Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06452


This item is only available as the following downloads:


Full Text

jinno XXV.
Quarta-feir 28
0 p/,4ll/0pullca-etoclososdiaque nao
forem de guarda. O prefo da asslgnatura he
e 4*000 r*. porquarlel, payos ddinnUdot. Os
.nnuncioi dos aMigoame* lito laicridos
raiao de 20 r. por liuba, 40 rs. em trpo dif-
ferrte, eai repclic-dcs prli metade. Os nao
Lsugnantr pag.iro O rj. por lida e 100 rs.
(ni trpo differentc, por cada publlcafo.
PUVSESDALUA NO UEZ DF. F I,.ia chela, a5. t 8horse56min. da manli.
Mingoante,a 15, a 1 lior e 43mi.da inann.
La no, a 2i, as 11 hora e lOuiln. da tarde.
BART1DA DOS CORREIOS.
Gaianna e Parahiba. i sega, e sextas-fe iras.
JlioG.-do-Nprle, quintasfeiras omeo-dia.
Galio, Serioliaeni, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, iio !. a II e 21 de cada mez.
Garanliuos e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-Viua e Flores, a 13 e 28.
Victoria, as qnintaj-fcirai.
Oliuda, lodos os dias.
DIARIO
de Fevereiro de 1849.
iiaan.^
PREAMAR DE HOJE.
Priiueira, ai 9 horas e 18 minutos da manh
Segunda, i S horas e 42 minutos da tarde
DAS DA SEMANA.
26 Segunda. S. Toralo. A"d- ao J- Joi
orph., doJ.docl\clr do J.M. da2. v.
.27 Terca. S.Leandro. Aud. doJ.doc. da 1.
v. e do J. de pat do 2. dit. dr t.
28 Cuarta. S. notnfio. Aud. do .1. do c.
da i. v.e do J. de paz. co 2. dlst. de t.
1 Quinta.S. Adrio. Aud. do J. dos orph.
e do I, M. da I. v.
2 Sexta. Simplicio. Aud. doJ. dociv.e do
J. de pai do I. uist. de t.
3 Sabbado. S. Hcineleriu. Au!. do J. do c.
da I. ?. e do J, de paz do 2. disl. de l.
4 llamingo. S. Casimiro.
CAMBIOS NO DA 27 DE FEVEREIRO.
Sobre Londres a M d. por 1/dOO rs. a 00 dial.
. Pars
. Lisboa IC8 por ecnto de premio.
B"lo-dc-Janeiro ao par.
Desc. de lett. de boas firmas a IV. Z ao mea.
Accoes da coinp. de Beberlbe. n J0J iMfP.
Ouro.-Onca* hespanhol.is. 30Wi0 a'-^JA*
IHo/das deflOOv. 17^*10 a 17?.i0
, deOMOOn. ICfiOO a \bfW
de4>000.. 9/200 a 9/400
PraCa-Pataces brasileiros 1/070 a UM0
Pesos columnarioi. 1/9/9 a IJWU
. Ditos mexicanos..... 1/800 a 1/920
PARTE OFFIC1AL.
p
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 28 DE FEVERE1R0.
Oflleio. *o commndnteds arms, remetien-
do 19 oneas de chloroformio,. qneacabam ae "hogar
,U Hhi, Misfzenilo ssim a requisicSo que S.
Exr. Tez para oservico dos hospitaes desla cidade.
Dit". Ao mesmo. dirigir o capilflo da guarda nacional Francisco
Luii Viriles, cere da prisOo deJoaquim Claudio
limtniro.
Dito. Ap mesroo, participando, segundo com-
munloti-lhe q Exm. presidente da R|iia, que S.
M o Imperador houve por bem prorogar por un mez
t licenca com que e chava n corle o tennnte,-eo-
ro'nei commaudanle do primeiro balalho de cara-
dores, Franciaco Antonio Tourinho.
Dito. Ao cnsul deS. M. Britannica nesta cilla-
de, aecusando receido o seu oltlcio, acnmpanhado
ile'nm cxempUrdo relnlotio da repartico da siudo
era l.onlre5, cerca d insufflciencia das qtiarenlcn-
uas par vitar a introdcelo do cliolcfa-morbus em
qualquer territorio.
f Dito- Ao commandanle das armas, recom-
mendando baja de fazer constar aos vogaes milita-
res da niesma junta que a lem convocado para reu-
nir-seem palacio A urna hora da tarde do primeiro
de margo prximo futuro. Scienlificou-se o mes-
mo juiz relator.
Dito. Ao inspector do arsenal de marinna, com-
municando haver revogado a ordem de 22 le corren-
lo, pela qaial mandou pagar ao Dotitor Jos Mamcde
Alve*Ferroira a quantia de 700,000 rs., como mem-
bro da commissflo encarregada do melhoramento do
porto desla ejdade; e determinando que por seme-
Ihanle trabalho seja elle recompensado na rasa de
1'17,460 r. mensaes.
Hilo Ao administrador do correio desla cidade,
approandoa nomeaijlo provisoria de Bernardo da
Silva GuimarSes para exercer na cidade de Olin-
da 0 lugar de agente daquella admlnistracin ; e
declarando que, para poder resolver acerca do que
secontm na segunda parle do seu oflicio, precisa
que 8. me. remella a presidencia urna doiiionslracflo
do alcance de Manoel Nunes de Mello que rxercia o
referido lugar, e usenlou-sedopois do tnumpho
que as armas da legalidade alcancaram sobre os re-
belde no dia 2 do correte.
Dito. Ao inspector da pagadora militar, enyi-,
ando" crrnt d* importanci de 12 oncas de chloro-
formioquea presidencia mandn vir da Babia para
o servico dos hospilses desta cidade. alim do que S.
me. mande pr dispsc.So do F.xm. presidente'da-
quella' provincia, por meio d lettra, a quantia do rs.
38,400.
Dito. Ao inspector do arsenal de marmita, com-
niunirandoqucS. M. o Imperador dignra-se deter-
minar que o escrivilo do almoxarifado daqueller-
senal.l.uiz de Franca e Mello, se abono a gralifica-
clo mensal de 10,000 rs. que elle deixou de perceher
emjulnoe agosto do 1847; e rocommendando haja
de providenciar para que sej cumprida esta impe-
rial determiiiaco. Scienli(icou-se o contador de
marinh.
Klo. Ao director do arsenal de guerra, autori-
snndo-o a despender a quantia de 200,000 rs. que S.
me. icpresenlasernecessaria para fazer apromplar
com urgencia as officinas de primeira e segunda
classdaquelle arsenal as obras que se achain em
andamento. Communicou-so ao inspector da pa-
gadori#-militar.
Dito.Ao tenante-coronel Jos Antonio Lopes,
louvando os sentlmentos do patriotismo que o leva-
ran) ceder em beneficio das despezas da guerra, em
que actualmente se aclx empenbada esta provincia,
o sold e os domis vencimentos que Ihe compelem
como pagsdorgeral das Iropa em operaedesso sul
da niesin proymci. ...
Hilo.Ao inspector da thesourana da fazenda pro-
vine!, remetiendo, para que tenba o conveniente
deslino, o reltorio da commissBo nomeada polo
commandanle do corpo de polica para conhecer do
alcance em que se flia o respectivo quartel-mes-
tre, Flix Aliguis ; bem Como da !egafidde e exac-
iiilo dos documentos, que tambem remelle, e que
serviram de bas conta que devolve, firmada pelo
referido quirtel-rocslre.
Dito.Ao commandanle superior d guarda na-
cional do municipio de S.-Antflo, communicando
que mandou pagar ao seu procurador a quantia de
2:302,500 ris, que se Ihe elava dever pelo sup-
primenlo por Smc feilp Iropas em operacOes coii-
Ira o revoltosos nass comrca, o pelos boisefari-
nha que forneeeu i frca ao mando do coronel Joio
do Hego Barros.'
qual deteslava de morte lodo a autoridade, quor
clerical, quer secular ; e tinha feito da pennsula
itlica a scena do suas destructivas intrigas. Elles
conheceram bem, que nada poderia Juntar tanto o
objecto que linham em vista como cnbrirestas intri-
gas com o nome augusto de Pi IX. Desde o mo-
mento em que ialo llzeram, seu poder augmenlou
grandemento em Roma, o nio smente consegui-
rn! converler aquoll cidado do paz cm urna arena
para paixOes ultrajosas, seno tambem lograram
fazer della o centro de urna agitaciio, a qual deu logo
aos espirilosdosbomens una direceno que o papa
nfln podia deixarde condemnar; sua torrente atirou
com lies para muito Ipnge do termo que o beno-
volo pontfice tinfia cm vista.
A repblica italiana, urna indivisivcl,-pois he a
islo que aspira o radicalismo transalpino,n.1o Sendo
a a ___l..l..t 11 .. 1 ni n r> i\l\ f>n i v lt 11 tt
O documento que abaixo lranscrevcmo3 inteirar
o leilores da maneira como as forjas legalistas al-
cani;arm um novo triumpho sobro as dos rebeldes.
Acampamento volante da columna de operajtol du
norte de l'cmambuca em a eid'ide do fnjo-dc-Anta
da Pnrahiba, 21 de fevereiro de 1849.
ORDEM DO DA N. X
A contumacia dos criminosos, elevada a um
grao de exaltac que a posten lade apenas acredi-
tar como fabulosa, derramnu mais limi vez n pre-
cioso sanguc dos Brasileiros no escarna lo le reno
em que assenla esta cidade! A victoria alcanca
por esta columna, em-o dia 13 do mez que corre,
em o engenhn l>o-Amrello. pertcncento ao torn-
isto que spira o radicalismo irnsaip.no-.n.tosen.io B""V "" ,,n:'r" 'n;B os renrobos uno
possivel, em quanto o poder da Austria sobre o P e tono pernambuenno convence os reprobo que
0 Ticino continuasso a resistir s vagas da revnluco, cobr.ram essa formo, provincia Mjau^ n
>. t_ J a__*_ .. n ., ii i ,, ,>i. t ,nnnln -i
a expulsflo dos Austracos tornnu-se naturalmente o
lvo principal do partido ropublicano ; no he dead-
mirar.portaito.quo ellos procurassem a todo o custo
crear urna desinlellgencia entre os governos de
Boma e'Vienna, porquanlo julgavam, o com ra-
s3o, que a popularidade extraordinaria de Pi IX
voltaria a balanza em desvantagom do seus adversa-
rios. Soasbaxas Intrigas do partido revoluciona-
rio nflo Conegram produzir um rompimento entro
os dous governos durante a quesillo de Ferrar, foi
islo principalmente dovido moderagloclonganimi-
dade da Austria, a qual couhecia bem os embarazos
do santo padre, enUo poda nem devia esquecer o
faci-de ser o soberano de Roma tambem cabeca
dessa igreja quo a miioria da populacho austraca
pertence. Porm esl moderagSo, longo de ser roco-
nhecida como tal, excitou ttfartido revolucionario a
novos desenvolvimentos dosua furia selvagem. A
bandeira austraca, e as rms do imperio, arvora-
das no palacio do uosso embaixador em Boma, foram
insultadas e despeJagadas, e posto quei> sanio padre
mesmo coudescendesse em expressar ao embaixador
o seu profundo pezar por Ulo grosseira violacSo dos
diroitos inlrnacionses, lodviao*eu governo, in-
timidado pe licencj da faegao, nSo pode reparar
a injuria que fr foila. Neste lempo as tropas pa-
pes, tambem em desprezo d vonlado directa a
publica de seu srjberarro, atraveasuram o P o incorJ
poram-s s fileiras dos inimigos da Austria. Foiosta
a prova a mais convincente do que a aulordado
papal em seu prprio paiz achava-se roduzida a
alguraa cous tao pouco substancial como urna
sombra.
Estes fado s3o conhecidos de todo o mundo.
Quando o governo austraco se couvenceu por meio
ilellcs de que o santo pdre nflo era mais livre, c nilo
podi,porlaiito,conceder a proleccilo devida ao nosso
representante, nos niio livemos outra alternativa
que ordenar aq embaixador imperial houvcsse de
lelirar-se de liorna.
A COndiciO dos negocios est agora mudada. A
ignominiosa ingratidilodoa liomens, aos quaes elle
fez mil beneficios, e que, anda lia .pouco, o exalta-
vain al s nuvens, obrigou o santo padre a prover
em sua salvaclo, d*ugindo da cidado eterna. Ao che-
gar a Gaeta, elle proleslou solemnemente, e pera ule
o mundo inteiro, contra os factos criminosos do da
16 do noveuibru, declarando millas e de nenlium
effeilo todas as suas consequencias.
Acorte imperial recobeu lidia communicaco n|T-
cial desto protesto. Eslo documento mostra clnra-
menle que o santo padre acha-so agora escapo das
mos do eus oppressores, e goza oulra vez d.i liber-
dad* uccessaria para o -deseinpenho de seu car;o
apostlico. Sua magostado, o imperador, seguindo
proinpianienlo o impulso de aeu coracilo, lem re-
sollido ronovsr as rela?0es diplomticas; tilo impor-
tantes para os ulereases religiosos de seu povo) com
caber; da igreja, ssim como protestar no Ilustre
pontfice l'io IX a mu* sideera sympntlna, vislo que
a islo o habilitara suas virtudes, suas dosgraca u
uo posicao olevada. Pra este fim um embaixador
imperial pilr quanto antes par a residencia do
sanio padre em Cela.
(Timei.)
deque niio era possivel manlereni^e por mais lempo
no bello torrflo predestinado pela PB\ I OVA CA para
oceupar um pnnlo luminoso no vasto territorio da
America ; e por sso resolveram, no antro do enmc
tra/er a guerra civil ao centro de um povo pacifico.
Com ncrivel rapidez, a inercia do uns, a creduli-
dade e a perversi.lade de oulros. hzerain com que o
son da anarchia suceedesso branda viracSO da paz;
o ocaudilbo derrotado em Po-Amarello, persegui-
do sera descanso por esta columna desdo esaO ponto
at povoacfio Lagoa-Cramle, deparou com homena
revestidos da autoridade publica, que niio so O con-
duziram cm truimpl.o. como pozeram a sua dispo-
siCjo os recursos de lodo o genero que exisliam nes-
i-i cidfltlc '
Esta columna, quebrada de romo, sodoofadiga,
cifrando suas caperanca era DOS c no seu valor,
transpoz 23 legoas de rido terreno, e com a impa-
videz dos verdadeiros bravos, desreno o pav.llii.o
nacional junto dos ingremes penodos desla para os
reprobos, nova Gibraltar, leudo antes batido o im-
mrgo om os pontos avancados, colloeadosem os en-
genhos Gregorio e Boa-Visla, na ladoira do Tat, c
finalmente nesU cidade.
A's 7 horas da manha rompeu o rogo cm o
primeiro dcstes pontos, o durou, com pequeas in-
terrupQOcs, at a urna hora da larde ; lempo cm que
o loim.so foi apellido desta cidde, deixandu em
poder dos vencedores 275 cttuchon:balados, 500
pedras deferir 3 saceos com chumbo em grilo,-lj
espingardas.5 lawinas.-aoprisioneiro,- ba-
hus conlcndo parte dos objeclos que roubou aos
pacifiCOS habitantes desta cidade,- fi bo.s que Tur-
n qo mgenho Vanca-Mova, os cadveres do sois
bandidos que licaram insepultos no campo do com-
bale alRuns-dosqua punga o ignominioso ferr-
. da oscravidao, al.n daquelles que coriduzio no
e o estado ou IVridos. segundo sdepo.Ces
unnimes dos moradores das circumviilnnsneas des-
U.C'Srana perdeu o intrpido cadete do wxto
b.talhfio de cacadores lodo Cavalranle do Alb. -
querque Bello, um soldado do segu ido batall>flo de
^tilharia a pe. dous soldados e um l. or do qu
l batalhSo de ruxileiros ; os quaes.jMPittlP ? ."
voluc o carnal, voarama mansao dos justos. co
r? dos da aureola de gloria celeste, sao ou revi la. -
ios mterressores pe o bom resultado do noSMS r
sexto baUlhfio de cacadores. o Sr Jo. o (uiinwm
lo Bruce, leve um fermento leve frontal. O listino-
o nenio C.aodino Manoel do 0l.vei CW. '1
arviaAaordons do commandiriito dacoluniu, ni
, nto ferido. Os cadetes *1ta*jljM*J:
coDuarte oEricodaSilva Itarrolo, os sarg'-.l. s Jo-
s Urbano da Silva, Alexanlrino Jos Lopes o A -
S fSc. Carneiro. um anspec.da quatro s. Id -
dose UOl cmela do segundo batal 3o d a l ;
i i,.- o nrimeiro sargento Jos hayo da Silva,sldiiu
fzileiros ; un, cabo eoito soldados do sexto bata-
Ihilodecacjadorcs, loridoi.
luir o corpo eoompanhias da vanguarda, que estl
vam extenuad porque, dillic'iiltandosc essa SUbatitllleBo, lodos
earregaram sobre oinimigo e o cxpclliiam. Sr.
capitno graduado, com execcio de ajudanto do
sexto batalhAo da cacadores, Jos LeitSode Almoid,
por lar substituido n coraniandanle interino il i mes
ron batalliao, logo no e imeQo ilo servico qu foi
enesrrogado, por ter si lo forldn. O Sr. s*gund i l-
ente Mermes llermctoda Fon-cci, cnearregalo di
direcco doo'buz, pela pon'.ualidade com qu toi jo
gar esic quando oenmmandante da colurnn i lli i'nr-
itenou e por ter lomado parte no Ataque da cita le.
Como ollicialde lileira, quando aconliguracao d)
terreno inutilisou o om prego d'arlilharia. Finahnen
te, o cominandanlu da columna vai levar presenca
de's. F.xc. o general era cheb das tropas omprega-
das na pacHKae8n da provincia de l'eruambii'o OS
originaos das parles ollieiaes quo llio dirigira'ti os
Srs. coinmandanles dos corpos, era as quao icr.om-
mendam algunsdos sous coeamanuados ; o s. Exc ,
com o espirito risa. n.lo deixar do attondor a essas inosnias roeoai
mendatjfiea.
terminan lo a presento ordem, o enmman lnlo
da columna ordena que os orpos hoja rcudam as
devillas grC i l'adi'oeira do imperio pelo liiiim-
phoquolhes pormittlo, epira qu f?a estancar os
oros do saoguo biasileiro, abortos por reprobos,
dignos da maldicilo de Dos o dos liomens,
(i I'cliciano Antonio 'ukdo.
Tencnlc-coronel o commandanle.
UIAKIU IIEr-EHNASlirCu.
A ordem do dia, que dcixnmos transcripta, acom-
ptnhou um officio do Sr. lenenlo-foronel Falcilo, fir-
mado ios 22 do correnti era o qual sua senboria,
ao passo que nolicia que os rebeldes haviam tomado
ocaminbodosertno, diz. pensar que elles nBoprorc-
guiro em scmclhanlo niarcb, alientos as dilTlcul-
dados com que torlo de lutar no interior da Parahi-
ha era a presente esUrjio.
S. S. manifesla receios do que os rebeldes se vilo
acanlonar om Campina-Crande: entrclanlo, corro
quo, retrocodendo, buscara ellos aproximar-se de
Cruangy.
A ter sio boato algum fundamento.os rebeldes no
podem deixar de ser anda una vez deslroQadosnosse
novo ponto; pois que serijo dentro cm breve alcan-
cados pela columna ao mand do Sr. teuente-coro-
nel Falclo, bora como por aquella que se cha,
sb directo do Sr. coronel Pimentel ; e essas
lu'asfrcas, obrando de commum acertrdo, obterHo
sobre elles Iriumpho aimla mais completo do que
sso qtc ah fica noticiado.

lORNiCS D0SUI 00 IMIM-IIIO.
Uomquanlo o commandante da columna paguo
rbutoao mrito, declarando que o ,, copo
EXTERIOR.
DECI.ABAC.lO DO GOVERNO AUSTRACO ACERCA
DAS liELACOES ENTRE AS CORTES DE VIENNA
V E ROMA.
axoira, 97 di raTOKWao o IMt.
lailMI'IIO DA CAUSA DA LEGALIDADE
EM BBEJO-DB-AHE1A.
O muito dislincto o benemrito Sr. lencnle-coro-
nel Feliciano Antonio Falcflo, como quo protegido
pela PROVIDENCIA, vi desbaratando os rebeldes
om todos os pontos em que os podo encontrar. J
em Po-Amrello S. S. Ihes provou quanto he par
lemer o vlor das tropas legaes, quando dirigidas
por ofllcal 18o hbil como o bravo Maranliense, cu-
jo nome ah fie regislrsdo i gora, em a cidade do
Brejo-de-Arei, dcu-lhes conhecer quo nada arre-
feee no ardimento com que est disposlo a aniqui-
A necessidade de reformas radcae na dminis-
traco dos dominios pontilicios era gorafrhenlc sen-
tida, quando fio IX subi ao Ihrono papal. O novo
poullice julgou aceitadamentente desta necessida-
de,e, n meio dos pplausos de toda Europ, elle. la-Ios, qualquer que sej paragem em que os
camiBhou logo pelas vas do progresso legl. 01 combter.-^por mais vajtUjesa quo seja a po-
mai conspicuosdeatre os entbusiaslicos admirado- "*,u10'' *ul "'*' ""'^ ^
res do po IX foram ts membros de um partido, o! sicSo que alies oceupem.
S=i5SSSi|aVg-32
tawi
immm
josmUho" commandanle mennos, aquello lo
sexto alIBo de cacadores, o este do segundo de
ar. h-ra a|, :o segundo por ter marchado com o
hala "o do seu commando, coadjuvado as tres com-
an! as da guarda avancada em o ataque da cida-
o o o me.ro por ter marchado com quatro com-
PnbUs do btainao do seu commando para subsU- bom esUdo.
A fragata PorafliM*, chegada hoj do itio-de-J-
neiro, Irouxo-nos Jornto miolrM o ilurainenses;
0, primoiros .t 27 de j.noiro ultimo, o os segundos
al 10 do correnle.
Nada extraordinario ocrorin, em Minas, nem tilo
pouco no Rin-de-Janeiro. Kslas dUSS provincias es-
(avam em perfeila paz.
O ministerio continuava na mais cmplela harmo-
nio, e no gozo de plena confianca da corfia.
O lornal do Commercio de 10 annuncia quo o bt igue
americano Pemj dcf.vera lora da barra, eli/en se-
guir para os Estados-Unidos o brlguo americano
Suim, que se destnava cosa d'Af-ica; c aeeres,-.,-
Uquoamr parte dos passageros do ultimo dOSSBS
navios fra ohrigadaasogui-lo.
Haviam ahogado A c.'.rleem abarca franceza K/o/-
du-Mnln, procedente do Havre, c ficavam a seguir
para Minas, dozo irmilas da caridade e seis lazaris-
tas, pedidas [do F.xm. hispo do Marionna.
s noticias do Rio-Grande alcancam a 80do pa*r^
sado.
A 19 cnlrra naquelle porto, vindo do M.ralevideo,
o vapor de guerra inglez/..W. que, segundo gc-
nlraonlesesuppunha, estacionan, all.
A situaco commercial da provincia era pouco I.-
songe-a mus esperava-se que, na sua prxima reu-
nan a respectiva assen.bla legislativa corlasso por
certas difllculdados com que a praca lula, oque cer-
umento concurre p que ella se nao ache em
,~.




2
No Mo-Grandnic de 1816-se :
Por pessoa fidedigna nos fo relatado o se-
gu nte :
Quinze Orientaes dos que atacaram emataram
no Chuy a Jos Mara deFreitas, chefn daquelle pon-
to, commandados por um Manduca Carbajal, passa-
ram ao Kstado Oriental pelo Jaguaro, o drlgiram-
e ao Paro-Jaguaro, as casas brasileiras dos Ver-
garas e I) Firmina Bezerra, e os Orientaes Manoel
nionizio Correa, encarrega.lo da polica daquelle
d.stncto e irmilo deste. Assallaram o Mate nacio-
nal Marta /, roubando 900 palaces em dinheiro e
600 em gneros ao patro Antonio Castro Vrela e
mataran, um sobrinho de Vergara eum llespanh'ol.
Urano comaigo tres Brasileiros e cinco Orien-
taes que poderam escapar no l'asso-da-Cruz em Ce-
Jmente no da 3, em consequencia da perseguico
que Ibes fazia o dito encarregado da polica !
VARIEDADES.
PREDICCAo NOTAVEL 1)K UM FRADE ALLEMAO.
Filippe Olvarceus, monee de Orval, dizem que
predissera em o anno de 1544 lodos os aconlecimen-
tos extraordinarios do prsenle seculo. Oque, po-
rm, he fra de toda a duvida he que as segumtes l-
nhascorreram na Allemanha por milito lempo:
Eu nao quizera ser reiem 1848; niio qu.zera ser
soldado em 1849 ; no quizera ser coveiro em 1850 ;
mas eslava prompto para ser o que quizessem em
1851. m
A REVOLUC\0 E A RERELLlAO.
Quando um povo se levanta para obler a liber.lade,
se he batido, o seu movimento chama-se rebello,
se triumpha, o mesmo movimento chma-se revolu-
to. O rebelde he eslgniatizado, o revolucionario
he honrado.
No ser esta dislncco fnlsa e m ? Urna causa
lie porventura menos santa e justa, ou urna lula
menos nobre e patritica, s porque o tyranno lien
de cima e o povo debaixo ? Todava o mundo lem
eito esta dislncco, e, segundo ella, George Was-
hington, se no tivera vencido, teria sido um re-
belde e Irahidor. Mas isto j se va desvanecendo, e
nenhuin homem que lula com ardor pela lilierdade,
robora a no consiga, he hoje cobcrlo de oppro-
brio. Os Papinenus e Nelsonsque no logram liber-
tar sen paz, e s3o expalriados pela oppresso,
acham-so enllocados a par destes patrilas felizes
que teem libertado sua patria ; sous motivos e no
seus successos, tul he a medida pela qual so boje
medidos.
[ThtSun Weekly..
antigs e modernas da Asia-Menor no Iho forne-
ce nenhum Jtra;o pe)o qual passa identillca-Us. A
cidade tem quasi meia legoade comprimenlo. Ella
rontm sete templos com coplas e 218 casas, urnas
em li.'.in eslado, oulras meu-enlulhdas com as suas
proprias ruinas e com vastos fragmentos de roelie-
do, destacados da montanhaque Ibes fica snbran-
ceira. As casas teem repartimentos de. tres, quatroe
seisquartos. O maior destes edificios tem 20 ps de
comprimento sobre28 de largura, e o doutor avalla
a altura de alguns dos tem pos em 20 a 30 ps. as
paredes interiores notam-se vestigios de cal, porm
nenhum emblema, nenhuma indicado, diz o doutor
llrunnor, se encontra que possa suggerira origen)
ou a dala da cidade arruinada.
(The Times.)
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO OA 27........... 8:042,777
Deicarregam hoje, 28 Iliate Sanio-Antonio-Vencedor charutos o fumo.
Rrigue Novo-Vencedor mercadorias.
Brgiie Nordem ferro.
Brigue Primavera mercadorias.
IMPORTA GAO'.
W.-H.-D.-C.-Wright, barca americana, vinda de
Richmond, entrada no correnle mez por franqua,
consignada a 1.. C. Forreira & Companhia, manifes-
tou o seguinte :
3200 barricas e 400 meias ditas farinha de trigo ;
aos consignatarios.
O EXERCITO INGLEZ.
O excrcito inglea compe-se de 7,093 oliciaes re-
gimentaes em servido activo, convom a saber: GG co-
ronis, 266 tenentes-coroneis, 260 majores, 1,827
capites, 2,553 primeiros lenles, 1,227 segundos
tenentes, 490 ofli aes regimenlaes do eslado-maior,
185cirurgies, 249 cirurges ajudantes e 30 cirur-
jjics veterinarios; de n-.sis 162,148 offlcaes re-
formados o soldados, distribuidos da maneira se-
guate : 12,55a prncas de eavallara, 105,033 ditas
de nfantaria, 19,867 ditas de arlilharia, sapadores
e mineiros, 11,621 ditas de reaes marinheirose de
arlilharia de marinha, e 8,582 dilas qun formam os
regimentos coloniaes, exclusive os a tiradores mon-
tados do Cabo os quacs vo incluidos na cunta da
eavallara
(The Globe)
OS PRESIDENTES DOS ESTADOS-UNIDOS.
O general Taylor he o 13 presidente dos Estados-
Unidos da America. Washington governnu de 1788
a 179C, tendo sido reeleito em 1792 para um segundo
periodo quntricunal; John Adama Kovcrnou do 1796
a 1800 ; Mr. JelTerson de 1800 a 1808; Mr. Madison
de 1808 a 1816; o general Mourne de 181G a 18:24;
Mr. John Quine}' Adams de 1824 a 1828; o genera!
Jackson de 1828 a 1836; Mr. Yan-Buren do 1836 a
1840; o general llarrison, eleitoem 1840,-govornou
poneos mezes por ler morrido na primavera de 1811 ;
Mr. Tyler, seu successor, governou de 1841 a 1844 ;
e Mr. Polk; o ex-presidente, de 1844 a 1848.
Dos 11 presidentes cima 5 fram eleitos por dous
periodos consecutivos. A constiluic.1o dos Estados-
Unidos, entretanto que ordena que o presidente ser
eleilo porqualro annos, nada diz a respeitodos li-
mites que se devem assignar ao privilegio da roelei-
Co. Diversos presidentes, como se tem visto, ho
sido reeleilos, porm nenhum o foi anda al o pre-
sente duas vezes suceessivas, tendo Washington no-
bremeute recusado occupnr a cadeira presidencial
por um tereeiro periodo quatricnnal, alio, de evlar
os pengos a que a ambico possivel de seus succes-
sores poderia expra repblica.
Nos Estados-Unidos, morto o presidente, o vice-
presidente oceupa pro tempore o seu lugar, entre-
tanto que na Franca cm um caso igual procedo-se
nova eleico dentro de um mez a contar do da em
que tal successo se realisa.
(U Jovrnnl du Havre.)
UUA DESCOBERTA SINGULAR.
O Oarode Constanlinopla'publca alguns dopar-
timentos curiosos acerca de urna cidade que, so diz
fra descobertama Asia-Menor pelo Doutor lirunner'
um dos agentes encarregados pelo governo da Su-
blime-Porta de penetrar as regiOes as mais rem-
las e inacessiveisdo imperio para o fim de facer n
censo. Entretanto que o dito doutor, cuja altenco
tinha sido attrahida pelas atrevidas e curiosas pus-
sagens abertas na rocha viva, se oceupava em ex-
plotar as cscavacOes do Bousouk, nos confina do
Pdhto, Cappadosia e Galacia, chegou-se a elle um
aldeo, o qual Ihe olTereceu mostrar cousas muilo
mas nteressa rites do outro lado da montan!. se
acaso elle o quizesse seguir. Dopois de alguma he-
silaco, o doutor armou-se e levando comsigo o
seu criado, seguio o aldeo. Passada meia hora, ti-
nliam elies rodeado a montanha, e ento o doutor,
diz a narraco, achou-se em presenta das ruinas
de una cidade consideravel. Estas ruinas eslo
siiu-.Ias ao sudoeste da villa de Yankeui, e ao
no. te da de Tschequo era distancia de meia legoa
assim da primeira, como da segunda; e o esliido
profundo que o doutor tem feilo de todas aa relacdes
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DA 27.
Geral........................5:581,820
Diversas provincias............... 49,093
5:630,913
Secretaria 4a thv-smiraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 17 de fevereiro d 1849.
0 2. escripturario,
Antonio Ferreira d'Annunclacio.
CLAUSULAS ESPECIAES DA ARREMATADO.
Estrada do Po-d'Alho.
Quatrocentas bragas correnles de empedramento
nos 6.", 7.; 8e9.' leos da estrada do Po-d'Alho.
1.* O empedramento feito pelo sylema Mac-Adam
execular-se pela forma-, sb as cundidles, e do mo-
do indicado no ornamento approvado em 8 de feve-
reiro correnle pelo Exm. Sr. presidente da provin-
cia, e pelo preco de 3:400,000 rs.
2.a Em todo o lempo das obras o arrematante dar
um livre transito aos viandantes.
3.* As obras principiarflo no prazode um mez e
acabaro no de seis mezes, ambos contados em con-
formidade do artigo 10 do regulamcnto das arre-
ma tacOes.
*.' O pagamento do imposto da arremataco rea-
liser-se-ha en quatro prestarles, do modo indica-
do no arl. 15 do regulameuto respectivo.
5.' Para tudo o mais que n.to est determinado
pelas presentes clausulas, seguir-se-lia interamente
o quedispoo regulameuto das arrematares, de ti
de jullio do 1843.
Obras publicas, 14 de fevereiro de 1649:
0 et.genl.eiro,
, J. L. Metor Lieutier.
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA 27.......... 2:857,275
P.IO-DE-JANE1RO.
CAHRIOS NO ni 9 DE FEVRREIRO I.E 1849.
Cambios sobre Londres....... 25 1/4 a 25 1/2
Paris......... 380 a 385
>> llamburgo...... 700
Metaes. Onc,as hespanholas..... 31.6noa 32,000
da |>ntria....... 31,600 a 32,200
Pecas de 6,400, vt-Jhas 18,000 a 18,500
Pesos hespauhes...... 2,020 a 3,050
* da patria.......2,000 a 2,010
PatacOes...........2,000 a 2,010
Apoliccsde 6 por cento......8G1|2a 87
i provincaes.........86 a 86 1/2
f Jornal do Commercio.)
Movimento do Porto,
Navivt entradot no da 27.
Em enmmissffo; vapor braslciro Pernambncana,
cortimandante Joo Milito Henriques.
Rio-de-Janelro ; 16 das, fragata brasilclra Para-
r/unsi, comniiii.dai.il' o capilo de mar e guerra
Joo Baplista de Souza-
Navio tahido no mesmo da.
Liverpool por Parahiba; brigue inglez Malcolm, ca-
pilo Malcolin, carga algoJO.
EDITA ES.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, em virtude da resoluc.u do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, nos das 20,
21 e 22 de marco prximo vunlouro, r praca pa-
rante o mesmo tribunal, para ser arrematado a quem
por menos,ii/i-i- o concert da ponte da Passagem-da-
magdalena, o das ponlesinhas da Passagcm e do Re-
medio, sb as clausulas especiaes abaixo transcrip-
tas, e pelo preco de 880,000 rs.
As pessoas que se propozerem esta arremataco,
CompareQam na sala das sessOes do sobredito tribu-
nal, nos das cima indicados, pelo ineio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E para constarse mandou afiliar o presente, e pu-
blicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 17 de fevereiro de 1849.
0 2.c escripturario,
.4ion/o Ferreira d'AnnunciacSo.
PO.NTES E ARCOS.
Concerlos da ponte da Passagem-da-Magdalena,
e das ponlesinhas da Passagem e do Remedio.
Clausulas especiaes da arremalacao.
1.* Os concerlos da ponte da Passagem-da-Magda-
Icna, e das ponlesinhas da Passagem e do Remedio,
soro fellos do modo indicado no orcamento appro-
vado polo Exm. Sr. presidente da provincia, na im-
portancia de 880,000 rs.
2.* As obras principiarSo no prazo de quinze das,
e terminaro no de dous mezes, ambos contador
m conformidade do or. 15 do regulamento das er-
rematnces. aa< 3.* O pagamento do imposto Ai arremataco rea-
lisar-se-ha no fim das obras depois dellas recebidas
pelo engenheiro director.
4.a Em tudo o mais que no esl determinado as
prsenles clausulas, SMuir-se-ha inteiramente o
que dspOe o regulamento das arremalaces de tt de
julho de 1843.
Obras publica, 14 de fevereiro d*f|a*9-
goas sero Yeitos indistinetsmente, e sortes nos
lvrosseguintes :
LATIM
Tito bivio, Odes de Horacio OracOes de Cicero e
Eneida de Virgilio.
FRANCEZ
Telemaco e Fbulas do La Fontaine o Genio do
chriatianismo de Chateaubriand o as Satyns de
Roileau.
INGLES
b Vigario de Wakefiel.l por Goldsmkh e a Historia
romana do mesmo, as Estafes de Thomson e Parij.
zo perdido por Milln
Secretaria d'academia jurdica de Olinda, te d
fevereiro de 1849.
Eduardo Soares de Albergara,
Secretario interino;
Declarac^es.
/.
O engenheiro,
L. Vielor I.itulier.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazen-
da provincial, cm virludo da resoluto do tribunal
ad ministrativo, manda fazer publico que, perante
o mesmo tribunal, vai novameule praca para ser
arrematado a quem mais der, no dia 1.de marco
prximo futuro, o imposto da taxa da barre ira da
estrada e ponte da Tacaruna, avahado novaincnte
em 800,000 rs. por anno.
A arremataco ser feta por tempo de 2 an nos a
4 mezes, a contar do I de margo do correnle anno,
ao ultimo de junho do 1851.
As pessoas que so propozerem esta arremataco
compareyam na sala das sessOes do sobredito tribu-
nal no da cima mencionado, aomcio-dia, compe-
tentemente habilitadas."
E, para constar, se mandou alxar o presente, e pe
blicarpelo Piano.
Secretaria da thesouraria da fazen la provincial i
Pernambuco, 26 de fuvereiro de 1849.
0 2.o escripturario,
Jnlonio Ferreira d'Annunciacto.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria dafazonda
provincial, em virtude de resoluto do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, .nos das
20, 21 eS-2 de marco prximo vindouro, ir a praca
peranle o mesmo tribunal, para ser arrematado a
quem por menos fizer, o empedramento de 400 bra-
cas correnles nos 6., 7., 8. c 9.,lancoa da estradu
do Po-d'Alho, sb ns clausulas especiaes abaixo
transcriptas, e pelo preco de 3:400,000 rs.
-As pessoas que se propozerem esta arremataco,
comparecam na soladas sessOes do sobredito tribu-
nal-nos das cima indicados, pelo ineio-dia. com-
petentemente habilitadas .
blic.Prapre.Sr;0Se n""dU ,Bm" PreMnl9' e S
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, em virtude da rcsoluco do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, nos das 20,
81 e 22 de marco prximo vindouro, ir a praca,
pera ii le o mesmo tribunal, para ser arrematado a
qem por menos fizer, o acabamento da segunda
parle do 6. lauco da estrada do Po-d'Alho, sb as
clausulas especiaos abaixo transcriptas, e pelo preco
de 4:200,000 rs.
As pessoas que se propozerem a esta arremataco
comparecam na sala das sessOes do sobredito tribu-
nal nos das cima indicados, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou afiliar o presente, e pu-
blicar pelo Diario.
Secretara da thesouraria da fazenda provincial
do Pernambuco, 17 de fevereiro de 1849.
0 2. escripturario,
Antonio Ferreira d'Annunciacdo.
CLAUSULAS ESPECIAES DA ARREMATACAO.
Estrada do Po-d'Alho.
Acabamento da segunda parte do %. lancq.
1.* Os trahalhos e obras para o acabamento da 3.
parte do 6. lanco da estrada do Po-d'Alho sero
feitos pela forma, sb as condices, e do modo indi-
cado no orcameiilo approvado em 8 do fevereiro
correnle pelo Exm. Sr. presidente da provincia, pe-
lo prego de 4:200,000 rs.
2. Em lodo o lempo das obras, o arrematante da-
r livre transito aos viandantes pelo lado esquerdo
da estrada.
3.' As obras principiarflo no prazo de um mez, e
acabaro no de cinco mezes, ambos contados em
conformidade do art. 10 do roguiamento das arre-
malaces.
4.* O pagamento do importe da arremataco rea-
Wsar-se-ha em quatro preslaces do modo indicado
no art, 15 do regulamento respectivo.
5.* Para tudo o msis que no est determinado
pelas presentes clausulas, seguir-se-ha inteiramente
o que dispOe o regulamento das arremalaces de 11
de julho de 1843.
Obras publicas, 14 de fevereiro de 1849.
O engenheiro,
J. L. Vielor Lieutier.
Pela segunda secco do consulado provincia
se faz publico que o prazo de 6 mezes concedidos
pela le provincial n. 288, de 2 de setembro do anno
prximo passado, para o pagamento de mia| sfiai
dos esenivos, que se eslivorem a dever, se finallsa
no dia 3 demarco protimo vindouro: em conif-
quencia, pols, deSse dia em diante no se retener
meia aiza, que, vista do papel de venda, sequei-
ra pagar 30 das posteriores a sua data, om enjo cito
licara subjeito ao art. 17 do regulamento dolida
abril de 1842. Segunda secco do consulado pro-
vincial, 15 de fevereiro de 1848.
O escriro chefe da segunda secco,
Theofloro Machado Frtire' Perttra da Sllt.
O arsenal de guerra compra azeite de earrapalo
e de coco lio de algodflo, pavios velas de carnau-
ba e de espermacete : quem tae gneros quizer for-
neter comparecer na sala da directora do mesmo
arsenal, no dia 28 do corrente, com sua propoita effi
carta fecha.
Arsenal de guerra, 26 de fevereiro de 1849.
O escripturario,
F. Serfico de Astis Carvalh.
O arsenal de guerra precita comprar lo duziu
de tsboas de pinho, de 18 palmos de comprimento
e 8 a 9 pollegadas de largura ehchs de fuzis,
formes largos, ditos de meia largura grozas sor -
(idas limas triangulas de 3 o 6 pollegadas ( marte-
los e badames sonidos, serrotes grandes de mUd
Ierres largos para galopa, ditos de meia largura
para plaina sendo umaduzia de cada um dos ditos
objectos; mais 10 arrobas do reos de ferro largos
para jarras e cubos de madeira, e 8 arrobas de ditos
mais estreitos para canecas: quem taes gneros se
propozer a vender, poder comparecer na sala da
directora do mesmo arsenal no dia primeiro de
marco, com sua proposta em* carta fechada e si
amostras.
Arsenal de guerra, 27 de fevereiro de 184.
O escripturario,
F. Serfico di Ante Cartalho.
A reparticAo das obras publicas compra 456 li-
bras de chumbo para as gradea da cadeia desta ci-
dade.
Administrarlo geral das obras paMku, 87 de fe-
vereiro de 1849.
Jos de Barroi Foleto de Laceria,
Administrador.
Pela subdelegada da freguezia de S.-Frei-Pe-
dro-Cnncalves foi adiado um menor que diz cha-
ma r-se Francisco de Carvalho, (1 lio de Manoel de
Carvalhoe de Maria de tal j fallecida, e qussau
pai, tendo vindo a esta cidade no dia 8 do correnle,
devidamenle armado fra baleado nesse mesmo
lia donde resultou fallecer no dia 84, em casa da
*a mulher aondo esteve a curar-se: quem se
Jtilgarcom direito ao referido menor, comparec
na mesma subdelegada, que Ihe ser entregue.
Franeitso lUamede it Almeida,
Subdelegado supplente.
Acha-se recolhdo cadeia desta cidade a preti
Jannaria que dizser escrava de Francisco Manoel
Bezerra : seu senbor, dirija-se a subdelegad di
Boa-Vista., munidos de seus ttulos, para Ihe ser
entregue.
Vicente Antonio do Espirito-Santo.
Achsm-sc depositados pela subdelegada di
freguezia da Boa-Vista 3 cavallos, dous castanhos >
e ruco : seus donos comparecam na subdelegada da
Boa-Vista para Ibes seren entregues.
rcenle Antonio do Espirito-Santo.

THEATUO D AFOLLO.
SABBADO, 3 DE MARCO DE 1819.
5. represenia^ao da asignatura.
ala astada a TaoiroiBssya
ou
x.A inrira; roa oowaxix.,
opera dramtica em 5 actos por Mr. Dumeoan.
NTERVALLO DE CANTORU.
Um drama novo, cantado por madama Alexindre.
A grande aria de Grace de Roberto, cantada por mi-
daeae Mexandre.
DANCA.
La Crucovienne, dancada por mdame Camoia.
Une nuil entoyagt, vaudeville nove em um acto.
Avisos martimos.
CURSO JURDICO.
Deonlem do lllm. Sr. director deste curso jurdi-
co faco saber a quem convicr, que do fim deste a-
no por daote os exames preparatorios das tres Un-
Para o Maranho sali, em poucos dina, o I1*
nacional San-Jos : anda pode recobor alguma car-
ga miuda : os pretndanles dirijam-se a ra da Ca-
deia do Recife, n.56.
I'ara o Asa segu no di a8 do
correnle o patacho Sunta~Cruz, capito
Joaquini Antonio Goncaives dos Sanios,
para carga e passageiros, trala-se ao la-
do do Corpo-Santo, loja de massames,
n. a5.


%
-- Para o Riq-de-Jineiro sabe com i maior bre-
vitlado possivel', o brigue Vitconde-de-Cauwn : pa-
ra o reslotla carga', escravos a frete e passageiros,
para ii que lem bons commodos, irala-ae com No-
vaos & Companhia, na ra do Trapiche, n. 34.
Abarca titila- Pernambucana sbIio Impretenvcl-
menle pura o l'orlo no Jl*8 du margo, prximo : os
Sra. curcgadoros queiram levar quanloa antes os co-
nhecimentos Casa do consignatario na ra da
Cruz, no llecifu, n. 34, terceri andar. .
Pareo Rib-Grmle-do-Sul seglle com brevida-
de O briguo litro: recebe aljuma carga a frete :
quem pretender, cnteri ia-*cotn Leopol do Josoda
Guala raujo, na ra da Moda, n. 7.
I'arao Porto sabe, com toda a brevidade por
ler maior parte do seu carrogamento prompta .o
brinaw porluguez Ventura-l'elis, do qual he capillo
2erern0 Ventura dos Santos : para carga e passa-
geiros para o que loo excedentes commodos, tra-
t-se cm o capitilo, ou com o seu consignatario,
Joaquim ferreira Mendos (uimares na rua da
Gru, n. 49.
.- Para Lisboa sano, coma maior brevidade, por
ter a maior parto de sua carga prompta o brigue
poituguez S.-Domingoi, capitilo Manuel Gongalves
Vianua : quom no mesmo quizer carregar, ou ir de
pagaagom para o que tero excedentes commodos,
(jirija-sc ao referido capitilo ou ao seu consignata-
rio Joaquim Ferreira MendegGuimaraes, na ra da
Cruz. ii. 49 ....
.. Para o Hio-de-Janeiro sane com muita brevi-
dade, por ter parle de sua carga prompta o patacho
nacional Eultrpe : para o restante da carga -esers-
vosa frete e passageiros, para o que lem exceden-
tes commodos, trala-se com Luiz Jos de S Araujo,
na ra da Cruz, n. 33.
Leilfio.
-- O cor/elor Oliveira far leilo, por ordem e em
presenca do Sr. cnsul da Fran9a, de 5carros de qua-
iro rodas,'! cabriolet de 2 ditas, diflerentes madei-
ras e ferragens para couslrucc.no de cirros, filas pa-
ra forros e fuellas para aneios destes, urna porcilo
de falba d'aco, ferramenta para ferreiro e carpinlei-
ro. varias rodas velhas, tuJo pertencento ao csta-
beleciuienlo de carros de aluguel, na ra Ndva, do
Tallecido Augusto iaussome, subdito francez : quio-
ta-feira, i.* de marco, as 10 horas da inanha.
Avisos diversos.
A eorporagflo da armada nacional e im-
perial pretendo fazer celebrar no dia a de
mareo, pelas 9 horas da mandila, exequias
solemnes pelo repouso eterno das almas
dos seus cantaradas que terminaram glo-
riosamente sua existencia no memoravel
combale de 3 do corrento mez.
A ceremonia ter" lugar na igreja matriz
de San-Frei-Pedro-Gongalves, fazendo S.
Kx. Rvn.' d Sr. biSpo diocesand a honra
de pontificar, < sendo prgailor o roverendo
.padre mestre Fr. Julio Capistrauo de tlcn-
dongs.
A corporaco da armada convida ans seus
amigos e affVigoados para issislfrem a es-
te acto Jo candada e i eligan ; e pede des-
culpa a aquellos que por descuido tenbain
llenado do ser convidados por carta espe-
cial.
A irmandade do SS. Sacramento da dita
matriz fez o obsequio de dispensar algu-
masdassuas tribunas para as familias que
quizerem assislir.
Recife, 96 de fevereiro de 1819.
OSr.Pedro Mullcr, morador na.Var;ea, queda
apparercr, quanlo antes, na venda da tu da Caileia,
do llerife, n. -:>, defronto do liecco-Largo, para con-
cluir efirto negocio.
-- Manoel Soares da Cruz, subdito porluguez, re-
tira-Rapara fra do imperio.
Joaquim Seabra, subdito porluguez, retira-ge
para fofa do imperio.
Antonio dos Santos Morcira, subdito portugum,
retira-se pora fra do imperio.
Manoel Seabrada Conccicilo, subdito porluguez,
relira-ao para fra do imperio.
Antonio Fernandos, subdito portuguez, rolira-
se para fra do imperio.
--Aluga-se um molccole de boa conducta, para o
servigo de urna casa : quem o preloiidor, 'dirija-so
praga da Independencia luja n. 3.
Na ruadaCadeia n. 39, primeiro andar, de-
seja-ae fallar aoSr. cadete du segundo batalbilo de
caga lares Licencio I.iberio Pasaos, ou se licar agra-
decido a quem possa dar do mesmo noticia para
rffeitotledar-sc cumprimenlo a um pedido do pai do
mesmo.
-- Joflo Gongalves de Miranda relira-se para o Rlo-
Grande-do-Sul.
O profesor do ingleze francez do Collegio das
arte ensina eslas disciplinas, na ra di Gloria, so-
brado n. 7.
hoja se ha de orromalar urna morada de casa
terrea de pedra e cal, sita ua ra de S.-Jos com 3
quarlos 2 salas coiinhi fra quintal murado e
cacimba, pertencente a Joflo Ignacio de Avifla por
execucao de I). Manoclal'rancisca Montoira Regada,
depois da audiencia do doutor juiz do civel da se-
gunda vara.
Jos de Souza, subdito de S. M. F. relira-se pa-
ra Portugal.
Trocg-* urna imagem de peJra do S. Antonio :
na ra Velha, n. 78.
Arrenda-seum pequeo sitio, com arvoredos
do fructo cacimba casa de vivenda no lugar do
Barbalho : a tralar na ra dos Pires, n. 19.
G. A, Hrendera Hraudis, leudo de retirar-so
breve pira a Europa, traspassa o aluguel do sitio
aonde mora nal'onte-de-Ucha : a casa tem sufli-
clcnjei commodos pai a qualquer fartida cocheira,
rsliiuaria.tim lamoso copiar, quintal plantado o
bauho no fundo: os pretondentes dir ira-se ao
mino aillo al 8 horas da manhfla ou a ra do
Trapiche, u. 16, primeiro andar, das 9 horas em
da o te. ""
Lotera do titea tro publico.
Nfio obstante a moroaidade que tem havido na ven-
ada dos bilhelcs da ultima terca parte da 18.a lotera,
it>via o ttteauureiro, desejoso de fazer andar as res-
pectivas roda* o maia brevepossivel, convida ero-
ga aos amadores deste Jogo que seapressem a com-
prar o resto dos bilheles que existo m.
No pateo da matriz de 5 -Antonio, sobrado n.
4, tiram-se passapoi tes para denlro e fra do impe-
rio assim como para escravos e correm-se fulhas,
por precio com modo.
Desencaminbaram-se, da livraria ingleza dous
vnlumes deuma obra ingleza intituladalie Israeli's
Curiosties of Lileralure: quem levar os ditos
li.j i do Sr. Joflo Carrol! na praga do Corpo-Sanlo ,
receber a gralilicagflo de cinco mil rs.
Antonio Grauon & Companhia, ra Nova,
n. 69, Qflerecem ao respeitovel publico e a seus fre-
guozeso sorlimenlo seguinte:
Conservas
de sardinhas,.hervidlas julicnnes, cenouras, oseil-
Ics, cepes, espargos, cove-flores, trussas chouri-
os conservassortidascom vinagre, frascos com
rutas sortijas mostarda, galas^de grozelas e do
mermelada etc. presuntos para Hambre, salames
de arles.
Vinlios
de Oordeadx em quartolase em garrafas de diversos
precos e qualidades dito de S.-Julien dito de
Roussillon, dito da Madcira dito de Kivcsaltes di-
to moscatel, dito de Champanha etc.
Licores doces
finos, em garrafas muilo ricas de todos os precos e
qualidades.
Licores espirituosos
cognac veiho'de diversos presos absinth kirsch do
l'ersey e Cecoultre vermoul, geuebra *de Hullanda :
tambem se acbam muros nimios gneros curti
agua de flores do laranja, azeiledocede Plagnol.
O respuilavcl publico achara- nesto estabeloci-
mento
. Sorvetes
todos os das das 6 horas em diante e todas as
qualidades de refrescos. Um lugar fresco e agrada-
vel foi disposlo nesta intenc3o.
Deposito de charutos
do Francisco Croz da Babia, ditos da fabrica de
S.-Felix uniros.
Os proprietarib's deste cstahelecimenlo emprega-
rflo todos seus esforgos para satisfazer os freguezrs,
tanto pela boa qualidade dos gneros como pela ba-
rateza dos presos.
O coronel Rento Jos Lemenha l.ins faz constar
a quem convierque est disposto a vender ou fazor
qualquer negocio sobre os bens e terrenos sitos na
Ireguezia de lina, comarca do' Rio-Formoso, que Iho
loca a m porherauen de seu finado sogro, o marquez
do Recife, dando preferencia aos rondeiros quo estSo
n gozo dos il dos bens". Sito el les os segnintcs : a po-
vo'acflo do Abreu com todos o* sitios e terrenos an-
nexos, os engeuhos Manguinho, Agoa-Fria, Pao-Fer-
ro, intade do engenho Bom-Jardim edeoulrosque
se levantaram as mesmas Ierras, a propriedade Ga-
meleira, metade da propriedade San-Jos-da-Cora-
Grando e metade das Ierras da povoacffo dos Barrei-
ros. Tambem se negocia o bom conbecido engenho
Jurissaea, sito as varzeas do Cabo, moentc crrenle,
com escravos, bois e ludo o que Ibe pertence. A con-
tratar com o mencionado coronel nesta praca, na
ra do Seto.
Cincinato Mavignier, retratista, faz saber ao res-
peilavel publico que tem receb'ido sempre grande
porcSo de tintas linas, inarfim'para menialura, e qile
contina a desempenhar as obrigacOus des eu minis-
terio ; assim como pede encarecidamente a todas
aquellas pessoas que teem retratos em sua casa ha
maisde6 mezes, queiamlor a bondade de os Ir
buscar e que espera ser allendido na travessa do
Carato, n. 10, segundoandar.
DENTISTA.
II. S. Mawson, cirurgiao dentista, londo-se de re-
tirar breve para Inglaterra, oflerece o seu presumo
ao rcspeitavel publico destacidade, durante o curto
espacn de lempo quo ainda lem de se demorar, em
quanlo arranja os preparativos de sua vingein ; ad-
vcrtindo.que ser inransaval em servir bom a todas
as pessoas que se quizerem ulilisar de sua arle, que
far a lempo, e tambem com commodidade nos pre-
c;os pdem-o procurar em casa de sua residencia,
na ra Nova, n. 21, 1 andar.
100,000 res de gratifica^iio a quem descobrir
dous escravos furtados do te I he i ro da roslilbcAo de
Franca (t frmilo, na pfaia de 8.-Hita, na noite de
quarta-feira 21 do corrento fevereiro, ambos de na-
(Io licnguela, e mcio bucaes, com os seguiutes sig-
naos : Manool, alto, magro, rosto redondo c pequen-
no, ar legre, ps e milos pequeos, canellas finas,
representa 25 annos de idade, levou vestido camisa
e calca de riscado de algodilozinho, fui vaccinado lia
poucos dias; e Joflo, tambem alto, porm menos
que o oulro, grossura do corpo correspondente ha
altura, rosto sobre o comprido,- tesla larga e arrani-
pada, ps grandes, tornozclos incbados, ventre
bastante saliente, falla um pouco fanbosa, repre-
senta 35 annos de idade; tambem foi vaccinado lia
poneos dias, levou vestido camisa de algodoziuho
riscado e calca de algod.to azul: quem os appre-
hender, ou delira dr noticia ceita, receber 100/
ris de gratificacilo, na ra do S.-ltita, n. 85.
m #
Na galera de ilaguerrnlypo do artista Cuidier- *
me Frederico Waller, na ruadaCadeia de S.- ^
Antonio, n. 26, terceiro andar'(liram-se reir-
tos muito superiores,pela invenclo do Dagucr-
10 rer, tanto em fumo como coloridos', das 7
horas da maubSa s 5 da tarde; allirmando-so ?
a garautindo-se tanto a durabilidad* das c-
res, como a pcrfeila semelbanca.
S As pessoas que se dignaren! favorece-lo diri- v
jam-so casa cima meucioiiuda.
A N. B. Adverte-se ao respeitavel publico que
tem urna machina para tirar retratos das 4
m crianzas no espaco de 15 segundos, c lerilo lu-
V gardas 10 horas as duas da larde.
ft 1
9S^^
Aluga-se a venda da esquina da ra do Caldei-
reiro com armacilo para moldados por mdico
aluguel, a qual lio ptima para quem quizer princi-
piar : na praga da Independencia, livraria ns 6 e 8.
MUDANCA.
D. W. Iiaynon cirurgiao dentista participa ao
respeitavel publico quo mudou a sua residencia da
ra da Cadeia deS.-Antonio para a ra do Trapiche-
Novo n. 14, ilo baiiro do Recife terceiro andar ,
aoude contma a calcar e por denlos arliliciaes e as
mais obras d aua profisafio.
Fr. Jofio C,u|i,trino ds Mendonca professor de
geographiae historia do lyceu desta cidade, tem
aborto no convonto de S Antonio as aulas seguintcs :
de pbilosopbia rhetorlca, geographia, historia o
Wstorla sagrada e ecclcsiaslica : as pessoas quo as
quizerem frequnlar o-podcriTo procurar no mon-
Cionado convento qualquer Irra.
- Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra do
CaMoireiro : quem o pretender, dirija-se ao pateo
do Carmii, sobrado n. 9.
--((irerece-se una mullmr para ama de casa : quem
de seu preslimo se quizor utilisar, dirija-se a ra do
Padre-Florianno, n. 43, no virar dos Acouguinhos,
que achara com quem tratar.
-Oirerece-se uma ama para todo o servigo de ca-
sa, menos de ra : quem precisar, dirija-se a ra da
Gloria, n 21.
Precisa-se de um caixelro para venda, que to-
nha pralica e d fiador sua conducta, para tomar
couta de una por halangu .: quem quizer annuncie.
Precisa-Se fallar com o Sr. Judo Jos de Coveia,
o com pessoa que Iho diga respeito : annuncie,] ou
dirija-se a ra das Cruzes, n. 30.
Ohacharel formado em malbeniaticts,
Bernardo Pereira do Carmo, tem alierto
R um curso das seguintcs disciplina.'': ni-
al tlimelica, algebra, geometra, Irignomc-
tria rectilnea : aqiclles Srs. que o quize-
rem frequentar, dirijam-se ra larga do
Rozario.n. (2, segundoandar.
y
h
:Ja.".
~:.<^:::-'-$%^
SSS:
:;^
-- Ouem precisar do urna ama para o servigo Inter-
no de urna Casa do pouca familia, dirija-se ra
Augusta, n. 5.
-- Aluga-se ou vende-ge, mesmo a prazo com lir-
mas a contento, um sitio de Ierras propriaS, muilo
grande, em BeberLlie, o qual tem pasto par- susten-
to de mais de 40 vaccas, c boas trras para toda plan-
tagilo : quem o pretender, falle com Manoel Antonio
da Silva Molla, na ra da Cruz, n. 32, quo far qual-
quer negocio.
O solicitador da fazenda provincial faz publi-
co que. pelo jiilzo da segunda vara do civel desla ci-
dade, escrivitu Cunta, no dia 28 do correte, ao
meio-dia na sala das audiencias, so ha de arrema-
tar urna casa mei'agoa n. 5 na Cabanga avallada
em 150,0*f)0 rs. penhora la a Jos Quareina Brancn
^eio mesmo juizo e s mesmas hoius eacrivKo San-
tos se ha de arrematar a renda do sobrado do um
andar silo na ra Direila, n 56 avalia lo em 980,000
rs. pertencente a Jos Ignacio Soares. do Miredo
tdo por execugiro da mesma fazenda.
Iiesconta-se urna letlra da quanlia de 2:127,640
rs. que se ha do vencer em 30 de dezembro do cor-
rr.nle anno, com tres firmal muito acreditadas, o
almdellas no so duvidadar outras que a garantjiin:
faz-se esto negocio por baver urgente necossidade:
quem quizer siber quaes sflo as lirmas nuda assig-
nadas para as indagare peder negociar, dirija-se
ao paleo do Carmo, solnado n. 18.
Na ra JoQueimado, loja n. 13 se dir quom
vende 12 iccfleg da rompanhia de Beber i be.
Na ra da Cadeia do Recife n. IC, loja ingleza
dealfaiate de Juan Dminclly existe um surt men-
t de palitos de linho puro, viudos de Inglaterra,
pelo diminuto prego de 3,200 rs. cada um o outras
muitas obras do pannos finos, sodas ele. quo so
venderlo por prego mais barato possivel.
Aluga-se um sobrado com excedentes commo-
dos, no sitio grande da Solodade, do Sr. Ileicula-
no Alvcs da Silva : a tralar no mesmo sobrado.
Precisa-se de um caixeiro para venda, que te-
nha ou no pratica e qued fiadora sua conduela :
nos Qua tro-Cantos da Boa-Vista, n. 95.
Arrenda-se o engcnlio lllia-da-l.ibcrdado dis-
tante desla praga 9 leguas na fregue/.ia da Escada.
Orendeiro quenclle seaclia vende a safra fundada,
alguns bois, destilagiio cun alambique do cobre e
cubos para garapas e tanque bstanle granJc : a tra-
tar no mesmo crigcuho.
Precisa-sede una ama prela, ou parda, para
casa eslrangeira do pouca familia, quo anlnil* lieui
deengommarefazero mais necessaiiodo urna casa :
adverte-se que nao precisa de cozinhar : na ra d
Cruz, arinazem.u. 48.
-l.uizMoreira da Silva Piulo relira-separa Tora
da provincia.
Jos.Uoreira da Costa Maya raira-se para fra
do imperio.
Precisa-ao alugar mcnsilmenle una canoa que
leve mais de mil lijlos: na ra das Lamngeiras ,
n. 18.
Precisa-sede urna ama para o servigo interno
Jo una casa do pouca familia : no pateo do Carino,
n. lu, scguuilo amlar.
I'iecsa-sccontratar o fornecimento diario da
capim para alguns cavados trazido polla : quem
a islo se propozer, dirija-se ra do Hospicio, u. 9.
Deposito (la Fsticll.
Ra Nova, n. 56.
Avisa-so ao publico e as pessoas que sabeni apre-
ciar a deliciosa fumaga, que este cstabclecimenlo se
acba sonido das memores qualidades de cniruto*
que exislcm no mercado, tanto p< la sua manufactu-
ra, como pela qualidade do fumo, que a vista do
comprador se fardo patentes as qualidades.
F.mdiasda semana passada pcrlcu-se, da So-
ledadeat a Passagem-da-Magdalena, urna charulei-
ra de curo, bordada com perolas : quem a liver a-
chadii, podera restitu-la na rua ser gratificado com o valor da dita cliaruleia.
Henrique Adour relira-so para o llio-de-Ja-
neiFo.
Os Srs. assignantes da Lisia l'orhca queiram
ter a bondade do mandar reeebero rosto dos n-
meros que Ihes fallam do terceiro volume refor-
mar as suas assignatu.-as para o quarto vulumo ,
e receber j os ns. 1 a 3 na rua da Cadeia de Re-
cife, loja de Joflo da Cimba llagaIhSes.
Manoel Pereira de Castro embarca para os por-
tos do sul a sua escrava Tliereza, de Angola
Aluga-se um sitio na estrada do Rozarinho do-
fronle do sitio do fallecido Manoel Jos de Almeda,
com bastantes ruteiras : quem o pretender, dirija-se
rua Augusta n. 36 -.
-= Furtaramdo ongenho Caluanda, frcguezia de
S.-l,ourengo-da-Malta, nodialtde fevereiro do au-
no de 49, um cavado c.m os seguiutes signaos o
fero : caslanho amarello, bom tamanho e grossura ,
tem a sarnelba muito alta, una grande estrella na
lesta, urna inflo branca ; possueucn carrego curto e
obligado, bota a cima a duuita, e tem a idade de 6 a
7 annos : quem d'ellc der noticia ccrla, ou o Irouxer
ao dito engenho, sera beiu recompensado.
O padre Leonardo Antunes Mcira llenriques en-
sina particularmente theologia, em casa de sua re-
sidencia, uo hospital do Paruizo.
Desencaminhon-se decorreio urna carta, vinla
dr, Rio-dc-Jniieiro em sfembro do auna as le.
pira Luiz Korges de Cerqi.eir. Ro?a-se, pnrta.i'o,
a pessoa que por eugano a tenha lirado a quaira
r-sliluir na rila do Vigario, n. 5, visto que nada p ido
i.-ueressara pessoa que a tentia.
A pessoa que souber, ou liverque dizer alg p'.i
eousa respelo ao pr-icelinenlo do ahnfxo assigia-
do, annuncie por esta folhs dentro*) prazo ata oii.i
dias, iem axcepeCo do praticado algum son pena ,
porm, de justifieagflo o responsabilidad. Anto-
nio Erarislu da liochn, propticlario do eng'iiho l'ni-
verao, ni fregueziade Agoa-Prola.
Obachaiel Jos Antonio de l'igueiredo ensina fhi
h$ophia e geometra em rata de sua residencia, na rua
larga do Horario, n. 30, priimiio andn.
Agenciare passaportes.
Na rua do Collegio, n. 10, e no Aterro-Ja-Boa-Vis-
ta .lujas ns 4S e 78, continuam-se a tirar passapor-
tes tanto para denlro como para l'ura do imperio ,
assim como despacliam-se escravos, ludo com bie-
vidade.
mi
ConprS.
Compra-sc urna mobilia em meiu us >, conten-
do 18 cadeiras um pard banquinhas 0 nina mesa
do mel de sala : na loja de feriagensdo Ju:1 i .lose Jo
Carvallm Moraes.
--Comprani-se barris vasios de todos os lma-
nnos : na praga do Commercio, n. >, primeiro
andar.
Compra-so ou roo prata na rua du Queimadn,
n. 14, segundo andar. Na mesma casa vende-se, pa-
ra liquidaglo e por todo o prego surja Je seJa lisa
e lavrida para vestido, dita de cores para casa men-
los los pretos chales de seda e outras militas fa-
zendas.
--Compra-se nina escrava moga com babiliila-
des principalmente de cozinha e engominado, pro-
l'erindn-so recolliida : paga-so liem : na praga do
Commercio n. 2, primeiro andar.
-- Compra-** urna modalha de S.-Benlo-de-Avi/ :
na praga da Boa-Visla, venda u. 13
Vendas.
Lotera do lllo-ile-alaiieiro.
Aos 30^)00^000 de f is.
Na luja da praga da Independencia,
tgar um novo sortimento malo*
n 37, acaba d.t
chegar um novo sortimento malos bilheles, quai-
tos, oltavo* e vigsimo* da lotera do Rio-de-Ja-
nciro, concedida a bcnelicio da casa da .Misericor-
dia da cflrte. N( mesma loja se mostra a lisia di lo-
tniia passada e so trecam os bjlholcs premiailus.
Vende-se nina barretina completa, um ladino
canana, nina banda do lili, um par de platinas : lu-
do em muilo bom uso e proprio para Olllcal ou ofli-
cial inferior de guarda nacional, e por prego com-
modo : na rua da Cadeia-Velba, loja doalfaiale, n.
I i, se achara com quem tratar.
Vende-se sola du lustro : na rua da Alfamlega-
Vellia, n. 50, armazem de C. J. Aslley.
Vendom-so cassas brancas e de cores, a 320 rs.
a vara ; ditas escuras, finas, a 500 rs. ; ganga azul,
a 80 rs o covado ; sarja hespanhola verdadeira c su-
perior a lodas nuanto leem vindo a este mercado,
por prego coumii).lo ; e outras muilas fazenda* : na
rua do Qucimadu, n. 47.
Vende-so urna tonda de marceneiro, por prego
commodo : na rus das Cruzas, n. 16.
Vende-se um bonito cavado rotlllio andado
baixoameio; bastante grande, manso, quede
proprio para senliora : na rua estreila do Rosario,
n. 30, segundo andar.
Vendem-se 3 furtos panos,chegados pelo ultimo
navio francez do muito boas VOZ**, superiores as
do onlro qualquer que lenha apparecido ede novo
mu ledo que niio deixraflo de agradar ao comprador;
charutos de llavana, por prego mais commodo doque -
em unir qualquer parle; ID completo sorlimenlo
de instrumentos ile msica, tanto de metal romo
deinadeira; bustos de gesso representando muito
fiolmniilo a rainha Victoria o o principe Alberto;
relogios de ouro o de prala chegados ltimamente
da Suissa. Estes relogios que sflo muito bom aca-
bados, so tornam muito reconiineudaveis a qual-
quer particular, o adverto-so que ha entro elle*
alguns quo andam oito dias som precisarcm do cur-
da': na rua da Cruz, no Recife, n. 55.
Vende-se um prelocrioulo, de 25 annos, de boa
conduela edo bonita figura : na rua da Madre-de-
deos, luja n. 34.
MERCADURAS a vender km CROSSO k a
RKTA.IIO.
Chapeos de sol ricos e simples, de seda ; ditos pa-
ra senliora ; sapalo* para senliora; hlcos pro I OS o
tranco* ; chapeos de palhl ; fitas; lloros ; man tle-
los ; chile* ; robes de harege, e de outras fizendas ;
bijuleria ; nieias da lodas as qualidades ; luva* do
eda IIOva* longos de tudas as qualidades ; grva-
las : avcnlaes ; ruupa fejtl ; perfumaras o i apel Ii-
rigir-se a rua da Scnzalla-Velha, n. 142, Icrceiro
andar.
-- Vende-so urna escrava criolita'a bstanle moga,
quo engumnia, cozinha, cose e faz lavarinlo ludo
cun pui foigflo para u quu d-so a contento para se
experimentar: O motivo por que so vende he por
liavcjr necossi la Jo : na rua da Cadeia do Recife ,
n. 30.
Vcnde-sc sarja de seda hespanhola ricos vos
e mantas de blunde brancas e pelas meias do se-
da luvas, filas para cintoiro do mcllior gusto ricos
bicos: ludo proprio da Quaresma : na praga da In-
dependencia, ii. 39.
--Vende-se urna pretl de 20anuos, propria para
todo o servigo du urna casa ; trocam-sc dous orato-
rios ricos com algumas imagous: a tratar na So-
ledade sitio que fui do fallecido Francisco Antonio
Vieira da Silva.
Vende-se urna prata boa quitandeira cozi-
nheira, cngommadeira, onsaboadeira, e que he pro-
pria para todo o servigo do una casa na rua da
lorias, li. 52.
Vende-su resina do augico as arrobas a 320 rs.
cada libra i na loja da Joflo Jos du Carvalho Moraes.
Vende-se um candieiro franco/, para cima du
mesa urna capa de gorgurilo rouxo, em muito bom
estadu ; um supla de angicu, usadu e em muito buin
esladu : na rua estreila do Rozarlo, u. 32. Na mes-
ma casa recebem-so aprendizos para marceneiro ,
dando-su-llius o suslenlo.


~' ende-se um bonito pardo do 16 innos, pro-I se>to, stimo oitavo o em pipas, por prego muito
pno par* pagem ; urna preta de meia Idade, por pre-
co co-. modo; duas pretas do 18 n 20 anuos, cum
nabi,iadcs; um moleque do nago: no pateo da
matm doS.'Antonio, sobrado n. 4, se dir quem
vende.
Vende-se uma preta crioula, de 16annos : na
ra da l'raia, n. 45, segundo andar, se dirSo as habi-
idades 00 motivo por queso vonde.
Aos amantes da boa pitada
sooffereceorap Novo-Lisba no sou deposito da
ra lrga do Rozario, n. 2*.
~ Vende-se superior doce le caj, em porcflo e a
retaHio a 320 rs. a libra : no recolhimento da Coji-
ceicfto, em Olinda.
ESTAQ'-SE ACARANDO.
vendem-se charutos da Babia, de S.-Flix e su-
perlinos, a 2,000 e 3,000 rs. a caiga : na ra Nova,
n. 25. '
-- Na padaria da ra da Guia, no Recite haver
iodos os das a venda o novopfio de Provenga fa-
ll icado por oulro modo que o actual e da melhor
larinna que ba no mercado : por este motivo nao se
pode fazr senSoa 40, 80 e 160 rs.
Ven de-sea venda da ra do Apollo, n.2l, com
poucos fundos: quem a pretender, dirija-se a ra da
Madre-de-Ueoa, tratar com Vicenta Ferreira d
Costa.
Vendem-se barriquinhas com cal virgem de
Lisboa, muito nova; flechaduras para portas de
irmazeiii ; rclrnz lo Porto ; barris com nlcalrao da
Suena ; por prego commodo : na ra do Vigario ,
n. II, armazcm de Francisco Alvesda Cunha.
Vendem-se tahoas america-
nas ateo palmos de largura
e do todos os comprimcnlos.quo ba muilolempo nilo
tcem viudo e os fregu/es experimentando a falta
desia exceflenle qualidade. A ellas que sito poucas e
o prego he barato. Atrs do thealro, armazcm jun-
to a mere, de Joaquim Lopes de Almeida.
Vende-so farinba de mandioen, muito superior,
1 por prego commo.lo : a bordo da escuna 4' -Cruz, an-
corada em frente do trapiche do algodno.
No A tai ro-da-da-Boa 'Vista,
(efrone da o eca ,
lia rhpgado nm novo c completo sorlimento de cal-
cado francez de todas asqualidades tanto para lio-
mem como para senborae meninas; hem como os
bem conhecidos snpatosdo Aracaty para homem ,
por prego commodo.
Vende-se farinba de muito superior qualidade,
por prego commodo : bordo do patacho 6'oneeicdo,
tundeado no caes do Collegio.
Fardo,
em barricas a 4,000 rs. ; sacCBS grandes, a 3,50o
rs., ditas pequeas a 2,800 rs : noarmazem de J.
J. TaSao Jnior, na ra do Amorim, n. 3.
Potassa.
Desemharcou lia poucos das uma por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acliam venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia-Velha,
armazcm de Bailar&Uliveira, n. 12.
FAHELO
emsaccas muito grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da Conceigo
Vende-se a verdadeira e muito superior fari-
nba SSSF, a relalho e em porgilo ; dita de outros au-
tores na ra do Vigario, armazem de Francisco Al-
ves da Cunha, n. 11.
Calcado
w
Vendem-se botins e moios ditos de Lisboa, para
liomem e menino ; spalos de maroquim francez,
por prego mais barato do quo om oulra qualquer
parte : na ra larga do Rozario, n. 24.
Na ra do Crespo loja de 4 portas n. 12, ven-
dem-se chapeos de castor pretos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
No deposito de Mc.Calmont & Compauhia na
ra de Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-
mente grande sorlimento de ferragens inglezasparu
engvnhos de assucnr corro sejam : taixas de ferro
coado de dilTereidcs modelos, os mais modernos;
ditas de ferro batido ; moendHS de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira ; ditas todas
de ferro, lauto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de forga de qualro cavallos o de al-
ta pressfio o mais moderno c simples que he possi-
vel ; reparlideiras ; espumaderas ; resfriadeiras de
ferro eslanado; formas de ferro: ludo por prego
commodo.
commodo : na ra do Vigario armazem de Fran-
cisco Alvesda Cunha, n. 11.
Vendc-se Orna escrava de
moga
ao
comprador se dir o motivo por que se ven : na
ra da Cadeia do Recite, escriptorio do correlor Oli-
veira.
Vcndem-s caixOns de doce de goiab novo de
6em arroba a 800 rs. : no palco do Carmo, loj
do sobrado de Gabriel Antonio, n. 17.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos: vende-se em casa de N. O. Biober & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
CIIA'BRASII.EIRO.-
Vende-se.011 armazem de molhados atrs do
Corpo-Sanlo n. 66, o mais excellente cha produzi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado
por prego muito commodo.
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos nftlezes para
fiambro, ebegados no ultimo navio: no armazem
do Braguet, ao p do arco da Conceigio.
FARELO EM SAf.CAS DE 90 LIBRAS :
vendc-se no armazem de Vicente Ferreira da Costa
na ra da Madre-de-Deos, a 3,500 rs.
ft "-'.. 'j-=T-j-- p^v.-.. 1. '" uTrrir m i i i.....mwi i m)
ebegada no ultima navio, em barris pe-lf-Ta^doT.'i?^
r]uenos, por* menos doqueem ontra qnal-l8nnog; umescravo do22 anuos, com habilidades
quer parte: na ruado Trapiche, arma- que se diraoaq comprador
Taboado de pinlio da Suecia,
de 10 a 55 palmos
decomprimento, o melhor que tem ebegado a este
mercado, em razfio de se poder envernizarem qual-
qnerohra por nfo ter nos e ser muito alvo sen-
do costado, costadinho, assoalho, forro e para fun-
dos do barricas : yeude-se a prego que o comprador
far lodo o negocio : atrs do l lien tro, armazem de
Joaquim Lopes de Almeida.
Vende-sc a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada liontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34.
Madeira de pinito.
Na ra de Appollo, pegado ao armazem do Sr.
Motta ha um novo armazem com madeira do pi-
nho da melhor qualidade que tem vindo a este_ mer-
cado e serrado de todas as grossuris e comprimen-
tos : vende-se pelo menor prego que he possivel.
~ Vende-se vinho do Porto, muito superior, e
de outras qualidades, em barris de quarto, quinto,
Taixas para engenho.
Na fundicffo de ferro da ra do Bruoi ach-se a
venda um edmpleto sorlimento de taixas de i a 8
palmos de bocea, por prego commodo, e com promp-
tidilo embarca-so. ou carrega-se em carros sem dcs-
pezas ao comprador.
Vendem-se snicas em saccas muito prandes ,
1 4,500 rs. : na ra da Madre-de-Deos, armazem de
'"rente Ferreira da Costa.
Vendem-se queijos londrino os mus frescaes
que ha no mercado ; massas linas a 320 rs. a libra ;
chocolate do canclla, fino e de Lisboa; latas com sar-
dinhas; azeite doce lino, por prego commodo; na
ra da Cruz, n. 62.
Vinho barato.
Acha-se cstabelecido na ra da Madre-de-Deos
d. 36, um armazem de
Vinbos da Figueira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs-, caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para nSo haver dolo do com-
prador scrilo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se immediata-
mente a outra cheia : tambem ha barris muito pe-
queos, proprios para quem passa a festa. O pro-
prietario deste estabelecimento pede encarecida-
mente que se nSo illudam avaliando, pelo diminuto
prego e sem conheciment de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle cunta que quem
uma vez provar, continuar com gosto e sem arre-
pendimento. E o bom preco!!.' A todo o exposto
accresce o asseio e boro acondicionamento, o que
tudo se poder verificar em dito estabelecimento.
PURO VINHO DA FIGUEIRA.
Existe no armazcm de molhados, atrs do Cor-
po-Sanlo n. 66 uma grande porgilo deste genui-
no vinho que se est venciendo pelo diminuto pre-
go do 1,120 rs a caada o a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem ha em pipas que se vender majsem cunta : he
esto o melhor de todos os vinbos que se toem ah-
nunciado pela sua simplicidade e oplimo paladar :
quem uma'vez o beber jamis deixar de o com-
prar.
Vendem-se sellins inglezes e camas
de ferro : na ra da Senzalla-nova, n..a.
Agencia da fundico
Low-Moor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Nestc estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
lucias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro balido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Fabrica dcTmlos-os-Santos.
Firmino Jos F. da Rosa com escriptorio na ra
do Trapiche, n. 44, avisa aos scus freguezes que aca-
ba de receber pela escuna Curiosa novo sorlimen-
to do excellente panno de algodflo entrangado da-
quelln fabrica oplimo para ensaccar assucar e pa-
ra foupa de esravos. O annuncianle cunta que,
alm da fazenda, o desejo de animar o desevolvi-
mcnlo de umn fabrica inimrsmeiita nacional, pro-
mover o prompto consumo da sua receila.
Ferro
de toilas as qualidades edimensfies, em barra, ver-
galhlo, vCrguinha, arcos e chapa por prego com
modo : na ra da Madre-de-Decs armazem n. 26.
-- Nos armazens de Joaquim Flix da Roza,ha ra
da Madre-de-Deos, ha para vender ferro em folh
lor prego commodo.
--Vendem-se queijos de prato, dilos londrinos f
muilo frescaes latas com bolachinhas de Lisboa f
pilas com ditas de ararula ditas com hervidas di .'
tas com sardinhas, ditas de mermelada de 1 2 c 4
libras, garrafas com vinho moscatel deSetubal, di-
tas de dito da Madeira ditas de licor fino avelans,
velas de espermaceto de oito em libra proprias pa-
ra laiiternas caixinhns de massas finas do estreili-
nhas frasquinhos dourados com agoa de flor de la-
ranja : na ra da Cruz, 110 Recite, n. 46.
Farinba de mandioca.
Noarmazem n. 1, no caea da Alfandega vendem-
se saccas com farinba de mandioca d alqueire,
muito superior, por prego commodo.
Vende-se caJ virgem de Lisboa,
zetri n. 17.
Ovada e cafe moldo.
No Forte-do-Matlos, ra do
Amorim, n. 56,
na antiga fabrica que pertenceu ao finado Vaz de
liveira hoje reriencente o sfjb direcgo de An-
tonio Joaquim Viilal & Companhinha, vende-se,alern
do superior caf moido o muito excellente a esti-
mado caf de levada da melhor qualidade que ha
no mercado por preco mais commodo do que em
oulra qualquer parte.
Vende-se cal virgem de Lisboa, de superior
qualidade em barris de 4 arrobas ebegada nesle
niez pelo brigue Mara-Jote : a tratar na ra do
Brum armazem de Antonio Augusto da Fonseca ,
ou na ra do Vigario, n. 19.
II tsicas para piano.
Na loja da praga da Independencia, n. 37 ainda
ha para vender um resto d bellas msicas para
pianos, lindas polkas, valsas, arias, quadrilhs ,
ele por menos prego do que em outra qualquer
parte ; tambem restam algulnas valsas' para flauta.
>a livraria nova do pateo do
Collegio, n. O, de Joao da Cos-
ta lo i ira do,
vende-se papel para cortes degestidos, dito de mu-
sica muito fino, proprio para copiar modinbas para
pianos.de phntosia ou papel do encommed.'as ,
lapes finos verde, azul, encarnado e amarello se-
mentes, ohreia de gomma-arabids, com pasaos ri-
quissimas carleiras de marlim.reguas dedifieientes
qualidades e tamanhos pennas de ago muito boas e
outros mnitosobjectos queso acabam do receber e
estiio patentes aos freguezes : tudo por prego com-
modo-
Vende-se um Atlas de Coujou e a obra do gco-
grapbia por l'rcul : no pateo do Collegio, loja n. 6.
Vende-se sarja de seda hespa-
nhola, muito superior; setim de
IMac.'io proprio para vestidos; los de
linlio pretos, bordados a seda; meias
pretas de seda de peso; panno pre-
to muito fino e prova de limao;
casimira preta elstica ; sarja de
listras, setim proprio de collete; as-
sim como outras militas fazendas
finas, proprias para a quaresma :
tudo mais barato do que em oulra
qualquer parle : na loja de Jos
ftloreira Lopes & Companhia, ra
do Queimadp, qualro cantos, ca-
sa amarella, n. ig.
Na ra do Caldeij-qirp, n. 84, vendem-se ps de
parreira, em estado de serem transplanlados, sem o
menor risco.
Vende-se uma banca redonda de angico quasi
nova, propiia para meio de sala : na ra da Senzal-
la-Velha,n.70.
Vendem-se figos-de-coramadre no-
vos e frescos, a too rs. a libra; no patep
do Carmo, loja do sobrado de Gabriel An-
tonio, n. f.
Nos armazens n. 1 do caes da Alfandega e do
fallecido Braguez ao p do meo da Conceigflo, ven-
de-se superior farinba de mandioca era saccas de
alqueire, por prego commodo.
No armazcm do Idas Ferreira, no caes da Alfan-
dega vendc-se superior farinba de mandioca em
saccas de alqueire ; bem como superior potassa em
barriquinhas desembarcada ha poucos dias, por
prego commodo.
.> ovas chitas escarales.
Acaba de chegar na ra do l.ivramonlo, n. 14, um
rico sorlimento destag chitas a initagflo de velludo,
vendem-se pelo diminuto prego do treze vintenso
co.vado; e oulro sortimentq do chiles escuras, pelo
prego de nove vintn*.
Freg-uezia.
No paleo do Trgn, venda n. 7, vende-so vinho
da Figueira a garrafa a 160rs.
Vende-se um moleque de 3 a 4 annos de dado
i urna radeira d arruar nova e muito rica': na
ra Bella, n. 40.
Vemle-se uma nogra crioula, engommadeira e
rostureira : na ra quo vai da 1 renipio para o Mon-
dego, casa n. 7.
Chitas a 110 rs. o covado. .
Vendem-se chitas de cores e de boni-
tos padies a setc vintens o covado : na
ra do Crespo, n. 4Joja da esquina" que
volta para a cadeia.
~ No Aterro-da-Boa-Vista loja n- 78 vendem-
se sapaioes grossos a 1,000 rs. o par ; ditos do Ara-'
caty a 1,000 e 1,280 rs. ; sapatos de lustro liara se-
nhora a 2,800 rs.; dilos para meninas a 1,920 rs. :
ditos de cordovno, a 1,280 rs.; botins paha homem;
a 3,000 e 5,000 rs. o par ; sapatos de sola e vira a
2,000 rs. ; bahus de madeira ehvernizados de varios
tamanhos e precos ; bonetes rucados a 280 rs. cada
um ; ditos para meninos a 800rs. ; ditos de inir-
roquim preto para hornero a 2,500 rs. cada um :
ditos de merino, para criangas a 3,500 rs.
Vend*-se um cavado de sella com muito bons
andares : na ra do Crespo, loja n. a A.
-Na ruada Gnes, n. S, segundo andar, ven-i
Cigarrilhosdc palha de milho:
vendem-se nicamente no armazem do molhidoi
atrs do Corpo-Sanlo, n. 66.
Hobilias muito baratas.
Na ru Nova armazem de trastes
defronte da ra de S.-Amaro vendem-se riquiui.
mas ipobilias de Jacaranda e mogno do melhor gos-
lo i alm de um completo sortimento de trastes de
todas as qualidades bem como esdeiras amcrieam,
d pao e de paihihha radelras de balango d po e
de palhinha ditas do bragos proprias para i
crove.r ditas para seniora, baiiqtiinho para as se-
nboras porem os ps, banquinhas de costura, cadjd.
rinhas altas para meninos comerem i mesa guar-
da-vestidos de amarello de mogno marquezasde.
oeo multo lortes e outros muitos trastes por pre-
go multo commodo altendendo boa qualidade.
, Cliegaram os charutos de
tfavana,
verdadeiros e de qualidade j conhecida : na ruad
Cruz n, 10, casa de Kalkmann InnSos.
Vende-se um prolo de nagflo Angola, de tata.
nos ; um dito crioulo, de 12 annos ; um mulalinlM
e urna mulalinha de 8 a 9 annos, todo* de boniUs
figuras : ao lado do Corpo--Santo,loja da cabo*.
Tal^oa.lode pinfio,
Vendem-se taboas de pinho, na
Porte-do-Maltos } armazem do V'snna e
no armazem do Machado, na ra de
Apollo, junto ao porto velho das emoas
0 os meltores pranchOes, costados, costadinhoie ta-
boas de todas as grossras e comprimentos porto-
do o prego.
Conlina-se a vender cera de carnauba, por -
tacado e a relalho a vonlade do comprador, por pre-
go commodo : na ra da Cadeia-Vln, tojas de fer-
ragens, ns. 59 e 63, de Jos Dias da Silva.
Vende-se um relogio de prala horizontal, mul-
lo bom regulador: na praga da Independencia
n. 34. '
Vendem-se 3 lindos moloques de t3 a 18 sa-
nos ; 4 pardos de 16 a 25 anns ; 3 pretos de V, an-
nos; uma pardinlu de 16 anuos; 4 pretas de 12 i
20 annos leudo alguiuas dolas habilidades: na ra
do Collegio, n. 3, segundo andar, se dir quem
vende.
Venderse rarula, a 200 rs. a libra na ruapi-
reita, n. 14.
Vendein-se corJas de trina
e bordees para violSo e rabeca ; panel pialado para
msica : ludo de superior qualidsdo e por prego
commodo, tanto em porgfo como a relalho : na pn-
ga da Independencia, loja n. 3.
Escravos Fgidos
Fugio, no dia 22 do corrente, um preta criouli,
de 20 aonos, estatura regular, beigos grossos e o
inferior cabido; tem dous donfes da frente podres t
por detrs dos hombros uns botfles de carne; lrou
vestido de riscado iniudo camisa de madapolSo,
panno da Cosa"; sabio para vender agoa e por j*
ter feilo outras fgidas, trazia uma correte fina da
cadadoao p : quema pegar leve-a s Ciiico-Pon-
tas, n. 32, que ser gratificado.
Fugio um moleque cabra de nome Gandencio,
pos lins de Janeiro prximo passado ; levou camisa
e cerolasde algadSzinho, bonete de orellode pan-
no azul e branco ; representa ler 15 a 16 anuos, com
cicatrizas de bexigas ainda muito visiveis, e a cara
redonda : quem o pegar leve-o ra do Queimado,
loja n 27.
40/000 ris
degratiflcagno a quem levar ra da Aurora n. 5i,
uma preta crioula de nome Filippa de estator re-
gular e reforgada, rosto mal encarado j tpm as cos-
tas signaesde chicote; est fgida desde 20 de nn-
vembro do auno prximo passado; consta ter sido
acoitada em alguma casa onde presta servigos de ro-
zinhar, por ser excellente cozinheba j fo vista
em difercnles lugares nesta praga sendo ultima-
mente mandada amarrar pela crioula forra Romana,
a qual a iiiandou entregar ao Sr. brigadeiro Aleixo ,
na supposigSo quo fosse ainda aua escrava, e istono
da 26 de Janeiro, s 10 horas da noite, e levando-
so-lhe a escrava este Sr. resppndeu que ja a tinha
vendido o a pessoa que a amarrou, que- segunde di-
zem, mora na ra de'.-Congelo do bairro da Uo-
Vista esiaproveitando-se do servigoda mesmaes-
crava por isso se suppOe que exista por aquellas
immediagOcs: quem dellader noticia aer gratifica-
da com a quantia cima de quarenla, mil rs. p
protesta na forma da le contra quem a tiyer ucculta.
Desappareceu, no dia 17 de Janeiro, o preto
Antonio, de liaglo Congo uiioj, rabd*-. "n;
falta de alguns dentet'nk frenle euma ferida esi
um pe; ltimamente tem estado trabalhndo no
arsenal de guerra com o nome do l.uiz : quem opa-
gal- leve-o a ra da Cruz, n. 2, que ser gratificado-
Na tarde do dia 8 do correte, furlaram do si-
tio do abaixo assigndo no Demedio', um pelo de
nome Vicente, de nagfio Benguella altura regular!
ofhos aperlados; parece mudo porqoe nunca sljs, e
quando falla he'muitb pouco o apenando oij olhqs.
muito confuso um tanto gago e 'smafucado anu*
com as perriaS umpouc esbarradas, representa 30
a 35 anuos ; levou camisa d mangas curtas ceroii-
las de algodo e sem chapeo ; fui I^^^^R co'"
umn botijna niflona mesma tard'^fTl^itrf)a es-
trada dos DemoJiospara a Passagep* e pou-
cos passos dille, um Sr. qu antes 5 ou 6 [dias ,
eniuma manliHa ofeduziocoi lima trouxinlia o o
trouse aleo Recife qu o prot esca}>aDjo-se delle,
correu para o sitio : quem o pegar leve o a' ra do
Dangel,n.5, casa jjo annuncianto, que sera re-
compensado.
Viclorimo Franci$eo do Smntu.

!5taB
Pfl
s. : n*
TTt, Df as. r, ot F*:tiA. 1W9
ILEGVEL
.
-^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUIS7FE8R_BWAGTF INGEST_TIME 2013-04-13T01:16:40Z PACKAGE AA00011611_06452
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES