Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06457


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV.
Sa bbado 7
0 D/.4/t/Opublica-setodos os diasque nao
I forein de guarda. O preco da asignatura he
annuncios dos assignantmi sao inseridos
r is.iD de 20 rs. por linha, 40 rs. em tvpo df-
[fr rente, eas repellcOes pela inctade. Os nao
.^signantes pag'arSo 80 rs. por linlia e 1G0 rs."
I''ni lypodill'erentc, por cada publicacao.
PIIASES DA LA NO HEZ DE AMUL.
I.ua abela, a 7, 1 Horae 30 utin. da lard.
Mingoante,a 15, as4 llorase 4811)10. datard.
I I.ua nova, a 2,s9boras e 34 min.datard.
Crecente, a, 28 as ti horase48min.da manh.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahiba, s segs. e scxtas-leiras.
Rio-G.-do-Norlc, qulntas-felras no roeto-Uia.
Cabo, Serinniiein, Rio-Formoso, Porto-lalvo
Macei. no 1." a 11 e 21 de cada mez.
Oaranhuns e Bnnilo, a 8 e 23.
Boa-Vina e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quinlas-fciras.
Olinda, todos os dias.

PREAMAR DE HOIE.
Prinieira, s' 3 horas o 42 inhiutos da tard.
Segunda, as 4 horas e ti ininutoa da manh.
de "Abril de 1849.
N. W.
DAS DA SEMANA.
2 Segnnda. 8. Francisco de Paul*. Feriado
em toda a semana para os nrgoclos fo-
renses.
3 Terca.S. Ricardo.
4 Quarta de Trevas. 8. Isidoro.

.'i Quinta de Endoencas. ( .',..> do meio dia
em diante.) S. Vicente Ferrcr.
G Seitada Paiio ( >t>t ateo meio dia. )
S, Marcelino.
7 Sabbadod'Allcluia. S. Epifanio.
8 Domingo. Paschoa da Rcssurreico.
S. Ainaucio.
CAMBIOS NO DIA 5 DE ABRIL.
Sobre Londres a V/.ttSA. por l/rs. a MI d.
. Paris 360
Lisboa ICO por cento de premio.
Rio-de-Janeiro ao par.
Dse, de lett. do boas firmas a l'A % ao maz.
Acetes da comp. de Bebcribe. a 50f rs. ao n.
Ouro.Oncas hespanholas. 3J/000 a 30/500
Modas de (00 v. 17/200 a 17/40
. de 6/400 o. 16/200 a Ib'/lW
de 4/000.... 9/200 a 9/io#
Prsta-Patacoesbrasllelros 2/000 a /W0
Pesos columnarios. 1/980 a 2/WIO
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/92
PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DA GUERRA.
1. Sereilo.lllm. e Exm. Sr.Fiz prsenle S.
M. o Imperador o seu oflico n. 48,de.1l do faveroiro
ultirr.o'qoe veio acompanliailo do relatorio do com-
mandantc Has armas sobro o Hinque dado contra essa
capital pelos rebrilles no dia 2 do dito moz : eo
mesmo augusto Senhor, dando lo lo o apreco aos
actos de valor e dedjcac.to causa da monarchia
constitucional, entio praticados pelos defensores da
ordem, e auloridade legal, o da vcnladeira libcrda-
do, houve por bem agraciar os individuos constan-
tes da relcelo-junta : (*) e manda declarar V. Exc.
que, para serem igualmenente galardoa los oulrss
benemritos cidadflos, conformo os servicos que em
difierentes pontos da provincia hajam prestado, se
aguardam as informacoesja pedidas a essa presiden-
cia. Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-de-Ja-
neiro, em 16 de marco de 18t9.Manoel Felitardo
de Sonta t nciio.Si. piusidenie lia provincia do
Pernambutfo. ______^_^_
MINISTERIO D.V JUSTICA
3.*Serillo.Rlo-de-Janeiro. Ministerio dos nego-
cios da jualica, em 5 de marco 1819.
IIJru c Ezin. Sr.Ilcsponden lo ao sen ollicio de
31 de julliode 1848, n. 5, cumpre-me dcclarar-lhe
qiu! a duvida por V. Exc. proposta, est resolvida no
nviso de II ile julh i do 1812, n. 76, o qual,sendo pos-
terior o regulamento n. 120 de 31 de Janeiro do
1812, tem toda npplicacilo hypothese actual.
Nen obsta que os recursos nterpostos do despa-
cho de nflo-pronuncia nflo lenhnmcfTeito suspensivo;
porque, quando o presidente suspende e manda res-
ponsahilisar, mo lio a suspensflo cITeito do proces-
so, alias dar-se-bia o absurdo do existir o efleito
antes da causa ; ella he um acto anterior que fui
eslratiuo o juiz processante, e que por consequencia
ileve existir enuiuanlo ufio lindar por sentenea pas-
sada em julgado o processo de responsabilidade. As-
sim.convm que V.'Exc. faca guardar o que jurdica-
mente diapoz o citado aviso do 11 di' julliii ili> 1812
lieos guarde a V. Exc Ensebio de Queiros Coulinho
Mallozo da Cmara.Sr. presidenta da provincia do
Piauhy.
AVISO A QUE SE REFERE O DE 5 DO PRESENTE
MEZ, CIMA PUBLICADO.
I!m. eExm.Rr.-Fol presente a S M. o Impera-
dor o dulci n. 69, que, com data de .5 de maio an-
tecedente, me dirigi o vice-presidente dessa pro-
vincia, em que depois de participar que, qunndn o
juiz de direito da eOmarca da Pnrahyhuna Iratave
de cumprir as orden* dessa presidencia, relativas
ao processo dos vereadores suspensos da cmara
municipal da villa do Presidio, coustou-lhe que ellcs
linliam sido ( como 04 de Ilarbacena Renunciados
pelo promotor publco perantoojuiz de paz respec-
tivo, que, julgatido improcedente a denuncia, dra
Intuir ao mosmaj>romotor appellar para a reanlo 'do
dislriclo ; |iergunla, so 1 en lente o recurso, p-
dein ou nIo aquclles vereadores suspensos, por acto
do governo. continuar no cxcrcicio do suas func-
c'ii's : e o mesmo augusto Senhor manda declarar a
V. Exc, em r. sposla ao citado ollicio que, quanto
a appellaco bem 011 mal inlerposta, dove-se espe-
rar o esultado; e emquanto aos eircitos da sen-
tenca, que julgou improcedente a denuncia dada
ibis vereadores suspensos por orden) do governo,
deve esta suspensio subsistir emquanto aquclU
sentenea nflo passareflv-ctiva c legalmenle em jul-
; a !o, depois da decisflo do recurso da appullncflo
ex offliio, quo no ehlanto co;uorva-os susponsos
no-estado 0111 que so achavam. lieos guardo a V.
Ex-. Pul. ciu ib) l!io-de-Jineirii, em.11 dejulhodo
1843 l'aulino Joi Soaret de Souia.Sr. presidente
da provincia de Minas-C.eraes.
MINISTERIO DA FAZENDA.
EXPEDIENTE DO DIA 26 DE FEVEREIR0.
Ao inspector da alfsndt'ga, que para evitante fu-
turo conflictos somelliantes aos du que den cunta em
T ilude/i'iiibii) e 8 de Janeiro ltimos, lleve por cin
execueio as seguintes disposicOes : I.* as mercadu-
ras u|i; ii'iihiMnl 1 las^ieliis vigas en) aclo do desmn-
bnrque, ser.lo por ellos levadas em continente com
os exlraviadores presenta em aclo de ombarquo do administrador do consu-
lado. 2.*Seaquelle dos ditos cheles, a quo for le-
vada a apprehens1i), reconhecer que ella H10 nao
compile, pp|a naturea do objecto. appiebeiidiilo,
assia o declarar ao apprchrnsor, o eslo a levar lo-
g"n ao cliefe competente. 3." Sendo feita a apprelien-
s1o em boras que nflo esliverem aberta as reparti-
eres, os vigas levariln a merca loria e os extravia-
dores barca de viga m.iis prxima, eahi os duixa-
i'Ho em deposito, declaiando ao commandante da
barca ae izeram a apiuebenso cm acto de emuar-
(|U0 9udesoiiit)urqiie, o cobrando delle recibo. 4."
Seosvlgiss iio coniparecerein a bordo da barca no
,Vil|>aitic0es,para c'onduzirem a ellas a apprehensilo.o
Viimiiianrfaiilc da barca a reielteri com parto auu
ao chefe competente. 5 Silo cscusaas as partos
por rscripta ao guarda-tnr o inspector da alfande^
g", c adiiiT'nis'.rador do consulado, com que os vi-
gias eotiiinar.i aconipanhar as apprchcnsoes; pois
que, na conformidadn do artigo 284 do regulamento
i
(*)'A re!a(So conlin os mesmus despachos quej
publicamos cm o 11. 68 deste Diario. Os RK. I
de 22 do junbo de 1836. devem elles acotnpanhar em
pessoa a apprehenso.e fazer verbalmenle as declara-
cOcs legaes necessarias.que dcllcs exigir o chefe res-
peclvn.que as mandara escrever no termo da appre-
hensfio. 6.' Pelo que loca'aos objectos apprehcndidos,
cujo conhecimento nKo pertencer alfandega e con-
sulado, como ouro em p, cartas, e gado do paiz
subjeito a direito de entrada na cidade, os vigas os
levarflo aos chefes das ropartQOes a que pertenee-
re.m, oj os depositarflo nos lugares que se acham
determinados, seguindo, quanto ao mas, o dispos-
to nos artgos antecedentes.
AO presidente do Para, respondendo ao ollicio
do 21 de agosto sobre a duvida se um estrangero
pode arrecadar direftos nacionaes como socio do
3ualquer arrematante do rendas, quo bem enton-
en o procurador-fiscal da thesouria, sendo do pare-
cer que a arromalacilo, que a |ei manda fazer de cor-
tos ramos do renda, he um verdadeiro contrato do
compra e venda, que est inleiramento no dominio
da jurisprudencia civil, e que os estrangeirns quo
induhttavelmente gozam dos diretos civs pdem
por st, ou do Micimiaiiii uui os ri,iCiuuns coccrrer
a semelliante arremaUc.lo^ celebrar com a fazenda
os contratos, etnvirtude dusquaes elles vem a gozar
o lodososdireitos,accOcs e privilegios quediinanam
dos mesmos contratos, e que por le Ihe sflo oulor-
gados.
A'tbesouraria da Babia, para puo se pague a
Francisco Fornandes de Mallos, solicitador dos fni-
tos da'fazenda, ovencimento que lhe compete na
forma do artigo 49 da loi de 28 de ouluhro do anno
passado, a contar da data da publicaejo da dita Ici
A'de Sargipe.sobre a exeencflo >lo artigo 43 da le
d.-|28 do ouluhro do anno passado.so declara que,ape-
nas reconhecido e liquidado o alcance dos th'sourei-
ros.collectorcs.'ou oulros qnaesqtier einpregados, ou
pessoasa cujo cargo ostejam dnlieirospubllciis.licam
elles obrigadoa ao juro de 9 por cento, na forma do
sobredlo artigo, anda quando seja a cbranos ox-
trajudicialmcnte feita, e que da dala da pnblicacfo
da lei tem a fazenda nacional o direito de exigir
dos '.caneados o dito uro das dividas que ainda
no livercm pago) euinprlndo, porcm, que os res-
ponsDvcis nos casos da le, contra quem se tenham
promovido as execucOes antes da'sua promulgacflo,
com ou sem juros,smcnlesejam obrigados ao paga-
mento dos 9 por cenlo.quando, sendo intimados para
fazer o integral pagamento da importancia das di'
las cvcuces, o 1180 fizcrein no prazo djn un) mez.
A' do Maranhlo, om resposta so ollicio de 9 de
setembro, sobre o farto de ler o capitilo do porto
mandado em diligencia do servico um escaler bar-
ca ingleza i4aa, que se achava descarga, sem au-
torsaQflo do inspector da alfandega, julgamlo-se
para isso aulprisado pelo artigo 3" do regulamento
do 19 de maio de 1846, se declara : 1., que acertada
be a inlelligenca queda aos regulanicntos das al-
fandegas e das capitanas dos portos, jnlgando ha-
ver transgresso do artigo 135 fio regulamento de 2.'
do junbo do 1836 no acto de que se trata, o tiesta
i'oiilurmidadc loi expedido aviso em 29 de novemhro
ao ministerio da marinha, em quo se mostrou ser
errnea a opinio do capit5odo porto, quando pre-
tendo sustentar, em defesa do seu procedmentn,
que Un: pertence, in.lepen.lente de permissilo da al-
fandega, mandar atracar os sous escalores aos bar-
cos morcante* em descarga, o enlrar nellea a tripo-
lagilu para cumprir ordens, embora allegassu que
da dependencia da purmissilo poda resultar dai-
nos, em caso de incendio, agoa aberla, &c.; por
quanto para laes casos nilo lio ella precisa, como
bem prevena o artigo 143, 3., do regulamento
las afandegas : 2 u, que no lem lugar fazer-se el-
fectiva a imposc/io da mulla aos individuos do es-
caler da capitana, por isso que procedern) om vir-
lude da ordem que tiveram du capilo do porto, a
quem Ibes cumpria obedecer, o que seria o respun-
sjvcl se nflo eslivesse demonstrado que tal ordem
dera de boa T, persuadido que cum.ris seus deveres.
DIA 28.
Ao inspector da alfandega de Coyaz, respon-
dendo ao ollicio de 6 de abril, que a questfio sobre
o formulario das ordens ao inspector dalbesoura-
tia est resolvida a favor des'c no aviso do 26 de
agosto de 1845 o circular a que o mesmo aviso se
refero. Quanto a sabida do inspector prainspec-
cionar as repartieres de fazenda fura da capital, 11,1o
lhe deve ser permittida sea distancia fr tal, que o
prive do ejercer us suas funecocs na Ihesouraria,
donde pode com mais utilidade da fazonda exercer. a
inspecc/iuquolhe incumbe o 3 'do artigo 53 da Ici
deideoulubro de 1831. A faculdado ampia do sa-
hirom os inspectores da capital he urna porta aborta
abusos, princDlnentcso liverem judas de custo.
A' de Minas rspondo-se ao ollicio de 12 dezem-
bro, que a inicnc.no da ordem de II de julho de 1845
e dos pareceres d'onde ella se exlrabio, foi, e assim
se enlondeu no municipio da corte, que so pagassem
as conimissdes 110 juizo o passo que fssem entran-
do as quanlia arrecadadas por. cunta das execuc.-s,
pois que alguna juizes prelenderam lira-las antici-
padamente da tolalidado da divida ajuizada logo que
eirtrassem com a prmeira parcella; mas, con>o o
enunciado da dita ordem, do confrmidade como
parecer fiscal, deu lugar a entender-so cjue s de-
pois de totalmente embolsada a fazenda, tinha o
juizo direilo a receber a porcetitagejn, se declara que
os einpregados do juizo, na forma da loi, tem direi-
to a liavcr as commssoei eslalielccidas de quaesquor
quanlias das'divdasque por sua diligencia se arre-
cadarem e enirurem nos cofres, anda que por ellas
se nflo i-flecuio o inteiro pagamento e extinc^ilo das
execuyOes; obsorvandu-ao a respeilo d'aquellas quo
se arrecadarom do lettras provenientes de coucesses
de pagamentos a prazos depois de feitas as penhoras maltas contiguas as cabeceiras dos acudes dos en-
o disposlo na ordem de 9 do dezembro do 1847, que genhos do Meio e Araripo-de-Baixo, flz mover a co-
mandou reduzir metade da porcentagem a favor do lumna composla do 4. hatalhfl.) de artiihans a pee
iui/o. a qual devora tambem pagar-se quando se .8 de c.icadorcs gA>O commandodo *r. tenonie-co-
cobrarem as desta ro"cl I"'7 Jos'" Forrcira, e marchei povoaQilo do
____________ Pasmado, donde lz destacar urna companhia 1I08."
rUITPlVfl ni P1lfiVINT.I& i batalhflo decacadoros, comnnndnda polo Sr. capi-
I.UVKililMJ Ut\ rnuiinuia. tf|0 Crcgorio Antonio da Silveira. aoceupar o enge-
Scr/unln circular allamaras munir.ipaet da provincia nM0 Ararpe-de-haixo, ao lempo que marehou o Sr.
cerca das proximal /icAcs para deputailos 11 assem- 2. lenle do 4 batalhflo do artilharjn Joilo Mara
hla gfal legislativa (*). | de Almeids Foij com 50 praqas do mesmo batalhflo
Tondo-se dado engao na circ llar que foi expe- a occtipar oengnnho do Meio; o quo disposlo. ayan-
dida em data d 28 do corrento mez de marco, orde- con pelo centro o Sr cspilflo 1I0 8 Manuel Jos da
nan lo-sc que sejam convocadas as unas dcqiiali- Soletado com duas companhias o os competentes
flcacflo nasparochias om quo o estado excepcional guias para atacar o inimigo pela retaguarda de seu
da provincia nflo permiltio sua reiiniflo no mez de ac mea ment, situado na larzea prxima s har-
janeiro ultimo, determino A V.mcs. que expe?am as reiras que confrontam o acude do engenho do Meio.
necessaras ordens para que tal convocac,1o se nflo ao lempo que o Sr. lenlo Carlos Cyrillo de (.as-
faga, n)as que se proceda elelcfln no la 5 do agosto tro, do mesmo 8." balalhflo, cqm duas outras compa-
prox'lmo vindourocom s qualicaeoes ultimamen- ninas marehou igualmente pelo centro da matta a
te feitas; vist quo, segundo o disposto no artigo 32 flanquear o inimigo pelo lado de sua mais forte
da le ir 1'9 de agosto de 1846, nflo so procedo nova gueirilha. As duas frcas do centro operaran) por
qiilliOeacJo entre 8 dissolucfio da cmara dos de- lal manera que. s primeiras descargas que o Sr. te-
putadoi e a Vlncflo feita em consequencia delll ; nenie Csstro mandou fazer, desalojou os robeldes da
devendo, porm, observar-so as parochias onde
tver comecado o proc ?sso da.qualilic ic.lo no mez de
Janeiro prximo passado oque ordenou o aviso de
9 de margo de 1849, quo fui a V.mcs enviado por
copia em data do 2i do marco corrente. O que com
mmico V. mes. om declaradlo a citada circular,
que lici cm vigora respoto do quo nflo versa sobre
o processo do qualificacflo.
II>os -guarde a Vires. Palacio do govorno de Per-
namhuco, 30 do marco de' 1849. Manoel Vitira Tol-
laSn. presidentes o v> readoros da cmara muni-
cipal de.. .
Circular aoi juie* municipiei acarea dai prximas
ev'cof lora deputndoi.
Tendo-so dado engao na circular quo foi expo-
dida s cmaras municipaos em dala do 28 do cr-
rante mez de.maico, ordenando-so quo sejam convo-
cadas as jimias de qualilicaQflo as p.irochas om quo
o estado excepcional da provincia nflo permiltiosiia
reunfl.0 no mez de Janeiro ultimo, resolv uesta data
ordenars mesmas cmaras que tal cunvocac.lo se
nflo faga, mas que se proceda a eleicflo no dia 5 de
agosto prximo vindouro enn as qualilicaces ul-
timamento feitas, visto que, segn lo u disposlo no
art. 32 da lei de 19 da agosto do 1816 nflo sn procede
nova qualificaeflo entro a ditwlucilo da cmara
dos deputados e a eleicflo feiU em consequencia
dola; devendo, poim, observar-se as parochias
onde liver comecado o processo da qualificaeflo no
mez de Janeiro prximo passado oque ordenoii o
aviso de 9 denle mez, que ja lhe foi rcinettido cm data
de 22.
Oque commuiiicoa V.mc. para sua inlelligenca e
execucflii na parte une lhe loca.
leos guarde V me Palacio do governo de l'er-
nanthuco, 30 du marco du 18V9 Mm-c Vlara Tos-
a.Si. juiz municipal de... .
EXPEDIENTE DO JIIA 4 DE ABRIL.
Ollicio.Ao commandantri das armas, transmil-
lindo copia do decreto de 20 de marco ultimo pelo
qualS. M. o Inperador hunve por liem perdoar aos
soldados do corpo de polica desta provincia, Serv-
lo Manoel de Jess e Joilo Francisco, as penas em
que incorporan) por crimedc.desercflo.
Dilo.-Ao mesmo, enviando copia da relelo dos
alleres despachados por decreto de 14 do mez passa-
do para differentos eorpos do excrcito.
Dito.Ao chefe de polioia, recommendando haja
do expedir as convenientes ordens para que sejam
cpluradosos marinheros Do-nhigos Antonio c An-
tonio Joaquhn de rcllo que deserlaram de bordo do
brigue Calliope, c cujos signaos caractersticos cons-
tan) da nota que remelle.Scientificou-se o com-
niandanlcda divsilo naval.
EXPEDIENTE DO OA R
Ollicio Ao contador de marinba.declarando que,
constando haver ebegado a parlicipacflo do quartel
general da marinha com a promoeflo dos ofliciaes
a queso reero o oflico que Smc. dirigi a presiden-
cia em dous do corrente; est assim resolvida a du-
duvida que Smc. propile no mesmo ollicio.
Dito.Ao director do arsenal de guerra, remetien-
do o termo da tutella do menor Trajano que por des-
pacho da nresidencia se mandou admiltir na compa-
nhia ne afwcndizcs menores daqiicile arsenal ; alim
de que Smc. Iho de o conveniente destino.
Hito.Ao commanto da divisflo naval. Illu:. Sr
^-Ein resposta ao seu ollicio, datado do boje, tenlio
a dizer-!he que nflo cheguu a expedir-sn ao contador
da marinha o ciflicio que sabio tianscrpto no Diario
de boje; pelo contraro, acaba do so lhe dirigir o
quo consta da copia inclusa. Silo tenha, perianto.
V. S. recoio de que possa ser tachado do precipitado
o seu comportameiilo do mandar os olliciaes promo-
vidos entrar logo no gozo do suas noval graduacoes;
visto que cm oulras occasiOes assim se lia pralica lo.
COMMANDO DAS FOltCAS EM OPF.RACES
AO NOBTE DA PROVINCIA.
Quartel do caminando da columna em operarles ao nor-
te no acampamento de I guaran, 23 de marco de
1849.
ORDEM 1)0 DIA N. ?.
Tcndo certeza, por bombeiros que mande explo-
rar, que as frcas do caudilbo Moraes oceupavam as
(*) Desde o dia 31 do passado que temos cm uusso
po .ice esta circular e a quo so lhe segu ; mas foi s-
meute boje que as pudomos publicar.Os lili-
uerrilha, fugindo sjm resistencia, respondendo
apenas aos primeiros tiros. O mesmo acontecen i
partida do Sr capitilo Soledadu. que ataeou pela re-
taguarda no dito acampamento sem resistencia ;
all tinbaiii os rebeldes seus ranchos onde dexaram
alguns objectos de ss.11 uso. Foila esta operacilo,mr-
chou o Sr. major do mesno batalhlo co'i) urna for-
ca de 130 prac.as. composta do S." balalhflo de caca-
dores e do 4 iloarlilhara, srtb o comman lo do Sr.
lenlo Carlos de Moraes Gsmizo, sobre a casa que
no interior da malla tinham os rebeldes foilo fabrica
de rartuxnnic, ( qual foi inmediatamente oecupada
pela dita frc,a, o abandonada aos primeiros tiros,
onde acharan) alguns- carluxos, 800 balas, poreflo
de papel, um cadinho elimo balora.
A fraqueza do inimigo nflo deu lugar que os bra-
vos da columna mostrassem seu valor o cora ge m, ja
tflo condecidos.
Agradec), perianto, ao Sr. tenente-coronol l.uiz
Jos Ferroira, commandanle Jo 8.*, n franca e acti-
va cooperacilo que me preslou, o loyvo pela disci-
plina e ordem que as pracas do seu minando os-
tenlaram durante a marcha e opcracOes. Tambem
louvoaos.Srs. comman lantes das partidas, com es-
pecialidade ao Sr. major Lopes Pccogueiro, capitilo
Mannnl Jos Ja Soledade, C.rcgoro Antonio da Sll-
veira e tenonto Carlos Cyrillo do Castro, todos do
8 batalhflo de caladores", e ao Sr l. tenento Car-
los de Moraes Camlzo, 2." lente Joo Mara de
Almeida Feij, ambos do 4. batalhlo.Vosa i cen-
te de Amorim Ocurra, coronel graduado comman-
dante.
Quartel do commando da columna em operacei ao nor-
te cm o acampamento na villa de guaran. 28 de
marro de 1849.
ORDEM DO DIA N. 5.
OSr. lenle do 8." bitalhflo de cacAdores Joaquhn
Cerdoso da Costa,commandanle do destacamento de
Marieoia, participou que, conslandn-lhe existir por-
eflo de armamento na multa contigua ao engenh
luliainaii, marehou liontem com a forca de seu com-
mando em exidoracflo. n dando varejo na dila matta
encontrn oito armas o trinta c seis haionct,as que
fez arrecadar e condozir capital por intermedio do
prnprielario do enRenbo Timbo.
I.ouvo. portanlo, aodito Sr. lenle pelo seu zelo
a bom descmponlio da diligencia.Josa \icentede
Amorim Hezerra, coronel graduado commandanle.
Quartel do acampamento da columna em operacilcsco
norte >m villa de Iguarass, 31 de marro ti 1849.
ORDEM DO DA N. 6.
Cantaradas .'Honra e galliarda columna paci-
ficadora do norte da provincia l Pela lerceira ver que
oceupainos osle territorio, una lerceira victoria co-
nlon nossos esforcos e fadigas-1 Ao eonhecido por
bravo s." hatalbflo de cacadoros, a seu dislinclo
eomman lente oSr. lente -coronel l.uiz Jos Fer-
roira, couli 1 a SOTle do dar um golpe decisivo na re-
belda. *
Em cumprimento s ordens desle commando, e
segundo o plano que combinamos, marehou na ma-
drugada de bnnlein n cercar o ncamp?tncnto rebelde
que constou exi>ta na mala do Cabu, contigua s
Tes l.adeiras. e ao amanhecer ataeou, balen e der-
rolou o inimigo, dexando 7 niortos no campo, alm
de flidos que pnderam esenpur-se, o faz-Mido pri-
gioneiroso oaudiUiO Borges da Fonseca, intitulado
commandanle em chefe, um tal J'onteiro, dito ma-
jor do brigada, e quatro outros rebeldes; como
despojos foram tomadas 36 armas, 1 espada de olh-
cial, algum carluxame embalado, e um pequen
sacco com balas, nlcm da correspondencia do r,fiJ,a>-
ri lo caudilho. ..
O Sr. lencnle-coronel l.uiz Jos Ferrcira he dig-
no do maior louvor peio afanoso desempenho do sua
comniissflo. da qual resultou tflo brilhante eito U ar-
mas que deu golpe decisivo a rebelda do norte da
provincia. Merece especial meneflo o Sr. Manoel
Jos da Soledade pelo sangue-frio e coragem com
que dirigi n partida do seu commando no ataque
ao acampamento iiiuiigo. onde aprisionen, o re lo-
r.do caudillio, e os Sis. alferes Joo Antoft, o Le Uo
e Francisco de Assis LuimarSes que uiarcliaia.n a
dila naitidasbo commando do referido Br. caW-
Wo!. bem assim oSr. major do dito balahflo Ma-
nuel Lopes i'ecegueiro por ler om lempo chegado a
coadiuvarafdrcaquo ataeou o dito acampamento.
Ilavendo, portanlo, conseguido o bm que aspirava
J*\
ILEGVEL
'1 n ~i
ar'-f


2

de ver derrotado o ulmo grupo rebelde existente
no norte da provincia com forma ostensiva de acam-
pamento do guerra, entrego hoje o commando ao
mu digno Sr. tenente-coronel l.uiz Jos Ferreira,
marcho para IN'azareth em cumplimento s ordens
que hei recebidodo Exm. Sr. general cominandanlo
desarmas, levando grata recordarlo e saudade do
mesmo S'. tenentn-coroncl o dos Srs. officiaes e
mais pracas do 8. hatalhfio do cu;,dores que fica
pela presento desligado da columna ; offeraecudo-
me para em qualquor occasiflo ou lugar dar provas
da alta considera;;! que me mcrecem.Jote ficenti
di Amoritn hezerra, coronel graduado commandante.

Publicbalo a pedido.
Slabat juxta crucem, Marltr ejus.
SO.NETo.
En subo, eis do Calvario a propria serra ;
Mas que vejol... Anoitece ? ouco gemidos 1
Ornar quebrante, elctricos zuidos,
Treme o chflo, foge o sol,... pavor me aterra!
1 iImina Dos o mundo ? faz-lhe a guerra?
O" vos que encontr, errantes, allligidos,
. I'arai, dizei-me, fram confundidos
Os elementos que a Natura incerra.'...
Volta a luz,... estremeco! Vejo absorto
Os tmulos abertos, cruz, letroiro,
Algzes, pvo, tropa,... c Jess morlol

Vejo a mAi do Homrm-Deos, junto ao madeiro
Sem aceflo, interdicta, sem conforto,
Seu pratito unindo ao sangue do cordeiro.
tPorJo'io II. di S )
YAKIlflAOK.

CAMOES.
Os eitgosios me \ "o 1 \ .iii'lij ni rio
Do negro raquecmiento c eterno somno :
Masdi me iln que compra, grao rainha,
li musas, cV Oque qutro i n.icao mirilla.
CamOt Lu. canto X esl, IX.
Quo poeta que nflo era
Da linda Ignoz o cantor .'
(.iiiciii mais do que elle dissera
l'osse fro Adamaslor .'
Era um astro fulgurante,
Era um poeta gigante,
Tinhl mais alma quo Dante,
CanUtva com mais amor!
No peito coberto d'aeo
I he hatia um coraeflo,
Que nem os cantos doTasso
Sonbaram maior paxflo !
Era cantor e soldado,
Era um vato enamorado,
Foi um poeta inspirado
Como os d'hoje j ufio silo.
Bem nos cantos se Ihe marca
Osignal ilo seu penar;
Nasera como Petrarca,
.l fadndn para amar!
Vede bem o sentimento,
Com que d solas ao vento
Queixas mil do seu tormento,
Tiistczas do sen trovar !
A .orle fe-lo poeta
Das cinzas da pobre Ignez :
<> mundo f.-lo prophela
Do destino portuguez !
I'octa da desventura
Previo a sorte-futura
Escreveu com inflo segura
A propliecia quo fez.
lieos quo deu aos Portugnezes
h'alem mar as regirles,.
Que nos livrou ilos revezes,
Deu-nos o rci das caneos :
Romos o povo cscolhilo
O mosso nome temido
Hoje s he Mohecido
Pelos cantos de Can os.
Foi-se-llie a vida em desgostq
Ao que a patria assim cantou !
Mais poeta quo Arioslo,
Que bellezas nos legou I!
Pungido de acerbas dores
Pelo Tejo, seus amores,
Foi o rei dos trovadores ;
Foi o cisne que expirou !
Como Ovidio desterrado
La na gruta de Macao,
S leve o pranlo enxugado
Pela mflo do pobre Jao,
De escravo tornou-so amigo ;
Eno peito s comsigo
SuDportou cruel castigo,
Mas nunca o moslroii muo I
hebrucado sobre os cantos,
Da im.~-.il faina padiflu,
Bem juntos verleram pranlos
Sobre a nossa eseravidflo '
MasCanes..... a vil tult-la
D cssas.hosles de Caslella.....
No pode chorar sobio ella,
Morrera-lhe o coraeflo !
Que poeta e que soldado,
Que trovador tilo leal
De lodos abandonado,
Sachou um hospital I
Masa fama portuguesa
IMeste scc'lo de torpeza,
S lem por toda a grandeza
A Canies por pedestal! !
All vivem as victorias,
Ji do povo, j do rei ;
All vingam as memorias,
Alcanzadas pela lei :
He farol da nossa fama :
All vive o Caslro e o Cama
Em Tersos al I i proclama
Triuinphos da nossa gre!
A (.'anies por monumento
S resta um livro, nto mais...,.
D'aquelle genio portento
Nflo temos outros signaes ;
Mas quo importa, se a memoria
Do cantor da nossa gloria
Alcancpu maior victoria
Nos seas cantos collossaes.'
L. A. Palm mam.
( A Nhcdo. )
RCJO.
AI.FANDEGA.Rendlmento do dia 4 ... 10:830,209
Detcarga para o dia 1 de abril.
fia rea John-farnum mercadorias.
CONSULADO GEItAL.
Rendimento do dia 4............
Diversas provincias.............
. 7:536,762
. 176,690
7:713,452
CONSULADO PROVINCIAL.
Itendimento do dia 4..............3:402,575
MMBWWBpiii
IMovimento do Porto.
Navio entrado no dia 5.
Londres; 43 (lias, barca ingleza Mary, do 259 tone-
ladas, capitflo John llcnry, oquipagem 13, em las-
tro ; a Johnston Paler& Coinpanhiii. Ficou em
observado com 0 dias ilo qiiarentena.
Navios sabidos no mesmo dia.
f.ibrallar; polaca sarda Di**, capitflo F. Dodero, car-
ga assucar.
dem ; polaca sarda Catharina, capitflo Piscle Caza-
nova, carga ussurar.
Mediterrneo por Cibraltar; polaca sarda Maria-K-
milia, capitflo Nicolao Rnpgio, carga assucar.
Liverpool por Macci ; burea ingleza Ktlher-Ann,
capitflo Tilomas lluntcr, carga assucar.
Pollos do norte; vapor biasileiro Aan-Sulcador,
eominaiidantc o primeiro tenciitc Antonio Carlos
de Azorado Coutinbo. Alffl dos passageiros que
trouxu dos pollos ilo sol para os do norte leva a
seu bordo: para l'irahiba, Fortunato da Silva No-
ves, Jacintlio Jos de MeJeiros Correia, Agostinho
da lloclla ; para o Ciara, Tliomaz do Almeida An-
tones ; pera o, Para, James Crant Tnylor; para o
Maianliflo, Antonio llenriques de Miranda com 1
escravo.
Navio entrado no dia 6.
Liverpool ; 34 dias, galera ingleza Sword-Fish, de
345 toneladas, capitflo Richard Creen, eqnipagem
22, carga fazendBsja Me. Calmont & Companliia.
Passageiros, William llowie, Victor Brosscr.
/Vario tahido no tneimo dia.
Slockholm ; brigue sueco John-Johnslon, capitflo O.
Junsson, carga assucar o couros.
de Lima, queira mandar pagar o porte para poderom
seguir seus destinos. Olinda, 6do abril de 1849. O
agento, B. da Silva Guimarcs.
theatro~deTpollo
QUINTA-FEIRA, 12 DE ABRIL DE 1849.
llepresentac/lo extraordinaria, em beneficio do
Sr. Dupr.
Primeira representaeflo do
CATHARINA IIOWARD.
Draira a carcter e a grande espectculo em 6 ac-
tos pelo Sr. Alexandre Humas.
O Sr. Dupr far o papel de Ethelword.
Tem havido o mais escrupuloso cuidado em dis-
pr as cousas de modo que se guarde-a maior exac-
tidflo, nflo s nos vestuarios, como na execucSo des-
sa peca, que ha obtido o maior applauso em todos
os tbcalros onde tem sido representada.
RANCA.
Um passo nobre e novo, dancado pela senhora
Camoin.
CANTO.
A grande aria llalien noveau de Nabucodonosor,
cantada pela senhora-Alexandre.
BANCA.
A cachucha, (laucada pela senhora Camoin.
Aria variada de Beriot, executada na rabeca pelo
Sr. Alexandre.
D capito Rolando, vaudevillc jocoso em um acto.
Os pretenden tes a hilheles pdem procura-Ios lo-
dos os dias, das 12 horas da manhfla s 4 da larde,
na ra da Senzalla-Velha, n. 142.
Principiar s 8 horas chegada de Ss. Excel-
encias, n
yendas de seda, l.tSj linho o de algodflo, todas pro.
prias do mercado, e que aerflo vendidas sem limite
visto ser para liquidacflo da casa do vendedores'
qulnta-foira, 11 do corren te, as 10 horas da manliir*
no seu armazem, rtfa da Cruz, prximo ao arco di!
llom-esus..
Avisos diversos.
-- Os fegjiros do potriarcha S.-Jos da matriz dn
Corpo-Santo leom resolvido festejar o seu dia
primeira oitava de Pasco, 9 do corrento mez com l
grande missa O. Pedro II, Imperador do Brasil do
compositor J. Fachinetli. Os devotos deste grioda
santo silo convidados para maior brilhantismo
O director lem a honra de prevenir o publico
que o preceda platea est rcduzido a 1,000 ris.
do
Avisos martimos.
UDITAES.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade o/ficial.da im-
perial ordem da llosa, cavalleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de l'emambuco, por S. M. ,6
Imperador, que eo guarde, etc.
Faz saber que hoje, 7 do crrante, a meio-dia,
na porta da tresma, so hflo de arrematar em basta
publica 6 pnlseirasdeouro, no valor de 120,000 rs. ;
2 raresde boles dito, no de 20,000 rs ; 4 ditos de
brincos, no de 50,000 is ; 6 allinetes de peito dito,
no de 90,000 rs. ; 6 gargantillas dito, no de 150,000
rs ; e 3 trancelins dito, no de 70,000 rs. : ludo im-
pugnado pelo guarda Manuel da Fonseca do Araujo
Luna, na nota para descacho sh n... sendo a ar-
rciua(ac:flo subjeila aos direilos. Alfandega, 4 de a-
bril do 1819. Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, etc.
Faz saber que hoje, 7 do crrante se hflo (de ar-
rematar, em hasta publica, porta da mesma, ao
meio-dia, 8 duzias de fundas, 5 ditas dcsinlase85
masaos de molas de ferro para lumias, em estado de
avaiia, e avadadas, segundo a laxa, as fundas ais.
36,111 rs. a dnzia, a 12,000 rs. a dita de molas C a
5,000 rs. a dita de sinlas : a arrematadlo ser feila a
vista do genero, e pelo prreo que se offerecer, se-
gundo o artigo 277 do regulamento ; sendo a mesma
livrc de direilos ao arrematante. Alfandega, 4 de
abril do 1819. Miguel Archanjo Monteiro de Andrade:
Joaquim d'Aquino Fonseca, lr. em medicina pela fa-
culdade de l'arii, preiidente do conrelho geral de O
tubridade publica, cominis.iarig vaccinadt.r provin-
cial por S. M. o Imperador, membro correspondente
da sociedad de sciencias medicas de Lisboa, ele. ele.
Faz saber que ningucm poder ser vaccinado sem
que antes se faca inscrever, para o que he necessario
que comparece na reparlirflo ns quartiB-feiraa ou
sabbados, das 8 s 9 horas da manhfla assinVromo
que pessoaalguma nflo podei ser inscripta sem que
declare com a maior exaetidflo o nome, idade, na-
luralidade, tiliacflo ou senhorio, estado e moradia,
indicando o numero da casa.
.Sala dasscsscs do conclho, 12 de marco de 1849.
Jouguim de Aquino l-'vnseca.
iu=Kaam.aisE
Deca racot>8.
Olllm.Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial manda fazer publico que de II do corren-
te mez em dianle pagam-se os ordenados vencidos
em marco e Bilis despezas provinciacs. Secretaria
da thesouraria da fazenda provincial de Pernambu-
co, 3 de abril do t84!>. O segundo escriplurario,
Antonio Ferreira ttAnnunciaco.
--O hospital regimental do primeiro' batslhflo de
artilharia a p contrata os gneros seguintes, para
forneci ment do mesmo hospital arroz pilado, as-
sucar rehilado, caf muido cha doce>de guiaba ,
dito de inarmeladu fariuha de mandioca dita do
MiTanhilo, manleiga, toucinho, vinagre, viuho hran-
., lelria, lenha em aclms : ludo do primeira qua-
,Made : (|uem se quizrr propr ao'dito fornecinieii-
.u, rompaieca no dia 7 do corrente, das II s (2 ho-
ras da nianbiia no mesmo hospital da Soledade.
herir, 3 abril de 1849. Joaquim da Silva Maya,
segundo tenenle agito.
AGENCIA DO CIIREIO DE OI.INDA.
A pessoa que inandou deitar nesta agencia duas
carias urna paiao Exni. Sr. Dr. Jofln Antonio de Vas-
concelos, e oulra para o Sr. Dr. AdeJino Antonio
Sabe para Lisboa no dia 21 do crranle a barca
porlugueza Ligeira, de quo he capito Antonio Joa-
quim Rodriguos: par o resto da carga dirijma-se aos
seus consignataiios, Francisco Severiano Rabolloi
oilio ou ao ueMiiio capiflc, r.s pra^a do Commer-
cio.
Para tilia dos Atores e Lisboa saho impreleri-
velmente, no dia 24dewril, a polaca Socitdade-Fe-
lii, por se adiar com o carregamenlo quasi comple-
to : para o resto da carga o alguns passageiros, aos
quaes oiTercce bous commodos, trata-sc com Joo
lavares Cordeiro, na ra do Vigario, n. 8.
Para o Porto sabira, iinprelerivelmenle no dia
8 de abril, o brigue portuguez Ventura-Feliz, por se
char com o carregamen'lo quasi completo : para 'o
resto da carga, e alguns passageiros, aos quaes an-
da oflerece bons commodos, trala-so com o consig-
natario, joaqgim Ferreira Mondes Cuimarles, ou
com o cupitflo, Zeferino Ventura dos Santos, na praca
iio Commcrcio. .
Para o Rio-de-Janeiro saheem poucos dias,por
se adiar quasi promplo, o brigue nacional San-Jos:
para alguma carga miuda, escravos a fete e passa-
geiros, para o que tem excellcntes commodos, tra-
la-secom Caudino Agoslinho do Barros, ou com o
capitflo do mesmo.
Para o Rio-de -Janeiro segu,com muita brevi-
dade, por ter parte da carga prompta o patacho
Diligente : quem quizer carregar, ou ir de passagem,
para o que tem excnllentea commodos pode fallar
com Jos Antonio de Magalhfles Basto ou na loj
da cabos de l.uiz Borges de Siqueira na ra do
Vigario, iissegurando-se levar carga por menos frete
do que qualquer outrq.
I'ara o Aracaly est proposto n
cargt o hiatc Novo-O/inda, pai st'guir
iiiijUTioi-ivclnienle na Ina de ii do" pre
sent, com. a carga que (ver a bordo : os
pretenderles a carregarem se entenderao
com o mestre do mesmo, Antonio Jos
Vianna, no Trapiche-JNovo, ou na ra
da Cadeia-Velha, n. 17, segundo andar
-- Para o Rio-de-Janeiro sabe, com a maior bre-
vidade possivei, o biiguc nacional Ligriro, por ter
parle de seu carregamenlo prompta : quem no mes-
mo quizer carregar, embarcar escravos ,'ou ir de
passagem, para o que tem asseiados commodos,
dinja-se a Manuel Joaqnini Soares na loja de fer-
ragens, ao p do arco da Conceicflo ou a Novaos &
C., na ra do Trapiche 11. 34.
Para as ilhas dos Acores e Lisboa sahe a barca
porlugueza Fluminense, do loto de 240 toneladas e de
boa marcha, a qual esta a chegar do Rio-de-Janeiro,
segundo os avisos, e deve ueste porto demorar-so
poucos dias : quem na mesma quizer carregar a di-
to deslino, nu seguir viagem, pode com anteceden-
cia contratar com Amorim Inufios, ra da Cadeia,
n. 39, os quaes garanlem os bons commodos mesmo
para familias.
Para o Rio-Crande-do-Sul subir breve o brigue
Victoria, o qual | de receber alguma carga a fete :
quem quizer no mesmo carregar e embarcar escra-
vos, pode dirigir-se a tratar com Amonio Huaos, na
ra da Cadeia, n. 39.
Quem lem aviso de remessa de quatro; saccas
com feijflo do Rio-de-Janeiro, 110 brigue S.-Monuel-
Avguslo, haja doos procurar do capitflo do dito bri-
gue; iv nflo o fazendo uestes 4 das se veudei fio por
cotila de quem prelencer, nflo s em beneficio da
faienda por ser do prompta dimniiicaco ,j como
parase lirar o frete.
Para oCear segu viagem a escuna nacional
Mura-1'-iiminu : para carga ou passageiros, trala-se
com Jos Antonio, ia ra da Cadeia do Itecifo, nu-
mero 34.
Leudes.
I.cilflo que fazcm Kalkmann Irmflos, por inler-
veneflo do corretor Oliveira, do grande poreflo de
mobilia, ltimamente chegada, consislindo em com
modas, almarios, riquissimos pianos, marquezas,
cadenas, mesas de todas 11 s ((nulidades, secretarias,
escrivaninhas(0spelbos e loucadores ; assim como so
venderflo burras de ferro novas, nina collec'cflo de
vasos e Virios ohjectos de iiiarmore, mu ilo ricos, ou-
tros ohjectos de historia natural, como passariohos
e animaes ebeios, pinturas a oleo e outros quadros
para adornos de salas, e mais artigos aqui nflo es-
pecilicados : quanta-feira, 12 do correfite, s 10 ho-
ras dalnanhfla em ponto, afim de poder liavcr lem-
po para vender lanos arligos, no seu armazem, ra
da Cruz do llecife.
Regord & Caucanaa farfloleilflo, por inlcrvcn-
efio do corretor Oliveira, do grande variodade de fa-
comparecerem na mesma matriz para ouvirum o
(etico Sanctus que teom do cantar os meninos or-
phflos desta ciclado.
' Manoel deSouza Tavares, Antonio da Silveir n
SouzaeManoel Joaquim da Silva Figueiredo reli-
ram-se para fra do imperio.
Tarault, subdito francez, .vai a Parahibi trater
de seu negocio.
Aluga-se o segundo ander do sobrado, p. I, (|(
ra da Penha, bem arriado e fresco: quem o preen-
der, dinja-se ao primeiro andar do dito sobrado que
achara com quem tratar.
Precisa-se do urna ama do leite : na ra do SoU
sobrado por cima do armazem decapim doSr. pM
Brrelo.
Bento Jos Taveira embarca para o Rio-de-Ja-
neiro o seu escravo pardo, de nome Agostinho.
Para as pessoas que tcncio-
u.iin seguir viagem.
Na ra do Rangel, n. 9, conlinuam-sea tirar pas-
sapoites para dentro e fra do imperio despacham-
se escravose eorrom-se folhas : ludo com brevida-
de e preco milito commodo como se tem dado ex-
celente prova no decurso de 8 annos.
Na ra Direita, sobrado de um andar n. 33,10
pe da botica, vendem-se doces de todas as qualida-
dcs, assim como se fazem pastis do carne o de nata,
muito superiores, e da fo'hi doorada : quem quizer
devq,eiicommonda-lnsum dia antea. Na mesma ca-
sa so dir quem vende urna poreflo de prata em ebrai
quo servem.
AVJSO RELIGIOSA.
Nao tendo sido possivel festejar-se
o milagroso S -Braz, da igreja de N. S.
do Terco no seu dia proprio avisa se
por isso nos devotos do advogado desgar-
gantas, que srgundt-feira 9 do corrente
liaver missa cantada e ladaiulia, e ti-
rar exposto 6 dias no meioda igreja o
mesmo santo.
Jos Pereira de Almeida, subdito portuguez, re-
(ira-se para fra do imperio.
t> passado, o presente e o
futuro.
Se os nossos antepassados, esses dos lempos mi i
remotos, fossem vivos, ou resuscitassem, quanlaa
mil cousas nflo adniirariam quantas muilaa elles
nflo acreditavam seufio vendo-as com seut pro-
prios olhos, que naquclles lempos ninguem imagi-
nava nem mesmo pensava fazerem-se, e nem ao
menos dolas se lemhravam : tuntas cousas que
hoje mesmo nos admiramos; a navegaeflo, sogu-
illa de niariar, diversas machinas para diversas cuu-
sas, machinas de vapor para mover tudo quanto se
quer, os bales aroostaticos, emOin, cousas que nos
mesmos do prsenle, seas nflo vissomos,'por corto
nflo acreditaramos. Quem dira quo nos do presen-
te e no soculo das luzes haviamos do passai por cima
de urna ponte feila por arames!
As grandes ddscobertas, b augmento do descobri-
mento dos astros, que hoje ja quasi ludo quanto se
passa na alemospliera seconhoce visivelmenle pelos
grandes trabalhos a queseteem prestado os sabios
astrnomos; emfim tanta cousa, tanta raridade.que,
a nos mesmos do presente faz admirar!..Nt, porcni,
do prsenle anda nflo vimos tudo ( diz o rifflo) usa
sers mestre, e de certo, quanto mais o mundo
durar mais cousas raras se hflo de ver; e quem
sero os descubridores de muilas cousas que|ainda
pdem fazer mais adiniracflo Os do futuro, os
ikssos vindouros : quem nos dra resuscitar daqui
a 600 annos para termos muilo mais que admirar!
Nos dizemos, nflo ha mais nada que descubrir: lia
muita cousa ; pode ser que para o futuro nflo seja
preciso bracos para nada, porque al menino os sa-
pa tos e as roupas serflo fabricadas por vapor.
Quem acredili.r quechegou prximamente urna
machina de vapor de forra de 600 cavados para fazer
barbas P Nngjiem por certo, mas he verdade,,* faz
844 barbas em 5 instantes, com a maior perfeicao
e brevidade possivel; pos jase est assenUudo no
largo do Pon,bal em S.-Amaro, debaixo da direceo
de Mr. Baibiir, como dono e mestre que he. Hoje
as 10 horas principarflo os trabalhos da machina, e
logo que se d o primeiro impulso as rodas botar-
so-hflo fogucles para signal: assim, os amantes do
fazer barbas com hrevidade,podem|desde j tralarem
ile vir dar os seus nomes, pos isto s por meiode
urna assignatura he que se pode Ir.baihar por causa
das immensas despezas, tanto em carvSo de pedra,
como em sabonctes, &c, &c.t> proprietaro estar
sem pre em seu escriptorio na praa da Independen-
cia, parar ecober as assgna-turas, desde as 7 horis
da manhfla al as 4 larde.
-- Os bens da (nada Liberata Maris da Fonseca,
viuva do Tinado Manoel Ignacio Monteiro, estilo por
direito subjeitos aoabaixo assignado para pagamen-
to dos seus ordenados, durante o lempo que Toi caj-
xeiio do mesmo, segundo consta da quesillo que
abaixoassignadu trw em juizo, e"a seu favor deci-
dida : por isso ninguem laca negocio ou iTaiiSaCS2"
de qualidade alguma com os mesmos. E para que
nflo allcguem ignoiancia se faz o presente- *'"
noil do Nascimenlo l'mhdro.
Precisa-se de um leitor para um sitio perto d
praca: na travessa do Veras, 11. 15.
Aluga-se um pequeo sitio com casa deviv^
da, dita para pretos, eslribaria, jaqueiras, laraijgft
ras, coqueiros e mais arvoredos, cacimba de bol
agoa de beber, silo na estrada do rombal entrando
pela estrada du Joflo-de-Uarros, propriu* para qual-
quer cmpregaiju publico, por ser mu ilo perto da
praca e do prego commodo : a tratar atrs do Uie'
tro, armazem de tahuas de pinho.
Precisr-so de um padeiro perito pare fra (>
provincia : a tratar uu padaria de francisco do Pra-
do, no largo do Livrainenlo, n. 32.


I I ".
-----

FUNDICt DE FERRO
Na rabrica de Ilowman &*!. Csllum enge-
nheiros ruachinistas e fundidoras de ferro, na ra
do Itrum, no R'ecife, coriliaa haver um grande sor-
(imento de laixas para engenhos e moendas de ean-
na de todos os tamaitos o dos modelos os ni ais
modernos e approvados. Na mesa, fabrica conti-
nuam-M a construir de encemmenda machinas de
vapor, rodas d'agoa, rodas dentadas e todos os mais
objectosde mnchinismo, com perfeicflo j conlie-
ciua, por preco commodo.
Ilowman & M.c C.allum desejam chamar a alten-
510 dos Srs. proprietarios de engenhos as machinas
de vapor construidas na sua fabrica visto seren el-
las de um modelo muito forte e seguro e tpdasas
pecas perfeitamente adaptadas urnas as outras, por
meio de tornos automticos, machinas de aplainar
ferro,e oulros apparelhos modernos: alm disto, as
machinas de sua construceflo teem as vantagens sc-
Juintes: possuem uiria cisterna de ferro, onde a agoa
eslinada para a caldeira se deposita por meio de urna
bomba movida pela machina, e onde se acha aquen-
tada pelo vapor superfluo antes de ser por meio da
segunda bomba de l introduzida na caldeira alini
de nflo esfriar a agoa noli a existente, pola indroduc-
eflo d'agoa fra [como he de costume em machinas
inferiores ]e assim produzir grande economa de
combuslivel.
Alm da supradita economa de combustivel na
producto da, vapor, estas machinas possuem urna
motlificaQflo nova das vlvulas por onde d vapor en-
tra e sabe do cylindro, pela qual a mesma quanti-
dadede vapor produz maior c fre lo do que as ma-
chinas de construceflo antiga augmentando assim
de urna maneira, nflo pequea, a economa do com-
bustivel necessario para manter a machina em mo-
v ment.
As ditas machinas possuem tambem um appase-
Iho pelo qual a quanlidade d'agoa introduzida na
caldeira se aclis regulada automticamente com a
maior certeza pela machina mesma evitando des-
la maneira o grande perigo que existe as machi-
nas, onde por causa da mesquinha economa dos
fabricantes o forneoimento d'agoa para a caldeira
ha de sor regulado porjno de negro.
Estes esclarecimcntos sflo-respeitosamente offere-
cidosiosSrs. proprietarios de engenhos, que ainda
perseveram em o mclhodo (taco, dispendioso e
ins.itisfactorio de moer com nnimaes, afim de sa-
lisfaze-los que, no emprego destas machinas, nflo
existe o menor motivo para recejo nem de explo-
siio, nem dejucbra nem de demasiado consumo
de combustivel ; e Ilowman & M.c Callum nflo
leein pequea satisfaeflo em assegura ilies que pe-
la pericia dos scus administradores e officiaes, pela
perfeicflo dos seus inslrunientose apparelhos e pe-
la abundancia e boa qualidade das suas materias
primas soscham habilitados para construirem ma-
chinas de vapor de lodosos tamanhos e para todos
os lins ; assim como toda especio de machinisino ,
com urna perfeicflo nflo inferior as obras [das tnelho-
rc fabricas de Inglalc ra e mu superior s geral-
mente importadas daquelle paiz.
O aferidor roga a lorias
as pessoas que conduzem mel, agoardente, a/cite
ic para o mercado desta cidade em ancoras; e que
anda nflo afcriram.que quanto antes venham aferir,
pniso lempo da afeneflo est a acabar-se,e os liscaes
respeetivos p'assarfio a dars corridas do costume, e
aquellas que encontrarem sem eslar ateridas nesle
anuo de l849,ser3o multadas em 2,000 res cada urna,
o obrigadas a aferir; assim como previne aos senho-
res.de lojas,que, estando prximo o lempo da revi-
sti, uno Ihcs passar verba de revisan, sem que es-
leja m exaclas com o padrflo da cmara, e para esse
fin j tem.preparado tima poreflo de varas e covados
ja ateridos para aqucllesque precisarem.
Cliegaram do io-de-Janeiro com-
niendas da Ros 1, cliapas pora ofTcines da
Rosa, ditasde Chrislo, ditas do Cruzeiio,
liahilos da Rosa, ditas de Chrislo,' ditas do
Cruzeiro, tanto pequeas como grandes,
e a vista se dir o preco : na ra do Cres-
po, leja n. 11, de Santos Neves fkGui-
niaiaes.
.)
dade : grande sortmento de licores detodas as qua-
lidadcsede todos os precos, com garrafas muito
lindas; xaropes; extracto de punch ; rhum de Ja-
maica; superior cognac velho; kirsch o absinth
suisso da marca verdadeira ; gehebra de Hollanda ;
vermout; agoa de flor de laranja ; azeite doce de
l'lagnol; conservas de sardinbas e hervilhas ; oseil-
lo ; julienne; queijos de Gruyere ; conservas do vi-
nagre ; enchovas; gelas de grosellas e de marne-
los : presuntos para fiambre salames de qualidade
muito superior; e outras muitas cousas. Oannun-
ciante responsabilisa pela boa qualidade de todos es-
tes gneros. Se acha tambem nesle eslabelecimento 1
lugar muito proprio parase tomarem refrescos diver-
sos, de qualidade superior e servidos com diligencia
e asseio.
-- O aferidor, em conformi-
dade do artigo 8. do regulamento da cmara, roga
aos Srs. liscaes, que estando a findar-se o lempo da
afercao ainda nflo sppareccu individuo algum para
aferir regoas de 10 palmos, craveiras que sflo obri-
gados a usaren) todos os mesires pedreiros, carpi-
nas, canteiros, vendedores de madeiras e todo a-
quelle que lem necessidade dessa medida, alim de
que venham aferi-las, do contrario ser prejudica-
do em sua arrematacSo.
Augusto Hirsch retira-se para fura da pro-
vincia.
Precisa-se de um forneiro : na padiria 11.' 13 da
ra vslrela do Rozario. Na mesma vendem-ae bixas
de llamliurgo e alugam-sea 320 rs. cada urna, e lla-
vera tambem a venda meias barricas de familia gal-
lega, ditas de sssi', muito fina o por preco com-
modo. .
Aluga-se 011 vende-se um sitio na ostrada dos Af-
flictos, com boa casa de vivenda de pedra ecal, ar-
vorodos novos, cacimba d'agoa di beber que admit-
te urna ora 1 a fallar com Joaquim de Oliveira e
Souza, no Aterro-da-BAa-Visla, ou no sitio con-
tiguo. ,
Clementina de Moraes Sarment vai a Europa
com seus tres filhos menores.
rUNDICAO
r
n-AvnoRn.
Lotera do Ifvea tro publico.
Estando vendida quasi metade dos bilhetes da ul-
tima terca parle da 18* lotera do tboatro publico,
o apparneendh com a pacilicaQo da provincia algu-
ma influencia na compra dos bilhetes que rettam, o
respectivo llicsoiireiro, levado por esta influencia
que espera nflo ser rrefecid, designa odia 27 de
abril correte para o andamento das rodas, e confia
n s"amadores desle jogo que o coadjuva fo na rcali-
saeflo do referido andamento.
Fabrica de Todos-os-Santos
Firmiho Jos Flix da Roza, com escriplorio na
ra do Trapiche, n. 44 avisa aos seus Treguezes que
acaba de receber pela escuna Curiosa novo sorli-
mento do exccllenle panno de. algodflo entraado
daquella fabrica ptimo para ensaccar assucar o
para rnupa de escravos." O aniiuiicianle coiila' que,
alm da fazenda ,0 desejo de animar o desenvol-
"vimentode urna fabrica inteiramenle nacional, pro-
mover o prompto consumo da sua receila.
Fabrica de espedios.
Joflo Dnbois faz publico quo presentemente acaba
de montar urna fabrica de por ac em espclhos de
maior tamaito: as pessoas que se quizorein utilisar
de sua arle pode 6 procurar em casa do sua resi-
( dencia na la larga do Itozrio sobrado ns. 608.
Agencia de passaporles.
Na ra do Collegio, n. 10 e no Alerro-da-Boa-
[ Vista tojas na. 48 e 78, cuiitinuam-so a tirar passa-
porles, lano para dentro como para forado imperio,
assim como despaclium-se escravos: ludo com bre-
iidade.
Velas de carnauba.
'Ai fabrica de velas que existia na Iravessa do Ve-
ras na lioi-Vista Iranferio-se para a ra da Alegra,
n. 9 ; all achn o us Ireguezes as melhores velas de
carnauba ,.tanto em alvura como de boa luz u que
se aliauca de 6, 7, 8 e 9 em libra.
Casa ira 11 ce za, na iNova, 11. 69.
-
Vi nho de Bordesux, em quaitolas o em garrafas,
mbito em conla e de muito boa qualidade ; dilo de
Chateau l.a Rose : dilo Clialeau Lewille ; oilo Kous-
sellon ; diloS.-Julien ; dito Rivesatlcs; dito mosca-
tel ; dito de Champan** ; todos de primeira quali-i
C. Slarr V 6'., cngeiihciroa, emn rundirn de ferro e
bronze, e ferrarla, ludo em ponlu grande, movido por
duas machinas de vapor, moudas as caas novas na
ra da Aurora em Sanio-A maro avisam aoa seus fre-
guezea, e ao publico em gcral, que tcein acabado dea-
proinlar para vender varias machinas de vapor de bai-
la e de alia pressao, e de diversos tamaitos : cslaa ma-
chinas sao prvidas de bombas para supprir a caldeira
com agoa j quenle, c com vlvulas com o,-scus arrau-
jos muito simples para regular a quautidade da mesma
agoa ; mas os ainiuncianici, longc de inculcairm estai
nvenrocs como suas, adverlem que a primeira foi adop-
tada pelo celebreSavary em 1698, e a segunda inverna-
da por Hrindlcv j mais que cen anuos patsados, c
ambas inlrodiizidas nesta proviucia em 1835 pelos au-
nunciantes na machina de vapor do cugenho Caraune
(o primeiro fabricado nrste Imperio) o qual ainda est
em eflectiva opera^o, c deade ento se ha extrahido
perio de una duzia das mesillas machinas, l'eilas nesta
fabrica, contendo ot inesmos apparelhos, e com summo
aproveitainento dos compradores ; portanto impingir
isto agora como cousa nova, era impostura. Os annun-
ciantes teem sim a satisfago de informar o respeitavel
publico, que bao conseguido um mclboramento de nao
pequea importancia, e verdaderamente novo nesta
paiz, que be por meio de urna uindilicac.io da caldeira
e iim simples arranjo de canos c registos, aproveilar
o fogo iupcriluo do assentamenta para faier mover a
machina de( vapor seminis gasto de combuslivel dc-
pois do eng'eniio ter ganho sua marcha : esta muito mil
Irnibranca lem sido experimentada com bons resulta-
dos em os cugrnhos Trapiche e Jaidlm. Esta fabrica es-
t seinpre sorlida de
Moendas de tambores abertos para huchas de ma-
deira, grandes e pequeas, com seus perteuces.
Ditas com aguilhes aciuihados chamadas nielas
moendas, de todos os tamanhos c com rodetes de ferro
ou sem eles, para agoa ou animis.
*Dilaa intelras, todas de ferro, cudependente, com a-
marias diagonaes de gaurlio, invencao dos annuiiciaii-
ic-', e iniiitu approvadas pela sua lortido e lacilidade
d'armar c desarmar.
Alambiques de ferro, eousa nova e muito approvada.
" Muinhos e prensas de iiiainlioca e Tornos de fariuha.
i ai i os de nio c arados de Ierro.
Grande sol lmenlo de lironrcs, aguilhOes, ebumacci-
ras, parafusus e mais pe linces de engenho.
lindas e rodetes de varios tamanhos,
Boceas c crivos de fornalba.
linchas para caci ocas, serr.i d'aco para serrai as.
Molinetes, bronzes e roldanas para navios.
Os ano inicia o les, pelos longos anuos de pralica nes.-
la|iaiz, pela grande capacidade e commodos de seu
novo eslabelecimento, e pelo crescido numero c umita
experiencia c pericia dos seus operarios e emprcgailos,
ollet eeein aos fregue/.cs vantagens nao possuidas pur
nrnliiiina outra fabrica nesle imperio, c estn, portanto,
verdaderamente habilitados a mprehender c execu-
lar com a maior proniptidao c pcrfeicoqualqiier obra
de cngeuharia ou inaeliinisino.
Na ra da Cruz, n. l, precisa-se aluga.r un
prelo captivo para servic de casa. Na mesma preci-
sa-se igualntenle de um bom cozinheiro.
- Jos Ji aqufm llraiidflo, Portugucz, retira-se pa-
ra l.ishi'ni a Irafardosua sade.
Qiiem livor una ohra truncada do Malhilde .
por Kugenio Sue cm portuguez e queira vender o
oitavo volume, annunci.
Antonio da Costa Araujo retira-se para Coian-
ninlia.
Vigiles, fabricante de pianos,
na ra do Queimado, n. I ',
tcm pianos de novo modelo, feitos de proposito pa-
ra esto paiz : sflo riqnissimos, de niachinismo e vo-
zes superiores, o que se afianza *no comprador:
laiiihcm tem pianos inglezes, que sflo pouco usa-
dos ; concerla c afina pianos com toda a perfeicflo;
vende eortlas, cainitreas e lodos os avlamentns ne-
cessarios para ditos instrumentos : ludo por prego
commodo. *
hociedade Harmnico-
Thcatral.
O primeiro secretario scienlifica aos
Srs. socios que, no da cj do corrente,
pelas 9 horas da manhaa, ter lugar a
11uniao da assembla geral da sociedade
paro eleicSo da nova direccao. ..
O bscharel em direito B. foutinho e sus irma
D. Maris da Conceicflo Vieira vflo a Lisboa.
Joflo Rodrigues Coelho, subdito portuguez, re-
tira-se para fura do Imperio.
Joflo da Costa Lima Jnior deixou de vender
iigo'ardale de producto brasileira, desde o dia 1.
de abriP, na sua venda da ra Nova, n. 50.
Precisa-se de urna pessoa intelligenle quo quoi-
ra encarregar-se do um negocio importante; al a
Fazcnda-Grande, hoje Floresta : dando fiador, a sua
conducta, pdedirigir-se ao pateo do Carmo, n
18, segundo andar.
ii*^aj*** mm*m.mmm j
SNovo pflo de Provenca
Na padaria do becco das Oarroiras e no de- Q
I psito da Estrella, no Aterro-da-Boa-Vista, n. &
m 39, fabrica-se o novo pflode Provenca, o qual g
S he fabricado pelo melhodo do seu primeiro p
u introductor que veio a esta provincia o com jp
fas melhores farinhasque ha no mercado, e as- u
seio quehe possivel: da mesma sorle so fa- S
m hricam as filias da rainha de Hespanha bo- |
m linhos, biscoulos, biscoutiiihos, fatias, cava- g
I cas : ludo do melhor gosto possivel e proprio I
8 para cha ; tambem ha bolachinha do Lisboa ^
9 em latas de 8 libras', por prego commodo; Q
S amendoas confeitadasje de varias qualidatles. |
Precisa-se da um homem que tenha pralica para
administrador de um engenho perlo desta praga :
quetit se achar nestas circumslancias apparega na
botica da ra larga Rosario, n. 36, que achara com
quem tratar.
Albino Jos Ferrcira da Cunha embarca para o
Rio-de-Janeiro a escravn Feliciana crioula, perten-
centeao Sr. In. Antonio de Souza Simes Lima, u en-
tregar ao mestr.o.
Prccisa-se de um amassador : na ra da Flo-
rentina, ti. 3.
Dentista.
I. W. Raynon, cirurgiflo dentista americano,
tendo mudado a sua residencia da ra da Cadeia tic
Santo-Antonio para urna do Trapiche-Novo do Itc-
cil'e, agnia offerece aos seus amigos c ao publico o
seu pivstimo, islo he, chuinhar, por denles poslicos
b as mais operacfles da sua arte, pelo mclhodo lti-
mamente tlescoberto.
Aloga-se urna gramlo casa terrea, na ra Impe-
rial com duas salas, 7quartos, eoziitlta fra, quin-
tal murado e cacimba : a .tintar no thealro novo.
Aluga-se a loja do sobrado n. 5 do Aterro-da-
Roa-Visla ptima para lodo o genero de negocio,
pela sua excellenle localidade : a tratar no niestno
sobrado, tqualquer hora do dia onde tambem se
fara negocio com a armado envidra^ada, existente
na mesma loja.
C#'#ff > ffi?
i d
Na ealoria de daguerrolypo do artista C.uilhcr-
Ns galoria de daguerrolypo do artista Ouilher-
me Frederico Waltcr, na roa da Cadeia de S.-
Anlonio, n. 26, lercoiro andar,liram se retra-
tos muito superiores,pela inveoclo de Dagucr-
rer, tanto em fumo como coloridos, das 7 9-
horas da manhfla s 5 da larde; aflirinando-se
egarantindo-se lauto a dtirabilidade das c-
j res,como a perfeila semelhanca.

As pessoas que se dignaren! favorcc>-lo diri- (f
jam-so casa cima mencionada.
Oanrfuuciante previno ao respeitavel publi-
co, que pretendo demorar-se muito pouco ?
lempo nesta capital, por isso previne a qual- t-
quer pessoa que precisar do seu retrato inui- ^
lo fiel, ou qualquer pintura copiada, que ap- #.
? pateca antes do lint do me/., em casa du sua ?
< icstdbncia. f+
?' *
rff***^*
^CHAPEOS DESOLH
Ra to Passeio, n. 5
Oh! que pe\inclia paraoatnavel o respeitavel pu-
blico : novas sctlas da melhor qualidade que se pu-
le fabricar, por serem de iiicoinmetida e da melhor
fabrica de Franca, recebidas agora.
(Wabricantodesle estabelcciinento adverte ao res-
peitavel publico desta cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sortmento de chapeos de sol,
assim como chapeos de sol de seda furta-cAres, dos
mais ricos que teem apparecido neste mercado, e de
cotes couheoidas ; ditos para setilioras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas de retroz, ludo que tom do uais moderno o do
melhor gosto ; um completo sorlimonlo de chapeos
Je sol de panninbo do todas as cAres o do todos os
tamanhos, para homens, senhoras e meninos : ha
lainlietii igual o 11 nionlo de l'.i/.elidas para cobi ir ai -
maqAes, tanto de sedas de cAres, como de paiuiiiibos
liai'icadiis e lisos imitando seda. Advertirse que OS
freguezes serflo servidos com brevidade, e se acha-
rflo satisl'cilus da boa qualidade, do bom gusto e do
bom preco.
Compras.
-- Compra-se urna commnda regular, a qual eslc-
ja em meio uso : na ra do Itangel, n. 9
Compra-se um selim em meio uso : no paleo do
Carino, n. 18, Segundo andar, ou annunci.
Compra-so ou aluga-se urna liteira u.ada :
quem a tiver annunci, ou dirija-se s Cineo-I'on-
tas, n. 71.
Compra-se urna venda com poneos finidos, pre-
ferindo-secm bnm lugar : uourmazain do Sr. Ru-
fino, na ra da Conceicflo.
Compra-se una parda reeolhida que saiba co-
ser com perfeicflo : paga-sc liem raso agrado : na
ra da Cadeia do Iterife, loja de Calendas n. 41.
Comprarse u ni a mulatinha de 16 a 18 anuos,
que soja debilita (igura o do boa conducta : paga-
se bem : na ra das l.arangeiras n. 14, segundo
andar.
Compra-so o Diario de Pernambuco n. 87 de
1843 : na ra do Crespo, loja n. 14.
Compra-se uina negrinba ou molcque de 10
al 13anuos, para urna encommeiida : na ra lar-
ga do Rozario, n. 35.
Compra-se urna prcla, ou parda que cozinhe
leme cngoinme e seja desembarazada: nflo se
olha a preco : na ra do Vigario, n. 24.
vende o seu bilhar, sito na casa n. o3,
na ra do Passeio-Puhlico; assim conjo
os pertences do mesmo bilhar e a mobi-
Iba, constando de mesas compridaa com
timpos de pedra marmore; bancos emol-
ios com assenlo de palhinha : vende-se
a dinheiroou a praio, com firmas a con-
tento. O mesmp annunciante juica nada
dever nesta praca, nem fra dalla; po-
rm, se ainda houver qnem seja seu cre-
dor por conta ou titulo, haja de os epre-
si'niar no pnzo de tres diat, que, sendo
legaes, serao immediatamente pagos;
assim como tambem pede aos seus deve-
doresdevirem pagar o que devem se nao
quiezrem ser ejuizados, e ver seus no-
mes por extenso nepta folha.
.. Vende se uina burra bastante gor-
da e mansa : no piteo da lliheira, nu-
mero Ql.
Moda parisiense.
Ainda existe venda um pequeo resto d os supo-
rioreschapeos de machina ; mola ), caberlos de pel-
lucia de seda, muito proprios, pela commodidade
que offorecem, para os bsilcs, soarez, etc.: na na do
Qucimado, lujado chapeos, n. 38.
--Vendcm-so lindos aderecos para sen hora bo-
Ifles de abertura de camisa : ludo do ultimo gosto ,
por preco commodo : na ra do Crespo loja n. 15.
Vendas.
Joaquim Jos Kodrigues da Costa
O dono tiesto cstabelecimcnlo nflo tendo
podido conseguir vendo-lo por causa dos
prelcndeiiles nflo quorerem do modo ajgum
licar com as dividas que por serem muitas e
iiionlarem em grande quanlia nflo pode o
annunciante deixar de menciona-las para
com o producto dellss.poder mais fcilmen-
te saldar contas com seus credores para
Cilio fim tom o aiinunriaiile feito todas as
diligencias de negociar ditas dividas, ( ainda
mesmo com grande prejuizo seu tanto
com os pretendenles loja, como com os
mesmosdevedoes (como de seus annun-
cios anteriores se deixa ver) e que, leudo
ellos comparecido em muito pequeo nume-
ro talvcz pelas circumslancias do lempo ,
e mesmo por inultos morarem a grande dis-
tancia da praca resolveu o annunciante ,
entretanto quo elles cheguom a sorlir de
novo a loja com fazendas uovas.de diffe-
rentes qualidades e lodus mu bem compra-
das tanto em preco como em qualidades li-
nas a saber : superiores mantas de seda pa-
ra senhora ; lencos de selim de cores para
grvalas ; ditos de seda para homem o se-
nhoiu cortes de rassas de bonitos gostos;
ricados moiietros ,dos mais linos que teem
apparecido a 260 rs ; lencos de cainbraia
abertos e bordados, a 200 e 240 rs.; chitas
escuras o brancas de muito bous-pannos e
tintas [xas, a!60rs ;e todas as mais a-
zendas pelo preco do costume.
Com inflo pendente
IIj quo os eu quero;
Ao bom o barato
- r: u c os espero.
NA RA l>0 QLF.IMADO N. 16, I.OJA DE JOS' DAS
SIMES & CiiMI'AMIlA.
KOS SUS. illMAIlOKtS
Vendem-se, por preco mais cmmododo que em ou-
tra qual quer parte, volanles largos e estreitos, bran-
co o de cAr, bem como trina larga e estreila, ren-
da praleadao dourad, espoguilhas, galflo entre fi-
no, &, &, i.
AO BOM OOSTO F DA MODA.
Frnco, fitas de velludo de todas as cAres, proprias
para enfeites, o muito proprias para a cabula das se-
nhoras ; bem como lilas lavradase lisas, assetioa-
das, do melhor gosto possivel; bicos de linho de su-
perior goslo e qualidade; agulhas francezas, muito
linas, tanto em cartcias como em caixinhas; linha
de marcar azul e encarnada, muito fina; luvas de
pellica de ludas as qualidades; meis de seda e al-
godflo brancas e pi cas para senhoras; bicos ; pontos
tic tartaruga para marrafa ditos de bfalo para ali-
sar e de vanas qualidades; os mais finos perfumes
le varias qualidades; escovas e pos do denles; ditas
para cabello, muito linas; ricas cudrias, contendo
valias qualidades de tesouras pnra*co.-lura e bor-
dar; dilas para urinas; o um completo sdrlimento de
todas us fazendas, proprias de loja de miudezas.
Vendem-se 3 fortes pianos,cliegados pelo ultimo
navio frunrez do muito boas vozes superiores as
ileoulru qualquer que tenha apparecido, ede novo
moJcllo que nflo deixraflo de agradar ao comprador;
charutos do llavaita, por preco mais commodo doque
em ottlia qualquer parle; un completo mu lmenlo
de instrumentos de msica, tanto de metal como
de madeira ; bustos de gesso representando muito
fielmente a rainha Victoria e o principe Alberto;
relogios deouro e de prata cliegados ltimamente
da Suissa. Estes relogios que sflo muilo bem aca-
bados so lornam muito recommendaveis a qual-
quer particular e adverte-se que ha entre elles
alguns que auduiii oilo das sem precisarem de cor-
da : na ra da Cruz, no Recife, 55.
C. Slarr conducQflo das fArmas do assucar para a casa de pur-
gar, lie sem duvida o s.irvit;o quo mais mortifica a
cscravatura de um engenho, e desojando quanto
possivel he o uielhoruineulo dos Srs. agricultores,
teem inventado o conseguido construir vanos car-
ros de ferro que facililam de urna maneira admiravel
este pesadissiino trabalho.
As pessoas interessadas sflo convidadas a inspec-
cionar, na fuudicflo d* ,\uroiaetn anlo-Aiuaro, esta,
mu til invencSc
-----------





. .; Veodem-se saccas com superior
leijo mulatinliu, a 5,ooo rs. cada urna :
na porta da Alfandega, armazem do La-
rateiro n. 20.
Aos Srs. a ruin dores.
Trina, volante, galio largo e ostrcito : tudo se
vendo por prego eommodo na ra larga do Hoza-
rlo, n. 21,
Vende-seo engonho Novo.do Cabo para paga-
mento da irypotheca que nelle tem o Sr. Joflo Vieira
da Cunha ; quem o pretender dirija-sc ao mesmo en-
genho a tratar com Francisco Jos da Costa.
Agencia da fundicao
^ow-Ioor, ra da Scnzalla-
nova, 11. 42.
Nesle estabelecimento contina a lia
ver uin completo sortimento de moendas
e nieias moendas, paru engenho; ma-
chinas de vapor,e taclias de ierro batido e
coado, de todos os taannos, para dito.
FoElia de Flandres.
Vendem-se caixns com folha de Flandres: em
rasa de J. J. Tasso Jnior : na ra do Amorim, n. 35.
Vende-se resina do angico milito superior a
820 rs., levando de 8 libras para cima: na ra da
Cadeia do liedle loja de ferragens, de lo&O Jos do
Carvallio .Muraes.
- Veiule-se a verdadeira potassa da
(tussia, desembarcada hontem, por pre-
qo muilo rasoavel, vista de sua muilo
superiorqualidade : a ruado Trapiche,
11. 17, e ra da Cadeia, n. 34-
Superiores cliariilos.
No armazem de Vicente Ferreira da Costa, na ra
da Madre-Deos, vendem-se superiores cbarulos,
ebegados da Baha no blate S.-llenediclo em caixas
o barricas, pelo diminuto preco de 0,500, 7,000 e 10/
rs, b inilbeiro.
Vende-se cal virgem de Lisboa, de superior
qualidade, em barris de 4 arrobas, chegada nesle
Diez pelo brlgue Maria-Jot: a tratar na na do
ISrum armazem do Antonio Augusto da Fonseca ,
Ol na ra do Vinario, n. 19.
Vcndeni-se sellins inglczes e canias
de Ierro : na ra da.Senzalla-nova, n. l\i.
Vcndein-se presuntos inglczes para Hambre;
Islas rom linlachinhas de Lisboa ; dilas do aramia ;
(lilas de marmelada de 1, 2 e libras ; ditas de sar-
dinhas ; ditas le hervidlas ; ditas de cbocolale de
Lisboa ; frascos do conservas ; ilitos d'agoa do flor
de laranja ; barris com azoitonas brancas do F.lvas ;
garrafas comvinbo moscatel de Setuhal e da Ma-
deira; qtieijos de prato, fresca es : tudo novo e
ebegado ultimamenlc do Lisbdi : na ra da Crin ,
no Itecife, n. Vi.
CHA' BRASILF.IIte.
Vende-se,on armazem do molbados atrs do
Corpo-Santo n. 66, o mais excellentc cli produzi-
do em S.-Paulo que tem vindo a este mercado ,
por prego inuitoconimodo.
Algorio traillado da fabrica
tic Todos-oa-Santos da
Uahia,
mullo proprlo para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : veajje se em casa de .V. o. liieber Si Com-
Panhia, na ra da Cruz, n. 4.
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos inglczes para
Hambre ebegados no ultimo navio; no armazem
du Dragues ao pe do arco da.Conccigfo.
Tai y as para engenho.
Na fundico de ferro ila ra do I'.rum ', acha-se a
venda um comideto sorlimenlo de taitas de 4 a 8
palmos de bocea, por preco eommodo, e com promp-
lidio embarca-sc, oi carrega-se em carros sem dcs-
pezas ao comprador.
tralo.
Capadlos de todas asqualiilades ; luvase meias de
seda preta.o dcoulras rnuiliis qualidndes ; bico e
tit;s ; tcnuras ; garganlilbas ; e onlros mullos oh-
jectoa por prego mais barato do que em oulra qual-
quer parte: aaaim como uin resto de calcado para
senbora, per todo o prego : na ra larga do Roza-
rio, n. 24.
Machado V. l'inheiro vendem
no armazem do'Antonio Aunes
.laconie Pires, no caes d'Alfande- p>
&1
l
m
"< ga farinha, milho o feijao de su- &
|gj perinr qualidade, c a piceos mais i
m modicos^Jo que em outra qualcjuer |
'M parle. Si
--Vende-se urna pri-ta de nagflo, que lava.engom-
na e cozinha ; nfin lem vicios ncm achaques : vnde-
se por preeiaflo : na na do l.ivramento loja n. 19.
Vende-se superior farinha de S.-Catbarina a
mellior que ha no mercado : a bordo do patacho Klh
va-luz Tundeado no fortedo-Mattns, defronte to
trapiche do algodflo, ou na praga do Commercio,
n. 6, primeiro andar.
~ Vendem-so as casas terreas ns. 25 27 29 o ?|
sitas na na Real, prxima ao Manguinho, asquees
teem bstanlos e bons commodos quintaer mina-
dos, cacimbas e terrenos fra dos quintaes, eujos
fumlos cbegain al a camboa por prego eommodo :
lanibcm se vendem terrenos ou eliilos proprios pa-
ra so ed i Rer os (fuaes teem bous fundos o largu-
ras e tambeni vilo at a camboa: a tratar na ra No-
va loja de ferragens, do Joaquim Antonio dos San-
tos Andrade.
Farihha de mandioca do Itio-dc-Jnnelro,
de supoiior qualidade: vende-se na na liircila,
n.17, em frente- da malriz da Boa-Vista', venda
n. 88, e na ra do Pilar, n. 120.
Vende-se farinha de mandioca de
Santa-Calharina, por preco muilo com-
modo, a bordo do patacho Natividade,
tundeado defronte do trapiche do a-lgodao;
a tratar com o capitSo a bordo, ou com
Novacs & Companhia, na ra do Trapi-
che, n. 34.
Vendem-s-e barris com bren, no ar-
mazem d, 2o, defronte da guarda da al-
fandega, por preco muilo eommodo: no
mesmo armazem compra-se um pardinho
ou moleque de doze a dezascis afinos: a
tratar das 9 al 4 horas da tarde.
Sementes de liortalice,
vi mas de Lisboa muito novas e de todas as qua-
lidades; feijflo carrapato ; hervilhas tortas; dilas ge-
noveza ; ditas de Angola : na ra da Cruz no Ite-
cife, n. 62.
Luvas de pellica-
Vendem-se luvas de pellica para senhora da me-
Ibor qualidade possivel; oculos de difcrentes graos e
vidros : na na larga do Hozarlo, n. 24,
Chitas a 5,600 rs.
Na ra do l.lvramenlo, n. 14, vendem-so pecas do
cliilas de quadros a 5,600 rs, c em covados a 160
rs. lencos com bico as ponas multo linos, a 48l>
rs.; meias prctas de algodTo multe finas para
senhora ; chitas escuras, a 180 rs. o covado ; ditas
escarate, a 7,600 rs. a pega c o covado a 220 rs.;
o outras militasfazendas por barato preco.
Pcchincha, rapaziada!
Na ra do Qucimado, viudo do Rosario segunda
loia n. 18, vendem-so cortes de casimira, pelo di-
minuto precede 5,000 rs. Aelles que se eslfio aca-
bando.
Vendem-se saccas com arroz do MaranhSo, a
2,400 rs. a arroba ; ditas com arroz de casca com
aqueiro a 4.4H0 rs.; ditas com milho, a 3,500 rs. :
no becco da Carioca, armazem do alfaiate, ou na
ra da l'rala, venda n. 27.
Vendem-scos engenhos Telha eTriumpho, si
tos na freguezia de Scrinhem moenles e corren-
tes ambos d'agoa copeiros, bons de producgfloa
com bstanles maltas e terrenos sullieientcs par,
grandes safras ; seus embarques distan) duas legoas:
a tratar com o major Antonio da Silva Csinlo na
ra Imperial junto ao vivelro do Muniz ou como
seu proprietario, Joflo Clirnaco Fernandos Cavalcan-
te, nos meamos engengos.
Familia de mandioca,
de superior qualidade e ma's nova quo ha na Ierra ,
a 3,200 rs. cada sacca nos armazens da viuva
llamos.
Na ra do Queimado, vimlo do Rosario, segun-
da loja n. 18, vendem-se lencos do seda preta a 500
rs. cada um ; ditus de lila lloridos e com franjas, pa-
ra hombro a 500 rs.; luvas de pellica para senho-
ra a 400 rs. o par ; los prclos a 4,000 rs. ; e ou-
tras muitas fazendas por preco eommodo.
Vendem-se gigos com liat: las fran-
cezas, novas: na porta da Alfandega, no
armazem de Joaquim da Silva Lopes,
n. 20.
Em casa do Sr. Manoel Jos Gon-
calvcs braga, no arco de S.-Antonio n.
2, ha para vender una excellentc escra-
va, a qual sabe cozinhar, cozer, lavar
perfectamente, e fazer lodo omaisarran-
o de urna casa : nao tem victos ncm mo-
lestia algtima : a rasao de se vender he
porque seu sennor, 'tendo onlros escra-
vos, nao precisa dos srrvicos desta. Aos
pretendenlcsae dir quem he o senhor se
o exigir.
/'arelo de Uibit, em barricas :
vende-so no aiinazem do Vicente Ferreira da Costa ,
na na da lladre-de-Daos a 3,600 rs. novo o ebe-
gade ltimamente do Lisboa.
Taboado de pinito.
Vendem-se taboas de pinito no
Forte-do-Matlos armazem do Via ma e
no armazem do Machado, na rua de
Apollo, junto ao porto velho das canoas,
o os melliores pninclioes, costados, eosladlnhose ta-
IHM8 de todas as grossuras e comprimcnlos porto-
do o prego.
-- Vende-se caJ virgem de Lisboa,
chegada no ullims navio, em barris pe-
ipienos, por menos do-que cm outra qual-
ter paite: na rua do Trapiche, arma-
zem n i-].
Continoant-Se a vender suecas com superior
colla dA fabricas ilo lo-Crandc-do-Sul, por prc
qo conunodo : na rua da Moda, n. 7.
Fnlioado de pinito da Sliccia
de-10 a 5o palmos
de comprim uto o mellior quo tem ebegado a este
mercado, em razfio de se poder envernizarem qual
i|nerobr.i prir nflo ter nos e ser muito alvo sen-
do costado, cosladinbo, assoalbo, forro e para fun
dos do barricas: vende-se a preco que o comprador
far lodo o negocio : airas do thcalio, armazem de
Joaquim Lopes de Almeida.
Carnauba.
Vende-s^v i,3 rua da Cruz, n. 21 urna pnrco de
cera de caniaiiha de superior qualidade, c por lo-
ilo o prc?o.
(Jnofrn Jos da Cosa vende saccas
com f< ijao de todas os qualidades, muito
supeiior, pelo diminuto preco de 5,ooo
rs. cada sacca : no armazem de BacelUr,
em fente a escadinha da Alfandega.
Rladcira de pitillo.
Na rua de Apollo, pegado ao armazem do Sr. atol-
la lia um lerceiro armazem com madeira de pinho
da mellior qualidado quo tem vindo a osle mercado,'
4-
e serrada de todas as grossuras e comprimontos:
vende-so^patio menorpreco que he possivel.
Potassa.
Desembarcou ha poneos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acham a venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se vendia, na rua da Cadeia-Velha,
armazem de Baltar&Oliveira, n. xa.
Aos fumantes de bomffosto.
No armazem de molhados airas do Corpo-Santo,
n. 66, recebe-se por todos os vapores vindos do sul
porcSo de cigsrrilhos hespanhes, ditos de palha de
milho assim como superiores charutos de varias
quididades: tudo se vende por preco mais barato do
que eni outra qualquer parte.
PARA LIQUIDAR.
Vende-so cal virgem de Lisboa de superior qua-
lidade por preco mais barato do que em outra
qualquer parte : na rua da Cadei
do Itecife
n
Conlinuam-se a vender cortes de vestidos de
cambraia com lindas barras, brancas e de
cores, a 2,000 rs.; meias compridas azues ,
meseladas, rouxas, esverdeadas e pretas a
120,160 e 200 rs. o par j suspensorios linos
de nina, ,i 120 o par; hotOes deduraque pre-
lo, a 40 rs. a duzia : no pateo do Carino ,
n. 18, segundo andar.
Vendem-se, na rua da Cruz, n. 21,pedrasde mar-
moro franeczas para mesas redondas e consolos.
Vendem-se, na rua Direila taberna n. 53, sac-
cas com um alqueire de milho novo, a 3,500 rs.; di-
tas com'arroz pilado; ditas com caf; ditas com
feljilo ; e tos os mais efeitos de venda mais barato do
quo im outra qualquer parte ; bem como urna por-
ii de madeira de louro e oleo para marceneiro, e
travs de diversas grossuras.
Luvas de pellica, a 1,000 rs.
Vendem-se luvas do pellica, para homem, da me-
llior qualidado possivel a 1,000 rs. cada par ; ditas
para senhora : na rua do Queimado, n. 16, loja de
Jos Simoes & C
-- Vendem-se diversos terrenos com alicorees no
lugar do Coolbo com frente rua do Jasmfm e per-
to ila mar, lugar proprio para se eslabelecerom fa-
bricas padarias ou ferrarlas ; a fallar com Fran-
cisco Rom.fo de Souza no mesmo lugar rua do
Jasmint, casa junio ao lampeilo.
Vendem-se luvas de soda preta para homem ; o
muilo novo cabio de tomates : ua rua da Cadeia, l.
15, loja do Bourgard.
-- Vendem-se 12 lindos moleques do naco e
crioulos, de 12 a 20 anuos sem vicios nem moles-
tias ; fi pretos bons para todo o servico ; urna preta
que engomma perfcilamcnte cozinha e faz todo o
arranjo de uina casa ; urna dita de nagilo boa qui-
landcira ; una cabra boa lavadeira ; e oulros mui-
tos escravos : na rua do Vigario, n. 24.
Vende-so urna preta com muito bom leito e
sem cria ou troca-se por outra : o motivo por que
so vende se dir ao comprador: na rua do Encanta-
mento, n. 11.
-- Vendem-se lonas americanas de todos os n-
meros e a prego muito eommodo ; potassa nova su-
perior ; cal virgem de Lisboa ; fechos do pinho aba-
tidos proprios para se enchercm de assucar: na
praca do Commercio, n. 6, primeiro andar.
Vendem-se pecas de madapoliio largo, com 20
varas proprio para Turro o para roupa de escravos ,
a 3,000 rs.; longos finos de cambraia e com palmas ,
proprios para as senhoras devotas da Penha traze-
rem a calieca a 500 rs.; lindas grossas j muito for-
tes a 200 rs urna quarla ; chitas de coros fixas a
160 rs. ; setineta a nove vintens o covado : na rua
do Passein, loja n. 17.
-- Vende-se algodilo da^terra, muito superior : na
rua do Crespo, n. 23.
Vendem-se sapaloes de couro de lus-
tro [tara homem; ditos para meninos; se-
patos ditos para senhora; ditos de marro-
quim para homem e senhora, por preco
eommodo : na rua da Cadeia do Itecife,
los ; volantes e trina ; espigilhas e ren-
das ; flores arflficiaes ; capellas de flores
de laranja; perfumara fina; toncas de
la feitas no Bio-dE-Janeiro : as a mos-
tras e acham pterifes aos Srs. compra-
dores, c se vender tudo porprecoa rsoa-
veis.
Vendem-se resmas de papel almaco brinco pre-
tina de primeirl qualidade; ditas de poso azul e
branco, por preco barato; ua loja de raiudezas,
praca da Independencia, n. 4.
--Vende-se cera de carnauba de superior qualida-
de, em barricas e a relalho; chapeos de palha, fri-
tos no Aracjrty ; cera amarella ? saccas com farinha ;
charutos de S.-Flix ; pennas de cma ; courinhos
miados: na rua da Cruz, no Recite, n. 24, venda de
Manoel Jos de Si Araujo.
Vendem-se saccas grande* com superior farinha
da trra a 4,800 rs. : no Forte-do-Maltos, venda de
Antonio Jos Fernandes de Carvalbo.
Vende-se urna ferramenta necesssrh para un
ollldal de funileiro, por prego muito eommodo : na
rua do Torres, n. 20.
-- Vende-se urna negrinha de 13 anuos, muilo
linda; urna negra de nagflo Costa, propria para ven-
der na rua ; um mulato muito robusto, proprio para
trabalbar de erxada : na rua Nova, n. 5.
-- (hiejos llamengos novost I,too: no
pateo do Carmo, esquina da rua de Hur-
tas, venda por baixo do sobrado novo.
Vendem-se duas voltas do trancolim duas cas-
soletas 4 pares de pulseiras de ouro de lei o de gos-
to o mais moderno que tem apparcuJo : na rua No-
va, loja n. 41.
' Vende-se a loja de oouros, calgado e sola com
os fundos de 75,000 rs. e a armaglo da inesina por
10,000 rs. : a tratar na rua do LivramenU>, ao p do
nicho, segunda loja de couros.
Vende-se, para fra, um escravo bom cozinhei-
ro, proprio para entbarcagflo por saber remar : ao
comprador se dir o motivo porque se vende : na
rua do Queimado, loja de ferragens, u. 10.
Uiquissimas molduras para en fe i tes do sala o
lettras grandes para tablelas: vendom-se por pre-
go eommodo, na rua da Cruz, n. 21.
Amendoas confeitadas, proprias da prsenle, se-
mana : vendem-se na rua da Cruz, armazem n, 13.
Vende-se um cavallo rodado, bom eslradeiro at
meio : no armazem do Sr. Rufino, na "na da Con-
ccigo.
Ventlem-se 121 ongas de ouro ; na rua da Alfan-
dega-Velha, n. 36.
Vendem-se saccas com feij5o, de
muilo boa qnalidade : no armazem que
foi do finado Braguez, junto ao arco da
(onecicao, pelo Borato preco de qualru
mil ris.
Escravos Fgidos
n.
!)
Aviso as senhoras
que se do a orago e aos exerdeios pos da religiJo.
Na livraria da esquina do Collegio estilo venda,
ebegados do fresco, os seguintes livros : Manuaes
dos oflieios da semana-santa : lloras Marianas ; Ma-
nuaes de missa ; Mez de Mara : todos com augmen-
to de novas estampas finissihias Mitas douradas e
com enc8dernag0es de velludo de difTercntes cores e
gostos ; com titulos, fechos e demais guarnieOes
douradas : algumas das encadernages teem por f-
ra das capas embutidas as imagens do Senhor Cru-
cilfrado e de \. S perfcilamente douradas. NIlo
lia vera por corto inultos bjectos mais proprios para
um presente do que uuriivrinho destos. Tambem
estilo i venda estas mesmas e outras obras pas, com
encadernages menos ricas o communs.
Vendem-se sapaloes do Aracaly
para lioinem c meninos,. por preco com
modo : na i na da Cadeia do Itecife, n 9.
Na .rua do Cabng n. 1 A, loja de
l'rancisco Joaquim I huirte, ha para ven-
der bolScs de l\ 11, da primeira, se-
gunda c lerceira qnalidade; ditos de ca-
vallaria da guarda nacional c volunta-
rios ; dilosMe casacas, ainarellos e pre-
tos ; ditos de libr de pagens ; ditos de
seda c de vidro e utadrepcrolla, proprios
para vestidos de senhoras em^oinos; man
tas de selini para meninas, 800 rs; len-
cos de garca a 800 rs
ns. 6, 9 c i a ; setim de cores, a 900 rs.
o covado ; luvas de. pellica, a 800 rs ; di-
tas enfeitadas, a a,000 rs ; ditas de seda,
a 700 rs; lencos de grvala, a 1,600 rs.
e 1,000 rs ; gal5es finos largos e estrei-
tos ; ditos do palheta, braceos e ama re-
Fugio, no da 27 do passado, urna parda de no-
me Silveria, com o cabello cortado rente da parte de
detrs e comprido na fronte testa pequea ," olhos
na flor do rosto com signaes de bexigas anda de
pouco lempo, belgos um tanto rouxos, deutes lima-
dos ; lem urna dasorelhas lascadas 110 lugar do brin-
co ; levou vestido de chita cor de vinho e chale qua-
si da mesilla 1'1'ir ; tem os ps grandes 6 OS dedos
dos mesmos bastantes abertos ; representa 24 annos
pouco mais ou menos : quem a pegar leve-a rua
da Cadeia de S.-Antonio, 11. 4, que ser gratificado.
Fugio, nodia 3 do corrente, a preta Maria.de
nagflo Costa, alta, secca, lalhada na cara tem uus
talhos compridos nos bragos cara comprida, olhon,
nariz e bocea regulares; tem os dedos das milos
compridos e seceos, ps taubem seceos o compridos;
tem urna marca de ferida na perua ; levou saia do
chita encarnada de lislras e panno da Costa ; he qui-
tandeirac vendia pilo: quem pegar leve-a as Cin-
co-Ponas, n. 59, que ser bem recompensado.
-Contina a estar fgida a preta Auna, erioula, de
25 anuos altura regular secca do corpo ; tem ein
urna das orolhas um buraco e em urna perna signadle
tertido una ferida ; quanffo falla ajunla saliva nos
cantos da bocc* e sempro baixo ; nflo parece eriou-
la no fallar; levou vestido de chita ja velho, ca-
misa do algodfloznho e panno da Costa ; consta ter
andado lavando roupa para as parles do Reberibe :
quem a pegar leve-a a rua Nova, 11. 33, que sera
bem recompensado.
Fugio, ua niaulifa do da 3 do corronle vindo
comprar ragflo para bordo] do patacho Dout-lr-
moi, o pardo Deciderio, de 24 tunos pouco mais
ou menos ; he baixo ; lem os delites da fenle qua-
si lodos pudres ; he bstanle experto ; tem ohlcio de
alfaiate : quem o pegar leve-o rua do Trapiche,
n. 6, que ser gratificado.
Fugio, do engenho Combe no da 22 do pr-
ximo passado, um escravo crioulo, ile nome Jacob,
de 22 annos pouco mais ou menos de altura regu-
lar ; tem as pernas cambadas e com urna ferida em
una dolas; tem unta cicatriz em um dos lados da
bocea ; foi encontrado nodia 25 do dito me/., uo
engenho Qemadas o suppOe-se ter seguido ,0 cami-
nbodo liecife: quem o pegar leve-o ao dito enge-
nho a seu senhor Manoel Jos llenriques, ou lies-
la praga a llodrigo da Costa Carvalbo na rua de
Apollo quo so recompensara generosamente.
Fugio, do cngenlicltaiz, da freguezia da-Esca-
cada ,11o da II do pioxiiuM passado o escravo Jo-
s de nagflo Angola representa ter 45 annos; lie
brixo e grusso do corpo; lem as pernas um pouco
arqueadas para dentro e grossas; leve ha pouco
lempo bexigas do quo conserva anda signaos Esla
escravo veto preso da comarca do l.imoeiro em 21
de uulubro do anuo passado. Iloga-se as autorida-
des e qualquer pessoa que o apprehendain e le-
vem-uu ao dito engenho, a seu senhor, Antonio
Alves da Silva ou uesta praga a llodrigo da Costa
Carvalbo, na rua de Apollo, que so recompensara
generosamente.
fugio, nos primeiros dias de Janeiro prximo
passado do engonho S -Joflo freguezia do Cabo ,'
um inolecotede nuino Anaslaciu e 14 a 16 anuos,J
litas de setim de | de hunjla figura, rosto muilo regular, um pouco
fulo, fulla baixo ubrandamonte; levou cagase ja-
quelado liseadoazul e bonete : quem 0 pegar le-
ve-o ae dito engenho ou 110 ilodogo ueala cicla-
de casa do l.uu Comes Ferreira u,ue recompensa-
r com 100,000 rs.
I'bbn. : a t*. de m. 9"'tr. fama
-i849


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXKXAI1G6_B1A9Q7 INGEST_TIME 2013-04-12T23:54:48Z PACKAGE AA00011611_06457
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES