Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06379


This item is only available as the following downloads:


Full Text
;. r*-' ;...
Anno XXVII
Segunda-feira 30 A\. j* de Junhode 1851.
PARTIDAS DOS comimos.
Goiaona e Parahiba, s segundas e sextas reirs.
Ko-Grande-d "orle, todas as quintas feiras ao
mcio-dia.
Garanhuns c Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas feiras.
Olinda, todos os dia.
ZPHEMEB.1DE*
/Nova, a 30, as 0 h. c27 m. da ;t.
.,, .. ,. ICresc. a (i, as 4 h. e 8 m. da t.
\Ming. a 21, as 3 h. e 42 m. d t.
PBIAMAH BE HOJE
Priineira s (i horas e (i ntinutosda manhaa.
Segunda s U horas e 30 minutos da tarde.
i\. t
das da semana.
CAMBIO VE 28 DE TDKTHO
VBEOO DA SCBSCB.IFOAO.
Por tres mezesfadiantados) 4/DOO
Por seis mezes SlOOO
Por uin anno. 15/U00
mrsdBLarmesm
WnktVHWBUnsTKrzn
30 Seg. S. Marcad Aud. do J. d'oif. e m. 1. v.
1 Tere. S. Theudorico. Aud. da chae., lo J. da
2 vara do c. e dos fcitos la duenda.
2 nuarl S. Oito. Aud. do J. da 2. vara.
,'t (ulot. S.Jacintho. Aud. do J. de orf. e do J.
m. da priineira vara.
4 Sext. S. Isabel Aud. do J. da l.v. do clvol, edos
feitos da duenda.
5 Sab. S. Athanazio. Aud. daCh. e do J. da 2. v.
dn civel.
(i Doui. S. Domingas_______________
iihimiiiii .'. -..u.w.vii'iiiinmiiI lamu mis '--'
Sobre Londres, a 7 d. P- l/"00 "
l'aris, 310 por Ir. nominal.
>. Lisboa, a 93 qorAnn
Ouro.Onras hespantiolas.....3C5S!
Mocilas dc/400 velhas. MtfDOO
. de 6/100 novas. lb/iHl
de4f000....... 9/OO
Prata.-I'atacics brasilciros.... W*
Pesos coluinnarios..... JC"'
Ditos mexicanos........ i//Ui>
a JM900
a IWOO
a 181200
a VI00
a 1/950
a WM
a 1/7(
, .-rjuv&M* IMtsmmiB
PARTE OFFICUiL
GOVEKNODA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 20 DE JUNHO DE 18.11.
Ofnclo.Ao Exin. presidente de Minas Ge-
raes, acensando recebido o ofticio a que veio
annexoo mappa das distancias pelo caminho
mis curto entre as caberas das comarcas da-
t|ni lia provinciae entre ellat-e as de suas con-
liimnfw ua> onirat provincias.
Dlto.Ao coinmando das armas, remetiendo
copia do aviso da repartico da guerra de 3l
de maio ultimo, mandando suspender, pelos
motivos declarados no mrimo aviso, o sold
que percebe Sebastian Jos do Reg Barreto,
na qualidade de segundo tenente da terceira
classe do exercito.Nette sentido ofliciou-3e a
pagadoria militar.
Dito.Ao inesinn, Iranamittlndo copia do
' aviso circular da repartico da guerra de i2 de
maio ultimo, bein como do decreto n. 785 de
6 do mesmo inez, dislribuindo as provincias
do Imperio em 6 districtos para as inspeccoes
militares. Intclligenciou-se a pagadoria mi-
litar.
Dito.A thesourarla de duenda, inteiran-
ln-a te haver o juiz de dircito da comarcado
Bonito Caetano Vicente de Almeida Jnior re
asaumido no dia 11 do corrente o exercicio de
euas funcedes.
Dito,A inesina, remettendo copia do aviso
da repartico da fazenda ile.1i de maio ulti-
mo, mandando por a concurso nesta provincia,
na forma da lei, o lugar vago de ajudante do
Mercmetra da alfandega desta cidade.
Dito.A nirsina, autorisando-a de confor-
midade com sua informaran, e sob a retpon
sabilidade da presidencia, n< s termos do de-
creto de 7 de maio de 1842, a mandar supprir
o arsenal de marinba com a quanlia de r.' is
?88,30o, qne o respectivo inspector requisita,
para completar o pagamento das despezas lei
(as pelas rubricas Pharol-Corpo d'armada c
Larcas de soccorro no inez de maio ultimo, e
occorrer as do presente mez, visto seren in-
sumclentes as quotas designadas para taes des-
pezas.Fizeram-se neste sentido as necessa-
ilas coinniunlcacdes.
Dito.A pagadoria militar, ioteirando-a de
lia ver designado o inspector da tbraoiiraria de
fazenda para assistir no primriro'de julbo pr-
ximo vindouro ao exame de que trata o aviso
la repartico da guerra de 10 de fevereiro de
1845, afin de verificar-se o saldo existente na
mesma pagadoria.Intelligenciou-se ao ins-
pector da referida thesourarla.
Dito.A mesma, declarando que em aviso
da repartico da guerra de 30 de maio ultimo,
foi commumeado que se espedir ordem a pa-
gadoria das tropas da corle para abonar ao se-
gundo cadete do segundo batalho de arlilha-
ria a p Francisco Foligonio de Souza Maga-
Ihai's acornar do referido inez em diiule a
prettacao de 10,000 rs. mensaes, que Ihe con-
signara sen pai o capito Amonio Francisco de
Souza Magalhes.
Dito.Ao juiz relator da junta de justlca,
remettendo para depois de visto ser relatado
em sesso da inetina junta o processo verbal
feito ao soldado do nono batalho de oanla-
ria tliguel Jos Antonio.Scienti6cou-se ao
coinmando das armas.
Dito.Ao inspector do arsenal de marinha,
para que mande fornecer ao cominandante do
lirigue esouoa Canpo os inantiinentos que elle
liouver de reqoisitar, visto ter de partir bre-
vemente para a Haba com o brigue escuna
aob seu coinmando, fin de ser all emprega-
do, conforme determina o aviso da reparto, .m
da marinha de 30 de maio ultimo, sendo subs-
tituido pelo Olinda, segundo declara o citado
aviso.-liilelligenclou-se a conladoria de ma-
rinba.
Dito.Ao meimo, transmittindo copia do
aviso da repartico da marinha de 3n de malo
ultimo, approvando o contrato feito com a
companhia le HebeJribe para fornecimento d'-
agoa aquelle arsenal, e bem assiin a delibe-
raco que a presidencia tomou a respeito do
mismo contrato.Communicou-se a conlado-
ria de marinha.
Dito.Ao director do arsenal de guerra, pa-
ra mandar examinar e recolher iquclle arse-
nal o armamento diiponlvel do extincto oita-
vo batalho de oteadores, bem como o equ-
paraento c mais utencilios do meimo batalho.
--Inlelligenciou-ae ao coinmando das armas.
Dito Ao iiicsiiio, transmittindo, para que
Ihe de o conveniente destino, o titulo do met-
i'c da murta classe das ofncinat do mesmo
arsenal, Francisco Xavier das Hevea.
l>ilo.--A ibesnuraria de fasenda provincial,
devolvecdo as papis de que trata o seu officio
de II do corrente, e autor isandu-a a iudem-
nisarao arrematante do empedramento de 650
braca do atierro de decinio-quinlo lauco da
estrada da Victoria, Miguel Joaquim do Hego
barros, da quanlia de 440,000 rs em que, se-
gundo a inlormaco que remelle do engenhei-
ro director das obras publicas, Importa o ac-
cresckno da deapea (cita pelo mesmo arrema-
tante com o referido empedramento, devrndo
ter lugar essa indeinnisaco depois de conclui-
da a referida obra. Scientificou-se ao men-
cionado director.
DEM-BO DIA 2i
Ollieio.Ajate relator da junta de justica,
remetiendo para aer relatado em sesso da
mesma junta o consellio criminal falto ao sol-
dado do corpo policial Joo Mendcs da Silva.
Ciiiiiiuuiiicou-se ao respectivo commandante.
Dito. A pagadoria militar dizendo que pa-
ra poder ser approvada a tabella que devolve,
lat-se ecccssarlo que a refurme quanto ao pre-
90 da carne fresca, que dever ser regulado
com attenco ao estipulado no contracto lti-
mamente celebrado para lorneclinenlo das car-
nes verdes para o lempo de invern, visto ha-
vereni dons mrzes desta estaco no semestre
da tabella ; devendo ser convenientemente ap
plicada a diltercnca que resultar da menciona-
da alteracao.
Dito. Ao inspector do arsenal de marinba
autoi sando-o de coniormldade com a sua in-
formaco, a mandar adlamar a quantia de
lOO/OOO rs. que pede o segundo tenente da ar-
mada Francisco da Cjiuha Galvo para lbe se-
ren descontados de seus vencimentos.Neste
sentido lizcrain-se as necesarias communi-
caedes.
Dito. Ao director do arsenal de guerra pa-
ra que faca alistar na, companhia de apreudi-
let daquelle arsenal, dcfols de lavrado o ter-
mo de rjue trata o art.'Oo regulamento n. 113
de 3 de Janeiro de 1842 os cinco expostos me-
nores, mencionados na relacao que remette,
11 1 ni 1 itwai
1 -
os quaes lbe serao mandados apresentar pela
administraco dos estabelecimentos de cari-
dade. Neste sentido expediram-se as neces-
sarias ordena,
Dito. Aojuiz de direito do Bonito trans-
mittindo os papis relativos a consignaco de
dous contos de ris de que pede entrega a ir-
mandade da igreja matriz daquella freguezia,
alim deque mande examinar com baevidadeo
estado da capella mor da mesma matriz, bem
como orear por piriloa a obra para a qual fui
destinada a referida quantia, coinmunicaiido
presidencia quanto a semelhanle respeito jul-
gar conveniente.
Dito. Ao jni municipal da priineira vara
paia mandar apromptar os presos que devem
ser enviados para o presidio de Fernando, alim
de seguirem no patacho Virapama que para all
ten le partir brevemente. Neste sentido ex-
pediram-se as convenientes ordena.
Dito Ao promotor publico de Santo Anto
lio so Incao 1I0 ollieio que Vine, dirigi es-
ta presidencia em 5 de maio ultimo, coDsulian-
do se, em crlmeparticular, como o de estrupo
e outros, sendo miscravel o ofletidido, e deven-
do por isso o promotor publico denunciar na
forma do art. 73 do cdigo do processo, pode o
juiz municipal, delegado ou subdelegado pro-
ceder ex-ocio em vista dos arts 262 e 263 do
regulamento n. 120 de 31 de Janeiro de 1842,
tenho a dizar-lhe que ossai autoridades podem
proceder ex-officio no caso figurado, e a Vmc
corre a otnigaco de Intervlr no processo, re-
querendo tudo quanto for a bem da justlca,
guardadas assiin a disposlco do art. 73 do re-
ferido cdigo e as do mencionado regulamento
por Vmc. citadas em dito olticio.
Dito. Acamara municipal. Em snluco
ao ollieio de 3 do corrente em que a cmara
municipal desta cidade para responder una
consulta do sen procurador pede que esta pre-
sidencia Ihe declare se os religiosos do conven-
to de Samo mil 1,i o desta cidade eslo, como
auppde a mesma esmara, comprehendidos na
disposlco do art. 25 2 do regulamento do
cemiterio publico em rasao de seren mendi-
cantes se, como taes devem gosar do favor
concedido pelo citado indrpendentemente de
.1'lesiin ues do paracho OU autoridad,' policial
da freguezia, uina vez que a sua indigencia cs-
l comprovada pelo facto de fazerem voto de
pobreza, e finalmente, no caso de aflirmaiU a,
os carros de condueco c sepulturas que de-
vem ser prestados aos mencionados religiosos,
visto que parece conveniente que os seus fune-
raes e inhuffracdeg sejam fcitos com a decencia
1 o, si vil, atiento o seu carcter sacerdotal, en-
tretanto, que s pode a municipalidad!- dispor
para semelhante m de carros de terceira or-
dem e sepulturas corainuns ; tenho a declarar
a sobredi cmara que poalo a apeale A que
se trata nao eslrja prevista na lei e rrgulamen-
t > respectivo sao com tudo muito procedentes
as rasura indicadas pela mesma cmara para
que se l aos religiosos do convento de Santo
Antonio sepulturas reservad as jnllu. Deixo de
resolver a duvida proposia em segando lugar a
cerca dos carros que devero ser prestados, por
suppor que os religiosos queiram antes condu-
zir .1 iiiao os seus confrades, casa em que se
nao verifica a bvpolbese figurada,
1DFJ1 DO DA 03.
Ollieio ao comuiando das armas, inteiran-
do-o de ter vindo para esta provincia, no
vapor Imperador, segundo participou o Exui.
presidente da Parahyba, o soldado do quarto
batalho de 11 hlli.u -i.-i .1 pe, Alnxu l'enira llra-
silelro, que all se achava com um mez de
lii-enca de favor. .
Dito.A* thesourarla de Cazenda, transmit-
tindo o aviso de urna letra da quantia de ris
5110/000, sacada pela thesouraria do Dio Gran-
de do Norte sobre a desta e a favor de Thomaz
Gomes da Silva.Participou-se ao Exm. presi-
dente d'aquella provincia.
Dito.Ao director interino do Ivco desta
cidade, diiendo ficar inleirado de baverem-se
escusado de servir de examinadores no con-
curso para a cadeira de inglez e francez do
collegio das artes os professores do mesmo
Ivco, para este fim esignados, e exigindo
que com urgencia declare quaes os motivos
de escusa allegados pelos ditos professores, a
quein incumbe o dcsempenbo de urna tal
cuinmisso sempre honrosa.
Dito.Ao procarador da corda, fazenda e
soberana nacional, reconimendando haja de
dar o seu parecer cerca da representado
que remette, aconipanhada de informaeo ^U>
inspector da thesourarla de la/enda, na qual
a cmara municipal desta cidade pede provi-
dencias no sentido de Ihe ser conservada a
posse do terreno de marinha, deque fax nien-
co, para iogradouro publico.
Dito.A' cmara municipal do Liroeiro,
dizendo que para ter lugar a dispensa do ser-
viro activo coucedida pela presidencia a Joo
Correa da Lu, portriro d'aquella cmara,
he preciad que na mesma nao haja alguin
ajudante do porteiro ou continuo que faca as
vezea do porteiro, quando este acbar-se im-
pedido-
Dito.Ao director das obras publicas, re-
mettendo dous rnelos para que, em vista
do que nelles expoe o coronel commandante
das armas e o director do arsenal de guerra
informe se no archivo U'quella directora
existe o contrato com que o estrangeiro Pagels
llci.iy alislou-se para servir no exercito, en-
viando ao inesinu lempo com os dous cita-
dos rnelos copia das condicxies do diio con-
"a,- a. .
Dito.Ao mesmo. Em visM do ollieio de
27 de maio ultimo, em que Vuic. pede que
esta presidencia decida se os arrematante! das
obras que forem encampadas e concluidas por
administraco em raso de falta de cunipri-
inento do respectivo contrato, sao ou nao obri
gados a assignar termo de entrega provisoria
para cumplimento do dlsposto no artigo 34 do
regulamento das arrematarles, bem como se
iicao subjeitos taes arrematantes a responaa-
bilidade da conservarn da obra durante um
anno ; tenho a declarar-lhe que, sempre que
se dr o caso de ser concluida por adminis
Iracao a obra arrematada nao ser preciso exi-
gir se o termo de que traa o artigo 34 do
citado regulamento, subsistido todava a res-
ponsabilidade do arrematante duiaute o anuo
pela obra que bouver feito, e por isso dever
Vine, representar sobre cada urna das obras
em que se verificar a hvpoihesc de tornar ef-
fectiva semelhante responsabilidade, alim de
que esta presidencia resolva como for de jus-
lica.
Portarla.Mandando dar transporte para a
corte no vapor imperador, em os lugares vagos
para passageiroi de estado, ab major do segun-
do batalho de fuzileirps, Joaquim Rodrigues
Coelho Kelly e ao l)r. Jos Jansen do Passo.
Dita. Mandando dar pass.igem no vapor
Imperador, como passageiro do governo, ao
capelln do terceiro batalhSo de artiliiaria a
pe, Manoel Antonio do Valle, para as AlagAas
ao tenente do quarlo de fuzileiros, Andre'Ac-
ciole Pinheiro de Vasconccllos, para a corle ;
e s (iracas de prel, bem como alguns Indi-
viduos escusos do servio o. que Ihe forem man-
dados apre-ejiiar pelo coronel commandante
das armas, com destino n.io s para a corte
como para algumas das provincias do sul.
DEM DO OU 25.
(illieio. Ao commando dasarmas, inleiran-
do-o de haver de cunfonnidadecom a sua in-
l'm macan, deferido convenientemente o reque-
rlmento em que o alteres do corpo lixo do tira-
r Luis da Franca le Carvallio, resignando o
lempo de licenca que Ihe falta para o comple-
to dos tres mezes concedidos pela presidencia
afini detratar-se pedia para entrar em o exer-
cicio do seu emprego de ajudante da fortale-
za de Itamarac.
Dito. Ao mesmo dizendo ficar cierne de se
haver recolhidn .i capital o destacamento de
priineira linha que existia no Bonito, e exigin-
do que, depois de ouvir o lente que coin-
mandava o dito destacamento, informe o mo-
tivo, pelo qualdeixou elleem mo do delegado
supplenle daquelle termo candido Jos da Sil
veira 1170 cartuxos embalados de mosquea-
rla que estavam a seu cargo
Dito.Ad mesmo para mandar admittir, co-
mo addidos companhia de artfices, confor-
me dispoe o art. 10 do regulamento n. il3de
3 de Janeiro de 1842, os aprendzes menores do
arsenal de guerra Elisco do Reg Barros, Mi-
guel Francisco Bibero e Florencio Lui* de
Albuqucrque, visto terem sido elevados a clas-
se de mancebos, segundo participa o respectivo
director. -- IntelIigcnclou-sc ao referido di-
rector.
Dito. Ao inspector da thesouraria de fa-
zenda para qucouvindo o inspector interino
da alfandega, proponha pessoa idnea para en-
carregar-se do servico da capatazia daquella
repartico, o <(ual nos termos da ordem sob
n.40 do tribunal do thesouro de 5 do cr-
reme deve ser feito por administraco.
Dito.A mesma devolvendo o requerimento
em que Braz Carneiro Leo proprietario do
engenho 1111 moni a sito na freguezia la Escada
pede providencias que obstem que ennti-
nuem a ser iilegalinente oceupadas as trras
nuii'ora pertencentes ao patrimonio dos indios
da dita freguezia, e dizendo que deve dar as
convenientes ordens para que pelo juizo com-
petente se requeirain e promovam as diligen-
cias precisas a bem da fazenda publica.
Dilo. Ao liiaprctor do ararnar-dr ninnrtia,
dizendo que para poder deliberar acerca da
prestacao dos negociantes II.-un Forster S C,
laz-se necessario que declare qual o preco por
que se poder ceder a >s supplieantea urna das
.inicuas pertencentes aquelle arsenal para ser-
vir de masito de traquete da barca americana
M un.mi, actualmente fundila neste porto,
derendo inclulr-se nesse preco as despezas de
transporte, juros do dinheiro empregado, e
quaesquer nutras despezas, conforme prope
em sen ollieio de 23 do corrente,
Portarla. Exonerando de conformidade
com a proposta do desembargador chefe de
polica interino, a Severioo UVnrlqiie de Cas-
tro Pimentel do cargo de subdelegado da fre-
guezia dos Al'c,ados, por aistm o haver pedido
e nomeando para o substituia a Francisco Luiz
Maciel Vianna. Coinmunlcou-sc ao mesmo
dezembargador.
TI.IBUNAL DA KfiLACAO'
SESSA DE J3DE JUNHO DE lIsSl.
/'residencia do Exm. Sr. conselheiro Attvedo.
As 10 horas da manha, estando presentes os
senbores desembargadore Leo, Souu, Luna
Freir, PereiraMonteiro e Valle, fallando cotn
causa os Srs. desembargadores Villares, Has-
tos e Rcbcllo, o Sr. presidente declara aberta
a sesso.
JUI.OAMeNTOfS.
lticur$o$ crimes.
Recorrente, o juizo; reconido, Marcos Anto-
nio Rodrigues de Medeiros. Coufiruiarain
o despacho de nao pronuncia.
Recorrente, o juio; recorrido, Justiuianno
Fcrreira da Silva. dem.
Agqrato.
Aggravanle, D. Candida Agoslinha de Barros;
aggravado, Jos Candido de Camino Medei-
ros. Negaram proviinenloao aggravo.
dhsigmc;a5.
Appellantc, Ellas Coelho Chaira ; apprllado,
Custodio Collaco Das.
bivisOes.
Passaram do Sr. desembargador Luna Frei-
r ao Sr. desembargador Pereira Monleiro as
seguintes appellacflesein que sao:
Appellantes, Jorge, Kenworth & ..; appcllado,
Jos Das da Silva.
Appellanle, Joaquim Antonio do Forno ; appcl-
lada, Constanlina Jaciulha da Molta.
niSTAiBUi<;GE.s.
AoSr. desembargador Leao o seguinte :
Carta testemunhavcl do j"io do cominercin
desta cidade passada a favor de Nuno Mara
de Seixas, contra Jos Joaquim Monleiro.
Nao foram julgados os domis feitos com din
assignado, pelas faltas cima Inencionadas.
Levantou-se a sesso au meio dia.
enrgica ; ejla foi publicada com pouca exac-
tdo por alguns periodiocos.
As tropas estavam mu desmoralisadas, ellas
tinhain sido conservadas por mais de sesseuta
horas em urna altitud.- tmida c mesmo vergo-
nhosa diante da sublevaco, com os ps na la-
ma e a mochila s costas ; entretanto que os
sublevados atacavam os guardas inunlolpaet,
incendiavaiu o corpo la guarda, corlavam as
arvores, qurbravaiii os lampidet ? proclama-
vain aos soldados. Estes nao iinhain recebido
outra comida mais que tres ra^oes de bolacha,
as quaes tinham ja inleiramente consumido ;
ellcs nao tinham geralmenlc seno de/, cartu-
chos cada um. Os balallldcs niellior fornc-
cidos nao tinham mais le vinle. Nao havla
na praca do Carrousel seno tres cimbeles de
cartuchos ; na escola militar nao havia ne-
nhiim. A nica provlso se achava em_ Vin-
eennes, e esta mesmo nao ennsestia seniio cin
Ireze cuuhetes. Para facer vir esla reserva era
necessario atrevessar toda a insurreico e mi-
niares de barricadas.
Os cavallos da avallara estavam estafados c
nao tinham o que comer. Os soldados tinham
sido conservados quasi sampre montados.
Tollas as tropas destacadas na llisillha, 110
llolcl-di'-Villo, nos lloulcvards, no Pantheoii,
tinham recibido ordem le se reunireiii ao
amanheci-iem redor das Tulheras. Apressei-
me a ordenar-lhes que ficassein firmes em seus
posto-, assegurando-llirs que algiimas colum-
nas Iriam rel'orca-las ao romper lo dia, e que
ent.1.1 se tomarla una olfensiva decidida. E111-
preguei o resto da noite em organisar nossas
columnas e nao deixei escapar nenhuina occa-
sio de reanimar o moral de tudo o que me
cercava, e iiho fui mal succedido, porqiianto
vi que as pliysionomias, mu tristes ao princi-
pio, se foram reanimando gradualmente, ao
uto na i medidas que CU tomava, as ordens e
instrucocs que dava. Eu linha em redor de
iiiiin pelos menos, 150 officlaes do estado-
maior do excrcitj e da guarda nacional lina
iiiultidodcgcneraes vcrain ollerccer-me feui
servico), seu numero era to grande que, que-
rendo cada um dellcs attrahir a minlia atteti-
c:io fuerain-me perder com suas protcstacos
um lempo precioso. Accrescen te-te a lsto que I da guarda nacional que postar.
ao mesmo lempo cen noticia me cram dadas Voltc a praca do Carroad, conesso com.
ecei ordens me craui pedidas........mili certa Conliaoca de <|tie se perinineces-
.......................sernos firmes em roda do pajo e se reuniste
Emlim, aoaiiianiecer, pelas cinco hora t incia !>'mi corta quantid alo de guarda nacional, a
da manhaa, quatro columnas partiraui da pa- [sublevaca 1 se extinguira pacilicanicnte, logo
ca do Carrousel. animadas por um oni espi- que as uiassas tivessem conheciiiiento da mu-
riio, porm mal prvidas de miiuifOcs, para danca do ministerio, aqual garanta a retorma;
sustenlaruina loaga lula. Os chefes destas co- porera mais larde reflloto que esta ligeua es-
luinnas e grande uiiinero de ofliciacs que as per mea 11 a de niinha pai te urna grande stm-
plici lade le ciiciimstaucia, por quanto en sa-
oblidos um uniforme de general cidad
apressei-mc em manda-lo para as ras. _
11 J que nao devenios combater, Ihe diss
eu empregue sua papularidade para traner a
razo essas massas furiosas.
Devo dizer que elle executoii esta Bllttao
ooni umita dedlcaco;em alguns pontos fui
bem succedido; cufoulros foi mal recebido :
correo perigo.
.Mr. Tlnerse Mr. li.iirot, dispunhn-se a mon-
111 o o .vallo para ir fallar mullida*, |iiao-
do o pintor Vernei ehegando-te > mlm, dis-
se-me. Kan deixe sihir a Mr. Tliiers poli
yenhoagora dos lugares onde se acampa a In-
siirrei{o < deixei-.i furiosa contra elle, es-
tOU mesmo convencido que o fariam em pos-
tas,se elle lappareccsse. Detivc Mr. Tillen,
ape/.ar do sua resistencia, e Mr. Ilarrol foi s
apresentar-se ao povo Elle teve quasi a m*>
na sortc que Mr. de I.amoricire- voltou
lucia hora depois c disse-inc Mr. Thier:
nao lie mais possivel, nein eu lao pouco. Di-
lo isso dirigio-sc para palacio.
\;io lornei a ver mais os ministros. I.amn-
ricire voltou 11111 pouco mais tarde, entretan-
to anda a esperanca de ver a sublevaco a-
calmar-se. Eraui entiio qu.T-i des horas da
uiauhai, quando doui batalhoes da dcima le-
gio, s ib as ordens do coronel Lemercier dc-
sembocaram na praca do Carrouael; aprovei-
tei a occasio, corr ao eucnntro dettet bata-
lhoes, li/.-lhes urna falla, e tive a felicidade de
-of. ippi-iii.fi lo mas aos applausos que me
davam 'lies misturavain os gritos de oim a ie-
forma ; abaixo Guizol! O re falli, pattou re-
vista a estes batalhoes c foi bem acolhido por
ellcs.
I'.ii me puz cnto sua frente, e fui distri-
bu las por todas as ras de llivoli, onde se estavam construindo al^u-
inat barricadas; mas consegu faie-las aban-
donnar pela inica anua la persuaso e pela
presenca la guarda-nacional.
Mullos cldadoi vieram olliciozamenle ad-
vertir-ineque eu corria grandes perigos eque
provaveliuentc me 111 itai iam.
NSo prestei a isto neiihiima atlencn Con-
liniioi ininha obra em quanto live um pelotio
. ouipnoli un receberam ioslriicfes as quaes
Ibes era indicada rpidamente a manen a de
tauar a* ^barricadas e as massas compactas, de
penetrar ras casas, eic. eic A couli.inca devisa
va-se em todos os semblantes, e como eu con-
llderava a guerra como bem travada nao Uve
duvida de que o combate recoinecaria (inme-
diatamente. Urna das columnas si- dirigia so-
bre o Hotel de Villc pelo Palals-Royal, pelo
banco, an avi-ss indi, as ras nont-inartre, l'ois- anvlel 1
bia desde multo lempo que nSo redesaniuia
o inimqre Rnendo retiranlas, nein as ma.sas
lumiilluisas fazendo se.
I ni nutr circiinistancia veio atigmcntar
esla illiis.in: aiiiiuni-iarani-me i\ac uina co-
lumna bailante forte que vinha do lado lo Pa-
lals -".ojal, liarla urna petieo ao rci. O ge-
iieiaH.ainociTC achava-se junto de inin cu o
1 encontr dessa columna a fuu de fa-
oniere, Saint-Denis, Salnt-Martln, etc.
A segunda se dirigia llastillia pula ra P.i-
cbelieu, pela bolsa, pela extremidade la ra
Mnut-iii uin- e pelosbonlevards.
A terceira devia manobrar direila c cs-
querda atrs das duas primei;as, alim de im-
pedir que-te forinasiein barricadas narria-
guarda das inesmas.
A <|Uuta se dirigia 10 Panthenn para lefor-
car o general lien m,I, o qual devia. tomir o
coinmando de tudo, e tiuha ininhis iustruc-
9CS. Soldados de 1 avallara disdircados acoin
pauliavam as columnas para me Ir
te-la parar e de duer-lhe que euviasse sua pe-
ticiio por trez delegados.
Elle parti le milito boa vontade mas nao
tardou milito que nii voltasse diiendo-me
que o n 1 tinham querido escutar e que a co-
lumna continuara a avancar corr ao encontr
da mull.lao, mas nao piule chegar seniio no-
momento em que ella dcseiubocava deronle
dessa casa itolada que 0 coronel Janbert clia-
niav urna quilha. A coliiiniia parou minlia
vo/.; lizenliio mis individuos que a compunliao
Uina falla enrgicae palhelica ao uicsuio lem-
po, e a pnjv 1 de que fui bem succedido, beque
irecTpilaram-i
-se sobre 1111111 ettendendo-
i/erein suas
infurmaces ; as ordenanzas de reserva foram 1 Mes preclp
organisadas na praca do Carrousel sob as or-'me as nioi.
dens do general Rullires. L'm houiem vestido de guarda nacional
Pelas sete horas eu soube ollicialmenlc que me disse: o Sr. he o inaieclnl lugeaud.
nossas columnas linhaiii chegado aos pontos
EXTEftiOf.
A /Vene transcreve da lndrpendar.ee belge
teguinte carta do fallecido inarechal llugeaud
sobre ot acontecimentos que no dia 24 de fe-
vereiro de 1 SIS tiveram lugar em Pars.
Meu charo collega.
19 deoulubrodel848.
Eram duas horas da madrugada, quando um
ajudante de campo do. re veio dizer-me no
dia 21 de fevereiro que me dirigiste a palacio.
Ahi chegando, olerecerain-me o (ominando
dat tropas e d uarda nacional : comprehendi
perfeilamente ,ue j nao era lempo ; inatjul-
guel que era indigno de mim o recusar. En-
tretanto como nao cjtivcssem presentes os ex
ininistrot tjiu/.ot e Duch.itel, para referenda-
rcm os decretos de ininha noineacao, inandou-
se procura-lot e nao foi seno pelas tres horat
ou tres emela da inanhaque pude Irajuntar-
Imc s tropas que se acliavaui na prafa do
Corrotuei nu no pateo das Tulherias. Kcuui
rpidamente os ofliciaessuperiores e os subal-
ternos, l'u-lhcs uina talla que ua verdade, eia
indicados sem resistencia alguma,
As barricadas nao foram defendida!, sendo
nu sino bastante destruidas para que podesse
paitar a arlilliaria..............
Eram sete horas piando una miilliilo le cl-
dados mu bem vestidos, viudo de diversos
poutos unde se achava a insurreico, se dirigi-
rn! a mlm com as lagrimas us olbos, pedin-
do-me que l'uesse retirar as tropas que Irrita-
ran! o povo, c deixassc guarda nacional, a
qual se eslava reuninilo, a taiela de apazlguar
sublevaco. Esl'orcava-me por fazer-lhes
coiiipreheuJer quanto perigo havia nos con-
sellios que me davam, quaudo Mr. i'liiers c
Mr. Barrot me trouxeram da paite do rei, a
ordem de mandar retirar lodas as tropas, e
de nao einprcgar seno a guarda nacional, da
qual eu uinda nao linha visto mais do que dous
ou ires pequeos pelotoes que se achavam na
praca do Currouscl. Uesisti aos ministros assiin
como tuina esislido aos cidados ; mas como
o duque de Semours vieise reilcrar-mc a or-
dem da parle do rei, julguei dever nao lomar
por 111 ais lempo sobre 1111111 uina tal responsa-
bilidade. nlliiqui 1 cui roda de una mesa 111113
duzia le offiolaet do ettado-malor, e liciei a
ordem de retirada juasi uestes termos :
Por ordem do re c dos miiusiros, deveis
volt ii para as l'ullierias ; fizei esla retirada
com uina atlilude lespeilavel, mas se toriles
atacados, vullai, loniai a ull'eiisiva, e obrai
conforme as luslrucccs por inin dadas esla
iiianli 1 1. a
Esta ordem foi levada aos diversos poulos
poi olio ios do e-i 1...--ni no r da guarda, na-
cional e por paisanos que dislo se encarrega-
lain olliciosameutc com um zelo que uo me
presagiava nada de bom. Foi este passo lnes-
to que perdeu tudo, c veja-te deque depen-
dem as niaiorcs eousas ueste inundo! Se, pela
uiaiih.i.i, as barricadas tivessein sido defend-
dat, o combate se lena travado, e as cousas se
ten un passado de ouna maneira
I..-1111 1 -quc 1 ndii dizer-lhc que, depois de
ter toma .o ludas as inhibas disposiciies mili-
tares, nao me descuidei de por lodos os meios
que estavam ao meu alcance, iuformar popu-
lae.io da uomeacao de Mr. Tbiers c de Mr. llar-
rol para o posto de ministros. Mais de 2n0edi-
taiy iiiauui.i ipt s c'ion lid., urna pequen 1 pro-
clamacao foram levados as file i ras por agentes
de policia, paisanos e militares dislrcados.
Em alguns poutos, a noticia loi bem acolliida,
01 muros porm os edilaes foiai rasgados
pisados.
Pelas 9 horas, Mr. Thirrs e Mr, Barrot vie-
io outra vez procurat-me e apresentarao-nic
Mr. de Lainoricire, mu- acabava de ser no-
nieado o couiiiiaudaiiie da guarda nacional.
Eu o acolbi cordialuienie, esquecendo i:ii-
nuas qucixat unc toles, e como elle tivesse
Sim, sou eu mesmo. O Sr, nnndou fazer fo-
o sobre nossos minos na ra l'ransnonain.
Mente, pola, eu nao nie achava ahi. Elle
fea uin rnovlmento com a sua arma, aproxi-
mei-me delle para loma-la ; mas seus vizlnboi
Ihe linpoieram tllencio e se pozaran a gritar :
11 Viva o maregal llugeaud ; Honra gloria
militarlo tu linha rntao junio de mim o chefe
de esquadro lioclu, o coronel SeroV e o ca-
pitn de artilliciia Tabal', Depois de ler dado
11111 sem mu. 01 o de piinbadas, decid! esla co-
lumna a retroceder proiuellcndo-iiic grande
nnuil 1 o daquelle!que a compuubam |uc Iran
para os seus quarleirOet alim de restabelecer a
ordem.
Puncos instantes depois ouvi tiros de espin-
gaula do lado lo Palais-Royal c (lo Louvre. Eu
ignorava pie tiretteinoi alii um destacamento;
cram mi/.e horas ou onie c niela quando isto
teve lugar. Corra um bitallio do juinto li-
geiro c Ihe disse: Ja que elles coine;am a
guerra, nos a aceitamos, vou marchar vosta
Vente.* Neste momento dous ajudautei de
campo do rei vieram aniiunciar-inii |ueS. M.
ia abdicar em favor do conde de Paris, que a
regencia ia ser proclamada c que o inarechal
Ocrard eslava investido do coinmaiiilo das tro-
pas. Ordenei eniao ao batalho que avancasse
su para o lado di Louve, e nao pudendo crer
em una noticia lao extraordinaria, corr ao .
paco para me certificar disto por mim mesmo.
Aclu'i o re eterevendo sua abdieaco no
meio de urna muliido que o excilava a termi-
nar este aoto,
flpput-mc a isso com forfa, dizendo que j
nao era lempo, e que semelhante medida nao
produziria oulro clleito mais do que acabar de
desiiiuralisar as tropas, que Uros de espingar-
da se oiiviam, c por conseguintc nu havia
mais do |ue combater, a raiuha apoiou-me
com energa ; o re levantou-se antes de ler
acabado seu eacrlpto..., ^ias... c varias pessoa
gritaran] que elle linha promettido e que era
necessario que cuiiiprisse sua palavra. Una
muliido de gritos apoiaram esla nbiervacao e
iiiinloi voznan pode ser ouvida. U rei conti-
iiiniii a escrever. Como os tiros nao parassem
nreclpltel-ine no pateo para ir combater a
frente da pr'kneira Hopa de boa vontade, que
eiiconlrasse. Munlci 110 meu .avallo, o qual
linha deixado na porla e conviden a todos ot
ailltlentei a seguirem-me. Neste mouieuto,
Mr. Cremieux, que lescia de palacio me tegu-
1 i-l pola peina giil audu-liie Nao v inare-
chal, que te etpc a inorrer inulilmenle, tudo
est acabado. Desembaiacci-me de Mr. Cre-
mieux e corri praca do Carrousel mui decidi-
do a tomara oll'ensiva.... Mat ol dor ; oh ttu-
pefacco! todas as tropas tinham j rompido
por peloles' direita e eiquerda, e evacua-
vain a praca do Carronsel por lo Jas as sabidas.
Emquanto sub a palacio, creio que o
niaiecbal- erard Ibes ordenara que ne
II FaiV/FI


T3fccTr.w.!i rroa
O
iclirassem para os seus quarlcis. Kra-mc 111- enllocar um portaode inadclra no armaiem si-
jkm.vi 1 fazrr parar esle nioviiiienlo mltiplo lo no lugar do Cortme da frrguezia de San-
por quanto as vanguardas das columnas esta Jos, que oulr'ora foi bebedouro do gado, de-
pnis de fa/.er sabir de dentro dcllc a gente que
ooecupara, c lembrando parcccr-lhc conve-
l>iu qua
voj no caes ou as ras vmnhas. Entao
levanlel s luios ao ceo c retlrei-me acompa-
jilia I > |jur ti 111 so oflicial, o capitao de artillia-
iii l il'.ir. Ao chegar diantc do paco >la c-
mara, acliei o pateo deserto c as grades fecha-
das sem urna s senlinella, sem guardas, cm una
palavra sem peisoa alguina ; ju deputados uao cstavo reunidos, c julguei ti-
llo) tambem por ter vislo una mullid.m dcl-
les as Tulberias, ou em suas scrcumvisinhan-
cas. Ja entretanto informar-mr disto, quando
i'iiii bando de insurgentes que vnlio pelo caes
le Orsaj se posrram a gritar
A baiio o general Hugeatid Corr para
cllcs c ilisse-lbes : Sabis o que gritis .' Gri-
tis abaixo o vencedor d.Alied-cl-Kader a bai-
lo o homcm que submetteu os rabes e con-
quislou a frica a baixo o bomcm que po-
de eoudusirvos victoria contra os Altcmaes
eos Uussos 1 antes de un mrz talvez tenbais
necessidade de inioha experiencia c de minha
coragem. Estas palavras me ganharaiu lo-
dos os .espiritos ; gritos de: u Viva o inarecal
Bugcaud troaram nos ares e todos quie-
rain apartar-mc anio.
A entrada da ra da universidade, encon-
trei ontrO bando ; c a mesma scena se repe-
li. Estas duas diverses me li/.ciam perder
e vista a cmara dos diputados. Entretanto
eu icilertia que o palacio nao era guardado
por ninguem, mas penseiquen iiiaroch.nl Ge-
rard, que tinliao coinmando, e que poda dis-
pov de 5 a 6,0110 bninens que cstavam na prnca
da Concordia proveria a isso. hntrei pois em
minha casa para pedir o meo uniforme o mais
depressa queme fosse possivel. e correr ca-
lima. Alguns generaes que chegaram. liie-
ram-me perder uina meia bora.
I.ogo qucclieguei ao pateo do I'alais-Hour-
bon, vi sahirem delle alguns deputados, todos
perturbados e com physionomias incriveis.
Aquellcs que puderam fallar, disseram-
me :
i. Tudo est acabado, vai-se proclamar a
repblica.
Corri para un destacamento da 10' legio,
que eslava postado na praca e que nao pare-
ca ter scicncia do que se passava : Voces
quereui a repblica.' Ihesdisse cu, nSo'por
Dos, nao a queremos. = Entao entremos na
cunara part proteger a regente e fazer pro-
clamar a regencia '. Este destacamento
coinponha-se de *>" bomens, pouco mais ou
menos, e era comniaudadu por un jovein chefe
de batalllo. Elle* tomarain as armas vagaro-
samente, ateste inninento, oudinout sabia
do patio para vir procurar estes guardas na-
cionaes. Elle Ibes fallou com un calor e un
attraclivo que Ule couquislaram toda a miulia
estima. Apertel-lhe a ino, toinei a graua-
deira d'um invalido, e entramos no pateo, mas
j era larde Uus quluze deputados que sa-
liirant com preeipilaco disseram : Tudo
est acabado. A duqueza lvai para os In-
vlidos pelo jardiin da presidencia. A rep-
blica est proclamada.
Os guardas naciouaes lizcram alto nao ha-
via mili nada que lazer. Nos nao tiiibamos
forca bastante para desfazer o que tiuha sido
feito.
Assun cahio esta nioiiarchia que tinha dado
Franca 17 anuos de paz c de prospendade .'
A historia nao ollerrce nada de mais vergo-
nhozo e de mais dcploravcl...........
Nao tcnbo referido toda verdade, mas nada
liiih i dito que nao seja perloilaiiienle
exacto e que nao podesse ser atestado por mi-
Ihares de lestemunlias.
Teulio sido informado da inaneira a mais
positiva, por umitas caitas de ollii laes do ex-
ercilo e da guarda uaciouai, circunstancias, longe de ti r declinado na opi-
siio da quedes que 1116 viiam,clcvei-me.
lu concurso extraordinario de ciicuuslau-
eias me paialiiaiam ; eu nao pude lazer iien-
liiiiu un de minha experiencia e das (acuida-
des militares que a uatureza me deo. Eu nao
tu.lia, como ilisse j lio principio, seno a
sombra do coilllliando. Os iiiiuislios, o le,
os principes, os cidados, ludo me euibaraca-
va. Ah 1 quanto desejei uesse inoiiieiilo que
a corle c o goveruo cslivcsseni cm Viucenues !
tas o que lina sido necessario primeiro que
tudo, be que eu liveae o coiiiinando tiuiu/.e,
dlll aiuei, a liui de piepaiar as tropas e ,,c l m parecer que foi approvado da eommissao
i.lentilical-as cun inhiba inaneira de oblar e (,e l,ollc'a' ',a"!, l,0,r conferidas e exactas as
demunil-ai de lodas as coiizasnecessariaSalc.0"las .r<*lla e despea* municipal do mI
nientc o scu arrendamcnlo. Que se nnnnn-
ciasse para ser arrendado.'
Ouiro do fiscal de San Jos, remetiendo o
inappa do gado morto no matadouro das tunco
Ponas para consunto, de 2 a 8 do correute (499
reies). Inlcirada.
Outro do Pical supplentcem exercicio da fre-
guezia de Santo Antonio, dizendo. que por nao
ter adiado quem se queira encarregar de ex-
tinguir as formigasqueesto destruindo as ar-
vores plantadas no largo do palacio do governo,
anui'iicira pelo Diario, a ver se apparece al-
..iieni, e logo que appareea, dar cumpriinenlo
a ordem que para islo tem. Imeirada.
Outro do un -i..... dizendo, que para poder-
se obstar o abuso de se fazerem despejos-de li-
ios e iinmundices no caes do passeio publico, e
de siilmem e descercm inadeiras e outros ob-
jectos pela rampa ha pouco le i la pelo arrema-
tante Jos Oouiiogos Codeceira, que a daiuni-
ii-- un, faz-sc preciso que all esteja urna senti-
nclla -Que se renovasse o pedido ueste sen-
tido feito ao chefe de polica em 28 de abril ul-
timo.
Ulna informacao Jo engenheiro cordeador,
relativa a pelioo de Scbastio I.uiz Ferreira pa-
ra elevar a aliujjfc das portas de sua casa n 1 da
ra de Dorias, em cousequencia de terem tica-
do iiiuito baixas com a calcada maudada fazer
d'nrdem desta cmara. adiado.
Kni apprnvado um parecer da eommissao de
petielo declinando de si para o Sr. Vereador
\ i ni mu, a deciso a respeitodo ollicio do atl-
ininisiradordo cemiterio, relativoa suspensao
do porteiro do inesmo, c em cousequencia
inandou-sc rcinetter os papcs ao dito vereador
i i ni na pai a piovidenciar como conveuienle
for.
Sendo lida urna peticaa dos proprietarios e
moradores da Capunga, pedindo que a cunara
mande atterrar a estrada principal daquellc lu-
gar, que segu da ponte ao rio, cm cousequen-
cia de se alagar por tal forma, que impede o
transito. Uelibcrou a cmara que o enge-
nheiro cordeador orcasse a despeza para essa
obra.
A lequerimento do Sr. vereador Carneiro
Monteiro a cmara decidi que os poderes da
coiinnissao de polica sao extensivos ao estabe-
leciuienlo do cemiterio, relativamente ao eia-
me e averiguacoes das respectivas coutas de re-
ceila e despeza, e em cousequencia, a referida
eommissao designou o dia 11 do correnle, as
10 horas da manlio para o exame dessas coti-
las, mandando ofliciar ao administrador do ce-
miterio, para no referido dia, comparecer ua
casa dcsta cmara com o livros e mais papis
precisos.
Mandou-se outra vez determinar ao fiscal de
Sinto Antonio, que reniettessc comoic Ibe exi-
gi copia do aviso do governo, em virlude do
qual se acha excrcendo o lugar de ajudanle de
sleriomelra da alfandega desla cidade.
Mandou-se remeiter a eommissao de edl-
ficavo os requerimeulos viudos da presidencia
i ..i i i a cmara informar sobre terrenos de ma-
rinba, de Antonio Bolelho Pinto de Mesquita e
Jos Pedro Velloso da Silveira.
Despacharam-se as peticoes de Jos Apolina-
rioda Cuuha, Iguacio .Nunes de Oliveira, ad-
uiinislradoresjilo cemiterio inglcz, Estcvo Ca-
sado Lima, Ama o Jos Gomes, Jos Fernn*
ras, Josepb .lene, Joaquim l'ernardo de
l-'igueiiedo, 1). .Maiiu de Pinho llorges, e levau-
tou-se a sesso.
Eu, Manoel Ferreira Accioli, secretario inte-
rino a escrevi. Mamedr, pro-presidente. -
Aigueiredo. Ferreira. r. Moraei. Car-
neiro Monteiru.
SIGl'NOASESSAI) OllDINARU DE 12 DE
JI'MIODE 1851,
Presidewia do Sr. Itiirroi.
Prsenles os senhores Mamede, Carneiro Mon
leiro, Morars, Viaiina, Pires Ferreira e Figuei-
redo, abrin-se a sesso, c foi lida e approvada
a acta da antecdeme.
Poi lido o seguinte expediente ;
Um nflicio do fiscal supplente, em exercicio,
de Santo Antonio, participando nao poder com-
parecer boje a sesso, por ter de dar principio
a extincn das forinigas, que esto destruindo
asaivores plantadas no largo do palacio do go-
verno, visto ter adiado quem se queira incum-
bir desse trabalho. Inteirada.
Novembro 2 de 1850. Importan-
cU da feria aoi couseryadores, 7
das.
dem dem. dem do eioriptu-
rario e cscrioturacn no mez de ou-
lubio.
dem dem. dem de vcncinicn-
tos do administrador, om outubro.
dem 9. dem de ditos do viga
do acude, tres mezes
dem idem. dem da feria dos
conservadores, 7 dial.
IJem iG. dem da dita dos ditos,
7 dias.
dem 23.
7 dias.
dem 2G.
a casa do
dem 30.
servadores.
dem da dita dos ditoi,
urna igual luna. NeitC poni, ludo linha si,|u
qniculo, aytzar le nieus avizai rtpctidos ff.
tiosumente,
Nenhuin plano havia, ncn para a guerra,
iii-ni para a retirada do governo ; neiihuma
Inslruccao lora dada as tropas a cerca da uia-
ieira de obrar, as luiinicoes eiam em (iiian-
lidade ridicula ; neinlium deposito de vveres
de malo iiilimo, menos as relativas ao cslabe-
lei um mu do cemilerio, pertencentes aos tres
metes prximos lindos, que a cominissu dei-
xou de examinar, por nao se julgai anda habi-
litada para tanto.
USr. vereador Moraes feoseguime requeri-
mento '|ne I o approvado:
- Ilequeiro que se convide o conselho de a-
..i.i, i i.,,, ni i ,i, mil ii ni ni jiinu'j ur vveles i i i j i -ii .
Jiavia uos pontos principando inlerinr ; neo- '""<* ''' cidade, para coiijunlamenle
Jiuiiia machina propria para ai ron,bur as n,,r- com a eommissao de saude, dar seu parecer
tas o penetrar as casas, nada em urna palavra !Sl? ,e lug" "'a's ProPrlu l'ra um matadouro
havia que .meslasse a menor previafio. ludo l''1'1^- Ur Maraes..
se linha limitado a Iracar aos dillcrcnlcs cor- l}*<1<">>e '' < conselho.
pos um lrnerariopara se ilirigireni aos pontos L Fo1 aPPf>ado o scguinle requeriinento do
piindpaei de oceupacao. Este ileneraiio linlia 7-ve!"ea"r i*'a,"eM,.e "orneada a eommissao
sido feilo, revisto o aumentado desde .834. ;,lc l>"l,cia Para tra,ar do 'I"? elle pede:
Eis ludo quamo liiiham sabido imaginar os' "-equciro que se nomeie unta eommissao
geniosquctiuha.n sido encarregados de vel- D*" trMfr de l>f em vigor o artigo 67 do re-
, giilamcnlo do cemilerio. llamede.a
A requi-i i ini-ii i.i do Sr. Carneiro Monteiro au-
< torisou a cmara ao procurador a continuar a
Jar sobre os destinos da .nouarcb.a.
_ ____Marcchal Bugcaad O'lsly.

IBHkMtiuj
CMARA MUMCIPALDO HECIFE.
SISA EXTBAOHUINARIA Ii 1. 11 DI. 'Lili j
DE 1851.
Presidencia do Sr. Mamede.
Prsenles os Srs. Carneiro Monteiro, Moraes,
11 mili, Pires Ferreira, e Figuelicdo, faltando
com causa o Sr. vereador presidente, abiio-se
a sesso e foi lida c approvada a acta da ante-
cedente.
O Sr vereador Barros co.nparcccu tambem
logodepois de aberta a ses.o, mas disse que
nao poda lomar parte nos irabalbos, e reti-
rou-se.
Foi lido o seguinte expediente.
Um ollii io do inspector da ihesouraria da fa-
lenda, communicaiidn haver em 5 do correute
remetlidn ao encarregado da medican e marca-
co dos terrenos de marmita, os documentos re-
lativos ao terreno da ra do J/ruiu do bairro do
l;i i ile, requisitado por esta cmara para logra-
douro publico, atim do mesnio encarregado
proceder a competente de.i.arcaco, conlurme
a decsao do Exm. Si. preskleuteda provincia,
cu. vista do ollicio que a cmara Ibe dirigi coi
25 de abril de 1846.-- Que se ordenasse ao pro-
curador se cnlendesse com o referido inspector
ii com o encarregado das medices, acerca da
acquillfip do titulo do mencionado terreno.
unii n do preiideole. do cousclho gcral de sa-
lubridade, cominunlcando que cuuslava ao
mismo conselho, que mu llespaubol de nomc
i |.Mani Astodilo exerce a arte de curar ueste
snuuicipio, sem que tenlia titulo registrado
nena camaia, c rogando houvrsse a mesma c-
mara de chamar a auen(ao dos liscaes para es-
le abuso, tm Que o recommendasse aov lisca s
loda a vigilancia em nao coiiseuliiem a coiin-
uuaco de semellianle inlracco, obsrrvando-
Ihester sobremaneira dtsagradavil a cmara o
ter de r, i oiiiiiicnd.il -Jo > u iiji |n um un, de
acui deveres, sempra que se d caso de idnti-
ca uatureza.
(lutro do procurador, participando ter, em
observancia da ordem que recelo ra, inundado
Inzer a despeza com a obra do acqueduio do
paleo do Carino al sua concluso, visto tero
me .mu vereador declarado que eslava esgola-
daa quantiaque pela presidencia lora ltima-
mente aulorisada a caiuaia a despender com a
dita obra; e niandou determinar ao fiscal de
Santo Autonio passasse a vistoriar, na furnia
das posturas, as pedras soleiras das varandas
da casa n. 5z da ra N v i. as paredei da cnsi-
iii i da oi.lra que lica contigoa aquella n 49, e
o sobrado do largo do Paraso, que ten. miran-
le, os quaes predios consta estarem arruinados.
Despacbou-se a peiis-.i.i de Joo Pinto de Le-
inos e levanlou-se a sesso.
Eu, Manoei Ferreira Accioli, secretario inte-
rino a escrevi. Slamtde. .- f igueiredo. fer-
reira. l)r. Moraes. Carneiro Monteiro.
O caixu lic, fin cuiilu concille com n
mesilla.
Novembro i de .850.
Importancia do saldo em caixa,
como da coma correnle nesta data
dem 3U. dem da terceira letra
do segundo contrato
Dezeiubro 31. dem da quarta
du.i, do dito, dito.
dem 31. dem da quarta dita
quinta dila do dito dilo
Fevereiro 28. luiportrncia da
sexta lena do segundo contrato
Marco 31. dem da stima dita
do dilo dilo.
Abril 30 de ih.'.i. Importancia
da oitava letra do segundo contrato
Ideui idem. dem da segunda
letra, precedente do auiautamento
leilo u cantara municipal, da casa
da ra do llozario da iloa-Visla, pa-
ga pelo procurador da dila corpo-
Kclo.
dem idem. dem de saldo da
cana especial do quinto devidendo
que passa a recolta na conforniida-
UC do art. 6 addilivo aos estatutos.
Deve
1:143/877
5:000/000
5i00O#O00
5:000/000
5;00o/000
5:000/000
5:000/000
450/000
dem de ni ni e ras para
icude
dem da feria dos con-
7 dias.
Dezembro 3. dem de 90 alquei-
re de cal para a casa do acude
dem 4. dem de vciiciiuenlos
do administrador, em novembro.
dem 6. dem do escriptorio e
escripturaco, em dito'.
dem 7. dem da feria aoi con-
servadores, 7 dias.
Id 7 dias.
dem idem. dem da dita para
n-i-iiilieaeao da casa do acude.
dem .6. dem de impressOes
de aununcios no Diario, a Manoel
Figueiroa de Faria.
Ideiu2i. dem da feria dos con-
servadores, 7 das.
dem idem. dem da dita, reedi-
licacao do acude, ditos.
Idem 23. Idem de lijlos de al-
venaria para a casa do acude, a Pe-
dro Jos Carneiro Monteiro.
dem 28. dem, feria dos con-
servadores e comerlo do muro de
Parnamelrim.
Idem Idem. Idem. dita, reedlfi-
caco do acude, 7 dias.
Janeiro 3 de >85l. dem do ei-
criptorio e escripturaco (dezem-
bro ).
dem 4. dem de vencimentos
ao administrador em dito.
dem Idem. Jdem da feria aos
conservadsres, 7 dias,
dem idem. Idem da dita, reedi-
ficarao da casa do acude, dito.
dem 11. dem da dita aos con-
servadores, 7 da.
dem idem. Idem da dita, reedi-
ficaco do acude, ditos.
dem 18. dem da dita aos con-
servadores e pinturas dos chafan-
tes, 7 dias.
dem idem. dem da dita, reedi-
ficaco do acude, ditos.
dem 22. dem de aluguel do ar-
m.i/en. da ponte velha, seis mezes.
Jaueiro 25 de 1851. Importancia
da feria aos conservadores, mate-
riaes e consenos diversos, 7 dias
dem idem. dem da dila, ree-
dificaco do acude
dem 26. dem de tijolloi para
a casa do acude, a Autonio Martina
Saldanha
Fevereiro 1. dem de consenos
de lu nenas, ao Bowmanu
dem idem. dem da feria aos
conservadores, 7 dias.
dem dem. dem da dita, reedi-
licaco do acude
dem Idem. dem de conserlos
de torneiras, a Uowmauu
dem idem. dem de feilio
de torneirai e diversos con-
senos, ao liun inann, no mez de se-
lembro.
Idem idem. dem de dito ao
u .mu, no mes de outubro
Idem idem. dem de dito ao
inesmo, no mez de dezembro.
Idem idem. dem de objectosde
cobre para limpeza do acudo, a
Manoel Joaquim C Leal.
dem dem. Idem de consertos
diversos, ao inesmo.
dem 4. dem de vencimentos
ao administrador, em Janeiro.
dem 7. dem de 2,500 lijolloi
para o muro de Parnameirim, a Pe-
dro Jos Carneiro Monteiro.
dem 8. dem da feria aos con-
servadores, 7 dias.
Idem idem. dem de dita, ree-
diiie.iinu da casa do acude.
dem 15. Idem de dila aos con-
servadores, 7 dias.
dem idem. dem de dita, ree-
dificaco da casa do acude.
dem 22. Idem de dita aoi con-
servadores, 7 dias.
dem idem. dem de dita, rec-
dificaco da casa do acude.
Mai o 1. dem de dita aos con-
servadores, 7 dias.
dem idem. dem de dita, ree-
'lilil., ao da casa do acude.
dem 8. dem de dila aos con-
servadores, 7 dias.
dem idem. dem de dita, ree-
dificaco da casa do acude.
dem .0. dem de vencimentos
ao administrador, levereiro,
dem .5. dem da feria aos con-
servadores, e consertos de 2 cha-
(arizes.
dem idem. dem de dila, ree-
dficaco da caa do acude.
dem 22. dem de diu aos con-
servadores, 7 din.
dem 29. dem de dita aos ditoi
7 dial.
Abril l de 1851. Importancia do
veocimeuto do vigia do acude, no
trimestre do de Janeiro i 3l de
marco.
dem 2. Idem do dito ao admi-
nistrador, cm marco.
dem 5. dem da feria dos con-
servadores, 7 dias.
dem 12. dem de dita aos ditos,
ditos,
dem 19. dem conserto de tor-
neiras a Bowmann.
dem idem. dem de torneiras,
e parafuso, ao dito Bowmann.
dem idem. dem da feria aos
conservadores, 7 dias.
dem 25. dem de dila aos ditos,
e despezas com as torneirai da
caixa.
dem 30. dem da quola marca-
da para o escriptorio e escriptura-
co, de Janeiro a abril, quatroine-
zes.
Idem idem. dem que se leva
em cunta ao eaixa da companbia, 2
por ionio sobre a quantia de rii
25:680^525 applicada ao seno de-
videndo. 5.3/610
Idem idem, dem de atrasados a
diverso! accionistas. 1:583/000
dem idem. dem destinado ao
sexto devidendo, na raiao de ris
2,500 por apolice que passa caixa
principal, 26:840/000
Idem idem. Balanco em caixa no
ultimo de abril, que pana para o
crrente semestre. I:78lf402
Haver
10/800
100/000
100/000
30/000
12/400
12/860
12/400
.2/800
13/840
32/400
lOOfOOO
100/000
2/400
12/400
33/560
8/000
.2/400
32/900
260/000
21/000
18/420
lOO/uOO
.00/000
10/800
.8/960
12/900
27/600
25/480
46/.00
100/000
40/080
19/680
64/400
.3/320
30/760
32/980
48/260
229/640
128/160
3/600
8/000
.4/440
100/000
53/000
.6/240
6./5J0
16/880
24/480
i U/240
7/340
49/615
6/500
41/840
10/800
100/000
92/220
17/580
65/060
15/920
30/000
.00/000
43/.60
54/440
20/800
351/520
J2/000
57/740
400/000
Publicago a pedido.
CHARADA
He em candura a prlmciral
Do lempo a parte mclbor2
as llores entre as boninas )t
A. encontrareis sem ser flor
Conceito
Da gentil ausonia plaga,
D'elerno matiz e ardor,
Entre na mortal ditosa
He ella o mimo, o primor
D'excelia grata harmona
He portento encantador :
Ao leu cantar tudo he pasmo
Ao leu lorrir Indo amor.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 28......30:532,27*
Detearregam koje 30 de junho.
Brigue francez Cesar mercaduras.
Barca inglza Hobert Fannie carvSo.
Rrigue sueco Flix morcadorias.
Hiato brasileiro Flor de Curuript- idem.
CONSULADO CERAL.
Rendimento do dia la 26 .27:232,883
Idem do dia 28......... 1:352,106
28:575,989
DIVERSAS PROVINCIAS.
Rendimento do dia 1 a 26 2:067,097
Idem do dia 28........ 60,166
2:127,263
Despachos martimos rio dia 28.
Santa Catharina, patacho brasileiro Dous
IrmSos, de IV 5 I r> I (melladas, conduz o se-
guinte : 14 pipas vinho, 675 alqueires sal,
1,200 cocos, 35 saccis algoiiSo com carogo,
180 caitas charutos.
Rio Grande do Sul, patacho brasileiro A-
misade Feliz, da 147 tonel la das, conduz
seguiote: 4 caixas fazendas, 670 barricas
com 5,175 arrobas e 29 libras de assucar, 50
bar. 111 nlios doce e 400 alqueires de sal.
Buenos Arres, brigue lianoveriano Mi-
chael, conduz o seguinte :-1,550 barricas
com 11,948 arrobas e 15 libras de assucar.
Philadelphia, patacho americano Ware,
de 228 tonelladas, conduz o segumle:--2400
saceos e 400 barricas com 14,725 arrobas e
25 libras de assucar.
Aracaty, patacho brasileiro Santa Cruz, de
101 3|4 tonelladas, conduz o seguinte: 161
volumes fazendas, 38 ditos miudezas, 23
barricas farinha de trigo, 1 ancoreta azei-
tonas, 17 volumes chumbo de municSo, 2
caixas cha, 6 barriz e 4frasqueiras gene-
bra, 10 volumes vidros elonri, 148 ditos
ferragens e armas, 13 barriz, 16 pipas e ti
caitas viudos, 4 meias pipas e 1 quartola
vinagre, 1 caixa velas, 2 ditas massas, 2 ar-
robas guano, 1 barril azeite doce, 2 cadei-
ras e 1 camap, 1 barril lingoit;as, 1 canas-
Ira albos, 6 barriz serveja, 1 dito graxa, 6
ditos bolachinhas, 6 ditos manteiga, 1 cai-
xa traques, 2 ditas papel, 1 dila livros, 7 vo-
lumes cravo, canella, pimenta, ervadoce e
alfasema.
RfcXEBEDORlA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 28..... 979,114
PRACA DO RECIPE, 28 DE JIMIO DE
1851, AS 3 HORAS DA TARDE.
Arcilla semanal.
Cambios-------Fizeram-se transaccocs avulta-
dai a 28 d. por 1/ rs.
Algodo- Apenas entraram 130 laceas, e
os precos regularam de 5,200 a
5,400 rs. por arroba deprlmeira
orle, e de 4 600 5,000 n. o de
segunda.
Assucar--------Entrada pequeas, e pouco pro*
curado.
Bacalbo Vendeu-ie a retalbo de 5,500 a
7,000 rs. por barrica ficando
. em ser cerca de 3,000 barricas.
Carne-secca- Conserva os precos de 2.100 a
2,500 rs. por arroba, e a existen-
te boje monta a 58,000 arrobas,
inclusive um carregamento en-
trado nesta semana.
Far.de trigo- Os precos foram mais animados,
tendo obtido de 16 a .7,000 rs. a
de Hichmond, de 14 a 15,000 rs
a de Pbladeiphia: nao ha da
franceza nein da de Trieste SSF;
a exilente boje anda por 3,00c
barricas.
Ficaram no porto 52 embarcaedes, aendo 2
americanas, 32 brasileirai, 2 dinamarquesas. 2
franec/ is, I liannvelana, I heipaubola, 8 in-
glesas, 4 portuguezai, e i sueca.
Navios entrados nn dia 29..
Ilahia 4 das, brigue belga Plantin, de 254
tonelada!, capitao F. Knudsen, equipagem
13, carga varloi gneros ; a ordem-
Navios sahidos no maimo dia.
Ilio Grande do sul Patacho nacional -amiinii
Pilis, capitao Jos de Carvalho, carga assu-
car e sal. Conduz um escravo a entregar.
Santa Catharina Patacho nacional oui Ir.
in.ios, capilSo Francisco de Assis Goncalvcs
Pena, carga vinhos, lal e mais generoi.

EDITAL.
-
Pela Inspectora da alfandega, le faz pn.
blico, que no da 30 do corrente, depois do
meio-dia, te bao de arrematar em hasta publi-
ca, i porta da meima repartieao, 63 barricas
com bacalhao, com avaria a requeriinento de
Me. Calmont Companhia, sendo a arremata-
cao livre de direilos ao arrematante.
Alfandega de Pernambuco, 28 de junho de
1S5..-0 Inspector interino, BVnlo Joi* Keman-
dts Hartos.
Declaraijoes.
Real comptnhia dos paquetes ingleses a vapor.
Um dos vapores poderozos des-
la companhia deve aqui chegar
no dial al 2 de julho prxi-
mo da sua viagem de Inglater-
ra para os portoi'do Sul, os Srs. que preieode-
rcm passagem para qualquer dos portoi cm
que o inesmo tenha de tocar, deverao tractar
antecipadamente em caa da respectiva agen-
cia ra do Traplxe n. 42. Advcrte-sc que pa-
ra commodo dos passageiroi o commandanie
deite vapor tem ordens para fundiar bem
perto.
A primeira mala para Bahia e
Rio de Janeiro, que deve con-
duzir o vapor ingle/., fecbam-ie
ainanhia ( i. de julho) ai 6
horai da tarde, ea segunda ser fechada urna
hora depois de entregue ai carias vindas da
Europa, que conduz o inesmo vapor.
De ordem do Illra. Sr. director geral da
inslruccao publica, faco saber aos senhores c
lenboras, que teem collegios ou aulas parti-
culares, hajiin de fazer certo aos senbores
inspectores de leus respectivos circuios a rui
e numero da casa da sua escola.
Directora gcral, 16 de junho de 1851.--Cau-
dido E-iattquIo Cesar de Mello, amanuense ar-
chivista.
vaovimento do porto.
2;830fo00
-------1= 34:423/877
34:423/8771 Escriptorio da companhia de Bebiribe, 20
------1------J Je maio de 1851.
Navios entrados no dia 28.
Bromen 47 dias patacho dinamarquez
Fortuna, de 120 tonelladas, capitSo Ben-
dixen, equipagem 8, carga cemento, ser-
veja e mais gneros ; a Astley & Compa-
nhia. Passageiro hknoveriano,Sehtnettau.
Rio de Janeiro 23 dias, brigue escuna bra-
sileiro Olinda, de 182 tonelladas, capitSo
Manoel Marciano Ferreira, equipagem 12,
carga farinha de mandioca e caf; a Ma-
chado Pinheiro. Passageiros brasileos,
Francisco de Panla Nunys e Francisco Pe-
reira da Silva.
S. Catharina 29 dias, polaca brasileira N.
Senhora do Carmo, uV 195 tonelladas, ca-
pilSo Joaquim Jos Martios, equipagem
12, carga farinha de mandioca ; a Fran-
cisco Alves da Cunha.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande do Sul patacho brasileiro hs-
padarte, capitao Silvcno Antonio da Sil-
va, carga assucar.
dem patscho brasileiro Vinte e nove de
setembro, capitSo Marcos Soares de Noro-
nha, carga assucar.
S. Catharina patacho brasileiro Novo Luz,
capitao Francisco de Paulo Fonseca, car-
ga assucar.
Buenos Avies-- brigue honoveriano/ic/mc/,
capitao II. Schaue, carga assucar.
Philadelphia patacho americano Wave, ca-
pitSo W. Jolino, carga assucar
Aracaty -- patacho brasileiro S. Cruz, capi-
tSo Jos Rodrigues Froire, carga fazendas
e mais gneros. Pissageiros. Luiz Lopes
Ferreira, Eduardo Goncalves Pereira, An-
tonio Jos de Sequeira, Jos Ricardo Fer-
reira, Marcallo, Manoel Pereira Pacheco,
Miuoel Antonio Dias Jnior, Jos Rodri-
gues Pontual, Jos Antonio da Silva, A-
lexaudre Ferreira dos Santos e Traiano
Neves de Barcellos.
\2
Theatro de $ .-Isabel.
Por occurrenciai imprevistas, o grande e
extraordinario espetaculo j predisposto para
o dia 30 de junho em beuclicio do cantor bar-
tono Lucas Vasco, foi transferido para o dia 2
de julho.
O beneficiado lummameme penhorado pe-
la decedida protecc.au e acolhlinento cora que
tem lido sempre honrado deide que aqui clie-
gou esla nobre provincia, e especialmente
pelai ileiiionstraccies benvola! e applauso es-
pontneos com que na nolte do dia 16 foi com-
pletamente vlctoriada M. Landa sua consorte,
vem reipeitoiamente implorar o valimento
deite publico Ilustrado e bem fatejo, ofl'eri-
cendo-lhe um brilbante espetaculo pela forma
aeguinte.
Tendo precedido urna das melhores ouvertu-
ras executada pela orcheilra dirigida pelo pro-
fessor o Sr. Orestei.
M. Landa cantar a belllisima cavatina de
ERRAN!
composico do maestro Verdi.
Seguir-se-ha o famoso drama em '5 actos,
que tem por titulo
o- Dous Itene?ados,
no qual tomarao parte nos papis mal dirliceii
os insignes actores os Srs. Giiim.irr.cs, Coimbra
e a senhora D. Mara Leopoldina.
No um do primeiro acto M. Landa e o bene-
ficiado executarao o magnifico duelo da gran-
de opera
Nabucodonosor
do maestro Verdi.
Findo o tegundo acto do drama, o beneficia-
do desempenhar a nova aria
DE BRAVO
do maestro Mercadante.
Findo o terceiro acto do drama, M. Lauda c
o beneficiado canUrao o lindlssimo duelo
Da Collumela.
Findo o quarto acto do drama, M. Landa
agradecida em estremo aos seui protectores, e
a instancias de mullas peisoas cantar por gra-
lidao e pela ultima vez as dlmcultosissimas va-
riaedes de
Koila.
lindar o drama com o quinto acto. M. Mo-
reanx por favor ao beneficiado prehenebrr
o espetaculo com um, ou doui panos de la
escoiha.
He este' o espetaculo que o beneficiado tem
a honra de dedicar ao Ilustre publico des-
ta provincia, assegurando-lbc desde j eterna
gralldao.
Preco doi bllhetes.
Galera 2/000, cadeiras 2/000, cadeirai avul-
sas 2/u00, varandas 640, platea i/OOO, cama-
rotes #
O bilheles acham-se a venda deide j no
Hotel Francisco, e no dia do espetaculo no
theatro.
I i | innm
Avisos martimos.
A barca portuguesa Sonfu Crus, sabe pa-
ra o Porto al 10 de julho prximo, por ter
prompta grande parte de seu carregamento,
ainda recebe alguma carga a frete e passagei-
ros, para o que tem assiados e grandes coin-
modos: a tratar ctim Franciieo Alves da Cu-
nha & Companhia, na ruado Vigarlo n. ><
primeiro andar, ou com o capitao da mesma
barca Manoel Francisco Nogueira.
Para o tracal)- sahe empreterivelmenie
no dia i2 de julho o hale Flor deCurwipe por
ter quasi a carga prompta quem n'elle quiser
carregarou ir de passagem dirija-ie a ra di
Cadeia do Recife n. 49.
Para a Babia legue no fun delta semana o
patacho t'nnfianca, para o resto da carga tra-
la-se com os consignatarios Novaei t C. ra
do Trapixen. 34.
Vende-se uma lancha nova, que pe-
ga de trinta a quarenla barricas, a a qual
se acha em perfeitissimo estado, bem co-
mo tros botes novos, tudo por prego coro-
modo : na ra do Vigarlo, n. 11, primeiro
andar. ,
Leiides.
= Por ordem do Sr. Casque!, gerente d
consulado da repblica franceza em Pernain
buco, o corrector Oliveira (ara letlo, por con-
ta e risco de quem pertencer, de um bote em
bom estado e de bom tamaubo, proveniente
da galera franceza Le bom tlmrg prximamen-
te inaufragada: quarta-feira, 2 de julho pr-
ximo, s 10 horas da manha era ponto, de-
fronte da casa do dilo consulado, no Trapise
Novo, ao qual se acha a marrado o referido
bote para inspeccao previa dos pretendemos
JoSo Keller & Companhia farSo leilao,
por intervengo do corretor Oliveira, da
grande variedade de fazend.s, para ultimar
cantas : segunda feia 30 do corrente, \
10 horas da manhSa, no seu armazem, ra
da Cruz.


-
rv.,v*v
;\

-.
m*
m
Avisos diversos.
__fto da ao do corrente, fur-
taram um bracelete de ouro liso,
todo de urna brgnra, com o peso
de 8 a 9 oitavas : a pessoa a quem
fr offerecido. queiratera bonda-
de de o levar ao Atterro dos Afo-
gadoj numtio 7, que ser recom-
pensado.
Duas mulbtre e offerecem par ama de
caa, urna capai para todo o servico que for
jiecessario a urna casa, e a outra para lavar,
cngoininar e coser : quem preciaar dirija-se a
ra de Santo Amaro,nas tojas do sobrado de va-
randa de ferro n. i i
#
<* Paulo Gals/nonx, dentista *>
francez* offerece sen prest-
1110 ao publico para todos os
misteres de sna proflssao: 9
*J pode ser procurado a qual- 9
qner hora cm sna casa, na t>
m vni larga do Rozarlo, 11. 36,
SBSJJ)P&(***ll^ffiff dlWianajaip^a^aja^g
Preci>a-se de urna pessoa que seja peri-
ta em plantaces de sitio, para o (aier em
um no lugar do Remedio : quem estlvcr nestas
circumstancias, dirija-se a alfandega desta c-
tlade a seu porleiro.
Precisa-se de um ini, pra c9a de
pone famili. que saiba cozinhar o diario
de um osa : 111 travess da ra do Viga-
rio, loj debarbeiro n. 1.
ss Percisa-se alugar para urna casa eslran-
eeira de pouca familia, urna preta cngonima-
deira, e que emenda perfellamcnte do seu
cilicio, prefere-se captiva, e prcisa-se com
urgencia a tractar u ra do Trapixe n. 3.
__ Preciza-sc de um bomem solteiro que
eslea as circumstancias de ser feltor de um
engenho na comarca de Go>anna; a quem con-
virr eutenda-se com S Araujo ra da Cruz
B. 33.
No dia 24 do corrente fugio do sitio n
J8 em Bem-Fica ou Magdalena o preto Igna-
cio crioulo. idade 30 anuos, cambado das per-
sas, maos foveiras, diz ser filho da Laga, des-
tricto da Parahiba do Norte pede-se a qual-
quer capltao de eampo que o prenda e leve
no mesmo sitio, ou ao lado do Corpo Santo n.
25 no Recife.
Na ra Nova n. 33,compra-se ni (al ve-
lho, cobre, bronze e latSo.
m**mam*m*2 mmmmmmmmm
Na ra do AragSo, n. 12, segundo a*Jdar,
sedeseja stber so he vivo, ondo mora um
rapazinho de nome DamiSo, filho de Ange-
la de tal, e neto do velho Antonio Lopes
Mangaba, da cidade do Natal, o qual rapa-
zinho sinda ha poucos annos apren lia o of-
icio de marcineiro, em urna officina desta
cidade.
-.....- ----- ------------atiit aaal'i ** -*.v. Javmia-.... ai^ ..-..-.-. .-.-.
jfTtPiF^WBsHWiTSS" WWWvZwr- U?; '
Imposto de l!$5oors.
Por cabera de gado, que for consumido
no municipio do Recife, o arrematante ven-
de s fregueziaa de JaboatSo, lluribeca, Var-
zia e S. Lourenco, juntos, ou devididos i os
pretendenles dirijSo-se com as habilitacOes
necessarias, a ra de Santa Rila, sobrado
n. 85.
0 Sr. Francisco Antonio da Silva, da
rus do Haogel, queira mandar pagar a as-
signatura desle Diario, e cm quanto n3o o
lizer veri o seu nome publicado em letra
roJonda.
Alnga-se o sitio do fallecido JoSo Car-
los Pereira Burgos, no Arraial: quem o pre-
ten ler, dirija-se a ra Direita n. 14.
Roga-se ao Sr. lir. Honorio Fiel de
Sigmaringa de Vascurado, que se acha hoje
dvogando em Goianna, que mande pagar a
sna le ra que se acha vencida a anno e meio,
0 qual nSo ignora sonde : em quanto o nSo
lizer ha de ser lembrndo.
No dia 18 de junho, desappareeeu um
mulato acabocolado, de nome Pebro, baixo,
grosso, cara bexigoia, cabello prelo e cres-
po, elieofllcial desapateiro, lovou chapeo
1 reto de massa, caifa preta, camisa de ma-
dapolSo e um surrSo de couro : quem o pe-
gar leve-o ao engenho Agoa-fr'a, na comar-
ca de Pao d'Alho, que ser generosamente
recompensado.
Jos EstevSo da Oliveira, tendo rece-
bulo una carta vinda do Ceai, a qual a-
compaulia mu caixiuha, e como ainda n3o
recebeu dita caixa, ruga a pessoa que a con-
duzio de annunciar sua morada para ser
procurada, ou mandar entregar em Fra de
Portas, ra do Pilar n. 109.
Antonio Francisco de Paula Brrelo,
morador na villa do Cabo, avisa ao respei-
tavel publico, que pessoa alguma compre
escravos, ou uniros quaeaquer bens a Jos
Thomaz de S Brrelo, morador na mesma
comarca, por se acharen) todos embarga-
dos pelo annunciante para sou pagamento,
em vii ludo do accordo da relajo, obljdo
a favor do annunciante contra o menciona-
do, e por isso faz o prsenle annuucio para
.se nflo chamarom a ignorancia.
Os credores do fallecido Uenrique Ca-
mino Ferrelra, pdem mandar receber o se-
gundo dividendo-: em casa do J. D. Wal-
fhoppo, na ruada Cruz n. 16.
A negocio de interesse, preteode-sefa-
lar ao Sr. Jos Francisco Alvares de Barros,
natural da villa da Ponte da Barca, provin-
cia do -Minti em Portugal, filho de JoSo Al-
vares e de Rozalia Mana de Barros, da mes-
ma villa, e para cujo lim o dito Sr. Barros,
ou sua familia annunciarSo sda residencia,
ou dirijilo-se ao Caes da Alfandega n. 3, a
fallar com Francisco Jos Vianna.
Aluga-se no bairro do Recife, n'uma
ra que lenba vista para o mar, ou com
quanto esteja fresca, urna salla com quarto
para dormir, para um honiem solteiro, es-
trangeiro: quem tiver, dirija-se a ruada
Cruz n. 15, armazem, que achara com quem
tratar; adverle-.se, quenSo se olhsao pre-
co, no caso que agrade.
Precisa-se alugar um sobrado de um
andar, ou um primeiro, (ara urna pequea
familia ; tambem se troca por urna casa ter-
rea na ra de Horlss, com boas commodos,
ptimo quintal plantado e muito asseiado :
trata-se nesla lypographla.
- Roga-se ao Sr. T. G. o favor de man-
dar pagar a letra de 712,212 rs., saccada aos
31 de marco de 1848, e pagavel aos 31 de
dezembro do dito auno, no engenho Ma-
cangana, cuja letra veio acotrpanbada de
uim carta que dizia se eu nSo pagar no Ji-
lo lempo nao tenha mais contemplado,
neui no praso, nem nos juros, ese por fata-
lidade nflo cumprir a sua promessa dentro
de 8 das, ver o seu nome por extenso ues-
te Diario.
Madamo D'alairac, retirase para fra
do imperio.
Precisa-se saber quem he nesla praca
o correspondente do Sr. Flix Cavalcante
Lins, morador om NazareM da mala, para
tratar-se a negocio de seu interesse: na
Camboa do Carmo n. 33, ou annuncie.
Deseja-so saber quem he nesla praca o
correspondente do Sr. Francisco Jos Tava-
res Lira, para se tratar de um negocio que
interessa ao dito Sr. : na ra Nova n. 23.
Porgunla-se aos senhores da Associa-
cluido aos negociantes nacionaes, da reu-
niflo annunciada para hoje 25 de junho ?
01
Precisa-se alugar um primeiro andar,
ou casa terrea, no bairro de S. Antonio, que
tenha quintal, cacimba e commodos para
grande familia quem tiver annuncie para
ser procurado.'
Precisa-se de urna ama de leite, que
seja novo : na ra do Amorim n. 25.
Offerece se uma mulher para ama de
qualquer casa de pouca familia, de todo ser-
vico de portas a dentro: na Praca do Corpo
Santo n.2.
Ojuiz de paz do segundo destricto da
freguezia doSantissimo Sacramento do ba-
irro de S. Antonio da cidade do Recife, faz
saber a quem convier, que as audiencias do
mesmo juizo d'ora em diante serSo as 10
horas da maullan, na ssla das audiencias
publicas.
Precisa-se de um preto para padaria,
nagando-se por mais do que a um homem
forro : na ra do Cotuvello n. 29. I
-- Faco publico que tenho liquidado ami-
gavelmente com o hr. Jos Gypriano de Mo-
raes*Lima o ajuste de conlas relativas ques-
tao, que fez dos negocios deque o bavia ni-
carregado n'esla cidade, meu pal o Sr. coro-
nel Estevao Cavalcante d'Albuquerque e por
ser eu autborisado para esta liquidaco, e
ficar entregue de todos os documentos com
probatorios do ajuste de conlas, e estas sal-
dadas, faco o presente cm abono do mesmo
Sr. Jos Cynriano que tica desonerailo de to-
das as conlas de nossa casa at estadata.
Jos Joaquim da Silva Maia, ignorando as
moradas dos Srs. abis." declarados, roga-lhes
o favor de se derigir a ra do Crespo n. 10 pa-
ra se tratar deceno negocio, a saber:Os Srs.
Manoel Gomes de Moura ( oullnho, do enge-
nho Aurora; Severiano de Moura, Vicente
Ferreira de Jcsux da Mota, Kernardino de Sena
Ribelro, Ignacio do Reg Madeiros, engenho
Figueiras, Manoel Lopes Guimares, Francisco
de a lmeiila Ferreira, Francisco Jos Gomes,
Jos Antonio Bitancourt. Antonio Claudino
Pessoa, Joao da Fonseca Lima, Joao Pereira
Chaves, Francisco Verissimo Rodrigues K-le-
ves, Denlo Rotelho Pinto de Mesquita, Marcos
Manco Goncalves Guerra, engenho Aurora,
Jos, da Silva San Thiago, Jernimo Cabral IU-
pozo da Cmara, Leocadio Cibral Rapuzo da
Cmara, Jos Pereira da Mota, Galdino Lopes
de Oliveira, Domingos Martins dos Santos,
Claudino de Souza Miranda Coulinho.
- Tendo-se de proceder a partilhados bens
que tocaram aos filhos do finado Joao Leilao
Figueira, e achando-sc tugido desde o anuo de
1846 o escravo de nome Joaquim, Casange,
que nesse lempo representava ter 14 annos,
cor muitu preta, reforcado do corpo, feicoes
proporcionadas e muito esperto. Roga-se as
autoridades e mais pessoas que delle tiver no-
ticia, ou o apprehenderem, ou leva-lo a ra
Direila n. 4 segundo andar, que serao genero-
samente recompensados por Joaquim Jos de
Mello Pimentel curador do herdeiro Antonio
Hypolilo de Vercosa, e se protesta nao exigir-
se os dias de servico, bem como se recebe o
valor do dito escravo pela avaliacao do inven-
tario, s alim de que appareca para ser logo
comtcmplado na prsenle parlilha.
Ofl'ercce-se um rapaz porluguez para cai-
xeiro de venda, para lomar conta por bataneo
ou seiu elle, ou outro qualquer estabeleciuien-
to, para o que tem bastante pratica: quem de
seu prestimo sequiser utilisar, dirija-se a Pra-
(iuba n. 10, das mal hora da tarde.
Hotel i.......i-rcid.
llaa da Cadeia di S. Antonio n. 13.
Veste estabeleclmento se acha um ptimo
coslnheiro, e por itto est habilitado a'bem
servir os freguezes; as pessoas que quizerem
comedorias por assignatura mensal, sero bem
servidos tanto em preco como em limpesa, su-
jeilando-se conforme o ajuste a mandar-se
por preto da casa; tambem se preparam pre-
suntos para lumbre, e toda e qualquer enco-
menda propria d'esles eslabelecimentos.
Segunda-feira 3o do corrente s 10 horas
da manha ser arrematada judicialmente a
taberna da ra Direita n. 36 que girava sob
a firma Francisco do Prado & C; a requeri-
mento de Vicente Ferreira da Costa, e outros
credores da mesma firma, pelo juizo da 2.a vara
do comuiercioescrivo llaptista. A locali-
dade he muito boa, nao tem alcaides, o preco
do aluguer he barato, com cmodos para ino-
rada nos fundos da mesma, cacimba com boa
agua, e se acha avaliada por um conloe tantos
mil ris sendo a arremataco impreterivelmen-
ie |l'eiia no dia annuneiado pelo inaior preco
que se adiar e no lugar da mesma taberna.
O bacbarel Pedro Gaudianno de Rales
e Silva, prope-sc advogar, e tem estabe-
lecido seu escriptorio, na ra Direita, se-
gundo andar do sobrado n. 88, onde o de-
vem procurar das 7 as 9 horas e das 3 e meia
as 6 da tarde.
-'- Quem tiver acbado um alfineite de pci-
to, que no dia 24 do corrente, perdeu-se da
ra Nova at o Aterio da Boa Vista, e o qui-
zer restituir, dirija-se a ra da Aurora n.
4, segundo andar, que ser recompensado.
-- O procurador dos eslabelecimentos de
caridade, leudo procurado em vo, pela ren-
da das casas do patrimonio do mesmo es-
tabeloci.nenio, de alguns senhores ; por isso
declara aos que estSo por pagar, que o de-
vem mandar fazer por si, ou seus fiadores,
e nSo o fazendo publicar os seus nomes, e
entregar os recibos para serem executados.
Precisa-se de um prelo, ou moleqqe,
para o servico externo de uma casa du pou-
ca lamilla : quem o tiver uara alugar, di-
rija-se a ra dos Quarleis o. 24, que se di-
r quem precisa.
Ha para alugar um escravo, proprio
para qualquer servico de casa: na ra do
Vigario n. 7.
Pede-se ao Sr. Joao Francisco Sarava de
Menetes, fiscal da freguetia Sao Lourenco da
Malla morador em Caiar que quanto antea
baja de hlr ultimar o negocio que sua merc
no ignora na casa das ahrlcdes,
Contullurio homeopathico, ra do Colle-
gio n. 25.
ODr.LoboMoscoso d consultas gratui-
tas aos pobres, todos os dias uteis, desde 9
horas da manhSa, al ao meio dia, depois
desea hora visitar em sua casa os doentes,
que tiverem precisSo, e em casos extraor-
dinarios a qualquer hora do dia, ou ooute;
recebe doentes para tratar, ou fazer qual-
quer operac9o em urna casa para isso des-
tinada, fra da cidade, sendo o preco de
1,000 2,000 rs. diarios para os escravos,
conforme as condicOesque se estipularen),
e 2,500 rs. para borneas livres : as pessoas
que no podercm com.iarec i i a consulto-
rio pdem enviar suas info.-iimc ~.is por es-
cripta ou vocalmente, declarando o nome,
Hade, temperamento, cunstiluicSo, resi-
dencia, e especificando todos os incommo-
dos que solfre o as molestias que anterior-
mente tem tido.

BOWMAN & MC. CALI.UM, engenhei
ros machinistas e fundidores de ferro mu
respetosamente annunciam aos Senhores
proprietarios de engenhos, fazendeiros, ml-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, que o seu estabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualidade para a perfeita coufeccjio
das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
attencilo publica para a sseguintes, por
terem dellas grande sortimento jprompta
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas em paiz es-
Irangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de va por da melhorconstruccSo.
Moendas de canna par8 engenhos de lo-
dos os lamanhos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serraas.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzesechumaceiras.
Cavilhes e parafusos de todos os lama-
nhos.
Taixas,pares,crivos e boceas de fornalha.
Moinhos de mandioca, movidos a ui3o ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogSo e frnos de farinha.
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a m3o, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos c macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferrageos para navios, carros c obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e portos.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros de inflo e arados de ferros,
ele etc.
Alm da superioridado das suas obras, j
feralmente reconhecida, Rowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remettidos
pelos senhores que se dignarem de fazero
lies encommendas, 8[>roveitandoa occasie
para agradeccrem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nao pouparSo esfurcos e diligencia
para conliuuarem a merecer asuacunli-
anca.
????* *ia>:a# *f#:f> *.> f me
fe Consultorio central lionia>o-
19 |i:i i iiico de l'ernuiuhuco, ;s
Dirigido pelo Dr. S. O. L.Pinho, gj
Itua do Trapiche Novo n. 15. a
Todos os dias uteis sedarSo con- j
sullas e remedios de graca aos po- 4
t> bres, desde pela manhSa at as duas >
horas "la tarde. ^
?>. As correspondencias e informaces o
poderHo ser dirigidas verbalmente, \
ou por escripto, devendo o doente I
tt imlica" prime ro, o nooie, a idade, .J
estado, profissilo e conslilui^fio ; te- <}
gundo, as molestias, que tem tido, e 9)
os remedios tomados ; lerceiro, a epo- ^
V ca do apparecimento da molestia ac- .;
% tual, edescripQSo minuciosa dossig- j
S' naes ou symptomas que soffre. ^
Dr. Sabino Olegario I.udgero Pinho. *
('nra radical.
De erysipel e rheumatismo, com encha-
<5o, ou sem ella, seja antigo, ou moderno,
preservativo contra roturas > quebraduras,
e modo de fazer >i:u uso, cura radical dos
testicolos, sem sofrer operacilo, nem dor
alguma, cura radical tios escrotos, sejam
carnosidades, erysipelas, ou hydroceles ( a-
goas), os remedios para todas estas moles-
tias : vende-se smenlo no Rio de Janeiro,
na ra do Sabflo n. 27, e em Pernambuco,
na ra do Collegio n. 18, botica de Peixoto
& Pinto, acompanha os ditos remedios a ma-
neira de fazer seu uso e dietas que devem
ter as pessoas que dollcs fizerem uso.
Jolas modernas.
Siman Lins & Norat participan! ao respeita-
vel publico, que receberam ltimamente un
novo e completo sortimento das obras seguin-
tes: ricos aderefos de brilhantes com perou-
l.is finas e completos, brincos, pulceiras, ditos
de brilhante, correntesde relogios, e aderecos
brincos e alfinetes de ouro ludo do un I hu gos-
to, vende-se ludo mullo em conta, c alianca-se
a qualidade, troca-se ecompra-sc ouro e prata
velba e pedras : na ra do Trapiche u. 9 hotel
Francisco.
- Compr-se uma folhinha parochial :
na ra do Cabug, lo ja de muidezas, do
Francisco Joaquim Duarte.
-- Compra-sc um sobrado do um andar
com sotfio, ou casa terrea com bons com-
modos o quintal: n& ra das l.arangoirasn.
12, primeiro andar.
Vendas.
Compras.
COMI'RA-SE.
Ciili-e velho, lalSo, bronze, etc. : na ra
Nova n. 33.
Compra-sc urna negra que saiba cozinhar
bem o diario de uma casa, c cngoinmar, paga-
se bem : na ra Nova n. 14, seguudo andar.
-- Compra-se umacarroca e um boi pa-
ra a dita : na ra Larga do Kozario n. 26,
loja de miudezas se dir quem compra.
Compra-se um selim usado: na ra
Larga do Rozario n. 26, loja de miudezas
~ Compram-se 3, ou 4 saccadas de Lis-
boa, de 10 palmos, cada uma, ou da trra
sendo a pedra de boa qualidade : na ra do
Cabug, botica n. 11.
Compram-se 6 libras desementes de
algodSo : na roa dos Quarteis n. 24, se dir
quem precisa.
Compra-se urna padaria com seus perten-
cese alguns r ravos da mesma offlclna, den-
tro da cidade,..nuuncir por esta tulla para ser
procurado.
Compram-se 2 lencos de lavarinto, de
cimbran de linho : na ra do Trapichen.
17,em casa de Jos Teixeira Bastos.
Compra-se um pao de tipoia, com a
competente cupa : na ra da Praia de s. Ri-
ta Nova, sobrado o. 1. No mesmo vende-se
uma varanda de ferro com 17 1|2 palmos de
comprimeuto.
-- Vende-se tardo de muito boa qualida-
de, emsaccas do 3 arrobas, vindo ultima-
mente de Lisboa, na barca Ligeira : na ra
do Trapicho n. 17.
-- Continua-se a vender manteiga ingle-
za nova, a 400 rs.; caf em grilo, a 160 rs ;
cha, a 1,920 c 2,400 rs.; sevada, a 100 rs.;
farinha de aramia, a 160 rs.; dita do Maia-
nh3o, a 80 rs. ; chocolate de Lisboa, a 320
rs.; espermacete de 5, 6 e 7 em libra, a 640
rs. ; carnauba de 6 e 9 em libra, a 300 rs. ;
toucinho de Lisboa, 240rs.; que!jos no-
vos, a 1,600 rs; aletria, a 200 rs.; lalbcrim
e macarr3o,a 160 rs.; bolacbinba ingleza, a
240 rs.; dita de soda, a 320 rs. ; 100 barriz
que foram do manleiga, a 100 rs., cada um,
em porcSo : no pateo do Carmo, ven Ja no-
va n. 2.
<> Vende-se um terreno com !) palmos de g)
(S trente, arvoredo* de fructos c chaos 0
?f proprios, devi'lliln em lies partes,dous
i ditos com 3i palmos de frenlc, c um
vJ com 32 ditos tambem de frente, c tem VJ
O de cumplido qualroccntos evinte clan- 0
* tns palmos, junto do sitio da senhora ,.
S U. Antonia Cudaval Pinto, na travessa j
vJ da ra da Soledade para a estrada da O
0 Estancia, estas vendas sao para saldo de Q
Q cuntas com os credores : a tratar com o q
dentista e sangrador Jos Anecleto, n
1? em sua loja de barbeiro no largo dos /
O qualro cantos, junto da igreja do Ro- fc/
0 zario casa n. 7. 0
Pichincha para os sapaleiros.
Vende-8e couro de lustro francez, pelo
barato preco do 2,000 rs., a pelle : na ru
Larga do Rosario, loja de miudezas n. 20.
Vende-se um molecote de nacSo, de
dado do 20 a 21 annos, bem laoino, de bo-
nita figura e sem molestia alguma, nem a-
chaques, o qual entende de todo o servico
de uma casa, por estar a istoacostumado,
poiso motivo porque se vende se dir so
comprador : na ra da Praia n. 39, segundo
andar.
Vende-se uma laverna, na ra de San-
ta Rita n. 5, tem poucos fundos e faz bas-
tante negocioi tanto para a praga, como pa-
ia o nulo : tratase na mesma.
Ilillirtesda lotera tle N. S. do
Livraiuento, cujas rodas correni
hifulllvclaiciilc no dia 12 dejn-
1 lio : no pateo do Collegio, easa do
Livro Azul.
Rome barato.
"Ruado Passcio Publico loja n. 9. de Albino
Jos Leite, vendem-se ricos cortes de meia ca-
simira escuras a i, 40o rs., chapeos deso de
panninho com barras de ultimo gosto a 2,500
rs., ditos de ditos grandes com alguin mofo a
1,000 rs., chitas linas com loque a tliO rs. o co-
vado, ditas a 120 rs ditas para cobertas a iGO
rs., riscados francezei a'.'00 rs., ditos monslios
a 200 rs umbralas da India bordadas a 400
rs. a vara, lencos de seda para nio a 1,000 rs ,
ditos brancos'de bico a 320 rs-, ditos finos a
480 rs.. ditos de vapor a 201 rs., challes de chi-
ta a 610 rs., riscado de linho azul e de cores,
aludinos a 320 rs. o covado, grvalas de se-
tim de cores a 1,600 rs., lencos linos encarna-
dos, estampados a 400 rs. Chrguem freguezes
que as pecliinchas sao boas, a ellas antes que
seacabem.
~ Vnrle-se cobre metal ama-
relio e pregos para forro de navios : vende-se
por pre$o commodo, cm casa de A. V da Silva
larroca, ra da Cadeia do Recife n. 42.
~ Vende-se farinha de S Calbarina mui-
to superior, por preco commodo : abordo
la polaca S. do Carmo, fuudiada defron-
te do Caes do Collegio, ou a tratar com
Francisco Alves da Cuaba e Manoel Jos de
Souzs Carneirn.
4 Na loja do sobrado amarillo, nos >
4) nint i o Cantos da ra do Q jeimado n. $
a 29, vendem-so guardunapos de Gui- >
% maraes, a 3,600 e 4,000 rs., a duzia. f^
lula-- -a iiacidiin
Vende-se to armazem do Dias Ferreira,
no Caes da \It.m I i, a mais superior po-
lassaque tem vindo a este morcado, fabri-
ca la ni Rio de Janeiro, o por menos preco
do que Bul outra qualquer parle.
No deposito de espfritos, na
travessa da Madre de Dos n. 5,
-icham-se a venda nova porcao de
garrafcs de verdadeira agoarden-
fe de cana : quem se quizer pro-
ver desta boa pinga, faca-o quan-
to antes, que a safra se est fin-
dando.
9 Na loja do sobrado amarello, nos g
4 Qualro Cantos, da ra do Queimado #
A n. i, contiiiua-se a vender cortes de >;
t) vestido do chita e de cassa tle coros ?>)
4> fisas e lindos padrn, a 1,600 rs., ca- ?*
3 da corte, tendo um grande sortimen- #
'4 to para escolbcr
v ??????* ^??**^#^lj>
Venderh-se, por precisflo, 2 moradas
do casas terreas, de pedra o cal, feitas
moderna c em bom estado, sitas na povoa-
c3o dos AfTogados, cujs casas s3o muito
proprias para se estabelecer em commercio,
a vista da localilade das mesmas : trata-se
na osss das aferic0es, ra do muro da Pe-
nda n. 4.
Vcude-se, por precisSo, una escrav
crcoula, de idade de 20 annos, entende do
coziuha, boa quitandeira e propria para to-
do servico do campo : na ra da Couceicito
da Boa Vista n. 58.
!! I lie ti do Rio de Janeiro.
AOS 20:000,000 DE RS,
Na loja de miudezas da praca da Indepen-
da n. 4 vende-se billietes inleinis, indos,
buartos, oiiavos e vigsimos a beneficio da ll."
lotera do Santissimo Sacramento do Rio deJ-
neiro que lia de ser extrahida a 23 do correnle:
na mesma loja recebeni-se bilhetes premiados
da toteria da Matri da lioa Vista em troca dos
que tem venda.
Lotera do Rio de Janeiro.
aos 20:000,000 de rs.
Na cata feliz
Bos qualro cantos da ra do Queimado,
loja de fszendss n 20, vendern-seos muito
afortunados bilhetes, meios, quarlos, oita-
vos e vigsimos da dcima primeira lotera
do Sanlissir,,o Sacramento, cuja lista se es-
pera at o dia 28, na mesma loja se mostra
a lista ds lotera da Boa Vista e trocam-sc
os bilhetes premiados pelos os do Rio.
Bilhetes do Rio de Janeiro.
aos 20:000,000 rs.
Na ra estreila do Rozario, travessa do>
Queimado, loj. de miudezas n. 2 a. de Joa-
quim Francisco dos Santos Maia, vendem-so
os muito afortunados bellietes, meios, quar-
los, oiiavos e vigsimos da 11.' lotera do
Santissimo Sacramento, recebem-se em pa-
gamento bilhetes premiados de outras
ijuaesquer loteras do imperio, alm dos
muitos premios,qne esta casa tem vendido
que o proorietarto tem deixado de annun-
ciar, vendeu ltimamente das casas da ca-
ridade o meio bilheten. 4,685 com 1:000/
o dous oiiavos de ns. 1,852 com 400- cada 1.
Lotera do Rio de Janeiro.
aos 20:000,000 de rs.
Na Praca da independencia, loja do miu-
dezas n. 3, que volla para a ra do Queima-
do e Crespo, vendem-se bilhetes, meios,
qusrtos, oiiavos o vigsimos, da lotera d-
cima primeira a ben.'licto do SanlissimoSa-
cramenlo, e na niesna loja mostratn-seas
istas das que ja correram.
Casa de commissao de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
o que se olFerece muitas garantas
a seus dotios : na ra da (Jadem do
Kecife n. 51, primeiro andar-
-- Compram-se e vendem-se
escravos, e recebem-se de com-
missao, tanto para dentro como
paja lora desta provincia, e tam-
bem se adianta dinbeiro sobre os
de comti:issoes, tendo bonitas fi-
guras, sem se levar juros : na ra
d.is Lamngeiras n. i.'i segundo
andar.
Por commodo preco e em bom estado,
vende-se uma porcao de taboas de pinho muito
proprias para forro de qualquer obra : na ra
do Crespo O. ll.
r.'" i- ". I LEVA S* >jS*
,1./ .. .
E MAIS FF1CINAS
NA
lina Imperial 11. 1 IS e 12o, e deposito na ra Xova 11. 33.
Res|icitnsamoiite avisam ao publico, e particularmente sos Srs. de engenhos e des-
tiladores, ele, que este estabelecimento so acha completamente montado, com as pro-
porcOesn cessuriss, para desempenhar qualquer machina, ou obra conernentn ao mes-
mo. O mesmos chamam a attenr;!io para as s -guntes obras, ss quaes construidas em sua
fabrica eompetem com as fabricadas na Europa, na qualidade e m3o de obra, e por me-
nos prei;o, a saber :
MACHINAS continuas de destilar, pelo methodo do autorfrancez Derosne, a-i mo-
lliores machinas, que para este fin at hoje tem apparecido.
ALAMBIQUES de cobre de todas as dimensOos.
TODOS OS COBRES necessarios para o fabrico de assucar.
TAIXOS DE COBRE para relinacSo.
TAIXAS DITO para engenho.
DITAS DITO movis para dito.
BOMBAS DE COBRE de picote, de repucho, de roda e de pndulas.
ESCRIVANINIIAS de lalSo dos melhores modellos.
DITAS DITO galvanizadas.
SINOS de todos os lamanhos.
OS APKECIAVEI5 fogOes de ferro econmicos.
BURRAS de ferro as mais bem construida*.
CARROS dito de mOo.
PORTOES de ferro.
VARANDAS dito.
CRAIllAMENTOS dito.
TAIXAS dito.
CALUE1RAS dito.


* V

;
i
A 2,000in. .1 prifinilft.
Na loja da mi 'lo Qnrimado n. 3, defron-
te do neceo d Peiin Frito, vendem-se pe-
cinhas de cassa chila de muito'linrtos pa-
drees, pelo baratissimo pirco do 2,000 rs. a
pecinha, dar-sc-hSo amostras com o com-
petente perflior.
Novas <: inl>r;i :i- i'iira Vestidos.
Na ra do Crespo, loja da esquina, que
vira para a Cadeia, vendem-so cortos de
cambraias, com listras de cores, a 3,000 rs.,
- e o covado. a 320 rs. ; ditas de sal picos de
eor a 3,000 rs., e o covado, a 300 rs. ; pecas
de cjssas abertas para mosqueteiros.a 3,000
rs.; chitas de cores (Isas e bonitos padrGes,
a 5,000 e 5,500 rs., a peca ; ditas de mada-
poliio largos para forro, a 2,400 rs. o oulras
fazendas. por precos commodos.
Deposito ila fabrica le Todos os
.Santos na lialiia.
Vende-se, em casa de N. O. Rieber & C. ,
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado da-
quella rabriea, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por preco com-
modo.
Cera de carnauba.
O mais superior que ha neste genero, ven-
de-se em porfo e a rctalho : na rua da Cadeia
do Ttecife, loja n. 50 de Cunha & Amoriin.
Arados americanos. j
* Vendcm-se arados americanos ver- ^
$3. dadeiros, chegailos dos Estados- -t?
i> Unidos : na na do Trapiche n. 8. #?
Cera le cnrnariua.
No armazem de Domingos Rodrigues de
AndradeA Companhia, na rua dosTanoei-
ros n. 5, vende-so superior cera de carnau-
ba, ltimamente vindas do Araealy, em
porfo e a retalho, por menos preco que
em outra qualquer parte, assim como sola e
couros miudos.
Corte de casimira le cor e preta.
C^* Cortes de casimira preta, muito li-
nos, a 5,000 rs., o corte; ditos decresele
muito bom gosto, a 6,400 rs. ; cortes de
cambraias de listras de cores, muito linas,
a 3,600 rs.; ditas com salpicos tambem de
cores, a 3,000 rs.; csrapuca de algodiio de
cores, a 240 rs., cada una e outras muilas
fazendas de bom gosto, por diminuto pre-
Ganga mesclada a 28oi*k. o
covado.
, Defronte do becco do Peixe frito n. 3, vnde-
se ganga mesclada de quatro palmos reforja-
dos ele largura pelo baratissimo preco de qua-
torze rintes n covado, esta fazenda lie recoin-
mendavel nao s para jaquecas e caljas, como
tambem para palitos e casaros.
Siovos cortes le chita a 1,7to, 2 e
2,2oo rs. e madnpolao linipo a
2.2oo rs. a peca.
Na rua do Crespo, loja da esquina que
volta para a Cadeia, vende-se cttes de cin-
ta com 12 coyados inteirosa 1,760, 3e 2,200
rs., lindos cttes de casimira de boa quali-
dade a 6,400 rs., e os muito acreditado* co-
ber lores de tapete a 720 rs. e outras niui-
tasfa7Ptidas por preco commodo
Vende-se o engenlio l'rcjuhi, na fre-
gtii'zia de gtiarass, moenlo torrente,
com safra criada, lem boas madurase por-
to de embarque : quem o pretender enten-
da-seeom Francisco Cavalcanli Jaime Cil-
vio, proprietario o morador no mesmo.
I,uvas le p'llica a t.foo rs. o par.
Na rua do Queimadn, dcfronle do becco
do Pelxe Frito, vende-se luVas do pellica
ponto inglez para humem muilo linas, pelo
baratsimo pnco de cuco j alaras o par.
Na loja Has neis porfus cntrente
(i 1 I. i v ruine uto.
Continua a vender por presos, qur faz conla
comprar. Vende pecas d^lgocsaozinho a seis
patacas, corles d'casemira de cores bonilas a
5,0011 rs., chapeos Irancczes da uliiuiu muda
a ti,000 rs dillos de mola a 5,0110 rs. chapeos
de sol de paninho com aspas de balda a sin-
co patacas, e de junco a quatro patacas e lo-
dos os mais nbjcctos por precos rascaveis.
Luja das seis portas em frente io
Llvraniento.
Continua vender barato: cassa preta a
10 is., cassas de cores pintadas e bordadas
a 240 rs., o covado, chitas a 120 140 lUO 180 200
rs. linas, lencos de cassa para nio de senho-
r.s a 24n rs. loncos de cassa grandes para ca-
brea a 320 rs., e bordados a 400 rs., corlrs de
chita com licovados em pedacos a 2,'00 rs.
lavas pelas de seda e de trocal por prreos ba-
ratos, riscadinhos franceses c alpacas de co-
res, proprids para capniinhos, c un completo
soi timen! > dr fazendas mais baratas que em
outra qualquer loja ; lauto a retalho como em
poredes.
Vende-se o armazem de sal da rua Impe-
rial n. 53 com mais alguns geDeros da trra
assim como tambem algumas miudezas a ira-
(ai na mcsina rua 11: 37.
Alar melada.,
De ptima qualidade, em latas grandes e
pequeas, em porcSo e a retalho, sendo a
320 rs. a libra da [ rimeira sorte, h per me-
no-i as quididades infetiores : na rua do
Crespo n. 11.
Vende-se ou arrendase, urna casa de
pedra e cal, sita no Slonleiro, com terreno
para planlar e com arvoredos de frnrto, por
preco rommodo : tata-so na rua dasTrin-
eheiras n 48, primeiro andar.
Oantso hnrateirodo Psmelo Pu-
blico, loja 11. M. de I'ii iniaiii)
J's Kodrltrtie>: Fcrrcira.
Ton superiores cortes de vestidos de sar-
ji-l 111 ,s dr 1 .!;, fazenda de muito gosto, as-
sim cotr.ocoites da niesmn fazenda' listra-
dos de cores, pannos finos de todas as qun-
lidades e cores, si tms lavrados. sarjas pre-
tss, merinos, chitas frunc zas largas, brim
'transado de linho puro, favcmla de gosto,
casimiras pelas, cortes de ditas de cores,
chapeos de tnassa francezn, chales de todas
as qualidades e gottos, vestidos de se la,
riscados francezas, coitos de casimira de
algodao, m barato pceo de 1,400 rs., len-
tos ile chilas franceses, imitando aseda,
milito lindos, a 400 rs., madapolfies da to-
das as qualidades, chitas finas e de todos os
precos, selim preto macao, corles de chi-
tas cassas, a 2,000, 2,800 e 3,000 rs., es-
guiOes de linho, I retanhas, linhos dequa-
dros, tapetes, corles de coletea de cores,
muito baratos, fuslOes superiores a 800 rs.
corle, meias linas superiores, para se-
nhoras, luvas decores, lenQos de mSo, bi-
ros, lencos de sedas e outras multas fazen-
das, que se venderaO a procos que agrada-
rSoss compradoies.
Vende-se un bonito moleque, de ida-
de de 16 a 18annos : no Atorro da Boa Vis-
tan. primeiro andar.
A 2>.>io rs., o par.
SapalOes de lustro, a 2,500 rs., o par : no
Aterro da lloa Visla, loja de c.ilsado n. 58,
junio ao seieiro.
= Vende-se urna negra, a ilha denominada!
S. Jofio Baplista, ao p dps Afogados com cento
c tantos ps de coqueiros com duas grandes ca-
fas de pedra c cal, dous grandes vlveiros, e
com bastante terreno para plantaccs mor-
montc capira, que d.i com abundancia, un
sitio em Bem Fica ao p da! estrada nova com
grande casa de vivenda, todo murado, com
doiu portoes de ferros c cochelra para caval-
los, e carrinho, com grande poeo d'aijua de
beber, e bstanle arvoredo d'fruto princlpal-
in.'iiti' lai-angelras, duas parelhas de embono
de sedro para barca9a, duas lanxas c um bote
velho, urna crreme grossa de ferro para na-
vio, urna amarra dreabo de linho, nina bolea
para navio, e 3 travs j.i preparadas ludo por
preco commodo: na rua da Cadeia do Recife
n. 54, vende-se mas una porcSo de cobre ve-
lho de navio, c urna porco dcouro de cabra
coitido. a
m "2 I
.liH
a

.1
~rP ?
C M
.h = u o
a .- o so
2. -"o
S*m4
a s 1
y a. a;
" 11 2
5B

i
si5
ai o w
* i v- O
i
- a.;: y
*f>
O.T,
O t "
o tJS-g
v u -
Ti 2.9 5
" S s
o

! S (
' -2 i
**HUH
O-rn
SBJS- 2
8 O s s
-eoaS'o-' S ?#
_, fl 3r o 2 S o^.= ^Sl)
E
""1
C CT(5 O
So.^ SI
Ciieirnein ao barato.
Ka rua da Cadeia do Recife n. 5 vende-se
pelo di ni inutn preco de 500 rs. cada urna, saias
brancas de caca de cordaozinhopara senhora,
e '.ornao'ie muito agradaveis, nao s pelo pre-
co como porque as senhoras inglesas e fran-
cezas, apreciam muilo, na mesma se vende
picote trancado para saias, c carnizas decscra-
vas a 180 rs. o covado, assim como oulras limi-
tas fazendas por diminuto preco.
-- Vendem-se selins inglezes elsticos,
ditos com borranhas, chegados agora em
casa de Ceo: Kenworlhy & Companhia, na
rua da Cruz n 2.
Vende-se urna escrava do idade e de
ii.-u'ii', boa lavadeira ecozinheira: na rua
Imperial n 7.
Para mininas de escola.
Vendem-se chapeos de sol de seda, pelo
barato preco de 2,400 e 3.000 rs. : na rua do
Crespo, loja n. 12, de Jos da Silva Campos
& Companhia.
Vendem-se 4 molecote, de idade de
16 a 20 anuos, bonitas figuras, sendo al-
guns de servico de campo; 1 dito de moni
idade ptimo para qualquer sitio, por preco
commndo ; 1 lindo molatinho de eicellen-
to ernducta, do idade de 16annos, ptimo
para pagem ; 2 negrotas creoulas, de idade
Itianiins; 3 oscravss mocas de todoservi-
Co de casa : na rua Dii.eita n. 3.
Lotera a beneficio de N. S. lo Li-
vramento.
Aos 5:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da PraJl da Indepen-
dencia 11. 4, vendem-se bilheles mleiros, a
10,000 rs. ; meios, a 5,000 rs. ; quarlos, a
2,600 rs.; decimos, a 1,100 rs., e vigsimos,
a600rs., corre no dia 12dcJulho.
(^ueijoft le prato.
Fresquissimos e muilo nucios queijos de
praio, vendem-sn por pre;ucommu!u : n
iuu da Cadeia do liocifv 11. 1.
Vindo-se a laver Kangcl, muitoafreguezada p'ia Ierra epa-
ni n 1111I11, e nniilo vantajnsa, notioli
eleganria di armtiao, como por esta per-
ler.cer a casa c si r commodo o aloguel: tra-
ta-c no mismo estal cli'Ciu emo.
= Vi ndc-se urna rrioula de idade delG an-
uos, sadia, sem vicios neni achaques, a qual
sabe bem cozer, eiigoiuniar, cozinbar, e lavar ;
um palanqun] em bom uzo, una carteira de
amarellode urna face e mancira, una rotula
coi bom uzo,e um moioho de pedra para moer
milho, ludo por pri'50 cmodo : no atti'iro da
lloa Vista sobrado n. i7, das as boras da
inanliiia, e de larde das 3 horas em vante.
Vende-se chapeos de sol de panno, ar-
ma(ode baleaa 1,500 rs. ditos de seda 5,500
rs. ; chitas francezas o covado a 1,280 rs. (lila
estreitas 2U0 ; esleirs para sala a 2,400 : adia-
se um grande sortimento de fazendas por pre-
co commodo : na rua do Queimado 11. Ib.
CERA KM VELAS.
Vendem-se caixas com cera em
velas da mais superior que lia no
mercado, fabricado em Lisboa e
no Rio de Janei o, sorlimen>os ao
goslo do comprador e por preco
iii-u.s baiatoiio que em outra qual-
quer paite : trata-se na rua do
Vigario n. 19, segundo andar, com
Machado & l'inheiro.
Vende-se lima casa terrea, com basta-
les commodos, sita na rua do Alecrim n. 8 :
ir.i 1.1 -e no sobrado da mesma rua n. 2.
&*&*ar* $ Vciiie-sc na travessn da Ala- ?
lre-le-t)e)s n. 5, cha preto C>
) le superior qualidado.e ta- %
9 bem loaf amado ponta branca. %
5 Esta qualidade de cha est sendo ge- f>
ifig ramente preferida ao cha verde, ou pe- fj
lo menos fazi ndo-se uso delles mistara- t>
dos e islo em virlude nao smenle do Z
seu agradavol aroma e sabor, com por- ,
que be boje inconlestavolmenle reco- z
nliccido, que o cha prclo nao ataca o *
_ systenia nervoso, ao mesmo lempo, que r
4) possuc todas as qualidades benficas do (r
'.5 1 ha verde, i
Vende-se um palanquim, quasi novo e
com muilo pouco uso, n uito bem construi-
do e por prego muilo commodo : na rua das
RIorH loja u- marcitieiro, na esquina que
volta para o Carmo.
Vendem-se gigos com bata-
tas, para liquidar, a 1,000 rs.: no
Cais da Aluadega o, 5.
Vende-se um ca diiiro.francez, pe-
queo, para meio do sal, por preco com-
modo e em bom uso : na rua do yueimado,'
loja n 37 A.
Atteneo.
Vcnden-se pessas de chilas superiores que
nao dfsbotam, a 6,000 rs., 8,500 rs. c 7,000 rs.;
em. covados, a 1G0, 180, e 200 rs. ; chila larga
franceza muilo lina, a 280 rs. o covado; pes-
sas do madapiilao lino, a 3,500, 3,800, 4,000,
4,500 rs ; e muilo fino, a i,0O0 rs. ; pecas de
de cassa para babados de 10 jardas, a 2,400 rs
coitos decambraia do ultimo gosto, de salpico,
a 5,500 e 0,000.; brelauha de linho a 500 e|
4
9
600 rf., a vara ; superior cortes de casimira
preta setiin. pelo dcmlnutopreco, de 9,500 rs.!
ditas de cores, multo finas, a 6,000, e 6,500 rs ;
corles de ganbreons, fazenda de multa dura,
peto diminuto preco, de 1.600 e 2,000 rs., cada
corle de calsa ; rlarado de linho muilo fino, a
320, e 300 rs, o covado franklim preto pelo
esgracado pre^o de 400 rs., o covado ; meri-
.. preto, a 2,000, 3,500. c 4,000 rs. ; e outras
multas faiendas por preco baratisrimo, e para
crdito: na loja da estrella na rua do Queimado
n.7, comfronte aotteco do peixo frite.
Atteneo.
No bairo do Becife rua da Cadeia loja n. 53,
continua-se a vender, tanto em caixas como
libra, as melhores e mais acreditadas vellas
de cera vegetal de carnauba ; no s pela ei-
cellente luz que dfllas resulta, como pela apu-
rada perfeicao coro que sao le tas, no Aracati,
pelo melbor fabricante da quella cidade,
Peca de elilta, a 4$ooo rs.
Na loja n. 5, que volta para a rua do Col-
legio, vendem-se chitas de cores, pelo ba-
rato preco de 4,000 rs. a peca ; pao lino
preto, a 3,200 rs. o covado; chapeos de sol
de seda, a 5,000 rs. e outras muitas fazen-
das de bom gosto e molto baratas.
Cambraias de seda, a G,ooo rs.,
o corte.
Na loja de GuimarSes & Henriques, rua do
Crespo n. 5, que volta para o Collegio, ven-
dem-se ricos cortes de cambraias de seda,
pelo barato preco de 6,000 rs, o corte, esta
fazenda hedegostos inteiramente novos.
Vende-se urna escrava de 22 annos, de
bonita figura boa engommadeira coze
chio, cozinha o diario de urna casa e faz
doce ; um cscravo bom serrador ; 2 bn-
quinhasdej la, de muito bom gosto e novas, 4 mangas
de vidro : na rua do l.ivramento n. 4.
Calcado.
No Aterro da Boa Vista, defronle da bonica.
He chegado ressentemenle um novo e
completo sortimento de calcados franoezes
de todas as qualidades e para todos os l-
mannos, que se vendem muito baratos, a
1 i ni (le se apurar dinbeiro.
No Aterro da Boa Vxsla, de fronte da boneea.
He chegado os bem conhecidos sapatOes
de Nantes, muito proprios para- a estacSo
presente; ditos do Araealy, tanto para ho-
mem, como para meninos, a 800 rs.; ditos
de couro de lustro, feitos na Babia, a 3,000
rs.; ditos do Arscaty, a 2,500 rs tudo a tro-
co de sedulas.
Vende-se urna parda moca, que cozt-
nlu, lava de isbflo o ongomma : no Aterro
da lloa Vista n. 41.
Vende-se urna c?deira da
Babia, em muilo bom estado : no
armazem de assucar da rua do Vi-
gario n. 25.
Moendns superiores.
Na ruudicSo de C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, todas de Ierro, de um modelo e
construccSo muito superior
Arados de ferro.
Na fundico da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Arados de ferro,
em-se arados de diversos
modelos, assim como amerisano-
com cambio- de sicupira e bracos uomprador.
Vend<
GBAXA Et.O.NO.uICA F-M MASSA. .
Do insigne fabricante americano. Jamos Ma-
sn. A sua coinposlcao he feila de proposito
para lustrar coin a^ua e conservar o lustro,
tanto de invern como de vero; a grande
vaotagem que ha nesta graxa he a conservaco
do calcado, e lustrarem-se os sapatos ou bo-
tins anda mesmo inolhados, e uina pequea
lata aturar mais de que tres boiOes e custar
menos do que um. Vende-se em barricas,
011 porfao de duzias, no armazem de Vicente
Ferreira da Cosa, na rua da Madre-de-Deos.
ntigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. I7, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegado ltimamente de Lisboa
na barca Ligeira.
Ven em-se as seguintes s-
mentes :
de abos, ditas de ditas ingieras, ditas de r-
banos encarnadas, ditas brancas, ditas de ce-
bolas de Setubal, ditas do alface allamaa,
ditas repolhudas, ditas de core trinchada, di-
tas de senoura amarillas, ditas de chicoria, di-
tas de 1 non tro de loceira, ditas de salsa, ditas
de lmales grandes, ditas de repolbo, ditas de
espinafre, ditas de pipinella, ditas de alpo,
feijao, carrapalo de Ires qualidades, crvllhas
tortas e di ni las, rabanetes encarnados e bran-
cos: na rua da Cruz n. 46, dolime do Dr.
Cosme. Na mesma casa vendem-se queijos in-
glezes muito frescaes.
Fazendas por a metade de s'eu va-
lor, na rua do Crespo 11. 6.
Corles de chita finas, com 12ovados, a
1,920 rs-; dito de cassa chita, a 2,400 e 2,800
rs.; chapeos de ir ac pilos, a 800 e 1,000
rs ; cortes de brim lislrado de linho puro,
a 2,000 rs.; alparkade cordSo proprias para
casacas e sobrerasacas, aSOOrs., o covado
e muitas outras fazendas baratas: na loja
cima referida.
- Vendem-se quetjos londrinos, presuntos,
caixinhas de sedeliles porgativo, conservas de
todas as qualidades, cementes ou passas inlu-
das para podins, carne salgada para uso de fa-
milias em barril de 50 libras e miudos da mes-
ma Irnia preparados, tudo ltimamente che-
gado : na rua da Cruz, armazem n. 9. de Da-
vis & C,
Vende-se superior cognac velho, em
barris de 12 a 24 caadas : na rua da Cruz
n. 55, casa de J. Keller & Companhia.
Vende-se gesso em barricas, vindo no
ultimo navio chegado de Franca, tendo ca-
da barrica 20 arrobas pouco mais ou me-
nos : na rua da Cruz n. 55, casa de J. Kel-
ler & Companhia.
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
ha rua do lirum ns. 6, 8 e 10,
lumlicao de ierro..
de ferro 1 na fundicSo da rua do
Brum ns. 6, 8 e 10.
Enxadas.
Vende-se enxadas de ferro calcadas de ac
i bem conhecidas pela sua duracao, na rua
da Cadeia n. 44 loja de Thomax ternandes da
Cunha. ..
Thesonras o navalbas.
Vende-se thesooras e navalbas de fino afo,
fabricadas em Lisboa pelo processo dos aguas
de GuimarSes. Estas tbesouras e navalbas tor-
no-se recommeudaveis pela fina tempera e
superior qualidade: na rua da Cadeia n. 44 loja
de Thomaz Fernandes da Cunha.
Vende-se farinha de mandioca a bordo da
garoperaS. limado arrsame fundiada de-
fronte do caes do Ramos amelhor qnalldade
que tera no mercado quem a pertender dirja-
se abordo da inesnia que acbarao cora quem
melar.
Vende-se,
avara, a 6*0 rs.
.Cambraias francezas de mimosos gostos,
a 640 rs., a vara ; fil Isvrado do cores com
4 palmos de largura, a 800 rs., a vara; man-
teletes de gros de Naple, pretos e de cores,
a 15,000 e 20,000 rs.; cortes de alexandri-
na, com listras de seda, a 8,000 rs., e ou-
tras muitas fazendas de linhoe seda, do me-
Ihor gosto que ha no mercado : na rua do
Crespo, loja amerella n. 4.
-- Vende-se um negro, de nagSo Costa,
pelo barato preco de 400,000 rs : na esqui-
na da Penha, venda por baixo do sobrado do
Sr. brigadeiroJoaquim Bernardo.
Vendese.
Corte, a 1,800 rt.
Cortes de chitas francezas, de cores fixas,
a 1,800 rs. ; ditos de cassa franoeza de lin-
dos gostos, a 3,500 rs.; ditos de cassas pin-
tados. 12,500 rs.: na rua do Crespo, loja a
marella ir. 4.
Vcnde-se.
Corte, a 1,280 rt.
Cortes decalsas de meia casimira, a 1,380
rs.; ditos de casimira de pura lila, de gosto
parisiense, a 6,000 rs.: na rua do Crespo,
loja amarella,Udo do norte n. *.
Vendem-se ricos manteletes.
Na rua da Cadeia do Becife n. 51, loja de
fazendas.
Vende-se um palanquim, em muito
bom estado, por prego commodo : na rua
doLivramento n. 1, segundo andar.
Verdadeira genebra de Hollando.
Chegou resentemente urna pe-
quena porcao degenebra, de su-
perior qualidade vende-pe por
pr piche Novo n. 16.
-- Vonde-sc urna linda escrava, de idade
20 annos, exci-llente quitandeira, ou para
qualquer servico : ua rua de S. Rita n. 14.
A 4*ji5oors.
Vendem-se finissimos chapeos, de seda
portugueza, a 4,500 rs.; ditos fraocezes, a
6,000 rs.: na rua do Crespo, loja amarel-
la n. 4.
Vende-se o melhor caf moido esim-
ples : na padaria por baixo do sobrado n.
106, na Praca da Santa Cruz.
. Vendem-se, por prego commodo, tijol-
los inteiros e quebrados, portas ejanellae.
telhas, ripas, travos, etc.. tudo preveniente
da casa em demolieflo da rua Nowa : traa-
se com N Gadault. O mesmo se encarrega
de toda e qualquer obra, como soja edificar,
ou reedificar casa tonca, ou sobrado, pois
Lque disso tem bastante pratica.
Vende-se um piano de boas vozes : na
rua da Cadeia de, S. Antonio n. 14, no se-
gundo andar do sobrado da esquina.
Vende-se um negro moco, de bonita
figura, sapaleiro, por.prego commodo, para
fra da trra, ou para o malo : na rua do
Padre Floriannon. 3, esquina do becco da
Carvalha.
Vendem-se erva mate e garrafas com
purgantes dele roi de diversos graos, fran-
co/ : na rua da Cruz do Becife 11. 40, pii-
meiro andar.
Fazenda mais barata do
acaba-se de receber um completo sortimen
to de taixasde 3 a 8 palmos de bocea, as
quaas acham-se a venda por prego com
- odp, e com promptidSo embarcam-se, ou|
irrcgana-sc em carros sem despezas s<
que
em
outra porte.
Cobertores de algodao escuro para quem
tem fri a 720 rs. cada um, cortes de brim
branco trancado de linho puro a 1,800 rs., di-
tos escuro a 1,600 rs. o corle, riscados de li-
nho a 220 e 320 rs. o cotado, riscado de algo-
dio trancado multo encorpado proprio para
escravo a 180 e 1OO rs. o covado, picote a 180
rs. o covsdo, zuarle atul de 5 palmos de lar-
gura a ?40 rs. o covado, dito de cor a 200 rs. o
covado, riscado francez muito finos a 240 rs. o
covado, chita para coberlas decores fixas a200
rs o covado, ditas para vestidos a 160 e l80rs.,
cassa chita cores fixas a 440 rs. a vara, casto-
res proprio para palitos a 280 rs. o covado,
pecas de cassa de quadros para babados e cor-
tinados de cama com 8 varas e meia' 2,400
rs., chapeos de massa para escravos a 480 rs.
cada mn : na rua do Crespo n. 6.
11 leilu afavor da Igrejade N. S*
lo l.ivi-nment.
No atterro da Boa-Vista loja de calcado n. 58,
vende-se os mullos afortunados bilheles, meios
e camellas, da lotera a favor da igreja de N-
S. do l.ivrainenln cujas rodas correm no dia 12
de julho do correte anuo infalivelnirnte ; e
na mesma caa venderao-se da loteria da
Matriz d Boa-Visl a os seguintes premios viges-
slmos n. 4480-5:00O# rs. bilheles inleitos n.
3794-2.0001 rs. n. 3032200,000 rs. meios bi-
lheles de n. 2860-1 000/rs. n. 650-200,0(10 rs.
2828100,000 rs. e mullos ns, com ospremios
de 50,000 rs 20,000 r. 10,000 rs.
Moinhos de vento
eom bomban de repudio para regar borla
d luisas de capira : vendem-se na fundig
de Boweaan & Me. Callutn, na rua do lruu
ns. 6, 8 o 10.
Vendem-se amarras de ferro: na ru
Ja Senialtn nova n. *2.
*fffVffff ff#fffff<
" Deposito de lecjdo da fabn-
a"de Todos os Santos,
na Bahia.
Vende-se em casa de Domingos Al -
sr ves Matheus, na rua da Cruz do Re-
? cife n. 52, primeiro andar, algodSo "y
s> transado daquella fabrica, muito pro- ",
prio para saceos e roupa de escra- .
vos, assim como lio proprio para re- ^ >
. des de pescar patios para vellas, 4
? por prego muito commodo.

i
< M
I.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
RUA, DA SENZAIXA NOVA !?. 42. '
Neste estabeleeimento cont
na a harer um completo sort
ment de moendas o meias moe>
das para engenho, machinas
vapor, e taixas de ferro batido
coadn, de todos os tamaitos, p
ra dito-
Yendem'-se na Iravessa da Mad '
Dos n. 5.
Erva malte.
Fumo em foiha.
Farinha de mandioca.
Gigos de garrafas prelas
brancas.
Hulhas para ditas.
Ancoras de peroba.
No armazem da rua da Moeda n. 7, c
tinua-se a vender saccas com superior ci
das fabricas do Rio Grande do sul, e opr
em con la.
-s*Continua-se a vender agoa de faze
cabellos e suissas pretas : na rua do Queini
leja de ferragens n. 31.

Itilbetes
Meios
Quartoi
I minios
Decimos
Vigrssiinos
11,000
'%$o
l'otassa. dft Ruana
Vende-se potassa da aTiissia, recentemen-
te chegsda, e de muito superior qualidade ,
na rua do Trapiche n. 17.
Vendem-.se relogios de ou-
ro e prata, patente inglez : na rua
da Scnzolln Nova n. l\i.
Tecido de algodao trancado na fa-
brica de Todos os iSantos.
Na rua da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades
proprias para saceos de assucar e e roupa
escravos.
TaixaN para engenho.
Na fundicao de ferro da rua do Brum,
Escravos futidos.
_ De 8 para 9 do mez de abril, pelas 8 b
ras da imite, desappareceu o escravo de non
Paulo, de nacao Benguella, representando l(
de25a 30 annos pouco mais ou menos; lem 1
seguintes signaes: estatura regular, cor pre
la, cabello grande, tendo urna falla na coro
da cabeca que inda cortando se conbece, a qu.
falta be proveniente de carregar peto, rost
um tanto largo, sem barba, nariz chato, bo
ca grande, e belfos grossos, falla um tanto
na, e descancada, conservando um pouco
beicos abertos e os denles fechados, e em c<
las pergunlas usa da resposla senhor sim,
sonlior ; ncil tem lodos os denles sendo dr !
forados na frente, um em cima, c outrof
baixo, que vezivelincntc se vi : no pello tem
marca ', querendo parecer uina medalha ;
alem desta em um dos lados lem urna ina
mais prela do que a cor do corpo, provenir
de um caustico; em um dos bracos a m
A ;e ensima de uina das sobransrlhas u
costura de um pequeo talbo, que ieve;qu<"
do anda ginga um pouco com o corpo e d
tal geito que empina nm lauto a barriga p
dlante. trocando os joelbos para dentro u
o vicio de lomar tabaco. Este escravo foi
Antonio Joaquim morador em Fura de Porl;
com tenda de sapateiro na rua da Cacimba
tendo o dito escravo principio do mejmo o
li.ici. Roga-se, porlanto, as autoridades p<
liciaes o obseguio de quadjuvarem na cantu
do referido escravo e qualquer pessoa que
pegar ser generosamente recompensada pe
seu trabalho e drspetas, podendo entrega
na rua da Cruz do Recife, 11, 63 no 3.* and
ou airas do ibeatro, armazem de taboas de p
nbo ; na Parablba, ao Sr. Jos Ribriro Guim
raes, ou aos Srs. Jos I.uiz Pereira Lima & C.
em Pedras de Fogo. ao Sr. Marianna Ramos
Meodonca; no Brejo de Areia ao Sr. Jos n
Dio Goncalves Llina; e em Goianna ao Sr. Ji
Francisco Fernandes. O abaixo ataignado t
em deligeucia do seductor que Ihe roubou
seu escravo e protesta usar, de todo o rigor
lela contra aquella petsoa que o tiver. Ri
fe, 2o de abril de (841.
Joaquim l.epet tk Atmeida}
= Desappareceu de bordo do brigue z1*
do Sul, no dia 17 de maio pastado, o escr
marinlieiro de 110111c Marcellino, na; ^o Cal
da, idade SO annos pouco mais ou menos,
tura regular, magro, levou camisa e cj
azul, chapeo alcatroado, o qual he de prop
dade do eommendador Joo baplisla da Si
Pereira, de Porto-Alegre. Boga-te por jai
a todas as autoridades policiaca e caplles
campo a sua apprebensio, e leva-lo a bordo
dito brigue, ou a rua da Cadeia do lleciiv '
39, casa deatmorim Irmaos, que receber
50,000 de gratlcaco ou mais, conforim a h '
giiiido em que for pegado.
Desapareceu no dia22 a noute urna p.
la criouia de nome Micbaella, reprsenla 21
22 annos de idade, estatura regular cbfia
corpo e lem uina costura ns niarr.ia do Vea
etquerdo e um cravo decco em um dos p<
levou vestido de chita a rotlada asa e pai
preto foi comprada a Joaquim Jos Lodz
cria de Bernardo Antonio do Miranda, que
aprehender ou der noticia serta na rua do Api
loo. IA ser bem recompensado.
Fugio no da 4 de abril do crreme ano
a preta Thereza de idade de 40 para 50 annos
estatura alta, seca do corpo, falla um lan
atravessada. por ser de nacao Congo, e qua
sempre anda coin a cabeca amarrada com u.
lenco, e uza andar coin sala azul panno <
costa : esta preta velo do sertao do Brejo 1'
Madre de Dos acerca de 4 mezet e auporui-
andar adui na praca ua liba da Nogueira, 1
no Rio Formozo e protesta-te azar com to
rigor de lei contra quem a ver acollada;
ga-te as authoridadet, civil e capito de ca'
pos a captura, e a faca leva-la na praca da Bo
Villa sobrado n. i2 que ser generosamen
recompensado. '.
Desapareceu em fevereiro do correr
ar.no um escravo de nome Antonio, de naci' #
de 40 a 45 annos, bastante barbado, por
j pintado, alto bastante, cor bem preta, te
falla de 2 denles na frente, com o pe esquer'
mal grostoqueo direito : cite eteraro velo
sertao do ico onde lol cativo de Manoel l'r,
cisco Leopoldo Cbavet, vendido aqu pe
mesmo Sr. em 1846 : quem o aprebend/V e le
vara cidade de Ollnda ruada Boa O' 11.
ser generosemente recompensado.
Pkim. N'Vi'vi'. m: M.r.DF: i% Rf v
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL7LEG9UO_A0W6IX INGEST_TIME 2013-04-13T02:25:37Z PACKAGE AA00011611_06379
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES