Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06337


This item is only available as the following downloads:


Full Text
!,v.
>0)0
ou-
ire*
ipo
lor-
ien
lili-
l 11-
:r,is
ii.'iii
gs
i*-
A:
DI
ON
-T II-
Ilk
en-
cr.-
lio
mu
un
IM
MIS.
lu
Anno XXVII
Terga-fcira 4
fjut.'dis dos ooaaEos.
Goianna c Parahlba, s segundas c sextas feiras.
Rio-Graiide-do-.Norlc, todas as juintas feiras ao
mcio-dia.
f.aranhuns e llonlto, a 8 e 9.3.
Iloa-Visla c flores, a 13 c 28.
Vl'toria, s quintas feiras.
Olinda, todos os dia.
t.
IPHEMER1DI1.
PlIiSES DI LIU.
'Nova, a
Creso, a
2. as 10 h. c 55 ni. da t.
il), as 7h. c 25ni. da l.
Chcia. a 17,as 10 li. c .Vi ni. da ni.
Uling. a -.' i,.i s 11 'i. i (i ni. da m.
PaiAMAB ni HOJZ.
Primeira s (i boras e 6 minutos da inanhaa.
Segunda s (i horas e 30 minutos da tarde.
.:"M*eWJ5UJ-jvyL'wjz&:'
de Margo de 1851.
N.
52.
das da semana.
<:if
3 SegS. Hemrt, rio. Aud.do J. d'o. f. CW. da 1 v. Sol
i tere. S. Casimiro. And. da. Chae. d>J. da se-
gnnda varado c. e dos feilos da finteada.
5 Quart. S. Cima. And. do J. da 2, vara,
Qulnt. >. Ollegario, Aud. do I. dos orf. edo ni
da primeira vara.
7 Sext. S, Ouadiu/.o. Aud.do J. da 1. vara do c.,
c dos feitos da fazenda.
8 Sab. S. Joo do Dos, Aud. da Ch. e do J. da
2. varado civcl.
9 Dom. 1da Quaresma. S Francisca Romana.
i ni ijmimiMiinwjMiawjiiwiw n 11 i'i .. .>--* hhimibama:
PIlEqO DA SUBSCRIpqAO
Por tres meses fadiantado..) 4/000
Por seis meses 8000
Porumanno 15/000
IO 1>E 3 BMAOOO.
Iirc Londres, a 3 d. p. 1/000 rs. O dias.
Pars, 340 por fr.
Lisboa, 85 a 90
Ouro. Oucas liespanliolas ...
Moedas de 67400 velhas
de i.mm.i novas
de4|000......
Prata.Patacoe brasileiros...
Pesos columnaiios
28/000 a 28/.r>00
10*0110 a 163200
10/000 a ltiJ20O
O/llOII
1/920 a
1/9211 a
U/1 1/liiri
l/.HU
1/700
Ditos mexicanos........ 1/tWO a
........t HibF-k'-J
PSITE (.THCRAL.
,:-!aagmBawrgpyi::i-a---'- ninmimim m'--atv-- ',.~ur..,.
GOVEItN DA IMtOVINCU.
EXPEDIENTE DO DI A 2* DE FF.VF.BEIBO
DE i 851.
OITicio.A pigadoria mililar, inteiran-
;r!i.tldii-a 'le lu ver o cabo de esquadra do oitavo
Thatalho de cacadores Antonio de Oliveira,
Iresl depois de flndo o seu lempo de servido,
lliij contratado nos termos do decreto e regula-
do! ment de 18 de novembro de 1848 e aviso
os de 30 de outubro do anno prximo passa-
iln, para continuar no mesmo servico me-
diante a gratifcacSo de 140,000 rs.. que
]lio ser og pela forma j cslabeleci-
d. Inlelligenciou-se ao commando das
timas.
Dito.A mesma, scientificando-a de ter
o paisano Malinas Candido Jos Machado
contratado, nos termos do decreto e regula-
memo de 18 de novembro de 1848 o aviso
Je 30 de outubro do anuo prximo pnssado,
paia assentar pr$a como voluntario por
spaco de oito annog no segundo hatalhflo
pe caradores, mediante a gratificarlo de
180,000 rs e ordenando que mande pagar
.'referido paisano a mencionada gratiflca-
co pela forma j estabelocida:Commu-
nicou-se ao commando das armas. .
Dito.A thesouraria da fazenda provin
rial para que, vista do certificado passado
pelo director das obras publicas mando
pagar a Marianno de S e Albuquerqoe
rjematanle das duas bombas nos lugares
do*-Choxeo e Po-Secco na estrada do suLj
I- a importancia das tres primeiras presta-
ces, que elle tem direito por ter feito en-
trega provisoria da dita olira.--Scicntiicou-
se ao mesmo director.
Portara.--!\'omeando, de conformidade
com a proposla do chefo de polica, para
os cargos pnliciaes do termo de Olinda abai-
Mi declarados os cidadSos seguintes :
Para tupplenles do delegado.
1." Manoel Antonio dos Passos eSilva.
2." Bacharel Jos Lourenrjo Meira de Vas-
'"roncellos.
3 o Dr Nuno Ayquo de Avellos Annes de
flfrito Inglez.
4 Racharel Ablio Jos Tavares da Silva.
5. Joilo llaplsta-da Silva Manguinho
. 6. Iloaventura de Mello Clstello Brinco.
Para subdelegado da freguezia da S.
l'.iii'ii i i'l Ablio Jos Tavares ila Silva.
rara subdelegado do primeiro di ti rielo da fre-
l guezia de Marangudpe.
Jolo do S Cavalcanti de Alhuquerque.
Pura tupplenles do subdelegado da freguezia
de S. Pedro Martyr.
1 Bacharel Jos Lourcnco Meira de Vas-
concellos,
j 4.' Bernardinode Sena Dias.
'" \Cominunii'iiii-se ao chefe de polica.
10II Dita.O Sr. commandante da fortaleza
[l lid.) Brum ponlia em liberdade o amnistiado
" jlCuuardo Francisco Nogueira Angelim, que
" "por 83 ter acabado o prazo marcado no ter-
' 'ino queassgnou na provincia do Para para
esidir cm lugar designado pelo gover-
o, poder seguir para onde bem Ihe con-
Manoel Joaquim de Faria 140.000
Demetrio Ferreira 280,"00
i> Joaquim Ferreira dos Santos 280,000
Manoel Francisco de Araujo 280,000
Dito. Ao commandante do corpo de poli-
ca, para nomear uin dos omciaes snbalternos
do corpo siMi seu commando para enuarregar-
se do registro do porto por poucos dias duran-
te o impedimento do tenente Joo de Siqueira
i'ampello. Iutelligcnciou nente.
Dito. A tbesouraria da fazenda provincial,
para mandar adiautar ao engenheiro dircctoi
das onras publicas, que assim requisita a quau-
tiade6:000,000 rs. p na acontinuacodasobras
da casa de iletenco. Commuiticou-se ao di-
to engenheira.
Dito. A mesma, remetiendo copia do or-
camento, que approvouVara os reparos de que
necessita a ponte sobre o rio Jaboato, liin de
que ponha em arremataco a dita obra. In-
telligenciou-se ao director das obras publicas.
Dito. A mesma, para que vista do certifi-
cado passado pelo director das obras publicas,
mande pagar a l'ilippe llenicio Cavalcanti de
Albuquerque, arrematante da ponte de Igua-
rass a primeira prestaco, que elle tem di-
reito, por ter feito a Icrceira parle da dila obra.
Inteirou-sc ao mesmo director.
awaamsmj -i-^i-t m"pt*-*t"*'*v e asaaBBBBp
>ERNIMBUCO
CMARA MUNICIPAL DO RKCIFE.
St'SSA EXTRAORDINARIA OB 18 DE FEVERBIRO
DE 1851.
Presidencia do Sr. Oliveira.
presentes osSrs. Carneiro Monteiro, Mo-
raes, Vianna, e Barros rallando osmaisse-
nhores abrio-se a sessflo, e foi lida e ap
provada a acta d'antedcedente.
Foi lidosegtiinte expediente.
Um olTIclo do Exm. presidente da provin-
cia determinado que a cmara designe em
edital publicado pla imprensa o dia em
que no cemiterio publico se ha do comecar
a receber os cadveres, Picando dossa po-
ca em diante prohibidos os enterramentos
em qualquer oulro lugar dentro da com-
preheneflo da ci la le do Recife, e de seus
suburbios; visto que no regulamenlo expe-
dido para execucHo da lei provincial n 91,
40:000,000 concedidos para a obra do cemi-
terio a qual quantia fora recolhido ao co-
fre no dia suhseqnente.Inteirada.
Oulro, do cidadflo Antonio Pires Ferreira,
dizendo nao poder, por doonle, aceitara
nomeacJSo que delle fez a cmara para
membro da commissSo do que trata o art.
56 da lei do 1 de outubro de 1828Foi
nomeado em seu lugar Barlholomeu Fran-
cisco de Souza, a quem se manlou parti-
cipa r.
Oulro, do presidente do consellio de qua-
I.lie leTm da freguezia da Boa-Visla, o leen
te-coronel'Rodnlpho Joo Barata de Almei-
da, aecusando recebido o desti cmara, orr
que lhe remelteu copia da ullima lisiados
cidadSos qualificados votantes da mesma
iregviiia. Inteirada.
Oulioiln vigarioda fregue/.is de San-Jos,
remetiendo o inappa dos baptizados fel
no secundo seriiestio do auno prximo pas-
ado. Que si areliiv.isse.
Oulro do fiscal da Boa-Vista, pedindo pro-
videncias, para que seja removido o lixn
existente em algcns ponlos da mesma fre-
guezia. -- Ad lia lo.
Oilro do mesmo, participando sera
importancia das multas do me/, deja
neiro ultimo de 232000 rs. e pedindo so
maudasse pagar ao Dr. Manuel Hilarte de
Farias a quantia de 12,000 is. de 2 Corridas
de sau le que foz. Mandou-se pnssar man
dado de pagamento
Oulro do fiscal offectivo da freguezia de
S.-Jos; pedindo se mandarse pagar ao Dr.
Manoel Duarte de tanas, a quantia de rs.
18,000 de 3 corridas desiudequu fez em
dezembro du anuo passado, e Janeiro do
corrente ; e a elle fiscal adel,280rs. que
despender com o enterraineiito de um ca-
vallo, apparecido no lugar das Cinco-Pon-
tas. Que su passasse mamiado de paga-
cueuto.
Fui nomeada urna commissSo compusla
dosSrs. Vianna e Moraes, para providenciar
de mamila quo do 1" du marco em vante
sejam enterrados os cadveres no cemiterio
publico.
Dcsparharam-se as petic,3es do Alexandre
;lrosdi
0'p
Jpier.
Ira
DEM DO DIA 25.
(Juicio.A thesouraria de fazenda, trans-
mittindo os avisos de duas lettras na im-
portancia de 587,000 rs. sarcadas pela the-
souraria da fazenda do Bio Grande do norle
pobre a desta o a favor do Manoel FigUPire
"e Faria e de Joo Chrisostomo de Olivei-
o^ia.-Participou-se aoExra. presidente da-
ijii lia provincia.
Dilo.Ao chefo do polica, remetiendo
para seu conhecimento e execur,Ao na par-
le que lhe tocar um exemplar do regula-
m uto do cemiterio publico desta cidade
Igual aoExm. bispo diocesano, a cmara
municipal, sos vigarios das freguezias do
ecife, Santo-Anlonio, S.-Jos, Ba-Vista,
Afogados, Pojo da Panella e Varzea, aos
a jprovinciaes dos conventos do ('.armo e S.-
i- ^Francisco, ao prefeilo do hospicio da l'e-
t Juba, e a todas as irmandades.
-7 Dito.A pagadoiia militar, inteirando-a
, de haver o paisano Tilo Augusto deAlbu-
i aqitf/que Porto-Carreiro, que j servio no
: Jexercito, contratado nos termos do decreto
ale regulamenlo de 18 de novembro de 1848
- J.e aviso de 30 de culubro do nnno prximo
9 passado, para servir por mais oito anuos
I jmediante a gratificado de 30 000 rs., que
) 1 lie ser paga com 100,000 rs avista eo
i resto em prestacOe-s mensaes de 10,000 rs.
f intelligenciou-se ao commando das
armas.
''miara..Mandando dar transpo'te para
a corle nos lugares vagos paia passageiros
do estado no vapor Pernambucana ao des-
embargador Joan Lopes da Silva Coito e
BsymundoMartiniano Alves de Souza.
DEM DO DIA 28.
rnelo. Ao director do monte pi dos ser-
vidores do estado, transmiltiodo em conse-
cuencia derequisl(o do inspector da tbesou-
V,*"'*Qe fazenda desla provincia; urna leltra
, I "tco & Medcircs a favor do lliesoureiro d'a-
' '.lrt'J-:ne,,aDek'c'meiito, na Importancia ders.
>sj,7bO, que foi arrecadada dos contribuintes
ilo monte pi mencionados na rcla9ao que re-
mette. Intclligcnciou-se a mesma tbesou-
, raria.
- Dito. --A pagadoria militar, intelrando-adc
baveremas praja do oitavo balalbao de caca-
dores indicadas na reiacao qucrcuielte.de-
_.! jiois Uc mulo o tempo de servico, contratado
a nos termos do decreto e regulamenlo de 18 de
I novembro de 1848 e aviso de 30 de oulubro do
anuo prximo passado para continuar no mes-
mo aervico medanle as gratificares declara-
das na mencionada relaco, as quaes devero
ser pagas pela forma j estabellecida. Scieu-
Uficou-ae ao coiiimaudii das armas.
Ilelafio a qne se re/i re u oficio cima.
\ Soid^o, Joao Franciici de Moraes 110,000
deirs, emqnanto se nflo promplifica oque
tem de servir definitivamente. Que se
public.'ssem edilaes designando o Io de mar-
co prximo seguinte em diante para ter
principio os enterramentos no ceiillerio,
votan lo contra semelhante designado os
Sr Carneiro Monteiro e Barros, e que se
oiciasse ao Exm. presidente ponderando,
que sendo dispendiosa a obra d'um porlSo
de madeira, podia evitar-se, collocando-sa
all urna paquena guara para velar na con-
servarlo do campo, urna vez quo em poucos
dias deve licar promplo o pollito de ferro
que se mandou fazr, havendo naquelle lu-
gar a precisa acommodao para dita guarda.
Oulro do mesmo, remetiendo por copia
alguns artigos propostos pelo conselho ge-
ral de salubridade publica, aim de screm
cumpridos por esta cmara, com a especia'
recommendaQSo de se tomarem as necessa-
rias medidas para o nflo apparecimento ou
"lesenvolvimenlo da febro amarella nesta
cidade.-- Acamara nnmeou urna commis-
silo composta dos vercadores Carneiro Mon-
teiro e Pires Ferreira, para propor providen
cas e se incumbir da execuQo dellas a res-
peilo da limpeza do municipio, e do tildo
que tendo ao cumprimento das ordena da
^residencia, relativamente a salubridade
publica, confecionando logo urna postura
addicional que estabelece a maneira porque
deve ser feita a limpeza das ras da cidade.
-- Mandou-se officiar a presidencia solici-
tando a approvaC/lo das mesmas posturas, e
leoutras medidas que julga iudispensaveis
ao cumprimento de otdetn supra, eaos fis
caes para fazerem observar stricUmenle as
posturas vigentes.
Oulro do vereador supplente Joaquim Ca-
nuto do Figneircdo, paiticipando que por
lenle, e se adiar em uso de remedios, nio
ia comparecer as sessOes at o lim do
1ro Nunes, Jo3o de Souz da Silva,Loiirenc.
de Jess Mara, Miguel l.uiz Suger, Manoel
Gomes da Siva, Nuno Maria de Seixase Ve-
nancio da Tiindade Guedes, e levantou-se
a sessSo. .
Eu, Joo Jos Ferreira de Agujar, secre-
tario a subsrrevi. Oliveira, presidente.--
Barros. Mamede. -- ferreira Vianna
do Moraes Cimeiro Monteiro.
po
correle mez. -- intoirada.
(luiros, das cmaras municipaes da Boa-
Vista, Ouricury e Garanbuns, aecusndo a
recrpQSo dos desla, em que Ihes remelteu
exomplares do Diarto de Per na tabuco n 222
do auno passado cuntendo o decido n. 691
de 14 de agosto do mesmo anno, e o instru-
mento do reconlieciinento da princeza im-
perial a Sr. I). Izabel, como succossora do
throuo, ecorfla deste imperio Inteirada.
Oulro do caplSo do porto, dizendo que
nai' pode considerar a cmara autorisada a
mandar tirar pedra dos arrecifes sem per-
missao do governo da provincia--Que se
ollii'iass-i ao mesmo governo, podindo se-
melhante permissSo sendo a extracto feita
ta no mesmo lugar em que se esta tirando
aera as obras do mesmo porto.
Oulro, do fiscal do Sanio Antonio, requi-
sitando padr'S de pesos c medidas, para
com elles verificar a exactidSo, ou n3o
exaclidao desses objectos: Mandou-se
que o procurador salisQzesse.
Outro do Francisco Joao Lins, dizendo
que I lio n3o convm fazer a arrecadsgSo do
imposto de 500 rs. porcabeca de gado
vacciim as freguszias de JaboalRo e Muri-
beca.~ Que su ollieiasse ao coronel Agost-
nlio Biz.rra da Silva Cavalcanti. para por
obsequio, indicar pessoa apta para seme-
lhante cubranco, mediana a paga de 10 po>
cenlo.
Outro do procurador, participando haver
recebido no da 7 do correlo da-thesoura-
riada Uzeada piovn.eial, a quantia de rs.
liOOOjOOO; saldo do empreslimo de rs.
Com, u nica di'.
Teve limiten) lugar no llieatro de Santa
Izabel o baile mascara io com academia de
msica, ha dias annunciado pelo Diario.
Amadores de scniMIante diverllment, o
nico e o asado para destarrar d'entra no-
o pernicioso e simi-selvalieo entrado, nfio
deixamos de concorrer a elle na esperanza
de rassar una noito agra.lavel entregue
cada instante diversas e variadas conjec-
tu ras,que era de esperar nascessem do enre-
do rjocosida le dos mascaras : he forzoso,
porm confessar que nossa especlativa nffo
seacliou complelamente salisfeila. E sso
na verdade causou-nos alguma pena.
O numero de familias que havia nos ca-
marotes, o arranjo interior do theatro, a
exeellente illuminacSo, quer no sal.tu ar-
ranjado rara o canto e daneas, quer em ci-
ma no salffode passeio, pediam por cert
muito niaior numero de mascaras, que ho o
que d movimento e interesse a divertiinen-
tosde tal natureza, principalmente nesta
cidade onde n3o estando a populacho habi-
tuada com elles, e as pessoas que se disf-ir-
eam n.lo liram todo o partido que poden)
tirar do incgnito, mo olTen lendo a decen-
cia e regras do boa conveniencia, e picando
a coriosdade e interesse dos que se acham
sen) mascara. Adiamos notavel quo masc.i-
earas, alias bem vestidos, se lemitassem
a dancar, andar de um para oulro lado,
rallar por mmica, como se fossem mudo
ou nflo achassem uai meio do mudara fulla
natural I
Dous, apenas, vimos quepderam ajun-
lar grupo em torno de si, o que prova que
nilohe dilllcil chamar a attenc3o dos cir-
cumstanles, e faze-los demorar-se no baile
lutando em conjecturas : tundidles era um
preto de gancho ao pescoco, aciiiiipanhadii
desua mulher ( lamliem perfeilamonle ca-
recterisada de preta ), tocando sua marimba
de arco, e arremedando exactamente a lin-
guagom viciada dos negros ; o outro era
um druida, ou sacerdote gaulez, como os
que fiuram na Norma nu tornplode Ifer-
ineii-.nl, o qual pareceu-uos francez, pois
que fui fallando esse idioma quo o n vimos,
dirigindo a palavra com gra(a o ospirito
algumas pessoas.
Mesmo esses pareceram-nos acanhados
deentrar nos camarolesedirigirem-se as fa-
milias ; e estas por sua parte receiosas de os
receber, no quo incontestavelmeote nio ti-
iiiiam i a-/o, porque, ao que nos consta,
uo houve um s mascara que soltasse
qualquer expressilo menos conveniente.
Todos foram alm mesmo do que he exi-
gido pela decencia e boaeducac,uo, de surte
que as regras destas foram mais que guar-
dadas, urna vez que a maior parte daquel-
les nao fizeram mais do que fallar por
aceuos.
Essas nossas reflexOes nilo tendem a que-
rer que apparii;aui desmandos; antes pelo
contt lirio Cendcm a fazer ver que lie neces-
sario guardar as devidas conveniencias da
sociedade em que vivemos ; mas estamos
convencidos que sem olTender-se a estas
poderii ler havido maior numero de disfar-
cea, mais animacio o movimento, que ho o
que loma,!! os bailes mascarados interes-
11 n tes.
Anianlifia fleria-fera i) deve llavero se-
gundo o ultimo baile desto cama val, e corno
preten lemos nSo pe'rde-lo, esperamos fica
niii contente! do que honlem Avante, ra-
pazes ; lembreni-se daquella eopha
Curagem, ardnr c /nlin,
Neite ftilim squerciMK. Se. &e.
Publicado i pedido.
Illms. e cirissimos Srs. irmfios prior ,e
mais irmos da mesa conjuiicta da or eni
lerceira do Carino
Como Vv. Ce. leem de se reunir no
consistorio de nossa ordem, no dia 9 dp
corrente, pelas lo horas lo dia, para se ln-
lar do cemiterio publico, assim como do
empreslimo que f-z o irmSo, que por des-
graq'i, be S'Cictano, dos toxeiros i ara a
Festa de N. S da povoag ,o de Keberiba ; vou
lembrar a Vv Ce. que acabo de sei infor-
ma lo,.que nilo foram s os tocheiros, mas
sim o damasco e os ornamentos do | do
aliar, por roja razSo torna-se mais aggra-
vante o dito empreslimo. Ha preciso lem-
brar a Vv. Ce. que se urna das mesas pia-
ladas DCgOU O empreslimo de nossas ilflias
i pedido do ex-presi lente desla provincia
Exm. Sr. Thomaz XavierGircia de Almelda
nara urna festa nacional, como consta -o
termo da mesa ; como consentirn Vv. Ce.
que o irmo aecrelirio esleja estragando
todo qtianto existe do mcihoi em noss i or-
dem ? He preciso mais lembrar a \f. Ce ,
que ponham em esecUQffo o termo da mesa
conjuctl que prohibo os emprestimos, e
nnpOe multa ao irmao qno os (i/er, para
que nio continu o irmao secretario, nein
oulro qualquer, a dispor do que nfio Ibes
pertence. Nilo se esqueeam Vv.Cc.de tra
la rom da odicina de carplna, qu existe na
Casa di flbrica da nossa ordem, OCCupan-
lo-se 1:1o sment-e n fze- camas de ven-
to, e islo cun o maior e^can ia-lo.
Tenho agora de mo dirigir a V. C. Sr
irmSo prior, pedindo que me desculpe
embrir-lhe que sondo o irmao secretario
part) nesta quest.lo, nflo o acho habilita-
do em fazer os convites aos nossos irmffos
quo leem de eompr a junta, porque sem
luvida ell.i convidara s nenie cortse de-
terminados raos, por cuja razSo a de-
ceno
ha
Diario, por sso que lambe i a mesa tea
de providenciar sobre o cemiterio publico,
e eile negocio compete a todos os irmao*,
cojo caso n3o vem especificado nos nossos
estatutos quando traa dos negocio! que
leen de d- cidir as mesas con] uc tas, visto
que elles u5o podan) prever semelhante
caso, por sso deven) ser ouvi ios todos os
BOSSOS li llios.
Besta-me agradecer aos nossos rmos
que na mesa do da 28 do mez prximo
passado, reprovaram o proced ment du ir-
iiilu secn lario, e com parlieulnidade agra-
dec.0 ao nosso irmao procurador Joo da
Silva L'ineiro, que depois de ler expen ii-
rioiuaopilliflo a respeilo, apresentou um
requerimonto do irmflo ex-secrelsrio Pedro
Alexandriuo llodrigues Lins, pedindo pin
certidfio o termo da mesa conjuncta qne
prohibe os emprestimos e por deliberadlo
da mesa, licou addiado.
Por agora nada inaislenho a rommtini-
car a Vv. Ce. o continuo a ser de Vv. Ge
irmflo em Jess Chnsio.--O /'. Commistario
.- i '
Rosa e Gamboa, es-ministros da fa/enda, etc-
Em Portugal. O duque de Palmella, ei-ml
nislro, ecl.
fin Sardtnha. Santa llosa, ministro da ins-
truce.au publica, Ptc.
a Suiia Souneberg, um do% gencraes
do Suiu/eitmiid, ele.
JVa Grieta. korliotakiL ministro dos cul-
tos, assassinado; L'so-Neroulus, embauador
em f.ontaniinopla.
A'u Turqua. Talilr-Pach, ct-capilao pa-
cha, o Rencfal allemffo Ssnayde, coinin indaate
em chele di eierclto insurgente de Badn, etc.
Em Labore. O geueral Europcu Avitabile,
ele.
Coi Pronta. Os gencraes, bario Amey;
conde ailli de Maiitbion vi-cnide llonne-
malns; mnrquez de Boolll birSo Darrlnlej
barao llnlol; Iniao de l.nscuuis; Hinque; \l -
tur Fay (! I.iliiur-Maiibourgo ; Le Onuteill r
cunde de Pire; Sollgliac; conde de V'iilre ; *r-
uaud ; ni irquei de Ballly de llarral ; Bertrand
dcSivrayi bario lieceriuann; de Brackj Hm.
ussler; de ('li.intre.iii ; < uebaslel deliMnli-
nire ; cunde de llautefort ; bir i lleinioii;
Supals de S illennc : llurault de Sorbe .- Este-
vauJnlv; I. i|H-.se ; Larriu visconde I.eimir t
Lerioy'.d- Haiuvllle; har" de Mandevllle ;
visconde de Maueomble Uoltlre; Ocherde
de lleauprd : marque/, de Pauge ; liaran de
Pintcville: Plrone; Kaunl; manpiei de Buf-
le-la Fare ; Sahit-l'iul; inarquei de Saporla:
bario Iriuirc; q.iro Saiiil-t'ienicr.
O vice-.iliniraule: De Muges, eos conira-
iliniranteij inarquez d'.ssa; Dupare, Du-
r inteau e Oraeb.
O rs-uiinis:ros : Marques Vctor F.iy de La-
lour-Maubourg, conde M^ullieu e baru Tupi-
nier.
Os cx-conselbciros de estado : D'Abau'cout e
i erauger.
Os ex-inlnistios diplomticos : Juchereau de
S.iint-Deiiis, na Grecia: de la MoUtsaye, em
Haya ; de Veudeul, em Darinstaet,
Os magistrados Helio, conselheiro e It.ioiil,
ex-coiisellieiro do tribunal de eeuiation;' d'A-
bancoiirt, prcsipenle honorario du tribunal
Jes comes, ele.
()< sabios : Jos Droz, e o abade de Pilcu
Cda academia franeen ) Eduardo mos, de vil-
leueuve-Tiaus c de Beilliuiieig (da academia
da> InserpcOea) ocudaiit, Ducrotay deflain-
ville, Giy-Lussac, Kuntli e Ilasseneaii de Lile
(da academia das scienclai); Albano de Vllle-
veuve, O paire (jnaril, o cunde Peus de llre-
lo (da academia das sciencias moraes; Fou-
quier, Marjuliii, llippolilo lloyer Collard, A-
lard, Japuiuu, Pius c Taiichou (da academia
de mediclua), etc.
Varios poelas, roniancistas, lilteralos, diaris-
tas, artistas, coinediantcs, uegeciautes c ban-
queos.
____ (Maniteur )
lllllldUUS IIIII.IU.l, pwi * icia pe le quo V. C. o desonero desle tra-
bo, convidando todos os irmos pelo
V.tjKlaMJ.t l>i.
NECROLOGA DE 1850.
Principes e princesas. Luiz Filippe, ex-rei
dos Prancexei e sua lilha Luiza, rainlia dos Kel-
gas ; o duque de L'ambridg, lio, d i rainha Vic
toria, ex-vice-rei de Hanovic ; o ichiduque
Fernando de Este, fcld marechal austraco e
governador da Gallicia, etc. O iuiperadur da
China lao-Kerang.
CUTO, Ocardial Cadolini, o caidcal Girand.
arcebispo de Cimbrai; o cardeal Serra-l'assa-
iio; o arcebispo de Amasia (inpartibus) Mr
de Pins, coadjutor de I.yao ; Mr. Fabre des l'.s-
sarts, bispu de Itlols ; Mr V.ilayer, ex-bispo de
Vcrdiim llr. Gastn, ex-bispu de l.iinoges
Mr. Flaget, bispnde I.ouisvilbv etc.
Estadistasc gtneraes. >a America: o general
Zacaras Taylor, presidente dos Estados-Uni-
dos; Mr. Johoson. ex-vice-presidente; Mr
Julin Cadvell Callloun, senador, um dus tres
grandes oradores parlameutares daquelles es-
lados ; os gencraes Joao Pedro lloyer e flivire
I le ai it, ex-presidenles do llayti, o general San
Martin, libertador do Clilc e do Peni; o minis-
tro do Mxico em Londres, Luiz Mora.
Na Oran-llrilanha. Sir Roberl l'eel. ex-pri-
meiro ministro ; sir Lancelot Sbadivell, vice-
cbancelleri sir Tilomas {iarlwrlgbl e ilr Gcor-
ges Uamilton, miiiislros na Succia e na Tosca-
na, etc.
A'u Rusta. O conde de Stackelberg, ex-em-
baixador.
Ifa Austria. O conde de Itoinbelles, mesire
do imperador Francisco Jost, cx-eiiibixador ;
o conde de Woyna, ministro em Bruxellas ; os
feld-marecbaes de Aspre e Maximiliano de A-
nersperg, conhecidos pela parle que loinaraiii
as guerras di llalla c ilungria, etc.
Ao l'tussia. Uconde de braudeburgo, pre-
Sjdente do conselho dos ministros ; o conde de
Carril/, ex-minlslro, etc.
os Paires Baixos. Van Gobbclscbrog, cx-
uiinistro, ele.
Na Ihsqanha. / a llermudez, primeiro mi-
nislro no reinado du rei Fernando; o marque/,
de Labrador, cx-minsti-o em Pariaj Manoel
barrio Ayust, cx-uiinisuo da jusiica; Caldo-
ALFANDEGA.
Iiendimentodo da 3 ... 4:408,797
Descartegam no/e 4 de marco.
Bngue lF.iie mercadorias.
Barca Havre-- batatas, queijos merca-
duras.
Brlglie General IFe;7/i--farinha e bolacha.
IJrgue Suzana mercadorias.
Escuna Adelfky -- taboado
CONSULADO CEHAL.
andi lOUtO do -lia 3.....4:127,322
liiveraaa provincias...... 23,657
4:150,979
RECEBEDORIA DF. RENDAS GEKAEH
INTERNAS.
Kendimcntodndia 3......374,260
CONSULADO IMIUVINCIAI..
Keu.1lni.nlo lo dia 3 1 691,390
IT'i i mBsammsasWmm
Aiuviiiieiilo do poi'lu.
Navio entrado no dia 3.
Arac.ily 11 dias, dale nacional Duvidoso,
de 43 1|2 toneladas, mestre Jolo llenri-
qlies do Almeja, equiagem 5, carga
COUrOS e sulla ; a Jos Manuel Ma'lins.
I'iis-ageiros, os Uras.ileiros Francisco Se-
verino de Lima, l.ecurgo Barhoza dos Pas-
sos, Joflo Urbano le Oliveira, Jos Mar-
tilla da Costa Lobo, Antonio Jacintlio
Pampo, c 8 passageiros uglezei, resto da
tiiuol ic..io da barca ingb za Eltza Johon-
tott, naufraga la nos baiioa de B. Boque.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio Grande fo8ulBrigue naciunal Ha-
/Va, Cipitfi0 Jos Joaquim Dias dos l'ra-
lerei, carga assncar.
Canal Escuna ingiera Mttcury, capilao
ll. K. Symonls,carga issucar.
dem Paladn ingle/. Stralhan, eapillo T.
L. Cudl'ray. carga assucar. PiRllgeiro, o
Francez Joo Vienes Jnior.
Observac.'io.
Fundeou honle^n no Lameiro, depois das
(i horas da tarde, o brigue tiespanhol Joa-
quim, de 248 toneladas, capit.lo Geraldo Or-
la, equipagom 15, carga couros o lastro ; a
Joo Piulo de Lemos.
A cmara municipal desta cida-
de do : ecile i'az publico, que, de
ioiiliiriiikI.i li- iiiiii o artigo i. do
titulo nico das disposicoes tran-
sitorias do regularaento do cenn-
lerio publico, tem contratado pro-
visoriamente com Manoel Estevao
do Ndscimento Qu.nteirock Irmao,
residente na ra Wova n. 63, o
fornecimenl i de earros fnebres e
mais pertencesnecessariosaos en-
teiros, sendo o preco e carro de
primeira oiem 4<>,ooo rs., de se-
bR ENCONTRADO


tm
cunda 3o,ooo rs. e de terceira rs.
8,000, obrigando-se o empresario
a dar carros gratis aos cadveres
mencionados nos i, a, 3 c 4 do
artigo 25 do mesmo regulamento.
Os individuos incumbidos dos en-
terra xentos podem entender-se
com o referido empresario, depois
de haverem pago na cmara nv:.-
cipal as laxas eslabelecidu.s no re-
gulamento. E, para que chegu
ao contiecimenlo de todos, se mi.i-
dou publicar o presente, Faco da
cmara municipal do Recite, em
sso extraordinaria de 28 de fe-
vereiro de 185l.Francisco An-
onio de Oliveira, .presidente.
Manoel Ferreira Accioli, secreta-
rio i terioo.
O IIIi Sr. inspector da thesouraria d
fazenda provincial, em cumprimento da or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia ,
do 26 do corrento, manda fazer publico que
mis dias 11,12 e 13 de margo prximo vin-
douro, ir a praca perante o tribunal admi-
nistrativo da mestna ihesouraria, para ser
arrematalado a quera por menos flzer os
concertos da ponte do Sanfo Amaro da Ja-
boalHo avallados em 440,000 rs. c sb as
clauAilas especiaes abaivo declaradas.
As pessoas que se propuzerem n esta ar-
rematacAo. cumpa roca m na sala das ses-
sCes do mesmo tribunal nos das cima
mencionados pelo meio dia, competente-
mente habilitados na Turma dn ;.rt. 24 uo
regulamento de 7 de maio do prximo pas-
sado auno.
E par constar se mandou alllxar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 27 de Janeiro de
1851. O secretario,
Antonio Ferreira da Annundardo.
Clausulas especiaes da arrematar. :
i.' O concert da ponte de Santo Amaro
JaboatSo, ser fcilo sobas condicOes e do
modo indicado no orcamento apresentado
^juesla data approvacfio doExm. Sr. presi
' denle da provincia pelo preco de 440,000 rs
2.a As obras principiarSo no praso do mu
mez, e acabarfio no de 3 mezes, ambos con-
tados da approvacSo do contrato da arre-
matado.
3.a O pagamento do importe da arrema-
tado realisar-se-ha em urna so prestacilo
depois da obra recebi la pelo engenheiro da
secclo.
4 A segunda mo tanto de tinta como de
alcatro n3n poder ser botada antes do en-
genheiro respectivo ter examinado e rece-
bido a primeira, o que constar por ofllcio
do engenheiro ao arrematante.
5.' Para ludo o que nSo est disposto as
presentes clausulas, seguir se-h o que dis-
pOe o regulamento vigente de 7 de maio
de 1850.
Fetas e approvadas pela directora em
conselhode 25 de evereiro de 1851. O di-
rector lose .llnmcde Alves Ferreira.--H. A.
Millt/.J. L Vctor /.r>u lacio do governo de Pernambuco, 28 de Ja-
neiro do 1851. Souta Ramos. Conforme.
O oflicial-maior, ioaqum l'ires Hachado tor-
tilla.
-Olllm. Sr. official-maior, servindo de
inspector da thesouraria da fazenda pro-
vincial, em cumprimento da ordem do Exm
Sr. presidente da provincia, de 28 de feve-
reiro prximo patudo, manda fazer publi-
co, que nos dias 22, 26, e 27 do corrente,
ir praca, peranteo tribunal adninistra-
tivo da mesma thesouraria, para ser arre-
matado a quem por menos (izer, a obra do
aterro e ponto da entrada da cidaile do Rio
Formse, avahada em 9:073,559 rs., e sb
as clausulas especiaes abaixo declaradas.
As possoas que se propozerom a esta ar-
remata(3o, coinparcQam na sala das sesses
do mesmo tribunal, nos dias acirr a mencio-
nados, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas, na forma do artigo 2t do reg-
lamento de 7 de maio de 1850.
E, para constar, se mandou aflixar o pre-
sente e publicar pelo Piano.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 3 de marco de 1851.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciacdo.
Clausulas especiaes da arrematando.
I, As obras ita ponlezinha desta arre-
matarlo sero feilasem conformidade cooi
o ornamento apresentado nesta data ao
Exm. Sr presidente da provincia pelo pre-
^o de 9 073,559 rs
2. O arrematante comecar as obras no
prazo de um mez, e concluir no prazo de
dez mezes, ambos contados conforme de-
termina o aitigo 30 do regulamento.
3. A importancia da arrematac.ao ser
paga em qualro preslacdes, conforme de-
termina o artigo38 do regulamento de 7 de
maio de 1850.
a 4. O prazo de responsabilidade pela
conservado o perfeilo estado da obra sera
um anuo, contado da dala do recebimento
provisorio.
i. 5. Para ludo o mais que nSo esta de-
terminado pelas presentes clausulas seguir-
se-ha inteirainenteo quediS|0> o regula-
mento das arremataces de 7 de maio de
1850. '
( Pellas e approvadas pela directora em
conselbo e sessSo de 25 de fevereiro de
1851. -- O director, J. M. Alves Firrtira.
J. I. Vctor Liculhier. //. A. lUillet. Ap-
provado. Palacio do goveroo ile Pernam-
buco, 28 de fevereiio de 1851. Sonad lla-
mos. Conforme --O oflicial-inaior, Joa-
qun tires Machado .Portella.
Ignacio Jos tinto, fiscal da [reguezia da Boa
Vista, em virlude da lei, etc.
Faz publico a disposico do artigo abaixo
transcripto, das posturas inuuicipaes vi-
gentes :
TITULO 1.
Art. 1.* AsinhuuiacesdeverSoaer fei-
taa nos cemitenoa logo que estes se achem
esUbelecidos e designados pela cmara mu-
nicipal : os infractores sero multados em
'5,0110 rs. o sollrerSo seis dias de pristi ;
sendo casas penas aplicadas, tanto a aquel-
es uueeslivereiu encarregados de dirigir
o kduiiDislrar os enlerros, como aos que s i
piestaieui a dar sepultura a cadveres em
jualquer outro lugar se uflodiflu'ao.
E, para que n.lo alegiicm ignorancia, vai
publicado pela imprensa. Freguozia da Boa
Vista, 1 de marco de 1851. O fiscal,
Ignacio Jos Pinto.
Declaragoes.
~ Pela recebedoria de rendas internas
geraes se faz publico que as pessoas abaixo
designadas, que se arham devendo o sello
ile cartas de jogar, venham no tJrmo do 15
lias, contados da publicarlo desle, p*agr
seus dbitos, s6b pona de serem seus no mes
rcmettidos para juizo, aiiiu de se promover
acobranga exocutiva, como tambom a dn
mulla quo Ihes for imposta cmvirtiiiodo
art. 88 do regulamento de 10 de julho de
1850 ; como porm se houvesse addmitlido
ao sello algumas cartas sem declaracJo da
pessoa a quem pertenciam, quem so julgar
nada dever, comprela na mesma recebo-
doria com os conhecimentos que Ihe foram
dados para Ihe seren abonados.
Oliveira & IrmSos 12,960
Jos Domingues Co leceira 48,640
Joaquim Monteiro da Cruz 9,600
Victorino & f.uimariles 7 680
Jos Carlos Jnior 94,400
Jos Joaqnim de Carvalho 57,600
Victorino de Castro Moura 48,880
JosSapority 288,000
Araujo & Soares 5,760
Antonio Joaquim Vital 19,200
llinrique & C. 28,800
Manuel da Silva Santos 249,600
Jos Francisco de Araujo Cuimarties 1,920
Joaquim Henriquea da silva 145,920
Kulliman >\ IrmSos 56,420
Jos Antonio de Araujo 2S8.000
Arria I IrmSos & (.'. 46,oso
Jos Cardnso da Silva Pinto 1.1,5-20
Cals & IrmSos 46,080
liento "Joaquim Cordeiro Liara jW,520
Itecebedoria, 26 de fevereiro de 1851.
O administrador,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Devendo chegar hoje o vapor inglez,
as malas que tem de conduzir para Baha e
Itio de Janeiro serilo entregues duas horas
ilepoisdesua chegaln. Correio de Pernam-
buco, 4 de marco de 1851.-0 administra lor,
A. J Comes do Correio.
Cartas seguras existentes na adminis-
trado co correio para os Srs. Antonio Mi-
ria deSouza,, Clara Delfn Maia de Araujo,
Francisco Elias do llego Dantas, Francisco
Jos da Costa, Goilherme Augusto Itodri-
gues Selle, JoSo S. Ou^htcrsou, JoSo Pinto
de Lemos Jnior, Jos Pedro Velloso da Si I -
veira. Machado & Pinheiro e Manoel Joa-
quim llamos e Silva.
Thealro ile Sanla-Isabel.
scmiiKo liaiir innscnrntlo,
precedido de grande academia de msica vocal
e instrumental
TF.rtC\-FF.IflA, 4 DE MAR.CODE 1851.
As 8 horas precisas a orebestra, que ser
augmentada, dar romcQO a academia, exe-
cutando a exccllente ouvertura do maestro
Mercadanli :
O CARNAVAL DE VENEZA.
Seguir-se-ha polos artistas da companbia
lyrica, os seguintea pedacos de msica.
1 o Duelo da opera--/ turilani--a ma-
estro Bellini, pela senhora Can liani e o Sr.
FelippeTati.
2. Duelo da operaMarino Faliero'-n
maestro Donizelti, pelos Srs. Capurri e
Eckerlin.
3." Grande duelo executado ao Clarinelo
e Offecleide, pelos Srs. professores Pedro
Baptista i\olasco,e Agoslinho Glasner.
4. Duelo da opera Fawsrado'macstro
Donizelti, pela senhora Candiani e Ca-
purri.
5." Bello romaneo da operElexir de
amor--t\o maestro Donizelti pelo Sr. Felip-
PTati.
6." Cavatina da opera Alilaexecutada
na rabeca pelo maestro e director da orches-
Ira Theodoro O estes.
7." Crande ouvertura da opera--Gii'/ier-
me Tell.--
8." Duelo da operai PwUanido ma-
estro Bellini, pelos Srs. Frcderico Tuli e Ca-
purri
9* Quarteto da mesma operapela se-
nhora Candiani e os Srs. Tali, Frederico
Capurri
10. Ouvertura i\s opera Scmiramides -
i) acompanhamento ser a piano forte pelo
maestro cavalheiro Joaquim Cianniu.
Terminada queseja a academia, os mes-
Ues si la darilo signal para comeQar o bail
jue sei entercortado de quadrilhas c
walsas.
S poderilo dan car as pessoas que estive-
rem mascaradas.
Os buhles acham sea venda do mesmo
modo j cstabelecilo.
Os Srs. assignantes lem preferencia sos
seus camarotes, e por isso terilo bondade
de os mandar buscar al as 4 horas da lar-
de de hoje, depois dessa hora os que resta-
ren se oxporilo venda.
'rniidc represenlncno extraor-
dinaria.
Prime tro acto.
Dansa de corda, ejecutada pela familia
Berteaux.
Segundo acto.
O grupo piramidal, executado por toda a
companhia.
Tercelro acto.
Grande exercicio de deslocacSo, execu-
tado por Mr. Borleaux e um de seus dous
filhos. .. .
Esto exercicio, oqual nSo tnm sido ja-
mis executado senSo por Mr. Berteaux e
seu fllho, sor seguido dos jogos icarios pa-
os mesmos o o outro filho.
Quarto acto.
Le grand vol do Mercure ou os defenso-
res do estandarlo brasileiro, por Mr. Ri-
chard, Mr. Mviler e Mr. llenry.
( Comecara pela dansa antpoda!, exocu-
Uda por Mr. BerlnauxJ
Quinto acto.
Les cordages Trancis Grupos de cinco
pessoas, por Mr. Berteaux, Mr. Bremond,
madamesella Serafina, Hortensia e Genny.
Sexto acto.
Osquadrosvivos, eiccuiados portla a
companhia.
Primeiro quadro.
As tres gracas.
Segundo quadro.
Os dous espreitadores.
Terceiro quadro.
A morle de Abel.
Quarto quadro.
A fjgida de Cairo para o deserto.
Quinto quadro.
A dansa das [Syn has.
Sexto quadro.
A morle do Virginia.
Sttimo quadro.
Os dous Hercules.
Oitaro quadro.
O juizo de Salomlo.
raEQos nos ii.iifi rs.
Camarotes da primeira galera de frente
8,000 rs de lado 6.000 rs. ditos da segun-
da galera de frente 10,000 rs. ditos de la-
do 8,000 rs.; ditos da terceira 5,000 rs pla-
tea 1,000 rs., galera 640 rs.
O espectculo co'necar s 8 horas da noi-
te em ponto.
Os bilhetes estarSo venda no theatro :
na quarla-feira das 9 s 12 horas da ma-
nh3, edas2s 4 da tarde; e na quinta-
feira lo.lo o dia.
RelaeKO dos devotos de N. S. da Saude, que
concorreram para a sua fosta no dia 2 de
fevereiro do 1851.
Os lllms. Srs.
Juiz, Francisco A. Pereira da Silva 100,000
O Exm. Sr. Jos Ildefonso deS. R. 30,000
0 Exm. Bispo Diocesano '20,000
O Exm. Jos Vicente do A. Bizerr 20,000
Dr. Antonio F. Pereira de Carvalho 20,000
Dr. Jos Mamede Alvos Ferreira 20,000
Tenente-coronel JoSo Pedro de A. A. 20,000
Avisos martimos.
Para a ilha de San Miguel, o patacho
orluguez P.spailarte, capullo Joaquim Jos
Teixeira, sane no dia 16de marco: quom
no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
gem, dirija-so bos consignatarios, Oliveira
IrmSos & Companhia, ru da Cruz n. 9.
A barca portugueza Ligeira, salte para
Lisboa no dia 16 de marco : para o roslo da
carga e pa^sageiros trata-se com F. S. Ra-
bello & Filho, ou com ocapito da mesma
na praca do commercio.
Para o Porto sahe com brevidado a bem
condecida eveleira barca Espirito Santo, de
primeira marcha, forrada e encavilhada de
cobre : quem na mesma quizer carregar ou
ir de passagem, para o que tem excellenles
commodos : dirija-se ao seu consignatario
Francisco Alves da Cunta, na ra do Viga-
ro, n. II, primeiro an lar.
Para o Rio Grande do sul sahe em pou-
cos dias por ter o earregamento prompto o
pataxo nacional Euterpe, pode recebor al-
gumas miudezas, passageros e escravos a
frele : trata-se na ra do Apollo, armazem
n. 14, ou com o consignatario do mesmo
Luis Jos de S Araujo, na ra da Cruz nu
mero 33. _________
Leiles.
Manoel Alves Guerra
Antonio Luiz Consalves Ferreira
Faustino Jos dos Sanios
Jlo.Moreira Marques
Joan Mathous
JoSo Valentim Villel
D. Maria Francisca Pires Ferreira
Insp. Rodrigo Theodoro de Freas
Tenente-coronel JoSo do Rogo B. F.
Major Jos Rahello Padilha.
Dr. Custodio Manoel da Silva C.
Antonio Francisco Pereira
Germano Francisco doOlrveira
Tenente-coronel Antonio Gomes L.
Francisco Gomes de Ollivoira
Manoel Joaquim Ramcrs e Silva
Luiz Comes Fereira
Luiz Gomes Ferreira Jnior
Um Annimo
Joaquim Jos de Amorim
Brigadeiro Antonio Rodrigues de A.
Dr. Pedro de Athayde Lobo Hoscoso
Bernardo do Oliveira Mello
Victorino de Souza Travasso
Dr. Joaquim Machado Portella
Manoel Buarque de Macedo
D. Clara Francisca dejlirania
A viuva de JoaquimlTa1 Silva Pereira 11,000
Dr. Jos Bernardo G Alcanforado. 5.0<
Manoel Antonio de Jess Jnior
Jos Caudillo de Barros
Major Jos Joaquim Anlunes
llenrique Jorge
O corretor Miguel Carneiro far leilBo no
seu armazem na ra do Trapiche n. 40, no
dia quaita-feira 5 do corrente de diversos
trastes, candieiros, globos, loucas, vidros
do diversas qualidades, ricos quadros o
mullos oulrns objectos que se vender pelo
preco que obliver, sendo alguns destes tras-
tes di urna pessoa que se retira desta pro-
vincia
Lellao de fazendafl a variadas.
I. Iknann Irmfioi fatSo leililo, por inter-
vencSo do corretor Oliveira, por ordem do-
lllm. Sr. llenry Chrlstophers vice-consul de
S.M. B. ex-gerente do consulado da rep-
blica franceza e em presenca do chanceler
do mesmo consulado de 11 caixOes com as
seguintes fazeudas :
200d.iziisdecadarcos dealgodSo branco.
200 ditas do ditos de dito de cores.
300 ditas de suspensorios.
430 pecas de canibraia.
718 coi les de vestido de cambraia.
100 pecas de riscadosde algodSo.
800 pecas de dito de linho e algodSn.
chegadas na barca franceza Ju/e> capilSo
Tonibarel com avaria de agoa salgada,
quitita-fira 6 do corrente s 10 horas eiu
ionio no seu armazem ra das Cruzes nu-
mero 10.
--Kalkmann IrmSos farilo IcilSo, por inter-
veiic>> do corretor Oliveira de um grande
soitimento do l'azendas proprias para a
quaresma, principalmente de pannos, casi-
miras, sarjas, setins, chamalotes, meiase
nuil is fazeudas allemes, sui-sas, france-
zas o inglozas, quinta-l'eira 6 do corrente
em seguimenlo du leilSo de fazeudas ava-
riadas.
Kalkmann IrmSos farSo leilo, por in-
tervencao do correlor Oliveira, de avultada
pin i;,h) de fazeudas avariadas, por conta de
quem pertencer, o de muitas outras limpas,
mu proprias para o mercado : quinta-feirB,
6 do corrente, s 10 hora, no seu armazem,
ra da Cruz.
Avisos diversos:
THE.VTKO K AFOLLO.
DIA 6 DE MARCO DE 1851.
IDMI'AMIU riUM-.K/A,
Dirigida por madama Herteaux.
Madania Beiteaux tem a lionra de prove-
nir ao respeilavel pubtiro pernarnbucano,
,|iie ilosta vez fez todo quanlo Ihe foi i os-
givel para dar urna representaQo digna
dalle.
Hoje sahe o n. 48 do JscAo Pernambu-
cano, com tres columnas em cada pagina e
maior espaco : vende-se a vulso a 80 rs. ca-
da exemplar, na travessa da ra do Queims-
do para a igreja do llo/ano, loja do enca-
dernador n. 2 ; no Aterro da Boa Visla, loja
n. 74 ; e na lypographia da Vos do Brasil,
ondesesubscrevca2,000rs. por trimestre,
pagos adiantados.
precisa-so de um caiteiro de 12 a 13
anuos, anda quo nSo tenha pralica : na ra
Direita n 82, so dir quem precisa.
.- o Sr. Manoel Estofes do abreu, da po-
voacSo de Bebenbe, dirija-se a ra do Pi-
ros n. 23, a negocio de seu interesse.
20,000.
20,000
20,030
20,000
20,000
20,000
20,000
10,000
10,000
10.000
10 000
10,000
10,000
10.000
10,000
10,000
10,000
10,000
10.000
10,000
10,000
10,000
10,000
10,000
10,000
10,000
10,000
5,000
5,000
5,000
5,000
Pedro Cavalcanti Linsde Albuquerque 5,000
Jo5<: Pinto de Lomos 5,000
Jos da Rocha Prannos 5.00o
JoSo Luiz Victor Leuthier 5 000
Domingos Ferreira Jorge. 5,000
Jezuino Ferreira da Silva 5,000
JosGoncalves da Porcinucula 5,000
Jos Camello do llego Barros 5,000
SebasliSo do Reg Barros 5,000
Tenente-coronel Pedro J. C. Monteiro 5,000
Major Jos Theodoro de Srna 5,000
Antonio Jos Gomes do Correio 5,000
Manoel Izidrode Miranda 5,000
Jos Afonso Ferreira 5,000
JoSo Francisco Maia 5,000
SebastiSo Concalves da Silva 5,000
A viuva Bastos* Filhos 5,000
Lu.lgero Francisco da Silva 5,000
A viuva Vieira & Filhos 5,000
Feliciano Pereira de Lira Juinior 5,000
Dr. Jos Rodrigues do Passo Jnior 5,00o
Jos Diogo 5,000
Claudino Binicio Machado 5,000
Major Firmiano Jos R. Fereira 5,000
Augusto de Souza LeSo 5,000
Alvaro Pereira de S 5,000
Dr. Antonio Joaquim de Moraes eS. 5,000
Francisco Jos d Silva 5,000
Major Cirios Martins de Almeida 5,000
Jos Narciso Camello 5,090
Dr. Cypriano Fenelon G. Alcanforado 5,000
Tenente-coronel Jos Antonio Lopes 5,000
Joaquim Jos Toixeira 5,00 i
Jos Ignacio Pereira da Bocha 5,000
Commandante superior Francisco J P. 8,000
Antonio dos Santos de Siqueira C. J. 10,000
Segismundo Claudino l.eito 4,00o
O genro de JoSo Matheus 5 000
Dr. Manoel Duarto de Faria 5,000
R. Roy'e 10,000
C. Poingdcslre 10,000
Qohu Pongdestre 10,000
W Corvio 10,000
Jolin W. Corvih 10,000
John Corvik 10,000
Augusto C. de Abreu 10,000
Nos Nask 5 000
Francisco de Paula da Rocha 4,000
Gervazio Pires da Costa 16,000
Jos Luiz Goiaco 2,000
JoSo Francisco Carneiro Monteiro 2,000
Jos Lopes Rosa 2,000
Jos Feliciano Portella 2,000
JoSo Ignacio do llego 2,000
Joaquim Henriques da Silva 2,000-
Joaquim Jos Pereira dos Santos 2,000
Domingos Jos Marques 2,000
Jos Cinllu Leal 2.0U0
Manoel Antonio Fereira Lopes 1,000
Antonio da Silva GusrnSo Jnior 20,000
Varias esmollas miudas 3,400
Tenente-coronel Antonio Lins Caldas 10,o00
Esmolla da salva 57.2U0
Major SebasliSo Lopes Cuimariles 5,000
A familia do Belm. 5,000
Rs. 1:010,600
Despenpendeu-se com a Testa o
esguinle :
Ao Rvd. vigario conformo a
sua conta n. 1.
Pela msica da novena, festa
e'fe-I le o ni II. 2-
Pelo fogo de vista e do ar n. 3.
Pela armacSoda igreja n. 4.
Cera para novena o festa n. 5.
2 arrobas o 8 libras de. velas
dn carnauba n. 6.
Come ioiias para a msica mi-
litar mandada fazer pm francisco
Duarte Coelho n. 7.
SermSo da festa n. 8.
Mil resistios n. 9.
Pelas canoas de levar o trazer
a msica militar de polica justa
pelo mestre
Aa cantadeiras dos versos
entregue ao vigario
Dinheiro entregue a Jos Fo-
lisberto daCosta Cama para des-
I eas com as casas das msicas
Despezas com conduccOes, al-
gui I de pretos, canoas e varias
despezas miudas
Dinheiro que entregueiao the-
soureiro Jos Theodoro de Sena
para ser applicado em reparos
da igreja n. 10
Jei
ii?.
sy
ini
do
ali
su
ei
h
in
n
rn
ci
rn
vros de amoslrasda fitas, da lojadequatro
portas da ra do Cabug, o favor da os le-
var, pois lem causado bastilo falta.
'iomof.f'atTa.
Respondendo mais urna vez o anonymo que
me fai perguntas acerca do curio htmaopathieo,
dlrei antes de tudo que pela oll'ensa que faz no
mcu amor proprlo e pela altiva lingoagcm
com que me falla conheco pcrfeitamenle sua
pessoa ; porou pela pedra se ccmheci o lapidario.
Proseguindo direlmais: 1, que aendo por
minha llvre vontade, sem constrangimento de>
pessoa alguma, que me proponho a dar um cuj-
o de homtvopathia, est claro que ncnhiim cin-
li.ir.ifo posso ter em iinpor ana estudantes os
onu que julgar indispensaveis, nao querendo
eu agora dizer quaes cites tejam, e nem dar
salisfaces a imprudente curiosos; e que se os
mdicos quierem saber do que eu eaijo para
seren admitdoi matricula, venham no meu
consultorio da 10 horas al ao inelo-di, que
sern satisfeitos.
2.* Que tendo eu dito: attendtndo a qut o eu-
'riosos sim nnhum eonhcimno viriii, nem da anatoma.....etc.: devera qunl-
quer hoinem de bom senso 1er logo em segui-
da phg/foiogici e nao physica, como se acha
no Diario por erro do compositor; porquanto
significando as palavras icirncai aceutoriaio,
estudo da botnica. loologla, phusica, chimic a
e mlreralogta que com toda a ratao deve pre-
ceder ao estudo da medicina, conclue-sc evi-. ro
dentementeque o que eleu no Diario foi um"
erro typographico naturalmente susceptivel de
er na lei tura emendado por qualquer que se-
nao quitease faier conhecer por pedantea. Eu
havia mandado typograpliia urna corrern,
mesmo porque me nao agradou o modo por
que foi publicado o meu aonunclo; mas igno-
ro a rasao, porque n3o ful allsfelto. I.cia-se.
o Medico do tova de 12 de fevereiro, que nelle
acbarao phyiohjii e nao phi/lica. Felizmente'
na replica do meu inttrroganlt vera phyfdoait,
em lugar de pnyiio/ooio! F. eu podera lanzar
nao deste erro para tambein ridicularisa-h) ;
mas nao quero ser desleal. Se teubo ou nao
habiiii'ifuei, prova-o o meu diploma de doalor
em medicina, adquirido na academia da Habla,
onde, como se sabe, no te vendetn diplomas, co-
mo com o mawr escndalo, e indgnidade se [at em ,
muirn unieeria>>i da JSurnpa.
3." Que sendo a boina>opathia sem contesta,
cao alguma a descoberla mais estupenda que|
o secuto XIX tem visto progredir com a rapj-1
des do raio pelos incalculaveis benecios que
tem trazido humanidade, e sendo ella no lira.
sil multo posterior a tudo que se entenda pur
medicina no tempo em que se crearam asiduas
academias da #ahia e Rio de Janeiro, e nao ex-
istlndo lei alguma que regule seu esludo, ou
que ao menos falle em seu Dome, e sendo da
competencia das assemblas provlociaes pro-,
mover a felicidade de seus coinmlttentes, ciato
ata que o enrpo legislativo de Pernambuco
pode e deve crear a escola honiceopathlca, nao
s porque della resulta benecios reaes para a
populacao, como lainbem para prevenir o char-
latanismo ou oabuso que a ignorancia tem fei-
to da bomceopatbia com desproveito della e
dosdoentes. Nlngucm se lembraria de consi-
derar Ilegal a cadeira de obstretricia, se eu nao
preleudesse agora obter da asseinbla a cre-
co de una escola homoeopethlca! Ao menos'
com a minha pretenco j-fizo beneficio de co-
nhecer-euina illegalidade E reipeitando a
opioio de todos que lem lido o acto addfonil,
nao o posso fazer a respeito da do conseibo da.
salubridade, visto que este corpo tein perdido
todo o conceito depois da ereacSo da nona eoi-
miiso de saude publica.
1 Qu* (anda o repito) o Mulos que eu pas-
ear aos estudantes de homawpithia. hfode ser val*
dos em toda a parte, porque provam queoseupory
lador no he um simples curioso, e >im um honnn
05,000
250,000
255,000
87,800
32,960
22,50o
60,000
25,000
16,000
18,000
10,000
10,000
38.680
89,660
1.010,600
N. B --lipidio mestre JoSo Capislrano
de Me mi onca pregOU o semillo do Te -lien ai
por esmoll, Francisco Duarte Coelho e Jo-
s Filisberlo da Costa Gama, prestaram-se
com disvello em procurar e arranjara mu-
sica, etc.
Poco da Panclla, i0 de fevereiro de 1851
Uoga-sea pessoa que levou dous l-
P1
b
que sabe melkodcamenleconhecer moteilias eeura-
las com criterio e pradenci'i; e que a creaeo da
escola por um* le serve ento pira garantir
csses mesmos ttulos, de modo que seus porta-
dores tenham o direito de exercer a hoiuceopa-
tbia sem uppnsifio da parte das autoridades.
Nao concluir! esta resposta em dizer ao
meu interrogante, que quando fallar nonoine
d<> Dr. Mure, aballe Ues vezes a cabeca em sig-
nal de profundo respeito; pois un honieiii de
instrocfo tao vasta e variada tem direito de
aer tratado com venrraeo!
Dr. Sabino Olegario Ludgro Pinho. ,
Manoel Joaquim Lamas faz scientev*
quem interessar, que por nada se respon-
sabilisa quesoconlie a seus escravos.
Aluga-se o sobrado d um andar edous
sotSos, terracio, boro quintal com commo-
dos para grande familia : na ra Imperial
n. 39, a tratar com a sua propietaria na
ra das Cuizes n. 28 (erceiro andar.
No dia 2i de fevereiro prximo passado
fugio um escravo cabra de uome Antonio
que reprsenla ler 20 annos de idade, soin
barba, com falta de denles na frente, esta-
tura regular, um ponco cheio do corpo ; o
qual he carreiro o j foi surrado. Este escra-
vo fugio Je Podras de Fogo, do poder do
seu senhor Feliz Francisco de Brito, o conSf
la que se dirigi a esta praca com o Intuito
do sentar praca na marinha ou mesmo no
exercito ; roga-sa, portanto, as autoridades
policiaes de o capturar onde quer que e.le
apparecor ; assim como aosSrs. capit8es de
mallo, de o levarem ao seu senhor no supra-
dito lugar de Podras de Fogo, ou no Recife,
Francisco Carneiro da Silva ua ra Au-
gusta n- 26, que serSo bem recompensados.
F.ngomma-soe lava-so toda qualid-
de de roupa com todo o aceio e prompti*
d3o : na ra da Cadeia de Santo Antonio n.
20, sobrado de um andar. .,
Os Srs. Domingos Carlos de Araujo,
Miguel Rodrigues Vmira e Joaquim Manuel
de Carvalho, hajam de declarar suas mora-
das para serem procurados.
Augusto Ferreira Pinto, subdito portu-
guez, retira-se para fra do imperio.
Phelippe Fedel, subdito allemSo, reli-
M-senara Tora do imperio.
Manoel Jos Csrovana, subdito de S.
M. Fidelissima, relira-se para Tora do Be
perio a tratar de sua saude.
Roga-se a pessaa quo annunciou em
lins do anuo prximo passado comprar
ejercicios lindos, de annunciar por esta fo-
Iha sua inorada.
Chapos de sol. ;fM
Ra doPasseio.n 5. <
Nesta fabrica ha presentemente um re
sormcnto destes objectos de todas as c-
rese qualidades, tanto de seda como oo
panninho, por precos commodos ditos pa-
ra senhora, de bom gosto: estes chapeos
sao feilos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha 'gual sortimento de sedas ft
panninho imitando sedas, para cobnr ar-|
macOes servidas : todas estas fazeudas ven-
detn-se em porcBo e a retalho : tambera se
concerta qualquer chapeo deso, tanto ae
basteas de ferro como do balea, assim como
umbelas de ign jas: tudo por preco cora-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, do panno o de seda, pro-
priospara eiloresde engenho, por sereo
dos mais fortes que se p.dem fabricar.
*
MFI HOR EXFMPLA


^ o padre Thoraaz do Santa Marianna de
Jess MRalhlM lem abarlo nula para ensi-
Darprimoiras let.ras elatim, segundo o
sienta adoplado Tas aulas publicas (leste
imperio, na casa do sua residencia, na ra
do Rozarlo da Hoa Vista n. 48, e recebe
alumnos. n3o s externos como meio pen-
sionistas, e lamben pensionistas, o seobri-
fii a dar bom tratamento ; cscusando porm
de mencionar rrocos o qunlidadedo trata-
mento, porque com os pais, tutores ou cu-
radores se entender : o que, porm, pro-
c'll" he adian'amento dos seus alumnos
c bn educagSo.
l)m rapaz brasileiro de boa conducta
se offercce para caixeiro de ra ou de es-
cripia, ou mesmo para bslc5o de qualquer
negocio^ tanto para a praca como para o
nsito : na travessa doa Marlyrios n. 5.
Perdeu-se, na noite do dia
25 do corrente, no theatro de S.
babel, urna pulseirade oaro, toda
lavrada, fngindo escamas : quem
i achou, querendo restitu-la, le-
ve-a ra da Aurora n. a6, cm
casa de Francisco Antonio de li-
veira, que ser recompensado.
-- Precisa-se arrendar um sitio perto da
praca, tendo boa casa de vivenda, capim
para cavallos e alguns arvoredos [de fruto :
na padaria n. 48 da ra larga do Rozario,
se dir com quem devo tratar.
Precisa-so alugar um sitio na Capun-
ga, que lenha arvoredos do fruto : quem o
tiver o quizer alugar por anuo, annuncie,
ou dlrija-se ra do Itozario larga n. 22,
segundo andar.
Precisa-sede un portuguez de 19 an-
nos, dos- cliegados ltimamente, ainda mes-
mo sem pralica, para se admitlir em um
deposito de padaria : a tratar na ra de llor-
tas n 18, ou na ra do Cotovello n. 29.
veiro em um sitio no Mangunho : o mostr loso 200,000 rs. ao tomar pos d mosmop-
pedreiro que pretender dit obra, dirija-so quem o tiver, annuncie por esta lolna para
praca do Corno Santo i. 2.
-- Deseja-se alugar um preto de boa con-
ducta, que saiba cozinhar soIlVivelmento,
para urna casa estrangeira do pouca fami-
lia : na ra do Trapicho Novo n. 6.
As pessoas que assisliram as cavalha-
das da Capunga nos da 26 o 27 do mez
la Janeiro prximo passado, e levaram ca-
deiras para se assentarem, e no fien con 1u-
ziram as ditas suas cadeiras trocadas, que-
rendoas destrocar; dirijam-se a ventado
mesmo lugar, ou a casa do inspector Hufino
que all achara com quem destrocar as di-
tas cadeiras. :
-- Desappareceu do lugar de Caboco, per-
to da povoaco do Monteiro, do casa de
Thom Francisco da Rocha, um cavallo ru-
dado-claro, canins pretos, magreirilo e em
grao, o qual tevo sobrecenas as mSos, e
em urna dellas uma reladura, bocea com
signal de corte de bride, dinas e cauda
brancas : quem o pegar, leve-o ao mesmo
lugar, quesera generosamente recompen-
sado.
--App'areceu urna trouxa de roura lava-
da, contendo pecas finas de homem e se-
11 nhora : quem for seu dono, dando os sig-
n
ros macliinislase fundidores de ferro mui
respeltosamente annunciam aos Senhores
proprietanos de engenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peilavel publico, quo o seu estabelecimento
dqaferro movido por machina do vapor con-
tidflk em efTectivo exercicio, e se acba edm-
pletRmente montado com apparelhosda pri-
meiraqualidade para a perfelta conoccao
das maiores pecas de machinistrjo.
Habilitados para emprehender quaesquer
dirs da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejan mais particularmente chamar a
attencao publica para a sseguintes, por
terem dellas grande sortimento jprompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas m paiz es-
trangeiro. tanto em preco como em qua-
H lidade da materias primas e ni3o d'obra,
i- Jia saber :
'fi Machinas de vapor da melborconstrucgao.
.Moendas de canna para engenhos de lo-
dos os tamaitos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra-
d-
Manejos independentes para cavatlos.
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzesechumaceiras.
'"Vbavilhoes e parjifusos de todos os taa-
nnos.
Taixas,paros,crivos e boceas de fornalha.
Moinhos de mandioca, movidos a m3o ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogo e frnos de farinha,
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repudio, mo-
vidas a ntfio, por animaes ou venlo.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grdese portes.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros do m!io e arados de ferros,
etc etc.
Ali'in da'superiridade das suas obras, A
geralmenle reconhecida, Bowman & Me.
Cali un garantem a mais oxacta conformi-
rfade com os moldes e dezenhos remettidos
pelos senhores que se dignarem de fazer-
Ihesencommendas, aproveitandoa occasiSo
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nao' pouparSo esfurcos e diligenciar
para continuaren! a merecer a sua conll-
anca.
helojoeiro Suis.o na ra Nova
numero ai.
J. Cermann avisa aos seus freguezes o to
publico, que tem despachado estes das
um rico sortimento de bons relogios de to-
das as qualidades, com especialidade de pa-
tente ingb'Z, e outrnsde nova invencSo de
machina, que sem abrir e sen chaves da-se
corda e 8cerla-se as horas, e mais um mag-
nifico sorlimento de obras de ouro de novo
gosto muito moderno e em moda eni Fran-
ca, sendo p'lceiras, brincos, adereces,
chaves para relogios, ricas cadeias etc. que
vender por muito commodo prego, por ter
recebido directamente.
Precisa-so de uma ama de leile, forra
ou escrava, paga-so hem : dirija-so .. ra
do Rangel n. 19, ou ao hotel commercio
na ra da Cadeia de Ssnto Antonio.
Na Camboa do Carmo n. 14, precisa-
se alugar 3 pretos, promete-se bom trata-
mento e salario.
As tres horas da tarde do dia
3o de dezemltro prximo passado
desappareceu da casa do deposita-
rio Francisco Jos Arantes, o ca-
mbra de nomo Pedro, pertencente
ao Sr. Dr. Pedro fiezerra Pereira
de Araujo Beltrao, com os signaes
seguintes : cabellos caixados, bra-
co esquerro alejado, cicatrizes na
p e no braco esquerdo, e outra
no estomago de um laceada ; quan-
do falla finge ser gtgo, muito pro-
sista e canli dor ; levou camisa de
naes cerlos e pagando o annuncio, lhe ser
entregue : no pateo da SoleJade n. 48, das
6 s 9 horas da manhaa.
Casa de coninitssao de escravos.
Na ra llireita, sobrado de 3 andares, de-
f ron lo do becco de S. Pedro n. 3, recebem-
so escravos de ambos os sexos para se von-
deretn de commiss3o, nSo se levando por
este trabalho mais do que dous por cento,
n sem so levar cousa alguma de comedorias,
oll'erecendo-se par* isto loda a seguranca
precisa para os ditos escravos.
Precisa-so de um feilor quo entenda
de jardm : na ra da Cadeia do Recife nu-
mero 37.
>
>
->
">
>
>
W>
-*
>
i'auo Qalfnonx, dcnilsia *
fraiiee7.,olTei-ece seu prest-
nio no publico para todos os
* misteres de sua proflsso : -r
? pile ser procurado a qnnl- S
% quer hora em ana casa, na *
* rnalargado Hozarlo, a. 3G,
% segundo andar.
Arrendamento.
Dona Calharina Francisca do Espirito
Santo, arrendi o trapixe denomina io com-
panhia : quem o pretender dirija-se ao seu
procurador bastauto Flix Francisco de Sou-
za Magalhaes. no pateo do Carmo n. 16.
-- Precisa-se alugar um moleque de 14 a
16 annos, que seja diligente e sem vicios,
para o servico externo de uma casa de pou-
ca familia: dirija-se a ra das Trincbeiras
n. 19, sobrado.
-- Precisa-se de apremlizes de charutei-
ros ou de tiradores de fumo :" paga-se bem :
na ra Imperial n. 35.
Traspassa-se o arrendamento do enge-
nho Quelu?, sito na freguezia de Ipojuc,
vendendo-so a safra no campo, o engenbo
he copeiro e bom, e tem bons cercados l a
tratar com Miguel Augusto de (llivelra, na
sua residencia no engeuho Cainassari, na
freguezia de S. Amaro JaboatBo, ou com
l'heotonio da Silva Vieira no engenho Ca-
KOira da freguezia de Ipojuca.
^oo>9cet&oo>oot&'>>o
O Consultorio hoinceopatluco, O
ruadoCollegio, n. 25, O
O Do l>r. P. de A. l-obo Moscoto.
0 Oltr. Moscosod consultas lodosos Q
j diiis. Osdoenles pobres sflo tratados
X degrada. Sser3o visitados em suas J
3 casas aquelles que n3o poderem vir w
O ao consultorio, ou que suas moles- t
0 lias nao possam dispensar a presea- O
J ca do medico. O
DSo-so 200,090 rs a premio de 2 por
cento ao mez sobre penhores de ouro : no
palco do Ctrmo, luja n. 3, se dir quem d.
Os abaixo assignados fazem pdblico,
quo os Srs. Manoel dos Reis Quaresma, Joa
quim de'Soiiza P, reir Brito e J.>3o Fran-
cisco de Souza Lima deixaram de ser seus
caixeirosde hoja em dianle. Recife, 28 de
fovereiro de 1851.
Firriira ruidos & Companhia.
Casa de commissao de ts:ravos.
Compram-se e vendem-se es-
cravos, e resebem-se de commis-
sao, tanto para a provincia como
para lora dclla, para o que olfe-
reeem-s mui as garantas a seus
donos : na ra das Larangeiras n.
4,segundo andar.
&^u ^.^M'mm niiwiiiiiiiii
Tendo citeg ido a esta cida- |
| de o llespanlol Pedro A Iva- |
| res Garca, professor de pa- jj
i noe canto, se proprea dar |
l95es de sua arte, podeudo M
l para esse fin ser procurado
i a qualquer Itora, na ra do I
l Trapiche n. 15.
O abaixo assignado, administrador iu-
terino do cemileno publico desta cidade,
convida as pessoas que se quizerem con-
___^_ m____.1.. ....... .,1 i n 'll i! I.i lia
Consultorio homceopathico. *
Ra Nova, numero 58,
primero andar.
Consultas gratuitas para
os pobres, todos os dias uteis
desde s 8 horas da manh5a
,. at uma hora da tarde.
Aluga-se uma boa casa com grande
quintal, earvoredo de fruta e parreiral d<
uvas e excellento cacimba d'agoa de beber,
no principio da estrada dos Aflictos, ao p
do Manguinho d'tronte do silio do bom
successo : trata-se na trempe sobrado n. 1,
que tem venda por baixo.
O abaixo assignado professor particu-
lar de primeiras lettras, disciplinado em
preparatorios nolyceu desta cidade, parti-
cipa ao respeitavel publico e aos pas de
seus alumnos, que desde 13 de Janeiro dos-
te anno abri sua aula, e debaixo dessa
mesma disciplina ensina por principios
agrammatica portuguesa, latina e france-
za ; adnilttindo nesse recinto porcionistas e
meio porcionistas. Os pais de familia que
quizerem applicar seus lilhos a alguma des-
sas disciplinas, paeol dirigir-se a ra lar-
a do Rosario n. 48, segundo andar.
Jos Marta Machado de lignetredo.
-Eogomma-see lava-setoda a qualida-
de de roupa com toilo asseio e muita promp-
tidSo, por preco mais commodo do queem
outra qualquer parto : na ra de Agoas-Ver-
des, n.26. ...
Acaba de sabir a luz no Rio de Janeiro
a segunda edicto da inieressante obra
Diccionario de Medicina popular
F.m que so descrevem, em lingoagem acom-
modada inlelligenciss das pessoas estra-
nhas arte de curar os signaes, asciusas
e o tratamento das molestias ; os soccorros
que se devem prestar nos accidente- graves
e sbitos, como aos a fugados, asphyxiados.
fulminados de rato, s pessoas mordidas
por cobras venenosas, as perdas de Sin-
gue, as convulcOes das enancas ; os carac-
teres d?s cobras venenosas e das que Silo
innocentes : os contravenenos de lodos os
sor procralo.
Apes-o! que tem por cosl.ume botar
las 10 horas da noite em diante agoas fedo-
renta'. na ra travesa do Codo Santo, le-
nha a honda l, logo quo o mo cheiro da
ditt ago-! encommoda a vizinhanc, de nlo
continuar; do conlrario. tern do ver S?U
nome por extenso nesto Diario, para entilo
o Sr. fiscal dar as alevidas providencias a
este respeito.
-. Precisa-se de urna ama de leito ; na
ra Relian. 26.
Ricardo Royle, subdito britannico, re-
tira-so para Inglaterra.
Menrique Rrunn. sublito alkmSo, re-
tira-so para fura do imperio.
Precisa-se de urna ama para osemeu
de uma casa de pouca familia : na Boa Vis-
la, ra daSintaCruz n. 39.
Precisa-se de una ama de leile : na
Roa Vista, ra da Santa Cruz II. 38.
-- Aluga-se o primeiro an lar do sobrado
da ra da Cadeia Velha n. 27, proprio para
escriptorio ou para homem solleiro : a tra-
tar na luja do mesmo sobrado.
O professor do latim do collegio das
arles, encarregado de reger a cadeira de
rnetorica durante o impedimento do res-
pectivo professor, avisa a quem convier, qu
a matricula desta aula contina aberta at
0 (m do correte, na ca-a do sua residen-1
cia, ao p da la leira da S.
Loterh de N. S. do Livramento
Na ra da Cadeia do Recife n.46, loja d.'
miudezas, venderam-se osquartos n. 1113
em quo sabio a sorte do 5:000,000, o na pra-
ca da Independencia n. 4, loja de mludezss)
venderam-se os vigsimos n. 1481 nm que
sahioo premio de 1:500,000 rs. e o meio li-
bele u. 236 em que sabio a sorte de ris
710,000 rs.
O procurador da cmara municipal do
Recifo, em virtude do artigo 62 das dispo-
sicOes geraes do regulamento do oamlterio
publico, recentemente publicailo no Diario
de Pernambuco n. 47, avisa a todas as pes-
soas que com o mesmo tiverem de se en-
tender para o que dipOe o mencionado ar-
tigo, que o podem procurar todos os dias,
ilas 6 as 9 lloras da manhaa, e das 3 as 6 .la
tarda, na ra da Conc-icSo do bairro da
Boa Vista n. 4-2, e das 10 horas da mantia
s 2 da tarde, no paqo da mesma cmara.
Aluga-se o sobrado da ra do Vigario
n. 13, tres andares, sot2o corrido, dous
grandes mirantes, que por sua posico ele-
vada domina o mar de nortea sul, e com
as maisexcellenles accommoiacfles; aluga-
se tambero separados os ditos andares, -.
chaves existem no armazem do mesmo
sobrado.
Lotera da matriz da Boa \ Istn.
O thesoureiro desta lotera tem a honra
de f zer sciente ao respeitavel publico, que
o andamento das rodas da mesma ter lu-
r mpreterivelmenle no dia 2 de Junho
vindouro, no consistorio da mesma matriz.
e os bilhetcsesiaoexi'ostos venda em vir-
tude do despacho do S. EXC. de 27 do no-
vcnbro de 1850 A vantagein do plano que
abaixo vni publicado, e o m religioso para
que foi isla lotera concedida, convida a
tolos os Untadores da sorte a coocorrerem
sem demora para a compra dos nmeros,
quo Ibes prepara a suave acquisigSo de bens
la fortuna sem risco de grande capital, i
Coinpra-se urna ctsa terrea no Atorro
da Boa Vista : quem livor, annuncie.
Compram-se lagos de Lisbdi ou da ier-
ra para calijadis: quen Uve-, annuncie.
-Compra-seum escrava qui S'ja non
pelreiro.eque nao tenha vicios cooheoi-
los. para nmengenho .listante osla Cida-
de: ni praca d Boa VisU. casi n. 32. se-
gundo andar, acharSo com quem imar
.. Compram-se pataco OMWW >.
1.700: no largo do Carmo, esqu.na da ra
te Hortas n. 2, venda.
Compram-s*5
eseravos bonitos e robustos para dentro n
fra da provincia : na ra larga do Itozario
n, 48, primeiro andar. _n, .,
-Compra-se arinha, faijBo om.lho.que
sirva para sustento de porcos : quem tiver,
annuncie.
- Compram-se orellos de panno, em
grandes o pi-quenas porces : na pra?a da
Independencia n. 19.
Comara-seflor .le caima ou sumauma:
na loja de selleiro, na ra Sova n. 28, de
Antonio Ferreira da Costa Braga.
Vendas.
la11SSZ^^y^ZMmam^ con o mporles.......te d. diminu. qu.-
venenosconhec.dos,oscon,eihos,,rapre JinenOrs. Desde | e acham os
nicii'w i."hiiv.'.w- j ----------
servar das molstifs e prolongar a vida ; as
precaucOes que deve tomar quem muda de
clima; os preccitos sobre a educado dos
meninos ; os cuidados que reclama a pre-
nhez, o parto, as suas consequencia.s, a en-
anca recem-nascida, a escolha de uma boa
ama de leite. a depucSo, a desnumBcao e
os pericos a que exioVm as dlflcrentes | ro-
OssOese os meius de evila-los, oserros po-
pulares nocivos a SSUde ; a pieparacHo dos
remedios caseiros ; as plantas uteis etc.:
pelo Itr. Chernoviz, segunda ediccao em
1851, 3 vol. ornados de mullas estampas ior
16,000 rs. : vende-se no pateo do Collegio,
casa Manoel Pires Ferreira e Antonio Pires
Ferreira, proniovendo exeoucSo contra Luiz
Pires Ferreira, a qual n.uito excede da im-
porlancia dos bens j penbora.los, e cous-
lando-lhes que elle procura alienare ,lis-.- ;,'
i i i..,l kAiM a iilr.i oslas das lieni- obras da nialr Z da Boa Vala.
StifiZ K -S-nh"a ha^l 5000 bilh. les a ,0,000 5
que be endeiro. previnemao publico que Beneficio deil p .o,. 6 000,000
o dito seu de.edor nao pode fa zer la es alie- Imposto de 8 por o, 4:000,000
.. _... .,! nm rr,.,ii .t!Ia. Sello de laO res por
lia rtc 5 ou 10,000 rs. Desde j sa acham os
bilbetes a venda : na ra do Trapiche n. 3fi,
casa do thesoureiro ; no Becife, loja de miu-
dezas n. 16, de Jos Fortnalo dos Santos
Porto ; em Santo Antonio, na prr;a da In-
dependencia n. 4, loja de n.iudezas de For-
tnalo Pereira da Fonaeci Bastos; na boti-
ca de Joflo Moreira Marques, no pateo da
matriz ; na do Francisco Antonio das ('.ha-
gas, ra do Livramento ; na de Rernardino
Jos Monteiro, pracinbt do Livramento n.
??ellnalmeiite na lujado Aterro da Boa
Vista, de GuimarSes, n. 48. Recite, 27 de
fevereirode 1851.
Stiluftiano de Aqnino Ferreira
PLANO
de meia lotera, comprehenlen lo a quarla
parle da terceira e primeira parle da quar-
la nova lotera concedida pela lei provincial
n. 100 de !) de maio de 1812, a benefirio das
Vende-se nmi camia de 600 a 700 ti-
iolos : na rita Furmosa, stima casa terrea.
Ven leso palhinha preparada para ca-
deiras. muito superior; assimeonn junco
da melhorqualidadeqiie tem vindo a este
merca !o : ludo se vendo por menos preco
do que em nutra qualquer parte : n\ ra da
Cadeia de Santo Antonio n. 20.
Vendem-se por 3,000 rs. saccas com
mil'io : no Becco Largo do Recife, venda
que volta para a Senzalla Nova.
Venle-se um preto da Costa, perito pe-
dreiro e sem falta o motivo da venda se di-
r ao comprador: na ra Augusta, taverna
numero 1.
Ainda ha para venderem-so bastantes
harneas valias, no rnelhor estado possivel,
para embarricir assucar: na praQa da San-
ta Cruz, na padaria debaixo do sobrado nu-
mero 106'.
ao,ooo rs. de gralificacSo.
No dia 23 para 21 do prximo passado fu-
gio o eseravo de nome Antonio, de nacao
Angola, de 40 annos pouco mais ou menos,
'aixo, rosto abocetado com uns calombi-
uhos, birregit lo, com uma cova as costas
icima dascadeiras ; levou camisa do algo-
ia. braneo grosso, cal?as de algo Lio de lis-
trase chapeo de engenbo : quem o pegar,
leve n padaria da ra do Rozario estrella
n. 13, que receher a quantia cima.
J.ivros baratos.
Na ra eslreita do Itozario n. 15.
OrdenacOes do lleino, acampanha las com
o reportorio das mesmas, 5 voluntes m rollo
por 15,000
flireitoM>rcantil por Silva Lisboa,
2 vol. por 8.00
Diccionario Jurdico por Pereira e
Souza. 2 vol. por 8.00
l'rinieirasLinhasCivis pelo mesmo,
3 vol. por 60?
LobSo, notas a Mello, 5 vol. por o.OUO
Di gesto Portuguez, por 6.000
DiCtionnaire IIoiversel,2 vol por 3,000
Econoniia Poltica, por Say, 3 vol.
por
Matbeus, i lem,2 vol. por
Coligo Commercial, cuitlraio de
sociedade, averias, cambio manlimo,
synteologia, por Ferreira Borges, ca-
da volume por
Linhas Criminaes por Pereira e
Souza, 1 vol. por
PrelecOes de Direito Patrio, I vol.
por
Manual do IhIkIISo, 1 vol. por
lioulrina das AicOes, 1 vol. por
Manual Pratico, I vol. por
Cdigo Civil, por Cerdoso
Cont, obrigacOeg do jury, por
Pratica Lusitana, 1 vol. por
BiDia c uouuuui icruu wmh u. convilia as pessoas que se quizerem con-
riscado azul e calca de algodo tratar para coveiros, medanle o salario de
i j i i..,,i.. .I.,,,,.;,.-,.,',...,, I.OOOrs. diarios, e serventes de 610, a com-
transado, listrado, americano: ro-
ga-se a polica e aos ca pitaes de
campo, se o virem, de o pegar e
leva-lo mata da Torre, sitio do
Leo, ou no Recife, ra da Cadeia
de Santo Antonio, armaztm de ti-
jJo.
-Precisa-se de um feitor, que trabalhe,
seja idoso. sendo casado rnelhor, brasileiro
ou portuguez, que tome conta de um silio
peito da praca e d fiador sua conducta .
quem estiver nestas circunstancias, dnija-
' se mala .la Torre, sino do LeSo.
- Alugam-se dous quaitos de carga pa-
ra servicos dentro da cidade ou cm sitios,
exigindo-so garanta de quem os alugar:
na la da el... ia n. 14.
-- Precisa-se do uma ama do leile, que o
tenha bom, forra ou captiva, paga-se bem :
nas Cinco Puntas u. 21.
,000 rs. diarios, e serventes de 610, a com-
mrecerem amanhfla, na casa de sua resi-
dencia, na ra da Aurora n. 38, al as 9 ho-
ras da manhaa, e desta hora em diante no
referido cemitorio, para n tim indicado. Re-
cite, 28 de fevereirode 1851.
Manoel Luis \ir3es.
a lina das Cruzes n.
v Coruullorio homceopathico do faculta- Q
1 tivo J. ti. Caianova. Q
W Gratis para os pobres. q
Na ausencia do facultativo J B. Ca- ,;,
'* sanova, o professor de honioeopalliia ^
^ Cosset Bimont continuar com os w
> iraballios do ineamo consultorio, on- W
$ de podera ser procurado a qualquer fc?
- Deseia-se saber nesta cidade onde ido-
,a o Sr. ttoeoet Jos Vieira Braga, para se.
procura io a negocio de seu interesse.
-Precisa-se construir a porta de um vi-
nacOes, que, sendo em fraude Ua execucfio,
s3o nullas nos termos da ord. do liv. 3."
tit. 86 13 e 16 ; e prolestam ir haver es-
tes bens onde quer que estejam. Recife, 1
de margo de 1851.
Desappareceu no dia 27 de feverero ilo
correte anno uma prcta moca, estatura re-
gular, grossa do corpo, com um dente de
menos na frente, cara redonda, bricos gros-
sos, bem fallante, nariz chato, parece crl-
oula, com vestido do roupSo e de pregas de
cassa azul, panno da Costa de listra azul e
branca, de nome Maria i pede-se aos capi-
tes de campo e autoridades i olicia.s, que
a aprehenderem levein-B a ra de S.-J..s
n. 7, confronte o muro da Poi.ha, ou a ra
do Queimado n. 38.
Tampette, alfaiale,
participa a seus freguezes, que mu- $
douse para a ra da Cadeia do Re- 1
cife n. 15', primeiro andar.
Precisa-se fallar ao Sr. Jo3o INepo-
moceno Ferreira de Mello : na pra^a da In-
dependencia litraria ns. 6 c 8.
O administrador do cemiterio publico
pede as pessoas encarregadas dos enlerros
a leitura do seguinto artigo do regulanicnto
do c'euiilerlo :
Arl. 26. O publico ter franca entrada
no cemiterio desde as seis horas da man hila
at as 6 da larde ; e s durante este espa-
coser permiltido enrtempo ordinario re-
ceber os cadveres, i
O administrador do cemiterio publico
roga as pessoas encarregadas dos enlerros,
que logo que oblenham o recibo do Sr. pro-
curador da cmara municipal do ter pago a
sepultura.de lhes fazer entrega delles, pa-
ra com lempo | od.r prevenir o que marca
o artigo 62 ; e, para mais commodidado|das
parles, poderfiu procurar o mesmo admi-
nistrador at s'9 horas da manhaa em sua
casa, ra da Aurora n. 38, e de entSo em
.liante no uiesmo cemiterio.
--Precisa-se alugar um sitio perto da pra
ca, o qual tenha pasto para dez vaccas,
planta de capim, alguus arvoredos e casa
de vivenda para pequea familia, dando-ne
1.lili lo 750,000 10:750,000
39:250,000
1 Premio de 10:000.000
1 Dito de 5.000,000
1 Dito de 2:000,000
1 n iodo 1:000,00o
3 Ditos de 500,000 1:500,000
5 Ditos de 200,000 1 .0(1.1.oOO
10 Ditos de 100,000 1 oiio,Oiio
20 Ditos de 50,000 1.00(1,0(10
40 Ditos de 20,000 800,00o
1595 Ditos de 10,000 15:950,000
1677 Premiados 3323 (trancos 39:250.00-
3.000
2,000
5000
N. B. Os quatro primeiros grandes i re -
mios cstao sul.jeitos ao descont de 8 por
cento do imposto geral, que serao extruhi-
dos no acto do pagamento.
Por commodo preco.
Fazem-sc vestidos de todo e qualquer fei-
lio para senhoras, manteletes ca nimbos,
e bonels para homem e seultora : tambein
enfeitam-se rnaius, lavam-se e ongom-
mam-se quaesquer objectos de fil, Picando
em seu perfeilo estado, ludo COBi' a mclher
promplidao : na ra da Aurora, leja da ca-
sa n. 42. ______
Compras.
Compra-se um bilhar cm bom uso : na
ra Nova n. 46.
Compram se adragonas con: franjas, e
handas em *nao estado, ou do uiodello a liti-
go, assim como gales usados, poreui ver-
d.i 011.1-.: lid |.i ...- da Independencia n. 19.
Compra se una uegriniia de 10 a 12
anuos : na la Velha n. 71.
Compra-se um bilhar por preco com-
modo : quem o tiver, annuncie.
' Compra-se um casal de porcos do .Ma-
can ou uab : quem tiver annuncie.
1,000
1,000
1.000
1,000
1,000
2,000
1.000
1,000
1,000
Na ra Nova, em casa de Augus-
te Colomhiez,
vende se um grande retrato de S. M. impe-
rial oSr. D. Pelro II, com riquissima mol-
dura, obra do insigne pintor Lechevrel, o
qual apresenlou na ultima expsito das
B lias-Artes, no Rio de Janeiro, olira de
to.. subido merecimento, que lhe valeu ser
premiado ioi S Magesta te com o habito de
(hristo, eser-lh.-comprado por ordem do
mesmo augusto Senhor, um painel repre-
sentando a rainba de Inglaterra, Ehsabeth,
o qual chamou a attencao de lodos os mes-
tres e entendedores por sua primorosa exe-
CUO.
Vende-se rap de Lisboa em frascos,
chegddo agora na barca portugueza Liga-
ra : os Srs. freguezes que estao acosluma-
dos a tomar a boa pitada n3o deixaro de
mandar buscar, no largo da assembla n. 4.
Bom e barato.
Vende-se cera de carnjba, couros de ca-
bra, pennas de ema, sapatos brancos, be-
zerro de luslro e superiores charutos che-
gados ha pouco da Babia : na ra da Cadeia
do Recife n. 49, primeiro andar.
Vende-se urna escrava de 22 annos, de
bonita figura, a qual cozinha o diario de
uma casa, lava de sahSo, engomma e cose
OtlBo : na ra do Apollo n. 19.
Vendem-se colleecoes com
mais de seis lindas vistas, repre-
sentando a ponte do Uecile com a
alfandega, a ponte da Boa-Vista,
a cidade de linda,a ponte do Ca-
chang, l'oco-da-Fanella, e a ra
da Cruz com o arco do Bom-J esus;
bem como duas grandes vistas de
l'eruainbuco; na ra da Cruz, n.
io, cas.' Kalkmanns lrmao.
Vende-se um grande sitio no lugar do
Manguinho, que lica defronte dos sitios dos
Srs. Carneiros, com grande casa de viven-
da, de quatro agoas, grande senzalla, co-
cheira, elribaria, baixa de capim que sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
bomba e lanque coberto para banho|has-
tanles arvoredos de fructo : na ra da Con-
cordia, primeiro sobrado novo de um an.laj.
-- Vendem-se duas moradas de casas ter-
reas na ra Imperial, assim como uma na
ra do Padre Floriaiuio e urna na ra das
Agoas Verdes : vendem-se por preco Com-
modo, na ra do Crespo n. 10, na loja de
Ignacio Luis de Brilo Taborda, pessoa est
quo est autonsada a vende-las.
AR ENCN I KAO



BT.-
A a,4oo res.
Vendcm-sc pecas do cassa de quadros e
listris para liabados rom K 11-> viiras cada
lima : na ra do Crespo, loja n. 6, ao p do
lampeSo.
-- No armazem de S Araajo, na ra da
Crnzn. 33, vende-se superior farinha do
mandioca a dous n.il ris a saces, bem co-
mo sola, couros iniudos, pennas de ema,
tijollos para limpar metaes, etc.
Bom e barato
Na ra do Passeio Publico, loja n. 9, de
Albino Jos Leito, vendem-so ricos cortes de
meias casemiras, pelo diminuto preco de
1,600 rs. A ellos, rapasiada do bom gosto,
antes quo se acabem.
Farinha Fontana.
Vende-se Tarinha ((aquella acreditada
marca, sendo a ultima chegada a este mer-
cado : a tratar com J. J. Tasso Jnior, ra do
Amorim n. 35.
Hap Paulo Cordeirodo Rio de
Janeiro
em latas e frascos, chocado recenlempnte
vende-se na ra da Cadeia do Recfe, loja
n. 50, de Cunta & Amorim.
Deposito de cal virgem e potassa
Cunha & Amorim, na ra da Cadeia do
Recite n. 50, vendem cal Tirgem em pedra,
chegado pplo ultimo navio de Lisboa, 8 po-
tassa do boa qualidade, por menos proco do
quoem outra qualquer parte.
Na ra da Senzalia Velha, padaria n
1 00, principio que onlra polo Ileooo 1 arpo,
vende-se superior farinha do mandioca,
vinda ltimamente de Santa Catharina ; ror
cada sacca se levar ao portador a pequea
quantia de 2,000 rs. ronduzindo nina sac-
ca nova de bom algodiioziriho, e querendo
desconta-so-lhe 2G0 rs., passando para ou-
tra, que o portador levar.
Bombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuso,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do lrum ns. 6, 8 e 10,
tundirn de Ierro.
Por 1:000,000 ris.
Vende-so um terreno com 53 palmos de
frente( lugar para edificar 5 moradas de
casas }, tendo de fundo desde a ra da A i-
rora al a ra do Hospicio, e se convier
tambem se far negocio com outros 53 pil-
mos juntos ao mesmo terreno, os quaes
dSo lugar para edificar-se 15 moradas de ca-
sas : para tratar, na praca da Independen-
cia n. 17.
Deposito de charutos da Babia,
ra da Cruz numero 27.
Armazem de Croccoc Companhia.
S3o chegadosa este novo deposito os ver-
dadeiros charutos soberanos i'e llavana,
senadores, deputados, regala, cacadores,
venus e quem fumar saber. Todos estes
charutos em caixinhas decm, que milito
convm aos amadores, pois que sua q 11I i -
dade he muilo superior, e preco o mais mo-
derado possivel, para acabar efzcr-se no-
va remessa.
Para acabar.
Vende-se a 2,000 rs. o milheiro de ceb-
las, e a 240 rs. ocenlo, cousa boa : na ra
da Cadria de Santo Antonio, armazem de
tijollos n. 17.
Ven le-se mel de furo, em
caadas e garrafas, por preco
commodo; no Mariguinho, pau-
sando a ponte, primeiro sitio do
ladoesquerdo.
Guarda nacional.
Vende-se o peculio do guarda nacional,
contendo a lei, regulamento e todos os mo-
delos que delles dependem, a 1,000 rs. cada
ejemplar completo : na praca da Indepen-
dencia, livraria rs. 6 e 8.
Novo deposito Na ra do Apollo, armazn n. 2 I), ven-
do-so superior cal virgem em pedra, n'iima-
mente chegada de Lisboa na burea Ligeira,
por menos 500 rs. a barril do que em outra
qualquer parle.
A l,6oo e a l,8oo rs. a vara.
Vende-se panno de linho par lencrtes,
de muito boa qualidade, com a delicadesa
de vara e meiadarum elegante len(ol sem
costura, muito commodo para tifio magoar
o corpo: na ra do Crespo n. 12.
Vendem-se candieiros para
meio de sala, muito ricos, com os
competentes globos, canudos e tor-
cidas, dando a luz mais bullante
possivel : na ra do Trapicha n. 8.
ntigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
ebegada ltimamente de Lisboa
na barca Ligeira.
Mociiriiut -iijH 1 ion ~.
Na IiimI fin de C, Starr & Companhia,
em S.-Amaro, aoham-se venda moendas,
de caima, ludas de fero, de um modelo c
const'UCQfio muilo superior.
-- Na ra eslreita do Itozario, travessa do
Queimado, luja de miudezas 11. 2 A, de J.
F. dos Santos Maya, vendem-se curdas de
tripa e l-ordes para violSo e rsbeca, e pa-
pel pautado para msica, ludo da ii.i'll.nr
qualidade possivel.
AGENCIA
da fundicao Ltw-Moor.
l'.UA HA SKZALLA NOVA N. 42.
Weste estaueleeimento conti-
na a haver um completo soiti-
mento de moendas o meias moen
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas. de ferro batido e
coado, de todo os tamaitos, pa-
ra dito.
Chumbo de munieao.
Vende-se no armazem de J. J. Tasso J-
nior, ra do An 01 un 11. 35.
Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalia nova 11. 42.
nos dos modelos mais approvados.-
na ra do Trapiche n. 8.
Telado de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5a,
vendem-so por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Deposito de epclhos das ma-
nafacluras de Franca : na ra do
Passeion. 1q.
Deposito de cnl.virgcni.
Na ra do Torres 11. 12, ha muito supe-
rior cal nova em podra, chegada ultima-
mente do Lisboa no brigun Tnrvjo-Terceiro.
Potnssa la llussin.
Vende-so potassa da Russia, recentamen-
te chegada, a de muito superior qualidado :
na ra do Trapiche n. 17.
'la i xas para cu ye niio.
Na fundicHo de Ierro da ra do Krum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
lo de taixas de 4 a 8 palmos do bocea, as
quaos acham-se a venda por preco com-
modo, e com promptidflo emharcam-se, ou
carregam-se cm carros sem despezas so
comprador.
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos 1110-
lelos.
Deposito la fabrica le Todos os
Santos na Baha.
Vende-se, em casi doN. 0. Iti-ber&c. ,
un roa da Cruz 11. 4, algodSO transailo da-
quella fabrica, muito proprio para saceos do
asaueare roupa de escravos, por proco com-
ino Jo.
Cal virgem de Lisboa.,
la mellior que lia no mercado, e
chegada ha das pelo brigue* Em-
prezai trata-se com A. ('. de
Abren, na ra da Cadeia do Re-
cife d. 37.
Cimento.
Vendem-se barricas com cimento, pro-
lrio para qualquer obra que possa rece-
ber agoa, assim como para aljeroz e Ira-
peiras, prximamente chegado de Mam-
burgo, tambem se vendem as meias barri-
cas por preco commodo : atrs do theatro,
arma/em de tabeas de pjnho, a fallar enm
Joaqiiim Lopes de Almeida, caixeiro do Sr.
I0S0 Matlieus.
Cera em velas.
Vendem-se raixas com cera em
velas, fabricadas no Hio deJanei-
ro, sorlidas ao desejo do compra-
dor, e por preco mais barato do
que em outra qualquer parte;
lambemse vende cera fabricada
em Lisboa, cm caixotes de 100 li-
bras cada um : trata-se com Ma-
c isdo {k Pinbciro, ra do Vigaiio
11. 19, segundo andar.
'- T -. ".?-:.-c- -.-.-.. &,
menos do que em outra qualquer parte : no
armazem da esquina do caos do Ramos nu-
mero 1.
.si.??**!#j&ai < & mmmmmm
jjj Na loja do sobrado amarello, nos '
i quatro cantos da ruado Queimado n. jfc
g 29, tem para vender um completo fj
1 sortimento das fazendas abaixo men- jt)
I cionadas, tudo de superior qualida- $
fj: doe presos muito commodos, asa- *
ber,: B
{jj Cortes do vestidos de sarja prcta i{4
S lavrada, padrOes de muito gosto. fia
Sarja de seda preta verdadoira; lies- g
sj panhola.
'. Setim preto maceo, proprio para i;
..; vestidos.
! Manteletes ecapotinhos do chmalo- jg
I te egros do aples preto, com mui I
i lindos enfeites. |
S Los de linho preto, bordados a seda.
' Um completo sortimento de pannos li
'1 prelos para os precos de 4,000 al te
w 12,000 rs.
i Casemira preta elstica para varios |
presos
Vendem-se arado.* omerica-
Alanteletcs e eapiiiidcu
Na loja do sobrado air.arello, nos
quiltro cantos da ra do Queimado,*
11. 29, tem para vender manteletes e *
capotii los para senhora, de chama- S
^ lote egros de aples de cores, os |
&. mais modernos e de mais lindos en- :'
> feiles que tem viudo. ^g
VAAMAAAAA *VArAM#M*
Roga-se aos srs. fregnezes do lia-
rato pie lcinin o gegnlnie
nnniiiu'io.
Vende-se lirim de quadros de linho, a
320 rs. o covado [riacado|de linho, a 2i0 rs
11 covado; dito de algodSo, n 180 rs. o co-
vado ; pecte muito encorpsdo, proprio pa-
ra escravos, a 180 rs o covado; castores
muito encorpados, a 28U rs. o covado;
lirim transado branco de linho, a 1,920 rs,
o corte dito escuro, a 1,800 rs. O dito :
esguiSo de algo 18o de 12 jardas, a 2,400 rs.
a ieca ; coi tes de fusio, a 560 rs. ; cober-
lores escuios do tlgodSo, grandes, a 720
rs. ; cassa preta, a 120 rs. ocovado; chita
e Corea lixas, a ICO e 180 rs. o covado : na
ra do Crespo n. 6, ao p do lampefio.
Arados de Ierro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambao de sicupira e bracos
l.otci'i 1 do Hio de Janeiro.
Aos ao:ooo,ooo rw.
Na prai;a da lnde;cndeneia, loja n. 3, que
volta para as ras 1)0 Queimado e Crespo,
vendem-so os mui afortunados bilhetes,
meios, quartos, oitavos e vigsimos da 13.'
lotera de S. Pedro de Alcntara. Na mes-
ma loja est patente a listada 6.' das amo-
reiras.
Lo'eria do Rio de Janeiro.
Aos 20.-oon,ooo ris
Na ra estreita do Rozario, travessa do
Qupjmadn, lojn do miudezas n. 2 A, de J.
A dos Santos Maya, vendem-se os mui afor-
tunados hilhelos," meios, quartos, oitavos o
vigsimos da 13 lotera de S. Pedro de Al-
cntara. Na mesilla loja esta patente a lis-
la da sexta dss amoreiras.
Lotera do l Aos 20:000,000 rs.
Na casa feliz da ra do Queimado, loja de
fazendas n. 20, vendem-se os mui afortuna-
dos bilhetes, meios e cautelas da 13.' lole-
ria do theatro de S. Pedro de Alcntara, cu-
ja lista chega no primeiro vapor. Na rnes-
ma lojn se mostra a lista da 6.* loteria das
amoreiras o creacBo dos bixos da seda, bem
como todas as passadas.
Chapeos ledos a 1,000 rs.
Na ra do Queimado, loja n. 3, vendem-
se cftapos oleados pelo baratissimo preco
le dez tostOes e
mil ris.
--Vndese urna preta, que engnmma,
cose, cozmba e faz o maiaarranjo, tanto de
rasa Tomo de ra com muia perfeicfio : na
ra larga do Rozaiio n. 35, loja.
Vende-se um cavallo mellado, bo.n car-
regador e muito mantedo : na ra da Flo-
reulina, coxeira do Sr. Sebialiffo,
-- Vendem-se escravos baratos, moqos e
de hor.itas figuras, a saber: urna linda 11:11-
latinlia de 16 anuos, que cose, engomma,
cozinha e sabe muito bom empalhcr cadei-
ras ; urna dita de 20 anuos, que cose mui
bem carnizas de bomem ; qualro pretas mo-
cas, enm hIlmiii as habilidades; um lindo
mulaliiiho de 12 annos ; um dito de 16 an-
uos ; um moleque de 14 annos ; um dito d
16 annos ; ilnis n.oltres de 20 annos e de
bonitas figuras ; um 1 reto de 25 annos, p-
timo sapateiro decollar o fazer qualquer
obra ; um bonito pardo de 20 annos, pti-
mo para pagein e que entende muito de pa-
daria ; um dito que se vende muilo em con-
cern 011 copeiro, n tem principios de alfaia
t'i: quem o prender, dirija-se travessa do
calabouco n. 38.
Vecde-se muito nova farinha
le mandioca de Santa Catharina :
a b rdo do brigue Sagitario, Tun-
deado defronle do Trem, por pre-
co muito commodo.
Na ra do Crespo n. 21, loja de fazen-
das, vendem-se quarlos, oilavos e vigsi-
mos da 13 loteria do theatro de S. Pedro
de Alcntara, o paga-se qualquer premio
que nelles sal i re 111 sem ganancia alguma.
Quarlos 5,500
Oitavos 2,800
Vigeaimos 1,300
Lotera do Rio.de Janeiro.
Aos 10:000,000 ris.
Na ra do Rozario larga, botica n. 42, re-
cebeu-se a lista da lotera 6.* das amorei-
ras, e ahi foram vendidos os seguintes n-
meros quesahiram premiados, a saber :91l
-400,000 rs 2013 400,000 rs. 3636
100,000 rs. 156 100,000 rs. 11
40,000 rs. 140 40,000 rs. 4607
40,000 rs. 1400 40,000 rs. bem co-
mo bilhetes da 13.* loteria de S. Pedro de
Alcntara, chegados ltimamente pelo va-
por Imperador, os quaes se vendem pelos
piecos seguintes : inteiras a 22JO00 rs. ,
meios a 11,000 rs., quartos a 5,900 rs oita-
vos a 2,900 rs e vigsimos a 1,400 rs.
roe prata, patente inglez : na ra
da Senzalia Nova n. 42.
Deposito de tecidos da fabri- J.1
xa de Todos os Sontos,
na Babia.
Vende-se em casa de Domingos Al- -C
S*" vos Matheus, na ra da Cruz do Re- | cife n. 52, primeiro aoilar, algodo <
* transado daquella fabrica, muilo pro- "!
I? prio para saceos o roupa He escra- J|
q. vos, assim como lio proprio para re- ^
p. des de pescar e pavios par veilas, ^
I*, por proco muito comino lo. ,33
AAAAAAAAAAAA AAAAAAAft
Vende-se urna pon;fio du .:aixes de pi-
tillo, de flandres, e algumas liixas de pinho
do Porto : na ra do Rozario vlarga n. 36.
Escravos fgidos.
Aos 30:000,000 ris.
Na loja de cambio da Viuva Vieira & Fi-
Ihos, ra da Cadeia do Recite n. 24, rece-
beu-so a list* da sexta lotera da cultura de
amoreiras e creac.no do bicho de seda. Na
mesma lojn acham-se venda os afortuna-
dos bilhetes da 13.' loteria do theatro de S.
Pedro de Alcntara, dosqu.ics vira alista
no primeiro vapor, e trocam-se por bilhe-
tes premiados da loteria de N. S. do Livra-
monto e do Hio de Janeiro. Numeraclo dos
grvalas de mola a dois premios l?lle s|ljram nos bilhetes vendidos
de ferro ; na fundicao da ra do
Brum ns. (i, 8 e 10.
*'- Algodao para saceos. f
fgi Vende-se. muito bom algodo para fi
jg saceos de assucar, por prc^o con.mo- ^
> do : em casa de Ricardo lloyle, na fr
A ra da Cadeia n. 37. ?
#? *#a>:a>#># aaa^aj :*#>< a a m
('lo para sapateiro c para saccis.
Vende-se um restante de ptimo fio para
sapateiro em novellos, e dito em nieladas
para saceos, por preco commodo para li-
quidar facturas :em casa de Adain*on llowie
Companhia, ra do Trapiche n. 42.
2,000 rs. paia a pobreza.
Vende-se excellenie farinha do mandioca,
receiiteuienle cliegada de Santa Calharina,
em boas sacras novas de bom alggdAozi-
nbo : na | rae da Roa Visla, venda de Joa-
quim de Paula Lopes 11.18 : approveitcm a
occasiSo antes queappare^a o especulador
para a usura.
Touciuho de Santos,
a 140 rs. a libra, anda iiovinho o fiesco : na
ra larga do Rozario, padaria n. 48.
'Lotera do rtio de Janeiro.
Aos 30:000,000 ris.
Na loja de miudezas da praca da Inde-
pendencia 11. 4, vendem-se bilhetes iutei-
ros, meios, quartos, oitavos e vigsimos a
I neliciii da 13 lotera do Iheatio de S. Pe-
dro de Alcntara Na 11.c-111a loja recebem-
se bilhetes premiados em Iroca dos que tem
a venda.
Pecss de chitas rexas para luto
Vendem-se pecas docilitas limpas, ordi-
nales, para lulo aleviado, a *,5d0 e a 160
rs. ocovado; e cortea de cainhiafas^iara
vestidos, bonitospadroM, a 2,600 rs. : na |
1 un larga 1I11 Rozario 11. 48, piimeiro andar.
ta sendo para o Rio Crande do Sul uu Para
seis escravos mocos, ptimos para o campo
011 para oulro qualquer servido : na ra das
I.arangeias n. 14, segundo andar.
Vende-se una escrava : na ra do Cal-
deireiro n. 50.
Lavas de mascaras.
Vendem-se luvas de pellica com pequeo
loque de avaria, a 800 rs. o par, ptimas
paia os iludanlos se afligurarem com ellas
nos prximos bailes de mascaras, epoupa-
rein 1,200 rs. que de mais dariam por (Ul-
tras luvas, que denoite, e mesmo Je da
tifio fazem melhor efteilo : na ra do Roza-
lio larga, loja de iniuJe/as n. 38.
Negocio de vantagem.
Vende-se urna loja Jo fazendas, muito
prupria para um principiante, porestar si-
ta em muilo bom lugar, e mesmo porque
lea apenas um cont e quinhentos a dois
contos, inclusive amiacn : na ra do Quei-
mado 11. 20, loja do Sr. Mendonca, se dir
onde be a luja que se vende, e com quem se
fa o negocio, oqualset a piazoou a di-
nheiro, como convier ao comprador.
Vendem-se 3 esclavas de bonitas figu-
ras, sendo orna parda de 22 annos, que sa-
be eoziiitiar o diario de una casa e tem bom
piincipio de ciigommare coser; urna preta,
que lamben) cozinha e he propria para ven-
der na ma ; nina oila para lodo o servico :
naiuado Queimado 11. 14, se dir quem
vende.
Na ra do Brum 11. 28, existe para ven-
der-se una o oenda de engenho com todos
os seus pe tunees oem bom estado
preco he o mais rasoavel possivel.
-- Vendem-se lies moradas de cosas pe-
quenas na ra do Jasmin, por tras d San
Goiicalo, em chaos proprios, cm toda a
comuiodldade, livres o desembarazadas,
por barato preco, as quaes rendein agora
18,000 rs. : quem as pretender, dirija-se
travessa da Concordia, sobrado n. 5.
Vende-se rap de Lisboa em
oilavas, e raixas com charutos de
San Flix, por preco commodo :
na ra da Cadeia do Recife. nu-
mero i5.
Vendem-se duas moradas de casas ter-
reas, ua ra Imperial ns. 4 e 6, assim como
una na ra do Padre lloriannon. 30, ou-
tra na ra de Agoas Verdes 11 15, por pro-
cos commodos : a tratar na na do Crespo
n. 10, loja de Ignacio Luiz de lliito Tabor
da, pessoa esta que esta autonsada a ven-
d-las.
' Vendem-se supeiiorea lvros em bran-
eii, de diversos lanianhos : em casa de Ralk-
inaiin IrmSos, na la da Cruz 11.10.
O si'J
Para voltarete.
na mesma loja da 6'Vloteria das amoreiras e
creacHo do bicho da aeda, a saber : 4638
20:000,000 de res 5803 2:000,000rs
4753 200,000 rs 2948 100,000 ris
2571 100,000 rs. 5033 100,000 ris-
4224 100,000 rs. 5781 100,000reis-
3887 40,000 rs. 2654 40,000 rs.-
4059 40,000 rs. 1938 40,000 rs.
5343 40,000 rs 4607 40,000 rs.
4637 40,000 rs 4636 40,000 rs.
4923 40,000 rs. 1400 40,000 rs.
No becco do Goncalves, ar-
mazem do Araujo, vende-se su-
perior farinha de mandioca em
saccas, ebegada ltimamente, e
muito em conta.
Na ra das Cruzes n. 18, tereciro an-
dar, vende-so urna parda de 26 annos, que
engomma, cose chflo, cozinha e lava de sa-
bo; urna preta do Angola, do 20 annos,
que cozinha, lava de sabfio e he quitandei-
ra ; um escravo de Angola, de elegante fi-
gura c o,.1111:11 canoeiro ; um dito de 30 an -
nos, i;uiibador do ra ; urna linda ciioula
de 26annos, que eugouiuia, cose bem chSo,
faz lav.ii mo, marca, cozinha e lava de sa-
lino, vende-se para fra da provincia ou en-
genho.
-- Vende-se urna morada de casa terrea
com muilo bous commodos, sila na ra Ve-
lha : quem pretende-la, dirija-so. ra do
Sebo n. 17.
-- Vende-se um hah de 5 palmos, pti-
mo para quem lizer viagem, tambem se fa-
r troca por urna meia cominoda : na ruu
Nova n. 16.
Attenco.
Vendem-se methodos para vio-
So : na ra do Collegio n. 1.
-- Vendem-se lmeos de balanca para bal-
eos, os mais superiores que tem appareci^
do; bacas de rame para ps e para ba-
nho; armas finas para caca; colhcres de
metal do principo para sopa, cha, assucar e
arroz facas finas para mesa e sobremesa ;
talberes finos para meninos; bules e cafe-
teiras de metal ; e estojos para mathemati-
ca : na ra Nova, loja de fenagens n. 16,
de Jos l.ni/. Pereira.
Na ra da Cruz, armazem de
Sa Araujo n 33, vende-se supe-
rior l'.i itili.i de mandi ca, chegada
ltimamente do Cear, por preco
muito commodo ; assitn como cou-
ros de cabra, solas e pennas de
ema.
(>
i'
V
(I
]'l
II
di
P'
t

ACmABEDEPARLS.
Sfeft
Hua do (Jodcgio 11. l\.
Desapparecpu, no dia 12 de Janeiro pro,
ximo passado, do sitio denominado Arac-
junlo a ponte dos llemedios, um escravo,
canoeiro, de nome Caetano, de estatura re-
gular, cor fula, rosto redondo e picado de
bexigas, pouca barba, alguna signaes de
panno pelo ventre, sendo urn delles a mar-
ca de um caustico por occasiSo de ter urn
pleuriz e he quebrado de urna das verilhas ;
levou camisa e calca de algodao de fra.
Este escravo, dizem ter levado em sua rn-
panhia urna preta moQa, do nome JnlrlWa,
haixa, cheia do corpo, muito esplicada no
fallar e tem um signal de talho no canto da
bocea da parte direita : roga-se a todas as
autoridades policaes, 011 a quem o conhe-
.cimento doste possa interesar, e a pessm
particulares que os possam encontrar, os
mandem aiiprehender e entrega-Ios na ra
dos Quarteis de polica, padaria n. 18, quo
sero ahi gratificados com 50,000 rs. alm
do alguma pequea despeza que possa ha-
vor para sua seguranga.
Em Janeiro prximo passado desappa-
receu da fundcilo da Aurora, em Santo
Amaro, o preto Anlonio Songo, de altura w
regular, cheio do corpo, mal encarado, bao- ] "'
ca grande com falta de denles, barbado,'
com marcas de bexigas, es apellidados,
falla muito manea ; levou duas carnizas a
duas calcas de Blgodo de iistras : descon-
lia-se que tenha 1 lo para Macei. ou lugares
vi-/ i o Ims, seduzido por alguem ; por isso ro-
ga-se a quem o pegar, de o levar fundid
eSo cima dita, que sera devidamente rc-
oHn: eosado.
Desappareceu na no te do dia 6 do
corrento una escrava parda de nome l.uz ,
idade pouco mais ou menos 30 anoos, ro-
bellos corredissos, porm cortados, rosto
redondo, barriguda que parece estar poja-
da, nios bastantes leas e algumas unhas
muito negras que parecem ter sido pisadas,
osis muito esparragados o feos e algu-
ma cousa irregular, levou alm da roupa
vestida, um sacco ou trouxa, dous fios d.
cuntas brancas ao pescoeo, assjm como um
rozario tambem branco, chales de chita
asul j desbotada, usa de camisa de cabe-
cfto : quem a aprehender e leva-la na
rna do Queimado, loja n. 9, ser recom-
pensado generosamente. r"'
~ Fugio no dia 24 do correle do er:'j
nho Tapera, sito na freguezia de Jabdatao,
0 escravo de nome Jos, de nacn Nag,
cujo sinaescaraclcristiros so os seguintes,:
corpo e altura regulares, olhos salientes e
vivos, sem barba, com falta de denles, ros-
to talhado, ps grossos, representa ter de
idade 30 anuos, he muilo ladino; a vista
do exposto recommenda-se aos capilfles da
campo a captura do dito escravo, pelo que
serlo generosamente gratificados.
Ilesappareceu. no dia 16 do corrente, a
preta Joaquina, de naflo Ca(ange, que re-
presenta ter 40 annos, haixa, corno regular,'
cor fula, com carne sobre os olhos, nariz
chato, falta de dous denles, peitos peque-
nos e murclios, com algunias sicatrizes da
1 cilio as costas ; (em aa nadegas um tanto
empinadas para (ras, que mais musir
quando anda ; levou vestido novo, porcia
sujo, com assenln azul; consta que usa do
panno da Costa. Esta preta quando foge tem
por eos tu me andar pelos arrabaldes dcsta
praca : roga-se as autoridades policaes,
capil3es de campo, ou outra qualquer pes-
soa,que a appreliendam e levem-a a seu
senhor Domingos da Silva Campos, na ra
das Cruzes n. 40, que gratificar genero-
samente.
i mm. -:- "r^:mmmw&iKmmmm
fl mulalinho Agostinbo
} Na noite de 11 para xa do t
* passado ausentou-sc o es- ]
j cravo Agostinbo, pardo' a- $
} caboclado, cabellos pelos e i
lisos, pes grandes com os de- M
j;j dos grandes grossos e camba- $
y dos para dentro ; be filho do j|l
i serlao, muito fallador e fio- ^
f .ta: roga-se as autoridades a.
I polici.ies, capitScs de eam-
S-po, assim como a toda e
} qnah|uer pessoa qnc o en-
S conlrar, de prende-lo e'con-
j duzi-lo a seu senhor Ben-
S to Jos Taveira, na ra da
-i Cruz n. 20, que nao s paga-
S r todas as despezas, como
g olFerece urna generosa re-
g compensa a quem o trouxer.
Anda esl lugida a prt la Mana Joa-
quina, de idade 30 a 40 anuos, na(So Con-
go, baixa, gorda, er retia, bixigosa,
E
Nesteestabeleciinento se encontrar seml 1 0|hos vivogi bstanlo ardilosa.
pre o mesmo orlitr.ento de chapeos de so- l8|vcz nnde sua fuga encobeita com o neg-
la annunciados, assim como sedas e pannos! c0 de miudezas, pois he no uu se empie-
empecaparaaaarmaeO a servidas, baleaa; g4Ta ntcsdaaua fuga, i..1o sendo esta a
paia veslidos o espaililhos de aenhoraa. | primelr, s,z que { ge encobr
Concerta-se toda a qualidadede chapeos de Cl)m ,, wpMI0 Uo,wni !k ,oi PSPraVa de
sol, ludo por menos preco do que em outra engenho, e andava vendendo miudezas pelo
qualquer parle. mallo, com urna crioula de quem era es-
Uadeira de Jacaranda. erava : quem a pegar levea nrpraca da In-
Vende-se optiico Jacaranda em porclo ou dependencia n. 17, quesera recompensado
Vendem-se supeifinas caitas, por piec/da relalbo, a vontadn do comprador : naiua doatu trabalho.
commodo : na la co Queimi-do 11. 25. 'da Cadeia de Santo Antonio 11. 18.
Vende-se um mulaliiiho de bonita igu-
--Vende-se arroz de Cscae milho lorlra, de 12aniio, o qual lio pioprio para pa- Vcndcm-se relogios de OU-
RbbnfNfTw.DK M.F.dftFahia
MELHOR EXEMPL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN86A9RFX_GW8QQU INGEST_TIME 2013-04-12T21:38:37Z PACKAGE AA00011611_06337
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES