Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06324


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Segunda-feira 17
rABTIDAS DOS CORBF.IOS.
Golanna e Parahiba, s segundas e sextas feiras.
Rio-Grande-do-Norte, todas as quintas feiras ao
meio-dia,
fiaranhuns e Honito, a 8 e 43.
Iloa-Vifta e Flores, a 13 e 48.
Victoria, s quintas feiras.
Olinda, todos os dias.
i a* *KifWflL-ora
KPHEMCBIOM.
'Nova, a 1, as 3 h. e t ni. da in.
1'n.si n> m. (Cresc. a 9, as'6 h. e36 m. dam,
PlUSS DA LOA.jchcia ^ )(j ag c g m. d,m
IMing. a 22, s 7 b. e 19 m. da t.
FHUMAR DE HOJE.
de Fevereirode 1851.
N. 30.
da da sebiana.
, 17 Seg. S. Silvio. Aud. do J. dos orf. e
, 18 Tere. S. Sheotonio. Aud. da <."hanc.
do J. da
segunda vara do c. e dos feitos da f i?.enda.
19 C"uart. S. Conrado. Aud. do J. da 2. vara.
2'J (,'ulm. ?. F.leulerio. Aud. do J. dos or', edo m.
da priinrira vara.
CAMBIO DE 15 OE FEVEBEIRO.
m. da 1 v. Sobre Londres, a 30 d. p. 1/000 rs.60 dias.
Pars, 320 por fr.
n Lisboa, 85 a 90
Ouro. tinas hespanholas.....
Moe.tas de 67400 velhas.
de o/lOtl novas .
Primeira s 6 horas R 6 minutos da roanhaa.
Segunda s 6 boras e 30 minutos da tarde.
pncpoDA SUBSCRIPTO. 21 Sext'. S. Maximiano. Aud. do J. da I. v. docivel,! dc4lM)0
| Por tres meics fadiantadu.) 4/000 e dos feitos da faiendi. Prata.PatacOes brasileiros....
Por seis meses 8*000 22 Sab. S. Margarida e Jovita. Aud. da Ch. e do J.j Pesos coluiimario.....
28/000 a
iB/ooo a
Ki/OOO a
u/uO a
1/H20 a
1/020 a
Por un anuo
15^)00 da 2. varadu civel.
23 I) un. da Sexagsima. Lzaro.
fiara 7-. --- -r'-xLcauMumKUnian
Ditos mexicanos........ 1/U80 a
28/5110
10)400
16C2WI
9/11 JO
I/!I40
I/!I40
1/700
..-..io .ra:. .n^sstF.ua
SBaatcswrswsMBCB'zigttaa.'-Jnci*^*":.:.. .tzi.
M&TE OFFICUL.
GUVEKN DA PHOVINCU.
EXPEDIENTE DO DA 13 DE FEVERERO
DE 1851.
Ofllcio.--Ao commsmlo das armas, dizen-
dn que pode mandar dar haia nos termo*
do aviso de 10 de Janeiro de 1816 aosolda-
do d segundo batalhflode artilharia p
Luiz Moreira de Carvalho visto dar elle em
8eu lugar o paisano EstevSo Jos de Sania
Anua, pessoa idnea pata o subst tuir.
Dito. -Ao juiz relator da junta de juslica,
transmitlindo para ser aposentado em ses-
so da mesma junta, o processo verbal feito
ao soldado do corpo de polica Luiz Anto-
nio de Franpa.Inteirou-se aocommandan-
te do referido corpo.
Dito.-A' pagadoria militar, para que,
vist do recibo que remelle em duplcala,
mande indeu nsar a cana do primeirn ba-
talhao de catadores da quantia de 44,320 rs.
que se despendru com o transporte da bs-
gsgern do mesmo halalhSo em sua mudan-
za do qaariel da gloria para o do hospicio
em dezembro do anno passado.-- Scientifi-
cou-se ao commando das armas.
Dito A'thesouraria da fazenda provin-
cial, para mandar adianlarao engenheiro
director das obras publicas a quantia de rs.
3.000,000- sendo 2:0 w) 000 rs. para a conti-
iiuaco da ponte dos Afogados e o resto pa
ra o lauco do caes do Apollo ; e bem assim
ao engenheiro JoSo Luiz Vctor Lieuther a
de 8:000,000 rs. para continuacBo das obras
do dt -cimu-quarlo lanco da estrada do Pao
d'Alhoi segundo requisita o referido di-
rector. Communicou-se *u mesmo di-
rector.
Dito.A mesma, para quemando pagsr
a Antonio de Hollanda Cavalcaoli de An-
drade a quantia de 90.880 rs. que, segun-
do a contaque lemelle, se despendeu com
0 sustento dos presos pobres da cadeia da
Victoria, desde 10 de dezembro de 1850 ale
10 de feverero corren te.
Dilo.A mesma, ordenan lo que mande
adiantar ao secretario da directora das
obras publicas Joaquim Francisco de Mello
Santos, visto assitn o requisitar o respec-
tivo director, a quantia de 100.000 rs para
ocrorrer as despe/as do expeliente da mes-
ma directora.Intelligenclou-seao refer-
do director.
Dito.A' mesma, para que, a vista do
certificado do director das ohras publicas,
mnie pagara Pedro Cava'canti Wander-
ley, arrematante do terceiro lanco da ca-
rnada de barro da estrada do sul, o importe
da tercelra prestarlo, i que elle tem di-
reto por ter feito 3/4 da referid* obra.--
Communicou-se ao mencionado director.
Dito.Ao juizdedireito docrimedacn
marca da Boa Vista. Compelindo a Joa-
iiufoi Manoel Carneiro da Cunta, como ar-
rematante, a cobranza do disinio do gado
cavallar dos municipios da Hdi Vista e Ex,
relativo mis ir. s annos financeirns decor-
ridos do 1."~ de jnllio de 1847, a 30 de ju-
nho de 1850, do .nsmin do gado vaceum, e
do imposto de 2,500 rs. por cabera, perlen-
cente aos meamos municipios a contar do
1 o de Janeiro de 1849 a 30 de junlio de
1851 ; e como comprador a do disimo tam-
ben) do gadovaecum pertoncente aos me-
zeade novemhio e dezembro de 1848, por
ter sito rescindido o contrato anteriormen-
te feito do mencionado disimo recommeu-
doavmo. que pela sua parle empregue as
providencias a aeu alcance, alim de nSo ser
elle, if ni seus procuradoies embarazados
na referida cobranza por duvidas suscita
das entie os creadores, e as uessoas, que
figuraran) no contrato rescoiidido.Iguaes
aos juizea municipaes dos i unos da iii'n
Vista e Ex eaos delegados dos referidos
termos.
Dito.A cmara municipal do Recife.
Do regulamento expedido para a execuc3o
da le provincial numero 91, e que dentro
em poucos dias ser publicado, se deteraii-
na que a cmara municipal da cidade do
Recife designe em edital, que ser publi-
cado pela imprensa, o dia, em que no ce-
miterio publico ae ha de comecar a rece-
ber o* cadveres, e que de enttoem dian
le GcarBo prohibidos os enteiramenlos, em
qualqueroulro lugar dentro da compreheo-
sSo da cidade do Recife, e de seus subur-
bios, excepto os dos principes e bispos, e
por que nSo se deve perder lempo para a
adopc^ de semelliaole medida, convui
que a mesma cmara, prevenida desta dis-
posic&o, passeafazera designarlo ah re-
comroendada, providencundn entretanto
para que provisoriamente se feche o cem-
lerio por um portSo de madeira em quanto
n3o se pronipliOca o qne tem de servir de-
liiiilivaiiieiiie, conlormo a planta do mesmo
cemiterio.
Potara.Mandando por em liberdade o
recruta Lino Jos Rodrigues por ter pre-
sentado isencao legal.
ga, que dever hoje mmo spresentar-sn
ao Sr. capitSo JoSo Jos Gomes, presidente
lo referiilo conselho de guerra permanen-
te. i|ij)i'a funeniona no quartel da Cloria.
0 coronel commandante das aunas, de-
termina que o Sr. alf-res da qtiarla classe
los nfllciao.s do exercito Manoel Leocadio
le Meira Wenlerley, soja dsllga lo do se-
gundo hatalhSo de cagadores, onde est ad-
didn, e que nesss iiualidade fique corside-
r*do na companhia de arlidcns, oara nella
fazer o servido sem pretaritjSo daquelle a
qu he obrigado, comovogal do conselho
le guerra permanente^
Josi fcenle Je Amorim fezerra.
m
INTERIOR.
COItRESPO.NDENCUS DO DIARIO DE PER-
NAMDUCO.
Rio, 22 e/a Janeiro.
O patacho de guerra Desterro, aprisio-
nou a barca Rldemonda e trouxe-a para es-
te porto. Vieram a bordo da barca hldc-
mondti 7 marnheiros e 1 africano bu(al.
Os negociantes inglezes desta pra^a j
tinhatn celebrado um convenio em 1848,
assentando que nSo venderism suas fazen-
lasse DIO i dlnheiro, ou a crdito por um
anno o,o nido milito ; que as facturas seriam
assignadas pelos compradores, pagando es-
tes o juro de 3/4 por cento ao me, na fal-
l de pontual pagamento ; e que as dividas
interiores deveriam ser amortisa las antes
de qualquer outra contrahida por essas con-
tienes. Agora luizeram modificar este con-
venio, mas sempre ao modo inglez, isto he,
.ni conformidade as perrogalivas do ci't
britanicus tum, 13o caro as nages Tracas
quando pronunciado por um lord. Reduzi-
rain a 10 mezes o prazo das assignaturas de
facturas, para os que nSo quizessuitl passar
I .'lira-. ; vencido o pagamento correr o ju-
ro de um por cento ao mez durante 16 m -
zes ; e os qoe, linio esse tempo, n9o sol-
verem seus dbitos, ser3o declarados indig-
nos de crdito as casas inglezas.
os negociantes eslrangeiros de outras
nafes comprehenderarr, a conveniencia de
oppOr ao Iam nn Kngliih man o 1 am not an
V.mjhsh man. E de tacto, o nosso corpo c >in-
uercial sentio-se da violencia deasfl bil, e
conco'dou, sob inulta de4:000,0b0 rs. em
nao comprar aos inglezes por cundieres
tois onerosas que as do primeiro convenio,
resultando d'hi a prefer icia aosoutros.
He bello ver essa lula a Milaneta, que nSo
compromeite : mas urna litjAo meslra s se
poderia dar, formando um groaso capital
qun podesse fazer o commercio de imports-
cSo, por nossa conta libertando-nos assim
dos fomecedores inglezes.
... D-u em pouca cuusa as formalidades e
preparativos da cmara municipal pira a
limpeza e irrigarlo desta cidade. Se mes-
mo se livesse conseguido as exigencias d<
cmara, nunca ficariaui regidas as ras,
cotn a insudicieocia dos mens adoptados.
U lornul de 21 diz :
a De liuenos-Ayres alcanram as datas a
8 do crrenle. Tiuham recomepado osfu2
lamentos, tie noticia que sera reoebi Ja com
pezar, mas nSo com admiracSo, porque o
terror he a arma de que se serve Rosas pa-
ra levar ao espirito dos Argentinos a couvic-
c3o da bondad, illuslracSo e juslica do seu
governo.
Um tal Coelho, que tivera a desgraca de
incorrer no desagrado do dictador, e lia
acouado, volt aos seus lares, na campa-
nha do sul, e levanta, segundo se oizia urna
guernllia de 30 a 40 houieus. Falla-se na
cidade, mas pela boca pequea, bem enten-
dido, nesse levantndolo eui miniatura ;
alguem se atreve a insinuar que a corda se
apeita lalvez de mais, e Rosis pOe teimo a
rssas garzulces mandando fucilar em P"-| pcenlo mais qu e~u"l8l5.'
entre elles a urna mtilher, qnal fizera
presenciar a execuQlo.
a Concluido todo, e antes de mandar os
corpos para o cemiterio, nos carros da lim-
ieza, mandou vir ocirurgiSo da guarda qua
sl em 'Palermo, e ordenou-lhn que con-
asse fdenlifieamenle um cerlo numero de ca-
h'cns, visto liaver-se dedieado. Ilie disse Ro-
sas, ao eiludn da phrennlogia com o m de fu
zer axperiencias com alyvns cabecuilo*. En-
tre os fuzila los liavia um irmo da viuv
de Marnho, daquelle mesrno Ma'inho qa
t3o proveitosamente servio a Rosas com a
penna como seu escrevenle. e com o pu-
ulial como mashorqueiro. Rosas ordennu
que conduzisse a pobre viuva ao logar onde
eslava seu irmSo sem dizer-lhe que jt nSo
viva.
ll.ivia lambem ntreos fuzilados alguns
homens portencentes, segundo se diz, a
guerrilha de Cuello, e lambem um sereno.
Merecan) a morte lodos estes infelizes ,'
Mereciam-na s escondidas ? Porque he que
a receberam na morada de Rosas, e sem ne-
nhum auxilio espiritual ?
i lia quem diga que Rosas far esnetar
essas caberas no acampamento dos Santos
Lugares e em Palermo. Se o fizer ueste ul-
timo lugar ser um ornamento adequado a
mansSo do despola. Ape2ar disto cunto que
domingo irSo os habitantes passear Pa-
lermo, e contemplar mesmo os chucos e o
lugar da exrciirao coberlo de sangue. Mas
a medida acabara por encher-se meu ami-
go, e entiio esse mesmo povo sei o
instrumento da juslica divina, 13o tarda
quSo certa e tremen la.
Tem se fallado milito de Cuello, e di-
ze.ni hoje que sahiua campo.
O mesmo forual diz amia : Depoisdi
noticia dos fitzilamentos, a mais importante
he a do aditamento da mensage n do gover-
nador sala dos representantes por ca sa
calor !.. Diziam uns que eslava adiada
a t o da 20 do curente, oulros al 20 de fe-
verero : o que he cerlo he que eslava adia-
da sine die.
Chile tu .iva em perfeita tranquillidade.
Por um decreto expedido a 15 de noveuibro, o
governo coucedeu que os assucares fossem de-
positados em transito, isenlos de armazenagein
e dos direitos de 20 por cento mi valortrn ijue
pagavam al entao. Bata medida conserva as
vaulagens que tiuham os consumidores, c d
novas vaulagens aos reexpoitadores, contri-
bulado aasiiu para ae acilvarviu as noasas reta-
rdes con) aquella repblica.
I-i fin. 27 rfe / ii ni i ni
O Sr. Leopoldo Augusto da Cmara Lima,
guarda-mr di alfamlega, foi sentenciado em
grao de appellacao a qualro mezes de priso,
e multa correspondente a metade do lempo,
em processo de queixa por Injuria conira elle
iateiitadu peloSr. Or. Jos Rodrigues Ferreira;
o qual disse que perdoava ao condeuinado a
mesma peua, estando por isso peiempia a ac-
cao. O *'*. Leopoldo fez um coinuiuuicado.
no qual oegava a verdade deste perdao, que
compela ao poder moderador e uo quelle
Sr. Disse, que eslava disposto a nada aeveilar
doSr. Ferreira, cumprindo esaclaniente a sen-
tenca, qualquer que fosse que, depois da ap-
pellacao que preieudia faser ao podrr compe-
tente, apreseu.aria una esposifo franca e leal
ao publico do cumplot que te faiia coulra elle.
Cumprio sua palavra, depola de ser perdoado
por graca imperiaf.
Na" eleico primaria que se procedeu em
Minas para mu senador em aubslilu^u ao Sr.
II, V de Vascuncellos, obteve o partido gover-
uisla o eleilores e a opposico 5. So se coulic-
ce por ora o resultado da capital, Mariana, ( a-
iii.n fots Saude, Paulo Horera, Sau-Sebastio,
Caclioeira do Camp, Sumidouro e Casa Osraia
No refrusprclo amiuni do auuo passado, pu-
blicado no Jaran/; l-se.
a Qsuccesso mais noiavel do periodo que va
moa passar em revista he por sem duvulaa im-
portante subida do cambio, que no lim do an-
uo cliegou a 31 d. por 1,000 rs., COiafio a que
nao attmgira desde 1841, Maiiuaudu saques
totaes do anno em L. 3,680,000 ou cerca de 10
o corpo do commcrcio embaracos s veies
bem graves.
As lettrai do ihesouro em circulacBo no
fim do anno representaiam um valor de
6,257:000.000.
O tliesouro tnmnu no decurso do anno
L. 20 000 a 27
11 30.000 a 27 1|2
H 5. 0l a 28
l 10,000 a 28 l|4
39 000 a 28 1|2
(( 26 000 a 28 3,4
< 25.000 a 29
15,900 a 29 1|8
a 5.000 1 29 1|4
Commando das armas.
Quarttl do commando das armai na cidade do
llecife, em 1 de feverero de 1851.
OHEM 1)0 DIA .Y 43.
Convindo que as fnneces de audictor do
conselho de guerra permanente, sejam des-
empenhaiias em cada mez por um sr. Capi-
tSo, alternadamente, afim de nao sobre car-
regar com este servujo, alias imr orlante, a
un s iudividuo, o co ouel coaimaiidaule
das amias nesla confumilado dispensa ao
Sr.' capililfio da cunipatitiia de artfices
Larlo> ue Moraes t.aiiii/o, do emprego de
audictor do ui.o couselbo, e nouia paia o
substituir, oSr. capitSo do segundo bata-
IhBo de caladores Domingos de Lima Vei-
lermo a 20 individuos lirados das prisOes e
dos Santos Lugares ; e a esses fuzlamenlos
nSo precede oem a sombra de um jqlgamen-
lo, oem mesmo os soccorros espintuaes !
iNinguein sabe que criiue com neiieraui, o
...issar-se-ita inulto lempo antes de saber-
se mesmo os nomes das victimas. O pouco
que k respeito chegou ao conbecimento do
publico, achs-se referido na carta segumte,
transcripta no Commercio del Plata :
Uue nSo he para nos dia de fasta, o dia
de Res, V. j sabe ; mas llosas quiz apezar
de ludo fazer-lhe as honras, e celebrou a
seu modo, mandando fuzilar 20 pessoas,
nSo as pnsoes, nSo luz publica, mas siru
na sua quinta de rocreio em Palermo de S.
lien i lo, nesse Toco onde se rene ludo quan-
to a culta sociedade de Buenos-Ayres eucer-
ra de mais bullante, de maior luxo, de mais
bello : nesse Palermo que he visitado an-
ciosamenle por todo o estrangeiro que cne-
ga a estas praias, e que, alravs de ludo
quanto afoimosea essa murada do tenebro-
so Rosas, nada divisa que Ihe diga que all
nao pOe o p um ser Humano que nao sala
minchado, que aquelie he o loco de to-
dos os vicios assim como de lodos os
crimes.
Nem mandou fuzilar esses bomens i
luz do da. mas sim no crepsculo, alim de
acompanhar este faci com todas ai cir-
cumstaucias precisas para infundir terror
em habitantes ioerles
Digo que sSo vinte os fuzilados, se bem
que baja quem os faca subir a 27, porque
creiuque he o numero exacto. Da cadeia
conduzdos pelo chefe de polica man lou
tirar 23, e mandou vir 2 dos Santos Lugares.
Dos piinieirosescolheo 18 no momento da
execucAo, e perdoou a 5 dos quaes um li-
cuu luuco na occasifio Je levaular-se da
banqueta. Concluidas as descargas, ees-
lando anda presentes os cadveres, man-
dou acoular ferozmente aos perdoadosa e
Ksse melhoriiieuio do cambio foi em ex-
tremo favoravel ao cumuiercio de importado,
fazendo al certo pouto recuperar as remes-
sas osprejuizos causados pela superabundan-
cia dos suppriiuenloa e pela falla de prucura
de ceos arligus. A* medidas lomadas para
represso do trauco, e as noticias desfavoraveis
recebidas da California, das quaei resultou a
bandouar-se toda a ideia de especulacao para
aquelie ponto, lizeram cessar eu. graude parle
a procura para reeiporiacao que tao poderoso
alimento dra ao uioviiiieulo desle mercado no
anno de 1849.
os productos do paiz, temos a notar a es-
pantosa altura a que no principio do anuo ebe-
garam os prefos do cafe, e a quaulidadc avul
lada em que be oreada a prseme colheita.
i. O reudimento d allaudega e do consulado
excedeu em 5oO:U0u,0O0 de rs. ao que se arre-
caduueui 1849. V allaudega rendeu mais 151)
conloa e o consulado 404:U".l'0O de rs. (a al-
fande^a rendeu 9,238:ISi.OOO ra. e o consulado
2,384.'8b7,0lMJ rs,j
Foi promulgado o cdigo coimnercial, cj
esta em execuco desde o primeiro de Janeiro.
Descontos I o principio do anuo entio -
se graude talla de diuheiro, e as firmas mais
acreditadas descoolavaiu-se com dimruldadr
de oiio a nove porceuto. aos recelos inspira-
dos pelos embarazos coiuinerciaes que pudiam
trazer os estragos da epidemia attribue-se em
grande parte essa escasset de nuuierario, que
uo be fcil acbar outra esplicafo ua puca
em que ordiuariamente sao tuais abundantes
os capltaea. Em jullio couiefou a haver mais
lacilni.ide as trausac(es, baisando a coiajao
a 8e7 i|2 por ceuto: esta ultima foi acutayau
geral em nuvembro, toruaudo-se nesse mez
mais considerav.-l a procura, tomo de ordi-
nario acontece, foi o diuheiro uiuilo procura-
do no lim do anno, coucorreodo Umbrm para
isso a subida do cambio que iuduiia a fazer re-
messas anticipadas ; os nossu* capitalistas,
porui, por uiu sysiema de mal euleudida re-
gulandade, reeuluem ein dezembro os seus ca-
piiaes, para nao complicaren! as ti.ni-.no>
de um auno com as do ouiro seguiule, resul-
iando d'alii para elles um desfalque uaa rendas
que os seus fundot poderiain produzir, e para
L. 175,000
Alm tiestas sommss, rometteu a Rabia
Dar Londres L. 176,500, lomadas an cam-
bio de 28 a 30. Pernambuco Mar-nli.i
remetleram L. 171,400 aos cambios de 27
112 e a 29 112.
Incluida a quantia tomada pelo the-
snurii, orcam-se os saques do anno err I.
3,300,000 nu 10*|, mais do que em 1819
Nenhuma noticia de maior importan-
cia te o viudo sobre a repblica argentina.
l!in artigo sob a epitraihe auluncdodo Rio
da Prata, do Commercio del Plata de 14 do
correte rommemora o que de mais im-
portante existe : ii3o me proponho a redu-
y.i-lo, poique he lodo digno de ser lulo rom
itteiic3o, e pode ser lido no jornal de hou-
lam.
Prosegu^-se n* alfandega ans exames
das fraudes iMinmeltidas por meio da lalst-
itc c'i i das firmas do tlii'sonreiro e do
enipregado que lem a seu cargo o li-
vro dos registros. Ate ao dia 25 monta-
va m a 24.000,000 rs os direilos extraviados
pelo despachante Domingos Theolomo tle
Abreu.
O leitor conl'erenle Miran la foi suspenso,
em vriode do regulamenio. A portarla de
suspeiiso lavrada pelo Sr. inspector, foi
COOCebi la em lermos honrosos para aquel-
ie em pregado.
O ador JoSo Caelano dos Santos, di-
rector de urna companhia dramtica, an-
ntincin a abertura do theatro de S, Pedro,
oara o dia 14 de margo prximo lindo
Compromelln-se a dar dous espectculos
por semana, nos domingos equartaa futras,
alen de extraordinarios : o iiicotntiiodo
repentino de um actor, ou inao lempo, po
derflo mudar a repiesentac&O da opera ao-
nuiciala mas llSO, obstar a qu baja es-
pectculo nos das predios.
Chigaiain ltimamente de Inglaterra
360:000,000 em ou o ; e dizem que o Teviol
conduzna MO,ooo:o,ooo.
O governo compiou por 500 000,000 rs.
o Iraptxe da cidade a Jos Bernariino de
Sa, como procurador da coiiilessa du Sara-
puhy
No dia 23 executou-se no largo do
Mniiia a s 111 i ii; .i de morle, de que ja lile
dei noticia. O drsgiaca.iu Francisco mo--
irou-sc conlricto no acto da execugSo, <
alir.ujni Ircs vezes o sacerdote que o aju-
i .i vn a moirer.
Suicidou-se na madrugada tle 22, es
Ira i gnlou-M' cot) algumas liras de lencol.
A. Castagnera, subdito espanliol. Tiulla
vindo para aqu, ha doze anuos, fazeod
paite de tima companhia dramtica, dirigi-
da por l.apuerta. Depois da retirada desta,
Castagnera alislon-se nos coros da compa-
nhia I y i tea italiana do theatro de S Pedro,
pelo estipendio tle 35,ooo rs. mensaes. sem
ni mi- de subsistencia para si, sua mulhcr
qualro lilhos, o infeliz pz termo a seu.
das por aquello acto de desespero.
O l)r. JoSo lnogo Sturz, cnsul gersl
lo im erio ua PrUssia, foi encarregado de
asistir dspo.-icio que deve ler lugar em
Londres,
OSr. cons'lhero Francisco Concalve
Martius, dezembaigadorda ret;3o de Per-
nambuco, foi removido para a da Baha.
dem, 31 de Janeiro.
Acho muito inteiessaiite este artigo d
sexta caria de um aiuioo ausente, publicada
no Jomul.
a Puco a pouco vai se levantando o v
que encobre as ultimse uovissimas exi-
gencias de lord Pal uerstou, ostrenuo pro
oo-ioi.lio da liberdade universal. v..
quer smente o castigo dos que commette-
ram o enorme crime de obstara inyssSo do
Cormorant no porln de l'-ransgua ; quei
ouirosiin que o gabinete S. ChnslovSo de'
lare em nonie de S. M. o Imperador do
Brasil, que mais profundo pesar pela morte
le um marinlieiro inglez e feriuieulo de
lous, aconteciilleiilo este proveniente do
coudiclo que se travou ent'e o dito vapo
quo rebocava tres ou qualro navios que
apresara dentro do porto, e a fortaleza na-
cional, que lenlou mallograr tsse acto ib
eriminosa violencia. Ha urna comedia in-
glez que lem por Ululo.1 mtw way lo pm
od debf, a nova nianeira de pagar divi
tas vellias; lord Pal iierslon, com a traii-
quilici uta do Sr. israelita D. David Pacifico
t.....a dado a.-sumplo para urna oulra co-
media Kuva maneira de si pagar dividas
otileslavis, a plulantropica e cavalhel-
rosa exigencia com que ora se engiila
..ara nos, promelte-nos urna terceira po
duceflo do mesmo genero, cujo titulo pode-
ra ,ur.E excellenle meio de cumprir talis-
fucOes devidus.- Excede os limtese onheci-
dos da insolencia, da iniquidade e do ridi-
culo o procedimento que a um annuaesla
parte caractensa a eoltica Im.anua coi
lelacSo as tiaiiOe mais Iracas!
A despeno das me ndas sanitarias que
-e tem lomado, a'guus P' ucos casos de
febres teeiu apparucido De quiheulas e
tantas pessoas que inorreram desde o 1.
al o dia 25 do mesmo mez, s 10 inorre-
ram tle febres. A peste nSo se tem desen-
volvido como temia-se, e lalvez por cir-
cunstancias muito peculiares deram-se al-
guns casos com mais frequencia abor lo da
i'srona ingl-za Apparatim da Calera Nor-
te Americana, e posteriormente ii bordo
do brigue Ccoih e da escuna Ospraij, ambos
inglezes
Na eleicSo primaria que se procelia etl
Minas Geraes, e que comeQou a 12 lo cor-
reine, de que j fallei. o governo lem po<-
bora aleuncado Iriuiipho.
O resultado condecido alo hoje da no
governo 87S eleilores, e a opoOSicAo 121.
O I). Afinso ernsou at ao Rio das O-
Iras, e desembarco!! omCahoFio 40 ora-
cas de (Milicia, 0 chnfe de polica visi-
tou todos os pontos do desembarque, o
mandou destruir os barracoes que serviaoi
de alojamento de africanos, e iuutilisar os
ulenrilios apropnados para o commercio
ilhrito d escravatura. As calraias, bale-
eiras, e boles que serviam |>ara os des-
embarque l'oram enviados a esla porto.
NSo se encontrn portn tiaquelles luga-
res ii ii ii im africano bu^al.
Esa ileligencia se faz na melbor ordem
possuvel, e o chefe de poltcia mandou la-
vrar autos de tudo o que su achoo, do
que se ni reoen.I -n o do qil' S'inunlisnu,
depois de follas as competentes BValiacOas,
leiid i em vistas co a este proce.iimeu o
as reciamacftvs que a todo o lempo pode-
rem ser presentadas.
o vapor Ks4, entrado inte-hontm da
Montevideo tras RSZetSS ale 22 do corren-
te, e de Bunnos-Ayrea al 19.
F.m Montevideo nuda lluvia occorrido do
inleresse.
A Guzela Mercantil de BoeooS-AVre pu-
blica um uflieio du encarreijado de negi-
cos do Itra/il em Montevideo o Sr. Silva
Puntes, dirigido so geieral Oribe, a 'es-
polio do assasslnato per, etrn lo em 4 de
agosto prximo passado na pessoa do bru-
sileiro Claudisno do Passo, em Senos Illan-
cos, territorio oceupa lo por forjas do ex-
ercilo sitiador.
Publica igualmente a resposta to gene-
ral Oribe, escripia em 7 do correnla. que
c ou re dando por lindas suas ri lagAes
OiliCiaeS com o Sr. Silva Puntes ; assim Co-
mo a iipprov icfio do general llosas a essa
resposls.
tlsnlVicins a esse respeito aeliain-se no
lornol du (.omm-.rcio de houtetn.
O Dr. I llano ir;, um convite pos spus
amigos para assislirem depois da amanliS
a iinni missa 410 convenio de Ajudas. pelo
responso do sen fallecido amigo J. Nunes
Manado.
O iornal do Commercio de hoje, pimli-
COU diversas notas do Sr. lames II idsot o
Paulino Jos Soaros de Souzs, v. rsan lo so-
bre o contrabando de frcanos, e fez um
extracto do que lleile scCotiln !
O mesmo jornal ronclue assim :
ii Se ao ler as nulas a iiue nos referimos,
um movi oento de angu-tia opprime o c i
i,ic..ii biasileno p<|o soll'rinieulo a quo a
uOftSi fraqueza expe a patria dlsnte d
lo injustas oxignelas, esse s.-nli nenio
alia ne.i te mitigado pela superioridu.de com
que o Sr. S jares de Souza pulveisa eSSaS
infundadas inscnpsjOeaT O SUSlOOta, em po-
slcSo tSo delicada, os direilos, a digulda-
de, a liiui i do paiz.
O S'. Soares de Souza acaba de rece-
ber da ioprensa europea elogios tao nw-
reCldOS quao elevados : se p netll na ques-
t.io com o miutsiro argentino o distiucto
estadista b as le ro collocou-s a par dos
grandes estadistas europeos, na quest.lo
cotn o ministro inglez i npossivel que o
iXCe lessein, quer pela conscie.iicia d.dig-
indade piopria e da liguidale nacin n,
quer pela lonja da argmenlac.lo \ pela lr-
meza com que Sustenta a hulla de proce-
der d ca.ia por toJos os Hilereaseis e o-
bngar;cs do BiSSll,
a Se no secuto 11- liinl o le a rssSo mais
do que a brutalidad.; da forc, di/euio-lo
com a mais nobte ulania, o Itrasil veuCeu.
Se as circunstancias ein que nos CVlloCdO
as pretellfjfles britaniiicas poiem ser su
peradas, se-io-liiio por cerlo pela leald ide e
lirmi/a que nesla queslo lem maufesia-
do o un...... imperial. ,,
tssds notas So iiiieressantissimas, es- -
peiO quo o Diario as publicara.
Cambio du dia 30 Ue Janeiro.
Londres, a 30 a i) \y d Bak por 1,000.
Pars, .lo.i a 312 rs. por franco.
Lisboa, 88 a 90 por cento de premio.
Ilamburgo, 58 rs. por tnaico ortico.
dem 2 de teveieiro.
A sabida doJ. Sebaitido .ui.i.iici.i la para
honiein, foi trausleri la para aman iS. Pun-
cas SfiO as nov la ic.-i que teilllo a contir-
llie.
J sep le consi lerar de lodo extiuc-
ta a epidemia em Campo.
Foi rec,ululo liiiiitein a fortaleza de S.
Cruz O general I), t'iuclo Rivera
No ultimo do no / p. passado sabio em
co.iiuiissSo o vapor de gueria Gulpuaho.
Koram a seu bordo o elicl'e de polica e
30 pracas de periuaiieules com 2 ullict o-.
t' sem duvida para proteger o tracico, co-
mo ja coslume vellio Jus que subuam
80 poder pelas oseadas africanistas Quem
quer calumniar, sem..re ..ca meios....
O vapor li. Pedro II, fez lioulem a su i
primeira experiencia, levan io abordo S.
ti. I. : a marcha regulou II 1|2 milhas por
hora. Este vapor e bem acabado e ornado
com o maior luxo.
Infelizmente ao volltr para o ancoradou-
ro o Pedro II foi de eucoulro sobre uuia
fala ca regada, que sussubrou salvndo-
se lo Ja a genio uos escalcres do vapor que
codtram imuodiaUmeute. V


*W
---------------
muri m mmmvm

II
i
HCirE, 15 DE rEVEBEIBO DE 1851.
Consta-nos ter suceedido em finsda ji-
neiro pasadn. em a freguezia do JaboatS
o seiiuinle faci deploravel.
Tcndo o inspector dfl quarterSo do se-
gundo dtrirto daquella freguezia Pedr.
Jo'quim Gomes Fernandes ido i urna dili-
gencia, como fim de prevenir disiur>>i que s receiavam em consecuencia de -
n>eac>s felaspnrum celebrefacnoros >JiBo
Joaqun) da Cunda a um sen ininvgo, o
qual logo sn dirigi a pnrticipar o in-jorri-
do a aotnrilade policial do lugar ; acconte-
ceu, queso encnntraesem o refer to inspec
tor e o nicsmii Jupio Joaquim, que montado
e armado de hacamarle falla cnmsigo ou
Iro compauheiro de nome Silvestre no mes
010 estado, e se dirifia em busca do inim-
go. que ameacra 0e morte : o inspector
sahindo-lhe ao encontr, com os que o ac-
co-npanhBvam, quasi todos mal armados,
procurou dissnadi-lo dos seus projertos, e
faze-lo voltar ; por n sen 10 repelliJo com
palivrtj* de insolencia e valenta, deu-lhe u
voz de prso, a que elle responden 'gallan-
do do chvallo e armando sobre o mesmo Ins-
pector o 1 > 1 r .1111,1 1 ; entSo est-< arrojndo-
se tapidamente gobre o sendralo conseguir)
acobarda-ln, o frustan to-lhe a pontana,
etilrou em luta por lomar-Ihe o bicamarte ;
emquanlo porm islo se passava o oulro
malvado enmoanheiro de Jofiu Jo.quim es-
preilava alguma distancia, e de ponlaria
ieits, o momento, em que poderla desf'Char
o tiro gobre o inspector, sem que 1.Il'.-n ti-s-
se o seu consocio, o que sendo apercebido
por um lilho anuos que accoTipanhara a diligencia, teu-
tou este desviar de seu pai o pango, que Ihe
eslava eminente, pondo-se em fente do
assassinn, e procurando intlmi la-lo apon
tandu-lhe urna davina, que conduzia ; o
scelerato porm a esta CflSo de um linio,
que defenda da morte a seu pai, perdendo
de vista a primeira vicliu a, desuarou o ba-
camarte sobre 0 infeliz rapaz, que imme-
diatamnte c um Castigo do CO, a davina d- Ste des.01-
rou-ge ao mesmo lempo ferindo mortal-
mente o assassino, que desatinadamente
deitou a correr, deixando Cahir o hacamar-
te, potm (i-f-M'ii'ii 10-v sempri obstinada-
mente iiosqne o pers*guiam cot umi facn
depona, que mauejsva, e conseguin lo a
final escapar-lhe, viudo a morrer lies das
depois de haver recibido o tiro.
Entrou hoj-a urde dos portos dosillo
vaporS Sebastian, trazu lo-nos gazetas d'
Rio de Janeiro, quealc-incSn a 5, e da B hia
13 do crrente : a hura adianta la, em qu
as recebe-nos nos niio pennilte dar se Bflo
nun risumil.iinrnii' as noticias que nel
las-vi : > r r 1 n >-, >|-ie O Ui tiros encon-
traran por extenso em a carta do nosso cor-
ras pon lente do Itio, deixindn p-da mesin <
razan ile ser publica la a correspondencia lia
Baha, o que firemos em o numero se-
guinte.
Por cartas de liuanus-Ayrn* consta, que o
dictador Itozas contini a preparar-se acti-
vamente para a guerra comprando arma-
mento, e embarcado 'S p ira armar, Conli-
nuava-s das Infeliz** victimas do odio do lyraiio ; e
s no m.i de Res mandn elle fuztlai '20 pre-
sos sem pmcesso os que porcm escii>avW>
ao lo-/ I nrfio acouladns, entramlo no nume-
ro desl^s algumas ni ni lie res Em lima
ola dirigida as representantes tornou o
gen ral a renunciar ( pela duod- cima vez )
irrrvoguvel mente o poder, ledindo-lms n-
carei'idaiiienle, que Inedessem um sneceg.
sor una far;i queja mo te 111 significaba.1
nem importancia algum*. Tiuha quehrado
naquella pi ac, i o negociante l.auriano Ko-
nori n com o passivo de um milliCo e sms-
Centos mil pezos,
Acha-se recolhido a for'aleza da Santa-
Cruz n general coligado D. Eructo Rivera,
de goeni leve o ituvvrno suspeitas de querer
partir clandestinamente para a provincia do
Itio Crande.
Fo So apresados pelo eliefe de polica in-
terino da C>le o l)r. Vis lmenlo de Azam-
buja 199 Africanos, que se achvfli> oc-
culii.s na illui ila lUarumbnia, proprieda le
de Jo qoim Rrev-s, e qu-, secundo con-tou
ao governo, tmhSo ali di sembarcado no da
29 10 passado.
Trorarfto-se ullimamente algumas notas
impnilanies entre oSr. James WndlOn mi-
Dtalro ingl-zeo nosso ministro dos estran-
gerngoExmSr Paulino Jos Soares sobre
a quesillo do coiilmbando de Aiiiranos : eni
os ni meros senutntes puld carenms estas
m tas, que n9o deix3o de lluurar-nos, lamo
pela Justina que astisle em paite a nossa
Causa, coiiiu pelo talento e capaCiade do
no-so ministro.
Tinlia mais sido apresada pelo patacho
de puerra I rasili iro Omino a baica lirasilei
ra Eldemonde, sendo encontrado a bordo
desta um Alricanu bufa!, sem duvida resto
de mal' r numero.
Tem-se ve< ificado na alfandega da Corte,
muitas fraudes em despachos, e s pelas or-
dena exn-Unlea em doua araiazens Calcula-
se (hegirem a 18 583,228 rs. os direilos de-
fradanos 1 (11 um utspdChanle de um r Do-
mingos 1 htotomo ue Abreu. liaixaiam a
secri tara Ue eslhdo dos llegelos ua jusilla
os seguinti s des, aclios :
Decreto de 9 de Janeiro removendo o das-
embargadnr FrancisroGon^alves Marlins da
relajo de l'eniaiiiliuco para a da Ratiia,
por ssim o haver pedido.
Decreto de 10 de Janeiro fazendn merc a
l.i-ciiiini Cularte da serventa vitalicia 110
ofliciu de eacrvo do juno de orpliSos do
ti nun da Viga, na provincia do Para.
Dito dilo a J0S0 Parhico Sub osa da ser-
venta Vitalia do ofliciu de parli lor do geral
eorphfios do termo de Macah, na provincia
do Rio de Janeiro.
Dito dito a Jos Ferreira Costa Pedrozo
da serventa vitalicia do cilicio de primei-
ro tabelliao do judicial e notas da villa
da CouceicSo da Tapera, na provincia da
Baha.
Dilo dito a Antonio Jos da Silva Morrira
da serventa vitalicia dos ullioios de piimei-
ro tahelliAo, escuvSo do cnuie, civel, exe-
cm"ir-, c.iin ll.is e residuos, e escnvo du
jury da ci lado ue Oei. as, capital da provin-
cia doPiauby.
Dito nnmeando o tabolliSo Antonio Jos
da Silva Morena serveuluailo do oDlcio de
KrswmmaammiiiBmrmrri'Trrrrr- '"^acmmmmm
labelllSo do registro goral de hypothecas
da comarca de Oeiras, na urovncia do Pi-
auhy.
Dito aprespnlando o coiieeo de prebenda
iiteira Mano-I da Suva Fr-re na digni-
de dethegoureiro-mr da S Metropoli-
t Dito dito o conego de prehpn la inteira
'ancisco Pires da Ponseci Co'le Real na
liani lade do mos're-escola da S Metropo-
litana.
Dito removendo OJO.il municipal e do^or-
hiil Julo Antonio de A-rauj 1 Freius Ifen-
i l'i-s do termo de 'tupirlo piraodeJU-
eigogipn, na provncii da Baha, por assim
O navnr pedido.
Dito nomean to o bacharel Antonio Plci-
to da RocHa oRlcial-maior da secretaria do
iri'iunal do commerco ca Kahia.
Dito demittindo do cargo de subdelegado
la freguezia do Sacramento do mnnici-
iio da corto o Dr Antonio Jos Concuivos
Fontes.
Decreto de 13 le Janeiro nomeando o juz
le direitn Firm^no Pereira Monteini des-
.'iiiii ir_'n| n- di relaclo dePerna nhuco.
Di Rahia nada ha de interes ros inglez-s conservam-s-i em atlilu le ps-
cilica, e depnis da exigencia dessarrosoada
do commandanie do Cormorant, repellido
nelo respectivo presidente, ne clium* llovi-
da le mais tem occ irri lo a r sptilo.
Tinha solo, preso em Bimii'n nos lti-
mos alias do roez nroximn passa 10 um indi-
vi loo de nome Ricar lo Tnomaz de A 1111110
como introductor de se lu lo-se at 15 notas ele 5 ii.i 1 rs., cas quaes a
Ihesouraria manlou proceler um ntima 1
Este indivi luu he natural do Cear, e sup-
pe-ge ter mu lado o nome.
De Macelo gabemos, que se acham a dis-
[)-.n;."i> 1 doresueclivo ch-f-i de policil oca-
pililo do patacho Santo Antonio Vencedor,
assim como o praticoque o inlroduzo no
ancora lonru de Porto de Pedros, por graves
suspeias de ter o malino patacho conluz-
10 africanos o descirregado alli ucn por-
fo de arligos bellicos.
Foram 11 nli "ii demitti lasas autoridades
lo logar presumidas de conniventes no Ira-
fijo ou inligeladas cuno negligeule no
cumprimenlo de seus dev-res.
2
individuos que eram denunciados como
nembros degga quadrilha, aflm de do l
mirar no exato conhecimento de quaes o
crimiuogos, para gerem punidos na forma
da !ci.
DEM DO DA 10.
Foram presos: ordm do chafe de po-
lica, Belizario deSiqueira Bandeira, par
ivenguacOes noliciaes : a ordem do dele-
ja lo do primeiro districto d-ste termo
Luiz Francisco Monteirn, JoSoJBaptista d-
EncarnacSo, Jos VA'w Monteiro, Jos Cur-
sillo deSouza, Domingoi Candido Xavier <
Francisco Flix de M-neaes, para o mes no
Q n : ordem do subdelegado da freguezi
le S. Frei Pedro tJoncaives do R-cife, o
oardo Martinho, eslavo de Avrial & Irmo,
a requisico de s-u senhor 1 a ordem do
subdelegado da fregiieia deS. Jos, a pre-
la liberta Maria Auna, por ebria: e do
subdelegado da freguezia da Varzea, Anto-
nio de Kouza, sem declaracSo do motivo
: 0 commandanie do corpo de polica, par-
ticipou ao chefe de polica, que consUva,
que pelas 10 horas da noite do dia de hon-
tom houvera um incendio em urna c*sa na
rua da CunceicSo da Boa Vista, occasionad
oor urna faisca que cabio sobre um barril
de plvora, e que da grande explosJo desta
nolvora, e de mais alguns fugeles existen-
tes na dita casa, resultara sahirem feridas
duas, unta das qua-s o Mr* gravemente, e
iioin assim o desmnronarueulo de urna pa-
rejo da inesma casa.______
i. n v.
o- .. i -.
Correspondencia,
Sr. redactor. Compenetrado do mal pro-
fuidu agraileciinenlo vendocuuiprr un dever
para ilion o mus iinprriosn, ICHleniiiiihaiilo
um vol de estima r gralidao ao I bu. Sr. Dr.
Francisco alves de M,iraes pela acertada cura
que fez na pesaoa de loioha aunhaili lio mor-
lilineuie ferida. Siui, Sr. redactor, em tli'is do
ni'iL de dezpuibro do auno prximo pistado,
sollreii, por accileule, 111I11I11 ciinliadi un ti-
ro de (datla, cuja bala lrfttlpaM<*U-lne o (lino
venne; e recorrendo eu eiilo triste coniunc-
tura ao Illm Sr. Dr. Moraes, esle de proiupto
acudi e empregou t.i hbil,ipiio peritamen-
te a allopathia i|iic em brevei das eom assom-
lr 1 de qu nitoa viraui essa entan infeliz, victima,
que n 1 tlor de seU9 aunos prestes e9tava a dea*
cer ao jazign dos morios, po-l.i coiiipletameii-
le boa au Dos S vos sabis qiianlo ettou
iieiieiradu das bois nianeira4 do I loo. Sr, Dr.
Morara, da proinptldio com que teprettoiiie
oais o mi 1 da acertada cura quefei a oniiiia cu-
libada: l)eo- Ihe prolongue seus das de vida
ion loiii da hiiiiiaiiidade. e especialmente da-
i|iielies que como cu recorreicm ao lllm. Sr.
Dr. Moraes,
Receba, pois, Io hbil allopilha os ineus
sinceroi resuellos euma eierin gratl lo, cer-
to de ja eiui|iianto em rulill exl-lir um sopro
Vital, estarei seoipre e aempre promptopara o
|ue for de seu servico
Afogados, l de levereiro de IS5I.
Mimofl Jo H'iui'*iii de Sena.
YulicaQfto pedido
lllm. Sr. T-n lo reeelndn agora mes 00
o illiciu de V. S. em que mi determina ve-
rificir se exaclamenle fallecer a febre aina-
rella, a mullier do cotileiro que da mesma
morreo ; morailor no atierro da Roa-Vista
n. 5. Sou a responder a V. S. que no mesmo
momenle dirig -m a casa refer la, e ja no
encontr! o cadver, uergiinluiilo quem frt-
ra o facoltalivo as-isleule, fui informado
taraidOoSr. Dr. Aibuck, dingi-ine a casa
lo mesmo senhor, e poi pile fui informa lo
que de Cerlo fallecer 11S0 s a dita frauci-
x, como o marido, desta febre fing um
nffic O ao subdelegado da Rna-Visla para
q ip li/esse couluzir para o cemileno pu-
blico o dito cadver, que ja se acliava depu-
-11 lulo na igieja da S para que lintiuzesse as pessoas que Qcaram
na casa dos diios franC'-zeg o t-gulllta Fa-
zer lavar toda a c sa, rwpargir aiiua d- L-
jbarraque por toda a casa, mandar Caiar e
i'iin.i'iy.rii mes na Casa al eil< poi Olio das,
le .- po leudo f-lidiar a- 9 horas da inul-,
[Porm de todas esias medi las > urna leve
cumprimento que foi ir o Oeda* r para o ce-
1 ilerio, pois o Cnsul Franrcz feichou a ca-
sa e poz o sello e armas de sua naclo. As-
sim pois, se faz mislerqueV. S d as or-
dena que julgar coiivem ut s para execu-
1: 10 das medidas por mim apresentadas.
Dos guarde a V. S. Recil'e, 7 de leve-
reiro de 1851 -- lllm. Sr. Dr Joiquiui Ue
Aquliio Fuuseca, presidente do Conselho ge-
rd de salutuidade publica.
Dr, < aciaaa Xavier Pereira de linio.
Adjunto 00 tliesmo i'Onselhu.
Ic) irlH.oii) da Polica.
PARTE DO DIA 8 DE FKXEUEIItO DE 1851
Foram presos : a ordem do chefe de mi-
licia, Antonio Francisco Maciel, rumo indi-
ciado em ciime de morte ; Caelano da Cos-
ta Pililo, Joaquim iNurb rio do Es.into
S-nloe Francisco Joflo Raplista. por desor-
deiro : urdein do delegado do pnuieiro
districto deste termo, Hoque de Muura Albu-
i|UerqiM, J11VIO0 Fui reir dos Sant s, II nn,
que Jos Ignacio, Manuel Comes Ferreira-
(.ustodio Vereiia e Leonardo Jos Gomes,
sem o-cl.H .irao do lliutlVo : e do subde-
legado da freguezia da Roa Vista, Francis-
co Ribeiro de Souza, por crime de furto.
O delegado do piimeiro dislricio deste
termo communicou ao cnefe de polica em
1 llii-ui desta dala, que ao amanhecer do ia
1 do correle, havia sido roubada na rua
Nova desta ci la.le a loja de fazendas de
FiauCisCu Ignaciu Tinoco de Suuza, e que
leo lo inmediata eme passado a proceder
a competente vislona, nao tiuha podido
deaeob'ii os autores desse crlme, ape/ar
das diligencias que empregara ; e i em g
[fim qoe couslaiio-liie q ie csteeoulrns
roubog eraui perpetrados por urna qua)ri-
' Iba de ladrOes, bavia feito prender a alguns
i .._......j^L
ALFAMDEGA.
londmenlododia15.....10:169.047
Descarregam bofe Mdefevereiro,
Barca porlugueza -- Ligeira mercaduras
Rrigue austraco -- Perart farinha de
trigo. .
Brigue francez Ernesto mercadoriss.
Brigue francez --Tolo/-- tarima aloisia.
Rarca americana Uouglas nacalhoe fs
rinha.
Brigue brasileiro Carolina fumo, touci-
nho vellas.
COMSUCAimCEIlAL.
Itendimento do dia 15..,. 3828.842
Diversas provincias...... 190,324
4:019,166
KXPORTACAO.
Despachos wuritimot n dia 15
Genova, barca porlugueza E/or da Mam, de
299 toneladas, coudiu o teguinte :
4,010 laceas de asiiicar brauco com 50,000
arrobas.
I'.il iiniitli. brigue inglez Pou/ine, de 309 to-
n'lad.-is. coiidu/. o seguate :
3,900 saceos de assucar uiascavadocom 19,50
arrobas
C.ilil o ni i, vapor americano Sta-Bird, de 520
toneladas, eondut o seguinie:
100 toneladas de caivo de pedra.
Siockliiilm, barca sueca Eliiubet, de 414 to-
neladas, rumio/ -i seguiute :
ili'i ii ni o-1. 3,t>92 saceos, com 19,376 arro-
bas c 2 libras de assucar, 6,400 cutiros com
191,494 libras, e duas caitas com 71 dutiasde
cortes de bezrrro para bulins por rceuportacao,
Rio de Janeiro, brigue nacional di/umiiior,
coinlu/. o srguiite:
11 quarMaa a a barris atelte-doce, 153 barra
e 14 latas doce, 3(10 mollios peles de cabra, 795
meios de vaqueta, 00 barricas e i ,700 saceos
com 0,020 arrulla, e 28 libras de assucar.
Itl.i.t'.ilbDUItlA ni-. iil..Mi.\|' GEliAES
INTERNAS.
Itendimento do dia 15......247,080
CONSULADu PROVINCIAL.
liPiidimento dodia 15.....1:613 699
PRAQ.V DO RtXIFE. 15 DE FRVEREIRU DE
1801, AS 3 HURAS DA TAIlDt,.
Revitt'i leminal.
Cambios- As irausacyes ell'eiluadas esta
semana, e de que deveser pe tu
vapur Ttveole, furam avuliados,
leudo por base o cambio de 30
d. por 1,000, a cuja colapo est
liriue.
Assucar As entradas foram regulares e
veudeu-se de 1,700 a 2,200 ra.
por arroba do bruuco ensaccado
e i-mil o i n .ido, e a 1,500 do mas-
cavado
Algodao------Eutraram 625 saccas que foram
vrudidas de 6 600 a 6,800 rs. por
ai i uli.i do de | rio.ei.a sirte.
Couros Foiain im no- pro havido m mi i- de 125 a 127 l|2
rs. por libra.
Aieilc-doce Veudeu-se de 3,40o a 2,500 rs.
por galn do do Mediterrneo e
2,680 o ne Portugal.
Ilar;illi.ni-----1 d'i-io de 9 a 10,500 rs. por quin-
tal a ii i.olio : ebegaram dous
carrega de 0,600 a 10,00 > rs. por liarrica;
0 existente auda por 8,000 bar-
ricas,
Ilolachinba dem a 6,500 rs. por barrica da
ordinaria.
Carne-secca- Mu pouca exista, porm ebega-
ram ilnos carregameulos, sendo
un ili Hornos Aj es i -oulro do
Riu Grande dosul.
h.-\sstm- dem a 1.400 por libra.
Chumbo- dem de 10,500 a 11.000 ra. por
quintal do em barra.
Enxofre dem de 1,400 a 1.600 ra. por ar-
roba do de canudo.
Krva iloii- dem de 9 a 9.500 rs, por arroba.
rar.de trigo- Eutraram dous carregaiiienlus
dos Kstados-Uui-ios e um de Tri-
este, repulando-se este vendido
a 17,000 rs. por barrica ; tam-
bem eutraram duas partidas de
M nsi-lli.i, que nunv, : un 11,500
rs por barrica pouco mala ou
linios: a existente audar por
1 i,iii-o barricas.
Garrafea Vrudrraiu ae a 1,000 ri. os ein-
palbados.
01. de linhaca-ldeiii a 1.750 por galo em cas-
cos de mu1 11 -i.
Sabo I i-ni a 180 ra. por libra do do
Mediterrneo, e de 95 a 100 rs, o
nacional.
Vinhoa--------dem de 100 a-|12,< OOra. por pi-
pa do de Crlte lino; 64.000 rs
o dr Uespauba e de 3,100 a 3,200
rs. a dutia de garralas do Mus-
caiel.
I xi.i. ni no porlo 51 embarcaces: sendo I
americana, 2 austraca, 14 brasilelras, 3dina-
narijurzas, 3 Irancetas, 12 iugleas, 6 portu-
guesas, 1 russu.ia, 3 lardas e suenas.
R10-DE-JAWEIRO.
CAMBIOS .NO LOA i OE I I.VMlKliio.
Londres, 30a 30 l;2 d. eslerl. por 1/rs.
Parla. 308 a 312 rs. por franco.
Lisboa 88 a 90 por ceno de premio.
Ilainbtirgo. 583 rs. por marco banco.
MblAK.i E HJ.NDuS I'UiI.Ii.US.
Metaes. Unjas hespanlilas 29^000 a 29/250
> i- da patria '.'inmnn a 29^50
a Pecas de 6#4U0, velhas. 16,^000
Moedas de 4/000. 9^000
Pesos licspauhes. 1/920
. .. da patria. t/870
Patacrtes .... 1/940
Apollces de 6 por cento 86 i,4
nrovinciaes ... 85
fjornif do Commercio.)
BAHA.
cambios NO DIA 10 DI VEVEHEIBO.
Londres! ....... 30 mine
Paria.........340
llamburgo.......593
Lisboa e Porto
metaes. (incas hespanhlas.
> mexicanas ....
Pesas dr 6/400.....
novas ......
Modas de 4/000......
Pataces brasileiros. .
i hespanhes .
mexicanos.
nom,
21/500 a 29/800
29H000 a 29/500
16*000
16/8OO
8/900 a 9/100
1/H40 a l/HiO
1/920 a 1/940
1850 a 1/900
Mercantil.)
,Mo\ imenlo do porlo.
Naviot entrados no dia 15.
Rln de Janeiro 19 das, barca sueca Tro, de
405 toneladas, caplto I. F. .-jogren, equlpa-
,.,-m !3aN.O. 4Jieber&C.
RinGrandedo sol 45 dias, brigue nacional
l.c'in. de 170 toneladas, capitn Amonio Ro-
drigues Carda, equipagem 13. carga carne-
aecca e sebo ; a Ainornn Irmaos.
Rueos \yres 40 dias, escuna inglesa Chin-
do!, de 146 toneladas,caplto I. Trances,equi.
pagem7, carga carne aecca ; a viuva Gaudl-
no eFd'io.
dem ^ dias, barca ameicana Uutkingum,
de 248 Otieladas, capilau Ricardu Croikei,
equipagem 12, carga couros ; aomeaino ca-
p tao.Veio refrescar e aegue para Nevr-
York
Navios tbidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro Rrigue nacional Adamaitor,
capitn Filippe Ncrj de Olivelra, carga as-
sucar e sulla.
Golheinburgo Rrigue sueco Precioso, capllo
0. F. Kahl. carga assucar.
California pelo Rio de Janeiro Vapor aineri-
caiin .S'r.i-liird, capito B. B. Welliam, carga
a inesma que trouxe.
Canal Hrlgue sueco Freg, capllo I. C. Ten-
glr, carga assucar.
Navios entrado* no dia 16.
Rio de Janeiro e porlos Intermedios -- 10 diaa
e 20 horas e do ultimo porlo 16 horas, paque-
te de vapor .Vioi Sebastiio, de 300 toneladas,
cmntnandante o piimeiro tcnenle Antonio
Xavier e Nornnha Torrezao, equipigem 30.
Passageiros para esta provincia, o desembar-
gadur Juao Lopes da Silva Couto, capitn Jo-
s ento Alves, o alteres Jos Joaqulu Coe-
Iho Jnior, o alteres Francisco Man ion de
Slqueira. o cadete Joiqutin Gusinao o cadete Alexandre < nhnra, Joo Pialo de Lemos Jnior e sua fa-
milia, Joao Hermenegildo Horges Dinit e sua
familia, Manoel Joo de Amorim. Aurelio A.
Pires de F ('amargo, Jos Larlos de Farias,
Antonio de Agolar Karros. Antonio Jos do
Amaral, Gaspar SiUeira Marlins, Julio Au-
guslo da Costa Guimares, Ignacio Alves de
.Ywnrcih. o Dr. Mareelllno a. m. a. Puta,
Francisco Luiz A. Campos, Antonio Vicente
Garcrz, Jos da Rocha Vianna, Manoel l.-iic
de Sampalu Juniur, Francisc i G. Murelles
n.i-ins Jnior, Hartos Jos de Mallos Vani-
que, Deocleeiann Hiplito Soares de Alber-
garla, Franckliu Washington de Soma Reg,
Antonio Flix da S Iva Lobo, Joo F. da Sil-
va Lobo, o Dr. Jos Zacaras de arv ilho, An
Ionio Rodrigues Srixas, Jos Luiz de Almel-
6'oulo, Jos dos Santos Nevea Jo iquim Jos
de Almera. Joo Prudente Flix da Costa,
Jnaquim Manoel da Costa, Candido Jos Al-
ves da Silva, o padre Manotiel 6'nrdeiro da
Cruz, Jos Antonio de Ainorim Ave. Felloto
Elizin da -'-i-i i C'utriin, U. Maria da Asstimp-
{o Pereira Graca.^Dr. Jos Joaquon Ferrei-
ra c su i familia. Fiancisco Hnrja Alves Loo-
reno, Pedro Lins de Vascoucellos, Miguel
Sonln Duarle i.iiun alaria Joaquina, Maria
Francisca, os Porluguezes, 1). Maria Barbo-
sa ( ouO Vianna, Jos Maria Pestaa, o In-
glez Glllierme Youle, os Francezes Mauris
Kural, Kugene Arystlde Poersun, Simn Lo-
nis, 5 pracis de pret. 2 ex soldados, 12 recru-
las para o exercito, 4 rscravos aeulregare I
preso: para o norte ; o capitn Manoel Igna-
cio nricio, o escrivo da armada Joaquiv Jo-
s da Rocha, 1 sargento, I rx-sol-lado, lirasi-
leiros; e o Portugus Jos Gome- Ferelra.
Havre di' Grace '.'.0 dias, brigue inglez .1. r~
beta Torbtt. de 182toneladas, capito R. Ke-
arney, equipagem 10, carga bacalbao; a
L'almonl & C.
Rio Grande do aul -- 18 dias, patacho brasileiro
Alegra, de 162 toneladas, capito Joaqtiim
da Silva Vieira, equipagem 9, carga carne-
secca; a Lnpnldt> Jos da Costa Araujo
Pasaageiro o.Purluguez Luiz Gregorio Magano
e o preto Miguel.
llamburgo 58 dias, escuna dinamarquesa
llenrrck, de 136 luneladas, capito H, Ost-
iii.mu, equipagem 8, carga cimento, neo,
ferro e mais gneros ; a Rolhe Redulac.
Navio sabido no mesmo dia.
Parahyba Hiate nacional Espadarte, meslre
Victorino Jos Pereira, carga fizendase mais
ge eros. Passageiros brasileiros. Jos de
Araujo e Silva, Jos de Souza e Silva, Wal-
fredodilon Cainlo Pessoa, Manorl deQuei-
roz Monleijo Rigada e o Purtuguez Rento
Jus da Costa.
Trieste Hrigue austraco /fumn Matilde, de
331 toneledas, capito L Haffel, equipagem
II, carga assucar.
Ass /Vrigue brasileiro JVero, capito Manoel
Jos Ribeiro, equipagem 14.
Genova Tarca porlugueza Flor da Maia, ca-
pito Jos de Aievcdo Canario, carga as-
sucar.
chegue a noticia de todos mandei passar o
presante que ser publicado pela imprensa,
e ulTlsados nos logares designa los no art.
129 do regulamento n. 738. de 25 de novera-
bro de 1850. Dado e passado nesta cidade
lo Recife, provincia do Pernambuco, aos
12 de f -verero de 1851. Eu, M noel Joa-
quim Bapliata, escriv io interino o escrevl.
Jos Raimundo da Costa Menezes.
Acamara municipal da el lade de Olindi e
seu termo, em virtudo da le.
Faz saber a quem convier, que n>s dias
18, 20 e 22 do correte mez vara a pr qi
por arrematarlo, por espasso deom auno,
as casinhas da ribeira, avahadas em 120.U00
rs.; o imposlo de 200 rs. or cbeva de
gado suido, avahado em 20,000 rs. ; e 100
rs. de ovelhum, liada em 12,000 rs.;
sendo este imposto cobra io, segundo as
entradas dos mesmos gados. As pessoas
que quizerem a rrematar algum dos referi-
dos impostos, comparecam nos mn'"iona-
dos dias.a casa das sessO'S da mesma cma-
ra,as 10 horas do dia, compelen'emBiite ha-
bilitados. Panuda cmara municipal, aos 8
de fevereiro de 1851. Eu, Francisco Anto-
nio das Chairas, secretario interino o escre-
v. Soaquim Cavaleanli de Albuquerque,
presidente._____________
Declara gao.
.. pe| nhleleeaca de S. Jnsedo Recie,
fui bonlem 15 do corrente aprehendido um
capote de panno preto em bom uso, que
um preto ja o havia vendido a um jangadei-
rn por 3.000 rs. : quem for seu legitimo do,
no, dando os signaes certos, e provando-
Ihe ser entregue.________________________
Theatro de Santa-Isabel.
RECITA EXTRAORDINARIA
EM UKNKKICIO DO ACTOR
Silvestre Francisco Al ira.
Terca feir, 18 de fevereiro de 1851.
Depois que 'a orchesir ttver ezecutado
urna das nielhoresouverturas, a companhia
nacional representar o excellente drama
em dous actos
A INIMIGA DE SEU SF.XO,
oo
O Ceg de chorar.
No llm do drama as S'as. Badurna e Mo-
resu, em obsequio ao beneficiado dancarSo
o passo a dous do
l,a-n das Fadas.
Em seguida o Sr TheoloroOresles ejecu-
tar na sua rabees a gran le aria Final da
opera Lucia de Lamermonr, acompanha la a
niano pelo maestro cavalleiro Joaquim
Geanini.
Terminar o espectculo com o excnllen-
lo drama sentimental etn dous actos, orna-
do de msica
AHTHUR
ou
DEPOIS DE DEZESE1S ASIOS.
A parta de ,\u i'lll'll sera desemoenhada
pelo beneficia (o, que envi lar to los os
seus esforgos para satisfazer a espectculo
do publico, de quem espera proteccflo e in-
dulgencia.
Comecar s 8 horas.
Os hilhetes nciinm--.il desde j venda
em casa do ban Realo na rua B-*ll n 22.
Avisos martimos.
O Dr. Jos Hay mu mo da Costa Menezes. juir
municipal supplenle da segunda vara e
do commercio, nesta ci la le do Recife de
pertumhuro, por S. M I. e C. o Senhor
I) Pedro II., que Ditos guarde ele.
Fa^o saber aos que o prseme e'ital vi-
ren) que a requerirnento de K Ikm.iim Ir-
ii ."ni.-. Croco & C. e Ja mee Rider & C ere-
dores do fallido Joaquim Jos de Seixas, se
iicha por e>le juizo berta a sua fallenria
pela senlenca do Iheor seguinie : A vista da
carta a fl. *, juluo fallido o seu mil lmr Joa-
quim Jos ue Seixas, e declara aberta a sus
falieucia que sora contada desde o dia em
que foi presentado em juizo, a requeri-
nieiito dos eres lores a 11 2, pelo que man-
duse poiiham sellos em lodos os seus bens,
li vio e papis, na forma do artigo 145 e se-
guintes do regulamenlo n. 738 de 25 de no-
vemuro de 185, servnJo o cedor Kaik-
niann de curador fiscal, a quem para sse
logar nomeio, devrndo prestar juramento e
cusas. Recife, 8 de fevereiro de 1851.
Jos liuijmundo da Costa Menezes.
Em cumprimento do que todos os credo-
res presentes do referido fallido, compare-
cam em c.s i de mlnlia reside, ca na rua da
Msdre d-i Dos do bairro do R cife n. 1, pri-
uieiro andar, no dia 18 Jo Curenle mez,
|i' las 10 Potas da manliSa, afim de procede-
ii'in a noiiiciiTi i de depositario oj deposi-
tarios que hflu de receber e administrar pro-
visoriamente a rasa fallida. E para que
Agencia da companhia dos vapor
res inglezet*.
O VHiior Trriot, capit.ln Ri-
vett, deve aqu estr de voltt
para a Inglaterra no dia 17
do.corrente pelas 4 horas da
manlia, e partir as 10 horas do mesmo
dia fazendo escala pelos porlos j annun-
ciados de S. Vicente, Tenerife, Madeira e
Lisbi: as pessoas que prelenderem passa-
gnns ou carregar para qualquerdos indi-
cados porlos queiram tratar com a uecessa-
ria antecedencia no escriptorio da respec-
tiva agencia rua do T'apiche n. 42. Adver-
te-se que as cartas doverSo ser postas no
enrreo, e nSo na agencia, on Je se as n5o
recebem.
Para o MaranhSo com escala
pelo Cear sahe em poucos dias o
lit'in conhecido brigue-escuna na-
cional Laura : para o resto da car-
ga e passageiros trata-se com o ca-
pito na (iraca il Commercio, ou
com Novaesck Companhia, na rua
do Trapiche n. ,'!'(.
Para o Rio de Janeiro segu viagem
nestes nas o brigue brasileiro Soares : an-
da recebe alguma carga, passageiros e es-
cravos : os pretendenies, dirijam-se rua
do Trapiche n. 5, escriptorio.
Para o Poit i sahe nestes 8 dias o bri-
gue porluguaz Maria Feliz, capnSu Miguel '
Fernandes do Csrmo, por se achar quasi
promito, faltando somonte cousa de du-
zenias barricas : quem no mesmo quizar
carregar ou ir de passagnm, para o que
tem bons commodns, dirija-se ao consig-
natario Antonio Joaquim de Souza Ribeiro,
ou ao capitn na prs^a.
A escuna nacional Emilia,* que he ca-
pitSo e prslico Antonio Silveira Maciel J-
nior,leve seguir para Para por estes dias,
para cujo porlo anda pode rec-ber alguma
carga e passageiros : os pretendentes diri-
jam-se a rua da Cruz n. 13,a fallar com JoSo
Carlos Augusto oa Silva, ou com o refundo
capito.
para o Porto san com hrevidade a bem
condecida e veleira barca Espirito Santo, de
primeira marcha, forrada e encavil'.ada da
cobro: quem na mesma qulzer crregirou
ir de passagem, para o que tem excellenles
commodos : diriju-ae ao seu Consignujirio
Francisco Alves da Cunha, na rua do Viga-
rio ii. II, primeiroan lar.
I'ara o Porto su he com a
maior brevidade possivel, por ter
parte do seu carregamenlo promp-
ta, a linda e veleira barca porlu-
gueza Brachatense, da qual he ca-
pito liodiigo Joaquim Corrt ;
tem txcellcules c .mmodos para
passageiros : quem na mesma q .i-
ler carregar ou ir de passagem, di-
rija-se ao capito ua Praca do


Commercio, ou a [Novaes & Com-
panh'a, na run do Trapiche nu-
mero 34.
~ Pra o no G'ande do sul sabe em pon-
eos, dins por ter o oarregamento prompto o
pataxo nacional Eut'rpe, pode recebe al
cumas miudezas, pass"giros e escravos
frele : trata-so na ra n. 14, nu com o congignalario do mcsmn
Luiz Jna de S Araujo, na ra da Cruz nu-
mero 33.
Leil
oes.
-- O corretor Miguel Carniro, far lei-
lflo nodia terca feita 18 do corrente no sen
armarem na ra do Trapiche n. 40, de di-
versos trastes eout'os muito ohhietna ; <-
sim como ao meio dia em ponto Ir a lei-
1,1o por ordem de sen lcitimo dono, a pro-
priedade denomina (a ilha de S.-loSo-Bap
lista junto aos Alegados, sen lo chlos pro-
prius. e livrt) de decima, contendo duas
expelientes casas de pedra e cal em bom
estado, dnus grandes viveiros, cento e tan-
tos ps de coqueiros, bastante terreno que
produz capim, 011 outra qualquer plantagSo,
pasto para sado, mangue que d bastante
leuba a qnal offerece grande vantagem pot
ser perto da praga que pode hem servir pa-
ra assentar-se qualquer fabrica ; e vender-
se muito ern conta : os prelendntes po-
dem dirijir-se a msma ilh para examina-
la e cnnhecer loitas as suas porporges, an-
tes 1I0 dia rio leililo.
Richard Royle far leilSo por.inter-
Yengflo do corretor Oliveira, de grande e
ptimo aortimento de fazendas inglezas,
algumas variadas, por conta de quem per-
lencer : terga feira, 18 do corrente. s 10
horaa em ponto, no seu armazem, ra da
Cadeja.
O corretor Oliveira Tari leillilo de urna
porcfio de salsa parrilha, recentemente
chegada do Para pela escuna Emilia : quar-
ta feira, 19 do corrente. as 10 horas, no seu
esrriptnrio, rua -Avisos diversos.
Para collegio de meninas.
Urna senhora que possue as hahilitagoes
necessarias por ja ter sido empreeada sete
annns em um collegio da corte, ofierece se
para ensinar a lingos franceza, bordar, e
todos os trabalbos de agulha : quem pre-
cisar annuncin.
Amonio Gomes da Silva subdito brasi-
leiro vai ao Rio de Janeiro.
Nova fabrica de latoeiro, rua Im-
perial n. 181.
Oabaixo assignado avisa a todos os seus
freguez-8 tanto de luja de ferrageos como
sdleiros, que na f b'ica se acha prompto
um cmpb tu sorlimento da e.-trihos de lo-
dos os taniBiilios e de molda francs*, lisos e
deconXxs k'iim les i> pequeas ; esporas de
crrelas, ditisde tarraga, ditas de mulla ;
esorevaninhas com campanhias e sem ellas'
almofanzes de tolos os lamauhos ; tornei-
ras para alambiques e tanques d'agoa ; as-
sim como avisa-se aos senhores de engenho
que precisirem tealg i-oa obra de concert
em seus alambiques, tanto simples como
maquina* de Drosne, nilo te n mais do que
maanilarom su casa um portadur com doo-
c vallus para conduzir a ferramenta e o of
fioial que-vai preparar a obra, licando cer-
tas que serfio bem servidos e por prego ra-
Soavel. Antonio Fernandes Braga.
ri";i|>oi l< -.
A anliga e bem conlu-cida agencia da rua
do R ngel, sobrado a 9. continua a tirar
paMS*portes para dentro e fra do imperio,
despachar escravos e correr folhas, tudu
por prego muito commodo, e actividade
O abaito assigndo procurador da cma-
ra municipal da cidade de Olinda.autorisado
pela mesma cmara, avisa ao respeilavei
rubh o que toda a peaaoa que tencionar si-
tios, ou terrenos nos Ir.gaies denominados
Ilairro do Recife. S. Amonio, A'teriouos
AJogados. Corlume dos Cocidos, Hospicio,
Salinas, Rutrindo, elm, Olinda, alaga-
dos do rio Reberibe, Corcuranas, Muribecae
Cabo, nao rcalisem suas compras sem
primeiramenlH se entenlerem cum o abai-
xo assignado, para 11S0 se cliamarem o- de-
poigao engao, visto que a dita cmara lem
sitios o terrenos que exist m casas nos
mencionados lugares, e muilos foreiros,
pelos delexos passados se acham atrasados
nos seus pagamentos, e oulros foreiros ex-
cusam-se de leconhecereui-se mesma c-
mara naoccasiSo que compram as posses a
ouiros, como consta dos termos nos livro
da dila camaia. 0 mesmo piocurador mo-
ra na cidade de Olila junto ao Varadouro
Olinda, 15 de feverei'O de 1851.
Jote de Mello Cesar Andrade.
O abaixo a.-s gnadu nao po
dendo pessoalmente despedir-ge
de todo os seus amigos, altento
o seu estado de molestia, o faz
pelo preseute, offertcendo o seu
pequeo preslimo na cidade de
Lisboa, para onde se relira.
Joaquim da Silva Salles.
" -- A peasua que annunciuu por este Dia-
rio querer comprar um sitio perto da praga,
e ca az para ter 8 vacas de li-ite, e arvore-
dos, quorendo um com todas estas propor-
goes, pode dirigir-se a rua do Queimado,
luja n. 10.
V a quem toca.
Antonio Joaquim Vidal, com
leja de ferragens na rua da Ca-
deia do Kec le, pede aos seus de-
vedores, quesejulg m com lem-
po bastante de apera, que Ibes
vo pagar seus dbitos o mais bre-
ve que poderem, nnles que seja
forrado a procurar ser pago pelos
meos judiases, para o que ja deu
poderes bastantes a um procura-
dor part este im.
Urna" pessoa de boa conducta que sahe
bem ler, escrever, contar, grammaiica por-
lugu>'za, e escripturar por partidas dobla-
das, olTr-ce-se para qualquer escnptura-
gao quem de seu preslimo se quizer uiili-
sar aununcie.
Aluga-se o sobrado da rua do Vigario
i. 13, tres andares, sotao corri lo, dous
grandesjnirantes, que por sua psito ele-
va la domina o mar de nortea sul, e co n
s maisexcellentesaccomrnolacOes; aluga-
se tambern separados os ditos andares, as
cuves existem no armazem do mesmo
sobrado.
Precisa-sede um caixeiro que teoha
bastante pratica de ferrage'is e miu lezas :
na rua Nova 11. 20, se dir quem precisa.
I)a-se dous ou tres con>os de ris a
juros por tem po de um anno ou mais, com
iiiboresou hypoteca : quem pretender di-
rija-se ao Atierro da Boa Vista n 47. pri-
meiro andar, que ahi se dir quem os d.
J0S0 Martins Gongalves omb .rea pa 3
fra do imperio
Sabio luz a importante o-
bra Manual do Negociante 011
colleco da legislacclo fiscal e ad-
ministrativa do imperio do Brasil,
conlendo t ida a legislacao mo-
derna, que pode interessar ao cor-
po do commercio e ao foro : ven-
de-se nicamente n puteo do Col-
egio, casa do Livro Azul, por
8,000 rs. o exemplar.
3<&QO0OG>ai&l&<&>>
C Consultorio homoeopatbico, 9
rua do Collegio, n. 25, O
O Do Pr. P.dt A. l/>bo Hoscoso. O
j> ODr. Hoscoso d consultas lodosos O
.'i das. Os doentes pobres s3o tratados l
' de grasa. sserSo visitados em suas **
} casas aquelles que nSo poderem vir O
f ao consultorio, ou que suas moles- O
3 lias nilo possam dispensar a preseu- O
:,' en do medico. Q
-- Traspassa-se o arrendameato do enge-
iilin Queluz, silo na freguezia de Ipojuca,
veuilendo-se a safra no campo, o engfiiho
lie copeiro e bom, e lem bons c-rcados : a
tratar com Miguel Augusto de Oliveira, na
sua residencia no engeuho Camassari, na
freguezia de S. Amaro JaboalSo, ou com
Theotoniu da Silva Vieira no eogenho Ca-
\oeira da freguezia de Ipojuca.
SO0OOGOO9 oaaooctoOQ
lilla ili- ( 1 11/.1 11. 28. :":;,
Comullorio homozopathico do faculta- Q
livo J. ti. Catanova. p
Cratis para us pobres.
Na ausencia do facultativo J B. Ca- |?
sanova, o prufessor de bomceopatbia '!:'
Gosset Bimoot continuar com os v
trabalbos do mesmo consultorio, on- O
de poJer ser procurado a qualquer O
hor O
9O0OCX3OOGOGOOGOGO
--O pa trejTbomaz de Santa Marianna de
lesus MagalhHes tem alieno aula para ensi-
nar primeiras lellras e 1 .tini, s-gundo o
syst"ina adoptado 11 s auhs publicas deste
imperio, na casa de sua residencia, na rua
do Hozado da Boa Vista n. 48, e recebe
alumnos, nilo s externos como meio pen-
sionistas, e tambern pensionistas, e se ohrj-
ga a dar bom tratamento ; escusaudo poim
de mencionar pieeose qualidade do trala-
menli
Pessoa algnma rini'ul' 11 -ncio com o
sobrado de um andar ni rus e-treit do Ro-
za'io r,. 35, sem que participa a ihaixo as-
signada, porque elle IA acia com alguna
responsabilidade.
Flamint Varia Claudina.
Precisa-sn de um hom cn?inheiro pira
urna casi de fa nilia estrangeira : a tratar
na rua doTrapixe n. 3
Precisa-se alugar um snbndinho ou
urna casa torrea, pr.ixima a rua Nova, que
nSo excela a 10.000 i., propio para fami-
lia a fallar na rua Nova, veo la 11. 5.
O Sr. C. E. P. L. tenha a honda le de
mandar oimuorte do aderezo que levou a
mostra da rua doCabug loja de ourives ,
do contrario se publicara o seu nome por
este Diario.
pracisa-se de dousofliciaes de charu-
teiro : na rua Direita n. 85 paga-se a 180
por cento.
-- Precisa-se de urna ama nara comprar e
cosinhar: na rua da ConceifSo da lloa-Visl
n 11. *
Acha-se fgido desle o dia 6 de Ja-
neiro do corrente anno, oescravn Gabriel
de nagSo Benguella, de Hade 3) annng,
pouco mais ou menos, estatura regular,
preto, cabe<;a axatada, olhos vermellios por
efTeito da caxassa, pois he bebado, bstan-
le ladino, denotando muitu viv-za, e he
milito contador do petas, e cor isso se co-
ndece fcilmente tnll.ni lo-s com el|p, he
cozinheiro, barb^iro e jie Ireiro. fi seravn
do capito tenente Francisco Xavier de Al
cantara feommandante da cuverta Janui-
ria)\ n ven lido pelo capilSo tente Anto-
nio Carlos de Figueira Figueiredo (com-
mandantedo Catiope), ao major Antonio da
Silva Gflsmfio, lio] seu legitimo senhor
ium o pegar leve-o ao referido major
GusmSo, no Atierro dos Afogados, que pa-
gar generosamente, e mesmo a quem der
delle noticia.
Casa decommiss3o de escravos.
Compram-se e vendem-se es-
cravos, e recebem-se de com ,is-
s5o, tant 1 para a provincia como
para fra dla ; e ptra os mesmo-
se offerecem muilas garantas aos
seus donos : na rua das Larangei-
ras n. 14, segundo andar.
-- Precisa-se da um feitor que entenda
de jardim : na rua da Cadeia do Recita nu-
mero 37.
Preoisa-sede um rapaz que tenha bas-
tante pratica de leja de miudezas : a t'atar
1a rua doCabug, loja n 9, ou lio Atierro
da Boa Vista, loja nova n. 3.
Engomma-se e lava-se toda a qualida-
de de roupa com to 10 asseio e muita promp-
tidflo, por prego mais coinmolo do queem
outra qualquer parle : na rua de Agoas-Ver-
des, n 26.
Precisa-se de um feitor capaz para o
servico seguinte : lomar conta de um si
to pequeo na Magdalena, e trubalhar la ef-
fi-cii v.i uii'iiti! duas semanas ou o lempo que
fr preciso para por o sitio em or.lem, e
lepois entSo vir s urna vez por semana.
Quem quizer procure no mesmo sitio do
fir. Manuel Alves Guerra.
Pede-su aos devedores de Jos Gon-
js, que cozinha, lava e vende na rua ; 1 bonitas coros,
eleg.nte esenvo de \ngolla d 2-2 ao- 1,200 rs.: na
porque com os pas, tutores, oucu-c.|v s Ma.a de Azevedo e JoaquimGon-
r,dores se entender :oque, porem. pro-| calves Mata de Azevedo, de v.c-m satisfi-
??lhl,15.*..",tm*0 lumnosjr seus dbitos, na rna Novan. 50, pois
bi se -ha pes-oa habilitada a recher, lato
.r;,.L 1.. U .I!..- n n....ln. .1. J.i. __.. _
e a boa educacSo.
Ai alii de sahir do preloa
seguinte e inleressanle obra
Guia do Guarda Nacional,
contendo a lei n. 603 de lg de se-
irtiiliro de 185o, que d nova or-
ganisaco a guarda nacional^ o de-
creto n. 711 com as instruccoes
para execuco di mesma lei, a cu
jo decreto e inslruccdes acompa-
iliam OH7.C mappas ou modelos,
nao s relativos ao processo da
'|tt ililicacao, do recurso de revis-
ta, etc. como da economa dos
corpos, orgauisacao por munici-
pios, por lirit illiocs, companbias,
etc. e fi.talmente &s instruccoes
de infantera para uso das guardas
oacionaes. Um volume bem im-
presso em lypos novos, por 2,000
rs. o exemplar : vende-se no pa-
leo do Collegio, casa do Livro
Azul.
- Urna senhora branca, solteira, com 40
e tantos anuos de idade, lendo urna longa
pratica de ensinar meuin-s, se oflerece pa-
ra exercer taj prolissAo em algum engenho
perto desta praga : quem, pois, de seu pres-
limo se quizer ulllisar, poder procura-la
oa rua do Livramento, no primeiro andar
do sobra 10 n. 23.
-- Joo Fcrrena dos Santos val Portu-
gal tratar de sua sa le, e previne a quem
com elle tenha negocios a tratar, procure-o
na rua do Amorim n. 37. do meio-dia s 4
oras da tarde dos uias uteis.
Aluga-se una casa terrea
para pequea familia, nos bairros
de S. Antonio .* paga-se bem :
quem liver, annuncie.
O Sr. JoSo Martins Pumares, vendedor
de faiendas na freguezia da Escada e Cabo,
quuira iiuanto ames pagar o que deve, na
rua do Livramento n. 34. O u>esmo se en-
tente com oSr. J. M. A. da Fouseca desta
praga.
Vendo o abaixo assignado no Diario de
Pernambuco 11. 34 de II do crreme, ua par-
le policial Foi preso : urdeui do ebefe de
polica Julio Jose de Parias, como indiciadu
em enme de lulruduzr Aficaoos livies,
ele. declara a tudus que nSo sabera do
seu estado de molestias, que rsla a mais de
u 111 Del sobro um leilo de dores, eque pur
coiisequeucia senieihaule parle u8u se en-
tende com elle. Declara lambern, para que
nSo haj< novo engaito, e baver oulro de
igual nouie, queu'ora em dtante se assig-
iidia JuSoda sil.ii Karia.
Jodo Jote di Farias.
Juiu Xavier Ribeirode Audrsde, leva
em sua couipanlua para o lliu de Jaueiro a
sua escrava Joauna, do gento da Angolia.
nu prazo de 8 dias a contar da data desta, e
n.lo o fazendo 1>-i3o de ver seus nomes de-
clarados nesia folba, e serSu executa las ba
forma da lei
O abano assignado profpssnr particu-
lar de primeiras letiras, disciplinado em
preparatorios no lyceu desta ciJade, pali-
cipa ao ri si i'iiav I publico esos pas do
seus alumnos, que desde 13 de Janeiro des-
ta anno abri sua aula, e debaixo dessa
mesma disciplina ensilla por principios
agrammalica porlugueza, latina e france-
za ; admittindo nesso recinto pnrciomstas e
meio porcionistas. Os pas de familia que
qu.'zerem applicar seus liliius a alguma llo-
sas disciplinas, plem dirigu-se a rua lar-
ga do Rosario n 48, segn lo andar.
ios/Haria Machado de Figueiredo.
annos
um el
nos, ptimo canoeiro; um dito de narjo
de 30 anuos, ptimo ganhador de rua e
mesmo para campo.
Vendo-s por praeiso urna parda de
boa delira de iiladn de 25, a .I1) annos. boa
lavadeira de sahloe le varrella, refina as
socar, faz lo la a qualidade de doce, cozi-
nha o diario de una casa, ptima para o
servico do campo, cois disso lem grande
urlica : quem a preteuiler dirija-se ao A fu-
gado, na ua do Molocolomb.
Vendem-se cordas do tripa e bordOes
nara rabeca e vioi..i, papel pau'ado para
msica, tudo de superior quahdade, che-
gado prximamente : na prac.a da In lu-
pendeneja, loja de miudezas n 3.
Vende-se rap de Lisboa em frascos,
nhegado azora pela barca Ligeira : no largo
la assen bla n 4.
Isto be que he bom e barato
Vendem-se ricos cbiculinhus, pro irios
nara senhora, a" 800 rs. ; ditos para homem.
a 8n0 e a 6u0 ; charutejras linas, a 1,800
ricas caixas para rap, a 2,000 ; caixinlias
corr fi papis de sgullias franceiras, a 320 ;
litas com bnnquedos para m-ninos, a 480 ;
tesourinbas mullo tinas, a 400 ; superiores
esccviulias para denles, a 160 rs ; luiras
le peso, muito bas, a (iOealOOrs.
melada; agulhas cantlas, a 60 rs. o pa-
nel 1 > 11 t 1 .11 1 para alisir, o mis
fiuu que se pode onconirar, a 400 ; ditos pa-
ra segurar catieilos, tanto abortos como fe-
chados, a 360 ; bengaliiilia dejunOO, a 200 ;
lin los maracas para enancas, a -2i0 e 120 !
-gulliei'os de vidro, de mui bonitos pa-
diOes, a 200; brreles pintados para ho-
3ens e meninos, a fclO ; babados del linio,
"herios, a 120 e a 140 rs. a vara ; crpulas
da seda preta, ptimas para quem for calvo,
a 640 ; tnucis de secla pr-ta para crianzas,
1 500 ; hniias de carretel de 200 jardas, at
n. 150, a 80 e 100 ; cajxmhas proprias para
guardar joias, de 320 a 480 ; lindos louca-
dores, o timos para as senboras Su pontea-
ren), a 3,000 ; o nutras mudas cousas bara-
tas : na rua do Queimadu, loja de miudezas,
junio de cera n. 33.
Metas de laii pan padres.
Vendem-se superiores meias de laia para
padres, pelo diminuto prego de 2,000 : na
rua do Qupjinado, loja de miudezas, junto a
de cera, 11. 33.
Pontea de tartaruga para mirrafis.
Vend'm-se superiuies pentes de tartaru-
ga para nrralas, a 800 o oar: na rua do
i,i,in .11 i-in, loja de miudezis, junio a de c-
a n. 33.
I,uvas de pellica para senhores.
Vendem-se superiores luvas de pellica
para senhora e para homem, a 1,000 rs. o
par : na rua do Ou imado, loja de miude-
zas, junto a de Cera n. 33.
VcJndem-S" ineios bilhetesda lotera de
N. S. do Livrainento, a 5,500 : na rua do
Catinga, luja de uiiuJezas 11. 9, junto de
ourives;
a,oo) rs. para a pobreza.
Vende se excellenta larlnha de mandioca,
receulnnente ciiega la de Santa Cilharina, .
em boas saccas novas de bom algo liloi- i "'dio eilgenho Moc-itO, na f eguezia do
.filio ma'pracada Boa Vista, ven la de Joa- sanlo Autuo. ou a J ise da Silva l.oy i, n
qiiiin de Paula Lopes 11. 18 : approveiiom a
occisiii
para 1
Cemento.
Venlem-se barricas com cemento roma-i 3,000 res,
no :a tratar com R-une & Bidoulac, rua do j VenUem-se chapeos do Cliile
viganon.4 pequeos finos, a 5,000 rs, na
Lote para Jorro de na /ios.
Ven-ie-sp cobre para forro de navios
aasar-......1
pelo baratissi'Do proejo da
rua doOdei.dido loja de miu-
dezas junto a de cera 11. 32.
Ven 1e-se um "carro de quatro rodas,
miiloleve, eque da commodos par. qua-
tro pessoas, e por.isso mui proprio para
nialrn Srs. estu lan'es, que queiram ir a
Olinda todos os dial: na cocheira do Fran-
>-ois, becco do Capim.
A a,5oo ris.
Vendem-se a dous mil e quinhentos reis
linios chapeos brancos sem irello, para ho-
mens e meninos, mu proprios paia pas-
smos : na prapa da Independencia ns. 24,
26, 28 e 30.
Attenco.
Na rua do Queimado, luja n. 17, slo che-
gados os mais mo lernos manteletes, capo-
linhos e palitos de nohreza de seda ureta e
de cores, rada um em seu cartilo, por pro-
co tilo barato que faz admirar a quem tem
vontade de comprar.
Fil ile linlio preto.
Na rua do Queimado, loja n 17, vende-.se
fil preto larrado para manteletes, a 2, 3 e
4.000 rs. a vara.
Ao resto da pecliincha.
Na rua do Queima lo. loja n. 17, vnde-
se um resto de cambraias de lila ab-rtas, in-
tituladas BaltarilHU, de padiOes mu deli-
cados, a 360 rs o cova to ; e outras faZeu-
dss i'or diminuto pratjO
Ven tem-se caicas com c'iarutos de 50
a 1(10, os mellio'es de S. Flix: na rua da
Cadeia do Recite n. 15.
Clieguem ao barato.
No Passeio Publico n. II, loja de Fermia-
no Jos Ito Irigues Ferreira, venlem-se pe-
Qas de algiidiloznho muito enrorpado, com
11 m pequeo toque de avana,ao prcQo de
2,000 rs. a pega.
Para acabar.
Vende-se por 2,000 rs. o milh'Mro de ce-
blas, e a 24' rs o cenlo : na rua da Ca-
deia de Sanio Antonio, armazem do tijol-
los n. 17, e junto ao arco da Co iceicSo, ar-
mazem qu- foi do finado Bra^uez.
Vende-se o eng'nbo Amparo, na fre-
guezia le Santi Ailo doter-noda Victo-
ria, muente e corrente, cun boas ma'las,
cercado espaQoso, trras bem pro luctiva-i
para lo lo o genero de Uvuuras, e especial-
mente de caimas, de que se p le sifrej.r
annualmante mais de dous mil pS-11 de as-
sucar, sendo aclualuieiro de animaes, mas
Com todas as proporedes e ptimos lugares
para so formar d'agoa, com uioenda nova e
tolos os d mais pp-parus Tambern si ven-
de urna proprie lade de ierras contiguas ao
engenOo .Mocot, confinante com o Amparo,
ten lo em urna t-siala meia legua, e as
onlras menos alguma cousa, como se fa'a
conbecer ibis tilulos resp'Ctiv-is, com ma-
las, ptimas va'gens, e as uieliio-.-s pro >or-
Cfles para se conslrulr engenho d'agoa.
Igiialuiente arreilda-sfl por t impo conveni-
ente o engeuho MoCul, moente e corrente,
com acu les aboiidaiiliss inos d'agoi, Com
varias cas cercados, em parles de valla 11 : qu 'm pre-
l-Mi ler uma ou outra coisi, dirija-se no
rua da cruz do K"Cite, conl'rouie o cnaf 1-
siiiuanlesquoapjaivca o especulador ,,!t'u" n* rU; ,,a Cada de Santo Antonio,
a USUra. .asa 11. lo, confronte o Iheairo do S. Fran-
cisco.
i3.
s hem!rua '' (:resP 2
sonido : a tratar cu u Rutile & Bidoulac, la I Vende-Be fz-n la de palha da India,
do Vigario 11. 4. muitoproona pira jaquetaa epdiios, a 120
11' i 11 rs. o covado : na rua do Ces 10 n. 23.
..inos 'l.l 1 .tlssl I. .-Venle-se uma preta mopa, que engom-
Vendem-se cabos da Russia de boa qua- ma, cose, o he perfoita cozmheira e vende-
i lade : a tratar com Bolhc & Bidoulac, rua | ,|jra ,|ft rua ,,a rua |arga uo Uozario, lo-
Com
pas.
do Vigario n 4
| Ni rua lo Livramento n. 10,
ven lein-se superiores cambra! i da In lia de
cores, propiias para vestidos de senboras,
pelo diminuto proco de 320 rs. o Covado;
SSsim como chitas de rii|ulssimos padrO -s,
a 210, 28u e 300 rs o cova lo, sen 10 essas
quasi uma se la
Compra-se uma escrava boa cozmhei-
ra e coslureira, e que aaiha pensar urna
casa : dirija-se a rua do Livramento, so-
brado n. 37, que t. m trajera, do lado da
Peana.
Compram-se seis cadeiras de amarel-
lo ou de pao d'oleo, em meio uso e por pre-
go commodo ; e bem assiin urna marque-
za : quem liver, aununcie.
Cumpram-se as Ordenaces do Reino
em algum uso : na rua do Apollo o. 15, ou
na rua do Queimado n. 17.
Compra-se um cavallo de sella, que se-
liuin e novo : na prac,a da ludependeucia
numero 26.
Compra-se, para uma encommenda.
uma preta moga, ba cozinheira eengom-
madeira : na rua da Ladea do Hecife, loja
n. 50, de Cunha & Amorim
caseuiiras do ultimo gos- 'I* c'"n
ir a festa de d** a
ja 11. 35.
Vende-sena loja nova na rna do Crespo
n. 10 d J. L. de B.Taborda superiores corles
ile casemira franeca dd lu los na IrO's pe-
lo barato prego de 7,000 e 7.500 r-;., ditos
de meia dita a 3,300 o 4,0l>0 rs., nsculos
l'raiiC'Zes a 280 rs. o cavado, lencos de se-
fraiija, para senlioia, bonitos pa-
auperiores quali la tes 1 1,000 rs..
to. pro ras para a rapazud.
S. Panlal.ao no Monteiro, a qual s com es- Oliapeoi de sol de seda para senhora a 4,00*.
tasc.-semiias poJ-ra su tornar mais bri- rs.. dilos para homem, preloa e de cores a
lliantu; I neos do seda para grvalas, a 6.800, e lencns depura seda a 1,700, 1,800
2.000 rs.;e outras mullas fazendas, que se-1 2.000, e 2,210 rs ; superiores mantas de
roauiiinciaiias empresenta dos fregu-jOda do ultimo gusto a
tes, pois do cuntrariu seus precos c usa-
Vendas.
Pichincha a 1,400 rs.
Na rua Nova, loja de leiragens n. 29, de
Joiio Fernaudes Prenle Vianna, cnegou
novo sortiineulo de ma roquins, e cunij-
nua-se a vender pelo diminuto prego de
1,400 rs. a pelle, a elle freguezes aniea que
se acabe.
Vende-se uma escrava moca
com uma cria de 7 mezes, cuja
escrava cozinha, lava e engomma
o diario de uma casa ; tambern
se vende um ecravo moco, pro-
prio para qualquer servico, por
ser possante : na rua da F.aia
o. 3a.
Vende-se no pateo do Collegio, loja do
Livro Azul, pelo prego de 160 rs o Jornal
do Cjmmercio de 31 ue Janeiro prximo pas-
sado, cunten Jo as Ilotas ltimamente tro-
cadas enlie o ministro dos negocios eslrao-
geuos e o ministro inglez, soie a quaMAO
ue cuuliabaiidus de Au icaous.
Na rua das Cruzes n 18, lerceiro an-
dar, vt'iideni-se, urna ptima escrava parda
do 26 111 nos. que engomma bem, cuse cbSo,
cozmia e lava Ue sabo; uma preta de 20
riam admiragilu ao publico.
l.uviiis pretnade trocul.
Vendem-se superiores luvas pretas de
trogal, tanto para senhora como parame-
ninas, pelo baralissimo prego de I,o00 rs.
o par: na rua do Queimado loja de miude-
zas junto a de cera 11 33.
(nivillas Vendem-se superiores grvalas d mola
pelo diminuto prego de 2,000 rs. e l.GOi) rs :
na rua do Queimado luja ue miudezas junio
a de cera 11. 33.
o gusto a
rs., diales do radago a 1,300 e 1,400 rs. ;
corte de cambraia de seda lamben) do ul-
timo gosto a 10.000 11.o. 10 e 12 001 rs e
' nutras muilas fazendas de superiores qua-
lidades, que se vcnJein por diminuios pre-
cos.
Couro de lustro.
Vende-M couro de lustro de primeira
quali lade, por prego commodo : a tratar
com Rolbe & Bi tomar, rua do Vigario n. 4.
l'liospli IOS.
Vendem-se pbosplioros, por prego com-
modo : 110 escriptorio de llolhe & Bidoulac,
;0399:'!*aQ0:30Q:QOG>O i rua do Vig.no n. 4
<5 Vende-se, na rua Nova n. O Cusa le cousignarao le escravos,
8, loja de Jo- JoaqU!m Mo- 11 *%*VS?l:3? *
reia & Companbia, mutio
boas e fi escs cordas de tri-
pa para rabec-i e violo, a
loo ris rada urna.
Q'
O
O
O
vj)OC3O0:3Oc>:Ot> C>Q:GQQ&Q
Vendem-se 8 escravos mogos, bons tra-
bajadores de enxaila ; 2 lindos molecoles,
sen lo um bom carreiro e de boa conduela ;
urna niulatinha de 14 anuos, com pren las
le coser e engoin nar ; duas nugrutas de 16
.iiinu- e de lindas figuras; urna ueg-inha
de 12 annos com principios de costura;
Venlem-se duas canoas em bornes- preta boa quilaiideira ; duas ditas de
lado, que carrega cada uma mil ujulios do meia idade, que sabem co alvenana grussa : na rua das Larangeiras, I|g ,., um prelo da Costa, de meia ida je,
venda 11. 16. prupriu para Irabdlhar em sitio por esta: a
- Vende-se um par de mangas de vidro ssoaco-lumadu.
lapida tas, inglezas ; lio blttfi de couro ; .. v0u4lc-.se um balco o cinco caixilhos
o 11 c.ox.io de llaudres, forrado de madei- rom vidros, mui propiios para armagAo de
ra, propiio para vender fazendas; un ca-
nap de Jacaranda, usado ; uma banca de
condui : tudo por barato prego : na rua do
Rozarlo laiga n. 22, segundo andar.
Objcctos para mesa.
Vendem-.-e ricos jarros de porc-dana dou-
rados, em punlu pequeo, a 1,6n0 rs. o par:
e outras Calungs de dilferentes gustos tm-
liem muiio baratas: ua rua doQueiniaio
loja de 11.in-le/..i j.miu ;i uecera 11 33.
i artas fi-aiiceza*i>ara voltnreta.
Ven tem se OuluimaS callas fra ce s
para vollarete : na rua do Queimado loja ue
miudezas junt a de cera n. 33.
CamuM Uc meia ue cores.
Vendem-se camisas de meias de muito
loja de calgado ou miudezas : ludo por pre-
Cu commodo : uo Aterro da Boa. Visla, loja
de miudezas 11 72.
Garrafas vasias.
Vendem-se gigos com garrafas vasias: a
tratar cum Holln & Bidoulac, ua rua do Vi-
gario n. 4.
Bros, brinzbes, lonas e tiatas.
Vendem-se brins, biinzdes, lonas da Rus-
sia o lelas surtidas : a tratar com Rjthe&
bl loulac, roa do Vigario o. 4.
Venlem-se um prelo crioulo, anda
mogo, com principios debolieiio, cauoeiro
o que sabe tratar de auutiaesdo esla por ter
em engenho na rua do Sol n. 1

!
ILEGIVEL
MUTILADO


4
Moendas superiores.
Nt fundieo de C. Starr& Compendia,
em S.-Amaro, aeham-se "renda moendas,
de canna. todas de ferro, de um modelo e
construcgfio mnito superior.
da fabrica de S. Flix, no ar-
mazem de Troceo & Corapanhla,
roa da Cruz n. 21.
SSo rhegados este armazem os verda-
deirns charutos regalos, regala, caeadores,
deputados, venus, senadoras e soberanos
de liavn. em caixasde cem e250, por pro-
cos rasoaveis.
A pobreza.
VendntiMe cebollas americanas pelo ba-
rato prego de 80 a 160 rs. a restea, e a 320
rs. o cento das soltas: nos armazens do bee-
co do Concalves, junto a casa da Sra. Viuva
Lasserre
Vendem-se arados america-
nos dos modelos mais approvados:
na ra do Trapiche n. 8.
Deposito de cal vtrsem.
Na ra do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, ehegada ultima-
mente de Lisboa no brigue Tarvjo-Terceiro.
Potassa da Rnssia.
Vende-se potassa da Russia, recentamen-
te chegda, "de muito superior qualidade :
na ra do Trapiche n. 17.
Talxas para engenho.
Na fiindigo de ferro da ra do Brum.
aeaha-sn de receber um completo sortlmen-
to de taixas de a 8 palmos de bocea, as
quaas acham-sea venda por prpgo com-
modo, e com promptidSo embarcam-se, ou
carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
AGENCIA
da fundicao Lnw-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42.
Neste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento.de moendas o meias moen
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Chumbo de municSo.
Vende-seno armazem de J.J. Tasso Ju
mor, ra do Amorim n. 35.
Ven lem-se amarras de ferro : na ra
da Senzalla nova n. 42.
Arados de ferro.
Na fundic3o da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na Babia.
Vende-se, em casa deN. 0. Bi*ber&C. ,
na ra da Cruz n. 4, algudSo transado da-
quella fabrica, muito propno para saceos de
assucar e roupa de escravos, por prego com-
ino jo.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
ehegada ltimamente de Lisboa
no brigue larujo 111.
Cal vitgem de Lisboa,
da melhor que ha no mercado, e
chegada ha das pelo brigue Em-
preza : trata-se com A. C de
Abreu, na ra da Cadea do He-
cife n. 37.
Na ra estreila do Rozario, travessa do
Queimado, loja de miudezas n. 2 A, de J
F. dos Santos Maya, veudem-se cordas de
tripa e bordoes para violSo e isbeca, e pa
pe pautado para msica, ludo da melboi
qualidade possivel.
Fio para sapa teiro e para saceos
Vende-se um restante de ptimo fio par-
sapateiro em novellos, e dito em meiadas
para saceos, por preco comniodo para li-
quidar facturas :em casa de Adamson llowie
& Com anbia, ra do Trapiche n. 42.
Lotera de N. s. do Livramento.
A os 5:.....iSiio rs.
Na loja de miudezas da praca da Inde-
pendencia n. 4. vendem-se bilhetes, meins,
quartos, quintos, decimos vigsimos, que
curre impreterivelmeute no da 28 do cor-
rate.
Bilhetes inteiros
Meios
Quartos
Quintos
Decimos
Vigsimos
Cera era velas.
Vendem-se caixas com cera em velas, fa-
bricada no Rio de Janeiro, sortidas a vonta-
de do comprador, e por preco mais barato
do que emoutra qualquer parte. Trata-se
com Machado & Pinheiro : na ra do viga-
rio n. 19, segundo andar.
Veudem-se pegas de chitas pardas, co-
res fixaa, a 4,500 rs e a relalho a 120 rs. ;
cortea de cmbria, mui bonitos, cores fi-
xas, a 2,600 ra. ; e 100 saceos de estopa no-
ves, com duas varas cd um, a 320 rs.: na
ra larga do Hozario n. 48, ,.nineiro andar.
Tecido de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Deposito de e-pclhosdas ma-
nafaetmasde tranca ; na ra do
Passeio n. 19.
Tinta para escrever.
Vende-se excedente lila para escrever.
em frascos de mais de garrafa, a 480 rs. ca-
da um frasco : na livraria ns. 6 e 8 da pra-
ca da Independencia.
Vende-se urna escrava cozinheira, sa-
dia e sem vicio*, o que se aRanca, assim co-
mo quatro vidracaa para loja de miudez*
ou de -apiteno.- tudo ,.m conta : na ra lar-
ga do Rozario, loja n 35.
Vendem-se queijos londri
nos, touci.iho em
11,000
5 500
2,600
2,100
1,100
600
11.000
5,500
2,600
1,100
600
qualidas, cha preto, pos para p3o
sem fermento, baldes para com-
pras e mais gneros: tudo ultima-
mente chegido de Londres: na
ra da Cruz n. 7, armazem de Da-
vis & Companhia.
Lotera deN. S do Livramento.
A os 5 000,000 rs.
Na ra da Cadeia n 46, loja de miudezas,
vendeu-so o bilheteinteiro n. 951, m que
sabio a sorte de 1:500,000 rs., e eslSo ex-
postos v-mda os bilhetes e cautelas da
mesma lotera, que corre impreterivelmen-
te no dia 28 do corrente.
Bilhetes
Meios
Quartos
Decimos
Vigsimos
Casa de modas franco zas, Aterro
da lloa Vista n. I.
Madame Buessard Millochau tem a honra
de participaras suas fregupzias, que pelos
ltimos navios vindns do Havre, Ihe chega
ram modas novas de Paris, como sejam :
ricos vestidos para noivascom os cabecees
e veos, vestidos para bailps e theatros, coa-
pos, mantelletes, capolinnos, enfeites de
cahec, flores finas, um sorlimento moito
grande de fil*s e bicos, cabeqOes de bico,
camizinhase eolarinhos bordados, chapeos
le palha para senhoras e meninas, transs
e franjas, espa'tilhos, luvas de pellica com-
pridas para casamentes o baptisados, lencos
de cambraia de linho, bicos de bluride lar-
gos e estreitos, veos o ni mi illias de blonde
veriladeiro, bicos de linho verdadeiro, Cam-
braias bordadas, Otas lisas e bordadas, lu-
vas, etc. ele : ludo por preco commodo.
Inflectivamente faz-se chapeos, vestidos, e
em geral todos,os adornos de senhoras.
Vende-se na ra da Senzalla Velha,
padaria n. 100, ao entrar [< lo Becco Largo,
superior farinha de mandioca, vinda lti-
mamente de S.nta Catharina ; por cada sae-
ca pagara o portador a pequea quanlia de
2,000 rs., leva urna sacca nova de hom al-
godlozinho, equerendo,desconta-se-lhe260
rs. passando para oulra sacca que leve.
Bom e barato.
hua do Passeio Publico, loja n 9, de Al-
bino Jos Leite, vendem-se riscados mons-
Iros, a 200 rs. o cova Jo ; eassa para baba-
dos, a 240 a vara ; madapnlAo, a 2,000 a pe-
ca e a 120 a vara ; chitas, a 4,500 a peca e a
120 o Cova lo ; chapeos 'le sol, tanto do r-
111 ht;:1 n d'aco comode baleia, a 2,000 ; len-
co de seda de coi es, a 1,500 ; luios de li-
nho azul ede cores, a 300 o covado ; cha-
les de chita, a 500 e 640 chita para cober-
la, a 160 o cova lo ; e oulras minias Tazen-
las, que se deixam de annuuciar para 0S0
occupar lempo.
#***.>*.:*? *.** i,:***&** >
jg AlgodAo pura suecos. 6>
% Vende-se muito bom algodSo para %
% saceos de assucar, por preco comino- ft>
' do : em casa de Ricardo Royle, na v:
4 ra da Cadeia n. 37. *}:
Le da guarda nacional.
Vende-se o peculio do guarda nacional,
poniendo a lei, regulamento e o mais preci-
to para a mesma, a 1,000 rs. cada eXm-
ular : na praca da Independencia, livraria
ns. 6 e 8.
Na rus das Cruzes, venda de Domingos
da Silva Campos, veudem-se e alugam-se
as melhores bixas de llamburgo, tanto em
poreSo como a retalho, por preco commodo.
Vendem-se candieiros para
meio de sala, muito ricos, com os
competentes globos, canudos e lor
cillas, dando a luz mais brillante
possivel : na ra doTrapiclu n. 8.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com canibo de sicupira e hrticos
de ferro .- na fundicao da ra do
brum ns. 6, 8 e 10.
Cimento.
Vendem-se barricas con cimento, pro-
pno para qualquer obra que possa.rece-
1 10 agoa, assim como para aljeroz e Ira-
peiras, prximamente chegado de Ham-
burgo, tambeiii se vendem as meias barri-
cas por preco comoio'to : airas do theatro,
armazem de taboas de.inho, a fallar cm
Joaquim Lopes de Almeida, caixeiro do Sr.
luSo Matlieus.
Na ra do Collegio n. 16, taverna de
Antonio Joaquim Ferreira da Silva, vnde-
se superior farinha de mandioca em boas
saccas, a 1,920 cada urna, advertindo-sn que
esle preco ne para quem se quizer apro- J que
Chapeos de massa sem pello.
Na leja de seis portas, em frente do Li-
vrameoto, vendem-se chapeos pretose par-
dos a dous mil ris, assim como chapeos de
palha da Dalia por precos rasoaveis, e de
oulras qualidades.
Roga-se aos Srs. Ifregnezes do ba-
rato qne lelam o segnlnfe
anniineio.
Vende-se brim de quadros de linho, a
320 rs. o covado ; rispado de linho, a 220 rs.
o covado; dito de algodo, a 180 rs. o co-
vado ; pecte muito encorpado, proprio pa-
ra escravos, a 180 rs. o covado; castores
muito encorpados, a 280 rs. o covado ;
brim transado branco de linho, a 1,920 rs.
o corte dito escuro, a 1,600 rs. o dito ;
esguiSo de algodSo de 12 jardas, a 2,400 rs.
a pega ; cortes de fusto, a 560 rs. ; cober-
tores escuros de algodSo, grandes, a 720
rs. ; cassa preta, a 120 rs. o covado; chita
de cores flxas, a 160 e 180 rs. o covado i na
Iruado Crespo n. 6,ao pdolampeSo.
Cheguem a pechincha que se est
acabando.
veilar, porque esla pechincha nilo pode
durar.
Vende-se junco o mais su-
perior que aqui tem viudo, por
preco commodo e tambem tem
mais inferior a 260 rs. a libra : na
ua Nova, armazem de trastea do
Pinto defionte da ra de Santo
Amaro.
Vendem-se manlelletes de fil borda-
dos a dez ii< 11 ris, e de nobreza lisa a
quinze mil ris : na loja de seis portas em
frente do l.ivrameulo.
Jarras linas.
Vendem-se jarras, moringues, quarti-
nhas, reafriadeiras, garrafas blancas para
resinar agoa, louca vidrada.como s-j al-
guidares, panellas, cacerolas com cabos,
hlalos para ensmar meninos a andar, ditos
para cokIum e ditos com lampa para com-
pras : na ra da Cadeia do Recife n 8.
I
I
I
llonita limn.
Vende-se urna preta muca, de boni- -a
ta ligura. que lava e be quitandeira : _
na ruado Vigaiio n. 12, terceiroan- "
dar. U
HHWS mHWlft'Wfc
Atlfiit'So ..o barato.
Vendpm-se novas ceblas pelo barato pre-
;o de 320 rs. o cento e a 3 000 rs. o milliei-
o, e em rest as escollu as a 80 rs. cada
mi : noarmazpm que foi do finado Bra-
tv\ I uez, junto aoarco da Conceicao, eemum
mantas, efvi-j*rnia'zm ao enlrar m rua dg SenM,
Jhaa verdes, conservas de todas as| velba.
Vendem-se relogios americanos, propnos
para cima de meza, muito bons regulado-
res, e por preco muito commodo, para che-
garem aos pob es : na rua do Trapixe n.
8, e na rua das Agoasverdes o. 62.
Attencao.
Vende-se na Inja nova na rua do Cres-
po de J. L. d Taborda gollas com pes-
cocinho, por menos preco de que em ou-
tra qualquer parte, e para desongano dos
compradores venham ver chitas francezas
a 300 e 320 rs. o covado.
Vende-se cobre em folha para forro,
em casa de James Crabtree & C na rua da
Cruz.
Vende-se a verdadeira graixa n. 97 em
casa de James Crabtree & C. na rua da
Cruz.
Lotera de N. S. do Livramento.
-- Na botica da rua do Rosario Larga n.
42, vende-se bilhetes inteiros, e meios, cu-
jas rodas andSo no dia 28 de fevereiro.
Lotera de L. S. do Livramento.
Na botica da rua do Rosario Estreila n.
10, vendem-se bilhetes inteiros, e meios,
mais baratos que em oulra qualquer par-
te, cujas rodas ndito no da 28 de feve-
reiro.
Loteria de N. S. do Livramento.
Na loja de fazendas debaixo do arco
da Conceicao n. 6, vendem-se bilhetes in-
tpjros, e meios, cujs rodas andSo no dia
28 de fevereiro.
Na loja nova, na rua do Crespo n. 10, de
J. L. de B. Taborda,
vendem-se gollas com pescocinhos, por me-
nos preco do que em oulra qualquer parte,
e para desengao dos compradores venham
ver; assim como chitas francezas, a 300 e
320 rs. o covado.
Vendem-se bilhetes da lote-
ria do Livram nto: as Cinco
Ponas n. i3g,
Vende-se panno para bilhar,
de superior qualidade : na rua do
Passeio Publico n. 19.
birros baratos.
No Atierro da Boa-visia, loja n. .54; na
rua l'otiviu do osario, loja n. ; ede
fronte do trapich 1 novo, casa .'. 6, ha a
venda as seguintes publicare?":
Memorias de um Duido por Lopes de Men-
donca ; Leitura Repentina, por Caslilho;
Conloa ao SerSo, por Ribxiro de S ; o Preso
pe-i dito ; Curso A' lnstrucc3o da Historia
Natural; Poesas del). Luiz Riverac; Re-
vista Militar contendo os conhecimentos
necessarios a esla nohre classe ; Elemen-
tos de arilhmelica; Jornal das bellas ar-
tes; Almanaks populares; Visla do Cerco
do Porto; Cartas da India e China ; Duas
Dianas, romance de A. Du.nas ; Panorama
de Lisboa ; A SemaiH, jornal scientifico : O
Thenue, dilo; Revista Universal Lisbonen-
se, dito; Universo Pitoresco, dito; VUtas
de magnilicos edificios ; Retratos de pes-
soas celebres.
Vende-se muito nova fari-
nha de Santa Catharina : a bordo
do brigue Sagitario, fundeado
defronte do trem, por preco mui
to commodo.
Kap Paulo Cordeirodo Rio de
Janeiro
em latas e frascos, chegado recentemente :
vende-se na rua da Cadeia do Recife, loja
11 '>, 1 O.nha & Amorim.
Na ruado Crespn. 16, lo-
volta para a rua d-s Cru-
zes, vendem se riquissimos man-
teletes, vindos de encommenda de
Franca, sendo pretos e de cores,
e mais baratos do que em outra
qualquer parle.
N. l'ommatean, cutllelro e ar-
meii'o, Aterro da Itoa Vista
numero 16,
tem a honra de participar aos seos fregup-
zes, quo receb>-u pelo ultimo navio chega-
do do Franca, um lindo aorlimento dos ar-
tigos seguintes : estojos para senhoras em
forma de piano, ditos em forma de moj-
nos de vento, cestas para senhoras, esto-
jos para guardar fumo e ch-rutos em frm
de cairo a vapor, cortadores de relogio, ca-
begadas de fita ( seda vegetal), bonels de
dita, esporas d'aco com correia, ditas Mea-
das de prata, chi'ruteiras, carteiras grande.-
e pequeas, esporas de mola, desalo e de
tarraclia, e muilus outros objectos. Todos
estes artigossSo de ultimo gusto ede su-
perior qualidade, por SSO que o annuucian-
le, assistiudo mesmo em Paris, leve oc-
casiSo de velar sobre a boa execuc3o do>
objectos com que vai aortindo o seu esta-
beleeimento nesta praca, e que por isso se
toruam mui recommendaveis pelos precos
que sSo os mais baratos que al entilo.
Deposito de cal virgem e potassa
Cuuha & Amorim, na ruada Cadeia d.
Recif n. 50, vendem cl virgem em pedra
chegado pelo ultimo navio de Lisboa, e po
ia*sa de boa qoalidade, por menos prego di
queein uulr qualquer parte.
-- Vende-se urna preta de nacSo, de 26
annos, muito possaute e com algumas ha-
bilidades de cozinha, sendo mais propria
liara engenho por estar acostumada em fa-
brico de trras, assim como m \ iolSo de
bonitas vozes, este na rua da Cadeia do Re-
cife n. 25, o a preta no largo da Trempe, so-
brado n. 1, que tem venda por baixo.
Veudem-se escravos bara
tos como seja 3 negrotas de 14 >'>"-
nos ; 6 pretas 010538 de bonitas fi
guras e com ulgumas habilidades;
2 pretas ptimas quitandeiras, de
3o annos ; I dita que cozinha mul-
to bem, por pre5o muito em con-
ta i 5 pretos mocos, ptimos para
qualquer servico ; I mulatinho de
i5 annos ; 1 preto que entendede
(azer sabao, por j ter trabalhado
em urna grande fabrica no Mata
nliaa : na rua das Larangeiras n.
14 segundo andar.
Pechincha.
Na loja nova da rua do Crespo n. 10, de
J. L. de B. Taborda, vende-se alpaca preta
de totas as qualidades, a 640, 710, 800,
1,000 e 1,200 rs. o covado; cites de b'im
escuro de linho puro de 2 1|4 varas, a 1,000
ris.
Vendem-se 10 escravos, sendo 1 pti-
mo ollicial de pedrelro. e que sabe traba-
Inar em assenlamento de engenho ; 1 dito
bom carpina ; urna mulatinha de 12 a 14 an-
nos. de bonita figura, que eng'imma, cose,
faz lavarinto e marca de linba ; urna escra-
va de 18 annos, que cose, faz lavarinto,
marca de linha, cozinha e faz doces; duas
ditas de todo o servico; e 4 escravos do
servico decampo : na rua Direita n. 3.
Venham ver superiores'cor-
tes de casemira de 3 lp covados,
a 5,ouo rs. : na loja nova, ao p
do arco de Santo Antonio n. 3.
Chapeos de mola a 5,5oo rs.
Na loja de seis portas, era frente do Li-
vramento, vendem-se chapeos de mola, a
5,500 rs de boa qualidade.
fil bordado a 1,600 rs. a vara.
Vende-se fil de cores bordado, proprio
para manteletes e vestidos, pelo mdico
preco de 1,600 rs. a vara : na loja de seis
portas, em frente do Livramento.
Aos 5:ooo,ooo ris.
Vendem-se a 5.500 rs. meios bilhetes da
loteria do Livramento, cujas rodas andam
inlalivelmente no da 28 do corrente : na
praca da Boa Vista, botica n. .32.
Aos 5:ooo,ooo ris.
Vendem-se meios bilhetes da loteria a fo
vor das obras da igreja de N. S. do Livra-
mento, que corre, a 5,500 rs. no Aterro
da Boa Vista, loja de calcado n. 58.
Vendem-se, por preco com-
modo, no armazem de Oas Fer-
reira, no caes da Alfendega, os se-
guintes gneros : potassa em bar-
riquinhas muito nov.i, fumo em
folhn para capa e milo de thiru-
t s, chocolate de Lisboa e fari-
nha de mandioca muito superior,
cliegad,1 a poucos das do l'io de
Janeiro : trata-se no mesmp ar-
mazem, ou com Novae & Com-
l> nl'ia, na rua do Trapiche n. 3%.
Vende-se urna preta de nago, do bo-
nita figura, de 18 a 20 annos, que cozinha,
engomma ecose, por preco commodo : as
Cinco Ponas, sobrado de um andar n. 36.
Vendem-se sapatosde couro de lustro
para senhora, a 1,600 rs. o par: na praca
da Independencia, loja do Arantes nmeros
13 e 15.
Nao ha cousa mais barata.
Vende-se, no Aterro da Boa Vista, venda
n. 80, junto ao deposito da padaria do Sr.
I lo raes, cera em pao para limas a 1,000 rs.
a libra : os amadores de tal genero au se
deseudem, pois s* esla acabando.
999f:f>S <*##$#
A a4 rs- covado. w
Vendem-se chitas francezas finas, ^
depadrOesmiudinhos e cores fixs,
f^ p lo barato prego de 210 rs. o cova- 4
9 do: na rua do Crespo, loja de qua- f)
* tro portas n. 12. 9
9 5 9 fp:4P^ ^*:^%^' Ivfl
Charutos de II ivana.
Vendem-se charutos de Ha vana, por pre-
co commodo : no escriptorio de Rothe &
Bidoulac, ruado Vigano n. 4.
Franjas pretas para 111 nileles.
Vendem-se franjas pretas para mantele-
tes, pelo barato prego de 640 rs. a vara : na
rua larga do Rozario n. 26, loja de miude-
zas de J080 Francisco Maia.
Hasdes de appellac3o
interposta pelo Dr. Filippe Lopes Nettp da
decisSo du jury para a relar;3o do distric-
to, com observarles sobre o acco'dSo, que
confirmou a decisSo appellada pelo Dr. Ma-
noel Menes da Cunha Azevedo, 1 vol. por
1,000 : no pateo do Collegio, casa doLivro
Azul.
-- Vende-se urna taverna, sita no pateo do
Paraizo n. 30, assim como urna casa terrea
na rua da l'raia quem pretender, dirija-se
mesma venda cima.
Vende-se urna escrava de nacfio, mo-
ga e boa quitandeira, que lava e cozinha
alguma cousa: na rua d'Apollo n. 27, se-
gundo andar.
Cheguem a pechincha que se est
acabando.
Vendem-se pegas de chita franceza com 4
palmos de largura, de bonitos padres, a
200 rs. o covado e a 6,400 rs. a pega ; ad-
verle-se que sSo limpas e sem avaria algu-
ma : na rua do Passeio, loja n. 21.
A 1,000 ris.
Vendem-se chapeos lisos, pequeos, para
nomens e meninos, a 1.0D0 rs., da ultima
noda : na praga da Independencia ns. 24,
!6, 28 e 30.
A 5,ooo ris.
Vendem-se mui superiores e modernos
chapeos de mola, a 5,000 rs.; grande sorti-
mento de chapeos de todas as cores, sem
pello, para homens e mentos, de copa alta
ebaixa, por muito barato prego; flnissi-
mos chapeos brancos sem pello, da ultima
moda, fazenda a mais supeiior que tem viu-
do ao mercado; mui finos chapeos de Ita-
lia, da moda, para homens, senhoras e me-
ninos, com apparelho e sem elle; sorti-
mentode honets de todos os modelos, pa-
ra nomens, senhoras e meninos; chapeos
francezes, muito elegantes em formas e
qualidades ; superiores chapeos a amazo-
na para senhora, de diversas cores ; olea-
do jintado, de ricos padrOes, proprio para
mesas de jogo, bancas ecommodas; dito
preto : tudo por barato prego : na praga da
Independencia ns. 24,26,28 e 30.
Uculos para todus as ida'les.
Vendem-se oculos para todas as dadas
pelo barato prego de 800 rs o par: na rua
larga do Rozario n. 26, loja de J0S0 Fran-
cisco Maia.
C. J. Aslley & Companhia teem para
vender, em seu armazem, na rua do Trapi-
che n. 3, zincoem folha, proprio para forro
de navios e cobertas de casas, ten Jo tanta
consistencia como a folha de cobre, e pela
terga parte do prego ; assim como folnasdo
mesmo metal furadas, as quaes teem appli-
cacao para difTerentes objectos.
-- Vendem-se dous seibos inglezes novos,
sem uso algum e com lodos os pertences,
sendo um para montara de senhora, obra
multo rica, e outru para homem na rua da
Cadeia de Santo Antonio n. 25.
Vendem-se diccionarios da liogoa por-
tugueza por Constancio, por prego rasoa-
vel : na rua do Sol n. 1.___________
H"a^*|^^waaap^MBHBjSaajajjJH
Escravos fgidos.
Desappareceu no dia 6 do corrente urna
pardinha de nome Collecta, ida le li ,1 13
annos, magra, bons denles, porm um
quebrado na frente, faltas de cabellos na
cabega de sarnas que leve, signal de um
golpe em um dos pulsos, levou vestido de
algodSo trangapo sul de listras, e panno
da Costa usado : as autoridades policiaes,
e capiiaes de campo, roga-se, a sua captura,
e entrega no caes da alfandega, armazem
numero 5.
mmmmmmmmmmmmmtmmmi
O mulatinho Agostinho
fgido.
1 Na noite de 11 para 1 a do
* nassado ausentou-se o es-
its cravo Agostinho, pardo a-
I caboclado, cabellos pretos e
[ lisos, ps grandes com os de-
dos grandes grossos e camba-
dos para dentro ; he filho do
serlao, muito lallador e no-
ta: roea-se as autoridades
poli

roga-se as
iciaes, capitSes de eatn-
po, assim como a toda e
Sqnalquer pessoa qne o en-
contrar, de prende-lo e con-
- duzi-lo a seu senhor fien-
U to Jos Taveira, na rua da
Cruz n. 20, que nao s paga-
r todas as despezas, como
oiFerece urna generosa re-
compensa a quem o trouxer.
Fugio no dia 24 do corrente do enge-
nho Tapera, sito na freguezia de Jabnato,
o escravo de nome Jos, de naco ap,
cojo sinaes caractersticos silo os spguintes:
eorpo e altura regulares, olhos sllenles e
vivos, sem barba, com falta de denles, ros-
to tulla lo, ps grossos, representa ter de
Hade 30 anuos, he muito ladino; a vista
do exposto recommenda-se aos capitSes de
campo a captura do dito escravo, pelo que
seriln generosamente gratificados.
Desappareceram no dia 12 do corrente
mez de fevereiro, pelas 9 horas da noite, da
casa de Antonio Joaquim de Almeida, um
mulato de nome Jos de idade 40 anuos
pouco mais ou menos, e um cabrioha de
nome Rufino de idade 10 a 12 anuos, vin-
los do engenho Velho pertencente aoSr.
Floriano da Costa Delgado PerdigSo da pro-
vincia de Alagoas : o por isso roga-se a poli-
ca ou a qualquer pessoa que os pegue de os
levar na rua Nova n. 37.
Desappareceii no dia 7 do corrente um
escravo por nome Paulino, de idade de 26
annos, altura haixa, suissas por baixo do
queixo, falla de alguns cabellos nos cantos,
o cabello da cabega um tanto grande, meia
irrigada a gafuriua, odie 1 al de saaateiro,
levou tres caminas, tima de xita preta, urna
de riscado encarnado, e urna branca ; levou
5 caigas, urna de xila preta, urna dita de
lila preta, urna dita de brim trancado par-
do, e urna -lila branca ; levando um bonete
de panno azul de palla, com urna tira de
coro de lustro por sima : quem o pegar
leve-o ao Atierro da Boa Vista n. 59, que
ser recompensado.
Thoons.
No dia 13 do mez passado ausentou-se da
casa do Sr. W. Raymond.no Recife, o es-
cravo de nome Thomaz, que all eslava alu-
gado ; e como at agora nSo tenha appare-
cdo, roga-se s autoridades policiaes ha-
jm de o mandar pegar e entregar a seus
senhores, na rua do ragSo n. 12, segundo
andar. 0 escravo tem ossignaes seguintes :
estatura ordinaria, bem preto, olhos fuma-
centos, caneca comprida para tras, pernas
zambias e ps chatos, equando anda pisa
quasi sobre os toruozellns ; ha poneos das
foi encontrado no chafan/, do paleo do
Carmo.
Auientou-se no dia 12 do correnta
mez da rasa de seu senhor o escravo de
nomo Jos, cnoulo, que representa mais
de 30 annos, oqual he bem conhecido por
ler 110 rosto do I,do direito urna fistola al-
guma cousa funda, anda malcriando, tem
urna das oreliias furada, naris chato, olhos
vermelhos, denles limados, cosluroava an-
dar com un bonete de panno j usado com
sua competente palla, costumava a traba-
Iha r na praga do assucar, onde he conheci-
Cido. por isso ri-eoiiiineiida-.se tanto as au-
toridades puliras, Como aos C.pilfieg de
campo, que t.......ni em vistas tal eseraio, O
aprehendflo e levem-00 a rua Augusta o. 1,
que se recompensar.
Pehv. naTy}'. iw M-F. dk f ah i a
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYO3X6X0M_7KPSYG INGEST_TIME 2013-04-12T22:21:42Z PACKAGE AA00011611_06324
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES