Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06377


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Qutntn(cira 2G
pibtidah dos coartos.
fjoianna c Parahiba, s segunda* e sextas felras.
Ko-Grande-do-Norte, todas as quintas feiras ao
mcio-dia.
Garanbuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas Telras.
Olinda, todos os diai.
FHtMIIllDM
/Nova, a 30, as 6 h. c27 m. d t.
n (Cresc: a (i, as 4 h. e 8 m. da t.
Puns Di i.r*.jchcil- a ,3, 4 h. c 84 m. .la t.
IMiii|. a 21, as 3 li. c 42 I", di t.
nUlUBDI HO.TC
Priineira is 2 horas e 6 rainutosda" tarde.
Segunda s 2 horas 30 miuutos da manha.
de Jun.io L M2
ruerno da subsciiipoao.
I Por tres mczes(adianttdos) 4/000
Por seis mezes bVflOO
Por um anno. 15/000
ulAS DA SEKAVA.
23 Seg. S. Agripna. Aud, do I.d'orf, e m. 1. v.
24 Tere. >jc* Nasclmeuto de S. Joo Kantista.
25 Ouart.S. Oulhcruic. Aud. do J. da .!. vara.
2 O"1"'- S.Virgilio. Aud. do J. de nrf, e do J.
m. da priineira vara.
| 27 Sext- *S O SS. Coraco de Jess.
28 Sab. S. Leo Aud. Ua Ch. c do J.Tla 2. vara
do civil.
19 Don. S. I'adro cS. Paulo.
UiniO BE 85 DE JDNHO
Sobre landres, a 27 /, d. p. 1/000 rs.
Paris, 340 por fr. nominal.
O.iro.-Oncashcspanholas..... 28/000 a
Mocdasdc/OOvcIhas. 16/000 a
de 6/400 aovas. 10/000 a
,. de 4,000....... 0/000 a
Prata. Pataces brasiletros.... IjRW a
Pesos coluinnaitus.... ,*Z!'' a
Ditos mexicanos........ *f'w *
28/500
12IW
1602OU
9/IOu
1/1150
OM0
1/760
ir -
- .--..n >in.-,a8r'.ug.>^rr:^3aa^L^.:t
PAB7IF OFriCIAL.
GOVERNO DA PKOVINCrA.
EXPEDIENTE 1)0 DA 1* DE JUNHO DE 1851
Officio. Ao commando das armas, para
mandar collocar a manha s 9 horas do dia
em frente da igreja do Corpo Santo una guar-
da de honra a fim de assistlr a festa de Santo
Antonoque ali ter lugar.Coinmunicou-se a
respectiva irmandade.
Dito.A thesouraria de faienda, transmit-
tindo os avisos de duas lettrat na importancia
de 600/ sacadas pela thesouraria de fazenda do
H lo Grande do Norte sobre a dcsta e a favor de
Porrio Antonio do Am.ir.il e Bernardo Anto-
nio de Miranda.Parlicipou-se ao Exin. pre-
sidente daquella provincia.
Dito.A pagadoria militar, para que mande
adiantar ao tenente do nono batalho de infan-
taria Jos Joaquim de Barros que, 'em cum-
Sriinrnto do aviso de 13 de maio ultimo, tem
e seguir para o Piauhy, o sold do mez cor-
. rente, bem como a quantia que por ajuda de
custo Ihe competir para sua viagem por trra
do Maranhao para aquella provincia.Intel-
ligenciou-se ao commando das armas.
Dito inesina.Para que mande abonar i
Angelo Custodio do Sacramento, pela manei-
raja estabelecida, a gratificado de 200,000 rs.,
mediante a qual, nos termos das leis ein vigor,
assentou praca no quarto batalho de artilha-
Tia a p.
Dito.Ao desembargador cliefe de polica
interino, communlcando que, em vista de sua
informarn concedeu a Anastacin Aleandri-
jio de Salles Dutra, praca do corpo policial,
que se ai-ha coadjuvando os trabalbos daquella
repartico, a gratificaco de 10,000 rs. men-
sae.
Dito.Ao juix relator da junta de justica,
transmittindo para ser relatado em sesso da
mesma junta o processo verbal feito ao solda-
do do quarto batalho de artilharia a p Iter-
nardino de Sena.Cominuncou-se ao com-
mando das armas.
Dito.Ao desembargador presidente do tri-
bunal do commercio, seicntifleando-o de ter
concedido tres meses de licenca coin venci-
miento aoofllcial-malor da secretaria daquelle
tribunal Caetano MariadePaiva Lupes Gama
para tratar de sua saude na corte.
Dito.Ao tencnle-coronel Antonio Gomes
Leal.Recebl o seu ofiielo de 10 do corrente,
cin que Vmc. d conta da commlssao, de que
o incumb na comarca de Flores, remetindo-
me a lista dos individuos, que, depondo as
armas, e prestando obediencia ao governo se
apresentaram at o dia 9 do mei lindo c fo-
rain amnistiados pela portarla de 28 de marco,
t expando Analmente que aquella comarca se
acha em pax, eperffilo socego. De tudo In-
teirado tenbo de declarar-lhc que estou con-
tente com o seu procedimento, e agradeco os
boni servicos prestados.
Dito.A thesouraria da fazenda provincial,
inteirando-a de haver concedido dez dias de
licenca aoalferesdo corpo de polica Manoel
iloaquim de Lastro Madeira commandante do
destacamento de Caruar para vir a esta ca-
pital buscar sua familia.cHe sentido fize-
i a ni- se as convenientes comjuunlcac.cs.
Dito.Ao juiz municipal da priineira vara,
para mandar entregar ao lenentc-coronel com-
snandante do declino batalho de iufantaria,
conforme requisita o commandante das ar-
mas, tres calcetas dos que pertenceram aos
corpos de piirneira linha, afim de serein ein-
E regados no servico de limpeza do quartcl do
ospicio.Intclligenciou-se ao comuiaudo.das
armas.
Portarla.Mandando por ein librdade ore-
cruta Jos Francisco dos Santos, por ter apre
neniado isenco legal.
Dita.Prorogando por mais um anno a no-
meaco da directora do theatro de Sama Iza-
bel, ficando porm dispensado della por as-
lu n haver pedido, o conselheiro Antonio Pe-
regrino Maciel Houleiro, e nomraodo em lu-
gar dcllr o barban I Gervaseo Goncalvea da
Silva. Neste sentido fizeram-se as conveni-
entes cominuolcacrs.
Dita.Mandando dar passagem como passa-
?ellos do governo para a llahia a Joaquim dos
antos e para o Maranhao a Geraldo deSouza,
que tiveram baixa do servico d# exercito.
DEM DO DA 15 <
Cilicio. -- Ao Kim. bispo diocesano, convl-
dando-o a comparecer no palacio da presiden-
kl. _^-_l*- __ -1. .1 .1-,... .1,. ^.M.lir .,
cia amanha ao meio-dla. altm de assistlr
posse do Exin. Sr. Vctor de Oliveira presiden-
te nomeado para esta provincia. -- Neste
sentido ficram-se os mais conviles do es-
tylo.
Dito.Ao juiz municipal da priineira var.
Remetiendo para que tenha a devida exe-
cuco a copia do decreta de 28 de inaio ulti-
mo, pelo qual fura perdoado Antonio Crrela
Pessoa de Mello a pena de priso simples por
toda a vida, em que foi condemnado por sen-
lenca do juiy desta cidade pelo mine de rebel-
lofque ltimamente trve Jugar nesta provin-
cia, e preveniudo-o de haver ofliciado ao coro-
nel commandante das armas para pi o referi-
do Pessoa de .Mello a sua dsposico.Bxpe-
i i i anise m sie sentido as convenientes ordens.
Dito.A' cmara municipal do Reclfe, re-
eiiiiiini-Hilando, que h-vendo o Exm. Sr. Vctor
de Oliveira de tomar posse do cargo de pre-
sidente desla provincia, para o qual fra no-
meado por carta de 13 de maio ultimo ama-
nha ao ineio-dia, huja a mesma cmara de
dcferr-lhe o juramento do estylo.
Portara.O presidente da provincia, atten-
dendo ao que Ihe requereu Jos tlygino de Mi-
randa resolve concederihe licenca para con-
duzir para esta cidaile des duzias de paos de
amarello e aucupira, que antes da prohlbico
da corte de taes madeiras, foram por elle uiau-
dados tirar nal maltas desta provincia e das
Alagoas, em consequencia do aviso da repar-
tido da luarinha de de julho de I S?, c re-
cominenda as autoridades locacs tenham cui-
dado para que ae nao deein abusos no uso dcsta
licenca.
EXTERIOR.
DA ORGAMSAC0 DO PODER EXECUTIVO
EM INGLATtRRA.
Arlfo Iraduiirf da Revilla Britnica.
Segundo a constituico primitiva da nona
monar.liu, diz M. Hallam em sua Biitoria
eonttitiiriona/ da Inglaterra, o rei tinha seu
Conttlho privado, o qunl se compunha dos gran
des olliciaes do estado e das outras pessoas
que elle julgava conveniente chamar para o
mesmo. [teste cbnselho, cuios membros pres-
tavam juramento de fidelldade e dcscrico,
todo os pegocios importantes, qur dissessem
respeto poltica interna, qur a externa, ero
discutidos quasi seinpre na presenca do sobe-
rano, decididos maiorla de votos, sob res-
trieco todavia de aua vontade; mas nunca
ein nenbum caso o soberano nao tomava de-
cso alguma sobre nenhum acto patente do
governo, sem ter consultado este corpo.....
EnUetauto*conio o consrlhu privado, por mui-
o iiuiiici-usu, 16 ftfihUM que era peuco apto
para a admlnlslraro pratlca do supremo po-
der, pouco a ponen foi-se i iilr.nl n; i ndn um
novo uso: o ministerio ou gabinete obtinha
do rei a approvaco definitiva de suas medi-
das, antes de submettc-las, pro formula, i
i aiiiie.i. .ni do consclho. No reinado de Gui-
llienne a distioccSo entre o gabinete e o con-
selho privado, e a excluso deste ultimo, de
toda a participaco activa nos negocios do
estado foram mais completamente estabeleci-
das...... As proclamaces c ordenanzas ema-
iiam anda do consclho privado, como quer
a lei ; c em mu poucas occasies, mesmo no
lempo presente, os negocios de poltica inter-
na ii ni sido submettidos suas deliberares.
Com tudo he geralmente sabido que nenhum
conselheiro deve apresentar-sc no conselho
sem ter sido convidado, assim, anda que para
satisfazer vaidades pessoaes por meio de um
titulo honorfico, este corpo srja nominal-
niente mu numeroso, suas reuniues especaes
nao se conipdem na realidade seno de um
pequeo numero de pessoas, independente-
ineiiie dos ministros do gabinete, e nao podem
por conse^gulnte fazer temer a estes nenhuma
resistencia seria de sua parte.
Estamos acostumadns a considerar o gabi-
nete ou conseibo do gabinete como formado ou
composto da reunio das pessoas que oceu-
pam os cargos do ministerio, e parece que
uin individuo torna-se niembro do gabinete
pelo nico facto de ser nomedo ministro.
Entretanto nao se pude dizerdeuma maneira
absoluta que ha em I nglaterra cargo de estado,
por mais elevado que seja, cujo titular seja
que em nossos das, os titulares dos mais ini-
poitantes destes cargos tem quas constante-
mente frito parte do gabinete ; mas ha alguns
destes cargos a cujos titulares parece ter sido,
uso ora conceder-se, ora nrgar-sc umassentn
no gabinete. Assim, quando, ha alguns an-
uos, lord llill. foi commandante em chefe do
exercito, nao teve assento no gabinete : isso
nao smeme no tempo em que a administra-
rlo era composta de scus adversarios polticos,
enao tambem u'aquelle em que ella o era de
seus amigos; mas o duque de Wellingtou,
persooagem politice erunis alta importancia
excrcendo por sua vet cssas mesmas funcedes,
teve assento no gabinete, ciuquauto o seu
partido eslava no poder.
Presentemente que temos um ministerio
Wlig, o duque de VVelligton contina anda
como commandante ein chefe, porm nao tem
mais assento no gabinete. Outro exeniplo:
no fin do ultimo ministerio de Sirltobert
Pecl, o pagador geral do exeicito nao fazia
parte do gabinete. Virain-se algumas veies
no gabinete certos altos fiinccioiiarios, cujus
cargos nunca foro considerados como sendo
sem carcter ministerial. Foi assim que lord
Elleuboroug, presidente do tribunal do banco
do rei, fe/, parte do gabinete Whig le 1806 a
1807. Outras vezes viram-se membros do ga-
binete sem funeces espeelaes : o fallecido lord
Sidmoutn, relirando-sc ein 1822 do ministerio
do interior, o qual dirigir por espaco de
dez anuos, continuou a ter assento no gabi-
nete at 1824, poca ein que deixou definiti-
vamente os negocios. O actual conde de Car-
lisie teve por alguui tempo assento no gabi-
nete Grey, sem ter outras funeces. Em des-
forra, um ou dous dos cargos, cujos titulares
fazem em geral parte do gabiuete, nao sao
quasi seno nominaes; tal he, por exemplo,
o cargo de cbanceller do ducado de Lancastre.
A existencia destes cargos tem precisamente
por vautagem perinitlir ao governo utilisar os
servicos de certas pessoas que em razo de
sua idade ou d'outras circunstancias nao po-
deriam assiimir o cargo de um ministerio.
Alm disto, este consclho iutimo, que se
chama Conselho de Gabinete nao era ao
principio, seno urna parte do conselho pri
vado, urna das commisses deste conselho.
Pode-se mesmo, proprlamcnte fallando, con-
sidera-lo ainda hoje como a coiiimissao ou a
seceo do conselho privado, encarragada du
exercico do poder executivo da torda, con-
selho judiciario, cominuinmentc chamado o
Tribunal do conselho privado, he oulra
deslas seccoes, e exef ce por este titulo as fune-
ces que pcrtenccni ao consclho de justica.
O mesmo se pode dlier doConselho du com-
mercio ( Hoard ofirad), deque logo fallare-
mos, c que tem em suas atlribuices tudo o
que interessa ao commercio c as manufactu-
ras.
He quasi superuo dixer que os membros
do gabinete e do ministerio devein lodos per-
tencer hoje mesma opino poltica, liem
que isso nao tvesse sido scnipre assim. Al-
gumas vezes aconteca, como se vio pelos lilis
do reinado de Jorge I!, que os ministros da
cora erao divididos entre si, e todas as nou-
tes na cmara dos lords como na dos communs
entregavam-se adtbales mu vivse algumas
vezes mu violentos snbie as mais importantes
questes da poltica do dia. Se remoularmos
mais alto, al ao reinado de Guilberme III,
acharemos ministerios e gabinetes formados
sobre o principio dabalauca-, cujo equili-
brio he sustentado por meio de dous pezos pos-
tos em opposico. Em vez de ter, como no
syslema moderno, ora um ministerio Whig,
ora um ministerio lory, o rei Guilherme to-
mava um certo numero de Whigs c de loiys,
e punha-os em lulta no mesmo gabinete.
Porm a mais uotavel combinacao deste ge-
nero foi a que adoptou Carlos II
aeeeslo de Sir William leiu
governar para o futuro de'conformidade com
o parecer constante deste novo consclho, re-
correndo todavia frequentcmente ao sen gran-
de conselho do parlamento, o que elle cria
conforme antiga e verdadera constituico
deste reino. Esta combinacao mallogrou-se
completamente.
Accrescentaremos aqu una palavra sobre
o cargo de premier ou primeiro ministro, to
desconhecido nnssa eonstilnicao legal como
o conselho de gubiuele, c ujo nome, tomado
do francez como o outro, he tatvez de Inlro-
dueco, ainda ml recente na Inglaterra.
Tem havido, sem duvida, em todas as po-
cas da historia da monarchia inglcza, um prl-
ineiiM ministril, que algumas vezes ha sido
mesmo o nico ministro. Legal c constitii-
einn.ilini me fallando, nenliuui conselhcir.i
privarlo possue, por este ttulo, preeminencia
sobre os scus collegas; logo que riles eslo
reunidos em conselho, o voto d'aqurlle que
oceupa o cargo mais elevado nao tem mais
valor do que o voto d'aquclle que oceupa o
cargo menos Importante, ou mesmo d'aqurlle
que nao oceupa nenhum, O primeiro minis-
tro he simplesmcnte o niembro do gabinete
que tem a maior parte na confianca da coroa,
e a quem o soberano confia a direceo prin-
cipal dos negocios pblicos mas he isto mu-
s de conveniencia, e nada mais... nenliiiin
me mili o do ministerio he expressamente en-
vestido do titulo de primeiro ministro. Esta
distincco alm disto he pessoal, o que qner
d zer que ella no esl ligada a nenhum cargo
em particular. Tem sido geralmente de usu
nos lempos modernos, ser o primeiro minis-
tro titular do posto de primeiro lord da
thesouraria, ora s, era reunindo-se Ihe o
posto dechanceller do erario ; mais elle
pode ser envestido de qualqucr outro cargo,
ou mesmo nao Icr nenlium: lord Chali, un
foi por algum tempo primeiro ministro, ao
mesmo tempo que preeuchia as (uncees de
guarda do sello privado.
Presentemente tem-se adoptado a cousa as-
sim como o nome, (em semrlhanle caso, quasi
sempre he o nome o que costa mais a aceitar-
se); porm vemos, nao ha quasi mais de um
seculn, que sir Robert Walpole refura o ti-
tulo de priiner i ministro como mu imputa-
co malvola. Ein um discurso que elle pro-
nunciou a 13 de fi vereiro de i74iI, por oeca-
sio de urna inocao frita para sua dctnsslo (ha-
va eniao perto de 20 anuos que elle se achara
frente dos negocios pblicos!, Ic-scafeguin-
te passagem : Depois de haveremcomecado
por investir-me de urna sorte de dignidad.- ir-
risoria, qualificando-ine de primeiro ministro,
os oradoies que tem fallado no sentido da IDO-
cao, contnuain esta ficrao que sorri s suas
imaginares, c iinputam-nie um abuso iinper-
duiveldesii autn-lilade ch-uierlca que Ihrs. lod Juliu lUnsei Hoijrc .-s niimw
approiiveattribuireiii-me.n 0 primeiio minis-
tro era outr'ora multas vezes designado como
o ministro.
qne de administraran real da fazenda do Es-
tado.
O eommissariato he nina subdvsn da the-
souraria, cujas attrilmires. segundo ulna ins-
trucro ofiicial de |844. ennsistem em arre-
cadar, conservar e empregar, ennformando-se
com cerlns regiilamrntos, a lotalidailc dos fun-
dos neeess u 10 para fa'.cr faca as nei Ssidadrs do
icrvico no exterior, isto he principalmente,
em lempo de paz, s desperas das colomnaS e
outras dependencias. Os ofliciaes di coilimis-
sariato exerceict, com eflelto. nas posssessnes
lo oterinr as fitncoes de ajudantes de thesou-
leiros dos lords commissarios das tliesourarias
O cominissariato he giialmentc rncarre^ado
da compra, da guarda c da distribiiieoes dos
vveres e ferregens, dn coinbuslivrl e da illu-
mlnaeio paia todos os ramos do servico no ex-
terior ; de todos os transportes por Ierra e por
navcgac"o interior ; e, na f ilta de nm agente
da marlnha devidamenle autorisado, do frete
necessaiio para o transporte por mar dns tro-
pase provisor*. He intil fazer sobresahir n
que ha de vicios i nesta organisaca : o com-
miiiarlalo, por suas Urlbulcfleaesperiae, se
ligara inulto mais convenientemente a direc-
co da artilharia. { Ordnaiice. )
Kis-aqui rjuaes tem sido desde o eomeco do
seculn actual, os prinieims lords da thesoura-
ria. Kslc posto fui oceup di.
Em 1800. por Wlliam l'iit, cuja nomcaco
remontava a I78'f ;
Em iS.'l.porM Addingtnn ;
Em 1804, porW. Ptt:
Km i soti, por lord Crenville:
Em 18n7, pelo duqu' de l'ortland ;
Em I809i por M. Prrceval ;
Km 1S1 *, pelo conde de Liverpool ;
Km (8>7, fabril ) por M. Caiinng ;
Em 1827, ( si ir mino or lordGoderich ;
Km 1828, pelo duque de Wellingtou ;
Em l83ll, pelo conde Grey ;
Em (834, (jullio ) por lod Melboiirne ;
Km 1834, ( noveiiibrn ) por lord Wellingtou ;
Km 1?34, ( iie/i iniiro por 3ir Roberto i'e.l ,
Km IKM.'i, por lord Melbnurne ;
Ein I84l, por Sir Robert Peel ;
Ein 28'6, por lord Jolm Itnssii,
Em todo este periodo, o primeiro lord da
thesouraria ha sido ao mesmo tempo primeiro
ministro, exrepto em alguns mezes de (8n ,
durante os quaes lord Granville foi primeiro
lord da llirsouraria, sendo chefe do gabinete
Mr. Fox. que excreta as funeces de secretario
de estado. Pode-sc accreseentar que durante
este ineamo periodo, o primeiro lord da llir-
souraria, quando eri memliu da cmara dos
communs, exerceu simultneamente asfunr-
ces de chanceller do erario. Todavia em ISi
Mr Robert Peel tomou nm desle cargos sem o
outro, e este exemplo ful seguido em 1846, por
nos que tem decenrrlito rtesitr a eleva, i" do
tlirono .le Jorge 111, o cargo de primeiro lord
da lliesoiirajia, tem sido oceupado pouco mal
las e despezas do celado. He a ella que sao
remedidos todos ns negocios que do occasio
a um desembolso dos dinhelros do estado, e ne-
nhuma repartico fiscal piule dispor dos fun-
dos que Ihe sao confiado, sem ser para isso
devidamenle autorisado pela thesouraria. Os
commissarios encarregados de rrerber usdi-
nheiros pblicos vigiam para que nao se com-
melta iirnhuin abuso a esle respeilo, oppon-
do-sc a que as rcpartice3 fiscaes facam algum
pagamento que nao seja em virtudc de urna
aulorisaco em regia Ua mesma sorte, o ins-
pector geral do erario viga sobre as operaces
da thesouraria, etaminando se as ordens que
A repartico da thesouraria he encarregada ou menos quareiita annos por membros do pa-
do exame e da adminlitracao grrei das recei- riato.
O ministro a quein pertenee piincipalmente
hoje a adminiltracllo real da fazenda fie o chan-
celler do erario. No syslema moderno, esle
funecionario, assim como o primeiro lord da
(hesouii.i, fax invariaveluirme parle do gabi-
nete ; porm nunca he membn do pariato ,
nein primeiro ministro, salvo se he ao iliesmo
lempo primeiro lord da thesouraria.
O erario se divida outr'ora em duas grandes
direcres. O erario das rccctai ( Recelpl
side), ninitas vezes deilgnado pelo nome de
balxo erario. ( Inferim Seaccliaiiiun ) onde se
guardara o producto dos Impostos e das recel-
las de toda a natureza ;-O erario das contal
ellas txpede sobre elle, concordan! com as ( Accounl side. ) encarregado mala particular
sommas votadas pelo parlamento; issoantes mente da adiuinistraco dos dinheros do
de expedir suas ordens sobre o banco de Ingla-
terra, encarregado hoje do deposito c dos pa-
gamentos, que se faziam outr'ora no erario.
A' frente da (/ifournrj achava-se amiga-
mente um alto fniicrion.il o, com o titulo de
lord theioureiro-mr. Sua investidura consista
do. Ksli; erario das conlas he que den nasci-
inenlo a i tribunal de justica que se chama tn-
bunal do erario.
A parte do erario que formara propiianientr
fallando, aeaixa do thesouro, se ehainava mul-
ta! vezes a thesouraria denominarao c|iie se
em 1679;
ci..ple: era a
formacao de nm novo-Conselho privado-^uvil-
tldo de poderes anlogos aquellos que hoje sao
altribuidos ao gabinete, e coinpoato de irinU
pessoas, quinze daiquacicrao os principaes
fficiaes do estado c da casa do rei, e as ou-
tras quinze escolhidas d'euire os membros
mais iuiluentei das duas cmaras sem iignih-
caco de partido. Em urna proclamacao que
annunciava este novo arraojo, Sua Mageitade
declarou que tinha revolvido nao usar mais
de um s ministerio, nem de conselhos par-
ticulares, nem de urna coinmiuao para a
direeso geral doa negocioi pblicos ; utas
na entrega de um bastan que llic fazia o sobr-| appiici tambem como temoa visto a repartico
rano. O cargo de lord thisourein-mr, foi pela presidida pelo lord thf soureiro-uuir. Eite func-
primeira vez exercido pelos lorJ commissarios i clonarlo era sempre nomeado por decreto Ihe-
noineaJos para este fin,no reinado de Jac-I Soureiio do erario, e se oceupava outr'ora
ques l.em Ilil2. Ksle estado de cousas, qne| pcaioalmente dajilininislraco deilc eslabele-
linha sido temporario reproduzio-se em (7l4 ; cinienl i. Hoje, a maior parte das fnnciesqiic
c adatar desta ultima poca, o cargo de h rdj prrieneiam amigamente ao lord thesourelro ,
thcsourero-mr tem sempie sido oecupadn |(g0 eirrcida pelo chanceller do erario. Este
Por virtudc da Unio com a Escocia, que foi
posta em vigor no i. de maio de 1807, o lord-
Ihesoureiro-mr de Inglaterra; passou a ser
lord thesoureiro-nir da Gra-llretanha ; e a
lei do fundo conselidado, promulgad i em 18l.
reuna as Ihcsouraras britanuicas c Irlandesa.
Os lords commissaiios da thesouraria da Gra-
Bretanha e Irlanda sao presentemente ein nu-
mero de seis, a saber : o primeiro lord, o chan-
celler do eraiio e quatro outros lords (jnior
lords. )
O rei he autorisado pela lei do fundo conso-
lidado a a junen para o futuro majs dous com-
missarios ao numero cnto determinado. Des-
de 1714. tem havido sempre, dous secretarios
da theiourara, cujas funeces, bem como as
dos commissarios ; cessam com o ministerio
pelo qual sao nomcados ; e dentis, a partir de
1805, tem-sc addido a esta repanico um se
crctario permanente, designado pelo titulo de
caiselro do contencioso e ajudanle do secreta-
rio ( law clcikand assisland secretary : ) este
ultimo nao pode ter assento no parlamento.
Aniel da elevaco ao throno-de Jorge III, o
soberano presidia algumas vezes em pessoa o
conselho da thesouraria i Hoard of Tlieasury );
mas nesta pocha ou Ios-e por causa da inoci-
dade do monarcha, ou fosse ante* porque os
seus nteresses pessoaes se aehaiscni pela pri-
ineira vez separados dos inleresses geraes do
fisco em virtudc do estabeleclmenlo de urna
lista civil distincta esta presidencia cabio em
desuso ; todava o throno tem sido sempre con-
servado na extremldade da mesa do conselho,
Este conselho reune-se todos os das ; mas a
naturesa dos negocios que trata e das funeces
que exerce o tem feito desccr ordem de um.
limpies ramo du servico publico. Sir llenri
Parnell fez obiervarcom rasao que, desde ni Hi-
tos annos, a thesouraria tiuha cessado de rxer
cer a inspecri'n que pela constituico Ihe per-
tenee sobre o ni prego dos fundos do Estado,
e que se ella quizesse retomar e exercer coin
iirn.es.i os direiios que poisuc relativamente
s outras rcparlicdcs muitas despezas inutris
cessariam ( a ) No estado actual das cousas o
cargo de primeiro lord da thesouraria he antes
um cargo de digoidade e de autoridade, do
[ a ) Reforma financeifa, 1832.
ultimo lie sempre ao incsuio tempo segundo
theiourelro do erario, porm os dous enipre-
goss.in prreucbldos em virludc de decretos se
parados.
O chanceller do erario he sempre unidos
lords da ihesnuraria, todas as vezes que o car-
go de lod thrsoureiro he posto em commis-
siiii, salvo porm o caso em que he o presiden-
te do banco do rei quem exerce, durante um
interregno ministerial, as funeces de chancel-
ler do erario. O chanceller do craiio, tinha
ie.ii ilno nii assento assim como o lord thrsou-
reiro coin os baresdo erario, sempre que ests
eraui constituidos em tribunal de equiladi
na cmara do erario mas esta jursdieco do
tribunal do erario rol transferida ein 184l para
o tribunal da chancellarla, c o chancellar do
erario uo tem agora mais assento no erario
seno quando te trata da nomeaco dos che
rifes i nessas occasies elle precede a lodos os
juizes reunidos.
He bastante diffiril dar urna ideia precisa das
funeces variadas do chanceller do erailo.
Elle exerce, de laclo, todos os pdeles altri-
buidos ao conselho da thesouraria, isto he
tem a inspccco e a inleira admiuistracodr
ludo quanto diz respeito s recetas e despezas
publicas, assim como a renda particular do so
berano c guarda de lo las as proprieilades do
estado e da cora. llo,elle quem organs.i o
servico da fazenda em todo o reino, e quem
fixa o orramento de todas as administrares
em que ha emprrgo do* dinheiros do estado.
He a elle que as commissel cncarirgadas da
verilii' ii .ni c liquidaran das contal publicas
faitea o seu n lltorio. He elle anda quem de-
cide nos limites determinados pela lei, as ques-
tes i mi ti lien sas ein materia de tazenda.
Una oulra fuucco do chanceller do erario
consiste em presidir, na ausencia do lord chan-
ce ller, o tribunal encarregado do eusaio das
moedas. As pecas determinadas a passar por
e-sa prova antes que a fabricacao de que fazem
parte, pona entrar em circuladlo, sao encerra-
das em nina ai vi (pix} sellada com tres sellos,
e fechada coin tres fecbaduras. cujas chaves es
to as maos do director da casa da inoeda,do
chanceller do erario e do cnsaiador do rei; c
o ensaio lein lugar em presenca decenos incni-
Ibros du conseibo privado, convocados para es-
te fim, e de um jury de 2l membros da cotn
panhia dos ourives.
As mais importantes funeces administrati-
vas depois das do primeiro lord da thesouraria,
e do chanceller do erario, sao as dos secreta-
rios de estado. Contam-se actualmente tres
o secrctiiiio deestado dos negocios internos, o
secretara de estado dis negocios estrangeiros,
'8 o secretario de estado das colonias c da guer-
ra. Mas estea tres ministros, guaes em digoi-
dade e autoridade, nao forinain propriamentc
fallando, seno um s funecionario he um mS
ein) reg, que para maior coiumndidadc, se di-
vidi tegundo a.; .reessirladcs do servir- Re-
inis, o titulo de secretan.) de estado apenas
fii conhecido no fim do reinado de Isabel, o a
divisa i de suas altribuices solfeen numerosas
modilicaces antes de tomar a forma definitiva,
que acabamos de indicar.
Os lies principies secretarios de estado sao
sempre membros do conselho privado e do ga-
binete, c um driles pel menos, muitas vezes
dous tem assento na cmara dos communs.
O secretirio de estado dos negocies internos
lie encarregado de ludo o que trm relacaoconi
o governo Interior da Gra-llretanha e da Irlan-
I i (suas ordens para a Irlanda sao transmiti-
das pelo interniediodo iird lugir-lcnentej, das
ilhas de Jersrv. uernsey, Aldermv. Sark e
Man (a xcepcao do que prrtencr fazenda ?
ao alinianladn ; as toneesses da cora, as
promoces ecclesiastics disposico do sobe-
rano, as niiiiiea es da-milicia, os negocios cri-
tnlnaei, passain tambem por suas mos. A se-
cretaria dos archivos ( siderada como nina dependencia do ministerio
Jo interior.
O secretario de estado dos negocios estran-
gelroi dirige, como indica sen litulo, todas as '
relacdei com as potencias estrangeiras.
i.iu.iii i ao icerctarlo d \ estado das colonias e
da guerra, ou secretario colonial, suas atlri-
buices como ministro, estrndcni-sc a todas as
possesses do exlri ior, exceplo as Indias Orien-
::; Como ministro da guerra, he elle quem
-xprde os decretos militares, e regula os nio-
vlmentoi das tropas: quem em trinpo de guer-
ra corrrsponde-se com os generaes em chefe,
e dirige todas as operacrs militares no exte-
rior, sendo o secretario da guerra e o comman-
lante ein chefe siuiplesmente encarregados de
prover aos meio9 de exreuco.
Os ordenados de rula um dos secretarios de
estado que cram ouli'ora deli.OOO I. I JO.OOO fr )
foram redutidos ein4831 a 5.000 I. ;i2s,ono tr.J.
Entre as administrares mais impurtantes,
drpois das que acabamos de enumerar, pode*
se cu ular. o conselho do commercio e da agri-
cultura (//oini bf Tradi and Vlantaliuns.) lie
una cominissSo docnnscllio piivado, que tem
sua frente um presidente e um vicc-presi-
d.lc, ^.iso iu i* i < aV.iVt.-lt w uul.us
mrriitir.is iciiroi dcsta coininlssiio. O presi-
dente do consellto do commercio faz ordiuaria-
inriitr parte do gabinete ; seu estipendio, co-
mo tambem o de. vicc-prrsiJentc he de 2,000
lili (30,000Ir,), lie ao conselho do commer-
cio que as dillerentes reparticcs enviam, qur
a titulo de intoriiiares, qur para consultar
siiaopiuio, todas as cominunieaces queinte-
11 s.uii no coimnerrio assim, a repartico dos
negocios eslrangeiros consulta-o sobre a ne-
gociaco dos negocios eslrangeiros, sobre os
meloide exreuco, sobre as dilliciildadrs a que
estes tratados pndeiii dar lugar: a thesouraria
sobre as modieacrs que devein ser introdu-
cidas as tarifas das allandegas, e sobre as di-
versas questes que acll isandam annexas, etc.
Este conselho he. igualmente encarregado
d'u na correspondencia particular eonsidera-
vel sobre todas a9 materias Cinuierciaes. To-
los os projectos de lei particulares (prvate
bilis) aprrsenlados saneco do parlamento
sao previamente submettidos sanean do con-
selho dn cmniiiercio lie alu la a elle que lio
enviadas todas aspetices de cartas, lodos os
estatutos de sociedades lormadas para expo
raclio de bancos por meio de acres, e lmen-
te /" formuij, todas as leis promulgadas uas
colonias que 'ein um governo legislativo ; so-
Ihe sulimellids lambruias ordeuancas em ma-
trria de commercio destinadas as colonias que
nao t'-ni aisemblai legislativas.
O consclho do commercio tem ein suas atlri-
buices ou debajxn de sua vigilancia mais ou.
menos directa, as icparliees dos cercaes, da
estatisiica, dos caininhos de ferro; a escola;
dos deseuhos de fabrica co escriptono ein que
sao registrados; o escriptorio das sociedades
por ac\es, e o dos deicarregado/ei de carvo.
Outro ministro, que he algumas vezes lam-
bemniembro do gabinete, he o primeiro coin-
missario dos bosques, florestal e rendas lerri-
toriaes da cora. As leis relativas a esta mi-
teria foram consolidadas por um acto approvi-
O almiraiilido, cujas atlribuices compie-
hciidein ludo oque dit respeito marlnha, he
urna das mais importantes reparlices. Anti
gaiiiente. o cargo do lord grande almirante
era srmprepcssoal ; mas ha dous sceulos elle
tem Sido frequemenicule posto ciiicouiinisso.
Os coiumissarios sao actualmente seis; O pri-
meiro lord do alniiranlado la. sempre parle do
gabinete, e he elle nrlocipalmento quem exer-
ce os poderes da repartlcan; entretanto as fune-
ces dos outros commissarios nao passam de
meras sinecuras: dous d'cutrc elle*, pelo luc-
ilos, sao sempre hoiucns traqurjados nesses ne-
gocios. O primeiro lord do aliuirantido teux
de estipendio 4,500 libras (i 12,500 fr.;, os outros
(1,000 libras (25,1)00 fr.; cada um, e todos urna
residencia ullicial. Esta grande administra-
9o nao parece oll'ereccr em suas particulari-
dades a unid ule to esieniial ao bem do sei-
rlco.
O soberano be, constilucionalmenlc, o chefe
supremo de tudas as forjas de ierra e iuar;e
o coinmandante em clwle que exerce em seu
nome o governo do exercito. Ocoinmaiidaiite
ein chile he mu puncas vetes niembro doga-
binete quando elle uo faz parte do gabinete,
he apenas considerado como ministro, e at al*
guiuas veics nao pertenee ao mesmo partido
poltico do ministerio.
He por meio do secretario da guerra (srcrtfa-
ryalicar), que nao se deve coufuudir com o
secretario de estado das colonias e da guerra,
que se iaiem as eoiniuiiun arues regulares en-
tre as secretarias da guerra e o ministerio. Al-
gumas vetes un mili ii do gabinete, este func-
.'nni.ii m lie sempre conselheiro privado, e um
dos ministros.
O pagador geral, encarregado de effectuar
os pagamentos em virtude das ordens expedi-
das pela Ihesouraria ou pelo secutarlo da
guerra, he algumas vetes tambem, niembro do
gabitieie, e por esle titulo goza da comidera,.

C9MK""ReHatf-^. !-WfcSJ


ar
H
i
. -

i
Hr-r5rsi
(.ni cda inllucnci.i a que sua posiciio poltica
Ibe pude dar direilo.
O grao-nicstrc da arlilharia (matter general
cfthe ordnance) Irm algumas vezes entrada no
gabinete. Me elle quem lie cncarregado das
provises militares do excreiloe d.i niarinha.
O presidente da cnmmissjn de inspeecao so-
lirc os negocios da ludia la?, militas vezes par-
te do gabinete, e pode ser considerado como
excrcendo as funcciics de secretario de estado
da India. A cominissao de iuipeccao, insumi-
da em I"84, coinpiinlia-sc ao principio de seis
consclbeiros privados, do chanceiler do erario
c dos principaes secretarios de estado ; mas
nao he necessario boje que todos seus iiicm-
l>ros pertcneain ao consclho privado.
O lord lugar-tencnte da Irlanda, aindaque
semprc seja consetheiro privado, niio faz parte
do gabinete, e at nao be considerado como
ministro, lie sen primeiro secretario, que de
facto dirige os negocios, e be realmente o se-
cretario de estado da Irlanda. Kste ultimo teui
assento algumas vezes no gabinete, e be sem-
prc inembro de una das duas cmaras do par-
lamento
O director da casa da moeda 'mosltr of Iht
tninf) tem feilo algumas vezes parte do gabine-
te, e he sempre considerado como um dos
inenibros da alta administracio.
O cargo de director geral do correio era, al
bem pouco lempo excrcido conjuntamente par
dous commissarios, os quaes nao podiam ter
assento na cmara dos communi. F.stc cargo,
ainda que sempre oecupado por partidarios do
ministerio, nunca fui considerado como teudo
Uin carcter polilico.
tis trp grande ofnelaes de estado, o lord
cbauce*ller, o lord presidente do eonselbo e o
lord do sello privado, sao constantemente
mcinbroi do gabinete, e o mesmo acontece
coiii o chanceiler do ducado de Lancastre, cujo
cargo naopassa de uina mera sinecura.
Correspondencia.
Sr. rn/n-clnre: Tendo lido ein o Diario de
21! do crreme na columnaavisos diversos
Ulna correspondencia, ou annuncio do meiiex
calielco Jo.i,|iiin alendes Freir, cm que este
diz que eu tratira e prometiera eui 1848 dar-
Ihc o ordena 'o de 200/rs.; ra 1849 u de 30/
rs.; e Fin i85o o de 4l> rs.; c que agora dc-
pnis da suasahiba da miaba Inja, na cunta que
Jhe dei dos seus ordenados, lancara smente
]'.'I,8C0 is. para o primeiro auno, 14o/ rs.
para o segundo, e 200/rs. para o terceiro,
sendo este o motivo por(|ue se ve forcado a
me demandar em juizo o pagamento dos sius
urdenados na furnia que pretende, e que diz en
jeq dado as conta que aunualiiicnte remeltia
a mcii irmo e ex socio, cuinpre-ine declarar
e fazer scientc ao publico pelo inesnio vebi-
cnlo do seu conccitua.lo Diario, i|uc he falso
tudo quauto em sua correspondencia, ou an-
nuncio allegou e dito meu ex caixeiro, que
detl'rtc busca marear, piirein debalde, o meu
rredilo at hnje sem mancha. Sim, repito, he
tima alsidadr o quanto dis'c o meu ex caixeiro
Freir, porquanlo nunca tratei com elle, nem
promettilhe os ordenados, que pretende; a
sim como na conta que Ibe dei, salvo alguiii
engao, ou equivoco, at dczenibro de 185u
Cilio laucados, niio os ordenados que diz fui
sua correspondencia, mas sim o de l2i,SHrj ;
at fin de 1848 o de 2011/ rs.; no segundo auno
f o de 240/ rs. no lerceno, que somiuao nquaii-
tia de .Vil,800, sujeita as sins despezas na Im-
portancia de 291,14" rs.; e ao pagamento de
114.0H0 rs.; lories, moeda de Portugal, que elle
lieou devendo ao sen antigo patrio da villa de
l'enafiel Antonio Jos liiluncs d'Araujo Gui-
inaraes.de f.izenda, que contra as suas ordena,
e occuluineiite fiara, como consta dos docu-
mentos f or.tpni que tenho em meu poder para
recebei dito pagamento.
'lainbem nao lie verdadeiro o meu dito ex
caixeiro em dizer que fez tudo quanto eslava a
sen alcance, e he do dever de un boin cai-
xeiro a prol dos meus Interesad; poiquamo
contravindo as miabas nrdens e Continuando
Fin sen amigo cosiiiuie de ti ir a fazenda alhca,
fiara fazcnrlas da miiiha loja a pessoas a
quem expressamente Ihc havia prohibido, e se
proceder desla soite he ser boin caixeiro, e
ctlinprir os seus deveres, cnio be fura de du-
vida que o dito Freir he mu opliino rapa/,
o encllenle caixeiro; prem livre me Dos
desses quejando-. Fiido aqu, e em juizo
para onde s lliente ao dito Kieire da Ijlsidade das suas a-
cereOeSi e que nao lui mcsquinlio nos orde-
nados, que llie dei, e pie nunca tiverain os
prenieios, e melliores caixeiro, que tem ser-
vido na rasa, e eiltfiu licar elle iuleiiauenle
eouhecldo do publico. Ilerile 24 de junllo
de 1S.jI.. Aulonio Ju.ituim dos Sanios Audiade
Kepnrligo da Polica.
PAIIII. IKUMA 17 DI. JIMIO.
Foram presos ; a ordeni do delcg.ido Jo pri-
meiro districto deste termo, o prcto Antonio,
escravo de Antonio Jos Pacheco da Silva, pa-
la correcc'o: a ordem do subdelegado da fre-
gur/i.i de Sanio Antonio, Silvano AivesFcilo-
sa, por ter sido encontrado ebrio fui a de ho-
ras; a ordrin do subdeb gado de San Jos o
PortuguezLourenco Hibeiro da ('nuda e Anto-
nio Pereira do Monte, por i rimes de ollc usas
pliysicas; e a do subdelegado da fieguc/.ia do
'oco da Panella, Manoel l'ereira Guedes c Ma-
nuel Gomes lericira, para avcrigoaces poli-
cltes.
Foi recolhido a cadeia desla cidade o preso
Francisco Pereira da Silva entregue uesia re-
parlico por una escolta do corpo lixo do Cea-
r,quc se apresen!,ira sem oflicio alguin, de-
clarando que esse preso viuha para cuniprir
senten(a na ilha de Fernanda.
: _________________________________________
Ai.i'M>f.i;,\.
Hendinento do di* 25.....10:483,722
flrscurreaam Aoje 2fi de junh'i.
Aligue sueco Flix -- botija* vasias.
IC-cuna bollan itza Alburie a I pista.
Jiaica portugueza -- l.iyeira mercaduras.
Itarc por tugela 5. (>;- Nem,
Escuna ingle Ruchad dem.
Urjgua intJez lile ileflt.
llrigue fiancez Cezar -- dem.
Barca suierlcana Hermai'le idem.
lliati: brasilciro Flor de tururip* gotie-
ros do paix.
CO.NM'I.ADO GERAL.
Reoditnento dodia t*S3 .'.91:489,680
Ideal do .ta -j.........3:380,115
">
175lonellailas de guano, 3,343 rouros com
i2,Jf>5 lill'SS.
dem do din ;!5.
Ilio Grande do Sol, r jcho lirasFro fts-
padarie, to 134 e 1|1 tonelladas, ronduz o
eeiiinle : f.00 li.inir.is o ISO mcias ditas
rom 5,400 arrohasT lalibras deassnesr.
RKCEUEDOMA DE ItENDAS (illAES
INTIIINAS.
Itendiniento do (lia 25..... 549,850
rONSIll.ADd PHOVINCIAI..
dem dn da 25.......2.047._4jg
Movimenlo i\(if/'oj entiados 110 din 24.
Rio Grande do Sul. Rio de Janeiro c Itslna
50 dias e do ultimo porto 4, briguo lira-
sileiro Social, do 228 amelladas, mestre
Francisco Jos de Oliveir, rquipageni 12,
carga carne scooa ; a Ainorim & Irmaos
Tm/ i eicravo entregar.
Alerib'icn-- 7 dias, lincha brasileira F/rfo-
ria, de 20 Ion liadas, mostr Domingos
Jn? Pacheco, pquipagem 7, carga fari-
nha de mandioca e fejSo ; a Anvirimci
I min-i
Navio tahido no mesmi da.
Poitos do Sul -- vapor brasileiro l-i.perndor,
^ommandanle o 1. tenetito Ignacio Fu-
genio Tivures. Conduz a sen bordo, Jo-
s Antonio Mendonca, Dr. Carlos de >r-
queira Pinto, com lila Rjirnora c 3 escra-
vos, n companhi? 'yrica,* II Morem, Arnan
llerleaux,Garlos, Hiemo'id, Geny, Scrali-
ne, Maria e Juanna, n 2 menores, Thomaz
Gnuld, Dr. S.lvador Gorroii do S P.ene-
vnlcs, com sua senhor, 1 lilho, 1 criado
e3escravos, tenenlo Andr Aciole P. do
Vascnncellos, Jolo llibeirodo Vasconcel-
los l'essoa.major K'ller, Dr. Jns Jmscm
lo Paco. 8rccrutas, 1 cidetfl, 3 soldados
lilo, eSescravos a entregar.
JUDAS EM SABBADO DE ALLELU1A.
Fazcndo a parte de cabo Jos Plmenta, o
aclnroSr. naymuntlo.Jos doAraujo, que
no fim, a pedido de muitas pessoas e por -
misado especial' ao banaficiado cantar a
muilo applaudida ecngrQsda polka.
Com este ospoetsculo espera o beneficia-
do entreter satiatorlaraentn o publico em
soral, a queat respeitosa e.particoUrmen'o
dodica o seu benoficto, e conta receW dal-
lo a proteccRo de quo tanto qecessita, aug-
mentando mais sua firme esperanca por
ser esta a voz prlmeira, quo o beneficiado a
implore. .
O beneficiado solemnemente tributa um
voto de gritido as Sras. DD.Gan liani, Lan-
da, Moreau, Maria*E^Opoldina, Emilis Va-
loga, aofir. Vasco e a todos osseuscom-
psnlieiros de scena a promptiiSo e benevo-
lencia com que se prestaren! em coadjuva-
lo, o Ihes assegura um eterno recooheci-
mento. _
Os bilbetes acham-se avenda, aa ra dos
Quarteis ri.9, confronte ao quarlel de po-
lica. | F .
Principiar achegada doF.im. Sf. prosi-
deOte da provincia. _^_
Avisos maritimos..
Ir-i.Sos
Navio sahido no mesmo din.
rl.a
1 S A KS.
O Illm.Sr. Inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, em ciiniprimento da reso.
tinao do tribunal administrativo de 20 do cor-
reine manda fazer publico, que perante o
mesmo tribunal se lia de ai rematar nos dias l,|g|r Artliur, Goimhra.
2 elide jullio prximo vindouro, aqiiem I""'!j,.royiuo Du
ll/.er as iuipresses dos trabadlos das.
ymo Dulflot, eslrangeiro do tabaco em
diversas renarlices nrovinciaes I ,,',.' V n
A ai remalacai sera fcita Por tempo de um ." >f'>.., o Sr. S.titl Roza
anuo acontar do I.' dejulbo do correte auno Camarina, molhcr de Jobson, a lllma.Sra.
3n de limbo de iS.V'. Antonia Kerreira de Santa Hoza.
As pessoas que se propojerem a esta arre- Jurnaleiros, marujos, mu Hieres, etc.
malaciio, comparecan na sala das sesses do
sobredilo tribunal nos dias cima indicados,
pelo meio-dia competentemente habilitados.
Secretarla da thesouraria da f.uenda pro-
vincial de Pcinambuco, -'5 dejunhodc 1851.
( rurnaiio,
Antonio Ferrera 'Annuncmeno.
O lh\ .lo'(: foimumio da Cos i Mtnt'ies,jitiz mu-
nicipal suyplrnle da seu'inda vara, em tiercicio
tutle lirmo, por Al. I. e C, que Utos guar-
de S.
F'aco saber que pelo Dr. juiz de direilo inte-
rino da I" vara do crin c da comarca do lied-
le, me foi partecipado ter conveado para o
da l4 de julho do trrenle auno a segunda
sessiio ordinaria desle termo, cujo sortcamcnlo
leve lugar na dia 25 dn corrente, e para a qual
sahiram sorteados os 48 jnizes de facto que se
seguem : Aulonio Jos Duarte, Joao F'raucisco
Pardelhas, Dr. Antonio Pereira Harrozo de
Moraes, Caelano Aureliano de Carvalho Couto,
Jos Pacheco de (Jneiroga, Antonio Dias da
Sillva Cardial, Dr. Jos Coelho d'Dliveira, Ig-
nacio Alves Monleiro, Joai|uiin Cardozo Aires,
Jos Francisco do Hego HarroS, Dr ( hristovo
Xavier I.opes, Francisco de Paula Maiinho
W.indeiliy, Antonio de Paula Fernaiides Kiras,
Jos .Alamino Pereira dos Santos, Dr. Ivdro
Francisco de Paula Cavalcanli d'Albiiqucrque,
Antonio Francisco l'ereira, Dr. Jos bernardo
Galvio Alcanforado, FJuardo Firmino da Silva,
los Egldto Ferrera, Antonio Egidio da Silva,
los Joaquim d'Ollveira, Mano.l Antero de
Sonza Heis, Jos Fernandrs Fradique, Luiz
.fos' Kodiigues de Souta, Antonio de Souza
I.eo, I'>ancisco Jos da Costa Campclo, Jos
Goncalves Torres Jnior, Pedro de Medeiros
t ai miro da Ciinba, Frncisco Antonio Vieira
da Silva, Domingos Jos Soares, Carlos Mar-
lins de Almrida. Antonio Francisco Xavier,
tilomas de Carvalho Pacs d'Andrade, Ignacio
Jos da Silva, Antonio l'ereira de Souza, Ig-
nacio de barros llarrcto, Jos I.opes Guima-
res, Jos Maria da '1 rindade, F'raucisco de
Paula Cavalconti da Silveira, Jos Francisco
M..i iiilni, lleiciilano Alves da Silva. Jos Pedro
do llego, Joao F^vaugelisla da Costa e Silva.Joa-
quini de Souza lao, Manoel Francisco Scbe-
11er, Joaquim Jos dos Santos, Andr Avelina
de Barros, Joao Antonio da Silva Giillo.
Os quaes bao de servir ua dita sesso, para
o que sSo pelo presente Kdilal convidado, as-
sim como todos os iulcressados.
F. para qiiechegue a noticia de todos, inan-
dei passar o presente que ser publicado
pela impreusa, e afixado nos lugares mais p-
blicos desla cidade eseu termo,. F.u Apriyio
Jos da Sib'i, escrivao interino o escrevi.
Jos Ituymundo da Cosa Alenezes.
Pitsnclorln militar.
De nrdem do Exm. Sr. presidente da pro.
vincla, manda annunciar o Itlin. Sr. coronel
inspector, que a pagadoria tem de comprar pa-
ra o presidio da Ilha de Fernando os objeclos
que constam da rclacao, que aballo se segu.
As pessoas aquem convler apresentaro ai
uas propostas em carta fechada nos dias 93,
25 c 20 deste mez, das 11 horas ao meio-dia,
advertindo e, que os objectos, ou os gneros
scriio da inclhor qualidade dos que houvcr no
mercado, para cujo fin apresentarao tam-
bem as amostras 'daqucllcs quej for possivel
dar, amostras, que a conduccao' para bordo
do patacho Pi'rnpamnser custa dos vendedo-
res, c hem assim, que da farloha de mandioca
smente se compram por ora treznitos alquei-
res, que sera inediios pelo alqurire velho
no armazem. ou navio peante a pessoa, que a
pagadoria designar, devendo ser ensacada em
fazenda consistente, e emlTinque custa dos
vendedores ser tambein a conducco da te-
Iha, lijlo c madeiri, que se comprar.
Pagadoria militar de Pernambuco, 21 de ju-
nho de 1851.--No impedimento do escrivao, o
ofncial, Joaquim Pereira Hailoi.
II I i.. i dos gneros e objectos, que se faz pre>
ciso para fornecimento do armazem do al
moxarifado da ilha ~de Fernando de No-
rooha.
Assucar branco 10 arrobas, bolaxa 25 ditas,
;.....mi araruta, l dita, tapioca do Maranhao
1 dita, carne do Cear 25 ditas, arroz 2 saccas,
cha 2 caucase 13 Ib., farinha ?c mandioca 800 .. pgrB SaTlta Cal,harin, Segne no dia 98
St&SMUS^^ impreterivelmente, o patacho Do.lrmto,
90-000 eibro.d 35 palmos 3n0, frexaes de quem no HKsmo quizer ir de passagem.pa-
35a40 palmos 30, cnxmeis de 25 ditos. 50, li- ra que tem escolenles conjmodos, assim
nhas de 40 dilos 10, pranchSes de secoplra, ou (como recebe alguma carga, a fallar com An-
de pao d'arco para bombas de carro 4, ditos (0nio Paulo Fernandos Eyras, no armazem
de dito, dito de dito pora 2 eixos do ca_rro 2, j a escadinha, ouctm o capitSo Francisco
adofjambio
a hvevidade a
barca portuqueza IJgeira, de qut he capltao
Antonio Joaquim Rodrigues, quem quizer car-
regar ou ir de passagein, parao que tem excel-
entes commodos : os pretendcntFs dlrijam-se
ao capltao ou aos seus consignatarios Francisco
Severino Rabello & Filho.
Vende-se urna lancha nova, que pe-
ga de trinta a quarenta barricas, a a qual
se acha em perfeitissimo estado, bem co-
mo tres botes novos, tudo por prego com-
modo : na ra do Vigario, n. 11, primeiro
andar.
Para o Rio Grande do Sul seguir muito
breve a sumaca Firmeza, nova e de boa mar-
cha recebe carga a frete e passageiros i trata-
se com os consignatarios na ra da Cadeia do
Recife armasem n. 12.
= Para o Rio de Janeiro sahe em psucos
dias a bem conhecida escuna Alaria Firmina,
forrada e pregada de cobre, capllao Joao Ber-
nardo da Rosa, por ter a maior parte do seu
carregamento prompto : quem na inclina ain-
da quizer carregar ou ir de passagem, bem
como embarcar escravos, eutenda-se com o
mesmo capitao, ou com o consignatario Luiz
Jos de S Araujo, ra da Cruz n. 33
Para Lisboa pertende sabir impreteri-
velmente no dia 2 de julho o briguc portu-
guez A'ai'o Vencedor por ter a maior parte da
carga prompta quem no mesmo quiser carre-
gar ou ir de passagem para o que ollerece os
uelhores commodos trata-se com os consig-
natarios T. d'Aquino Fonseca Si filho na ra do
Vigario n. 19, primeiro andar ou com o capi-
tao na pr.-n.-a do ('ommcrcio.
A barca portugueza Sania C'rui, sabe pa-
ra o Porto at 10 de julho prximo, por ter
prompta grande parte de seu carregamento,
anda recebe alguma carga a frrte c passagei-
ros, para o que tem asseiados e grandes com-
modos : a tratar com Francisco Alves da Cu-
nha S Companhia, na ra do Vigario n. II
primeiro andar, ou com o capltao da me,na
barca Manoel Francisco Vogucira.
Para o Para segu no sabbado 28 do cor-
rente o mullo velleiro brigue dinamarquez Ida
capitao J. J. Jicrgcnsen: quem quiser ir dr
passagem dirija-se ao capitao na ra da Cruz
n. 15.
M
d
chata e nao quadrada ib libras, brins para
lencoes e camisollas para o hospital 3f>5 varas,
riscado de linl'O paracotxcs 4'>4 covados.
No impedimento do escrivao, o olliciai,
miquim l'ereira liasloi
e 1 ex i
Navios entrados no dia 25.
Liverpool 58 das, barca ingleza obert.
Finnit, de aos toneiiadss. capitao Jame, l'heairo de fSan-l( rancisco
Broadrwt, ^uipagern 13 carga lazenuas; ^
aJ. EraMree & (.ompanlna. | Gri)|1(i,. t.s,plcllicu| var,ai,o de canto e.
Ale bac.a 8 das, garopelra S.Anna do So- .
rramento, de 30 tonolladat, mestre Mi- u
gucl Joo Medeiros Chave?, equipagem 7,
carga fmnha Ce manJioea ; a Ainorimt
mtico, em favor da Cantora
Augusta Candiani.
Depois que a orcbeslra, dirigida pelo Sr.
Oresl-s, tiver ejecutado urna excellenteou
vertura, seguir-se-lia a nova aria do tnaes
S. Matheus sumaca brssiieira l'araguassu',' tro Vento, execulada pela Sra. Candiani.
meatre Francisco Pereira da Silva, em! A Icmln'ungn 1<> piiniclro amor,
|-,slr i. l'da ciiin ;ii.iia nacional, em obsequio a
Sra.Candiani, o muilo applaudido drama,
Vaud ville em 2 actos
.lilliiu- depois ele ilvftassris anuos
Pertonagens.
Lord M dvio, almirante da mar>tiha ingleza,
o Sr. Matimiano da Costa.
Maria, -i lllmn. Sr. D. Maria Leopoldins.
Declara ydus.
24:812,745
DIVERSAS PROVINCIAS.
Rendlmenlo dodialaSS 1.181,893
' lea do da 25........ 69,891
1:544,224
Despachos mnrilimos dn din 23.
Rio Grande do Sul, brigue hrakilciro 17c-
toria, conduz o Mguinle : 60 pipas COBl
180 undulas deagotrdettte 578 barricaa el
153 harriquiiiiBS com 5,219 arrobas e 5 li-"
bras de assucar. i
l\c\v York, barca inglrza Creamore, de!
319o l|2 tonclladas, Cunduz oseguiute:I
Itenl companhia dos paquetes inglezes a tapo).
I'in dos vapores poderozos des-
ta companhia deve aqui chegar
uo da I al 2 de julho prxi-
mo da sua viagem de Inglater-
ra pelos portos do Sal, os Sis. que preteudc-
reui passagem para qualqucr dos portos em
que o mesmo tenba de tocar, deverio Irada!
anlecipailamente em casada respectiva agen-
cia ra do Trapixe n. 42. Adverte-sc que pa-
ra i. n,nimio dos passageiros o coinmandanlc
deste vapor tem ordeus para fuudiar bem
perlo.
Deoidcm do Illm. Sr. director geral da
i,nii ii \.io publica i.n, i saber aos Srs, inspec-
tores dos circuios litterarios, nao s do muni-
cipio do Recile, como dus de toda a provincia,
que para boa oidein e proinplido do expedi-
ente, bajam de rrmetler para o lyceu toda a
sua correspondencia flicial com esta direc-
tora geral os da cidade directamente ; os de
n.no do crrelo geral.
No intervalo do primeiro acto a Sra. Can-
diani cantara o uiuito aplaudido rond da
opera
II. PIRATA.
u lien do drama, a mosina Sra. caular a
pedido de muitas pessoas, a modinha bra-
silcira
ADORF.I DMA ALMA IMPURA.
Pela orolieatra a nova polka pernambu-
cana.
Seguinio-sfl pela companhia nacional, a
muito intcressailc c applaudida comedia
O ducllo nu terceiro andar.
Personagens.
Mr. Mouflet, o Si. GuitnarSes.
Pilotnelo, o Sr. Jorge.
lloco, o Sr. Neves.
Jiilio, o Sr. Telles.
Madeine Moullet, a Sra. D. I.uiza.
Carolina, a Sra. D Maria Leopoldina.
Fin disar o espectculo com o terceto em
portuguez, muzica do maestro Giannini, e
poesa do Sr. Germano cxeculado pela
Sra. Gandianl, e os S s. Maximiano da Cos-
ta e Snita Roza.
Augusta Candiani muito confia na gene-
rosidade do brioso publico desta cidade, do
qual espera toda a indulgencia e protecr;3o.
Os liilh -les n3o lom pier;o, e acbam-se a
disaosi(8o do i'pspvitavel publico, na ra
da l'raia da Cadeia, primeiro andar por ci-
ma do bolequim do Sr. Paiva.
A cantora a.'Candiani grata aos Immen-
sos favores que I m rececibo dos Srs. artis-
tas da companhia nacional, tifio podo dei-
xar de [,,iii-i,ii'i ao respeitavel publico des-
la cidade, a maneira attenciosa porque to-
dos os Srs. artistas cima declarados, se
prestara ni a coailjuvala ncsle espectculo e
de coidiroiar aos mesmos Srs. sua eterna
gralid&o.
SABHAD, 28 DEJUNHO UE 1851.
Grande cspuclaculo lyrico, dramtico e
dativa, a beuelicio do actor
Antonio- Jos Duarte Coimbra.
Consagrado ao illustre publico desla he-
roica provincia.
Depois de t secutada urna excedente ou-
veilura da esculla do insigne professor Sr.
Orestes, director da orchestra, representar-
se-ha o famoso drama em dous actos, que
tem por titulo
A .n:;c :ula.
l'ersonagens.
Castro, Antonio Jos Duarte Coimhra.
Commendador, o Sr. Ilayraundo Jos de
Araujo.
Ernesto, o Sr. Antonio Maximiano da Costa.
I). I.uiza, a Sra. D. Mara Leopoldina ( por
especial Livor.)
Carolina, a Sra. D. Emilia Valencia ( por es-
pecial favor.)
Um criado.
Criados.
I ni ni o primeiro acto a Sra. D. Augusta
Can liani, em obsequio ao benelicisdo cn-
tala a mimosa aria do llarbeiro de Sevilha
do maestro Ituccini.
A pedido de muitas pessoas Maria Lands,
em lugar do cantar o duelo del Collumela,
cantara as muilo applaudida variaces del
maestro Selvira.
A Sra. Moreau por favor ao beneficiado
cxeculari um lin Jo passo.
Em seguiuieuto a Sra. D. Augusta Candi-
fra por
Uuiro sim que lodo o negocio offlclal dos se- ,,- adulsissima ana, que tem por
nbores profesiores quer pblicos, (|uer part-] (l r % r
CUlares com a directora geral ser por nter- \ ..,.
medio dos dilos Srs. inspectores. A l.'iuDi'anrt do piillieilO aillor,
Directora geral, 18dejn.,hode 1851.-Can-'! "et Vwilo.
linio Fusiaquio Czar de Mclh, amanuense ar- Seguir-se-lia a jocosa comedia cm um
chivista. acto,
Leiles,
Jos Rodrigues Pereira faz ieilao de 50
caxinhas de l2queijns cada urna, no dia2(i do
crreme s 10 horas da maohfia no caes d'.il-
fandega.
C. J. Astley 8x C. furao ieilao por inter-
\, ni .ni do i ni i .-(ni Miguel Carneiro de 10 cal-
xas i-,ni. copos e garrafas, tu duzias de cham-
|, iiiIii, I caixa com cuuros de lustro pegados,
2 barricas com faccas para sapateiro, agulhas,
carnizas fcltas c outras multas couzas: tudo
se vender por qualquer prcc.o: quinta feira
2!dejuohos 10 horas da inanha na ra da
Cruz armazem n, 17.
O Dr. J. de S. Santos Jnior, tendo de
retrar-se para o Rio de Janeiro, far leilSo,
por intervengo do corretor Olveira da
ii'iilnlia da sua casa, consistindo em esdei-
ras, sofaz, mesa redonda edejogn, apa-
dores, guarda livros, lavatorios, commodas,
guarda l> u,;;i, mesa de j miar, quadros do
analhomia, candieiros de cima do mesa,
lampeos, lant mas p de brouze, loutja de
mesa, apsrelho para cha, garrafas e copos
para dito, dilos para agoa, trem do cozinha
e oulras muilas cousas, assim como um
pianno, um rico faquciio de prata, casti-
gas de dito, etc. : sexta feira, 27 do corren-
te, as 10 horas, no primeiro andar da casa
n. 58, na ra Nova.
--O corretor Olveira far Ieilao, a reque-
rimento de Vicente Ferrcira da Costa eou-
Iros credores. da firma social de Francisco
do Prado & Companhia, e por ordem do jui-
zo da segunda vara do commercio, escrivao
Uaptista, iliMiu.il inverna, com todos seus
gneros, pertences earmarjSo (como do res-
pectivo balando em poder do dito escrivSo )
sita na ra Direita, bairro de S. Antonio:
quinta feira, 26 do corrente, as 10 horas da
manhSs, na casa da referida laverna.
a ^m^^stfma^^fmimm^mgmfaa
Avisos diversos.
He convocada para reunan em asscmbla
geral, a associaco dos iogistas desta cidade,
e prevlne-je a todos os socios a comparece,
rem no dia 27 do corrente, sexta-feira, as 9 ho-
ras da iiianliaa, na casa d'associacao.
Ao publico.
lio i." de junio a o ultimo de agosto prxi-
mo scriio as carnes verdes vendidas a 2,400 a
arroba nos asougues estabelecidos, ra da
Guiado Recife, pateo do Paraizo, Ribeira 'de
S. Jos, Cinco Pontas, ribeira da /loa-Vista,
Casa Forte, Crus d'Almas, e ra Direita do
Afogado.
D. Joanna Francisca de Monezes, que-
rendo comprar urna casa torrea na ra deS.
Francisco n. 9, do herdeiro do fallecido pa-
dreJoaquim Jos Brrelo, Antonio Pereira
da Silva Santiago; por is>o faz ver ao pu-
blico, ou a quem convier, que tetina alguma
iransaccao, ou hypolheca, dirija-se a rui du
Vigario n. U, no praso de 3 das, conta ios
da data deslo
Preciza-sc de um homem solteiro que
eneja as circumstanclas de ser feitor de um
eogenho na comarca de Goianna ; a quem con-
"' "lenda-se com S Araujo ra da Cruz
.
;::
Gratittnd!
Leandro Berleaux, director da compan "'
frrncc/.a, faltarla a seu rigoroso, c at sagrado
dever, se deixasse era csquccitncnto, tantos fa-
vores, e protecco, que recebeo dos habitantes
d'elta cldi.de, mrraonte quando seu nfortu-
bo oareduxlo mlzerla: a companhia fran-
ceza, i mais deixar nMicids recebldos. principalmente de todas as
pessoas, que subscreveram era seu beneficio,
d'aquelles que concorreram com sua benc-
licencia, para mclhorar sua infeliz sorte; e de
todo o coracao agradece=a proteccao rece-
bida, e Ihe vota, eterno reconheclmcnto, nao
sendo elle tao verdadeiro, como desrjsva, em
consequencia da inesperada chegada do vapor
do Norte, e Ibe ser preciso seguir no mesmo
para a provincia da Hahia, o que Ib.' he bem
sensivel, por n5o ter tempo d'agradecer a
cada um de per si, afim de mostrar sua'grati-
dao para com seus bemfeitores, aos quaes pe-
de desculpa de suas faltas involuntarias, e
roga a Dos Ihes conceda urna existencia cheia
de ventura, e felicidades.
No dia 24 do corrente fugio do sitio n.
18 em Bem-Fica ou Magdalena preto Igna-
cio crloulo. idade 30 anuos, cambado das pei-
nas, toaos foveiras, diz ser filho da Lagoa, des-
trictb ds Parahlba do Norte pede-se a qual-
quer capitao de eampo que o prenda e leve
na mesmo sitio,-ou ao lado do Corpo Santo n.
25 no Recife.
" = Percisa-se alugar para urna casa estran-
geira de pouca familia, urna preta engomma-
deira, e que entenda perfeitamente do seu
olncio, prefere-se captiva, e preclsa-se com.
urgencia a tractar n ra do Trapixe n. 3.
i= o da 28 do correte mez pem jui/.o mu-
nicipal na 2," vira ter lugar a ultima praca,
para ser arrematado depois d'andiencia em
acta publica um sitio de. ierras para plantar,
com casa de sobrado, estribarla para 4 caval-
los, urna grande olaria com forno e barro pa-
ra fazer telha e tijolo, casa para trabalhadores.
isto com alguma ruina, 2 vivelros de criar pel-
xe, cenlo e tanto ps de coqueiros: no lugar
dos Afoyados denominado curtume, por exe-
cucao de Luiza Thexelra de Lima, contra Joa-
quim Correia d'Araujo (escrivao Molla. J
Furtaram de bordo da barca t'oneiffflo de
Alaria que eslava .aindiada ao p do caes dx
Ribeira, todo massame, 5 encerados, vela
grande, outra pequea, uina bomba de cobre,
um aparelho com cabo de Hubo e mais dous
cabos da escota, e do servlco da mesina bar-
caca ; quem de tal robo tiver noticia participe
aiosllygino de Miranda que gratificar ge-
nerosamente.
= Arrenda-se um grande sitio com muito
boa casa de vivenda com 11 quartos duas gran-
des sallas, cozinha, banho muito perlo, pOco
d'agoa de beber, bom lugal por ser perto da
praca, ao p de Sr. Francisco d'Ollveira : atrae-
lar na ra da Prala sobrado n. 55.
Madama D'alairac, retlra-se para fora do
imperio.
Fugio no da 4 de abtil do corrente anno
a preta Tereza de Idade de 40 para 50 annos.
estatura alta, seca do corpo, falla um tanto
atravessada. por ser de nacao Congo, e quasi
sempre anda com a cabeca amarrada com um,
lenco, c uza andar com sala azul panno da
costa: esla preta veio do sertao do Brejo da
Madre de Dos acerca de 4 mezes e supein-se
andaraduinapravai.il liba.do Nogurira, ou
no Ilio Forinozo e protesta-se uzar cora todo
rigor de Ici contra quem a tiver acollada ; ro-
ga-se as authorldades, civls e capitao de cam-
pos a captura, e a faca leva-la na praca da Boa-
Vista sobrado n. i2 que ser generosamente
recompensado.
Quera precisar de uina ama, para casa
de homem solteiro, ou de pouca familia, diri-
ga-se a ra de Uortas n. 72.
I ni io-lo tic ">(><> 1*8.
Por cabFfa de gado, que for consumido no
municipio do Recife, o arrematante vende as
freguezias de Jaboato, Mtiribeca, Varzla, e S.
Lourenco, juntos, ou devidiios os preten-
dentes dirijo-sc com as habililaces neces-
sarlas, ra de Santa Rita, sobrado u. 85.
Os Srs. que ficaram de fiadores da Sra,
Perpetua Thomazla Felicidade, c Maria Joa-
quina da Conceico hajao de ir pagar ao
procurador os alugueis da casa que ficaram
devendo da ordem lerceira de N. S, do Carino
alias serio chamado a'juizo.
INSTRUCgA'O PRIMARIA.
O abaixo assignado, tendo recebido do res-
peitavel publico benvolo acolhimento, vilo
como j muitos paes de familia ihe tem co-
llado seus lilhos. convencidos da manen-
conscienciosa por que o anunciante tem de-
sempenhado as obrigaedes que se compro,
metiera na direceo de sua aula particular
na ra do Mondego n. 44, rende por este meio
Uin publico ag i aileci nclito a aquel I es quenelle
tem depositado sua coufianca em assumplo
tao delicado como seja a primeira educaco de
seus lilhos O anunciante julga dever aluda
solicitar a confianca das pessoas moradoras
lua da pa, a, para quem foi especialmente
creado o seu cslabclecimento. I. em verda-
de, he gcralmente recouhecido, que muitas
paes moradores fora da praca deixam de dar a
educaco precisa a seus lilhos, ou o fazcm com
grandes sacrificios e difliculdades, em rasao
de faltarem aulas ou collegios, onde pos-
sain colloca-ios, por tal modo dirigidos que
descansen! inteiramente, nao so respeito do
tratainenio c disvellos, como respeito do de-
envolvimenlo intelectual e moral ; era por-
anto de palpitante necessidade a creacao de
um estabcleciineuto que reunisse todas aquel-
las coodiedes c foi com essas viscas que o a-
nunciante estabeleceu a sua escola no lugar
indicado. Os pensionistas, que Ihe forem con-
fiado, acharo eslabelcclnicnto do annun-
eiaute lodos os elementos necessarios ao
bom descnvolvlmenlo phisico, intelectual
e moral. Uabicaco sadia, com ar acom-
modaces necessarias, e todos os cuidados
que um pai pode dispensar seus lilhos.
Mcstres cscolbidos de grammalica latina, fran-
ceza, msica vocal e instrumental ; se encar-
regaro de aperfeicoar a Intelligencia dos
alumnos, emqanlo o anunciante derigir'
especialmente as ptlineiras lectraa, nao pou-
pando esforcos para adianlar os seus disc-
pulos ; einiini a moral e a religio sern cul-
tivadas, como coiivcni quem sobie tudo quer
formar bons cidados. A nica recomenda-
ran pl iiisu el este respeitq um exame ocu-
lar, e para este fim o anunciante convida t
todos os paes de familia que d'antemo quize-
rein certificar-se da rcalsacSo das proinessas
do anunciante, para que se dirijam sua aula
e ahi examioem por si mesmos a ordem e re-
gularidad^ dos trabalhos, e as mais condiedes
que licara enumeradas.
O anniinciante espera continuar merecer o
favor e confianca do publico.
Francisco de Sales d'Albuquerque.
DENTISTA.
J. Jane dentista bem condecido nesta praca,
recentemente ebegado da Habla, tem a honra
de participar ao respeitavel publico, que se
acha de novo residindo nesta cidade ra Nova
n. 19 primeiro andar, amule sempre se acbara
das 9 horas do dia ate as 4 da tarde.
Casa de com missiio de escravos.
rtecebem-se escravos para se-
ren vendidos tanto para lora ,
como para dentro da provincia ,
com preste&a e seguranca ao mes-
mos : na ra da Cruz do Itecile
n.
6.


V
t



m
.. n.im-sc 300,000 rs. a juros, sobre pc-
nhores do prata eouro : na ra da Viracho
n. 27.
O Sr. A. C. L. queira mandar pagar a
SUbscricSo doste Diario.
Antonio Joaquim Goncalvos C urina-
riles, retira-se para fra da provincia.
-- O abaixo assigoado faz publico, que
ni sou poder se acha ooscravo JoSo, do.
gento de Angola, que pcrtence ao espolio
Ja fallecida O. Mara Jos da ConcoitjSo, fal-
lecida acerca d dous annos, no termo de
SerinhSem, e porque o annunciante he um
dos herdeiros da mosma fallecida, esabe
perfeitamento que morreo abinteslada, e
qoenSo se tem feito inventario dosbens,
quo por seu fallecimento ficaram, saBendo
tambem que existem outros bens, e que nSo
Ihe pode caber menoslo valor do referido
escravo, julga-se com direito a consrva-
lo em seu poder, t quo se faca a partilha, e
para quo aquellas que seaehavam na posse
lo mesmo escravo fiquem disso certo, faz o
presente e os convida a que procedam ao in-
ventario e partilhas, mesmo porque tem de
er pago o sello da fszenda nacional.,S6 tiio do Ucvlos Arco-Verde Pernambuco Ca-
valcanlt.
- O abaixo assignado fz sciente ao res-
peitavel publico, que do dia 20 para 21 do
cnrrenle mez, foi rnubado de sua tavern,
na travessa da ra das Cruzes, una porcSo
de ouro e prata, em diferentes pecas, bihn
como brinco?, botOe?, anejes, um relogio.
faltando o ponteiro dos minutos, com letras
esmaltadas, livellas de prta e mais pecas,
que amia senilo poderam dar pela falta, ns-
sim coito 9,000 rs. em sedulss e urna por-
Cflo de cobre da gaveta : por isso, pcdc-.>e
as autoridades policiaes, c mesmo a algumss
pessoas, caso lhes seja m offerecidos algum
dos objpctos, queiram aprehender e dar
parte ao mesmo.Francisco MacieldeSouza.
Troca se urna imagem de Nossa S. da
ConcoicSo, com as qustio parles.do mun-
do, ludo de pedra, em urna piannha, com
manga de vidro : na ra Direita n. 95.
Aos senhores i"'/.< nl( i i i- oii crin-
dores de gado do ct-rtao.
Nao foi sein grande hesitacao que ns abal-
lo assignados contrataram o lornecimento
las carnes verdes aos habitantes desta cidade,
que o F.xm. Sr. presidente da provincia dese-
jou fosseui supprldos com este genero de
primeira necessidade, por prec.0 mais modi-
caineote rasoavel que o pago ha cerca de
dous annos a esta parte ; porque apezar dos
lions desejos do esclarecido F.ini. presidente
e da boa intencao dos abazo assignados
liavla no meio da execuco drsie contrato
interessrs de pessoas avezadas ao cmmercio
lrlli.' as estradas e feiras, conhecdos pelo
nome de=atratessadorea= a quem na verda-
de se presume que esses interesses solTrcram ;
lie, pols, das pessoas empregadas neste coin-
ineicio de atravessamento dos gados que tem
partido a caresta das carnes, esperam clles
que faro quanto puderem para tornar odiosa
a prudente e satinar mediila do eximio admi-
nistrador, |ue sein ferir os interesses do cria-
dor e fazendeiro, abasteca o povo da cidade
logencro mais urguente s necessidades da
vida por preco rasoavel.
Nao fere os interesses dos fazendeiros e cria-
dores o contrato ; porque estes tem um prico
fixo, sobre o qual podem cantar com certeza
v seguranza, e podem vender seus gados aos
c ii'ratantes, ou talha-lbo pelo preco esti-
pulado, mediante a sabida desprza de 3/000
Sor cabeca: fcil lhe he calcular "o que mais
ic convm, se ver.der ou talhar a carne pa-
gando aquelle onus: pelo que respeila
venda, o criador he garantido da mancira a
mais satisfactoria pela eguranca que se Ihes
oll'eresse na obrgacau solidaria dos consta-
tantes ; fcilmente se concebe que o criador
obtem por seu gado, e obter sempre o
inesmo preco por que o venda anteriormente
aos travessadores, porque nao erao os cria-
dores que o vinham talhar na cidade a_l2, i-.
16 e 20 patacas a arroba: lambein uo erao
os ])i iniriros travessadores, mas por urna
serie successiva de compras e vendas, afinal
cbrgavam na feira os gados ja caros, c ah
erao suppridos os compradores da praca. por
precos subidos, e finalmente recahia sobre o
povo o peso de toda esta serie de travessias,
sein proveilo algum do criador ou faiendeiro.
Se lii'iu que todo o homcm atlinja a ganhar
mi seus negocios, com ludo pessoas ha que
lesejam lucrar, porm de forma que nao pro
judicando seus proprloa interesses, nao otl'en-
da e deteriore os alheios; he com estes sen-
timentos que os contratantes ultimaran) e fi-
laran) este negocio, e sendo, como he publi-
co, o preco da arremataran, beni pdem os
criadores "e fatendeiros calcularen) os prefos
por que devem fazer as suas vendas diretas
ao contrato; o desejo dos contratantes he
abastecer o povo do genero de que ha tanto
tempo sao suppridos a presos caros, pelo
preco- contratado de 2/400 no invern, c 3/200
no verao; e ficaro satisfeilos se obliverem
este resultado mediante urna mdica indemui-
sacao de seus trabalhos e capitaes empregados ;
para facilitar as transacedes com os criadores
e fazendeiros tem eslabelecido agentes em di-
versoa pontos, com ampios poderes e auto-
risaco para contrataron por conta da asso-
cacao e sob responsabilidade della, c rogain
aos Senbores fazendeiros e criadores de se
, dirigircui a ellcs, que acbaro toda a lisura
' c honradez que se faz uiistcr em negocios,
alcm da segurauca e garanta que os aecu-
bertede qualquer sinistro ; pudendo dirigir-se
Em Santa Clara, Carlrys-Velhos, ao Sr. Mar-
tinhu Uomes da Silvira.
Km o Ico, ao Sr. Francisco Manoel Diaa
Em Pedrai-de-Fogo, ao Sr. Mariano Ray-
mundo Meodonca ; e as estradas ou razendas
aos Senbores que eslivercm autorisados pelos
contratantes.
Ncsla prava, aos contratantes, na ra das
Cruiea n. 30.
Hecife, 18 de junho de 1851 09 contratan-
tesJustino Ptrtira de t'ariai Man ti Soaquim
do Reg Albuquerque. tliiquita v Ruarle
JoJ Joaquim Botelho.
O Sr. Francisco Antonio da Silva da ra
do Rangel, queira mandar pagar a asignatu-
ra deste Harto, e einqnanto nao o fizer vera o
eu nome publicado em letlra redonda.
Melliornmentos as moendns e
tachos usados no fabrico de as-
sacar.
Os abaixo assignados tendo se ocupado por
mala de 10 annos quaii exclusivamente em
melborar o maquinismo nos engenhos, e em
acertar a forma das maquinas mais apropria-
das ao paiz, e avallando as grandes vantagens
aos senbores d'engenho pela introdueco de
inaquinlimo d'um novo modelloe d'uina qua-
lidade superior tem mandado construir em
urna das mais acreditadas fabricas em Ingla-
terra urna p'equena porcao de lachas e noen-
das que a respeilo da qualidade do ferro sao
igual aos melliores que se exportara d'lngla-
terra para as colonias. Observando durai.te
a sua ionga pralica os defeitos que cxistem
uas maquinas hojeem geral uso, o grande
prejuio que estes defeitos cauzam, a neces-
sidade que existe de cuidar no perfeisuamen-
to do maqumismo dos eugenlios, e conven-
cido das grandes vantagens que ham de resul-
tar do einprego de seu novo maqumismo, e
lamben, confiado no espirito de progresso que
se observa diseuvolvendo agora entre um
grande numero de proprictarlos d'engenho,
os abaixo assignados tem se animado a entrar
h'esta empreza ; e assigurando, o einprego da
primeira qualidade de ferro, c importando
sempre as maquinas dos modellos maisappro-
vados, esperam merecer toda a cofianca dos
senhores seus amigos e o publico. Logo que
csli'jam avizados do primeiro carrogainento
i|iie esperam no mes prximo vindouro, an-
iluhciarao com todos os mais detallios.
. Alfredo < Eduardo.de Mornay'.
Preclsa-se alugar urna preta ou um mo-
leque para vender frttetas e verduras na ra
sendo de boa conducta e liel, p>ga-se bem, e
d-se-lhc o sustento: qnemos llvcr c quaJra
alugar^annuocic por este Mario. i
Na travessa do Corpo.Santo n. 29, se-
gundo andar, acha-so sliorta tima escola de
meninos, dirigida por Honorato Augusto de
Miranda..
m 8 *M?::|*MCJ MMWftl!f.$.s
Na ra dn AragSo, n. 12, segundo'andar,
Kedeseja ssber-ae he vivo, ondo moratim
apazinho de nomo QamiSo, filho de Ange-
la deisl.'e neto do velho "Antonio Lopes
Mangaba, da cidade do Natal, o qual rapa-
zinho anda ba poueos annos apren lia o of-
ficio de iiiarcineiio, em urna ofJTcina dcsta
pilsdp'.
Quem quizer cnsul lar. o fado divertin-
do-se com g'aca e aceio, has bellas nuiles
de Santo Antonio, San JoSo e San Pedro;
nflo e peder fazer sem iras casas annun-
ciadas, onde enconlraro as mais modernas
i- nielar, ni-is. quadrts in i i i I .i .i.-is Sorte
dt;Venys. custando apenas *0 rs. cada
ua'; na roa da ConceicSo na Itoa Vista o.
20, e no Pasaeio Publico n. 13
-- O Sr. Ventura Joaquim da Roza, cai-
seiro do Sr. Francisco Jos Galv3o, no lar-
go da Ribeira, baja de ir a ra da Praia n.
29, pagar a qusntia que nao ignora.
-- Aluga-seo sitio do fallecido Joan Car-
los Pcreira Iturgps, no Arraial: quem o pre-
tender, dirija-se H ra Direita n. 14.
-- Precisa-so de um pequeo, para cai-
xeiro, de 8 a !2aonos, prefuro-se sendo Jo
mato, ou eslrangeiro : na ra Larga do Ho-
zario n. 35, loja se dir.
0 fiscal do contrato das carnes verdes,
avisa aos Srs. agentes do mesmo contrato,
que no dia 30 do corrente, pelas 11 horas do
dia, comparecam na casa da balanca, as
Cinco Pontas, a bem do servico.
Quem perdeu 1 par de bolOes deouro
de punlio de camisa : dirija-se a loja de fer-
ragers de Antonio Joaquim Vidal, na na da
Cadeia n. 56 A, que dando os signaes certos
lhe ser entrogue.
Itoga-se so Sr. )r. Honorio Fiel de
Sigmaringa de Vascurado, que so aclia hn-
jo advogando err oiaOOt, que mande pa-
gar a sua leltra que sn acha venciJa a an-
uo e nielo, o qual n3o ignora aondn :
em quinto o nflo lizer ha de ser lembrado.
Paulo Gaisrnoiix-, dentista #
* "franoez, oflei-ecc si'ii prest- 3
mo ao publico para todos os $
JB miste res de sua protissio : '&
? pode ser procurado a qual- f
1 quer hora cni sua casa, na <$
9 raalargado Rozarlo, n. 36, #

i?** Wf > ift i #)*> S#P##S
Precsa-sc de una pessoa que seja peri-
ta em plaotafes de sitio, para o la>cr em
um no lugar do Remedio : quem estiver nealaa
circuinstancias, dirija-se a alfundega desta ci-
dade a seu porteiro.
precisa-se de urna ama, para casa de
pouca familia, que saiba cozinhar o diario
de limaos*: na travessa da ra do Viga-
rio, loja de bsrbeiro n. 1.
No da 22 do corrente, fur-
laram um bracelete de onro liso,
iodo de urna Irgnra, com o peso
de 8 a 9 oitavas : a pessoa a quem
fr offerecido. quena lera bomla-
de-deo lev,ir ao Atterro dos A To-
gado i numero 7, que ser recom-
pensado.
Pede-se a quem lirou ou achou no dia
22(locorrcnte na occaziao do The-Ocmde N. S.
do Carino, 011 no acto dofogo, nina car te ira
rouxa bastante uzada e esta contendo 3, 4, ou
5,000 rs. em dinhero, e outros mais papis de
mais ou menos sirennstancia, os quacs s ser-
ven) ao seu proprio dono, o favor de a entre-
gar no Io andar do sobrado n. (i da ra do quci-
mado, ou na loja do mesmo. licando com o
dinhero para sua gralificac.ao.
-- Aluga-se o tercoiro andar da casa do
Queimaclo n. 9 : trata-se na loja.
Coiitullorio homcopalhico, ra do Colle-
ijio n. 25.
0 RT. Lobo Hoscoso di consultas gratui-
tas aos pobres, tidos os dias uteis, desde 9
horas da msnbaa, at ao meio dia, depois
Jetea hora visitar em sua casi os docnles.
que tlvercm (irecisSo, o em casos extraor-
dinarios a qualquer hora do dia, ou nouto;
receba lioenlos para tratar, ou fazer qual-
quer operaclo em urna casa para isso des-
tinada, fra da cidade, sendo o preco de
1,000 a 2,000 rs. diarios psra os escravos,
conforme as condicOes que se estipularen),
e 2,500 rs. para homeng livres : as pessoas
que n5o poderem comparecer no consulto-
rio pdem enviar suas informaces por es-
cripta ou vocalmente, declarando o nome,
idade, temperamento, constituicSo, resi-
dencia, eespecilicamlo todos os incommo-
dosquesoffre e as molestias que anterior-
mente tem tido.
v Nsrun Noy
Iho, cobre, brm
##?: '5" 's'###5
9 Elemente ni-opathla. 9
Por todo o mez de jnlho, sahir a luz a J
1.* parte d'esta obra composla pelo pro- &
*y vidida emires partes. Esta primeira com- <*
prebende, o discurso preliminar, a in- j,,
troduccao, o exame do doentc.a escolha ep
do remedio, o einprego dos remedios, j
o rgimen e os cansclhoa clnicos, con, <
a explicacao dos nomes grecos c anato- W
micos empregados em medicina, c a
() imlicacao dos medicamentos apropria- fff
l> ta obra he til, tanto para os mdicos *
Z que se dedicarem a experimentar a no- ^
O r. J. S. Santos Ju- J
mor, medico homeopatha 1
^ mudou-se para o hotel Fran- ^
l> cisco no Hecife, rua do Tra-
g^ piche n. 9, onde pode ser
':'- procurado em quanto se nao
c retira.
*
B
.a medicina, como para todas as pes
* soas de boa vonlade que se quizerem
convencer por experiencias da verdade
d'esta doutrina, por ser ella multo clara
t) ea inielligencia de todos.
. llamis deum mez furtiram do llonjto
um poltro, fazendo a ultima muda, a lazao,
grande, ferrado em ambos os quartos, sendo
um dos ferros um O, de, frente aberta, signal
encuberto, m5o direita, c pe esquerdo blan-
co, sabugo corlado, pouco principiado encar-
regos ; e o ladro o vendeo nesta praca : a pes-
soa que delle sber dirija-se a casa de cam-
bio do Sr. Viciro.'quc ahi achara quem o gra-
tificar.
Pcrgunta-sc a pessoa que annunciou para
vender vaccas de leile na rua da Senzalla No-
va, onde reside actualmente. fJ-iJ'aiiidd lein al
guia das ditas vaccas vendaj pois sendo
procurado no lugar annunciado niio foi adiado.
= Feliiberto Jeronymo Torres annuncia
que boje perdeo na ocasio do selo o qual
sechegou afectuar, urna letra, aceita pelo Sr.
Antonio d'Albuquerque Oandra (da Paraliba)
de 1:133.-140 rs. cora dacta de 23 roga ao mesmo Sr. Gandra que negocio algum
faca cora oulretn, asslm como o mesmo Fel(|-
berto declara que lhe fiirtaram abordo do va-
por Imperador um bilhete da lotera da matriz
da Hoa-Vista n. 3G80 premiado em 100,000 rs.
e porque chegue ao conhcciineiito do publico
taz o prsenle annuncio.
Una pessoa capaz, que sabe bem ler,
escrever, c contar, ofl'ercce-se para cncumblr-
se de qualquer escripturacao mercantil, tanto
simples, como dobrada, tendo a precisa pra-
lica, c boa letra, quera de seu presumo se
quiser ulllisar drija-se a rua do Quciinado
n. 39.

metal vc-.caixeiro de qualquer cslabolecimento : na
ruada Crur, vemla-n. 32
Socicdadetehatrnl nova tlialia.
Os bilhetes para a recita do dia 2S do cor-
rente, destribuem-se cin casa do tliesoureiro
na rua Nova n. 18, do dia 27 em liante. No
lecebiincnlo dos bilhetes tem os Srs. socios
de pagar as suas mrnralidades,
N dia 21 do corrente, desappareccu um
caxorro de raca ingleza, pecador de ratos, he
brenco, canda cortada, lie foio, chama-se Nei-
son ; quera o adiar leve-o .1 rua da Dadcia do
Hecife, loja n. 2i, de Luiz Antonio de Scqueira,
que sera recompensapo.
Achao-se recolhUios a coxcira. do Sr. 111a-
jor Sebastio dous cavallos que foram appre-
licndidos no dia 23 por se enconlrarein na rua
ambos com caingalhas, c mu com casuaes,
quem forera seos donos comparcccn no quar-
lel de polica.
Olferccc-sc una Sra. portugneza de bous
costume, para ama de casa de homcm soltciro,
ou de pouca familia, no atierro da Boa-! ista
o. 75,
Oeiapareceu era fevereiro do corrente
anuo 11ra escravo de iioinc Antonio, de na;o :
de 40 a 4a annos, bastante barbado, porm
j pintado, alto bastante, cor bem preta, tem
falta de 2 denles na frente, com o pe esquerdo
mais grosso que o direito : este escravo velo do
sertao do Ico onde foi catip de Manoel Fran-
cisco Leopoldo i:haves, vendido aqu pelo
nncsino Sr. em 1848 : quem o aprehender e le-
var a cidade de Olinda rua da Boa Ora 11. 22
ser pcnrroseiiiente recompensado.
-- Rega-sc aos abaito assignados queiram
vlr pagar o que, ha limito, cstao a dever na
rua la Cadeia do Recita, loja mludesaa
7, sendo : o Sr. Joio nanoel Couliuho, Amo-
nio Manoel EstevSo, Vorlsslino Xavier de Bar-
ros, morador na cidade de Guian), 111 rua
do Rio; Alexandre Augusto Pereira; Juao
Paulo de S. Anua, morador algllin tempo em
S, Antai; Joaqun) Francisco Delgado Jnior,
morador algum lempo em I.imociro Manuel
Jos de Paria; Manoel Gomes Leite, morador
em Fra de Portas; bernardo da Silva Guj-
maraes, morador na cidade de Olinda ; Joo
lioii.ni mi, Pereira Condini, morador na ci-
dade de Goianna.
Sabio 1 I iz n dia 21 do corrente mn,
o numero primeiro do Apostlo do or-
le. As suas doutrinas estam iustifleadas pe-
la experiencia, a inteno do seu redactor
he a mesmn. que tevo, quanJn escreveo O
Republicano Federativo, e O Grito da Patria,
peridicos, que discutan! principios, e n3o
chamavam o povo as armas. Qual ser o
iirasil'iro e o liberal de qualquer naco, que
pelo mdico preco de 2,000 rs., do trimes-
tre em trimestre, dcixum de sulncrever o
Apostlo do Vorft, na typograpliia da Viuva
Huma &l'illio's; na rui estreit* do Uozario
n. 20, primeiro andar, e no bairro, da Boa
Vista, rua do Aterro n. 71 ? O r,-ductor allir-
Hedc-sc ao Sr. Joao Francisco Saraiva de
Menezes, fiscal da fregueiia Sao Lourenco da
Malta morador em (Jaiar que quanto antes
bajadehlr ultimar o negocio que sua uierc
nao ignora na casa das alii icoes,
.loruin'- de Lisboa e Porto.
Como o annuncio nos iarioi ns. 122 123 124.
Cada vapor d'esde julho traz 180 uruaes.
Le-ein-se por 3,000 2,000 1,000 rs. raensaes.
Una da Senzalla Vellia n. 14o.
Quera quizer pode j assiunar as ras, da Ca-
deia do flcife n. 4b' rua Nova n. 42 e do Cole-
gio n. 9. ,
JoSo Antouio Pereira da Rocha, em-
barca o seu escravo cabra, por nome Lsute
ro, para o llio Grande do Sul.
BOWMAN & MC. CALI.tiM, engeohei-
ros macbinislas e fundidores de ferro mu-
respeitosamente annunciam aos Senbores
proprictarios do engenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peilavel publico, quo o seu estabelecimento
de ferro movido por machina do vapor con-
'tina em effectivo exercicio, e se acha com-
plelamento montado com apparellios da prj-
tneira qualidade para a pnrfeita confeccao
das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprebender quaesquer
obras da sua arte, owman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
attenco publica para a sseguintes, por
terem dellasgrande sortimonto jprompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
lrangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade da materias primas e m5o d'obra,
a saber :
Machinas de vapor da melliorconstruccno.
Moendas de caima para engenhos de lo-
dos os tamatihos, movidas a vapor por agoa
ou ani uiaes.
Rodas d'agoa.moinhos do vento eserraas.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzes e chumaceiras.
Cavilhoes eparafusos de todos os tama-
itos.
Taixas,pares,crivos e boceas do fornallia.
Moinhos de mandioca, movidos a tna<) ou
por animaes, e prensas para a dila.
Chapas de fogao e frnos do lanuda.
Canos de ferro, torneiras de forro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mSo, por animaes 011 veuto.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e portos.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros de milo o arados de ferros,
etc etc.
Alm da superioridade das suas obras, ja
geralmente reconhecida, Bowman Callum garantern a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezcuhos remetlidos
pelos senhores quo se dignaren) de lazero
Ibes encommendas, aproveilandoa occasifle
para agraiJeccrein aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nai> pouparSo esforcos e diligencia
para continuaren! a merecer a sua coli-
anca-
-^ Consultorio central honneo-
t-' pathleo de i'ernanilmeo, >, Dirigido pelo Dr. S. O. L Pinho, ^
lina do Trapiche Novo n, 15. 4
}. Todos os dias uteis sedarn con- 4
t- sullas o remedios de graca aos po- |
fr, bres, dosde pela nianhfia at as duas
> horas ''.a tarde. t)
a>ii As correspondencias o informaces
podcro ser dirigidas vcrbalmente, 4
* ou por escripto, devondo o doente
M indicar : primeiro, o nome, a idade, |{
(^ estado, profissilo e constituico ; se- (
}J^ gundn, as molestias, que tem tido, o ^
.? os remedios tomados ; terceir, a po- %
4i ca do apparecimeulo da molestia ac- .}
^'tual, odescripeflo minuciosa dossig- %
U naes ou symptomas quo soffre. }
% Dr. Sabino Olegario l.udgero Pinho. it>
' Koga-se ao Sr. Jos l-'er-
reira de MAltos, que mande entre-
gar as 2 ^adeira- de balanco que
tem em seo poder a um auno, cer-
to de que, em quanto o nao izer,
ter de ver seu nome por esta
i'olha, visto se ter exgotado lo.os
os meios amigaveis
mi, que nao s detesta as rovnluces arma
das nas provincias do norle, como lanihem
repiova a poblicacSo da vida prvala dos
Cidadffos. Todas as pessoas devem regosi-
jar-sc dever um pernambucaiio denodado
espalhar principios luminosos, semoffen-
der a or.lem publica, e perturbar a paz das
familias Liberdade c tolerancia >ilo os prin-
cipios do Apostlo do Norte
compras.
CE\\ EM VELAS.
Yendem-sc caixas com cera em
velas da mais superior que ha no
mercado, fabricado em Lisboa e
no llio de Janei.o. sortimen'.os ao
"osto do comprador e por preco
misharatodo queemoutra qual-
quer paite : trata-se na rua do
Vigario n. 19, segundo andar, com
Machado & l'inheiro.
Vende-se um inulatinlio ptimo para pa-
gem : na rua da Cadeia de Santo \ntonio i).
i4, seguudo andar, sobrado da esquina.
Vende-se a taverna n. da rua do lian-
gel, limito al'regucza para trra, e para o ma-
lo, ehe degrande vantagem nao s pela ele-
gancia da arinatro, como por esta pcrtcncei- a
casa, e ser coiiiinodo o aluguel; quera preten-
der procuro, 110 mesmo cstabeleciinento que
achara com quem tratar.
Vende-se um guarda lvros moderno:
no pra$a da independencia n. 13.
Vendem-se vaccas parrillas, boas de leite
a 3j,000rs. : na Kstrada Nova, sitio do Lucas.
-5 Vende-so na travessa da Mu- O
,} ilre-de-Ueosi. 5, cli preto iy
de snierlor<|tialidado,e tain- /)
i

*
t
laminmdo afamado ponta- *>
branca. $
Bata qualidade de cha est sendo ge- f,
ramenle preferida ao ch.i verde, ou pe- ^
lo 1
do
seu agr
COMPRA-SE.
Cnb c velho, latSo, bronze, etc. : na rua
Nova 11. 33.
-- Cnmpra-se utn b nn de marcineiro,
que tenba duas iniprensas, clcheles, etc.,
6 qui nfiO sfj'i nlisoltilamcnte vcliio : na
na do Rozario Estreita n.8.
Compra-ae urna negra que saiba cozinhar
bem o diario de una casa, e engoinmar, paga-
se bem : na rua Nova D- '4, segundo andar.
Compra-ae uma carroca para ser pinada
por um eavallo, rom os seus perlences, nova
ou em limn estado, nne seja bem construida e
leve : na rua da t adeia do Piccife, loja n. 21,
de Lui Antonio de Sriiucira.
-- Compra-so 11 ta curruca o um boi pa-
ra a diti: na rua Larga do Rozario o. 26,
loja do miudezis so dir quem compra.
Cumpra-se um selim usa lo: na rua
Larga do Rozario n. 26, loja do miudezas
Vend.is.
ao- 2o:ooo*ooo ders.
Ni rua Nova n. 6, loja do Mala liamos v
Companhla, coniitutam-se a vender os afor-
tunados bilhetes da 11.' lotera do s. Sacra-
mento do Rio de Janeiro, que deVe ser ex-
imid in naquclln corte em 25 dejnnho, o
e 11 pa,':nifnlo rccebem-.se bilhetes premia-
dos lo ontras quaesquer loteras do im-
perio.
Loterialdo Rio Aos 20:000,000, 10:000,000, 4:000,000,
2:000,000 e 1 :0O,000 de rs.
No cambio da Viuva Vielra & Pidos, na
rua da Cadeia do Hecife, n. 2t, chegaram
no va( or inglez Tai/, s mu afortunados bi-
lhetes, meios, quartos, oilhvos o vigsimos
da II.* lotera do Santissimo Sacramento
da Corte, os quaes trooam-se por bilhetes
. 1 rimad, s da citoria da Mattizda Boa Vista.
Vindo-se a laverna 11. 8, da rua do
Rangel, muitoafreguezada pira trra o pa-
ra o mato, e tnuito vantajosa, nlo s pela
elegancia da arm^cHo, como por esta per-
tencer a casa o ser commodo o aluguel: tra-
ta-se no mesmo eslal cleciiiiento.
- \ ende-sc "2 terrenos inui prximo a So-
ledade, os quacs icm snllieientr para bous si-
tios, cj tem 11:1111.,< arvoredos de fruelo ; laz-
se negocio por junto, 011 vem que quizerem os compradores, de qualipier
forma por prc*b commodo : no atierro do lia-
Vista venda n. 78 se dir quem vende.
= Vi ndi-se ulna crioula de idade dclti an-
nos, sadii, sein vicios neui achaques, a pjal
sabe bem cozer, engoinmar, cozinhar, c lavar;
um palanqun] em bom uto, uma carleira de
:ini:ii(U(i le uma Tace c mancira, uma rotula
em bom uto.c um uioinbo de pedra para moer
iinlho, ludo por preco cmodo : no atierro da
Koa-Vista sobrado n. l7, das (i as S boras da
manhaa, e de tarde das 3 horas em vante.
Vende-se chapeos de sol de panno, ai
mar.10 de balea a 1,500 rs. ditos de seda 5,500
rs. ; chitas l'raiice/.as o covado a 1,280 rs. dita
ramente preieriui ao una rwu, u \n- am
o menos fa/.endo-sc uso delles mistura- ^
los ; e isto em vrtude nao suiente do ^
seu agradavcl aroun c sabor, cora por- 9
* que he boje iuconlestavelinente reco- 9
P nhecido, que o cha preto nao ataca o Wj>
? sjalema nervoso, ao mesmo, tempo, que 9
4 possuc todas as qualdadcs benficas do #
' cha verde, 4>
fi>'*-'s*t*>ff m^m*9*M9%9'^
Vende-se urna casa terrea, com bastan-
tes commo Jos, sita na rua do Alecrim n. 8 :
IraU-so no sobrado da mesma rua n._2.
A L.i>etra trouxe un lolhe-
lo escripto pelo duque de Salda-
nha, eni que provn com to Ja a c-
videncia a cuncussao, ladroeira e
infamia do ministro Cabral, conde
de Tltomar : vendem-se por t,ooo
rs. no pateo do Collegio, casa do
Livro Azul.
Vende-se um palanqun), quasi novo e
com muito pouco uso, muito hem construi-
do o por rr''co muito commodo : na rua das
ores loja de marcineiro. na esquina que
volta para o Ctido.
Vendem-se gigos com bata-
tas, para liquidar, a 1,000 rs.: no
Caes da Alf'd.dega a. 5.
-- Vende-se um osndieiro francez, pa-
queno, para meio da sala, por preco com-
110 lo e em bom uso : na rua do Queimado,
aoja n, 37 V.
Attenco.
No bairo do Hecife rua da Cadeia loja n. 53,
conliuua-sc a vender, tanto em caixas como
libra, as melhores c mais acreditadas vcllas
de cera vegetal de carnauba ; nao s pela ev-
cellente luz que dellas resulla, como pela apu-
rada pcrleico com que sao feilas, no Aracat,
pelo inellior fabricante da quella cidade,
A Henean.
Venden-se pessas de chitas superiores que
nao desbotam, a ti.O.'O rs., 6,500 rs. c 7,000 rs.;
covados, a 160, 18(1,e 200 rs. ; chita larga
franceza muito lina, a 280 rs. o covado; p*s"
sas de madapiilao lino, a 3,500, 3,800, 4,000.
4.500 rs. ; e muito lino, a .S.O00 rs. i pecas de
de cassi para babados de 10 jardas, a 2,4'J0 rs.;
cortes decambraia do ultimo goslo, de salpico,
5,500 c ti.OUO. ; bretanha de linho a 560 c
600 rs., a vara; superior cortes de casimira
preta setiiu. pelo dcmiiiuto preco, de 9,500 rs. ;
ditas de cores, muito linas, a 6,000, e 6,50 rs ;
cortes de ganbreons, fazenda de muila dura,
pelo diminuto prero. de 1,600 c 2,000 rs cada,
corle decalsa ; riscado de linho muito fino, a
320, e 360 rs, o covado ; frankliiii preto pelo
desgracado precio de 4ml rs., o covado ; meri-
no preto, a 2,000, 3,500, e 4,000 rs. ; e nutras
umitas fazendas por preco baralisrmo, e para
crdito: na loja da estrella na rua do Queimado
n.7, coml'ronte ao beco do pcixo frite.
Peca de culta, a 4*ooo rs.
Na loja n. 5, que volla para a rua do Col-
legio, vt'ndem-so chitas d cores, pelo ba-
rato preco do 4,000 rs. a peca; pao lino
preto, a 3,200 rs. o covado ; chapeos de sol
dsela, a 5,000 rs. e oulras multas fazen-
das de bom gosto e tnu'to baratas.
Cambrataa de seda, a 6,000 rs.,
o corte.
Na loja de GuimsrSes & llenriqties, rua do
C-espo 11. 5, que volta para 0 Collegio, ven-
dem-se ricos coi tes de cambalas de seda,
pelo barato preco de 6,000 rs o cuite, esta
fa/enda lio de gustos iiili'immrnto uovos
Vende-se una linda molatinba do ida-
de de 16 a 17 anuos, 1 qual he pe'fcita en-
goinmadeira, faz bem lavarinto, cozu e lio
bastante earinhoss para mancas: trata-ss
na rua Or i11 n. 25, primeiro andar.
Vctiii'-se uma cscrava de 22 anuos, de
bonita iigura boa engommadeira coza
chao, (' /m:ia o diario de uma casa e faz
doce ; um escravo bom serrador ; 2 ban-
qiiiulias d la, di' m..ito bom gosto e novas, 4 mangas
de. \ iho : na rua doLivra liento o. 4.
Calcado.
No Aterro da Boa Vista, defronte da bontca.
Ij chugado resseiitemealc um novo o
completo soi liment de calcados francezes,
e todas as qualidades e paTa lodos os l-
mannos, que se vendem muito baratos, a
lim do se aDurar dinhero.
No Aterro da Boa Fista, defronte da boneca.
" lie chegado os beo conhecdos sapatOes
de Nantes, muito proprios para a estaco
presente ; ditos do Arscaty, tanto para ho-
mem, como para meninos, a 80U rs.; ditos
le couro de lustro, feitos na Baha, a 3,000
rs.; ditos do Aracaly, a 2,500 rs tudo a tro-
co de scdulas.
Vende-se cera de abelha, da melhor
que ha no mercado : na rua do Encanta-
mento, armazem de couros n. II.
Vende-so una parda moga, que cozi-
nti 1, lava de sibn c engomis : uo Aterro
da Hoa Vista 11. 41.
-- Vende-se um relogio e corrente deou-
ro: na rua Larga do Itozario n. 17, junto ao
quarlel.
Vende-se uma c deira da
llalli i, em omito hom ebtado : no
estrellas 200; esleirs para sala a 2,40,1 : acha-larmazeni de asUCa' da rua do Vi-
se um grande soriinicnlo de Ijiendas porpre.l -
- OlTcrece-se um rapaz brasileiro para 90 couimodo \ na rua do Queimado u. Ib, I gal 10 n. a.
II FGIVFL


ii-
RKDF.S DE MARCA.
Vende-se lindas redes de marca, por eoinnio-
kLJirrco, na na da Caricia do liedle u. '.'".
A 2,ooo rs. a i>eeiiilia.
Na loja da na i!o Queimado n. 3, dcfron-
to do liocco do Peixe Frito, vcndem-se pe-
einlms de cassa chita de mudo lindos pa-
drOcs, pelo baratsimo preco de 2,000 rs. a
pecinha, dar-fc-hilo amostras com o com-
petente penhor.
Ninas cnniliniins para vestidos.
Na ra do Crespo, loja da esquina, quo
vira para a Cadeia, vendem-so corles do
caniliraias, com listras do cores, n 3,000 rs.,
c o covado, a 320 rs. : ditas de salpicos de
cor a 3,000 rs., e o COVado, a 300 rs. ; pecas
<1 cissas abortas para mosqticteiros.a 3,000
rs.; chitas de cores lisas e bonitos pndrtVs,
n .I.OOO e 5,500 rs., a ]\pqtt ; ditas do mada-
polio largos para forro, a 2,400 rs. c outras
fazendas, por precos enmmodns.
Deposito iln fabrica le Todo* os
Santos na Itahla.
Vende-so, em casa de N. O. Rieber & C. ,
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado da-
quella fabrica, muito proprio para saceos do
assucar e roupa do escravos, por pre^ocom-
modo.
(lera de carnauba.
O niais superior que lia neste genero, ven-
de-se em porcao e a relamo : na ra da Cadeia
do Rccife, loja n. 50 de Cimba Ainoriin.
Vv ..'. ,'y V"v vvvv w v V
Arados americanos.
,. Vendem-sc arados americanos ver- 2
> tlndeiros, chepudos dos fslados- <
.- l Hielos : na ra do Trapiche n. 8. *;
& l AAAM4AAMM
Cera de earnanlta.
No armazem de Domingos Rodrigues de
Andradeft Companhia, na ra dosTanoei-
rosn. 5, vende-si superior cera de carnnu-
ba, ltimamente viudas do Aracaly, em
pnrciio o a retalho, por menos prec,o que
em m ti a qualquer parte, assim como sola e
couros miudos.
Corte de casimiro de cor e preta.
C^F" Cortes de casimira preta, muito li-
nos, a 5,000 rs., o corte; ditos de cores de
muito bnm gosto, a 6,100 rs. ; cortes de
cambraias de listras de cores, muito finas,
a 3,600 rs.; ditas com salpicos tambemd.
cores, a 3,000 rs. ; carapuea de algodfr de
coi 1 -, a 240 1 cada urna e outras muitas
fazendas de bom gbsto, por diminuto pre-
cio : na ra do Crespo n. G.
Vende-se a terca parle da
fazenda denominada Mara de Mel-
lo, situada Da Kibeira do Hio da
Parabiba, distan'e de Pedras de
Fogo 7 legoas, cuja lazenda tem 2
leguas de comprido e meia de lar-
go, com trras de nlanlacao de al-
godo e ctiaeao de gado, boa casa
de vivenda com ollicina de fazet
azeite, macliina de descarocar al-
godo e prensa de enlardar, po*
dendo o comprador escollier a par-
te que mais I lie convier : tratu-se
em Pedias de I'ogo com o Sr. An-
tonio Dantas Cotreia Jnior, e no
leci/e, com Luiz Antonio l'erei-
ra na ra do Queimado, loja
n. 10.
Ganga ineseladA a 2801*8. o
rovmlo-
ricfronle do berro do l'eixc frito i). 3, vnde-
se ganga nioselada de quatro palmos rel'orca-
dos ilc largura pelo baialissinio preco de qua-
toize violes o covado, esla lazeuda lie recoui-
mrndavel nao s para jaqurlas c caltas, como
tamben! I';ira palitos e casacoi.
Deposito le salitre.
Vende-se salilro refinado em grandes e
pequeas portjOes, por mais barato preco
do que em outra qualquer parte : na luja
de ferragens de Francisco Custodio de SattV
paio, na ra A ovos corten le chita a l,76o, 2e
2.'2oo rs. e maii 11 |)(l;io i i 111 po a
2.2O0 rs. u inca.
Si i ua do Crespo, loja da esquina que
vi, la para a Cadeia, TCde-eo corles de chi-
ta com 12 corados inteirosa 1,760, Se 2,200
!>., lindos cuites de casimira dehnaquali-
ilade a 0,100 is., e os muito acreditados co-
lier lores de tapete a 720 rs. e outras tnui-
lisfezeuda por preco comrudo
Vende-se o cngenlin l'rejulii, na fre-
guezia de guarass, mocntc.e rorrente,
rom safra criada, tem bo8S madeirasu por-
to de embarque qurm o pretender enten-
la-seconi Francisco Cavaleanli Jaime Gil-
Vflo, proprielario c morador no mesnio.
Vcndem se bracos i!c lia lauca proprios
para balcSo do autor Romo penetras
I r.. 11 1 s de rame e perfuma lores de lalfio:
na loja de ferragens n 56 A, de Antonio Joa-
qun) Vidal, na mi i da Cadeia u Rccife.
Vende-se
manteiga ingleza a 560,610 e720 rs. a libra,
lila franceza a 500 c560rs., vinbo verde
snprriora 200 rs. a garrafa, caf primeiri
jorte 1 160 rs. a libra e em porefio mais em
conla emitas a 1(0 rs., lingmcas do Itio a
-(10 rs., ditas da trra a 320 is. u libia, pa-
pel azul pr. lina a 2,800 rs. a resma e lodos
a mais gneros a propor$8o: as ra das
'ruzes primeira vend pintada Ue azul,
I.uvas de pellica a 1,600 rs, o par.
Na na do Queimado, dtTrunle dohtcco
do l'eixc Fiito, veiu'e-se ti.vas de pellica
pi uto inglez [rara hoinem muito finas, pelo
b ralissiino preco J\a loja idas seis portas emrente
I lo Liviniiiento.
Continuaban 1 mil 1 por precos que faz conla
comprar. Vende prcas d algodozinho a seis
patacas, coitcs d'casemira de cores bonitas a
5,000 rs., chapeos Irancczes da ultima moda
a ',000 rs ditios de mola B D,0(0r*. chapeos
CO patacas, e de junco a qualro patacas e to-
dos os mais objrctos por precos rascaveis.
Loja las seis portas em frente do
Uvr intento.
Continua vender barato: cassa preta a
320 rs., casias decores pintadas r bordadas
a 210 rs., o covado, chitas a 120 140 ll) 18O 200
rs. Anas, lencos de cassa para inao de senho-
rai a 24 rs. lencos de cassa grandes para ca-
licha a 320 r., eboidauos a 4U0 rs., corles de
chita coui 12 covados rnj pedacos a 2,''O0 rs.
luvas prelas de seda e de trocal por precos ba-
ratos, 1 im-.iiIii h s ii.mu res, |>i i.pi i s par., capiiliiihnf, e un completo
sorliinenti de fa/endas mais baratas que em
oulra qualquer loja; tanto a rclalbo como em
porccs.
Vende-se oarniairn de sal da ra Impe-
rial n. ;Yt com mais alguns gneros da trra
salos, como tainbcm algumas iniudezas a ira
taj na mesnia ra n: 37.
Illllietcs da lotera de. N.S. do
Livrmnento, cnjns rotlns eorrem
inrallivclnicnte no Un 12 de ju-
nio : n pateo d ColleRio, casa lo
Ltvro A /.ni.
larmclntla.
fio ptima qualidade, om latas grandes o
pequeas, em porco o a retalho, sendo a
320 rs. a libra da primeira sorle, e por me-
nos as qualidades inferiores : na ra do
Crespo n. II.
Vende-se ou arrenda-se, lima casa de
podra e en I, sita 110 Monteiro, com terreno
para plantar 8 com arvorudos de frncto, por
preco commodo Vat-so na na dasTrin-
ebeiras n 18, primeiro andar.
-- Vendetr,-sc 2 doutrinas das acefles, por
preco commodo : no Aterro da Boa Vista
n. 62, loja de funileiro que faz esquina pa-
ra a ra da Anrora.
CARTAS.
Ni ra da Cabug, loja demiudezas de Imperialn 7.
Francisco Antonio SimOes, vendem-so car-
tas francesas finas, proprias para voltarete.
O antlfro barateirotlo l'asseio i'n-
hlieo. loja 11. II, de I ii-miuno
.los 'olri::f.(-'- Ferreirn.
Tem superiores corles do vestidos desar-
jelintsde seda, f zonda de muito gosto, as-
sim conoc.oites da mesma fazenda listra-
dos do cores, pannos finos do todas as qua-
lidades o cores, setins lavrados, sarjas prc-
! tas. merinos, chitas francozas largas, brim
transad) de linlm puro, fa?cm!a de gosto,
casitniras prelas, cortes de ditas decores,
chapeos do massa franceza, chales de todas
as quali iades e go.-tis, vestidos de se la,
riscados francezos, cortes de casimira do
algodfio, ao barato prerjo de 1,400 rs., len-
cos de chitas francezes, imitando a seda,
muito lindos, a 400 rs., madapolrtcs da to-
das as qualidades, chitas finas e de todos os
precos, sotim preto maco, cortes de chi-
tas cassas, a 2,000, 2,800 e 3,000 rs., 6S-
guiosde linho, hretanhas, lindos d.jqua-
dros, tapetes, cortes do coletes de cores,
muito baratos, fustes superiores a 800 rs.
o corte, meias linas superiores, para se-
nlu r.is, luvas decores, lencos de mo, bi-
COS, lencos de sedas e outras muitas fazcti
das, que se vendereo a pncos que agrada-
rlo aos compraduics.
A 295oo rs.
Vende-se couro de lustro de muito boa qua-
lidade a 2,530 rs, a pella em grandes c peque
as porccs na ra da Cadeia n. 51 loja de Fran-
cisco Custodio de Sampaio.
Chocolate amargo.
De musgo islndico, ou tbesouro do pello,,
preparado por Mr. J. C. C. As affecces do
peilo oflerccem todas tim symptoina geral, e
constante. A tosse, esta doeoca tam coimnum
.piando descuidada, tim grave sao suas con-
sequcnciai qnanto parece llgelra em seu prin-
cipio, tam matadora por si s como todas as
outras docncas que consomem a especie hu-
mana, nao liona para combatel-a e dettrull-a
um medieaniento especial e nico. Todas as
pastilhasecharop s que tem apparecido at bo-
je tem sido impoientes. 'Naotem a contecido
Isto com o chocolate de musgo preparado por
J. G. C. O principio que forma a sua base prin-
cipal oflerecc propriedades incontestavels, e
reconhecidas depois de muito tcinpo, e nin-
guem ignora os felizes resultados da sua appll-
cacio em todas as phleugmasias agudas, ou
chronieas, do pulmao, atl'ecjesdo peito, phti-
sica, defluxos, loces, St. para dar tom ao es-
tomago, abrir a vontade de comer, conservar
as gengivas, e o bom alito, mataras lombrlgas,
principalmente na crisneas. vende-se na
ra do Queimado n. 9. ...
Vende-se urna escrava de idade e de
nacSo, boa lavadeira e cozinheira : na ra
5-e.Sali8i
t- fl ,
? = t ?
s
o
V, 4 V.
E.a 'HSs. ?
-- Vende-se um bom negro mestre refi
nadar d- assucar, eozinha o diario do urna
casa, proprio para o campo por ler alguma
pralica, muito fiel e sem vicios : na ra da
Conceica" da oa Vista n. 9.
Vende-se urna escrava creoula, deis
anuos, sabe co/er chao, lavarinlo e engom-
nmr, sadia e sem defeito : na oa Vista, rut
da S. Cruz, casa 11. 74.
Vende-se um bonito moleque, de ida-
de do 16 a 18 minos : no Ateno da lioa Vis-
ta n. 4, primeiro andar.
11111a bonita escrava engom-
madelrn.
Vende-se tima bonita escrava engomma-
deira, eozinha e ltn boa conducta, oque
se afiantja deoaito de palavra : na ra larga
do Hozarlo, venda n. 39.
A 29500 rs., o par.
SapatOes de lustro, a 2,500 rs., o psr: no
Aterro da lloa Vista, loja de calsado n. 58,
junto ao seleiro.
Attencfto,
Na loja que foi do fallecido Jos Pinto da
Forseea e Silva, na ra Nova D. 21, vendem-
se pelo casto, para IquidacHo, as melho-
res fazendas vindas da europa e proprias
de-te mercado, a saber: lucos de varias
qualidades, luvas, litas, sedas para vesti-
dos, perfumaras. Oos, lieos aparelhosde
porcelana para cha, crislaes, diferentes ios-
titimei.tos de muziea, proprios nio s para
orChestras, romo larri bem para bandas mi-
litares, e oulros muitos objectos, que se-
rio patentes aos amadores do bom e barato.
Vende-se uuia boa escrava, ensigne en-
gommadeira e cosiureira, borda e faz doces,
bolinhos de todfs as qualidades, Ese ven-
de para fra da piovitiria ; 2 ddas que en-
gommam e cozinham hrm ; 3 ditas muito
mas quitsndeiras; 3 wolsques .ie 20 an-
uos, bous 1 ara todo oservco: n 111a da
Cadeia do l'.eeife 11. 51, primeiro and: r.
= Vende se una negra, a Iba denominada
S. Joiio Biptista, ao p dos Afogados com cenlo
e tantos ps de coqueiios com duasgiandesca-
'as de pedra e cal, dous grandes viveiros, e
com bastante terreno para planlaccs 11101-
niontc caplm, que d com abundancia, um
sitio em Heni Fica ao p da estrada nova com
grande casa de vivenda, todo murado, com
dous portos de ferros e cnchrira para caval-
los, e carrinho, com grande poco d'agua de
beber, e bastante arvoiedo d'fruto principal-
mente laraiiqeiras, duas parrillas de embono
de sedro para barraca, duas lanxas e um bote
velbo. urna crrenle gro'ssa de ferro para na-
vio, una amarra de cabo de linho, nina bolea
para navio, e 3 travs j preparadas tildo por
preco coinuiodn : na ra da Cadeia do Rccife
o. 64, vendse mas una porcao de cobre ve-
Iho de navio, e urna porcao de qpuro de cabra
cortido.
Cliegnem ao barato.
Na ra da Cadeia do Rccife n. >! vende-se
pelo diminuto preco de 500 rs cada una, saias
brancas de caca de corduzinho para senhora,
e !oi nO'SC limito agrada veis, nao s pelo pre-
co-como poique as senhoras inglesas e fran-
ceias, aprecalo muilo, na mesma se vende
picote trancado para saias, c cainitas de escra-
vas a 180 rs. o covadu, assiiu cuino uUtrtts umi-
tas fazendas por diminuto preco.
~ Vendem-se selins ingleses elsticos,
ditos com linrratibas, chigalos agora : em|
Vende-fe rap retalho e as libras, de
Lisboa, treia prets, Meoron & Companhia,
1 gasse fino, meio grosso e grosso : na rus
'das Cruzes n. 40.
I -- Vende-se urna rica cadoirinha de re-
buco : na ra do Collegio n. 5.
1 Vendem-se 2 pedras de filtrar ggo ,
por commodo preco : no Aterro da Boa Vis-
ta, sobra lo n. 10.
Vende-se 011 alngn-se um grande si-
tio, com una grande casa para morar e bem
plantado, bausa para capim e lugar para
formar 2 011 9 viveiros, junto a ponte da es-
trada que vai de S. Amaro para lleiem: tra-
la-ss no mesmo sitio, ou em S. Amaro, na
venda ao p do Sr. Csrdozo.
Para meninas de escola.
Vendem-se charcos de sol de seda, pelo
baralo preco de 2,400 c 3,000 rs. : na ra do
Crespo, ioja n. 12, de Jos da Silva Campos
6: Companhia.
Vende-se a propriedade da ConceicSo,
sita na freguezia deMuribeca, que limita
com o engenho Novo e S. Andr, com nssas
dn vivenda e de farinlia, scnzala e estriba-
ra, regada pelo rio JaboatSo e algumas ar-
vores de fruto 1 trata-se com ovigario do
Bonito, na casa de cambio do Sr. Vieira, no
Kecife.
Vende-se urna escrava de bonita figu-
ra, chegsda do Coar no vapor Imperador,
propris para o servido do campo e tambem
engomla : na ra do Crespo, loja da esqui-
na que volta para a Cadeia, S3 dir quem
vende
- Vendem-se 4 tnolecotes, de idade de
16 a 20 annos, bouitas figuras, sendo al-
guns de servico de campo; 1 dito de meia
idsde ptimo para qualquer sitio, ror preco
commodo; i lindo molatinho de exceden-
te CMiducta, de idade de 16 annos, ptimo
para pagen ; 2 negrotas rreouhs, de idade
16 annos; 3 cscravss mogas de todo servi-
co de casa : na ra Diieita n. 3.
Vende-se urna pipa arqueada do ferro,
com 95 caadas de azeile de carrapato, a
1,6oO rs., cada una caada e da-se gratis a
pipa so comprador: na l'raca da Boa Vista
11. 12.
k *&*.*********+*
# Vendem-se pecas de uiadapo5o V
<) com nlgum defeito, causado por cu- t-
5 pim, a 1,600, 2,000 e2,400 rs. : na lo- ?;
9 ja do sobrado amarello, nos Qualro tf.
) Cantos, da ra do Queimado n. 29. (
lotera a beneflcio de \ >. do i.i-
vrainento.
os 5:000,000 ders.
Na loja de miudezas da l'raca da indepen-
ilencia 11. 4, vendeni-se bilhetes inteiros, a
10,000 is. ; nietos, a 5,000 rs. ; quartos, a
2,600 rs ; decimos, a 1,100 rs., e vigsimos,
atiuois., corro no dia 12deJulho.
Fresquissinios e muilo tnacios queijos de
prato, vendem-so por prego commodo : na
la da Cadeia do Itecife n. 1.
-- Vende-se um armazem de sal, com to-
dos seus pertences e urna porgilu de sal: na
ra Imperial n. 87,
iloendas superiores.
N'a fundicSo deC. Manes Companhia,
em S.-Amaro, cbam-se venda moendas
de caima, todas de ferj-o. de um modelo e
construcco muito superior
Arados de ferro.
Na f,indican da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
--No aruiazcm da ra da Moeda n. 7, con
tinua-se a vender saccas com superior colla
das fabricas do Rio Grande do sul, e opreco
em conta.
GBAXA ECONMICA EM MASSA.
Do insigne fabricante americano. James Ma-
on. A sua composicao he fcita de proposito
para lustrar com agua e conservar o lustro,
tamo de invern como de vcro; a grande
vantagcni que ha nesta grasa he a couservaciio
iin calcado, c lustrarem-se os sapatos ou bo-
ln, mu! 1 mesmo molhados, e una pequea
latta aturar mais de que tres boies e custar
menos do que um. Vende-te em barricas,
ou porcao de dusias, no arinazein de Vicente
Fcireira da Costa, na ra da Madre-de-Deos.
nligo deposito de cal
AGENCIA
da fundic5o Low-Moor.
IIL'A DA. SENZAI.LA NOVA N. 42
Weste estabeleeimento conti-
a'ia a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro, batido e
coado, tie todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Taixas para rime 11 lio.
Na fundicilo de forro da ra do firum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de 3a 8 palmos de bocea, as
quaas acham-se a venda por pre;o com-
modo, e com promptido embareatn-se, ou
carregam-se em carros sem despezas so
comprador.
Vendem-se na travessa da Madre
Dos n. 5.
Crva matte.
Fumo em lollia.
Farinha de mandioca.
Gigos de garrafas pie*as e
brancas.
Bolhas pnra ditas.
Ancoras de peroba.
Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla nova n. 42.
Continua-se a vender agoa de fazer ao
cabellos e suissas pretas : na ra do Queimdo.
leja de ferragens o. 31.
Moinhos de vento
eom bombas de repucho para regar hortas
d haixas de capim : vendem-se na fundic.1o
de Rowman &Mc. Callom, na ra dn l'.iiiin
ns. 6, 8 e in.
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picola para cacimba :
na ra do firum ns. 6, 8 e 10,
fundicSo de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambSo de sicupira e bracos
de ferro ; na fundicSo da ra do
Brum ns. 6, 8 e 10.
Vende-se
Arroz de casca,
Farello novo,
Cb preto,
Chumbo de munic3o,
Cimento,
vende-se ludo por pregos commodos : no
armazem de J. i. Tasso Jnior, na ra do
Amorim n. 35.
i: mi do Crespo n. 10.
Loja de Ignacio Luiz de Brito Taborda,
Vend^m-se:
Manteletes de nobreza preta 16,000
Cortes de cambraia seda para vestidos 8,000
Mimos do Co, o covado 800
Cambraia de quadros de cores 300
Ditos de ditos com toque de mofo 200
lliscado monstro 180
.Mnrriiliiia prela para vestidos 800
Chita escura para coberla, padrees
modernos 240
Dita franceza dito dito, de dito 320
Atoalhado de linho cru 1,000
Setim da china, proprios para role-
tes, pndulas e palitos 4,000
Lencos brincos e piulados 240
Hitos de lita e seda 1,jii()
Ditos de seda de cores i ,coo
Ditos de dita dita superiores 2,000
Ditos de dita brancos 2,24o
Luvas de seda de cores, para homem 800
Cortes de fusllo para colles
Ditos de dito francez dito 2,
t^raaaawaaMaaBMaaaaawaaBMiaitjBii^fc -^
leiras todas de ferro para animaes, agoa, etc
ditas-para armar em madeira de todos os t".
manilos c modellos o mais moderno, machina
liorisonial para vapor, com forca de i caval-
loi, coucos, passadeiras de ferro eitanhado
para casa de pulgar, por menos preco que os
de cobre, -cscovens para navios, ferro inglez
tanto em barras como em arcos folhas, e tudo
por barato prc^o.
Lotera afavor da ie;rcjadc N.S.
do I,ivraini nto
No atierro da Boa-Vista loja de calcado n. 68,
vende-se os mullos afortunados bilhetes, meios
e cautellas, da lotera a favor da igreja de N.
S. do Livramento cujas rodas eorrem no dia 12
na mesma casa venderao.se da lotera da
Matriz d Boa- V ist a os seguintei premios viges-
slmos n. 4480-5:000f rs. bilhetes inteltos n.
37942.0001/ rs. n. 3032200,000 n. meios bi-
lhetes de n. 2860-1 000/ ri, n. 050 2O0,0(J0 rs.
2828100,000 rs. e mullos ns, com ospremios
de 50,000 rs. 20,000 rs. 10,000 rs.
I.libeles 11,000
Meios 5,500
Quartos 2,000
guilos 2,100
Decimos 1,100
Vieessimos 600
iiii iietes do Rio de Janeiro.
AOS 20:000,000 db as.
Na loja de miudezas da praca da Indepen-
da n. 4 vende-se bilhetes inte iros, meios,
buartos, ollavose vigsimos a beneflcio da 11."
lotera do Santlsiimo Sacramento do Rio dla-
neiro que ha de ser eitrahida a 23 do corrente:
tu mesma loja recebem-se bilhetes premiados
da lotera da Matriz da lloa Vista em troca dos
que tem venda.
Lotera do Itio de Janeiro.
tos ao:ooo,ooo de rs.
Na cata feliz
Dos qustro cantos da ra do Queimado,
loja de fazendas n. 20, vet.dem-sons muito
afortunados bilhetes, meios, quartos, oita-
vos e vigsimos da decima primeira lotera
do Santissimo Sacramento, cuja lista se es-
pera at o dia 28, na mesma loja se mostra
a lista di lotera da Roa Vista e trocam-se
os bilhetes premiados pelos os do Rio.
BUhete* do Rio de Janeiro.
aos 50:000,000 rs.
Ns ra eslreita do Rozario, travessa do
Queimado, loja de miudezas n. 2 A. de Joa-
qun: Francisco dos Santos Maia, vendem-se
os muito afortunados belhetes, meios, quar-
tos, oitavos e vigsimos da 11.' lotera do
Santissimo Sacramento, recebem-se em pa-
gamento bilhetes premiados de outras
quaesquer loteras do imperio, alm dos
muitos premios,qne esta casa tem vendido
que o proprietario tem deixado de annun-
ciar, vendeu ltimamente das casas da ca-
ridade o meio lu Inte 11. 4,685 com 1.000#
e dous oitavos de ns. 1,852 com 4001/cada
um.
Lotera do Rio de Janeiro.
sos 20:000,000 de as.
Na Praca da Independencia, loja demiu-
dezas n. 3, que volta para a ra do Queima-
do e Crespo, vendem-so bilhetes, meios,
quartos, oitavos e vigsimos, da lotera de-
cima primeira a beneflcio do Santissimo Sa-
cramento, e na mesma loja mostram-Seas
listas das que j correram.
Em casa, de J. Keller S Com-
panhia, na. ruada Cruz n. 55, acha-se a ven-
da o excellento e superior vtnlto de llu-
celia, em birris de 5.', he muilo recom-
mendavel as casas estrangeiras, como ex-
cellento vinho para pasto.
Escravos fgidos.
2,500
2,000
1,600
120
virgeni.
Na ra do Trapiche, n. 17, lia
muito superior cal nova em pedra,
cliegada ultimamcnte de Lisboa
ue barca Ligeira.
VenJem-sc as seguintes ge-
mentes:
de ahos, ditas de ditas inglezas, ditas de r-
banos encarnadas, ditas brancas, ditas de ce-
blas de Setubal, ditas de aliare allama,
ditas 11| aiilnin.is, ditas de cve trinchada, di-
tas de senoura ainarellas, ditas de chicoria, di-
tas de 1 .1.11(10 de toceira, ditas de salsa, ditas
de tomates grandes, ditas de repolho, ditas de
espinafre, ditas de pipinella, ditas de sipo,
feijo, carrapato de tres qualidades, crvilhas
tortas c dirritas, rabanelcs encarnados e bran-
cos : na ra da Cruz o. 46, dehronle do I ir.
Cosme. Vi mesma casa vendin-se queijos in-
gle/es muito frescaes.
1 n/.i mlus por a mctale de seu va-
lor, na ra fio Crespn. O.
Coitos te edita linas, Com Iii fovados, a
1,9:20 rs-; dito dn cassa dula, a 2,400 e 2,800
rs.; chapeos de maca prelos. a 800 e i,000
rs.; corles de bnm listrado de linho puro,
a 2,000 rs.; alpaika de cordao proprias para
casacas o sobierasacas, uMiors., o covado
cata di Ceo K> iiwurthy ra da Cruz 11.2. I cima referida.
Ditos de meia casimira de ISa dito
Algodozinho avariado, peca
Dito dito, dita
Riscado azul de quatro palmos de lar-
gura, proprio para roupa de escra-
vos, o covado
Tambom ha anda, um resto dos chales de
seda que se vendem, para acabar, aos bara-
tissi inos precos de 4,500, 5,000 e 6,000 rs.
bazenda mais barata do que em
outra parte.
Cobertores de algodo escuro para quera
tem fri a 720 rs. cada um, corles de brim
branco (raneado de linho puro a 1,800 rs., di-
tos escuro a 1,600 rs. o corte, riscados de li-
nho a 220 e 320 rs. o covado, riscado de algo-
do naneado muilo cucorpado proprio para
cscravo a 180 c aOO rs. o covado, picote a 180
rs o covado, vnarte azul de 5 palmos de lar-
gura a 140 rs. o covado, dito de cor a 200 rs. o
covado, riscado francez muito tinosa 240 rs. o
covado, chita para cobertas decores flxas a200
rs o covado, ditas para vestidos a 160 e 18O rs.,
cassa chita cores fixas a 440 rs, a vara, casto-
res proprio para palitos a 280 rs. o covado,
pecas de cassa de quadros para babados e cor-
tinados de cama com 8 varas c meia a 2,400
rs., chapeos de inassa para escravos a 480 rs.
cada um : na ra do Crespo n. 6.
Potassa da Rusaia.
Vende-so potassa da llussia, recentemen-
te chegsda, de muito superior qualidade ,
ua ra do Trapiche n. 17.
Vendem-se relogios de ou-
ro e prata, patente inglez : na ra
da Senzalla Nova n. 4a.
Cal virgem em pedra.
( de, ni i Je Lisboa pela barca Maraarida, ven
de-se no armazem de Silva Barroca, ra do
Brum n. 26.
Vende-se cobre metal ama-
rello e pregos para forro de navios : por preco
commodo, em casa de A. V. da Silva Barroca ,
ra da Cadeia do Recife o. 42.
Tecido de algodo trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5i,
vendem-se por atacado duas qualidades
nroprias para saceos de assucar e e roupa
escravos.
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apollo n. 6, armazem de Me. Cal-
raont& Companhia, acha-se constantemente
bons sortimeotos de taisa de ferro coado e
balido, tanto rasa como fundas, moendas in-
De 8 para 0 do mez de abril, pelas 8 ho-
ras da nojte, desappareceu o escravo de nome
Paulo, de nacao Bengaella, representando ter
de25a 30 annos pouco mais ou menos; tem os
seguintes signaes: estatura regular, cor pre-
ta, cabello grande, tendo urna falta na corda
da i a lu,a que Inda cortando se conhece, a qual
falla he proveniente de carregar peto, rosto
(un tanto largo, sem barba, nariz chato, boc-
ea grande, e beicos grossos, falla um tanto fi-
na, e descaocada, conservando um pouco os
beicos abertos c os denles fechados, e em cer-
tas prrguntas usa da respoita senhor sliu, ou
senhor ; au] tem todos os denles sendo dous
Turados na frente, um em cima, e outro em
baiio, que vezivelmente ie ve: no peilo tem a
marca f querendo parecer urna medalha, e
alm desta em um dos ladoi tem urna marca
mais preta do que a cor do corpo, proveniente
de um caustico; em um dos bracos a marca
A; e em sima de urna das sobransclhas ulna
costura de iitii pequeo talho, que leve ; do anda ginga um pouco com o corpo e d um
tal geito qbc empina nin tanto a barriga para
dianie, trocando os joelhos para dentro tem
o vicio de tomar tabaco. Este escrava foi de
Antonio Joaquina morador em Fora de Portas
com tenda de sapatelro na ra da Cacimba ;
tendo o dito escravo principio do mesmo of-
liein. Iloga-se, porlnto, ai autoridades po-
liciaes o obseguio de quadjuvarem na captura
do referido escravo e qualquer pessoa que o
pegsr ser generosamente recompensada pelo
seu (ralialhn e despezas, podendo entrgalo
ua ra da Cruz do Recife, u, 63 no 2." andar
ou airas do tbeatro, arma/em de laboas de pi-
nito : na Parahiba, ao Sr. Jos Ribelro (l.iiiin.i -
raes, ou sos Srs. Jos Luiz Pereira Lima & C. ;
em Pedras de Fogo. ao Sr. Marlanna llamos de
Mencinea ; no Brejo de Arela ao Sr. Jos nlo-
nio (nuil,/! i ves i,i m a; e em Goiaona ao Sr. Joo
Francisco Fernandes. O abaiio a&signado est
em deligencia do seductor que Ihe roubou o
seu escravo e protesta usar de todo o rigor das
leis contra aquella pessoa que o ti ver. Reci-
te, 2n de abril de 1841.
Joaquim Lnpet di Almiida'
= Desappareceu de bordo do brigue Flor
do Sul, no dia 27 de maio passado, o escravo
marinhpiro de nome Marcelliuo, nacao Cabio-
da, idade 30 annos pouco mais ou menos, al-
tura regular, magro, levou camisa e calca
azul, cbapo alean-nado, o qual he de proprie-
dade do commendador Joo Baplista da Silva
Pereira, de Porto-Alegre. Roga-se por tanto
a todas as autoridades policiaca e capitacs de
campo a sua apprehensao, e le va-lo a bordo do
dito brigue, ou a ra da Cadeia do Recife n.
J9, rasa de Amorim limaos, que receber rs.
jO.OnOdegratlficacao ou mais, conforme a lon-
gitude em que for pegado.
-- Fugio nu dia 20 de abril, a prela cre-
oula, de nome Victoria, com os signaes se-
guintes, i lade 28 aunos, estatura regular,
bstanle gorda, com os buracos das ore-
Ihas bastintes rasgidos o urna marca de fo-
go no estomago, he muito regrlsta : quem
della tiver noticis, diriji-se a ra do Viga-
rio n. 31, que ser recompensado.
Desapareceu no dia22a noule urna pre-
'* crioula de nome Michaclla, representa 20 a
2 annos de idade, estatura regular ebeia do
corpo e tem urna costura ni maraa do braco
esquerdo e um cravo decco em un dos ps,
levou vestido de chita a rodada ssia e panno
preto foi comprada a Joaquhn Jos Lodi e
cria de Bernardo Antonio do Miranda, quein
aprehender ou der noticia serta na ra do Apol-
lo n. IA ser bem recompensado.
rutiV aa'I'v)'. (>: Sf. r'. ni* r'ARl v


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E384DQ983_19NCJV INGEST_TIME 2013-04-12T22:06:16Z PACKAGE AA00011611_06377
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES