Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06302


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVI1
Quarta-feira 22
PARTIDAS DOS COttBElOS.
Golanna e Parahiba, s segundas e sextas feiras.
Rio-Grandc-do-Norte, todas as quintas feiras ao
meie-dia.
Cabo, Serlnliein, Rlo-Formoso, Porto-Calvo e
Macelo, mil.", .-i 11 e 21 de cada mes.
Garanbuns e bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vistae Plores, a 13 e 28.
Victoria, s qulotas feiras.
Olinda, todos os da*.
V 1 -'1T "T"'IJVr M'MTII ^m
Pnr.MM.lDES.
-Nova, a 2, as 8 e 24 m. dal m.
...... ._, Creac. a II', as 2 h. e 2 in. da t.
Piusas d loa. cheU a ]7 a2 h e 33 m da,
Uling. a 24, s 5 b. 57 m. da ui.
niAMlB DE HOJI.
Prlmeira s9 horas e 18 minutos da manha.
Segunda s 9 boras e 42 minutos da tarde.
de Janeiro de 1851.
N. 17.
vasco da svBOKirglo.
Por tres mexes pjdiantadus)
Por seis metes
Por um anno
das sa semana.
j 20 Sor. S. Scbastiiio Aud. do J. dos o'f. c m. da 1.
i 21 Tere. S. Ignez Aud. da Chae, do J. da se-
gunda varado c. e dos feilos da fizenda.
'22 guar. S. Vieenle. Aud. do J. da 2. vara,
i 23 Quint. 8. O* Desposorios de N. S. Aud.'do J.
dos or. e do ni. da primeira vara.
24 Sest. S. Thcmoleo Aud. do J. da 1. t. do civel ,
e dos (Vitos da faiendi.
SyOOl) 25 Sab. S. Auanjs. Aud. da Ch. e do i. da 2. vara
l000 do civel.
i 26 Dom.S. Policarpo.
CAMBIO DE 21 E JANEIRO.
Sobre Londres, a 30 d. p. 1/000 rs. 00 das.
Paris, 320 por fr.
Lisboa, 85 a 90
Ouro. -Oncas liespanholas..... 29/000 a
Moedasdeo/400 velhaa. 16,0000 a
de 6/400 novas 16/000 a
de 41000....... 9/WI0 a
Prata.Patacdes brasileirof.. l/20 a
Pesos columnarios..... 1/920 a
Ditos mexicanos........ 1/680 a
29/500
16*200
16|-200
9/100
1/940
1/940
1/700
"
PARTE OFFtC^L.
MINISTERIO DA MA.K1NUA.
DECRETO H. 739 DE 25 DE ROVEMIRO DE 1850.
Manda observar o plano para a orginisacJo
do corpo de saude da armada que altera o
de 23 de abril do auno passado, a que se
refere o decreto n. 007 da mesms dala.
Ilei por bem que ae observe o plano que
rom este hax, assignsdo por Manoel Viei-
ra Tosta, do meu conselho, aoinistro e se-
cretario de estado dos negocios da mari-
nha, e que altera O de 93 de abril do anno
passado, a que se refere o decreto n. 607
da mesma data sobre a organisa^So do cor-
po de saude da armada nacional e imperial.
O mesmo ministro e secretario de estado o
tenlia assim entendido e lata exocutar com
os despachos necessarios. Palacio do Rio
de Janeiro, em 25 de novembro de 1850, vi-
gsimo nono da independencia e do impe-
rio. Com a rubrica de S M. o Imperador.
iUanoel Vieira Tosa.
Plano para organisacao do corpo de laude da
armada, a que se retere decreto desta dala.
Art. i. O corpo de saude da armada ser
composlo do pessoal seguinle :
1. I ctrurgiao em chefe capitOo de
mar e guerra.
2. 20 pnmeirus cirurgioes, primeiros
tenantes.
3. 40 segundos citurgides, segundos
lenles.
4. 2 primeiros pharmaceulicos.
,5. segundos puarmaceuticos.
Somms67
Art. 2. Nos lugares de segundos cirur-
gioes serSo prvidos, por meio de concurso,
os doulores em medicina e cirurgia, que
alm de bom compoi lamento, liverem pelo
menos tres annos de pralica. Na primeira
organisarjSo, cjmtudo.poderflo ser adniilli-
dos.sem dependencia de concurso em qual-
quer das classes, aquellos que notoria ca-
pacidade reunirem mais de oito annos de
pralica do medicina e cirurgia. O provi-
menlo dos | li innacauticos sera igualmente
(Vilo por coocurso.
Art. 3. As vagas quo se derem de primei-
ros cirurgiOes serSo providas por accesso,
segundo o ui posto no arl. 3 do plano de 23
de abril de 18(9, sendo necessario lambecn
que o prvido baja servido tres anuos pelo
menos no posto anterior.
Art. 4. PoderBo ser promovidos por sua
inliguidade e merecimento a capil3es te-
iicnles os primeiros cirurgiOcs que conta-
re, m oilo annos de servio no posto ante-
rior, nfio excedendo porm o scu numero a
iiieadu dos desiguados no 2 do art. 1.
Art. 5. Os primeiros c'uurg Oes poderSo
ser noa.oados por coiiimissio, chefes de
saude nss esquSdras a devisOes, com os
vencimeulos e vantsgens que forein mar-
cados no regulamenio, emquaiito durar a
commissfio.
Arl. 8. Os ofllciaes de saude terSo diroito
reforma nos oiesrnos casos e com as mes-
mas vaolagens quo os demais olllciaes da
armada.
Art. 7. N3o serSo providas as vagas de ci-
ruigi0>s,excedenles aos dous tercos em ca-
da urna das classes, emquaulo o numero de
navios da araiada que devem ler sementan-
tes facultativos nSo exceder cincoeula.
Art. 8. S i o servido de saudo de bospitaes
e dos navios da armada em lempo de guer-
ra exigir maior nunero de facultativo.-., po-
derSo ser nomeados extranumerarios, com
os encmenlos e vauttgens dos segundos
cirurgioes, mas serio dispensados logo que
cesse a neeessidade. Esta disposicio he
extensiva aos pliarmaceuticos.
Arl. 9. Kicain erh vigor as disposifOes do
plano de 23 deabril que no sao alteradas
pelo presente.
Palacio do Rio de Janeiro, en 25 de no-
vembro de 1850. -Manuel Vieira Tosa.

GOVEKNO DA FHOV1NCIA.
EXPEDIENTE DO DA 18 DE JANEIRO
DE 1851.
Oflicio. Ao commarido superior do mu-
nicipio do Reclfe, para i.......ir outro Ricial
para o conselho de qualificoco da guarda na-
cionalda freguezla da lloa-Visla em subsiitui-
co ao capitn Antonio Cardoaode Queiroi Fon-
seca, visto nao poder elle distrahii-ae do ser-
vicu da thesouraria da fazenda provincial, onde
exerce o lugar de escrivao da rrcelta e despeta
sem grave prejulio daquella thesouraria, se-
gundo fez ver o respectivo Inspector.
Dilo. Ao julz relator da junta de justlca,
remetiendo para ser apresentado em seaso da
iiiesina junta, processo verbal feito ao pfa-
no do segundo balalbau de arlllharia a p Fran-
cisco da ."silva. lulelligenciou-le ao comman-
do das arpias.
Dito. A pagadorla militar, para que vis-
ta da cania que remelle em duplcala', mande
pagar a Jos Luiz Moreira a quanlla de 23,200
rs. ein que Imporlatn as despejas lenas com o
desembarque do segundo balalho de arlilba-
ria a pe. Sclentincou-se ao inspector do arse-
nal de mailnha.
Dito. Ao agente da coinpanbia das barcas
de vapor, para fazer transportar para a corle
no vapor que acaba de ebegar do norte a ala
dlreila do quarlo batalho de cacadores que
Ibe ser mandada apresen lar pelo coronel com-
mandante m armas.
Dilo. A thesouraria da fatenda provincial,
para qnc avista do certificado passado pelo di-
rector da obras publicas, mande pagar ao ar-
rematante da obra do caes e rampa do porto
das anua Jos Gdncalves da Porciuocula a
segunda presiaco a que elle leui direuo,poi
le r cu tu luido dous tercos da inesuia obra.
esle sentido olliciuu-s ao inesino director.
Portarla. Nomeando seguudosupplenle do
uii municipal da seguuda vara desia cidade
os Uayiuuudo da Cilla Menetei, Ora em
ereleio para presidir a estracao da quarla parte
da quarta-nova lotera a favor das obras da
igreja de Nossa Senbora do Livrainento. ln-
lelligenciou-sc a respectiva innandade.
Dita. Exonerando o padre Fianclsco !' ur-
des Ferreira de Hrilo do lugar de subdelegado
do primelro dislriclo da freguezla de Nazarelh
por assim o baver pedido. Flzeram-se ueste
sentida as convenientes cominunicacoei.
TRIBUNAL DA BEL \CAO'.
SKSSAO' DE 18 DE JANEIRO DE 1851.
PRESIDENCIA DO tXM. StRUOa CONSELHIRO
1ZEVEDO.
A's 10 horas da manha. achando-se presen-
te os senhores desembargadores Villares,
LeSoJIabello, Luna Freir, e Telles, fal-Undo
com causa os Srs. desembargadores bastos e
Souza.oSr. presidente-declara abena a sesso.
JULOSMENTOS.
Mabeas-eorpur.
De Andr Gomes de Souia. Concedeu-se pa-
ra a sesso de 21 do corrente.ouviodo-se o de-
legado do termo do Recite al esse inesnio
dia.
Decursos arfan.
Recorrido, o jui/o; recorrido, Antonio Jos
Ferreira ConQrmaraui o despacho de nao
pronuncia.
Recrreme, o julzo ; recorrido, Francisco Xa-
vier Cava ka mi. Courinaraiu o despacho
de que serecorreu.
Recorrenle, Antonio Eminas Gustavo Galvo ;
recorrido, o julso. Ficou adiada a deciso
para a prxima sesso.
desionacOxs.
Appellante, o Julzo; appellado. Pedro Antonio
do Rosario.
Appellante, o julzo; appellado, Joaquim lly-
pnliin Vercosa.
Appellante, o padre Manoel Mara Ferreira da
Cunlia ,- appellados, Anlonio Galdino Alves
da Silva e outrot.
Appellantes, Joo Daniel Wolphp & C ; appel-
lados, a viuva de Jos Francisco Uorja e
OUt'O.
Appellante, Joaquim Antonio dos Santos An-
drade ; appellado, Antonio Botelho Piulo de
Mesqulta.
reyisOes.
Passaram do Sr. desembargador Rabello ao
Sr. desembargador Luna Freir as seguintes
appellaces em que sao:
Appellante, ojuio appellado, Manoel Andr
Cardoso.
Appellante, Leopoldina Emilia de Moraes Sis-
neiros ; appellados, Manoel Pires Ferreira e
oulros.
Appellantes, o guardlio do convento de San-
Francisco, como tutor da menor Carlota; ap-
peii na, a faienda publica.
Passaram do Sr. desembargador Luna Freir
ao Sr. desembargador Telles as seguintes ap-
pellaces em que sao :
Appellante, Ignacio Manoel Vicgai; appellado,
Joaquim Viegas.
Appellante, Albino Jos Pimenlel; appellado,
Manoel Thomaz Pereira.
Appellante, Jos Rodrigues do Paco ; appella-
do, Manoel de Souza Guimarfies.
Appellante, liento Jos Nunei do Valle; appel-
lada, a juslica.
Passou do Sr. desembargador Telles ao Sr.
desembargador Villares a seguinle appellaco
em que sao:
Appellante, Jos Barbosa ; appellado, o julio.
Nao fui .un jiilgados os demais feilos com dia
assignados pelas faltas j mencionadas.
Levanlou-se a sesso.
EXTERIOR.
0 EDIFICIO PARA A CRANDE EXPOSICA'O
DE 4851 EM LONDRES.
Decididamente a imssa idade madura vai
ver tratlii/ireni-se em realidade os conlos
de fadas com que outr'ora se embalava
nossa infancia. O genio do trabalho ergue
neste momento em tlyde-Park um edificio
cuja magnificencia e vastas proporc,0es ex-
ceden) a esses palacios encantados que os
genios da magia coustruiam para Aladmo.
Tratamos, ja se ve, dessa brilhante cons-
trucedlo destinada para receber os tlicsou-
ros inesgotaveis que, de todas as parles do
mundo, vilo a 111 uir grande exposifflo.
O palacio de vidro, essaousada concop-
(3o do Sr. Paxton, ser por, si so urna das
maioros maravilhas do anno de 1851. Esten-
dpr-se-h sobre um espaco de 18 geiras, ou
753.984 pos cbicos e ser composto de 5
andares de dimenses desiguaes, o primeiro
mais largo que o segundo, e assim por
disote, formando tres immensos degraos
sustentados pelo lystema ce columuas e
arcos de ferro que descrevemos a semana
pausada.
Este genero de conslruccHo nao emprega-
ra menos de 900,000 pes quadrados de vi-
dro, pesando ao lodo 40o toneladas. O com-
priioetilo do e.lilicio ser de l,8t8 pes. A
galera central ter 66 pes, de alluia, e 72
de largura. A rotunda do centro ter 108
ps de altura, 400 de comprimeuto e 72 de
largura.
Lomprehendendo as galeras, o palacio da
exposi(So cubrir peito de 21 geiras de Ier-
ra. Deve estar acabado dentro de tres me-
zes isto lie, no 1" de Janeiro ; e nSo he esse
poi cerlo un dos caracteres menos nota veis
dessa obra gigantesca.
Diremos agora em que estado adiamos
os trabalhos na occasiuo da nossa ultima
visita, quo teve lugar na manbSa de sabba/-
do 28 aesetembro.
O espaco rodeado de palizadas em Hyde-
Park, osla, por assim dizer. todo coberlo
de maleriaes de construcciio. Aqui vfi-se
massas de columnas e de pedestaes que f-
cilmente se julgar'iam ruinas de urna vasta
cidade tilo longo se est de pensar que
urna s constiuctao possa eiigif aeme-
lliantes materiaes. All enconir'-ae, em
immensa quantidade barras de ferro, ar-
cos, turcos, tubos, luio de ferro. Acola
1 imoienso trus do madera e mudares da
taboas de pinho para os aoalhos. De ou-
tro lado est uina machina de vapor da fr-
ca de seis cavallos preparando barras de
ferro destinadas a rereberem cavilhasem
brasa para seren para Tusadas. I.oso ao
pe est urna forja prompta para esse ser-
v en.
Ha all lambem urna prensa hydraulica
para experimentar, anles de serem collo-
nadas todas as pecas empregadas na cons-
trucQo. lie tul i iVra deasa machina, que
esbroai ia e re luziria a p segundo nos
disseram, qualquer columna ou viga suje-
la sua pressio. Ao lado dessa machina
est um enorme guindaste, que, como a
tromba de um elephante, pega com a mes-
ma facilidade n'um allinete ou n'uma co-
lumna de ferro.
Em outros lugares vc-se grupos 'de ho-
mens empregados a cavar, a dous ou tres
ps de profundidade, os alicerces sobre que
deveni repousar as columnas. Defronte ,
no lugar que tem deformar a avenida cen
ti al, mis poucos de operarios oceupam-se
em enllocar as columnas sobre assuas ba-
ses, e sobre os espitis dessas columnas
bastes de ferro. Muitas dessas colunmnas
estro j no M'ti lugar, e promplas para re-
ceber o soalho de uina das galeras do edi-
ficio. Urna parte do pavimento terreo do
edificio est prompta tambem. O pavimen-
to terreo fica tres ps cima do chSo. 0
numero do operarios monlava a trezentos.
Consla-ns que esse numero ser em bre-
ve oonsideravelmente augmentado.
Temi adquerido, a vista destas scenas
de laboriosa actividade, a ronviC(3o deque
o edificio estar acabado na poca annun-
ciada, passmos a informar-nos do que
se podena j esperar quanto aos productos
que devem vir tomar lugar as diversas
partes do palacio transparente.
Guillemos o seguinle : na China forma-
ram-se comtDissOes para tratarem da ro-
messa de grande numero de producios des-
se immenso imperio. Alm dos objectos
de arte e de fabricas, a China pretende cx-
por segundo dizerr., um curioso modello
de anda mes para oedifcioi A pessoa que
a ii ti une ia essa expedciio assevera que um
ndame do mismo modello fdra emprega-
do na baldada lenliliva da torre de Babel.
Ser estranlio, na verdade, encontrar no
edificio consagrado a urna empresa cuja
tendencia be realisar a unidad do genero
Ilumino t segundo a bella expressflo d
priucipe Albeito, osystema de andames de
que se fez uso para tentar infiuctuosamen-
te a temeraria construc;9o a que as iradic-
(Oes fazem remontar a poca da disper>3u
do genero humano
A illia de Cecilio mandar algumas a-
mostrag de ncheda e callavalla, substancias
que podem ser empregadas para os mesmos
usos que o liuho. Mandar tambem amos-
tras de cabos feilos con o kilul ou i iilmei-
ra jaggery. lisia substancia tem todas as
propriedades da dina.
Na Turqua, ordenou o sullSo que lodos
os productos exposlos pelos seus subditos
fossem transportados a expensas do seu
thesouro.
Alepo e Damasco mandarSo bellas amos-
tras de seda ede culellaria. Entre oulrs
curiosidades, Constanlinopla mandar o
modello de urna magnifica barca Irireme
A Romelia espora productos agrcolas, e a
Anatolia algunas amostras de suas rique-
zas metallicas.
A Austria j fez saber aproximativamen-
te o lugar que seria necessarin as amostras
de suas diversas industrias Todava do se
devem considerar esssas ii)formac,oes como
definitivas, por issoqueo jury central an-
da ii.lo recebeu da parle das pessoas que
tencionam expor todos os delalhes neces-
sarios.
O espaco oceupado pelos productos aus-
tracos ser assim dividido :
OSr. II. M. Pilaulx, geme eslrsngeiro
em Southampton, offereceu commissSo
receber, sem mais despeias que os seus
proprios desembolsos, todos os productos
destinados aexposQSo. As tincas de Sou-
thampton cobrarlo um shilling por cada
volme, o que reprsenla ao mesmo lempo
0 preco da descarga e do transporte. A
companhia real anda n3o dea a conhecer
as suas iiitenciis.
Na Inglaterra, grande numero de commis-
soes locaes annuociaram o espado de que
careceran!.
A commisso local de eifast, na Irlanda,
recebeu cerca de 50 pedidos de pessoas que
se propoem a mandar objectos expsito.
Os arligos annunciados sSo o canhatno e o
1 ni lio, outros producios agrcolas, conser-
vas de comesliveis, plantas medicinis,
loda a casta de rendas e bordados, obras de
fantasa, machinas de vapor, varios outros
gneros de machinas, instrumentos de a-
gricultura, pianos e obras de madeira.
Formam-se por toda a parte associacOes
para obler por meio de quotas os funJua
necessarios am de mandar cerlo numoro
je pesswss visitar a exposic&o.
O bom xito desta grande empresa he,
pois, infailivel. .Vio lie permittida a mais
do^di duYida a Ul respello. A iuva o-,
da pela Inglaterra foi apanhada. Ella encon-
trar na liga que abri os exercitos pacficos
do globo inteiro. A Inglaterra mesma nflo
ficar quem dos nobres esforcosque dis-
perta em lodo o mundo. O ruido dos prepa-
rativos que se fazem no exterior ro.mec*
ouvr-se. Ella escuta j o passo das nacOes
que acodem ao sen chamado. Com firmo
confianca as suas frc/s, espera tranquil-
la o desfecho de um contaste mais glorioso
e mais importante nos seus resultados do
que qualquer desses que at hoja tem en-
chido as paginas r!a historia.
( Morntng C.hronielt)
(Jornal do Commtrcio.)
PARS, II DE DF.ZEMBRO DE 1850.
O festim que teve lugar uina noite pas-
sada no Hotel de Ville em cnmmemorac3n
do segundo anniversario da eleiclo de Lui?
Napole3o para presidente da repblica, foi
certamenle o mais magnfico de quantos,
ha minios annos, so tem dado no mesmo
lugar. Talvez baja pouens estrangeiros,
dos que costumam visitar Pars anda mes-
mo occasonalmente que nSo lenliam ad-
mirado as propoieiies magestosas dos sa-
ldes desse nohrc edificio ; porm para fa-
zer urna ideia perfeita de sua grandeza he
necessario vS-los em urna occasiSo tal co-
mo a presente, Iluminados por lustres mag-
nficos e ricos em tu lo quanto a pericia do
pintor e do escultor pode inventar. Varios
salfiei novos, os quaes at entSo tinham
sido conservados fechados, foram abertos
pela primeira vez em a noite passada ; po-
rm o que servio de sala de jantar foi o ob-
jeclo de universal e merecida admirarlo.
Essa sal, que era condecida como a sala
do throno, tSo profanada pelos revolucio-
narios de fevereiro, tiuha sido al aqui mo-
destamente decorada. I Jn a noite passada
ella aprsenlo1.! um aspecto da maior bel-
leza.
Urna arrhitrave de carvalhocom moldu-
ras douradas, realzadas por urna friza de
ouro substitua as simples tapessarias ver-
melhas aue at ltimamente formavam n
seu principal ornamento. Se le portas de
carvalho exquisilivamente cntalhadas e
louradas no eslylo do seculo de llenrique
Ihos, e sement a bulhn de testas (em in-
terrompido sua tranquillidade. He certa-
menle um signal de paz e de prosperidad*
publica ver os magistrdos da cidade, des-
embarazados de toda a preocupadlo polti-
ca ; deiicarem exclusivamente sus traba-
lhos e cuidados aos interesses da mesma.
Este feliz resultado a vos, Sr, presidente,
lio devido, e o corpo municipal, expressa-
vos aqui por meu intermedio a sua grati-
d3o. Crasas aos V0S80S esforcis, a vnssi de*
dicafSo e feliz harmona que reina entre
os poderes pblicos; he-nos finalmente
pi" mil i alo pAr de parte lodosos interesses
da poltica para fallar-vos smente dos in-
teresses da cidade de Paris. Esta cidade he,
hem o sahornos, o nbjecto constante de vos-
sa solicilude, e este sentimento 13o valioso
para elli be em vos, seuhor, de importan-
cia hereditaria. O iminorlal autor do no-
me que to dignamente lendes, deixou
denlro de nossos muros lembranrjas impe-
reciveis. Ras, pravas, monumentos, ludo
consorva a impressSo de seu genio creador,
e at as obras que osl3o agora sendo exe-
cutadas podem-se ver asideias fructife/ras
deNapoleSo. A rus de llivoli estseauinlo
a linli i que elle traeou, o j po lemos pre-
ver o dia em que as novas avenidas do Ho-
tel de Ville terSo esse nome glorioso. As
pracas de mercado, esses palacios do pu-
vo, como as denorninou o imperador, sao
de nossa parte o objecto de anciosos cuida-
dos, os quaes silo animados pelos vossos
sympalhicos acor(oameatos Assim o vos-
so governo tem j sua pagina honrosa es-
cripia em nossa historia parisiense. Ras,
uasseios, e novos dislriclos tem sido abar-
los no caracho da capital, e ao mesmo tem-
po que a arte eleva esplendidos palacios
nova empreza de caminhos de ferro, 300
casas cahem debaixo do martello de demo-
lic!o, ruinas fructferas para o trabalho do
obreiro, e vanlajosas para o aforzeamento
e salubridade da cidade. A prosperidade
de Pars, vos bem o sabis, Sr. presidente,
he a do todo o paiz
sendo essa cidade a
primeira quo foi alacada em uossos desas-
tres polticos, ella he lambem a primeira
que tem gloriosamente pago seu trbulo
defensiio cnmmun, sdquerindo assim um
II davam entrada para ella. cima da ar- just0 ttulo a grali.lao da Frauga e de toda
ehilrave e da frisa havia espatos destina-
los paia qualru figuras na tapessaria de
Gobelin, lodavia essas finuras anda nSo
pstavain acabadas, eos espacoa pan ellas
festinados foram temporariamente ocupa-
dos por figuras piuladas sobre lona, repre-
sentando a cidade de Paris nos seculos 5,
12,17 e 19. O tecto era dividido em repar-
timenlos dourados, dos quaes pendiam lus-
tres de bronze massisso. A anligarica ba-
xella peitencente a cidade de Paris, os can-
delabros e os vasos de flores que recreavam
is sentidos com suas lirilhanles cores e de-
liciosos perfumes, foram collocados ao lon-
go das mesas e arranjados com exquesilo
gosto ; an passo que urna endiente de pura
luz se diffundia de 20 lustres suspensos do
tecto e de 50 placas collocadasao longo da
architrave.
l-'oi nossa sala assim bellamente adorna
da e hiilhantenionle illuminada que qua-
tro mesas foram poslaspara o banquelo. O
presi Ii nte chegou ao Hotel de Ville pelas
6 I/i horas acompanhado pelos ministros
do interior, dos negocios estrangeiros, da
guerra, e das obras publicas, e mais dous
ajudantesde ordens, sendo recebido no pa-
hiuiai da e-cada pelos dous prefeilos. Eram
sele horas quando elle entrn na sala do
banguete. As mesas acommodavam 190 pes-
soas e creio que nSo he necessario dizer-
Ihe que o Jantar foi composto de ludo quan-
to o zelo, a pericia, e a mais prodiga des-
poza podiam produzir de delicioso. O pre-
sidente senlou-so em urna das mesas lon-
gitudinaes com seoslas voltadas para o
fog3o na extremidado meridional, ficando-
Iha direila Mr. Dupin, o presidente da
asse Dbla ; e esquerda Mr. I.anquetin,
presdanle da cmara municipal de Paris.
A' sua frente ficava Mr. Berger, prefeilo
do Sena, o qual tinha sua direita o vice-
presidente da repblica e o arcebispo de
Paris esquerda. O general Changarm r
esteva sentado entre Mr. Baroche e Mr.
Benoist d'Azy. Mr. Thiers tinha direita
Mr. de Belleytne e Mr Napolen Daru es-
querda. Nesla mesa particular o assento de
cada convidado eslava marcado, porrn lias
oulras ellas se collocaisin n lislinrtameii-
to segundo o acaso ou o suu proprio capri-
cho. Os outros convidados foram alguns
dos principies representantes, bem como o
general Bedean, Mr. I.onfianclier, os vi-
ce-presidenles da asseuibla, Mr. Ha/e, o
general Lello, e Mr. de Panal ; os questo-
res ; os secretarios e oulros ; os generaes
Peorot, Carrelel, Cuillabert, Excelmans,
l'etil. Du etc. ; os presidenles dos tribunas de jusli-
ca e commercio; os coronis e lenenle-
coroneis da guarda nacional, etc. Dapois
que os postres foram servido*, Mr. Berger
ievanlon-se e fazendo uina corlezia ao
presidente da repblica propoz a seguiule
ssude
Presidente da repblica, dous anno-
silo apenas passados depuis da memoravel
elen.iio, cujo anniversario hojo celebra-
mos ; porm um lempo muito mais longo
parece-nos ler decorrido, quando nos re-
presentamos o progresan l'eilo debaixo da
feliz influencia do poder que 6,ooo,uu de
volos eoilocaraoi em vossas unios, lista ja
mu disianle o dia em aue esta mesma sa
la, na qual agora nos adiamos reunidos, re-
lumbou com a bulha da vilenla lula sus
iiiiti la pela ordem opprimida contra a
auarchia quasi triumphanle; o Hotel de
Ville ha reassumido seus pacficos iraba-
a Europa. Oxa-l que a paz publica asse-
gurada para o futuro entre nos, ex'inga al
a propria lamhranga da nossa tristeza, e
pela volia da uui.io e da prosiinridada rea-
lisenossas mais charas esperanzas Ao pre-
sidente da repblica .' ( Applausosestron-
dosos i'.i rtcni de to las os ngulos da sala. )
O presidente, o qual bem como tojas as
pessoas presentes, tinha portiiauecido em
p em quanto o prefeilo fallara, respondeu
do modo seguinle:
Celebrar o anniverssrio de m i ti lia elei-
5I0 neste lugar, no Hotel de Ville, ueste
palacio do povo de Paris, he lembrar-me a
origem da qual derivo o meu poder, e he
lambem lemhrar-me os deveres que urna
tal origem me nnpoe lnformar-me que
uestes dous ltimos anuos a prosperidade
da l i.inc lem augnientadi) he dar-me o
elogio que mais p le abalar-o.e Sim, eu
o COilfesso com orgullio c prazer, a tran-
quillidade lem silo restaurada ao espirito
publico; os perigos quaexstiam, ha dous
annos, n3o eiislem niais;e a despeilo da
incerteza dos aconlecimenlos humanos,
podemos contar com o futuro, porque lo-
dos sen tem quo quando mesmo moiifica-
cacOes tenliam lugar, ellas serflo elleiluadas
sem desordem. ( Sensaco.
\. ao que devenios na, senhores, esta subs-
tituidlo da ordem desordem, da esperanza ao
descoroamenlo? fto he meramente porque
111 lin e sobrinho de um soldado, eu succedi a
nuil" suldado ; mas he porque a 10 de deieiu-
bro pela primeira vea depois de fevereiro, o po-
der foi o resultado do enerado de um direito
legitimo e mi de um faci revolucionario,
{(ranie appleUM. toitos de bravo'. bravo par-
Icm de lodoi os lados J
1.11 gosto de aproveitar estes anniversarios,
porquanlo elles serveu de faroes para Ilumi-
nar nossa carreir.i na marcha dos aconlectinen-
ms elles revelam as causas que fortificam ou
enfraquecem os governos. He sempre un pro-
clamar as grandes verdades sanecionadas pela
historia das nacoes. Os governos que depola
de urna tonga serie de cuinmoces civls lem
conseguido reslabelecer o poder e a liberdade,
e bem assim prevenir novas coinmoce*, ao
passo que vrncein osespiritos revolucionarios,
baseam ana forja s.bre o direilo dirivado da
propria revoiufao, (irruaco) entretanto que
aqiiellcs que Mein procurado seu direito na
conlra-revolucao teem-se tornad Traeos. (8ra-
1111 Se alguui bem lem sido elteiiuado nos l-
timos dous anuos, a causa deve ser auribuida
sobre ludo, ao principio da eleico popular, o
qual do coullicto das auibicdes derivou um di-
reita real e incoiiiesiavel. Proclameiuo-lo co-
rajusamcuie, senhores; a sociedade be salva
pelos grandes priucipios, pelas paizdes noores,
pela lealdade e desliileresse, e nao por meras
espceulaces de forcae acaso. Gra;as applc-
cacao desta poltica, gozamos de alguui repou-
ao, e deste modo seremos habilitados este anno
mais do que no passado a realisar progressos.
O conselho municipal de Paris tem rasao de
contar com o governo para ludo quanto poder
tomar mais prospera a slluayo desta capital,
porquanlo Paris he o curasao da Franja, e to-
dos os mrlboramenlos ules ell'eiluados alai de-
vem poderosamente contribuir para o bem ge-
ral. Aceilai, purlanto. senhores, juulamenle
com os uieus agradeclinenlos o brinde que
proponho cidade de Pars, buipreguemus
todos os nossus esforcos em aformosear esta
grande cidade, em melhorar a condico de seus
habitantes, em esclarcce-los sobre acus verda-
jeirus interesses. Abramos uovas ras e pu-
1 ni luemus esse dislrictus aperlados aos quaes
falla o arca daridade u da, que a benfica
luz do sol penetrar por loda a parte deuiro
de aossos muros, mesmo como a luz da verda-
de penetra em nossos coraces* (Os gritos de
Bruno! bravo I Viva o prtiidenttl quepartirajn
de todas as parte da sala quasi que auafaui ai
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO



ultimas palavrai por este pronunciada, co|
applautos onlinnarain anda por niguas mi-
nuto depois ilcllc tpr-se sentado.)
Logo drpois o presdeme levaulou-sc da nie-
la e acoinpanhado por todo os hospede, rcll-
rou-se para uim nutra sala aliin de tomar caf,
entretanto militare de carros iao chr.aiulo ; os
saldes gloriosamente illmninados e siiinptunsa-
mente adornados (orain todos aberto pelas 8
horas e ante da lOettavam chcio do inais
distinctos nacionaes e estrangclro residente
ein Pari, sendo estes ultimo particularmente
nuil numerosos
Pelas 10 horas a sala do banquete, ja desem-
barcela da nieta que ah tinham sido pos-
tas, foi abena aos dancailorcs, e quasi por ee
lempo o presidente, tendo a madama llerger
pelo braco, visitou todo n saldes. Elle traja-
va o uniforme de general de guarda nacin es
e tinha a lita e c-tr.-il, da leglao da honra, sen-
do acompanhado por Mr. lerger, prefeito do
Sena, com o seu'secretario peral. Mr. Merruan,
c seguido de um longo cortejo de ofnciaesge-
neraes, representantes do povo eoutro fuuc-
cionarios publico. Com quinto-alguma coli-
sa fatigado pelo calor e pela mullida, elle
mnstrou-se contente e felicitou ardentementc
a Mr. Herger c aos membros do conselho mu
nicipal pela m.ignilicencia e ejquesito gosto
com que o festlm fura preparado. Eram quasi
11 hora 11 ii i Milu elle se retirou. Pela uma.lio
ra a inullidao comecou a diminuir, porui a
il.r ,. i durou animada al quati quatro boras
da madrugada. A pessoas presentes nao po-i
diam andar por menos de seis a 7,000, Todos
os arranjamentns lauto dentro como forado
edificio lu un admiraveis. Nada poda ser me-
Ihor oiganisado, e nao occorreu oinait ligeiro
accidente que eu saiba. f.'ouio hecostume ein
Me occasides |iostaram-sc senlinellas 'lecsvs!-
laria e infantaria ao longo do caes e na una
iai a manter a ordem ; o ajuiiumenlo fra nao
oi cousideravel talvez por causa da graude
frieza da nolle.
___________(orr/p Mili!) PIBXlIBliCU
HECiri, 31 DI JANEIBO DX 1851.
Entrou hontem do Para com derrota pelo
Cear a escuna Amelia, trazendo a seu bor-
do o capilSo Carling ea tripolaco da gale-
ra Elltn Bryson, a qual naufragou no punto
dos Touros, prximo ao cabo de S. Roque,
salvando-se do naufragio a referida trpo-
licilo ronslanle de 16 pessoas, assim como
os mantimentos e mais petrechos do navio,
e perdendo-se o catregamento de sil, que
elle rondu/ia de Cdiz para a Babia, eo
casco que all ficou inutilisado.
Heparligao da Polica.
PARTE DO DA 17 DE JANEIRO DE 1851.
Foram presos : i ordem do delegado do
primeiro districlo deste lermo, Pedro Paulo
l.e.lo, por desobediencia : i ordem do sub-
delegado da frepuezia de S. I'ioi Pedro Cnn-
calves do Recife, o preto Manoel Joaquim,
por briga : ordem do subdelegado da fre-
guezia de S. Jos, Duaite da Costa e Pedro
Jos huarte, por infracgSu de posturas mu-
niripaes ; e o escravo Antonio, por andar
f jgido : a ordem do subdlegado da fregue-
zia da Boa Vista, o soldado do corpo da po-
lica Jo3o Dauasceno, sem declaragSo do
motivo ; e o preto Joao, esciavo de Jos
Candido de lanos, a requisigiio de seu se-
nhor : e a ilo subdelegado da Ireguezia da
Vai/.ea, Jos, escravo de Vicente de tal, sem
declararlo do motivo.
COjijjIEWCjO.
ALFANDEGA.
Rendimentododia 21.....31:438,708
Descnrregam hoje 22 de Janeiro.
Brigue -- Ariel-- fazenas.
Brigue Criar merca lorias.
Clenla -- Fanny -- i lem.
Barca -- Tlmmas Mellon idem.
Brigue Teijner idem.
Barca F.lisabelh ~ lal.nado.
Mate braco ceblas c queijos.
litigue-- Lady Falkland -- baoalhio*
Escuna Caanle Mara sabOu c
vasias.
CONSULADO GERAL.
Rendimonto do da 21. .... 9:923,844
Diversa provincias...... 117,327
3:040,171
EXPORTACAO.
Despacho martimo no da 21
Slorkholm por Macei, brigue sueco Emi-
lie, ile 346 toneladas : conduz o seguinte :
1,340 saceos com 6,700 arrobas de assucar
e 4,000 couros cum 119,787 libras.
RECEBEDORIA DE RENDAS GEItAES
INTERNAS.
Reudimento do dia 21...... 425,525
CONSULADO PROVINCIAL.
Hendimento dodia 21......1:873,971
lipas
M o Mnenlo do porto.
Novios entrados no da 21.
Sandwich ( Islands) 95 das, galera ame
ricana Jomes Ellen, de 365 toneladas, Ca-
pillo Smitn, equipagem 25, o-rga azeite ;
ao ii i sinii capit3o. Veio refrescar e se-
guio para New-Bedfurd.
Paraliba 24 horas, laucha Tres rmeos, de
31 3|4 toneladas, meslre Jos Duarle de
Souza, equipagen. 5, carga loros de man-
gue ; a Joaquim Iluarte de Azfvedo. Pas-
sageiros, os Porluguezes Jos Mara Pes-
taa e Manoel Caicia Pimenlel, e o Bra-
sleiro Jos Anastacio Coes.
Rio de Janeiro -22 das, escuna Galante
Mara, de 149 toneladas, capitSo Jos
Mendes de Souza, equipagem 14, carg
caf e sabSo ; a Silva & Grillo.
Piavio taido no mesmo dia.
Stockolm por Macei Brigue sueco F.mi-
lie, capitSo F. F. Weulff, carga assucar e
couros.
JlTAES.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria da fa
y.rnil.i provincial, em cumpriiiienlo da ordem
do Eiin. Sr. presidente da provincia de 3i de
dezembro prokimo passado, manda fazer publi
co, que no dias 21, 22 e 23 do crreme ir a
praca peraule o tribunal administrativo da
inrsiua iliesi.uran para ser arrematado a
cjiiiiii por menos Uier a pintura da ] unir pen-
sil do Cachang, avahada em 385,000 rs. e sb
a clausulas especiae abaixo declaradas.
A pessoas que e propuzerein aealaarre-
uiaco comparecam ua sala das 9esses do ines-
ino tribunal nos dias cima mencionaao, pelo
uneio-dia, coiiipetentemenle habilitadas na for-
ma do artigo 24 do regulaucuto de 7 de malo
do prximo passado anuo.
E para constar se mandou afiliar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria dafazenda provin-
cial de Pernaiubuco, 3 de janriro de 1851,
O secretarlo,
.Imiuko Ferreira d'Annunciardo.
Clausulas etpeciaes da arrematacao:
1.* A pintura da ponte do Cachang ser fei-
la pela forma b a condiedes e do medo in-
dicado no mu uneni i apresentadn a approva-
cao do Exin. Sr. presidente, pelo preco de rs.
85,000.
2.' A obra principiaran no praso de 15 dia,
e sero concluidas no de 40, ambos principia-
do a contar da entrega do termo da arre-
matarn.
3.* O pagamento ellectuar-se-ha depois de
concluida toda a pintura, e examinada pelo en-
genhriro.
4.' Para tildo o mais que nao est determi-
nado na presente clausula seguir-se-ha o
que ilii i mi' o regulainento de 7 de malo de 1850.
Recife, Ib de deseinbro de 1850.
O engenheiro chefe da 2.a da e;co,
Joo Luis Vctor Lieuthier.
Approvada pela directora ein conselho, do
dia 16de dezembro de 1850. O director, os
Mamede Aloes Ferreira H. A. Uilet.l. Lus
Vicloi Lieuthier.
Approvo. Palacio dogoverno de Pernambu-
co, 31 de deiembro de 1850. Souia Rumos.
Conforme. O official, Manoil Jos Martins
Ribtiro.
Conforme. O secretario, Antonia Ferreira
d'Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria da
iV/i'ii tu provincial, em cumprimeulo da
ordem do Exro. Sr. presidente da provincia
de 12 do corrente, manda fazer publico
que nos iiias2i, -22 e 23 de Janeiro prximo
vindouro ir a pra;a perante o tribunal a>i-
ministraclivo da mesma thesonraria, para
ser arremata a quem por menos fizer a obra
do segundo IsnQo da estrada do norte, ava-
hada em 8:633,966 ris, e sb as clausulas
especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a esta ar-
rematacilo compareci na sala das sesses
do mesmo tribunal nos dias cima mencio-
nados pelo meio competentemente habili-
tados ha forma do art. 24 do regulamento
de 7 de maio do correte atino. E para
constar se mandou afxar o presente e pu-
blicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 16 de dezembro de
1850. O secretario, Antonio Ferreira da
AnnunciaeUo.
Clausulaes especiaes da arremalncao.
1 "lis traballios e obras deste lauco de
estrada ser8o feitos pela forma, sb as con-
iIhi'ii's, e do modo indicado no ornamento,
planta e perfz, apresentados nesta data a
approva?ao do Exm. presidente pelo preco
de oilo eolitos seiscenlos e trinta e tres mil
nove rentos e sessenta e seis mil ris (ris
8:633,966. )
2.-Em todos os pontos onde a estrada
nova coincide,nu encontrar-se com o velho
caminho actual, dcvea ser dirigido o ser-
vico de modo tal que haja sempre um tran-
zito fcil.
3.uAs obras principiarlo no praso de
um mez, e (unanlo no de oito mezes, am-
bos contados de conformidade como art
30 do regulamento de 7 de maio de 1850
1 "--l'iuii ludo mais que i.-.m est deter-
minado pela presente clausula, seguir-se-
ha inteiranienle o que dispe o regulamen-
to das arrematarles de 7 de maio.
Recife, 25 de novemhro do 1850. 0 en-
ginheiro chefeda segunda si-ccHu, Juan Luiz
Vctor l.ieuthier.Approvado pela directo-
ra do conselno no dia 3 de dezembro de
1850.O director, os Mamede Altes Fer-
reira.Florianno Disir l'ortier.Approvo.
Palacio do governo de Pernambuco, 11 de
dezembro de 1850.Souza Hamos Confor-
me No impedimento do ollicial maior, o
ollii'ial Domingos los Soares.
ConformeO secretario, Antonio Ferrei-
ra d' Annuncintdo.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico, que exislindo no arma/.em n 8 da mes-
ma os voluntes abaixo descriptos, que tendo
excedido do lempo marcado pelo regiilameuln;
devem ser despachadus por seusdnuos dentro
do prazo de 30 dias contados desta dala em di-
ante; lindo o qual sero arrematados em hasta
publica como dispe o artigo 274 do mesmo re-
gulamento, a saber :
Sctembro 25 de 18-17, Olinda, marca P. U., sem
numero, 1 barrica; a II. KorstrrSt C.
Maio 3 de 1848, Fspirito Santo, sem marca e nu-
mero, a 4 pedras ; a Mendes 8t 'Carroso.
Julho 19 de 1848, Tenlarfora, sem marca e nu-
mero, l caixa com planta ; a ordem.
Nm-finlii-<> 10 de 1848, Adilino, sem marca e nu-
mero, 2 pecas com carretas ; a Manoel Joa-
quim llamos e Silva.
dem 16de 1849, Unlilla, -em marca e numero,
i pipa vasia ; a Olivcira Irmo & C.
Alfandega de Pernambuco, 20 de Janei-
ro de 1851. O inspector interino, liento
Jos Fernandet Barros.
O Dr. Francisco de Assis Oliveira Maciel, de-
legado do primeiro districto do termo da
cun le do Recife de Pernambuco, por S.
M. I o C. Faco sabor a quem convier que pelo Illm.
Sr. dezembargador chefe de polica, me foi
communicado que pela polica da provincia
das Alagas fra aprehendido um escravo
de ruin.!; Antonio, que diz pertencer ao
Portuguez Jos Aiilonio, cujo escravo se
achava a disposifSo do Dr. chefe de polica
(aquella provincia, e para que cheguef ao
coiihecimento de quem for inleressado,
mandei lavrar o presente, que ser publi-
cado pela imprensa. Dado o passado nesta
delegada do primeiro districto na cidade
do Recife, aos 20 de Janeiro de 1851.
Eu, .1 >ii'i Saraiva de Ai unjo Calvan, es-
crivSo o escrevi.
Francisco de Assis Oliveira Maciel.
Joaquim Lucio Monteiro da Franca, lente
coronel da guarda nacional, e presidente
do conselho de qualilicucflo da freguezia
de S. Jos do Recife.
FaQo saber que o conselho de qualiflca-
cao desta parolina principiar a sua reu-
nan as 9 horas da inanhSa do dit 4 de fe-
vereiro prximo vindouro, naigrejadeN.
S.do Tero,onde fara aqualificacaodoscida-
ilns aptos para o servico da guarda nacio-
nal, e atindela as reclaaiaces que de seus
direitos iizerem as partes interessadas, na
forma da le de 19 de setembro de 1850, e
nst'ucces respectivas. E para que che-
gue ao cimbre miento de todo* mauJei aul-
lar o presente na porta da matriz, e publi-
car pela imprensa Freguezia de S. Jos do
Recife, 20 de Janeiro de 1850f.
louquim Lucio Monteiro da Franca.
Declaraijes.
CORREIO.
Lista gera\ das cartas entrada at o ultimo di
dezembro de 1850.
Joaquim Fernandes de Alm, Joaquim
C.oncalves Meirelles, Joaquim Goncalves
Vieira Guimares,Joaquim Gomes Castanho,
Joaq lim Jacintho Granja, Joaquim JosMat-
tos.Joaquim Jos l.eito,Joaquim JoscBentO,
Joaquim Jos Magalhfles,Joaquim Jos Costa
I eiUo.Joaquim Jos Amaral, Joaquim Jos
Silva, Joaquim Jos Cunha Ozorio,Joaq Jos
Ferreira, Joaquim Jos Maria, Joaquim Jos
Novaes P., Joaquim Jos Pereira Magalhfles,
Joaquim Jos R.abeilo Silva, Joiquim Lopes
Jnior, Joaquim Luiz Ahreu, Joiquim Luiz
Santos, Joaquim Moreira Guerrid;, Joa-
quim Marques Mais, Joaquim Martins, Joa-
quim Manoel Lim, Joaquim Ribeiro Ma-
ciel, Joaquim Nunes, Joaquim Pereira Coe-
Iho, Joaquim Peira Ramos, Joaquim Pero-
ra Freitas, Joaquim Pereira Silva, Joaquim
Pereira Silva Crespo, Joaquim Pereira Silva
CuimarSes, Joaquim Queiroz Monteiro Joaq,
Ribeiro Pinto.lJoaquim Rodrigues Coelho,
Joaquim Ribeiro Pinto & C., Joaquim San-
ta Rita, Joaquim Souza M na, Joaquim Silva
Sanios, Joaquim Silva Hora, Joaquim Silva
Corga, Joaquim Silva Pinto,Joaquim Santos
Nazio, Joaquim Souza Silva Cunha, Joa-
quim Thomaz pereira.
Joao AmancioMenezes, James Schanklin,
Joo AzeveJo Jnior. JoSo Arruda Cabral,
Juno Alves Miranda, JoSo Augusto de Pinho,
Joo Alberto de Souza, Joao Alblle Velso,
JoSo Antonio Carneiro Joflo Antonio Fer-
nandes M., Joflo Antonio l'erniinili'S, Joo
Antonio Fernandes Araujo JoSo Antonio
Moraes N., JoSo Antonio MagalhSes eA.,
JoSo Anionio oliveira, JoSo Antonio Perei-
ra M JoSo Antonio Porto, JoSo Antonio
Silva l.eii.ns, JoSo Antonio Veiga, JoSo Ber-
uardes, JoSo Rotelho, JoSo Bernardino Ho-
tel ho, JoSo liento Lagos, JoSo Barboza Me-
nezesM., Joflo Baptisla Aldeflo, JoSo impu-
ta Castanha, JoSo Baptisla Campos, JoSo
Baptisla Espirita Santo, JoSo Baptisla Fon-
seca, JoSo Baptsta Lima, JoSo Bapista Mol-
la, Joflo Baptistt Macado, JoSo Baptisla Ro-
drigues, JoSo Baptista Rocha, JoSo Baptis-
la Cruz Pires A JoSo Cardozo Rabello,
JoSo Costa Torres, Joflo Domingues Ramos,
JoSo Franco, JoSo Fonte Barrozo, JoSo Fer-
reira Araujo GuimarSes, Joflo Ferreira Cos-
ta JoSo Freitas Pinto e Souza, JoSo Fer-
nandes Baptisla JoSo Fernandes e Silva
M., Joflo francisco Carneiro M., JoSo Fran-
cisco Ferreira Silva Joflo Francisco de Oli-
veira, JoSo Francisco Pereira Silva Braga.
(Continuarse ha.)
As mallas que devem con-
duzirovapor lmperatrit para
os portos do sul, principiam-
se a fechar no dia (24) do cor-
rele as 11 horas da manhfia, e recebe-se
correspondencias com o porte duplo at o
meio dia.
Ceral 1.000
Galera 1,000
Roga-se as pessoas que quizerem assistsr
ao baile, o obzequio de se aprosentarem de
casaca, pira o maior brilhantismo do
mesmo.
Augusta Candan! pede ao respeitavel
publico toda a indulgencia e proteceflo.
$^snmmsms**^mmm****i*mmmkmirf
Thealro de Santa-Isabel.
38 RECITA DA ASSIGNATURA.
I.IIAHT I KlKA, 22 DH JAMIKO DE 1851.
Estrs de madimoiselle Marieta Raderna,
primeira dangsrina absoluta do theatro de
Miln, ltimamente: de 8. Pedro de Alcn-
tara do Rio do Janeiro, (aondo foi sempre
admirada pelos amadores do verdadeiro
mrito )\de madamoisella Alie Moreau, e
de Frederico Tati, baixo profundo.
Depois de urna agiadavel ouvertura, a
companhia nacional representar a idte
rosante comedia em 3 actos :
As uieiiiorius op diabo.
No lim do primeiro acto o Sr. Tati canta-
r a bella aria do Pirata seguindo-se
por mandamoisello Marieta Bsderna o Ali-
e Moreau
O PAS DE DEUX
do segundo acto do Lago das Fadas.
No lim do segundo acio o Sr. Frederico
Tati cantata a ariadi Silvada opera Er-
nani, do maestro Verdi, com urna nova ca-
bnletta, escripia expressamenle pelo maes-
tro Ciannini director do canto, depois da
qual madamoiselle liaderna danzar em
carcter
O Bolero.
Terminar o espectculo com 0 muito
a p|ilau I ido duelo da opera Lucia de l-a-
mtrmoorcantado pelo Srs. Tati e Capurri.
Comecara as 8 horas.
Os bilhetes acham-se venda no lugar
lo costume.
Avisos martimos.
Para o Acarac e Granja, segu viagem
o hiate aufa Brasilea, al 25 do corrente
mez, quem no mesmo quizer carregar ou
ir de psssagem di rija-se ao escriptorio de
Manoel Gon(alves da Silva, ou a bordo do
mesmo, a'falar com ocapitSo, defronte do
trapicho do algodSo.
Para o Maranhflo tocando no Cear,
pretende sabir oestes 8 dias o hiate Xovo
Olinda, por ter promploej tratado dous
tercos de sua carga : para o resto e passa-
geiros trata-se com o respectivo meslre An-
tonio Vianna no trapiche do Igodflo, ou
na tua da Cruz, armazem do Sr. Manoel
Jos de S Araujo.
Para o Rio de Janeiro o brigue nacio-
nal Adamastor, pretende seguir com muita
brevidade : quem no mesmo quizer carre-
gar ou ir de passagem, trata-se com os con-
signatarios Machado & Piuheiro, na ra do
Vigario n. 19, segundo andar, ou com o ca-
pilSona prapa.
-- Para a Baha pretende seguir viagem
com brevidade a su maca nacional Carlota,
jnestre Jos Goncalves Simas: quem na
mesma quizer carregar ou ir de passagem,
pode entendnr-se com Luiz Jos de S Arau-
jo. na ra da Cruz n. 33.
Para o Hio de Janeiro
segu no da 26 do corrente o bri-
gue nacional D. Jffonso, novo
de primeira marcha : para o res-
to do seu ca regiment, escravos e
passageiros trata-se com os consig-
natarios Machado & Pinheiro, na
ra do Vigario n. 19, segundo
andar.
Para o Rio de Janeiro segu com brevi-
dade a escuna nacional Galante Maria : para
carga, escravos a frete e passageiros, para o
que Ikiii excellenies commodos ; trata-se
ni ra do Vigario n. 4, com Silva & Grillo,
Leilo.
i. J, Tasso Jnior faz leilflo por inter-
vencSo do corretor Miguel Carneiro, de
30 pipas e 15 quartolas com vinho do Cel-
io, em cascos colalosos, por conta de quem
pertencer, para fei xa r con tas : hojequarla
lena, 22 do enrrent as 10 e meia lloras em
ponto : no caes da alfandega.
O corretor Miguel Carneiro, far leilSo
quinta-reir 23 do corrente as 10 horas da
manhSa, no seu armazem na ra do Tra-
piche n. 40 de diversas fazendas para feixar
cuntas ; sendo a maior parledellascom to-
que de avaria. ^^^^^
Avisos diversos.
THEATRO DK APOLLO
QUINTA FEIRA, 23 DE JANEIRO DE 1851.
Grande e variado espectculo de canto
italiano e baile.
Depois de exivutar-se tima escolhida ou-
vertura, seguir-se-ha a grande scena, aria
da Casta Diva, e alegro da opera
N'OItMA,
do maestro Beilini, executada pela Sra.
Augusla Candiani.
A scena ser ornada como requer o li-
bretto, com druidas, e banda militar.
Depois do neto da Noina segue-se a pri-
meira quadrilha no grande s Iao deste thea-
tro. A msica para o'salSo he composta de
11 iota professores, independeule da que to-
ca no espectculo.
Due'.o da operaBelsariodo maestro
Donizetli, executada pela Sra. Candiani e o
Sr. Eckerlin.
Segunda quadrilha.
Ana da opoiaBarbeiro de Sevthado
maestro Rossini, executada pela Sra. Can-
diani.
Tercera quadiilha.
Aria daPamine- executada pelo Sr. Cayo Eckerlin.
0 un la quadrilha :
Rondo final da operatiratado maes-
tro Beilini, executado pela Srs. Candiani.
(juitna quadrilha :
. Duelo da operat'iglia del Btggimento
do maestro Donizetti, executado pela Sra.
Candiani e o Sr. Eckerlin, 110 qual a mesma
senliora apparecera vestida de soldado frail-
ee/, e fara ero scena todas as manobras mi-
litares.
Finalisar o espectculo com sexta
quadrilha.
Os bilhetes de camarotes, geraes e gale-
nas, acta ni -se desde ja a oisposif 80 do res-
peitavel publico, no escriptorio do mesmo
iheairu; asim como as sentas para o
baile.
Primeita ordem
Segunda dita
Terceira dita
Precos.
8,000
10,000
6,000
Na ra da Praia de Santa Rita, no pri-
meiro andar da casa de tres ditos, aluga-s6
urna ama forra, crioula, para o servirlo in-
terno de urna casa, sabe cozinhar, engom-
mar e coser.
Aluga-se a casa da ra do Cotovello n
109, que pertenceu ao finado Quaresma, cu-
ja casa lem bastantes commodos para o ar-
ratijo de urna grande familia, possuindo um
grande quintal com differentes arvoredos
de fructos, cacimbas, tanques, senzalla pa-
ra escravos, e finalmente com os fundos
para o rio : quem a pretender procure as
chaves na ra da Paz, casa n. 32.
Quem precisar de um caixeiro, o qual
lem muita pratica de venda : dirija-so ao
paleo da nbeira n. 1, que se dir quem he.
--Quem annunciou querer comprar 6
cadeiras de Jacaranda, dirija-se a ra da
Cadeia do Recife, no primeiro andar do so-
brad 11. 8, das 10 horas da manhSa ateas
4 da tarde.
Precisa-se alugar urna preta, que en-
te n d a de cozinhar o diario de urna casa e
eogommar, para casa de familia: quem a
liver para alugar annuncie para ser procu-
rada, ou dirija-se a ra da Cadeia do Reci-
fe, no primeiro andar do sobrado n. 8, das
10 da manhSa at as 4 da tarde.
Deseja-se fallar a negocio de seus in-
teresses aos Srs abaixo mencionados Ma-
noel Luiz do Reg, Jos Concalves de Sou-
za, JoSo Luiz de Almeida, Jos Ignacio Fer-
nandes de Barros, Joaquim Fernandes Pin-
to, Antonio Jos de Oliveira Costa, Joaquim
Jos Fiuza Lima, Manoel Jos do Reg ( que
morou om Porto de Pedras ) Maximiano Jos
deAvellsr, Antonio Rabello de Abreu : na
praca do Commercio n. 6 primeiro andar.
Engomma-se roupa com todoasseio e
promplidSo: na ra da Sanzalla-Velba
n. 142.
Precisa-se de um boro cozinheiro cap-
tivo ou forro, para urna casa estrangul ra :
no atierro da Boa-Visla n. 35.
Precisa-se de urna preta forra ou capti-
va para cosinhar: na ra das Laraojeiras
D. 23.
DSo-se600,000 rs a promio com hypo-
theca em urna casa nesta praga, ou com
boas firmas: quem pretender annuncie.
DSo-se 450,000 rs. a premio com seguran-
za em urna casa nesta praga : quem preten-
der annuncie.
Soi-votes.
No buhar do Passeio Publico contina a
fazer-se sorvele pelo baralo preco de 200
rs. cada ropo.
Aluga-se urna casa na ra da Palma
n. 6, com 2 quartos cosinha fora : a fal-
lar na ra de San Fraucisco oulr'ora Mundo
Novo n. 30.
Quem precisar de um menino de 14 mi-
nos, o qual he lilho de fra e muito bem e-
ducado, para caixeiro de qualquer arruma-
eflo, dirija-se Fra de Portas a. 92, ou au-
n 11 lie ir para ser procurado.
O abaixo assignado declara, que nin-
guno faca transacejo com duas letras que
se perderam no dia 18 do corrente mez :
sendo una de 550,000 rs. saccada em 14 de
dezembro de 1850, aceita por JoSo Domin-
gues Feernanues da Luz ; e outra saccada
ChrislovSo Dionizio Barros, senhor do
engenho-QUelmalas na comarca de Santo
AnlSo, de novo roga ao Sr. que comprou
o escravo Andr ao Sr. capitflo Jos Mara,
que dirija-se ao mencionado engenho
hem do seu interesse.
vi O Dr. J. S.Santos Jnior, O
a medico homoeopatha mora 5?
S> na ra Nova, n. 58, primei- O
3 rO andar. ^
O senhor de engenho 011 proprietario
que precisar de um profesor de primeiras
leltras para ensinar seus ii I los fra desta
praca, dirija-se ra larga do Rozario, to-
ja de miudezas n. 2, que achira com quem
tratar.
O senhor de engenho que precisar de
um administrador com os requesitos ne-
cessarios para exercer dito emprego, an-
nuncie por esta Tolha para ser procurado.
--"Novaes & Companhia remetiera para 03
portos do sul a escrava crioula, de nome
Fortunata, perteocente ao Sr. Jos Pedro da
Souza Paraixo, a entregar aoSr. Manoel Pe-
reira dos Santos e Silva.
Quem precisar de urna ama com bas-
tante leite e com 10 dias de parida, procu-
re-a no sitio do porlSo de ferro, na encru-
zilhada de Bellem.
Casa de commlssao de escravos.
Na ra Direita, sobrado da tres andares,
defronledo becco deS. Pedro n. 3, rece-
bem-se escravos de ambos os sexos para se
veoderem de commissSo, nSo se Ivando por
essetrabalho maisdo que dous por cento,
a sem se levar cousa alguma de comedo-
rias, offerecendo-se para isto toda a segu-
ranza precisa para os ditos escravos.
Precisa-se de 200,000 rs. sobre hypo-
iliaca em urna casa na ra do Motocolomb,
pagando-se os juros mensalmente: quem
quizer dar, annuncie.
-- O proessor de latim da freguezia de
S. Jos do Recife, abaixo assignado, faz sel-
le ao publico, que dar comeco ao exerci-
ciodesu'aula Do 1.* da fevereiro prximo
futuro. Quem se quizer matricular, dirija-
se ra Augusta, sobrado n. 80 A.
Manoel Francisco Coelho.
Precisa-se de um caixeiro para venda,
que trnlia bastante pratica I no largo da n-
noira de S. Jos n. I.
-- Na ra doQueimado n. 30, primeiro
andar, precisase de umama que tenha
boro leite : paga-se bem nSo trazendo fllho.
- Aluga-se o terceiro andar, sotSo corri-
do com muitos quartos e grande cozlnha, a
dous grandes mirantes, do sobrado n. 13 da
ra do Vigario : a tratar no armazem do
mesmo sobrado.
OITerece-se urna preta forra para ama
de casa ; na ra Direita n. 68.
O abaixo assignado comprou para o
Sr. Antonio Fernandes da Silva (da Paraht-
ba{) os bilhetes da lotera de N. S. do Livra-
mento ns. 946 e 1236, sendo este ultimo in-
leressado com o abaixo assignado.
Antonio Francisco Concia Cardoso.
Precisa-se de dous pretos captivos ou
forros, e que um delles seja cozinheiro pa-
ra urna casa frauceza -. quem os liver e qui-
zer alugar, annuncie para ser procurado.
--Na travessa da matriz do Santo Anto-
nio n. 26, ha urna genhora que se prope a
ensinar meninas a 1er, escrever, contar bem
coser todas as qualidades de costuras,
prometiendo em breve tempo da-las promp-
tas de um ludo que ensinar, por preco mais
commodo do que em outra qualquer parle.
4 All 111 A o. f)
$9 Maria Joaquina de Oliveira Amaral, fi
mudou a sua residencia da ra Nova ftj
para o Recife, ra da Cruz n. 27, se- aja
0 gundo andar, e continua a fazer ves- 4>,(
# tidos, manteletes, chapeos e tudo o a>
* mais tendente a modas desenhoras : a,
? oflerece, portanle, sen presumo as a>:
'? pessoas de sua amisade, e freguezas, fc
V que sempre a acharSo prompla'a exe- #j
* rotar qualquer encommenda, cum fc
3 perfei;8o e mdico preco, ja conhe- 0
culo. 0
No dia 25 do corrente, pelas 4 horas
da tarde, porta do Sr. Dr. juiz do civel da
segunda vara, na ra da Madre de Dos, se
hSo de arrematar varios escravos, mogos e
robustos, sendo alguns com ofTIcio, penho-
rados a A. F da S. : quem os pretender,
compareca que he a ultima praca.
Fugio, no dia 18 do corrente, o escra-
vo Jos, de nagfio Cassange, de 18 anuos,
alto, secro, bem fallante, mSos e ps gran-
des, maguas do rosto sobresabidas para OS
ladoi e dous dentes queixaes de menos;
levoucaifa e camisa de algodSo de lisiras
azueae outra do mesmo lodo azul : quem
o apprebender, queira leva-lo a seu senhor
o alferes do corpo de polica Manoel Pedro
de Souza, na ra Augusla, defronte da casa
n. 16, ou no quartel do mesmo corpo, que
ser generosamente recompensado.
Pergunla-se aoa Srs. Me. Calmont &
Companhia porque motivo nSo entregara
ao abaixo assignado um vale de 48:211,000
rs., assignado pelo Sr. Francisco Jos da
Costa, que Ibes foi dado em pagamento no
aono de 1840 como procuradores da casa
fallida de Diogo Burn & Companhia, como
consta de urna escriptura publica as no-
tas do tabelliSo Bezerra, e na qual se obri-
garam a dar ao abaixo assignado a deaobri-
ga de outra igual quanlia com a casa do
fallecido Manoel Malinas de Freitas, trans-
acgo esta que foi solicitada com muita
instancia pelos Srs. Me. Calmont & Compa-
nhia, como se v dos seus requerimeoto*
no carlorio do escrivSo Santos. Agora que
as cousas mudaiam de face, o Sr. Costa,
oulr'ora com pleno crdito quebrou e diz
que nao pode pagar, ao mesmo tempo que
o abaixo assignado foi obrigado por sen-
tengas a pagar ao dito Freitas no anoo de
1850, decujos herdeiros lem plena quita-
gao de paga, motivo este porque deve-lhe
ser entregue dito vale.
Antonio Gomi Villar.
Precisa-se de urna ama de
leite forra ou captiva, que seja sa-
dia : paga-se bem : na ra Velha
n. 102.
O abaixo assignado faz sciente a quem
em 16 do mesmo mez, de 540,000 is. aceita j convier que mudou-se para a ra do Ran
por Francisco Matios Vieira. Peroambu-lgel 11 48, junto ao becco do Carcereiro,
co, 20de Janeiro de 1851. loude contina a seragente do consumo de
lote Antonio i* Magalhiei. ago'ardeute. Luis Jos Margues.
.
MELHOR EXEMPLAR


No melhor lugar dos Afolados para ne- bondade do dirigir-so ra Nova n. 12,
^

gocio, casa lambem muilo acroditada, foi
feila ha oit mazes urna padaria cora toios
os neccssarios, a qualem poucos dias che-
pnu a desmanchar seis arrobas de pSes e
tres dilas de bolachas diariamente ; porn
como o dono no possa continuar a '' ,:
essn negocio, por ter outro quu o priva, u
que molivou muitos relaxamenlos, resol-
Te-sea vend-la, juando ja por vezes lem
engeitado muitos negocios : quem a pre-
tender, dirija-se aos Afogados, a fallar com
TbeoQlo de Souza Jardim propietario da
mesma, Ton nn ra Direila ao Sr'. Antonio
Alves de Miranda C.uimarSes.
--Precisa-so de um sotSo ou fundos de
urna casa prxima ra Nova : a fallar na
ra das Trincheiras, loja n. 1.
OfTerece-se um pardo de idade de 32
annos, para criado de qualquer casa, o qual
he muilo buril comportado, muilo gil, nfio
tem vicios : quem precisar, dirija-se a pra-
" di Independencia livraria n. 6e 8, que
se dar as informales precisas.
No dia 24 do corrente, depois da au-
diencia do juizo.do civel da primeira vara,
tem de se arrematar a parte de urna morada
de casa de sobrado de tres andares com so-
t.io e trapeira, sita na ra da Senzalla Ve-
Iha n. na, con 23 palmos de frentee92
de fundos, o cosinha nos andares, quintal
murado, portSo, cacimba meeira e chitos
proprios, cuja parte val a praca pela adjudi-
cado da quantia de 3:621,568 rs. por ser
a- parte do execulado da quantia de rs.
4:530,708, visto ter sido avahado todo o
rredio em 8:000,000 rs : um terreno que
flca alm do dito quintal, parle est Herra-
do, e parte em allagado solo foreiro a-
valiado em 250,000 rs. e lem de ser arrema-
tado pela adjudicado da quantia 200,000
rs. cojos bens vSo a praca por execufSo de
1). Catharina Francisca do Espirito Sanio
contra Jos da Silva Braga, escrivSo Cunba.
Deve publicar-se al odia ullimo do
corrente a aeguinte e interessante obra
Guia do Guarda Nacional.
Cnntendo a lei n. 602 de 19 de setembro de
.850, que da nova orgaiiisacflo a guarda
nacional do imperio, e o decreto n. 722,
com as instructores para execuc^lo da mes-
nia lei; a cujo decreto e nstruccOes acom-
panham onze mappas ou modelos nSo s
relativos ao processo da qualiflcacSo, do
recurso de revista ele. como da economa
interna dos carpos, organisaQ.to por muni-
cipios, por balalhOes, companhia ele. F.m
um volume bem impresso comtyposno-
vos. Asslgna-se por 2,000 rs. cada exem-
plar no paleo do Collegio, casado livro
azul. Feixada a assignalura custar cada
ejemplar 2,500 rs.
Precisa-so de um I'ortuguez para to-
mar conla de um sitio perlo desta pra^a
(com preferencia o natural das ilbas) que
saiba plantar fruleiras, verduras e enxer-
tar, etc., e fazer todo o servico que pre-
cisar o mesmo sitio, quem esliver nestas
nir instancias dirija-si ao rorleiro da al-
fandega desla cidade, para fazer o ajuste,
o qual ser feito a vista da prova que der
do seu bom comportaruento, sendo o pri-
meiro que se nilo embriague.
Oabaixo assignado escriv.lo de orphSos
da villa de Iguarass, faz sciente ao com
ini-i ci" desta cidode, que elle nunca deveu
que nSo pagase e nienoa boje que nilo de-
ve addi^So ou quantia alguma, a pessoa
nenhuma, e mui principal i rute aos Srs.
Silva & Grillo, os quaes se ineuleam ser
elle annnuncianle aceitante de urna lettra
de 315,115 rs., segundo urna sua carta de
13 de Janeiro do correte anno, dirigida
elle annuncianle exigiudo deste a sobredi-
la quantia, e para que esta noticia chrgue
aos mesmos Srs. Silva & Grillo, faz o an-
nuncianle o presente annuncio; e se .....
Iiiii f os ditos senhores foram Iludidos por
alguem que se atrevesse a raptar v. firma ou
assignalura do annuncianle, ust culpa,
menos obrigac.no lem de pagar, o que nun-
ca escreveu, e menos se ohrignu, e a illudi-
eflo dos ditos Srs. Silva & Grillo seja a cau-
sa dos ruca neos em que cahiram, (cando
desta maoeira respondida a sobrcdila car-
ta, quo o annuncianle recebeu dos mesmos
Srs. Silva & Grillo. Villa de Iguarass, 18
de Janeiro de de 1851.
lodo Ilaptiita Ttixeira Cavaleanli.
-- Precisa-se de um forneiro que enlenda
bem do odelo : na ra Dimita n. 82.
-- Precisa-se de um caueiro : na ra l>-
reita n. 24, que d fiador a sua conduta,
prefarindo-seoque lenha pratica do nego-
cio de paderia.
O abaixo assignado, professor particu-
lar deprimeiras lettras, disciplinado em
preparatorios no lyceu desta cidade, parti-
cipa ao res, eitave publico e aos pas de
seus alumnos, que segunda-feira, 13 do
corrente abri su'aola, e debaixo dessa mes-
niii disciplina ensina por principios a gram-
matica porlugueza, latina a franceza, ad-
miit'tido nesse recinto peucionistas e meios
pencionislas. Ospaisde familia que quize-
rem applicar seus filiaos a alguma dessas
disciplinas, podem dirigir-se ra largado
Rozario n. 48, segundo andar.
Jote Marta de Figueiredo.
O supra assignado de hoje em diante as-
signa-se por Jos .Mura Machado de Figuei-
redo, por haveroulro de igual nome.
-- Precisa-so de um moqo para destri-
buir um pouco de pSo na ra com um pre-
to, preferindo-se um queja lenha pratica e
que saiba ler e escrever : quem se adiar
nestas circuoistancias, dando fiador sua
conduela, pode dirigir-se a ra larga do
Itozario n. 18, que achara com quem tratar,
Quem tiver para alugar urna boa casa
com algum sitio era Ponte de Ucha, ou da
Boa Vista para o dito lugar, dirija-se ra
do Trapiche n. 14.
l'ma pessoa assaz habilitada seoffere-
ce para administrador de algum engenho
por ter sido sempre en? prega iloem dito lu-
gar : quem de seu prestimo so quizer uti-
lisar, dirjase ra Direita n. 63.
Francisco Rodrigues Xanda, professor
jubilado em primeiras lettras, est resolvi-
do a leccionar alguns alumnos, dando aula
das 9 huras da manhSa ao meio-dia : a
quem convier, pode procura-lo na ruado
l.i vi amento, sobrado de um andar n. 30.
--Os Srs. Antonio Ferreira Monteiro e
Manoel da Costa lm cartas, viudas de Por-
tugal, na loja de ourives da ra do Cabug
numero 7.
negocio de seu interesse.
Quem tiver para alugar urna preta que
seja boa vendedeira de ra, e seja del,sendo
o aluguel rasnavel annuncie.
-- A matricula da aula de latim do colle-
?! das arles dn Olin la, acha-se aberta na
asa do respectivo professor, ladeira da S
' O bacliarel formado Jos Lotirenco
Haira de Vasconcellos morador em Olinda,
advoga no crimno civel: polo ser procu-
rado qualquer dia em sua casa ao peda la-
deira da S.
--OfTerere-se um homem Portueuez para
feitor de algum sitio, o qual entn la re
planta coes o de jardim, larobem entende
de bolieiro. quem pretender dirija-sa a
Le-
Pretende-se saber doSr. Eduardo Leo-
poldo Mac i'.arihy da Cunba, suh.ilo porlu-
guez, lilhu de Carlos Mac Garlhy da Cunha
e de Joanna llosa Mac Carlhy, j fallecidos,
sendo que esteja tiesta proviucia, leaba a
ponte do llernedio, venda de Manoel
mos, queahi achara com quem tratar.
Precisa-se alugar urna preta captiva,
que saiba coziohar, lavar, engommar
comprar : na ra Nova n. 39, segundo a-
ilar. Na mesma casa precisa-se de urna cos-
turera.
Furlaram, no dia 18 do corrente, na
Passagem, prximo a ponto, urna bacia
grande de rame: pede-se a quem for offe-
recida, a tomem e levem-na padaria da
mesma Passagem, que se recompensar.
Bernardino Gomes de Carvalho com-
orou por conta e ordem do Sr. Antonio
Moreira Vinhas ; do Ic ) o meio bilhete n.
4449 da 53' lotera da Santa Casa da Mise-
ricordia do Rio de Janeiro, o qual tica era
poder do annuncianle.
Um rapaz brasileiro se offerece para
caixeiro de qualquer rstabelecimonto ou
cobranza, dando fiador sua conducta
quem precisar, dirija-se sCinco-Pontas,
padaria n. 63.
Os herdeiros de Francisco da Silva, de-
sojando liquidarem as contas da casa de
seu tinado pai, avisam aos devedores d
mesma, que quanto antes hajam de appa-
recer para pagaren) seus dbitos, pois nes-
ta dali tni elles autorisado ao seu procu-
rador, Antonio da Costa Ribeiro e Mello,
para usar dos meios judiciaes para cora os
oraissos.
O abaixo assignado arrematante das
afferifes deste municipio do Recife, faz
cerlo aos habitantes das freguezias de S.
I.ourenfo, S. Amaro de JaboatSo, e do Muri-
beca,que lem vendido a arrecadacSo do im-
posto dis mesmas sfericOes e revistas, sen-
do das tavernas c dos talhos das mesmas
freguezias un Sr. Manoel Pedro do Reg, e
por sso faz certo para que nao haja duvida
alguma em ser o dito senhor o arrecadador
dos ditos estabelecimentos em as ditas fre-
guezias, sendo do corrente anno munici-
pal de outubro de 1850 a setembro de 1851.
Antonio Goncalvei de Maraes.
O abaixo assignado, ruga a todos os
seus credores, que no praso de tres dias,
contados da dala deste, llie apresentom
suas contas, para serera mediatamente pa-
itas, na casa de sua residencia na ra do
Vigario o. 15, lerceiro andar; advertindo ao
mesmo lempo que ao deps des>e praso nilo
aunuir qualquer reciamaco que se liie la-
ca por dbitos contrahidos at esla dala.
Recife, 20 de Janeiro de 1851.
Manoel os Barbosa Braga.
Precisa-se de um feitor para um sitio
no pateo do Collegio, c.,-n do Livro Asu
1 o:ooo|ooo rs.
I m -se 10:000,000 rs. a premio, por junto
ou separado, com garanta de pinhores ou
bypoteca em predios, por um annoou ma-
is : quem pretender dirija-se a ra do Ro-
zario estrella n. 30, segundo andar, que se
di' quem os d.
Precisa-se arrendar um sitio perto des,
ta i i asa, tendo casa desente para familia
alguns ps de arvoredos de frulo, campim
para cavallos, anda que principie o arren-
damento do lim do corrente ou meiado do
viudouro mez endiante : para tratar na ra
das Larangeirasn. 23.
De/eja-so saber se existem nesta praca
os Srs. Gaspar Leileda Silva natural deOui-
iiui,ies, e Francisco Jos de Cerqueira Al-
ves Barboza natural de Vllenla do Minho ;
este Sr Barboza consta que em 1845estava
trabalhando em urna paderia na ra das
Cinco Poulas : queiram ter a bondade de
apparecer na ra da Senzalla velha n. 90,
que iiiiiito se Ihes dezeja fallar,
a-se dinneiro a premio em pequeas
porces, sobra piuhoros de ouro : ua ra do
Cabuga n. 1 C.
~ Coseae e engomma-se com asseio e
proraptidSo : na ra Augusta n. 81. Na mes-
ma casa vende-se urna rede de 15 bracas por
enfaldar.
-- Traspassa-se o arrondamento do enge-
nho Queluz, silo na freguezia de Ipojuca.
vendendo-se a safra no campo, o engenho
he copeiro e bom, e lem bons cercados : a
tratar com Miguel Augusto de Ulivelra, na
sua residencia no engenho Camassari, na
freguezia de S. Amaro JaboatSo, ou com
Theolonio da Silva Veira no engenho Ca-
xoeira da freguezia de Ipojuca.
ICngomma-se e lava-se toda a qual ida-
de de roupa com todo asseio e mui la prorap-
tidSo, por pre;o mais commoJo do queem
oulra qualquer parle : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 26.
Urna mofa solteira, que se acha em
companhia de seus pais com todo recato e
honestidsde, propOe-se a ensillar a ler, es-
crever, contar, grammatica universal, mu-
sica, duutriua christSa, coser, IV/er lavarin-
to, bordar, marcar por differentes modas e
fazer flores, recbenlo tambera discipulas
internas : as pessoas que de seu prestimo s
quizerem ulilisar, dirijam-se u ra Direita,
sobrado n. 43, segundo andar.
-- O Dr. era medicina Carlos Frederico
Muller, tendo voltada da Europa, acha-se
excrcendo a sua arle na sua antiga residen-
cia, na ruada Cruz n. 15, segundo andar.
Aula particular.
Umhilina Wanderley Peixolo, faz scienle
ao respeitavel publico que desde o dia 13 do
correte, acha-se aberta a sua aula de pri-
meiras lettras e bordados, na ruadaCadeia
de Santo-Antonio no segundo andar do so-
brado ii. 14, na esquina do Ouvdor, conti-
nua a receber pensionistas, meias pensio-
nistas e externas Aquellas de suas disci-
pulas que se quizerem applicar a daiifa,
msica vocal e piano, desenho, francez e
geograpbia, serSo licionadaa por habis
professores e de reonbecda probi lade.
--Precisa-se alugar um preto, que saiba
cozinbar e sirva p*ra fazer ornis servico
de unta casa de pequea familia : na ra do]
Trapiche n. 6.
Aula.
dia I.* do fvereiri abrir aut sua cas, ra
do Pilar n. 40, a aula nar mDJiinos, j an-
11 n ti i -i I-i por este hinrio. 0< nais que qui-
zerem nnndar a ella seus 1111)09, se pode-
rilo entender com o mesmo abaixo assigna-
do, no escriptorio dos Srs. C. Starr c O,
na ruada Aurora. -- otda Maya.
Perdeu-se, no dia 3 do co;reiltn,'uma
loneta do ourn : quem a adiar a podar en-
tregar no pateo de S. Pedro, casa do cirur-
giSo Leal, que recompensar generosa-
mente.
-- l'recisa-so de urna mullier que esteja
acostumada a andar cora negocio do fazen-
das, assim como de uma preta mo<;a para
carregaro taboleiro das mesmas : advorto-
se que as pessoas cima referidas devora dar
li i ne.i as suas conduelas : a tratar na ra do
Trapicde Novo, armazem n. 41
lltllffllll?SI91lfO
* l'nulo GalgnOUx, dentista *
*> frnnce7. offerece seu prest- 9
W mono pulillco pava lodosos *
ti misteres de sna proflsso: +
9 pode ser prociirado u qual- 9
9 pier hora em sna casa, na a
m ra lardado Kozario, n. 30, %
% rmiiido andar.
#H*##f*>#fl#!i|?,*i*ft*#i
Precisa-se alugar um molecute, que se-
ja forle, lid e de bons costumes, para ven-
der na ra frutas ou verduras: paga-se bom:
quem o lver e quizer alugar, dirija-se ao
principio da estrada dos Afilelos, primeira
casa terrea pintada de azul, do lado direito,
ou no Recife, ra do Trapiche Novo n. 18,
segundo andar, das 9 doras da mandria s
3 da tarde para tratar do ajuste.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra Direila n. 20, com coramodo para
grande familia : na ra Direila n. 93, pri-
meiro andar.
-- Precisa-se de uma ama de leile de boa
conducta, paga-se bem : na ra da Cadeia
do Recife n. 42, primeiro andar:
Acha-se justa e contratada a venda do
sitio denominado Mangudra, na estrada de
Itelm, pertenccnle a Frederico Chaves ; se
houver alguem com direito a mesma pro-
priedade, queira annunciar nestes oito dias.
Recife, 13 de Janeiro de 1851.
Na ra estreita do Rozario n. 28, se-
gundo andar, se dir quera d dinheiro
premio. Na mesma casa vendem-se transe-
1 ins de ouro, conloes, anelOes, colares,
brincos, lilo \s uara puados e bertura, ro-
zetas, 1 vernica, 2 relogios patentes inglo-
zese uma corrente
0 Consultorio liotnoeopatliico, O
ra do Collegio, n. 25, O
Do Hr. P. di A. lobo Moscoio. O
Ollr. Moscoso d consultas lodosos O
dias. Osdoentes pobres silo tratados "
degrada. S serilo visitados em suas ^
casas aquelles que nao poderem vir ''>'
ao consultorio, ou que suas moles- O
& lias nilo possam dispensar a presen- 0
9 c.a do medico. 0
Pede-se a quem souber, o favor de de-
clarar por esla tolda, em que lugar be a re-
sidencia do Sr. Jonquim de Figueirodo Li-
ma, ou quem seja nesta cidade seu procura-
dor, para tratar-se de um negocio que diz
respeilo ao Sr. Lima.
Carlos Claudio Trcssc, fabrican-
te de orgaos e realejos, m\ ra
das Flores n. 19,
avisa ao respeitavel publico, que concerta
orgSose realejos, e pOe marchas moderims
deste pai/, (ambein concerta pianos, sarali-
nas, caixas de msicas, accordOes e qual-
quer instrumento que apparefs, e faz obras
novas. Na Diesina casa ven le-se um o gOo
proprio para capolla ou altar-mr. com boas
vozes, por preco commodo.
Chapeos de sol. ^,
Ra do Passeio, n 5. ~fSL
Nesla fabrica ha presentemente um rico
sortimenlo destes objectos de todas as co-
res e qualidades, tanto de seda como de
panninho, por prefos commodos; ditos pu-
ra senhora, de bom gosto: estes chapeos
s3o l'eitoi pela ultima moda ; seda adamas
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sorliaiento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
maedes servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se cm porcSo e a retalbo : tambera se
concerla qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como do baleia, assim como
umbelas de igrejas: tudo por preco com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca manir, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engenho, por serum
dos inais fortes que se pdem fabricar.
Casa de commissao de escravos.
Recebem-se escravos de ambos os sexos
para se venderera de commisso, tanto pa-
ra dentro como para Tora da provincia, com
a man r presteza possivel, por isso que se
ofleruce muita seguranza aos mesmos, tan-
to na fuga como na boa venda : a visla do
9
9
Compra-se uma armario de ouro pa-
ro oculos : nesta lypographia.
Continua-so a comprar garrafas vasias
a 6,000 rs. o cento: no pateo do Carmo,
venda nova n. 2.
Compra-se a Marmota da n. 1 at 11 ;
na rui do Collegio D. 21, primeiro andar.
Vendas.
l.ci da guarda narionul.
Vende-se o peculio do guarda incional,
contendo a lei, regulamenlo a o mais preci
so para a mesma, a 1,000 rs. cada exeni-
plar : na praca. da lu lependencia, livraria
ns. 6 e 8.
Na ra da Cruz n. 10, em cisa de Kalk-
manii limaos, continiia-SA a vender charu-
tos de llavana, verdadeiros, aoprer;ode8e
20,000 rs. o cento.
-- Vende-se uma escrava parda, de 27 an-
nos nonco mais ou menos, fiel, que compra,
coznha, ensaboa e faz o mais arranjo de
casa : na ra do Rangel, loja n. 5.
Em casa de Kalkmann Irmflos, vnde-
se vinho bordean*, ederry, rhurn cognac e
vinhodo reino ; tudo da melbor.qualidade.
Vende-se uma preta da nagSo de idade,
propria para ra, ou mesmo para dentro de
casa por de tudo enteuder: na ra da Con-
curdia, sobrado n. 1.
He baratissimo.
Vendern-se sapitdes de couro
de lustro a l,6oo e a a,ooo rs. ,
preco dos sapatos ordinarios, e
vre da tnassadi de engraxar-se :
na rita da Cadeia do liedle, loja
numero 9.
Vendenwe obras de ouro, como se-
jam: pulseiras, correles para relogios,
brincos, alfiuetes, aunis, ele. lu lo do
mais apurado gosto : em casa de Kalkmann
li nios : ra da Cruz 11. 10.
Vende-se, na ra do Crespo, loja n. 1,
ao p do arco de Santo Antonio, caslifaes
praloados do gosto o mais moderno, sent
os grandes a 4,000 rs. e os pequeuos a 3,500
rs. prximamente chegidoa de Lisboa : a
dles antes que se acabara.
Instrumentos d ; msica,
como seja 111 zabumbas, caixas de guerra,
arcos de campas, pratos, pandairos, bliXOS
de harmona, trombones, rlarins de chaves
e lisos, cornetas do chaves esem ellas, c a-
relas, requintas, lliutas, pfanos, etc. :
vendem-se na ra da Cruz n. 10.
Vendem-se 4 lindos molequcs de 8 a
18 annos ; 8 pretos de 20 a 25 annos, sendo
2 peritos supateiros e 1 oleiro ; 2 pardos de
18 a 25 annos, tendo um bons principios de
carpma ; 3 pardas de 16 a 20 anuos com ha-
bilidades ; prdas, sen lo algumas com ha-
bilidades e pi opnas uara lodo o servido, de
12 a 25 annos : na ra do Collegio n 3.
Venda de um sobrado emioi-
anna.
Vende-se um sobrado em per-
leito estado, silo na ra do Meio
da cidadede Goianna, por barato
preco a diulieiro : os prctendentes
dirijam-se ra da Cruz n. lo.
M1II10 novo.
Na ra da Senzalla Nova n 22, vendem-se
sacras com unido, editas com faiinha da
Ierra muilo boa, por commodo preco.
Cliapos.
Maia Ramos &. ('.., na ra Nova n. 6, aca-
ba da receber violo de Franca pelo ultimo
navio, ricos chpeos de seda com pluma e
IraiiQi, para meninos e meninas, a podem
alianeai' q(IC ueste genero he o ineldor <| 11
tem viudo a esta ejilaje, os quaes se ven-
den) por prec/i enmurado.
Com 120,000 rs.
lima preta minio proaria para o servico
interno da uma casa, pur saber bem cozi-
nbar e engommar, collada na quantia ci-
ma do 1 i,oi o rs : as Cinco Ponas, ven-
da n. 141, largo do Terco
Maia Ramos & C, ra Nova n. 6.
Vendem-se ricos jarros de porcellana
domad', lustres bronzeados de fia 12 lu-
zes, serpentinas, caudieiros da meio de sala
de corda, e uniros, laiiternas de p da
bron/e, casquindo e cristal, palmatorias de
p cas niiiilio e de vidro, lanternas paia
pa unos, e um sortimenlo de galanlarias de
porcelana, tudo do ultimo gosto e preco
commodo.
-- Vendem-se Ires portadas com suas
competentes vergas de arco, sendo de ama-
nillo, proprias para porta de ra, a moder-
na, uma caixa para janella de vi.li .n;a, uma
porco de taboado de pinho usado : na ra
de Ilotas 11. 68; tambera vendem-se os
pertcnecs de uma venda, tendo lambem 3
pipas de arco de ferro.
--Wnde-se um muleque crioulo de bons
escravo se far o ajuste : na ra das Laran- costumes, a vista do comprador se dir o
geiras n. 14, segundo andar. J motivo porque se vende : na ra da Praia
O abaixo assignado, tendo numero 2.
O abaixo assignado faz publico, que no
de retirar-se para a Europa, peloj
presente convida a todos os seus
devedores de vir ou mandarem pa-
gar suas contas at o im do cor-
rente mez. Scasso.
Compras.
Compra-se uma negrinha crioula, de
12 a 14 annos, que lenha principios de cos-
tura e que seja de bonita figura : paga-se
bem : na ra do Trapiche, armazem n. 40.
Compram-se escravos de ambos os se-
xos mo?os e de bonitas figuras : na ra lar-
gar do Rozario n. 48, primeiro andar.
Compra-se uma bomba de ferro em
bom estado : no pateo do Paraizo n. 20.
Compram-se escravos de am-
bos os sexos : na ra da Cadeia do
llecie n. 5t, primeiro andar.
Compra-se para uma encommenda es-
cravos de arabos os sexos de 10 a 40 annos
de idade : na ra de Santa Rita n. 14.
-- Compra-se ura escravo moc>a e robus-
to : no Forle do Mallos, ra do Burgos, pa-
daria n. 31.
Compra-se um sellim inglez usado, em
hora estado; uma preta coznheira e en-
guinuiadeira ; a uma negrota cora algumas
habilidades : ua ra da Cadeia do Recife,
loja u, 50, de Cuuii & Amoriui,
A !()(>!. i-.
Vendem-se as mais superiores cbilas lar-
gas, francezss, de todas s cores, gustos in-
imr .111.-uto novos, imitando seda, a 400 rs.
o covado : na ra do Crespo 11. 14, loja de
Jos Francisco Dias.
Casa de coniriiacao de escravos,
na ra do Kozario larga 11. 22,
segundo andar.
Vende-se urna bonita crioula recolhida,
de 18 annos, que sabe engommar e coser
com pe i'oc.io ; 3 ditas cora habilidades >
de bonitas figuras ; 6 pretos bons trabaja-
dores de enxada ; 1 mulatinbo para pagam,
milito esperto a de bonita figura ; 1 preto
moco, hora canoeiro, que se uo poe cm du-
vida dar-se para expoiimenlar, pois he de
boa conducta; e uma negrinha de 12 annos,
muilo linda e com principios de costura.
Vendem-se latinhas com umt
libra de excedente cha a 1 000 rs.
cada uma : no pateo do Collegio,
casa d 1 Livro Azul.
Vendem-se sapatos do Aracity foitos
a capricho : na ra larga do llozui 11. 35.
--Na ra da Cruz, Casa de Kalkmann lr-
mos, vende-se muilo boa tiula eui oleo,
por barato preco.
Vende-se um moleque de 16 annos, de
bonita figura e robusto; um prelo de 40
anuos, de uacSo, bom canoeiro e bastante
possante, por preco rasoavel: na ra de
Apollo, armazem u. 34, se dir quem vvude.
-Na livraria da ruada Cruz n. 56, a-
cham-se venda, por preco commolo, al-
guns exemplaras das saguintes obras, che-
gadas ha pouco : cdigo commercial do im-
perio do Rrasil, segui lodos regulameutos
do mesmo cdigo, 2 vnl. em 12, ptima edi-
efio ; lai n. 602 de 19 de novambro de 18j9,
que da nova organisaclo a guarda nacio-
nal, acompanhada das respectivas instruc-
ces, 1 vol.em 12.
Senienics de hortallce.
Vendem-se samentes de bortalice, muflo
novas, chejadas pelo ultimo navio do Lis-
boi: na ra da Cadeia, loja de fsrragens nu-
mero 56.
Xova iieeliinclia de mollinos
para caf a (> lo rs.
Veiidem-sa inoiudos para caf a 640 rs. :
na 1 mi da Cadeia, luja du ferragens de An-
tonio Joaquim Vidal.
Carnauba a retallio.
V.Na confcitoria da ra estreita do Rozario
n. 43, veuda-sa superior carnauba a reta-
lbo, por preco commodo.
-Vende-se, por prego comino lo, uma
escrava de icc", de 30 .unios, com algu-
mas habilidades : na ra Velha n. 71.
Vende-se uma preta moca, que des-
empenha btn to lo o servido onlinirio de
uma casa de familia, seudo lambem boa la-
vadeira de varrella : na ra do Rizario da
lloa-Vista, 11. 32.
Vendem-se ricos arreios in-
rlezes pira carro i d um e dous
cavallos, assim cjmo xicotes para
os mesmos: amada Cideia do
Recife 11. fo, armazem de lle.iry
Gibson.
Vende-seo engenho Agoa Fra, sito na
freguezia da Ipojuc, com toda a proprb-
dadfl de pedra e cal: quem pretender, diri-
ja-se ao mesmo, a tratar com seu propie-
tario.
Vendem-se ptimos lam-
pe5es para carro, dos melliores
gostos viudos a este mrcalo : na
ruadi Cadeia do Recife n. Co, ar-
mazem de Ilenry Gibson.
* Vendam-se as seguintes obras novas
em francez : Les Lissima dang jreuses, let-
tres reci,milies daos une societ, 4 vnlumes
c >m estampas por 4,000 rs. ; Le Compere
Matnieu, oules bigunures do l'esorit liu-
main, 4 volumes cora estampas por 4,000
rs. Choixdes Leltres da Miraban a So-
pdie, 4 volumes por 4,000 rs. ; La Rouquet
de Mariagn, rvlations sur les.rauiurs do
sicle, par l'aul Sverin, 2 volumes por
4,000 rs : lia loja da ra da Cadeia do R-ici-
fa D, 50, de Cunha & Aiuoriin, se dir quem
vende.
Cera de cimiuba.
Na ra da Cadeia do Recife n. 50, vende-
so cera de carnauba em porfio e a retalbo,
pur prego cu>innodo.
Ven em-secabecadas e lo-
ros ngl-'zes n- ra da Cadeia do
Hecif' n. 60, armazem de Ilenry
Gibson.
-- Vendem-se duas pretas moi;as, da bo-
nitas lisuras, que engommam, cozinham e
fazem todo o mais servido de uma casa; 2
ditas boas quitandeiras e lavadeiras ; 2
pardas-le 20 annos, de mui boas figuras.
iniii coila a faz carnizas de homein muilo
bem, marca e faz lavarinto ; um moleque
da 18 annos, bom para a praga ou campo ;
t prelo de meia ida la, bom para trahalliar
em um sitio, tratar de rufas, tirar leite e
vir vender na prafa, por a isso estar acos-
luma.lo; e 1 casal de escravos bons para o
trabalho decampo: na ra do Collegio n.
21; pi unen o andar.
Vendeji-se boloes dourados
lisos, proprios para lardas : na ra
Nova n. 30.
~ Vende-se a taverua da travessa das
Cruzas n. 14, co'u poucos fuios, propria
para qualquer principiante, portar alguns
comino los e estar em bom local: a Ir. tar
na mesma travessa n. 8.
- Venda-se cera de carnauba em grandes
e pequeas porcOes : na ra Nova n. 65.
Vende-se bacallio de esca-
rn, muito superior fizenda, a
(j,5oo rs. cada barrica : no arma-
zem Jo Aunes, no caes da aldn-
dega.
l.'nxndos.
Na ra Nova n. 20, conlinua-se a vender
as acreditadas enxadas, calculas d'aco : ua
loja de Jo3o Feruandes Prente Viinna.
Marroquim.
Wiiie-sn marroquim da todas as crese
da boa qualidade, a 1,400 rs. a palle: na ra
Nova n. 20, loja de Joao Feruandes Prente
Vianna.
Follia de Flaiulrcs.
Vendc-se folha de Flandres em porcSo e
a relaldo, couro de lustro e bandejas finas
por precos mais baratos do que em oulra
qualquor parte: na ra Nova n. 20, loja de
loo Feruandes Prenle Vianna.
Baile de mascaras.
- Na ra da Cadeia do h^cife n.
5o, loja deCunliack A morim, re-
cebeu de Franca pelo brigue Cezar,
um rico sortimenlo de veludilhas
de algodo, de ricas cores, pro-
prias para a pr xima eslacio do
carnaval, ass.m como seroulas de
meia com pe vende-se ldo por
preco commodo.
Vande-se uma casa sita na ra Velha
da Roa Visla n. 90 : quem a pretender, di-
rija-se a ribeira da diti freguezia, venda
numero 6.
Vendem-se superiores charutos, sola,
couro de cabra, peonas de ema, sapatos
brancos, ditos de couro de lustro, cera de
carnauba e chapeos de pilha : ludo isto
nais barato do que era outra qualqur par-
le : na ra da Cadeia do Recife, n. 49, pri-
meiro andar.
Vendem-se batatas inglezas, ltima-
mente chegadas de superior qualidade,
bolachinda de ararula, feijKo preto, mula-
liuho e Iradinlio : na ra da Madre de Paos
d. 31, ao lado da alfandega.
ENCONTRADO


SLi

pend
de
do
de
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
lulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
fundico de ierro.
Arados de ferro.
Vcndem-se arados de ferro
differentes modelos : na ra
Brum ns. 6, 8 c io, fabrica
machinas e fundico de ferro.
Vende-se farinha galega em barricas o
meias ditas, velas de espermacete america-
no e cha hyson de superior qualidade, em
lotes a vonlade do comprador : no escrip-
tlirio de Matheus Austin & Companhia, ra
do Trapiche n. 36.
AGENCIA
da fundico Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42.
Tueste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenbo, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Vcnile-se superior fnrinlia
gallega, em meias barricas ; no escriplono
de lipane Youle & C, ou em seu armazcm
do becco do Concalves.
A 4o rs, a caixinba.
Vende-se a melhor qualidade possivel de
palitos para tirar fogo, pelo barato prec de
40 rs. a caixinha de pao, e a 20 rs. a de pa-
pel : na ra do Queimado n. 16, loja de Jos
Hias Simps.
Chumbo de municSo.
Vende-se no armazem de l.J. Tasso J-
nior, ra do Amorim n. 35.
Os melbores gosto, padres
novos.
Vendem se chitas escuras, rnuilo finas,
cor de bronze, padrOes miudos e ramagem
inteiramente nova, pelo diminuto preco de
240 rs. o covado : na ra do Crespo o. 14,
loja de Jos Francisco Das.
Na ra da Cruz do Itecife n. 33, arma-
zem de Lu! Jos de S Araujo, vende-se
supeiior familia de mandioca a 2,000 rs. a
sacca, para acabar; tijollode limpar me-
taes de urna ora, fabrica da Europa ; sola
superior ; couros de cabra ; sapatos ; pen-
nasdeema; e superior cera de carnauba
em saccas.
Bollen* lioma-opntliicns, na mn
do Crespo, loja n. 4.
Vendem-se botiess de 24, 36 e 60 tu-
bos, grandes e pequeas, com os seus com-
petentes livros, vindas ltimamente do Rio
de Janeiro, do grande estabeleeimento cen-
tral da ra de S. Jos n. 59.
Knxofre.
Na porta da alfandega; arma-
zem n. ao, vende-se enxofre em
caixas, muito barato.
Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla nova D. 42.
A l,6oo rs.
Vpndem-so novos corles de brim tranca-
do escuro com duas varas e tneia cada rrte
a 1,600; cassa fraiiceza de bom goslo.a 2,600
rs.; pecas de < sgu3o de algedao com 12
varas, a 2,400 rs. a peca ; cobertores de al-
godilo da cores, a 720 rs.: na ra do Cres-
po n. 6, loja ao pedo lampeSo.
Deposito ili cal virgt-m.
Na ra do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegada ultime-
mente de Lisboa 00 brigue Tarvjo-Ttrciiro.
i ubi c;mI;i- illg;Ic7.Hs.
Vendem-se cabecadas inglesas roldas e
chatas, loros e silbas de 13a: na mudo Tra-
piche n. 10.
Aos Srs. de engenho.
Vendem-se chapeos de palha por conimo-
do preco : na ra da Cadeia do Itecife n. 23
Aluitissimo barato para acabar.
Vcndem-se vellas de carnauba do Araca-
ty, sapatos, courinbos, espanadores, eslei-
rs e rli.'i eos de palha ; ludo muito barato
por se querer liquidar e vindo do Araraty
no ultimo navio: na ra da Cadeia do Re-
citen. 23.
Vendem-se chitas limpas 12o rs.
I'ecas de chitas limpns, roxas, para luto
aliviado, a 4,500, e 120 rs. o covado ; cortea
de camlraias com 6 varas e nieia, de boni-
tos padrOes e de cores fixas, a 2,600 ; e 100
saceos novos de estopa, cada um com 2 va-
ras, por atacado a 320 rs. : na ra larga du
lozaiio n. 48, primeiro andar.
'4
MasawReB>_
Farinha nova da marca SSSF, chegada
ltimamente: na ra do Amorim n. 35, ar-
mtzem de J. J. Tasso Jnior.
Vendem-se couros garroteados ( bran-
cos ] proprios para correiame de tropa de
linha : na praa do Commercio n. 2, pri-
meiro andar.
Potassa Vende-se potassa da Itussia, recentamen-
te chegada, e de muito superior qualidade :
na ra do Trapiche n. 17.
Lotera le N. s. do Mvrnmcnto.
Aos 5:ooo$ooo,
Na ra da Cadeia n. 46, loja de miudezas,
vendeu-seomeio bilhete n. 1454 da lotera
de N. S. do l.ivramenlo em que sabio a sor-
le grande de 5:000,000 rs., e eslSo expos-
toaa venda os afortunados bilheUs e cau-
telas da mesma lotera, que corre imprele-
rivelmente no dia 31 de Janeiro crente.
Rilhetes 11,000
Meioa 5,500
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Tnixns para ciigcnlio.
Na fundico de ferro da ra do ltrum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de 4 a.8 palmos de bocea, as
quaos acham-se a venda por preco com
modo, e com promptidito enibarcam-ge, ou
carregam-so em carros sera despezas ao
comprador.
Mociidax superiores.
Na fund:c5o de C. Starr & Companhia.
em S.-Amaro, acham-se a venda moendas.
de caima, todas de ferro, de um modelo 11
coustrueco muito superior. '
Grande sortiniento de cliarulos
da fabrica de S. Flix, no ar-
mazem de Crocco 5c Companhia,
na da Cruz. ll. 21.
Sfio chegados a este armazcm os verda-
deiros charutos regalos, regala, caradores,
deputados, venus, senadoras e soberanos
de llavana, em caixas do cem e 250, por prc-
ros rasoaveis.
I.ii|iiidacio de la/i nila-.
Na ra Nova esquina que volla para a
camboa do Carmo, loja n. 23 de Antonio Co-
mes \illr, estilo se vendendo fazendas que
nesla loja j existiam por menos a terca
parte de uns primitivos precos, e entre as
militas qualidudes leem as seguntes por
estes precos.
Jarros finos de hanba 1,000
Fitas de sarjas, de selim e lafet
largas, vara 320
dem, de 4 dedos, vara 240
dem, deSe 4 dedos a 120 e 160
dem, de velludo estreita de
cores
i.uvas de pellica para senhora e
para homem 500
Leques de papel, cabo de osso
fino. 640
dem, deescomilha preta 400
dem, de papel linos, cabo de
marfim.de 4,000 a 20,000
Chapeos de palha finos,lizos, a-
berlosebordados.de 3,000 a 4,000
Cravatas de chitas 160
dem, de seda, prelas e de cores 320
dem, de couro de lustro para
militar 240
Setins de cures lizos, covado 640
dem, branco muito boa fazenda 800
Sarjas de cores para vestido, co-
vado 1,200
Cortes de vestidodeseda brancas
para noivas. 30,000
Mantas do setim de cores mati-
sadas 8,000
dem, de sarja, dita, dita 10,000
Chales de seda furia cores 4,000
[.uvas curias de lioho para se-
nhora, o par 160
dem, de seda abertas para se-
nhora
Meias de seda abertas branca pa-
ra senhora
dem, pretas para senhora
dem, para homem
dem, lizas para homem
dem, branca para dito
Carleiras finas de feixe
aratos de setim pretos, o par
Hotins gaspiados, pretos e de
cores para senhora
Sapatos de setim branco para
menina 1,000
Chinellas de marroquim de cu-
res para homem, 1,000
Chapeos de sol de seda para se-
nhora 2,000
Lencos de .cambraia de linho, li-
zos, de 1,000 a 3.000
dem, bordados com I icos 4,000 a 20,000
I iem, de seda preta o de cores
para graVata^. 3,000
co ou cana para
2,00o a 4,000
3,000 a 6,000
fundeado na volta do Forte do
Mallos, ou na ra da Alfandega
Velha n. 5. escriptorio.
Vendem-se relogios de ou-
roeprata, patente ingles : na ra
da Senzalla Nova n. -'
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de Santa Catharina, a
melhor que existe no mercado, cm saccas
ou sem ellas, por preco mais cmodo do que
em oulra qualquer parto : na ra da Cruz
do Itecife n. 40, primeiro andar.
j-- Na ra da Cadeia velha, primeiro an-
dar da casa n. 24, de Manoel Antonio da Sil-
va Antunes, vende-se um rico sortimenlo
de ichapos de palha da Italia, abertos para
senhora, camisetas de cambraia, coleri-
nhos, romeiras, manguitos, punhos, ludo
excelentemente bordado, bicus finssmos,
ricas litas, capotinhos e manteletes de fil
e de seda pretos, e outros objeetos de gos-
to ; bom como um completo sortimenlo oe
fazendas : ludo se vende por presos muito
rasoaveis.

lina do Collcgio n. f.
Neste estabeleeimento se encontrar sem-
pre o mesmo sortimenlo de chapeos de sol
j annunciados, assim como sedas e pannos
em peca para as ai mac/i s servidas, baleias
para vestidos e esparlilhos de senhors.
Concerta-se toda a qualidade de chapeos de
sol, tudo por menos preco do que sm outra
qualquer parte.
Madama liosa Ilurtly. modista
brasil) na, na Nova 11.34.
Annuncia ao publico e particularmente
aos seus freguezes que tem para vender um
completo sortimenlo de grosdenaple de
fui ti cor e preto multo superior, assim co-
l|l(", mu sarja e chaina loto preto de primeira
'320' flualidade ; linos cortes de grosdenaple de
1 000 ^",la 'l" adamascado tanto para mantele-
' \ tes como para capotinhos; ricas franjas e
1 000 re1uife e sed* de fur'* cor" proprio para
linio i"'e',es ',,IS "K'smos, a qual se vender
1 ,.,..., 1 va 1, Im ili'llllla linicn ,1-. tnuti.lu n't .
320
1.000
1,000
1,000
1,000
para graVffta^^
Chicotes dejMco
carro, de \
dem, de haleia para carro
Ilengallas linas de junco e
cana de 320 a 2,000
Chicotes finos para monta-
ra, de 1,000 a 2,000
Um grande sorlimento de flores linas sen-
do caixos, ramos, rosas para vestido, pe-
nas de muitas oualdades, bicos de blondes
de todas as larguras, bicos de dentelle pre-
lo, eslreilos e largos de muito boa quali-
dade para capotinbo e maiilellele.tudo mui-
to em conta.
Deposito de cal e potassa.
Cimba rk Amorim, na ra da
Cadeia do Recita n. 5o, recebe-
rom pcios ltimos navios de Lis-
boa Novo Fencedor, Carlota e
Amelia barris com cal virgem, e
vendem, tanto a cal como a po-
tassa, por menos preco do que em
outra qualquer parle.
He baratissimo.
Cortes de cazemira a 3,200 ris, cambraias
de seda a 900 lis o covado, meias de seda
prela e de cores para homem a 600 ris o
par: na ra do Crespo loja n. 2, ao pedo
a ico.
Para fechar emitas.
Vende-se cera de carnauba, courinhosde
cabra, sola e una Palanca com bracos, con-
chas, correntes de ferro e pesos, propria pa-
ra armazem de carne, venda ou bordo de
enibarcaco : tudo por preco commodo : na
ra dos Tanoeiros, armazem n. 5.
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-sc arados de ferro de diversos mo-
delos.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na Kaliia.
Vende-se, em casa de N. O. llieber& C. ,
na ra da Cruz n. 4, algod<1o transado da*
quella fabrica, mullo proprio para saceos de
asnear > roupa de escravos, por preco com-
modo.
Vendem-se caixas com cera
em velas do Hio de Janeiro ; na
ra da Alfandega Velha n. 6. es-
criplorio.
Vende-se farinha de trigo
franceza de Marseile, a melhor do
mercado, chegada ltimamente as
casas de Lasse e do Saporili: a
fallar como barateiro Silva Lo-
pes, na porta da alfandega.
nligo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue Varujo 111.
Vende se muito boa farinha
de mandioca, recentemenle chega-
da de Santa Catharina, em pono
comprando alguma porc<1o da fazenda ci-
ma dita ; um rico sorlimento de mantele-
tes, capotinhos e palitos de grosdenaple de
fuila tur e dechamalote prelo, tudo de
muita consistencia e feiios em Franca ; ca-
potinhos de lil de linho preto ; ditos para
meninas de 4 a 8 anuos ; um variavel sorti-
menlo de bonitos chapeos de seda de todas
as cures; ditos de lina palha de Italia para
euhora e menina, elegantes chaposinhos
de seda com lindos infeites proprios para
baptisados; ditos de ptima palhinha para
menina e menino ; os melbores e mais com-
modos esparlilhos que tem chegado a esta
praca ; novare riquiasimas capellas muito
proprias para casamentse bailes; ricos
cenos de llores para infeiiar chapos de se-
nhora ; luvas de pellica com infeites de su-
perior qualidade para senhora ; dilas de di-
ta curtas pura homem e senhora ; um gran-
de mu ti lucillo de lunillas litas e de difieren-
tes cores; chapeos deso para senhora;
pe fumarias linas ; aimaces prelas e bran-
cas para chapeos de senhora ; gorgurSo de
cores proprio para chapeos de dita ; sapa-
los de setim branco ; camisinhas e roniciras
para senhora : eoutras muilas fazeudas de
gosto moderno.
Cimento.
Vendem-se barricas com superior cimen-
to, chegado no ultimo navio de llamburgo.
na ra do Amorim n. 35, armazem do J. J.
Tasso Jnior.
Deposito de potassa e cal.
Vemii'-se muito nova e superior potassa,
assim como cal virgem e pedra, recente-
mente chegada de Lisboa, por preco rasoa-
vel: ha na da Cadeia do Recite n. 12, ar-
mazem.
Itoga-se aos freguezes qnc tcnliam
toda attencao para o novo sor-
tiineuto que existe na loja d
ra do Crespo n. ti, no p do
lampead.
Vendem-se cassas pintadas de cores fixas
a 26u e 280 rs. o covado ; corles de brinj
biBiico de linho puro, a 1,920 rs ; ditos de
fuslflo muito finos, a 560 e 640 rs. ; cassa
prela propria para luto aliviado, a 120 rs. o
covado ; zuarle de cor, a 200 rs. ; riscado
de linho para casacas, a 240 rs o covado, e
outras muilas fazendaspor preco commodo.
Cal virgem de Lisboa,
da melhor que ha no mercado, e
chegada ha dias pelo brigue Era-
preza : tratare cpm A. C. de
Abreu, na ra da Cadeia do He-
cife n. 37.
Lotera de N. S. do Livramento.
Na praca da Independencia n. 4, loja de
miudezas, vendem-se os afortunados bilhe-
les, meios e cautelas da mesma lotera, que
corre imprelerivelmeute no dia 31 do cor-
rete mez.
Bilbetes 11,000
Meios 5,000
Quartos 2,600
Uuintos 2,100
Decimos 1.100
Vigsimos 600
i> o deposito da ra da Moda 11.15, ^
ha para vender superior cal em pe- 4t
dra, recentemenle chegada de Lis- -C
boa, em o brigue Conceicio de iVa- *
riri, por preco rasoavel : tambemahi *>
so vendem pesos de duas e de urna *_
arroba, por prefo commodo; ha ~
tambem effectivaaienle 110 mesmu <,::
deposito haiiis du uiel para embar- <-.;
que.
&A:AAwflhWa:wAAl-
buin e barato.
Na ra do l'asseio-l'ublico, loja n. A, de
011 a rr-lalbo ncr nreco conimo-fA,bino Jos ''eile' vendem-se chitas roxas,
ou a retalio, per preco conimo L4>5ooa petae emcrles a 120; riscados
do; a bordo do brigue duarea, luionstros, a 200 rs. o covado; cassas de
quadros para babados, a 240 rs. a vara ; co- um panno fino preto, dous cortes de ves-
berlores dealgodSo para escravos, a 720
rs. ; chales de chita, a 500, 800 e 1.200 rs.;
chapeos de sol com armacSo de ac e as-
leas de baleia, a 2,000 rs.; o outras muilas
fazendas, que 1180 he possivel annuociar-
sc para no oceupar tempo.
Cheguem a pechincha que se es-
tao acabando.
Vendem-se relogios americanos, proprios
para cima de mesa, mui bons reguladores e
por preco muito commodo para chegarem
aos pobres : na ra do Trapiche n. 8, e na
ra da Agoas-Verdes n. 62.
Vendem-se colecOes do Medico do Povo,
de 1 a 21, na ra do Crespo, loja n. 4.
Aos 5.-000,000 rs.
Vendem-se meios bilhetes da
lotera a favor das obras da igreja
de IN. S. do Livramento, que cor-
re no dia 31 do correte mez : no
Aterro da Boa Vista, loja de cal-
cado n. 58.
Qucm quizer a sor te grande da olera do
Livramento, que infalivelraente corre nt
dia SOdocorrente mez, apresse-se a com-
prar algum dos poucos bilhetes que anda
restam, as lujas da esquina da rua do Ca-
bug ns. 11 e 9, juntas a botica de J0B0 Mo-
mia.
Novo trempnra cozlnlin.
Vendem-se chaleiras, cassarollas, fregi-
deiras e panellas de ferro forradas de por-
cellana, bacias de rame para banho, facas
e garfos com cabos de marficn, e tambem de
osso muito finas, colheres de melal do prin-
cipe para terrina, assucar, sopa ech, ma-
chinas para fazer caf, buls e cafeteiras de
metal: na rua Nova, loja de ferragens n. 16
de Jos l.uiz Pereira.
Tecido de algodo trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa do
escravos.
Farinha a 2,000 res
a sacca : vende-se no armazem de Campel-
lo Fiibo, rua da Cadeia do Itecife n. 64.
Vende-se farinha de Sania
Catharina a a,000 rs. o alqueire,
e sendo em porcSes de mais de 5
Iqueiresa l,8oo rs.
Vendem-se 10 saccas de superior car-
nauba ; 250 courinhos de cabra ; 13 pares
de sapalOes de couro de lustro, mui bem
l'eiios e de talhn moderno ; urna loalha de
bretanha de linho com lavariolo, n.uito bem
acabada efina : tudo se vende por commo-
do preco: na rua da Cadeia Velha n. 24,
primeiro andar, de manbSa ats 9 horas,
e a qualquer hora da tarde.
Vende-se urna preta moca, gorda e sa-
dia, que engomma bem, cose, cozinha e la-
va, o que tudo se aliaoca : na rua larga do
Rozario n. 46, primeiro andar.
Deposito de e-pelbos das ma-
nafactuiasde Franca: na rua do
l'asscio 11. I9.
Vendem-se chapeos do Chi-
le, pequeos, pelo barato preco de
5 e (i, 1 00 i8. e ditos da Italia,
chegados ha poucos dias ; na rua
Nova n. 44< fabrica de chapeos.
Vendem-se candieiros para meio desa-
la, muito ricos, com os competentes glo-
bos, canudos e torcidas, dando luz a mais
bullante possivel: na rua do Trapicho nu-
mero 8.
Um bom official de pedreiro.
Vende-se um escravo, preto, ofllcial de
pedeiro, moco e de bonita figura ; urna par-
da boa cozinheira e engommadera, com
urna lllba de4mezes;um preto, moco,
robusto, bom trabalhor de enxada, proprio
para engenho ou armazem de assucar, por
ter muita Torca : na rua larga do Rozario,
n. 48, primeiro andar.
Vende-se fio purrete, vindo do Porto ;
caixas de pinho vasias; rodas de arcos de
1 no para barricas de assucar; pregos ripaes
do Porto : na rua da Cruz n. 49, escriptorio.
Na rua das Cruzes n. 22, segundo an-
dar, vende-se urna escrava parda de 26 an-
uos, com habilidades; urna linda crioula
de22annos.com habilidades; 4 ditas de
naci de 20a 24 annos, que cozinham, la-
van) de sabSo e silo quilandeiras ; urna lin-
da negrinha de 12 anuos, ptima para ser
educada ; o 1 escravo .le imc/io Angola, de
22 annos, ptimo canoeiro e que no tem
molestia alguma.
Vendem-se queijos londrinos e presuu
tos inglezes, latas com bolachinhas ingle-
zas e conservas de differentes qualidades :
tudo chegado ltimamente : na rua da Ca-
deia do Recife numero 2, venda de Fonle &
IruiSo.
A sorie grande
Vcndem-se meios bilhetes da
lotera de N. S. do Livramento,
cujas roas andam no dia 31 do
corrente, a 5,5oo rs. : no pateo do
Collegio, casado Livro Azul.
Aos Srs. babuleiros.
Vendem-se alguus meios de sola, propria
para forrar malas, a precos mui rasoaveis :
110 Aterro da Boa Vista, loja n. os.
Vende-se una prela de bonita figura,
de 24 annos, com algumas habilidades: na
rua do Vigariu 11. 19, seguudo andar.
Escravos futidos.
-- Fugio no dia sabbado 18 de Janeiro a*
H horas da noito, urna escrava de na. o Re-
bollo, cliei-i do corpo, rosto largo, olhoa
grandes, nariz chato, bocea regular, qua
do risse faz barrocas do rosto, levou vestido
de cassa asul com pregas por baizo, e na
beia das pregas tem bico francez e tranca
encarnada, e uo ropinho lambem tem pre-
gas com bico e trancas da mesma qualida-
de, levou panno da Costa azul novo com
listas de diversas cores, oulro dilo vellio,
umeveslido de chita de lisia azul, oulro dilo
ilcrdita esver,ie,ado de lisia, UOVOS. um dito
eecibaadiuho escuro j usado, saia preta,
lidos, um de cambraia branca e outro de
chita encarnada, fa/endo de tudo urna tro-
cha : roga-se as autoridades policiaes eca-
pitSes decampo quo a aDrehendo e levem-
na a Fora de Portas n. 145, que serSo gene-
rosamente recompensados de seus servicos.
Fugio, no dia 18 do corrente, um mo-
leque, crioulo, de nome Cosme, de 16 an-
uos ponen maisou menos, rosto comprido,
pernas finas e ps grandes; quando falla
tem a bocea um tanto fechada ; levou calca
decasemiraj usada e camisa de riscadi-
nho azul; levou mais urna calca de algodSo
azul e outra de listras. urna camisa de algo-
dSo branco americano e outra de. riscado
azul: roga-se a todas as autoridades ou a
outra qualquer pessoa que o apurehendam
e o levem nos qualro cantos da rua do Quei-
mado n. 20, que se gratificar generosa-
mente.
No dia 12 do corrente fugio de urna
olaria dos Remedios um escravo canoeiro,
de nome Caetano, de nacSo Cabinda, esta-
tura regular, cor um pouco fula, rosto re-
dondo e picado de hexigas, pouca barba e
com umsignal de caustico no lugar do va-
sio, pelo que se pode conhecer bem, he
quebrado e representa ter 24 annos pouco
mais ou menos: roga-se a qualquer auto-
ridade policial ou pessoss particulares, por
quem possa ser encontralo, o apprehen-
dam e levem-no rua larga do Rozario, pa-
daria n. 18, que se gratificar com geoero-
sidade.
Fugio, em fins de outubro de 1850, do
engenho novo de S. Jos, froguezia de S.
Amaro de JaboalBo, um cabrinha de nome
Itayniundu, d 11 a 13 annos, porm, como
seja muito emperrado nocrescimento, sup-
pOe-se ter 6 palmos e 4dedos de altura;
levou camisa e seroula nova de algodo da
Ierra, e chapeo de palba meio usado; he es-
padaudo, cabellos vermelhos, e o mais cla-
ro signal que tem he urna fstula na barri-
ga que parece ter sido urna estocada, po-
rm foi urna postema, parece ter os dous
denles da frente largos e dentuco, segundo
os clculos parece ter ido para o serlfio, he
muito ideioso, e por isso pode ter mudado
o nome, pnjanlo j urna vez fugio e an-
dava iiitilulando-s*. por forro por ser cabra:
quem o levar ao dito lugar, receber 30,000
rs. de gralificacSo. Como senhor do dilo
cabrinha me acsigno.
300,000 res.
Fugram de bordo do brigue
Sem-Par, vindo do Rio de Janei-
ro, dous escravos, sendo um de
nome Sabino, de cor parda, esta-
tura regular, de 10 annos pouco
mais ou menos ; levou calcas e
carniza azues, e bonete encarnado;
0 outro de nome Kuzebio, criou-
lo, de i'\ annos pouco mais ou
menos, estatura alta ; levou cal-
cas, carniza e bonete azues. Roga-
se as autoridades policiaes e capi-
t5es de campo, que os appreben-
dam e levem-nos rua do Trapi-
che n. 34, casa de Novaes & Com-
panhia, que recompensar.
Fugio no dia 10 do passado o escra-
vo crioulo, de nome Jos, de 40 annos, al-
tura regular, cheio do corpo, olhos ania-
rellos, rosto bexigoso, pos Chalos egrosos;
levou calca de 13a escura : quem o pegar,
leve-o a seu senhor, no armazem de assu-
car, largo do Pelourinho, ns. 5 a 7, de lio-
mSo Antonio da Silva Alcntara.
U mulatinho Agostinbo j|
fgido.
Na noite de 11 para 11 ilo -i
passado ausentou-se o es- |
cravo Agostinbo, pardo a- 3
caboclado, cabellos pretos e *
1 lisos, ps grandes com os de-
dos grandes grossos e camba-
dos para dentro ; he filho do
serlfio, muito tallador e bo-
ta : roga-se as autoridades
policiaes, capitSes de cam-
po, assim como a toda e
tqnalquer pessoa qne o en-
. contrar, de prende-lo e con-
duzi-lo a seu senhor Hen-
il to Jos Taveira, na rua da
|| Cruz n. 30, que nao s paga-
m r todas as despezas, como
. olTerece urna generosa re-
ja compensa a quem o trouxer.
ijiWwmmwwiimt-wmwwMmwwi
Fugio, no dia I, do dezembro de 1850,
o escravo l.uiz Pereira, pardo, estatura' or-
dinaria, cor macilenta, cabellos pouco ca-
rapinhados e alejado de um dedo de urna
das m.los ; tem o dedo ilumino de um dos
ps ligado a o oulro, aspecto pouco agrada-
vel, canhdto.de 30 annos ecom cilicio de
sapateiro : d-se 100,000 rs. a quem o levar
ao engenho Carana, freguezia de Santo
Amarode JaboalSo,ou rua da Cruzo. 40,
primeiro andar.
Fugio, no dia 16 do mez prximo pas-
sado, do engenho (inca, freguezia de Una,
um casal de escravos, de nome Itaimuado e
Mara, leudo o primeiro 35 annos pouco
maisou menos, acahoelado, cabellos catea-
dos, cara larga, com falta de denles na fren-
te, baixo, cheio do corpo, pernas um tanto
arqueadas e grossas. Este escravo ja foi d
cidade de Sobral, o qual foi vindo pelo Sr.
Manoel Concalves da Silva a Ignacio Ferrei-
ra de Mello : Mara de 25 a 30 anuos, de na-
CSo Angola, muito ladina, baixa, corpo re-
gular e ps pequeos ; tem na testa alguna
cabellos brancos. Roga-se, pois, a todas as
autoridades policiaes ecapiSes de campo,
assim como a toda e qualquer pessoa que os
ditos pegarem, leve- os a seu senhor, mora-
dor 110 dilo engenho cima, ou nesla praca
a Manoel Antonio de Santiago l.essa, mora-
dor na rua Formosa, que se recompn-
sala.
PnriN. A//\Tvp. dr M F. de r^ ra-
MELHOR EXEMPLAF


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECQW9NERQ_HP2TAG INGEST_TIME 2013-04-13T02:15:19Z PACKAGE AA00011611_06302
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES