Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06333


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Quinta-feira 27
PARTIDAS DOS COHB.EIOS.
Goianna e Parahiba, s segundas c sextas felras.
RIo-Grandc-do-Nortc, odas as quintas fciras ao
weio-dia.
i aanbuns c Honito, a 8 c 2.'i.
loa-Vista c Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas fciras.
Olinda, todos os diae.
PlIASES Di LOA.
EPHEMEIUDES.
,'Nova, a 2, as 10 h. c 55 ni. da t.
Cresc. a 10, as 7h. e 25n. da t.
Cheia. a 17,as 10 li. e 58 m. da ra.
Miic- a 24,sllh. e U ni. da m.
VailHAB DE HOJE.
Primeira s 2 hora e 6 minutos da tarde.
Segunda s 2 hora e 30 minutos da manha.
de Fevereirode 1851.
______ ________g?g!
N. 48.
PHEOO DA SUBSCB.I POAO.
Por tres meses fadiantados) 4/000
Por seis mcics SjfOOO
Porumanno 10/000
das da sihana,
.' Ii Scg. >f> S. Uatliias. And. do J. d'orf. c m. da 1 v.
: 25 Tere. S. Cosario. Aud. da Chae. do J. da se-
gunda varado c. e dos feltoi da hienda.
20" (,)uart. S. Tori|uato. Aud. do J. da 2. vara.
17 Ouinl. S. Leandro. Aud. do J. dos orf. cdo m.
da priineira vara.
28 Sen. S. Roma. Vud. do J. da l. vara do civel,
e dos feitos da fatenda.
1 Sab. S. Adrlo c Jovita. Aud. da Ch. c do J. da
2. varado civel.
2 Dnin. da Quiuquagcsiina. S. Simplicio.
"" i nTnf i *
CAMBIO DE 36 DE FEVEHEinO
Sobre Londres, a 3o d. p. 1/000 rs.tX) dias.
Paris, 320 por fr.
Lisboa, 85 a 90 uim
Ouro Oncas hespanholas..... 28/0till a
V Mocdasde/iOOvellias. l/nm a
. de 6/100 novas lti/UOU a
de 4|00....... 9/UOUa
Prata.-l'atacfles brasileiros.... '-
Pesos columoanos..... fWj"
Ditos mexicanos........ # a
28#:>oo
10J201
lbj'2011
9/ino
1/Mi)
1M0
1/701)

(
PARTE OFFiCUL.
GOVEItiNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 19 DE FEVEREIRO
DF. 1851.
alucio, Ao commando das armas intei-
,Yn de licenca com meio sold ao alferes do se-
cundo batalhSo de caladores Manoel d'As-
sumpcfio San-Tiago, para tratar de sua sau-
de. --Intelligenciou-so a pagadoria militar.
Dilo. Ao raesmo dzendoque para dar
cumprimento ao aviso do ministerio da guer-
ra datado de 7 do crranle, faz-se necessa-
rio que ordene ao commandante do segun-
do batalhSo de catadores informe donde foi
remettido ou a quo corpo pertencia o mu-
gente de primeira linha, de que fazia parte,
quando passou para o mesmo balallio, o
strangeiro Eduardo Wigt.
Dito. A thesouraria de fazenda, scienti-
licando-a afim de que faca constar ao ins-
, 'pector da alfandega e ao negociante llenry
Cibson, que segundo foi declarado em aviso
dn ri-particfo da fazenda datado de Janeiro
mtimn, foi indfferido o requerimento em
que o referido negociante pedia ser admit-
11.lo assignante da mesma alfandega, olTe-
recendo como gsranlia, era lugar de fiado-
res, n hypotheca de um predio.
Dito. A mesma, recommendando as
auas ordena ao inspector d'alfandega, para
'que, nos termos do 3. do art. 1. do regu-
lamento de 28 de agosto de 1849, consinta
no despacho cenlo de direitos de 406 bar-
ricas de cimento vindaa de Hamburgo na es-
cuna dinamarqueza Henrich, por conta da
encommenda feita pelo inspector do arsenal
de marinba aos negociantes Roth & Bidou-
].((-- Communicou-se ao inspector do mes-
mo arsenal.
Cito.--Ao bachtrel Jofio Francisco da
Silva Braga recommendando que coma pos-
sivel brevidade siga para o termo do Ouri-
cury e entre em ejercicio do cargo de juiz
municipal daquelle termo para o qual fot
Horneado por decreto de 27 de Janeiro ulti-
mo nSo obstante nfio haver apresentadoo
respectivo titulo, para obtenc&o do qual se
liie marca o praso de qualro meses. Nea-
te sentido fizeraoi-se as Convenientes COm-
Ili ll mea <,-i'ies.
Dito.- Ao capitfio do porto para que pro-
mova o engajamenta das praets de maii-
nlrjgem, quo foram recrutadas e se acham
'a l ni to do bruue escuna Canopo, onde de-
vem ficar servindo Neste sonlido ofliciou-
se ao commandante do referido brigue es-
cuna.
Dito. A cmara municipal do Recifo,
diz mo em resposta ao sou ollicio de 18 do
csrrente, que visto estar a concluir-se o
portfio de ferro, que tem de definitivamente
sercollocado no cemiterio publico, approva
a medida por ella lembrada, de dispensar-
se a collocacfio provisoria de um portBo de
madeira, e portar se por emquanlo urna pe-
quena guuida para vigiar o campo do mes-
.uio cemiterio.
| Dito.A cmara municipal de Serinhfiem
dizendo que u3o pode terlugara approva-
{3o que pede da nomescSo, que fez do ci-
dadflo Pedro Alexandiino Ortir de Camargo,
para seu advogadocom a gratificacSoan-
iiuhI de 100,000 rs. visto nSo haver a lei
provincial n. 270, que fixou a despeza das
cmaras municipaes, cousignado quota pa-
ra tal 11 id -
I
TRIBUNAL DA RKLaCAO'.
SESSA'O DE 22 DE FEVEREIRO DE 1851.
.l-.Sll.l--M.I V MI KXM. SEPUOH CONSELHKIRO
zeveoo.
A's 10 horas da manha, acbando-se presen-
tes os senbores deseinbargadores Villares,Has-
tos, Leo, Souza, Rabello, Luna Freir, Telles,
Couto, e Pereira Moutciro, e declara aberta a
casia,
1ULCAMENTOS.
Hecano crime.
Recorrenles, Manoel Gon9lves Gamboa e Brai
Lopes; recorrida, ajuslica. Deram pro-
pnenlo ao recurso.
AppttlacSti critnei.
Appellante, Joo Baptista Pereira Lobo, appel-
lada, a justica Foi reformada a sen tenca
condenando o reo as peoas dos arligos 129 pa-
ragrapbo 8., e 146 do cdigo criminal, man-
dando proceder quanto ao estelionato pelo
foro conimum.
i-Vpellante, o juizo de dlreito e o promotor pu-
blico; appeilado, Antonio Caetano de Abreu.
. Mandaraui a novo jury.
A i P< ll.mte, o julio ; appeilado, o preto Anto-
iiio escravo de Joo Pedro da Silva. Julga-
ram improcedente a appellaco.
Appellante, Antonio Heierra; appeilado, o
julio. Julgaraui procedente parase impor
a inulta.
Appcllacoet citeii.
Appellante, Hartbolomeo Francisco de Souza ;
' appeilado. Gabriel Antonio. Despresaiam
os embargos.
Appellante, Anna Elisabet Adelle Poerson; ap-
peilado. Allomo S. Martin. 1 -em.
iiiiimmus
Apnellaole, Thereaoncalves de Jess Azeve-
do ; appellados, Joao Pedro Adour & C.
M 11,.l.ii ..ni com vista ao curador geral.
Appellante, o Eun. baro de Suassuna e Ua
mulhcr ; appellados, os berdeiros de Gerva-
sio Pires Fe reir. Mandaram ouvir o cura-
dor geral.
dksigucObs.
Appellante, Jos Rodrigues do Paco; appella-
do, Manoel de Souia Guiuiares.
Appellaute, Ignacio Manoel Viesas ; appeilado,
Joaquim Viegas.
Appellame, Mauocl da Silva Lopes ; appellados,
o curador beranca jacente de Fr. Caetano
le Sania Engracia e outroa.
Pl'ellante, Ignacio do Kego Mcdeiros ; appei-
lado, Uenrique Pereira Ue Lucelia.
KI.VISLS.
"aasatamdo Sr. aeseuibajga.dor Villares ao
I
Sr. desembargador Bastos as segulntes appel-
lacoes em que sao :
Appellante, Jos Barbosa; appeilado, o juno.
Appellante, o promotor publico ; appeilado,
Joaquim Jos de Sant'Anna.
Appellante, o julio; appellados, Joao Jos In-
nocenclo Pogge e outros.
Appellante, o juizo ; appellada, Maria Fer-
nandes
Appellante, Anna Joaquina da Silva Brrelo;
appellada, Maria Joaquina dos Anjos.
Dia deapparecer em que sao:
Appellante, a irinandade de Nossa Senhora do
Livramento desta cidade ; appellados, os her-
deiros de Filippe Anselmo de Faria. _
Passaram doSr. desembargador Leo ao Sr.
desembargador Souia as seguinles appcllacdes
emque sao:
Appellante, Nuno Mara de Seixas; appellada,
D. Marianna Joaquina da Silva.
Appellantes, Bonifacio Jos Carneiro e outro ;
appellados, Manoel Rodrigues da Costa e
outros.
Appellante, Diogo Jos Pinto Cabra! ; appel-
lados, Joaquim Luiz dos Santos u ('..
Appellante. Bairo & Macedo ; appellada, Jo-
sefa Maria de Jess Coulinbo.
Appellaute, Francisco de Paula Pires Ramos;
appeilado, Manoel Alves Guerra.
Do mesmo Sr. ao Sr. desembargador ltabel-
lo a seguinte appellaces em que sao :
Appellante, Bernardo Antonio de Miranda ; ap-
peilado, Joaquim Jos de Miranda.
Passaram do Sr. desembargador Souza ao Sr.
desembargador Rabello asaeguintes appella-
edes em que sao :
Appellante, o julio ; appeilado, Filippe Dioni-
lio de Souza.
Appellante, o juizo ; appeilado, Manoel Xavier
Correa Lima.
Appellante, Andrade Si Irmo; appeilado, An-
tonio Ricardo do Reg.
Appellanlt, Vicente, Ferreira da Fonseca ; ap-
pellados, Joaquim Francisco e outros.
Passaram do Sr. desembargador Rabello ao
Sr. desembargador Luna Freir as seguinles
appellaces ein que sao:
Appellante, Francisca Tbomazla daConcelco
C'iinNa .- appeilado, Eduardo Bolly.
Appellante, Maria Elena Pessoa de Mello; ap-
pellada, (.'atliarina Francisca do Espirito
Sanio.
Appellantes, Antonio Alves Viaona ca santa
casa da misericordia de Lisboa ; appellada,
a fazenda publica.
Paisaram do Sr. desembargador Luna Freir
ao Sr. desembargador Telles as seguinles ap-
pcltacdes em que sao :
Appellante, Jos Antonio da Costa ; appeilado,
Jos Antonio de Medeiros Bilancouri.
Appellaute, D. Maria Felisiuiua do Kego Gomes;
appellados, Joaquim Aurelio Pereira de Car-
vaibO'
Appellante, Francisco Carneiro Machado Rios
e sua mulher; appeilado, Manoel Joaquim
do Reg Albuquerque.
Passaram do Sr. desembargador Telles ao Sr.
desembargador Couto as seguinles appella-
ces em que sao :
Appellame, Mallieus de Araujo Caldas Xexeo ;
appelladas, Helena Dias e oulra.
Appellante, Maria Francisca do Carino ; appel-
lada, a parda Pulcberia por seu curador.
distriduicOes.
Ao Sr. desembargador Souza o seguinte ag-
gravo em que sao :
Aggravante, Joaquim da Silva Mouro ; aggra-
vados, os herdeiros de Maria Candida Pina.
Ao Sr. desembargador Rabello as seguin-
les causas em que sao:
Aggravante, o juizo ; aggravado, Antonio da
Assumpcao Cabral, curador herauca de
Joaquim da Costa Lc.ilo
Recorrcnte, o juizo; recorrido, Manoel Bczer-
rade Albuquerque.
Appellame, o juizo; appeilado, Manoel Alves
da Silva.
Ao Sr. desembargados- Luna Freir o se-
guinte recurso cni que sao i
Recrreme, Jos Cavalcanli Ferraz de Azcve-
do : recorrido, o juizo de direilo.
Ao Se desembargador Telles o seguinte re-
curso em que sao:
Recrreme, Alfonso Jos de Albuquerque;
recorrido, o juizo de direito.
Levantou-se aseaso as duas horas e meia.
EXTERIOR.
No / ii/..'.- de 1 de Janeiro lc-sn n seguinte
artigo transcripto do Galignani's Meistngtr
de30dedezembro do auno prximo lindo.
Um peridico de LySo noticiar, ha pon-
eos dias, que um laclo milagroso tivera re-
centemente lugar na igreja de S. Saturnino
em Apt, deparlamento do Vancluse em
Franca ; isto he, que de um painel, o qual
representa o desciment de Jess Cbristo da
cruz, correr sangue a vista de todo o povo.
O Poutoir ^peridico de Paris) publica urna
rta do subprefeilo de Apt, Mr. Grave, da-
tada de 24 do corrente, na qual se lecm
extraordinarias informacoes a este res-
peito :
Quasi pelo meiado do mez Mr. Grave foi
informado de que n populacho do dislricto
eslava grandemente excitada pela noticia
de que urna rapariga de Saignon, chamada
Rosetta Tamisier, lia nimio condecida poi
sua piedade, orando na capella de S. Satur-
nino, martyr e arcebispo de Tolosa, vira
correr sangue das chagas do corpo de Chns-
to no painel coilocado cima do altar, o
qual representa o descimento da cruz, lo-
cara esse sangue e o beijara. Os que Ibe li-
zeram esta communica^So, acrescentaram
que este facto sobrenatural lora repelido
nos dias seguinles. Pouco depoisomai're
remelteu-lhe a copia do seguinte relalorio
feito pelo lente de polica :
Tcinlo ido a igreja no dia 16 a convite
do cura, e tendo subido com este em cima
de urna mesa que ficava junto do painel, vi
distinctamente correr sangue da chaga do
lado, e bem assim das duas das mSos e da
do p esquerdo. O sangue sobre o lado di-
reito consista em oilo gotlas em lorma de
perolas do tamaito de urna ervilna pe-
lueua } sobre a mSo direila elle forniaya
urna linhadeseis cenliuietros de compri-
iiienlo, acabando em urna guita ; sobre a
mao esiiuerda. e o p esquerdo o sangue oa
menos abundante, porm ainda sufficiente
para iraQar urna linha de Irez ou quatro
centmetros, a qual terminava lambed) em
urna (olla.
Sciscentas a setecenlas ppssoas rstive-
ram presentes e viram ludo isso. O cura
pedio depois ao Dr. Clemente, o qual tam-
bem ah se acliava, que alimpasse o tingue
com um panno branro. l.-to foi feilo, e
onze nndoas do sangue (loarani sobre o
panno. Depois o sangue ternou a correr,
porm ninguem o alimpou mais, e elle coa-
Ihou sobre o painel. Suspeitanlo alguma
impostura mandei remover a parle superior
do altar e o painel ; mas apor um exame
minucioso conheci que era absolutamente
impossivel que a menor cousa podesse ter
penetrado o interior do altar ou a parle pos-
terior do painel; alm disso a paredepor
tras desle eslava coberta por um cimento
perfeitamente inlacto em todas as partes, a
Em cusequenoia dessa maravilhosa nar-
rarj.io, o subprefeilo dirgio-se no dia 7 a
S.Saturnino. O cura eslava ausente, por
isso nfio obstante, elle fui visitar o painel
miraculoso em companhia do Dr. Clemen-
te, de Mr. Gay e do tnaire. Estes senhores
disseram-lhe que linham presenciado a cor-
rida do sangue, conforme noticiara o len-
te de polica, e fizcram-lhe observar o san-
gue coagulado sobre o painel, o que t'iv
nelle urna grsnde ioirressfio. Depois elle
foi visitar a rapariga, a qual achouem urna
eslalagem pertencente a urna prima da mes-
ma em um estado de suffini'Ciito, com a-
de quem eslava doente; seus olhos tr,o-
viam-se myatciiosamcute em sua mili di-
latada rbita, e pareciam purder-se em urna
Oliven, j sua expressfio era inteiramcnte de
melancola, seu corpo extruordiiiarbmenle
delgado, sua iiiiiin.fr excessivamente mo-
desta, a humildade eslava piulada em lo-
dos osseus movimentcs, eera-reproduzida
cm todas as suas palavras ; ella expressa-
va-se com grande propricdade c fallava o
francez mais correctamente do que a inaior
parte das prssoss que nfio tiveiam edura-
c3o litleraria. A todas as quesles que llie
fez o subprefeilo, ella res| ondeu com gran-
de inlelligencio, e disse que Dos havia
obrado este milagre para a coiiveisfio dos
peccadores, e que escolliera especialmente
S. Si.turnino, porque ha qualro anuos, essu
localidade havia presenciado um grande
escndalo. Ella disse que sua conduela ti
ilia sido ultrajosamente calumniada, bem
como a do um padre, port'm que ella nfio li-
aba ped lo nenhuma reparacao a lieos.
No dia 20 o sub-prefeilo foi oulra vci a San-
Saturnino cm compaiilila de Mr. Guillibert.j'u-
ge il'inslruclion, e de Mr. Jacbues, subMilulo
do procurador da repblica ; depois de coin-
priinentar o arCeblspo de Avinlio o qual li-
nha chegado em a uoile do dia precedente, el-
le dirigio-se para a igreija com o Dr. C. Ber-
nardo, medico distincto de Apt. \o subir o
oileiro sobre o qual ella est situada, ouvi to-
car o sino, e sendo informado de que este era
o sigual do comcro da mauifcstaco do milagre,
ficou multo vexado por que quera chegar
capella antes que o sangue livesse comecado a
correr. Cointudo elle eslugou o passo, e ao
chegaracbou muia gente rtunida ein roda da
igreija, a qual eslava fechada. O cura veio re-
cbenlo e coininunicou-lhe que a corrida do
sangue tiuha comecado, porm que nao poda
abrir a igreija.emquanto o arcebispo nao che-
gasse. Nao obstante esta declaraco, o sol.-
prefeito insisti, e por lint o cura o deixou cu-
liar, levando elle coinsigo osdouloris Ucinar-
do e Clemente. Kis-aqui como elle incsino
coma o que se passou :
Oallar-inr eslava Iluminado com velas
de cera; a um canlo eslava Roselle Tamisier
orando de joclbos com as mos postas e a cabe-
ca inclinada sobre o altar, parecendo coinple-
tanienlc absolvida em devo(o ; eu sub ein
cima da mesa do aliar com o Dr. Clemente,
examinci as chagas lu de urna vela de cera
c vi que da cbaga da mo direila, das duas dos
ps e da do lado corra com cllito sangue. A
gotla de sangue que eslava na nio direila ia
visivelmenle augmentando ; ella parcceii-me
como urna dissus guitas de sangue que salieui
da cabeca de um dedo, quando, sendo picado
por um instrumento agudo, lean a parle infe-
lior ligeirainente aperlada. Foi no momento
ein que a golla de sangue da mo direila ia ca-
bir ou correr, que eu a aliinpei por lies vezes
dill'erenles com um pedaco de panno de linho.
As duas j.i mcu as opcra(cs deram duas no-
doas de sangue mui vermelhas; na lerceira a
omina foi mais clara Depois desla operaco
a chaga peimaneceu perfeitamente sreca. Eu
alimpei lamben) dillereules veses as duas cha-
gas dos ps e observei que as gotlas eraiu mais
claras e sua corrida menos sensivel Fi o mes-
mo chaga do lado direilo, oude havia 12 gui-
tas de sangue que quast foruiavaui o dcscuno
de- um o a, ao. A gotla do meio apresenlava o
o mu" phenomeno que a da mao direila c era
de urna cor escura. As que eslavam em roda
del 11, pelo contrario pareciainse cora as golias
dos ps. l- ii alimpei a golla do meio c urna uu
duas direila. Nessc momento o arcebispo
eutrou na capella, e por essa raso deisci Intac-
tas as oulras gotlas do sangue dolado, absiive-
ine de aliinpar a cbaga da mu esqucida, da
qual nenhum sangue linha corrido, edesci.do
aliar. O arsebispo seguido de um numeroso
corpo do clero ajoclhou ao p do mesmo, c de-
pois de urna breve oraco, examiuou as gotlas
de sangue que eu tiuha deixado na chaga do co-
raco ealiiupou-as com um pedaco de panno
de linho. Este panno e o meu licaraiu cober-
tos de bem 30 guitas de saDguc; c foraiu es-
postos curiosidade da populayo, queeucbia
a Meija. U clero e um corpo de raparigas can-
lar'ain liviunos; e nos ticainos em expecta;o
de una nova corrida, porm nenbuuia leve
o.ais lugar. A rapariga Rosetle Tamisier, a
qual anda pennauecia absorta em oraco, foi
interrogada diversas vezes se o sangue torna-
rla a correr. A' primeira perguma ella nada
respondeu ; seguuda, disse que nao sabia ; a
lerceira, que nao cria que elle correise inais.
Depois desta ultim i resposla, quasi una hora
depois da chegada do arcebispo, o cura, Mr.
lli and, inandou lirar o painel do lugar ein que
eslava, o qual posto ein baiio loi virado. Nos
o examinamos cout lodo o cuidado, mas nao
vimos nenhuma marca particular. O panno
eslava perfeitamente se eco ; urna carnada es-
pessa de pez cobria toda a parle posterior do
un -ni.i. o qual eslava encostado a unta parede
mui Riossa. Eta foi toda a paite que cu Uve
no lucceaao. (1 arcebispo passou depois a ce-
lebrar e eu sahi parafazer um relaloriu do que
linha visto. Depoll disso fui visitar Rosetle
Tamisier, a qual achri dorntc e milito desani-
mada. Ella anniinciou-nie que cria que o mi-
lagre seria renovado, e com elleilo dias depois
recebl urna par'' cnuiiiiiiuicandii-ine que pelas nove horas da
manha de sabbado 11 do correle havet ou-
lra vez nina abundante corrida de sangue.
Em um P. S. a esla carta o sub-prefeilo diz
que um soldado de polica chamado : riol, o
ijual depois que elle se retirara da capella, fu-
ra all posto para impedir que o povo se apro-
ilmasse demasiadamente do painel, vira duas
gniias de sangue correrein do lado direilo, e
as aliinp.ira com o seu lenco duas ou Ires ve-
zo, c que qualro ou cinco nodoas ainda per-
manecan! no mesmo. Briol disse que nao dera
logo parte disso por temer que o lene lhe fos-
sc lomado, e desejar manda-loa sua mi.
O Cuurricr de yon annuncia que o sangue
que se diz ter corrido das chagas do lado de
nosso Salvador no painel enllocado na igreja
de -ui-S .un i.in.i fra analysado por dous m-
dicos, os quars declararan) que sua composi-
cao cbhnlca corresponde exactamente a do san-
gue humano.
PASTORAL DO BISPU DE NOIITIIAMPTON.
Ao nono amndorebnnho, ccclt^iaiticos e secu-
lares da diocese de Nurthumpton.
Sando e lencno no scnlior.
Porque se amoliiiam as gentes, e os po-
vus iniaginam vaidades ?
Levantani-se osreisda Ierra, e os prin-
cipes enlram em conselho, contra o Senhor,
o cunta o seu ungido.I'salmo 2."
Muito amados Em quanto nfio chegou o
breve de Roma, deferimos <> participar-vos
formalmente as dlsposifAes hierarchicas da
Santa S, em virlude das q na es foi creada
a nova diocese de Northampton, formada
das mes mas provincias de que antes cons-
tava o dislricto Oriental, xiv| i', das
provincias de Lincoln e Rutlaud, que a-
gora t'ormam parle da diocese de Nut-
lingham.
Surgiram todavia circumstanoias que tor-
ntil necessario nfio pt-riler lempos em vos
dirigir algumas palavras sinceras, para
vindicar o proredinieuto do Santo Padre
em eslabeleeor urna nova hiaiarcliia na
Inglbterra, e justificar a obediencia, com
que recebemos este favor espiritual,
Nfio he da nossa inteufffojvlgar com se-
veridade dos nioiivos, le que nasceu o pro-
oedimento de parle dos nossos compatrio-
tas na presente conjuncefio; mas ao mes-
mo lempo nfio hesitamos emdizerque a
presente cxplosfio de indignaijSo, as violen-
tas decaniacOcs, ai furiosas inveclivas, e
as immoiaea falsilicacOi-s dos fados pela
impreiisa conlra o Soberano Pontfice e con-
tra nos, os novos bispoa inglezes, tem al-
gum lauto de insania.
Qual he pois, mu ao ados, o crime que
bavemos commeltido contra a coroa e a
Mageslad da Inglaterra i1 O bispo de Ro-
ma, o b gimo successor de S. P(!Jro, her-
damlo do Santo Apostlo a mesma com-
missfio, deque o incumbir o supremo pas-
tor, de apascentar, governar, dirigir todo 0
rebanho do Christo, julgou opportuno fa-
zer ceilas moilificaces no nosso governo
ecclesiaslico. Negai-lhe o poder espiritual,
deixar de reconliccer a supremaca do bis-
po da Roma, i scusado lie dizer-vos que se-
ria renunciar a nossa f, e deixarmos de
ser cilio lieos. As leis da Inglaterra r.-co-
iihecem completamente O fado, o por isso,
quando prestamos juramento de obedien-
cia, as mesmas leis recunhecem que por
elle nfio negamos o poder espiritual e su-
premaca do nosso Santo Padre.
So pois, exercendo um direito reconbe-
cido, julgou opportuno por boas e sabias
rasos, depois de madura refiexiio, dar-nos
nuil iorma de goveiuu pala a Igreja uiais
rcguli.ro cannica, como existo em quasi
todas as parles do mundo catholico, onde
esta aqu a vsuiparo, onde esta aqui a au-
dacia onde finalmente a iilcgalidade do que
tantas queixas se fazem '
Dizem que cotn o cslabelecimenlo desla
nossa nova hiararciiia o papa Pi IX inva-
dir e descouhecera a supremaca espiri-
tual da ranilla, e que nos sumos tambem
culpados |or accedermus a estas disposi-
!_( s. Esperara pois a nossa benvola rai-
nba que sua Sanlidade crea na sua supre-
maca espiritual ? Pode ella compelhir-nos
a que a r.-ronliecamos ? Nfio sabem esses
que nos calumnam quo nos das tenebro-
sos de perseguiefio, os siipplicios e as loi-
cas nfio poderiaui compuilir nossos pas
que recuuliece.-sein a supremaca do Sobe-
rano ? E que, su voltassem esses tenebro-
sos das, nos, como clles, nos deixariamos
infoicar, despedazar, esquartejar antes do
que reconliccer essa supremaca ?
Com esta (ranea e sincera coussfio, tifio
recenmos alarmar os prejuizos da parle sin-
cera dos nossos compatriotas. Ainda aquel-
les mesmos, que agora eslo concitando as
turbas conlra nos, ssbeui muito bem que
a nossa regra e divisa ueste assumpto he :
dar a Dos o que he de Dos, e a Cezar o
que he de Cezar. Mallieus 22. Nos sabe-
mos obedecer as cousas lemporaes a nos-
sa soberana temporal, e lias espinluaes a
Dos e ao seu vigano, sem que baja culi i -u
ou interferencia de uns deveres com outros.
O procedimento dos catholicos inglezes nos
ltimos trezeulos anuos confirma completa-
mente esla iisM-i cau.
Mas faz-so muito arruido com a iiova di-
visfio do paiz em certas diocoses, o com us
btspos Humeados para governar a parte do
icbaiilio residente dentro dos limites no
va.ueu.le marcados, lie, islam, lomar
virtualmente posse do paiz, o dispr do ter-
ritoiio da rainha Victoria. Gusta a conce-
ber que baja pessoas que nos farjam seria-
mento tal aecusaefio Se todava as ha, nos
podemos asseverar-lhcs solemnemente quo
no estabelecimento da nossa hierarcnia
nfio ha usurpaefio do poder temporal, nfio
ha portenefio do posso lerrituiial ou pro-
priedade mundana Como vigario apost-
licos nfio tinhamos antes mais que os dona-
Uvos voluntarios, como bispos ordinarios
tifio adquirimos direito a mais nm palmo
di torra ou ao augmento de 10 roa, anda
dos do nosso rcbantio, quanto mais dos quo
nos nfio perteneci.
Estamos persuadidos que, passada a pre-
sente eflervescencu, e havendo os nossos
ootnpatriotas examinado desapaixonada-
menteos seossenlimentos exultados, hfio
do vir no conhecimento de que foram ar-
rastados por noticias exaggeiadas, equo
se aterraram com perigos imaginarios.
Observare toJavia que. em qtianlo ato
agora nos lancaram em rosto os nossos ti-
lulos estrangeiros, e nos ridicularisavam
como meros titulares como crealuras
do P^pa >. sem poder o carcter aljiim epis-
copal e indei endent, estas anomalas aea-
hpram como estabelecimen'.o da nossa hie-
rarcnia, pelo qual adquirimos maislbor-
dadp, urna conslituifS mais cannica, mais
n. cional, e, se us be licito dize-ln, mais
Inglesa.
Na verdade a Santa S, longo de pretender
offendor os s-ntimentos da nacSo, evitou
cuidadosamente qualquer nfraecfio das
leis, cedeu de parte do seu podar directo
com as nossas nomeacoos, e fez lodos os
esforcos para que estas unmeacoes nfio cau-
Sisseni sombra ao governo brilannico.
Em quanto pois, carssimos, exprimimos
a nossa gratdfio a Sua Sanlidade polo favor
e diatlneefio com que noshoiirou, oremos
fervorosamente para que aquellos nossos
compatriotas, cujos prejuizos e ciumes fo-
ram injustamente excitados, possam, em
devido lempo, conhecer que foram enga-
ados ; esla que ccs-eni os terroies que sem
motivo e Hit-iranienle Ibes fizaram conce-
ber ; para que mostrem generosas disposl-
coes pai a co.iiosco, o nos deixein pacifica-
mente gozar da liberdade religiosa, que
nara si pietendem, e quo dizem ser direito
com ito de todo o ioplez.
Em conelusSo, muito amados, succoJa o
que succeder ; ruja a lemposlade, insulte-
nos o inlmigo; nSo desfallocaes ; mas re-
cordai-vos d'aquelle O qual quando o in-
juriavam, nfio tornava a injuriar ; e quando
pad.cia, nfio amca?ava; mas se reinettia
quolle que justamente julga n fl." Pedro
II. 23 ); soUrei com paciencia as calumnias
o as niuraiuraces. Porem ou vos digo:
amai a vossos inimigos, bemdizei aos quo
vos mal dizem, faiei bem aos que vos abor-
recem, e rogai pelos que vos maltralatii e
perseguem. (Mallieus V. 4* ). Eso fazen-
do isto nfio puderdes tapar a bocea ig-
norancia dehumens loucos ; 1.'Pedro II.
15;, todavia Cozai-vos e alegrai-vos que
be grande 0 vosso galaidono eco (Ma-
llieus V. \-2), porque diz o apostulo lio
cousa agraJavcl se Igtieui, por causa da
eonsciencia para com Daos, olTre moles-
tias, padecendo injustamente. (i.' Pedro
II. 19).
a Paz soja com os irmfios, c cari !ade com
f de Dos Padre, e do Seiibot Jesus-Ghrislo.
A graga soja cotn lodos os que anmii a nos-
so Senhor Jesus-Christo om iocorrupefio.
\inen.)) ( Ephesios, -23).
mllierme, hispo de Northampton.
Dada em Norlhampton a 6 de uovemhro.
P. S. Rogamos que essa nossa pastoral
soja I ida ein loJas as igrejas h capellas da
nossa diocese no primeiro domiog.), de|ois
quefOf recjbida, equei'epois da inlssa 83
res ou cante o Te-beuui em lalini ou in-
glez, seguido da oraefio pela rainha, Qua:
lumus uu, ol Dos, por quem os res te-
na m,elc.____________________________^^
Correspondencia.
Stnhores redactores. Por carta, di^'iia de to-
da l da cidade do \it.il, consta que al ;i sa-
bida do vapor l'ernamlmciun, o resultado da
eleico para deputadu couhecido uaquclla ca-
pital, eia o seguinte : Vanderley 1U-1 votos e
Ur. Oclaviano 107, havendo toda probabilida-
de de lriuinpliaiocandidatoOcl.ivano, nos col-
logios (iijo resultado anda uocra couhecido.
Eallava-se porm cni duplcalas do partido do
sul, na turma do coslunie, c d'ahi tci tirado
o autor da carta que se refere o seu Diario de
boje, loi/a a vutaco que d sincnlc ao can-
didato Wanderley. Suspenda, poilnio. o res-
peilav.el publico o seu jalao respeiio, ciu-
(|Uaulo nao se conliecc o verdadeiro resultado ;
ceiiu de que ja lie costume, depoll di rlcicoes
aquella proviucia, prevenir-sc o publico, pu-
blicaudo-sc pelas folhas tacs Iiiuiuphos
que se tem de realisar pelas duplicilis c
artiniauhas com que all um partido sempre
no poder, tem vencido el.-i.uei' o iiue espera-
mos na., consentir agora o actual Eflin. presi-
dente lii. Jos Joaquim da nula.
l'ubliquem estas liabas, sculiures redactles,
para evitar juios anticipa.los que muito obii-
garoao seu venerador e criado.
I ni Hio tirandenie.
Kcciie. 2 de fevereirode 18jl.
tuhlicarao pedido.
lilm. c Ruin. Sr. Visitador. Approveito
a uccasifio para pedir V. S. se digne pes-
soalrneute por miin agradecer ao Extn.
e Hvm. Sr. bispo dessa dicesi de e ao
Rvin. padre meslro peieilu dos capucbl-
uhos do conveuto de N S da Penda de
Eranea dessa Cidad, o grande benelicio quo
lizera > a religifio, ao estado, o aos liis
desla comarca ecclesiaslica da Maua du ct^
ARA
T



V.'.'MHWi
iO.
lug
dado de Paracat, provincia de MioasGe-
raes, obispado do Pernambuco pela envia-
tura do lvin. padre mestre fr. Uenrique do
Castcllo de San Pedro, a pregar a divina pa-
lavrn em loda ella o que tem praticado com
uma conducta exemplar, e odiNrante tanto
tus seus semines, como as suas obras e
accOes-
llemdito seja o Senlior Umnipotento que
do lempos em tempos se digna visitar ao
seu povo cnviando-lhe seus apostlos para
reanimar na lembranga dos chrisSos os mis-
terios da nossa redempgflo, equanto somos
obrigados a conformar nossas acgOes com
as mximas santas do evangelho, e atrilhar-
ii.ns o caminho da paz, e da verdade ; abor-
recendo o erro, a impiedade, e as trovas em
jue s'abismam os insensatos, perversos o li-
liertinos. Slm, Rvm, Sr., tivemos a conso-
laclo de ver missionar nesta fregtieuezia
ao miiiiii rerommendavel religioso supra
declarado, e grandes foram os benelicios
que produziram suas misses ; pois alm
de outros numeramos os mais no veis que
e3o os seguintes:
Prepon oito das em uma capella diserta
desta freguezia denominada Santo Antonio
ilo Ruqueirflo do Itio Preto, aonde concor-
reram para ouvir a palavra de Dos para
mais de quatro mil pessoas queassistiram
com grande devoro e respeito : se confes-
saram mais de mil e apesar de estarem fre-
queniemente na Cldeira da penitencia qua-
tro padres nflo se deu vencimento as que
procuravam justilicar-so ueste saoto tribu-
nal : fizeram-se 37 casamentos, sendo o
maior numero de pessoas concubinadas:
baptisaram-se 49 criangas entre essas algu-
mas de 6 annos : houveram uniitas recon-
ciliagOos onlre pessoas devorcadas, e va-
rios cisados separados se juntaram.
llalli seguio para esta cidade aonde pre-
gou continuadamente 16 das com grande
zelo, prudencia e proveito ; porque sem per-
der tempo mostrou-se incansavel em ga-
nhar as almas para Jess C.liristo afastando-a
do vicio, e desviando-as do poder do demo-
nio ; a semelhanga dos primeiros apostlos
fazia-se ludo para todos, e stem em vista
a salvagSo das almas, e o augmento da glo-
ria de Dos, tornando-se nfatgavel no pul-
pito, no conlissionario, e a outro qualquer
lugar a que o chamava o bem dos liis por
io do alto ministerio, que dignamente
oceupa. E de cujo trabalho lambem Uve-
ro os o praser de vir concorrer a ouvir a
Santa MissSo uma mullidu de povo que fui
avaliada por junes prudentes para mais de
nove mil pessoas : confessaram-se para
mais de quatro mil, e nSo obstanto assisti-
ii'ii no citado lempo, nove a dez sacerdotes
confessando frequentemente n3o se deu
vencimento a niuItidSo de povo que com
ancla procurava este sacramento; e o que
anda mais louvamos e agradecemos a Dos
he muitos destes penitentes .desde mogos
tinham abandonado este remedio d'aluia
entre os quaes muitos de 40 e 50 annos que
nunca tinham buscado esta fonteda expia-
g3o das culpas nSo fallando em oulras cir-
cunstancias que o nosso ministerio nos o-
briga a callar : fizeram-se 172 casamentos,
sendo quasi todos de pessoas amancebadas,
revalidaram-se tO a 12, e juntaram-sa outros
muitos sepaiados : (iztraai-se 89 baptisados
alistaram-se na im andaJe de N, S. Auxilia-
dora, 5,865 irmos : vio-fe desapparecer em
todo o lempo da missfio o escndalo e abo-
minavel vicio da embriaguez.
finalmente, Rvoj. Sr. ludo atlribuimos
a i rolecg3o Ue Maria Saolissima, de quem
o recommendavel missionario lie esjucial
devoto, [tiendo tesar o seu Santo Rosario
tresvozesau dia sendo elle o primeiro em
dai o exetuplo ao povo de quem acnmpa-
iiliado era. i'osso afiirmar a V. Rvui. que o
inesmo fructo tirou em todas as igrejas
tiesta comarca aonde tiveram a consolagflo
de o ver pregar segunda me consta dein-
l'ormares que tenlio, e especialmente o af-
l.i mu na freguezia de N, S. da Conccigflo da
villa Formosa em que ltie ti/, cou'panbia
poi espago de 9 das de continuado Irabalho.
l.-M- lie poitanto, o motivo quo me obriga
agradecer tamautio beneficio.....
hl'ujii'l .Inhatijo Torre.
i-1 i> I "W 'gggggggBBggaB
comiwEBijio.___
ALFANDECA.
Jiendimento dodia 26 ... 8:596,824
Descarregam hoje 27 de fevereiro.
Fscuna au encana Adelphy farinha e
bacalho.
Patacho [ortuguez Espadarle -- o resto.
Brigue americano Phenix mercadorias.
Brigue francez Columbe dem,
ltarca americana John Furnun farinha.
Barca americana Slutkinytn couros,
lligue americano Hoscmund farinha.
J'alacho brasileiro Emulacdo -- gneros do
e paiz.
CONSULADO GERAL.
Jiro,lmenlo do dia 26. 4:486,256
Diversas provincias....... 231,556
4:717,812
EXPORTACAO.
Despacho martimo no dia 26.
Havre com escala pelo Aracaly, barca
franceza Mes, de 244 toneladas : conduz o
segninte : S00 saceos com 4,000 arrobas de
assucar.
RF.CEBEDORIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Mendimcntododia 26.....1:080,560
CONSULADO PROVINCIAL.
Itondlmento dodia'26......2:747,418
gem 14, carga carne secca ; a Amorim
IrtnSos.
Navios sahidos no mesmo dia.
GotemburgBrigue inglez I'earl, capitilo
W. Anlerson, carga nssucar.
Cluckstadt Escuna dinamarqueza Hols-
tetn, capillo P. Meijer, carga assucar.
Portos do sul Paquete de vapor l'ernam-
bucana, commandante JoSo llenriques
Otten. Alm dos passageiros que trouxe
dos portos do norte para os do sul leva a
seu bordo : Jorgo Deane com sna senho-
ra, Antonio Nery da Fonseca, Francisco
Nery da Fonseca com 1 escravo, Uenrique
Dernardino de Oliveira, Francisco Alba-
no Chabarebere com ? criado e 8 es-
cravos, Estev3o Cavalcanti Albuquerque
Jnior com 1 escravo, Amelia da Silva C
com 1 escravo, Raymundo Marliniano Al-
ves Souz, o desei'nbargador JoSo Lopes
da Silva Couto com 1 escravo, Silvio Ca-
vmI,miiIo de Albuquerque com 1 escravo.
Doclarago.
Moviinenlo do porto.
Navios enlrudos no dia 26.
Parahiba i dias, hiate nacional Espadarte,
de 27 1|2 toneladas, mostr Victorino Jo-
s Pereira, equipagem 5, carga toros de
mangue ; a Antonio da Costa Ferreira Es-
trella.
dem 2 dias, hiale nacional Tres rmos,
de 31 3|4 toneladas, meslre Jos Iluarte
dcSouza, equipagem 5, carga toros de
mangue ; a Joaquim Duarte do Azevedo.
Passageiros, os Bra-ileros Fortunato da
Silva Neves e Francisco Jos Rodrigues.
Jersey 48 dias, brigue inglez Luvinia, de
255 toneladas, capil3u Frank Aubin, e-
quipagem 12, carga bacalho; ao capi-
U'io. -- Fuodeou uo Lanu-rSo.
Kio Grande do Sul pela Balua -- 51 dias e do
ulliiuu porto 14 -- lli igue nacional Duque
da Yicturia, de 222 toneladas, capilSo An-
tonio Jos r'eneira Moute-negro, equipa-
Acamara municipal desta cldado, pre-
cisa de alugar carrosas e serventes para o
trabalho de limpesa das ras, praias, etc.,
quem se quizer contratar dirija-seaos Srs.
vereadoresM. C. SoaresCarneiro Monloiro,
o Jos Pires Fereira, que esto autorisados
ac onlratar.
--Pela i i'oe'oo 11.1 de rendas inleriias
geraes se faz publico que as pessoas abaixo
designadas, queseacham devendo o sello
de cartas de jogar, renham no turnio de 15
dias, contados da publicacSo deste, pagar
seus dbitos, sb pena de seremscus no mes
remettidos para juizo, alim de se promover
acobranga executiva, como tambem a da
multa que Ihes for imposta em virtu le do
art. 88 do regulamento de 10 de julho de
1850; como porm se liouvesse addmittido
ao sello algumas cartas sem declarago da
pessoa a quem pertenciam, quem se julgar
nada dever, comparega na mesma recebe-
doria com os conhecianenlos qjae llie foram
dados para Ihe serem abonados.
Oliveira & IrmSos 12,960
Jos Domingues Codeceira 48,640
Joaquim Mooteiro da Cruz 9,600
Victorino & GuimarSes 7.680
Jos Carlos Jnior 94,400
Jos Joaquim de Carvallio 57,600
Victorino de Castro Moura 48,880
JosSapor.ty 288,000
Araujo & Soares 5i7(i0
Antonio Joaquim Vital 19,200
Uenrique & C. 'fu'?"0
ManoO da Silva Santos 249,600
Jos Francisco de Araujo GuimarScs 1,920
Joaquim llenriques da Silva 145,920
Kalkman&lrmaos 250,120
Jos Antonio de Araujo 288,000
Avrial lrm3os& G. 46,080
Jos Cardoso da Silva Pinto 11,5*0
Cals & IrinSos 46,080
Bento Joaquim Cordeiro Lima 155,5*0
Recebedoria, 26 de fevereiro de 1851.
O administrador,
Manuel Curneiro de Souza Lacerda.
Theatro Je Santa-Isabel.
I'rimeiro halle nnscnrudo,
precedido de ijrande academia de msica vocal
e instrumental
DOMINGO, 2 HE MARCO DE 1851.
As 8 lloras precisas a oicluslra, que ser
augmentada, daia comeco a academia por
uma magnifica ouvertuia, seguindo-se os
seguintes pedagos de msica executados
pelos artistas da companhia lyrica :
1.* O recitativo e duelo da o,eraRober-
to Decerux, do maestro Donizelti, pela
Sra. i mili ni e Feliqpe Ttli.
2." Ana da operaGemma de Yergtj,tio
maestro Donizelti, pelo Sr. Gapurri.
3. Grande aiia da operal'arissina, do
maestro Donizelti, peloSr. Fclippe Tati.
4." Grande Ouveilura pela orchestra.
5." Excellente aria da opera Ernani,
do maestro Verdi, pela Sra. Candiani.
6. Dueto da operaAttila, do maestro
Verdi, reos Srs. FredericoTali e Capurri
7. 0 bello romance da operaMaria de
Iluden:,do maestro Donizelti, pelo Sr. Fe-
lippe Tati.
8. Grande teiceto da o .eraGazza La-
dra,i)o immortal Rosini, executada pela
Sra. Candiani, Eckerlin eCapurri
9.0 Grande simphonia pela orchestra.
10 Duelo da operaMarino Fatliero,o
maes'ro Donizelli, pelos Srs. Capurri e
Eckerlin.
II. Grande quinteto com acompanha-
mento de orchestra da opera Cenerentola,
do immoital Rosini, executado pela Sra.
Candiani, Felippe Tati, Capurri, Eckerlin e
Fredcrico Tati.
O acompanhamento ser a pianno forte
pelo maestro cavalleiro Joaquim Giannini.
Terminada que seja a academia, o meslre
sala ilara signal para comegar o baile, no
qual s pdenlo dangar as pessoas que es-
liverom mascaradas.
Novas quadrilbas serBo executadas pela
orchestra. O theatro achar-se-ha decente-
mente decorada e Iluminado.
'retos do camarotes.
l.'Ordem 8,000
2.* 10,000
3. a 8,000
4.' 4,000
Entrada geral 2,000
As pessoas que compraiem camarotes te-
ro direito a duas entradas.
Terga feira, 4 de fevereiro de 1851, ter
lugar o segundo baile, cujo programma se-
r annunciado circunstanciadamente.
Os billietes veudem-se desde ja no escrip-
torio do theatro
--.
Avisos martimos.
--Paraailha o San Miguel, o patacho
portuRiiez Espadarte, capitilo Joaquim Jos
Toixeira, sahe no dia 16 de margo: quem
no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
gem, dirija-se aos consignatarios, Oliveira
IrmSos & Companhia, ra da Cruz n. 9.
Para o Porto sala por todo o mez de
margo a velelra e conhecida barca Espirito
Santo : quem na mesma quizer carregar ou
ir de passagem, para o que offerece excel
lentes com modos, dirija-se ao seu consig-
natario, Francisco Alves da Cunha, na ra
do Vigario n. 11, primeiro andar.
Segu para o Rio Grande do sul o mui-
to velheiro brigue nacional Carolina, o qual
recebe alguma carga a frete e escravos :
quem pretender procure no esoriptorio da
viuva Gaudino&Filho, na da Cruz n. 66.
A barca portugueza Ligeira, sahe par
Lisboa no dia 16 de margo : para o resto da
carga e passageiros trata-se com F. S. Ra-
bello & Filho, ou com oespitao da mesma
na praga do commercio.
i Fara o Rio de Janeiro segu
com brevidade o hrigue-escuna
nacional Olinda : para carga, es-
cravos c passageiros trata-se com
Machado 6c Pinheiro, na ra do
Vigirio n. 19, segundo andar, ou
com o capitSo Manoel Marciano
Ferreira, na praca do Commercio.
Para o Porto sals com brevidade a bem
conhecida eveleira barca Espirito Santo, de
primeira marcha, forrada e encavil'iala de
cobre : quem na mesma quizer carregar ou
ir de passagem, para o que tem encllenles
eoiiimnilos: dirija-se ao seu consignatario
Francisco Alves da Cunha, na ra do Viga-
rio 11, primeiro andar.
Fara o Forto sahe com a
maior brevidade possivel, por ter
parte do seu carregamento promp-
ta, a lindi e veleira barca portu-
gueza Brochar ente, da qual he ca-
pitao Rodrigo Joaquim Correa ;
tem excellentes cmimodos para
passageiros : qnem na mesma qui-
zer carregar uu ir de passagem, di-
rija-se ao capito na Frac* do
Commercio, ou a Novaes & Com-
panhia, na ra do Trapiche nu-
mero 34-
Para o Rio Grande do sul sahe em pou-
cos dias por ter o carregamento prompto o
pataxo nacional Eulerpe, pode recebor al-
gumai miudezas, passageiros e escravos a
frete : trata-se na ra do Apollo, .armazem
n. 14, ou com o consignatario do inesmo
Luiz Jos de S Araujo, ua ra da Cruz nu-
mero 33. _____
Leiles.
-- 0 corretor Miguel Carneirofar leilSo
no dia quinta-feira, 27 do corrente, s 10
horas da iii.hiIij 1, noseu armazem, na ra
do Trapiche n. 40, decent e tantas barri-
cas com enxadasde ferro de 2I|2, 3, 3 1|2 e
4 libras ; ser uma boa occasiHo para os se-
uhores de engenho, sendo estas enxadas
mui fortes e de bonitas formas, as quaes sa-
nio v, ndidas a vontade do comprador e pe-
lo prazo do costutnc. Vende-se por todo o
prego por serem para fechar contas, e tam-
ben! ter a venda uma porgSo de fechadu-
as para portas de tres tamanhos, do ludo as
amostras aeham patentes para exame dos
compradores.
- JoSoKeller & Companhia far3o leilSo,
por intervengSo do corretor Oliveira, de
grande vriedade de fazeudas de todas as
qualidades, inclusive algumas proprias pa-
ra lojas de miudezas: quinta-feira, 27 do
corrente, s 10 horas da manhSa, noseu ar-
mazem, ra da Cruz.
Publica<;o lilteraria,
Avisos diversos.
Al Vil! I III.
DRAMA EM CINCO ACTOS
Por Sbakpcare
Vertido em Fortuguezpor *
Macbeih heoesforgo mais grandioso i) 1
maginago humana, o herosmo si.h.,m
da inteligencia, o derradeiro verbo da li-
teratura dramtica. O seu maior elogio he
o nome de Shakspeare, o qual, ainda no
maislongiquo porvir recollier 01 sufragios da admiragau enlhu-
siaslica das gera,0es vinduras.
Vende-se na livrana 11. 6 e8da praga da
Independencia, a 2,000 rs.
Os 11 de coniiiiisso le escravos.
Na ra Direita, sobrado de 3 andares, de-
rru,le do becco de S. Pedro n. 3, recebem-
se escravos de ambos os sexos para se ven-
derein de commissflo, n5o se levando por
este trabalho mais do que dous por cento,
e sen se levar cousa alguma de comedorias,
offerecen lose para isto toda a seguranga
precisa para os ditos escravos.
~ Desappareceu do lugar de Caboc, por-
to da povoagSo do Monteiro, de casa de
Thom Francisco da Rocha, um cavallo ru-
dado-claro, canins prelos, magreirHo e em
gr3o, o qual leve sobrecanas as mos, e
em uma dolas uma reladura, bocea com
signal de corte de bride, dinas e cauda
brancas : quera o pegar, leve-o ao mesmo
lugar, que ser generosamente recompen-
sado.
Na ra Direita, sobrado de um andar
n 33, ao peda botica, fazem-se filhs de se-
ringa de lindo modelo e mui bem feitos, en-
commendados logo de vespera para se faze-
rem com muita perfeig3o; tambem se fa-
zem bolinhos, bandejas enfeitadas com llo-
res, ramos, figuras e ttulos, pastis de na-
ta e de carne ; tambom se fazem podins, i-
padas, tortas, doces d'ovos de difTereutes
qualidades, ditos de caj, de grozele muito
lindo, mangaba, sidrflo, laranja e tambem
de calda : ludo mullo liom e barato.
Precisa-se de um menino para caixei-
ro : na ra do Pilar, venda n. 143, preferin-
do-se que tenha alguma pratica.
-- Desappareceu, no dia 24 do corrente,
uma escrava de nome Joaquina, de nag3o
Rebollo, de 22 a 23 annos, a qual levou ves-
tido de chita de lislras desbolado : roga-se
a lodos os capilSesde campo, ou autorida-
des policiaca, que a apprehendam e levem-
no ra do Pilar, em Fra de Portas n. 145,
queserSo recompensados.
No dia 28 do corrente, na sala das au-
diencias, pernote o Ni. IIi. juizdo Civel, se
h5o de arrematar, por ser a ultima praga,
algumas casas tei reas, penhoradas a Dona
Francisca Thomazia da ConceigSo Cunha,
por execugao de Heury Gibson, Jones Patn
ce Companhia, James Crablrei Companhia
e Fox Brothers. Os licitantes podem veros
respectivos escriplos em m,1o do porteiro,
o so previne aos mes'iios, que todas estas
casas, que leem de aer arrematadas, se
achata Uesembaragadas e livres do sequea-
tro da fazenda provincial, por terem tocado
a executada por heranga do seu pai, o falle-
cido Antonio Jos Muniz.
Desappareceu, no dia 25 de fevereiro,
a noite, a preta, escrava, de nome Joanna,
de nag3o, baixa, grossa do corpo, com mar-
eas de bexiga eolhos grandes ; levou ves-
tido velho desbotado, e tem o andar gn-
gando : qualquer pessoa quo a pegar, a po-
de levar ra larga do Rozario n. 21, fabri-
ca de licores, que ser recompensada.
Manoel Correia da Costa retira-ge para
fra do imperio, por se achar doente de
frialdade.
Perdeu-se, no dia 25 nuite, uma pul-
ceira deoiro, da ra Nova al o arco de S.
Antonio : roga-se a pessoa que a achou,
querendo reatituir, leve-a ra Nova n.
17, que receber 10,000 ra. pelo seu tra-
balho.
Desappareceu, em dias do mez de no-
vembro do anno passado, o pardo de nome
Manoel, natural do Para, alto, acaboclado,
nariz afilado, falla branda e costas com ci-
calrizes de chicote : quem o apprehender,
leve-o ra da Concordia, vlndo da ponte,
direita, primeira casa, que ser recom-
pensado. Na mesma casa vende-se uma por-
gSo de gados novos, vaccas de le te e um
novilho torino: tudo por prego commodu
Prclcnde-se alugar um prelo para todo
o seivigo : no becco do Azeile de Peixe n.
16, segundo andar ; assiui como iugn-oe o
terceiro andar da mesma casa, com muito
bous commodos, bonita visla para o mar e
bem arejada.
Desappareceu, no dia 8 do corrente, o
preto Antonio, Baca, por alcunha Caxang :
rogase s autoridades policiaes e capitSea
de campo hajam de apprehend-lo e condu-
zi-lo casa do senlior, morador na estrada
dos Afilelos, junto capella.
Em Janeiro prximo passado desappa-
receu da fundig.lo da Aurora, em Santo
Amaro, o prelo Antonio Songo, de altura
regular, cheio do corpo, mal encarado, boc-
ea grande com falla de denlos, barbado,
com marcas de bexigas, ps apalheladoa,
falla muito manga ; levou duas carnizas e
duas caigas de algodSo de lislras : descon-
fiare que tenha ido para Macei ou lugares
vi/inhos, seduzido poralguem ; por isso ro-
ga-se a quem o pegar, de o levar fundi-
g3o cima dita, que sera devidamente re-
compensado.
Jos Feliciano Portella declara, que el-
le contina na plena administragSo dos
bens de aeu casal, como he de direito ; por-
quanto nio est devorciado de sua mulher
por seotenga, na conformidade da le.
Aluga-se mensalmente uma canoa de
carreira, que possa carregar de 6 a 8 pes-
soas : quem a tiver, dirija-se ao pateo da
matriz de Santo Antonio n. 8, que achara
com quem tratar.
-OSr. Jacob de Abrunheiro, residente
na cidade de Olinda, dirija-se ra do Col-
legio n. 19, primdiro andar, para receber
urna caria de seu particular interesse, vin-
la da villa de Goianninha, provincia do Rio
Grande do Noite.
JoSo Pedro Ferreira da Costa, subdito
porluguez, vai Lisboa.
Archebard Me. Callum, retira-se para a
Europa a tratar do sua sade.
Desappareceu, no dia 12 de Janeiro pr-
ximo passado, do sitio denominado Arar,
unto a ponte dos Hemedios, um escravo,
canoeiro, de nome Caetano, de estatura re-
gular, cor fula, rosto redondo e picado de
bexigas, pouca barba, alguns signaos de
panno pelo ventre, sendo um delles a mar-
ca de um caustico por occasiSo de ter um
,|riii i/, e he quebrado de uma das verilhas ;
levou camisa e caiga de algodSo de fra.
Kste escravo, dizem ter levado em sua com-
panhia urna preta moga, de nome Juliana,
haixa, clieia do corpo, muito esplicada no
fallar e tem um signal de lalho no canto da
bocea da parte direila : roga-se a todas as
autoridades policiaes, ou a quem o conhe-
cimento desle possa interessar, e a pessoas
particulares que os possam encontrar, os
111 a n le ni apprehender e entrega-Ios na ra
dos Quarteis de polica, padari* n. 18, que
sern ah gratificados com 50,000 rs. alm
de alguma pequea despeza que possa ha-
ver para sua seguranga.
-- Precisa-se de uma ama de ilude para
casa de homem solteiro : na ra do Prazer
numero 8.
Desappareceu, no dia 24 do corrente,
do engenho S. Jos, o escravo Pedro, moti-
lo, alto, cheio do corpo, cor fusca, signal
de barba, um tanto tolo no fallar, falta de
denles na Trente, e comq j fugiase tem sig
nal de cordas no brago esquerdo. rosto
comprido e descarnado, nariz afilado e
olhos regulares : roga-se as autoridades po-
liciaes o capules de campo que o apprehen-
dam, e qualquer pessoa que leva-Io ao di-
to engenho, ou ao Sr. Luiz Jos Pereira Si-
mOes, ra das Cruzes, ou em casa de Mi-
guel Ribeiro do Amaral, Aterro da Boa Vis-
ta, aera recompensada com a quantia de rs.
50,000.
O Sr. Francisco de Paula Pereira de
Andrade pode procurar uma carta de seu
particular interesse, na ra do Collegio n.
19, primeiro andar.
Eugio a 12 de fevereiro um preto por
nome Antonio, alto, muito preto, com falta
de dous denles na frente em cima, com as
barbas pintando, ps cambados de bichos,
e o p esquerdo inxado, caiga de riscado
de algodSo escuro, camisa de algodSo e
chapeo de palha : quem o pegar leve-o na
Cidade de Olinda ra da Boa Hora n. 22.
Placido Jos do Reg Araujo, coinprou
por cunta do Sr. Domingos Rodrigues da
Costa, ealabelecido na Parahiba do norte ,
um quarto de bilhete do Rio de Janeiro, a
beneficio da cultura das Amoreiras de nu-
mero 4176.
Pergunta-ae ao Sr. testamenleiro do
fallecido Joaquim Fernandos Gama, porque
carlorio est procedendo o respectivo in-
ventario, e quaodo faz tengSo pagar as di-
vidas que o mesmo fallecido contrahio do
mez de aetembro do anuo prximo passado
quando era director do collegio dos or-
phSos, isso Ihe pergunla um Crtdor.
Consultorio central honiojopa-
thleo dirigido pelo Dr. Sabino Olegario Ludgero
Pinho,
ra do Trapito Novo n. 15.
Todos 08 dias Liis se dar3o consultas e
remedios de graga aoa pobres, desde pela
manhSa at as duas horas da tarde. As
correspondencias e informagdes poderSu
ser dirigidas verbalmente, ou porescripto,
uveudo o doeule indicar; i,, o pome.
O
O
idade, estado, proOssSo e oonstituigSo ; 2.*,
as molestias que tem tido e os remedios to-
mados; 3., a poca do apparecimento da
molestia actual, e a disrripgSo minuciosa
dos signaos ou symptomas que soffre.
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho. ,
Chapeos de sol.
Ra doPasseio,n.5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes objectos de todas as co- ^
res e qualidades, tanto de seda como de '
panninho, por pregos commodos ; ditos pa-t
ra senhora, de bom gosto: ostes chapeos
aSo feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sortimento de sedas o
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
magOes servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se em porgSo e a retalho : tambem so
concerta qualquer chapeo de sol, tanto d
basteas de ferro como debaleia, assim como
umbelas de igrejaa: tudo por prego com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engenho, por serem
dos mais fortes que ae podem fabricar.
Prlmclrns lettras.
-- Precisa-se de um feitor que entenda de
jardimearvoredosdeespinhos, bem como,.,
enchertar e podar: no pateo de S.-Pedro,
n. 4, ou em Parnameirim, sitio do cirur-
giSo Leal.
Traspassa-se o arrendameato do enge-
nho Queluz, sito na freguezia de Ipojuca,
vendendo-se a safra no campo, o engenho
he copeiro e bom, e tem bons cercados : a
tratar com Miguel Augusto de Oliveira, na
sua residencia no engenho Camassari, na
freguezia de S. Amaro JaboalSo, ou com'
Theotonio da Silva Vieira no engenho Ca-
xoeira da freguezia de Ipojuca.
& Consultorio hotnceopathico. O
O ra do Collegio, n. 25,
O Do Dr, P. de A. Lobo Mascota.
0 O Dr. Moscoso d consultas todos os
,'.; dias. Osdoentes pobres sSo tratados :
X de graga. S serSo visitados em suas *i
j casas aquelles que nSo poderem vir *
'? ao consultorio, ou que suas moles- O
O lias nflo possam dispensar a presen- O
O ga do medico. O
O abaixo assignado professor particu-
lar de primeiras lettras, disciplinado em
preparatorios no lycau desla cidade, part"
cipa ao respeitavel publico e aos paia de
seus alumnos, que desde 13 de Janeiro das-
te anno abri sua aula, e debaixo dessa
mesma disciplina ensina por principios
agramtnalica portugueza, latina e france-
za ; admittindo nesse recinto porcionistas e
me i o porcionistas. Os pas de familia que
quzerem applicar seus lilhos a alguma des-
sas disciplinas, podem dirigir-se a ra lar-
ga do Rosario n. 48, segundo andar.
Jos Maria Machado de Fig-eiredo.
Precisa-se de um feitor quo entenda
de jardim : na ra da Cadeia do Itecife nu-
mero 37.
Precisa-se de ofliciaes de sapateiro, na
travessa do Corpo Santo, loja'de calcado n.
29, confronte ao lado do passo que tica de-
fronte da ra da Cadeia velha, pagaudo-se
bem as obras, conforme a perfeigBo deltas,
tambera s d obras para fura a fazer, dan-
do pessoa de lianga; na mesma loja s
comprara obras feitas de todas as quali-
dades.
Precisa-se alugar uma preta que seja
fiel e saiba vender na ra : 111 travessa do
Corpo Santn. 29, ou aununciesua mora-
da para ser procurada.
Precisa-se alugar uma casa terrea com
quintal e cacimba, as ras das Larangei-
ras. estreita do Rozario, ou larga, Cruzes
ou Direita ; tambem precisa-se fallar com o
Sr. Rolrigo Mondes de Araujo : quem doli
tiver noticias, tenha a bon lade de annuii-
ciar para ser procurado.
Eogomma-se e lava-se toda a qualida-
de de roupa com todo asseio e muita promp-
tido, por prego mais comino Jo do queem
mitra qualquer parte : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 26.
Precisa-se de um feilor para um sitio
perto da praga e de Irabalhadores de enxa-
xada : a tratar na ra do Collegio n. 13.
Tendo chegado a esta cidade o llespa -
nhol Pedro Alvafes Garca, professor de pia-
no e canto, se propoe a dar ligues da sua
arte, podendo para esse tim ser procurado
a qualquer hora, na ra do Trapiche n. 15.
__Precisa-se de um feitor para um sitio
perto desta praga: na ra da Cruz n. 46.'
___Precisa-se de dous peritos ofliciaes,
preferindo-se francezes, sendo um piotor do
carrinhos e o outro trabalhador de forja no
mesmo servigo, sendo para se engajarem
em um estabeleciment na Babia, paga-se-
Ihes passagem e bom ordenado : quem es-
tiver nestas circunstancias, procure s Jos
Saporiti, na ra do Trapiche Novo n. 18,
segundo andar, que se acha autorisado pa-
ra isso. \
O abaixo assignado, avisa ao tespeitave
publico que, desde o dia 7 do corrente, a-
cha-se aborta a sua aula de primeiras lottras
na ra do Mondego n. 44 O anounciante
contina receber pensionistas, meios pen-
sionistas e externos. Por mais de uma vez
tem elle patenteado ao publico as vantagens
que offerece a sua aula pela rasSo da loca-
lidade, e pelas accommodacOes que a ca-
sa apreaenta. NSo poupar cortamente es-,
forgos o annunciante para conseguir que
os pas de familias que Ihe confiarem seus
filhos, flquem inieramente satisfeitos;
nflos pelo que respeita ao tratamento,
como ao progresso intellectual e moral dos
meninos. Outro siro, para evitar que os
meninos frequentem outras aulas fra da
casa, perdendo aasim tempo com prejuizo
doscostumes, o abaixo assignado tem es-
colhido meslre de msica vocal e instru-
mental, e bem assim professor de liogua
latina reconhecidamente peritoi nessas
materias, para darem hgoes aos alumnos
queaequizerem applicar ellas. O abaixo
assignado espera do publico, eeapeciamen-
ta doa pas de familias moradores fra da
praga, que aprecien os esforgos do annun-
ciante, animando o seu nascenle mais tSa
"' 4
JC
1
I
,
1-
a i
M
til
eslabelecimenlo.
Francisco de Salles d* Albuquerque.
Roga-se as pessoaa que ficaram a devej
ao fallecido Antonio Dias Soulo, hajam dafe
vir pagar seus debilos no prazo de oito
das, em casa dos Srs. Manoel Francisco*
Martins & IrmSo, na ra da Crua n. 62 ; do
contrario soflrerSo as penas da le. Recite, (
24 de fevereiro de 1851.
all I
II


M
Prfcisa-se de urna mulher forra oo
captiva, que saiba cozinhar, e que se sub-
jeile a fazer as compras diarias para urna
casa de pouca familia, e fazer todo o mais
jcrvico do portas a dentro : a fallar na ra
oQuelmado, toja n. 18.
ODr. Sabino Olegario Ludgero Pmho
embarca para o MaranbSo os escravos par-
dos, de nome Nicacioe Paulino, a entregar
lili a seus donos, sendo do pritneiro o lllm.
Sr. corenel commandante superior Seve-
risiio de Barros e Vasconcellos, e do ultimo
o lllm. Sr. commendador Fernando Anto-
nio VieiradeSouza.
A'ug-se urna casa terrea na ra atrs
da matriz da Boa Vista, com 6 auartos, 2
salas, corredor ao lado e quintal murado
com cacimba quem a pretenvler, dirija-se
. a padaria franceza do Sr. Barrelier, no Ater-
io da Boa Vista.
Prvcisa-se de um caixeiro para venda :
no pateo do Tergo n. 139.
Precisa-se alugar um moleque, que
saiba cozinhar o diario de urna casa : quem
tiver, annuncie, ou proeure fallar na ra da
Madre de Dos n. 34, que se dir quem pre-
cisa.
Pretende-se fallar com os abaixo men-
cionados a negocios de seos ulereases, os
quaes se poderSo dirigir ra das Laran-
geiras n. 93, que ah acharflo a pessoa que
Ihes pretende fallar, e o negocio que pre-
tende : JoSo Clemente de Snuza Corris,
Antonio Jos Lopes de Miranda, Claudino
)jos de Araujo, Manoel Joiquim Delgado,
Francisco Jos do Sales, Jos Jorge Rodri-
gues, Alexandre Jos dos Santos, JoSo Vc-
tor de Coito. Francisco Antonio de Carva-
llo e Silva, Daniel Antonio dos liis, Do-
mingos Antonio Concalves, JoSo de Lima
Bastos e Rafael Comes
a>
i'aiilo Galgnoux, dentista *
francez, offerece sen prest-
u ao publico para todos os W
mlsteres de sua proflssao : #
pode ser procurado a qtial- $
quer hora em sua casa, na *
[f ra larga do Hozarlo, n. 3G, ^
' sekmido andar.
*ta?*"'* *^*^^*^^^^^
Aluga-se o sobrado da ra do Vigsrio
n. 13, tres andares, sot&o corrido, ous
grandes mirantes, que por sua posigSo ele-
vada domina o mar de nortea sul, e com
[s mais excellentes accommolagOes; aluga-
| se'-tambem separados os ditos andares, as
chaves existen) no armazem do mesmo
[sobrado.
Os Srs Francisco Jos Alves Cima, An-
I tonio Francisco de Souza MagalhSes e An-
tonio Rodrigues Baracho queiram mandar
resposla das cartas que se Ihes tem escrip-
|to, ou irem ao Aterro da Boa Vista, sobra-
do n. 10.
O Sr. estodante de Olinda.'ultimamen-
L te vi mo no vapor S. Sebastin, ou outro
[qualquer paasageiro do mesmo vapor, que
pur engao tiver conduzido em sua baga-
gem um babu com letreiro a entregar a
lienrique Jorge, queira ter a bondade de o
'mandar trazer loja n. 3, ao p do arco de
[Santo Antonio, que abi se pagar a despe-
ina que houver.
'-- l'.de-se encarecida mente ao Sr. fiscal
[ de Santo Antuiiio'tenlia a bondade de ap-
plicar as penas dt art. t. til. 6. das pos-
i ti /is vigentes a moradora da casa n. 34
ra r lia do Canno, pois se S. Seilliol la se der
i ao ti-ali iiiio ile ah entrar, ha de ver em um
| estrello e aperlado .quintal mais de 16 ani-
maes suinos, que abi se criam, e ba de ver
que esta casa reclama altamente a sua ai-
; tenan ; pois nSo seria man proceder mes-
| ino a un exame sanitario.
Us Srs. socios do baile de
(mascaras no thealro de Apollopo-
Idetn procurar os seus cartes em
[casa do thesoureiro, ra da Ca-
leia do Recio n. 5o.
Quemquizer comprar um sitio com
terreno pro, rio c sem onus algum, enleii-
fda-se com Jos Cypriano de Moraes Lima,
Lila ra Nova n. 19.
Precisa-se de um criado brasileiro ou
Festrangeiro : quem esliver neslas circums-
' tancias, dirija-se ao pateo da Santa Cruz
n. 106.
Precisa-se alugar um cozinheiro forro
. ou captivo para urna casa estraogeira de
\pouca familia : paga-se bem : na ra da Au-
f Tora n. 8, segundo andar.
|* Arrendatnento.
Dona Calharina Francisca do Espirito
Santo, arrenda o trapixe denominado com-
panhia : quem o pretender dirija-se ao sen
procurador bastante Flix Francisco de Sou-
za MagalhSes, no paleo do Carino n. 16.
Aluga-se o segundo andar e armazcns
da casa de Francisco Alves da Cunta da ra
do Brum : a tratar na ra do Vigario n. 11,
fio escriptorio do mesmo.
A pessoa que annunciou querer com-
prar urna fronha de lavarinto, dirija-se a
ra da Madre de Dos n. 34; na mesma ca-
sa vendem-se pares de azas, veste-se anjos,
ensina-se meninas, toma-se porcionistas e
ineas porcionistas; tambem alugam-se
prearos para anjos, tanto para praga como
1 para lora del la, ludo por com modo prego.
I Precisa-se alugar um moleque de 14 a
|16 annos, que seja diligente e sem vicios,
para o servico externo de urna casa de pou-
"i'afainiha : dirija-se a ra das Trinchen as
"i-19, sobrado.
. Precisa-se de um forneiro: na pada-
ria airas da matriz da Boa Vista n. 22.
No dia 28 do andante uiez, Onda a au-
diencia do lllm. Sr. Dr. juiz de direilo da
Itrimeira vara do cun memo Custodio Ma-
noel Ua Silva GuimarSes, se ha dearrema-
tsr um sobradinho dedous andares na ra
I estrella do Itozario n 6, avahado em ris
2:200,000, por execugSodo legitimo credor
de JoSo Ignacio Rodrigues da Costa e sua
mulher. He a ultima praga.
-- Aluga-se, e tambem vende-so ou per-
muta-se por uoia caa oesU cidade, um si
i lio na ra turen, dos Afogados, com casa e
comuiodos sullicieutes, lodo murado, com
,e8 "embaa, tendo ama detlas um tan-
'reita M" lerreno proprio : na ra Di-
ll""VVl"'n>Cliburn subdito Botnico re-
nra-se para Tora da provincia.
ii.^i ,Ma e um caixeiro que eutenda
" Pharmacia : na botica da ra do Ran-
| Bl D. 64.
Deseja-se fallar com o Sr.
'toiuo Vicente Garcez, vindo n0
ultimo vapor do sul: na ra do
Collegio n. i.
Roga-se a todas as pessoas queestio
devendo na taverna da ra da Aurora n.
48, hajam de satisfazer seus dbitos no pra-
zo do oito dias : do contrario, terSo de ver
seus nonies por extenso nesta folba, em-
quanto nSo o flzerem. Recife, 24 de feve-
reirode1851.
Precisa-se de um cozinheiro para urna ca-
sa estraogeira de pouca familia, que seja li-
vre ou escravo : quem se adiar as circums-
lancias de servir, dirija-se ra da Cruz nu
mero 1.
Consultorio homceopathico. *
Ra Aova, numero 58, -m
primeiro andar. ^
Consultas gratuitas para
os pobres, todos os dias uteis
desde s 8 horas da manhSa
at urna hora da tarde.
(fcAAAAjftAAA^AAsftAAAAAi
- Roga-se a Mima, camars municipal des-
la cidade ou conselho de salubridade, de
lancarem suas vistas para as agoas eslagna-
das e immundas que existe em um terreno
entre as ras da Concordia, e Caldeireiro ao
lado da do Pocinho, que as oixasies de
sol exalam terrivel cheiro, e talvez que por
esta causa vamsoffrendo as pessoas por ali
visinhaa graves molestias, e s se poder
sanar semelhante mal atlerrando-se aquel-
la lugar onde fazem junccSo ditas agoas.
Um que tem sido vitima.
Na padaria da ra do Rozario que foi
do Sr. Cunta, da-se a pretos respondendo
seus senhores, pSo de vendajem.
Precisa-sede urna ama seca, para urna
casa de pouca familia: co paleo de S. Pe-
dro n. 7.
Precisa-se de um feitor : no Hospicio,
sitio de porlSo verde, junto do da viuva
Cunba.
-- Precisa-se de urna pessoa que saiba
podar parreiras : no Hospicio sitio de por-
lSo verde, junio do da viuva Cunha.
>
fe*

ros ou de tiradores de fumo p ga-so bem :
na na Imperial n. 35.
--Precisa-se de um pequeo de 12 a 14
anivos para caixoiro'de vend ; assim como
de um trabalhador de masieira : na ra I)i-
reita n. 26.
i ni curso gratuito de liomoco-
pathla.
Attendendo falta absoluta de mdicos
homoBopathas para soccorrer os enformos,
que procuram os beneficios da nova me-
dicina, muito particularmente as comar-
cas do interior. Attendendo a m volita-
do que mostram os mdicos allopathasem
adoptar a salvadora medicina de llahne-
mann ; e pratica-la publicamente em pro-
veito ila humanidade soffredora. Atten-
dendo que os curiosos sem nenhum co-
nhecimeoto das sciencias accessorias, nem
da anatoma, phisica, e doutrinas homceo-
pathicas, devem de commetter orros gra-
ves, prejudiciaes a humani lade e a sci-
encia. Em quanlo a assembla legislati-
va provincial nSo resolver acerca de um
requerimento, que na prxima futura reu-
ni3o tenho do dirigir-lhe a fim de se crear
nesta capital urna escola homecopathi-
ca: Tomei a deliberacSo de abrir um
curso de homo;opathia, no qual se apren-
derSo essas disciplinas do melhor modo
queasactuaes circunstancias nos permit-
tlrem. Conhecendo que o estudo da ana-
toma be a base sobre que assenla todo o
edificio medico, e nSo sendo permitlido
trabalhar-se sobre cadveres fra das es-
colas de medicina, comprei para meu uso
Obras completas para piano e
canto.
Sonnnmbnla de liellinc,
Bellisario de Donnisctti,
' Krnani de Verde,
Anna liollena de Donnisetti,
II Pirata de fielline.
Vendem-se por precos commo-
dos, no pateo do Collegio, casa do
Livro Azul.
-- Vende-se urna casa, com grande qoin-
tal, que tem para mais de 40 pos de laran-
geiras, todas seletas e de embigo e oulras
fruteiras, cacimba, lanque para banho, cem
muitoscommodos e sotSo, ludo em Chitos
proprios e sita no lugar da SoleJado n. 42,
dofronte do murodo Sr. coronel Lemenlia :
quem a pretender, entenda-se no tecife, na
roa da Cruz, no armazem n. 46, do Sr. Cor-
reia.
Vende-se um cSo muito novo o de boa
casta : na ra do Rozario da Boa Vista n. 2.
A t,6oo ris.
Vendem-se pelles do marroquim preto, a
1,600 rs. : na praga da Independencia ns.
13 e 15, loja do Arantes.
Vende-se urna linda escrava dn 19 an-
nos, preta, que engomma, eose e cozinba o
diario de una casa, sem nenhum defeito,
sendo para Tora da provincia ou para fra
da cidade : na ra de Santa Rila, sobrado
particular um man'iquim de anatoma c/ai-lnumero 14.
jc do Dr. Azonxf em Paris), onde todos Vende-se um mulatinho de bonita figu-
ra, de 12 annos, o qual he proprio para pa-
BOWMAN Ct MC. CALI.M, engenhei-
ros machinistas e fundidores de ferro mui
respeitosamente annunciam aos Senhores
proprietanos doengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociants, fabricantes e ao res-
peitavel publico, quooseu estabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montadocomapparelhosda pri-
meira qualidade para a perfeita confecgSo
das maiores pegas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bovrman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
attengSo publica para a sseguintes, por
terem dellasgraude sortimentojprompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
Irangeiro, tanto em prego como em qua-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber :
Machinas de vapor da melhor construcgSo.
Moendas de canna para engenlios de lo-
dos os tamanhos, movidas a vapor poragoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento eserra-
as.
Manejos independemos para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzes e chumaceiras.
Cavilhoes e parafusos de todos os tama-
nhos.
Taixas,pares,crivos e boceas de fornalha.
Moinhos de mandioca, movidos a nulo ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogSo e frnos de familia.
Canos de ferro, torueiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repuebo, mo-
vidas a mSo, por animaes on vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferrageos para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, verandas, grdese portes.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros do mSo e arados de ferros,
etc etc.
Alm da superioridade das suas obras, j
geralmente reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remellidos
pelos senhores que se dignarem de fazer-
lhes encommendas, aproveilandoa occasiSo
para sgradecerem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lbes
que' nSo pouparSo esforgos e diligencia?
para continuaren) a merecer a sua couli-
anga.
O cautelista Salustiano de
Aquino lerreira fax sciente aores-
peitavel publico, qu no dia pri-
meiro de marco vindouro, das 9
horas da manbaa al s 6 da tarde,
paga as cautelas premiadas de N.
S. do Livramnlo, que ha de se
extrahir em 28 do corrente mei,
na praca da Independencia n. 4,
loja de niiiidezas, e tambem se pa-
ga qualquer premio que sabir nos
bilhetes e meiosque foram vendi-
dos na mesma loja, e igualmente
na ra da Cadeia do L\ecifen. 46,
loja de miudezas.
-OSr. Fermino Pereira Leal, que an-
nunciou no Diario de 24 do correle reti-
rar-se para a Kuropa, queira antes de assim
obrar, dirigir-Be ra da Cadeia do Recife
n. 7, loja de miudezas de Antonio Lopes
Pereira de Mello.
--0 abiixo assignado vai fazer urna via-
gem fra da provincia, e leva em sua com-
panhia sua senhora Monica Seiihoriiiha da
Silveira, e como criada a preta forra, de no-
me Marcellina. -- fiarcUo Jote da Cotia.
-- Precisa-se de apreudiies de charulei-
os orgSos sSo vistos com toda a possivel
naturalidad sem incommodo nenhum
comparativamente ao que se experimenta
com a terrivel presenga de um cadver na-
tural. Essa pessa que nenhum medico no
Brasil possue a excepg&o de mim e das
faculdades de medicina da Baha, eltio de
Janeiro, (lea disposigSo dos estudantes
Jf homoaopathia nesta capital para nrlle
aprenderem a organisagSo do corpo huma-
no. Ninguem ignora que he gravissimoo
trabalho, que me proponho sem nenhum
interesse meu, e s em beneficio dos meus
semelhantes; mas devendo aos Pernam-
bucanos urna grande parte do que sou,
e do que hei de ser, me be doce amorti-
sar esta divida com o sacrificio do meu
tempo, e do meu commodo NSo se ad-
milte a matricula, senSoallO estudan-
tes, os quaes deverSo j saber as lingoas
portugueta, latina, e franceza, e as scioncias
philosophia, arithmetica, geometra, c geo-
graphia. As aulas se abrirSo no da 20
de margo prximo futuro em urna das
natas do consultorio central homoeopathico
de l'ernambur.o, no trapiche novo n. 15.
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho.
Compras.
Compram-se orellos de panno, em
grandes e pequeas porges : na praga da
Independencia n. 19.
--Compram-se adragonas con; franjas, e
bandas em mo estado, ou do modello anti-
go, assim como galfies usados, porm ver-
daderos : nn praga da Independencia n. 19.
Compra-se urna parda ou preta reco-
Ihida, de 16 a 20 annos, que engomma e co-
sa mullo bem chSo : na loja de Carlos llar-
dy, .m Nova n. 34.
Comprase urna negrinha de 10 a 12
annos : na ra Velha n. 71.
Compra-se ubis canoa, que carregue
UlO lijlos de al venara grossa .- nos Coe-
Ihos, na olaria que se est concertando,
junio da pioguella.
Compra-se urna obra de Faubls, tra-
duzida em porluguez : quem tiver, an-
nuncie.
-- Compra-se urna taboadinha para pilo-
tagem e um oitante pequeo: na ra Direi-
ta n. 55, loja de sapateiro
-- Conipram-se 200 palhas de coqueiro
f verdes ) : no Aterro da Boa Vista n. 57.
Vendas.
I.o'eri'i do Rio de Janeiro.
Aos 30:000,000 ris.
Na loja de miudezas da praga da Inde-
pendencia n. 4, vendem-se bilhetes intei-
ros, meios, quarlos e vigsimos, a beneficio
da cultura das amoreiras, cresgSo do birho
da seda. Na mesma loja recebem-se 1 Hie-
les premiados em troca dos que tem a
venda.
Novas msicas para pino chega-
das ltimamente do Hio.
li.ieio do segundo acto da opera
Norma arranjado para piano 2,000
Duelo do militar e vivaudeiros pa-
ra piano e canto 4,000
Novas modinhas brasileiras.
A rvoredo tuja vistes 800
Era j bem alto dia 800
Bonita walsa, saudades de Anda-
rahy 400
Vende-se no pateo do Collegio, rasa do
Livro Azul.
Vende-se a parte de um sitio e casa no
oitSo da igreja do Monleiro, que foi do fal-
lecido tenente-coronel Jos do Reg Bar-
ros : a tratar na ra do Caldeireiro n. 12, se-
gundo andar.
Vende-se um moleque de nagSo, de 20
annos, que cozinha o diario de urna casa, c
ganha na ra ; a tratar na ra do Rangel
n. 37, segundo andar.
Vendem-se carrogas novas, carros de
mSo, ps de laranjeiras e oulras qualidades
do arvoredos, ludo por prego muito com-
modo : na ponte de Ucha sitio de JoSo
Caroll.
Vendem-se 12 cadeiras, um jogo do
bancfs e urna mesa de meio de sala, ludo
de Jacaranda e com algum uso : na ra Au-
gusta, casa do Pacheco.
Vende-se a taverna da ra da Aurora n.
32 : a tratar na ra Nova n. 65.
Vendem-se bilhetes e meios
ditos da lotera do Livramento,
que corre amanhaa : na esquina
da ra do C'abug, loja n. 11, jun-
to botica do Sr. Joo Moreira
Marques.
gem ou copeiro, e tem principios de alfaia-
le : quem o prender, dirija-se a (ravessa do
calahougo n. 38.
Vende-se urna prett de bonita figura,
que cozinlia e vende na ra : vende-se por
precisSo 1 na ra do Pilar, em Fra de Por-
tas, d. 101, se dir quem vende.
Na ra do Crespo n. IG,
loja que vnlta para a ra das Cruzes, ven-
dem-se chitas de assentos verdes o de co-
res seguras, Inleiramenle modernas, a 220
rs. o covado ; cassas francezas, ornis mo
dernoque ha, a 910 rs. a vara ; ganga ama-
rell, pro;iia para palitos ejaquetas, a 360
rs. o covado ; chapeos francezes modernos,
a 6,500 rs. ; o muito finos, a 7,000 rs ; chitas
linissimas, a 240 rs. o covado; e oulras
muitas hiendas por commodo prego.
Vende-se, na ra do Hangel n.2l, ba-
nda derretida, da Ierra, para filhs para
temperar carnes, de superior qualidade
320 ris a libra.
--Vende-se urna morada de casa de tres
andares esotSo, na ra da Senzalla Velha
11. 144, com vista para a ponte, palacio do
governo e para ornar: a tratar com Jos
Congalves Torres, na ra da Cadeia Velha
". 1, ou e,,ni Jo-e Baplisla liilieiio de 1 a-
l .....( no le sinos c oiitras
Q quaesquer obras de unais O
em ponto u i-iikIc. na rmi do
ItiT.ni de .llcsqnita &Dutra. fj>
Fabrica do caldeireiro,latoeiro.funi-
Q leiro.vidraceiro e serralheiro na ra
do Brum n. 98. Este estabelecimento ,
acha-se completamente montado pa- ^5
0 ra construir quaesquer otras, de q
0 promptidSo e zelo, vontade do J!
m comprador; assim como ja tem J?
~ promilas burras de eiro de segredo,
5! leudas, iguaess francezas ; machi- w
*J as de Derosne muito bem constru-
W das, alambiques de carapuga, laxas e O
toda a qualidade de cobres para o
servigode engenho, e carros de mSo ()
l de ptima conslrucgilo. G Francisco Antonio Correa Cariota. OfcO
Vende-se urna famosa prela boa cozi-
nheira, que lava de sabSo e he excedente
quitan Icira ; um preto, meslre refinador de
assurar, cozinheiro e muito proprio e in-
telligenle para trahalhar de enxada em um
sitio por ter bastante pratica, tambem se
luga o dito escravo ; duas boas rodas de
sicupira para moer mandioca e fazer fari-j& Companhia, ra do Trapiche n. 42.
nha, sendo urna dellas chapeada de cobre;! a ooj rs. para a pobreza.
una espingarda de caga, muito boa ; e um
sellim em meio uso com lodos os perlen-
ces: quem pretender, dirija-se ra da


bem lavarinto, marc, cozinha o la\"i do sa-
bio, a qual vende-se para fra da provin-
cia ou engenho.
1'n.ra voltarete.
* Vendem-se superfinas cirtai, por prego
commodo : na ra doQueimado n. 25.
Vende-se muito nvn farinha
le mandioca de Santa Catharina :
a b.rdodobrigue Sagitario, fon-
deado defronte do Trem, por pre-
co muito commodo.
' -Vende-se, na ra do Crespo, loja do
miudezas n. II, carias finas francezas sel-
ladas, o vros para as aulas, por pregos
commoilos, como sejam : II. SebastiSo, ro-
mance histrico o ni seis cantos e oulras
poesas, por 160 rs.; o Genio da l.ua, ou
mediiarOes sobre a morle, por 80 rs.
^fJJ1l^ rf*J<-*^^(^ ?a^ayk:a^a^^iBa^aa>
'5 a na do Oueimado, loja n. 19, $
i vende-se muito bom franquilim (>'
preto, proprio para saias e limes, ^
fazenda muito melnor do que a lila e t>
4 muito mais larga, pelo prego de 400 4
i ris o covado; tambem he ptimo .
fj para caigas, jaquetas e sobrecasacas. a
.,4**toa ***. *:****
l'ara engenheiros ou arcliitectos.
Vcndcm-sc cstojos para desenlio, pro-
prios para qualquer engenheiro ou archi-
tecto, pela ptima ferramenta quecontm :
na loja de Eslima & Ramos, no Aterro da
Boa Vista 11 54.
Rogit.se aos Srs. frcgni'/.cs do bu-
rato que lelam o Regulnte
auniincio.
Vende-se brim de quadros de linho, a
320 rs. o covado ; riscado de linho, a 220 rs.
0 covado; dito de algodSo, a 180 rs. o co-
vado ; pecte muito encorpado, proprio pa-
ra escravos, a 180 rs. o covado^ castores
muito encorpados, a 280 rs. o covado ;
lirh'i transado branco de linho, a 1,920 rs.
o corte; dito escuro, a 1,600 rs. O dilo ;
esguiSo d6 algodSo de 12 jardas, a 2,400 rs.
a vega ; cortes de fuslSo, a 560 rs. ; cober-
toies escuros de algodSo, grandes, a 720
rs. ; cassa preta, a 120 rs. o covado; chita
de cores fixas, a 160 e 180 rs. o covado : na
ra do Crespo n. 6, ao p do lampeSo.
Vendem-se, pur preco eom-
modo, no armazem de Dias Fer-
reira, no caes da Alfandega, os se-
guintes gneros : potassa em bar-
riquinhas minio nova, fumo em
folha | ara capa e milo de charu-
tos, chocolate de Lisboa e fari-
nha de mandioca muito superaor,
chegada a poucos dias do l'.io de
Janeiro : tra*a-se no mesmo ar-
mazem, ou com iNnvao.-. rk Com-
panl-ia, na na do Trapiche o. 34-
A 240 rs. o covado. ?
9 Vendem-se chitas francezas finas, |
de padrOe, miudinhos o cores fixas,
^ pjlo barato prego de 2i0 rs. o cova-
M do: na ra do Crespo, loja de qua- #
?> Iro portas n. 12. #
9&t&&$' i<*?9 (?*'--S,'S,)9
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambio de sicupira e bracos
de ferro : na fundico da ra do
Brum ns. 6, 8 e 10.
#:# ?,***:******?
(1 Algodopara saceos. ay
( Vende-se muito bom algodSo para ay
saceos de nssucar, por prego comino- ?
'fo. do : em casa de Ricardo Royle, na t-)
4 ra da Cadeia 11. 37. fe
#?**^1:Sra> *#S:##t!##i*>
1 ii> para sapateiro e para saceos.
Vende-se um restante do ptimo fio para
sapateiro em novcllos, e dilo em meiadas
para saceos, por prego commodo para li-
quidar facturas : mu casado Adamson llowio
Vende-se urna preta ainda moga e com
algumas habilidades : os pretendentes di-
am-se ra do Rozario larga 11. 18, que
iu se dir quem vende.
ConceicSoda Boa Vista 11. 9. Na mesma ca-
sa tambem vende-se um didal de ouro com
meio feitio.
-- Vendem-se duas moradas de casas ter-
reas, na ra Imperial ns. 4 e 6, assim como
una na ra do Padre I lorianno n. 30, un-
ir na ra de Agoas Verdes n 15, por pre-
gos cummodos : a tratar na ra do Crespo
n. 10, loja de Ignacio Luiz deltiito Tabor-
da, pessoa esta que est autorisada a ven-
d-las.
Vende-se rap de Lisboa em
oitavas, e caixas com charutos de
San Flix, por preco commoJo
na ra da Cadeia do Recife. nu-
mero i5.
Chegaram a final as tao de-
sejadas mascaras de icera e rame,
que se venderao por precos com-
modos : na ra Nova n. 8, loja de
Jos Joaquim Moreira & Com-
panhia.
Veode-se urna canoa que carrega 900
tijollos, a qual se acha virada : a tratar na
ra de 8. francisco, casa apalagada.
Vendem-se superiores vros em bran-
co, de diversos tamanhos : em casa de Kalk-
mann IrmSos, na ra da Cruz n. 10.
Aos a:ooo,coo ris.
Na praga di Independencia, loja n. 3, con-
fronte a do Crespo e oueimado, vendem-se
bilhetes da lotera do Rio de Janeiro, cujas
rodas j correr m ; e pelo primeiro vapor
espera-se a lisia.
Na ra das Cruzs n. 18, terceiro an-
dar, vende-se urna ptima parda de 26 an-
nos, peifeita engotiimadeira, que cose chSo,
faz renda, cozinba e lava de sabSo ; urna
preta de Angola, de 20 annos, que cozinha
e lava bem de sabSo ; um elegante escravo ser-lhe comprado por ordem do mesmo su-
de Angola, de 24 anuos e ptimo cauoeiro ; gustoSennor um painel, representando a
Vende-se excellente farinha de mandioca,
recen temen te chegada de Santa Calharina,
em boas sareas novas de bom algOdSozi-
nlio : na praga da Roa Vista, venda de Joa-
quim de Paula Lopes n. 18 : approvcilem a
occasiSo antes quo apparega o espedlador
para a usura.
Vende-se um carro do quatro rodas,
muito leve, eque di cummodos para qua-
tro pessoas, e por isso mui proprio para
Suatro Srs. estudantes, que queiram ir
linda todos os di >s : na cocheira do 1 ran-
eois, becco do Capiai.
f.Yi loja do sobrado amarello, nos B
quatro cantos da ra do Queimado 11. [jf
'. 29, tem para vender um completo jj}
H sorlimeiito das lazendas abaixo men- jtt
clonadas, ludo de superior qualida- p
dee pregos muito commodos, asa- ^
Cortes de vestidos de sarja preta &
M lavrada, padres de muito gosto.
Sarja de seda preta verdadeir*. bes- ^
u panhola.
! Setim preto maco, proprio para j
** vestidos.
Manteletes e capolinhos de chmalo- m
te egros d aples preto, com mui jal
indos enfeites.
Los de lioho preto, bordados a seda. S
Um completo soi tmenlo de pannos
pretos para os pregos de 4,000 ate
12,000 rs. ff
Casemira preta elstica para varios jft
pregos. m
Na ra Nova, em casa de Auguste
Colombiez,
vende-se um grande retrato de S. M. Im-
perial o Sr. 11. Pedro II, com nqulssima
moldura, obra do insigne piulor Lecbevrel,
cujo apresentou na ultima exposigSo das
bellas artes no Rio de Janeiro, obras de iflo
subido merecimento, que Ihe valen ser pre-
miado por S. M. com o habito de Christo, o
um dilo de 30 unos, ptimo ganhador de
ra ; urna linda crioula de 26 anuos, perki-
la eogommadeira, que coso beui cuSo, fas
ruinlia de Inglaterra L'lisatietli, oqual cha-
mou a altengo de todos os mustios e en-
loudedores pela sua primoroia viocuijg.


Lotera de N. S. do Livramento.
Aos 5 000,000 rs.
Na ra Ja Cadeia n 46, loja de miudezas,
vendeu-so o bilheto inteiro n. 951, ora quo
sabio a sorte de 1:500,000 rs. e estflo ex-J
postos venda os bilhetos e cautelas da
mcsma lotera, que corre impretcrivelmen-
to no dia 28 do corrente.
liilhctes 11,000
Weios 5,500
Quartos 2,600
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Lotera de N. S. do Livramento.
Na botica da ra do Rosario Larga n.
42, vende-se bilbetes inteiros, e meios, cu-
jas rodas andSo no dia 28 de fevereiro.
Lotera de L. S. do Livramento.
Na botica da ra do Rosario Estreita n.
10, vendem-se bilhetes inteiros, e meios,
mais baratos que em outra qualquer par-
te, cojas rodas ndito no dia 28 de feve-
reiro.
Lotera de N. S. do Livramento.
Na loja de fazendas debaixo do arco
da Concejero n. 6, vendem-se bilhetes in-
teiros, e meios, cujas rodas andSo 110 dia
28 de fevereiro.
Kap Paulo Cordeiro do Rio de
Janeiro
ra la las e frascos, ebegado recentemente :
vende-se na mada Cadeia do Recife, loja
11. 50, deCunha c Amorim.
Deposito de cal virgem e potassa
Cunha & Amorim, na ruada Cadeia do
Recife n. 50, vendem cal virgem em pedra,
ebegado pelo ultimo navio de Lisboa, e po-
tassa de boa qualidade, por menos prego do
queem outra qualquer parte.
Bom gosto.
Vendem-se trancas para manteletes de
differentes'gostos, bem como para guarni-
eres de vestidos, por prego comino le : na
ra do Quoimado, loja de miudezas n. 25.
Lotera de N. S. lo l.n 1 ame nt<>.
As 5:ooo$iooo rs.
Na loja de miudezas da praga da Inde-
pendencia n. 4. vendem-se bilhetes, meios,
quartos, quintos, decimos n vigsimos, que
correimpreterivelmente no dia 28 do cor-
rente.
Bilhetes inteiros 11,000
Meios 5,500
Quartos .2,600
Quintos 2,100
Decimos i,100
Vigsimos 600
Sapatoes de lustro.
Vendem-se sapatGes de bezerro de lustro
a 4,000 e a 3,500 rs. muito bem feitos .* no
Aterro da Boa Vista, loja do calcado n. 58,
junto ao selleiro.
Vendem-se meios bilhetes da lotera de
N. S. do Livramento, a 5,500 : na ra do
Cabug, loja de miudezas n. 9, junto de
ourives.
Sortimento barato.
Vendem-se jarras mui bem feitas, resfria-
dores, quartinhas, moriugues, copos, gar-
rafas brancas para resfriar agoa, louga vi-
drada, alguidares, panellas, cacerolas com
cabos, balaios para ensillar meninos a an-
dar, ditos para costura e ditos para com-
pras : na ra da Cadeia do Recife 11. 8.
lima bonita escrava de 20 annos.
Vende-se urna escrava crioula, de bonita
ligura, ha pouco vinda do serlSo : na ra
larga do Rozario n. 48, primeiro andar.
Vendem-se duas moradas de casas ter-
reas na ra Imperial, assim como urna na
ra do Padre Florianno e urna na ra das
Agoas Verdes : veodem-se por prego com-
modo, na ra do Crespo n. 10, na loja de
Ignacio Luis de Brito Taborda, pessoa esta
que est autonsada a vende-las
Chita escarate a 320 rs. o
covado.
Defronte do beccodo Peise Frito, loja n.
3, vende-se chita escarale pelo baratissimo
prego de urna pataca o covado. Esta fazen-
ila torna-se pelos seus novos desenhos re-
eommendavel, no so para cortinas e cober-
tas, como tambem para vestidos de se-
nhora,
Aosseiihorcs chefes le familia.
Na loja da ra do Queimado n. 3, defron-
te do becco do Peixe Frito, ven.lem-se pe-
cas de algodSozinho muito encorpado, e
cambraia lisa muito lina, com um peque-
no toque de avatia : de tudo se darflo os
pregos a vista da fazenda ; assim como dar-
e-ha amostras com o competente peuhor.
A 3,400 ris.
VendVm-se pegas de cassa de quadros e
listras para babados com 8 1)9 varas cada
tima : na ra do Crespo, loja 11. 6, ao p do
Umpelo.
LI111 escravo bom ti a bulla 01 de
enxada.
Vende-se um preto mogo, robusto, bom
trabalhador de enxada e machado, proprio
para eogenho na ra larga do Rozario n.
48, primeiro andar.
No armazem de Si Araujo, na ra da
Cruz n 33, vende-se superior lanuda de
mandioca a dousn.il ris sacca, bem co-
mo sola, couros miudos, 1 cunas de ema,
tijollos para limpar metaes, etc.
Bom e barato
Na ra do Passeio Publico, loja n. 9, de
Albino Jos Leite, vendem-6e ricos cortes de
meias casemiras, pelo diminuto prego de
1,600 rs. A el les, rapasiada do bom gosto,
aulesque se acaben).
Farinlia Fontana.
Vende-se farinha daquella acreditada
marca, sendo a ultima chegada a este mer-
cado : a tratar com J. J. Tasso Jnior, ra do
Amorim n. 35.
Vende-se um rico e|completo appare-
Iho de porcelana branca para mesa e sobre-
mesa, por prego muito commodo : em casa
de J. I'. Adour & Companbia, na ra da Ca-
deia n. 52.
Lonas.
Vendem^e as afamadas lonas, todas de
lindo, muito largas, proprias para camas
de vento e encerados, por prego commodo:
em casa de Jos Saporili, ra do Trapiche
Novo n. 18, segundo andar.
Mysterios do Povo.
Chegou livraria do pateo do Collegio n
fl, de Jo.to da Costa Dourado, o stimo vo-
Inme do filysterio do Povo : vendem-se es-
tes 7 vol mes por 6,000 rs.
-- Na ra da Senzalla Velba, padaria n.
100, principio quo entra pelo Boceo Largo,
vende-so suporior farinha de mandioca,
vinda ltimamente de Santa Catharina ; por
cada sacea se levar 10 portador a pequen
quantia do 2,000 rs., conduzindo urna sac-
ca nova de bom algodflozinho, o quorendo
desconta-so-lhe 260 rs., passando para ou-
tra, que o portador levar.
Vende-se em ca de] Me. Calmont &
Companhia o seguate:
Cobro de forro e pregos para o mesmo,
Folha de Flandres sortida.
Ferro inglez em barra sortido,
Arcos de ferro sortidos,
Chumbo em lengo!,
Dito de munigSo sortido,
Saceos dealgodSo proprios para ensac-
car farinha.
Praga do Corpo Santo n. 11.
Vende-se um forte piano de Jacaranda
e de excellentes vozes, que muito agradar
ao comprador : na ra da Cadeia n. 54.
Vende-se mel de furo novo a 300 rs. a
caada : no pateo do Paraizn n. 20.
Superior Pal Brandy.
On sale, a few cases containing
one dozen each, also bottle i
Port, slierry & madeira, at E. II.
Wyatt's Ofllce, ra do Trapixe
ISovo, n. 8.
Cpeguem ao barato.
Vende-se eouro de lustro francez, de mui
lioa qualidade, pelo barato prego de 2,560 a
; elle : na ra larga do Rozario n. 26, loja
le miudezas de Joflo Francisco Maia.
4
Bombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota pera cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
fundicao de Ierro.
O barato.
Aos Senhores encadernadores.
Na livraria do pateo do Collegio n. 6. de
lolo d Costa Dourado, vende-se papel pa-
ra encadernar, de 18 pollcgadtis de compri-
doe 12 de largura, por 40 rs. a folha, ou
900 a nulo.
Carnauba de primeira -orle
a 7,000 rs a arroba em saccas, courinhos
miudos, pennas de ema, sapatos de couro
de lustro em porgfo por prego muito com-
modo, sapatinhos de meninos de 10 a 12 an-
nos em porgSo, urna toalha de breUnha,
propria para baptisado, cousa boa, urna di-
ta berta, sem bico, 3 temos de medidas
de folha e um dito de pao, tudo em bom
uso: vende-se na ra da Cruz do Recite,
numero 24.
Cliumbo de muidlo.
Existe um grande sortimento de chumbo
le munigSo inglez, o melhor que ha de B,
BU, BBB, e miado de ns. 1 a 10 : vende-se
por prego muito rasoavel, no armazem u
45, da ra da Cadeia do Recife.
Os excellentes e apreciaveis charutos
verdadeiros de San Flix, geham-so ven-
da na ra Nova, loja n. 8, a 3,000 rs. a cai-
xindade 100,
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos 70:1100,000 ris.
Na CASA FELIZ, nos quatro cantos da ra
do Queimado 11. 20, vendem-se os mui afor-
tunados bilbetes, meios e cautelas da 6.
lotera a beneficio da cultura das amorei-
ras e creagao do bixo da seda, cuja lista che-
ga no primeiro vapor.
-- Ven-!em-se peutes suissos de alisar,
para senhora, e para suissas, bigodes e ca-
bello de hoiiiem, a 60 rs cada um; crrenos
d'ago (no para relogios, a 500 rs. : na ruu
do hangel 11. 8, defionte do becco do Trem
- Vende-so urna escrava de 28 annos, por
ella o pedir, excellente vendedeira, sem vi-
cios e bem coohecida : nos Afogados, pateo
da Paz n. 21.
Defronte dof trapiche do algodiio, arma-
zem do Guerra, vende-se por mdico prego
superior cal virgem, chegada uestes dias de
Lisboa pela barca Ligeira.
Vendem-se meios bilhetes da lotera
do livramento, cujas rojas andam no dia
28 do corrente, a 5,500 is. e decimos a rs.
1,200 : na ra do Livramento, loja n. II.
Por 1:000,000 ris.
Vende-so um terreno com 53 palmos de
frente ( lugar para edificar 5 moradas de
casas ), leu.lo do fundo desde a ra da Au-
rorante a ra do Hospicio, e se convier
tambem se far negocio com outros 53 pil-
mes juntos ao mesmo terreno, os quae
dSo lugar para edificar-se 15 moradas de ca-
sas : para tratar, na praga da Independen-
cia n. 17.
Vende-se por 3,000 rs. boas saccas com
milho : no Becco Largo do Recife, venda
que volta para a Senzalla Nova.
Deposito de cbarulos da Bahia,
ra da Cruz numero 17.
Armazem de Croccot Companbia.
SSo chegadosa este novo deposito os ver-
dadeiros charutos soberanos de llavana,
senadores, depulados, regala, cagadores,
venus e quem fumar saber. Todos estes
charutos em caixinhas do cem, que muito
convm aos amadores, pois que sua quali-
dade he muito superior, e prego o mas mo-
derado possivel, para acabar cfazer-se no-
va remessa.
Agulba.s nglezas.
Vendem-se agulhas inglezas muito finas :
na ra do Trapiche Novo n. 18, escriptorio
de E. II. Wyatl.
Vendem-se mcias de linho de ps gran-
des ; barris de 4 e pipas de superior vnho
do Porto, proprio para engarrafar; arcos
para barrica:; presos de todas as qualida-
des, do Porto; e retroz : ludo por pregos
rom modos : na ra doVigario n. 11, casa
de Francisco Alves da Cunha.
Sementes de orlalice.
Vendem-se sementes de orlali-
ce muito novas; tanto em porcao
como a retalbo : na ra da Cadeia,
loja de ferragens n. 56.
Madeira de Jacaranda.
Vende-se ptimo Jacaranda emporgSoou
a retalbo, a vootade do comprador : na ra
da Cadeia de Sanio Antonio n. 18.
Vende-so um carrinho de milo, novo e
muito em conta : na ra do Crespo, loja 11.
16, esquina que volta para a ra das cruzes.
Vende-so una preta crioula, Ue 20 au-
no1:, de bonita figura, que engomla algu-
ma cousa e he muito sadia ; urna pardinha
escura, que parece preta na cor e que cose
ahilo : na ra do tangel n. 38, segundo
andar.
Para acabar.
Vonde-se a 2,000 rs. o milheiro de cebo-
las, e a 240 rs. o cento, cousa boa : na ra
da Cadeia da Santo Antonio, armazem de
tijollos n. 17.
Novo oposito le enl virfrem.
Na ra do Apollo, armazem n. 2 B, ven-
de-se superior cal virgem em pedra, ltima-
mente chegada da Lisboa na barca Ligeira,
por menos 500 rs. a barril do que em outra
ualquer parte.
Estribos de metal lino.
Existem anda alguns pares destes elegan-
tes estribos : no escriptorio de E. II. Wialt,
ra do Trapiche Novon. 18.
Quem admirar,
Venba ver e comprar.
Na na lo Crespo loja la es-
quina <|iie volta para a
Cadeia.
Vendem-se pannos finos Dretos muito
superiores a 3,000, 3,500, 4,000, 4,500,
5,000 rs. o covado ; dito azul a 3,000, 4,000,
5.500 rs.; dito cor de rap a 3,000, e
3,500; trlilos verde a 2,800; cortes de
coletes de setim de cores a 1,600 rs. ; di-
tos de gorgorSo de seda a 1,280 r ditos
de lusino de cores a 320, 500, e 640 rs.;
ditos de brim trancado pardo de linho
puro a 1,500, e 2,000 rs. : ditos de brim
branco trangado a 1,600, 1,800, e 2,000 rs. ;
ditos de cores a 800, e 1,280 rs. ; cortes
de cambraia branca de quadros a 2,000 rs.;
ditos de cores muito bonitos a3,000rs.;
ditos com listras de cores muito finos, a
3,500 r..; corles de coleto de veludo mui-
to bonitos a 2,000 rs; cambraia lisa {a
2,720 rs. a pessa com 8 t|2 varas; cam-
braias de cores para vestidos a 280 rs. o
covado ; cassa preta a 2,000 rs, o corte ;
dita a 120 rs. o covado ; riscadinho de li-
nho a 220 rs. o covado ; dito a 320 rs. ;
picte muito encorpado para escravos a
20) 240 rs. o covado ; algodao de listra de
cores a 180 rs.; chitas de cores fixas pa-
dides alegres a 160, 180, e 200 rs. o co-
vado; melins de cores para forros a 120,
e 140 rs ; riscads francezes para vesti-
dos a 240 rs. ; dilo ministro a 220rs. ; zu-
arte de furia cores a 200 rs.; ditos azues de
vara de largura a 240 rs.; lencos de cassa
para grvala a 240 rs. : ditos com listras
de seda a 400 rs.; sarja de seda preta
muito superior a 2,240 e 3,000rs.; es-
gu5o de algodSo com 10 l|2 varas a
2,400 rs. a pessa ; cobertas de tapete
para escravos a 720 rs.; chapeos de sol
de panno.lio com asteas de balea a 1,800
rs.; meias para meninos a 1,0o0rs. a
duza.
Vendem-se sacos com farello,
ebegados no ultimo navio do Ha-
vre ; larinlia Barn, primeira qua-
lidade, e muito nuva ; verde fran-
cez em p ; cabos de linho ema
nilha, muito bom sortimento ; li-
vroj em branco e paulados, de lo
dos ostamanlios ; pennas d'aco de
muito boa qualidade ; cliumbo
em lencol ; e oleo de linhaca em
barril ; tudo por preco muito em
conta : na ra do Trapixe n. 11.
Vendem-se 10 escravos : sendo 1 pti-
mo oflicial de pedreiro, e entende de assen-
tamento de engeoho ; outro dito oflicial de
carpina ; de bonitas figuras : urna pardi-
nha de idade de 12 a 14 annos, que cose,
engomma, faz lavarinto, marca de Mola j
urna escrava de idade de 18 a 20 annos, en-
gomma, cose, faz lavarinto, marca de li-
nlia, cozinha, e faz toda qualidade de doce;
2 ditas para todo o servir.) ; e 4 escravos de
servigo decampo : na ra Direita n, 3.
Vende-se urna corrente de ouro de
Ici, muito moderna, para relogio, erais cm
conta do que as lojas de ourives : na ra
larga do Rozario n. 35.
Vende-se mel de furo, em
caadas e garrafas, por preco
commodo .* no Manguinho, pas-
sando a ponte, primeiro sitio do
ladoesquerdo.
Vendem-se 12cadeiras, 1 mesa redon-
da de meio de sala, 2 banquinhas, tudo de
angico, perfeito e com pouco uso, 1 com-
moda grande, 1 dita mais pequea e em
bom estado, 1 carteira nova, 1 mesa de jan-
tar de amarello perfeita, 4 mangas de vi-
dro lisas e de bonito modelo, 4 castigaes de
vidro, urna redoma, 1 oratorio pequeo,
porm moderno, com 3 faces de vidro, com
alsumas imagens : no largo do Carmo,
quina da ra de llortas n. 2, segundo an lar,
das 6 as 9 horas da manhfla, o das 3 da tar-
de em diante.
Vende-se um moinho e um torrador de
caf com sen competente fogSo, e com al-
gum pi rjm/o por se ler precisSo do seu im-
porte : na ra larga do Rozario, padaria nu-
mero 48.
Guarda nacional.
Vende-se o peculio do guarda nacional,
contendo a lei, rcgulamento e todos os mo-
delos que dclles dependein, a 1,000 rs. cada
cxemplar completo : na praga da Indepen-
dencia, livraria ns. 6 e 8.
Aos 5:000,000 ris.
Vendem-se a 5,500 rs. meios bilhetes da
lotera do Livramento, cujas rodas andam
infalivelmente no da 29 do corrente: na
ra Direita, loja de ourives n. 124.
A l,6oo e a 1,800 rs. a vara.
Vende-se panno de linho para lengOes,
do muito boa qualidade, com a delicadesa
de vara meia dar um elegante leugol sem
costura, muito commodo para n3o magoar
o corpo: na ra do Crespo n. 12.
O Imratelro lo passeio publico,
loja 11.1 1 .1 i iiiianii Jos Koilri-
gnes Ferreln.
Vende superiores sarjas espanholas, mui-
to largas, a 2,400 rs. o covado ; setim ma-
can superior, a 3,200 rs. o covado; panno
lino de todas as qualidades ;. lengos, los
pretos, chai eos de massa francezes, brins
de todas as qualidades, casen iras a todos
os pregos, meias ditas, 1.1a para caigas, lona
da Russia, brim do quadros, ditos de algo-
dflu, Macado., runcczcs, cassas litas, corles
decolletes de setim, ditos de sarjas, challes
de todas as qualidades e gustos, madapolo
fino o outros muitosdediffcrenles pregos;
assim como um completo sortimento do fa-
zendas baratas, quo se nlo annuncia para
nSo tomar lempo aos freguezes, porque a
vista deltas se far todo o negocio, so aflm
dse apurar dinliciro.
Lotera do Bio de Janeiro.
Aos 20:000,000 rs.
O cautelista Salustiano de Aquino Ferrei-
ra faz selente ao respeitavel publioo, que as
suas mui afortunadas cautelas da sexta lo-
tera das amoreras estSo venda na ra do
Crespo n. 16, loja de fazendas, e obriga-se
1 pagar qualquer premio que nellas sahir
sem ganancia alguma.
Quartos 5,500
(lita vos 2,800
Vigsimos 1,300
aai 1 iniiiaau.u. mm^. Y
Na ra estreita do Roiario, Iravessa do
Queimado, loja de miudezas n. 2 A, do J.
F. dos Santos Maya,-vendem-so cordas d
tripa e bordles para violan eiabeca, o pa-
pe; pautado para msica, tudo da melhor
qualidade possivel.
Cimento.
Vendem-se barricas com cimento, pro-
prio para qualquer obra que possa rece-
bar agoa, assim como para aljeroz e Ira-
peiras, prximamente chegado de llam-
burgo, tambem se vendem as meias barr-,
cas por preco commodo : atrs do theatro,
armazem de taboas de pind, a fallar com'
Joaquim Lopes de Almeida, caixeiro do Sr.
JoSo Matheus.
Vendem-se queijos londri-
nos, toucinbo em mantas, ervi-
Ihas verdes, conservas de todas as
qualidas, cb preto, pos para pao
sem fermento, baldes para com-
pras e mais gneros: tudo ultima-
mente chegado de Londres: na
ra da Cruz n. 7, armazem de Da-
vis & Companhia.
Na ra do Rangel n. 36, primeiro an-
dar, ha para vender relogios novos, de ouro'
e prata, todos patentes, por prego commo-
do, e muito bons reguladores.
Escravos fgidos.

Aos 20:000,000 ris.
Ra da Cadeia do Recife n. 24, loja de
cambio da Viuva Vieira & Filhos.
Receberam-se as listas da 12." lotera do
theatro de S. Pedro o 16.* da casa de correc-
cfio, e igualmente os afortunados bilhetes
da sexta lotera a beneficio da cultura das
amoreiras o creacao ,lo lucho de seda, da
qual vira a lista no primeiro vapor.
Toucinbo california.
Na ra da Cruz, armazem n. 13, vendem-
se pequeos barris |de toucinho, o melhor
que at hoje tem vindo a este mercado, e o
mais alto e claro que he possivel, tendo
apenas 100 libras cada barril. Este excel-
lente toucinbo ia de-encommenda para a
California, efoi aqui vendido porque o ca-
pilSo do navio que o condutia "o hiate ura-
co ) leve receios de proseguir sua viagem,
em rasSo da estago ser j um pouco des-
favoravel. Os apreciadores do bom deven:
fazer um passeio ao tal armazem, onde de
bom grado se trocar por moeda conenle o
famosoe aqui anda nao visto toucinho ca-
lifornia.
Vendem-se candieros para
meio de sala, muito ricos, com os
competentes globos, canudos e tor
cillas, dando a luz mais brilhante
possivel : na ra do Trapiche n. 8.
Antigo deposito' de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
na barca Ligeira.
Morulla superiores. /
Na fundigo de C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas,
de canna, todas de ferro, de um modelo e
construcgSo muito superior.
AGENCIA
da fu 1 nlicao Low-Moor.
RA DA SKZAI.LA NOVA N. 42.
Neste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de lodos os tamaitos, pa-
ra dito.
Tecido de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5i,
vendem-so por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Deposito de espelhoa das ma-
nafacluras de Franca : na ra do
Passeio n. Ip.
Chumbo de munigSo.
Vende-se no armazem de J. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim n. 35.
Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla nova n. 42.
Vendem-se aradoj america-
nos dos modelos mais approvados;
na ra do Trapiche n. 8.
Deposito le cal \iisim.
Na ra do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegada ultima-
mente de Lisboa no brigue Tarujo-Terceiro.
Potassa la Russia.
Vende-se potassa da Russia, recentemen-
te chegada, ede muito superior qualidade :
na ra do Trapiche n. 17.
Taixas para engenlio.
Na fnn lic.io de ferro da ra do Brum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
quaos achim-se a venda por prego com-
modo, e com promptid3o embarcam-se, ou
carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Arados de ferro.
Na fnndicao da Aurora, em S. Amaro,
ven.lem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Deposito la fabrica le Tortosjos
Santos na Huira.
Vende-se, em casa de N. 0. Hieber & C. ,
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado da-
quella fabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por prego com-
modo.
Cal virgem de Lisboa,
da mf.lhor que ha no mercado, e
chegada ha dias pelo brigue E/n-
preza : trata-se com A. C. de|
Abreu, na ra da Cadeia do Ue- t0ll"s" llcs'ip"8
rife o. 37.
i"
81
pi
il
dt
ja
de
ni
tr
-- Fugfram do sitio de S. Jos do Mangui-
nho, os escravos seguintes : Jofio de nagSo
Baca, estatura cima de regular, rosto,
cheio, que parece estar ochado, cOr fulla,
odos pequeos, levando duas camisas,
urna de azulSo e outra de baeta ; outro de
nonie Malinas de nagHo Rebollo, do casal do
finado Manoel de Carvalho Medeiros, levou
duas camisas vestidas, urna azul e outra por
baixo de riscadinho azul, sendo de estatura
baxa. magro muito fallador e sempre est
embriagado : quem os pegar leve-os ao di-
to sitio cima, ou ao escriptorio de viuva,
Gaudino & Filho, que generosamente se
gratificar.
Aos capitaes de campo.
Iesiippareeeu, na noite de 23 para 24 do
corrente, o escravo de nome Antonio, do
nagSo Angola, preto, que representa ter 40
annos pouco mais ou menos, baixo, rosto
abocetado com dous calombinhos, bastan-
te barba, porm cortada, barregudo e com
urna cova cima das cadelras ; levou cami-
sa de algodSo branco grosso e caigas do
mesmo de listras : quem o pegar, leve-o
ra estreita do Rozario o. 13, que ser re-
compensado. Este escravo era do engenho
Aratanji do Sul.
Desappareceu na noite do dia 6 do
corrente urna escrava parda de nome Luiz,
idade pouco mais ou menos 30 annos, rn- f
bellos cnrrelissos, porm cortados, rosto
redondo, barriguda que parece estar peja-
da, nulos bastantes feas e algumas unhas
muito negras que parecer ter sido pisadas,
os ps muito esparrillados o feios e algu-
ma rousa irregular, levou alm da roupa
vestida, um sacco ou trouxa, dous fios de.
contas brancas ao pescogo, assim como um
rozario tambem branco, chales de chita
asul j desbotada, usa de camisa de cabe-
cSo : quem a aprehender e leva-la o}
ra do Queimado, loja n. 9, ser recom-
pensado generosamente.
Fugio no dia 24 do corrente do enge-
nho Tapera, sito na freguezia de Jaboato,
o escravo de nome Jos, de nagSo Nago,
cojo sinaescaracleristicos sSo os seguintes:
corpo e altura regulares, olhos salientes e
vivos, sem barba, com falta de denles, ros-
to talhado, ps grossos, representa ter de'
idade 30 annos, de muito ladino; avista'
do exposto recommenda-seaoscapitSes de
campo a captura do dito escravo, pelo que
serlo generosamente gratificados.
Fugio, ante-honlem, o escravo Ventu-
ra, de nago, que representa ter 20 annos,
baixo, reforgado do corpo, rosto redondo,
cabello aparado e com falta de alguns den-
tes da parte inferior ; levou camisa de oa-
dapolo e caiga de algodflozinho riscado,
com algumas marcas de alcatrffo: quemo
pegar leve-o ao armazem de cabos de bra-
ga & Companhia, que ser recompensado.
Anda esl fgida a preta Mana Joa-
quina, de idade 30 a 40 annos, nagSo Con-
go, baixa, gorda, cor retinta, bixigosa,
olhos vivos, bastante ardilosa, e sagaz;
lalvez ande sua fuga encuberta com o nego-
cio de miudezas, pois he no que se eropre-
gava antes da sua fuga, 11 rio sendo esta 1
primeira vez que foge, e que se encobre
com tal negocio; tambem j loi escrava de
engenho, e andava venciendo miudezas pelo
matto, com urna crioula de quem era es-
crava : quem a pegar levea na praga da la-
dependencia n. 17, quesera recompensado
do seu trabalho.
Desappareceu, no dia 16 do corrente, a
preta Joaquina, denago Cagange, que re-
presenta ter 40 annos, baixa, corpo regular,
cor fula, com carne sobre os olhos, nariz
chato, falta de dous dentes, peitos peque-
nos e murchos, com algumas sicatrizes de
ruido as costas; tem as nadegas um tanto
empinadas para Irs, que mais mostra
quando anda ; levou vestido novo, porm
sujo, com assento azul; consta que usa de
panno da Costa. Esta preta quando foge tem
por costume andar pelos arrabaldes desta
praga : roga-se as autoridades policiaes,
capilSes de campo, ou outra qualquer pes-
aos, que a apprehendam e levem-a a seu
senhor Domingos da Silva Campos, na ra
das Cruzes n. 40, que gratificara genero*
smente.
Ausentou-se, na tarde de 9 do corren-
te, o mnlaiindo Braz, natural do sertJo, de^
16 annos, estatura regular, cabellos um
tanto crespos e olhos pretos ; levou caiga
de riscado de quadros miudos, carniza de
madapolo ebonet de riscado : roga-se as
autoridades policiaes, capitScs de campo 0
mais pessoas particulares o apprehendam e
conduzam-no ra do Cotovello a. 135, que
se gratificar. ,
Desappareceu do engenho Massuuassu,
no dia 17 do corrente, um preto, escravo, de,
nome Adao, alto, cor bem pret, pouca ou
nenhuma barba, testa alta, desdentado, pes
grandes, natural de Angola : roga-se a to-
dos os senhores proprietarios e autondaaes
policiaes, onde apparecer dito escravo, de
o mandar apprehender, e com seguranga
remoller ao dito eogeiiho, que sarao pagas
le
|cr<
(
tei
re
tu
i
lo
01
Vil!
OS
on
csi
OU
]U(
to
11.1
M
pn
do
s
mi
jal
ii
Ql
6b
eii
eli
11
Cu
di
di
<
"de
co
na
ra
as
1 de
0r
Pf.rm. waTvp.be M.F.nrc Fakia
*
IVACTI LJ^D
vnini


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECMBQ3FNU_Z5F7G3 INGEST_TIME 2013-04-13T00:02:12Z PACKAGE AA00011611_06333
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES