Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06407


This item is only available as the following downloads:


Full Text

oXXVII
..Sabbado 2
DIARIO
tie Agosto (ie '851-
w. \n<
5
PEMAMBICO
rasc/o m iinwu?io-
PiatHiKto *ouiito.
Por trline*lre...........
por teme**1* ..*.....
4/.>oo
15/000
4/500
p,rl..... Ilde Julho
M.r.nbio 17de Jaiba
Ceara.-.. 19 de dito.
Par.hlbi. SO ie dito.
Hias... 20 de Mala
S.Paula. 12 de Juaho.
II. del.. 15de Julho.
Htiia... 19 de dito.
DI Al DA 1EKAWA.
AUDISNClAS.
28 Seg. S. Inaaceuci.j Juisode Orphot
29 Tcrj. S. Clavo re. 2. e 5. ai 10 horai.
30 Qunrt.S. Rufino ro.;j I. varado eitil.
S. Ilonallla t. .3. C 6.10 meo-dla.
31 Quii S. Ignacio, j Faunim.
i Sen. S. Pedro n]3. e 6. *. lo horas.
vincula. 2' rara do cree/.
2 Sb. N. S. dot Aojos. 4. c sbados ao uiclod.
3 Doin. loveocio dei Rdach.
S. F.sievio. Terca e sab raEMSBiDtn.
Creicente i 4, ai 2 hora e 48 minuto da man.
Chela a 11, ai 7 horat e 23 minutoi da Urde.
Vtingoaote i9, ai 10 horai e 39 minutos larde.
Nova 26, al 8 horai da larde.
rMAMAB Di BOJ*
Primeira i 8 horas e 30 iniouloi da mauha.
Segunda i 8 horai t 54 minutotda tarde.
rABTIDAl DOJ COKKJEIOI.
Goianna e Parahiba, ai segundas e icitas-
felrai.
RIo-Gr.nde-do-Norte, (oda al quinlai-felrai
aomeio da.
Garanbunse bonito, jKrl.
Roa-Visla, c Flore, 13 e 28.
Victoria, ai quintas-i'cias.
Ollnda, lodos os dial.
WOTICIJ* MIBAKOIIBA1.
Portugal. 14 de Ju!h;"trla.. 8 de Jalho
Heipauba (1 de Julho Sudes* .. 1 de Julho.
Franca
Blgica...
Hall.... ..
Al.'lii.lil ...
Prussia...
Dinamarca
Huilla.. .
Turqua .
de JulbojSuecia____ 2 de Julho.
4 de Julho Inglaterra 8 de Julho
I de Julho B.-l'nldos 26 de Junbo
3 de Julho Meiico... 8 de Juntio
3 de Julho California 15 de Abril.
3 de Julho ChlU.
i de Julho Huenoi-Ayrei.
1 de Julho Montevideo 29 de Junbo
CAMBIO* DE 1DEAOOSTO.
Sobre Londres, a 28 d. p. 1|000 rs.
Pars, 340 por fr. nominal.
- Ltiboa, a ICO
tanaca.
Ouro.-Oiic.il hespanhola.....2SJAKM) a S8/S1HJ
Uoeda de 6/400 velhai. 18JTO0 a 18/300
. de 6|400 noval. 16/000 a 161200
de 4/000...... 9/000 a 9/100
Prata.-Patacoeibr.iilelro... 1/920 a 1/020
Peso coluranarlos... 1/920 a I/920
Dito, mexicano...... 1/7C0 a 1/760
PAUTE OFFICUL.
vlsla duque pondera o referido director, man-, Outroiio F. tic S. J >s, discnJo t'r
de latlifaier o pedido que'elle les de um con- (rando liliculJad
-^* l' un llfi nP tu1! oe saiiaiaier o pcuiuu .|uc bh. is* m. m. *...- L (rvuUu 'uncu, jhu
EXPEDIENTE DO DA 2'"b ,u,u ur" "*" to de rls par* continuacSo da obr* do cae* .tg queirl i prest
guerra de 28 de feverelro ulilino. semanal de.ta cidade.
Dito. A pigadoria inllliar, para que iofor- Dito.Ao inesino. dlieodo que deve
le lurn, an ca ioi assassinaao, o ministerio ioi mouiucaua, i.uiii uu mmivii c"- **. ju.,^. ,..
,,.recidono thcairo daq.irlla ci- mal a ordem publica nao consta que folie tido decahido, e que nao duvidara abonar a
.m 'rcldo fornecimciitodecrnc vorde, em Jade 0 colluVGyulay. goeernador militar da perturbada. conducta dodito velho JosLaix.
.. .-" i 3 rezej denunciadas como alTccaldas Jo mil Lombardla, todas os espectador ie levanta- Kis-aqui como /'mis de 19 e 30 de junbo Existe tamben n'um dos engenhos du nieu
rain i.ninedlataineotc e sabiram do thcatro resume as noticias desse pala: sog>o, um Indio de nome Antonio Joaqun.
mand.sse o cunde Gyulay profundamente irritado de- Depois do astissinato do ministro da justlca, Hurlctama, homein cando, bom pal de faml-
a Foules a darou que pona a cidade rm eitado de slo, o Sr Corfiotals, e da demissio do Sr. rylaoi, lia, lobreoqual nao pea a impulacao rio me-
ilcarlodo hoipilal de carld.de lein fornecido ao regu|a,enle de Al de malo de imj. '.,.,i. Ti. Rimi ra .Ir, dous oanles qui ie tal affionta Tosse repelida, ecom eftello no ministro dos negocios estrangelros, o Sr, Pal. uor faci mau, e at me reipoAaabilliarel de
hospital reglmewal dulacd.de algn, med- f,|...Ao jul. de dire.to da comarca do llio- quanlia de 6/OOtt ri., de dou oximes qui n ui bt. p |ngUe,r. kos, ministro di inslruccS., Jublica, fr. in- apresenU-lo ao Sr. chefe de polica, i niu de
emento. f.l.lSoadoi, Indique ao mcsmolem- Foru,o.o, reorallendo u,n ofclo e... que o f em d*', que 0 3 iy18',"'"c* ..blo.talvea porque a. eipcctadore. nao fos- terinamente cncarregado da dual p.itai va- que proceda ao mal. rigoroso eaame .abre a,
m ludo qu.nl ie deve faier desde ja a bem da re.pectiv. cominandaiite superior repreienta pases de ser aproveilada m,naou M, 1CUI ,'liai,0, Juj,;,,,,. ga,. lacios da sua vida: aiflin como declaro lolem-
finnda publica. ubre a falta que all ie tem dado de reunio .pagar. I ^((rmaalia. O ministerio acaba de ser completado c nenente que coin inulto praier franquearla-
Dito. --A inesma, para mandar pagar a Jos doconseibo de revlsia para couclusao aos ira- Outro doalvogado da casa, inrormando j A die(a gerinanioa coniiom regularmente nao mudado. | moa os nossos engenhoi aofo de ju.llca, co-
tauoo Portoiquantia de io/040riieia que, balho. que a le lhe incumbe, aliin de '"gobre a pelifBo de recurso dejos .'a Rocha ein ,cu, trabalhot, r.iendo cinco seifes por O amigoi minUtroi permanecem em leu mo ineio de averiguar a importancia das im-
segUDdo a COBU que teniette ein duplcala, procedeudo como prlinelra 'M* "eJ.[ia, | l'aianhos. A commissllo res, CCtiva. ,,,,,.,. Eli-aqui como a G'u:(a di Colonia .l.i pollo, excepto o Sr. Notara, ministro do Inte- putafdes injusta* que nos faieui Inimigoi trai-
Oulro do F. dos Affogados parlicipatllo conta desies trabalhos : rior, o qual deu a sua demlssao, querendo cocirosc mesquinbos, que tus vl*tu de tornar
re 'i'ln.lo do imposto du 500 rf. de t de I Ne.le. ltimos din c principalmente na consagrar lodos os seus cuidados aos seus ne- o no.io nomeodio.o aogoverno e ao pai, nao
iio 28 Je jun'iu Ultimo, a quatllia de ultima sessao, a dieta oceupou-se das qucsles gocios particulares que estao em mau estado, ceisao de calumnlar-aoi da maneira a mal*
-T~i7l7..mitt ila miim'Mima ,1. ni .la.lnai.la nnreanlnrm .la' as mais importantci, entre oulras da armada Os novos ministros so : o Sr. Mltorieu-; negra e virulenta.
Dito. A mrsma, dvol.endo os papis da Ja ,,, cessar es.e "ldp '"'8U'" de cou^ rela,or|o los, general ex-prefelto da Atlica: o Sr Do- Km conclu.io direi que essedisertor que a-
de.pe. eelmeaia a.ija^pBraa p aae r^S^*^1'* | ^I.ef."1"' ^VT'V-.T'l"1.9..1 .%',*' '! '"'I circunstanciado no qual propOe a conser- manos, deputado, advogado orador brllhan- pouco ful pre.o u'e.U capital, vlveu he verda-
para aproieccao dos esla- te ; e o Sr. Barbogloc, deputado c es-magis- de. algum teinpo em nonos engenhos, mas sob
s suscitou a queilao de sa- Irado. {nome diverso, e tanto Ignoravamos que elle era
racao pode considerar como O ministerio lica, pois, composto da ma- desertor, que meu sogro nao duvidou ngaj.i-
PERNAMBUC9
ancaal .me inforinou o respectivo director no rnelo
que rem*tle, mande pag*r-lhe qu*nUa de
Dito. A menna, remetiendo a coala em
duplicau d. despea* fella com lates para a ca-
a de re.ldenela da presidencia, aflu de que --------------......v >, u ,. ,u V
.u.ude Indcmnliar o amenal de guerra da jl)l\Y DO KfcCIH!i.
qu.n.de2l|600'r. linpomncia da ree.lda ,sBss. 0 0BDW4l,Ui EM n DE JULHO
DE 1851. .
l'ieii'Icncia do Sr. Dr. Neiva.
Premolor nlertno, o Sr. Souia Garci*.
EicrMo, o Sr. Aprigio.
O Sr. PrtiidmU : Abre sessao.
Procede-seao sortelo do conselho que lera
o Francisco Luis licltro, aecu-
formalidades do
Dito. Ao deiembargador chefe de polica
laterlno.derolrendo aconta dm de.peas lel-
tat com o milenio dos preoi pobreida cadcla
da cidade do lllu rormoio, para que espesia
suas ordens no lenlido de ler reformsa, de
confonnidade com a Informaco que remelle
%.?r A.j-t de'"''in''n/AV4Sud00;' VJ"'Pe"o l'e <
ds vara crime, para que informe rea do.
requerlmentos que acompsnhain o offlcio, que
rciuette, do jais municipal e dorpbaos do ter-
mo de Olinda, nos quaes Chrlatovao Perelra
Ploto, Joio Soares Kaposo, Chrlstovao da Bo-
cha Cnuba Souto Malore Fillppe do pasamen-
to de Farlai soppllcam a serventa vitalicia do
officlo de aexiva* do crime, ervel e tabelliaa
do judicial e nolM d'aqucllt- ferm*.
Dito. AJo Bsiilio de Freitas Peixoto, se-j
gundo sopplente de Jais municipal de Gara-
nhun.. t re.po.u o seu ollclocoin daU delegado contra a minha pc.soa.
.^nrii.-ado o conselhu com a
eilylo.
O Sr. l'reiiiUnle : Fu ao reo o srguinte
INTERROGATORIO.
Jm'i : Como ie chaina ?
Reo : Franclico Luii Bcltrao. -
Jufs : Sabe porque ie acba procesado ?
fo ; Sel, sim, senlior.
Ju:-- Diga.
Uro ; Par indiflerenclai que temu Sr. mu-
de 8 do c*rret, commuuic*udd-uie um re-
cente desembarque de Afrleanoi na provincia ;
das A lago., e Imroduccao de parte deile
nena comarca, devo dlver-lhe que nao me >a-
ti.l'as raio qu me deu, para nao ler diapos-
to de parte do deitacamcnto, empregando-o
as diligencia, que deveriam linmeillataiiienie ene crime eu nratlca.ie.
ler feito *. auloridade. policiael do lugar em Jmi: -- F.ntao se nao foi
ordem a apprebender os Africanos e capturar leuhor o quit ferir?
yuu : Mal que tubdclegado be esic ?
Rio : O que fe. o nrocesso.
Juu : Conlu'ce a Juan Martina dos Santos?
Uro : Conheco, sim, icohor.
Jui. : Nao foi voce quein o ferio ?
Rio : Nao, aenbor : nao foi pussivel, que
poisivcl, icinpre o
o. seu. Introductores, cumpre portante que
quantoante. me d Vine, uinaclrcumslanciada
informacio do que occorreo ene rospelto,
ueclaraudo-ine que gente tloba oceupada na
guarda d* cadeia, e que re.poiu lhe deu o coin-
mindanledo destacamento, pela qual se.mo.-
ira.ie- elle Imposslbilludo de dar os borneas
que fuisem precisos para as sobredltas dili-
gencias.
Portarla. 0 pre.ldente da provincia, con-
Ibrmando-ie com o que propoxo chefe de po-
lica interina em orBcio de 26 do carrate, re-
olve exonera*- a Leonardo Deierra de Slqueira
Cavalcaull do cargo de delegada do termo de
Cimbre., villa que at o presente o au lein
eiercido; bem como remover pira tercelro
supplente daqaella delegada o segundo Joa-
quim Candido Pes.oa deolquelra Cavalcaoil,
Horneando para delegado do mesmo termo a
Joio LciteTorre* Galllndo e para legundu sup-
plente desle a Joaqulm d'Almeida Cauuho.
lutelltgenciou-ic ao mesmo chefe de poiicia.
DEM DO 01* 29.
OOicio. Ao Esm. presidente do Maranhao.
diiendo (car Inteliado de estar de lodo exme-
la a epidemia que grassava na capital daquel-
la provincia, coullnuaudo a occorrer alguu.
caaos a bordo dos navio, surtos no porto ; bem
como de ter dectaraijo a ine.ina epedemia nos lln* nl*".".ii
pontos do interior da inesma provincia.
Dito. Ao coininando das armas, devulvea-
do os papis relativos ao pagamento da quau-
ila de 91/210 r.., que se despendeu com a con- v0
duejao deobjectos perteucentes ao declino ba-'
Rio : Nao foi possivel, nem he possivel
que tal crime cu pratiea.se.
Jui: : Aonde ie achava no dia 21 de julho
de 1849 .'
Rio : Em iniuha cata, onde quasi .empre
me achava.
Jhi'i : Km que ra be a sua casa ?
Rio : Na ra do.Co.lornii.
Jais : Oavle dixerse Joao Martina f>ira fe-
rldo?
Rio : Ouvl diier 8 das depois de c.tar
preso.
Ju's : Por qucui navio di.er que elle lioha
sido ferido ? 'i
Rio : Ouvl di/cr que tinlia sido por iiiiiu,
achar-se duente, e que sua molestia o inhi-
b) de eomparecer por slgum lempo s ses-
gOes i ti to i rn a *
Os senhores Piros Forreira e Souza Tise-
ra m a seguinte propostt qui Ioi apruvada,
deliberando a camaru, i rcquerimenio do
Sr. Prezideot9 que se levasse ao c mlieci-
in u'.o do Euro. Presidente da provincia, a
materia da referida propostar alim de que
S. Excellenci no caso de achsr justa, alte-
re o art. 19 do regulamento do cemilorio, e
Oxe a verdadeira inlelligencia di Mi. 73 do
mesmo regulamento
Teado observado que os carros fnebres,
conduzido por cavlos poren p-ese.ileinen-
le os comissarios do circulaQlo do interior
docemiterio em til estailo que empossibili-
t5o dec >nser/al-3s constinleineiitolimpos,
conforme ordena o art. 33 .lo seulaoieiilo,
estabelecido por utilidade publica, ; e para
que se nfio embsrace acm luc^a > em carros
e pela m8o das ppssoas que quizerem cm-
duzir'caixes fjnebre^, proponho que a ca-
ra ordene ao administra lor do cMitilerio,
que do ponfi > do mesmo para dentro, faca
condusir ao seu destino os caixes, ou all li-
des, polas maos das pessoas que o quiserem
i.isor, on dos empregados da]casa: proponho
igualmente que se declare ao administrador
do coi 11 Ti.., que o arl. 73 do regnlamanto
11,1 o u ni inlelligencia Uoam.va, que inhiba
as pessoas da lamil dos defunctos tirarem
aquellas objectos do v.lor, qu .jilo isso tilo
oliendo a real docencia o compostura dos
dcfunlos. a
Pc/i da ccanra municipal do recifo cm
15 le julho de 1851.
Os veroadores Jos Pires l'eircir'a, Jote
Jonauim de Souza <>
Foi approvado un paricefcni commissS)
de Polica dan lo por comurrlas e exalas, as
contag da receita e despiM municipal, per-
teucentes ao mez de | iii/ajp.
O senil", vareador "ireWFerreira reque-
rco o foi approvado qJe se convi.lass) o Vo-
todavia nao ful eu, ? roador supplente Angelo Ihnnquo da Silva,
r"o' -Sel ahiirnior p,ra eonlinuara lomar parte nos negocios
Sao lid. as pe?as do pro'ccsso, donde consta municipaes, visto ter d.'ixa lo o exorcie o
que o fariiiieiilo le deu, mas a nica prova dejulz deorphaos Ful li lo, creill-ti o
contrao reo headeclaracaodo olleodido. a Cum nisSo de Petic;o.'S, para ouvindo ao
Feitas ae allegaces pro e contra o reo, advoga lo da cass dar parecer a respeito, o
O Sr. Pruidiat : Fa.o relatorio da cauta reqnerimento do JoSo ilemonegilJo X-vier
e entrega ao coaielbo os icgulnles j,],. s,|es> reclamando o provimento no lugar
QUESITOS. de Porteiro do Cenvlorio, allegando ler iiel-
1. O reo Francisco Lult Urltrao, praticou o le recahdio 1 m inri i de votus qoanlo le--.i
faci de que he aecuaado de ferlr a Joao Mar- no TJeacflo dcstratou A mesmi commisslo
mandou-so dar copia da parle da acta, que
2. Oreo praticou a noite ofactodc que be lr,lou ,|este negocio.
acensado? D-ispachjram-se as pelicfl^s dj Antonio
5rdoreo7C'rCU aUenua0t" Cl* Jos Comes do Corris Antonio da Sil.
O Jury rc.ponde negativamente a todos os Angelo.= Aprigio Jo da Silva.- Auna Ma
,11,}, ra da Concateno. Amaro Siarcs Nariz
. wrf,t u",'Xto e ,n. dVv.r.'art.:' < '* ''' I'5" ju- Albino J,s Ferreira ds Coi.ha. Annt M.
Bo.Pdoe.t.oe.ooit.v de^ca^.dores, que estn- rj .b.olve o reo. ,- ri, d. ConeeicOo. 00 Pacheco d
go. do extioeto oltavo de cafadore, q
do em arrecadacao no referido qnartel do Hos-
picio foraui recolbidoi aoanenal de guerra,
iliui da que entrando em um perfeilo couliecl-
iiiento de ludo quanto le trauporlou de un
para outros lugares, e dando dilio conheci-
mcnlo a presidencia, Informe se nao he execa-
iva a a linportincla doi pretendidos carretos
Queiroga. Joflo Antonio GuimarSes.
Maniel Piolo dos Santos. Martina Gomes
SESSAO EXTRAORDINARIA EM 15 DE JULHO do hozario Torres. Manoel Clemente PI-
DE 1851. I nheiro Pedro Jos Nones. Simplicio de
PruUmtla do Sr. Olivtira. Souza Lint. Severiana BanJeira de Mel-
Prcsentei os senhores Barros, Mamede, |o, o levanlou-se a sesso. Ku maooil For-
Caroelro, Monteiro, Souta, Pires Ferreira e Fi-1 re|rl Accioli, secrolario interino a escre-
DIARIO E PERNAIBUGO.

BICIFE, 1 SI AGOSTO DE H51.
Das noliciai que nos trouxe o vapor ingle/.
Dito, Ao mriino, diiendo que para poder gUeiredo, rallando com causa participada oSr.l'yi; aMlr nre.l-ntA Mamede *i-
'"".' ?"*.' .nrbr.Vqnere.....tlf1 ar,,,, c e foi tt, lppro. Jj*T^*%g^
vaua a acta da antece.lenr*. iSMBiaiaBaiiBBBaBH
Foi liilii o tcguinle expedienle:
Um rnelo do Exm pre.ldente da provincia,
retnetendo por copia o que lhe derlglra o di-
rector da* obras publicai. participando ler
apparecido corlada a ritrada il'Olinda, pouco
adianle da povoacao de S. Amaro, em o mes-
mo lugar cm que por vezei se lein repetido
este uieimo facto, a titn de que e.igl.se esta
cmara circuitanciadaa informaedes, sobre Tevio entrado honleni de Southainpton, ex-
o procedimeuto que tivera quando.e divalgnu traanlo, maii o seguinte :
cmelhante alteutado do proprielario quem Kafta.
ac allrlbue o corte da eitrada, e levas-e ludo O papa, pouco ie lhe dando da agitafao e
ao mu conlieclmento: posto em dlscu.sao es- das bravatas dos proteitantes da Inglaterra,
te orflclcio, o Sr. presidente declarou, que pe- nomcou a 23 dejunho prximo panado cm
la Impurtaucia da matala delle, exigir ver- conformidade com o seu decreto de 29 de se-
bal.iieoie, logo que o recebera, do fl.cal as tembro de 1850, que e.tabcleceu a bierarchia
iiifurmacocs pedidas por S, Exo que Imam cathollca na Cra llrelanha, os segulnles bis-
promptamente dad**, con.tantei do offlelo pos mals para esta ilha>:
que se achava presente, o qual tendo lido, re-, O Dr. Grant, biipo de Southwark. o Dr, Kr-
solveo a cmara Tone, por copia, tran.mitli- rington blspo de Plyoiaonlh, o Dr. Turner
do a S. Etc., em satisfaco de sua ordem. blspn de Salford, o Dr. J. Uro.un- hispo de
Outro do mesmo diiendo baver receido no Shrewsbury e o o Dr, flurgess bispo de Cllf-
dia lOdo corrente, oque lhe derlgr* esta ca- ton.
niara en. 8 do dito niri, participando o estrago S. Santidade negou o leu assenliitienlo a
feito na estrada de S. Amaro, e que tlnhaj um projeclo pr.iposto pelo ministro austraco,
na inesma data ( rcl'ere-.e S, Exc. ao omcio su- pelos deputado* de Florenca, Parma e Mode-
pra ) omciado solireo mesmo objecto, aguar- na, e pelo cardeal Anlonellio qual llilha por
dando as lnforina;des, que exige, para provl- li.n unir o. cuido, romanos a unlo com-
'denclar como fo.ie conveniente. lulreira. inercial italiana, proposta pelo gabinete de
Outro do ine.iiio. communlcando baver em Vienna.
data de H do corrente recommendado ao O Oferto V Roma de II de Junbo publica um
coininandaiile do presidio de Fernando a ex- decreto do cardeal Antoaelll, aeclaraado que
ecuco da ordem, pelo qual se delerminou o papel inoda actualmente em circulaco, o
fliesie transportar para.aqu, noa navlni que qual monta .omina de 3,710.000 eicudni, le-
forem a aquella llha, loda a pedra que for pos- r substituido or um novo papel do labitiioi-
aivel vlr. Intelrada. c/lo o qual lera curso forcado e ser divido
Oulri da cmara municipal da cidade de em seis leries. A* cinco prlmeiras ro de
Goianna.accusando a recepeao do desta.ea que 600.000 escudos ; a sexta cnuiprcbendera o rrs-
Ihe coiuinunicou a posse d'o actual Esm. prc- to da omina. O novoi bilbete. icrao de 100,
sldldenteda pronncla.= Intelrada. 50.20, 10, 5 e i c.cudo*.
Outro do rngei.he.ro cordlador, apre.enlan- 0 papa ordenou que o. 52 bu.toi de borne
do o ore-amento e perfil do elterro, faser-ic celebre! que: arnain o palacio do ministro
oo principo da estrada nava da Capunga, na agricultura fo.aem coHocadoi no paiseio p
tai com o fabrico e'ilocacio de uui novu iiupurianci* -de 800,000 r.. addiada at, que blco do Plnco em Boina.
luaslro de baodeiro na lorales* do Bruna, aflu baja dinhelro par* en* obra. Nodia2l dejnnho as armas austracas
deque, i vina de sua Informacio, mande el-; Outro do flieal luppleatc de
fecluar o pagamento da. dltai coalas na lu- quesilando um livro para I
portaucia de i jzz0O ris, **bert Jus Da. inultas que tciu dado, e contii
da Silva Cardeal, 72/000 e Jos Lu'. Morel- to achar-ie em ino estado actual
ra, 80/200 rls__luiclllgcnclou se ao IBspec- missilo de poliria
tor do arsenal d* manaba. Outro do mesino, pedindo lhe mande a el
Dito.A'ihe.ourirl* da faxenda provincial, mar* ncar i ordroaalo por ioielro acide
)ior copia do inspector da pagadorla militar o
pagamento dai coala., que devolve, na impor-
tancia de 13/ rs. despendida com a compra de
ealides de madeira para o Oterramrnlo do.
eadavcreadospraca deprlmtra lli.ha quefal-
leceramno hospital, f.z-.e nece.iario que ve,
iiham el reclboi em duplican,
Dito. -- Ao momo, iuieirando-o de baver
mandado pagar, em villa de aua Informadlo,
a Uauoel Pires Fenelra a quantia de 407/130
rs, do aiugicl do arina.em do Fuudao a con-
i.ir de 18 de julho do anno prximo paitado ate
II de juulio ltimamente lindo. Ne.le icutl-
do offitiou-ie a pagadorla militar.
Hito.A' the.ourarla de faxenda, para que
aob a responsabilidad* da presidencia, u*
termos du decreto de 7 de malo de 1842, man-
de adiantar mais ao theiourelro pagador das
obras publica, a quanlia de 2:000/000 rii,
que rrqueslta 'o respectivo director para cou-
tiuuaco da obra do palacio da menna presi-
dencia, visto achar-.c J eigotd* igual quan-
tia que para ose flu ie lhe inandouadiantar. =
Scienllflcou-se ao referido director.
. Dito.-A'maaina, transinitllndo o aviso de
urna letra, na Importancia de 5:013/879 ris,
sacada pea thesouraria do Hlo-Ornde-do-
Norte sobre a dcsla, e a favor de Canuto Ilde-
fonso Euierenciano.=aPariiclpou-.e ao mesmo
pre.ldente d'aquella provincia.
Hilo.A' ine.ma, devolvendo a conta do
resto daa de.peas l'eitas pelo engenhelro di-
rector das obrai publica, no anno financlro
prximo fiado com as obra, do palacio da
presidencia, par* que a faca juntar s ante-
cedente!, alim de. ser todo definitivamente
revisto e liquidado ; e preveolado-a de que
nesia data expede ordem ao mencionado direc-
tor un sentido de entrar para o cofre com o
saldo de 159/150 ris, que elle di/, existir era
seu poder. = Intcllleociou-se ao referido di-
rector.
Dito.-A* pagadorla militar, transmiltlndo
as duas coniai era duplcala das despasas fel-
ncira seguinie
1 lo-para acompanha-lo, como leu criado, e n'es-
propriedade sua urna inarlnlia formada debai-
xo do ministerio do imperio. A Prunia pro-
pal a formacao do urna commiisao de cinco ..
membros cucarregada de examinar se a arma- nistro reformador, na paita da fa.eajja ; o boa le c lealdade nal accu.acMe. que nosfaxem
dadever ler cous.rvada ou uao, c de detcrinl- Sr. Splro Millos, na pasia da guerraTo Sr. lob pena de iicarem desacreditado aquellc.
ndi- Pailtus, na pasta dos negocios eilraugelro*! que noi calumuiao.
O Sr. Cbricsis, presidente do conselho e le carcter velo elle em companola de tueu
inistro da marinha ; o Sr. Cbrlstids. o mi- cunbado: por conseguate he preciso uub
aar caso julguc que u nao deve ser, as con
cues com .|u. u armada, que uao pJc lor- o Sr. Mclclopoulos, na do interior; o Sr,
nar-ie proprledade de eslrangcirus, cr veu- Domlanos, na dajuslica-, e o Sr. borboglou,
dida aos citados allcmaei. Esta proposta fui na do culto e instrueco publica.
adoptada e a oommluo nomeada cumpe-se Nada foi mudado no systcma de gover-
dosrepresentantes da Austria, da Prussia, da no, presidido, durante nove inexes, pela rai-
i...viera c de urna das cldades anseticas. una ; o rei deu-lhe plena >anc(ao. S. M. parece
A (iatila Univerial alternan (de Lelpsich; d muito decidido a faier realisar al reforma, fi-
as seguiulc. iufurmacOes acerca dj. conferen- nauceiras prnjectadas pelo Sr. Christids, e
cia. que ltimamente tiveia.il lugar cm Varso- que devem deier o paix no caminho da bauca-
v i., e ()l mu i/. rola e de aua ruina, para onde o impelllao dea-
(( A ceutralisacao de todos os estados da Aus- de muito lempo a ineapacidade, c as ms pai-
tiia com autocracia goveruamenlal estabeleei- xes politfcai.
dacm Vienna ciuipeccaoimiuediaia doi miuis. U paix e.ia' tranquillo, um s roubo leve lu-
iros .obre tudas as partes do imperio obteve o gar na estrada de Chalis. Um allemao vluha
assentimeutu pleno e inteiro da Bussia, e foi para esta cidade coin seui filrioi, um saUea-
resolvido que nao se tena atteucao opposi- dur grlia-lheque pare; o infeliz atterroriado
cao du partido nos conservadores lias proviu- mette a inao na algibeira para dar o seu di-
ciai da cora. Tomou-se priucipalmeuic cm nheiro ; outro salteador, que eslava oceulto,
cousideraco que inultos funeclonarios inde- julgando que o iafeli. tomava alguma arma
pendentes do governo se linhain lancado no para se defender, uispara-ibe um tiro e in.i-
inoi-imciito. Quer-ie que todos estes etemen- ti-o.
los tejam collocadoi dtbaixo da inspeccao di- Alkmai 18 de junbo de 1851. Depois da
recta do governo. Nao ser mais uceessario nomeafo dos tres novos ministras, nada de
que os funeclonarios sejam originarios do pai importante se lein pissadoem Alhenas,
rio qu.il eacrcerem tuas fuucciics. Osjsteina Alcntaras reuulrain-se segunda-feira 18,
representativa qur provincial, quer parlamcn- termo de sua prorogaco : porui como nao
iar, qur feudal ou de estados, ser modificado houvesse numeras sulncieiites de membros, o
de maucira que nao oiienda em nada o poder senado adiou aua primeira seao para lexta-
absolulo do governo. A Austria achar-sc-lia feira 20.
assim orgamsada sobre o inuSelo da flussla. | O ministerio espera ter deslave/, a maioria
Pelo que repella 4 reorganisacau da Al* no senado, assim como lem na cmara electiva.
Icmanha, a Hussla exprimi o desejo de que Agrande questo he sempre a do sysiema rl-
a conslituico actual fusse reconheclda em lo panceiro apresentado pelo Sr. Christids. O
das as suas partes, e que as inuda.icasc modi- rei daieja milito, au que parece, a adopeo des-
licaces que se julgasse iluvj'im ser uelU in- le systeina; por essa raso faila-se multo de sua
troduzldas, fosseui upperadas seguudo as vias determinafo de numear um certo numero de
constilucionacs. A Huilla quer alm di.so senadores, para remover anda iiiesmoa poni-
iiu.incuir.il na i|uesla> da entrada de toda a bilidade de alguma opposico. Todava o paix
Austria na confideracao ; ella nao pensa que. est tranquillo.
oa intereises couservadore c a ordem na hu-1 A'questo Pacifico leve finalmente sua lo-
ropa possam ganhar com isso. Ella ci pelo luco definitiva, soluco irrisoria, quoudo se
contrario que este projecto desarranjiria o
equilibrio europeu, c produilria um elTeito
dcsagradavel. aluda mesmo faxendo-se abilrac
cao dos protestos da Inglaterra e da Franca.
Assegura-sc que o governo austraco resol-
vira definitivamente .(..solver a guarda na-
cional cm todos os palto da cora, e que a
dicta gerinsuia abolir tcinbem esta in.lilui-
co.
Urna troca de notas leve ltimamente lugar
enirea porta e o gabinete de Vienna a cerca
da duracao do internamenlo dos sele relugia-
ilns magyares que nao foram ainda po.los cm
lberdade A Porli quer litar esTa duracao
em um anno, ao passo que a Austria quer que
seja indefinida.
Por occasioe. dos disturbios que tiverain lu-
gar em Hamburgoo.euado de quella cidade
dirigi aos rcus habitantes a segunte procla-
III I.-.: ,
.. A contecimcnios dcploravels tiveram lu-
gar na larde do Domlugo de Pcntico.tei, cm
cnn.equcncia de una qucilao na qual loma-
ram parle varios soldados austracos da guar-
nlcao de Aliona. O estado maior gcueral
austraco, sem consultar o senado, fe/, ulte-
riormente occiipar o bairro de S. Paulo por
tropas que mandara vlr do Holstcin.
O senado acaba de adoptar os nietos con-
venientes para obler a revocaco dcsla medi-
da e naopoupar nada para defender o. direl-
lo. da cidade de llamburgo.
. Vl.to a gravidade da. circunstancias e pa-
ra desviar males ulteriores he um dever sagra-
do para todo o cidado e para todo o estrangei-
ruquegosa dos dlreitos da hospltalidade, evi-
lir com o maior cuidado loda a colliso com
os saldados austracos, aqu temporariamente
destacados, e mesmo no coso de se iulgar pro-
vocado, he deseu deve abslcr-se de toda a le-
gitima defesa. qur por pal.vras.'qucr por
actos. a,
* Todo o hamburguez unaec de sua pa-
tria comprehender isto, e nV'esquecer tani-
bem que deve atteoces i tropas de um ei-
tado federado, actualmente em guarnico nei-
ta cidade. Se todava em mouoscabo desle
avisos e desla exhortarais, bouver homens que
Icnhio a ousadia de insultar os milagrea atlra-
hindo assim novas desgraca. sobre esta cidade
e seus habitadores o senado declara que se
proceder contra ellcs com todo o rigor das
lels'
Dinamarca.
O minlitcrio dinamarqus deu em mana a
ma demiiio, a qual ful aceita pelo rei. O con-
de Molthe actu .luiente presidente, do con.elbo
foi cncarregado de formar o novo gabinete,
cujo prograii.iia lera ; Intrgridade da monar-
chia e partecipacode toda asieies do reino
nos principios llbcraei da lei fundamental.
A capital ficara mullo agitada.
Rtuiia
Nada de extraordinario, tinba tldo lugar no
impeilo do Crar. todava no Caucaso as tropas
rusias tinhn sorfdo um considcravel revex,
Eis aqu como urna carta escrita de tons-
tanlinopla ao Morning =a/lerald com data de 15
de Junhu refere este facto:
pensa na importancia que lord Palmerston d a
esle negocio. A coinmis.o mixta, nomeada em
1.1,1. ..i para faier urna averigoaco por occasiao
das reclamacdes de Pacifico, acaba de decla-
rar que todas as pecas, que elle pretenda ter
perdido no roubo feito em sua casa em Alhe-
nas, acham-ie nos archivo! de Lisboa ; porm
considerando a possibilidade da perda de um
pequeo numero de pecas de pouca importan-
cia, ella.cconhece que Pacifico tem dlreito a
receber do goveftio greguasomina de i50 li-
brbrasc.teilina.. Isto quer diier que a coin-
inisso u'i.i (ni/, confesar inleirameute que o
goveruo ingles se deixara cabir no man deplo-
ravelerro.
n Asscgura-se que o governo grego Inimedia-
lamente fez reinctter as lO libras esterlinas
ao iniul.lro da Graa Uretanba."
ImmMmmmmmwmmtmm^mmmmmmimammSalam
Curresponcle ucias.
Recll'e 30 de julho de IS5I. i
Canciro da 6'uiini,
( *iiri*HO A'acic
Sr. Redactor. l.enlo no seu Jornal n.
'67 de 28 do corrente as correspondencias
du in us cnllegasea amigos os lllms. Srs
liai dos Keis de Souza Dantas/e JoSo Jos
de Oliveira Jun |ueira, em que so propoze-
ram remover a pecha de leviano que, Da mi-
nha inserta no se mesmo jornal n. 165,
lancei sobre o Sr. Dr. adiaras e destruir
a forca das expressOes um pouco asptrii di-
rigida* a S Kx ezitei se cumpria-me
respon Icl-as, dando tal vez azo a continuar
um discussilo, qoo mo veio tirar dos mous
hbitos do tranquilla obscuridade ; ou so
devia ab.nJonir minha defeza contra a ac-
cysatiio que em ditas correspondencias mn
fazem meus nobres collejas a svera o im-
parcial iI.ti.."." .In respeiiavel publico.... U
respeito que tenho a opimlo publica, e par-
ticular deferencia que me merecen! os Ilus-
tres correspondentes mi fUeram decidir
pela primeira solocau : procurarei, pois, fa-
zer valer minha censura ao Exm. Sr. D.r Za-
charias, nio-.tr-n lo a conveniencia e justa-
za .le mullas expresados
Disse eu em minha correspon lenca :
omu ho qiia S. Et;c nilo toudo outros da-
dos, alm do urna carta, formula urna gra-
vissima iiccusaQo.e arroji-a sobre um es-
tu lante, a quem S. Gxc. devia dar o exem-
plo da reflexio e prudencia ? .'. e facto,
que.n n3o enchergar pelo prismi da aitnzi
d.>, ou de urna indulgencia sobremodo go-
ncrosa, como meus nobres amigos, concor-
dar commigo que accuzasOM de tanta gr-
vida le tino se produzen as eminencias do
l>"/, donde tetn lo estrepilar todos os ou-
vi los, provocando goral indignado ou des-
preso contra o uecuzado, seca que a aulheti-
tici lado .as tenlia aurtorisado... E quem
pnce le diversamente, que mais benigna
qualiticaijBo pode pretender, que a de lu-
viano ?
Note-se-porm que eu, convencido de que
um representante do paiz precisa de apre-
senlaros defeitos p'acticos da instiltiii;.!..
quejulga con Veniente refurtnar.se, e quo
llio he dillicil obler sempre informscOes
b"m exatas, eutendi que a simples apresen
tscSo desse facto imaginario no poderia
servir de pezada cirga, a S. Etc. Cetisurc
porr n que ii Sr. Dr. Ziobarias niose limi-
tasse a mencionar esse acto da insobordina-
Sr.. daetore. He forcoso quebrar o pro- \ i". Que enlendesso dever indigilar o reo,
psito que i iiiim mesmo me bavia imposto de de cujo crime Dao tiolia mais que un fraco
uao ocupar a attenco do publico com pole- indicio : consurel mais sua desaltencfo para
nicas de jornacs; mas achaudo-se ausente. enm o Sr. Dr. Ilandeira do Mello, fazendo-
meu aogro o Sr. Jos Pedro Velloso da Silveira,' o corar a face da nacao de suas relaf:is de
estouna rigorosa obriga(o de responder ain- parontesoocom um estudinte insobordioa-
da que brevemente i repetidas aggrecdes e j0i uaJ eSiujantesv.nbolo da relachacJo
calumnias que lhe tm barateado os peridicos jessa ac.demi., sobre cuja morslidade S.
aSEIiSa^^
peridicos screvem, que atrozmente ierein a O Sr. Jun aeir. porem torturando sua
verdade quando arnrmao que nos protejciuo. alta inlelligencia diz: ... parece porm quo
luadrilhas de assassinos e criminosos, inven- so coaduna mi'lhor com o caraeter leal de
;o por sem durida mais torpe e desleal l S. Kxc, que est mais em harmona como
rodo o Pcrnainbuco sabe que a perseguico combale franco e cavalleiroso, quo elle sus-
por meu sogro fcll* tos matadores de seu pl ieDiava, 0 especificar O fsolol o os UO-
foi sempre auclllado pela, le, assim como ne (, p,,...,.ma .. ..i,. .,; .
certo nue do. d'csse malvados inorrerao na aruoe-me o meu nobre amigo,
cadeia^-e... cidade, um de bexig... e outro J'g >" para demonstrar os tnconTen.en-
por euWto de brigas havlda coin os outro. pie- los de urna mstituico, para provaro m0
sos;sabe-se mais que contra os assassinos de oslado do moralidad.! de tt:n eslabel icimin-
seu lnfelix fllbo, e meu presado cunbado Fablo to, nSo be esseocial, nota mesmo preciso
Velloxo da Silveira, recorreo elle ao. uicloa le- levar a tribum nomts algum. yj factos, os-
gae. promovendo procesos que forio tirados ses sim, heqioprovam os abisos : os indi-
pelo icohor chefe de pulida, viduos poJem cha nar-se Joto ou Paulo,
flgadae. ln.nlgoi, direi tamben, que a vos pu der legislativo punir os dulinquentes? Nao.
blica j bojeiudigita mui claramente a orlgem Jada pois adenla em sua argumenlacSoo
d'e.ie feilo aclrot, para o qual aomente con- deputa lo que, querendo prevenir OS erros
correu a irreflexo de quem quer que mcnoi- ou cnnU'S, levar o criminoso ao augusto re
prexando os direi los da hospitalidade ful in- cinto da representado uacional, como um
liel que-n bu.cou o.ilo em seu pioprio p0ica |0varia-o ao tribunal judiciarto.
lelo!... io lerel eu que hcide 'anUi-o vea Diz mais oSr. Juu.,ueira Essa solida-
era precl.o termos a m.lvadesa dos nossos corar du veigonha a qualquer membro
calumniadores para torna-lo re.pon.avel por de urna facililla pela razio da que so liveasa
crimes de seu Irmio.' ex irobiJo um prenlo seu um fado que
Quanto ao tiro inventado pelo Sr. Manoel de neuhuma maneira mancha e degrada a
seda Costa Guimaraes devo lembrar aquel- |9U, honra* I Faco juslicj aos sentimeotos
Jo_
leaque d'lsso fazem echo que essa farca tendo
lugar em 1847, tempo em que o partido deca-
hido ae acbav no fastigio do poder e da per-
iegul(o contra seus adversarios, nunca pode
formular um procesio por mal que procuras
de mou collega para llio j ilgal-o capaz de
enunciar urna proposicSo d'ests natureza, a
menos que as coatingeocias de urna mi cau-
xaoarrojema Ido original especiosidade.
I 1U1 lll ii i o t una *> (- -| |-. ---- l.i i ~' J
Recebomosdo Dagl.eal.,., por vir Trebl-!em fas-lo; porque uao lacontraro um ^.im ; O Sr. Jutlqtwlra, CtQ JWtfM
necelicmos ao li.eiie.lai>, por vir ireui-.*.. .-.-,,-----, ------------------- -- ------ ^ *#,.., i-.in
.onda, noticlai que anouneiao numerlo* le- Individuoqut ooolro ndi depose.se: por tan- seiuiinuntot C neo annos de frequento trato
-eiso. alcancadoi peloi montanhexei lobre oa to e.ia uilua e.ta esgoiada: he necearlo ex-[me liabilam a attestar, nJo pode querer dis-
Rutsos, osquaeitem tldo perda* immeniai I plorar outra, e aa oulr* nocla-m, na oplnlan 0lvcra communhau do pirenlesco, "'
Ilohaomed-Kmlo, lugar teneulc doiheih Cha- dos noiso calumuiadore, u essa carta em que se dissolvena um. reunlao llliciti-
mil i frent. de vate e claco mil piquelro. da. ie dls que meu sogro recoin.nendava ieu rentesc0 ne uau corda m.gnec qat
mi tribu belilcoia. do. Abedjeh. e de oulroipo- fllbo que ponoca.i* ao Sr. Guimaraes, quando 0 bureo aneicSaS irr
da vos da crreme occidental do Cancaso, atacou o termo pombear foi emprendo no sentido de ,Li*eiitt lie ella proprio. 80
u- oientrlnclielr.mento. ru.so. do general Ce- VM^mtS^J^J^aOmH^m^Jmt WM. CuJ "* oJJ ,?rouxir 0
utso., o. quaes tem tldo perdaa imineniai I plorar outra, e eiia oulra rmla-u, na opiniao goiver a communhilu do parenlesco, oomo
Mohaomed-Kmlo, lugar tenenlc do.heih Cha- do. noiso calumuiadore, ueii. caria em que se diasolvena um. reunlao illicita... O pa-
ml i frenu de vate e claco mil plquelroi da. ie dlx que meu logro recoin.nendava leu renlesco he umi corda magpetic qae pren-
.. ._'_...---------laikAn..>fi/iaBnauaaaa on Sr ..il>ara.Bai mil irf*rHt-
a Je-
'U"jwrnofl"7e;'o7d"vcid" u.V t.p..V. m.u .ogro recebldo viso de pesio., fldedig- s'rdemdas7.1x0es p^"-
fo- alm de Themer. O. i.npe.l.li.tas, segundo nasdequeasse Sr. all.ci.va ..sass.no. par. o ves laSos, que porsJ^nim^'^' ^.""^
'a baldar-lbc u leu- nos esireilnn nosstjj prenles. Jamis as
gonha deixirflo de ata-
que ouve os dosillo*
nem mesmo quando a
moral tem, por assim di-
_.t> a este da familia hu-
o moniei aprovou n* sessao de 14 de junbo o I ban, nao podero tao cedo receber nenbura mente.
remetiendo pa de'dou. o i, co do*o | Quanto finalmente e.s* lista de a.iaiilno a- mana.
ADO
!
_,


Convenba pois o Sr. Junqueiri coanmi
pi oni que o Sr. Dr. /.diarias faltau as re-
tras da delicadexa e cavalleirismo, quaniio
fez observar que essa suppoita insubordina-
<;3o linba partido de un prenla do Sr.
Ilandeira de Mullo, sou collega de caara e
academia. S. Etc. insisti em relicSes de
parentesco talvez, pelo despeitu de ge ver
contrariado na discussSo pelo Sr. Btndeira
de Mello, e nSo porque o parentesco pro-
vasse oais a insubordinacao do insubordinado.
Diz mais o Sr. Junquoira que eu fui in-
justo para con) o Sr. Dr. /adiaras, quando
allirmei que S. Exc. bavia perdido o
equilibrio na discussflu.... Felizmente o
publiro nSo iguo'a que indignacSo so nvi-
nifestou na cmara, por occasiao das incon-
venientes alluzOes que S. Exc. fez a seus
collegas da academia. Todos ssbem quan-
tas vozes eloquentes se levantaran) no par-
lamento contra o menospreco com que S
Exc. tralou os mesmo" sous collega*, che-
gaadosua faltado generosidado a destacar
trechos de u ni compendio para tornar odio-
so sou author ; e rodtrzindo deste modo
uina materia de tanti magnitude e trans-
cendencia, como he a de um plano de estu-
dos para as oossas academias, quest>s
lluramente pessoaes!.. E oto ho isto per-
der o equilibi lo ?.' Ao menos me parece.
Qnantoas adminislrasOesdo Sr. Dr. Za-
charies,com queomeu cstimavel colleja o
Sr. Juoqueira quiz laurcal-o, sa se tratasse
de um artigo nechrologico, essa especio de
oscriptos e:ii que a vaidado do amigo vivo
supprecom elogios a deficiencia de mrito
do amigo morto, couvenbo que podossetn
servir de pedestal a repulico do alguem ;
mas entre vivos nao ha essas condescenden-
cias s llovidas inolleusivos cadveres:..
Para que pois despertar recor.lar.Oes, n/i
ei de que natureza, adormecidas nos volup-
uosos coxitis do um feliz presente 1.....
Desculpem-mo nvus nobles amigos Dan-
tas o Junquoira quo no podase eu julgar
razoaveissuas rrTIaxOcs respeito do pro-
cedimento do A'r. Dr. Zacharias; cortos de
quo se sahiram mal da defeza, a que os la-
varan) suas relacOos do amizaJo com o Sr
Dr. Zacharias (o que pens, talvez porque
o amur proprio e vaidade uo me deita vei
as cousas como ellas sao, nSo fui por falla
de recursos de habilitado. A corporaySu
acadmica, e quantosos couhecem applau-
dem scus tlenles, c cu quo lautas vezes
tonho tido occasiao do apprecial-os, sabe-
rei aprcgoal-ns, rcnder-llies homenagens,
sojio quaes forvm as circuinslancias cm
que me acbe.
Aproveitoo cnsejo para presentar IOS
mesmos meus collegas meus protestos de
sinsora gralidSo, pelo milito quo contribu-
ram para a pulve**ac3o d'essa infame ca-
lumnia, com que o inforniante do Sr. Dr.
Zachaiias tentn minar a estima que por-
ventura Icnha eu merecido dos poucos, que
me condecen).
Queira Sr. Rodador inserir eni seu jor-
nal eslas linhas, com que v-ge coiisliaugi-
do a enfadar o respeitavel publico p >r mais
esta vez.
Olinda, 9 de julho de 1850.
Jernimo Marao Figurita de Mello,
'tinento pelo vivo Inlcreise e decedido icio, te. Nellon he urna daa glorias populares <4a

com que se bouve cm tao solemne momento
para obsequiar o reatos inoriacj d'aquelle
a quem cm vida tanto honrara, fsindo quan-
to eoi st esleve, como prestimoso amigo, e ver-
dadelro patriota, para coufirmar cada vea
mala a boa oplnio que o finado pal do Inlra
assignado aeinprc oonservou para com o incl-
ino Sr. coronel bcierra, e inait lilhos da ncli-
ta provincia da Baha, cuja recordaco e amar
eatavam gravados ein seu reconhecldo coraco,
c como que d'alguina son luavisavam os rl-
gorca de sua amargurada existencia.
Quinto ao lllm. Sr. Dr. I'edro Autran da
Multa e Albuquerque, o infra assignado c sua
familia nSo tem expressei, com que bem pos-
siio significar toda a extenco de seu rcconhccl-
menta egralldao. pelos valiosos servifos e de-
ccdldas provas d'ainisado que cxpontaocainen-
te Ihes presin em acmelhante conjuncliira.
Que a honra os acompanhe. c que as beucaoa
do co descao sobre cites c sua esliniavel fa-
mlll- ....
Recite 30 de julho de 1851. francisco de
Barro inicio Cavbanle d'Albuquerque.______
VARIEDADE.
Publicaces a pedido.
SONETO
OflViTri.lo a lllm.' Sj\' u. Anto-
nia Nartade Castro em algnal
le 4i utidao pela mi.i auitzade,
e qunsl maternal nffago no fal-
lecido. Niijirenintnra luorflc .lozt llaptliuidc SA, ntucltlo em
) de marro de 183o, e fallecido
a 27 de julho prximo pausado.
O PRESENTlMEvr.) PTOMO*
Anjo doco ....Josk' iio querido,
No linpj rio leu Irnilo ij guardla-te assemo '.
Ktndou-se c na ierra o (eu tormento,
Subiste ao premio eterno merecido. .
Prnar, viver, cm li oi conrundido:
Illas t tu ; i de prudencia e di? talento
T eras da familia utll ornamento.
D'.iinizidr um sancluaiiu conhecido.
Se ua vida mulesiia inlrrmiiiavel
l.ouou-lc a ylona {), o giao de sacerdote [3),
-Na uiorlc a contri cao ic fez louvavcl.
Anjo do ceo O eo fui o leu dote ,
Dlcta-o de UEO.S bondade irrccusavcl,...
ijuc LS perlilba os bous, nao ba quem Dote
Tor *
A tniminvelactriz5r. Mara Uopolina-
no da ile leu beneficio.
Quem pode em teu louvor, negar-tc os (oos
Ifcmaravitha encanta e soberana
l)a scena brasilcira, onde refulges
.Sublime, cnlevadota c subrc-liumaua ?
LveaiCU faz horrorhe dile vida,
K tal encanto, que sedu a gente !...
VnM iu realcaacom leu genio, (a)
l-ie d< magiaque embriaga mente
Vue ves Intorno Ifquaodo no palco
Surge! fonnosa, radiante c bella ?
Quando o leu genion'iiiipclos de /lamna-
le inspira, te arrebata, c se rcvclla .'
Ouesenlcs, que conlemplas, v*, escutas '
l'razer celeste, aureola da gloria ..
Uil 1's.liuas. inilapplausns, mil coras...
Ardenicsliymoos de .inmortal memoria...
Oh! triumpho do genioquanto l lidio
.Sea par de li reluz a orimisuia !
Mulherteu oume vivir famoso,
lia de applaudi-lo a geracao futura !
CRIOSIDiUE DA NGIATKIUIA ATUAVEZ
DftlaOMDBES.
Mtii(a pessoas que atnda nao viram Lon-
:lres crcem hiirenuainentc que he urna cidade
lous uiilhcs de habitantes repartidos por ilu-
sculas mil casas pouco mal ou menos, pare-
ce m coiu eilcto formar urna agglomera^ao as-
saz compacta para justificar esta opiuiao. To-
dava cm rcalidade. apciar das apparencias,
Londres nao he sean nina i mine usa colmeia:
suas casas u.lo sao seuao alveolos, e suapopu-
lafo diligeute, iodustiiosa nao he scnfio um
emtame de abclhas. ^o imagina uada que
posa dar uina ideia da prodigiosa aclirldadc
que relua uas doze mil ras que sao como as
arterias c as veas deste corno gigantesco, a
n.i'i ser o aspecto de um lormigueiro no mo-
mento em que um menino introdu/. um ranii-
nho de palha as estradas desta cidade subter-
rnea, e anda assim esta Imagen) he muito1
fraca. O oceauo agitado incessantcmeate pelo
movimento coustanle e regular do lluxo c do
refluio hesmente o que pode fater compre-
hender as oscillacc continuas desta mulii-
d<> que se rscoa c se rcuova scui inlcrvallo,
Esta activldade extraordinaria he, fora de
Invi I i o indicio de um irabalho geral. En-
tretanto calculistas lugenhosos desses que im-
punemente podem amoutoar cifras, sem seren
abrigados a tirar provas, nao hesilo cm alfu-
mar que nao ha prcsenlementc na Inglaterra
mais de dez milhoes de individuos dados ao
irabalho, o que dcixa suppor unta popuacao
coiiiiemplaliva e parsita de pe lo de quloze
milhoes. Em quauto a mim, este calculo c-
paaUmne, c se tenho visto algumas vezes va-
diosTne lmente atravez das jauellai do Club
da lleforma; porque esta, ha muito lempo,
nao oceupa mais a uinguem. Em din pode ser
iuc a cstatislica tenha raifio sem que o parcra;
purm eutre estes mesmos parasiias de todas
M elailCI quauto movimento, qiiauta activi-
dsde nao ha !
O que primeiro que ludo espanta o esiran-
gciro que ehega a Londres, hca larga abertura
las ras, a multiplicidide das p rae as que for-
uiiiu como vasis un ine.xlricavel cnlacaiiiento
dessas estradas babilnicas que sesuppoem terj
um principio, mas cujolim jamis se v, Nfio
posso encarar sem espauto a insuportavel con-
fuso que resultara das irradacoes da circu-
lacao, sean lora a previdente sabedoria que
abri estas vas espacosas a actividade inglc/.a
Se este formigucirn fosse iransportido para
as nossas ras eslrcitas, Par i/, rebentaria ccr-
auientedcbaixoda preaalo ilcsta muliidaocon-
usa, como urna caldeira na qual se BCCUIIIU-
lasse um excelso de vapor, e islo lerifl grande
deigraca<
Pode-56 dar urna ideia do genero de aug-
mento qufc l'aris e Londres recebem todni o
dias, dzcudo-sc que a priuieira ereice BUblndo
sempre, a segunda cslcndcndo-sc cada vr/
mais. tlm conteinporanen do reinado de Jorge
III. se reacuisitaiae, debaldc procurarla hoje
Primerose llill, aon ie os amostrados daquel-
Ic lempo vii'i criifaro ferro sem cotilieeimenio
dns olficlaes de JlUtlca debalde procurara
Paddinglon c seus encantadore!. retirot, lf-
iiiiglun, onde Walter Kaleigh procurava oiuio-
ra a solidao, lljmpstead, para onde os (Mui-
ros (evav.io nos domingos sin- calragadas, To-
das tai deliciosas aldeias, c mutlai outras
rieram incorporar-ae mctiopole. A' medida
que a populaco de Londres cresce, requisila-
se aiguma aldeia iiova que passa alojar o seu
excedente, c islo extcmlc a cidade cada vet
mais. Por esta raifio Londres ollercce singu-
lar a anomala de urna cidade profundamente
cortada cm sua constiluie'j, cm seu costiimesl
c em suas inslituicca civts e judiciarias. Uscu
territorio abrange a cidade de Londres, a ci-
dade de Weslmlnster e diilercntcs povoa(dei,
laes como Einsbur>, .Mar\ -le-ane, Soullnvaik
I.-iiitii Mh, U. A cidade esta situada no terri-
torio de trez condados, Surrcy, Kent, e Uldd-
leaeXa Suactensao he de perto de 12 militas
de leste a oeste, e de T militas pouco mais ou
menos de norte a iul o que d urna mperfolc
de quas mil beelares. rTabylouU e Tbeba
de cem portas, que lana bulla lucram na
antlguldadej l'aris mesmor|ue nos parece lao
grande, sao por certo miniaturas ao pe deste
monstruoso Lvialhan.
A immensidadc (in alguun cou^a de triste.
O ocano me entristece; urna phatiicic limiladi
pelo horlaonte me entorpece; Londres, com o
seu prodigioso deseiivolmento me loma ln-
guido e estpido. Di rao taires que nao cali i
anda iiiteiranieutc da miiiha admiracSo, nao
sei o que Plf i, ninguem inspira aborreciuiento
a si inenno. A inda uo eucontrei um viajante
que, leudo vigilado L'iudrcs, n>io tenha ira/ido
(l iih una hnprcssfiodesagradareis No culpo
disso os ingle/.e.s ; pois nao ha em parle algU-
ina do mundo um povu mais cuidadoso de a-
gradar os estrangelrot, do (pie a nac.io Ingleza,
Inglaterra ; he um dos maioret homens que
gurio habitualmentc sobre os lencos e calas
de rape*.
Multo lempo e espaco preclsariamos para
dcscrerer todas estas torres que avistamos no
mel das sombras desta atmosphera fuliginosa.
Deinoremo-nos somente emWesiminsiei-Ab-
bry, amostra admiravel da amiga archiicctura
gothica, em presenca daqual a pintura larra-
cena do i ni vu parlamento que Ihc ca em (ren*
te, he um ombutitlo sem gosto e atl'eclado.
Westminster he o Pautheon da Inglaterra Vi-
mos ah com prazer o nome de um escrlpt
francez, ainavel epicurista, Salnt-Kvremond,
amigo da bella Hortensia Manciui, depois de
haver sido o favorito da seductora INinun.
Voltcmos a Trafalgar-Square. A galera
nacional vos alrahir, se amis as bellas pin-
turas acharis ah alein de urna cscolha pou-
co numerosa dos quadros dos grandes mestres
da escola italiana c holandesa, alguns palnds de
Reynolds de West, de llogarlh, de Gainsbor-
ougb. e de Wilki*. Porin seria preciso des-
canco para visitar circunstanciadamente
todo desta galera, e cu vos promet! um pas-
scio a vo solt.
A respeito de monumentos, Londres oft'erecc
uminteresse mediocre. Estamos mima cida-
de de origem moderna. A maior parte dos
monumentos amigos desaparecern! no Incen-
dio de i (i i'i. ) fsivlti gothicu, e thudor niio
(fin conseguido cnvelhccer esta cidade, que
permanece joven a despeiio de seus architc-
tos. Alem disto, o genio ingle/, at aqui tem-
sedado cxclusivamcitlc ao commereio, e por
isto nao se tein podido oceupar dos serios in -
leresses da arte. Entretanto parece que se
aproxima o tempo cm que a Inglaterra lem de
sahir desta indillerenca. Este progresso he
auouncitdo pela impaciencia que mostram os
artistas inglezes de engrandeccrcm*se. Nao
se pode duvdar que com os ineios de emula-
cao de que dlspe a rica Inglaterra, as artes
nao recebam ahi um impulso poderoso, e nao
lelam promplamente levadas au seu supremo
desenvolvimento.
Porm se amis os originaes, Londres lien
dade por excedencia. He preciso prpcm
ierra c percorrer como observador as mis c
as prcas publicas. Vamos. Saindo da Gale-
ra nacional) els*noi precisamente na extremi-
dade de Pall-mall. Vede este grupo que se
forma, dissoive-se c torna-sea formir coiili-
nuadamonte ao redor deste hoiuein que est
em p junto deste viveiro de passaros : sao
palpavos que de |>assagem se diverleni com
um espectculo sempre inleressantc para um
(nglez. O impresario deste divertimeuto, con-
scguio reunir ein urna inesma gainla, c sujei-
tar s leis de urna amigavel companhia, am-
nnesque sao por natureza incouciliavcis Ni-
da he mais locante do que esta fraternidade,
e nao he sem rasao que ella se chama a r'ami-
lit feliz. Este genero de exhibicau, que dala de
lempo I inmemorial, excita sempre a inesma
admracffo.
O Straud vos reserva obscrvaees nao me-
nos Dotareis. Eltamoi aqui no foco mesmo
desla activldade de que vos fillci mais cima.
Todos estes homens que vedes uniformemente
vestidos de prctn, e que marcha > com um
passo solemne, emnoedis que \;o para os seus
trlbunaeSi sao negociantes que a sede do ouro
j a>trisirra fume* arrancou de manhaa das
I i. ni i- da familia e de soas frescas *iombras,
c que rio para a cidade. aonde ctploram cm
urna cmara de alguns psquadrad^s, um com-
m relo que abrange aa quatro partea do inun-
do. O negociante Ingles nffo embaraca sua
casa com mcicadorias. Estas esto deposita-
das nos vastos rmaseos dos estaleir is elle
negocia no papel. A promptuLio d.i venda
ii i" he o nico beneficio deslc modo de proce-
der as relacoes sociaes gauham anda com
elle porque ninguem enconlra ah desses iner-
cadore que com inercadorlaa nauseabundas,
trazom para a couversacao cheros invetera-
dos.
Fleet Sireel, que eontinua o Straud, apr-
senla a inesma aiafama r o mesiuo proced*-
lento. Aqui podis cstudar gosto os recur-
iis 1 nesgotarell que o genio do lucro pc as
los de um Ingle/, para vulgarizar sua merca-
doria pelo annunclo porra um dos collabo-
radorea fimiliarts desta gazeta., em um anigo
mu I espiriiuojo sobre a publlcldadc iogle/.a,
fez couhecer em suas minuciosidades as m >:
particulares, essa ouira carfoWads da Imjia
Quando liverdes passado San-Paulo, Man-
sion-llouse, a morada do toril mnyor, um iner-
cailor da cidade ao qual urna ennsiituacao con-
cede preroga tiras vcrdadciramcnic reacs, quan-
do liverdes saudado de passagem o Itauco e o
Stock-Exchange, csics dous grandes templos
da Fortuna ingleza, acharis sempre a mesma
alHuencla, porui dcbaixo de um aspecto no-
vo. us vamos cm direltura i bohemia de
| Londres. Temos visitado os quartcires ricos
I e floreacentes squl principia um mundo noro
Na*o acharis mais, Benito for por acaso, no
quar pirita do Miul e de Wliitc-Chapcl estes
rosts louros e rosadoi, que tein sempre uina
especie de sorriso al na sua immudavcl im-
paiSlblHdadC SSSCI vestidos prclos, que sao
os indicios da probidadc, da urdem e da pru-
dencia ; porcia figuras paludas e mirradas pe-
la lome ou pela devassidao, e farrapos, que
p r sua IndcSOrlpUrel singularidadc fazem lem
brar u vestuario de Mr, Krdcrick Lcmaitrc
ni um drama lomado celebre. Aqui nada
records os esplendores da parte de Londres
que dcfsamos, Vos Jadmlrastei estas casas,
encantadoras anda que um puuco sombras,
quasi sempre precedidas de nina grade de fer-
io, it i | n 11 chega aprcssadameule urna rapa-
riga esperta c risonha, logo que a aldrava an-
nunols urna visita. Quasi sempre as fachadas
um pouco nionotoiiris destis casas lio alegra-
das pnr verdes arbustos. D'agora por diaiilc
uada mal de verdura, nada dessas carinlias
Inquietai he a aliieria, a horrivcl Miseria
que secrgue (liante dcsles antros, onde hita
e se tone o desespero. Vimos all esqueletos
leoels faustosa e desta miseria medonha, que
dio a Londres urna pbyslonoinia nica.
Ferr
(IU*itr*tion.)
COMMERCIO.
A1.KANDKGA,.
Rendimuntododial.0.....21:876,606
Descarregam hoje 3 de agott).
Rrieue porluguez Laia mercadorias.
Ilrifiiii haiga lean de Locquenghien idem.
Rscuna brasileira Aielaide fumo echa-
rutos.
niVDIMENTO NO MEZDE JULHO M 1851.
Rendiinento total
Rcstliuirdes
370:8.T2,M7
74,400
Rcis 370:758,107
Direitos de consumo 303:093,192
Dito de 1 por ccnlo de reeaporta-
cao para os porlos estraogeiros |,8M
Dito dito para os portos do imperio 4,500
Expediente de 5 por cento dos g-
neros coin carta de guia 45,889
Dito de li2 por ccnlo dos gneros do pali
354.067
Dilo de 1 IA por cento dos gne-
ros livres 148,697
Arinazenagcm de 1 por ccnlo das
mercadorias i:454.26C
Dita dilo da plvora 163,687
Premio de 1/2 p. c. dos assignados 4:509,051
Mullas calculadas nos despachos 5l9,58(
Ditas diversas 227.50C
Patentes dos despachantes geracs 75.00U
1*cilio destituios dus mesmos, do ,
caixeiros despachantes c ajudantc ,
dos despachantes 7,200
Sello dus ditos litulos 480
Emolumentos de certidocs 22,880
m aaaaaaaai^al saa
370:758,107
Reccila extraordinaria.
.Novos c velhos direitos
recebidos dos empre-
gados 10,000
Rcposifao dos venc-
incntos do lugar de inspector, de 23a 30

de junho, deducida a '
A.' parle perlencentc
aos cinpregados, que
MTvii.Mii interina-
mente de iuspeclor c
cscrivao 77,802
88,802
Rio de Janeiro Francs Catherioa -
l.iuid.lrosl l.ulcken.
S. Franoisco Victor Orissa.
Valparaso -- Prineess Heleno Hary
Imrie.
Navios a carga no Clyde.
Rueos Ayres --Luna.
Valparaso-- .Sir W. Molesvrorth.
dem e S. Francisco -- Hindostn.
Navioi a carga no Havre.
Rahia -- Cophise -- Joseph.
Lima Aglao Minos.
I'cinimliiii" > Havre Edith.
Rio de Janeiro Nouvolle Paulino Vl-
le do Rio.
S. Francisco -- Surrey Fortune.
Navios a carga em Brdeos.
Arica, Islay & Lima -- Cinq-Freres Are
quipa Echo.
Buenos Ayres Caledonian -- ennark
Tacna -- Florist.
Rio dn Janeiro Ernest.
Montevideo Bonnn Jenny California.
dem e Buenos Ayres Florian -- Bon-
neAime. (
S. Francisco -- Julius Cesar Iris Su-
matra -- Pondicheny Suecas.
Valparaso Bou Piro-- Piene Francoiso.
Navios a carga em Marseiltes.
Montevideo Beranger.
dem o Rueos Ayres--Alexandro.
Bio de Janeiro Voyoguor Geo II. Nor-
mandie Diano.
S. Francisco -- Destruziono.
Navio a carga em Roucn.
Para Ecumeur.
Declara coes.
Rcis. 370:810:809
as scguinlcs especies.
inheiro 140:839.32.1
.tssignados 230:007,584
Depsitos.
Ein bataneo do ultimo
de junho 3:251,800
Entrados no prsenle
mez 404,124
Sabidos no presente DM1
3:lii,084
415,374
EllstentCI Rcis 3:240,010
us seguales especies.
Dinhciro 647,i0
bettraa 2.093,010
AlfanilcRa de Pcrnambuco. 3l de julho de
1851.O cscrivao inleriuo, francisco de Paula
tonealves da Silva.
CONSULADO GERAL.
Itoodiinento ndia 1.a.....3:072,587
DI VEII9A8 PROVINCIAS.
Rendimentodo dia 1."..... 6,908
RBNDIMBNtO DO. MEZ DE JULHO DE 1851
Oonsulailo de 7 por cento 30:700,708
Dilo de 2 por cento
Dito de i por ccnlo
Dito de l|2 por ccnlo
1,608
-----------30:702,316
Ancoragcm para fura do
inperio 4:.'ill,850
Dita para dentro 1:474,977
llireilos de ift por cento ,
Direitos de jpor ccnlo 379,750
Espediente das capataaias 592,270
Multas ,
Selos 607,166
Emolumentos '"cceilidcs 11,500
Ky --------- 38:307,889
Diversas provincias.
Di/Jiuo do algodfc do
llioGriiidcclontrte 52,530
Dito dito da ParMWbaa 72i,OOI
Dito doassucar da dita, 1168,105
Dilo dilo das Alagoas 801,401
20 de julho de 1851.
Por
O inlra assignado, anda penetrado da mais
acerba or, c achando-sc nimiamente pinho-
rado para com lodosos senliores que na ini-
nhaado mrausio dia 23 do crreme se digna-
ra ni d asssisttr as exequias Hitas ao cadver de
seu 'Ilustre pai o infeliz coronel Jos de llar-
ros l-aliao de Lacerda, c nao podendo dirigir-
se pesioalinentc a cada um dos ditos seuhores
para Ibes agradecer lio subida lioura e favor,'
de que nunca se esquecer ; julga de seu dc-
ver aprovcilar-se da imprensa para faicr che.
1,'ar ao cunhecimento de todos a expresso do
senliinento do seu mais iugcuuo reconheci-
inciiln e eterna gralidao, pedin.lo pur esta
occasiao a aquellos de seos amigos e maispes-
soa>, aquem deve respeitos c obriga^oes, c que
por a caso nao livessein recebido convite para
esse aclo, hajam de ter a boudade de relevar-
lo! lio iiivuliiiit.il i i falta, vislo que o abaixo
assignado e sua familia, proslrado na quclla
occasiao pelo cruel golpe que acabava de feri-
los, nenhuina parte tomarao as cousas que
cm torno d'el les se passaram, e podiaindistrai-
los da triste conteinplacao, de sua immeusa
dor, e cruel slltiafao*
O infra assignado julga igualmente de rigoroso dever dirigirse particularmente n'es-
ta occasiao ao inuilo digno c disliiiclo com-
inandanle das anuas d'esta provincia, o Exm.
Sr. coronel Jos Vicente d'Aiiiorlm Bezerra,
alian de tributar-lhe lauto em seu nome, como
uo de loda a sua familia, um especial agrade-
(I) t'icl Comea de Sa, fallecidoeiu ijde de-
/einbro de 1850-
ff >e um ptimo esludante !
(3J Para o qutl tlnha especial vocacao.
(; Oorgis c Tutordramas de \. Hugo.
Iiiiiiiauos que pareciam nao 1er mais o scnli-
c eslou persuadido que ella^ sent algum p.vw .,0 ,ia vida c que somete a vi.ta de um
por nao ter anida transportado ,. eco -la India (| ,'lc de bebida ) reanimara
para as margen, do Tamisa, como ja rasnpor repotlnalnenle. A incontinencia he sen, d.l-
tou a Montanha de luz, este diamante ncoiu- Vld, d ,ailul as mais aclivas do pau-
pararel que hoje bn ha com um fulgor lio p,.,,s,no dil iDg|erra porm desviemos os
viro no palacio de vidro, porc-:,. lato ..aa lio c|c5U m*ioatu petara.
nastanle, Clicgamos ao iiuarleiao dos Docks, isto he.
Procuremos ao manos dar urna Ideia sam 'ao C011[IO t|quea commerelal de Londres.
mana desta cidade. rassamos unja viagem amador do pilorescn nao aeliaria uma acea
ciulinha recta. Kls-nos em Urde Park, pal- mala grandiosa, mala inagnlBoa. mais arreba-
randoobre este palacio de vldro do qual ja udorJ Jo (,llc a l|ue ollercce o Tamisa, desde
vos erao contado, o Icitor, as estupendas ma- ,n pon ,,c Londres ate Wolulcb. O rio esla
ravilhas. Oulro mais sabio que cu. vos dlr cooerto neste lygar de urna lloresla dems-
raros tbesouros que a industria I......
os raros tbesouros que a industria liiiiiuna y ca CI1, ,,uc B a
lem tra.ido de todas as parles do globo para raill|,a o mar, I a poca em que vinham con-
este templo magnifico, elevado ao genio das fundlr-se oom suas frota* numerosas os navios
artes
Passrmosailaute
r,.., .!,. j... i Uo mundo inteiro, \ enc
orden, poda ser ^^^^fi^J^I^CS&m.
^^K^^r^tJ^B W.I-*- GiecvicU St. anda
nunca aprcsenlou
de mais soberbo do
dous sitios
uue o estrai-^eiro nao nJc deivar de ver.
^!;!]^.?f''^V,?Lpi*w.m?!..a.?! i vvohv.ch com o seu arsenal martimo Ihc dar
a ideia do poder martimo da Inglaterra; Green-
ivlch llie irar :i Icmhranra as pocas mais
gloriosas desta potencia pelas recordares que
ociosos estes bellos taboleiros de relea, estas
sombras, estes extensos passeios arcados.
A'dircita d'Ilyde Park, olh.ando-sc para
lisie, faca RclgraveSituase, bairro arisiocra-
tico. onde a atlectacao reunida a riqueza, tein
rcalisado em proveito dos srnhores saxes
lodos os milagros de luxo c de profusiio da
vida asitica. No ngulo do plselo que val
ter a Plcadillv Hca ^polcyIlousc, hibitafiio
do duque de Wellinglon. a popuciio tendo-se
sublevado um dia, levou o seu arrojo a ponto
de alirar pedras sobre asjanelhs de sua Esc
Desde este tempo Apolry -Ilousc fot condem-
nada a uina obscuridade eterna. As jancll.as
lem permanecido fechadas porque o duque nao
quer que os amotinados em outra sediccao
passao achar mais vidrafas para quebrar; ca-
pricho engeohoio, que Mr. Seribc aproveitou
com muita fWicidadc na comedia de ferlrand
e /fotn Aqui estamos no meto das recordacoes
da gloria militar do hroe da Walerlox.
O arco triumphal que est cm frente de Apo-
leyllouse he um monumento das facanhas
do nobre duque. .Nao podemos passar em si-
lencio o Achiellei, elevado cm UrdePark pe-
la admraciio das damas inglezas para com o
grande capilao inglez, est.tua cotossal na pos-
tura de umgladeador, e sobre a qual o artista,
sem duvida contra a iutcuco das fundadoras
csqucceu-sc de tancar o menor vestido.
Piccadilly fot outr'ora o centro do coinmcr-
co da moda ; hoje o seu anligo esplendor,
tem diminuido um pouco, e sua clientela pas-
sou-se para os brilhantcs arinaxcns de Itegeiil-
Street. Cbegamos a travez de llay-Maiket a
frafalgar Squarc. Era iinposslvcl que a este
nome nao vlesse naturalmente associar-se o
nome de IVelson vede-o gravado nesta colum-
na que sustenta a estatua do celebre alialran-
2:304,120
Depsitos sabidos
Ditos cxistcnlcs
- 40:672,009
Tendo S Exc. o Sr. presidente da pro
vtncia romettido a oata directora geral ex
empUres do regulamento da instrucrjSo pu-
blica do 12 de maio p. p, para aeren distri-
buidos pelos Srs. profesores pblicos de
ambos os sexos; do orJntn do lllm. Sr. di-
rector qcral da instruc^Io publica t*t0 sa
ber, a quem convier que os ditos ejempla-
res acham se no lyoel), aonde os poder.m ir
ou mandar receber.
Directora geral, 28 de julho de 1851.
Candido Kmtaquio Cesar de Millo, amanuon-
so aichivista.
Oarsonal do guerra compra azeito de
narrapsto, e de coco, vellas do carnauba, lio
de algodo e parios : quem os referidos g-
neros se propozer a vender, com>>areQa com
sua proposla no da 4 do enrrente mcz.
Arsenal do guerra, primeiro de agosto de
1851.O oscripturano,
!'. Scraphico de Assis Curvalho.
De ordom do lllm. Sr. director gcral da ins-
trucfo publici faco saber aos Srs. pro-
fessoros e profossoras da ustruclo ele-
mentar, que os livros que se acham ap-
provados pelo Exm. Sr. prosidente da pro-
vincia para so danni as oselas, 30 os
>c.'nuiles :
as do primeiro graopara leilura, simio
de nantua ; coscvangellios traduzidos pela
padie Antonio Percira de Figucirodo : para
as cenias a arilhmettca pratica por F. N.
Colaco; paradoutriua cliristSa e orthogra-
phia o opsculo intituladocollectao de
compendios para uso das aulas de primei-
ras letras, torceira edirco : para grammati
ca nacional as licOos do grammatica portu-
gueza destiuadas ao uso dos alumnos de
ambos os sexos por Jos Barnardino de Se-
na. as do segundopara leilura, princi-
pios geracs de economa poltica o indus-
trial em forma de conversado por P. II
Suzanne traduzidas om vulgar: a synopse
da historia do Brasil pelo general Abreu e
Luna : para doutrina christlta o mesmo
compendio do primeiro grao: pira resumo
da tilica especialos devores dos humens
por Silvio Pelico : para grammatica a mes-
ma do prtmoiro grao : para a arillimelica em
nmeros iuleiros, quebrados, e decimaes,
eexplicaQto do systema nacional de pesos
e me li las o mesmo compendio de Colar;>> :
para geographia o opsculo intituladono-
Qcsde gcugrapliia histrica para as escolas
.i i ..-'i .cem i'i.-nn iiiur, coligidos de varios
autoras por um pernambucano.
Directora geral, primeiro de agosto de
1851.O a mauuonse archivista,
Candido Eustaquio Cesar de Helio
gar, tendo de sobrecalent 1 crrante nov
tom SObr.ca, el vela bijarrona t.mhVm
nova ; acha-ia fondeado junto ao tranioi,
do algodo, .onde pode ser examinad?. ''
pessoas que qoizoram algum oselarecimen
to, podem dirlajir-ao a Luiz Antonio Perai"
ra, ua ruado Quelmado.
. "k" PJr.a ? k'*S. seJU8,vi8em com mu.
ta b revi dade o Inate ExalaeSo, mes t re An
tonioMsnoel Alfonso: quem no mesmo nu,"
zercarregar, ou ir do passagem, pode en"
lender-se com o mestre, no trapiche do al
godflo, oucom Si Araujo, na ruada Cruz. "
Paral.oanda e mais portos;d'Afric, n
brigue portuguea>rri*iB/iAane, capitlo A0
Ionio Domingos de Camino, pretendes,!!
bir al oito de agosto, recebe passagoiros
quem pretender dirija-se ao referido caro'
tao ou ao Oliveira IrmSoa Si Companhia tu
ra da Cruz n. 9. .
Leiloes.
- O corrolor Oliveira far Ieilao, por or.
demde Henry Bull, capitUo da escuna n.
gleza Rival, por conta e risco de quem per.
tencer, em prsanos do Sr. vico-consul u
S. M- B, e no escriptorio do respectivo con
miado, ra do Trapiche novo, de urna c,~
xinha de costura, um candieiro de mez, 6
coberUdo metal pratiado, para pratos, u'tn
porta licor, um bule, e diversos objectos de
meza tudo do mesmo metal, 3'caixas botica
etc. torniquete, e diversos instrumentos
completos de cirurgia, e entre estes umi
maquina de tiraragoa do estomago; salva,
dos da dita escuna ltimamente naufragad,
na prac do Brum d'esta Cidade, oa sin
recente viagem procodentada lina de As-
cenco: sabbado, 3 de agosto sll hora,
da manha.
L. Bruguiere far leilSo, por interven-
cito do corrector Oliveira, pera oto o Chan-
celler do consulado francez, a por conta de
quem pertencer,deduascaxasdocambraiaj
abarlas, avariadas, viudas pelo navio fran-
cez ules: terca foira, 5 do crranlo, no sou
armazem, ra da Cruz n. 1.
A. S. Corbett, tendo de reti-
rar-se para Inglaterra, nestes das,
fdr o seu leilo (j annunciado)
por intervenco do corretor Miguel
arneiro, no dia a de agosto, as o
horas da manhaa, de toda a sua
mobilia, carros cavados etc. ,
etc., na casa de sua residencia, na
ra do Hospicio junto ao quartel,
Avisos diversos.
Theatro 102,801 HOJE, 2 DE ACOST DE 1851.
i l'riaicira recita la ns.slgiiutiii'a.
Depois do uma escolhida ouvortura,subi-
,,, r.i a scena com toda a pompa, o aparatoso
tilo de I8.)l. O cscrivao, Juconie oriaraoj K ^
..... 'drama do Sr. Mendos Leal, em cinco actos.
Mesa do consulado de Pcrnambuco,
Iba de l-.il. O es*
1/ i Lumarhi de Mello.
RgCBBEMOKIA DE RENDAS (EUAES
INTERNAS.
Kondimcnto do dial.".....209,418
CONSULADO PROVINCIAL,
dem do da 1.......975,388
Movimenlo do porto.
Nuvios entrados no dia 1."
Liverpool 39 dias, burea ingleza Utatrice,
de 279 tonelladas, capito David Boiver,
oquipagetn 13, om lastro a Diaoe Youlv
A Companhia.
Calha, de Lima 81 dias galera ingleza
Eti3alicth,ic950 tonelladas, capito Char-
les Son, equipagorn 28, carga guano ; ao
capitlo. Veio refrescar o segu para
Cork, licou de quarontena 2 dias. por Dio
Irazcr caria de saude.
Navio s*hido no mismo dia.
i i;nar.i.: I, hial-i brasileiro Noto Desti-
no, mestro EstevSo Itibeiro, carga carne
c mais gneros. Passageiro, Marcelino Jo-
so do Mello.
csto ligadas ao hospilal dos invlidos da ma-
rinha. I.u.i encontrar.i de mais nesta ultima
localidade um dos panjues mais bellos que
eiistein no inundo.
Acabamos de tocar ultima porta da viagem
resumida que emprehendemos atravez, de Lon*
draa, Precisaramos de volumes scquUcsac-f
mol encher as laciiaas que existein entre as
diversas bausas que temos plantado ni carta
de Londres.
Pode-ie afliiin .i que os mesmos Ingleze,
nao eonbecem bem a sua mciropole. Kxisteui
lugares nesta sociedade que nunca foram exa-
minados. I! ivi.a. nao lia muilo lempo, no
centro de Londres, urna cloaca inmunda com
o nome de San Uil. A coininisso dos mclho-
ramentos da cidade, notando um dia que esta
especie de palco dos milagrcs desfeiava pela
sua vlsinhanca os quarteires Indnslriacs do
mel, fe* dcsappareeer com uina penada al
o ultimo casebre. Um novo quarteirao fo
e perfeilamentc pralicavel substiluio ao anligo
San Gil; hej aiguma couga ; porm esta po-
piilayio nao emigrou, dispersou-sc pelos quar- J Waddinglon
leires alistados, c nclles vive como ciganos,
lie guiado por um cicerone intclligentc que
um esirangeiro dever visitar estes quartei-
res. He boin, he conforme com urna gene-
rosa hospitalidade, convidar curiosos para as
corridas de New-Market, para as representa-
rles sceolcas, para todas as fealas da caca :
nas otato nao constate o nico, iolercsac da
residencia em Londres. Consiste aioda no
contraste profundo c instructivo dessa epu-
Notlelaa marltiinns.
Navios a carga cm Liverpool, para diversos
portos.
Arica o Islay -- Pandora.
Ilahia Cuiden Fleece Empresa.
Buenos Ayres Bella Porlena Jenny
l.ind-- William Peilo -- Itichmond.
Co.ir -- Andover.
(uatimala Williafn Tucker John A.
I'ritchard.
Ilasbor Crace, Nftd., cv Brasil. Crcyhound.
Lima iNautilus Esrl of l.onsdale
Kcstret.
Maranh.lo Wilson.
Mam e Par Bridgct.
Monlovidco Margaret.
Idom ot Callao Ilopcwell.
Idcm o Valparaso Villagui.nl.
Panam Era.
Joaqnim Itibeiro Pontes avisa aores-
peitavel publico que o Sr. Jos Consslves
Morcira, deixou de ser seu caixeiro desde o
dia 31 de julho deste auno, e Ihe agraJeco
seus bons servicos prestados em sua casa
durante o tempo em que esteva.
Desappareceu a 19 de junho deste au-
no, uma prela Antonia, que representa ter
30annos,de nacflb Angola, bem fallante e
pactiola, cheta do corpo, altura regular, fui-
tOos regulares, tem uma sicatris de relbo
em um hombro, e ja anligo que parece sig-
nal, levou vestido de chita ja desbotado, a
panno da cosa, e foi com um ferro ao pes-
cos, recitado com um cadiado, tem por eos-
turne embriagar-se, de outras vezes quo
tem fgido t'im sido pegada pelos arrebal-
des desta praca, desconii-se qoeesti preta
estoja oceulta, e so lhe Icnha lirado o ferru,
sendo isso verdade e essas pessoas queron-
dodenunciar-seetrazendo a ditapreta.se
nSo usar com os meiosquo a lei permute,
e do contrario se usar com todo o rigor etc.
Roga-si as autoridades policiaes, capitSes
de campo, ouqualquer pesaos, a prendan)
oufacam prender, e levar ao sou senlior,
Antonio Maia Contes : na ra das Laranjei-
rasn. 14, qno ser3ogenerosamente recom-
pensados.
Protesto em risposta.
NSo sendo d'agora, pnroi ~vi ha muito
tempo, quemeacho no firmissimo propo-
sito de condemnar ao mais soberano des-
prezo todas as inepcias, que os meus gratui-
tos inimigos se esforcam de publicar con-
tra mim, no mesmissimo proposito anda
me aclto agora acerca do que meo respei.
to, e do partido sulista do Rio Grande do
noria teve a bondad* de publicar o commu-
nicanle da ressuscitada UniSo n. 367 de 31
do mez passado; deven Jo servi-lhe esta mi-
rilla clccliiracau da completa resposta, que
outra no julgo propria do dar-lhe.
JoSo Carlos Wanderley.
Aos astros emquanto he tempo.
No dia 31 de julho desappareoeu da or-
chestra do nova invencSo, o graciosoJos
dos astrosengajado aprendiz de funiieiro,
latoeiro, fundidor o machinista dos intitula-
dos banheiros de choque, sinos fund los do
tamanho dos astros, e burras de rafa bati-
das com taixas de folba composifo da ca-
bera de martello dessa mentiroso. Roga-sa
aos capitSes de campo de leva-lo na Embira
a casa do Drama que ser generosamente re-
compensado.
Constando a administraos do recolhi-
mento da Senhora da ConceicSo da cidade
O llomem da Mascara Neg.
Os Srs. assignanlcs lerSo a bondade de na
vespora ir receber os seus cartes, no es-
criptorio dothoalro, o aquellas pessoas que
quizorem assignar, deverSO com anteceden-
cia dirigir-se ao mesmo theatro para ahi da-
reo os seus nouies.
Couje?ar o espectculo as 8 horas.
Theatro de San-Francisco.
COSMORAMA.
Tvos os dias das 7 ai 10 liorai da noif.
NOVAS VISTAS.
l'rimcira. O tnel ou galera dcbaixo do rio
ianiise cm Londres.
Segunda. O interior do Santo Scpulchro de de Gi'nda que o Sr. Jos Flix de Souza pra-
Nosso Senhor cm Jerusalcm. leude vender o sobrado no principio da ra
Tcrctira. A destruijo da bella cidade de de Hortas ; a mesma adminisUacSn previne
Cartago pelo general Sclplio. i que o referido sobrado se acha sujeito ao
, uan. A cidade do Porto cm Portugal, vis- dito reeolhimento na quanlia de mais da
S -^ifi-cididc ae u-" -'-! i?* .r co.?rloslam em tempo hyer do
sevta. Principal ra cm Madrid capital da Companhia geral da agricultura
"uma'b grande c bello parcodc New-Tork. ^aS Vinhas do Alto DoUTO.
Oilava. A bella Veneza brasileira rl'crnam-\ O Abaixo issignado agenCs.desla com-
bucoj vista da igreja Misericordia em Olinda. panlna nesta |iraca de Pernambiico, acaba
Nona. O arsenal de guerra da cidade de de receber pela barca SantaCruz, urna re-
Moicotv, na fluala. messi de vinhos daquella companhia, de-
Decima. A cidade da \cracruz pelo lado do poisque 0|la fo habilitada pela legislatura
nMiima a piiia^ .i. !...._ a i e Portugal, e dotada com fundos pblicos
Ad1reSaA.en,tn<1ra d'pVev'.Sr^at Pl. lei lo l de abril de 1843, par lavar a
peltavel publico que as vistas serio mudadas lodosos mercados os padrOes e balizas do
de cinco em cinco dias. vinho genuino e puro do Alto Douro, geral-
Prcco S0O rs. As criancas tcio entradas mente conhecido pelo nome do vlnhodo
grates.
Avisos martimos.
Porto, alim da servirn) de guia ao cominer-
co. Esta remesas, toda de vinhos da mais
escolhida geralidade, davo offorecer aos Srs.
compradores, no s a certeza da sua pure-
za, mas tambeni o typo verdadeiro dos ex-
celentes vinhos do Porto. Espera pois o
Para o Ro do Janeiro segu viagem
con brovidade o brigua brasileiro Animo, abaixo assiguado que os Srs. compradores
capillo Domingos Antonio de Azevedo : ae dirigiram ao armazem n. 12 na travessa
quem no mesmo quizer carregar, ir de pas- da Madre do Daos, a fallar com o Sr. Jos
^sagem ou embarcar escravos, podo enten- Joaquim Das Fernandos, para trataren! do
dem, Buena Ventura a Guayaquil Di- der-so com o capitSo ou com Luiz Jos de ajuste de qualquer porco que desejirem ;
ckoy Sam. S Araujo, na ra dn Cruz n. 33. j ou com o abaixo assignado, na ra da Ca-
Parahiba Three Sisters. .. pia o Rio de Janeiro segu em poucos deia do Recife, no primeiro andar do so-
par Windsor. ; dias o patacho Yalcnle, para carga, passa- brade n. 8.Ahobo Francisco de fioraes.
Pernambuco May Priscilla Mary goiros e escravos afrete : trata-se com oca-: itrreia da Santa Cruz
Queon ofScots Vonilia Bcraza. I pitao na praca, ou com os consignatarios, n ';?, ,. '_,.
Rio Grande -Lancashire Lass. Novaes t Companhia. i oscr.vSo da irmandade do Sr. Bom Je-
Rio do Janeiro Alica Hovvard- Wm. Cear e Para. f"Bdi V'8 *."/ S,nta Crul" COnVlda'
Bdward Ilobt a Patke yedra c raa, todos os trmSosda mesma a comparecor em
c Kr.neiaen Salem A veleira o bem conhecida escuna brasi- dita igreja domingo 3 do crrante, alim do
Valnarako -Vliarls Jones -Aun Brid- loira fimiJ/a, deque he capitSoe pratico An- tratar-se da olelcSo da nova mesa.
. hua ionio SilveiraMaciel Jnior, deve chegar do OfTerece-seum criado para salla ou bo-
norle por estes dous dias, o seguir para o lea, ou mesmo tratar de animaos, procure
Para, com escala pelo Ccar, com a costu- no fundo do templo dos inglezes, a fallar
mada brovidade : para carga e passagelros, rom o 1'ciUir do mostno
rlaTall'zt ix'10* AUgU9t "' '".....No ** "i-be p. p., desappareceu
lliate Novo Olinda. -p^ Jose' rebol' dc ,dide 20 ,nn0S
son -Lord Althorp Express-- Joshu
Navio despachado em Liverpool.
Rio de Janeiro Kte.
Navios a carga em Londres.
flahia Livinia Halen Kwerelti.
Buenos Ayrea Delphin -- Cornucopia
- Ada.
Lima Mary Ellen.
Montevideo -- ftoform.
Pernambuco -- Alcundre.
cliciu do corpo, com um zabumba na testa a
Vaiscr arrematado peranto o juiz dos or- um signa! por cuna do poilo, venda peixe,
phSos, o hiato .Voto Olinda, bem conhecido e bem conhecido : quem o pagar leve-o oo
Eela sua construyo, acha-se aparolhado de paleo do Carino ti. 2, quo ser recomppnsa-
u Jo quanlo he necessario para poder nave- do.
MUTIL


Advertencia
. -incumbM da irmandade do Divio
*& santo, ach.m-ae fr.nc.s, para
t,Plnr peV.. ou .utoriU.de, que ..
1-im examinar; pois mesma Irm.nda-
que'nwm respoosaDilid.de nenhuma, con-
de nrXdos, que n.dt Ihe diz r..pe.lo,
,ClrS. ooc.ode di.er-.e emlal p.rle,
,m?ierrado um prvulo, Olho deomir-
< ma.s ua'-atacumhas, o que se faz aci-
"Tiaratirar d.ivid.s.eo.Uperfiuo demen-
"n o nomo da im.nd.de.
cl0nTreci- ue """cil"ir2- T Uma
;; de negocio, na provine d.s Alago.s :
emsequi'''^'r*dirija-Se
.ra d.
,W,AIM.- eunuam. torra, ou captiva,
."..ni.reco, para servir, uma pessoa:
ZZ *ffi-', *TD*de um sobr,do
'"'C'.tp-lt.visa.spessoas.que
- Launaiw r DOder, par. que no
Um Pt".Tdi.s o,vonbP5o tirar.do contra-
Prs:rtve&s8p.r.Pg.montodoprio-
d'prldn-i. de um. .m. de te: u. pra-
d. Indepondenci. n. 22.
1 Roga-sc ao Sr. Bernardo Jo-
dade haja de declarar se a tvpo-
graphia Nacional, comprada com
o producto de uma subscripto, ti-
rada entre o partido liberal desta
provincia, he ropriedade do mes-
mo partido, ou de S. S. na quali-
dade de credor diquclle estabele-
cimento. Espera a resposta
Um conlribuinte-
O b.ixo .asignado Taz sciente a quem
convier, que desde o primeiro de agosto em
di.nle deixou de vender espirito, de pro-
duccSobraailera, em sua venda na ra do
Codornis n. 10, e par. que se no presente
alguma .lvida faz o present; annuncio
i,''1
-Jos Hendet da Silva Guimaries.
' OSrAntoo de Azevedo, ven-
g-C-''ndo-so findado .)gnus prasos dos pe-
nhoreaqueseacham em poder do abaixo
,,signado, e no coovlndo, e nem desejando
priudicar os dono, pela perca a fe estao
Ljciios os mesmos como do Irato.ofac o pre-
sente viso aUm de que s pesso.s intores-
sad.s osvenhSo tir.r no pr.so de oito das,
contados d. d.la desla.
losi A Ivs da Silva Guimarais.
Quem precisar de uma senhora portu-
cuezi, ja de idade, para ama de urna casa
de hornero solteiro, drija-se a roa da Ca-
deiade Santo Antonio n. 18.
Manoel Antonio.da Cunba, declara por
o presente que deixou de vender bebidas
espirituosas de producco brasileir., do
primeiro deste mez em di.nle.
.- Maooel Fernandos d. Cost, declara
por o presente que deivou de vender bebi-
Sas espirituosos de paoduccSo brasileira,
do primeiro deste mez em di.nle : na sua
venia da ru d. Cruz n. 39.
~ Manoel Goncalves de Azevedo deixa de
vender bebidas espirituosas de producto
brasiloira, do primeiro do agosto em diaute:
em su. venda na ra da Cruz rl. 28.
Antonio Jos de Mattos deixou de ven-
der agoardente: na sua taverna na ra do
Codorniz n. 4,dosdoodia 31 dejulbo.
A mesa regedora da irmandade do S.
benedicto no couvento de Santo Antonio,
leudo mudado a sua festa por circumstan-
ciss, por iaao pede ao publico e a ludas as
pcssois que foram carleadas, do disculpa-
rea) i'.-t i falta tao involuntaria. Cerlo de
que no dia 10 do crreme he que pretoude-
mos festejar o gloribso santo, e na tarde do
ursino da expo-lo em a vista dos liis em
solemne procisaao. e portento aviaa aos mo-
radores das ras donde preteudomos p.ss.r
cora, dita, de as prepararen) com decen-
cia. Ao sabir da ra da Cadei. de Santo
Antonio, em seguimeuto a do Recife ; ru
d. Cruz. T.noeiro, Trapicbe, praca do
Curpo Sanio, ru. do Vig.rio, do A mor ni,
da Madre de Dos, em seguimunto p.r. Sau-
lo Antonio, ra do Collegio, do Livramen-
to, ru. Direit., dita das Agoas Verdes, lar-
go do S. Pedro, travessa do tlito, larga do
Carmo, ra das Flores nova, dita do Cabu-
gl, praca, ra das Cruzea, dita do S. Fran-
cisco, a recolber-se.. Adverte-se que n&o
estando as ras com decencia, deixar de
passar dita procissSo, e esperamos que n,1o
uoixarSo baldado o nosso pedido.
A ulmeira 1'erHambucana
Sabio boje o primeiro numero de um pe-
ridico com esse Ululo : quem quizer su-
bir o que elle conten, apreseole-so com 40
rs. na luja de cncaJcrnacao da praca d. In-
dependencia n. 12, ou no paleo do Colle-
gio, livrana do Sr. Dourado, ou na ra do
mesmo nome casa n. 9, do Sr. olivena.
-- Tom.-se roupa da ponte, para fazer-
s, eom'muila promplidao : quem quizer,
annuncio.
-- Precisa-se de oru bom amassador: na
ra Imperial n. 37.
-- JoSo Kennedy aubdito deS. SI. Briran-
nica, retira-ae para Inglaterra.
-- Joaquim de Azevedo Villarouco, vai
provincia du Ce.r a negocio.
John Kennedy, subdito inglez, retira-se
para lora do imperio.
tlauoel Jus de Aguiar.'deixa de vender
ago.rdente de produccSo brasileira, desde o
primeiro de agosto do crrante anno em di-
abla : na sua taberna na ra do Vigario,
n.13.
No pateo de S. Pedro n. 8, precisa-se
de uma ama para sorvico de casa, sam ex-
copcSo de forra ou captiva.
00 0OOOOQOOOOOOO
O ""ii la- Ci u/.r- ii -28. 0
O voJ.B.Casanova. Q
0 Na ausencia do facultativo J. B. Ca-
sanova, o professor homccop.tha O
W Cosset Bimonl continuar com qs O
v trabalhosdo mesmo consultorio, on-
< de poder ser procurado a qualquer
hora. 0
0aon$? o
Hoga-se as pessoas que dovem letras
ou oulras quesquercontas vencidas aos her-
doiros doRnadoSr. Jos Antonio Lourenr;o,
tcnliatn a bondade de os mandar embolsar
no praso de 30 dias, do contrario serSo Tor-
eados a cobrarem pelos meios judiciaei.
I.ui?. Lopes C.stello Br.oco, bacbarel
em lea, advoga o tem banca, na ra Nova
n. 65, primeiro andar, onde pode ser procu-
rado das 8 ho as da manhSa s 5 da tarde;
oque faz publico a aquellos, que do scus
servicos quizerem ulilisar-se.
Jornaes de Portugal pelo vapor.
Leem-se por 3,000,2,000, e 1,000 rs. men-
saes, adiantados; como j soannunciou.
Os que quizerem lr em su.s casas, serlo
satisfoilos.
l\ua da Senzalla Velha n. i4o:
- Oabaixo assignado faz sciente a quem
convier, que desde o primeiro de agoslo em
dianto deixa de vender espiritos de produc-
to brasileira em sua venda na ra do Co-
dorniz n. 12: e para que so nao aprsenle
alguma duvida, faz o presente annuncio.
Narciso Ferrera do Valle.
Guerra eMeir. fazem publico que dei-
xuo de vender agoardenlea de producfSo
brasilea : em sua venda na rna da Cruz
n. 41, desde o primeiro de agosto em di-
ante.
. Quem precisar de um rapaz portuguez
uoidadede20annos, para calxeiro de loja
uc lazendaa, o qual lem pratica, dirija-se
" ru. da Guia n.9.
liniPreciiS*"se da um oaixeiro, que seja di-
r,,,;ee de.Da conducta, e se entender o
mi m r ra,,nr vnt.gem se f.r : no bote-
quim francez da ra Nova.
^ri;0""""89 um '"o na ponto de Ucha
mS ao d0 Sr- Francisco Antonio de
un.. c,om os commodos preciaos para
gr.ndoTs'.ri1'''1'11'*' T'Sl Cm t9m dU"
(j C0NSUI.TOIUO CINTaAD IIOMU'Ol'Illli.O <>
J DE F.HNWBUCN.
(> Derigiaopch Dr. Sabino Olegario l.utl-
a> (11 yero Pinho.
? Roa do Trapiche Novo n. 15. 4
>;i Todos oatiiasuteis se darSo consultas 4
> e remedios de grag aos pobres.desdo *
pela manliS, at as duas horas da tar- 4
de. As correspondencias e imforma- %
r;0es poderilo ser dirigidas verbal- 4
% mente, ou por escripto, devendo o J
tf doeolo indicar primeiro: o nome, a 4
t idade, estado, proflss9o, c constitu- <4
J ciin ; segundo: .8 molestias, que tem '.
Ii, tido, e os remedios tomados; tereci- >
lf.: ro : a poca do apparecimenlo da mo- *
2 lestia aclual, e descnpg3o minuciosa, t)
S dos signaes ou symptoniasquosoffre. >
O .b.ixo assignado faz publico que,
dissolveu a socieJade que linlia comoSr.
JoUoCIau linoDuarte, dcade o da 28 do cor-
rente, na cas. de tamanquoiro, sila na ra
da Madre de Oeos n. 28, licando o mesmo
Sr. Duarle obrigado, tanto ao paasivo como
a activo. Ilecife, 31 de julbo de 18al.
Manoel loaqum Pereira Althayie.
uatle & Attbayde dissolveram a so-
ciedado que tinham da loja de tamancos na
ra da Madre de Daos, desde o dia 29 deju-
lho do correte anno, julgam nada devora
esta praca.
o Sr. tenente Manoel Jos da Silva l.ei-
te, queir. ter a bondade de vir pagar uma
letra vencida desdo 1844 da quanlia de rs.
245,000 rs., pois nOo se pode maia esperar
por tantas promessas, do contrario sera pu-
blicado este annuncio todos os dias, o cons-
ta quoo seuor est para ir destacado para
a illia de Fernando, porlanto bom ser qu"
pague aviles de retirar-so.
-- Na noile de 27 do lindo julho, da
ra da Ponte Velha, at a da Coucoisio no
bairro da Boa-Vista, perdeu-se um lenco
de cambraia de linho, com cercadura de gra-
de com palmas, leudo no centro um aberlo
com as letras iniciaesG. C. A.: quora o
achou e quizer rostitui-lo, no sobrado 11.
33 na ra Ua matriz da Boa-visla, receber
uma gratilicagilo, o se lhelicar muitissimo
obrigado.
No sobrado n. 33 na ra da matriz da
Aluga-se um preto para o ser-
vico de casa, ou de sitio, paga-se
bem : na Solidade, sobrado de-
fronte da igreja.
-Na fu da Agoas Verde, n. 14, lava-se,
e engomma-se tod. qualidade de roupa, por
preco m.is commodo i!o quo em oulra
qualquer parte.
Precisa-so fallar com o Sr. Francisco
Antonio Cavalcanti Cousseirn : na ra do
Vigario n 15, lerciro andar.
Na ra das Cruzea n. 40, venda de Do-
mingo! da Silva Campos, ha superiores bi-
chas do llamhurgo pira vender o lugar,
tanto cm porcSo como a retalho.
Precisa-so lugar um preta com habi-
lidades, para todo oaervico do uma casa de
pouca familia : na ra do Brum n. 28
No dia 4 de agosto s 9 horas da mi-
ohfl"a, o abaizo assignado vender a quem
mais der, um bom .escravo de Angola, por
nome JoSo. moco e sem achaques, perlcn-
centes aos herdeiros do fallecido Kmygdio
Jos Pereira GunrrB. par. liquid.cSode par-
tilhas : na ra da Paz n. 42.
Jos Anonic Alvcs Bollos.
Aluga-seuma casa no Poco da paoella
margem do rio C.pibaribe com terreno, e
quintal murado, o estribara : quem preten-
der dirija-se ra do Crespo ao p do arco
D. 3.
~ I. I.. II. Tabor.la, faz lnmbrar a inultos
dos seus dovedores quo Ihe pediram para
Ihe esperar al so lim deste mcz.que se nflo
esquejo da rna promessa, senao quizerem
que os publiquo por esle jornal, porque o
annunciante he toreado assim praticar por
deveres que tem cumprir.
Bernardino Jos da Silva declara pelo
presente, quo desta data om diante deixa de
vender bebidas espirituosas do produccHo
brasileira: na sua taberna da ra da Aurora
n.48.
-- Aluga-se um |grande sobrado na fre-
guezia da Boa-Vista coai commodose de-
concia para uma numerosa familia: a tra-
tar com Francisco Gomes do Carvalho, na
ra das Cruzos, ou na mesiua casa, na ra
dos Coelhos das G at as 8 horas da uianhSa.
Itoga-so ao Sr. lliesourciro da dcima
quarta lotoria e favor do Iheatro da cidalo
de Nitberoy, o aos Srs. vendedores do bi-
Ihetes, o caulelislas que nao pague, nem
f.cioulro qualquer negocio com o mcio
buhle da dita lotera, de n. 2628 caso saia
prumlado, pois que foi perdido ou loriado,
e seus proprios dimos sflo, Jos Simplicio
do S Estevea, e Bernardo Correia de Mello,
cujos noini's se acliam estampados no verso
do mesmo bilhete.
Paulo' GaignoiHCi lcntisia *
ti rriuircz, olTereee en prest*
mono publico pura todosoa
inlsteres rtc sua proflssfto :
podeser proenrado a qpn'-
qner hora em sua casa, na
9 111a lar,tal llo/.aiio, 11 :(>,
segundo andar.
Na loja de funileiro n. 38, da ra Nova,
precisa-se do ollciaes de latoeiro.
O curador da heranca do Mero/., nova-
mente
M
avisa a quem liver em poder do mea-
Boa-Visla, procisa-se de um homcm para mo Mero/, algum objecto, haja de o liiara-
tratar de um quintal, o qual he na inesma t o dia 10 de agosto prximo, do contrario
casa. iir5o a praca infallivelmento.
-- Boga-so aos senliores quo lem penho-j I'recisa-sealugar um rcolequc ou um
resom podar dos ho'rdeiros do nado Sr.'preto: na leuda doculileiro ao pe do quar-
JosAnlonio l.ourcnr;o, abaixo assignados,'telda polica.
tenham a bondade de manda-Ios tirar at o -- D-sc socic.lado cm urna venda bom
ultimo do correnle mez, pois osquo noo sortila, a quem entrar com mais ou menos
fizerem dentro do referido praso, scr-lhe-1 fundos, com tanto que saiba bem dirigir o
blO vendidos os penhoros para pagamento negocio do balcao : na ra doArago n. 8.
do seus dbitos, licando sujeilos ao quo res-] Preciza-se de uma cscrava para servir
tarem,Joio de Olivara Guimardci, puore de ama a urna s pessoa, saliendo cosinhar.
HaphactAntonio Coelho. lavar, o engommar : na rui cstreita do llo-
l'recisa-se do urna ama de loite, que o.sario n. 17 1. an lar.
tenhabom, forra, ou oscrava : na ra do Manoel Jos doliveira dcixa de ven-
Amorim n. 25. idor bebidas espirituosas do producc.au bra-
- Na ra da Madro de Dos n. 36. pri- sileira do primuro de agoslo cm diante:
meiro andar, precisa-se de alguns ollciaes em sua venda na ra do rfjcanlamenlo
doalfaiale. !n. 10.
- OITereco-se um sacerdote, para ser ca- Precisa-so alugar um. ^ma que Icnha
pelillo de algum. capellana fura da pr.ca : nons costuraos para casa pouca familia .
quem do seu preslimo so quizar utilisar, di- no pateo do hospital do wraizo n 18,pn-
nia-se acidado doOliilda, ra do Carino, meiroanlar. /
casa terrea, qu fax esquina com obceco --Os abaixo assignai.os querendo vender
quo vai para o convento de S. Francisco. o sillo, o casa do Montciro com frente para
- No da 9 do correnle mez, pela 1 hora o oitflo pelo lado do sul da igreja de S. Pan-
da tarde, na audiencia do Sr. juiz dal.'va- lalo3o, declaran) quo esla casa se acba li-
ra do civel, vam a praca as azondas da loja vro e desembarazada, porem se poi ventura
de Joaquim de Olveira Maia Jnior, por appareccr alguem com algum dircito ao
cxccucSoque Iho move I). Francisca Tho- mesmo sitio c casa, queiradoclarar por es a
m.zia da Conceico Cunha, ho a ultima Tulla por estes oilo das, a qualidado do
jara embargo. Mioma Ilonnda /'. de Mello,
-' abaixo assignado faz sconlc as re- Vf/" do llego Borros Franciico Uvicr Cu-
parlcoes publicas quo cobram os importes vulcanli Lili, Mexandnno Luciano de!'
e consumos do tabernas, quo no dia 27 de -- A mesa reidora da irmandade do sr.
julho correnle desmanchou o que tinha na Ilom Jess das Dores na igreja de b. t.onrja-
travessa do Dique o. 24. lo, convida a lodos os irmflos para o da >o-
Jos Gomes Perreira da Silva. mingo 3 do agosto pelas 9 horas do da, alnn
- Uma senhora que bem sabo cosinhar, deque reunidos em mesa geral 110 respec-
propOe-se a ensinar mulequese negras, sem tvo consistorio, so proceda a ciciyio ua
quo por isso perceba cousa alguma : quem nova mesa regedora.
de seu prestimo se quizer utilisar, diriji-se -- Custodio Alves lioIrigues da Costa, de-
ra da Cruz n. 15, sogundo andar. clara pelo presento, que tiesta data em rJian-
Arrenda-se, ouvende-se uma casa de to dcixa de vonder bebidas espiniuoas ue
podra o cal, sita no Montoiro, com terreno prodcelo brasileira : na sna venda na ra
para plantar o com arvorodos de frnclo, por da Aurora n. 21.
prego commodo : tr.t.-so na ra das Trin- Alugam-SC AS SCgUlntCS Casas
cheirssn.48, primeiro andar. Uma grande casa na estrada da poni do
-Precisa-se de um nortoguez que seja peri- .c|l0a muitos commodos para gran le
umt ^^V~ti:%.% familia, o ncameulo ciada, tod. piulada o
droum.unol.., dlrija-se a alfandega de.ui el- errada de papel, com coinmodo rura pa a
dade a seu porteiro. escravos, estribara para cavallo.-, cocnei-
--Os Srs. Custodio Alves da Cunha, e Jo- rapara um grande carro, quintal murado
s Alves de Souza, aquella quo morou na ra com poitao para o rio, e 20 pos do larangci-
dos Guararapes, e esle na ra do Pilar, ras e mais plantas. Um sobradinho de um
queiram dlrigir-sea livraria n. 6e8da pra- andar junto a mesma casa, muito Ircsco,
ca da Independencia. margem do rio. Um grande sitio com mui-
Hog.-soaolllm.Sr. M.noel M.rquosd. to boa casa para grande familia, bastantes
Costa Soares, o favor de mandar ver o seu arvoredos do fructa, baixa para capim com
realejo, que mandou concertar em dezom- mur o porlo na estrada dos lllictos, de-
bro de 49 na ra das Flores n. 19 ; pois o fronte igreja 1 a tratar na ra da Aurora,
cupim tem dado no dito instrumento, 00 sobrado n. 26.
annuncianlo nflo se responsabilisa pelo seu i Nova tinturara,
mo estado.
Aluga-se um sobrado 1
ruasseguintes : ra Dii
Compra-se um. clarinete, em bom cs-
_ : na ra do Queirnado 11. 16.
^ Compran!-o e vendam-ao osera- i
% vos e recebem-se de oosamiesBo t
} Unto para dentro, como para fura da 4.
4 provincia, e aeadianla dinheiro so- fe
i hreosdecommiasaoauai lovar-se ju- fg
4 ro, e os que foio 11 comprados nesta fe
4 casa, os donos desgostan lo o enlre- J2
i gando os escravos da mesma forma v
4 que os compraran-., nceberflo o seu $
4 importe, fazendo um o ionio des- fr
;4 cont: na ra das l.rangeiras n. 14, >
t) sogiiiido andar. T
-- Conipr.-se uma esciava do bonita ligu-
ra e'quc. si ja boa cozinheira ccngomadeia,
o que enlonda de costuras, para lora da pro-
vincia na ru do Passoio loja n. 21.
Vendas.
- Vcnde-so superior resina do batata: na
ra da Cruz do Ilecife n. 64.
No ra Nova n. 6, loj de luaia
Hamos e Companliia, acabam de
clicgar de Lisboa pcl) ullimo
navio, 33 seguintes obras de au-
tores mui conhecidos,as quaes se
venderao muito em COta a di-
nbeiro a vista, pura se liquidar.
Revoluc.30 franceza de 18 por Lamartine,
4 volumcs ; historia das inquisicOes 2 volu-
mes, a vlrgeni da poloni.i nova edicf So pelo
conselheiro BbsIos, 1 volumo; porlugal p-
toresco com estampas do todos os res do
Portugal e das melhores vistas daquelle rei-
no, por Fornandes lliniz, 4 volumcs; Dos
0 quer pelo visconde do Arlomcurt, 1 volu-
me, fbulas de l.afontainc 1 volume, o sop-
lico 1 volumo, o menino perdido 1 vojume,
a roda da fortuna 1 volume, apborismos c
pensamenlos moracs, religiosos, polticos
1 volme, liapliacl paginas do segundo au-
no 2 volumes, o cavalheiro da casa verme-
Iha por A. Humas, cavalleiro d'llarmcntal
dito 4 volumes, beat'is OU O aveutureiro %
volumcs, o bom menino por Cesar de Cao-
tur 1 volume, poesas do A. Ilcrculano I vol.
os tres mosquilciros, 4 volumes,vints annos
depois 6 volumes, o aireiieano cm Londres
1 volme, carias de Olinda a Alzira 1 volu-
me, obras poticas de I). lonor Almcida
Portugal Lo.'ena eAlencaatro, marquaza do
Aloma G volumes, o lavrador perfoilo 1 vo-
lume, outras muitas obras quo estarSo pa-
tentes ao comprador, assim como urna por-
eSo de retratos do valias personagon.de
Porlugal, Franga, e llespanha, e;tampas do
sanios, o linalmenloa colleccSo dos sucecs-
sos do D. Ignez.
Na loja de J. Jo.iquim Moreita 8c
Gompanliia, ra Nova n. 8, cm
frente ra da Gamboa do
Garmo.
Contina-so* vender formidaveiseipar-
tilhos do puro linho para senhora, bem
gnarnccidns do baleas, c muito bem acaba-
dos, no excedendo sou prero de 7,000 rs.
por cada n.n, chicotes colorios para carro
polo baratissimo preco do 3,000, sapa tos di
cordavao um pouco amacailrfs para senhora
a 1,000 rs o par, chapeosinhns de todas as
qualidades para meninos o meninas, penlCS
de tartaruga para coco do ultimo gosto, len-
cinhos aberlosdc rclrozque muito so usam
agora, manteletes o canotiiihos pretos o do
furia cores, quo so venderao mais barato do
que em oulra qualquer parte, capolinhos
ou gibos de fil liranco guarnecidos do
tranca pelo diminuto pi^(o de N,UU0 rs., lu-
yas de ludas as qualidades quer para homem
quer para senhora, ditas de Cataure, o cas-
Lir pira militar, danasco de seda de todas
as cores, assim como um 1 peca verde mofa-
da que se vender por muito menos deseo
valor, chales de seda cores escuras c boni-
tos padres, inclusivo alguns com seu boca-
dinlio de mofo que tamben) se venderao por
menos de seu valor, grvalas de molas, se-
das de lodas as cores pira chapeos, selins,
lafetas, n um bello sortmenl > de perfuma-
ras e calcados, e oulras mullas l'azcndas
quo na mesma loja so vendom por proco
commodo.
Grande .sortimento de cortes-
I de chita com 12 covados.
} Vendc-so cortes de chita, superior
ff. panno, cor lixa, e lindos desenhos
q, om 12 covados a 1,800 e 2,000 rs.
$ cada crte.dilos padrees escuros, cor lV
t lixa 0 com os mesmos covados a 1,000 .5
4; rs., ditos de chita rocha,ecura c azul "4
S> flor amarella com os mesmos covados 4
{> a 15,00, ditos de chita preta de mu- S
m to boa qualidade rom os mesmos co- r
i, vados a 1,140, ditos do chita larga
$) com 11 covados a 2,000: na loja do 4
*, sobrado amarello nos quatro cantos '$
f) da rna do Quoimado n. 29. Q
^J^****i4i'ay*'*'*<*'*-J
Cabos de linho, a 28,000 rs.
Na ra da Cruz 110 Ilecife, annazcm n. t:l,
vendem-se cabos de linho de todas as gros-
suras, a 28,000 rs., o quinta!, emporcos a
ventado dos compradores.
llap l'aulo Gor leiro.
Vende-so rap Paulo Cordeiro 1 111 ra do
Queirnado n. 16, loja do miudezas.
Vcndein-se os seguir-tes ohjeclos j
usados, 1 or preco commodo, 6 vaos do ca-
xilhos para alcova. ou janellas devaranda,
6 portas de amarello c I cartera de uma s
face : na ra do Crespo, loja da,esquina quo
vira para a Cadeia.
Vende-se um preto, de idade
de 4" annos, cozinheiro c compra-
dor : na ru do Vigario n. 19, se-
gundo andar. Na mesma casa com-
E MAIS OFHGINA5
NA
ma Imperial n. 118 e 18o, e deposito no iua Nova 11. 88.
Itespeitosamenteavisam ao publico, e particularmente aos Srs. de engenhos o des-
tiladores, etc., que, esto estabelecimenlo so acha completamente montado, comaspro-
porcOes 11 cessarias, para dosempenhar qualquer machina, ou obra conceiuente ao mes-
mo. O mesmos chamara a attencBo para as seguintes obras, as quaes coustruidas em su.
fabrica competer com as fabricadas na Europa, na qualidade e mao de obra, e por me-
nos preco, a saber :
MACHINAS continuas de destilar, pelo methodo do autor francez Derosne, as me-
lhores machinas, que para esle lim ate boje tem apparecido.
\ 1 \Mr.r.il 1 de cubre do lodas as dimensOos.
TODOS OS COlillES necossarios para o fabrico do assucar.
TAIXOS DE 1.(il'.lil-: para roliuacSo.
TAIXAS DITO para engenho.
DITAS DITO movis para dito.
BOMBAS l)F. COIIIIF. de picle, do repudio, de roda o do pndulas.
F.Si.HN AMMIAS de lalSo dos melhores modellos.
DITAS DITO galvanisadas.
SINOS de todos os tamanhos.
OS APBECIAVLTS fogoes de ferro econmicos.
BllltllAS do ferro as mais bem construidas.
CAIlItnsdito de mSo.
IMIKTIlLS de forro.
VARANDAS dito.
CUAIHAME.NTOS dito.
TAIXAS dito.
CALDF.IRA.S dito.
BAMIEIROS de zinco e do folha, para banho de choque._________________^__
Aos O.OOO.^OOO de ris.
Lotera do. Mo de Janeiro.
>a praca da Independencia n.
t3 e iS, loja de calcado do Aran-
tes, c na ra da Cadeia do l\ecif>:
n. '|G, loja de miudezas, vendem-
se bilhetcs, meios c cautelas da de-
cima quarta lotera do tlicalro de
Nicllicrov, e pelo vapor da com-
panlii' brasileira, que deVe aqu
clicgar no dia So do correnle mez,
espera se a libia da inesma !oteiia,
e igualmente eslain c\poslosa ven-
ida os mui afortnalos bilhetej da'
dcima sexta lotera do thealro de
S. Pedro de Alcntara, e sao pa-
yos quaesqoer premios que nelesj
sabircm, sem ganancia alguma.
Bilhetes 32,000
31eios 11,000
(juarios 5,5oo
Uilavos 2,800
Vigsimos i,3oo
r Na lojn pernimbucana, ra O
Q
do Crespn.
11.
0
\' Veude-sc ptimo merino preto J
9 lussiuio, proprio para calcas, jaque- '"'
O las, palitos, vestidos, saas, times, v
Q etc.. p"lo baratissimn proco do 400 o O
O 500 rs., o covado. O
00 *>ooooooooo 00900
Aos >:00O#00O de rs.
Lotera de \. S. do Livramento.
ti 1 luteliata Salustano de Aquino Perrei-
ra, faz sciente ao rcspeilavcl publico, que
as-rolas da mesma lotera, andan) iulilli-
vel no dia 30 io agosto vindouro, e as suai
mui afoilunadas cnidas cslSo ezpostaa a
venda, na pracj da i idepen lencia n. loja
de miudezaa ; na ra da Cadeia do itccile
n. 46, loja de miudezas; no aterro da Boa
Vista n. 58, loja de calcado, e na ra Diroila
11 \l'i, loja de ourives.
Premios correspon len-
tes a surto de 3:00j<
Procos das cautelas.
Cuartos 8,600
jAJuintos -2,100
iDecimos 1,100
Vigsimos 600
1:130,000
20.000
460,000
'J3O.000
ado do 2 andares na. Nl rua "f^"' P^iS; 74' tinge"s" d l'U,l Mt-M uma preta moca e boa cozi-
auo uo anuaresnas ts cores,lira-so nodoas, e prepara-sc casacas i"# "> 1
ireila, ru. do Livra-,qua tenham algumas nodoasou defeito. I nheira.
menlo,|pateo do mesmo, rua do Quoimado, 1 .. No patco d. Ribeira, loja do sobrado _
rua do Crespo : quem livere quizer alugar|u. ,5, 0ngommase e lava-se toda a quali- Cortes de brins de listras, para cal-
dirija-sc a la da I'raia 11. 55.
iiiiinci Firmo Xavier, Dr. U
K em medicina, fixou sua residencia, na M
rl rua Nova, casa u 67, primeiro andar, p
f$ eahi podo ser procurado paraoexer-
:ji cicio de sua Prolissflo, a qualquer ho
'$ ra do da, ou da noute.
Iwiiimnr ttnawwB
0 Sr. Joaquim Ignacio elemento de
Almoda Sarinho, queira vr ou mandar pa-
gar na rua Nova n. 35 o restante da conta
qnc licou incumbido de pagar por seu ma-
no, quando daqu sahio para o sul em 1849.
Alluga-se o primeiro andar do sobrado
da rua nova n. 69 quem quiser alluga-lo di-
rija-se ao buhar francez quo achara com
quem tractar. '
Na rua de Agoas-Veriles, Sobrado de
um andar o. 14, dto-se bolo, de vendagem,
pagando-.e qu.tro vintn, por c.da p.taca:
lambem se recebe qualqer encommenda, e
se armilo bandejas de muito gosto, |e de to-
do o proco.
.se.,qu.rioS,cnzinh.e,p.So. ,. ^ tenent\e Jo^Bemar-
cim? 1" como aatribari., um. grande c.-ldino de VasconceUos queira diri-
>3^a(ai^S'^^ rua Nova n. 35, a negocio
1 sobrado, terceiroandar, [que Ihe diz respeito
dado de roupa, por preco mais commodo
do quo em oulra qualquer parte.
O Sr. Francisco Antonio da Silva, da
sas, a i,44o, 1,5oo e 1,800 rs.
Vemlem-so cortes do brim do listras do
cores, a 1,110 ra.) ditos de brim amarello, a
rua do Itangel, queira mand.r pagar a as- -0'r3 .'d((os brancos do puro linho, pro-
signatura deste Diario, o em quanto i)3o o Drjopar4'militares, a 1.1
fizer ver o seu nome publicado em letra p
redonda.
~ Precisa-se alugar o primeiro, ou se-
gundo andar de uma osa, cuja sal. princi-
pal seja esp.cosa, devendo ser a sua locali-
dade no b.irro de S. Antonio, o as ras do
Collegio, Crespo, Cadeia ou S. Francisco :
quem o ti ver para alugar, annuncie por esta
inliin para se tratar do ajaste.
I'recisa-se de um bom feitor, para um
engenho perlo desta prarja quem esliver
nestas circunstancias, dinj.-.e a rua larga
do Rozario, loja n. 35^__________________
Compras.
LADO -

C'omprao-se os ns. 5 c 6 la po-
ca Lltterarla, Jornal rpic se publi-
ca na luiiU : quem Itvev annun-
cie. r
Compram-se eacravoa com olncioa ue
ferreiro, carpnleiro e pedrero, assim como
molecotes o molecaa de 14 a 20 annoa e n>o-
cambas com habilidades : na rua do Colle-
gio n. 35, primeiro andar.
aV^
800 rs.; esguides do
aigoiiiio com 10 l|2 varas, a 2,500 rs., a po-
ca ; chales de lila do bonitos padres, pro-
prios para andar em casa, a 3,200 o 3,600 rs.:
na rua do Crespo, loja da esquina que vira
para a Cadeia.
Novo sortimento de cobertores, a
800 e x,a8o rs.
Na rua do Crespo, loja da esquina que vi-
ra para a Cadeia vendem-so cobertores
brancos de algodSo, com barras, de cores e
muito grandes, a 1,280 rs.; dilos escuros de
tpalo, para escravos, a 800 rs.; gangas de
quadrinhos, para roupa de escravos, a 120
rs o covado o outras muitas fazendas, por
preco commodo.
Pechincha Econmica.
He chegado ultimamento um novo sorti-
mento de brins pardos, de linho, escuros o
ciaros pello barato preco de 1600 ra- o nor-
te ; ditos de linho e algodSo padroes mo-
dernos e de bom gosto a 1280 rs o corte : na
rua do crespo n. 14 loja de Jos Francisco
Das.
Lotera do Hio de Janeiro.
aos 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, loja 11. I, que
volta para a rua do Quoimado c Crespo, ven-
dom-s os muito afortunados bilhetes ,
moos, quartos, oitavos c vigsimos dado-
cima sexta lotera do thealro do S. Pedro de
Alcntara ; na mesma loja so mostram as
listas das lu.'iias corridas.
~ Vende-se urna escrava, de iiaco Cacan-
ge, do idado 40 annoa, boa quitandoira, co-
zinha, engoninn liso, lava do sahilo o tem
boa conducta, vende-.a por precis3o : no a-
lorro da iloa Vista, sobrado n. 20, sogundo
andar.
Vcndo-se um escravo, moco, sem vi-
cio o nriiii achaques, proprio para o servico
decampo, ao comprador s; dir o motivo
da venda : na rua do Collegio n. 16, tercei-
ro indar.
Vendem-so 8 boii mansos, para carro,
ou crnica ; 3 carros forrados ; aviamcnlos
do fazer familia, son lo prensa gran lo de si-
cupira, no silio Cavalleiro : a tratar ua rua
do Collegio n. 16, terceiro andar.
Vende-se rciroz prelo de superior qua-
lidade, por preco commodo : na rua do A-
pollon. 18.
-- Vcnde-ic uma escrava, do nacSo Be*
bollo, moca, bonita figura, cozioha bem, la-
va o engomma soffrivel-aente, propri. para
lodo sorvico : irala-so cm ron de Portas,
rua do Pilar n. 145.
-- Vemlnm-se 3 rebollos grandes pro-
prios para ferreiro, o uma gamella grande,
para banho, ludo por preco, que ha de fa-
zcr admirar ao comprador, avistado bara-
to : a tratar na rua do Rrum n. 28 II, aruia-
zem do Antonio Martins Carvalho.
Vende-se um prelo da Costa, bonita fi-
gura, sudio, proprio para galibar na rua, ou
M'i'vifn do cumpo : no botuquim da rua No-
va se dir quem vendo.
Vende-so um molequo creoulo, de 10
annos, vindo do Aracaty, proprio para qual-
quer ollicio : na rua larga do Roztrio, lo-
ja n. 35. *
A 4)000 rs.
Vendem-so chapos do Chile, pequeiinse
muito linos, por 4,000 rs., cada um: na rua
do Crespo n. 23.
Fabrica de licores, da rua Direi-
ta n. 17.
Vendem-se es liritos da melhor qualida-
de, como aeja : reino, genebra, aniz, li-
cores finos, espirito de vinho, superior a-
go.rdonto de cana, ludo por proco mais
commodo possivcl.
Bilhetes do /(io de Janeiro.
Aos 2o.ooo,ooo de rs.
Na loja do miudezas da praca da Indepen-
dencia n. 1, vendem-so bilhetes inteiros,
meios, quarlos, oitavos e vigsimos da d-
cima sista loteria a beuelicio do Iheatro di
S. Pedro de Alcntara, quo corre no di. 26
de julho, e lanibom se vende um resto do
bilhcles i uto. ir os do Iheatro da Nictheroj:
na inesma lojs recebi-se bilhttes premiados
da loteria de.N. S. do Livramento, em troc
dos que tem l venia.
O/i la '. allencio ao barato.
Na rua do llrum n. 28 D, armazem de An-
tonio Martina Carvalho vcnde-so cal do
Lisboa, da mais nova que ha 110 mereado, o
por menos do que em qualquer parle.
5 Na loia pernambucana, rua J
M j / -
do Crespo n.n. pj
jji VenJem-sj ricos encerados, de bo- ;.
, nitas estampas, com 8 palmos de lar- t j
m B"ra. m
Vonde-se uma botica homeopalhica,
rom 46 vidros grandes, de diversos glbu-
los, com o repertorio teraputico e manual
do materia medica, por C. II. Jahr, em 4 vo-
lumes, e urna liroxura conselhos de um me-
dico homcopalna : na rua da Senzalla Ve-
lha n. 38.
No aterro da Uoa Vista, loja
n. 18.
Vendem-se casinotas mescladas, ptima
para palitos, pelo baratissimo proco de 610
rs., o covado, o ainda restan) alguns cortos
do casimira, a 3.000 rs., cada um.
-- Vende-se azeile do carrapato, a 1,500
rs.,a canada; dito do coco, a 2,880 rs., a
dila, e um relogio patento suisso, boa qua-
lidade: no armazem 11. 4, do caes do Ramos.
Fazcndamoderna.
Na loja da I. L. R. Taborda, na rua du
Crespo 11. 10, vendem-so vestidos prateados,
pelo diminuto preco de 4,000 rs.
Cousa aqu nunca vista.
As bois* ginjas, e serejas de Portugal em
conserva do .igoardento ; estilo 15o perfe-
tas, como ap.nhadaa da arvore: vendem-
se na rua dos Quarteis n. 20, junto a pada-
riadoSr. .Mano'l Antonio de Jess.
Vendo-so uma vacca de leite, calgu-
masovelhas paridas : a tratar na rua da So-
iedai'e, sitio do Sr. Ilcrculano.
Vendem-se couros para co-
bertas de carros, os melbores
<|ue tem vindo ao mercado : em
casa de G. lienworthy & Compa-
nliia, na rua da Cruz n. a.
Pelo mdico preco de 13,000 rs., ven-
dem-so alguns tomos do repertorio da le-
gislacSo porlugueza, da segunda cdicclo.
organisado pelo jurisconsulto Manoel Fer-
n.iiidi s Thomaz : na rua do Crespo, livraria
ile Antonio liumingues Ferrara.
Vendem-se selins inglezes e-
lasticos c ditos com borranbas.- em
casa de G. Kenwofthy & Compa-
nlia, na uta daCrui n. 1.
Vende-so sera do carnauba, penas de
cma u ljalo de limpar metaes, por preco
commodo : na rua da Cruz u. 33, armazem
de S Araujo.
Vendem-se ricos apparelbos
de metal para cha : em casa de
G. Renwortby & Companhia, na
rua da Cruz n. 1.
Vendem-so saccas com quatro quartas.
do superior fariuha, por preco commodo: na
rua Direila, venda n. 72.
Vende-se superior panno de
algodao, para saceos : cm casa de
G. K.e,)\vorthy & Companhia, na
rua da Cruz n. 2.
Vende-se um casal do escravos, casa-
dos, muito robustos e sadios, proprios para
todo servido o principalmente para algum
silio, por j serom do dado, aoscravas.be
fazer louc de barro, le lia e lijlo, lava, co-
zuiha, faz algumas qualidades de doce e
parteja, o escravo trabalha de enzada : na
rua do Quoimado n. 14, se dir quem venda.
,,v............v 'O
a> >a loja pernambucana, rua J|
l> do Crespn. 11.
6> Vendem-so superiores cabert.sde
casimira carmezim bordadas de
e.i-uim.i tdiuicttuj -----7 .^
prelo, para piannos, masas de maio ^
, dosai.'ede'jantar.
OMMMMO
-Vende-so uma escrava do gento de An-
gola, da idade de 30 anoos, bonita bgura,
,-ozinba o diario de uma casa eengomma:
ua rua do Vigario n. 14, segundo andar.
Vendem-se relogios de ouro,
Je sahonete, patente inglez, e di-
tos para senhora : em casa de G.
Renwortby Se Companhia, na rua
da Cruz n. a.
I


Moni e barato.
Vendem-se carteirinrias rom agulbas Iran-
cezas, proprias para toda a qualidade de
costura, 300 rs. ; ditas om raniuhaa f-
/i'iida mullo superior, a 300 rs. ; lindas de
peso, muito finas, a 60 rs., a miada : ditas
em carreteis de 900 jardas, a 60 rs., cada
carretel ; agulbas cantofas, a 160 rs o pa-
pel, con 100 agulbas ; pentes de baleiu, pa-
ra alisar, o mais fiuo que se pode encontrar,
a00e320rs.; agulheiros finos, a200rs.;
lesourinhas inglezaa, o rasis lino que tem
spparecido e de varios tamanhos, a 100, 600
e 800 rs. : Da ra do Queimado, luja de miii-
deVas junto a de cera n. 33.
Novo Hortltneiito loja da iiia do Crespo n. G.
Cortes de cassa cinta fraceza, do cOres fi-
las, por 2,000, 2,400 e 2,800 rs. ; ditos de
camnalas de salpicos, a 3,600 rs. ; corles
de chita de bom gosto, a 1,920 rs., com 12
covados ,-cassasdequadros para babados,
com 8 t|2, a 2,100 rs., a pe?a ; alparka de
cordSo muito fina, a 800 rs., o covado, (
multas outras fazendas por barato preco.
Bombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e io,
fundicao de ierro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambao de sicupira e bracos
de ferro : na I'undicao da ra do
Brum ns. 6, 8 e io.
Vendem-se amarros de ferro : na rus
da Senzalla nova n. 42.
Tecido de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rus da Cadeia n. 5a,
vendem-se por lacado duas quslidadcs
proprias para saceos de assucar e roupa de
acravos.
lUoiulios de vento
com bombas do repudio para regar borlas
d baixas decapim : vendom-se na u'tdifiio
de Uowman & Me. Calluai, na na do Brum
ns. 6, 8 c 10.
Tai.Xiis para eilgenllO.
Na fuinlieiio de Ierro da rua do Brum,
acaba-so de receber um completo sorlimeu- ,r, c lenhoras, cuino para meninos c inenl-
lo de laixas de 3h8 pHlmos de bucea, as as de escola: na rua doPassco n.5.
quaus aeii.Mii-se a venda por preto com- Cera de carnauba
modo, o com promptidflo embarcam-se, ou 0 mt Jlipcrlor ||a vrn_
carrogara-so em carros sem dospezas ao de-seemporco e amaino:m road*Cadete
do Kecifc loj.i u. 50 de Cunba t Aiuoiim.
Na lojn nc .lose' Joaqnliu Morel-
ia Sl Coniiinnliin, na rua Nova
i. s.
Vendem-se otraislnhss de cambrais, com
suas golinlias, ludo muilo bem bordado, c
do mellior listo | USSirel, pelo lia ni I i i." i ni o
preco de 2,000 rs., tmente, ca la urna.
Vcllns de -Iciuina.
Vcndcin-ae estel vcllis da iiiellioi qualidade
possivel a iGv rs. cada caixiuha de 125 lihras,
lrata-sc com \. C. de Areu, na la da Cadeia
do itecife ii. 4l.
Pola--a la Rsala.
Vende-se potesss da liussin, recenlamen-
te chegada, a de muito superior qualidade ,
na rua do Trapiche n. 17.
casa se acha igual sortimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
mncOes servidas: todas estas fazendavne l>
itnm-se em portflo e a retalho : tambem se
concerta qualquer chapeo do sol, tanto de
basteas de ferro como de balis, assim como
umbelas de igrejaa: ludo por preco com-
modo. Na masnia casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitoresde engenho, por serem
os mais fortes que se podem fabricar.
Panno lino de todas a*iua-
lidades.
Na rua do Crespo, loja da esquina, que |
volta para a Cadeia, veodem-so panno Uno
preto, a 3,000, 3,500, 4,000, 4,500 e 5,000
rs.; dito azul, a 3,000, 4,000 rs., e muito su-
perior, a 5,000 rs.; dito verde, a 2,800 rs.;
dito muito claro, a 4,000 rs. ; dito cor de
rap, a 3,000 e 3,500 rs.; corles de casimi-
ra pela, a 5,000, 6,000 e 8,000 rs.; ditos de
cor, a 6,400 rs., e outras fazondas o mais
barato possivel..
Novapcrliincha.
Corles de casia chita, a 2,000 rs.; Jilos de chi-
ta inteiros com iicovados, a 1,600, 1,800e
2,000 rs.
Na loja da esquina da rua do Crospo, que
volta para a Cadeia, vendem-se cortes de
cassas chita, a 2,000 rs.; ditos de chita, a
1,600. 1,800 c 2,000 rs. ; ditos de cambraia
branca com listras de cores, a 3,000 rs.; di-
tos de salpico, a 3,000 rs.; corles do coleto
de fustflo do ultimo gosto, a 1,1.0.1 rs e ou-
tras muitas fazoudas por preto commoJo.
Ven Jem-se as seguintes se-
mentes:
de aljos, ditas de dilas inglezas, ditas de r-
banos euca liadas, ditas brancas, dilas de ce-
bolas de Setubal, ditas de alfacc allaiinia,
ditas repolhudas, ditas de cove trinchada, di-
tas de senoura auiarcllas, ditas de chicoria, di-
tas de eoentro de loeeira, ditas de salsa, ditas
de tomates grandes, ditas de rcpolho, ditas de
esplnalre, ditas de pipiuella, ditas de aipo,
l'cijiio, carrapato de tres finalidades, ervilhas
tortas c direitas, labauetcs encarnados e blan-
cos : na rua da Cruz n. 46, delimite do lo.
Cosme, ha inesina cusa vcndcin-sc queijos In-
gleses inulto frescacs.
Deposito de cal e potaisa.
No armacin da rua da Cadeia do Pecife n.
12, ha muito superior cal de Lisboa cui pedra;
assim como poiassa chegada ltimamente a
preco inuilo rasoavcis.
Chapeos uY sol.
Vendem-se capeos de sol de panno com as-
teas de balate pelo preco de l#i)20 rs., ditos de
junco a 1/280. Na mesina casa icui um sorli-
incnto dos inesuios objeclos, tanto para lio-
&
4
comprador.
AGENCIA
da fundicao Low-.Moor.
IIL'A DA SENZAIXA NOVA N. 12.
Neste eslabeleeimcnlo conti-
na a baver um completo sorti-
mento de moendas o tneius moen-
das para engenho, machinas de
vapor, c tahas de ferro balido e
coado, tie todos os lamanhos, pa-
ra dito.
'ni ca.a de .1. Kellev Coni-
panlii, na ruada Cruz 11. 53, icha-ge a ven-
da o cxcellento e superior vi 11 lio lie Utt-
cclttix, cm birris de 5.", be muito recom-
incudavel as casas cslran(:eiras, como cx-
ecllenli! vinlio para pasto.
ff AAff f WVV VVVVVVWV
** Arados americanos. "*
Vendem-se arados americanos ver-
-"
;v dadeiros, chegados dos Estados-
5 Unidos : na rua do Tiapiche n. 8. AA4UMAAAAA AA*.^
Vende-so superior cognac veihn em
barris de 12 a 21 caadas : na rua da Cruz
n. 55, casa de J. hellcr & Companbia
Vendc-se gesso em barricas, viudo no
ultimo navio ebegado de Franca, tendo ca-
da barrica 20 arrobas pouco mais ou me-
nos : na rua da Cruz n. 55, casa de i. Kel-
Jer > t^ompanhia.
-0* DO B09

para curar da pblTSICa cm todos OS Seos
dilTerentes graos ou tnolivada por consli-
pa(0es, tosse, nsthma, pleuriz, escaos de
sangue, drde costase peilos palpitacio
nocorai;ao, coqueluche, lironcliites ilr
de garganta c todas as molestias dos or-
gSos pulmonares.
De lodas as molestias que por beranca (i-
camaocorpo humano, nenhuma lia que
mais dcslruitiva tenba sido, ou qu tenha
zombado dos csfnrcos dos homens mais
eminentes em medicina do que aquella
que be geralnieule conhecida por moles-
tia no bule. Em varias pocas do so-
culo passailo, tend-se ofTerccido ao publi-
co dilTerenlos remedios com atteslados das.
extraordinaiias curas quo elle tom leito ; 1
porm i| na-.i que em todos os casos a ilusSo
leni sido apenas passageira e o doente
torna a recaliir em peor estado do que se
acbava anlcsdt: applicar o lemedio lo re-
comnienduilo oulro tanto nfio acontece
com osle extraordinario
Xarope de bosque.
Novaos & Companbia, os nicos agentes
nesla cidade provincia, e noin.ados pelos
Snrs. II. C. Yates Cnnipanbia agentes
geraes no Itio-Je-Jnneiro mudaram o dc-
posilo desto xarope para a botica do Sur.
Jos MariaC. llamos, na rua dos Quarleis,
11. 12, junio ao quailcl de polica, onde
* senipi aeluro o nico, e vcidadviro, a
.">,.i00rs. agrrala, ea 3,000 rs. meias gar-
rafas.
Vende-se
Arroz de casca,
Farello novo,
Cha preto,
Chumbo de municao,
Cimento,
vende-se tudo por precos commndos : no
armazein de J. J. Tasso Jnior, na rua do
A1110/1 ni n. 35.
m^ Chapeos de sol.
3^ Kua do l'asseio, n 5.
Nesla fabrica ha presentemente um rico
sortimento doales objeclos de todas as c
res e qualidades, lano de soda como de
Algfodaopnru saceo
Vende-se muito I10111 algodo pora f
5; sccos de assucar, por prefo coi:. 11,0- (p
do : em casa de llorelo Itoyle, na
A rua da Cadeia n. 37. v,
ly-U'-r 1 !: *^:*- -T ? J |
Vendem-se relogios de 011-
roeprata, patente inglez: na rua
da Scnzallu Nova 11. !\i.
Uoenda snpcrlore*.
Na fundido de C. Starr ; Companbia,
om S.-Amaro, acliam-sc a venda moendas
do canna, lodas de ferro, de um modelo e
construc?8o muito superior
Arados de ferro.
Na fundico da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados i!e ferro de diversos mo-
delos.
ntigo- deposito de ca
virgem.
Na rua do Trapiche, 11. 17, ha
muito superior cal nova cm pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
na barca Ligeira,
Deposito da fabrica de Todos o
santos na allia.
Vende-se, em rasa dc.N. O. Bieber&C. ,
na rua da Cruz n. 4, algodlo transado da-
quella rabrica, muilo prupno para saceos de
assucar c roupa de cscra.os, por precucom-
mojo.
Cal de Lisboa'
Vende-se a u.elbor cal de l.iboa muito
nuva, chegada lia poneos dias na larca Li-
geira, e por preco muito em conta : na rua
do Vigario armazein n. 7.
da, de quatro agoas; grande scnzall
ebeira, estribara, baixa de capim qt
tenia 3 a 4 cavallna, grande cacinib.
honiba e tanque coberto para banho bas-
tantes arvoredos de fructo: na rua da Con-
cordia,primeiro sobrado novo de um andar.
f f Vf Vf IWf
Deposito de lecidos da labn- ^
ca de Todos os Santos,
na Bahia. J
Vende-se em casa de Domingos Al- d
^- ves atheus, na rua da Cruz do lie- 4
> cifen. 53, primeiro andar, algodo * transado daquella fabrica, muilo pro- *
':/* prio para saceos e roupa de escra-
?[ vos, assim como lio proprio para re-
^ des de pescar e pavios para vellas, <;
(. por prego muito commoJo. -d
ii*A4 %AAAAA MM9
Casa de commiss3o de escravus.
Yendem-se eteravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincii como para fra della, para
o que se offerece muitas garantas
a scus donos : na rua da Cadeia do
llecifen. 51, primeiro andar.
Cera ile cnriitiubn.
No .11 mii/em de Domingos Rodrigues de
Aodrsdoe Companbia, na rua dosTanoei-
ros n. 5, vende-so superior cera de carnau-
ba, ltimamente viudas do Aracaly, em
porcilo o a retalho, por menos preto que
em outra qualquer parle, assim como sola e
couros miudos.
--No ni;..... da rua da Jloeda 11. 7, con
linua-sc a vender saccas com superior colla
das fabricas do llio Craudc do sul, c opreco
em conta.
Agencia.de hdwin 3Ja\v.
Na rua de Apollo n. armazein de Me. Cal-
nuitit Coinpanhio, acha-sc coustauleuieulc
bons'soilinieulos de uixa de Ierro coado c
balido tanto rasa como fundas, moendas in-
elras lodas de Ierro para animaes, agoa, tic ,
ditas para armar cm madeira de todos os ta-
manhos c inodellos o mais moderno, machina
horisonlal para vapor, com forca de 4 caval-
lus, coucos, passadeiras de ferro cslanhado
para casa de pulgar, por menos preco que 01
de cobre, escovens para navios, ferro ingles
lano em barras como cm arcos follias, c ludo
por barato preco.
(fraude sortimento le fazendas
piratas na rua do Crespo 11 I I
loja de .lo.se 1'i'nnrlsro IMils
A IllOO rs, o corte de brim intrancado bran-
ca muito Incorpado, dilo de riscado de linho
muito largo a 200 rs. o covado, cassa chia de
todas as cores 240 rs. o covado, chita fian-
ecza de lisias padroes cacuros a 240 rs. o co-
vado, chitas muilo lixas a l rs. o covado,
sargelim lavrado a 200 rs. o covado, ricos cor-
les uc chila larga franeeza de barra a 3,200 rs.
ni.irlni prelosde duas larguras muito supc-
riora I,8002,00 .'I.OOOts.o covado, Hielos cru-
as de superior qualidade a .12(1 rs. o par, su-
prior piccoic iniiito Incorpado fazcuda pro-
jiria para escravos a 200 rs. o covado, algodao
a/ulcom mais de vara de largura a 200 rs. o
covade, berianha de 4 palmos de largura mul-
lo lina a 4oii rs. a vara, tupprlorc thallct pe-
los de le seda a 5,000 rs. brim trancad a-
inarello muilo cncorpado com lisias miudas
sendo de linho a 2.000 rs. o corle, c oulras
muitas fa/.cudas por barato preco.
Ricas franjas para cor-
tinados.
Vendem-se franjas brancas, proprias para
cortinados, as mais lu las que lem appare-
cido e por preto que ninguem vende: na rua
dotjucimado, loja de miudezas junio a de
ccia n. 33.
!4
iba.cam
padroes a 5500 rs., cassts francezas finas
de cores mullo delicadas a 560 rs. a vara : e
outras fazendas por barato preto : a ellas
antes quo se arabem.-,.
Pentes de tartnruga, pa-
ra mar rafa
Vendem-se superiores pentes de tartaru-
ga, para marrsfas,. pelo baratissimo preto
de 800 rs., preto que causa admiracBo : ua
rua do Queimado, loja de miudezas junio a
de cera u 33.
Gravatas de mola.
Vendem-se suporiores gravatas pretas do
mola, pelo diminuto preto de 2,000 rs. : na
rua do Queimado, loja de miudezas junio a
de cera n. 33.
Aviso ao publico.
Na botica da rua do Collegio, n. 18, de
Penlo & Pinto, be onde se vendem as ver-
daderas pi lulas para bobas, era vos seceos,
dores venreas, e gouori heas chronicas, cu-
jos bons efleitos confcssSo todos que lem
le lo uso deltas; compositSo do Fharmaceu-
tico SebastiSo Jos de Ulveira Macedo.
Cartas unas, para vol-
tarete.
Queimado, loja de miudezas junto a de ce- ra e la.vsdeira : ns rua do fnw-
ran 33. .^ da o. 10. orn>ven.
QQO&QQ&QQOQ9QG>$lOQv ~j,_i?,.* Crespo
O Casimiras modernas.
0 sortimento de ma niel ales"'e' ciph0,'.inn0"i:
.- ill.B,iii *Ar.^ ....IILI ""inri
O mente novos. O
Ricas a her tiras para
camisas
Vendem-se aberturas decsmbriia lisa,
muito fina, com pregas muilo miudinhas, e
pelo commodo prego de tilo rs., cada una :
na rua do Queimado, loja de miudezas jun-
to a do cera n. 33.
Meias pretas.de algodao ,
para padre
Vendem-se muilo linas meias pretas de
ajgodSo, para padres, a 700 rs., o par : ua
rua do Queimado, loja de miudezas junto a
de cera u. 33.
Vendom-se superiores cartas francozas,
para vollarete, a 610 rs., o baralho : na rua
do Queimado, loja de miudezas junto a de
cera n. 33.
Contlnus-so a vender corles de ve-
tido de chita, de cores lixas, a 1,600
W rs., o corte, ha vendo novo sorlimenlo
(' para cscolher : na loja do sobrado a-
(. mareUo nos Qualro Cantos Ja rua do
Beiifraliiilias finas. ZlTlt2J9:---
Vendem -se superiures bengalisbas, a 500
e 1,000 rs., cada urna : na rua do Queimado,
loja de miudezas junio a decera 11. 33
1,440 rs.
Rap Paulo Cordeiro,
ornis novo que ha no mercado: na rus
da Cadeia do Itecife, loja de fazendas n 51,
de Joo da Cunha Magalhcs.
A 500 rs.
Almanak potico.
Contendo o a b c do frade, o padre nosso
para as moets solteiras, decimas do esln-
dante, quadra glozada do soldado, dilo do
mimen, csira 1 das de varios manuscritos, pa-
ra intrelimento das horas vagas, venJeot-se
a 320 rs. : na livraria do pateo do Collegio
n. 6, de Jiiio da Cosa Honrado.
Vende-so urna escrava ainda muito mo-
ta, propria para o servico decampo, muilo
Vende-se cha hysson, de muilo boa qua- em conta : na rua do Collegio n. 25, pri-
lidade, pelo diminuto preto de 500 rs., a Ii- meiro anlar.
bra : na rua du Crespo n. 23. i *" Vende-se urna morada de casa leirea,
Trannaa Ja daJ. ~ .. *'ePeJra e cal, narua das Agoas Verdes, jun-
1,., ,, i uepoura eeai, na rua uas rtgoas verues.jun-
raIlCaS (IO SCda e rcqill- to aos fundos de S. Pedro e rua da VirafSo :
fifes para vestidos. u>u'ianaru'DireiUn J>,segundonder.
Vendom-se muilo bonitas trines* de soda I l'SUIltOS.
-uvas de torzal e de peli-
ca, pana senhora.
Vrndem-sc superiores luvas pretas do tro-
tal, a 1,000 o 1,280 rs., o par; dilas sem de-
dos, a 210 rs., Calenda superior; dilas de
pelica brancas eamarellas, a 1,000 rs.: ns
rua do Queimado, loja de miudezas junio a
de cera n. 33.
-- Vende-se cola do Rio Gran-
de, em baniois c por preco com-
modo : na rua do Vigario n. 19,
segundo andar, escriptorio de Ma-
chado ex- I'inliciro.
Vendem-se vasos do louta lina para
jardim, azulejo da mesma louta ds bonitos
gustos proprio para forrar frentes de cisas
j 11 dios, rxc. j coelros do algodao, a/.cilona
nova, fumo, viubo do porto em pipas o bar-
ri/, albos 8 rollics cu ranaslras, lio porre-
le, lirios de algodo, penetras de rame,
i.n ..1 daroris, por pietos commodos : na
rua do Vigario 11. 11 no arma/.oin e 1 andar.
Meias de laia, pura padres.
Ven lem-se sup iriores meias de lai, para
padres, pelo diminuto preto de 2,000 rs., o
par : 1111 rua do Queimado, loja de miudozas
junio a decora 11. 33.
Charuteiras dottradas ,
linas.
Vendom-se superiores cliaruteiras doura-
las, a 1,000 rs riidi una; dilas mais or-
dinarias, a 210 rs. : 111 rua do Queimado,
loja do miudezas junio n de cera n. 33.
Tara cr.iancas.
Ven Jem-se superiores toucas de arda pre-
roquilifes, proprias para enfeitar vestidos, i Vende-se os mais superiores presuntos
por pretos muito commodos, dam-se amos- arneriesnos que tem vindo a este mercado,
iras aos compradores: na rua do Queimado, ;por preco commodo,: no caes da aifandega,
loja de miudezas junio a de cera 11. 33. armazem da esquina confronte a arvore.
Vende-se no MaranMo, a fabrica
de bugias stiarinas e sabio.
CamisuS de meia.
Veudem-so li.iissimnscamisas de meia, a
2,000 rs.; ditas a 1,280 rs. ditos de cores,' Us administradores da liquida -
padroes muilo bonitos, a 1,000rs. : na rua p5o .1- Thaarlnrn C.b.v.n. .,-
NVIDADt'7 "n,r
A el les emquanto nSo se acaban
Superiores cortes de cambraia prit,,,''
Estes cortes sSo pella primeira vaz C|,!
dos a este mercad 0,0 porta uto devem sor"
tos e comprados pelas senhoras de bom m!1"
to. sendo seu diminuto rusto de 4,00j i[
loja da rua do Crespo n. t "
Vende-se. um bonito escravo, pardo t
ptima figura, iiuiilo fiel e sem cbao,
de idade de 24 a 25 anuos, sendo um l'
mais peritos olliciaes de pedreiroque e on?
sa eucontrar em escravo, por isso quo7.
lodaequalquer obra com perfeioo, '
precisar de risco de meslre, e Umboni 1,.
oalha mu bam de canteo, e mais uro pr,J-
do nato dfcidsde de25 a 30 annos, d ,,
bgura, opBBo talhador de carne, n0 n,,.i
ganha 800rs. diarios: ns rua do Mondeg,,
1NOVIDADE.
A clles antes que se acabem.
5?.c:hef os.p do Queimado, loja de miudezas junto a de f de Jheodoro Chavanes, ven-
cera n.33. dem a fabrica denominada Mara-
iiieas litas laVradas. Inhense, na rua doFiopontSo, des-
Vendem-se Gtas lavradas do dilTerentes ta (lila Je ( poi'.'o dos remedios )
'guras cgoslos o mais fino que pude ha- a k,r raa(1 __- _, /
ver en. BUl : na rua do Queimado, luja de B S.aber '' I888 em *iUe esta mon-
miudezas junto a decoran. 33. toda a labrica, com 2o bracas de
~ Vendc-se um terreno con frente e i5 de fundo; 2 prensas
154 palmos de fundo e 96 de fren- hidrulicas, orisontaes de forca de
te, o qual deita para o largo des- :6oo,oco libras, cada una 5 1 dita
tinado para a nova praca, na rua I vertical de forca de 4oo,000 libras:
do Brum, a voltar na'travessa do 3 grandes caldeiras montadas, pa-
Vieira : assim como tres caixes ra o fabrico do sabio; 4 ditas pa-
de casas, no fundo do mencionado ra derreler sebo ; todos os perten-
terreno, com frente para a mesma ices necessanos para o fabrico do
travessa : trati-se na rua da Ca-
deia do liecife, loja 11. 7, onde os
prelendente, depois de haverem
examinado, poderSo dirigir-se.
-- Vendo-se a laverna 11.8, da rua do
Rangel, com poucos fundos, ou s com os
cascos, voutade do pretendente, ou mes-
mo estes separadamente, assim como a re-
talho, ni ni, a 1,000 rs., a duzia : tigelas, a
960rs ,a dilfebuios piulidos, s 180 rs. ;
assucareiras elijnlegueiros, s 320 rs ;,su-
perior viudo d.* rio, ha muilo engarra\a-
do. a 500 rs., a a rafa; dito linio, a 180 rs ;
vinagre puro de Lisboa, a 1,000 rs., a cana-
da ; azeile doce do Lisboa, a 500 rs., a gar-
rafa ; sirveja, a 320 rs a dils, e oulros
muitosartigOJ, por pretos commodos, para
liquidar.
Fariuha,
itearina c sabio ; 9 escravos en-
tendedores do servico geral da fa-
brica; 1 terreno anticuo a fabrici,
com 7 bracas de frente e i5 fie fun-
do ; 1 dito fronteiro a mesma fa-
brica, com 18 bracas de frente e 38
de fundo as pessoas que preten-
deren! comprar, pdem nesta pra-
ca dirigirem-se a J. Keller & Com-
panbia.
Olliem que temos pe-
cliincLW,
para os cavalheiros dn bom gosto, no Pas-
seio Publico, loja n. J1, de Firmiano Jos
llodrigues Ferrcira, vendem-se linios cor-
itos de coletas de fustSo lino, bordados aso-
'-0:000,000.
Casa leliz.
Vj .... tim, superior e outras muitas fazendas, ror
jenlcm-sasapalui's de couro de lus- preco commodo
Iro, obra d.i trra, muito bem feita, a3,0
rs.; ditos do Aracaly, a 2,500 rs., brancus de AOS
orelha, a 1,200 rs ; ditos do orelba, para me-
nino: n:i rua da Cadeia do llecifc, loja 11, 90 v .... ai
--Venlem-scosscguinlr-sgonerosUe su- .IU!, 0V!L?Ve lnJ' da Maia llamos
pcriorqu-lid.de muito em conta, queijos ""P1""". .rec^berain-se peto vapor in-
loodrinos frescaos ditos de pralo nrliun- lK '. n'.ul rurlu.nJ.o bilhets, meios,
tos jara fiambra, dilos hamburguezes, di- 'T "^ "V1 v1,8MI los portiiguezcs melgaso para panoila l'at s ffi LhS*! de '\Miro'
nrariuirni.!. !CUJ* llaU dcve cn8,,r la de agoslo : na
com bolacha de l/sboa, ditas com chocolata
de oaoella do Lisboa, fraseos com conservas
iuglczes,hcela e caix'iilias muilo asseiadas
com massas linas para sopa, garrafas de vi-
nho muscatel.de silubal, dilas com dilo foi-
tona do porto, ditas com ditodo carcavel-
", para ensotas, pelo diminuto preto de los branco.dilas cun dito de colares: na rua
: mi di) ( ollruin n.
Novo sortimento d.' chapeos de sol, par
homcm e senhora, a saber : -- chapeos de
sol de sola, armadlo de b'.leia, de 4,500 rs.
para cima; diiosdilos para senbom, de 4,000
rs. para cima ; dilos do panno lino, de ar-
mat^o do balis e de ferro, de 1,600 a 3,200
rs. ; ditos ditos -le nrmatiio de junco, de
1,200 a 1,800 rs., todos Inipos : gran lo sor-
timento de sedas 8 psnnos, cm pegas para
cobrir os mesojos, baleias para veslidos e
espartilhos de senhoras. Concerlmn-sn lo-
das rs qualidades de chapeos deso, ludo
com perfeito c por menos preto do quo cm
oulra qualquer paito.
--Vende-se cobre, e metal ama-
relio c pregns para forrn de navios ; por prei;o
commodo, cm casa de A. V da Silva barroca
rua da Cadeia do Recite n. A'l.
Superiores capachos.
Vendem-se superiores cu pachos braneos o
pintados, de varios lamaulios.aondcos com-
pradores .Jern escolhcr a seu goslo, pelo
diminuto prcfi de 800, 1,000,1,400 e 1,600
rs. : na rua do Queimado, loja de miudezas
junto adacera n. 33.
liara os jovens Humo-
rados.
Vendem-se caizinlias com snicnJoascon-
feiladas, o mais delicado que se [>Je en-
contrar, proprias psra so dar a Humoradas :
na la do Queimado, loja de miudezas jun-'
320rs malacas muito botutos, que locan.
le tres manciras, a 210 e 120 rs. : na rua do
Queimado, loja d 1 miudezas junto a do ccia
n.33.
Lindas caixinlias do vi-
deo paVa guardar jotas.
Vendem so lindas caixinhas d vidro com
espellio proprias para guardar joias, pelo
diminuto prc;o rio 800 rs.: ni rua do Quoi-
malo, loja de miudezas junio a rio cera nu-
mero 33.
Lotera do (lo de jaaeiio.
Aos 30:000,000 de iv.
Na rua rio Queimado, loja do ferragens n.
37 A vendem-so os muito afortunados meios
bilbetes, quarlos, e vigessimos da1C",l.o-
teiia du Tnealro dn S. Pedro de Alcntara,
cuja lista deve clicgir pelo primeiro vapor
do sul, c trocJo-se pelos bilbetes premiados
de quilquil oulra otaria'
A 0,000 rs., O .quintal.
No deposito de Andrade o Leal, na rua
Nova n. 33, vende-se, pelo diminuto preto
de 6,000 rs., o quintal da ferro inglez,
sorlido.
Luvas para liomem.
Voi.dem-so superiores luvas de pelica ,
ponto inglez, a 1,900 rs.; dilas de seda pre-
tas, sem deleito algum e fazonda muito su-
perior, a 6001
da Cruz numero 46 di fronte doSr. I)r. Cos-
me de Sa Pereira.
Para acabarse.
\cnlem so esleirs muito boas, no a6 Ira- "ni-
ela boa qualidade e por serem dobradas, Vendem-
omo pelo (amando, sendo as maiores nue c .. .i.i....i..in ..___... t 1 1..',., .
agosto :
mesma casa se moslram a listas das que j.i
corroram, e rocobem-so bildctus premiados
de todas as loteras du imperio.
Capotes de panno azul a
10,000.
Va rua do Q leimado, defionte do beco do
.Peise Frito, loja n. 3, venJe-se capotes de
panno azul pelo baratissimo precu do 10,ido
P
c
ha deter viudo ao increado; issimcomosa-
palos de duraquo preto, para sonliora, a 900
rs., o par : na rua do l.ivramcnto, loja n. 11.
Anda mus pcebineb.
Cortes do casimira preta, lina, por 5,000
rs. ; ditos de coros, a 6,400 rs. ; brim bran-
co Iranga lo de linho, a 1,800 rs., o corte da
calta, dilo escuro, a 1,600 rs.; dilo de lis-
Iras, a 2,000 rs. : na rua do Crespo n. 6.
Cera,
branca em vels, em caixas, com sorlimeu-
los vonia le do comprador, o a preto com-
modo, sssiai como chpeos do Chile : 111
rua do Trapiche, cscriplorio n. 5.
Ricos toucadores.
Vendem-sn lindos louca lores de Jacaran-
da, com culumnas e muito bom espelho,
pelo diminuto preto de 2,500 rs. : us rus do
Queimado, loja de miudezas junto a de ce-
ra n. 33..
Carapucas de seda, preta.
Vendem-se carsputas de seda preta, fa-
zenda muilo superiur o sem deleito ilgum,
pelo diminulo proco de 500 rs., ven ie-se
so 6 escravos, sendo um bom
do todo o servico ; 3 moleques
le idaJo 12 a 20 annos ; 2 negrotas de idade
ISsnios, sendol recilliid, engomma, co-
ze, e cozinha o diario de urna casa, 3 dilas
de. tolooservito : na rua Direiis, defronte
do becodn S. PeJro n. 3.
Vendase urna preta mota, qjc oozi-
nha, engomma, eusabua c coso : ua rua da
(loria n. 20.
Calcado, a s,5oo e 3,000 rs.
No aterro daoaVist-, defronle
da boneca,
chegou novo sortimento ds sspsldes de
couro de lustro, para homem, dnsmel'iores
quo tem vindu do Araraty, a 1,500 rs.; dilos
da Kabia, a 3,000 rs. ; ditos de couro bran-
cu, a 800e 1,000 rs e dearelha,a 1,120 rs.;
assim como um completo sorlimento de cal-
cado frsncoz de lodas as qualidades, tanto
pira lio iitin, como para senhora o meninos,
o quo tudo se vende muilo barato, a flm de
se apurar duibeiro.
Vende-se foi|So mulalinho muito no-
vo : no armazem de Diis Forreira preto
commoJo.
Guia e manual do agricultor,
)r*. dilas de cOres, a 600 rs. ; por esle prt'to |or luvar grande portan elem dous volumes grossos, contendo alm
odio brancas o de cores, pro- i trr-se comprado muilo barato : na rua do i da wrios tratados, o modo ficil e acertado
ditas de alg
tnria por serem muito en- Queima
corpa ii-, a 320 rs. : ua rua do Quoimado, 'ra n. 33
prias para mou
corpadas,a 320
loja de nniiJi'zasjunio a da cers n. 33.
Corrao depressa peehin-
dia de 4,000
Na rua do Quoimado, loja n, 17,'vendsm-
do, loja de miudezas junto a de ce-
loni e barato.
Vendem-se caixinhas com tintas linas, pa-
ra dezonho, a 3,000 e 4,000 rs.; flveliolias
douradas para calsas c colotes, a 200 rs.; fa-
cas muilo linas, de balanfo, a 6,000 rs., a
pinin^o"^pto5'commodo"s"; ditos" pa- to a de cera n. 33. se corles de casemiras de cores escuras a /j duzia ; bicos largos e finos proprios para
ra senhora de bom itoslo ests chapeos1 Vendc-se om grande sitio no lugar do rs., pecas de nscadosdecores de padrOea osl laidos de vestido, mullo biralo, e outras
sao leitoj pela ultima moda' seda adamas- Jlanguinbo, que liea defronle dossitiosdosj mais delicados possiveis a 5,000 rs., petas'muitas cousas, que se vendem mais barato
cada com ricas franjas de rctroz. Na msaiae srs. Caiaeiros, com grande casa de viven-' de chitas escuras de cores flxas e bonitos I do que em outra qualquer plo : na rus do
do manipularos principaus productos agr-
colas, Unto de origem animal, cinio vege-
tal. A fabricatSu do quoijo, do niel, do vi-
nagre, das agoardenles, azeile e assucar de
cana, etc., ele obra ulilissima aoa senbo-
res de engeohos e agricultores. Acaba de
sor publicada em 1850, e veio do llio pelo
ultimo vapor: eveode-ae no pateo do Col-
legio, casa do livro azul,- por 10,000 rs. ,
s obra.
Vende-so uma negra, com urna cria de
4 a 5 annos, boa coziuheira, eugommadoi-
proTincia os muito afamados cOrtos de ves
tidosjiraloidos para quem tiver bom gosin
pelodTminuto preto de 4,000 rs.: ua n
do Crespo, loja da esquina que vira par,,
. -: Continua-so a vender farinha da lerr,
muilo boa, lano em quarlas, comoem il.
quelro: ua rua larga do llostrio 11. 5i
venda.
Vista da cidade da Babia
Vende-se a visla da cidade da Babia, M,
6,000 rs. : na prace da J11 dependencia, |iv.
Carne do sertSo.
Vende-se carne do sert3o, milito gorda,
de excellenle goslo : na rua do Queimido
n. 14.
Queijos dosertSo.
Vendem-se queijos do serlflo. muilo fres-
es : na tua do Queimado n. 14.
A 330 rs.
Vendem-se meias linas, para meniuis.de
lodos os tamsnbos, a 320 rs., upar: nurun
do Crespo n. 23.
A 130 rs.
Vendem-se luvss de rede, bordadas de si-
da, para senhora, a 120 rs., o par: ni rua do
Crespo n. 23.
Kxcellenles fazendas e delicadas
cores.
Na rua do Crespo n. 18, loja de I. L. B. T-
bords, vende-se uma fatrnda nova, com lis-
Iras, denominada meluzioa, a 1,000 rs., <
viral na mesma loja lem o ligurino pelo
qual se podar vera maueira, como as se-
nhoras devem fazer os vestidos : alm des-
lis, ha oulras muitas fazendas de goslu mo-
derno.
Aos donos de carrocas.
Vendo-se um boi manso, de coi
reis, gordo e bonito, criado nos
srrebal les desta cidade : a tralar
na rua do Queimado n. 25.
Vende-se uma preta de na-
cao, muito robusta e firte, pro/rh
para servico de- campo, ou para
quitanda : a tratar na rua da Ca-
deia, loja n. 4o.
Na rua das cruzes n. 22, segundo an-
dar vendem-so duas escravas crioulas, eai-
gommSo bem, cozem cbSo, e cosiniijo, e
luv.io de stbSo, c lumia dellas lem um liltio
moleque do dous annos; e um ptimo escra-
vo de natSo de boa conducta, lie bom ci-
noeiro ; e um pardo muilo el e ptimo
para todo semen, tanto do praca como da
campo. -w. .
S ecos de estopa.
Vendem-se 60 saccoa de estopa,novos com
2 varas a 320 rs. : na rua larga do llosirio
n. 48, primeiro andar.
Escravos futidos.
No dia 24 de juoho do sitio u. 18 ni
passagem da Magdalena, desappareceu o
1 1. lo Ignacio, crioulo, lidio de Tabaiana,
cambado das pernas, as nulos e os dedos
foveiros, he baixo e muilo tallador i roga-
se a todas as autoridades policiaca e capiiios
de c 1111 p 1 que u prender, de o levar 00 dilo
sitio, uii ao lado do Corpo Santo n. 25, que
sei fio tecompensado.
Desappsreceu no dia 13 do correle,
1 un muleque criou.o por nome Paulioho,
de idade de 10 annos, pouco mais ou rua-
nos, cor ,1111a 1 olla da por ler vicio, naril cin-
to, levou camisa de algodaozinhu suja, e
calta de riscado, sem cnapo, este escravo
lio do Sr. Antonio Jscinllio da Silveirs da
1 'una : ijuimi o pegar leva-o na rua di Ca-
deia do Itecife n. 51, ou na rua da Lini-
mento n. 26 segundo an Jar que ser recom-
pensado.
-- Desappsreceu no dia 28 de jullio de
1851. O escravo Jos, nrioulo, COm OS sij-
naes aeguinlea: camisa de algodo dalia-
lu com listras encarna las e azol miudas,
um pouco suj, caifa de brim de algo 1:1o de
listrae quajros azul um pouco dosboUd,
sendo elle oncuni-a 10 na Soledade com bo-
net, altura baixa, corpo regular, olhos pn-
quonos, sobrancolhas carnudas, cor preti,
naris chato, barba pouca de|Aixodoquei-
XO, e esta raspada,com um sigu I MU peseui,v
de talho pequeo, as mSos bstanla caleja-
das do servico em quo trabadla a bordo dos
navios de remador, elle lie niuil 1 prozis'.a,
ssb) compor bem uma mentira: quemo
pegar leve-oem Fora de Portas, sobrado
de Manuel L'stanislao da Cosa,que lora pa-
go com geuoiosi lado a quem u pegar: de
uia anda na Boa-Vista, de noite em Olir.da,
por ser visto por algumas pesaoaa.
Signacs e nomet de dout tseravos que fugirai*
do engenho lthu-Grunde na provincia di
Hto Grande do Norte, no dia to de ;**>
d183l.
Jos, oibra, idade de 20 a 22 annos.baixo,
de bom curpo, Cabello puaioi, cara redon-
da, beijos grossos, e avermelhados, bous
denles, sem baroi, percococurto, hombro,
alrepados, nu canto du ollio direuo do lado
opposio ao naris uma cicatriz de pao, he
bem vivo, e espjrto para qualquer aervico.
momu-nte para o de gado, tem odedogrui-
de du p direilu lorado a machado, de mo-
dos quo resta pouca uuba, tornan.do-so s
cabut do dedo redunJa, c quandu aprcisa
a marcha coxeia; bem ladiuo, e sosia do
cantar arengada de babianos.
- Jos, cabra, idade de 25 a 37 annos, li-
to, de bom corpo, cabello pixsim. cari
quaslcompndaeescirnida, naris grande,
venias aparradas, o queixo iolerior ats-
mauoado, denles podres, ps grossos, tendo
um dos dedos grandes um pouco volteado,
loca mal rabees, e lom o semblante sempa.
carraucudu, e be calado : quem os trousar
nesta prafa, na rus da Cadeia do Recite, to-
ja deJoflo da Cuuba Magalhflea, sari bem
recompensado.
Pr.v. vaTvi' di: Nf.P.nr Fai
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO3X5HNOZ_BAASGY INGEST_TIME 2013-04-13T01:54:45Z PACKAGE AA00011611_06407
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES