Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06362


This item is only available as the following downloads:


Full Text
?T
tai
Anno XXVTI
_
Quarta-teira 4
FAB.TID-S DOS CORBEIOS.
Goianna e Parahiba, s segundas e sextas feiras.
Hio-Grande-do-Nprtc, todas as quintas feiras ao
roeio-dia.
Garanbans e llonilo, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas feiras.
Olinda, todos os das.
PHEMBBIDZa
rNova, a 30, as C h. e27 m. da t.
n I Gresca (i, as 4 h. e 8 m. da t.
Piusas LU*J{;heU- a l3; i h. e M ,. da t.
[mar,, a 21, as 3 h. e 42 tu. d t.
FBBAM1B DE HO JE
Primeira s 8 horas e 30 minutos da manha.
Segunda s 8 horas c 54 minutos da tarde.
de Junhode 1851.
N. 127
DAS DA SB1SAHA,
2 Seg. S. l'.rasmo. Aud. do J. d'orf. e m. 1. v.
3 Tere. S. Ovidio. Aud. da Chae., do J. da 2
vara do c. e dos feitos da fazeoda.
4 Quart.S. Qucrino. Aud. do J. da 2. vara,
fl Qulnt. S. Mariano. Aud. orf. e do J. m. da
primeira vara,
Sext. S. Norberto. Aud. do J. da 1. vara do
eivcl, e dos feitos da fa enda.
7 Sab. S. Roberto. Aud. da Ch. c do J. da 2. v.
do civel.
8 Dom. Paschoa do Espirito Santo.
_-*raT-.-.T-..--jjjMmiiM miu >i n Tiimirirtan' uaiia*arj-'W~
FBEqo DA SOBSCaiPIJAO
Por tres mezesfadiantados) 4/000
Por seis metes SJooO
Por un anno. 15^000
CAMBIO DE 3 DE JCKHO.
Sobre Londres, a28 d. p. 1/000 rs.
Paris, 340 por fr. nominal.
Lisboa, a 95 Mm,. oa,.
Ouro.-Oncashespanholas..... 28/000 a 28/S0n
Moedas de 6*400 vclhas. lb#W a 16*200
. de 6/100 novas lb/000 a lf
. de 4|000....... 0/000. g$
Prata.-Patacdes braslleiro..... 1/M0 MK
Pesos columnarios..... |*J-> ,,;,.
Ditos mexicano......... 1/700 i 1/70U
T'<- -".OCKlaS'UMBBS*ieSPaB
PARTE OFFICUL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
LE N. 285.
Jos Idelfonso de Sousa Ramos, presidente
da provincia de Pernainbuco. Faco saber a lo-
dos os seus habitantes que a asse'inbla legis-
lativa provincial decretou, e eu sanecionei a
le segulnte:
Art. 1. Flca appi ovado o coinpromisso da ir-
inandadedo Divino Espirito Santo do Po-d'A-
Ibo.
Art. 2. Ficam revogadas todas as disposicoes
cin contrario.
Mando portanto todas as autoridades a
quemo conhecimento e execuco da referida
lei pertencer, que a cumpram e facam cuni-
prir tao inteiramentc como nella se conten.
O secretario interino da provincia a faca impri-
mir, publicar e correr. Cidade do Rccife de
pernambuco, aos 13 das do mez de malo de
18511 trigsimo da independencia e do imperio.
L.S.
Jos Idelfonso de Souza llamas.
Carla de lei pela qual V. Exc manda execular a
resoluco da aesemblia legislativa provincial, que
houvc por bem sanecianar, approvando o compro-
mino da irmaniade do Divino Espirito Santo do
l'o-d'Alho.
Para V. Exc. ver.
Francisco Lucio de Castro, a fez.
Sellada e publicada nesta secretaria da pro-
vincia de Pernambuco, 13 de inaio de 1851.
Antonio Francisco Ptreira de Carvalho.
(legislada as folhas... do livrosegundo de ieis
provlnciaes, aos 15 de maio de 1851. Secreta-
ria da provincia de Pernambuco, aos 15 de
inaio de 1851.
Joo Polycarpo dos Santos Campos.
EXPEDIENTE DO IA 26 DE MAIO DB 1851
Offlcio.A thesouraria de fazenda, inteiran-
do-a, aiiin de que faja constar ao inspector in-
terino da alfandega e ao administrador da me-
ta do consulado, que achn-se restaurado o con-
sulado da repblica franceza nesta provincia e
cucar regado da gerencia do mesmo, o respec-
tivo cbanceller. Fieram-se neste sentido as
convenientes communlcacoes.
Dito. Ao inspector do arsenal de marinha,
approvando o contrato, de que remellen copia,
e pelo qual Joo Crrela da Silva se obrigou a
mandar conduzir para a Parabyba no hiale Tres
Irmios os objecin viudos da curte cun destino
aquella provincia. Neste sentido ofllciou-se
ao Exm. presidente da mesma.
Dito.Ao director do arsenal de guerra, con-
cedendo a autonsaco que pedio para despen-
der a quanlia de 250,000.rs com a compra dos
objectos necessarios para fornecimento de lu-
zes no mez de junbo prximo futuro as fortale-
zas, guardas e quarteis dos corpos da guarni-
cao desta provincia. ~ Iulelligenciou-se a pa-
gadoria militar.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fa-
xenda provincial, para mandar adiantarao pro-
curador fiscal da mesma thesouraria a quantia
de 450,000 rs. que requisita para occorreras
despezas judiciaes da dita procuradoria, de-
vendo posteriormente prestar contas. lntei-
rou-se ao referido procurador fiscal,
Dito. Ao director interino do collegio dos
orphaos, para maudar recolher a quclle colle-
gio, afim de ser alli educado, um menor que
lhe ser mandado apresentar pela administra-
(So dos estabelecimentos de caridade. Com-
luuncou se mesma administraco.
Dito. Ao mesmo, dizendo, ein resposta ao
seu officlo,que o professor de piimeiras leltras
daquelle collegio est sujeilo aosrespeclivos
estatutos e nao ao rrgulamento de 12 do cor-
renle acerca da inslrucco publica.
Dito.A administraco dos estabelecimentos
de caridade, Hiendo ficar sciente de haver no-
meado para coadjuvar o boticario do grande
hospital de caridade e o respectivo ajudante
nos Irabalhos de que esto incumbidos, illa-
noel Pedro de Alcntara com a gralificaco de
45,000 rs. mensaes, bem como arbitrado a de
50,000 rs. annuaes ao dito ajudante aleui do seu
ordenado.
Portarla. Mandando por ein liberdade os
recrulas Antonio Franco c Joo Antonio por
terem sido julgados lucapazes do servico, pela
junta de saude.
Dita, Mandando dar passagein para o Para
como passageiro do governo no primeiro va-
por que passar para o uorte a Custodio Jos da
Conceico, que teve balxa do servico.
IDErM DO DA 27.
Ofilclo. Ao director geral interino da ins-
trueco publica, lnteirando-o de haver, de
conforinldade com o art. 88 do rrgulamento
provincial de 12 do crrente ; concedido a li-
cenca que pedio o professor jubilado Joaquim
Rapbael da Silva para abrir nesla cidade es-
cola particular de grainmalica latina.
Dito.A pagadorla militar.-dizendo em res-
posta ao seu officio de 19 deste mez, que as
despezas a faier-se com a rubrica arsenal de
guerra no resto do presente excrclcio, devem
correr pelo supprimento que ein ofliciode 5 do
mesmo mez uiandou faier aquella pagadoria,
o qual liea reduzido a 17:384,577 rs. pelo abate
que se tem de-eflecluar dos 6:000,000 rs. desig-
nados para laes despezas na tabella que se re-
fere o aviso de 2 do correte. Neste sentido
ofnciou-se a thesouraria de fazenda e ao direc-
tor do inesmo arsenal.
Dito.A thesouraria da fazcuda provincial,
para mandar adianlar aos cogenheiros Joao
Luiz Vctor Lieutbier a quantia de l;200,000rs.
para concluso dos reparos da pontesiuha de
Santo Amaro, e Fioriauo Desir Portier igual
Suantia para conservaco c reparos da estrada
a Victoria conforme requisita o director das
obras publicas. Commuuicou-se ao mesmo
director.
Dito.A mesma para que, a vista do certifi-
cado passado pelo director das obras publicas,
mande pagar ao arrematante de um lanco de
atierro da casa de delencao Manoel Francisco
Cardoso, a quantia de 200,000 rs. importancia
da ultima prestaco que tem direilo, visto
ter ordenado o recebiinenlo definitivo da men-
cionada obra. lntelligenciou-se ao referido
director.
Dito. Ao primeiro supplcnte do delegado
de Garanhuns dizendo que a deipexa que se
houver de fazer com as duas guantas de que
trata o seu ofncio de 18 do corrente deveui
correr por con ta da cmara municipal daquella
villa.
Dlto.Ao director das obras publicas autori-
saudo-o a venderos cinco bols oulr'ora pcrteii-
centes as obras da estrada da Victoria, deveado
mwurfiaaaMiHi.......m n-Motae, **ar*~. e^^-.^-sstSBtr^t^jssaarmmmimm
I
o seu producto ser rccolhido a thesouraria
provincial. Ofnclou-se neste sentido a mes-
ma thesouraria.
Dita.--Ao mesmo para que revendo a plan-
ta e orcamento d caes do Apollo, organlse ou-
tros que, dando a obra a mesma solidez, seja
entretanto mais econmico, devendo-os remet-
ter ein duplica.
Portara.Nomcando, de conformldade com
a proposla do dezembargador chefe de policia
interino, a Luis Antonio da Silva para o cargo
de primeiro supplente do subdelegado do se-
gundo dlstricto da freguezia de Iguarats.
Inteiligenclou-se ao inesmo dezembargador.
Dita. Nomeando, de conformldade com a
proposta do dezembargador chefe de policia
interino para os cargos policiaes abaixo decla-
rados, os cidadaos seguintes :
Termo do Amneiro.
Delegado Joaquim Antonio Crrela Galo.
Fregnetia de Nasarilh.
!.< dlstricto.
Subdelegado Jos Faustino Marinha Falcao.
2 o dislricto.
Subdelegado Joao Marque* Racalho.Scirn-
titicou-sc ao mesmo chefe de policia.
Dita.O presidente da provincia resolve exo-
nerar a Claudino Augusto Ceiar Freir du car-
go de subdelegado do districio de Timbauna e
Dito. Ao director do arsenal de guerra de-
volvendo a conta ein duplicis, que se refere
o seu ofliciode 22 do corrente, para quevenha
cm separado a despeza feita enm cada una
das guardas, que se forneerram os objectes
mencionados na referida conta.
Dito. Ao director do lyceu dizendo em res-
posta ao seu ofncio de 28 do crrente, que de-
ver ser conservados com as inesmas altribni-
cSes os serventes que actualmente cxlstcm na
quelle lyceu.
Portarla.Mandando p6rem librrdade o re-
cruta Antonio Jos Prudente por ter aprese li-
tado isempcao legal.
DEM DO DA 31.
Ofncio. Ao commando das armas, para
mandar postar em frente da igreja de Kossa
Senhora doRozario da freguezia de Santo An-
tonio, amanliaa a hora do costuine, urna guar-
da de honra, fim de asslstir a festa de Nossa
Senhora da Boa Hora eacompanhar a procissao
que a tarde tem de sahir da mesma igreja.
Dito. A pagadorla militar, ioteirando a de
haver asscniado praca no quarto batalhao de
artiDiaria ap o paisano Manoel Antonio deOli-
veira que. nos termos do decreto e regulamen-
to de 18 de novembro de .'848 e do aviso de 30
de outubro do anno prximo psssado, contra-
tou para servir no exerci'.o mediante a gratili-
Mocs, termo de Goianna, considerando vago o cacao de 180,060 rs., que lhe sera paga pela
lugar de terceiro supplente do mesmo subde- forma j estabelecida. lntelligenciou-se ao
legado por se ter mudado daquelle dlstricto commando das armas.
Pedro da Cuuha Cavalcante, que o oceupava,
nomeia, de conformldade com a proposla do
dezembargador chefe de policia interino dala-
do de hoje a Antonio Jos Guimaraes para
substituir o primeiro e a Ernesto .'iistiniano
da Silva Freir para o referido lugar de tercei-
ro supplcnte. Neste sentido ofliciou-se ao
referido chefe de policia.
IDF.M DO DA 28.
OlTicio. Ao commando das armas, intei-
rando-o do disposto no aviso da reparlico da
guerra de 13 do corrente. no qual se determi-
na que faca seguir com toda a brevidade para
a provincia do Piauhy, alim de ser all conve-
nientemente empregado o tenentedo nono ba-
talhao de infantaria Jas Joaquim de liarros.
Intelligenciou-sca pagadoria militar.
Dito. --Ao inesmo, communicando que por
decreto de 10 do corrente, segundo constou de
aviso da reparlicao da guerra de 12 do mesmo
mez, se coucedeu paisagcm para o corpo da
guarnicao tixa de Minas Geraes ao tenenle-co-
ronel graduado do nono batalhao de infanta-
ria Jos Pinto da Silva. Scieutilicou-sc a pa-
gadorla militar.
Dito. Ao mesmo, transmitllndo copia do
aviso circular do ministerio da guerra de 12 do
corrente, no qual se declara que aos presos
sentenciados ou em processo nao se deve prr-
miltir que saiam das priscs, salvo nos casos
indicados em dito aviso.
Dito.Ao mesmo,inteirando-odo diipostonb
Dito. A thesouraria da fazenda provincial,
para que vista do cerlificado passado pelo
directo das obras publicas, mande pagar ao
lenenle-coroncl Francisco Carneiro Machado
Rios a quantia de 500,000 rs., porque elle con-
tratou com o referido director a indcninisaco
do daino causado em sm proprledade pela
passagein da estrada do Remedio e extraccao
le trras da mesma propriedadepara a obra da
dita estrada, Neste senlido ofliciou-se ao
mencionado director,
Dito. A directora do collegio das orphas,
inteirando-a de haver D. Maria Martiniana de
Campos Quaresma prestado juramento pa-
ra entrar no exercielo do emprego deineslra
do ensino de prlmeiras letras daquelle collegio.
Portarla. Mandando desembarcar de bor-
do do brigue-escuna Legalidade o recruU de
marinha Antonio da Costa Barbosa por ter a-
presentado isencao legal.________________
EXTERIOR.
PORTUGAL.
Na sexta-felra 2 de malo, pelas setc horas
da manha, sahio a barra de Lisboa o vapor
Infante D. Lull, levando a seu liordo o conse-
Iheiro Reis e Vasconcellos, encarregado de en-
tregar ao marechal duque de Saldanlia una
carta aulhographa de S. M. a rainha, ua qual a
I mesma augusta Senhora lhe expresiva os de-
aviso do ministerio da guerja de 17 do corren- sr0, ae overqii.-inlo antes restituido capital,
te, no qual se manda dar baixa ao soldado Je v- af,m Je poder formar o inini.lerio a que elle
|uim Seriuo Ren, que em fevreiro do pre-
sente anno foi remettido para esta provincia,
afim de nella servir, devendo rsse individuo se-
guir para a corte na primeira occasiao.
Dito. Ao mesmo, para mandar orear os
coucertos de que necessita a eoxia da compa-
nbia fiza de cavallaria.
Dito. Ao mesmo, communicando que ein
aviso da repartico da guerra de 12 do corren-
te ein additamcnlo ao de 5 do mesmo mez, foi
declarado que as pracas do oitavo batalhao de
cacadores, dissolvido por decreto de 20 de a-
bril ultimo devem ter passagein para o nono e
dcimo de infantaria.
Dito. A' thesouraria de fazenda, remetien-
do copia do aviso da repartico do imperio de
10 do corrente, declarando ter-se expedido ou-
trp ao ministerio da fazenda, afim de ser redu-
zida a 0 864,000 rs. a quantia distribuida em
aviso de 25 de feverelro ultimo para despezas
de crrelos desta provincia no prximo futuro
exercicio de 1851 a 1852.
Dito. A pagadoria militar, dizendo que
visto achareui-se csgoladas as quotas destina-
das para as rubricas diversas despezas even-
iuaes= e recrutamento e engajamento em o
coirente exercicio, cumpre que envi o pedido
das quantias que forem necessarias para occr-
rer s despezas das referidas verbas.
Portarla. Mandando por ein liberdade os
recrutas Joaquim Rodrigues de Lira c Jos Ro-
deve presidir, escolliendo pessoas que oflere-
cam inconteslaveis garantas de que os desejos
ca nacao serao fielmente cunipridos. Neste
inesmo sentido lhe escreveram os acluaes mi-
nistros interinos, instando pela apparicao do
marechal em Lisboa, afim de cenar a incerlcza
da -un n, ao, reuasceudo a conan(,i publica, e
a Influencia governaliva. Devenios esperar
que brevemente se receber a resposta daquel-
Ics importautes officios, a qual |>romplainente
ser annunciada.
__________(Diario ilu lioverno.)
ACiObOFFIClAES.
PROCLAMAgA DO NOVO MINISTERIO.
Habitantes de Lisboa! S. M. a rainha, nomc-
ando o marechal do exercito, duque de Salda-
nba, chefe da administraco, que tem de gover-
nar c regenerar, o paiz. Idoptuu sincera e cor-
dealmente o movinieiito nacional que acaba de
complelar-se, e deque he garante o inesmo
exeiciioqueopromoveu. A sua frente esl o
marechal Saldantia, assim como frente do
governo, que S. M. lhe conliou.
Ninguem de boa f pode conservar du vidas
ou recelos, quando todas as forcas materiaes e
moracs do paiz esto as proprias mos, de
quem mais interessado he em inauler a ordem
de cousas proclamada. Socegai, pois e nao vos
deixeis faier instrumentos das intrigas e das
ambicOes dos mal intencionados, que pretcn-
drlgues de Lira por tcreiuapresentado isencao. dcin abusar do vosso amor pela liberdade, c
legaes.
Dita. Concedendo aotcncnle-coronel Luiz
Jos Ferrcira a dispensa que pedio de niembro
da comuiissoencarregada de examinaros sar-
gentos e cadetes dos corpos do exercito e no-
meando para o substituir o tenenle-coronrl
graduado Manoel Rolemberg de Almeida.
Intelligenclou-sc ao commando das armas.
DEM D" DA 30.
Ofticio.Ao commando das armas, dizendo
2ue visto nao poder ser aproveitavel fortaleza
o 1.1 um a cacimba projectada no fossso da
mesma fortaleza, segando informa o tenente
coronel lunocenolo Eustaquio Ferreira de
Araujo, convm que sejam recolhidos a paga-
doiia militar os l20,('00 rs. destinados para a
construeco da referida cacimba, expedindo
para esse fim as convenientes ordens ao coin-
mendante interino da mencionada fortaleza.
Intlligenciou-se a pagadoria militar.
Hilo.__Ao inesmo transmitllndo copia do a-
viso da repartico da guerra de 12 do corrente,
no qual se determina que ai pracas do segundo
batalhao de cacadores, boje primeiro de iufan-
taria, sejam fornecidos de capotes pelo arsenal
de suena desta provincia ein Indemnisaco
dos que, tendo ficado eiu Pelotas forun reco-
lhidos ao deposito de artigos bellicos na cida-
de do ido Grande do Sul. Cuiniuunicou-sc a
pagadoria militar.
Dito. Ao mesmo recommendando a expe-
dlco de suas ordens no sentido de ser o solda-
do da companhia lisa de cavallaria Juvino da
i,un lia Soulo Maior remettido preso para a co-
marca de Santo Anto, conforme requisita o
respectivo juiz de direito, alim de cumprirC
sentenca, a que foi condeinuado ; depois do
que voltar para a referida companhia a con-
tinuar no servico. Inlelligenciou-se ao re-
ferido juiz de direilo.
Dito. Ao inesmo dizendo que, vista do
que informou acerca oo soldado Joo Francis-
co que sendo desertor do corpo de policia en-
gajou-se para servir no quarto-batalhao de
artilliarla a p, deve-o mandar por a dlsposl-
co do commandanle daquelle corpo, alim de
respoder pelo crlme de desercao depois do que
voltar a continuar no servico do mencionado
batalhao. Lominunicou-se ao commandanle
do lucnciodo corpo.
paja obtera demissao do ministro concusio-
nario que tanto se ha esforcado a desacreditar
o systema constitucional : determino em no-
medeS. M. a rainha o seguinte :
Art. 1." Organisar-se-ba nesta mullo no*
bre, heroica c invicta cidade, um regiment
provisorio de Infantera do porto,
Art, 2. A sua turca e organisacao, sera a
mesma dos outros regimentos de infantaria do
exercito.
Art. 3o O governador civil do dislricto ad-
ministrativo do Porto, e D rominandanle da
3.* divisao militar, 6:1o auctuiisados a adoptar,
ni conformldade da lei, todas as providencias
necessarias, para a inunediata organisaao e
disciplina deste corpo,--Ouartel general no
Porto 29 de abril de l9.")l. Duque d Sal-
danha. _______________
Sendo do urgente necessidade na
actuaes circunstancias a fonnaco d'uuia se-
cretaria geral donde dimanein as ordens so-
bre todos os objectos civis, independente
d aquellas que sao expedidas sobre todos o
objectos militares pelas diversas repartieres
do estado maior, em noine da raiulia deter-
mino que-se proceda iiiimemdialamcnte sua
installaco, e no meio a Carlos da Silva Maya
para na qualidade de uieii secretario civil or-
ganisare dirigirir todo o expediente da mes-
illa secretaria. ()iiartcl generul no Porto ciii
29 de abril de lSl. (Assignado) Duque de
Saldanlia. ______________
Sendo certo que durante o actual estado
de cousas, os militares, sao obrigados o sahir
dos seus quartei3 permanentes, e a eccupar-se
exclusivamente no servico da causa em que
os adiamos empenhados, e nao podem, seux
grave prejuizo de seus interesses, continuar
os pleitos judiciaes em que figurara como au-
tores ou reos ; c tendo allenci ao que em cir-
CUinslanciai idnticas se tem platicado sobre
einelhante objecto cm nome de S. M. a rai-
nha, determino ao presidente do tribunal da
rclaeiio da Porto, que expeca as ordens con-
venientes a todas as autoridades suas subordi-
, francac resoluta, (ion-'nadas, para que fique suspenso temporaria-
solidemos o thronodeS. M.aSra. i). Maria II. imente o andamento de lodos os rele idos plei-
e a sua dvnastia ; reformemos a eorM cons(.-|is pendentes, e por em quinto nenliuns ou-
tucional ; facamos urna elelclo realmente |. tiosse possaui intentar contra os militares dos
vre, para que possa haver urna verdadeira re- dillerenlcs quadros do exercito. yiiariei gc-
presenta?ao nacional; e o systema de mino- neral no Porto, ein 29 de abril de Ioji.-u-
ves e seus dominios, envi muilosaudara \.
M. como aquelle que sobre todos amo e preso.
Tomando em consideracao o que V. M. acaba
de me representar e annunindo s solicita-
ces que me dirige : Hci por bem exonerar a
V. M. do commando em chefe do exercito, que,
por caria regia de l7 de outubro de i84, me
approuvera confiar aos cuidados de V. II., Mul-
lo alto e milito poderoso principe e Sr. D, Fer-
nando, rei de Portugal, duque de SaxeCo-
bourg Golha, marechal general, meu multo
amado, presado c querido esposo : IVosso Se-
nhor baja a augusta pessoa de V M. rm sua
continua guarda. Escripia no Paco das Neces-
sidades. aos 7 dias do mez de maio de lR5t.~
De V M. carinhosa esposa. Mora Barao de
Franco
Altendendo ao que me representou o mare-
chal de campo, visconde de Campanhn, aju-
dante de ordens de el-rci. Ilei por bem exo-
nerado do emprego de chefe de estado maior
general, para que havia sido nomeado por de-
reto de 20 de de Janeiro de 1850, que desem-
penhou com intelligencii. O ministro e se-
cretario de estado interino dos negocios da
guerra assim o tenha entendida e faca execu-
lar Passo das necessidades, ein 7 de malo de
I85LAainfi.!. Barao de Francos.
Ilei por bem determinar que fique millo e
e de nenhum efleito o decreto de 13 de mar-
co do anno prximo passado, pelo qual foi
exonerado do lugar .e vogal do Supremo
conselho de justica militar o mrrechal do ex-
ercito duniic de Saldanha. O ministro e se-
cretario de estado interino dos negocios da
guerra, o tenha assim iiitcndido e laca execu-
lar. Paco das Necessidades, em do/.e de maio
de l85l.' RAINIlA. llanto de Francos-
Proclamando do duque de Saldnnh aos habi-
luntes de Lisboa.
Habitantes de Liiboa. O pendo que ti-
ve a honra de arvorar he tao eminentemente
nacional, que, apenas couhecidn, foi logo a-
doptado em todos os cantos do icino da ma-
do vosso enlhusiasmo pela causa da patria.
Os actuaes ministros nao podem, nein devem
fazer mais doque manter a ordem e a seguran-
za publica, c tem instantemente rogado, e an-
closainente esperan! a vinda do presidente do
conselho, a quein definitivamente compete or-
ganlsar o gabinete, e prover aludo, o que o
paiz reclama.
Habitantes de Lisboa! 0 pronunciamento da
capital est feito. Os tumultos que ltimamen-
te lein apparecido nao podem ter objecto, nein
servir seno para assustar os nimos e dar pre-
textos a machlnaedes fataes para o paiz.
O governo fallarla aosseu> mais importantes
e impreterlveis deveres se os tolerasse.
Ilesponsaveis para com a rainha, para com a
nacao, e para com o presidente do conselho,
os ministros Interinos deS. M. esto resolvidos
a desempenhar o seu dever, c a empregar lo-
dos os Hielos para evitar adesordeme a anar-
chia; --para isto contam com a cuoperacao
de todos os amigos da liberdade, e da indepen-
dencia nacional,
Vi-va a rainha!
Vis a carta constitucional.
Viva o duque de Saldanha I
Lisboa, 4 de maio de 1851. Bardo da Lux.
Barao de Francos. Marino Miguel Fratuini,
MIMsTERIO DOS NE..OCIOS ESTRAN-
eciRos.
Por motivos de conveniencia do servico bel
por bem exouerar o conde de Thomar do cargo
'de meu enviado extraordinario e ministro ple-
nipotenciario junto de sua mageslade calholi
ca. "O barao de Nossa-Senhora da Luz, do meu
conselho, encarregado interinamente dos mi-
nisterios dos negocios do reino e dos negocios
estraugeiros, o leuha assim entendido e faja
execular. ,..,
Paco das Necessidades, ein 4 de inaio de i8jI.
RAINHA. Barao de Nossa Sinhorada Lu.
MINISTERIO v GUERRA..
Multo alto e inulto poderoso principe e Sr
D. Fernando, re de Portugal, duque de Saxc
Cobourg Golha, marechal general, cominan-
dante em ebefe do exercito, meu muilo amado,
presado e querido esposo : eu D. Mara, por
gracade Dos, rainha de Portugal, dos algar-
ralidade ede corrupeo, de peculatoe de rou
bo, que se tinha arvorado em Iheoria de gover-
no, ser substituido pela justica c liberdade,
pela moralidadc e econoinia.
Em poucas horas cont estar entre vos : sel
que os agentes do ministro corrupto r corrup-
tor esperam por esse momento para levantar
gritos sediciosos : se tal acontecer, prende! o
priiueiru que a tanto se abal.incar, eulrrgai-o
as autoridades, para que seja punido.
Trullo alcancado a mais intima conviccao da
naeionalidadc ilo pendo que arvorei ; cper-
suadido de que os ineus patricios lisbonences
me condecen, tenlio por isso a certesa de que
me fazem a justica de acreditar que hci de
usar de todos os meios a meu alcance para o
fazer respeitar.
Quartel general no Porto, 9 de maio de l85l.
Duque de Saldanlio.
l'roca m'ipdo do dwju de Saldanha aot habi-
do Porto.
Porlutnste,tM circumstancias excepcionaes
em qu. nos adiamos, sendo o primeiro dever
quemeimpaza salvacaoda causa publica, vej-
me forcado a quebrantar momentneamente, o
privilegio que custa de tantos sacrificios ad-
quiri esta invicta cidade de ser isenta de ao-
leta inentosde tropa. Confiandonnpatriolismo,
na dedicacao deseos habitantes, ouso esperar
que altea relevaro este qiiebrantamento, con-
siderando o qiianto o bravo exercito portu-
guez merece da nacao, pelos nobres esforcos
empregados em alcanzar o triumpho desta
causa. Empenho todo o meu Jisvello para que
este ineominodo seja o menos duradouro. c
cont eui breve terminado fazendo marchar o
exercito para Lisboa.
Quartel general no Porto, 30 de abril de l85l.
Duque de Saldanha.
Allocucao de S. Exc. o marechal duque de Sai-
dnn/ia litigada reunida em pirada no campo
da regenerando am 29 de ahnlde 1851.
Camardas. A liberdadade, a indepen-
dencia nacional, a patria em nina palavra,
crrenos maiores riscos. Se a bandeira na-
cional que Uve a honra de alear cahlsse por
trra, o despotismo ferrenho soguera o rou-
bo e a concusso arvorados em iheoria e go-
verno palo ministro prevaricaddor.
A i os.din ao da brava guarnicao da cidade
eterna sempre regeneradora, em poucas ho-
ras assrgurou o triunfo da causa santa e justa
inminentemente nacional que me propuz
snstenlar. Honra pls, louvoies, e agrade-,
clmentos em nome da patria aos briosos mi-
litares da guareicao do Porto e aos heroicos
exforcos dos seus habitantes que tam podero
sanente a coadjuvaram.
As noticias hotein c hoje recebidas me as-
segurain que o exemplo da guarnicao do Por-
to foi ger lmenle seguido. A causa est sal-
va, se nos nao deixarmos illudir por falsas
promessas. E para a pormos acoberto das
tramas dos inimigos da naco, cont com o
vosso apoio, assim como que goslosos me
acompanhareis a dlzer :
Viva sua mageslade a rainha.
Viva a caria reformada.
Viva a gu.irnic.io do Porto, e o exercito que
adoptnu a minha bandeira.
: Viva a cidade eterna e os seus heroicos ha-
bitantes'
Vlvam todos os porluguezes que me bao de
coadjuvar a estabelecera verdadeira liberdade
unida ao clncero acatainento pelo ihrono, a
liberdade a patria, a patria oppressa c avilta-
da pelo do minio d'um boniein humoral,
Estado hlaior general.
Circular. [lint. Sr. Participo a V S.,
para seu conhecimento e elleilos necessarios,
que tenho nomeado para ajudante general do
exercito de operacoea sob as minhas ordens
iii>medial,is, ao tenente coronel do corpo d'es-
tado maior, meu ajudante de campo, Mi-
guel Ximeues, equartel mesiie general o ca-
pitiio do dito corpo do estado maior, Placido
Anionio daCunha e Abreu.Dos guarde a V.
S- quartel general no Porto28 d'abrilde 1851.
Duque de Saldanha___A todas as autoridades
militares e commandautes dos corpos.
que da relacio do Porto.
Est conforme.Carlos da Silva jtfaj/a, secre-
tario civil. _________________^
Altendendo as circumstancias extraordi-
narias ein que se acha o paiz, e ao boni servi-
co publico : determino em nome de S M. a
rainha, que seja dispensado das funccOes de
governador civil do dlstricto administrativo do
Porto, o conscllieiro Joaquim Jos Das Lopes
de Vasconcellos, e enca reg a administraco
civil do inesuio dislricto ao deputado da na-
cao portuguesa 1*. Pedro da Costa de Souza
de M icedo,Quartel general no Porto em 29
d'abril de ISOl,(Assignado) Duque de Sal-
danha._______________ _____
filado maior general.
Tendo annuido s repetidas instancias de
Jos l.oureuc.0 Pinto, secretaiio geral do go-
verno civil do Porto, alim de ser alliviado das
funeces de governador civil do mesmo dis-
lricto, a quaes assiimira pela lei, na falta do
respectivo magistrado superior administrati-
vo, por occasiao do glorioso prounnciaiiicnio da
briosa evalente guarnicao militar desta invic-
ta cidade; apraz-me lomar os importantes
servicos prestados em circumstancias to ex-
traordinarias pelo incsiiio Decretarlo geral ser-
vindo de governador civil, a bem da inanu-
leucao da ordem e Irniquilidade publica, e
tesleinunhar-lhe a minha plena salisfaco pe-
to acert, zelo e firmeza com que se houve no
deseinpcnho dos seus deveres; agradecen-
do-lbe ouiroslin, a franca e leal cooperarn
que presin a bem da causa nacional em que
nos achamos empenhados.' Qoai'el general do
Porto 29 de abril de 1851, Duoue de Saltlanha.
Para Jos T.ourcnco Pinto, srgretario geral do
governo civil do Porto.
Em addilameuto as ordens communicadas a
V. Exc. pelo conselho militar e pelo estado
maior general, cm nome de S. M. a rainha de-
termino :
1. Que o director da alfandega do Porto me
envi inmediatamente una nota exacta de to-
do o dinlieiro existeute no colrc da mesma al-
fandega, com designaco daquelle que perlen-
cc ao ihesouro publico, junta do crdito pu-
blico ou ao fundo de amortisaco.
2.Que suspende o cumprimento de quaes-
quer ordem de pagamenloin terionnente orde-
nadas pelo governo de Lisboa ou suas autori-
dades.
3." Que retenha em seu poder lodo o dinheiro
existente, a que s dar destino ou applicaco
em cuinprimento de ordens minhas.
i Que diariamente me remella urna nota
das operacoes do cofre da mesma alfandega. O
ini- iodo cumplir prompla e fielmente de-
b.iixo da sua rcsponsabilidade pessoal.
Quartel-gencral no Porto, 3 de abril de 1851.
Duque de Saldanha. Para o couselhciru di-
rector da alfandega do Porto.
Idntico mu ai. < muiandii aos directores das
alfandegas de Vienna e Figueira.
> Ein nome de S. M. a rainha determino :
l Que o delegado do thesouro me envi in-
mediatamente uina nota exacta de tedo o di-
nheiro existente no cofre a seu cargo, com de-
signaco daquelle que pertence ao thesouro
publico, juntado crdito publico, ou ao fun-
do de atuoi'lltacao.
i Que retenha cm seu poder todo o dinhei-
ro existente at ulteriores urdcii9 que Ibc coiu-
muoicarei.
3. Que suspenda o cumprimento de quaes-
quer pagamentos anteriormente ordenados
pelo geverno de Lisboa ou suas autoridades.
4. Que la{a rcL-olher a esse cofre todo o di-
nheiro existeute nos cofres seus subordinados.
5. Que semana luiente me remella uina uotide
todas as operacoes do cofre a seu cargo ; o que
ludo cumprir promplo e fielmente, debaixa
de sua rcsponsabilidade pessoalQuartel ge-
neral do Porto, 29 de abril de l85l.Duque tls
Saldanha. Para o delegado do thesouro do
districtede Braga.
Est conforme.Carloi da Silva Maya, se-
cretario civil.
Couvindo elevar a forca publica de linha
emprenda na justa demonstrado cinpre-
licudida pelo exercito e apoiada pela naco
Em nome de S. M. a rainha determino :
l. Que o delegado do thesouro me enve im-
uiedui.uuciiii- e pela primeira va-que se lito
'^PtK. Xr'


V.'
. -**-
.-v/-v--
' &
.:*&;.-
'2!
ofTereeer, ordinaria 011 extraordinaria, urna
nota exacta de todo o dinhciro existente no
cofre $ru cargo, com dcsigmefio daquelle
que perlence do theanuro publico, Junta do
crdito publico ou ao fundo de atnortisacio.
2 Que retenha cni jeu poder todo o dinhci-
ro existente, al ulteriores ordens cjuc Ihe com
xuunicarei.
3, Que suspenda ocumpjimento de quaes-
quer pagamentos anteriormente ordenados pe-
lo governo de Lisboa, ou suas autoridades.
4. Que faca repolher a esse cofre todo o dl-
iibeir existente nos colrcs seus subordi-
nados
6. Que seDianalmentc me remeta urna nota
de todas as operacrs do cofre a seu cargo.
Oque tudo cumprir prompla e fielmente
debaixo da sua responsabilidade pessoal. (Ruar-
te! general no Porto, em 29 de abril de I85i.
Juque de Saldanha.Para o delegado do tlicsou-
ro do distiieto dellraga.
Idntico para os delegados do tlicsouro dos
districlos de Kraganca, Avciro, Coimbra, Vi.m-
na, Villa Real, Viseu e Guarda.
Est conforme.Cor/o da Silva Haya, sccrc-
tario civil. ^^^^^^^^^^^^^^^
Convindo regnlarisar a administracaodns di-
xtheiros pblicos, ou outros de qualquer es-
pecie destinados a occorrer s necessidades do
smii.ii publico durante o actual estado pro-
vlsoiio c at que ehegue o momento do com-
pleto triumpho da santa e justa causa em qui-
nos adiamos euipenhadns ; em nomc de sua
inagestade a rainha determino :
1. Que no cotre central do dislricto do Por-
to deem entrada todos os djuheiros, e que por
elle se faca asuadistribuicao.
2. Que todos os pagamentos s serao cfl'ec-
luadnscom previa aulorsac7o minha.
3. Que naquella reparticao se formolise con.
ii in y i eseparada com toda a individiiacio, e
de forma a poder ser examinada a todo o mo-
nienlo ; a qual forcosamente ser publica logo
que termine o actusl estado.
4. Que o delegado do thesouro, chefe da-
quella reparlco me apresentara diariamente
um balancete do estado do cofre.
O que tudo o delegado do tbesouro cum-
prir prompta e fielmente debaixo da sua res-
Ponsabilidade pessoal. Quartcl general no
orto, em 2 de abril de 1851.Duque de Sal-
danha.Para o delegado do tbesouro do dis-
tiieto doP.irto.
Est conforme.Curios i.i Silva Maya, secre-
tario civil. _
F.iladn maior general,
Em nome de S. M. a rainha determino :
1. Que o administrador do correio do Por-
to me enri immedialaineole una nota de
todo o dinbeiro existente no cofre a seu
cargo.
2. Que suspenda o cumprimento de quaes-
quer ordens de pagamento ou remessa, ante-
riormente recebidas do governo de Lisboa ou
auas autoridades.
3. Que retenha em seu poder todo o dinliei-
ro existente a que s dar destino uu applica-
\.ii> em cumplimento de ordens minhas.
4. Que diariamente me remella una nota
do rendimeiito do mesmo cofre. O que tudo
cumprir prompta c fielmente debaixo da sua
responsabilidade pessoal. Quartel general no
Porto, em 3o de abril de ItfDl.--Duque de Sal-
danha.Para o administrador do correio do
Porto.
PERftAl
ffBUC3
CMARA MUNICIPAL DO RECITE.
SSSaOEXTRAORUINXIU DE 5 DE MAIO
DE 1851.
Presidencia do Sr. Oliveira.
Prsenles os Sis. Carneiro Monleiro, Marros,
Vianna, Souza e Figuciredo, abriu-se a scsso
efo lida e approvadaa acia da antecedente.
Koi I ido o si punte
EXPEDIKNTE.
l'm officio do procurador, apresentando o
balancoda receila e despera municipal do incx
de abril ultimo. A coiumisso de polica.
Outro do fiscal da Uoa-Visla,participando tci
entregue ao procurador a quaulia de 5,400 rs.
importancia do imposto de gado suino e ove-
lhum. arrecadado na mesilla freguezia, nos dia>
14, 16 e 24 de abril ultimo. Inleirada.
ulro do mesmo comiuunicaiido que a Im-
portancia das multas do mez passadu fui de
125,000 rs. e pedindo se inandassc pagar ao
Dr. M iimi I I'ii.ii i, de Parlas, a quanlia de rs.
18,000 de tres corridas de saude que se fez em
diln mes. Que se passasse mandado.
Outro do fiscal de S. Jos, pedindo se man-
dasse pagar ao llr. Manoel Duarle de Parias,
ijiianlia de 18,400 ri. importan ca de 2 cor
ridas de saude, e de dous rxamrs sanilaiius
que fez nos das ti, 10, II e i7 do mez paitado
i,'in se passase mandado.
i uno do administrador interino do ceinite-
lio, remeltendo a folha dos vencimentos dos
empregados do mesmo cemiterio, do mez de
abril.Mandou-se pagar.
Outro do vigario da freguezia de S. Jos, pe-
dindo providencias contra a represa das agoas
as mas c pateos da mesma fregut-zia, c insa-
lubridadr proveniente dumatadouro c dos des-
pejos publicos, ft'itns lias praias a qualquer
lima dodia.Que o fiscal respectivo informal**.
I i .un lidos, e inandou-se reineller a coin-
missao de polica os requerimenlos de I uiz
Francisco de Mello Sautos, e de Manuel Joa-
quim Ferrieira Esleves, ai|uelle compromel-
tendo-se a fazer a limpeza da cidade, com 4
barrocas, vencendo cada una mensalmente
75,000 rs. e este a da Ireguezia de S. Jos s-
mente com 2 carrocas, vencendo diariamente
cada urna 2,500 rs.
ilaudou-se r. mi id r ao vercador Vianna, a
petico de Manoel Estevcs do Nascimento
Quiutelro & lrino, ex-fornecedor de carro
fnebres, pedindo Ihe mandasse a cmara pa-
gar, como prometteu faz-lo, a qudnlia de rs.
52,000 importancia de 19 enterros que se li/c-
ram no cemiterio, durante o lempo do seu con-
tracto, si ni |,ii m 11 i elle a touducco dos ca-
dveres cin carros de 8,000rs. pudendo as par-
tes paga-la por este preco.
'I ni- ii -sr do cofre no dia 3 do mez ultimo a
quantia de 1:000,000 is. de que faz menco a
acta da antecedente sseso ; e na mesma scs-
so dcliberou a cmara que o procurador pa-
arasse a Agostinlio dos Santos, capataz dos ca-
noeiros do bairro do Recife, a quantia de rs.
450,C0 importancia em que fui avahado o le-
lhciro existente na ra da Senzalla Nova, per
ii ni i-mi aos mesmos cauoeiios, que vai ser
demolido por mili ade publica, queporesque-
ciincnlo deixuu de uieiiciouar-sc na respecti-
va acta.
Dcspacharam-se as pelices de Azevedo \
Moulinho, Candido de Souza Miranda Coulo,
Francisco de Paula Guedrs Joaquiui Jos Fer
reir, Jos Cantillo kinlclo de Bissem, Juo
Pereira Soares, Marceliu Cavalcaute da Cu-
aba, Manoel Aulouio de Jess, Sebastio Lins
Ferreira, Tbereza Gonsalves de Jess Azeve-
do. e levanlou-se a sesJo.
Eu, Mannel Ferreira Accioli, secretario inte-
rino a escrevl Olivtira, presidente. I'uinna.
jUamrd. Carneiro Montciio.Souza.
mesmo mais grato a aquello santo ( que sem-
pre foi pobre, humilde e modelo de caridade )
que cssa subscripciio fosse antes applicada a
casar pelo menos una moca pobre com o que
se obtcrla o duplicado interesse de salvar lima
nossa patricia do risco inminente da prosti-
tuido, e ao mesmo tempo promover o aug-
mento da populacao da provincia f Nao seria
por milito mais tempo lembrado o bom em-
prego dessas esmolas do que gastando-as em
faneles que aleta de perlgosos na fabricacao
ii ronsumo, nao deixam a pos slrccordacao
ii.-111111111.1 ? Que verdadeiro prazer nao deve-
riam teros subscriptores quando em sua cons-
clencia dissessem : concorri para que se DIO
perdesse una minha patricia, que casou da
de S Antonio?
Com que reconhecimento havia d essa mu-
Iher diier a seus descendentes: meus filhos se-
de sempre bem procedidos, que mais tarde ou
mais sedo seris recompensados ; vede em
mi ni o cxcmplo : era eu bem pobre, nao linda
con que comprar nem urna camisa ; dltncil-
mente acliava algum costuriuha com cujo
producto me fosse alimentando ; porm como
era bem comportada, uns devotos de S. Anto-
nio, verdadeiros christaos (julgando mais re-
ligioso dar-me parte dis esmolas que tiraran)
para festejar aquelle santo do que consumidas
n'uma hora em foguetes e outras cousas se-
mejantes ) ; aquellas almas bem-fazejas lein-
brando-se da minha honeslidade e de que eu
tinha sido sempre boa filha c boa irinaa, pre-
miaram-me, dotando-me para que me podes-
se casar : cazei-me, live a todos vos quem
tenho inspirado a mais pura gratidao aos nos-
sos bem-feitores, e vos peco as transmitaes a
vossos filhos e netos fim de que jamis lique
esquecidoo beneficio que recebemos...
E que nobre orgulho nao deveria ser o desta
cidade por haver dado por este meio a maior
prova da sua religiosidade, nao com palavras
oucas, porm com obras de eterna recor-
daeo ?
Prouvera Dos que nossas palavras lossem
ouvidas, e que assiin sem cusi nem diflicul-
dades fossemos melborando a sorte dos nossos
semelbantcs que be nisto que se encerra o ver-
dadeiro amor do prximo.
A. o al.
Theatro de Apollo.
A SRA. MAI1K LEOPOLDINA EO SR. GI-
MARAE'S.
Mais urna nova representa9ao vemos aiinun-
ciada no tbealro de Apollo, e esperamos um
novo triumpho dos dislinctos actores que fa-
zem briihar o seu talento naquelle theatro.
Na represeutacao do drama -- 0$ dous rene-
qadoi, agrande concurrencia( que fol tal que
inuitas pessoas nao poderam obler bilbetes de
platea, apesar de se cantar na mesma noite o
llarbeiro de evilha em Santa Isabel), e os ex-
traordinarios applausos qne houveram pro-
vain que o publico soube deslioguir e coroar
o verdadeiro mrito
1 ..ii iiin.i larefa pesada apontar (odas as
bellezas da represenlacao da Sra. liarla Leo-
poldina c o do Sr. Guimaraes, e demais ella
seria intil porque todo o publico faz justica
ao brilhante tlenlo desses actores.
Se o Sr. Guimaraes nao fosse o actor galn
que iiiu sido lo applaudido, o seu talento de
caricato bastarla para o tornar dislincto, como
he prova a reputacao do celebre Theodorico
de Lisboa. Na comedia O duillo no lerceiro an-
dar pode o publico avallar completamente es-
te notavel iiierecimenlo do Sr. Guimaraes.
No drama rniprerfii-me dout pintot vento os
cxpccladorcs a mesma actriz que desempe-
iilii.n a parte da ambiciosa Calharina vestida
i i ni ti.ilu ii gosto e riqueza da inulher vaidosa
e de nina rainha, trajada com ao vestes da po-
bresa representar com a maior naturalidade
e verdadeiras lagrimas nos olhos o locante pa-
pel de Magdalena. Sim a representaco de
bola ser mais um triumpho pora a Sra. Ma-
ra Leopoldina, ser una demonslraco d'a-
quclle grande e variado tlenlo que tanto se
distingue na tragedia como na comedia,
nos papis /ores como nos ing prime o tenor nos expectadores representan-
do a Lucrecia Borgia, do mesmo modo que os
entristece, chora e Ihe arranca lagrimas no
finloi c no Artur.
A Sra. Meria Leopoldina e o Sr. Guimaraes
para lercm reputacao aitistica uo preciso de
elogios, basta que sejo vistos em scena. E
para isto est disposlo [lodo o publico de Per-
uambuco. S quem nao liver gosto pelas ar-
les ou quem for ao theatro unicaincule pelas
paredes do edificio deixar de ir ao Apollo.
Hepartigo da Polica.
PARTE DO DIA 23.
I'- i un presos : a ordem do subdelegado da
freguezia de San Jos, os carniceiros Malucos
Rodrigues dos Santos e Antonio, escravu, por
infraeco de postura municipal; e a do subde-
legado da freguezia da Moa Vista o pardo Joa-
qiiim, escravo de Francisco Oavalcauli de Al-
buquerque Lins, por crime de ferimentoi.
Idcm to dia 24.
I ni .un presos : a ordem do subdelegado da
fregue/.ia de San Fre Pedro Goncalvcs do Re-
cite o prelo Antonio, escravo do Dr. Sabino
Olegario Ludgro Pinho, paracorreceo; eo
do subdelegado da freguezia de Saulo Amonio,
Jos, escravo do Exm. Dr. Jos Memo da l'uiiba
c Figueiredo, sem declaraco do motivo.
COMMEftCK..
Cotnmiinict.dos.
ALFANDEGA.
Itendimenio do da3......9:401,989
Descarregam hoje 4 de junho.
Marca dinamarqueza Walfamar botijas
vallas,
Brigua dinaruarquez Uenrielt merca-
dorias.
Sumaca brasileira -- Carlota charutos e
fumo.
CONSULADO CERAL.
Rendimenlododia i a 2 .... 387,311
Idoui do dia 3..........2:555,346
2:942,657
DIVERSAS PROVINCIAS.
Henil i metilo du dia 1 a 2 137,507
Mein do dia 3......... 347,768
485,275
Una grande fesla se est preparando este
anno S. Antonio ; lesta que, segundo ava-
Ii.nu os procuradores dellas, lera Ue ser lem-
Jjr.iua por ii,un. tempo : he isto um nielo in-
directo de fazer circular o dinheiioe de ani- todas p. quenas, 1 braQu de iialatiQa, 3 mi-
mara iudustria ; e por consrguinie diguo de trnmeiitus corlantos, 1 lomo de ferteiro, 9
louvor; porm nao siria mais til ao estado, c tuxas du cobro, 1 tabuleiro com varias miu-j
Despachos Martimos do dia 31 do p. p.
Ido de Janeiro, escuna nacional Gallante
Mara, do 149 tonclladas conduz o se-
guint" : 41 caixas e 9 metas ditas vi-
dros, 6 ditas phusphorus, 30grosas, < dita
f.i.-i i. 11;. -, 24 pegis, II pipas vtuho, 20 ba-
las tiapel almoco, 400 resmas, 7 barricas e 3
fardos amen loas, 50 arrobas, I pacote pe-
lucia dealgoilAo, 5cnnheles ferragens, 3
caixas fazendas, 200 barris plvora, 25 li-
bras cada um, 1 barril e I caixa rape, 30cai-
xas velas de carnaha, 489 meios desoa,
4,000 vaquetas, 11 caixas, 419 saceos el25
barricas com 3,677 arrobas B25libras.de
assurar, 30 rolos d fumo, 4 caixasferra-
meiitas, 5 pipas du madi'ras, 2 laboas, 2
lirzas, 1 grelha, 5 pesos, 1 parafuso.4 babu
papis vclhos. 15 caixoes do 2. batalhio de
artilbaria a p, 1 bomba, 40 saccas com 213
arrobaso2libr8S dealgodSo el50cunhe-
Ics neo do tnilSo.
dem do dia 2 do eorrenle.
Bahia, hiate nacional Carolina, do44to-
nelladas, conduz o seguirte. : -- 240 barri-
cas com farinha de trigo, 1 caixflo colxetes
com 318duzias, 2 qnartolas o6barriscom
a7eite de carrapato.
Passo de Camaragibe. hiate brasiloiro Ca-
prichoto, de 35 tonclladas, conduz o sognin-
te : 2 gigos com Iouqs, 2 ditos batatis,
1 barrica com garrafas deserveja, 1 garra-
l.lo com azeite doce, 2 caixas com fogo da
China, 1 capote de panno escuro, 1 caixa
com diversas mercaduras, 1 barril com pl-
vora e I embrulho com 2 arrobas de chum-
bo, 2 barril com vinho, e I canastra com
albos, 354 arrobas de carne secca, II caixas
comsabSo. 1 babu vasio, 10 caixas e 1 cai-
xllo com chaautos, 360 chapeos depalba, 4
barris com manteiga, 16 libras de pimenta
do reino, 2 barricas com bolachinha ame-
ricana, 1 barril com azeitonas, 1 serrote e
1 compaQO, 38 barricas com bacalho, 1 em-
brulhocom diversas mcrcidoriig, 1 cunhe-
ta com 32 libras de sera e 6 resmas de pa-
pel, 1 caixSo pequeo com fazendas, 1 eixo
para carro?, 4 caixas e 7 barricas com 13
arrobas de bolaulias e 0 duzias de coucos
tle pao.
IIECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 3..... 711,130
CONSULADO PROVINCIAL.
Uem do dia 2.......1608,663
dem do dia 3...... 1:374.876
Movimeiito do porto.
Vamos tahidoi no dia 3.
Camaragibe--hiate nacional /Vowo Destino,
mestre EstevSo Ribeiro, carga bacalho e
carne secca. Passageiro, Joaqun) Fran-
cisco da Silva, Brasileiro.
Rio Grande do Sul brigue escuna nacio-
nal Constante Oliveira, mestre JoSo Fran-
cisco Pires, carga assucar.
EDITAL.
O lilil. Sr. inspector da tbesouraria da
faienda proviucial, em cumprimento da or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia de
lOdo eorrenle manda fazer pnblico, que nos
dias 3, 4 e 5 de junho do eorrenle anuo ir
a praca perante o tribunal administrativo da
mesma Ihesouraria para ser arrematado a
quem por menos fuer a obra dos reparos a fa-
zer-se no Atierro dos Afogados ou ra Im-
perial, avahados em 3:520,000 rs. e sob as clau-
sulas especiacs abaixo declaradas.
As pessoas que se propoxerem a esta arre-
natacao comparecam na sala das sesses do
mesmo tribunal nos dias cima mencionados
pelo un iu-ili i competentemente habilitados
na forma do artigo 24 do rrgulamenlo de 7 de
malo de 1850.
E para constar se inandou affixar o presen-
te e publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihesouraria da faienda pro-
vincial de Pernainbuco, l3 de malo de 1851.
O secretario,
.lnom'ii 'rreiro d'ylnnunciaeo.
Clausulas especiae da arrematarlo.
1.a Os reparus a fater-se no Atierro dos Afo-
lados, serao feilos do modo indicado no orca-
meiilo apresentado nesta dala a approvaco
do Exm. Sr. presidente da provincia pelo pre-
co de 3:520,000
2.a As obras principiado no prazo de um
mez, e concluir-se-ho no de quatro inezes,
ambos contados de conformidade com os ar-
tigos30e 3l do regulamculo de 7 de malo
de 1850.
3.a O pagamento ser feito em duas prrsta-
ces iguaes, a primeira quando tiver feito
metade da obra, e asegunda depois de con-
cluida.
'!-* Para tudo mais que nao est determina-
do lias presentes clausulas,-srguir-se-ha intel-
ramente o que dispoe o regulamento de 7 de
malo de 1850.
Reparticao das obras publicas, 10 de abril
de iH.ii--() direclor, Joie Mamedi Alve Ferrei-
ra. Floriano Detere Portier. II. L. Natos,
ajudante de engenheiros.Approvo. Palacio
do governo de Pernambuco, 10 de malo de
I85l..s'nuzi irarnvi.--Conforme.No impedi-
mento do ofltcial-maior.O olTici.il, Dominaos
Jos Soarei.Conforme.O secretario,
/lii(.,in'ii Ferreira dMnnuneiaea'o.
Declara yes.
CORREIO.
Expediente da aministrarlo geral pari a-
geneia de Olinda.
Jornal 1. Jos Ouintino de Castro Lefio.
Manoel Thomiz de Oliveira.
Junlio, 3 de 1851. O administrador.
Gomes do Crrelo.
Pela segunda seceo dainesadoconsula>
do provincial se annuncia, que dodia primei-
ro de junho do correte anno, se principia a
contar os 3o dias para o pagamento a bocea do
cofre da decima dos predios urbanos dos bair-
ro s desta cidade e povoacao dos Afogados, e
que todos os propriepjtrios que deixarem de pa-
gar no indicado praso incorrerao na multa de
tres por cento, e serao de prompto executados.
A quem convier o encarregar-se da
demoQSo e compra tos materiaes do so-
brado de dous andares da ra Nova n. 25,
que teiii de ser demolido, se podera dirigir
aos vareadores Jos Pires Ferreira e Manoel
Caetano Soares Carneiro Monteiro, afim de
tratar o preco e prazo dentro do qual deve-
r snr feita tal demolieflo.
Perante o conselho da administraran naval,
ti-iii de ruiiir.it ir-se a compra de 50*alqneires
de farinha de mandioca de primeira qualidade
para fornecimento dos navios armados e hos-
pital ; por isso convida-se aos qucinleressarem
em dita venda,comparecam na salla das sesses
do mesmo conselho as 12 horas da manha do
dia 7 do eorrenle com suas proposlas declaran-
do o ultimo prefo, e as amostras; nao se ad-
mitiindii as proposlas cujos cencorrentes nao
se achem presentes.
Sala das sesses do conselho da administra-
cao naval, 3 de junho de ISji. Chriilovdo S
Tiagodi Oliveira, secretario do conselho,
Theatro de Apollo.
lltqe.A unhude 1851.
Depois de urna escolhida overlura a compa-
nhia dramtica sb a dirrrc.i do actor Fran-
cisco de Sales (i ni maraes e Cunha, representa-
r o bellissimo drama em tres actos, intitulado
EMPHF.STA-ME OOUS PINTOS?
rersonageni. Actores.
Os senhores.
Ravmundo.capilao reformado, Coimbra.
Eduardo da Silveira. Joo Telles.
Roberto, amigo do dito. Jorge.
Paulo, sargento. Guimaraes.
Um medico. Conrado
Gervazio Neves.
Um criado.
Francisco.
Um meirinho.
l ni marlnbelro.
As senhoras.
Madalena. Leopoldina.
( u/.ia, sua amiga. Fellsmlna.
Depois do drama seguir-sc-ha a mullissimo
jocosa comedia em um acto :
ODUEI.LO NO TERCEII'O ANDAR,
em que o Sr. Guimaraes far o interessantissl-
mo papel de Monflet no carcter de vclho cari-
cato.
Vertonagem.
Mr. MauUet.
Filomella.
Jullo,
Coco.
Actores
Os senhores.
Guimaraes.
Jorge.
Telles.
Neves.
As senhoras.
Leopoldina
Luiza.
Carolina.
Madama Manflet.
Gente da vlslnhanca, ele.
Els pois o diverlimenlo que o director em-
presario tem a honra de offerecer ao illustrado
publico periiainbiicano, de quem espera aco-
Ihimento e proleccio.
Os bilheles de cauarote e platea eslao desde
boje venda no theatro,
Principiar as 8 horas.
Avisos martimos.
Paran Balita.
Segu com brevidade a escuna nacional
Jldclaide, de primeira marcha, forrada e
encavllbada de cobre, por ter parle do car-
regamento : quem o restante quizer i-arru-
gar ou ir depassagem, queira dirigir-so a
roa da Cadeia do Recife n. 56, loja do Sr.
Vital.
Para o Rio de Janeiro segu viagem
com brevidade o patacho nacional Curloto,
capilSo Jos da Cunha Jnior, por ter parte
da carga engajada t quem no mesmo quizer
carregar ou ir de passagem, p le enten-
derle com oca pituo na Praca, ou com o
consignatario Luiz Jos de Si Araujo, na
ra da Cruz ni 33.
Tara o Klo de .Janeiro gcgtie
viagem com brevidade o brigue nacional
Destino, recebe anda alguma carga frete,
assiin como escravos, e teiu bons couimodos
para passageiros; os pretendentes se podero
dirigir ra da inoeda n. 7, tratar com
Leopoldo Jos da Costa Araujo.
Vende-se urna lancha nova, que pe-
ga de trinta a quarenta barricas, a a qual
se acha em perfeitissimo estado, bem co-
mo tres botes novos, ludo por preco com-
modo : na ra do Vigario, n. 11, primeiro
andar.
Voode-se o brigue denominado Victo-
ria, de construccSo brasileira, de lote de
18" toneladas, forrado de cobre e promplo
para navegar, com lodos os seus perlences,
inclusive a maioria dos escravos marinhei-
i os : quem o pretender, pode mandar exa-
mina-lo, fundiado no ancoradouro da des-
carga da carne secca, e para se ajustar, na
ra da Cadoia do Recife n. 39.
Vende-se urna balieira, com seus per-
lences, inclusive tolda : na ra da Cruz no
Recife, armarem n. 13.
pela
Leildes,
Adamson Howie & C, far o leilo, por in-
terveucao do correlor Oliveira, d'um comple-
to soitmenlo de fazendas todas proprias do
mercado: quarta-felra 4 do correle, s 10
horas, no seu armazein, ra do Trapiche
Noao.
O correlor Miguel Carneiro, far leilo.
no dia qunta-feira, 5 de junho, s 10 horas
da manha no seu armazem, de diversos Iras-
tes novos e com pouco uso; I nuca, vidros,
candieiros, lanternas, quadros, espingardas,
pistolas de um e dous canos, relogos e outros
objectos que serao vendidos minio ein_conta.
JMT
Avisos diversos.
-- Sao convidados os Srs- legistas de fa-
zendas, instaladores da Associa^o Com-
mercial desta classe, para se reunirem, em
o dia sexta-feira, 6 do corrente, as 3 e meias
horas da tarde, no primeiro andar da casa
n. 13, na ra da Cadeia de S. Antonio, pa-
ra ahi Ihes serem presentadlos os estatutos
quehSo dereger e dita AssociacSo. Reci-
fe, 3 de junho de 1851.-- Manoel Florencio
Alves deliloraes, presidente. Antonio Luiz
dos Sontos, 1. secretario. Jos Moreira Lo
pts, 2. secretario:
em Adverte.se a quem quer que tem dito que
as ferias >\o arseual de guerra eslao por pagar,
que seja mais verdadeiro ; porquanto nenbu-
ina feria ha all por pagar, tendo sido a ultima
paga no dia 2 do corrente-; e s ha demora de
pagamento quando est esgotada a quota, e be
preciso que seja competentemente aulorisada.
O Amigo da Verdade.
-- Roga-se ao Senhor ex-lhcsoureiro da
exlincta sociedadt Rccreio, da Juvenlude, que
3iien.i prestar conlas dos objectos que, por
issoluco da mesma sociedade, caram ein
seu poder, e se est dos mesmos objectos
utilisando sem que de a mais pequea satis-
faco aos socios que concorreram com o seu
l'arjant, assiin como O tambias.
- No dia 4 do corrente se ha de arrematar
em hasta publica, do Dr. juiz municipal da
segunda vara, os gneros e mais obyectos
constantes do escripto existente em mao do
porteo, levados praca por eiecucao de
Manoel Jos Correa, contra Douslls t C
Precisa-se de um caixeiro para venda,
de dade de 12 a 14 annos, na ra Direila
n. 95.
Precisa-se de una ama para o servico
de urna casa de familia, que saiba engoiniuar
lavar, cozinliar; ra do Rangel, sobrado
n. 57.
O abaixo asslgnado vendo no Diario de
28 de maio prximo passado, na parte da po-
lica, outro de Igual nome, prezo pelo Sr.
subdelegado da Boa-Vista, declara ao publico
que se nao entend- com sigo ; e pede ao mes-
mo Sr. para que mude o seu nome, visto que
o abaixo asslgnado nao o pode fazer, em razo
de estar ligado a trausaeces amigas.
Jodouim Pereira de hlcndonca.
Hoje, 4 do corrente, linda a audiencia
do Dr. jini municipal da segunda vara, se
ha de arrematar os alugueis do sobrado da ra
do Rozarlo da Moa-Vista, n. 27, razo de
12/000 por mez, penhorados a Roberto de
Souza Zusarte, e nao havendo lancador sero
adjudicados ao exequente.
-- I). Mara Joaquina Machado Cavalcaute,
embarca para o Rio de Janeiro, o seu escravo
por nome Joaquim.
Precisa-se de um caixeiro, que tenba
bastante pratica de venda,' na ra ireila n.
53, venda de Manoel Hotelho Cordeiro.
Aluga-se um pequeo sillo, com boa
casa e agua de bebeV, e bastantes arvores de
inicio, c parreira de uvas; no principio da
estrada dos AfOictos ao p do Manguind:
os pete mientes fallen) no largo da Trempe,
sobrado u, l, que tem venda por baixo.
~ Manool Antonio Teixeira, vai a Bahia.
-- Os Srs. Itothe & Bidoulac fazem seten-
io. qui mu-la ram o seu escriptono, da ra
do Vigario n. 4, para a do Trapiche n. 14.
- Precisa-sede 100,000 rs. a premio de 2
por cento ao mez, dando-se por flanra um
terreno : quem quizer dar, dirija-so a ra
dollortasn. 49.
Retratos.
Tira-se retratos de todos os tamaitos, a
olo e em miniatura sobre o marflm, com
muila perfec3o e preco muito rasoavol; 0
annunciante acha-se habilitado para exer-
cer esta arte, como tem ejercido em muitos
retratos e pinturas: pode ser procurado, ni
travessa doCarmo, ou Sarapatel, n. 1, se-
gundo andar.
Itna das Oruzes n. 28. rj
t\ Consultorio homrtpathico do faculta- ?,
Lv tivo J. B. Casanova.
J? Gratis para os pobres.
5 Na ausencia do facultativo J. B. Ca- JJ
2? sanova, o professor homoeopatha J*
& Gosset Bimont continuar com os V
O trabalhos do mesmo consultorio,on- O
O de poder ser procurado a qualquer O
O hora. O
-- Desappareceu um escravo, de nomo
Joaquini, magro, altoefula.de 30 annos de
idade, com 4 dedos em urna mao, ha duas
semanas, que foi visto om diversas partes,
na Roa Vista e Passigem, he canoairo: quem
o descobrir, queira leva-lo na ra da Praia
de S. Rita n. 23, ou 43, que ser generosi-
mente recompensado.
- O abaixo assignado, participa a quem
convier, e particularmente aos seus fregue-
zes, que mudou a sua loja de miudezas, di
ra do Queimado, para a ra dos Quarteis
n. 24, onde os seus freguezes acharan! cons-
tantemente, um completo e variado sorti-
mento de miudezas, de todas as qualidades
e das melliores que pode haver neste gene-
ro, e por precos rasoaveis; assim como fai
ver, que o Sr. JoSo Chrisostotno do Limt
Jnior, doixou deier seu caixeiro, desde o
dia 31 de maio o p. Jos Dias Simaes.
ATTENCAO'.
Nademoiselle D'alairac roga
la ultima vez aos seus de vedo-
res, de terem a bondade de Ihe
pagarem suas coritas, no seu ex-
botequim da ra Nova, poisalm
da muita contempiaco <|ue tem
tido, anda espera at ao dia 7 do
presente mez, devendo no dia 9,
sem mais contemplaco algumi
apparecercm neste Diario os no-
mes de todos os Srs., que Ibes nao
quizerem satisfacer.
oooeoot?>o<& OOOOOOOOO
O No dia 8 para 9 do passado, s 8 ry
r horas da noite, desappareceu o preto q
(\ Paulo, de nacSo Benguela.de 30 an- q
jj nos pouco mais ou menos, estatura ,,
i regular, rosto um tanto largo, beicos X
*? grossos, bocea grande, nariz chato, J*
SJ cabellos grandes, com falta na co- vi
O roa da cabeca pravenienle de carra- /
O garpeso, falla um' tanto fina e des- O
O caneada, e em certas perguntas usa O
0 da resposta senhor sim, ou senhor Q
ja n3o, noandsr ginga um tanto com Q
r\ as peritas trocando-as paraumeou- Q
m tro lado, bebe garapa eago'ardente; q
-v levou calca de casimira azul-ferrete ^
j? com listrasao comprido e atravessa- "
O das formando quadros, camisa de ma- *
O dapolSo e chapeo de pello preto no-
O vo. Este escravo fui de Antonio Joa- O
O quim, morador em Fra de Portas, e O
com tenda de sapateiro na ruada Ca-->
cimba, tendo o escravo principios q
q do mesmo officio : roga-se a quem o q
f\ pegar de olevara seu senhor, abaixo n
% assignado, que pagar todas as des- -.
!? pezas generosamente,na ruada Cruz ?
do Recien.63, on atrs do theatro j
O velho, armazem que se vende laboas O
O de pinho, no qual servico sempre es- O
O tava o mesmo escravo oceupado. O
> Joaqaim Lopes de Almcids. O
oooooooooooooooooo
Fiindico ii'.viiroi'ii.
C. Starr & Compaobia, respeitosamente
annunciam ao publico, que o seu estbele-
cimento para manufactura de toda a espa-
cie de marhinismn tendo desde o seu prin-
cipio em 1829 ido constantemente augmen-
tando, tem hoje chegado a um estado de
perfeicSo tal; que no he inferior aos me-
lhores que existem em todo o imperio, tan-
to pelo que diz respeito a capacidade do
edificio, como pilla excellencia dos mate-
riaes e pericia dos seus empregados; o que
os habilita a offerecer-se com confianca pa-
ra a pontual execuQSo de toda a especie de
machinas de vapor, de qualquer tamanlio
ou descripco que sejam, fixas, para na-
vios, ou locomotivas. Igualmente caldei-
raa para vapor de todas as dimensOes, enge-
nhos para cannas movidos por vapor, por
agoa, ou por animaes, con todas as varie-
dades de moderna invencSo. Tachas de to-
dos os lmannos, alambiques de ferro da
todas as rapacidades, instrumentos de agri-
cultura, rodas d'agoa e moinhos de vento
ile todas as qualidades. Alvarengas e em-
barcacoes de ferro de qualquer porte ou for-
ma que se desejem. Puntes de ferro de to-
dos as dimensOes, gradaras, varandas, por-
tos, columnas, sinos hydraulicos, boias da
ferro, e n'uma palavra todas as obras de
ferro e bronze, de que o paiz possa precisar
Gracasa energa do governo, existe ja urna
excellente estrada feita em linha recia da
ponte da Boa Vista para o estabeluciment
em Santo Amaro, o que offerece a maior
commodidade as pessoas que o quizerem
visitar.
Chapeos de sol.
Ra do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um ric
sortimento destes objectos de todas as c"
res qualidades, tanto de seda como d
panninho, por precos como-iodos ; ditos pa-
ra senhor, de bom gosto: estes chapeos
sSofeitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sortimento de sedas "
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
maQes servidas: todas estas fazendavne s-
dem-se em porcSo e a retalho : lamben) se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de igrejas : tudo por preco com-
moiii). Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engenho, oor s :roiu
os mais fortes que se podem fabricar.


F
ff",.
'V

Loteria da matriz da Boa Vista.
As roda desta loteria deiiaram de ter hon-
tem andamento, romo se havia anounciado,
por existir mnls de dozc coritos de ris em
brinetes por vender. Em consequencia des-
te motivo miii justificativo, bi novamente
designado o dia 12 do corrente mez para o
referido andamento, seja qual ibr o numero
de bilhetes que anda restar. O respectivo
thesoureiro espera que os amadores deste jogo
concorraru comprar esse resto de bilhetes,
que novamente sao exposios venda nos lo-
gares do costume, tendo attencao a que o
novo dia designado he o da vespera do mi-
lagroso Santo Antonio, em que se pdem rea-
lisar fortes mu felizes, e por consegulnte
grandes venturas.
Precisa-sc de um moten; ic crioulo, por
compra ou alugado, que saiba alguma cousa
de cozlnha e que seja liento dos seguintes
vicios: fujiin, ladrao, bebado e jogador; quem
tiver um icm estes achaques e com aquellas
habilidades, dirija-se ra do Rozarlo larga,
ii. 18, que achara com quem tratar.
Roga-se ao Sr. Dr. Honorio Fiel de
Sigmaringa de Vascurado, que se cha ho-
je advogando err Goianna, que mande pa-
gar a 8ui lettra que se aclia vencida a au-
no e mel, o qual n9o ignora aonde :
em qusnto o ti fo izer ha de ser lembrado.
= O Sr. Francisco Antonio da Silva da ra
do Rangel, queira mandar pagar a assignatu-
ra'deste Diario, e emqnanlo nao o fizer ver o
leu nome publicado em lettra redonda.
Na ra do AragSo, n. 12, segundo andar,
se deseja ssber so he vivo, ondo mora um
rapaznho de nome DamiSo, fllho de Ange-
la de tal, e neto do velho Antonio Lopes
Mangaba, da cidade do Natal, o qual rapa-
zinho anda ha poucos annos aprenda o of-
ficio de marcinairo, em urna oflicina desta
cidade.
mwmmwtf9)ma wmwm-t? Anda te precisa alugar uina preta
escrava, para fazer o servico interno de urna
casa de pouca familia: quem a tiver dirija-se
ao porteiro d'alfandega desta cidade.
Attencao.
O abtixo assignado, morador as Cinco
Pontas n. 4, faz publico a todas as pessoas,
que tiverem penhores em sua rasa, os res-
gate at o lim do corrente, do contrario
ser&o vendidos para seu pagamento o faz o
presente para sua ressalva.
Blanoel Joaquim Pinto Machado Cuitnares.
s. Antonio.
Aos senhores festeiros; avisa-se, que na
ra Nova n. 63, existen) regitros de S. An-
tonio, os mais ricos possivei?, dourados e
em fumo os quaes chegaram no ultimo
vapor, assim romo outras limitas ricas es-
tampas, propiias paraquadros.
Na l'raca da Independencia n. 17, exis-
te urna carta vinda do Rio Grande doSul,
para o Sr. Manoe! Ferreita Escov.
O Dr. Prxedes Gomes de Souza Pi-
tanga, encarregado do hospital regimentsl
a cargo do 1." balalhSo de infanlaria, con-
vida a quem se julgar habilitado como bar-
beiro, para se contratar para o servico do
ni> sino hospital, bem como a quem queira
contratar a applicaco de sanguexugaspara
o mesmo estabelecimento devendo ah
comparecer al o dia 10 do corrente.
Precisa-so de una ama para casa de
um homem solteiro : no patio de S. Pedro,
casa n. 1, secundo mi l r.
Na ra das Cruzes n. 40, lia bichas
amhurguezss das ultimas que vieram ao
mercado, para se alugar e vender-se, lano
por junto, como a retalho.
Precisa sj arrendar um sitio porto
desta Jirafa, que tetilla boa casa para fami-
lia, baixa para capitn, nflo se pora- duvida
em se dar adiantaJo um anuo de. aluguel :
quem tiver, annuncc, para ser procurado.
Precisa-se de urna ama para o servico
de urna casa de pouca familia: na travessa
do Gorpo Santo n. 27, segundo andar.
. Quem annuuciou no Diario de 26 do
corrente, urna taverna com poucos fundos :
dirija-se a ra de HorUs n. 39.
-- Dam-se 300,000 rs. a juros, de 2 por
cento ao mez, sobre penhores de prata ou
ouro: no Aterro da Boa Vista, paJara frail-
ee / a n. 50.
No dia 7 do corrente, fin la a audien-
cia do lllm. Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara, so ha de arrematar, um sobra-
dinho de um andar, sito no bicro Tapado,
avalalo em 8CO,000 rs por execucao do
Avrial IrmSos, contra Manuel Ferreira lla-
mos, he a ultima praga.
Antonio Luiz Ferreira, subdito Portu-
guez, retira-se para Rio de Janeiro.
OSr. Bernardo de Albuquerque Fer-
nandos Gama, queira dirigir-so a l'raca da
Independencia, livraria n. 6 e 8, a negocio
O Sr. Gallos .Mullios de Almeida, tem
urna carta, na liviana n. 6 e 8 da Praga da
Independencia.
Na travessa do Corpo Santo n. 29, se-
gundo andar, arha-se aberla urna escola de
meninos, dirigida por Honorato Augusto de
Miranda-
ttConsiiltoriolioiiiu'oputhicot'iiiif
%t Periiainuuco 9
fjj Ba Wova u. 58 ,$
ftt DIRIGIDO PELO *
9 Dr.' J. S. SANTOS JNIOR. #
(0 Consultas e remedios de graca aos po- 9
9 ores todos ot dias uteit desde % 8 horas *
% da man/ida a urna da larde, e dessa ha- 9
9 ra m diante, serio visitados os doenles (i
fjj) em leus domicilios. -Q
^jaj^-^^^:^0*^ ^g j}^:^^ j ^
__O abaixo assignado participa ao respei-
tavel publico desta cidade que, no dia 22 de
abril do corrente anno, comprou, ao Sr. Grc
gorio Fraucisco dasCliagas, a loja de funilei-
ro que o mesmo tiuha na ra Dlreita n. 23,
livre a desembaracada de toda e qualquer di-
vida contrahida pelo dito Chagas; e por sso
fas publico para que peisoa alguma se iluda
visto constar ao baixo assignado que o dito
Sr. Gregorio tem dito que a loja anda Ihe
pertence. pois o mesmo por sua llvre e espon-
tanea vontade ficou trabalbando na dita loja
como ofAcial. loi ominguei Pereira.
No dia 4 do corrente mez se ba de arre-
matar em hasta publica, do Sr. Dr. juii mu-
nicipal da segunda vara, linda a audiencia
do inesmo, una casa terrea sita na ra do
Rangel n. l, por execucao coulra D. Ignez
Mana da Trindade, be a ultima praca,
Dedicado no conimcrcio.
O vapor do sul trouie a segulnte obraNovo
tratado de arithmctica commercial ou desen-
volvimento simplificado de todas as regras da
arithinetlca relativas ao commercio, acompa-
nhadas de um grande numero de exemplos e
ejercicios, os quaes facilitaui o uietbodo de
resolver qualquer calculo que teoha relacao
com o trafico mercantil seguido de una ta-
bella das moedas do9 priucipaes paites c sua
redueco a de Portugal e do Brasil por l'eres-
trello da (.'amara, I vol. grosso 6,000 : no pa-
tio do Cellegto, caa do lirio mu.
O estabelecimento de bancos, bem dirigidos,
tem-se geralmente considerado de vsntagem
siininia; pois que, tomando activa e produc-
tiva urna grande parte de capitaes desempre-
gados e inactivos, augmenta a industria, ofl'e-
rece deslnvolvimento ao trabalho e facilita o
movimento do commercio e operarnos de cam-
bio. Tao profundamente, tem sido reconhe-
clda, a necessidade, de organisacao de bancos
no itrasll, que multas provincias os tem podi-
do eslabelectr.
No Rio de Janeiro fundou-se ltimamente
o bauco do Brasil, para deposito e descont,
devendo ser o seu capital de dez mil contos
dr iri, divididos em vinte mil aeces de qul-
nhentos mil ris cada urna, com duracao de
vinte annos, contados da approvacao dos es-
tatutos pelo governo e pelo seu plano e direc-
cao ; ofi'erecc toda a garanta e utilidade que
se deve esperar de tao grandioso estabeleci-
mento. O conselho de direccao do dito banco
tendo em vista estender a influencia e benefi-
cios a esta provincia, resolveo substar alli,
em aceitar mais assignaturas, com a iotencao
de aqui uaver quem queira subscrever at
mil acedes; e desta maneira haverem mais
interessados, e estes poderem auxiliar para o
bem commum e geral.
Era oonformidade do que. e da deliberaco
do conselho de direccao do dito banco, toma-
da sobre ideias apresentadas por dous nego-
ciantes do seio da meiiiia direccao, o presi-
dente, o Sr. barao de Ipanema, e o secretario
Sr. Ireneo Evangelista de Souza, fizeram a
subida honra deautorisar os abaixo assignado*
para annunciarem a veuda nesta provincia das
ditas mil actes, para o que marcam o praso
de quinte dias, que a prmeira vista parecen-
do pequeo eremos ser mais que sufliciente,
quando nao ser necessario entrar desde logo
com o capital que se subscrever; e slm em
prestacoes como ordenam os estatutos, que
serao apresentados, e foram publicados no
Jornal do Commercio, n. 98, de 9 de abril de
1851. Tal resolucao tem em vistas interessar
os habitantes desta provincia, e proteger tan-
to quanto for possivel seu commercio epros-
peridade, mrmente devendo acreditar-se,
que ha na praca dn Rio (le Janeiro inultas
pessoas que nao poderam obter assignaturas
para accionistas, e por consegulnte fcilmen-
te all serao vendidas as que aqui o nao fo-
rera.
As vantagens da inslltutcao, a circumstan-
cia de os directores do banco do Brasil, fun-
dado no Rio de Janeiro, movidos pelo bem
publico, mostrarem o apreco e interesse que
tomara pela prosperidade da provincia de
Ir i ii,un liuro sao, alin de outras raes, mais
que suficientes para confiar-se que os habi-
tantes della moslrarao quanto desejain o incre-
mento do commercio e industria e a prospe-
ridade publica. Todas as pessoas nacionaes
ou estrangeiras, que pretenderen! ser accio-
nistas, e qaciram aqu subscrever, sao roga-
das a dirigir-se ao escriptoiio dos abaixo
assignado9, na ra da Cadeia do Recife, n.
39, todos os dias uteis. Recife, 30 de maio
de 1851. Amorim S lrmaos.
Perdeo-se no dia" 30 de maio prximo
passado, desde abica de S. Pedro at a ru>
do Coxo, era Olinda, um alfinete de ouro
cora 6 formato de um quadro circulado de
urna ramagem miada e no meio urna especie
de folhagem com um diamante no centro ; a
pessoa que o adiar pode leva lo ao Recife,"
nos quatru cantos da ra do Queimado, n. 20,
ou em Olinda, loja de Domiugos Jos Alves
da Silva, que ser bem recompensado.
Precisa-se de um foineiro : na Praca
da S. Gruz, padaria por baixo do sobrado
n. 106.
Precisa-se de una ama forra ou captiva,
para casa de pouca familia, em casa do Sr.
I'radines, culileiro, uarua Nova n 3li, d. i.in-
te da igreja da Conceicao dos militares.
-- Uilerece-sc um rapaz porluguez, de ida-
de de 22 a 24 airaos, para caixeiro de Trapiche
ou .ii ni i/i i.-, dos inesmos, ou para ra, de
qualquer urna deslas cousas tem alguma lira-
tica, c alguma de escripia, o qual ali.nn,a a
sua conducta: a pessoa que se quier utilisar
do seu presllmo dirija-se ra Oireita, n. i .
que se llie dir quem be.
Paulo Cnlgnouxi dentista >
8 frnncczt o Acrece sen prest i-
mo ao publico para lodosos <0
<* inistci, -. de sua proflssfto : ir
pode ser procurado a qual- 9
? uucr hora em sua casa, na #
41 na larga do Rozarlo, u. 3G, ,*
? segundo andar. #
MMMtlM|t<^tmtM
__Aluga-se o | nnieiro andar da casa da
ra do Caes n. 5, perlencenle a Francisco
Alves da Cunta, o qual lem excellentes e
aceiados commodos para grande familia e
com muito boa vista : a tratar na ra do
Vigaiio, escriploro de Francisco Alves da
(.unha n. 11
^IHCAOieFI^
ROWMAN & MC. GALI.UM, engenhei-
ros machinislas e fundidores de ferro mu-
respeilosamente annuncam aos Senhores
proprietanos doengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, que o seu estabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparellios da pr-
meira qualidade par a perfeila confoccSo
das maio res pecas de machinsmo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Uowman & Me. Gallum
desejam mais particularmente chamar a
atlencSo publica para a sseguintes, por
terem dellas grande sorlimentojprompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas em paiz es-
Irangero, tanto em preco como em qua-
lidade da materias primas e DiSo d'obra,
a salirr:
Machinas de vapor da melhorconstrucc3o.
Moendas de canrra para engenhos de lo-
dos os tamanhos, movidas a vapor poragoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento eserra-
as.
Manejos independentes para cavados.
Rodas dentadas.
Aguilhoes, bronzesechumaceiras.
CavilhOes e parafusos de todos os tama-
nhos.
Taixas.pares.crivose boceas de tomaina.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogaoe frnosde farinba.
Ganos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repuebo, mo-
vidas a mfio, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulicas e de parufuso.
Ferrageus para navios, carros e obras pu-
blicas.
ColumuaS) yaiudas, grados eporles.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros de mo e ara ios de ferros,
etc etc.
Alm da superiordade das suas obras, j
geralmente reconhecida, llowman & Me.
Gallum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos romottidos
pelos senhores que se d i finare m de fazero
Ihesencommendas, aproveilandoa occasiile
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-Ihes
que n3o pouparSo esforQos o diligencia
para continuarem a merecer a sua conli-
Inca.
Ignacio Luiz de Brilto Taborda, con-
vida os sonliores, cujos nomes em segui-
da v8o mencionados, a virem pagaa-lhe em
a sua loja na ra do Crespo n. 10 o qu
ficaram a dever as extinctas lirmas dos fi-
nados senhores Antonio da Cunha Guima-
rSes e Jos Joaquim de Freitas Cuima-
rSes, e a viuva do Freitas GuimarSes, de
pois Anna Mara dos Passos GuimarSes ,
Antonio Leandro da Silva Manoel Jos
da Silva Leile Joao Luiz Peni, Fran-
cisco de Albuquerque MaranhSo Vicen-
te Ignacio Branco ; Mauricia Feliciana dos
Prazeres, das Curcuranas ; Antonio Janu-
ario Pnes Brrelo do Gabo ; Marlinlio da
Silva Cosa, do Limoeiro ; Jo> Gardozo Ca-
valcanlo, do Caruar ; Manoel da Costa Bra-
ga, de Inhaman; Jos de Beneviies Falc3o,
do Tara em Garanhurts; Patricio JosTavares
de Vasconcellos, do Rom Jardin), comarca
do Limoeiro, e Manoel Gomes dos Santos,
de Lagoa Nova : o annuticiante declara que
ir fazendo mensSo sem excepto alguma
dos nomes daquelles senhores, cujos dbi-
tos forem antigos e nSo vieren imediala-
menle pagar-lhe.
Consultorio ceiitrul hoina-o-
pathlco de l'crnaubuco, &
Dirigido pelo Dr. S. O. L. Pinho, A
Ra do Trapiche Novo n. 15. ^
Todos os das uteis sedarfio con- .)
sullas e remedios de graca aos po- ;.j
bres, desde pela niaulina at as duas 4
horas da larde. 3)
As correspondencias e informacoes 2
podero ser dirigidas verbalmente, 4
ou por escripto, devendo o doente C4
indicar : primeiro, o nome, n ida le, .^
estado, profissilo e conslituicHo ; se- >.$
fe gundo, as molestias, quetemtido, o 4
os remedios lomados ; ttrceir, a po- 4
ca do apparecimenloda molestia ac- .4
& lual, e descnpgao minuciosa dossig- $
naes ou syniplomas que soffre. ^
9 Dr. Sabino Olegario I.udgero Pinho. S
Cff:#M (?:*>'
Cammoriiflarte para curativo tos
escruto*.
O Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso
recebe escravos, para tratar, em urna cssb
na Soledade, qne tem para sso desuado
Os precos sSo os seguintes : 2,000 rs. dia-
rios por os que padecerem de molestias in-
ternas, e 1,500 rs. por os de molestias vul-
garmente chamadas externas. Os doenles
serSo fornecidoi de todos os objeclos ne-
cessarios para seu curativo. Oannuncante
se obrga a curar quaesquer ulceras por
mais inveteradas que seja 111, nao liavemlo
grande perda de substancia, subjeitando-se
o onus de s receber a terca parte do esti-
pendio no caso de que no se consiga o cu-
rativo. Tambera subjeita-sc a condicilo de
nada receber se os escravos murieren), e no
caso de escaparen! pagar-se-lhc o que se
ennvenconar antes. iNlo recebe por preco
ilgum doente, que nSo otTVrfC* probabili
dade de curar-se. Compra tanibem escra-
vos doenles e curaveis, sendo por prego
commodo. L"go que o numero dos doen-
les seja snlliciente psra cobrir as despezas,
se fara urna iliminuicKo nos presos diarios.
INSTRUCGA'O PRIMARIA.
0 abaixo assignado, tendo recbalo do res-
peilavel publico benvolo aeolhinietito, vilo
como j inuitos pacs de familia Ihe tem co-
rlado seus ti,hus, convencidos da manen
conscienciosa por que o annunciantc lera de-
si 11411 -nliado as obrigaedes a que se compro,
metiera na direccao de sua aula particular
na ra do Mondego n. 44, rende por este lucio
um publico agradecimento ai|uelles qucnellc
triii depositado sua confianea em assumpto
tao delicado como seja a primeira cduea;ao de
seus lilhos. O annunciante julga dever anda
solicitar a confianea das pessoas moradoras
fura da praca, para quera fui especialmente
creado o seu estabelecimento. t em verda-
de, he geralmente reconhecido, que inultos
paea moradores (ora da praca delxain de dar a
educaco precisa a seus filhos, ou o fazein com
grandes sacrificios e dilliculdades, em raso
de l.iltin ni aulas ou collegios, onde pos-
sain colloca-los, por tal modo dirigidos que
descnselo inteiraraente, nao s respeilo do
tralamento u disvi los, como respeilo do de-
sriivnh ini'iiiii intelectual e moral ; era por-
lanto de palpitante uecessidade a creaco de
um estabelecimento que reunisse todas aquel-
las condiedes c f ol com essas vistas que o an-
nunciantc estabeleceu a sua escola no lugar
indicado. Os pensionistas, que Ihe forem con-
fiado, acbaro cslabeleciiiienlo do annun-
ciante lodos os elementos necessarios ao
liom desenvolviraenlo phisico, intelectual
e moral. Habitaco sadia, com as acora-
nodaces necessarias, e todos os cuidados
que um pai pode dispensar seus filhos.
Mstres escolbidos'de grammatica latina, frau
ceza, msica vocal e instrumental ; se cncar-
regaro de aperfeicoar a intelligencia dos
alumnos, emquanio o annunciante derigir
especialmente as primeirai lettras, nao pou-
pando esbirros paia adiantar os seus disc-
pulos ; einfim a moral c a religiao serao cul-
tivadas, como convem quem sobie ludo quer
formar bons cidados. A nica recoraenda-
co plausivel esterespeito um exame ocu-
lar," e para este fimo annunciante convidas
todos os pas de familia que d'anlcrao quize-
reiu certificar-se da icalisacao das promessas
do annunciante, para que se dirijam a sua aula
e ahi examinein por si mesuios a ordem c re-
gularldade dos traballios, e as mais condiedes
que ficam enumeradas.
O annunciante espeta continuar merecer o
favor r confianea do publico.4
Francisco de Sales i'Albuquerque.
Compram-se 2 ou 3 saccadas de boa
podra, de 9 a 10 palmos de comprimerito e
4 de largura : na ra doCabug, botica do
Moreira & Fragozo
Compra-sc a f/m'aodos mezes de maio
e juoho do auno pass^doj_nesta_t_yp_og_raphia.
Vendas.
Compras.
Devoto tinistao.
Vendn-so o livrinho Devoto Christao,
o qual contom a lioutrina Christla, mo lo Je
ajudar missa, novena das almas, voto para
remiras mesmas do Purgatorio, oxercicio
para atrancar de Nossa Senhora o quo so Ihe
pedir, oracio de S. Bernardo, novenas da
Assenciio, da ConceictlO, do Nalal, trezena e
novena de S. Antonio e responsorio do mes-
rao Santo, ora?0es para de manhila o a nou-
to, ditas para confiss3o, communlio e mis-
sa, modo de rezar a eslavo, exercicio Dar
cada da, signaes de N. S. Jezus Ghrlsto e
sentenga do mesmo Senhor dada por Pla-
los, modo de rezar o rozaro e excellencia
do mesmo, misterios dolorosos, gososos e
gloriosos, ladainha de N, Senhora e oulras
muitas oraces. Este livrinho organisado
por um bom christao e a seus rogos itnpres-
so vende-se pelo diminuto prego de duas
patacas, na livraria 11. 6 e8, da Praca da In-
dependencia.
Vendem-se dous capsdos, ptimos pa-
ra a preiente Pascoa na ra da Praia do S.
Rila n. 31, so dir quem vende.
Veiidem-se2 pretan quitan Jeiras, urna
por 400,"00 rs., e outra por 300,000 rs ; uma
molata com habilidades e muito boacozi-
11I1 ira de torno e fusilo: no pateo da matriz
de S. Antonio, sobrado n. 4, se di- quem
vende.
Loteria do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000 e 10:000,000 de ris.
Na loja de calsado da Praga da Indepen-
dencia c na ra da Cadeia rio Reciten. 46,
loja do miudezas acham-se a venda os
meios bilhetes. quartos, oitavos o vigsi-
mos, das loteras, dcima terceira da Can-
dado e dcima quinta do llieatro de S. Pd-
dro de Alcntara, que tero de vir asustas
pelos vapores, da carroirn e nglez.
Pagos sem descont.
Meios 11.000
Quartos 5,500
Oitavs 2,800
Vigsimos 1,300
Vendi-se uma propriedade, com mu-
tos commodos, situada na Passagem da Mag-
dalena : Irati-so na mesxa l'assagem, ven-
da n. 13, ou anniincie pora ser procurado.
VenJe-se para fura da (rara, un ne-
gro cieoulo, muilo moco: na ra de S.
Francisco, no segundo andar do sobrado
o. 16.
Lotera do Rio dr Janeiro.
AOS 20:000,000 DE RS,
Na casa feliz
Dos quslro cantos da ra do Queimado,
loja de tazendas n 20, vei.dem-sc os muito
afortunados bilhetes, meios, quartos, oita-
vos e vigsimos da decima quinta lotera do
thealrn de S. Pedro de Alcantf ra, bem como
um resto de cautcllas da lolcrU das Casas
da Caridade, cujas lisias se esperara at o
dia 13.
Vonde-sc mercurio, por prec.) commo-
do : na la de Apollo n. 1S.
i- &
9
Gompra-se um sobiado- de um andar
esotSo, com quintal, que esteja em bom
eslado, situado no bairro de S. Antonio, ou
Boa vista, at 3:000,000 rs., pouco mais ou
menos : no patio do Carmo u. 17, a fallar
com Gabriel Antonio.
- Gompram-se uma negrinha que tenha
de idade9a 10annos, oum ruoleque de 12
a 15 anuos, sendo bnalas figuras: na ra
da Gruz do Recito 11. 37, primeiro andar.
t.oinpia-so uma vacca boa Intuir, fe
for torina sera preferida : no Mondego em
casa 4e Luu tloucs 1ciTcifa,
Aos 20.000,000.s.
No cambio da Viuva Vtcra & Filhos, na
ra da Cadeia do Recife, n. 21, receberam
a lisia da 57. lotera do Motile Po, eos mu
afortunados bilhetes, meios ecautellasda
15. lotera a beneficio do llieatro de S. Pe-
dro de Ale.iiii 1 a, da qual vem a lista no va-
por inglez.
Nos ({iiili-n Cantos da Roa Vista
esquina te S. Goncalo 11. I.
Ven.lem-so superior manteiga lnsleza,por
i'iiiiinni.lii i'teei ; aletria nova, a 210 rs., a
libra; nmcarrilo, a 240 rs., a libra : telhe-
rim, a 210 rs.;cha hysson,a2,210 is.,a libra;
dito superior de S.Paulo, a 2,000 rs., a li-
bra; I-nial Imilla inglea, a 210 rs., e oulros
mais gneros, por rasoiivel preco o de su-
perior qualidado.
Ao boni c barato, 110 Aterro da
Boa Vista 11. 7 5.
Vlida junio a loja de sera, vendem-se, fa-
rinha de rartita, a 1G0 rs., a libra; dilado
liaranllSo, a80rs.; toucinho de Lisboa, a
200 rs. ; dito dos santos, a 160 rs.; manlei-
ga ingl. za muito boa, a 560, 480, e 100 rs.;
han; a, a 320 rs.; arroz do MaranbSo, a 80
rs. ; presunto, a 480 rs. ; chouricas, a 480
rs,; paios, a 320 rs ; salames, a 400 rs.; ale-
tria, a 210 rs. ; macarrSo, a 160 rs.; choco-
late de Lisboa, a 400 rs.; queijos muito 110-
vos, a 1,600 rs.; sal o do Rio, a 140 rs. ;
dito puto, a 120 is. ; dito braneo. a 220 rs ;
cha hrasileiro, a 1,000 rs.; d to liysson mui-
to supe-nor, a 2,000 rs.; dito pelo a 2,000
rs., e tan bem tem em embrullios chinezes,
a 700 rs., cada um ; azeite doce de Lisboa,
a 560 rs., a garrxfa; dito de couco, a 360 rs :
viti'.o 1.rai.ro, a 320 ts.; dito muscatel, a
400 rs.; dito do porto engirrafado, a 400 rs ;
dito de feitoria engairafario, a 500 rs.; dito
de Lisboa em pipa, a 240 rs.; dito da Fi-
ueita, a 200 rs ; vinagre, a 80 rs. ; serve-
ja branca, a 400 rs. ; dita preta, a 480 rs.;
ui nrba de hnll.Hiili-, a 300 rs., a botija; ca-
f 11101 lo, a 200 rs a libra; dito de carolo,
a 160 rs. ; caitas de traques, a 220 rs. ; bo-
lachinha americana, a 240 rs.; passas novas,
a 240 rs.; velas de espermacete de 6e 7 em
libra, a 610 rs.; ditas de carnauba de 6 e 7
em libra, a 280 rs.; azeite docefraneez en-
garrafado a 640 rs. ; pratos e tijellas, a
1,080 rs.,a duzia ; tijellas pequeas, a 800
rs., a duzia; espirito de vinho de 37 graos, a
160rs a garrafa, e em caadas, a 1,000 rs.;
azeite do reino, a 7U0 rs. ; agoardente de
eniz, a 600 is.; genebra, a 610 rs., a cana-
da ; latas de sardinhas muito novas, a 1,000
rs.; azeitonas, a 240 rs., a garrafa ; farinha
de trigo, a 100 rs a libra, e oulros muitos
geneius; assim como, apareHios para cha,
biancos por muilo diminuto preco: na
BiTietes do R]b de Janeiro.
Aos 20:000,000 rs.
Na loja de miudezas da Pra?a da -^depen-
dencia n. 4, vendem-se bilhetes Inte roa. we.o..
quartos. oitavos c vigsimos da declma-tercc.
ra lotera das Casas da Caridade.
m999999999L
4 Estam-sc acabando.
n% Chapeos de sol francezos, de mu
4 to boa qualidado. tanto na seda, como e
9 na armario, por serem grandes e fr*
^ muito fortes, pelo barato preco do &>
% 6,000 rs.: na ra do Crespo, ao po )
9 do arco, loja n. 2. ^^^k
--"Vende-so uma escrava croula, nioga
e. de el'ganlo figura, lava, coznh muilo
bem, faz lodo o serviijo do uma casa, tanto
externo como interno, seu ultimo preco ha
600,000 rs., o motv.) da venda so dir ao
comprador: na ra do Qucima lo, loi n. 53.
Ven.lem-so um escrav.) mogo, bim ca-
noeiro, cozinlia o diario do uma casa e p-
timo para todo frvido ; um molato ptimo
sapateiro e com bo con iucla : na ruada
Manguelra do bairro da Boa Vista, casa cor
de ctii-.-.a n. 11,
-- Vendem-se uma porco de ouro en
obras, como sejam, brincos, pulceiras, bo-
les de aberturas, alfinetes de pello, gar-
gantilla, 8nel0os, cordOes, etc.; bem como
outra porefio de prata em colheres do cha ,
sopa e fivelas ; por precisSo, um escr.ivo ro-
busto esem vicios : na ra Direita 11. 39.
AO BOM K BARATO.
Ilua do Passeio-Publico, loja 11. 9, de Albino
Jos Lcite, vende-se cortes de ineia casimira
escuras, pelo diminuto preco de 1,400 reis,
chapeos de sol, asteas de balea com barros
aS,600| a elles antes que se acabein. Chitas
sera defeilo algiini a 120 rs. o covado, ditas
roxas tinas c Anas 20o rs., cobertores muito
emeorpados, propiios para escravos, atilO rs.,
'-niilii-.il i-., di India, bordadas, proprias para
cortinados, a 4fl0 rs. a vara, chales de chita
a (510 rs., lencos de seda, padraes de mullo
gosto, a 1,00 rs., ditos de carabraia com bico
a 320 c a 480 rs., brins de linho azul e de
cores a 320 rs. o covado, lencos de caipbrala,
denominados vapor, a 200 rs. e outras muitas
fazendas que deixara-se de annuciar para nao
oceupar (Pinpo.
GBAXA ECONMICA FAI MASSA.
Do insigne fabricante americano, James Ma-
sn. A sua composicao he feita de proposito
para lustrar com agua e conservar o lustro,
tanto de invern como de verfn; a grande
vantagciiit|uc lia nesta graxa he a couservaco
do calcado, e luslrarem-se os sapatos ou bo- .
lins anda mesmo molhados, e urna pequea
latta aturar mais deque tres boiOss e distar
menos do que um. Vende-se era barricas,
ou porcao de duzias, no armasun de Vicente
Ferreira daCnsta, na ra da Madrc-de-Deos.
Vende-se os seguintes livros em segn,
da mao, cen bom eslado, porjireco commo-
do : Legislacao portugueza de l/O a 1841, em
12 vol.; reperloiio da mesma, era 2 vol.; diio
das leis extravagantes, era 2 vol. dito das
ordenacors do reino, era 4 vol.; Lobao, notas
de uso pralico, 4 vol.; direito civil, por llor-
ges Carocho, 4 vol. ; assentos da casa da sup-
plicacao, I rol.; tratado das obrigaces, por
Potliier, 2 vul.; Mello Freir, inslituices de
direiio civil, 7 vol.; Pereira de I arvallio,
processo orphanolo^ico, 1 vol. ; Correia rel-
ies, doutrlna das aeces, 1 vol.; Ferreira llor-
Set, medecina legal, 1 vol.; digesto portu-
nez, 1 vol.; ordenaqfles do reino, 3 vol.;
VolUire, poeia, 1 vol.; Watel. direito das
gentes, 1 vol.; Hallius, principios de econo-
ma poltica, 3 vol. ; o Federalista, por lli-
inillon, 1 vol.; memuires de Constan!, 0 yol. ;
Thomaz Paine, sobre poltica c legslacar, I
vol. ; (i voluraes da legislacSo braiileira, o
manual do cidadao. por S. Hinhciro, em 3
vol. era brochura: na ra do Rangel n. (JO,
de urna hora Ca larde ;is seis.
Vende-se un cscravo possante, para
Indo o servico; na ra Augusta, ciu casa de
Francisco Goucalves do Cabo, u. 22.
Vende-se um preto cora habilidades c
boa conduela, o que tudo se alianca : na ra
larga do Iloiario, n. 35,
Vende-se uma preta crioula de 22 annos,
pouco mais ou menos, que sabe cozer, cozi-
iili.u- e lavar ropa; e assim o mais servico de
una casa: na praca da Boa-Vista, por cima
da bolica da viuva Cimba, segundo andar.
NA LOJA DE MAIA RAMOS & C. NA RA
NOVA, N. 10
Vende-se ricos capolinhos de selim inaco, ri-
camente guarnecidos de bonitas trancas e fran-
jas ; ditos de chamalole e de lil de linho
preto, e sarja de cordaozinho ; advcrle-se que
he o milbor que ha ncsle geuero; o preco
anima o comprador.
Na ra das Cruzes n. 22, segundo andar,
vende-se uina crioula de 22 anuos, bonita fi-
gura, engotuma bem, coze bem chao, coz-
nha e lava de sabao ; e una dita de naro
com as mesmas (labilidades, e um lido 1110-
lequc de anuos, que cozinha odiarlo de
uma casa, c uma crioula de 2(1 anuos, com
lodas as habilidades, para engenlio ou fra
da provibeia.
Lotera do Rio tic Janeiro.
Aos 20:000,000 rs.
Na ra esti'Cta do Rozario travessa do Quei-
mado loja de miudezas n. 2 A, de J. F. dos
Santos Maia, vendem-se os muilo afortunados
bilhetes, meios, quartos, oitavos c vigsimos
.la il. 1 nii.-i-i. ii-i 11 1 loteria das casas da carida
de. Na mesma loa esla patente a lista 27. da
loteria do Monte Fio,
Loteria do Kio de Janeiro.
aos 20:000,000 de rs.
Na ra do Queimado 11. 18, vendem-se
bilhetes, meios, quarlos, oitavos e vigsi-
mos, dn 13.a loteria das casas da Cari lade,
cuja lisia chega inialivelmcnte pelo primei-
ro nav' que vicr da corle. Tambera se tro-
can! pelos premiados damalrizda Bja Vis-
ta : na mesma loja uxi.-tem as lisias das a-
trazadas ; a ellos para tirar os 20 contos.
Conipram-se e vendem-se
escravos, e recebem-se de com-
missao, tanto para dentro como
para ia desta provincia, e tam-
iieiu se adianta dinlieiro sobre os
tendo bonitas (i-
de comtnissoes,
guras, sem se levarjur^s : na rua
das Larangeiras ti. i.'i segundo
andar.
Gasa de commisso de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commisso, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
o que se otVcrece muitas garantas
a seus dooos : na rua da Cadeia do
leiileu. 51, primeiro andar.
Deposito de cal e p tassa.
No ariiia/.em da rua da Cadeia do Recife n.
12, lia muito superior cal de Lisboa em pedra.
mesma casa venJetn-se 2 rotlas com pouco lassim como potassa chegada ltimamente a,
USO, por cofflUOdo preco, I piejo muito lasoaveis,
. .JHWv


Htta-Xia
-; ,
Vendem-se chapeos de pa
llia do Chile de diversas quali-
dades c a precos rasoavcis : na ra
do TYapiclic n. 5, ecriptorio.
Do superior [qualidade.
Cimento novo, chegado ltimamente de
llamburgo : vende-so no armazem do Vi-
cente Kerreira da Costa.
Deposito lu fabrica le Todos os
Sanfoi na Bahia.
Vende-se, em rasa deN. O. Bieber&C. ,
na ru da Cruz n. 4, algnriflo transado ila-
quella rabrica, muito propno para saceos d
assucar o roupa do escravos, por prego com-
modo.
I Oai i ha Itaratn
Vcnde-se, na ra da Cruz do Recife, ar-
mazem n. 13, farinha do mandioca en sac-
ras, a prego baratissimo.
A mol lio i pi'chine-ha.
Vendem-se chales de seda de lindos e mo-
dernos goslns, a prego de 4,500 at 6,000
rs. : na ra do Crespo, loja n. 10.
ffAftVfVtf ffyf fffff f
Arados americanos.
j^ Vendem-se arados americanos ver- ^
$_> dadeiros, chegados dos Estados- <^
:> Unidos : na ra do Trapiche n. 8. <3
l'arn acabar, sarja lit-s pan hola,
lini|it, boa, u 1,920*8.
Vcnde-se sarja limpa cspanliola, muito
larga, lina fazenda, a 1,920 rs. : na ra lar-
ga do Ruzarin n. l, primeiro andar-
(lera O "n. ais superior que lia neste genero, ven-
rtc-sc cm porcao c a rclalho : na ra da Cadeia
to Rrcife, loja u. 50 de Cunha & Amorim.
& Rap Pedro II.
VenJe-sc no deposito geral, ra dos f
j";- (Juartcis n. 24, loja de Jos Das Simfli:a (
o muito superior rap Areia Pela Pedro
II eni pequeas c grandes porc&M, pelo
preco j estabelecido, garantindo o de-
positario a jens Ireguezes a faculdade
de tornar-lhes a receber no caso de se
achar ein mo estado.
tos, Alexandre Herculeno, padre
Recreio, Magessi e outros.
lie milito barato.
Superior tinta vermelha, ptima para es-
crever, risesr livros em branco o papis, e
mesmo propria para outros misteres, mui
conveniente para todas reparlicCes publi-
cas equalquer casa de commorcio, n3o so
pela sua qualidado, como por ser muito em
conta, em meias garrafas, a 560 rs., cada
utna : na la da Cadeia Vclha, loja de miu-
dezasn. 31.
Oh pie picliiiu-lia para a presen-
te cstn cao.
Vendcm-se gasimiretas de oxcellenles co-
res proprias para palitos, e pelo prego
baratissimo de 500 rs., o covado : no Ater-
ro da Roa Vista, loja n. 18.
Vcndc-sc crva mate muito nova: na ra
Augusta n. 9*.
Vcndem-sc manteiga ingloza boa a
640 o 480 rs.; queijos novos, a 1,600 rs.; cha,
a 1,600 rs. ; caf em grao, a 160 rs.; touci-
nho de Santos, a 120 rs. ; farinha demara-
ntiiio, a 80 rs.; quartinhas. a 120 rs., e to-
dos os mais gneros muito em conta : na
la Angusta n. 91.
*: $:S#
f- Algoilao para saceos. t-
'.' Vende-se muito bom algodilo para f
C saceos de assucar, por prego commo-
3- do: em casa de Ricardo Royle, na
4 ra da Cadeia n. 37. {-
%m!#m0--)&&ib (.<,:^*##
Corra ni le presea ,-i peeliiiiclia.
De 4,500 e 5,000 rs. o corte.
Na ra do Queimado, loja n. 17, ao p di
botica, vcndem-se corles de casimiras do
cores escuras, muito encorpadas, proprias
para a presente estaclo, a 4,500 e 5.000 rs. ,
e muito linas, a 5,500 e 6,000 rs.; pao fino
preto e azul, de cores (xas, a 3,500 e 4,000
rs.,o covado ; cobertores de lila muito en-
corpados, a 1,600 rs. ditos muito grandes,
do Porto, a 3,000 rs. cada um, e outrasfa-
zendas, por prego mais barato do que em
outra qualquer parte.
Vendem-se ni loja doantigo birateiro,
na ra do Crespo n. 11, as seguintes obras :

^S-WiUS^kar Horacio, em formato grande; compendios
Vende-se urna taverna componeos fun- Je geometiia, por l.acroix eKuclides, Te-
dos, sendo a armsg.lo nova e muito barata,] |emacos. Salustios, Cornelios, Virgilios,
a qual se acha fechada, na ra Direita n. 36
trata-se com Jo3o Mailins de Barros, que
faz todo negocio.
Cera de cnrnnnba.
No armazem de Domingos Rodrigues de
Andrade; Cotrpanhia, na ra dosTanoci-
ros n. 5, vende-s i superior cera de carnau-
l.i, ltimamente viudas do Aracaly, em
porgSo e a retalho, por menos prego que
em outra qualquer parte, assim como sola e
couros miudos.
-- Vendem-se um bonito pacern de 16
annos, bom bolieiroc linda figura, calsado
fardado de panno fino, sabd bem tratar
de cavallos e agrada a qualquer um aenhur
que o quizer comprar, por srr muito activo
e diligente no comprmanlo de seus deve-
res, 4 molecoles bons Irahalliadores de en-
xada, de 14 a 18 annos, lindas figuras, um
bonito moleque de 16 annos, proprio para
pagem por estar tambem a sso aeostumado,
um molatinho del! annos, muito lindo e
esperto, una negra boa vcn.ledeira de ra,
moca e linda, duas ditas com principio de
engomo.ar c Cozinhar, una negra de 30 an-
nos, perfeila ro/inheir, doceira e engom-
madeira : na ra do Rozario larga n. 22,
segundo andar.
-- Vcndem-se camisas homeopticas de
llanela. muito finas, proprias para a esta-
tu do invern, ] rivativo de constiparles .-
na ra Nova, loja n. 2.
Vendeni-se a 1,000 rs., dinheiro a vis-
ta, lencos do s< da, para hombros desenlio-
ras : na ra Nuva u. 2, atraz da matriz.
A. Colomluer, com loja n. 2, na ra
Nova atraz da matriz, rece beo chapeos fi-
nes, da ultima moda de l'ariz, vendem -se a
dinheiro a vista, nada de liado.
Vendem-se 500 a uuo caadas deazei-
to decarrapatado, por alteado, arazau de
1,520 rs., a caada ; 6 pipas arqueadas de
farro, que servem de deposito do mesmo
azeilo, a 8,000 is., cada una : na Praga da
Loa Vista, sobrado n. 12.
Vendem-se. fundas torradas decamur-
sa, para o lado direilo e esquerdo, e para
dous lacios em una so pega, com armag.lo
ile ac : airaz da un triz da ra Nova, loja
II. 2."
- Vendem-se a dinheiro avista, na rtia
Nova, loja n. 2, sapatos de duraque de cu-
res, para mininas e senhoras, a 500 rs.o par.
lriztyuits Itotneopatliiros.
Vendem-se hiozcgnins inglizeg decasi-
mirahli- cores, (aspeados, de couro de lus-
tro, com sola batida, prova d'agoa, proprios
para a estago do invern, a dinheiro u vis-
ta : na ra Nova, loja n. 2, atraz da matriz.
Vendem-se lencos de camhmia de li-
ndo, muito linos, com hico em volta : na
ra Nova, loja n. 2.
Itoncs de cabello npetiorea,
Vendem-se bons de cabello, para ho-
meni supuior fazenda : ua ra Nova, lo-
ja n. 2.
I'm chafiro por 6,000 rs.
Vendcm-se rhapeos de minti preto, com
molas, por 6.000 rs. : na ra Nova, loja n.
2, atraz da matriz.
Vendem-se saceos novos de estopa ,
com duas vares, a 320 rs. : na ra larga do
Rozario ii. 48, p:imeiio andar.
ik ni d( ixaii de comprar.
Cortes de c'.ita do melhor gosto a 1,920
e 2,240 rs.
Na ra do Crespo, loja da esquina que
volta para a Cadeia, araba de chegar um
completo serlimento de cortes de chita,
com 12cova ios a 1,920 rs., o intiiros.
a 2,240 rs.; pegas de m8dapo!3o lino com
fequeno loque de avaria, a 3,000 rs. ; ditas
chales de 13a e seda, a 4.000 rs., e coites de
casimiras do ultimo gosto, a6,400 rs. e mi-
tras muitas lazeinlas de bom gosto.
Veiidcin-se pegas de chitas, liiu-
pas, a l,(mi rs.
Vendem-se pegas de chitas, limpas, boas
para escravos, a 4,000 rs. e a 120 rs., a no-
vado : na ra larga do Rozarlo n. 48, pri-
meiro andar.
Milagre (TOvrique.
Na casa n. 6, defronte do Tra-
piche Novo, ventlem-se os diver-
sos opsculos contendo toda a
cjuesto a cerca do milagre d'Ou-
codigo de. leis de l.uiz Phelippe em francez,
um liar ii i de pliysiologia pathologica ,
tambem em francez"; grammaticas france-
zas, inglezas, latinas e loda a sorte de li-
vros classicos, ludo por muito commodo
prego que nao poder deixar deencheras
vistas dos compradores : na mesma loja
conlinua-se a trocar e comprar.
Novos livros de direito civil.
\ po ii I a Menlo- sobre as formalidades
do | rucesso civil brasileiro, pelo dezembar-
gador Pimenta Rueo, 1 vol. 1850, 3,000
Apontamentospelojury, sobre o pro-
eesso criminal, pelo dezembargadnr Pimen-
ta Rueo, 1 vol. 3,000 rs. : vendem-se no
pateo do Colbgio, casa do livroazul.
Vende-se por commodo prego, ou tro-
ca-se por alguma proprieJade nesta praga,
dando-sea vulta que merecer, a ilha deno-
minada S. Joflo Raptista, ao pedos Affoga
dos, com bastante torreno para p lantago.-s,
a qual d bastante capim, dous grandes vi-
veiros e cenlo e tantos pes de coqueiros ;
assim como um sitio em Remfica, junto a
estrada Nova, ao p do sitio do Sr. Viegas,
tnilo murado, com dous portdes de ferro, o
qual tem exci liento casa cocheira para
dous cavallose cariinlio, um grande pogo
com excellente agoa de beber e bastantes
arvoredos de fructo ; a ilha tem duas gran-
des casas de pedra e cal: a tralar na ra da
Cadeia do Recife n 54, ludo muito barato,
ou por todo prego.
-- Vende-se um sitio na Solidade, na os-
trrda que atravessa pelo fundo dosiiiodo
Cad, com casa nova u muito asseiada, com
trgs salas forradas de bonito papel, qualro
quartos, eozinha Tora, casa para feitor e pa-
ra pretos, cocheira para carro e estribara
i ai i tres caballos, lem muitas e muito boas
larangeiras, boas mangueiras, jaqueiras e
cajueiros, muitos ps de saputizi iros pr-
ximos a darcm Tructo; finalmente tem todas
as pioporgoes para urna familia morar coro
decencia e recreio tambem tem urna fa-
mosa ocimba com boa agoa ta-se na ra Nova, armazem de trastes do
Pinto, defronte da ra de S. Amaro
Vende-se um piano, por prego commodo:
no palio do Paraizo n. 20.
L'inn bonita preta engommadeira.
Vende-se urna bonita preta, moga, cor-
polenta, engutiimadeira e cozinheira, nilo
tem vicios, ncm achaques, oque ludo se
afianga : na ra larga do Rozario n. 48, pri-
meiro andar.
i k-/.i na de S. Antonio.
Nova trezena de S. Antonio, contendo a
ladainlia, aupplica e os versos, muito bem
arranjida, pelo diminuto prego de 320 rs. .-
na livraria do palio do Collegio n. 6, de Joao
da Costa Dourado.
Pergiintas c respostas.
Com este titulo, urna rollerciio de muitos
engngados versos, feito porum prrnambu-
eano, para as noutesde S. Antonio, S. JoSo
e S. Pedro, c tambem serve para traques de
esli ios, vende-se a folha, por 80 rs.: na li-
vraria do patio do Collegio n. 6, de Joo da
Costa Dourado.
As joven- |ii rna minien lias
Um pequeo folheto, com muitas bonitas
sorles, para as noutes de S. Jo3o, S. Antonio
e S. Pedro, vende-se por 160 rs. : na livra-
ria do patio do Collegio ti. 6, de JoSo da
Costa Dourado.
Rna do Crespo n. 10.
i.oja que volta pan a ra das Cruzes, ha
excellentes certes de meias casimiras de 13a
fazenda muito superior c encorpada, pelo
diminuto prego de 1,280 rs o corle, assim
como lindas cassas Irsnreasa 600 rs. a va-
ra, superiores chapeos franoezes de gomma
elstica, riquissimos manteletes parisien-
ses, fa/enda qui anda nSo vista, por se-
rem de gosto niln ai: enio novo e muito
excellente qualidade, eque se vendem pelo
barato pngode 16,000 rs. cada um, bem
romo chitas franeezas largas para coherlas
a 320 rs. o covado, e muitas oulras l'azendaf
muito liaratas.
Vendem-se ananazese abacaxises.plan-
tados cada um cm sna vasilha, muito pro-
piios para embarqte e oiicios : na ra das
Cruzes n. 40, sonde se acha um para a
mostra.
Instrumentos de msica.
t'ubrica de Paria,
e todas as qualidadeatie vioies, rabeccas,
flautas e flautins.
Vende-se orna casa nova, muito oira-
ti, com 3 portas na frente, 3 quartos, 2 sa-
las, eozinha fra, quintal grande e murado,
e cacimba, no principio da ra Imperial:
trata-se na mesma ra n, 87.
Vende-so uro molattuho de bonita fi-
gura, sem vicio, o que se alianca .- na rtia
da Cadeia de S. Antonio, segundo andar do
sobrado da esquina n. 1.
Vende-se, por prego commodo, urna
cas terree, com muitos commodos e boa,
no fin da ra de S. RU, ou principio da
dos Pescsdores: na ra Direita n. 32, se-
gundo andar.
Vende-so resina de angico a retalhoe
por a tacado, "a 320 rs., a libra : na ra da
Cadeia do Recife, loja de Joo Jos de Car-
v.illio Moint'S.
Vende-so urna preta denagSo, moga,
que eozinha, UvadesihSoeengomrna liso,
boa quitandeira, por ter andado com tabo-
lelro demiudezas, d-se muito em conta,
por precisBo ; tres pares de mangas de vi-
dro lisas, com castigas : na ra do Rangel
n. 38, segundo andar.
-- Vende-se mel de assucar, a200rs.,a
caada de oito garrafas: na ra da Concor-
dia, refinacSo frunce/a.
Vende-se um negro de 25 annos, pou-
co mais ou menos, bonita figura esem vi-
cios, por precisSo : na ra da Praia n. 34.
Vende-so urna escrava por 250,000 rs.,
por precisSo, a qual' vende na ra elava
roupa : no becco do Padre, sobradinho de
um andar, do lado do sul.
Vende-se um negro hbil para todo o
servigo, sendo ptimo ganhador de ra,
sem achaque de qualidade algum : na ra
do Queimado n.28.
Vindem-se 13 escravos, sendo 2 mo-
loques creoulos, bons ofliciaes de pedreiro,
de idaifedeao a 22 annos, urna bonita mo-
llti recolhida, ptima mucamba, coso, en-
gomma bem e eozinha ptimamente, 2cre-
oulas deidade 18 annos, com algumas ha-
bilidades, um moleque deidade 18 annos,
official dealfaiate, bonita figura, 4 escravos
de todo o servigo, um dito carreiro, 2 ditos
de servigo de campo e com bonitas figuras :
i a ra Direita n. 3.
4 Para noivase bailes soberbos.
4 Regise sublimes vestidos do mais O
4 importante e delicado blond de rama- $
4 ge, assim como de eilraurdioarioe ?
4 superior setim de peso, todos bran- ?
4 eos e ricamente bordados, com fins- >
4 simorelroz d'alvor brilhante : ven- ?
4 dem-sena loja pernambucana deAn- #
4 ionio l.uiz dos Santos, na ra do
Crespo n. II.
r\n *..
,!&2 ro
Vende te o engenho Cananduba, sito
na freguezia de S. Amaro de JaboatSo, 4 le-
goas distante da praga, me com animaes e
tem proporgOes vantajosas para moer com
agoa, e fazer dous mil pes por safra, he
de grande rendimento e de muito bom as-
sucar, boas trras e malas com madeiras
de boas qualidades : trata-se na ra Augus-
ta casa do Pacheco.
Vende-se a melhor pitada do rap Pau-
lo Cordeiro : no deposito da ra da Cadeia
n. 19.
Vende-se a melhor figura que em ne-
gro lem appareeido, idado de 20 a 22 annos,
entende de padaria e de calafate, proprio
para engenho, por ser bastante alto e for-
goso, por prego commodo na ra do Cres-
po n. 13.
Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla nova n. 42.
Vende-se um grande sitio no lugar do
Manguind, que lica defronte dos sitios dos
Srs. Carneiros, com grande casa de viven-
da.de quatro agoas, grande senzalla, co-
cheira, estribara, baixa de capim que sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
hoinha e tanque cubcrlo para banho bas-
tantes arvoredos de fructo: na ra da Con-
cordia,primeiro sobrado novo de um andar.
Vendem-se as seguintes ge-
mentes:
de .il iis, ditas de ditas ingle/as, ditas de r-
banos encarnadas, ditas brancas, ditai de ce-
blas de Setubal, ditas do alface allamaa,
ditas repolhudas, ditas de cve trinchada, di-
tas de senoura amarras, ditas de chicoria, di-
tas de coeotro de toceira, ditas de salsa, ditas
de tomates grandes, ditas de repolho, ditas de
espinafre, dita de pipinella, ditas de aipo,
feijao, carrapato de tres qualidades, ervilhas
tortas c direltas, rabanetcs encarnados e bran-
cos: na ra da Cruz n. 40, defronte do Dr.
Cosme. Na mesma casa vendem-se queijos in-
glezes multo frescaes.
tUudmna liosa llardy, modista
brasileira, ra Nova n. 34-
AnnuDcia ao publico, que acaba de receber
de l'i an\ .i uui lido sorlimento de capotinhos
pretos e de cores delicados muito eufeitados,
gros de naples e cliaiuatoles, ditos de fil de
linho preto para senliora, gros de naples de se-
da furia cores para vestidos e capotinhos, ditoi
de cor de rosa e gorgurao de rosa para vesti-
dos e proprios para chapeos, gros de naples e
chamalotes preto para capotinho, botlas pre-
las para capotinhos. franjas e tran;ai pretas e
de cores para capotinhos, traumas de seda
branca, aiul, cor de rota, roxa, azul piara en-
lejiar vestidos, luvas de teda e pellica para se-
nliora e meninos, meias de seda para chancas
de 1 a 4 anuos, capellas de flores para bailes e
casamentos, ricos chapeos de seda franzida
para senbora, ditos de palha para senhoias e
meninas, chapozobos de teda para chancas
de 1 a 4 anuos, lidas locas para senhoras viu-
das de Franca, romeiras, caiiusinhaa com gi-
la e si ni golla, com o peilo bordado e guar-
necido de renda e bico de lindo, peitilhos de
ombraia bordado com bico de lindo, mangui-
tos de lil de linho, cambalas de linbo borda-
das, enfeiles de llores de cabeca para bailes e
theatros, eiparlbos para senhora, o que ha
de melhor, armaco c capias para fazer cli-
jn'-os, filas, penachos, flores, perfumarlas,que'
se vende pelo custo, querendo acabar pelo l
ilv julho, lindas toucas para baptlsar meninos'
vindas de Franca e hilas aqu. Na mesma loja
se faz vestidiuhos de menina e de casamento,
capoliuhot de eucemnicuda por preco com
inodo.
Continua-te a vender agoa de lazer ao
cabellos e suissas prclat : ua ra do Quehndo
loja de ferragent n. 31.
mmmmmmmmm twmmwwtm
WGantois l'ailhet & Gonipanhia.
W Conlinua-se a vender no deposito
i) geral da ra da Cruz n. 52, o excel- i
.i liiiU- e bem c-onceiluado rap areia i
preta da fabrica de Gantois l'ailhet & i
V Companhia da Rahia, em grandes e j
para curar da phtysica em todos os seus
differentes graos, ou motivada por consti-
pages, tosse, asthma, pleuriz, escarros de
sangue, ddrde costas e peitosr, palpitagSo
nocorago, coquelucho, bronchites dor
de garganta e todas as molestias dos or-
gSos pulmonares.
De todas as molestias que por heranga fi-
camaocorpo humano nenhuma ha que
mais destruitiva tenha sido, ou que tenha
zombado dos esforgos dos homens mais
eminentes em medicina do que aquella
que he geralmentn eonhecida por moles-
tia no bofe. Em varias pocas do se-
culo passado, tendo-se offerecldo ao publi-
co difTerentes remedios com attestados das
extraordinarias curas que elle tem feito ;
porcm quasi que em lodos os casos a ilus3o
tem sido apenas passageira e o doente
torna a recaiiir em peor estado do quefse
acbava antes de applicar o remedio tSo.re-
commendado outro tanto nSo acontece
com este;extraordinario
Xarope de bosque.
Novaos Companhiii, os nicos agentes
nesta cidade provincia, e nomcados pelos
Snrs. R. C. Yates & Companhia, agentes
geraes no Rio-de-Janeiro, mudaram o de-
posito deste xarope para a botica do Snr.
Jos Mara G. Ramos, na ra dos Quarleis,
n. 12, junto ao quartel de polica, onde
sempre acliarSo o nico e verdadeiro, a
5,500rs. agarrafa, ea 3,000 rs. meias gar-
rafas.
Vendem-se urna preta creoula, moga,
cose, cozinba, vende na ru, lava e faz o
mais arranjo de casa; urna molatinha pro-
pria para acabar de aperfeigoar-se, por ser
viuda do mato, e um sapateiro creoulo, que
d 6(0 rs. diarios, por 700,000 rs.: na ra
larga do Rozario, loja n. 35.
Potassa da Itnssia.
Vende-se potassa da Russia, recentomen-
te chegada, e de muito superior qualidade ,
na ra do Trapiche n. 17.
Moendns superiores.
Na fundigilo de C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
construcgfio muito superior
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
pelos.
Deposito de cal virgem e potassa
Cunha & Amorim, na ruada Cadeia do
Recife n. 50, vendem cal virgem em pedra,
chegado pelo ultimo navio de Lisboa, e po-
tassa de boa qualidade, por menos prego do
queem outra qualquer parte.
AGElNCIA
da funtlicao Low-Moor.
IIL'A DA SENZALLA NOVA N. 42.
Neste eslabeleeimenlo conti-
na a liaver um complelo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para cngenlio, machinas de
Vende-se
Farinha fontana,
Arroz de casco,
Farello novo,
Cha preto,
Chumbo de muidlo,
Cimento,
Bichas de llamburgo,
vende-se ludo por pregos commodos : no
armazem de J. J. Tasso Jnior, na rna do
Amorim n. 35.
Tecido de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado dnas qualidades,
proprias para saceos de assucare roupa do
escravos.
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de-Apollo ni 6, armazem de Me. Cal-
montSi Companhia, acha-se constantemenir
bon torlimentoi de tatxa de ferro coado e
batido, tanto rasa como fundas, moendas In-
Seiras toda de ferro para animaes, agoa, etc.,
litas para armar ein inadeira de iodos os ta-
maitos c modello o mais moderno, machina
horisontai para vapor, com forja de 4 caval-
los, couco, paiaadeira de ferro eitanhado
para casa de pulgar, por menos preco que 01
de cobre, eicoven para navios, ferro inglet
tanto cm barras como ein arcos folhas. e ludo
por barato preco.
Cal virgem em pedra.
Chegada de Lisboa pela barca iiargurida, ven-
de-se'no armazem de
liriiin n. 26.
Silva Barroca, ra do
Escravos fgidos.
iifjne, entre
Companhia da
Na ra Nova n. 9, vendem-se clarins, cor I SI pequelas porgOes pelo prego ostabe-
netas, pistes, trompas, trompos, pratos d I (I lecido.
OS distinctos latera-1 (.onsianmiopa, oboes, clanuctas, requintas I 2tmmW*WmW:WmmMXmm'#W
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Hap Paulo Cordeiro do Rio de
Janeiro
em latas e frascos, chegado recentemente:
vende-se na ra da Cadeia do Recife, loja
n. 50, de Cunha & Amorim.
Taixas para engenlio.
Na fundigilo de ferro da ra do Brum,
acaba-se de receber um completo sorlimen-
to de taixas de 3 a 8 palmos de bocea, as
quaos acham-se a venda por prego com-
modo, e com promptidSo embarcam-se, ou
carregam-sa em carros sem despezas ao
comprador.
Moinhos de vento
eom bombas de repucho para regar borlas
d baixas de capim : vendom-se na fundigSo
de Rowman & Me. Callum, na ra do lirum
ns. 6,8el0.
Anligo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
na barca Ligeira.
Fil bordado & i.aoo rs. a vara.
* Na ra do Queimado defronte do becco do
Peixe I'rilo, loja n. 3, vende-se fil bordado
I.raneo e de core pelo baratissimo preco de
tres pataca e doze vlntens a vara, esta faienda
lelos seus Iludes e dille rentes desenlio lor-
na-se uiuito reconunendavel nao t para ves-
tidos de senhoras, como tambem para man-
teletes : dar-se-hao amostras com o competen-
te peubor.
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
fundicSo de Ierro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com camban de sicupira e bracos
de ferro ; na fundico da ra do
Brum ns. 6, 8 e 10.
-No arinazriu da rna da Moeda n. 7, con-
linua-se a vender sacaat com superior colla
das fabricas do Rio Grande do sul, e o preco
cm conta.
No da 22 de maio p. p., desappareceo
o escravo Veriato, pardo do idade do 22
annos, alto, secco, tendo do lado direito do
pescogo urna sicatriz proveniente de um tu-
mor, levou camisa de madapolam e ctlsa
de riscado, he escravo do Dr. JoSo da Ro-
cha de Molienda Cavalcante, senlior do en-
genho ConceigSo Nova, da freguezia da Es-
cada, suppoe-se andar pelos Affogados, on-
de desappareceo, por ter oeste lugar a mi
e um to, protesta-se usar de todo o rigor
da lei contra quem o livor acuitado .- qual-
quer pessoa que o pegar, pode le va-I o, ni
ra Direita n. 31; em linda, ra de S. Ren-
to, onde se acba morando seu senhor, ou
no engenho Conceigo Nova, na Escada, que
em qualquer desles lugares ser recom-
pensado.
Dosappareceo nanoute dol." do cor-
rente, de bordo do patacho Novo Temerario,
um preto marinheiro, de nomo Antonio,
creoulo, idade 30 annos, pouco mais ou me-
nos, estatura baixa, reforgado, labios mui
grossos e com pouca barba, cor retinta, le-
vou vestido calsa o camisa de brim riscadoe
bonet, o qual fui escravo do Sr. Delfino Con-
galves Percira Lima : roga-se a capturado
mesmo e leva-lo a ra da Cadeia n. 39, es-
criptorio de Amorim IruiQos, que ser ge-
nerosamente recompensado.
-- Desappareceo, pela terceira ve, na nou-
te de 25 de maio, de bordo do brigue ^rgoi,
o escravo, marinheiro, de nome Candido, n
cao Angola, que representa trinta e tantos
annos, rosto comprldo, narit chato, alto, sec-
co do corpo, e barba cerrada. Coatuma andar
nos arredores da cidade, pelas vendas i roga-
se a sua captura ; e a pessoa que o flier levan-
do-o i bordo do dito brigue, ou ra da Ca-
deia n. 39, cata d'Amoriin & Irmao, recebe-
r boa graliliracao.
Desappareceo de bordo do brigue Eipi-
ranea, na noute de 27 de maio correte, o
escravo, marinheiro, de nome lenlo, naco
Mocamcique, idade 25 annos, pouco inls ou
menos, balio, chelo do corpo-, roga-ac a cap-
tura do mesmo ; e quem o levar bordo do
dito brigue, ou ra da Cadeia n. 39, eicrip-
turin de Amorim & Irmaos receber boa gra-
tlficacSo.
Desappareceo de bordo do brigue Flor
do Sul, no dia 27 do corrente me de malo,
o escravo, marinheiro, de nome Marcelllno,
Cambiada, idade 30 annos, pouco mais ou
menos, estatura regular, magro; levou canil-
la e calca azul, cbopo alcalroado : roga->e
a captura do mesmo; e quem o levar bordo
do dito brigue, ou ra da Cadeia n. 39,
cscriplorio de Amorim & Irmaeos, receber
boa gratlfcacao.
- Desappareceo do engenho Jardiin, da fre-
i: ne/ i.i do Cabo, no da 20 de maio do corre-
le anuo, um moleque por nome Boavenlura,
que representa ter 15 annos; he etpigado do
corpo, bonito, bem fallante, le ni o p lr-
gos. Roga-ie s autorldadei policiaes, cam-
panhas, ou qualquer pessoa, o prendan) ou
I,Hilo prender e levar ao seu senhor, Joaquin
Ki oiieiji'o l'acs harrelo, no dito engenho ou
nesta praca, na rila das Cruzes n. 40, a Do-
mingo da Silva Campos, que serio generosa-
mente recompensados.
-- Detappareceo da ra das Cruzes, n. II,
Margarida, escrava do padie Meir. de cor
fula, e de estatura regular; levou vestido de
chita roxa, clara e pjnno da Costa: quem a
a|ii (hender e entregar ao seu senhor ser
recompensado.
Drsappareceu, no dia 18 do passado, o
escravo de nagSo Cagange, de nome Jos,
representa ter 25 annos, baixo, grosso do
corpo, sem barba, rosto abocetado e ps pe-
queos ; levou caiga de algodo transado
com lislras azues e carniza de algodSozi-
nho ja rota : quem o pegar, leve-o ra do
Vigario n. 22, primeiro andar, ou na ra
da Cadeia do Recife n. 51, que so recom-
pensar.
' No da 14 do corrente desappareceo ao
abaiio astignado, do seu sitio em Agoa-Fria
de Santo Amaro, um preto de nome Joao,
que o apclidavam os parceiros or Joao mo-
leque ou pequeo, representa 18 a 20 annos
sem ponta de barba, bailo, secco do corpo,
mas bem proporcionado, ollios pequeos, lie
bastante ladino, fallas muito mavlosas: roga-
se por mullo obsequio a todas s autorida-
des policiaes e capitede campo, de o apre-
henderem c cntrcga-lo no Recite, ra do Tra-
piche ii. 17, ou na ra da Cru n. 8, ler-
cciro andar, ou no mesmo sitio que, alm
da despeas, le gratificar generuiainente.
Jos francisco Kibtira de SouM.
boa gralificagSo.
No dia 13 de margo do correte anno des-
appareceu da l'assagem da Magdalena, do
sitio em que mora o Sr. Dr. Malet, o mole-
que Margal, o qual he bem condecido e tetn
os seguintes signaes : representa ter 20 an-
nos, baixo, cheio do corpo ecarcundo, cor
fula e sem barba ; lem falla de um dente m
frente do queixo inferior e he lilho do ser-
llode Paje, por isso julga-se para l ter
ido : recommenda-se, portento, aos capi-
tes de campo a captura do dito moleque,
que serSo bem gratilicados.
PkicJ- naTw.uv, M.r.nr.'fARfA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJJ43FYLO_TJMV26 INGEST_TIME 2013-04-13T01:16:33Z PACKAGE AA00011611_06362
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES