Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06320


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXXVIl
Quarta-feira f 1
i
de Fevereiro de 1851.
N.

PABTIDAS SOI OHMIOS.
Golanua e Parahlba, it segundas e sexta feirai.
Rio-Grande-do-Norte, todas ai quimas feiras ao
nseio-dia.
Garaohuns e Honlto, a 8 e 23.
lloa-VUia e Florea, a 13 e 28.
Vicluria, a quima feiras.
Olinda, todos os dia.

a .
V xmtmnUitn.
'Nora, a 1, a* 3 h. e42 m. da m.
Pniim n. ib, )Crc. a 9,aa8 h. e36 ni. dam,
Piusas di uu.j^,., a ,6 h. e 9 m. d. m.
Uilng. a 22, a 7 b. e 19 m. da t.
PBEAMAR SI BOJI.
Prlmelra s 2 horas e 6' mioatos da Urde,
Segunda a 2 horas e30 minutos damauha.
}i
'< fe-...... :f
FBE90 da soanoata'o&o.
Por trea inr.es Aidlantados) 4/000
' Per aeia metes *00
, Por um auno 15/000
DIAS DA SIUKl.
10 Seg. S, Escolstica vud. do J. dos o'f. e in. da 1
11 Tere. 8. Lzaro. Aud. da Chae, do, J. da se-
gunda vara do o. e dos feltos da f uenda.
i2 Ouan S. Eulalia. Aud. do J. da 2. vara.
13 Oiiini. 9, Greogurio. Aud. do J. dos orf. edo m.
da priineira vara.
14 Sen. S Valenllm. Aud. do J. da I. v. do clvel,
e dos (Vitos: da fasenda.
15 .- da 2. varad,, civel.
16 Ooin. da Septuagsima. S. Porfirio.
cambio utiisi nvinitao
Sobre Londres, a JO d. p. I4WO rs.BO das.
Pars. 320 pnr fr.
Lisboa, 85 a 90
Ouro. Oocas hespanholaa ..
Mornns debXOOn'llias
de /IOii aovas
., de4*000......
Prata.Patacfles brasileimt...-
Pesos ciluuinarios..... # a
Ditos mexicanos........ I/oto
28/000 a
10/OiN) a
lli#000 a
9/, .00 a
1/.20 a
28/500
IblUO
IBs-200
9/100
1/^140
I/H0
1/700
(ncw^i
um di vm\
m
INTERIOR.
SI !

CORRESPONDENCIAS 110 DIARIO DE PER-
' NAMBUC0.
Para, 47 de Janeiro de 1851.
O Pira est era perfeitt tranquillidsrle
As chovas tpm continuado com hadante for-
ca e apenas osles tres das tem hsvido al-
Rum sol.
A farinlia nin la continu a fallar-nos pois
se tem conserva lo no peco de 8.500 a
3,00 T.
commercio nnn tem esmorecido ; os
nossos gneros de exportaco tem conserva-
do hnm proco, e a gomma elstica anda
he mui procurada:servin a alia deste genero
para animar o fabrico delle al na nova pro-
vincia do Rio Negro.
O chefe de polica, a pesar do seos esfor-
cos ni ndtgtcSc docrimedo mneda falsa
em que se tcham envolvidos um livrpiro e
um lerreiro portuguez, de que ibes fallei na
miiilia ultima correspoondenca, nSo esca-
pini ans sarcarmos de urna das tullas desta
capital, mais a elle se deve a desenberta
dos instrumentos e a captura dos dous in-
da dos.
As obras publicas continan), jase acha
desobstruida a antiga doca chamada do
Veropezo; ja se est reedificando o muro que
do lado esquerdo deve ir encontrar com o
caes de mantilla : tem tU se colincir estes
das as comportas, nSo s desta obra, como
da do arsenal.
Dizetn que sevai principiar a limpezae
estacadas das Vallas : he esta urna obra de
Mnima importancia tanto para a salubrida-
de publica, como para o aformoseamentoda
cidade.
O nosso presidente incinsavel nos seus
trabalhos den mais urna prova de sua acli-
vidadeeamor aos paraenses : vivero os
meninos artistas no trem de guerra air ja-
dos en) extremo incomniolo, mais S. Exc, j
mandou proceder o ornamento da obra que
den to do estabelecimenlo vai proporcionar
a esses orphSos urna vida mas comino la
Ceanl. 5 de fretro de 1851.
Vou escrever-lhe esta debaixo da mais agra-
davel imprrsso. Na ultima, que Ihe escrevl,
que foi no principio do tnei passado, eu noii-
ciei-!he j terem havido algumas chuvaa, c
com quanU ellas nao conlinusssem, de modo
que am inorrendo as plantacdes, que com o
auxilio dellas tinhain nascido; com tudo ba
tres dias temos tido chuvas tocontlnuadas que
parece nao restar duvida de estar bem come-
fado o invern. Dos queira porin que estas
chuvas e completa mudancade lempo, que por
aqui tem havidn ltimamente, alcancen) toda
provincia, pois as noticias dn interior sao mui
desagradavtis por constar que em alguns pun-
tos ja tem morrldo algum gado por causa da
secra e em oulros, como para as partes de So-
bral, os creadores estavam leudo utn trabalbo
insano de por em pastoradouro os seus gados,
e de cortar rama e carnauba para Ihcs dar a
comer, recelando todos a cada dia tero maior
prrjuizo, se por acaso a Providencia j Ihes
nii tiver dado as mesmas chuvas que por aqui.
He pois com tuda rasao que chamo airadavrl
a imprrsso que me domina quando notician-
do-lbe um bom comer o de invern anlevejoa
Ininha provincia salva dos graves prejuizos de
queaeachava amescada noseu primeiroramo
de riqueza que he no ineu entender a crcaco
de gados.
Sem duvida isto que cstou escrevendo causa-
r bastante tedio a inultos dos seus leitores,
que habituados a leilura de materias de bom
gosto, ou aos enredos da poltica, s acham
prazcrnaquelles escriptosquelisongeiam a ana
palxo ou tendencia ; bem como igual tedio
isto causar a ceno numero de leitores, que
amigos de comprar barato e de vender caro,
nao leeni nos joi naes seno a parte dos aunun-
closque para elles he o mais judicioso e delel-
tavel: eu.poia, pedindo desculpa a todas estas
classes de leitores por me nao ser possivel aga-
dar-lhea, dir-lhcs-hel que embora me cliameiu
serlanejo e digam que como tal s cuido de
bois c burros, cuncluindo talvez por me cha-
inarem burro, e sempre sustentarrl que a ma-
teria de que me teuliu oceupado nao be tan des-
tituida de Imeressr, como Ihrs parece, pois
que sendo grande o cominerclo do Recite cum
fila provincia, e inlluiudo mullo a circuuistau-
cia de ser bom ou mo o invern, para que os
\^ negociantes d'ahi, que fazem este commercio,
sij.iin bem ou mal succedidos, visto que os ne-
go anuos de sreca por falla de promptos pagamen-
tos necrssai lamente devem tambem deixar de
ser poutuaes para com seus credores d'ahi
aegue-se que para aqurlles dessa cidade que
tem ou pudeiu ter com o Cear taes rrlaces
comiiirrciaes, he sempre do maior intrrease
andarein em da com o estado de abundancia
ou penuria em que se acha esta provincia.
Aquella imprtame diligencia de que Ihe
fallei em mlnha ultima carta, nao teve resulta-
do algum, parque, o major Guimares, a quem
ella fui Incumbida,depois de ter percorrido ari-
Idos serliies, voltou sem ter capturado iienbum
dos 01 humosos, contra os quaes fra mandado
por j nao estarem os mesmos nos lugares,
que pelo presidente da provincia Ihe furam in-
dicados. J acacha rrcolliidu ascadeas desta
cidade, e argir breve para Fernando o cele-
bre t ondut, que ba dous aunos de l se tiulia
evadido.
Felizmente desta vez nao me consta assass-
nato algum que Ibc cominuuique: he verdade
que espalhou ae bunteui o boato de ter aido as-
aaaiinado o delegado de haiun t Manuel Dutra,
mas a uulicia he lo vaga e destituida de fun-
damento que ih lia nao creio.
O nosso ],residente, Dr. Sllveira da Mola con-
tinua governar bem a provincia, fazendo jus-
tica a lodos e mostrando um zelo incansavel
< ni perseguir os criminosos, pelo que se las
digno dos maiores elogios; e como 8. txc. em
seus actos tem maniteatado bastante estes seus
bous desejus, aa lolhas da oppoaicu, o (.Vren-
le e o Jim du foto laeiu disto leito um jugo, e
tecendu lodos os das muitus elogios ao actual
prealdenle, procuraui Indispo-lo cun o partido
da orden,, deuuuciau-lu a muitos inemliros des-
tes como protectores de assassiuus I mas estes
dous peridicos mostraudo-se lo satislcitos
cun o actual administrador, se fosseiu mais
cnn ao ministerio que o drspachou, e quando o nao
elnglssrm.M menos nao deverlam cens.U'a-lo
ro acremente, como o estar, fazendo; porem
ao contrsio parece qoe por talo inesmo que
elogia ni om delegado do gabinete actual e re>
oeiam eomprometier-se con aeus correligio-
narios de ogntfas pr vineias, se a nan acompa-
nhaasetn einvSq frenes couira a actualidade,
elles eiiicoinprnsaciio do elogios, que fazein
ao MlvdirS da Wota, redobram de furor contra
o gabinrlr que o despacfiou eeJtl'cank numero
de ^.peridicos derlgetn MlflaaliakM aos II-
lustnr^asetsqne compoe aquelle gabinete.
Entretanto aecreditn que o Dr. Sllveira da
Mona apar dn deleite que deve encontrar em
ouvir cantar estas arelas, Ihes saber fazer ap-
pheacao daquelle verso de Virgilio:
TYlMa Danaoe el d nno [erenlee.
O Dr. Sllveira da Motta he reservado c pare-
cendo desejoso de empregar todo seu tempo
em beneficio da provincia, que Ihe fol canda-
da, quasi nunca passeia, e memo no seu pala-
cio a cxcepcSo das horas do expediente, as
quaes costino 1 dar audiencia s partes, vive
sempre rrcolhido, e nu seja para conservar-ae
segregado dos partidos ou por genio, tem mos-
trado nao gnstar de enmpanhia e por iso he
mui pouco frequentado. tstas qualidades me
parecein at certo ponto boas para quem gn-
verna, porque emfim levo multo a mal queum
alto funecionario consuma em continuados
prazeres c frrquenles saraos o precioso lempo,
que drvia applicar ao ser vico publico, mas el-
las teem tambem seu lado mo, e he que os go-
vei nantes que assim procedcn, ordinariamen-
te i'ciii menos de quem se loformem para co-
ulieeer a verdade, reaultandoque assim pndem
ser mais fcilmente Iludidos por aquellos que
aproveitando-se desta circumstaoria se apres-
sam cuidar informaces a medida de seus de
sejos.
Ha poucos dias tiremos aqui urna visita bem
desagradav I, e fui a de um navio de Caianna,
que vindo a este porto com o fim de comprar
gado, tr.i /1.1 em si a libre amarella, da qual fo-
rana victimas na viagem dousmarinheiros: o
provedor da saude saliendo disto odeelarou em
qunrentena, mas como o ancoradouro destina-
do para as quarentenas seja multo prximo a
cidade, emuecou o povo aqueixar-se de se ter
consentido a entrada daquelle navio, e em con-
sequencia, pareuendo au presidente que com
1 licito licaramos expostos a gratule risco, ten-
do ao p de nos um navio emprestado, ordenou
8. Exc. ao mesmo depois de j estar dous das
no mencionado ancoradouro que fosse fazer f-
ra delle a suaquarentena, com o que tomaram
alma nova os mais medrosos da mane.
Adeos, aloutra vez.
>RNAMBUCO

CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
SCSSAO E&TRAOaDINlBIl HE I 3 l)f. JI M-l lili
ob 1851.
Presidencia do Sr. Oliveira.
Presentes os Srs. Brro., Mamede, Car-
neiro Montero, Dr. Moraes e Vianna, fal-
tando com causa os ibais Srs abrio-se a
si'ssiio, e foi lido e approvado o seguitite
exnediente :
fin oflicio do Eim. presidente da provin-
cia, esigindo copia do relatorio da com-
missilo que em a ultima reuniSo desta c-
mara foi nnmeada para o objeclo de que
trata o art. 56 da le de 1 de outubro de
I828.--Inteirada.
Outro dn mesmo, exigindo com urgencia
urna iiiiormac.to do numero das escolas
particulares deste municipio, e dos alum-
nos que as frequenlam.Que se ofliciasse
aos Rscaes para o cumprimento da ordem
supra.
Outro do mesmo, approvando a arrema
tacSo dos talhos dos acougues pblicos, pe-
la qoanlia de 475,500 rs., son a condigno de
poder esta cmara haver a si, quando Ihe
loicm precisas, as casinhas em que elles se
acham enllocados.--Inteirada,
Outro do secretario interino da provin-
cia, remetiendo de ordem de S. Eic. os ex-
emplares ns. 4 e 5 do Auxiliador da Indus-
tria Nacioual.Oue se atchivassem.
Outro do coronel Domingos Allomo Nery
terrona, participando, para que a cmara
providenciasse, que uSo Ihe era possivel
comparecer hoje a prestar o juramento de
juiz de paz do primeiro districto desta
freguezia.--Que se respondesse que pode
comparecer na sessSo seguinle.
Outro do juiz de paz do primeiro distric-
to de JabostSo Jos Francisco da Silva, re-
metiendo o livro que se Ihe exigi da qu-
iilieacnn ultima dos votantes da mesma fre-
guezia.- -Internada.
Outro do contador interino, apresentan-
do o balanco da receila e despezas munici-
pal do anuo findo, acumpanhaoo de um de-
lalhe; e o oi(aa,euto para o anno futuro.
Que fossem remeltidos a commissao de
polica.
Outro do bacliarel Francisco de Assis
Oliv-ira Maciel, |in licitando ter sido tin-
tn ad > delegado no primeiro disiricio do
termo desta cidade. eachar-se em exerci-
cio.-ltileirada, e que se aecusasse o rece-
bimento.
Outro do subdelegado do Recife, partici-
pando ter a patrulha rondante da noile de
16 de dezetnbro ultimo, composla do cabo
Diomzio Cavalcauli Fe reir, e dos soldados
da a.'companhai Pedro Nunes de Alcntara
e Demetrio de tal, adiado a Jos Francisco
Pereira de Csrvalho, dono da taverna n. 36
do Forte do Mattos, vendendo agoas arden-
tes a prelos escravos sem bilheles de seus
senhores.Que se remeilesse copia do ofli-
cio ao procurador para proceder competeu-
lemente.
Outro de Bernardo Damiflo Franco, juiz
de paz em exercicio do segundo districto
Jo Itemedio da freguezia dos Afogados,
oropondo o cidad.lo Jos Mauricio do Sena
para escrivSo do juizo de paz do mesmo
districto, n qual tambem o he da sobdele-
gacia, e do juizo de paz do primeiro dis-
tricto da sopradita fregoatia.Que se res-
pondesse, que snlo o Individuo pronosto
pserivuo da sobdelegacia, e estando jura
mentado pode servir no jotzo de paz, inde-
pendonte de nova proposta.
Outro do juiz de pai mais votado do pri-
meiro districto da 8. Loorenco, remetiendo
0 livro da aualilicaijlto dos volantes da mes-
ma frenuezia.-lnleiraila.
Outro do procurador, participando que
los dinheirns que selhalem da lo para a
obra e>niHefio. pasdH para o correnta
anno o saldo de 147,586 rs., que ja se acha
consumido comas despezas do mesmo ce-
miterio.Inteirada.
Outro do mesmo, consultando sobre a
vpiIii do quo deve ser tirada a despeza de
110.0R0 rs. que pela reparlico da polica,
b de ordem do governo da provincia se pa-
gnu a Firmino Pessoa da Cama, importan-
cia de luzes que forneepra para a cadeia,
luanlo carcereiro da mesma, a qual qttau-
tia fra abatida da dp 712.000 rs., que e"
rncurador teve de rec-her da mesma po-
lica, sendo dita despeza pertencente ao an-
uo municipal lindo.--A commiss3o de po-
lica.
Oulro do mesmo, apresentando o balan-
cot" da receita e desppza municipal no mez
de dezombro lindo.--A' commiss5o de po-
lica.
Outro do fiscal de S. Jos, de -7 do cor-
rpnte, participando que havia olUcado ao
su supp'ente para entrar em funegoes, por
ter sido accommeltido de um ataque de
erysipela, e nSo poder sabir a rus. Qup
em resposta se scientificasse ao fiscal, dp
que nSo 16 le por se oflciar ao supliente
para entrar em exercicio, devendo abalar-
se disto, o quando esiiver doente, partici-
par cmara para esta chamar o sup-
plente.
Outro do fiscal do Poco, dzendo que
curacffo que apresentou Jos .Mananto de
Mhoi] 'urque.
Bu, JoSo Jos Ferreira de Agtiar, secre-
tario a subserevi. -- Oliveira, presidente.
Vianna. Cameiro Montero. Moran.
Franca ____
asapaw-a-aaw-aa-a-saa^as-par
mpottancia do imposto de 500 rs. arrece-
dado em dita fregupzla na semana de 7 a 13
de dezembro ultimo foi de 26,500 rs da
qual deduzida a porcentagem do.2.560 rs.,
o mais 17 900 rs., tambpm da porcentagem,
que no havia anda descontado, relativa a
quantia de 179 000 rs. reudimento do mes-
mo imposto arracadado do1.do outubro
at 15 de novembro do anno lindo ficou II-
q'.iida a quantia de 5.950 rs., que entregara
ao procurador. -Inteirada.
Oulro do mesmo, participando ser a im-
portancia las mullas do. juez de dezembro
ultimo de 12,000 rs.ltiteinid
Outro do mesmo, paiticipando ter entre-
gue ao procuradora quantia de 105,300 rs..
importancia do mencionado imposto rece-
bido as 4 semanas, que decorreram do 14
le dezea,bro*a 13 do corrente, deduzida a
norcenUgem que Ihe pertence.--Inteirada,
e que se participasse contadoria.
Outro do fiscal suppleote da freguezia de
S. Jos communicando, que por impedi-
mento do fiscal efiVclivo entrara em exer-
cicio oo dia 25 de dezembro ultimo.In-
teirada.
Oulro ift Jos Lucio Lint, encarregado dp
arrecadar o imposto de 500 rs., na fregue-
zia da Varzea, participando ter o mesmo 'no-
pos! o rendido desde 5 de outubro at 30
de novembro ultimo, a quantia de 11,OuO
rs., que entregara ao procurador. -- Intei-
rada.
Oulro do vgario dos Afogados, remet-
iendo o mappa dos baptsados l'eiios em di-
ia freguezia no segundo semestre do auno
lindo"Inteirada e que se arcfuvssse.
Um mappa sem acompanhar ofiicio, as-
signado pelo vigario de S. Jusc dos ha plsa-
los feitos em dita freguezia, durante o
mesmo tempo cima.Que se archivasse
Mandou-se oflciar ao presidente da pro-
vincia, pedindo-se 10 Africanos livres, dos
apprehendidos na provincia da Parahba,
para o servido das obras da cmara,
Manduu-se tambem oflciar ao mesmo go-
verno, peJindo-se aulorisac,3o para pagar-
se Domingos Jos de Sanla-Anna, arrema-
tante de um dos laucos do oiuro do cemi-
lerio publico, a quantia de 780,000 rs. do
accressimo da obra de alvenaiia, que fez
alm de arrematada, segundo o certificado,
que apresentou do engeubeiro dirictor das
obras publicas.
Mandou-se remellar a commissfio de ed-
(icsQo os requerimenloa viudos da presi-
dencia para a cmara informar, de Cons-
tantino Jos Kapozo, Juo da Motta Bute-
ilio, Manuel Lu z de Mello, Agoattuho dos
Santus, Luiz Carlos da Costa Campello, e
Antonio Jos de Albuquerque.
Mandou-se ordem aos liscaes desta cida-
de para descontinuaren) na limpeza da
ras, man dando-a smenlo fazer nos luga-
res oude houverem lamas.
Ao procurador, para pagar ao vereador
Cameiro Monleiro a quantia de 57,610 rs.
que se despendeu com u roucerto e accres-
simo da ponte doMutileiru, conforme us
Jucumentos que apresentou de ns. 1 a 24.
Manduu-se remeiter au advugado o reque-
rimetiiu e documento de Aprigio Jos da
Silva escrivSo interino do jury, requereodu
,,agameulo de cusas.
Despacharam-se as pcticOes de Antonio
Jos de Abreu Hibeiro, Atilouio Joaquim Pa-
nasco, .\ mor tu de limaos, cooipauOia de
Bebiribe, Fraocisco Cavalcanle de Mello,
Cuilberme da Silva GuimarBes, Jos An-
etelo da Silva, Jos da Silva Naves, Jos da
Cosa Fajozes .Jacob Martina da l'aixo, Joa-
qoiin Lopes l'ereira Guimarfies, Leonor i..-
.nidia da Rucha, Manuel da Cunta nlu.-ir,
e Itomualdo Atitouto do Sacramento, e le-
vaolou-se a se.o.
Declaro em tempo que prestou juramen-
to o bacnarel Antonio Coelho de Sa e Albu-
querque, segundo aupplenle de juiz de paz
do primeiro districto de Muribeca, por pro-
DIARIO !)E PIHJ.IIDC0
aztoirs, it de ravEBEtBo di lasi.
Hontein pelas 10 horas da noite, em casa de
un fogiietciro. na ra da Conceico da Hoa-
Vista, houve urna exnloso em um barril de
plvora e alguna foguetes ; d'onde resultou l-
carem queimadas levemente a senhora da caa,
e grM'enientc urna preta forra, que por sua im-
prudencia occasionnii o acnntecimento, dei-
x nulo cahir o morro da candela, que espivit-
ra no lugar, em que se achava a plvora. O
incendio teria feito maiores damnns, se logo
uo fra snll'iie.niii por urna parede da casa (|ue
lesabuu, eporoutras providencias que se to-
inai'juu cum a prompiidao (pie pedia o caso.
Cliegou hoje dos pintos du norte o vapor Pa-
rtiente. Aa tullas do Para aleaucam al 25 dn
passado, as do Maranhaoaic 30 do mesmo mez,
as do Cear at 5 c as da Parahyba al 8 do cor-
rente.
Ao que se le em a carta do nosso correspon-
dente na primeira das reft ridas provincias te-
mos de acerrscentar o seguinle. A febre ama-
relia que tinha invadido o seu interior, e do-
minado especialmente as povoaedes marti-
mas, acha-se de todo extincta nos mesmos lu-
gares; alguns casos poim anda appareciam
ua capital, mas despidos de maligoUlade, e s-
mente em petadas vindas de tora, Dem como
uas tripolaccs dos navios de commercio exte-
rior.
U negociante paraense Joo Augusto Correia
ti ulia oil'i o ni a > governo imperial urna pro
posta para a uavegafo vapor pelo rio Aiua-
souas e seus conllucules As coudiedes princi
paes da proposla so: o privilegio exclusivo
por 20 anuos para a dita navegaeo, nao s na
provincia antiga, como na do (lio-Negro nova-
mente creada, e estados limitrophes; com
quem o governo celebrar tratados especiaes
para o auxilio da empresa : contrato de cinco
em cinco anuos entre o governo e oemprecario
para transporte de malas, passagem de tropas
e lum cinnai ni-, pblicos, reboque de eiuDar-
caces, etc., etc. mediante certas condiedes e
prest o,oes. O empresario obriga se por outro
lado a apresentar na capital da provincia no
fim de seis inrzea, depois de concluido o con-
tracto, uiua baica de vapor de ferro, de 150 lo>
neladis, de alta forja; e desse praso a seis ms-
zes mais uuiras duas de igual lotaco, proprias
para navegarem em seis ps d'agoa, estando
carregadas.
A esiaiistica criminal a mesma provincia se
cundo diz o Tme tic .lin, he um' seguro c hon-
roso titulo da moralidade de sua populaco ;
raros sao os ataques a propriedade e seg'uranca
Indivlduart.
as gazelas do. MaranhSo nada encontra-
mos, quu nos paree sse du interesse. Ti-
liinn chpgado a cidade de S Ltlil 170 pra-
Qas do corpo lixo do Piauhy e pelo silen-
cio das teferidas gazelas somos levados a
crer, que os assassinos e perversos tinham
suspendidn por all as suas hostilidades
contra a spguranc,a pessosl dos cidadAos.
A caita do nosso correspondente do Cet-
ra, e lo las as gazelasda mesma provincia
nos isseguran um inelhorameolo notave
no seu estado moral. A actividade, que o
Exm. Sr. Sllveira da Molla ha sabido com-
tnunicaras autoridades subalternas na re-
pressilo dos deliclos, tornando eflecliva p
prnmpls a captura e punC,Bod is delinquen-
tes, tem feilo spssar os repetidos ataques,!
que outr'ora se conlavam contra a prootie-
i.iiie e seguranza individual dos pacficos
cearenses.
Tinha ltimamente sido preso um cele-
bre facinotoso de nome Prxedes, crimino-
so de 8 inortes, duas das quaes, diz o Sa-
quarema, lerem sido perpetradas nesln pro-
vincia.
A provincia acha-se geralmente, sem ex-
cepeflo de partidos, salisfeila cuma admi-
nislraijo de S. Eic, que em tudo se mus-
ir circunspecto ejustiQeiro.
No dia 18 do passado suecedera em Ma-
ranguspe urna desgrana lamenlavel a um
pobre vi lito, que lomando sobre si a pesa-
da urda de levantar o mastro da bandeira
de S. SebastiSu, que all devia ser festeja-
do, cabio esmagado debaixo delle, do que
Ib- re-Uilou logo a morte.
L-se no Cearcnse de 31 do passado o se-
guinle :
Fados lam'ntaveis e horrorosos,
Refere uu, correspondento douiz do
/Veti i|iir O ailllO passado drratn-.se. dous
suicidios na romaica do Cralo em pessoas
nota veis. Um, diz elle, na mulherdo com-
mandanle superior Francisco Tavares Quin-
tal, que pi'iz liui a seus dias cotn um tiro
de pislolla ua gargauta, e outio em Pedro
Francisco Vasques, que lenoo-se oflereci-
lo por urna caita ao presidente da proviu-
cia para ir libertar o papa quando se acha-
va em C iciiia, nSo iJd sol en ver a recu-
sa ; um Uro de clavitiole no pescoco oali-
viou dos tortueolos oeste- inundo; e u
papa nem ao menos sabe que este suici-
dio foi devido ao zelo que o infeliz I'uoro
Vasques tinha pela sua pessoa, v.io deso-
jo d eterna.*
a Helero mais que o tal Lourenco de Castro
ha pouco lempo esptncou um liumrm son
gutrda-costas, e lancou-o anda vivo em
unta coivara de fugo : que muustro !.*
O Conmista Patuhibuno nada nos diz que
se poss< mencionar
m
desrarregra l.i para asparles do Cabo ou Ipo-
jui i pert, de 400 Alricanna bocaps. ..
Sb o vago termo eonspt.he cosiume Improvl-
aar-se milita nvidade com que geralmnle o
puliliru illustrado est deinals prpvenldo e Ihe
d pouco crdito mquanto os factos nao vein
impnr-lhe a ronfirinafao, e esta he urna da-
quellas que nunca poder ser dada como certa
e exacta porque he totalmente falsa.
Nao cusa multo a crer na InvencAo, porquo
!>a iiuaginacoes fcrtilissiiuas. e de urna (urce
poderosa: mas o que seno pode acreditar tan
fcilmente he que naja quem escreva, publique
e-etpthe ama noticia t\n\****m Ir um pou-
co de criterio e dlscrtco, de senso colium
quando menos para averignar donde velo,
uem a deu, e que grao de crdito pode me-
recer .'
Cvstt a crr que assim se calumnie, e se dc-
turpe o crdito altlPio sem a mais pequea at-
tencao e exaine / Kst porm eseripto no jornal
denominado fmprrtis'i n. 33 de 10 do correim-
met de fevereiro, c no querendo, nCtn deven
do nos deisar passar tal injuria e falsidade,
desafiamos a quem qner que seja o autor dessa
nota, para provar, na mais pequea circums-
taucia se quer, quanto Ihe rumia, porque o
brigue pnrlutjuei Velos, cnpitit Jtt.tr' 7'nmpon, e
pruprieluriti Antonio inaquim ante 'te l.i'btitt, chrgnito no da 59 rfej'.ineirn pr-
ximo p-mm/o a elle porto prnrin/nir de l.onn (a,
donde mhio a 7 de Janeiro prximo panado e cou-
siguado aos abaixo assignados, uuuca se cin-
pregou no trafico de escravos.
Recife, 11 de levereiro de i85l,
Olivar i Irtiuuti & C.
^Z.~_______-JZTT^-__:- "''
-yi?3
LU i,
AI.FANDEC.A.
Rendimenlo dodiall.....2972t!,48h
f)escarrrqam hoje 12 de fevereiro.
Rrigue M. Ilidley liacalliao.
Escuna Rracon dem.
Barca -- Espirito Santo o reslo.
CONSULADO CERAL.
Rendimeoto do da n.
Inversas provincias .
3:443.067
302,420
3:745,493
Con espoiideiicia.
Sr. redactor. Na Imprenta de boulem vem
a seguinte noftcii: Consta que o brigue Fe-
Ios, ba pouco entrado ueste porto em lastro.
EXPORTACAO.
Despacho martimo no dia II.
Barcelona, polaca llespanhola Lina, de
242 toneladas : conduz O segiijnte : 670 shc-
cas cotn 3,795 arrobis e Suplirs da al-
godSo.
RECEBEDORIA DE RENDAS CERAES
INTERNAS.
Reudimento do dia ti......879,210
CONSULADO PROVINCIAL
Retnllmento 'ulia II.....2 432.01 n
AJovinieulo tio |>orlo.
Navios entrailni no dia 11.
Para e pmtos intermedio* 14 das e9 i|
horas, e do ultimo porto 15 1|2 lloras,
vapor Paraense, de 200 toneladas, com-
mandante o c pililo de fragata ('.. Perei-
ra, equipagem 30. Passageiros : para es-
ta provincia, os Hrasileiros Jnaqunn An-
tonio Karata, Pedro Jos da Silva Cuima-
rles, F. M. da Cuuha. Jo- Toomai da
Silva Q. Apriitio Josiiniano da Silva Oui-
mai os, Adolfo llnzerra de M n-'zes, Joa
quun Machado Pmeniel, Aulonio da Ou/
Cordeiro, Cypnano Antonio Rodrigues,
M iidi-I Marques Camicho, Antonio de
AlhoquprquH (en Ir, o capilo Luiz Es-
tanislao R ulrigues Chaves, os l'ortugue-
zes Manuel Almeida Nogueira, Francisco
Jo> Pereira, Jn- Alvesde Moraes e Do-
mingos RoIrigOM da Cosa, 3 dese>tn-
ies, o-s ntenciados Vctor Comes Perei-
ra e Antonio Ferreira lliaga, e 3 esc avos
a eulregir : para o sol, 1.do Coimbra, o
alfeies Joaquim Antonio Pinto, 131 pra-
cas de pre, 3 mulheres com dous fllios
menores, 19 recrutas para o exeretto o 6
ditos para a armada.
Macei 2 dias, galera ingleza Columbas,
de 411 toneladas, capitflo Richard Cuble,
equipagem 20, carga asquear. Vem ro-
Crber ordens e segu para Liverpool.
Terra Nova 41 dias, escuna inglea lira-
con, de 126 toneladas, capito W. Haba,
equipagem 7, carga bacalhao i a James
Crabireo t Cotnpanliio.
Cerze 48 das, patacho inglez hstearton,
de 121 toneladas, capilflo Tilomas L CoJ-
fray, equipagem II, em lastro; ao mes-
mo capullo.
Liverpool 62 dias, galera ingleza Lady
Guuyh, de 979 toneladas, ca.,n"in Ceurge
Taylor, equipagem 33, carga carvao ela-
zeudas ; ao mesmo capitn. Vem ra-
Irescar o segu para Panam.
Rio de Janeiro 19 das, brigue russo Imn
lia, oe 348 toneladas, capitn F. < li n-l rmi,
equipagem 11, em lasiro ; a N. O. Rieber
& Couipanlna.
Paraliiba a dias, hiate nacional Tres Ir-
maos, de 31 3|4 toneladas, mestre Jos
Duarie de Souza, equipagrm 5, carga lo-
ros oe mangue ; a Joaquim linar te de A/.e-
vedo. l'assagetro, o l'orlugttuz JuaqutUl
Canario de Azevedo.
Rio (,iande do Sul 40 das, galeota liain-
burgueza Erna, de 99 toneladas, capilo
Jm.o l't entrico I", anco equipagem 6. Car-
ga couros ; ao uiestuo captUo. Vem re-
frescar e segu para ltamburgo.
.Voi'i'o .tullido no mesmo dia.
Liverpool pelo Aracaly Calera ingleza
Linda, capiiSo Daniel Green, carga as-
sucar.
LJl'lAES.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria de fa-
zeuda provincial, em jumpriiiieulu da ordem
do huu ir. presidente Ua provincia de 30 do
mi reme manila fazer publico, que uoa dias II.
12 e l3 de levereiro prximo viudouro vai a
prava pcruule o tribunal administrativo da
ILEGVEL


erM
-
V
i.
mfsma ilirnurari, para aer arrematado a ca, Ibes arante a isengSo do recrut- i c a queda de Macbelh. S*rve a primara pa-
i|iirm pnruipiios fier soconcrrtos dajonir do ment. Tamhemse adniiltetn escravosem | ra moslrar como chegou elle A elevado, a
Anjo snrlri- o Rio S i'., e s6b as clausulas especiaes abaixo decla-
radas.
A8 pessoas que se propuzerem a esta ar-
rematagSo, comprelam na sala das ses-
s0s du mesmo tribunal nos das cima
mencionados pelo meio dia, competnte-
m-nie habilita los na forma do art. 24 uo
reuulamento de 7 do maie do prximo paa-
sado anno.
E para constar se mandn aluzar o pr-
senle o i ublicar pelo Diario.
Secretaria da thcsouraria da fazenda pro-
vincial de Rernambuco, 31 de Janeiro de
sl. O secretario,
Antonio Ferreira da Annunc'ncdo.
Clausulas especiaes da arrematucdo.':
1." A* obras depedent s desla arremata-
do, serSo feitas de conformidade com o
orgamenlo apresentado nesla data ao Exm.
Sr. presiilnte desta provincia pelo prego
de 939,400 rs.
2.* O arrematante comegar as obras no
praso de um mez contado da data da parti-
cipado que Ihe fr feita da approvagSo da
arretnatagSo pelo governo ; e as concluir
no de quairo mezes, ambos contados da
mpsma parlicipagBo.
3.' A importancia d'arrematagSo sor pa-
ga em duas prestagSes iguaes ; a prio eir
lepois de ler frito rnelade da obra, e a se-
gunda desos de lavrado o termo do recebi-
ni' ni.) defininivo.
4.* Para tudo o mais que nao est determl-
,. !., nas preaente* clausulas SPguir.sc-fia In-
iciramente o que dlspdeo regolaincnto das ar-
mataf Vs de 7 de maio de 1850.
l'onle dos Carvalhos, 28 de setembro de
1850.
Ocngenheiro chefe da 4.* da se.-cao,
FLriano Dizirc Portier.
Approvado pela directora em conselho no
dia 14 ile nulubro d 1850 O direclnr J. M
Alvrs Ferrreira. ~ J. /.. Vctor .ievtier H
A. Milu. Ftoriano liesir Portier. Appro-
vo. Palacio do enverno de l'ernambuco,
15 de oulnbro de 1850. Souza Ramos
Conforme O olfieinl-maior, Uanoet Ce-
mentina Carnelro da Cunha.
Olllm. Sr. inspector da Ihesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento da or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia de
28 do corrente. manda fazer publico que
nos dias 18, 19 e 20 de feverciro prximo
vindouro ira a praga perante o tribunal ad-
ministrativo da mesma Ihesouraria, pors*r
ireinal do a quein por menos fizer um
lauco de atierro da obra da casa ile delen-
gSo, avahada em 4:610,000 rs. e sb as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozernn a esta arre-
mafo ,:omp ii i-i. .un oa sala das sesses do mes-
um tribunal nos dias cima incnrimiiuos, pelo
incio-dia, couitielenieiiienle habilitadas na fer-
ina do artigo 24 do regulamenlo de 7 de maio
do proftiuio passado auno.
E para emular se inaudou affixar o presente
r publicar pelo diario.
Secretaria da tlirsouraria da fazenda provin-
cial de Pernambuco, 29 de Janeiro de ls.'il.
O secretario,
Antonio FtTTtira d'Annunciacdo.
Clausulas eiyec\aes da arremalacao;
1.> O airetnalaiile sera obrigado alterar
todo o espago do lerreno, comprehendido
entre o ralo do sul e o do centro da casa de
deteng3o, mas o espado em frente a extre-
mida.ic do raio do lu, e o caixSo do mo
do centro, formando ao lodo una superlicie
de 922 bragas qua iradas, pelo prego de rs.
4 610,000, na raso de 5,000 rs. a braca
qnad'a la
2." Este atterro ser elevado ao nivel 7
palmos cima do esteio existente no cen-
iro do edificio, no ponto em que se cruiam
oseixos dosraios das prisops.
8.' NSo poder o arrematante abrir cam-
hoa alguma em distancia menor de cen
palmos dos alicerces, e ser ohrigado a at-
teirar piiineiranieute aquelles lugares (den-
tro do espado do contrato) que determinar
O engenheiro encarregado da obra.
4 Este atierro lera principio no espago
de 15 tliase spr Concluido no de 6 mezes,
a contar da data da arrematago.
5.' O importe dmta arrematarlo se' pa-
go cm qoatro prcslagOes iguaes; a prnici-
ra quando o engenh-iro reconhecer estar
Kola a quaria parle do alterro ; a segunda
quando estiver feita a melade ; terceira
quando estiver feito os tres quartos do al-
terro e quarta quando estiver inteiramente
concluido.
6.' Para ludo mais que nflo estiver de-
clarado nas presentes clausulas seguir-se-
Im oquedisrOe o regulamenlo das obras
piild-c.is de 7 de maio de 1850
rVilas e apprnvadas as prespntes clausu-
las ida directoria em conselho em sesso
de 27 oe Janeiro de 1851. Mamcde Alvrs Ferreira. H. A. Millet.
.Iodo Luiz Tieltr lieulhler, Approvo. Pa-
Jacio do gov-tno de pernambiico, 28 de Ja-
neiro de 1851 Souca Ramos. lamime
O official-maior, ioaqnim l'ires Hachado Por-
lella Conforme. --(I secretario, Antonio
Ferreira da Annunciacdo.
l)r. Angelo llenriqups da Silvs, supplente
em ejercicio do juizo de nrphSus e au-
zentes nesla cidade do Recife e seu tei mo
por S M. I. e C que Dens guarde etc.
falta dn serventes livres, em taos obras, pi-1 segunda como della abuiou, e terceira co-
eandn-se a estes, Como aquelles o jornal de! mo a penieu. Um choro de entes sobre-na-
640 ris diarios. \ luraes ( as feiticeiras de Shaksneare prati-
InspecgSn do arsenal de marinha de Per- cando como as furias de Eschylu ) annuu-
namhuen, 8 de fpvi-reiro de 1851. Rodrigo canos dous poemas trgicos o destino di
Theodoro de Freitas, inspector.
- l'.-la abert* a matricula de Ingle/ ,>
Trancez dn collegin das artes em Olinda,
sobrado do Ur. Meira, onde assiste o
respectivo professor.
As malas qnedeve condu/ir
o vapor \>nraense para os por-
tns do sul principiam-se a fe-
char hoje (12; a urna hora da
tarde, e i .cphe-se correspondencias com o
porte duplo dessa hora em diante.__
Tlieairo de Santa-Isabel.
RECITA EXTRAORDI.NxHU LIVRE DA AS-
S1GNATURA.
HOIB, 12 OB rEVBRRIBO DB 1851.
Crande c variado espectculo.
Depois de urna das melbores ouverturas,
a companhia nacional representar o mili-
to conceiluado drama em 5 actos, ornad)
de msica:
D CEZ\R DE RAZAN.
No primeiro acto as Sras. Baderna e Mo-
rcan, seguidas de grupos de povo, executa-
i o um lindo
BAILADO.
No terceiro acto, durante o festejo no na-
lacio do marquez de Montifiore, o Sr. Tati
entilar a pxceiientn cavatina da opera
Lombardi alta prima croiiala.do maestro
Verdl. Ivii .. gui.la, re is Sras. Hi.lerna e
Mullican, havera odaOcadoespanhol
A Al.llK.WA.
No fim do te'ceiro acto a Sra. Candiani e
o Sr. Capurri, cantarSo o b-llo duelo do
1.1.1 -MU DE AMOR.
No fim do quarlo, os Srs Erederico Tati,
Capurri e Eck-rlin, cantarSo o terceto da
operaClara de Rozemberg,- do maestro
Ricci.
Terminar o espectculo com o ultimo
acto do drama.
romee ira as 8 horas.
Os Indicies acham-se venda no lugar
do cosime.
Os Srs. assignantes que quizerem ficar
com os seus camarotes e cadeiras para esta
recita, terSo a bondade de man lar. r elles
ao escriptorio do Iheatro at a manbSa ao
mejo dia. O empresa' io pre dessa hora oispor ila(quelles, que uo live-
rem mandado buscar.
Piibliciicdes lUterarifis.
MACBBTII.
DRAMA EM CINCO ACTOS
Fur 8hakpeare
Vertido em l'orlugiiez por *
Macbeih he o esforgo mais grandioso da
magmac3o humana, o herosmo sublime
da inlelligenria, o derradeiro verbo da lit-
teratura dramtica. O seu maior elogio he
i Minie de Shakspeare, o qual, anda no
mais longiquo porvir da humanidadoha de
recolher o > sufragios da almiragSo enlhu-
siasdea das gera^Os vindoras.
Nada mais diremos acerca do mrito d
Machelh ; soliente trasladaremos para aqu
o juizo de varios Iliteratos dislinclos sobre
essa magnifica obra prima do lieos do Ihea-
tro em quem, segundo a opiniSo de un
contemporneo illuslre, pareccm rendidos,
iiini; n'uma Iriudade, os tres grandes ge-
lius caractersticos da scena frauceza i Cor-
naille, Mol ere, Beaucarchis.
o A Iragediade MaCbth, diz Thomaz Camp-
bell f.ii cunhada com o sello, da < I 11 idade
la critica esclarecida e da opiniSo universal,
e nunca honveescriptor.sohreiheatro Igum
meten.lo mesmo em lin'ia .lo emita o tlieairo
da Grecia,que amalgamasse de urna man -na
mais admiravel o natural e o sobrenatural.
Como i I al raa SI laksp.'a r e na SUS ll age lia
le Macbelh, cujo progresso no erial he urna
ligio de anatoma pnisiologica sem termo
le cnmpiragSo.
i.Villemain se exprime da manera seguin-
te: Esta pega he eminentemente trgica ;
n interesse que inspira he >empre sustenta-
do, e he esse o carn-ter distincio ma. U assumplo he a eievag3o o a queda
do ambicioso, assumplo mu proprin a cau
sar impreasSo no espinto dos espectadores
pela raaSo de que cada um se pode reconhe
cer no retrato que o poeta tragou da sua
principal personasen) ; he com efleito a
a o, locan um senlimenlo natural ao homem,
e nos nos interessamos VOlnntnmenle por
aquelles em quem vemos senlimentos con-
formes aos nossos. Experimentamos por
elles una sympathia natural gostamos de
segui-los em todas as pitases da elevagSo f
da sua queda Sln.k-no.ire soube tornar
potico esse sentimento natural, por iotn>
os recursos de urna imagmag3o viva efe-
cunda. O Carcter de M.n li.-lli he hislmic ,
por si mesmo ; mas os agentes sobren .1 n-
raes que oceunam toda a scena e o caracieri
le Laiiy Maebeth fazcm o seu carecter poe-
ico. A illusSo do punhal eosomnambo
lismo sSo afodl circumstancias particulares
hroe ;e a impress3o que causa no especta-
dor o conhecimento de urna necessid ole
irresistivel diminue o elTeito das atrocida-
des que se poderAo apresenlar. A critica,
ao comparar asobrasprimas desses mestre.-
da arte, pode sem duvida hesitar, mas nBo
con temnar. Deve-se conceder a fbula de
Snakspeare o mrito de reunir no mais al-
to grao o complexo, a ligago das partes
um poderoso interesse. O carcter de Cly
lemneslra pode offerecer Iragos de compa-
ragSo com o de lady Maebeth ; mas todas as
nutras personagens sSo superiores em Sha-
k-peare ; sSo mais variadas, mais assigna-
ladas, mais consequentes, comsgo mes-
mas, mais naluraes, mais intelligentes.. O
eslylo de Eschylodislingue-se, he verdade,
por urna simpheidade enrgica e magestosa,
mas nem possue a riqueza de peosamentos
nem a flexibidade que ostenta o trgico
inglez. >
Emlim, remataremos estes extractos com
um trecho de Vctor Hugo, o qual, posto
que rio seja particularmente consagrado
ao mrito da tragedia de Maebeth, he urna
apologa cabal ao talento esplendido de
Stukspeare.
Os dous genios rivaes unem a sua du-
pla chama, e desla chama surge Shakspcarc.
Eis-nos elegidos, continua V. Hugo,
ao vrtice potico dos lempos modernos.
Sin kspeare he o drama ; o drama que rene
di-baixodo mesmo soproo grotesco e o su-
blime, o terrivel e o faceto, a tragedia e a
comedia ; o drama he o carcter proprio da
terceira poca da poesa, da lilteralura ac-
tual.
Assim, para resumirmos rpidamente
os Tactos que aqu temos observado, a poe-
sa tem tres iJades, cala urna das quaes
corresponde a urna poca da sociedade : a
ode, a epopea, o drama. Os lempos primi-
tivos s3o lyridos, os lempos amigos sSo
picos os lempos modernos sSo dramti-
cos. A ode canta a eternidade, a epopea
sol nnisa a historia, o drama pinta a vida.
O carcter da primeira poesa he a singele-
sa, o carcter da segunda he a simplicida-
de, o carcter da terceira, a verdade. Os
raprodes marcam a lransic.no dos poetas ly-
ncos aos poetas picos, assim como os ro-
mancistas dos prietas picos aos noclas dra-
mticos. Nascem os historiadores com a
segunda poca, os chronistas e crticos com
a terceira. As personagens da ode s3o co-
lossos: A lam, Can. No ; as da epopea sSo
gigantes : Achules, Almo, Orales ; as do
drama so horneo*: Hamelet, Maebeth,
Othello. A ode vive do ideal, a epopea do
grandioso, o drama do real. I'.mlim, essa
t iplice |Oesia demana de tres grandes Ion-
las a Biblia, Homero, Shakipeare.a
Vende-se na livrana n. 6 e8da praga da
Independencia, a 2,000 rs.
Tem de sabir a luz embrave lempo a
Acidalia Pernambucana, romance por F. Jan-
sen deC. A. .inniiir, em um volume. Quem
para a impressSo da dita composigSoquiZPr
assignar, i de dar oseunome na lojs de
luios os. f e 8 da praga da Independencia,
d clarando o lugar de sua residencia para
facili lado da entrega ; sen lo o prego da as-
signatura 2.000 rs. pagos ao rcebei-se um
exemptar. ______________________
wssmmmmms*m*mm+mmsmmmmmmsims^
gumas midezts, pasaageiros e escravos a
frem : trata'-ffe na ra do Apollo, armazem
n. 14, ou com o consignatario do mesmo
l.uiz Jos de S Araujo, oa ra da Cruz Da-
ero 33.
H
Leif
es.
Fago saber sos que o pr-S'nte edital vi-l'iueo autor soube afurmosear com as mais
modos ricas cores da poesa. Mas a poesa quevem
rern, que t n Jo fallecido JoSo Anloni
Ptazeres, subdito Biasleiro, natural desla
provincia, conlramesire do tingue portu-
gus LeOo, no dia 2 de dezembro de 1849,
em vii j. ni de Quillimane para Mogamhique,
e sido leo linio pura esta provincia pelo
cnsul geral do Brasil em Lisboa, o espolio
daquelle finado, que foi posto a minha dls-
posico por idli.'io do Exm. presidente da
provincia de 3 do ro'rente mez, sSo por o
presente chamados todos aquelles que di-
reiio nverem ao referiilo espolio, para vi-
reni habiliiar-se na forma da le, no praso
de 60 das, contados da dala desle ; avisn-
dole a lodosos patentes, amigos, e conhe-
cidos'dos iuteressados, para que Ins parti-
cipe docouleudo no presento edital,que ser
publicado pela imprenta, e afiliado no lu-
gar mais publico desla cidade. Dado e pas-
sado nesla cidade do Recife de Pernamhu-
co, em 4 de Fevereiro de 1851. Eu, Galdi-
no Temistocles Cabral de Vasconcellos, es-
crevi. Angelo Henriqves da Silva.
JJecIuracOv-s.
v
h, Conviii-e a todos os individuos li-
vres que se qneiram empregar como set-
venles na-ninas do melhoramento do porto,
aseemendeiem com o inspector do arse-
nal domaiinha, o qual na conformidade
las ordeos do Exm. presidente da provm-
misturar agentes sobrenaturaes com as
iransacgOes da vida; n trama dos eventos
conduzido por urna infliencia mais que hu-
mana ; a scena oa sepultura cavando a nao
realidadecom a reahdade da vi Ja, os prepa-
rativos e as circumslancias de um homici-
dio execulado a meia-noile, essa placidez
mais que humana do crime na alma de urna
mulher exaltada com veheruencia, o pres-
tigio mautido por aquelles cujos espritus
se embriagaran) laga dos seus desejos, a
propria lingnagem, tudo so turna essa pe
ra a mais trgica de todas as pegas de
Shskspeare. O eslylo he simples, casto e
forle, rara vez desenfeitado por expressos
humildes, mas sempre manando da mesma
vea de imaginagSo ; a lingoagem do pro-
prio Maebeth he quasi sempre fatnosissiina :
lalvez deva a pega alguma cousa as recor-
dagOes nacionaes ; na Escossia, produzio a
representagSo de Maebeth um ell'oito mais
profundo, um enthusiasmo mais vivo que
ueiilium outro drama.
* O Macbelh de Stiaksppare, diz Schlegel,
tem muda relagAo co..i a triloga dnEschy-
lo que da em tres actos disiiuctos um
historia da casa de Agameiunou. Em Mae-
beth lamiiein ha tres aclus uu accoes dis-
litictas urna da oulra, o separa las pur lon-
gos intei vallo de lempo : isto he, o regi-
cidio de Duucan o asssassimo de Banquo
Avisos marilimos.
-- Para a Parahiba sabe impreterivelmen-
teo biate nacional Espadarte no dia 13 dn
corrente: para o resto da carga, trata-se
com Antonio da C. Ferreira Estrella, na ra
da Cadeia do Recife n. 23, ou com e o mestr
do trapiche j lo algmiSo.
Para o l'orlo sshe ooni
maior brevidade possivel, por ter
parte do seu carregamenlo promp -
ta, a liridi e veleira barca portu-
gueza Brachatense, da qual he ca-
pitulo hodrigo Joaquim Correa ;
tem cxcellentes ommodos para
passageiros : quem na mesma q*i-
zer carregar ou ir de passagem, di-
rija-se ao capilao ua Frdci do
Commercio, ou a Novaes & Com-
panhia, na ra do Trapiche nu-
mero 34
Agencia da companhia dos vapo-
res inglezes.
O vapor Teviot, capitSo lii-
vell, deve aqu pstar de volt
para a Inglaterra no dia 17
do corrente pelas 4 horas da
ni.iiiii:ia, e partir as 10 horas do mesmo
dia fazendn escala pelos portos ja annUn-
ciados de S. Vicente, Tenerife, Madeira
l.isli 1 : as pessoas que pretenderen! passa-
gens ou carregar para qualquer dos indi-
cados portos qneiram tratar com a necessa-
ria antecedencia no escriotorio da respec-
tiva agencia ra do T'apiche n. 42. Adver-
te-sn que as cartas deverSo ser postas no
correio, e n3o na agencia, aonJe se as nSo
recebem.
Para o Rio de Janeiro
segu com brevidade o brigue-escuna Olin-
da : para o resto da carga, escravos e pas-
sageiros, trata-se com os consignatarios,
Machado & Piiheiro, na ra do Vigario o.
19, segundo andar, ou com o capilSo Ma-
nuel Marciano Ferreira( na oraga.
-A escuna nacional u7ia,de que he ca-
pitSo e pralico Antonio Silveira Maciel Ju-
ninr,deve seguir para o Para por estes dias,
para cujo porto anda pode receber alguma
carga e passageiros : os pretendentes diri-
ja m-se a ra da Cruz n. 13,a fallar com JoSo
Carlos Augusto da Silva, ou com o referido
eapitflo.
-Para o Porto sabe com brevidade a bem
conhecida e veleira barca Espirito Santo, de
primeira marcha, forrada e encaviltada de
cobre : quem na mesma qulzer c>rregarou
ir de passagem, para o que tem excedentes
commodos: dirija-se so seu Consignatario
Francisco Alves da Cunha, na ra do Viga-
rio n. 11, primeiro andar.
Para o Rio Grande do sul sabe em pou-
cos dias por ter o carregamenlo prompto o
pataxo nacional Euierpe, pode receber al-
Mo. Calmont &Companhi
firo lrilao, por iiitcrvenc5u do
corretor Miguel Carneiro, hoje,
1 a do corrente, s io horas dn ma
nhiia, no seu armazem, defronte
ta Corpo San'o, de grande sorti-
mento de fazen las, proprias des-
te mercado, sendo algumas dellas
para fechar contas e outras com
toque desvara, como sejam cas-
sas, chitas e panno de algodo.
0 corretorOliveira fari leiTao, por or-
dem de T. Carling, capitSo da barca ingle-
ta Ellm Bryton, em presenta do Sr. vice-
cnsul de S. M. Britannica, e por conla e
risco de quem pertencer, de duas pipas de
vnhoxerezem quarlos o oitavos de pipa,
salvados da dita barca, naufragada noa ro-
chedos denominados Ponta do Touro, na
sua recente vtagetn procedente de Cdiz
com destino Bahia, e para satisfazer as
despezas a que o dito capitSo fui obrigado a
fazer : quana-feira, 12 do corrente, ao meio
lia, no escriptorio do dito corretor, ruada
Cadeia.
-- Manoel Joaquim Ramos e Silva far
leilSo por intervengSo do corretor Miguel
Carneiro, quinla-feira 13 do corrente as lo
horas em ponto no armazem do barcellar
no caes da alfandega, de urna porgUo de
mameig ingleza e franceza, em lotes a von
lade dos compradores.
C. J- Asiley & Companhia faro leilo,
por uitervengo do corretor Oliveira, de
grande e variado sortimenlo de fazendas,
todas proprias do mercado : sexta-feira, 14
do correte, s 10 horas da manhSa em pon-
to, no seu armazem. ra do Trapiche.
-- O corretor Miguel Carneiro, f.r lei-
lSo no dia terga feita 18 do corrente no seu
armazem na ru do Trapiche n. 40, de di-
versos trastes e outros muilos objeclos ; as-
sim como ao meio dia em ponto Ir a lei-
lSo por ordem de seu legitimo dono, a pro-
i.nedade denomina la ilha de S.-JoSo-ltap
lista junto aos Afogados, sen lo chos pro-
piios, e llvre de dcima, conlendo duas
excedentes casas de pedra e cal em bom
estado, dous grandes viveros, cento e tan-
tos ps de coqueiros, bastante terreno que
produz capim, ou oulra qualquer plantagSo,
nasto para gado, mangue que da bastante
lenha a qual offerece grande vanlagem por
ser perlo da praga que pode hem servir pa-
ra assentar-se qualquer fabrica ; e vender-
se muito em sonta : os pretendentes p-
dem dirijir-se a mesma ilha para examina-
la e conhecer lorias as suas porporgOes, an-
tes do dia do le'I lo.
Avisos diversos.
I.enito em o Diario ds Pirnambnco de 10 do
corrente um pedido ou >embraii(a au empresa-
rio do Iheatro de Simia Isabel, para que fossr
concedido ao digno maestro, o Sr. Glanninl
um beneficio, em recompensa nao s ao seu
trabalho, como do zelo e boa vonlade com que
ha dirigido e ensaiado os artistas italianos; lle-
vo observar ao autor de tal lembranca que
apreciando tnelhor que ninguem os servicos do
Sr. Glanninl, como lestemunha oceular delles,
nao poderla jamis deixar de ter em vistasu
emeeder uina remuneraran quellemaestro,
correspondente tanto ao seu inereciiuento co-
mo ao seu trabalho e enl'orcus.
Qur como artista, qttr como empresario e
administrador do tlieairo deata cidade nunca
poderei ser inditfereuteao mritoartistico, cao
zelo pelo cumprimento de deveres contratados
ante o publico.
II de fevereiro de is.'n.
fi'frmmii) Francisco di OfiMra.
Quem tiver para alugar uina escrava,
que saiba cozinbar, engommar e fazer lodo
ornis servigo interno e externo do una
cisa, annunciepara ser procurado, ou diri-
ja-se ra Nova, toja do Sr. Tinoco, que
achara com quem tratar.
A aula j annuticiada por este Diario,
dirigida por urna senhora solteira, que vive
em coiipaniia de sens pas com a booesti-
dade e acatamento proprio de seu sexo e
condigno-, contina na ra Direita n. 13.
Esta senhora torna-so digna da prolecgSo
de lo los os Dais de familia que a quizerem
honrar, couflando-lhe a primaria educagSo
de suas liItias, ja por ter, desde a primave-
ra de seus anuos, adquerido urna polida
educagSo, sem duvida nenhuma devida ao
esmero com que seus pais cuidavam de sua
infancia, e j por ter as hahililagdes preci-
sas para desompenhar o lugat a que se pro-
pn> ; espera, pois, a annuncianle que o seu
ofldrecimento ser bem acolhido do publi-
co desla cidade.
As p raras do segundo hata-
Iho de artilh iria a p, que lica-
ram devendo na villa d'Agoa l'rc-
ta ao .ilntixo assigoado de gene-
ros quelhessupprio de sua venda
no mez de dezembro prximo p ta-
sado, tratemde pagar ao encarre-
gado tiesta cobranca ;. do contra-
rio terao o dissabor de ver seus
nomes e contas por extenso neste
Diario. Antonio Pinheiro da
'onseca Jnior.
Casa de coinmissSo de escravos.
Comprara-se e vendem-se es-
cravos, e recebem-se de commis-
s9o, tantj para a provincia como
pira fr a delia ; e pira os ine.smo-
&e olTerecem muitas garantas aos
seusdonos : na ra das Larangei-
ras n. i4, segundo andar.
Precisa-sn de um pequeo que lenha
pralica de venda : a tratar na ra Velha n.
102, do manhSa al s 8 lloras do dia.
I'recisa-se de orna ama que lenha bom
leile: na ra do Qu.-imadu n. 19, ou na
Passagem da Magdalena, passando a ponte
grande, a primeira casa de sobrado n. 1.
OSr. que tem anuunciado pelo Diario
de Pernambuco que Ventura Joaquim da Ro-
za ihe he devedor de certa q taotia, igno-
rando o annunciaiite, pode (que o dito Sr.
declare seu nome e mora la para ser satis-
faito, pois oannonciante nfio julga devera
pessoa al-.'uma, ese a dita pessoa julga-se
credora do anaunclante, pode vir receber
na dita venda.
Aluga-se o terceiro andar, sotfio corr-
lo com muitos quartos e grande cozinha, e
dous grandes mirantes, do sobrado n 13 da
ra do Vigario : a tratar no armazem do
mesmo sobrado.
-. |>recisa-s de um feitor que enlen la
lejardim: na ra da Cadoia do Rocife nu-
mero 37.
Aluga-se pelo lempo que se conven-
cionar uro sitio com sullicionles arvore los.e
algum capim, na Passagem da Magdalena
junto ao lllm. Sr. JoBo Pinto de Mmos,
tendo a casa duas salas alm da 3 quartos,
cozinha, estrir-arta para i at 3 ravallos,
urimba car prelos : quem pieiender di-
rija-sea fallar com Manoel Jos dos Santos,
em casa de Russell Mellors & C, na ra
do Trapixe, esquina da LingoeU o. 3i.
Precisa-se alugar um moleque que sai-
ba cozinhar para ca-a de homem solteiro :
na ra do Crespo n. 16.
Desappareceu no dia 6 do corrente urna
pardinha de nome Coliecta, ida le 12 a 13
annos, magra, bons denles, porm um
quebrado na frente, faltas dn cabello na
cahega de sarnas que leve, signal de um
goipe em um dos pulsos, levou vestido de
nlgodSo trangapo asul de listraS, e panno
la Costa usado : as autoridades policiaes,
e capiSes de campo, rega-se a sua captura,
e entrega no caes da alfandega, armazem
numero 5.
A pessoa que souber bem escreyer e
com boa letra, querendo se incumbir de
urna pequen escripturaggSo : apparega na
ra da duz do Recife, botica de Luiz Pa-
iro das Neves, que achara com quem con-
tratar.
No di 10 do corrente desappareceu o
pardo Francisco, que representa ter 25 a 26
annos pouco mais ou menos, alto, bonita
linora, barbado, cabello anazareno, chapeo
le palha, jaquela de panno asul, calca de
casemira t un bem aul, saoalOes de couro
de lustro, entima de forro : roga-se a quem
convier do o pegar e leva-lo a ra do Cresao,
toja de fazendas n. 10, |de Ignacio Lu* de
Brito Tahorda.qu1* sera bem recompensado.
O abaixo assigoado tendo com o auxi-
lio de um socio mo ilado em melnorva
padaria da Cambo do Girino, que outr'ura
pertencia a su finad sogra Mana l.nuren-
ga da CoiiceigSo, aununc a amiga Tregue-
zia, que continuar a fornecer-lhe bom pSo
la melhor farinh do mercado. Julga oulro-
-nii npporluno declarar aos rredo.es de sua
fallecida sogra, que-a nova padaria uo
se servir dos utencilios da amiga, que se
achavam em completo deteriora .nenie, co-
no poder-se-ha yerillcar.
Jos de Carralho Rapozo.
Desapareceu na noite de 31 de Janeiro,
do Barro al S. Amaro, um quarlo com
cangalha, dous pares de saceos e dous cou-
r-os, tem os signaos seguinles : rugo tullid-
lo, com algumas pintas de pedrez.de 8
ra 9 annos pouco mais ou menos, em
rSo, tem do pescogo para a sarnelha urna
baixa, tem as ponas dos qua.iris rolladas
develho, com o ferro AFa margem, junto
do quadril direilo, julga-se ter ido em al-
gum comboio para algum engenho : roga-
se a quem lenha acuado dito quartao ou
saiba onde elle exisla queira leva-lo ao en-
genho JaboalSo na freguezia de S Amaro,
que ser recompensado, ou na ra do Vi-
gario n. 12.
Jos de Souza e S retira-so para fora
do imperio.
-- lia-so 1:000,000 rs. a premio com hy-
poteca eo~ predios nesla praga. ou firmas a
contente, quem precisar annuncie.
Precisa-se de urna preta escrava j ido-
za, para tratar de urna crianga e fazer o
servigo interno que for roister em urna casa
de pouca familia : na ra do Crespo n. 11,
terceiro andar.
-- No dia 9 do correte desappareceu da
Madaglena, um pardinho que represla 14
annos, he magro, tem olhos grandes, pan-
nos pelo pescogo, quando falla gagueija ;
rnga-se a quem o pegar entregado no Re-
cife a JoSo Jos de Carvalho Moraes, quo
com generosidade pagar o trabalho.
O abaixo assignado per.leu um meio
bilhete da lotera do Rio de Janeiro, a favor
das obras da casi de coirecgSo da corte, de
n. uo, este bilhete fui perdido no quartel
do corpo de polica. Jos Rabello Padilha.
Precisa-se do um preto escravo que
enlen la de plantagOes, o que seja fiel (o nSo
se embriague) para Irabalhar em um sitio :
quemo tiver e quizer alugar dirija-se ao
portefro da alfandega desia cidade.
No dia 9 do crrente desappareceu o
escravo Saturnino,"24annos da idade, ca-
noeiro, altura regular, cor preta, denles
podres na frente e 'un ios,tem no meio das
costas sicatrizes que diz ter si lodequeima-
duras, ingSo Angolla, porm parece criou-
lo, levou rouoa de diversas cores, suppOe-
seaodar pelo Afogado ou Boa Viagem ; ro-
ga-se asautoridade policiaes, capitSes de
campo ou oulra qualquer pessoa q io o pe-
gar, con luzam-no a ra das Flo-es, sobrado
da quina, que ser recompensado.
Aluga-se ou traspassa-se o arrenda-
mento o terceiro an tar do sobrado na ra
da Cruz n. 34, com grande sotSo, muito
fresco, e cum commodos para familia : tra-
ta-se na praga do Corpo Santo u. 2, segundo
andar.
I'recisa-se de um rapaz que tenha bas-
tante pralica de leja de miudezas : a tratar
na ra do Cabug, loja n 9, ou no Alterro
da Boa Vista, loja nova n. 3.
--He a ultima praga por venda, sexta
feira 14 do corrente pelas 4 ho'as datarte,
na porta do Sr. Ilr. juiz do civel da 1.a va-
ra, da casa daSoledade, perlencente a viuva
o herdeiros do fallecido Joaquim Xavier da
Maia, pela quanlia de 1:200,000 rs., execu-
gSo do Sr. major Antonio da Silva GusmSo.
Val a praga por arrendamento annual
de240,UOJrs. a lypographia Nazarena, a re-
querimentodo tutor dos orphSos tilhos do
fallecido Francisco Borges Mmdes, quinta
feira 13 do crreme, na porta do Sr. Ur.
juiz de orphSos, quem quizer compsrega
habilitado.
Precisa-se alugar urna preta ou mule-
que para o servigo de urna casa de pouca
lamili: na disiilagSo da travessa da Con-
cordia.


!
Advertencia ao publico.
Quem quizer sil jeitar-.se a ser
caixeiro na Parahiba de loja ou dt
escriptorio,servir a tres pat.Ses,
assim como vender fazendas, es-
eievr em livros, annunciar vpo-
i <.-, coser saceos em armazem de
essuc r, e ser despedido quan 1o
convenha de mez em mez, ou d-
semana em s mana, avise a casa
de maia barolho na l'arahiba.
D'sapparecau no lia 9 do oorrente um
escravo de noma Paulino, de i lude de 26
annospouco mais ou menos, ofllcial de sa-
pateiro, levando uui bonete de palla de
panno asul com uma tira de coro de lustro
por sima, jaqueladozita preta usada, cal-
tas levou \, de xita preta, branca e de ir.a
preta, Altura haixa, ps um tanto grossos,
suisia por baiio do queiio, nos cantos tem
falla de cubillos, tem o cabello da cabera
um tanto grande, camisas levou 3, preta de
xita, encarnada e branca : quem o pegar
Jere-o ao Atierro da Boa Vista n. 59.
Miguel Carneiro, embarca para o Rio
de Janeiro no hrigue nacional Damastor, o
seu escravii Tillo.
Roga-sn o Sr. Antonio Matado da
Cosa de vira ra Nov n. 50, a negocio
que Ihediz respeito.
~ Os abaixo assignados fazem scionte ao
publico que o Sr. Antonio Jos Kerreira
Cuimarfips est desonora lo do passivo da
casa em que fui admislrador, porque esta
-s devia aos abaixo assignados. e algum
visir, ho (contas pequeas que nilo monio a
cento esincoenta mil i in- porin esla su-
jeito ao aeti o, assim como a entregado
dinheiro existeute em caixa, recibos d
casa e roais papis que existem em seu
poder. Itecife, 5 de feverei o de 1951.
Araujuii Hernia.
Avrial Irm.tos embarcan! para o Rio de
Janeiro o s>-u -scravo Mariins.
OO0OO0O0OOOOO 0090
O UOr. J. S. Santos Jnior, 0
4- U .1 O
q medico nomoeopatha mora q
9 na ra Novo, n. 58, primei-
i O
rj ro andar. q
000000000000000009
Engomma-se e lava-se toda a qualida-
de de loupa com lo io asseio e muita promp-
tidSo, oor preco mais commo lo do queem
outra qualquer pnrte : na ra de Aguas-Ver-
des, n. 86.
Ensi ia-8e no pateo deS. Pedro n. 13
primeiras letras, e em casas particulares
por um preco coinmodissimo.
Precisa-se de urna mullier idosa, que
cosinhe e engomma peifeilamante, para
caa deliomem solleiro : na ra do Colle-
gi venda n. 18.
-- OOerece-se uma mulharde meia idade
para casa de uma mullier viuva : na ruado
Fogo n. 47.
Francisco Albano Chabaribere de na-
eflo Frunce/.a retira-se para tora da pro-
vincia .
Quem precisar de uma portugueza para
n servico de uma casa qualquer : dirija-se
a ra Formota a. 2.
Um muco solleiro prope-se a ensinar
em qualquer engenho pouco distante desia
praca, primeiras leltras, e as lingoas nacio-
nal o latn*, com pcrfeicSu e adianlameuto,
para o que tem as hahilitaces necessarias :
quem de seu presumo se quizer ulilisar,
dirija-se a ra do Uom Jezus das criuulas,
n. 29.
--Precisa-se de uma ama secca para cui-
dar de uma menina, preferidlo-se portu-
gueza : a traiar no Monteiro, casa do r. Jo-
s Bento, ou na casa defronle do Sr. Jo3o
Ignacio do Reg.
Agencia de passaporles e ttulos de
residencia.
Oabaixo assignado tira passaportes para
dentro e Tora do imperio, e lambem titulo
de residencia por commodo preco e preste-
za :na ra de Santa Rila n. 14. sobrado.
Cluudino do Reg Lima.
Desappareceu, no dia 19 de
novetnbro prximo passado do cn-
genho Cal, nacidadede Goian-
na, o pelo crioulo Luiz, de 28 an-
Mulaoca. .fi^
Joaqulm Antonio 'lo- Santos Andrale e
M>noel Carneiro L^al pa'ticipam a seus fre-
itunzes, e especial Tiente ao corpo do com-
nercio, que, em virtule das posturas da
cmara municinal desta cida te ter mnda-
lo retirar suas fabricas de cald-drelrn, sitas
na ra Nova ns. 27 e 33, para os arrabal les
", que se acna montada em grande escalla
com tolas as nfilcinas prtencutes a mes-
na, como seja, caldeireiro, Ntrn-lro, fun-
Rnzario estreita 11. 4S, la' ve .10 respeita-
vel publico, qneapelido do m lilas pes-
soas. alugou urna casa dn Sr. K ip >/.o, afim
da nella ter un sortimonio completo d"
um todo, tendente a feativida le do mesmo
S. Amaro, sorvete todas as nuiles n occa-
siSo da novena, e no dia da f ata as II ho-
ras do dia e a noite, ludo com a maior lim-
peza promptilfln possivel, e juntamenlo
uma sala inlependente para as senhoras lo-
ma rem sorvntes.
A 1i de Janeiro prximo passalo moz,
-.., w.ii'. orn, i i > i c i i i i .., r-i'i-|i ti. lllll- fcf,.... *
Hcflo da meucs, serr.lhoiro, funilairo, etc., I SSSiTS v en*n* S"n \";nhn
-te qoal gyra sb a firma d Andrade *8' da Varzea, um m..l-.quinhn de
Mal. 0-ocio Leal resi le efTectiva -nenie na nn,l,e Benedicto com m1 gn.a. segoioteii
.ova f.hrica, na ra Imperial n. 120, e o so-1 rePrsen,t "nof- ^ ""i "-
ci Andrade nos depsitos da mesma, na I q"nbo do corpo tem 3 ri-qu nbos em ca a
ra Novaos. 87 e 33 em qtf.lq.ier distes canto da bocea, tem todos os denles, mu.-
lugares os proteo lentes.sempre os acharo
promptos para aceitar suas encommendas,
que serSo cumpndas a seus desejos, e com
a devida presteza.
"*^ Ra doPasseio, o 5.
NCsta fabrica ha presentemente um rico
sorli ment destes oDjectos de lodas as co-
res e quididades, tanto de seda eomo de
panninho, por presos commodos ; ditos pa-
ra senhura, de boro gosto: estes chapeos
sSo l'eitoi pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha >gual sorlimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
niiicoes servidas : todas estas fazendas ven-
icon-si' em por^o e a retalho : tambem se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de igrejas: ludo por preco com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol.
de marca ntaior, de panno e de seda, pro-
urios para feitores de engenho, por serem
dos mais lories que se pdem fabricar.
nos, bastante ladino, estatura re-
gular, bem preto, muito barbado,
cabelludo pelos peitos, chelo do
corp 1, o branco do-, olhos bastan-
te alvo, bons dentes, feicoes re-
gulares ; be nllici 11 de pedreiro e
carreiro; julga-se estar nesta pra-
ca, por ter nella bastante conbeci-
mento, ou para as partes de Agoa
Preta, onde bavia pouco linha an-
dado como pagem em companbia
de seu senbor Miguel da Cunha
Araujo Fiuheiro : roga-se, pois,
a qualquerautoridade ou capililo
de campo que o apprebender, o
laca che^ar ao dito engenho (Jat,
que ser recompensado
Precisa-se de um feilor capaz para o
servico seguinte : tomar conta de um'si-
tio pequeo na Magdalena, e trubalhar la ef-
ectivamente duas semanns ou o lempo que
Mr preciso para por o sitio em ordem, e
depois entilo vir s urna vez por semana.
Quem quizer procure no mesmo sitio du
Si. Manuel Alves Guerra.
I'eideu-se sbnadu, 8 do corrente, uma
argola d'ac com nove chaves pequeas, da
1-nif.oeia at a estribara de Fra de Portas,
de la em seg.iimento a Capunga, e depois a
Passagem da Magdalena : qualquer pessoa
que a liver adiado, querendo-a restituir,
Puis que do nada servir senSo a quem per-
lence, liciir-se-ha muito obrigauo e se Ihe
agrad' cera, na esquina da l.ingueta, casa de
Russell Mellurs & tompaiihia 11. 32.
-- Um rapaz (e 19annos seoffdrece para
caixeno de loja, ou para an lar rnascalean-
du pelo oalo, oqual dallador a aua con-
ducta : quem o pielender, dirija-se a ra de
Agoas Verdes.venda de cinco portis numero
48, das 6 lloras at as 8 do dia.
* i'n Mu <.iimiou\. dentista w
S francez. offerece seu prest- 9
*" un no publico inii'ii todos os #
niisteres de sua pi'osso : 9
9 pode ser procurado a tpial-
9 um r hora em sua casa, na #
*/ malaria do Hozarlo, n. 30,
? -cmimlo andar.
W 0f) ^ ** aj*. a>* ^ a^ ^ ^^ f^ a^ a^ a^ a^ ^ aj^ ^ a^ ^
O abaixo assignado tendo concedido
aos seus devedorex da prai;a8dia8, e aos
10 mato 1 mez, aim de liqui larem os seus
lebitos, succede que alguns se tem deixa-
do no olvido e nao compareceram, e por
isso novamente Ibes d mais 4 das aos da
liraca, e aos do malo outro mez, Olido o
quaes, nilo s proceder conlra elles com
lodo o rigor da le, como tamhem far pu-
blicar ns seus numes por extenso neste jor-
nal. Ii-cile. 6 de fevereirode 1851.
O cirurgi3o, Francisco oi Hodrigua.
- Na na d< Cadeia Velna 11. 41, 1 riuieirn
andar, precisa-se de uma ama, que cozi-
nbe e faca compras, para urna casa de pou-
ca familia.
Passaportes.
Tiram-se passaporles para dentro e fra
do imperio, correm-se tullas, despacham-
se escravos e tiram-se lilulos de residencia :
para este fm procura-se na ra do Queima-
lo n. 25, loja de miudezas do Sr. Joaquim
Monteiro da Cruz. .
--Lava-se e engomma-se com perfeir;So
por pr mero 8.
No dia 12 do corrente mez fevereiro, se
ha de arrematar em praca publica do Sr.
Iir. juiz municipal da segunda vara, duas
tercas paites de um sitio no lugar do Po?o
da Panella, amargem do rio, com sobrado e
uma casi terrea, coxeira, estribarla, quarto
para prelos etc., avadado por 4.000,000 rs ,
por execuen de Jos Francisco Belm, con-
tra Francisco de Paula Lopes Reis; he a ul-
tima praca.
~ Pede-se aos devedores de Jos Gon-
(,'-lvs Maia de Azevedo e Joaquim Gon-
Qalves Mala de Azevedo, de virem salisfi-
zer seus dbitos, na rna Nova n. 50, pois
ahi seacba pessoa habilitada a receber, isto
no prazo de 8 dias a contar da data desta, e
nilo o fazendote.no de vrseos nomes de-
clarados nesla folha, e serSo execuladas na
forma da lei.
Precisa-se de um menino de 14 annos,
para caixeiro de uma loja, o qual tenha
pratica, e de fiador : no Atierro da Boa
Vista, loja n. 48.
Aluga-se uma casa terrea na ra da So-
ledade, com seis quarlos, duas salas, com
cuzinha fors, quintal murado e cacimba :
quem a pretender dirija-se ao Atierro da
lipa Vista, padaria do Sr. Barnlier.
- Alugam-se duas casas lerreas na ra
at's da matriz da Boa Vista, cada uma com
seis quartos, duas salas, corredor ao lado,
(.cimba : quem as pretender dirija-se ao
Atteiro da Boa Vista, na padaria do Sr. Bar-
rilier.
-- Aluga-se uma casa de sobrado de dous
andares na ra do Raugel. lendocommodos
para urna grande familia : quem pretender
dirij-so a mesma ra do Raugel, venia de
Domingos Ferreira Lima
Precisa-se alugar por algum lempo
uma caima de seiscenlos a mil tijollos :
quem a liver dirija-sea ra do Queimado,
loja n. 3a
r.n rapaz brasileiro que se acha desar-
ranjado a poucos dias, deseja muito arru-
mar-ge em qualquer eslabelecimenlo, ex-
cepto venia, loja de fazpn las e miudezas
outro sim, tambem se offerece para copiar
papis de escriptorio, ou mesmo para ir en-
sillar prlmeiras leltras em algum engenho
distante ou perto da praca, visto saber bem
lar e escrever, e contar ptimamente; o
dito rapaz d por seus fiadores pessoas mui-
to acreditadas no commercio, e de muita
cielM.ieraeau : quem se quizer ulilisar do
seu presiono auriuucie paia ser procurado,
ou dirija-sea p.aca da Independencia 11. 6
e 8, em ca ta fechada com as iuiciaes V h
M. D., onde tumbeen se podera dar iufor-
iua(OM acerca de quem annuncia.
--Aluga-se o armazem da casa n. 7, na
aua da Cadeia de S. Antonio, o qual tem ex-
cedentes commodos para uma coebeira, a
outro na ra da Praia n. 36: a tratar na
ra do Crespo n. 10, com Igoacio Luiz de
Brito Taborda.
-Usaiuiuncios inseridos nos Di,iras ns.
6 e 7 de 9 e 10 de Janeiro deste auno, fu-
ra m feilos smente para se saber noticias
do Sr. Aiilouio Lucio de Mallos, a pedido
de sen amigo Antonio Garca Fialbo, da llha
do Fatal.
Festa de S. Amaro.
lo alegre, e pernas linas : quem o pgar le-
ve ao mesmo engenho que ser muito bom
pago do seu trabalho; suppoe-se ter sido
Curiado.
Prlmeiras lettras.
O abaixo assignado, avisa ao respeitavei
publico que, desde o dia 7do rorrete, a-
clin-se aberta a sua aula de primclras lottraa
na ra do Mondego n. 44 0 annunciante
contina receber pensionistas, meios pen-
sionistas e externos. Por mais de orna vez
tem elle patenteado ao publico as vantagens
que offerece a sua aula pela rasilo da loca-
lidade, e pelas accommolacu's que a ca-
sa apreaenta. NSo poupar cortamente es-
forens o annunciante para conseguir que
os pas de familias que Ibe confiarem seus
filhos, fquom inieiramrnto satisfeitos;
nilos pelo que respeita ao traiamento ,
cuino an prngosso intellectual e moral dos
meninos. Outro sim, para evitar que os
meninos frequenlem oulr casa, perdendo assim lempo com prejuizo
los eusiuines, oabaixo assignado tem es-
colhido mestre de msica vocal e instru-
mental, e bem assim professor de lingua
latina reconhecidamente peritos nessas
materias, para ilaivrn hecs aos alumnos
que se quizerem applicar a ellas.. 0 abaixo
assignado espera do publico, e especiamen-
< dus pas de familias moradores fra da
praca, que apreciem os esforQos do annun-
ciante, animando o seu nascente mais tilo
olil eslahele metilo
Francitcode Salles de Albuqnerque.
Di-sepode vendagem a >>retas e mo-
leques : paga-se bem : na padaria defronlo
la foitaleza das Cinco Puntas n. 154.
Mobilia de aluguel.
Alugam-se mobilias a vontade do a-
Ingador, e tambem sealugSo caileiras em
grande porcSo para bailes, ou oflicios na
ra Nova armazem de trastes do Piulo de-
fronte da ra de S. Amaro. .
Quer-se alugar uma morada de casa
terrea na ra da Sen/alia Nova, sendo do
rimei'O quarteirSo do bequ nho al o
Recco Largo ; isto he, tendo quintal de
aluguel superior ao por que estiver aluga-
la ; tamhem troca-se por urnas lija, na
roa do Rangel n. 20 ; e sendo que algum
morador se queira mudar, da-se-lhe urnas
luvas proporciunaes : na ra da SenzalU
Velha, padaria n. 100, se dir com quem se
Icvi* t r I'i r
O Consultorio boinoeopathico, O
& ruadnCnllegio, n. 25, O
O Do Pr, P.de A. lobo Voscoto. O
$ O Dr. Moscoso d consulta* todos os O
ii dias. Osdoenles pobres silo tratados "
if degrada. S serlo visitados em suas ^
9 casas aquelles que nSo poderem vir O
r ao consultorio, ou que suas moles- O
'5 tas tifio possam dispensar a presen- 01
9 Qa do medico. n
0<3 O QOO& 000000000
Traspassa-se o arrendamenlo do enge-
nho Queluz, sito na freguezia de Ipojuce,
vendendo-se a safra no campo, o engenho
he copeiro e hom, e tem bons cercados : a
tratar com Miguel Augusto de oliven a, na
sua residencia no engenho Camassari, na
freguezia de S. Amaro JaboatSo, ou com
Theotonio da Silva Vieira no engenho Ca-
xoeira da freguezia de Ipojuca.
Msicas para quem nao sabe mu
sica.
Vai imprimir-se o indicador geral dos
accordos para violSo, e para que se faca
ideia da sua utdidade, vamos dardella
seus ah unos, que desde 13 Injanniro das-
te aun 1 ab-i'i sua aula, e dcbaixo lussa
mesma disciplina ensina por pnncioios
Hgram-naiica portuguza, latina e (rance-
za ; admit' 11 lo nesse recinto porcioiistis e
neio porcionistas. O* nais de familia q ie
qu'znrem auplicar seus lilnos a algu na des-
asa disciplinas, p4e ga do Rosario n 48, szun lo an lar.
los Varia Hachado de Figueiredo.
1. a
PCX.. J
Compras.
Compra-se toda aqualidade de tras-
tes usados, etamb'm su trocuo por novos
na ra Nova armazem de trastes do Pin-
to defronte da ra de S. Amaro.
Compra-se uma estante para livros,
prefere-se com vidros e pequea ; quem li-
ver annuncia.
-Compra-se umaascrava que entenda
lieni de cozinha, costura, e seja perita
engommadoira : na ra da Cruz n. 18, se-
gundo andar.
Compra-se um escravo que seja odi-
cial de carpina 011 pedreiro : paga-se bem,
comanlo que nSo tenha vicios nem acha-
ques : na ra da Cadeia, em Santo Antonio,
n. 19, serrara.
Comprase, para uma oncnmmeuda.
nina pida unir, boa cozinheira eengom-
madeira : na ra da Cadeia do Itecife, loja
n. 50, dn Cunha & Amorim.
Compra-se um sellim ingle/, grande,
com algum uso, em bom estado : na ra da
Cadeia du Recife, loja n. 50.
Comaram-se ossos da boi : na ra da
Concur lia n. 8.
- Compraiu se, para lima eiicom iicui la ,
escravos de ambos os sexos, de 10 a 40 an-
nos de idade em Santa Rita o. 14, so-
brado.
Compra-se uma escrava parda ou cri-
oula, que seja moca, sadia, saiba bem en-
gommar, cortar e fazer ca niza de lio nem,
vestido do sonliora, seja de boa conducta
escolio la em casa de Joo Valeutim Ville-
la, no Multen o
Vendas.
Baile de mascaras.
" Existe na ra do Queimado, lo-
ja n. lo, a milis luid i l'azendapra-
it'iul.i, propria para vestuario de
ma,caris, assim como capas bran-
cas bordadas de seda de cores,
propris pira domin.
Vende-se no armaze>n da na da Praia
becco du Carioca de Antonio Pinto loares
n 9, bom arroz pilado, e de casca, Bssim
coojo saccas de farinha de Santa Cathar-
na muito superior a dous mil rs.
-- Vende-so no tegua lo andar n. 18 na
ra das Cruzes o seguinte : 12 cadeiras, un
sof, um jogo de bancas, ludo de Jacaran-
da ; 12 cadeiras de olio, urna cmoda de
amarello, ludo com pouco uso, e moder-
no ; um lavatorio Je amarello, uma mesa
de jantar tambem de amarello ; um mu-
nho e torrador de caf de 24 libras, todo
he barato por estar a retirar-se o vende-
dor.
r Livros baratos.
No Atierro da Boa-vista, loja n. 54; na
ra Estreila do Rosario, loja n. 15; e de
fronte 1I0 trapich t novo, casa n. fi, lia a
venda as soguintes publicad-Oes :
Memorias de um Koido por Lupes de M'n-
donija ; Leilura Repentina, por Castilbo ,
Conloa ao SerSo, por Riliurode-S ; o Preo
pelo dito ; Curso A' Inslruccild da Historia
Natural I Poesas del). Luiz Itiverac; Re-
vista Militar contendo os conheciinenlos
necessahus a esta nobce classe ; Elemen-
tos do arilhmelica; Jornal das bellas ar-
tes; AI'nana I, s populares; Vista do Cerco
do Porto; Carlas da india a China ; Duas
Dianas, romance de A. Du.nas; Panorama
de Lisboa ; A SemaiM, jornal scienlificu : o
The.iue, dito ; Revista Universal Lisbonen-
se, dito; Universo Piloie.-co, dito; Vistas
de magnifico! edificios ; Raratus de pes-
soas celebres.
Veinie-se uma prela boa quitandeir a
armacSo do biiquim e dous (ileiros : qunn
quinar com >rar, diriji-s-io baeno toS.ri-
patel, na loja porwneoUe ao sobra lo di
dous an lares n. 1, a fallar com Miria Jos
do Nasei nento.
O Fuiulico de sinos e outras O
O quaesquer olras do metues O
em ponto grande, na 1*111 do O
Briunde Mesquita tiitra. 0
Fahricadecalleireiro.lHtoeiro.funi- O
leiro.vidraceiro e serralheiro na ra 0
do Brum n. ti. E-te estabelecimento 0
icjt acha-so couiplelaciienlu montado pa- Q
0
3
9
v.
9
0
0
&
0
0
O
Jl
seguinte noticia Foi organisado o indica- ,, ,' ve" ,' '
dor dos accordos de proposito para quem
nilo sabe a msica, aprsenla reunidos os
accordos perlencentes a uma cadencia,
com a qual se acompauha o canto ou a ou-
tros instrumentos ; os tocado-es de ouvilo I ''S?. deCoVha"* AnTor
( i!iiln.(vmnnlii nhamiiilnn \ .._.l..nltA____"c __
Itap Paulo Cordeiro do Rio de
Janeiro
em latas e frascos, chegado recentemente :
vende-se na ra da Cadeia do Recife, loja
0 proprielario da coDfeitaria da ra do
("vulgarmente chamados) poderlo verifi-
car se os que j tocam estS ou n3o om regra
e aprender o que Ihes fallar e as pessoas
quejnSosabem msica e nem tocam de ou-
vido pdem ( mediana algumas licoes para
aprenderem o estyllo de acompaonarj sem
mestre aprender em poucos tempes o que
por msica Ihes levara annos. Assigua-se
na livraria da ra do Collegio n. 9. e no pa-
teo do Terco n. 22, ra do l.ivramento n. 27,
na Boa-Vista loja do Sr Estima, a 2,000 rs.
porexempliir.depoisdedest'ibuida aos Srs.
assignaritos cuslara avulso 4,000 rs.
Precisa-se alugar um sobrado de dous
andares, que tenha quintal e ( ja fresco, no
bairro de Santo Antonio : quem liver an-
nuncie.
000OOCOO0 OOOOOOOOO
0 Hua das Cruzes n. 2N. q
A Consultorio homceopallnco do faculta- rt>
q tivo J. B. ClMMM, X .
i Gratis para os pobres.
Vende-se muito nova fari-
nha de Santa Catharina : a bordo
do brigue Sagiturio, fondeado
defronte do trem, por preco mui
to commodo.
-- Vende-so um preto de 18 annos de ida
de, bomla figura, que sbe cozinhar o dia-
rio de urna csa, engomma perfeitamento,
sem vicio algum: 110 becco dos Martirios
contiguo a casa n. 3; mas s se vende pa -
rao malo.
Na ra Augusta, venda de Victorino Jo-
s Correia de Sa, ha para vender-se carne
do serulo, mu to superior, a 280 rs. a libra,
e lingoigas a 320 rs. a dita.
Deposito de cal virgem e potassa.
Cuuha& Amorim, na ruada Cadeia do
Recifi 11. 50. vendeni cl virgem em pelra,
Chegado pelo ultimo navio de Lisboa, e po-
Na ausencia do faculta.ivoj B. Ca- J* llassa de boa qualidade, por menos preco "do
f sanova, o professor de homceopathia v queem oulta qualquer parte.
Cossel Itni'ont continuar com os O
O trahalhos do mesmo consultorio, on- 0
0 de poder ser procurado a qualquer 0
O hor-. 0
OOOOOO0OOOC5OOOOOOO
O Sr. Ventura Joaquim da Roza, cai-
xeiro do Sr. Francisco JosCalvo. hJ
8. Flix.
('.Iiegaram os verdadeiros charutos deS.
Flix, os quaes se estilo vendando na ra du
Uueimado u. 9, por 3.000 rs. Cada uma.
Venie-so uma preta de n-clo, de 26
anuos, muito pnssame e com algumas ha-
- de inlidades de cozinha, sendo n
fazer ou de ir pagar o que esi devendo '
mais de dous unes, e nSo o fazendo sera
sempre lembrado.
para engenho por estar acostumada em fa-
brico de trras, assim como um violflo de
bonitas vozes, este na ra da Ca leu do Re-
cife 11. 25, e a preta no largo da Trempe, so-
brado n. 1, que tem venda por baixo.
Sapal5es de lustro.
Vcndem-se sapatOes de bezerro de lustro
a 4,000 e a 3,500 rs., muito bem fejtos : no
n. 58,
Precisa-se de uma senhora, que queira
ir para um engenho distante desta scidade 9
legoas, e que tenha as habilacesnsces-
sarias para ensinar algumas meninas, filhas
do senhor do engeoho, a tocar piano, ler,
escrever, contar e grammalica portugueza,
sooer, burilar, etc. : quem pretender este Alrru a B" *,ot,i '"J de calcado
arranjo, ple dirigir-se praca do Con- Junlo, selleiro.
mercio n. 6, escriptorio de Maooel Ignacio I Aos 5:ooo,ooo ris.
deOliveira. ,...,, .,.-' Vendem-se meios b.lbeies da lotera a fa
- O abano assignado professor p.rticu- I vor das obras da igrej. de N. S do Liv .-
lar de p.imelras leltras. d.sciphn.do em 1 memo, que corref a 5,500 rs no A erro
preparatorios no lyoeu deata cidade, part- da Boa Vista, loj. 'de calcado n. 58
cipa .0 respe,t.,el publico e.os pas del Vende-se. por preco commodo. um.
ra construir quaosquer obras, de
ferro, folha, lato o cubre, com
prompti i.ui e zelo, vontade do
comprador; assim como ja tem
promptas burras de erro de segredn,
letiras, iguaess francezas ; machi-
as de D-rosne rnuilo bem congirul- V
das, alambiques do carap iQa, taxas o 31
0 to la a qualidade de cobres para o O
O servico de engenho, e carros de m3o O
;> de ptima construcQo. O
O Francisco Antonio Correa Cardoto. O
0OO3OO0O OOOOOO0OOO
- Contina a vender-se, na ra Nova lu-
ja n. 18, de.M. A. Caj, pecas de madaoo-
13o com pequeo toque de avaria, a 2,001),
1,500 e a 1,000 rs. : assiai como um comple-
to sortimento dn obras faltas le.illa I (le do
'o.las as qualidadas, tanto finas como mai-
ordinarias ; carnizas brancas e de cores;
chapeos; e superiores charutos da Bahii,
ludo por prego commudo ; assim como fal-
sa 111 :.111 1 r obra de encoinmitiJa con
proinptidao.
-----Acaba de sahir do preloa
seguinte e interessante obra
Guia do Guarda Nacional,
contendo a lei n. 602 de 19 de se-
tembro de 185o, que d no a or-
ganisacao a guarda nacional, o de-
cre o n 711 com as instruecues
para execuco di mesma lei, a cu-
jo decreto e instruccoes acompa-
nham onze mappas ou modelos,
nao s relativos ao processo da
'pialificatSo, do recurso di revis-
ta, etc. como da economa dos
corpos, organisacao por mnnici-.
pos, por batalhoes, compinhias,
etc e fi .alente as intrucc6es
ie infantiria parauso das guardas
oacionaes. Un volume bem iin-
presso em typos novos, por 2,000
rs. o exempUr : vende -se no pa-
teo 00 Cullegio, casa do Livro
Azul.
Vende-se uma canoa de 600 a 700 ti-
jolos : na ra Formosa, s -lima casa terrear.
oiiiiiuia-s.' a ven ler manteiga nova
franceza, a V00 rs. ; dita ingleza, a 480 rs. ;
assim como gomma fina de engomtnar, a
60 rs. a libra ; no paleo do Carino, venia
nova 11. 2.
-Chapos modernos.
Vendem-se chapeos de massa seru
pello, muito alvos, de elegantes
l.iriiias e mu proprios oara os fas-
tejos de Santo Amaro, a precos commo los ;
ditos franOeieS, (!( siii.enoi qualiJa le. de
7,000 a 7,500 ; e de to las as mais dualida-
des a precos rasoaveis : na ra do i.)n 'ma-
lo, loja de chapeos, n. 3g.
Para jornadas ou marchas.
A lou^a precisa para a cozinha e mesa 1
tr-'S pessoas em jornada, que silo 25 peca-,
e se 11 r. 11 11.1111 dentro da Cal leira todas as
outras. Esles apparelbos s3 1 mu usados
em Portugal eetn Angula pelas pessoas que
viajan] p |o Centro do pal/, pois leu.I til lo
qu inlo lie in.lispensavel loma mullo pouco
espa (,-.(, e Si- COudUZ Culi a lllilor l'aC 11 li
le : vetide-se na loja de miudetas ue E->d-
uia & Ramos :no Aterro .la Roa Vista n. 54.
Por 30.UO0 rs. he dado.
Vende-se um berf;o de verdadeiro jaca-
randa, macizo, com armac,3o, novo e mui-
to fot te, por 30,u00 rs., por nto poder cun-
duzr-se embarcado : na rua de Hurtas nu-
mero 20.
Pechncha.
Na loja nova da rua do Crespo n. 10, de
J. L. de ti Taborda, vende-se alpaca preta
de tolas as qualidades. a 640, 710, 800,
1,000 e 1,200 rs. o covado ; c.tcs de Ivira
escuro de I ni lio puro de 2 1|4 varas, a 1,000
reis.
Vendem-se escravos bara
Eos como seja 3 negrotas de i an-
nos 5 6 pretas mocas de bonitas fi
gurs e com .Igumas habilidades;
2 pretas ptimas quitandeiras, de
3j annos; I dita que cozinha mui-
to bem, por preco muito em con-
ta ; 5 pre os mocos, ptimos para
qualquer servico ; I mulntinho de
5 annos ; i preto que entendede
lazersabo, por j ter trabjlhado
em urna grande fabrica no Mu i
nha : na rua das Larangeiras n.
4 segundo andar.
--Vende-se na loja nova na rua do Crespo
n. 10 de I. L. de B.Taborda superiores cortes
de casemira france/.a de linios andr i* pe-
lo barato prego de 7.U00 e 7.500 r.s., dilos
de meia dita a 3.5JO e 4 OJO r.s., nacidos
lia ue /.es a 280 rs. o cavado, lencos de se-
da com franja, para senhora, bonitos pa-
hoes e supe.lores qualidades a 4000 rs.,
chapeos de sol de seda para sonliora a 4,000
rs., dilos para homem, p.-etos e de corea a
6,800, e lencos de pura seda a 1,700, 1,800
2,000, e 2,240 rs.; superiores mantas de
seda do ultimo gosto a 13,000 e a t4.000
rs., chales do cadaco a 1,300 e 1,400 rs. ;
corle de caaibraia de seda tambem do ul-
limo gusio a 10 000 11,000 e 12.000 rs e
o.dras mullas fazeudas de superiores qua-
lidades, quesevenJein por diminuios pre-
sos.
Vendem-se dous barris vasios, que f-
ra m de azeite doce e vinbo : na rua das Cin-
co Puntas R. 82.
ILEGIVEL



A 400 ris.
Vendem-se as mais superiores chlas lar-
cas, frneez"s, de todas s cores, gostns io-
teir-menlenovos, imitando seda, a 400 rs.
o rotado : na roa do Crespo n. 14, loja de
Jos Francisco Das.
Vendem-pe arados america-
nos dos modelos mais approvados;
na ra do Trapiche n. 8.
AGENCIA
da fundicSo Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42.
Nos te estaheleeimento conti-
na a liover um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os taannos, pa-
ra dito.
Chumbo de municSo.
Vende-seno armazem de J. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim n. 35.
~ Vendem-se amarras de Trro: na ra
da Senzalla nova n. 42.
Deposito le cal virgeni.
Na ra do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chpgada ultima-
mente de Lisboa no brigue Tarujo-Tereeiro.
SSSF.
Farinha "nova da marca SSSF, chpgada
nltimamente: na ra do Amorim n. 35, ar-
inazem de ). J. Tasso Jnior.
Potasea da Rnssia.
Vende-se potassa da Itussia, recentamen-
te chegada, ede muito superior qualidade :
na ra do Trapiche n. 17.
Taixas para engenho.
Na fundigo de trro da ra do lirum,
araba-se de receber um completo sortimen-
to de laixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
qttaas acham-se a venda por prego com-
cnodo, e com promptidSo rmbarcam-se, ou
carregam-se em carros sem despezas ao
comprador. ,
l o(ma- -ii |>< rio 11-.
Na fundigo de C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, achm-se a venda moendas.
de canna, todas de ferro, de um modelo e
onstruccSo muito superior.
Grande sortimento le charutos
la fabrica le S. Flix, no ar-
ma zem le i i uceo & coiupanliia,
ruada Cruz n. 21.
SSo ehrgsdos s este armazpm os verda-
deros charutos regalos, regala, cagadores,
deputados, vpnus, senadores e soberanos
de iiavana. em caixas de rem e 250, por pre-
cos rasoaveis.
A pobreza.
Vendem-se cebollas ameiicanas pel ha-
rato preco de 80 a 160 rs. a restes, e a 320
rs. o cenlo das solas : nos armazrns do bec-
codo Concalves, junto a casa da Sra. Viuva
Usserre
Vendem-se grvalas de seda de diffe-
renies pad>0es, de mui bom gosto, pelo
preco de 1,000 rs. cada urna : na ra larga
do Rozario, loja de miudezas n. 22, de Vic-
torino & GuimarSes.
Vende-se urna porgSo de ferramenta f
prendas paraencademagSo.a qual est mui-
to piopria i ara alputra pessoa que quei r
botar este negocio, por ler toda a ferramen-
teprrcisa (ara o dito cilicio : a tratar Da
ra estrella do Rosario, iravessa do (Juei-
nadu, loja de tniudejas n. i A.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados ue ferro de diversos mo-
delos.
Deposito la fabrica le Tolos os
Santos na Habla.
Vende-se, em casa de N. O. Bieber&C. ,
na ra da Cruz n. 4, algodSo tiansailo da-
quella fabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por preco com-
nioJO.
nligo deposito de cal
virgem.
[Na ra do Trapiche, n. 17, ha
ji.uilo superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Li.sboa
no brigue 7aflijo 111.
Cal vigem de Lisla,
da melhor que ha no mercado, e
chegada ha das pelo brigue Ern-
preza : trata-se com A. C. de
Abren, na ra da Cadea do Ke-
Cife o. 37.
-- Na ra estreita do Rozario. Iravessa do
Queimado, loja de miudezas n. 2 A, de J.
Jr. dos Santos Maya, vendem-se cordas de
tripa e boriles para violSo e labeca, e pa-
pel pautado para msica, ludo da melhoi
qualidade possivel.
lio parasapateiro e para saceos.
Vende-se um restante de ptimo fin par
sapateiro em novfllos, e dito em meiadas
para saceos, por prego commodo para li-
quidar facturas : Pin casa de Adanifon llowie
i Com; anliia, la do Trapiche n. 42.
1.ol la le N. S. lo l.i\ 1 ano nlo.
A os 5:o>o$ooo rs.
Na loja de miudezas da naga da Inde-
pendpiicia n. 4. vendem-se bilhetes, meios,
quartos, quintos, dpcimos vigsimos, que
cone imprelerivelmente no da 28 do ror-
rete.
Itilhetes inteiros 11,000
Meios 5 500
Quailos 2,600
(JuintoS 2,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Cera ent velas.
Vendem-se caixas com cera em velas, fa-
bricada no Rio de Janeiro, surtidas a venia-
de do comprador, e por preco mais barato
do que em oulra qualquer parte. Trata-se
com Machado & Pinheiro : na ra do viga-
rio D. 19, segundo andar.
Vendem-se pegas de chitas pardas, co-
res (xas, a 4,500 rs e a retalho a 120 rs. ;
c- tes de carnaval, mui bonitos, cores fi-
Xas, a 2,600 rs. ; e 100 saceos de estopa no-
vo*, com duas varas cada uto, a 320 rs.: ni
ra larga do lio/, .no o. 48, .-r 1 n,eiro aoda
Vendem-se selhns inglezes
muito bous, brides, arreios para
carros de um e dous cavados, tu-
llo recentemente chegado de In-
glaterra e de superior qualidade.-
em casa de Hidgway Jamicsson &
Companhia, ra do Trapic ie No-
vo n. la.
Tecido de algodio trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades,
propriA para saceos de assucar e roupa do
escravos.
Deposito de e-pelliosdas ma-
nafactuiasde Franca: na ra do
Passeion. 1q.
Tinta para escrever.
Vende-se excellente tinta para escrever,
cm frascos de mais de garrafa, a 480 rs. ca-
da um frasco : na livraria ns. 6 e 8 da pra-
ga da Independencia.
Pechincha.
Vendem-se ricas cassas francezas, de lin-
dos padrees e de cores azues, rxas, ama-
relias, cor de roza, etc. Estas cassas sSo
de I si ras e com delicados desenhos, e tor-
na-se muilo recommendavel, tanto pela
qualidade, como pelo deminuto preco de
480 rs. a vara : na ra do Crespo n. 14, loja
de Jos Francisco las.
Vendem-se cortes de chitas finas com
12 covados, pelo barato preco de 2,600 rs ;
trancas pretts para capotnhos; bonetes
para enancas, e turbantes muilo lindos pa-
ra baptizados : ra da Cadeia velha, casa
n. 24, primeiro andar.
a a a a* a: aj> ^@jiti'ffljBfliV^@ ffjj
fjj Algoilao para saceos. */
fe Vende-se muito bom algodSo para a>
*> saceos de assucar, por prego comino- #v
* do : em casa de Ricardo Royle, na *>
4 ra da Cadeia n. 37. */
JJfJ^lJ W&'&G ^ ^^F:*J^aJfc^apfjtB^
raimo \ 1 nlr invisivel.
Vende-se panno verde invisivel, muito ti-
ro e baratissiaio, nSo se menciona aqui o
prego porque cauzaria isso urna admiragSo
aos pietendentPS, a ponto de nSo fazeiem
conta, e dizerem, sem virem ver a grande
pechincha, ora isso n9o ple ser panno
bom ; he este o motivo por que so se dir a
vista dos compradores e do dito panno ;
tamben) restan) algumas pegas de ganga
rorde cinza eamarelta. propria para pali-
tos de meninos, que para acabar com bre-
vidade s- yender.lo a 6,000 is. a pega, n a
meia pataca o covado: no Aterio da Roa
Vista 11. 18.
I.i i la suarda nacional.
Vende-se o peculio do guarda naciona
conlendo a lei, regularr.eiito eo mais preci-
so para a mesma, a 1,000 rs. cada oxem-
niiir; na praga da Independencia, livraria
ns. 6 e 8.
Vendem-se queijos londri
nos, toucinho em mantas, e/vi-
Ihas verdes, conservas de todas as
qualidas, cha preto, pos para pao
sem fermento, baldes para com-
pras e mais gneros: tudo ultima-
mente chrgado de Londres : na
rita da Cruz n. 7, armazem de Da-
vis \ Companhia.
Vndese urna prefa de bonita figura,
que faz lodo o servigo de campo : na praci-
utia do Livramento, venda n. 50.
Lotera de N. S do Livramento.
Aos 5 000,000 is.
Na ra da Cadeia n 46, loja de miudezas,
vendeu-se o bilhete inteiro n. 951, em que
sabio a sorle de 1.500,000 rs. e estSo ex-
postos v ma os lullietes n cautelas da
mesn a loteiia, qup corre impreterivelmen-
le no dia 28 do corrente.
RilheUs 11,000
Meios 5,500
Quai tos 2,600
Decimos 1,100
Vigsimos 600
~ Quem quizer poupar venha ver e com-
prar, pois o glibo de quem vende Tica em
mSo dos compradores, e sempre ficam lo-
grados seus amos ou seus senhores. Na ra
\ova, venda ao p da ponte n. 71, e no Ater-
ro da Roa Vista, venda n. 54, ao pe da loja
do Sr. Eslima, vende-se manleiga inftleza,
a 640, 560 e 480 ; cha, a 1920; espero acete,
a 720 e 610 ; vellas de carnauba, a 320 ; lo-
iria n uito nova, a 240 ; macarro e tallia-
iim, a 200 tapioca, a 120 ; farliha de Ara-
rula, a 200 ; cal em grito, a 160 ; loucinho,
a 160; Itolachinha ingleza, a 280; altito-
nas novas, a 200 rs. a garrafa p a 1,400 a un-
corpta de mais de urna caada; milho al-
pista, a 960 a cuia ; painsn, a 640; azeitp
doce, a 640 a garrafa ; arroz, a 70 rs. a li-
bra ; e outros mullos gneros, que se dar
0 prego a vista do comprador.
Tinta superior.
Vende-se muito superior tinta para es-
crever em frascos maiores do que garrafas,
emporcfloei relalho, por menos do que
'm nutra qualquer parte : na ra da Ca-
deia do Recife 11. 34, | nmeiro andar.
Casa le. modas francezas, Aterro
la Roa Vista n. I.
Madame lluessard Millochau tem a honra
de participaras su*s fregupzias, que pelos
ltimos navios vindos do Havre, Ihe chega
ram modas novas de Paris, como sejam :
ricos vestidos para noivscom os cabegOes
e veos, vestidos para bailes e theatros, cha-
peos, mantelleles, capotini>os, enfeites de
caheg, llores finas, um sortimenlo muito
grande de tits e bicos, caheg^s de hico,
camizinhase colannhos bordados, chapeos
de palha para senhoras e meninas, transas
e franjas, cspartilhos, luvas de pellica con-
pridas para casamentes e baplisados, lencos
de cambraia de linho, bicos de blonde lar-
gos e estrelles, veos o inantilhas de blonde
verdadeiro, bicos de linho verdadeiro, cam-
braias bordadas, litas lisas e bordadas, lu-
vas, etc. etc : tudo por prego commodo.
Efectivamente faz-so chapeos, vestidos, e
em geral todos os adornos de senhoras.
Cobertores hespanli>es
de cores, muilo furles e de todos os tama-
nlos : vende-sena ra du Crespo n. 11.
Ven le-se na ra da Senzalla Velha,
padaria n. 100, ao entrar p>lo Recen Largo,
superior faiinha de mandioca, viuda lti-
mamente de Santa Catharina ; por cada sac-
ca pagar o portador a pequea quantia de
'4
2,000 rs., leva urna sacca nova de hom al-
godSozinho, equerendo,desconta-se-lhefi(0
rs. passando para outrs sacca que leve.
Vende-se um bonito nulatmho de 10
a12annos; urna preta de 18 anuos, en-
zommadeira e cozioheira ; um lindo escra-
vo de elegante figura : na ra das Cruzes n.
20, venda : estes escravos vendem-se para
liquidagSo.
Bom c barato.
lina do Passnio Publico, loja n. 9, de Al-
bino Ju-i'- l.i-ite, vendem-se riscados mons-
tros, a 200 rs. o covado ; eassas para baba-
dos, a 240 a vara ; madapnISo, a 2,000 a pe-
ga e a 120 a vara ; chitas, a 4,500 a pega e a
120 o rovn lo ; chapeos de sol, Unto de ar-
ma gil o d'ago como de baleia, a 2,000 ; len
gos de seda de cores, a 1,500 ; bjins de li-
nho azul ede cores, a 300 o covado ; cha-
les de chita, a 500 e 640, chita para cober-
ta, a 160 o covado; e ouiras muitas fszen-
das, que se deixam de tnnuuciar para nSo
oceupartempo.
Na ra das Cruzes, venda de Domingos
da Silva Campos, vendem-se e alugam-se
as mnlhores bixas de Ilamburgo, tanto em
porgSo como a retalho, por prego commodo.
Vendem-se candieiros para
meio de sala, muito ricos, com os
competentes globos, canudos e tor-
cidas, dando a luz mais brilhante
possivel : na ra do Trapiche n. 8.
Vende-se farello em saccas
muito superior, a a,000 rs. : no
armazem de Joaqun, Pinheiro Ja-
come, travessa da Madre de Dos
numero 9.
Vende-se um bonito escrBvo mogo, ro-
busto, proprio para enxada e machado, ou
armazem de assucar, por ter muila Torga :
na ra larga do Rozario n. 48,1." andar.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com camb3o de sicupira e braco
de ferro : na fundico da rua do
firum ns. 6, 8 e 10.
Vetidem-se bilhetes iuleirns, meios e cau-
telas da 16.' lotera a beneficio das obras da
casa de corregi da corte, que correu a 4 do
corrente, e cuja lisia espera-se pelo vapor
iuglez, que aqu deve chegar a 18 do mes-
mo : na loja de cambio da rua da Cadeia du
Recife n. 24, da Viuva Vieira & Filhos.
Cimento.
Vendem-se barricas com cimento, pro-
prio para qualquer obra que possa rece-
ber agoa, assim como para aljeroz e Ira-
|.piras, prximamente chegado de Ilam-
burgo, tambem se vendem as meias barri-
cas 1 or prego commodo : atrs do theatro,
armazem de taboas de pinho, a fallar enm
Joaqun) Lopes de Almeida, caixeiro do Sr.
J0S0 Mal ncus.
Por 1:000,000 rs.
Vende-sn a posse de 53 palmos de terre-
no, com a frente para a rua da Aurora e os
fundos para a rua do Hospicio : trata-so na
praga da Independencia n. 17.
Casa le coiisigna;o le escravos,
na rua lo Rozarlo larga 11. 22,
cumulo a miar.
Vendem-se oito escrav s mogos, bons tra-
bajadores de enxada ; 2 lindos molecotes,
sendo um bom carreiro e de boa conducta ;
urna mulatinha de H anuos, com prendas
de coser e engommar ; duas negrotas de 16
anuos e de lindas liguras ; urna negrinha
de 12 annos, com principios de costura;
urna preta boa quilandeira; duas ditas de
oieia idade, que sahem cotinhar e vender
na rua ; um prelo da Cosa, de meia idade,
iropno para trabalhar em sitio, por estar a
isso acustumado.
Na rua do Collegio n. 16, taverna de
Antonio Joaquina Ferreira da Silva, vnde-
se superior farinha de mandioca em boas
saccs, a 1,9.20 cada urna, adveriindo-se que
este prego ne para quem se quizer apro-
veitar, porque esta pechincha nlo pode
durar.
A bordo do brigue nacional Sagi-
tario, Tundeado em freute do Trem, vni-
de-se muilo boa c nova farinha de mao-
lioca, chegada prximamente de Santa Ca-
tharina, por prego muito commodo.
Chapeos de massa sem pello.
Na loja de seis portas, em frente do Li-
vramenlo, vendem-se chapeos pretose par-
dos a dous mil ris, assim como chapeos de
palha da Dalia pur pregos rasoaveis, e de
outras qualidades.
lf liuiila i~ ni a.
Vende-se urna preta moga, de boni- *
|; ta ligina. que lava e he quilandeira : i.
4 ni ruado Vieaiio n. 12, terceiroan-
S dar. j*
Aiieneao >o barato.
Vendem-se novas ceblas nelo barato pre-
go de 320 rs. o cenio e a 3 000 rs. o milhei-
ro, e em resl as escoll 'as a 80 rs. cada
urna : no armazem que foi do finado Rra-
gupz, junlu ao aico da CuuceigSo, eem um
armazem, ao entrar na rua da Senzalla
Velha.
Roga-se aos srs. |fregnezes do ba-
rato que li iain o segulnte
annuneio.
Vende-se brim de quadros de linho, a
320 rs. o covado ; riscado de linho, a 220 rs.
o covado; dito de algodSo, a 1S0 rs. o co-
vado ; pecte muilo encorpado, proprio pa-
ra escravos, a 180 rs o covado; castores
muito encorpados, a 280 rs. o covado;
brim transado branco de linho, a 1,920 rs.
ocite; dito escuro, a 1,600 rs. o dito ;
esguifio de algodSo de 12 jardas, a 2,400 rs.
a pega ; cortes de fustSo, a560rs. ; cobor-l
lores escuros de algodSo, grandes, a 720*
rs.; cassa preta, a 190 rs. o covado; ebita
le cores fitas, a 160 e 180 rs. o covado : na
rua do Crespo n. 6, ao p do lampeSo.
\lanana Rota llanly modista
l>ca leira, roa Nova n. 34.
Annuncia ao publico e particularmente
aos seus freguezes que tem para vender um
completo soriimento de grosdenaple de
furia cor e preto muito superior, assim co-
mo sarja e chamalole tpreto de primeira
qualidade; finos cortes de grosdenaple de
furia cor adamascado tanto para mantele-
tes como para capotnhos; ricas franjas e
requiTe de seda de furia cor, proprio para
infeites dos meamos, a qual se vender
comprando alguma porgSo da fazenda ci-
ma dita ; um rico sortimento de mantele-
tes, capotnhos e palitos de grosdenaple de
furta cor e dechamalote preto, tudo de
minia consistencia e feuos em l'ranga ; ca-
potnhos de fil de linho preto ; ditos para
meninas de 4 a 8 annos; um variavel sorti-
mento de bonitos chapeos de seda de todas
as cores; ditos de fina palha de Italia para
eobora e menina, elegantes chaposiobos
de seda com lindos infeites proprios para
baplisados; ditos de ptima palbinha para
menina e menino; os melhores e-maiscom-
modos espariilhosque tem chegado a esta
praga ; novase riquissimas capellas muito
propri's para casamenlos e bailes; ricos
cachos de llores para nfeiiar chapeos de se-
nhora; luvas de pellica com infeiles de su-
perior qualidade para senhora ; ditas de di-
ta curtas para homem e senhora ; um gran-
de sortimento de bonitas litas e de difteren-
lesrres; chapeos de sol para senhora;
oerfumarias finas ; armagOes pretas e bran-
cas para chapeos de senhora ; gorgurSo de
cOres proprio para chapeos de dita ; sapa-
los de setim branco ; camisinhas e romeiras
para senhora : e outras muitas fazendas de
gosto moderno.
* Depoaito de tecidos da fabri-
* ca de Todos os Santos, -m
^ na Bahia. ^
> Vende-se em casa de Domingos Al- -c.
* ves Matheus, na rua da Cruz do Re- 41
& cife n. 52, primeiro andar, algodSo *
J transado daquella fabrica, muito pro- J
? prio para saceos e roupa de escra- 2
? vos, assim como fio proprio para re- 2
^. des de pescar e pavios pare vellas, ^-j
^ por prego muito cnmmo lo. ^
AAAA.ii AAAAbliA AftAAAAAAA*
Cheguem a pechincha que se est
acabando.
Vpndem-se relogios americanos, pronrios
rara cima de meza, muito bons regulado-
ras, e por prero muito commodo, para che-
garem aos pob es : na rua do Trapixe n.
8, e na rua das Agoasvprdes n. 62.
- Vende-se urna crioula de 20 a 22 annos
de idade, engoma^ cosinha, lava, e cose,
em vicios e nem achaques, por prego com-
modo ; o motivo de veuder-se dir-se-ha ao
comprador : na rua Nova sobrado de ua>
andar n. 51 junto igreja da ConceigSo.
Vende-se um relogio sabonete doura-
do, hom regulador, por 30:000 rs., na rua
deS. Francisco uu Mundo Novo n. 30.
Attenco.
Vende-se na loja nova na rua do Cres-
po de J. L. de B. Taburda gilas com pes-
cocinho, por menos prego de que em ou-
lra qualquer parte, e para desengao dos
compradores venham ver chitas francezas
a 300 e 320 rs. o covado.
Vende-se cobre em folha para forro,
em casa de James Crablree & C na rua da
Cruz.
Vende-se a verdadeira graisa n. 97 em
casa de James Crablree & C. na rua da
Cruz.
Lotera de N. S. do Livramento.
Na botica da rua do Rosario Larga n.
42, vende-se bilhetes inteiros, e meios, cu-
jas rodas andSo no dia 28 de fevereiro.
Lotera de L. S. do Livramento.
Na botica da rua do Rosario Estreita n.
10, vendem-se bilhetes inteiros, e meios,
mais baratos que em outra qualquer par-
te, cujas rodas andSo no da 28 de feve-
reiro.
Lotera de N. S. do Livramento.
Na loja de fazendas debaixo do arco
da Conceigo n. 6, vendem-se bilhetes in-
teiros, e meios, cujas rodas andSo no dia
28 de fevereiro.
Vende-se urna rica tualba de lavarinto
na rua do Cabuga loja n. 9.
-- Vende-se junco o mais su-
perior que aqui tem viudo, por
preco commodo e tambem tem
mais inferior a 260 rs. a libra : na
rua Nova, armazem de traste i do
l'into defonle da rua de Santo
Amaro.
M^miSMIltltMt aB'ffi'MI^IiMtiglVti
Especifico para febresin- 9
tei unientes, ou sezdes: na V
? rua Nova n. 58, primeiro |
|; andar. iy
wa r ^mmmmm wmwwmmmm'a
Vendem-se mantelleles de'fil borda-
dos a dez mil ris, e de nobreza lisa a
quinze mil ris : na loja de seis portas em
fenle do Livramento.
Mulla branca.
Vende-se urna mulla, nica destacr, sin-
gular, que Vtiu com outras nltimamente de
Minas, a qual he muito mansa e j esta en-
sillada para carro i para ver e tratar, no Ho-
tel Commercio, com o Sr. .atolo Augus-
to Maciel.
- Vendo-se um lindo escravo oplimo co-
zinheiro : ua rua de Santa Rila, subrado n.
14, se dir quem vende.
Vendeuj-se saccas com feijSo molati-
nhoe rajado, com principio de turado, pelo
diminutu prego de 2,560 rs. cada saca, oito
patacas nSo ha cousa mais barata : na rua
da Santa Cruz esquina que volta para a rua
da Alegra n. 75.
-- Vende-se, no Aterro da Boa Vista, lo-
ja n. 54, um rico seistaute.
-- Vendem-se chai eos de palbinha finos :
na loja de Fraoctsco Garca Chaves, na rua
do Cabuga.
Jarras linas.
Vendem-se jarras, moringues, quarti-
nhas, resfriaderas, garrafas brancas para
resfriar agoa, louea vidrada, como seja al.
guidares, panellas, escarolas com cabos,
balaios para ensinar meninos a andar, ditos
para costura e ditos rom lampa para com-
pras : na rua da Cadeia do Recite n 8.
Na loja nova, na rua do Crespo n. 10, de
J. L. de B. Taborda,
vendem-se gol las com pescociuhos, por me-
nos prego do que em oulra qualquer parle,
e para desengao dos compradores "venharn
ver ; assim como chitas francezas, a 300 e
320 rs. o covado.
Vendem-se bilhetes da lole-
ria do Livramento: as Cinco
l'ontis n. i3g.
Vende-se urna escrava cozinheira, sa-
dia e sem vicios, o que se a (langa, assim co-
mo quatro vidragas para loja de miudezas
ou de apatefro 1 tudo em conta : na rua lar-
ga do Rozario, loja n. 35.
Vende-se panno para buhar,
de superior qualidade : na rua do
i'asscio Publico n. 19,
Vende-se um bonito sitio bem planta-
do, com bonita casa toda envidragada e com
um jardim de pedra e cal em frente da mes-
ma : quemo pretender, dirja-se ao mesmo
silio, na estrada nova da Soledade para o
Manguinho, chamada Estrada Real, que la
achara com quem tratar.
I III MI -I II 1
Escravos fgidos.
Acba-se fgido desde o dia 6 de Ja-
neiro do corrente anno, o escravo Gabriel,
de nagSo Benguella, de i la.le 30 annos,
pouco mais ou menos, estatura regular,
preto, cabega axalada, odos vermelhos por
pffeito da caxassa, pois he bebado, bastan-
te ladino, denotando milita viveza, e he
muito contador de petas, e por isso se co-
nfiere fcilmente lallando-se com elle, he
cozinheiro, barbeiro e pe Ireirn, fui escravo
do capitSo lente Francisco Xavier de Al-
cntara fcommandanle da cuverla anua-
ria), e vendlo pelo capitSo tenente Amo-
nio Carlos de Figueira Figueiredo (com-
mandanledo Caliope), ao majur Antonio da
Silva CusmSo, hoja seu legitimo senhor
oupm o pegar leve-o ao referido mejor
CusmSo, no Atierro dos Afogados, que pa-
gar generosamente, e mesmo a qui m der
delle noticia.
Desappareceu na nnite do dia 6 do
corrente urna escrava par la de nome l.uiz ,
idade pouco mais ou menos 30 annos, ro-
bellos enrredissos, pnrem corlados, rosto
redondo, barritada que parece estar poja-
da, iiinns bastantes feias e algumas unhas
muito negras que parecem ter sido pisadas,
os 1 es muito esparralhados o feioi e algu-
ma rousa irregular, levuti alm da roupa
vestid, um sacco ou trouxa, dous flus de
contas brancas ao pescogo, assim como um
rozario tambem bruen, chales de chita
asul ja desliota>f, usa de camisa de cabe-
5S0: quem a aprehender e- leva-la na
rua do Queimado, loja n. 9, sera recom-
pensado generosamente.
No dia 27 de Janeiro fugiram do enge-
nho Raixa Verde, Fortunato elgnacia, casa-
dos, escravos de Antonio Lourengo Tavaies
de Albuquerque, lavrador do mesmo enge-
nho ; o escravo tem 22 annos de idade, sec-
co do corpo, beigos grandes, canellas com-
prlas ; (em duas fstulas no queixo infe-
rior, sendo urna de cada lado ; e a escrava
he alia, secca do corpo, pea e mSos grandes,
ossuda, nariz muilo chato e bastante feia
de cara ; tem as costas marcas de chicle
j um tanto velhas; he de supi urque este-
jam nesta praga ditos escravos, por isso
que o escravo ja ah esteve fgido oito me-
zes : roga-seas autoridades policiaes e ca-
pitSes de campo os apprehcndam e levem-
os rua do Livramento n. 14, a Francisco
Cavalcanle de Albuqueique, ou ao mencio-
nado engenho Raixa Verde, ao proprio do-
no, que sariio recompensadas.
Desappareceu, no dia 7 do'corrente,
urna preta de nome Hollina, de nagSo Cos-
ta, alta secca, nariz chato, cor fula e tainos
no rosto ; levou vestido prelo o argolas de
ou'o coberlos de retro/, preto. Esta escrava
foi do Sr. Antonio Muniz Ferreira : quem a
pegar, leve-a ao Aterro da Roa Vista n 10,
que sera recompensado de seu trabalho.
Desappareceu, no da 30 de Janeiro
prximo passado, urna preta da Cosa, de
nome Ama Rila, nueandava vendendo do-
ce do cabla em chicaras e piles dentro de
um caixSo ; he moga, baixi, cor fula ; levou
panno da Costa de listras e saia de chita
com babad.o<, ja usada ; tem calombos pe-
las costas, signaos de sua trra : quem a pe-
gar, conduza-a rua da Cruz do Recife D.
37, que sor gratificado.
-'" -. --- -^fiilgB
0 mulalinho Agostinho
fgido.
Na noite de 11 para 11 do
passado ausentou-sc o es- !
cravo Agostinho, pardo a- 3
caboclado, cabellos pelos e
lisos, ps grandes com os de- 2
dos grandes grossos e camba-
dos para dentre ; he filho do
serian, muilo iallador e fio- k
ta: roga-se as autoridades g
policiacs, capitSes de eam- 4
po, assim como a toda e '
qnalquer pessoa que o en-
contrar, de prende-lo e con-
duz-lo a sen senhor Ben-
to Jos Tavcia, na rua da
% Cruz n. 30, que nao s paga-
% r todas as despezas, como
I* offerece urna generosa re- 2
jg compensa a quem o trouxer. \
^mmxmmmmwm-.wmmmwmmm
Fugio no dia 24 do correte do enge-
nho Tapera, sito na freguezia de JaboatSo,
o escravo de nome Joa, de nagSo Mago,
cujo sinaes caractersticos sSo os spguinles:
corpo e altura regulares, olhos salientes e
vivos, sem barba, com falla de denles, ros-
to talhado, |s giosos, representa ter de
idade 30 anuos, he muito ladino; a vista
do exposto rerommenda-se aus capitSes de
campo a captura do dito escravo, pelo que
serflo generosamente gratificados.
Priv. maTvi.i>p M.F.nn Parta-
J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUAAHQXZR_UJLHH0 INGEST_TIME 2013-04-13T01:32:43Z PACKAGE AA00011611_06320
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES