Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06370


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-*>..
Anno XXVII
Se{jun(a-feira10
PARTIDAS DOS coaaEos.
Goianna e Paraliiba, as segundas c sextas fcias.
Hio-Grande-do-Norte, todas as quintas feiras ao
raelo-dia.
Garanbuns e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-Vlstae Flores, a 13 e 28.
Victoria, a quintas feiras.
Oluda, todos os dia.
PlIASKS Di. LD1.
FHIMBIDH
Nova, a 30, as 6 h. e27 m da t.
Cresc. a (i, as 4 h. e 8 m, da t.
Chela, a i3, as 4 h. e 34 m. da t.
Mlng. a 21, ai 3 h. c 42 in. da t.
PHKAMAB DE HO JE
Primeira s 6 horas e 6 minutos damaohaa.
Segunda s 6 horas 3o minutos da tarde.
de Junhotte!851.
N. 135
fanjo da nmsoVLirqko,
Por tres mezesi'adiantados)
' Por seis mezes "jfooo
Por um anuo. 15/)00
DI.19 DA 9KMANA.
! 18 3er. S. Aureliano. Aud. do J. d'orf. e m. 1. v.
7 Tere. S. Rainero. Aud. da Chae., do J. da 2
varado c. e dos feitos da fazenda.
18 Quart S. Leoncio. Aud. do J. da 2. vara.
19 Qulnt. >X* Corpo de Dcos.
20 Scxt. s- Silverio. Aud. do J. da 1. vara do cl-
vcl, e dos feitos da fazeuda.
21 Sab. S. Albano, Aud. da Ch. e do J. da 2. vara
do clvel.
22 Dora. S. Paulino.
CAMBIO DE 14 JCMHO.
Sobre landres, a 27 d. p. I/00 ri-
* Pars, 340 por fr. nominal.
Lisboa, a 95 oaavinn
Ouro. -Oncas liespanholas..... g "
Mocdas de 6/400 velhas. 16/800 a
. de 6/400 novas. W000 a
de4|000....... WWW
Prata.r-Patacacs brasileiros.... }#'
Pesos columnarlos..... JSn
Ditos mexicanos........ J//uu *
28/500
iwo
eoo
9/101
1/140
1/760
T iStr *-'-"''FifijOt 'WiTTr-
PARTE OFFiC^L.
MINISTERIO A JSTIC \.
Attendendo ao que me representaran! oba-
charel Maximiann Lopes Machado, o padre lo-
se! Genuino de Hollanda Chacn, e o tenente-
coronel Antonio Jos Goncalves l.lma, pedindo
ser amnistiados, visto acharem-se pronuncia-
dos pelo chefe de polica da provincia da Para-
ln lia, como caberas da rcbrlliao que teve lti-
mamente lugar na provincia de Pernambuco,
rquerendo dar nina prova da minha Imperial
clemencia, hei por bein, usando da aitribuico
que me coufere o artigo lu, 9, da constilui-
cao, amnlstiai' os suppllcantes, para que se po-
nda uin perpetuo silencio sobre todos os fados
de que possam ser argidos pelos aconlecimcn-
tos occorridos na sobredita provincia.
Euiebio de Queiroz Coulinbo Matoso Cmara,
do meu conselho, ministro e secretario de es-
tado dos negocios da justica, o tenha assim en-
tendido e faca cxecular. Palacio do Rio de Ja-
neiro, em 28 de malo de i851, trigsimo da in-
dependencia e do imperio. Com a rubrica de
S. M. o Imperador. Euubio de (Jueiroz Couti-
nho Matoso Cmara.
__Attendendo supplica que me dirigi An-
tonio Corrreia Pessoa de Mello, hei porbem,
usando da aitribuico que me confere o artigo
101, paragrapho 8 da constituirn, perdoar ao
supplicanle, a pena de pciso simples por toda
a vida, em que foi condemnado por sentenca
do jury da cidade do Uecife da provincia de
Pernambuco, pelo crlme de rebellio que ulli
mmente teve lugar naquella provincia.
Eutebio de Queiroz Coulinbo Mattoso Cma-
ra, do meu conselho, ministro e secretario de
estado dos negocios da justica, o tenha assim
entendido e faca executar. Palacio do Rio de
Janeiro, em 28 de maio de 185l, trigsimo da
independencia e do imperio. Com a rubrica
de S. M. o Imperador.Euiilno de Queiroz Cou-
i
fnho Muttoio Contara.
GOVElllNODA l'ROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 7 DE JUNIIO DE 1851.
Oflicio.Ao commando das armas, recom-
menilando a expedicao de suas ordens no sen-
tido de seren eutregues ao desembargador che-
fe de polica interino os presos Manoel Mar-
lins de Souza, Domingos Gomes, Manuel
Francisco da Luz, Pedro Celestino de Oliven i e
Joo Ferreira do Nascimcnlo, que vicram re-
meltidos para esla capital pelo destacamento
que regressou do I'rcjo.Iulelligenclou-se ao
inesino chefe de polica.
Dilo.Ao niesnio, autorisando-o a manda
piocederao relelhainemo de que preclsaiu al-
gn* edificios da fortaleza do Drum, e preve-
niodo-o de bavrr expedalo ordein a pagadura
militar para satisfa/er a importancia das dcs-
pezasque, com o mencionado reparo se fue-
rera.--Neste sentido olliciou-se a uusina paga-
doria.
Dito.A thesouraria de fazenda, transinil-
tinelo o aviso de una leltra na importancia de
1:000/ sacada pela thesouraria de fazenda do
lllo Grande do Norte sobre a dcsla c a favor de
Antonio Dent da Cuaba. Parlicipou-se ao
Eim. presidente daquella provincia.
Dito.A mesma, para que, vista da conla
que remelle em duplcala, mande pagar ao di-
rector do arsenal de guerra aqnaulia de rs.
61/480 em que Importan! os uteocillos forueci-
dos as guardas da alfandega, consulado e prin-
cipal. Communcou-se ao coinniaudo das
armas.
Dito.A niesuin, para mandar adiantar ao
rngenhelro director das ebras publicas a quan-
lia de 3:000/ que elle requisita para continu-
oslo da obro do palacio da presidencia.Scicn-
tiricou-seao referido engenheiro.
Dito.A pagadoria militar, para que, cin
vista dos prets, que foreui apresenlados, man-
de abouar, conforme requisita o coronel com-
inandante das armas, os vencinientos deate
niez s pracas dos batalhdes nono e decimo-de
infamarla, que lem de destacar para Agua*re-
ta e outros lugares, em subslituico aos desta-
camentos que devein regres.ar para esla capi-
tal.Inlelligenciou-sc ao mesmo cominandan-
tc das armas.
.liito.--A mesma, remetiendo a relacao dos
venciinculos das pracas da guarda nacional do
omito, que conduiiram recrulas para esla
cidade, alim de que, estando conforme, mande
pagar a pessoa competente a quaiilia de rs.
41#200 importancia dos referidos venciinentos.
Inteirou-sc ao delegado do mesuro termo.
Hito.--A mesma, para que. visla da conla
que remelle em duplcala, mande pagar ao di-
rector do arsenal de guerra a quanlia de 32/
importan, a dos uleurilios fornecidos aguarda
do palacio da presidencia, emeonseqnencia de
requisicao do coronel coiniiiaudarite das ar-
mas.Cominunicou-se ao mismo cammandan-
te das armas.
Dito.A mesma, inlelrando-a de haver o ca-
bo do primeiro balalho de infanlaria Juliiio
Goncalves Ferreira contratado, nos termos do
decreto e rcgulainenio de 18 de noveinbro de
1848 e do aviso de 30 de oulubro do anno pr-
ximo passado, para continuar no inesmo servi-
(D mediante a gralilicaco de 300/ que Ihe de-
ver ser paga pela furnia j eslabclecida---
Scienlificnu-seao cumulando das armas.
Dito.A mesma, para mandar indemnisar
aolenenle-coronelLuii Jos Ferreira da quan-
lia de 3/C00 rs. que segundo a conla que re-
melle em duplcala, despeudeu com a inhu-
i'uaco do cadver do soldado Goucallo Das.
lnteirou-se ao commando das armas.
Dito.Aojuiz relator da junta de justica,
transmillindo para seren relatados em sesio
da mesiiia junta os proeessos Yerbaes feilos aos
soldados Antonio Jos da Silva. Manoel Gomes
doa Sanios e Jos Vitalino de S. Tiago, este do
corpo fixo do Cear e aquellesdo quarlo baia-
Ibodearlilharia ap.Nesle sentido lizerain-
se as convenientes commuuica9es.
lino.A., inspector da alfandega, Inleiran-
do-o de baver, em vista de sua informarn,
deferido coiivenicnteiueule o requeilmenlo,
em que o padre prefello dos hospicio da Pe-
nhapedesejain iseulos de direitos o despacho
de lies sino, que para o mesmo hospicio eslo
achegar na barca porlugueza Sanla-Crut.
Dilu.A lliesouraria da fazeuda provincial,
para mandar .examinar e pagar a Simplicio Jo-
s de Millo, estando conforme, a coma que
remelle na Importancia de 63# das despenas
feilasdo 1. de Janeiro a30 de abril desle an-
uo, com os presos pobres da cadeia do Urejo.
luleirou-se ao chefe de polica.
Dito.A mesma, para que, vista do certi-
ficado passado pelo engenheiro director das
obras publicas, mande pagar ao empreiteiro do
segundo lauco do atierro da casa de detencao
Antonio Jacinto Borges, a prestacao a que elle
tem direilopor se ter lavrado o termo de re-
cebimento definitivo da dita obra.Ofliciou-
te neste semillo ao mencionado director.
Hilo. Ao procurador fiscal da thesouraria
da fazenda provincial enneedendo a autorlsa-
co que pedio, para, em viriude do disposto
no arl. 39 da le provincial n. 130 de 2 de maio
de 1844, mandar proceder a arremataco por
venda das casas que couberam em pnrlilha a
f zeda provincial no inventaro de Joaqun!
de Mello Carioca.
Dito. Ao delegado do termo de Goianna.
Havendo a companliia, que contratou honlem
o fornecimenlo das carnes verdes ao povo
desla cidade, encarregado a Joo Rodrigue,
de Honra a compra dos gados precisos para et-
se llin na feira de Pedras de Fngo, assim o
communico V. me. para seo conliecimentos
e a fin de que dentro de suas atiribuiccs d
ao referido Moura a proleco necessaria para
que a sua pessoa nao soffra violencias ou of-
fensas dos attravessadores de semelhantc ge-
nero.
i Dito. A cmara municipal desla cidade.
Remello por copia cmara municipal da ci-
dade do recife, para sua inteligencia e execu-
fao na parte que Ihe tocar o contracto cele-
brado por esta presidencia com Manoel Joa-
quim do Reg e Albuquerque e oulros para
o (ornecimento de carne verde ao povo desla
cidade e a resolueo expedida em verlude da
lei proviticlal n. 278 de 6 de maio ultimo. A
cmara municipal que pela nalurea de sua
Inslituiciio, e modo de sua nomencao, mais
linmedialamcnlc representa o povo, e irais
inleirada esl de suas necescdades conhece,
pe icit.iincnii- o mal que at aqu tem sobre
elle pesado pela caresta de um genero de Ia
necessidade, c para remover o qual, to louva-
velmentc prcslou sua coadjuvacao com as in-
formaedes constantes do seo ofco de 21 de
oulubro de anno prximo passado, nao pode-
r deixar deavaliar devidamente o grande be-
neficio, que srm prejui/.o de interesse legti-
mos, seui sacrificio mesmo dos cofres pblicos,
resultar ao povo de manler-se o contracto,
a que rae refiro. Algumas difliculdades hanr
de apparecer opposlas por interesses illlctos
sacrificados ao bem publico, mas eu cont
que a cmara municipal, correspondendo a
confianca que nella deposilaram os seos mu-
ncipes, continuar a coadjuvar o governo da
provincia em seo empenho c nao poupar
seos valiosos esforcos para que se mantenha o
beneliirio que se pretende em bem da sub-
sistencia do povo, e at da moialidade publi-
ca escandalisada pelas cspeculaces que lem
estado em vigor.
Portarla Norneando deronformidade com a
proposta do desembargdor chefe de polica
interino, para os cargos policiaca abaixo decla-
rados os cidadaos seguinles:
Para subdelegado do pritneiro districto da
tir.'iiini de Tracunhacm. Ignacio Xavier
Carnero de Albuquerque.
Para subdelegado da freguezia de Cimbres.
Joaquim Scveriano Leite.
Para prfmeiro supplente do mesmo. Joao
Leile Torres Gllindo.
Para subdelegado do districto de Quipapa.
Vieenle Campello de Araujo.
Seienlificou-se ao mesmo desembargado!-.
Dita. Mandando dar transporte para a cor-
te no vapor Sati-iebailUo, como passageiro do
governo, as pracas de primeira linlia, que fo-
rera mandadas presentar pelo coronel coiu-
mandante das armas. Iiitclligenciou-sc ao
mesmo coronel.
Dita. Mandando por em liberdade o recru-
ta Manoel Domingos Crrela por ter apreseu-
tado senco legal.
Dita.Nomeando fiscal do contrato para fon
necimenlo das carnes verdes nesla cidade
Severino llenriques de Castro Pinenlcl e agen-
tes nafrrgueiia de San Fre PedroGonfalves,
Jos Francisco de Mallos; na de Santa Amonio,
I-lu i.ni.i Jos de Carvalho; nade Sao Jos,
Joao Francisco Haslosde Oliveira; na lloa Vis-
ta, Joaquim de Jesus Pinto na do Poco da Pa-
nella, Antonio Alvcs da Fonseca Jnior; e na
dos Afolados, Francellino Americo de Albu-
querque Mello.
DEM DO DA 8.
Oflicio. Ao delegado do termo de Goianna,
iuteiaiido-o de haver olbciado aocomiuandaa.
le do corpo de polica para augmentar com
mais drzpracas o destacamento daquclle ter-
mo, e recommendaiido que faca destacar para
o districto de Pedras de Fogo a disposcao do
respectiro subdelegado o numero de pracas
que julgar sufficiente, alim de que o mesmo
subdelegado possa coadjuva-lo nas providen-
cias que deve S. me lomar para cumprimento
do que Ihe reconunendou em oflicio de bou
tem.__Neste sentido oflicou-se ao inesmo
comuiandante.
Portarla. Mandando construir na parle do
rio Ipojuca, que flea mais prxima a villa de
Caruar um dos acudes, de que trata o artigo
4 da lei provincial n. 283 de 8 de maio ultimo.
__Remetleu-se copia da portara cima a the-
souraria da fazenda provincial e a cmara da
referida villa.
DEM DO DA 10.
Oflicio. Ao commaiido das armas, para
mandar receber a bordo do vapor San Se>!i alim de lerein tratadas no hospital regimenlal,
duas pracas que all se achara doenles. In-
telligcnclou-se ao agente da-companhia das
barcas de vapor.
Dilo. Ao engenheiro director da obras pu-
blicas, recomniendando a expedicao de suas
ordens, para que o engenheiro ajudante da-
quella dlrectoiia v a villa de Caruaru alim de
levantar a planta de um acude que se lem de
construir na parle do rio Ipojuca, que passa
prximo a mesma villa.
DEM DO DA II.
Oflicio ao Dr. Antonio Francisco Pereira de
Carvalho. Accsando reccbldo o oIRcio de
hontein, em que Vine solicita ser exonerado
do einprego de secretario da provincia, que
interinamente exercia, fitn de oceupar o lo-
gar de jult de orpliaos desle termo, parado
qual fdra noiueado por decreto de 11 de iiilo
do anuo prximo passado; lenho a declarar?
Ihe que Ihe concedo a exonerasao que pede,
e Ihe agradeco a promplidao e tidelidadc com
que prestou lo bous servicos durante <
lempo que oceupou dito emprego.
DEM DO DA 12.
OflicioA' thesouraria de fazenda, inlel-
rando-a de haver concedido um mes de licen-
ja com meta.le de seus veucimenlos ao ba-
cbarel Delriuo Augusto Cavalcante d'Albu-
querque. juli municipal e d orpliiios do ter-
mo do llonilo, para vir a esla cidade.=Neste
sentido fiieram-se as convenientes communi-
caces.
DitoA' mesma, scientificaiHo-a de ler o
Eini. presidente da relacao, segundo commu-
nicou em oflicio de 5 do correte, concedido
na mesma data oito dias de licenca com ven-
ciinentos ao juls de dirclto di comarca do
lionito. o bacharcl Caelano Vicente de Almelda
para tratar de sua saude.=Epeairain-sc as
convenientes communlcacflcs.
DitoA' pagadoria militar, rameltendo no-
vamente os papis da divida de qu<> pede
pagamento Manoel Jos Vianna, para que Ihe
mande satisfazer a quanlia de 16/500 res, em
que, segundo a sua informacao, imporlam os
alugueis da casa pertencente ao peticionario
que esteve oceupada, servindo de quarlcl de
duas companhlas do segundo bolalho de ar-
lllharla a p, na villa n'Agua-Prela.
Dito-A* mesma, inlelrando-a de haver o
soldado do dcimo baialhao de infanlaria,
Antonio Ferreira da Silva, depois de (indo o
seu lempo de aervieo, contratado para conti-
nuar no mesmo, medanle a grallficacao de
300^000, rii que Ihe dever ser paga com cem-
mil rls vista e o resto em prrstacfles men-
saes de 10/000 =lnlelligcnciou-sc ao cumulan-
do das armas.
DitoA' thesouraria da fazenda provincial
para mandar adiautar ao engenheiro Floriano
Desire Portier, a quanlia de um conlo de ris
para a continuara" das obras do vigsimo quar-
lo lauco da estrada da Victoria, conforme re-
quisita o director das obras publicas..=Com-
miinicou-sc ao referido director.
DitoAo primeiro substituto do juiz muni-
cipal da primeira vara desla cidade, acensan-
do reccbldas as guias dos sete sentenciados
que teem de seguir para o presidio da illia
de Fernando.
Dito A adinlnlstrac.'o do patrimonio dos
orphaos cominunicando que raandou adinit-
lir em o eollegio dos orpbaos'o menor Joa-
quim Ferreira da Veiga.________________
e
PEli-
o Sr.
o Sr.
Fol reeleilo presidente o Sr. Mondes dos San-: te accilarci resignado mais csse osso da iiiiiiba
tos e eleito vce-presdentc o Sr. Souza llamos, larefa.
Tein-ie noticia de l'uenos-Ayres at 14 do O Peridico Apolllo J enrislou a lanca con-
passado. tra a falla do llirono, e logo ao segundo tpico
O ainavel Rosas conliauava com o seu bello da mesma apiescnta o seguate couimenlario :
systeina dos fiizilamenlossemcausa, nem pro-| Porvcxes temos feilo ver que a instituicao
leesaos, sera mesmo excepcao dos ofliciaes de'matiarchica ii'um pas novo como o uosto niio
sua propria guarda- He ptimo meio de mos- pod< adqufrir vigor c lirmai-se, porque b
trar as vanlagens do governo republicano nas- .contraria ao interesse gcral americano ao
cidoda liberdade, firmado na fialcrnidade, da- interesse geral do rasjl que rodeado de repu-
i.eti i linele opposto ao despotismo das mo- blicas, e isolailo como uionarchia, ueste cou-
CORRESPONDEXa* DO DIARIO DE
NAMBDCO.
Rio, 5 dejunho de 1851.
F.sta capital continua a gozar Irauquilidade.
Anda depois da partida do ultimo vapor fal-
iou-se na queslao dos actos pralicados pelo
presidente do Rio Grande do norte. OSr. I).
Manoel, eujo carcter respeilo, levado lalvez
por um demasiado sentimento de gralido pa-
ra com seus amigos sulistas, nao guardn nes-
sa discnssiio aqiielli calma liio necessaria aos
legisladores, nao fez mesmo justici aos leaes
se mmenlos de seus anllgna aiiiigos da corle.
Levada a discusso ao terreno de recrimina-,
efleschegou-scad irpublicidadea conversafes j
li i volas entre amigos. Scenas dcsagradaveisj
eram as consequencias de lacs recrininacoes.
nem sempre justas. Abstcnho-ine de nellasj
fallar, porque nao sel as consequencias que | lancava nuio da penna | ara dizer-lhc alguraa
d'ain ii'suiiai i un. Como falle! no Hio Grande i cousa, c achava-me sera uma Dolleia digna de
v :^-'ar.T'.c^aassKazxssatjaiwi
Viva a alliansa federal dos povos argenti-
nos!
Morra o traidor !
Viva a restauracao dos principios nas duas
repblicas do Prata! (Por Urquiza.)
. Abaixo o ij ranino que os calca aos pes,
ataca e deslre.n (Por Urquiza.)
Algumas cartas aflirmao que o general Ur-
quiza ofliciara ao governo de Montevideo ex-
pondo francamente o sen pcnsaiuento e a ma-
neira como pretend* realisa-lo ; que as suas
v islas eslavao em ludo de occordo com as dos
governos oriental c paraguayo; que uesse sen-
tido Ihe responder o governo de Montevideo
em data de 12, e que al filis de maio se con-
tava receber parlicipaco oflicial do ronipi-
enlo das hostilidades, sendo provavel que o
da escolhido para iso fosse a 25, anniversa-
rio da independencia.
Do Rio Grande do Sul alcancao as dalas ao
mesmo dia 14. O inarechal Seira com o seu
estado maior eguio a 12 para Porlo-Alegre.
Amero dcOliveira F.ignndes, jovem oflicial
do 2. regiment de cavallaria llgria, foi M-
sassinadoa traicao com um tiro de pistola na
cabefa, no acampamento de Orqueta. O as-
sassinn. que nao se conhece, cvadlo-se favo-
recido pela escuridao da noile.
Mato-Grosso gosava de Iranqiillldadc.
No dia 11 de fevereiro o capilao de fragata Au-
gusto Lcverger, nonieado piesidenle pura a-
quella provincia em oulubro do auno pas-
sado, lomou posse c entrou no exercico desse
cargo.
No dia 22 ao anoitecer foi cercada pela
policia uma casa na rua de S. Pedro da cida-
de nova .pertencente a Antonio Nunes de Sou-
za, e nella encontroii-se escondido em um
quiln o preso Siuipliciano e um dos que se
evadirn da forlalria da I.ige com Pedro Ivo.
J se sabe que este e os mais prezos da I.ige
desembarcarlo ua manla da fuga em hola-
fogo, onde havla um carro para o qual cuta-
nlo Pedro Ivo, o cadele Faleao e mais duas
pessoas.
Por decretos de 2', e 28 fol concedido
o perdao qucsiipplioaro Antonio Correa Pes
soa de Mello, codemiiado a priso perpetua;
e o hachare! Maximlan-) Lopes Machado, o pa-
dre Jos Genuino de Hollando Chacn co tc-
nente coronel Antonio Jos Goncalves Lima,
que se acliaviio pronunciados pelo chefe de
polica da Paraliiba como canecas de rebel-
ln de 48.
l'.-t i i non,railes :
Presidente da provincia de Sergipe,
Dr. Jos Antonio de Ollvcra e Silva
Presidente da provincia da Parabiba,
Dr. Antonio Colho de S Albuquerque,
Cambial do iididijuiiho.
Londres.29d. esterls. por i ,000 rs.
Pars. 3*28 rs. por franco.
I.i-.bo i 88 a 00 010 de premio.
II un burgo 605 rs. por mareo banco.
MINAS GEIIAES.
Ouro "reto, 20 de maio de l8,"il
Pensei que seu via-me em apuros, quando
ao approximar-se a hora da partida do corri
do norle direi a proposito que foi rejeilado o
parecer da maioria da commisso de poderes
que propunha a validade da eleicSo do Joo
Carlos Wanderley e approvado o voto em se-
parado que a anuo I la por 40 votos con tra,'ti.
Osscnhorc8, PintoCerqueira apresentou um
pi ojecio auton- indo o governo a reformar os
crrelos do imperio: Paula Candido apresen-
tou oulro propondo o systen-.a mtrico como
regulador dos pesse medidas : J. J. de Olivei-
ra apresentou dous projeclos autorisando o go-
verno a conceder a couipanhia de nacionaes ou
de eslrangeiros a faculdadc de ininerar os ter-
renos iliani.ioiin u c aurferos de Matto-Grosso,
e a despender quanlia necessaria com o csta-
belecimento de uma colonia de nacionaes na
lliargeiu diieltl do lllo Madeii i.
Discute-se presentemente a lisa(o das for-
cas de trra para o anno linanceiro de 52 53,
e a resposta a falla do ihrono
ser levada ao cnnheciiiieiilo dos seus leilores.
Chcguei algumas veres at a indipiiar-me con-
tra esta lunilla Ierra, que com tanto desamor,
por causa de sua montona existencia expuulia-
me a seinelliantes torturas, lendo j lido a
Jen 11 m ni. i de adoptar anilina lo comiiioda
dos presidentes das nossas provincias, A dizer-
lhc por lodos os crrelos : lllm. Sr. Jornal
do Commereio : 'I'enho a lallslacfio de com-
municar-lhe que esla provincia gosa de per-
fcita tranquiilidade.
Mas ao ler as duas ulilmas cartas dos seus
correspondentes de S, Paulo e Porto Alegre, e
principalmente a vigsima segunda carta ao
amigo ausente, liqueium pouco irais animado.
Tambeiu elles se queixain, tainbem elles sof-
l'reiu o mesmo mal, disse eu com os meus bo-
lOes, sentindo o prazer do infeliz que euconlra
um coinpaiiheiro : assim pois vou fazer as pa-
les com a iiiinha provincia e de ora em dian-
narchlas. Nao" era preciso que elle quizesse
realisar boje a concepco dos genios da revo-
lu9o francesa para disso nos convencer: a
lembranoa nicamente dos puros e moraes
principios de Maxal. Kobespicrie, etc., basta-
ra para convencer aos mais Incrdulos, quej-
les que diiem meu rci, meu Dos que sao
reaes, c Indispensavels os dogmas suggeridos
pelo espirito sagrado da liberdade para a fe.ll-
cidade humana. O edificio social nao se li-
nha enlo demolido, nem mesmo se sentir
aballado, antes procurava assenlar suas bases
sobre os tres sacro-sanios principios. Os ho-
mens c as ideias eram n'aquelle lempo lao li-
vres como o culello do carrasco ; lo felizes
como o povo argentino governado boje pelo
seu presidente, pelo seu proprio eicolliida. Mas
assim como enlo a experiencia desagradando
bem cedo feznascer do genio dadesiruico o
geni capaz de acabar com ella, assim lamber
ver-se-ha em breve os excessos do dictador su-
cumbir ao excesso de paciencia daquelle povo
narlyr.
O general Urquiza rodeado do coronel Vira-
soro, major Un..... Vclasques, Palaveci.no, Ur-
dinarrain, Hasabilbosa, Aliadas, Arredondo,
Pasaos, .Verones, Contales, Lopes c oulro mu-
tos, bravos do exerclocntre-iiano e corrcnliuo;
precedidos porduas bandas militares, e acoin-
p.lobados de toda a popularn percorreram as
prlncipacs ras locando o hymno uacional e
enlre-rauo Simultneos o estioudosos vivas
turglam do cnllinsiasiuo, da conviccao de um
povo intelro revoltado contra o tyramuo c os
degoladorcs. Os direitos da bumanidade e da
patria eram vclonados por esse povo, c os co-
r.scdes, a ierra e os ares cstremeciam aos sons
dos seguinles vivas:
Viva a Confederarlo argentina!
Morram os ininngos da aliianca dos povos!
u Vivara Urquiza e Virasuro!
Abaixo o un migo do pacto federal!
Os povos nao podem existir sem leis, ga-
rantas e liberdades p.n Urquiza.)
,. Viva o invicto Urquiza que os sustenta,
de leude e restaura!
Morra o tyramuo i
cargo de vice-prcsldentc desla provnola, e
que fra nonieado em seu lugar o Dr. Jos Lo-
pes da Silva Vianna.
A escolba ha de nccessarlamente agradar,
porque o Dr, Vianna, residente na cidade do
Sabara, he hoje um dos advogajos mais con-
ceituados da provincia, e nella inulto ennhe-
cido, nao s com o magistrado, como por ja ter
estado tesla da sua adinlnlstracioI foi j de-
latado provincial e geral, c poi seu carcter
ndependeme c honesto acha-sc em circums-
taucias de corresponder plenamente a conh-
anca nelle depositada.
lia pouco dias leve lujar Delta cidade a ar-
rematacsTo da conservaco da estrada do Para-
livbiinj, c nessi n ri.iif ouvi dlzer lies coli-
sas contra os acunes arrematantes, que nao
posso deixar de ter por algum lano fundada
as censuras feitas ao governo por continuar
com csscsystcma de concervac.o. A estrada
vai a arrninar-sc completamente, segundo me
di/.eni algumas pessoas lidediguas que por
ella lem transitado ltimamente, c he desup-
pr (|iic traba de se.r entregue aos novos ar-
rematantes, que pela maior parle san os mes-
inos do contracto vigente, em perfeito estado
de deiennttrvacSo: enlrelanlo lie para notar-se;
que, apezar disso, nao filie engenheiro que a
v dando por inulto bem conservada, o pas-
sando os allestados sem os quacs os arrem-
tanles nao pode.ii cobrar as suas prestacoes.
Nao duviJo que a conservaco por adminis-
traco lela inas dispendiosa, mas em minha
opiuio he csse mn dos casos em que a econo-
ma consiste mais em gastar bem do que em
gastar pouco, c quando a provincia do Rio de
Janeiro se mostra disposta a concluir a por-
c.> dessa estroda que corla o seu territorio,
parece que era teuipo de fjennos lainbeiq al-
giima com, ou ao menos de aproveilarmos
isso que j est feilo, e que nao cuslou peque-
as quantias ;i provincia.
A hora j vai adiantada, e eu nao lenlio tera-
po de di/.er-llic ludo o que me eccorre acerca
desse objrclo, para ns to iinporlanle; ji-
cara porlaulo reservado para outra occaslo
em que possa cousiillar algumas notas que ja;
tlllha lomado a esse respeito.
(Carta particular.)
(Jornal do Commereio.) _
DIARIO

Pfi&r
lineiite Lio rasto, leude uecessariainenle a a-
doptar o governo republicano, nico que con-
veni America, porque a uuiformidade do sys-
leina poltico e gorernaiuenlal aiucricaiio as-
sim o exige.
Ksi me parecendo que esle argumento he
excliisivaueute amcrieann, e que se em algu-
raa ol i parle do mundo houvcr uma l icha
rodeada de iiionarchias, o negocio ser uiuilo
diU'crente, ju'gando-se enlao possivel que ella
mo s viva, mas at v convertendo os seus
vizinlios.
a clin na verdade milito interessante o toiu
emphatico com que estes amigos nos fallara das
repblicas circuinviinlias, no meio das quaes
euteiideiii que nao pode, nem deve existir a
ni ni ii clii i brazileira, c apenas se Ibes perguu-
lase Invejam asorte dessas repblicas, descar-
lani-se limito I ampn,menle invocando o
exeinpl.i da dos Estados Unidos, que com loda a
frescura di/.em ser a nica feliz e digna de ser
Imitada,
Como elles j apalparn o venlre da actuali-
dade, bem pode ser que anlevejam a cara da
lllchlnha que l se coului, e por Isso nos fal-
lera to desenibaracadaiue'nte; mas os linio-
ratas nem por isso se iranquillisaui, c conti-
oii.ini a crcr que ella nao despresar a pliysio-
miiiiia' das nossas vi/.inlias do sul para ir bus-
car as feices de quera est to longo.
O Apoiwlo, depois de discorrer porahialiu
a respeito da lei rleitoral, recoramcudaUa na
falla do llirono. concille desle modo :
A parle da falla do llirono, portanlo, que
recoimiienda leis sabias coulra os dcTeitos das
eleices, ou he uma trivialidade quenada si-
inlie.i, ou uma dessas uiauifcsiacea liypoerias
de zelo pelo interesse publico, que uunca ira-
zem coinsiga a conviccao de sua utillidade.
E visla dessa couclusn vejo l os nugus-
UX iliawimoi a seutenea que os espera, se tam-
bera se oceuparem com laes (ririalidar/ef eu<
nada lignifieao, e enm enas demonttracet hypo-
enlaide telo pelo interesse publico.
Cora a ebegada do correio espalhou-se a
noticia de que o desembargador Gabriel Mon-
des dos Santos pedir e obtivera demissao ilq
Aicirr, 15 DEJUNHO DE 1851.
A manha 16 tomar posse da presidencia
da provincia o Kxin. Sr. Vctor de Oliveira. S.
Exc.desembarcoii boje pelas 9 horas da ina-
uli.i i no caes do eollegio, leu lo sido recebidb e
condusldo na gallla pelo Eso. Sr. Souza Ra-
aos. 4|ue para esse lira se dirigi ao vapor, Pr-
nnmuucana logo que este se approximou abar-
ra, acompanhado do Sr. cjiumandaiite das ar-
mas.
Ao sallar no caes rocebeo S. F.xc as dividas
contenencias que Ihe fez o lObalallio, de in-
fanlai ia que ali so achava poslado, recebendo
i gu ilmenie da fortaleza a salva do entume.-
depoll do que foi accoinpaiiliado pelo seu ante-
cessor a casa do atierro da (Voa-Vista, que
d'autc nao Ihe mua o inesmo preparado.
A admiiiislracao do Sr. Sorfza Ramos reali-
sou nosla provincia a poltica de tolerancia, e
la justica, C IC dcstinguio pelo zelo, e bal-
dado, com que foi deseiiipenhada em toda a
sua plenitude, iiiostrau.lo-sc sobranceira as
exigencias dos partidos, ou dos individuos :
iciiihiiiu oulro motivo, que nao fosse da mais
escropulosa mparcialidade, nerahuina outra
raso, que nao losse do interesse publico, nein-
liuua outra conveniencia, quejaSo fosse a da,
iioralidade, c da fiel execucona lei, iulluin
sobre es actos desla aduiinlstraco, que ser
lembrada com rccoiibeeiincnlo dos que since-
ramente desojara o socego, e prosperidade da
provincia.
Niuguem houvc que procurando S. Exc. pa-
ra cxpor-llie o sen direito nao fosse perl'elta-
incnlc acolhido, e nao obliresse a justica, que
Ihe era devido, sem distineco de partidos, de
pessoas, ou de condico ; S. Exc. foiiucanca-
vel em esludar lodos os ramos d'administra-
co publica, rindar-llie o conveniente deseo- '
volvimento. em realisar as providencias, que
delle dependcraiii, em manler iualteravel, e
duraduura a Irauquilidade publica, era cum-
io ir leal, e conscieiiciosainente a poltica, que
foi proclamada do alto throuo, c que a qui foi
mandado di scuipeuliar.
A moderaco, c pi udeucia, o tino, e rect-
do, com que sempre c constantemente se
liouve S. Exc. Ihe grangearaiu vivas siuipalhias,
Ihe a dquiriaiii profunda! allci(es, e Ihe
coiiquistaram os respeilos da mesilla opposl-
fo, que soubc apreciar a lealdadade do pro-
ccdliiionto do presidente, que sendo seu ad-
versario polilico.no coiuellru o menor exces-
so, nao im cinnuii a menor perseguico : e
adiiiinislrou justica recta, e mparcial. Ago-
ra que o Sr. Souza Ramos tem d'cnlrcgar as
redeas d'adininistraco ao seu dguo successor,
e que delle uo podemos esperar livor algum
seja-nos permettido reuder-lbc esta iraca ho-
nienagriu que esl no coraco de lodos, eiie
fraco tributo do rcconliecimento, e de gralido
pelos valiosos servicos que prestou. tributo
que mil corresponde ao seu alto inerecliuento.
I'rasa a Dos que o Sr.Viclor de Oliveira Iri-
Ibe a mesma senda tracada pelo Sr. Souia Ra-
mos, o continuando aiiusma publica se faca
merecedor dos incsmos applausos, e ligue o .
seu uoiiic aodcseu digno antecessor pelos
uiesiuos servicos, pelo uiesiuo procedimento
poluico. Fasemos os mais ai denles votos pa-
ra que assim aconteca, e temos justa rasa
d'espora-lo da su prubidade, illuslraco, e
honrosos precedentes, que nao seram desmen-
tidos, antes seram corroborados pela admlnis-
tacoi que Ihe he transmeltida sob os niel ho-
ces, e mais lisongeiros auspicios.
loitioii boje dos porlus do sul o vapor P#r-
namdueona eosjornaesquedo Rio de Janeiro re-
cebemos a lea ne una 5 do correle, e da sua lei-
lu i i collieuios o segu o le, aleinuo que encoii-
iraro os lelores cma cariado nossocorres-
pondcote.que vai impressaera oulro lugar.
Foi approvado em tercciradiscusso pela c-
mara dos senadores, na sesso de 2do corien-
tc, o projecto de resposta falla do llirono
com a emenda ollerecida pela respectiva com-
misso, regellada a amnista, que o Sr. sena-
dor Menear liavia proposlo para nelle ser in-
serida. Durante a primeira discusso desse
projeelo, na sesso de 20 do passado, teve lu-
gar una, desajrraduvel ocenrreucia, motivada
LAR ENCONTRADO
I


-g





t 111
mas
pelos repelidos aparte, que entre si trocaram
os Srs. i ameiro Leao e O. Manocl. ao tempo
emque fallavao Sr.Limpo do Abreu. Abste-
inos-nns de reproduilr aqu a narrado, que
dcslrdeploravel incidenle fezo Correiudalar-
de. porque julgantos prefcrivcl lancar um veo
sobre aquillo que nao pode ter oulro resulta-
do, senao desairar a duus homens eminentes,
e por diversos ttulos recoinmendaveis. Fin
j-guilla oceupou-se o senado com a discussao
do projecto, que autorisa o governo ad u ne-
vos estatutos as escolas de medicina.
No inesmo dia ( 2 do corrente ) principiou
na cmara dos drputados, como se v da car-
ta do nosso correspondente, a discussao do
voto de cr.-H"' Oraram os Srs. Souza Franco
i- Pereira da Silva ; tendo a palavra conlra os
Srs. Mello Franco Paula llaptista, Pacheco,
Angelo Il.niiiis, Sonto e Villela Tavares ; c a
faVor os Srs. Cerquelra, Savo Lobato Jnior,
]larbosa. Apri.in, Macicl Mnnleiro, Cruz Ma-
chado, Firmlno, Carneiro de Campos, Nebias,
Bello, Alincida e Albuquerque,|Paula Candido
c A mi iv Basto*.
Terminou na referida cmara, na sessao d,
24 do passadn, a renliida discussao sobre a elei
^ao do Rio Grande do norte; sendo regeitado
por 40 votos contra 31 o parecer da maioria
da commissao de poderes, que propunha a
validade da eleifo do Sr. Joao Carlos Wan-
derle?, e approxado o voto dessidente, que an-
nullava a eleicao.
O Jornal do C'ommereio rublica a scguinle
eslntislica desta votsco.
Voiaram a f vor do parecer da maioria da
commissao os Srs.:
Soza Franco, Santos e Almeida, Jan retti, Moraes Sarment, Assis Rocha, Sabuco,
Sorna Lcao, Carvallio Moreira, Zacaras. Per-
bandea da Silveira, Angflo Ramos, Souto, Pac-
ca, Magalhcs e Castro, eCouto, llbeiro. Wan-
derlry, Pedreir, Brrelo Pedroso, Miranda,
Pereira da Silva, Venancio Lisboa, Pinto de
Cerqucira, Lima e Silva, Dias de Carvalho,
Mello Franco, 1). Jos, Oliveira, Pacheco Llvra-
ment.
Total, 31 votos-
\ ni.ii .ni a favor do voto em separado os Srs:
Aranha, Candido Mendes. Baha, Machado,
Bandeira de Mello, Miguel Feraandes Vieira,
Jlenriques, Corres Lima, Albuquerque, Augus-
to de Oliveira, Paes A'aireto, Figueira de Mello,
Joaquim Vilella, Rezende, Mendonca, Aprigo,
Taques, Azambuja, Ferreira de Aguiar, Cruz
Machado, Paula Fonseca, Monteiro de //.un ,
padre Silva, l/elizario, Frrmino, Paula t an-
dido, Paula Santos, Ferreira Pcnna, Vieira de
Mallos, Bocha, //arbosa, Teixeirae Souia, Ju-
lio de Miranda, Carneiro de Campos, Nebla,
Ferreira de Abreu, Sayo Lobato, Crui Secce,
Bello, J. F. Vianna. Total 41 votos.
Foi approvdo na sessao de 20, cni prnici-
ra discussao e sem debate, o privilegio exclu-
sivo uncedido a Thomaz Cochrane, pelo lem-
po de nitenla anuos, para a construccao, de utn
cainnho de ferro que, principiando no muni-
cipio da corte, < passando pelo de Iguass,
margein do rio Parahiba, municipios de l'c-
rahy, Barra Mansa e Hezendc. termine no lu-
gar da Cachurira, da provincia de S. Paulo.
Foi igualmente approvado o egninte pro-
jecto, substitutivo ao que declara com direilo
ao montepo as viuvas e familias dos ofliciaes
da armada, que forein demettidos, continuan-
do elles a contribuir, por occasiao de entrar
esteem terceira discussao :
As viuvas e familias dos ofliciaes da arma-
da uacional e extincto corpo de arlilharia de
inarinha, demettidos de seus postos por as-
sim o haveiem pedido, tein dreito a penso
concedida no plano do moni) -po de 23 de se-
tembro de 1?B5, urna vez que os demettidos te-
nham continuado ou continuein a contribuir
para o dito monte-pi.
Na sessao de 20 apresentou o Sr. ministro da
guerra a seguinte proposla :
Augustos e digiiissimos senhores represen-
tantes da nacao.
. Cumprindo o que determina o *> 4. do arl.
14 da lei n. 589 de 9 de setembro c 1850, ve-
nho de ordem de S. M. o Imperador apresen-
tar-vos a seguinte proposla, c pedir-vos que
decretis os fundos necessarios para a desprza
que lem de ser feila nos exercicios de 1H.")0 a
1852 com a contadura geral da guerra, creada
emexecuco do decreto u. 5"4 de 28 de agosto
de 1850.
i. PrtjHMl.
Art. I. Alcm das despeas aulorisadas pe-
la lei de orcaincnlo n. 555 de l."i de jiiulio de
1850 pira o cxcrcco de I860--1K5!, lie aberlo
ao ministerio da guerra o crdito de (j:"li5,5il8
rs., denionslrado na tabella A, para ser des-
pendido com a contadoria geral da guerra.
Art. 2. Fiea suppiimida na dita le ;
,|ii u.ii.i de 4:043,332 rs., constante da tabel
laC.
Art. 3. A han das despejas autoiisadas pe-
la lei de orcamento n. 580 de 0 de setembro
de l"50 para o excrcicio de 18511852, he aber-
to ao dito ministerio o crdito de 30:440,000 rs,,
constante da tabella 8, para referida repar-
ticao.
Art. 4. Fica supprimida na dita lei
nuantia de 24:2Go,0000 res, coustanlc da ta-
bella D.
Art. 5. As despezas provenientes destes
auxilenlos de crditos sero pagas pelos meios
, votados as leis de orcanieuto cima referidas
para as despeas nellas decretadas.
Art G. Ficam revogadas us dsposicOes ein
contrario.
Rio de Janeiro, 20 de maio de 1851.Ma-
noel Ftliiaru le Soma e Mello.
J.i principiaran) as discusscs sobre os proa
jectosque tixam as forjas de mar e Ierra para
o anuo linam i un de l852 a 1853.
Acham-se nomeados presidentes: da pro
\ ni :.i do F.spirito-Santo, o Sr. Dr. Jos lloni
lacio .Piascenes de Azambuja ; da doCear o
Sr. Dr. Joaquim Marcos de Almeida llego; e
da de S. Paulo, o Sr. dezembargador Manoel
Machado Piones.
Constara redaco do Jornal do Commcreio
que os actuaes presidentes de Sergipe e Cear
tinho Instado pelas suas demisses, porque,
como juizes de direito serio prejudicados
em suas antigudades, se dejulho en diante
continuassein em cominissoes alhrias ma-
gistratura, em vista da nova legUlaco a res-
peilo; assim cerno que o Sr. deicmbargador
Machado Nunes pedio, por motivo de molestia,
dispeusa da presidencia de S. Paulo, para que
6ra n orneado.
S. Al. o Imperador Motive por bem agraciar
o baio da Parahybuna com as honras de
grandeza ; e Joao Correa Tavares c Manocl
Cornclio dos Santos com a comincnda da or-
dem da Rosa.
Chegaiam ao Ufo na galera hamburgueza,
entrada no dia 4 do corrente, nove ofliciaes
e duieulas e setenta e srte pracat, que vem
car ae servido do Brasil.
A escuna porluguea Angilinha, que d'alli
j.ii mi para Buenos-Ayres, loi pique na al-
tura do Buceu, salvaudo-se a tripolacao.
Le-se no Crrelo Mu cantil, de 28 do passado
o seguinte:
a parte que hoje recebemos dos barcos
entrados encontramos a seguinte noticia:
0 brigue inglez Carolina Sclitnk de Glas-
gow, traz seu bordo seis pesso9 da tripola-
cao da barca franceza lion Henri, naufragada
no dia 17 do correute na altura de 140 leguas
a, 1 cite de Cabo Fri: a lancha coai cito pc;soas
da mesina tripolacao desappareceu, e nao se
sabe .que ruino loiLou. Esta barca saliiu da
l'alagouia com destino Martinica, a
Di /ircuiil de Santos, da mesma data,
trauscreveiiics o que se segu :
Infelizmente a epidemia nao nos teiu ain- distribuidor do juiio do term
da rJcixado, e com quanto sejam raro os caaos cm S. Paulo a Francisco J
fular! poucas sao as iaujiliai onde nao icnha Oliveira.
entrado esta hospeda tcrrivcl. A transtcao
rpida que alhmosphera acaba de soltrcr,
passando par um estado grandemente fro tem
aggravado os padeclmenlos. Fazemos votos
para que cesa* na povoncao este llagclo, que
trazldo muitos sacrificios, muilas iagri-
.. c bastantes embaracos ao coinmercio.
F. com tudo nao nos consta que se tenham
tomado medidas algumas hyglenicas e salula-
res para atler.uar a intcnsidade da epidemia.
Se existe provedor de saude entre nos, elle
nao tem tomado urna s providenria que ns-
pire confianca populacao, c a cmara nao
tem procedido a atierros nos pantanos e char-
cos que ahi eslao, mesmo no interior da ci-
dade, exhalando miasmas pestilentes com grave
detrimento da saude publica.
Naufragou, entre PeruibeeConceifao, urna
embarcacao. A lancha, que surgiu em Passa-
bus, tem na poupa o seguinte noinc I
U'lron ondon ; he pois natural que o navio
livesse esse nomp. Ao longo da costa tem ar-
rojado o mar a popa e proa, couvez, maca-
mes, mastros, etc., porem ludo separado;
mas pelas pecas que tem apparecdo c inesmo
o tamanho da lancha calcula-se ser navio de
alto bordo. Nao tem apparecdo cadver al-
guiri; mas sim roupas de m.mijos.
Di/-nos a pessoa que nos informou a res-
petodeste infausto aconlcci;nento: que entre
as cavernas appareccni alguns graos de cale.
Da carga nada se sabe, nem a maneia do
uaufragio.
Por carta de Matto-Grosso, constava a reda-
ca.i do 7ormI do fommerrio, ler-sc concluido
'illi a elcico do novo dcpulado, cujo resultado
he o seguinte : os Srs. Manoel Aires Ribeiro
38 votos, bispo de Cuiab 29.
No dia 24 do passado, pelas 5 horas da tar-
de depositou o Sr, de St (Jeorges as mSos de
. M. o Imperador, no palacio de S, Chrislovao
a carta, pela qual o presidente da repblica
II..IH !/ i o acreditou ministro residente na
corle do Rio de Janeiro, dirigindo n'esla oc-
casiao ao inesmo augusto seuhor a seguinte
allocucao.
Scnhor.Tcnho a honra de apresentar a
V M, I. a carta pela qual o presidente da re-
pblica frauceza dignou-se de acreditar-me
juot de V. M. na qualidade de ministro re-
sidente.
A ininha longa residencia no Rio de J
nclro, abondade com que V. SI. nunca delxou
de honrar-me, c a benevolencia que_ encon-
tr! scinprc no goveruo de V, 51,, dao-me a
bem fundada esperanca de que durante a nil-
nha nova tnlssao sero faeeis e agradaveU as
minhas relaces com os ministros de V. M. I.
c ao menos para este fin que se dirigiro to-
dos os nieiis esforcos,
S. M. o Imperador respondeu ao Sr. de S
Gcorgcs:
i Sou multo sensivel a esta nova prova de
inleresse que toma uicu muito caro amigo
presidente da repblica franceza pela estabi
lidade das boas relaces que existeni felizintiite
entre a Franca e o ilrazil. E a aprecio tanto mas
Sr. de St, Gcorgcs, que a escolha recahio so-
bre vos; que leudes merecido at o presente
a estima de meu [governo pelo vosso bom pro-
ccdiiueuio e maneira inteiramente amiiavel
com que haveis sabido dirigir os negocios da
li'f.ieao a vosso cargo. "
O Sr. conde Medem, enviado extraordina-
rio e ministro plenipotenciario de S. M. o Im-
perador de todos as Russias, fez rutrega a S.
fl. o Imperador di carta do gabinete de sua
corte, participando o casamento da Sra. gra-
duqueta 6'athariua, aproveiiaudo desta op-
portuuidade para passar s maos do mesmo
augusto senhor a que ibe dirigi o grao-duque
Couslantino.
O Sr. Hudson, enviado extraordinaiio e mi-
nistro plenipotenciario de S. M. Britnica, a-
presentouaS M. o Imperador o seu secreta,
rio. o Sr. W, Stallord Jerningliam, ulliinaineu-
te h. Milu a esia corte,
Ja se achava reuuida cm Montevideo a nos-
sa isquodra, e consta que o CteleGrceniell
mandou desferrar para o Rio de Janeiro a cor-
veta 1). t'ranciica para scientilicar o goveruo
das occuireiicias que livcram em Futre llios,
etc.
Baixaram a secretaria de estado dos nego-
cios da justica osseguinios despachos :
' O padre Jos Valente de t-'oulo, vigario pa-
ra a fieguezia de Henifica, na provincia do
Para.
" bacharcl Joao Cerqueira Lima, juiz mu-
nicipal e de orpliaos d termo de Rezcndc ,
provincia do llio de Janeiro.
Dito i.andido da Silveira Rodrigues, dito di-
to dito de Nova Friburgo, da mesma provincia.
DiloGasparino Moreira de Castro, dito dito
dilo de Santa Isabel de Paraguass, ua provin-
cia da Bahia.
Dito Joaquim l'ernardcs de t unha, dito di-
to dito de Sabara c Santa Luzia, na provincia
de Minas Geracs.
Manocl Jos da Molla, serventuar-io vitali-
cio do iilliLio de escrivao do cixel da cidade do
Recife. provincia de l'ernainbuco, aceitando-
ilii .i desistencia do ollicio de escrivao de oi>
phos do termo de Uliuda, da mesma provin-
cia, deque era servcnluario vitalicio.
u 1.1 .'uno Rodrigues I i oes. segundo tabellio
do judicial e notas de municipio do Sabara,
provincia de Miuas Geracs, servenluario do
ollicio de tabelliao do registro geral das hjrpo-
thecas da mesma cidade.
Ricardo d Abreu Fialho, serventuario vi-
talicio dos ollicios de escrivao da chancellarla
c do juiio da segunda vara civcl da capital da
provincia da liahia.
" Bacharcl Felis Gomes do Bego, juiz mu-
nicipal e de o phos dos termos de Ubidose
Faro da provincia do Para, removido para os de
Saularm, Franca e Monte Alegre, na incsma
provincia pur assim o liavcr pedido.
" Bacharcl Jos Gomes de Paiva, juit mu-
uici|ial e de orpluios dos termos de Saniareui e
aunexos da provincia do Para, removido para
os de Camela e llaca da mcsiiia provincia, por
assim o harcr pedido.
" Bacharel Antouio Marcelino Nuiles din-
salves, reconduzido no lugar de juiz municipal
da primeira vara do termo da capital da pro-
vincia iln M ir.i o .ni, por tempo de 4 anuos,
" Bacharel Adriauo Mauotl Soarcs, dilo
dilo no lugar do juu. municipal da segunda
vara do mesmo termo.
" Baixaram os seguintes decretos, datados
de 15 do corrente uiei de malo :
" Nomeando o bacharel Cbrispiu Antonio
de Miranda llenriqucs, para juiz municipal e
orphos dos termos reunidos da Campia
Grande e lirejo d'AicJ, naproviucia da l'ara-
hyba
' Aprescntando o padre Benjamim Carva-
lho de Uliveira. na igreja de NossaSeuhora da
Giaca do llio de S. Frauclsco em Sania t.a Hia-
lina.
" dem, o padre JosCardojo da Fraga na
igreja de Santo Antonio da villa Nova Jo Rio
de S. Prancisca em Sergipe.
" Fazeudo nierc da serventa vitalicia dos
iiIIh ios de primeira tabelliao do publico, judi-
cial e notas e escrivao dos orpbuos da villa de
H, lnii.nl, da provincia da Bahia. a Ignacio Ma-
in u I da Couceico.
" dem, idem i.lem, dos ollicios, de tabelliao
de notase escrivao| de orphos da villa Vicosa
dadia provincia, a rorluualo Pereira de Uli-
veira.
dem, idem idem, dos ollicios de segundo
tabelliao do publico, judicial e notas, e escrivao
do crime e civel da vila de Santa Isabel de Pa-
raguassii, da dita provincia, a Pedro Mauoel da
Silva c Albuquerque.
Idem, idem idem, do ollicio de contador'c
no de Mogyineriiu
os dos Santos c
Aceitando a desistencia que fez (aciano
JosdaSllva Costa Pessoa, de escuvao do jury
e execucOes crlmlnaes da cidade de Cainp inas
da dita provincia."
Osjornaes da Bahia chegam a ll do corrente.
Toda a provincia goza de socego.
No dia 31 do uici passado encerrou-se a res-
pectiva asoinlil.i provincial. Le-se no fsr-
eoiilil de 10 do corrente o seguinte artigo : l
Chamamos a attencao do leitor para o oIRcio
que se U sobre o titulo Reparticao de polica
_ no qual o digno chefe desta reparticao par-
ticipa aoExm. vlccpiesidenle da provincia o
descobriinento do roubo da Penha, c a captura
i i, l nli.i s que o praticaram. He mais nina
prova de quanto he iicansavel e vigilante a
polica da ahia, c da energa do magistrado
que se acha testa della.
REPARTICAO DA. POLlCla.'*
ti Illin.'c Kitn. Sr. Podcndocomnninicar a
V. Exc. que produzin* fe"* eil as diligen-
cias por inim ordenada,obtlveconhecer e cap-
turar dous dos prlncipaes membros da qua-
drilha que roubou a igreja do Pilar, e o que
mais he, colher prova importantes de seu cri-
me, lenlio agora a satisfacao de poder tambem
levar ao conhecimenlo de V. Exc., que, infor-
mado no dia seguinlc no em que leve lugar o
roubo da igreja da Penha, como fiz saber a V.
Exc em officio datado de 30 de maio ultimo de
riue'um Individuo, mariuheiro do arsenal de
inarinha de nome Bernardo Jos de Souza, fora
visto com urna patena de prata, fi-lo prender,
c proseguindo^m pesquisas e diligencias, con-
segu mo s estar em meu poder todo o roubo
(cun excepcao de um brinco de pedras bran-
cas, e do dinbeiro em cobre; achado ein un
escondrijo na proa de urna lancha tandeada
em A coa de Meninos honlem as 10 horas da
noite, mas tambem prender dons dos ladres
(que foram tres) estando por ora por prender...
que descriara logo que foi capturado aquello
em cujo poder foi encontrada a patena. Espe-
ro porem que este venha prisao cm breve pa-
ra com seus c-ros receber o castigo do crime.
Dos B'iarde a V. Exc. Secretaria da polica da
Bahla?7dejuoho de 1851. Ulnre F.xm. Sr.
Dr. Alvaro i iberio de Moucorvo e Luna, vice-
presidente desta provincia. Aadre toruno
Pinto Chichorro da Gama
De Alagoas recebemos tres nmeros do toni-
ltuconai, sendo o ultimo de 3 do corrente.
NeUe se l o seguinte:
Esta provincia acaba de perder urna das
suas esperancas identificas, o alferes alumno
Candido Benjamim Lins de Vasconcellos.
.Sucumbi na flor di idade.quando se acha-
va no penltimo auno do curso de malheiuaii-
ca, prximo a obter o grao de doutor em urna
sciencia a que poucosse dedicam.. A sua per-
d se torna aiuda mais sensivel consideraudo-a
por esse lado.
Sub'o a roanaSo dos justos anles de conhecer
as contrariedades, e desgostos da vida publica;
cunsolajao nica dos seus prenles e amigos
aos quaes dirigimos um voto slnceio de senli-
ineiilo ; com especialidade ao Sr. Joo Lins de
Vasconcellos prestimoso to do joven oicial.
em cuja educafo tanto se esmerava!. ..
Resignemo-iiostodoscoiiia Vontade Divina!
Por cartaparticular consta fallecer na
viagein desta provincia para acorte, o Sr. des-
embargador Gregorio da Costa Lima Belinonle,
dous das antes de chrgar a seu destino.
Pela barca Colusitu recebemos jornaes in-
gletes de 9a 15 de malo ultimo dos quaes ex-
tractamos o seguinte :
Na casa dos communs, em sessao de 9 dlsse
lord. Palmeistou em resposta a urna interpella-
cao de Mr. Urguhart, que segundo as ultimas
noticias, algumas tropas russianas haviam co-
mecado a sua marcha dos principados do Danu-
bio', e que dentro ein quinte dias chegariam
todas as fronteiras de Wallachia. evacuando as
tropas turcas os principados simultneamente
com as da Russia. A respeito dos restantes
fugiados Hngaros, disse elle, que os esfor-
(os dos governos inglez c francez para obte-
reni a sua liberdade uo tinham sido bem suc-
cediHos. nao ha rendo o goveruo torco dala
las ultimas noticias resolvido sobre a sua sol-
tura.
A oulra nterpellacao de Mr. F. Dumcumbe,
respondeu o uobie lord, que a oceupacao de
Roma indas tropas fraiicezes fra emprehendi-
da pelo governo de Franca por sua prop ia
discripcao e arbitrio; que o governo ingles nao
Uvera parte uessa medida ; mas, anda que se
nao pudesse dizer que elle concordata na oc-
cupacao da cidade e livesse urna opimao acer-
ca dessa malcra, no tiuha dlieto algum par-
ticular de Interferencia posto que nao pudesse
dizer que o resultado da oceupaco fora o es-
i lio li i iincnin de um bom governo. Emquan-
to prolongaco da oceupaco tinham havido
amigaveis commutiicaces entre o governo de
S. M. B. e o de Franca ; utas tendo este ja oc-
cupado Roma, a mirada da sua garnicao po-
deria dar lugar rcocupacao da cidade por al-
,nn..i oulra potencia que redundasse em
in.iiot desvautagetii para o povo e interesses
geraca da Europa. Que o governo francez que
nunca nutri projecto algum de acqulsicao ter-
ritorial, devia julgar por si inesmo com a de-
vida attencao a lodos os interesses compro-
iin'iii.l.is. qual o perodo em que devia termi-
nar a oceupaco.
Passando a casa ordem do dia da mesma
sessao sobre o Bill relativo aceilaco de ttu-
los ccclesiaslicus propot Mr Urguhart na re-
soluco, declarando que o rcenle aclo papal
para dividir a Inglaterra cm dioceses, c uo-
mear bispos a ellas havia sido animado pela
conducta e dcclaraccs do governo de S M. B.
Elle nli-i'i vi.n que era esta urna queslo nao
de opinio mas de faci, e referio-sc em apoio
da sua argumentarn a actos c maiiifcstaces
de npinies dos unminos do governo que ha-
viam sido repetidas vezes referidas nos debates
precedentes sobre este bil, donde inferi que
nao havia intcnco honesta de execularas suas
disposi(es. Elle sustentou que o aclo do Papa
nao era urna volaco da lei das nacOes, nem
d iccao dos dous paites referidos, excede a
is milhaes e mel de libras esterlinas por
atino. As exigencias deste commercio de-
mandan! urna communlcacao mais frequente
vapor do que aquella que ora he feila pelo
actual servlco de Southampton ; e os commer-
clanles de Liverpool e dos diurictos adjacen-
les desejam naturalmente conservar um ramo
tilo importante de commercio mais sob sua
fropria n tio porto do que he possivel, se as suas la-
zendas forein clrregadas por via de Southam-
pton. a
> Pelo lelegrapho elctrico de Franca constava
que o Moniltur publicara um decreto do pre-
sidente da repblica, convocando os eonselhos
geraes dos Altos Pyrineus para se reunir ni
a 22 de maio, afitn de dellberarem acerca de
varios objectos de Interesse para o departa-
mento, flnha sido aprehendida em Tulle
urna conslderavel quaniidade d'armas e bayo-
netas.
O htonittur tambem havia publicado outro
decreto conferiudo a Gran-Crut da leglao de
honra ao general Ordlnot; e Analmente outro
nomeando o general Pelissier governador ge-
ral de Algeria Interinamente em logar do ge-
neral D'Houtpoul, cuja missao estava termi-
nada. .
Noticias de Pontevedra, com data de l de
maio, recebdas em Madrid a b, annunciavain
que o general Bayona, capitao general de
(alucia, passra por aquella cidade em mar-
cha para as fronteiras Portuguesas, em con-
sequencia dos acontecimentos polticos que
tiveram logar n'aquelle pali.
Noticias de Madrid, com data de 7, annun-
ciavam que na nouie antecedente acontecer
raiuha D. Mara Chrisllna um triste acci-
dente ao voltar d'um passelo na vizinhanca
de Aranjuez. Quando se ella apeava da carrua-
gem, porU do palacio, pusera o p era
falso e fracturo!! a pero pouco cima do
artelho. Immediatainente se expediu um pro-
prlo Madrid para chamar o Dr. Drumer, o
liial tendo chegado s 3 horas da nianhaa,
fe a primeira ligadura do memoro. Na ma-
nhaa de 7 parliu D. Francisco para Araujuez
com o presideule do concelho. As 3 horas
Unha S. M. voltado Madrid, havendo de-
xado a ranha D. Chrisllna n'uui estado satis-
factorio. Tomaram-sc grandes nrecauces ao
annunciar-se o accUente ralnna D. Isabel,
por causa da sua posieao inleressante.
A 8 j nao havia mais duvlda alguma acerca
dashuacao inleressante da rainha D. Isabel.
Dlzia-se que S. M. declarara, formalmente aos
seus tres mdicos, que d'ahi ein dlante ten-
clonava conformar-se com todas as suas pres-
cripcSes, e ordenou-lhes que Ihe prescreves-
sem o rgimen, do qual se nao apartarla.
. D'est'arte, acrescentou a rainha, vos per-
tencer todo o mrito assim como toda a res-
ponsabilidade. O estado da rainha D. Chris
tina continuara a ser satisfactorio.
Noticias de New Vork, que alcancavam a 29
de abril anntinciavam a aprchensao de alguns
refugiados Hngaros, existentes u'aquella ci-
dade, e oulros, com um vapor e inuuicdes,
prestes a partir para tentarcm segunda vez
a revolucao na ilha de Cuba. O presidente
dos Estados-Unidos publicara unta proclama-
cao denunciando a tentativa, e por einquanto
pareca estar mallograda a expedlcao.
Noticias de Caycnna ( Guiana Franceza ) at
29 de marco davam por totalmente exlincta
all a febre epidmica.
O cholera nao liaba ainda desapparecldo de
todo da ilha Jamaica; porin anda demorara
cm algumas parochias centraes. Adoptavam-
se todas as medidas que a pericia medica po-
da suggerii para suspender o seu programla
e se possivel fosse, extingu-la completa-
mente.
A meiropole e a capital da ilha acnavam-se
em perfeilo estado sanitario, nao restando
vestigio algum de cholera cm qualquer da-
quclleslogarcs
Lucro da sccao durante o mesmo I
semestre cima referido
A accao perde lodo o seu valor
Intrnseco cm o p;aio de oS annos
perde logo em cada semestre j
Tirada do lucro a perda da accao j
tica liquido
Tendo rls 40.090 '/
cm seis mezes rs.2,118 *fu
de lucro est por cento na
rasode
2,500
381 /
2,118 7
x*r 880 ;713
Ae. C.
HepartiQ da Poticia.
PARTE DO DIA 4 DE JUNHO.
Foi preso: a ordem do subdelegado da fre-
guezia de Santo Antonio o Portuguez Manoel
Antonio de Arantes, por crime de furto.
dem do dia 5.
Foram presos! a ordem do subdelegado da
lreguezla de San Fre Pedro Goncalves da Re-
cife, Antonio Joaquim, por crime de roubo; e
a do subdelegado da fregueiia de Sao Jos, Ge-
raido Antonio Barbosa, para averlguacdes po-
llciaes.
dem ao dia 6.
Nao houve nesta capital oceurrencia alguma.
COMMERCI07
ALFANDEGA.
Itonilimonto do dia 14.....11:361,517
Descarregam hoje 16 de junho.
Brigue portuguez Yodo Vmcedor mer-
cadorias.
Brigue inglez Farye -- bicalho.
Patacho americano XVare -- mercadonas.
Escuna ingleza Honesta idem.
Birc portuguen S.Cruz-- arcos e vinhos.
Barca ingleza Columbui mercadorias.
Patacho brasileiro Nova Lu fumo e
charutos.
CONSULADO GERAL.
Bendimento do dia la 12 10:584,89S
idem do dia 14. .......lsM,04
11:823,911
Coja mullicada.
Ofiereeemos ao publico a leltura do ollicio
abaixo transcripto, que os empregados da con-
tadoria da Ihcsouraria da fazenda provincial
dirigirn! ao inspector da mesma, para levar
ao conhccimcnto do Eim. Sr. Souza Ramos a
expresso do reconhecimento, de que se acham
possuidos, pela honra que Ihes fez, mandando
agradecer os servicns por elles prestados du-
rante sua adminislraco. Este leslemunho de
adheso que pessoa de S. Exc. se apressam a
dar os dilos empregados. prova a meu ver,
exuberantemente a excelleucla da administra-
cao, que com pesar val para nos terminar, e o
espirito de orden c reclidao que anima os
mesmos empregados.
Abstendo-nos, entretanto, por agora de einil
lir nosso julio a este respeito, nao podemos
todava deiAr de declarar que nos apraz a Iba-
neza e ingenuidade, com que os referidos em-
pregados sadam ein sua retirada um dos
mais probos e Intelligenles administradores,
que at hoje tem dirigido os destiuos desta nos-
sa bella c inalfadada provincia.
.11. R.
111 di Sr.Os abaixo asslgnados, em respos-
ta ao ollicio que V. S. ein data de 7 do corre-
le, dirigi a esta seceo, communicando que
S. Esc. o Sr. conselneiro Jos Ildefonso de Sou-
sa Ramos presidente da provincia, se digora
agradecer-lhes os servicos que prestaram du-
rante sua adminislraco, rugam a V. S. que baja
de levar a pn sentado inesmo Ex m. Si. a exprs-
san do mais cordial c profundo scutimento de
respeito.estima e gratidode que se acham pos-
suidos,pela nimia bondade, com que os ha tra-
tado, lilh.i ccilamente da invariavel justica da
s.i bia adtti i insti aein do inesnio Exin.Sr. por mais
de urna vez exercida em prl dos ditos abaixo
assignados.e pela subida honra que acaba de fa-
zer-lhes em sua especial menco, a qual muito
os lsongeia e nao pode jamis ser esquecida
por elles, que sentm vivo prazer em recorda-
iia suapratica em'relacao aos instrumentos 1 la, mxime nesta occaslao i-m que se aproxi-
papaes ; e em conclusao referindo-se a carta de >a o dia, ein que S.c. lem de passar a seu
lordJ. Russel repprovou a publlcaco de um i succestor o cornado de dirigir os destinos des-
documento to inflamatorio em urna occaslao, la provincia, onde na verdade val deixar sau-
etu que o governo teria podido transigir coma dosas renienicencias de sua saluUr e benehea
adminislraco.
Dos guarde a V. S. Primeira serian da
Ihesouraria da fazenda provincial de Pcrnam-
buco, lidejuiiliodelS.il.
Illm. Sr. Jos Pedro da Silva, inspector da
mesmathesouraria.
O ficial-tnaior
Jos Malla da Cruz,
. Primeiroi iscripturoi.
' Luifc de Pinito Borges.
Francisco Antonio Cavalcante Cosselro.
ii Fraucisco Geraldo Moreira Temporal,
Segundoi eicrtplurariot.
Francisco de Barros FalcoC'avaleantl de A.
Alexandre Americo de Caldas Brando.
Joaquim Pedro Brrelo de Mello Reg.
ii Primeiro amanuense.
Curiolano Silvcrlo do Amar.il.
O praticante.
Eduardo Marlins Ribeiro.
Publicago a pedido.
Coma deinouslrativa do alternado e Intrnseca
valor, lucro c perda de urna aeco da compa-
n na de Ueberibe ; assim como do seu lucro
liquido, e a que rasan por cenlo est o capi-
tal, ou valor da aeco, em o semestre pr-
ximo findo.
Sexto nmti re.
Valor intrnseco da aeco em
o sexto semestre decorrido des-
de o 1." de novembro delSOao
ultimo de abiilde lSJi.
corte de Boina ; o que era bastante para fazer
recahir mu voto de censura sobre o governo.
Depois de longa discussao foi a moforegei-
tada por 280 votos coulra 20l.
Na sessu de l:'. entrn uovamente oinesuio
bil ein discussao ; e depois de um forte ataque
conlra elle, feilo por Mr. Graltan, propoz Mr.
Ileyuolds que licasse o dbale adiado.
Dlvldlo.se a casa, e o adiaineoto foi recusado
por l/'J contra 53, Enlo propoz Mr. Lavvlcss
o adiamrnto da cafa ; mas por unta nova vota-
Co foi ainda|esla mocan rejeilada por lio con-
tra 3o\
Em consequencia contnuou a discussao ale
que flnalmente Mr, Scully propoz de novo que
se adiasse o dbale e anda foi rejeilada esta
moco por36o contra t>4 : nas fazendo-se en-
to oulra moco para o adiaucntu da casa ,
lord J. Bussetl cetleu, c o dRSate licot adiado
para o dia 5 de maio.
Le-se no Liverpool Chronicle de 3 o seguinte :
a Communlcacao vapor entre Liverpool c
o Brasil.
Tcm-se assi ntado em estabelecor-ae urna
nova linha de vapores de grande lonelagem
e torca para o commercio entre Liverpool e
o Brasil. Us districlos manufacturemos da
Inglaterra e Escocia sao to iuteressados como
Liverpool uesse coinmercio, sendo a exporta-
cao da Gran-llri tinha para o Brasil da impor-
tanciade 3:l5,l79 Ib. aiiuualmeute, e para o
Bio da Piala de l:580,2llb., que niouiam ao
lodo cm mais de cinco inillnics de libras esier-
liuai i ao pauso que a exporlaco total da pro;
D1VEBSAS PROVINCIAS. .
Rendimento do dia la. 12 1:006,001
Idem do dia 14........ 113,289
1:119,290
Despachos martimos o*Q da 14.
Liverpool pela Parahiba, brigue inglez
Walter Baine, de 359 tonelladas, conduz o
seguinte : -- 1.600 saceos com 8,000 arrobas
de assucar, 186 aaccas com 1,052 arrobase
25 libras dealgoJSo.
Quenstone, brigue inglez Louisa, de 215
tonellalas, conduz o seguinte: -2,600 sac-
eos com 13,000 arrobas de assucar.
Canal, brigue sueco Pilgrim, de 328 to-
nelladas, couduz o seguinte : 3,300 sac-
eos com 16,500 arrobas de assucar.
RECEBEDOKIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 14..... 627,296
CONSULADO PROVINCIAL,
dem do da 14.......772,095
PRACA DO RECIFE, 14 DE JUNHO DE
1851, AS 3 HORAS DA TARDE.
/tenista irmaiial.
Cambios- Traspassaram-se algumas letras
de outras pracas a 27 l;2 d. por
1,000 rs., mas os saques desta
raca foram e'ectuados a27d.
ieram ao mercado 124 saccas,
e o preco de 5,000 rs. por arroba
he nominal, por quanlonao hou-
veaiu vendas em consequencia
di noticia de baixa viada pelo
Columbui.
Assucar-------Pouco procurado, tendo havido
pequeas vendas do encaixado
de su a 850 rs. por arroba sobre
o ferro; e de l ,650 a 2,200 rs.
pin ai i iiii i do illanco eusaccado
e unii in icailo, e do mascavado
de l,35(1 a 1,400 rs.
Bacalbo Tiremos um carregamento, que
ainda nao foi vendido: retalhou-
se de 8 a 8,500 rs.' por barrica, e
ficaram em ser 7,000 barricas.
t-'arne-secca Vcudeu-se de 2,200 a 2,600 rs.
por arroba, e licaram em ser
08,000 arrobas, inclusive dous
c.irregaueutos entrados nesta
semaua.
Far.de trigo Bem que o mercado fosse sup-
piido com 980 barricas de l'hila-
delphla e 4(9 de Marselha.a ex-
istente nao pa.sa de 3,000 barri-
cas, c os precos foram os mesuios,
isto he, de II a 18,000 rs. por
barrica.
Vinagre Vendeu-se de 80 a 87,000 rs. por
pipa do de Portugal.
Viuhos dem de l40a 147,000 rs. por pi-
pa do de Lisboa marca l'l'.U Un-
to, e a 160,000 rs. do branco.
Ficaram no porto 56 cinbarcac5es, sendo I
americana, 37 brasllclras, 2 dinamarquesas. I
franceza, l hanoveriana, 8 inglesas, 4 portu-
guezas, i sarda e i sueca
Movimento do porto-a
40,090 /,
Navios entrados un dia 14.
Liverpool 28 dias, galera iogleza Colum-
bus, capitao R. Creen, equipagem 21, car-
ga Uzeadas ; a Me. Calmonl & Com a-
nhia, Passageiros, o Dr. em medicina in-
glez, Citarlos Cordn e Maria Black para
a casa do Sr. C. Johnson, como criada.
New Zesland 63 dias, barca ingleza Wil-
tiain, de 580 tonelladas, capitao John Ap-
pluvail, equipagem 26 carga mastros,
vergas, 13a e mais gneros ; aocapitSo.
Vt m refrescar e sogue para Londres.
Rio Grande doSul -- 17 dias, patacho bra-
sileiro Africano, de 143 tonelladas, capi-
tao Jos lenlo de Campos, equipagem 13,
carga carne; a Arcorin Irms.
Closgow 42 dias, escuna ingleza Rachael,
capilo Jos Lafalley, equipagem II, car-
ga fazendas, carvao de pedra, serveja e
mais gneros do paiz ; a ordem. Passa-
geiros, John Wilson esua mulher para a
fundicSo.
Dromstrom 73 diss, escuna noroeguense
iini/iiifiu, de81 tonelladas, capitao W. K.
Sciiotadermor, equipagem 6, carga baca-
llao ; i S Biebeer & Compsnhia.
Navios sahidos no mesmo dia.
Babia escuna brasileira Adelaide, capitao
Joaquim Antonio Figueiredo, carga azei-
teo mais gneros.
Rio Grande do Sul brigue braailairo Al-
grete, capitao Manoel Pereira Jardim, car-
ga assucar. Conduz o escrafo Joao, do
Francisco de Souza LeSo.
Parahiba burea dinamsrqueza Waldemar,
cjpitlo. II R.'smunsen, em lastro.
Falmoulli brigue sueco l'elgrim, capilo
J. Palberson, em laslio.

MFI HOR FXFMPI AR


*m
Marseilles--brigue dinamarqucz llenrittte,
capitflo J. Tompson, em lastro.
Navio* tnliado* no da 15.
Rio de Janeiro, Baha e Mace--9 diaseH
horas, e do ultimo porto 17 horas, paque-
te de vapor 'ernambucana, de 240 tonel-
adas commandante Otten, equipagem
30. Passageiros o Exm. Sr. presidente
desta provincia Dr. Victor de Oliveira
com sua familia, 1 criada e 4 escravos,
Francisco Perera da Silva, o reverendo
I). AbbadeTrei Joaquim do Desterro, fre
Jos da Exaltado Marques, Arcenio For-
tunato da Silva, D. Francisca, da Assump-
c3o, Antonio Pedro Monteiro de Reson-
do, coronel de guarda nacional Jos An-
tonio de Mendonca, 2 pravas de pret, 7
ex-soldados.2 mulhercs e 3 Qlbosdas mes-
mas: para o norte, o capitao da guarda
nacional Domingos Adolpho Vieira de
Mello com suasenhora t) 3 ex-pracas de
pret.
Macei II horas, barca ingleza W. Itustel,
de 298 tonelladas, capitflo James Shel-
ford, equipagem 18, carga assucar, algo-
dSoe couros. Veop8ra receber a mala e
segu para Liverpool.
Ass -- 13 das, escuna brasileira Mara Fr-
mina, de 122 tonelladas, capilSo JoSo Ber-
nardo da Rocha, equipagem 9, carga sal;
h Luiz Jos de Sa Aran jo. Passageiros,
Luiz de I'ianca deCarvalho, aju tanto da
fortaleza da Itamarac com sua Familia e
1 escravo a entregar*
Lisboa 24 dias, barca poitugueza Ligeira,
capitflo Antonio Joaquim Rodrigues, c-
quipagem 2t, carga vinho e mals gneros
do paiz; a Francisco Severiano Rabello.
Passageiros, Joflo Coellio de Oliveira Cin-
tra o (criado, Antonio Concalves Ferrei-
ra, Jes Francisco da Silva, Manoel da
Cooceicao Borges, Joaquim Jos Bernar-
do de Oliveira, Francisco de Britoe Jos
Rodrigues.
Navio* sahidos no mesmo dia.
Parahiba brigue inglez Walter Baine, ca-
pilflo Andrem Gowios, carga assucar e
algodflo.
Porto Alegre brigue brasileiro Argot, ca-
pitflo Antonio da Silva Soares, carga as-
sucar o agurdente, ___
*-"" EDITAL.
<*
O Illm.Sr. inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, em cujnprlmento da reaolu-
jao do tribunal administrativo de i2 do cor-
rente manda fazer publico que nns dia iS do
im sino se ha de arrematar em hasta publica
pirante o meamo tribunal a quein por menes
fuer o servljo da capatazia do algodo confor-
me dlspe o cap. 6 do rfgulamento provincial
de 4 de junho de 1847 pelo preco de 3:000,00o
is. por anuo, sendo i arrcinataeao por tempo
de 3 annoa a cont.ir do I." de julho de iSji,
30 de Junho de 1854.
O concurrentes compareeam competente-
mente habilitados no dia cima indicado ao
ineio dia.
V. para constar se mandn afiliar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda provin-
cial de Peruambuco, 14 de junho de l85l.
. O secretario,
Antonio Ftrrtira d'Annunciaca.
m
Deca riyoes.
De ordem do Illin. Senhor director gcral
da instruccao publica, fu;o saber a quein
convier, que est posta i concurso a cadeira
de Instruccao elementar do primeiro grao da
villa d'Agua-Prcla, com o prazo de 60 dias,
da data deatc. As materias do ensiuo sao:
leltura e escripia; contar as quatro especies
em nmeros inteiros ; doulrina christaa ; ele-
mentos da grammalica da lingua nacional, e
com especialidade a orthograiihia.
Directoria geral. 10 de junho de 1851. O
amanuense archivista, Candido Euilaquio Cetai
di Mello.
De ordem do Illm. Sr. director (eral da ins-
truccao publica para regularidadc do expe-
diente, e liscallsacao das escolas, peco a todos
osSrs. inspectores dos circuios litterarios, ha-
jim de offiiciar a esta directora geral decla-
rando : I* desde quando se acao no exercicio
de suas funcres : 2" a ra, e n. da casa, e
bairro de sua' morada: 3" que neile ultimo
sentido hajam de officiar lambem ot Sis. pro-
fcsso es publico! nao pertencentes ao lyceu e
bem assim os particulares, que Uverem cole-
gios, ou aulas de un, ou outro sexo.
Directora geral i4 de junho de i85i. Can-
dido Eustaqnio Cesar de Mello, Amanuenie Ar-
rhivislii.
KEAL COMPANHIA DOS PAQUETES
INGLEZES A VAPOIt.
O vapor Tay deve aqu chegar,
dos portos do sul, de vnlta para
' os da Europa, no dia 17 do cor-
rente, e no mesmo dia prosse-
gulr o sen destino: oa Senhores que pre-
tenderem passagem para qualquer dos portos,
em que o mesmo lenha de tocar, devero
tratar anticipadamente em casa da respectiva
agencia, ra do Trapiche n. 42.
Ai malas que deve conduzir o
vapor /I>nMm6ueano para os
portos do norte, principiam-se
a fechar boje (10) a una hora
da tarde, e recebem-se correspondencias com
o porte duplo at o momento de fechar-ae.
No dia 17 do correte depois da audi-
encia d,o Illm. Sr. Dr. julz do feitos se bao
de arrematar por execucao da fazeuda-pro-
vincial os aeguintes: Urna casa terrea n. 30
na ruad'Alegria do bairro da Boa-Vista ava-
liada de renda annual em 72,000 rs. por exe-
cucao que move a mesma fazeDda contra llo-
roso Fraueisco Xavier. =>Uiua dita n. 53, Da
ra dos Guararapcs avallada por venda em
800,00 rs. por execucao que move a mesma
faienda contra Joao Athanaiio Dias. Urna di-
ta ii 8 na ra de. Miguel do bairro do Afo-
gado, avaliada de renda annual em 36,000 r.
por eiecufao queque move a mesma faienda
contra os herdeiros de Amonio Xavier da Sil-
va Urna dita u. 10 na mesma ra cima e uo
uiesuio bairro a valiada de renda annual em
36,000 ra. por execucao que move a mesma
faienda contra os meamos cima.Urna dila
n. 10 na travessa d ra Bella, avaliada de
renda annual em9C,0O0 rs. por execucao que
move a mesma faienda contra Joauna Mara
do Rozarlo__Urna dita de sobrado de dous
andares n. 71, na ra do padre Floiiauno ava-
liada de renda annual em 150,000 rs. por exe-
cucao qne move a mesma fazenda contra Car-
lota Joaquina Munli Tavares.TJuia dita de
sobrado de um andar ji. 28 na ra de Hortas
avaliada de renda aunual em 150,000.rs. por
execucao que move a mesma faienda contra
Jos Kodrlgues dos Paasos.Urna dila dita de
dito p. 5 oa ra do Cordonl do bairro do Be-
cife avaliada por venda em 700,000 rs. por exe-
cucao da inesnia faienda contra a viuva de
Fcllppe fandelra de AzevedoUm sitio de-
nominado Giqui na fregueiia da Varza com
casa de vivenda e arvoredos de fructos ava-
llado por venda em 400,000 rs., por execucao
que move a mesma fazenda contra Jos Duar-
tc llangel.Um dito de ierras proprias no lu-
Sar de S. Amaro com bastantes arvores de
lucios, cacimba, viveiro de pcixc, casa de vi-
venda terrea, pedra e cal, casimba fora, e um
telheiro que serve de estribarla avallado por
venda em 5:000/ ra. por execucao que mov
a mesma fazenda contra Elias Coelho Cintra.
COIIREIO.
Expediente da administraedo geral para a a-
gencia de Olinda.
Mala da ailminlstrac,So da Peraliiba pa-
ra essa npencia.
carta Annibal Anlr Rbciro.
Antonio Jos Barboza .de Oliveira;
> Monteiro de Moura.
jornal Biblioteca publica.
carta Belarminn Peregrino da Gama e M.
Daniel de Coveia Portugal,
a Domingos Jos de Oliveira Ribeiro.
Ernesto Pi dos Mares Guia.
Fernando da Silva Duro.
Francisco Fogesse de Bitancourt.
> Luiz Antunesde Campos.
b Joaquim da Assumpcflo.
* b Amaro de Souza Paraizo.
Joflo Antonio de Araujo e Vascnnc.
b Ferreira de Moura.
a Ladislao Japiass de F.
b b b dos Santos.
b Jos Antonio Falcflo Bran ISo.
b Joaquim de Miranda H.
b b de Lima Nobre Jnior.
b b b Luiz de Almeida Coulo.
1 jornal e 1 carta Jos Perora da Silva M.
1 carta Luiz de Cerqueira Lima.
b a Manoel llenrique de Faria.
"jornal JezuinoFerreia.
2 B
ReJactor do lbum Acadmico.
Ib b a Bello Sexo.
a carta Severino Alves de Carvallio.
> Ser;. lim Alves da Bocha Bastos.
B B B MuniZ Harrelo.
Junho, 14 de 1851.
O administrador, Gomes do Correio.
Cartai tegurai tinda do sul peto vapor Pernam-
bucano.
Bernardlno de Senna da Silva Guimaraes,
Francisco Mamede de Almeida, Jos Antonio
da Cunha Sr Irmao, duas cartas, Jos Carlos
Teixeira, Manoel Alves Guerra Jnior, Poluce-
na Rosados Prazeres, Rufino Jos Correia de
Almeida.
Theatro de Apollo.
Hoje 16 do corrente ter lugar o beneficio da
cantora Marieta I.anda. que por motivoa im-
previstas nao se pode effectuar no sabbado.
- .....-JBWTO
visos martimos.
Pasa a Itahia segu viagem com brevidade
a sumaca J'nraguaistl, recebe carga frete ;
Eara o ajuste a fallar com Joiio Francisco da
rui, ra da Crus n 7.
Vendc-sc a sumaca nacional Carlota, bein
construida, forrada de madeira c cobre de
composlco, e pregada de cobre anda nao
ha dous annos, prompa de ludo para navegar,
um bom aparclho &c ; quein pretender pdc
examina-la no Forlc do Mallo-, fundiada ao
p do trapiche d'alfaudega, a tratar com
proprietario, Jos Goncsves Simas, ou com
Luiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz n 33.
Vende-se una lancha nova, que pe-
ga de trinta a quarenta barricas, a a qual
se acha em perfeitissimo estado, bem co-
mo tres botes novas, ludo por prego com-
modo : na ra do Vigario, n. 11, primeiro
andar.
Segu para o Aracaly o patacho Sania
Cruz, com brevidade : para carga o passa-
geiros 11 ala -se ao lado do Corpo Santo, loja
d* massames n. 25.
Para o Bio Grande do Sul seguir muito
breve a sumaca Firmea, nova e de boa mar-
cha recebe carga a frete e passageiros i trata-
se com os consignatarios na ra da Cadeia do
Recife arinazem n. 12.
Leiles.
- Jos Jeronymo Monteiro far leil.io ( em
lugar do transferido por causa dachuva ), por
iutervencan dj corretor Oliveira, de avultada
porcao de fazendas inglezas, todas de lei, e as
mais proprias do mercado : Segunda-feira 16
do corrente, s 10 hoiasda manha, no seu ar-
mazem, ra da Cruz.
= O corredor Miguel Carneiro lar lellao no
dia terca-feira 17 do corrente as 10 horas da
manhaa no seu armaiem na ra do Trapiche n.
40, de diversos trastes novos e usados, louca,
vidros, candieiros.quadros, espingardas, pisto-
las, relogios e outroa mullos objectos que se-
ro vendidos por todo o preco: assim como ao
melo-dia em ponto ir a lellao una porcao de
calas com vinho bordeaux.
m C. 1. Aslley & C. farao lellao por Interven-
cao do corrector Miguel Carpeiro de um com-
pleto sor limenin de fazeodas, quarta-feira 18
do corrente as 10 horas da manha no seu ar-
maiem na ra do Trapiche n. 3.
Kalkmann limaos farao leiln por in-
lervenco do corretor Oliveira, de grande sor-
timento das melbores faiendas de seda, llnho,
l, e d'algodo, e as mais proprias d'este mer-
cado: tere i-l'eir.i, 17 do corrente, s 10 horas
da luanh.la, noseu ariuazem, ra da Cruz. _
BBBSl
Avisos diversos.
=3 Precisa-sc fallar ao Sr. Joaquim da Silva
(iiiimaraes, chegado da Parahyba, e como se
ignore sua residencia, roga-se-lhc queira au-
niincia-la, ou dirija-se a piaca da Independen-
cia, livraria ns. 6 e 8.
Grande sortimento de chapeos deso de
todos ns procos, qu'liilaJes e ramanhos,
tanto de seda, como de pao, para liomcns
e snnhorss, igual sortimento do sedas c pa-
o c.n pecas, para cobrir ermagOe.s servidas,
lialeias para vestidos e esparlhos de se-
nhoras, consertam-se todas a qualidades de
chapeos de sol, ludo por menos prego do
que em outra qualquer parte.
Aluga-se um sobrado na ra Imperial n.
39, de um andar, dous soles. commodos para
grande familia, lerrayo, bom quintal e ca-
cimba : quein pretender, dirija-se a ra daa
Cruze junto a padaria n. 28, terceiro andar.
Tendo a mesa regedora da irmandade do
Senbor Sanlissimo Sacramento da freguczla
do Kecife convidado, por annuncios reiterados
nesta folba, a seus irinaos reunirem-se para
a eleif o da mesma mesa, s comparecern! o
escrivo e thesoureiro; assim pois torna de
novamente a referida mesa a convlda-los para
o da 18 do corrente, s 10 horas da manhaa.
Precisa-se alugar urna pre(a, queengom-
me perfeitamenle, preferindo-se captiva, para
casa de pouca lamilla : a tratar na ra do Tra-
piche n. 3,
Recominendamos ns pssois que vao a
F.uropa nos vapores o Sr. Carlos Figuciredo,
portugus estabelecidn nn.Soiilhampton co-
mo agente, no qual encontrarn, nlt da van-
tagem de fallar a mesma lingna, toda a probi-
dade, Intelllgenciac aclivldade.
CARLOS O. riGUKlitF.UO,
AGENTE DA AZ.GANDEGA E SE NAVIOS,
12. Orchnrd Place
SOL'THAMPTON.
Recebe e eipede com preatea e economa
mcrcadorias. bagagem e effeltos d qualquer
naturezc ordem.
Esclarece os viajantes sobre a chegada dos
paquetes < suas partidas, dirigindn-osno mais
dequp hajam myster. Obrlga-se a tomar con-
ta da bagagem, eft'eltos, ele de passageiros.
Becebc faiendas commissao.
Tendo sido dissolvido o balalho oltavo
de cacadores que folcominandanleo lenente-
coronel abaixo asslgnadfl, este julga nao de-
ver a peisoa alguma desta cldade, e bem as-
sim os ofliclaes, que servlram de agente nos
annos de 1849 at iS5i, nicos, que compra-
ran para o dito balalho objectos de f.n ll-
menlo e rancho ; com ludo ae alguma pessoa
se julgar seu credor.e do extincto balalho por
mel deste jornal pede, que seja chamado a
pagamento, antes que se retire para acorte.
I.uil Jotr Ferreira.
Precisa-se alugar um sitio com casa de
vivenda e pasto para algumaa vaccas, que ae-
ja as immedia((5es do Recife, cuja distancia
nao exceda a urna legoa pouen mais ou me-
nos, tendo este as commodidndrs precisas, nao
se duvida pagar bem:-quein tiver e qul/.er
alugar, dirija-se a ra das Larsngelras n. 13,
primeiro andar.
Perdeu-se o mel bilhete n. 1032, e os
quartos ditos n. i 1 e 133, todos da loleria que
correu no dia 12 do corrente, pertencentc
matris da Boa-Vista : pede-se por tanto ao Sr.
thesoureiro que os nao pague, seno a seu pro-
prio dono, que he Cypriano Luiz da Paz.
Qualquer senhor de engenho, que preci-
zar de mestre para ensinar fra seus ftlhos pri-
meiras letras e traduir francs, procure as
Cinco Pontas defronte da fortaleza, que ah en-
contrar quein se offerece da-los promptos no
eapaco de 3 annos.
Na ra de Hortas n. 124, existe urna ama
com multo e bom telte.
Precisa-se de um forneiro para urna pa-
daria nos Apipucos, e paga-se bem : a tratar na
ra Direita n. 69.
Senhore rtdaetorei. Acbava-me a 6 annos
no estado completo d'uma parlisia geral sem
accao alguma dos membros, e da falla inha-
bilitado de promover os meios vlvendo das esmolai de algumas1 pessoas com
que ia-me alimentando, e a minha familia, c
j cani-aiio de exgotar todos oa remedios ca-
zriros, eos recursos da medicina e afinal des-
engaado, s esperava o termo dos meos afle-
ctivos dias, quando eoube que tlnha vindo a
esta cldade o muito presllmoso, e caritativo
Sr. Dr. C. L. Malct com a sua multo mil ma-
quina Galvnica ; inmediatamente procure!
valendo-me de sua caridade o qual rom
innlor prn/er, e disvelo acolheu-me e logo apli-
coii-mc os choques da maquina, e apenas llnlia
soll'rido quatro choques ja me achava como
revivendo, e andando, fallando mals desem-
barazado, e com 11 choques acho-me bom, se
nao perfeitamente ao menos capaz para pro-
mover os meios de subsistencia, sem que para
tal curativo me quizesse levar paga, mais que
os meos agradeciinrntos. Restando-me em
signal de minha gralldo e a bem dos que co-
mo eu snffrem tao lerrivel molestia fazer esla
declaraco.
Queirao pois Srs. redactores emserir em
sen muito lindo Diario estas mal tracadas li-
lil as com que muito bem fara ao publico, e
emparlicular ao seu muito obrlgado servo.
Menoel Cousiriro VeTdejel.
Desappareceuno dia 7 do corrente, pelas
8 horas da imite, a preta Joanna, crioula, de
id ole :i:> aiiiins pouco ni lis ou meaos ; foi vista
no pateo do Carino pouco lempo depois da fu-
ga, c dirigio-s- pela ra da Concordia levou
um ropo de rlscado escuro c urna trouxa de
roupa, he inulto fallante, c quaodo falla est
semprc rindo-se ; falta-lhe todos os dentes da
frente da parte superior; he muito conhe-
cida nesta praca, pertenceu ao Sr. Cuilher-
mc da Silva Guimaraes, na ra do < respo.
deuois ao coronel Antonio Maria de Souza, e
ltimamente ao Sr. Jos Gomes Ferreira de
Souza. Pcde-sc as autoridades policiaes c ca-
pites de campo mulla vigilancia sobre a dita
preta, por ser muito ladina, c roga-se a pessoa
que a pegar de leva-ta na ra Nova n. 17, loja
Ch Rnbert que ser generosamente recom-
pensada.
Roga-se a pessoa que acliou um tabo-
leiro.com tres flandrespequeos e um gran
de : quer.'ndo restituir, dirija-so ao Corre-
dor do Bispo, em urna meiugoa junto a ca-
la nova.
Precisa-se de urna negra quintadeira,
que seja diligente, para vendagem : na ra
dosMarlyrios n 9.
O Sr. Luiz de Souza Bandeira, queira
ir, ou mandar, no Aterro da Boa Vista, so-
bra 'o ti. 10, para receber urna carta.
O Sr. Msnoel Comes Barboza de Arau-
jo Pereira, queira ir, ou mandar, ao Aterro
da Boa Vista,sobrado n. tu, ou responda as
cartas que se Ihe tem eseripto.
Precisa-se alugar um sobrado, ou casa
terroa em algumas dss principaes ras do
bairro de S. Antonio, que tenha commodg
para familia, e que o seu alugucl nflo exco-
da de 200 a 300,000 rs. annuaos : quom ti-
ver, annuncie.
Pede-se as autoridades policiaes, que
facam respeitavel a lei da assembla provin-
cial, que prohibe ofogo solt, quo at os ne-
s captivos sol ou, e a lei que os prohibe
muito bem entendida, porque fogo sol-
causa nimios damnos.
Aluga-se urna escrava para o servico
de portas a dentro, coze, engomma, cozi-
nliii, ensaboa, serve bem urna sala, trata
bem de tr inioos com carinho: na Passagem
entre as duas pontes, primeiro sobrado do
lado direito, portflo de ferro.
A mesa regedora da irmandade do Sr.
Bom Jess das Dores, em S. Gousalo, parti-
cipa ao respeitavel publico, que por moti-
vos mui ponderosos, foi transferida a Testa
de sau Padroeiro, para o dia lo de agosto
prximo vindouro.
Precisa-se de dous contosders., com
hypolheca em um sitio : quom tiver, an-
nuncie.
-- O ebaixo assignado, rnga a 11 on for
olerucnlo um niiel'm. gratule, oitavado e la-
vrado.com a flrma M J.M., deo tomare
leva-lo a seu dono, na relinaQSo da ruada
Concordia n. 4, que gratificar.
ManoelJoaquim Milheiros.
Desappareceu do lugar dos Coelhos ,
oa noute de 12 para 13 do corrente, um ca-
vallo alazam caxito, com quatro sinaes
brancos, sendo um na testa, outro pequeo
no beigo, outro no p direito e outro na
mflo esquerda, com os ferros seguiutes, na
Minia oircila ,i e mais 2, e Da esquerda S :
quom o pegar leve-o ao mesmo lugar dos
Cuelhos,casa n. 13, que ser recompensado.
No dia 18 do corrente, vai a praga por
venda, depois da audiencia do Sr. Dr. juiz
uiuoicipal da i.' vara, ni sala dasaudieo-
-----------1
cas, a casa de sobrado meiagoa de 3 anda-
res, siU na travessa do Encantamento e he
a ultima praga.
Desappareceu da carteira doescripto-
rio do corretor Miguel Carneiro, urna cartei-
ra de algibcir, com fexo de mola, cor ro-
xa e dourndg, contendo 19,000 rs. em sedu-
las, um papel de apontamentos, alguns bi-
lhelos do visita e urna chavinha : quem a
quizer restituir, 00 dor noticia, ser bem
recompensado no dito csrriptorio.
A pessoa que annunciou por este Dia-
rio, precisar de 800,000 rs., com boas fir-
mas : dirija-se a ra do Bangcl n. 30.
Preeisa-se de urna ama que tenha bom
8 bastante leite, quesej, pelo menos, de 4
a 5 mezes, preferece-se sendo do mato, pa-
ga-se acontento: na ra do Collegio n. 9,
primeiro andar.
1 ni ;i ri(l>:>I.
De erysipela e rheumatismo, com encha-
gSo, ou sem ella, se|a anligo, ou moderno,
preservativo contra roturas e quebraduras,
emodo do fazer seu uso, cura radical dos
testicolos, sem sofrer operago, nem dor
alguna, cura radical dos escrotos, sejam
csrnosidades, erysipelas, ou hydroceles ( a-
goas), os remedios para todas estas moles-
tias : vende-se smente no Bio de Janeiro,
na ra do SabBo n. 27, e em Peinimhuco,
na ra do Collegio n. 18, botica de Peixolo
& Pinto, acnmpanha os ditos remedios a ma-
neira do fazer seu uso e dietas quo devem
ter as p.essoas quadcllesizerem uso.
Precisa-se de um homem para fedor de
um sitio, que seja casado : trata-S" na tra-
vessa do Veras na Boa Vista, sobr. d i n. 15.
-- Aluga-se urna canoa nova, de carga do
milheiro de lijlo de alvenaria groas*: quem
dclla precisar, dirija-se a ra da Concordia,
ultimo sobrado, a Manoel Firmino Fetreira.
Os arrematantes do imposto de 2,500
rs.. por cabeca de gado, que fur-consumido
no municipio do Recite, pretendem vender
as freguezias de Muribcca, JaboatSo, Var-
zea e S. Lourcneo, juntos ou separadamen-
te : os pi i ii n 'entes, compareeam al o dia
20 do corrente, na ra das Cruzes n. 30, mu-
nidos dahabilitares docostume.
. Precisa-se de urna ama de leite, forra
ou escrava, que tome conta de urna crianza
para criar : na tu Nova n. 16.___________
Compras.
Compra-se una veneziana: na ra Lar-
ga do Bozari') n. 26, loja de miudezas.
Compra-se um escravo de 40 a 50 an-
nos, que nSo seja duente : na ruado Viga-
rio n. 33.
-Compra-se pao de 1 nho vclho, pro-
priu para curar feridas : na botica da ra
do Itang 'I, que faz esquina para a Itiheira.
Vendas.
Hoje depois de urna hora da tarde es-
tar a venda na praca da Independencia a. 6
c 8 o relatorio do Kun. Sr. Soma Ramos,
por occosio da entrega da administrado da
provincia a 320 rs, cada um excmplar.
LIVRODESORTES.
Depois de um atralo traballio de muitos
seculos, o por occasiSo de escavar-so aci-
dado do Pompea deseobrio-se
AUliNAFAT.VL,
OS
Ifestino* humanos
ou
SORTES PARA OS DIVERTIMENTOS-',
u .s
Dias rtc S. Antonio, S. Joio c S
Cedro.
Este impoitante livro sabio a luz pela pri-
meira vez no anno lindo, em um vol. de 286
paginas, e com 704 versos, aue abrangem
os desejos dos vvenles, priucipalmenle das
aenhoraa que tamo ambicianam saber qual
seu deslino no anno que leni de vir : o que
elle contem be de urna verdade tal que
quem o consultar deve ficar persuadido que
infallivelmente Ihe succeder o quo a sorte
Ihe tiver prognosticado. Vendo-se a 1,000
ts na livraria ns.6 e 8, da Praca da Inde-
pendencia.
Sortea.
Na livraria da pregada Independencia ns.
6 e 8, vendem-se folhas de papel com sortes
a 80 rs. cada urna, e o seguinte livro:
Acasos da fortuna, ou livros de sortes di-
vertidos, etc a 640 rs.
Aos 20:000,000 de rs.
Na ra Nova, loja n. 6, de Alaia
Hamos c\: Companliia, vendem-se
pela primeira vez bilhetes, meio*,
quartos oitavos c vigsimos da
loleria de S. Pedro de Alcntara,
cuja lista deve chegar pelo vapor
inglez Tay, que se espera em 18
do corrente ; por isso, roga-se aos
amantes do magnifico jogo, que
se dignem experimentar a sorte,
na nova casa cima referida; rece-
bendo-se em pagamento biliietes
premiados deoutras quiesquer lo-
teras do Imperio.
Deposito le salitre,
Vende-se salitro refinado em grandes e
pequeas porches, por mais barato preco
do que em outra qualquer parte: na loja
de ferragens de Francisco Custodio de Sam-
palo, na ra da Cadeia do Itecife n. SC.
lllicti lo Rio tic Janeiro.
mis ao:ooo,ooo rs.
Na loja da miudezas da Praca da Indepen-
dencia n. 4, vendem-se bilhetes inteiros,
meios, quartos, oitavos e vigsimos, da 15.'
loleria a beneficio do thealr de S. Pedro
de Alcntara, que se espera a lista, no dia
17, pelo vafor inglez; na mesma loja rece-
lieni-s bilheles premiados da luteria da ma-
triz da Uoa Vista, em troca dos que tem a
venda e se musir a lista da lotera da ma-
triz da Boa Vista.
Vende-se um oculo pequeo : no lar-
go do Pilar n. 13.
Vende-se por menos de seu valor, urna
cama de Jacaranda, he nova e anda nSo es-
t acabada : no largo da Assembla n. 8,
primeiro andar
Veude-se um cvalo ruco, que foi de
carro e que serve para raiga: nitravessi
da* Boa Vista, sobrado n. 15.
Vende-se um checheo muito em con-
ta : na ra Direita n. 120.
Vndese um molalinho de toa an-
nos, propriopara pagem.ou aprender offl-
eio : no Aterro da Boa Vista n. 65.
vende-se urna preta, cora 30 oanlos
annos de Hade, ganhariclra da roa : na ra
do Livramcnto, pniieiro andar do sobra-
--'vendem-se chapeos finos de pello,
francezes, a5o6,000rs.: na ra Nova, lo-
ja n. 23, de Antonio Comes Villar. .
Vendo-se urna preta creoula, de idado
25 annos, que cozinha o diario, engomn,
lava de sabSo o varrola: na ra Imperial
,-Vende-so urna negra muito moca, sa-
bendo engommar, cozer e cozmhar o dia-
rio de urna casa, nSo tem vicios, nem acna-
quos, o que so alianza ao comprado na ra
da Ordem Terceira de S. Francisco, sobra-
do n. 6, das 9 horas do da em vante.
-- Vende-so um cabriolet descoberto ,
muito elegante o de ptima construccSo,
com cvalo, ou sem elle : na ra da Cadeia
do Recife n. 1. _
Vende-se um preto moco, de nacao o
bonita figura, proprio para todo o servico :
na ra do Crespo n. 1, segundo andar.
Vendem-se couros garroteados bran-
cos, vndos da Baha : na Praga do Com-
merco n. 2, primeiro andar.
Vende-se urna molata, de idade 2o an-
nos, que suba cozinhar, engommar, fazer
bicoorenda, tem bonita figura: na ra de
S. Rila n. 67. .
-- Vende-se um sobrado do 2 andares e
sol3o, natua da Guia n. 36, com armazem
no fundo, o com a frente para a ra do A-
pollo n. 7 : trala-se na ra do Queiraado,
loja n. 17.
Vende-se sement do coentro, afian-
Ca-se a quali'lale, a 160 rs. a garrafa: no
bairro da Itoa Vista, ra da Trempe n. 5, e
na ra Velha n. 57.
-- Vendem-se 3 portadas de pedra de ex
cellente qualdade, as quaes tem soleira,
por preco coarHioJo : na ra de S. Rita, ao
p de urna venda n. 99.
Vende-se urna caixinha nova de litho-
grapho, ou abridor, que conlom compassos
completos, raspador, tira Indias, 6 burz,
tsouris o urna folha de ac para preparar
peonas litbographicas: no Aterro da Boa
Vista n. 1, loja.
Na ra das Cruzes n. 22, segundo an-
dar, vendem-se 6 escravos. sendo 4 pretas
de 20 a 26 annos, bonitas figuras, que en-
gommam bem, cozem cliflo, coznhame la-
vara de sabflo, e um lindo muleque de 14
nnnos, que cozinha o diario do urna casa a
uo tem vicios, nem achaques, e um pti-
mo par.de para to io servico, e um creoulo
ptimo catraJro, de tolo servico decampo
e mesmo para o servico da prac.
Vendem-se 2 ricos burros, dos que vie-
ram ltimamente de Buenos Ayres, muito
novos e gordos, mansos, de roda e de carre-
gar cargas, proprios para carro : ni ra da
Cadeia, das 10 horas as 2 da tardo, pois se
vendem por precisSo, e por isso deve ser
muito em conla, a vista da honJade delles."
Venle-se urna escrava creoula, de ele-
gante figura, moca, sem molestia alguma,
de boa conducta, o que se alianca, sabendo
lavar muito bem, cozinhar e engommar,
mal, entende alguma cousj de costura, sen
ultimo preco he 600,000 rs., o motivo da
venda se dir ao comprador : na ra da Ma-
dre Dos n. 1, segundo andar.
CAL RUANCA DE JAGUARIBE.
- Na ra dos Pires n. 19, bairro da lloa Vis-
ta, vende-se tr,uito boa'cal branca, a 1,280
rs., o alquetre, conformo a porgSo quo o
conjurador houver de precisar, se far mais
abatimento, urna carroca nova e um bol
muito manso, por preco muito em canta.
Attenofto.
Na ra do Cabug, loja de miudezas do
Duarte, vendem-se sortes, para o dia do Mi-
lagroso S. J i.'io, pelo diminuto preco ds 40
rs., cada urna.
Bilhetes do Rio de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Na loja de miudezaf da I'raca
da Independencia n. 4, vendem-
se bilhetes inteiros, meios, quar-
tos, oitavos e vigsimos da decima
quinta loteria, a beneficio do lliea-
tro de S. Pedro de Alcntara, na
mesma loja recebe-se bilhetes pre-
ciados da loteria da matriz da Boa
Vista, em troca dos que tem a
venda.
Loteria lo Rio le Janeiro.
aos 20:000,000 de as.
Na Praca da Independencia, loja n. 3, quo
volta para a ra do Queitnado e Crespo, ven-
dem-se bilhetes, meios, quartos, oitavos e
vigsimos, da decima quinta do theatro de
S. Pedro de Alcntara.
Lotera lo Rio le Janeiro.
Aos 20:000,000, 10:000,000, 4:000,000,
2 000,000 e 1:000.000 do rs.
No cambio da Viuva Vieira & Flhos, na
ra da Cadeia do Recife, n. 24, acham-se
a venda os muitos afortunados bilhetes ,
meios ecautellas da 15.' lotera a beneficio
do Ibeatro de S. Pedro, dos quaes vem a
lista no vapor inglez, e Irocam-se por bilhe-
tes ,remiadcs da loteria da Matriz da Boa
Vista, a ellos antes que se acabem.
Loteria lo Rio de Janeiro.
AOS 20:000,000 de as.
Na casa feliz.
Nos quatro cantos da rus do Queitnado,
loja de lazendas n 20, vei.dem-so os muito
afortunados bilheles, meios, quartos, oita-
vos e vigsimos da decima'quinta loteria do
theatro do S. Pedro de Alcntara, cuja lista
ehega ele o dia 16, na mesma loja trocam-
>i< pelos bilheles premiados da loteria da
Boa Vista.
Loleria lo Rio le Janeiro.
Aos 20.000,000 e 10:000,000 de ris.
Na loja de calsado da Praca da Indepen-
dencia o na ra da Cadeia do Recife n. 46,
loja de miudezas acham-se a venda oa
meios bilhetes. quartos, oitavos e vigsi-
mos, daa loteras, decima terceira da Cari-
dade e dcima quinta do theatro de S. Pe-
dro de Alcntara, que tem de vir as listas
pelos vapores, da carreira e inglez.
Pagos em descont.
Meios 11,000
Quartos 5,500
Oitavos 2,800
I Vigsimos 1,300
R FNCONTRADO



Deposito la fabrica le Todos os
Santos na Rnliin.
Vende-se, em casa deN. 0. Rieber&C.,
na rui da Cruz n. *, algodSo transado da-
quella fabrica, muito propno para saceos de
assncar o roupa de escravos, por preco com-
modo.
*
;>
Arados americanos.
Vendem-se arados americanos ver- ,
v> dadeiros, chegados dos Estados- <-
& t 111ilos : na ra do Trapiche n. 8. -C5
f&AAAAAAAAA AAAAAAA(ftAA4A
Vendem-se saceos novos do estopa ,
rom duas varas, a 320 rs. : na ra larga do
Itozario n. 48, primeiro andar.
(iiicni lelxo.ru Cortes de chita do melhor gosto a 1,920
e 2,240 rs.
Na ra do Crespo, loja da esquina que
volta para a Cadeia, acaba de chegar um
completo sortimento de cortes de chita,
rom IScovados, a 1,920 rs.', e inteiros, a
a 2,240 rs. ; pe^as de madipolflo (Ino rom
pequeo toque de avaria, a 3,000 rs.; ditas
de algodSozinho, a t,600, 1,800 e2,000;
chalet de 19a e seda, a 4,000 rs., e cortes do
rasimiras do ultimo gosto, a 6,400 rs. e ou-
tras multas fazendas de hom gosto.
Cern de cnrnanbn.
No armazem de Domingos Itodrigues de
Andrado& Companhia, na ra dosTanoci-
rns n. 5, vonde-sa superior cera de varnau-
ba, ltimamente viudas do Aracaty, em
porcito e a retalho, por menos preco que
em outra qualquer parte, assim como sola e
couros miudos.
Corran le pressn peclilnclia.
fe 4,500 e 5,000 rs. o corte.
Na ra do Queimado, loja n. 17, ao p da
de
lo, situada na Kibeira do Rio da
Parabiba, diston'e de Pcdras de
Fogo 7 legoas, cuja lazenda tem a
legoas de comprido e meia de lar-
go, com trras de plantacSo de al-
godao e criaco de gado, boa casa
de vivenda com oflicina de fazer
azeitc, machina de descarocar al
godao c prensa de enfardar,' po-
dendo o comprador escolher a par-
te que niais-lhe convier : trata-se
em Pedras de Fogo com o Sr. An-
tonio Dantas Correia Jnior, e no
Recifc, com Luiz Antonio Perei-
ra na ra do Queimado loja
n io.
Novo Hvro le sortea.
O orculo, ou o Hvro (toa tlrsti-
nos, o qual Col propriedade exclusiva do
do um ptimo oleiro; 2 pardos de 25 a 30 ] Imperador Nipolco, traduzido do Caste-
annos, sendo um sapateiro e que tambero'Ihano da 22 edicilo inglezas, tondo sido
traballia decarpina; 2 pardas de 15 a 20 an- antes do allomSo de um antigo manuscripto
nos.com habilidades, sendo urna propria egypcio, encontrado no anno de 1801, por
para ama de casa; 3 pretil com perfeilas M. Somnini, em urna dasreaes tumbas do
habilidades, de cozer, marcar, bordar n fa- alto Egypcio. Esta obra de rica invenco
cambraias, com listras decores,a 3,600 rs..
o o covado, a 320 rs.; ditas desnlpicos de
cor a 3,000 rs., e o covado, a 300 rs. ; pegas
de cassas abortas para mosqueleiros.a 3,000
rs.; chitas de cores (isas e bonitos padroes,
a 5,000 e 5,500 rs., a peca ; ditas do mada-
poIBO largos para forro, a 2,400 rs. o outres
fazendas, por precos commodos.
Vende-se um muito bonitomoleque,
creoulo.de 9annos, de urna pessoa queso
retira : na ma larga do Rozarlo n, 35, loja.
4 Para nolvas e bailes sol>cr Regise sublimes vestidos do mais
j) importante c delicado blonl de rama-
4 ge, assim como de eilraordinarioe l>
4 superior setim de peso, todos bran-
> eos o ricamente bordados, com finis- ?
4 simoretroz d'alvor brilhante : ven- e>
") dem-se na loja pernambucana de An- #
4 tonio I.uiz dos Santos, na ra do tjV)
4 Crespn. II. O
Vendem-se 4 moleques de 18 a 20 an-
nos, sendo um ptimo sapnteiro; um dito
do 8 annos; C prelos de 25 a 30 annos, sen-
jer lavarintn o todo o mais servico de casa,
e mais 3 com algumas habilidades e pro-
i prias para todo o servico : na ra do Colle-
gin n 3.
4 Vendem-se cortes do vestido de clii- I
4 ta, de padrd s muito bonitos e cores
( (xas, a 1,600 rs, cada corte ; ditos
'4 de cassa do cores tambem fixas, a
1,760 rs. ; alpaca de algodiio ntescla-
botic, vendem-se cortes de casimiras
cores escuras, muito encorpadas, proprias'^ ,|a, propria para casacas c palitos, a
para a presente estacSo, a 4,500 e 5,000 rs. ,1Z 280 rs., o'covado ; cortes de calsa do
e muito linas, a 5,500 e 6,000 rs. ; pao lino ,.* meg casimira, padrOes tal e qual de
preto e azul, de cores fixas, a 3,500 e 4,000! ,; casimira, a 3,000 rs., o corte, e outras
rs., o covado ; cobertores de 13a muito BD>|Z multas fazendas baratas : na loj do
corpados, a 1,600 rs. ditos muito grandes,j 4 sobrado amarello, nos qualro cantos
do Porto, a 3.000 rs. cada um, e outras fa-^ jg ra do Queimado 11. 29.
zendas. por preco mais barato do que em -^-^?*->^.,->->->*???->-
outra qualquer parte.
(era de carnauba.
O 'mais superior que ha nesle genero, ven
de-se em porcao e a rclalho : na ma da l'adeia
do Urdir, loja d. 50 de Cunha ai ainorim.
Instrumentos le msica.
Fabrica de Variz.
Na ra Nova n. 9, vendem-se clarins, cor-
netas, pstes, trompas, Irunipes, pritos de
Constantinopla, oboes, clarinetas, requintas
e todas as qualidades de violoes, rabercas,
flautas t> flautins. .
Vende-se resina deangico a relallioe
por atacado, a 320 rs., a libra : na ra da
Cadeia doliecife, loja de JoSo Jos deCar-
valhoMorues.
AO ROM F. BARATO.
Ra do Passein-Publico, loja n. 9, de Albino
Jos Leite, vende-se corles de ineia casimira
escuras, pelo diminuto pirro de 1,400 res,
chapen! de sol, asteas de balea com barras
a 2,510 ; a riles antes que se arabem. lliilas
sem defeito algum a 1-20 rs. o colado, ditas
rozas linas e finas 200 rs., cobertores muito
emeorpados, proprios para escravos, at>4rs.,
cambraias, da India, bordadas, proprias para
cortinados, a -i u rs. a vara, diales de chita
a 640 rs., lencos de seda, padrfies de limito
gosto, a l.i ti" rs., diloa de cambraia com bicu
a 320 c a 480 rs., brins de linlio azul e de
cores a 320 rs. o covado, leiifos de cambraia,
denominados vapor, a itlll rs. e oulias limitas
fazendas que dcixam-se de aniiuciar para nao
oceupar lempo.
-- Vendein se (ementes do coentro, mui-
to nova, a -.mu r-., agarrafa, alianria-sea
qimlidade : no Atierro da Roa Vista n. 14.
.No Alieno ila Boa-Vista, il tiro li-
te la bonecn.
He chegado o bem couhecidos sapatOes
de Nantes, muito propiios para a eiUcSo
prsenle ; ditos do Aracaty, tanto pata ho-
ii de couro de lustro, feitos na Rabia, a 3,1)00
is. ; ditos do Aracaty, a -2,500 rs.; ludo a
troco de dinheiro.
NO Atierro la IJon-Vistn, Icfron-
te la lionera.
He chegado rcssenlemente um novo e
completo sortimento de calsados francezes,
do todas as qualidades, que se vendem mui-
t baratos, alim de te apurar dinheiro.
Tecas le algnila-Kinliocoiii ava-
lia a IS, 12N0, 144o rs.
-- Ka ra do Crespo luja da esquina que
vnlia para a Cadeia vrude-se pecas de alsn-
do-zinho com a varia a l,0(iO 1,280 1,44o rs.
r anda cominua b vendrr-se os mullos a-
credilados cobertores de tapete a 720, e ou-
tras fazendas por preco commodo.
Vendem-se na ra da Cadeia do ReciTe
loja de Joflo Jos de Carvalho Moraes, penas
de ac superiores c um par de oculos de un-
i, feitos em Lisboa, de milito bom gosto.
Vendem-se 2 moleques, de ii;,.i 18 an-
uos, creoulos, muito boas figuras, bu- ta-
ra todo servido, tanto da pra(a, como de
campo; um preto de 30 anuos, Ion para
lodo o servido; urna cabra de 30 anoos, en-
gomma, faz renda, coze e cozinha : na ra
do Collegio n. 21, primeiro andar.
=c Vendem-se relogios de ouro sabonete, pa-
tente inglez: em casa de Geo kenwoilli ,\ ;.,
ra da C'rui) n. 2.
Vara te acabar.
Vendem-se cera de carnauba, primeira
soile, a 5,500 rs.; sapalos brancos para mi-
ninos, a 500 rs.; pennas de cois, couros de
cabra ecliapeos de palha, ludo superior,
pelo prego be de gra(a : na ra da CaJeia
do Kecifcn 49, primeiro indar.
A 2,ooo rs. aperinlia.
Ni loja da ra do Queimado D. 3, defron-
te do becco do l'eixe Frito, vendem-se pe-
cinhas de cassa chita de muito lindos pa-
drOes, pelo baratsimo prrrn de 2,000 rs. a
pecinha, dar-se-hSo amostras com o com-
petente penhor.
Grande pechinelia.
Riscados azues de qualro palmos de lar-
gura, proprlos para vellidos de escravos, a
160 rs., o covado: na ra do Crespo n. 10,
loja de 1. I. de It Taborda.
Vende-se cevadinlu em garrafoes a 3,200
arroba na ra da Cruz Armazem n. 148,
No deposito de e^pintos, na
travessa da AJoda n. 5, adia-
se t,venda, nova porcao te garra-
ibes iie verdar!eira agoardente de
cana : quem se quizer prover des-
ta boa pinga, laca-o quanto antes
que a .sal a se est lindando.
Aova- cambraias pura vestidos.
Al ra do Crespo, loja daebquiua, que
vin pan a Cadeia, vendem-so corles de
PAltA ACAHAR-.'F.
Vende-sc, na ra do I.ivrainrnto loja n. II,
-ipio.s de duiaque preto, para senhora, obra
muito boa, pelo baratissimo pre9o de !>00 rs.
0 par, c de marroquiui, ptimos para casa,
a 400 r.
REDES DE MARCA.
Vende-se lindas redes de marca, por commo-
do preco, na ra da Cadeia do Uccil'e n. 23.
ATTENCAO.
Ao bom e barato.
Quem quizer pcnipar, venhl ver e com-
prar, pois o ganho de quem vende lica as
mSos dos compradores esemrre firam lo-
grados e mal servidos seus amos o seus M-
nhoies, no Al rro da lioa Vista n. 51, venia
ao p da loja do Sr Lslima, e na r,ia Nova
n. 71,vi!da da esquina ao p da pon", ven-
dem-se OMRIllote: manti-iga inaleza da
mi'l'ior, a 560,180 e 210 rs. ; dita francezi,
a 4s0 rs ; lanli', a 320 rs. ; cha do melhor,
a 2,000 rs. ; dito, a 1,600 rs. j espermacite
do6e7eni libra, a 640 rs. ; cbocolalu di-
Lisboa, a 360 rs. ; I ni' h i do n.Maiiliil ', a
80 rs. ; dita de nraruta a 160 rs. ; bolaclii-
nha dita, a 2i0 rs., e a lata inleir, a I,lie
rs. ; dila ingleza, a 240 rs. ; castinhll pe-
ludas de Portugal, a 80 rs.; caf e-n gro, s
160 rs ; toucinliu de Lisboa, a 200 rs.; tillo
i'e Santos, a 120 rs ; volas de carnauba di
6, 9, 20 e 40 em libra, a 320 rs.; sevidl en.
gr9o, a 100 rs. ; arroz do maranho, a 60
rs.; alelria a 240 rs.; talhariiu e niacarrSo,
a Hiiii s.; vinho da Figueira, a 200 rs., a
garrafa ; izeite doce, a 560 rs.; azeilonas,
a 200 rs. ; millio, a 1G0 rs., a cuia ; arroz
pilado, a 320 rs. ; dit) de casca, a 12D rs. ;
feiJSomolatinho, a4U0rs. ; milho alcista,
a880rs. ; painso, a480rs ; setveja pela i-
1 ranee, garrafas e meias ditas, charulosde
valias qiialidadcs, vinho engarrafa lo mul-
to superioi ; qurijos, a 1,5i0rs., c outio-
iiiais geni-ros muito baratinhos, pois de lu-
do se dar amostras e alianca-se que os fre-
guezrsserSo bem servidos, ta tilo em pre-
sos, como em qualidades.
'iaia liaiiio- X (.'. lia l'tia Nova
II. (i.iu'i'.lwilc reeeber, viudos de
Lisboa no illimo ni.vio, os sc-
xuintes retratos oa qviaes vende-
r muito em eonta:
Duque de lliaganca, I). Mni-i II rrinlia
i!e l'oitugal, el-rc I) l'ernandn II, conde de
Thomar, general duque de Saldanha, gene-
ral Curdes, coronel (iblamha, D. Cezar de
Vitconcelloi, Flelo, general Povoai, loi
It. Costa Cabral, conde das Antas, duque da
Terceira, duque de Plmela, bario da li-
beira de Slbroza, visconde de Sa da llandei-
ra, Ala.ei'la Cairel, Rodrigo da Ponseea Ma-
gallnles, Eduardo J. Solter, Silvestre l'inhei-
lo Perreira, e oulros muilos persoiugens
de llespanha, assim como colleCQes dos
reis do Portugal, e algumas visla* iios aire
baldes da invicta cidada dol'oito, collec-
QOes dos successos de D. Lnez do Castro, e
linalmenle ricas estampas de Santos, con-
tendo a colleccSo dos apostlos.
A 2$ "><)> rs. o par.
Sapatdes de couro de lustra a 2,.'i()0 rs. o par,
obra ba : no Atierro da lloa-Visla, 1 j i de
c .ilrail n. 58, juuto ao seleiro.
Corte le casimira le cor e preta.
0^* Cortes d 3 casimira preta, muito li-
nos, a 5,000 rs o corte ; ditos de cores de
muito bom goslo, a 6,400 rs. ; cortes d
cambraias de listras decoren, muito linas,
a 3,600 rs.; ditas com salpicos tambem de
cores, a 3,000 rs. ; carapu'a de algodiio de
cores, a 240 rs., cada urna e outras niuila.s
fazendas de bom goslo, por diminuto pre-
i;o : na rua do Crespn-. 6.
Vende-seo em enh > Agoa Fria, na fre-
guezia de Ipojuca, dislantoll legoas desla
cidade, e urna legoa do embarque com as
obras seguinles:--casa deviveuda, grande
caprlla com imagens, um grande armazem,
casa de I nnlia e de purgar, rom anJames,
encaixamentn, eslufa, casa de relame, com
assenlo e tanque, casa de engenho para
moer rom auna ou animacs, a qfial conlem
moenda de ferro, rasa de caldmas com to-
das as suas laxas, etc., estribara, -enzalla
de lijlo com 20 casas, urna grande casa de
volulo, que servia de deslillacSo, ou qual-
quer outro mister. Adverle-se que o pro-
pietario do engenho, que faz venda para re-
ir suas diviiias, vende tamboni a safra no
campo, e entrega iiumediatamente o enge-
nho, logo que lor concluido este negocio,
seja qual for o inez em que elle se lealise :
trta-se nosla cidade com llernardo Josda
Cmara, na Praga da Hua Viftl.
Vende-se a terca parte rja
fozenda denominada Maria de Mtl-
para nos, fui propriedade exclusiva doNa-
poleSo, onde elle consultou todos os passos
de sua vida, como se vera de suas cartas es-
cripias om S. Helena, e transcripta no prin-
cipio da mesma obra, acdba de chegar do
Rio, onde pela primeira vez fui vertida em
porluguez : vende-se por 3,000 rs., no Pa-
teo do Collegio, casa do livro azu"
Vende-se urna rica montara, sendo ja-
que ebonet de veludo preto, selini nglez,
ludo sem uso algum: na rua do Cabug, lo-
ja de miudezas de Francisco Joaquim Duar-
te, se dir quem vendo.
Vcnde-se um cavallo de cabriole!, mui-
to novo c com ptimas qualidades : na rua
da Cadeia n. 1, sedii.
Vendem-se 3 escravos, sendo urna pre-
ta creo ti la de 18 annos, bonita esadia;3
pretos de 24 o 25 annos, sadios, fortes e bons
trabalhadores em armazem de assucar : na
rua da Cruz do Rerife n. 6, primeiro andar.
Vende-se um deposito, com 10caixe
para 6,000 arrobas de assucar, um braco do
balanza e suas conchas, urna outra deci-
mal e 12 arrobas em pezos, tudo em bom
estado, por s servir em urna safra : na rua
da Cruz do Recife n. 6, primeiro andar.
Vende-se a bem acreditada taverna,
sita na rua da Calsada n. com pouros fun-
dos, tem commodos para pequea familia,
a dinheiro ou a praso ; trata-se na travessa
da Madre de Dos, armazem n, 13, das 9 ho-
ras as 2 di tardo.
Vende-se a ,-irin: c;no de amarello, en-
viilriii;ada, e quom a comprar su aluga a lo-
ja em que esta colocada, na rua Nova n.
58, d-se em conta a quem zer negocio
nest-s lidias.
Capadlos proprlos parasnln.
Vendem-se superiores capachos, pintados
e brancos, e de varios lmannos, por prego
muito ('Din i o lo ; na rua do Queimado, lo-
ja de miudezas n. 16, juuto a luja de cera
u. 33.
Vendem-se livros em branco
de diversos Icmanlios penas de
neo, cabos de manillia e de linbo,
soceos com fardo, tudo por com-
modo preco : na rua do Trapicha
n. 11.
AOS SEMIORESOUR1VES.
I i 11 i un ,, 1.1 completa para servico de ourlves
entre ellas peca de novo goslo : na loja de Per-
raucos n. 5 A da na da Cadeia do Recifc de
Antonio Joaquim Nidal.
I'ara acabar, sarja licspanliola,
linipa, boa, a l,i>20rs.
Vemle-se sarja limpa espanhola, muito
larga, boa fazenda, a 1,920 rs : na rua lar-
ga do liozaiio u. 4N, primeiro andar.
Charutos.
Vendem-se os verdadeiros charutos da
llavana, de superior qualidade : na rua da
Cruz n.4.
MOLO DE SAN JOAO.
Ricas formas para bolos, na loja de ferragem
n. .Mi a. i!.i rua da Cadeia do Recifc de Antonio
Joaquim Vidal.
COZINHA.
Completo sortimento de pecas de ferro forra-
das de porcellana e estanto e outras mullas
pecas de novo goslo proprias para servico de
. i./ nl. i, assim como multas outras ferragens
pai a servico de casa e campo; na loja de fer-
r.igrns n. 5G A. da rua da Cadeia do llecife de
Automo Jouiiuim Vidal.
anua un-riada a 2 Sor-, o
covailo-
Defronle do becco do Peiie frito n. 3, vende-
te ganga inesclada de qualro palmos reforja-
dos de largura pelo baratissimo preco de qua-
lone \ nius o covado, esta lazenda lie recom-
mendavel nao s para jaquetas e calcas, como
i ni.I" ni para palitos e casacoa.
\ i nilr- se nin.i pm i .ni de palhas de coquei-
ro: quem quizer pode dirigir-se a rua do i.iuei-
mado, Inlii n. 38.
\ i un r una taberna mullo bem afregue-
/.ada, com oslundos avoutade do comprador :
na rua Je lionas n. 52.
Vinho lo Porto.
Vende-se vinho do Porto, de superior
qualidailc, engarrafado e em barriz: na rua
da Cruz n. 4.
A os amantes do bom e barato.
Vendem-se na ma da Aurora n. 32, latas
com supeiior bolachinba de ararula fabri-
cada no Rio de Janeiro, a 2,240 rs. e a libra
640 rs., bolacha americana lina, merca gran-
de c pequen', a 200 rs. ; manteiga ingleza
superior, a 800, 700 e 500 rs.; dita francesa,
a 560 rs. ; banha de porco muito alva a
320 rs.; toucinho de Lisboa, a 200 rs. ; dito
de Si utos, a 140 is. ; iiugpicas novas de
l.islio.i, a 400 rs. ; paios, a 280 rs. ; farinha
de tiigo SbS, a 100 rs. ; dila do ararula, a
160 rs; gomma para engommar muito al-
va, a 160 rs.; farinha de tapioca, a 120 rs. ;
sevadinlia, a Mus; sevada, a160rs.; ale-
lria, lelliai un e macarrSo, a 240 rs.; sabo
branco, a 220 rs., amarello, a 140 rs. e preip
a 140 rs.; gracha em boflo, a 160 rs. ; dita
em latas do autor americano los Masn, a
140 rs. ; garrafas de serveja branca o preta,
a 500 rs. ; meiasditas, a 280 rs. ; vinho do
Porto engarrafado, a 500 rs.; dito muscalel
fronlignaii, a 480 rs.; azeile fraucez, a 560
rs.; viiilio de Lisboa, a 280 rs.; Figueira, a
210 rs.; licor lino, a 480 rs.; azeile poilu-
guez, a 640 rs.; vinagre puro de IMtlt, a 160
rs. ; traques, a 240 rs ; assucar da relina-
clo franceza da rua Ja Concordia, a 120 e
100 rs.; copos para luz, a 160 rs.; cafe, 1160
rs.; moido puro, a ?*0 rs.; queijos novos,
. 1,690 e 1,440 rs.; papel branco, a 40 rs.;
ervilhas, a 100 rs.; velas de espermacete fi-
no, a 680 rs. ; ditas de carnauba a 300 rs. ;
passas novas, a 240 rs.; pratos da beira azul,
a 1.080 rs.; liglas, a 1,080 rs. e tigelinhas,
a 800 rs. ; orjns brancos, a 360 rs. ; bacas
ditos, a 360 rs., sendo pintados, a 560 rs.;
bules, manteigueiras e assucareiros, todo
por prego ooromodo; arroz do maranhSo, a
100 rs.; genebra hollandeza em frascos, a
500 rs. e em botijas, a 300 rs.; chicolate, a
100 rs.; cha hysson, a 1,800 rs.; dito brasl-
leiro, a 1,700 rs.: n* mesma casa se encon-
trar urna pessoa, que desoja ser emprega-
da na administrado de um sitio, sugeitan-
do-se Jrabalhar, sendo perto da praca, e
compra-se cobre velho om obras inuleis.
Vende-se urna escnvi de bonita figu-
ra, ensigne engommadeira e costuroira ,
borda e faz doces de todas as qualidades e
bolinhos, s se vende para fra da provin-
cia, ou para o mato : na rua da Cadeia do
llecife n. 51, primeiro andar.
Vende-se um escolente cvalo do sela,
com todos os andares e est muito gordo,
fez a pouco a ultima muda e hetalveaum
dos melhores que ha nesta praQa : a ver na
cocheira do Redro Allain na rua da Sen-
zala.
Vende-se a casa terrea n. 140, na rua
das Cinco Ponas f trata-se na rua do Cres-
po n. 17.
Vcndc-sc urna loja de miudezas, muir
lo afreguezada, lauto para a piara, como
para o mato, a dinheiro, ou a praso, dando
garante as letras o comprador, o motivo
porque se vende se dir: quem quizer, an-
ouncie.
Vendem-se as seguintes se-
mentes:
de abos, ditas de ditas inglezas, ditas de r-
banos encarnadas, ditas brancas, ditas de ce-
blas de Setubal, ditas de alface allamaa,
ditas repolliudas, ditas de cve trinchada, di-
tas de senoura amarcllas, ditaa de chicoria, di-
tas de coentro de toceira, ditas de salsa, ditas
de tomates grandes, ditas de repolho, ditas de
espinan-e, dita de pipinclla, ditas de aipo,
le pi, carrapato de tres qualidades, ervilhas
tortas c dreitas, rabanetes encarnados e bran-
cos: na rua da Cruz n. 46, defronte do Dr.
Cosme. Namesuia casa vendem-se queijos in-
glezes inulto frescaes.
Para piein inizer galibar 11-
nbeiro.
Vende-se um cosmorama composto de
multas vistas, das mais bellas e importantes
partes do mundo, e todos os seus pertences,
como vidros ecandteiros, etc. ; qualquer
pessoa que queira fazer fortuna, j viajan-
do pelas capitaes das provincias, como pe-
las cidades e villas do interior, no deixa-
i a de r..l henil u i lo- lucros, altendendo prin-
cipalmente, que nos lugares do ioterior,
pouco ou nada he conhecido esse passa-
lempo e genero de recreio, com o qual
muito aproveitaro os habitantes do ren-
tro, vendo bellas e curiosas vistas origi-
naes, o que poder produzr grande con-
currencia de admiradores, e desl'arte em
poucos mezes, ter-se-ha feito boa fortuna :
trata-se na rua do Sol n. 15.
Deposito de cal e pnlassa.
No armazem da rua da Cadeia do Pecife n.
12, ha muito superior cal de Lisboa em pedra,
assim como potassa chegada ltimamente a
preco muito rasoaveis.
Fazciulas por u nietaile le sen va-
lor, na rua lo Crespo n. t.
Cortes de chita finas, com 12covadcs, a
1,920 rs-; dito de cassa chita, a 2,400 e 2,800
rs.; chapeos de maca pretos. a 800 o 1,000
rs.; corles de brim listrado delinhopuro
a 2,000 rs.; alparkade cordilo proprias para
casacas o sohrerasscas, a800rs., o covado
e niuitas oulras fazendas baratas: na loja
cima referida.
Potassa la Rusia*
Vende-se potassa da Itussia, recentamen-
tlnados de cama com 8 varas c mela a 3,400
rs., chapeos de massa para escravos a 480 rs.
cada um : na rua do Crespo n. 6.
Tnixas parn cngcnlio.
Na fundico do ferro da rua do Rrum,
acaba-se de receberum completo sortimen-
to do taxas de 3 a 8 palmos de bocea, as
quaas acham-se a venda por preco com-
modo, o com promptidflo embaTcam-se, ou
carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Vende-se
Arroz de casca,
Farello novo,
Cha preto,
Chumbo de municao,
Cimento,
vende-se ludo por presos commodos : no
armazem de J. J. Tasso Jnior, na rua do
Amorim n. 35.
0 Aloihio para saceos. f>
t -Vende-se muito bom algodSo para
av saceos de assucar, por preco comino- >
,'t do : em casa de Ricardo Royle, na 0
$| rua da Cadeia n. 37. #
?fli :H W'.wRS8; !^
Bombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas c picota para cacimba :
na rua do llitiin ns. (i, 8 e lo,
fundico de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambSo de sicupira e bracos
de ferro ; na fundicSo da rua do
Brum ns. 6, 8 e io.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior yd nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
na barca Lgeira.
Tecido de algodo trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucare roupa do
escravos.
Escravos futidos.
le chegada, e de muito superior qualidade ,
na rua do Trapa h n. 17.
Mor ma* superiores.
Na fundicSo de G. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-se veuda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
rnns.rnrriin muito superior
Vende-se um grande sitio no logar do
Manguinbo, que lica defronte dos sitios dos
Srs. Carnciros, com grande casa de viven-
da, de qualro agoas, grande seuzalla, co-
cheira, estribara, baixa de capim que sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
bomba e tanque cobcrlo para banho bas-
tantes arvoredos de fructo: na rua da Con-
cordia,primeiro sobrado novo de um andar.
Arados de ferro.
. Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Vendem-se na Iravessa da Madre
Dos n. 5.
Erva mattt.
Fumo em iolha.
Farinha de mandioca.
Gigos de garrafas pelas e
brancas.
llolhas para ditas.
Ancoras de peroba.
MrfffVfffffV fffffffff 3
J Deposito de lecidos da fauri- *|
.> ca de Todos os Sanios, <
jj na Baha. ^
c> Vende-se em casa de Domingos Al- *
- > ves Matlieus, na rua da Cruz do Re- *-
=>" cife n. 52, primeiro andar, algodflo *
* transado daquella abrica, muito pro- *
prio para saceos e roupa de escra- 2
T vos, assim como lio proprio para re- ,
", des de pescar e pavios pare veilas, ^
;> por proco milito comino lo. <-
Fazenda mais barata do que em
outra parte.
Cobertores de algodao escuro para quem
tem fri a 720 rs. cada um, cortes de uriin
branco trancado de llnho puro a 1,800 rs., di-
tos escuro a 1.600 rs. o corte, riscados de ll-
nho a 220 e 320 rs. o covado, riscado de algo-
dao trancado muito rncorpado proprio para
escravo a 180 e aOO rt. o covado, picote a 180
rs. o covado, zuarte aiul de 5 palmos de lar-
gura a 540 rs. o covado, dito de cor a 200 rs. o
covado, riscado fraucez muito tinosa 240 rs. n
covado, chita para,cobertas decores lias a200
rs. o covado, ditas paia vestidos a 100 e 18O rs.,
cassa chita cores fixas a 440 rs. a vara, casto-
res proprio para palitos a 280 rs. o covado,
pecas de cassa de quadros para habados e col>
Deappareceo, na nonte do da 3l do pas-
sado, do engenho Santo Andrr, na freguezia
de Una, c preto crioulo Joo Mariano, orficial
de sapateiro, comprado a Jos da Fonceca e
Silva, a 19 de fevtrelto deste auno, com os
signaes seguintes : belide no olho eaquerdo,
di/, elle que proveniente d'um couce de ca-
vallo, e pelo que tem uina slcatriz ua.ei.trc-
midade superior do nariz, do niesmo lado
esquerdo ao p do ouvido para traz da orelha
tem outra cicatri longa e bem saliente, cara
larga e bexigosa, fornido do corpo, de altura
11 p.nlar, e lera 30 annos, pouco inals ou me-
nos, levou do inesiiio engenho um quarto
em que fui montado, castauho andrino, boni-
ta ligura, grande, carnudo, castrado, p di-
reito calcado, com 1 marca -P- na p esquer-
da: roga-se s autoridades policiacs c capi-
taes de campo a aprehensao, e levando-os ao
supra dito eugenho ou no Atierro da lloa-Visla
n. 3t, que scrao generosamente recompensa-
do. I-tresna vn fui visto passar no engenho
9, Paulo, em Serlnliaeui, no dia iinmediatu.
onde he conhecido de muilos, por Joo Piloto.
Ilrsapp II n rn HO dolllillgU 8 do COII Cllte,
um negro de naco MocaiiibiqueofAclal de pc-
Jreiio, por noine Jos, q'icalguus o apellidam
por Jos Cangullo e Jos moleque, o qual fui
escravo muilus annos do Sr. Manoel Joaquim
Percira. genro do Sr. Uelem do Forte do alio,
tendo falta de denles na trente na parle su-
perior, secco do corpo, estatura regular, olbos
vivos, muilo ladino e tallador, lirm conhecido
por todos os mestres e nlliciaes de pedreiro
desla cidade, levou chapeo de pello preto, ja-
3iu-t.i de pauno c calca branca. Recoinmeu-
a-se e pede-se a todas as autoridades policiacs
e capitaes de campo, tanto desta como as
mais provincias viiiuhas, de o capturar e leva,
lo a rua da Aurora casa n. 24, ou a rua >'o
Queimado n. i4, que ser bem recompensado-
- Qualquer Sr. encarregado de polica,
ou capito de campo, podersd aprehender
o escravo Francisco, nacSo Mozambique,
que anda fgido, com os signaes seguintes :
baiso e reforjado, barba eita, cabas de al-
godSo da trra, comprida, ecam" mo com mangas curtas, ceg de um olho :
tragam em casa do seu senbor, na rua di
Cruz do llecife n. 12, que gratificar.
Desapparoccu no dia 23 do p. p., do
engenho i'indohnha, um escravo creoulo.
de nomo Joaquim, o qual foi comprado a.>
Sr. Torquato llenriques da Silva, morador
tiesta praca, o escravo he alio, seco, cor fu-
la, tem parle da barba branca, representa
ter 45 anuos, tem a mulher nos Afogados a
qual he forra, e j foi visto nesta praca :
quem o pegar, leve-o a rua do Livramenlo,
loja de fazendas.n. 16, que sera recom-
pensado.
Ilesappareceu em o mez de fevereiro
p. p., m escravo de nomo Jos, de nariio, o
qual representa ter de 30 a 40 annos, cora
os signaes seguintes : -- tem urna belide em
um dos ollio.-, seco do corpo, altura regular
e pouca b iba, levou camisa eseroula de
algodSo da trra, pouco desea,baracado na
falla, o qual foi comprado ao Sr. Tbomaz
Antonio Macicl Monteiro : pede-se' ai auto-
ridades policiaes ocapites de campo, on-
de quer que elle seja encontrado, que o
prendan), e que por esta mesma follia u an-
nunciem para ser procurado, ou o levem a
seu seahor Joflo Francisco do Hego Maya,
na povuarflu de Apipucos, quuseram gene-
rosamente recompensados.
= No da l do corren le desappareceu um pre-
to com os signaes seguintes ; idade de 4U a ,">
anuos, altura regular, cor fulla, com algui
cabellos brancos, cara redonda, inui pouca ou.
iieiiluim.i barba, ollius royados, c em un una
pequea belide, denles de cima com Pallas, per-
nas turlas para deulro, e urna inais que outra
e lina,, pes apallieados bastante, e uui dedo
do p un i.nle corlado; quaudo anda coieia e
cabe paia dlaale, por ter um joellio grosio,
cliaina-se Zacaras, lie mitocouliecido por ler
iilhcio de caiador : roga-se a qualquer pessoa
do povo, capitaes de campo que o vir o prrii-
dain e iiindu/.aiii-lio a i na dr Itoda U. I08,C|UC
ser bem recompensado.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJH2CLVZR_GBFFRW INGEST_TIME 2013-04-13T00:27:00Z PACKAGE AA00011611_06370
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES