero
seu carregamen'.o quasi prompto: para passageiros
tem muito bous commodos : os -pretndeme* diri-
jam-s n la da Cadeia do Recito n. 61 a tratar
com Joflo Jos Fernandes Magalhiles.
Leudes.
i
Segundo
Terceiro
','ii.n i.,
um giiarda-joias de piala para
senhora. .
urna guarnicao de escriptorio
de esmalte e ouro para es-
tante.
dous vasos de pin ii llana dou-
rada.
mysteriofo.
Cada pcsso.i reoeber gratis, urna vez que pague o bi-
lliete da entrada,um numero de ordem para a exlracco
da lotera, a qual ter lugar sobre o scenario. Ao pri-
meiro numero que se exlrahlr cabera o priOieiro pre-
mio, e .1-1,11 por diente a< chegar ao mvslr'rioso.
As pessoas c|ue tomareqi bilctes d'ate-tiiiic
dneilo a dous nmeros.
i m. smri |u vttCEH.
Vaudeville em um acto.
e-nulo teao
Avisos martimos.
-- Para Liverpool pretende sahir no dia 19 do cor-
renle a galera ingloza Sword-Fish, caplHo Ricardo
i.reen : ainda pola receber aljuns passageiros, para
oquo tem superiores, commodos : os prelendentes
dirijan, seaos consignatarios, Me. Calmont &Coin-
|.anl,ia.
- Ksl a chegar do Rio-de-Janeiro a bem conhe-
cidaveleila batea Ftpirito-Sanlo a qual vem a
este pon. acabar de carregar, e deve com muit'o
pouca tlamora seguir para a cidade do Porlo e por
isso.aeavisaa iuem e quizer transportar de passa-
gem para aquella cidade e quizer ler osla dimi-
nua detoora achar&o na relernla barca os mais
excellenles commodos ,1,3o spala grande cmara
que laincoaiu o lobadil|io:q(ie.n con. anlceedencia
qutzeraetrae.r Ua passagem ou ca regar a Ir-
le. dinja-aaaoseu consignaU-rio, Francisco Alvea
da Cunha, rraiua.do .Vigario, n. II, primeiro
andar.
-*-,Para- o Artcrty leai'de sallir com a possivel
brevidade o hiate Noto-Ollnda, de que he rnestre
Antqnio Jos Vjanua : quam helio pretender carre-
gar, se entender ciom o mesmo Vianna, no Trapi-
che-Novo, ou na*rua da Cadeia-V'elha, n. 17, segun-
do andar.
Para o Porto sahir breve o v.eleiro. brjguc porlu-
tez Primavera, capito Manoel de Azevedo Canario,
Kalkmann Irmos farilo leiLlo, por nlfven(,1n
do correror Oliveira., de grande sorlimento de ferra-
gens linas, fitas, espelhos e mais miudezas, tjue se
venderSo.sem limites, para liquidacflo de varias Coti-
las : hoje, 17 do corrente, slO horas da nianhua, no
seuarmszem, ruada Cruz.
-JoSo Kellcr& Companhia farilo ioililo, por in-
tervencilo do corretor Oliveira, de grande sortime/i-
lo de fazendas de seda, La lnho e de algodilo ,
lodas propcias do mercado : qnarla-fuira, 18 do cr-
ranle, s 10 horas da manhla no seu armazem da
ra da Cruz.
J. P. Adour& Companhia arlo leililo, por In-
tcivenQflo do corretor Oliveira, do mais lindo sorti-
menlo de fazendas de seda, Lia, linbo c de algodilo,
que muito agiadarilo a seus freguozos : quinta-feira,
19 do curenle, s 10 horas da manhila, no seu arma-
zem, ruada Cruz.
O corretor Oliveira far leililo de una excelen-
te mobilia, e outros pertenecs do casa, consislindo
em sofsde mogno e de Jacaranda, cadeiras tanlo
osuaes como de lirados o de balanco, mesas de mel
desala com pedra-marmore, consolos, carleiras e
camas das referidas madeiras, guarda-vestidos, com-
modas, espelhos grandesJ o sala, toucadores, mesas
dejogoeoutras diversas, bancas do costura, camas
do Ierro, apparclios do porcellana para jantar, tapo-
tes lino e esleirs para salas, lanlcrnas de casqui-
nba, vasos e frascos de porcellana e de crystal, rclo-
giodc parede, garrafas o copos, um sellin ingloz
quasi novo para montara de senhora, serpentinas
de bronze, salvas, colheres, palitoiro e oulras obras
de prala ;assim como mais quatro escravos de ua-
c/Io, sendo tres para pagamento a Francisco Joi
uatboza, por saldo do que Ihe licou restando o fal-
lecido Jausome : ludo sob as condigOes que se apre-
senlaiilo sexta-feira, 20 do correte, as 10 llores da
manhila, na casa n. 53, ra da Cruz do Recife, tor-
ceuo e quarlo andares.
guez
podeudo .linda receber alguma carga e passageiros" os.
prelendentes podem tratar esm o dito capilo na placa,
ou com o cousiguatario.'Autonio Joaquim de Souza Ri-
bciio.
Para a llahia segu o palschb S.-Cruz : para
Avisos diversos.
Precisa-so deumfeitor para um engenho dis-
tante desta pratja 6 legoas : quem estiver tiestas cir-
cunstancias, dinja-so ra das Cruzos, casa do pas
lo n. 28, para tratar do ajuste.
Permuta-so por um engenho um dos melhores
silios desla cidade, tanto pela elegancia, como pe-
las commodidades que dosejar-sa pode, silo no Ar-
raial, perteticeriloa Viuva et Filhos de Joilo Carlos
Pereira de llurgos Ponce de Len : trala-so no paleo
doCrmo, sobrado il. 18.
Precisa-aede unta mulhor parda ou prcta para o
servico de ujna casa do pouca familia : na ra do
Qociiiiado, n. 57.
Precisa-so do urna mulher parda ou prela que
queira servir de ama em urna casa de pouca familia
daudo-sc-lha o sustento e vestuario na ra do Han!
gel, n. 17.
A senhora Joaquina Ignacia de Miranda, mora-
dora na......'- '-
Casa de commfcso de
escravos.
Na ra Direita n. 13, sobrado de tres andares,
defronte do becode S.-Pedro,recobem-se escravos de
ambos os sexos para se venderem de cotninissflo, nao
so levando por este traba I lio mais de dous porcento,
sem se levar cnusa alguma de comedorias, oflere-
cen ditos escravos.
AUcncao pela boa gralifi-
cacao.
Na noile do dia 15 do corrente mez, pelas
7 horas, fuglo o escravo de nome JuliSo, de ida-
de de 22 annos ponco maisou menos, cujos signaes
silo os seguintcs : altura regular, cor fula ; tem os
calcanharcs radiados decravos, tendo ainda no cal-
canhar esquerdo um cravo que esl descascando,
e o ionio/dio do p direito mais grnsso; levou ves-
tida urna calca de panno prelo j usada, camisa de
tnadapol.lo.jaqueta de risrado azul,um lenco amarel-
lo.uma camisa, um lencol,e una calca de lista j usa-
dardisto fazia urna trouxa. Consta que seguir para a
a cidade da Victoria, aonde j eslevo 12 annos. e
preso na cadeia, de onde foi remettido ao seilhor.'
Roga-se, pulanlo, as autoridades policiaca, ecapi-
tes de campo procedam em suas diligencias : e, pe-
pamlo-o, levem-o a ra Direita, fabrica de licores,
n. 17, que generosamente seriln recompensados.
No paleo da matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4,
tiram-se passapories para dentro e fra do imperio,
asilm como despachairr-se escravos, por proco com-
modo. k i- v
O bacbarel B. Coiiti.iho,
estando a partir para Lisboa vendo una eserava lo
servico de sua casa, que sabe eozinhar, coser, en-
gommaro fazer o mais servico de casa he moca e
muito bel: *
-No dia 2de marro, apparecou no engenho Ta-
quary rreguezia de S.-Anlllo, um preto do nacDo
Cabuiida,etnoalravessadoqu,emalse entende di-
zer que seu senhor mora no engenho Miguaipe :
quem quer^que se juigar com direitoa elle appa-
reca, ou mande no referido engenho Taquary, que,
dando os signaes certos, Ihe ser entregue.
". ,^l1s*-sefal*l'c"1 o Sr. Jos Joaquim Caval
oanti do Albuquerque senhor do engenho Pauiista :
as Cinco-Pontas, n 62, ou annuncio.
-- Joflo Jos de Couveia embarca para o Rio-de-Ja-
neiro o escravo Vicente, pertencente a Antonio Se-
verianno Pessoa morador em Carirys-Novos por
ordem que lem do mesmo Sr.
-O Sr. Francisco do Modiros Moreira queira
dingir-searuadaCruz, n 90,queso Ihe deseja fal-
lara negocio de seu interesse.
O Sr. Manoel Gomes da Silva, alfaiate nao se
pode retirar sem que pague o que devo a Nuuo Ma-
na de Seixas.
i*"!Ia,.?ifra ^our* 'orluguezT relira-se pa-
ra a ilha de S-Mifeuel. .
-Jos AuUoio dos Sanios Coelho embarca para o
Rio-de-Janeiro o moleque Miguel de nacSo Ango-
la 11 entregar a aeu senhor, Francisco Jos l'i-
f
O' JOHF. ANACI.F.TO, SANGRADOR E4>ENTl8TA, a
J, j bem conhecidn fia sua arle, e morador na' 2
\% ra estrella flo Rozarlo, ( bairro de Santo- *
Antonio ) junto Igreja, casa terrea, n 5,lcm
a honra do participar ao respeitavel publico, e a
il'. a seus-freguezes e amigos, ouese acha mui'lo r t prompto a qualquer hora do dia para prati- ti
rr, com muita dlicadeza qualquer opera- ,a
9 c.lo de sua arle, e por um preco aMHocom- Z
fr modo, com lodos aquellas que de sVuspres- S
>' timos sequizerem utllisar, tanto em sua en- S
it sa, como fra dol, mandandn-se-lhe indica 4
4 r;So do lugar, nome da ra e numero da cata, a
# Klle tira*bem denles, sangra o melbor possi- J
# el : tamhem caiga denles furadoa (cariados)
# com prala fina, ouro, ou qualquer outro me- %
a> tal luanco; aparta perfoitamente os denles da <*)
fe frente ; applica muito bem ventozassarjadas; t|
k> e todas estas operacOes por um proco muilo t}
fe commodo a lodos : assim corno tainbein em _*
fe sua casa coila muito bem cabellos, faz barbas S
# c amla navalhas. Na mesma Casa vendem-se '
fe cxeellentes instrumentos para tirar denles, 2
fe lano aos meninos como a pessoas grandes; Z
fe a saber : butirOes, (pnces ) pequeas, rotas, 2
fe curvas, e chavea, e limas linas parraparlar Z I
fe denlos. Tamhem vendem-se metaos brancos 4 ]
fe em laminas, para calcar denles forados, e tu- 4
fe do por pre;os muito commodos. x
fe .Y. /(. Jos Anacido, sendo chamado, e nSo (*
fe pralioai)do qualquer das opera(0es de sua 4 '
fe arle, serilo pagas as suas passadas ou visitas, 4
fe visto perder seus interessos em sua casa. (a
na ra dos Tanoei-
1 ra do Li va ment, liaja de vir tirar o seu
poiilior no prazo de tres dias, do contrario ser ven-
uiuo, o n3o ebegando para o principal o juros, sor a
mesma senhora brigada pelo restante.
wubtJ? u,r cr,"do' i,iri"s9 rut da
iros.Ur.t.^ alado doCorpo-San.o,\mm^^^!^^J^^*^n luehu,Lru- d ^^^75^55 1
/..ja de massau.es, n. W, ilCipiU|0 j0* clnK de^li.nda **' ^|c?" MC"m0 neuta.
Prelsa-se de urna ama
ros, n. 5.
i-r/5dfl"",o8r- M''"" Pereira Pinto o favor de
negocio*6* fU" (JoQuciu,Jo. n- 8. segunda loja, a
-r Siniflo Luiz, oidadflu francez retira-se para os
nonos do sul.
'^r,0eo-Cade!>,ul?da Silva ca para o Rio-de-Janeiro a sua eserava de naco ,
de nomo Mana. '
.iV.A!UgVSe Uma Ca,a lerre na rua B*11*. om 2
f- -? c,Vas'um1s. cozinha fra, quin-
gun^o'a'nd.r3 = """^ D'fUa d C,leio- ,5 ^
-- Precisa-se de um caixeiro que lenlia alffuma
nT.t! vf'!,"''- ila (.alea do liecile, n. 31.
Avo ao resncUucl publico
GuilbermeFredericoWalter, como tenha de de-
mrar-se por mais algn, lempo, pela bastante con-
currencia que lem t,do ..visa as pessoas que o lem
fallado para tirar retratos que appawcam quanto
antes uestes M a 12 dias. O annuncianle lem liis re-
tratos do desembargador NL'NES MACHADO, tirados
modo* P'' qU8 vcnJora l,or Pres com-
muZmEE Ferrf'ra da C0sla vai mt> comarca do
Rio-rormoso e Jova em sua companhia o seu escra-
vo ile nome Jos.
-Prccisa-se alugar um andar de sobrado em qual-
aej
J080 Luiz Machado Rrandiio, Uiasileiro ad'opli-
vo, vai a Portugal, levando em sua companhia um*
crioula fuera de nome Rufina Prazeres.
Prccisa-se, no engenho Sanla-Rosa, do um fei-
torde campo para administrar a fabrica, aoqual u
olTerece bom ordenado : quem pretender, sendo mo-
rador de fra, dirija-se ao mesmo engenho, o nesti
praca rua do Caltleireiro, n. 62. N.lo se prefere
nacional ou poftuguez, o que se quer he qu sj.b
trbalhar.
Precisa-se de um amassador: na rua Direita, pa-
darla n. 82.
-- Prccisa-se de ums ama de leite : na praca do
Commcrcio, n. 2, primeiro andar.
Antonio Jos Dias. subdito portuguez retira-
se para Portugal a tratar de sua sade.
OSr. Manoel Pereira Castro tem uma carta, na
rua das Cruzas, n. 40.
Oflercce-se um rapaz de pouca idade para cai-
xeiro dealgum estabelecimento : quem da seu pres-
umo se quizer utllisar, dirija-se rua do Mondego,
n. 51.
0lTercce-se um menino brasileiro para caixei-
ro de loja de fazendas ou.miudezas : quem delle pre-
cisar, dtrija-se rua Imperial, n. 160.
Ao Sr. M. J. M. R. pela segunda vez so pede por
esta folha para mandar pagaros 22,000 ra. das la
zendasquecomprou em 22 de jwMm de 1848; do
contrario pela terceira vez (era o desgosto da ver o'
en" nome por extenso ueste jornal.
Prclende-se vender duas mil bracas de Ierra,
proprias para criare plantar, na nbeira de Jpoju-
ca, termo de Caruar, denominadas Alagas-dos-
CarOes : quem se achar com direito por hypelrieca,
ou outro qualquer titulo.aununcie.
Precisa-sc de um prelo caplivo de meia ida-
de para o servico de uma casa eslrangeira sem fa-
milia o qual tenha muito boa conducta : na rua da
Cruz, n. SI.
Precisa-se de um amassador : no paleo do Ter-
co, 11. 30.
Arrenda-se, ou vende-se um grande sitio na es-
trada de S.-Amaro para Belm, com muilo boa agoa,
grande casa para familia, tres viveiros de peixe ,
mullos arvoredos de fructo,bstanlo (erra para plan-
tar baixa para capim pasto para ter oito vaccas de
le te : trala-se a venda muilo commoda a dinlien o,
ou leltras com boas urinas no mesmo sitio ou na
rua do Rangel, n. 17.
D-se dinbeiro a premio sobro penhores de ouro
a prala o mesmo sobre hypotheca ou boas firmas :
na rua estrella do Rozario 11. 30, segundo andar,
se diraquem da.
. Aluga-se o primeiro andar da casa n. 7 da rua
da Moda : a tratar na mesma casa. -
Ainda existe um resto de rnes de cambraia ,
oque, para se concluir, vendem-se pelo diminuto
preco de 1,000 rs. : na rua do Queimado, 11. 17.
-Na rua Nova, venda n. 65, que foi do Sr. Antonio
Ferreira Lima defronte da coebeira precisa-se de
um caixeiro que lenua bastante pi tica de venda,
para a recebar por Iwiaaco, v lando fiador a sua
conduela : da-se bou' ordena do e far-se-ha mais
alguma conveniencia : a tratar na mesma venda ou
na casa junto n. 63. '
--Atuga-se uma grande otaria, sila na rua do
Coiovcllo ; o veude-so um cavado da estribarla em
boas carnes : Ollar, na rua d'Alegri, caea n 34.
olerece-se .uma senltoTa para em sua casa criar;
as peaaoaa que de seu presumo se quizerem utllisar,
dirijam-soa rua da Gloria, casa n. 53.
Precisa-se do uma ama para o servido de uma
casa de pouca familia que esteja 110 caso de fazer
as compras necessarias : prefero-secaptiva : na rus
eslreita do Rozario, n. 21, segundo andar.
Deseja-se comprar um ptimo cavallo sendo
bem novo : quem liver aununcie.
~ 0 Sr. Francisco Luiz da Tnndade e Souza che-
gado do Para queira declarar sua morada para se
Ihe fallar a negocio.
Fabrica de Todos-os-San*os.
Firmiao Jos Flix da' Roza, com escriptorio na
rua do Trapiche, n. 44 avisa aos Seus freguezes que
acaba de receber pela escuna Curiosa novo sorli-
mento do excedente panno de algodilo enlrsncadu
daqudla fabrica, ptimo para ensaccar assucar a
para roupa de escravos. O annuncianle eonta que,
alm da fazenda o desejo de animar o desenvol-
vimenlode uma fabrica inteiramente nacional, pro-
mover o prompto consumo da sua receita.
Aluga-se a muito excellenle e nova ,
casa de tres andares da rua do Vigario,
n. a3, propria para qualquer Sr. nego-
ciaulc, 011 mesmo para familias, en"an-
dares apartados : a tratar na mesma
rua, 11 7.
Joaquim Pereira Arante*, com loja de calcado,
roga aos seus devedores que venham psgar-lhesuas
cotilas tomando em considerado que calcado o
se compra a dinheiro, e os mesmos Srs. estilo mui-
lo atrasados nos seus pagamentos.
MUTILADO l


1 "i" iir -ii =
--Na casi de moda francezas do madama Millo-
chau no Atorro-da-Boa-Viata n. 1, defronte dp
chafariz, recebeu-se pelo ultimo navio, vindo de
Kranga mundoeseolhimnlodas ultimas modas,
romo sejam : collerinlioa eeamisinhas de cambraia
bordada, muito ricos; cabecOea de bicos bordados;
corles de vestidos de seda de barogo de garga de
cassa e de cambraia ; lencos multo lindos, para
grvala de senhore ; garga de seda, lisa e do todas
as corea; lll de linho e deseJa .^branco e piolo ;
ricas imreejpara enfeites do bailes e casamentos ;
plumas piK chapos do Senhora ; entre-meos bor-
dados de cambraia ftna; cambraia do linho; rico
manteteles de seda de cores, multo ricos; ditos prc-
toseofeltadosde tranca e franja; lengpi de mo,
de cambraia do linho; fitas muito lindas e ricas;
trancas de oda de todas as cores para enfeites de
voslidos; e&parllhos para senhora ; luvas de pel-
lica,' curtas e compridas ; ditas de mata aberta ,
milito liws; trancas do algodflo para enfoiles deroti-
poes de menino ; bicos de linho blondo e do seda ;
tarlatanas ; manteletes de bico preto; chapeos de
soda de palha tara senhora e meninas; guarnicOes
de totoeapara vestidos de senhora ; rendas lisas de
linho e do seda ; mantas de lila o seda, de muito
bonitas cores; toucas para senhora. Na mesma ca-
sa se fazom effeclivamente vestidos, chapese ton-
tas de senhora da ultima moda e a proco mdico.
Fabrica de cspelhos.
Joffo Duhois faz publico que presentemente acaba
de montar urna fabrica de por ac em espelhos de
major taiianlio: as pessoas que se quizerom utilisar
de sua arto, pode o procurar em casa de sua resi-
dencia /na ra larga do Hoza rio sobrado ns. 608.
m-j:
O aferidor rogA a todas n7to%i$n para fo,earformig,,s: n
;jj Novo pOo de Provenga.
| Na padaria do boceo das Barroiras e no de- S
t| psito da Estrella, no A^crro-da-Boa-Vista, o. y
f3, fabnca-se o novo pito de Provenga, o qual
he fabricado pelo methodo do seu primeir
introductor que veio a est provincia o coin |
3 as melhorca farnhas que ha no mercado, e as- *
-"t seio que he possivel: da mesma sorte so fa- !
ti rica 111 as falias da rainba de Hespanlia bo- I
|. linllos.blscoulos, biscoutnhos, iatiast cava- s
ca : tudo do melhor gosto possivel e propilo I
% para cha ; tambem ha bolachinha de Lisboa **
'$ emlatasdeS libras, por proco commodo; jjr
f amendoas confeitadas e de varias qualidades. &
j I
mwmmmmmmmm mwwwmwwwmmmm
-Caetano Estellila Cavalcante Pessoa, lente su-
bstituto de inglez e francez no lyceo desta cidade,
continua a ensinar os seguinles preparatorios: os
dous de qu he lente, phylosophia e rhetorica : o
aniiunciaHte prometi esforgar-se alim de adianlar
seus discpulos, e nabilita-los a exameein breve
lempo! a qualquor hora o encontrarlo em casa de
sua residencia, na ra do Queimado, n.7, primeir
andar.
-- O abaiko asalgnado fai publico que. leudo aceitado
a Nauoet Antonio Fernandrs Eiras, aeu caixeiro de ou-
11111 anuos, una lellra da quantia do400,000rs a seis
uieiis, riu data de 16 de fevereiro do correntc, aconte-
ce que apparecr cita lellra com mudanca detinta e com
o prato de dous metes; e porque pode acontecer que
bajaalguma outra que ie queira acobertar, declara que
' lem una leltra aceita pelo annuuciante, e saicada
pelo dito Manoel Antonio; e, qualquer outra que posta
apparecer, he falsa e nenhuin vigor ter; c como I lia
conita que ojito Manoel Antonio Fernaades Eiras an-
uuncira retirar-ic para fura do imperio, occullando
parle do iiome que he conhecldo, previne que o mei-
iim nao se pode reiirar srin que primeiio o aununcian-
le nao verique ai muas que lem com diversos, e de
cuja co branca* esleve encarrrgado o mcsiiio Manoel
Antonio. Joii Hoilrignei Fernantltt Sirat.
$C I-i APEOS DESOL
Rua do Passeio, n. 5
Oh! que petlncha para o ainavel e respoitavel pu-
blico : novas sedas da melhor qualidado que se po-
de fabricar, porsorem de incommenda e da melhor
fabrica de Franca, recebidas agora.
0 fabricante deste estabclecimento adverte ao res-
poitavel publico desta cidade que ello, possue pre-
sentemente um rico sortiinento de chapeos de sol,
assim como chapeos de sol de seda fu ra-cores, dos
mais reos que teem apparecido neste mercado, e de
cores conhecidas ; ditos para senhoras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas de retroz, ludo que tom de n ais moderno e do
melhor gosto ;um completo sortimento de chapeos
de sol de panninho de todas as cores e de lodos os
Umanhos, para hoinens, senhoras e meninos : ha
tambem igual sortimenlu do faiendas para cobiir ar-
maefles, lano de sedas de cores, como de panuuhos
trancados e lisos imitando seda*. Adverte-se que os
rreguezes serlo servidos com brevidede, ese acha-
rio sahsffios da boa qualidade, do bom gosto e do
bo prego.
O aferidor, rm eonformi-
dadedoarligo8.do regulamelo da cmara, roga
aos Srs. figeaes, que estando a (indar-so o lempo da
rericflo ainda nAo appareccu individuo algum para
arerir regoas de 10 palmos, craveiras que sflo obr-
gadoa a nsarem todos os mesirca podreiros, carpi-
oas, ranteiros, vendedores de madeiras e lodo a-
iiuellequetemneccssidade dessa medida, alim de
ijuevenliam aferi-las, do contrario ser prejtidce-
(lo em sua arremataban.
Dentista.
" W.' flaynon, crurgiflo dentista americano,
leudo mudado a sua residencia da rua da Cadoia de
Santo-Antonio para a rua do Trapiche-Novo do Rc-
cue, agora offerece aos seus amigos e ao publico o
seu presumo, islo be, chumbar, por denles postigos
as mais operaces da sua arte, pelo methodo lti-
mamente descoberlo.
Lotera do theatro publico.
Mani rendida quasi metade dos bilhetes da ul-
L V Pf e,,a "' l(Heri J theatro publico,
e appaiecendo com a pacillcacSo da provincia algu-
na influencia na compra dos bilhetes que mlam? o
respectivo thesoureiro, levado por esta inlluencia
qu capera nSo ser arrefecid, designa o dia 27 de
bul crrenlo para o andamento das rodas, e con
us amadores doste jogo que o coadjuvarto na reali-
sac,1e do rafeiido amlamcnlo.
Agencia de passa portes.
Nariin doCollegio, n. 10, e no Atcno-da-Boa-
VisU lojas ns. 48 e 78, continuam-sc a tirar passa,
porte, tanio para dentro como para Tora do imperio-
ssim cano dtspacham-se eacravos: ludo com bre-
vidade.
1
aa pessoas que conduzem mel. agoardente, azeite
&c para o mercado dosta cidade em ancoras; e que
ainda nfo aferiram,quequanto antes venham aferir,
poiso lempo da afencaocst a icabar-se.eps liscaes
respectivos passar.lo a dar as corridas .16 costume, e
aquellas que encontrarcm sem eslar aferidastieste
auno de !849,serSo multadas em 2,600 ris cada urna,
e obrigadas a aferir; assim como previne aos senho-
res de lojas, que, estando prozimo o lempo da rovi-
sflo, nflo Ihes passar verba de revisSo, sem que 8-
tejam exactas com o padrflo da cmara, e para esse
fim ja lem preparado urna por^So de varas e covados
ja ateridos para aqucllesque precisarem.
Illustraled Londoii News
A pesaos a cujo poder tenham porvenlura ido parar
o nmeros de 9, 23, e 30 de dezombro ultimo sem
llio perlenccrem ; querendorcstilui-los a seu dono,
pde procurar a A. V. S. Barroca, na rua larga do
Rrjzario n. S9 011 na rua da Madre-de-Deos n. 26.
Precisa-se de urna parda ou preta forra para
ama de urna casa do familia: na mu da 8.-Cruz
n. 28.
O padeiro que quizerdrr 200,000 rs. a premio,
sobre hypolheca cm um cscravo que vende pfio di-
rija-so i rua Direila, n. 51.
Aloga-se urna preta captiva ou mesnio forra ,
que faca o servico de urna casa de portas a dentro :
na rua doCollegio, n. 15.
-- Quer-se arrendar um engenho perlo desta pra-
quem livor annuncie, ou dirija-se ao subdelegado
da freguezia da Boa-Visla que dir quem o pre-
tendo.
Piecisa-scde urna ama para cozinhar e lavar
algumas vezes : no becco da l.ingola, sobrado 11. 5.
ti-sedinheiroa premio, sobre ouro e prata :
na rua ifo Hospicio, sobrado junto venda do leSo
de ouro.
Acabarn dechegar a Ioja de
Maya Ramos & ''ompanhia os muito desejados e
divertidos joros de vispora : pede-se aquellas pes-
soas que haviam procurado o dito jogo que se pre-
vi na 111 a lempo para que ao depois nflo Ibes acon-
tece licar sem el les. pomo da outra vez : o preco he
commodo e a lodos devem agradar.
. Aluga-se a Ioja do sobrado n. 5 do Aterro-da-
Boa-Yista ptima para lodo o gonero do negocio,
pela sua ezceileute loca lidade : a tratar no mesnio
-- Compram-se garrafas vasias, sendo limpas ,
80 rs. cada urna : no armazcm da rua da Madre-de-
Deos, n. 36.
Compram-se e vendem-se escravos : lanrnem se
recebem de commissao : na rua das l.arangeiras,
n. 14, segundo andar.
Compra-s, cm segunda mflo, a Historia sagra-
da do Rovnumont; a Theologia moral, do Monje, se-
gunda odicio ; e a Eloquencia nacional, por Lopes
Cama ; na travessa do Sarapalel, n. 16.
-- Compra-se um diccionario francez por Fonse-
ca : na rua do Pilar, 11. 83, ou annuncie.
' -- Cnmpram-so toneis e quarlolas, mesmo es-
tando abatidos que sirvam para agoa : na rua da
Moda.n. II.
Compra-so um escravo que seja perito fornei-
ro e que nao lenha vicios : paga-se bom, a gradan-
do : em Ol ma, padaria do Varadouro, rua do Balde,
ou annuncie.
Compra-se urna scrava do nagao, que seja mo-
ga e que engomme e coza com perfeicao : quem a
tiver, dirija-so a bordo do patacho Regulo, fundeado
na praia do Collegio
--Compra-se um escravo mogo, de idade de 18 a
20 anuos, de boa conducta e que sirva para pugem :
na rua Direila, 11. 21.
Compra-se urna preta, ou parda que cozinhe
beme engomme, e seja desembarazada: n3o se
ollia a preco : na rua do Vigario, n. 24.
Vendas.
- Vendem-se, na rua do Crespo n. 14, lerceiro
andar das ( as 8 huras .la na 11 lija e das 2 as 4 da
tarde, os livrosabaixo declarados lodos e:n bom
estado:
Diccionarios de Moracs da quinta ediepaonn-
voa, por
I Rhetoiica deQuintiliano, 2v.
I Virira, diccionario inglez, 2 v.
1 Homero, lliade.
1 Historia da Grecia.
Elomentos de civilidade.
sobrado, a qualquer hora do dia onde tambem se
fafa negocio com a armacOo envidracada, existente
na mesma Ioja.
Jos Baptista da Fonseca Jnior tem para ven-
der no ermazcm do Bacelar defronlo da escadinha
da alfandega ou na rua do Vigario, n. 25, a me-
lhor farinha em sacras que ha 110 morcado, a prego
menur que nenhum nutro possuidor.
--Jo.'io da Silva Braga laz publico que venden a sua
Ioja de selleiro, que linha na rua Nova, defrunle do
oitao da matriz, e abri outra da mesma oMicinade
sr.i l.Ho, N.\ RUA i> nir;iM.\Do N. 9, onde os seus
freguezes acharflo sempie 1 completo soilmenlo de
obras daqaelia arle, como sejam : tollina de tudas as
quali,lacles, tanto para 11 otilara do boineni, como
para senhora, apparelbos militares, tanto para ea-
vallaiia, con|p para infantaria, ecolchOes de diver-
sos tamaitos e qualidades.
-- Aluga-se um sobrado do Ires andares no lar-
go da Assembla : na praga da Independencia li-
vraria ns 6e8.
Quem precisar de um rapaz porluguez, de 20
annos com pralicode lojado fazendas, dirija-se
praga da Independencia n. 12, ou annuncTo
No Alerru-du-ltoa-Vista, n i, defronte do cha-
fariz, precisa-se de urna pela captiva pagando-se
mcnsalmente.
--Precisa-sede .esaprendizesparaaprenderem o
oflicio de marcineiro : na rua da Cadeia do Santo-
Aiitoiiio, n. 18.
Di-so p3o devendagem a pelas, sendo com
respobsabilidado de seus senhores : na rua larga do
Rotarlo, padaria n. 48.
-- Aluga-se urna casa lerrea, sita na rua dos Pes-
cadores : quem a pretender, dirija-se a rua da Sen-
lalla-Velha, n. 70, lerceiro andar.
I.Ail.M.
Urna pessoa, suflicientemente instruida na lingos
latina, pomo consta da cerlidao do seu exame feilo
na academia, propOe-se a ensinar a dita lingos, para
o que recebealguns principiantes, mediante um m-
dico e rasouvel estipendio, prometiendo esmerar-se
quantu Ihe fetr possivel noseu adiantameuto, e no
bom 1-oinpoilamento para comtis meamos alumnos.
Na rua do (Jueimado, n. 14, primeir andar, se dita
quema islo se prope.
ROI.'B.
'leudo sido| roubada na noite de 12 para 13 do
corrento a Ioja n. lOda rua do Cabug, pertencen-
te ao abaixoassignado, consistndoo roubo em du-
as pegas de casimira preta ;duas ditas d'alpaca pro
ta ; dez ou doze de plalilha de linho ; um carlSo
com dez chales de la o seda, e nulro com dez ou do-
ze de carga com flores de seda ; lies pegas de chita
de coberta ; dez ou doze cortes de chita ; e um par
de brincos de (ilaugrana ; o abaixo assignado roga a
todas as autoridades policaes, us nocessarias iuda-
gages para a apprehensflo do sobredilo roubo; e a
qualquer particular que o descobrir promette gra-
tifica lo coma motadedo quesoapprehcnder, guar-
dando inviolavel segredo.
Antonio de Souta Uoreira.
\
9 Roga-se a todos os senhores foreiros de enge- (>
0) nhos, predios e terrenos pertencenles ao pairi- #
9) monio do hospital de N. S. do Paraizo, que es-
9 l.'io a dever foros vencidos de um, dous ou ?
# tres annos, aue hajam de salsfaze-los quanto ?
A antes., alim de nao seretn publicados os seus ?
% iioms com as precisas declarages, visto que %
fffi o annuncianlo de balde se tem esforgado em 9
* l'a/er essa cobranca. A
9> A
Compras.
i'ompra-sc o iraladn de geograpliia per J. L'rculii,
cdi(lo de 1841 : quem liver e qulier vender, pJc diri-
glr-ae ao convenio de Santo-Antonio a fallar com Frei
Moaveuuira de N. S. da Gur.
Cumpram-se duas negrinhas al idade de 20
anuos, ou moleques : na rua Direila, n. 1.
~ Compram-se 200 lijlos de marnjoro : no Ater-
ro-cla-ba-Visla, n. 24. *
Compra-te em piano que lenha boas vozes : na
praga da Independencia, Ioja n. 3, ou annuncie.
Monlepelier
Fonseca, diccionario F P. c P. F. 2 v.
I.hmond.
Telemaque.
Historia sagraAl
Miedlo, I V.
1 Virgilio.
1 Saluslio.
1 Elemento de civilidade.
1 ManuaLenciclopedico.
I Quinlilianode Vilalolos.
1 Lgica de Condilac.
I Methapbysica de Carduzo.
I Droz, a pitea gao da moral.
I l.igao de geographia.
I Manual de agricultura hrssilcira.
1 Auxiliador da industria nacional
- Vende se una burra bastante
da e mansa.- no pateo da Ribea,
mero 91..
30,000
4,000
12,000
1,000
1,000
800
1,000
' 8,000
1,000
1,000
2,000
1,000
800
1,000
1,280
2,001)
2,000
1,000
1,000
1,000
1,000
6,000
1,000
gor-
nu-
DE 6 ROPlTASNcJ&
i O dono deste estabeleciinento no leudo |
podido conseguir veude-lo por causa dos f$
I pretendenles nao quererem de modo algum c[
I licar com as dividas que por seren muilas e KI
i monlaromem grande quantia nao pode o t?-v
aiinuiiciniilc deixar de inenciona-las para p
I com o producto dellas poder muis facilcncn- n
I te saldar cotilas com seus credores para f-
cujo fim tem o annuncianlo feito todas as l
diligencias de negociar dlas dividas, ( anda .
I mesmo com grande prejuizo seu ) tanto g
com os pretendenles Ioja, como com os
mesmos dcvedoies (como de seus animo-
pos anteriores se deixa ver) e que, leudo -.
el les comparecido em minio pequeo nume- i
ro, talvcz pelas circunstancias do lempo |
e mesmo por muitos moraren) a grande dis- |
lamia da praga resolveu o annuhciante ,
entretanto que elles chegucm a sortir de
novo a Ioja com fazendas novas.de difle-
1 coles qualidades e todas mu bem compra-
das lano em prego como em qualidades'fi-
nas a saber : superiores mantas de seda pa-
ra senhora; lengos de setim de cores para
grvalas; ditos de seda para homein o se-
nboia ; cortes de cassas de bonitos gestos;
ncados ministros dos mais linos que leein
apparecido a 260 rs ; lengos de .cambraia
abertose bordados, a 200 e 240 rs.; chitas
escuras e brancas de muito bous pannos e
tintas lxas, a I1.0 rs ;e todas as mais fa-
zendas pelo prego do costume.
Vendem-se cadeiras e marquezas de oleo rom
assenlo do palhinh,. lavatorios, meias pommodas,
mesas pequeas, lucio de amarello, e nutros ob-
jectos, ludt) de forto conslrucgSo e de gosto mo-
derno, por menos de seus valores : na rua das Cru-
zes, 11.31, Ioja do marceneiio defronlc da lypogra-
phia.
-- Vendem-se 4 lindos moloques de 14 a 18 annos ,
sem vicios; 3 prctos do 20 a 30 annos bous para to-
do o servigo ; 1 preta de meia idade que rozinha
muito bem, engomla liso,faz todo o servigo de casa,
o lie muito desembaragada ; I cabra moga bon la-
vadeira e boa para o campo : na rua do Vigario. 11
24..
Vende-se cera de caruabaem saceos, da melhor
que podo haver, a 4000 rs arroba : na rua cslreita
do Rozario, n. 13.
Vende-so urna casa lerrea nova, com sala, dous
quarlos ecozinha, sendo mci'agoa, por prego eom-
niodo, sita no becco do Culdeirciro, n>. 2 : na rua da
Senzalla-Nova, n. 26.
Vende-se um pardo de 32 annos, bom carrei-
ro a trabalhador de fouce e machado; 1 molecole
de 18 anuos, de boa conducta o que se afianga ao
comprador ; urna preta de nagao Costa, propria para
vender na rua ou trabalbar deenxada : na rua No-
va, n. '>
I Chegaram do Rio-de-Jaoeiro com-
mendas da Ros, chapaspera onciaes da
Rosa, ditasde Christo, ditas do.Cruzeiro,
hbitos d* Rosa, ditas de Christo, ditas do
Cruzeiro, tanto pcqtiems como grandes,
e a vista se dir o preco : ni rua do Cres-
po, Ioja n. 17,-de Santos Neves fcGui-
marSes.
Vende-se urna fazonda de gado us cabecniras
de Cariry-de-Fra de nome Noruega com vertenle
d'agoa permanente, ea melhor Ierra que se conh"-
ce para criar e plantar, com extenso para tres fa-
zendas sendo o seu nico elogio a gravidade do
n<1o haver secca que mate o gado visto que a qua-
lidado do pasto he tal e a abundancia d'agoa ,
nflo s da fazenda como das crcunvzinhangas, que
vive ludo farto, e tem de mais a mais lugares pro-
prlos para soltas,|crcados quasi pela natureza. Urna
prnpriedado propria para criar gado do toda a qua-
lidade no lugar da Pilombeira no Cariry-de-Fra,
junto aoBodocong. I ni engenho na comarca do
Coianna porto da cidade, silo em trras muito fer-
iis margem do Sirigy com exlensSo para dous
grandes engenhos, um marcado prximo aooutro
que lho empresta a melhor commodidade desvan-
do cm ptima e plana estrada para cidade, com
maltas sulTicientes e mullo maneiro por estar do-
irusio ha alguns annos ,pelo que necessita de certos
reparos as obras que com quanto sejam de tijofo e
arueira lodavia se tem irrunadovl'az-se qualquer
negocio por urna propriedade na comarca de algum
lugar de areias com ordinaria sullciencia para edill-
car-se um engenho segundo a bondade e mesmo
dimensao doicrretio : os pretendenles dirijam-se a
rua larga do Rozario, n. 48, segundo andar.
Vende-seo engenho denominado Brejo-de-S.-
Jos silo 4 legoas distante da cidade" da Victoria,
em S.-Anlao, moente e corrente com agoa; tem mui-
ta trra tanto em partidos como em malta virgem ,
cercado de valado muito limpo nova e grande ca-
sa do vivencia, de pedra e lijlo, com muitos com-
modos que chegain duas grandes familias, pois so
de fenle lem 152 palmos com boa mohilia de ja-
caranda coniniouas, guarda-roupa, armarios eom
louga um rico npparelho de porcellana para cha,
anda nflo servido bem romo mais yidros porta-
licor, etc. una grande borla de caf queda para
vender por mais quo se gasle, larangeiras, limei-
ras sidreiras. hananviras ooutras muilas fruteiras
do diversas qualidades: vende-so com a safra ou
sem ella conforme a vontade do comprador ; assim
como gado e canillo : a tratar no mesmo engenho.
Vende-se urna preta de 20 a 22 annos, que ro-
zinha bem o diario do urna casa engomma o lava :
s se vendo para o mallo : nu rua do Amorini, n 50.
Vendem-se 2 pretas com habilidades ; urna par-
da do 16 anuos ; um molenuo de 18 anuos, de na-
gao ; um dito crioulo.de 8 annos; um dito de 20 an-
uos, bom ollicial de omites ; um preto de meia idu-
lo.por prego coaimodo : no pateo da matriz de
S -Antonio, 11. 4, segundo andar, se dir quem
vende.
A elles, freguezes.
Com muiim-sii a vender chapeos do palhiuha fina,
muito bem l'eilos, pelo barato prego de 1,280 rs. :
nas Cinco-Pontas, n- 82, e na rua da Praia, 11. 74.
Vemle-ac um molrque de ti a 18 annos, crioulo, ~
bonita finura e sem achaques: o motivo por que se ven-
de se dir ao comprador : defrunle da man 1/ da Ua-
V1.1 1. venda 11. 88.
-- Vendem se sacco vasiot de algodaozinho, sem de-
feilo algum, por commodo preco : na rua do Crespo,
n. II.
Carne fresca inuilo ^orda.
No pateo do Paraso, agouguo novo, n. 27,
com a frente amarella, haver todos os dias carne
fresca da piimeira sorte, e os pesos serflo l'eilos a
vo.ntade dos compradores, indo a primera vez, con -
tiiiueni a ir pel agrado que acharflo semprc no ven-
dedor, assim como lambem llavera earneiro nos do-
mingos gordos e dias santos.

Conliiiiiain-se 1 vender cortes de vestidos de
4 cambraia com lindas liana.-,, brancas e de
g| cores, queja poucosjreslam; meias compri-
&t das para senhora o meninas, azucs, mesrla-
das, rouxas, esverdeadas e prelas a 120)
1 1 no c 200 rs. ; hotOesde duraque preto a
3 40 rs. a duzia : no puteo do Carino, n. 18,
$ secundo andar.
-- Vcude-seuma balanga para venda as hacase
concilles sflo de rame, os pcsosde bronze de 8 li-
bras al meia quarla ; um sellim ingle/, coin pou-
co uso : nas (.ineo-Poulas. 0.71
Vende-se urna porgflode excellei les larangei-
riis para mudar tanto da China como da trra : na
ribeira da Boa-Visla venda da estrella, se dir
quem vende.
Vendem-se muito boas tahuas desedro 1 na rua
da Cadeia do Itecife, casa de Deaue Voule & C
Na rua das Ciuzes, n 22, segundo andar, ven-
dem-se 3 oseravas, sendo urna engommadeira o
que cose chao, cozinha e lava e as nutras com al-
guihas habilidades.
-- Vende-se urna prela do 14 anuos, de bonita fi-
gura propria para lodo o servigo e que lem prin-
cipios de costura : na rua do Cispo, n 1">.
Veude-se urna duzia de cadeiras de pao d'oleo,
cun um jogo de bancas por prego barato : na rua
do Crespo 11.15.
Farinha de trigo SSSF
de superior qualidade enova ; dila americana, em
meias barricas; dita gallega, em meias barricas ;
cal virgem de Lisboa ; vinho do Poito, em pipase
barris de quinto e oitavo superior e mais inferior ;
recitadoras para porta de armazem ; superior cha
hysson nacional de S.-Paulo ; farinha de mandioca ,
einsaccas, por preco commodo : na ma do Viga-
rio armazem n. 11, de Francisco Alves da Cunta.
Vende-se,ou aluga-se, por prego muito com-
modo, e as pegas quo conviem ao pretndanlo e pelo
lempo que quizer loda a quanttdade de moveis.como
bem cadeinrs com assenlo de palhiuha a 24,000,
32,000,45,000,50,000,72,000 6 84,000 rs.; carleiras
para viagens, com seus portenecs, relogios de cima
de mesa a 16,000 rs. cada um ; sophas, commodas,
bancas, camas tanto com lastro de palhiuha cpmo
sem elle mesas de dilTereutcs Umanhos para jan-
lar; ditas elsticas; jogos de bancas para sala ;
maiquezas ; estantes para Itvros ; guarda-louga ,
anual os; eslojos para navalhas, e oulrOS mullos
objectus quo a vista dos pretendenles estar jo paten-
tes : na rua Nova, n. 67.


p";r-------- "~
No armazem de Francisco Pas Forreira, no
caes da Alfatnlega venile-se feijflo mulatinho sem
mistura e de milito boa qualidade.
Superiores charutos.
No armazn! de Vicente Feireira da Costa, na ra
da .Madre-Duos, vendem-se superiores charutos,
obegados da Babia no hiate S.-llenedicto em caicas
e barricas, pelo diminuto prego de 6,500, 7,000 e 10/
rs, o mjlbeiro.
Vende-se arroz de vapor, dito de casca, dito da
trra saccas com milho : ludo do melhor que ha no
mercado, por precocommodo : na ra da Prais ,
beccodo Carioca, loja de alfaiate n. e venda
n.97.
Vende-se cal virgem de Lisboa, de superior
qualidade, em barris de 4 arrobas chegada neste
mez pelo brigue Maria-Jot: a tratar na ra do
llrum armazem de Antonio Augusto da Fonseca ,
ou na ra do Vi gario, n. 19.
Vendem-se sellins inglezes e camas
de ferro : na ra daSenzalla-nova, n. 4*.
Agenciada fundicao
Low-Moor, ra da Senzallft-
nova, n. 42.
Neste estabelecimento contina a ha-
v.i 11 m completo sortimento de moendas
e riieias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
--Vendem-se, na ra da Cruz, n. 21,pedrasde mar-
more francezas para mesas redondas o consolos.
Vendcm-se, na ra Direita taberna n. 53, sac-
ras com um alqueire de milho novo, a 3,500 rs. ; di-
tas com mi o-/' pilado ; diliis com caf; ditas com
feijflo ; e tos os mais eleitos de venda inais barato do
que ^m outra qualquer parte ; bem como urna pop-
QfiO de madeira de louro e oleo para marccnero.i
travs de diversas grossuras. '
Com miio pendente
He que os eu quero;
Ao bom e barato
Eu c os espero.
NA RA l>0 QUEIMADO N. 16, I.OJA DE JOS' DAS
SlafOES & COMPANIIIA.
' aos sus. AnMAOOBBS.
Vendem-se, por precomaiscommododoqueem ou-
tra qual quer parte, volantes largos e eslreitos, lira n-
co c de cor, bem romo trina larga e cstreita, ren-
da prateada e dourada, espeguilhas, galflo entre fi-
no, &, &, &.
A0 BOM COSTO I UA MODA.
Froco, (las de velludo de todas as cores, proprias
para en I riles, e muito proprias para s cabezadas se-
nhoras ; bem como lilas lavradas c lisas, assetina-
das, do melhor gosto possivel; bicos de linho de su-
perior goslo e qualidade; agulbas francezas, muito
linas, tanto em carleias como em caixinhas; linha
de marcar azul eencarnada, muito lina; luvas de
pellica de ludas as qualidades; meias de seda e nl-
godio brancase pretas para senhoras; bicos; pentes
de tartaruga para marrafa; ditos de blalo para ali-
sar e de varias qualidades; os mais Pinos perfumes
de varias qualidades; escovas e pos de denles; ditas
para cabello, muilo finas; ricas cutilarias, contendo
varias qualidades de lesouras para costura e bor-
dar; dilas para unhas; e um completo sortimento de
todas as fazeudas, proprias de loja de miudezas.
VcnJc-se, na ra da Moda, n. 19, segundo an-
dar um molequo de 18 annns, de nacflo ; urna pre-
la de 30 annos, crioula, que cose chao ho quitan-
deira c faz lodo o mais arranjo de um casa : o mo-
tivo da venda he por seu senhor retirar-se para fura
do imperio.
Vende-se, na ra Nova, n. 56, um guarda-louca
com | oucii uso iiiin commoda de Jacaranda um
reluci de quadro muilo superior um par de va-
sos de poiccllana ruin llores, de iiiuilo bom goslo
duas mangas do vulto para se trr santos com de-
cencia um diccionario latino Ja ultima edicilo
ludo se vende mullo barato, por seu dono ter' de
relirar-se.
Vende-se, na ra da Moda, n. 19, segundo an-
dar, urna mutulla de Jacaranda contendo 12 cadei-
ras 1 sopha 2 bancas, 1 dita de meio do sala
commoda,! lourailor,! lejo com seus enxergoes
em bom uso., 1 candiciro frsncez de meio de sala ,
1;' i- ideiras americanas, urna jarra da llabia para
agoa 6 quadros da colleccflo de I) Ignez de Castro ,
em bom oslado e cutios mullos trastes : ludo por
barato preco, por seu dono ler de retirar-se pira
ra do imperio.
Cheguero, freguezes, ao bom
e tresvezes barato.
Vende-se velludo de seda, de superior qualida-
de ; ricos cortes de vestidos de seda proprios para
bailes e casamenlos ; chales de seda prela lavrados
e de superior qualidade ; sarjas adamascadas de co-
res ; ricos corles do colletes ; chaies de lila de dif-
erentes crese gostos, e alijuns de tamanho pro-
prio para meninas ; pannos para cima do mesa de
muilo bom gosto jselins lisos de diflerenles cores,
de superior qualidade, e imitando os de Macan; fi-
tas liras para enlutes o oulras mais baratas, pro-
prias par boceteiras ; lencos de seda para algibei-
ra ; ricos adereces de ouro chegados ltimamente
da Franca e do molhor goslo conhecido ; merinos
de todas as cores: pannos finos de crese alguna
proprios para palitos e capotes : ludo pelo mais bai-
xopieco, por ser para liquidado : na ra do Trapi-
che, no Hotel-Francisco.
AGOA DETINGIB. CABELLOS E SUISSAS.
Continuarse a Vender agoa de tingir cabellos e
suissas : na ra do Queimado, 31. () metbodo de
applicar a dita agok acompanlia os vi.Iros.
iVinbo barato.
O prorrielario desle estabelecimento, deseiando
conservar o* seus Ireguezes e nlo Ibe sendo pussi-
vel pelo proco de 160 is. a garrafa visto ter o ge-
uero subido cerca de 20,000 rs. por pipa, em rasiio
de nao ter viudo ao mercado,fbem contra a sua von-
lade; v-se na dura precisSo de augmentar o pre-
$0 e pelas rasOes apuntadas, conta que seus fre-
guezes Ibe faiao fustica ese nSo escandalisaro.
A dinheiro.
Sapetos inglezes; ditos de Nantes; ditos dcPaiis ;
ditos do Aracaty ; elodo o mais calcado que so faz
preciso 1 tanto para hornero como para senhora e
crianzas ; assim como soso dar a amostra como
competente peuhor para evitar (lados : na praca da
Independencia ns. 13 e 15.
Vendem-se 2 escravos, sendo um prelo, mojo,
de bonita figura, e um molequo de 12 annos pouco
mais ou menos, sem vicios nem achaques : na ra
do Crespo loja n. 2 A, se dir quero vende.
Vendem-se 4 lindos moleques de 12 a 18 annos ;
3 protos de 25 a 30 annos*; dous pardos de 18 a 25
annos f 2 negrinlus do 9 a 12 annos; una miilatl-
nlia de 16 annos com algumas habilidades; duas
pretas com alguna habilidades : na rus do Collegio,
n. 3, segundo andar se dir quem vende.
.Vendem-se barris com breu, no ar-
mazem n. 2o, defronte da guarda da ul-
fandega, por preco muito commodo: no
mesmo armazem compra-se um pardinbo
nu moleque de doze a dezaseis annos: a
tratar das 9 at 4 horas da tarde.
Luvas de pellica-
Vendem-se luvas de pellica para senhora da me-
lhor qualidade possivel; oculos de difidentes graos e
vidros : na ra larga do Rozario, n. 24,
Potassa.
Desembarcou ha poucos dias urna por-
93o de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acbam a venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se venda, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de Bailar &01iveira, n. 14.
-Vendem-se presuntos inglczes para hambre;
lulas com bolachinhas de Lisboa ; dilas de araruta ;
ditas de marinelada de 1, 2 e 4 libras ; ditas de sar-
dinhas ; ditas de hervilhas ; ditas de chocolate do
Lisboa ; frascos do conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja ; barris com azeitouas brancas de Elvas ;
garrafas com violto moscatel de Setubal e da Ma-
deira ; queijos de prato, frescaes : ludo novo e
chegado ltimamente de Lisboa : na ra da Cruz ,
no Itecife, n. 46.
Conlinuam-se a vender saccas com superior
colladas fabricas do llio-Crande-do-Sul, por pre-
co commodo : na ra da Moda, n. 7.
Madeira de pinito.
:va ra de Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um Iciccjrn alina/rm i'um unid'-ia de piulio
da melhor qualidade que lem virrW a este mercado,
o serrada de todas as grossuras e comprime ntos :
vende-se pelo menorpreco que he possivel.
Aos fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Corpo-Snto,
11. 66 recebe-se por lodos os vapores vindos do sul
pui <:un de cigarrilhos hespanhes, ditos de palha de
milho assim como superiores charutos de varias
qualidades : tudo se vende por preco mais barato do
que em outra qualquer paite.
Vendem-se saccas com superior
feijo miilatitiho, a 5,000 rs. cada nina :
na porta da AlfanVga, armazem do La-
raleiro n. ao.
Vende-se o engento Novo do Cabo para paga-
mento da hypolheca que nelle lem o Sr. Joflo Yieira
da ('.un lia : quem o preleuder dirija-se ao mesmo en-
genho a tratar com Francisco Jos da Costa.
CHA'BfUSILEIRO.
Vende-se.ou armazem de molhados atrs do
Corpo-Santo, n. 66, o mais excelleute ch produzi-
do em S.-Paulo, que lem viudo a este mercado
por preco muito commodo.
Alftodao trancado da fabrica
de Todos-os-San los da
Babia,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende so em casa de \. O. Iliober & Com-
paiihia, na ra da Cruz, n. 4.
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos inglezes para
fiambre, chegados no ultimo navio; up armazem
do llraguez ao p do arco ua.Conceico.
1 oilia de Flandres.
--Vendem-se caixas com folha de Flandres: em
casa de J. J. Tasso Jnior : na ruado Amorim, n. 35.
Crtesele talcas, a 1,'JOOrs.
Vendem se cortes decalcas de gambrcOes, pelo
diminuto preco de 1,260 rs.: esta fazenda he de
muilo corpo, escura o propria para a presente est'a-
Cflo ; rjscados para vestidos esculos e de cores se-
guras, com cinco palmos de largura, a 300 rs. o
covado : na ra do Collegio n. 3. Na mesma loja
vendem-se pannos para mesa a 1,400 rs. cada um.
Vinho barato.
Acha-sc cslabelc'cido na ra da Madre-de-Deos ,
n. 36, um armazem do
Vinhos da Figucira
de ptima qualidade a preco de 1,360 rs, a rana-
da e a 180 rs. a garrafa e para no haver dolo do
comprador seriio lacradas as garrafas o com rotu-
lo, recebendo^se a garrafa vasia e dando-se imme-
diamenle a outra cheia : tembem ha bariis muito
pequeos, proprios para quem. passa a festa. O pio-
prielario de.-te estabelecimento pede encarecida-
mente que se nfiO illudam avahando peto diminuto
preco e sem conhccimenlo do causa a qualidade de
sua fazenda digna por cerlo da estima dos verda-
deiros amantes da boa pinga ; elle conta que quem
uii.ii vez provar continala com gosto o sem arre-
pendimento. E o bom prego.'! A todo o esposto
accresce o asseio e hom acondiciona ment, o que tu-
do se poder verificar em dito estabelecimento.
Vende-se urna cabra perfeita coslureira en-
gommadeira ecozinheira : na ra larga do Uozario,
luja n. 35.
Vende-se um moleque de nacflo de 16 a 18 an-
nos de elegante figura sadio e sem vicios, o qual
lem dous anuos de ullicio de calafate : nu Alerro-da-
Boa-Vista n. 86, segundo andar.
Vende-se um bonito cabriolel discoberlo e em
bom uso pela barassimo precu.de 250,000 rs. : na
ruadu Crespo, n. II.
Ao bom sto.
Na ra do Queimado viudo do Uozario, segun-
da loja n. 18, vendem-se os mais lindse superio-
res cortes de casimiras, pelo commodo proco da
7,000 rs. r v
-- Vende-se urna vacca muito boa de leite : na ra
do Cotovello, n. 1.
-- Vende-se arroz grado do MaranhSo, recente-
mente chegado : no armazem n. 1, ao p do arco da
Conceicffo, a 2,000 rs. por arroba fazendo-se al-
guma differenca de cinco saccas paja cima.
Vendem-e na ra do Crespo, n. II, os seguin-
tcslivrosi Atlas de Simancourt, novo; Magnum
Lexicn ; Tito l.ivio ; Horacio ; Virgilio ; Salustio ;
Conidio ; Fbulas: Selecta ; grammatica latina de
varios autores; diccionarios) de Moraes da ulti-
ma edicRo, novos : e continuam-se a comprar e tro-
car livros.
Cha barato
Vende-se muilo bom cb, pelo prego de 500 rs. a
libra : na roa do Crespo, n. 23.
-- Vende-se urna preta de meia idade, pelo bara-
to preco de 120/ rs.: na ra estreita do Rozario,
n. 13.
Vende-se superior farinjia do Rio-de-Janeiruo
por preco mais commodp do que em outra qualquer
parte: na ra Direita, padaria n. 24.
Para quem quizer ganhar
dinheiro.
Vendem-se os preparas de urna fabrica de fazer
velas de carnauba, constantes de formas, derretedo-
res, bancas, alguidares, etc.: este negocio he an-
da um dos com que se ganha bastante diahelro, e o
dono sn desfaz por se retirar para fra da provincia 1
airas da matriz da Boa-Vista, casa de sot3o n. 4.
-- Vende-se urna porra do raca bah, muito gor-
da e mansa com 6 leilOes ; urna porcilo de casaes
depombos, muilo grandes, bonitos e da melhor
raca que existe na provincia : na ra da Floreutina,
n. 16.
Na ra do Queimado vindo do Rozario, loja
n: 18, vendem-se chapos de sol, de seda, pelo com-
modo preco de 5,500 rs.; ditos para senhora e me-
ninos a 3,000 rs. ditos, pretose brancos para ca-
beca de meninos, a 1,280 rs. ; lencos pretos de seda,
i jii rs. ; ditos floridos de Illa com franjas, para
hombros de senhora a 500 rs. ; alpaca de linho da
diversas cOres, a 500 rs.; chitas escuras de bons
pannos a 140 rs. o covado ; e outras muitas fazeu-
das por commodo preco.
Vendem-se 4 casas, ou a que agradar, na ra
da Sen/alia-Vellia, em seguimentojpara as Portas, e
urna terrea na ra de Agoas-Verdes : vendem-se por
seu dono retirar-so para tratar de sua sade : na ra
da Soledade n 52.
Vende-se um sitio com casa de sobrado boa
cacimba e muilos arvoredos de Inicio em (Muida,
na ra do Jogo-da-Bola na mesma cidade, botica da
ra do Amparo, n 5.
Farinha de mandioca.
Vende-se faiinha de mandioca de superior quali-
dade, em saccas grandes a 4,000 xa. cada urna e
por monos sendo poreflo por se querer finalisar a
venda desto genero : na ra do Collegio, vendado
Sebastiao Jos Comes l'enna.
Ao barato.
Vendem-se corles de esmbraia de cores.a 3,000 rs.';
ditos de cassa a 2,000 rs.; riscados francezes a
200 rs. o covado : na ra do Queimado,*quatro-can-
tos, loja do sobrado amar ello, n. 29.
Vendem-se cortes de cambraia do cores e
modernos padrOes; riscados francezes finos;
chitas* francezas largas c de novos padrees ;
riscados largos, proprios para camisas; cas-
sas linas o de coi os, goslos inteiramenle no-
vos ; brim de puro linjio de cOres e bran-
cos de lislras; casimiras francezas de novos
pudines ; lencos de seda da India ; e outras
muitas fazeudas finas : tudo por prer;o de
agradar aos compradores : na ra doQuei-
mado qualro-canlos, loja do sobrado ama-
relio II. 29.
Vendem-se setins de todas as eres proprios
para armacoes de igrejas e pura forros, por preco
milito em conta : na ra do Queimado, loja do so-
brado amarello, n. 29.
Veqde-se algodilo da Ierra a 200 rs a vara : na
ra do Queimado, loja do sobrado amarello, n. 29.
Vende-se una por;5o da saceos de estopa para
ensaccar assucar efa/inha ououtro qualquer ge-
nero por preco rasoavel : na ra do Trapiche-Novo.
n.14.
Vende-se um prelo do nac.Io de bonita figura ,
quo traballia em armazem de assucar pelo dimi-
nus pi eco de 450,000 rs. : o motivo por que se ven-
de se dir ao comprador : na ra do Cotovello, n. 31,
ale as 7 horas da mauh.la em rasiio do mesmo pre-
lo eer oceupado no armazem.
No Atcrro-da IIoa-N isla de-
fronte da boneca a troco
de dinheiro ,
ha chegado ltimamente um novo e completo sorti-
mento decalcado francez de todas as qualidades,
tanto para homein romo para senhora e enancas
boi2eguius para homem, a 4,000 rs sapatoes de lus-
tro a 5,000 rs.; os muito desejados sapalOcs de
Nantes ; sapates de cordovao, para senhora, a 1/
rs. ; ditos do lustro, duraque, selim o marroquim;
os bem conhecidossapalOes do Aracaty lano para
hornera como pura.neniaos : ludo por preco com-
modo.
Vendem-se sapatoes brancos de so-
la e vira, para bomens e meninos, a mil
rus : na ruada Cadeia do'Itecife, n 9.
Vende-se um prcto de naco propri para to-
do o serviQo o qual he gahhador e paga 480 rs. dia-
riamente po< preco muilo commodo e por menos
ser se fr para fra da provincia : na rus das Flo-
res, n. 19. m
Vende-se, ou permula-se por urna casa terrea
nesla cidade ou por escravos um sitio pe-
queo, todo murado, cssa do sobrado e armazem
quo podo servir para cocheira, na povoaco do Mou-
teiro, inargem db rio propria para pssar a esta-
ca o calmosa por ser a ca*a muito fresca : a tratar
na ra Nova, 11.52, priineiro andar.
Vendem-se sapatoes de couro de
lustro pelosjiaratissimos piceos de3,ooo,
3,5oo e 4)Ooo rs. ; ditos para meninos,
de 3,000 a a,5oo rs. ; sapalos ditos para
___-------- ----I
scnbora, a t,i8o rs. ; ditos de tnarro-
quim,a 1,000 rs. ; dilos para homem,
1,200 : na ma da Gadeia do Recife, nu-
mero 9.
Em casa de Hebrard & Companliia na ra do
Trapiche-Novo, n. 22, vendem-se salame de Bolonlia
e queijos de Gruyere muito frescos.
No armazem 4o Bacelar, vende-se arroz de va-
por a 1,400 rs a arroba. Cjg .
Na ra das Cruzes, ri. 22, segundo aiMir, ven-
dem-se duas escravascrioulas, que s3o engoama-
deiras e costureiras ; urna dita de todo o servico;
um escravo do servico de campo : todos de bonitas
figuras.
Na na do Queimado, n. 19, anda
ha para vender um resto de saccas com
arror pilado, muito superior, e por preo
commodo.
Vende-se urna escrava denacSo, d 25 annos,
bonita figura e sem vicios, a qual ensabi, cozinlu ,
o diario de urna casa e be quitandeira : na ra do
Queimado, n. 10, terceiro andar.
Cantan ba.
Vede-se, na ra da Cruz, n. 21, urna por^So 4
cera de carnauba de superior qualidade, por lo
do o proco.
Depreciacao.
Vendem-se pecas de cambraia com *1 covado*,
de bons desenhos, ptimas para cortinados e mes-
mo para vestidos sem a menor avaria pelo barato
preco de 3,500 rs.; cortes de cassa com 7 varas, que
j valeram 6 c 7,000 rs. por 2,000, 2,500 o 3,000 rs.;
pecas de parisiense, fingindo seda com 8 varas, a
3,000 rs.; ISa de boa qualidade, para vestido*, a 320
rs. o covado; princezinha do seda escurs, mui
transparente, propria pata mosquiteiros a 400 rs.
o covado : na ra do Crespo, n. 11.
Lustro.
Vendem-se pelles do bezerro francezenvernizadas,
de muito boa qualidade, por lerem viudo de amos-
tras por preco commodo pelles grandes e se res-
ponde pela sua boa qualidade; bom como marro-
quim preto o de cores : na praa d Independencia.
ns. 13e15.
Cadeiras baratas.
Vende-se, por 30,000 rs., urna duzia de cadeiras
do palhinha americanas; mas note-so que sHo da-
q uellas queja ha muito nao veein ao mercado, mui-
to fortes, e de elegante feitio : no pateo do Collegio,
priineiro andar, junto a casa amareila.
Vendem-se ssaccas de fejo msnleiga, viudo do
Itio-de-Jaueiro, por preco commodo : na fu larga
do Uozario, venda n. 25.
>j^__________. ~- ~
Escraros Fgidos'
Fugio, nos primeirosdias de Janeiro prximo
passado do engenho S -Joflo freguezia do Cabo ,
um molecote de nome Anastacio de 14 a 16 annos,
de bonita figura rosto muilo regular um pouco
fulo, falla baixoe brandamenlo; levou calcase ja-
queta de riscado azul e bonete : quem o pegar le-
vo-o ae dito engenho, ou no Moodego nestatfida-
de casa de l.uiz Comes l'arreira que recompensa-
r com loo.oo* rs.
-- No dia 5 do marco prximo passado fugio, do
engedho Piabas, do Uom-Sucesso, municipio do
Porto-Calvo, provincia das Alagoas, um escravo
crinulo, de nome Viclor'no ; representa ter 25 sa-
nos ; he alto e proporcional ment grosso rosto re-
dolido e cicatrizado de bexigas, nariz chato barba,
posto que pouca espessa bem circulada bem tei-
todemni.se pus; levou urna trouxa com alguoia
roupa contendo urna calca branca de brim de qut-
dros outra de algodilo azul, jaqueta de chita bran-
ca chapeo fino um estojo com navalhas e espe-
llio um sueco de panno de rede que sem duvida Ihe
servir de malote ; toca pfano ; he bem desenvolvi-
do no fallar e andar, fcilmente pode passar por
forro. Moga -se s autoridades policiaes eapitSesde
campoe pessoas particulares, que o apprehendamo
levem-no a seu senhor, Joflo Duarie Lopes de Vas*
concellos, propietario do dito engenho, ou ncsti
cidade a Lino Jos de Castro Araujo, na. praca do
Commercio,n. 2, que seriio recompensado.
|> Fugio, do engeuho Gregorio, freguezia de Tra-
cunliflem, um preto do'uome Jos, crioulo, baixo ,
meio corpo; lem urna marca de queimadurs na m3o
al o cotovello : quem o pegar leve-o ao dito enge-
nho que ser gratificado.
No dia 13 do corrente desappareceu da casa do
abaixo assignado urna escrava de nome Joanua, de
altura proporcional, oheia do corpo, erra redouda,
olbos grandes muito preta, crioula ; lem os beicus
grossos, e em urna das munhecas das mSos tcm urna
grande costura de um talho : quem a pegar leve-a
a lloa-Vista segundo andar da viuva Cunhs.-r'rwi.
cisco Xavier Cavalcanli de AlbuguirQue.
Fugiram deBeberibe, do engenho de Joto
de AlemSo Cisueiro 3 escravos : um pardo, de Do-
me Deonizio ollioi.il de carpina casado com tuna
crioula baixa, cheia do corpo, a qual cose e en-
gomma de nome Anua Mara e um crioulo irni3u
da negra, de nome Jos Venancio, ollleial de pedrei-
ao mocos ; levam duas carias para o Cabo, una pa-
ra Antonio do llego Ranos no engenho do Iluto, e
outra faia Antonio llaptista Teixeira no engenho
Garap, que os quera comprar : e como fraiu |iur
dous dias, efazora seis uilu lenham appMcido, ro-
ga-se as autoridades policiaes o capiles de eami'o i
que os apprehendam e levem-nos ao dito engenho ,
que serflo gratificados. Adverte-se que o psrdo he
natural doseitflo.
Ausenlou-se, desde 7 de Janeiro de 1819, um es-
cravo do nomo Joao l.uiz, crioulo, carreiro, de 36an-
uos puuco mais ou menos, do altura regular, gros-
suia que eoudiz com a altu la pouca barba e so fu-
cilada nu queijo debaixu com ulguuu pinta de Ca-
bellos brancos na mesma barba pernae finas; aflir-
uiando para qualquer pessoa frange o coro da lesii
em cima das soinbrauseltias; falla mansa, cara cu^
ta n.acaes alias, tesla de jucanam nariz um tuniu
ou quauo clialo.ullios meiosembranquecados. dan-
tes peifeitos, signaos encobnos; lem sobro uot-dus
hombioi uina cicatriz couipiida u pruporeflo de urna-4
chicolada quefoi uinriscu de um gaviflo tle u-a-
chado; tein na barriga cima do embigo dous caro-
ciolios, um maioreoutro mais pequeo quo pouco.
appareo : quem o pegur lovo-o ra do Kogo, u-
48, quosora gratificado.
Pern.
! -L-i. i-i-JJl.'- I
NA TYP. DE M.
F* VJ FAMA 1*1-
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EV4AUYODN_YBD6FG INGEST_TIME 2013-04-13T01:26:49Z PACKAGE AA00011611_06464
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES