Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06451


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A nno XXV.
0 P7,lR/OpublIca-setodososdaiqiienao
forem de guarda. 0 prefo da .-is*lKi:]tura he
deifOOO r. porquartel, pogoiaiHarttattot. Os
anitiincios dos assignintrs sao inseridos
r.isao de W r. pr liirha, 40 n. em typo dif-
i (rente, casrepelifoea pela mctade. Os nao
I assignaaiieepagarau 80 rs. por liuhae 160 r.
em ijiiodilTereuic, por cada publlcacao.
PIlAStS DA LA NO HEZ DF. FEVEREIRO.
Lna chela, a 7. 8 hora* e MI mln. o'""h
Mii.goaute.al5, a I liara 43...lu.da"h.
La uo va, a 22, 11 horas e !0 mln. da Urde.
Terja-fera 27
PARTIDA DOS COKREIOS.
Colerina c Parahiba. is MR*, e sentas-feira.
Hlo-G -do-Norte, qulntas-felras aoinelo-dia.
Capo. SerinbSem. Rio-Foriiioso, Porto-Calvo
' Macelo, jio l. a 11 e 21 de cada racz.
Garanlmns e Bnnito, a 8-e 23.
Iloa-Vlsta e Flores, a 13 e 28.
Victoria, squinlas-feira.
Olmda, todos os da*.
de Feverero de 1849.
N. /.0.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, as 8 hora* e 30 minuto* da maiih
Segunda, ai 8 hora e 54 iiiinuioi da tarde
MAS DA SEMANA.
26 Segunda. S. Trralo. And. di J. dos
orph., doJ. do clvdedo J. M. di 2. v.
V Terra. S. Leandro. Alld, do.'.doc. d : 1.
v. edo J. de pai do-4. ilitt. da t.
W 28 Quarta. S. Romn. Aud, da J. do c.
la i. v. e do J. de paz do2, disl. de I.
1 Quinta.S. Adriao. Aud. do J. dos orph.
e lo i. M. da I. v.
2 Sexta. Simplicio. Aud. doJ. do civ.e do
J. de patdo I. dist. de t.
3 Sabbado. S. Ilemeterio. Au I. do J. do c.
da 1. v. e d.i J. de pai do 2. dlsl. de t.
4 Domingo. S. Casimiro.
!
cambios no di.i 2,. df. feyrreiro.
Sobre Londres a !d. por I/C0 rs. alii) dias.
Pars
Lisboa 11*. 8 por cont de premio.
lUo-dr-Ianriro ao par.
Dse, de lett. de boM linu n a 1", X ao mea.
Acedes da comp. do Rb ') fbe. a SOf rs. o i>.
uro.-Oucas bespanholis. 30/BHO a Jd^ViO
Mo.'da deWKMv. 17/300 a 17/500
, de lirtOO n. 167201) a l/IOi'
dctyOOO.... 500 .i 0/40
Prala-Pataccsbrasilciros 1/170 a I^.O
IVsos cMuniiiaros. I#H70 a U'VM
. Ditos mexicano..... 1/900 a I/J20
sfrtrrrrzrr::-j i
PARTE OFFIC.M.
' GOVERNO DA PROVINCIA.
lllm. eF.xm. Sr.--Particpo V. F.xc. que esta
provincia aclis-se no goto de perfeita Iranquilli-
' 'fleos guarde a V. EM. Palacio do governo de Ser-
cipe 1. de revereiro de 1ff9.--lllm. o Exm. Sr.
lesembsrgador Manoel Vieira Tosa, presidente la
provincia de P*rnambueo.--iteiira de (oei t Yat-
conctlloi,
EXPEDIENTE DO DIAS* DEFEVEREIRO.
OffltW.-Ao Impector da psgdorin militar de-
clarando que, lientas as rases por S. me. allega-
das ha resolvido: .#, que, cmquanto se nflo con-
cluir a pacifleasflo da provincia. rfflUtmie tal como
se acha organisada a caixa militar, Hial aquella
Daeadoria, tlrn de estar prompla a sabir pora Tora
sepoivenlura houver necessidade de tomar-so se-
melbanle medida ; 8.'. que, no entantoque se nflo
verifique a hypolhese figu-ada, os empregados no-
meados para a referida caixa devem ile comparecer
diariamente repartlcflo sb a liispeccSo le S. me.,
rara desempciiharem qualquer semeo ou trabulho
aun por 8. me. Ihes fr Incumbido ; 3., finalmente,
quo os veactmehtos de taes empregados, durante o
lempo em que assim forem. aproveilados, sejatu re-
gulados do modo seguinte:
Pagador, vencimento raensal, 30/000.
EscriWlo, *^*y-
Atnanuonse, 90/000.
E conclue ordenando que a importancia dessa des-
reza seja levdn rubrica quo j eslava marcada para
as d mencionada csxa.-Parlic,pou-se ao inspector
da Ihesouraria da fazenda.
Dito.Ao mesmo, determinando pague a Joo
Carlos Augusto da Silva a quantia de 53,000 rs., im-
portancia de dez saccaa de familia que no dia 5 do
correte fdrneeeu para sustento das tropas legaes.
Commuhicbu-seao inspector do arsenal de marmlia.
Dito.-Ao inspector da ihesouraria da fazenda re-
comfnendando baja de ir presidir ao balango que
ello tem de proceder, em o dia t. de marco uturo,
no cofre da mesma pagadoria, aflu de passa-lo ao
respectivo pagador especial.Scientiflcou-se ao ins-
pector da pagadoria militar.
Dito.A' cmara municipal de Olinda, agrad-
cenosos termos obsequiosos em que se acha con-
cebido o olTicio, com que Ss. mes. aecusaram recep-
(:1o do que Ibes dirigi a presidencia, nleran do triumpho ohli lo pelos defensores da legalidade
sobre os rebeldes que no di2do correnlo ousaram
atacar esta capital.
consentir,o deputado rio-se,o presidente estoma-
cou-se com o riso,houvoscena de confusUo, e o
depulado Cunha disse que sabia o qneriam arrastrar
para fura da sala, mas que saberia defender-se com
bancas, cadeiras e linteiros. feto cousou nova con-
fusao, o para que elle nflo continuasse a cmara do-
cidio que se passasse ordem do dia. He provavel
que lenhatnos muitas destas scenas, porque o presi-
dente Ra bello Cabral est indisposlo como dilo de-
pulado Cunha, nflo so por elle ler combatido na s.-s-
silo passada a pensSo que elle presidente pedio para
sus mulher, mas por ter ne*sa sessflo pedido o debu-
tado Cunha conlas ao governo do despacho do dito
presidente para juiz da relaco do Lisboa.
A discussflo da resposta ao Ihrono j lambem co-
mecou na cmara dos depulados, eencetou-a o de-
putado Cunha Soltu-Maior, que fez graves arcusa-
c3es ao governo, pela sua intolerancia poltica, e
sobre ludo por nflo pagar a ninguem. Porm o dis-
curso mais virulento, mas lambem mais cheio de ar-
gumentos baseadosom factos, em inrracQflcs palpi-
tantes da carta e das lcis, foi o doSr. Silva Cabral.
Este dowitado, que possue urna grande frca de dia-
lctica e bastante talento, levnu o escalpelo ao mais
recndito do cadver lo gabinete, aecusou o e pro-
vou-lhe factos escandalosos, o nflo ha duvida que
causou a maior impressflo mesmo nos memhros la
maiori; e, se esta nflo eslivesse dominada pelo es-
pirito de partido, por corlo que a derrota do minis-
terio seria nfallivcl.
Fallam anda a fallar conlra a poltica do ministe-
rio os doputados Pereira dos Deis o Carlos Rento,
que por certo o nflo deixarflo betn parado. O go-l prximo futuro
verno tem poucos oradores que o possam defender ;
eesses poucos, alguns dellos, se odefenderem, nflo
be com verdadeira convireflo. Enlrelanlo lalvez a
frca material da maioria salve o governo na vo-
Falla-se lambem cm ponto nos pagamentos, ej
neiihum cambista quer rehater os mezes de outubro
onovombro. Tildo isto ha de concorrer para a sa-
hida do ministerio do Sr. KalcSo que he o que so
diz o nesse caso o contrato la arremalacao das sote
casas sera rescindido ; mas ludo o mais que se lem
feilo llca sem remedio e sem resposta, porque o suc-
cessor do Sr Falcflo, em se Ihi pergiiiilando por algu-
ma dessas cousas.di. logo-quo isso nflo lio com elle,
nem so fez no seu lempo, o issim so ludibria i
nac'io.
DIARIO BEPEI!M.\1B1)CU.
asoirs, 2a o tevibiipo bz iso.
AU1AMBNTO DA BEONlXo DA AS9EMBUA LEGISLATIVA
PROVINCIAL.
Tenloem consideraeflo as circunstancias exlra-
ordinarias cm que so acha a provincia, e usan lo la
aUribuicfio conferida pelo 2 do artigo 2i da lei
de 19 de agosto de 831, o Exm Sr. presidente resol-
veu, por portara de boje, adiar u reuniflo la assem-
bla legislativa provincial para o dia 25 de marco
lagilo.
Das provincias nada ha de importante ; o as noti-
cias de lleapauha fallam de triumpbos alcanzados
pelos carlistas. Veremos se isto se confirma.
Iriem, 18 de Janeiro de 1849-
EXTERIOR.
COBRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMUUCO.
r.iiba, 12 de aneiro de 1849.
A sessflo legislativa deste anno leva o mesmo prin-
cipio que a do anno passado. A opposicflo desfaz-se
em renuerimentos pedindo esclarec Tientos ao gover-
no, para entrar na diseussflo da resposta ao Ihrono.
Tewn-se pedido rsclateciinentossobreempreslimos
e anlicipacOos feitas ao aelual gnrernn,sobre em-
pregos prvidos o deixados de prover, sobre alcan-
ces dos exactores d* fazettda, em lim sobre un nu-
mero immenso do objectos. Alas, como estes reque-
rimentns afio todos approvados com a clausulanflo
havrndo inconvenientea governo ha de mandar os
quo Iho convier, e esses tardo e a ms horas, descul-
pando-se com os muitos aiTazcrcs que ha as secre-
tarias de estado, illudindo assim o desejos dos seus
adversarios polticos.
Entretanto, ludo faz acreditar que a diseussflo da
resposta ao-ihrono ser tempestuosa, se antes nflo
houver algum debate acalorado por causa da arre-
malscflo dos rendimentos das ste cagas e pescado,
sobre anual na sessBo de antehontem n depwtedo
Pereira dos Res annuueiou urna intarpollac.lo ao
governo, fundada em aete quesilos. Mas o governo
fla-M na maioria que tem e nflo recusa o combate.
A queatflo da formaeflo do una companhia passou
a intrigar, e conaeguio Ioro que o contrato da ar-
remstaefto des sele casas lsse retirado, por ser a
podra dn escHmalo. Ora, he sabido que a commis-
sflo de fazenda da cmara dos doputados est lis-
posta a dar O aeu parecer contra o contrato ; e tan-
to assaiai que j se diz que o governo negocia um
emprawttino com o banco de Portugal de 54U eolitos,
islo be, de 90 conlos mei>ea ale junho inclusive, hy-
potliassajido-llie as alfandegaae oulros rendimentos
do governo. Com isto tem cenado o rumor do mu-
danca ministerial prxima, apezar que todos asse-
guram a saluda do ministro da fazenda, que j nem
apparece as cmara*. Por conseguinte he evidente
que o ministerio esta om cris, e lionlem fallava-se
da tubida do ministro da (azenda, e de mais oulros,
(cando so o duque de Saldapba.
Ha cmara dos deputadolodeputado Cunha Sotlo-
Maior, mancebo de genio fogoso, que pertcnco
hoje a fraceflo capitaneada pelo Sr. Silva Cabral, e
que j tem motivado alguns momentos de desordem
na cmara pelo aeu tallar acrimonioso, quiz inter-
pellar o governo aobre se bavia ou nflo crise ministe-
rial. O presidente, capacho do ministerio, nao quiz
Na cmara dos pares j se discutio eapprovoua
resposta ao Ihrono. Nesta diseussflo acontecen um
facto que tela dado muito que fallar. 0 duque de
Palmella, o conde de l.avradio e o Sr. Rodrigo da
Fonseca Magalhfles,considerados como ehefes da op-
posicflo carlista, naqiiella cmara, se nflo anotaran)
decididamente o ministerio, approvaram muitns los
seus actos, sobretudo os que competiam no duque
do SaManlia. Comecou logo a dizer-se que o Sr.
Fonseca Magalhfles eslava vendido por um visenn-
dado; oSr. conde de Lavradio, nflo se dizia poriue,
mai lambem era arcusaiio dcapostasia inleresseira ;
perm o duque de Palmella he que se nflo sabia o
motivo la sua mudanza. Dizia-se, be verdade, que
lalvez esta fsse motivada com recelo de que llie ti-
rassem a presidencia da cmara dos pares; porm nflo
se acredtava que o duque mudasse de poltica por
talcousa.
Alina 1 soube-se a verdade. Parece que, aprnveitan-
do-se do mo olTeito que produzio no publico o no
parlamento o negocio das sele casas, se comblnaram
os chefos da opposicflo carlista para derribaren! o
ministerio dcixando so no poder o duque de Slda-
nlia ; islo eslava quasi arranjadn, quando, sabido
pelo conde de Thoiuar, .tencj oso do que, suliin-
do o duque le Pamella no poder o o conde de Larra-
dio, se praticasse com elln o mesmo que se pratiiou
em 18W, recorrer exportcflo do figo no Algarve,
quolanibem foi trazida ao parlamenlo por um depu-
tado daquclla provincia, pedindo ao governo que
mande retirar tal projecto, por|ue tem commovnlo
muito all os nimos o exclusivo quo se quer dar i
dita companhia.
O partido do conde do Tliomar comeca de novo a
guerrear a presidencia la cmara dos pares quedes-
empeiiha o duque de Palmella. O conde de Tliomar
receia a influencia deste estadista na cmara alta ;
e por iso insiste no seu jornal, O Papular, que o pre-
sidente da cmara dos pares nflo deve estar em op-
posicflo com o governo, ou so deve demiltir. Pare-
ce quo o duque de Palmella nflo esta para isso, e
que o marechal Saldanha, levador ao duquo de Pal-
mella le immensos favores, nflo se atreve a tanto
Islo pode ser um motivo de discordia entro o conde
do Thomar e o marechal, que por agora e^tflo ou ap-
pa reala ni estar na melhor iiannoiiia.
As cmaras, por cmquanto, excepcfl dos re-
querimenlos oceupado da eleijflo das commissO-s, o ja seapre-
sentou a diseussflo da resposta ao Ihrono. Entretan-
to a sessflo do dia 5 esteve briihanle ; porque,^pre-
sentando o deputado Cunha Sollo-.Maor una inter-
pellacflo ao ministro da fazenda, sobre atraso e irre-
gularidado do pagamentos, chamou mpudmle ao mi-
nistro. Islo causou explosflo na maioria. O depu-
lado foi convidado pela mesa a retirar a pnlavra :
nflo quiz e conlinuou a atacar violenlaiiienlc o go-
verno, de maneira que foi o seu nome mandado lan-
car na acta. Elle poueo se imporlou com isso. piis
dissu que, leudo do fallar sempre com a mesma
acrimonia, teria de ser laucado muitas vezes na acta.
Correo aqui a noticia da prisSo do general Povoas,
e do seu chele de estado maior Ituboibo, romo im-
plicados em conspiacOes conlra o governo; mas
parece que tal noticia nflo se confirma.
O ministerio j apresentou na cmara dos depula-
dos o relatorio sobre a quesillo da anenialacflo das
acto casas, e o piojecto que approva o contrato.
Parece, comludo, que nflo Ser approvado, porque!
ivnisftp^ .<.... .1...^ ^__u ...i.. ...t k...!,.. ni....ii'_ '
NOVAS DA REV01.TA.
De ofllcio lo Exm. Sr. presidente da Parahiba, da-
lado a 21 do correnle, consta que. perseguidos pelo
Sr. tenente-coronnl Falcflo, os rebeldes evnctiaram
aeidade do llrejo-d'Areia, o tomaiam caniinbodo
sprto.
NOTICIAS DE POBTCO.VL.
Pelo briguo porloguez Noro-Yencedor, cbcg.nlo
hontcm de Lisboa com 30 dias de viagom, receb-
mos as duas cartas lo nosso correspondente iiaqucl-
la corle, que fieam exaradas no lugar compleme ;
tfbem assim varios cxemplarcs do Diario do Gover-
no, dos quaos o ultimo vem datado de 20 de Janeiro
prximo fin lo.
O reino de Portugal ficra cm peifeila paz, e nada
searreceiavaque fWa elle invadido pelo espirito
verliginoso que tantos males ha causado a oulros
paizes do velbo mundo, c que felizmente como que
vai recuando ante a poltica de Justina c verdadeira
energa que nesses ltimos mezes 08 governos euro-
peos se hflo resolvido a adoptar.
No parlamento poituguez iam-sc renovando as
scenas de escndalo quo no anuo passado all se re-
presentaran! : em completa minora, vencida e sem-
pre recliassada, a opposicflo recorra a insultes
como que pira dcsalufar suas iras,seus furores ;
mas o governo, apoiado por grande maioria, a seu
camiho, e esforcava-se por fazer o bem la nacflo.
A situaclo financeira do paiz anda nflo era satis-
factoria.
pas, o typo anmalo dos esposos, agricultor illus-
trado, e bomem de viiludes publicas c domesticas.
Vcndo-se- obrigadn a doixar o sea engenlio para
.luscar um ponto do s";uranra neta capital om con
seqiieiicia los dolorosos sconteeiinetitos do dia 2 do
correnlo, leve nocesaidado le voltar sua proprie-
dade, n la Boffreu os symptoinas lerrivois da ama
apoplexia : urgido pela gravidade lia nial, fbi li his-
poiiado n osla cidade para entregar-so ios cuidados
e desvelos de facultativos habis: masas paginas,
em que a mor le inscrevc suaa victimas, Bflo inexira-
vois, sflo lo bronzi', seus dias UicaVam a bnrreira
c-p>alosa que separa o prsenle la oternidade.
V%Qll* hic vemes.
Mas, se o coraeflo se aporta,S lie como calado pela
dor, na recitac'io de um facto quo POX em ponsler-
nacflo e cm pranlo urna familia virtitusa, o tantos
amigos probos e liis, o espirito religioso so delata
eso expande no contemplar os ltimos flos do bi-
mein vcrdadeianuailo christo. Ello nflo quer to-
car cssa niela in lisponsavel, mas lerrivel, son sor
corroborado por lodos esses s irrorroi esji ilua's.
qutaomdeabiir-lhcas porlasdcssc nuui)i invisivid.
siui : a resignaQn appmece em seu seaibtaittojjon I'
repousava a ciulricflo librara.la ro n a grac^F FU"
pedo os sacramentos com aqooll i voz energtai c ef-
licaz, quo arranca lagrimas aosquo observam asna
ltimos paroxismos. Mergulhadti no mar profun lo
do meditococs religiosas, elle edifica pr estes mo-
mentos de f que fa/em o ultimo, oriiani'ml i do
seus dias. Choio de compunceflo, recebe, naliumi-
liacflo mais heroica e mais perfoita, os ltimos
sacramcnlos, equandoasua voz comeca a iofrer
iaterupcoes, quan lo a morte se Ule aaniiuria asrl.i
ras. c comeca n roquejar dentro om sea pello, elle
redobra aeu'osforQos debela, e acompanha a voz do
ministro sagrado, que faz so ir a seus ouvidos as pre-
ces los moribundo?, e no momento om que os ul-
times arenlos la articulafflo sflo arrancados de
seus labios trmulos e onregelados.ainda assimsees-
fm\a para pronunciar ess.is palavrasde consolafilo,
que o seu oavilo, j surdo e destruido, custava a
reter: elle crguc anda a sua mfloconvulsa, e por um
movimenlo, que s pertence aoa lilbos do ovangelho,
se persigna. He assim que elle da o derradeiro ho-
cejo, e lie assim quo seu espirito desprendido da
materia voou hontem as quatro e meia da lardo para
o seio de lieos, deilando inconsolaveis quatro fllhos
c urna esposa.
Ah Eu tive o cxlrjmo desprazor do observar os
til timos pbenomenos da vida de um homemquode
coraeflo o amava; mas eu rocoii ah, junto no seu
leilo, as liefies que valudo deixa nos moitaes,
quando ella se despega do barro frgil quebra-
dizo, e va InsulTrida para a eteriiblade. Craloaos
favores e obsequios d'ainizade, he um levor que me
impoz oreconliecimenlo narraros derradeiros as-
anles de um amigo, "cuja existencia eu vi quo se
deslisava debaixo de mousolhos, ainda humedicidoi
pelo pranlo da lidelida le e gralidflo. Como lio r-
pida u carreira da viiludesooroeste inundo do illu-
soes o de lievas I Como acabarn os bous Ilasla, re-
ceba elle urna sau lado, c SO la Cliegar, como SUppO*
nlio, vera que junio no tuoiulo, aoiido a lisonja nflo
ousa do appioxim ir-si-, seu amigo cliorou a sua per-
da. A gloria o possun, ja que miso perdemos.
J. C. Q. f.
b___JJMI
Commiinica(l<.
OSUI.TI.MOS INSTANTES DE UM VIRTUOSO.
Fxice o reconhecimenlo, e mesmo o amor ao palz,
quenflo pssse desapercebido o dia in austo MOM
awicdado lio, como que sequestra-la, do un, I, -
mt"mbeneme.ito. Sim, esse momento funeslo
q
na
la i
virtudes civica
memCOn?o p^iSM* W e W^\
cTrei" dos seclos Pi'um secu.o de ignorancia o
,\o enrruiicflo. a perda de urna pes>oa Di ni .nei it.i
.Sre urna launa immensa, que se nflo repara con,
h nS&OS de lamenlar o transito doloroso de um
dadflo. ornado de virtudes nflo vulgaret.qt.c, como
.hrrido da existencia do urna poca Mo s.agu-
? ,e Irsapprece para sempre ...n ridadflo vir UOSO,
" orsPemduvi,la, um instante de lucio edever-
1 t ra nP" P'a ''ai'' ann,,e vn'U't l
S cvicas o a relgiflo leem o sea sssento, e
resiieiladas. As ve/es
um S lio -
.
VAUB3>A>l
AS ARVORES.
sa le e eonfor-
abborrld
lar cml desastres
pacifico e
e infortunios, voou para o seio
bondadoso daquelle que Traoqueia as
portas da elornldado feliz ao virtuoso, que sobre-
nadando no espseo revollo e tu.blenlo de mares
negros e impolados, tinha necessidade de repouso
a maioria
me nessa
Tbuman
do e se vossos viziul
groa e impuiuu3,........................------i6lantl-asosmcsnuw pva a ssi.de e gozo
de paz. w.nMftiu.i. ir !i. ilbos c dos lilbos do vossos lilbos. Ellas serflo um
Sim. a morlearabouderoub>r-no8 0lllni.Sr. .Se"! .".ti.io .i..-lii,.r o mnis duradourodo que o elogio
aadU.y,mr.snflu e'sU muit confor-' b.sliflo An.onio de MeUo B^o, J*** ffi^ tuJoo 0 crido, que ellas gravare.., sobro
app,OV.s6o, incluso o mesmo conde de j cava.leiro da ordem de^hri.lo, Jfflfi% pedra do vosso sepulcl.ro.
As rvo'res sflo tilo valiosas pira a
tndohomemqusnloavistaoo som do sua rolba-
gem Iho sflo agradaveis. Uo un, faci importante .
posto que nflo sullirientemenlo contiendo 0 lembra-
,lo oueas irvnresemittem o bxigOlllo cm grandes
qu'iutida les, eestegaz nflo he Romale > mais es-
sencial a ida humana, sonflo lambem.misturado ar-
mo e copiosamente com a atmOspRora de nossssha-
luiarors, promove a alegra e csmi enofgia.de voula-
lo que habilita-nos a seguir oossas vooacos r,m
zoloeprazer. Emprgai0 mais ostupido criado em
al-umaobra que possa ser executada dcbuxo da
sombra das arvores, o ella ser fcita mais prompUn
methqre com monos fadigadu quo debaixo
do abrigo morto do taimas o lijlos nflo animados
ra folliagem. Queni baque, tendo passado do ca-
)r da sol ,"ou da trpida sombra l; tima casa apar-
la.la da verdura,para debaixo da -opa musical de fo-
Himas arvores, nilo tonha observado sua influencia
refrigeran te e fortalecedora! O sopro de seus ra-
mos ilucliiantes Oqnol reciea os sentidos, inspira
sadeo felicidad.'. E nflo smente em dar, senflo
tambe ni en, recebar sflo as arvores benficas pira o
omem se como oulros dous divinos nflo sflo em
excesso que emliaraccm a ciiCula;flo !> ar o as visi-
tas risonJiasdosraiosdosol. Ellas absorvem o gaz
nocivo que a villa animal esta ron
i
t
d
vida animal,^'norivo'quando oiilra vez "P".
he ab-orvil pela creaco vegetal e lio por ella re-
tribuido por ..... suppr.menlo generoso do oxigeneo
necessario a vida animal. Algumas arvores deve-
iain assomb.ar todas as casasde nstruceflo do mu ,-
los nao uiiizercni iijudar-vos,
- le vossos
erflo u
o eloi
nocivo que a vi.la animal esta oonslaiftemonlo res-
pirando c que, sendo oulra vez aspirado lorna-se
IflO prejudicial o mesmo l'alal cm qujrtOS rocha-
dos qoandooardocomposloboroccb.do nos pu-
naos. Este gaz exalado Uto abundantemente pela
g
J NUMERACO INCORRETA
-^




Plantai arvorcs em re lor Je vossa propria casa por
amor de vos, e planiai-asao longo Jas estraJas por
amor Ja humanidade. Cada arvoro que plaanles,
ser urna achilo meritoria que fareis, pois cl'a es-
temler scns ramos sobre a cabrea Jo viajnr allivia-
Jo, o allestar Jesla arte a vossa benevolencia para
ron, lu.mens vossos innos. Cartas de Cora
Montgomery.
[TheSunWeekly.)
_______ .=3 --------aiJl.
CONSULADO PROVINCIAL.
REiNRIMENTO DO DA 26.......... 2:780,700
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO DA 26........... 5:615,145
Desearregam hoje, 27 de fevereiro.
Brigue Novo-Vencedor merendonas.
Briguo Primavera albos, btalas, maesas, azci-
lonas e rodas J'arcos.
Barca W.-H.-O.-Wright -- brinda.
Iliate Santo-Anlonio-Vcncclor cbarutos.
Brigue Nordem barras de ferro.
IMPORTA CAO'.
Primavera, brigue porlugiiez, vin lo Jo l'orlo ,
miradonn corrente ain, consignado a Antonio
Joaquim de Souza Riheiro manisfetou o seguinto :
27 pipas vinho, 9 barricas Posadas 8 ditas fecha-
durtl e pintes, 1 pacote peneiras, 20 canastras
nlhos. 21 ditas macias 100 rorlas de arcos de pao ,
1 caixa ferhaduras; a A. V. da Silva Barroca.
1 lata salpicos ; a llernanlino Maya Ja Silva.
1 Balsa fcchaJuras; a Joilo Jos Je Carvallio Mo-
ra es.
C barricas o 3 caixas drogas, 8 barris linhaca ; a
Jos Cardozo Ja Silva Pinto.
2 barris pexe Migado, 1 canastra castanhas ; a
Henrqun Jos da Cimba.
1 raixo pentes ; a Manocl Antonio Monleiro Jos
Sanios.
20 -uceas revada ; a Paulo Jos Alvos Ja Silva.
8 canastras albos, 1 caixa massas para chapeos ,
117 ancorlas azeilonas; a Bodrigo Joaquim Cr-
rela.
2 barris vinagre ; a Antonio Francisco Jos Santos
da Silva.
t barril geropiga ; a Vicente Alves Souza Carra-
lho.
1 caixa tremocos; al). I.aurianna Boza CanJiJa
Bcpueira.
1 runhetc obras Je prata ; a Francisco Carneiro
Ja Silva.
1 caixa cascos pnra chapeos 1 Jila pentes ; a Joa-
quim Monleiro da Cruz.
2 caixas chapeos, 28 barris vinho; a Manocl Joa-
quim llamos e Silva.
2 barris pregos de forro ; a Domingos Jos Perc-
ra da Costa.
1 caixa lindas, 1 dita serras I dita fio de vela ,
1 cunhcle ferros de bruir, 1 caixa candieiros : a
Francisco Ignacio Tinoco de Souzi.
1 encinte rendas de Unlio 1 caixo penles e Ira-
moiaa ; a Manoel Joaquim Oas Castro
2 barris presuntos; a Fortunato Cardozo Cou-
veia.
4 secretarias, 2 commoJas, C mesas, 1 marqueza ,
244 radeiras; a Jos Antonio de Ca valho
6 caixas arenles; a Francisco Alves da Cunta.
2 saccas fcijflo ; a Antonio Jos GoelllO Jo Rozarlo.
60 cestos do verguinhas ; a Victorino de Castro
Moura.
7 canastras albos ; a Jos de Almeida.
6 barris pregos, I caixa fechaduras ; a Jos Anto-
nio ile Furia.
2 canastras castanhas, 1 barril vinagre 1 caixa
rainc de pjrco, I embiulho pinhOcs ; a Joaquim Pi-
nhoiroJacome.
1 caisote doce ; a Jos Dias Simos.
1 canastra maceas; a Domingos Jos Rodrigues do
Andrade.
1 canastra inacs; a Manoel Caclano Pcreira Men-
donca.
100 canastras albos, 60 Jilas batatas, 10 ditas
maceas 50 ancorelas azeilonas ; a Jos Alfonso Mo-
lona.
2 tullas castanhas; a Francisco Ferreira Ballhar.
1 caixa livros impressos; a Jos Francisco do
Ara ujo.
8 canastras mneos ; a onleiii.
2 caixas pentes, 1 redoma de yiJro ; a A. Joaquim
Je Souza folien o.
I cunhfte icrrigrns ;a Antonio Ferre.jra Braga.
1 embrulho coturnos Je linio ; a Joilo Vieira
l.ima.
1 caixote panno de linho; a Jos Connives da
Fonte.
85 rojas do arcos de pao, 16 barris pregos ; a Ma-
nuel Ignacio de Oliveira.
1 caixote obras du prata 1 caixa para faqueiro; a
Jo.- Velloso Soret.
I viveiro canarios, 1 dito e duas gaiolas vasias ;
a Domingos Germano Alfonso Regueira.
928 resleus de ceblas ; a Jos Lopes Boza.
I caixule obras de ouro c prata ; a Morcira &
Duarle.
360 reslcas le ceblas; a Francisco Lopes Morcira.
1 eml.rulhu fazenda de liuho ; a L. C. Ferreira.
1 presepc ; a Amonio Joaquim Pcreira da Silva.
72 rodas de arcos do pao ; a Ballhar 6 Oliveira.
1 s icca panno de linlio ; a Jos Manuel dos Santos.
2 canastras oui eos, 5 ditas macas ; a Manocl Luiz
dos Santos.
1 labulciro de prata ; a Jos Antonio Carvalho.
* saccas rolhas; a Francisco Moreira Pinto Barbosa.
Franeis-P.-Beck, brigue americano, vindo deN.-w-
Toik, entrado no curente mea, consignailo a Me.
CalrnoiiKK Conipanliia, manifestou oseguinta :
300 barricas breu, 25 dilus agoa-taz; aos consig-
natarios.
Mov ment do Porto.
Navio entrado no dia 24.
Parahiba ; 3 dias, hiate brasileiro Flor-das-Virtudes,
de 21 toneladas, capito Elias do Bozario, equipa-
gem 4, carga toros de mangue ; ao capito.
Navios sahidos no mamo dia.
Bio-de-Janeiro ; polaca brasileira Nossa-Senhora-do-
Carmo, capito Andr Guilherme Rreckenlicld,
carga farinha de mandioca c lastro. Pass'agero,
Vctor Jos de Alcntara, Brasileiro.
Rin-Grande-do-Sul ; brigue brasileiro Destino, capi-
to Jos da Silva Nevos, carga agn'ardenle e mais
gneros. Passageiros, Francisco Jos da Costa com
sua familia e 4 escravos a entregar.
3.* O pagamento do imposto da arremataban rea-
Msar-se-ha no fim das obras depois deltas recebidas
peto engenheiro director.
4' E presentes clausulas, seguir-se-ha inteiramente o
qucdispfip o legulamento Jas arrematacOes de 11 de
jullio de 1843.
Obra publicas, 14 de fevereiro de 1849.
/.
O engenheiro,
L. Vietor .ieutier.
0 lllm. Sr. inspector da thesonraria da fazen-
Ja provincial, cm virtude da resnluQo do tribunal
ad ministrativo, manila fazer publico que, pcranle
0 inesmo tribunal, vai nova Mente i praca para ser
arrematado a qucui mais der. no Jia I .'Me mu i
prximo futuro, 0 imposto Ja laxa Ja barreira Ja
estrada e ponte Ja Tararuna, avuliaJo nova mente
em 800,000 rs. por auno.
A arrematadlo ser feita por lempo de 2 anuos e
4 mezes, a contar do I de marco do corrento anno,
ao ultimo de junho de 1851.
As pessoas que se propozerem esta arremalaco
comparceam na sala das sessOes do sobredito tribu-
nal no ilia cima mencionado, aomeo-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E, para constar, se mandou aflixar o presente, e pu
blicar pelo Diario.
Secretaria da thesnuraria da fosan la provincial de
Peruambuco, 26 de fevereiro de 1849.
O 2. escriplurario,
Antonio lerreira d'Annunciacio.
O lllm. Sr. inspector da thesnuraria Ja (senda
provincial, cih virludede resoluco do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, nos dias
20, 21 e22 de marc,o prximo vindouro, ir a praca
pcranle o mesmo tribunal, para ser arrematado'a
quem por menos fizer, o empedramento du 400 bra-
cas correles nos 6., 7., 8." o 9.0 laucos da estrada
do Pn-d'Alho, Sb as clausulas espi cines abaixu
transcriptas, e pelo pceo de 3:400,000 rs. |
As pessoas quese propozerem a esta arrematadlo,
comparceam na saladas sesses do sobredito tribu-
nal nos dias cima indicados, pelo meio-dia, com-
petentemente habilitadas.
E pa'ii constar se mandou aflixar o presente, e pu-
blicar pelo Diario
Secretaria da thpsouraria da fazenda provincial de
Peruambuco, 17 de fevereiro de 1819.
O 2. escriturario,
Antonio ferreira d'Annunciacio.
CLAUSULAS ESPECIAES DA ARREMATACO.
Estrada do Pno-d'Alho.
Quatrocontas bracas correntcs de empedramento
nos 6., 7.", 8e 9.' laucos da estrada do Pod'Albo.
1.* O empedramento feito pelo syslema Mac-Adam
esecular-se pela forma, sb as condie,0os, o do iho-
do indicado no orea ment approvado em 8 de feve-
reiro corrente pelo Exm. Sr. presidente da provin-
cia, e pelo preco de 3:400,000 rs. ,
2.' Em todo ii lempo das obras o arrematante dar
um lino transito aos viandantes.
3.* As obras principiado no prazo de um mez, o
ababarn no de seis mezes, ambos contados em con-
fnrmidade do aitigo 10 do regulainento das arro-
lllal.iooos. '
4.' O pagamento do imposto da arremataco rea-
liser-se-ha em qualro prestacOes, do modo indica-
do no rl. 15 do reguhimenlu respectivo.
5." Para ludo o m*s que niio esta determinado
pelas prsenlos clausulas, seguir-se-ha inteiramente
o quedispeo regulamento das arrematacOes de 11
de jiilln.de 181 I.
Obras publicas, 14 Je evereiro de 1819.
O engenheiro,
J. L. Sictor Lievlier.
O lllm. Sr. inspector da thpsouraria da fazenda
provincial, em virtude da resoluc,8o do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, nos dias 20,
21 e 22 de marco prximo vindouro, ir a praca,
peranle o mesmo tribunal, para ser arrematado a
quem por menos fizer, o acabamento da segunda,
parle do 6. lauco da estrada do l'ao-d'Alho, Sb as
clausulas especiaea abaixo transcriptas, e pelo preco
Je 4:200,000 rs.
As pessoas que se propozerem a esta arrematarlo
comparceam na sala dassessOes Jo sobredito tribu-
nal nos dias cima indicados, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou anisar o presento, e pu-
blicar pelo Diario.
Secretaria da Ihnsouraria da fazenda provincial
do Peruambuco, 17 de fevereiro de 1849.
0 2. escriplurario,
Antonio Ferreira d'Annunciacao.
CLAUSULAS ESPECIAES DA ARREMATACO.
Estrada do l'o-d'Alho.
Ac lumen lo da segunJa parle do 6.' lonco.
1.' Os trahalbos e obras para o acabamento da 2.a
parle do ti." lauco da estrada do l'ao-d'Alho serilo
f.otos pela forma, sb as oondicOes, e do modo indi-
cado no ornamento approvado em 6 de fevereiro
corrente pelo Exm. Sr. presidente da provincia, pe-
lo preco de 4:200,000 rs.
2.a Em lodo o lempo das obras, o arrematante da-
r livie transito aos viandantes pelo lado esquerdo
da estrada.
3.* As obras principiarSo no prazo de um mez, e
acabarilo no do cinco mez.ps, ambos contados em
conformidade do art. 10 do rcgulamenlo das arre-
matacOes.
4.* O pagamento do importo da a-remaiac.lo rea-
lsar-se-ha em quatro prestacOes do modo indicado
no art. 15 do regulamento respectivo.
5.* Para ludo o mais que n.lo est delorminado
pela* presentes clausulas, seguir-se-ha inteiramente
oquodispOe o regulamento das arrematacOes de II
di-jnlho de 1843.
Obras publicas, 14 de fevereiro de 1849
O engenheiro,
J. L Vctor I.ieutier.
O arsenal de guerra compra azeilo de carrapain
o de coco lio de algodSo, pavios velas de carnau-
ba e de espermacrte : quem taes gneros quizer for-
necer comparecer na sala da directora do inesm
arsenal, no dia 28 do correlo, com sua proposta en,
caria fecha.
Arsenal do guerra, 26 de fevereiro da 1849.
O escriplurario,
F. Serano* de Assis Carialho,
Geral .
Diversas
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DIA 26.
provincias............
4:891,125
241,799
5:132,921
O lllm. Sr. inspector da thesnuraria da fazenda
provincial, em virtude da resoluc.lo do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, nos dias 20,
21 e 22 de marco prximo vindouro, ir praca pe-
ante o mesmo tribunal, para ser arrematado a quem
por menos.lizer o concert da ponte da Passagein-da-
magdalena, o das poulcstuhas da l'assagoiu e do Re-
medio, sb as clausulas especiaos ubaixo transcip-
lns, e pelo preco de 8*0,000 rs.
As pessoas quese propozerem esta arrematarlo,
compaiecam na sala das sesscs do sobredito tribu-
nal, nos dias cima indicados, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E para conslarse mandou aflixar o presente, e pu-
blicar pelo Diario.
Secretaria da tbesouraria da fazenda provincial de
Peruambuco, 17 de fevereiro de 1849.
O 2. escriplurario,
Antonio Ferreira d'Annmneiafdo.
PONTES E ARCOS.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade offlcial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Christo e ins-
pector da atfandega de I'ernambuco, por S. Al.
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que hoje, 27 do corrente, se hSo de arre-
matar em praca publica, a porta da meama, ao meio-
dia, 928 resinas de ceblas averiadas, contend I8M0
ceblas, avaliado, segundo a laxa, o cento a 800 rs ,
cuja arrematarlo sea feita a vista do genero e pelo
pi eco quo se olferecer, segundo o artigo 277 do re-
gulamento, sendo a meama livre de direilos ao ar-
rematante.
Alfandega, 26 de fevereiro de 1849.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
CURSO JURDICO.
De ordem Jo lllm. Sr. director dcsle curso jurdi-
co fago saber a quem convier, que do fim dtste an-
no por (liante os exames preparatorios Jas tres hn-
goas serilo fcilos indislinctamente, e sortes nos
livros seguidles :
LATIM
TitoLivio, Odesdo Horacio OracOcs de Cicero e
Eneida de Virgilio.
FRANCEZ
Telemaco c Fbulas de La Fontaine o Genio do
christianismo de Chateaubriand e as Satyras de
Boilcau
I.NGLEZ
o Vigario de Wakefield por Goldsmith o a Historia
romanado mesmo, as Estarces de Thonson e Para-
so perdido por Milln.
Secretaria d'academia jurdica de Olnda, 16 de
fevereiro de 1849.
Eduardo Soares de Albergara,
Secretario interino.
OBRAS MILITARES.
A directora das obras militares compra as ntadei-
ras segundes, sendo todas do conslrucciio :-para 0
quartel dos aprendiz? menores, 30 travs de 2
palmos de imprmenlo ; 2 ditas de 32 palmos de di-
to, todas com 8 polcgadas do largura o 7 de altura
5 ditas de 46 palmos de com prime uto, 1 dita Ue5
ditos de dito, sendo estas com 10 pollegadaa de lar-
gura e 9 de altura ; e 4encbnmcis de 36 palmos d*
comprimenlo.--para opaioldvplvora, notoria do
Buraco, 17 travs d 36 palmos Je comprimenlo
quem ti ver ds ditas msdeiras compareca'na obra
dos aprendizes menores, no da 97 do corrente, pelas
10 horas do di, para ajustar
Directora das obras militares na eidade do Rec-
fe, 24 de fevereiro de 184.
J. B. Ferreira d Arauyo,
Major director. \
Avisos maritimos.
Para o Maranhilo sabe, em poticos dias, o aiala
nscional San-Jos : anda pode receber alguma car-
ga miuda : os prctendentcs dirjam-se a ra da Ci-
iiia do Becife, n. 56.
Para o Assi segu no dia a8 do
cnrrenle o pntaclu' Suntu-Crtiz, capito
Joaquim Antonio Gonc^lves dos Sanios,
para carga e passageiros, trala-se ao la-
do do Corpo-Santo, loja de massames,
n. a5.
.-- Para o Ro-de-Janeiro sabe ,. com a maor bre-
vidade pnssivel, o brigue Visconde-de-Cetnam: pa-
ra o resto da carga escravos a frele e pavaageiros,
para oque temhons commodos, Ira la-so com No-
vaos A'Comranliia, qa ra co Trapiche, n, B4.
A baica Helia-l'ernumbucana sabe impreterivH-
menle para o Porto no Jia 8 de marco prximo : os
Srs. carregadores queirai levar quantos antes os co-
nhecimenlos casa do consignatario, Da ruada
Cruz, no Becifo, n. 34, terceiro andar.
Para o Aracaly segu com brevidade o hiate
Duoidoso : para carga e passageiros, Irata-se cora
Jos M. Ma i 'luis, ao lado do corpa-Santo, loja n. 25.
Para o Rio-Grande-do-Sul segu com. brevida-
de o briguo ero: recebe aJguma carga a frete :
quem pretender en te mi a-se com Leopol do Jos da
Costa Araujo, na ra da Moda, n. 7.
Segu viageia para o Rio-Grande-do-Sol o
bem condecido bcrgautm S.-Marit-Boa-Sorle: rece-
be escravos a frete e passageiros, e satura al o fim
do corrente mez :os prctendentcs drijam-se i rra-
ca do Conimercio a Tallar com o capito, ou ao es-
criptorio de Manoel Concalves da Silva, na ra da
Cadeia do Be-?ife.
Para o Porto sabe, com toda a brevidado por
ter a maior parte do seu carregamonlo prompta o
brigue portuguez Ventura-t'etit, do qual he capito
Zeferino Ventura dos Santos : para carga e passa-
geiros para o que tom excrllonles commodos, tra-
la-se com o capito ou com o seu consignatario ,
Joaquim Ferreira Mendes Cuimanes, na ra da
Cruz, n. 49.
Para Lisboa sabe, coma maior brevidade, por
lera maior parto de sua carga prompta o briguo
poituguez S.- Domingos capito Manoel Gnncalves
vanos: quem no mesmo quizer carregar, ou ir da
passagein para o que lem excellenles commodos,
dirija-se ao referido capito ou ao seu consignata-
rio Joaquim Ferreira Mendes Guimares, na ra da
Cruz, n. 49
-- Para o Rio-de-Janeiro sahe com muita brevi-
dade, por ter parte de sua carga prompta o patacho
nscional Euterpe : para o rstanle da carga escra-
vos a freleepassagoiros, para o que tem excellen-
les commodos, trata-su com Luiz Jos de S Araujo,
ua ra da Cruz, n. 33.
JLeilo.
Iteclarayoes.
Concertos da ponte da Passagem-da-Magdalena,
e das pontesiiihas da Passagem c do Remedio.
Clausulas etpeciaes da arrematado.
1." Os concertos da ponte da Passagem-da-Magda-
lena, odas piiniosiiihas da Passagem e do Remedio,
soro feltos do modo indicado noorcamonto appro-
vado polo Exm. Sr. presidente da provincia, na im-
portancia de 880,000 rs.
2.' As obras principiaro no prazo de qulnze dias,
e terminarflo no de dous mezes, ambos contados
em conformidade do art. 15 do regulamento das ar-
rematacOes.
De ordem do lllm. Sr. inspector se faz publicoque
poresla thesouroria tem dse afretar urna embarcarlo
paia conduzir do porto da cdade do Rn-Grande-do-
iNorte para a de Londres a porco de pao-brasil que
ali se acha prompta : aquellos que se prqpozerem ao
dilo afreta ment dirjam-se mesma thesouraria em
o dia terca-feira, 27 do correnlo, pela volta-do meio-
dia, alim de se tratar do mencionado ajuste. Secre-
taria da thesouraria de fazenda de Peruambuco, 23
de fevereiro de 1849.
No impedimento do oflicial-maior
Oofficial da secretaria
Antonio Luis, do Amoral e Silva.
Pela segunda seccilo do consulado provincial
se faz publico que o prazo de 6 mezes concedidos
pela le provincial n. 228, de 2 de setembro Jo anno
prximo passado, para o pagamento de meias si/as
dos escravos, que se estiverem a dever, se linalsa
no dia 5 dcmaico prximo vindouro: em conse-
quencia, pois, desse dia em .liante no se receber
nicia siza, que, vista do papel de venda, se quei-
ra pagar 30 dias posteiiores a sua data, em enjo caso
(cara subjelo ao art. 17 do regulamonto de 11 de
abril de 1842. Segunda secco do consulado pio-
vincial, 15 de fevereiro de 1848.
O escrivo chefe da segunda secco, "
TKtodoro Machado Freir Futir ta Silva.
O corretor Oliveira far leilo, por ordem e em
presenca do Sr. cnsul da Francs, de 5 cairos de qua-
lro rodas, 1 cabrio! el de 2ditas, dlTerenles madei-
ras e ferrageus para conalrucco de carros, filas pa-
ra forros e lvellas paraarreios desles, tuna porcao
de lo I lia d'aco, ferra menta para ferreiro ecarpintei-
ro,e varas rodas veliias,.ludo perleneenleao esta-
belecimeuto decarros dealuguel, na ra Nova, do
fallecido Augusto Jaussome, subdito francs : quin-
la-feira, l.'de marco, as 10 horas da manha.
Avisos diversos.
A corporaco da armada nacional e im-
perial pretende fazer celebrar no dia 9 de
marco, pelas 9 lloras da manha, exequias
solemnes pelo repouso eterno das almas
dosseus camsradas que terminaran) glo-
riosamente sua existencia no memoravel
combale de 2 do corrente mes.
A ceremonia lera lugar na igreja matriz
de San-Frei-Pcdro-Goncalves, fazendo S.
Exc. Bviii.* o Sr. bispo diocesano a honra
de pontificar, e sendo prgador o reverendo
padre mestre Fr. Joo Capistrano do Men-
donca.
A corporaco da armada convida aoaseus
amigse afficoados para asssti ruin a es-
te co Je randaje e icligio ; e swd*des-
culpa a aquellos que por descuido tenham
doixado do ser convidados por caria espe-
cial.
A irmandade do SS. Sacramento da dita
matriz fez o obsequio da dispensar algu-
ma s das suas tribunas para as familias que
quizerem a*sislir.
Ret fe, 26 de fevereiro do 18 49.________
Antonio Duarte de Oliveira Reg embarca para
o Rio-de-Janeiro o seu escravo de no me Luiz.


.

-
OSr. Podro Aluller, morador na Var?o, queir
apparecor, quanto antes, na venda da ra da Cadeia,
do llecife, n. as, defronte do Hecco-I.argo, para con-
cluir corto negocio.
-- Manoel Soaros da Cruz, subdito portuguez, re-
tira-se para fra do imperio
Juaqnim Scabra, subdito portuguez, retira-so
para fra do imperio.
Antonio dos Santo Moreira, subdito portuguez,
retira-se para fra do imperio.
Manoel Seabr* di Conceigao, subdito portuguez,'
relira-se para fra do imperio.
Antonio Fernandos, subdito portuguez, retira-
se para fra do imperio.
Aviso iiiteiessanleaossenhores
de engenhos.
'ende-.oe um alambiq.ie de distilaco
continua, do syslema de Dcrosnc, o
iniii bem acabado que aqu (em vinilo,
conleudo, alm dos uccessorios do cos li-
me, urna nova.peca de segur-anca, cujo
inelliorainento, inlroduzido ultimameate
neste apparlho, o habilita para dislilacao
de espicho de 36 a 4o graos, pelo mesmo
nietbodo dccontiniiidadc, corno o de (lis
tilacSo de agoardenle. Estes alambi-
ques sito de muita vantagem aos senlio-
res de engenhos,-porque, alm da eco-
noma de coiiibustivrI, boa qualidade do
producto, dispensa d'agoa para dislilacao
dVgoardente, podem, segundo a conve-
niencia, distilar agoardenle on espirito ;
o que deve merecer alteoco daquelletj
Senborea que possuem engenhos mais
distantes desta praca, cujos (Vetes para
o mercado militas vezes excedem de urna
terca parle do producto d'agoar Jnte, pelo
que milito Ihes convert redil zir a espirito
loda a agoardentc que produzirem, pois
que assim, nao so economisjm metade
dos fretes que teriam de pagar pela ago-
ardenle, mais lambem lucrain a difieren
ca do preco do espirito, que sempre be su-
periora centoda totalidade d'agoardcnte
queoprodnz. Algumasoutras vantagens
possue este apparlho, que vista se ina-
nil'estarao ; bem como se darSo os mais
esclarecimentos precisos : na ra de San-
ta-Rila, n. 85.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra do
Caldeireiro quem o pretender, dirija-se ao pateo
do Carmo, sobrado n. 9.
OlTerece-se urna mulhnr jiara ama de casa : quem
do seo prestlmo se quizer ufillsar, dirija-se a ra do
Padre-Florianno, n. 43, o virar .dos Agouguinhoa,
que achara com quem tratar.
lTerece-se una ama para todo o servico do ca-
sa, menos de ra : quem precisar, diriju-sea ra da
Gloria, n. 21.
Precisa-n da um caixeiro para venda, que to-
nha pralica o d fiadora sua conduela, para tomar
conla de urna por bataneo quem quizer annuncie.
--Quem annunciou querer comprar urna murada
de casa na Ba-Vista, querco lo urna defronle do
inspector da alfendega, annuncie, pois lio inuilo
boa, e vendo-se por seu dono ler de relirar-se.
Precisa-se fallar coin o Sr. Jolo Jos de Goveia,
uu com pessoa que Ihe diga respeilo : annuncie,Bou
dirija-se a ra das Cruzo*, n. 30.
Iloje desembarca na escadinha da alfandega fa-
rinha de mandioca om palenos, e vender-sc-ba por
commodo picgo, regulando cada paueiio -por meia
sacca.
A arrematado das II barricas com milito alpis-
la, annunciada para o dia 26 do enrenlo, licou
transferida para hoje, 97.
O abaixo assignado participa com todo o devi-
do respeilo aos.seus credores, que se dignen com-
parecer na sua renda, sita'na tr.vcssa do Dique,
n 21. hojo, 27 de fevereiro, Is 4 lloras da tarde, pa-
ra o flm de Ibes demonstrar o estado actual do seu
negocio, e o motivo do nao poder faer de prompto,
segundo as circtimslancia* que apresentar, os pa-
gamento* : islo por ja se adiar citado por um dos
seu* ditos credores. Jos dos Sanios Souia.
Aluga-se ou rndese, mesmo a prazo com fir-
mas a contento, um sitio de torras proprias, muilo
grande, em Uebcribe, o qual lem pasto part susten-
to de mais ile 40 vaccas, e boas Ierras para toda plun-
tacilo : quem o pretender, falle com Manoel Antonio
da Silva Mctta, na ra da Cruz, n. 32, que far qual-
quer negocio.
O solicitador da fazenda provincial Ca publi-
co que, pelo julzo da segunda vara do civel desta ci-
dade, eslcrivuo Cunta no dia 28 do correte, ao
meio-di* na tala das audiencias, elude arrema-
tar urna casa mci'igoa u 5 na Cabanga avaliada
om 150,000 rs., penhora la a los Quareima Branco.
Pelo mesmo juizo e as mesmas horas escrivflo San-
ls aba de ai rematar a renda do sobrado do ou,
andar aito na ra fireita, n 58, avahado em 280,000
ja., pertcnccnlc a Jos Ignacio Soares de Macedo,
tud por eiecuco da mesma fazenda.
-- lloje, 27docorreiUo na sala das audiencias,
peante o lllm. ,Sr. Ir. joiz do civel da primoira va-
ra se lijo learrematar uus predios penhorados ao
casal do finado Joilo da Silva Santos por execugilo
da mus credores, e boa assim alguns escravos pe-
nlioradosa v:uva e n*rJeiros de Joa de Oliveira ,
"oroxecucflodeLiiizJose da Costa A mor me Jos
odrigucs Perelra : ludo por ser a ullima praga.
' -. Manoel Congalve Ja Silva eml a-ca paru o Rio-
de-Janetro o escravo F.sterom.
-- Antonio Congalve* Upes Moreira, subdito por-
tuguez relira-separa fra do imperio.
Desconla-se urna letira daquanlia de 2:127 640
rs. quo se ha de vencer om 30 do deze.nbro do 'cor-
lente auno, enm tres firmas muilo acreditadas, o
alm deltas nao se duvidadar o Jiras que a gara niara:
-8 cale negocio por ha ver urgente necessidade:
em quizer saber quaes silo as firmas nclla assig-
dea, para as indagare poder negociar, dirija-se
pateo do Carato, sobrado n. 18.
Na ra doQueimado, loja n. 13 se dir quem
vende 12 acetos da eompaubia do Uebonbe.
Na ra da Cadeia do Recife n. 16, loja inglez*
dealfaiate, de Joio Donnelly existe om sortimen-
to de palitos le liulio puro, vinlos de Inglaterra,
pelo diminuto preco de 3,200 rs. cada um o oulras
umitas obras de pannos lino-, sedas, etc., que se
vonderfio por preco mais barato possivcl.
Aluga-se um sobrado com escolente* commo-
dns no sitio grande da Soledade, do Sr. Ilercula-
uo Alvos da Silva ; a tratar no mesmo sobrado.
--Precisa-se de um caixeiro para venda, que te-
nha ou nao pralica e que d fiador a sua conducta :
nos Qatro-Cantos da Boa-Vista, n. 95.
Arronda-seo engonho llha-da-I.iberdade dis-
tante desta praca 9 legoas, na freguezia da Rscada.
0 rendeiro que nelle se acha vende a safra fundada,
alguns bois, destilacio com alambique de cobre e
cubos para garapas e tanque bastante grande: a tra-
tar no mesmo engonho.
Precisa-se de urna ama preta ou parda, para
casa eslrangeirndo pouca familia, quo entenda bem
deenzommaroflzero mais necessariode urna casa :
adverte-se que n&o precisado cozinbar : na ra da
Cruz, armazem n. 48.
I.uiz Moreira da Silva Pinto retira-se para fra
da provincia.
Francisco Jos-Silveira embarca para o Rio-de-
Janeiro o escravo Vicente.
-- Jos Moreira da Costa Maya retira-se para fra
do imperio.
Jos Baplista Ribeiro de Faria embarca para o
Ri-Crande-do-Sul o seu escravo Manoel de na-
c! o Cacan ge.'
Precisa-se alugar monsalmonle um* canoa que
leve mais de mil lijlos : na ra das Larangoiras ,
n. 18.
Precisa-sede urna ama para o servico interno
do urna casa de pouca familia : no pateo do Carmo,
n. 1H, segundo andar.
Precisa-se contratar o fornecimento diario de
capim para alguns cavados trazido porta : quem
a islo so propozer, dirija-sc ra do Hospicio, u. 9.
Deposito da Estrella.
Ra Nova, n. 56.
Avisa-se ao publico e as pessoas que sabem apre-
ciar a deliciosa fumaca, que este rsiabelecimenlo so
acha sortido das melhores qualidade* de charutos
que existem no mercado, lano pela sua manufactu-
ra, como pela qualidade do fumo, que a vista do
comprador se faro patentes as qualidade*.
Em dias da semana pallada perdeu-se, da So-
lodadeat a Passngom-da-Magdalena, urna charulci-
ra de couro, bordada com perolas : quum a Uvera-
diado, podera reslitui-la na ra da Cruz, n. 55, que
ser gratificado com o valor da dita'cbarutoira.
Delinque Aclour retira-se para o Itio-de-Ja-
nciro.
Prccisi-se de um ofllcial deoleiro, que saiba
fazer loda a qualidade de obra de barro, como seja :
potes, jarras e o mais que se segu: na entrada da
ra do Rangel, n. 7.
mm
O bacharel formado em malhematicas, HK
Bernardo Pereira do Carmo, tem aberto |
um curso da* seguintes disciplinas: aii- 'J||
tbmelica, algebra, geometra, Irignoine- ^3
tria reclilinoa : aquellos' Sr*. que o quize- U
rem frequentar, dirijam-se ra larga do
Rozario, n. 12, segundo andar.
i
Oabaixo assignado retira-se para fra do impe-
rio e se alguum se julgar seu credor aprsenlo sua
conla na ra da Prnia n. 50.
Alonio do llego de Mello Pimenl.
Quem precisar do urna ama para o servico Inter-
no de urna casa de pouca familia, dirija-se ra
Augusta, n. 5.
-- O abaixo assignado fol, nomoado curador, pelo
juizo dos orplios, do Sr. padre Alexandro Bernar-
dino dos ltoi.4 eseacha na adiniiislrac.'o dos beus
do sou curado, o que faz publico para que quem
tiver negocio* com o referido Sr. padre nao os possa
tratar com elle ou outra qualquor pesson quo nfiu
aja o mesmo abaixo assigna I", srtb pena le nulli-
dade. Antonio Manoel de lorats da Mesquita l'i-
nunlel
OsSrs. assignanles da Lisia Potica queiram
ler a bondado do mandar recebero rosto dos n-
meros quu Ihes fallam do tereeiro volnmo refor-
mar as mas asignaturas para o quarlo volunte,
c receber j os m. I a 3 na ra da Cadeia do Ro-
cife, loja de Joo da Cuuha Magallules.

Aula de prime iras lettras.
Kosinam-so meninas a ler, escrever, contar, gram-
matica porlogueza costura, lavariulo ,. bordar do
todas as qualidades de seda o mal i/es, tudo com
perfeiclo : lambem se cnsinam meninos a 2,000 rs
mensaes : na ra da Cadeia de S -Antonio segundo
ailar do sobrado da esquina do becco do Ouvidor.
-- Manoel Pereira de Castro embarca para os por-
tal do su I a sua escrava Tliereza, do Angola
-- Aluga-se um silio na estrada do Kozarinho do-
fronte do sitio do fallecido Manoel Jos do Alnioida,
om bastiles frutoiras : quem o pretender, dirija-so
4 ra Augusta, n. 36.
= Furtaram do ongcnho Caluanda, ficguezia de
S.-l.nurenco-da-Matla, ni. dia li.le fevereiro do au-
no de 49, um cavallo cm os seguintes signaos e
ferro : casianIm amarello, bom tamaullo o grossura ,
teui a sarnelha muito alta, urna grande estrella na
testa, urna mo branca : possun um carrego curto o
Obrigado, bota a dina a dircita, e tem a idade do 6 a
7 annos: quem d'ello dor noticia corla, ou o trouxer
ao dito eugenbo, ser bem recompensado.
Desencatninhou-se do corroio urna carta, viuda
do Rio-de-Janeiro em setembro do auno passado
para I.uiz Borges de Cerqueira. Ruga so, poitanto,
a pessoa que por engao a lenha lirado a queira
restituir na ra do Vigario, n. 5, visto que nada pode
interes*ara pessoa quo a tenha.
-- O padro Leonardo A ni unos Mena llcnriques cn-
sina partcularmonte theologia om casa do sua re-
sidencia, no hospital do Paraizo.
~ A pessoa que souber, ou liverque dizer olguma
cousa respeilo ao prjcedimento do abaixo assigna-
do, annuncie por estafolha dentro do prazo do oilo
dia* sem excopeflo de praticado algum sb pena ,
porm, de jusiilica'co e responsalulidade. Anto-
nio Evaritlo da Itocha, proprielario do eugenbo ni-
vero, na rieguezia de Agoa-Prota.
. ~ 9 baclwrtl Jos Antonio de I igwirtdo entina pAi-
loiophia e geometra em caa de tua residencia, na ra
larga do Hozarlo, n. 30, primevo andar.
Antonio do Reg, sublido purluguez, retin-se
para Tora do imperio.
An-Plirii rlp ifKii \>M\vln .!-,-I1CI.1 (le p.l.SS ip()l l S. muito manso, da casa da ra da Aurora, n. -6 : quem
Na ruado Collrgin, n. tn, o no Aterro-Ja-Boa-Vis-'o aehou. querondo estitui-lo, lve-o a roeatna casa,
que recebera 10,000 ta. do gratilicaco.
ta lojas ns. 48 o 78, conlinuam-se a tirar passaptjr-
tcs, tanto para donlro como para fra do imperio,
assim como despacham-se escravos, tudo com bre-
vidade.
? ?
A N" galera de daguerrolypo (o artista Ouilher- #
? me Fredericu Walter. na ruadaCadcia.de 8.- <>
Antonio, n. 26, tereeiro andar Viram so reir- !P^
tos muito superiores,pela iirvanco de llaguer-
9> rer. tanto em fumo como coloridos, das 7 Q
? horas da manhSa s5da lirile; afiirmnndo-se J^
A e garantindo-se f tanto a durabilidado das c-
res, como a porfeita semelhnnca.
^ As pessoas que se dignaren) favorec-lo iliri- Wt
% jam-sc casa cima mencionada.
? N. B. Adverte-*e ao respeitavel publico que
<> tem urna machina para lirar retratos das -^
? ruancas no espado de 15 segundos, o tero lu-
% gr.r das 10 lloras s duas da larde.
O coronel Bento Jos l.omenha l.ins faz constar
quem convierque osla disposto a voudur ou faznr
qualquer negocio sobre os bens e terrenos sitos na
treguozia de lina, comarca do Rio-Formoso, quo
tocaram porhcraiiQ.-i de seu finado sogro, o marque?,
do Recifo, dando preferencia aos rendoiros quo esto
no gozo dos d iios bens. Sao cites os seguintes : a po-
voaclo do Abren rom todos os sitios e terrenos an-
nexos, os engenhos Manguinho, Agoa-Frll, Po-For-
ro, metade do engonho Bom-Jardiin o do nutro* que
so Icvanlaram as mesmas trras, a propriedado C.n-
meleira. melado da propriedade San-Jos-da-Cora-
randee metade das Ierras da povonpo dos Barrei-
ros. Tambcm se negocia o bem conhecido engenho
Jurissara, silo as varzeas do Cabo, moente corrente,
com escravos, bois e lulo o que Ihe perteucc. A cTui-
tratarcom o mencionado coronel nesta prac,a, na
ra do Sove.
Precisa-so do urna pesson capaz para servir
de ama om urna casa do pouca familia para lodo o
servido de portas a dentro : na ra Nova, n. 41.
Tendo-se entregado no dia 30 do Janeiro um
buril de maiiteigii com n marca diamante (I, n. 38 e
com o peso do 2 arrobas e 21 libras a um preto ga-
nhador e conhecido, para entregar na casa de paito
Hotel-Francisco acontece que esle nao receben o
dilo barril; o, como noapparccii por ora o dito pre-
to pedo-se a'qualquer pessoa que recebesso lito
barril por engao ou souberonde ello csteja, diri-
ja-se ao arniazein n. 7, no caos ta Alfan lega ou na
ra ila Praia sobrado n. 39, e islo antes quu o
prelo appareca para dizer ondo cutregnu.
I). J. II. do Oliveira embaica para o Rio-de-Ja-
neiro a preta A Iriana, crioula.
Bernardiuo Pinto retira-se para o Rio-dc-Ja-
neiro.
Cincinato Mavigniei, rclratista, faz saber ao res-
peitavel publico que tom receblo sempre grande
porc.no de tintas linas, niarfim'para menialura, e que
contina a desempenhar as obrigagOesdeseu minis-
terio ; assim como pedo encarecidamente a todas
aquellas pessoas que teem retratos em sua cosa lia
mais de o mezes quciiam ler a bandado do os i
buscar k.eqaie espera ser nttendido na travessa do
Carmo, n. 10, segundo andar.
Avisa-se ao respeitavel publico que ha sermo
quaresmal lodos os su libados, das 6 s 7 horas da lar-
de na groja de N. S da Concedan dos militaros,
sendo pregador o muilo reverendo Sr. padre ni esto
pregador imperial Fr. Joflo Capristano do Mendonca.
--Manoel Antonio Vivir retira-so para fra do
imperio com sua familia.
DENTISTA.
M. S. Mawson, cirurgio dentista, tondo-se de re-
tirar breve pura IngUtorra, ofTerecBOieu preslimo
ao respeitavel publico desta cidade, durante o curl
espaco de tempoque ainda lem de se demorar, em
inmuto arranja o preparativos de sua viagein ; ad-
verlin loque sera Incamival em servir bem a todas
as pessoas que se quizerem uliliiar de sua arle, que
fara a lempo, e lambem rom commodldade nos pic-
eos ; pdeni-o procurar em rasa do sua residencia,
na ra Nova, n. 21, 1 andar.
100,000 icis do gratilicaco a quem descubrir
dous escravos follados do lelheiro da rostllbCflo di-
Franca & IrinfiO. na praia de S.-Rila, na nnilo de
quarla-feira 21 do coi rento fevoreiro, ambos de na-
cilo llcngucla, e Hielo bucaes, cun os seguintes si-
naes : Manoel, alio, magro, roslo redondo e peque-
no, aralegic, ps e milos pequeos, cniellas finas,
representa 25 anuos de idade, levou vestido camisa
e calca de riscado dealgodo/inho, fui vaccinado lia
poucs dias; e Joo, lambem alio, porm menos
quo o ouiro, grossura do corpo correspondente lia
altura, rollo sobre o comprido, l*sla largaearram-
pada, ps grandes, lorno/elos inchadus, vcnlre
bastante sllenle, falla um | ouco anhosa, repre-
senta 35 anuos de idade; lambem foi vaccinado ha
poneos dias, levou vestido camisa de algodOozilillO
riscado c caiga do algodo azul: quem os appre-
licoilcr, ou delles dr noticia ceda, recebara 100/
ris de gratificarlo, na ruu de S -Hita, n. 85.
Precisa-se do um auassador para j adaria que
entenda bem de amassar : na ra Kireita n. 09 ou
napadaria dos Al'ogadus.
Lotera do Iheatro publico.
NHo obstante I morosidade que lem liavido na ven-
da dos bilhetes da ullima torga parte da 18.' lotera,
loda-via o Ihcsoureiro, desejoso de fazer andar as i es-
peclivas rodas o mais breve possivel, convida ero-
ga aos amadores deste jogo quo so apiessem a com-
prar o resto dos bilhetes quo existem.
--No pateo da matriz do S -Antonio, sobrado II.
4, liram-ie paasapoitei para dentro e fo a do impe-
rio assim como [.ara escravos e coircni-se tullas,
ppj-prego Com modo.
Iiesencamiuharam-se, da livraria ingleza doui
volumes deuma obra ingleza intituladalio Israel s
Curioiities of l.ilcraturo : quem levar os dito* a
lojt do Sr. Joo Carrnll na praca do Corpu-Saiilo ,
recebera a gralilirugo de cinco mil rs.
Aluga-se a venda da esquina da ra do Callei-
roiro com aruiago para mulliados por mdico
aluguel a qual he oplima para quom quizer princi-
piar : na praca da Independencia, livraria ns 6 o 8.
Fr- Jou Capistrano do Mendonca professor de
geographiao historia do lycou desta cidade, lem
aboi to no convenio doS Antonio as aulas seguintes:
de philosophia rheloric, googruphia, historia o
historia sagrada e ecclesiastica : as pessoas que as
quizerem frequentar o podero procurar no men-
ciouado couveuto, qualquer hura.
CH A PEO* DESOL
Ra do Passeio, n. 5.
OU! que peiincha para o amavel e respeilavel pu-
blico : novas se,las da molhor qualidade quo sup-
de fabricar, por sirem de iocommenda oda melhor
fabrica de Frange, receladas agora.
O rabricantedeslo cstabeleeimento advorto ao res-
peitavel publico desta cidade qu elle possue pre-
sentemente um rico sorlimerito de chapeos de sol,
assim como chapeos do sol do so.la furta-ertres, dos
mais ricos que teein apparecido nosto mercado, e do
Cres conhecidas ; ditos para seuhuras de bom tom,
adamascados, lavrados, rom suas competentes fran-
jas do relroz, ludo que tem de n ais moderno n do
melhor goslo ; um completo sortimento de chapeos
do sol du pauninho do todas as cores o de todos os
tamaitos, para homens, seohoras o meninos : ha
tamhein igual sortimento de far.endas para cobrir ar-
magos, lano de sedas do cores, como de panuinhos
trancados0 lisoa imitando seda. Adverte-se que os
freguezei ler&o lervidoi com breviilade, eso achi-
ran salisfeilos da lina qualidade, do bou) goslo c do
bom prego.
Ml'HANCA.
D, YV.*Raynon, cirurgiAo dentista participa ao
respeitavel publico que mudou a sou residencia da
ra da Cadeia de S.-Antonio para a ra do Triniehe-
N'ovo n 11, do b iiro do liecifo lerceiro andar,
sonde coulina a calcar o por denles artificiaos o as
mais obras de sua profisiSo-
i
% Primcirn consultorio gratuito para os ponos
&! na ra da Cadeia de S.-Antonio, n 22, dirigi-
do peloSr. J. It. Caa ora mlico fnncez.
Este consultorio estira aberto de.ide as 9 lio-
ris da mandila al as 4 da lardo. recbenlo consultas < remedios gialuitauen- *b)
le: apreseiiiaudo um i.ttesiado do pobreza de *
seos vigario*, ou mesmo do ouiro qualquer <*
sacerdote. *
llomocopatliia.

?
>
3
>
Quem precisar de um cont do ris a premio so-
bre Irypollieea e icguranca em predios nesta prega ,
livics'o desembaragadm, diriji-se a roa Nova, n.
14, segundo andar, que se dir quem da.
Compras.
Compra-so ouro c prata : na roa do Queimado,
n. 14, segundo andar. a mosma casa vende-so, pa-
ra liquilaefloe por lodo o pr-go sarjado sola lisa
e tarrada para vestido, dita de cores para rasa mon-
tos los pretos chales do sola o uutras minias fa-
zendas.
Compra-so urna esrrava moga com habilida-
des, principalmente de cozinha o ongommado, prc-
ferindo-se recolliidu : paga-so bem na praca do
Commercio n. 2, primeiro andar.
Compra-se urna moda Ma de S.-llenlo-de-Avi/. :
un praca da Boa-Vista, venda n, 1:1
Vendas.
Lotera (lo IIo-de-Janeiro.
Ads WiOOOgOOO \o ris.
.Na loja da praca da Independencia, n 37, acaba do
chegir um novo sorlimenlo meios bilhetes, quar-
los, O la vos o vigsimos da lotera do Mio-de-Ja-
noiro, concedida a beneficio da casa da Misericor-
dia da corle. Na mesilla loja so mustia a lista da lo-
teria panada o .-e trocam os bilhetes premiados.
Vende so a vcnluicirn e milito su-
perior farnlia SSSF a retalho c em por-
efies ; (lilas Vigario, arinazeiii de Francisco Alvos da
t'unhs, n. ii.
Vende-so uml barretina completa, um lalimo
canana, nina banda de la, um par de pl.tinis : tu-
llo em muilo bom ns' e proprio para oltlial ou Ofll-
cial inferior de guarda nacional, o por prego com-
modo : na ra da Cadeia-Velha, loja dealfaiate, n.
l, *e achara com quem tratar.
Yende-se sola de lustro: na roa da Alfandega-
Vellia, u. 50, armazeui de C. J. Astley.
-- Vendom-se eassai brancas e do cores, a 320 rs.
a vara ; ditas cscuraa, linas, a ">no is.; ganga azul,
a 80 rs o eovado ; sarja hespanbola verdadoira o su
poiiora lodas quinto teem viudo a rsic mercado,
por i reco commodo; o oulras mditai fazenda* -. na
ra do Queimado, n. 47.
M'iuic-seuma lenda do marceneiro, por prego
commodo : na ra das Cruzes, u 10.
Vendeni-socordal de lri,.a e bordOes para vio-
lo, papel pintado pira msica tudo de superior
qualidade O por prego maiscom nodo do que em un-
ir qualquer parlo, tanto en porgan como a retJ-
"io :*queui preteinler annuncie.
Vende-so um Intuito 6*vall i ri/.ilbo an la de
baiso-a nielo baalinte grande, manso, eqnolio
proprio para senhora : na ra oslroila do Itozuno,
n 30, segundo andar.
-Vendem-se 3 fortes pimos,eliegado* pelo ultimo
navio rrancoz de mullo boas roze* superiores as
dooulio qualquer que lonba apparecido, ede novo
modello que uo deixraflo do agradar no eonipr.....>r;
charutos de llava.ia, por prego mais commodo doque
em nutra qualquer sarta; u u completo soitmenlo
do instrumentos de msica, tanto de metal como
dc.na.loi... ; bustos do gesso representando multo
licliiienio a raini.a Victoria e o principo Alberto;
rclo-iosdoouroo de piala chegados ulliniamoulu
da Suiasa. Ea'ea relogios que silo muilo bem aca-
bados .so lornaoi moito recommendavei* a qual-
quer particular, e Hdvorlo-so quo ha entre ellos
alguns quo aiidam oilo dias sem precisarem do cor-
da : ua ra da Cruz, no Recito, n. 55.




--i pailaria da ra da fiis., no Rccife havor
iodos i i das a venda o novo t fio de Provenga fa-
nrica.., poroulro modo que o actual e da melhor
larinh que lia no morcado : vir este motivo nao sp
pode lazar senfio a 4(1, no e 1.... rs.
\.ule-sea venda da roa lio Apollo, n.21, com
poucos undos: quem a prete.. Jer, dirija-se a ra da
Sladre-cle-Ueos, Iratar com Vicente Ferreira da
Cosa.
T Venaem"8e barriquinhas com cal virgem de
Lisboa inuto nova; fechaduras para portas de
armazem ; retroz do Porto : barra com alcatrflo da
Sueciu ; por prego commodo : na ra do Vgario ,
n. II, annazcm de Francisco Alvesda Cunha.
Vendem-se taboas america
as al 5 palmos de largura
e de todos os comprmcntos.quo ha nniilolempo nlo
tcem vndo e os freguezes experimentando a falla
desla excedente qualidade. A ellas que sfio poucas e
o prego he barato. Atrs do theatro, armazcm jun-
to a maro, de Joaquim Lopes de Almeida.
Vende-se um escravo por prego muito com-
modo e que he ptimo para trabalhar cm um sitio
e tratar de vaccas por eslar acoslumado a isso : na
ra do Passeio, loja n. 19.
Yendein-se taboas de pinlio no
Forte-do-Mallos armazeni do Vianna c
no armazcm do Machado, na ra de
Apollo, junto ao porto vellio das canoas,
o os inclhores prancbOcs, costados, cosUdinhos e la-
boaa de todas as grossuras e comprmenlos por to-
do o prego.
Vende-se a venda n. 60 da I'assagem-da-.Magda-
lena ra que lica anles de chogara estrada nova,
com pitucos fundse muito afreguezada cujo alu-
gucl be muito barato : a tralar na mesina venda.
Aos amantes da boa pilada
se offerecoo rap Novo-Lisha no seu deposito da
ra 1 r ;:.i do Rozario, n. 24.
-- Vende-se superior doce de caj, om porefio o a
retadlo a 320 rs. a libra : no rucolhimenlo da Con-
ceigiio, em Olinda.
ESTAO'-SF. ACABANDO.
Vendem-se charutos da Baha, de S.-Flix e su-
perfinos, a2,000e 3,000 rs. a caixa na ra Nova,
n. 25.
Venile-se farinha do mandioca, muito superior,
por prego commo lo : a bordo da escuna i' -Cruz, an-
corada cm frente do trapiche do algodo.
So Atei ro-da-da-Boa Vista,
defronte da boneea ,
lia rhpgado um novo e completo sorlimento de cal-
gado francez de todas asqualidaiies lano para ho-
rnero como para senhora e meninas ; bem como os
lioin condecidos tpalos do Aracaly para homcm ,
por prego commodo.
~ Vende-se una flauta una corrente para relo-
pio um gamSo com pedras de marim : na ra lar-
ga do Kozario, n. 24.
Vende-se urna prelacrioula de 1 o anuos : na
ra da Praia, n. 45, segundo andar, se dirlo as habi-
idadeseo motivo por queso vende.
Vende-se um bonito pardo de 16 annos, pro-
pro para pagem ; urna preta do mcia idade, por pre-
go commodo; duas pretal de 18 a 20 anuos, com
habilidades; uin molcque do uagfo : no palco da
matriz do S.-Antonio, sobrado n. 4, se dir quem
vende.
Vende-so orna escrava de nagilo, moga: ao
comprador se dir o motivo por quo so vende: na
ra da Cadeia do Itecife, escriptono do corretor Oli-
veira.
Vende-se farinha de muito superior qualidade,
por prego commodo : bordo do patacho 6'oneeicdo,
tundeado no caes do Collegio.
mercado, cm .azilo de se poder envernizar cm qual-
jner obra por nlo ler nos e ser muito alvo sen-
o costado, cnsiadinho, ass'onlho, forr e para fun-
dos de barricas : vende-se a prego que o comprador
ara lo io o negocio": .atrs do thealro, armazem de
oaquim Lopes de Almeida.
Vende-se a verdadeira potassa da
lussia, desembarcada hontem, por pre-
co Mutilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
:i. 17, e ra da Cadeia, n. 34.
fadeira de pinho.
Na ra de Appollo, pegado ao armazem do Sr.
Molla, ha um novo armazem com madeira' do pi-
nho da melhor qualidade que tem vindoaeste mer-
cado o serrado de todas as grossuras e comprinen-
tos : vende-se pelo menor prego que ho pnssivel.
Vende-se vinho do Porto, muito superior, e
de oulras qualidades em barris de quarlo, quinto,
culo, stimo oitavo e em pipas, por prego muito
commodo : na ra do Vigario, armazem de Fran-
cisco Alves da Cunha, n. II.
lgodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
liahia ,
muito proprio para saceos do assucar e roupa de es-
cravos: vende-se em casa de N. O. Biobcr & Com-
panliia na ra da Cruz, n. 4.
CIIA'BRASILEIRO. '
Vende-se.ou armazem de molhados atrs do
Corpo-Sanlo n. 66, o mais excedente cha produzi-
do em S. -Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por prego muito commodo.
Presuntos.
Vendcm-se superiores presuntos inglezcs para
fiambro chegados no ultimo navio: no armazcm
do Uraguez ao |> do arco da Concoig.to.
PRELO EM SACCAS I)F. 90 LUIRS :
Farelo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes, a 3,30o
rs., ditas pequeas a 2,800 rs : no armazcm de J.
J. Tasso Jnior, na 1 ua do Aniorim, n. 3.
Potassa.
Desembarco" ha poucos das urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acbam venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se venda, na ra da" Cadeia-Velba,
armazem de BailartkUliveira, n. 12.
FAKELO
em saccas muito grandes,
a 3s' no armazem do Braguezao pedo arco da ConceigSo
Vende-se a verdadeira c muito superior fari-
nha SSSF, a relalho e em porgfio ; dita dooulros au-
tores na ra do Vigario, armazem de Francisco Al-
ves da Cunha, n. II.
Calcado.
Vcndem-sp bolins c meios ditos de Lisboa, para
homcm e menino ; sapatos de maroquim francez,
por prego 11 ais haialo do que cm oulra qualqucr
parte : na ra larga do Rozario, n. 24.
Na ra do Crespo loja de 4 portas n. 12, ven-
dom-se chapos de castor pretos, de minio boa qua-
lidade a 4,400 rs.
No deposito de Me. Calmonl & Compartida na
ra de Apollo, artitazem n. 6 acha-se constanle-
inente grande sortinienlo de ferragens inglezaspaia
engenhos de assucar corro sejam : taixal do ferro
coado de difTereitles modelos, os mais modernos;
ditas de ferro balido ; modulas de forro do mode-
lo adoptado, para armar em madeira; ditas .todas
de ferro, lauto para agoa como para animaos; ma-
chinas do vapor de frga de quatro cavallos c de al-
ta pressilo o mais moderno c simples que he possi-
vel ; repartideiras ; espumadeiras ; resfriadeiras de
ferro estanhado; formas de ferro: ludo por prego
commodo.
Taimado de pinho da Suecia,
de IO a 35 palmos
pe comprimenlo o melhor que tem chegado a este
vende-se no armazcm de Vicente Ferreira da
na ra da Madre-de-Dos, a 3,300 rs.
Costa
:eoho.
Jaivas para cus
Na fundicffo de ferro da ra do Brom acha-se
venda um completo sortimento de taixas de 4 a &
palmos de bocea, por prego commodo, e com promp-
lidio embarca-so, ou carrega-se em carros se ni dcs-
pezas ao comprador.
"Vendem-se semeas cm saccas muito grandes ,
a 4,500 rs. : na ra da Madrc-de-Ueos, armazem de
'"lente Ferreira da Costa.
Vendem-se queijos londrno os mais frescacs
que ha no mercado ; massas finas a 320 is. a libra ;
chocolate do canda, lino o de l.i>ba; latas com sar-
dinhas ; azeite doce lino, por prego commodo; na
ra da Cruz, n. 62.
Vinho barato.
Acha-se estabelecdo na ra da Madre-de-Deos ,
o. 36 um armazem de
Vinhos da Fjgueira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para n3o haver dolo do com-
prador serilo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-se a garrafa vasa, e dando-so immediata-
mente a outra cheia : tambem ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
1 -notario deste estabelecimenlo pede encarecida-
mente que se nfio illudam avahando, pelo diminuto
prego e sem conbecimento de causa a qualidade de
sua fazenda digna por corto da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
urna vez provar, continuar com gosto e sem arre-
pendimento. E o bom preco!!.' A todo o cxposlo
accresceoasseio e hoto acondicionamento, o que
tudo se poder verificar era dito estabeteciment.
PUROVINIIO DA FICUEIBA.
Existe no armazcm de molhados, atrs do Cor-
po-Sanlo n. 66 urna grande porgilo deste genui-
no vinho que se est vendendo polo diminuto pre-
go de 1,120 rs a caada e a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem ha em pipas que se vender mais cm corita : he
este o melhor de lodos os vinhos que se tcem an*
nunciado pela sua simplicidadg e ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis deixar de o com-
prar.
Vcndcm-se sellins inglczes e camas
de ferro : na ra da >en2alla-nova, n. 4a.
Agencia da fundico
Low-Moor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Neste estnbelecimenlo contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; m-
cbinas de vapor,e taclias de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Fabrica de Todos-os-Santos.
Firmino Jos F ta Rosa com escriptorio na na
lo Trapiche, n. 44, avisa aos scus freguezes que aca-
ba de receber pela escuna Curivsa novo sor ti ncli-
to do expeliente panno de algotlilo enlrangudo da-
quelln fabrica ptimo parar ensaccar assucar e pa-
ra roupa de csravos. O annuncianle conta que,
alm da fazenda, o desejo de animar o desenvolv-
monto de iiiiiii fabrica inteiramente nacional, pro-
movei o pro tupio consumo da sua receita.
Ferro
de todas as qualidades edimenes, cm barra, ver-
galhao, verguinha, arcos e chapa por prego com
modo : na roa da Madre-de-lieos, armazem n. 26.
-- Nos arpiasen! de Joaquim Flix da Hoza, na ra
da Madre-de-Ueos ha para vender ferro em folh
por prego commodo.
Vendcm-se queijos de prato, ditos londrioos

multo frsenos, latas com ho'ichinhas de l.isboal,
ditas com ditas do ararula diUscom hervi'has di.
tas com eardinhas, ditas de mermelada de 1 2 e 4
libras garrafas com vinho moscatel de Sctubal, di-
las do dilo da Madeira ditas do licor fino, aveluns,
velas de espermacelo de oito cm libra, proprias pa-
ra lanlernas ,aixinhas de mussas finas de estrelli-
nhas frasquinhosdourads enm agria de flor de la-
ranja : na ra da Cruz, no Itecife, n. 46.
Farinha de mandioca.
No armazem n. 1, no caes da Alfandega vendem
se saccas com farinha de mandioca, de alqueire,
muito superior, por prego commodo.
Vendem-se caixas com licor em'garrafai, mui-
to superior bem como cognac lambem em garra-
fas : no escriptorio deNovaes& Companbia.
Cevada e caf moido.
No Forte-do-Mltos, ra do
Aniorim, rt. 36,
na anliga fabrica que pertenec! ao finado Vaz de
Olveira boje pertencente o sb direcgo de An-
tonio Joaquim Vidal & Companltinha, vendo-se,alm
ilo superior cafe moido o milito excedente, e esti-
mado caf de levada da melhor qualidade que ha
no mercado por prego mais^commodo do que em
outra qualquer parto.
Vende-se caJ virgem de Lisboa,
chegada ho ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. 17.
Vende-se cal virgem de Lisboa, de superior
qualidade, em barris de 4 arrobas, chegada neate
me/ pelo brigue Karia-Jote: a tratar na ra do
Brurn armazem de Antonio Augusto da Fonseca ,
ou na ra do Vigario, n. 19.
Al tsicas para piano.
Na loja da praga da Independencia, n. 37 anda
ha para vender um resto do bellas msicas para
pianos, lindas polkas, valsas, arias, quadrillias,
ule por menos prego do que em outra qualquer
paite; tambem reslam algumas valsas para flauta.
i\a ra de Agoa-Verdes,
n. 46,
vendo-sp, por preoisto, urna escrava sem o menor
deleito o com excedentes habilidades ; duas ditas e
dous moleques.
. Vende-se urna prela de 24 annos, vistosa sa-
dia bstanle diligente e que lava e coso ; urna ca-
brinha do 12 annos muilo geilosa para o servigo de
urna casa : ua ra Nova, n. 50, segundo andar.
livraria nova do pateo do
Collegio, n. 6, do .loao da Cos-
ta Domado,
vende-se papel para corles de vestidos, dito de mu-
sica muito lino proprio para copiar modinbas para
pianos de phanlosia ou papel do encommendas ,
lapes finos verde, azul, encarnado e amarello, ge-
mentes, obrejas de gomma-arabida, com pasaos ri-
qusimas carteiras de marfim.reguas de dulcientes
qualidades e lamanhos pennas de neo muito boas e
oulros muitos olijeclos que se acabam de receber e
esuiu paleles aos freguezes : tudo por preg com-
modo'
Vende-se um Atlas de Coujou e a obra do geo-
graphia porUrcul : no pateo do Collegio, loja n. 6.
Fejao mulalinho
muilo novo e em saccas : na ra da Cruz, no Rcci-
fe, armazem n. 13.
Queijos de Minas,
por menos prego do que cm oulra qualquer parte:
na ra da Cruz, no Recife, armazem n. 13.
Vende-se um bonilo molcque de nag.lo Costa,
de 22 annns, sem vicios nein achaques : ao compra-
dor se dir o motivo por que se vende ; na ra do
Caldeireiro, n. 46.
barriquinhis, desembarcada ha poucos das, por
prego commodo.
fl ovas chitas escarales.
Acaba de cliegsr na ra do l.ivi menlo, n. 11, um
rico sortimento tiestas chitas a mi'.ag.to de velludo
vendem-so pelo diminuto prego de treze vintens
corado ; e nutro sortimento de chitas escuras, pe0
prego de nove vintens.
Freguezin.
Vende-se sarja de seda bespa-
nlioli, milito superior; selirn de
M .h'.'io proprio para vestidos; los de
11 ti ho pretos, bordados a seda; meias
pelas de seda de peso; panno pre-
to mnito fino e prova de limao;
casimira preta elstica ; sarja de
listras, setim proprib de collcte; as-
sim como outras umitas lazendas
liins, proprias para a quaresma :
ludo mais barato do que em oulra
qualquer parte : na loja de Jos
Moreira Lopes & Companhia, ra
do Queimado, quatro cantos, ca-
sa atnatcMi, n. 2Q.
No pateo do Tergo, vonda n. 7, vende-seYraho
da Figueira a garrafa a 160 rs.
Vende-se um moleque de 3 a 4 annos deIJtde
e urna cadeira do arruar nova e muito rica s na
ra Bella, n. 40.
Vende-so urna negra erioula, engommadeira e
rostureira ; na ra quo-vai da irempru para Mon-
degb, casa n. 7.
Chitas a 140 rs. o covado.
Vendem-se cintas de cores e le boni-
tos padres a seto vintens o covado : na
ra do Crespo, n. 4, loja da esquina que
volta para a cadeia.
NoAterro-da-Boa-Vista, loja n. 78. veadem-
se sapatoes groasos a 1,000 rs. o par ; ditos do An-
caty u 1,000 e 1,280 rs. jsapatos de lustro para ie-
nltora a 2,800 rs.; ditos para meninas a 1,920 rs.
ditos de cordovHo, a 1,280 rs.; botina para homem,
a 3,000 e 5,000 rs. o par ; tpalos da sola e vira i
2,0uO rs.; balius de madeira envernizados.de varioi
tamanhos e pregos ; bonetes riscados a J80 rs. cadi
um ; ditos para meninos, a 800 rs. ; ditos de mar-
roquini pretopara homem y a -J.500 rs. cada um
ditos de merino, para crjnngas a 3,500 rs.
Vende-se umesyllo de sella, com muito bons
andares : na ra do Crespo, loja n. % A.
Ciganilhosde palha de milho:
vendem-se unicamento no armazem Je inolhadoi
atrs do Corpo-Sanlo, n. 66.
Na ruadas Cruzcs, n. 22, segundo anlar ven-
dem-se duas escravas sendo urna negrota de I6an-
nos, e a outra do 35 a 40 annos j um moleque da ig
annos; um escravo do22 annos, com habilidades
que se diro ao comprador.
llobilias muito baratas.
Na ru Nova armazem de trastes
defronte da ra de S.-Amaro vendem-se riquM.
mas mobilias de Jacaranda e mogno do melluirgos-
lo alm de um completo sortimento de trastes di
todas as qualidades bem como ca.loiras americanas
le pao e de palhinha cadeiras de balango de pao a
de palhinha ditas de bragos proprias para se es-.
crover ditas para senhora, hanquinhos para as se-
nhoras porem os ps banquinhas de costura eadei-
rinbas altas para meninos comerem i mesa guar-
da-vestidos de amarello e de mogno marquetas de
oleo muilo lories, e outros mu tos trastea por pre-
go multo commodo alteudendo boa qualidade.
Chegaram os charutos de
Havana,
venladciros o de qualidade j condecida na rui da
Cruz n 10, casi de Kalkmanh Innfios.
Vende-se um prolo de nagilo Angola, de 18 an-
nos ; um dito crioulo, de 1-2 annos ; um mulatinlio
e urna Oiulatinha de 8 a 9 anuos, lodos de bonitas
figuras : ao lado do Corpo-Santo,loja de cabos.
Escravo Fgidos
Xa ra do Caldeireiro, n. 31, ven lem-se ps du
parieini, em eslado de seren Iransplanlados, sem o
menor risco. '
~ Vende-se urna banca redonda do angico quasi
nova, propiia para meio de sala : na ra da Seuzal-
la-Velba, n.70.
Vendem-s figos-de-commadre no-
vos e frescos, a oo rs. a libra: no pateo
do Carfno, loja do sobrado de Gabriel An-
tonio, n. 17.
Nosarmazens n. 1 do caes da Airandega e do
fallecido Braguez ao p do arco da Conceigo, ven-
de-se superior farinha de maadioca em saccas de
alqueire, por prego commodo.
--Noarmazem do IrasForreira, no caes da Alfan-
dega vende-se superior farinha de mandioca em
saccas de alqueire ; bem como superior potassa em
Fugio, no dia 22 do corrente, um preta erioula,
de 20 annos, estatura regular, beigos grossos a o
inferior cabido; tem dous denles da frente podres e
por detrs dos hombros uns botos de carne; levou
ve-tidode riscado miudo, camisa do madapolio,
panno da Costa; sabio para vender agoa o por ja
terfeito oulras fgidas, trazia urna crrente fina de
cadeadoao p : quem a pegar leve-a s Cineo-I'on-
tas, n. 32, que ser gratificado.
- Fugio um moleque cabra de nome Caudencio,
nos lins do Janeiro prximo passado ; levou camisa'
e cern las to algodSoziuho, bonete de nrello de pan-
no azul e l)iniii-o ; representa ler 15a 18 annos, com
cicatrizes de bexigas anda muito visiveis, e a cin
redonda : quemo pegar leve-o ra do Queimado,
loja n 2T.
Anda se aelia nsenle, desdo 9 do correnlo i
escrava Josepha erioula, natural do sertilo ; anda-
va vendendo frutas de 30 annos, de mediana esta-
tura ; levou sala do algodilo azul, panno da Cosa j*
usado: quem a pegar leve-a ao Sr. Pimental, do
porto ta ra Nova, que ser gratificado.
40/000 ris
de gratificaglo a quem levar a ra da Aurora n. 52,
una prela erioula do nome Pilippa de eslalnra ro-
gular e reforgada, rosto mal encarado ; tdm ns cos-
tas signaos de chicott; est fgida desde so do oo-
vombro do anno prximo passado ; consta ter sido
acoilada em algutna csa onde presta servigos lie co-
zinliar, por sor exfolenle cozinhe'a ; ja foi vista
em diffcrcnles lugares ncsla praga sendo ltima-
mente mandada amarrar pela erioula forra Romana;
a qual a mandou entregar ao Sr. brigadeiro Aleiio ,
ua supposigflo que fosse aiuda sua escrava e isto no
da 2C de Janeiro, s 10 horas da noile, e levando-
se-lhe a u.ci ava osle Sr. respontleu que ja a ttnh*
vendido e a pessoa que a amarrn, que-segundo di-
zom, mora na ru de S.-Cungalo do bairro da Uos-
Vista, osla aproveilaihJo-se do servigo da mesa "
erava a por isao so suppe que exista por aquoll*
iiinnediaies: quem dola dor noticia ser graliflca-
dacom a quaulia cima de quarenla mil rs. e te
prolesla na forma da lei contra quem a tiver oceulta.
besappareceu, no da 17 de Janeiro, o preto
Antonio de nagilo Congo olhos grandes ; tem
falta de aiuus denles na frente e urtia ferda em
um p; ltimamente tetir estado trabartiande no
arsenal de guerra com o nome do l.uiz : quem o pe-
gar leve-o a ra da Cruz, n. 2, que ser gretifleado.
------------------i------..."113
Pr'-N : n ti oftm.r, ni ratia. 18^9
II FflVFI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYW4BCFPQ_EGWHHM INGEST_TIME 2013-04-13T01:35:00Z PACKAGE AA00011611_06451
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES