Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06430


This item is only available as the following downloads:


Full Text


Ai.no XXVII
Sabbido 30
de Afosto de 1851
N. 193.
DIARIO DE m PERMMBim
PRaJO B* IDBCBIPljlO
Picihirto Aduntado.
por trimestre...........
por semestre.........
Bm snno "*
'" pAGo pumo oitmBti*.
P0I q""^,,-Do1B-Ro
um
8/1100
15/UOO
1/500
p.f ... 26 de Julho
M.ranbao 4deAgoito
reir.- 0 de dito.
P.r.hlb.. 20 de dito
Mima.
S.Paulo.
R.deJ.,
Babia...
lOdeJuIho
lide Agosto
14 de Agito
18 de dito.
DIAI DA SEMANA.
35 Seg. S. Lull.
26 Terf. S. Zcferlno.
27 Quart. S. Joi dr
Galaxans.
28 (Miiut. S. Agostinho
20 Sext. Degolacao de
S. Joao rtapliita.
:i" Sab. S. Ron de L,
31 Doro. S. Rayinundo
Nonato.
AVOIIMOlAf.
fuiode Orphoi
e5. s tO horai.
I. vara do eitel.
c ti. ao meio-dia.
Faztnda.
c 0. ai 1" hur..
2* rom do civcl.
c sabadoi ao niclo-d
flf/nf3o.
Tercns e sabadoi.
irHUSIHlDZI.
PABTIDAI DOS COBBXIOS.
Creaccnte i 4, as 2 horas e 48 minuto da man. Goianna e Parahiba s segundas e scxtai-
Cbela a ll, as 7 horas e 23 minutos da tarde. feiras.
Mingoante 19, as 10 horn c 39 minutos tarde, i Rio-Crande-do-Norte, toda aa quinlas-felras
Nova 26, as 8 horas da tarde. ao meloda.
I Garanhuns c bonito, i 8 e '23.
"""" "0, Boa-Vi..,, c Flore,, a ,3 28.
Primelra al 7 horas e 42 minutos da manha. I Victoria, s quinlas-fciras.
Segunda s 8 horas e 6 minutosdatardc. | Olinda, lodosos diai.
NOTICIAS ISTBANOUBA*.
Portugal.
Ilespouba.
I-1 un a ...
Blgica...
Italia.. ..
AleniMnlia.
Prussia...
Dinamarca
Russia....
Turqua..
l4 de Jolhi,Austria
t de Julhu Suissa.
7 de lulll" Sun i...
3 de lulho
1 de lulho
:! (Ir lllllio
4 de Julho
I de Julho
3 de liiiln
3 de Julho
3 de lulli
i de Julho
I de Julho
Inglaterra 8 de Julho
K..-I nidos 2lidr Junhn
Mxico... de Junho
California 14 de Malo.
Chili. 26 de Abril.
Ktienos-A. 28 Je Julho
Montevideo 6dr Agosto
CAMBIOS DE 2* DE AO08T0.
Sobre Londres, a 28 '|,d. p. l|OO0 rs.
Paria, 340 por fr. nominal.
Lisboa, a 100
MITAES.
Ouro.Oncaiheipanhola.. ..28/1100 a 28/50(1
Moedas de 6/400 velbai. 16*000 s 16/M0
de 61400 novas. 16/000 a 16/200
a de 4/DCO...... 9/000 a 9/100
Prala Patacoei brasilclroi.. 1>920 a 1/920
Peso columnarlos.. 1/920 a 1/920
Ditos mellemos..... 1/750 a 1/760
PAUTE OFFIC1AL-
GOVEKiNUDA PI.OVLNCia.
EXPEDIENTE 00 DA 23 DE AGOSTO DE 1851
Olriclo -Ao cominando das armas transmit-
tindo copla do aviso circular da rcpartlcao da
',,',. Je I' do corrrntc, no qual se delerml-
,1C 0s corpos, cujo foroerlincnlo tenha de
erfeilopeloarienildc guerra desla provincia
cuando tiverem de apreientar os respectivos
pedidos a presidencia ilgo os modelos, que
timbera remelle por copia, a flu de que a ei-
criiuracao leja uniforme. = Igual ir.....i se
fes pagadorla militar e ao arsenal de guerra
Dito. Ao meimo para que informe se Ihe
loram entregues os desertores do tercelro bata-
lli i. d'artilharla a p Antonio francisco dos
Santos e Joao Antonio da Silva, e do priineiro
de rajadores Joaquiru Antonio Paulino.
Dito. Ao mesiiio remetiendo copia do avi-
lo do ininilerlo da guerra de 4 do corrente,
qo qual secominunlca, que por decreto de 31
de julho ultimo lol perdoado ao priineiro ca-
dete lUailtoiano Baptlsla Pelxoto uarte, c ao
soldado Manuel Seraplo d'Almeida Fortes,
suidos do segundo batalhao d; artillara, o
lempo que Ihes falla para cuiuprlrem as penas,
!ue Ibe foram impostas por sentencas da junta
ejustlca desta provinvia. Intelrou-se aos
inrmbros da inclina junta.
Dilo. A thesouraria de farenda Jntelran-
do-a do dlsposto no avilo da reparlico do Im-
erio de 9 do corrente no qual ae communica
aver-se solicitado do Esm. ministro da faaen
da anpedlcSo das convenientes ordens a flu
de que o venclinento da quautla de 2:000,000
rs que compete ao Dr. Nuoo Ayiiue d'Are-
Ihos Annes de Brllo Ingle, nomeado lente da
nrimelra eadeira do tercelro auno do curso ju-
rdico da Olinda por decreto de 11 de junho
ultimo, se Ihe cont desde a data do meiino
decreto, vlslo queja ha muitoi anuos se aclis-
va como substituto no esercicio d'aquella ea-
deira.
Dilo -- Ao commando do corpo de polica
remetiendo copia do aviso do ministerio da
guerra de 11 do crreme para que exija do ci -
rurgio mor do incsuio corpo, e remeta a se-
cretaria da preaidenclro icu diploma de Dr.
em medicina
Portarla. Prorogandn por vintc dias, mas
.ni vencimento, a llccnca que obleve para tra-
tarse o jui/. municipal do termo do tlin-For-
uioso Francisco Rodrigues Settc. Fiiero-se
ueste sentido as convenieutei comtnuiiicacdes.
Diu. Mandando por em libcrdade os re-
crutas Mainel Joaqnlm Fcllppe Pereira e Sc-
verioo Alves Lima, este por ter aprescnlado
iieiico legal, e aquellespor tereinsido julgados
pela Junta de saude incapsses pira o servico
itiilitir. Communicou-se ao dcembargadur
chefe de polica interino para faier constar
as autoridades que os requesitou.
DEM DO DA 25.
Ofticio. .. Ao commando das armas, remet-
teudopor copia a informado que deu ao ios-
pector da pagadorla militar acerca do ollicio
em que coiniiiunicou S. S. a delibcraco que
iniunii de mandar continuar na capcllania da
fortalesado hrum ocapcllo reformado frei Jo-
s de San Jaclntho Mavignier, aflu de que, nao
so informe sobre a materia da mesma Informa-
cao, mas tambem Indique o que convler no
sentido de continuar nesle ministerio o religio-
so, que ora o presta com deipeza menor, do
que ae faria com a admisso de alguna dos no-
ves pretendientes a tal lugar.
Dito, -- Ao mesmo, luteirando-o de haver,
em vista de aua informaco, concedido a licen-
cade um mea que pedio o soldado invalido da
guarda nacional, addido ao quarto battlho de
artilliarla s p Francisco Antonio Xavier.
Dito. Ao mesmo, disendo em rcsposla aos
seus ofliclos sob nmeros 923 e 974, que por
ora pode o priineiro tcnente Heinclcrio Jos
Velloso da Silvelra continuar a residir no lugar,
em que se acba, commandando um batalhao
de guardas uacionaes, at que o contrario re-
aviva o governo imperial, a cujo conhecimento
val levar esta deliberaco.
Dilo. A thesouraria de fazenda, para que,
uio luyendo duvida vista das Inloruiacdes
que remelle mande passar titulo de aforaineu-
to a Antoulo Jos Ribeiro de Muraes do terre-
no que Ihe ful concedido em Pora de Portas,
coma clausula porm indicada pelo procura-
dor rlicsl.
Dito. A mesma, remetiendo o requer
ment competentemente Informado de D. Ma-
na lose Lu/. Sorlano e inais herdeiros do fal-
lecido Jos Martins Suriano, aliui de que satis-
fcita a exigencia do procurador fiscal, e na, ha-
vendo duvida, mande passar ua forma da lei,
titulo de aforamento do terreno que pedem.
Dito. A mesma, remeneado o requeri-
S=
FOLHET1M.
TRISTAO DE BEAUREGARD. ('
(PELOHA1QUB2DEFUUDRAS.)
VIII.
Poucas Untias baslaro para explicar a chc-
gada Inesperada da familia Uriaui em um ino-
inniiit uto iii j ii mi., presenca devia ser to
ju nivel aot dousorphao. Quando o doutor fo-
>' conKar ao Sr. VialarJ suas dores paieroaesh
dlsie-lhe taiabem que a inulher eatava ausen-
te oaquelle da. O Icitor estar lembrado da
carta que o cura eicrevera ent.io a Trlsto, da
resposta que este ultimo Ihe dera indopessoal-
iiirnic rogar-lhe que pedisne em scu nome a
mo de (trina, e da promessa que fuera o
bom loslltuidor de oceupar-se nem demora
deste negocio que nao couvluba deixar esfriar
jaque se estava decidido aconclui-Io.
(guando 111,1,1(1 mandado chamar ao castello
peloi baio d'Igornay, deiiou o presbiterio, o
r* Vialard ponderou inui sensatamente que,
achando-se por entao ausente a Sra. Briaut,
nao lerta racJhneutc mals favoravel occaslao de
fallar ao marido. nnals, esse pobre pai era
uo deigracado, que seria crueldade delxa-lo
na Incertcia podendo-se tranquillisa-lo.
v i ta.ullima -'oniiderajo determinou o 5r.
iaiard Ir ter com o doutor no mesmo ins-
ta Me. Cow cHelio o curadirlglo-se casa do
ar. ranteachou-oanda s, sempre mortal-
ente inquieto, ma>s inquieto Ulvez do que
("J" P0'1 nen"vaquca sorle de sua liiii..
P-aia decidir-ae neste muinenio. l'oucas pala-
bras ditas pel Sr Vialard bastaran, para mu-
"r as Inqnlciaces do pobre douior em ale-
niitesKm mUlura* e,n tnportes sem li-
thPillre!aSl0^ucel,ee,Primia com a mais Pa-
.hil eUu,ao os novos sentimentos que en-
r,'U,eUcoraiio' lubilamente arrancado ao
vSiVA,aab,naicruelj angustias, a Sra. Brlaol
" lem bulha da cidade c fora inlormada
ienri. ?M!,ie >ue ,"rlo clava -'" confe-
e> a sccela no salo com o cura.
ella v l!lcerU' dlMe l-,"a com sigo mesma, que
Uo*! caduco vein advogar a causa du*
S"""' .'"ea padres nao lasem imals ou-
vifinh quaodo nao ,c *n"-'ncttem nos fdo
(*) FtfeoDa.on. 103.
Antonio Vereira da Rocha, para que, proce-
deudo na forma Indicada pelo ofAcial encarre-
gado da medlcao e demarcado dos terrenos de
marlnhn. e nao havendo duvida, mande passar
titulo de aforamento do terreno que elle pede
na ra da Samada Velha.
Dito.-- A incsina, transmittiado cpla do
aviso do ministerio da fateilda de 8 do corren-
te approvando, que a adiiiinistra^ao ola capata-
ila da alfandega seja incumbida por ora at ul-
terior delibcraco um dos empregados da
mesma alfandega menos sobrecarregido de
trabalhos.equc tenha a necessaria aptidao.
Communicou-se ao inspector da mencionada
alfandega.
Dito. A mesma, paraqur. mandando cal-
cular o foro <* nao havendo duvida acerca do
rcquerlmcnto que remelle coinpetcnlcmrntc
iufunnado, de Manorl Alves Guerra, mande
passar o titulo de aforamento do terreno, que
elle pede, com a clausula purin lembrada pe-
lo dllin ti encarregado da medicao c demarca-
can dos terrenos de inarinha.
Dilo.Ao director geral interino da Insiruc-
fn publica,exlgindo o scu parecer, acerca das
informarles que remelle do Inspector interino
da thesouraria daf provincial e d> res-
pectivo procurador fiscal, relativas ao fome-
cimento de varios objectos aos alumnos pobres
das escolas de instrucciio primarla.
Dito, -- A pagadotia militar. Accuso rc-
cebido o oflicio de 2-1 do corrente. emqueV.
S. para dar cuiiiprimento ao disposto DO aviso
da reparlir;o da guerra de II do corrente, soli-
cita deste governo providencias no sentido de
ser dispensado da cominissao pra que fra
uome.ido, por portarla de 23 de abril deste an-
no, o escrivaii dessa pagadorla ; de ser eapaca-
do par mais duas horas o servido diario della,
abonando-se pe* rubrica gratificafOcs di-
versas-- urna grMiticacao rasoavcl aos emprc-
gados( que durante as leferidas duas horas fo-
rem encarregadosda classilicafo das despezaa
do ministerio da guerra, pertencentes aos an-
uos fliaocefros de 1818- 1840c i849 <<:>,
c filialmente de ser nouicada por esta presi-
dencia uinaconimissao para dar o seu parecer
sb a possibilldade do servico a cargo dea rc-
;11 rtj ,.i i; e em resposta tenho a dlzer-lhc :
l., que pan ter lugar a dispensa do escrivao,
fac*ae uecessarlo que V.S. entendendo-se com
o presidente da commUsao de exainc das coti-
las das cvtinclas caixas ecouoinicas informe xc
o servico della nao pdc ser prestado de modo
que nao embarace o do mesmo escrivao nessa
reparticao: '1., que HcaV. S. aulorisado a pro-
rogar pelo lempo que propon os Irabalbos da
repart;'/.', a seu oargo, mas sem gralilcar;ao al-
guma addtcional; 3.* linalinunte, que nao leo-
do preciso dar por oraalgiuna outra providen-
cia, deve V. S. levar ao governo imperial, > r
intermedio desta presidencia, urna cxposi<;u
clara e precisa dos motivos, porque lem sido
retardados os trabalhos exigidos pelo citado
aviso.
Dito. A mi -ni i. para que informe com ur-
gencia sobre o ollicio que remelle por copia
do director do arsenal de guerra, pcdlndo au-
toiisacao para despender a quantia de Hrljf rs.
com a promptiiicac.o e compra de varios arti-
gos, que em uuuipniuento do aviso que (un-
bem remelle por copia, do ministerio da guer-
ra, mandou-se remeter para o Cear.,
Dito. -- Ao desembargador chefe de polica
dizendo lie n scieotc do procedhnento que te- '
veo delegado do priineiro districto deste ter-
mo, ein cunsequeucia da denuncia que leve de
se haver enterrado ni cemterio una prcta as-
sassinada pela parda Jerujm. Francisca da
Conccicao em occasiao de castiga-la, c recotu-
mendando que proseguiudo o inesmq delega-
do as diligencias precisas traga ao conheci-
iiieuto da presidencia por intermedio de S. S.'
tudo quanto vier a descobrir c averigoar sobre
o ciimc de que d noticia.
Dito. Ao mesmo. remetiendo por copia o]
olticio em que o coinmandandaulc do corpo de
policia 'l.i nuil das IaTlUga(dOi ijue proce-
deu relativamente ao roubo felto na lavcrna.
de Dcllarmiuo Alves de Arocha, c bem assim o
atlestado a que se refere o mesmo commandan-
le, para que d conhecimento de ludo a auto-
ridade eucarregada do processn c captura dos '
criminosos, autores de seuiclhantc roubo. .
Respoudeu-sc ao referido commandantc.
Dito. Aoju municipal do termo do Uo-
nito, para que declare se tcm estado no exer-
cicio de sua vara desde 13 de julho prximo
rindo ate hoje, visto haver communicado nao
ter feilo uso da licenca de um mea iiuc Ihe fu-
ra concedida.
Dito. Ao priineiro substituto do jui/. mu-
nicipal da primeira vara, Inteirando-o de have-
lo designad) para presidir o andamento das
rodas da quarla e ultima parte da quarta nona
Disendo isso, a Sra. Briaut, como digna lilha
de Eva. fol escutar na porta no salo. A pri-
melra phrase que ferio seus ouvidos conven
cru-a de que eslava em erro. Cutio sem per
der um minuto foi procurar Corina c Infor-
inou-a do que se passava, accrescentaudo que
ha inulto previa este acontccimento.
Serla ao mesmotempo temerario c superlluo
analysar ludo o que experimentou o coracao da
pobre menina ao receber a noticia desta mu-
'i.ni t inesperada : priineirainenle ella lancoii-
se ao pesclo da nial solur;and* ; ao depols ca-
lilo de Joelliose puz-sc a rezar: a tici.it pergun-
tou Sra. Brianl se eslava bem certa do que
Ihe annunclava c acabou por dizer a si ines-
ina que a esperanza era una palavra muilo do-
cequcexpriinla urna cousa inulto triste, por
quanto era ainda a duvida com um pouco me-
nos de obscuridade. lilla achou-sc pois menos
desgranada, porm pcriuaucccu melanclica
como d'antes : talve/. tivesse querido saber sua
felicidade da propria bocea de Trlsto.
Nao he precito dlzer que a Sra. Briaut nada
vira do que se passava no coracao da tilha ;
pols fraccaemaiernalmeuie salisleita admirava
sua previdencia que a tlnha justamente con-
duzldo cidade para comprar cuxoval de Cori-
na no mesmo da em que o conde de Oeaurc-
gard inandava pedir-lbe a mo.
Meu marido, disseella coinsigo mesma
ao Ir ter com o douior logo que ouvio o cura
despedir-se, deve estar um pouco vergo-
nhoso.
Brianl deixou que a mulher dlssessc impune-
mente que elle era um pateta, que nada sabia
prever, que se o tlvessem deixado fazer, a li-
lha seria a Sra. Ragonueau em vez de ser a
condessa de Beauregard ; que em urna palavra
devia para o futuro deixar de introuictter-se
no governo da casa, sequi/esse que tudo fosie
bem ; a mulher te-lo-hla battido sem que el-
le o livesse sentido, to iusensivel o tornava a
felicidade de Coriua a lude o que nao dizia res-
pello seno a elle.
A Sra. Briaut decidir alli mesmo que coo-
vinha ir ao castello Incontinente, pois que
tendo o Sr. de Beauregard dado o priineiro p is-
so, era ju$to, convtnitnle, iniipen$avel, que elle
desieuio segundo.
| Qual he o marido um pouco disciplinado que
j: resiste a tres adjeclivos to cugcnbosaincnte
fdispostos ? liria ni codeo, dizendo entretanto
I uo mais profundo de seu foro interior que este
I passo parecla-lhe uiu pouco prompto a por con-
seguale nao perfeitameute digno.
fe::i suiimi o feliz par pos-se cm marcha
para o castello, onde sabemos que chegara. A
Sra. Brianl linha preparado no caiulolio uina
phrase magnifica para sua entrada o marido
porm nao deu-lhe lempo de a pronunciar,
pols apenas a poria do silo fol aberla pelo
lotera concedida a favor das obras da Igreja
de Nossa senbora do Livramento.
Dito. -- A administrac'.o dos eslabelecimen-
tos de caridade.lnieirando-a de haverexpedi-
do ordem ao director do arsenal de guerra, pa-
ra mandar receber o Africano Joaqulm que se
achava ao servico do grande hospital de cari-
dade, enviando oulro para o le sentido ofliciou-se ao referido director.
Dito. Ao presidente da cmara municipal
de Caruarti, aecusando recebido onfuciocm
que expnndo as diversas causas que lem dil-
ficultado a reunio daquella cmara, solicita
providencias a respeto, c di/eudo que va clia-
, mando pela ordem da votado todos os sup-
j penles desempedldos, anda que venliam a
I com por a cmara os cidados menos volados,
; com tanto que nao padec de mpdo algum o
I servico a cargo da munlclpalidade.
Dilo. A cmara municipal do Cabo, diicn
I do que nenhuma deberaclo pode lomar a res
I peilo da au(orsa9u que peda para contratar
| com certos individuos que se oliercccram a fa
I ter ii fornccimenlo de carne verde aos hab
1 cantes daquella villa por precos mais comino
dos a niiiti,mu do que aqu se pratlca, visto
que a lei provincial 11.278 s aiitorlsou as me
dldas que ella se refere quanto ao abastec
ment desta cidade.
Portara. Mandando por em liberdade o
recruta Joaquina Machado de Albuqucrque
Liiii, por ter aprescnlado isenco legal.-- Coui-
uiuuicou-se ao desembargador clielc de poli-
cia interino 41 na fazer coniUf a auloridade
que o recrutoii.
DEM DO DA.96.
Cilicio. A' pagadoria militar, remetiendo
n rcquerimenlo em que Joi dus Santos de
Olivcira novainenle pede se Ihe pague o valor
de um cavalloque Ihe foi apresado em jinciro
do auno passdo para conduco da bagagetu
da furca que d'aqui inarchou pora a villa do
Bonito, .tii ni de que. aitendendo a cautella do
subdelegado de Santo Antonio, que uo dexa
duvida sobre o facto de se ter tomado ao sup-
plicante o seu cavall, c entrando no exainc
o mais escrupuloso deludo oque se houver
passado, indique quem deva ser responsa-
bilisado pela falta que se d, uo 'modo
Suc nao venha o supplicante a perder o valor
e mi i propriedade, de que nutros talvez se
teuham apruveitado, dand<'-ic assim una gran-
da InjuaUea c Icnmoralldade,
Dito Ao dezembargador chefe de policia,
utclraiido-o de haver determinadlo ao com-
mandantc do patacho Prafiama, que faca re-
colher cadeia disposiriio de S. S o preso
AuConlo Joaquim Xavier Burges que veio da
llha de Fernando com destino provincia da
l'.ir h\ i 1. alim de s *r all julgado pelos Cri-
mea em que se acba pronunciado, e prevenin-
do-o de que nesta data expede onlein ao agen-
te da companhia dos paquetes vapor, (.ara
0 fazer transportar para aquella provincia no
prlmcro vapor que passar par* o norte ; con-
yindo, porcanio, que S. S. opporluuamrnie o
1 1, a conduzir para Imiln a entregar ao res-
pectivo commandantc. = Ncste sentido expedi-
ram-se as convenientes ordens c communl-
cou-ie ao Exin. presidente da referida pro-
vincia.
DitoAo mesmo, para que, vala do olli-
cio que remelle por copia, do delegado do ler
ino de Cimbres, informe se Ihe loi entregue
o desertor Joaquim Antonio Paulino, de que
trata o mesmo oflficio.
Dito Ao ipil.ni do porto, aecusaudo re
cebido o oulcio que acompanhou o relatorio
dos trabalhos do melhoraineuto do porto ellec-
tuados no niei dejulho ultimo, e recommen-
dando que, exigindu do engenheiro encarre-
gado da dlreccsio das mesillas oblas que des-
creva com mais precisan o trabadlo feito pela
barca de cscavafo, e a obra da arrumafo das
pedras no dique da ilha do Nugucira, remella
presidencia copia do novo relatorio para ser
tudo enviado .10 Kxm. ministro da inarinha
Dito Ao mesmo, para informar com urgen-
cia sobre tudo que houver occorrido acerca da
escuna americana Cliflon por occasio de m-
bar este porto vindo de iSew-\orck com des-
tino Acapulco, no Uexlco.nlgual informa-
{do se exigi do inspeclor interino d'alfandega.
Dito Ao jui/ de dircito da comarca do Ca-
bo, remetiendo por copia do aviso da repar-
ticao da juma, de 15 de julho ultimo, no
i qual se declara que he contrario lei o reque-
I rmenlo cm que o escrivao do civcl e crime
i d'aquella comarca, Ignacio Tolenlino de I*i*
gueiredo Lima, pedia Ihe I'osseiu (ambein dis-
tribuidos os fcilos orphanologicos, de capellas
: e residuos da mesun comarca; e remetiendo
jigualuieute copia do aviso, que sobre igual
assumpto acabava de ser publicado na ga/.cta
ollicial da corle; e recoiumendandu que S.
, Me. de ludo de scienca ao referido escrlvio.a*
1 Igual remessa se fez ao juz muucipal do mct*
' ino lermo,
criado que os preceda, correu alancar-se nos
bracos de Trisio.
O Sr. adviuba o que me ira/, aqu, etcla-
mou elle, uosso bom amigo o cura dissc-iuc
ludo
Alliellc dirigiu um olhar dolorasamenlc sup-
plce sobre o Irmao, cuja posifo era verda-
deiramentc cruel.
Nunca pensei, balbucou elle procuran-
do subtrahir-se docemeute ao abraco do dou-
tor, que o Sr. Vialard tos se to prompto em
dir-lhe parle de um desejo que live com ellci-
Co, que anda tenho, mascujo cumprimeuto
est todava subordinado a certas circumstan-
cias indepcndentesj|c iiiinha vonlade. Agrade-
90-lhc nao obstante isso, vsinho, o passo que
loi servido dar neste momento; pois elle me
prova que nos ser fcil entender-nos, quando
Cor chegado o momento de examinar seriamen-
te este graude negocio.
O douior, ao ouvir a primeira palavra de
Trisio, deu vivamente um passo para tras, c
csculaya-o com um espanto no qual aindigni-
co foi substituiudo pouco a pouco a sor-
presa.
.Nao o comprehendo bem. Sr. conde, dis-
se elle por iim, faiendoum esforz visivcl pa-
ra exprimlr-se com calina. O Sr. cura Vialard
nao fol cout.ar-me um desejo vago, que o Sr.
tivesse tldode fazer a mluha fillu a houra de
esposa-la fez-inecm seu nome um pedido
para casamento to claro, to positivo, que
nao hesitamos, cu c minha mulher, em vir
correntio dizer-lhe que inulto nos alegrava-
inos e orgulbavaiuos desle successo Ora o ac-
colhimento ,que o senhor nos faz nao corres-
ponde a este ptimeiro passo, que devenios pois
pensar?
Por Dos, vlsinho, que me nao retracto,
respondeu Trisio cada vez mal embarazado ;
mas sua Inesperada chegada sorprendeu-mc,
e cu tcrla desejado 1er lempo de assegurar-mc
dos sciitimenios da Sra. Corma, antes de diri-
gir-me directamente ao senbor.
Tem razo : cxclauou a Sra. Briaut satis-
fela cotuplctamente porcsia explicado pouco
leal. Voss nao cnniprehcode nada, Sr. Hriant
tu bem Ihe diia que se tratavadeum casa-
mento de Inclioaco e que couvinha deixar as
cousas arranjarem-se com vagar entre aspar-
tes nteressadas. Que diz a isso Sra. Alliettc ?
Alliellc linda os olhos baixos desde o comeco
desta scena, c nao julgou couveulenic levauta-
los nesle momento.
O doutor fe/ um movimento imperceptivel
de hombros que provou mulher que conside-
rava como absurda a liitciprelaco que ella
acabava de dar a uexplicavel conducta de
Trlsto.
Sr. conde, disse elle com urna nobrefran*
qucia c com urna dlgnidade que apagava pas-
sagelramenie a vulgarldade de sua pessoa; se
a opposlco o declara seu Chefe. O Governo
cntona mao dos moderados, querendo aftasl-
ci de 39 do crreme, que falleceo no hoapital|Qr~iesa de o sVgVe ReTido senlir lo: oTnouieaGovernado de A.agao:ellenao ac-
y^TL?nt-'--*-T Ant0Dlc ma dura lombranfi da morto aborrida ?. ^:l^S!^.f^;}S:t
Pernainhuco, 27 de agosto de 1831.
Anoni Bnplisu dxtirana Coito.
VARIEDADES.
DitoAo juiz municipal do termo d'AguaiSo le moslras ifDictl com elle a leinbrar
Prcta, comninnicando em additanienio ao oUi-fos pOUCOS momentos que reStSo de vida,
hospital|f *
Antonio I
\ vulgo) Tiririca.
Ihi A -i delegado do termo de Cimbres, Ir...-, w- k.11. 1 ,.; < au: -. 1,.
. b 1 lOufliD na* Mili Luccis nucas->iii como tu
para nue declare que desCino deu aos dcserlo-xuo1" .'W"", u," V. M :.._. j. 5
Jes Antonio Franrisco dos Santos c Joao A..to-Os xtasis mostr de Branca cslramadi .>
nloda Silva, que diz haverem sido capturados|0 POVO admira leu genio sublime,
na Sorra Ararub, visto nao Cerera ainda chega- Itainha do palco tu loste aclamada.'...
do esta capital.
PortaraMandando dar passagem no pri-|
meiro vapor que seguir para o norte, a >s pre- .
I sos Agostinho Raposo e Antonio Francisco do1
Kspiilo-Santo, que sera o mandados apresen-
Carpelo dc/.embargador chefe de policia inte-
rino, sendo o priineiro para a provincia do
Para c o segundo para a da l'araliyba (J0111-;
municou-se ao mesmo dczcmbarga>lor.
Commando das armas.
QHartel do communilo das arma* na r.idade da
Hecift en de *3 arjoito de 1831.
OKtiEM no da v I:10.
Olllm. Sr. coronel cnminaiidanie das anuas,
manda para conhecimento da guarnicao dar
publicidade ao aviso do ministerio da guerra \ia"VivYsao csirangVra, e'conierVa-he u
abaixo transcripto, que pnr copia Ihe loi re-
meliido pelo Kxm. Sr. presidente da provincia
com ollicio datado de Vi do correle.
Itlo de Janeiro. Ministerio dos negocios
da guerra, 4 de agosto de 1851,
lllni. e Kxm. Sr. -- Dignaudo-se S. M, o Im-
perador perdoar, por decreto de .'i I dejulho
lindo, aoSr. cadete Maximiann Haplisla Pen-
lo Duarte, c soldado Mauoel Serapao de Al-
uieida Foutcs ambos di segundo batalhao de
ai tiib.u 1 t a p, o lempo que Ihes falta para
cumprirem as penas que Ihes foram impostas
por senten^a di junta de jnstlea mililar desla
provincia de l! de marco e 'M) de abril do cr-
reme anuo; assim o coinmuuico a V. Kxc. pa-
ra scu conhecimento e para o fazer constar a
mesini junta,
Dos guarde a V. Ktc. Maiwcl Felizardo de
Souzi e Mello. Sr. preside nlc da provincia de
Pernaiubueo.*
Leopoldina da Silva Atcvch,
Priineiro lente ajudante d'ordens.
Estes rigores contra o General Riego derao-
Ihc maior Importancia, e escandecerlo o amor
que os exaltados Ihe professavao ; estas bome-
nagens da eaaltacaoaugmentraoasdcsconran-
ees da corte, que tractou de denegriro carcter
dasui victima. Os seus detractores e os seus
apologistas o calumnlaro : uns rizerao delle
um soldado rebelde, outros um Romano. Ri-
I ego nlo i-nnini urna cousa nem outra. Joven
1 enthiisiasta elle quera que a Mespanha fossr
Constitucional, mis nada prdva que elle fosse
j nem Jacobino nem demagogo, fclle mesmo nao
se mostrou ambicioso, c nao tractou de aug-
, mentar a ua popularldadc ; fugia sovaces
publicas, e nada o inculca como Commuuero
frentico. Deputado em 1822, Presidente dn
! A*.*cniblc,a, adorado pelo povo e peloexcrcilo,
I adulado pela corte, e acariciado pelo prupio
! Re, lliego fui sempre moderado no uso dessa
prrigosa inlluencia que Ihe dava a sua posco.
Kulao os mais exaltados Coinmuncros sub-
PERNAMBUC9
Reparticao da Polica.
PARTE 1)0 DA 36 l'K AGOSTO.
Foi presa unlrm ilo inbdelffffado da fceguc-
ila ilc Sanlii Aulonii, a prela M u imli a escla-
va, para corre-ao.
/i/tm 10 ifiVi '27.
Foram presos : orilem do delegsdo do pri-
ineiro dislricto deste termo, Jos do Girino
Paz, para recruta, c Francisco Kibciro de Siui
B8 Monte-Negro, sem detlarac<> dn motivo;
e a 1I0 subdelegado da fVsguetlS de ban l'rci
Pedro tioii^alves do Hecilc, Fillippc de San
Tlauo, para recrula
fdrin 10 ata 28.
Foram preses : a ordem do delegado do pri-
ineiro ilislricto, o prelo Flix, escravo de An-
tonio Fcrrcira da Silva, rstlUiieaO de scu
senhor; e do subdelegado da Irfguciia de
San fre Pedro oucalvcs do Recife, Analr
ftteravo de PrancIlCO Jos de Oliveira, tainbei
rcijuisieao de seu senhor, Antonio, escravo
de Mauoel Lu/, da Veiga, e A^osliubo, liber-
to, por chine de ferlinento.
/lrm do din 'J.
Foram presos : ordem do subdelegado da
regue/.i? da Boa Vista, os criouius uaiiilllo,
e Sebastiana de Jess Hara Jos, para corree*
cao.
KXECL'CVO DE RIEGO
De todos os Principes que depoll de I8H
trahirao seus juramentos, c lcr.io pezar o ali-
soluiismu sobre os seus Estados, nenliiiiii Un
mais culpado, iienlium mais ingrato ijuc Fer-
nando 7.", Rei de llespanha, e qoe fora O do-
lo dos llespanhoes em 1808 : c tanto mais in-
grato ful clli'.iiue ii, iiliniu poo havia feito
taoeonstautcs e to honrosos esl'orcos, como a r.m au poder; a rraceao realista redobra oses-
Nafio llcspanhola, para coinbalcr e rechacar lorcmds Revoluco.poivn a populacaohcspa-
uina iuvaiiioeslrangeira, c conscrvn-llic una .lila eslava diviiiida.cnaoera fcil rrsuscilir c
cora, i|ue lernaudu liavia abandonado nocs-, llespanha de 18(18. Abnela Alllanca liuha no
telo de Mura.. O Piisioneiro de Valemiy Congresso de Verona entregado a Luis 18 o as-
vilou a ConilltuleAo do auno 12 i|ue elleju- saulnlo da Rcvolucao heipauliola, eollui|uc
rsramanler | proierereu os patrilas, a cujo leAngoulemc.i rreutedo Esercilo franceapas-
sangue devia o ihrono, decl.,rou-.c o malspn- sao idassoa em 7 de Abril. O trluinphoda
rodosRelS, e mais livre i|uc scu proprio pal Rcvolucao tornou-se duvidoso : o srusproprios
Carlos i, c inodiloiio scu Governo pilas ba-1 mlgos caloulrio uns a abandouarao vergo-
ses de Pbilippe 4*. I l'osanienie, oulros a efenderlo com discursos
Durante este periodo assuslador de systc-i de Jornacs. Sii os Generis lliegoe Mina nc-
inalica peisegui-fio, varias Conspirareaesla-; na lirmei c luslentrao o seu juramento ate
laiao na llespanha. Portier, c Mina, hastiriio ultima eitreiuidadc. Foro os nicos deposita-
o parllhao da revultarin l8I(l: e I.arr\ em riosda honra hespanhola Mina,mais felit, p-
1817. Vida cm 1818 i mas todos foiao infe- de evadir-se : o iufcli lliegn, querendogaoliar
lizcs cm sua heroica leoiativa, de que se nao as inonlanbas da Serra Morena, caheuas inos
llrou oulro resultado, tenia a certeta deque', dos Absolutistas que tract.irao oilluslre presi-
oi llespanhoes nao sottriao o despoiismo oiuirocoiuainalsasquerosavilezae.
dos antigos Governosiosholocanslosdc saogne| Elle lol conduaido como um facclooroso de
que i.io agradaveis l'oro sempre ao Mino-' cadeia cm eailria.epor liui sentenciado inor-
tauro d'Aranjuci. Po.licr.c Lirey forlo fu-'* 'I'"-' *ollreu noCadal'alio em Madrid eui7 de
silados, Mina, mais filis, evadlu-se. Foi no Io. Koveinbro de is.'.l. 11, ,...... pelo qual o Procu-
dc Janeiro de i82U que a Revuluco Victoriosa ""r llu 'lllc tiraraciislcnciafoi por ler
esialou uo KxercllO Finedicionaiio que ,sc a- obedecido i consiiliiicao que o proprloRei lia-
chava na llha de I.eiio, as ordens do Conde de va jurad,i e que (res anuos regen allespa-
Abisb.il, I). Ilmi que lldonell : e desla revolu- na "s lleaslas torturro a sua victima com
cao Iriunipliaule fui auihor I). Rafael del Re-, urna brutal lerocidade e com aquellerequinte
go, eolio ( oronel, e dcigracadamriiic fui elle SO proprio dos sedarlos da Iuquisi;u. Alin de
tambem por Ain o msrl] r daiua obra. lcr ?0,!r1^" ludo11 'ioresde um carcere hes-
Antes desles aeouleciineiitos, o nome de panhol, Riego fui despido dos seus vestidos,
D. Rafael del Riego era obscuro : lilho de un vcsli-in-lheiima cami/.a cingida poruiuacoida,
gentil lioinem Alturlano, Ojoven niego cursara auo-lhc us pes c as mos, e collucado sobie.i
os Estados, iiiiando o grilo de Independencia, lampa de una canaslra puchada lentamente
ou uiprle arniou a sua patria contra os Kxer- P"r "" juiiinlo, elle c arrasiado ao palibulu,
cilos Kraiicezes, Acn brado, unisuno, gi- 1'' ("oque o castigo o mais ignominioso ha-
gaulesco, c naciuu.ilincntc magesloso, Riego VL1^ s"'0 dcproposito cscolLido paracsta illuslrc
largaos livros, coirc as armas, mas logo no vl^f""a-
priineiro combate he feilo prjsioneiro, e con- > ">oinenloem que o laco fatal corre, que
duiidu a Franca onde licaalc 1814. O lempo """oral dcsdiioso era laucado na eternldade.
fastidioso do sen csliveiio o emprega elle no ". a g''i!,a .'C l""5 bumlirns, c seus Aju-
esludo da Historia, da l'ulicia, da rtiilosopliia, daiu,-ihe piichao as pernas O Procurador do
e bebe c nutre se das ideas l.ibcracs que depols !'rl._ ."'* l"-"'.l"l.'lue sc.u corpo fosse frito en
o levarfio ao cadafalso. Elle viaja .i Alema
nha, e .i Inglaterra onde estas ideas olnlla
bucados, porm Fernando uioii'u sua e/trnruriii
elle poupa esle espectculo intil ao cadver
n vergonliosas miserias da sua llespv- u ''oineina quem elle chamara amigo, a quem
nha Ihe cxall.io a iu.agin.cSo, c rcatiluido a l,av,l 'Slieiladoeni seus bracos aos cilios do no-
Publicado a pedido.
^ i
A IUm.* Sr,' I). Manoeln Luce i depoix de a ver
representar o p tpet de raneii no drama- O
llomem da mmefu negra -- em li de eiyovo
deibi.
stiapalriH, c leslenmnlu oculai dustes padec
lientos, elle concebe o pens iincnlu de comba-
tc-los, c de restituir i acta patria a liberdade:
nensamento iuc elle eiecula uo da i de Janei-
ro de 1820. sendoja Teuente Coronel, e que faz
triiiinpliar por sua audacosa actividade.
A llespanha acliava se enlata dividida em tres
parcialidades polilicas. As classes instruidas
amavao a revoluto ; as altas classrs, as olatsea
privilegiadas apoiavau o lerru despotismo de Fer-
nando T.u com lodo o valor dorgnjsuo ;asclas-
scsbaixas ignorantes, e I jnalcas, ora vicloriavao
o llcroc de Las Caberas, ora o Padre Cjrillo;
em quanto ao lici Fernando, o Miuolauru, co-
bardemente hypocrita, c uiiopodendu oppr se
rcvolucao, tinge abraca-la, e com Oltencaclo
Iheatral jura de novo observar e latcr observar
essa Constltulcio, (pie elle ja havia perjurado,
e que elle meditava. jurando-a segund i ve/.
juein lucia a honra de Ihe fumar de
pois delle o mes tro cigarro/11 partido liea-
lista, sdenlo de sangue, viucorrer com estulta
alegra o deste Infelli; o paitldo Liberal aban-
donando o acullele ao ctelo do aigoz, provou
se nao asua ingraiid.io, aomeuos a imputeucia
do seu poder cavernoso: c a cacao, que o havia
lia das victoriado e coroado de louios 'a na-
co que se vanglorfara detrazer o seu retracto,
coulirinou pela sua apathica iudiileren(;a o ne-
ii h um valor que lem essa o vaces populares dos
dias do triumpho.
O enercito lraqce reprcsenlou nesta trage-
dia a par teda gendarmera, augurando o comple-
mento da odiosa execucu. O Duque de An-
gouleuie denominado o Hroe do Trocetdero,
cobrlu-se de upprubrin, deixando annullar as-
sim a bella ordenanza de Andujar. Fernando
conseguiu se ii.ii a ain/ade, ao menos as
dos Legisladores de Cad i *. tendo con ira si o Kei
a Noorcza, o Clero, e a Inconstanciae inobllt-
dade das inassas, c a seu Tavor, tmente ac UaSe
media e ovlo das bavouclas, que depols se
fraccionru.
a iutiiga, a invej e odio penetrarlo aanlel-
Qu-m vendo-t"*, LOGCi, no palco mostrar rasdos amigosdaLberdade :cllcs^ se dividirn
II*- I I 1 '. I t 1 1 IJIIII1 _b...%. ^.M./ -------------------
r. Assim inarchava aobradcinucralica gracis temporarias da Juquisic^io. A opi
Valuta no coracao, que ellritos deiis!.
Ou jubito, uu terror, ou pasmo, ou pranto!
BOCaGI,
publica tem doinnado o iiifclii CeneralKicco
em sua curta caireira militar c polilica como
um grande carcter, uina alta capacidade, dola-
do de iini patiiulismu puro c desintereisaila
e de uui liberalismo sao eesclarecido nao teuhu
porcinas qualidadcsde um chele de partido
em moderados, c dallados : c dcbaiio desla
bamlciras, ellrs dispui.uao o poder. A corte
soube aproveilar secreta o icilidanientc estas
divisoes, c apagando o pailido moderado, tracto | |>,n), U(n
de desacreditar os homeiis chamados dallados,
cujas doutrinas, publicadas nos cafes, naiprs-
cas, as tertulies, ena imprensa, eslavo innu-
culadas no Hrpublicanisiuo. Riego qult enla
alvar a sua obra, elle a dcleude com corleemos
De Branca u amor seincero, cstremado,
Ndosent sua alma de lodo elevar-SP,
Se as trovas repeles ao conde adorado .' !
Quem vciulo-lo afora do luto cobert,
Choran lo o esposo, jultica |e Itr ;
KHo sent seu peilo de lodo pungido,
N 'ni iletxs dos ollios o pranlu calnr i' !
b^^iE~*^-!.i*^sjSjtjBBHS^FJHi^H
em ludo isso lem havido uina equivocacao, el
la nao deve prolongsr-seslm dciti entrerists
Pretende ou nao casar com minha lilha ?
J Ihe disse. senhor, que nao retrativa obrar como acaba de laicr. Miuba irmaa
nada do que foi feito cm meu nome. i go-lhe oulro tamo ; vosse, que me conliece
lie tudo o que eligimos, apressou-sc a ve saber que toda a sujeffao me uupellc a rc-
Sia. I' M inl rtii 'li/i i. volla. D i
Calle-se, senhora, inlerrompeu o doutor.' inha pobre lilha disse Brianl levantan-
Kntao n.io retracta nada lie ja alguma cousa i do os ollius para o eco.
mas est dlsposto a ractilicar -Tainbcnidevol.ill.il! ce amona t.r.1
rio peco irno lempo e occasio de ter Brianl, que quu aprovci ar o abatliinenlo do
urna conversaco com a Sra Corina. marido para sabir da nullul.ide de sen papel.
Ser para eonhecer seus scnlimcntos ?, Perinitlaiii-me que diga a lodos que estao per-
pcrgunlou o doutor con. liiinc/.a. leitaiiieute de accordo sem o eonhecer. ni. Vos-
Sem duvida nenhuma. murmurou TrlsUo. *' Brlant deveni Icmbrar-se que anda
Pois bem posso esclarece-lo a esle res.! honlein me dilla que Corma nlo casara jamis
I DA I.IC.ii D'ECONOMU POLTICA.
Ha annos, Ta .Micliaela, que chogou a
joven, n.Vi estamos bem leui-
b'sdos de que provincia ella fosse, mas
espeto que lano a minha Ti, como ss
molas neis pren las me disculpen! oj-
ia lacuna histrica : que elle nsscess.i

Hiela ames de obrigar-ine iiievucavclineiiie.
Se deseja sinceramente esle estamento, dou-
tor, tcm ludo que ganhar, cnia-ine, cm nao
- di-
de-
como Sr de lleaiircgard. e eis que o proprl
Sr. de Heauregard lli'a pede cm casamento com
a nica restrlccSo de rcllectir um pouco sobre
esle grave negocio ; Vine., Sr. conde, nao dc-
cousa, islo he que o mi vio-
.euteiu ; mas quem he que cuida cm fa/.ei tal.'
com um hoiiKiii como o Sr., so urna conduela
he sensata, honrosa, islo he una conlllnca
absoluta. O Sr. ama iniulia lilha, minha lilha
aina-o tudo isso nao pode terminar scuoem
pcito, Sr. conde ; minha lilha aina-o, mi me
envergonho de o eonfess.ir, hoje que o Sr. ten-
eiona faie-la sua mulher. I'.lla ama-o repe-
till llriant cun dor, e aluda esta inauha era
isso mu vergonha e um desespero para scu seja senao u
obrc pal vellio ; Por esta rasao quando me
i un pcdir-lhe a mo de sua parle, aben-
coci-M por me ler enriado lauta cootolacao, e
nao soube resistir ao desejo de fazer que mi-
nha lilha j informada por sua mi comparli-
Ihaise de minha felicidade. Agora o Sr. parece mu calamento,
hesitar! taires coinsigo iiiesmo lenha mudado Minha pobre lilQa rrpeliu llrianl, puu-
de parecer, c ser preciso que ao sahir daqui co tranquillisado pela sloquends diUusa da
cu va levar a Incerteza a esse coracao desolado, mulher. .....
no qual linha deiado a esperanca Ah no| Esculc, doutor, rrplicou Irisliiu, cujosol-
me coodemne a esla horrivel necCssidadc, Sr. mnenlo moral era visivcl ; qual quer que seja
Trisio I tenha do do mellior amigo de seu pal.IO juio que o Sr. laca de ludo laso, rela que
Minha lilha he toda minha alegra.' quando uau sou iieuhuin rclhaco.
ella esl triste nao ha mais felicidade cm mi- lircio-o de boa voutade i mas que dire a
nha casa, e ella o esl desde que o ama! que \ minha lilha? perguulou o doutor com urna
ser preciso que cu faca para cor.lirina-locm opprcsso cada ve/, maior.
lias resoluces? Falle! falle cu o conjuro Que depois de minha irmaa ella he a pes-
por ludo o que o Sr. lem de mais charo, e por soa a que mais bem quero no inundo, c que so
ludo o que lia de mais sagrado i uuia cousa receio, o nao ser digno della,
Meu irmao cxclauou Alliettc ; meu ir- Nao ser digno della estas ouviudo, meu
mo, proceda como hoinem de bem, c nao se marido, o Sr. conde de Heauregard uao ser dig-
inquietc com o mais, Dos o tomar dcbano no de minha lilha Ora que queres mais bo-
de sua p> inrrr.ui. | incui ceg e ambicilo ?
Ku nao disse, repito-o, respondeu Tiis-; Sr. llriant, inlerrompeu docemente Alli
to, com uina vos sombra, que inc rctraclava ; cite, Vine, dir tambem a Corina que siuto
mas se querein assim violentar-nie, se me por ella a affeico de uina iriua terna c dedi-
conslderam como irrevocavelinenlc ligado, se cada.
por um instante de bcsllacao mu natural cm Sr. de Heauregard, respondeu llrianl, se
uina clrcuinslancia to grave, cnegam j a sus- Vine, he sincero ncate momento, tenho sido
peitar de minha honra, a aecusar niiiiba leal- muilo injusto e mullo culpado para com o
todas miabas crresoluccs. que perdoc todo
o mal que Ihe tenho frito. .N.io leve odio dei-
xando cita casa onde cu qtiuera estar icguio
de poder viver com aquella que o Sr. acaba de
tli un ir t > dolorosaiueute diantc de iiiiiu sua
pobre lilha Diga-llie pelo contrario que em-
pregarei toda a energa que Dcos me deu
em fazer cahir os obstculos que ainda se up-
pcui ao coiiipriuienlo de um vol que he lao
charo ao meu coracao quanlc ao seu. D'agora
por diante uo lere outra oceupaco, oulro
peusimenlo, e se esla larel for superior as
mi,ilias torcas, lasli'uic-mc por quaulo seici
anida mais desgracado que o dr.!
Ku leria lalvci o Jiieitu de perguulai-
Ihe, Sr. de Heauregard. de que nalurea estes obstculos de que falla, replicou o dou-
I ir com cnleineclmento ; mas quero dar-llic
una uliiuia prora de minha conliaiica u.loo
interrogando. Paca-me smenle uiua pro-
messa em recompensa dista conHanca que
ser talvea uui da um horroroso remorso para
mita.
Peca, exiga, respondeu Tristao pondo a
mo sobre o conejo como para a licitar sua
sinccri'iade.
Proiiicllc aparlar-se por alguoi nieics
dcste lugar, se isso se tornar neceuarlo ao re-
pouso daquella cuja felicidade uo poder
fa/.er.'
Dou-lhc un nli i palavra de honra que o fa-
rol I eiclaniou Trisio ; masjuro-lhe taiubeiu
que deplorare! esta cruel uccessidide se o des-
tino m a imposcr.
Se o doutor tivesse laucado os olhos sobre
Alliellc ueste momento, nao teria talvci cado
to aistgurailo pela promessa do Irmao, por
quanto o rosto da pobre menina tinha sbita-
mente perdido a pouca quictacao que desde al -
guus iiiitanlcs inoslrava.
l'ini Ihe muilo obrigado, diise elle att'ec-
luosaiiicntc. Agora vou tratar de dlssunulara
C.oilna lodos os meus temores, c espero que
Dcos me dar fnrfas para isso.
._ Que! voss tem anda temores Sr. Hriant l
que he enlo preciso para o traoqulllisar ?
__ Logo Ihe direl minha mulher. Sra. Al-
liettc, Icinbra-sc que proinelleu-me que nao
me abandonarla...
I,embro-me, c come que nao o abando -
liare! jamis cxclauou a duniclla. Ella esta
dade, eulao comprciiheuderei que houve urna Sr.,c supplieo-lhc que me perdoe. Isla Ihe se- perdida! accresccnluu Alliettc cahlndo op
trama orgauisada contra minha liberdade e r fcil pols que ama iiiiuha Hlha e sabe que he
contra a iudependeucia de inluhas escolbas, e a ternura que Ihe tenho que fui causa de ter
crcr-inc-hel com o dircito de salvar minha dig- oll'endido ac iisaudu o.
nidade retirando urna palavra que nao serla Nao me dig que ihe perdoc, doutor, re-
mis que mu acto de imprudencia e de fran- plicou vivamente Tristao, cuja nobre naturc-
quea. Amo sua lilha, Sr.; mas para faie-la la restituida i liberdade, pode obedecer ieui
lelli um dia, tenho necessidade de ditera uiiiu instiuclos generosos. Tudo me aecusa, incu
in,-.mu desde jaque niiigucm me cousiraogcu vcllioamigo, e o Sr. meiino loi justo ein aecu-
a unir meu destiuoao seu. Cada um he |ui7. de sar-me.
sua siiu.ico, e a minhaordeinna-tne que re- i He pon a mim que toca pedir-lbc que rele-
pressa sobre una cadeira de bracos, entretau-
io que o doutor e iua mulher se retir > un
aeoinpanhidoi por Trislilo.
(CelHar-?-l,i
rO


-
CONSULADO PROVINCIAL.
Iteodinianto Jo da 29
Movimento do porto.
Navio callado no lia 99.
Soutamplon. porto de Sania Cruz, dai Floret e
Fayal -- 40 dias, do ultimo porto hlate na-
cional Ellti and Willian, de 58 toneladas, ca-
pilo Mrlton Plsh, equlpagem 7, em lasdo
e algnns mautliuentos; a ordein. Fundeou
no Lau.eiro.
Nuvioi tahiiot no mesmo da.
Philadelphla brigue americano Hwt'M, ca-
pllo George Wrilar, carga aisncar e couros,
Blo Grande do sulpatacho brailleiro Kutirpe.
neslrc Joao Goncalres dos Res, carga assu-
car e agoardente, Conduz um escraro a en-
tiegar.
EDITA ES.
nesti, ou n'aquelU provincia faz pnueo
ao caso ; o qrjf. eu sei com cero za,
quisi officUI, ue o til provinciano
tiiilu poucoa bena de fortuna, poli toda
esta consists em um vestido que ape-
nas poda gibar*** de ser decente; em
vinte niinos de idade, em vinte escudos
n'ilgibeiri e em uma oa'ta de recom-
rneodicSo. Pelo que vejn, diste a esjevi-
tada di rtitnih. i algibeira do til pro-
vinciano era un ars mal, vinte escudos,
on so essa me faria rlr, e todas as pe-
quen se rirSo ; porem a Tia Michael.
mponifo silencio, disse : nlo se Hilo,
minhas parvoiuhas, un> escudos nSo c-
r.io instrumentos militares, mis sim di-
nheiro. Nos ] ca os tivemos no lempo
to Sr D. Iluarte; os de ouro valiSo de-
sosis toslOes; as pequeas nSo. pirSo
NSo erSo, minhas meninas, passados
mo di-is, ja o nosso provinciano linha
perdido a sua carta de reeommendacao;
o que nSo admira, porque cartas silo
papis : tinha dado cabo dos scus viola
escudos, pois no sen lempo ainrla no
haviflo as caixas ccnnin ins; e O Mil
vestido ia a passos rpidos marchando
pira o dominio das psssagens, e dos
remendos. Do toda a sua fortuna, meus
ricos Anjinhos, so Ihe ficA'flo os seus
vinte anuos, que erflo vinte diabinhos
"que elle tinha: porque esta idadc nio
tem em seu abono senilo um appelilo
devorador ; cousa muito boa para qucm
tem que dar ao dente; e descjus tanto
tmiores, qumlo meuoies sao os meios
de os satisfazer.
Tudo isto o punha muito distante d'a- e7 ".' .
quelles soulios dourado, que o tinbo '"
trazido a Paiiz. O pobre n.m', ouvimlo i
fallar ni sua trra do luxo do Par/,'
dos trajes, do esliendo dos cabriolas, i-
magmou la com os suus boldes que na-
da oais tirilla a fazor que appresenlar-
se na cipit-l, para ter um palacio, la-
caios e cavallos. Por tanto, grande sur-
presa foi a delle quando cheguu u noite
o se viu na necessidade de deilar-se
sem cea'; isto quando elle espeiava
chuchar boas codornizes, e bella pinga
de Champagne. Fa(So ideia do como o
pobre rapaz passaia as voltas que da-
ra na cama : e quantos porsovejos c
pulgas Ihe nSo morrcrio cutre as u-
uhas sem sentones, e mesmo seni um
ccnsellio de guerra por equidade!
Dapoil de ler lamntalo a suj sorte
a em prosa, ji em verso, o le ter l'ei-
lo cnatellos no ar, adormocou, e
do-se de nianhil no an iar da rus
parou com um gran lo annuncio em le
Iras pyraroi laes, qua eslava em una
esquina, no qual se liSo estas palavias.
Itua da Uem fic-mcia n'12 .Mr. do
til e til, queirao desculpar, i|ue me
esqueceu o 110:11.7 da em seu domicilio
lices gratuitas de economa poltica,
das seta al as de/ da noite, Tambein
da lices por casis parliculaies. f'or rima
do annuncio se lino estas palavras A Eeo-
nomia a in.1i de lodas as virludas .
Ja se sabe, minhas ricos prendas, dasT
para as 0110 o nosso Provinciano eslava na
ra da Ueii'licrncia inoculando o 11.- 12;
e ipesar de lazer escuro, deu com tile ; en-
liou por um eslreiio porlal, que conduzia
a uma escada do caracol, lambem mullo
estrella e escura ; por que o ArcblteclO lia-
via economiindo o espado, e o proprietaiio
64.08S
-- Pela inspectora da alT-n lega se faz pu"
buco, quo existem nosarmazons da mesrna,
alm do lempo marcado no ai ligo 274 do
regiilamento, os voluntes abaixo describios,
e pelo presente sflo avisados os rc-pectivos
donos para os despachar no praso ue 30 lias.
contados desli dala, lili lo o qual se. So ar-
rmala ios em hasta publica, por conta de
qum pertencer, sem que e n lempo algum
se possa ivl.im.i 1 contra o cITeito dosta ven-
da, 1 saber:
Armazem n I.
A P S n. 1494--1 caixa, vinda no vapor
S. Salvador em 20 de novembro de 18*7;
a Brandar a Brindis.
vin lo pela barca
Swordflsk cni 21 de julho de 1848;
a II. Gibson.
DG--I cusa, vinda pelo brigue ~ Liber-
daile em (i de setembro do 1818 ; a Jo-
s M. de Freitas.
S. maro-- 1 dita, vinda pelo mesmo briguo;!
ordeni.
I dita, vinda pelo hiate ~ Flor do Re-;dade estarn! a pisca nos das 2, e 6 de
lile-- em 2t de setembro de 1848; Miembro prximo vindouro o imposto das
(ir.lriii. aliricOes dcsio municipio, o das medidas
M 2 canastras, viudas pelo brigue S. d familia, e os rendimeiiios da ribeua dos
Miguel em 18 ue dezembro de 1818 ; a | -icougucs da freguezla de S. los, das dua
ordem. casas da Solodade, n dos lalhos dos acou-
S. marca i lardo, vndo pelo brigue Em-' 8"es pblicos : os pieleiiden.es poden, cum-
ma, cm 8 da marco do 1849; a lleaue Y 011- parecer nos indica los das uo paco di uies-
le 6; Coinpaiihia. j na cunara, munidos de dadores batilllta-
A S I. n. 2. -- 1 rai'xa. vin la pelo briguo -, Jos rrma di le; lioaudo na iiiOlligen-
Veulura Feliz-em de Tevereiro de 1849;,CI" le que, no oasp de arremalarem qual-
a Antunio des Sanios Fcrreira. !'luer ,||IS dous priineiros itoposios, scram
lf 8.marca- 3 gaiolat, vmdas pelo mesmo ul'rigados a aaranlir cim dous li.dores as
p brigue ; a Jos Goncilves Curado. respectivas lutria do contiacto, e os termos
mil" *eaixas, vmdas pelo Inigue-.S Ue- de armnatacao.
nedicto- em 3 de abril do 1849; a ordem. ''ac" ,la c....."ra mnoicipal do Recile, em
Lelreiro--2faiias, viudas pelo vapor --S., sessao de 2(i de agosto de 18*1/. A. ic
Salvador em 19dejunho de I81U ; B '""''', presidenle.-.aie errara Ac-
Francisco Antonio de Onveira. [claly, secretorio interino.
CHS 20 fartlOS, viudos pelo brit-'UH Ca- I *1 III111. Sr. ollcial-inaior servindo dc'ins-
t'iarina em 24 de dezembro de 1849 ; a pretor da lliesourarla da fkieuda provlnolal,
Jos Saporit'. ielu eumprliuenlo da resolucau do tribunal ad-
pela barca Tentadora em 19 de julho
da 1848 ; a ordem.
* 2 peca-com ca'rrataa, vindis pelo bri-
gue-- Adelino ern 10 de novembro da
1848; ordem.
U PT 2caix, vindas pelobrlgue Ven-
tun Flix em 6de fevareiro de 1849 ; a
Maooel Pereiri Teixoira.
AS F- I raixa, viuda pelo mesmo brigue;
Antonio dos Santos Ferrein.
s 11 11. 126 a 128 -- 3 caixas, vindas pela bar-
ca Flor da Sis ia em 6 de agosto de
1849; a Anlonio Valentim da Silva llar-
roca.
P E 1 barrica, vindi pela bi'cac,! Bea-
triz -- em 20 de agosto de 1849 ; a Deane
Youle& Companhia.
F G 2 caixas, vindas pelo brigue Fabcr
em 2l de setembro de 1849, au capito.
S. marca -- 4 rodas de rame, vindas pela
bar,-a Livoniaetu 22 de novembro de
1851, a ordem,
. 1 coi tico que velo com planta, pela barca
Santa i.ruz em 17 de junho de 1850, a
\ntonio Joaqiim de Farla Machado.
A S R 1 barriea vasta, viuda pelo brigue
Conceicao de Slaria ein 25 de outubro de
1850, a Antonio Joai|Ui R SI barril vlndo, pela barca--Flor da
Maia -- einli de .iezcrnbro.de 180O, a Manoel
Juaquim Ramos c Silva.
Armnicm n. U.
L80 feiaes de aillos, nudos pelo brigue
S. Manuel em 21 de niiiubro de 185J, a Sla-
nocl J.1.1 |iinii Ramos c Silva.
A U-- 1 jarro, fiado pela barca -- nanita
cm 0 de dezembro de 1850, a Joao Kcllrr.
Al'--2 oalxaa vlndati prto origuc Lelo
cm 7 de deiembro de 1850, a ordem.
A P // -- I caina viuda, pelo brigue Novo
Vencedor --cm I8dc dezembro de 1850, a
Antonio Rodrigues de Aluirida.
W81 a 91 "10 caisas, viadas pela barca.
Fannj em 21 ojaneiro de l8jl,a Kalk
III 111 I: .11 i".
Allandcga 28 de agosto da l85l.
O 1 i-i" 1 11 Interino.
tnio Josi t'tmtnilet barroi.
Petante a cantara muincioal desta ci-
2
Thealio de Santa lzabel. .
Quarta recita da assignatura.
SABHADO 30 DE ACOST DE ISSl.
Depoia de urna eacolhlda ouverlura. reprc-
teutir-se-ha o drama ein 3 actoi.'
Fr. Luis de Souza.
JVo lim do drama oaSra Flnarl e Tnballoni
rsccuurau um novo e lindo
PASSOA DOUS.
Terminar o espectculo com a graciosa co-
media em 1 acto ornada de muzlca.
O Beijo.
Na qual a Sra. .Manuela representa o papel
de .Vi/.., 1.
Coinecar s 8 horas.
Os bllhetes acbo-se a venda no lugar do
aoalttme.
Theairo de Man -Francisco*
-- Nodii28dororrenteentregnu-seium LoI.tii le IN S do Livrdmenl
preto na ra doAmorlmdo Becifeem um ( :,, tnj1o impreteriv|inetvta .. ?'
aimazem6Misiscomsibao;ecomonpre- de3l, Lotria, eaa cautellas do r.li''1
lo as nflo enlregou no lugir do leu destino, Silustiioo de Aqulno Ferreira estilo ,"
rogi-eapesoiqueuorenginoasrj-ceo-u, j, t, if 11 horasda manhda na nraJ"!)"
o ivor de mandar entregar na ra do Kanr independencia, loja dn miulezasn 4
gel, venda n. 5. rui da Cadeia do Recfe n. 46. loia d'm.na
*-- Hoje corre mpreterivelmen- de.s. ""
te a loteria de Nossa Seuhora do S**?*****-!
j 1 j. Ni noite de quinti-feira 28 do enr 2
Livramento; e na proca da Inde- 4 rentamz, roubiramdosobndon t 2
1 1 -. 1 :..j- al n......iinr..a. .11.. __. "-jej
pendencia n. 4, loia de iniudezas, 9 ni ra d'Aifindeg velha
' ,' .____ o Sr. Capilao Rrymundo umeatntn.1 2
vendem-se me.os bilhetes da mes- # %etnn^ daumJ.oho regJj.^0. *
ina loteria a 5,5oo rs. soaqu< o aprehender levar !n casa 2
-- OfTerece-se umi pardi de idade para cimo lera lO.OOOra. de gritjfleaca,, 1
ama de uma casa, a qual sabe consinhar, e ##SSW*l6tfgjj|jj
todo o mis servico rieuini casi ni rui de Glorioso Arcajo S3o Miguel, V
UApes'soarequ"' deseja compnr um vio- noli para as obras da su* cape||
Un em bom estado, dirija-so a ra do Hos- ni-s A fosados.
Picio n. 48 das 4 horas da tarde cm dianta. A ,,, t |rmindado deste mira.,.!
-- Segunda-feira pnmeiro de setembro Aro,n|0.. na difidencia de men,
lexecncao de Bernardo llenriquos, na porii ^oivou "sihir "em'commissao""2.*^
ortodoxa piedade, e valiosa protecco "rj'
COSMORAMA.
A dirortori tem a honra de prevenir
ao resp-ilavel publico, que por causa do
mo lempo, tem transferido a enultima mu-
denca para domingo, 31 do crranle
dias soguinles, cooi as vistas seguin
l'i-iiiieii-.i. O magnifico tribunal da laq
'''s'.-g','',d.'o ';;',;,-,& d. fragatafraneeza
Medusa. do juiz de orphSos e ausentes as 4 lloras da
l'erccira. A linda < grande cidade de Praga tarde. .
na Austria. | Na rua da Gloria n. 108 precisa-se de
Ouarta. A vista geral da cidade de aples, una criada pacilicu, para o servico de urna
Quinta. A bella cscala de Ma.ximlliane ein senhora sem familia.
Tjroi na austrta- | .. Ani0ll0 Rodrigues Baraixo roga ao Sr- Mnlarti"
li&SS&F* C'dade ^ H'U" ^l.,ermeAogusto',.(odriguesSe.te8h.)ade ^.'Spoll. que de pontea a fr, h
Stima. Vista geral da Venen braailclra. ehama-lo aojuiz de paz para uma aven- d,s mtl0Tes e mais elegantes, est\|2
(Pernambuoai). gu,c" ..... .___ disso collocsda o n urna estrada real ai.
Ouavo.0gran.ic c inagni'ico pateo de s. O Sr. Marcelino llennques Pereira quei- miis rrequentidas : t3o perto di rie. .
Marco em veue.a. ra dmgir-se a ra do vigario n. 19 pnmeiro dedo R cife. e no coragSo da gran, San"
'reguezia dos Afogados, permane]
desmoronada, e abatida, por mu.
,...-, servindo de aloiamenio un.,,,.,.
as pessois que imham olelos 01.1 poder do uo. q'ue a|m Cirill0,iM'q0 ^mn"-
seus irm.los, e mais liis devotos do un
cipe dos Arcanjos para ajudarem a con"
nua(IIo das obras da sua capella, parala-
das a quasi uminno porfilti de meios
tt-
Nona c declina. A bella cidade de Trieste na andar, alim de pagar o frea dos gneros pulosa fregozia
Auitrla. que reCObeu pelo hrigue Nono Tcncedir. !.... lnl>. Aitmnm
Preeo 5U0 rs. As chantas terao entrada .. o curador da heranca do Mdioz, ivisi "s ,os aervini
as pessoas que linha.n objetos em poder do a|m,a
Sleroz, e que ja os procuram, hajam de giao comMM, es,etaculo, projectara/ le"
os tirar, do contrario ir.m a praca no d.a 4 v.nla_, e recunslrui.|a ,," J. -
desotemhro. ______ d.lo mais dogr.d.nte daF que" servia' l'
Le.reiro-1 ombrulho. vi-do pelo briguo TT^^rT'^^a^'Z, Z
-- .101.1--em, delevcrt'KO de 18j0; i mente, ,,,-., para ser arrematado cm hasta
Raikinan Irers. ^ t 'publica peraute o mesmo tribunal a quera
1850; a
I publica peraute o inesuio tribunal _
dito, vindo pelo brigue --Eclipso mais der seis moradas de casas que coubcraiu
em 2 de abril de 1850; a Jo3oKellero lateada provincial ein pagamento do aello de
1 Companhia.
K S n 4-- I dilo, vindo pilo mesmo brigue;
a Kalkman Prora.
Letroiio- 1 dito, vindo pelo mesmo brigue;
ao mesmo.
S. marca -1 dilo, vindo pelo mesmo brigue;
Invia cameaMOaxe o lampio, e por'desgra- I, a ",iol.'c1r (:Panhia. indica,
M o l,o nessa uoila havia reonoaiisaiio a T* ,'1!0' v""lu Pl '*" br|g "u."jl-
Lu. Vencidas alguinasdilliculdades.de,, ,ui,' *'"'"'- .. *JL1"g1EJ*no'opreaenle
1 ililo, vii.Jo pelo mesiii bnuo ; a publicar pciu utauu.
l)Qi>ktr Secretarla -I dilo, vindo pelo brigue VolOll' illlePcruainbuco,2adcagoslodei8ol.
!n 1 un i n 111 vi uUrludc 1 u mj 111 ni Lu/ id- *l el -
lu Carioca, c ijuc na coiifuriuidaiJc da le furatu
atlju licadas a inesina (azenda provincial, ten*
' do na poTsacSo dos Atojados ns. 21, iii, 'ti c
'U, avahadas fin 78,U0 r*., c duas na ma dus
l'.o os ns. i.'i c l7( avahadas ein -iSn.nn i,.
I Us coiicorrcnU'S ctmiparcraiii nu da cima
lodicadu pelo mel da na balado mesmo (ti-
Avisos martimos.
-- Para o Rio de Janeiro sai no da 31 do Tarqulnio Theotonio de Abrou Culma- 7" ruTa" desi lTai^V d 1 IV/"^*8
correnle o briguo brisileiro Animo. Trrido rl1es leliri-so para a provincia da Paranyba. F /,, e,io i eZ Trtl JLt lr s"'
e pregado de cobre, c.nilao Domingos An- N. ra da doria n. 108, precis.-se do V1 tanto Sos S2u322S?2, l""-
tonio de Azevedo, recebe passageiros para uma cria la. mulher pacifica, para servir I"' j".,"^^ofJl, eW"- ,n? m;(,'|
osquaestem bons eommodoa, bom como urna senhora jui s uevoios utsu ciu.ue a poder de si-
quom tiver de embarcar o*cravos o deve Ta- .. Na Tro upo, casa n. 70, aluga-se o bem .!;!!u!'_?.*'L"-*.0-8'.'.?_*- r'. Iewntanl0
zer no mesmo dia.anrHsenlan loo passapor- coiiliecido muleque Joas; acostumaio a
te em casa do consignaiirio l.niz Jos de s-rvir a estraugeiros, coslnha, sabo com-
SaAraujo, narua daCruz, n. 33. prar, he muito diligente e fiel, o nao te o
PARA O POUTO. vicios; tambem se-von le un bom olclal
O brigue porluguoz ; Marta lelit capitJo de alf.iato e sem vicios.
I.ourenco Fernandes do Carmosaliir breve Precisa-s do urna ma de lei : na
por ter parle da carga proropta quem no rui do Padre Floriano n. 25.
mesmo quizer carreijar ou hir de passigem pdese ao lllm. Sr. emprazatio do
para o que tem bous uommo los tralem com tlieatro de Santa Izabel Cerinano Francisco
o dilo capililo na praca, ou com seu consig- de i
notario, Antenio joaquim da Silva llibeiro, lu
na ra da Cadoia, casa n. 18. de
Para o llio de Janeiro sallo, domingo noelrm
31 do correnle o brigne Novo 060. loin No dia 3 de setembro so ha de arrema- '"" ,, t0 le a.u ''"* sem ""'Correr
commodos para passagdros eescravos : Ira- lar em praca publica peraute o Sr. Ur.juiz "._!!...'.* t0 ..s ,,s c'?.rlslaos devotados. j
pouco a pouco e tomando o seu rcs^ecti0
lugar na ordem das casas santas se cuiarcgi
a selebrar nella pralicar todos os mais acloa
religiosos leudo tambem lugar dep0iS ,
installacKo solemne de uma irmandade s'ob
a mvoiMci do Irmandade do ArcanioS
Miguel dos Afogados.
No su comee) po-m, esta irmandade
I ii l a ii iln im n mil di Ilion lila Je.-', e baila d!
trata-secom Oliveira Pai'a & Companhia, municipal da segn la vara um sitio no lu- "'"'o1' do t.lonoso Santo-a lim de con-
Da ra do Trapiche n. 5, ese, i ..lorio. gar do Poco da Pauella que t^m um sobrado, m,,,. P" e,i n. au8,n,'nl0 J
- Para o llio Grande do Sol, seguir via- o uma casa ler.oa. lem e.tr.liaria, coxeira, m" s "na casa deDeus, cujo padroeiro Ce
gem uestes dias o brigue Soda., por ler par- quartos para pret.s, um galinlleiro, duas m", 'f9- ,.u,le,nl,1"u0, "I" dxlrii
teda carga proropta : quem no mesmo qui- cacimbas con lauquM, e varios arvoredos, ""nS<,o juiso linal, nella hade esar is
zer carregar, ouir.le pauagem, dinjaip-se avallado pur quat>o cm'os de lis, pdreze- 2 as "f000"' nosss virtudes, e pecca ios I
a ra da Cadeia do Iterife n. 39, escriplono cucilo de Jos Francisco Uilem contra Fraii- r" "ese n? "I"008" P',r eto, de
deAmonmlrinilos. cisco de Paula Lopes Iteis, e ue a ultima 1 ,os.u,ulos> llve,8lm concoindocom suis
- Para o Ass seguir viagom no lim do praca. esmollag para o bnlho, ^decencia, e orn.
Vencidas alguinas dtlliculdades, de
comsigouo quinlo andar, com o soccoiro
das unios, dos ps, c iiie-mo as Vezes da
cabaca. E eulilo ueu elle com urna poila,
o arranliou com asimilas, pulqueo mora-
ilor liiina cconomiado aldraba e a campii-
uha.
l-.inp'.irra la a pnrta, lila appareceu um
velbo embrulliado em um vellio chimbre:
n3o Irazia nem calces, nrin meus por eco-
r%'S^TS ZATlSs:,; "**> -Jo"el-~ -
eiro. Boas nuiles, Cavaliioin, disse-lhuo t ., .
vclho ;que preO-nle o Sr.? Ven.,,, tomar S 7" C,""t'"', v""'" Pel* i!"ca "V
uma llcfio da Economa politiea ;loi a .es- '-''Y em I'0 '""'"' ,le ,Sj0 Mi*
, .... nrt-l lii.ii. ... ii .....^
posta do pruviiiriano. Sej< bem viudo,
cm 15 de ab il de 1830 ; a Poudra
I lito, viudo pelo uiesuiu briguo; a
K ilkiuan Frcrs.
., I dito, viu Jo pelo mesmo brigue ; a
Toldar,
i; P C 1 dilo, vindo pelo nicstcu brigue ;
a Ka Ivinaiiii Frcrs
O secretario,
.1 i ni. ftrrctra il'Annunciatao.
Declaracoes.
O vapor Ingle/, annunciailo
, cliegar no dia 31 do crreme
da Euiopa, letvliein as milas
para o llio de Janeiro o llahia
lloras depois de sua cliegada.
.iilminifliacdo do palriinoitiodos oi'ihitoi.
Corante admioiatrajllo do patrimonio
tornou-lhe .. ancio ; o piitneiro e o u- S" m"ca ~ *C,IIX;'S vasi,ls. vil,"Iils P<" bri-'dos orpliUoo Mo de arremaUr a quem por
gue Allonso I. em SS de oulubro de menos flier os raparos de quo precisa a
uico que se leiu app.es -litarlo, e assim leo-
nominar a lir^.lo, pois loda sera sua, c nao
lera que roparlir la com ninguem. os
meus ducipulos nao vic 8o pura icommUar
o calcado entre, e s nie-se. o Provincia-
no eutruu, e senlou-se ; mas logo sabiu,
porque o Meslro tinha conomiaado um pt a
cadeira.
A ininha lic^o e verba!, disso o M-slrc ;
tem Vmc. alguma cousa a ler-mc ? nada
respundeu o rapaz; eu iiOu vcnlio nem ler, L """J1'"
nem escrever, nem fallar ; v.nho so uuvi- ." '.* *rU>, vindo pelo mesmo navio ;
lo : pois nesre caso, lornou-lhe o prolessor
1851; a Oliveira IroiSos. lalrina do rollegio dos orplios em 0-
Igaiola, vinda pelo brigue Fiordo me, oreados em 509,300 rs., as pessuas
Porto em !" de marco de 1851; a ordem. que quizerem licitar podr3o cunipareeor
irmosmn i. na ciaa d seisllo da roesrai administracao
i 3 3 eaixoS, viu as pelo ingue Tho- nos das 80 do presente niez, + e 11 uo fu-
mas Mellors em ido fuveieno de 1818; turo as tmela lioras da lardo com se>us
se com .Manuel Dias." ra Ha Senz.lla c"a"za ? -a 'la* ". "0*1.0.. andarde calca ^'iTu^nM^X'Vort m^o "^
donde morouH. I.assere. e ciuusa porcuna, ou collete, represem.a
do Sol saho ate "o lBr ,0 a"ns ,le idaue pouco mais ou menos, '>r_0CN"rJ
do correte mez o patacho nacional l,t'".' C''!"100!1!" aqui no llecfe por Manoel
-- Para o llio Craiide
lim
vusso
ra da Moras, casa terrea n. 40
e por conduzir para o cemilerTo' S0*""^-0 AL"!"'!-^0^ Aodo Mseio
Eutcrpe, O.pitBo Joo Coucalves Reis por ter SE** 1^ onduzir para o cemilerio ""^" J A^" /0
osenc^regamentoprouipto. pode receber *"JS?. un;.b'?.! S"? I P'WXS AWllm SS%
-,.........'"-.....:^r'-ri i--- """ e(i8 ..,... ,,.,-,..1.., nnir.w cm ,... "" Al,-n" Avelina vlauna, relira-se pan
alguma carga nnud.,, passageirus o escra- MlrVo" MmTJotUo^oObT ertradd. rra da P^incia, levando em su. coma,.
vn a ItMta i lrla-'"" '"^> V"i isiraaue h ,. M ... Raailiua .!.. c.-\L.
tuz u 33 com 8autoAnWo: paga-sa bem a quem o leva, a ""'a sua mana o. Man Uizilissi do Carino
.ruz n. as com rua u ||a n 1(' o i Viann o seu filbo meuor de nome Ue-
vos a frelc : trata-se na rua do Apollo, ar-
mazem n. 11 ou na rua da f
Luiz JO' de Sa Araujo.
- Para o Rio de Janeiro segu com bre- N<"" 3 de setembro sa ha de arrema- lj.|10e, i(ls ,ta Silva i iimri,- f
vidade por ter parto da carga prom.la o ve- lar "ftKf "ul,llca """t'i sr' >'- J tJ^SimSSut%SSTS&A
leiro brigue brasilco UWnno; para o res- 2S^US*!,l!.!!Hf rohiS.1"^ S?Mnr.,oeorren;e,,,VdeiPSUoullSe Z "c.hefro
brasava- do Viclorino& Cuimiraes.
-- Ni rua das Agoas Verdes n. 100, se-
i origue ui.iMiciio uvytnno; para o tes- ------- *"" '" -, < ^
a carga e pa.-sageiros trta-se com o su Vandora da cidade ue Oli
ignlaiio.Mauoe| Aloes (ucrra Jnior: f l0 "U quiulal e be .nfeitoius, e o
liado tudo por 3:000
ao capililo.
jLe'reiro 1 dita, vinda pela galera
fi--tv em 10 de abril de 1810
Couper.
Sword
a II.
de Economa polil'ca, ii.V> l-nm- necessida-
de da loi ; e apagot a vela por economi'.', e
por economa dous dedos lile tervirfio do
lliesoura, os quaes limpon a aba do cliam-
b'o para cconomisar u na loalha. 'I'u lo is-
to era Ibeoria que servia de prologo a prac-
tica. Qual esta fusso lliri nflo sei eu ilizcr:
o que so nenie te r-quo o rapaz assenlou
prafa de criado do rvir, e passou depois
i e. n.iiu, u lano econotnt'uu, i| pOf lilll
' hegou a ser negociante e capitalista, m .s
iv.-u srmpre vida miseravt-l o besmloua.
I ez du seu esloi.ago un arma<:ein de
sar.linba po< econouiia, e por economa be-
blt agua fresca. Quando eslata sentado em
tasa, despia os Cal(Oea para nao roQir a
cauda | uto usava de coturnos, cat as su-
us carnizas nao tinli.'io tralla. Ilcitava-se
us Avo-.Mai'ias para teonomisar a luz, e
dorma cmbrulhadn em una manta, pois
ii io usava da roupa braue. para econoinieur
i> dinneiro da lavadura. IMe discpulo uo
Kcouomia poltica nuil ri de urna imi, e-
xia : os seus huid, iros andilo du tabnolet,
edOK'irndes jai trese pal lilas.
{Do Peridico tei labres no Porto.]
a A 6. Iiani'ii.
S. marca oiijiq^^ viudos pelo brigue
Rival em 95 de abril de 1810; a ordem- j
I > mbrulno, viudo pelo vapor S. Sil
ador em -i de niiio oe 181o ; i Fran-
cisco G do Oliveira.
Lelreiro | calla, vinda pelo vapor I'er-
nambncana em ai de maio de 1819 ; a I
Nascimeulo e Amorim.
.Irmazem n. 5.
P R ns. I a 7 7 caixas vin las pelo l.'i-!
[iadnrea, pdenlo cntcndcrenise com o res-
pectivo cobrador las rendas do mesmo pa-
trimonio Jo.lo Francisco Teixeiro, acerca do
urcamiMito da .1 lia obra.
Secretaria da adnimstracSodo r>aliiino-
nio dos orph.los, -J9 rio agosto de 1831.
Anlonio Jote de Olivara, secretario.
--O segundo tenante, abano assignad
encarregailo ras medicoes, o demarcacis
dos terrenos do marinlias, couvi la aos S s.
Antonio Pereira Rocha, e Manoel Alves.
Guerra ; para que comparecam na casa do
sua residencia, na rua llireila, sobrado n.
78 alim dse llics marcar odia, em que
leem do assisiir a medilo, e demarcaflo,
de seus terrenos. Igualmenteaviaa a se-
guo Corona cm 20 de Janeiro de 1818; nhora II. Mara los l.ms Sonino, pura mn-
a A C. Sivo.cito. dar receber o termo de medilo do seu
Lelreiro I e brullio, vin lo pelo vapor torren, silo na rua da Praia, e assi ;nar pe-
to da
consjg
na ra da Cruz u. 10, ou com o oapilo Jos
Gregorio Pereira.
Vende->e a barcaca Solinda, vapor de
'100
rs., porex-cucao
gund.andar, precis.-se*de uma ama, pan
una por preco cotiimu.lo : atratir no tra- SUd mu"'ori be a ultima praca.
dos herd-iros de Jos Mara de Jess Muuiz,
contra Ricrdo C.risustboiio Roari^ues e sa""rem c"aa de U01 "O""" solteiro
-- Coulrala-SK um portuguez, que en-
piche do L'arboza defronle do Corpo Santo
n. II.
Loiloes.
-- llenry Cibson far leiblo, por inlcrven-
5S0 do cu rector Oliveira, de um esplendido
punga, ierras foreiras ao Sr. I)r. Jacobina,
o .iiiano assigna 10 previne ao respeitavcl
publico, quo sobre o mencionado terreno o
casa se 11.10 p le fazur trato algum .10 com-
.ultmenlo de laxen .as IngleziS, tolas pro- P"'",^"l""nca' "i1"'iuer o.ilro negocio,
pnas do morcado : boje sabbado, 30 do cor-! !'? '-r'n sujeitos ao pagamento do que
rente, as 10 horas, uo seu armazem na rua
da Ca lea.
Samuel Havros Jnior capiLlo da bar-
ca americana Susun, da qual s3o consigna-
tarios os Srs. llenry Farsler r\ Conpan 'ia,
lata lajl.iu por ii.l"i veiii.'In .lu corredor Oli-
veira, o por couta e risco de quom porten-
cer, Ja | 1... de caf quanlo baste para
aecurrer ao cuslcio, o mais gastos da dita
barca ueste porto, onde arnbou na sua r-
cenle viagem procelenle do Rio de Janeiro
o dilo meslro pedreno deve ao abnxo asig-
iia io, que para esse lim passa a dem I iclonano trancuco dos Sanios.
Precisa-se aiugar urna ama lorra ou
captiva que lenha bom leito : quem liver
dirija-si- 1 io 1 du Alucrim 11. 6, que achara
co.u quem tratar,
Aitl-111,11 1 rao de porros.
Hoje, 30 de agosto, pelas 3 horas di tar-
de, no principio di rui das l.tranjeiras da
Iregue/ia de Santo Antunio, peraute o juiz
com destino a Charleston na Carolina do de paz do primeno dislncio da inesma fre-
S. Salvador em ele dozonbro de 1818; los respectivos empregados j alim do s ir ib- 'Sol dos Estados Unidos; e assim mais de guezia, llavera arrematar; lo de purcos apre-
a llenry Cibson i mettido a tbosourana da fazend.i com o seu '* SICCSS de dila genero avadado : quarta- li.-udidos pelo resp. ctivu DsCll.
S. mares -- embnillios, viudos pelo bri-jrequerimenlo, para SO Ihe passar O titulo do l'eira, 3 >le setembro prximo, as 10 horas
COMMERCIO.
ALFAMlKCA.
liendimentododii^O.....Iti:503,i)jt
Descarregam hoje 30 de ogosti.
barca Irancazi -- Havre mercadorias.
Riigjo inglez May idein.
Brigue portuguez -- Jfnriij l'elix dem,
linguo dinamarquez A'urm bacalhao.
CONSULADO GERAL.
Rendimeiilo de 1 a 28. 30 085,753
dem do da 29........ 357,514
30:143,267
gue Juhs--cm 19 de dezembro do 1818; 'afnnunoiito. Itecife, 11 d'agostn de 1851.
..diversos. | Anlonii Hijidio da Silva.
Letreiro-- 1 dilo, vindo pela barca Es-1 Di ordem do lllm. Sr. director .goraI
llieraiin om 20 do marco de 1810 ; a C. | da instiucco publica f..co saber a quem
l.in 1 couvier, que por deliberaco do Cxin. Sr.
I dito, vindo pela barca Roznudalo-- presidente da provioci 1 o concurso a cadeia
em 30 de abril do 1819 ; a Fox Brotll. vaga do seg indo grao de Ion d Portas, rlc-
~ t dilo, viudo pela galera Swordli-k vera culi-car a 22 de setembro prximo na
un 211 'tejuinode 1819; a Dome Youle'east rio l.ycou. Os opositores, alm das
& Coiupanbia. mateiias das escolas d primoiro grao, to-
\rmazim n 6.
P 1 pipa e 9 barrio, vmdos p-la escuna
Calante M.ria ora 3 de oulubro do 1850;
a DnlfinoConcalvus Perei'a Li ns.
da nianli.i, no trapiche do Angelo.
Avisos diversos.
Mo da 38 ou 7.1) do corrente
Perdeu-se uma carleira ern uma das mas da
lloa-Visla, ou da praca da mesma, al a al-
faiidcga, a qual continha un scdula re
urna le ra de 7B,O0Ors
-- lia-se 300,000 rs. a juros a 2 por cento.
na Roa-Vista, rua dos Pires 11. 42.
-- l>. Mara Candida de Magaihes emhar-
ci para o Rio de Janeiro a sua escrava par-
da, de nome Francisca.
Contina haver caf lodosos dias, no
billiar da rua Aova : as pessuas serSo sorvi-
das com asseio e pionipti lao
--Preciza-so ue um menino de f2a14
anuos, pi ie 111 lo um desles ltimos choga-
dos do Porlo, para caxeiro de venia: na
rua do aragRo. n. 14
Anlonio Francisco Correia Cardoso,
dez lo>lOes t- urna le ra de 7B,ooo rs s liada
rio de sor examinlos emnoces do geo- e vencida 93 de junliodo 1818, o correndo
graphia ehisioria.il. ar.tliemet.ca ate que- 1Iroj, cuja latra he a favor do capillo An-
Bradoi.edecimaes; naosplice?aoila ,ys- (ullj(, M^.od de M .raes do Mosmlt. P.men- comprou por cela doar. Anlonio fe, nan-
totm nacional dos peso', medidas, e nos lei e co,,ira Rrasiiio Rodrigues Teixeira des da Silva, o meio bnliele da lotera de >,
TAn;144--l embruJbp.vinlopelobMgiio.olcmontosd; geomemarec,iiHi-a. jlirec- qllcnl a ,|iu carleira achou h .ja de a enln
gar somentn com a dita letra, e que sor
recompensado : na praca da Roa-Vitta n. 1|;
-- llernard um 3 do fcvoreiio de 1851 ;:'"" eral 28 Ib agosto do 1831. OAma-
a Kalkman Irmfios. Inuense Archivista.
PO I dilo, vindo pelo mesmo brigue; aos' Candido Eustaquio Cezar de Helio.
inesinos, I a \iminislracSo do Palrimmio ios Orfos.
J S P O n. 319 -1 barrica, vinda pelo brigue
Julis --em 20 deabiil de 1851 ; a Joo
Siium
[Loi C-- 20barris menteiga, vin los pelo bri-
e ninguem
letra.
11.:. ..__.. I.i..:. J :____ vara, cojas possos vilo a piaca por execucSo
- Hoje corre a lotera da igre- deJoaqlni 1oJxeira Pe"Qto, contra Fr.n-
DIVERSAS PROVINCIAS
Reudintento do dia 1 a 28 1:703 600
dem do dia 29....... 3,992
1:707,632
Exporta (ao.
I.isboi, brigue portuguez Lnia de 321 lo-
nelladas conduzio o seguinte :5 caixas,
16 banicas e 2225 saceos com 11592 arrobas
e 10 libras de assucar, 600 couros salgados,
40 barricas tapioca, 6 saccas caf, 12 latas
oleo de rilino, HSqointaes do pao de lalii-
l'iha, 4 pipas mel, 8 harneas- vulrris quo-
Inados, 1 caixole livros, I Can espanado-
rt-K, 10 pranchOeseS tabots de costado.
HECEBEDOKIA DE BENDAS GEIIAES
INTERNAS.
Ileodimento do dia 99......12,047
."sesretario.
\ -i' nu, Jos de Oliveira.
rsoual de guerra precis
panno azul entrelio para fardlas, holn
Iba de carnauba, e cordita de I
borlas para bonels, quem taes
ver, e qs quizer furnecer, pode ding
salla da directora do mesmo arsenal 00 dia
Aslbl y.
S. ma.ca 1 sacco, vindo pelo briguo No-
vo Vencedor cm 12 do junho de 1831 ;
a ordem.
o --1 meia pipa vin la nos sobreselentes
do brigue Tigner cm 15 da fevereiro
de 1851.
Armoscm n. 7.
-- 1 embrulho, vindo pelo brigue John
Pintar em 4 de novembro de 1848 : a
N. O. UiebercV Companhia.
Lelreiro 3 embrulnos, vmdos pelo briguel primeirode setembro proinoo viodouroao
- Socrate em 5 de marco de 1849, adi-meio dia, munidos das amostras, e compa-
rarais donos. j tunlcs propustas.
1 dito, vndo pelo brigue -Jeun NillyI Arsenal dn guerra de Pornambuco, 28 de
ein 20 de marco da 1849 ; a Poudra. agosto d : 1851.O escilpturario.
1 dito, vindo pelo brigue Rolla --em I 1\ Seraneo de \tsis Caroalho.
6dejunhode1849;aleaneV0ule&Com-REAI. COMPANHIA UE. PAQUETES INLE-
paohia. ZES A VAPOR.
O o 2-- 1 caixa, vindi palo brigue Cise- Espera-sano dii 31 do correnle mez, um
mir Delavigne em 19 dojunno de 1849; dos vipores desta companhia, o qual de-
a Crucco & Companhia. [ pois da demora do costme, seguir para os
Krmazem n 8. puos do sul. Para passazom : Je ijao-se a
S. marca -- 1 caixa, que lelo com plantas agencia rua do Trapiche Novo, n. 42
A admnlslracSu do patrimonio dos orlaos
manda fazor pul.lico que lio da 30 do pro- .
suido me/., as 4 horas da tardo su Hade ano- ja de Nossa Senliora do LlVl'aiuen- ciscu de Paula Lujas Res, E.crivo Cunha.
prteiza-se de uma mulner p ra cosi-
nhar e euigummar a um rapaz solieiro, ssj
com ; 11. 11.- .. 1, o dandu li .dor a sua conduc-
ta : paga-se bem na rua das Triucuei-
ras 11. 50 segundo andar.
A pessoa que auuunciou querer ven-
mattaroqueininasderas veudasdos dous \Q e 0 resto dos billietes e cautelas
. 1 1 .... .I ,mi li, 1 nn >t,l .1.11111.., '
gue Pnenix em 3 do abril de 1851; a | andares de casa o., da rua do Encanlaineino.
Secrelaria da alminislVasao d. pilnmouio eslo veada no aterro da JJoa-
dos orfaos,29doagusiode 1851. i Vista,loja de calcido n. 85.
O Sr. tcuentc Joo Bernar-
O arsoual de guerra precisa comprar Jhq de VasCOnC Hos, iiueira vil' der umi cinOi gran lo Ue carreira, poda di-
indi1 .- v rigir-sea rua do Livramenlo n 33
de forro, brin b.anco liso, osteirasde pa-, Praso dc ,res dlus na iua Nvd
O ibiixo assignado em resposta ao an-
a"preta"cm n. 35, Concluir O negocio que nO nuncio de Francisco Jos de Mallo, no Mario
es o Ojelos I i-1 de Pernambuco ue 18 de agosto do crrante,
e dirigir-sea 'o"01'3, diz quo ten lo oppoaio irligos de reconvan-
Antonio Martina Carvalho cao io libello que o mesmo llie move como
;> n tutor do meniecaploTheophilo.sem ellos jul-
embarca para o H10 de Janeiro o giJoSi op,,e reCouiiecer como seu cre-
seu esCMVO Antono,pardo. dur. e areconhecer antes da seutenca im-
- O abaixo assignido obteve santenca posta uma dezistencia, por tantocoovensa-
que passou em julgado contra Jerooymo se o mesmo Sr. que se fr despresada a re-
SebasliJo de Alencislro, no juizo do civel convenci sera paga, sem que saja mistar
ds primeira vira desta cidide eserlvSo Sin- 10 ibiixoissignido vender algum de saus
tos porqne o dito Alencastro apenas possue bens para Isso, pois que nao percisou fazel-
uma pequea casa na Cabanga; provine-se lo para pigar nesta praca antes mesmo do
que ninguem a compre por estir ella sujoi- vender seus estibelecimantos, Unto mais
t. ao julgado contri o mesmo. pan uma diminuta quantia por que versi 1
-- Precisa-se deumeaixeiro de liannos questSo. ...-.,
de idade : uo aterro da Boa-Vista n. 73. # 5i/o Moreira.
- Constando que o mestro e IrciroLou- enda do serv.Co do cimpo, para s-rvir da
remo do Jus Mara nrocura vender a posse "or om um 8"'"'l0. na pio.iuc.a d.s A-
de um terreno, e casiuha quo lem na Ca- Ug0" : na rua "fOM Verdes n. 100, se-
gundo andar.
-- Precisa-se comprar 18 travelas do bol
1111.1 -ii 1 .- na rua doltozario, padana 11. 48.
Agencia de passaportes e titulo de
residencia.
Claudino do llego Lima tira passipnrtes
para dentro e fra do imperio, e titulo ds
resi 1 en,-ri por commodo pre^o, ecom mui-
la presteza: na rua da Praia, primeiro an-
dar n 43.
Guilherme Augusto Rodrigues Selle.pro-
testa proceder com todo o rigor da le roo-
Ira quem Inetenha icoutado o seu moledue
Domingos, bolieiro, e capateiro, que Ine fu-
giu sexta reir 22 do corrente. e coasta eslar
no l.imoeiro, tendo pasudo em 1 au do ilho
no s.iiii.i i,, o.i. o annunciaanio roga as
a uo 1 1.ules respectivas ofivor de o prende-
ren, que com aviso das mesmas, satisfar
qualquer despes. :o mulequo he lio, mi-
gro, 1 la le 24 annos, crioulo do Limueiro
aon le tem a mfli, poucs barba e parece pu-
xar por uma perna.
Precisa se do um preto por aluguel,
dasse doza mil reis por mes, e o sustento,
para o servico rodinario de paitara, na san-
ta cus debaixo do sobrado n. 106.
OlTerec-a-se umi ima pin 1 cisi de 11111
Im nem solteiro ou viuvo,tem tnd s as abili-
da.les precisas a boa conduta quem della
precisar dirjase ao palco do bospital do
paraso n IS. 1. andar.
D-sappareceu do hospicio sitio onde
morava o Sr. Augusto S. Corbet, aeis colfie-
res grandes.de prata com a leltra A,na ocea-
siao em qne so enlregavSo os tritea, e su-
pOa-se ler siloa Igum pretojpor tanto a pes-
soa a quem for offereci Us.ou livor empanda-
dO,ou mesmo comprado,quereu 10 tesl'uir,
recebera o importe deltas, e se guardai se-
gredo,derigindo-se a rua da cadeia escn,lo-
no do Sr.AugustoS.Corbet. n 45.
-- Cralilica-se generosamente a quem
lescohrir onJe ae icl.a residen! < Constanti-
no Francisco, simibranco, de i.laaade 18*
20 annos, lito, secco, sem buba, cabello
corrido, o qual desappireceu da povoacilo
do II ejii do Figundes, termo di Cim 'ina
Craude, na madrugada de 31 do corrente,
o sondo seguido, consta untiri na cii-'i'1
le O:ni la, no di. 25 do corrente; esle ho-
111 ou trouxe em sua compaohia urna muc*
branca, de oome Igmcii, aecci, boa Hu-
a, rima, e miis una escrava creoula de
nome Maria, por alcunha pequea, cuja es-
crava lea 11 a 15 annos, e na bem p.eta i
lambem trouxo umjogo de malis de pre-
gara, o varios cavallos: quem souber des-
tas viajantos r.na o favor de deiiunciirl
Jo.lo Marques Amaro, ora residente no batr*
ro da Boa-Vista, armazem de sal, que sera
gratilicado; ena ausencia do mesmo Ama-
ro, deixa elle pessoa que toma conheci-
mento deste negocio.
- OITerece-se um moco portuguez P""
fabricamentode licores, genebn, auiz, cog-
nic, vinho muscitel eoulros: quem prec -
lar duija-sc 1 rua do Amorim n. 36, pnmei-
ro andar.
S. do l.i'. 1 a ill-'lll o ,1. 1184
As pessuas que quizerem arrematar
a posse du terrenos cilos ni fregnazia
faca negoci Vlgiji coma'dita do ''0?" da ,'j"IBH*> co iparncam hoje na
L 1 I I i 'I I I 1 I I 1 1; I 1 I I ; 1 I 1 I / ; 1 lili UOOI lili I
sallas das audiencias do juizo da segunda



3
n.b.ixoassignadolenlo
/tutee do 17 do crreme,
dn nn Diario de meninas, participa ao respeitavel publico, Os alumnos se ech.m divididos om tre
,...eio oannmi- que o sua aula est .berta na rua da UniSo, cl.sses: pensionisl.., roe.os-pencionist.s e
Mitambueo de %0r^'."u'L.^f.J'Gl,m. bairro da Boa Vi-la, aon In se po le anda re- eneros. As materias que ali se ensi-iam
c,o f''lul,0.r ?.?!. ve nun iad.su. ros seus ceber algumas.lumn.a externas ; sen lo d. sao: Primeiras Icllras, gr.mmal.ca latina,
h no qua razia ver que i o *Pur TOI.tae dos pais, as meninas serio rocebi- lingna francea e msica vocal e mstrumen-
S>clu87e'S^d*S.w.detloleu das como pen.ioi.ist.s, ou meio pensionis- tal ; sendo que todas clbs so acham incum-
^"K.'iU,a iBTha hipotnecad. o M- atrsUrna casa cima, ou no Itecife, bidas a professores Ucreconncci.lo me.it,.,
** se .....- da Cruz n. SI, primeiro andar. da mais escrupulosa rscolha e olUcialmenlH
odeAIbu- aprovados. O numero destas materias ou
correspon- disciplinas sera augmentado protorcSo
subscri- das nesccssileiles do estabelecimento, pre-
uer insidenlo codo otario. sidindosempre a nomeQao dos professores
Quem.quzer consultar ou tratar-sede a mais escrupulosa escolb", devendo oulro
olesti.s agudas ou clirouicas, podem di- sim ser previamente aprovada pela aullio-
i sim para prevenir q
"',, ventura p.ssa apparecer. Padre
mniopVeceitoscalligr.phicose,
2 SX diarnho. AS pesso.s que, .1
,co-n urjas eoutro^obj
larulao i'i'
m reJeneiedre''i'ijo- a ra do Brum, t
m ?asa contigua a outras que ostao arre- *
aad'ul.s Jo altnd.menlo ou a ra da
iCruil.'jade Mvrosn.5^
#f9tVfV**F -ir -
Frariclo do Freitas Gamboa tendo de
rai'ar-se para o Interior desla provincia,
anda as suas propr.edades s.las nesta cida-
de do Itecife, e no lugar da C.punga : quera
as pretender iodo dirigir-se ao inesmo no
m .mu ua Capunga.
.- Na ra da Guia n. 29, fazm-se broze-
..iiiiis para homeus e seuhoras de toda a
p .iJ. ......vhinvuunlii enveso, lo .illai.i-
Attencao a ultima pra$a
NodiaSdesetembro prximopasaadode-
pois daaudiencia do Sr. Dr. Juiz'da I vara
do civol, tem desor ven iida a quem mais der
a casa de sobrado do sitio Araca, requeri-
mentodeMinooILuizd. Veig, para paga-
mento dasdividas do cual de seu fallecido |W .......------------------
pai. A caza tem 50 palmos levente e fun- a> e remedios de grae;a aos pubres.desdc M
dos de 95 palmo* com as lojas tambem re- j o pota nianha, at asduas 5*r?.?i."''
partidas, em ponto ainila mais alto do que "
maica hojoas posturas municipaas, travoja-
m-nlo e assoalho cm perfetto estad ea co-
berta lie toda de scupira, e comprenoo.de o
lizer ver o seu nome publicado em letra
redonda.
ag CUSSULTOaiO C.NTaAL HOH(C0PTHIC0 4
) DE rHn\AMBUCN.
a> Deriijiaopelo Dr. Sabino Olegario lutl- 9
# yero Pinho.
Itua do Ti a picho Novo n. 15.
Todososdiasuteissc daro consultas '4
Lneir. que v-ier cortado, coze-se Jealfaia- ter,eil0 de ,76 pa|inosdo fronte com mais
. u camisas de homem de todas as modas, | dfi 700 pa|mol je fundo athe 4 camboa pu-
co'rt-se o faz-se vestidos de senhora, en- u|ica, e tem noste terreno dous viveiros de
gomtna-seel.va-se, ludo por preco cum-lpeze>
modo, e com toda a perfeicao o delicadeza,
asiimeomo recabe-se escravas para se en-1
sinar todo este servido, o taubem a marcar,
bordare tazer lav.iiiilo.
. JoSo da Cunlia Magalhes Jnior, avisa
boj Srs. devedores de billietes de loteras,
riuehajam de virem pagar quauto antes,
u.nuo nopassarao pelo uissabor de ve-
,m .in iiiimus cor oxleuso nesla folha.:
do. As correspondencias e imforma- j
fu cOes pdenlo ser dirigidas verbal-
X tente, ou por escpto, devendo o
s, doente indicar inmeiro : o nome, a 9
5. iilade, estado, proliss3o, e constitu- S*>
< (So ; Kqundo : as molestias, que tem 9
f| tido, e os remedios tomados; tereci- f>
fi ro : a poca do apparecimento da ino- *
O leslia actoal, e descripc3o minuoioia,
% dos signaes ou symptouias quo S0IT1O *
tommmmmmm-** m -. mrnmM
% Collegio de educacao para &
meninas.
Fundido o dirigido por D. Candida S
Rosa Me. Dormoli da Coste, na ra da
Cadeia de Santo Antonio n. 23, pri- _
meiro andar, declara ao respeitavel g
publico, e particularmente aos Sis. **
pais do familia, que contina a 1er
aborto o seu dito collegio, por se a- :J-
char habiht-da com a licenca do f BOWMAN & MC. CALI.UM, engenhei
Exm. Sr. presidente da provincia, | | ros niacliinislas e fundidores de ferro mu i
conferida de cuiiformidade como dis- ;2 i respeitosamente annunciam aos Senhores
posto-no art. 38 do regulamento pro- proprietanos de ongenlios, fazendeiros, mi-
vincial de 12 de n:aio do correte. neroSi negociantes, fabricantes e ao res-
Ja fui visitado pelo lllm Sr. inspec- s | pejtllvo| publico, que o seu estabelecimento

remosseusnomes por o
.-Aporiadolllm. Sr. Dr.joizdorfirphaos,
amadas Floras, se ha uo arrematar no J
dia I 'de s tembro futuro, por ser a ulli-
mapraca, > maescrava de narjao, de nome *
Luzia. d ia.de 25 annos, pouco mais ou I
menos, perle.icente a Joaquina Mana do Ls-
pinto Santo, easeu irmao oo.pnflo Pru- 9
deocio Joseph daTiindade; leudo lugar a arreU.alSo as* horas da larde.
- precsa-se fallar aoSr. Manoel Jos de %
Souza Braga : na ra do Crespo n. 13, a ne- 4 ,
gocio de eu interesse, ou annuucie poros- @j coito, que Iho toin grangeado o sou !R meira qualidado para a perfeita confecc.5o
(. fulbi sua morada, para ser procurado. |g zelo, e deiieagao, e na educacSo das jj, jBS majort,s pecas e machinismo.
Lotera de N. S. do Livramento. |
As cautelas vendidas no aterro j
da Boa Vista, luja 11. 58, do cau- |
telista Salusitiano de Aquino Fer- |
reir, sao pagas na m?snia loja, do
tordo primeiro circulo Dr. (.ypnano g de ferro movido por machina de vapor con-
Fenilon Cuedes Alcanloradu. ts- fe tina em elTectivo ejercicio, esoacha com-
pera pois continuar a merecer o con- -U plclamente monlado com apparelhos da pri-
11 1- a saber :
MACHINAS continuas de destilar, pelo melhodo do autor.fruncez erosnc, ai rae-
dores machinas, que para cst^ fim at boje tem apparecido.
AI.AMIIHJIJKS de cobre de todas as dimensies.
TOIHISOS COHIIKS necessarios pira o fabrico do assucar.
TAIXOS DE COBHKpara rolinacao.
TAIXAS OITll para n 11 lio.
DIT\S HITO movis para dito.
HOMliAS nn COBItE de piclo, de repucho, de roda o de pndulas.
KSCRIV.VMMUS de latan dos melliores modellos.
DITAS litro galvanizadas.
SINOS de lodos os tamanhos.
OS APRECIA VEIS fogrtes de Ierro econmicos.
UIIHItAS de ferro as mais bum construidas.
CAUROS dito do mBo.
I'OK rOES de ferro.
VARANDxSdltO.
GIIADIAMENTOS dito.
TAIXAS dito.
CALDEIRAS dito.
BANHEIROS do zinco e do folha, para bando da choque
, .....ores per;
meninas, confiadas a seus cuidados. Habilitados para empredender quaesquer
Assim como declara que so ensillara ft 0i)ras l)a sua an6i |jWman & Me. Callum
lo ias as prendas proprias para urna ^ desejam mais particularmente chamar a
senrTora.assim comocathecismo, ler, |j altnncilo publica para a sseguinles, por
escrever, anthmelica, grainmatica tercm dolas grande sorlimontoj prompta,
nacional, geograpma, historia un- g as quaes construidas na sua fabrica pdem
versal, dita porlugueza, o dita kraal- competir rom as fabricadas em paiz es-
l leira. myldologia, inglez, rancez, ^i trangeiro, tanto cm preco como em qua-
da3ldo corrente, em diante. : ler, escrever, e fallar analyselillora- ,, idiadoda materias primas e mao d'obra,
- Quem precisar de urna preta crioula ,' $ e grammilica d* pruouccOu m- b a Sab(lr .
r. m. de c-sa de bomen sollei.o, ou' '^J ""o^ M I! "aedinasdeva
pir
casado de pouca ramilia : dinja-sn a ra de
Sania Rita, 00 primeiro andar do sobrado
em que mora o rever.ndissimo vigario.
Annuncia-sequaoo Sr. JoSo de Alle-
mJu Cisoeiros nSo pode veud r os bens que
pos reir Concalves da Cunda, tem contra elle
appirelhada urna execu;ao de senlenca a
qual seus bens eslSo sujetlos.
- Vodia26 do correlo perdeu-se urna
urtrira desde a ra do Fugo entrando 110
bcrco de S. Pedro atea la In runa, coulen-
du na mesma 5,000 rs., urna nota de 2.0U0
rs a Iras de I.OUO rs.,e un meiobilhele da
Inloria de Nossa Senhora do Liviameiito n.
portuguezes. Danca e piano. Custu
ras, lavarinlos, c bordados co todas
as qualldades. Adronlem-se pencio-
i
:o
L
nistas, e meias pencionistas e ster
3t as, ludo por precos cumojodos
Aos (lentes.
J. A. S. Jane, dentista, tem a honra de a-
visar ao respeitavel publico, que se acha
resi lindo na ra nov, primeiro andar, n.
19 onde oslar sempre prompto qualquer
edamado das 9 horas da manha al as tda
tarde ; o annunciaiite encdeita de mi a to-
dos os denles, que para sho lera um com-
300 para que provino o Sr. theaoureiro da p|e[o sorimento Je d'tes artiliciaes de
mesina que se o dito bilh-itesadir premiado p0rce|n, sendo esla composicao incorri-
de nSo paxar a oulra qualquer pessoa, seu.10 ya| mt delicados e do ultimo gosto, e lo-
a Gaspar Letto da Silva Cuimaiaos ou a In- doJ QS maj) gccessuros tendentes a sua
noJosdeAzevedo, usquacs seassigmram pro|ss3o 0 annuiiciante assovera a todas
nom.smo: a pessoa queoacdou, porsua as pessoas quo se quiz-rem ulihsar do seu
consensuis quuer restituir, dinja-se ra prestimo, que nSo exige paga alguma nlo
llueiia n. 53, que sera recomponsado cora (cando dentes bem posto; que no se
^cnerosi lade. possam diferencar dos proprios denles na-
--Quera annunciou querer comprar um UiriieSt p0dendo-se mastigar com os mes-
par de bancas de jacaran I, dinja-se a ra mo) ( loja equMquer comida, sera sentir
a menor dr, sem ter receio de os queber.
Tambem cliumb os denlos naturaes Tura-
dos da carie, com ouro ou prata, prevenindo
assr.11 a riii.liiui n,'o da ca>ie e dores, e
mesmo evitan lo por essa forma do passur
isa da chapa, nodeada de esmalte braneo
ruga-sea quem a acdoj e queira restituir,
l'ja de leva-loa liavessa da Madre de Heos
i- I, sobrado da esquina, primeiro andar,
que sra bem iscunvensadu.
-- O secretarlo da aatoclaco comincrcial de
l'croaiiibuco precisa fallar ao Sr. procurador
da cmara municipal de Otiuda a negucio de
nlereise, da ineania cmara, pudendo er pro-
da Moras, n. 64, Casa tortea com a rente
intua de azul e porta..as brancas.
Precisa-sealugar urna eacrava para lo-
do o sarvifo externo de urna casa de pouca
liinilia : na ra Imperial n. ti.
, n III' -mi' I III. II ,11 y\ll i .-.- 1 .....un X.j I........
-Peideu-se no sabba.io 23 do corrente aac,rje dos de|)tM forados para os outros
oiez.emothealrodeApollo, urna purceira s3os Umbm tira pedra ou carie dos den-
- uurorotB urna pedia encarnaua em ci- l68 ern ,,, que Unl0 damnifica e coope-
alai rtha.11> mil nln iln afiimlla In -iwi.. 1 < 1 m
ra para o mau hlito da bocea, nao sendo
tirado : o annunciante ha 12 anuos quo
exerce a sua prolisAo nesta praca, e esse
longo lempo o deve garantir. ,
1 11 miii a 11 1*Aurora.
C. Starr di Companhia, respetosamente
annunciam ao publico, que o seu eslabelo-
cimento para manufactura de toda a espe-
111 jiIii, un n.i aaiuclaco ao mel-da em ian- ce de machinismo tendo desde oseupriu-
ic ou no atierro da boa Vlita: na casa de sua cipio em 1829 ido constantemente augmen-
retidencla n. z aeguodo andar, das 4 horas
em dame.
Prrcisa-ie de nina ama de lelte : na ru
Ja Piala 11. !) pjluieiro andar.
? Aluga-se o graude armazem da ra v
%. deS Franciscu n. 7, puc baixo do Sr. a)
V BaraM : a tratar na ra do Crespo a)
? n. 10.
Aluga-se o lerceiro andar dosiibiado
do largo da Assombla u. s, com muilos
aporda melhorconstruc(3o.
Moendas do canna para engenhos do lo-
dos os tamanhos, movidas a vapor por agoa
ou anmaes.
Rodas d'agoa.moindos de vento oserraas.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentados.
Aguillies, bronzos e cduniacciras.
CavilliOcs o parafusos de todos os tama-
nhos.
Taixas,paros,crivos c boceas de fornalha.
Mnimo- de mandioca, movidos a m3o ou
por animaes, e prensas para a dila.
Chapas de fogno e Tornos do farinda.
Canos de ferro, torneiras do ferro e de
bronzo.
Bombas para cacimba edercpucDo, mo- zl!M,,aa ,, |>m oslu na rua 0 Crespo
vidas a mSo, por animaes 011 vento. 'loiu amarella 11 ?
Guindastes, guinchse macaros. | .'. N;, riia doguei-nado, loja n. m, ven-
ITcnsns dydraulicas c do paraluso. dem-so e.-loiras da India, propriss para as
Ferragens para navios, carros cobras pu-SOMll0r.)Sse flSSOIllar em a|U a 9,400 rs ,
bl'Cas. I chitas rancezas a 880 rs. o covadu, coles
Columnas, varandas, grados o porlocs. ;d0calsa do b.im de I111I10 a I,M rs corles
Prensas do copiar carias e sellar. ,|0 foa(j0 :l mt rmi |ells dB arda para im-
Camas, carros de mao carados de ferros, llliui a 5UU rs., ditos para senno.a a l.COO
Clc ele. r8 ( nielas para soiho'a a 2HU rs o par;
Alc-m da superioridaile das suas obras, ja aeda-se um grande sorlimenlo do l'azeudas
geralmente reconliecida, [lou'inan o Me. pr nreco coiaaiodo.
Callum garanlcm a mais exacla conformi- Voude-se urna e'xcellente taberna com
Vende-Sfl o doposilo de assucar do ater-
ro da Boa-Vista n. 43; adverte-se que se
ven le por o dono Hilo poder estar no ines-
mo : a tratar no ruesuio, faz-so todo o ne-
gocio.
Vende-so um mualo de ilude 18a SO
annos, bom Cslivador, c optim remador :
no paleo da matriz do Sanio Antonio 11. 18,
loja de relojueiro.
Vcndiiin-so as obras do Ovidio ad usum
llellini 1 volum's, Tliesaurus lingual latina)
4 volumes 111 ful Diieilo natural, o das
gentes portollio : na 11.1 da Cadeia dd San-
to Antonio n. 14
Vendc-sji um piano pequeo em bom
oslado mullo em conla, e propno para so
aprender a locar : no pateo do Terco 11.139.
Veude-Sfl um terreno com 50 palmos
de fenle e l'un lo al da xa mar, sito na rua
ipara! "o pe da fabrica de sab.io : a tratar
no palco do Torco a. 139.
-- Ven !em-se duas casas terreas, tima na
rua do Pilar com tres sen/.allas uo 1 ni lo,
separadas il 1 quintal, a qual rendo 29,U0ll
rs. meusal, ouira na rua da Guia que rendo
10,000 rs meusal, a pnuieira n. 7 a segun-
da 11. II, como Umbom um sitio ni eslrad 1
de Jo.1i, leBarros quo fui do liialo.ciruigi3i)
Manoel Beriiardiiio.Monlciro, diiii-se multo
em conla : a fallar na rua do liangel n 38,
segn lo auilir, s- ilini .piei vende.
-- Vende-se chita de bonitos padrOea, a
120 rs. o rovado, dindeiro a vi-ta : na rua
do Crespo n. 10 loja de J. I.. II TabOfda.
Vende-se uin inleressintc sitio mui
perto da prac,a, tem boa casa de sobrado,
senzala, estribarla, grande uxtcnsSu de ter-
reno quasi lo lo oceupado por arvoiedos
dofiuclo, ba atierro da Boa-Vista, venda 11. 78 so dita
quem la negocio.
Vende-se a 4o rs. o covaJo
Cambraia l'r.inceza com um pequono lo-
quede avarias,*340rs o covado ; dita sem
I defeilo a 3UU rs, nirics de ditas com 7 varas
d cor fisas a 4,000 rs o outras mutis l'i-
liii'.i- franjas para cortinados.
Ven leu, so Ir.mjis para corlinidos de
varias largaria o padrOeS, as mais bonitas
que tem apparecido, por prei;o muitocom-
m 1 I 1 : na rua do Queiinado, loja do bara-
leiro j nito a leja de cera n. 33, aonde se d;1o
s amostras.
Viudos da exposicao de Londres
Vendenvae ricas abotoaduras para cole-
les, da iiicllior iuvoocito quo apparoc.eu na
exposirjSo de Londres, pelo diminuto pre-
go di -2.3IIU rs. Cada abutoadura : na loja do
baraleiro, rua do Queiuiado, junto a loja de
cera n. 33.
Cadciras.
Vendeai-sn caderas para meninas; no ar-
mazem do K i.i.m.iiin i\ IrmSos, na rua da
Cruz n. 10.
~ Vende-se ou troca-se porqualquor pre-
dio nesta cidade, um sitio com boa cas de
vivenda, coedeira, es ribaria, casa para pre- i padre, as meldores que se p le encontrar,
los, ebstanlearveredo, com fundos para a G40 rs. o par : na rua do Quoi^ado, loja
cada uma, vende-se por ette proco porque
se, comprou grande po'C.3o rjesta fazendae
mullo barata: a rilas que s esli calan-
lo, e depois no se cncontra mais desla pe-
chinchi: na rua do Queimado, lija de miu-
dezas do baratelro, junto a de cera n. 33.
Luvas para senhoras.
Vendem-se su pe ores luvas de pelica com
hellas, para senhora, a 1,280 rs. o par; di-
os de ti eral pelas, l'.i/u.,,|a ulUllo supe-
rior, a 1,000 e 1,280 rs. o par : na rua do
Queimado, loja do miudezas do barateiro,
junto a loja de cera n. 33.
lie para admirar.
Vendem -sn luvas de roda preta, fazenda
muilo superior, sem defeito alguro, a 600
rs. o pai na loja do birateiro, na ruado
I Queimado, junto a loja de cera n 33.
I Lindos pentesabertoa de tartaruga.
Vendem-se pentes aberlos de tartaruga,
para prender cabello, o mais superior, qua
pode lia ver, pelo diminuto preco de 5,000
rs. cada um : na loja de miudezas do bara-
teiro, na rua do Queimado, junio a de cera
n.33.
Calcado a 2,5oo e 3,000 rs., no
aterro da Boa-Vista, defrontc
da boneca.
Chegou novo sortimenlo de sapatOes de
1- 'ii 111 de lustro para homem dos melliores
que tem vindo do AraCaty a 2,500 ra., ditos
da Baha a 3,000 1 s., ditos de couro branco
1 11 e i.un. 1 rs., ditos de oreln a 1,120
rs., assim como um completo sortimenlo de
calcado francez de todas as qualidades, tan-
to para domem como para meninos, oque
ludo se vende barato, aiim de se apurar di-
ndeiro.
Charuteiras econmicas.
Vendem-se charuteiras econmicas, a 200
rs. ca la urna, a ellas antes que se acabem :
na rua do Queimado, loja de miudezas do
baraleiro, junto a de cera n. 33.
Luvas de pelica, para meninas c
meninos.
Vpiidera-'Se luvas do pelica, para meninas
o meninos de S a 12 annos, pelo baratissi-
11111 proco de 1,1.00 rs. o par: na rua do Quei-
mado, loja de miudezas, junto a de cera
n. 33.
Luvas para homem.
Vendem-se luvas d-i pelea, de ponto in-
glez, o mellior que .pdebaver em luvas, a
1.80O rs. ; ditas de algodso, brancas e da
Cores, propiias para montana, por seren
ene.o p ola-, a 300 rs. o par ; na loja do ba-
raleiro, na rua do Queimado, junto a loja
de cera n. 33.
Meias de Lia, para padre.
Vondem-se super'oies meias dnlaia, para
padre, pelo diminuto preco de 2,000 rs. o
par : na rua do Queunailo, loja de miude-
zas, junto a de cera n. 33.
Meias pretasde algodao, para
padre.
Vendem-se meias pretas de algodSo, para
a estrada que seguc para a Casa forte, e
frente pa'a a estrada do Arraial : Quemo
piolen ler dirij i-so a rua do Sol casa 11. 1.
1)K\ LUE UUS UO.UEiNS,
de miudezas, junto a de cera 11. 33.
Camisas de meia brancas e
pintadas.
Vondem-se camisas de meia, o mais Dno
que iodo daver, pelo diuiinuln preco da
2,000 rs ; dilas mais grorjas, a 1,200 ra.; di-
a joo rs.
Vende-se este compendio aprovado para _
as aulas, em meia euCadernacftOi a 500 rs ,. tas piuladas de muilo botillas coi es, a 1,000
Cada un: na liviana 11. ti o 8, da praca dalrs.: na rua do Queimado, loja de miudezas,
lu.loiiendencia. | juoto a de cera u. 33.
Vende-se cera di carnauba cm casa Ricas fitas lavradas.
t*J.J. Tasso Jnior, na ru. do Auiorim, Vendcm.s(< liUj Umdlii rte varias lar-
de sip.toes de lustro, obra boa : no ater-' furas' *n"i*nMS que se plemncon-
,,,. ,' i ,. 1,. ,, r>a ,,.i trar, e de muito bo iilos padrOes, aonde os
o wlleiro". jBC".'i'du. j8> J""101 freguwea pode,,, escolhef a V00l.de. t.m-
dado com os mobles e dezeuhos renieltidos
poucos l'uuilos
o motivo porque se vende
: a fatar na la du (rel-
iando, tem boje cdeg.do a um estado do
perfeicao tal, que DIO de inferior aos me-
lliores qi.'eoxislem em todo o imperio, tan-
to pelo que diz respeito a capacidado do
edificio, como pela excelleucia dos o.alo-
naos e pericia dos sous empregados ; o que
os dabilila a offerecer-se com confianza pa-
ra a pontual execucSo de toda a especie de
machinas de vapor, do qualquer tamanho
ou deacripcDo que sejam, (xas, para na-
vios, ou locomotivas. Igualmente cal ho-
ras para vapor de todas as dimensdes, coge
nhos para canoas movidos por vapor, por
agoa, ou por animaes, coa todas as varie-
commodos e Irerco : a fallar no Forte do
'lati com Jo.quim Francisco de Moni.
diV-if'.*.?" l0<,.U 1eBU?' culn1ua,-;letr d.des de moderna inveneflo. Tachas doto
ae73l,l52 rg., do nado capiUo Manoel .i. (,...h .,....,,7.____ .. '....".
Carlos "
Au
pelos senhores quo so dignarem de fazoro sedira a pessoa
iliesencommcndas, aproveilandua occasiile ,l0 |
liara agradecerein aos seus numerosos ami- ,, .'.
gos o freguezes a preferencia com que leeni "ncipios geracs ue economa pu-
blica e industrial.
Vende-se esto compon lio, .pprova lo para
as aulas de primeiras letras, a 480 rs. : na
prac> da Independencia, livraria n 6e8.
!*?#?* ????f ?aj>aa>ajaa>** v f>
fjj; Vende-se riscado de 1 pal nos de a)
a> largura a 120 rs. o covado a di'iheilO <)
%') avista: na rua do Crespo n. 10. 4)
V>-^*a* ******* **s.
Tuilo muilo bom e barato.
sido por ellos hniii .uin.-, e assegurain-ldes
que n.lo pouparilo sfor^os e diligencia
para continuaren] a merecer sua coulianca.
-- Antonio Joaqoiui de Andradc tem una
o.ra viuda do Poitugal: na rua doQu. 1-
iniiii) 11. 32.
-- Aluga-sc um escravo ollicial do pedioi-
ro : na botica da prar;a da Boa-Visti n 6
- Oir.ircce-se om rapaz brasileiro que s-
bo lo-, escrever, o contar, com exa 00 de
i.ii.'0,1 11.0 1 n 11, e alguns principios de la-
inn, habilitado pira ensillar meninos Cora Vend.-m-so oart'irinhas con sortimenlo
desta cidade, ou mcsiuo para oaixeiroda de aguldas, p.ra todas as qualidades de cos-
111a donlroda cidade: quem utilisar dirija- turas, a 300 ra.; C.ixinhas com seis papis
se a rua estrella do llozano n. 8, lujado de aguldas fianro eiicadernacflo peso finas, a 60 rs. a miada; ditas de car-
lilas muilo li-
A !:500 o par
Vende-se tiboaa e enciiamois de ce-
dro, loros de inglCO, o pedras de amollar:
tu lo en gado .- gura do I'i in do ; em casa
de J. J. TasSo Jnior, rua no Amoriru. n. 85.
Aos 0.000,000 tle rs.
Na rua Nova 0. i, .....lem-aeos mui afur-
luriadus bilbetes, meiOS, quartos, oitavos a
vigsimos da terceira lotera albcuelicio da
linca dos leei los do Molla, do Itio de Ja
nuiru, cuja lista cbegl 110 primeiro vapor ;
moslr.ini-so ais lis as das que ja correrain, e
reccliein-se bilnetes preuiiadus de todas as
lolenaa do imperio.
Lotera do l\io de Janeiro,
aos 20:000,000 de rs.
Na praga da Independencia, loja n. 3, con-
fronto a roa do Queimado o Crespo, V60-
dem-sc billietes, uieioi. quartos, oilivoso
vigsimos da tercura lotera a benelicio da
fabrica do tecidos; na mesma se nioslram
as lisias das que Ja curreram.
Aiteiicao.
Vnndo-so familia do trigo, propria para
ehapeleiros o livreiros, pelu barato preco de
1,800 r. a arroba, o por libra UO rs. : ua pa-
llara da rua larga do llozario n. 18.
Vende-se o Santo Milagre,
.ubi
guezes pode
bem si dilo amostras : na rua do Queiiia-
do, loja de miudezas, junto a de cera u. 33.
Na rua Nova n. loja de Jos Joa-
quim Mnita \- Conipaiiliia,
Vendem-se cdapeoszinnos de palba da
Italia o que tem appancidu de mellior para
meninas de tres a qualro anuos, sSo desa-
liados e enfullados com gosto e arte, o pre-
co nSo ser muito commodo porque a qua-
lidadc da palh. he superior a qumitos tem
aqu vindo desse genero ; luvas de seda da
cOres par homem e seudora imitando o
o.eldor possivel s do pi.lica ; plumas linis-
sim-s de qualquer cor pua chapeos de se-
nhora, franjas pretas laigas, ditas de cores
estrellas, e tambem um~bouito sortimoulo
de iianen- pretas o decores par guarnuOes
de vestidos ; tudo por presos que muito
convira oas compradores.
Mulduias iloiiiadas
de lodas os larguras : vendem-se no arma-
zem de kallkuianu IrmSos, ruad. Cruz, n 10
Vendem-se colieeces com
mais de seis lindas vistas, repre-
sentando a ponte do liecife com a
allandega, a ponte da Boa-Vista,
a cidade de Olinda.a ponte.do Ca-
cbang, l'oco-da-l'anella, e a rua
em rpie se manilesta ao publuo o|ja Cruzcom o arco do Bom-Jesus;
borroroso altcntado, extctitado
por mu tecelao 110 reino de Va-
ienfa, contra a seniellunra de IN.
Sr. Jess Cliristo, e o castigo que
leos llie deu, como ver o curi-
oso leitor; na rua das Cruses, lo-
Compras.
dos os tamanhos, alambiques de ferro de
Uto !"!B U8ar onn /qUVh.f- '-"'8 capacidades, insUumentos de agri-
deiru,' n. '" POr2 r u" ', r cullu^, ro,1,s *'** """"h" vento
Ihcuesa^ de todas as qualid.dcs. Alvarengaas e ern-
merme Selle, no alerro da Boa Vista n. 10. barcac(jct de ferro dequalquer porte ou for-
lluin .tugo. ma que se desejem. Puntes de ferro de to-
Alugam-see vendem-se tanto aos centos dos as dimensOes, gradaras, varandas, por-
comoa retaldomuiloboas bichas e muilo les, columnas, sinos hydraulicos, buiasde
grandes edegaias ltimamente de llambur- ferro, e n urna palavra todas as obras de
go, as u.cliio es que da no mercado por pre- lerro e oronze, de quo o paiz possa precisar-
o commodo, e v.m se .ppllcar par. mais Cracas a energa do governo, existe ja uma
conimodi ,ade dus pieleudenles : na rua
escolente ostia.la feita em linda recta da
estrena do Rozarlo, loj. de b.rbeiro n. 1. ponte da Boa Vista para o estabelecimento
-- AS a. Joaquiua lunada da Costa Mi- em Santo Amaro, oque oerece a-
"na., I.z atiente ao publico que nmauem commodidade as pessoas que o qui
manir
uizerem
.-----------..-----j."ivu que niniiuem
i"?, neguciu cum Juse Clemente l>e>eir. dus
^rqu^m^Vd^r-o .!uPrUon^ n. Collegio,ESpirito-Santo.
'u"u >"to. pon que tudo ser nuio, nao Director, be ncisco de Salles de
senuo a sua oiulher sabedora, pois que se
- delle, por sua pessima con-
'cd. separada
ducti.
Albuquerque.
0 director do collegio particular h'spirilo-
P'elendentes dirijam-se a praca da Boa-Vis- cremento Lopes Gama, director eral, e Dr.
n. 6, botica. Lourenco Trigo de l.oureiro, iospecfor do
Uma spnlinr.i .iranapin qoarto circulo, dos quaea mereceu a mala
loado recahHn c rangeira p|ena iprov,cSo, nSo s quanto ao material
guUr Si,,n Europ,' umi e Pr.aidenuTu,laJ.com licena do txm. Sr. condicOes de bygiene e commodidados,
coaUl,r^nprov.,OCI' "" ?'',,r *" como pelo que reapeila ao metboJo do en-
' particular de primeiras letras, para sino, rigor das disciplina e directo moral.
-- Compram-se algumas vaccas c cidras,
sendo boas leileras ; e as cabras anda nlo
tendo cria, comanlo que esle.m pijadas ;
tambem secumpr.ni ledas vi Idas, urna vez
quo eslejain capazos do servir: no becco
rele do 2ia) Jardas, a (10 rs. mus uimiv "- ;.
.nasaleonuinori. Ijt), de carretel encarna- ja te allaialf n. 09, pelo preco ue
'do e branco, dos indhorcs aulo< es quo ha 'g _s ..j, U||1
nlias da cutillaria, o rnais lino que p le ha-
Vende-se urna luida oscrava, de 22 n-
Itoztrio, pallara 11. 48.
Compra-se a traducr;5o da iVorwa : nes-
ta typographia.
I iininra e um sitio no inoini. a moe-
ila, com esa de taipa, na Cidade, Bebenbo,
Varzea, ou Alogados : quem liver annuncie,
ou va a rus dos Pires ti 42. nos di iS de tra-
balho das 8 huas da manhaa, as 5 da lar le.
Vendas.
lucos espedios.
Vende-se em casa de Avnal Frere ,\ Com-
eaiiina. na ma d. Cruz n. SO, espelnosde
vidro francezes, com ricas molduras doura-
las e sem ellas, do 3 al 5 ps de .llura, por
piceos rnuito eui conla.
Bilhetes do liio de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da praca da Indepen-
dencia o. 4, vendem-so monis bilhetes ,
qutrlos e vigsimos da.terceira lotera a be-
neficio da fabrica detecidos ; na mesma lo-
ja recebeu-se bilhetes premiados de lodas as
loteras em troca dos que tem a venda.
rs.; ditas de seda de cures, a 500 rs. ditas
preas, com palmas de cores, a 500 rs. ; li-
ndas linas de miada, para bordar, a 160 rs.;
meias lina-, para meninas, de varios lama-
niiiis, a -in, -vi o ,i.o i.- didaes (nos, a 40
rs. ; trniicinda de ISa, para Kuamicalo de
palitos do menino, a GO rs. a pecinda ; agu-
Ihas .-inloia-, a 40 rs. o papel; froco de lo-
das as coros, a 160 rs a vara, e outras mui
tas culi-as que se vendem mais barato do
quo en, ou?.. qualquer parte: na lujado por-*.,00 i^outra po fOOWr .^ou-
barateiro, na rua do Queimado, juuto a loja lr por 4uo,uoi
-- Vendoiii-se o naratissimos livros, his-
lorin sagrada, telemaco. e o pastor e a ove-
Itia : na rua-slrela do Rozarlo n. 35,
- Vende-se urna mora ita do casa nos Afo-
gadosno I ugo da Paz no correr da igveja
n. 13 : quem a pretender dinja-se a iu. Di-
reila, CSI 11. 105.
-- Vendem-so Iros prelas para liquid.cjlo
de contas, sem vicios nem achaques, urna
de cera u. 33.
faj) Voode-se um escravo aiud. muQO, o
(p de boa cunducta na rua do Crespo a)
n. 10. m
Fara iomcm.
Vendem-se bonets francezes, de panno,
muilo lino e de cabello, a 1,800 rs.; suspen-
sorios de seda, bons e fortes, a 500 rs. o par:
na loja do barateiro, na rua do Queimado,
junto a loja de cera n. 33.
Charutos de Havana
Vendem-se no aterro da Boa-Vista n. De superior qualidado: vendem-se no .0-
a, saccas com um alqneire de arruz de cas-jmazem de Kaikman & IrmSos, na ruada
ca pelo diminuto prec,o de 3,400 rs. I Cruz n. 10.
n. rua l>rg. do Hozarlo
35 luja.
Bequilitcs de seda, para enfeites
de vest ios.
Vendem-so requintes de seda, de lodas as
cores, proprios para vestidos, por seren es-
treilos, a 240, 320 e'nniis. avara: na rua
do Queimadu, luja de miudezas, junto a do
cora n. 33.
Capachos baratos.
Vendem-se capachos superiores, a 800 e
1,000 rs. : na loja do barateiro, na rua do
Queimado, junto a loja de cera o. 33.
Carapucas de seda preta, para
homem.
Vendem-so carapucas de seda preta, para
homem, pelo baratissimo preco de 500 rs.
bem como duas grandes vistas de
l'crnambuco: na rua da Cruz, 11.
o. cas< ; KalkmatiQS Irmo.
Instrumentos de msica
Vendem-se em caza, de Kal-
Ikamann Irmaos, rua da Cruz, n. t
os seguales instrumentos de msi-
cas. Baixos de Harmona, Trombo-
nos, C'larins' de chaves, ditos lizos.
Cornetas de chaves, ditas lizas,
(lanudas, llantas, Pfanos, Za-
bumbas, Caixas de guerra, Arcos
de Campanillas, fratos, Violes li-
nos c ordinarios.
\a loja clc Josc* .loaqtiiui Moreiru
a. 1 iniijiaiiiiin, 11.1 rua Novan, ti.
Vendem-so camisiohas de c.mbr.i., com
suas gotinbas, ludo mullo bem bordado, e
do '..'.no goslo possivel, pelo b.r.tissimo
10 eco de 2,000 rs.,s uente, esla um..
__Vende-se um grande sitin no lugar do
Manguinhe, que lica detrouto dos sillos dos
srs. Carneiros, com grande casa de viveu-
ila, de qualro agoas, grande seuzalla, co-
cheira, estribara, baixa de capuu que sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
bomba e tanque cuberlo para banbo bs-
tanles arvoredos de fructo: na rua do Col-
legio 11. 1*>, segundo andar. _d!
Mmmmwtmmmm^mmmmmmm
rCautois FailbetS Companhia.*
Contmua-se a vender no deposito
0 geral ua rua da Cruz n. Si, o excel-
4 lite e bem conceituado rape areu *
2 preta da f.bric. de C.ulois l'ailbetc 1
Compandia d. U.bia, em grandes e
m pegelas por0es pelo preso oslabe-
tmmmmw.m-.mmm-mmmwmm
Cha hisson muito bom.
Vende-se a libra a 2,560 rs. na livraria
do pateo do Collegio n. t>, de Joto da C.
ourado.



--
I ,. .,
Nova fabrica de chocolate homoso-
pathico
N nova fabrica de choeolalo homojopa-
ihico, se Mconlra o seguMBc chocolate ho-
mceopvthico approvido a'applicado palos
Sri. Drs. da honxopalliia : na ma das Trin-
cheiras n. 8, ba maia o seguinlo : o grande
chocolate Ooo amargo heapanbol para pe-
galo, dito entre fino temperado tambem
para regalo, dita para odiano ; cha preto, e
hiaso, superiorcae muido puro, caf poro
de cavada,canella muida,Jassucar refinado e
de carogo de toda qualidade. ludo muilo
bom; e vende-ae por prego commodo caf
em carogo, canda, e puxuia.
Gasa de commisso de escravos.
Vendeni-se escravos e recebem-
se de commisso, tanto para a pro-
vincia como para lora della, para
ra para a Cadeia,
brancoa de algodSo, com barraa, de corea e
o que se ollerece muilas garantas muitograndes, a 1,280 rs.; ditosescuros de
a da (Jadeia do lPl0# P"
modo : na ra do Vigario n. iy,
segundo andar, escriptorio de Ma-
chado rk Finlieiro.
Corles de brins de listras, para cal-,
sas, a i,44> >6oo e 1,800 rs.
Veodem-se corlea de brim de lislraa de
corar, a 1,440 rs.; ditos de brim amirello, a
1,500 ra. ; ditos brancos de puro liado, pro-
prie para ritires, a 1,800 rs.; sagaiOosdc
algodfio com 10 Ira varas, a 2,500 rs., a pe-
ta ; chales de Ha de bonitos padroes, pro-
prius para andar em casa, a 3,300 e 3,600 ra.:
na ra do Crespo, loja da esquina que vira
Sara a Cadeia.
lovo sortimento de cobertores, a
800 e 1,380 rs.
Na ra do Crespo, loja da esquina que vi-
vendem-se cobertores
a seus nonos : na ra
IVecifen. 61, primeiro andar.
Para as escolas.
Vende-se no pateo do Collegio, loja do
livro azul a aynopss do genersl Abreu o Li-
ma, ltimamente adoptada pelo l.xro. presi-
dente da provincia como compendio de le
tura e historia do Brasil as escolas prima-
rias da provincia.
Prego em brochura 2,560
Encadeinada 3,200
w999w9w9wwww9w9999
ABADOS AMERICANOS. ?
Vendem-se arados aineri- j*
canos verdadeiros chegados $
dos Estados Unidos : na ra
do Tiapiche n. 8. 4
#># e>ayo
Farinba fontana no armazem
do barateiro Joaquim da Silva
Lopes, na porta da alfandega.
Atlencio.
Vende-se urna macbina completa, nova e
muito superior, da forca dequatrocavallos,
alta pressSo, cum a sua compleme moeii-
dadeassucar, por preto barato. Adverte-se
que vende-se a macbina junto ou sem a
moenda: dirija-se em casa de Admsoo llo-
vrle & Companhia : no trapiche novo 110 llc-
cife n. 42.
Deposito de cal e potassa.
No armazem da ra da Cadeia
do Hecife n. ia, ha muilo supe-
rior cal de Lisboa, empedra, as-
sim como potassa cbegada ultima-
mente, a precos muito rasoaveis
Vendem-ae dous arados americanos pe-
queos, com os competentes appirelhos pa-
ra seren puchados por ci vallo,profiri para
plaotagOes de capim, tambem duas grades
americanas proprias para algum engenho :
oa ra do Trapiche n. 8.
A ttcncao!
Casemlra de algodao c l.a a :,000rs., cha-
peos deso de paninho proprfo para o campo, a
1,000 rs., dii'j's de seda de cor, ingleses a 7,000
rs. ; cortes de fuslao para colines a 500 rs.;
novos paoos nos a prova de limito de cor ver-
de eaaul a 4,500 rs,;ditos pretos de 3,500, a
10,0000 rs.: chapeos fraiicerri dos mllhores
que temapparecldo a 6,500,7,000 e 7,500 rs.;
bro de linho branco fino corte 2,500 ra.; al-
paca de lioho e seda mu propria para roupa
de meninos por ser encorpada c escura a 040
rs., o covado; no armazem de fazcadas deGou-
vela It Leitena ra do (Judiando n?27.
Farinba de mandioca.
Vende-se farinha de mandioca a mais no-
va que ha no mercado, e por baratissimo
preto : na ra da Cruz n. 13, armazem de
J. C-Augusto da Silva, e no caes da Alfan-
dega, armazem de Antonio Annes Jacome
Pires.
Vendem-se os seguinles gneros de su-
perior qualidade muito om conta, queijos
londrinos frescaas di los de prato ptizun-
toa para fiambra, ditos baniburguezes, di-
tos portugue/.cs melgsso para pacolla, lalas
com bolacha de l.isbua, ditas com chocolate
de cauella de l.isbos, frascos com conservas
uglezts,hcela e caixinhas muilo asseadas
com massas linas para sopa, garrafas de vi-
cho muscalel.de situbal, diUs cum uiio lei-
toria do porto, ditas com dito de carcavel-
los branco,(lilas com dito de colares: na la
da Cruz numero 46 defronte doSr. I)r. Cos-
me de Sa Pereira.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na Huilla.
Vende-se, em casa deN. O. Uieber&C. ,
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado quelli rabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por prego com-
ra escravos, a 800 rs.; gangas de
quaJnnhos, para roupa de escravos, a 120
rs., o covado e outras multas fazendas, por
preco commodo.
Pechincba Econmica.
He ebegado ltimamente um novo sorti-
mentodebrina pardos, de linho,escurse
claros pello barato preco de 1600 rs- o cor-
te; ditos de linho e algodSo padrOes mo-
dernos e de bom goslo a 1280 ra o corte : na
ra do crespo n. 14 loja de Jos Francisco
Diaa.
\ (IDADE PE PARS.
modo.
fSSB0* 11 un do Collegio n. 4.
Novo sorlimento de cbapeos de sol, para
bomem e senhora, a saber :chapeos de
sol de seda, armar.) do balis, de 4,500 rs.
para cima; ditos ditos para senhora, de 4,000
rs. para cima ; ditos de panno lino, do ar-
mario de baloia e de ferro, de1,600 a 3,200
rs.; ditos ditos de armagSo de junco, de
1,200 a '.,800 rs., lodos limpos : grande sor-
timento de sedas e pannos, em pegas para
cobrir os mesmos, baleias para vestidos e
espartilhos de senboras, Concortam-se to-
das as qualidades de chapeos de sol, ludo
com perfeigSu e por monos prego do que om
outra qualquer parte. *
Attencao a pecbincha.
A 240 rs., na rua do Crespo n. 14, loja de os
Francisco Olas.
Vendem-se (Inissimas chitas francezas co-
res multo fizas, padrOes lindos e de novos
desenhos, fingindo cassa, pelo barato preco
de 240 e 300 rs. o covado, ditas esteitas de
novos padrOes a 200 rs. o covado, brim tran-
cado de puro linho cor de chumbo e ama-
relio a 1,600 o ni' le, los pretos mullo gran-
des a 2,000, riscado francez a 160 rs. o cova-
do, e chitas escuras a 160 rs. o covado,
assim como outras muilas fazendas pelo
barato prego.
Aos 5:000,^000 de rs.
Lotera de N. S. do 1.i vi menlo.
O ciulelista Salustiano de Aquinu Ferrei-
ra, faz sciente ao respeitavcl publico, qu
as rodas da mesma lotera, andam infalli-
vel 110 dia 30 de qoslo vindouro, e as suas
mui afortunadas cautelas oslSo expostas a
venda, na oruga da Independencia n. 4, loja
de miudezas ; na ra da Cadeia do Hecife
n. 46, loja do miudezas ; 00 aterro da Boa
Vistan. 58, loja decalgado, e na ra Direita
n 124, loja deourives.
Premios corresponden-
tes a sorte de 5:000/j
acaba-se de receber um completo sorlimen-
to (*e taixai de 3 a 8 palmos de bocea, aa
quisa acham-ae a venda por prego coa-
modo, o com promptldo embarcam-ee, ou
camgam-ae em carrol sem despaza ao
C da fundico Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 49.
Ntt* riahr-lepirnento conli-
na a ha ver um completo sorli-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Vende-se
Arroz de casca,
Farello novo,
Cha preto,
Chumbo de municSo,
Cimento,
vende-se tudo por pregos commodos : no
armazem del. J. Tasso Jnior, na ra do
Amorim n. 35.
Pannos Unos de todas asuna-
lliades.
4
Na ra do Crespo, loja da esquina, que
volta para a Cadeia, vendem-so panno tino cmSm rhitm tarea* tlnaa > tan
preto, a 3,000, 3,500, 4.000, 4,500 e 5,000 ""Jf Chl.US l,rg" e.ul1" "
rs.; dito azul a 3,000 4,000 rs., e muito su- p,|we u com vart de |,rgur,.8oo
perior, a 5,000 rs.; dito verde, a2,800rs.;<
dito muito claro, a 4,000 rs. ; dito curdo
ra o.fabrico do sabSo ;' 4 ditas pa-
ra derreter sebo} todos os per I en-
ees necessarios para o fabrico do
tearina e sbSo ; y esersvos en-
tendedores do servico gerol da fa-
brica ; i terreno annexoa fabrica,
com 7 bracas "de frente ei5 de
fundo ; 1 dilo fronteiro a mesura
fabrica, com 18 bra9as de frente e
38 de fundo ; as pessoas que pre-
tenderen! comprar, pdem nesta
praca dirigirem-se a J. Keller &
Companhia.
a ra do Crespo n. a3.
Veodem-se asse'guintes fazendaa baratas:
Chitas linas a ISO, 140 a 160 rs. o covado.
Ditas modernas a 5,000 ra. a peca.
Luvaa de reda bordadas de seda a 120 rs.
Meios cbalea de tarlatana a 320 rs.
alelas de algodao pretas para senhora a
480 ra.
Longos de seda para grvala de bomem a
480 ra.
bitoa de cassa e seda para dito a 320 ra.
Meias linas para meninas a 320 ra.
Lencos decambraia com bico a 320 ra.
Riscado francez muito linos 160 ra.
Cortea de casemiras linas e modernas a
5,000 ra.
issis chitas largas e duas a 320 rs. o co-
vado.
rea: vende-ae ma
a 600, 560, a 520 1
melhor C 0,200
prelo do melhor ,,-.
1950 a libra, tan Um embrultios hien* p,rleB0,n 4 nSS. c... : ^ ",n ''""o,
e d urna l.bra; um embrutho por 650 ra dirlj-aa roa da Cadeia do Rccrfe
1.........iiini.......111.....rini ''"'iMsTMBii1 --------
de carniuba a!80 ra patea a 240 rs., clioo- \ *
ricas a 320 ra., presuntos a 400 ra., aletna (
a 200 rs., ervilhas a 120 rs., sevsdinhi a 160
rs., f.riiiliadoaraiuUa 120 rs dila do lia- |
ranho a 80 rs., arroz pilado do MaianhSo a
100 rs., bolachinha ingleza a 200 rs dila de|
sS
Vende-ae esta xeellente faiend, '
ia ra do Crespo n 10, M |0i, '
B. Taborda "' W
-jzacasde DrTmdelmlio fino iTnS,*
ararutaa240rs..cevadaa100rs.,chicolale p,|jt0 a 5000 na rua do c '',
de Lisboa do melhor autor a 320 rs. a libra,' loj, de L B Taborda. v ,0i
rap, a 3,000 e 3,500 rs.; cortes de casimi-
ra preta, a 5,000, 6,000 e 8,000 rs.; ditos de
cor, a 6,400 rs., e outras fazendas o mais
barato possivel.
Cera de carnauba.
O mais superior que ha oeste genero, ven-
de-se em porcao e a relalho : na rua da Cadeia
do lU'eile, loja o. 50 de Cunha Ik Amonio.
Aindamis pechincha..
rs. o covado. E outras muitaa fazendaa
por prego commodo para acabar
Na loja de j. Joaquim Morcira Se
Companhia, rua Nova n. 8', em
frente rua da Gamboa do
Carmo.
Cootinua-ae a vender tdmiraveis espar-
tilhos de puro linho psra senhora, bem
Cortes de casimira p'rcta, lina, por 5,000 guarnecidos de baleias, e muito bem acaba-
ra. ; ditos de coros, a 6,400 rs. ; brim bran- l^oa, nflo excedendo soo prego de 7,000 rs.
co (raneado de linho, a 1,800 rs., o corte da Por caJa "', chicotes cobertos para carro
caiga; dito escuro, a 1,600 ra.; dito dalia-'palo baratissimo prego de 3.000, sapatosde
tras, a 2,000 rs. : na rua do Crespo n. 6. cordavSo um pouco mofados para senhora
Nova [iiel India. 1,000 rs. o par, chapeosinhos de todaaaa
Corles de cassa chita, a 2.000 rs.; ditos dechi-1 qualidades para meninos e meninaa, pentea
ta inteiros com tcovados, a 1,600, 1,800 I de tartaruga para coco do ultimo gosto, len-
2,000 rs. cinhos abarloa de retroz que muito se ustm
Na loja da esquina da rua do Crespo, que 'agora, manteletes e capotinhos pretos e de
volta para a Cadeia, vendem-se cortes de i furia cores, que se venderio maia barato do
cassas chita, a 2,000 rs.; ditos de chita, a iqueem outra qualquer parte, capotinhos
1,600, 1,800e 2,000 rs. ; ditos de cambraia |ou gihOes de fil branco guarnecidos do
branca com listras de cores, a 3,000 ra.; di- tranga pelo diminuto prego de 8,000 ra., lu-
tos de salpico, a3,000rs.; corles de coleto 1 vas de todas as qualidades quer para homem
ile fusto do ultimo gosto, a 1,600 rs., e ou- 'quor para aenhora, dilas de camurga e cas
Pregos dss cautelas.
(Cuartos 2,600
Quintos 2,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600
1:150,000
920,000
460,000
230,000
Sara curar da phtysica em todos os seus
ilferentes graos ou motivada por consti-
pagOes, tosse, asthma, pleuriz, escarros de
sangiie, dflr de costas e peitos', palpilago
nocoragSo, enquelucho, bronchiles dr
de garganta e todas as molestias dos or-
gSos pulmonares.
De todas as moleslias que por heranga li-
camaocorpo humano, nenhuma lia que
mais deatruitiva lenha aido, ou que tenha
zombado dos esforcos dos homens mais
eminentes em medicina do que aquella
que he geralmente conhecida por moles-
tia no bofe. Em varias pocaa do ae-
culo paasado, tendo-se olTerecido ao publi-
co diferentes remedios com altestados das
extraordinarias curas que elle tem feito ;
porm quasi que em todos os casos a iluslo
tem aido apenas passageira e o doente
torna a recahir em peor estado do que ae
chava antea de applicar o remedio (So re-
rommendado oulro tanto nlo acontece
com este extraordinario
Xarope de bosque.
Novaes & Companhia, os nicos agentes
nesta cidade provincia, a nomeados pelos
Snrs. R. C. Yates & Companhia, agentes
geraea no flio-de-Janeiro mudaram o de-
posito deste xarope para a botica do Sur.
Jos, alaria (i. llamos, na rua dos Quarleis,
de polica, onde
~ Vendem-se velas de espermaceti, em
caixas.de superior qualidade : em casa de
J. Keller f, Companhia: na rua da Cruz nu-
mero 55.
-- Vendem-se cera em velas ,
fabricadas om Lisboa c no Uiode
Janeiro, em caixas de 100 libras
sortidas, de 1 a 16 em libra, e tam-
bem de um tamanho, por me-
nos preco do que em outra qual-
quer parte : trata-se no escripto-
rio de Machado & Pinheiro, na
rua do Vigario n. 19, segundo
andar.
Tecido de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia n. r>>.,
'vendem-se por atacado duas qualidades
proprias para saceos de assucar o roupa de
escravos.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambio de sicupira e braco
de ferro : na fundico da rua do
Brum ns. 6, 8 e 10.
Vendem-se amarras de ferro: na rua
da Senzalla nova n. 42.
Lotera de N. S. do Livramento.
No aterro da Uoa Vista, loja de calsadon
58 vendeu-se alm de outros premios e
meio biihele n, 513, em que sabio 1:600,00o
ra., da lotera de N. S. do Livramento, o
na mesma loja estao a venda bilheles,
meios, quartos, quintos, decimos o vigsi-
mos da mesma lotera, a qual corre uo dia
30 de agoalu crrente.
Ilillicles 10,000
Meios 5,000
Din casa de J. Keller Al Com-
panhia, na ruada Cruz n. 55, acha-se a ven-
da o excelleolo e superior rinho tic Itu-
cellas, om barra Ja 5.*, he muito recom-
mendavel aa casas estraogeiras, como ex-
cellente vinho para pasto.
Moinhos de vento
eom bombas de repuebo para regar hortas
d baixas de capim : vendem-sena fundigao
de iiownian ot Me. Callum, na rua do Brum
na. 6.8 e 10.
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
oa rua do Brum ns. 6, 8 e 10,
lundicao de Ierro.
-- Vende-se auperior cognac velbo, em
harris de 12 a 24 caadas : na ma da Cruz
n. 55, casa de J. Keller & Companhia.
Vende-se geaso em barricas, vindo no
tor psra militar, damasco de seda de todas
as cores, aasim como urna pega verde mofa-
da que ae vender por muito menos deseu
valor, chales de seda cores escuras e boni-
tos padrOes, inclusive alguns com seu boca-
dinho de mofo que tambem se venderSo por
menos de seu valor, grvalas de molas, se-
das de todas as cores para chapeos, setin,
tantas, e um bello sorlimento de perfuma-
ras e calgados, e outras muilas fazendas
que na mesma loja se vendem por prego
commodo.
I'ara llores
Vende-se vasos de todos os'.tamanhos pa-
a flores, do melhor gosto que tem appare-
cido nesta praga : na rua da Cadeia do He-
cife n. 8.
No aterro da Boa-Vista, loja n. 18,
defronte do tribunal do
commercio
Vendem-se fazendas muito baratas, men-
ciona-se aqui o prego de algumas para ani-
mar mais oa compradores ; como sejam
chitaa linas de cores (Izas e escuras a 5,000
ra. cada urna pega de 38 corados, algodOes
trangados escuros o muito encorpadox, fa-
zenda ptima para o uao domestico a 160
rs. o covado, isto he em porgOes, meias para
meninos de dous annos a 40 rs. o par, brins
le puro linho a 240 e 280 rs. o covauo, cas-
sas francezas a 500 rs. a vara, editas escam-
pinadasde 10 jardas a 1,920 rs. cada urna
pega I!!
ra admiraco vender fazendas por
t3o barato pirro.
Cortes de cassa chitas com 5*varas poTl600
rs., ditos com 6 varas por 2,000 rs-, pegas da
chita com 38 covados por 5,000, 5,500,
6,000, 6,400 rs., lencos de cambraia de li-
nho para mSo de senhora e bolso de homem
por 320, 360, 400, e 560 rs., ditos de cam-
braia de algodao com letrero muito engran-
cado por 280 rs. cada um, e muitas mais fa-
eodas por prego commodo : na loja da rua
io Crespo n. 6.
CAii brasileo.
Cha brasileiro em lalas de urna libra a
2,000 rs. cada urna. Quem,considerando que
o chi da india he proparado com o ail, e
aecco dentro de vasilhaa de cobre, e por con-
sequencia impregnado de materias veneno-
sas, (jue iiifectam a siude, no proflrir de
oerto o cha brasileiro, que'he preparado de
um modo muito simples, o secco sbrela-
^ minas desterro, tornando-se por isso mes-
JMAMAM'*M. **i ^M l ?ftu;!11m,.f s;,ud.T\? Vend",'M n0 p"-
- Vende-se saccas com leijSo teo do (-ollef10' c,sa
tras muitas fazeudas por prego commodo.
M&si tt mat''^M ea)^A:YtVeESB)aBksaj
a> \ l^oilo para saceos. 0
t< Vende-se muito bom algodSo para #
saceos de assucar, por prego comino- #
< 4 rua da Cadeia n. 37. (0
< Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez : na rua
da Senzalla Nova n. \i.
Moendas superiores.
Na fundigSo de C. Slarr Companhia,
om S.-Amaro, acham-se a venda moendas
de canoa, todas de ferro, de um modelo e
construego muito superior
Arados de ferro.
Na fundigo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Anligo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em nedra,
chegada ltimamente de Lisboa
na barca Ligeira.
Agencia de Edwin Maw.
Na rua de Apollo n. ti, ariuaiein de Me. Cal-
neini .-- Companhia, acha-se constantemente
bons sorlimentos de taixa de ferro coado e
balido, tanto rasa como fundas, moendas in-
elras todas de ferro para animaes, agoa, ele ,
ditas para armar em madeira de todos os l-
mannos c modcllos o mais moderno, machina
horisontal para vapor, com forca de 4 cav-
los, coucos, passadeiras de ferro cslanhado
para casa de pulgar, por menos preco que oz
de cobre, escovens para navios, ferro ingles
tanto cm barras como em arcos folhas, c tudo
por barato preco.
wvWfVVfVf fffVf*?e
c
*
Deposito de tecidos da fabri-
i- ca de Todos os Santos,
^ na Babia. !J
a> Vende-se em casa de Domingos Al- < ves Matheus, na rua da Cruz do Re- *
s>- cifen.52, primeiro andar, algodSo <
* transadodaquellafabrica.muitopro- *
P" prio para saceos e roupa de eacra- 2
vos, assim como lio proprio para re- ^
des de pescar e pavios para vellas,
por prgn milito commodo.
ioueinho de Lisboa a 280 rs dito de Santos
a 120 rs., caf do carogo a 160 ra, palnsoa
480 ra. a cula, milbo alpiata a 800 ra., arroz
de caaca a 120 rs., milho a 160 ra., queijos
dos mais novos a 1200 rs., vinho de Lisboa!
a 240 rs., dito da figueira muilo bom a 200
rs., dito musca te I a 400 ra., azeite docea
400 ra., vinagre bom a 80 ra. a garrafa, dito
de Lisboa a 140 ra., serveja preta a branca,
em garrafaa intalraa a 440 rs dilas meias a
280 ra., e tambem grande aortimento de
charutos de muito boas marcas, a muito em
conla, isto tudo se vende no aterro da Boa-
Vista n. 54, venda Junto a loja doSr. Esti-
ma, e na rua Nova n 71, vouds pintada da
verde ao peda ponte.
Anligo deposito de cal
. virgem.
Na rua dos Torres, armazem n.
1 a, ha muito superior cal nova em
pedias chegada, ltimamente de
Liboa.
Para acabarse.
Vendem-se na rua do Livramento, loja n.
11, eateiras muito boas, por sorem graudes
e dobradss, ptimas para ae estender em
urna silla, podando aervtr para dormida de
4 ou 5 pessoas; assim como sapa tus de du-
raque preto para aenhora a 9"00 ra. o par.
Vande-se sacca de superior farinha de
Santa Calharina e muito boa medida por
menos do que em outra qualquer parte:
na rua do Collegio ns. 21 e 25, venda da
quina que foi do Sobral.
Vendem-sa 14 escravos, sendo um mu -
leque creoulo de idade de 12 annos, t es ea-
cravas mogas de bonitas liguras, enlendeu-
do deservigo decampo, trea mulaliuhosde
idade 15 a 20 annos, cinco eacravas pardas
boasangommadeiras, e cozem elido, duas
eacravaa de todo o servigo : na rua Direi-
ta n. 3.
Vinho de Chapagtie,
de superior qualidade : vende-se ji" arma-
zem Kallkmanu IrmSos Rua da Cru'. O. 10
Tinta eiu oleo
branca a verde : vende ae no armazem de
kallkmanu Irmflos, rua da Crnz.nrlO
Espelho de parede
com ricas moldurus: vendem-se" 00 arma-
zem de Kllkmaon IrmSos, rua da Cruz n. 10
Livros em brancos
vendem-sa no armazem de Kallkdlann Ir-
mSos, rua da Cruz, n. 10

a/, Vendem-se riscados largos a 160 ra. sk
# o covado, sarjSo largo de 4 palmos a ;*)
tmeio fazenda para escravoaa 320 ra., #1
e mais estreilo a 260 ra., mais absixo
a>> a 220 rs., cambraiaa.sedss, manteletes
a> de lilo, faunos linos, o oulras muitas
>r fazendas modernas e muito btrataa:
sjjv na rua do Crespo n. 10, loja de J. L.
a> II. Taborda.
w###$#$##ia)#>)9
Cobertores.
Vendem-se cobertores de encerado muito
finos, para cobrir mesas e bancas : no ar-
mazem de Kslkmann & IrmSos, na rua da
Cruz n. 10.
-- Vende-ae no armazem de Kalkmaun &
IrmSos, na rua da Cruz n. 10, um grande
sorlimento de copos e cliz de todas aa qua-
li ladea, apparelhoa completos de vi iro, ap-
parelhos para poucho, fruteiraa, compotei-
ras e garrafaa finas.
a rua do Hoapicio, n. 14, vende-se um
cavado nlasJo, gordo.com bons andares,
muito bom para os piaaeios de festa
Vende-se urna vaca, com a aua compe-
tente cria, assim como um terreno com 180
calmos da frente, e 240 de fundo, a prego
de 3,000 o palmo, e tambem ae vende ma-
nos porgSo, conforme o comprador quizar ;
no aterra da Uoa-Visti n. 14.

Na rua do Crespo n. 10, loja de J. L.
B. Taborda se vendom anda alguna
chales da seda de botutos padrOes
pelo diminuto prego de 4,500, 5,000,
e 6,000 rs.
n. 12, junto ao quarlel _
sompro acbarSo o nico, e verdadeiro, a 1 ultimo navio chegado de franca, leudo ca-
5,500rs. agarrafa, a3,000 ra. meiaa gar-'da barrica 20 arrobas pouco maia ou me-
rafaj. nos : na rua Ja Cruz n. 55, casa de J. Kel-
Vendr-sp rali venac-se cola-o 10 oran-, xlxas pnra engenlio.
de, em barricas e por preco com-1 Na fundico de ferro da rua do Brum,
nolatinbo, de superior qualidades
e prximamente chegado do Rio
de Janeiro : no caes da Alfande-
ga, armazem grande tlefronte da
rampa.
Cha hisson.
Vende-so cha bisson de boa qualidade a
500 rs. a libra : na rua do Crespo n. 23.
Deposito de cal e potassa.
Cunha^i Amorim, vendem barriscom cal
em pedra, chegada pelo ultimo navio de
Lisboa ; ditos com potassa de boa qualida-
de; .....n exageragSo declaram, que ven-
dem por menoa prego do que em outra qual-
quor parte i na rua da Cadeia do Recife n.
50, ou no becco do Monteiro, oitSo da loja
dos mesmos n. 2.
Vendem-se dous negros de nagSo, de
bnnilas figuras, representam lera idade de
35 annos : quem pretender dirija-se a rua
do Amorim ns. 56e58: a tratar com Ma-
non d< suya Santos.
Vendem-se microscopios para se verificar
sedulas, e ver-se qualquer objecto por mal
pequeo que seja, estas louelaa sao Indlspen-
saveis taoto ao commercio, como a clrurgla '
na rua larga do Rozarlo n. 3j, loja do Lody.
fende-se no Maranh&o, a fabrica
de bugias stiarinas e sbelo.
s administradores da liquida-
ra o de Theodoro Chvanos, ven-
dem a fabrica denominada Mara-
ohensc, na rua do PiopontSo, dea-
ta cidade ( porlo dos remedios) ,
a saber : casaem que eat mon
tada a fabrica, com ao bracas de
frente e t5 de fundo ; a prensas
hidrulicas, orisontaes de forca de
600,000 libras, cada, urna ; 1 dita
vertical de forca de 400,000 libras;
Cada um 3ao rs.
Na rua do Queimado defronte do becodo
peixe frito toja n. 3 vende-so bonets de pan-
no Francez pello baratissimo prego de urna
pataca cada um estes bonets sSo recomen-
daveis nSo s pela baraleza de seu prego co-
mo tambem pelos seus agradaveis padrOes.
Vende-se um cavallo castanho novo :
nn rua do Collegio 11. 18, segundo andar.
Vende-se urna bonita escrava crioula,
recolhida, com 18 annos de i lade, sabe co-
ser camisa de homem com perfeigSo :
na rua larga do Rozario n. 22, segundo
andar.
Paginas de juvenlude.
Por Lamartine.
Vende-se pelo mdico prego de 2,000 rs.
encadernagSo iuteira: no pateo do collegio,
casa do livro azul. Esta excellente obra
vertida em bom portuguez, e precedida de
um interessante prologo do traductor, he
urna das mais bellas inspiragOea de seu
autir.
-- Vende-se plvora fina : na
traversa da Madre Dos n. 6, ar-
mazem.
Cha preto superior.
rva mate, muito nova.
Vende-se na travessa da Madre
de Dos n. 5.
Veudem-se superiores e
Jskv.modernos chapeo- de castor
branco, por mais barato pre?o que
em outra qualquer parle : na pra-
ca da independencia, fabrica de
chapeos de Joaquim de Oliveira
Maii.
Com dinheiro avista.
Quem quizar poupar venha ver o comprar,
poia o ganho de quem veude Oca as
iiiSoj dos compradorea, a aempre licam lo-
JLengosde Cambraia de
Linho,
a 3ao, 4oo, Soo, 600 rs. e novas
cambraiasde cores, a 3ooo, e 35oo
rs. o corte com 8 varas e meia.
Na Rua do Crespo, na esquina, que volta
para a cadeia, vendem-ae lengoa brancos de
Vende-ae um estravo de bonita lis
e perito odlcial de pedreiro; um bonito mi'
locte de 18 anno, muito robusto ; 2 ."
tas com habilidades ; 2 negros bons trh,"
Ihodores de-anchada, e 1 mulalioho den
annos, muito esparto : na rua larga do Un"
zario n. 22, segundo andar. "
Para enancas.
Vendem-aa touqainhas de seda prol
ra criangas, fazenda muito auperior {.l
ra.; maracta muito bonitos, com t'reji
ques, todos differenlea, a 240 e 121) r, ?'
um: na rua do Queimado, loja de nj'iud.'
zas, junto a de cara n. 33. "
artas finas para voltarcte.
Vendem-se superiores carias, p.ra ,0ii,
rete, pelo diminuto prego de 640 ra 0 ha
ralbo : na roa do Queimado, loja de miu"
dezas, junto a de cera n 33.
Vende-se lo i te puro das 7 honsits,
9 da mantiSa a 60 ra. a medida : nariua?
AssumpgSo u. 36, segundo andar.
Escravos fgidos.
Dasappareceo em o mea de fevereirn
prximo piaaado, um escravo da noma Jos
de nagSo, que representa tar trinla a qn,!
renta annos de idade com oa ajf aes seauin
tea : tem urna belideem amoaolhna, sac
co do corpo, altura regular n pouca barba
levou camisa e seroula de algodSo da larri'
pouco desembaracado na falla, cujoescrav
foi comprado ao Sr. Thomaz Antonio Ms-
ciel Monteiro : pede-se as aulhoridades po-
ItciaeacapilSeade canpo onde quer qm
seja encontrado que o prendi, e que por
esta mesma folha o annunciem, para ser
procura lo, 00 o conduzSo ao seu Sr., J0|n
Francisco do Reg Maia, na povoagSo de
Apipucos, que terso bOa gratifieagSo.
Deaappareceu 00 dia 15 do correle
um muTaqrn crioulo por nome Paulioo '
de idade de 10 anuos, pouoo mais ou ras-
os, cor amarellada por ter vicio, nariz ahi-
to, levou camisa de algodSozinho suja
caiga de riscado, sem chapeo, esle escrito
he do Sr. Antonio Jacintho da Silvaira di
l'nna : quem o pegar leve-o na rua da Ci-
deia do Recife o. 51, ou na rua do Lini-
mento n. 26 segundo andar que sari recom-
pensado.
uesappareceu no dia 19 do crrante o
cabra Romualdo, porm ha da auppor que
troque o nome, representa ter 45 annos
com alguns cabellos brancoa, e o reato mui-
to pietos c estirados, falla descangids, foi
de b.irba feila, repsenla aer corpuleuto,
levou camisa da IgodSosinho a caigas de
brim branco aojaa, chapeo de couroauai
Iroxinba de roupa: esta cabra velo doCoaia,
quemo pegar leve-0 na roa da Cadeia Jo
Recife n. 51, que ser recompensado.
Desappareccu no dia 12 do correntio
mulato acabralhado de nome Francisco; be
seco do corpo, altura regular,represenla ler
18 annos da idade, cOr de canalla, bocea pe-
quea, baigos rozos, cabellos estirados e
bem pretos, pes bastantes chatos, e os dedoi
bertos, quando fallar afecta querer ser in
3 grandes caldeiras montadas, pa-1 grados o mal servidos, os amos ou senbo-
cambraia de linho a 320, 400 e 600 rs'cada um
cortesdecambraiasde cores,a3080, e3500ra.
o corte com 8 varas, e meia e outras muitaa
fazendas por pregos commodos.
Livros venda
Vende-ae Tratado de imdammagOes prece-
dido de l'hisiologia e Pathologia, por Antonio
de Almeida, 4 Tumos em 2 voluntes Tratado
completo de Medecina operatoria com huma
disserta gflo sobre o methodo mais simples e
seguro do trataoiento das feridas de armas
de fogo, com estampas, tudo por Antonio
de Almeida, em 5 volumes; Novo elemento
de Pathologia Medico Cirugio ou tratado
theorico e praticodeMedecina, a cirurgia, por
L. cu. Roche eL. J S tisun, em 2 fo I um es ;
Elementos de anatoma compostos por Fran-
cisco Soaies Franco, em 2 volumes; Tratado
ellementar de anatoma, ou descripgSo sus-
sinta dos fJ'gSos, edos ellomontos orgnicos
de que se compOe ocrpo humano, por A.
L. J. Rayle volumo ; Phormacopea univer-
I, por A. S. L. Jourdan, em 2 volumes ;
lliciona'iodoa termos dem(lcioa, Cirurgia
Autonoma, l'harnecia, Historia natural,
l'hizica, por Jourdan, Sansn Begin eoutros
em 1 volume toda a historia da conquista
Franceza desde 1792 athe 1815, em 27 volu-
mes ; os ordenagOea do reino com o seu re-
Eertorio; tudo por prego commoJo, na Ta-
nca de cbapeos de seda, no Paaseio Publi-
co, n. 23. .
Vende-se dois novilbos, proprlos para
ranchos de Navioa pela aua novidade o gor-
dura : a tratar com Manoel Luiz da Veiga,
em Sauto Amarinao.
Vendem-ae na rua das 5 ponas a ca:as
terrea u. 81, a qaul tem da frente27 palmus
emeiu de fundo 63 ditos, com commodos su-
ficientes para huma familia em chSoa propri-
e fundo da mesma caza outro chaos com
amasma largura da caza, e com 28 palmos
c deundo, que faz frente com a Fortaleza daa
5 pontea, em que pode-se fazer outra pro-
piiedade : vendem-ae para cumprimeatos
d clegados na rua direita, lado Jo Tergo, na
caza, Francisco Ramos Maya, n. 402, das8
horas da mannfia de as 3 da tarde.
Vende-se uina morada de easa terrea n.
12, sita ao paleo de Santa Thereza em Ollnda,
glezada, e he muito pronostico, levou cami-
sa de algodSo do riscado americano, e calca
de casemira azul com liatra ao lado, chapeo
de palhinha do Aracaty com fila prela:
uem o pegar lave-o na rua da Cadeia do
ccifen. 51, que aera bem recompeusado.
Deaappareceu no da. 30 do corrente
urna preta de nome Antonia, de naglo An-
gola, representa ter 28 annos da Idade, es-
tatura regular, cheia do corpo, bem fallan-
te, e nSo he feis, tem urna cicatriz de reino
na pi, levou veatido de chita rocha, sin
preta, panno da costa; consta que foi vista
em Santo Amaro. Eala escrava costumi
inlitiilar-se forra : qualquer potaoa a poda-
r prender e lavar ao seu aenbor Antonio
Maia Cortes, na padaria da rua das Larin-
ieiras, que ser gn*r9!smf nts recoapea-
sido.
Deaappareceu no dia 27 do correntr,
pelas 8 horaa da noita o escravo Jos da ida-
de pouco maia ou menoa de 32 annos, alto,
e ebeio do corpo, olhoe grandes e muito
aboloados, roalo regular, barba por baixo
do queixo, semblante trislonho, pernal
compridas, e representa tereochagSo, tem
um dos dedos minitnos dos ns bastante pe-
queo, equando est assentado costurase
move-los, levou vestido caifa azul e camisa
branca, ambaa aujaa, a conduzio urna ja-
queta branca e urna marimba qua nunca
deixa, e suppOe-aa tar i lo pata Santo Anillo:
roga-sa as autoridades policiaca de o apre-
henderem, e aos capitSes de campo de o pe-
gar eleva-lo rua das Larangoiras d. 18,
quesera recompensado.
-- No dia 25 do corrente desappareccu
um negro de nome Benedicto da nagSo, da
idada 20 annos pouco mais ou menos, cor-
po reforgado, altura regular, mSos e pos
groasos, cor bem preta, sem barba alguraa,
levou calca e camisa de algollo da terraja
usada, e chapeo de pallra, tem o andar des-
coligado, tem urna cicatriz na sola do pe e>-
querdu prximo aos dedos, aa vezeagague-
ji quando falla, principalmente quaiilo
tem occasiSo de' pregar alguma mentira
quem o pegar leve-o na rua estreR do Ro-
zario n. 43. segundo andar, que aera pago
do seu trahalho.
Fugio, horitem, pelasS hrjtSdfTsaj|hS
o eacravo Joaquim, de nagSo Angola, tem
idade de 26 annos, baixo, cor fula, cabeca
muito redonda, orneada olho tem urna beli-
da por baixo da menina, nariz chato cual
barba por baixo do queixo, muito esperto
a ligeiro, semblante alegra ; tem ma cica-
triz em a perna eaquerda do la Jo da fon;
tem falta da unha do dedo grande do p,
e na costa da inflo um signal que parece um
lobinho movodigo; levou omisa branca,
calsa de riscadtf roxo velba ; roga-ae as au-
tor idadeapoliciaaa de oaprebender a aos capi-
tSes de campo de o levarom a mi daa Trin-
cheiraa, o. 50, a Anselmo Gonsalvos Pereira
que ae recompensara.
No Domingo, 28 dejulbo prximo paa-
sado, fugio do sitio de Manoel Jos Machado
GuimarSes, hum sea escravo crioulo, do
nome Nicolao, de idade pouco mais ou manos
de 25 annos, levou caigas azues e carniza da
riscado Itambem azul, chapeo de couro ; ha
alto e seco, bonit 1 figura; tem aa peruaa n-
nss, fola algum Unto apregada ; tem Ba ci-
bega de hum lado hum pequeo crescenta
de carne qua com o cabello grande fie* en-
cobarlo. Roga-ae a tofaf as autoridades
Poleciaes, o obsequio de o pegaram, uo cazo
dalle ter noticias, aaaim como a todas as pes-
soas e capitSes de campo a captura do me-
mo, podando no cizodeu prenJeranunciar uu
leva-lo ao mean.o aeu Sr, a cima, em seu si-
tie juntlo Engenho de 8. Anna, coma'"
do l'au do Alho, ou nesta Praga, a Jos Aire
da Silva GuimarSes na rua do Cabuga;
ja de miudezas, que em qualquer deste lu-
gares serSo generozamente recompengados.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJI7AFGJ4_STJHA0 INGEST_TIME 2013-04-12T22:06:59Z PACKAGE AA00011611_06430
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES