Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06450


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
O DI AMO fiub\te*-je toda o dial quinao
forem de guarda. O prec-o da assic;natura he
d4f00rs. porqnartel, pagas attiantatloi. Os
aununcios iloi asignantes sao Inseridos
rasSo de 20 rs. por liaba, 40 rs. ein typo dif-
lerenle, eas repellcBes pela metade. Os_ nao
asignantes pagarau 80 rs. por liulia e 160 ra.
ein typo differeote, por cada publicacSu.
PHAM8 DA LA m MEZ DE FEVEaElHO.
Luefcia,a7,4 8lioraie66inln. damanli.
UUfSmU,15, hor.e43nlla.d..h.
LaVilova, a22, a lhoraf eJOmln.daUrde.
Segunda-feira 26
PARTIDA DO CORREIOS.
Golanna e Parahiba, it egs. e lextas-elras.
lUu-C.-do-Norle. quintis-felras ao melo-dia.
Cabo.Soinbeiii. Rio-Formoao, Porto-talvo
Macelo, uol.* a 11 e 21 de cada mez.
Garanbuua t Bonito, a.8 e 23.
Iloa-Vista e Flores, a 13 e58.
Victoria, s quintas-feira.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE HOJE.
Primclra, s 7 Horas e 4t minutos da uianh.
Segunda, s 8 bora e 6 minutos da urde.

de Fevereiro de 1849.

N. /.$.
CAMBIOS NO DA i\ DE FEVEREIRO.
yiiiiilii.ii. > 11 i i '
e do J. M. da 1. v.
2 Sexta. Simplicio. Aud. doJ. douiv.c do
J. de paido I. disl. de t.
3 Sabbado. S. Ilemcteriu. Aud. do J. ,|,, c
da I. v. e do J. de paz do 2. dist. d<; i,
4 Domingo. S. Casimiro.
8brc Londres a 26 d. por 1/C00 ra.adO das.
a Pars
' Lisboa IG8 por cenlo de premio.
Rio-de-Janeiro no par. *
Dcsc. de IcH. de boas Urinas a 1'/, X ao mez.
Acces da coup. de llebcribe, a 30J rs. ao p.
Ouro Oncas bcspanliolas. SiVOlil) a :!>/..Vio
Modas de BflOO v. 17^100 a I7/.V1I
> deHaMOOn. lrty-200 a lb>10<'
de tyOUO.... U/200 a 0/400
Prata-Patacces brasilelros l.aWO a 1/M0
Pesos coluiuuarios. 1/070 a 1/0'Ji)
Ditos mexicanos..... 1/000 a 1/020
DIARIO DE F
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
ixpEDiwrrc Ob DA 23 DE FEVEREIRO.
Ofunio.Aochafri*> polica, communicando tep,
cor despacho deoje, mandado por em libordade os
preso Francisco Jos dos Santos e Francisco Pache-
co de Quciroga.
Dito.Ao cotmandante das forras navaea, recom-
mendando a expdcflo das convenientes ordens
para que sejam poatoa em llberdode 09 preso; Jos
Francisco Martn* e Jos Maria de Almeids, expen-
les a bordo de um do* navios de guerra surtos nesto
Jorto, como cumplices na revolta que ora aqu se
ebella, visto liaterem provadn sua innocencia com
documentos e com o tetemonho de pessoas fidedig-
na*,-- Sclpuliflcou-ae ochele de polica. .
Dito.Ao inspector do arsenal de marmita e eapi-
tno do porto desta provincia, intelligenciando-o de
aun S. M. o Imporador bou vera por bem demitlir a
Aleandre Rodrigues dos Anjos dos lugares do se-
cretario da inspecflo do arsenal de marinna e capi-
nia do porto desta cdade. .
Dito.Ao inspector da ihesourana da razenda pro-
vincial, ordetlndo que expeca as convenientes or-
dcns para que se abone administracodo patri-
monio dos orphos a qunntia de dous cotilos do ris
para as despezSs dos respectivos collegios.Com-
muncou-se adminslrecflo cima referida.
Dto.-Ao director do arsenal de guerra, autori-
sando-o a despender a quantia de duzentos o cinco-
enta e cjBco mil e quinhenlos ris com a compra de
azeile de carrapato e de coco, fio de algodSo, pavios
e velas de carnauba e espermacote, para tornen -
mento de luios, durante o mez de marco prximo ru-
luro, s estacto mililares e corpos que a2em a
guaro icdlo desta provincia.Inielligenciou-se o ins-
peclor da pagadoria militar.
Portara.O presidente da provincia, errf virtude
da utorisagflo que lite foi conferida pelo gverno
imperial, lom resolvalo suspender do exercicio do
rtmprego de ajudante do guarda-mr d'alfandega
I deala cidade a Joflo tle Freius Barbosa, al que S.
M. o Imperador se digne de determinar o que for
rnais conveniente ao servico publico.Fizeram-se
'as participaces doestylo.
Dita.Deniittindo dos cargos policlaes que oceu-
pam na comarca do bonito os cidadSos abaixo de-
ca iados.
FRECtJEZIA DO BONITa
l. BISTSICTO.
Supplente do subdelegado.
i.* Flix Fernando Porlella. .
8.' DimicTo.
Suppltntt do lubdtltgadn.
1,' llartlnho de Mello e Albuquerque.
4.* oliTaicto.
SubJt Ufado.
Jos Pinto Teiieira.
Suppltntet.
1.* Francisco Antonio de Souza Soares.
2.* Joaquim Pinto Teixeira.
3.* Nanoel Teixeira da Silva.
3. WjWICIO PB 1LTINUO Ot PANILLAS.
Suppltntet do subdelegado.
i* Francisco Rodrigues Pinhero.
9. Antonio liaziliode Silva Castro.
3. J0S0 Caralcanle de Albuquerque.
4. UISTaiCTO DI ALTIMIO O QUII'APA'.
Suppltnta do subdelegado.
i Antonio Sebaslio Freir.
S-* Francisco Feijo de Mello.
Participou-se ao cliefe de polica.
Hita. Momeando para os cargos policiaca da co-
marca do Bonito aos cidaduos abaixo declarados.
I.' DISTRICTO OO BONITO.
Supplenlet do subdelegado.
i.' Pedro Ferreira Leite.
2.* Joaquim Antonio da Silva.
a.4 Maitiias Ferreira do Mello.
5.' Joflo Ferreira Leite.
6.' Antonio Jos Manriques.
$.* MSTBtCTO 00 BONITO.
Subdelegado.
kidro Concalvos de Fariaa Feilosa.
SuppltuHt.
1 Vicente Ferreira Padilh alocuby.
8. Jos dos Santos Souza.
3.* Jacintlio de llullanda Piriquito. -
4. Leandro Pereira Barhallio.
5." Francisco do Paula da Cunlia Basto*.
.* Jos da Cu uha Bastos.
4.* DliTBICTO DB CtPOBIRA.
Subdelegad-*.
Francisco Rodrigues Pinheiio.
SuppItHte*.
i. Jos Francisco da C un lia.
9.' Manoel Francisco de Amorim.
3. Jos da Silva Souza.
4 Francisco Ferreira da Silva Souza.
5.' Majioel Ferreira da Silva Souza.
6.0 Manoel Antonio da Silva.
FREGUEZIA DO ALTINIIO.
3. DlSTaiCTO.
Supplenlet.
!. Manoel Florentino dos Santos,
.* Antonio Manoel da Coiiceicio Mello.
i.' Alejandre da Couceicdo Mello.
4.* TheoJoro Ferroira da Cunha.
5.a Flix Ferreira da Cunha.
6.a Thomaz Ferreira da Cunha.
4.* DISTaiCTO dbquipapa'.
Suppltntet.
1. Conslnlno Bezerra Cava lea ule.
3.* .Vicente Gampello d Araujo.
3 Francisco de Paula Moroira dos Santos.
4. Antonio Scbaslino de Freilas.
5. Joae Antonio Pereira dos Santos.
6.' Antonio Jos de Souza.
TRIBUNAL DA RELAGAO.
SESSAO EM 93 DE FEVEREIRO DE 1849.
paisiDBNCiA doexm. sna. cohcblbbiro azevedo. '
Aberta a sessflo s horas do costme, cachndo-
se presentes os Srs. desembargadores Ponce, Ramos,
Villares, Leflo, Souza e RabelTo, falUndo com cau-
ca os Srs. desembargadores Bastos e Ayres, o Sr.
proaidento aprcsenlou em mesa oofilcio do Exin.
presidente da provincia com o exemplar do Diario
de Pemambuco n. 41, contendo quatro avisos da se-
cretaria de catado dos negocios do imperio, dirigido
a diversos presidente* do provincias, solvendo duvi-
dss acerca da lei regula mentar daseleicOes.
O Sr. desembargador Bastos remetleu para o tribu
nal os feilos que tinha em seu podr^visto que, pelo
seu mo ctodo desnude, nao poda continuar em
exercicio, entre os quaes estavam com dia assignado
para seremjulgadasas appellacOesciveis em quesu:
Appellante, Fraeisco Coolbo da Fonseca; appella-
do, Francisco Fidelis Barroso.
Appellante, Luizdo RegoMonleiro ; appellado, Ma-
noel Cardoso do Nascimento.
Appellantes, os administradores da casa do finado
Joflo Maria Seve; appellado, Eliaa Coellio Cintra.
Appellante, Lourenco Jos das Naves; appellados,
Me. Calmont & Companhia.
Appellaules, Jos Lopes Diniz e outros ; appollados,
Francisco Pereira da Silva e sua inullicr.
A appellacflo crime em que sSo :
Appellante, a justica ; ap|>ellado, Antonio Baptisla
deOiiveira.
Fram entregues ao Sr. desembargador Loflo as
appellarfies civeis om que silo :
Appellantes, Francisco Jos Meira esua mulher; ap
pelladas, Antonio Fernandes Luna e sua rnullier.
Appellante, Agoslnho Fernandes Catanlio de Vas
concellos; appellado, Joflo Frederico de Abreu
Rcgo.
Appellante. D. Maria Roza de Souza Magalhflrs por si
e seus filhos; appellado, Manuel Rodrigues do
Paco.
Appellantes, Antonio Pereira do Monte e sna mulher;
appellados, Joaquim Jos Ferreira e sua mulher.
Appellantes, Pontes & Mello; appellado, Anlouio Ro-
drigues Lima.
Appellante, Anna Elsabet Adelle Poirson; appella-
do, Alfonso Saint-Martn.
Appellante, Antonio Joaquim de Pontes Lins; appel-
lado, Manool Alvos Cuerra.
Appellante, o juizo; appellado, Jos Antonio da Cos-
ta Guimarfles.
Appellante, Antonio Domingues de Almeida Pocas;
appellados, Jos Bernardino Leal e outros.
Appellante, Manoel Alves Guerra ; appellado, Fran-
cisco de Paula Pires Ramos.
Appellante, Francisco Leocadio Vieira; appellado,
Joaquim Jos Pinto.
Appellante, Antonio Lopes Pereira de Mello ; appel-
lado, Antonio Joaquim de Almeida Guedes Alcan-
forado.
Appellante, Jos Chixis de Moraes; appellada, Mana
Joaquina Lina.
Appellante, Joanna Ferreira de Goes; appellado, Ale-
jandre Jos da Conoeicflo.
Appellante, Jos Joaquim da Silva Maya ; appellado,
Antonio Ignacio da Jloza.
Appellante, Francisca de Salles Morae* Alves; appel-
lado, Antonio Francisco Pereira,
Appellante, Bernardo Antonio de Miranda ; appella-
do Thooi Correa de Araujo.
Appellante, Anicacio Jos de Mello; appellado, Jos
Vicente de Medeiros.
Appellantes, Joflo do Barros Reg Accioli e sua mu-
lher ; appellado, l.uiz de S Teixeira Lima.
Appellahle, llanool Jos Concalvea ; amellado, Ma-
noel de Medeiros Munix.
Appellante, Joaquim Jos do Nascimento ; aprella-
do, Fiiippe Lucas da Cunha Lima.
Appellante, Jos Joaquim Gomes Duarte; appellado,
Gaudmo Agoailnbo Je Barro*.

Appellante, Joflo de S Leitfloj appellado, Joflo
Chardon. ,, .
Appellante, Juliflo Beranger; appollado, Jos Anto-
nio Lourenco.
Appellante, Prxedes da Fonseca Coutmho ; appella-
dos, a viuva e herdeiros de Antonio da Silva & Com-
panhia: ,. ,
Appellante, D. Francisca Nunes Barboza ; appellado,
o padre Antonio Francisco de Sampaio.
Appellantes, Joflo Porfirio (1j Malla e sua mulher;
appellado, Manoel Antonio dos Santos.
Appellante, Bernardo Antonio do Miranda ; appella-
dos, Mesquita & Dutra.
Appellante, Francisca Thomazia da Conceicflo ; ap-|
pollndo, Francisco da Assumpeflo Forreira.
A appellacfio rime em que sflo:
Appellante, o juizo; appellado, Jos Antonio Muri-
coca.
Propoz-seajulgamcntoa appollaeflo civol om que
sflo:
Appellanle, Francisco Jos Barboza ; appellado, An-
tonio Comes Villar. Foi confirmada asentenca
appellada.
Mandou-so com vista ao Sr. desembargador procu-
rador da cora e fazenda a appellacflo civel otii que
sflo:
Appellante, o juizo; appellado, Antonio Jos da
Roza.
, Mandou-se ouvir ao procurador do capellas c resi-
duos sobre a appellacflo civel em quosflo :
Appellante, Jos Antonio Comes Jnior; appellado,
o juizo de capellas.
Revistes,
Passaram do Sr. desembargador llabollo 00 Sr.
desembargador Ponce as appellacOesem que sflo :
Appellanto. o juizo da fazenda ; appellado, Manoel
Joaquim do Reg Albuquerque.
Appellante, Miguel Jos Barboza Guimarfles ; appel-
lado, Joflo Alves de Garvalho Porto.
Appellante, o juizo de ausentes dasAUgOaS; appel-
lado, Antonio Vieira Dantas.
Appellante, Claodio Dubeux; appellado, Agostinho
llenriques da Silva.
Appellante, Manoel Ferreira dos Santos Cammha ;
appellado, Joflo Francisco Pegado.
A appellacflo crimo em que sflo :
Appellanle, justica; appellados, os vereadoros da
cmara do Grato.
Passaram do Sr. desembargador Ramos ao Sr. des-
embargador Villares as appellacOes em quo sflo :
Appellante, Francisco Soares da Silva; appellado,
Podro Muller. ,
Appollantes, Jos, e Joflo Thom Rodrigues; appel-
lado, Antonio Francisco draga.
Appellante, o prelo Antonio como administrador de
sua filha Maria ; appellado, Ignacio Joaquim Ac-
ciole VVanderley. ,.
Appellanlo, a parda Rosa por seu curador; appella-
da, a vuva Maria Carulina Ferreira de Canraino.
Appellante, Vicente Alves Linhares; appellado, Ma-
noel Bento Brandflo.
Passaram do Sr. desembargador Villares ao Sr.
desembargador Lcflo as appellaces cm que sflo :
Appellantes, Amador de Araujo Pessoa de Mello c ou-
tro appellado, Jos Luiz de Caldas Lins.
ApPCliantcs, Antonio Alves Ferreira o sua mulher ;
appi liados, Jos Joaquim Bezerra CaTaiomtl e sua
Appellantes, Catharina crioula c.seus filhos ; appel-
lado, p capitflo Vicente Pinhciro de Lcmos.
A appellacflo crime om que sflo :
Appellante, o juizo; appellado, Miguel Gomes da
Rocha Caviflo.
Passou do mesmo Sr. desembargador Villares ao
Sr. desembargador Souza a ippellacflo cm quo sflo :
Appellanle, Francisco Concalves Pereira Dulra ; ap-
pellado, Francisco Borges de Garvalho.
Passaram do Sr. desembargador l.eflq ao Sr. des-
embargador Souza es appcllncoes em quo sao :
Appellanle. o lencnle-coroncl Joflo Profiri da Mal-
ta ; appellado, Jos Antonio de Barros.
ApiRMIantcRilaMauadoSa oAnd.ade; appellado,
Antonio Jos de Mello. _u,i
Appellanle. Joaquim Jos deSanfAnna ; appellado,
Juo de Allemilo Cisneiros. ,
Appellante, Antou.o Pedro do Mendonca Crle-Rcal,
aprollada, Maria Candida de Magalhacs.
Appellanle. a fazenda nacional; appellado, Malhtus
de Araujo Caldas Checheo. Tliomr/
Appellante, Jos Lnzary; appellado, Jos Thomaz
do Campos Quarosma.
Passaram do Sr. desembargador Souza aoSr dcs-
embaJdorR.bello as appellacOes em qo sflo :
Appellante, o bacbarel Lourenco Bezerra Gavaloan-
led. Cuiha j.ppell.do, Manoel Joaqun. Pascoal
ApSnie, Jos Rodrigues doPa^o; appellado, Ma-
noel Pereira de Magallifle.
Passou do mesmo Sr. desembargador Souza ao Sr.
desembargador Leflo a appellacflo em que sflo :
ppellante, Joaquim Antonio do Amorim j appella-
do, Claudio Pe eir da Costa.
Levantou-so a sessflo s 2 horas.
ACAMPAMENTO DAS.FORGAS EM OPERARES
AO CENTRO DA PROVINCIA.
ACAMPAMENTO DE CRUStlIY NA COMARCA DE NAZABETII.
Ordem do dia.

He com a maior satisfa^flo que fa?o publico i fiHe.i
1K1 meu com mando o lisnngeiro omcio do S. Esc. o
Sr. presidento da provincia, no qual o mesmo Kxm.
Sr. louvn a conducta c a parle que ella teve no nie-
rnoravel trjumphii do dia 2 do cor. ente 5 sahindo do
interior da provincia por marchas o contramarchas
Ctirradas, segnin lo os rebeldes em sua retaguarda,
V'iueando-se sobro clles na cspitiil, sustentando um
Mgo vivissimo o u o interrompidii por oito horas
contra um inimigo acaslellado, c com orens milito
supeiiores. Mas, se S Exc. pelo resultado dos fac-
los, c por seu espirito ile reclidflo e justitja lhos di-
rige cxpresses, que nflo p lem deixar do despertar
nos honrados defensores da legalidade o inais nobre
orgulho, qual o meio, o como exprimirei meu reco-
nhecimonto, eu que fui leslemunha das l'adigas da
dedica^flo o do denodo ueste punbado de bravos ?
Corto, a tropa de linha, a guarda nacional de Crusa-
'ny ao commando 1I0 digno Sr. coronel chee di lo-
gi:1" Jos Maria de llanos Brrelo, o a suarda nacio-
nal de ftoxareth, so Uzeram ueste clebre dia credo-
ras da estima do seus concidadflos e dos agradeci-
montos da patria. E, comquantoscjaccrto que to-
das as pravas se porlaram por urna maiieira digna de
louvor, cu nflo posso deixar do fazer especialmente
meneflo do Sr. alferes Luiz de Albuquerque Mara-
nhilo que servio s minhas ordons, cuja valenta
anda desta vez confirmou e talvez excedeu a aquella
j manifestada em Mussupinho. O Sr. tenonto Leo-
cadio da Costa W'eipe, que, commandamlo um forto
piquete, suslentou um fgo bem nutrido o ropelio
sempro o niniigo ein todas as suas sonidas o ten-
tativas de tomar-me pela retaguarda. Os Srs. c ulu-
les Cactano Xavier do Oliveira e/.acarias Francisco
Alves da Silva, quo serviam do olllciaes, cumpriran
salisforianienlo seus deveres e mostraran) coragem,
o primeiro no commandodelpiqueles destacados,e o
segundo junto de mini no servido de urna pei;a do
arlilharia srtb minba direccflo. O cidadflo guarda
nacional Joflo da Cosa llenriques de Garvalho, quo
commandou um piquete collocado emum sobrado
em frente do ininiigo,contraoqualsustenlou um logo
vivissimo a/ as oito horas da noite em que o inimi-
go foi desalojado. O capitflo da guarda nacional Joflo
da Cunha Ferreira, que desempenhou sttisfatoria-
meiitc diversas commissoes de que foi encarregado.
Oscapitflesda guarda nacional Joflo Cavalcanli Mau-
ricio Wandcrley, Manoel de Albuquerque Maranhflo,
quc.commandandoa guarda da bagagcn^rcchacaraiii
o inimigo em milito maior numero o em melhosns
posicOes, por tres vezes que tenlaram toma-la.
Hemos, porm, de deplorar a morlo de tres do nossos
bravos. O intrpido 2. teiicntodo i." batalhflo do ar-
lilharia a p Narciso Babicnse de Almeida Cuatemo-
sim, cuja bravura no meio do fogo exclou a admi-
racjlo do todos, c locou os limites da temcrldadc:
com um clavinote na mflo conmiandando urna peca,
jamis deixou do servir promiscuamente a estas
duas boceas de fogo. Sobre o tmulo desse bravo
lance lodo 0 militar um ramo de louro. O cabo do
osquadra Francisco Moreira da Silva, e o guarda na-
cional deNaiarclh Manoel Luiz da Silva, que. sendo
iVrido, ralleceu depois no hospital. Alm desles foi
eravcinenlo um soldado e morlo umdito o um cabo
Pcritl de esquadra,todos-do 3' batalhflo de arlilharia.
queluviard-so reunido i tnlnha rrca na occ.-.siflo do
roeo. tendo o ultimo cahido pnsioneiro, o sendo
sangrado pelos rebeldes no pcscoc.o na occas.flo do
abandonaiem o ponto, completada esta barbandado
com a de laneartm fogo a casa em que se haviain 111-
trincheirado. As diversas diligencias em que do-
nnis foi einpregada esta trga, eobom desempenho
c la con k'lou urna serio de fadigas dignas dos
louvorcs da ufana daquclle qqc tom a honra do a
C0^cl"a%m quo por intermedio do commandanle
sai'uas tenha ja dirigido os mcusagradcimcntos
daG
ca de Nnzaielh.
larca do Na-
Ouartel do commando militar da comarca
relb em Crusahy, 6 de Tevereiro de 1810.
Jodo los da Cosa Pimenlel.
DIARIO Ul PBBNAIBUCU.
nroir, i.irxriEBMiiM,
OVAS DA BEV0LTA.
Consta-nos que. lendo-se refugiado em Brejo-d'A-
ria oiroco rebelde, que lem porchefo o Moraes,
'fora'ahiakaneadono dia 20 do corrente pela co-
' jmnna ao mando do Sr, tencnlc-coroncl Falcflo; -
su
1 ILEGVEL



que, logo depois desse encontr das frgas legalis-
tas com as da rebelda, travra-so entre ellas renhi-
do combato, o qual durira desde as 2 horas da tarde
desse dia al a noile; eque, finalmente, ao ama-
nhecerde 21 renovra-se o conflicto.
Nada podemos colher acerca do resultado desse
segundo choque; mas, logo quo oblivermos infor-
magOes a respeilo, as transmitiremos aos leitores.
=-
Corrcspondencias.
Sr. Iledai-torrs. lie justo que paguemos, ao me-
nos rom este testemunho publico de nossa gralidflo,
os obsequios que devemos aos dignos e honrados
cidodflos os Srs. Gomes Ferreira fllhos, e Marques da
Costa Soares, e sua eslimarel familia, pelo agasa-
Ihado e bom tralamento que nosderam, e a tro-
pa de nossa frga, durante o tempo quo eslivemos
no hecife por Qcasflo de acudirmosao ataque dado
pelos rebeldes essa cidade.
A hospitalidade que estes senhores nos prestaran)
em suas casas, a urbaniJade e franqueza com que
acolhoram c brindnram a tropa com barricas de
bolacha, de bacalho, carno-seeca, farinha, &c,
provaram assaz, nflo s os seus patriticos senlimen-
tos, mas tambem a generosidadde suas almas, dig-
nas sem duvida de seren admiradas e imitadas.
Nos Ibes tributamos, pois, do fundo de^iossos co-
rases o mais sincero reconhecimento.
Jos Mara de Barro Brrelo.
Joao Josi da Coila l'imenlel.
N3o pretenda, nem pretendo responder ao mi-
acravel aranzel de Mr. Tarault, cujas contradicgOes e
mi carcter nao pdem abalar peranto o publico a
mnha reputagflo, no commercio grangeada frc
de trabalho ede restricto cumprimento dos meus con-
tratos ; a posigflo mesma de Mr. Tarault a respeito
do M."" Tarault ora sua mullier, ora sua barregla,
conforme convm a seus interesses, me dispensa de
fazer commentarios acerca da moralidade de um
homem que, depois de trazer o publico Iludido cm
relsgOas dessa natureza, vem sem pudor confessar a
sua mesma corrupgflo, e a da mullier que diz ler
sido por mim tilo cruelmente victimada. Desprezo,
portanto, o mais formal desprezo a csse Mr. Tarault,
que, sealgum diroito lem contra mim, faca-o valer
pelos meios competenles,e nflo lomo o lempo ao res-
peitavel publico por cousas, em que nflo lem elle o
menor inleresse. Eslava,pois.nesla inlencflo do guar-
dar o mais completo silencio, auando.para apoiarMr.
Tarault o seu apontoado de calumnias e falsidades,
faz transcrever no Diario de 24 do correte um attes-
tado de Mr. Bruguiro. Em verdade, ique sobre-
maneira admirado de que Mr. Bruguire afflrmasse
que a vista da verlicagflo das contas entre mim e Mr.
Tarault resultasseuro saldo de I UN,000 rs. em favor de
Mr. Tarault E com effeito, como confessa o mesmo
Taraull.essavcrifcagflosenflodeu.OSr. cnsul da re-
publica franceza nos havia convidado a mim e a Mr.
Tarault para apresentarmos os nossos ttulos, alim
de os submelter a arbitVos, ao que de boa mente as-
senli; mas, chamando-me Baha negocios urgen-
tes, lequeri ao Sr. cnsul adiasso a verificagSo para
depois de mnha volla da llahia, o pedi-lheautorisa-
gflo e pasgaporte para azer a minha viagem Ora,
se tal verificado se nflo deu, se os meus* documen-
tos e liiulos anula nflo fram sobmetlidos ao arbitra-
mento, como allirma Mr. Bruguire a existencia
daquelle saldo ? He smente para fazer esta obger-
vagflo, e nflo para responder a Mr. Tarault, que offe-
recoao publico estas poucas linhas.
f. Ltlellitr.
He um devor;
Nisto poder
Nflo lem o lado.
Ao furor do Mrmara empolado
Pode dar-me as raimas estuosas ;
as siberias planicies paludosas
Pdodeixar-ma s enregeladd.
I'orm amado
Sempre sera:
Ahi ters
Um grato peito,
Embnre attreito
A grflos tormentos.
Se no meio dos Siculos portentos,
Infames monstros douseu respirar ;
Embora em lucia horrivel conspirar
Eu veja contra mim os elementos :
Quando dos ventos
Do inflado mar
Amainar
A furia ardente,
Eis volla mente
Meu gruto amor.
Por Manoel Amando Chava.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.

RENDIMENTO 1)0 DIA 24...........
Detcarrega hoje, 26 // (evtreiro.
Briguo Primavera mercadoriss. .
6:396,791
Sr. Redactor,No seu artigo escripto no Diario
de hontcm a respeito do fallccimento do digno cn-
sul de Portugal, nnsta provincia, o Sr. commenda-
dor Joaquim Baptista Horeirs, ha urna inexucti-
dflo, que V. commetteu por mal informado de cor-
to, e que nflo deve passar sem corroccSo.
Ofinado sabio d'aqui para Lisboa cmjunhode4845,
c para fazer essa viagem pedio e obteve licenga do
governodeS. M. Fidelissima; mas fo por causa de
molestia, c nflo porquo fosse victima de urna intriga,
e livesse de comparecer ante o seu govemo paradefen--
der-se das injustas accvsacdes que Ihe haviam feito.
He certo queslgum tempo depois dssua sabida da-
3u houvequem tivesse a feliz ideia de lembrar.de rc-
igirede fazer assignor una representado,'contra,
o fallecido. Mas, nflo havendo nella o mais p'cqend
fundamento sequr, o governo portuguez nao podia
dcixar dedar-llic ofimunico que leve edevia ler; m-
xime sendo bem sabido que a mior parte das suas
asignaturas foi subtrahida .muto'boa f do facis
signatarios que nflo souberam o que assigparam.
O fallecido tinha muitobas qualidades: generoso
ebomchrislSo como era nflo dcixou-dc perdoar aos
colaboradores dessa pspelada,ea quaesquerseus,ini-
niigos (que nflo podiam ser senflo muito gratuitos) p
mal que nflo lograra! ftzer-lhe.mas que Ihe augmen-
tou sem duvida a grande carga de desgostosque i
Ihe sobrepesava,
Permita V. que publique no seu Diario esttU
plicacflo um amigo de IBo bom e semaro ebdr
amigo. '
Recife, 21 de fevereiro do 1849.
Cera I .
Diversas
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DIA 24.
provincias............
3:049,829
163,636
3:206,465
CONSULADO PBOVINC1AL.
RENDIMENTO DO DIA 24........... 881,886
PRACA DO ItECIFE, 24 DE FEVEREIRO DE 1849,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Reviila semanal, i
Cambios ----- Houve saques regulares a 26 d.
or 1.000 rs.
Algodflo -
de 1,550 a 4,600
rublicacao a pedido.
Houve saques regulares
por 1,000 rs.
Nflo sofTreu alteracflo no prego.
Entra rain 557 saccas.
Assucar- ... As entradas doensaccado fram
avulladas ; as do encaixado, po-
ii'ni, lmitaram-se a 340 caixas.
As yendas nflo deixaram da
ser na lores do quo s da semana
anterior. Os pregos do encai-
xado regularam de 800 a 100 ra.
por arroba sobre o ferro; os
do ciisacead^ embmieintoi
liranco as do mascivado di
ris.
Couros-------- Conscrvaram o prego de 97 ris
por libra.
Bacal bao ----- O deposito hojo he de 3500 bar-
ricas em consequencia de nflo ler
havido entrada. Vcnderm-ae
cerca de I,S0 barricas, da11,000
a 12,500 ra. por cada urna.
Carno secca Ficaramem ser 25,400 arrobas,
inclusivo dus carrejbanlos
cuegado* do Hio-Crandeettaee-
mana>jAs_ vendas fram effei-
luadas s*> a base de 3,000 a 3,400
J?- Pororrba em primeira mflo.
CarvOo da pedra Yendeu-se de 11,500 a 13,000 rs
por tonelada.
Cobre- -..-- Mam a 640 rs. por libra, tanto
. .. .* para fp/ro como para oaldei
reiro.
FawsUia dt trigo Cliegou um carregamenlo de
Rlchmond com 3400 barricas, o
qual 'esta em ser. -t-'As vendas
,.....:, conliuuaram a regular de 14,500
. ..1,. L 20,00 ri- Pr barrica.
Oleade-lionata- Vendeu-se a 1,'6$0 rs.-por ga-
: lilo em cascos de madeira, e de
1.700 #1,750 rs.em botijas.
Ptssas.....- dem de 4,600 a 4)fc00 rea por
caixa.
Quoijos ------ idom a 1,000 rs. porcada una dos
y -, flamongos.
(UpdoLi#>J ldemdo3,2O0a3,400rs.porJibra.
- ,Ex*stm no porto 85 navios, a saber : 3 ametjea-
os, 3 austracos,-28 brasileiros, 2 finamarqueies
?fancze, 2 hauburguezes 16 mglezes, 7norturte'
zes 1 ritsflMtro, 3 scilianos, 9 sardos e C suecos.
Babia ; hiato brasileiro Exalacto, capitSo Joaquim
Antonio de Figueiredo, carga varios gneros.
lJcm ; ljate brasileiro San-Joo, capitSo Manoel An-
tunea Coutinho, carga varios gneros. Passagei-
roa, Miguel da Costa Dourado, Brasileiro; Joflo
da Conccisflo Bravo, Portuguez.
Greeni'ort ; galera americana taly, capilflo T. A.
Weld, carga a mesma qua trouxe.
New-Loudon ; galera americana Jtfferio, capilflo S.
L. Cray, carga a mesma qua trouxe.
Navios entrado no di* 25.
Santos; 40 dias, brigue sueco Argo, da 330 tonela-
das, capitSo P. Pelerson, equipagemll, em las-
tro ; a N. O. Bieber. Passageiro, -John Constable,
Americano.
New-York j 35 diaa, brrgue americano Franeii-P.'
Beck.de 247 toneladas, capiUIoJ. E. Avery, equi-
pagem 10, carga resina e lastro ; a Me. Calmont &
Companhia.
Lisboa; 30 dias, brigue portuguez Novo-Kmcidor^
de 164 toneladas, capitSo Antonio Jos dos San-
tos Lapa, oquipagem 13, carga vinho e mais gne-
ros ; a Thomaz de Aquino Fonseca. Passageiros,
D. Mara Angelina Augusta da Costa. Miguel Anto-
nio da Costa e Silva, Antonio Jos de Araujo.
Mferanhao; 29dias, hate brasileiro .San Jts, de 46
toneladas, capilflo Jos Antonio Brandflo, oquipa-
gem 6, carga farinha, arroz e mais gneros; a Jo-
s Cornos de Almeida.
Rio-Crande-d-Sul; 36 dias, patacho brasileiro
Franselina, de 111 toneladas, capitSo Joaquim Dias
de Azevedo, equipagemIO, carga carne; a Amo-
rim Irmflos.
Bshia j t dias, brigue brasileiro Algrete, de 194 to-
neladas, capitSo Francisco Luiz de Souza, oquipa-
gem 16, carga carne ; a Ainorim Irmflos.
Narioi tahidos no mamo dia.
Maranh.lo ; brigue-escuna brasileiro laura, capitS0
Antonio Francisco di Silva Santos, carga varios
gneros. Passageiros, Antonio Thomaz Rodrigues
com 3 esrravos, 1 dito, Braaileiros; Antonio Joa-
quim de Souza Mximo, Antonio Jos Vidal, Por-
luguezes. *
Liverpool; barca ingleza William-Ruisell, capilflo
John Coulding, carga assucar e algodflo.
Canal; barca ingleza Irl, capilflo T. W. Young, car-
ga assucar.
Em commissflo; vapor brasileiro Ptrnambncana,
commanflante Joflo MililSo llenrique.
Deca raides.
KDITAES.
AO ILLM. SR. FLIX JOS DEGUSU.lO LIRA.
SlliSiL DR 1UI11UI.
Pode do fado a furia inclemente
Aos areiaesda Lybia iransportar-me ;
Qual errante Judeu pode obrigar-me
A percorrer do mundo o orbe ingente :
Mas nao da mente
Os teus favores
Fcros rigores
Da infausta sorto,
Ssim mor te,
Pode rscar.
Pde-me a fatal urna atroz grimpar
A's rudes avalanches do Apenino f
A patria posso.irver de Constantino,
Ou sequioso o Wser esgotar :
Porm t'amar
De cora^So
DegiatldSo
Afirwfment do Porto.
Itavios entrado ng ira t4.
Baha ; 18 dias, ate brasileiro Stmto-Antonio-Ven-
cedor, d 43 toneladas, capullo Joflo Eslevo de
Araujo Jnior, cquipagem 7, carga charutos, fu-
mo, caf e mt'is gneros do paiz ; a JoSo Francis-
co da Cruz.
CaiMragibe ; 2 dias, hiate brasileiro Novo-Destino
de 21 toneladas, capitSo Estevflo Ribeiro, equipa-
gem 4, carga assucar, arfoz e mais gneros ; a Jo-
s Manoel Martina.
Babia ; 6 dias, patacho de guorra inglez tiritn.
comraandanie James P. Thuiburn.
Navios sahidos no mesmo*)*.
PIt0,"Ale8^; p,aUch0 ''ailciro -GmUnente, capjlSo
ardent" d" n0Ch"'' **f*suc" e *8<>-
O IIUn. Sr. inspector da tbesouraria da fazenda
provincial, em vfrtudo de resoluto do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, nos dias
90, 21 e 22 de marco prximo vindouro, ir a prac,a
peanlo o mesmo tribunal, para ser arrematado a
quem por menos fizer, o empedramento de 400 bra-
gas corrontes nos 6., 7.9, 8." o 9. laucos da estrada
do Po-d'Alho, sb as clausulas especiaos abaixo
transcriptas, e pelo prego de 3:400,000 rs.
As pessoas queso propozerem a esta arrematado,
comprelam na sala das sessOes dosobredilo tribu-
nal nos dias cima indicados, pelo meio-dia, com-
petentemente habilitadas.
K para constar se mandn aflxir o presente, e pu-
blicar pelo Diarlo
Secretaria da tbesouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 17 de fevereiro de 1849.
O 2. escriturario,
Antonio temira fAnnunciacio.
CLAUSULAS ESPEC1AKS DA ARREMATACO.
Estrada do Po-d'Alho.
Quatrocontas bragas correntes de empedramento
nos 6.*, 7., 8." e 9.- leos da estrada do Po-d'Alho.
1.' O empedramento feito pelo syetema Mao-Adam
executar-se pela forma, sb as condigOes, e do mo-
do indicado no ornamento approvado em 8 de feve-
reiro corrente pelo Exm. Sr. presidente da provin-
cia, e pelo prego do 3:400,000 rs
2.* Em todo o lempo das obras o arrematante dar
um livre transito os viandantes.
3.a. As obras principiarflo no prazo.de um mes,
acabarSo no de seis mezes, ambos contados em con-
formidade do artigo 10 do rogulamcntu das arre-
matares.
4.* O pagamento do imposto da arremalacfio rea-
liser-sc-lu en> qualr prestigOes, do 'modo indica-
do no art. lado regulamento respectivo.
5.a Para tudo o mais qu nflo est- determinado
pelas presentes clausulas, seguir-se-ha inteiramente
o que di|i0e o regulamento dusarreniatages de 11
de jullio do 1813.
Obras publicas, 14 de fevorairo de 1849.
. O engenhejr',
J. L. Wclr Liculier,
De ordem do lllm. Sr. inspector s!faz publico qo.
por esta thesouroria tem dse arretar urna embarcagn0
para conduzir do porto da cidade do Rio-Grajide-do-
Norle para a de Londres a porcia de po-brasil que
ali se acha prompta : aquelies que se propozerem ao
dito afiela ni en lo dirijam-aa mesma tbesouraria em
o dia terga-feira, 27 do crrante, pela volla do sanio.
dia, afim de se tratar do mencionado ajuste. Raer1
taria da tbesouraria de fazenda de Pernambuco, 23
de fevereiro de 1S4*.
No Impedimento do ofTIcial-onior
O ofllcial da secretaria
Antonio Ims do Amoral tilico.
-- Bevcrley Newcomen, esvasul deS. M. Britni-
ca nesta provincia, faz publico que, costa consig-
natario das mercadorias e despojos salvadas da at-
iera franceza Emond, naufragada as pedras da
Ponta-do-Mstto em a noile do dia 13 de Janeiro ulti-
mo, pela cessflo em abandono fcita pelo respectivo
capilflo, tem de proceder a venda em Iviieea pbli-
cos, por conta e risco de quem perlanoar, dea mer-
cadorias que se acharo.anda recolbidas jlfandega
que por esterem em bom estado, e livras de avarii
geral, serflo despachadas pelo annuncianle, leudo
principios os ditos leilOes do dia 26 do crranle m
diante ; o para qua cheguo a notda a ajfem fnr j9
inleresse mnndou imprimir opubliearo presente
Consulado brilannico era a Parahiba, 14 dsf#f(-
reiro de 1849. .
Bvtrhy Nsseoomtn.
Pela segunda secgflo do oonaulad praviii|
se faz publico que o prazo de 6 mezes tnsmilin
pela lei provincial n. 228, de 2 de setembro do asmo
prximo passado, para b pagamento da metas i,,,
dos cscravos, que se estiveraga a dever, sa linilis,
no dia 5 de margo prximo vindouro : em conse-
quencia, pois, desse dia eso diante nao as) receker
meia siza, que, visia da papel de venda), se quei-
ra pagar 30 dias posteriores a aoa data, em enjo cato
fiear aubjeito ao art. 17 do regalamanto de 11 4%
abril de 1842. Segunda secgfloldo consulado c-
vincial, 15 de fevereiro de 1848.
O escrivSo chefa da segunda teccSq,
Thiodoro Hachado Frein l'ertir* da Siltm,
OBRAS MILITA
A directora das obras militares compra as madei-
rss seguinles, sendo todas de construccSo :-para o
quartel dos aprendizes menores 30 travs de 24
palmos de compr imenlo; 9 ditas de 3a palmos de di-
to, todas com 8 porgadas do largura e 7 de altura ;
5 ditas de46 palmos de comprmanlo, 1 dita de54
ditos de dito, sendo estas com 10 pollegadas de lar-
gura e 9 de altura e 4 enchameis de 36 pafnios de
comprimento;para o paiol da plvora, ao loria do
Buraco,.17 Iraves de 26- palmos de comprimento :
auem liver das ditas madeiras comparega na obra
os aprendizes menores, no dia 27 do corrente, ,
10 horas do dia, para ajstar.
Directora das obra militares na cidade dafisci-
fe, 24 de fevereiro do 1849.
J.E. Ferreira 4 Araufo,
Major director.
Avisos martimos.
A cmara municipal da cidade de O/inda f teu termo,
' em vii lude da 1*1, etc.
Faz saber aOs habitantes do seu municipio que,
nos dias 23 e 26 do corrente, hilo de ir praca as car
sinlias da ribeira, para serem arrematadas de renda
annusl. Quem quizer arremata-las comparega na
sila das sesscs no dia 26, por ser a ultima praca,
devendo moslrar-se competentomenle habilitado.
Pagoda cmara municipal da cidade de Olinda,
20 do fevereiro de 1819 Francisco Jos do Amoral,
Manoel Joaquim de Miranda Lobo.
CURSO JURDICO.
De ordem do lllm. Sr. director dcste curso jurdi-
co fago saber a quem convicr, que do flm deste au-
no por diante os exames preparatorios das tres lin-
goas serflo felos indislinctamente, e sortes nos
livros seguidles :
LATIM .
Tito Livio, Odes de Horacio
Eneida de Virgilio.
FRANCEZ
Telemaco e Fbula de U Fontaine o Genio do
ehrislianismo de Chateaubriand e as Satyras de
Boiletu. '
INGLEZ
o Vigario do WakeOeld por f.oldsmUh e a Historia
romana do mesnib, as Estates de Thomson e Parai-
zo perdido por Milln.
Secretaria d'academia jurdica de Oliuda 16 de
fevereiro da 1849. '
Eduardo Soares de Albergara,
Secretario interino.
Para o Rio-de-Janciro sabe com a maior lue-
vidade possivel, o brigue Viicondt-di-Cammm : pa-
ra o resto da carga, escra vos a frete o passageiros,
para o que tem bous com modos ,. trata-se com No*
vaes & Companhia, na ra do Trapiche, n. 34.
A barca Bella-Ptmambucana sali impreterivel-
mente para o Porto no Jia 8 de margo prximo : 01
Srs. carregadores queiram levar quantoa antas os cn-
nhecimenlos casa do consignatario, na lua'da
Cruz, no Recife, n. 34, terceiro andar.
Para o Ara cal y segu com hrevdade o hiate
Ducidoto: para carga o passageiros, trata-se com
Jos M. Marlins ao lado do corpo'Sanlo loia n. 25.
Para o Rio-Crande-do-Sul segu com brevitia-
deo brigue ero : recebe alguma carga a frele:
quero pretender eutenda-so com Leopoldo Joscdi
Costa Araujo, na ra da Moda, n. T.
Segu viagem para o itio-Cranda-oVSul o
bem conhecido brganlim S.-Marim-Bea-Sorle: race-
be cscravos a frete e passageiros, saliir al o fim
do corrente mez :os pretendeules dirijam-se i pra-
ca do Commercio a fallar com o capilflo, ou ao es-
critorio de Manoel Goocalves da Silva, naruidi
Cadeia do Recife.
I'aia o Poeto sabe, oom toda a brevidade por
terarhaior parte de seu carregamento prompta, o
brigue portuguez Vtntura-Fcli;, do qual he capitSo
Zeferno Ventura dos Santos : para carga e patsa-
goiros para o que tam excedentes cominodos tra-
la-Se com o capilflo, ou com o seu consignatario,
Joaquim Ferreira Mendos GuimaxAaa, na ra dt
Cruz, ir. 49.
Para Lisboa sahe, com a maior bravilae, po'
lera maior parte de sua carga prompta o brigua
portuguez S.-Domingo capilflo Manoel Gongalvcs
Vianna : quom no mesmo quizer anegar, ou ir da
passagem para o que tem excedentes ommodos,
(liriia'-se ao referido capilflo oii ao seu Consignata-
rio Joaquim'Ferreira MendesGuimarSes, na ra da
Cruz, n. 49
Para o Rio-de-Janeiro sahe^ com muita brevi-
dade, por ler parla de sua carga prompta o patach o
nscioual FUilerpe : para o restante da carga, escri-
vos a frete e passageiros para o que lem excelen-
tes com modos trata-so com Luiz Jos de S Anejo, o |
na ra da Cruz, n. 33.
OragOes da Cicero e
Avisos diversos.
III
Obacharel formado em niathematicaa,
Bernardo Pereira do Carmo, tem aberto
um curso das seguintes disciplinas: ari-
thmetica, algebra, geometria, trignma-
tria rectilnea : aquellos Srs. que o quiza
rem frequentar, dirijam-se ra larga do
Rozarioi n. 12, segundo andar.
O meio bilhete n. 264 da ultima terceira parte dt
18.* lotera a favor das obras do diestro publico des-
la cidade pertence ao doutor Pedro Pereira 4a Sil-
va .Cuimaraes, morador no .Cear.


3
- O abaixo assignado relirt-se pira fra do impe-
rio e (o ilguem te julgar sen credor aprsente su
oonla fla ra da Praia n. 50.
I Antonio do Reg de Mello PimtnUl.
- Quem precisar de urna ama para o servio inter-
no de urna casa da pouca familia, dirija-se a. ra
Augusta, n. 5. .
- O abaizo assignado fol nomeado curador; pelo
juiao do orphllos. do Sr. padre V?*!i !.
lino dos liis e se iclu na administrado dos bens
do scu curado, o que fax rabile* P,r*(aU. Z.
tivar negocios como referido Sr. padre nflo os possa
tratar c7m elle, ou outra qlquerA,p6"* 11 m
Ma o raeauo abaixo signado, sob pena deoplli-
dade. -14amia flanoel.de Mortm da Uesquua Pf-
inuett *
--QSrs assignmte da Litio, Potica queiram
ter .Uondado de mandar receber o rosto dos nu-
mera qu Ibes faltan Jo 'erceiro volume refor-
mar ai auas asignaturas para o quarlo volume,
e reoaber ji os us. I a 3 na fu daCadea de Re-
cife, leja de Joflo da CUnha Hagalhes.
Aula de primeiras leuras.
Ensaam-se meninas a ler, oscrevex, contar, gnm-
milicaaaHaipreza, costura, livirinlo, bordar de
loJisas qualidades, deseda e inalizos, tudo oom
perfeicSo : tambem ae eniinam meninos a 2,000 rs.
raensaei : na rui di Oadoia de S.-Antonio segundo
andar do sobrado da esquina do becco do Ouvidor.
- ManoeU'oreira de Castro ombarca para os por-
tos do sul a aua escrav Thereza, de Angola-
Aluga-se um sitio na estrada do llozarinho de-
fraete do sitio do fallecido Manoel Jos de Almeida,
cor bastante* frutoiras: quem o pretender, dirija-so
a ru Augusta, u. 36. .
*m Furtaramdo engenho Calumda, froguezia de
S.-Louronco-da-Malla, no dial l da fevereirodo an-
no do 49, um ca'vallo cun os seguintec aignaes e
forro: cistinlio amarello, bom tamanho e grossura,
tama aarnellu muilo alta, urna grande estrella na
testa, uma mao Urania : possue um carrego .curto e
obrigado, bola a clin i direita, e tem a idide de 6 a
7 annos: qaem d'elledor noticia oerta, ou o trouxer
ao dito ougenho, ser bcm recompensado.
.-Alug-aa, ou compra-sj um oscravo que em-
tenda do sorvico de padaria : na ru DiroiU t pada-
rian. 8a. ..
--Manoel Antoaio Alv.resde Bnto etibarca para
fra da provincia o seu oscravo Paulino, de naclo.
Desencaminhou-se doeorroio uma carta, vindi
' do Rio-de-Janeiro em setembro do anuo passado
para l.uiz Borges deCerqucir*. Rog-se, portanto ,
a pesso que por engao a lenlia tirado a queiri
restituir na ra do Vigario, n. 5, visto qua nada pode
intereasara pessea que a lenlia.
-O padre Leonardo AnlunoiMeira llenriques en-
sini particularmente theologia om casa de sua re-
sidencia, no hospital do Panizo.
A pessoaque souber, ou tiverque dizer alguma
cousa respnito o prjcodimenlo do abaixo assigna-
do. annuncie por esta follia dentro do prazo de oito
dias sem excepeflo de praticado algum sb pena ,
porm, de justifcaeflo e rasponsahilidade. Anto-
nio Evaritlo da Roeka, proprielario do engenho L'ni-
ver>o, na freguezi* di Agoi-Proti.
Itoga-se ao Sr. T. A. 0. que h de nflo conti-
nuara fallar mal contra os oliciaes doquarto bala.
linio de arlilliari p, pois veja que ellos nBo silo
us sous caixeiroa, que, quando aahem de sua casa, o
Sr. paga-oscom dividas de defuntoa, eujte dividas sao
feilaa por ordom de S. me., como consta a todos; e
so algum dos ofllciaes lite deve, dirija-se com bons
modos, e nflo ande desacreditando-os, do contrario
do que llio acontecer nflo se queixe : isto Ihe pede
uoiaeu amigo que Utedeseja mullos annoa de vida.
Um pai de familia.
~ O eachartl Jes Antonio de l igueiredo entina pki-
lotophia e geometra em cena de sua residencia, na ra
largado Rosario, n. 30, prtmciio andar.
Agencia de passaportes.
Na ra do Colle'gio, n. 10, e no Aterro-da-Boi-Vs-
ta lojas as. 48 o 78, continuam-se a tirar passapor-
tes Unto para dentro como para fra do imperio,
assim como dcspacliam-se escravos, ludo com bre-
vidade.
Antonio Crauon & Companhia, ra Nova,
n. offerecero ao respotcvel publico o a aeus fre-
guszeaosorlimento seguidlo:
........-- Conservas
de sirdinhas, herviluas, juliennes, cenooras, osel-
les, copes, espargos, covc-florns, trussas chouri-
coa conservas surtidas com vinagre frascos com
fi utas sorti Jas, inostsrda, galeas de grozelas e de
marmelada etc. presuntos para fiambre, salames
de arles. *
Vinbos
I de Bordeaux em quarloltse engarrafas do divorsos
presos e qoalidades dito de S.-Julien dito do
lloussillon, dito da aladeira dito do Kivesaltes di-
to moscatel, dito de Cnampaiilia, etc. '
Licores doces
finos, em garrafas muilo ricas, de todos os precos e
qualidades.
Licores espirituosos
Antonio Luii dos Santos & C. embarcam para a
villa d'Atalaia, na provincia das Alagos, o cabra Pa-
tricio, para ser entregue a seu sonhoxo tonento-co-
ronel Joaquim Tenorio Je Albuquerqua.
100,000 ris de gratificado a quem descobrir
doos escravos' furtados do telhelro da rosliUcflo de
Franea &4rmfio, na praia de S.-ltiin, na noile de
quarta-feira 21 do corrente fevereiro, ambos de na-
c.0o Bengiela, e mel bucees, com osseguintes sig-
naos:.Manoel, alto, magro, .rosto redondo e peque-
no, ir alegre, ps e milos pequeos, canellas finas,
representa 25 annos de idade, levou vestido camisa
e calca de riscado dealgodfiozinho, fui vaccinadoha
poupoa dias; e Joflo, tambem alto, porm menos
qua o outro, grossura do corpo correspondente ha
altura, rosto sobreocomprido, testa larga e arram-
pada, ps grandes, lornozelos ochados, venlre
bastante saliente, falla um pouce fanhosa, repre-
senta 35 annos de idade; tambem foi vaccinadoha
poneos dias, levou vestido camisa de algodSozinho
riscado o calca de algod.lo azul: quem os appre-
hender, ou delles dr noticia certa, recebara, 100/
ris de gratificacAo, na ra do S.-IUta, n. 85.
C. Starr & Companhia, convencidos de que a
conducefio das formas de assucar para a casa de pur-
gar, he sem JuviJa n sjrvco que roais mortifica a
esersvatura d um engenho, e desojando quanlo
possivel he o melhoramento dos Srs. agriculores,
lem inventado e conseguido construir varios car-
ros de ferro que facilitam de uma maneira admiravel
este pesadissimo trabilho.
As pcssois interessidas s.lo convidadas a inspec-
cionar, na fundrcao da Aurora em Santo-Amaro, esta
mui ulil invenrao. **
C. Starr & C.
Embarca-se para o Rio-Grinde-do-Sul o mole-
quedenomeFabiilo, pertonccnle a l.ourenco Jos
de Moraes Carvalho.
l)1o-se 500,000 rs. a premio sobre hypotheca em
urna casa :-quem pretender dirija-se ao Alerro-da-
Boa-Vista, luja de sapateirn, n. 3.
~ Manoel Jos Coclho de Freitas, Portuguez, re-
tira-se para fra do imperio.
- Jacintho Antonio Affonso rotira-se para fora do
imperio.
Bernardo Fernn Jes da Cunha relira-se para
forado imperio. .
~ Precisa-se do um amassador para padaria que
onlenda bem de amassar : na ra Uireila n. 69, ou
na padaria dos Afogados.
Precisa-se alugar uma casa no bairrode S.-An-
tonio, sendo as ruis da Cadoia, Nova, Cruzas, Quei-
mado,.Collegio e Crespo;: quem tiver annuncie por
esta folha ou dirija-se ruada Cadeia de S.-Anlo-
nio.casa'de BenloJos Fernanes Barros, defronto
de S.-Francisco.
Aluga-se uma ama de leite : quem precisar di-
rija-se s Cinco-I'onlns, n. 1i0.
Precisa-se de um feitor para uma otaria perto
desta |uaca que entend perfeitamente da arle ,
e seja luro da praca : quem se iChar nestis circums-
tauciase der fiador a sua conduela dirija-se a ra
larga do Rozario, n 18.
-- Precisa-se uma ama do leite : no pateo de S.-
Pedro sobrado de um andar n. 9.
Domingos Francisco subdito portuguez, reli-
ra-se para Portugal com sua familia.
Antonio Jos da Silva Chrispiniano, subdito por-
tuguez, va i ao Cear a negocio.
-Joilo Jote Marques de Araujo embarca para o
Rie-de-Janeiro o scu escravo Manoel, de na^flo An-
gola.
Lotera do Ihcairo publico.
Nlo obstante a morosidade que tem havido na ven-
da dos bilhetes da ultima terca parle da 18.a lotera,
todava o thesoureiro, desejoso de fazer andar as res-
pectivas rodas o mais breve possivel, convida ero-
ga aos amadores desto jogo que so apressem a com-
prar o resto dos bilhetes que existom.
-Nopatooda matriz de S.-Anlonio, sobrado n.
4, liram-se passaportes para dentro e fra do impe-
rio assim como para escravos, e correm-se lolhas,
por prcc,o commodo.
osencamiiiharam-se, da livraria ingleza, dous
volums de urna obra ngleza intituladale Israeli's
Curosites ofLiteraluro : quem levar os ditos
luja do Sr. Jo.lo Carroll na pra;a do Corpo-Sauto ,
receber a gralifica(o de cinco mil rs.
Aluga-se a venda da esquina da ra do Caldei-
reiro com armigflo para molhados, p_or mdico
aluguel, a qual he ptima para quem quizer princi-
piar : na praca da Independencia, livraria ns 6 e 8.
Fr. Joflo Capistrno de Meiidonca professorde
geographia e historia do lyceu desta cidado, tem
abci to no convento de S Antonio as aulas seguales :
de philosophia rhelorica, goographii, historia c
historia sagrada e ecclcsiaslica : as pessoas que us
quizerom frequenlar ,o podorflo procurar no men-
cionado convento, qualquer hora.
MDANCA.
1 W. Raynon cirurgiflo dentista participa ao
respcilavel publico quO mudou a sua residencia da
ruada Cadeia de S. -Antonio para a ra do Trapiche-
Novo n-14, de biirro do llecife terceiro andar,
onde contina i calcar e por denles artificiaos e as
mais obras de sua proflssfio.
--Ocoronel BenloJos Lemenha Linsfiz constar
ment
Sorveles
loa os dias das 6 horas em diante. e todas as
lualidades da refrescos. Um lugar fresco e agrada-
re I foi disposto nesta iutcnclo.
Deposito de charutos
i Francisco Croz da Baha, ditos da fabrica de
-Flix e oulroa.
i proprielario* dest 'tabelecimento mpreg-
i todos seos esforcos para salisfazer os freguezes,
tinta pela boa qiiatidade dos gneros como pola ba-
rate Boa precos.
DENTISTA.
M. 8. alawson, cirurgiflo dentista, tendo-se de re-
tirar breva para IngUlcrra, offereceoseu p res tinto
ao respettavel publico desta cidade, durante o curto
eapaco de tempo que anda tem de so demorar, em
quinto arraiga os preparativos de sua viagem ; sd-
verlindoque lera incansav! em servir bem a todas
s pessoas quesequlzerem ulilisar ilc sua arle, que
rara a lempo, e lambemeom cmniodidade nos pre-
?ea; ptm-o procurar em casa de sua residencia,
na ra Nova, n. ai, l.o andar.
voacfio do Abreu com lodos os sitios e terrenos, an-
nexos, os engenhos Manguinho, Agoa-Fra, Pao-Fer-
ro, inetade do engenho Bom-Jardim edeoulrosquo
se levanlaram as mesmas trras, a propriedade Ca-
melcira, inetade da propriedade San-Josc-da-t.'ora-
Grande e inetade das Ierras da povoicflo dos Barrei-
ros. Tambem se negocia o bomcoohccldo engenho
Jurissaca, sito as varzeas do Cabo, mocte enrenle,
com escravos, bois e tudo o que Ihe perlenco. A con-
tratar oom o mencionado coronel nusta praca, na
ra do Seve.
Precisa-so de uma pessoa capaz, para servir
de ama em urna casa de pouca familia para tolo o
servico de portas a dentro n ra Nova, n. 41.
*- Tendo-se entregado no dia 30 de Janeiro um
buril de manteiga com a marca diamante C, n. 38 e
com o peso de 9 arrobas e 21 libras a um preto ga-
nhadore condecido, pira entregar na casa de pasto
Hotel-Francisco acontece quo este nflo recebeu o
dito barril; e, como nflo appareca por ora o dito pre-
lo pede-se a qualquer pessoa que recebesse dito
barril por engauo ou souber onde elle esteja, diri-
ja-se ao armazn) n. 7, no ccs da Alfandcga ou na
ruada l'raia, aobrado n. 39, e islo antes que o
preto appareca para dizer onde enlregou.
-- D. J. D. de Ollveira embarca para o Rio-de-Ja-
neiro a preta Adriana, crioula.
Bernardino Pinto retira-se para o Rio-de-Ja-
neiro.
Na galoria de daguerrolypo do artista Guilhor- &
me Fredcrico Walter, na ra da Cadeia de S.-
Antonio, n. 26, terceiro andar.jtiramse reir-
tos muilo superiores,pela InVencSo do Daguer- <$
rer, tinto em fumo como coloridos, das 7 9-
f horas da manhSa as 5 da tardo; allrmando-se (f;
e garantindb-se tanto a dnrabilidade das c-
8 res, como a porfeila semelhinca. m
As.pessois que se dignarem favorcc-lo diri- f
jim-se casa cima mencionada. (9
N. B. Adverte-se ao respeitavel publico quo ?
tem uma machina para tirar retratos das 4
criancas no cspiQode 15 segundes, o terflo lu-
gardas 10 horas as duas da larde. ?
f
#t ~ Cincinilo Mavignier, retratista, faz saber 10 res-
peitavel publico quo "tem recebido sempre grando
porclo do tintas finas, inarfim para mcnialura.e que
contina a desempenhar as obrigaQesdeseu minis-
terio ; assim cerno pede ncarecidamenle a todas
aquellas pessoas que tecm retratos em sua casa hu
mais de 6 mezes queiiimter a hondido de os ir
buscar, e que espera sej allcudido na travessa do
Carino, n. 10, segundo indar.
Antonio do Rogo, sublido purtuguoz, retira-se
para fra do imperio.
Avisa-se ao respeitavel publico que ha sermto
quaresmal lodos os sabbados, das 6 s 7horas da lar-
de na igreja de N. S. da Concoigflo dos militares ,
sendo pregador o muilo reverendo Sr. padre mestro
pregador imperial Fr. Joflo Caprislano de Mcndonca.
-Manoel Antonio Vieira retira-se para fra do
imperio com sua familia.
j?l fc
5
Ilomccopathia.
I Primeiro consultorio gratuito para os pobres *
na ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 22, dirig-
do pelo Si-. J. B. Casanovu medico.francez.
? Este consultorio estar abcrlo desdeas 9 do-
ras da mandila at as 4 da larde. Us pobres
recbenlo consullas c remedios groluitanien- 99
4 te: apresentando um attestado do pobreza do
seus vigarios, ou mesmo de outro qualquer
sacerdote. t'
#h v'
3^ts
Perdeu-se, no'dia 21 do corrento, um concliz
muito manso, da cas da ra da Aurora, n. 26: quem
o achou, quereiiilo icslitu-lo, lve-o mesma cusa ,
que receber 10,000 rs de gratificaQo.
Quem precisar Je um cont do ris a premio so-
bre hypotheca e seguranca em prodos nesta praga ,
livios e desembaracados dirija-se ra Sova 11.
14, segundo andar, que se dir quem d.
CHAPEOS DESOr||
Ra do Psseio, n. 5.
Oh! quo peilncha parao amavol o respoitavcl pu-
blico : novas sedas da mnlhor qualidado quo se po-
de fabricar, porsarem deincotnmenda e da meldor
fabrica de Franca, recelijdas agora.
O fabricante dcslo estabeleciment adverte ao res-
peitavel publico desta cidade que ello possue pre-
sentemente um rico sortimenlo de chapeos do sol,
assim como chapeos deso de seda furta-cres, dos
mais ricos que tenm apparecdo noste mercado, o de
cores condecidas .ditos para senlioras de bom tom
adamascados, lavrados.com suas.competentes Tran
jisderetroz, ludo que tom do n.ais moderno o di
melhoT goslo ; um completo sorlimento de chapeo,
do sol de panni.nho de todas as cores o do todos os
lmannos, para homens, senhoras e meninos : ha
tambem igual sortimonlo de faicndas para cobrir ar-
maces, tanto de sedas de cores, como de paiininfios
trancados e lisos imitando seda. Advorte-se que os
freguezes serflo servidos com brevdadn, eseacha-
rflo salsfelos da boa qualidado, do bom gusto o do
bom preco. *
Toda attencao ao que lie bom.
Deposito de rap andarahv
c imperial.
Na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, escriplo-
riodoJos de Almeida Brrelo Bastos, vende-seo
bem acreditado rap andarahy e impenal, fabricado
no Itio-dc-Janciro, sendo o nico deposito nesta
provincia; assim como se vende a retalho as sc-
guiules casas : ra da Cruz, II. 62 ; beceo da l,in
gota n. 3 ; ra do l'il .r em Fora-do-IMtlas ,11.
86;rua da Cadeia do Recife, ns. 17 e 19 ; ra do En-
cantamento, n. 4'; ra do Vigario ,11 11 i roa da
Cacimba, n. 2; ra do Cordomz, n. II ; ra dot.ol-
legio, u. 9 ; praca da Independencia, ns. 4 e 39 ; ra
do Queimado, ns. 10, 16 e 33; ra do |..vramcnto,
is. 4, 5 e 38 ; ra da l'eulin, venJa da esquina, por
oaixo do coronel Joaquim Bernardo de Figumredo ;
ra Direita, ns 6, 16, 53 95 o 141; ra dasCinco-l'on-
1s, ns.*50e 82; ra Imperial, 11. 2; pateo do (.ar-
mo 11. 2 ; ra larga do i'.ozario, ns. 29 c 3->; ra uaa
Cruzes, n. 40 ; roa do Cabuya, ns. 1 e 7 ; ra Nova,
n.50 Alerro-da-Ga-Vista. ns. 3, 46 c 54; praca da
Boa-Vista. 11.17 ; Ponte-Velha ns. 23 o -5i ; pateo
da S.-Cruz, n. 106.
Vendas.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000^000 de lis.
Na loja da pra?a da Independencia, n 37, acaba do
ebegar um novo sorlimento moios bilhetes, qnar-
tos, oitavos e vigsimos da lotera do Rio-de-Ja-
ncjro, caApedida a benelrbio da casa da Misericor-
dia da cono. a mesma loja se.moslra a lista da lo-
tera passada e se trocam os bilhetes premiados.
Vende-se um orgflo piano forte proprio para
uma pequea igreja ou capella do engenho 4 rea-
lejos de diffeientes timanbos, rom muilo ricas
msicas ; tambera tem um com tambor o cornetas,
que locam immitanJo msica militar: tudo se vendo
por preco muto commodo por se querer liquidar 1
no Aterro-da-Boa-Vista (abrir de licores, n. 17.
Vende-se a vcrdaileira e muit su-
perior farinha SSSF a retalho e em por-
ics ; dilas de nitros autores : na ra do
Vigario, arina/.i'in de Trancisco Alves da
Cunha, n. 11.
Na ra do Caldcireiro, n. 34, ven lem-so ps do
panuira, e'm estado de seiem Iraiisplanlados, sem o
menor riseo.
Vende-so uma banca redonda do angico quasi
nova, propiij para moio de sala : na ra da Senzal-
la-Velha, n.70.
Vendcm-se igos-dc-cnmmadre no-
vos e frescos, a 100 rs. a libra ; 110 paleo
do Carmo, loja do sobrado de Gabriel An-
tonio, n. 17".
-- Nosarmazens 11. 1 do cns da Alfandega e do
fallecido Braguez ao p do arco di Concenjilo, ven-
de-se superior farinda de maadioea em saccas 'do
alqueice, por preQo commodo.
No armazem de las Ftu reir, no caes da Alfan-
dcga vende-so superior farinha de maiulioca cm
saccas de alqiieir.i ; bem como superior polassa em
barriquftmfcr, desembarcad! da poucos dias, por
pre(o commodo.
Aovas cliihis escarales.
Acaba de cliegar ta ra do l.vramonlo, n. 11, um
i'icosorliinciilo destas editas a itniUQSo de velludo,
vendeui-so'pelo diminuto prego do lie/e vintenso
covado; e outro ^sorlimento do chitas escuras, pelo
prego de novo vileos.
Agoa de pcrola.
para tirar sardas, rugas e cm-
bellezar o rosto.
F.slo eclodre cosmtico foi por muito lempo s
condecido de poucas pessoas nos Estados-Unidos;
porm sua grande ulilidade tornou-o o comestico
mais popular qu>;se usa nosloilcls moderuos : cus-
a cada fcasco 2,000 rs. envollo no compelenlc re-
ceiluario; vende-se no escrploio do Novacs x
Companliiu, na ra do Trapiche, 11 34.
Gotas egypciaes.
Compra-so ouro o prat : na ra do Queimado,
n. 14, segundo andar. Na mesma casa vende-se, pa-
ra liquidacto e por todo o pmc<>, sarja de soda lisa
e laviada para vestido, dita le cores para casa mon-
tos los protos chales do soda o oulrns umitas fa-
zoudas.
Compra-seumameilald de S.-Benlo-de-Aviz :
na praca da Boi-Visti, venda n. 13
Compra-so um conlflo de ouro com pouco po-
so, e que nflo exceda de uma vara de comp ment :
quem tiver annuncie.
Compra-so uma esernva moca com hlhlMda-
des principalmente le cozinha e ongommado, pro-
ferindo-se recolhida : paga-so bem: na piai.-.i do
Commercio, n. 2, primeiro aadar.
Remedio sem igual para a dor de denlos, ja bcm
conhecido no Rio-dc-Janero o as provincias do sul,
pela sua elllcacia cm allivarrapdaincnto a dor mais
tenaz,qur s-ja,motivada pela crie,qur por inflam-
inacito; mas s a experiencia do.uina prova Ibo da-
r o levdo mcrecmoiilo. Vendc-se no escriptorio
de Novacs & C, ra do Trapiche, n. 34.
Freu'iiezia.
No paleo do Torco, vomla n. 7, venile-so vinho
da Figueirl a garrafa a 160 rs.
-- Vendo-so um molequc de 3 a 4 annos de i Jado
c uma cadeira de situar nova o muilo rica : na
ra Bella, n. 40.
Veiulc-sc uma negra crioula, engommadeira o
coslureira : na ra que vai da Trempro para o Mou-
deyo, casa n. "f.
Chitas a 110 rs. o covado.
Vendem se chitas de cores e de boni-
tos padres a sele vintens o covado : na
ra do Crespo, 11. 4\ toja da esquina que
volta para a cadeia.
No Aterro-da-Boi-Visla loja n. 78. vendom-
o, sapaU'ies grossos a 1,000 rs. o par ; ditos do Arn-
caty a 1,000 e 1,880fa snrratos do lustro para se-
ndora a 2,800 rs.; ditos para meninas a 1,9i0 rs.;
ditos le cordovflo, a 1,280 rs. ; botins para homcm ,
a 3,000 e 5.000 rs. par ; sapatos lo sola e vira, a
8,000 es. ; balius de madeira envernzados do virios
lmannos c precos ; bonetes riscados 1 -2*0 rs. cada
um ; ditos para meninos a 800 rs. ; ditos de mar-
roquim preto |>ara homom 2,500 rs. cala um ;
ditos Vende-se um avallo de sella com muito bons
andares : na ra do Cccspo, loja ns 8 A.
Cig'an-ilhosde paiha de miiho:
venilem-se unciincnlo no armazem do moldados
atrs do Corpo-Sauto, 11. 6G.
Na roa das Grates, n. 82, segundo an lar ven-
dcm-se duas "M-civas sendo una uogrola de 16an-
nos o a outia do 33 a 40 anuos ; um noleque do 16
annos; um escravo do 88 anuos, com babiliilades
quo so dirflo ao comprador.
Mobilias muilo baratas.
Na roa Nova aruiazem de trastes
defronto da ra le S.-Amnro vendein-se riquissi-
mas mobilias de Jacaranda o mogno do mclhoc gos-
lo alem do um completo sortimonlo do trastes do
lodas as qualidades, bcm como cadciTns americanas
de pao e do palbinli eaderasde balancodo pao O
de palhinlia, litas de bracos, propnas para se es-
crevor ditas paia sendera, banquiihos paca as se-
ihorasporem os ps, ba.n.iuinhas do costura cadei-
rindas alias para moninos coniprom mesa guar-
da-vestilos de amarello o de mogno marquezasde
oleo muilo lories e outros muitos trastes por pro-
co multo commodo alleudondo a boa qualidado.


'



g
i
_. ~"j "_lj""'^=
Vcndem-se sellins nglezes c camas
de ferro : na ra da^enzalia-nova, n. l\%.
'ende-sc a verd dcira potassa da
Russ.., desembarcada tontein, por pre-
co mu lo rasoavel, vi ta de sua mullo
supeiior qualidade : na ruado Trapiche,
ir. 17, e ra da Cadeia, n. 34
Madeira de pinho.ft
Na ra de Appollo, pegado ao armazom do Sr.
Motta ha um novo armazem rom madeira do pi-
ano di melhor qualidadoque tem vindo a este mer-
cado e serrado de todas as grossuras e comprimen-
Ion : vende-se pelo menor prego que he possivel.
Vende-se vinho do Porto, muito superior, o
de oulras qualidades em barris de quarlo, quinto,
scito, stimo oitavo eem pipas, por prego muito
commodo : na ra do Vigario armazem de Fran-
cisco Alves da Cunta, n. II.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Baha ,
muito.proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-so em casa de N. O. Biober & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
CIIA'BRASII.F.IRO.
Vende-se.ou armazem de molhadns, atrs do
Corpo-Santo, n. 66, o mais excellente cha produzi-
do emS.-Paulo, que tem viudo a este mercado ,
por prego muito commodo. .
Presuntos.
Vendcm-se superiores presuntos inglezes para
Hambre chegados no ultimo navio: no armazem
o liraguoz ao p do arco da Conceigffo.
FAREI.U EM SACCAS DE 90 LIBRAS :
vende-se no armazom de Vicente Ferrcira da Costa
na ra da Madrc-do-Dcos, a 3,500 rs.
Tahas para engeaho.
Na fundigflo de forro da ra do Brum acha-so a
venda um completo sortimento de taixas de a 8
palmos 'lo bocea, por prego commodo, e com promp-
tidflo embarca-so. ou carrega-se em carros sem des-
pozas ao comprador.
Vondem-se semeas em sarcas muito grandes,
a 4,500 rs. : na ra da Madrc-de-Deos, armazem de
Vicente Ferrcira da Costa.
Vendem-so queijos londrino os mais frescaes
que ha no mercado ; massas linas a 30 rs. a libra ;
chocolate de cancllu, lino e de Lisboa; latas com sar-
dinlias ; azeite doce lino, por prego commodo: na
ra da Cruz, n. 62
Vendem-so, na ra eslrcita do Hozarlo n. 8,
os seguidles livros : Diccionario Magnum Lexicn ,
dito de romees, dito de fbulas dito de composi-
i.'.'n) latina dito caltepinos, dito Fonsecaem fiancez,
dito porttil, dito da academia franceza Proso lia
de liento l'ereira, Selecia, Fbulas, Comelio, Salus
tio, Sinlaxe do Dantas, artes latinas do dillerrntes
autores, Vlgilio. Horacio, Carlas de Cicero Teren-
cio Ovidio Tito l.ivio, Expositor de Horacio, F-
bulas, Salustio gramniatica franceza de difieren tea
autores dita ingleza, diccionario de Vieirn porta-
til e grande dito francez o italiano Breviarios l-
manos em 4 v. rica encadernagio impressio
franceza e inui pequeo frmalo, cartas de a b c, ta-
bnadas, calhecismo de doutriua de ililTereutrs auto-
res apudautas. procuragOes bastantes leltras, lias-
lados papel pintado dito de escrever, e oulros
muiloslivros que para nflo licar muito extenso o
anuunciose nflo publica ni.
Vende-se a armagflo da loja do fallecido Ticsso ,
a qual he feita com toda a pcifeigflo toda de ama-
rcilo db primeira sorlc loila envidragada o forrada
le louro, por prego commodo: no Alterro-da-oa-
Vista, n. 17.
o sitio da Passagem-dc-Olinda de Francisco
Antonio de Carvnlho Siqueira vendcm-se dous bois
mansos (ilhns do pasto ; urna carroga em bom esta-
do ; um novilhote ; um quarto capado e farinha :
taihbcm se faz negocio com ludo a troco do vaccas
paridas; ou para isso, sendo du boa qualidade.
Vinho barato.
Acba-se estabelccido na ra da Madrc-de-Deos ,
n. 3G um armazem de
Viuhos da Figueira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para n3o haver dolo do com-
prador serflo lacradas as garrafas e com rotulo, ro-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se inmediata-
mente a nutra chcia tambem ha barris muito pe-
queos, proprios para quem passa a festa. O pro-
pietario dcsle cslabelecimenlo pede encarecida-
mente que se n.'io illudam avallando, pelo diminuto
prego e sem conheciinenlo de causa a qi adade de
sua ,./. r, la digna por certo da eslima os verda-
deiros amantes da boa pinga. Elle cunta que quem
urna vez provar continuar com goslo c sem arre-
pendimento. E o bom prego!!.' A lodo o exposto
accresce o asseio e boro acoudicionamento o que
tudo se peder verificar em dilo eslabelcciineiilo.
Pl'UO VINHO DA FIGUEIRA.
Existe no armazem de molhados, atrs do Cor-
po-Santo n. 66 uuia.grande porgflo deste genui-
no vinho que se esl vendendo pelo diminuto pre-
go do 1,120 18 a caada c a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem ha em pipas que se vender mais em conla he
este o melhor de lodos os viuhos que se teem an-
nunciado pela sua.simplicidade e ptimo paladar:
quem urna vez o beber jamis dcixar de o com-
prar.
Na padaria da ra da Guia, no Recifc haver
todos os das a venda o novo pilo de Provenga fa-
bricado poroulro mudo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por este motivo n3o se
pode fazer senflo a 40, 80 e 160 ra.
-- Vende-se a vendada ra do Apollo, n. 2J, com
poucos fundos : quem a pretender, dirija-se a ra da
Maiire-de-Dcos, a Iratar com Vicente Ferrcira da
Costa.
Vcndem-se barriquinhas com cal virgen) de
Lisboa, muito nova ; fechaduras para portas de
armazem relroz do Porto; barra com alcalrSo ds
Suecia ; por prego commodo : na ra do Vigario ,
n. 11, armazem de Francisco Alves da Cunta.
Vcndem-se taboas america-
nas' aleo palmos de largura
c do lodos os compriincnlos,que ha muito lempo no
leem vindo e os freguezes experimentando a falta
desla excellente qualidade. A ellas que sSo poucas e
o prego he barato. Airas do theatro, armazom jun-
to a mure, de Joaquim Lopes de Almeida.
- Vende-se urna escrava crioula com um Ulho
mulatinho: na ra da Madre-de-Deos, n. 34.
--Vende-se um escravo, por preco muito com-
modo e que ho ptimo para trabalhar em um sitio
o tratar de vaccas por estar acos.nnado a isso : na
ra do Passeio, loja n. 19.
Vendcin-sc taboas de pinlio no
Forle-do-JMattos afmazem do Vianna e
no armazem do Machado, na ra de
Apollo, junio ao porto velho das canoas,
o os melhores prendios, costados, costadinhose ta-
boas de todas as grossuras e comprimenlos por to-
do o prego.
Vende-so a venda n. 60 da Passagem-da-Magda-
lena ra quo lica antes do chegara estrada nova ,
com poucos fundse muito afreguezada cujo alu-
gucl be muito barato : a tratar na mesma venda.
Na ra Nova, n. 5,
vende-se urna negrinha de 8 anuos, que j cose sof-
frivel, e lio propria para so educar, ou .dar-se do mi-
nio a urna menina por ser muito linda e esperta ;
una preta do nagflo de 25anuos boa quitaudeira,
equesabe bom cozinhar; urna dita do 18 anuos,
que sabe engommar e cozinhar o quo d-se barato
porlerum lefeilo em um olho; um moleque de
nagflo, de 16 anuos de muito linda figura.
Aos amantes da boa pitada
seofferecoo rap Novo-Lisba, no seu deposito da
ra larga do Rozarlo, n. 24.
Lotera do Riodc-Janeiro.
Aos 20:000,000 de ris.
Itilhetes, quartos e oitavos da 49.' lotera da San-
ta tasa da Misericordia, cuja lista devo chegar a es-
la ale odia 25 do corrento! vendem-so na rna da
Cadeia do Itccifo 5* loja n. 51. ^J
No AteiTO-da-da-BoaVstii,
defrontc da boneca ,
ha chegado um novo e completo sortimento de cal-
gado francez do todas asqualidades lano para ho-
rnero como para senbora e meninas ; hem como os
bem conhecidos sapalosdo Aracaly para homem ,
por prego commodo.
Vende-se urna flauta urna correle para relo-
pio umgamflocoin pedrasde marfim : na ra lar-
ga do Buzario, n. 2i.
Vende-se una preta crioula de 11; anuos: na
ra da Praia, n. 45, segundo andar, so dirflo as habi-
idades eo motivo por queso vendo.
Vende-se uro bonito pardo de 16 annos, pro-
prio paia pagem ; urna preta de mcia idade, por pre-
go commodo ; duas piolas de 18 a 20 anuos, com
habilidades; uro molequo de nagflo: no pateo da
matriz de S.-Antonio, sobrado n. 4, so dir quem
vende.
Vende-so urna escrava de nagflo, moga : 00
comprador se dir o motivo por quo so vendo : na
ra da Cadeia do Bccife, escriptorio do corretor Oli-
voira.
Vendc-se farinha de muito superior qualidade,
por prego commodo : bordo do patacho Coneeifio,
fondeado no caes do l'.ollcgio.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes, a 3,50o
rs., ditas pequeas a 2,800 rs : no armazom de J.
J. Tasso Jnior, na ra do Amorim, 11. 3.
Potassa.
Desembarcou lia poucos das urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acbam venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se vendia, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de Bailar&Olivera, n. 12.
FARELO
em saccas muito grandes,
a 3'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguezao p do arco da Conceigflo
Vende-se a verdadeira e muito superior fari-
nha SSSF, a rclalho e em porgflo ; dila deoutros au-
tores : na ra do Vigario, armazem de Francisco Al-
ves da Cunta. tt> II.
Calendo.
Vcndem-se botins o meios ditos de Lisboa para
homem e menino ; sapatos de maroquim francez,
por prego mais barato do quo em outra qualquer
parto : na ra larga do Rozario, n. 24.
Na ra do Crespo loja de 4 portas n. 12, ven-
dcm-se chapeos de castor pretos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
No deposilo de Me. Calmont & Compendia na
ra de Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-
mente grande sortimento de ferragens inglezas para
eiigcnhos do assucar, coirosejam : taixas de ferro
coado de dilTeientes modelos os mais modernos ;
ditas de ferro batido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira ; ditas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de frga le quatro cavallos o de al-
ta pressflo o mais moderno esimples que lio possi-
vel ; reparlideiras ; espumaderas ; resfriadeiras de
ferro eslanbado; l Orinas de ferro: ludo por prego
commodo.
taimado de pinito da Suecia,
de 10 a 55 palmos
pe comprimcnlo o melhor que tem chegado a este
mercado, em razflo de se poder envernizarem qual-
qnerobra por nflo ler nos e ser muito alvo sen-
do costado, costad!nho, assoalho, forro e para fun-
dos de barricas : vende-so a prego que o comprador
far todo o negocio: atrs do llieat.ro, armazem de
Joaquim Lopes de Almeida.
Agencia da fundicao
Low-Moor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Nesle estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, para dito.
Vende-se sarja de seda hespa-
nhohi, muito superior; setim de
Maco proprio para vestidos; los de
linbo pretos, bordados a seda; meias
pretas de seda de peso; panno pre-
to muito fino e prova de limao;
casimira preta elstica ; sarja de
listras, setim proprio de collete; as-
sim como outras militas azendas
finas, proprias para a quaresma :
tudo mais barato do que em outra
qualquer parte : na loja de- Jos
Alorcira Lopes & Companhia, ra
do Queimado, quatro cantos, ca-
sa amarella, n. 39.
m
Vende-se ca virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. I7.
Vende-se cal virgem de Lisboa, de superior
qualidade, em barris de 4 arrobas, chegada nesle
mez pelo brigue Maria-Joi: a Iratar na ra do
Brum armazem do Antonio Augusto da Fonseca,
ou na ra do Vigario, n. 19.
Fabrica dcTodos-os-Santos.
Firmino Jos F. da Rosa com escriptorio na ra
do Trapiche, n. 44, avisa aos scus freguezes quo aca-
ba de receber pela escuna Curiosa novo sor ti me-
lo dn excellente panno de algodflo enlrangado da-
quella fabrica oplimo para cnsaccar assucar e pa-
ra roupa de csravos. O annucianto conta que,
al.-ni da fazenda, o desejo de animar o desenvolvi-
mento de urna fabrica inicuamente nacional, pro-
mover o prompto consumo da sua receita.
Ferro
de todas as qualidades edimenses, em barra, ver-
galhflo, verguinha, arcos e chapa por prego com
modo : na ra da Madre-de-Deos armazem n. 26.
Vende-se um moleque de 8a 9 annos, sadio e de
bonita figura ou truca-so por urna preta que tenha
habilidades e sem deleito, vollaudo-se o que fr jus-
to : no Atei ro-da-Boa-Vista, n. 26, segundo andar.
II tsicas para piano.
Na loja da pi ac da Independencia, n. 37 a i mia-
ba para vender um resto do bellas msicas para
pianos lindas polkas, valsas, arias, quadrillias ,
etc., por menos prego do que em outra qualquer
paite; tambem restan)algumasvalsas para Rauta.
T1J0L0S DE MABMORE.
Jos Sa poii ti vende lijlos de. mar inoro azul e
brauco, por prego commodo : na ra da Cruz, n. 18.
LONAS CHAS DE I.I.MIO.
Jos Saporili vende lonas cruas de Moho, da lar-
gura das da Russia, por prego commodo : na ra da
Gnu, n. 18
Conlina-sea vender agoa de tinjrir caballo:
na ra do Queimado 11. 41. O melhodo do applicar
a dita agoa acompanha os vidros.
Nos armazens de Joaquim Flix da Boza, na ra
da Madre-de-Deos ha para vender ferro em folha
por prego commodo.
Vendcm-se queijos de prato, ditos londrinos ,
muilofrescaos, latas com bolachinhas de Lisboa,
ditas com ditas de aramia ditas com hervidas di.
las com sardinhas, dilas de marmelada de 1 2 e 4
libras garrafas com vinho moscatel de Setubal, di-
las do dilo da Madeira dilas de licor lino., a'velans,
velas de espermacelc de oito em libra, proprias pa-
ra laulernas caixinlias de massas finas do estrelli-
nlias, frasquinhosdourados com agoa de flor de la-
ranja : na ra da Cruz, no l'.ecife, 11. 46.
Farinha de mandioca.
No armazem n. 1, no caes da Alfandega vendem
se saccas com farinha do mandioca, de alqueire,
muito superior, por prego commodo.
Vendem-so caixas com licor em'garrafas, mui-
to superior bem como cognac tambem em garra-
fas : no escriptorio de Novaesct Companhia.
Ccvada c caf moido.
No Forte-do-Mattos, ra do
Amorim, ii. 30,
na anliga fabrica que perlenceu ao finado Vaz de
Oliveira boje pcrlencente e sb diiergflo de An-
tonio Joaquim Vidal &Companliiuba, vende-se,alem
do superior caf moido, o muilo excellente e esti-
mado caf de levada da melhor qualidade que ha
no mercado por prego mais^commodo do que em
outra qualquer parte.
Vendeni-ae caixas com facoes, parnahibas e
mais ferragens viudas agora : na ra da Alfendcga-
Velha n. 5, armazem de C. T. A. Sttay.
Vende-se urna parda de 18annos, que engom-
is lava o coziuha o diario de urna casa por pre-
go commodo : o motivo por que se vende ho por es-
tar prenhe : na ra do Padre-Florianno, n. 3, vin-
do do Serigado.
Vende-se um bonito moloque de nagflo Costa
de 22 annos, sem vicios nem achaques o oompr.'
dor se dir o motivo por que se vende i na ra j0
Caldeireiro, n. 46.
Vende-se a barcaca Carlota, de carga de 12 c.
xas, prompta a navegar : na ra do Cabug, loja a
Francisco Joaquim liuarte.
Vende-se feijflo mulatinho, a 6,00* rs. a ar>
ca : no caes da Altandega, armazem de Antonio Au-
nes Jacome Pires.
Ka ra de Agoa Verdes,
' n. 46,
vende-se, por precisSo, urna escrava sem o menor
defeito e com oxceilentes habilidades; duas ditas o
dous moloques.
Vende-se urna preta de 24 annos vistosa, u-
dis bsstaote diligente e que Uva e cose ; urna ea-
brinha de 12 annos muito geitosa para o servico de
urna casa : na ra Nova, n. 50, segundo andar.
Na Hvraria nova do paleo do
( ollegio, n. 0, de Joaoda Cos-
ta Honrado,
vende-se papel para cortes de vestidos, dito de mu-
sica muito fino proprio para eopiar modinhij piri
pianos, de phantosia ou papel do encommendii,
lapes finos verde, azul, encarnado e ama re lo te-
mentes, obreiasde gomim-arabida, com pasaos ri.
quissimas carleiras do marfim,raguas de diflerentei
qualidades e tamaitos pennas de ago muilo boas e
oulros muitos objeclos que te acabam de receben
eslfio patentes aos freguezes : tudo por prego com-
modo*
Vende-se um Atlas de Coujou e a obra de gco-
graphia por Urcu| : no pateo do Collegio, loja a. f
Fejao mulatinho'
muito novo e em saccas : na rqa da Cruz, no llcci-
fe, armazem n. 13.
Queijos de Minas,
por menos prego do que em outra qualquer saris;
na ra da Cruz, no Recife, armazem o. ti.
Vcndem-se, no armaze m junto ao arco da Con-
ceigflo, n. 64, batatas em arroba e saccas com mi.
I lio, por preco commodo.
Xaropc do bosque do doutor
II o lis.
Conlina-se s vender este xarope nicamente no
escriptorio de Novaes & Companhia na ra do Tra-
piche n. 34, e na ra da Cadeia do llecifo loja di
miudezas, n 9.
Vende-se um piano forte, vertical e de jaciran,
da, chegado ltimamente, eom muito boas vozes-
e de um machinismo de nova invngalo tara por as
vo7.es mais bailas at dous lons o que torna este
instrumento muilo ventajoso para cantara; cha-
rutos de llivana, por preco mais commodo do que
ero outra qualquer parle; un eompleto sortimento
de instrumentos de msica, tanto de metal como
de madeira ; bustos de gesso representando muita
fielmente a rainha Victoria e o principe Alberto;
relogios de ourb e de prala chegados ultimmenle
da Suissa. Estes relogios que silo muito bem aca-
bados se tornam muito recommendaveia a qual-
quer particular, e adverte-se que ha entro tiles
alguns que andam oito das sem precisaren de cur-
das : na ra da Cruz, no Becife, n. 53.
Pasta de flor de lyrio.
Esta superior preparagflo, a melhor at hoje co~
nliecida para limpar os denles e conserva-Ios sem-
pre alvos e livres da pedra e carie, conserva a forli-
licagflo dasgengivas e evita a accumulncfia dolar
taro pelo seu uso regular: cuta eada boiilo 8,000
rs. e vai cnvolto no competente receituario : ven-
de-se no escriptorio de Novaes & Companhia, ni ra
do Trapiche, n. 34.
Escravos Fgidos
Fugio um moleque cabra de nome Caudencio,
nos lins do Janeiro prximo passado ; levou camisa
e ceroulas de algodSoziuho, bonete de orello de pan-
no azul e branco ; representa ler 15 a 16 anuos, com
cicatrizes de-bexigas ainda muilo visiveis, e a car
redonda : quemo pegar leve-oa ra do Queinwdo,
loja n 27.
Ainda seacha ausente, desde 9 do correte i
escrava Josepha crioula, natural do sertflo ; inda-
va vendendo frutas de 30 annos, de mediana esta-
tura ; lovou sala de algodflo azul, panno da CotU ja
usado: quem a pegar leve-a ao Sr. Pimentel, n
pprto da ra Nova, que ser gratificado.
40/000 ris
de gratificagflo a quem levar a rna da Aurora n. H
una preta crioula do nome Fillppa deesUlnn re-
gular e reforgada, rosto mal encarad/); tem as cos-
tas signaes de chicote; est fgida desde 20 de no-
vembro do auno prximo passado ; consta ter sido
acoilada em alguina casa onde prest servigos de co-
zinhar, por ser excellente cozinhei>a ; ja foi *llU
em dilterenles lugares nesta praga sendo ultimi-
meute mandada amarrar pela crioula forra llomini,
a quil a mandou entregar ao Sr. brigadeiro Ajeno ,
na supposigflo que fosse ainda sua escrava e islo no
da 26 de Janeiro, s to horat da noite, e levandu-
sc-lhe a oacnva este Sr. respondeu que ja a ti'"
vendido e a pessoa que a amarreu, que- segundo di-
zem, mora na ra de S.-Congalo do bairro da Bo-
Vista est aproveitando-se do servigoda mesma es-
crava por isso se suppe que exista por iquell*
immediagocs: quomdellader noticia ser gralifie"
da com a quantia cima de quarenta mil rs. e s
protesta na forma da lei contra quem a liver occulu.
Desappareceu, no dia 17 de Janeiro o proto
Antonio, de nagflo Congo oltios grandes; tm
falta de alguna denles na frente e urna ferida eni
um p; ltimamente tem estado iraballiando no
arsenal de guerra com o nome de Luiz : quem o pe-
gar leve-o a ra da Crui, n. 3, que ser gratiUcado-
" i.....jja-Jg-ggggaaiaij mu "~~
?CMi. ', NA TTFt DI U, Fj DI f?A.1^9


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHIB6VF37_POP9WJ INGEST_TIME 2013-04-13T01:26:09Z PACKAGE AA00011611_06450
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES