Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06405


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXXVU
Quinta-feira 31
de Julhodel851.
N. 170.
DMRIO DE\m PEMAMBm
rncqo ba nmotLivqlo.
I'o>iiro Aiito.
Por trlmetlre........' "
potinu......;;!!.;
p0, q'"''lt'ri'o*iiiwilio
... 12 de Julho
pSSbv 20.'dHo
Minai... 30 de
S.Paulo. 12 de
ll.de/.. 15 de
llahia... 19 de
4/000
8/000
15/000
4/500
Malo
/unho.
Julho.
dito.
DAS DA EMANA,
AUDirNClAS.
28 Sef. S. Iiuiocencio.
29 Tere. S. lavo re.
30 Quarl. S. Rulioom.;
8. Donatilla r.
31 Qiiini S. Ignacio
i Mil. S. Pedro
vincula.
2 Sab. N. S. dos Aojos. 4. c sbados ao mclo-d.
3 Dom. laveoco de RtlacBo.
S. Eslcvo. jTercas e sbados.
laisotfr Orphoi
i. e5. s 10 horas.
i ara do cirel.
3. et. ao melo-dia.
Faxendm.
ad,3. e 0. s lo horas.
2* rara do civel.
HHtanalDis.
Cresccnte i 4, as 2 horas e 48 minuto da man.
Chela a ll, as 7 horas e 23 mininos da larde,
llingoante 19, as 10 horas e 39 minutos tarde.
Nova 26, as 8 horas da tarde.
PBJCAMAIl DE IIOJE
Priroeira s6 horas e 54 minutos da manhaa.
Segunda s 7 horas e 18 minutos da tarde.
FABTIDA BOI COBBXIOI.
Colanna c Parahiba, segundas e sextas-
felras. ,
RIo-Crande-do-Norlc, todas as quintas-feiras
ao meio dia.
Garanbuns e Bonito, i 8 e 23.
Foa-VIsta, e Flores, l3%28.
Victoria, ;\i quintas-feiras.
Olida, todos os das.
NOTICIAS BSTBAVOBIBAf.
Portugal.
Hespanha
Franja ..,
Blgica...
Italia.. ..
Alemania.
Prussla...
Dinamorca
Russla...
Turqua.
15 de Junhi
II de Junho
7 de Junho
3 deJunho
1 deJunho
4 dcJurihi
4de Junho
30 de Malo,
inde Mu')
4 de Junho
lustria.. 4 de Junho
Sulssa .. 10 de Main.
Succia.... 28 de Malo.
Inglaterra 7 de Junho
G.-l'nidos. 24 de Malo.
Mxico... 3 de Malo.
California 15 de Abril.
Chlll.
Buenos-Arres.
Montevideo 29 dr Junho
CAMBIO! BE 30 BB JULHO.
Sobre Londres, a 28 d. p. lfOOO rt.
a Paris, 340 por fr. nominal.
. Lisboa, a 100
Ouro.Oncas hespanholas.... 28/000 a
Moedas de 6#40t> relbas. 16/000 a
de 61400 novas. 16#000 a
de 4/000...... 9/000 a 9/100
Prata.Patacdes bratllelro... 1/920 a 1/920
Pesos columoarios... 1/920 a I/U20
Di los mejicanos..... 1/700 a 1/700
PABTE OFFICIftt-
~TluBl)RS\L n* KKLAlAU
SESSO DE 29 DE JULHO DE I85i.
Presiimia Exm. Sr. evuelheiro Auoido.
u .. Ai manhaa, esUndopresentes os
KV1.^SSSSSSmm Villares, Bastos,
,Cn-b. sou Rcbello. Luna Freir. Pere re
Cl,ra aberla a seasio.
julgmchtos.
ApptltactM cries.
"nnellante, o Julso; appellado, Miguel Afton-
u Ferreira. Mandaram a novoi jury.
Anpellante. ajutllca; appellado, LulzJosede
Urna.dem.
Appellante, o julzo; appellado, Joaquim Dantas
de Oliveira.Ideui.
Anneilantes, Silva l Grillo appellado, Bernar-
do Mendes da Costa. Confirmaraiii a ten-
\ppo]lante,Malhusdc Araulo Caldas Checheo;
appelladas, Helena Dase Mara Claudios.
ConHrmaram a sentenca coin a declara(.iii
das conlas slngelas.
Appellante, Anna Ellsabelh Adelle Polrson ;
appellado, Allomo S. Martin.-- Rao toma-
rsin couheolmento daappellacao.
Apnpellante, Manoel Romualdo de Lira ap-
pellado, Eslcvao Jos Paes Harreto. -- Det-
presaram os embargos,
aivMfltf.
. Passaram do Sr. desembargado!- Villares ao
SV. desembargador Bastos as segrales appel-
lacdes em que sSo : -"
Appellante, Jos Manoel Perelra de Mendanaha;
appellado, Joaquim Ferreira.
Appellaoteappellado, Jos Francisco Belm;
Manoel Jos Crrela.
Appellante, a fazenda; appellado, Bartholomeo
da Rocha ragundea.
Passaram do Sr. desembargador Rebelo ao
Sr. desembargador Luna Freir as segulntes
.vprllicdes em que sao :
Appellante, Geialdo Amarante dos Santos; ap-
pelladi, Domingos Affonso Nery Perrelra,
como tutor.
Appellante, Jos da Fonscca Barbosa; appcl-
lados, Jos Gregorio da Silva e outros.
Passaram do Sr. desembargador Perelra Mon-
teiro ao Sr. desembargador Valle as seguimos
ippcllaees em que sao :
Appellantes, Manoel Antonio da Silva Molla
porsl eseus Albos; appellado, Jos Goncalvct
To"es. _
Appellante, a ordem terceira de San Francisco
desta cidade appellado, Manoel Francisco
Coimbra.
IIISTRinnlQUIIV
Ao Sr. desembargador Leo a scguinlc ap-
pcllacao em que sao:
Appellante, Joaquim Ferreira ; appellado, Je-
ronvmo Joaquina Flua de Oliveira.
AoSr. desembargador Soma a seguinte ap-
pellaeaqsBn que sao :
AppellaJTe, Viriatode Freitas Tavares; appel-
lados, avluva e herdelros dcUaudino Agos-
tinho de Barros.
Ao Sr. desembargador Rebollo a seguinte
appel'acio em que sao :
Appellante, Manoel Jos Soarcs; appellados,
Dansley i <'.
Ao Sr.'desembargador Luna rrelie ase-
gulntc appellaco em que sao r
Appellaute, Manoel Filippe da Fonseca Cande;
appellado, Jos Rodrigues do Passo.
Ao Sr. desembargador Perelra Montciro a
seguinte revista em que sao :
Appellante e appellado conjuntamente, Ma-
noel Antonio Das e Jos Venancio Pimenta
- de CaVrelne.
Lcvantou-se a eesao depois do meio dia
ameacada de umpeaioal demasiadamente nu-
meroso, e por urna Ici adoptada em 22 de
malo de 1850 tisou em 239 o numero dos re-
presentantes.
O congresso quando adoptou esta le, nao
conhecia anda taeno Imperfeitameote os re-
sultados do ceuso do qual damos boje os cal-
culos olclaes, que sao os scgulnlea :
2.W
S "*
fl
2 "8 W
1?
It
Maiuc
Ncvr-llampshirc
Massachusctts
Vcrmont
Rhode Island
Connecticul
NewYoik 3,
New-Jersey
Pensylvanla 2
Ohio 1
Indiana
Wiscousin
Mlchlgau
Illinois
Iowa
California
Maryland
Virginia
Carolluadonort
Carolina do sul
Georgia
Florida
_ Alabama
i Mississipl
j Luisiana
Tesas
I Aikansas
| Missouri
. Tcnnesaee
, Kenluckey
Dclatrare
582.026
308.003
94,724
314,332
147,549
370,913
,098.818
489.808
,341,204
,931,940
890,258
305,596
397,576
850,000
192,000
200,000
492,661
Estados llvre
Estados cun cscravos
Disirictos c territorios
622
38
1062
SM
154
391
3324
524
25H'
2125
1058
326
424
011
25
213
580
134
82
524
828
I >
678
556
390
156
17
685
1018
970
1 a
"222
Total da populacao.
Pop. livre____Pop t>"ava.
9',355
940,000 460.000 I
575,000 288,000
280,000 350,000
555,000 365,000
45,000 J2.000
440,000 3:!0,000
300,000 320,000
250..IOO 200.000
120,000 50,000
150.000 45,000
590,000 91,517
800.000 250.000
782,000 211,000
90,277 2,332
546,874
.216,000
748,000
490,00')
74.000
68,200
1)38,007
492.000
370,000
ISo.OvO
177,006
614,928
950.0U0
908,600
91,676
13,574,797
6,409,938
197,985
3,075,234
3,500
EXTERIOR
m
O CENSO WOS ESTADOS-UNIDOS.
neferindo-nos s relacdes ofliciaes publica-
das pelo Comi rfoi EiiadotVoidos, zemos co-
nhecer, ha lempos, o estado do eiercito e da
inarinha da Uniao, boje achamos mais no mes-
1110 peridico uin documeDto estraliido da fo-
Iha seml-olliclal, RspaMiet de Washington, o
qual ollcrece um grande Interesse, e por isso
apressamo-nos em publlca-lo. He o quadro
completo da populacao dos Estados-Unidos.
O artigo prlmelro ; seccao segunda para-
grapho 3.' da constituicao dos Estados-Unidos
he concebido nesjes termos :
Os representantes e as laxas directas se-
rijo repartidas entre os diversos estados, que
poderem compor a Uniao, proporcionalmenle
ao numero de aeushabitantes, o qual ser de-
terminado, ajuntando-sc ao total das pessoas
livres (inclusive ao que tlverem contratado
seivirpor um lempo limitado e exclusive os
ludios nao laxados ) os tres quintos das outras
pessoas.
Par-se-ha um reccnseainento effecllvo d
pcpulaco nos tres annns que se segulrem a
priineira reunio do congresso dos Estados-
l'uidos, e subsequeiiteinentc de dex cm dex
annos, na forma que lr determinada pela
lei.
0 numero dos representante! nao deverla
ser de mais de um por muta mil almas, mas
cada estado ter polo menos um represen-
tante.
Foiem 1787, no mez de selembro.quco cen-
so decenal foi asslm destinado a servir de ba-
se i representaco nacional. Nesta poca a
consliluicao cslapcleceu urna rcparin,,1o pro-
visoria do numero dos deputados que deviam
representar os 13 estados de que se compunha
entaoa Uni3n, O contingente fol dividido da
nianelia seguinte : Nevr-Tlainpshire tevc3re-
prcseniantea ; Massachu 1 ; Connecticut, 5 i New-Vork, 6; Nrw-Jersey,
4; Pensylvanla, 8; Delavrarr, 1: Maryland,
6; Virginia, 10 ; Carolina do Norte, 5; Caro-
lina do Sul, 3 ; Georgia, 3; ao lodo, 65.
Oprimeiro censo que se Tes em 1790 con6r-
mou a exactidao desta divisao proporcional ;
donde resulla que nesla poca os Eitados-
I nidos tinham pouco mais ou menos dous mi-
Ihdes de habitantes.
O censo frito no anno passado, he o sclitno-
que tem tldo lugar depois da proclamajSo da
independencia. O de 1840 fol J urna prova
brilhante dos progressos da Uniao. No espaco
de clncoeota annos, o numero dos estados irin-
ta duplicado ; o dos habitantes era oito vezes
mais considcravel. O censo que em 1790 o ti*
nha verlcado dous mllhdaade almas, deu um
total omaial de 18,063,375 habitantes.
O congresso leudo cm conslderacaoeste aug-
mento, modlQcou o artigo da constliufcau que
regelava as bases da representaco, e docidlo
3ucparao futuro o numero de cidados que
ava dlreito a um deputado serla, nao 30,000,
porm 70,680.
As eleledes geraea de 1844 foram fellasfor
esta nova lei ; mas quasi que Immcdlatamen-
te depois da reunio do congresso, a Florida
adsnrttida no numero dos estados 110 mex de
marco de 1848, envin um representante ; Te-
xas he adinmida no mes de dexembro seguin-
te, eusiou 2 ; Jowa, admctiido em 1816, e Wls-
consln cm 1847, nomearam Igual mente cada
um um deputado. Assim antes do Km do pe-
riodo decenal, o numero dos estados eslava
elevado a 30 c o dos representantes-a 229.
A vista de um augmento to rarddo, o con-
gresso de 1850 julgou que nao poda manter o
computo da represeulaco nacional nos limi-
tes 'nados em 1840. Por mais restrictos que
lossein esses limites comparados com os de
1790, o congresso pensou que a cmara eslava
20,i82,->20 3,078,734
\ Resulta deslc quadro que cm dex annos a
I populacao augmentou de mais de 5 inundes c
meio, isto he, de 28 por ccnlo. Nesle augmen-
to figura urna populacao pouco mais ou
! menos de 200,000 individuos dus estados ou
I territorios ad*qucridos reccnteinente pela Uniao
a saber :a California, o Novo Mxico, o lliah,
' o Minnesota.
O total da populacao que tem dircito a ser re-
reseutaila, he quas'i de 22 milhdcs (I) e con-
orine lei de 22 de maio de 1850 havera um
representante por 95 mil habitantes. Bcm co-
mo temos dito, esta Ici II la cm 233 numero
dos representantes, e 111 levar em con la as
fraccoes, o quadro do censo nao fornece senao
222 ; sao por conseguinte os estados que dao
' as fraccdfs mais consideraveis, que deverno
eleger os ll dcpulajos destinados a completar
o numero legal de 233 Estes estados sao Mas-
sachusclt, Rhode Island, Connecticut, Indiaua,
Maryland, Alabama, Luiliana, Texos, Arkan-
sas, Missouri e Keotucky.
O censo, cujo computo acabamos de dar, tem
Mina impoitaiicia particular. Na lula cncarni-
cadalravada agora entre os Intercsscs do Nor-
te e os do Sul, o accrescimo da populacao, des-
tocando a mainria do congrcsso,|pdc tornar-se
urna queslo de vida, ou de morte para um
; dos dons partidos rlvaes. Isto he o que explica
a raso porqne a publicaco do censo era es-
perada, desta vei, com a impaciencia que se
nao liga ordinariamente sean aos negocios de
urna grande sigulfcaco poltica.
I A administracin 11 ha empregado neste tra-
balho um cuidado extraordinario, 40 marshalls
lendo cada uin debaixo das suas ordens cem
ou duxentos delegados, haviain sido cncarre-
gados do cuidado de recolher os elementos des-
ta estalistica geral. Urna circular linha pedido
o concurso de lodos aquellos que llvcsseiii al-
guias informaedes que forneccr. O governo
dos estados, as municipalidades tinham .reuni-
do todos os seus documcntns ofilciaes ; por
Isso, apesarda dllliculdade de evitaros erros,
no meio de srte a olio mil agentes c com po-
pulecoes dlspesas, que repugnain sempre a to-
da medida que cheira a inqulnco, o recensea-
neniode 1850, olTerece garantas de exaclido
pouco ordinarias.
Os Estados em que ha cscravos, 6guratn no
quadro com 9,485,172 individuos. Km IS40
1.....(iv 1111 elle simiente 7,222,604. O sccrescl-
ino portanlo lie de 2 inilhdes. Elle he notavcl
principalmente para Arkansas e Missouri, onde
a populacao dupllcou. As Carolinas sao os dous
estados, onde o augmento tein sido menos sen-
sivel ; cm todos os outros estados em que ha
escravos, elle tem tido lugar em urna propor-
co que varia de20 a 40 por ccnlo.
O progresso tem sido, em geral, mais nota-
vernos estados livres. No Michigan a popula-
cao augmentou de 80 por 100 ; no Ohlo de 50,
na Pcnsylrania de 25 ; ella dupllcou na Indiana
e no lilinnes, quadrupllcou no lovra e declu-
pou no Wisconsin. Nos estados da Nova-Ingla-
terra o augmento nao chegou a 20 porcento.
O lodo.da populacao decompOe-se aproxima-
tivamente da maneira seguinte; 19,500,000in-
dividuos brancos ; 500,000ditos decir, livres ;
3,100,000 escravos, cujos augmento leve lugar
3uasi na niesma proporcao que o dos brancos
os estados do Sul.
Pelos clculos queprecedem, podc-se de an-
leino apreciar as inu-lancas que ha de solTrer
a representaco. Estas mudan;as ao pouco
importantes multo menos anda do que se In-
via supposlo. Os estados do Norte que conta-
vam ver augmentar, ao menos de cinco, o
numero dos seus representantes, nao gaulia-
ram seno dos, isto he, os da Califormia.
Com as vantagens que as medidas voladas
na sessan passada aaseguram aos estados do
Sul, pde-se dixer que as forcas dos dous par-
tidos se balancaram aluda na prxima legisla-
tura.
Nao temos dado no que precede, senao o
computo da populacao, e a folha da qual o ex-
trablmos nao publica mais nada a rcspelto ;
porm nos Estados-Unidos, o censo nao se ap-
plica smente ao arrolsinento dos habitantes ;
elle cornprehende urna estalistica completa
dos productos agrcolas e manufacturados das
turicas, dos bancos, dos estabeleclinenlos do
commcrcio, dos moinhos, das bestas, dos ani-
maos langeros, dos^avallos, e geralmennte de
todos os elementos da actividade edolraba-
Iho existentes sobre toda a extenco da Unlo.
Asgaxetasde Nevr-Ydrk nao tardfiao sein dl-
vida, em publicar esses documentos, que nao
dclsaremoa de repioduzir. Entao se poder
com uina so vista d'otbos abracar a slluaco
deste povo, que ha meio secuto nao tem deixa-
do de ma/cliar a passo de gigante, c de cresccr
incesantemente mi industria, eill agricultura,
em riqueza, em bcm estar c cm Influencia ou
mundo.
, (Preire.)
OS C WUTSTAS DE MANCHESTER.
---- Ptrii, 16 ds malo de I85l. '
Km dias do prximo passado abril publica-
moi um manifest dos earlistas ingleses e mos-
tramos como, no trabalho folio nesles tres l-
timos annos, o elemento socialista linha abior-
vldo asslin na Inglaterra como no continente,
0 elemento democrtico. Este trabalho era
evidentemente o producto da ImportacSo dos
referidos europeos. Com cfYeilo todo o syste-
ma desenvolvido no manifest carlista repou-
sa sobre o dominio absoluto do estado, e oomo
nada he mais contrario aos sentlmentos da
grande masa do povo ingles ; por Isso nao nos
sorprchendeu vermos surgir, do proprlo seio
das classes denioorallcas, protestos contra es-
tas novas doulrinas. Urna folba ingleza pu-
blica um manifest dos carlistas de Manchester,
no qual estes dcclaram separar-se da escola
pollosophica frauco/a Reconheccndo o que
o progresso deve Franca, ellcs nao querem
todava nem a economa social, nem a econo-
ma poltica dos revolucionarlos parisienses.
Os carlistas de Manchester estao longe de re-
pellir toda a allianca com as classes inedias,
pelo contrario reconh da fier de serlo sein o seu concurso; por isso
eslo proinptos.cincaso de necessidade, a reu-
iiircin-st' associacao para a promocao da re-
forma eloiloral c fnanecira, frente da qual
j 8stao inultos membros do parlamento. Va-
mos reproduslr o seu manifest, o qual he cm
suinmaun protesto do carlismo purameute in-
elcx contra o carlismo europeo, e contra a in-
vaso do coinmiinismo continental:
ASSOCIACAOCARTI8.TA l)E MANCHESTER.
Ao idil'ir do Daily News.
Senbor, como quer que Vine, fallassc re-
cntenteme do que theram os carlistas reuni-
dos em Londres, dizeudo-se os representantes
do povo, chamamos siiaatleuco iobre a meii-
sagem Inclusa asseguiando-lhc que estamos
to atlaslados, como nossos compatriotas, dos
principios invocados por estes carlista), e da
poltica lao insensata quanto malenca susten-
tada por ellcs
O* mrmbros do conielltn cartilla de Slancheter.
John Sullon, prnidenlr, James Scach, Daniel
Danovon, HenryUulll, Williain Postor, James
Walmvsight, Samuel Jones, Tilomas Cobper.
Joiepli Entwio Tle, Samuel Rradbury, John
Gulleridgc, James Alcock, secretario correipon-
denle.
Manchester, 29 de abril.*
Leu-se a nirnsagcm do conselho da associa-
5S0 carlista de Manchester aos reformadores
demcratas da Inglaterra, a qual lie do tcor se-
guinte :
Para consegiiir-sc o resultado desojado da
emancipado das classes operarlas da degrada-
cao poltica, nao ha soniin um meio, e este meio
consiste em ajudar ellectivamente c de todo o
coraco aobter urna medida de mudanza po-
ltica, coinmcrcial c social, propriapara dar
mais poder ou influencia s-massas nao eman-
cipadas. A agitaco para caria tem sido at
aqui dirigida, ao nosso ver, eni um sentido In-
icuamente contrario ao g"Slo e a disposloao do
povo ; ella he antes um desalio, do que 11111 ap-
pello phllosophico para o bom senso da naco:
d'ahl um espirito de rccenliiiicnto e de antago-
nismo em lugar de nina nrcsligacao respei-
tavol,
Urna opiniao se tem acreditado que julgamos
liem longe da verdado ; esta opiniao siistaola
que as classes operarlas podem por si sos fazer
da 1 harta uina lei, e que sho omnipotentes,
sendo seu desojo uina vonladc. c mcsiiin um
Tacto consumiiiado,
(1 A rellciao c a experiencia tcem-nos toda-
va levado a urna concluso bcm dflorentc. _A
nossa couvcco iiilima c profunda he que nao
somonte as classes opperarias nao podem faicr
por si sos uina grande unidme polillca, senao
que he ainda muito pa desojar que todas as
classos da sociedado lleeBysiia sancoo a toda a
mudanca que se lenlia 4SBAelntr. De outra
sorte, toda a mudanda em vez de ser urna re-
forma, lila parama anarchia, cem vez de ser-
illos governados pela opiniao publica, seria-
mis dominados por una faeco.
o A lioslilldade excitada entre os carlistas c
as classes mediis tem contribuido podeosa-
1 mente para prejudicar os nnssos inlcresses co-
mo partido; porque as classes medias sao, bcm
I como nos, as mais iuteressadas cm um gover-
. nojustn e iuiparcial, porgue sem a assisteu-
cia geral e direcla de urna giandc partedas
a.s. medias, he totalmente impossivcl espe-
rar alguma boa disposico de poder poltico.
'Nos pdenlas obter esta cooperaco mostrando
Um pouco desta generosidide de sentimentos
cujaauzcncia nao nos demoramos em condem-
: nar nos outros. Aquellea que no parlamento
' tcemconstante e ohstiiia lamente denunciado
', as el is.es inedias, sao os meiubioi os mais des-
acreditados e os mais immoraes deste corpo;
ellcs investem-nos, porque esle lie seu ultimo
recurso. He do interense desleshomcns per-
petuar asseparaedes das classes da sociedade ;
porque se as classes da sociedade se uuirein,
os agitadores perderao toda a Influencia ese-
rao rcduzldos necessidade de ganharos?u
pao quotldiano por um trabalho til. He esta
. uina questao que queremos seja francamente
, decidida porque acliamo-la na fontc de todos
os nossos desastres, c sein querer oflonder a
ninguein, protestamos contra os clubs c contra
I os aguadores de pi uliss.io, fabricantes de cri-
aos e de lulas, que Intcrvcm na poltica das
classes operaras, sem outro li-a que o de ncu-
I trallsar nossos esforcos para o melhoramento
' da condico do povo, c de tornar odiosa por sua
loucura, por sua mentira c por sua fraquesa,
urna cousa que, para tornar-se poderosa e res-
pcitada, noneccssila seno da auzencia de-ta*
conspiradores. Durante mullo tempo tem-
nos prestado s mlseraveis vistas de ambicio
pessoal, e das preslacflcs da incapacidade, pre-
sentemente nao estamos mais'por Isso.
He j lempo de adoptarmos urna marcha
til, e de apagaruios o sligma impresso na
causa do carlismo por seuielhantes amigos.
Nossa associacao tem por certp o direito de ser
ouvida nesla materia ; ella he notoriamente o
corpo carlista que tem sido sempre o prlmelro
em obrar, em pagar eem solTrer. Nossas sym-
pathias sao dovldas a todos aquelles que pro-
curan! a jnstica. Se nao Por possivcl tomar de
assalto e de improviso todo o arsenal da corrup-
co legislativa, procuremos sempre apoderar-
mo-nosdas obras exteriores c ao depois enves-
tiremos a cidadella. Honra e gracas associa-
cao nacional da reforma parlamentar e linan-
ceira, que pede a estenso do sufragio elclloral,
e que trabalha neste empenho! Ella tem me-
recido bcm denos, cumprc pois que marche-
mos na mcsini linha que ella. A elasse indus-
triosa deseja ver fater-sc alguma cousa para o
liui de Ihe ser aberlo o acesso da importancia
polillca ao momo tempo que se alargasse a es-
Irada da liberdade para o paiz todo. Attea-
dendo-se ao gasto enorme de energa, de lem-
po e de talento folio pela agitaco cm favor da
carta, he com effelto vergonha ver, que o par-
tido ao tem bastante poder para Influir na
elelco de um eomtabi (ollieial de ,'iistiea) de
iarocliia Queremos um estado de couias dif-
erentes, e havemos de tc-lo. Verdadciroa op-
perai ios, n.'io talemos causa cominillo com OS
simples agitadores, e nao abandonaremos mais
a estes, nem a nossa poltica, nem a nossa pro-
prledade.
Receutcmcntc tcm-se feito esforcos para
ligarse uina especie de socialismo bastardo
ao carlismo. Esta noeo fol lomada da escola
parisiense dos pliilosophos. Na Inglaterra,
basla-nos que o governo se oceupe de aeus
negocios-, queremos que nos dcixe oceupar-
mo-nos dos nossos, lntcrrompendo-nos o me-
nos que for posslvel e nao Intcrvlodo nunca
nclles. Reconhecemos que o inundo civillsa-
do deve mullo ao genio francs em numero-
sos respeltos ; mas nada temos achado as
economa! soclaes da Franca que quitessemos
adoptar como modelo nos nossos hbitos admi- rigi a cmara, cunsultando acerca da altera- terramento de 4 cadveres de pessoas mise-
nlstrativos. Sendo favoravcls aos direitos so- fo, que soiTrega o artigo3, T. 4 dai posturas raveis : mandou-ae pagar,
ciaes, nao reconhecemos no governo o dlrel- com a primeira condico do contrato do forne- Outro do mesmo. delendrndo-se da queda
to de regula-los, e absolutamente oppomo-nos cimento de carnes verdes, dizendo que na par- contra elle fella por Joo Pires Ferreira. em
ao projecto de addicionar planos de recons- le lin.il do mesmo artigo se v facultada a al- consequencia de ler sido multado, por iofrac-
1 meca. 1 da sin 11 d ido a uina medida puramen- leracao das horas da maianca do gado em clr- cao do arl. 16 t. 9 das posturas: lodlferio-
te poltica, como he a carta. Cornprehende- cumstancias anlogas s que determinaram a se a policio do queixoan.
inos e approvamos as assnciacdes cm que o necessidade da mui acertada providencia adop-: O Sr. vercador Souza fez o seguinte reque-
capital o talento e o trabalho de todos sao com tada por o referido contrato, mas que quando rmenlo, que fol approvado.
binados em que cada um tem direito urna mesmo nao podesse essa disposico linal ler Constando que ha pouco, se enterrara no
parte proporcionada ao capital e ao trabalho applicaco ao caso cm questao, eslava sempre convento do Carmo uin religioso do mesmo,
que nudo empregar para augmentar o fundo firmada 110 artigo I da lei provincial n, 278 de e na ordem terceira de S. Francisco um par-
geral da sociedade. Esle principio nao ataca 6 de malo deste anno a alteracio das horas da vulo, filho de um irmao da irmandade dol-.i-
o da soberana individual e do dlreito pessoal milano aulorlsada pela condico primeira do plrito Santo, requeiro que a cmara ordene ao
que consideramos como a le fundamental ea referido contrato, e em concluso declarara S, fiscal de S. Antonio trate de averiguar serne-
base da sociedade. Semelhanles coinbinacoes Esc. que a cunara deve propor quaesquer ou- lh une ficto com todo o cuidado. O vereador
fre.renles no distrlclo de Manchester, pro- tras duvldas,que Ihe haja de suscitara execuco Sousa
duxem ahi excedentes resultados. Estas asso- do contrato, sein o receio que denuucia. de po- Leo-se um oclo do administrador interino
claceVs familiares o povo com o empresto legi- dere seu procedlinenlo ser allribuido desojo do cemiterio, remetiendo Informadas as peti-
iiih.i c vantagens reaes do capital; ellas de eslorvar o servico contralado, porque reco- eoei de Bernardo Jos do Costa, Jos Cordeiro
lendein tamben! a elevar seus inembius na nhecendo-se j praliramente no muuicipio a dcSouza, e Manoel/eferino Das Brrelo, pre-
escalla social c a propagar o conheclinciilo grande.vaiilagcm por este modo garantida ao tendentes ao lugar vago de porteiro do cerni-
das vantagens do cominercin e da paz, como povo, ulnguem Ihe far a iojuslica de crcr, que terlo, e a de Joo Hermenegildo Xavier de Sal-
sendo 03 grandes instrumentos que mais con- ella nao deseje suscitar por sua parle esse be-1 les ao de guarda ; observando que as obrfga-
tribuem para illuslrar e civillsir o inundo, nelicio feito a seus niunicipes. Inleirada. jedes do porleirn consistem cin fazer a escrlp-
Intcrossar o povo por una partlcipaco direc- Oulroi das cmaras municipio-, da Victoria
ta, cm emnrezas industriaos no sentido da c Iguaraasii, aecusando a recepeo dos desta,
propriedade, he o mais seguro meio de prev- eui que Ihes couimuoicou a posse do actual
nir a anarchia e de conjurar a revolucao. Exm. presidente da provincia Inleirada-
a Cidados, temos sem reserva, bcm como Outro do presidente do conselho de saluhri-
sem ostcnlaco, submettido nossas opinioes dide, rcquisilando um mappa eslallslico do
ao vosso jiilgamento ; nao temos nem lison- cemiterio publico, desde que nelle principia-
geado, nem adulado; tem s exprimido a opi- rain a ter lugar as iiihumaces al o ultimo do
nlo que o tempo c ascircumstancias nos tem mez passado, para saber a mortalidade deste
inspirado, e seno teios exprimido o voiso municipio, c poder assim orgamsar a eslatisli
turaco do expediente da reparttcao, isto he
escriplurar o ponto, as folhas dos ordenados
mcusaes, copiar a correspondencia ollieial,
11 r mappas &, obrigaces eslas que deinan-
d un alguma inlelllgencia da parte de quem
as tirar de cumprir.
Pastando a cmara faser a nomeaco de
porteiro por escrutinio secreto, forara Hornea-
dos, Joo Hermenegildo Xavier de Salles coin
tres votos, Jleroardo Jos da Costa e Jos Cor-
pensanienlo, temos ao minos exposto o que ca medicada provincia, esperando que a ca-Idelro de Souza com dous votos cada um ; sui-
julgainos justo ; c esperaremos que tenhaes mar dsse orem que lio lim de cada trimes-|cllando-se, porein, a questao deque o mais
ocoasio de julgar por experiencia da exacli- fe. igucs mappas Ihe sojain rciucttldos. -- .volido, o fora por engao, e mesmo quedevla
do de nossas assercoos. Que se rcmeiicsse. ser excluido da votaco, em consequencia de
> A carta tem sc-nns tornado cara pelos sof- Outro do mesmo, podindo que a cmara cha- haver requerido uin logar de que nao exista
trimriiiot e pelas perseguicocs; mas nao que- masse a allenco dos liscacssobre a execucao vaga, a cmara decidi que se procedesse a
remos que urna to uobre causa seja prosli- do disposlo nos artigo 11 c 15 do titulo segn- nova nomeaco sobre os outros pretendentcs,
luida a designios inloiraineute pessoaes, c se do c artigo 2, Ululo 3 das postaras, marcando --'
acaso vos nao quizerdes unir com nosco para quanto a este ultimo arligo, praso 0111 que de-
salva-la da degradaco, Iremos sos defcndc-la vem ser tollos os ralos nos quinlaei. Que se
sobre o terreno respondesse que a cmara iio tem cessadodc
Assignado' Jumes Aleo**, sccrclaiio. recomincndar aos liscacs que facauicumprir
A associacao carllstisla de Manchester. cm as posturas.
n 11..,-.. .1. .-
rejcitindo o requeriinento d'adlamento deste
negocio que lisera o vereador Barros feito o
que, luis 1-1 nii.M iiioi-i /.eferino Das Barreto,
Jas Cordeiro de S.m/.a, c Bernardo Jos da
Costa dous votos cada um ; e o referido Joo
Hermenegildo um : assentou-se ainda de
um numeroso merlino, que leve lugar a 2 de Outro do procurador, remetiendo o bataneo proceder a terceira votaco sobre os tres
marco, adoptou unnimemente, as resolucoes da receila c despesa municipal do mez de ju- egualmenlc votados,e o resultado fol o inesmn,
deixando de volar o vercador Barros que deu-
sc de suspeito, e ento recorrendo-se sorte,
do-.-uip non esta, i favor de Bernardo Jos da
Costa.
Os vereadores Moraes c Souza dcclaram que
sempre utarain cm Jos Cordeiro de Souza.
Deliberou-sc que se ofliciassc ao Exm. pre-
sidente da provincia, pedindo-sc-lhe provi-
donciasse sobre a coofieco do regulamento
seguinte, sobre as quaes he chamada a alten- ""o prximo passado, e o mappa das inhuma-
eo de todas as classes da naco ; f6cs celtas no cemiterio em o mesmo lempo. --
I." Ni'n, carlistas, como corporaco,'per- A cominissode polica,
sistimos em pedir a carta de povo, como o di- 0al' do mesmo, participando que no da 4
relio de todos, e de claramos que em quanto do crreme a tarde, desaliara a coberta d uina
'nao aobtivermos, o principio de juslica ser das casinhas da ribeila do pcixe, da freguezta
ilusorio, c que o nosso sysloma poltico c so- de San-Jose, nao causaudo desasir a pessoa
cial estar curvado debaixo de uina oppresso alguma, e que ic faca neccssarlo repara-la.
individual e nacional. --Que a mandasse concertar.
i 2. Longos annos de una dura exprrien- Oulro do mesmo, participando haver rece- especial, de que trata a parle Anal do art. 57
ca mi tem feito conheccr a necessidade de bido a importancia de res 3:897/750 rs. das le- du regulamento do cemiterio, c se renovasse
urna uniao amigavel c de urna curperapo de tras que se tlraram ultiinainenlc do cofre, ven- o pedido por vesos feito presidencia, a fun
todos 05 ramos dos reformadores polillcos ; cidas no prlmelro do correte; bem como que de que os navios procedentes da Una de Fcr-
uma tal n m.i serla to poderosa, que nada haviain sido pagas Ihcsouraria da fazenda nando lr.1g.10 scixo em lastro, para ser empre-
pnderia resislr-lhc. A crlsc actual nos for- provincial nos dias de scua vencimentns, duas gado no caleamenlo das ras,
nece a occasio de operar esti uniao c de coin- 'ettras, urna de 1:400/ rs. ultima preslaeo do Mandou-se agradecer aos que estlveram en-
prirofnu pira o qual ella leude. Em conse- einprcsluno de 5-S98/I30, folio pelo mesmo carrrgados d'arrecadaco do imposto de 500n.
quencia disso temos resulvido ollcrecer .11111 V",'^"ro para a ''"""a das ras; e outra de o haverem feilo esse Irabalho coin zelo e licl-
mo fr.nornal a lodos aquellos que lulaiu para l:lv/ '* lerccira prealacao do emprestiino dade. Manjou-se remeltcr a ooinmisso de
u.....1 um 1 de,11, medidas de reforma que le- de 8:00o/ rs. na mesilla conformidide, feito delicacao o requeriinento de Antonio da Trin-
yantando avillameutc as massas de nossos com- Pa" a "boa do acqueducto dos palcos do Car- dade, vindo da presidencia para ser informado,
patriotas calcados aos pos. I"0 e ^uu Pedro, instando portanlo a pagar-se sobre terrenos de marinha na ra Imperial ,
1 Fui com grande prazer que lomos a inen- Prsildo deste ultimo emprestiino a ultima e o de Manoel Antonio de Jcauz, podlodo allc-
sagem da associacao para.irelin 1111 parlamon- lclra de 1:000/rs. vencer-sc no lim de se- raco na planuda cidade. na parte que com-
' t.r c liu.meen-1, assignada por ser Jolina Wal- '''"Oro futuro. Inleirada. prehende a ra da concordia ; c a de saudc o
' moloy 1 por consequencia ollercccinos o nosso Outro do mesmo, participando haver fallec- dos fornecedores de carne verde, pedindo a
apilo a esta associacao, persuadidos de que do Justino Mcroz, inqullno das casas da praoa revogacao da postura que obrga a cooducco
obrando assim, propagamos os principios da da Independencia, ns. 18 c 20, e nao haver doi- das carnes em carrocas.
nossa caria e abreviamos o caininho que deve xado herdeirosque poisam continuar no con. Despacharain-se as pelices de Aprigio Joic
conduzir cmancipaca cginplela dos obrei- lral do arrendamento das mesillas, pelo que da Silva, Hernadino Jos da Costa, Bazllio Al-
r0Si tem seus rendimeutos de ir a praca, depois (ves de Miranda, Domingos Ferreira Jorge, Joa-
3" No caso de um.i eleico geni recoin- 1uc se "omca curador ao espolio dclxado, do jquiui Antonio doi Santos Andradc, Joao Hci-
mciidainos as corporariioi enlistas que apre- que se est tralanda Ad liado menegildo Xavier de Salles, Jos Cordeiro de
s--ii[- ni .i'i > rleitores candidatos carlistas c se
Isto 11.10 Tur postivel que siistcntem os candida-
t >s da associacao para a reforma nacional par-
lamentar o finaiicc.ra, como o inethor meio de
fa/er onvlr a voz das classes operaras na c-
mara dus comm>ins.
; n i. Recommcndamos aos carlistas que se
oppuiiiiam a loda a tentativa, qualquer que
seja o partido que a fassa para restabeleccr as
leis sobre as cereaes. debaixo de qualquer for*
ni i que seja ; porque estamos convencidos (fue
este reslabclecimeuto he prejudicial nao so-
nienlf aos commcrciantes deste reino, senao
ainda aos mais aros Inleresses das classes
operarlas.
5. Reprovamos o pmprego de urna liu-
goagem violenta, porque ella tende a injuriar
a justa causa da reforma, e rccoimnendainos
Sueltes que tomo a peito a caus* dos desbor-
ados, que sejaiu (irincs c intrpidos nos seus
discursos, a lim de inostrarcm aos nossos
adversarios que, respeitando suas opinics
c seus precoiiceilos, nao cbamamos cm nosso
auxilio, para reclamar os hossjs direlo's,
nem a violencia, nem o criine.
Sendo a uniao o nosso lim, censuramos
a repulsa que se alfccti para com as classes
medias, e enndemnamos particularmente a re-
cuniini 11 11' .1 feita aos trablhad tarcm com dureza aquelles dos nossos, que
,nos aconselho que apoiemos a poryo das
classes medias que peden, reformas menos ex-
tensas do que as que queremos ; porque peu-
aainos que suas intenc.cs sao boas e sinceras,
e pedimos s chsscs operarlas, que cscutem
todas as opinioes com caima eaUeiiCs-io, porque
este he o nico meio que est de accordo com
a raso, c que pode ser favoravel aos interes-
ics. ou ao carcter da populacho laboriosa.
(t Assignadodo. Thomat /jcombt, membro
do parlamento."
{ Jornal da Debat. ) __
PEBJbAJi
5ESSAO KXTaAORDIfVAlUA EM 8 DE JUI.IIO
DE 1851.
Pre$ideneia da Oliveira,
Trcsentes os scnborcs Barros, Mamede, Mo-
raes, Souza,Pires Ferreira e Kigueiredo, faltn
do com ra usa participada o Sr, Carneiro Mon-
teiro, ahrio-sc a sesso, e foi lida c approvada
a acta da antecedente.
Fol Mdo o seguinte expediente:
Um ofticio do Exm, presidente da provincia,
mandando a cmara Informar acerca da mate-
ria da palicao que remettia, feito assciubla
geral pelos empregados desta cmara, e que
pelos meiinos Ihe foraenderessada, comuils-
an de peticao.
Outro do mesmo, cominunicando que por
portaria de 3o de junho ultimo, que por copia
remettia, baria convocado nos termos do *j 1."
artigo 24 da lei ale (2 de agosto de ISl,, a nova
assembli Icgislatlra provincial que ba deser-
wlrem a nona legislatura de 1852 a IH53. Que
se officiasse a S. Exc, dizendo-se-lhe que pare
Outro do inesjno, participando que no tribu- [Souza, Joao Pires Ferreira, Luis Perefra de
mi da ri'l.r.'io fora confirmada a senteuca que Castro, Manoel Xeiirino Dias harreto, e levan-
a cmara obtivera em seu favor contra llercu- 'tou-sc a sesso. Eu Manoel Ferreira Accioli,
lao Alves da Silva, a respeito da questo do'secretario interino, a rscrevi. "imr,i pr-
IBUC9
muro que o mesmo fi/.era contra as postura
na ra Nova da Solcdadc. Inleirada.
Outro do vigario de San Jos, remetiendo o
mappa dos baplsados fritos na uiesina fregu-
ia, no semestre lindo. Que se archivasic.
Outro do vigario dos .logados no mesmo
sentido do anterior. O uicsuio destino.
Outro do fiscal de S. Antonio, pedindo cs-
clareciinento sobro a maneia por que deve
cumprir o art. 1 t. B das posturas, que pro-
hibe o criar-sc porcos nos quintacs, c a sua
conservacao em casa, dentro da cidade, por
mais de oito das, visto como, se nao julga
competente para dar as buscas em taca casos
precisas ; e bem assim, que llic declrame a
cmara o lugar onde deve ser o rccolhiiiienlo
dos poicos .aprehendidos em correlcao, ou na
falta dcllc, por conla de quem se deve faxar
a dc-speta para Isto precisa, pola por nao haver
essa comiiiodidade, encontrara bastantes em-
barazos ua correic-io ltimamente : que, quan
to a primeira parte se respondesse que sempre
que liver de varejar alguma casa, onde Ihe
constar que hajaui porcos, no caio da lei
invoque priineiramenle o auiilio da polica
cujo chefe, em ofnclo roccntciiientc l'eito, de-
clarou que eslava disposlo a coadjuvar a c-
mara no cumprimento das posturas; e quan-
to a segunda que ti icsse o deposito dos porcos
aprehendidos, na casa darua das Larangeiras,
do patrimonio dos estabelcclinentos de cari-
dado, cujo actual llicsoureiru a franqueou
para este lim.
Oulro do mesmo, consultando sobre quem
deve repesar as carnes espostas a venda nos
lugares cin que nao existem repesadores p-
blicos, pois que sendo esle, dous, csto col-
locados em pontos onde he dirncll aos compra-
dores deste genero procura-Ios : que casse
adiado para ser tratado em tempo conveniente.
Outro do fiscal da lloa-VIsta, pedindo pa-
gamento de itVlO que despender coin o en
terramento de 3estallo) encontrados na Poo-
le-Velha c na estrada do Manguind: man-
dou-ie passsr mandado.
Outro do mesmo, participando ler sido a
Importancia das mullas do inri passado de res
i.-jiiuo, c pedindo se mandasse pagar ao Dr.
Manoel Duarlo de Farla a quantia de )8a000
res- de 3 corridas sanitarias feilas nos das 3,
10 e i4 do dito mes: inaudou-sc passar man-
dado
Idele. Mamede, Figueircdo, ferreira, Car-
neiro Munlciro.
JUI.Y DO RECIPE.
l.'SBSSiO ORDINARIA. ESI 28 DE JULHO
DE 1851.
PruUenria lo Sr. Dr. Keiva.
Promotor interino, o Sr. Sousa Garca.
jVserieiio, o Sr. Aprigio.
Advogadn da drfeta, o Sr. Dr. Jos Bernardo.
A's on/.e horas da manhaa feita a chamada
acham-se presentes V> Srs. jurados.
O Sr. Presidente : -- Abre a sessao.
Procede-seao sorleio do conselho que tem
de julgar ao reo Convallo Manoel de Ssnta-Au-
na, a, i ns ido pelo crlme de alalina de tnorte,
sahem sorteados os Srs. : Joao Antonio da Sil-
va Grillo, Joo Augusto Henriqucs da Silva,
Thomat de Carvalho Paes de Andradc, Joo
Alvcs-Machado, Jos Jcr.inyino Mnntero, Ig-
naii-a Al.. Jliontero, Jos Henlo da Costa,
Caetano Aurcliano de Carvalbo Couto, Jos
Francisco do Kego llarros, Jos da Costa Lima
Jnior, Antonio de Paula Fernaudea Eiras c
Francisco Jos da Costa Campcllo-
Preslado o juramento do estilo,
O Sr. Presidente : Faz. ao reo o seguinte
INTERROGATOnio.
Jais : -- Como se chama ?
Reo : Goncallo Manoel de Santa-Anna.
Jai: ; Sabe porque se acha processado ?
Reo : Nao, senhor.
Juis : Sabe porque foi preso P
llo : Nao, senhor.
Jais : Conliece a Mara Rozalina 1
Reo :Conheco, sim. senhor.
Juis ; Morava com essa rnulher ?
Jiro : Nao, senhor.
Jui: : Soubc se ella fura ferida .'
Hio : Eu ouvi dlier, que ella fra ferida.
Jaii : Nao Ihe disseram taubctn riuein a
ferlra r
Hio : Niio, senhor.
Jai: : -- Nao assislio formaco do seu pio-
cesso '
Reo : Assisti, simVsenhor.
Jai! : Nao Ihe disseram nessa occasio por-
que o processarain .'
Reo : Eu ouv Idr o processo c as tesle-
Outro do mesmo, participando csistircm V tu OUTI'" > processo c as tesie-
arruinadas .kias polas do afougue da ,n,lnh" """"-,n"0 1UC ellas disseram nao
Bo,%".." desaprumado, r,^-"*?^"-''' dl.ee ao Sr. sub-
!., e .embre-do que em vista do art. i.|*gg?^.gLM*
si das posturas, todas as portas do.mesmo, de-
Oulro do mesmo, transmit!udo para que d
a cmara execucao, na parte que Ihe tocar, co- arrecadado na dila Ireguesia. do imposto de
pas do aviso da reparlicao do imperio, datado 500 ris correspondentes a 132 retes moras
He ti ,1c junho ultimo, bem como o decreto n. para consumo de 3l de maio a 30 de junbo
702 desse mex, a que e refere o mesmo aviso, ultimo, fcVi/000, da ejual quanlia, dedualda
inandou callar,
m que dia foi ferida essa
rnulher 7
J*o : Nao, senhor.
Jii: -- Voc fol preso nesse metmo dia I
Reo : Nao, .senhor.
Jui::~ Enlo quanlos dias depois do fen-
nion 111 ?
Rio :- Ful preso a 9 de Janeiro.
Jaii : Mas olanlos das depois do ferl-
Clntra, occasionado talvex peld peso das agoxs D,*n.to .
p viaes, e que i.npede o o' lr.n,.tlo publico : ** ~ E,"n, '<>'"-
Jue se parucipasse ao Exea, presidente da 'g \ .1 jfifrZS''
jKnviucla par, providenciar. remettendo-M- ^ a.,Ti;e",d processo, donde se de-
lhe copia do dito oniclo : prehende. que o reo tendo prometlido esfa-
Outro do fiscal de S Josc. rc.neltendo o ^r ^"dida. for. con. erteilo um di. em
" no bra-
gente,
Outro do fiscal do Poco, participando haver q's"'Pntdnf: Fas o relatorl'o da cauta
em ter grades de ferro ou madelra : que se
utorisasse ao procurador a mandar, de accor-
do com o fiscal, fazer os concertns de que
precisa o mcsino acouguc, e que forcm de
mais necessidade.
Outro do mesmo, participando o arrombo
que appireccra na estrada Nova de S. Amaro,
cendo cunara, ajll'viala dos ariigos'oVoaJe junto a propriedade de Manoel Elias Coclho
84 da lei n. 387 de 19 de agosto de 1846, qusfe
eleico de deputados provinciaes deve ser fei-
ta no prlmelro domingo de desembro, para
evitar duvldas que por ventura se posiam sus-
citar, cousultava, se, mateando esse dia, olsra-
va em regra, e bem asslie* que S, Exc. Ihe de-
clarasse, se o lugar da reunio do colleglo elei- mappa do gado morlo no matadouro das Cinco d .. .. 7L. a|cllllia. r.cadas
toral he o mesmo J designado datJDUlra vez Ponas para consumo de 30 de junbo do evadiodo-sc guando se aproximou i
aMatrlz de Santo Antonio. correte ( 519 rezes) : inleirada. Feltas sallegaedos pro c contra,
e entrega ao conselho os seguiutes
QUKSITOS.
O rn Goncallo Manoel de Santa Anna.'
convocando a nova assciubla geral ordinaria, sua porceuiagcn de 10 por acento, entregara prailcou o fado de que be acensado de haver
- Que c respondesse dliendo, que em lempo o restante (59/400) ao procurador : inleirada, fello os ferimentos ronstantei do processo ?
conveniente dar a cmara cumprimento ao e que te participaste contadorla. I l Batee reriinentos oram feltos coin intea-
que Ihe Incumbe a lela eete reipelto. i Outro do mesmo, pedlodo pagamento da cao de tirar a vida a offendlda?
Outro do mesmo, em respasla ao que Ihe di- quanlia de I3000, que despender com o en- 3. Estes ferimentos delxirata de produzlr a
/-W^/J
^rr- >


marte por moUvM independemes da vontade
do reo ? ^fl
4. O mal corpreo resultante denea ferl-
ineotos prduiio grave cncommodo de saude
na oltenrilda ?
.'. O mal corpreo resultante dos foilmen-
toi, predaulo grave eucoumiodo d saude, por
mala de um mes t
mlk 6. Oreo praiicouenc facto oom a circums-
Mancla aggravanle de superloridade cin aeio,
4e maucira que a oftendda nao podesse defeo-
der-ie cora probabllldade de repelllr a of-
fenaa ?
7. Motive no reo auperioridade em forca, de
manelra. etc.?
8. Houvc no reo auperioridade em armas,
etc.?
9. Houve premidilacSo no reo para o lim de
commerter o delicio?
10. O reo eotrou na caa da offendida com
iutencao de prallcar ocrfmc ?
11. Existem clrcQmitanclat attenuantcs a
favor do ro ?
O jury reaponde ao primeiro quiailo lim, par
unaniuiidade de vntol ; aos aegundo, terceiro,
qnarlo e (quinto no, por unanimldode ; aos
esto, aelimo eoltavoiim, por unanlmidade
O Sr. presidente : Avala da ddalo do
jury, cpndemna o reo a 7 mezes do priso
limpies. ito quanto ao crinie de uso de ar-
ma defesat. absulvcu lo-o porm quanlu ao
de tentatiim it roubo.
CorrespondcMicia.
Srs. Redactores. Ton Jo eu ilisislidn da
accilo de injurias verbaes que inlentei con-
tra Jos Joaqun) Moreira em consequncis
de podido de alguns amigos, e tamben) por
me echar satisfeito com a caria que elle me
dlrigio.e ndemnisactodas despezas que fu,
e iin<> desejar por forma alguma persegu-
lo senSo obter a justa reparaco que me era
dev carta para que o publico fique ioleirado des-
ta oceurrencia, e dos molivos que dt-termi-
naram meu proced ment. SoudeV. Me.
muito venerador e criado
Joaquim Antonio dos Sanios Aniraie.
Pernamliuco, 29 de julho de 1851.
Sr. J. Antonio dos Santos'Andrado.--Cons-
ao niion/io, por 9 votos'; 'ao dcimo ria), pur ta-mo qu Vmc. anuir a disislir da quem
10 rotse aoonie t'm. porunauimidade. Eiis- qUe contra mim dera, por injurias verbaes
te a favor do roo a clrcumstaocla allenuaote f jz nHVor_l|)0 ou ,|u jgido, pur occasiSo
denlo ter havido no dellnquenlc pleno co-l(Je uma contest,cj0 que tivemoa acerca de
..heclmento do .nal e directa Iutencao de o pra-, conU (|ue ,{, apMroscntei. Nt verdaiie
O Sr Prnidente --A'vista da declsao do 'nao me record de haverlancado sobre Vmc.
Jury, condemna o t a um anno de prnio alm-;taes injurias, sendo que al me julgo inca-
plea e mulla correspondente a inetade do paz de um tal procediroento; todava po-
tempo.
Levanla-sc a sess.io > 4 horas da tarde.
IDEMKMuDKJULUO DE l85l.
I'rni./f II.-/.-1 do Sr, Dr. Neiva,
Aa on/.c c lucia horas da manhaa, (eita a
'chamada c acbando-ac prcienlei 41 juradoi:
O Sr. Preeidcnu: Abre a sesaao, multando
aos senhores que deiiaraui de comparecer sem
escusa legal.
Proccde-sc ao sorlerio do conselho que tem
de julgar no reo Francisco Antonio de Carva-
Ibo, aecusado pelos crimes de lanfaiira di rou-
bo, s hzo de armas prohibidas.
Saheiu sorteados o> Srs. Jos Martina Pinbei-
ro, Ignacio Jos da Silva, Tlicodoro d'Almeida
Costa, Jos Goncalvea da Porciuncula, Luiz
Jote Rodrigues de Souza, Dr. Chisiovao Xavier
Lopes, Joiio Antonio da Silva Grillo, Jos da
Cruz Santos, Jos liento da Cosa, Jos Eran-
cisco do Reg Barros, Joo da Costa Una J-
nior e Jo Joaquim lomes de Castro.
Prestado o juramento do cstylo.
O Sr, Vrt'iatnli: Fas ao niu o seguintc
INTERROGATORIO.
Jui; : Como se chama ?
Reo i ^a Francisco Antonio de Carvalho.
Juis: Sabe porque se acha prucessado ?
Reo : ~ lanero.
Jhij : Sabe porque fol preso?
Reo : Nao, seuhor.
Jais : Em que lugar foi preso.'
Rio : -. Na ra d'Aurora. -
Juis : fe dia, ou de noile?
deudo ser que o livesse feito vislo que entilo
eu eslava bastantemente irritado, devo do-
clarar-ltie que nao tivo nem poda ter a in-
tencSo de o injuriar, pelo que peco-lho per-
missSo para retirar qualquer expresso of-
fensiva que porventura eu proferisseaseu
respe i tu. Fica ao seu dispor o de Vmc, s-
tenlo e criadoJ. J. Moreira.
Publicar;!o a pedido.
NFNIA.
A sentida mortc do Illm. Sr. coronel Jos de
llarros Falcao de Laccrd ollcrecida aseus
illustres flllios.
Non eontrislemini seeut ti cateriqui
Sptm non habuit. hp ad Thtisalonic C. 4. V. 12.
Basta j de chorar, saudosos filhos,
O motivo do pranlo o pranto enchuguc
A dr he natural: c a natureza
l!m tributo aequer de amor la clnzas
DaqudleA quem a inorlc Inrxoravel
Dos bracos nos llrou tao cruelmente,
Tarturaiidu desl'arlens coracoes
Dos sinceros aiulgos que pranleam
A lembranca porm dos feitos nobres,
Das virtudes do ficroe queja nao vive
Moderar deve o nossosrntlmento,
Rea : De noile.
Jmi : E nao Ihc disseram porque o pren- osso amargo pezar, nossa saudade,
(ban? ; Nao existe ntrenos, aos cos vdou
Rio : Prcnderam-mc mas n;io me disse-'\ unir-so a chara esposa virtuosa,
lamporquc. Companheirn liel das glorias suas,
Juis: Nao foi encontrado com uma laca De suas privacSes, de suas penas,
de ponta.' N5o cxisic entre nos aos cos vou
fco .-- I.u n;io trj na arma alguma senhor. o nclito e iminorlal Jos de Barros,
Ji> : Quando foi preso, nao acabavade de- Uip dos grandes hroes da independencia,
^embarcar 'uma caua ? # Da classe militar esmalte e brilho,
Reo : Nao senhor. Da patria o defensor inais extremado,
Juis ; A quem pertcnciam um inslruuien- Por quem nunca temeu dar vida e sanguc
lo, que se acbavam n'essa canoa; 3ao existe entre ndi, e sobraneciro
Ac : Eu n.i:i sci porque nao vi nada. A' inorada estcllifera subi
Jii'j: Que fazia na ra d'Aurora quando Para o premio obier na eternidade
lili preso ? o que o mundo na vida Ihe negou.
Rio : Tinha hido ao meu passeio. Asslm acaba o justo, ovirluo/o,
Jm: : Que horas cram? Assim costuma o co cnchcrdcbencaos
IWo : Era meia noile. Aquelte qu' ao senhor lenice confessa,
Juis : -- Sabo em que dia teve lugar esso Bunditendo o seu nomc.c o sen poder, (a)
seu passeio i' Basta pols de chorar, saudosos filhos.
Reo ;-- Foi 18 OU 17 do Janeiro, UaO C- motive do pranto o pranto enchuguc.
tou be m certo.
Juii: -- l'ouco antes de ser preso, no lia-
ia sabido do junto da porta da botica da
ra nova ?
Reo : -- N3o senhor so eu ate nPssa oc-
casiSo nilo tiuba hilo p-.ra la.
Juis : Achgva-se so quando foi preso ou
commais aigum companheiro ?
Ho 85.
Juis: Aondc (icarjm os sous compa-
nheros?
Reo ; Os meus companheiros ? Ilu n3o
andei com pessoa alguma.
Jm; : -- Ouviu nessa orcasiio da prizo
alguns gritos de pri/i^ladrao '
trazem
morar
reci
moa
emti
chapeo. Aojos da Porcluoo'ula a Joo Manoel dos San-
lalla-seque vao collocii-se frente dos tos. pararccruus; a ordem do subdelegado da
com mandos das nossa divilOes militares fi egueila de San Fre Pedro Goocalves, Firml-
slgnns generaes que merceme conflanca no de Tal, sem declaracSo do motlvb; e a ao J ^^^ j?ur
da aituacSo ; como o barfio do flesquitn subdelegado da freguezla da oa-VlsU, o preto!0 p,|0 ue Janeiro,
Cabreira Joaquim Bento -- e bario de P'u'arco, escravo de Denli Antonio de Horaes e | Bua chegada.
Viohaes. O governo cooserva no comman- s"v Por nllr/>t^9-
dem do dia 28.
do da lerceira e nuarta divisos o general
Ferreira, que po? seu c.r.ct,r,Mf. e fr^. %'& \ZXr?C%!$S$!\
enrieos merece as sympatias do publico. c0 ,0, de Soulai para recrulll .y a ordeol do
O Ferreira ho um elemento de ordem, e a subdelegado da freguezla de Santo Antonio,
ordem he boje uma grande necessidade. Damlio de tal, Tlburclo Valeriano. Antonio de
Diz-so que D. Carlos Mascsren'nas fura in- Souia eSilva, e Miguel Joaquim, para o mesmo1
limado para ir de quartel para a Ericeira, A", e o escravo Benedicto, por desordem a ri a scena com toda apompa, o aparato
masque eslava doente, porm que dava a ordem do subdelegado da freguezla de San Jo-
su palavra d'bonra de que nao conspirara. *5' I"."" <>0 ".">. P<>C >o de armas, c
Continua a dizer-se que o marquez de
Joi Joaquim por crinie de ferimeuto e a do
,, t"" """rt"" subdelegado da freguezla dos Alogados, Jos
Fronteira embarca para Londres. Parece Floriano Pessoa, Joao Jos de SenS, Claudlno
que o conde de Mello he nomeado enera Marques, AlelxoJos do Carino e Pedro Ale-
d'eslido maior da terceira divisSo. O briga- xandrlnoda Rocha, para recruta.
deiro bario da Luz foi nomeado chefe de /oVm do dia 29.
Estado maior. Parece que temas cotilo, cu- Forampreos; a ordem do juis municipal
cas diplomticas em Varsovia entre o Im- da priinclra varadeste tenne,Jo3o Mendea Ca-
perador da Russia. eo Reda Prussia. ^"I"' 50t/"r conleaat0 : *or?*m.do
subdelegado da fregueiia de San Frei Pedro
equisico de seu se-
Tsorbein corre que bouvera em Madrldo
roa de S. Bernardo um barulbo basi rio entre os estudanlea e oa-empregados de
Polica ; o Sr. Chico com os seus compartas
deu cutiladaa t dliem que forao presos trea
estudantes, e queappareceu oo Campo de Agra-
mante um chapeo mutilado. Escrevem e
Parli ao meu Practicante que o Govrno do
EIrteu mandara um despacho serio ao sea
Ministro nests corte, no qual lhe dlzia que a
Repblica, apesar de ser-Repblica havia de
sustentar o Traclado da quadrupla allianca.
Recebi noticias importantes de Bcrliui. No
Theatro Real da Grande opera estavao ensay-
ando urna nova Tragedla do aiUigo Theatro
grego o Hyppolito de Euripeaes ; os co-
entre-actos e recitativos crao obra do Se-
bulz, que os poz em msica. A'prlmeira re-
prcMiitac.Mi assiste toda a corte, o oorpo pl-
plomatlco c o'S I.itteajklos. Tambein se ensaia
o Prometheu encadeado de Esquilo, a m-
sica dos coros he de Melerbeer.
Carlos Rousset, allante francez, mora* na
ra de S. Carlos na Nova Orleaues: Rousset era
casado, e tinha luctado constantemente contra
a fortuna, que nao era sua amiga. Rousset
desanimou, e consultou com a sua qulrida ine-
tade o modoe a manelra de por termo ao seu
estado aflictivo; convenclonaro suicldar-se ao
mesmo lempo. Para este lim Junctaro gran-
de poroso de arsnico, que eslava reservado
para os ratos : senlarao-se ha mesa, dividirlo
o arsnico em partes Iguaes, e o lancarao em
duas garrafas de vidro : a uoica teslemunlia
ca urna garrafa de vlnho o arsnico pasin
aos vasos ; silencio profundo. Que lens. ma-
rido ? lhe perauntou a querida matade: tens
inedo.'-Mcdo un Francez! Ilie tornou o
Mestre Alfaiate ; c bebeu todo o contedo !.
Como porem visse que a sua qucridlnha lan-
cara a sua parte de arsnico ao chao, c que em
logar dellc beber um trago de vlnho, llie dls-
sc : quequer Isto dizer ? ao que a querldinha
respoudeu : meu cara Rouisct, morro descan-
tado, que Irel seguirle ha sepultura ; c te
nao sigoj he porque quero ficar para te la-
zcr o enterro com roda a decencia : concluido
o acto atiro-me no arsnico, e vou unir-mc ao
meu liiui-.ci Poueo depols o marido morreu,
e parece que a sua querida inetade rccnnii-
dernra !! i
D muito que fallar em Madrid um successo.
queja esta nos Tilbunaes. Uma dasI notabllt,
dadva da epocba actual conheceu a infidelidad
da sua esposa, c parece ter-sc Tingado atroz
incntc, apunhalando o mortal favorecido que
era outra grande notabilidad* I! espalhou-se
que esle tinha morrido de morie puplelica
mas o rumor do assasslnato divulgou-sc, e a
justica se enearregou da exhumacao-! he ne-
gocio muito escandaloso, e que oceupa os al-
tos circuios de Madrldo.
Recebi cartas de Madrid que me cscreveu D.
Clilsmngrapliia: ncltas me diz que cerfa can-
tora de Primo Cor/rio levara um bom par de
bofetadas que lhe dera um senhor da alia so-
ciedade por causa dtelos : Acaba de ser pro-
phanada a Igreja de S. Thomaz em Madrid.
Em quanto um sacerdote niegava eslava um
janola multo taful, c lilho efe pessoas de bem,
liinpandi as algibeiras de nina joven que esta-
vadcjocllios ao p dellc Alguns cavallieiros,
que pescarao o negocio, iniciaran de Ihc tan-
car a mili i., o
soco, chomc a ._
iro-lhe por fin. o dlnhelro de que "1^ r0 I dizem que o Aguiar n.1o quimera accoi- C"?
0 tjpor inglez rswioi,
nuuoiido pela respectiva agen
ca de chegar hoja (311 u,
rdpa, recebe as malas par
e Babia, 8 boras depois de
Theatro de Apollo.
SABBA00, a DE AGOSTO DE 1851.
l'iiiucii-a recita da asMlgnatnra.
Depois de uma escolhida ouverlura.subi-
Falt.v. a ov.cflo do Gimnasio.' felizmente o Vi0TScod?
..avernos de Ic-la na noile de 9 de Junho, Ilhor a ordem do subdelegado da freguezla
mas no theatro de S. Carlos onde trabalha- de San Jos, Joaquim dos Santos, para recrulaj
raacompanha das comedias pequonitas. ca do subdelegado da freguezla dos 1 Togados,
Consta que sua magostado catholica agr- Jos, escravo de Francisco Antonio da Silva,
ciara com a grS Cruz de Izabel o Soares "
i.o .1, nosso ministro na corte de Santo Ilde-
fonso. Tambem se diz que o general Nar-
vaez, .duque de Valencia, descendo urna
escada, rali ira, e quebrara a rabees que
nnite lora ao theatro, mas quo se recoihera
bstanlo encommoddo. Dos permita quo
a cabeca do Nirvaez nao tcDlia perigo.
sem declaraco do motivo.
COMMERCIO.
w AI.FANDEGA.
Rendimentodo da 30.....7:645,356
llrsrarrcgam haje 31 de julho.
O meu correspondente particular def lo- r)r!81"3 porluSuez 1a' mereadonas.
renca me diz quena madrugada do dia 4 lrigUe l,olg" "" iean dX b*quenghlin-. dem.
apparecera na praca de Calci uma arvofo da i"?"? "n.','r.icano -Brandy-Wim- breu.
liberdade com o seu carapuco vermelho, e
um letreiroquedizia vivaa repblica. A
polica apoderou-se do arbusto e do lotrei-
ro, o lancou ogadanho ao dono da arvoro. No
da 26 houve jnelo a casa da moea uma
pequea desordem entre alguns municipaes
e mis olafalos por causado uma prizSo;
lliate brasileiro A guia Brasiltira gene-
ros do paiz.
IIII! i di-l licu.
Brigtte belgo Jcan de Locquenghien, vndo
da Rahia, consignado a lirander a Runds
& Companliia, manifestou oseguinte:
8caixas pannos, 1 embrurbo amostras, t
barrica e 4 caitas ferragens, 70 caixas la-
n.1o levo carcter poltico. O nosso Rover- f ,; ,
nador civil de Santarem Jos de Mello Geral- CAel' b'^r.,Lpl??0', 2 Ca!X" l,Kt?*' 8
des proclamou aos saotsrenos uo sonlido dlas """" ,0 dlt" ,qollos e 56 enes
da ordem, da agricultura e do commercio. """Hff Jfj ... Pnm
Parece que se descobrio uma conspiracao ''"''s pregos; a C. J. Astty & Cm-
prela no Hait conlra o governo do impera- StlIL'i......
governo do impe _
Jor Faustino prmeiro. Tem ali havido has-
la utos prisOes, a varias pessoas tem sido fu-
ziladas N3o so a Railia Chrislina quebrou
nina perol, tambem a rainha da Grecia tor-
ceu um pe I parece polas noticias que rece-
bi do Alhenas i ultima hora que no foi cou-
de cuidado.
25 caixas papel de escrever ; a Kalkmann
Irmos
1 embrulholivros; a J. Chardon.
15 csixss chales e lencos do algodSo e te-
da ; a Sharhectlin &Tobler.
1 caixa fcltros ; a J. Keller & Companliia.
20 caixas armas : a Roth Se Ridoulac.
drama do Sr. Mendes Leal, em cinco actos.
O Hometn da Mascara Negra.
"s Srs. assignautes lerSo a bondad* de tu
vospera r receber os seus rarlOes, no es-
criptorio do theatro, e aquellas pessoas qus
quizerem asslgnar, doverilo com anteceden-
cia dirigir-so ao mesmo theatro para ah da-
rom os sous nomos.
Cocnecara o espectculo as 8 boras.
Pnbiicaco Iliteraria.
HORAS VACAS.
Con este titulo sahir al o lim do agos-
to, um volunte, contendo variasproducoii.'s
poticas do acadmico Olindense, o Sr. Joa-
qun da Costa Ribeiro, ja bem coobecido
porsuas doces poesas, publicadas em di-
versos jornaes dealgumas provincias do ioj.
perif!, e principalmente pela poezia : Alil
Corina, s tu s meus amores,--que por
ahi corre. Recebem-se astiguaturas, ni
livraria da esquina do Collegio, eem Olio-
da, na casa do Sr. L. Bizerra Monteiro. Pre-
so 3,000 rs.
evBBB)iB)))BavBBBBaaBiBa)))))))aBB^iaaBaB)BaB)jBaiBBaB*^M
Avisos martimos.
.-v...... ...- .-.. sa de cuidado. Parece que houve teneJo
como elle rcsistlsse, Jogarao o de masrarar o Joaquim Antonio do Aguiar, 1%.Cal^ P,lP J ,mPreKSo- *"r,cs
sua pioguita de sangue Ti- dando-lhe o titulo do visconde do Barrci- 'cis dclato, 12calxa armas, 100 barn-
Para o Rio de Janeiro segu viagem
coai hrevida Jo o brigue brasileiro Animo
capilSo Domingos Antonio de Azevedo'
quem no mesmo quizer earregar, ir de pss-
sagem ou embarcar escravos, pode enlen-
der-se com o capitSo ou com Luiz Jos da
S Araujo, na ra da Cruz n. 83.
Para o Rio de Janeiro.
Segu no dia SI do corronlOj-ti brigue es-
cuna brasileiro alinda, os senhores quo no
mesmo tem escravos para embarcar, os de-
voro ter a bordo nesse dia at rio borasis
da manb.'i.
Cear e Para.
A veleira e he conhecida escuna brssi-
leira Rmilla, de que he capillo e pratico An-
tonio Silvoira Maciel Jnior, deve chegar do
Un. I .i nnA jkfsl/xA < i i < 4 \ m -* -i am^ m___1_.a
com sua inulher, e nela.
Sentio-se de uollc eslrondos em casa; e as
pessoas que la entrarla crao incommodadas
com um choveiro de batatas, caucas, c cacos
' de telha, arrojados do tecto por mao invlsivel.
Ficrao-sc diversas buscas as casas, c nos
forros, e nao se encontrn pessoa alguma.
I Deu islo muito que fallar. A credulidade
popular, e o espirito supersticioso de algomaj
pessoas bem intencionadas fizorao dar vulto
aquellalllusiio, c atralirao aquelte sitio, cha
propria casa juna mullidao de cu.iosos.
A dona da casa achava-se dornlc, c por Isso
juais^lransida de suslo.
A aullioridadc Intervalo, mandando trancar
portas c jancllas por onde se dcsconliou que
poderia inliodutir-sc alguin individuo interes-
sado em sustentar aquello embuste, apesar
CAUTA DE BltAZ TIZANA, DOTICAIII porem de todas as diligencias o lal mefo OOn-
DE IISBOA AO BAH&EilR tinuava a mimosear os visitanlcs com as com-
Malo 28 ptenles batatas c cacos, al que a final c des-
llon tkM-. Saber que o meu practicanten- cour|" I"* ""-^ ""1 ^.,d?S; "U *"
uammado no sagrado amor da patria, requeren 'l'"'Ue mM! a'u? >'"."'unlcaia l'1".""1 Pc"
!H. R.diVaiio.
NARIIADIS
, andar \ cnsi, oiult? se en-
^ salsa parrilha, que be a ordem pharmace... entraran dous saceos de batatas ..........
:a, isto he, a qi!e perlencc-ao bicho boti- *< a 'l.ara-l.oia, c rccolhidos os saceos
rio: Por inais pregaces que lhe fiz, por 'aqnellc provnncnlo. o medo dcsappa-
IIIMII" MU '1 IflO .111" I l.l l'll.ll. I' ,111 M -
ser condecorado com a commenda da ordem ,l"<-n0 quarto do 1
da
tic.
cario : Por inais preeacoes que lhe llz, po.
Re :-- OUVI, porem Il30 VI pessoa al- lals que Ihc disse que o jove.n se dava ao re- rceeu
guma. dicul0' nil0 me fol 'possivel trar-lhe isso da -"as clrcuinslaiicias c oniras notavcil coin-
Jui: : Donde partiam esses grillos ? cabeca. O rapaz diz que salvou a patria, que Oldenclai dao fundado mono rara acreditar,
Reo : -- Eram lant.s a rilar que cu deu vivas ao marcchal, que pos a cabrea ao que a guin criminoso allenta.lo se prcincdita-
nSo sei sol no mel do vivorio. que atou Ir, coroae 'l'baiao daquellc especioso c ridiculo prc-
Jui; : Mas donde rarliSo ? c> ogueiorio, c que j estav. na lista do fer- *
tu vi. i~ i j .) rueento, rrgo que he bcnciucrito da patria,
Reo i V.nba do lado da ponte. sc;prc%,^vc aima,, ,, mfor .spirite, e
luii: [sao foiobr. qu-m principiou a qUe attendendo-sc ao mfrrcimrmtoemcii.parlM,
jv il \^f\1 uv. il 1 I 1 ni rumbar uma das portas da botica da ra deve ser commendador.
nova ?
Reo : Eu no senhor.
Juis : Nem ouviu dizer quem foss ?
Reo : No Sr.
Juiz : Estando preso desde Janeiro nun-
ca tratou de inJagar do motivo de sua
prizo?
7eb: Ocvi dizer, porem...
uii : O que ouviodizer?
Hesite, cu nao sei se o joven tem, ou nao
tem raso; mas que elle tem pancada na mola,
issoaccredilo cu. Iloje quem nao apprcsenla
o prato de eslanho nos enterros, metcm-lhe mente lein periendeuies.
r i c.. ..... ......... li-
na in.ia urna locha ja usada; e nos soirees, ou
E tambem parece provavcl que nlgiiem de
deotrn da casa ii-j era eslranho c cssa vergo-
nliosi manubra.
A opinl.-io publica apona al o duplicado
fim que naquclla tentativa se linha cin Asta.
A viuvo goza d'alguma fortuna, deque jio-
de dispor tem una nela, que provavel-
Sou, em no.nc da nacao c da rainha.
seu amigo,
le Citoveu
Bras Tisuria
bailes nao toma cha das primelras bandejas, saude, patacos
No hu...cuto tenpo denossos avs, para ar- c Iraternidade
raojar-se um pendurcalho, era preclro cortar
trinla o uma cabC9as a irita mouros, boje IDKJi "
basta gritar a bordo do Viriato ou do 1). lien- ATon c'ier. O Diario pnlillcou o decreto de
Reo:Ouvi, porque ouvi lero processo. rique, ou fazer suela duila de quadras para o 2G do miio, quo abre a c.imara herelitaria
Juis : Mas O que ouvio ? hvmno, e ei-lo logo rajado, como disse in lio aos paros> qUC 0 decrelo do 28 do maio Je
utpori o Manoel Pasaos. 183Uiva suspendido d nTf* f^^ i,.!.. F.m tiA.jlil.t niij^ lanlin id. ibs In_ ..
preco
cito os dentes arruinados, e acalma as dores i
O meu collega Morley do Corpo S.neto000^ ". '^ilas de metr.lha. 78 pares dtl.s
lit'.ua a fornecer-nos as sua
liosas c suavemente deiobstruen
lulas s3o boas para as az
cruezas, ictericia, sesfles. fastio, airronl.: 4 c. i, granadeiras 48
mentos asthma, epilepsia m ...tacOes, oar |nn03 po|vor p50 fo|uetos e v,'rios
ostrucOes, e molestias de polle I ht- um uiencilos Para armamento
remedio desopilante, quo passa alvsrA de ulenc"l0S ^v.n^o'ern.,
"'l'*'c D0S P"P P,ra os ,,a" Itendimento do di. f. 29 '. 35:563,617
nbosdomar.'! Que grsndecousa se as pi- ,.,.. H(1 ... 0 ,.,',
lulas do Morley cursssem ou provenissem r,,59'
as bexigas polticas.' as obstruedes dos pro-
gramn.as! o as .disenterias dos pronuncia-
TcaUaoMendes Leal acaba do nos dar '-^.JS'Wf U m".0.*?"
noticia de que o Marquez do vallada fra ,._, .... ,ft *
agraciado com uma Crla Cruz, cquea me-: em U0 la JU "........
ninaans das Merces sltribtieofoguelcs! isto
nclla he raiva DU''raque.o coronel Passos
vai l 'in in i .uiir _. .ido do Artilhoiria I. Aca-
ba de chefiar um expresso do Setubal aos
liomons do largo do intandonle com a im-
portante o rao esporada noticia de que o
MagnlhSes fizera resar as Avo liarla ao seu
iiaulhflo de catadores n. 2.'.' mereca sup-
plemento.
OScveriano Silvestre Lipa entregoua ad-
niiin ii,]i;,'io do 1 un ro de helept no seu suc-
cessor no dia 9*. mete"u-se em urna sege, e """"" '"'dos no da 30.
reiron-se; alguns rabns de polici do Al- A"sterdam -- patacho dmlmarquez Come!,
capilSo P. A. Perlenson, carga couros.
Italtimore -- briguo ingles Noupariel, capi-
cantarn deitarflo mcii duzin do foguctes.
Falla-so quo o visconde da fonio nova pas-
cara a conde do mesmo titulo. Que o Anto-
nio Tnomsz fra Teilo Baro de Almeida ; e
que o Carnciro, quo fra commissario em'
chefe em 47, Uvera o titulo de barfio de Loi-1
ros. \."i. pude assistir ao beneficio da di-
r Novelho quo hontem teve lugar em S.
Carlos, maa mandei o meu pralicantocomo
representante da minba pharmaceutica fes-'
soa, ou personageoi. A Novelho toveb a ca-
rteo: Por me emputarem o ser Isdriio
Juis : -- Entao ja sabe do molivo por que
Fui processado. Sabe eacrereri'
/.'..sim senhor sei.
Na minha real verdade que lenho do do ma- pe, tj j aj|les3o a C1US1 uu lio
olhe que se tem visto gago compre- ..... ....
da soberana. O decrelo est bom exarado ;
rcchal
tenedes por escripto, c de viva vuz nao se fax (
idea do grande numero de salvadoies da pa- honra o govcnio.-n he um lloran para a co-
SSolidas as pecas no processo, don le so tria, que estavao occultos! admira que anda roa maternal da soberana, que, digam o que.
v queem uma das noites domez dejanci- houvesse tanta gente sem habito ou com- quizerem, sendo bem accomelhain, ha de
lo desle auno, pretenderain arrombar a bo- menda! Batan. Mestre, todas as rcvoluces conenrer para a felici lado do paiz. Accoila-
tica da ra Nova pe loncnic ao Sr. Pinto, e ,cm ,uiM miserias; todas tem a sen lado r50 es[es pares, ou seus succesores as ca-
sendo petsentidos os ladrees embarcaram- caricato. Se o cofre das grafas seccar, nada dejs |ha Bpprosentam, ou as recusar
sccm uma canoa, e atrsvesssr.im par a d? "eaanlm.r: be ter paciencia, c appellar ^^ n3o prM[aremo jiirumenti ?
outra margem do rio, constando, que al- P tenho um freguea, que na ProcissSo de Alg"*. mestre, sei quo aeccitam. o ou-
guns ,se precipitaran! n'agua, deixando a Corpus ChrisU appresenta na casaca urna to- tros quo nao ;yqualquer porm que seje o
canos com alguns instrumentos proprios boleta de hbitos, que parece a de um ourlves resultado, o go orno mostrou quo quera a
para roubar. Na occaaiin em que ardo da ra do auro, e todos pelo sen increciinento reconciliaciio 'fc V i m 11 i portugueza, e os
ni.nl. una IIHV c uuic Win u u.uiu c l........ ,. ____ ,,_
P"l,> .. A bacalhocira morre por ser baronc.aI del- "na, e nada man. Eu por mim digo--a
Segucm-se as allense(5es pro e contra, en- a.|1; cada louco curn sua telina. patria prmeiro que ludo,
carregando-sc da defez o Sr. Dr. Fenelon o governo vai por ora marchando oom lir- Puhliccu-so tambem o decreto de 20 de
lindas asquees, meza, e aturando a massa immensa de pre- maio, que nomea a commisso para a le,
O Sr. presidente ; Faz o relatorioda csuza tendentes, que sao como os pardacs. Falla-se ou decrelo eleitoral, sobre a bso da elei-
o onlroga ao conselho os seguintes. em reacc-ee, em conspIracOei, e em esquadras Ho i'idirect A commissflo he composta
QUI SITOS
Primeiro. O reo Francisco Anloaio de
Camino, pra.icou o facto de que he aecu- jroCr.^.' 7Z^W, *c j preparada, se islo flo fo.se, .U.M
sado de se liaver dirigido a casa de Pinto ele torre'.'. Alguns municipaes contiouo a ,s" forniahdade, so os trabalhos solfres-
boticarlo com os instrumentos menciona- faur btnificios, Isto he, ajogar o sueco com sem discussfio, de cario no teriamos curtes
los no libollo a follias 33 com o fim de o alguna sollados dos que viero da invicta.' esta anno! Parece que o llorculano nSo
roubar.' He um divertiiucnto gratuito que diverte a po- quiz mostrar-se sem um grande estado
Segundo. 0 reo fez arromhamenlo na pulaca, c desterra as cavallidadcs dos^ajudan- rnaior Em quanto aos caracteres de que a
dita casa "
-- O Illm. Sr. inspeelor da thesouraria da
fazenda provincial, em cumpnmentoda re-
sa, oorotl e flores, e o seu retracto distri- solucfio do tribunal administrativo, manda
uio pelos camarotes. I fazer publico, quo no dia 7 de agosto pro-
Corre que prenderfio o amigalhfio do Vi- 'ximo vin louro, vai mvamento a praca para
viaut emLiorne. Tambem se diz quo bre- ser arrematado em basta publica perante o
vemcnlo se rompero as hostilidades entro o mesmo tribunal a quem mais der, seis nto-
Brazilo Buenos-Ayres. Tambem se dizque radas de casis que cobrara a fazenda pro-
o Dictador Itosisab Jicara. Em fim tolos vincial om pagamento dosollo de heranca no
dizem o que querom ; o que ho corto he que inventario de Joaquim Luiz de Mello Cario-
o conde uoThomar esta em LouJres.e o l)u-ca, eque na conformidadeda le foram ad-
quo do Saldanha em Lisboa Que o Men-:judicadas a mesma fszenda provincial, sen-
des Leal chora, o que o Sampayo ri-se Co-1 do quatrn na pnvnr;lto dos Afogsdos ns. 24,
imbra vai receber as luzos de um novo jor-; 26, 28 e 30, avahadas em 900,000 rs.; e duas
nal poltico = o Povo Ha de brilhar sina ra dos Pocos ns. 15 e 16, avahadas em
ahias vezes por semana, segundas e quiti-. 360,000. Os concorrentes compareeflo no
tas. Dizem ser obra do Hispo de Arrifaua j dia cima indicado pelo meio dia na salla
nullius dicesis. do mesmo tribunal. E pira constarse man-
Por decreto de 26 da maio loi_ reformido'douallixaro presentee publicar pelo Diario.
Secretuia da thesourarl da fazenda pro-
vincial de Peroambuco, 28dejulho de 1851.
O secretario,
Antonio terreira da Annunciarfo.
TeodoS Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia remetlido a esta directora geral ex-
emplares do rogulainento da instruccJo pu
Escuna anierien Cliflon, vinda de New- Srffi P^!",^"',^?.8're Mguir* Par'
para, com escala pelo Ceara, com a coslu-
mada brevidade : para carga c passagelros,
trata-se com JoSo Carlos Augusto da Silva,
na ra da Cruz n. 13.
lliate Novo Olinda.
Vai ser arrematado perante o jiz dos or-
phfios, o hiate Atoo O/indo, bem conhecido
pela sua conslrucfio, acha-se aparelhado de
tudo quanto lie necessario para poder nave-
gar, tendo de sobrecelente 1 corrente nova
com 30 bracas, e 1 vela bijarrona tambem
nova ; acha-se Tundeado junto ao trapiche
do algodao, aonde pode ser examinado : as
pessoas que quizerem algum esciirecimeu-
to, pdom dirigtr-se a Luiz Antonio Perei-
ra, na ra do Quelmado.
Psra o Aracsty segu viagem com mui-
____ ta brevidade o hiato Exatacdo, mestre An-
37:275,246 ton' "snoel Alfonso: quem no mesmoqui-
-------------,zer earregar, ou ir do passagem, pode en-
tender-so com o mestre, no trapiche do al-
godfio, ou com S Araujo, na ra da Cruz.
Ccar e MaranhSo.
O muito conhecido e conceituado brigue
escuna brasileiro Laura, deve chegar nestes
diasaesle porto, procedente dos de aquel-
las ; regresssr para os mosutos.com a cos-
tumada, incoofostavel hrovl.laile, tcnloja
a maior parte da caega prom pta; para o res-
tante e passageiros, para os quaes olTereca
ptimas accommodacOcs: trata-se com Jos
Baptista da Fonseca Jnior, ra do Vigano
n. 23, segundo andar.
Para Lisboa segu com brevidade, por
lera maior parte da carga prom pta, o brigue
portuguez l.aia, bem construido, forrado e
encavilhado de cobre, e de que he capilSo
Manoel Jos Anlunes: pira o resto da carga
e passageiros, para o que tem os melhoros o
mais aceados commodos, trata-se com os
seus consignatarios, Francisco Se veris uo Ka-
bello kFilbo.
Para Loanda e mais portos d'Africa o
brigue portuguez Trlumphante, capitn An-
tonio Domingos de Carvalho, pretende sa-
bir al oito de agosto, recebe passageiros :
quem pretender dirija-se ao referido capi-
lSo ou ao Oliveira Irutfios 6 Companhia : na
ra da Cruz n. 9.
2:196,213
28,161
2:224,974
RECEBEDORJA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rondimento do dia 30......426,335
CONSULADO PROVINCIAL.
Iilem do da 30.......1:046,459
Alo vintenio do porto.
l.l Carmeichael, carga guano.
Rio do Janeiro brigue norueguez Antlope,
capilSo J. Svaue carga a mesma que
trouxe.
Declara tjoes.
eiu rcactoc, eu. conspira..oes, i- un i .ji.au. ..> r-ao l'ldirecta .' A COmmiSSO lie COmpOSll
Hussas, e Otloman.s.porquc assegurao que o j, peMols -1 < oslo numero com elT-i-
%&'$2^&?S^^l. to 1 J quesUo nfio eslives-
Toreeiro. Orocomecon
barnentona dita cssa ?
Quarto. Oreo deixou de realisar o seu
projecto por clrcumslanclss independeates
de sua vontadc. ?
Quinto. O ro pralicou .noite o facto de
que he aecusado ?
tes deordens. Com ludo, Incoinmodo ; po- eommissllo s compOs, nada ha quo dizer!
fazer arrooi- den. ser sjmptoma de barulhos grandes, que respeitaveis por suas luzos e ser-
gestade a gni cruz da orden, da Cooceico, Ihj d certa graca. A commissao pode Cha- njch a Duquez de brsganc, viuva do im-
pelos servicoa que prestou ao pronuuciamenlo. mar-se a arca de Noe. [Perador D. Pedro, cjjis viitudes erSo co-
Sua magestade, agraciando o conde, obrou um Corre que o D. Sancho Manoel do Vilhe-' nlicci las o admiradas por qnantos aprycilo
cto de justlfa: o conde era digno della. Ouvi nj, o o visconde de Azora
o presiJenlodo conselho da saude do exer-
cilo Joaquim Joso Vidigal Salgado, e nomea-
do para o substituir; o Cirurgiao Joaquim
Antonio dos Snelos Teixeira. lis muito
que estes dous gallos so picavo! O Car-
los lira n la,i de Castro Ferreri foi exonera-
do do canonicato militar que desfructava no
estado maior ijo exercito. Hdame dispo-; blica de 12 de maio p. p, para serem'dtstri-
ntbilidad) acaba de receber em seu seio o co-'bui Jos pelos Srs. professores pblicos de
ronelderavallaria 4 Jeronymo da Silva Mal- ambos os soxos; de orJeni do Illm. Sr. di-
donado o'Ecs, commendador moderno pola rector geral da instruccJo publica fago sa-
hrmeza Annuncia-se em Coimbra oulro;ber, a quom convierque os ditos exeutpla-
jornal poltico novo o Liberal do Mondo-; res acham so no lycou, aonde os poderam ir
go he redigido polo Antonio Jos Itodri-.' ou mandar receber.
gucs Vidal. Directora geral, 28 de julho de 1851.
Ahi vai umanoticia triste que faz rir. Le- Candido Eustaquio Cesar de Mello, amanuen-
se no popular, jornal do Mili i I do 27 do se archivista.
corrente, o seguate Temoso sentimen- REAL COMPANHIA DOS PAQUETES INCLE-
to de anaunciar que no da 13 do eorrente j ZES A VAPOR.
> 3 e um quarto da tardo falleceu em Ma- asg-!-}, 0 bem conhecido e veloz va-
por Teviott commandante Re-
ten, deve aqu chegar dos
Leildes,
njr, e o visconde de Azoras recusaram par-
dizerque o code daa Antas lora ou val ser no- (fner commisso .' .' E-tes douscavalhci-
Sexto. Houve ajuste entre o reo e outros meado Inspector geral da iofaotariaj e que o ros pertoncom dinasta do Sr, I). Miguel
para o fim de commetler-se o crime i1 "orU Joao val commandar o ib. Tambem ac d Braganca, que esl om Londres. O mss-
Setimo. Existem cireumsl.nci.s a.te- ^rTZtZ^VT^ZsZl PedVd ru. da borla sece. venle-se
nuanlesem favor do teoi lhe he favoravel. um um cavallo miaiav; parece que he onun
SECLWDA QUESTAU. I'allva-sc hontem mullo no chafariz do Lo- do da patria do Kossulh. A rainha Chrislina
Primeiro. O roo pralicon o facto de que reto de uma grande victoria que as tropas esta quasi IkVtabejecida : n duque da Vic-
he aecusado de usar sem licennea de armas heipaoholas alcancarao soi.re as do Sultao de loria, espartero, lhe escreveu dando lhe os
prohibidas? lo,i>- Dil'io us subditos da rainha Isabel, senlimentos quo livera pelo seu real desas-
Sogundo. O reo praticoJ noite esso J*0,}01. ""V"\a,y/'nV?t"%HHl.-!u'* "" Ir : o raesato foz o duque de Valencia,, que
portos da HUropa no dia 31 do
facto ?
decisiva
; que a cldade ricara reduzida a cin- ....'n, Franca
.ut o Sultao com toda a sua corle ae r.f.T '"*Ln
Terceiro. Existem circumstatieias atte- "*ra r\lo"fagmdT^"lm"doTpe.Vechos Falla-se na modilicaco do gabinete hes-
nuanles a favor do roo -' militares, os hc.aohocs se apod o Jury respondeu quanto aos 7 quisitos pecos ; ludo Isto succedeu ao Archipelago o meu^gaMego no dovida ^dsto^ Chegou o
da primeira qnestlo tito por 11 votos. Quan- Philipplno
o valor dos Principes, a quem devem seus corrente rauz, e depois de uma demora aqu
povos instituicues libaraea I I: E que tal de 12 horas!o dia claro, seguir par os do
esta n raido do popular : Sua magestade a sul; aquellas pessoas quo quizarem ir de
duquoza de Braganca n.lo esti em Munich, passagem para os ditos portos; devem a pro-
vive em Lisboa e goza perfeita saude I ora vettar-se desle vapor, no s pela regulari-
flem-se la em peridicos.' dade de sna marcha, como principalmente
Sou,em nome da aaxjSo o da Rainha. fpola seguraoca e bom aranjo do snesmo ;
Sa'id.', pn ticos Seu amigo, assim oomo elle Tundear o mais pertoque
e fratoroidade, LeCitoyea fOr possivel; as pessoas que prelenJerem
Bras Tisana, passagem, doveram tratar antecipadamenle
j l'riodicoi dos Pobres no Porio. )_______ em casa da respectiva agencia : ra do Tra-
mw**m KepartQO da Polica. i AssociacSo commercial de Per-
PARTE DO DA 26.D1SL107: nambt.CO.
Forain presos: a ordem do juiz municipal
A. S. Corbett, tendo de reti-
ra rse para Inglaterra, nestes dias,
far o seu leilau ( j annunciado )
por intervengo do corretor Migue I
Carnciro, nos dias 3t do corren-
te, e.i. de agosto, as 9 horada
manhaa, de toda a sua mobilia ,
carros, cavallos, etc., etc., na ca-
sa de sua residencia, na ra do
Hospicio junto ao quartel.
O corretor Oliveira far leilSo, por ur-
dum (I ll.'iiry llull, capito da escuna ln-
gl.'/a Rival, por conla e risco de quem per-
tencor, em presegea do Sr. vico-consul de
S. M- 11, e no eacriptoriu do respectivo con-
sulado, ra do Trapiche novo, de uma cai-
xinha de costura, um candieiro de meza, 6
cobertss de metal pratiado, para pratos, un
porta licor, um bule, e diversosobjectos de
meza tudo do mesmo metal, 2 caixas botica
eto. torniquete, e diversos instrumentos
completos de cirurgia, e entre estes unta
maquina de tiraragoa do estomago; salva-
dos da dita escuna ltimamente naufragada
na prac> do Brum d'esta Cldade, na sna
llha de As-
as 11 boras
recente viagem procedente da
cencHo : sabbado, 2 de agosto
da manbl.
A direccSo convida aos Snrs. associados
segundo dise um vapor lugiez vapor Mootroze e nelle viero como lhe dis-
to ao primeiro asegundo da segunda qnei- ebegado a Marcclha.____________________ se, o principe de Sate Coburgo Colla, pa- daprimeira vara desle termo Bonifacio albino P"s a reuoio ordinaria em assemblea ge-
tt), -sim -- por 10 votos e qurnto ao ter- a ) f tfe bunrdiolur homo, aut nit Uomi- 'ente d'el-re, o sua esposa a princeza Cli- c Lula Franciico Xavier, por ealarem senten- ral no da sexta-reira 1. de Agosto prximo
coiro o ultimo do por 9 votos num\ Vviim -11. y. 11. mentius, lilha do fallecido Luiz Philippe : ciados; a ordem do delegado do primeiro dis- viudojro, ao moto da om ponto ; eui con-
Avisos diversos.
- Pode-se so Sr. cnsul de Inglaterra.que
mande para o correio as gazelos que vte-
rom nos vapores da campanil i a, para que
sejam all entregues a seus proprios donos,
e nao-acontecer que os leve o primeiro que
Ibe pozer a mSo.
As accO-s entre amigos annexas ase-
gunda lotera, que na corle se extrahlo no
me? de julho do corrente anno, passam a
seren annexas segunda, que se extrshir
no mez do-agosto.
- Tem-se justo comprar ao Sr. Waulli-
chard, o carro cor de caf, e oulro que man-
dn fazer: portanlo, se alguom tem algum
direitosobreellesappareca na ra Novan.
63. no prazo do tres dias que lindan, no pri-
meiro de agosto.
tv/11 itii Ann


jigo tern mais que dizer m cartax.
nrcbetra be a bulha dos tacho.
ran>a, infernal machina da Derosne.
isrflo prehenchidoiosJBlervallos das me-
Ihore Pfl de martello, sobre alindo en-
" pHmeiro.O ainos.que nlo az de todos o
tafinnos.
(tundo. A burrai eem rae.
Terca! ro. As taixas de fwro (mentira; pa-
"qmS^i aprociavela banbeiros do cho-
q SBuiM-hi a larca em carcter serio.
" O mano por cosluae.
cr Iiooj aue nao continuo a impmiinir
SSeiUwf publico, porque nao tem quem
rUndPsino.,oemUix.a de ferro, .topeto.
- Da-ae -sociedade em urna vends bem i O.Sr. Francisco Antonio da Silva, da
sorlida, a quem entrar com irais ou menos rus do Rangel, queira mandar pagar a as-
funjM, com tanto que aaiba bom dirigir o signatura desle Diario, e em quanto 1180 o
negocio do balcSo : ni ra doArago n. 8. flzer Ter o seu nome pub'icado em letra
Precisa-so alugar o primeiro, mi se-.redonda.
gundo andar de urna cisa, cuja sala princi-j Arreida-aa, ou vonde-so um casa de
pal seja ospagosa, devendo ser a sua locili-jpedrae-oil, sita no llonteiro, com terreno
dado no bairro de S. Antonio, e as ruaa-do inara planta* e com arvoredos de frncto, por
Collegio,'Crespo, Cadeia ou S. Francisco :|prego commodo : trata-se na ra dasTrm-
quem o tiver pira ilugar.mnuncie por esta fcbeiras n.48, primeiro andar,
folha para se tratar do ajuste. --Preciaa-ae de um poriiiguei que seja pcrl-
- Precisi-se de um bom feltor, para um '< cm planlajdea de sitio, para o fa.er em
J3
engenho perto desta praga : quem esliver
neslas circunstancias, dirija-se a ra larga
do Rozario, loja n. 35.
A mesa regedora da irmandide doSe-
nhor Bom Jesua das Dores na igreja de S.
Gonzalo, tendo a proceder a eleigSo da no-
va mesa regedora, convida aquelles irmSos
. que anda nSo tenham asslgnado no livro
- Roa-aeolI!m. Sr.Manoel Marques ua compeienteassuas entradas, como dispOe
Costa soares, o favor de mandar ver_o 1seu i0 capllui0 primeiro do paragrapho primeiro
reacio, quemindou concortar em dezem- i(Jo ^ compromisso queirflo se dirigir
uro de t. na ra das Floras n. 19; po.si o 1 ho;, do j;, em casa do e.crivao
cupim tem dado no dito '"' u.n annunciante nao se responaab.lisa pelo seu .. R> Sr BernarJo de A|bu
"*? ?recis0i-se fallar com. o Sr. Francisco
Anton.oCavalc.ntiCousse.ro: na ru -
Vicario n. 15, terce.ro andar.
Aluga-se um preto para o ser-
vico de caa, ou de sitio, paga-se
bem : na Solidade, sobrado de-
/ronle da igreja.
.- Na ra das Cruzes n. 40, venda de Do-
mingos ds Silva Csmpos, ha superiores bi-
chas de Ilamburgo para vender e alugar,
tanto em poredo como a retalho.
Precisa-se alugar urna prota com habi-
lidades, psra todo oservigo de umacssa.de
pouca familia : na ra do Brum n. 38.
No dia 4de agosto s 9 horas da ma-
cha, o abaixo assignado vender* a quem
miis der, um bom escravo de Angola, por
iodo Jofio, moco-e sem achaques, perten-
centes aos herdeiros do fallecido Emygdio
Jos I'ereira Guerra, para liquidado de par-
dillas : na ra da Paz o, 42.
Jalo Antonio Alves Bastos.
Humanidade".
Existe na porta da Igreja deNossa Sonho-
ra da Conceicflo dos militares, um misera-
vel preto, que pelo seu estado mrbido n,ao
se pJe levautar, e abi dar o ultimo alen-
t se a illuslrissima cmara ou os Srs. ad-
ministradores da carldade o nao fizerem
conduzl' psra o lugr competenle. Nflo he
este'o primeiro desgranado que morre nss
ras e pracas desta cidade. Kmquanto uns
desfructam as commodidades de urna vida
lauta e devenida se ontregSo aos prazores
e aos theatros, outros saliem do camiflno
da vida pela porta da desgranadlo abandono
o da miseria. *
Aluga-se umi cssa no Poco da Psoella
margein do rio Capibaribe com terreno, e
quintal murado, e estribara : quem preten-
der dinja-se ra do Crespo ao p do arco
n. 3.
Toma-so de trezentos a quinhentos
mil ris a p/emlo, dando-so escravos por
garantia : a quem servir este negocio pro-
cure na ra da Cruz n. 8, terceiro andar,
que se dir quem quer.
John Kennedy, subdito ingloz, retira-so
para fon do Imperio.
neniar lino Jos di Silva declara peio
presente, quo desta data em diante deixa de
vender bebidas espirituosas da producto
brssileira ; na aua taberna da ra da llora
n.48.
-- Aluga-se um grande sobrado na i're-
guezia da a^a-Vista com commodos ejde-
Roga-sc ao Sr. Bernardo de Albuquer-
que Fernandos Gama, queira dirigir-se a
Olinda, padaria do Varadouro, afim de con-
cluir o negocio qne nSo ignora, e que tan-
tas vezes tom promettido.
SebastiSo Antonio Fernandas, faz ver
ao respeitavel publico, que de hojo cm di-
ente se assignar por SebastiSo Luiz Hen-
riques, por haver outro do igual rime.
-- Aluga-se um preto bom cozinbeiro: na
rqa Formse defrontedo n. 3.
Precisa-se de urna ama de Icito : na ra
da Praia n. 39, primeiro andar.
No da 34 do correte, dcsencamlnhou-
se da mili) de um menino, um cavallo ruco,
pequeo e velho, achacado das mSos, apa-
relhado de cangalha e CIO,uaes : quem dello
soubordar noticias, dirija-se a ra da Sen-
zalla Nova n. 4, quo sera recompensado do
seu trabalho.
Attenc'O.
Rogs-so ao senhor, que ns tsrde do dis S5
docorrentf, levou por engao ou brincadei-*
ra, um relogio de ouro, com trancelim de
cabello, de cima de urna commodo, enlloca-
da na salla Interior da venda, na ra do
Aterro n. 54, o queira mandar entregar na
dita venda, at ao dia 31, alus, certo e bem
corto da pesaos que foi, ter o descosto de
ver no dia primeiro do agosto a sua profis-
silo e nome por extenso.
Paulo. .'alsiioux, dentista
fimicez, olTercce neii prest- S
1110 no publico pn.ru todos os W
mlstcrcs de sua proflse&o : <>
pode ser procurado a qual-
quer hora cm sua casa, na v
ra iiir;'ii(in Rozarlo, n. 36,
0 segundo andar.
O abaixo assignado, proprietario do
engenho CamaliSo do norte, sito margem
do rio Una na freguezia de Agua Prets, co-
marca do Rio Formoso, faz publico quo
ninguem deve comprar a Manuel Jos de
Souza Bello, o seu irmSo Jos Felicio do
Souza Guido o engenho denominado Parol,
que ellos levantaran, na dita freguezia, nom
efTectuar qualquer negocio relativo ao mes-
mo engenho, sem quo primeiro se demar-
quen] judicialmente as trras daqnelle en-
genho Parol; por quanto constando ter o
fallecido pai dos referidos Bello e Cuido
comprado urna propriedade de trras per-
tencentes a sismara do engenho Cuiambu-
ca, de cuja compra nSo apparececscriptura
publica nem particular, nSo se acha o men-
cionado engenho Parol dentro de tal sis-
mara, como se reconheceu na occssiBode
a .-.- ^ -------- ... --- llldl lii, (ihiiip ^1. 1 1 1 'i..... i. "' ^fcj.w ..
cuoc.a para urna numerosa familia : a Ira- S8 demarcar judicialmente o engenho Cui-
tar com Francisco Gomes de Carvalno, na ,mbuca, viudo a pertencer as trras em que
ra das Cruzes, ou na mesma casa, na ra esta co.|0cad0 o engenho Parol ao abaixo
dosCoelhosdas6ate as 8 horas da manhaa. la8ssignado como proprietario do engenho
Roga-se ao Sr. thesoureiro da decima
({iiarta lotera a favor do Iheatra da cidade
do Mtheroy, e aos Srs. vendedores de bi-
Ihetes, e cautelistas que nSo pague, nem
facaoutro qualquer nogocio pon o meio
InlHcto da dita lotera, do DWS28 caso saia
premiado, pois que foi perdido ou furtado,
e seus proprios donos sfio, Jos Simplicio
de SI Esleves, e Bernardo Corris de Helio,
cujos nomes se actium eslampados no verso
do mesmo bilhete.
-- A mesa regedora da irmandadedoSr.
Bom Jess das Dores na igreja de S. Gonza-
lo, convida a todos os IrmSos para o dia Do-
mingo 3 de agosto pelas 9 horas do dia, alim
de que reunidos em mesa geral no respec-
tivo consistorio, se proceda a eleicao da
nova mesa regedora.
Custodio Alves Rodrigues da Costa, do-
clara pelo presento, que desta data em dian-
te deixa de vender bebidas espiriiuosss de
produccSo brasileira : na sna venda na ra
da Aurora n. 38.
1. L B. Taborda, faz lembrar a muitos
dos seus devedores qne Ihe pediiam para
Ihe esperar at ao lim deste mez.que se nSo
osquecSo da roa promessa, senSo quizerem
que os publique por este jornal, porque o
annunciante he toreado aassim oraticar por
deveres que tem i cumprr. I
-- Preciza-se de urna escrava para servir
de saia a urna s pessoa, sabendo cosinhar,
lavar, eengommar: naiua estrella do Ro-
sario n. 171. andar.
lanoelJos deOliveira deixa do ven-
der bebidas espirituosas de producjSo bra-
sileira do primeiro de agosto om diante :
em sua venda na ra do Encantamento
n. 10.
Precisase alugar urna ama que tenha
bous costuuies para casa de pouca familia :
no cateo do hospital do l'araizo n t8, pri-
meiro sndir. '
-- Os abaixo ssigntdos querendo vender
o sitio, e casa do Uontelro com frente para
ooitao pelo lado do sul da igreja des. Pan-
taleSo, dedaram que esta casa se acha li-
vre e desembarazada, porem ae porventura
apparecer alguem com algum dlreito ao
niesmo sitio e casa, queira declarar por esta
folha por estes oilo diss, a quslidade do
embargo. Antonia Florinda P. di Mello,
l'jnti io Reg Barrot, Francisco Xavier Ca-
vulcantt Um, Alixandrino Cutiano de Olinda.
Declaro que vend ao Sr. Hanoel Tava-
res de Aquino osito dos Barreiras que me
pertencia, parte que herdei por morte de
minlia m5. o outra parla que comprei aot
meus manos por escriptura pasuda em 17
h ereiro de 18i7' e,la propriedade se
acha desembaracada, porem se porventura
apparecer alguem com direito a ella, queira
azersuas reclamacOos por estes oitodias,
cando porem um effeito qnalqner reven-
uicagao fela o depois des Joao do Reg Barros 'olco.
- Joaquim de Azevedo Villarouco, va
provincia do Cear a negocio.
- Pelo juizode paz do primeiro districto
ua ticgueiie de Santo Antonio se hadear-
1. .,l"ea) Pr publica no dia primeiro
luio Tlnilouro em audiencia do dito
fi uin "" eomot de coneur avaliadaem
JZ,,,?'' ?-or exec"So de Fermiano Jos
ost,g,K FrreM' Plorada a Jos da
osta Albuquerque.
precisa* i d*uni,,lro > d ru No.
prec.sa-se de onici.es de Uloeiro.
moni ^ 0T da hefanca do Meroz, nova-
no Mero, .' qUem Uvw Pdor d0 me9-
0 ui *igU,n *Jecl0> n,J t Ut -
nSi, n 1g0Bl Pro*"n. do contrario
rao 1 praca inf.ilivelmenle.
n *." reci8a-se alugar usa tr.oleque ou um
W. pohcu!"1* d CUW61* P* *qu,r*
CarnsliSo do norte, por conter este uina le-
go quadrada, conforme a sus sismarla,
principiando da margem do rio Una para o
norte com uma legoa a encontrar com tes-
tadas do engenho Cuiambuce, pelo que vem
a Acaro engenho Parol dentru da sismara
do engenho CarnsliSo do norte. E para que
n.'io posssm apparecer duvidas e contesla-
cOee com quem Iludido baja de comprar o
sobredito engenho Parol. ou fazer sobre
elle qualquer negocio, assim o avisa o abai-
xo assignado.
i'tio Formoso, 23 do julhode 1851.
Zeferino da Cunlia Bastos.
Alugam-se .is seguintes casas
Urna grande casa na estrada da ponte do
Uchos, com muitos commodos pira grande
familia, e ricamente acada, toda piulada, e
forrada de papel, com commodos fra para
escravos, estribarla para 6 cavallos, cochei-
ra para um grande carro, quintal murado
com poiUo para o rio, e 20 psde larangei-
ras e mais plantas. Um sobradinho de um
andar junto a mesma casi, muito fresco, a
margem do rio. Um grande sitie com mui-
to boa Casa para erando familia, bastantes
arvoredos de fructa, baixa para capim com
muro e portSo na estrada dos alDictos, de-
fronte igreja : a tratar na ra da Aurora,
sobrado o. 26.
Nova tinturara,
Na ra Velha, casa n. 74, tingo-so de todas
as cores,tira-se nodoas, e prepara-se casacas
que tenham algumas nodossu defeito.
A gentia de pnssoportes e titulo de residencia.
Claudioo do Itepo Lima mudou de resi-
dencia da ra de ftinta Rita para a da Praia,
n. 43, e tira psssaportes para dentro e fura
do imperio,o ttulos do residencia por preco
commodo.
Aluga-se o primeiro andar dt casa da
ra do Caes n. 5, perleucente a Francisco
Alves da Cunha, com muito aceio elimpe-
za, com commodos suincWntes para grande
familia, trrico e excedente vista : a tratar
na ra do Vigario n. l, primeiro andar.
RETRATOS DE l.ECTROTYPO.
Estabelecimento de Carlos D. Fredricks &.
We*i. No aterro da Boa-Vista n. 4.
Tendo chegado os professores Carlos D.
Fredricks &. Weeks dos Estados-Unidos
com destino ao Rio de Janeiro para onde
seguiru em pouco lempo, avisSo aos habi-
tantes d'esU cidado que o seu eslabel ci-
mento oslar iberio dehojeera diantedas 9da
manhSa al as 4 da tarde. O respeitavel
publico he convidado, a visitar a galerii.
a retratos lirados por este systema sSo
muito mais apreciados do que os antigos do
Diguerreolypo, e a ripidoz com que se ti-
rio he til quo a pessoa nSo pode deixar de
conservar a esprec.no natural. Isto tambem
he uma vant*gem para as pessoas que qui-
zerem mandar tirar os retratos de crianzas.
Tambem se tirSo copias de outros rotratos,
seja de pintura, ou JJiguerreotypo. Traba-
llia-ee com a mesma porfeicflo nos dias nu-
blados, como nos de sol claro. Os dias
mais proprios para as familias sSo os da se-
mina, para evitara concurrencia dos dias
de festa ; o para o muir commodo das se-
nhoras ba uma sala seprada. Os presos silo
de 6#uoo pira cima.
No piteo da Ribeira, loja do sobrado
u. 13, ehgomma.se e lava-se toda quili-
dade de roupa, por preco mais commodo
do que em oulra qualquer parle.
Novamente ae roga a todas s pessoas
em geral que eslSo devendo contas amigas
ua venda da ru da Cadeia do Reciten. 25,
defronle do Beco Cargo que venbam pagar
seus dbitos al o Om do crrente mez de
julho, ni certeza de que os que nSo (Izerem
terSo de ver seus nomes publicados, e se
proceder* nos termos da le.
um no lugar do Remedio : quem esllver aellas
circunstancias, dirija-se a alfindega desta ci-
dade a seu porteiro.
Consultorio Homeopathico, ra do Colle-
glo n. 25.
O Dr. Lobo Hoscoso d consultas gratui-
tis aos pobres, todos os dias uteis, desdo 9
oras da manhSa, at aomelo dis, depois
desea hora visitiracm sua casa os doentcs,
que liverem precisSo, e em casos extraor-
dinarios a qualquer hora do dia, ou noulo;
recebe doentes para tratar, ou fszer qual-
quer operacSo em uma casa para isso des-
tinada, fra da cidide, sendo o pre;o de
Aos (le. tes.
i, J. A. S. Jia), dentista, tem a honra de a-
visar ao respeitavel publico, que se ach
residindo na rus nova, primeiro andar, n.
19 onde estar sempre prompto i qualquer
chamado das 9 horas da minhSat ss 4 di
tarde ; o annucclsnte encherta de um to-
dos os denles, que pira isso tem um com
pleto sortimento de denles artiflciaes de
porcelana, sendo esta eomposicjlo incorri-
givel mu delicados o do ultimo gosto, e to-
dos os mais sccesaorios teodentos a sua
proBssSo : o annunciante assevera 1 todaaj
s pessoas que se quizerem utilisar do seu
prestimo, que So oxige paga alguma nSo
Meando os denles bem postos ; que nSo se
possam diferencar dos proprios denles na-
turacs, e podendo-se masligar com os mea-
mos toda e qualquer comida, sem sentir
a menor dr, sem ter receio de os quebrar.
Tamb'em chumba os denles naturaea fun-
dos da carie, com ouro ou prata, preveniudo
assi',11 a conliuuacSo da caiie o doros, e
mesmo evitan lo por essa forma do passar
a carie dos denles Turados para os oulros
1,000 a 2,000 rs. diarios para os escravos, IsSos : tambem tira pedra ou cario dos den
conforme as condic,0os que se estipularen),tes em geral, que tanto damnifica e coope-
e2,500 rs. para homens livres : as pessoas|ra para o man hlito da boeci, nSo sendo
que nSo poderem comparecer no consulto- tirado : o annunciante ha 12 annos que
rio pdein enviar suas infrmameos por cs-|exerce a sua profisSo nesta praca, e csse
cripta ou vocalmente, declarando o nome,'longo lempo o deve garantir.
dade, temperamento, constilui;So, resi-
dencia, e especificando todos osincommo-
dos que soffre o as molestias que antenur-
monto tem tidu.
-- Os Srs. Custodio Alves da Cunha, eJo-
PltESTOL SALSAPAIIRILIIA AMERICANA
Melhor t mais extraordinaria do mundo.
Preservaliva infallivcl contra as febres.
A salsa parrilha original egenuia de Bros-
tol possue todas as virtudes para curar to-
se Alves de Souza, squelle quo morounarua'das as enfermedades que provem do um es-
tos Guararapes, o esle na ra do Pilar, lado de impureza de saugue das secrcccGe-
queiram dirigir-se a livnria n. 6e8da pra- morvidis do figado c estomago, e em tos
(a da Independencia. ;dos os casos que necessitam remedios para
--ESTEBENET cutileiro e armeiro fran-'purificar o robustocer o sistema. Em 10-
ecz tem o honra de prevenir o respeitajrel dos os casos do escrophulas, erisipelas, li-
publico quelem aberto uma tenda na ra nhaerupcjes cutneas, manchas, bilis, cno
largado Rozario,antigamenledosQuarteis, flamacSoo debiliJade nosolhos, inchac.3s
ao do.quartel da polica, e as pessoas que das glandolas, dores lombaros, affecc,es
qnizerem honra-lo com sua freguezia a- rheumticas, dores nos ossos e as junlaa
charSo sempre prompto a satisfaze-los com hydorpcsis, despepsia, asthmo, dearihe. e
prontido, e boa execu?3o das obras e com desenteria, tosso resfriados, enllammac,3o
modidade .nos precos. Elle se encarre- de- pulmSos phthisica quaodo provm da
ga de qualquer concert pertencente a sua obstrucSodos brouchios em pessoas escro-
arte. Elle fizss amollacOcs as torcas, quitv pulosas,- enfluenzs, Indigestilo, ictericia
tas feiras e sabbados. debilidade geral do svstema nervoso, febres
--Na ra das Agoas Verde, n. 14, lava-se, agudas, calores, enfe'rmidades das mollie-
eengomma-se toda qoalidado de roupa, por resenfermidades lidiosas, e em todas is
preco mais commodo do quo em outra afec;0cs provenientes de uso moderado do
qualquer parte. mercurio. Esta salsa parrilha se en.proga
-- Precisa-se para alugar urna preta es- Cum elllcacia om todoi os sobreditos casos,
crsvi, que saiba tratar de crianza, o fazer e he recouhecida como a melhor medicina
o servido intorno de urna casa de pouca quo existe. Os frascos do salsa do llrislol
fornida quem a tlvcr dirija-so ao porteiro tocm mais de quatro tamaitos dos de sal-
d'Alfandega desta cidade, na mesma re- sa do Sands entretanto quo os de Bristol
partic,3o. sevendem por5,000rs. eos de Sands por
Aluga-se um sobrado de 2 andares as j>0O0 rs. Deposito central no Rio de lanci-
ruasseguintos : ra Direita, ra do Livra- ro, casado Vital Lapupc.e em Pernambuco
monto,?pateo do mesmo, ra do Queimado, na botica de Jos Maria Conjalvcs Ramos,
ra do Crespo : quem tiver e quizer alugar q ra dos Quarteis pegado ao quarlol de
dirija-se a ra da Praia n. 55. policia.
lioiu negocio para se ganliar. > o^^mam
NSo convindoao abaixo assignado contis. ('nmnric
nuar com a fabrica de cordoaria, pelos seu- j ^-lOllipias.
afazeres, o obngacfles a qua esta encarrega- .
do, tem resolvido vonder todos os ulencilios -- Compram-se escravos com oflicios de
da mesma fabrica, fornecendo 10 compra- ferrciro,carpinteiro epedroro, assim como
dor, a arte com todos os csclarecimcntos molecoles o molecas de 14 a 20 annos o mo-
precisos para qualquer pessoa poder dirig- cimbas com habilidades : na ra doCollo-
la, nilo so no fabrico do carro, como tsm- go n. 25, primeiro andan
bom no linho, couro, e outras qualidades de: Compra-se uma escrava de bonita ligu-
cordagens ; tambeui vonde hum terreno de ra e|quo si-ja boa cozinhoira oongomadeira,
trras proprias e enchuto com capacidade, o o 110 ontonda de costuras, para lora da pro-
extengSo precisa para so montara fahrca.jvincia na ra do Passeio loja n. 21.
O abaixo assignado afianza huin lucro certo
a quem quiser empregarnSo muito capital
ncslo negocio : As pessoas que quizerem
montar a dita fabrica no enligo estado om
queesteve deverSoentonder-socom o abaixo
assignado na caza do Sitio Araci em Santo A-
marinho nos dias uteis athas8 horas da
manhS e uos dias do guarda a-qualquer hora
do dia.
Manocl Luis da Yeiga.
S Ignacio Firiiio Xavier, lr. ;}
S em medicina, fixou sua residencia, na $|
w ra Nova, casa n 67, primeiro andar, p
' e aii 1 pode ser procurado para o exer- |
9$ cicio de sua Prolissiiu, a qualquer lio- 2
-| ra do dia, ou da ndute.
- Aluga-se a cocheira da ra do Tambi,
quo (lea no fundo do sobrado n. 12 da ra
doAragSocom boas commodidades, e por
barato preco i a tratar no mesmo sobrado,
primeiro andar.
O abaixo assignado faz scicntc as re-
partieres publicas quo cobram os importes
e consumos de tabernas, que no dia 27 de
julho corrento desmanenou o quo tulla na
Iravessado Dique n. 24.
Jos Gomes Ferreira da Silva.
- Uma senhora que bem sabe cosinhar,
propOe-so a eosinar muleques e negras, sem
que por isso perecba cousa alguma: quem
de seu prestimo sn quizer utilisar, dirija-se
ra da Cruz n. 15, segundo andar.
-- Na ra de Agoas-Verdcs, Sobrado de
um andar n. 14, d3o-se bolos de vendagem,
pagando-ae quatro vinlens por cada pataca:
tambem se recebe qualqer encommenda, o
searm.lo bandejas do muilo gosto, je de to-
do o proco.
O Sr. (enente Joio Bernar-
dino de Vasconcellos queira diri-
gir-se ra Nova n. 35, a negocio
que Ihe diz respeito.
0 Sr. Joaqim Ignacio Clemente de
Almeida Sarlnho, queira vir uu mandar pa-
gar na ra Nova n. 35 o restante da conl
qne ficou incumbido de pagar pur seu ma-
no, quando daqui saino para o sul em 1849.
Alluga-se o primeiro andar do sobrado
da ra nova n. G9 quem quiser alluga-lo di-
rija-se ao bilhas francez que achara com
quem tractar.
JoSo Kennedy subdito de S.M. Briran-
nica, retira-se pira Inglaterra.
Flllldlcao I" Aurora.
C.Starr & Companhia, respetosamente
annunciam ao publico, que o seu estabele-
cimentq para manufactura do toda a espe-
cie de michinismo tendo desde o seu prin-
cipio em 1829 ido constantemente augmen-
tando, lem hojo chegado a um estado de
perfeicKo tal, que nSo be inferior aos me-
ilinres que exislem em todo o imperio, tan-
to pelo que diz respeito a capacidade do
edificio, como pela excedencia dos mate-
riacs e pericia dos seus. empregados; oque
os habilita a offerecer-se com confianca pa-
ra a pontual execucSo do toda a especie de
machinas de vapor, de qualquer tamaito
ou descripcSo que sejam, fixaa, para na-
vios, ou locomotivas. Iguilmeute caldei-
na para vapor de todas as dimensOes, enge-
ridos para cannas movidos por vapor, por
agoa, ou por animaes, com todas as varie-
dades de moderna invencSo. Tachas de to-
dos os lmannos, alambiques de ferro de
todas as capacidades, instrumentos de agri-
cultura, rodas d'agoa e moinhos de vento
de todas as qualidades. Alvarengas e em-
barcares de ferro'de qualquer porte ou for-
ma que ae desejem. Puntes de ferro de lo-
dos as dimensOes, gradaras, vanndaa, por-
tos, columnas, sinos hydraulicos, boias de
forro, e n'umu pilavra todas as obras de
ferro e bronze, de que o paiz possa precisar'
(.racasa energa do governo, existe ja uma
escolenlo estrada feila em linha recta da
ponte da Boa Vista para o estabelecimento
em Santo Amiro, oque oflerece 1 maiorj
commodidade s
Visilar.
Vendas.
Bheles do Rio fie Janeiro.
Aos 2o.000,000 de rs.
Ni loja de miudezns da praQi da Indepen-
dencia n. 4, vendem-se bilheles inteiros,
meios, quarios, oilavos e vigsimos da d-
cima scxla lotera a beneficio do llieatro do
S. Pedro de Alcntara, qun corre no dia 26
de julho, e tambem se vende um resto de
bilheles inteiros do Ihcatro de Nictheroy:
na mesma loja recebse bilheles premiados
da lotera de N.S. do Livramento, em trocs
dos quo tem venda.
-- A bordo da sumaca Sanio Antonio, ven-
dc-se farinlia do mandioca muito boa de S
Matheus : ao lado do Corpo Sanio n. 25, ou
abordo.
Vondcm-so 6 escrayos, sendo um bom
carreiro, e 5 de lodo o servico ; 3 moleques
do idade 12 a 20 annos; 2 negrotas de idade
16 annos, sendo 1 recolhida, engomma, co-
ze, e cozinhao diario de urna casa, 3 ditas
de todo o servico : na ra Direita, defronle
do beco de S. Pedro n. 3.
Vista da cidade di Bahia.
Vende-te a vista da cidado da llahia, por
6,000 rs. : na praca da Independencia, livra-
ria n. 1; c s.
Carne doserlao.
Vende-se carne do scrUo, muito gorda e
deexcellente gosto: na ra do Queimado
n. 14.
tjneijos dosertao.
Venderr.-se queijos Jo serISo. muito fres-
caes : na ra do Queimado n. 14.
A 3so rs.
Yendcm-se meias finas, psra meninas, de
lodos os tamaitos, a 320 rs., o par: na ra
do Crespo n. 23.
A 120 rs.
Vendem-so luvas de rede, bordadas do se-
da, para senhora, a 120 rs o par: na ra do
Crespo n. 23.
Excedentes fazendas e delicadas
cores, j
Na ra do Crespo n. 10, lojf de I. L. B. Ta-
borda, vende-se uma fazenda nova, com lis-
tras, denominada meluzim, a 1,000 rs., a
vara; na mesma loja tem o figurino pelo
qual se poderi vor,a maneira, como as sc-
nhoras devem fazer os vestidos : alcm des-
tas, lia outras multas fa/eudas de gosto mo-
derno.
Aos donos de carrocas.
Vendo-se um bo manso, de cor-
roa, gordo e bonito, criado nos
irrcbaldcs desta cidade : a tratar
na ra do Queimado n. 25.
~ Vende-se uma preta de na-
co, muito robusta e forte, pro tria
para servico de campo, ou para
quitanda : a tratar na ra da Ca-
deia, loja n. .'io.
Calcado, a a,5oo e 3,000 rs.
No aterro da Boa Vista, defroote
da boneca,
chegou novo sortimento de sapallos de
couro de lustro, para homem, dos melhores
que tem violo do Aracaly, a 2,500 rs.; dito
da Baha, a 3,000 rs. ; ditos de couro hran -
co, a 800 e 1,000 rs., o do orollia, a 1,120 rs.;
assim como um completo sorti ment de cal-
cado fnncoz de todas as qualidades, tanto
pan homem, como para senhora e meninos,
o que tudo se vende mulo barato, a Um de
seipurir dinbeiro.
-r Vende-so feiJSo mulatinlio muito no-
vo : no armazem de Dias Ferreira a preco
commodo.
Vende-se uma preta moja, que cozi-
nln, engomma, ensaboa o cose : na ra da
Gloria n. 20.
Vende-se uma negra de uacSo, para en-
pessoas que o quizerem Igenho, ao comprador se dir o motivo : na
Iru do Collegio n. 14, primeiro andar.
Guia e manual do agricultor,
em dous volumes grossol, contendo alm
de virios tratados, o modo fcil e acertado
de manipularos prlncipaes productos agr-
colas, tanto de origem animal, como vege-
tal. A fabricado do queijo, do tnel, do vi-
nagre, das igoardenles, azeite e assucir de
cana, etc., etc obra ullissima aos senho-
res de engonhos o agricultores. Acaba de
ser publicad em 1850, e veio do Rio pelu
ultimo vapor: e vende-so no pateo do Col-
legio, casa do livro azul, por 10,000 rs.,
a obra.
Vende-se uma negra, com um ori de
4 a 5-anuos, boa cozinbeira, engommade-
ra e lavadeira '. na ra do Codorniz, ven-
da n. 10.
Na roa do Crespo n. 16, ba um rico
sortimento de manteletes e capotinhosde
diversas cores e qualidados, que se vondem
por muilo commodo preco.
-- Vende-se a loja n. 35, da praca da In-
dependencia, com armacSo, propria pan
caled.>, chipeleiro, ou ounves: a tratar na
ruaestroita do Rozario n.28, sogundo andar.
-- Vende-se e trespassa-se o ongenho T-
riri levantado em trras du engenho Algo-
doaes, e foreiroao hospital do Nossa Senho-
ra do Paraiso, junto a Nazareth do Cabo, de
bom passidio, mullo bom de rocas, con
umita extencSo de trras, e grandes matas
o muita madeira, com a safra criada, os ani-
maes que ha, gado de criar, e dez escravos:
a Iratir no aterro da Boa-Vista, sobrado n.
49, ou nu mesmo engenho. Advorte-se que
esto negocio se faz porque o dono alem de
passar mal. e pretender retirar-se para fura,
pretende mudar de estabelecimento visto o
seu estado.
NOVIDADF.
A el les em quanto nao se acabam.
Superiores cortes de cimbraia pratoada.
Esles corles ;s3o pella primeira vez chega-
dos a este mercado,e porlanto devem ser vis-
tos o comprados pelas senhoras de bom gos-
to, sendo seu diminuto cusi do 4,000 ; na
loja da ra do Crespo n. 6.
Vende-se um bonito escravo, pardo, de
ptima figure, muito fiel e som achaques,
do idade do 24 a 25 annos, sendo um dos
mais peritos ofliciaes de pedreiro que se pos
sa encontrar cm escravo, per isso que faz
toda e qualquer obra com perfeicSo, sem
precisar de risco de mostr, e tambem tra-
badla mu bom do canteo, e mais um preto
ilc 11 -<_ .< da idade de 25 a 30 annos, do boa
figura, ptimo lalhador de carne, no qual
ganda 800 rs. diarios i na ra do Mondego
0. 99
NOY1DADE.
A ellos antes que se acabem.
SSo chegados pela primeira vez a esti
provincia os muilo afamados cortes de ves-
tidos pratoados para quem tiver bom gosto,
pelo diminuto prego de 4,000 rs. : na ra
do Crespo,loja da esquina que vira paral
cadeia,
Conlinua-se a vender farinha da torra
muito boa, tanto em quartas, comoem al-
queiro: na ru larga do Rosurio n. 52,
venda.
Saceos de estopa.
Vendem-se 60 saceos de estopa.novos com
2 varas a 320 rs. : na ra larga do Rosario
n. 48, primeiro andar.
Capachos a 5oO rs.
Vende-sa capachos polo barato prec,o de
500 rs. cada um na ra larga do Rosario
n. 26.
iNa ra Nova n. G, loja de Mata
llamos e Companhia, acabam de
ebegar de Lisboa pelo ultimo
navio, a* seguintes obras de au-
tores mtii conhecidos,as quaes s|
venderao muito em conta a di-
nbeiro a vista, pura se liquidar.
RcvolueSo franceza de 48 por Lamartine,
4 voluntes ; historia das inquisices 2 volu-
mes, a virgem da polooia nova edic(3o pelo
consolheiro Bastos, 1 volume; portugal pi-
toresco com estampas de todos os rWs de
Portugal e das melhores vistas daquelle rei-
no, por lemn les Diniz, 4 volumes ; Doos
0 quer pelo visconde de Arlomcurt I volu-
me, fbulas do Lafontainc 1 volume, o sp-
tico 1 volume, o menino perdido 1 volume,
a ro la da fortuna 1 volume, aphorismos c
pensamentns moraes, religiosos, polticos
1 volme, Raphaol paginas do sogundo au-
no 2 volumes, o cavalneiro da casa verinc-
Ih.-i por A. Iiiiin.i-, cavalleiro 1lll111ne111.il
dito 4 volumes, beatas ou o aveulureiro 2
volumes, o bom menino por Cesar de Can-
tur 1 volume, poesias do A. Ilorculano 1 vol
os tres mosquiteiros, 4 volumes,vint; annos
depois 6 volumes, o americano em Londres
1 volume, Carlas do Olinda a Alzira 1 volu-
me, obras poclicas do D. Loonor Almeida
Portugal l.o ena e Alencastro, marqueza de
Aloma 6 volumes, o lavrador pcrfeilo 1 vo-
lume, outras muitas obras que estarlo pa-
tentes ao comprador, assim como urna 1 .1 -
c.ui de retratos de varias personagous de
Portugal, Iran,',!,- e llespanha, estampas de
santos, e finalmente a collecc3o dos succes-
sos de D. Ignez.
Contina-so a vender nwnteiga ingle-
za, a400rs., a libra; cli, a 1,920 e 2.400 rs.;
caf em grSo, a 160 rs.,- bolachinha ingleza,
a 200 rs : dita grande, a 140 e 180 rs. ale-
tria, a 200 rs.; mccarro e talherim, a 160
rs.; passas, a 289 rs.; sevada, a 100 rs.; fei-
j3o novo, a 320 rs a cuia ; velas do esper-
macete de5, 6 e7 em libra, a640rs.; ditas
de carnauba de 6, 7, 8e9emlibra, a 280
rs.; chocolate du Lisboa, a 320 rs.; azeitonaa,
a 120 rs., a garrafa ; queijos oovos, a 1,400
rs.: no pateo do Carmo, venda nova n. 2.
Vendn-se um casal de escravos, caai-
dos, muito robustos esadios, proprios pin
todo semen e principalmente para, algum
sitio, por j serem de idade, a escrava sabe
fazer lunc.a do barro, tedia o lijlo, lava, co-
zinlia, faz algumas qualidades de doce e
parlej, o escravo trabadla de enxada : na
ra do Queimado n. 14, se dir quem vende.
Uma balieira, por 60,000 rs.
Na ra da Cruz no Rfcife, armazem n. 13,
vende-se uma balieira, com todos os pe ten-
ees, por 60,000 rs.
Cabos de linho, a 28,000 rs.
Na ra da Croz no Recife, armazem n. 13,
vendem-se cabos de linho de todas as gros-
suras, a 28,000 rs., o quintal, em poredes a
vontade dos compradores.
Vende-se urna escrava, de nacSo An-
gola, idade -' anuos, para dentro, ou para
fra da-provincia, por precio commodo : na
rui das Larangeiras n. 4.
-- Vende-se um escravo, do nacSo Cani-
lluda, moco, sem vicios e ptimo ganha-
dorderua: trata-se narua di Penha n. 1,
terceiro andar.
Itapc Paulo Cordeiro.
Vende-se rap Paulo Cordeiro : na rna do
Queimado n. 16, loja de miudezas.
Vende-se um rico piano, ptente In-
glez, do autor Broadivood : no aterro da Boa
Vista, casa n. 38.
Vendem-se 9 bonitas escravas, ama de
meia idade, e outra de 25 annos, com al-
Aos 20:000^000 de ris.
Lotera do Rio de Janeiro.
Na praca da Independencia n.
13 e i5, loja de calcado do Aran-
tes, e na ra da Cadeia do Recife
n. 46. loja de raiudeas, vendem-
se bilheles, meios e cautelas da de-
cima quarta ioteria do theatro de
Nictheroy, e pelo vapor da oom-
panhia brasileira, que deve aqui
chegar no dia 3o do corrente mez,
espera se a lista da mesma lotera,
e igualmente estam expostos a ven-
da os mui afortunados hilhetes da
decima sexta lotera do theatro de
S. Pedro de Alcntara, e s5o pa-
gos quaesqoer premios que nelles
sahirem, sem ganancia alguma.
Bilhetes aa.oo
Meios 11,000
Quartos 5,5oo
Oilavos 2,800
Vigsimos i,3oo
Aos 5:000^000 de rs.
Lotera de N. S. do Livramento.
O ciulelista Salustiaoo de Aquino Ferrei-
ra. faz scieote 10 respeitavel publico, que
as rodas da mesma loleria, andam infalli-
vcl no dia 30 de agosto vindouro, e as suas
mu afortunadas cautelas ostSo expostas a
venda, na praca da Independencia n. 4, loja
de miudezas ; na ru da Cadeia do Recife
n. 46, luja de miudezas ; no aterro da Do
Vista n. 58, loja de calcado, e na fu Direita
n. 124, loja deourives.
Premios corresponden-
tes a sorte de 5:O00#
Precos dis cautelas.
Quartos 2,600 1:160,000
Quintos 2,100 920.000
Decimos 1,100 460,000
Vigsimos 600 23O;000
Cortes de brins de listras, para cal-
sas, o 1,44, 1,5oo e 1,800 rs.
Vendem-se cortes de biira de listras do
cores, a 1,440 rs.; ditoa de brimamarello,
1,500 rs. ; ditos brancos de puro linho, pro-
prio para militares, al,800rs.; esguiea de
algodSo com 10 ir- varas, a 2,500 rs., pe-
ca ; chales de ISa de bonitos padrOes, pro-
prios para andar em casa, a 3,200 e 3,600 rs.:
na ra do Crespo, loja da osquioa que vira
para a Cadeia.
Novo sortimento de cobertores, a
800 e 1,280 rs.
Na ra do Crespo, loja da esquina que vi-
ra para a Cadeia, vendem-se cobertoros
brancos de algod muito grandes, a 1,280 rs.* ditos oscuros de
tapate, para escravos, 1 800 rs.; gangas de
quadrinhos, para roupa de escravos, 120
rs o (ovado e outras muitas fazendas, por
prego commodo.
Loteria do Rio de Janeiro,
aos 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, loja n. 3, que
volta para a ra do Queimado e Crespo, ven-
dem-se os muito afortunados bilhetes ,
meios, quartos, oilavos c vigsimos dado-
cima sexta lotera do theatro de S. Pedro do
Alcntara ; na mesma loja se uiostriui as
lisias das loteras corridas.
Vende-se, por preco commodo, todos
os pertences de umr venda, quo se desman-
enou : na ra dos Martyrios n. 36.
Venla-se muito barato, uma escrava,
j do idade, propria para o servir; 1 de casa:
na ra do Queimado a. 14, se diri quem
vende.
'*&.+ T: ??*a^aa^^^a>^a^i.^^^^
* Grande sortimento de cortes 1
J de chita com 12 covados. 3
i- Vende-se cortes de chita, superior 4
ti panno, cor lixa, o lindos desenos 4
> 1' mu 12 covados a 1,800 e 2,000 rs. 4
t cada ciirie,ditos padrOes escuros, cor j)
a> lixa e com os mesmos covados a 1,600 4
tJ rs., ditos de chita rocha,escura e azul 'i
t>) floramarella com os mesmos covados )
i a 15,00, ditos de chita preta de mui- %
t lo boa qualidade com os mesmos co- 9
vados a 1,440, ditos de chita Urg 4
+) com 11 covados a 2,000: na loja do (#
t> sobrido amarello nos quatro cantos ?
da ra do Queimado n. 29. 4
Pechincha Econmica.
He chegado ltimamente om novo sorti-
mento do brins pardos.de linho,escurse
claros pello barato prego de 1600 rs. o cor-
to ; ditos de linho e algodo padrOes mo-
dernos e de bom gosto a 1280 rs o corte : na
ra do crospo n. 14 loja de Jos Francisco
Dias.
Na ra das cruzes n. 22, segundo an-
dar vendem-se duis escrivas crioolis, em-
gommlu bem, cozem chao, e cosinhSo, e
av3o de salino, c huma dolas tem um lidio
moleque de dous annos; e um ptimo osera
vo de nago de boa conducta, he bom ci-
noeiro o um pardo muito fiel e ptimo
para lodo servido, tanto do praja como de
campo. *
Na loja de J. Joaquim Moreira &c
Companhia, ra Nova n. 8, em
frente ra da Camboa do
Carmo.
Continua-se a vonder formidaveis espar-
tillios de puro Moho par senhora, bem
gnarnecidos do baleias, e multo bem acaba-
dos, uo excedendo seu preco de 7,000 rs.
por cada nin, chicotes cobertos para carro
polo lui.ilissuno prego de 3,000, sapatosdo
cir.l.ivo um pouco amagados para seohora
a 1,000 rs. o par, chapeosinhos de todas as
qualidades para meninos e meninas, pentcs
de tartaruga para coco do ultimo gosto, len-
ciohos abortos do retro/ que muito se usam
agora, maolelotes e capotinhos pretos e de
furia cores, que se vndenlo mais barato do
que em oulra qualquer parte, capotinhos
ou- gibes de fil branco guarnecidos de
tranca pelo diminuto prego de 8,000 rs., lu-
vas de todas as qualidades quer para homem
quer para senhora, ditas de camurg e cis-
tor para militar, damasco d seda de todas
as cores, assim como uma pega verde mofa-
da que se vender por muito menos de seu
valor, chales de seda cores escuras e boni-
tos pidrOes, inclusive ilguns com seu boca-
1I111I11 de mofo que timbem ss venderlo por
menos de seu valor, gravitas de mola, se-
das de todis as cores para chapeos, salios,
tafetis, e um bello sorlimeolo de perfuma-
ras e calgidos, e oulns muitas fizendas
que na mosma loja se vendem por pro?
commodo.
__Vende-se um preto, de idade
guias habilidades : na ra da Praia n. *3.de 4o aUO, Coziuheiro e compra- '
-- Vendem-se es soguintes objactoa j* j0r ; na ra do Vigario n. io.se-
usados, por prego commodo, 6vaoidec- j iu.
xilbos para alcova, ou janeiias davarandi, gundo andar, lia mesma casa coin-
6 portas de amarello e 1 oarteira de uma s pra.se ama preta moca e boa C0X-
faee : na ra do Crespo, loja da esquina que r, r '
vire, para Cadeia. nueira.


FGIVFl.^


.m
-i
Veude-se
Arroz de casca,
Fa
Gh prU, *j|
Chumbo de municSo,
Cimento,
vende-se ludo por presos eommodos : no
armazem de J. I. Taaso Jnior, o* rui do
Amorim n. S5.
Novo sortimento do faeendas, na
lojn da ra do Crespo n. 6.
Cortes de usas chita fraceza; do cores fi-
xas, por a,000,2,400 e 2,800 rs. ; ditos de
ctmbraiu de sslpicos, i ,600 rs. ; cortes
de chiU debom Rosto, 11,920 rs., com 12
covados ,- cassas riequadiua pma bbados,
com 8 1|2, 2,400 r., i pee ; slpsrka. de
cordSo muito lins, s 800 rs., o eovsdo, e
muiUs outras fszendss por birsto preco.
*f Chapeos de sol.
Rhi doPasseio.n.5.
Nesta fabrica, ha presentemente nm rico
eortimento destes objectos de lods is co-
re e qualidade*, Unto de seds como de
panninho, por presos eommodos; ditos pa-
ra senhora, de boca gosto: estes chapos
alo reitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na meema
casa se acha igual sortimento de soasa e
panninho imitando sedss, para cobrir ar-
macCes servidas : todas estas hftnda'ne s-
dein-se em porco e a retalho : Uro bem se
concerta qualquer chapeo do sol, tanto do
basteas de ferro como de balea.assim como
umbelas de igrejas: ludo por preeoicom-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engenho, por serem
os mais fortes que se podem fabricar.
Pannos linos << (ma- ; iiiia-
lltliitli >.
Ka ra do Crespo, loja da esquina, que
volt para a Cadea, vendem-so panno lino
preto, 3,000, 3,500, 4,000, 4,500 e 5,000
rs.: dito azul, a 3,000, 4,000 rs., e muito su-
perior, a 5,000 rs.; dito verde, a 2,800 rs.;
dito muilo claro, a 4,000 rs. ; dito cOr de
rap, a 3,000 e 3,500 rs.; cortos do casimi-
ra prela, a 5,000, 6,000 e 8,000 ra.j ditos de
cor, a 6,400 rs o outras fazendas -
barato possivel.
Nova pi-rlitiirlia.
Cortei fie cana chita, a 9,000 rs.; ditoi de cAt-
io niroi cois 12 cwatfos, a 1,600, 1,800e
2,000 rs.
Na loja da esquina da ra do Crespo, que
tolla para a Cadeia, vendetn-se cortes de
cassas chita, 2,000 rs ; ditos de chit, a
1,600, 1,800e 2,000 rs. ; ditos decambraia
branca com listras de cores, a 3,000 rs.; di-
tos de salpico, a 3,000 rs.; cortes de colete
de fustao do ultimo gosto, a 1,600 rs e ou
tras umita fazeudas por preco commodo.
Venem-se as seguintes se-
mentes:
.tr.il.os, ditas de dita ingleaas, dilas de ra-
baoos encarnadas, dilas brancas, dilas de ce-
bolas de Setubal, dilas de alfacc allam.ia,
ditas renolhudas, ditas de cve trinchada, di-
tas de enoura amarellas. ditas de chicoria, di-
tas de coentro de toceira, ditaa de salsa, ditas
de tomates grandes, ditas de repolho, ditas de
cspinalre. ditas de pipinella, dlias de aipo
f'eilo, carrapato de trea qualidades, ervllhai
tortas e dlreius, rabanetcs encarnada c bran-
cos: na ra da Cruz n. 46, defronte do Dr.
Cosme. Na mesma casa vendem-se queijos in-
gleses inulto frescaes.
" Deposito de cal e potassa
No armazem da ra da Cadeia do Kecife n.
12, ha multo superior cal de Lisboa em pedra,
assim como potassa chegada ullimamcnle a
preco muilo rasoaveis.
Chapeos de sol.
Vendem-se capeos de sol de panno com as-
teas de balela pelo preced ifiliO rs., ditos de
junco a 1/280. ria incsrm casa tein um sorli,
ment dos meamos objectos, tanto para ho-
meiii c aenhoras, como para meninos e
as de escola na ra do Passeio n. 5.
Cera de carnauba.
O mais superior que ba neate genero, ven-
dc-se em porcao e a retalho : na ra da Cadeia
do Rccifc, loja n. 50 de Cunha Amorim.
Na loja de Jos' Jouquim Morel-
ra & Companlila, na rna Nova
11. 8.
Vendcm-se camisinhssdc cambrais, com
suas golinhas, ludo muilo bem bordado, e
do melhor goslo possivel, polo baratissimo
preco do 2,000 rs., smente, cala urna
V'llas de -tem iiii
Vendem-se estas vcllas da melhor quali.lade
possivel a 16 rs. cada caiiloha de 25 libras,
trala-se com A.C. de Abrcu, na ra da Cadeia
do llr.ilru.il.
'Potassa da Riissln.
Vende-se polsssa da Russia, recenlamen-
te chegada, ede limito superior qualidade
na ra do Trapiche n. 17.
IVai-inlia fontana.
Vende-se farinha fontana em barricas
muilo novs e de superior qualidade : a tra-
tar com Manoel da Silva Santos, no arma-
zem do Annes, no caes da Alfandega.
Cambralas de setla, a .ooo rs ,
o corte.
Na loja de Guimares & Henriques, ra do
Crespo n. 5, que volta para o Collegio, ven-
dem-se ricos cortes de cambraias tic seda,
pelo barato preco de 6,000 rs o coi te, esta
fazenda he de goslos inteiramcnlo novos.
' #:<*>##$
j) Algodao para Haceos.
aj- Vende-se muilo bom slgorifo par?
a>, saceos de assucar, por proco con.mo-
do : em casa de Ricardo Royle, na
ta) ra da Cadeia n. 37.
###:* 9:$**Srt!9
Vendcm-se relogios de ou-
ro eprala, patente inglcz : na ra
da Scnzalla Nova n. l\i.
Mocudas superiores.
Na fundicSo do C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-so venda moendas
de- canna, lodas de ferro, de um modelo e
conatructSo muilo superior
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora, em 8. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-

dlos.
Ango deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17. ba
nniito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
_ na barca Ligeira.
Deposito da fabrica do Todos os
Santos na Bnlila.
Vende-se, em cass deN. U. Bieber&C. ,
na ra da Cruz n. 4, algodo transado da-
quella rabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos. por pracocom-
modo. ,
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repino,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brutn ns. 6, 8 e it>,
tundieSo de Ierro.
Arado de ferro
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambSo de sicupira e bracos
de ferro .* na fundicSo da ra do
lirum ns. 6, 8 e 10.
--Vendem-se amarra;de ferro: na ra
da Senzalla nova n. 4a. -'-
Tecido de algoiiao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades
propriaa para saceos de assucsr e roupa de
escravos.
Moinhos de vento
eom bombas de repucho para regar borla
d baixas decapim : vendem-se na fundicSo
de Bowman & Me. Callum, na ra do Brum
ns. 6,8 e 10.
Talxas para cnseulto.
Na fundicSo de ferro da ra do llrum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
to de talxas de 3 a 8 palmos de bocea, aa
quaas acham-se a venda por preco com-
modo, e com promptidSo embarcam-se, ou
carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
AGENCIA
da fundicio Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42.
Ncste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o tncias moca-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Em casa de J. Kellcr S Coni-
panhia, na ruada Cruz n. 55, acha-se a ven-
da o excelleoloe superior rinho (te itu-
ccltas, em lu 1 is de 5.*, he muito recom-
mendavel as casas estrangeiras, como cx-
cellente vinho para pasto.
tffffffff ffyVfvV^**
Arados americanos. *
C Vendem-se arados americanos ver- ^
g dadeiros, chegados dos Estados- <
.> Unidos : na ra do Trapiche n. 8. -G
k A .4 A 5 ? A % A11 i
Vende-se superior cognac velho, em
barris de J2a 24 caadas : na ra da Cruz
n. 55, casa de). Keller & Companhia
Vende-se gesso em barricas, vindo no
ultimo navio chegado de Franca, leudo ca-
da bairica 20 arrobas pouco mais ou me-
nos : na ra da Cruz n. 55, casa de Kel-
ler & Companhia.
4,
l^ra os jovens Humo-
rados. 1
Vedem-se caixinhas eo mendosa con-
feitadas, o mala delicado que se pode en-
contrar, propriaa para se dar a namoradaa :
ni ra do Queimado, lo)i de miudozss jun-
to a de cera n. 33-
Casa de commissio de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commisstlo, tanto par a pro-
vincia como para foro della, para
o que se offerece muitas garantas
a seus donos : na ra da Cadeia do
Kecife n. 51, primeiro andar.
Cera de carnauba.
No armazem de Domingos Rodrigues de
Andrade & Companhia, na ra dosVsnoei-
ros n. 5, vende-se superior cera de carnau-
ba, ltimamente vindas do Aracaly, em
pnrciin o a retalho, por menos prego que
em outra qualquer parte, assim como sola e
couros iimiilos.
-So arni.i7.riii cl.i ra da Horda n. 7, con
tinua-se a vender saccas com superior colla
das fabricas do Rio Grande do sul, e opreco
em conta.
Agencia de Edwin Maw.
Na ra fie Apollo n. B, armazem de Me. Cal-
iiionHk Companhia, acha-se constantemente
bons sorlimentos de ulxa de ferro coado e
batido, tanto rasa como fundas, moendas in-
oras todas de ferro para animaes, agoa, etc ,
ditas para armar em inadeira de todos os ta-
manhos c uiodellos o mais moderno, machina
horlsontal para vapor, com forca de A caval-
los, couens, passadeiras de ferro estanhado
para casa de pulgar, por menos preco que oz
de cobre, escovens para navios, ferro ingles
tanto em barras como em arcos folhas, e tudo
por barato preco.
\ imkIi-so'.iiii grande sitio no lugar do
Manguind, que iica defronte dos sitios dos
srs. Carneiros, com grande casa de viven-
da, de qualro Bgoas, grande scnzalla, co-
cheira, estribara, baixa de capim que sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
bomba e tanque coberto para banho bai-
lantes arvoredos de fructo: na ra da Con-
cordia,primeiro sobrado novo de um andar.
brande sortimento de fazendas
luala- na rita do Crespo n. I 4
loja le Jos francisco i i.i-
A 1000 rs. o corte de brloi ntrancado bran-
co muilo incorpado, dito de rlscado de linho
limito largo a 200 rs. ocorado, cassa chita de
todas as cores 240 rs. o covado, chita fran-
cesa de listas padrdes escuros a 240 rs. o co-
vado, chitas mullo fizas a iliO rs. o covado,
sargelim lavrado a 200 rs. o covado, ricos cor-
tes de chita larga Trncela de barra a 3,200 rs.
merinos pretos de duas larguras multo supe-
rior a l,800 -i.oi"i 3,000 rs. o covado, ineios cru-
as de superior qualidade a 320 rs. o par, su-
prior piccotc muito incorpado fazenda pro-
pria para escravos a 200 ra. o covado, algodo
a/.ul com mais de vara de largura a 200 rs. o
covade, berlanha de 4 palmos de largura mul-
to lina a 400 rs. a vara, suppriores challes pre-
tos de la c seda a 6,000 rs. brlin trancado a-
marello mullo cncorpado com listas tullidas
sendo de linho a 2.000 rs. o corte, e outras
muitas fazendas por barato preco.
a>i^ji's;?V?flvc*V*f'9*f*'
Deposito de lecidos da fabri- J
ca de Todos os Santos, #
na Bahia. 4;
Vende-se em casa do Domingos Al-
uara curar da phlysica em lodos os scus
difTerenles graos ou motivada por consti-
pares, tosse, asthma, pleuriz, escarros de
sangue, drde costas e peitos', palpilacSo
no cor .1580, coqucluclio lironchiles dor
deoarganta e todas as molestias dos or-
gaflE pulmonares.
De todas as molestias que por heranr;a fi-
cam ao corpo humano nenhuma baque
mais destruitiva tenha sido, ou qua tenha
zumbado dos esforr;os dos liomens mais
eminentes em medicina do que aquella
que be gcralmente conhecida por moles-
tia no bofe. Em varias pocas do se-
clo passado, tendo-sc offerecido ao publi-
co dilTerentes refhedios com attestados das
extraordinarias curas que elle lem feilo ;
purm quasi que em todos os casos a jjusilo
tem sido apenas passageira e o doente
torna a recahir em peor estado do que se
achava antes de applicar o remedio lio re-
commendado oulro tanto n5o acontece
com es te extraordinario
Xarope de bosque.
Novaos & Companhia, os nicos agentes
nesta cidade provincia, e nomcados pelos
Snrs. R. C. Yates & Companhia, agentes
geraes no Rio-de-Janeiro mudaram o de-
posito deste xarope para a botica do Snr
Jos alaria G. Ramos, na ra dos Quarleis,
n. 12, junto ao quartel de polica, onde
sempre acharSo o nico, o verdadeiro, a
5,500 rs. a garrafa, o a 3,000 rs. meias gar
rafas.
Vende-se farinha de mandi-
oca, de superior qualidade, recen-
lemente chegada de Santa Catha-
rina, a menor preco do que em
outra qualquer parte : traU-sc a
bordo do brigue Novo Lobo
defronte do caes do Ramos, ou
com Oliveira Paiva & Companhia,
na ra do Trapiche escriptorio
.5.
HDADEDE PARS.
Y tvWAe C\u\v& fe 5 tV,
Una do Collegio n. 4.
Novo sortimento de chapeos de sol, para
homem e senhora, a sabor : chapeos do
sol de seda, armacSo de bsleia, de 4,5f0 rs.
para cima; ditos ditos para senhora, de 4,000
ra. para cima ditos de panno lino, do ar-
m;. i-i o de baleia e do ferro, de 1,600 a 3,200
rs. ; ditos ditos de armacSo do junco, de
1,200 s 1,800 rs., todos liropos s grande sor-
timento de sedas e pannos, em pecas para
cobrir os mesmos, baleias para vestidos e
espartilhos dasinhoras. Concertam-se to-
das is qualidades de chapeos deso, ll"'
com perfeie,o e por menos preso do que cm
outra qualquer parte.
Cal de Lisboa.
Vende-se a melhor cal ilp I.i boa muito
nova, chegada ha poucosdias na -Barca Li-
grirn, e por preco muilo em conta : na ra
do Vigario armazem n. 7.
Vende-se cobre, e metal ama-
relio c pregoa para forro de navios; por preco
commodo, cm casa de A. V da Silva Harroca
ra da Cadeia do Recite n. 42.
Superiores capachos.
Vendem-se superiores capachos brancos e
pintados, de varios tamanhos, aonde os com-
pradores pJem i'scolhur a aeu gosto, pelo
diminuto preco de 800, 1,000,1,400 e 1,600
rs. : ha ras do Queimado, loja do miudezas
/tanto a de cera n. 33.
>
*
0- ves Matheus, na ra da Cruz do Re-
> cife n. 52, primeiro andar, IgotlSo
* transado daquella fabrica, muito pro-
* prio para saceos e roupa de escra-
assim como liojiroprio para re-
vollas,
^ des de pescar e pavios para
por preco muito commodo.
b>MMMAiIiAA AMMAAAAt
Ricas franjas para cor-
tinados.
Venlem-se franjas brancas, propriaa para
cortinado.*, as mais lindas qun tem appsre-
cido e por prefo que ninguem ven le: na ra
do Queimado, loja de miudezas junto a de
cera n. 33.
..uvas de torca I e de peJi-
ca, para senhora.
Vendem-so superiores Invas pretas de tro-
(al, a 1,000 e 1,280, rs., o par; ditas sem do-
dos, a 240 rs., fazenda superior ; dilas de
pelicabrancas e amarellas, a i.ouu is. : na
ra do Queimado, loja de miudezas junt a
de cera n. 33.
-- Vende-se cola do Hio Gran-
de, etn barricas e por preco com-
modo : na ra do Vigario n. 19,
segundo andar, escriptorio de Ma-
chado & l'iolieiro.
Vendem-se vasos de louca lina para
jardim, azulejo da mesma louga de bonitos
goslos proprio para forrar frentes de cisas
jardins, etc. ; coeiros de algodno, azeitona
nova, fumo, vinho do porlo em pipas o bar-
riXj albos e mi has em canastras, fo porre-
ta, brins de algodo, penetras de rame,
linba de roris, por presos eommodos: na
ra do Vigario ti. 11 no armazem e 1 andar.
Helas de lata, para padres.
Ven lem-so superiores tncias de laia, para
padres, pelo diminuto preco do 2,000 rs., o
par : na ra do Queimado, loja do miudezas
junto a decera n. 33.
Charuteiras dpradas
finas.
Vendem-se ^ 'oeriores charuloiras doura-
das, a 1,000 rs.,Mdauma; ditas mais or-
dinarias, a2IOrs. ; na ra do Queimado,
loja de miudezas junto a de cera n. 33
Para criamcas.
Vendem-se superiores toucasdeseda pre-
ta, para criancM, pelo diminuto proco de
120r*., maracas muito bonitos, quetocan.
de tres maneiras, a 210 e 120 rs.: na ra do
Queimado, loja de miudezas juntos do cera
n. 33.
Lindas caixinhas de v-
dro para guardar jolas.
Vendem-so lindas caixinhas de vidro com
espelho proprias psra guardar joias, pelo
diminuto proco de 800 rs.: na ra do Quei-
mado, loja de miudezas junto a de cera nu-
mero 33.
Calcado, a 800 rs.,
no aterro da Boa Pista, defronle
da boneca,
silo chegados os bnnsconheeidos capalfijs do
Aracaly, tanto para homem, como para me-
ninos. aSOOrs. ; assim como um co.npleto
abrimiento de calcado, francez, de lodas
as qualidades, lauto para homem, como pa-
ra senhora e menina, o que tudu te vendo
muito barato, alitn de se apurar dinheiro.
No armazem da ra da
Cruz H. 4*
Vendo-ss a dinheiro, capatinhos para me-
ninas, em porfSo a 600 rs.; sspatoos de
couro de lustro, em porcao a-2,500 c 2,000
rs.; penas deEina ; saccas com gomma; ol-: orelha, a 1,203 rs.; ditos deoreltia, para me
tas com firinha de araruta, a 2,500 rs., a ar-'nino: na ra da Cadeia do Recife, loja n. 90
roba ; courinlios miudoi, a 29,000 e 28,000f Vende-se urna esorava parda, moca,
rs., ocento; carnaubs do primeira so te, aem vicio algum e nem achaque, o motivo
em saccas, a G,000 rs., a arroba;ola muito
irior; chapeos de palha, a 10,000 ra., otn
A 6,000 rs., o quintal.
SJosito de Andrade & Leal, na ron
Nova n. 33, vende-te, pelo diminuto preco
de 6,000 rs. o quintal ds ferro inglez,
sortido. *
Vende-se urna egcrsva cabra, moca ,
mallo sadia e sem defeito, nlo tem grandes
habilidades, i'orcm faz bem todo o arranjo de
urna casa, o motivo da venda sinceramente
se dirt ao comprador : na I'onta Velba n.
14, das 3 horas da tarde em diante.
Luvas para homem.
Ver.dem-se superiores luvas de pelica ,
ponto inglez, a 1,900 rs.j ditas de seda pre-
tas, sem dofeito algum e fazenda muitotu-
porior, a GOOrs ; dilas decores, a 600 ra. ;
ditas de algodSo btaucas a de corea, pro-
prias para montara por aerem multo en-
corpadas, a 820 ra.: na ra do Queimado,
loja de miudezas junto a de cera n. 33.
Bom e barato.
Vendem-secarteirlnhasoom agulhaa fran-
cezas, propriaa para toda a qualidade de
costura, a 300 rs.; ditas em caixinhas fa-
zenda muito superior, a 300 rs.; linhas de
peso, muito Anas, a 60 rs., a miada : ditas
em cirreleis de 200 jardas, a 60 ra., cada
carretel; agu has ca ninfas, a 160 rs ,0 pa-
pel, com lOOsgullias; pantos de baleia, pa-
ra alisar, o mais lino que se pode encontrar,
a400 e 320 rs-; agulhoiros unos, a 200 ra.;
tesourinhas inglczas, o mais fino que tem
apparecido e de varios tamanhos, a 400, 600 '
e 800 rs. : ns ra do Queimado, loja de miu-
dezas junto a de cera o. 33.
Pentes de tartaruga, pa-l
ra marrala
Vendem-se superiores pentes de tartaru- \
ga, para marraras, pelo baratissimo preco
de 800 rs., proco que causa admirac/lo : na
ra do Queimado, loja de miudezas junto
de cera n. 33.
Gravatas de ulula.
Vendem-se superiores gravatas pretas do
mola, pelo diminuto proco de 2,000 rs. : na
ra do Queimado, loja de miudezas junto a
de cera n. 33.
Aviso ao publico.
Na botica da ra do Collegio, n. 18, da
Peixolo& Pinto, heondn se vondem as ver-
dadeiras pilulas para bobas, cravos seceos,
dores venreas, e gonorrheas dirimirs, cu-
jos bons 1 lcitos confessn lodos que tem
feilo uso dril s; composi(So do Kharmaceu-
tico s :Ini.-tiiio Jos de lveira Macedo.
Corrao depressa pechin-
dia de 4,000
Na rna do Queimado, loja n. 17, vendem-
se cortes de casemiras de cores escuras a 4/
rs., pe?as de riscados de cores de psdres os
mais delicados possiveis a 5,000 rs., pecns
de chitas escaras de cores ilxas e bonitos
padrrjes a 5,500 rs., cassas francesas finas
do cores muito delicadas a 560 rs. a vara : e
outras fazendas por barato proco : a ellas
antes que se acabem.
Cartas finas, para vol-
ta rete.
Vendem-se superiores cartas francezas,
para voltarete, a 640 rs., o baralho : na ra
do Queimado, loja de miudezas junio a de
cera n. 33.
Beugaliuhas finas.
Vendem-se superiores bngsliohas, a 500
e 1,000 rs., cada urna : na ra do Queimado,
loja de miudezas junto a decera n. 33.
1,440 rs.
Rap Paulo Cordeiro,
o mais novo que ha no mercado : na ra
di Cadeia do Recife, loja do fazendas n 51,
de JoSo da Cbnha MagalhSes.
A #00 rs.
Vende-se chHiysson, de muilo boa qua-
lidade, pelo diminuto preco de 500 rs., a li-
bra : na ra do Crespo n. 23.
Trancas de seda e requi-
ifes para vestidos.
Vendem-se muilo bonitas trincas de seda
o requiffes, proprias para enfeitar vestidos,
por presos muito eommodos, dam-se amos-
tras aos compradores: na ra do Queimado,
loja de miudezas junto a do cera o. 33.
Camisas de meia.
Vendem-se finissimas camisas de meia, a
2,00o rs. ; ditas a 1,280 rs ; dilas decores,
padrOes muilo bonitos, a 1,000 ra. : na ra
do Queimado, loja de miudezas junto a de
cera n. 33.
Kcas fitas lavradas.
Vendem-se fitas lavradas de dilTerentes
larguras e gostos o mais fino que pode ha-
ver em filis : na ra do Queimado, loja de
miudezas junto a de cera n. 33.
~ Vende-se um terreno con
154 pilmos de fundo c 96 de fren-
te, o qual deita pnra o largo des-
tinado para a nova praca, na ra
do Brum, a vollar na travessa do
Vieira : assim como tres caixdes
de casas, no fundo do mencionado
terreno, com frente para a mesma
travessa 1 trati-se na ra da Ca-
deia do liecife, loja n. 7, onde os
pretendente de,,ois de haverem
examinado, poderao dirigir-se.
-- Anda existe na ra da Cadeia do lu-
cilo n. 54, a vender-se por todo preco, duas
paroihas il" embonos de cedro, urna lancha,
um bote, urna corrente grossa de ferro para
navio, unta amarra grossa de cabo do linho
que serve para desfaier para estopa, e urna
porco de forros, c cavilbas que fui de
navio.
Vende-se a taverna n. 8, di ra do
Rangel, com poucos fundos, ou su com oa
cas.-os, vonlade do pretendente, ou mes-
mo estes separadamente, assim como a re-
talho, pratos, a 1,000 ra a duzia : lgalas,.a
960 ra, a dita; bules pintados, a 480 rs.;
assucareiras o maotagueiros, a 320 rs.; su-
perior vinho do Porto, ba muito engarrafa-
do, a 500 rs., a garrafa; dito tinto, a 180 rs ;
vinagre puro de Lisboa, a 1,000 rs., a cana-
da ; azeile doce de Lisboa, a 500 rs., a gar-
rafa ; serveja, a 320 rs a dita, e outros
muittis artigo, por procos eommodos, para
liquidar.
Farinha,
de mandioc, chegada de Santa Catharina,
no brigue Minero*, ancorado em frente do
caes do llamos: vende-a* a bordo do mes-
mo navio, ou na ra do Trapicha, escripto-
rio n. 5, a proco menor do que em parte
alguma.
Venlom-saiapalOss da couro de lus-
tro, obra da trra, muilo bemfoita, a 3,60
rs.; ditos do Aracaly, a 2,500 rs., brancos de
da venda se dir sinceramente ao compra-
dor : ca Posta Velba n. 14, a cjtialquaMiOra
Cera,
branca cm volas, em calas, con sorlimen-
tos vontao do comprador, a a piao com-
modo, asalta coo chapeos do (*li* : n1
ra do Trapiche, escriptorio n. j
* Ricos toueadres.
Vcndem-sn lindos toueadorea de Jacaran-
da, com columnaa e muilo bom espelho,
pelo diminuto preco de 2,500 rs. : na ra do
Queimado, loja de miudezas junto a de ce-
ra n. 33.
(ara piteas de seda, preta.
Vendem-se carapacha de seda preta, fa-
zenda mnlto superior esem defeito algum,
pelo diminuto preco de 500 ra., vende-se
por este preco ior htver grande porfo e
ter-jecomprado muito barato : amado
Queimado, loja de miudezas junto a de ce-
ra n. 33.
O Casimiras modernas. <3
w Na loja do sobrado amarollo, nos O
vJ Quatro Cantos da ra do Queimado O
fy n. 29, vendom-si as mala modernas
jL casimiras de cores que existen) no Q
2* mercado e pelo prejo do 6,000 rs. ~
& cada corte, sendo de padrOes inteira-
O mente novos. O
Ricas aberturas para .
camisas
Vendem-se aberturas decambraia lisa,
muilo fina, com pregas muito miudlnhas, e
palo commodo preco de 610 ra cada urna.:
na ra do Queimado, loja de miudezas jun-
to a de cara n. 33.
Bom e barato.
Vendem-ae caixinhas com tintas finas, pa-
ra dezenho, 13,003 e 4,000 rs.; fivelinhas
doursdas para calsas e coletes, a 200 rs.; fa-
cas muito finas, de b.lanco, a 8,000 rs., a
duzia; hicos largos e linos, proprios para
tullios de vestido, muito barato, e outraa
muitas cousas, que se vondem mais barato
do que em outra qualquer paite : na ra do
Queimado, loja de miudezas junto a de ca-
ra n. 33.
Meias pretas de algodao ,
para padre
Vendem-so muito finas meias pretas de
algodo, para padres, a TOO rg., o par : na
ra do Queimado, loja de miudezas junto a
de cera n. 33.
Continua-ae a vender cortes de ves-
> Irlo de chita, le corea lilas, a 1,600
rs., o corte, havendo novo sortimento >
para escolher : na loja do sobrado a-
t> marnllo nos Quatro Cantos da ra do
Queimado n 29.
Cartas.
Na ra do Cabug n. 19. loja deF. A. Si-
tnOi's, vendem-se cartas francezas finas, pa-
ra o voltarete.
Almanak potico.
Contendo o a b c do fraile, o padre nosso
para as mofas solteiras, dcimas do nstu-
dante, quadra glozada do soldado, dito do
muzico, eslraidaa de varioa manuscritos, pa-
ra intrrti monto das horas vagas, vendem-ae
a 320 rs. : na livraria do pateo do Collegio
n. 6, de Jo.hi da Costa liourado.
Vende-se urna escravaainda muito mo-
fa,-propria para o servico decampo, muilo
em canta : na ra do Collegio n. 25, pri-
meiro andar.
Vende-ae urna morada de casa terrea,
de pedra e cal, na rus dea Agoas Verdea, jun-
to aos fundos de S. Pedro e ra da Viracfio :
trata-so na ra Direita n. 40, segundo andar.
Presuntos.
Vende-se os mais superiores presuntos
americanos que tem vindo a este mercado,
por proco commodo : no caes da alfandega,
armazem da esquina confronte a arvore.
Vende-se no MaranMo, a fabrica
de bugias stiarinas e sabSo.
Os administradores da liquida
980 de Theodoro Chava nes, ven
iliiii a fabrica denominada Msra-
nlense, na ra do FiopontSo, des-
la cidade ( porlo dos remedios ) ,
a saber: casa em que est mon-
tada a fabiicn, com 2o bracas de
frente c i5 de fundo; i prensas
hidrulicas, orisontaes de forca de
600,oco libras, cada 113a ; 1 dita
vertical de forra de 4oo,ooo libras;
3 grandes caldeiras montadas,-pu-
ra o fabrico do sabio ; 4 dita pa-
ra derreter sebo ; todos os perten-
ces necessarios para o fabrico do
.lealina e sabo ; 9 escravos en-
tendedores doservico geral da fa-
brica; I terreno annexu a fabrici,
com 7 bracas de frente e 15 de fun
do ; 1 dito fro'iteiro a mesma fa-
brica, com 18 bracas de frente e 38
de fundo .' as pessoas que preten-
deren! comprar, pdem nesta pra-
ca tirigirem-s* a J. Keller & Com-
panhia.
Olhem que temospe-
chinchris,
para os cavalheiros de bom gosto, no Pas-
seio Publico, loja n. II, de Firmiano Jos
Rodrigues Ferreira, vendem-se litflos cor-
tos de coletes de 1'uslAo (lio, bordados a so-
la, ao barato preco de 3,200 r., o corta ;
ditos amarines decores lambom birJados a
seda, a 2,100 rs', ca la un ; paunos finos de
todas as cr-s, casimiras, setlns, sarjas,
chapeos de massa francazes, loncos de se-
lim, superior e outras multaa fazendas, por
prero commodo
Attenco.
Na Invesss da ra eslreita rio Rozarlo, de-
posito da pilo e hilacha o. 2, do Ponciano
l.ourenco da Silva, vende-se bolschinha de
luite, fabrlcadt pelo ultimo autor, e acha-
ro em grandes porcSas, conforme as^en-
commandaso pro melle servir bem aas mes-
mos s indures.
Vende-se por preco commodo no atier-
ro da Boa-Vista loja numero 36 os seguin-
tes livros : Ahrens, Droitnatural; Ferrer-
Dieito natural; Beatlie; Science moral, 2
V. Ka.nl princ p's de melba pliysiqua du
Droit; F.chlach, inlroduction du Drot ;
Insliiutione juria ecclesiastiei por Xavier
Gtnemer, 3 V ; Kluber roitdes Gen*, a V ;
Uartens, Droit des Gens, 2 V ; Observarles
sehr.i a constuicSo brasileira, e carta por-
tuguesa por 8. I'iiihoiro ; Comtnentaire sur-
la chart coustitutlonella*1eFrance ; Tissot
philosophie.
Vendem-se oa anfuintta gneros de su-
portar qualidade multo em conta, queijos1
londrinos frescios ditos de prato prizun-;
tos para-fiambre, ditos hamoorguez,
com bol fcdfUaenm choco
de cansfl Nscoa.com conser,\,
Inglezaa^HrHlnhas multo assei.d"
com masua finas, rtft sopa, garrafa de i
olio muscatcl.de silaba I, ditia com dito r.i
loria do porto, dita com dito de carcvPi
loa branco.ditaa com dito de colares: ni ru
da Cruz numero 46 defronta doSr. Dr rn.
me de Sa Perelr. '^t-
Vonde-se urna molatinha de idado da
16 anuos muito sadia, o muito ora coot.
seu menos preco lio 480/ : na praca di o.
Vista numero 19.
AI111I11 initis pech inclu.
Cortea da casimira preta, (las, por 5,000
ra.; ditos de coros, a 6,400 rs. ; brim bran-
co trancado de linho, a 1,800 rs., o corte di
calca; dito escuro, a 1,600 ra.; dito rin lis-
tras, a 2,000 rs. : na ra do Crespo n. 6.
Lotera do Kio de Janeiro.
Aos 30:000,000 de r .
Na roa do Queimado, loja de ferragens n
37 A vondem-se os muito fortunados mri5
bilhetes, quartoa,a vigesslmos dalta,|<9.
teria do Theatro da S. Pedro de Alcntara
cuja lista das chegar polo primeiro vipor
do sul, e trocJo-se pelos bilhetes pramlido^
da qualquer outra lotaria'
0 A 10,000 rs. O
q fj Os mais modernos e de superior S
q JsaaVqualidade chapeo* de oastor J(
zjj braoco,chegados ultimamentedePa- O
X riz, conforme oa ltimos figurinos, O
w acham-se a vanda, na loja de chapeos O
W de seis portas na praet" da lude- O
9 pendencia. rx
ooooooooooo oooo
Vendem-se na livraria da ra alo Gres,
pon. II aa aeguiotes obras: oe'xcellenie
altas geographico de Aodiivean-Goolou, cm
grande formato,dito do Belbi e dito de Gaul-
tier, guia rto viajante nos Estados Unidos
com um mappa. Planta da cidade de Na,
Yoilt,dicionario de geographia por Petichet
5 volumes em quarto, historia do oonsulsdii
e do imperio, por Thiers, eom estampas,
novas oraefles de Cicero, guia da conversa!
co em portuguez e francez,por Hamouire,
l.uiza e Julia, romance histrico, en caitas'
anual do cosinheiro, em portuguez, fon-
tes prximas do cdigo oommercial, pr|,
bsoharel Gaspar Poreira da Silva, panora-
ma, 1 volme encadrnado, 3,000 ra., re-
rresces do homem aansivel, por Arman),
traduzidas por Antonio de Moraes i voluntes
novos, 5,000; Virgilios novos 4,000 rs.,di-
tos a 3,000 rs.. selectas encadernadss a 640
ra>, eloquencia nacionsl, por Lopes Gama,
a 4,000 e a 3,000 rs., compendios do geogra-
phia, por Vellez, novos, a 1,600, ditos em
brochiira a 1,H0, e outraa muitas obras por
prco commodo.
Aos OOOO.OOO,
Casa feliz.
Na ra Nova o. 6 loja da lisia Ramos &
companhia, ree beram-se pelo vapor io-
glez. os mui afortunados bilhetes, meios,
quaitoa, oitavos e vigsimos da dcima sex-
ta lotera da S. Pe.lro do Hio da Janeiro,
cuja lista deve chegar a 13 da agosto: na
kmesma cisa se mostram aa listas das que ;a
correram, e recebem-sa bilhetes premiados
de todas as loteras do imperio.
Capotes de panno azul a
10,000.
Na ra do Queimado, defronle do beco do
Peixe Frito, loja n. S. ven Waao capotes ds
panno azul pelo baratissimo preco de 10,0W
rs. cada um.
Para acabar-te.
Vendem-se esleirs muito boas, no so
pola boa qualidade e por aerem dobradas,
cerno pelo tamanho, sendo aa maiores que
ha deter vindo ao mercado; assim comosa-
patoa do duraque preto, para senhora, a 900
rs., o par : nigua do l.ivrametilo, loja n. 11.
-- Vendeor*Wqueijos londrinos e prezuu-
tosinglezea; holachinhas inglezss; ditas
de soda em caixinhas; boioes- amexas
francezaa; ditos com doce de Lisboa, da dif-
fereolea qualidades, esapatoa deburracha:
na ra da Cadeia do Recife 11. 2, venda ds
Fontet Irmflo.
Vendem-se lo ios os utencilios de 11:11a
botica com algumas Drogas, srrumacflo
mu lavel. propria para quem pretender es-
tabelecer-ae com botica por tar todos os
pcrleticas, por muilo menos do seu valor a
dinheiro, ou a pozo, tractar na ra da Ca-
deia do ltccilo loja numero 14.
Tambem,
est esposta a venda bolacha de farinha de
milho, pelo proco de 2,003 rs., a arroba,
propria para tconomia do povo : na travas-
sa da ra eslreita do Rozario, deposito da
pSo e bolacha n. 2.
No sitio doa dous Lces 00 Hospicio,
onde morou o medico Dr. Sarment e hoja
Quaresma, vendem-ae as arrobaa as libras,
4p mais superior cafe motdo, aem mistura,
a 320 ra., a libra, e o caf mala enfrrior, a
160 rs., a libra, a toda hora que procurare
acharflo prompto.
Ven ic-so o armazem n. 6, da ra d*
Guia, assim como a casa n. II. da mesma
ra : trata-se no aterro da Doa vista, veinli
n. 78.
-- Vende-se sement de coentro, muito
nova, aflanaa-se a qualidade, a 900 rs., a gal-
rafa : do aterro da Doa Vista, loja n. 14.
-* ; --- '-^-
Escravos fgidos.
No dia 21 de junho do sitio n. 18 na
passagem da Magdalena, deaappareesu o
preto Ignacio, crioulo, filho de Tabaiana,
cambado das peras*, aa mos S os dedos
foveiros, he baixo o multo fallador: roga-
se a todas as autoridades policiaca e capillas
lecimpo que o prendar, de o levar do dito
sitio, ou ao lado do Corpo Santo n. 23, qua
serio recompensado.
Desapparoceu no dia 15 do corrente,
um muleque criou.o por nome Psulinho,
1I0 idade de 10 anuos, pouco mais ou rae-
nos, cOr amarellada por ter vicio, nariz chi-
to, levou camisa de algodtozinho suj.1,0
calca de riscado, sem cnipo, esta escravo
he do Sr. Antonio Jacinlho da Silveira de
lUtna : quom o pegar leve-o na rus da Ca-
deia do Itecifen. 51, ou na ra rio l.ivra-
mento n. 26 segundo in lar que ser recom-
pensa lo.
-- No dia 4 do corrente, desappareceu da
engenho malupiruma, um negro dogeoti*
de Angola, da nome Franciac >, cdrfuls, a
qual be conhecido pelo alcunho da Fula
estatura e corpo r.'guiar, peinas finas, pos-
c canallas voltarias para fra, a quechmam
apalhetados, pouco barbado e quando anda
gioga como marujo : quem pegar leve-i
a s u senhor Tnomaz lio lriguel Peraira, la-
vrador do mesmu eugeobo.
Deaappareceu no dia 26 do correla o
escravo Jos, crioulo, ijada 18 a 20 anuos
baixo, magro, cabillo curto e ralbado, rosto
comprido, aa macaes muilo preeminentes,
cor preta, nenhuma barba, tem e dedopo-
legar da urna das mos mais groaao do que
o da outra, esta vestido eom calca preta.
duas camisas, urna branca a outra darisca-
dinho azul por cima. Quem o levar a I. I-
Japiass na alerro da Boa -vista n. asegun-
do andar, seta recompensado.
II 'v.i\
MUTILADO
V


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ER3I26AV1_12FT0R INGEST_TIME 2013-04-13T03:16:24Z PACKAGE AA00011611_06405
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES