Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06436


This item is only available as the following downloads:


Full Text
._..
:. ....
Anuo XXV.
Sexta-feira 9
O 0/^/tfOi>ul>!lcj-setoa..osdi>quenao
ffirem de guarda. Qpre'fo dftassignatuia lie
dejOOOrs porqimrlel, payos ailiunUdoi. O
.nii'iincius dos assintiaiHi-. sao inseridos
rasan de 20 rs.por linlia, 40 rs. cm tjpo dlf-
Vrente, c a repetidles pela metade. Os nao
asignantes pagaran 80 rs. por linlia e 160 rs.
cm typo difireme, por cada put)leacs"o.
PHASKS DA I.UA NO MEZ DF. FEVEREIUO.
Lira cheia,a 7, da 8 liorat e 66 inin. da manh.
Minuoanle, a 15, a I hora e43inln.damanh.
La mor, a 22, a II horaa e 10ixin. da Urde.
PARTIDA DOS GORREIOS.
Goianna e Paral)iba, as srgs. e sextas-feiras.
RIo-G.-do-Norle, quintas-reirs aonielo-dla.
Cabo, Serinhaein, Rio-Konnoso, Porto-Cairo
Macelo, no I." a 11 e 21 de cada mez.
Garanliuus r Bonita, a 8 e 23.
Boa-Vista c Flores, a 13 c 28.
-Victoria, s quintas-reirs.
Ohuda, todos os das. ,
PREAMAR DE HOJE.
Priineira, ;UI> horas e minutos da manh.
Segunda, s (i horas e 30 minutos da tard.
leFevereiro de 1849.
DAS DA SEMANA.
5 Segunda. S. gueda. Auri. do*, dos orph.,
do J. do civ. e du J. M. da 2. v.
6 Terca. S. Dorolhea. And. doJ.dor. da I
v. c do J. de pai rio 'i. dist. de t.
7 Quarla. S. lluimi ililn. And. do J. ilo e.
da 2. v.cdo J. de pa/. Un 2. disl. de t,
8 Quinta. S. Joiio da Muta. Aud. dJ. d,is
rph. e do i. M. da I. v.
9 Sexta. Apollonla. Aud. do J. do civ. c do
1. de pardo 1. dlst. de t. .
10 Sabbado. S. Escolstica. Aud.doJ.doc.
da I. v.e do J. de paz do 2. dlst. det.
11 Ddiningo. S. Lzaro.
CAMBIOS !VO DA 8 DF. ttVEltElRO.
Sobre Londres a 85% a'2f> d.p.l/ rs.adO dia*.
Paris
> T.Ubn.i lf.8 por eenlo de premio.
> Rio-ilc-Janciro ao par.
Dse, de letc. de boas Armas n I1 \ Z ao mes.
Acedes da eonip. de Beberlbe, a jU j rs. ao p.
(Juro.tincas bespanholas. 2'.ienti0 a 20/90(1
Muidas de tt/M) v. I7200 a i;/!'
(le U/400 n. lliHM ,. Ili^llr
dc Prald-Pataeoesbrasilelros 1/.M0 a 1/M0
Pesos coliimnarlos. 1/940 a l/'Jou
Ditos mexicanos..... 1/880 a |M0
PARTE OFFICIAl.
TIIESOUIURIA DA FAZENDA PROVINCIAL.
n
CX)MWABDDaSFO..C\SNAVAES.
o a DEM DO da m. 6?.
Viva S. M o Imperador o sua augusta familia !
Viva a constiluigflo e integrldade do imperio!
Viva S. Exc. o Sr. presidente l'esta provincia.'
Vivam os bravos defensoras da loi e da ordem /
Vivam os bravos corpos de imperiaes m'arinheiros
fuzileiros navaes I
0 Deo* dos esercilos acaba de conceder-noa o mais
assigualado triumplio, enaanguentado o luctuoso
siro,porque lint* victima custou dos nossos bra-
vos e dos nossos irmflos i Iludidos.
A victoria que vimos de slcancar prova exuheran-
teinr-nte nos miseravei revolucionarios, que em
qiurito existir urna s prsca de Imperiaes marinhei-
roso fnzileiros navaes, que emquanto existir um
s odlcial da armada nacional e imperial, o throno
de S. M. o Imperador e a integridade do imperio
scrio sustentadas com gloria.
E para conhecer-se que as aeces de valor prati-
cadas pelas briosas guarnieses dos navios de guerra
da armada nacional e imperial, estacionados n'este
pot.'aflo devidamente apreciadas pela priineira au-
toridade da provincia, faco publicar as duas pecas
offlcieea juntas, que dBo o merecido apreco aos seus
relevantes servidos. Pela parto que me loca, eu n:c
encho de orgulho cm commandar homens a quem a
naedo mais heroica se honrarla cm chamar llhos,
como o Brasil os chama.
As heneos .da patria agradecida, as de Untas fa-
milias salvas das garras da anarchia pelos esforz*
da nossa marinha, cahemboje sobre nossas caberas,
como onlr'ora cahra do ceo o man que, em sua pe-
regrinaeo, susletitou o povo de Heos, as almas dos
nossos nunca bastante chorados companheiros, qu'e
pela patria e pela lei deixaram no campo da bata-
Ihasuas vidas preciosas, gyram a esta hora em roda
do throno do allissimo, radiantes da aureola de glo-
ria com rrue silo, cordados os justos. Quizera relatar os
nnmes de todos aquelles que se distinguiram no bx-
Ihantecomuato dodia 3 Jo correte; mas seria tssofs-
zeruma re|cflo de tantos nomesquantos fram osSe-
nliores ofllciaes, marinheiros o sol lados que entra-
ran 0 fog recebe, iiljocurarei obler as mais exactas informa-
qoes, par que'cheguora ao conheci ment do S. M.o
Imperador. -
lleceham lodos, entretanto, os meus mais cordiaos
psrabchspela estima que conqurstaram dos seus su-
periores, e de lodos os habitantes d'osta bolla ci-
dado. Os Srs. segundos tnnentes Seixas o Aliada a-
chamso gravementu ferdos O Sr. 2. lononla (lento
est gravemente contuso. Os Srs. 2." tcneiitos Braz,
Vital, a lrilo, o o Sr. guarda-marinha Orozimbo
levem nle contusos. Cincoonla imperiae marjnhei-
5CC/>
rose fuzileiros navaes povdam os hospites de mari-
nha eodo2.batalhlodearlilharia, e dezoito dis-
tes dous corpos estilo dados j a sepultura, mas so-
bro scus cadveres nlo pesa a torra como posa sobre
os dos reprobos e impjos. Morior pulo Imperador
c pela intrigidade do imperio lie a morto mais glo-
riosa que pode caber no marinheiro o ao soldado
hrnsiloiro. Os Seuliores Commandanles do CafUant
eCaaflooe Culrr F.tpcranca-de-Bebnibe defen leram
m*iiilicametrte os potilos a sou alcance. O Sr. com-
nianiiaiiic da Kulerpe tomn as inclhures proviJeu-
cias para passararinsmentoe cartuxame para o ar-
senal de guerra1, como o fizersm os dous primeiros
commandantos cima ditos, e dirigi lodo o servido
do reetbimento, conservago c seguranza dos presos
com grande acert.
Os Senliores commandantos j, Urania o Piraj
coadjuvaratn muito bem o Mrvfen dequeesteve eti-
carregadoo Sr. cominandaulo da Kuierpe. O Sr. I."
tennute Manoel Pedro lumou ptimas providencias
bordo dVsta Trgala para seguanla dos presos.
Entraramcnmmigoemrogo, alcnidos briososodiciaok
I rulos, os Senliores capitn lente Silva, I.* toncle
-Siquoira. segn los lenles Mon Ipnga, P.iula Mar-
lins, Pinto, Jcir.o fortao, Cos, u guaiua-iua-
rinh Pona Rihciro quo servio s mlnlias orjeus.
i oios so portarain bravamente. Os Seiihores 2.'" tu-
nelos Costa, Fernandcs, Soares. e guarJas-inariiihas
runseca, e Travassos, queesUvam no hospital, deram
psrte de proniptos, ofrsm azer servico a bordo,
ordo da trgala CntlitulfOo, surta'no lameirflodo
lernambnco, 4 de fevereifo de 18*9 Assignado,
Joman* Jox Ignacio, caplUo de fragata, cowman-
uante,
ADOITAMUTO OSDEH BO OA 69.
Declaro que oSenbor Dr. Xavier de Azevedo d'os-
KtafragaU, tinoso entrou m combato, comofezim-
mensH curas lio hosinlal do sangue do corno de ca-
vallaria j que o Sr. Dr. Honra da Eulerp ourou no
lio*lt1 tfe marinha e a bordo os feruios que ae a-
presentaratn, tanto dos nossos, cmodos rebeldes-
<|ue o Sr. i.* cirurgiao Cosa d'eala fragata lem
coailjuvado os curativos do hospital : todos com
pericia e tiumauidade que os caraClerisam. Ilordo'da
fragata CanHHuieta, surta no lameirSo de Pernam-
buco, 4 de royere i ro de 1849. Assignado, Joaquim
J .. i
-
iartt, dizendo que o fin dos seus redactores lie em- submeller a junta do porto. Veramns se he tilo feliz
polgarem o poder, e declarando que nuda qnerem '. cm extinguir as fiicrjflc*, com o fol em dissnlrer o
com tal pcnlc, que nada mais fa/om do que desacre- oxnicito da junta. As corles hespanholas aliriram a
ditar as pessoasquo mais servicos teem feilo can-! 15 do crrente, seni novidado algumn Parece que
sa da rainha e da ordem, como tic o marcchal Sal- houve crlso ministerial suscitada pnr intrigos pas-
CORRESPONDENCIA DO DIAItIO DE PErtNAMIlUCO.
Lisboa, 24 de dueembra de 1848.
A siltiacSo deste paiz s he llsongelra pelo gozo de
paz que se desfructa no meio das terriveis commo-
cties que affligem os grandes estados da Europa. 0-
xal que essa paz continu, o que, nflo gozando do
outros Rens, possamos ao menos saborear csse no
meio dos males quo nos opprjmem. Utn dcstes, ei-
quelle quedo boa vonlade muito nos corroe, he a
falla de. recursos.- O atraso dos-pagamentos coi.ti-
nia n'iima escala espantosa. Estamos no fim de dc-
zembro, e ha -anda reparti^Oes que nlo receberam
egoslo! A vida dos empregsdos pblicos pde-se
considerar como um milagre. He inipossivel que, se
o actual ministro- da fnzenda anda se conservar no
poder quando se abrir o pailamento, o que Csl pr-
ximo, nilo soiTra as mais lem veis argui(6Vs, qiie em
patio nilo deixam de Ser fundadas, porque nlo se
sabe o quo lem feilo dos rend menios pblicos. Es-
ta falta do pagamentos d azo aos mal intencionados
para espalharem que a corte e o seti sequilo, julgan-
do-se pouco segura em consequencia do que seesl
passandona Europa, Ui peculio para o caso- de iiiiin
retirada. Nilo acredito em tal; entretanto o proce-
dimento do ministro da fazenda, o Sr. Faleao, que
gozava do tilo bons crditos conio boin lidanceio e
integro pagador, nilo so exilica.
A calilinaria que os jornaes da opposiQilo levanta-
ram sobre a arremalagilo dos rendimeirtos diaete
casas o pescado de urna inaueira clandestina, com-
pro produ/io iilguui elleilo. (Igoverno vio-se ohri-
gadoaannunciaro cuncurso da airrnntarlo, apo-
ziirdo que ili/o.n que o que eslava tiat ido occulta
ment vai figurar como proposla na ai-remat. e',u, e
prova\cimento ser acaito. Todava snmpro secon-
seguio dar ao negocio a vi da legalidudo. A arre-
miiaco bes dos dous tercos.dos rcnJimnnios.
. Agora ha ootro assumplo sobre o qual a impreno
opposicionista (eru levantado alts clamores, falla-
se de que o governo, para Irazer a son partido a In-
glaterra, quer fazor urna nova reforma as pautas
las alfandegas, sacrificando (odas as nossas indus-
trias mais adiantadas. Islo tcm feilo gritar, o com
ras;lo, os interessados, eem seu apoio a imprensa ,-
porque silo taes os progressos que a nossa Industris
tein feilo, sobre tudo no genero de lanificios e ou-
trus lecidos, quo daqui ha alguns annos mais nada
;*rei:i2-rcmQSfs Ifi^lstcrrc. I^c por islo quo esia po-
tencia, nSo uucrendo perder o mercado do Portugal,
que nflo he dos neiores, exigo a diminuieflo dos di-
reilosnassuas chitas, pannos, etc. Veremos cmquo
Irea a questflo.
A fuga do papa foi assumplo muito debatido nos
jornaes. Por multo lempo se ignorou o poni aoud
se linha dirigido. Diziam una que a Franca, ooulros
3ueail.lla. Todas as grandes o pequeas potencias
a Europa desejafaot que S Sautidade asescolhesse
por sou asylo. Afinal sou be-so que o santo padre fl-
Xra a sua residencia em Cela ou as m roed i a (ASI,
no reino de aples. S2o moitasas conjecturas que
so fazom cerca de so S Sautidade vollara nu uno
para Ruma. O lix-ar a sua residencia tflo perlo indica
que desoja l vollar; porm, so o Qzer apoiado em
bayonetas extrangeiras, dar um passo imprudenlis.-
situo, e que Iho podo vir a ser muito funesto. No en-
tretanto o gaverno revolucionario de Roma eonlina
a governar em seu nomo, baseado em que S. Sauti-
dade Ihe donara fazcudo-u depositario do poder,
'or emquanlo anda se nflo tralou do allerar a forma
do governo.
Appareeeu ltimamente no Estandarte, o foi trans-
CfipU nos jornaes da opposigflo, urna circular assig-
nada por todos u commandanles dos corpos da
guariHcSo de LjabOa aos seus camsradas dss provin-
cias, condemnando as doutrinas polticas do Eikin-
danhs, e que o mesmo conde do'f homar tem cscrip-
t de Madrid dizendo nos seos amigos, que nada
queiram com o Kitandarte. '
Este documento esta escripto em lermos rnstei-
ros, o admira que nellc venhum assignadns ofliciaes
tflo disiinclos como D. Carlos Masoarenhas, Marcel-
ly, Reg e onlros.
O /finrfar,publicando-o,fa7 graves censuras aos
signatarios, eappella para a clebre ordem dodia
n. 80, que tilo guerreada foi por elle quando publi-
cada durante as eleiQfles, para que os militares nflo
se ingerssem nellas; masque agora Ibes convem,
para que os mesmos nflo sninvolvam em negocios
polticos. Eis-aqni como silo os homens
Renovou-se a polmica enlre a V o os peridi-
cos progressistas a V'-oiVeo e o Patriota, nflo por
causa de principios polticos, mas sitn polo faci que
vou narrar.
Parece que os corifeos do setemlirismo, para levar
avante as suas tentativas revolucionarias, e chamar
a seu partid omaior numero de individuos, hti-
saram do nome do conde de Barbncena, cliefo do
partido micnelistn, e de nutros chefes do mesmo,
para organisnrem genle. O condo .de Itarlisccna sa-
lie.loi disln dirigi aos jornaes tima carta, declaran-
tlo que era estranho a estas intrigas, oque nada li-
nha com a formadlo ou organis:i(;flo de tins liata-
Ihflcs que so di/ia formarcm-sc clandestinamente.
A A ardo, pela sua parte e por parle deoutros cori-
feos do miguelismii, fez lamhem a sua deelaragSo,
nconsolhando aos seus correligionarios polticos que
nflo se deixassem Iludir por quem os andava sedu-
zindo, e pornianecessem quietos cm suas casas. A
gente da RevolurJo.e do Patriota, dcspcilada com ve-
rem transtornados os seus planos, sabio a campo fu-
riosa, e nflo schamou denunciante a iVa(>o, mas
aecusou-a de estar vendida no governo, porque os
jornaes destes elogiaram muito o procedjmnnto da
Nacilo, eatc Iranscrcveram os seusaitigos. A VticSo
defendeu-se do todas as aecusacoes, c sobre isto (cm
versado c versa activa polmica, muito mais porque,
tendo o governo, segundo parece, dudo algum peso
as dcclarac,oes da Nffio, conheccu que so tramava,
e lem mandado fazer algumas visitas domiciliarias,
sendo una dolas a casa do Sr. Aloraos Mallas, onde
se acharam i-aixas de lata com proclamngoes assig-
nailas pelo marquez l.oul, conde das Antas e Aillo
nio Rodrigues de Sampaio, redactor da HttQlufSo,
I)iz-so tambom quo se encontraran! algunins armas,
mas isto nflo o afianco
Ora, o Patriota o a Rtvolucdo e mismo um COin-
municado do Sr. Manas conlam urna historia a res-
pcito dessas proclamat;iies, pouco acrcdilavcl. Dizem
quo tima des lalas foi rcmt-ttida do prsenle di/.endo
que era ni biscoulosquo a familia nflo qtiiz comer
lomeado estarcm cuvoneiiados, mas a lata quando
a polica Toi a casa do Sr. Mantas ainda eslava fe-
chada a cadeadn, o no vflo da lampa he que se en-
contrartmasproclaroaeoes. A oulra lala dizem que
foi cnlreguea um JosliliiOS do Sr. Maulas, quando
sabia ila escola, como um presento para seu pal, e
que a polica souindo o,menino entrn oin casa, e
apossou-.str dola. Isto podoni ser tu lo verdaJe, nas
he pooco iirrediliivol, o os joruacs do governo c.ia-
iiihiii-IIio urna histoiela, con 0 lim do tliiliuir u
polica estas lrolas..Nilo sci qiu inleresso possa ler
um governo qualci'icr cm perseguir um seu sub-
dito, ni'saio aabendn sor seu inimigo poltico, com-
anlo que le da a certeza de que elle nao conspira.
OSr. Mantas foi procurado para ser preso, mas !io-
niisiou-se. .\iuguoiumiis tem sido procurado pola
polica. ,
O tenoilo-coronel Hurta foi ahsolvido no conco-
llio supremo da accsag.o do desertor quo Ihe li-
nbam imputado.
Ventila-se aqu urna questao imperUnle. Tratarse
de mudar O maladourogerali\uc lia SMJulusoaislo na
ruada Invoja, ao campo de Snitii-Anbi, e fazer Ires
nntalouros; um na cruz doTaboado, ouiroein lloni-
(ca o outio em Belm. A factura dos o libeio ca
arremalacflo do contrato para o forn'cimento de
carnes Inem andado a concurso. Osmarclianics o ou-
Iros interessadosteem impugnado esta inudanca com
imp'essos qye teem espantado ao publico, o rep'o-
senlacflcs ao govcrnu, mostrando quo aini itu -
tadouro geral lia maisll ou 12 nos arrabaldes do l.'S-
lifl.i,--quooslrosquc se vflo formar nflo silo sulllci-
entes,que o povo he de comer a c.rne mais cua,
quo o contrato affcclu os inlerosses dos forneeedo-
res e lavradores, e oulras rasfles que i -a recem justas.
Veremos qual o desenlace quo tem este negocio.
O condo de Thqmar est a chegar para assistir
abertura dn psilatnenlo. Segundo uns vom com con-
senliinanto do governo, outros que nflo. Quaes fal-
lam a ventado he quo se nflo sabe, mas esloii mais pe-
lospri:::eiro. .
Diz-se que o ultimo vapor inglez ievou de Lisboa
para Inglaterra 15,000 libias eslerlimas, ou 70 e tan-
tos cotilos do ris em dinbeire, eoquo se seguir
levara 20,000 libras, ou 90 eonlosdo ris. Eis-aqui
porquo nflo lia dnheiroem Portugal.
Chegou a este porto viudo do Inglaterra um vapor
de guerra brasileiro. *
O navio Liberiade entrou neslo porto, vindo de
Peniambucu, no dia 19 viajero.
As noticiss de Hespanha, silo de pouco inlo-
resse. As facqfles anida continan) a infestar a Ca-
tallunha. O general Cordova que all cun manda va,
foi exonerado e substiluido pelo general Concha,
que veio a Portugal com o exercilo hespanhul fazer
ciadas,porm Narvaez tiiumphou.e framdomittidos
alguns nllos funcoionarios do paco.
dem, 30 dtdeumhio de 1818.
O governo sempre Ievou a sua avante a respoito
da arreinataco dos ren lmenlos das seta casas c
pescado. Nflo obstante o concurso que se abri, <
i que o obrigaram os clamores da iinprensa opposi-
cionista, como 0 negocio ja eslava feilo, nao se ad
milliram lan?os superiores ao de 720 contos, pelo
qual a cotisi estava arranjada, eso houve um lanr;
de mais 700,0(10 lis. A arremalacflo linha o onus
de ti m empreslimo do 300 contos paga vais pelas d-
cimas. Os Srs. Jos Ferreira Pinto Bastos o Manoel
Jos Machado npreseniarain proposlas ofiereeendo
mais Irinta contos de lis annuaes pela arremalacflo
do qto so lala, e saliendo do empreslimo reque-
reram demora de concurso para arranjaren os seus
negocios. Com esle requerimetUo houve tropelas:
diziam uns que pe leticia a secretaria da faSlds,
oulnosan ihesouro, aQnalflcou n'uma reparliQflo do
Ihesnuro; mas, quan I se Iralou da arretnataqAo,
nfloappan'Cfli 0 requeriniento, s alinal se descolo o
nina copia, mas quando ja nflo era totnno : apraea
eslava fechada, ea arremalacflo folla. Porni,comn
nflo havia de assim acontecer se dizem que o ren-
d menloj esla comido, e agora s se trata de quem
ha de ler a adjudicaefln ? Parece que um dos princi-
pes interessados he o baranda Junqueira.
Falla-S lahibem do outro negocio, igoalmonle
pouco docen'.e, e he o querei'-se dar a una comna-
nhiifa exportaeflo exclusiva, pelo espaco de 20 an-
uos, de todo o ligo de Algarve. Islo he um horrivcl
monopolio, que vai augmentar a pobreza da maior
parlo das familias ihiquella j apo ]ucutad,i pro-
vincia.
He itnpOSsivcl que cslcs dous assumplns nflo cha-
me m a altenc,8o do parlamento, que so abre dai|ui a
tres (lias, o que seuflo facam graves increpaccs ao
gove.rno : veremos com so saho dolas.
Em consequencia dos clamores quo houve por
OCCesisJo do apuramento dos jurulos un cmara mu-
nicipal, esta man loo proceder confeccflo de no-
vas islas, eafUxa-laS nu portas da calhodral, dan-
do por eslo co motivo a ser por todos elogiada.
O negocio das proclamacdes enviadas em latas an
Sr. Maulas contina a orvupar os nimos, o ha ler-
riveis suspeitas do que he urna trama da polica,
nflo s porque tiestas86 li/eram militas no lempo
ilo harflo de ll'-ndtilVe, mas porque o Sr. .Votouio
Rodrigues Sampaio, que nellas vinlia assigntlo co-
mo secretario da junta, provou quo o sen nomo esla-
va errado, porque ello era Antonio Rodrigues Sam-
paio c nflo Antonio llodiigues de Sampain como la
eslava, ealro disso deelarou sli a sua palaVra do
honra que taes proclamacdes nao li/.cra ncm assig-
nara. Deoiais, parece qtta as mesmas proclamacdes
j friim achadas em Klvas as mflos de um cm-
pregad > do governo, o administrador los correios,
o islo he bastante para tornar suspoitosa a sua
origem.
I'alla-s da sabida do gabinete do ministro da
nena harflo de Francos, por- nina disputa que
Uvera comooiarechal Sal laniia sobre um negocio
particular.
(rila se n<|ui mullo contra o administrador do
bairro de llelcu, PovCfano Silvestre I,apa, que fui
all po-.li> illegalmenlo por sen irmflo, o harflo de
Vil|a-.\ova-de-liuie:n, dui'.inlcqiio foi o governador
<-.vii Aecusam o til Sr. administrador do coat me t-
ter roubos inauditos e outros excelsos; mas, como
lie um grande cabralista, ludo so escurece.
Chegou 'do Madrid o conde de Thomar, e islo den
lii^.ii a que os jornaes ministeriaes saliissoni a cam-
po claiiiandociinlia lo los uS quo tinham dito que a
sOa ida a Madrid fra um desterro exigido pelo ma-
reclial Sabiauha. I.onibra-ini) ler-lho mandado di-
zer nflo s islo, mas tpiu o niarecbal, dando ouvidoa
ao Sr. I'assos Manoel, quera acabar com os Cabrees;
porm agora cotilieceu-so quo o marechal Saldanba
roystilic.iu compleUmenlo o Sr. I'assos elolo os
que acradlUram na sua mudsnca do poiiiica.
Diz-se que vai sabir a nao' t/aicu-aVi-6'oma para o
Brasil. Sflo mil as conjecturas quo so fazematal
nspeilo. Oueiein uns que va por se tomor umu ro-
voluoflo contra o Imperador, o por conseguinlo dar-
Iho apoio : outros dizem que vai pedir una salisfa-
eflo, por se tereiii ahi morlo Irez nurintioiros por-
luuezes do biigue Villa-Piar. Que pensamentos
ll) encontrados .' A sua verdadeira uiissflo lio por
em quanlo ain la ignorada.
As>egura-so que o nosso ministro dos negocios
estrangeiros, o Sr. los Joaquim Comes de Castro,
vai ser elova lo a categora do viscon lo de Castro.
Houve hontem utna retiniflo no governo civil ;Tor-
ra-Sanla ) dos pares e depulados prsenlos ero Lis-
boa, para so tratar dos assumptos que so hflo de
ventilar no parlamento. Parece que O estado da
fazenda publica nflo agradou a ninguom, e que se
traa de substituir a todo o cusi o Sr. lalcrto lio
ministerio da razenda, tendo ja sido convidados va-
rios individuos quo nflo leem querido aceitar o en-
carno ltimamente l'jllava-se do Sr. Avila. Entre-
tanto diz-se que o Sr. Falcflo sahira do ministerio
coro o titulo de barflo d'Arrenlella, onde, apezar da
sua boa fama de inleireza e probidado, tom compra-
do boas ptoprie.lades.
Ja cometam os bailes leudo sido os dous primei-
ros os do club lisbonense e o do marquez de Vi auna
Ambos esliveram muito cajncorridos o bullanles*
sobro tudo o segundo.
-
*


.*
PENAMBUCO.
Cmara municipal do Recifc.
SESSAO EXTRAORDINARIA KM 24 DE JANEIRO
DE 1849.
PRESIDENCIA DO sil. REG E ALBUQUKRQUB.
Presentes os Srs. Carnciro Monteiro, Barros, Ba-
rata e Mnmede, nbrio-se a sesillo, e fo lid o appro-
vadaa ca da antecedente.
O secretario fez a leitura los seguintes oIRclos do
Exoi. presidente da provincia.
I"ni, transmittimlo por copia o aviso que lh fra
expodido pela secretaria de estado dos negocios do
imperio em data de 4 dezembro ultimo, para que
esta cmara o cumpra na pnrlc que Ibe toca. Intei-
ra 'a, e que se aecusasse a recepto.
Outro, remetiendo copias dos avisos impones, cx-
tedidosem datas de 11, 13 20 de dezembro ultimo;
os dous piimeiro-t solvendn duvidas acerca da execu-
eflo i'a Ici regulamentnr das eleirOes, o o teiceiro
determinando o que d'ora em dianln se deve obser-
var acerca do juramento que silo obrigados a pres-
tar antes de entraren em exercicio os juizes mun-
cipaes. delegados, subdelegados, inspectores do
quarleiroos o escrivAes. Inleirada, e que se respon-
dcase o se Uzeasen) as remessas do costume.
Outro, noconcedundoa aulrisacfln que pedir a
cmara para pagar a despe/.n de 420,000 lis, em
que impoilaram os cofres c urnas que so mandaran)
fazer para as eleices deslo municipio cm o uno
de 1847, visto nflo ler sido prevista no ornamento
vigente.Inleirada.
Outro, participando que, onuiviso da secretaria de
estado dos negocios da Justina de 12 de dezembro
do anuo passado Ibe fora commuuicado que por de-
creto do dia anlccedcnte bouveS. M. o Imperador
por bem remover o bachsrel Vicente Fencia Gomes
do lugar de juiz municipal da 2.' vara desta cidade
para o de juiz municipal o de orphfios do termo da
Villa-Nova na provincia do Sergipc. Inleirada, e
que se aecusasse a recepcflo.
Outro, remoliendo a rclae,fo dos supplentes dos
juizes municipaes da 1.* e 2.* vera desle termo, orgi-
nisada pela ordem cm que entendeu deven elles II-
car. Inleirada, quo se respondesse.
Dous da enmara municipal de Cimbres, aecusando
a rccepcilo dos desta, communicando-llie a posse do
px-presidenle desta provincia llcrculano Ferreira
l'cnna, ea dcmissfio dada ans vicepresidentes da
mesma, assim como a substituieflo do outros.-In-
teirada.
Dous da enmara de Olinda no mesmo sentido.- In-
leirada.
(miro do fiscal da Boa-Visla, participando sellar-
le atacado de un rheumalismn anicular agudo, que
o priva de andar, e de precncher as Tuneces de seu
cargo.- Inleirada, c fui nomcmlo para siibslilui-lo,
durante o seu impedimento, o fiscal do liccife, fu-
zendo as vezes do Outro do contador desta cmara, airesentandn o
bala neo da receita e despeza municipal no primiro
trimestre do correlo anno.Que Toase rcmellido a
contmissflo de policio para cxamiiu-ro.
Outro do eugenbeiro cordeador, apresentando,
para ser approvada, a planta que levantara da povoa-
eilo dos Atojados, cm cinco follms.Que Tossu rc-
mellida a commissflo de edificacio.
Outro do fiscal de S.-Jos, requisitahdo dous car-
rinhos de mito, duas ps e dnas enxadas para man-
dar fazer a limpezadas ruasdo sua freguezia. Que
se expedisse ordem ao procurador para fornecer-
Ibe ditos ohjectos.
Outro do lir. Joo Jos Pinto, dando as rasoes por
que deixou de cumprir cm trnnpo com o disposto as
posturas em vigor, quanlo declaragflo que ellas
exigem dos mdicos, cirurgies, etc., a qual reme-
ta, pedindo dispensa da multa cm quo incorreu.
Inleirada.
Sendo lida urna pelicHo de Bellarmino Alvos de
Amelia, offerecendo a quantia de70,000 mil ris pe-
lo rendimento annual do imposto das medidas de fa-
rinba dos mercados pblicos, oSr. vejador Barata
fez o seguinte requerimento que foi approvado,
mamlando a cmara ofliciar ao Exm. presidente, da
provincia, pedindo approva<;lo da deliberado que
(ornara de licor a arrccadaQflo do mesmo imposto por
sua conta.
Nflo sendo possivel arrematar-se o imposto so-
bre as medidas de farinba pelo lanco do 70,000 ris,
que lie sobremodo lesivo dos interesses municipaes,j
visto como csso imposto renda 750,000 ris, o quo
prova conluio entre os licitantes, proponbo que
seja elle posto em adminisliacflo por conta desta
enmara, t que nppareca qucni o arremate debaixo
das bases que frem apresentailas
Becife, 24 de Janeiro Je 1849.O vereador, /la-
rala.
O Si-, vereador llamada fez o seguinte requeri-
mento que foi approvado, deliberando a cmara
que se pedisso pcrmisso ao Exm. presidente da pro-
vincia para usar do edificio de quo Hala o dito rc-
querimonto.
Nfio bavendo ain;la no bairro do Becife praga de
mercado de familia, requeiro que so marque provi-
soriamente o callaliouCO das portas para eslo fin. Ca-
sa da cmara, em sessiio do t de Janeiro de 18*9.
O vereador, Uamede.
O Sis vereadores presidente e Barata mandaiam
mesa o seguinte requerim nto que foi approvado,
mandando-so expedir no sentido delta as conveni-
entes participarlos :
Itequeiro que seofiicie aos vereadores que sito
obrigados a comparecer s sessoes desta cmara,
por nflo se acbarem legitmenle sontos ou dispensa-
dos, para que entrem em suas respectivas funccOes,
ou exhiban) peanle a mesma cmara os motivos do
sua iseneflo, applicando-sede boje em liante o cor-
rectivo establecido pelo artigo 28 da Ici do 1. de
oulubro de 182S. Paco da cmara municipal do Be-
cife, 24 de Janeiro de 1849. -O vereadoios,//a/ llego Albiiquerque.
Mandou-se informar ao Exm. presidente da provin-
cia a peticffo de Jos Antonio l'ereira Bolrigus, em
que poilo o pagamento do azeito fornecido para lu-
ZCS da r dem.
Mandou-sc registrar a carta de parteira de Gertru-
des Rodrigues Coliseo.
Eoi nomcailo membro dacommissflo do polica o
St. vereador Carneiro Monteiro.
Despachaiam-se as pcticOes de Joo Pires Ferrei-
ra, de Antonio Pedro das Noves, de Bornardno Jos
Monteiro, de Jo.lo Ozorio de Castro Maciel Monteiro,
de Jos aTToiiso Fcneir, de Cypriaoo Luiz da Paz,
de Dayinundo Carlos Leile, du Victorino Gorreia da
Silva/e levantou-se a sessflo. Eu, Judo Jote Ftmlra
de Aguiar, secretario a escrevi.Reg Albuquerque,
presidente. liarro. Vrala. Ferreira. lar-
neiro Mmleiro.
Geral .
I) i versas
CONSULADO GEBAL.
BENDIMENTO DO DIA 8.
a 'a* a i
provincias............
9:433,774
10,905
2:444,679
Rcceita e despeza da cmara municipal do ltecifc, no
mez de Janeiro de 1849.
BECETA.
Alugueis das lujas da praea da
Independencia...... N.25aS0 1:176,681
Imposto de 2/ r. sobre ms-
cales o boeeleros ... 58 a 100 86,000
CordcocOcs e liculas ... > 29 a 32 18,000
Hullas por infracifBa depoilurai, a saber:
Da freguezia do liccife N.'43a 59 394,000
Dita de Sanlo-Anloiiio 16 a 45 102,000
Hita de S.-Jos....... 3 a 6 95,000
lela repartiese de polica 1 a 2 22,500
lis. 1:894,181

DESPEZA.
Ordenados e commisso do
mez de dezembro p. p. N.
Decima dos predios municip.
2. semestre de 1848 a 49 a
Cusas de processos do infriic-
ees de posturas ....
l.impeza de ras-. .....
Evcntuaes .........
2a
13
Bataneo a favor da rcccila
Bs.
866,292
3C7.792
158,693
34,3tl0
16,560
1:443,697
450,484
1:894,181
Contadura municipal do Becife, 1." de fevereiro de 1849.
O Contador,
Manoel Gregorio da Silva.
lowmmto.
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO DIA 8.......... 2:525,857
Desearregnm hoje, 9 de fevereiro.
Briguo Maria-Josi mercaduras.
Briguo lleliopolis bacalbao, farinba, louca o li-
jlos.
l*olaca Silencio farinba.
Patacbo Sanla-Cru* pipas vasias.
Drigue San-Domingos mercaduras.
Briguo Fenlura-Fetis id.em.
Patacho El idem.
IMPORTA GAO'.
Polidora, lirgue liamburguoz, vindo dcllambur-
go, entrado no mez prximo passado, consignado a
N. O. Ilieber & Companbia, manifestou o seguinte:
100 barricas genebra, 50 caixas velas, 80 ditas
queijos, I dita botes do mndre-perola, 4 ditas brins
devele, 6 ditas capellina, 9 ditas fazendas de al^o-
dflo, 3 pegas carne ue fumo, 1 pacote lellras impres-
sas, 1 bureta bolacha ; a N. O. Biebert Companbia.
2 barricas farinba do trigo ; a Tigetmcyer.
4 caixasbixas, 18 fardos papelflo, 1 piano, 5 caixas
couro de lustro, 1 dita (apis, 1 peca de bro de linbo
emiudezas, 2caixas o 5 barricas drogas, 3 caixas
perfumaras, 1 dila pellucia, 1 barrica queijos, 3
caixas obras de pao, 2 ditas o 1 barril obras de peora
e vidro, 1 caixa miudezas, 1 dita com 1 relogio o
peitences, 84 cestos goa mineral, 50 caixas eVim 50
queijos, 152 saceos fardos, 1 caixa suspensorios,
20 pecas.prpsuntos, 1 mge, 10 fardos capim seceo ;
ordem,
2 barricas brochas, 1 caixa c 2 fardos balanzas, 1
caixa luvas cocidos, 10 ditas cspclhos, 2 barricas
dedaes, 1 dita lorneiras c miudezas, 1 dita forragens,
8 barricas e 2 caixas facas, 1 barril formos, I dito
carncirns, 1 caixa fechaduras, 1 barril anueis, 1 dito
verrumas ;a II. a Brindis.
2 barricas conseivas ; a II. Vnss.
1 caixa brinquedos; a C. B. \V Gurlelt.
1 caixa fazciixlns do al^odflo, de I i filio o miudezas,
1 dila utensis paracoziuha e livros impressos, 2 di-
las apparelhoj para tomar banbo c utensis para co-
zinha, 1 dita miudezas, 1 dila obras de vidro, 1 di-
ta relugiose perleuces, 1 dila 1 privada'; 1 fardo fa-
zendas du Mgod.toc livros improssos, 1 cesto obras
de lnm;a, 1 caixa quadros, 1 dila /rulas cm conser-
va, 1 dita obras de lo'lia de Flandros; a F. Aug.
Zielz.
4 caixas fazendas de algodflo, 4 ditas ditas de lila,
3 ditas do algodflo c linho, 12 barais tintas, 1 caixa
brinquedos; a Scliaflioitlin & Tobler.
3 caixas fazendas de algodflo, 6 ditas pennas para
oscrever, 1 dita courode lustro, 1 armario; J. Koller
& Companbia.
1 caixa pertences para chapeos, 1 dita oleados, 1
dita pellucia ; a A. L. Strausss.
1 caixa relogios, II fardos papelillo; a J. II. I.ult-
kens.
I queijo, 10 vplumcs drogas, 9 fardos papelillo, 1
caixa brinquedo's, 2 barricas cadinbos, i caixa sedas
para sapaleiro, 4 ditas vidros ; a Orzar Krugcr.
3 caixas mobilia, 7 ditas espelhos, 1 dila lampari-
llas ; a Kolkman e Irmflos.
1 caixa botOcs, I dita miudezas, 2 ditas taboi-
nlias, 2 ditas couro de lustro, 4 fardos papellflo ; a
J. I). Wolfhopp & Companbia.
15 lastros carvo do pedra, 1000 garrafdes vasios ;
a Christiansen.
2 fardos pannos de lfla ;.a Rolhe e Bdoulac.
CONSULADO PROVINCIAL.
REINDIMENTO DO DU 8.......i. 784,481
Mnvimento do Porto. .
Navio mirado no da 8.
Em commssflo ; brigue-escuna brasileiro de guerra
Andorinha, commandanto o cspit9o-tenenlo Lou-
renco da Silva Araujo Amazonas.
Navios salidos no mesmo dia.
Gibraltar por Parahiba j polaca sarda Conslanie, ca-
pitoB. Bunnagerino, carga assucar.
Gibrallar ; brigue sueco Franklin, capitflo N. Nor-
bolhin, carga assucir.
dem ; barca sarda Guisepphina, capitflo Andr Pro-
ve, carga assucar.
Phil.idelpliia ; barca americana Navarre, capitSo Ja-
mes Viacock, carga assucar.
Ilamburgo ; briguo hamburgUez Ed, capitflo W. II.
Sbibuon, carga assucar.
Biu-de-Janeiro ; biigue brasileiro Alia, capilflo Mar-
co da Bocha Pires, carga assucar, ago'ardonte e
mais gneros. Passageirns, a familia do capitflo e
5 escravos a entregar.
Purlos dosul ; vapor brasileiro San-SebasliHo. com-
maudante o primeiro-tenente Antonio Xavier de
Noronha Torrtfzflo. Alm dos passageiros que
trouxe dos pintos do norte para os do su I leva a
seu bordo : para Macei, o padre Manoel Cordeiro
daCruzconi 1 criado; para Baha, Simfronio ()-
limpio de Queiroga, Manoel de Goa Muniz Telle.s
com 2 escravos, Antonio Agripino Xavier de tirito
com 1 escravo; para o Bio-de-Janeiro, o cadete
Demetrio Acacio Fernandes da Croz, o capitflo-
lenenU Eliziario Antonio dos Santos, Joaquim
BenovidesSiabra de Mello, Silvino Cavalcauti de
Albuquerquo com 1 escravo.
Secretaria Ja tliesouraria d fazenda provincial de
Pernambiic'o, 31 de Janeiro d 1849.
O 2. escriturario,
Antonio Firrtirts d'Annunclaoto.
Clausulas especiaes da arremalacao.
i.' Os reparos da cemada de barro da asteada do
norte no piimeiro lango e tempera das valas serilo
feitas como indica o orcamenlo approvado pelo
Exm. Sr. presidente da provincia, importando eoi
704,550 rs.
8.a As obra principiarfio no prazo de quinze dia,
ese concluirflo no de dous nio/es, contado tudo ja
conformiiladecom o artigo iodo regulamento du
arrerrtatacoes.
3.* O pagamento do imposto da arremilacflo ser
realisado em duas prestacOes,' sendo a primeira
quando o seivico estiver em melado e a segunda no
lim da obra.
4.' Para tudo o mais quo nflo est delorminado
as presentes clausulas, eguir-se-ha inteiramenla
que dispOe o regulamonlode 11 dejulho O engenheiro,
F. Roirigm Miguel Jrchanjo Monteiro di Andradi, officiai d* im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da di C.krislo i ins-
pector da alfandega de I'ernambueo, por S. M. o
imperador, que Dos guarde, tic.
Faz saber que hoja, 9 do corrente, se hito d arre-
matar, em praca publica, porta da mesma, ao
meio-dia, 350 gigos com batatas em estado de avi-
ria.com 169quntaes, 3arrobas equatro libras, a
vahado, segundo a laxa, em '3,000 rs. o quintal, cu-
ja arromataeflo ser feita a vista do genero e pelo
piec/> que se offerecer, segundo o artigo 877 do re-
gulamento, sendo a arremttacflo livre dedireitog.
Alfandega, 8 de fevereiro do 1819.
Miguel Archanjo Monteiro de Anirads.
EDITAES.
O tiln. Sr. inspector da lliesouraria da lazend
provincial, cm virtude da resolueflo do tribunal ad-
miuistinctivo, manda fazer publico que, cm cum-
primonto da lei, peranto o mesmo tribunal, se ha do
arrematar embasta publica, a quem mais oflerecer,
nos dias 13,14 e 15 de fevereiro prximo vndouro,
o imposto da laxa da bar reir da estrada e ponte da
Tacaruna, avaliado annualmente em 1:000,000 rs.
A arrematadlo ser feita por lempo de 2 anuose
4 mezes, a contar do 1 de marco do corrente anno
atSOdejunho do 1851.
As pessoas que se propoxerom a esta arrematado
compareeain na sala das sessOcs do sobreditO tribu-
nal nos dias cima indicados, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E para constar so mandou aflixar o presente e pu-
blicar pelo Diario.
Secretaria da lliesouraria da fazenda provincial de
I'ernambueo, 30 de Janeiro de 1849.
O 2.o escriplurario,
Antonio Ferreira d'Annunciaeio.
O lllii- Sr. inspector da lliesouraria da fazenda
provincial, em virlude da resolucflo do tribunal ad-
ministrativo, manila fazer publico que, nos dias 13,
14 c 15 de fevereiro prximo vindouro, irflo a praea,
peante o mesmo tribunal,para seren arrematados a
quem por menos fizer, os reparos da casa da barrei-
ra da estrada do norte, sb as clausulas especiaes
abaixo transcriptas, c pelo preo do 134,000 rs.
As pessoas que se propozerem a esta urremalseflo
compareea m na sala das sessoes do sobredito tribu-
nal nos dias cima indicados, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou aluzar o presente e pu-
blicar pelo Diario. >
Secretaria da lliesouraria da fazenda provincial
do I'ernambueo, 30 de Janeiro de 1849.
0 2" escriplurario,
Antonio Ferreira d'Annunciacdo.
Clausulas especiaes da arremalacao.
1.a Os reparos da casa da barreira da estrada do
norte sorflo feilos do modo indicado no ornamento
approvado pelo Exm. Sr. presidente da provincia,
na importancia de 134,000 rs.
2 As obras principarflo no prazo de quinze dias,
o terminarflo no ile um mez, ambos contados se-
gundo o artigo 10 do regulamento das arrema-
lacoes.
3.a O pagamento do importe da arremaiaflo rca-
lisar-se-ha no Un das obras, ilepois dellas recebidas
pola reparlico das obras publicas.
4.a Em ludo o mais que nflo esta determinado as
presentes clausulas seguir-sc-ba interamente o que
dispOe o regulamento das arrematarles dell deju-
Iho de 1843.
Iteparlicflo das obras publicas, 29 de Janeiro de
1840.
O engenheiro,
F. Rodrigues da Silva.
O lllm. Sr. inspector da lliesouraria da fazenda
provincial, em cumnriment da ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, de 29 do corrente, manda
Cizcr publico que nos dias 13, 14 e 15 de fevereiro
prximo vindouro irflo a praea perauten tribunal ad-
ministrativo,para serem arrematados a|quem por me-
nos iier, os reparos de que neerssita o primeiro lan-
co da estrada nova neOlindi, sob as clausas espe-
ciaes abaixo transcriptas, e pelo pre^o le 704,550 rs.
As pessoas que se propozerem esta arremat-icflo,
rom pareea in na (aladas sessoes do sobreditu tribu-
nal nos dias cima indicados, pelo meio-dia, com-
petentemente habilitadas.
E para constar se mandou aluzar o presente e pu-
blicar pelo Diario.
(5?
Deca rayoes.
S. xc. Revm. com movido pelas infaustas noliria
da opress.lo e fuga do SS. Padre Pi IX fez celebrar
preces as matiizese conventos desta capital por
tres dias, as quaes prestou sua assistencia liem co-
mo As praticas, dignamente recitadas pelo reveren-
dsimo [ladro mcslre fre Joo Capistraa* de
Mendonca, que voluntariamente se oflereceu par
exercer este ministerio. Eslas uicsmas preces toro
lugar em toda diocese.
Itecife, 3 de fevereiro de 1810.
O padre Francisco Jos lavares da Gama,
Secretario de S. Exo. Revm.
Acamara municipal desta cidado faz sessiio ex-
traordinaria no dia 12 do corrente.
O secretario,
Joto Jos Ferreira de Aguiar
Associaeo commercial de
Per na moneo.
A direreflo convoca os socios da mesma para as-
sistircmi assembla geral que deve ter lugar no dii
9 do correuto mez, polas 11 horas.
O cirurgiflo ajudante do liatalbBo.de volunta-
rios nflo podendo ir pessoalmente a casa de todos os
leus camarades que fram ferides nd dia S do cor-
rente, poros nflo cnnbeeer, nem saberes suas mo-
ladlas, por isso avisa todos a vircm pessoalmente,
caso sejam os sous ferimentos leves,ou mandarem no
Alcrro-da-Boa-Visla, n. 47, para serem procurados.
0 Illm. Sr. inspector da lliesouraria da fazrn 'a
provincial manda fazer publico que, do dia 12 do
correte mez por diante se paga i o os ordenados a
mais despezas do crrenle anno liiiiincciro, vencidos
al o ultimo do prximo passado mez
Secretar in da lliesouraria da fazenda provincial de
I'ernambueo, 7 de fevereiro de 1819.
O segundo eso iplura io,
Antonio Ferreira d' Annunciaeio.
0 Illm. Sr. director du Iyeeu desta cidade man-
da fazer publico que, no dia 22 do corrente mrz, es-
tarflo abortas as aulas do mesmo lyceu ; comectnilo
o oxercicio das de latim, ingle/., pliilosophia e e.-o-
graphia dasoilo as dez horas do dia, e as de de-
senno, geomclria, lingoa nacional francez e rlmlo-
rica, das 10 ao meio dia. Para constar, manJou o
mesmo Illm. Sr. director publicar pelo Diario.
Secretaria do I yeeu, 7 do fevereiro de 1849.
O amanuense,
Hermenegildo ilarcellino de Mirand.
CURSO JUBIDICO.
Por ordem do Illm Sr. director, f?o saber a tjat
convier, que, para regularidailo dos examos prepi-
ralorios, licam estes disliibuidos pelos diaa da sema-
na do modo seguinte:
Segunda-feira, das 9 horas as 11 e meia geografla;
das i 1 horas s 2 da tarde latim ;
Terta-feira, das 9 horas asile meia hetorica;
das II s 2 da tardo latim.
Quarta-feira, das 9 horas s 11 c meia geografie ;
das 11 s 2 da larde francez.
Sexla-feira, das 9 horas s 11 o meia inglez ;
das 11 .s 3 da tardo francez.
Sabbado, das 9 horas asile meia geometra ;
das II s 2 da tarde philosoplii-
N. B. Odia impedido por ser feriado passaria ser
como a quinta-feira. Outro sim, os despechos aos
requermentos de exames preparatorios s se'
dados nesta secretaria, eos reqiierimenlos, er0'^
do despachados, licarflo na mesma, onde se Tara uma
lista dos que toem de ser examinados. ,^
Secretaria da academia jurdica de Olinda, 23uy
Janeiro de 1849.
Ednardo Soares a"Albergarla,
Secretario interino.
O arsenal de guerra compra azeite de carrap-
to; dilode coco,, velas de cainabae de eaoerina-
cete lio de algodJIo o pavios : quem quizer fornecorcoinparccei na sala da airon
do mesmo arsenal, no da lOdocoireule moz, co
sua proposta em caria fechada.
O amanuense,
Joto Ricardo da Silo*-
ILEGVEL I ^


- tf
Arham-sc recolhidos cadeia desta ciclado o
preto Mauoei, escravo de Boruirdo Jos da Cmara,
morador no chgenho Bemficd, e Silvestre, escravo
do JosThoodorodoMoracsIJns, morador na ra de
San-Bento, em Olinda-: seus snhorcs comparceam
na subdelegara da Boa-vista, munidos de seus ttu-
los, aflin de Ihcs serem entregues.
Vicente Antonio d Eeptrito Santo,
Supdelcpado.
A mala oue tom de conduzir o vapor de
guerra D. Affow parao niO-de-Janc-
?o7om direitura, fecha-Se no d.a 10, ao
moio-dia.
AVOZ DA RELIGU.
Dosto periodieo religioso existem tres voluntes,
do< quaes"o primeiro conlm urna demonstraeflo da
rcligiHocatholi'ca ; o segundo um tratado (las con"
sequencias da reforma protestante; o o tercoiro
un tratado de controversia religiosa. Alem disto
conlm rligos a rospeitodas principaes solemnid-
des da igreja ; diversas, homilas ; vida dos santos
mais Ilustres; historias edificante* ; possag'iis es-
colladas dos mais clebres escilptores amigos e mo-
dernos relativas s verdades da religiflo ; diversos
artigse noticias a ella concrdenles, etc.
Ouanto a aua foitura *ej til s pessoas de todos
oostados o particularmente abs ecclisiasticos, he
liem manifest, Vista da resumida o simples oxpo-
sieflodos importatilissimosobjectos do que elle tra-
a ; e a aceitac.no que tem merecido m diversas pro-
vincias d> imparioassaz o comprova.,
Vende-se na livraria da ra da <;ru7., no Recife ,
n.;i6, a 4.000 rs. cada volume hrochado ; enames-
nia livraria e recabom assignaturas para o quario
volunte cojos numeres se publicam regularmente
lo Jotos domingos, a mil rs. por trimestre.
loutrium da cotutiiviclo ujnoial do arcebitpado da Ba-
ha reducida a um tratado de moral casuitco.
Esta obra hedo maior interesse para lo los os ec-
lesistico* por seo que Ibes subministra um
exacto resumo de- indas as disposicoes da conslilui-
eflo por que se regem todos os bispmlos do Brasil,
notando aquellas que nflo esto actualmente om vi-
gor dando ab mesmn tempo a genuina intclligencia
dessas disposicoes na resolucflo dos casos quo pro-
pOem.
Vende-se na livrnria dn roa da Cruz, no lleclfe ,
ii. 5 1 v. em querto, mcia encadernarlo por pro-
co de 5,000 rs.
Para l.osndsf Angola ) o brigue porluguez Fior-
do-Tejo salte em principios de marco, capilfio Fro-
derico Carlos llosa: para cargo miuda ou passa-
geiros para o que tem excellentes commo los tra-
ta-seeom o consignatario, Jos 'Francisco da Costa
Bouxo, na ra do Crespo, n. 10, ou na praca do
Contmerrin.
O brigue lubequense Aurora, leudo arribado;
a este porto para repaiar o leme, tem de descarrogar
parto do seu carrcgamonlo: ha doem consequencia,
precisar do mil a dous mil pesos fortes a risco;
quera os quizer fornecer, qgeira dirigir-sc ao escrip-
torio dos consignatarios, I.. G. Fcrreira & Compa-
nhia.
- Freta-se para qualquer porto da Europa o bri-
inglez Lalla-ltookh de lote de 200 toneladas : a Ira-
lar rom o capil;1o, na ra da Cruz n. 45, em casa
de Naseimento & Amorim.
I'ara o Itio-du-Janeiro sahe, com a maior brevi-
dade possivel, o biiguc naciotial Viiconde-de-Cama-
m : tem excellentes commodos para passageiros;
para carga' e escravos a frete, Irata-se com o capillo,
na IVaea-dO-Commereio, ou com Novaes & Compa-
nhia, ra do Trapicne, n 34.
Para o Rio-de-Jnneiio sabe, com a maior brevi-
dade possivel,o ljate nacional Gil-lira : pora o res-
Inda carga e passageiros, traa se com o capilflo
na otaca o com Novaes & C., na ra do Trapiche,
ii. 34
Para o Rio-de-Janelro seguo em poneos dias a
escuna Galante-Varia, do primeira marcha : para o
resto da carga e passageiros, trata-se na ra da Moo-
da, n. 11.
Para o Rio-de-Janeiro pretende seguir viagein,
com lireviilade, a escena nacional Curiosa, por ler
parto da carga prompla : per o restante e passagei-
ros, lrala-se com o meslre,; Domingos Antonio de
Aievedo, ou con l.uiz Jos de .S- Araujo, ruada
Cruz, n 37, segundo andar.
--Para o llio-do-Janeiro segu com mulla hrc-
vidade o brigue nacional Atalta : para o resto da
carga passageiros e escravos a frete, liata-se com
Joflo Francisco da Cruz, na ra da Cruz, n. 3.
~ O patacho S.-Jooo-Vencedor sahe para o Rio-de-
Janeiro, cum a maior brevidado possivel, para o que
ja lem parle ilo carregaiiiento prompla ; quem no
niesino quizer carregar, ou ir de passagein, ou
embarcar argum escravo a fete, dirija-so ao seu
consignatario, Francisco Alves da Cunba na ra
doVigario, ii. ll.primeiro andar.
Para o Itio-de-Ja'uciio sabe, om poneos diaSj a
barca nacional Tfutativaleliz, porj se adiar com
grsnde parle da carga a seu fiordo : para o resto, es-
cravos a frete e passageiros para que uffoiece os
mus ricoseasseiados coiumodus : lrala-se na ra
dalloda, n 11.
O abaixo assignado scientilea a quem se inle- estatura regular ; lem um
ressar que uilo hn mais empregado na oflicina do querto, que pode ler do Ji
lllm. Sr. Manoel Antonio AI ves do Brlto desde 14 do
Janeiro de 1849- O mesmn abaixo assignado suma-
mente agradecido as delicadas e afsgosas manefras
com que os lllm. Srs. Britn Gabriel Affonso '.eguei-
ra esua familia o tem acolhidu no espmo quaai de
10 annos e sobretodo a confidencia de quo tem si-
do depositario turnar-se-hia o cuto mais despro-
aivel so doixassrt do manifestar-lhes eterna gracidfln,
eofferecer-lhes humilde o fielmente o sou insignili-
Cante preslimoem qualquer paragem quo habito.
Outro sim.n abaixo assiiiuado rclira-se desta provin-
cia e suppoe so dever immensas altoucOes; porem,
se alquemsejulgarseu credor poroutros favores,
queira apresentar sua conta al 15 do correle.
Antonio Joaguim de Souza Mximo.
Toda atten^fto ao que he boin.
Deposito c imperial.
i Na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, oscripto-
riodejos ile Almeida Brrelo Bastos, vende-seo
bem acreditado rap andnr.ihy o imperial, fabricado
no Bio-de-Janciro, sendo o nico deposito nesta
provincia; assim como se vende a relalho as so-
(iuiutes casas : ra da Cruz, u. 61 ; hecco da l.in-
goetu n. 3 ; ra ilo Pilar em Fra-de-Poltas n.
86;ruada Cadeia do Recife,ns. 17 e 19.; ra do l'.n-
canlamenlo, n. 4.'; ra do Vigario n 14; roa da
Cacimba, n. 2 ; ra do Cordouiz, n, II ; roa do Ool-
egln, n. o ; psela da Independencia, ns. 4 e 39 ; ra
, A DNIA.0 N. 73.
Esta follia, cuja puhlicacHo estove interrompida
em consequonoia dos successos do dia 2 do corren-
te, contina a sahir a luz com o presente numero,
oq_ual traz aspeis mais impnrlarilca relativas ao
ataque da capital, assim como um arf^o descreyen-
do os contccioientos da lucia dos rebeldes com as
fotcas legaes.
O commandante e ofllciaes do briguo do S, M.
F. f'ilta-Flr, muilo penhorados pelos louvores que
Ihes vota a pessa que tal mandn publicar no Dia-
rio de Vernambaco de 8 do corrente mez, respondein
ilizeudo quo tudo quanto fizeram muito julgaram
dos seus dveres, como subditos de S M. F.; toda-
va tributam os seus. maiores agradecimenlos pes-
sa que assim os quiz honrar.
-- Precisa-se do um rapaz brasileiro on porlu-
guez, de 12 a 14 annos, para caixeiro ; em Olinda, na
padaria do Varadouro, ra do Baldo, por baixo do 3.
sobrado, quem vai do Varadouro.
-Wila de primeiras letlras.
Ensinom-se meninas com todo o^desvelo a ler, es-
crever, contar, grammalica portuguezo, costura, la-
vii iiln, bordar de toda as qualidades, do sedo, e
matizes, ludo com perfei^ao, assim como Umliem
nsinam-so meninos .* na ra da Cadeia de S.-Auto
nio, no 2 andar do sobrado da esquina do b.-cco do
Ouvidor.
Na Praca-do-Commercio, n. 2, 1 andar, exis-
lem 6 saccas com caf, viudos do Rio-Forinoso, para
O Sr. TilniPCio Valeriano.
Jolo Francisco de Vasconcellos e sua mulher,
Brasileiros, relira m-se para llueno>-Ayres.
Tendosido um dos obsequiados a bordo dohri-jdo. Queimado, ns. 10, 16 e 33; ra.do l.ivrainent
gue de guerra porluguez Douro em o dia 2 do cor-
rente ccom quanto coahocosso que j a muito llo-
vera ler agraducido o bom acolhimonlo que me do-
ra in tinha-me chamado a silencio alim do ver
quem mclhoi soubesse manejara penna para lomar
sobre si a agradecer em nome de lodos os obsequios
pelos quaes Dcamos penhorados de roconheciinen-
to< ; porm como al boje niugucm se tem declara-
do, por isso eu quo bem inesquiuho sou om tal ma-
teria e com mais alguns amigos quo lambeni se
ulilisaraui da mesma hospilalidado o gratos como
estamos do bom jicolliimenlo quo nos deram, vamos
agradecer ao lilm. Sr. Joaquim Jos da Cunha faz as yezes de commandante e a toda Ilustro oIIi -
cialidade ,quo lauta honra (izeram a ncelo porlu-
guez peJa presloza CJin que soccorriam lano os
da sua naco, como de qualquer outra sem destn-
elo de sexo caso em se quororum ulilisar; assim
como a guarnieflo e tripolacAoquo apezar de se ve-
rem incommodados, por causa do grande numero
de pessoas existentes, se mostravam sasfeilos, cho-
gando a ponto de sedoreni suas camas e passarem a
noite incommodados para cumprirem com os de-
veres da hospitalidade, pelo que se tornaui dignos
de todo o incomiopor 13o bondadoso proceder : e
por. isso os abaixo assignados cheios do gratido
vecm dar esta pequea inoslra dos seus agradeci-
mentos, pelos obsequios receidos. Itecife, 7 do
feverejro do 1859. A. J. H. P. e com mais 16 as-
signaturas.
Aviio interesante aos Sri. negociantes.
. Quem tiver dividas para as parles do Cear Araca-
ly, Sobral, Ico, luliainuns, Rin-do^Peise, Pomhal,
l'arahiba, Brejo-de-Areia, Campia-Grande, Alaga-
Nova, AlagOa^Grnnde Hananeiras Goraliira, Intt,
Cariry, Pedras-de-Fogo Pianc, Villa de Patos, As-
s, Iti.i-Grande-do-1orte Naluba, Urejo-de Fagun-
des, llabaianna, villa do Pilar, villa di Jacoca ,
villa da Lea mira. Cathol-d-llocha Gurinhem Ca-
bacciras, llalir;"o, ou ein outro qualquer lugar do
cpulro do norlo, urna pessoa casada e moradora nes-
t praca que lem transitado lodos estes lugares on-
de tem miiitos conbecimentos, se olTerece para as
cobrar, e a respeilodc sua capacidadee actividade,
poderflo os prclcndentes se informarem dos Snrs.
Manoel Jos Goncalves, JosJoaquim da Costa Leilo,
doulor Joaquim Jos da Fonseca. Oocm de seu pres-
umo so quizer ulilisar nnuncie por esta follia para
se tratar do ajuste c do uieio mus commodo do
l'ioiuover a eolu anea.
~ Oflbrece-se urna parda j de idade paia amo de
nina casa de homem solleiro : quem de sen presu-
mo se quizer ulilisar, dirijn-se a ra do llortas, n.
70, primeiro andar.
Alaga-so o sobrado de 2 andares da rui Dircita,
n. 66, rom luja de couros o armaco, cum poucos
lundos: a tratar na mesma loja.
r- O profossor de inglez e fiancez do Collegio das
arlesensina eslas disciplinas, na casa de sua resi-
dencia ra da Gloria, sobrado II. 7.
Precisa-se alujar un sitio abeira do rio C-piba-
ribo .situado na .Magdalena ou em Ponle-de-UchOa :
a tratar com Ricardo Royle, na ra do Trapicho do
Sr. Angelo, n. II.
Avisos diversos.
~ Pica do nenbom effoiloa festa de S.-Braz, em
o da 11 do rorrete, como se annimciou ficando
transferida para melbor occasio, a qual ser an-
nuneada. ^
Joaqiiim Rento Wres subdito forluguez. rell-
ra-se nara o Rio-do-Janeiro. .
-Quem annunciou querer comprar um terreno
com 200 palmos pouco maisou menos dirija-so a
ra do Mundo-Novo, n. 30, al 10 horas do dia.
Gaspar da Silva l.oyo relira-se para Portugal.
Precisa-ao alugar um preto que cntenda do sol--
V50 de jiadnrla: na roa Direita, n. 69.
Despacham-sc navios e escravos, etiram-ae pas-
saporles rorii loda hrevidade, por commodo pre-
to : na prac do Corpo-Santo, rmazem n. 17.
Pretende se ajuslar com um meslre pedreiro
para fazer urna cacimba : na Praca-do-Coinmcr-
cio, n. .
Inglezc francez.
Ensina-se a troduzir, escrover e fallar as ditas lin-
goas por um professor inglez de nncao das 6 lio-
ras da tarde em dimito ; bem como ein casas pai Ocu-
lares : na ra da Cadeia dp Itecife. 11. 4G, segundo
andar, defronle do beccoda Cacimba.
- Ten'do-se dcsencaniinliado do poder do abaixo
assignado nina lollra da quanlia de 384,300 rs. sac-
cada i'Or-BentoJosda Casta o aceita por Joflo da
Rocha llojlanda Cavalcanle. e garantida por Manoel
Boarque de Maeedo a qual so venceu no da 31 do
Janeiro prximo lindo, niesnio abaixo assignado ,
a quem foi sedida dita lettra pelo sacante, previne
que nipguem fuca transaceflo elguma sobre ella,
pois j se acliain prevenidas as pessoas respoiisaveis
icio seu pagamento para que nfloa paguom a pes-
soa algu.ma se uilo ao inesmo abaixo assignado seu
legitimo dono. Recife, 6 de fevereiro de 1S49.
acinlho Affonic Uolelho.
--Os abaixo assignados, deparando nesle aVinrio
sb o i). 27 a resposla que Ibes den o Sr. bacharel
l.oureuco liezerra Carneiio da Cunha dirao por
agora, que sm*lc qierem spr pagos do que devi-
damenlc sflo (redores do mesmo Sr ; que nflo sabem
como o nem porque ellescompromelleram-so a co-
brar antes do Sr. Manoel Ignacio da Cunba. No cu-
Irelaulo os abaixo assignados rogam uo Sr. bacha-
rd dos salisfazersem monor demora : se, porm, o
mesmo Sr. continuara julgar nflo dever pagar aos
nnunciantes pela rasflo que aprcsenlou ou por
quaesquer obtras enlflo veem-se os abaixo assig-
nados obrigados a provar que nenhuma haver para
deixar de cobrar delle, recordando-o com a publi-
carlo dos documentos que muilo mclhor esclarece-
rse os nossos negocios.
Viuca llurgos & Filhoi.
Aluga-se 1 casa terrea com um grande sotflo,
grande quintal, com arvoredo, na Solodado, n. 42 ;
os pretenden (es dirija ni-sea roa do Queimado, loja
n. 20.'
ns. 4, 5 e 38 ; ra da Penlia, ven la da esquina, por
balita do coronel Joaquim Bernardo de Figneire.lo ;
ra llireila, ns 6, 16, 53 93 o 141; ra dasCiiico-l'on-
tas, ns. 50 c 82 ; ra Imperial, n. 2; paleo do Car-
ino, n. 2 ; ra larga do Rozarlo, ns 29 e 35 ; ra das
Gruzes, 11. 40 ; ra do Cabug, ns. 1 e 7 ; ra Nova,
n 50; Aterro-da-Boa-Visla, ns. 2,46 e54; praca da
Boa-Vista, 11. 17 ; Ponte-Vclha ns. 23 e 54 ; palco
da S.-Cruz, n. 106.
Lotera do Iheatr publico.
Nio listante a morosidad que tem havidn na ven-
da dos bilbctcs da ullim lei^ii parte da 18.* lotera,
lodavia o Ihesourciro, desejoso de fazer andar as res-
pectivas rodas o mais breve possivel, convida ero-
ga aos amadores dcste jogo quo seapresseni a com-
prar o resto dos hilhctcs que exjsloiii.aliin de que,al
o (im do crrenle mez, o quando mullo no principio
do fovereiro prximo futuro, possa ser mareado o
dia infaiiivel do referido andamento.
CASA DE MODVS FR.V.NCFZAS.
A. U i lloclla u.
Primeiro andar da esguina do Aterro-da-Doa-Viila
defronle do ckafaris.
Recebeu-se pelo ullimo navio vindo de Franca
um lindo escolhiinentii de chapos de pnlhiiiha abor-
ta paro senliora n meninas ; litas de lodas as cores ;
cambraias bordadas ; t^irlalanas do COTOS ; um Di
nito sorlimenlo de collerinlios, ranilsinhas, romel-
ros o polillos bordados ; bJCOI prelos verdadeiros ;
(tilos (le linbo hranen ; luvas de pellica ; trancas de
ertres para enfeites de vestido ; capellas e ramos de
flores de laraujas ; ricas capellas e ramos linos .le
flores de todas as cores para llieolro ou baile ;
plumas brancas o de cores para cabete c chapeos ;
aventaos ; bonetes de, montara ; cambraias de li-
ndo puro. As seiilionis acharflo sempro para escnlher
um lindo'sorlimenlo de chapos e toncados de lo-
das as cores e prelos, o lamhom de todos os precos.
Continuadamente se fazcm nesta casa, especialmen-
te do niodss francezas, chapos, vestidos manl-
letas, cainirsinhas, palilOs vestidos do betlsado,
etc. com proinptidflo, bom gosto o proco com-
modo.
Fabrica Je lodas ns qmlidadosdp rri o I>: I i a
francesa no ultimo gosto de Paita ein
l'crnatnliiico.
I.nurenco Pug, marceneiio frimcez na ra Nova,
n. 45,bem condecido ds pessoas notaveis desta capi-
tal por fabricar trastes do ullimo gosto avisa aos
eus numerosos (reguezes e geralmento a todo o
respeitavel publico pernimbucann que \H I he den
tantas provaa de ser amanto do bom gosto quocl-
le tem augmentado sua fabrica eque est habilll
do para cniprchender qualquer mobilia que
encoiiiincniliir. As orles vilo de par com
cicatriz no hombro e<-
a 4 pollegadas de compri-
ineiilo ;' costima ombelieilar-se, e'neste estado so in-
titula por llercolano Jos dos Sanios Tranca-ltua ;
quem ojegar leve-o acilude de Olinda, na ra da
Ba-Hora, asen senhei Joflo Kerrcira Marinho, que
gratificara generosamenlo.
- I'erdeu-se, no dia 27 do correle, do Chora-
Menino aolhr-atro de Apollo, urna chapa de lalao
perleneentea roda de nina carro : quem a. adiar ,
querendo entregar, dirlja-se a 1 un da Ca lea do Re-
cife, n. 48, que ser recompensado.
Aviso satisfactorio
O abaixo assignado, agente do doutor Brandretb,
faz scienteao respeitavel publico, que pela escuna
amenc; ta Dutesie,entrada no correle metdejanoi-
ro racobeu un novo provimenlo de pilules yege-
taes de seu propiio autor. Estas clebres pllulas
sflo recommendadas por miltiares de pessoas, como
bnm domonslra o receiluario que acompanha as cai-
xinhas a quem ellas tem curo lo de thysica,influen-
cia catarros,iniligostOes,despcpsia,dores de cabete,
lores 011 peso na nuca, que (eralmcnte sflo sntomas
d'apoplexia, ictericie, febres Intermitentesbllll, es-
carlatinas, l'elne amarella e toda classe de febres as-
lhii'B,gota,ieumalisnio,eiifermdades nervosas,dores
no ligado pimosla, debilidade interior, ahali-
menlo do espirito, roturas, inflaininacoes, inchacoes
los olhos, accidentes, paralesia, liidropsa hexi-
5is sarampn, enfermi.lades dos meninos (osse de
toda elasse clicas cholera-morbiis, drtr de podra,
lombrigas, desinleiia surlez, vagados de Cabete,
erisipela uleeias alburnos do 30 anuos, canearos*
tumores InOhacAes nos ps 0 peinas, nhnorreim.is,
rupeflo de pello [sinlios ho-riveis, puadellos ,
tuda a qualidado de dores o molestias de mullieres,
como obslrucOes, relaehaciVs, etc.; be um medi-
ca ment inteiraineiito Inofjeiisivo, podendo-s ap-
plicar at as crianzas recemnascidas, e ol imamen-
te. se ten opplicado n una inliuidade de inoleslias
julgadas incu'raveis, de cuja applicacilo se tcem tira-
do to lili/es resollados, que parece eada ve/, mais
resolvido o problema do 11111 remedio universal Vcn-
de-sc na ra da Cadeia-Vclha, bolica n. 61.
Vicente Jos de rilo.
se Ihe
civilisa-
Cflo, quanlo mais um pnvo he civilisado, quanto mais
os artistas devein prodii/.ir obras linas c delicadas:
nesle sentido o aiinunciaiito empregar lodos os
seus c.-Coreos para satisfazrr a todas as pessoas que
se qui/.erem ulilisar de seu presumo. Na mesma ca-
sa Uzem coi uados para cama i IVauceza.
Precisa-so alugar uina prole forra 011 captiva
para fazer o servico de nina casa de pouca familia :
no Iloa-Visla, ra da Alegra, 11 9, .'
Aluga-se a casa Ha esquina di ra do (.aldei-
rero para o porto de embarque com armaeflo pa-
ra venda e coinniodos para,morar familia : na pia-
fa da Independencia livriHia ns 608.
*
HonKL'opn thia.
Primeiro consultorio gratuito para os pobies ^
Ojj na*fua da Cadeia de S.-Aiilonin, n. 22, dirig-
do pelo Sr. J. B. Casanova medico francez. ^
f Este consultorio estar obeilo desde as 9 lio- ^"
f recebcr&oconsultas o remedios gratultamen- V-
4 le; apiesentando um ullesladodo pobreza de **
fS seus vigariofl, ou inesmo de .outro qualquer &
sacerdote. (B
i
J. F.lsler mudou o seu estabelecimento da ra
da Cadeia-Vclha para a ra da Cruz, n. 51, sonde os
compradores acharflo um bem piovido sorlimenlo
do vinhos de todas os qualidades o conservas ,0 que
ludo vender por mu I ico prefo.
Manoel Ribciiodc Carvalno retira-se para o Itio-
de- Janeiro.
-- Joaquim Jos d'Almcida, leudo visto no Crrelo
Ueroanlil um annuncio, em que se indagava sua mo-
rada, ( ou lalvez de outro do mesmo nome ) faz pu-
blico que ha trilito annos be morador nacidade da
Fo taleza, provincia do Cear.
Precisa-se do um irabalhador de inasseira : na
ra Direita, padaria II. 82.
--Auseulou-se, na uoile do dia 8 de novembro do
1847, o escravo lleicolano, de Cor Iflo fula que pare-
ce cabra, ca beca pequea, cabello ralo, olhos pe-
queos, grossu do coi po, de 28 annos, pouca barba,
C. Slarr i\ C, engcnheinis, com fundi^ao (le ferro e
bronze, ferrarla, ludo em pomo grande, movido por
lii.is machinas de vapor, maulada! lias c.ujs novas na
roa da Aurora em Santo-maro, ayiain aos seus frr-
gurzea, ara publico PingCMl, que leein acabado dea-
premiar para vender varias machinas de vapor de bai-
ia e de alia prcssfio, c de diversos lainanlios : eslas ma-
chinas s.10 providas de bombas para snjiiirlr a caldclra
com Sgoa ja (|Urnte, c com vlvulas com 01 seus arran
jos muilo simples para regular a qiianlidailc da mesma
oa ; mas os aiiiiiinclamcs, longo de inciilcairiii eslas
invenrOcs como suas, advcrteui i|uc a primeira fi adop-
tad! pelo celebreSavarjr eiu 1698, e a rgunda inverna-
da por Ihiudlv j mais que cem aniiua panados, e
ambas inlroilii/.iilas niil.i provincia em 1835 pelos an-
nuiciaiili's 11.1 machina de vapor do riigeuho Caraune
(o primriro fabricado nesle imperio) o qual ainda csl
em ell'ccliva operacao, e desde enlao se ha rxlrahido
pello de una du/.ii das mesinas machina*, fcitai nrsla
fabrica, coiiirudo 01 inesmos appnrelbos, e com suinmo
aproveitaineulo dos compradores ; poilaulo impingir
isio agora como cousa nova, era impostura. Os annuii-
clantrr trein slm a salisfaco de informar o rrspeilavcl
publico, (]uc hao eoiiseguido um iiicllioranienlo de 11.10
pequea Importancia, e vcrdadeiraiurute novo m-u
pala, que be por nielo de nina nmdilicacao da caldeira
e um simples arranjo de canos c regisios, aproveitar
o fogo BllpeesiOO (lo asscnlaiiientii para faier mover a
machina de vapor sem mais gaslo de combuslivel de-
pois do eugcuho tergauho sua marcha : esla multo ulil
Iriiibranra lem ido experiment ida com bous resolta-
dos Cin os engi'iihos Trapiche cJaidlui. Esla fabrica es-
t sempro sorllda de
Morndas de tambores .iberios para huchas de ma-
deira, grandes epcijucnas, com seus pcilences.
Hilas com aguilhdcs acuiihadoa chamadas meias
inoeudas, de lodos os tamai.bos ccom rodetes de ferro
ou sem cites, para agua ou animis.
Dilas inleiras, lodas de Ierro, endrpemiente, com a-
niarraa dlagouaca de gancho, luvencau dos anuuuciau-
les, c inulto approvadas pela sua lorlidao c l'arilidade
(l'arniar c desarmar.
Alambiques de fono, coma nova e inulto anprovada.
M.onhos c prensa i de manilloca e Ionios defariuha.
Carros de inao c arados de Ierro.
Grande sorlimenlo de bromes, aguilhcs, chuniacei-
ras, paralUSOS c mais perteucCI de eugcuho.
Bodas c rodetes de varios lamauboi.
Boceas e crivos ile fornalha.
linchas para carrofas, serra d'aco para serrarlas.
Molinetes, broi zes c roldanas para navios.
Os auuuiieantes, pelos longos minos do pratica lies-
te pai/.. pela grande capacidade o eoiemodos de seu
novo eslabeieciuieulo, e pelo cresoido numero e mulla
cjpcriencia e pericia dos seus operarios c ruipregailos,
oll'errccm aos fregucz.es vaulagciis mo possuidas por
nruliuma outra fatoica ucsic imperio, c eslo, porlaiito,
verdadeirainenic habilitados a emprebender c exrcu-
lar com a maior prninplidao c pcil'ci(o qualquer obra
de cugeuliaiia ou machiiiismo.
Conv'tda-se a lados os iin.aos ta
irtiinitilatle de San Jos do Itecife a com-
parece rom domingo, 1 1 do correle,
pelas 9 horas d i nianhaa, no consistorio
da igreja le Nossa Senliora do Terco,
afini de reunidos em mesa geral, presidi-
da pelo lllm. Sor. Dr. junde capellas,
proceder-se eltirande nova mesa rege-
dora. Espcia-se que todos os bons
irinaos tmp r por meio de nina nova a.liiiiiiislrncao, o
abandono em que se ochtfh os negocios
da irmamlule.
(i abaixo assignado continua a ensinar primei-
ra| le res, doulrinii cllt isls.iriliiomelija o gramma-
lica porliigueza cun o maior zello e actividade pos-
sivel : minia na Hoja, sobrado 11. 33; assim como
da iicOesem casas particulares.
Joo Antonio .cltao.
Jos Cotzales Maria/etira-se para foro do im-
perio.
freguezi

fi





:
do' ^uem ?rcc's*>" de urna amn par todo o servido
;.'-nr B dentro de uma casa de homcm soltciro .
mrija-s. a ra da Gloria, n. 25.
Ai niodoSnuza, subditi porlugucz : retira-
so para fura do imperio.
- O respoitavl publico achara no armazem de
Antonio Grin]& Companhia, ni ra Nova, n.
>o aortiniento Kguinte, clipgida pelos ltimos
navios.; surimbas, liarvllhas, conservas, oseille, co-
pes, cspargos, cova-llores, intuir, chouricas den-
tro dchenhadeporco, chourigas guisadas, presun-
tos para fiambro, pepinos peleas de grosclhas e de
lirmelos, licores linos de todas as i]iialJadcs cm
garralaa multo ricas marraaeuino 4a Zara cognac
velho, kirsch e absinthe de yersei o l.ecmittre, gene-
ora de liollanda vermoulh vinho do Bordeaux cm
-uarlolaseem garrafas de diversos prexos e quali-
ades vinho de S.-Julien de pussillos, d* Madei-
ra U0 Itevesalles, moscatel e oulrrg, champanhn
le Loa marca fino azeite doce de'lMagnol agoa de
llor do laranja irascos de frutas de diversas qualida-
dcs.xaropesdcgioselhaseoulros: bein como um
deposito de charutos da fabrica do Cnfz da Babia,
lanceiros, primores, cagadorca, regala, regalos,
'-l'elixeoutros : lambem llavera todos os das sor-
veles, das 6 horas da tardeci diarile. os propieta-
rios deste eslaheleciineulo teem erran jado um lugar
nuilo froscoeagradavel, cielito Cuidado de satis-
fazscus freguezes com boa quadado de lodos
os refrescos.
-~ Pede-te ao Sr. saciislitoda matriz de S.-An-
tonio ^queira tomar cuidado com os repica luios dos
sinos,.que excedem o lempo marcado pela postura da
cmara,
Aluga-se um sitio na estrada do Rozarinho ,
com Iruteiras, que lica dcfioutu do sitio do fallec-
d Maiioel Jos do Almeida : a tratar ua ra Augus-
ta il. 30.
--Na ruado Queimado, n. 14, se dir quem da
uinli airo a premio.
Antonio Francisco de Azcvcdo rctira-se para a
Luropa.
Angelo Francisco Caruata) rctira-se para a Eu-
ropa.
Vendas.
Vcndem-se barriquinhas com cal virgem de
l.'sba muilo nova ; fe.chaduras pora portas de
rmazem ; retroz do Porto; barris com alcal'rilo da
: "?cia ; plulas da famili i ; ancoretas com azeito-
r*. s, por proco commodo : na ra do Vigario
ui'iiiazcm de Francisco Aivcsda Cunha.
n. II,
Vendern-se taboas america
lias al 5 palmos de largura
o de todos os comprimcntos.quo ha muilo lempo n,to
leeni viudo e os freguezes experimentando a falla
desta excellente qunliilade. A ellas que sito poucas e
o prego he harnlo. Atrs do lliealro, armazem jun-
to a maro, de Joaquim Lopes de Almeida.
Farelo,
embarricas a 4,000 rs. ; saccas grandes, a 3,50o
rs., ditas pequeas a 2,800 rs : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na ra do Amorim, n. 3.
Vendem-se barris pequcuos com cal virgem de Li-
ba, a mais nova que ha no mercado, por prefo com
mudo : na ra da Mocda aruiaiem a. 17.
Vende-se, por 160 rs. um mpressorom a nnr-
lacitodos aconlccimentos do dia 9 do crrante cx-
Irahida do Diario de l'crnambuco : na prega da In-
dependencia livraria ns. C e 8.
CLOS
chegados de Franca no ultimo navio, c dos melho-
res vidros que teem vindo a este mercado, isto be,
para vista cansada : na ra do Rozarlo, n. 35, loja
do l.oIy.
Contina-se a vender espirito de
36 a ti gios, em pipas c a rctalbo : na duslilacAo da
tiavcssa da Concordia.
Vendem-se sapatoes desoa e vira,
do .Aracaly, por proco commodo, em por
cao e 8 retalho : na ra da Cadeia do lie-
dle, n. g.
Vende-se carnauba muilo superior e muilo
amarella, cor le llor de slgodo, por prego commo-
do : na ra Je llortas, n. 120.
Na i na Novas n. >,
vende-se urna negrinba do 8 annos muilo linda ,
que j cose muilo bein, e he propria para so educar,
ou dar-se a uina menina ou menino ; urna prcta de
nagfln de linda (igura c que be o|itima quitandei-
ra ; urna dita que cose, engomma e cozinha, e que
d-se barato por ter um deleito cm um olbo ; 2 mo-
lecotcs denagito, de 15 anuos cada um e de lindas
figuras.
Vende-se un molcque crioulo de 18 a 20 anuos,
da bonita figura, com principios ojiois opapa : na
roa da Cadeia do Bccife, n. 59 a tiatar coni Jos
Inas da Silva.
Vende-f-e caJ virgem de Lisboa,
chegada no ullima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em ontra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. I7.
Vende-se a legitima agoa das cuidas da nimba,
que tcm feiin prodigio* de salvar 1 liurosnidado,
muito principalmente para molestias do estomago
c ilieumalicas, -prximamente chegada de l.isba:
na ra du Cruz, no Itccil'e, n. 'ii.
Vende-se sarja de seda hespa- J
323 nbola muilosuperior, selimde Ma- t
cao proprio para vestidos, los de gg
Jg linho prelos bordaclos a seda,Micias Bj
fS preliis de seda de peso, panno pre- ( to muilo inoe .'1 prova de limao, I
i3 caz mira pela elstica, sarja de
I lislras.seliin proprio de collete, as-
shn como mitras milita." fazendas
finas, propiias para a quaresma :
todo mais barato do que em ontra
qualqucr parle : na loja de Jos
Moreira Lopes & Comp.inhia, r.ia
do Queimado, qualro cantos, ca-
sa amarella, n. i<).
Polassa.
Desembarcou ha poneos diaj urna por-
cao de barris pequeos, com muilo nova
e superior potassa, eseacham venda,'
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na na da Cadeia- Velha,
armazem de Bailar & Uliveira, n. 1a,
Livros.de diversas aulas.
Na liyraria novado paleo do Colcgio, n. 6, de
Jofioda Costa Honrado, vcndein-so os seguinlcs li-
vrns : Crammalica ingleza por Constancio; dita
franceza, por Sevcne ; dita por llanionierc ; Trlema-
que em francez ; dito em porluguez; diccionario
francez e poiluguez, por Boquete ; dilo por Cons-
tancio; Golde Stnilll; Historia antiga ; dita roma-
na ; Vida de I). Jofio de Castro ; nianuscrptos para
6a meninos, n uito litis para estes; alphfabeln por-
luguez ; Ciilhccismo do Moutepellier ; Mementos de
grammatica portugueza porCarlosA.de F. Viei-
ra terecira edigito ; Fnsaiosde ortbograpbia pe-
lo mesmo ; F.lcmcntos dearilhmelica por Salva-
dor llenriques do Albuquerqiic ; F.pitbome du geo-
' nidria platica exlrabido do varios autores, pelo
mnsmo ; Kxcmplo ile escripia ingleza : todos estes
livros viiridem-su por mais commodo prcc.o do que
em ontra qualquer parte.
Veiilem-so presuntos para fiambre; queijos
londrinos ; ditos de prato ; latas com bolachinha
finade l.isba ; ditas de araruta ; conservas novas;
moslarda ; potes com sal lino ; lalas com marmela-
da nova ; dilas com hervilhas ; caixiiibas com inas-
sas linas ; vmlio moscatel de Sctubal; dilo Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, por preco com-
modo : na ra da Cruz, no Becife, n. 40.
FARELO
em saccas muilo grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Bra^uez ao p do arco da ConceicSo.
Vende-se i verdadeira e muilosuperior fari-
nha SSSF, a.relalhoe em porofiO ; dita deoutros au-
tores: na ra do Vigario, armazem de Franc'sco Al-
ves da Cimba, 11. II.
Na ra do Crespo Irija de 4 poitas n. 12, ven-
dem-sc chapos de castor prctos, de muilo boa qua-
lidade a 4,400 rs.
-- Vendem-se 3 esclavos muilo bous para todo o
servicn, principalmente de cngcuho por prego
muito barato : na ra do Trapiche, n. 34.
Vendem-se saceos com farelo,
ebegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra da Sanzalla-
Velha, n. 138.
No deposito de Me. Calmont & Companhia na
ruado Apoll, armazem n. 6, acha-se constante-
mente grande so: lmenlo de ferragens inglczas para
engenbos do assucar corro sejam : taixas do ferro
coado de differcides modelos, os mais modernos;
dilas de ferro balido ; moendas ele ferro do mode-
lo adoptado para armar cm madeira ; ditas todas
do ferro, tanto para agoa como para aiumacs; ma-
chinas de vapor de frca do qualro cava I los o d al-
ta prcssfio o mais moderno esimples que he possi-
vel ; repartiilelras ; espumadeiraa ; resfriadeiraa de
ferro cslanhudo; formas de ferro: ludo por prego
commodo.
Vende-se um oratorio com a imagem do Sr. Cru-
xi(irado ol ra do Porto muito bem feila por pre-
go commodo : na ra da Cadeia do Becife, 'casa do
Sr. Joao Jos du Carvalhe Moraea.
Vendem-se irelogioadeouio, pulseiras, biin-
cos anneloes, conloes, collares, rosetas, argolas ,
albricies de peito boles de abertura, 2 crujes, 2
co nenies de ielogio 1 roza lio, una salva de prata,
u na corrcnle : na ra d j Queimado, 11. 14.
Agenciada ftindicao.
Low-Moor, ra da Scn/,;illa-
-- Na padaria da ra da Guia, no Rectfe bavor
todos os dias a venda o novo pito de Proven? fa-
bricado poroulro modo que o dual, e da melhor
farinha que lia no mercado : por este motivo nHo se
pode fazer senSo a 40,80 e leo rs.
Visillo barato.
Acha-se estabelecido na ra da Madre-de-Dcos,
O. 36 um armazem de
Vinlios da Figuera,
de ptima qualidailc, a preco de 1,200 rs. 1 caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para nSo haver dolo do com-
prador serflo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se immediata-
mente a outra cheia : tambera ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a fesla. O pro-
rrictario dcsts estabeleci ment pede encarecida-
mente que se nSo illudam avahando, pelo diminuto
prego e sem conhecimento de causa, a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle cunta que quem
urna vez provar, continuar com goslo e sem arre-
pemliinenlo. E o bom preco!!.' A todo o exposto
accresce o ssseio e bom acondicionamento o que
ludo se poder verificar em dito eslabelecimento.
Fabrica de Todos-os-Santos.
Firmino Jos F. da llosa com escriptorio na ra
do 'trapiche, n. 44, avisa aos scus fregueses que aca-
ba de recebar pela escuna Curiosa novo soi ti men-
t do excellente panno de algodito cntrangado da-
quclln fabrica ptimo para ensaccar issucar e pa-
ra 1 alm da fazenda, o desejo de animar o desenvolvi-
inenlo de urna fabrica iulciraineiite nacional, pro-,
mover o prompto consumo da sua receila.
runo vinho da ficueiba.
Existe no armazem de moldados, atrs do Cor-
po-Santo n. 66 urna grande porgflo dcste genui-
no vinho que se est vendendo pelo diminuto pre-
go de 1,120 rs a caada e a 160 rs. a garrafa ; lam-
bem ha em pipas que se vender mais em cunta : he.
este o melhor de todos os viudos que se teem an-
uunciado pela sua simplicidade e ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis deixar de o com-
prar.
Vendc-se a venda da ra do Apollo, n. 21, com
poucos fundos : quem a pretender, dirija-sea ra d
Madre-dc-ueos, tratar con Vicenta Fcrreira da
Costa.
Na ra eslreila do Bozario loja de encader-
nagilo, n. 34, vendem-se os si guiles livros : Mag-
num Lexicn, I v.; Virgilio, 3 v.; Tilo l.ivio, 1 v. ;
Cornelio, 1 v.; Horacio, 2 v. ; Salustio, 1 v. ; Pbe-
dro, 1 v. ;lliad. 1 v. Cicero, 1 v. ; lilielotica em
lalim 1 v ; Potica de Horacio, 1 v. ; dila de Fon-
seca 1 v.; Crammalica ingleza, 1 v. ; dit.Tfranccza,
1 v. ; dila portugueza 1 v.; diccionario da fbula ,
1 v. ; dilo ingioz do Vieira 2 v. ; les Pables de La
Fontaine, 1 v.; Elemnes de l'sechulogic, 1 v.; i'hi-
losopbia do Cosen, 3 v.; Eloquencia nacional ,1. v.;
ligues do Diieito publico, 1 v. ; Consliluigito poltica
do imperio 1 v. ; gcograpbia doGautier 1 v.; Cri-
mea do governo iuglez 1 v. ; Bnvolugito du 1847 ,
1 v. ; Virialo trgico 2 v. ; Crnica de Clarimundo,
3 v. Saudades do Bernardino BibeifO, 1 v. Sobe-
rana do povo 1 v.; Melodas, 1 v. ; Considcra-
gOesdoduquede Bvrglie.l v.; Manual de cbimica,
1 v.; e ou tras obras j annunciadas.
nova, 11. 42.
Ncrte cstfibelecimenlo conlina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e incias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ierro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dilo.
Taboado de pinli da Suecia,
de 10 a r palmos
de comprimento o melhor que tcm riiegado a este
mercado, cm razlo do se poder envornizarem qual-
quer obra por 11S0 ter nos o ser muito alvo sen-
do costado, cosladinho, assoallio, forro o para fun-
dos do barricas : vende-sc a prego que o comprador
far lodo o negocio: atrs do thealro, armazem de
Joaquim Lopes de Almeida.
-- Vcndem-se doua lieos Iremos com os compe-j
lentes espedios: na ra da Cadeia-Velha n. 24, Se-
gundo andar. |
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os* San tos da
Dahia ,
muito proprio para saceos deassucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Biober & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
ClIA'HltASII.F.IliO.
Vende-se.ou armazem do molhados atrs do
Corpo-Sanlo, n-,66, ornis excellente cha produzi-
Uo em S.-Paulo, que tem vindo a este mercado .
por prego muito commodo.
Gangas da India,
amrellas a peca
i!e (las larguras pelo barato prego de dez tusles,
para rcalisar contas : no armazem do fazendas de
Baymuudo Carlos l.cite na ra do Queimado, n. 27-
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos inglezes para
fiambre ebegndos no ultimo navio: no armazem
do Bragucz ao | c do arco da ConcoigSo.
"' FARELO EM SACCAS DE 90 LIBRAS :
vende-sc no armazem de Vicente Ferreira da Costa
na ra da Madrc-do-Deos, a 3,500 rs.
Taixas para engenho.
Na fondigo de ferro da ra do Brum acha-so a
venda um completo sorlimento de taixas de 4 a 8
palmos de bocea, por prego commodo, e com promp-
lidilo enibarca-se, ou carrega-se em carros sem dcs-
pezas ao com rador.
_Vende-sc urna rica cade-ira de arruar; um mo-
lequiiiho de 3 annos : na ra Bella, 11 40.
prego menor do que o do costume. No meafrio ar
mazem ha milito novo em saccas, e lambem far
nha.
Vcndem-se barricas com cal virgem do Lisboa
desembarcada nestes das, por menos prego do qUll
em outra qualquer paite: na roa do Brum, armaic,,.
do Antonio Augusto da Fonseea.
Madeira de pinho.
Na rus de Appollo, pegado ao armazem do $r
Molla, ha um novo armazem com madeira do h\.
nho da melhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado e serrado de todas as grossuras o comprimen
tos : vende-se peto menor prego que he possivtl.
r Vende-se verdadeira potasas da
Rnssia, desembarcada hontem, por pre.
co muilo rasoavel, vista de sua muilQ
superior qualidade : na ruado trapiche
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34,
Novos rseados tuonstros tihi.
ne/es, a 500 rs ocovado.
Na loja deCuimarfles & Companhia na ra do'1
Crespo n. 5, vendem-se os novos riscados chine-
yes finos de padrOcs muito lindos, e os mais mo-
dernos que teem apparocido nesl cidade, da vara
do largura pelo biislo prego de 360 rs. o covado.
As novas casimiras de algo.
dao, a 560 rs. o covado.
Na loja n. 5 di rui do Crespo, vendem-se as nova
casimiras de algodito de padrOes os mais ricos que
teem apparocido ueste mercado pelo barato preco
de 560 rs. o covado.
Vende-so muito superior potassa, em barris pe
quenos, desembarcada hoje e por prego commodo
no armazem de | Diaa Ferreira, no caes 'd'Aifinl
dega.
Vcndem-se doas pretas, mili elllha, temi esta
bom leile, por deixar urna cria do 5 mezes: d-.e por
prego commodo, com a'condigfio de ser para fra di
provincia : no largo do Carmo, venda n. 1.
-Na ra das Cruzes n. 22,segundo andar, ven-
dem-soduas prelas sondo urna de 40 annos, e ou-
tra de 16 ; um escravo de 22 annos ; um moleque de
11 annos; um cabrinhadell annos com habilida-
des que so dirSo ao comprador.
Chitas baratas.
Vendem-se chitas de boa qualidade, pelo dimi-
nuto prego de seis vintcns o covado : ua ra dli-
vramento loja de fazendas, n. 16
-- Vende-se urna porgflo de cera de carnauba por
prego commodo, atacado ou a retalho: na ru* di Ca-
Jeia-Velha, loja deferngens n. 59, de Jos Dias di
Silva. Na mesma casa lambem se vendein tres folen
grandes para ferreiro
Veu.le-se um cavallo capado gordo bem au-
gurado e bom carregador, por prego commodo : na
ra Nova armazem n. 67.
Vendem-se ceblas cm mullios e sos centos;
saccas com feijito preto: na ra da Madre-de-Dos,
n 31, ao lado da alfandega.
Vende-se um lindo escravo crioulo moco, e
que he proprio para qualquer servigo : na ra do
Amorim, n. 36.
Vende-se peixe secco muito novo e gordo .vin-
do da illia de Fernando : ns ra di Praii, armazem
de um soporta n. 46 A.
Vende-se uro cavallo cora lodos os andares e de
bonita figura : na ra Imperial, n. 77.
--------------------------.
Escravog Fgidos
----------------------------------- .
Livros latinos.
Na livraria novado paleo do Collegio, n. 6, de
Joito da Costa Honrado, veudrm-so diccionarios
Jlagnuin Lexicn; Virgilio ; Selecta ; Horacio ; f-bc-
dro; Conidio, etc,
Vende-se muilo superior lagedo de Lisboa, e
col virgem em barris de 4 arrobas, por mdico prego:
na ra do Vigario, n. 19.
Vendem-se semeas cm saccas muito .'grandes,
a 4,500 rs. : na ra da Madrc-dc-Deos, armazem de
Vicente Fci reir da Costa.
FOLIII.MIAS
para sacerdotes, para algibeira, pira escriptorio e
pan poila vendem-se ua prigi di Independencia,
livraria ns 6 e 8.
Vende-se muito boa cera branca,
em po, elamltem refinada, para limas de
cheirc, por pirro commodo: na ra da
Senzalla-Vellia, n. 70.
Bombas de ferro.
Na fundigito de ferro da ra do Brum acham-so
a vend superiores bombas para cacimba, issim
como de repudio para fazer 1 agoa subir as casas de
4 a 5 andares.
Vende-se vinho do Porto, muilosuperior, c
do oiilras quididades em barris de quarto, quinto,
soito, stimo, oitavo eem pipas, por prego muito
commodo : na ra do Vigario, armazem de Fran-
cisco Alves da Cunha, n. II.
Tapioca do ilaranho,
Vende-sp, no armazem de farinha, na ra do Col
legio, n. 21, tapioca do MaranhSo; muito alva por
1
Fugio, no dia primeiro do conenlo, um mole-
que da Costa de non e Domingos, de 16 annos pou-
co mais ou menos rabees compridn para irs, na-
riz grande, cara redonda*', cor prcls ; tem marcas da
(albos as faces e testa secco do corpo pea gran-
des ; levou camisa de algodito azul, caigas de Ma de
listrss desbotadas chapeo de castor brinco je, va-
llio ; lio bastante condecido por ler sido escravo do
dono (h venda de gsrapn, na ra de S.-Amaro: quem
opegarlevc-oa ra Bella, n. 40, quo ser recom-
pensado.
-- Desappareceu, no dia 3 do crlenle, um criou-
linho de nome llelizario, escravo do CoKenlo
Francisco Xavier CavalcanlitlcbOa ,-residente lia 16
dias na ra do Queimado mitigan ente pracinha do
l.ivraniento na casa de 3 andares tendo .-alelo ;s
8 horas do dia para comprar um pito no drposiloda
padaria da ra estreila do lluzario ; e como pouco
pratico nesta praga talvez que perdesse a casa, ou
tcnba sido presopor supporem fgido; tem 42 annoi,
de cor bem prct; pomas (has, fes um lantoipalho-
tados, nariz chalo e arredondado $ quindo falla
arregaga as ventas ; he bem explcito secco do cor-
po, espadado, poder ter de altura .palmos : quii
o pegar leve-o a djla casa que ser gralrficadn gene-
rosamente.
Aviso ais Srs capitn de campo e auloridndeipoliciact.
Fugio, no din 25 de Janeiro um escravo, do nome
Simfio, de nag.lo Magangana, de estatura regular,
cor preta com marcas de bexigas pelo rusto, na-
riz chato ; costuma trazer barba no queiltii, de 35
annos ; levou camisa de linho cntrangado caigas
de ganga 0Z| chspu de | alba embreado ; leai si-
do visto pela l'assigem e Campo-Craude: quem o
pegar leve- a Francisco Bolclbo de Andrade era
S.-Amaro .junto a fundigo, ou na ra Nova a An-
unio Ferreira Lima quesera recompensado gene-
Irosamente.
Fugio no dia 44do correle um moleque ca-
bra do nome SeverrnO de l anuos, cabellos ver-
mclhos e crespos reforgado do corpo cara redon-
da ; levou camisa de niadipolito velha chupen de
palha : quem o pegar leve-o a ra Augusta, 11. *
Fugio, no dia terga-feira, 6 do crrente, una ;.
preta de nome llosa, de 0 unoi'; tem os bcicos
bastantes grossos eos bragosaroveiradoa. Ksla pie-
la he recolhida e anda sem pre com leogo 01 cbo-
ga e no pescoco ; n3o conhco as ras, desta cidade
porissoso desconlia que esteja recojliida em '-
guilla casa para o que a protesta com todo o rigor
da b-i contra quem u liver occulta. fambem nao se
duvida vonde-la. (jvem a pegar leve-a a ra do Tri-
ple be, 11. 4*.
--'___Zinmiurj-i .......LiMisai^^
Pr^K. : n* TYi. Di H. f. na fabia.i84J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7LSAWUY0_NUDS89 INGEST_TIME 2013-04-13T01:38:35Z PACKAGE AA00011611_06436
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES