Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06418


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Sabbado 16
DIARIO DE
de Agosto de 851.
N. 18
PERNAMBIIGO.
pivEgo A SUBCRIP9A0.
I'aAlnro ADUNT.no.
Por trimestre...........
por semestre ........
Por >qdo
P*GO DENTRO DOTKIHUTftE.
pari ia de Julho Mlnai... lOdeJullio
/i'OO
eOmo
lj#uuo
ty500
2 de liilli"
Marin'h'i'o 17 de Julho
Caar... ''a d'l.-
Parahib. Oiie dilo.
S, Piulo. 12 de Julho.
II. .!. I.. 24de Julho.
Baha... 19 de dilo.
DAS DA SIHtRl,
audiencias.
11 Seg. S. Tiburclo. I Juiode Orphaoi
12 Tere.N.S.Clara v. I >. .">. s 10 horas.
13 Quart. Hiplito el 1. tarado eirel.
Caisiano. [3. eti. ao ineio-dia.
11 Qulnt. S. Euzebio. | Fatenda.
|j bext. ** Aasump- :. e 0. s lo horas.
c3o de N. Senhora. | 2* vara do eivel.
16 Sab. Roque. A. e aabadoi ao uielo-d,
17 Doni. S. Joarqnlm Rtlac/to.
pal de N Senhora. (Tercas e sab.doi.
IPBMIBIDIS,
Creacente 4, as 2 horaa e 48 minuto da man.
Chela a ll, as 7 horas e 23 minutos da larde.
Mlngoante 19, as 10 horas e 39 minutos tarde.
Nova 26, as 8 horas da tarde.
PHBAMAB SI HOJE
Prlmclra s 7 boraa e 42 minutos da manliiia.
Segunda s 8 horas e minutos da tarde.
FAHTIDAS DOI COBBIOS.
Goianna c Parahiba, as segundas e sextai-
felras.
Rio-Crande-do-Norte, todas as quinlai-feirai
ao meto dia.
Garanhuosc Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista, c Flores, i 13 e28.
Victoria, s qulnlai-fciras.
Ollnda, lodos os diat.
NOTICIA* lilNOIIBlt.
Portugal.
Uespiuba.
Franca ...
Blgica...
Italia.. ..
Atemanl'3.
Prussia...
Dinamarca
ftussia....
Turqua..
14 de JiiIIm lustria
6 de Jiilli
7 de Julho
I de Julbo
I de Julho
3 de Julh
3 de Julho
3 de Julh
i de Julbo
1 de Julho
Suls.a.
Scela....
loglaterra
K.-l nidos 26de Junho
Mxico... BdeJimho
California 14 de Malo.
Chlll. 26 de Abril.
Huenoa-A,. 2 e Julho
Montevideo 9 de Julho
CAMBIO* DE l SE AGOSTO.
Sobre Londres, a 28 d. p. lfOOO rs.
3 de Julho I Pars, 340 por fr. nominal.
1 de Julho Lisboa, a 100
2 de Julbo sktacs.
8 de Julho Ouro.-Oncas liespanholas-----2fliuo a 28#H)
Uoedas de 6/400 velhas. Kfim a lBMOO
> de J400 novas, liywo a Ifi/wn
de4/0C0...... 9/000 a 9/100
Prata.Palicoes braiileiroi.. 1/920 a 1/V20
Pesos coluinnarlos... 1/920 I/M20
Ditos mexicanos..... 1/700 a 1/760
PARTE OFFICIAL.
GVERNODA PROVINCIA
EXPIDIENTE DO DIA M DE ACOST DE 1851
(llcio-- Aocomtnando das armas, aecu-
Dito. Ao mesmo, diiendo ticar sciente de Re*pondu-se o commandante do referido tinctisqualidades se ichim bam cirirtTi-
haveaff. S. mandado entregar ao desembarga- destacamento. si Jas na pessoa desse Jigno magistrado. I,
dor cnefe de polica o ex-soldado Diunitlo DitoA' adininislraclodo patrimonio dos por certo, se aquella provincia chela de re-
Gomes, reclamado como cscravo pelo bacharel or.,hgos. aucuso recebido oollicioqueme cordajes iriui gloriosas o a principio vic-
Joao Antonio de .souza Uelirao de Araujo l c- dir,r,m Vmcs. om 17 de julho (indo, re- tima da srdida sedo de ouro dos seus con-
mio'd^or'.'ente annoP presentando que tendo N. O. Bieber & Com- quietadores, como na poca em que a din-
Dito. Ao mesmo. para mandar apresentar pinina, obli.lo accorlSo contra opatriir.o- RO como capitana, o capitao general 0.
sando a recepoflo de seu olUcio n. 901, do 6 no da i7 do correte pelas iu horas da ma- nio dos orphos, para pagamento de una di- l.uiz daslarcirenhas, e correo o sanguo ort-
in frrenle, informando a respeito do sol-[unna rm rreuIe da Igreja de SanGoncMo una dida dos padres da cxllncta Congreg.tjAo de;sileiro pela conspirarlo rumenlada por Ire
(guarda de honra, ahinde asslslira festa do Se- s. Kelippe Nery, na importancia de 2:039,3">7 Francisco de Meno'os, sol) o nome da guer-
iihor Moni Jess dos Pobres Afflictos. rs., ,. u0 toado essa administracS diuhei-, ra dos emboabas, edepois vio-se dilacerada
Dilo. A thesouraria de fatenda, transmit- ro om caita para tal pagamento, hotiresse pot outras commuOes intestinas aloque
lindo copia do offlcio que dirigi o inspector u (,roslucncia de orilenar que a thesoura-1 uma prospera sorte Ihe franquoou aaua ele-
da pagadoria militar, para que na execiirao DroloClilBinprMUM sooelU somma. vacHo a essa catl^goria, ra virlude da car-
do que llie recomtncndou cin outro de 7 de ju- "a P'"""<-'ai uiiipiesiaasu \. ,,..ii.rpiiii ,in -n ,1b iiillm ,ti> 1711 iinhrn tildo
iho ultimo, atienda so SOIS DO que honrada <"> res,osta lenho a dizer-lhes, que para U ngU> J"'' d'J7r "f/'y'"
p.ric do mesmo inspector acerca da quanlia que iossa resolver sobro asa roquis.eao ,| ale qu as suas amenas margens do ipan-
mo mei, quo por cop
adiier-lhe que a visla do queexpoe V. S
em o seu citado olTIcio, combinado com o
*iiue havia communieado ao meu anteces-
sor em i dejan-iiro deste anno, faz-so ne-
cessario que me expl que tudo quanlo se
aeguioapos essa cofnmunica;9o. pra po-
der ler lugar o conselho de guerra, qno
rrspondeu o referido soldado.
Dilo A thesouraria de fszenda, ntei-
rando-a do disposlo no aviso da reparta.)
ilajustica de 10 de junho ultimo, n qual se
rniiiiiiuiiiiM que por porta'ia i i mosmi da-
la se concedeu ao padre Dmaso da As-
Miini <;.Tn Pires, vigario da freguezia de Fa-
zenda Grande, um anno Jo lio-nca coma
respectiva congrua, para tratar desua sau-
de fra da niesma freguezia. e recommen-
dando que Ihe nSo manJe abonar a referi-
da congrua, sem que mostr ler psgo os e-
molumentos que pertencom aquella se-
cretaria de estado, pe concessJo da dita
licenca. -- IntcllIgcucio'J-ss ao Bxm. bupo
diocessno.
Dilo A' pagadoria militar, declaramlo
que, em vista de su informacao, e da do
coronel commandanti das armas, deferio
o requerimeoto, em que o guarda mcional
do municipio de Oliuds, Andf Pereira de
Sania Anua, pedia quoesti presideucia or-
deussseo pagamento dos vencimontos que
Ib.' competetn por ler sido addi lo ao ba-
lalhilodeaililluria a p, em consequoncia
de let ficado invalido no m me do uia 2 de
levereiro de 14.-- Scicntilicou se ao com-
niando das armas.
Dilo-- Aojuiz municipal do termo deS.
Ano, Pr quo declaro com urgencia qual
a lazo, porque no tem dado com prime-
lo ios ollicios que Ihe tem silo dirigidos
eni 'i l do 1." e 12 de abril e t de julho
deste anno, fxigindo infurinacoes acerca
das Ierras ilfosn.iios da Escada.
Dilo --Ao director das obras publicas, di-
/endo flaar sciente de haver S tic. demetti-
do o administrador de obra da casi de de-
lenco, Bcnlo Jos de Senna, e approvsndo
a proposla que Tez de Antonio Jos llib :iro
do Hures, para administrador da mosuia
obra.
Dito Ao commandante do corpo de po-
licia, concedendo a auturnacSo que pede,
pira mandar substituir o alferes do mesdo
corpo, Joaqun) llerculano Pereira Caldas,
commandat.le do destacamento do Naza-
relh, pc'o alferes Caetino do Assis Cnmpus
Dito A cmara municipal de Olinda, em
resposta ao oflleio quo Vmcs. me dirigiram
om 9 do correnle, communican lo-me ler
siloi's. cmara notilicada para pagar 20
anuos de decima da casa da plvora, sita no
Slanguinho, para cuja venda pediram-me
Vmcs. aulori-acao em oflleio de 20 de junho
ni mo, lenho a dizer-lhes, quo hajam do
doi'larar-mc, iqueannus pertence a dci-
ma, que assim se quer cobrar, e so nesses
annosdeu com eiToilo tal casa o i.mi lun niu
correspondente a mr-sma decima, ou se po-
derla dar esse rend ment andando aluga-
da. Quinto ao outro oflleio ullimamente
ciludo, ja Ihos ros; ondi nm 8 do correnU
Portara -- Momeando, em Vis! do que
roprrsnlou a administrac&o do patrimonio
dosorpbSas, tcorca du estado do respecti-
vo collegio, a Vicente Tliomiz Pires de Fi-
gueiredo Caniargo, para director interino
do mosmo coll.'gio. Neslc sentido lizo-
ram-se asconvenient-s commuuici(Oes.
Dila Concedendo uoais um moz de li-
cen;a sem urdouado ao jiaix municipal do
termo deCaruar, Lourenco Francisco de
Almoida f.atsn 10, pira tratar de sua sau-
do ~ l'V.- mu-si' ueste sentido as necessa-
rias communicacOos.
IDF.U DO OA ll.
Cilicio. Ao commando das umas, inteiran-
do-o da Jisposico do aviso do ministerio da
guerra de 16 de julho ultimo, no q ual se com-
nunlca que, por decreto de 28 de junho pr-
ximo passado, ficou peitencende a primeira
classe do exercito o segundo cirurgiao alferes
do corpo de aaudc Zefcrluo Justino da Silva
Meirelles; c que o prlineiro cirurglo-teneute
Pedro de Alhahydc Lobo Moscoso c o srg*undo
cirurgiao alferes Prxedes Gomes da Silva P-
tanga alada nSo foram classlficados; o priinel-
ro por se aguardaren! a seu respeilo ulterioies
inforinafOes; eo seguudo por nao ler apresen-
lado o seu Ululo acadmico, o que dever la-
/cr deutro de seis mexes linpreleriveis, sdb pe-
na de suspeuso dos resprclivus vencimenlus.
embaraco, eu nao tlnha sido impreisionado
senfio pelo que ha de ildiculo no bario; mas
elle mostrou-me o fundo do sua alma, e vi ahi
lauta Icaldade*, tinta nobreza e.sobre ludo tan-
la afleiclu c lano respeito memoria de nos-
so pal.que conlesso-le minba irmaa, senll-me
abalado. Torno a recomuicndar-U', Alllrtle,
pirtc do mesmo Inspector acerca da quai,u i-*- '- --------------------
pela qual o icuenic-coroiiel Jos Amonio I.o- roinetlain-me Vmcs. copias das sentongis ogase alcou o patritico e altsono rito da
pes.heresponsavel fazenda publica. Res- accordaos, quo se hajam proferido sobro a independencia, ou da rcenerac3o da dura
pondeu.se a mesma pagadoria. exposla divida de 1825, que liojo tem de pi-
Diio. A mesma, Inieirando-a de haver con- gar patrimonio dos orohaus.
cedido oito das de licenca com ordenado ao portara Mandando Por omliberdadoo
iiiix dos fclioa da faxenda Alvaro arbalho recrul Francisco Jos ISibei.o do Moli ,
rt2^Z'S?S2iA Pr l-aproson,ado 1.00,00 l^-C.
(Oes municou-so ao dcsombirga or chefe de
Dilo. Ao director do arsenal de guerra, polica,
communicando para seu conheclinento que, Dila Mandando quo, o commandante da
segundo conma dos tres rnelos que remelle fortaleza do brum, remolla rom seguranza
por copla, o teneute Joao Goncalves Nello dei- ,0 je|C(!,do do teruvi do Olill da, a Huido
jairai em mi do delegado lupplinle do Bonito 8Hr proc,.ssac|0, a Minoel Joaquim de Santa
52t&S^&S&SE& Anna.que soacli. dolido naque,., folale-
dos do darme i7. za, devendo para isso ser excluido do nu-
ilo. A' thesouraria da fazenda provincial, mero dos lecrulas.
para que, cin vista de sua informacao, c da do
director das obras publicas, mande pagar i .
Manoel Anli nio Viegas, mediante os termo! (uOIBTO&nUO U3S O.ftnn.S.
precisos, a.uanlia de 60/rs., valor da sua ca-
sa alia ua ra da Florala em Olinda, a qual foi Qitaileldo commumlo tas arman n,i Claaai do
distribuida pela obra da estrada do norte. -- lieci[etem 'Si de julh de 1851.
comniunicou-se ao referido director. | oaDEH do DIA n. 121.
Dito.- A mesma. para que cu, vista dos ,ordem do ,,. Sr Croucl c0111111indante
dous olhc.os, que remelle, em que o direc r ealatenWa nesta
da os.ruccao publica propoe a creacao de u,,a ,j0' "J anttohta em revista de
segunda cade ira de instrnecao primal la, nai fre- ,oslraSno, ,C| ,.CSI,eclivos quaneis. pela or-
gue.ia de .Santo Antonio destacidade, informe Vqoarlo balalhao Ue ani-
se ha consignacao para esse augn.enlo de des- 1 a$ J; J n00 ,.
pea no correnle enrollo. ,. d bala|h;0 da mesma
ilo.-Ao inspector da thcsou.aria da la c .- g J de cavallaria as 8
d, provincial, lole.rando.o de haver Concedido ^ ^^ as J os cm dc.
a hcenca .le dous mezes, com ordenado, que no B[m M, c ^^
''.lo i- ... Leopoldino da Silva .!...;.
ilo.-Ao director das obra, publicas, com- P le ajllllal0 d-ordcns.
muu.cando que concedeo a licenca que ped- Q cJmand l, anJ, ,idade d llc.
rain diversos proprielarios da ra da Prata r IV i dtuii-jilu de 185
para construirein, sua cusa, nina nova rain-1 c'< s '
pa para o desembarque dc madciras, devendo ... 0llDEM Dl*
enlender-sc com S. Me. acerca da localldade ""l- Sr- coronel cominandantc das armas,.
cdimensOes da obra, c previnindo-o deque manda fnxer publico a guamicao para o luis
offlclau niara municipal dcsla cidade para necessanos, que o hxm. Sr. presidente da pro
que, por iotermedio do respectivo liiscal, faca vincla, por portara datada de tiomem, delcno
vedar o desembarque dc maderas pela rampa upplica do reverendo capellao do balalhao
do ces do llamos, aliin de que mi contine declino dc lufantaria rr. David da Nalividade
a arruinar-se, como lem acontecido, segundo de Nossa Scuhora, coiiscdeiulo lhc tripla das
Vine. exne.='Ncslc sentid, olllciou-sc raft- Je licenca com sold, para ir a provincia da
rlda cmara Parah)ba, drixando em seu lugar O religioso
Dito.-A' directora do theatro dc Sama Isa- Franciscauo Fr. Manoel dc San Joaquim Viaiina.
bel: Allciidcndo ao que Vmcs. me represen- "esmo lllm. Sr. ordena que naja diaria-
ao contrato celebrado com esle governo, sb
|i< n i de rousiderar-se resceudido o mesmo con-
trato. E faxendo Vmcs. uso desta autorisaco
devem considerar, se, lendo-se passado todo o
mex lindo e r|iiasi metade do correte, sem
cuuiprir aqnellc emprexario as ohrigaces con-
tratadas, convir admitl-lo a couiecar os es-
pectculos no Ixna deste mes, ou se para obscr
PERNAMBUt*
PARTE 1)0 DIA 12 DEACOSrO.
Fram presos : a ordem do chefe do dele
var-sc convcoiciueinenlc o 'esijitiTad na coi"- B'ido do priuiciro districto deste termo, o pre>
dlcao quinta, do contrato de 10 dc u.aio do Cosme, escravo dc Manoel Joaqun, da Fon,
anuo passado, uo ser mal icgular que s cec1 Oalvao, a rcquisicao dc seu senhor: a
no priuciplo do incx vindouro comece a ler ordem do subdelagado da frigueila de Sanio
palria, qu i por Lanos seculos l'ora escravi-
sa la, em troco de tantas v'issiludes quaes
foram os bous, quo 1 lie liberilisaram os seus
genorosos filhos, certos patriotas improvi-
sados? iNenliuns alisolulamenle. Apenas
esses a quo mu roliro plantarain a aiiarclna,
a dissolui,'3o dos vincu'os sociaes, o mais
codipleto descrdito das InstilUlgSes jura-
das; om una patarra, o meuospreso de
todas as leis, e a desarmoiiia dos sous bra-
vos patricios por meio dos insidias, o tor-
pezas s por altioglr aos sous igUQlrOiS lilis,
o uiui que tu Jo a SU i propiil elOtaoSO 80-
hro as ruinas, e despojos dj paiz onde uas-
c.'iain, ou 18o benvola lio;>pi!alidadc Ibes
toin prestado, reduiiodo-o quasi a.) pr i -
uilivo estado do urda dc Tamoyos abramos
com 08PupinambJ, e reuaixando-o ao pu-
ro servilismo. E so a Uo tnslos circums-
Unctal a que se acliava abatida 13o nolire, o
valerosi provincia como todos reconbucem,
qual deveria ser o ci lado que podarla dar-
llio iucrenic.il i, eleva-la a posicOo quo a
natunzH Iba deslinou, e l'azer revver o re-
lime que Iho pertence!' Aquello que reuns
se ao seu acrisolado amor da patria, toda a
illuslracao, inleira prubiJado, espirito ar-
monisador, Ih.ii.vi de sentimenlos, e esses
predicados quo sendo raros colectivamente,
sobre mau'ira deslnguoui o novo presiJoli-
to. Isto posto, o lodo o cora^ao congralu-
laino-noscom esses oossos patricios, inve-
jando-llio o leliz porvir, quo o actual minis-
terio Ihe pr.ipurcionou por mido do l"... acer-
tada noQieauao.i'iigcnuo teslemunho do ver-
dadeiro naciooalismo que o anima
llaja pois o dito Sr. I'r. NabllOO de 100-
lli-.r os 008108 sinceros emboras, o fervoro
sos aulllos, que lile dirigimos por essa su-
bida Honra, que toaba do merecer; conlian-
do-sc-lhe os destinos do urna provincia ISo
Importante o heroica, anda que ro.lu/.ida a
um estado pouco lisoijeiro por aquollcs
inesinos, que se uo pejSo rasgar asproprias
eutranhaa para saciar os sous caprieiiusos
projoclos, einq.ianto o l'orj pernambucano
seressenti sumpro da msupiivel Jacuua,
quo uccisioua u sua ausencia. Diguo-so o
actual ministerio, credor de toda a cdiilian-
(a do paiz, c de seus verdadeiros inleresses
liol interpelrc,d.) acolher a oil'usilo m-us cor-
dial de lodos aquellos, que s alniejam a
prosperidade da patria, o observa n o alcan-
ce das suas beOeficM vislas em prol della.
O Aresli'Jea t'ernumbucuno
vididas, por seram dist'buidas por canto- tirar certldSo de bito, ou nesse sentido ll.c
rase cantores do recouliecido marito, que pagarem certa quantia e Inclusive o trabalh..
julg.mos quo Uo cedo ou nunca Oi teremos d ^^"'r que "m ,,e de f*"r
melhoros o netn lao bons, excapclo de A Tndu p'rochode (tt um cr.meni0
umacompanliia lyncaquelem do vir do 0u ouiro qualquer acto de sua jurisdicio den-
f^* Norte o quo mais nos parece um 80- dentro da freguezia, se pd? accumular nova
litio, ou vertigem potica, s Litan as par- lommaa titulo de licenca, como perceberia se
les secundariis que s3o Flabio, o Coltide.' folie felto por iimplei sacerdote.
O Sr. Maximiano da Costi vai fazer a da I 5. Tendo de casar o filho familia ou eman-
Flabio. Todos si bem que este Sr. sbe. cipado, e J devendo seus pala ou logros fu-
bem, o multo iie.n msica e tem uma bella turoi, algun dlreitos parochiaes, se o parocho
vozdobxo. Vsenbora Carolina vai ^\^f^^^^^^^
divida paterna.
voz de lu
execuc3o a parte du Cotilde. Esla scnliora
tem agraJado muilo do tudas as vezes quo
tem cantado, e haja vista para a exccuiao
que olla .leu ao duelo do Meiriuho e a Pobre.
Eoqii'ifalti anda > Flltfo os coros, ellos
6. Sendo costume nos despachos das despen-
cas que V. Exc. concede autorisar o parocbo
para Ihcs impor loudavefs penitencias, se a
i nt.-ii. ao de V. Exc. he que o parocho Ihes im-
lem de prehenchor infalivelmonle o seu de- Puha domingos de vella, para fazerem esic
Ver porque tem aid ensaiados pelo Sr. b. ercicio no concurso da mlssa conventual.
Pedro .lea, professor de mus'ce piano, | ^^^^a'KlK."?Z^Zl"^
eje muilo acreditado por suis bollas com- Cendo-se-lhe cena quantia pecuniaria.
7. Nos dias de principaea fealaa como a do
natal e do Orago, ac o parocho pode inteira-
incnle abandonar a aua matriz e dixer a mlssa
parochial em casa de simplei particular.
8. Nos fuueraes c as testas em que o paro-
cho lem de perceber cera, se pode obrigar ao
posices.
Com esta companliia lyrica tiremos de
passar alegres o innocentemente uma parte
desta noilo.
A louipanhia dramalici para completar o
espectculo representara far^a que tem
por ululo o j'idas e:n sabba lo de W. q^aJc^^uVei.etrbiirSr^.^^"^bec
razondo a parle do Maneota a sennora !> acera noeslado em que ac achar deuoii dc
liarla Leopoldina, por excedencia a pnmei-1 prestado oservico.
ra Actriz do Urazil, o a do Jos Pimental)! 8, as occasies em que o parocho eatlver
Sr. Cuiiuaraes, cujo concoito ai tistico osla pouco disposlo para cicrcer suas propria*
summamonto reconliecido. I fuuccdci, ou as ciu que as parles par.quaA-'
mmtmi^gl^mm^/mm^iamm^mmmmgi -i : conse^nireui suas prelenroes paroch.aes, se n
*^UrrCS[)OIICl com as panes por uma certa quanlia.
AGHADECiMENTO. '0. Tendo o parocho caslume de receber di
Sn. rttiselerti. =Co.n quinto diva ser ajus-4 nheirosadianlados por seus dircitoi para I.
lica o norte do runcc.onirio publico, encarre- i ,cr cc"oi actos do seudever, e seudo costumu
gadod'admlnlstiac.io, c governo dc seus con-' esqueccr-se delles, ou rclarda-los por muilo
Cldadaos; com quinto csseatlribulo davamall, i 'enipo, se os fregueses Ihe poden pagar s ,i
que em uculium oulro brilhar no pastor, em- VI5U Ju seu servlfo, ou se todava se lhes deve
i ii .iludo de condutir c conservar noaprisco as : accumular essa rcsponsaliilidadc.
ovclhai do Senhor; lodavia isso nao deve i- Seudo composta a freguciia em graudc
ni 11 ser molivo para deixar de le dar as gra- i Pa"e Jc l'vo muilo pobre, que nao pode ab-
ras, c render a publica e bam merecida Home- '. 'lulamente pagar os d.reilos parochiaes. se
uageiii aquellc. que compenetrado dos snis l dirello eslas pobres ovelhas dc exigirciu
mais sagrados deveres sabe bem prccnchc-los. ex-ollicio do parodio os leus recursos espin-
He por isso, Srs. redaelores, que sob a mais, '"a", elle obrigado a se presur graluila-
bclla impressa chcios de respeitosos seuli- meme.
memos, vimos trazer as vossas columnas um '- Se, linalmentc, pode o parocho laxer ca-
nequeno tributo do uosso rcconheciiiicnto ao smenlos sem baulios, expor uis uilssas can-
Exui. Sr. hispo Deocesano, em qu-m brilh.io "das, e conduiir o sacramento as precis-
as virtudes, e o eiemplo d'um zelloso pastor. }J"i dizer un.-, em caiai parlicularea, dar
Se la por esses lugares mais remotos do bis- I licenca para missioiiar, permillir esubele-
pado d'onde menos se cncherga o bculo do I cer-e quanlia estipulada e vantajosa oas ca-
sagrado pastor, se ouvem os gemidos, e se Pe"" pariioularef pelas sepulturas c linal-
vc as lagrimas das pobres ovcllias, necessila- mcnlc exercer por lacs modos a jurisdieco do
das do seu bem espiritual, ou opprlmidas no j ordinario em sua Ireguexia.
sen d.reilo pelas iiiesmos, que lao iucarrega- I quinto acuna lica loialmcule expendido,
doi sob sagrados deveres de lhes dar o mais Exm Sr. he a proposta taita am nome doiha-
caridoso tracUinento; se a iniral c a conscicn-' biiaules dc.....; c dos quesilos primeiro.
cia dos liis meos illustradus dos conheci- | seguudo c oilavo, he lamben dos hahllautes da
memos precisos, se aclia em glande ruina, e | treguezia de Nao he de prseme nos-
uisso mullas parles tem a lilla de cuidado e 1 osa imciico faxcruios aecusatao aos uossos
excmplo dos eucarregidoi dc zcllar a viuha do pawoboi, como reduilndo esla simple! exposi-
Sr., temos cenca que i S. Exc. nao chega a taua denuncia,porque muilo bastante nos pare-
noticia de lacs circuinitancias, que oeces- cescr a simples decisao e esclarccimeulo de V.
i?.... t-__..._- .__________.__ ..._..__________. ..
K\a ,\e eremos couseguir o melhoraineulu de-
sejido, sem mais desenvolver oulra qualquer
aeco.
A vista do que com profundo respeilo, pede
V. I*.\.. se digne altender o expolio del'eriu-
AO APOLLO.' AO APOLLO !
Ili hojo o dia dsiguado em que tem de
execVx'cAo o referido alo 'c a"seTpaKo"o Antonio, Izidro de til. por rime de furto, representar-seno theatro de Apollo a-Nor-
cnipreailo na f.irina esuimda e o portugus Joaquim Fernandos de Ol.veira, >a, coniposiciio sublime da enrgica Con-
Dlto.A admllliracao do patrimonio dos por desobediencia ; e do subdelegado da fie- cepcSo de Ucllllll. Nunca nesta capital li-
orphaos. Accusaudo a recepeo doolRcii que gue/.ia da Varzea os preos Jovilo, Marcelino vemos o gosto de ver esta opera subir a see-
me dirigiram Vmcs em 7 do correle, com- e Andr, escravos de bculo Jos da Cuila, Da com lodo o apparalo e exaclid.lo que o
municaudo-ine julgarem mais conveniente sem dcclara9ao do molivo. seu auclor exigo como desla vez, seguulo
fazer-sc por arrcmalacao o conceno dc que I dem, do dia 13. qo8 inlu; iik'i.i, pessoas fidedignas 0 eillen-
prcclsa a lalrina do collegio dos orpbaos, c Foram presos; ordem do delegado do pri- ucJora
lerem-no adiado espera da transferencia do meiro districto deste termo, Joao Francisco .ij^nhuirln itaa naitaa lie a mnlhnr
mesmo collegio para oulro edificio, conforme de Ulivelra, para rccrula, o pardo Francisco, A Ulslr UUIC..10 das pi'las lie a melnor
haviam proposto, lenho a responder-Ibes que cscravo dc Miguel Archanjo Monteiro, re- possivel, dous ailistis O mrito OS srs. Lu-
uao convindo par oraessi irausferencia, ob- qulsicao de seu senhor, e um doudo cujo no- cas do Vasco e Carlos llco a par das se-
servem oque resolv, c cummuniquci-lhes cm me se ignora, sem declaracao do unitivo ; nlioras Ma la l.amli e Margari.la l.-mos, po-
meu ollicio de 22 do uiei prximo passado. I ordem do subdelegado dafrekuctia dc S. frei varao nos i/uc tem //ios endo vem, ouvidose "."ncTuini" runlrtiamol'a ^""xc"1
devendo Vmcs. ouvirem o director imeriiio i Pedro Goncalves, Joaquim Jos, tunbem sem sobre quaesquer obras que ae Icnhaui dc fa- declarajao do molivo; a ordem *
xer.=Ulficiou-se ueste sentido ao mencionado
director.
Portara.Mandaudo por cm
crula Manoel Vieira da Silva, p
lado insein;io legal.
IDEU DODUi 13.
Ollicio Ao iospector do arsenal de mari-
nha pura que, alem da hId m .; ui quepres-
tou cerc di remessa paia acorte, da i-
gagem do segundo butalli,1o do artilliaria a
p, declare em que da sahio deste porto a
escuna Galante liara, que conduzo a olla
bagagem.
Dio Ao inspector da alfandoga desla ci-
dade, inteirando-a do haver, cm vista de sua
informacao, cortea lido a li avie 1 quo pedio
Jos Francisco Caiado Jnior, capitflo do
bu;:un poituguez l'eniamenlo, para ir o dito
briguo a.- Iu. do carregar uo 1.1.....11 :<,
siuio dc sua palcrual pruvideucia ; porque he
asss revestido das virtudes, misericordia, e
juslica, perfeilas qualidades para exercer o dig-
no lugar, que oceupa; onde'vela continuamen-
te pelo bem publico. Temos de prximo o e-
xemplo da particular atlcnean, que sui BxO. se do como lor V. Lxc servido.H. K. He
dignou darao requerimeni al> ilxo transcripto. (Segucin-sc as assig'aaluras.)
favor pelo qual se Ule rciidc uuiaprolunda gra-)
lid.io. i Passiinos a responder aos quesilos que os
lupplicautes nos propciu.
Ao I. Deve o paracho reguiar-ie pelo que
Exm. c Rvm. SrDi/ein..........por parle de
seus comparochianos, que pelo soll'riincnto que
experimentan! em scudireito c bem espiritual,
veeui despidos dc exageracao e raicor, com
subiuissao oceupar a altcnc* dc V. Exc
quein a Divina Providencia encarregou o go-
veruO dcsla igreja, para fazer o ollicio dc juta
c pai.
Exm. Sr Occasies ha, em que a prudencia
e moderacao do individuo, pelo silencio do sof-
friincnlo continuo do seu padecimento, pircce
autorisar a aquellc que Ihe pretende requintar
a paciencia e po-la cm ullimo apuro, por cujo
motivo impendes das circunstancias que abai-
xo v.io exprecar, para poupar a murmuracao,
cortar o progresso do vicio c evitar a mingoa
do fervor do bem espiritual nosso, j em bas-
1111 sim-
quesllos
r em liberdade o re-
or ler aprescu-
Duane dc Partas, por infraccio de postura lar'SJ satlslacton,mente iitTo so a Noinia,; lo ja nos parceam estar por si mesmo decididos,
municipal, os escravos Ismael c Fraucisco. cumo uutras operas do tanta, ou maior, ao simples intuito da visla, peraute a razao c a
.* 1 fn u_ I 1 ( I 1 i- 1 1 n. 1 1 1 11 I I 1 1 n 1 l 1 I 11 i 4
por iiini' de furto; c a do subtlelegudo da l0l(.''1
fiegueiia de S. Jos, Francisco Quiriao das
Chagas, por disturbios.
lei, todavM por jusia causa vao eiarados, una
Tudos cotihrcem a extenelo da cr.n le' vcl '^^inuita urgencia nos he sobre elles
.. i c. r. 1 V'""0 b "" a sabia deciSHO de V. Exc. (iuc vai de novo pa-
ludo Sr. Vasco e sua afllddu como bar.- ra e fregucliaSi reformar a regra da
Communicados.
voz
tono, e como baixo profunJo, poli he esto
Sr. i|ucrn vai desempenliar a pirte de Orbe-
so. Todos conhccem o apiccum de longa
dad a a engtagaJa e fascinadlo voz do Sr
Compenetrado vivamente do bem estar Carlos Ricoo o seu lalonlo artstico, pow lia
dos meus patr.CiO5.nfl0 posso suTocar os m- lle (ue Um de ejecutar a parto de Poli'onc.
pulsos da minha conciencia, quando no re- A senhora LanJa que s-iinpre t;m obtido do
tiro om nuo vivo, obsem. o a prego e inte- publico applausos espontneos todas as ve-
resse, quo por elles demonsrn o actual mi- ^ lem contado, provando por esla for-
UiSlariO, om s-us actos succ -ssivos e o tri- D1 o preyo em que lio tida pelos vorda-
umpho da opiniSo publica, que do dia cm denos amadores da secna lynci.be a que
da vai conscKuin.lo! Um Neto ocabi do tem do doaeinpenliar a dilllcil parle da aNor-
, sticceder, que importa a express-lo desses Asenhora Marganda I.otosoo desem-
suhj-itando-se o respectivo capiLOo as con- sentimenlos de puro patriotismo, quero fal- penno doi papis do que se encarrega lio
diQOesque por Smc. Ihe forem impostas. I lar, da oscolha do llim. e F.xm. Sr. I)<-. ios summnionleoncantad Dito-Ao commandante do corpo de po- Thomaz Nabuco de Araujo para ^residir so, seus olhos o rosto alegres, seu gesto na-
licia, inandanJo aprcsenlar-lliH, a lim de provincia do S. Paul y. hTectivamcnie essa tural eamavcl, oludoqu que lenha o conveniente destino, o desertor iiomeac.So abre uma poca rUOQha o feliz, captivar os espectadores, ella maneja com
do corpo sob seu conmando, Antonio de para ISo haroic* provincia, porque se a in- arta mui particular, pois lid ella queui vi
Souza Chaves, que foi enviado pelo com-' Mligcncia, inteireza e civismo so devio desempenliar a parle de Adalgiss. (
iiiandanttf do drstacamenlo de N. S Jo O''procurar para esso cargo, lanas e 13o dis-
u !! i- iregucuas, rciormar a reg
consciencia, corundo os abusos que em nome
da lei c dc V. Kxc. se pratica, innuopolo este
inlu poderoso, para corromper a moral dos liis
cm pona bem fcil de V. Exc. comprcheuder:
1. Tendo sido costume as fregucziaa dc
dispOe o n. I da uova tabella, sem nAa alte-
rar, e por conseguiuic ncm pode levar i.OO
rs. pelos baptisados fe i los na uiatris, ncm 2," ">
rs,, pelos que se adininistrarcui as capeiU>
liliaes.
A o'2. Deve o paracho observar o que esta
determinado uo u. 30 da mesma tabella, e as
adverteucius a esle n., isto be, na matriz e u i
capellas onde bouver irmaudade, padroeiro
ou bemfeilor que concorra com as despcas
do culto, nao deve o parocho exigir esinolla dc
sepultura.
a i Estando o paracho ccrio por si, ou
pelo uumpclcnie assento, que a molher do viu-
vo, ou o marido da viuva que pretend pass.u
a outras nupcias, morreo na sua freguezia nao
deve pedir ccriidao d'obito c inulto menos
exigir nada a titulo de busca.
Ao 4. Adininistraudo o parodio quilquc
Sacramculo ou exercendo qualquej acto pei-
soalmentc s deve perceber o respectivos
dircitos parochiaes c nada mais.
Ao5. Pa>sto que o parocho em qualquer
lempo tenha dircito a exigir os benesses que te
lhc deverein, oom tudo de neohuina aorte de-
ve demorar a assistcncia- ao inairimonlo nu
iicgar a liceuca para elle a titulo de cobrar an-
tes bcaenscs que Ihe estejam devendo, ncm os
pas, ou futuros sogros dos coulrahcnles uem
os inesmos coutrabentes.
Ao .a Convcm que os parochos nao cuuit
pagar-sc as uiatrizes pelos
i baptisados 3^0 rs, e as capcllas liliaes (Its.; ,
se o paroch pode cobrarhojci/naa matrnesl nucm a impor ais dispensados nos impedi-
e 2/as capellas liliaes, com luteira infracc:io | menlos do mairiiiiomo apenitrnrU 4 aso ao disposlo no til. i o. 3i da tabella regula-
Estando as primeiras parles Uo bem di-
mentar de V. Exc
'2. Ilaveudo as inatrizes irmandade que pro
veas necessidades da igreja c delias se cucar-
rega, se pode ella dispensar de receber os di-
reilos dc cva. marcados no ill. 3 n. 30 da re-
ferida tabella ; porque aliu de icr este dirci-
to oneroso ao povo mais pobre, recabe tam-
bem sobre aquellea inesmos bemfeitores que
rstaoapplicados nos aervicos e zelo da igreja,
c com ella dispeudeudo continuamente.
3. Teudo de casar o viuvo ou viuva, que seu
marido ou mulhcrmorrcu como ovrlha denlr
da freguezia, se o parocho os jpde obngir i
FOLIIETDI.
m
TRISTO DE BEAUREGARD. I*)
(nLOMARQCEZ DE FOODnAS.)
IV.
I'aisidos algun minutos, Tristao foi sentar-
se no salao ao lado da In.i.aa, Alliette depoz a
"lira que estava fazendo cm cima da inrsinlia
que Ihe cava ao p, e rilou sobre o rino um
"Miar placido e chelo da mala ainavcl quiela-
tao ,.,|nal pareca dizer ; Eslou trauquilla.inai
coute-me o que se passou.
Sun, estamoslivrcs .1,-llc por eita nolte,
espondeu Trlsio a esu pergunlamuda, po-
rciiiperrrlu,nenie clara.
huan n;io lhc tlrou toda a esperanca, meu
uiilgo.
liso nao foi poisivel Elle rallou-me de
i]n.- i. Hielas ; a cousa valle bem a pena Uisso. rcsoluco que eu podease considerar como gratada, porque rasao hei de eu elle.[ua lo ?
Os nao somos ricos tu vlvci mu retirada; criancice, seriado meu dever, depois que li- Appello para seu cora^.ao, para sua rasao mes-
urna occasiao to boa talvci o ju se apreseute vesse procurado esclarecer-te faier-lc sentir "10 1 responda Trislao.
nunca. I m|ha aiiloridade, invocando essas mesillas Hala lana justen e tanta .locura neslas pa-
O mal nao icria grande, meu amigo, dis- promessas que acabas de rccoi dar-ine. Com- lavras que Ueaurcgard acnlio-ic por um nio-
se Alliette com docura. Ale hoje nao lenho promeltcndo-me para com meu pai a proteger- memo abalado. Klle era recto c generoso ; sa-
I jamis cuidado em casar-me, e se queres que te, comprehendi que Iralava-ae dc iuiia-lo cm bia inelhor que nlnguem que sua irmaa era sua
te diga lodo o meu pensameiito, nao creio que sua solllcitudc c de subslitul-lo cm sua auto- nnica atleifu ; mas afalalidadc pesava sobre
lenha jamis desejos disso. Acho-me feliz, ac- ridade. U.-a cstou couvcucido que elle teria elle, c ella iiupediu dc obedecer a voz desua
crescentou ella com um aorriso arlcciuoso e visto com prazer esta uui.,o. conscicucla.
esleudendo a uiopara o irinao. j Voss est em erro, ineu irmao, respon- Subtilczas^ respondeu elle corando de
Concordo edm ligo, minha irmaa mal deu vivamente Alliette ; c Dos qeira que sua evidente mf. Mas, minha irma, aluda
nao sou egosta, e passaria por sc-lo, se regei- nao o esleja voluniariaiucnte, com quanlo eu suppondoquc vusse lemmll vezes raso, que
; tasse a occasiao que se aprsenla de tazer-lc nao veja raso para isso. quer que eu faca 1 dei ininha patavra nao far
coutrahir um cstabclccimento vanlajoso. Pe- | Knlo suppdes que tetilla um interesse 'l'11' '" 'll1'' "l- salvo se quizer renunciar
co-ie, contiuuou Trislao, que cousintas em re- pessoal! para scinprc minha amisade.
ceber prlineiraiueule o que o banio chama a ~ Nio lupponho nada i mas Icmbro-mc que --Vosse deu sua palavra, meu irmao I ex-
corie de seu Hllio. no alpaca dc meia hora, voss tem mostrado clamou Alliette levanur.do-sc subilaiueme e
Vina,', est fallando serio, meu irmao? dual opinioes dillerenles. toroanJoa cahir como desfallecida sobre a ca-
perguulou Allleltc, cujo roslo comecou a per- Allieltc, voss sabe qnc nao sou paciente deira, na qual estafa sentada. Voise deu sua
der algumacousa de sua serenidade. Sao pos- ciclamou Tristao com urna colera concen- palavra! muriniirou ella com uma voz mais
so crer tal; to difterenics sao as suas exprs- Irada. fraca.... mas se isso nao he urna mentira, he
sdes das palavras que ainda lia pouco pro- i Mas voss sabe, meu irmao, que cu o sou. um iraicao Infame!
. ferio! Ser isto urna exprobaco ? estar vois ~~ Traico ou mentira cxclamou Trislao
Eu li nli i i. H r ii lo pouco, e nao cuidara ja enfadada da paz que reiua cm nona cala ? que sabia bem que uesse momento era traidor
Eu Ihe pcrguntarcl por minha vez : icr c mentiroso. Nao sentio vosse gclar-sc-luc o
filio urna omeaca ? nuguc nai veiai, c explrar-lbe a voz nos la-
iovanUjosopai;aYl".~'Cc'a\'rp^os"ii'c'Vnma'Vo,rtu-'1 "" Se erapara preparar-me urna deignca, i Ser o que voss quizer. blos.quando estas terriveis palavras sciprc-
na de seis ccnloi mil francos um nome bon-'. noo-lhc pouco obrlgada. De mais, meu irmao, j Amo-o mullo, meu Irmo, por isso nao icnliraui a leu espirito' Poli bem i j que
'oso, um bello cniello e em Talude oren- eslou cerU 1ue as* "ao me consiraoger, poiso tcme-lo. Vallemos com calma, manaml- be Ingrata e loiensita
----------.-------,- -jgo, como pobres orphos que nio lem ou- mais em niim um rui
felicldadc que sua mutua ternura; de senhor absoluto.
uosso pobre pal com tanta olllcao c dcniais, pfoavelmente seao em livrar-te dc uma in- I
"iliiha chara Alliette. e.te calamento he mui-f quieta.-
" vau"Jo para II. Cesar possuc nina fortu-' ",Je "'
a de seis cenloi mil francos, um nome hon-1 tico-lhc po
oso, um bello caalcllo, e em falta dc pren-.eslou cerW que "">* nao me consirangera, p
as pessoaes, mullas virtudes. Kecoiiimcndo- l">is proinelleu a meupai que me prolegeria, e !g
ie que peses scriainenle estas vantaRens que naosereieu que Ihe fassa a injuria desuppor'l
. ji
minha resistencia, meu irmao. Di(a se quizer,
e eu o conurmaici, que ii.io quero casar-me
j mi ii ; que sou absurda, fantstica ; que nao
mereco seno corupalxo pelo meu deiarre-
zoameuto ; mas nadade violencia, meu Irmao J
contiuuou ella pondo as uios c litando sobre
Tristao um olliar lerno e supplicanle.- Vosic
me faz morrer, cu o sinlo.
E voss me deshonra Assim nada deve-
nios mu ao outro, por quanlo a honra he mais
que a vida. Cesar vira manha, espero que
voss o receber como convcm.
Trata-lo-hei como sempre, m.-.i amigo ;
mas quando me pergunlar se quero casar coui
elle, respouderei francamente, como convcm
aquella que he sua irma, que nao quero.
Guarde-se de cominetter semelhantc im-
prudencia exclamou Trislao, cujo furor nao
conheceu mais limites. Por ventura nao me
conhecc ? Nao labe de que lou capaz ; quau-
do ae retiste s miiibas vontades .' Ah : uia
cegueira faz-mc tremer. Ella nos perder a
ambos !
Pela alma dc meu pai inunnurou Alli-
ette.
Pelo amor de Dcos, minha irma, nao in-
voques este nome!
Perdo, perdo, mei/iruio I disse All-
sao reaes
Polsagori he que vosi sabe de tudo isso,
meu irmao! Esta mudanca lubila me espanta.
Ataoprciente, respondeu Tristao com
(*) Vide o Diario n.,182.
que tem esqecido -ua prome~ssa. que be que se (rala ? de urna proposta vanta-
Couslrauger-te ? Nao, disse Trislao com a Josa, dis vois, que smente a mim interes-
impaclcncia e a seceura das pessoas que lem Isa .'ora pode voss negar-mc o direito de refu-
um partido tomado. Todava, se fosse cega al sirena proposta, no caso que eu a nao en-
ccrca de leu proprio iuterene, ie por caprl- 'care do mesmo modo que voss ?Erro, ou ca-
cho ou luexperieucia, le obitiuasies em urna pricho se este casamento deve turuar-me .lc~.
rita e insensata este ponto, nao veja elle pondo-sede joelhos.
ni iiiiin um irmao indulgente, porrn um Queiei, desgracada menina, que cu s.-ja
r absoluto. | oulra vez criminoso .'
Pono perder um irmao iem achar un Tristao levautou-se para aproxiniar-sc da
senhor, responden Alliette soliieaii.lo. Alliette ; seu roslo eslava Intiinldador, lao vui.
Prouielli que ene caianieolo se faria e el- lentas pareciam ai paixes que elle exprima,
le se far. eftslc momento a porta do salo abrio-se
Vosse prometleii lem consultar-me, log com um vagar solemne, e mai Leulricappare-
cst 1 vrc e cu uinbcni. Lance tudo contado ccu. Tal vez 1'ossc.ella a nica pessoa que, f-
rem a misia parocblal. com vella aceza;
nunca fui pcnilido couiuiar esta pcuiteucia
em quantia algrinia.
Ao 7.a Longc de poder o p V.hIi.i aelcbrar
missa em oratorio particular no Jia de natal
ou do orago da freguezia, deve celebra-la ua
uialrii em todos os domingos c dial festivos,
salvo quandoestiver legtimamente i-npedldo.
Ao ft," Nos actos lano festivos como fuuc-
bres, ,ui que ic deve dar cera aos lacerdoles
il.-v,-ni assiltir com ella cera aos uieimos
actos e li. ii com ella, u.io tendo o parodio di-
rciloa rxigir mais nada a titulo dc cera. He
porm d'adverlir que a cera que ae deve dar
ra os dous orphos, eslivesac acordada uo cas-
tello.
Tristao nao deu f da presenca da paialyli-
ca, porque linlia as costas volladas paia aporta
pela qual ella entrara. Quanto a Alliette, bem
que licasie cm frente dena porta, eslava de tal
son abysmada cus sua dor, que nada tlnha
visto ii. iu ouvido.
Vosi ceder, exclamou Tristao, pegan-
do as duas mos trmulas e supplicantes que
a irmaa tioha estendido para elle, e aperlan-
do-as de modo a f.zer crer que o singue asal-
tar pelas extremidades das unhas, Voss cede-
r, repello elle, com uma ralva, cuja violencia
pareca ter chegado a seus ltimos limites : do
contrario haver eptre nos urna guerra dc inor-
tc Nao he inaii com a perda dc miulia ami-
lade que eu a aineaco agora, he com mcuodio
e com minha viuganca.
lito he menos cruel, meu rmfio, respon-
deu Alliette com urna voz, cuja docura era ce-
Icsle : eu lhc agradece
Voss lem a obsiinaco calma dos brutos,
respondeu Trislao com desde.n, e esla be a
que mais aborreci. Alliette, vou interroga-la.
pela ultima vez : Quer, ou nao quer comprir a
promessa que fez em seu nome !
A voi de lrino eufraqueceu ao terminar
esta phrase ; elle sabia queoflndia a veida
de, afurmaudo que iiulri folio promessas, e.
eu orgulho solivia mala por esta mentira do
que por ma colera. Alliette abaixou acabe;*.
uvio i accrcsccntou Ti islao sacudiodo oa
bracos da irmaa como te quizesse dciperla-U
por um soll'riincnto physico.
Ouvl, ineu irmao. Fiz anda mal.....pola
comprehendi? Mi! meu corarao repelle o peu-
samento de fazer por temor o que refusou fa-
ll
>


"
*>
iiVssee aotoi, niodeve ecr diminu de lorie
<]'' fique Indecente.
Ao O parodio alin do> btnii.ee i.signi-
>'>' na tabella nao tem direilo a esler arb-
n ariamente coma alguk.a prolaborc.
Ao 10. Deve-ie continuar a .allifiter os dl-
re.tos parochlies com antecedencia n'aquelles
actos ein que iempre asilm eepratlcou por
luo que o parocboa debalio da ...ais restricta
reponc.abilidide esli obrlgados a nao hnillr
ou retardar, e quando infeliinicnu- asslm acon-
leca, a villa da representaco que se mis fier
aremos proinptaae enrgicas providencias.
Ao.ll5 O parodio deba.xo de Igual respon-
sabllidade esta de justlca obrlgado aprestar
lodo os socorros espirluiaes aos seus paro-
chianos Indigente tem liigir d'elles benesses
ilguns.
Ao 12.* O paracho nao pode asistir a cala-
mento algum, cujoj contrahentei nao tlnham
sido rompetcnteinente proclamados, ou ti-
11 li un obtldo dripenca dos proclamas, couce-
dido pelo orriinariu, nao pode darliccuca para
"se eapor o SS. Sacramento, nao pode celebrar
mlssaein casa particulares onde nao hajaora-
torio provlzlonario, nein dar licenca a n.isiio-
nartos, nemasstgnar a csmolla das sepulturas r;i
2
preparado, e o oulro da'carvad solar oot Este preservativo, que se d como infslli- ich.-.e residindo n. ru.d.s Flores sobrado r
visos perfeitamoute iguaea, contundo oada vel, pode interessar em alto ponto no tira- la quina D. 1.
iirn ilois litros de agoa. bliveram-se os zll. Custa pnuco as experiencias.
Leilo.
seguinles resultados :
Carvio naS preparado.
500 gremmas.
A's 5 horas e 1 minuto um pouco de fumo
de eraporaco. principio da ebolrcSo.
A's5 > 6 25
A's 5 e 27 cachSo.
A's 5 6 50 lim da fe mr.i,
A's 5 i 6 53 lim il i experiencia.
(.Diario do Govirno d Lisboa )
Picaran) 90 centilitros de agoa d3o evapo
rados. t
Corvan preparado.
500 grammas.
A's 5 horas e 1 minuto Cinio de evapora-
COMMERCIO.
ALFANDECA.
"eDdiT!!rltL'.J!l,!2'2ei d.e,'. opera comple emS.clos, do m-
Desearregam no/e i6 deagosla. mortal Bellini
Barca ingleza Broadoak mercadorias.
I.eilo extraordinario de ricos es-
pelhos fraocezes por conta dos
Srs. Avrial Frere Companliia
0 em i olor Oliveira far lello, irgundi-felra,
18 do crreme as II boras da manha, no pii-
Subiri a scena pela primeira vez nesta c- meiro andar da casa n.4i, da ra da Cadela do
Recife, por cima, da loja do Sr. JoSo Cardlo
Ayre, de uina porra',, de e.pdho de vidro
Theatro de Apollo.
Espectculo lyrico dramtico, para
SABBADO, 1(1 DO COMIENTE.
COMPANHIA LYRICA.
uaacapellaa particulares, a cojo respelto se
deve observar o dlsposto na tabella u. :U a
advertencia I.' a este mesmo numero.
Palacio daSoledade 12 de agosto de 1851. -
iodo, blspo de Pernambuco.
A's 5 e 20 fervura, cachflo.
A's 6 elO > lim da fervura.
A's5 ii e53 fm da experiencia.
Ficar.m 55 centilitros do agoa no evapo-
os.
Assim bastaran. 30 minutos ao camo so-
Rrigue auslriaco Airune farinha de trigo.
Briguo americano Hunlresi -- familia e
bolachinha.
Polaca br.sile.ir. SS. Trindaie-- gneros
do piiz.
cao, glbulos Briguebrasileiro lauramorcadorias.
"".-"itlfr "l8le Dr3ileir Flor do Cururipe gne-
ros do pniz.
NORMA.
Persotiagens i adores.
Norma, a Sra. Marieta Lauda.
Adalgisa.a Sra. Margarida|Lcmos.
Poll.one, pro-consul Romaoo, o Sr. Cario
Rico.
Urobcso chele do Druida, o Sr. Lucaa de
Vasco.
Flivlo amigo de Pollione, o Sr. A. da Costa.
Clotilde confidente de Norma, a Sra. Ca-
importeciaft.
Escuna nacional Ooaro viuda do Maranhao, ,!"a -
cousignada a Mauocl Duarte Rodrigues in.nl- en. menino, lho de Norma. N. N.
festou o segulntc: Director al combati e mesUe dos coros
5 calas tonca, 21 caixes figur.is de barro, Pedro Garca.
lar para produzr a ebulicui; com ocarvao 52 vaso plaas, i caixotc mercaduras, 493 A aceflo passa-se as G.lli.S e no Templo
ordinario foram precisis 37 minutos. alqueires sal, 000 inolhos palha de carnauba; do Irmensul.
ex A fervura em caixo durou 50 minutos ao cnnsiguatarlo. Find'a a opera companhia dramtica
Publicado a pedido.
. --------;------7.T TT.0 do quo pelo carv.lo ordinario.
A teSbxzftrr; ?JS& Wrs.pois'que carm6 f. P,d9
ro(.eJodaa.mara((roiil.(.'Fa: s8r queimado nos mais pequeos quxrlos,
Artigo. I. Ogavernollca auilioriado acn- anda que nuo tennam logoc, do mesrno
liruiar nos postos, a que furaui elevados, coi modo quo as fornilhns d >s grandes cosi-
conaequencla de prnposta, Irgaluieiite fcilas lillas, ou lias dos laboratorios lechado* ; quo
pur servaos prestados as dilleieuiei pruvin- es preparacSes culinarias ou ontras em que
olas do imperio, a bem da indepeudciioia na- s0 emproga. fazetn-so mam depressa, e com
ciooal, aquellcs olliciars. e olbciae i.ilerloies cco|ll)m|, de um quait0 ou um i,,,?0 ,1(J
E,J3^?Si&X!&lkZ& eombust.-el .in.lmente, qua a forca do
voinmocdes poltica. calrico quo desenvolvo, torna o iiilcira-
Art. 4, Adisposifao do artigo antecedente ltenle proprio para as itidustnas melallur-
compreliendea lodos aquellcs que foram sen- gicas. u
lenciado em coiuiiiissei militare, cumprin- ( Piarlo do Oooetno de l.iiboa. )
du s viuv.i* deaies e a quaesquer outros, a M^MM.^^.^
queui a lei 1'jvurccc, os iiiesmos direitos, di:
que gosariam se n.io fossem sentenceado.
alaunel da Funscca de Lima e Silva, ministro
c secretario de estado dos negocios da guerra, com o primeiro, o nicamente 25 com o se- i2cauaira albos, i tambor de ferro a li- executar urna farca
gundo. Finslmantp, a ovaporacSo da agoa veira Paiva tCompanhia. #. i
p-locrao solar foi de 25 centilitros mais 1JSX&*!?'i"****"v} 1"f,?Mo; JudaS em Sal
fi anecies com rica moldura douradas e sem
ellas, detodus os lamanhos, at 5 ps de altu-
ras, que si i ,iu arrematada aem reserva do
prccns.
i alainbimie, 2 cairos, i arroba de sida; a
Siarr & Coinpanliii.
CO.NSDLAIIt) I.ERAL.
Iiomligiento do dio I a 13. ...
Idom ili .li.i I .........
17:121,518
l:4ti8,973
18:593,491
DIVBIISA8 l'IIOVINCIAS.
It'Midiinento do ilia 1 a 13 JH.l
dem do da II........ 9S,3U1
bbado de Alleluia.
Persotiagens e actores.
Jos Pimcnta, o Sr. CuimarSes.
Capito, o Sr. Costa.
Faustino, oSr. Jorge.
Antonio Domingues, o Sr. Figueiredo,
Maneota, a Sra. 1). Leopoldina'.
i:iin|iiiiili i, a S'a. D.Carolina.
.Meninos, etc., etc.
O espectculo principiar as horas do cos-
tume.
K.X|'it-icio.
A AMRICA A SEIS DUS DA EUROPA. Loanda com escalla por Benguella, brigue Va lelras
l'elo meado do sectllo passado os navios Pugu' Inumphan,, de3.li tonelladas, con- GVaes
du/1 i o c un,!, di i pipa*, ni mrias nittas, Galena
Creeos.
610,122 Camarotes dos lados 1.* c 2 ordem
.....---------Ditos de frente de dita dita
lutos de 3.* ordem
8 000
10,000
5.0110
2,0011
1,000
1,000
Palacio do Kio de Janeiro aos i3 de setem- ca para atrever o Ocano. Partan), oa paDadores 200 aaooaa farinha da mandioca. 80 notheaLro vespera cnuuid
bro de '831, iO.'1 da independencia c do in.ij.e- viajantes da Eurt a duranlc a primavera, barricas Cirinlia de trigo e I caixao facndas.
rio. AssigiiMdos os inemnros da regencia.
Manuel da t**(n#rea de Lima e >ilva
S-sriT; H 'Ti?.do,11;roc,0lrs da O mcHior lempo, Ultanda as p.aias do an-
e chegavam America no outono immedia- Canal baroa austraca Ptraaa de 521 toncl-
la. Aproveitavam tambem para o regresso adas, condiitio o seguinte: .-ti,'150saccos com
32,250 arrobas jlr assuear.
.Sr. liavendopor bem S, M. o Imperador, por
iminediala e Imperial resulco Oc 2 do cor-
no lliealro.
AsgranJcs despozas da companhia para
levar a scena, esta grandiosu opera nos
coloca na necessidade de augmentar os pre-
cos dos camoreles, esperando do illuslrado
publico, quo om vista de nossas razo s no
nos ahouduna noste primeiro ensaio que
presentamos a sua recominond'Cllo-
!- .JtlJ
RECEBBDORIA DE RENDAS GERAE8
.No principio do presente s?culo consc- INTERNAS.
ri'ie,"in"mada "obre cosiilia*Tin7oncTlio~su- gliiram ilgun viajante, ir a Voltar da Ame- Hernmento do din 11...... 503,903
premo militar, indelerir o requcrimcut i de rica no mesmo anuo, parre-mioja admira- man ann uunviNCiai
Francisco de liarros t'aleao Cavalcaute de AU vel eslo progresso a nossos pas. Com O .. 'ir W **",.. .M
buquerque, que pedir ser contiruiado no andar dos tcinpi'S alrcveram-sn em II ivios '.......ibl,0a2
posto de primeiro tenenie de arlilliaria, que devela, a fnzcrdiias viagens coTipletas en- ..
exercera sem conUrmacao, (I) OUi ao menos Uo dous ,llvoins s..fo csyc progro.10 |>JOVimeillO O DOrtO.
pagamento da dillereu. .desod,, dopnme.ro ,.ua|,|,aj ,,e extr.OrdlO.rlo. ~ Duranteoi____________________________L_______
a seeilmto teiienU', do iiue lora deiuillidu : ( 2 ) ',.. ..... __* _l
asalu a commuolco a V. Ble. em .oluco a mtio o auno, ISjO.gr.jjsa navegacSo por| Navios entrado* no d,aii.
ollleiodoscuaiii.cessorsou n. 10?, e dan de Mpor, J. 86 percorrao distancia quesepa-: Jlaianh.To pelo As-ii --50 dias, brigue escu- qu->sia maiur parlo d carga prompla: quem
!l de abril lindo, c para o la.er coaltar ao in- ra Liverpool de Nova York em 18,15,12, e ni hrasileiro fouro, du 133 tonelladas, ca- nellequiser Carregar, on ir do jiassgoiu di-
teressado. Dos guarde a V. Esc. Manoel al 10 dias, e todusbradaram : non iliis ultra. I
\ ieira rosta. Sr. presidente da provincia de Todava algulis genios emprelienilodoros j
l'eniambuco i.iimpra-se, Palacio do gojerno cjpiiciiaram em dsuiiiilir e.-ti assei'v flo : ]
de Pernambuco i de agosto de 18..L -Vctor esegumlooqueprometl.nl alcancar-sc-ha!
Avisos martimos.
Para Aracali
Sabe impeterivelmenteat o Otn do cor-
rento o Ilute l-'tor do Cururipe por ja tem
d'Diivei.a. i-oobrma. Offloial malor--Joa- su omoiiicou.
uiiu 1 .i .' M.n h i'lo l'uriella. L-onfurmc *_ __ .
Francisco Camello PeMoa de I. .cerda, capillo niente Lis-aqui o mu lo :
aecreurio d,. comniindo da. armu. Em lu^ar do embarcaremos viajantes no
Por U. i. u. I. B. llav.-i!, Suiplliaiiiplon, ou Liverpool, embar-
(I) lie eseo posio, i|ue Ihe foi conferido na caro n'uin |.otilo dado da costa da Irlanda,
prop.ista geral, lelta na Danta, em consequen- coma lo do York abuso 1 z" long. Di ri-
elada portara do goveruo de i2de nnvembro gir-Sn-hBO dircclain-nte, segui'ido a punca
c aviso Imperial de 30 de jull.o de 18j3, ex- distancia OS 45 lat. N e em lugar do desem-
pedr pela secreta, ia de estado dos negocio |)arc,roaiem Nova-Yjik dcscmbarcarilo 00
pitSo Jos de Jess Cruz, cquipagem 9, riJa-M a ra da cadeia do Recife n. 49 I o 2.
carga sil c mais genoros; a Manoel Duarlo i,lldar a tratir cotu Antonio JoaquirnSave.
Rodrigue.. I'assageiros, Antonio l'elix da Faro a i'.if., Inln.
Coila, 1 prota forra el negro a e:ilregar. Sahe em pouco das o hiatc nacional Bipn-
Avisos diversos.
i.iu "ii precisar do um lorneiro dinja-se
a ra larga do Ito/ario venda n. 16.
FurlarSo um cav.llo, rudado sujo, de
lamanho regular; cauda cortuda, mais no
iiiuitii, la/.,Millo a 1111 ii 11 muda, solado com
selim ocahecadi. ingles, tendo iiaillicci-
da picadeira com corrale ; o qual desa-
parecen da ra da Cadeia do Itcc f', da mS
do um g.inha lor, a quem se deo pata sgu-
rar, e consta que o din ganha.lor encami-
nhou-se pila o lado do Corpo Santo, e nOo
ss souhe maisdelle; roga-so a quem o a-
char, de o levar a ra da Aurora a casa de
Francisco Antonio do Oliv ira, que sei
generosamente recompensado.
Quem liver aigum sobrado que alugue
s.-ndo primeiro ou segundo andar em ra
publica, que tenha bons commo los dirija se
ao Hotel-Francisco que .chara com quem
Ir. lar. *
:- Aluga-so um preto, olllcial de marci-
neiro na ra do Vigario n. 20.
S. Hoque.
Ilojesahbado 16 do oriento, dia do glo-
rioso S. Roque advoga o da pesio, esta'
esposta a gloriosa imagom na ordem ler-
ceira de S. Francisco da cidada do Recife,
las 6 horas da manlia, as 8 da noite.
,\a ra da roda n 29 ha tuna Cavahri-
co particular poitencsnto a Jos Apolinario
la Cunha, onde so negocia hons cavallos, e
latibemalugam-so alguns, como timbea,
recobe-se algunsdo Irado ou cura, quem
lella so quizer servir ser salisleito de
qualquerdas pertencOes.
-- Lava-se e eugomma-so por preco mais
liarotu do que em oulra qualquer paite:
quem precisar dinjs-se ra do Ito/ario d
lloa-Vista n, 2, que l se dir quem islo faz.
-- A pessoa que amiunciou querer com-
prar duas Cacea., dinja-seao Chora Slouino,
no sitio doSr. SebaailOo dos Oculos Arco-
Verdo.
-Oabaixo assignado deixou de ser csi-
xeiro do Sr. Joaquina Jos Das IVreira des-
de o lia 8 de agosto ; uo mo.ino tompo agra-
decc-lheo boni tralamoi.lo quo delle reco-
beu durante o lempo que cstevo om sua
casa.
Os Srs. Antonio Franco da Silvcira
LID. ( do Porto Calvo ; Manoel Machado Ite-
voredo (do Cabo; Jos Joaquim de Men-
bairo Cavalcante : queiram annunciar a
suis morada., ou irero .o aterro da B,i. vi5
la, sobrado n 10. *"
- 0 Sr. Antonio Concalves de Oliveira
de Pedr. de Fogo, queira ir pagar a sua l'
ira, vencida a 7 annos : no aterro da \tT,
Vista o. 10, .obrado. Boa
I'recisa-se singar um 8ii0
que seja a beira do rio, at a Pou'.
te do Ucha : na ra do Trapi.
che n. ti.
- Degeja-se fallar, para negocio de im
poilancia, com o Sr. JoSo Sil veira Maciel
que em 1812, pouco mais ou menos, veio d>
ctd.de de Li.bo, pira l'ern.mbuco, onda
parece que na cidade de Olioda f0| c.i
xeiro do Sr. JoSo Joaquim Ra bello, e deuoi*
se ausentou, segundo congt., par. o nU.
rior da provincia, e tambem so roa. o fs
vor, quem deile .ouber, de d.r noticia ,
ru. do vig.no, ca. n 7. decl.r.ndo.equ
aquella Sr. Maciel, helllho de Antonio 3,,!
ve.r.M.c.el, e de D. Maxim. Joaquinas .
veira Maciel. "
- JoSo II. Borges Dlniz, embarca p,r/tQ
UMM Janeiro, a su. eser.v.; por noma
- Jos Antonio Alves de Miranda Cuiro,.
raes, embarca para o Rio de Janeiro, o sen
escravo, por nome Gil.
da guerra, em recompensa de servicos presla-
. ..acional Hipa- donca ( de Cruang i o Manoel Gomes Bar.
paasaro Ocano cm cinco ou sois das so- Macio 30 horas, alera ingleza Ueta, ct- dar por ter prompia a inaior parle da carga I boza do Araujo I'crcira oueiram mili lar
pi'.ao Cree i, carga assuc.r o algodilo. Se- para o resto c passageiros trala-se con. A, da'
guo tiara Liverpool. Truiixo de M.cei c Ferrcira Estrella ouconi o mcsire Vici-
os passigeiroi segnintcs : Joo Jos da oo Jos Pereira, no Trapiche.lo algodo.
Miranda. Antonio Jos de Viveiro, Joiio Har o Assu segu v.agem na presente
JOS de Miranda Jnnior, Domingos l'.odri- ""i "r,B", Paquete de Pernambuco,
gu s de Carvalho luiuor, o padre Irancis- f ece.D0 c"Bn V''le commo.lo : i IraUr a
codeAssis Ribeiro, Fortunato Vieira da "rJo no fuodcadouro na praiado (.ollcgio,
Silva o 1 escravo. ou na ra da Moeda n 7.
Naviossahidos no inesiiudia. Ceaia e .llurai.liio.
ponto mais a.liaulado da Ainuilca. e proxi-i
do independencia nacional.
;*; Fui-iiemlttido no anuo de 1827, pela mi- mi ide da cidade de Ilalilax, ol.iixo dos i parahiha barca inglez. Arclicl, cipitSo Segn em poucos dias o brigue escuna
; rur.ie.i.i.t.uo .10 .101.0 icic,, neii lili- ,------------------- ----------* ,-------1----.... ^. l..m..i. ...
iistrodagurira JoSo Vleira de Carvalho, a- 2 long. O., do onJc um caiimiho de ferro I \V. J Aloxandre, cm laslro.
chando-se o iiiteressado anda no illo de Ja- t'Oilduzirn Os vi julios ao Ganad.,
nelfOi paraoi.de IhlDa ildo deporlado em i825. Esta I11S-U111 iu-
lia -il -ii 1 l.iiri ; parac.rga o passageiros
' I lem b igua inglez Wellinglon capit5o trala-se com o consignatario Jos Bapiista
Charles llenry William, cm lastro.
ruosla das cartas que se lh tem escripto,
00 aterro da Boa-Vista n. 10 sobrado, ou se
publicara o objeelo dossas caitas.
A |3 do inez passado dosappareceu o
pardo Luiz com os signaos soguintes : de
i lado de 17 annos, rorao regular, alvo e
descocado, os ps mu apalhetados, ha pou-
cu lempo comprado ao Sr. F. de C. Pa.-a de
Andrade: quem do mesmo dnr noticia on
o levar ao pateo do Hospital ser recom-
pensado.
i\o dia 20 do corrento so ha do arrema-
seni proceso, pronuncia, ou .entrica, c .-,, Desti! modo se evitan" na Europa todos I dem barca ingleza Fatina cipitao II. segundo andar.
por se li.ivei|consciva.lo, noaunnde 1821. cm o os pengos e rollos da nsvegacSo na .Man-! Le iig, cm lastro
(tecle, com upa., o honrado coronel Jse de c,ia o Canal de Sao Jorge, en America lo-! fanal barca auslriica IVstWltO
Barro.t-.lea. de Lacerda, eu,a. governador dn, nh,...... ,mtmau rfrocc 1 ,- p,or0i ca,g, a,'C3,.. jm
da Fonseca Jnior, na ra do Vigario n. 23, : tar eni praca publica do Sr. I)r. luiz do c
dasarinasdesiiprovii.ci.il Sua demisao ll.e
feldada no posto de trgundo teacnie, c uto "proxiBIdadeado porlo do .Nova-Yo.k.j
uo de primeiro, cuja eouBrmacio, como ag- A dis ancid eitio a Europa n Ameno Hcara V
ra, Me foi Mmpre entaaita, aio obsijnte ale- por tanto icdiizida a ti'iO leguas marittm,.s, i
galidade da referida proposla, Fiearam aaaim distancia que pi lera muito bem veui'M-soj
pola Mm reco.n|ieusa os sen. tervlfoi pe.la- no espaco de cinco illas COnllDUOS, 011 SR13 '
dos i independencia u.eiooil, e lem execuco diasparaque.il quizer aproveitar OdMCao-
solucao da .,, semble, geral legislativa de Co que i.aluralinenlo so olfercro lias llhas
E^f&lVtfSSSR i!: 5V* deV..ndo..e un, pouco pura
e ve do aviso, cima Iransciplo. *
A proscrifao parece pois hereditaria na Iju.i- Supponh.mos agora qilR o Caminho ile
lia do iinado pai do iuteressado c ter de con- fero de Aviuhain elle;;! a entroncar algum
.servar-se por lonyo teinpo cm seus deseen- da com o qU'1 ni lutiitavelmoul'? lia de, cedo
Para o \rScalij
caplSo Segu por estes dias o hiato Ligeiro, por
ja ter a maior paite de seu carregamenlo
denle! I
VAlilEOAnKS
ou larlo, virdesde esta cidade al a fion-
, leira. O tr.jcClo dests cidade ole o llivre,
lO.dealli a viugem dos rapores Iraiisalliiiii-
ticos sera de mui'.o
recio de esaggerar p.le dizer-se quo no
CVI'.VAU SOLAR.
Nilo ha muito quo se noticin a desoober-
la de u*m processo par. desenfectaro carvQo
do lonha. Sabe-so agora que h aociedatle
que aa linha formado em PalS para qu
tal processo s I leva.-se a exeeoclo em gran-
de escala, comecui as .a.. oper.oOes, o quo
"lea ao Carvilo punlieado o nome de canto
''ilar. No nrospect i d i companhia pucllca-
ramse os seguiilos por menores sobre esta
preciosa descobert. :
O carvio solar he o carv.lo dolenlia du
primeira ordem.
A preparacSo poiqu; passou deo cm re-
aullado :
1 Livra-lo completamente do gaz asphy-
\i ule quo r.onlrii,
3 Communicar-lhe um grio do calrico
de 25 por cento, o. m"Smo, em corlas c r
cum.taocla. dad.., du so por cont nt.:
forte '.r. r,:.a o '., ci\3.. .ndipaho.
o 3. Tornado prom. lo e fafil da accen.ler
o .olivar-lhe utilmente a combusta.', que s.
taz viva, bnlhaiile o inodoia.
Experiencias.brihilfeaO dos gati de-
itterto!-. Accenderaro ie qu.lro fogareiios
(heios de carvilo solar om um |oqti mo qu ir-
lo sem fogil", e fachado hermelioam nt
N.ioc usaraui nonhum incominnd a pes-
so-s que alli esliver bustJo.
^i Amplenlo de c.ilorico A's qualro ho-
ras e cincuenta minuto! da Urde puzer.m-
se sobre dous fozar rio-; u^i da carvflo n'o
Declara 9oes.
mez de ferias pde-se ir a America e voltar
ilalh, cslanlo oilo dias uaquelle pniz.
{Heraldo.i
NOVO METIIOnO DE IIAI.I.OES.
giilanioiito da 12 da maio, uara cohrarein os
seus ordena los nao preciso oais do i|iip|ilo
atlest.de do inspector do seu respectivo
circulo, rubrica lo pelo dito director geral :
quinto aos rnappas dos alumnos ser.lo de 3
0Jorn.es de Pan. referen que, ha cot- ,,m :tme/.es, a.,s meamos senhores inspoc-
sa daoitudiaa, Mibio.lo llipodrome um Dal- lores, quo os rcmetloio a cata direciona.
/ r para conservar sua ternura. Vos- tem
.luo asna ultima palana..,e cu tan.bcm.
Tristo sacudi violrntaoiente a5 mo. da
Irinia, como e qulzee.tlr.-laa para lonee de
si, e levaniou o braco cuino para .in.ldico.-l.
uu batte-la mas su. intenrao, quolquer que
ella ful, lmente Deo. a condecen, por quin-
to antes que elle podesse manlfe.ta-la por um.
pal.vra ou por um acto, una bulla lord, rc-
"oo.i sobre o so.lh .lo jalao. Allieitc Irvai.iou
.. cabeca e deu mu grlio. Trlitao volioii.se c o
brafo caliiu-ll.e sem forca ao longo do corpo.
.Mm Leclerc, pois era ella que lioli.i balido no
sual o com a pona de seu bordan, como para
advertir os dous irmus de sua presenca, i.i
caminhaudo lentamente para junto driles ; < i
medida .|ue ia audaudo, sen olhar procurava
Alliette, ou l'rislao ; elle exprima alternativa-
mente a terna cou.paixao dc.uma protectora c
a Indjgnaciio calma, porm altiva de nina, po-
tencia vingadora.
Ella camiuhou assim at que chegou junto
di lies, e collocju-se de mauelra a separa-los
depois sen grande olhos azue voltarain-se
para um calailho onde se vi.i o retrato do con-
de de Beauregard, c leu,tu levantado o bor-
dan uessa dlreccao fe/ sigual a Trislo que
olb.e para ese retrato. Elle obedeceu ma-
lu.alinele porCui quasi logo cubr i u rosto
. Ihe bieasic no braco para faze-lo passaroutra
vez pela prora que acabava de sollrer, elle per-
ruaiieceu ncsla poiivJo: Sua retpiraeo- era
i uldou e peoivtl cuino a de um^iKouisaute ; c
por cima de uas mo. tremolas e como que
Ifip como nunc antes so vio. O Urano*,
b.liao perlencenle ao Sr. Poilevio, soim
ao ar levando al n do aeronauta n contra-
peso dp Ires mccis petoncentos ao eslabe-
Ircimento, suspensas, e com azas prega-
da, noa hombro., de mancira quo poreci.im
ir voando Logo ao subir prorompeu im-
nensa multidSo deeapectadore. em eatron-
,lusos spplausos, mas depois pareceu pre-
dominar un senlimento do terror ao vorem
as mulhere. por ene. ares afora, sem algum
punto de npoio ppircnle. Dopois de amlc-
rem por parto d- un hora no r, de.Ce-
ram a salvo a planicie qua llca junio da
i illejuif.
AS F0ltMIG\S.
Nolou um ajronoTioquc as formig'8 lecm
grande av?r>5o para o oleo, e quo hasta par.
afaata-laa de urna aivore, arbusll ou qu.l-
qoerplanta,empregar una corda com
eatrSo em bebi la de oleo. O cheiru do oleo
asafugenta ese os seos i sse emhanicim
no IctrBo, morr^m alli. Qaanto a lagarla
e vermes, o mesmo agrnomo preserva del-
|s s suas arvor -s e arbustos com liras de
casca de amnreir", com as quats cerca o
Ironcn e os 'amos.

Navios entrad* ono din 15. tratado, a o resto e passageiros dirija-so
iliia 8 da. baica inglozi Cynlhla, de aruzdo irion. 5.
251 tonelladas, C.pilSo E. Roy, equipa-1 l'ara Rio do Janeiro segu viagem
geni il, em lastro; a Rclisrd Royle & co o hrevidaje o brigue hrasileiro Animo,
Companhia.. capilao Domingei Antonio de Azuvedo:
i: ilii i -- tilias ha'ca ingleza Judian, do2!l0quem no ines.no quizer carregar, ir de pas-
tonell.djs, capiUo John Sniith, equipa- sagem uu embarcar escravos, pode enten-
gem 12, e a lastro ; a*lc. Cal nont c.- t:o:n- der-se com o capil.to ou com Luiz Jos de
panhia, Segu para Wi.t Jodies. S Araujo, na ra da Cruz n. 33.
baha.
Seguo em poucos .lias o bem conhecido
hiato Amella por ler parto da carga (romp-
a, para o restante trata-so com os consig-
natarios .Novaos Companhia na ra uo
Trapiche n 31.
lito tle Janeiro.
Segu em pouros dias o bem conliccido
patacho nacional 1 alent por ter parte da
crga prompla, para o resto, passageiros c
ecravo. a frote ;-trata-so com ocapiliiona
praca ou cornos consignatarios Novaos e.
Companhia, na ra lo Trapiche n. 3t.
Har o Itio de Janeiro,
segu con brevilado por tor parte da
carga prumpla o patacho nacional Nereida
bem conhorilo pela rapidez de suas via-
De ordem do lllin. Sr. director geral
da iosirucefio publica, fai;o saber a todos os
cuita uur3C,io. Sem Sra. profeasores pblicos do tora do lyceo,
"'que un conformidad.-, com o art. 82 do re-
culos, a qual .o ia rpidamente cob.iudo de
um suor fro.
Alllelte, que eslava ainda dejadnos olhou
psra a .paral)tica com uu. ar supplic.nle ; pa-
rec i que Ihe pedia perdi pira o irmao.
Filialmente lcvantou-se. Era evidente que
soil'.ii mais pelo eu iivramento do qae tinhi
soll'rido pelo seu suppticio e pelos seus te-
mores
Porque rasao veio VMld perlurbar-nos,
minlia boa Leclerc! disse ella com um lom di-
ce exprobaco. lie um mal para vosse ser
tao in iscrct,. como isso. Esta vendo, sua pre-
senca he pc.ivet n meu ir.uo, o qual tinl.a
que 1 il ii -..... fletlre-se, ac desoja ser-me
agradavel : manhaa promctto-lhc ir vc-la lo-
go que me levante.
Mai Leclerc licou immovel ; como se nada
tiresse ouvido, ou como se nao tivesse outro
peniamenio que o de comer a Trislao debai-
xo da fascinacao de seu olbar, o qual nao o
delxava.
Pcdi-lhe, que se relirasse, vosss nao quiz
fazer o meu pedido ; pois agora ordcno-lhc
que nos deixe, a iqjm e a meu irmiio. Venba
c, Trislao, continuo., ella, vendo que a para-
l^iiri nao I ,.'i i nenhum caso de suas pala-
vra ; venha, c perdoe-mc o ter sido a causa
involuntaria de ludo isto. Trislao dcicobrio
a inetade do rosto e i ..ten I, u a .nao
Directora goral, 9 do agosto de 1851. 0
amanuense arolnvista,
Candido Eustaquio Caar de Mello.
Os vertedores enea rogados em c.uii-
misaSo de desi^nar,no ceinilorio publico, us
terrenos em que devem es corpurai;Oesro-
ligi isas, que os tem requerido, estabeleCer
catacumbas, de conformid.de con orogu-
I.monto presidencial de I" do fevereiro do
corrento .iniio, Ionio concordato em so reu
Dir no cemlteiio na tardo ilo dia 1C du cr-
renlo para ossolim, convida as refer las ir-
maniadesa quuali tambem compare^nm no
dia indicado, paia se acodar na quantidade
du terreno que so lizer mister a cnla urna
das raquereutas, e se poder depois observar
o mais quo dis. e u citado regulamctilu
REAL COMPANHIA DuS PAUETES INGLE -
ZESA VAPOR.
O vapor Teviot, rommandan-
Ic lvett, espera-se de volt
dos purtus du sul no dia 20 do
concille mez, e seguir no oa
seguidle para os da Euru,ia. As pe*soas quo
pretenderen) passagem dever.lo dingir-se a
respectiva agencia i ra do Trapiche novo
n. 12
O luiz de orphrios do termo destt cidado
. --. _..,---------..vel
daseguuda vara urna casa torrea sita na
caiiinna da Casa Forlo, avahada em 600,009
rs., e lem quintal murado, cuja arremala-
ciiohe a requerimento do testamenteiro de
D. Francisca Juvita do Paula para satisfacao
de legados.
Casj de coiiiinissao de escravos.
-- Na na Direita, sobrado de tres anda-
ros, defronto do neceo de S. Pedro n. 3, ro-
cebem-so escravos de ambos gs sexos para
se vouderem de commissilu, nao se levan lo
por este trabaliio mais do que dous por cen-
lo e sem so levar cuusa-alguma de comedo-
rias, ollerecenoo-se para isto toda a segu-
ranza precisa paraos Jilos esc.avos.
Desappsieceu no dia 7 do cor ente, do
lugar ue Sinl'ADoa, venia do Sr. Nicolao,
pelas 9 horas da nono, um mi nio, de nome
Daniel, de idade de 0 a 7 aunus, muito es-
perto, com falta do qu .tro denles na frente,
grosau uo corpo, cabellos encarapiuhados,
levuu vestido camisa de madspolSo ja usa-
da, e calca azul. A pessoa que o pegar, lo-
veo-u a olana de Sanl'Aiuia, a fallar com
Jo.lo /.'ferino do llego Barros quo so re-
compensara.
O ahaixo assignado previne ao respoi-
tavel publico qu^ pessoa alguma faja nego-
cio com I',-,- da Slva Moiotra, aiinuucianle
do diario de 20 do mnrcu du corrente, sobre
un. i casa na i ua da Clona n, 29, no Ii.hi i o
- JoBo J.cinthode Oliveir.. embarca p,.
ra o Rio de Janeiro, o seu escr.vo, por no-
me Nicolao
- M.noel Biptista de Miranda, ambire
para o Rio de Janeiro, o aeu escravo, por
nomeMauoel. vttr
Jacinto. Mari, de Abreu, embarca pa-
ra o Itio de Janeiro, o aeu esflravo, por noma
Caudino
Antonio Joaquim dos Santos Andrade
remolle para o Rio de Janeiro, su. escrava
molala, de nome Mari.
Iiii nova n. lo.
Recebeo pelo ultimo navio viudo de Frtua
talagara, seda e lia para bordar, burse,,,
Jcduraque gaapeado. para Sra, MpaToaS
luairo, iiiarroqiiuneseiim brincos para Sra
lauternas de vidro, caaquinha e brouzea.1..
...uno lindas, pentes de tartaruga para coc i
marrafa, eapelhos grande com moldura e ou-
tro euerados largos e estrello para mzase
pi mus, turto por rom modos preco.
Quem liver urna preU para alugar
queseaba lavar eengommar, dirij-enu'
Cinco Pont.a n. 68,ou annuncie pelo Diario,
Alolnlia- de aleguel.
Aluga-se mobilias completas, ou qui|.
quer traste separado, vonlada do luga-
dor; t.ml.em se alugam cideiras pira bii-
les ou ollicioa: na ra Nova, armizemda
irasles do Piulo, defronte d. ru. de Santa
Amaro.
- O Sr. F. B C. A. tenha a bond.do ,l
mandar concluir o negocio que nao ignora
na l.iji de Instes do Pinto, na rui Nov '
hcandocerloquese o n3o lizer oestes tres
dus, sera toreado a faze-lo. visto terem se
passado 12 anuos, e a paciencia esta es.
guiada.
CMPAlNHtA DE BEfillUBE.
A administr.cao d. companhia de Bebiri-
bo contrita por um anno, a comecar de on-
metro de dezembro em diente, rrecada-
cSo da t.xa nos chafarizes e bjcis do aqui-
ducto do Pala : os pretendemos podem
presentaras suas p.oposlas, designando os
sous lia ores 6 comp.rec ir pesaoalmenlo no
da 20 do crreme as qualro hons da tarde
no escriptorio da companhia.
Recife 13 de agosto de 1851.
Joflo Pinto de Lentos.
- Alug.-se um preto par. Ir.balhar cora
um canteo por um mez : em Mari Farinha
odepois na praca sendo elle hbil peda
aprender o cilicio com o mesmo qua Irata'
na ra do Apollo, venda n. 19.
Kua iNova n. io.
gens, qcom no nvsmo quizer carregar, em- da Bou-Vista, onde tem o innnlecauto Jos
carear ascravos afrote, ou hir do pas-agem, I Theolilo tutelado do annuncianle mais de
Juro-lhe minha irmaa, que nao llic cau-
arei mala pelar, muruiurou elle; mas pelo
amor de Dos aparle esta mulher Sua ,.re-
..._ enca cama me um sollrimei.lo horrivel I
luorulada inl.ee, vi.i-se ua fronte paluda, Esta ouvindo exclamou Allielle. Oulra ITristao com impetuosidade. Enganci-a Indig-
alraicsad.por duas vcias Sroas como mu, vez, Ihe digo, rettre-e mal Leclerc, do contra- 'menle, minha pobre irmaa I oaiba pois que
riocrereique voss be ingrata, cousa que at
boje nunca me veio ao pe.isameuto,
.Mi I.clere olhou para Allielle com urna ad-
niacan doloiosa, depois levanlou os olhos ao
eco c dingio-sc I, ui iiui.-uie para a porta Che-
gando ao tintar, ella mostrou anda a Tiislao b
relalo de seu pai c deiappareceu
Agora, tneuUrmao, aealmc-sc, disse Alllct
te. Esta mulher linha alguma cousa que pe-
dir nos, sOme.ilc o que houvc foi ter vindo fra
de lempo.
i>o, minha irniai, ella nada linha que pe-
dir-nos, respoudcu Tilslo com u.na vos som-
bra ella ouviu-me ameaca-la, e como couhe-
ce-ine ...ellior do que vosse, leve medo, e veio
em seu occorro. Alliette, cu mu um ministro
para ella, c ella lem rasao de me lembrar isso
en. cortos momentos.
Sua faculdades sao multo incumplen
interrompru ducemente a rapariga, obrlgand
o irmo a scmar-ie junto de si nao demos
porianto uenliuma iu.ponancia a seu panto-
mimo, que ulvez u.io comprehendamos bc.n.
Voss nao o co.npreheode, minha irmaa ?
mal ah '. cu o compreheodo. Voss he um
aojo 2e bondade, Allielle, accresceotuu Tris-
lao. Ab diga-me o que poderci faier para
apagar de sua lembranca as faltas que lenho
cjininetildol para repara-las 1 He voss sou-
besse quanto sou desgranado !
Nao ei neslc momento seuao urna cousa,
incu amigo, beque cu terla devldo compre-
heuder que minoa obsliuaco a causousua
vivaeldade.
*- Mas euenganej.a Alliette
linja-se a ra da cruz n. 10 e tratar com
Manoel Alves Cuorra Jnior, ou com o cap-
Uo Manoel Jos de Senua Marlins.
Far.
A escuna nacional Emilia, deque he ce-
pililo o pratico Antonio Silveira Muciel J-
nior, sabe para o Para om direiiura com a
possivel brevidado, e apenas receba alguma
carga miuda,o passageiros : para uina c ou-
lra cousa trala-se com o CapilSo ou rom
Jo.lo Carlos Augusto da Silva, ra da cruz
n. 13.
Para Araculg.
Sahe com toda a breviaade por teiji al-
guma carga tratada, o hiato Sania Cruz,
este hiato calnu do estaleiro o se nctn prom-
lo de ludo; pode entrar naquella barra em
|ualqucr dia sem precisar do aguas por de-
mandar? a 8 palmos carregado;para o resto
da carga o passagoiros, trata-so na ra da
Cruz do Recife u. 21 com Manoel Jos de
S Araujo.
inttrroinpcu
nao fu uciihuma promessa au Sr. d'Igornay!
que estamos ambos livres Smenle cri que
haveria perigo para mim se este casamento nio
se cllcituassc, c quiz lorca-la aaccelia-lo fazeo.
do-a crcr que ...c linha obrigado por urna des-
eas palavras a que os hoiueiis de minha
qualidade nao poden, fallar sem deshoura.
Voss bem v que sou um miseravel,
Perigo para rese meu irmao, se este ca-
samento nao se elleituar! porque nito me disse
isso logo ? Cre.o que se no tivesse coufessado
fraucaiiieuie, leria lido a coragen.de resignar-
me; mas ainda he lempo, meu amigo. Dga-
me, oque he que voss lenic, o que he que
iiuerquc ru faca! Creta que ludo me parece-
r doce cu comparacao da desgraca de saber
que sua ezisteuea he pc.turbada pur culpa
minha.
Nada posso dizer-llic, Alliette, c nada mais
exigirci de voss. Soll'rercl inri, deslioo acm
envolv-la em uieu iufurtuiiio.
-- Isso nao Ihe ser possivel, quando mesmo
vosse o queira, meu irmo : ludo o que o fere
me fere tainbcui asslur se meu casamento o
ealva de um perigo, elle me salvar con. vosae.
Voss uo deve carregar o peao de minhas
fallae. Ah cu terla dev.do comprehender is-
so mala cedo!
111,1.10, toma-me vo acato por urna
des-.js .ilui.ii egostas c vis que nao aceitan, se-
nao o praiere de uina allelcao, e i|ue_ repel-
len. uas provatcs .' l-.u sou ua Ir.na, eua
amiga.
-- Todava, miolia Irmaa, interrompeuTru-
to, ua conicicncla est calma, ao palio que a
minha est devorada 'e remorsos! Voss ela
iempre em paze cu iempre cm revolta 1 Ama-
metade ,la ,lii i casa, c se li.iga em juizo
contra o dito Joi da Silva Muroira, que clia-
uia aludos os sous credores e deve lores
para ajuste do contas a 5 mozos dasla parto,
sem cuutar coui o annuncianle.
francisco Josde Mello
I'recisa-so do um prelu, para criado do
um homem solteiro, lorro ou captivo : na
ra da Cedcia Vi'lht n 48 primeiro andar.
-- Boruardino Maia da Silva, exporta para
o Rio de Janeiro, o sou escravo Ignacio, par-
do, de i Ja,le de 22 aiu.es.
Preci..-.e de um caixeir, de 12 a l
anuos : no atorro da Boa Viste n. 73
{) Sr. Antonio Hud igues Baracno, mo-
rador nuestra Ja Nove, queira ir ao aterro
da llua Vista n. 10, sobrado, para pa-
gar o quo deve, uu mostrar que ja pagou
como diz.
-- Os Srs. Victorino Teixoira Leite, Pau-
lino Juveucio da Silva, Jaaquirn Das de
Sinla Auna (rnlalhalor) o M.noel Jos Ri-
l n -BgagBT^sMsoi
mas procura separar
ene, ania-me
leu deslinu do mea.
-- Isso nunca, cmquanto voss solrer 1 ex-
dau.uu a rapariga cun a mais enrgica ternu-
Lsla he a chara necessidade de meu cora-
Recebeo pelo ultimo navio vlndo de Franca
ricos lencode retro para Sra., pescucluhos c
camiziuhasdc cambraia mullo lina, casias c
coilas francezas muito lina, touca Je liuliu
ricas para Sra., dito para baplizadus, capoU-
ulios de lu., .ion- e gros de aple, mmete-
la de dito prelos e furiacore, barretinas fle
seda c de palha aliense prompio, ricas sedas
furlacores para vestido, blco de blondo uni-
dos vcidadeiros, ditos de Hubo, dito ditos de
eda i,, .ue,. e preto, luva auetioada de c
da para Sra., ineia de seda branca c preM
e um complot., sortiiuentu de insimulemos de
todas a qtialidade por cuimoiios procos.
A mesa regedur. da irmandade do Se-
nhor llum Jezus das Dores em S. Concalo,
avisa aos seus devotos do Sennor B0..1 Jezus
dos Pobres AhTctos, que a festa do mesoio
.Senil,ir sera uu Uu 17 do crrante.
Joaquim Francisco da Silva de boje em
diento se assigua Juaquim Francisco ua Sil-
va Carneo.
Pede-se aos dignissimos camaristas
quesedignem lembrar e providenciar pire
quo se nrto i.ic.i despejo ao p do arco de
Samo Antonio.
0 Sr. J. F. M. A., fa^a o favor de vir.
ra Nova, oude bom sabe, par. pagara
quantia uc 46,000 ra. importe de Su letra
vencida ha mu.tu lempo, |0rquej se c.l
cano, ule de ircubrar, certu de que em quin-
to nao pagar se publicara este aaouuciu de
vez em quando, e aliiial....
Precisa-se de um pequeo de 13 a 16
aunus para caixeir de una ven Ja, e que da
uiesina telina urlica : na ra da. Flores
n 21.
-v Precis.-se de um pequeo delOsU
annos cum alguma pralice de veoda: na ra
Nova n, 65.
Ouein precisar do urna ame per. casa
do pouca familia, ou homem solteiro, sa-
beudo bem engommar, e de multo boa con-
duela, dinja-se a ra do lies, icio em case
do 1 Inuna/ do Aqu uu l'cii.ecu.
Os Srs. Msiceliuo llennques Pereir.,
JoSo Alves de Suuze v Manoel Rodrigues da
Costa, queiram lazarjo livor dingir-sa i ra.
do Vigario u. 19, primeiro andar, ou aunun-
,1, m as suas moradas.
No aterro da Boa-Vista, venda n. 5a,
pr.icis.-se de um bom feilor per. um eoge-
uliu porto des!, pr.f..
com u.uita amabilidade, escularei al historial
do barao, nada direl ao Sr. Cesar pera nao
ubriga-lo a responder-mc, e noite montare-
mos cavallo c acompanha-los-heino urna
pai ledo camioho. Couvir que me^idemos per-
co, e demais cu o pruiiielti a meu pai. Nao I guutar a Corlna ee ella quer ir com nosco
o inlcrrogani mais I rislo, aobie o eu mo- Ueauregard leniou rlr-c ; mas oao lese lor-
livos; porm so voss ci ucceisario ao seu I {as para issu, edua torrente de lagrimas mi
Tepouso que osle casamento e faca, dlga-.ue I saltaram do olhos.
lmente que este he o seu desejo, que islo me Pedl-lhe que me pcrdoae, iniona irinaa ,
bastar I mu Ja vejo que voiie nao rita por liso, nao nc:
Lmilemo-uo a ganhar lempo, minha -Voss tem rasao,meu amigo, respoudcu Al-
boa irmo, espoiideu Trlllae, o qual uaoc lielie. Po. bem.' al a ...anhaa coiiuuuou fua
runa com forca de aer Inteiramente generoso. fevanta..do-e. Ditas estas palavras, a rapariga
Eu direi ao Sr. de Igornay que voss nao rejei- erg..cu-se sobre as pomas do p para por a
la sua proposla, mas que quer rellcciir, que i f.oute ao nivel da bocea do irmao, c logo q
qner conhecer ii.elhor seu lilho ; que demais recebeu o casto cariubo que eolllcitava, eper-
uosio lucio anda rcenle nio nos permiti lou-se a passos lenlos,cuino se Ibecususse aei-
una deciiau prompla. Faca.no Isso, qu : tal- j xar um lugar, no qual acabava de paliar ms-
re. Deu veuha cm uossa ajuda; vosi merece lames bem penive.
bem isso. Trislo licou ainda no salo. Em p dlio.c
Me em lim..... .do retrato do pe, elle pareca abyi.uado em
Halla! basta! inlerrompeu Beauregard urna contemplaco dolorusa. A lampada que
enn o aceento da mais profunda ae.isi bilidade. nao espargia mais que urna clarldade d"1""!'
Nao faca envergonhar-ine dem nuil menle sa, pareeia reapeitar todava o bello rosio u
de minha conducta, Allielle. Poupa leu po- conde de Beauregard. pois elle sobresahls iio-
bre irmo, o qual deseja tanto r.r aicr um da da no campo sombrio do paiuel, quando ja
digno de tu. adleao. Ab! coosegui-lo-b. el- objeelo que Ihe dcavain em torno e iain con-
t Jamis? fuudiudo na sombra eeu.pre crecente.
Sluto-mcj fcli, meuemigo, disse a ra-j Imagem chara e agrada! eiclamou Tr |-
pariga, tmeme por este cu desrjo. S.ja .tao, qucmdera que lopodesses animar por u
tambem fclis vosse, meu eiceIlei.iclin.ao: be untante para dizcr-mc queme perdoas .
uiioli.i felicidade que Ibe pecu.
Trislo pegou da nu... da tapariga, c levou-a | CoiihttNer.ic-Aa.j
repello,a.eulc aos labios.
OSr. de, Igornay e seu lilho, viro ina-j
obla, nao lie i cuutiuuou ella, l.tt us receberel'
w i i-rii A T\f\


. >recH-" de uln bom amamdor n ru
'""."'gi-i un moleque par o servico
,a"'ul|quer ca : no largo do Livr.men'o,
Jhrido da quina n. 1, segundo andar.
Huga-seaoSr. administrador do cor-
"' ,i0 pernambuco, ou quem suas vezes
Z, ordenar que se 0S0 entregue cartas,
utros quaesquer papis a pessoa al-
, desde que nao comparecer ocaixei-
E dos ab.ixo asignados, ou qualquer dos
.mns ''""O Vltra & Fl""-
r 0 a'bilxo assigna lo, no da 31 de ju-
ihse dcspedio da casa do Sr. Manoel Tei-
I1ir.de Andrado.-Pedro Claudino Ovarle
Precisa-se de qoairo pretos mais ou
maos P' trabalharem em um sitio; dan-
do-se o ionial que se convencionar, e trata-
metilo regular; eOaoca-se o pagamento, e
po fuga ou morle: a quem confie- e,te
negocio annuneie. -
_ JoBo Baptista dos Santos Lobo, Taz pu-
blico que desde a data do presente annun-
ciode.xa de ser procurador de Jos Luiz
M .-mis Peraira. Recife, 19 de agosto de
,8-- Ouerece-so um rapaz portuguez de 18
nnos Pra c.ixeiro de venda do quo tere
mulla urlica, por ser c.ixeiro ha mullos
anuos nesta praca. o qual di li.dor a sua
conducta : quem precisar dirija-se i ra do
ronda nova u. 5.
Aviso.
Avisa-se s senhoras de bom gosto que
na ra das larangeiras n. 13 fazem-se con
inuita perfeicllo, maoleletes, capotinhos,
Vrsli'os de seda, e de oulraqualquer fasen-
jn, vestuarios para meninos de ambos os se-
xos, enfeilSo-se chapeos para senhoras, e
iu90oas,aasim coino,lambem,cosem-se pa-
litos, calcas e jaqueles de brim. coletes de
seda, e fusilo tu lo' a moda, con) perfeicSo,
prestes., precos Commodos, e execuc.lo ds
eocommenda, por muito diflicil que seji.
II ngel,
Crecisa-ae alujar uma preta forra uu
H captiva para todo o servico de uma
casa de pouca fauilia; ra das Cruzes
n. 28, segundo andar.
O Se que tem penhores em Fura de
Portas em um sobrado na ra do Pilar n.
gtIS, segn lo andar, baja de os vir tirar no
prasode oito dias, do contrario lera de ver
o seu no ni e por extenso.
--Precisa-se dealugar uma negra quo en-
tend de vender verduras, quem i tivur, di-
rija-se a ra do Vigario n. 1*.
Precisa-sede un bom carroceiro para
M encarregar de andar com duas enn oras
de bois, dando-se-lhe parte do lucro dos
frates que adquenr : os pertendentes procu-
ren) na ponie do Uoha no sitio dss Jaquei-
ras que acharan com quem tratar.
l'recisa-se de uma ama forra ou captiva
para lodo o servido de uma casa de pouca
familia : na praca da Independencia n. 22.
Precis-se de um feitor que entend
de planlacOes e que seja trabalbidor: no
Passeio Publico, loj n. ti.
Na ra do Queimado n. 51, doseja-se
saber se nesta provincia existe l.uit Baptis-
ta Fnix, natural de Setubal, para negocio
que Ibe diz respailo.
Roga-se ao. Sr. reverendo padre Luiz
Carlos da Silva mande reunir o seu penhor
ue a qualro annos est em poder de Jos
a Costa e Silva empenhado por 200,000 rs.
principal fora premios que se tem vencido,
isto no praso de trila din, se nlocompi-
recer serlo vendidos por sua conta.
Alugem-so or preco muito rizoavel
eiccllt-ntes cavallos arreiados com muito
gosto, na cocheira da travessa da ra Bella
n. 2. Na mosma se recebem cavallos para
trato ; e para isso se afianza a qualquer pes-
soa que quizer ter seu cavallo em dita co-
cheira, que serlo satisfeilos com a limneza
c gran le commodo, o que poderlo verificar
indo a mesma cocheira.
A irmandade do S.S. Sacramento da
malnz d Boa-Visla ratifica de novo nego-
ciar a letra de8:408,000 rs. de que slo res-
P'.-nsaveis os Srs. Amonio Marques da Cosa
Sonta' e Ignacio Marques de Costa Soares,
pao pod-nlo obstarsemelhante transadlo
annuncio feito pelos referidos Srs. Mar-
ques, por isso que a irmandade nunca teve
litigio algum a respeito de dita letra, e nem
ella tem onusaUun) sobre o seu pagamen-
to, estando portauto a Irmandade no pleno
gozo de negociar como he dedireito.
-- Roga-se oo Sr. Antonio Joaqun) Massa
ou a alguem a quem o mesmo dcixasse fcar
a chavo do armazn) da travessa da ra da
Praia onde o dito morava, o favor de a man-
dar i nlregar ao dono no aterro da Boa-Vis-
t< n. 10 sobrado, no praso de oito dias, lin-
dos os quaessn proceder judicialmente a
abertura do dito armazem, heno o mesmo
lUssi esponsivel por todas as despozas e
prrjuizos.
-- Joaquim d Azevedo Villarouco, vai a
Macei a negocio.
-- Precisa-se de um pequeo de 12 i 16
unos pira caxeiro de urna venda no Iteci-
i'ino becco do Cpim,ven ja n. 6 pintada de
amarello.
Jlo Domingues Fernandos di Luz re-
men pira o Itio de Janeiro a sua escrava
pard., de nomo Bita, com um lilho de me-
nor idade.
Aluga-se a quem quizer sabir psra o
campo uml casa muito fresca e commoda,
sita no Monteiro defroote do Sr. Julo Tibur-
ciu : na ra da Aurora n. 8.
Troca-se por uma negra quo seja apta
Parn o servico interno de umi casa, um bel-
lo negro muito moco e bom cauooiro : na
ra di Aurora n. 48.
Aioda se precisa alugar uma preta es-
crava, que saiba tratar de urna enanca o
idir di roupa dola, pagando-se 10,00 rs.
Purtnez quem a tiver, dinja-se ao por-
leiro da alfaodega dcsta cidade, na mes-
na repartirlo, ou annuticie para ser pro-
curado.
-- A irmandade do S.S. Sacramento, da
jmtri/. da Boa-Vista, ofTerece com abate uma
letra de rs 8.408,680 de principal, alem dos
ISISSfi?*"1 Pelu Sr- "tomo Marques da
ci
,10
Vistan.*.
Tendo-se annunciado o furto de um
cavallo russo, magro, com as costas ferida
de cangalna, do lugar do tuquia, offerecen-
do s a quem o descobrisse, e o ladran a
grat'llcaclo de 50,000 rs e o mesmo caval-
__Quem qulsnr consoltlr ou Intar-se de
molestia! agudas ou chronicaa, pode diri-
gir-ee a ra larga do Rozario n 30, onde
est residindo Bernardo Pereira do Carmo
Snior, que est prompto a exercer sua fa-
culdide em qualquer hora do dia ou da noi-
te. Para com as pessoas pobres se prestar
gratis
Aluga-se no sitio do Cajueiro qualro
propriedadea deesas para se pastar a festa
ou-por inflo, junto ao rio ; com commodos
pira grande familia : quem as pretender
procur- no mesmo sitio para tratar.
Jos Lu/. Pereira, preienlendo icabar
at o li m do corrento anno com a sua lija de
forra gons da ra Nuva n. 16, ol rece a
quem a queira comprar, o piiucipia desde
ja atender qualquer porcio de ferragens
on miudezas pelo que Ihocustaram; apro-
veita a occasilo pira rogara seus devedores
3ueir.am satisfazer seus dbitos no praso
e 30 dias par o nlo conatranger a chamar
por folhas publicas aquellos quo se esque-
cerem.
Preciaa-ae de um porluguei que seja peri-
to ein plantaron de aillo, para o faier em
um oo lugar do Remedio : quem eiltver ue.tai
clrcuDStauclu, dirlja-se a alfaodega dcsla ci-
dade a aeu porleiro.
Os Srs. Custodio Alves da Cunha, e Jo-
s Alves de Souza, aquelle que morou na ra
dos Guararapes, e este na fu do Pilar,
queir.m dirigir se a livrana n. 6 e 8 da pra-
ca da Independencia.
Rogi-se so senhor que no dia 7 do cor-
renlo mandou em uma loja por um mutali-
nho buscar sapa toes de lustro pan amostra,
e lirn com um par, lenha a bondade de
mandar pagar seu importe ou mandaros
sapatos.
-- O Sr. Frinclsco Antonio da Silva, di
rui do Itangel, queira mandar pagar a as-
signatura desle Diario, e cm quaulo nlo o
fizer ver o seu nome publicado em letra
redouda.
Nova tin'uraria,
Na rui Velha, casa o. 74, tingo-so de todas
as cores,lira-se nodoas, e prepara-se casacas
que tenham algumas nodoas ou defeito.
l un das Cru/.es n. 28. O
m toniullorto homaopalhico do facullali-
C\ voJ. B. Casanova. {}
Gratis para os pobres. 0
a Na ausencis do facultativo J. B. Ca- .
J sanova, o professor homoeopalha w
O Gossnt 1imoiit continuara com os 9
O trabalhos do mesmo consultorio, on- O
O de (io lera ser procurado a qualquer O
hora. &
oooooooo0oooot>;
Acha-seem praga pelo juil da primei- {
ra vara do civel, para ser arrematada por!
renda, quem mas der, e a requer nentn |
de Manoel Luiz da Veiga, para pagamento
das dividas do casal de seu fallecido pai, os-
pecialninnio a docredor hypolhecario, o Sr.
Jlo Narciso da Fonseca, a casa do sobrado
do sitio do Anua, em S. Amarinho com 95
palmos de fondo, e 50 do frente, contendo
176 palmos de terreno par a ra do Lima,
un iiin.li.,.i i, i' n. ii- de 700 atea camboa,
inclusivos dous viveiros de peixe em pro-
ducto este edificio conlem dous anda-
res, um de sobrad comprehen lendo 2 sal-
las, 2 gabinetes, 2 alcovas, 6 quartoa bco-
zinba f'a ; outro terreo com don 2 sallas,
6 quartos e cozinha tamhem fra, alcni de Compiam so trastes usados, de tod-
uin grande armazem proprio para cocheira, a qualidade, e tumben) so trocam por noa
tudo muito espacoso e em bom estado, e vos: ni ra Nova, armazem de trastes do
no melhor local possivol, por sor junto a Pinto, defronte da ra de S. Amaro,
ponteziuha de S. Amaro, e muito fresco : a -- Co npram-se papel impresso [Diarios],
ultima praca ser annunciada. quenilo lennaO sidoeucaiernados, a2,5b0,
-Offercce-se i ara aprendiz de chapeleiro, a arroba, e a 8t) rs a libra : na praga da S.
um rapaz braziloiro, do Multo boa conduc- Cruz, pulira n. 106.
ta : quem del le se quizer utiMsar, dirija-so Compra-se um oscrnvo bom odicial de
a Manoel Luiz da Veiga, que dir quem he. sapateiro, moco o do boa conducta, preta-
Cla Francisca da Silva Coilinbo faz mi lo-so o que ao mesmo lempo entender de
ver ao publico que por despacho do Exm. bolciro: a tratar na Solidado sitio dos Qna-
presidente da provincia de 22 de julho do tro LeOes.
crrente anno, e deconformidadacum oar- Compra-sopara fra da provincia, um
ligo 38 do regulamenlo provincial de 12 do molatu do 20 anuos e de bonita figura, o se
maio do mesmo anuo, contina a dirigir em entender do bolea melhor, pagase bom:
casa de sesidencia de seus paes, na ra Di- na ra das Larangeiras numero 14, sogundo
reita n. 43 a sua aula por ve/es aiinuinisda andar.
por este Diario, ficando lodosos paes de fa- Compra-se urna pequea prensa de a-
milia na intellig-ucia deque a referida casa parar livros : quem tiver, annuncio.
( segundo anda / offdrefit) lodos os commo- -- Compra-se uma escrava moc/i, debo
dos para ag meninas, e he ocioso dizer as nita lisura, crioula, sadin e de bous costu-
msterias que ah se ensinilo por se Icr por mes, que saib cozer e ongommar : na ra
voics annunciado: portauto a annunciante doArngilo n. 12, primeiro andar.
espera muis alguma coucuircncia. Compra-so para fra da provincia uma
Pieoisa-se do um menino de 12 annos escrava, de bonita figura, o quo soja boa co-
porluguez ou bresileiro, de fora da cidade, zinheua, engoinmadeira e cosluicira : na
para caxeiro de luja do miudezas mesmu ruado Passeio, loja n. 21.
sein platica : na ra lerga do Rozario D. 16. Cunipra-se, na ruj Imperial n. 7, uma
Na fabrica de caldeiraria Je An negra do 20a 5annos, quusaiba cozinhar
II j^. i -.1 e engomoiar bem.
araae es L.eai Compram-so 12 cadeiras, 2 bancas, 1
Na ra Imperial fazem-e machinas para mesa, o 1 canap, tudo do Jacaranda, e em
annuiicie.
lo, acontece quo no dia segunda feira, 11 1.11 vas de pelicn.
do corrnnte, appareceu o dito cavillo oito vendem-*e luvaa de pelica, de poolo in-
na oslrada dirigindo-so pin casa, viudo giez, para bomem, a 1,800 rs., o pir ; ditl
com as cimas aparadas, e com mais duis fe- plri sen|,orii razeu la muito superior,
ridas novia de cangilha ; prtenlo Jinda so i^0 rs ,,jtos pari) meninos, 1 1,000 r. :
gratificar a quem dear.ohnr quem foi o la- ua do Quejmgdo n. 16, lija de miudezai.
drlo.om os mesmos 50,000 rs.: a entender-, nra raima iIp rlnrn
se com o proprietario do Passo doCiqui*. meas caixos de ores.
r v "~ Vendem-se r)Cos caixos de flores, a 1,500
Benedicto Jos da Costa Pinto, ftz sci- rs., nula mais barato: ni ra do Queima-
enlo a todos, que ninguem faca transaccoes j0 D |R
comaiua mulher Benedicta dos Prazeres, Luvaa e seda> a ^8oo rs.
A pessoa que quizer entrar do socieda-
deem uma venda, que lem poucos fundos :
dirija-se a Fra de Portas, roa do Pilar nu-
mero 82.
Precisa-se alugar uqi negro inlelligen-
te, e que entenda alguma cousa deservido
de casa : na travessa da Concordia 11. 19.
No paleo do Hospital, no sobrado de
dous andares defronle do chafaris, no>o-
gundo andar, procisa-se de u .na ama forn,
que siihi lavar, engommar, e cosinhar com
perfeic;:!", e que d Oidor a sua conducta.
Usabalxo assigmdos rogam s fami-
lias, que tenciomm tirar os seus retratos
pele electrolypo, de aproveitar os dias de
trabalho, odesta maneira evitar as grandes1 co
concurrencias dos domingos e (lias de festa )6 do corrento mez haia de viuia ma do'rin l),,,-ili n in
Cario, O. Fredricki & ll'efa, aterro de Boa-| nangtl, concluir o negocio que iHo ignora, ..," "'..hn. i
do contrario o annunri Monteiro, por isso que nlo est autorisa la,
por elle, para este tim, e protesta contra"
1

BOWMAN & MC. CALLUM, enganhei-
ros rnichinistas e fupdidores de ferro tnai-
regpeitosaniente annunciam ao Senhores
proprietanos doengenhoa, fazendeiros, n>i-
Vendim-se luvaa deaeda, dedilterenlei'neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
em oP.T. 1Z lliuV. U.naacco s co es Un o^ bomem. como^para ..nh Pevel publico, que o seu es.abelecimento
utm com ella tenli algumas |r,n,"cc0 s- Y Oueimad B. 16. de ierro movido por machina de vapor con-
-_ Roga-se,o Sr. Jos Romoal.iod.S.lv, n* y' .^""'"iho relinado na tinu'e"> elTectivo exercicio, ese ach com-
ontinuo da tbesour.rla geral que at o da | Vende-se sebo relinaUO na p|el,mentB monladocom |hos d. pri-
G do correnlo mez haja de viyu ninln ,.(|i| pneill II. 5o
ngel concluir o negocio que nao ignora, ._.. .__.-_
uo contrario o.nnnnci,nlo Ihefira aplicar "Vendem-se 2 sel.ns inglezes c
as penas do arligo 261 do cdigo criminal. 8eus casorios, tudo inglez, co
- Ouem precisar de roupa lavada c en- PdUC0 us. ,e Pr mull r"l P"
gommada com asseio e erleicilo tanto de "Lenda um D"s Cinco Pl
honiom como do senhora por pr ocom-
!'.( lo duija sea iua d Moras n. 54
Compras.
mesa, o 1
bom uso :
fizer caf exactamente igoaes s vindas do
Franca : as pessoas qjep elenderem algu-
mas, dirijflo-se ao deposito da mesma fabri-
ca na ra Nova 11 33, que ali achsrlo uma
de ditas macninas promptas para amostra
fela por um odicial nacional, naqualsev Nova iljlica de chocolate llOiniCO-
0 quanto elle he peiito om seu olllcio: os
Vendas.
prelendenles no mesmo deposito adiarlo
cum quem tratar do proco e aceitaras en-
commendas.
Aos habitantes da Casa Forto, Poc,o da
Panella e Monteiro.
Na casi de Eduardo de Souza Pereira,
junto ao Sr Jos Ignacio na ruada Casa
Forte existe um depo-ito de familia de
mandioca de Sania Cathariua, carne do
Sear,* sabio e charutos, tudo da melhor
patlilCO.
Na nova fabrica de chocolate hermecopa-
thico, so encoutra o soiiuinte: chocolato hu-
rncBopathico approv-dj o apidicado pelos
Srs Drs. da hornoeopalhia : na ra das Trin-
cheiras n. 8, ha mais o seguinto o grande
chocolate lino amargo hrspanhol para re-
galo, dito entre lino temperado tamhem
para regalo, dita para o diario ; cha preio, e
hisson, supo'iorcaf muido puro, cafo puro
j'ira, aceita pelo Sr. Antonio Marques I
.usa Soares, e endocada pelo Sr. lgnac
'arques da Costa Soares, vencida em 14 u,
marcude 1841, eopportunameute prolesta-
' "J-ie ludo o negocio : os pretenientes
tiitenaam-se com o actual thesoureiro o Sr.
,, Jo, Monteiro : na ra do Quei-
mido, lojj n. 4.
--Precisa-sede uma ama de leite que se-
rinn oa,Cu"Uucl,:n rua lrgi do Rosa-
de1 louc!' 08uudo and,r Pr d '"J1
5iMKaLaUi,lam08< Companhii avisam aos
lid... Ji 0r!*u" no "raso de ,s di*con-
li.rmL 8""lhZ,,r 3eus dbitos, do con-
i>noterlo de ser chamados a juizo.
fe r..ulo G'Rnonx, dentista
i ,'11'"'*'/" Acrece eu prest-
* ,Ii i'" l'"u'lco para todos os
4 J, rti"ICS ua proflssao :
ou?.t v* P'-cnrado a qual- f
a ru 1 ,0,n Cl ana casa, na
tS^Sr*"3G';
guw d. 7.P eClMr de um c,ixeiro Pr'u-
infrn^.coe*0H.P"r 0ulr? npBocio. da'"|o
P;_a^0Cudr0,8ua """*' au"ncie,
^ --^Precisa-se de um criado na ponte velha
qualidade o procos favoraveis, tanto cm d cevala,caiielU|niuida, assucar,renado e
grosso como a retslho: espera portanto o decaroco de loja qualidade. lulo muito
dono deste til eslabeleciuioiitoaprotecio om; c vende-si por proco commodo Caf
dos bous compradores, noupando o grande enl caroC". cavada, o puxuin.
trabalho edespezas do Recife para Mtii lu- l'arinlia fontana no ar.viazem
8'res- do barateiro Jutquim da Silva
Aviso. Lopes, na porta da alfdndega.
Os ab.ixoassignados lendo perdido o hi- Vendo-se, por commo 10 preco, um oi-
lheten. 1481 da derima terceira lote'iado Ur.le eui muito bom estado, ejunUmente
hospital da santa casa de misericordia do PWOIO instruido : na rua do Crespo
Rio de Janeiro, previne ao Sr. thesoureiro "' ,.
e vendedores de bilhetes da mesma lotera Vende-'8 uma escrava crioula, de 22"
para que nlo paguem qualquer premio que ann09' que cugoinm, cose, he perita co-
possa lero mesmo hilhete a oulra qualquer z"'heira e Uz doces de todas as qualidades:
pessoa a nlo ser os abaixo assignados, os a lr,t" u? rua d" l'w n.43.
engarrafailo; mercurio doce do Lisboa; re-
troz do Porto, surtido ; bulachmna de Lis-
boa, em latas de 8 librase fUnella pra for-
ro de selins.
Vendem-se 8 bois mansos e 2 carrocn
ni esliada Nova, sitio do Sr. Baracho, dc-
fronto do engeulio do Poeta.
- Vendo-se muito em conta, uma negra,
de 26 anuos do idade : na praca da Inde-
pendencia n. 14.
Venda-se uma preta possanie, moija e
de bonita figura : na rua Augusta 11. 22.
Vende-so rap de Lisboa, em frascos,
chegado na baica l.iaeira, os senhores fre-
guezes que c^au aco pilarla, ii.'mi o deixaram de mandar buscar,
ao largo da Aisembla n. 4.
-- Vende-se urna novilua torina, por pro-
co commodo : u travessa do Veras u. 9.
Sal do Aisu'.
A bordo do patacho A'iinin Cruz : trali-se
aolado dot.oipo Samo, loja de massames
o. 25.
- No armazem do fazendas deCouveia .-.
Leito, na rua do (Jueimado n. 27, se encon-
trara um completo sui tmenlo de fazendas,
mais baratas do quo oai oulra qualqnei
parlo, bom como ptimos corles do inur-
suliua do i'oid.'.o nuil procurada para
saias; ricos corles de alemas, do algodlo e
seda, a 2,000 rs., o corto ; .lito niuloor
2,800 rs.; bom madapoln cnfeslado, a 5,500
ra.,apeca; noves corles docasiuiua, |ia:a
calsa, a 5,50J, C,U0U e 7,000 rs.
.aI;;imI;iii da trra..
Vende-se ulgodao da trra, de
muito boa qualidade e preco com-
modo : na rua do Urespo n. a3.
-- Vende-se uma bonita escrava, crioula,
moca, coso dio, Uva bom de sabio e de
vaireld. Collona alguma cousa, nlo lem vi-
cios o nciu defeitos : na rua do Queimado
11. 39.
DE VERES DOS IlOMEiNS,
a 5oo rs.
Vonde-se este ompendio aprovado pira
as aulas, om meil enea leruarjJo, a 500 rs ,
Cada um : na livrana 11. 0 e 8, da praca d
Independencia.
Vende-Sd um negro mogo de bonita
lisura, canoeiro, do uagilo Angola : trata-s-
11.1 rua da Cadoia do Recite, loja de fazen-
das 11 51.
Vendem-se 4 lindos tnolalinhos de ida-
do do 8, 12, 16 e 20 anuos, sein vicios, pti-
mos para pagana, ou para aprender) olll-
cio, um dos quaes he bom remador e sali-
vador, e bem sadios ; 2 lindas inolatinhas
do tu o 18 limos, uma engomma mimo be o,
coze e esta grvida de 5 mezes; t dita bem
corpulenta, de 30 anuos', que cozinha bem.
emgonuna e lava ; 3 prelas de bonitas figu-
ras, que coziiiiam, eugoinmam a lazem 10-
NaruidaCadela du balrra do Recite loja I'TVICO } t dlU sem liabiii lados j 3 pro
n.M, conllnaa-ie a venders melliorca. e mala ,s d0 l"Bla ,a''0. '"na das ooaes cozinha C
acreditada velas de cera vegetal de carnauba, lava multo b '111 ; 1 dita permita lavadeira;
Ir lias pelo iiiellior fabricante 1I0 Aracaij tan-11 molecoto do 20 annos, minio bom alfaiate;
10 em calila coinu a r#>cilho. Igualmente ven- 2 pr.'tos bous para todo o servido, 2 ditos de
dc-se um terreno na rua do ebo do lado do meia idade, mullo robustos e sadios, lodos
aul con, 02 paliaos de firme e 150 de fundo u muil0 e||1 Cl)|ll. a t c,deia do lleClfe
qual ,,ao be iore.ro. quem o per tender din- n.5l,prHnoiroaiidir.
meira qualidade para a perfeita confecfSo
lodo) dis maiores pegas de machinismo.
nuito! Habilitados para emprehender quaesquer
preco, Um- obras da sua arle, Bowman x Me. Callum
Poutas nu-| desejam mais particularmente chimar a"
attencSo publica para a sseguintes, por
- Vende-se um ptimo escravo, que tem terera dallas grande sortiment jproiupU,
algumas hbil! ladea, por necessidade : na as quies construidas na sua fabrica pdem
rua do fogo 11. 17. competir com as fabricadas em piiz ea-
-- Na rua do Vigario n. 19, primeiro an-' trangeiro, tanto em preco como em qua-
dar, ven ie se miiio de Setubal e mosc ilel,, lidade da materias primas e mo d'obra,
a saber :
E MAIS Or'HUliNAS
NA
Rna Inipcrinl n. 1 I s 1 l'Zit, c dcpnil ama \ova 11. 33a
Bespeitosamenle avisam ao publico, e particularmente aos Srs. de engenhos o des-
tiladores, ele, q te este eslabelecirneuto se ichl COmpleUmeote montldo, comaspro-
porgOes 11 cessrias, par desempenhar qualquer machina, ou obra conrernento ao mes-
mo. 0, mesmos chamaui a allenglo para as sjguiules obras, as quaes construidas em sua
fabrica compelem com as fabricadas na Europa, na qualidade o ruo de obra, e por me-
nos preco, a saber :
MACHINAS continuas do destilar, pelo melhodo do autor francez Derosne, as mc-
Ihores machinas, que para est lim at boje tem apparecido.
AI.AMBIQUKS de cobre de todas as dimenses.
TOlios os COIIItKS necossarios pira o fabrico do assucar.
TAIXOS DE COBRE para refinC;ao.
TAIXAs lili'1 para engenho.
DITAS DITO movis para dilo.
BOMBAS DE COBRE de picote, de repudio, de roda e do pcnJulas,
ESCRIVAMMIAS de lati dos melhores modellos.
DITAS DITO galvauisadas.
SINOS do lodos us lmannos.
OS APRECIA VEIS fogOos de ferro econmicos.
BIIIIIIAS de forro as mais bem construidas.
CARHOS dito do mo.
POIITES de ferro.
VARANO t.S dito.
GlADIA.MENTOS dito.
TAUAS dito.
CALDEIRAS dito.
Ii.\Mll-.lId is do zinco e de fnlhi, para banho do choque
eaj
A 1.t.i rs., o par, faz admirar !
Vendem-se meias relas do seda, aberlas,
para senhora, a 1,280 rs o par : na nova
lojado miudezas da tabolcla, em frenledo
t.ivraincnto.
Gaicano, a 2,5oo e 3,000 rs., no
atierro da iioa-Vista delronte
da boneca.
ChegOU novo sortimento de sapatoes de
couro de lustro, para boinein, dos melborea
que (rio viudo do AriCatV a 2,500 VI. ditos
di Baha a 3,000 ra.; ditos de couro brinco, a
800 c I.WU rs.; dlloi de orellia, a 1,120 rs as-
alin como um eo'iipleto lorlIuienU de calcado
I ranee/, deludas as qualidades, tanto para bo-
nicui como para Sra. e meninos, o que tudo se-
vende barato, alim de se apurar diuheiro.
Atlencao !
ja-sc a referida loja.
AttencSo!
''asemira de algodao c bia a 3,000 rs., cha-
peos de sol de paninho proprio para o campo a
1,0011 ra.,diloa de seda de cor. ingleac a 7.U00
rs.; corles de l'uslao pata colines a 500 rs.
A o iiiadanu.sino do lio n gosto.
Acuda de ahogar pura a loja de 1 onuuim
Murcia t Cumpanhia na ra Nota n. 8.
Ricos turbantes de lilel ou relroz do mili
lindas COKS de mullo boa quill lade, he
novo pauos linos a prora de lluito de cor ver- objeCiO de gosto, o confoimo os ullimos li-
de eaiul o 4,5'J rs,,-ditos prelol de 3,500, a gunnos, be.u se v quo lio um dos mais hol-
0 ra.; chapeos fraiiOMeajiosnllbore |us adornos com quo u amavel sexo de
Machinas de vapor di melliorcoustrucco.
Moendas de canna para engenhos de to-
dos n-, ta manilos, movidas a vapor par agoi
ou animaes.
Rodas ,1 "agua, mnnihos do vento n sernas.
Manejos indepeodentes para cavallos.
Rodas dentadas.
AiiuilhoVs, hronzes e chumaceiras.
CavilhOes e para fu sos de lodos o* Una-
nnos.
Ta i xas,pa roes,or vos e boceas de fornalba.
.Moinhns de mandioca, movidos a mo ou
por animaos, e prensas para a dita.
Chapas de fogJo e frnos de farinha.
Canos de. ferro, torneiras de farro e de
bronzo.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mSo, por animaes ou vento.
Cumdastes, guinchos e macaco.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragons'para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e portees.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros de mSo e arados de ferro,
etc ele.
Alem da superioridade das suas obras, j
gcralmente reconhecida, Bowman Z Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezeuhos remellidos
pelos senhores que se dignarem de fazero
lies encoinmendas, aproveitandoa occasiSe
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e freguozes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lbbs
que nlo poupar3o esforrjos > diligencia
para ciinliiiuarem a merecer sua confuoca.
Ma loja de J. Joaquim Moreira &C
Companhia, rua Nova n. 8, em
frente rua da Gamboa do
Carmo.
Cruitinua-se a vender formidaveis espir-
tilhos de puro linho para senhora, bem
guarnecidos de baleias, o muito bem ac-ba-
les, nio excedendo seu pteco de 7,000 rs.
00' cada i) n, chicotes colorios para carro
polo haratissimo preco de 3,000, sapatos de
cordavilo um pouco amacados para senhora
a 1,000 rs o par, chapoosinhos delodasas
quali lades para meninos e meninas, penles
le tartaruga para cuc do ultimo gosto, I n-afM
cinbos abertos de relroz que muilo se us agora, manteletes e capotinhos pretos e do
fuila cores, quo se vendern mais barato do
que em outra qualquer parlo, capotinhos
uu gihoes de fil luanco guarnecidos do
tranca pelo diminuto preco oe 8,000 rs., lu-
vas de Indas as qualidades quer para houieni
quer para souhora, dilas do camn; i e cas-
tor p ira militar, da nasco de seda de todas
as cores, assim como urna pea verde mofa-
do i[iio se vender por muito menos deseu
valor, chales do soda cores escuras e boni-
tos padtoes, inclusive alguns com seu buca-
dmho de mofo que Umbem se venderSo por
monos de seu valor, grvalas de molas, se-
das do todas as cores para chapeos, selius,
tallas, e um bello sortimento de perfuma-
ras e calcidos, e ouiras niuias fazendas
que na mesma luja se vendeo por prcc,o
comnaodo
PRESTOL SALSA l'ARRII.IIA AMERICANA
Melhor e mais extraordinaria do mundo.
('reservativa nfallivfll contra as fe brea.
A salsa pairilba original egeuuia Ue Bres-
lol possue todas as virtudes para curar to-
das as eiiferiiiidadcs que provm de um es-
tado de impureza de sangue dis secreci,cje- .
morvidas do ligado e estomago, e em los
al-
IUJ B'li' IIV.V vi" <- i laaaa'aiv. ai'AU u*-
vo eufeiUrseuspcuUados.grinaldasdenor dos os casos que oecesaiUtn remedios para
laranjeir, roinriras ue fil do linno, 'punlicar o roliuslecer o sistema, hm lo-
de
'''''V'l'o'rVa'tiiO ohnl.as pan senhora d muilo bom goatolI" "!,us de escrophul.s, erisipelas, ti-
quaesseassignaram no mesmo.--II,mo Jm-
ouim Gordeiro Lima, Jos Das Simtie:
A pessoa que ha dias annunciou que-
rer comprar um selim, querendo-o amia,
encontrar dous escolber, inglezes, prom-
ptos de um tudo sem nada Ihe faltar, e tudo
inglez, com multo pouco uso, c por muito
barato preco : as Cinco Puntas n. 62
~ Ao Sr. emurdo Jos da C-
mara pergunta-se, se nao ju'ga a
sua honra e repttlacao publica, e
particularmente comprme lidas,
deixando de responder convenien-
temente pergunta que se Ihe
fez nos nmeros 169 ,171c 172
deste jornal ; a saber se a typo-
graplua nacional he prepriedade
de S. S.,' ou do partido liberal ties-
ta provincia, com o dinheiro do
qual foi ella compra la ? Ainda es-
pera resposta -- 7r7i contribuate.
- Precisa-se de 400,000 rs. a juros, sobre
hypotheca em uma meia agoa, acabada de
novo, que rende mensal 6,000 rs.: quem
quizer dar, dirija-se a rui das Tbrinchei-
ns a. 18.
-- Vonde-se urna agulha de marear o um
oilanlo: em Olinda, rua do Amparo, ven-
da n. 60.
i,4oopor libra,
Rap paulo cordeiro, na loja de ferri-
gens n.56 A rua da Cadeia do Kucife do An-
tonio Juaquuu Vidal.
Precos muito em conta.
Ni loja da rua Non n. 23 de Antonio Co-
mes Vihar, vendem-se as Tazondas seguid-
les: cambra)., do lindas cores e padiO.s os
na)S modernos ; manteletes de todas as co-
res e tullios da ultima moda em Paria ; len-
cos do cambraias de linho com ricos borda-
dos ; pauos linos de varias coros para caza-
cas ; Casenuras ditas; setins pretos e de
cores ; riacadinhos de liohu da ultima moda
e gusto, lencos do seda, o de cambr.ia cua-
les ditos; veati los dilosos mais ricos que
tem apparecido no mercado,e grande soni-
menlo de chitas fraucezas n iuglezas ; ma-
dapolOdS e algodOas ue todas asqualidades,
e ludo mais que cunstilue um bom sorti-
monto de fazoudas para o en 1,1o
Vende-ae nina casa terrea depedra e cal
junto aos fuodoa de S. Pedro n. com portan
para a rua da Virayo, livre e dUembaracada,
quem a pertender dulja-se a rua Oireila se-
gundo andar u. 40 que dir quem vende.
Veude-sc urna c... terrea na rua da Gula
n. ll que rende 10,nuil rs. por mez, atralar
coin o corre tu r Geral Miguel Caruciro.
Principios gciacs de economa pu-
blica e industrial.
Vonde-se este compon lio, approva lo para
as aulas de primeiras letras, a 4S0 rs. : na
rrara da Indopen lencia, livraria 11. 6 o 8.
Bota e barato.
Vcndcni-so coi rentes do seo, muito boas
para rclogio, a 500 rs cada uma ; papel de
peso, com 6 folhas, cada caderno, a 40 rs.;
ditoalmac.0, dcditisja 40 rs. ; suspenso-
rios para meninos, a 100 rs., o par ; meias
brancas do .-ola, para senhora, 2,000 rs, ;
litas pretas de algodii, muito linas, a 48J
rs. ; ditas para boinem, a 300 rs.; luvas do
pelica preta, para bomum, a 1,280 10., ditas
brancas o cor do nalha, a 1,600 rs.; ditas pa-
ra senhora, a 1,600 rs.; diUs do soda preti,
para bomem e s.nhora, a 1,000 rs.; dilas
rom.o idas escocesas, para senhora, a 960
rs.; ditas de 1019a!, a 640 rs.. esem dedos,
400 rs,; ditas do lio da escocia, a 400 rs.,
o braucas, a 400 is tanto para homem ,
como par soubora ; cliaruleiras para via-
gem, a 400 rs. ; ditas domla, coberta de
couro, a 1,180 rs.; meias escuras, para ho-
.!'ni. a 160 rs., e em duzia, a 1,800 rs.: um
grande sorliuiento do franjas prelas e de
cor; assim como transas de todas as quali-
dades e bicos de seda preta, tudo pelo mais
barato preco do que oai outra qualquer par-
le : ua nova loja do miudezas da laboleta,
ein frente do Livrimenlo.
Pedras para escrever.
Vendem-se pe Iras, para meninos escro-
verem, a 160, 200 o 240 rs., ca la uma:na no-
va loja da laboleta, em frente do Livra-
ineuto.
\ iiiiin Madeira especial london.
Itccommenda-seaosamadoresde uma bel-
la pinga, esso magnifico eluir ( cujas
viitu es sSo mconioal.ivei-;, o qual se ven-
da em liaiiis de quarto e oilavo : na rua da
Cruz do Itecifo, armazem n. 13, de J. C, Au-
gusto da Silva.
Farinha de mandioca.
Vende-so farinha de mandioca a mais no-
va que ha no mercado, e por baratissimo
preco : na rua da Cruz n. 13, armazem du
J. C. Augusto da Silva, e 00 caes da Alfan-
dega, armazem de Antonio Annes Jacotuo
Pires.
Boloes dourados, para abertura.
Na rua do Queimado n. 16, exisle um pe-
queo sortimento de botOes, para abertura,
je variados gostos o pelo diminuto preco de
1,500 rs.,aiboloiduri de 3 bolOes.
borlas prnp ras para noivas, meias de se la, llamacHo o dobilioade nosolhos, inchacas
depesobia .ese protas, lencmhos desedal dis B1";^0!"*;,^^*re_Jom,brw,.fff*ef
pequeos a 720 rs., loncos de soda sem fran-
ja, padres uovos e proprios para hombro
de senhora, sapatos de setim luanco bem
alvo, ditos de couro do lustro, luvas de seda
de lo las as iiuahdades, assim como urnas
do liocal vindas de lisboa quo so vendem
por 1,000 rs. o par, fljres brancas para eu-
fcit s de vesli los, ditas para chapeos e ou-
tras mais fazendas do gosto o qualidade que
na mesma loja so vndenlo por preco com-
modo.
Xa loja le Jos1 Joaqalm Morei-
ra & Coiiijmnliiu, 1111 riin Nova
11. S.
Vendem-se camisinbas de camhraia, com
suas golinhas, ludo muito bom bordado, e
do melhor gusto lossivel, pelo baratissimo
preco do 2,000 rs., sediente, cada umi.
I ue tem apparecido a ,500, T.000 e 7,500 1
brim de hubo branco lino corle 2,500 rs.,
paca de lindo c seda mu
de menino por acr eaoorpadi,. escura a uw """'"".l^'?."'";"-" """a",".'."Vr^fpVr!''ha erupces cutneas", manchas, bilis, eno
rs., u c,,vado; no arniaeiu de lacndaa dcGou- luvas ue penca guarnec-las ue trancas
vcia Si Leite na rua du Queimado n. 27.
.,! uas glanijuias
rheuuiaticas, diires nos ossus e as juntaa
hydorpusta, despepsia, asthmo, deanhee
deseuteria, tosse resfriados, eoflammacSo
do pulmdes phtnisica quanilo provm da
ohstiuc5odos brouenios em pessoas escro-
pulosas, enlluenz.. Indigstalo, ictericia
dobilidade geral d syslema uervoso, febres
agudas, calores, enleruiidades das molhe-
resonformidades beliosas, o em todas as
afeccOes provenientes do uso moderado do
mercurio. Ksta salsa parrilha se emprega
com ellic.cia em lodos os sobro utos casos,
e he reconhecida como a melnor medicina
que exisle. Os frascos de salsa de Brislol
luom mais de qualro Umanhus dos de ali-
sa do Sands eulrelauo que os de lirislol
sevendom por 5,000 rs. eos de Sands por
3,000 rs. Deposito central no Rio de Janei-
ro, casa de Vital Lipupe, e em Pernambuco
na botica de Jos Maris t.onoalvrs Ramos,
ni ma dos yu.11 tris pegado ao quarlel da
polica.
I iiimIii ao il" Vnroia.
, C. Slarr di Cumpanhia, respeitosamento
annunciam ao publico, que o seu estabele-
cuiento para manufactura de toda a espa-
cie de machinismo lendo desde o sau prin-
cipio em 1829 ido constantemente augmen-
tando, tem boje chegado a um estado do
pe irn.Mii tal, que u9o he inferior ios me-
lhores queexistem em todo o imperio. Un-
to pelo que diz respailo 1 capacidide do
odicio, como pela excelloncia dos inata-
riaes e | enca dos seus empregados; o qua
os habilita a ufferecer-se coin confianza pa-
ra a puntual execucSu de toda a especie de
machinas de vapor, de qualquer Umanho
ou descripeflo quo sejam, lisas, pin na-
vios, ou locomotivas. Igualmente caldei
r.a para vapor do todas as dimeu.Oes, enge-
nhos para caonas movidos por vapor, por
agoa, ou por animaes, con lodas as varie-
dades de moderna invenidlo. Tachas de to-
dos os tamanhos, alambiques de ferro do
lodas as capacidades, instrumentos de agri-
cultura, rudas d'sgoi e monillos de venlo
de todas as dualidades. Alvareng.s e em-
barcaces de ferro de qualquer porte ou for-
ma que se desejem. Ponles de ferro de to-
dos as dimenses. gradaras, virandis, por-
tOes, columnas, sinos hydraulicos, bulas da
ferro, e n'uma palavra lodas as obras de
ferro e bronzo, de que o naz possa precisar'
ricas energa do governo, existe ja uma
escolente estrada leila em litilia recU da
pOiile di Boa Vista para o eslabelecnuenlo
em Santo Amaro, o que ollerece 1 maior
commodidade as pessoas que o quizerem
visitar.
Gantois Pailhetck Gompaohia.l
i Coutinua-se 1 vender no deposito *
l geral da rua da Cruz 11. 52, o excel- 35
" iintee bem conceituado rap areii i
preta da fabrica de Cautois Pailbct i. K
Companhia da Rabia, em grandes e jp
pequetas porgos pelo pre(o ostabe- S
Vendem-se cera em velas ,
fabricadas em Lisboa c no Rio de
Janeiro, em caitas de 100 libras
sortidas, de 1 a 16 etn libra, e tam-
hem de um > Umanho, por me-
nos |ii o;o do que etn oulra qual-
quer parte : trata-se no escripto-
rio de Machado ck Pinheiro, na
rua do Vigario n. 19, segundo
aodar.
Vendem-se colleecSes com
mais de seis lindas vistas, repre-
sentando a ponte do Mecife com a
allundega, a ponte da Boa-Vista,
a cidade de Olinda,a ponte do Ca-
chang, Poro-da-Panella, e a rua
da Cruz com o arco do liom-J csus;
bem como duas grandes vistas de
Pernambuco: na rua da Cruz, n.
t o. casa \! KalkmauDs lrmao,
.


Rucr
Km casa de J. Keller fc Com-
panhii, ni rida Cruz n. 55, acha-se ven-
d o xcellento e superior riuho lie Bu-
ceUat, cm birria de 5.", he muilo recom-
mendevel u casas ostrangeiras, como ex-
cellente vinho pin puto.
Vende-se superior cognac velho, em
barril de 121 34 caadas : ni ra di Cruz
n. 55, casi de J. Keller & Companhii.
Vende-se gesso em barricas, vindo no
ultimo nivo chegado de franca, tondo ca-
da bairica 20 arrobas pouco mais ou me-
nos : ni rui Ja Cruz n. 55, cisa de J. Kel-
ler & Compinbii.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com camba o de sicupira e bracos
de ferro ; na fundicSo da ra do
' Jiruni ns. 6, 8 e lo.
Vendem-se amarras do Trro: na ra
da Seozalla nov n. 42.
Talxua para engenlio.
Na fundigSo de ferro da ra do Hrum,
acaba-se de receber um completo sortlmen-
to de taixas de 3 a 8 palmos de bocea, as
qua.is acham-se a venda por prego com-
niodo, e com promptid.lo embarcam-se, ou
carregam-so em carros sem despezas ao
comprador.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
Itl'A DA SEZAI.LA NOVA N. 42.
Neste estabeleeimcnlo conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, uiacliinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de lodos os tamaubos, pa-
ra dito.
Tecido de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado dtias qualidadcs
proprias para saceos de asquear croupa de
escravos.
Moinhos de vento
com bombas de repucho para regar borlas
.'-.luisas decapim : v?nA.lii-seTiTuiidVc*ff|
de BovWWlWcHft". Callum, na ra dn ISrum1
ns. 6.8 b 10.
Novo 'aortlmento lo, fazendas, lia |
loja da mu do Crespo u, (i.
bt. Cameiros, com grande casa de vlven-
da, de quatro agoas, grande senzalla, co-
cheira, estribara, baixa de cipjm que sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
bomba e tanque coberto para banbo bas-
tantes arvoredos de fructo: na ra da Con-
cordia,primeiro sobrado novo de um andar.
Casa de commisso de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commisso, tanto para a pro-
vincia como para Aira della, para
o que se offerece muitas garantas
a seus donos na ra da Cadeia do
llecifen. 51, primeiro andar.
Cera de cnrnanba.
No armazem de Domingos Rodrigues de
Andrade & Cooipanhia, na ra dosTanoei-
ros n. 5, vende-se superior cera de carnau-
ba, ultimamcnle viudas do Aracaty, em
purcao o a relallio, por menos prego que
em oulra qualquer parte, assim como sola e
couros miudos.
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apollo n. 6, armazem de Me. Cal-
iiiiiik i. Couipanhia, acha-se couiianleinciilc
bous aorlnneutos de taina de ferro coado e
balido, tanto rasa como fundas, moendas lu-
cirs todas de ferro para aniuaes, agoa, etc ,
ditas para armar em madeira de todos os ta-
maitos c uiodellus o mais moderno, machina
lnu-iMini.il para \apor, com forca de 4 caval-
los, coucos, passadeiras de ferro estanhado
para caa de pulgar, por menos preco que
de cobre, escovens para navios, ferro ingles
tanto em barras como em arcos folhas, e ludo
por barato prec/o.
NVIDADE.
A elles cmqiianto nao se acabain.
Superiores cortes do cambraia prateada.
Estes cortes so pella priim-ira voz chega-
dos a oslo mercado.e portanlo devem sor vis-
tos c comprados pelas scnboras de bom gos-
lo, sendo seu diminuto cusi do 1,001); na
loja da ra do Crespo D, ti.
Vende-se cola 'o itio Gran-
de, em barricas c por preco cem-
modo : na ra do Vigario n. ip,
segundo andar., esc.'/ptoiio de Ma-
chado 6k l'inliei'o.
Farfolla,
do mandioca, chegada do Santa Calliarina,
un !'i i ?ue .'/, 'f :. ancorado em Irenle do
caes dolamos: vende-se a bordo dn mes-
mo navio, ou na ra do Trapicha, escripia
cimento em barricas e em meias di-
tas, e tambem em tinas, para com-
modade de quetn nao nccessltar de
barricas ; taboas de pinho de 3
palmos de largura e 4o de com-
primento : trata-se atrs do thea-
tro velho. '
^?r^ ^!^..^a^/^^^i^.^ jf *^aa> ?
Cbeguein ao bom e barato #
30 de agosto correte.
Bilheles
Meioa
10,000
5,000
tf#****^
Vendem-se pannos finos pretos a g
3,eG0 e 4,000, is,, ditos azues a 3,000, Q
i; 4,000 e 5.000 rs.,ditos verdes a 3,500, .4)
j chitas fran-szs muito finas a 280 9
te rs.ooaWado.cassa chita a 6(0 rs. a va- 4
a, casimiras de cores e de boni- tV os padroes a 6,000 e 5,000 rs. o corto, 4)
% eDgosdeseda de cores a 1.000 is., M
ir pililos muilo bum foitosa 5,00), len- m
< os encarnados para grvala a 2,000
rs., aluodSosinho com ponen avana <
0 a 1,600 rs. a 1 ce, leudos de cambria '4
t? de iiuho a 4x0 rs., risoadoi lirgos 4
Ir p ip.n-ins para roupa do escravos a 120 4
j rs. o ruvado, saijilu proprio para 4
9 roupa dos meamos a 210 n 320 is.,u Ht)
(-, covado, o oulras mullas que so lor- 4
L, nam aprecievais, uilij so pela sua boa 4
t qtinlidade. como pelo diminuto prego: -i
1 na ra do Crespo n. 10, luja de Igua- g ,
4>i ci Luiz de llrito Tahorda.
*(. wc lirMi, *<*, .-*&S,*-'
A lao rs.
Vendem-se cilas, com muilo bous pan- '.
dosetiotagseguras, 11S0, no cloors. ,0
covado; castor escuro uioilo encorpado, t'ira curar da phtysica em lodos os seus
liroprio para roupa do escravos, a 160 rs. ; ,diferentes graos ou motivada por consti-
lencos bordados para 0)80 da senbora, a P"COos, tosse, aslhma, pleuriz, escarros de
280e320rs., cada um : na ra du Crespo saniuc, dor do costas e peitos, palpitaclo
n.21. nocoraco, coquelucho, bronchites dr
Vendo-so urna boa escrava, moga o som d; fiarganla e todas as molestias dos or-
vicio algum : na rui Bolla n. 16. 6ns pulmonares.
P.naa ,1 mnAaa francanaa RncsanrH Do'"das as molestias que por heranca fi-
, ,, f, camaocorpo humano, nenhuma ha que
Mlllocliau, aterro ^u Loa-VIS- niais dostruitiva tenha sido, ou qu tenha
ta loii t 1 zombado dos esforcos dos homens mais
1i. eminentes em medicina, do que aquella
Neibmsa eepecialmeoteds modas, as se- que he geralmente condecida por moles-
nnurasichaiSo sempre um grande sorti- lia no bofo. Em varias pocas do se-
ment do ludo o que compon 10 um loilethe culo passado, tendo-se offerecido ao publi-
Oleginte. vindo direclameute por todos os Co dificrentes remedios com attestads das
navios d llivre as molas as mais rscolhidas nilraordinaria /> ,.,,,. n .. .:,...
Ola, ullimamente adoptada peloExm. presi- la riiladc l nnrln ilnt remnlim 1
ainle da provincia como compendio do lei- medios ) ,
tura e historia do Hrasil as escolas prima-
rias da provincia.
Preco em broebura 2,560
Encadernada 3 200
Lotera de N. S. do Livramento.
No aterro da Moa Vista, loja de calsado n
58 vendeu-se alm de outros premios o
meio hilhele n. 513, em que sahio 1:500,000
rs., da lotria de N. S. do Livramanlo, e
m-i^esm" ,'"j' ostao Jvend bilneles ra o fabrico do sabao : 4 ditas pa-
meios,quartos, quintos, decimos e vigesi- ,' j.., 1 ..4 ,V
mosda mesma lotera, a quil corro uo dia ra aerreter seno; todos osperten-
a saber : casa em que est mou
tada a fabrica, com 30 bracas de
frente e i5 de fundo ; 1 prensas
hidrulicas, orisontaes de forca de
600,000 libros, cadi una 1 dita
vertical de forca de 400,000 libras;
3 grandes caldeiras montadas,-pa-
- Vendem-se meiog chales dntiriT^"
uito bonitos padroos, a 320 r 1 "")
mbraia bordados, com bico d
Cortes de cassa chita IracczB.dc cores li-1rl.0"-5' a l'r'"vu ,nc""r 1u0 Cm parte
xas, por 2,000,2,100 c 2,800 rs. ; dilos d- a
por
cambraias dusalpicos, a 3,600 rs. ; cortes
de chita de bom goslo. a 1,920 rs., com 12
covados ; cassas dequadros para hallados,
com 8 11-, a 2,400 rs., a per;a ; alparka do
cordSo muilo lina, a 800 rs., o covado, c
nimias uulias fazendas por barato pre;o.
liombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba
na ra do Brum ns. 6, M e 10,
iniilic.'i.) de Ierro.
Vende-se.
Arroz de casca,
I-un-1 lo novo,
(jli preto,
P (Jbumbo de municao,
Cimento,
vende-so ludo por presos enmmodos : no
armazem de J. J. Tasso Jnior, na ra do
Amorim n. 35.
Paimosi lino- itc todas asina
l (latir-,
r\a ra do Crespo, loja da esquina, que
volta para 11 Cadeia, vendem-se panno tino
prelo, a 3,000, 3,500, 4,01)0, 4,500 e 5,000
rs.; dito azul, a 3,000, 1,000 rs., c muilo su-
perior, a 5,100 rs.; dito verde, a 2,800 is. ;
dito mullo claro, a 4.0U0 rs. ; dito cor de
rap, a 3,000 e 3,500 rs.; corles de (-asimi-
la prela, a j,000, 6,000 c 8,000 rs.; ditos de
cor, a 0,100 rs., o oulras fazendas o mais
barato possivel.
Cera de carnauba.
O mais superior que ba ueste genero, ven-
de-se em porvao e a retalho : na roa da Cadeia
do ttecile, loja n. .'MI de Cunha &c Amorim.
Vendein-sc esta vcllas da inellior possivel D ilic rs. cada calxlnba de -' libras,
trata-se com *.C. de Abreu, na ra da Cadeia
do Bacila n. 48.
Deposito de cal e potassa.
>o arma/.eui da ra da Cadeia do Bacila n.
U. ha muilo superior cal de Lisboa em pedra,
assim como potassa thegada ltimamente a
piejo muilo rasoavcis.
l'Olllssn (| ||ls..|a.
Vende-se poiassa da liussia, recentamen-
le chegada, e de muilo superior quolidade ,
na ra do Trapiche 11. 17.
0, Algodao para saceos. 9
Qg Vende-se muilo bom algodiio para l
t) soceos do assucar, por preco commo- 6
,*> do : cm casa de llica,rdo iloyle, na $
* na da Cadeia 11. 37. $0*ilqi:' > f *4i-i-:T-0*i|.;,^ 4
Vendem-se relogios de ou-
ro eprala, patente inglcz : na ra
da Senzalla Nova n. /a.
Moendas snperlorea*
Na fandicSo de <:, sterr e; Companhii,
S.-Amaro, acham-sca venda moendas
-Vendem-se os scguinles goneros de su-
perior qualidule uitiilo em conla, queijus
londrioos freslos ditosde praio prlzuii-
tos para lianibra, ditos hioiburguezes,di-
tos porluguezes m> l.-.iso para paoeila. latas
eom bolicha de Lisboa, ditas com chucolale
do emola do l.ishua, fiascos com conservas
ii^lozKS,boceta e caixuilias mullo essuiadas
com massas finas para sopa, garrafas do vi-
nho muscaleljde silubal, dilus com dito lei-
toria do porlo, Jilas com dito (le carcavel-
los brancu,dils com uito do colares: na 1 lia
da Cruz numero 46 detronle do Sr. Dr. Cos-
me de Sa l'ereira.
NVIDADE-
A elles antes que se ac;beni.
Silo clu'gados pela primeira vez a esta
provincia os muilo afamados corles do ves-
tidos Millo -iiii para quein livor hjn goslo,
pelo diminuto pre;u de 4,000 rs. : nu ra
do Crespo, luja da esquina que vira para a
cadeia.
Bom e barato.
Ilua do Passeio publico, loja n. de Albi-
no Jos Lei te, vendem-se ricos cortes de
me,, cas mira.padrOes modemusa l,IU0 rs.,
riscados delinho azul e de cores 1 300is.
o covado, ditos franeczes a 200 r dilos,
mun.-lro a 200 rs., Chiles para COlXISI 160 i
is ditas para vestidos a 120, lOOeSOOrs.,
chapos de sol de pamuho do Ultimo goslo, ": 'ti> '"Ia 'u
com barras a 2,500 rs., cortes de colotes de J!,n,1 ,''
fustfio a 800 rs.,ditos de Ida cscdaat.ooo '-' luJa a
do Pariz, em chapeos, mantolelcs, toucados,
hicos, lilas, luvas, flos, vestaos, blondes,
Cambraias, ciases, lento, lloros, plumas,
espartilhos, transas, tarl>ilaiias,gar(as, ele ,
etc., faz-ae continuamente chapeos, touca-
ios, veotdos, equalquer enfeite do senhu-
n, lauto para bailes c cisami'iitos, como
para vistas.com gosto recouhecido o pre-
Qo couimodn.
Vemlcm-se farinha 8SSF verdadeira
nova, oleo de linha^i, barris com bren, lu-
do a vonlado dos compradores : no arma-
zem deJoaquim da Silva Lopes, a porla da
alfaudpga 11. 20.
extraordinarias curas que elle tom feilo .
porm quasi quo om todos os casos a ilusil
tem sido apenas passageira e o doenlo
torna a recahir em peor estado do que se
achava anlcs de applicar o remedio lilo re-
commendado outro lano iio acontece
com es te extraordinario
Xarope de bosque.
Novaos ; Companhia, os tuncos agentes
ncsla cidade provincia, o Horneados pelos
Snrs. I. C. Vales & Companhia, agentes
geracs 110 Rio-de-Janeiro mudaraui o do-
posito deste xaropo para a botica do Snr.
Jos Mara U. llamos, na ra dos Quarlcis,
ees necessarios para o fabrico do
[stearina e s- bao ; 9 eseravos en-
tendedores do servito gerol da fa-
brica ; 1 terreno annexo a fabrica,
cotn 7 bracas de fenle e i5 de
fundo ; 1 dilo fronteiro a mesma
fabrica, com 18 bracas de Irenle e
a8 de fundo : as pessoas quepre-
lemlerem comprar, pdem nesta
praca dirigircm-se a J Keller &
Companhia.
- Vende-sa umi rica saia e duas toalhas,
com muito bonito lavarinlo as ponas, lu-
do guarnecido de bom bico e algumis re-
des piutidas de bom gosto: na ra do Ouei-
madon. 14.
Uolacliinha superior americana.
Vendem-se caixas com bolachi-
nha americana, desuperior quali-
dade, pelo barato preco de 3,000
rs-, a dinheiro : no armazem de
Dias I'erreira, no caes da Alfan-
dega.
-- Vende-se una moleca, de 14 anuos e
um molequo de 18 anuos: a tratar na ra
doQuoimado n. 7.
A 160 rs.
Na praca da Independencia, loja da esqui-
na n.2, prxima a loja dulivros, vende-se
algodiio enlransado escuro, proprio para
servio, 1 moia pataca, o covado.
Ferragens finas.
Vendcm-so ricos -fiadores de facas, para
sima da mesa, quebra-noz e amcndois do
a?o pohdo; patales cadeia los da todas as
(|na,na le, e laiuaobos; fechaduras
gavet, carloira o armario, as niel
B
cam
dos. por 320ra.; chapeo'dTchil.'?"'1"-
aos, a 4,000 rs. : na ra do ff>
o. 83. *to, |0j,
- Vendem-so 4 gincos. njuitn h
sendo 3 remus e 1 macho. oplim0, """,
ar-se em sitio : no pateo do p|ar
dePortis n. U.se dirquem vende.
Fentes de tartaruga.
Vendem-se peotis de lu,,,,,'.
preoder cabello, pelo barato proco a'..1'"'
rs. : na ra do Queimado, loia daS;P
zas n. 16. J "8 Oiud,.
Vende-se um mo!atinho do
nnot
en.
'6nj
na ra direiu loj de's'i"- e|
dajj
Pilos
11. 64, quemo quisor comprar dirii, '
diia ,]in achar com quem negociar '
Vinho da Figueira.
Na travesa da Midre ue Daos rm
de JoSoMartins de Barros, vende'Di-.rf*"
na de superior vinho da Figueira, j j 7 "'
pipa, epor isso muito commodo
sis particulares.
en
'i,
Escravos futidos.
!5docorr7i
Desapparecou no di. ,
aim mulequa criouio por nomo Pagffi
do niado de 10 annos, pouco mais 0 '
nos, cor amanillada por ler vicio, narizrh
lo, levou camisa de algodflozinho uT'.
cala de riscado, sem cnipo, esle esc.'."
he do Sr. Anlouio Jacintbo da Silvein 2
l'nna : quem o pagar leve-o na rui dir.
dea doltecifon. 51, ou na rui du Liw,"
ment n. 26 segundo in Jir que sera r.."
pansido.
aaaaaRf,'.in'nioft'anS "' ,2' Julllao quarlel de polica, onde
9WWOW sempre acharSo o nico, o verdadoiro, a
,v, LXCCllenle.s Duendas e UCll- Q 5,500 rs. agarrafa, o a 3,000 rs. meias gar-
^ cada cores. <> rar,s-
j Na ra do Ciespo n. 10 loja de 1. I.. #****i *-*si**
r4 U. Tahorda, vande sa urna faZCOda O |t -ompram-so e vendem-so escra- ft,
nova, com lislras, denominada Mulu- O ,v.".s,' e
. ria, a 1,000 rs,, a vara ; na
~l loja tem o figurmo pello qu.
ilc cal
17, ba
de rumia, lodas de Ierro, de um modelo e
conslructSo muito superior
1 dos de ferro.
Na fundicSo da Aurora, em s. Amaro,
Vendem-se arados Je ferro de diversos mo-
delos.
Antigo deposito
virgen?.
Na ra do Trapiche
muito superior cal nova em pedia,
chegada ltimamente de Lisboa
11a barca Ligeira.
Deposito la fabrica de Todos os
Santos na Babia.
Vende-se, em rasa de N. O. Bieber&C, ,
na ra da Cruz n. 4, algodo transado da-
quella rabrira, muilo proprio para saceos de
assucar o roupa de escravos, por pre^o com-
modo.
AiiKln mais pecbineba,
Cortes do casimira preta, lina, por 5,000
r. ; dilos de cores, a 6,400 rs. ; brim brin-
co trancado de linho, a 1,800 rs., o corte de
e,ilc;.i ; dito escuro, a 1,600 rs.; dito da lis-
tras, a 2,000 rs. : na ra do Crespo O. 6.
Alora pecbineba.
Cortri de cana chita, a 2,000 rs.; diloi de cA-
la (nteiros com 12 cotudos, a 1,600, 1,800
2,000 rt.
Na loja da esquina da 111.1 do Crespo, que
rs., lencos de seda a 1,000, ditos de bico a
330 M., di tus pintados para mrniiiusa 140
rs., grvalas de selim a 1,500 rs chales do
cima a 040 rs Cmbrala da iu lia a 400 rs,
a.vura ; e oulras muilas fazendas que nfio
nnuaciim-ae por nao oceupar lempo.
IJatalas, joors., ogigo,
Vendem-se batatas, chegadasultiniamen-
t?, a 500 rs,, o gigo : no armazen de Das
I'erreira, no caes da Allandega, del'runlc ao
guindaste.
Cortes de brins de listras, para cal-
sas, a i,44i ',5oo e i,8oo rs.
Vendem-so corles de biim. de lislras de
core?, a l,to rs.; ditos de brim amarcllo, a
1,500 rs. ; dilos brancos do puro linho, pro-
prio para militares, a1,800rs.; esguiOes de
algodao com 10 1)2 varas, a 2,500 rs., a po-
priospara andar cm casa, a 3,200 c 3,600 rs.:
na ra do Crespo, loja da esuuina que vira
para a Cadciu.
Erva mate.
Na ra Nova n. 6, loja de Mai.i llamos cv.
Companhia, vende-se erva mate, ebega la
polo ul'imo vapoi do sol, 1 210 is., a libra, e
i '.., o rs., a arroba, lio bebida 1111,1 fresca c
dioretici.
Saceos de eslopa.
Ven.lcni-se 60 saceos de esto;
2 varas a 320 rs. : 111 rui larga
n. 48, pnmeiro andar.
Venuem-se os scguinles objeclos ja
usados, 1 or urcco coiKino.Io, (ivJosdoca-
mesma
... qualsopo-
5 devem fazor o Vellidos, alero deslas
f> ha oulras muilas fazendas do goslo
3 mudii'iio
Aos /:O0(r.>O0O (le r8.
Lotera de IN- S. do livramento.
O Ciulolisla Salusliano de Aquino Ferrei-
r.i. faz sciante no respeilavel publico, que
lisilas da mesilla lotera, nnd, 111 iiif.illi-
vel 110 din 3p do ';osio vindouro, e as suia
ruinadas caulelas estilo ezpostas a
venda, na praca da l.i loan lencia n. 4, loja
de miudozas ; na ra da Ctdoii 1I0 Itecife
u.46, loja do niiu lozas ; 00 alono da ua
ija de calculo, e na ra Direila
de ourives.
Premios corresponden-
tes a sort-; de 5:000^
Procos l,-s cautelas.
Quartos Quintos I) cimos Vigsimos 2,600 2,100 1,100 00 1:150,000 920,000 400,000 230,000
Pechiut las !
Vendum-se pecas do chitas linas, a 5,500,
6,000, 0,500 o 7.000 rs., em covados a 160,
tanto para dentro, como para fura da S)
[,? provincia, e so ndianla dinheiro so- S>
0 bre os de commisso sem levar-so ju- (fc
# ros, e os quo forc n comprados nesta t
>4) casa, os donos desgoslanlo e cnlrc- a>
9 gando os escravos da mesma forma
4 que oscompraram, receberao o seu ^
importe, fazendo um pejuenodes- %
-) cunto: na ra das Larangeiras u. 14, (,
# segundo andar. ^
i'echiuciias.
No rterro da Boa-Vista, loja n. 78. ven-
demate muito suporior couro do lustro pele
jrafle, pelo diminuto preco. do 3.00J rs. a
peldj*iates do luslo a 2,400 rs o par,
franjas pelas o de cores pira sapalosa 200
,rs. avara, livelasa 1,000 rs. a grosa. I (lila
de pares a 200 rs., marroquim do todas es
cores por diminuto prrp, alunles do Ierro
l>ara armadores a 1,600 is. a libra, sapalos
da trra de lodas as qualidades por muito
I barato prego.
1 A. imitarao dos de seda, a 2,000 rs.
Na ra do Queimado, loja n 17, ao p da
botica, vendem-se chapeos de sol de pan-
ninho muito lino, ila eoies, verde, azul e
prelo, (azeuda que parece seda, a 2,000 rs.,
cada um, nssim CO'OO um sorliinenlo de ca-
simiras do coros tnescladas, proprias pata
naiiio,, a 1,000 rs o ovado, cobertores do
para
lem viudo a este morcad^'Vs'pora's'milo
hnas, de ac e pratciadas ; bra?os para ba-
linca, dellomao, um completo soriimen-
to de cosas.ndispensaes da si.i.muilo lino,
proprios para costureiras, ese. vico de ile-
sa, e algumas para brinquedo de criancis e
muilas oulras ferragens de bom goslo, para
lodosorvico de casadeeimnn .'.!..
mu,,ocof0rr^aTc^^e!
tara quim tivir bom qosio
\er.dom-se 2
180 c 200 rs,; ditas francezil largas do 280 i'orlo, muilo grandes o cncorpados, a 2,500
rs o covado ; superiores cortas de Cam-
I,raas deulpiCOS miudos, do cor, a 5,500,
6,000 e 6,500 rs. CO a 8 varas ; lialil.iiill
pelo, superior fazenda, a loo ts ,0 ,-ovado;
algodQu de lisli, para escravos, a 200 rs., o
covado ; pecas de madapolSo, para forro do
20 varas, a 2,240 rs. ; coi t,:s de cambraia do
seda, a 15,000 1 s., o coi le ; corles de oassa
rs., cada um, dfio-se amostras coui pe-
nhores.
Vende-se um fardamonlo completo pa-
ra gualda nacional de CIVllliril : na praja
da Independa n. 22.
Vende-se um bonito c sadio molequo,
de 12 ani.os de idade, e urna bonita crioull
de 18 annos, co:ii habilidades, como la in-
calanos, 3 bicudos, >eu*
rles e I carau.ias. excellenles cantadores :
no l'ombal, sitio do barflo deSuassana
- Vendem-se 2apparelhospra a guarda
nacional, un, muitu bom e outro mais abai-
xo, consistiudo em 1 barrcl3o, barretina 2
bandas, 2 espadas, 2 telins, 2 emanas. 4 e's-
lr-1 as o 1 par de adngonas, ludo muito em
conta : 111 ra Nova n. 63.
.,Z I"? ,e'S0 """ bulica l'oaieopathica
com eoiubos, a quarta edicciio da pralica
elemciilar e o organons : na ra Nova n 61
- \cndem-se l7caxilhos envidracados.
muito cm conta 1 na ra Nova n. 63
torrentes deaco.
Vendem-se correntes do ac, de bom gos-
lo, a 400 rs. : na luja do miudozas, da ra
du Cabugi do liuarlo n. 1.
Duelos jocosos para tbcalro.
Vcndem-se duolos jocosos, com as parles
lustrumentnesj tiradas, a 8,000 rs., cid a
um, ou 70,000 rs pcr.uma duza, d.fronte
do tlioatro velho 11. 16 e 17.
-- Veude-se urna escrava perfeila engom-
madcira o boa cozlnheira, com urna cria do
11 mozesode boa conducta, por grande pro-
Cilfio : na ra do Fogo n. 23, so dir quom
vondo.
-- Vende-se o Moco Louro e a
.Uoreninha, com estampas, eamu
zica da balada do rochedo, por'
Joaquim Manoel de Macedo; pnc-
hita, mnilu linos, a 2,100 rs. ; pecas do al- bem sapalos com urelhas, viudos do Araca-
godo Irania lo, proprio para cscravalura,
por ser do iniiila dura c elstico, a 3,600 rs.,
a pec,a ; percas de cassa*, para babudos, a
2,400 c2,500 rs.; pecaa (le bretinha de li-
nho, com i> varas, a 3,000 rs ; corles de cal-
tas de briol decores, a 1,120 rs., com 13 e
mel (-ovados; cutes ,1o c-s.mira, muito li-
no, a 4,000 I 6,500 rs. dilos do meil casi-
mira, a 3,000 e 3,500 rs ; riscadinhos de li-
nho, a 360 rs muilo lino ; algodOes para
SaCCOS, do.s:ii.erior ounli l.i.le, a 210 is
pa.novoscom|Jlrd'> riscadiobos fnneezes,_s tOrs.scor- |Ugar,o ni ra doQuei
i uo Rosario les gambrcOes, do superior qualidad-
ly, para meninos do 12 anuos para bailo;
oculo3,'laulo para miope, como do vista
caneada j meias de algodao cncorpadas de
llamburgo, cousa rara no morcado ; sus-
pensorios olast.cos, muito linos e outras
miudezas baratas: na ra larga do lio/, to,
loja n. 3>.
Quartos e bestas.
Na ra da Concordia, ao pe da poutsda
lloa Vista, vendem-sa muilo novus quintaos
i beatas, u por preco cumniu-lu : no uiesmo
ado n. I i
pelo diminuto preco do 1,800 c 2,000 rs., Deposito.
cada corle de calla ; cortes de cambrai i do j ^ travessa do diquo c ,m fronlo para ra
ultimo gosto, icio diminuto preco de 7,000 Augusta acha-se um novo deposito de ospi-
Xilhos para alcova. ou j.oell.S do varano, |-. ^ Bm. "otras multas fa- rtOS, Chocol.le df saude. dlU, homopa-
'zentlas, por proco muito co nmodo : ua loj '"ico, \ialio du caj, cnaropes, supci loros
da cstrolla da ra do Queimado n. 7. [charutos om c .ixas e a retaluo, superios la-
Ven !em-si! velas do espermacete, om Irinhiem saccas e a relalho, e mais gneros
caixas, de superior qtialulade : em cusa dc.dopaiz. ...
J. Kellor cv: Companhia : na ra da Cruz nu- Vonde-so um negro cnoulo, de 21 an-
meiO 55 U103 aoui carreiro, cun principio da pcdrei-
--' Vede-seum moleque, de I5 annos do ro e carpin 1 1 trala-sa na ra do Collegio
idado, proprio pira p.goui: a Iralar no beo- !n;l.,i0r!'n_0M_0! .u.?e en da l.ingoela 11. 8
volta para a Cidcia, vendom-fe corles de cado ue puro linho cor do chumbo
cassas dula, a 2,000 rs ; ditos do chita, a [ relio a 1,600 o coile, los pretos muito gran-
1,600, 1,800c 2,000 rs. ; ditos de cimbran
branca com listras de cores, a 3,000 rs.; di-
los de salpico, a 3,000 rs.; corles de colete
de fostSo do ultimo gosto, a 1,600 rs e ou-
tras muitas fizeudas pur prego commodo.
Vende-se um grande sitio 110 lugar do
.Manguind, quo lica delimite
6 portas de amarello e 1 Carleira de urna s
face : na ra do Crespo, loja da esquina que
vira para a Cadeia.
Novo sottimento de cobertores, a
800 e 1,280 rs.
Na ra do Crespo, loja da esquina quo vi-
ra apara a Cadeia, vendem-se cofjerlo.es
brancos de algodiio, com barras, do cores e
muilo grandes, a 1,280 rs. ; dilos escuros de
tpale, para escravos, a 800 rs.; gairgis de
iiuadiiiihos, para roupa do escravos, a 120
rs o covado e outras multas fazendas, por
pnco commodo.
l'ccliiiicha Econmica.
lio chegado ltimamente um novo sorti-
menlodubnns pardos, de linho, escurse
claros pello barato preco de 1600 rs. o cor-
le ; ditosde linho o algodiio padroes mo-
dernos e de bom goslo a 1280 rs o coi le : na
ra do crespo 11. II loja do Jos Francisco
Das.
Atlenrio a pechincha.
A 240 rs., na ra do Crespo n. 14, toja dt ioi
Ir'iuciico Otas.
Ven lem-so nissimas chitas francezas co-
res muilo lilas, padiOes lindo
desenlies, lingindo cassa, nelo barato 01,-i ,
de 210 300 rio evado unas esl eitas da [* '"l?S l" fifM ^ JU",C' d"
nevos padroes 200 rs. o covado, brim trin-l '20 ,'-800 *" l ,0' DpM : gra"'10 sor-
ACIDAm'DEf>ARIS.
i i 1 do l'ollcirio n. 1.
N'ovo sorlimento do chapeos do sol, para
homem e senbora. IMbor;oh
ol de ieJa, armacJJo de baleii, do
para cima; ditosditos para senbora, de 4,000
i rs. para cima ; ditos de pumo lino, do ar-
'* rnaclo de balla e do ferro, de 1,600 a 3,20
?G>3?!
* ARADOS AMERICANOS.
9 Vendem-se arados ameri-
ji canos verdidciros ebegadus
- dos Lstados Luidos : na ra
do Tiapiclie n. 8.
sias de Augusto Emilio Zaluar: a
tratar na ra Nova n. 6, biide
olaia Ramos ft Companhia,
Chapeos amazonas.
Os mais miucrnos, e do mais superior
quahdade para senhoras e meninas, surti-
dos em cores acabao de chegara loja de
chapeos do seis portas na praca da Inde-
pendencia, anudo so vendom por preco
mais commodo que em oulra aualauer
parle.
A dci mil reis.
Superiores chapeos de castor
liranco, dos mais modornqs, ven-
la no mercido a elles antes que se
acaben), na praca da Independencia n, 24.
26, 2S, c 30.
Linhas de 200 jardas. .
Vende se a verJadoira Imlia de 200 jar-
das de lo Jos os nmeros e por prego mais
commodo do quo em oulra qualquer parto
na ra dos Quarteil, n. 24 loja de miudezas,
do Jos Diis Sm.Oes.
* VV v < W9 V f f Iff ff V f
* Deposito de tecidos da labri- ^
,> ca de Todos os Santos, m
* na Habia. ;
a> Ve.-ido-se em casa de Domingos Al- *
!* ves Slalhcus, na ra da Cruz do lie- 4B
:-> Oife n. 52, primeiro andar, algodao <&"
j* Iransadodaquella labrica, muitopro- **
'*" prio pira saceos e roupa de cscra-
* vos, assim como lio proprio para re-
<-
^ dos de pescar e pavios para vellas, <;
^, por prego muito commo lo.
"i ( Ven 'e-se uina pequea porgllo de em-
' 1 rulos cm caixas d; cem.de muito bol quali-
S dade, o prego rasoavcl, no cscriptorio de A.
,? S. Corbelt. ; na ra da Cadeia n. 45.
**oiVA*.i>A,4**j>*V*r<>! I!na da Cadeia do Ifecile n. 1,
Veiilein-se daas propiioJades na Villa ; cm casa de lloane Voule & Companhia, ven-
de beriaiiliahein t-m chaus proprios, sen lo u- ,|c.sea muila afamada champagnh denomi-
macazaba3UulJgraiiJouoceiilrodaruacum;njda Coinctque ha mullo nflo vom a es-
um grande solo. bom quintal com calezei- te mercado, viudo pelo ultimo navio de
ros, coqueiros, limciras, laiangoiras, com- Kranga.
modo para grande familia, e proprio paral Vendom-se 4 molecolcs, do Jado do 16
do que lo u sen- a 20 annos, bonitas figuras, sendo alguna
apeos de au,l1UBr cstabclecimculu
1 4 500 rs. pra aarvido, oulra ua marg
* tmenlo desudas e pannos, em pegas para
I c, b'ir os mesmos.'baleias para vestidos e
barato prego. H Mn v ,
- Vende-se oleo de linbaca em v Fara ,as e,sc(J af
i 110 lugaruoi, ..- 1 1 j Vende-se no pateo do Collegio, lujado
dossitiosdos botijas, de excellenle tjualidade ; livruazulasyuopsisdogeinral Abioue-
argem uo no no Iu- I (|0 snrvigo do campo ; l" dilo do mcia idade
girdeuominaJo o por todos ira ios,bastante ptimo para qualquer sitio, por prego com-
grande, tem tidoseuipro doslilaglo, eserve u,0,lo ; 1 lindo mulalinho do excelleole
para um grande armazem de recoilur, o conducta, de idade de 16 anuos, ptimo pa-
tem 400 o la'itos pez de cafezeiros, faz-so ra pagam ; 2 negrotas criuulas, de idado 16
todo negocio : na ra nova 11. 18 so dir aIU)s ; 3 escravis mugas de I0J0 servico de
que n vende. I caz : ua ra Direila 11. 3.
yciule-se no Maranhdo, a fabrica Vende-se saccas com eijSo
de bugias sliarinas e sabo. niolatinho, de superior qualidades
Os administradores da liquida- e prximamente chegado do Rio
cito de Theodoro Cha vanes, ven- de Janeiro : no caes da Allande-
dc/11 a fabrica denominada Mar- ga, armazem gran Je defrontc da
uhcu>c, na ra do l'ioponlo, des- rampa.
-- Oesippareceu o mualoManocl dn,
to Mungonga di Einbiribeira no ,lia ia .
10 : pos grandes, grosso do corpo n,,
irado, cibollos acastanhados, olboa ,
quenos e incovados, e trpico dis peni. ,1
ludido por urna cabocola de nonio 1.
grOMIido corpo, morena, nariz chiba i!J'
dcniadana rrente, muito conliecida d sol
dadosporller vindo de Agoi Prela com tro "
e parece ter ido para o ir.osaio lugar: oup
o pegar leve no mesmo silio, ou.na ra a,
Praia n. 41, que ser bem recompensido
-- Dosapparecoramno da 4 de agosto cnan
rente, do engenho Pureza da provincia df
l'arahyba os escravos segulntas : Cvprlm
de 40 annos do idade, barbado, oslnu,a r,
guiar, p^apalhetados, cor preti : Anaati"
co de 30 annos de idade, cor fula cilva.
pos compridos : Domingos, congo, da85
nnos do idade, baixo, cor prela, lem un.
lombinho na fonto, ndentea limado,- Jojn
crioulo, baixo e gordo, cor prela, deSOat!
nos deidad: quem os pegor levo C1S1
do Jlmoel Luis f.ongalves, na loja da rui da
Cadeia do Hecife quo ser gencrosamenlj
recompensado.
-- Desapparecau a negra Victoria no do-
mingo, 10 do correte, cor fula, alta es*,
tem nina seiniia do alto do uirizitea'
nac3o mussainbiquo, falla alrapallia vou vestido do chita azul com lislras brin-
cas, um balaio de fra cooi milho e umi pe.
quena gamella, urna trocha con roupa 8uii
embrulhala n'um panno verde do mesa
roga-se as p^ssois q uo a encontrar do man-
dar conduzir casa do seuienlior, na pnta
da Independencia 11. 13 o 15, loja de calca-
do quesera recompensado.
D'sappareceu no dia 4 de jullio de 1849
um mulatinho por nome Eugenio, de idaJa
16 a 17 annos: de estatura baixi, cor rao.
rena, cabellos castanhos o inui crespos,
olboa regulares, pescoco curio e um tanto
lorto, e nao faz os movimentos deste coma
eabeca regular e pefeitamenlo; tem as ven-
tas arregaga las, os pes e as mitos granJea.
Tem principio do odelo de pedreiro, sitie
arrsnjiruma mesi, o gosta de andar eligi-
do. He natural de l'ernambuco, lilho de
urna prela criuula de noma Luiz, ambo
foram escravos do fallecido Jos Mauricio de
Oliveia Maciel. Quem o aprehender leves)
ao seu similor, o cirurgiSu Miguel r'iliciodi
Silva, na cidade do Recife, travpssi doPo-
ciuho, quesei generosamonlo roco.sven-
sado.
- No dia 0 do corrento desapparecau um
mulatinbo por nome Antonio do idadeili
10 a 12 .unios, he natural do cerlo aonda
lio comprado, tom os dentes largos, cabel-
los pouco cncarapmhados, lom o coslume
de andar sompre com a bocea iberia, eda-
sappareciu da tonda de iipitciro no atorra
da lloa-Vista n. 43 : quem o pegar lere-o
casa porcuna da mesma leuda quo sari
no 1,-rosa ni. 1 j l 1 gratificado.
-- Dosappireceu no da 12 do correle o
cabra Hoir.ualdo, porm he de suppor que
troquo o nome, representa ter 45 aunos,
com alguns cabellos brancus, o o resto mui-
to prelos e estirados, falla descihgada, fin
de barba fcila, 1 o, 1 escuta ser corpulento,
lovou camisa de Igodosirtho e caigas du
brim brancosujas, chapeo de couroouoia
troxiuhade roupa: este cabra veiu do Cena,
quemo pegar luye-o. na ra da Cadeia o
Becife u. 51, quo sera recompensado.
Dosappereceu no dia 12 do correle o
mulato acabralhado de nome Francisco; be
seco do corpo, altura iegular,roprosenli le
18 annos de idade, cor de canella, boaca pe-
quea, beigos roxos, cabellos estirados e
bom pretos, pus bastantes dalos, e os deJoa
iberios, quando fulla afecta querer sor in-
glesada, o he muilo pronostico, levou cami-
sa do algodao do riscado americano, e caiga
de casemira azul com lastra ao lado, chapeo
de palhinha do Aracaty com lila prela:
ucm o pegar leve-o na ra da Cidcia do
ocifen. SI, quo acra bom recompensado.
- Desde 12 ou 13 de julho p. p. quede-
sappareceu o escravo Joiquim dogenlioda
Costa, de altera regular, seco do corro,
pouca barba, o usa delta poo b xo do qun-
so,a que chamam pasia piol'io,fulo,e repre-
r,'na le :ij anuos pouco mais ou menas,
consta quo inda aqu mesmo pela cidade gi-
nbauJo: quera pegar,levando-o ao Sr. do
mesmo escravo Jos Anlouio Denlo, na ra
da Cadeia do Recife ou na p s-agem di Mag-
dalena, sera r, compensado.
-- ii.-sappaii c 11 em dias do mez de jolito
passado um pardo de nomo Juvcnal, olllcial
de alfaiate, usa de bigode e suissas, estatura
ordinaiii, seco do corpo : quem o pegar
poJei entrega-loa francisco Cavalcantide
Mello,111, Montairo, ou ncsla cidade na livra-
11.1 da iiaga da Independencia 11. 6e8 que
lera boa recompensa,
-- D'sappaiecou no dia 10 do corrale o
prelo Pedio, creoulo, le 1 lade 18 a 20aunos,
estatura ie-111 ir, edr prela, bocea o olnos
grandes, com falta de denles na fronte, lona
em os noz dos dedos de ambas as raaos,
grandes calos proceJidos do servigo da
amasssr. pao, levou vestido caiga e jiquej
parda, e por baixo da caiga oulra dealgoda
de riscado azul, cha( .i piulo de seda: quem
o pegar leve-o a palana 11. 30 do patsodo
Tjrgo, que sera bem recompensado.
No dia 27 para 28 do mez do julho p, I'-
desappucceu do engenho Seva, fioguez"
da Victoiia, um escravo de nomo Minocl,
creoulo, do idade do 20 a 21 anuos; ceg d*
nomino, sem baiba, alto, cujo escravo de
oulra fgida fui preso cm Taca i (, (regue-
zia de l.'i ubii, neasa oecasi&o linha mudido
o nome para Jos Jlaria, e andou com PeJro
Joo no acampamento ue l'aiiollas 1 quoui o
pegar luvo-oao dilo engenho ou nesta pra-
ga na ra das Cinco Ponas n, 82 que aera
bem recompensado.
Pmii. ivavTvVTJK M.T.pnT'vi'
MI ITII ADO
f


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBDX95N2D_UBGWC9 INGEST_TIME 2013-04-12T23:07:35Z PACKAGE AA00011611_06418
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES