Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06313


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Terga-feira 4
partid ts dos coaazios.
Gnlanna e Parahlba, s segundas e sextas (Viras.
RJo-Grande.do-Norle, todas as quietas feiras ao
, IIH'lu-dl.l.
Oaiaiibuns c Honito, a 8 e 23.
Hoa-Vistae Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quiulas feiras.
Onda, tollos os das. '
I
PHCMIBlDES.
'Nova, a 1, as 3 h. e<2 m. da m.
Ph.srs ni m. ) Creso, a 9, as 6 h. e36 m. da m,
runas o ".o.jCneU- a ,6> as | h. e 9 m. da m.
\Mlng. a 12, s 7 b. e 19 m. da t.
*BBAMA a DE BOJZ.
Primeira s 7 lloras r 42 minutos da raanha.
Segunda s 8 horas e 6 minutos da tarde.
de Fevereirode 1851.
N. 28.
das da semana.
CAMBIO DE 3 OB rSVIll UBO
Sobre Londres, a 30 ',,d.p. 1/000 rs.O
FBEOO DA SUBOBIPQAO.
Por tres meses fadlanlade) 4^000
Por seis metes 8/000
Por um anuo l.unii.i
3 Seg. S. tlrai. And. do J. dos o 4 Tere. S. Andr. Aud. da Chano, d), J. da se-' Pars, 30_por fr.
guma varado c. e do* fritos da fizenda. w T.isbia, 85 a 90
5 (Juarl. S. gueda. Aud. do J da 2. rara.. Ouro. (Jucas hcspanhnlas.....
Ouint. .<. Drotiiea. Aud.. do J. doi orf. e do ni Muelas debXOO velliag.
da primeira vara. de #IO.i novas .
7 Sen. S. Romualdo. Aud.do J. da l. v. docivcl, de 4f000.......
e dos feitos da faienda. Prata.1'atacOes brasileros....
8 Sab. S. Joo da Malla. Aud. da Ch. e do i. da! Pesos columnarioi.....
2. vara do civel. Ditos mexicanos........
9 Dom. S. Apollonia.
dias.
aojnoo
Ui'Ollil
lb>lMI0
y/iioo
l 1/120
1/180
MoPO
16*200
lli-inO
U/lhO
1/110
l/i-10
1/700
ERRATA.
No communieailo publicado emop. 26
desle Diari* primHrn pagina, ter'ceira cu-
ino na em o (m du segundo paragrspho em
vez de spanddo pela morali lade, digs-se
--cspncalo pela imrrioralidade,
.paMaBSBSBasaBBafiBB
\P*T* /FFlCuL.-
/

COVEKNU DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 27 DE JANEIRO
DE 1851.
Olllcio.Ao commando das armas, in-
teirando-o do disposto no aviso do ministe-
rio da guerra datado de 15 do corrents, no
quitl sn determina que o forneciment dos
medicamentos para o hospital regimental
seja feto pela botica do hospital de carida-
de mediante um abalimenlorssoavel, e re-
comalendando a remessa do formulario
fomi possivel brevidade, flm de poder ef-
fecluar-se o contrato.
Dito.Ao mesmo, scient(cando-o de ter
deferido favoravelmeute o requerimeato
do alfores do corpo fizo do Cear Jo3o Car-
los l.ocio e Almeida, a que se refere o seu
ofllciu de 21 do corrente, e b ;m sssim es-
pedido a> convenientes ordens a agencia
dos paquetes de vapor para ser esse oQlcial
transportado para aquella provincia no va-
por l'emambucana. Neste sentido ollici-
<>u-se a tnesina agencia e a pagadoria mi-
litar.
Dito.Ao mesmo, duendo que, segundo
foi declarado em aviso do ministerio da
guerra de 3 do corrente, se expedio ordena
ao iimn chai de campo commandante das
armas da corte a (lm de fazer seguir para
esta proviucia a disposicSo da presidencia o
primeiro lente doquarto balalhTo de ar-
tilharia a p Leopoldino da Silva Azevedo.
Dito.Ao mesmo, recommendando a ex
pe licSo du suas orJens para que no dia 2
de fevereiro prozimo futuro marche um ba-
talhQo com a respectiva msica para a ca-
pella da Estancia,* lim deassistira Testa
de Nossa Senliura da A.ssunpco.
Dito.Ao mesmo, remetiendo a guia do
soldado desertor do segundo batalhSo de
artilharia a p Uanoel Francisco dos Santos
que pelo bxm. presidente das Alagas foi
enviado para esta provincia.
DI0.--A0 mesmo, coinaiunioando que,
segundo constou de aviso do ministerio
da guerra datado de 4 do corrente, lera de
seguir para esta provincia a lim de ser em-
prpgado, conforme a utilidade do serv;
publico, o coronel graduado do estado-
mai-r da segunda classe do exercito Traja-
110 Cezar llurlamsque.
Dito.Ao mesmo, iuleirando-o de haver
concedido passagem pora o stimo bata-
lllo de fuzileiros, conforme foi declarado
cm aviso do mimstiio da guerra de 9 do
corrnle,ao soldado particular do secundo
de caQadores Jorge Hara lleredia que 01a
se acha na corle, addido ao deposito de re-
crutas.
Dito.--Ao ch fe de polica, para man lar
receber a bordo do vapor Bahiana a Vicente
Ferreira l.ontra, que leve baixa do servico
por ser escravo de Mannel Comes da Cunta
e Silva, i quem o mandar entregar depuis
de proceder-se a tojas as indagarles Vio
coslutnee deliaver elle paguas despezas,
que se lizerem com o referido escravo.--
Ufiiciou-se nrste sentido ao agente da cum-
pa nhin das li.ni- de vapor.
Lito.Ao juiz relator da junta de justica,
transrnillindo, para ser aprsentelo em
sessSo d mesma junta ; os procesaos ver-
baes feitos aus soldados do segundo ba la-
dillo de arlilharia a p Alexandic Alves de
Oliveira e Jos Francisco de Santa-Auna .--
Inlelligenciou-se ao commando das armas
Dito Ao capilo do porto, para que re-
meta mensalm.enle um relalono das obras
do melhoramniito do porto desta cidade, a
lim de ser enviado a secretaria de estado
dos negocios da mariuha, conforme fui de-
terminado por aviso expedido por aquella
secretaria em 4 do crrenle.
Hito.-- Ao director do arsenal de guerra,
para mandar alistar na compauhia de a-
prendizes daquelle arsenal, depoisde la-
vrado o termo de que Irala o art 4 do re-
gulamenlo n. 113 de 3 do Janeiro de 1812,
o menor Josquim l'ereira Simes.--Oici-
ou-se ueste sentido ao juiz de orphos desle
termo.
Dito.Ao mesmo, dizendo que, segundo
consluu de aviso do ministerio da guerra
de 3 du crrenle, se expedio ordem ao di-
eclor do arsenal de guerra da corle para,
remetter para esta pruvincia oem arrobas
de plvora grossa.
Dito.Ao commandante do brigue escuna
Ugaltdade, intrirando-o de haver concedi-
do a permisso que pedio para iralar-se eoi
sua casa o segundo tenente de armada Ma-
noel Antonio Vital deOliveua perlencMiito
a guarni(,'fl<> do brigue escuna sob sen coui-
mando.Scieoticou-seao inspector do ar-
senal de mariuha.
Dito.Ao 1 adre Jps Ildefonso Rodrigues
da Silva Dulra, inteiraiido-o da disposic,3u
do aviso do ministerio da guerra datado de
14 do corrente, do qual consta ter sido Smc.
conliiuiado no lugar de prol'essor de pri-
meiras Ultras dos aprendizes menores do
arsenal de guerra desta provincia.
Dito.A JoSo Pinto de Lemos Jnior e
Jos Pires Kcrreira. Transmiti a Vmcs.,
para seu cunt*cimento, e de quem mais
con vi r, a inclusa copia do aviso expedido
em 11 du corrente, pelo qual S. M o Im-
perador liouvu por bem determinar, que es-
ta presideucia louve em seu nome a Vmcs
e nos demais negociantes que otTereceram
a caa com as accommodacOes convenientes
o pagos os respectivos singuis por lempo
re um anno para nella funcoionar o tri-
bunal do commercio desta provincia.
IDEJf DO l>l V 28.
OuIco.t-Ao co.rnma'ndanti das armss, in-
teirn'lo-o de haver concedido um mez de
licenQS registra la ao primeiro cadete do
Mtundo hatalho de artilharia a p Fran-
cisco Borges Leal.
Hito.Ao juiz relator ilajuuta de jusli-
C, transmittin lo, para deoois de vistos se-
rem a presenta dos em sess9o da mesma jun-
ta, os procesaos verbaes feitos ao segundo
cadete do oilavo balalho de Cardadores
Bernardo Francisco Soares e ao soldado do
tercejro de arlilhana a p Antonio Marques
Kerreira.Fizeram-se as convenientes sum-
municac/Ses.
Dito.A pagadoria militar, para que,
vista das duas contas que nuvamentn remel-
le, mande pagar ao delegado do termo do
Uuricury, ou a pessoa por elle aulorisada,
a quantia de 98,880 rs., em queimportam
as despezas feilas com os recrutas nellas
mencionados.Communicou-se ao desem-
bargadorchefede polica.
Dito.A mesma, remettendo as contas
das despezas fetas coro os recrutas vin los
da cidade de Goianua, a flm de que mande
pagar ao respectivo delegado, ou a pessoa
DOr elle aulorisada, a quantia de 11,520 rs.,
od que importam as inesmas contas In-
telligenciou-se ao desembargador chefe de
polica.
IM0.--A0 director do arsenal de guerra,
concelendo a sutori-aclo, que pedio, para
comprar 60oitavas de prata lina desoda,
seis leocoes finos de cobre e qualro arrobas
de zinco, sendo a prata e o cobre para fac-
tura de onze cornetas, mandadas fornecor,
por des.mello ila presidencia de 14 docof^
rento, ao oilavo balaliiSo de cacadores, e o
zinco para os Irahalhos das ollicinas da
quarta classe daquelle arsenal. .- Scienti-
licou-se ao inspector da pagadoria mi
litar.
Dito A lliesouraria da fazenda provin
cial, remetiendo as clausulas mediante as
quaes deve fazer arrematar a factura de un
anco do atierro da obra da casa de deten-
filo, visto assim julgar conveniente o direc-
tor das obras publicas.Cominunicou-se io
dito director.
Uito. -A mesma. para mandar adiantar
ao director das obras publicas, que assim
o requisita, a quantia de 5 000,0u0 rs. pa-
ra coiitiiniaelo da obra da casa de deleii-
cSo liilelligeiiciou-sa ao referido di-
rector.
Dito A mesma, para que man le adian-
tar aoengenheiro Flonano Desii l'orthier,
conforme requisita o director das obras pu-
hlicasa quantia dn 1:750.000 rs sendo rs
1:000,000 para continuarlo da obra da 1 un-
le sobre o roPirapama, e o resto para os
reparos da estrada do sul. Scienlificou-se
ao mesmo director.
Dito.--Ao commandante superior da guar-
da nacional do municipio de Santo-AntHo
recommendando a expedido do suas or-
dens para que do batalhAo da cidade do
Victoria* marche no dia 16 de fevereiio pio-
ximo futuro urna guarda de honra para as-
sislir a festa e acompanhara procissilo de
S.-Sebaslio, que se tein de fazer naquella
cidade.
Hilo.Ao director das obras publicas,
inteirando-o de haver, de conformidade
ru'.n a sin iiil'ui inai;,io, autorisadu o inspec-
tor da lliesouraria da fazenda provincial a
mandar proceder aos termos do Irasuasso
da obra de que he arrematante Joao llypo-
Iiiii Mi'ira Lima.
Dito.Ao mesmo, autorisando-o a man-
dar demolir os armazens que ficam airas do
palacio da presidencia,, visto acharein-se
muito arruinados como Smc. declara, de-
vendo aproveitar os maleriaes.
rosa correspondencia que a no*sn praca
mantem com as da Europa, e bem assim
com ss da Bihia e Rio, exigen cortamente
isio.
Os procos das passagerm nara a Europa,
tambero nos parecem mui altas, principal-
mente para Portugal, donde epaa onde,
sendo elles mata baixos, pnilerlam os vapn-
pores conduzir grande numero de psasazei-
ros em coosequencia das eatreitas relacOes
existentes entre o Brasil e aquello reino,
norquanto os dous povos nSo sSo ligados
smente por meros interesses commerciaes,
senao tambem por lacos mui sagrados,
quaes sao os dosangue.
Se a compauhia dos paquetes de vapor
das Indias Uccidenlaes e do Brasil alleoder
as rniisnieraci's que deixamoa expostas,
tornar-se-ha a inda mais credora de nossa
eslima e gratidSo, aln de que, assim
obrando, promover ao nosso ver, muito
melhor o seu proprio interesse.
llillJ) HE PEittaBDC
BECIFE, 3 SE FEVEUEIBO DE IH51.
Com a chegada do vapor inglez Teviol, o
primeiro pertencente compauhia de pa-
quetes de vapur iras Indias Occnlenlaes edo
Brasil, estabelecida em Lonlres, que en-
trou o nosso po,rto,abrio-se hoteui urna nova
era para o commercio extorior desle nup -
rio, e principalmente paraodesta provincia,
o qual vassin satisfeiU urna de suas pri-
num ras necessidadesa certeza e rapidez
das communicacOes.
Simdehoje por diante n3o passaremos
mais, como al aqu, 40 e 50 dias sem noli -
cas da Europa, as quaes tanto nos iuteres-
sam em todos os sentidos ; no principio de
cada mez seremos infallivelmente infor-
mados dos aconiecimentos quo tiverem ti-
lo lugar uaquelies dos estados transatln-
ticos, com us quaes temos mais relaces,
al 7 e 8 do niez' precedente, havendo ape-
nas o pequeo inlervailo de 23 ou 24 di js
AS vantagens que disso resultaran para a
nossa provincia, sSo tilo obvias que oiga-
mos ninguem haver queasnSo perceba,
ponsso, deixsndo de aqu desenvoke-las,
limitar-nos-hemos a observar que o servico
importante que a compauhia de Londres,
emprehendeiidu 13o til obra, fez ao mesmo
lempo ao seu e ao nosso paiz, ser inda
maior, se ella se dignar de modilic r um
poucooseu regulamento, ordenando que
os respectivos vapores, em vez lie se domo-
jireiu a^ui smente seis horas, se demo-
ren! viute qualro ; ou pido menos que
cltegn tu pela mantilla, nSo saiam se-
Na segunda das cartas do nosso correspon-
dente de Pars, que hontem publicamos. Iera*n
visto sem duvida os Ititores a desintelligenqia
ou antes a guerra que ltimamente rebentra
entre o presidente da repblica franceza e a as-
sembla Daciooal respectiva, guerra que se es-
pera tei em resultado ou a elevacao total de
Lm /. \a pul.-ao, ou a sua inteira queda.
As nfuriiiafc dadas pelo dito nosso corres-
pondente, julgamos oecessario accrescentar
mais outras, as quaes achainos as gaietas in-
glesas e Trncelas que recebemos, para que oa
leitores possam fater urna ideia exacta do esta-
do em que ticra aquelle paiz.
Em a mu le do illa, no qual teve lugar na as-
sembla iiacioaal o iucideale relativo ao gene-
ral Cliaugarnler, liouve no tliseu um contelho
de miuisiros, presidido, segundo o costme,
pelo presidente da repblica. Ksle depnii de
expresiar-se mui calorosamente acerca da hos-
tilidade ciiiitiuiia la da asscmbla e do apuio
que llie derao dito general, quexou-se da ina-
uelra fraca pela qual os ministros defendiam
all nao smente a elle presidente, sean tam-
bem os seus proprios actos, e acabou deca
raudo que era impossivel que o gnverno podes-
se por mais tempo continuar, teudo o cu.........
dame em chele do exercito quasi em hosiilia-
de abena contra si, que por tanto julg.iva de
absoluta necessidade que o dito commandanie
fusae ileinmiilu do seu posto.
s ministros observaran! ento ao presiden-
te que a aituacao em que se achavam era extre-
mamente diit'u-iilin-, i, e pedirain-lhe que se
leinbrasse que uo era elle, porm elles que te.
iaiu de ser o alvo dos ataques da assembla,
ataques que dobrariam em iuleiisldade, se el-
les ii.uii 1 ussi-111 o general Uiaiig iruier, o qual
seria 110 uiesiuo iuelante adopiailo como o cain-
peo da assembla. Elles ennfess iran que era
dilhcd que o guverno podesse continuar leudo
Urna peisoa tal, como o general Cliangaruier
em bosulidade, cuino elle se acliava, tanto cou-
ira o chele do estado, como contra o .nesino
goveruu, poiin observaran! que era necessa,-
no coiilemporsar e esperar una melbur ucea-
sio para remediar o mal.
No dia seguiuie a assembla pratlcou um
oulro acto de bostilidade contra o presidente
da repuulica e o governo. Procedendo-ae a
eleicao dos presidentes e secretarios das 15 acc-
edes em que ella se divide, nenlium dos indivi-
duos que vin.11 .un pela deinlsso do ceinmis-
sario de polica Yon, naliiu eleilo, entretaulo
ijiieugenei.il I.ello, Mr. Bate e Mr. de Panal,
us tres quesluies que mais activos se muslra-
1 un em sustentar aquelle coiuuiissario in.nn
ludus ileii. presidentes das sucedes de queta-
aciu parte K>ta escolha, a qu I leve lugar im-
mcdialamenle depois dos oulrus incleiiles.
tul sem duvida cuusiderada OOulO a ultima goi-
ta laucada ua ta,,.i da amargura. Um cuusellio
de ministros se reuni logo e o presidente da
repblica ej>ressuu-se nellc aluda mais lirme-
liante do que no precedente; pormos uiini-
tros nao se considerando bastante fortes para
condescender com o que elle requeria, a de-
misso du general Cliangarnier, deram tudos a
sua deuiissao.
11 presideule da repblica manila chamar ao
Ellaeil dill'ereules jiersuuageus para cuusulla-
los sobre as dilliculdades da slluaco, porm
al o dia 8 de Janeiro, ao qual chrgam as gae-
tas que recebemos de Pars, a crtse ministerial
anda cooluiuava jior nao ter elle podido ainda
1 11 ni.11 um um 'i 1;.1 limen-; entretanto diversas
lisias circulavam oaqualla cidade a este res-
peilo.
Segundo uns, Mr. Odillon Barrot ser nomes-
do iiuutslro da justica ; Mr. Lun Faucher, mi-
nistro do 1 n 1 un ; Mr. Ii.uu, ministro das
obras publicas; Mr. Fortoul, ministro da ins-
trueco publica ; Mr. l'assy. innnslru da ralea-
da o geueral llc-u.iuli Ue St. Jeau d'Angely,
iiiiuistro da guerra; Mr.de Flavigny, iiiinistru
dos negocios eslrangeiros | Mr. buclier, iiiiuis-
tru da agricultura e cuuimercio ; Mr. ttomaiu-
D'fusas, ministro drmariulia,
Seguudu ouirus. Mr. Abbatucei ser nomea-
do ministro da justica ; Mr. Lon Fauclier, 1111-
nislru do intenur; lr. de ferslgny, uiiuistro
dos negucios esirangeiroi; Mr. Kuulu, ministro
da la/.einl.i o gcnc al l,ai aguay 'lillllcrs, 1111-
uisiio da guerra.
Segundu outros finalmente, Mr. Lon de Mal-
lev ilic ser Humeado ministro du iuteriur ; o
duque de Uassauu, ministro dos uegucios es-
traugeirus j Mr. Ubie, uiiiiislio da lazeuda; o
general Carrelet, minisiro da guerra; O alml-
lanle Leblanc, uiluisuo da inauulia; Mr. hn-
toul, minisiru da iustruccupublica; Mr. Gre-
teriu, mmullo du coiiuueiciu; Mr. St.lieurge,
preleltu de polica ; o general Jlagiiau, cum-
ni.ind.iiile em iluli do exercito de i'nn em lu-
gar du geueral Cbaiigaruier.
Mas u ruuvuir relenudu-se ulliuiaineule a
cii.se 1ninisie11.il, espriiue se asauu :
Oremossauer que una parte dos inembros
du gabiueie luruaraiu a luuiar as auas pastas.
a As retiradas que jiareceui quasi certas sao
aS dus nimsima seguales : .Mi U nni.llu-lle-
l'osss, Mr. de furrier; |Mr. de La titile, Mr.
Biucau e Mr. Scliraiuin.
Carece raioavel que Mr. A. Fould conser-
var a pasta da lazeuda.
Hi/.eiii que Mr. llarroche deizar a pasta
do ii.u-i 101 e passar para a dajuali{a.<)
A demisso do general Changarnier do coin-
ii.iii in do exciciiu de farls est deliniuva-
meiiic resulvida pelo |nesldeiite da repblica,
q3o a tarde, e Chegando a tarde, n3o saiam 'qur o miulsteriu actual contine depois de
seoSo no outro dia pela inaiiuSa. A nume-! modificado, qur seja orgauisado um novo ga-
I bnete. A noticia desta resolucao do presiden-
te foi acolhida na Holsa por um inoviinento de
aV-s, o qual sendo levado ao cooheciinenln da
assembla pelas 4 horas da tarde do dia 7 de
Janeiro, piodiuio ahi nina profunda emocaa.
Oaegulnte nteresiante artigo foi publicado
oa Prn de7 de Janeiro por Mr. A. de la Gu-
ronnlre.
lUntt no tiresioTenff.
A crise cunlinua. Uoje, bem como non-
'em, Mr. Lula Napoleo teme eitenuadn em
faier combi >acdes diversas. Moje, bem como
hontem. elle tem encontrado nnpassibilldades
ibsnliitis. O banco ministerial permanecen
vaslo durante toda a sessio. A ausencia de to
da a fnrea de goveno se revetou assim por
una imageiii material Nao sao sinen e os
nomrns que e.lan ausentes. Os principios e
as ideias o eslao tambem A resistencia pro-
luiio a impotencia. A confuso terminou na
negaco.
Tal he a situaco do Sr. presidente da re-
pblica depois de dous anuos de poder. O
eleito de seis mllhdes de sull'raglos acha-se re-
ducido a una impussibilidadede governo. Ape-
nas Ihe resta Unje um canliiiho no immenso
taboleirn de 10 de deicmliro. Klle deixou to-
mar ludo. Klle reeuuu de saque em saqne di-
ante dos jogadures mais habis que elle, e est
1 a,1 prosnuo de solirer mate que nao pode vol-
lar-se nao para a dlreita, nem para a esquerda,
iie-ii fazer uiesino nenlium moviineiito e na
crise aberta, ha dous dias, est por assim rii-
zer bloqueado enlre um ministerio iinjiossvel
e um ministerio nao achavcl.
Compreiihendenius bnm a O'gulhosa
satisfaQo dos talicos da maio'ia. Ell-'s
acaliam de faz> r una campaiiha, a qual
pnva que silo anda mais habis do que se
poda suppd-los. Nunca comelfeito empre-
sa alguma lia ililicil em apparencia foi le-
vada mais completamente a bom lim. Da-
ci lidamonle Mr. Thiers he um grande, ge-
neral Depois do ler esludado e cotila lo a
estrategia do lio, elle qniz experimentir
contra o snhrinho o po lr da eslralegia
parlamenlar. 1:11 proprio dirigi as ope-
raefles, sem se compfomeiter. sem se cm-
penhar pessoalmenle, sem se expr ao logo
e em menos tem no do que teria sido preciso
ao duquei de Wellinglun para desbaratar
um batalhfio da velha guarda, pzem der-
rota um exercito de seis milli s de eleito-
res, fez presioneiro o chefe deste exercito,
aquello que tinha sido elevado aocume da
repblica sobre esse glorioso broquel po-
pular, e gaiihou mis balallia de Waterluu
por cmil 1 da regencia.
Essa I1.1t. Ih. de Watorloo, a qual Mr.
Thiers ganhou, e Mr. L. t\. Bonaparie per-
leu, he a le de 31 de maio, he a dislrui-
qSo do sulfragio univenrl. A Preste uo
tem mais que repetir hoj'O que ella disse
entilo, ella levaiiloil de halle o grito Je
alarma, esse grito uo foi ouvi-lo. Entre
nuss i coiisciencia e o ouvido do i>o lf lia-
va o optimismo que deva aliafar a iiosst
voz, Mr. L M Buuaparte foi venc lo, ou
para melhor di/er, fui Iraludo, Irahido por
outros e por si mesmo. Elle ib-izou licen-
ciar o seu exercito ; elle renunciou assim
toda a resisteucia, e enlreuou-so a maioria,1
a suas HescouliaiiQis, a suas exigencias, a
seus olios, a suas iugralidcs, e as sua
amhicoes.
A maioria nao se conslrangio. Ella
uo desuivolveu nem suas preferencias,
nem suas es)8ranr;as. Lila fui a Wiesba-
! ii preparar a .._ r.n,-;M.> do Sr. conde de
Chambord. Ella foi a Clareinonl animal
prcteiicues da Sra duqueza d.i Orleans.
I ni nava-.,' evilciit" que Mr. L. N. Bona-
paite nao Ihe pareca mais terrivel. Ella
.te tinha servido delle para restaurar em
liorna o olisolulismo do passado temporal,
i para abalar debaixo dos ps de notaos
soldados os ultimo! esiiehiixanientos da
liberidde italiana. Ella se linha servido
lelle para suppiianir o direitu de reuni.lo,
para esiahelecer contra a imprens leis
insis ternveis do que as de selem 10. I.I1.1
te em mate Mr. I.uiz NapoleSo Bonaparte
aeha-S'! onde linje o venus, encerrado em
um circulo, o qual se vai RftreiUndo ci-
Id vez mais debaixo do esforgo dos |iarli-
los e das iull lenciis parlamentares.
I'ara quebrar esse circulo, seria de mis-
lerom desasa iniciativas que Ao a pru-
'enra e a sahedoria das situaces extremas.
1) Sr. presidenle da repblica lera acaso es-
sa 111 ni acau e ess volitad" ? Mil o o sabe-
nos. O qun acontecer irunhfia he um
mysterio Para nos, n3o he mai> urna es-
peranca- a
N3o obstante o que se l 110 arligo ci-
ma de Mr. de 'a Guronnire, militas nes-
soas ha em Pars que erem que o presiden-
te furia bem em resignar as suas fuucccs
9 aupellar para o paiz.
O Pouvor fallando a este respeilo expri-
me-se assim:
lie chega lo o temoo, no qual os ho-
mons pblicos qun eslilo que eslSo dis-
putan lo pelo poder, devein ser jugla-
I is. Os dillerentes elementos que i'oill-
pem a assembla nacional deve n s r pu-
rificados c renovados ; bem come o p'oprlo
residente, todos devem sulimetiei-se a li-
ma nova eleieo, Al ess decisivo mo-
mento nada do que lr feilo, p le s r enti-
lado cono diiradouro. (Irises ministeriaes,
S)lii(;0es parciaes daa difflculdaJea qii'sj
eslilo Ipvanlan 10, sSo menos palliativas.
NSo haver reponso, paz, segifiranc; 1, nem
grandeza e.i qmu to a actual poltica, a
qual ja vai ileclmindo, no Mr inteiramen-
le renovada. Urna appellar;3,i inmediata
para o paiz lie RgON necessaria. (I presi-
dente pode a deve resignar. A rirdem pu-
hlica esla assegurada ; una commissao par-
lamenlar podo gnvernar provisoriamente;
0 governo da repblica O qual nos un ir-
la siivar, .sea entSo o que o paiz quizar.
tal he a silo icilo BOI a qual estamos col-
locados pelas atfigat dos anlgos cheles de
partidos. Eila deve ser aceita corajosa-
mente, e esparamos que o sera ua parte quo
toca ao presidente.*
Mr. Guizol foi eleito presidente da aca-
demia das inscripto -s e bellas lelti as e Mr.
le Wolly viee-pri'Silentn.
)U\t UlllCis((>.
TltltiLTt) AO MRITO.
lia liomeris que, sunpos'o que persegui-
dos pe| 1 na Sorte, B qnasi que ,li iri.i enl
em lula cnni sull'i iuienlos e privacfles em
premio le una vi la PSC lima la le crim s o
vicios, dequando em quanslo depara 111 com
uccasiSo de darem novas provas le si, ede
protesiarem altamente, pelo seu proce li-
denlo, contra injiistifa com que lee n sido
es.jueciilos na distribuiffln dos pre ios com
que em um paiz regularmente constituido
soem ser galardoados os bons servidores
lu osi ido. U n d sses homena h cert imen-
l'j'i Sr. Jo* AaOBNio lUhB'i.
Cidadflo honesto encanecido no ser-
V150 publico; cheio de preceden! is hon-
rosos ; sempre um dus pri neiros a arris-
car su 1 vida em pi dos principios de or-
dem i| laii'lu sao elles ataca los pelos de
anarcma ; fernamliucano recommen la-
vel pnr mais de um Ululo, o Sr. Jo0 AbCe-
mo l: 1. 1 1/ s anda uo Coi C0II0C Ido na posi-
eSO a que o >ipii nos com iinlisputavel ,11
reito, e que elle pur eeito lena conquista-
do, se as cou-as uiarcliass'm regularmente
enlre nos: entreunto permittto o accaso
que por aiguus das Mlivessesob a i nme-
diata direcco de S S a pagadoria militar
desta provinca, em a qual 0 nosso disli ic-
to psiricio exerc o lugar de escrivflo, e
durante essa illleriuidsde portou-so elle de
ni 1 io a deinonslra; que Ihe sulirain ha bit i-
lago -s para bem desempeuhar cominiSsOes
-11.a' un es a i| .11' Ihe esta Confiada, e CUJO
se liuli 1 servido delle para destruir a lber-; liouuiario n3o basta para lialiilila-lo anc-
lado de consciencia, dando ao clero a dtrec
,'i'i iiiiicial do eiisino, subsliluinlo a uni-
versidadu calhohca universidade philoso-
plncu e leiga. Ella se tinha servido delle
sobre ludo para licenciar osse immenso
''. relio du povo, o qual com urna sedula
na mo, poda sempre desconcertar seus
orojectos sem lulas, sem couvulses, sem
guerra civil e sem revolut;es. Lila tinha-
Ihe assim ar'anca >o ludo o que dezejava,
nada mais linha que fazer delle.
E 11 o da 1111 que o presidente da re-
pblica foi desarmado, elle fui venc lo. A
na 10 la despensou-se enl3o de lo la a cere-
monia, ella tem multiplicado impuiiemeii'
to as huiiiilliaces ; ella tem dado mate ao
Eliseu em to ias as quesles ; mate ua ques-
ao das barras de ouro; mate na de .Mr
laiiguiu ; 111 ile ua da cunservaeo de Mr.
Yon ; mate ua do Sr. general Changarnier ;
nate na da composi(3o das urtsas das de-
ferentes secces da assembla. Um minis-
terio novo uo pode mais orgatiisar-se de-
baixo desta carnada de veigotiha.
uque faia oSr. presidente da repbli-
ca ? Appellaia para a OuiniSu- contra a
manira i' Mas elle alienou de si a opiuiSo
por sua complicidade eiu ludus os acios da
cecg.io. Quebrara a espada do geueral t.uuii-
garuiar ? Mas elle acabara esla espaJa di-
rigida contra seu petto na nulo da assem-
bla, a qual revisura o general Changar-
nier do commando das tropas necessanas
a sua seguranza. Dar elle a sua derais-
sSo e appellara para os seis milhes do vo-
tos que o nomearam a 10 de dezembro de
8(8 P Mas destes seis uiilnOes de votos tres
uiiInOes pelo menos faliaiam ao escruti-
110. Elle deixou lechar essa porta de sal-
varlo.
Male ao presidente.' tal tem sido o
santo da maioria, ha doos annos, e este san
to tem sido muilo bem observado. De ina-
currer as despezas a quo o fur^a urna fami-
lia nuinerusa, quasi toda cumposta de cri-
a.ic.S'iii' I lio ejinpre educar preparar
para diguameiile u suhsliluire>n na socie-
dade, e de pessoas que quasi nunca se UN
gu -m do leiiii da dr a que ciilermi 1 1 'es
chrouicas e por demais aliclivas como que
as Irazein colladas.
Sim, nos .mucos dias em que oSr. 1 mi
\ih:i:m 1 1 iiii'.or lingo os 11.1I1.1I11 is da pa-
gadura iiiililsr, por se actlar licinciado O
Sen digno chele, o expediente dessa iepar-
ueo nada sulTreu ; as partes lian ou-
vidas e despachadas com protnpti l.io e ur-
iiniiii.1,1,1 ; os 1 oieresses da fazenda pu-
blica, emliiii, ii'n'a o devidatiieulu liscali-
sados.
Iteceba o Sr. Joil Ancssio Brboz\ este
tributo que pagamos ao seu 111 nsputavel
ment; e crea quo, ludo confiando em
lieos, jamis cessaremos de rogar-lhe, que
tifio permita que tua veneranda e rugada
frontedeixc de cingir accin cuica que Ido
beiH the quadra, antes que a invulva a palli-
dez da uiurte. *
Fublicages a pedida.
Ilim. Sr.Solicito comosouem iromover
o bem estar dos meu&comparochianos, ga-
raiilindo-llius ludo quaulo tur ledenle a
segur.uica de suas vidas e propriedades,
purisso que este he o principal lim da iusti-
luicSoda auloridade, maniendo como Ihe
cumpre a ordem publica, e azendo pelo
incio da loi\'i respeilar-se esse diroilo sa-
grado do 11 la In, que seudo alias toga-
raudldo pela nossa OonsliluioS, sa lem de
.lignina furnia iii'sies, citado, poisquees-
ses houieus deshumanus, o sem religio in-
vdelo a piopriedade e vida do cidadfio
sem o menor escrpulo, e meuuscab3o as-
sim da auvoriiisde publica, por um ter a


HJP
^

m
s* iV-

sen llanca forca precisa para os repel ir
e fruslar-lhes os planos, e prvenc3o dos
delirios, e havendo recehido sobra meus
hombros o pesadissimo ergo de subdele-
gado desta fregu?'*, smente por servir a
minba patria, e ser ulil aos nieus cotnpnro-
chianrs ; devo na verdade confessar a V. S.
que erconlrei esta freguezia sem os meios
precisos com que se possa fazer a polica
d>lli. A guarda nacional do tercriro bata-
llio que todas as DOtr-1 Tornera duas na
Imillas para as rondas,* muito que riSo
api arree, e pelo n:esmo leor a de cavallana
de linba, tSo essencialmpnte precisa para o
Atierro dos A fugados,e que fez afogentar os
malintencionadosqtie por all se acoilavam
para a perpetradlo de delictoa, e que me in-
foi mam j tornaram a apparecer, atacando
tarde da noite as pessoas que poralii tran-
sido. Da mesma forma succede com as do
corpo de polica, porque ressentindo-se da
falta da soldados nesta capital, nicamente
fornecedeuma a duas pat'ulhas por noite
J v V.S.que neste apuro de circumst*nrias
n3o he possivel que urna autoridade, a
quem he [confiada a polica de urna fre-
guezia lo extensa, possa desempenhar e
cumplir as arduas funccOes que a le Ihe
conferio sem os precisos meios a seu al-
cance, ('hamo | o lano a attencSo de V. S
para este ramo do publico servido, e muilo
insto por urna forja de doze pracasde tro-
pa de linba para qualro palrulhas rondan-
tes esta freguezia, e bem assim a de cu-
vallan para o Atierro dos Afogado, alim
de que a polica possa ter urna accSo im-
mediata, e os criminosos, e aquelles a quem
.o deva prevenir os delictos, n3o zombem
de sua'alfada, pois que de outra manei-
ra, nilo me responsabilizo pelos fados, que
houverem de occorrer. Scientiflcando a V.
S. do que me he preciso para mplhur des-
empeiiho de minhas otingacOes, espero
de seu zelo pelo servico publico que me
fornecer da tropa sobrediU para o lim in-
dicado.
Dcos guarde a V. S. Subdelegada de S.
Jos do Recife, 1 de fevereiro de 1851.
Illm. Sr. Dr. F anciscode Assis Olivera Ma-
ciel dignissimo delega lo do primeiro dis-
tr cto do termo desta cidade. U subdele-
gado, Francisco Baplisla de A\meida.
BALANfETE DO COFRE D\ ADMINISTRA-
CAO" 1)0 PATRIMONIO DOS OHPHAOS.
\i mih:\ihi Di> 1. DE 01 II llto a 31
ni. ni /i-.mi'.iio iik 1850.
RFXhiTA.
i,i-ii 'oiifiuo do patrimonio 6:337,498
."libra- do collegiodos orphos 21.370
Dito dito das orphas 142,680
Extraordinario.
Diaria de urna pendonista do colle-
gio das orphaas 127,260
Legado drizado pelo fallecido bispo
de Mariana D. Carlos de San Jos
e Souza ao collegiu dol orpbos,
liquido
a,
270,000
0:898,718
Saldo em 30 de setembro de 1800 195,922
7:035 373
DESPEZA.
daiinistraro.
ordenados aos empregados 312,500
(arias aosexlinctos congregados 2'i0,-.'00
Concertos de predios 150,990
r,, -i.iin. oes 249,926
Colltgio ds orphoi.
Ordenados ao. embregados 926,932
Jornaes aos serventes 478,320
Diarias aos orpbos c empregadoi 1:550.000
Roupai 128 560
Otensi 201,418
Concertos 125,000
ColUgio das orphias.
Ordenado us empregadas 379.167
Jornaes as serventes 232 640
Diarias as orplias c empregadas 1:435,20"
iiii.ii, l da casa 275,00
Itensis " 44 000
i iiiirr.il de una orpba 55.5 0
7:045,333
Saldo cin 31 de dezembro de 18.r)0 49,137
7:094,670
Secretaria da administrado do patrimonio
dos orphaos, 9 de Janeiro de 185i
Antonw Rodrigues dt Almeida,
Secretarlo.
Domingos Afonso fiery Fimira,
Thesoureiro.
O Dr. Jeronymo Marliuianu Figueira d
Mello, ofiicial da imperial o'dem da Roza,
commendador dadechrislo, dezeo.bar-
gador da relapSo e chefe de polica da
provincia de Pernanibuco por S. II. o Im-
perador, que Dos guarde etc.
Attendeudo o que me requereu Francisco
Mxiliias l'ereira da Coate, e ao ter apresen
tado a flanea exigida pelo artigo 29 do re-
gulamento n. 151 de 11 de abril de 1842
mandado observar nesta provincia peloart.
35 10 da le provincial n. 130 do 2 de
maio de 1841, concedo-lhe |licenga para
poder ter tiesta cidade casa de consignado
para venda e compra de escravos ladinos
Dada nesta secretaria de polica de Pei-
Dambueo, aos 27 de Janeiro de 1851.
Jeronymo Mur/imano I igutira de Mello.
_;,_ ^^^ i i,
COgljjIEgU^BU.
ALFANDEGA.
Rendimanto dodia3.....6:763,205
Descnrregam hoje 4 de fevereiro.
Escuna-- aura farinha de trigo.
Brigue -- Fera baralho.
Urigue liona Motlnldc familia de trigo.
Rrigue ~ lihm ferro.
Pilladlo Sania Crea gneros do paiz.
Carca Linda- mneadorias.
i.i;.\M i.Aiin GEKAL.
Rendimento do da 3.....5:459,272
Diversas provincias...... 94,528
5:553,800
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAI-s,
INTERNAS.
Reudiroentododia 3......400,534
CONSULAUO PROVINCIAL.
Rendlmenlu dodia 3......3:912,494
NOTICIAS COMMERCIAES.
Liverpool 8 de Janeiro r/r 1851.
Algndio. O no rcaoo esteve moi apbthico
em vil lude da quanlidade que se lon.ou l)n
primeiro do crrente, es piceos ten. alem
disio urna tendencia a declinar. As vendas
Silo eslimadas pouco mais ou ni.....s em
21,000 saetas pela mior parle, lodas para
negocio O quadro da importaban na Ci S-
Bretaiiha comparado com o anuo de 1849,
mostra urna dimiuuicSo de 293,500 saccas
la America, e 3400 das Indias occidenlaes,
o um augmento de 8.000 saccas do Brasil,
7,100 do Egipto e 125.700 das Indias oren-
taes, fazendo urna diminuicSo total de
156.100 suecas.
0 consumo medio da Gr3a-nrelanha he
estimado semanalmenteem 29,125 saccas
constando de 4,450 d Uplanrl, 15,788 de
Orleans e Alabama, e 529 d Se Island, to-
tal 20,767, da America. 3,310 do Brasil,
1,542 do Egipto, etc., 3385 das ludias orien-
taos, e 121 das Indias Occidentaes ; haven
do urna diminuc3o no consumo do annn
passado de 1,421 sircas por semana ; porm
nos fardos ao consumo medio do nno pas-
sado he da 1878 aaccas, ou em todo o atino,
como peso de *l mlho-s emeio de libras
O deposito no reino, comparado como anno
le 1849. moslra urna diminuido de 46000
saccas da America, 24 500 do Brasil, 1,400
lo Egipto, e 700 das Indias occidentaes ; e
um augmento de 35,600 das Indias Orientaes
prefazendo urna diminuicSo total de 37,0?0
saccas. O peso medio na importarlo esta
calculado em 390 libras por sacca de U-
pland, em 455 libras por sacca de Nova Or-
leans e Alabarr.a em 333 libras por sacca
le S'ii Manda, em 182 libras por sacca do
Brasil, em 245 libras por sacca do Egipto,
em 383 libras por sacca das lu >ias Orientaes
e em 210 libras por sacca das Indias Occ-
lentaes fazendo a importado total em li-
li as, com o peso de 685,184,000, sendo
urna diminuido sobre o anno passado no
peso de 68.678,000 libras.
A importaQflo at 31 de dezembro de 1850
orcava por 1,572,455 saccas. O deonsito es-
t calculado at a mesma data em 454.870. O
consumo desda o Ia de Janeiro at 27 d-i de-
zembro do mesmo anno he de 1,432,440
saccas. para exportafSo at a mesma dala
217 610 saccas. O aUodSo de Pernambuco,
conserva o pre^o de 8 3|8 d. a 9 1|4 d. por
libra
Caf. N3o bouveram transadles.
.suiciir. i) is ludias Orientaes foram ve-
udos nicamente 1,000 saceos de Dates de
37 a 38 s. por quintal.
Amsierdam. Fez-so pouco negocio em
cal, porm os precos se sustentan bem :
o prego do bom ordinario de Java ha c. 30
1|2. O iiierciiioiloa-.sor.il- Mli mu soce-
Kado 850 cestos de Java foram ven I i dos a
f. 29.250 barricas de Suriimm mudaram de
man aos [ireeus hiiIi io'BS
Antuerpia. As ultimas chegadas do al-
godSo aind< nfio viera ni ao mercado ; o ge
ero esta mui firme, e 200 saccas de Nova
Orleans acharara compradores de c- 40 a
15 1|2. O cafe permanece firme com uma
boa procura, 6,000 saccas do Brasil foram
vendidas de c. 31 a 31 1|2 ; 1,000 saccas de
San Domingos a c. 32 ; e 800 saccas de Java
a c 34 1|2 O assucar esta fio na venda ;
coiitinudinos a receber novos suprimenlo-
que, naturalmente, tenlem a deprimir o
in mi lu anda mais longe. Os precos dos
couros eslo firmes, disposeram-se 4,200
seceos e 1,400 salgados de Buenos -Ayres, os
urimeiros de c. 32 1|2 a 42 1|2, e os ltimos
lee. 17 a 21 1|2.
Dremen. Os nossos avisos deste paiz an-
nu iciam que as vendas de caf e assuea'
san limitadas. O algodSo melhorou leve-
inenln em prego. A noticia recente da Ba-
laviasobrea faltada safra occasionou ne-
gocios considera veis neste generojunlando-
se, todas as chegadas recentes vindas direc-
tamente de Jiva para as mSos de uma ca-
sa I ii-i grande quanlidade lambdmde Ja-
va e Bdogala foi cmprala para expecu-
la?o.
flamburgo as cartas referee que se fez
pouco negocio em producto. Os mercados
comtudo, estilo firmes.
Havre. Io de Janeiro.
Algod&o -O da do auno bom tend ocahido
em urna Quarta-feira,e a sabida do Franklin,
ueste da fe/.-se necessario para publicar a
nossa revista do mercado do Havre mais
cedo do que he costme. Fomos avisa-
dos por um posl-icnptum, na nossa infor-
madlo de 25, receben,os na Terca-fera a
noite nossas carias dos Estados-Unidos ,
com data de New-York de 10, e pelo lelo-
grapliu elctrico por va de llalifaz at 12 do
passado, de Nova Orleans at 7, annun-
ciando uma baixa em tolos os mercados do
algodSo, e seis navios mais chegados a este
porlo. Conseguintemente o nosso mercado
que se suslentou diflicultosamente, tornou
a abaiiar, e a depreciarlo nos precos tanto
como as classificacocs fez mais adiante
progressos, que avahamos o primeiro de f
t a 2 em todas as sortes do mui ordinario
pura cima, porm as nossas mais bnixas de-
signares do baixo e mui baixo sen lo ra-
rns.no soiTreram alteragSo alguma Esta al-
sernaliva animou a procura,e as ordens par
comprar foram fscilniente executadas, as
vendas quotidianas comprebendendo 1,200
a 1,300 saccas, referem que nenhuma sema-
na se fechavam justamente cerca de 6,000
saccas inclusive 600 saccas vendidas a
'hegar, a maior parle das quaes eslo no
porto. O augmento do deposito tornou os
nossos possnidores protnptos vendedores
porm oa pregos So particularmente con-
tra os compradores, porque a informagSo
de Sexta-feira de Liverpool annunciando
uma procura regular e as vendas favoraves
em Manchester com piceos mui firmes, sus-
lentou o animo de nossos possuidores, e a
baixa parece no mesmo estado para o pre-
sente ; as vendas de hontem, montando em
3:000 saccas, tem mudado complelamento
o estado do mercado. A importagSo da se-
mana comgrehenduu 5,430 saccas pouco
mais ou menos igual ao impoite das ven-
d.is duranre o mesmo periodo, de tal sor-
te que o nosso de; osito be avahado em
40,300 saccas segundo o delalhe de um
linn ni q.e veto a |, a quem nos refiri-
los. Esperamos 28 navios dos E-Udos-
Unidos,dos quaes seis augmentaran! as nos-
sas ultimas datas com cerca de 12,000 sac-
cas- A falta nos recebimentos nSo produ-
zio anda eOeiloalgum neste mercado.
Cale A procura foi algum tanto mais
animada, desde a nossa ultima circular,
principalmente para a quanlidade sb i
vela. As vendas fOram 1,240,saccas de Ja-
va, por Benjamim Sanier, de f. 1 lo por 5(>
kilo^ra '-mas, pagosos direlos ; 1.50U SC
cas de San Domingos, a cliegar por llenry.
a f. 58, e 1,050 saccas por. St. Jacqoea, a
f. 51; na (i.anii i d,sl,is ultimas transaeges;
a00|sacosqit' se eaperav^m por Baiacnoi.
uilivi-i i. ni 1.59 e 200 saccas do Cabo de Boa
Esperanga f 5o Noticiamos alm dis sacca do Rio lavado a f. 64 por 50 Kilo-
grammas, no caes : importagao; 821 sacas
da Marliuicas por Uaspard Mupge.
^lucar.F.sta genero permanecen n'umt
Dosigo completa, e nSo temo transacgo*s
Izumaa a mencionar. O nosso deposito
laslnlias Occidentaes francezis est redu-
zido a 300 harnees, o prego oara a boa quar-
ta soi lo he de r.6t por 50 Ki'ogrammas.pagos
lireitos. No eatrangeiro os prego variam
le f. 28 25 a 2,890 para o de Cuba e Porlo
itico no caes.' As nossas ultimas data
las India occilentaes sSo de 20 de no-
vembro, por va de Inglaterra, Tres navios
esto carregand para o Havre.
Movimento do porto.
Navio entrado no da S.
Terra Nova 38 dias, brigue ioglez Vei de 160 tonelada, cipito D. Cray, equi-
pagerc 11, carga bacalho; a Calmoat A
Com ventila.
/Vneioj tahidos no mesmo Ha.
Trieste Rarca iogleza Esthtr Ann, cipito
Thomas Hunter, carga assucir.
Marselha Brigue franco/ Pauline, capillo
Julio, carga assucar. Passageiros. Jlo
Baptista Caaanova e Theodor Artand coto
sua senhora, Francezee. ___________
KD1TAKS.
Fago sabar a quem convierque os da
PsiK'iados para oa exime preparatorios
serlo da maneira segu ule :
as aegundasLatim.
Na tergas- -Rnetonca.
as quartas-- l-ogica e Geometra.
NaaSextasFrancez e Inglez.
Nos sabbadosHistoria e (', lographia.
Faltan lo algum, aubstilue com o saguin-
tn e no caso de feriado, aeja substitu,lo pe-
la'quiota feira. Secretaria da acad jinia de
Olinda, 31 dejioeirod-a 1851.
Yitcondt di Goianna.
0 commissario vaccina lor provincial,
mand i fazer publico os dous artigos abaixo
transcrioto. do decreto n. 461 de 17 de
agosto de 1846:
Art. 35. Ningnem po lera aar admit i do,
matriculado, ou1 tmeric-to em qualquer es-
tabelecimento official ou litlerano, publi-
co ou particular, sem que mostr primeira-
ente que leve vaccina regular, ou bex-
gasnaluraes, ou que foi vaccinido infruc-
cuosamente pelo menos tres yezea; nem
tnntinuar nos ditos estabelecimentos, se
tres annos depoia da primeira, nlo ttver fei-
io nova tentativa seguida de feliz xito, ou
izualmente repetida nos termos deste re-
gulamnnto,
< Art. 36. Tdodos o Individuos que en-
trarem para o ervigo do exercito, ou arma-
da, ou os que forem admit idos a estabele-
cimentos de educegSo, ou oflicinas que es-
tejam a cargo do governo, seiSo primeiro
que ludo vaccinados, a menos que mostrem
estar preservado desla enfermidade, ou
que j tentaram a vacclnaglo nos termos
proscriptos neste regulamento.
Sala da vaccina, 30 de Janeiro de 1851.
Dr. Junquim de Aquino Fonceca.
O Illm. Sr. inspector da tnesouraria de fa-
zenda provincial, eiu ouuiprlinento da ordeiu
do Bxin. Sr. preaideaae da provincia de 30 do
eorrenlr manila (azer publico, que no* dias 11,
12 e 13 de fererelro prximo viodouro vai a
prafa perante b tribunal administrativo da
mesma theiourari., para ser arrematado a
quem por menos fzer so concertos da ponte do
Anjosodre o Rio Serlhaein avaliada em 939,400
rs. e sIj as clausulas especiaes abaixo deca,
radas.
As pessoas que se propuzerem a esta ar-
rematuglo. comparega-n na sala das ses-
-O's do mesmo tribunal nos das cima
mencionados pelo meio dia, competente-
monte habiltalos na forma do art. 24 uo
regulamento de 7 de maio do prximo pas-
sado anno.
E para constar se mandou allixar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretara da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Rernambuco, 31 de Janeiro de
1851. ; O secretario,
t'iom'o Ferreira da AnnunciacHo.
a Clausulas especiaes da arrematiscdo. :
1.' As obras depedenlrs desta arremata-
ran, serlo feitas de conformidade com o
orgamento, apresentado nesta data ao Exm.
Sr. presdete desta provincia pelo prego
de 939,400 rs.
2.a O arrematante comegar as obras no
praso de um mez contado da data da parli-
cpag3o que Ihe fr feita da approvagSo da
arremalaglo pelo governo ; e as concluir
no de qualro mezes, ambos contados da
mesma participagSo.
3.a A importancia d'arrematagSo ser pa-
ga em duas prestagSes iguae ; a primeira
depoi de ter feto metade da obra, e a se-
gunda depoia de lavrado o termo do recebi-
iinnlo defininvo.
4.a Para tudo o mais que nao eit determi-
nado as preaentes clausulas segulr-se-ha in-
te i rain en le o que dispdeo regulatucato das ar-
maiaces de7.de uiaio de 1850.
Ponte dos Carvalhos, 28 de setembro de
1850.
O engenheiro chefe da4.a da se.-cao,
/'/,.rii/no VizirPortier.
Approvado pela Uavatclori trm con sel ho no
dia 14 de outubrad> 1850-O directora. *.
A Ivs Ferrreira. \.L. Yietor l.ievlier H.
A. Mtltt. -Fionuno besiri Portier.-- Appro-
vo. Palacio do. governo de Peroambuco,
15 de oulnbro de 1850.-- Souza Ramos
Conforme. -O official-maior, Manoet Clt-
menlina f.'arnelro da Cunha.
ODr. Jos nayiuundo da Costa Mcnezea, juiz
iiiuuicipal supplente ncita cidade do Recife
de Pernambuco por S. M. 1 e C. que Deo
guarde, ect.
Ka 90 saber aos que a presente carta de edi-
to vi mu, e del I a noticia tivrreio, em ionio
Gabriel Antonio me dirig j por escripia a peli
io do leor srgulnle :
Diz Gabriel Antonio que bavendo sido rou
bada a snacaia na noite de 26 para 27 de janei
ro e estraviadot diversos papis, entre ellea fo-
ram aa lettras constantes Ja reh^ao junta ;
querendo o aupplicante precaver o seu direlto,
quer fazer citar os responaaveii por ditas lettras
para flearem entendidos do extravio, e nao pa-
garem lenao ao aupplicante, ou a pessoa por
elle legtimamente autorisada, sb pena de re-
petirem o pagamento que indevidainente fixe-
reu, dlguando-se V. S. de mandar fazer a cl-
tafio por edito* pela permisto do paragrapho
i." da ordenafn do llvrn 4.", titulo 43, afim de
que seja julgada por enteca e produza os de-
vidoa lleiiui Pede ao Sr. Dr. juiz municipal
mande passar cditns para lim requerido, e fa-
zendo-sc nrlle eapeclHcada mc^ao de cada
uma das lettras, aua importancia, venciinentos
e devedore. E R. M. -- Alcanforado.
Nada mais conten dita petico, na qu.il pro-
fer o despacho aecutnie
Selados os documentos c depois de distribui-
da esta, facau-ie as citaces em termos. Reci-
fe, 31 de Janeiro de 1851. Costa Mmsii.
Nada mais contm dito meu despicho, de-
pola do que sendo a petico dcstnbuida ao ea-
crlvaoque este lude aubscrever, viera o mes-
mo escilvao com a duvida seguate:
. Illm. Sr. Dr. juiz municipal. Como o dea-
pacho de V. S. aeja concebido em termos, e co-
mo alguna do* devedorea pode estar presen-
te no termo ou juizo, por laso ne(0 exclareci-
nentosedevo pastar a carta de eduos iudu-
zlndo lodos os devedorea mencionados na rela-
cao. Cidade do Recife. i de fevereiro de 185i.
- O escrivao, Pedro Tertuliano da Cuna*, a
Nada mala contm dita duvida, sobre a qual
o suppiicantc fez a replica aeguinte:
ai Illm. Sr A duvida do escrivao nao pro-
cede, porque sendo aeltacao edilal requerida
em raso de seren inultos os citados, Pereira e
Souza, nota 203, be evidente que pouco linp >r-
ta queaejam aqui ou em oulro lugar morado-
res, e por laso capera que V. S mande proce-
der pela forma requerida, nao obstante a duvi-
da. F. R. M. Alcanforado.'
Cuja duvida e replica sendo-nae presentet
del o meu despacho aeguinte:
Passe a carta comprebendendo todos oa de-
vedorea. Recife, i. de fevereiro de 18l.~Co-
la Menesei.
Nada mala te continba em dito meu despacho;
e he o teor da relaclo do devedore que deven
aer citado o seguala:
Relacno das lettras que faltan das que foram rou-
balas a Gabriel Antonio a* noite de 28 pire 37
do forrante.
Cma leltra aceita por Manoel Jote Ferreira.
Machado, vencida em 14 de dezembro de 1832
de 245,460 rs.; urna dita aceita por Jos Candi-
do Rodrigues Ramos, vencida em o primeiro
de desembro de 1818, de 1-315.0JO rs.; uma
lita aceita por vminio Ribeiro Peaioa, vencida
em t de malo de 1838, de 345,934 rs.; urna dita
aceita por Jos Antonio da Silva e Jos Mara
Haiidelrade Moura. vencida em 9 de setembro
de 1839, de 500,000 rs.; uma dita aceiu por Jo-
s Claudioo Leite, vencida em 25 de fevereiro
de 1813. de 3;931.250 rs.; uma dita aceita por
Mjanoel Ignacio de Siauelra Cavalcaoti, vencida
ein.'ll de maio de 1817, de3:356,250 rs ; outra
lita aceita pelo intimo e vencida no mesmo
da mez e anno, de 11613,750 rs.; urna dita acei-
ta por Joi Mara de Vasconcellos Bourbon,
vencida em 2o de fevireiro de 1850, de 103 Uto
rs.; outra dita aceita pelo mesmo, vencida em
lO de dezembro de (850, de 1.000.000 de rs.;
outra dita aceita pelo meamo vencer em 20 de
dezembro de 1851, de 1:000.000 de r.; outra di-
ta aceita pelo mesmo i vencer em 20 de de-
zembro de 1852, de 1:000,000 de r.; outra dita
aceita pelo mesmo, i vencer em SO de dezem-
bro de 1853, de 1:000,000 da ris.; urna conta
correte asssignada por Antonio Jote dot San-
tos como taldo em 8:880,709 rt. Como advo-
cado, Jos Bernardo alvdo Alcanforado
Nada mait te coutin'ia em dita relaeo a qual
priiuento do meu dito despacho te pastou a
presente caria de editot, not termo da lei,
pelo leorda qual bel por citada a todat at pet
soai constantes da relacao que nesta vai Inser-
ta, p do na peticio do tupplieante que taiubetn
val inserta com a pena na mesma comininada.
Pelo que toda e qualquer pestoa, prenles, a
inigot e conhecidot dat referidas pessoat ai po-
derao fazer tcientet do que cima lica exposto;
e o porleiro do auditorio publicar e aluzar a
presente no lugar do costa,ue, sendo primeira
mente publicado pelo jornal.
Dado nesta cidade do Recife de Pernambu-
co, em o I.* de fevereiro de 1851. Pedro Ter-
tuliano da Cuuba. eterivio o tubscrevi.
Jos Raumundo da Costa Meneiee
Declaraeoes.
Aula da obst ci ilt-iu.
A matricula estar aborta desde o primei-
ro al o ultimo de fevoreiro, e no dia 15
princpiarSo as liees.
O vapor de guerra Thelis
recebe as mallas para os por-
los da Baha e Rio de Janeiro
hoje i'4 at 9 horas da manhSa.
Tlieaf.ro de Santa-Isabel.
42. RECITA DA ASSIG NATURA.
ourta raiRA, 5 na fkverf.iro of. 1851.
Espectculo variado.
Dramtico, canto e danca.
Depois de uma bella ouvertura, a compa-
nhia nacional representar o excellente
Dama em 5 actos, composigfio do babl es-
crptor o Sr. L. A Burgan,
l.niz de ..'aludes.
No intervallo do primeiro ao segundo
acto a Sra. Marieta Raderna, dancar ves-
tida dehomem o pagso a solo do
PAGEM DO IIUUUE DE VENDME.
No intervallo do segundo ao lerceiro, a
Sra. Candian e o Sr. Capurri, cantarSo o
bello duelo oElexir de amor,do maes-
tro DonizetU.
Do lerceiro ao quarlo o Sr. Felipe Tati,
ezeculart a grande aria de
Roberto Devereux,
msica do maestro Donizetti.
Do quarto ao quinto, as Sras. Baderna e
Moreau, danc,arSo o inleiessante passo a
dous
Os jardi n< ii o-
Terminar o espectculo com o ultimo
acto do drama.
Comecara aa 8 horas.
Os bilhetes adm-se venda no lugar
do costume.
O administrador empresario previne ao
respeiUvel publico que eati preparan.k)
magnifica decorado para oa bailes de mas-
caras, pressedidos de grande academia de
msica, que lenciona dar pelo carnaval, os
quaes serSo convenientemente a un un-
ciados. _
THEATK DE APOLLO
SEXTA FEIRA, 7 DE FEVEREIRO DE 1851.
Terceiro espectculo que da neste tliea-
Iro a cantora Augusta Candian, sendo este
do seu primeiro contrato.
Depois de uma escolhida ouvertura se-
guir-se-ha o grande rond da opera
VESTAL,
do maestro Gannin, ezpressamente com-
posto e dedicado a Sra. Candian, e por ella
ezeculado.
Aria da Ceaima di Nergi, do maestro Do-
nizetti, executada pelo Sr. Eckerlit.
Cavatina e alegro ata operaBarMro dt
Sevilha,pela Sra. Candian.
Duelo da mesma opera, pela mesma se-
nnora e o Sr. Eckerlin-
O mu distiolo artisU Pernambucano o
Sr. Pedro Nolasco Baptista, por obsequio a
Sra.Ctndiani, eiecuUr na flauta aparte
da Adalgr/a no duelo da opera Aoreta ,
execulaiido a Sra. Candian a par te de nor-
ma, com acompanharnetito de piano forte,
pelo distincto artista o Sr. Previa;.
Aria do Aseo, du maestro Donizetti, exe-
cutada pelo Sr. Eckerlin.
A Sra. Candaui, caular com aoompanba.
ment de orcbeslra a modinha brasleira
Adoret iiniu itliiut Impura.
Grande duelo da opera Nabueadonosor,
axeeutanio a Sra. Candian a parte de
Abigaillo, e o Sr. Pedro Nolaseo Biptista
executar no Ophicltidca de Nabueo, com
acompanbimento de piano forle pilo Sr.
Previg.
Finalisar o espectculo cota o muito ap-
plaudido dueto da opera
FIGI.IA BtL REGGIMENTO,
no qual spparecera a Sra. Can litni vestida
desoldado francez, execuUndo ea scena
o Jas as manobras militares.
0 resto dos bilhetes acham-se a disposi-
(80 do respeitavel publico, no eseriptorlo
do mesmo theaf o. ^^-^-^_-^-_
Avisos maritimos.
Para o MaranhSo sahe com a maior bre-
idida possivel o brigue escuna Laura, tem
excellentes commodos para paasageiros,
quem no mesmo quzer csrregar ou ir de
passagem, entenda-ae com o capito a bor-
lo, ou com Novase & C na ra do Trapi-
che n. 3*. ...
Para o RoGranda do sal uno no pou-
co das por ter o carregamento prompto o
oataxo nacional Euttrtn, pode reeeber al-
guna! roudezas, passsgeiros e escravos a
frete : trata-se na-rua do Apollo, armazam
n. 14. ou comoconsigatttro do mesmo
I-uiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz nu-
mero 33.
Para Lisboa sabe co-n brevidade o bri-
gue portuguez Va'oa, capiUo Jos TOomp-
son, quam no mesmo quizei cirrogar ou Ir
de passagem oara o que tem eicidleatee
commodos, drijs-se ao referido capillo,
ou aos consignatario Olivera Irma*o & C. ,
na ra da Cruz n. 9.
Seguir para o Rio Granie do sul bre-
ve o brigue denominado Social, por ter
parte de sua carga prompta: quem no mes-
mo quizer carregar, emb irear escravos, oa
ir de passagem, para o que tem bous com-
modos, pode eiitm ler-se com o consigna-
tarios Amorira IrmSos, ra da Cideia n. 39.
Vende-se o ptlhibote Caranarm, forra-
do e encavilhapo de cobre, de primeira
mareh, por preco commodo: quem o pre-
tender dirija-se a ra da Cruz n. 7, pri-
meiro andar.
Para o Rio de Janeiro.
Segu em poucos dias o brigue nacional
Adamastor, para o resto da carga, es :ravo
n passageiros trata-se com os consignatario
Machado & Pinheiro na ra do Vigario n.
19, ou com o com o capitflo Felippe Nery de
Olivera na praca docommercio.
Mais veleira nfto appareee, quem
duvidar perguute ao mestre.
Vende-se urna barcassa nova de primeira
viagem, bem (.construida, denominada Luz
do ila, de lote de 26 a 88 caixas, Tundeada
no Forte do Mattos, sonde os pretndante
a podero examinar: a tratar na ra do
Crespo n. 13, loja de JoBo de Siqueira Fer-
rSo & C. '
Vende-se a barcassa Dous Amigos, de
lote de 18 cutas, em mo estado por ter
balido oa pedre, veode-ee por todo e qual-
quer preco, porque o dono nSto tem dinhei-
ro para o concert : os pretendenles podem
exminar atrs da Rlbeire a dita barcassa, e
tratar na ra do Livramento, venda n. 8.
Para a Babia sahe no dia 6 do correte
a sumaca nacional Carlota, mestre Jos
Goncalves Simas, pode anda receber algu-
mas iniudezas e passageiros : trata-se com
o consignatario da mesma Luiz Jos de S
Ar.iujo, na ra da Cruz n. 33.
A escuna nacional Bmilta,de que he ca-
pitSoepralico Antonio Silveira Macel Ju-
nior.deve seguir para 6 Para por estes dias,
para cujo porto ainda pode receber alguma
carga e pasaageiros : os pretendenles diri-
iani-se a ra da Cruz n. 13,a fallar com JoSo
Carlos Augusto da Silva, ou com o referido
camino. ________^____
Leiles.
Terca-feira, 4 de fevereiro no armazem
de Campello fllho, llavera leilflo de carca de
280 saccas com farinha de mandioca a me-
Ihor que ha no mercado, e em perfeilo es-
tado, em lotes de 5 e 10 ssccas, ou a vonta-
de dos compradores; sendo esta venda ef-
fectuada para liqui.lacau de cootas. A
qualidade pode ser com anlocedencia exa-
minada no referido armazem.
George Kenwoithy & C. tirio leilo
por intervenQSo do corretor Olivera de
grande variedade de fazendas Inglezas,
para fexar contas : terca feira, 4 de feverei-
ro. as 10 horas da manhSa, no seu arma-
zem, ra da Cruz.
O corretor Miguel Carnero, fara leilao
no da terceira feira 4 do crrante as 10 ho-
ras da manhSa, no seu armazem na ra do
Trapxen. 40.de uma porcSo decevadinlit.
sabSo de diversas qualidades, unta em oleo,
azeile doce fino, agoardeoles e vinhos de
difieren tes qualidades, tudo muito em con-
t se vender, tanto a prazo como a vista.
Avisos diverso.
Precisa-se saber quem be o Sr. negoci-
ante desla praca que lenha reUcdes na Iba
daMadeira eSan Vicente, ao qual roga-se
de annunciar para ser procurado.
Constando ao abaixoaasignado que os
aeus inimigos, os quaes tambera o sao dos
cofre e dioheiro pblicos, dizera por ah
que elle j est rico, alim de dar crdito as
i ufa mes calumnias que contra elle propa-
lan!, declara pelo presente que nada possue
a excepeflo de auas vestes, traste* e caval-
lodo seu uo ; a para prnva-lns. faz doacJo
em pro da Imprenta, Argot, Echo a mais pe-
lournhos da honra alheis, de todas a mais
propriedades, predios, dinheiros a juros,
escravos, etc., etc., que o* redactares das
ditas ruinas Mi possam deseobrir em qual-
quer uma das cinco parles do mundo. Ra-
cfe, 3 de feveteiro de 1851.
Henrique Augusto Miltt.
Aluga-se uma preta para o servico in-
terno de uma casa, que coainha, eogomma
liso, cosa o sabe fazer todo o.servioo da unta
casa : quem a pretender, dirijo-so a tum do
Queimado, loja n. 10.
Preciaa-ae ajogar ama preta oacrava,
aua sirva para o servico de uma casa o seja
el: na pagadoria militar, a fallar com
Juao Arcenio Barboza.
Deseja-se aaber se existe nesta prtca o
Sr. Bernardo Jo> da CosU Guimaraes, viu-
do do Rio de Janeiro, para ae Ihe entregar
uma carta, que manda-lne um seu amigo'
no piteo do Terco o. 2i, ou aonuncie soa
morada.


r.,-. ..-'Vi-i'-'
*s,
.- ,1 .-. -.5 .. ..... .
. ;..:;* .T_:-J.'j .-- .-.' _
\



Mafia Joaquina lo S. Thom, "professo-
r* publica do bairro do Rec'fe, ftz publico,
que ch-e com aula berta, na ra da Ca-
deia, sobrado n. 20.
Quem precisar de urna ama secca para
to'loo.irvic<> de urna casa, dirija-se ra
do Alfil* do Peixe n. 3, primeiro andar.
-- Precisa-se alujar urna prela captiva pa-
ra fazero servico de urna casa de pouct fa-
milia : quem tiver, dirija-ss 4 praca da
Independencia n. 38.
Pelojuizoda primeira vara do civel,
escrivBo Cunha, lindos oa dias da lei, tein
de ser arrematado em praca publica un so-
bradinho de dnus andares, na ra estreita
do Rozario n. 6, por execucSo do legitimo
credordeJoSo Ignacio Rodrigues da Costa
e sua mulhei. O eacripto acha-se em poder
do portelro do jnizo.
Precisa-se de urna preta escrava para
o servico interno de ama caaa de pouca ra-
milla : na ra do Crespo n. 14, terceiro
andar.
Precisa-se de um caixeiro para tomar
conta de urna nadara, eque afiance 4 sua
conducta por pessoa Idnea : na rna Direi-
reit n. 40.
Na minhSa do domingo, 9 do oorrente,
desappareceu o escravo Manoei, crioulo, de
33 annos, alto, chelo do corpo, rosto car-
nudo, pumas multo tortas, de ananeira que
mrtlo os jorlrros om pelo outro ; he muito
regrista e folgazBo, fuma e sabe fazer cha-
rutos, serf ico em que se lem occupado ; foi
escravo do finado JoBo Peixe : quem o pe-
gar, leve-o 4 fabrica de charutoa n. 45, na
ra estreita do Rozarlo, ou na roa daa Trin-
cbeiraa n. 46, que ser recompensado.
Vicente Jeronymo Wanderley, Dr. em
medicina, acba-se residindo no Aterro da
Boa Vista n. 8.
A pessoa que deseja fallar cora a Sra.
alaria Leopoldina Cordel da Silveira, di-
rija-ae 4 ra Direita n. 89, segundo andar.
Precisa-se de um bom ofcial de mar-
cmeiro para trabalhar em urna loja ne*ta
cidade: quem pretender, dirija-se 4 ra das
Florea, casa n. 1, para tratar do ajuste.
Pergunta-se aos testamentei-
ros de J os Ferreir da Silva Lei-
te o mol i vo por que nao tem pago
aos credores: isto deseja saber um
dos credores.
No priuieiro andar da caaa de tres di-
tos, da ruada Praia de Santa Rita, ha urna
ama crioula para o servico interno de urna
casa, a qual cozinhe, cose eengomma.
OITerece-se urna mulhar para ama de
homem solleiro ou de pouca familia para
fazero servico de urna casa : na ra do Bur-
gos n. 7.
No dia 3 docorrente desap-
parereu de casa d<; seu senhor a
escrava Rufina, de nacao Cosa, de
a4 a a8 annos ; levou vestido
rouxo, panno da Costa branco com
)istrasazues,j usado e duas carni-
zas, sendo urna por cima da outra,
estatura regular, corpo franzino,
falla muito atrapalhada ; esta pre-
ta costumava andar com outra a
vender fazendas. Recommenda-
sc a quem a pegar de levar ra
do Y gario n. 19, segundo andar,
que ser recompencado.
Aluga-se um grande sitio perto da
praca, o qual tem proporces para ter 10 a
13 vacraa de leite, grandes baixas para ca-
p m, poco com boa agoa de beber e alguna
arvoredosde fruto; quem o pretender, di-
rija-se 4 ra da Praia, sobrado o. SS.
- Manoei Ai.ionio de Jess embarca para
fra da provincia o seu escravo pardo, de
nome Carlos.
Pede-seao Sr Germanoqnequeira dig-
narse levar 4 scena o drama Valido San-
guinario.
Uuem precisar de urna ama de leite sem
fllho, dirija-se ao largo do Pilar n. 13.
0 abaixo 'aasignado professor particu-
lar de primeiras lettras, disciplinado em
preparatorios no lyceo desta cidade, parti-
cipa ao respeitavel publico e aos pais de
seus alumnos, que desde 13 de Janeiro das-
te anno abri sua aula, e debaixo dessa
mesma disciplina ensina por principios
a grammalica portugueza, latina e france-
sa ; admlttindo nesse recinto porcionistas e
meio porcionistas. Os pais de familia que
qulzerem applicarseus filhosaalguma des-
sas disciplinas, ptam dirigir-se a ra lar-
ga do Rosario n 48, segundo andar.
Jote Mura Machado dt Figneiredo.
Joao Martina Contal ves avisa a quem
interessar, que vendeu a sua loja de louca
na ra da Cruz n 68. ao Sr. Manoei Antonio
Vieira ; o mesmo julga na Ja dever, todava
sealguem sejulgar seu credorbaja deapre-
sentar sua conta que promplamenie ser
satisfeito. Becie, 3 de fevereiio de 1951.
Jeto Martina Concalves, avisa a todos
os seus devedores hajara de vir satiafazer
anas contas no praio de oilo dias, senfio
quizerem ver seus nomes neste jornal, e
usar-ae dos meios judiciaes. Hecife, 3 de
fevereiro de 1831.
Na ra eatreita do Rozario o. 98, se-
gundo andar, se dir quem d4 dinheiro a
premio ; na mesma caaa, vondem-se 9 pa-
res de brincos. 9 trancelins, 3 cordes, I
vernica, 2 aneles, argolas, cruzes, dous
relogios patentes de ouro e corrente, 1
appaielho de prata para cha. 1 faqueiro, 1
salva, t par de eeslirjal, 1 patena, e outras
obras.
Jos Pedro das Nevos relira-se para a
Baha a tratar dos seus esludos.
Loteria de N. S. do Llvramento.
Na praca da Independencia n. 4, loja de
miudezas, foram vendidos os decimos n.
875 em que sabia a sorte grande de 5:000o00
rs. nos vigsimos n. 649 em que sahio a
aorta de 710,000 rs. e tambero foi vendido
na mesma loja o inteiro n. 951, em que sa-
hio asarte de 1:500,000 rs.
Para solver suspeitas, julgo conveni-
ente fazer a seguinle explicarlo : Jolu
Lourenco ejeisas Jnior fui chamado 4 ra
du Crespo n. 13, para recebar urna carta de
um seu tio, viuda das AlagOas.
' Precisa-se alugar urna escrava para co
zinha, ciigornmar e fazer todo o mais servi-
co de urna caaa de pouca familia : na ra
Direita, primeiro andar do sobrado o. 39
A pessoa .que tiver rustica de tratar de
doentes, e mesmo qne saiba aplicar reme-
los, querendo ir para um engenbo perto
lesta pra^a : pode enlender-se a respeito
na ra Nova n. 19, primeiro andar; prefa-
re-se homem de idade, solteiro, ou com
oouca familia, paga-so generosamente, se-
un lo a capecidade que desenvolver.
-- A quem tiver desaoperecido duas maca-
netas de metal, procure-as na rna Direita,
loja de reloj ieiro, que dando os signaes
certos ihes serio entregues, as quaes foram
tomadas a um preto, que as offerecia para
comprar.
Na ra do Rozario larga n. 18, aluga-se
urna grande sala e dousquartos do primei-
ro andar, multo excedente para um carto-
rio: quem a pretender pode dirigir-se
ao segundo andar do mesmo sobrado que
achari com quem tratar.
Corapram-se e ven1em-se escravos, e
recebem-se de commissAo, tanto para fora
como para dentro da provincia, coa preste-
za e seguranca aos meamos: na roa das
Lirangeiras n 14, segundo andar.
Precisa-se saber do Sr. J0S0 Borges
Alves Cabral, natural daa libas, que nego-
cia va com fazendas em Nazareth, e por ah
casoo, aflrn desaine fallar sobre urna he-
ranca, 00 mesmo alguera por elle: queira
annunciar, ou ir ao Atierro da Boa Viata n.
(0, sobrado.
Ao publico.
Deve sabir do prelo em poucos dias a se-
guinle inleressante obra :
Manual dos Negociantes,
contando toda a legislacJIo moderna, que
pode interessar ao corpo do commorclo, a
saber :
O cdigo commercial do imperio do Braril
O novo regulamenlo do Bello.
O regulamenlo n. 737, de 95 de novembro
de 1850, estabelecendo a forma do proces-
so no juizo commercial.
O regulamenlo n. 738 para os trbunaes do
commercio, e para o processo das quebras
Novas disposicOes legislativas tendentes 1
reforma das slfandegas e varias outras dis-
posices de faznnda.
O regulamenlo provincial para a cobran?
do imposto sobre o fumo, tabaco, charutos,
cigarros e sabio.
Concluindo com um almanak exacto e
completo dos empregados do meretissimo
tribunal do commercial, da associacSo com-
mercial, negociantes de grosso trato, legis-
tas, corretores, advogadose procuradores,
com seus nomes, moradas, escriptorios, lu-
jas n srmazens.
Precedido de urna advertencia aobre a
ulilidade deste manual, e do discurso pro-
nunciado pelo conselheiro de estado Jos
Clemente Pereira no acto da installacao do
tribunal do commercio do Rio de Janeiro
em presenta de S. M. o Imperador.
Este manual torna-se urna oecessidade
momentosa para cada pessoa do commer
co, porque abrange toda a legislarlo a res-
peito, no s pelo que toca aos negocios do
foro commercial, como da administrarlo
da fazenda publica, a cujos tribunaes ou
repartieses raro he o da, em que nlo te-
nhamos necessidade de occorrer para as-
sumptosdonosso proprio inleresse. Reu-
nida assim a legislarlo competente pode
ser consultada por qualquer pessoa sem ne-
cessidade de occorrer 4s grandes collecos,
Jifliceis de possuir-se pelo seu alto preco
e tambera incommodas para consultar-se
pela mullidlo de outras disposices incon-
nexas, que nenhuma relacSo tm com as
leis puramente fiscaes.
Neste caso, attendendo-se a grande des-
peza, que foi mistar fazer-se para con-
seguirmos urna obra nitidamente impresas,
sbrimos urna assgoatura pelo preco de
6,000 rs. cada exemplar, contendo as mate-
rias cima mencionadas. Fechada a assig-
natura custar cada exemplar 8,000 rs. As-
signa-se no pateo do Collegio, casa do Li-
vro Azul.
OOOOOOOOOOOOOOOOOO
9 O Dr. J. S. Santos Jnior, O
medico homoeopatba mora
na rus. Nova, n. 58, primei- O
$ ro andar. o
OOOOOOOOOOOOOOOOOO
Aluga-se o terceiro andar, solio corri-
do com muitos qoartos e grande cozinha, e
dous grandes mirantes, do.sobrado n. 13 da
ra do Vigario : a tratar no armazem do
mesmo sobrado.
Aluga-se urna loja no pateo do Terco,
casa n. 1, muito propna para negocio, por
ficar em esquina : a fallar na ra Direita,
casa n. 6.
Joao Leite Pita Orliguera, como tutor
dos orphos do fallecido Antonio Rodrigues
Lima, na praca do Sr. Dr. juiz de orphSos
supplentes desta cidade, no dia 6 de feve-
reiro do corrente anno, sebBo de arrema-
tar os escravos perlenceotes aos ditos or-
phSos, sendo os seguintes: Alexaodre,
pardo, curioso de pedreiro ; Francisco, cri-
oulo, ganhador de ra; Jos, Angolla'
dem ; Antonio, embardico; Manoei, cabri-
uba ; Jos, pardinho.
Na praca do Sr. Dr. juiz de orphos
supplenle desta cidade, no dia 10 do cor-
rente mez de fevereiro, peranta o tutor dos
orphos do fallecide Antonio Rodrigues de
Lima, Jobo Pitta Orliguera. se tifio de arre-
rematar de renda, as casas abaixo notadas,
lerloncente aos orpbflos do dito fallecido
Lima, os pretendemos se apreseotarfio com
os seus fiadores: casa Ierres na ra Impe-
rial n. 58, dem n. 54, sobrado da ra do
Apollo n. 11, casa terrea na ra da Guia n.
50, idem em dita ra sobrado n. 55, casa
terrea ra da Senzalla velha n. 13, sobrado
na travessa da Madre de lieos n. 8, sobrado
na ra da Modan. 13, dito na travessa d
Madre de Dos n 7, casa terrea no largo do
Pilar n. 14, quatro casas tarreas na Soledade
sem nmeros, duas ditas na Magdalena ns.
25 e 97, sobrado na ra da Cadea do Keci-
l'e n. 39, dito na ra da Cruz n. 34.
Carolina Syriaca Pereira dos Santos,
substitua das caderas de primeiras lettras
desta cidade. se propoe a eosinar particu-
larmente primelraa latirs, toda a sorle de
coatora e msica vocal: as pessoas que se
quizerem utilisar de seu presumo dirijam-
se a casa de sua residencida na ra do Ara-
gao n. 97. .....
Uro rapaz solteiro e com as habilita-
coes precisas, propOe-se a ensinarem qual-
quer lugar fora da praca : na praca da Boa
vista, sobrado n. 6, dir-se-ba quem pre-
tende.
~ o abaixo sssigaado, arremataota do
>3
imposto dos 20 por cento sobre o consumo
da agoardente no municipio Jo u-icife, mo-
rador na ra do Rangel n. 59, segundo an-
lar. faz scieoteaos Srs. collecta los naquel-
le imposto, que da dala deste em diante
paguera a elle pessoalmente.on oor meio d
recibos impressos e nicamente com a sua
assignatura ; 0 bem assim que pessoa algu-
maseseba autonsada para decidir cousa
que diga respeito a semelhante negocio. 0
nnuociante faz a presente declararlo para
prevenir, emquanto no passa a intimaros
mesmo" Srs. colleetados pelos meios legaes.
poden lo ser procurado de manhSa at 9
horas, de tarde das 9 ss 4. Recire, 1 de fe-
vereiro de 1851.
Luis Antonio Mesquisia FaloSo.
Eu, abaixo assigna lo, declaro que dei-
xei de ser socio da refioacBo e deposito da
'ua da Cruz n. 52, que gyrava debaixo da
firma de Gnncalves & Pires, ficando o socio
Jos Joaquim Goocalvea obrigado pelo ac-
tivo e passvo. Recife, 17de Janeiro de 1851.
Jo Jo Manuel Pires.
Precisa-se alugar um andar de casa,
que teoba coiimodos para urna familia, em
urna ra perto da do Vigario : a tratar na
ra do Vigario n. 25.
Jos Joaquim Gaspar pretende ir 4 Ba-
bia.
Eu, abaixo assignado. face acianto ao
publico, que desde o dia 944o correte mez
ileixeide acradministrador esocio nos lu-
cros da loja de selleiro da ra da Cadeia do
Recife n. 36, que gyrava com a firma de
Araujo, Penna & Companhia, (loando eu,
abaixo assignado desonorado de todo o ac-
tivo e passivo da mencionada loja, que pas-
sa a gyrar com a firma de Araujo Penna.
Recife, 31 de Janeiro de 1851.
Antonio Jet terrena Guimaries.
Aluga-se o primeiro e segno lo andares
da casa n. 26 do Aterro da Boa Vista, e
primeiro andar da den. 38 da roa do Ran-
gel: a tratar, na ra d'Alegria n. 11.
Os abaixo sssignados fazena sciente ao
publico, que o Sr. Antonio Jos Ferreira
GuimarBes deixnu de ser administrador de
sua loja de selleiro, sita na ra da Cadeia
do Recita n. 34, desde o dia 94 do passado.
Araujo & Penna.
A pessoa que annunciou querer com-
prar um sellim inglez usado, querendo um
quasi novo, e um silbSo tambero no mes-
mo estado, pode ir ver na ra Augusta n.
1, primeiro andar.
Precisa-sede um feitor portuguez para
engeoho : na ra da Florentina, aaquina de-
fronte do titea tro novo.
Precisa-se alugar um preto fiel e intel-
igente : na destilarlo da travessa da Con-
cordia.
No da 99 de Janeiro, desapparereu de
urna porta da ra Direita, um cavallo en-
cangalhado, nm pouco sellado, bem feito
pela frente, e malfeito por delraz, tem o
quarto esquerdo mais baixo qne o direlo,
capado, bastante mag'u, cor russo pedrez,
rarrega baixo e he pouco ardigo de chicote
uem o tiver apanhado leve a ra de San-
rancisco n. 10, que ser recompensado.
A pesaos que hontem foi s ra da Cruz
do Recife procurar Mano 1 Jos de Paiva.
para Ihe entregar urna carta vinda de An-
gola pelo b'igue Velis, queira annunciar
a s ja morada para ser pro/carado ou mau-
da-la entregar ao mesmo que se Ihe faz
muito preciso.
O abaixo assignado, morador na rus
da Cruz do Recife n. 99, com loja de sapa-
teiro, faz sciente ao publico que de hoj
em diaote se assignar por M moel Jos Ber-
nardo de Paiva, isto por haver outro de
igual nome. Manoei os de Paiva
Roga-se ao Sr. Jlo Pires Ferreira o fa-
vor de mandar entregar os 14 escravos que
se acham hypolhecados e penhorados, e de
que S. S. he depositario, por execuc&o do
abaixo assignado, afim de ser removido o
deposito para onde por lei competir, visto
que S. S. no tem cumprido com os seus
deveres, subtrahindo os ditos escravos
avaliaco, e mandando-os trabalhar para a
freguezia do Cabo, e queira no >epetir
mesmo que fez com a execucao de M. A. na
qual nomeou escravos a penbora, que j
eram morios, resultando de ludo isto que
mais dias menos dias havero mandados de
prisfio contra S. S. Antonio Gomes Villar.
Traspasss-se o arrendamento do enge-
nho Quelu7, sito na freguezia de loojuca.
veudendo-ae a aafra no campo, o engeoho
he copeiro e bom, e lem boas cercados : a
tratar com Miguel Augusto de uliveira, na
sus' residencia no engeoho Caroaasari, na
freguezia de S. Amaro Jaboatflo, ou com
Theotonio da Silva Vieira no engenbo Ca-
xoeira da freguezia de Ipojuca.
OOOOOOOOOOOOOOOOOO
O Consultorio hotnoeopathico, O
O ra do Collegio, n. 95, O
O Do Dr. P.de A. Lobo Moseoeo. O
O Dr. Moscoso d4 consultas lodos os O
x diss. Os doentes pobres sao tratados -
z de grata. S serlo visitados emauas **
jj casas aquelles que aso poderem vir O
O o consultorio, ou que suas moles- O
O tas nfio possam dispensar a presea- 0
O ca do medico. O
OOOOOOOOOOOOOOOOOO
Na Boa Vista, na Soledade, casa* a. 70.
precisa-se de um criado e de urna criada
para caaa portugueza.
Desappareceu, no dia 19 de
novembro prximo passado do en-
genho Cat, na cidade de Goian-
na, o preto crioulo Luiz, de 38 an-
nos, bastante ladino, estatura re-
gular, bem preto, muilo barbado,
cabellado pelos pe i tos, chelo do
corp 1, o branco dos olhos bastan-
te alvo, bons dentes, feicdes re-
gulares ; be ollicial de pedreiro e
carreiro,- j ulga-se estar nesta pra-
ca, por ter nella bastante conheci-
mento, ou para as partes de Agoa
Preta, onde ha vi a pouco tinha an-
dado como pagem em companhia
de seu senhor Miguel da Cunha
Araujo Fioheiro ; roga-se, pois,
a qualquer autoridade ou capitao
de campo que o apprehender, o
laca che*jar ao dito engenho Cat,
que sera recompensado.
0 abaixo assignado tendo de retirar-se
para outra provincia deste imperio, pelea
todos os seus devedores que, por obsequio,
tenham a honda lo de virou mandarem pa-
gar suas contas no prazo de oito dias. Tam-
bero tem para ven ler a arrnaco' da luja de
seu estabelecimanto, no Aterro da ((<> Vis-
ta n. 38, esl a armaco be de amarello, em
muito bom esta to, e p le sarvir para qual-
quer negocio. heciTe, 28 de Janeiro de 1851.
J. Denis.
Precisa-se de um feitor que entenda
de jardim : na ra da Cadeia do Recife nu-
mero 37.
Na padaria de Manoei Ignacio da Silva
Teiteira, na praca da Santa Cruz n. 106,
precisa-se alugar um preto ou moleque pa-
ra o stvico or Hilario de padaria, porrn
que no beba muito : paga-se 12,000 rs.
por mez.
No Aterro da Boa Vista, loja n. 70, se
dir quem d dinheiro a juros com bypo-
theca em casas terreas.
HelacBodos bilhetes premiados da lo-
tera da Misericordia, vendidos na loja de
cambio da viuva Vieira & Filhos: na ra da
Cadeia do Recife n. 21. alo os premios se-
guintes : ns. 16594:000,000 rs. 2,909
1 000,000 rs. 5822 400.000 rs. 4659
20:000 rs. 4510 100,000 rs. 2027-
100,000 rs. 4038 40.000 rs. 4876
40,000 rs. 2.095 40,000 rs.
Precisa-se alugar um sobrado de dous
andares, que tenha quintal, as ras Nova,
Rozario larga, Cruzes, Cadera, Collegio e
Queimado, do bairro de Santo Antonio :
quem tiver, annuncie
Eogomma-se e lava-se toda a qualida-
le de roupa com todo aaseio e muita promp-
tido, por preco mais comino Jo do que em
outra qualquer parle i na ra de Agoas-Ver-
des, n. 96.
Na padaria de Manoei Ignacio da Silva
Teixeira, na praca da Santa Cruz n. 106,
ha sempre o melnor caf muido, sem ter a
menor mistura, e tambem emgrSo; cava-
da torrada, molda e em grSo ; muito bom
cha hysou ; assucar refinado e en torran,
nSo ven le oais barato que os mais, porm
pode asseverar ser simples e bom : quem
duvida venha ver.
Pedi-so a quem souber, o favor de de-
clarar por esta tulla, em que lugar he a re-
sidencia do Sr. Joaquiai de Figueiredo Li-
ma, ou quem seja neata cidade seu procura-
dor, para tratar-se de um negocio que diz
respeito ao Sr. Lima.
Primeiras lettras.
O abaixo assignado, avisa ao espeitavel
publico que, desde o dia 7 do corrente, a-
clia-se aberta a sua aula de primeiras loltras
na ra do Mondego n. 44 O anaunciante
contina rereber pensionistas, meios pen-
sionistas e externos. Por mais de urna vez
lem elle patenteado ao publico as vantagens
que offerece a sua aula pela rasSo da loca-
lidade, e pelas accommo lac-s que a ca-
sa aprsente. .\3u poupar cortamente es-
forcis o annunciante para conseguir que
ns pais de fimillas que lie confiaren seus
fllhos, fiquern inieiramente salisfeitos ;
nBo s pelo que respeita ao tralamento
como ao progresso intellectual e moral dos
meninos. Outro sim, para evitar que '>s
meninos frequenlem outras aulas fra da
casa, perdendo assim lempo com prejuizo
dos costumes, o abaixo assigna lo tern es-
colhido mestre de msica voca
mental, e bem assim pro
latina reconhecidamente perito* nes<
materias, para darem lices aos alu
que se quizerem apphcara ellas. O abaixo
assignado espera do publico, e especialmen-
te dos pais de familias moradores fra da
uraija, que aprecien os esforcos do annun-
ciante, animando o seu nascenle mais tao
til est-bele imento
Francisco de Salles de Albuqnerque.
Manuel Ignacio da Sil a Teixeira, com
poderia na praca da Sinte Cruz, por baixo
do sobrado n. 106, continuadamente fabri-
ca excellente pao, tanto de forma antiga,
como de provase, eonlro mais mode'uo
de raassa sevada, o qual nao faz grande
apparencia, porm leva menos fermento, e
se torna mais agrada vel,e assim como toda a
qualidadede torrados, seja holaxa furada a
oropoco da que vinha de Lisboa, de 4,8,
16, 30a50em libra, bolaxinha intitulada
-egalia, biscoute e^faiiasda mesra'massa,
a a bolaxa docommum para vendas, e para
o mato do tamaoho que quizerem, os pre-
coa s3oconforme a qualidade, pode mandar
entregar pBo todos os dias de rnanh a odo,
a quem o encomendar, principalmente sen-
do na Soledade, Trompe at 4 Passtgem la
Magdalena,Manginho, Capunga al 09 Afllic-
los, e igualmente no Recife, ou podem
mandar seus portadores a padaria, aonde o
chario das 6 horas em vante escolhido,
ou para escolher, conforme cada um gostar.
ajfc Chapeos de sol.
*av Ra do Passeio, o 5.
(vasta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes objectos de todas as co-
res e qualidades, tanto de seda como de
paiininho, por precos commodos ; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto: estas chapeos
sSo feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sortimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
macOes servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se em porrjo e a retalho : tambem se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de igrejas: ludo por preco com-
modo. Na mesma casa ba chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitoresde engenho, por serem
dos mais fortes que se pdem fabricar.
MOMOOOOOOfcfaMr Otf>
Paulo (uigiiDiix, dentista *
francez, offerece sen prest- *
nmmsmmmmmmKsasnmamsttMmsistMmsMSMmmmmmmmmm
Comora-se um cavallo do silla, que se-
ja bom : quem o tiver, annuncie.
$
ino ao publico para todos os
misteres de sua prosso:
porte ser procurado a qual-
quer hora em sua casa, na
rna larga do Kozario, n. 36,
# segundo andar.
a > am a en en M\m as aa as a\SM>enestsna>a% a
WaajaajaS'maajaajajaaBasiajaaiaaiBajai
Casa de commissao de escravos.
Na ra larga do Rozario n. 48, primeiro
andar, recebem-se escravos para serem ve-
udos por conta de seus donos, assim como
se compra ni e vendem-se os mesmos, lodos
us dias uleisa qualquer hora.
m
*
r#
Compras.
Compra-se um cordBo de ouro, gros-
so, sem feitio, com vara e meia na ra da
Praia, serrara de Cardial.
Vendas.
Vende-se, no Aterro da Boa Vista, loja
do Estima, um rico seistante.
Ven le-sn urna armario de loja de miu-
dezas toda de louro, por prec;o commoJo
na ra do Cabug, loja n. 9.
- ATLAS topographico e administrativo
do imperio do Brasil pelo visconde de Vil-
HersdeL'lle Adam : recebem-se asigna-
turas para o mesmo, na ra da Cru, arma-
zem n. 13, onde se vende em separado o
mappa topographico desta provincia.
Vende-se por menos de 4
contos de ris um sobradinho de
dous an lares, sito na travessa da
ra Bella, o qual rende 371,000
rs. ; assim como se vende um cai-
xJo junto ao mesmo, por preco
commodo, e muito 'proprio para
coxeira, o qual faz frente para a
praca do C apira e casa do Sr. Ei-
ras : na ra do Crespo, loja n. i,
se dir quem vende.
Ven lem-se sacras com alqueire de mi-
lito : no Becco Largo do Recife, venda que
volta para a Sonzall* Nova.
Vende-se um cavallo rugo, muito novo,
bom rarrega lor biixo e passeiro, prompto
com lodos os arreios 1 na ra Nova, loja de
ferragens n. 41.
Vendem-se cinco lindos moleques de 8
a 18 annos ; oito pretos de 20 a '25 annos,
sendo dous peritos sapateiros e um oleiro ;
quatro pardos, sendo un ptimo mariohei-
ro e um coro bons urincipios de carpina, de
18 a 20 annos ; duas pardas de 16 a 20 an-
nos, com habilidades ; oito pretas, algumas
com habilidades e outras proprias para to-
do o servido : na ra do Collegio n. 3.
Vendem-se 18 escravos, sen lo um p-
timo carreiro ; um dito serrador; quatro
ditos de todo o servido e de bonitas figuras ;
tres pardos mocos ; urna parda de bonita fi-
gura, que cose, eOKomma bem, faz lavarin-
tu, cozinha e faz doces; urna escrava com
as mesmas habilidades ; urna mulalinlude
13 a 14 annos, que co varinln, marca de linha e he de bonita figu-
ra ; 6 escravas de toJo o servio : na.ru Di-
reita n. 3.
(omina le engoiuninr.
Vendem-se saccas com gomma de en-
gommar, muito al* e em saccas grandes,
por prerjo commodo : na ra do Queimado,
loja n. 14.
Vende-se a taverna que foi do Jacintho,
no lugar da Passagem, entre as duas pontes,
em rasSo do dono retirar-se do lugar, bem
afregueza Ja e pronria pira um principian-
te por ter poucos fundos : a tratar na mes-
ma, ou na ra da Madre de H -os, venda nu-
mero 36.
- Vende-se a fabrica de destilacBo de A-
pepicos com todos os seus pertences, ou
qualquer objecto separado, como seja : a-
lambiques, tanques de deposito de niel, tu-
nis, pipas, prensa idraulica, um grande
deposito de ferro, que leva las pipas de li-
quido : a tratar ni ra das Larangeiras n.
18, primeiro andar.
Vende-se a armago e pertences de urna
taverns, na Estrada Nova, com duas pare-
Ihas de ca urjas para amostras eduas pipas
queserviram para ago'ardente : tudo por
commodo preco: a tratar na vanda juatoa
ponte da Passagem da Migdalena.
Vende-se um prelo de bonita figura,
prourio para todo o servico : na ra da
Praia n. 32.
Vende-se um bonito mulatinho de 10
a 12annos; urna preta de 18 annos, en-
gommadeira ecozinheira ; um lindo escra-
vo de elegante figura : na ra das Cruzes n.
20, venda : estes escravos ven lem-se para
liquidacSo.
Na rna do Crespo, loja amarilla
numero 4,
vendem-se pecas de chitas patentes em re-
talho. a 6,000 rs.; cortes das mesmas de 12
covados, a 2,500 rs.; chitas francezas, de
cores fixis, a 260 rs o covado.
Vendem-se sellins, brides e arreios
singellos para carros de um ou dous ani-
maos : na ra do Trapiche n 12.
Vende-se um ptimo engenho, moente
e corrente, deanimaes e d'agoa, ja com a
safra vinloura plantada, distante da praca
quatro leguas, com boa casa de vivenda pa-
ra grande familia, boa casa de purgar, des-
tilado de cobre, excedentes ierras para tu-
do quanto se planta. Kecebe-se por conta
predios na praca : quem o pretender, an-
nuncie por esta folha para ser procurado.
Vendem-se candieiros para
meio de sala, muito ricos, com os
competentes globos, canudos e tor-
cidas, dando a luz mais brilhante
possivel : na rus do Trapiche n. 8.
Vendem-se, por preco commodo, qua-
tro toalhas de lavanolo muito ricas : quem
as pretender, dinja-se a ra da Cadeia do
Recife, loja u. 48.
' Vendem-se ricos manteletes de cores :
na loja do Duarte, na ra do abuga.
Na rna do l'rexpo, loja ainarella
numero 4,
vendem-se corles de casemiras enfestadas,
a 5,500 ditos de urna s largura, a 2,560;
mantelletes pretos de gros de aples e de
gorgur3o achamalolado, a 25,000 rs. ; e ou-
tras multas fazendas de linno e seda, por
baratsimos precos.
Vende-C cera para limas de
cheiro a 1,00o rs. a libra : ni ra
do Kangel, sobrado de um andar
numero 5i.
Vende-se um par de bancas de Jacaran-
da em bom uso, por prego commodo : na
ru do Rozario larga o. 30.
Vende-se um bom caudieiro de urna luz
com bonita arma;Bo : na ra larga do Ro-
zario o. 32.
Mobilia d'oleo nova.
Vendem-se marquezas u'oleo, urna meia
commoda de amarello, urna cama de dito e
mais diversos trastes, por prerjo eornmodo :
na ra da Cadeia de Santo Antonio n. 18.
Na sesma caaa precisa-ie dedoua aprend-
zes para aprenderem o ollicio de marcinai-
ro e de un eaveroisador.



.4*
irn.Mriii y^nmariman*- *m
I
de
,1o
de
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuso,
penrliilss e picota para cacimba :
na ra do Frtim ns. 6, 8 e io,
fu lid cao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro
differentes modelos : na rua
Brum ns. 6, 8 e io, fabrica
machinas e fundirn de ferro.
AGENCIA
da fu n di cao Low-Moor.
RUA DA SKNZALLA NOVA X 49.
Neste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias mom-
itas para engeoho, machinas de
vapor, e tai.xas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Chumbo de municao.
Vondc-se no armazem de J. J. Tasso J-
nior, rua (io A" lorim n. 35.
-- Vendem-se amarras de ferro : na rua
da Srnzalla nova n. 42.
A l,6oo rs.
Vcndem-so novos cortos de brim tranca-
do escoro com duas varas e me cada corle
a 1,600; eassa franceza de bnm gusto,a2,600
rs.; pecas de esguiSo de aluodflo com 12
vares, a 2,400 rs. a pee* ; cobertores de al-
godilo de cores, a 720 rs.: na rua do Cres-
po n. 6. loja ao pedo lampeflo.
Deposito de cal virgem.
Na rua do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegada ultima-
mente de Lisboa no brieuo Tarvjo-Terceiro.
SSSP.
Farinha 'nova da marca SSSF, chegada
ltimamente: na rua do Amorim n. 35, ar-
mtzem de I. J. Tasso Jnior.
Potussa da Itussia.
Vende-se polassa da Itussia, reeenUmen-
te chegada. ''de muito superior qualidade :
na rua doTrpiche n 17.
Talxas para engenho.
Na fundicao de ferro da rua acaba-se de receber um completo sortlmen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea,
qua.is acham-se a venda por prego com-
i' iiiln, e com promptidSo emharcam-se, ou
carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Moendas superiores.
Na fbodicfio de C. Starr & Companbia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas,
de canna, todas de ferro, de um modelo e
construcgflo milito superior.
Cimento.
Vendem-se bnrricas com superior cimen-
to, chegado no ultimo navio de llamburgo:
na rua do Amorim n. 35, armazem de J. J.
Tasso Jnior.
Deposito de polassa e cal.
Vende-se muilo nova e superior potassa,
assim como cal virgem e pedra, recente-
llienle ebegada de Lisboa, por prego rasoa-
vel : i>a la da Cadeia do Recife n. 12, ar-
roaz*).
Grande.sortlmento de charutos
da fabrica de S. Flix, no ar-
masen) de Croceo & conipanhia.
ruada Cruz n. 2 1.
S.1o chepailis a este armazem os verda-
deros eliarutos regalos, regalia, cacalores,
depnlados, venus, senadoras e soberanos
de llavana, cm caixas de cem e 250, por pu-
ros rasoaveis.
CKapos.
Maia llamos & C, na iua Nova n. 6, aca-
ba de receber viudo de Franca pelo ultimo
navio, ricos chapeo* de seda com pluma e
ti.ni, para n en i nos e meninas, e poden
ilion cu i que ueste genero be o melhor que
tem viudo a esta cida le, os quaes se ven-
ilcni por preco commodo.
Vende-se urna boa escrava cozinheira,
muito liel e sem vicios, assim como urna
oulra mucama, costuieira e engommaileira,
cuja conducta o molestias se afiauga : na
rua larga do Rozario, loja n. 35.
A pobreza.
Vendem-se cebollas ameiicarias pelo ba-
rato prego de 80 a MO rs. a rcslea, e a 320
rs. o erlo das solas : nos armazensdo bec-
codo Concalves, junto a casa da Sra. Viuva
Lasserre.
Deposito de cal epotassa.
Ciinha rk Amorim, n* rua da
Cadeia do Hccifc n. 5o, recebe-
ram peos ltimos navios de Lis-
boa Novo Vencedor, Carlota e
Amelia barris com cal virgeui, e
venden), tanto a cal como a po-
jssa, por menos preco do que em
outra qualquer parte.
Para fechar emitas.
Vende-se cera de carnauba, courinhos de
cabra, sulla e una balanca com bracos, con-
chas, crrenles de ferro e pesos, propria pa-
ra armazem de carne, venda ou bordo de
embaiciciio : ludo por preco commodo ; na
rua dos Tanoeiros, armazem n. 5.
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Deposito da fabiica de Todos os
Santos na Hnhla.
Veode-se, em casa de N. O. liieber & C.
na rua da Cruz n. 4, algodSo Iransado da-
quella fabrica, muito propno para saceos de
assucar e roupa de escravos, por prefocom-
ino lo.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no rigue latvio 111.
Cal virgem de Lisboa,
da iiirlli 1 que ha no tuerca o, t|
prega :
Abreu,
trata-se com A. C. de
, na rua da Cadeia do Re-
cife n. 37.
Na rua estreita do Rozario, travessa do
Ouoimado, loja de miudezas n. 2 A, de J.
F. dos Santos Maya, vendem-se cordas de
Iripue bordoes para violSo eiabeca, e pa-
pel paulado para msica, ludo da melhor
qualidade possivel. .
Fio para sapateiro e para saceos.
Vende-se um resiente do ptimo (lo para
sapateiro em novellos, e dito em meiadas
para saceos, por preco commodo para li-
quidar facturas : em casa de Adamson Howie
ii Companhia, rua do Trapiche n. 42.
mmmmmmmmmmmmmmmmmm'
Alanteletes e capotinhos.
9 Na loja do sobrado amarollo, nos P
8 quatro cantos da rua do Queimado Wt
V. o- 39, ha para vender-se um cumple- $
9 to sortimenio de manteletes, capoti- II
^' nhos e palitos para senhora, pretos e 'r'
*$ de cores, os mais modernos e de me- S
^ Ihoreosto, lano em cores como em a
M enfeiles dos que aqui tem viudo. m
mi mmtmmm^m r #* mrwmm
BnESTOL SALSA PARRII.HA AMERICANA.
Melhor e mais extraordinaria do mundo.
Preservaliva infallivel contra as fchr.es.
A salsa parrilha original egenuia de Rres-
tol possue todas as virtudes para curar to-
das as enfermidades que provm de oro es-
lado de impureza desangue das secreegfles
morvidas do ligado e estomago, e em to-
llos os casos que necessitam remedios para
purificar o robustecer o sistema. Em to-
dos os casos d* escrophulas, erisipelas, ti-
nha erurgOes cutneas, manchas, bilis, en-
flamacSo e debilitado nosolhos, inehaco
das glandolas, dores lombares, allccuVs
rheumticas, dores nos ossos e as juntas
hydorpesla, despepsia, astbmo, deanhea,
desenteria, tusse resfriados, enflammagSo
do polin phthisica quando provm da
obstrucSodos bronchics em pessoas escro-
fulosas, enfluenza, indigestlo, ictericia
debilidade geral do syslema nervoso, febres
agudas, calores, enfermidades das molhe-
res enfermidades beliosas, e em todas as
afecgfies provenientes de uso moderado do
mercurio. Esta salsa parrilha se emprega
com efHcacia em todos os sobreditos casos,
e he reconhecida como a melhor medicina
que existe. Os frascos de salsa de Brislol
leem mais de quatro tamanhos dos de sal-
sa de S ,11 ls entreanio que os de Bristol
se venden por 5,000 rs. eos de Sands por
3,000 rs. Deposito central no Ido de Jarel-
ro, casa de Vital l.apupe, e em Pernambuco
na botica de Jos Mara Guncalves Ramos,
na rua dos Quartcis pegado ao quarlel de
polio
Vendem-se 15 acedes da companhia de
Bebenbo: na rua d* Cruz n. 52
Yalha-me Dos!
Critava um pobre horneo na rus um des-
tes dias, esfregando com f'ga um canella,
porcausadeum soffiivel trambulliSo que
dera pelo terrivel esquecimento que leve de
Irazer os oculos. He inconleslavel a ulili-
ladedelles, porque nSo s aproximan) os
objeelos, evitam a poeira nos ollios, seno
lambem d3o cerlo ar de importancia ; os
mocos passam por esludiosos, os velbos
nar subios ; nflo lia nesmo exemplo ou no-
iiiia, que um lio me 111 de oculos lixos fiuen-
ilo-se anuunciar em qualquer parle o man-
dasscni espetar no palamar da esrada, uu
na porta da rua, e s mo na sala de espera,
assenUdo, etc. etc. ; orilinariaueule o me-
nor iralamenlo que recebe he o do seiitio-
ria, em suma sSo os orulos o antidoto das
quedas, traiiibollOes, loupadas, canelladas
o oulras ciiasii oplies a que o genero Inri a-
no esia su l j -iio ; he por so que so avisa a
quein os quizer, qur de visla cuita, qur
caneada, osv comprar na rua larga do (tu-
zarlo n. 35, loja.
O antigo kmrateiro do parsseio
publico n. I I. loja de Fivniiano
.id-e Kiuli i : m Ferreira.
Anuuncia as seguiutes fazeinlas como se-
110-dulas francezas linas de ricos padrdes,
a 310 rs. ocova.lo muito laiga; casimiras
superiores, a 7,000 rs. o coi le ; ditas mais
aliaixo, a 5,000 rs. ; meias crsimira, a 3,200
rs. o corlo ; corles de setim macau de co-
res, a 4,000 rs. ; panno lino prelo, a H,(I00
rs. o covado ; chapeos de maca franre, a
7,000 rs,; setins lavrajos para veslidos de
eohora, cassas (hitas de cores, a 1,280 rs
o corte ; cambraias trans renles, a .oOO
a pessa de 10 varas; gorguies de seda, a
1,200 rs. o corte de colele ; cortes de col'e-
tes de 13 e seda, a 500 rs. ; chales de ia e se
da ; ditos de cambraias brancos e de (Yn es,
luins de 11 nliii de quadros, ditos trancados
brancos e de cores, (azenda muito superior;
mliiis de lindo para pallilores, lila supe-
rior, 1 i mi c/..i, lencos de camhraia de lu-
co, hicos e rendas de linho, lencos de seda
de cores, castores de ciesepor lodosos
procos; madapnlOes linos, a 3,200 3,500
3,600 3 800 4,000 4,800 5,n00 e 5,500 ; su-
periores chitas de todas as qualidades, e
nin soiiin culo completo e oulras imuensas
fazendas que se vendero a pregus que agra-
uarSu aos Srs. compradores.
I.o le ra de V. 8. do l.i t 1 a imiiln.
Aos 5:ooo$ooo rs.
Na loja de miudezas da praca iia Inde-
pendencia n. 4. vendem-so bilhetes, meios,
quartos, quintos, decimos < vigsimos, que
curre iuipreterivelmente no dia 28 do cr-
rente.
Bilhetes ioleiros 11,1100
Melos 5 500
Quartos 2,600
Quintos 2,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Venderfi-se seliins inglezes
clsticos, ditos com borrenhas,
chegados pelo ultimo navio : em
casa de Geo Kenworthy ck Com-
panhia, rua da Cruz n. 2.
Cera em velas.
Vendem-se caixas com cera em velas, fa-
bricada no Rio do Janeiro, surtidas a volita-
do do comprador, e por pceo mais barato
do que em outra qualquer parte. Trata-se
com Machado & Pinbeiro : na rua do viga-
no n. 19, segundu andar.
Veodem-si" pegas de chitas pardas, co-
ies lisas, a 4,500 rs o a retalho a 120 rs. ;
cotes do camhraia, tnui bonitos, cores li-
sas, a 2,600 rs. ; 0 100 saceos de estopa 110-
cuin duas varas cada um, a 320 rs.:

*
;>
vos, cun duas varas ca um, a 3*0 rs.: na
llegada ha uias pelo brJglie jfV/-1 rua larga do Itozario d. 48, primeiro andar.
Tecido de algodSo trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
^|ura(mww(IWS:Vtt'>:^tt -> No deposito da rua da Moda 11. 15, 49
ha para vender superior cal era pe- 4
dra, recentemeote chegada de Lis- "*
boa, em o brigue Coneeifio de Ma- *?
n'i, por prego rasoavel : tambera ahi <.|
k se vendem pesos de duas e de urna ^
- arroba, por prego commodo; ha ^5
[y lambem eectivamente 00 mesnio ^
> deposito barris de mol para embar- 4
- qu.
-- Vendem-se 10 saccas de superior car-
nauba ; 250 courinhos de cabra ; 13 pares
d sapates decouro de lustro, mui bein
fe i tos e de talho moderno ; urna toslha de
brelanha de linho com lavariolo, n.uito bem
acabada o fina : ludo se vende por commo-
do prego : na rua da Cadeia Velha a. 94,
primeiro andar, demanhSa at s 9 horas,
e a qualquer hora da tarde.
Deposito de e-pellios das ma-
nafacturas de Franca : na rua do
Passeion. 19.
A 400 rl*.
Vendem-se as mais superiores chitas lar-
gas, francezas, de todas as cores, gostos in-
leiramente novos, imitando seda, a 400 rs.
o covado : na rua do Crespo n. 14, loja de
Jos Francisco Dias.
Vendem-se arado* america-
nos dos modelos mais approvadas ;
na rua do Trapiche n. 8.
Peebinchn.
Vendem-se ricas cassas francezas, de lin-
dos padres e de cores azues,' rxas, ama-
relias, cor de roza, etc. Estas cassas sSo
de listrase com delicados desenhos, e tor-
na-se muito rccommendavel, tanto pela
qualidade, como pelo deminulo prego de
480 rs. avara : na rua do Crespo u. 14, loja
de Jos Francisco nas.
Vendem-se cortes de chitas linas com
19 covados, pelo barato prego de 2,600 rs ;
Irangas prcs para capolinhos; booetes
para enancas, e turbantes muito lindos pa-
ra liapti'/a'io : rua da Cadeia velha, casa
n. 24, primeiro andar.
Heperlorio systematico do cdigo
commercial lira-ilciro.
Acaba de publicar-se no Rio
de Janeiro urna interessante obra
contando O repertorio systema-
tico do cdigo commercial brasi-
leiro por dous jurisconsultos Jo3o
Antonio de Miranda e Castilho.
He obra da maior utilidade para
a |noiii|i a comprehensfio e con-
sulta do novo cdigo do commer-
cio. Acha-se venda no paleo do
Collegio, casa do Livro Azul.
Salsa-parrilha
iiltimamente chegada do Para pela escuna
nacional Emilia, e desembarcada em 28 do
correntemez de Janeiro: vende-se no es-
cripturio do corictor Oliveia.
*>'- &&< v#9:Mi4l##9f
Alg;odo para saceos. t
Vende-se muito bom algolo para %:
saceos de assucar, por prego comino- 9}
do : em casa de Ricardo Royle, na t
rua da Cadeia n. 37. #/
ttM *#:#* M 4BfAM
--Vende-se um pardo de 20 anuos, bom
bolieiro de boleia e conloes, sem defeito.
viudo do Rio de Janeiro : o motivo da ven-
da se dir assim como urna prela de 16 pa-
ra 18 anuos : no escriptorio da Viuva Gau-
dinn & Fiiho ; rua da Cruz n. 66.
Vende-se um excellente quarto po-
dre?, novu, bastante alto e muilo possad-
te: na cavallance do Sr. Res, airas do
thealro velho.
Lonas.
Vendem-se as afamadas lonas cruas, ludo
linho, de largura das da Itussia, proprias
para encerados e camas do vento, por se-
rem de muita duragao, por prego commo-
do-. em casa do Jos Saporiti, na rua do
Trapiche Novo n. 18, primeiro anjar.
Farinha de mandioca
de San Matlieus, superior qualidade, che-
gada ltimamente neste porto, e por menos
prego do que em outra qualquer parte, em
saccas ou agranel, a vonlade do compra-
dor : na rua da Cadeia do Recife, loja de
Joaquim Ribeiro Pontea.
V < mil ni-*- eseravos bai*utos, de
ambos os sexosj mogos e de
bonitas flgnras,
entre estes ha urna preta de 20 annos, de
bonita figura, linda e do urna conducta ra-
ra em escravos, que engomma muilo bem
e coznba magnficamente, a qual tem urna
en 1 1I.1 dous mezea, muilo linda, que por
tci muito e bom Une, e ser muito limpa,
pode servir para crear alguma changa: na
ruadas Larangeiras o. 14, segundo andar.
A 1 $6oo.
Vendem-se peilos de carniza bordados
em cambraia, para senliorus, a cinco pata-
cas cada um : na loja da seis portas, defron-
ledo l.i va melo.
A 64o res,
Na loja de seis portas, em frente do Li-
vramento, vende-se pnnceza preta a duas
patacas o covado, propria para luto ou
qualquer facto prelo.
bancos de pal til nlia.
Ainda reatam alguna bancos de seis ese-
te asnelos de pallo o lia, do thealro da rua
da I'raia, que se veuderSo agora por menor
prego para acabar, assim como vendem-se
bastidores, vistas, pannos, etc.: a fallar
com Guilherme Selle, Aterro da Boa Vista
numero lo.
--Manoe! Ignacio da Silva Teixcira, cun
padaria na praga da Santa Cruz' por baixo
do sobrado n. 106, tem para vender urna
purg&o de barricas vazlas, que Ion cu de fa-
rinha de trigo.
Na rua da Cruz, armazem n. 33, deSa
Arauju, vende-se superior farinha de man-
dioca, a 2,000 rs. a sacca para acabar ; sol-
la ; courus muidos; ennas e ema, e su-
perior cera de carnauba em saccas.
-- Vendem-so superiores charutos, sola.
&
O
cooros de cabra, pennss de ema, sapatos
brancos, ditos decouro de lustro, cera de
carnauba e chapeos de palha : ludo isto
mais barato do que em outra qualquer
parte : na rua da Cadeia do Recife n. 49,
primeiro andar.
Tinta para escrever.
Vende-se excellente tinta para escrever,
em frascos de mais de garrafa, a 480 rs. ca-
da um frasco : na livraria ns. 6 e 8 da pra-
ga da Independencia
Casa de conslgnngo de escravos,
na rua do Itozario larga n. 22,
segundo andar.
Vendem-se oilo escravos "mocos, bons
trabajadores de enxada ; dous moleques
de bonitas figuras, de 18 annos, sendo um
bom oarreiro; e duas negrotas de bonitas
figuras com algumas habilidades.
Graxa o. 97.
Vende-se s'verdadelra graxa n. 97, muito
em conla : na rua da Crui n. 49, a fallar no
armazem de fazendas.
Panno verde invlslvel.
Vende-se panno verde invisivel, muilo fi-
no e barstissimo, nSo se menciona aqui o
prego porque cauzaria isso urna admiragSo
aos pretendenles, a ponto de nfio fazerem
coala, e dizerem, sem vireni ver a grande
pechinebs, ora isso no pode ser panno
bom ; he este o motivo por que s se dir 1
vista dos compradores e do dito panno ;
tamben) reala ai algumas pegas de ganga
edr de cinza eamarella. propria para pali-
tos de meninos, que para acabar com bre-
vidade so yenderno a 6,000 rs. a pega, e a
meia pataca o covado: no Aterro da Boa
Vista n. 18
No becco do Congalves, armazem do
Araujo, vende-se superior farinha de man-
dioca a 2,000 rs. a sacca, chegada nltima-
meole do Cear.
Le dn guarda nacional.
Vende-se o peculio do guarda nacional,
contendo a lei, regulamento e o mais preci
o para a mesma, a 1,000 rs. cada exem-
plar: na praga da Independencia, livraria
ns. 6 e 8.
Vende-se o eslabelecimento da casa de
pasto, na rua do So1 n. 93, com tudo quan-
to existe dentro da mesma casa, os preten-
denles dirijam-se ao passeio publico, loja
n. 11, que se fara todo o negocio.
Na esquina confronte aos Martyrios,
vendem-se bons maleriaes de todas as qua-
li ludes, tanto para reparos como para edi-
ficagOes, por pregos commodos, e mesmo se
conduzem para qualquer paite que fura
obra.
O fax-miras. Q
O Na loja do sobrado ama relio, nos $
Q quatro cantos da rua do Queimado Q
q n. 29, vendem-se cortes decaiga de
meia casemira, bons padres, a 3,500 ~f
rs.; dilos de casemira de cores, gos- W
- tos muilo modernos, a 7,000 ris, 6
O tendo muito onde osjfreguezss es- C
Q colnerem. Q
00000:000 = 00 00:00000
I na esc 1 na parda, moga, co-
zlntielrn.
Vende-se urna bonita parda, de 21 annos,
boa cozinheira de torno e engommadeira,
nflo tem virios neui achaquns e he muilo
fiel, o que tudo se afianga ao comprador .
na rua larga do Rozario n. 48, primeiro an-
dar : a escrava tem urna lillnnha de quatro
mezes.
Vende-se urna escrava de 30 annos pa-
ra todo o servigo, por commodo prego i na
rua de Santa hila n. 14.
Vende-se rap Paulo Cordeiro, muilo
fresco, chegado ltimamente : na rua da
Cadeia do Recife n. 51, loja de Joflo da Cu-
nda Magalhiles.
Na rua da Cadeia do Recife ha para
vender-se rap Paulo Cordeiro, desembar-
cado boje I na loja n. 59 e 63, de Jos Dias
ds Silva.
Vendem-se queijos londri-
uiis, toucinho em mantas, eivi-
Ihas verdes, conservas de todas as
ijualidas, cb preto, pos para pao
sem fermento, baldes para com-
pras e mais gneros; ludo ultima-
mente chegado de Londres: na
rua da Cruz n. 7, armazem de Da-
vis & Companhia.
Cobertores hespanhes
de cores, muito fortes e de lodos os tama-
nhos : vende-sena rua do Crespo n. 11.
Vende-se urna preta cozinheira, lava -
deira, propria para qualquer servigo, de bo-
nita figura e moga : na rua do Crespo n.
16, loja da esquina.
Casa de constRiiago de eneraros,
na rna do Rozario largan. 22,
segundo andar.
Vende-se urna mulalinha de 14 annos,
que cose soOVivel e engomma ; urna negri-
nha de 12 anuos, cora principios de cos-
tura.
Ven le-se na rua da Sen zalla Velha,
padaria 11. 100, ao entrar pelo Becco Largo,
superior farinha da mandioca, vinda lti-
mamente de Santa Catharina ; por cada sac-
ca pagar o portador a pequea quaolia de
2,000 rs. leva urna sacca nova de bom al-
godOozinho, equerendo,desconta-se-lhe 260
rs. passando para outra sacca que leve.
A 3,500 rs
Vendem-se saccas com milho : na rua da
Madre de Dos, armazem n. 91.
Vende-se urna c irroga em bom estado
com um cavallo mellado, possante e bas-
tante carnudo, por prego commodo : quem
a pretender, dirija-se ao Parnameirim, na
venda confronte ao sitio do Sr. Leal, ou 1111-
uuiicie o lugar onde quer que a leve para
ver.
Vendem-se relogios de ou-
roeprata, patente ingles: na rua
da Senzalla Nova n. !\i.
Vende-se
por preco com-
modo um preto, ptimo pira todo
e qualquer servico externo e in-
terno de urna casa por entender al-
guma couia de cozinhaJ tambem
serve para engenho, do que tem
muito pratics, he olmo de fzer
formas e telli quatro cantos da rua do Queima-
do, loja n. 2o, de Jos Joaquim
Pereira de Mentlonra : o motivo
da venda he porque, tendo o seu
natural senhor tomado-o em pa-
gamente nao necessila de seus
servicos.
Farinha de mandioca.
Vende-se na rua da Cruz n. 40, primeiro
andar, farinha de Santa Catharina em sac-
cas a 2 e a 2,200 rs., muito superior.
Na rua das Cruzes, venda de Domingos
da Silva Campos, vendom-se e alugam-sd
as melhores bixas de llamburgo, tanto em
porgSo como a retalho, por prego commodo.
--'Vende-se urna mobilia d'oleo, e igual-
mente urna cama franceza, foleada de mog-
no com todos os seus preparos, obras es-
tas todas novas : a tratar na rua do Cres-
qo, loja do Sr. Ferrdo.
1____ .i ____m*i*mBmmsmmm
Escravos rugidos.
Na noite da 26 a 27 do correte mei de
Janeiro, fogio do engenho Dourado da fre-
guezia de loojuca, pertencenle a Feliciano
do Reg Barros Araujo, o escravo Maooel
Jcfo, crioul, representa ter 30 annos de
idade, baixo, grosso, cr preta, com alguna
naniioi pelo rosto e peilos, muilo pouca
barba, ps grosso*, tem na cabega bastan-
tes marcas como de cutiladas, e un lobi-
nho junto a orelha direila, auppoem-Se que
a esquerda lenha furo para arpla, he bas-
tante barulhento, levou chaio de palha,
camisa de madapolSo, podando andar de
caiga ejaquela e mudar roupa, por ter cou-
duzido toda que linha eovolla em urna
maca de couro de ouvelha ; logo que fuglo
soiibe-se delle at a ponte de Motocolomb,
passando ahi junto com ama liteira que
enlravapara a praga, lie de suppr que la-
nha se dirigido ao lugar do seu nsseimen-
to em Caruar ou em S. Joo dos l'ombos,
por ter all sido pegado em 21 de novembro
do anuo prximo passado que fez a primei-
ra fgida, por ler sido comprado naquell
poca ao Sr. Antonio Ricardo do Reg, mo-
rador na praga, que o vendeu por ordem do
Sr.Joflo Flix Nepomoceno do engenho Ca-
inulengue freguezia deUnaou liirreiros: ro-
ga-se a qualquer pessoa o peguem e levem-
no ao dito engenho, ou nesta praga na rua
das Cruzes n. 30, que sera generosamente
recompensado,
No dia 30 do prximo passado, pelas T
e meia horas da noite, desappareceu urna
escrava crioula, de nome Benedicta, baixa,
ebeia do corpo e denles da frente podres ;
levou vestido de chita branca j usado e
lenco encarnado no pescogo: roga-se a
qualquer pessoa que a pegar, leve-a a seu
senhor J080 Caelano Coelho, na rua do
Amorim, sobrado o. 19, que ser bem re-
compensado.
- No dia 15 de Janeiro, dessappareceu
o escravo Paulo Francisco, fot da fabrica do
engenho do finado desemhargador Maciel
Monteiro he preto de 40 a 50 anuos, tem al-
guna cabellos brancos de Nagfio, estatura
ordinaria, e falla apressado, ha noticias es-
tar em Mara Farinha em trras da proprie-
dadedaSra D. Francisca Cavalcante : quem
o capturar sera recompensado fuzendn delle
entrega a seu senhor que he Vicente An-
tonio do Espirito Santo no alerro da Boa-
Vista n 62'
-- No dia 16 do correte fugio do enge-
nho Suplidla, freguezia de JaboalSo, dous
escravos pardos, um do nomo Paulo, de 26
annos, baixo, grosso, bastante barbado, ca-
bellos pixaim e com urna helle pequea no
olhoesquerdo ; Vicente, quasi prelo, de 25
annos, alto, de bonita figura e com signaes
de castigo as nadegas. Os mencionados
escravos 1B0 naluraes do Ico, he muito de
presumir terem para all seguido, ou para a
povoiic.io dos Patos, em Sirid, onde lein o
Paulo prenles livres : quem os capturar te-
r de grali(icac<1o a quantia de 100,000 rs.
wmmm wvwmwimwmmm* w
0 mulalinho Agostinho
fgido. 1
-tj Na noite de 11 para mo |
f passado ausentou-se o es- j
]< cravo Agostinho, pardo a- 2
caboclado, cabellos pretos e *
I lisos, ps gr&ndes com os de- 5
m dos grandes grossos e camba- \
s dos para dentro ; he lillio do |
S serian, muito allador e flo-
ta : roga-se as autoridades
I policiaes, capites de eam-
! po, assim como a toda e
tqnalquer pessoa qnc o en-
contrar, de prende-lo e con-
P duzi-lo a seu senhor Ben-
U to Jos Taveira, na rua da
\ Cruz 11. 30, que nao s paga-
: r todas as despezas, como
I oiTerece urna generosa re-
P compensa a quem o trouxer.
mmmmmwm^Mmwtwmmmmmmm
Fugio 110 da 2-2 do passado mez de de-
zembro, o preto Antonio, de nac&o Cabin-
da, representa ler 45 annos de idade, altura
regular, cheio do corpo, rosto abocetado,
muito cabelludo nos peitos ; levou caiga e
jaqueta de ganga azul, heollicial decaldei-
reiro da fabrica da rua do Brum n. 28; tem
sido encontrado em diversas ruasdesta ci-
dade, em Santo Antonio, Boa Vista, AIToga-
dos e Corredor do Rispo, ora em urna, ora
em outra parte, n ltimamente t*v*- in-
1'oriiiHcilii queseguio para as parles de San-
io AnlSo : roga-se, pois, a quem o appre-
nheuder, leve-o aos senhores do mesmo es-
cravo, Mesquila & Dutra, ua dila fabrica,
quesera generosamente recompensado.
Fugio no dia 24 do corrente do enge-
nho Tapera, sito na freguezia de JaboalSo,
o escravo de nome Joa, de nagao Nag,
cojo sinaes caractersticos s!io os seguintes:
corpo e altura regulares, olhos salientes e
vivos, sem barba, com fall de denles, ros-
to talhadn, ts giosos, repreaenla ter de
idade 30 anuos, ho muito. ladino; avala
lo expostu recommenda-se aos capiies de
campo a captura do dito escravo, pelo que
serSo generosamente gratificados.
Pf.KN. iVaTvp.de MV.nr. Faca..-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKYAZFB67_SRIC93 INGEST_TIME 2013-04-12T22:12:53Z PACKAGE AA00011611_06313
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES