Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06433


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV.
O n/,lfOpubllc.-ses>Ddnos diasque dio
I fortn de guarda. O preto 4 a.slgi.a.ura he
.nuncio. <1o. asslgnante. ao ln.cn.los
raiao de SO rs. por linha, 40 r. fin typo diT-
f.-rrnic. ca. repetir, pela '"'"da. J. BO
a,gn.nl.-. pag"rSu 80 rs. or liuha f m r..
e, rjiKjditXeuutc por cada uuulleacao.
PHASES DA LA NO. HEZ DE FEVEREIRO.
Lna chf i 7. 8 horas e 96 mi. da manh.
M, 22, a. 11 tora e l*mta.daurde.
Ter$a-feira 6
PARTIDA DOS CORREIOS.
Oolaana Pa'rabiba. as scg.. e Mlaa-frlra.
Hio-G.-do-Norle, lnla-fclra ao melo-dia.
Caho. Serinhacn, Uio-Forn.oso, Porto-Calvo
Macelo, no 1. a 11 e 21 de cada mci.
Garanhuns c Bonito, a 8 e 23.
Itoa-V isla e F"'5 a 13 e
Victoria, aaqulntas-fciras.
linda, lodos os diat.
rREAMAR DE 1IOJE.
Primeira, a. 8 bora e 42 minutos da d Urd.
Segunda, s 4 bor e 6 minutes mano.
de Fevereiro de 1849.
N. Sft.
DAS DA SEMANA.
5 Segunda. S. gueda. And. do), dos orph.,
doJ.doclv cdoJ.M.da2. v.
0 Terca. S. Dorothea. And. doj.doc.dal.
v. e do i, de pai do 2. dt. de t.
7 Quarta. S. 11..munido. Aud. do J. do c.
ila-2. v. edo J. de naido2. dist.de I.
8 Quinta. S. Joao da Muta. Aud. doJ. dos
orph. e do.i M. d I. v.
9 Sexln. Apoll'iiia. And. do J. ds civ. c do
J. de pai rio I. niit. de t.
10 Sahbado. S. E.coUmica. Aud.doJ.doc.
da I. v.e do J. de paz do 2. dist. del.
11 Domingo. S. Lauro,
CAMBIOS NO DA 5 DE FKVERF.IRO.
Sobre Londres a 2V/2 a26 d.p.l# rs.al da-
Pars
Lu pi 1C8 por cento de premio.
Rlo-dc-Janoiro ao par.
Dcsc. de lett. de boas (Irma, a l'/i X ao yiei.
Acedos da comp.d-' lirbrribe. a:')0>rs. ao p.
tiro.-Oiicas baspanholas. 20/000 a 29/500
Mucdas de tifiad v. 17/200 a 17/101'
, do (i/400 n. 16/100 a
de4/000.... 9/->00 a
Frua-PatacOcsbraidleiros 1/040 a
Pe.os coluinnarios. I/-.140 a
Ditos mexicanos..... 1/880 a
16/300
9/40A
l/Wkl
1/960

DIARIO DE P
PARTE OFFIClAi
GOVERNO DA PROVINCIA.
O presidente de provincia lem resolvidndemitlir o
3.eommsndante da 2." companhia do corpo de po-
lica, Joaqun Urbano l.umachi de Mello, e nomeia
pira subst.tui-lo o cidado Manoel Ferreira Escotar.
Palacio do governo de Pernambueo, 2 de fevereiro
de 18*9. Nanoel fitira Tolla.
Tondo por portara desla dala resolvido demiltiro
3cnmmandantcda 9." companbia do corpo deseu
ominando Joaquim Urbano Lumachi de Mello, e no-
meailo para subslilui-lo o cidadao Manoel Ferreira
Escovar; assim o parlicipo a Vmc. para a devida in-
lelligencla e execueflo : devendo o nomeado entrar
logo em exerctcio.ndepcndonte do titulo que epato
solicitar. ...
heos .guarde a Vmc. Palacio do governo de Per-
nambueo. de fevereiro de iSto.Manoei Virira Tos-
a.Sr. coinmandante do corpo de polica.
l-arlicipo *Vmc. par aua inteligencia, que por
poriria desta data resolv demillir o 3.* comman-
danto do corpo de poltcia Joaquim Urbano l.umachi
de Mell'i, nomnando para substitu-lo ao cidado Ma-
noel Ferreira Escovar.
Dos guarde a Vmc. Palacio do governo de Per-
namboen, 2 de fevereiro de 18*9. Manoel Vieira
Tosta.-Sr. inspector da thcsoui ai a da fazenda pro-
vincial.
lllm. e Exm. Sr. tendo observado a bravura e
leaMadeque desenvolveram os diversos cornos de
suarda nacional, delinha, de cidadflos armado e de
polica, que tomaram parte no combata de hontem,
eu faltara a um dver sagrado so dexasae de mani-
festar desd-j* i V. Ex. os louvcires de que se fazem
dguoi o Srs enmmandantes, fflciaes, o(llcies
inferiores, e soldados pela valenta com que suslen-
laram o combate por inas de treze horas consecu-
tivas, desalojajido por fin o inlmUM das ultima po-
sicOe que oceucava nos suburbios da cidade, e
pondn-o em completa debandada. Queira, pois, V. Es.
acceilar e t'anmiltir eos seus companherns d'ar-
mas a expre*sfio do meo raconheciroenlo pelo rele-
vantsimo er vico que aeaham de prestar ao throno
deSira Mageslade o Imperador, cahendoa Y. Ex. gran-
de parle da gloria quo resulta da Imtti inteargao de
hoiilam, pela rapidez com que efTeiluou a sus mar-
cha da Agua-Prcta sobre esta capital, onde enlrou
m ocrasin em que a su presenta era mais necessa-
ria para lecdird resultado do cmbale.
Espero que Y. Ex. me "enve circuu.slancisdss in-
formacOes dos bravos quo mais se dslinguiram, pa-
ra levar seus nomos an conhecimento de Sua Mages-
lade u Imperador, -para que o mesmo augusto Sr. se
digne tomar em consideng.lo seus relvenles ser-
vicos, assim como das familias dos quo pcrcoerain
na lula, que para que Sua (.agestado so digne man-
dar-llias prestar os soccorros de quo se fazem dignas.
lieos guarde a V. Ex. Palacio do governo de Per-
nambueo 3 de fevereiro de 18*9Manoel Viiira Tosa.
Um. e Exm. Sr. general Jos Joaquim Cocido,
commandante das armas.
Illm. Sr.Tondo eu observado pessoalmente o
milito digno e louvavel comporta ment que V. S
leve no combate de hontem, qmndo no momento o
mais crtico oencarreguei do dirigir o ataque con-
tra os rebeldes que ja se haviam apoderado de parte
do barro ile S.-Antonio, c invailiain as nas prxi-
ma i prca de .palacio, aprcsso-ine a dirigir V. S
os louvores e agradec melos de que se faz digno,
asseverando-lheque muita salisfagfio torei em fazer
subir 3"o conhecimento de S. M. o Imperador os rele-
vantes servicos que V. S. prostou, e que em grande
porte eoncorreram para a brilhatile victoria quo al-
eancaram as armas da legalidade.
Dos guarde V. S. Palacio do governo de Pernanv
buco, 3 do fovereiro de 18*9.Uanotl Sitira Tu$ta':
Sr. capiliin lomare guerra graduado Joaquim
Marques l.isboi, commandonto do vapor Affenso-. .
lllm. Sr.Caliendo V. S. grande parle da gloria
da brilhanleaccaode hontem pela valiosa coadjuvo-
eilodas Mrcas martimas, a pela bravura u ilc Itca-
CIo que Jumle o combate desenvolveram n2o so V.
S. como os Srs. ellicias e pracns sh seu comman-
dando, iiprossn-me signilicar-lhs os louvores c
agradecimentos deque se faz digno por tal inolvo,
eaperando que os transmita aosseus subordinado,
e que me etrve circumstancadas informado 's d'a-
quelles que mais se disllngulrsm, alim de que, clie-
gaudo seus nomos ao conhecimento do S. M. o Im-
perador, aejam gIardoadnsosqueo morecerem, en-
viiido-m tambero idnticas iiiforaia^Oos sobre as
familias dos que perecerm.
Dos guarde a V. S. Palacio do governo de Per-
nambueo, 3 de fevereiro de 4849. -Manoel Viru.u
ToUa.Sr. capitftode fragata Joaquim Joa Ignacio,
commandante das Torcas navaes.
Tendo eu observado os relevantes serviros que V.
me. restou no cumbate de hontem, comparecendo
cun ma ciitnnaiihia de operario volunlarma.
me em iiiainfetar-llie os louvores e a^radrcimciiio
de que o faz dignupnr tdu dialiuclo cum.orlameo-
lo, sse\erndo-lheque mudo eslimsret leva-loag
co.iliecimeulu de S. N. o lm, orador.
Vmc. me enviar urna relacao dos morios e fori-
llos que tenham havido na Torga do sou commando.
Reos guarde a Vmc. Palacio do governo de Per-
nambueo, 3 de fevereiro de 18*9. Manoel Vieira
Totta.Sr. director do arsenal de guerra^ Jllo Pe-
dro de Araujo e Aguar.
tendo eu observsdo os valiosos servieos que Vmc.
prestou no combate de honlem, desempenhsndo com
zelo e actividade as eommissfles do servico publico
da que oencarreguei durante o combate, ecoadju-
vando-me efllcazmente na execu?fio das providenci.
ns que exigiam as circumstancias, apresso-me a sig-
nilicar-Ihe os louvores de que se faz digno por tal
motivo, asseverndo-lbe quo tere muta satisfacilo
de fazer chegar ao conhecimento deS. M. o Impe-
rador os seus servicos. :
Dos gusrde a Vmc. Palacio do governo de Pcr-
namhnco, 3 de fevereiro de 18*9. Munoet fiara
To$la. Sr. capitn lente da armada imperial,
Eliziario Antonio dos Santos.
Bom que por intermedio do commandante das ar-
mas tenha ja dirigido os meus agradcci.monlo. e lou-
vores aos Srs. commandantes de Torcas que toma-
ram parle na acefto de honlem, pelu bravura o dedi-
eacSo que desenvolveram, nflo possodoixar der-
lera-losespecialmente Vmc. pela rapidez com que
marchou de Hurbeca em soccorro da capital, toman-
do parte no combate a fdrc..do seu coinmn Ido, con-
correndo assim para o assignala lo triumpho que oh-
tiveram os briosos defensores da coiisltluicilo o do
throno.
lieos guarde a Vmc. Palacio do governo do Per-
nambueo, 3 de fevereiro de 18*9. Manoel Vieira
Tolla.Sr. coronel commandante superior interi-
no da guarda nacional do Cabo, Agustuiho Bezerra
da Silva Cavalcanle.
Bem que por intermedio de commandante das ar-
mas lenha j dirigid os meus agradecimentos e lou-
vores aos Srs. eommamlanleade frtr$a que tomaram
parle na arcan de hontem, pela bravura "6 dedicac.lo
que desenvolveram, oso posso deixar de roilora-los
especialmente a V. S., p--la rapidez com quo marcho
ile Nazareth em soccorro da capital, tomando logo
parle no combate coma frea do seu commando,
concorrendo assim para o assignalado triumpho que
olitiveram oa briosos defensores da conslituicao c
tbrono. ,
Heos gusrde s V. S. Palscto do governo de Per-
nambueo, 3 de fevereiro de 1849.-Manoel fxeira
r-ila.-Sr. coronel Joilo Jos da Costa Pimentel,
Commandanle militar da comarca de Nazareth.
Igual ao chefe de legiSo de Nazareth, Jomj Maria
de Barros Brrelo.
Vou agradecer V. me. os servicos que prostou
no combale de hontem, mandsndu pina a prac de
palacio as municOe* ds bocea precisas para a-sus-
lenlacflo das tropas, e dando duranlu toda a ncc,;1n
11.I0 equivocas provas de lelo pelo seivico, e iiptur da
or.lem.
Dos gusrda s V. me. Palacio do governo de Per-
n mbuco, 3 de fovereiro de 1849.Manoel \ieira f.-s-
(a.Sr. inspector do arsenal de marinli, Rodrigo
Theodoro de Freitas. ,
lllm. Sr.Aceitando o oTereciment, foilo por V.
S. em seu officio de hontem, ten lio expedido as con-
venientes orden para que se Ihu franqu<>ein ositos-
pitaes de san gii o em que se acham os tari dos no com-
bate desta capital, alim de que V. S. possa satisfazor
os seus philantrupicos desojos de empregar no trn-
amento delles os seus servicos mdicos.
Agradecendo V. S. mais este teslemunho do son
reconhecdo patriotismo, aproveito a occiisifio do
manfestar-lho a minha consideraeilo c estima.
Dos guarde n V. S. Palacio do governo do IV mam-
buco, 4 do fevereiro de 18*9. */ mnt \ieir Tmta.
Sr. concelheiro Antonio Peregrino Mariel Mouteiro.
lllm. e Exm. Sr. Offerecondo o concelheiro
A. P. Macicl Muntciro os seus servicos medjc.os para
otralamentodas feridas no cmbalo de 2 do cor-
rento, assim o communico a V. Ex., para que oxpccu
a convenientes ordens para so TMiiquearam ao
dito concellietro os lii'spilaes do sanguo cm que se
acham recolhidosos fondos.
lieos guarde a V. Exc. Palacio do governo da Por-
nambnco, 4do favercirode 18*9. V*noel\ie>ra Taita.
lllm. Exux Sr. general Jos Joaquim Coclho.
Offerecendo o concelhoro A. P. Maciol Montei-
ro os seus servicos mdicos para o trutamonto dos
feridos no combale de ido crrante, assim o com-
munico i Vmc, para quo franquee ao dito cotoelhei-
ro a enfermara em quo se acham recolhidos os fo-
rillos.
Dos guardo a Vmc. Palacio do governo do Per-
nambueo, 4 lo fevereiro del8*9. ManoUJtira Tolla.
Sr. inspector do arsenal da mcrinli.i.
EXPEDIENTE DO DA 30 DE JANEIRO.
OIlco Ao commandante das filrcas navaes, di-
zendo que levo a satisfazlo de receber e hrevo dos-
crlpcBo que S. S. fez do porto de Tamada' em seu
officio de 25 do crrente por oocasio da visita feila
ao mesmo porto, e communicando que om tempo
npportuno tomara o governo em cousiderafilo as
suas judicionss observaeoes acerca da conveniencia
de se aproveilarem as vanlagens que olfereco aquella
locHlidado.
Dito.Ao chefe de pohcia interino, devolvendo o
oflicio do delegado do termo da Boa-Vista, quo veio
annexo ao de um do seus antecessores, alim de quo
d>S as precisas providencias para que a con la que o
acompanha seia reformada deconformolade com o da *. no HfM di vara do o.vel o ju.z.munic.
quo indica o inspector da pagadoria militar na in- pal da 2.' vara do Recito peto de 01 indi no exerecto
formacno que por c.Spia remelle. | da !.' 'vara do crime : o ju.z municipal de l.nda
Dito -Ao inspector da thesouraria da fazenda, re- polo da 2. vara do Recite no exerc.cu) da vara do
commendando a expelicilo de suas ordens para quo crmc;oo juiz inumc.pal de Iguinm pelodal..
sHaentreguoao inspector da pagadoria militar as rara do Rectfo noexemc.o da vara dos fe.ios da fa-
auantias aue elle requstarpurafornecimanto da ca- zonda.
1 m Uto? ttlt mmente creada em virtude das or- Damlo-se o CM0 de accumula9,1o de varas incom-
danT moerlae." Ipaliveis na pessos -lealgumju/. municipal, a i.lli-
l)to-Ao prcsidenle da provincia da Itohia, di-' na, cojo oxnrcicio ll.e tocar pssssra aojuizi quein
zendo em rcspostV.o fflcio de s. lx., que veio an- competir sul.st.tu.-lo segundo a orden. 9st.belee.da
nexo o termo polo qual o mostr o dono da escuna ncsle regtilamento.
Curio* se obrgou a transportar para esta provincia O juiz municipal da 2.' vara ,1o l.erife ser o prc-
o constructor Joaquim Ribeiro Pimei.ta, a Ta.nPia! parador dos processos que leem de ser prsenles ao
doste, e a 'despectiva bagagetn pela qusntia de 300/ jury. m.
000. que hfmandado pagar oUs somma. Esgotada a brtltoiclo dof JutaNJMWtepaWhda
Dito.- Ao director do arsenal de guerra, devolven-maneira por quedes disposts. sertochamados pela
do-o requerimento deUanoela do Nasc.mento Jo Jo- mesmaordem os re^^^f"^\n ..,..
sus, scompanhado do tormo de que Irata o artigo ?. Palacio do governo de Pernambueo, SO de janoito
doregulamonton 113 de 3 de Janeiro de 1S*2, tm de I8l0.-*feo fiern TolU.
de que do conformidade com a sua InfVmaeflO'haJ
doadmitlir na companhia dos aprendizes daquoMe
arsonal o menor Antonio, lilho da supplicanto.
Dito.-Aoiiisp.-ctor da pagadura militnr.-Aeeiisan-
do a recepQSo dos seus dous olTlcios de 2* c -ir, da
crrantemez, lenho a raspn Icr-lhn: I queapprovo
as liiatriircites que V. me organisnu para a cal xa mi
litarereada em virtude das ordens do governo im-
perial ; 2, quo approvo igualmente as pessoas por
V. me. propostas para sorvirom ni mesma caixa, a
saber: para pagador o alferes da 3.' Clases do exor-
dio addido essii pagadoria, Joaquim l'ereirn Xa-
vier de Oliveira, para escrivilo Jvii. Germano de Pau-
la, o para amanuense Antonio Tiliurcio da Costa Mou-
teiro ten'lo o p'gador de vencmenlos mensans lOfi"
IDK.M DO OA 31.
Officio -A Fabin Jos Velloso da Silveira, louvando
a reSOlUQilo quo to non de eo ler om beneficio das
vinvas e filhos dos bravos que per.lerem as vid la em
defensa ds causa da legalidade os venc montos que
Ihe possam pertenec1 polos servicos que se aelia
prestando no commando de urna compendia das fr-
QisemnperacOcs, dirigidas pelo commandante go-
ral das do su.
DitoAo inspector da pagadoria militar, remet-
iendo, para quo soja paga, a corita cm duplcala da
importancia de setenta e oito saccis do ririnha que
por or.lem da pisidancis se compraram no arsenal
lo marinh a Jos Luiz Coneslves Pen-ia, e que T6-
teiro, tomo opsgeilor no venc mcnios nramainif r ......... a -"-; disosiclodo
800 rs.. o escrvno 73/100 rs e o amanuense 43/100 ram MMu para o "^JJXS?ffl2S
nww ti., w ujvi nv ".r --------......-ir -
rs. mensalincnle; S.%que,ltenla a impossbilidado
dse achnr pessos propra pira esse s-rvcocom a
condicflo do prestar fiaoca. lies por ora dispensado
della o pagador nomeado; 4., finalmente, que the-
souraria exneconesta data a conveniente rdem pa-
ra cntrogar-lheasquautiasquo V me. reqtiisitar pa-
ra fornecimento da caixa, devendo nflo exceder men-
Salment* 4o 20 contos, O DOdendo pagador aoar
em caso urgente sobro V. me. (mandse achoesgo-
tada a quantM que liUvor rocebido. O que commu-
nico a V. mo. para seu conlieeimenlo, q aflm do que
faca ligo seguir para seu destino os empregadorora
numeados, advenindo que elles deve(lo conservar-
te a bordo do brigue-escuna L'gnhdmh, surto om
Tamandar, at roceberem orde.n da general com-
mandante das Torcas para marchar com seguranca
para o lugar que elle determinar. Participou-se
no inspector da thesouraria da fazenda.
DitoAo prosid. nte do concclho geral de salu-
brdiide, aulorisando-o a Nzer as despejas necesa-
rias para a ncquisiQilo das substancias de que preci-
sar raa proceder desnfocco das mor alo. las
que Vienin aeslo porto, p ocedentes d'aquollesem
que se ha desenvolvido o cholora-inorl'us.
Dito. Ao inspector da thesouraria da I iwnda
provincial, declarando quedeveS. me. promover pe-
los meios competentes a cobranga da quanlta de 653/
230 rs. do que he deveJor 0 ex 3 coinmandante do
Corpo de polica Jos Francisco de Paula.
luto.Ao mesmo, communicando haver ordenado
por despacho de 29 do crrante que a Antonio Pau-
lino da Silva so expedisse titulo para< lugar d(
| .1 1 l I I I il I I |"l V ll.v .... ,
conman.lano das armas.P.irlicpoti-se no inspec-
tor do referido frsenal
Portara. IMmlliiido a Chrislovlo das Mercoi
Goncalve Guerra do poslo do com man lanta supe-
rior interino da guarda nacional do municipio do
l.imueiro, para que lora nomeado em virtude .la por-
tara do 18 -le margo de 18*8. lizciam-s as parli-
ciuacfi'S do.estvlo. n_..,
Dita.Nomeiindo provisoriamente a Jos t.orraa
do oliveira (vara o posto de commandanle superior
da guards nacional do municipio do l.imoeiro. F.X-
pe liraut-'so as convenientes participagOes.
Diin.Demitlinloosoinciaos da guarda nacional
do municipio do l.imoeiro, ahaixodeclara los.
Majoresajudantrs de ordens do commando superior.
Manoel Rodrigues dos Santos.
Jos Comes de Moura e S Iva.
1.' legido.
Major-Christovo Olegario Concalves Guerra.
l bitalhaJ!.
Major Francisco do Paula Poreira de Moraes.
2.a DSTALII.vd.
Tenente-cnronol-Jos llygno Goooalves Ciiorra.
Major-Joaquim Justino GoftCalve Guerra.
2 legiiio.
Major-Pcdro Barbosa da Silva.
3," nTAi.ii\(3.
Tenontfl-coronel-Rcrnardioo Rarbosa d.i Silva.
Major -Jos Bozerra de Mello.Fizeram-se as con-
venientes participagOes.
RllacSodot cidad'ht nomeado) para txtreerem provi-
soriamente os poitm superiores da guarda nwonal
do municipio do l.imoeiro.
Majo es aju lanos de or.lens do commando superior.
Jos Osla de Paul Homero.
Seuastiuo Lins de Albuqnerque Mar.nho Faleflo.,
1 legiHo.
Major-Jos Francisco de Arruda Jnior.
l." BTxe0.
Major-Francisco Jos de Figuor.^ lo.
2. BATAI.ll!.
Tenenlc-coronel -Jiiaquim Antonio Corre Gaifto.
Major -Joaquim Je H-illanda Cavalcanle.
2.' legido.
Major-Manoel correa dd Oliveira.
;l." bataiiiaO.
Major-Manucl Antonio Correa Cado.
8teU de balathdo de Taquarilinga.
MaiorJoilo Ferreira Nopomucono. .
cTcnUncou-ae o commandintotiprlor repeo.
lilil U.IO|iiaa'*i""'"- ;-----i --- a ,
tinuoda secretaria desla presidencia, que vagara pela
deieissao concedida a Antonio forreira Cabial.
Dito Acamara municipal do llecife, p:>rovndo
a diiberacao que tomara do por em adminislraHo
a arrecadac.1odoiuipos(osobroas utodnlas de lan-
tiha dos mercados pblicos desla cidade, por nao tor
apparecdoqucm ulforecesso por elle, na oceasi.io
em quo roi levado a praca, mais do que 70/J00rs. por
Portaiae Nomeando supplontes do subdelegado
do t dislrclo dos Afogados, em 1. lugar .1 Fran-
cisco LuIIWaclel Vian.ia, cm2. a An.-clelo Antoii
do Moraes, e em 3. a Canato Jos Velloso da Silveira.
- ParliCinoU-M ao chcTe. de pdlicia nterin;).
I)ita Demiltindo a Jos alende Carneiro do lu-
gar del. supplonto de subdelegado do 2. dislrclo
da Tregurzia de S.int.)-Ainaro-J..boatn.>. c do do jM
Mattiias Mendos da Silva, o nomeando para substi-
tuir a este o capilSo JosMaxi.niano l'erena taima,
e a aquella o capflo Manoel Ignscio do Albnquar-
que Maranl.no. Scientilicou-so uclieTede polica
,"'lir!,"%omc,ndo para o lugar de subdelegado de
freguezia do Una, que seacba vago, ao rospewirail.
unplento. Francisco Marnho Wanderley. inu-i-
rou-se o cbofe de pulicia interino.
Dita.-Numcando para os lugares vagos do i.
2." supplontes (f. subdelegado da ^gnozia de l,na
a Francisco da Rocha Barros Wanderley ci Pauto e
Ainorim Salgado. Psrlicipou-ao ao cl.efode poli-
Cll,iU.e-r00prosdente da provincia determina quo
nasubstiiuigodos dous juizesde dro.lo docrime
d. comarca, do civol desla cala le, o do juiz do.
Teitos da fazenda, so observo d ora em diaut^o so-
*"ao juizdedireito da 1.' vra do crime substituir*
ojuiz municipal da'2.' vara do Recite.
Aojuiz de direito da 2.'vara do crime substituir
o juiz municipal do Olndu. ......
Ao juiz dorivel dctda cidade substituir ojutz
municipal da I.* vara Jo (tocifo.
Na falta do juiz do direito do civelo dos dous^do
crime substituir
lando o res
de lizuarassu. ,ii-c i
No eus impedimentos e suspeigoes, ser.1o sube- <' menUj0 como he do r une pela impren
.lituido : o juiz municipal da |. vara do llecife pelo sido cu..
EXTERIOR.
COimKSPONDF.NCA DO DU*K) DE PERNAMBUCO.
LiMa, 6 de Janeiro de 18*9.
v ^odneorrontoabro-seo nosso parlamento
10 llln .o cos...ne. menos a conc.urei.c.a
,lo juiz do direito do civel o dos dous do |,,;l",'l;''l,llsR;1|1.riils da cmara porque, estando o
Utuira a vara dos f.-los da razonila.es- naa'" J*anl0 fln convidava ningucm g-
upociivo juiz impedido, o juiz municipal ia msw sl),clacqlo.
I O & o U.ro,;, que neluse, remel to,, tom


m\
sa peridica, ron.sjderando-o os jomaos da opposi-
cflo como um aggregado de erros, engaos, ele. Ei-lo:
Dignos pnrrseSrs. diputados da nacSo porhtgnueza-
Vejo erm satisfaeflo de novo reun 'os, em vnl-
\\ do meu throno constitucional, o representantes
da nacSo.
No ntervallo. derorridn desde a ultima sessflo.
a Iranqnillidade publica consprvou-so inalleravel. A
ordem e a paz fiVam mantidaa sem a neressi lade,
sempre doloroa, de providencias extraordinarias
No uo rleno do direiloa garantidos pela carta
constitucional, o pnvo nortuguej, sempre respeita-
dor da corda e da religiflo de s-ns maioros, mnstron-
se digno do maior anreco das nac/les rivisdas.
rea sua obehiencia g leis e amor 4 verdadeira li-
b^rdade, quando dissensAes ciis profundamente
agitavam outros pairos da Europa.
Tenho correspondido com desvelo s prnvas de
amizade que continuo a receber das potencias o,
trangeiras ; o meu governo procura estrellar cada
vez mais as relaeOes que ligam cum ellas a naco
poriusnp7a
Com profunda magna recebi a noticia dos funes
to padre iulgasae conveniente" retirar-.se d<>a seus esta-
do*. O meu ministro em liorna lem-lhe a.ssislido
sempte as suas trlhulacoes, e o icompanlia segundo
as minlias ordena.
Possnida dos religiosos senlimenlos que merece-
rama inpiis augustos piedecessores o titulo, qne tanto
przo, d filhos fldelissimng da igrpja, man lei um
par do reino e gentil-homem da mnha cmara, em
misslo extraordinaria junto an sagrado pontfice,
a queni eacrovl, como fillia "bebiente, assouran-
do-o do jubilo que mo cansara, se porventura se
dignasse santificar estes reinos rom a su a p esenca.
Km virtude de laes ocourrncas, be de receiar
que sp demore a solucflo de negociaQOes pendentes,
reclamadas pelo bem* espiritual dos povoa e pelo
interesse da corda ; entretanto tenho a satisfcelo de
vos enunciar que de prximo se baviam tomado,
rieenmmum accflrdocom a santa s, algunas reso-
Imc(">ps aiieqiisdas a promover o bem-t-slar religioso
dos subditos porluguezes, dasquaesopporlunamen-
te vos .lara conla o meu governo..
leualmentc V"S sera apresentado o que se ron-
vencinnou com o inoperio do Brasil, afim de cstabe-
Ipcer justa reciprocidade dos direitos de navega-
clto, fundados na mutua conveniencia do ambos os
Pzps.
0 estado da fazenda publica resente-so dos de-
fpilos do actual systema de arrecailacto, em que lie
da maior urgencia verificar importantes modilica-
co>s, para con binara effectiva enhranca dos im-
postes o.m a rommotlidade dos povos.
. O meu governo vos apresentara o orcamento da
recpita e dpspeza do estado, e vos dar conta da
cxecuc.lo que tiveram as leis ltimamente voladas
N. fixacflo da fmqa arma.la de mar e trra, at-
teudeieia ao que urge a seguranza publica o o de-
coro da naco, auxiliando o n didas que lem de propr-vos pura se conseguir
tflo Importante resultado.
Toda as provincial do ultramar se conservam
em | eiTeilo socegu. 0 seu estado, se uno lie tilo
prosppro como se deveiia espejar ilos seus valiosos
rceu.acis. ii m, cuntilo, g<-r Inmute melliorado. O
ntu governo vos pmpoi a |irHiJiicia que re-
puta mis aproi riadas para o desenvolvimeulo das
i iqPezas que aquellas piovincias enceriam.
a- Colino que prestareis a mais >ria aliencflo ao
exallic do oicamento e das proi oslas de leis orga-
nices que o meu governo vos hade aprcsenlar, com
o lini de ploniOMT ( tivos nos ramos mais imponadles do servico, adop-
tndose, a espeitu dolada um delles, o que a ex-
periencia indica, e as necessidades publicas re-
claman).
Baara que as cmaras preslaro ao meu gover-
no a illusliada e elTicaz cooperacilo que exigp dellas
a cau.sa da nmnareliia, da ordem e da liberdade.
Eii aberta a sessflo.
2
i se recobeu dinheiro adiantado, pois quo a nao
Vasco-da-(asta, que nilo poda sabir por falta de
meios pecenniarios, vai a sahir com brevdnde, le-
vando a seu bordo at a Madeira o infante D. Luiz,
qii! ':oguarda-marin'>a, o depoisano seguir se-
guido se diz para o Hio-de-Janeiro, o o vapor Min-
d.ct-a ir Madeira buscare principe.
Entretanto contina o atraso dos pagamentos, e
igualmente o-boiito da sabida do ministro da fazen-
da, porm isto tem alguna contras, porque- parece que
ningnem se quercncarregardaquelleministern, sem
o Sr. Falcflo dar urna conla circnmslanciada da sua
gerencia.
Os deputados Avila e Rebollo da S'lvn, que as so-
sa o psssada pertenciam opposicflo, apoiam boje
o governo. e votam a sen favor.
A quesillo da Italia contina a oceupar muito a
nossa imprensa progressista. quo se estorba por de-
fendor os revoluccionarios de Roma, sustentando ao
mesmo lempo que o papa he victimado uina intriga"
di ploma tica. Parece que esta queslflo do Roma vai
talvez causar o que nao causou a revoIuQflo franceza;
isto be, a guerra europea.
Os I11sle7.cs que, Silo bastante providentes, e que
j leem no Meditei raneo urna grande esquadra com
mandada polo almirante Parker vilo fazer partir
para all mais o i to naos e dous vapores, s orilens
do alinira ule Napier; porm, para que os Francezes
niloaugmenlcm tambem a sua esquadra do Mediter-
rneo, mandoj o governo inglcz a esquadra de Na-
pier invernar no Tejo, que (ica a meio caminho, e
hontem entrn a nossa barra essa esquadra.
Ha quem diga, que o anuo de 1848 anda ser
mais frtil em acontecmenlos polticos que o da
isis, e paree o que lem alguma rasflo, poruuo os
borizente poltico de quasi tmlas as nagOes da Eu-
ropa se aprsenla bstanlo carregado.
As noticias das nossas provincias silo lia tem no
mais satisfactorias. A seguranza pulilicj he mais
positiva, o commercio toma mais a 11 i rutilo, o as
colheitas apresentam-se abuiulaiiiissimas.
Falleceu ha das I, l'ascboal Tenorio de Moscoso.
Este (dalgo bespanhol veio para Portugal em coin-
panbin do infante I) Pedro Carlos, quo casou com a
princeza I). Mara Thereza. I). Paschoal era genlil-
bomem daquello principe, e ollicial general do ex-
ercito bespanhol, qne pmecn Iho licou devendo a-
vulladas sominas. l)iz-se que morren pobremente,
depos de ler vivido na maior oslenlacfio.
Unthropia ; porquinto, aopasso que se apressa a
punir os que q uizeram entregar ,-sta cidade aos hor-
rores di anarebia, n.io esquece um momento se-
qur aquelles que por seus denodados esforcos con
correntn para que se inutilisasso scmelhanle ten-
tativa.
S. Exc. cada vez so torna mais digno da estima e
dedicaefio dos bons Pemambucanos. lieos o Ilu-
mine para que jamis se aparte da honrosa senda
que lem trilhado at agora.
RATiriCaCkfi.
O Sr. capitilo de fragata e commamlante das Tor-
cas navaes estacionadas neste porto, Joiqaim Jos
Ignacio, acaba de declarar-nos em urna carta que
teve a hondada do ei derecar-nbs, que o cter Eipt-
ranca-de-Beberibe fdra coinmandadu no dia 2 do cor-
rente pelo Sr. 2. tenante Antonio Carlos Cezar da
Mello, e nflo peloSr. capLiio-lpnente Elisiarin An-
tonio dos Santos, cujos valiosos sor vicos S. S. ho o
primeiro a raconhecer.
Despjosos de sermos justos psra com todos, dme-
nos pressa em registrar nesta pagina do Diario de-
clnra^So de S. Si, assevorante ao Sr. 2," lente Ce-
"ar de Mello, que esta incxactidSo nflo parti de
nos, mas sim da pessoa que nos ministrou as infur-
cdos que I he solicitamos a respeito, as quaes anda
conservamos em nosso poder, pois que nos fram
fornecidii per scripto.
Brigue Maria-lott ceblas.
Barca William-fvnelt carvSo de padre.
PatachoSanta-Crus sahilo.
Ilrgue Polidora mercaduras.
Brigue Ucllopolii dem.
Brigue Chriitine dem.
Brigue Fintura-Felii idem.
IMPORTACAO'.
Chritiian, brigue dinnma.rquez vindo da Con,
nhagne entrado no crrente, mez, conaigMdo i
ItoiheA ldoulac, manifestou oseujnte :
150 toneladas caryAo de pedra 95 hirrifM asi
e seus pertences, 14 fardos saceos vasio*; m con-
signatarios.
Malcnlm, brigue inglet, vindo de Kirkaldy, entn-
do no crrente mez, consignado a J. Crabtre (
(iompanbia, manifestou o seguinie:
100 toneladas carvflo de pedra ; aosmesmoson-
ignatiring
Fabtr, brigue francez, vin<1o da ilha de Main, en-
trado no correte mez, consignado a B. LasseireA
Cqmpanhia, manifestou oseguinte :
102 cabras, 5 vaccas, 5 bezeri os c 2000 bixas; 101
meamos consignatarios.
CONSULADO GEBAL.
' REN'DIMENTO DO DIA |.
Ceral .
Diveras
provincias.
><
5001,oj
200,910
5202,034
mu) iiep Eii\\iiircu.
axoirx, s sx riviaiiao sx 1S49.
anda mesmo deppis de batitos os iiRDi'i.nES prose-
GDEM EM St'AS UI'-PHCDACOES.
Urna porqlodos vndalos que tilo caro pagaram a
ousadia de ataearem esta capital, aqual talvez iue
nao exce'ih ao numero de duzentos, dernmnu-se,
segundo nos informam, por Iguarass, Timb, Para-
tibe e Caliir, praticando varios roubos e assassina-
los em os lugares por que leem passado.
Cusa a cree que, aps a terrivel ligSo que os ban-
didos receberam dos leaes defensores da Irgalidade
que ha tres das osenxotaram desla cidade, anda
se deixcm engodar pelos caudilhos que "os v3o en-
trelemlo com latrocinios e atrocidades al o mo-
mento de se approximarem de alguma paragera on-
de cuntam com refugio certo, para enlo os aliando
narem a seus propiios recursos, como liflo feito por
vozes; mas he justamente o quo se nosassegura que
est acontecendo. A' vista disto, pois, n3o sahornos
Na verdade ah secncontram algumas cousas inex-
actas como he dizer-se quea tranquillidule publica
no fui peiluruada, e nilo se lomaram medidas ex- o que mais deve sorpicnder: se a protervia de al-
liaordinarias: quando houve a clebre consiiiraclo j
dashydras, ea irisflo porum longrirapaco de ten- R"f,s',('''"-,ctorcsdrevollaqueconiinuamaempe-
po dealguns individuos a quem se formou um pro-'nhar-se (orconduzir ao malaitouro algumas desenas
cadaeo de impOStos, mus este lem sido tantas ve-!">m 1" tsU's 'isistem 110 crime, mo graijo o
zes alterado e modificado, be tilo grande a confusfo completo destroce que j solTreram, eapezar desa-
iiesserainodeadmiuistracilo, assim como em outro.l ,
que, se de novo o frcm alterar, como se diz no dis- | oere' iue se acliam presos o em seguranca aquol.
curso do Himno, he provavel quo ainda o facam
NOTICIAS DE PORTUGAL.
Pelo brigue San-Domingo; -chegado hoja de Lis-
boa com93 dias de viagem, recebemos varias cartas
do nosso correspondente naquella capital.
Apressando-nos em inserir neslo numero do Diario
a ultima das mencionadas cartas, temos o pra/erde
annunciar que o reino d Portugal (cara em perfei-
ta paz, e que, fom quanto se comegasse a desenvol-
ver em cortes urna opposicilo, at certo ponto acin-
tosa, ao governo daquelle paiz, todava cria-se ge-
ralmente que seus esforcos nada prevaleceriam con-
tra os da numerosa e compacta maioriaque se ma-
nifestara decid ida a apoiar o actual gabinete de S.
M. Fdelissima.
A siluaciiefinanceira do reino ainda era pouco sa-
tisfactoria, mas havia esperanzas de que ella raelho-
raria.
a-"itj
Correspondencia.
peior.
.Na vospera da abertura dos cortes houve reuniilo
na Terra-Santa ( governo civil dos pares e deputados
da maioria. L'ns quarenta deputados declararan! lo-
go que lulo dcixariam de apoiar o governo qne ca-
les de seus compaisas de quem podiam esperar al-
gum soccorro .'....
Horrorisa-nos tanta perversidade I....
Entretanto, potemosasseverar aos leilores que o
minhava bem no seu entender. O conde de f homar 'governo con seiva-se vigilante, e se prepara a man-
dis.se que linlia apoiado.e que continuara a apoiar ,
o governo, e pedio uos seus amigos que fizessem uar balcr esses restos das hordas sclvagens, que por
outro lauto. Espera-sc que o governo continu a'msisde dous mezes lizeram correr o pricioso san-
ler maioria no parlamento, c nilo adiar os corles1
como se tinha dito.
Me.sessAododia3 elegeu-se o presidente da en-
mar dos deputados, sendo o mais votado o candi-
dato do governo, oSr. Joiio ludidlo da Costa Cabial,
oqualfoi nomcado para osse cargo pelo throno, as-
sim como o Sr. D. Marcos Pinto VazPrelo para vice-
presidente.
Nasessitodo da 4 j comecou o lirnteiroda onno-
sciflo curtida lerrenha, dirigida pelo Sr. Silva Cabral,
contra o ministerio. Os Sis. Pe eir do liis e Cu-
nlia Sollo Maior li.seram varios requerimentos pe-
gue brasileiro, noi pontus cmqucoia se fram a-
canlonar, 011 em quaesquer outros em que porven-
tura apparecam.
UMA PROVA DO IMEKSSEDOIXM. SR. TOSTA PILO*
BRAVOS FERIfJS SOCOMBATSnC 2 DO COUBENTE. '
Ainda oceupado em dspr as cousas de modo a
dirulo esrlbrecimeiios ao governo,^ par'" 'Vilrarlnii'c^nseBuirconsu,',ar-a ohra da relempcno da provin-
d-seussilo da resposta ao throno, sobre assumptos'vncia ;-ainda a bracos com muitos neiroeos aue llie
de fazenda c outros em que parece o governo toni j negocios que me
comi-tlido alguns abusos, porm a maioria ludo rcclam,m a m* seria o dedicada a lien cito, o Exm.
sanara "
no con
l'erei
ro,,ibu^aSfpram^LC-Ml,eCCl1 '"g0 quc? KovSr-*8f" Ma"oel Vieira Tos,a "o-P*da fu.Ur-se ao deie-
continua a ler maio'ia; porque, querendo o Sr ,
Bina.dos Res apresenlaros seus [requirimenios J ,r e,,in""ar possoalmenle a maneir como es-
logo depois de conslituida a mesa, e achandn-se na* tavam sendo tratados os briosos legalistas, que no
sala los 60 deputados, s 19 vota rain a favor do' tK ,. qu"',,
Sr. Pcreira dosReis, eoreslopara que conlinuasso no dlB 2 do corrcnle fram fendos defendendoa can-
il ordem do-lia que era a eleicflo das comn.issoes ;,sa da ordem e damonarchia, osauaes niio monlam
porem o presidente, logo dcpoisde eleita urna com-1
misaSo, concedeua palavra aos Srs. Reise Cunha, ei
estes apresentaram os seus requerimentos que freni
approvatoscom urgencia.
Entretanto, apezar da maioria de quedispfle o go-
verno a espera-se que a discuss.lo da resposta ao
throno seja tempestuoso.
Aarremataco do contracto dos rendimcnlos das
sete casas 6 do pescado anda no-ae ullimou como
se tfulia dito. Parece que os preferidos para arre i a-
laniissao o conde do Farrobo e Vicente Consalves
Rio-Tinto, e nflo o barSo da Junqueira. Todava jul-
a mais de 60. Iloje, pois, pelas duas e meia horas
da tarde, S. Exc. sabio do palacio, acompanludo
de seu socretarjo, afim do ir visilar aquelles mrti-
res da patria, eso serocolheu depois de haver per-
corrido lodos os hospiUc, onde observou que os
enfermos se acliam cercados dos cuidados de que
sao dignos.
Este acto de S. Exc. revela quo elle sabe conibi-
Sr. lieJactnr. -- Lendo, em das da Semana passa-
la o aeu l)iario, ahi deparei com a pastoral do
Exm. elievm Sr hispo diocesano ordenando que
as igrejas malrizes e nos conventos se fizessem pu-
blicas preces pela tribulac3oem que se acha o SS.
Pontifi e Pi IX, chefe universal da igreja universal.
I.nuvei muito o zolo e piedaile do nosso prelado que
Compenelrando-se com os religiosos senttmentos de
suas ovclhas, quiz que com elle dirigissemos liu-
inildeasupplicasao Omnipotente, para Ihe implo-
rarmos a sua misericordia em favor de nosso Summo
Pontfice.
En, como christfio, determinei responder ao con-
vite de nosso pastor espiriiuai; eeomn habituado as
suas festividades encaminhei-me ao convento dos
religiosos de S. Franci>co dusta ci lade. Oh I quam
edincantes nflo me parece>ain aquellas preces Com
que respeito e acatamenlo se n3o fez aquelle acto
religioso Clebiuu-se missa cantada, expoz-se o
SS. Sacrameutn, e antes da ladamtia de todos os San-
tos, recilou umaoraco, no primeiro dia, o reve-
rendo padre mostr pregador da imperial capella
fre Jos de S.-Jaciulhi) Mavignier O orador desen-
volvcu o seu ihomn, que me pareceu o mais ana
logo as circunstancias, e a sua proposicAo com as
mais bellas e tocantes passagens da sagrada escrip-
tura ; inostrou as virlU'les evanglicas do SS Ponli-
lice Pi IX, sua piolado, sua paciencia sua resig-
nacao, sua lorvornsa caridade seu zlo apostlico
e por ultimo sua tribualo e peregrinacSo, eifeito
da impiedade dos inimigos da rcli^flo do Dos vivo,
do Dos verdadeiro. Como Jerema* rhorou e la-
nientuu a perda da SiSo Snela, eexhortou a Jeru-
safm convencue a penitencia; e mostrou que
seaehava locado da mais viva e pungente dOr que'
soiiliecommunicarao aeu auditorio Esie senlio-se
turado, ederraiiuii lagiimas entre solutos; aeoni-
pmhou ao orador uas suas supplicas ao Pai das mi-
sericordias para que, altendendo-is conceda a paz
ao chefe viive| da igreja o SM. Papa pi IX todo
povocathulico e u esta nossa infeliz patria.
E como cumpre que o respeilavel publico seja sa-
hedor ile ludo quanto se passa, tomei Sobre mima
farota de Ihe rafiei ir o que vi e o que sent ; dando
ao mesmo lempo os bem merecidos louvores ao nos-
so Exm. prelado, Sr. bisp D. JuHo, ao Revm. pa-
dre mestre guardiao do Oouvenlj, por haver feito
as presces com lauto acalameiito e sulemuid ide, pa-
ra asquees al couvidou a veneravol ordem tercei-
ra ea irinaudade do Divino Espirito Sanio que as-
sisiiram ao acto; e finalmente coigralulando-ma,
com o orador que cerlameiite colheii fruclos do
lioiiciio.
Se julgar dignas de publcidade, rogo-lhe, Sr. Re-
dactor, quo faca trauscrover em seu Diario oslas
poucas linlias desle seu constante Uitor.
CONSULADO l'UOVINCIAL.
RKMUMENTO DO WA i.......... 8:498,781
"nviraenio do Porto.
Navien tntradoi no Ha 4.
Rio-de-Janeiro f14 dias, barca ingleza Emilia, Je
235 toneladas, capllflo Anthony Dadson, equipa-
gem 13, em lastro; a Me. Calmont & Companhi.
Ilha de Main; 31 dias, brigue francas Fabtr, l 135
toneladas, capitffo O. Jeanselme, equipagem II,
carga carne salgada e mais gneros; a B. Lasscr-
ra & Cnmpanhia.
Nova-llollanda ; 9.8 dis, barca ingleza Elphlnstont,
de 425 toneladas, capitn II. Tellam, equipagem
21, carga Ida, sAho e couros ; ao capitilo. Veot
refrescare segu para Londres.
Rio de-Janeiro ; 20 dias, patacho brasilir Santa-
Cruz, .le 101 toneladas, capitn Antonio Concalves
dos Sanios, equipagem 10, carea feijiln, (oucinho o
cale; a Caelano Syr iaco Canralho Moroira.
Hio-Craiide-do-Sul ; 34 dias, brigue brasileiro Cur-
to, de 171 toneladas, eapiLlo Francisco de l.emos,
equipagem 11, carga carne; a Amorim Innflns.
Lisboa ; 42 dias, brigue inglez Matilda, de 206 tone-
ladas, capilflo AlleuMonison, equipagem 11, car-
ga sal; ao capitn.
Navios tahidot no mamo dia.
Marscilles ; brigue francez Arago, capilfloS. Deyrieu,
carga assucar.
Babia ; barca ingleza India, capilflo Charles Per-
chan!, em lastro.
Km commissflo; vapor de guerra Urania, capitilo Jo-
s Eduardo Wndencolk.
Ifavios intrads no dia 5.
Plymnuth ; 36 dias, patacho inzlez Chretah, de 120
toneladas, capitilo John Crnok, equipagem 9, em
lastro ; a Juhnstnii Paler & Compauhia.
LishAa ; 23 dias, brigue portugu^z San-Domingos, de
200 toneladas, capililo M moe| Concalvps Viana, u-
quipagem 17, cama sal, vinho mais gneros; a
JoaquimFerreiraMentes Guimarfles.
Karios sahidos no mesmo dia.
Rahia ; barca ingleza Indus, capilflo Frank Putt, em
lastro.
t.ivrpnol por.Macei; galera Ingleza llanite, capilflo
William Kelly, carga assucar.
Observaras.
Fundenu no fjmeirilo, para acabar de earregar, i
barca sarda Giustpphina, capilflo Andre Prev.
KOITAFS.
IOMMEHCIO.
ga-seeste negocio como concluido, eatsediz quefuar os preceito'da rigorosa juslice com os da pbi-
ALFANDEGA.
REiNWMENTO DO DIA 5. ,........ .
Descarrtgam hojt, 6 di fmreiro.
Brigue Viscondi-dt-Camam pipas valias.
0 IIIm. Sr. inspector da thesnuraria da fazenda
provincial, em virlude de resolucflo do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, parante o
mesmo tribunal, se ha de arrematar a quem mais
der.no dia 8 de feverciro, a renda do sillo que fo
de Sebastiflo Jos dos Santos Braga, no becco do Es-
pinheiro, cum cas de vivenda, cacimba e arvores de
friiC'to.valiado annualmenta em iOO.OOCrs.
A arrerMtacflo ser Teila por lempo de 9annos e
4 metes a contar do 1.* de marco do crrente anno
at 30 de junbo de 1851.
As pessoas que se propozerem esta arrematacSo,
comparecam na sala das sessOes do sobredito tribu-
nal, no dia cima indicado, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E para constarse mandou afiliar o presente e pu-
blicar pelo Diaria.
Seciea-qiMa tlisouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 30 de Janeiro de 1849.
t. escriplurarie,
Antonio Firnira d'Annunoiacaa.
O lllm. Sr. inspector da tlmsouraria da fazeoda
provincial, om virtude da resolucflo do tribunal d-
miuistraclivo, manda faz-r publico que, em cuni-
primento da lei, peranto o mesmo tribunal, seha do
arrematar em haala publica, a quem mais oflerecer,
nos dias 13, 14 e 15 de fevereiroprximo vindouro,
,o imposto da laxada barrera da estrada e ponte da
435 487'Tacarun, avahado annualmenta em 1:000,000 rs.
' I a arreinalacflo ser fe i ta por lempo de 9 aunse
4 mezes, a contar do 1 de marco do correlo apno
I al 30 de junlio de 1851.
\--


As pessoas que se propozerem a esta arrematacSo
cn'npariatt nsala das sessOes do sobredito tribu-
nal nos fflRcim a indicados, pelo meio-dia, compe-
tcntemeoteiiabiliadas. .
G para constar se mandn afflxar o presente e pu-
l)licar_pelo Diario. .
Secrelari da thesouraria da fazmda provincial de
l'oniambuco, 30 de Janeiro de 1849.
O 2. escri plorarlo,
Antonio Fenfira d'Aviunciacto.
O lllm. 8r. nspertpr da thesooraria da hienda
provimtiali em vlriud da resol.ic.Bo do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer i-ublico que. nos das 13,
rt 15 de fevereiro prximo vindouro, ro a praca,
pirrante o mesmo tribunaf.para serem arrematados a
quem por menos lizer, OS raparos da casa da h ra abaiio tmnacriiilas, e peto preco de 131,000 rs.
as j.bssos que se propozerem a esta arrematado
comparteam na sala das sessOrs do sohrdito tribu*
nal nos das cima indicado*, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas.
E para constar se m.ndou ilutar o presente e pu-
blicar pe Diarlo.
Secretaria de thsouraria da Tazenda provincial
lo l'eriiambuco, SO de Janeiro de 1819.
0 2. escriturario,
Antonio Ferreira d'Annunciacdo.
('amulas tipeoiaet da arrematacSo.
i.' Os repares de casa da barreira da estrada do
norle serBo fe i tos do molo indicado no orgamenlo
approvado pelo Exm. Sr. presidente da provincia,
na importancia de 134,000 re.
9 As obras principiarlo no prazo de quinze dias,
e termina rilo no de un. mez. ambos ooniados se-
quillo O artigo 10 do regulamenlo das arrema-
tares.
3.a 0 pagamento do importe da arromaiflcflo rea-
lis ir-se-ha no fin das obras, depois dellas recebidae
pela repartidlo das obras publicas.
4* Km ludo o mais que nBo est determinado has
presentes clausulas seguir-se-ba inleiramenle o que
dispe o regulamunto das airemalacOes de 11 de ju-
ltm ele 1813. I
Repartido das obras publicas, 9 de Janeiro de
1849.
O engenlieiro,
/'. Bodriguei da Silva.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, em eumnrmenlo da ordem do Exm. Sr.
presidente daproviucla.de 29 do corrente, manda
fazer publico que nos dias 13, 14 e 15 de fevereiro
prximo vindouro irilo a praga peranteo tribunal ad-
minislralivo,para serein arrematados a|quem por me-
nos lizer, os reparos de que necessita o primeiro lan-
qo da estrada nova de Ulindi, sob as clausas espe-
ciaes abaixo transcriptas, e pelo preco de 704,550 rs.
As pessoas qu se propozerem esta arrematacSo,
coniparec^m na sala das sessOes do sohrdito tribu-
nal nos dias cima indicados, pelo meio-dia, com-
petentemente habilitadas.
i; para constar se niaudou aulxar o presente e pu-
blicar pelo Diario
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial de
Peruaiubuco, 31 de Janeiro de 1849.
O 2.* escripturario,
Antonio Ferreira d' Annunciucio.
Clausulas ttpeciaet da arrematarla.
Ia Os reparos da carnada de barro da estrada do
norle no piimeiro laiigo e tempera das valas serflo
feius como indica o ornamento approvado pelo
Exm. Sr. presidente da provincia, importando em
701 550 rs.
2 as obras principiarflo no prazo de quinze dias,
ese concluir no do dous muzea, contado tudo de
coiifurmidadecoin o artigo iodo regulamento das
arremata cOea.
3.' O pagairientodo imposto da arrematacSo ser
realisado em du.s prestacoos, smido a primeira
quando o servido esliver em melado e a segunda no
lini da obra.
4.\Para tudo o mais que nBo est determinado
as presentes clausulas, seguir-se-ba inleiramenle
o que dispe o regulamenlo de 11 de julhode 1843
O engenheiro,
/'. Rodrigues da Silva.
Declarares.
O cirurgiflo ajudsnle do balalhBo de volunla-
nos nto podendo ir pessoalmenta a casa de todos os
scus cantaradas que fram feridos no da 2 do cor-
rente, poros nflo couhecer, nrm saber as suas mu-
radlas, por isso avisa todos a virom pessoaimenle,
caso sejam os seos (orinientos levos,ou mandaren, no
Alerro-da-Roa-Vista, n. 47, para seiem procurados.
CUKSU JUIIDIl.U.
Por ordem do lllm Sr. director, faco saber a quem
convier, que, para regularidadn dos examos prepa-
ratorios, licam eslea distribuidos pelos dias da sema-
na do modo spguinte :
Segunda-feira, das 9 horas asile mela geografia;
das 11 horas s 2da larde lalini;
Terea-ieira, das9 horas s 11 e meia -hetorica;
das 11 ss ? da Urde latim,
Quarta-eira, das 9 horas a 11 e meia geografia ;
... siis 2 da larde francez.
Sexia-ieira, das 9 i.. a i i o meia inglez ;
c i k j .. J1" '' '' 9 *" Urde i>ncoz.
Sabbado, das 9 horas aa 11 e meia geomelria ;
>.>.,. d,-V M9Ja l'liilosophie.
y. B. Odis impedido por ser feriado passara ser
como a qninta-feira. Outro sim, os despachos aos
requeriinenlos de eximes preparatorio so serSo
dados nesta secretaria, eos requerimentoa, depois
de despachados, licarflo na mesma, onde se Cara urna
lisia dos que teem de ser examinados.
Secretaria da academia jurdica de Olinda, 23 d
Janeiro de 1849.
Eduardo Soares 'Albergarla,
Secretario interino.
O governo de SoaMagestade Ffuelissima nutnn-
do os mais louvaveis desejos do dar a devida e possi-
vel proteceflo a todos os subditos portugueses, como
(he sugeerc a sua paternal solicitude; e querendo
satisfaze-los pela mais prompta e completa forma
ao seu alcance, creou nesta cidade urna coninvissSo,
que ja se tcha installada, compnsta dos abaixo as-
signados, p qual, conforme a missSo de que foi en-
carregada, e segundo as instruccOes dadas pelo mel-
mo governo, lem por fun provr aa transporto de lo-
dos aquellas subditos residentes nesta provincia,
que, por seu estado desvalido, ou por desejos, se
quizerem pastar pars as posssses d'Africa-Portu-
gueza.
As vantagen* que o governo de Sua Uagestade con-
cede silo as spguiites :
1." Passagem a custa do estado aos que se jjuize-
rem estabelecer as referidas possesses, o coniedo-
rias aos que fdrem necesitados.
i.' Ti arisporte gratuito s familias dos que as ti-
verem, de suas mobiliiis, objectos de seu uso, e de
fazendas para seu vestuario; bem como de lodos os
instrumentos artsticos ou agrcolas, e de qaesquer
smenles.
3.' ConcessBo d-terrenos n'Africa-Po'rtugueza pa-
ta se fundar urna colunia no local quo previamente
assenlsr a commissBo por mais conveniente, salubre
o productivo, o que ser com antecedencia coiiunu-
nicadoao goveruador geral da provincia a que per-
tenenr, para que, conforme as instruccOs j manda-
das pelo governo, possa aquello dispr ludo quanto
fdr necessaro para esse llm. Ou disinbuic,Bo a cada
um dos colonos de terreno proporcionado s suas
f6rQae,eflm deque todos posaam dedicar-sc a agri-
cultura enterras auas> .
4." Transporte paraaieseii trem, 0 sustento desde
o luRar em qde de.scmbarcarem al ao poni em que
fdrem estabelecor-se ; o de mais seis mexes desde o
dia om que ebegarom a este ultimo; -
O guverno faz oulras concessOes em beneficio dos
qie ueste inluilo se quizerem transportar e estabele-
cerse naa referidas possessOes, dando as neerssarias
providencias para se levarcm a effeito com toda a se-
guranza e commodidade. E Unto urnas como oulras
se achnm.patentes a quem as quizervfir e consultar,
na chancellara do consulado de Portugal, casa n. 6,
defronte do Trapiche-Novo,
E para que chegue a noticia a todos aquellet sub-
ditos portuguezes quo se quizerem aproveilar das
benficas disposi^es do governo de Sua Mageslade
Fidelsima, todas tendenlcs a melhorar a condi-lo
de seus subditos, e a proporcionar-Ibes seguranca e
os n.eos pelos quaes posssm pelo emprego de sen Ira-
balho adquirir slidas vantatens com proveito da ri-
queza e prosperidado nacional, se faz publico o pre-
sente annuncio, alm de virom mesma chancellara
do consulado de Portugal, ou ao escriptono, na casa
n. 3 da ra da Cadeia-Vclha, pBra inscreverem os seus
nonios, e poder a commissflo, contando com o nume-
ro de pessoas a seguir, cmpregsr os ineios necessa-
rius para levar a elTeilo o iransporle na forma esta-
belecids.
Recife, 29 de Janeiro de 1849.
Joaquim Bapliila Moreira,
Presidente.
Bernardina Freir de Figuiiredo Abreu e Catiro.
Angelo Francisco Cameiro.
Bernardo de Olivelra Helio.
Miguel Jote Alvet
Secretario.
Pela delegacia do'segundo dislricto do Recife
foi lomada urna colher grande deprala a un mole-
que que a offerecia por venda pela quanlia de 480
rs., eque, arreceando ser preso, deilou a fugir,
nio dando por isso lugar a que se podesse exami-
nar donde bouvera tal colbcr Quem sejulgar com
dircilo a ella, pode dirigir-se a mesma delegacia, quo
lheaer entregue, indicando os signaes.
Delegacia do segundo dislricto do Recife, 31 de
Janeiro de 1819. Antonio Carneiro Machado Rio
AULA DEORSTRITICIA.
A matricula ser aberlano primeiro de fevereiro,
e no ultimo encerrada : as lines principiarflo no
dia 15.
.i*. r%r
5bbbbdidb,
Os Srs. accionistas que ainda nn receberamo pri-
meiro dividendo p.lem remetter as suas apolles
ao escriptoiio da enmpanhia nndeselbea dar unta
cautela para receberom o referido primeiro divi-
dendo.
O secretario,
B. J. Femandei Barrot.
Avisos martimos.
Veta-se para qualquer porto da Europa ^o bri-
inglez Lalla-Rookh de lole de 200 toneladas : a tra-
tar com o' capullo, na ra da Cruz n. 45, em casa
de Nascimento & Amnrini.
Para o Hio-do-Janeiro segu, impreterivelmen-
te no dia 6 do correle, o brigue nacional Aula, s
receba passageiros eescravos afrete: a Irular com
JoBo Francisco da Cruz, ra da Cruz, n. 3.
Para o Rio-de-Janeiro sabe, com a maior brevi-
dade pnssivel, o biigue nacional Viiconde-de-Cama-
m :'tem excellcntes commodos para passageiros :
para carga e escravos a frele, trata-se com o capilflo
na Praca-do-Commercio, ouco;ii Novaes & Compa-
nhiai ra do Trapiche, n 3*.
-- Para o Porto segu viagemr, com muita nrevi-
dade, por ler prompta maior parte de sua carga, a
barca portugueza Florla-Maya, capilflo Jos de
Azcvedo Canario : quem na mesma quizer carregar,
ou ir de passagem para o que lem excellentea com-
modos, diri>a-se ao capilflo ouao seu consignata-
rio, Manoel Joaquim llamos & Silva.
Para o Rio-de-Janeiio sabe, com a maior brevi-
dade possivcl.o liiate nacional Gil-Brat : para o res-
to da carga e passageiros, trata-se com o capilSo
na praca, ou com Novaes & C., na ra do Trapiche,
n. 34
Para o Rio-de-Janeiro segu em poucos diss a
escuna Cdante-Varia, de primeira marcha : para o
reato da carga e passageiros, Irata-se na ra da Moe-
da, o. 11.
Para o Rio-de-Janeiro pretende seguir viagem,
com brevidade, a escona nacional Curioea, por ter
parte da carga prompta : para o restante e passagei-
ros, trsla-se com. o mestre, Domingos Antonio de
Azevedo, ou com l.uiz Jos de S Araujo, ra da
Cruz, n 37, segundo andar,
Para o l'io-do-Janeiro segu, com muita bre-
vidade, o brigue nacional Alalia : para o resto da
carga passageiros e escravos a frelo trata-se com
Joilo Francisco da Cruz, na ra da Cruz, n. 3.
O patacho S.-Joao-fenetdnr sahe para o Rio-dc-
Janeiro com a maior brevidade possivel, para o que
j lem parte de campamento prompla : quem no
niesmo quizer c.rregar, ou ir de passagem, ou
embarcar algum escravo a frele, dirija-se ao seu
consignatario, FranciscoAlves da Cunta, na ra
do Vigario, n. 11, pnmeirQ andar.
Para o Rio-de-Janiro sahe, om poucos dias, a
barca nacional Tentativa-Feliz, por j se adiar com
grande parte da carga a seu burdo : para o resto, es-
cravos a frele e passageiros para que offerece os
mais ricoseasseiados commodos: trata-so na rus
da Moeda, n 11.
Para a Babia sahe, em poucos dias o hiato na-
cional S.-JoAo, por ter a maior parto da carga
prqimila : para carga e passageiros trala-se com o
capilflo a bordo, nu com Novaes & Coinpanbia na
ra illl Trapiche, n. H.
0hiate No'o-Ollnda partir para o Aracaty no
dia sabbado, 3 do fevereiro os recebera cargn ale
o da 2 Ignorando-so a morada do alguns Sis. que
trataran! passagens, se Ihes convida a comparecerum
al o dia primeiro para deeiduem definitivamente
com o mestre no trapicho novo ou na ra da Ca-
deia-Velha, n. 17, segundo andar.
-- Para o Cear sahe no dia 4 de fevereiro a suma-
ca Carlota, por ler a carga prompta : para miudezas
e passageiros, trala-se com l.uiz Jos de S Araujo,
na ra da Cruz, n. 37, segundo andar.
Avisos diversos.
Tendo-se de augmentar o oorpo policial, por
aulorisacflo do lllm. e Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, com 150 soldados, o lllm. Sr. major comman-
dunle manda fazer publico, o ao mesmo lempo con-
vidar aquolles cidadBos que, estando as circuns-
tancias do bem servir, c quiram espontneamente
proslar-se, se dirijan1 a secretaria'do referido corpo,
para sercm alistados, e entrarem no servico.
Quarlei do corpo policial, 30.de Janeiro de 1819
O ajudante, Manoel Porfirio de Castro Aravjo
Perdeu-.se, na noite de 3 do rorrelo, no Roci-
fn, ou do Recifn a Soledadc, urna bolea preta de seda
lecida, com duas borlas de ac atacadas, contendo
urna prca de urna pataca brasilcira, 12 soberanos o 2
sh 111 i ns inglezes: roga-se a pessoa quo a tiver aehado,
que, querendo-a resliluir, levo-a ao hotel Pislor, na
rita da Alfandega-Velbi, no Recife, quesera bem re-
compensada.
-- Antonio Jos Leal Rois embarca para o Rio-de-
Janeiro a soa escrava croula, de nome Mara.
Offerece-se um liemem portuguez para cozi-
nheiro de qualquar casa particular, preferindo es-
trangeira por estar (.ahuilado na s lingoas ingleza e
franreza : quem pretender, dirija-se a ra do Viga-
rio, n< 15, ou nnnncie.
Adolpho Avisl relira-se para fra do imperio.
Jos Cotzales Maris retira-se para fra do im-
perio.
--Auscnlou-se, na noite do dia Sdenovembro do
1847, o escravo lloiculaiio, de cor lio fula que pare-
ce cabra, caliera pequea, cabello ralo, nllios pe-
queos, grosso docorpri, de 28annos, pouca barba,
estatura regular; tem una cicatriz no hombro es-
querdo, que pode ler de 3 a 4 pollegi.das de compri-
menlo ; cus urna ombebedar-sc, e ne.ste c>lado se in-
liiula por llorculano Jos dos Sanios Trauca-ltua ;
quem o pegar levo-o acidado de Olinda, na ra da
lla-llora, a seu senbor, Jniio Ferreira Marinlio, que
gratificara generosamciilc.
-- Avisa-se aos Srs. Manoel Ferreira llamos c Ber-
nardina Freir de Figueiredo Abreu e Castro que nBo
pagiicm, no caso de Ibes serein aprsenla.las, ao
primeiro Sr. urna Icllra do sua firma a vencer no
da -2 de marco prximo vindouro, da quanlia de rs.
200,000, e ao segundo urna dita vencida no ultimo
iledezoinbio prximo pastado, da quanlia de 230JI
rs, ambas passadaS a llermina Cuedos Alcanforado:
tamhem roga-se as pet>soas que negociam com I ci-
llas que nflo facam ir.usaccilo alguma com aquel-
las, pois que lram peididas no dia 3 do crrenle no
paleo do convenio de San-Francisco, em una car-
Icira que igualmente continhu 85,000 rs. om cdu-
las: pede-SO tailihoin a pessoa que tiver adiado a
dila carleira, que, sendo quoteuha conciencia e a
quena entregar, leve-a na secretaria de polica ao
abaixo assiguado, certo de que; aloni do agradeci-
menio, lera boa recompensa.
Antonio Jos de Freias.
Precisa-sealugar una acrava para o servico in-
terno e externo de urna casa de pouca familia : quem
a tiver, dirija-se ao pateo do len;o, n. 141, segundo
andar.
--Adverte-se trindade ladrona que so associou
para fui lar navios, labricar testamentos falsos, ele. ,
que baja de declarar de quem recebeu cortos ttulos
de dividas que pertencein ao espolio do abintes-
tado beicinbn e quo oxigem como seus ; e se o nilo
lizer promeiie-se contar toda esla ladroeira pelo
uiiiido : islo pede /. A. C.
CASA DE MODAS FRANCEZAS.
A. Millocbau.
Primeiro andar da esquina do Alerro-da-Boa-Visla,
defronte do chafariz.
Recebeu-se pelo ultimo navio vindo de Franca ,
um lindo escolbiinento de chapeos de palhiuha aher-
ta para senhora o meninas ; filas de todas as cores ;
cambraias bordadas ; tarlalauas de ceros ; um bo-
nito sorli ment de colleriuhos ca n i-.i ni.as, romei-
rose punhos bordados ; lucos prelos verdadeiros ;
ditos de hubo branco ; luvasde pellica ; trancas de
cures para enfeitus de vestido ; capel las e ramos M
flores delaranjas; ricas capellas e ramos finos de
llores do todas as cores para thratro ou baile ;
plumas brancas e do cures pira cabeca e chapeos;
aventaes ; bonetes de montara cambraias de li-
ndo puro. As senboias acharflo seniprc para escollier
um lindo sorlimento do cliapcos e loucados de to-
das as cores e prelos, e tambem de todos os procos.
Continuadamente se fazein nesta casa, especialmen-
te de modas francezas, chapeos, vestidos mante-
letas, caimisinhas, palitos vestidos do batisado,
etc. cora proinptidao, bom gosto e preco coni-
modo.
Vctor Dehy,subdito francez, relira-se paia o
Rio-do-Janeiro.
Prerisj-se de nms sma de leite forra ou capliva-.
na ra lumia, n. 27, segundo andar.
Antonio de Souza subdilo portuguez, retira-
so para fura do imperio
Na ra da Cruz, no Recife, armazem n. 13, pre-
cisa-se de um caixeiro capaz e diligente.
Aluga-se urna loja bem repartida e nova na ra
da Uniflo, por tras da casa de Manoel Alves (iuerra :
a tratar com o mesmo Guerra.
Aluga-se a casa da esquina da ra do Caldei-
reiro para o porlo de embarque com armacBo pa-
ra venda e commodos para morar familia : na pra-
Qa da Independencia livrarla ns 6 0 8.
Precia-se do 300 a 400,000 rs. a joros de um e
mcio porcento ao mez ,>e|o espac/o que ae eonver.-
cionar : d-se por seguranca uma escrava parda de
moito mcrcclmento e mais urna cria de um anno ,
se ssslm se exigir: quem quizer dar annuncie.
Aluga-se um sobrado pintado de novo, d um
andar c sotflo, lojas e sitio, na ra da Gloria, n. 7,
com bstanles commodos para familia, armazem
para escravos : o sitio lem bastantes arvoredos de
fruclo parreiras, cacimba com bomba banho sal-
gado estribara o oulras commodidade ; para
ver no mesmo sobrado adiar quem o mosire, o
para tratar du ajuste, na ra larga do Rozario loja
de miudezas, n. 35. Na mesma luja tambem se alu-
ga uma casa terrea na ra da Cloria, n. 4, por 9,000
rs. monsaes.
Aluga-se ou vende-se uro grande sitio na es-
trada de S.-Amaro para lielin, cujositio tem mu lo
e ptima Ierra para plaular,ou para ler 8 a 10 vac-
cas de Icile muilos arvoredos de fruclo de varias
quahdados 4 viveros de poixe uma excedente ca-
sa para uma ou duas familias grandes casa de fa-
milia com os seos pertences, proprio pira algum
se i. hor de engenho que quora estar pcrlo da praca,
0 junta do mesmo embarque e desembarque pela
eainl.o.i da Tacaruin : a (ratar no mesmo sitio, jun-
to .la ponteziiiha, nu na ra do llangel, n. 17.
O abaixo assignadn pelo prsenle faz publico
que, no dia 27 de Janeiro prximo passado appare-
cou em seu sitio denominado Caanna pertencenlo.,
ao engenho Cajabuss da freguezia de Cabo, um es-
cravo do gento de Angola bstanle bucal, e que
nflo sabe dizorquem seja seu senbor: quem so jul-
gar cun dlreilo ao dito escravo, dirija-se ao dito si-
tio que, dando os signaos cortos, e documentos por
onde mostr ser seu legitimo sonbor Ihe.ser en-
tregue, (cando obrigado a despeza o nilo se res-
ponsabilisando o abaixo assignado pela luga do sO-
bio lila escravo. Josa Gomes l'ereira.
Perdeu-se, no dia 27 do corrente do Chora-
Menino ao thea tro de Apollo, urna chapa de Intflo
pertenecnte a roda de orna carro : quem a adiar ,
querendo entregar dirja-so a ra da Csdea do Re-
cife, n. 48, quesera recompensado.
Joaquim Jos l.eilBo faz Miente no publico que
coniprou ao Sr. Jos Itapoz de Mello a venda sita
na ra deS.-Thereza n. 60: e para constar faz o
presente annuncio.
A viuva do fallecido Manoel JoBo de Miranda ,
senbor do engenho Forno-da-Cal emolila, con-
vida a qualquer Sr. negociantoque por ventura ven-
di'ssem algumas fazendas liadas sob carta de abono
de seu dilo marido a que Ihe mostr a dila carta o
1 he enlregue uina exacta rclacflo das ditas fazendas
o seus pi ecos, aln Tundo corrento alim de que
ella possa descrever essa divida no inventario dos
beus do seu casal, que est procedendo polo juizo
de orpbBes de Olinda, sb pena de que o nflo liten*
do, nilo ser mais allendido.
Perdeu-se uma carta aberla conlendo oulra
carta fecha la e um preco crrenle escripias em in-
glez, viudas do Liverpool no biigue Bichard com
sobre-escripta a llenry Gibson, desde o becco do Ca-
pia ra da Cadeia do llenife, at a Cruz de Alinas,
seguindo para os Afilelos : Roga-ae a quem a achou
qoeira entrega-la na ra da Cadcia do Recife n. 60,
que ser generosa mente recompensado.
Km resposta ao annuncio leilo tiesto Diario n.
26, assignado com as leilr-.s iniciaes I A. C. so pe-
de ao aulor do mesmo, que baja de derhrar quaes as
pes.soasque so achaui coniprehen.lidas na palavra
trindlde sondo uf..ca com clareza, so protesla res-
ponder-lbe ao que no mesmo annuncio exigo cate-
gricamente : islo Ihe pe.le U. J. S.
Vendas.
o armazem de Dias Ferreira,
deronte do caes da Alfandega vendom-se saccas
CJtr. fcijBo miilatinlio; ditas coni dilo prelo por
ptcc'i moito cnmniodo,
Vende-se um linio can lieiro francez por pre-
Co milito rommodo : na ra Nova, loja de funileiro ,
defronlo da Conceieflo dos militares.
__ Voiidem-so latas com boladiintia de aramia, a
1.600 rs. rada u na : no armazem n. 1, (defronlo do
cliafariz do caes da alfandega.
Vende-se moito superior potassa, em Larris pe
quenos, desembarcada buje c por preco comino lo :
no armazem de Dias Feneira, no caes d'Alfandega.
Continase a vender espirito de
36 a 41 paos, em pipas c a retalho : na destiladlo da
tiavessa da Concordia.
OCULOS
ebegados de Franca no ultimo navio, e dos melho-
res vidrosque leem vindo a este mercado, islo he,
para visla cansada : na ra do Rozario, n. 35, luja
do l.ody.
Vcndo-se 1 flauta e um methodo dos melhores
autores; urna corrento para relogio : na ra larga do
Rozario, u. 21.
Vendem-se saccas com 1'eijBo preto ; ditas com
lamilla de mandioca : no armazem n. 31, ao lado da
alfandega.
AOS SMIS. ACADMICOS.
Vende-se uma obra de ordenares do reino inlei-
ramenle nova com importantes notas da legisla-
eflo brasileira escripias a margem com esmero e boa
lettra: no pateo do Collegio, loja de livrosdo J. da
C. Dourado. .
Vende-se uma taberna com poucos lunuos, na
Passagem-da-Magdalena, esquina que volta para a
estrada dos Remedios, a qual be multo arregueza-
da : a tratar na mesma venda.
Vendem-se brincos de ouro esmaltados e de di-
versos modelos; aunis lambom de ouro e de diffe-
renles modelos tudo do uhimo gosto de Franca ,
por preco comniodo : tambem se vende uma pret
robusta e sadia : na ra daj'raia, n. 37.
Vendem-se sapat&es de sola c vira,
do A racaly, por preco commoilo, em por*
cao e a reiullio : na ra da Cadcia do He-
cife, n. 29.
*
-


*
A
Vende-se ca virgem de Lisboa,
c'"isla no ultima nav>o, em barris pe-
>;<< parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n I7.
ndem-se barriqunhi.s com cal virgem de
Lisboa limito nova ; fecha i'uras para purlaa de
rmazein ; retroz do Porto; barr com alcatrfio da
Suecia ; pilulas da familia ; ancoretas com azeito-
nos, por prego rom modo : na ra do Vi gario n. 11,
armazem de Francisco Al ves da Cunha.
Vendem-se taimas america-
na al 5 palmos de largura
e de todos os comprimentns.qun ha muilo lempo nSo
trem vindn e os freguezes experin enlando a fulla
desia excelLnle qualidade. A1 lias que silo poucas r
O prego he barato. Atrs do thealro, armazem jun-
to a mare, de Joaquim Lopes de Al ntida.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes, a 3.50o
rs. ditas pequenas a 2,800 rs : no armazem de J.
J. Taaso Jnior, na ra do Amorim, n. 3.
Vendem-se barril pequeos com cal virgem de Lis-
boa a mala cova que ha no mercado. per preco cora-
modo : na ra da Moda armazem n. 17.
Potassa.
Desembarcou Ta poucos di as urna por-
c5o de liarris pequeos, com muito nova
e superior
por preco
potassa, e se acham venda,
mais barato do que ltima-
mente se vendi, na ra da Cadeia- Velha,
armazem de Bollar & Uliveira, n. 12.
Cha nacional de S.-Paulo.
Vende-se o muito superior cha de S.-Paulo, em'
caixasde 1, 2, 6e 13 titiras : na ra da Cadeia do
Itecife luja de Juflo da ( unlia Magalhfies.
Taivnis de divers s aulas.
Na livrari nova do pateo do Qnllglo, n. 6, de
Jnfin da Costa Douradn, vendem-se os sepuintcs II-
vros : Crammalica ingleza por Constancio; dita
franceza, por Severie ; dita por llamonieie; Tclema-
que em franrez ; dita em porhiRuez; Diccionario
raneez e poiluguez. por Hoquete dito por Cons-
tancio ; Guille Smilh ; Historia antiga ; dita roma-
na; Vida de D. loto de Castro; manuscriptos para
os meninos, n uilo uteis para estes; alphhbeln ior-
tuguez ; Calhccismo de Monlepellier ; Elementos de
grainmalica ponugueza por Carlea A. de F. Viei-
ra terecra adieto ; Ensaios'e o'thographia pe-
lo in-snu; Elementos dearillm etiCH por Salva-
dor Hnriques de Albuquerque; Epitlimne de geo-
mi'tna pr.tica extrahido de varios autores, pelo
mesmo; Exemplo deescripta ingleza : todos estes
livre-s vendem-se por mais commodo prego do que
em outra qualquer parte.
No pateo do Terco, venda n. 7,
vande-se milho a 3,840 rs. o alqueire velho, o a
130 rs. a cuia.
Vendem-se presuntos para fiambre; qneijos
Inndrinoa ; ditos de pralo ; latas com bolaclunha
finale Lisboa ; ditas de aramia ; conservas novas ;
musanla ; potes com sal fino ; lalas com marmela-
ila nova ; ditas com hervidlas; Caixinhas com inas-
sas linas ; vmlio moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licores linos ;eoutios mais sene'os, por preco com-
mudo : na ra da Cruz, no Recife, n. 46.
FAttELO
em saccas muito grandes,
a 3'6oo rs. a sacca:
no arma7em do Rraeuez ao p do arco da ConeeigRo.
Vende-se a verdaileira e muito superior fari-
em portugnez por 1 600 ra.; o Mendigo negro d
i'aulu Feval, traduziilo em portuguez por A. Heno.
1 v. por 1,000 rs.; as poesas de Joilo de Lemos Sei-
xas Ca&lello-Kranco ; Amor o Melancola, por Cas-
t.il.ho ; o prjmeiro, segundo e terceiro volumes da
Lizia Potica.
Agencia da fundido
Low-Moor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Neste estabelecimnto"contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor, e tachas de ierro batido e
coado, de todos os tamaitos, para dito.
Taboado de pinito da Suecia,
de 10 a 55 palmos
decomprimenlo, omelhor que tem chegado a este
mercado, em razlo de se poder envernizarem qual-
3ner obra por nfio ter nos e ser muito alvo sen-
o costado, costadinho, aasoalho, forro e para fdBr
dos de barricas: vende-se a prego que o comprador
far todo o negocio: airas do theatro, armazem de
Joaquim Lopes de Almeida.
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos inglczes para
fiambre, chegados no ultimo navio: 110 armazem
do liraguez ao p do arco da Conceigfio.
FARELO EM SACCAS DE 90 LIBRAS :
vende-se no armazem de Vicente Ferreira da Costa
na ra da Madre-de-Deos, a .3,500 rs.
Taixas para engenho.
Na fundicflo de ferro da ra venda um completo soriimenlo de laixas de 4 a 8
palmos de bocea, por prego commodo, e com promp-
lidfio embarca-so. ou carrega-se em carros sem dos-
pezas ao comprador.
Vendem-se barricas com cal virgem do Lisboa ,
desembarcada uestes dias por menos preco ilo que
em nutra qualquer pa>t": na ra do Brum, armazem
do Autunio Augusto da Fonseca.
Madeira de pinito.
Na ra de Appollo, pegado ao armazem do Sr.
Molla, ha um novo armazem com madeira do pi-
nboda melhor qualidadi-que tem vindo a es.te mer-
cado e serrado ile toilas as grossuras e comprimen-
los : vende-se pelo menor prego que he' pnssivel.
Na padaria ln ra da Guia, no Recife llavera
todos os dias a venla o novo pSo de Provenga fa-
biicailo por outro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no >ieicdo: por este motivo nfio se
pode fazer seuSo a 40, 80 e 160 rs.
Vinho barato.
Acha-se estabelecido na ra da Madre-de-Deos,
n. 36 um armazem de
Vitthos da Figtieira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 16n rs a garrafa ; e par n3o haver dolo do com-
prador serflo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se immediala-
menle a oulra cheia tanibem ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
pietario desle eslabelecimento pede encarecida-
mente que se nao illudam avahando, pelo diminuto
prego e sem conhecimenlo de causa a qualidade de
sua lateada digna por certo la estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
orna vez provar, continuar com gosto e sem arre-
pendimento. E o bom preco !!.' A todo o exposlo
accresce o asseio e honracondicinnamento, o que
ludo se podera verilicar em diio estabelccimenlo.
Fabrica deTodos-os-Satitos.
Firmino Jos F da Rosa com escriptorio na ra
'o em S.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por prego muito commodo.
Gangas da India,
amrellas a peca
deduas larguras pelo barato prego de dez tnstoes
cara realisar conlaa : no armazem dn fazendas de
ttaymuudo Carlos Le i te na ra do Queimado, n. 27.
Livros latinos.
Na livraria nova do pateo do Cnllegio, n. 6, de
Jollo da Costa Honrado, vendem-se diccionarios
Magnum Lexicn; Virgilio; Selecta; Horacio ; Die-
dro ; Cornelio, ete,
-Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em harria de 4arrobas, por mdico prego:
na ra do Vigarin, n. 19.
Vendem-se semeas em aecas muito 'grandes,
a 4,500 rs.: na ra da Madre-de-Deos, armazem de
Vicente Ferreira da Costa.
Vendem-se bacas de'vimes : na ra
da I'raia, destiladlo n. 17.
FOLIIINIIAS
para sacerdotes, para algibeira, para' escriptorio e
para porta : vendem-se na praqa da Independencia,
livraria ns 6e 8.
' Vende-se sarja de seda hespa-
nbola muilo superior, setimde Ma-
ceo proprio para vestidos, lds.de
linho prelos bordados a seda,meias
pretas d seda de peso, panno pre-
to muito fino e < piova de Imiao,
caz mira preta elastiea, sarja de
lislras.sehm proprio de collete, as-
sim como outras muita? fazendaa
fins, proprias para a quaresma :
ludo mais barato do que em outra
qualquer parte: na loja de Jos
lUoreira Lopes &c Companhia, r.ia
do Queimado, quatro cantos, ca-
sa amarella, n. 9.
lidade a 4,400 rs.
Vende-se urna venda sita
na Passagom-da-Mair-
alm ila fazenda, o desejo de animar o desenvolv-
nacional pro-
-- venue-ae urna ..-,,. -"-""J^" -: ienlo .le urna falii ic ii.leiramcnta nacin
, n .iri4 rnm nrnros fundos 6 com Cf>fnmoi*'S para w
amid,;,. imS wm Candido Alberto Rodr d, mover o prometo consumo da sua rece.ta.
PUR0VLNH0 DA FICUEIRA.
Existe no armazem de moldados, atrs do Cor-
pn-Saulo n. 66 una grande porgo dcste genui-
no vinho que se esl vendendo pelo diminuto pre-
Moila ta ra do Vigario, ou no caes da AITan-
dega.
Vendem-se nozea muito boas por prego com-
modo : no armazem de Dias Ferreira ao p da es-
cadinha da alfandega.
Vendem-se dous carros de 4 rodas e de 4 assen- j 0 j |,|sora a caada ea 160 rs. a garrafa ; tam-
tos ; dous dito* de duas rodas : na ra Nova, cochei- bem ha em pipas que se vender mais em eonla : he
ra doSr. Adolpbo. | esto o melhor de lodos os viudos que se teem an-
Vendem-se 3 escravos muilo bnns para lodo o j nuncado pela sua simplicidade e ptimo paladar :
saltica, principalmente de engenho, por prego qP, uma vez o beber jamis deixar de o com-
muitobarato : na ra duTrapicbc.n. 34. prar.
-Vendem-se 100 | ares de sa> aKVs, feilnsnoAra- Veiule-se a vendo da rus do Apollo, n.21, com
caty por preco coipmodo par fichar conlaS : na poucos fundos: quem a pretender, dirija-se a ra da
ra do Trapiche, n. 34, casa de Novaes & C. Madre-de-Deos, a tratar com Vicente Ferreira da
Vende-se un.a parda de 9n anuos que cose, en- (osia.
gomma e cozinha : sem vicio algum : na ra de S.-i Vendem-se8 molcqiis muito lindos, de na-
Ju.-, n. 68. I eje e crioulo le 10 a 18 aunos sem vioios ; um
Vendem-se sacCOS COm farelo. Im.lo l.uUtinhodeUannos; 6 prelos de 20 a 30
,. aunos, sendo umdelles bom carreiro ; um preto de
Chegadoi* UltimameiMe, pelo diminuto Jade bom pescador ecanoeiro; 4 pretas de
reco de 3,4oo rs.: na ra da Sar.zalla- bonitas liguras.com algnmashabilidades; urnad-
J. T ou ta" de meia idade, com (labilidades, esta da-semui-
V el lia, n. loo. tu em conia ; uma parda do 22 anuos; urna linda
No deposito de Me. Calmont & Companhia na mulatinha de 10 anjios quo coso muito bem e be
ra de Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-'muilu desemb.rugada : na ra do Vigario, n. 24.
mente grande sortimento de ferragens inglezas para j f 1
engeiiliosdcassucar .corrosejam: laixas de ferro AIgodaO IraUCadO a laDl'ICa
coado de dijTeroiiloa modelos, os mais modernos; O
dilas de ferro balido ; moendas de rorro do modo- (l
ln adoptado, para armar em madeira ; ditas lodns^
de ferro, tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de frga de quatro cavados o de al-
ta press.lo o mais moderno e simples que he possi- muito proprio para saceos de assucsr e roupa ue es-
Tod os-os-San tos da
llahia
-_ Bl
vel ;repartideiras;es|ura.leiras; reafriadeiras de Cravos: vende-se em
renueva nbado; formas de Ierro: tudo por prego
commodo.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife loja de
Joao da Cunha Magalhfles.o primeiro volume dos Se-
je teccados Mortaea, por l>ugenio Sue, (raduzido
casa de N. 0. Biober & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4,
CHA' RRASILEIR*.
Vende-se,ou armazem de molhados atrs do
Corpo-Santo, n. 66, o mais excedente cha produzi-
Vendc-se muito boa cera branca,
em pao, etambem refinada, para limas de
ebeirr, por preco commodo: na ra da
Senzalla-Velba, n. 70.
Bombas de ferro.
Na fundigSo de ferro da ra do Brum acham-se
a venda supeiiores bombas para Cacimba assim
como da repucho para fazer a agoa subir as casas de
4 a 5 andares.
Vende-se vinho do Porto, muito superior, e
le outras qualidades, em barris de quartb, quinto,
se\to, stimo oilavo eent pipas, por prego muito
commodo > na ra do Vigario, armazem de Fran-
cisco Alves da Cunha, n. II.
Tapioca do llaranho.
Vende-se, no armazem de farinha, na ra do Col-
legio n.21, tapioca do Maranhflo, muito alva por
preco menor do que o do coslume. No mesmo ar-
mazem ha milho novo em saccas, e tambera fari-
nha.
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muito rasoavel, vista de sua muilo
superior qualidade :.na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34>
Novosriseadns monslros chi-
nezes, a 360 rs ocovado.
Na loja deGuimarHes & Companhia na ra do
Crespo n. 5, vendem-se os novos riscados chine-
7es finos de padrOes muito lindos e os mais mo-
dernos que teem apparecido nesta cidade do vara
do largura pelu barato prego do 360 rs. o covado.
As novas casimiras de algo-
dito, n 860rs. o covado.
Na loja n. 5 da ra do Crespo, vendem-se as novas
casimiras de algodfio de padrOes os mais ricos que
lecm apparecido ueste mercado pelo barato prego
de 560 rs. o covado.
Vende-se um ricoapparelhoparaoflici.il subal-
terno da guarda nacional, conlendo uma barretina,
espada toda prateada, fiador, banda, adragonas, ta-
lim e canana; tambem se vende uma oulra espada,
barrclHo do couro de lustro, banda, lalim e canana
mais ordinario para o servigo : na ra Nova, o. 63.
SAI.SA-PAIIIIII.IIA DE SANDS.
Este excollenle remedio cura todas as enfermi-
daijes, as quaes silo originadas pela impureza do
sanguc, ou dosystemo ; a saber :
Escrfulas rheumalismo crupgoes cutneas
hrebuthas na cara, homorrhnides, doengas chrom-
eas brehulhas, bertoeija, tinha, inchagOes, dores
nos ossos e juntas,iparas, doengas venreas,citica,
enfermidades que atacam pelo grande uso do mer-
curio, kulropisia expostos a urna vida extiava-
liante Assim como enronicas dosordens da cons-
tiluigflo-scriio curadas por esta 13o utile appro-
vada medicina.
Kio-de-Janeiro 14 de dezembro de 1847.
Sr. Fredtric H. Aoulhworth.
Tendo eu lido no Jornal do Commereio eno Diario
do llio di Janeiro por di versas vezes annuncios da sal-
sa-parrilha de A. U e I). Sands que se venden
ra ilo lio/ario, n 79, por Fredenco II Snulhworlli,
a esle me dirig o lhe comprei uma caixa com 12 vi-
dros do dito extracto e achandivniu com um gran-
de tumor no sovaco do brago direilo e parte do pel-
lo, solviendo inmensas dores por todo o corpo me
deliberis tomar o extracto da dita salsa ; e tendo
tomado dous vidros e usando delle, lofo ao segun-
do vidro ennhec immensas melhores, e conlinon-
do, fique! perfeila.nenie bom ; e tendo algunj
amigos meus felo uso do dito extracto, para rheu-
malismo, tem no uso delle por fim de terem lomniQ
8 a 10 vidros ficado bons do que tem resultado man-
darem-me de differenles partes encommendas da
dila salsa para fra desla corte a diversos qua. leen,
eifto uso della e se teem restabeleoido perfeitsmenle-
e mandando-me agradecer, assim considero ser un
acto de humanidade e ohrigagSo minha fazer puhli.
co tilo efllcaz-e salutar remedio. Joaquim Ftrreirt
de Soma Flore.
Reconhego verdadilro o signal aupra. Rio, 15
de dezembro de 184,7. Em tetemuiiho de rerdi-
de, Joaquim Joi de Catiro.
Vende-se nicamente em Pernambueo na botica
de Vicente Jos de Brito, na ra da Cadeia do R.
cife 1
Vende-se oro piano forte, vertical e de Jacaran-
da, chegado ltimamente Com muito bota votes,
e de um machmismo d nova invengSo para aris
vozes mais bailas ate dous tons, o que tornam
instrumento muito ventajoso para cantoria tu-
rulos de Havana por prego mais commodo do que
em oulra qualquer parte; un completo sor tmenlo
de instrumentos de msica, tanto de metal como
ira; bustos de gesso representando muito
nelmehte*v-vrainha Victoria e o prncipe Alberto;
relogioa deour> da prata chegados ltimamente g
da Suissa. Estes relogios que silo muito.bem*t*-\
bados se lornam multo reCommendaVeis a qual-
quer particular, e adverte-se que ha entre cites
alguna que andam oilo dias sem precisaren! de cer-
das : na ra da Cruz, no Recife, n. 55.
Aviso satisfactorio.
O abaixo assignado, agente do doutor Brandrelh,
faz sciente so respeitavel publico, que pela escuna
americana Ou/em/enlreda no corrento mez do Janei-
ro racobeu um-novo provimento de pillas yefce-
taea de seu propiio autor. Estas clebres pilulas
silo recommendadas por milhars de pessoas, como
bem demonstra o roceituario que acompanha as cai-
xinhas, a quem ellas tem cura lo de thysica,influen-
cia catarros,indigeslOes,ilespepsia.ddres.de calieg,
dores ou peso na nuca, que geralmenle silo sntomas
d'npnplexia, icteririe, Tehres intermitentes bilis, es-
carlatinas,'fehre amarella e toda classe de fehis s-
lhm8,gola,reumalismo,efiferrodades nervosas,dres
no ligado, pleuresa debilidade interior, abali-
nienlo de espirito, roturas, inflammagoes, inchci>s
dos olhos, accidentes, naraletia, hidropesa bexl-
gas sarampo, enfermidades dos meninos tosse toda clas.-e clicas cholera-morhus, dr de pedra
lombrigas, desinteria surdez, vagados de ealiega,
erisipela ulceras alguma* de 30 anuos, canearos,
tumores inchagOes nos ps e peritas, almorrnimas,
srupgflo de pelle sondo* horriveis, peaadolles,
loda a qualidade de dores e molestias de miilhcres,
como ab-irnces, relacliacOes, etc.; he um med*
camento inteiramente inofJensvo, podendn-se ao-
plicar at as enancas recemnascidas e ltimamen-
te se tem applicado a uma nnidade de molestias
julgadas incuraves, de cuja applicagilo se teem lira-
do ifio f> lizea resollados, que parece cada vez mais
resol vido o problema de um remedio universal. Ven-
de-se na ra da Cadia-Velha, bolica n. 61.
Vicente Jote di Brilo.
Agoa de perola.
para tirar sardas rugas e em-
bellezar o rosln.
Esle celebre cosmtico fui por muilo lempo ti
couhecidode poucas pessoas una Estados-Unidos;
poim aua grande ulihdaile tnrnou-o o comeslieo
mais popular i|u-se usa nos loilets modernos : cul-
ta cada frasco .Olio rs., envolto no competente re-
ceiluario; vende-se no escrptuiio de Novaes k
Companhia, na ra do Trapiche, 11 34.
Escravos Fgidos
Desappareceu.no da 28 dn prximo pasudo,
a preta Helara que representa ler'40 annes pnuco
mais ou menos ; lio baixa do corpo um lano grot-
aa ; be n uilo fallante ; tem falta de denles na fm-
te ; levou vestido de chile azul, o panno da Cosa
lamben) azul. Iioga-se as autoridades policiaca e
capilfics de campo, que a apprehendam e levim-na
ao seu senhor, no sitio da estrada de S.-Amaropari
Hclm passando a ponte, do lado direilo, o pri-
meiro poilflo. ou na ra do Rangel, n. 17, que ga-
rfio gratificados cem generosidade.
Fugio, no dia 30 de Janeiro o preto Francisco,
de nagfioklogambique ceg de um olho baixo ,
grosso do corpo com pouca barba ;' levou caigas de
algodfio da Ierra e camisa de madapolflo : quem o
pegar leve-a"rua da Cruz, no Recife n. 12 1|ie
ser recompensado. -
Desappareceu, no dia28 do crrante, as II ho-
ras do dia pouce mais ou menos, da Passagem-ila-
Magdalena na altura da venda que faz esquina pa-
ra a eatradado Remedio, em direcgfto para a eslrada
nova um moleque de 6 anuos e mcio crioulo, de
nome Marcoliao de cor fula ; poucas palavras diz
quo se enlendam, por ser bastante tato sempro esli
com a bocea aberta ; tem os ps apalhetados, por
causa de hixos que leve ; quando anda levanta *
dedos de ambos os pes por causa dos meamos bi-
xos; levou camisa de algodfio azul com mangas <'ur-
las; he bstanle liso da pelle. Como naja tambem
algumas dcsconfiangas de ler sido seduzido, ou
mesmo furtado prolesta-se de usar de todo o rigor
da lei cunlia quem o tiver occullo. Roga-se as auto-
ridades ilos arrabaldes desla cidade e a loda e q1'
311er pessoa que delle liver noticia de o appreben*
ere leva-lo aoseu senhor, Antonio de Sa uitao,
na mesm Passagem-da-Magdalena ou ao Sr. J""
Jo-e Anionio bastos na ra da Cadeia du Recife,
que se pagarfio todas as despezas.
-- Desappareceu o preto Joaquim de nago Con-
go de cor preta, olhos grandes tem fha da *,'"
guns denles na frente; lem uma ferida em um P*
quem o pegar leve-o a ma da Cruz, 11. 2, qu* w '
generosaiii'ente recompensado
Desappareceu, no dia 29 de Janeiro, o molequi-
nlio l.uiz, de8a 9 anuos ; levou camisa azul a cai-
gas de casimira do lislras j velbas, hoga-se as au-
toridades policiaes, ou qualquer pessoa que.0.-"
uha em seu pudf que o levem-iio a ra da ,:*'"''
do Recife n. 57, a entregar a Joo Nepomoceno l>"r"
rozo, ou a Jos Liberato Oarrozo em cujo puuerel"
seaihava.
Fr^J. : ns ttp. di m. r. 01 raiiA.M49


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH5T29GET_BYVXIL INGEST_TIME 2013-04-13T00:37:22Z PACKAGE AA00011611_06433
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES