Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06318


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXXVIl
Segunda-feiral
PARTIDAS DOS COBBIIOS.
Qolanna c Parahiba, 9 segundas c sextas fe iras.
n.|o-Grandc-do-Norlc, todas as quintas feiras ao
. meio-dla.
Icaranhuns e nonito, a 8 e 23.
|Hoa-Vsta e Flores, a 13 e 28.
[Victoria, s quintas feiras.
Irjlinda, todos os dia.
ZFHINIHlDIl,
Nova, a 1, ai 3 h. e42 m. da m.
Gresca 9, s8 h. e 38 in. dam,
Cheia. a 16, a. I h. e 9m.d.n.
Mine;, a 22, 7 h. e 19, in. da t.
raBAMAH SI HOJE.
Priineira i 0 boras e 30 minutos da tarde.
Segunda s 0 boras e 54 minutos da minha.
de Fevereirode 1851.
N. 33.
PBEOO DA VBIOHIDQAO.
Por tre meses /adiantados) 4/000
Por seis metes t25K
Porumanno 'w0*'
DIAI DA IIBiA.
10 Seg. S. Escolstica Aud. do J. dos cf. e m. da 1
11 Tero. S. Lzaro. Aud. da Chatio, di, J. da se-
gunda rara do o. e dos feito da fizenda.
12 guar. S. Eulalia. Aud. do i. da 2. vara.
13 yulnt. Greogurio. Aud. do J. dos orf. edo m.
da primeira vara. .... ,
M Seat. S. Valentn. Aud. do J. da 1. v. do civel,
e dos feilos d (atend.
15 Sab. S. Faustino e Jovita. Aud. da Ch. e do J.
da 2. varadu civel.
; 16 Uom. da Septuagsima. S. Porfirio^
CAMBIO 1>B TBtaO.
Sobre Londrea. a 30 .1. P. t/UOO rs.60 dias.
Paris, 320 por fr.
Lisboa, 85 a 90
Ouro. ncas hespanholas .....
Muertas de 6#<00 velha.
. de 6/100 novas .
. de4#0OO.......
Prata.Patace braaileiro..
Pesu* colunioarioi.....
28/000 a
lb/000 a
16/000 a
9/..00 a
1/M20 a
J/20 a
Ditos mexicanos........ I/0'*' *
16J2U0
1S200
y/ioo
1/1)40
1/140
1/7
Segunda as 0 horas e M minutos aa maniiaa. (r.. mw 16 Uom. da Septuagsima. S. Porfirio.__________Wg i ___L-'TM" "~
Tiari o m p m \ i.ijml
PARTE FFCUL.
MINISTERIO DA. JUSTIGA.
decreto X. 737 oe 25 de sovrmbbo de 1850.
Determina a ordem do jitizonoprocesiocom-
mereial.
( Vide n Diario n. 32.)
. CAPITULO III.
, Da avaliafp.
Art. 532. Accusada a penhofa, e deeorr-
dos os seis dias scm embargos, proceder-se-
na avalUcto.
A t. 633 AavaHacBo ser feita pelos ava-
liadores que o tribunal do commercio deve
noroear annualmente.
Art. 531 Na falla, impedimento ou sus-
pcnsSo dos avaliadores commerciaes, ou
nos casos em que. o cdigo determinar o
arbitramento, lera lugar a lomado das
parir* corno dispOe o capitulo XII titulo II
parle I.
Ait. 535. Oppondo-se susppicfto aos ava-
liadores commerciaes, ser decidida confor-
me os arts. 195 196
Art. 536. Nao sa repele a avuliacilo, sal-
vo t
S 1. Provando-se ignorancia ou dolo
dos avaliadores comrnerciaes :
2. Se se descohjir entre o tempo da ava-
liac.no earremntaQSo algum ouu* ou defeito
na cnusa avallada, dos quaes at entilo se
nSo sabia.
Art. 537. Na vahaco da propriedade se
devem comprehender os seus perlences, e
partes integrantes.
CAPITULO IV.
Dot editaes e pregOes.
Art. 538. Feita a avaliacSo se passarSo
edilaes, os quaes serito alUsados na preca
do commercio, ecasa das audiencias, e im-
piessos em os jornaes uo dia da allixaco e
da arrematado.
As despezas da impressSo se coroprehen-
derBo as cusas-,
Art. 539. Os editaes devem conter :
1.0 preco da avalia;1o ;
2. A qualidadn dos bens.'e as suas con-
frontarse* sendo de raz ;
S 3. O dia da arrematar/So.
Art. 540. Entre a fix.cSo dos editaes e
arrematarlo devem mediar dez dias se os
bens forem movis, e vinte, se forera de
raz, indepeadeulemeute de pregOes.
Art. 511. Convindo ao elecutado e par-
tes interessadas, e havendo especial ortorga
da roulher em bens de raiz, pode a rrrema-
tacao ser feita sem o espado exigido ao ar-
tigo antecedente.
Arl. 642. A arrematado de navios, alm
do edilal ser publicada por tres annuri-
cios insertos como inlervallo deoito oas
nos Jornaes do lugar, que habitualmente
publicarem annuncios, e nilo os havendo
nos do lugar tnais visinbo ( artigo 478 do c-
digo. }
Art. 543. A arrematacSo deve ter lugar
impreterivelmente no dia annunciado ; ae
poralgum motivo ponderoso n5o fr possi-
vel nesse dia, ser transferida annuncian-
do-se por editaes. e pela imprensa a trans-
ferencia e o dia nova mente designado.
Ait. 544. Se por sobrevir a noile nao for
concluida a arremaiaco no mesmo dia,
continuar no dia seguinte, sendo indis-
jensavel oedital como determina o artigo
anteco lente, se licar para outro dia que nao
ejH oseguinte.
Art. 545 Sarao suspensos por um mez,
ou multados de 50 a 100,000 rs. conforme a
culpa, o depositario, rscrivSo, ou poiteiro,
que cnncorrerem para a transferencia d
arreniat?8o, nflo comparecendo ou nfio
avisando opportuiumenlo o seu impedi-
mento. ,
Arl. 546. He licito oSo so ao executado
mais tambem ua mulber, ascendentes o
descendentes remir ou dar lancador a todos
ou a algum dos bens penhorados ate a as-
signatura do auto da arrematadlo ou publi-
cacao da sentenca de adjudicarlo, sem que
si-ja necessana ciLcSo do execulado para
dar lancador.
A'l. 5i7. Sea penhora fr em dinheiro,
se aflixarao editaes marcando o prazo de dez
das aos credore* incerlos para poderem rr-
querer a sua preferencia : se nao compare-
cerero os credores incerlos chamados pelo
referidos edilaes, ou os credores cerlos ci-
tados pessoalmeute, passar-se-ba mandado
de levaulaoieul ao exequente.
(Conttnuar-se-ha. }
acfia-se presentemente ancora* .clara*,* de frente ao ^J^&jg;
noportodestacid.de. gara er combatido, derro e.lo. erroi.iB.do
Dito. -- a pagadora militar, para qne vista em seu* ltimos inlnncneiramenios. as.
das relaces e pret que remette, mande pag"
ao altere, da giia/ nio Kranciaco Machado e atello a qUantia de rmi(Uve| e flt| nimigo-do christi.nis-
225.240 rs., sendo00.240 rs de despe.as feita, humilde entender, he a prin-
cn.n pito recruta. vlndos o* aquella comarca e J HOln ossn luui ^,
135.000 r,. dos vencimentos dU pracas da mes- c.pal causa a Mtada "*fij^jj*
ma guarda nacional, que escollaran, o. refer- vra de Deos.ou rtM.;'''U^P'"*":,,e
dosrccrutas. vangelica por aq relies quem incumb ,
DU..,--Aouinio. para, mandar adlantarao peJis |eis da Igreja hrttljr ineesssnt--
dlrector do arsul de gneTT a qtiamla de inent0 .o aovo, no to-lna na 186 240 rs. para o assema.nruiu do guiouasie n(jg n0J djas Sant0ge Domingos para o rles-
d'aquellear.enal. Communicouaeao mesmo oerlar ^esse lethsrgo ou lorpor, em que o
"LC':. Ao mesmo. remet.endo a, conla em a J...r JgfjJ^gZ3!!&
tsnSSSF^iSV^mZa: TSAiSSA. Hpor'f cabido
em1r,um. M to%nSari\o arsenal de entre abrolhos. pedral ou esp.nhos Wrre
inariohanomeidejauairoulUmo.allindeque jem fiirQa. e infecunda vive por falta de
mande pagar as petsoas que as^ignaram as re- tl()n cuHores, que a desempecem de>\s
ferldas comas a quanila de 193,780 rs. em que Qbstaoutoa. que a privam de SUS preciosa
ellaalinportam. -Intelllgenciou-se ao luapeu- veKeUc0i
tor do arsenal de marlnha. rnulnl..| Se e>Bo he assini digam-nos. porque ra-
de ra. para a obra do 18." lanco da estrada da xlgumas virtudes, e que animado do verJa-
Victoria e o resto para a do 24.* lanco da mes
ma estrada, eonfonne requisita o director da-
obras publicas. Scienllflcou-se ao mesmo
director.
Dito. Ao subdelegado da freguetla do Bre-
io, dizendoque pelo arsenal de guerra nao po-
dem ser fornecidas s quarehta granadeiras e
os dous mil canutos que requisita para o ser-
vico da polica, sem a competente Indcmnlsa-
9o, e que a presidencia nao cata amortada
para fazer semelhanle despeza^
Purtaria. Mandando uar plssagem para a
corte no vapor Thetei a Josefa Maria da Concel-
cao, lia de Jos Albino, soldado do quarlo ba-
talhlo de cacadore8.
Dita. Mandando dar passagem para o Rio
Grande do norte no prlmeiro vapor que passar
do sul ao prlmeiro cadete desertor da cumpa-
nhia fita de cacadores daqucfla provincia Jos
Pereira de Atevedo, que dever ser alli entre-
gue ao respectivo presidente. Expediram-se
ueste sentido as convenientes ordens.
IIH'.M DUUU 6.
Oucio. Ao coinniando das armas, para
que d'ainanhaa em dianle as seis horas da tarde
seja postada em frente da igreija de Ssnto-\-
maro a disposiciio do subdelega Jo da fregue-
zlada boa-Vista urna guarda de seis pracas e
um cab3, afm de evitar queapparecain distur-
bios durante o tempo da uurena que alli se
tem de fazer.
Dito. Ao mesmo, para fazer marchar no
da 8 do correle para apovoacode Keberibe
urna guarda de 15 a '0 pracas a qual dever
alli per-nanecer at o dia 9, ciu que ter lugar
a festa de Nossa Seuhora da Conceicfio, am
de evitar-se alguns disturbios que possain ap-
pareccr. -- Intelligenclou te ao delegado do
termo deOlinda.
Dito. A thesouraria de fazenda, transmit-
li'nili o aviso de urna lettra na importancia de
300,000 rs. sacada pela thesouraria do Kio Gran-
de do norte sobre a desla e a favor de Francis-
co Jut llarbosa. Parllcipou-se aa Exm. pre-
sidente daquella provincia.
Dito.-- A mesiiia. para que de conformida-
de coi" a sua ioforiuaco e sob a responsabili-
dade da presidencia nos termos do decreto de
7 d maio de 1842, mande suprir o arsenal de
marlnha com a quanlia de 394,150 rs. para cun-
linuafao do pagamento das despezas fritas em
o mez 'le Janeiro ultimo com as verbas pharol,
corpo d'annada e barca de soccorro, visto-ser
insumciente a quota designada para taes des-
pezas. Neste sentido fizeram-se as necesa-
rias comnWaicacdes.
Dito. A pagadoria militar, transmiltindo
as contas em duplcala (segunda via) das des-
pezas feitas com os recruus vindos do Bonito,
alan de que estando conforme, mande pagar
a Joaquim Cordelro de Resende Reg a quautia
de 181,920 rs. em que impurlaui as referidas
comas.
Dilo. Ao director do arsenal de guerra,
autorlsando-o a despender aquantia de 165,000
rs. com a compra da bandeira imperial de seda
eseus pertences da que precisa o segundo ba-
talhao de arlilharia a p, como se vi d-> pedido
ie devolve.__toinmunicou-se a pagadoria
provincia das lagoas o prlmeiro Julz de paz,
como declara em seu offlcio de 3 o crreme.
Com tu u meado.
profundo Sr. Bsstos em aeus sabios dis-
jrso religiosos ) o agente ro.is poderoso
eflicaz para desiruiQSoe aniquilndolo do
ristianismo ; porque he um inimigo, que
sem se deixar ver, e osleuUr-se solapa e
derrota coro mais presteza, do que a mesma
impiedade, ou atbeismo, que comb>teodo
deiri espirito evanglico, falla-lhn em no-
me de' Dos, o povo votado ao indilTerentis-
no despena, cobra vila e alent e de indo-
lente que era a respeito de seus deveres re-
ligiosos, se torna activo e diligente na pra-
lica desses raesmos deveret?
Ha um facto, he urna experiencia, que
mesmo entre nos temos por vezes registra-
do a agora mesmo o estamos observando.
Ha seguramente 50 dias que chegou a es-
ta cidade o itvm. Fr. Caet.no missio-
ii ario espuebinho, o n esmo que missionuu
em Ueberibe, Olinda, e em Iguarass, ei-
penss cmreu que elle vinba tambera missio-
nar tiesta cidade, para logo o povo co'iror-
reu de to las as partes oa comarca, e com
fervor e profundo respeilo principiou a ou
vira ralviadeDeos repetida por esse in-
cmsavol minhitro do altar, com aquella
mesma simplicidade, eclares, quese osten-
ta no evangelho e as santasescriplurss.
Maravilha ver a multidao do povo, e inda
mais sua constancia, e sobretudo sua pa-
ciencia, resignaQo e submitsBo a (o los os
preceitos, que em nome de Dos Ihe sBo im-
postas pelo pregador evanglico/ NSo ha
irabalbo por mais ru le e afanoso, que soja,
que elle nSo emprebenda! IU 50 das
que esse bom padre iraballta co.ru a palavra
e com as obras, e o numero \lo povo indi
no decresceu.e entes parece augmentar em
numero constancia e fervor. (Juam grande
he o podor de Dos : e quiio prodigiosa
he a su Pala vra I Confund-vos grandes da
Ierra .' toda vossa forca e poder nSo conse-
guira Unta devotac.no e abnegado de si
mesmo .'
N3o prelendia o Rvm. fr. Caetano esten-
der a missBo alm do tempo, em que rois-
sionou nos outros lugares j mas, commovi-
dopel. triste e mesquinh sorte das freirs
do convento d. Solo lade erecto nesta cida-
de, as qu.es habitavam n'uns casebres
de taipa Telhos arruinados ; sssen-
lou continuar a missBo para ter occasiao ,
de com ajuda e conourso do povo, elilicr
um dormitorio queservisse para no invern
as abrigar da humidade, que mais que a ex-
trema pobreza arruinava a saude dessas
piadosas mullieres companheirs couslautes
de N. S. da Soledade.
Com elTelto, IsnQou-se a primeira pedra
desse edificio consagrado a piedade; que
foi conduzda para o lugar da obra em so-
lemne procissBo, que acompanhou lodo o
povo d cida le, e grande parte do de fora.
Sobre 13o bons auspicios comecou a obra ,
em que os bomens, e niormeute as omitie-
res trabalham ha 40 das com to boa von-
lade, e en>tao grande numero, que as vezes
airapalham os pedreiros, pois cada una por-
Q. qu-rer o primeiro em apresentar o ma-
terial que se pe.de.
o afn com que todo o povo, e ale o>
militar.
Dito. -- Ao delegado do termo de Santo An-
io. declarando que segundo Infunnou o inspec ." JJ'""^" nVieariOiM eli" prsUdo psra
?SSEi2k2SlSttm agr?eniue?.Pdr.obr. anioion ao L. fr. (U-
nentu d 28 de junho ultimo, u.na con na 00 a empreheuder ina.s os re^a.os mteri es
importancia de 111.680 xt. da. despezas feitas e exteriores da l8reja, e a cousiruir 18 celas
com o forneclmeoto dos presos pobres da ca- por delraz j, Igreja, no pavimento_ terreo
lea do mencionado termo. Il0 |ug.r em que eXisliam esses c.lebres ou
Dito.--Acamara municipal do Pao-d Alho, _ur||M ue oul'ora er*ui a uuica habita-
dizendo que para se fa.er pA^MgK ,Z dessas devotas mulheres.
o supprimento que pede da quantia de 4.100/ V- ., mvn0Mti.levantou-
sJtBSrsiB^ sssk uTiSSr SS> *&*Z -
?eto hfav." e .X convm que a me.m. cruseiro de pedra.e lodaaobra nova e.U em
'cania r deuionitrc qual a somtna que ll.e falta est,do de receber COberla, O que SO effCCtU.-
m de ser sua representado levada ao conhe- ra nesies das. .....
imentoda assembla legislativa provinclal.ew N3o tenl parado s nisso a solicitude, e
ua prxima reuulao. amor yerdadeirameulepaiernaldoltvai.fr.
Dito. -- A Caetano Alve. da l/onsecs, juiz de c eS8aS boas mulheres:
,,a. da freguezla de taru.ru, dizendo que na UN P dirgu,i9, em nolll0
fSSnSiSUSiS aSEjS dTbom'padreVs'senboras dos propriel.nos
^s respectivo, eleltores, para a junta revi.or. mais opulentos da couiarca, ped.ndo-se que
le qualificaeio, visto haver-se mudado para a i0ccorraiii com alguma menaalidade a essas
pobres e virtuosas mulheres, que por ex-
trema pobreza omilos dias pasaam alimeu-
tando-se com ructos do quintal, de surte
que se diz na cidade. O convenio da so-
ledade he a morada da fome.
de sorte slguma qiiairam ao religioso m-
can*vel, que somente por amor de Dos se
sacrifica pelo bem dos christSos. Ah) se a-
coima com a mais flagrinte injustic*. ao
flvm. fr. Caetano de Bonio. de pregador rio
absolutismo e da obediencia ao re, e mais
*e diz que por sua causa morreram murta*
pe*soas em urna nscsvacSo de barro pr>
exir.hir ar*; 'cujo numere nSo ae pod*
ealcular, e que assim faz morrer, e deinhar
o povo, entretanto que elle ..
Ao ler lnt favsidede, e to revollante io-
ju*Uc. dissemos a i coronse*, heesssa
oaga. e o nico ealardao, que ueste mundo
recnlhem quelles. que segnem as pga las
de J^su < Ch-lstO Foi esse mesmo o premio
que retiraram os apostlos Calnronias, per-
seguiqOes, e.lnal morta afronto*, igual a
qu padeceu o Divino Mostr. Elle o Orsfe
ijii'j vulr po't me reir tolat tuam crucen,
et lequattfme. Esta escriplo, portento, que
es hi a parlilha do apostlo da ver.lade
Nlngnem melhor do que o Rvm. Sr. Fr. Cae
tao sabe eslas verdades: porUnto flcamm
convencidos que bem longe de seu Coracao
annvlar-se, robar a De > por seus gratuito,
detractores eredobrar em exforcos para levar
ao Ain a .anta empresa a que se propoz.
Para tanta faWMade nao correr sem contra,
dlccao, vamos diser duas palavias ao publico
sensato e jusiiceiro, e s para o publico; nao
pretendendo Instruir ao kuctor do artrgo,
por nos prohibir o proverbio da sabedoria. -
Queni Instrue ao. loucos a si mesmo se faz in-
juria.
No dia 12 de Janeiro Igumaa pessoa. cava-
vim urna barreira para Mlrahir arela para a
obrada huledadc, e como escavaccm algnma
cousa a carnada de arela sobre que assenlava
o barro, abrlo-se a barreira c drsabou, e em
seu fracasso euvolveu a dous nomeus, que
mais peno irabalhavain' concorreu multa
gente da cidade ao lugar, e .itaislioa escavaca.,
do barro que se precipilou, e vio que duas
pessoas tucruinbirain. ste a. contecimeni,i
le sangrar de dor o coraco do Rvm. Fr. Lac-
tano e de tolos os habitantes da cidade. Per-
fumamos agora que carga pode esse desastre
fazer ao mlsslo.iario, que au mandn cavar a
barreira por mella forma, e ncm eslava pre-
sente? Digamos jusiiceiro..
Quem tem ouvido a. predicas do Rvm. fr.
Caet.ao nao poder deixar de coufes3r que
elle he um dos mais intruldos capuchinhos
que Win pregado em nossa provincia ; Conres-
s ii a igualmente que nao he supersticioso e de
nanelra alguma fantico; por que todas as
suas proposites sao autorlsadas com o evan-
gelho, escriptura sagrada e santo- padres.
A. verdade. que agora proclama Ma sido
por elle mesmo proclamadas em lodo o tempo,
lugar e occasiao ; porque a verdade evangli-
ca he empre urna, e a mesma sem receber
modificicao do tempo, lugar ou occaslo. Se
recommeuda obediencia aos que na ierra go-
vernam, he parque Jess Uhristo recoinineu-
dava o me.iiio, e o mesmo recommendim os
apostlos e sanios padres, e desde uestabeleci-
menlo das sociedades civii, que as leu e os
jurisconultos positivamente recoiiimendain ;
porque sem essa obediencia a soctedade se des-
truir pelos seus fundamento.
Aobdiencia ao re no sentido do autor citado
inda nio fol pregada, e quem quizer venha ou-
vir sem prevenco.e far justica ao mais lorie e
perseverante ministro de Ueos, a quem nao
resta tempo para consagrar ao ocio; porque
todo u dia trab ilha na direrco da obra, empre-
sando quasi toda niaobaa "o confesslonano, e
a tarde administra e trabalho at com .uas
proprias man. : pregando desde as .ele horas
da noile as nove ou dez, e das cinco da uianhaa
as seis. ,. ,
O povo no definha, como diz o tal escriptor,
nem pela e.inola que he parca e conforme a
vonlade e posses, e nem pelo trab-lhoquo he
feito com gosto e dividido entre mitos que se
substituem. A misso he, como ja dlstriuoi,
das sele as nove ou dez da nuile debaixo de la-
tada, que preserva a lerr., onde se senla o po-
vo do calor du sol.
O puvo verdaderamente definha com os gas
tos das le.tas profana, do. baile., saraos c or-
gas, e cun os gastos para a satufacao das pal-
tes desordenadas, c com o luxo que leiu der-
ribado imperios.
Sr. redactor, dlgnc-se dar unt lugar em cu
jornal a essas liabas que escreve um homem,
iiie nem be eslrangeiro nem sympaihia adu-
nia llie tem, e s verdade veuha cila d'oude
vicr. ____
UMA MISSA'O NA CIDADE DKCOIANNA.
He urna verdade iocontestavel, que o in
dierenlismo religioso temavassalladotolas
as classes da sociedade, e as grandes cida-
desou capitaes elle so tem estendido quasi lelluu-,.
at a ultima escalla do povo; aasim que Assim seja'
be maravilha encontrar-se hoje ness.i par.- p0 p,ra Goi.nna um presente do cc,
gens, aqu u alli algunsclirisUos verdadei v,ja ao ltvm.fr. Caetauo. E por multo
ros: rari nantet in gurgiti vatto. tempo a palavra de Dos repercutir* no co-
ln o indilTerenlismo relgioso ( como diz racBo de lodos.que tem coacorrido a missau
lie Oinaiiiereimai"" a K1. .,,. Pnm ....Inlo da verdade.e o ndiffereutisnu.
L1BUO ll mua **"
Tanta miseria, e tanta virtude ntofsode-
ri deixar de desaliar a compaix3o do gover-
no para em seu nome pedir a assembla pro-
vincial se leoibre dessas creaturas, soccor-
rendo-as annualmente com alguma ostuolu.
o
cur
e
clu
com espirito de verdsde.e o indifjereiitismo
ser espa nca Jo desses corado :$ em que elle
liavia feito prez. ; purque loram bem dis-
pertado*.
l.emos com admir.QSo, pasmo e assombro
um artigo, no qu.l o seu autor baratea ao
Rvm. fr. CaetaiH pachas, e baldOes, qu
Publicag&o pedido.
A INSIGNE 1MNQARINA
a aa a^asa-jf^ a9aasr.<\
Se lora Wan Dick, d'l'rbino, ou Murillo,
Quizrra na trlla leu rosto pintar;
Se fia Cauova, teu corpo furuioso
lluuvera no marmu Oitoso tracar
Se lora poeta, a lyra mimosa
Smrnte teu nome liouvera cantar;
Se fra entre anjos, um anjo celeste
Na ierra buscara a il amparar I
Se fra entre llores, a 8or mais cheirosa
Uulzeia em leu selo dilosa murchar;
be fra um rubim quizera smenle,
Km o linda fruule ditosa brilbar.
Se fra qual Crease, o rico entre ricos.
Toda ea riqueza te buuverade dar;
Se lora no mumiu um re orgulhuso
Meu sceptroa leus pesquizera Linear !
Mas nao sou paeta, Wan Dick ou Canova,
Nent aoje, nem re, nem pedra a brilbar,
Nem sou tlor ebeirosa, ma.im, oh! Uaderna
Um homem que busca smente t'ain.tr.
/. D. R. C.
Recife, ti de fevereirode 1851.
Defcnrreqa hoje 10 de fevreifo.
Barca Eip'rilo Sonto mercadonas.
CONSULADO CERAL.
Hendimento do dia 8.. lsj92J
Diversas provincias...... 140,691
1:470,461
EXPORTACAO.
Detnaekos marilit Rio ile Janeiro, patacho nacin! nereida,
de 105 toneladas con luz o seguinte i 917
saceos com 4.7S errabas de as-ucur. 200
barricas farinha .le trigo. 5 saccoi com 2
*rrob
solieras !a mu-Urda, 58 m'0>n
II I 'Hl-'.l *'
esleirs de carnauba, 70 ditos couros de ca-
bra, 4 c.ixOes coro calgado.
Valparaizo, brisrue dinamsrquez Imma-
nuet, de 278 toneladas : condnz o seguiole :
:l,300 saceos com 16,500 airobas de s-
sucar.
Ilahia, sumaca nacional Carlota, de 64
t|4 toneladas : ennduz o seguinte : 850 l.ar-
rcas bac-lhso, 2 ditss enxadas, 100 Isqss
vimes, 468 barras, 3 cixas com 150 resmas
papel de machina, 6 caixas ccvadinha, 10
harria presuntos, 200 qurnlaes ferro da Sue-
cia, 24 pipas vinto titilo, 43 1 \i sacc sement de carrapato. 39 ditas cerade csr-
nauba, 1 anco-ea sgo'ardente di caima, 60
caixas vellas de carnauba, 28 barris e urna
quartola azeite ile carrapato, 4 caixas rap.
Rio Grande do Sul, brigue nacional Ma-
ranna, de 238 toneladas : ron luz o seguin-
te : 1,630 barricas com 11,531 arrobas e26
libras de asquear, 114 bairis doce de calda,
15 latas dito de jalea e 8">0 cocos coro case i '
Ido de Janeiro, brigue nacional Galante
Mara, le 149 toii-ladas : conduz o sogtlin-
le : 1,600 suecos, 30 bar cas e 2 meias di-
ts 00O 8.229 arrobas n 2s libras de assucar,
1,750 meios de sola, 5 c ixas vellas d* c >r-
o.ha o 5 c.ixS -scom 80 bocei.s de doce.
Liverpool pela l'arahiba, brigue inglez
Ftint, de 407 toneladas con luz o seguin-
te : 1,400s sucar e 250saccascom 1,367 arrobas e9 li-
bras de algodito.
RLCEBEDOKIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS, v
Rendimeoto do dia 8......278,258
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmento do dia 8 ._ 979,715
PRACV DO nECIPK. 8 DE rt-VEREIRO DE
1801, AS SHORAS DA TARDE.
Rtviit i irmnnal.
Cambios- Flzeraaise pequeo, saques a
3 i li I d. por 1,01)0 rs.. e ltima-
mente nao ba sacadores a mais
de30d.
Assucar As entradas tem sido avultadas,
c os precos tem declinado, o
branco de 1,700 a 8,200 rs. pnr
arroba, e o mascavado de 1,450
a 1,500 rs.
Algodao- ~ Fiilraram 710 saccasque se ven-
derain de 6 600 a 6.800 rs. por
arrobada de primeira sortee de
(.DO a ti.'ni" rs a de segunda.
Couros hem que nu baja deposito, com
tudo leram pouco procurados ao
preco de 17 1/2 rs. por libra du
salgados.
Iiacalh.tr> O mercado foi suprldo com um
i.iri examen lo inclusive o qual,
o rxislcnte monta a 6,000 barri-
cas; lendo-se retalhado de 9,600
a 10,500 ra. por barrica
Barr. vallas Venderain-ee de 800 a 900 rs. ca-
da urna.
Carnc-aecca- Babletn apenas 5,000 arrobas de
Puenos-Ayes. tendo-se vendido
tle 1,609 a 2,400 rs. por arroba.
Nao ha da do Rio Grande do sul.
Chumbo- Vendeu se a 13 000 rs. por quin-
tal cni barra, e de 11,500 a .6.000
r. do de municao.
Far.de trigo- Os prefos continuaran de 12 a fv
17,500 rs. por barrica. ^*C)
Dita de mand Kniruu umearregameuto de San-
ta Calhariua; e o mercado est
siificieolemente suprido, tendo-
se vendido de 1.600 a 1,800 rs.
por sacca a realho.
Plvora-------Vendeu-sc de 280 a 300 rs. por
libra da ingleza.
Sabao- dem de lOOa 105 ra. por libra
do nacional.
Flcaram no porto 45 einbarcaces: sendo 1
austraca, I americana, 20 brasileira, 1 france-
za. 1 hesnaobola, 9 iaglezas, 5 portuguezas, 5
suecas ez sarda.
tOmMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimento do di* 9,,.. -.,.... 5:850,283
Movuneiilo do poilu.
Navio entrado no dia 8.
New-London 32 mezes a posea da hsleia,
galera americana General Scolt, de 365 to-
neladas, capil3o G. C. Ilirris, equipagem
20, carga azeite; ao capilSo. Veio re-
frescar e segu para o mesmo porto.
Navios lahidos no mesmo dia.
Rio Grande do Sul Patacho nacional Dou*
de Agosto, mostr Antonio Monleiro de Al-
iiiei i.i, carga assucar.
Ntw-York--Galera americana Spleudti,
capitao l'o.rson, carga a mesma que
Irouxe
Nevv-Redford -Galera americana Dart-
vtouih, capitn A. W. Poaison, carga a
mesma que irouxe.
Obttrvacao.
Fundeou no LameirSo um brigue austra-
co, que nao leve comoiunicacSo com Ierra.
Navios entrados no dia 9.
Liverpool e Kalnioutb, 86 das e do ultimo por-
to 46, brigue austraco Abdil-Kader, de 200
toneladas, capitao Antonio Demartini, cqui-
pagein 7, carga carvao; a Me. C'alinont: 0-
tle brlgux fol o que bouteui fuudlou no
Lamciro.
nuenos-Ayres,34dias, barca austraca llelinka,
de 25 iunelada.,c.pilo Antonlu Guiruricba,
equipagem I i ; a O bieber Si C.
navios sahidus no mesmo dia.
Liverpool pela Paralaba Brigue inglez Ftint,
capitao I. C. Wrigbt.carga assucar e algodo.
MUTILADO


a*l
_
Rlo-ile-laneiro Patacho nacional Kereide, ca-
pitao M nuc Jos de Sena Munu.. carga as-
sncar e l ii mil i de t'lgo.
Porlo-Alpgre Patacho nacional Liria, capito
Anlon'o Jos de Lernns, carga asquear.
"Valparaizo Ri-ignc dlnainarqiiei Immanuel,
capito I. C. Ilpsne. crga nsaucar. Passa-
geiro sueco, Frans Throdorc Eison.
Rio-de Janeiro F.sciina nacional iatmti Jila
ria, espitan Jone alendes de Soma, carga as-
sucarcsolla. Paageiros brasllcirns, Janua-
rlo AlPiandrino Caneca, Francisco Villela de
Cauro TmrM e Antonio Villela de Castro la-
vares.
EDITA US.
Olllm. Sr. inspector da Ihesouraria d
l'iyi'inla provincial, em cumprimento ti" or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia d
2S do corrente. man nos das 18. 19 e 20 de levereiro prximo
vindouro ir a praga perante o tribunal ad-
ministrativo da niesma Ihesouraria, por ser
arrematado a quem por menos flzer um
lanco de atierro da obra da asa de deten-
(3o, avaliada em 4:610.000 rs. e sb as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As_ ppssoas que se propozerem a esta arre-
macaocoinparecain na sala das sessdVs do ines-
mii tribunal nos dias cima tnpncionauos, pelo
meio-dia, oomnetentemente habilitadas na for-
ma do artigo 24 do regnlanienlo de 7 de uiaio
do protiimi paisado atino.
T. para consta, u mandou afiar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihesouraria da fazenda provin
clal de Pernaiubuco, 29 de Janeiro de 1K5I.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciacdo.
Clauiulat etpeeiaet da arrtmataco:
1 O arrematante ser ubngado alterar
todo o espago do terreno, rotnprehendido
enlre o rato do sul e o do centro i'a casa de
detengSo, mas o espaco em frente a cxlre-
midaiie do raio do sul, e o caix3o do rai
do centro, formando au todo urna superlicie
de 922 brajas qua Iradas, pp|o prego de rs.
4610,000, na rasSo de 5,000 rs. a braga
quadrada.
2." Este atierro ser elevado ao nivel 7
palmos cima do esleto existente no cen-
tro do edificio, no ponto em que se cruza m
oseixos dos raios das pnses.
3.' NSo poder o arrematante abrir cam-
bo* alguma em distancia menor de cem
palmos dos altcerces, e ser obriza lo a t-
terrar primeiramenle aquellos lugares (cu-
tio do espaco do contrato) que determinar
o engpnheiro encarregado da obra.
4* EMe atierro lea principio no espago
de 15 dias e spr concluido no de 6 mezes,
a contar da data da ;u r -n.ataeao.
5.' O importe desta arremalagSo ser pa
go em quatro prestaras iguaes; a primei
ra quando o engenli iro reconhecer estai
feila a quarta patle do atierro ; a segunda
quando estiver feila a metade ; a lerceira
quan lo esttver feito os tres quartos do at-
ierro e quarta quando esttver iiiteiramente
concluido.
6.a Para tudo mais que nao estiver de
clarado as presentes clausulas seguir-s-
ha o que dispfie o regulampnto das obras
publicas de 7 de maio de 1850.
I eiias e approvadas as presentes clausu-
las pela directora em cotiselho em sessSo
de27 ile Janeiro de 1851. Mnmede Alves Ferreira. H. A. Millet. -
iodo Luiz Vctor l.ieuthter, Aiiprovo. Pa-
lacio do governo de Peritambuco, 28 ile Ja-
neiro de 1851. -- Sonto Ramos. Conforme
O oHicial-tnaior, iniiquim l'ire Machado l'or-
tella Conforme. -- O secretario, Antonio
Ferreira do Annunciacdo.
O lllm. Sr. inspector da ihesouraria de fa-
zenda provincial, em cuinpriineiilo da ordem
do Eim. Sr. presidente da provincia de 30 du
correute manda fazer publico, que nos dias II,
12 e '13 de feveretro prximo vindouro vai a
praca perante o tribunal administrativo da
mesilla thesnurari., para ser arrematado a
quem por menos fizer so conerrtos da ponte do
Anjosodre o Rm Seriheui avahada em 939,400
rs. e sb as clausulas especiaos abaixo decla-
radas.
As pessoas que se propuzerem a esta ar-
ramalg3o. comparegarn na sala das ses-
gues do mesmo tribunal nos das cima
mencionarlos pelo moio di, compel-tite-
i) nip habilita los na forma do art. 24 ui
rcgulamento de 7 do maio do prximo pas
Sido atino.
E para constar se mandou allixar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da ihesouraria da layen la pro-
vincial de llernambuco, 31 de Janeiro de
1851. O secretario,
Antonio Ferreira da Annunciacdo.
Clausulas especiaes da arremataedo.
1.' As obras depedent s desta arremata-
crio, serSo feitas de cutiformidade com o
organismo, apresentado nesta data ao Exm.
Sr. presidnte desta provincia pelo prego
de 939.400 rs.
2.* O arrematante eomegar as obras no
praso de um mez contato da dala da parli-
cpagSo que Ihe fr feila da .approvagSo da
arrematagSo pelo governo ; e as concluir
no de quairo mezes, ambos contados da
lupsma participagSo.
3." A importancia d'arretnatagSo sor pa-
ga em duas prestagSes iguaes ; a pria.eira
depois de ter frit metade da obra, e a se-
gunda demos de lavru lo o termo do recebi-
mrnto ilelinmivo.
4." Para tudo o mais que nao esl determi-
nado as presentes clausulas seguir-se-ha in-
tegramente o que dispeo regulamcolo das ar-
mataedes de 7 de maio de 1850.
Ponte dos Carvalhos, 28 de setembro de
1850.
O engenheiro chefe da 4.' da se.-co,
Fturiuno izir Portier.
Approvado pela directora em conselho no
da 14 de nulubro d" 1850 O director J. .)/.
Alvet Ferrreira. J. L. Vctor l.ievter II.
A. tttltt. Flonano liesiti Portier. Appro-
vo. Palacio do governo de Pernambuco,
15 de oultibro de 1850. Sauza Ramos
Conforme -O oflici.l-maior, Manoel Ce-
mollino Carnetro da Cunha.
ODr. Angelo Henriques da Silva, supplente
em ejercicio do juizo de orphSos e au-
mentes nesta cidade do Recife e seu termo,
por S. M. I. e C que lieos guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital v-
rem, que tendo fallecido JoSo Antonio dos
Prazeres, subdito Brasileiro, natural desta
provincia, conlramestre do biigue portti-
guc/ LeOo, no dia2de dezemluo de 18(9,
em vn je ni dpQuill imane para Mogambique,
e sido lemeltido para esta provincia pelo
coti-sul gerai do Btasil em Lisboa, o espolio
daquHle finado, que fui postu a minha dis-
posigSo por ofllcio do Exm. presidente da
provincia de 3 do crreme mez, sSo por o
presente chamados todos aquellos que di-
mito tivprp.ni an referido esoolio, pra vi-
"o ii-ilnhiar-s" na for-na ta bu, no praso
le 60 dias, contados da data de*te ; avism-
1n-sea todos os parentes. amigos, e conhe-
ci los dos nteresadus, para quo Ibes prti-
cipe do ponto nlo no presento e lilal.que ser
mililipiil) pela Impranaa, e aflisado no lu-
gar mais nuhlico desta n la le. Dtdo e pas-
cado nesla pidade do R-cife de Pernambu-
co, em 4 de Favereirn de 18JI. EQ Galdi-
no Temistocles Cibral de Vascnncellns, es-
crevi. Ang'lo Henriques da Silva.
M
Declarado*1.
i ion vii|.-i--ie a todos os individuos li-
vres |i]ue se queiram empregar como ser-
vente as obras do melhoramento do porto,
a sa entnderem com o inspector do arsn-
nenal do marinh*, o qusl na conformidade
das ordens do Exm. presidente de provin
cia, lhes garante a inzeneflo do recruts-
menio. Tatnbem se admittetn escravos em
falta dn serventes livres, em taes obraa, pi-
cando se a ostes, como aquellos o jornal Jo
640 ris diarios.
Inspergao do arsenal de marinha de Per-
nambuco, 8 de feveiro de 1851.Rodrigo
Theodoro de Fre tas, insqector.
- -1) e-envao do juizo municipal da pri-
meirs vara mora na ra do II irlas n. 112.
(intuitos ilt-t! iein- c quaricii'ps
:. >r> a ".. i. ^..i lo Iteclfe, (|ii;ic- i- tiiit- a que,
el les porte ii o -ni, e qnaes <>- no
mes ilos i iiMii'ft hits
PIIIMtlHO DISTKICTO.
l. qoirtairln, inspector Mi noel Gongal-
vos Agr.Comprehendd, o campo de pala-
cio do governo, ra da C tdea, benco do
thealro, ra atrs do mesmo, e hecco da
Ouvidor.
2.* quarteirSo, inspector Luiz Gongalves
\gra Jnior.Ra do Crespo at o arco de
S*nlo Antooio.
3 quarteirSo, inspector Francisco Pa-
checo Soares.-Rua das Cruzes e becco da
Pol.
4." quarteirSo, 1,'iiz Jos Rodrigues de
Souza.Ra do Queimado at os quatro
cantos e becco do Petxe Frito.
5 quarteirSo, inspector Jos da Costa
Honrado.Ra do Cullegio e caes do mesmo.
6. quarteirSo, inspector .i.oio Luiz dos
Santos.Ra do Rozarlo estteita, princi-
piando dos quatro cantos.
7." quarteirSo, inspector Luiz Manoel Ro-
drigues Valleni;a -i; ni do li i/ano larga,
at o quartel de polica e praga da lude-
pendencia.
8. quarteirSo, inspector Antonio da Sil-
va Bastos Cimente!.Rita do Cabug, oilSo
.la matriz e becco tapado.
9."quaiteir3o, inspector Sitiro Serfico
da Silva.Ra das Laraogeiras.
10 quarteirSo, inspector Leocadio Jos
de Figueiredo.Ra das Trinxeiras.
11 quarteirSo, inspector Antonio Jos Pc-
reira Vianua.--Travessa dos exposlos, ra
atrs do quartel de polica, traversa da uius-
ma e da do Hospital.
12quarteirSo, inspector Jos LuizPerei-
ra Jnior.--Roa Nova.
13 quarteirSo, Inspector Joaquim da Mol-
la e Silva.-- Ra do Sol, dita de S. Amaro,
becco do Calabouce e travessa do oies.no.
11 quarteirSo, inspector Francisco Ribei-
ro da Silva. Ra de S. Francisco.
15 quarteirSo, inspector Francisco de
Paula Machado.Ra da Roda e travessa da
u-esma.
16 quarteirSo, inspector JoSo Antonio
Pereira da Silva.Pateo do Hosaital.
17 quarteirSo, inspector LoW Epifsnio
Uarcellino Wanderley.- Ra Bella, da Flo-
i enlina e trav-ltsa ta mesma.
SEGUNDO IiISTIIICTO.
1. quarteirSo, inspector Jos L'iiz Goica
Pracinha do Livramento e becco do Padre.
2. quarteirSo, inspector Ftancisco de 01 i-
veira e Silva.Ra do Rangel.
3 u quarteiro, inspector Francisco Anto-
nio da Silva.Ra da Praia e travessa do
arsenal.
4.* quarteirSo, inspector Bartholomeu
Giipdesde Mello.Ra di Penha
5 quarteirSo, inspector Jos Ribeito
SimPSRa do Livramenlo.
6. quarteirSo, inspector Antonio Jos
Monteiro Ra Direita.
7. quarteirSo, inspector Manoel Izidro
de Oliveira Lisboa. Pateo de S. Pedro e tra-
vessa do mesmo para a roa Direita.
8 quarteirSo, inspector Antonio dos
Santos Mira.Raa da ViragSo e d'Agoas
ves.les al a divisSo oa freguezia,
9.a quarteirSo, ms eclor AgostinhoJo.se
de Oliveira. Itua do Fogo.
10 quatteirSo, inspector Joaquim Jos
Ferreira da Rocha.-ltua de Hurtas al a di-
visSo da frcguezH.
11 quarteirSo, inspector Manoel Jo- de
Oliveira.Pateo do Carmo e travessa da
Bomba.
12 quarteirSo, inspector Caelaoo Jos
Menes --Ra de Santa Theiezaeda pal-
ma, travessa do Lobato e becco do FalcSo
13 quarteirSo, inspector Geraldo Correia
LimaRa da Concordia e travessa da
mesma.
14 quarteirSo, inspector JoSo Athanazio
Roielho. -Ra da Paz, travessa e ra das
Flores.
15quartP'5o, inspector Domingos Ribei-
ro de Vasconcellos.Ra e beccos da Cim-
hoa do Carmo.
O subdelegado supplente,
JoSo Valentn Vitella.
M J. da Silva Ribetro, fiscal supplente
da fregue ercicto das respectivas funcgOes; e pd
ser prucurado em casa de sua residencia na
ra do Rangel, sobrado n 9
Els aberla a matricula de lnglez
Francez do collegio das artes em Olinda,
sobrado do Dr. Meira, onde assiste o
respectivo professor.
le sabir Iia onmeiro yolnmn da ohri
inlittila la ftituictei de dire'ito civil b'a-
t'h.irn-, dividiJa eti donsvolu'nBS.e farm 'ada sngun ti o sy Pischoil Jos dn Mello Frer*, do qual o
lili autor colligio tu lo, que nos he applica-
al secundo a forna do nosso governo e dis-
losigas das leis no hrasileiras, addicionando-lhes as dispo-
ii.'o 's diist is applicavnis s miteras expli-
cadas nelo oitado distineto professor. O
lito primeiro volume comp'ehnn le, alm
|e to los os ttulos do segundo livro do mes-
mo professor, com excluslo do ttulo ter-
ceiroDe Patriciit, F.quibus, el Pltbeis,
os cinco primeiros ttulos do terceiro livro;
o segunda volume ha de comprehender,
ilm dos i estantes ttulos do-tnreiro livro.
'.mi excl08.1o do titulo nove--De Succe ilnjoratut,edo titulo det.D Capellis,
os cinco primeiros ttulos do quarto livro.
Subscreve-se para o primeiro volum a
5,09.) ris : na casa da residencia do Dr.
Lourenco Trigo do l.oureiro, na roa da Sau-
lade defronte do los .icio, bairro da Boa
Vista
ntervengSo do cirretor Oliveira, de vara-
lo sortimento de fazendss inglezas, tilas
oro iras do mure i do : terga feira, 11 do
e-irrante as 10 horas, no seu armazem ra
lo Trapxa Novo.
O corretor Miguel Carneiro, fari lei-
lo lerga-feira tt do correte no seu ar-
mazem na ra do Trapiche n. 40 de diver-
sos trast's, um rico altar com seus-perten-
cas, um jngo chinez, quadros com ricas es-
timpas, relugios de ctna de mesa, ditos pa-
ra algibeira da ouro e de prala, patentes
Inglezes, espingardas, pistolas e uniros
muitos objectos que se entregar a qnem
mais langar.
Avisos diversos.
= Nao obstante reconheci rinos que a inauf-
fclencia da quota marca la para o thealro de
Santa Isabel, o pessoal da companhia, hoje
augmentado, easgrandea despezas necesiarias
esse tlieatro, nao perinitteiu aoSr. Germano
(que honra Ihe sej i felta, uo tein poupado es-
forfos, coinproiuettendo at o seu pequeo pa-
trimonio) concede! beneficio a todos os clores;
e na livraria da praga da Indepen-j com tudo, confiadas na generoiidade deste Sr.,
. | nosattrevetnos a pedir-lhe um beneficio para
dencan. 6 e 8, at odia 15 de margo pro .
ximo futuro, e dshi por diante se vender a ,'!"?ne "'"P-sitor, o Sr. Geanlnl. que itao
* ... '. ,->... .l-,.. i desintcressadaineole Win cottcorrido para
6.400 rs.. aos que nSo tiverem subscripto. malor bri,nantisino ds icena n5o 8e
\os mesmos lugares ven l-se a 5,000 res poupaodo, qur nos ensaios de cantoria e or-
Fublicaijoes I Iteraras.
o compendio de Pratica do Processo.
Intliee cltroiiolosico da lcg;lsla-
lnetto Oriisllclia.
Roga-se aus Srs. assignanles doIn lice
chronclogico da legislagSo brasileira~que
se sii vMiii miniar buscar o terceiro volume
lessa obra, na casa da residencia do Dr.
Lourenco Trigo de l.oureiro, na ra da' Sau-
l Visj'. Ah mesmo continua-se a subscre-
ve. .a :ii,iiiiti rs. para essa obra, a qual ha
de comprehen ler em oilo al dez volumes
4 parte dspositivaje vigente hrasileiras publicadas de 1822 at 1848, e
offerecendo a mesma uliliJade, he comtudo
mutio mais coinmodo.quequalquerdis col-
lecgdes existentes, ede menor costo,quo ca-
la urna dolas, na rasSo de mais tres quin-
tas partes.
i imt iiiniii ao da ste tiniiit serle do
ndice chronolosico.
Os Srs. que compraran) a segunda serie
l.i-l idieo chronologco-comprehend^ndo o
cdigo do commercio do imperio, acham-
se venda por 2,000 rs na casa da rasiden-
cta do Dr. LourengoTrigo de Loureiro, na
ra da Siudade defronte do Hospicio, bair-
ro da Boa Vista, a continuarlo da dita se-
gunda serte, conten lo alm de outros actos
lo po.lr executi/n, o decreto n. 696 d 5
de setemhro de 1850, dando inUrucges
para a elegSo dos membros dos tributiaes
do commercio.e o decreto n.737 de 25 de no -
vembro de 1850, dan lo regulamenlo p' a a
ordem do juizo no proc sso commercial, e
o decreto n, 738 de 25 do mesmo mez e an -
no, dando regulaiiiento para os tribunaes
do o.imm-Tcio, e para o processo daqulles
-- Tem de sahir luz em breve lempo
Acidalia Pernambucana, romance por F. Jan-
sen de C. A. Juuiur, em um volume. Quem
para a impressSoda dita composigSoquizer
assignar, pode dar o seu nomo na loja de
livros ns. 6 e 8 da prga da Independencia,
d clarando o lugar e sua residencia parn
facili.iade da entrega ; sen lo o prego da as-
signatura 2,000 rs. pagos ao rceber-se un
exemplar.
Iittsilitii sileiro.
At o dia 15 de margo prximo futuro ha'
Avisos martimos.
Agencia da companhia dos vapo-
res inglezes.
O vapor Teviot, capitSo Ri-
velt, deve aqui estar de volt
para a Inglaterra no da 17
do correute pelas 4 horss da
nimli la, e partir as 10 horas do mesmo
lia fazendo escala pelos porlos ja anuun-
ciados de S. Vicente, Tenet ife, Madera e
Lisbi : as pessoas que pretenderem passa-
gens ou carregar para qualquer dos indi-
cados porlns queiram tratar com a necessa-
ria antecedencia no escriptorio da respec-
tiva agencia ra do Trapiche n. 42. Adver-
te-se que as cartas deverSo ser postas no
correio, e nSo na agencia, aonJe se as uSo
recebem.
Para o Rio ^e Janeiro
spguecom brevdideo brigue-escuna Olin-
da : para o resto da carga, escravos e pas-
sgpros, trata-se com os consignatarios,
Machado atPinheiro, na ra do Vigaro n.
19, segundo andar, ou com o capilSo Ma-
noel Marciano Ferreira, na praga.
A escuna nacional Emi7ia,de que he ca-
pitSo o pratco Antonio Sllveira Maciel. Ju-
nior.deve seguir para Para por estes dias,
para cujo porto anda pode receber alguma
carga e passageiros : os pretendentes diri-
iam-se a ra da Cruz n. 13,a fallar com JoSo
Carlos Augusto da Silva, ou com o referido
capitSo.
-Para o Porto san com brevidade a bem
conherida eveleira barca Eipirito Santo, de
primeira marcha, forrada* encavilhada de
cobre : quem na mesma qulzer curegarou
ir de passagem, para o que tem excellentes
commodos : dirija-se ao seu Consignatario
Francisco Alves da Cunha, na ra do Viga-
rio n. 11, prmeiroan lar.
Para o Assii segu em poneos dias a
harcaga Conceicio de Guamar, quem quizer
carregar ou ir de passagem, dirija-so ao
mestre Antonio Jos Geraldo Gumes a bor-
do da mesma barcaga, no Forte do Malos.
Obrigue brasileiro Scares segu im-
prelerlvel(lenle para o lito de Janeiro no
da 15 do curente : pode inda.receber al-
guma carga, escravos e passageiros : quem
pretender, dirija-se ra do Trapiche a. 5,
escriptorio.
-- Para o Maranhfio sahe com a maior bre-
vidade possivel o bngii escuna Laura, tem
excellentes cominodos para passageiros,
quem no mesmo quizer carregar ou ir de
passagem, entenda-se com o capitSo a bor-
do, ou com Novaes & C, na ra do Trapi-
che n. 34.
-- Para o Rio Grande do sul sahe em pou-
cos dias por ler O rarregainento promptu O
pataxo nacional Eulerpe, pode receber al-
gumas miuii.-z.is, passageiros e esciavos a
lidie: trata-se na ra do Apollo, armazem
n. 14, ou com o consignatario do mesmo
Luiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz nu-
mero 33.
-;.-- Seguir para o llio Grande do sul bre-
ve o brigue denominado Social, por ter
parte de sua carga prompta : quem no mes-
mo quizer carregar, embarcar escravos, ou
ir de passagem, para o que tem bous com-
modos, pode entender-se com os consigna-
tarios Amonio irinSos, ra da Cadeia n. 39,
ln de Janeiro.
O patacho .Sania Cruz segu Com brevida-
le /recebe carga e passageiros : trata-se ao
lado do Corpo Santo, loja de massames nu-
mero 25. \
Mal
chesta, qur no fabalho de Instrumental as
iliil'ereiiies peras de msicas que se tem eaecu-
t* e noites de vigilias, sein que dahi tenba outro
iuleressc, seniou de concorrer como seu con-
tingente paraoaperreicoainento dos nessos ar-
tistas : assiiu, pois, esperamos que o Sr. Ger-
mano dar mais nina prova Joseu recouheci-
ni. o lo ao mrito, co icedendo a este grande
artista (queasss o merece) o beneficio pedido;
e com este procediiuenfo nada menos far, do
que alada mais merecer a afiVico dos venia-
de iros amigos do mrito. Pedimos desculpa
ao Sr. Gomiii, se com estas mal tratadas lirlhaa
uUeiidcmos o seu melindre.
R.
Lava-se e engomma-se com perfeigSo
por pr -go commodo : na ra das Cruzes nu-
mero 8.
No dia 12 do correte mez fevereiro, se
ha de arrematar em praga publica do Sr.
nr juiz municipal da segunda vara, duas
torgas paites de um silio no lugar do Pogo
da Panella, amargem do rio, com sobrado e
urna casi terrea, coxera, estribara, quarto
para pretos, etc., avaliado por 4:000,003 rs ,
porexecugSo de Jus Francisco Bdlm, con-
tra Francisco de Paula Lopes Reis; he a ul-
tima praga. "
& O Dr. J. S. Santos Jnior, O
,J medico homoaopatha mora q
na ra Nova, n. 58, primei-
Si O
$ ro andar. ^
AO PUBLICO.
Dilliculdatlcs, conujuc nao con-
lavamos, retardaram a impress3o
le algumas pecas do .Man 11.1 do
Negociante, apezar de as haver-
mos destribuido por duas typogra-
jiliias, alm de outros inconveuieo-
tesque vieram interpor-se entre
os nossos de.sejos e a nossa pala-
vra ; assim he que o inanua
poder ser distribuido no dia 13
do correte, e at ento anda se
conserva aberta a subscripto na
casa do Li. ro Azul, pateo do Col-
legio.
Pede-se aos devedores de Jos Gon-
eW's Maia de Azevedo e Joaquim Gon-
galves Maia de Azevedo, de vuvm satisfi-
zer seus dbitos, na rna Nova n. 50, pois
ah i se acha pessoa habilitada receber, isto
un prazu de 8 dias a contar da data desta, e
nSo o fazendo torno de ver seus nomes de-
parados nesta folha, e serSo executadas na
forma da le.
-- Previne-se ao vendedores de bilhetes
que nflo recebam etn pagamento o meio bi-
llete n. 23 da ultima lotera de N. S. do Li-
vramenlo, sem se snlender com o tbesou-
rn'ro para ser publicado.
Santo Amato.
Continuam as novenas deste mila-
groso Santo, no dia 16 do oorrenie
mez, bavert a sua festa, a qual ser
com o maior briihantismo possivel,
e no dia 17 ser tirada a bandeira a
tarde, e a uoile dudar o festejo'com
roga-se a todos os devotos que qui- jj
zerem concorrer com suas esmol- .?.
las, poderSo entrega-las ao Sr. Ma- 41
noel EstevevSo do ascimento Quin- 4
leiro, ou na ra Nova n. 63, o qual *
se acha autorisado peloproprietario s
da capella, para promover a festivi- 2
;> dade, e receber quaesquer esmollas > que para este lim queiram dar. ^
Precisn-ae de um menino de 14 annos,
para caixeiro de urna loja, o qual tenha
pratica, e d fiador no Atierro da Boa
Vista, loja n. 48.
^mmmmmmmm mmmmmmmmmm
Especifico para febres in-
termitentes, ou sezocs: na
ra Nova n. 58, primeiro
andar.
__(l,ii rapa* brasileiro que se ach desir-
ranjadoa poucos dias, deseja muito arru-
mar-sa em qutUjuer ostibelacimonto, ex-
cepto venia, loja de fun las e miu lezis
outro sim, tambom se olTirece pra copiar
papis de escriptorio, ou musmo para ir en-
sillar primeras leltras em algn engonho
distante ou perto da p*aca, viUo saber bem
lar e escrever, e contar ptimamente ; o
dito rapaz d por seus Pudores pessoas mili-
to acreditadas no commercio, e de muita
codsideragSo : quem se quizer utiltsar do
seu prestimo annuncie para ser procurado,
ou dirija-soa praga da I tdepenlencia n 6
b 8, om ca'ta fechada com as iniciaos V. n.
M. D., onde tambem se poder dar infor-
magdes acerca de quem annunca.
No dia 7 do correte perdeu-se um ps-
tnjoamarellocom urna navalha, ten lo na
tulla da dit 1 navalha o nomede Antonio Vi-
tal de Oliveira, foi perdida na praga da
UniSo junto a loja do Sr. Figueira : quem
o achou dlrija-sa pregada Boa Vista.leu-
da de barheiro de Manuel J j-iptii n da Silva,
(iue sor bem recom jensado ; eaonleella
foroffereei.li por venia, nSo a compram, e
farSo o favor da a lomar, e levar a dita
tenia.
J. J. Tasso Jnior manda ao Araty a sua
preta Juliana .
--Alugam-se duas escravas que cozi-
nham, lavam e engommam o diario : na
ra do collegio n. 26, segundo andar, das
8 horas a 11 do dia.
Aluga-se o armazem da casa n. 7, na
ra da C 1 lea de S Antonio, o qual tem ex-
cellentes commodos para urna coc leira, e
oqtro na ra da Praia n. 36 : a tratar na
rua do Cres >o n. 10, com Ignacio Luiz da
Brito Taborda.
Desappareceu na noite do dia 6 do
corrente ima escrava par la de nome Luizs,
jdade pouco mais ou menos 30 aunoi, ca-
bellos corre lisios, porm cortados, rosto
redondo, barriguda que parece estar paja-
da, mSos bastantes leas e algumas unlus
muito negras que parecem ler sido pisadas,
o pes muito esparralhados e f.toi algu-
ma cousa irregular, levou alm da roupa
vestida, -um sacco ou troux, dous flus do
conlas brancas ao pescogo, assim como um
rozario tambem branco, chales de chita
asulj desbotada, usa de camisa de cabe-
gSo : quem a aprehender e leva-la na
rua do Queimado, loja n. 9, so. a recom-
pensado generosamente.
Osannunclos inseridos nos Ditrios ns,
6 e 7 de 9 e 10 de Janeiro deste. auno, fu-
ra m feilos somenle para M saber noticias
do Sr. Antonio Lucio de M tilos, a pedido
de sen amigo Antonio Garca lia I lio, da illi 1
doFaial.
Festa de S. Amaro.
O proprilaro da confeitaria da rua do
Rozario eslreita n. 43, faz ver ao respeita-
vel publico, que a pedido de muilas pes-
soas, alugou urna casa doSr. Rapozo, a lim
de riel la ter um sortimento completo de
um tudo, tendente a festivdade do mesmo
S. Amaro, sorvele todas as nuiles na occa-
siSo da novena, e no dia da festa as II ho-
ras do dia e a noile, tudo com a maior lim-
peza e promplidSo possivel, e juntamente
urna sala independente para as senhoras lo-
marem sorveles.
Os abaixo assignados enipregados
coadjuvadores da paga loria militar, respei-
tnsamente pedem ans Ilustres redactores
do F.cho Pernambucano, a honlade de de-
S clararem, se a assignatura (3*0 Sargento
1da Pagadoria*r] que por duas vezes lm
apoarecido nu referido hcho, se se entende
com algum dos ab.-ixo assignados.
Francisco Antonio Xavier da Costa.
os de Oliveira Barboza
K 12 de Janeiro prximo passalo mil,
desappareceu do enginho Santo Amarinho
freguezia da Varzea, um mulequinho de
nome Benedicto, com os sigoaes seguidles:
representa 13 a 14 annos, bem prelo, se-
1 o 1 ti lio do corpo, tem 3 risqunhos em ca la
canto da bocea, tem todos os dentes, ami-
to alegre, e pernas linas : quem o pegar le-
vo ao mesmo eugenhoquesera muito bom
pago do seu trabalho; suppOe-se ter sido
furtado.
Primeras lettras.
O abaixo assignado, avisa ao espeitavel
publico que, desde o dia 7 do corrente, a
cha-se aberta a sua aula de primeras lottras
na rua.do Mondego n. 44 O annuocianle
contina receber pensionistas, meios pen-
sionistas e externos. Por mais de urna vez
tem elle patenteado ao publico as vantagens
que offerece a sua aula pela rasSo da loca-
lidade, e pelas accommo lac s que a ca-
sa aprsenla. NSo poupar cerlamente es-
forgos o annunciante para conseguir que
os pas de fimiliaa que Ine confiaren) seus
fllhos, flquem inieiramente salisfeitos;
uo m pelo que respeita ao tralamento,
como ao progresso intellectual e moral dus
meninos. Outro sim, para evitar que 09
meninos frequentem outns aulas fra di
casa, perdendo assim lempo com prejuizo
doscostumes, o abaixo assignado tem es-
colhtdo mestre de msica vocal e Instru-
mental, e bem assim professor de lingui
latina reconhecidamente peritos nessas
materias, para darem ligoes aos alumnos
quesequizerem appltcar ellas. O abaixo
assignado espera do publico, e espesamen-
te dos pais de familias moradores fra di
praga, que apreciemos esforgos do annun-
ciante, animando o seu nascente mais tflo
til c.stbelei i metilo.
Leiles.
Adamsoq llgwje & C, farSo leilSo por
Aluga-se urna casa terrea ns rua da So-
!e"ade, com seis quartos, duas salas, cora
cozioha lora, quintal murado e cacimba :
quem a pretender dirjase ao Aiterro da
Boa Vista, padaria do Sr. Barnlier.
Alugam-se duas casas terreas na rua
atrs da matriz da Boa Visla, cada urna com
seis quartos, duas salas, corredor ao lado,
cacimba : quem as pretender dirjate ao
Atierro da Boa Vista, na padaria doSr. Bar-
nlier.
Aluga-se urna casa de sobrado de dous
andares na rua do Rangel, tendo commodos
para urna grande familia : quem pretender
dirija-se a mesma rua do Rangel, venda de
Domingos Ferreira Lima.
Precisa-se alugar por algum lempo
urna canOa de seiscenlos a mil ttjollos :
quem a ti ver dirija-se a rua do Queimado,
loja o. 38.
MIITII AHO
iuei
Francisctnte Saltes de Albuqnerque,
Mobilia de aluguel.
Alugam-se mobilias a vontade do a-
lugador, e tambem sealugSo cadnjrasem
grande porgSo para bailes, ou oflkios ni
rua Nova armazem de trastes do Piulo do-
fronte da rus de S. Amaro.
I'recisa-8e de urna pessoa pa-
ra cozinbar em urna casa Mtran-
geira de pouca familia, assim co-
mo de um criado para o servico da
mesma : os pretendentes dirijam-
se ao escriptorio de Russell Mel-
lors ck Companbia, na rua do Tra-
piebe, esquina da Lingoeta n. 3a.
ln-se psode vendagem a oretas e mo-
leques : paga-se bem : na padaria defronto
da fo'taleza das Cinco Podtai n. 15*.
O bacharel Vicente Ferreira Gomes ad-
voga no foro civil e criminal, e-tem o seu
escriptorio na rua Direita n. 32.
~ Precaa-se de um escravo bom cozi-
ntietro, que nao tenha vicios, para homem
soltoiro ; na rua ao Queimado, loja o. 17.


9
O na'r Tho-nuz de Santa Marianni dn I panno da Costa de listras a saia da chita
i-
<5
Jess Magalhles tem aherln aula para nns
nr primeiras latirs e lilim. seundo o
nytoma ado tado as aulas publicas desto
imperio, na casa de sun residencia, na ra
do Rnjarin da lio Vista n. 48, o recebe
alumnos, n!io s cxiernos como mcio pen-
sionistas, e tamliem pensionistas, e seobn-
pa a dar bom tratamento escusando porm
de mencionar precos e qualidade do trata-
mento, porque com os pais, tutores, ou cu-
radores se entender* : o que, porem, pro-
mette he o aiiiantameuto dos scus alumnos
e a boa ediicac.to.
Chapaos de sol.
Ra do Passeio, n 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes objectos do todas as co-
res e qualidades, tanto de seda como de
panninho, por precos commodos; ditos pa-
ra senhura, de bmn gnsto: estes chapeos
sSo fetos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. .Na inesoia
rasa se acha igual sortimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
tnacfles servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se em porc,8o e a retalho : tambem se
concerta qualquer chapeo deso, tanto de
hasteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de rejas : tudo por preco com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca mainr, de panno e de seda, pro
prios para f'i lo res de enzenho, por serem
dos maig fortes que se pdem fabricar.
9
>
o
Q
m &> Attencao. .-f 4
Thomaz Pereira de Mattos
* Estima,
a> declara poselivamenie a seusdev.ido-
SJi res, que no prazo de 15 das infali- .}
a>; v Irrente, contados da data deste, .^
^j venbam ou nianlcm pagar seos de- p|
S hitos. Este prazo s se dee enlen- ^
der com as possoas da praca, e pa- .9
| ra as do mallo se Ihes conceder 4
8um hiez, findo o qual, se usara dos 4
meios maig positivos, bem como se- 4
o> rilo publicados porsta folha os no- j
Sj" mes daquelles que amis de 6 anuos, 4
Scontiairam seus dbitos, e at o pre- 4
sent ainda no pagaram, nem qui-
ay zerain roais saber de sua luja, onde
a> compravam varios objectos, e he de
( sitppr que nem ir.ais se lemhrem do
4 Estima, em virtude do que, para Icm-
a) brmiQ, se faz o presente annuncio.
a Recife, 6 de fevereiro de 1851.
ggA^g)^^.-^^^ ?*iSi:*}#BS>.
Faz srienle Ralhina Custodia de Oli-
veira Deniz, que no dia 6 do corronte, des-
appareceu da casa de seu genro Jos Fran-
cisco de Azevedo, a cabra de nomo Helena,
que l eslava servindo ; julga-se estar em al-
guma casa escond la : quem a ti ver, pode
leva-la casa da dita Deniz, as Cinco Pon-
tas n 67, que ser gratificado.
Tem-se contratado a compra de uro
terreno no lugar do Lucca j mo a Msgda-
lenr-, perlencente a Manoel Francisco; quem
sobre elle tivr algum direito por hypoieca
outro titulo, queira dirigir ra Nova n.
20, nesles tres das, depois de rujo p'azo se
far o negocio, julgando-sn millo qualquer
titulo sobre a dita propriedade, que se jul-
gar boa para compra.
O abaixo assignado tendo concedido
aos seus devedores da praca8iiias, e a os
do mato t ni''/, afim de lqudarem os seus
dbitos, succede que alguns se tem deixa-
do no olvido e nao compareceram, e por
isso novamente Ihes di mais 4 das aos da
praca, eaos do.mato outro mez, lindos
quaes, nSo s proceder contra elles com
todo o rigor da lei, como tambem far pu-
blicar os s-us iiomi's por estenso neste jor-
nal. Recife, 6 de fevereiro de 1851.
O cirurgiSo, Francisco ot Kodrigvet.
Na ra estrella do Ho2ario n. 28, se-
gundo a'ndar, se dir quem compra un ca-
vallo para carro.
Ainda se aluga a casa n. 6 da ra da
Palma : a fallar na ra deS. Francisco, ou-
tr'ora Mundo Novo, n. 30.
Precisa-se di- urna ama de leite : na bo-
tica da ra do Cabug n. 11.
O abaiso assignado, J0S0 Alves de Son-
za, morador na ra da Senzalla Velha ns.
68e94. roea ao Sr. JoSo Alves de Souz
que pelo Diario de Pernambuco 11. 31 de 7
do corrente agora se declara existir, o ob-
sequio de declarar sua morada, afidi de ser
procurado para convir na alleraco de seu
Dome ; e desejan-lo tambem o n>esmo abai-
xo assignado, entender-se particularmente
com o autor desse annuncio, I be roga de
declarar sua residencia para o procurar.
Joo Alvet de iouza.
- Na rna da Cadeia Velha II, 41, primeiro
andar, precisa-se de urna ama, que cot*
nhee faca compras, para urna casa de pou-
ca familia.
Avisa-se a quem convier que acha-se
abeita a matricula de geometra do colle
gio das artes de Oliuda, lio sobrado ao |i
ua ladeira da S.
Terca-feira, 11 do corrente, he a ulli-
ira pra(a dos objectos penhoradus por ac-
edo esecutiva, e para pagamento dos alu-
gueis do aroiazem que peitence a Jos Joa-
qiiim Alves, na ra do Apollo, que he per-
tencenle ao orador Norberlo Joaquim Jos
Guedes, tendo lugar aarrematacSo na sla
das audiencias : quem quizer veros referi-
dos objectos, enienda-se com o depositano
particular Antonio deSouza Pavallide.
A pessoa que ha pojSjpos das annun-
clou querer comprar um cavallo bom de
sella, dirija-se rus do Collegio n. 23, pri-
meiro andar, onde adiar com quem tra-
tar, no s a compra de um como al de
dous.
Offerece-se urna mulher para casa 'de
homem so'teiro, a qual cuznna e engom-
mi bem, alianca-se sua conducs : na la
da Guia n. 9.
Precisa-sede um raixeiro, que lenlia
bastante pr. tica de venda, para turnar cun-
ta de urna por baUnco, dando fiador sua
conducta : a tratar na ra da Senzalla Ve-
Iba d. 46.
l'assaportes.
Tiram-se passaporles para dentro e fra
do imperio, correui-se folbas, despacbam-
se escravos e tiram-se ttulos de residencia :
para este lim procura-se na ra do Queima-
do n. 25, luja de miudezas do Sr. Joaquim
Monlelio da Cruz.
Ilessppareceu, no dia 30 de Janeiro
prximo passaio, urna preta da Coala, de
Dome Auna Rita, queandava vendando do-
ce de calila em chicaras e pites dentro de
um caixfio; he moca, bisa, cor fla; levou
com habido 1, j usa 1a ; tem calombos pe-
las costas, siuoaes de sua torra : quem a pe-
sar, con luza-a i ra da Cruz do Rocife n.
37, n,ii-' ser gratificado.
Quer-se alugar urna morada de casa
terrea na ra da Senzalla Nova, sendo do
irimei'o quarteirSo do heq Becco Largo ; isto he, tendo quintal d-se
tluguel superior ao por que esliver algga-
la ; tambem troca-se por urnas Injis, n>
ra do Rangel rr. 20 ; e sendo que algum
morador se queira mudar, ds-se-lha urnas
uvas proporcionaes : na ra da Senzall-
Velha, piulara n. 100, se dir com quem s*
leve tratar.
9 Consultorio homosopathico, G
ruadoCollgio, n. 25,
Do Dr. P. ie A. l/>bo Motcotq. O
ODr. Moscosod consultas lodos os Q
das. Os doentes puliros sSo tratados
de graca. Sserflo visitados em suas l:>
casas aquelles que nSo poderem vir O
ao consultorio, ou que suas moles- O
tias nflo aossam dispensar a presen- 0
'> ca do medico. O
~ Traspassa-se o arrendamento do enge-
nho Quelu7, sito na freguezia de Ipojuca.
vendeodo-se a safra no campo, o engenho
lie copeiro e bom, e tem bons creados : a
tratar com Miguel Augusto de Oliveira, na
u residencia no engenho Camassari, na
freguezia de S. Amaro JaboalSo, ou com
Theotonio da Silva Vieira no engenho Ca-
xoeira da freguezia de Ipojuca.
Casa ilc omiimi--n> le escravos.
.Ni ra larga do Itozario n. 48, primeiro
andar, recebero se escravos para serem ven-
d los por conla de seus donns, assim com i
se compram e vendem-se os mesmos, lodos
os das uteisa qualquer hora.
-- Aluga-se o Ierren o andar, soto corr -
10 coto 11111 itos quartos e grande cozinha, e
dous grandes mirantes, do sobrado n. 13 da
rus do Vigario : a tratar no armazem do
aiesmo sobrado.
O abaixo assignado faz scinnte ao Sr.
arrematante do imposto de ago'ardente e
espirito de producQSo hra*ileira, que de ho-
je em diante no contina a vender laes
gneros em sua laverna, na esquina que en-
tra para a Camba do Carmo 11. 46. Recife,
31 de Janeiro de 1851.
Joaquim Sperlido da Silva (uimarSes.
Na ra dos Thucheiras n. 26, se dir
quem d dinheros a juros sb penhoros,
liypotheca em casas terreas e lettras de boas
firmas.
E. de Mornay retra-se para Inglaterra.
Prccisa-se de urna ama, que saiba co-
zinharbem e ens>omme alguma cousa : a
fallar na botica de Bartholomeu, ra do Ro-
zario n. 36.
Msicas para quem nao sabe mn-
sica.
Va imprimir-se o indicador geral dos
accordos para violSo, e para que se U<
ideia da sua utilidade, vamos dardella
seguinte noticia Foi organisado o indica-
dor dos accordos de proposito para quem
no sabe a msica, aprsenla reunidos os
accordos pertencentes a um* cadencia,
com a qual se acompanha o canto ou a ou-
tros instrumentos ; os tocadores de ouvi lo
(vulgarmente chamados) poderSo verifi-
car se osquo j tocam estSou 11S0 em regra
e aprender o que Ins fallar e as pessoas
que no sabem msica e nem tocam do oli-
vlo pd0in ( medanle algumas licOes para
aprenderem o estallo de acompanharj sem
mestre aprender em poneos temprts o que
por msica Ihes levara minos. Assigna-se
na livraria da ra do Collegio n. 9. e no pa-
teo do Terco n. 22, ra do l.ivramento n. 27,
na Boa-Vista loja do Sr. Estima, a 2,000 rs.
por exemplar.depois dedestnbnida aos Srs.
ansignantcs cuslar avulso 4,000 rs.
Urna pessoa sulTicienlemente habilita-
da para a< rao] ir qualquer cscripturaclo mi-
litar, qur de expediente ou contsbilidade.
iur de mappas de todos os ttulos, como
estalisticos, criminaes, mensaes, de farda-
menlo, etc., se olleiece para esse servido,
mediante urna graliflcacSo rasoavel, a vista
do asseio, presteza e rectido da escripia
que Ihe incumbirem ; e bem assim para re-
querer e procurar prelences igualmente
militares, tratar de justihcacAes dos Srs.
i'a leles das dilli'i entes elasses, defender em
conselho de guerra, eemllm todo o servi-
CO tendente a mil tanga, qur do exercilp,
qur da guarda nacional, sendo que a i.io
se prope, com o lim ae subsistir com sua
familia, sem que seja pesado a ninguem :
na ra da Roda 11 24.
Precisa-se alugar um sobrado de dous
andares, que tenha quintal o seja fresco, no
bairro de Santo Antonio : quem tiver an-
nuncie.
Q Uun das Ci-nzes 11. 28. Q
0 ComulloTt'o liomceopathico do faculta- jj
a tivo J. t. Caianova.
Gratis para os pobres.
? Na ausencia do.facullaiivoJ II. Ca- *
T sanova. o professor de homoeopathia J*
v Gosset liiiiioui continala com os v
& irabalhos do mesmo consultorio, on- O
& de poJera ser procurad* a qualquer O
O hora. O
OOC?OOQt&O>QOO00
--O Sr. Ventura Joaquim da Roza, cai-
xeiro do Sr. Francisco Jos GalvSo, baja de
la/ni ou de ir pagar o que est devendo *
mais de dous anuos, e nflo o fazendosur
sempre lembrado.
Preeisa-se de urna senbora, que queira
ir para um engenho distante desta cidade 9
legoas, e que tenha as habilitado -s neces-
s.ii las para ensinar algumas meninas, lhas
do senhor de engenho, alocar piano, 1er,
escrever, contar e grainmatica portugueza,
soaer, burdar, etc. : quem pretender este
rraiijo, pJe dirigir-se praca do Cooi-
mercio n. 6, escriplorio de Mauoel Ignacio
de Oliveira.
.-O abaixo assignado professor particu-
lar de primeiras lettras, disciplinado em
preparatorios no lyceu desta cidade, parti-
cipa ao respeitavel publico e aos pas de
seus alumnos, que desde 13 de Janeiro des-
le anno abri sua aula, e debaiso dessa
mesma disciplina ensiua por principios
a grainmalica portugueza, latina e france-
sa : adniillindo ueste recinto porcionistas e
mi-io porcionistas.' Os pais de familia que
qulzerem applicar seus lilhos a alguma des-
sas disciplinas, piem dirigir-se a ra lar-
ga do Rosario n. 48, segundo andar.
os Mam Machado tlt Figueiredo.
Vicente Jeronyno w*.a1ertey, Dr. em
medicina, acha-se residinJb ni Atorro da
Roa Vista n. 8.
Precisa-se de um feitor que entenda
dejardim: na ra da Cadeia do Recife nu-
mera 37.
c^" Mudanga. 5^5-
Joaquim Antonio dos Santos Andrale e
Msnoel Carneiro Mal participam a seus fre-
guezes, e especial nenie ao corpo do com-
mercio, que, en virtule das posturas da
amara municinal desta cida le ter mnda-
lo retirar suas fabricas de caldiireiro, sitas
na ra Nova ns. 27 e 33, para os arrabal les
la mesma, reuniram as duas fabricas a urna
-, que se acha montada em grande escalla
com todas as oicinas pertencuutes a mes-
na, como seja, caldeireiro, Ulneiro, fun-
C3u de metaes, serralheiro.funileiro, ele ,
te. t qual gyra sb a firma de Andrade &
Leal. O socio Leal resile elTectiva-nente na
nova fibrica, na ra Imperial n. 120, e o so-
cio Andrade nos depsitos da mesma, na
ra Nova ns. 27 e 33 : em qualquer destes
lugares os pretendentes sempre osacharSo
[iromptos para aceitar sois encommendas,
'lueserSocumpridasaseus desejos, e com
a devida presteza.
Desappareceu, no dia 19 de
novembro prximo passado do ni-
enro Cal, na cidade de Goian-
na, o pretocrioulo Luiz, de iS an-
uos, bstanle ladino, estatura re-
gular, bem preto, milito barbado,
cabelludo pelos peitos, cheio do
corpo, o branco do olhos bastan-
te alvo, bons denles, feicoes re-
gulares ; lie ollichl de pedreiro c
carreiro; julga-se estar nesta pra-
ca, por ter nella bastante conheci-
mento, ou para as partes de Agoa
Preta, onde havia pnuco tinha an-
dado como pagem em companhia
de seu senlior Miguel da Cunha
Araujo Pinheiro ; roga-se, pois,
a qualquer autoridade ou capilao
le campo que o apprehender, o
faca chegar ao dito engenho Cat,
que sei recompensado.
|199S$"8 v ^p Ww99
Vanlo Oaltrnnux-, lentista *
francez, oiTercce sen prest-
9 mo ao publico para todos os *
* niisteres de sua proflssao : #
9 pile ser procurado a qual- ?
* quer hora em sua casa, na *
rtialarg-ado Hozarlo, 11. 30, *
< -1 -u'iiuiio andar. *
Compras.
Compra-se toda a qualidade de tras-
tes usados, e tambom se troco por novos
na ra Nova armazem de trastes do Pin-
to defronte da ra de S. Amaro.
__Compra-se urna estante para livrns,
prefere se com vidros e pequea ; quem ti-
ver annuncie.
-. Compra-se um melbodo de flauta : em
Fra de Portas, ra do Pilar 11. 49.
-- Compra-se urna ascrava que entenda
h'ini de cozinha, costura, e seja perita
engommadoira : na ra da Cruz 11. 18, se-
gundo andar.
Compra-se um escravo que seja o(Ti-
cial de carpina 011 pedreiro : paga-se bem,
comtantoque no tenha vicios nern acha-
ques : na ra da Cadeia, em Santo Antonio,
n. 19, serrara.
Compra-so urna mesa de jantar, que
eslea em bom estado: na ra das Cinco
Ponas n. 82, ou annuncie.
-- Compra-se um sellim em bom estado,
que tenha todos os perlences : no Aterro da
Roa Vista n. 44.
Compra-se umjogo de pistolas de al-
gibcira em bom estado e um faefio de Ira-
zer-se na cintura na ra Direita, venda nu-
mero 14.
Compra-se um sobrado de um andar e
sotilo, que tenha commodos suficientes, ou
un de dous andares, que sejam no bairro
de Santo Antonio: quem tiver annuncie.
ou dirija-se a ra do Rangel n. 36, a f illai
com llanoel de Souza Guimanles.
-Vende-sn no sagnn lo andar n. 18 na Ilncnmmodo ao doente, c som priva-lo de cui-
rua das Cruzas o seguinte : 12 ciMm, um "' e,n 9"" <".*,CI"
Vendas.
Gbeguem a pechincha que se est
acabando.
Vendem-se relogios americanos, proprios
para cima de meza, muito bons regulado-
res, e por preco muito commodo, para che-
gsrem aos pob es : na ra do Trapixe n.
8, e na ra das Agoasverdes 11. 62.
Vende-se um mulutiuho de 13 anno*,
sado, vistoso e sem vicios: nos Alegados,
paleo da Paz n- 21.
Vende-se urna rica tualha de lavarnto
na ra do Cabug loja n. 9.
Vende-se urna piclinlia de deis annos,
muito bonilinha, ja cose alguma cousa, por
isso he propra para algnma dadiva ; u mo-
tivo da venda he grande precsflo. quem
pretender diriji-se a ra do Rangel n. 38
segundo andar.
Vende-se urna crioula de 20 a 22 annos
de idade, engoma, cosinha, lava, e cose,
sem vicios e nem achaques, por preco om-
inado ; o motivo de veuder-se dir-se-ha ao
comprador na ra Nova sobrado de um
andBr n. 51 junto igreja da ConCaicJo.
Vende-se um relogio saboneta- doura-
do, bom regulador, por 30.000 rs., na ra
deS. Francisco ou Mundo Novo n. 30.
Atte'ncao.
Vende-se na loja nova na rus do Cres-
po de J. L. de B. Taborda gilas com pes-
cocinho, por menos preco de que em ou-
tra qualquer parte, e para desengao dos
compradores venhain ver chitas francezas
300 e 320 rs. o covado.
Vende-se no armazem da ra da Praia
becco do Carioca de Antonio Pinto Soares
n. 9, bom arroz pilado, e de casca, assim
como saccas de familia de Sania Catbari-
na muito superior a dous mil rs.
Vende-se a ordadeira graixa n. 97 em
casa ile James Crabtree & C. na ra da
Cruz.
sof, un jm?o do bancas,tudo de Jacaran-
da | 12 cadeiras do olio, una com la de
amarello, tudo com pouco uso, e moler-
no; um lavatorio do amanillo, urna misa
lo jantar tambem >le amarollo ; um mui-
nlio e torrador de caf da 21 libras, ludo
he barato por estar aretirar-se o vende-
dor.
Vende-se na loja nova na rua do Crespo
n. "lo de J. I,, de R.Tabnrda superiores corles
de casimira france.a de lin los nalris pa-
lo barato preco de 7.000 e 7.500 rs., ditos
do meia dita a 3.5)0 o 4,OJO rs., riscidos
l'ranczes a 280 rs. ocivado, lencos de so-
da c im franji, para senhnra, bonitos pa-
dres e superiores quali.lades a 1000 rs ,
chapeos de sol de se la pira sonliora ,, 1,011
rs., ditos para homom, pretos odico'esa
6,800, e lencos de pura seda a 1,700, 1,800
2,000, e 2.210 rs ; superiores mantas rf*
sola do ultino gosto a 13.000 o a 14.001
rs., chales de calaco 1,300 e 1,400 rs. ;
corte de cimbran de seds lamben do ul-
timo Rosto a 10.000 11,000 o12 00)rs, e
nutras militas fazendas d'i superiores q>ia-
lidades, quesevunlem por diminutos pre-
cos.
~ Vende-se cobro'em folha para forro,
nm casa de James Crabtree & C na rua da
Cruz.
Loter'" de N. S. do Livratnento
Na loja de fazendas dehaito do arco
la Coneefcjlo n. 6, ven lem-se billietes in-
' -iros, o meios, cuj is rodas anJilo no dia
23 de fevereiro.
boterh de N, S. do Livra-nento.
Na botica la rua do Rosario Larga n.
42, ven le-se bilhetes inteiros, e meios, ca-
as roda* andSo no da 28 de fevereiro.
Lotera de L S. do Livramento.
Na botica da rua do Rosario Estrella n.
10, veo |em-su bilhel -s inteiros, e monis,
nais baratos que em outra qualquer par-
te, cujas rolas andSo nj da 28 de feve-
reiro.
Prccisa-se de um feitor capaz para o
servico sagointa : tomar conta do um si-
tio pequeo na Magdalena, e tr.ibalbar l el-
lectivamenle duas semanas ou o lempo que
fr preciso para por o sitio em orilem, e
lepois entilo vir s urna vez por semana.
Quem quizer procure no mesmo sitio do
ir. Manoel Alves Guerra.
Litros bsratos.
No Atierro da Roa-vis'a, loja n. 54; na
rua Estreita do Rosario, loja n. 13; e de
fronte do trapicha novo, casa n. 6, ha
venda as seguintes publicarles :
Memorias dn um Doido por Lupes de Men-
lonea ; l.eiiura Repentina, por Castilho;
Cotilos ao Serilo, por Ribeiro de S ;'c> Preso
orlo dito ; Curso A' Instruccflo da Historia
Nalurl ; Poesas del). Luiz Riverac; Re-
vista Militar contendo os conhecimentos
necessuios a esta nohre classe; Flomen-
tos da arilbmetica ; Jornl das bellas ar-
tes; Almanaks populares; Vista do Cerco
do Porto ; Cartas da India eChini; linas
Dianas, romance de A. huma-; Panorama
de Lisboa ; A Semana, jornal scienlifico : o
Thenue, dito; Revista Universal Lisbonen-
se, dilo ; Universo PiloresCO, dito; Vistas
de magnficos edificios; li tratos da pes-
soas celebras.
Veiiile-se urna preta boa quitandeir a
na rua da Guia, vouda 11. 9.
*mmm&.mmmm mmmmm^mmm^
Rap americano.
^ Tem-se melhorado este rap, e elle M
-t ha de merecer agora a intena satis- p
I i..eo de todos os amadoies da boa k
pita la : vende-S" como dantas em lo- $
tes de libras e 1/2 libras, no Recife,
em casa dOSSrs. Ilavis ti Companhia,
Rayinond & Companhia, Fontes &
Iruio, em Santo Antonio, em casa
do Sr. Lody, rua do Rozarlo larga, e
na Roa Vista, 110 Aterro, em casa do
Sr. .M .noel JosCuedes de M..balines.
mmmmmmmtw mm #*#*
Ao publico.
Em uun crescido mi.....m contavain us mdi-
cos al agora molestias ncuraveis, -coiura as
quacs so ei 1 pcrinillid ao paciente resigua-
9.10 para soilrer um mal de queja nao havia
esperanzas de podr liberta-lo, e ao inrdioo
philantrupico ador de ver mullos de seus se-
luelhautt'S victimas de ciircriuidades, conir.i as
quaes se declarava iuipotente, podrmio apenas
lamentar a fraqueza da nlclligf ncia humana.
Mas, gratas aos progressos da medicina, gra-
cas ao /.<-|>i le bouieiis incansaveis, que, itau
deaesperando da prrfectiuilidadc da sciencia,
ae lein dedicado Investigar.1 de remedios
quepussam alliviar a biiiuanidade de alguns
males que a altli|;eiii, o numero das molestias
repulida! un 111 .iv. is vai de dia em dia diini-
nuiudo. Assim, achar depois de longos tralia-
Ihoj, de profunda mediacao e reiteradas expe-
riencias, medicamentos que nos resiiiuain o
uso dos dous mais importantes sentidos dr que
he dolado o bouiein, quando estes j se acha-
\ 1111 11.1 suppnsto estado de iocurabilidadc e
imeir.neme perdidos, he por certo nm dot
maiores aervi(OS que se poda prestar linina-
nid ol. : ris o i|ue eslava n-. *'...!.. .. utn ho-
iio-io pnianiropn da cidade de Praga, em Por-
tugal, cuja sciencia, cujo anuir de seus seiue-
lu.oii se i< '-ni t. un geralmente conhecer. Os
remedios que ora ollrri ceios ao publico, nao
eulraui na classe daquelles que o vido e oma-
il 1 ell.u I 11 ini-oun inculca nuil lOUCi.S ni.-
compaseados brados, e que o crdulo vulgo
por ignorancia recebe na boa IV e sem discer-
nimeulo, ach.indo-se depois illuilido; tein, po-
rm, de oceupar inui distinelo lugar entre us
medtcauentos que uiaiores beneficios prcstain
ao homem : coiutam elles dadissoluco aquo-
sa de elraclos de planta* inedicinaes, de vir-
tudes uun recoiihecidas e verificadas. O longo
uso, as continuadas e severas experiencias,
3ue por tuda a parle teem elles sido subiuetti-
os, srin que nina t vez liajaiu falnado en
leal l'onsell'eitos, e desmentido as esperanzas
que sobre elles havia fundado o seu invenior,
Ihe leem graugeadu constantes o repetidos elo-
gios dos mais sabioa c respeilaveis inedicun-
assiin da Europa, como da America que unso-
nos abonam e proclaman! sua accao sempre
certa e benigna. Um destes licores he desti-
nado a combater as molestias de olhoa, e tein
por principal virtude restituir aos orgaos da vi-
sao suas funeces; reanimar e fazer reappare-
cer em sua natural perfelcao a vista, quanda
esta estiver fracaouquaii cxtiocla comanlo,
porm, que nao haja cegueira absoluta com
desorganisaeo das partes; nao meos ulll e
enrgico he para desfazer at cataratas, destruir
as nevoasede prompto debellar qualquer in-
fJainuiacao ou vermclhidau dos ulhus. Nao
causain ddr nem esiiuiulo na parle.
O1K10 liquido restitiie a faculdade de ouvir
os sons ao ouvldo tocado de surdez, ainda que
Inveterada urna vez que o mal nao aeja de nas-
cenca, sem causar em lempo algum o menor
l.NSrtlUi.COKSPAllV O USODOSItKMKUlO.
O Vi sl/M emprtgfe do modo Mf MU f
O doente ['la niuiliai. cin jejum, una hora
poucu inlis 011 menos depois que erguer-sc do
leilo. tomar sobre n palma da mu. pequea
porco daniirlla agoa ; e com ella uiolliai.i
bem os ollios, faiendo que algumas goltas
1 .11 un sobre o globo uceular : sem os linipar,
os conservar motilados at quenaliiralinente
enzugiieiu: ao deitar-se noile pratlcar o
inesiuo : durante <> lempo que uar do reme-
dio evitara o calor, aefio de fuinaca e o vento ,
f.ir abstinenma de comidas salgadas, aiedas e
adobadas com especiarlas.
O remedio dos ouviJoj ser applirado do modo que
segu.
O doente pela inann.ia, una hora pouco
mais ou inenus dep.iis de erguer-se, aindi em
jejum, far derramar dentro dos ouvidus qua-
tro ou cinco goltas do liquida, lapindo-ns de-
pois com algoilo em rama ; noile ao deitar-
se repetir a mesma operacao. Durante o uso
do remedio evitar expdr, os ouvidus prinei-
l>.lmenle, aecSo do calor e do vento, 1:111 de
evitar grande irauspiraco, havendo cuidado
em nao molhar os ps em agua fra; llnalmen-
tedeveobster-sede comidas salgadas, azedas e
adubadas.
bsles remedios estao venda nabolicade
llarlboioinru Francisco de Soma, oa rua larga
do Rosario, n. .'Ki, nico deposito em Pernam-
buco, pelo preco de 2,210 rs. cada vidro.

ROWMAN & MC. CM.I.UM, enaenhei-
ros machiiiislas e. fundidores de ferro mu
respeitosamente aniiuuciam nos Smihores
propietarios doengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, que o seu eslahelecmenlo
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em effectivo oxorcicio, e se acha corn-
plelaniente montado com apparelhos da pri-
meira qualidadd para a perfeila confoceo
das maiores pecas de macliinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arle, Rowmau & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar 1
attenco publica para a sseguintes, por
tercm deltas grande sortimento j prompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
Irangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor construyo.
Moendas de cann para engenhos de lo-
dos os tamaulios, movidas a vapor parag'ia
ou minus,
Rodas d'agoa, moir.hos de vento eserra-
as.
Manejos independent.es para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzes e chumaceiras.
CavilhOes e parafusos de todos os tama-
itos.
Taitas,paros,crivos e boceas de fornalha
.Monillos de mandioca, movidos a ui.n ou
por animnes, e prensas para a dita.
Chapas de fog.To e frnos de familia
Canos de ferro, torueiras de ferro e de
bronze.
Rumbas para cacimba e de repudio, mo
vidas a man, por .1 nim tes ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hy.lraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu
blicas.
Columnas, varandas, grades e portdes.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, cairos de niSo e arados de ferros,
etc etc.
Alm da superioridade das suas obras, j
geralmente reconhecida, Bowtnan Me.
Callum garanlem a mais exacta confornii-
dade com os moldes e dezenhos reniellidos
pelos senhores que se dignarem de fazor-
es encommendas, aproveitandoa occasiflo
para agradecereni aos seus numerosos ami-
gos c Ireguezes a preferencia com que leem
sido por elles honrados, e asseguram-lht-s
que uo pun nr.io e-loreos e diligenciar,
para continuarem a merecer a sua conf-
anos.
para curar dn phtysica em lodos os seus
dilTerenles graos ou motivada por consli-
pacOes, tosse, asthma, pleuriz, escarros de
sangoe, ili'.r de costase peitos, palpilae'1.1
no corneflo, coqueluche, hronchites dor
na garganta e todas as molestias dos orgSos
pulmonares.
De todasas molestias que porheranca li-
camau corpo humano, nenhuma ha que
mais di-siriiitivn tenha sido, ou que tenha
zumbado dos esl'orcos dos homens mais
eminentes em medicina do que aquella
que he geralmente conhecida por moles-
lia no bofe. Em varias pocas do se-
culo nassado, tendo-se offerecido ao publi-
co .iiilVi'onies remedios com attestados das
extraordinarias curas que elle tem feilo ;
porcm quasi que em todos os casos a iluso
lem sido apenas passageira e o doente
torna a recahir em peor estado do que se
achava antes de applicar o remedio tilo re-
commendado outro tanto nSo acontece
com este extraordinario
Xarope de bosque.
Novaes & Companhia, os nicos agentes
nesta cidade e provincia, nomeados pelos
Snrs. R. C. Vates & Companhia, agentes
geraes no Rio-de-Janeiro mudaram o dc-
uosto desle xarope para a holica do Snr.
Jos Mara G. Ramos, na rua dosQuarleis, n.
12, junto ao quartel de polica, onde sempre
acharSo o nico e verdadeiro, a 5,500 rs.
cada garrafa.
IL EGIVEL


......"'
aaa
No becoo do Connives, armazem do
Araujo, vende-so superior f.rinha do man-
dioca 2,000 rs. a sacci, chegada Diurna-
mente doCeara.
A 400r5i*.
Vendem-soas mala superiores chitas Ur-
na, francez'8, do todas a corps, gostns in-
leiramentc novos. imitando seda, a 400 rs.
o covado : na rna do Crespo n. 14, loja de
Jos Francisca Das.
Vendem-se arados america-
nos dos modelos mais approvados:
na rua do Traoiche n. 8.
AGENCIA
da fundico Low-ltloor.
RUA DA SENZALLA NOVA N. 42.
TSeste estabeleeimento conti-
na a ha ver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Chumbo de munico.
Vende-se no araan de J.J. Tasso J-
nior, rua do Amorim n. 35.
Vendem-se amarras de ferro : na rua
da Senzalla nova n. 42.
I( |Hi-il(i ilc cnl i ir" i ni.
Na rua do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegada ltima-
mente de Lisboa no hriaue Tarvjo-Terctiro.
SSSF.
Farinha "nova da marca SSSF, chpgada
ltimamente: na rua do Amorim n. 35, ar-
mazem de I. J. Tasso Jnior.
Potassa da Itussia.
Vende-se potassa da Rossia, recentamen-
te chegoda, ede muilo superior qualidade :
na rua do Trapiche n. 17.
Tatxas para engcnlto.
Na fundigta de ferro da rua o Rrum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea, aa
quaes acham-se a venda por prego com-
modo, e com promptid5o embarcam-se, ou
carregam-se em carros sem dospezas so
comprador.
Moendas superiores.
Na fundigo de C. Starr 6i Companhia,
em S.-Amaro, acham-se a venda moendas.
de canna, todas de ferro, de um modelo e
coDSlruccSo limito superior.
Cimento.
Vendem-se barricas com superior cimen-
to, chegado no ultimo navio de Hamburgo:
na rua do Amorim n. 35, armazem do J. J.
Tasso Jnior.
Deposito de potassa ecal.
VeDde-te milito nova e superior potassa,
assitn como cal virgem e pedra, recente-
mente chegada de Lisboa, por preco rasoa-
vel: na tua da Cadeia do Recite n. 12, ar-
ma 7pm.
Grande sortlmento de charutos
da fabrica de S. Flix, no ar-
ia a ze ni de Crocco S Companhia,
ruada Cruz n. 21.
Silo chegados a este armazem os verda-
deiros charutos regalos, regalia, cagadoros,
deputaJos, venus, senadores e soberanos
de llavana, em csixas de cen e 250, por pie-
cos rasoaveis.
A pobreza.
Vendem-se cebollas amei canas pelo ba-
rato preco de 80 b 160 rs. a estea, e a 320
rs. o cenlo das sullas : nos armazens Jo bec-
co do Gongalves, junto a esa da Sra. Viuva
l.asserre.
Deposito de cal e potassa.
Cunta & Amorim, na rua da
Cadeia do Kecife n. 5o, recebe-
ram pelos ltimos navios de Lis-
boa Novo Vencedor, Carlota e
Amelia barris com cal virgem, t
vendem, tanto a cal como a po-
jssa, por menos preco do que em
outra qualcpier parte.
Arados de ferro.
Na fundigo da Aurora, em & Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na Rabia.
Vende-se, em casa deN. l). Bieber&C. ,
na rua ila Cruz n. 4, algodo transado da-
quella fabrica, muito propno para saceos de
assucar e roupa de escravos, por preco com-
mojo.
nligo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue Jarujo 111.
Cal virgem de Lisboa,
da melhor que ha no mercado, e
chegada ha dias pelo brigue Ern-
preza : trata-se com A. (". de
Abren, na rua da Cadeia do Ke-
cife n. 37.
Na rua estreita do Rozarlo, travessa do
Queimado, loja de miudezas n. 2 A, de J
F. dos Santos Maya, vendem-se cordas de
tripa e bordes para violSo e labeca, e pa-
pel pautado para msica, ludo ila uielboi
Iualidado possivel.
'lo para sapateiro e para saceos.
Vende-se um restante do ptimo lio para
sapateiro em novillos, e dito em meiadas
para saceos, por preco commodo para li-
quidar facturas : em casa de Adaiuson llowie
& Companhia, rua do Trapiche o. 42.
Lotera de V. s. do Llvramento.
Aos .-:oooSim>o rs.
Na loja de miudezas da praga da Inde-
pendencia n. 4. vendem-se bilhetes, meios,
quartos, quintos, decimos e vigsimos, que
corre impreterivelmenle no da 28 do cor-
rete. ,
Bilhetea iuteiros 11,000
telos ^ 5.500
Quartos 2,600
Quintos 2,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600 I
Cera em velas.
Vendem-se caixas com cera em velas, f-
bricada no Rio de.Janeiro, anrtfdas a onta-
dn do comprador, o por prpQo mais barato
do que em outra nVnli'Oer parte. Trata-se
com Machado* Pinheiro : na rua do viga-
rio n. 19, segundo andar.
~ Vendem-s" pegas de chitas pardas, co-
res fi xas, a 4,500 rs. earetalho a 120 rs. ;
cortes do camtiraia, mili bonitos, cores li-
las, a 2,600 rs. ;e 100 saceos de estopa no-
vos, com duas varas cad um, a 320 rs.: na
rua larga do Rozarlo n. 48, orimeiro andar.
Vendcm-ss sellins inglezes
milito bons, brides, arreios para
car. os de um e dous cu val I os, tu-
do recentemeate chegado de In-
glaterra e de superior qualidade:
em casa de Kidgway Jamicsson &
Companhia, rua do Trapiche No-
vo n. la.
Tecido de algodSo trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Deposito de e-pelhos das ma-
nafacluias de franca: na rua do
l'asseio n. lo.
Tinta para escrever.
Vende-se excellente tinta para escrever,
em frascos de mais de garrafa, a 480 rs. ca-
da um frasco : na livraria ns. 6 e 8 da pra-
ga da Independencia
l'i dlilicll :i.
Vendem-se ricas cassas francezas, de lin-
dos padrees e de cores azues, rxas, ama-
relias, cor de roza, etc. Estas cassas s9o
de listrase com delicados desenhos. e tor-
na-se muilo reconiinendavel, tanto pela
qualidade, como pelo demiuuto prego de
480 rs. a vara : a rua do Crespo n. M, loja
de Jos Francisco Dias.
Vendem-se corles de chitas linas com
12 covados, pelo barato prego de 2,600 rs ;
trancas pretas para capotiuhos; bonetes
para enancas, e turbantes muito lindos pa-
ra bapti7aitos : rua da Cadeia velha, casa
n. 24, primeiro andar.
4. AlffOfliinpara suecos. ajp
$ Vende-se muitu boin algo tSo para fe
& saceos de assucar, por prego comino- >
.4 do : em casa de Ricardo Itoyle, na fe
f rua da Cadeia n. 37. #
%%&}$.%9;-9tM9 &&& '9tQ9M9 t>i
A I s 1,0.1.
Vendem-se peitos de carniza bordados
em cambraia, para senhoras, a cinco pala-
cas cada um : na loja de seis porlas, defron-
ledo Livramento.
A 64o res,
Na loja de seis portas, em frente do Li-
vramento, vende-se prineeza preta a duas
patacas o covado, propria para luto ou
qualquer facto preto.
I'aniio verde invisivel.
Veode-se pauno verde invisivel, muito Ti-
ro e baralissimo, n3o se menciona aqui o
prego porque causarla isso um admiragSo
aos pietendentes, a ponto de 11S0 fazerem
conla, e dizeiem, sem viiem ver a grande
uechincha, ora isso no ple ser panno
boni ; he esle o motivo por que R se dir a
vista dos compradores e do dito panno ;
tatnbeni restara algumas pegas de ganga
cor de cinza eamarelta, propria para pali-
tos de meninos, que para acabar com bre-
vidade Be yendero a 6,000 rs. a pega, e 1
me i a pataca o covado : 110 Aterro da Boa
Vista n. 18.
l.i-i da guarda nacional.
Vende-se o peculio do guarda nacional,
conlendo a lei, regulamento e o mais preci-
so para a mesma, a 1,000 rs. cada exem-
ular : na praga da Independencia, livraria
J Casemiras. q
Q Na-loja do sobrado amarello, nos .y
5 quatrocantos da rua do Queimado ja
Q n. 29, vendem-se corles de caiga de
_ meia casemira, bons padrOes, a 3,500 Jf
X rs ; ditos de casemira decores, os- 9
y tos muito modernos, a 7,000 ris,
O tendo muito onde os freguezes es- <3
O colherem. &
0O0O:OO:0 0:OG<300
fina esclava parda, moca, co-
ziuheira.
Vende-se urna bonita parda.de 21 muios,
boa cozmheira de f.irno e engommadeira,
nAotem virios ncm achaques e he muito
liol, o que ludo se alianga ao comprador :
na rua larga do Rozario n. 48, primeiro an-
dar : a escrava tem urna fillunha de quatro
mezes.
Vendem-se queijos londri-
nos, tonci .bo em mantas, e vi-
Ihas verdes, conserva de (odas as
qualidas, cha preto, pos para p3o
sem fermento, baldes para com-
pras e mais gneros: ludo ltima-
mente chegado de Londres: na
rua da Cruz n. 7, armazem de Da-
vis & Companhia.
Cheffiem ao barato.
Vende-se coila franceza, com quatro pal-
mos de largura, cores iixas, com algum lo-
que de molo, a 160 rs. o covadu e a a.ooO
rs. a pega ; e limpa, a 220 rs o covado e a
7,000 rs. a pega : no l'asseio, leja n. 21.
- Vndese urna pela de bonita ligura,
que faz lodo o servigo de campo : na praci-
ntia do Livrameulo, venda n. 50.
Loteria de N. S do Liviameato.
Aos 5 000,000 is.
Na rua da Cadeia n 46, loja de miudezas,
vendeu-se o bilhete inteiro n. 951, em que
sabio a sorle de 1:500,000 rs., e eslSo ex -
postos venda os bilhetes e cautelas da
mesma lotera, que corre impreterivelmen-
le no dia 28 do correte.
lili Ir lis 11,000
Meios 5,500
Quaitos 2,600
lie ciatos 1.I0J
Vigsimos 600
-- Quem quizer poupar venba ver e com-
prar, pois o ganlio de quem vende Pica em
mo dos compradores, e sempre ficam lo-
grados sois amos ou seos senhores. Na rua
Nova, venda ao pe da ponte n. 71, e no Ater-
ro da Roa Vista, venda n. 54. ao p da loja
do Sr. Estima, vende-se manteiga ingleza.
a 640, 560 e 480; cha, a 1920 ; espormcele,
a 720 e 6V0 ; vellas de carnauba, a 320 ; le-
tria muito nova, a 240 ; macarrlo e talha-
rim, a 200 ; tapioca, a 120 [ farinha de Ara-
ruta, a 200 ; caf em gr.lo, a 160 ; toucioho,
a 160; bolachinha ingleza, 280; ateito-
nas novas, a 200 rs. a garrafa ea 1,400 aan-
coreta de mais de urna caada ; milho al-
pista, a 960 a cuia ; painso, a 610; azeite
doce, a 640 a garrafa ; arroz, a 70 rs. a li-
bra ; o outros rouitos gneros, que se dar
0 prego a visla do comprador.
Tinta superior.
Vende-se muito superior tinta para es-
crever em frascos maiores do que garrafas,
em porc.lo e a retalho, por menos do que
em outra qualquer parte : na rua da Ca-
deia do Rocife 11. 31, primeiro andar.
Vendem' se dous pardos de 20 a 25 a li-
nos, sendo bons marinheiros, e um tam-
bem bom cozinheiro: na rua do Collegio
numero 3.
Casa de modas francezas, Aterro
da Boa Vista n. I.
Madame Ruessard Millochau tem a honra
de participaras suas freguezias, que pelos
ltimos navios viudos dp Havre, 1 tic chega-
ram modas novas de Pars, como sejain
ricos vestittos para noivascnm os cabegOes
e veos, vestidos par bailes e thealins, Clia-
pos, mantelillos, capotinhos, enfeites de
cahega, flores finas, um sorlimenlo muito
grande de lit'S e bicos, CabegOes de bico,
camizinhase colarinhos bordados, chapos
de palba para senhoras e meninas, transas
e franjas, esparlilhos, luvas de pellica com-
pridas para rasa melos e baplisados, lengos
de cambraia de linho, bicos de Monde lar-
gse estreilos, veos o manlllhas debloade
venia le rn, lucos de liulio verdadeiro, rain
braiasboidadas, filas lisas abordadas, lu-
vas, etc. etc : ludo por prego commodo.
EftVctivamenle faz-se ohapos, vestidos, e
em ge ral todos oa adornos de senhoras.
Cobertores bespanb.6es
de cores, muilo fortes e de todos os tama-
nhos : vende-sena rua do Crespo n. 11.
-- Ven le-se na rua da Senzalla Velha,
padaria 11. 100, ao entrar pelo Becco Largo,
superior faiinha de mandioca, viuda lti-
mamente de S ,nla Caiharina por cada sac-
es pagara o portador a pequea quaotia de
2,000 rs. leva urna sacca nova de bom al-
godSozinlio, equerendo,desconta^e-lhe 260
rs. passando para outra sacca que*1cve.
-- ATLAS lopographico e administrativo
do imperiodo Brasil pelo visconde de Vil-
liersdeL'lle Adam : recebem-se asigna-
turas para o mesmo, na rua da Cruz, arma-
zem n. 13, onde se vende em separado o
mappa lopographico desla provincia.
-- Vende-se um bom cavallo de arroga e
duas varandas de ferro por prego oouio-
do : na rua Nova n. 61.
Vende-se duzia e meia de cadeiras, um
jogode bancas, um sufa e urna mesa de
meiodesala : ludo de Jacaranda e por pre-
50 commodo : na rua do Amorim n. 36.
Vendem-se saccas com alqueire de mi-
lho : no Becco Largo do Recile, venda que
volta para a Sonzalla Nova.
-- Vende-se um bonito mulatinbp de 10
a12annos; urna preta de 18 ann'ps, en-
gommadeira e cozinheira ; un liud/oescra-
vo de elegante figura : na rua das Cruzes n.
20, venda : estes escravos venJem-so para
liquidadlo.
ioiii e barato.
Iiua do Passeio Publico, loja n. 9, de Al-
bino Jos Leite, vendem-se riscados mons-
tros, a 200 rs. o covado ; rassas para baba-
dos, a 240 a vara ; madapol3o, a 2,000 a pe-
ga e a 120 a vara ; chitas, a 4,500 a pega e a
120 o covaJo ; chapeos de sol, tanto de ar-
mag3o d'agocomode baleia, a 2,000 ; len
gos de seda de cores, a 1,500 ; biins de li-
nho azul ede cores, a 300 o covado; cha-
les de chila, a 500 e 640, chita para cober-
la,a 160 ocovaoo; e outras muilas fszen-
das, que se deixam de annuuciar para oSo
occupar lempo.
Na rua das Cruzes, venda de Domiugos
da Silva Campos, ven lem-se e alugam-se
as nieliiores bixas de llamburgo, tanto em
pur "10 como a retalho, por.prego commodo.
Vendem-se candieirs para
lucid de sala, muito ricos, cojn os
competentes globos, canudos e tor
cidas, dando a luz mais bnlli inte
possivel : na rua do Trapiche n. 8.
-- Vendem-se manlelletes lurta-cores, e
ricas toucas para baplisados : na rua do Ca-
buga, loja do unrte.
Vende-se farello em saccas
muito superior, a 3,000 rs.: no
armazem de Joaquim Pinheiro Ja-
come, travessa da Madre de Dos
numero 9.
Vende-se um bonito escravo mogo, ro-
busto, proprio para euxada e machado, ou
armazem oa aa*ucar, por ter inulta torga :
na rua larga do Rozario n. 48y I.* andar.
Vende-se una armagSo de loja de miu-
dezas toda de louro, por prego cummodo :
na la do Cabuga, loja n. 9.
Vende-se um escravo de 18 annos, pe-
rito ollicial de pedrero, a que sabe traba-
Ihar em asseutauenlo de engenho : na rua
l)neita n. 3.
Vendem-se duas carrogas das que car-
regam pipas, em bom eslado de Irabalhn,
por piego voinu.odo : na povoagSo dos Afo-
gados, rua du Catuc, a tratar com Julio
llesp niiul, na mesma ru, primeira venda.
Vendem-se queijos londrinos, ditos
flainengos, diios guier, presuntos para II-
auibre, ditos para pauella, Irascos com con-
servas, ditus com musanla, latas com sar-
diulias, ditas com trvilnas, potes com sal
1 clinadu, barris com duce de calda, vinhos
do i'oiio particular, xerez, champagne,
burdeaux, carcavellos, brnxelles, madeira
secca, muscalul, selubal, frontigoou, cog-
nac, licores sonidos e todos os mais gene-
ros de venda : na rua Nova n. 3o, venda de
Antonio Ferreira Lima & Compauhia.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americano
com cambo de sicupira e bracos
de ferro ; na fundico da rua do
Bruin ns. G, 8 e 10.
Vende-se urna preta de nagSo, de bo-
nita figura e sadi, que sabe eozioKar e en-
{ommar alguma cousa : na rua da.Cadea do
rtecifen. lt.
-- Vende-se urna preta de nagdo, do 25
innos, 9en vicios nem achaques, que cozi-
nbaeengomroa soffrivelmente: o motivo
por que s.i vende se dir ao comprador : na
travessa da Madre de Dos, venda n. 1.
Vendem-se bilhetes inleiros, meios e ca B
telas da 16.a lotera a beneficio das obras da
casa de corregflo da corte, que corren a 4 do
corrente, e cuja lisia espera-se, pelo vapor
inglez, que aqui deve chegar a 18 do mes-
mo : na loja de cambio da rua da Cadeia do
Kecifj n. 24, da \'ova Vieira & Kilbos.
Cimento.
Vendem-se barricas com cimento, pro-
prio para qualquer obra que possa reee-
i.ei afina, nssnii como para aljeroz a Ira-
peiras, prximamente chegado de llani-
burgo, tambem se vaodem as meias barri-
cas por pre?') commolo : atrs do theatro,
armazem de taboas de .inho, a fallar enm
Joaquim Lopes de Almeida, caixeiro do Sr.
I0S0 Matheus.
.Mminina Rosa Hiuily. modista
braslletra, rua Nora n. 34.
Annuncia ao publico e particularmente
aos seus freguezes que tem para vender um
completo sorlimento de grosdensple de
furia cor e preto muito superior, assim co-
mo sarja e chamalote preto de primeira
qualidade; linos cortes de grosdena pie) de
furia cor adamascado tanto para mantele-
tes como para capotinhos; ricas franjas e
rrquife de seda de fuita cor, proprio para
infeites dos meamos, a qual se vender
comprando alguma porgo da fazenda ci-
ma dita ; um rico sorlimenlo de mantele-
tes, capotinhose palitos de grosdenaple de
finta cr e de|chamalote preto, ludo de
multa consistencia e feuos em Fianca ; ca-
potinhos de fil de linho preto ; ditos para
meninas de 4 a 8 annos; um variavel sorli-
menlo de bonitos chapeos de seda de todas
ascOres; ditos de fina palba de Italia para
enhora e menina, elegantes cha; osinhos
de seda com lindos infeites proprios par
baplisados ; ditos de ptima palhinha para
menina e menino; os melbores e mais com-
modos espartilhosque tem chegado a esta
praga; novase riquissimas capellas muito
proprias para osamentose bailes ; ricos
cachos de flores para infeitar chapeos de se-
ohora ; luvas de pellica com infeites de su-
perior qualidade para senbora ; ditas de di-
ta curtas para homem e senbora ; um gran-
de soi tmenlo de bonitas fitas e de difieren-
tes cores; chapeos deso para sen hora ;
perfumaras finas ; armagOes pretas e bran-
cas para chapeos de senhora ; gorgurSu de
cOres proprio para chapeos de dita ; sapa-
tos de setim branco ; camisinhas e romeira
para senhora : e outras muilas fazendas de
gosto moderno.
->
>
w
5>
*>
,>
-*
?>
% prio para sbccos e roupa
^ .,. ;....,.,.,.., 1;.. ,,,-.,i,m
Deposito de tecidos da fabri-
ca de Todos os Santos,
na Bahia.
Vende-se em casa de Domingos Al-
ves Matheus, na rua da Cruz do Re-
cife n. 52, piimeiro andar, algodAo
transado daquella fabrica, muilo pro-
de escra-
vos, assim como lio proprio para re-
des de pescar e pavios pare vellas, ^
por preco muito commolo. 4
* A -A 4 ''> it A ft ft A A A A A A *
Devoto l hristo.
Vende-se o livrinho que tem por titulo --
Devoto Un si Ho -a 640 rs. cada exemplar:
na pregada Independencia, livraria nme-
ros 6 e 8.
Na rua do Collegio n. 16, taverna de
Antonio Joaquim Ferreira da Silva, vende-
se superior farinha de mandioca em boas
saces, a 1,920 cada urna, adverlindo-ae que
este prego he para quem se quizer apro-
veitar, porque esta pechincha nSo pJe
durar.
A bordo dn brigue nacional Sagi-
tario, fundeado em frente do Tren, ven-
de-se muito boa e nova farinha de man-
dioca, chegada prximamente de Santa Ca-
iharina, por prego muilo commodo.
Vendem-se dous barris vasios, que fo-
ram de azeite doce e vinho: na rua das Cin-
co Puntas n. 82.
Chapeos de missa sem pello.
Na loja de seis portas, em frente do Li-
vramento, vendem-se chapeos pretos e par-
dos a dous mil ris, assim como chapeos de
palha da liaba por pregoa rasoaveis, e de
outras qualidades.
d 1 ton i tu figura.
j Vende-se urna preta moga, de boni-
! ta figura, que lava e he quilandeira : j?
na ruado Vigaiio n. 12, lerceiroan- *
1 dar.
9&m* m Attrucan bo barato.
Vendem-se novas ceblas pelo barato pre-
go de 320 rs. o cenlo e a 3 000 rs. o milhei-
ro, e em resteas escolhi (as a 80 rs. cada
urna : no armazem que foi do finado Bra-
guez, junto ao arco da ConceigSo, cem um
armazem, ao entrar na rua da Senzalla
Velha.
nonac aos si>, freguezes do ba-
rato que lelam o segulnte
aiiuuncio.
Vende-se brim de quadros de linho, a
320 rs. o covadu ; riscado de linho, a 220 rs.
o covado ; dito de algodo, a 180 rs. o co-
vado ; pecte muito encorp*do, proprio pa-
ra escravos, a 180 rs. o covado; castores
muito encorpados, a 280 rs. o covado;
brim transado branco de linho, a 1,920 rs.
oc'te; dito escuro, a 1,600 rs. o dito;
esguiSo de algodSo de 12 jarda*, a 2,400 rs.
a pega ; cortea de fustSo, a560rs.; cober-
tores escuros de algodSo, grandes, a 720
rs. ; cassa preta, a 120 rs. o covado ; chita
de cores filas, a 160 e 180 rs. o covado : na
rua do Crespo n. 6, ao p do lampeSo.
M*"awMaaMwaiaaai*a*aaaaaBiaMaaaaafcJ-.;a
Vende-se um bom cavallo
castanho muito forte, nicamen-
te por estaracabada a festa, por
preco commodo : na coxeira do
major Sebasti3o, rua da Floren-
tina.
Por 1:000,000 rs.
Vende-se a posse de 53 palmos de terre-
no, com a frente para a rua da Aurora e os
fundos para a rua do lljspicio : trata-se ua
praga da Independencia n. 17.
Na rua das Cruzes n. 18, tercoirn an-
dar, vende-se urna ptima parda de 26 an-
nos, que engomma, cose ch3o, cozinha e
lava de sabo ; urna ptima preta de 22 an-
nos, que engomma, cozinha e lava ; tres di-
tas muito mogas, que cozinham, lavam de
subSo e vendem na rua ; urna crioula de 21
anuos, que engomma, cose chSo, cozinha e
lava ; tambem se vende urna crioula, de lin-
da ligura, de 24 annos, com todas as habi-
lidades, sendo para fura da provincia ou pa-
ra engenho.
Casa de coiimu nacao de escravos,
na rua do Hozarlo larga 11. 22,
segundo andar.
Vendem-se oilo escravos mogos, bons tra.
balhadores de enxada ; 2 lindos molecotes,
sendo um hom carreiro e de boa conducta ;
urna mulatinha de 14 annos, com prendas
de cosar e ennommar ; duas negrota de 16
annos e de lindas figuras ; urna negrinha
de 12 annos, con principios de costura;
urna prela boa quilandeira; duas ditas de
meia idade, que saliera coainhar e vender
na rua ; um preto da Costa, de meia idade,
i ropno para trabalhar em sitio, poreslar a
isso acustumado.
-- Vendem-se superiores ervilhas muilo
novas para os amantes dos bons peliscos,
e la-nbem servem para plantar-se? tanto
em libras como em garrafOes, por prego
muito commodo : na rua do Rozario larga,
venda 11. 25.
1 ^^aaaaHBaj
Escravos futidos.
No dia 27 de Janeiro fugiran. do enge-
nho Baixa Verde, Fortunato elgnacia, casa-
dos, escravos de Antonio Lourengo Tavarea
de Albuquerque, lavrador do mesmo enge-
nho ; o escravo tem 22 annos de idade, sec-
co do corpo, beigos grandes, canellas'com-
pridas; tem duas fstulas no queixo infe-
rior, sendo urna de cada lado ; e a escrava
he alta, gecca do corpo, ps e nulos grandes,
ossuda, nariz muito chato e bastante feia
de cara ; tem as costas marcas de chicote
ja um Unto velhas ; he de supi Or que esle-
j.1111 ne.'ta praga ditos escravos, por isso
que o escravo ja ahi esteve fgido oilo me-
zes : roga-se as autoridades policiaes e ca-
pilfls decampos apprehendam e levem-
os rua do Livramento n. 14, a Francisco
Cavalcanle de Albuquerque, ou ao mencio-
nado engenho llaixi Verde, ao proprio do-
no, que sarita recompensadas.
No dia 30 do prximo ptasado, pelas 7
e meia horas da noite, desappsreceu urna
esenva crioula, de nomo Benedicta, baixa,
cheia do corpo e denles da frente podres ;
levou vestido de chita branca j usado e
lenco encarnado no pescogo: roga-se a
qualquer pessoa que a pegar, leve-a a seu
senlior Joito Caetano Coelho, na rua do
Amorim, sobrado n. 19, que ser bem re-
compensado.
No dia 3 do corrente desappareceu a es-
crava Benedicta, crioula, de 18annos; le-
vou solitarias de ouro as ore'nas, vestido
de chita azul-claro j desbotado e panno da
Cosa, a qual sahio a vender em urna ban-
deja com duas toalhas de bretanha dela-
varinlo e bico lias pontas : piotesla-se usar
do rigor da lei contra quem a liver occulla,
assim como se alianga boa recompensa a
quem a levar seu seuhor, na rua do Hos-
picio, casa n. 5.
---->,-11 ji mwiiiiwwwnif
0 mulatinho Agostinho
fgido.
1 Na noite de 11 para 13 do j
& passado ausentou-se o es- |
l cravo Agostinho, pardo a- gj
1 caboclado, cabellos pretos e j
I lisos, ps grandes com os de-
i dos grandes grossos e camba-
[ dos pora dentro ; he fi I lio do |
[ sertio, muito lallador e fio- ^
9 ta: roga-se as autoridades g
policiaes, capilJes de eam-
( po, assim como a toda e
& qnalquer pessoa qnc o en-
1 contrar, de prende-lo e con-
duzi-lo a seu senhor Ben-
I to Jos Taveira, na rua da
I Cruz n. 20, que n5o s paga-
& r todas as despezas, como
g offerece urna generosa re-
S compensa a quem o trouxer. a
i*wmmmwwBmwwm Fugio no dia 22 do passado mez de rte-
zembro, o preto Antonio, de nag9o Cabin-
da, representa ter 45 annos de idade, altura
regular, cheio 4% corpo, rosto abocetado,
muito cabelludo nos peitos ; levou caiga e
jaquea oe ganga azul, he official de caldei-
reiro da fabrica da rua do Brum n. 98; tem
sido encontrado em diversas mas desla ci-
dade, em Santo Antonio, Boa Vista, AfToga-
dos e Corredor do Bispo, ora em urna, ora
cm outra parte, e ltimamente leve-so in-
formago queseguio para as partes de San-
to AnlBo : roga-se, pois, a quem o appre-
nhender, U.ve-oans senhores do mesmo es-
cravo, Mosquita & Dutra, na dita fabrica,
que ser generosamente recompensado.
Fugio no dia 24 do corrente do enge-
nho Tapera, sito na freguezia de Jaboaliio,
o escravo de nome Jos, de nagSo Nag,
cojo sinaes caractersticos aSo os seguintes:
corpo e altura regulares, olhos salientes e
vivos, sem barba, com falta de denles, ros-
to talhado, 1 (M giossos,'representa ter de
idade 30 anuos, he muito ladino; a vista
do exposto recommenda-se aos capitfies de
campo a captura do dito escravo, pelo que
serSo generosamente gratificados.
rY'tv vaTvi ^f M.r.nr P


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOGZFVWDF_Q4OFPX INGEST_TIME 2013-04-13T00:10:03Z PACKAGE AA00011611_06318
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES