Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06300


This item is only available as the following downloads:


Full Text
}
Anno XXVII
Secunda-Ib i i'a 20
!,

1
partidas oos connxios,
Goianna c Parahlba, s segundas c sextas feiras.
IUo-Grande-do-Norle, todas as quintas feiras ao
meio-dia.
Cabo, Serinhaem, Rio-Formoso, Porto-Cairo e
Macei, nol.'.a 11 e 21 de cada niet.
Garanbuns e bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas letras.
Olinda, todos os diat.
Phsbs di LOA,
FHEMERlDES.
Nova, a 2, as 8 e 24 m. daj ui.,
Cresc. 1C, as 2 h. c 2 m. da t.
Chela, a 17, as 2 h. e 33 m. da t.
ViUing. a 24, s 5 b. 57 ni. da ui.
UUHiB DE HOJE.
Primeira s7 horas e 42 minutos da raanha.
Segunda s 8 horas e (i minutos da tarde.
de Janeiro de 1851.
N. 15
PKE90 DA 3UBCIUPCKo.
Por tres meirs fadianlados) 4_
Por seis motes 8*000
Poruinanno 15^000
SI AS DA SEMATA.
!20 Seg. S. Scbastiao Aud. do J. dos o'f. c m. da 1.
21 Tere. S. ignez Aud. da Chano, do J. da se-
gunda vara do c. e dos (Vitos da fazenda.
22 (luart. S. Vleente. Aud. do J. da 2. vara.
! 23 O'ilnt. f. 0< Desposorios de N. S. Aud. do J.
doi orf., o do m. da primeira vara.
,24 Sen. S. ThemotroAud.do J. da I. v. do civel ,
e dos feitns da faienda.
25 ib 8. Anauis. Aud. da Ch. c do J. da 2. vara
do civel.
2G Uom. S. Policarpo. ______
i s
CAMBIO DE 18 BE JANEIRO.
Sobre Londres, 29 |, a 30 d. p. 1/000 rs. 60
* Paris, 320 por fr.
Lisboa, 85 a 00
Ouro. Oncas hespanholas.....20/000 a
Mocdas de 6/100 velhas. i/000 a
> de 8/100 novas l/000 a
de 41000....... WWW a
Prata.Patacdes brasili'iros.... 1/020 l
Pesos columnarios..... 1/920 a
Ditos mexicanos........ 1/B80 a
dias.
29/500
10j200
161200
9/100
1/90
1/1M0
1/7U0
PARTE OFFICUL.
GOVEHiNU DA PKOV1NCIA.
EXPEDIENTE DO DA 15 DE JANEIRO
DE 1851.
Oflleio. Ao commando das armas, com-
municando que, segundo constou de avi-
lo do ministerio da guerra datado de 3
do corrente, se mandara dar baila do ser-
vico por ter vnc!uido lempo por le mar-
cado, ao soldado do primelro batalhSo de
capadores Desiderio Francisco de Oliveira,
que foi remeltido para a corte em cumpri-
menlo deoutro aviso.
Dito.Ao mesmo, inleirando-o de se ter
por decreto de 93 de dezembro ultimo, se-
gundo foi declarado em aviso do ministe-
rio da guerra datado de 3 do corrente, con-
cedido passagem para o quarto batalh.to
de capadores ao sileros do segundo da nies-
ma arma Guilherme l.uiz Bernardos.In
telligenciou-se a pagsdoria militar.
rito. Ao mesmo remetiendo copia di
viso do ministerio da guerra do 3 do cor
rente, mandando inspeccionar de saude os
capelles dos cornos e fortalezas da guarn
pilo desta provincia.
Dito.Ao mesmo, communicando que,
segundo constou de aviso do ministerio da
guerra de 3 do corrente, se determinara
que o segundo lenle do corpo de enge-
nheiros. Antonio Augusto Arruda venha pa-
ra esta provincia, alim de ser aqui em pre-
gado como convier ao servipo.ScienliO-
cou-se a pagadoria militar.
Dito.Ao mesmo, inleirando-o de haver
por despacho de honlem mandado pagar
ao padre Antonio da Cunha Figueiredo, ca-
pellSo oque Ihecompetir para alugueis de casa
na forma das ordens em vigor.
Dito.Ao mesmo, remoliendo copia do
aviso do ministerio da guerra datado de
31 de dezembro ultimo, pelo quil se deca
ra que deven) perceber suas respectivas ela
pes os officiaes das differentes elasses do
exercito, que estiverem ernpi egados nos ar-
senaes, fabricas de ferro e de plvora e no
laboratorio pyrotechinico. Communicou-
sea pagadoiia militar.
Dito.A (hesouraria de fazenda, remet-
iendo copia do aviso do ministerio da jus-
tipa datado de 3 do corrente, no qual se
declara que por serem os juizes do civil
inconlestavelmente juizes de direito, foi
approvadoo procedlmento que tvea pre-
sidencia, mandando fazer o pagamento, do
ordenado de juiz do civol ao bacharel Cus-
todio Manoel da Silva Cumiarnos.
DitoA pagadoria militar, dizendo que
para dar comprimento ao aviso do ministe-
rio da guerra datado de 3 do corrente, faz-
se preciso que remolla as fes de oulcio dos
capellSes dos cornos da guaroipao e fortale-
zas desta provincia.
Dito.Ao inspeclordo arsenal de mari-
nos, para que mande tomar cunta do pa-
tacho Hermina que, sendo apprehendido na
provincia da Parahiba com Africanos livres,
acha-se actualmente anchorado no porto
desla cidade, devendo recollier-se aquelle
arsenal as respectivas vellas e leme, e pro-
videnciar para que no se arruine o mesmo
patachoInlelligenciou-se ao chefe de po-
lica.
Dito.Ao director do arsenal de guerra,
aulorisando-o a despender a quantia de rs.
391,000 com a compra de 9 pranchOes de
amarello, oito ditos de pao carga e cinco-
enta varas,sendo estas para hastes de soque-
tes e lanadas para artilbaria, e os pran-
chos para oito reparos a onofre do calibre
12, de que precisa o presidio da ilha de Fer-
nando. ScienliQcou-se a pagadoria mi-
litar. ,
Dito.Ao mesmo, concedendo a autori-
sapSo que pedio para despender a quantia
de 55,320 rs. com a compra de diversos cu-
jelos de ferramenta, de que necossila a
primeira e segunda classe daquelle arse-
nal. Inteirou-se a pagadoria militar,
Dito.Ao director das obras publicas, pa-
ra que, vista de sua informapfio, mando
por a disposicSo da regente do recolhimen-
lo de freirs ueCoiannaas madeiras, que
sobrarem da ponte daquella cidade, alim
de serem applicadaa aos reparos do mesmo
re col In monto Nesle sentido offieou -se ao
juiz de direito daquella comarca.
Dito.Ao bacbarel Caelano Estellila Ca-
valcanti Pessoa, di/.endo licar iuleirado de
haver Smc. entrado noexercicio do lugar
de juiz municipal e de ornhSos do termo
do pao-d'-Allio.Scientilicou-su a Ihesou-
raria de fazenda.
DEM DO DA 16.
Offlcio. -- Ao commando das armas, ap-
provando a medida que propoz, como ron-
veniente ao servico e a disciplina, de ficar
o capitflo Antonio Francisco de Souza Mar
galhSes commandante dos fortes de Gaibu
e Nazarelh, commandando o primeiro dos
mencionados fortes e o respectivo ajudan-
te JoSo Marinho Paz Brrelo o segundo, sem
que haja allerapflo em seus vencimeotos.
Dito.Ao mesmo, inteirando-o de haver
ordenado ao director das obrfc publicas
que orce a despeza a fazer-se com os repa-
ros de que necessitar o quarlel do hospicio,
e autonsandoaquelle commando a mandar
continuar o cano que o commandante do
oiUvo balalhao de capadores diz ser pre-
ciso para asseio do mesmo quarlel.Nes-
te sentido expedirn)-se as convenientes
ordens.
Dito.Ao desembargador chefe de poli-
ca, i/ara mandar depositar no arsenal de
guerra os Africanos livres que forano api re-
bendidos.Intelligenciou-se ao respectivo
director.
Dito.-A pagadoria militar, para mandar
pagar, estando conforme, a Simplicio Jos
de Mello a quantia de 158,960 rs. que des-
pendeu com recrulas na comarca do Brejo,
o respectivo delegado.
Dito.A Ihesouraria de fazenda provin-
cial, transmittindo as contasem duplcala
na importancia do 68,010 rs., que se des-
penden com os presos pobres de justipa
da cadeia do brejo desde 22 de maio at 31
de agosto do anno prximo passado, fini
de que, estando conformes mande pagar
a .Simplicio Jos de Mello a mencionada
quantia.
Dito.\ mesma, para que mande pagar
a Simplicio Jos de Mello, caso esleja con-
forme, a contaque remelle em duplcala
oa importancia de 43,920 rs., que se des
oentleu com os presos pobres de justipa
da cadeia do Brejo do 1. de setembro ao
ultimo de dezembro do anno prximo
lindo.
Portara. Mandando por em liberdade
os recrulas Jos Alves Leite e Manoel l'e-
reira Bezerra Cavalcanli, este em attenpao
a ser guarda nacional fardado e pcompto
para o servipo, e aquello por ter a presenta-
do isenpSo legal.Nesle sentido fizeram-
se as convenientes coinmunicapOes.
Dita.Momeando, de conformidade com
a proposla do desembargador chefe de poli-
ca, a Francisco Baplistade Almeida para o
lugar de subdelegado da freguezia de S.-
Jos desla ciliado.--Inteirou-se ao mesmo
chefe de polica.
INTERIOR.
S. PAULO.
5. Paulo, 30 de dtzembro de 1850.
Ora, saliera que eslou ha bons dez minu-
tos a olhar para o tocto sem saber como hei
de principiar esla carta : lenlio algumas
noticias a contar-lhe ; mas he claro que n;"io
deveria, sem alguma preparapSo, entrar em
materia. Diz a cadeneta da rhelonca que
os exordios podem ser lirados da propria
pessoa que falla ; portento aclio que n.lo
iofrinjo os preceitos da boa ordem, come-
pando esta pela confiss 1 da esteriliza le em
que est o meu espirito boje. Cortamente
isto procede da vadiapSo em que tenho es-
tado ha oito dias, por causa de Untos dias
sanios ; e para que alguma cous til possa
resultar desta insopa historia de meusem-
barapos, direi que ella serve ao menos para
mostrar quanlo prejuizo causam tantos
dias sanios; pois alm de occasionarem
notavel Jimiouipao no Irabalho, produzem
um emperramento nos instrumentos da
producpSo.
Desdo quarta feira da semana passala
que nada se faz nesta imperial cidade.senSo
ouvir missas e percorrer os presepes noi-
le, e sSo tantos os que se fizeram este anno
quebom boa penitencia faria o que visitas-
se todos ; e he tal o tedio que este bom po-
vo vola inacpSo, que todas as noiles, des-
de 7 at 10 horas, ostao as mas apinhadas
de familias que dam-se ao insano irabalho
de percorrerem estiradas distancias para
verem os presepes, tendo muitas vozes de
esperarem na ra largo lempo,.al que se
desobstrua a entrada, quasi sempre lomada
por urna quanlidade de visitantes maior do
que permiti a capacidade das casas, lie
muito provavel que esta devopSo, entretida
durante tantos das e noites, deixe no espi-
rito preoecupapoes, intenpoes, aspirapoes,
e oulras umitas modiicapoes, e disposipOes,
todas infeusas ao Irabalho, que he certa-
mente cousa muito contradictoria com esses
enlevos espiriluaes ; por conseguiute nao
lie de admirar que no primeiro diadosa
maua, id tst, nao santo, sinta-se a gento um
tanto enervada. Esta saltando aos olhos a
cooclusao que se deve tirar deslas lnguidas
o mal ataviadas.'observapes; e vema ser.que
por bem da conservapo do nosso corpo, e
at da salvapSo de nossa alma, devia o go-
verno brasileiro intervir parante a cuna
romana para que se dimiuuissem os das
santos, que sao realmente muito nume-
sosos.
Aeora vou contar-lhe o que aconteceu em
Santos, por causa decemiterios, por occasiao
lo enterro do finado Francisco Xavier, ex-lhe-
oureiro da allandega. Conta-iue pessoa que
illi esleve aue, tendo ido o corpo para a Igrei-
,a denois de celebrados os ollicios fnebres,
lan lcva-lo para o cemiterio, visto ealarem pro-
ibidos os entrramenos as igreijas mas
le no acto de lirarein o caixao da ca, salu-
ram da turba algn negociantes e em altas vo
es declararaui que oppunbam-se a que se le-
vasse o corpo para o cemiterio. Parece que
havia no templo quem tomasse as dores peto
cemiterio, e reclamava a observancia das pos-
turas arespeilo: porm como estas reclaina-
cOes se fazlam no mesmo loiu da opposijao, ai-
icm que una tumultuosa algazarra se ievan-
,u, e que iam as cousas tomando um carcter
violento, quando appareceu o delegado /.Oc-
tavio febias, e quli Interpor sua aulorldade
nlre os contendores. Dli-se que aquelles que
se anontam como cabecas do motiiii recusa-
ran, obdecer ao delegado, que Ibes iaz.a ver
aue eslava prohibido pela autondade comp-
leme o enterramenlo us igreijas, ao que re-
nlicavam que os orden illigaei ndo <* r
\Ldecida,. ele., ele. Nao retiro outras cousa. e
ditos sediciosos que se allr.buc.n a dou._nego-
ciautes, porque lenho noticia de que sao am-
bo, nuilo pcico. e sisudo. cidadaos, e re-
Vtna-me acreditar que se porusse.u lao des-
ru .nenie dentro de u... templo, Janio
eu... fretro. AccrescenU-se que, vendse o
elegido desobedecido, mandara buscar urna
cade 10 ou 12 bon.ens, e que su con. o apo.o
lela pode acalmar o tomulto.e fazer conduz.r o
SKdiaswAJB
in
que provavelmenle da rilo iniuda conta desta
oceurrencia fl).
Ouvl de um negociante que dabi sahio a 25,
que j appareceram na corte dous casos isola-
dos da febre marclla ; Isto alTiige-i.ie, mas nao
me sorprende, pnl que desde que reappare-
ceu as provincias do norte, e ltimamente
ni Campos, so por um inilagre se devia espe-
rar que se nao desenvolvesse na corle, onde
tudo concorre para naiaralisa-la, e nada se tem
feito nem emprehendido de vcrdadelrameutc
emeatpara atugenta-la.
Se esla funesta noticia se verificar, ou se es-
ses casossporadicos inudarem-se c.nepidemia,
cont que muitas pessoas dahi vlrao c passar
over.lo: c fazeni muilo bem ; porque seria
tentar a forlun* conservar sf exposto ao llaglo
lo, quem pode escapar con. pouco incon.modos
He mais fcil vir a San Paulo do que ir para al-
KUinas povoaces de serra cima ; em 50 horas
chega-sc do Itio a esta cidade, tendo apenas 8
ou 10 horas de viagem por trra : e as despeza.
da viagon, no sendo grandes as da residencia
sao incomparavelmente menores. Aqui quem
pode gastar 100,000 rs. por mcz. nao tendo fa-
milia, passa vida de lord; em l'elropoles, por
escmplo, dundo muilo que um homem aoltel-
ro, accostumado a alguin trata41.e1.to, possa
passar coi 200,COOrs. mensaes, so para as des-
pezas domesticas, nao metiendo cu. conta ca-
v.ilios para passeio, etc. O que realmente me
admira he como vivem ahi tantas familias que.
nao tendo cousa alguma que as obrigue a pas-
sarem mal, poderiam gozar aqui, alm de um
bellissimo clima, de unta abastanca de que nao
podem fazer ideia, com seus rditos de um a
dousconlos de ris. As melhores casas alu-
gam-se aqui (e agora que esiao muilo caras)
por 3o a 40,000 rs por mes, e estas sao quasi
palacios em grandeza : as despezas de sustento
para nina familia de 20 pessoas, tendo muito
ba mesa, nunca podem exceder de ti es a 4,000
rs. diarios, i'alve acbem inulto exagerado es-
te calculo, epensem que desojo engodar ospus-
teadure e desafiar a einigraco coi una pers-
pectiva cerlamentcagradavel, de commoda vi-
venda, por poOCO proco ; aos que duvidarem
remedo para qualquer tabella dos procos me-
dios dos gneros de primeira necossidade, e
vean se os illudo. basta que saibam que os
principaes custam oseguiute: l'ejj.-io I.UOOa
2,500 rs.; farinha, 800 rs. a 1,200 rs.; milito,
liOO rs. ,1 1,11110 rs. o alqueiro; carne, l.GOO a
2,000 rs.; (oucinho, 2.500 a 3,000 rs. a arroba ;
aves 120 a 200 rs. cada uiva ; ovos, dous e tres
por viutem, eassiu. o mais.
Temos grande novidade para o anno de 1851.
Ouvi honlem dizer que as notabilidades da op-
posico desta capital tem feito conferencias pa-
ra acertaren, em u.u programla poliiicn, cla-
ro, bem definido c franco, epae deve u'ora e...
dianle servir de symbolo dale da opiniao li-
beral uesta provincia Se assilu he, acbo que
lUeram minio bem ; porque, a fallar a verda-
Je, estou cansado de ouvir: tou do partido da
ordem, tou do partido liberal, sem que alguein
me possa explicar en. que consisto essa ordem ,
o que pretende fazer em favor da liberdade.
Consta que tralou-se de tudo quanto deve a
opiniao liberal coinprouietter-se a lazer ou pro-
mover ; e que em os priineiros dias de Janeiro
sahir a luz esse manifest, publicado en. ludas
as folhas da opposi(ao ; por agora s acrescen-
tarei urna cousa agradavel, e beque aopp->si-
fo parece resolvhla a envidar lodos os esfor-
f os para fazer abracar suas ideias, e acredita-
os no espirito publico, como uoico moio de
promover sua reallsacao por um modo tran-
quillo e regular.
(Carla particular.)
____ (Do Jornal do Commercioj
MARIO DE PERNMBUCU
BZOIFB, 19 BE JANEIRO DE 1851.
Pela barca Columbui chegada honlem de
Liverpool recebemos o Times de 14 a 18 de
dezembro prximo passado, contendo no-
ticias da Franpa at 16 desse mesmo mez,
da Prussia al 13, da Austria e llespanlia
at 11, da Lombardia o Portugal at 10 e
dos Estados Unidos at 3.
A Austria e a Prussia cnnlinuHo anima-
das de sonlimentos pacficos. Os despa-
chos trocados entre os respectivos governos
silo a gora tilo amigaveis quanto, ha poucos
dias, eram hostis.
Mo da 11 de dezembro foi publicado em
Vienna um decreto do Imperador, ordenan
do a reducpSo do exercito auslriaco de
conformidade com o que havia praticado o
rei Frederico Guilherme a respeito do exer-
cito prussiano.
As conferencias que deviSo comepar em
Dresde a 18 do moz passsdo, forao ulti-
mamonte adiadas por convonpSo dos dous
governos, prussiano e austraco, para 23 do
mesmo mez, porm cris-seque anda nes-
se dia n3o leriam principio, e seriam oulra
vez adiadas para o corrente mez d Janeiro ;
entretanto os dous governos dingiraro-so
untamenle ao> outros estados allemaes con-
vidando-os em seu nomo a enviarem
plenipotenciarios que os representen, nes-
sas conferencias, das quaes geralmente
muito se ospera. lia com tudo pessoas que
creem que ellas serSo impruductiveis, pela
rasSo de que difliculdades invenciveis se
presentarao, logo que se tratar da revi-
sao do acto da confederapao.
Com effeito os ministros austraco e
prussiano convencionaram em Olmutz que
o poder executivo na Alemanha permane-
cera para o futuro exclusivamente as
mfios das duas grandes potencias por elles
representadas, e nSo he crivel que os ou-
tros estadosqueirlo estar por esse artigo da
convenpo, principalmente a Baviera, a
qual, com quanto consulta em ceder o pri-
meiro lugar na Alleinanha casa de llaps-
burgo Lorrena, nao querer certameu-
le oceupar urna posipio inferior dos llo-
henzolleroies.
OSr. deManteuffel foi nomeado prosi-
(I) As folhas de Santos nada traiem a este
rc"'cU0- N.daR.
dente do gabinete prussiano, e o Sr. d
Raumcr ministro da nslrucpilo publica.
Foi anunciado nflicialmente no Kasscler
Zeilung de 11 de dezembro que o eleitor da
llesse no tem nonhuma intencSo devoltar
a Cassel, que pelo contrario esl determi-
nado a mudar a sede do governo para Ful-
da, mas parece que este projeclo l)So ser
tam redo posto em oxecupo, por quanto
o cholera acaba de rebentar nesta ultima
cidade.
F,m Franpa nada de extraordinario tinha
tido ligar. A assembla nacional conti-
nua va regularmenta em seus trahalhos.
reinando entro ella "e o governo a meihor
harmona.
Os socialistas tinham offerecido varios
projecto do lei, uns relativos formapSo
do jury nos casos rriminaes, outros re-
mopilo dos impedimentos religiosos aos
oasamentos; mas a commissao de iniciati-
va, qual esses projectos foram remetti-
dos, .leu o seu parecer contra elles.
Foi igualmente regeitado pela mesma
oommissfio um projeclo de lei apres<-ntado
pelo coronel Charras ealguns outros mem-
hrosda montanha, ten lo por fim a alterapilo
completi do systema presentemente se-
guido as promopes do oxercitn, o qual
elles substituido por um novo systena do
eleiplo para os postos inferiores, e de con-
curso para os superiores.
M". Viclor Lefianc propoz tambem que a
lei eleitoral de 31 de maio fosse revista,
mas esta proposla leve a mesma sorlo que
as outras de que cima temos tractado.
O canal lateral do Caronna entre Tulosa
o Castels, o qual livera principio em 1838,
foi ltimamente aborto a navegapHo na es-
lenpil de 127 kilmetros (80 millias pouco
mais 011 monos) faltando anda para seu
complemento um espapo de liem 50 millias
entre Agen e Castels, urna co-npanliia do
llordeosrepresentada por Mr. Festugiere of-
fereceo ao ministro das obras publicas tor-
minar a obra sua cusa, ri.-o e perigo
dentro de dous anuos o meio com a condi-
pSo do receber porosoapo de 21 annos e
meio em toda a estenpo do canal as tasas
eslabelecidas por urna tarifa lita.
Na 11 '-p;inli 1 nuda de extraordinario ti-
nha ti.lo lugar, alom ds sui.prosslo quefi-
zera o governo to orpamento do ministe-
rio do inlerior da quantia de H,ooo,oo,o de
reales usualmenle applicada a sustenlapo
do banco dol Fomento, o que fez descer as
apolices respectivas de6l a 43, causan lo
um terror pnico entre os seus possuido-
res. O director do banco e os memhros da
junta protestaran! contra essa suppress3o.
Segundo cartas de MilSo, o conde de
sii'i-Mil 1.1 IVii-a ltimamente nomeado go-
veroador civil da Lombardia, e o conde de
Walmoden, commandante do trceiro cor-
po do exercito estacionado na Hungra, go-
vernador militar da mesma provincia e com-
mandante do quinto corpo estacionado em
Milito.
Cartas de llamhurgo, datadas do 13 do
mez passado, notician) que o novo com-
mandante ein chele do exercito do llolstcm.
Van der llont, prelenlia brevemente come-
pars hostilidades contra os Dinamarque-
zos, segundo o desojo dos Statholders.
O general Willisen, depois que dera sua
emissilo do postoque presentemente oceu-
pava o general Vor der llorst, retirara-se
para Magdehurgo.
Mossos Itiloresestarilo sem duvida lem-
hrados da noticia que llies demos em o an-
no prximo passado da ter-se casado o rei
de Dinamarca com urna rapariga modista
de Copenhague, e muito condecida dos of-
ficiaos do exercito dinamarquez, os quaes
com ella tinham entretidointimas relapoos,
agora Ibes diremos que esso mesmo rei ja
talvezaborrecido, ou antes envergonhado
do passo que dera, acaba de repudiar essa
mulhcr para casar-se com a princeza I uiza,
irma do eleitor da llesse.
Em ("onstantinopla fra ltimamente des-
coberla orna conspirapilo contra o sullSo e
o gabinete de lleschid Pacha.
Bimhaschi Mustapha Effendi um dos aju-
dantes de ordens do sullao, em cujo quarto
este por um acaso singular achara certos
documentos suspeilosos, fra preso com
12 oulras pessoas qoe oceupavam altos em-
pregos no serralho.
Nao se sabia bem ainda se o irmSo do sul
tito, Afcdul Assis, enlrava ou nSo nessa
conspirapao, mas era fra de duvida que
elle tinli conhecimento dos movimentos
revolucionarios.
Portugal continuava tranquillo. As cor-
tes estavam para reuoir-se, pelo que os
conselhos de gabinete eram em Lisboa qua-
si diarios. Km consequencia do estado in-
teressanle em que se acha a rainha a falla
da abertura ser apreseutada por commis-
sSo. Corra que urna nova lei deeleipOes
eslava j prompta e seria apresentada c-
mara dos deputados logo nos primeiros
.lias de sossSo.
No dia 3 de dezembro foram queimados
setenta contos em notas do antigo banco
de Lisboa, com o que a somma existente
ficou reduzida a 2,299 contos; foram tam-
bem cancellados e queimadus 373 coutos
em bilhetesdolhesouro.
As notas do banco de Lisboa ficaram, de
5 3/t a 6 por cont dedisconto; as apoli-
ces de COO.OOO rs. do banco de Portugal,
de 133 a 130,000 rs. de disconto cada urna;
ntrelanln que as do 200,000 rs. do banco
do Porto continuavam, de 3 a 6,000 rs. de
premio por metal.
No dia 2 de dezembro reunio-se o con-
gresso americano, o qual depois deorga-
nisado nolilicou ao presidente que eslava
prompto para receber a mensagem. '.
Ihe foi com effeito transmittiJa e he-muito
mais extensa do que a que orno anno de
(819 fura apresentada pelo fallecido gene-,
ral Taylor. O tom em que he concebida he
moderado, posto que em seu carcter seja
fortemente conservadora.
As noticias do Mxico confirmam a elei-
pilo do general Arista para presidente da-
quella repblica, lie 17 oslados que toma-
ram parte nessa eleipSo 11 votaram no ge-
neral Arista, 2 no general Almonte, 2 no
Sr. Itosa, 1 no Sr. Comes Pairada e no Sr.
M ojies.
Ha Inglaterra temos smente que com-
municar aos nossos leitores qne o parla-
mento fora outra vez adiado no dia 17 de
dezembro do anno prximo passado, de-
terminando a rainha que se reunisse a 4 de
fevereiro prximo futuro.
Km Londres os cansolidados ficaram de
00 :i|l a mi 7|S ; os fundos brasileiros, de
87 I \: a 87 ; os 5 porccnlo russos a 110;
01 argentinos, de 56 a 56 1 |i ; os 5 por ceu-
lo dioaniarqiiezes, de 101 a 101 t|2; os
1 f|9 por cento belgas, de 90 a 89 3,4 e os
3 por cenlo hespanhes a 40 l|4.
Si .sffl
Deixamos de dar noticias do norte, por-
que aimla nos nSo foram entregues asga-
zetas, que nos trouxe o vapor Imperatriz
entrado boje. ___ ______
Correspondencia.
I.i a correspondencia que no Diario de
l'ernambuco de boje publicou o Sr. F. lia
phael de Mello llego, e confesso que rae n8o
sorprenden a sua lingoagcm ; todava ad-
mirou-me quoso livosse enfurecido tanto
com a leilura do meu coniinunicado, quan-
do nelle S me dirlgii ao autor da corres-
pondencia do Correio da Tarde, que o Sr.
Mello llego diz noperlencer-lhe.
Na correspondencia, a que respondo a-
gora. falla o Sr. Mello Bego em um peri-
dico, que me tom injuriado, e do meu
silencio con"lueque, por falla de hal.ili-
dadee de ruragein, n3o tenho respondido
ao seu redactor, que me ha (brido de mor-
te. Pleser que, por falta de habilidade
rulo seja capaz de responder, ainda que o
Sr. Molla llego nSo possa julgarda minha
capacidade nem da do pessoa alguma;
mas, por falta de corasen), uo; e o Sr.
Mello llego sabe bem disto.
Su me'persuadisse que os escriptos do
redactor desse peridico, que n3o leio,
e que tanto aprecia o Sr. Mello Bego, po-
dessem sustentar ou destruir o crdito de
qualquer pessoa, entSo teria respondido ;
mas, O&O SU pondo que lira ninguem oque
diz esse redactor, co ihecido de todo o bra-
Zll, porque, se de tal me persuadisse, de-
via crer que estavAo feridas de morte mui-
tas pessoas preeminentes nos partidos po-
lticos do Imperio, o mesmo alguns paren-
tes doSr. Mello llego, deixo esses escriptos
no monturo, onde forSo trepados, e em
que fica tambem a correspondencia do Sr.
Francisco llaphael de Mello llego.
Bacilo, 18 de Janeiro de 1831.
r. i. d'Ajuino Fonceca.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Ilondimontododial8.....19:365,188
Descarregam hoje 20 de Janeiro.
Barca -- Serafina mercaduras.
Brigue Citar dem,
i) ileota Fanny dem.
Barca Pearl carvilo.
Barca Klisabeth taboado.
CONSULADO CF.BAL.
Kendimonto do dia 18. .<.,. ,
Divorsas provincias ... .....i,
1
.. "i
1:498,446
173,352
1:671,798
EXPOBTACAO.
Despachos martimos no iia 18.
Lisboa, brigue portuguoz Taruio 111, de
338 toneladas : conduz o seguinte: 5* pi-
pas ago'ardenle, 100 barris mol, 1 sacco com
100 unhas de boi, 200 ponas de dito, 150
pedras de amolar, 40 couros espichados, 60
duzias cocos de buber agoa, 300 saccas com
1,241 arrobas e 21 libras de arroz.! caixote
sementes, 2* saccas com 119 arrobas e 22 li-
bras de algodio, 18pranxoes de amarello
com 50 tal.oas, 300 meios de sola, 56 sac-
eos gomma, I caixflo com 17.024 oiiavas da
prata em barra, 1,188 saceos, 154 barricas,
25 caixas e 5 barriquinhas com 8,581 arro-
bas o 11 libras de assucar, e 2 barris com 11
arrobas de vidro em pe lapos.
Porto, barca porlugueza Sania Crvs, de
300 toneladas : conduz o seguinte : 1 pran-
xOes de amarello com 6 duzias de taboas,
86 couros seceos, 14 pipas, 105 barris e i
quarlola mel, 4 barricas com cobre e latflo
usado, 100 saccas com 450 arrobas de ar-
roz, 11,250 arrobas e 3 libras de assucar,
em caixas, barricas e saceos, e 50 saccas
eom 7 alqueiros Jo arroz de casca.
Cibrallar, brigue dinamarquez ouise, da
213 tonelaJas : conduz o seguinte : 2,600
saceos com 13,000 arrobas de assucar.
BtCKUEOKIA l)E KENAS CEBAES
1NTEBNAS.
Beudimenlo do dia 17......172,787
dem do dia 18.........658,799
CONSULAD PB0VINC1AL.
Rendlmento do dia 18......999,589
PIUCA DO BECIFE, 18DEJANEIBO DE
1851, AS 3 HORAS DA TABUE.
Ilcviilii tetnanal.
Cambios- s iransaccoes da semana foram
moderadas a 30 d. por 1,000 ra.
Assucar As entradas foram regulares; o
brauco lino eusaccado e cubar-
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


SMBM
w


2


riendo vrndeu-se de 2,300 a 2,700
rs. por arroba; o ordinario de
1,750 a 2,000 rs., c o inascavado
de i .500 a i ,(>00 rs.
Algodao- Vicrain ao mercado 200 saccas
que fbraiii vendidas de 7,400 a
7,500 rs. por nrroba deprimriin
son e de 7,000 a 7,100 a de se-
cunda.
Couros Coniinuaram a vender-se a 27
1/2 rs. por libra dos salgados.
Bacallio Enlrou mu carregainenlo que
ainda nao fol vendido rela-
lliou-se de 8,500 a 9.500 rs. por
barrica ; liuando cin deposilo
fl.000 barricas.
Carne-sccca Ycndeu-se do a Rio-Grande de
1.800 a 3,000 rs. por arroba, e de
llucncf-Ayros de 1,100 a2:300 rs.
O drposiio he de cerca de
36,000 arrobas.
Carv. de ped,- dem a 8.000 rs. por tonelada.
Far. de Irigo- O deposito boje monta a 12,500
barricas inclusive 80o entradas
nesla semana de Marsellia; as
vendas regnlaram de 13a 17,000
rs. por barrica.
Manteiga -- Vendru-se de 410 a 430 rs. por li-
bra da francesa, e a 540 rs. da
iuglcza.
Queijos dem a 1,100 rs. os Qainengos.
Vinbos dem a 100,000 rs. oj de Cette e
liespanha, e de 68 a 76,000 rs.
a pipa do de Catalunha.
Frotes Teiu baixado, estando presente-
mente o do assucar para Liver-
pool a 35, Canal,portos inglp7.es,
a55 e dito entre llamburgo e 111-
vre a 60 : algodao para Inglater-
ra a 1/2 d. por libra.
ExUlein no porto 65 embarcaces a saber
1 americanas, 21) brasileiras, 1 bemense, >
dinamarquezas, 4 franeczas, 1 hespanbola, 16
inginas, 3 portuguezas, i suecas, 4 sarda se 1
belga.
NOTICIAS COMMERCUES.
Liverpool 16 de 'dezembro de 1850.
.1 loodo --(I mercado abri* se com una pro-
cura favoravel as transaeces, cujas opera-
ces augiiientaran rpidamente como na se-
mana antecedente As qualidades mais bailas e
medianas do da America, foram ollerccidas me-
nos livremente.e alcaii(aramum adiautaiiieiiio
de l|S d. por libra; lodas as demais qualida
des periuanecem lirines as quolacues da semana
passada. O resultado da venda publica de
lioutem do algodao de Sea lsland Coi mais
favoravel do que se bavia anticipado de
1,976 saccas do algodao alvo c2l saccas stai-
ned ollirecida, 1,031 do primeiro de ll 3|4 d.
al 8. 7 d. c 220 do segundo de 5 d. a II l|2
d. foram vendidas, os procos mustravam al-
guma irregularidade. A totalidade das ven-
das da semana be de 41,240 saccas, ( das
2,950 da America, 40 da Baha, 1.730 do Mara-
nbo,70do Kgypto e 1,710 de Suiratc foram
expoculacao, com 440 da America 60 da llabia,
40 de IVinambuco e i,4l0 deSurrale para e-
portaco), coinprehen.lendo 1,280 de Sea Is-
lam! ile II !|2d. a 22 i|2 d. ; 240 Staincd de ?
d. a 11 1,9 d.-10,500 i owed6 5|8a 8 d. --5,380
Mohile, a i 11> in-.i e Tenneisee 6 l|8 a 7 7|8 d --
11,340 de Piova urleansO l|4 a 9 l|4 d. -970 de
Pernainbuco e Parahybade S i| a 8,'l|4 1,800
da liahia e Macelo8 l|8 a 8 3|8-3,150 do Mara-
nhfio7 l|4 d. a 8 i|i- lll del arlliargeua 6 d.
80 de Demorara 9 d. a 10 l|2 d.- I.uo do ligvp-
|o7S|8a 10 l|4 .4,700 de Surrate 4 ;i|S a
61|8d. e 40 de Madras de 5 3)8 d. por libra.
Dezembro 18.
No decurso ile 3 ou 4 das passados houvo
urna procura mal auimada, e o mercado sus-
tentoii-se iii'iis liinic. Mas descripfdes dos al-
godoes da ..Aini'rica existe um melboranteuto
tle 114 d. por libra desde a semana passad.i, c
as uutras sones sao mal dilceis vender. Al
guias tmlidadcs dos algudVs do Jirasil bal
xaram l|8 d. p >r libra. As vendas de terca-
fiira sao de 8.000 saces, 2,000 para expecula-
cao e eiport-go; da sexta feira 7,000; do
sabbado 7,001', 2,0 l |iara npeculacio e eipor-
t,,. .ni ; de segunda feira 8,000, 2,i00 para ex-
peeulaco c eipnriaco ; de terca leira 12,000,
3000 para expeculacao e exportacao; de quarla
feira, 15,000, &000 para expo'tacSo e especula-
cao. A iniporlacao da euiaua be de 50,212
saccas.
AitucarUouve urna mellior procura tan-
to da par(c dos espocieiros como dos reliua-
lores, c as vendas comprebeudein 1,000 barri-
cas da plaotaciio, 3,000 saceos de bengala e
4,500 caixoes grandes do atsucar uuvo das
Mauricias ; os segundos foraui comprados pa-
ra os portos cslraugeiros a 4ls.no caes. Do
eslrangeiro devenios mencionar 160 caixas c
2,00H saceos e barricas do brasil de 19 s. 6 d.
a 21 s para o medianil ao bom rigueiro, e 1,500
caixas da llavana de 38 s, 6 d. a"44 s. ( pagos os
direitos j para o baixo tiigueiro ao bom ama-
relio, e una pequea porcao de Porli Kico de
42 s. a 42 s. 6 d. por quintal.
i i/i 1.--0 mercado est tirme, em alguns ca-
sos pagou-sc um pequeo adiaiilameiito ; as
vendas encerram 20 barricas da Jaindaca de
75 s. a 103 S.--200 barricas grandes de Te
eberry de 5o s. a 6* 8.-60 saccas dj nativo de
Ceylao a 55 s.470 saceos do t.ear de 47
5II.--2O0 saccas de S.-Domingos a 48 s. por
quintal :--260 sacaos do Urasil Cocoa foram com-
pradas a 30 s.

mesmn rapitSo. Veio refresetr e sogue
para New-Bedford,
Maranhto pelo Gcar 10 das e 6 horas o
(lo ultimo, porto 5 dias o 6 horas, paque-
te de vapor Imperatriz, commandante o
primeiro lente Joaquim Salom Ra-
tnos de Azevedo. Passageiros-. para esta
provincia, Raymundo Filippe Lobato J-
nior, Thomaz da Costa SerrSo, 1 es-sol-
dado o2 escravos a entregar : para o sul,
J ifn Ferreira Lima, Gentil llomem do Al-
nada Braga, Francisco Antonio do Bom
Succosso, 26 rcciulas para o ejercito, 11
ditos para a marinha e 6 escravos a cu-
tre gar.
Navios sahidot no mesmo da.
Parahiba-- Hiato nacional Parahibano, mos-
tr-Nicolao Francisco da Costa, carga car-
ne secca e mais gneros. Passageiros, o
major Sergio Tertuliano Castello Branco
coin sua familia.
Id;m Hiato nacional Sania Cruz Nova,
mestre Elias do Rozano, carga carne
secca.
Lisboa -- Brigue portuguez Tarujo lll, ca-
pitilo Francisco Antonio de Almeida, car-
ga assucar.
GibralUl ~ Brigue dinamarqunz Loutss, ca-
pilSo N. L. Elberg, carga assucar.
PortoBarca portugueza Santa Cruz, ca-
pitlo Ha mi T o da Costa Rosa, carga as-
sucar.
.'-.^g
EDITA KS.
Movimento do porto.
Novios entrado* no da 18
Paran ha 2dias, hiate nacional Espadar-
te, de 27 l| tonelada, mestre .Manuel Jo-
s de Paiva, equipagem 4, carga loros de
tnanguo : a Joasnii deOliveira. I'assa-
geiro, o lirasaWro Manuel Joaquim de
Souza.
Genova -- 78 dias, escuna sarda Emilia, de
52 toneladas, mestre Jo3o Baplisla Bom
Senhor, equipagem 22, carga tijollos e
massss; ao mesmo mestre. Passageiros,
13 artistas. Veio refrescar e segu para
lluenos-Ayres com escala porMoulevido
San David 51 dias, brigue ingloz l'aulme,
de 190 toneladas, capillo \V. Caithmss,
equipagem 9, carga carvAo ; a ordena.
Glasgow 36 das, biigue inglez Khine, de
173 toneladas, capiUo William Alian,
equipagem 8, carga fazendas; a liidgvray
Jainiessou & Companlna.
Londres -- 42 dias, brigue prussiano Alber-
to, de 212 toneladas, capitn F. S. Sieck-
feld, equipagem 11, carga earvSo, cervo-
ja e mais gneros ; a Deane Youle & Coin-
pa nhia.
Guernesey 37 dias, brigue inglez I.ovia,
de 141 toneladas, capilSo Thomas Le l'o-
ge, equipagem 11, em lastro ; a Me. Cal-
mont; Companhia.
Navios sahidos no mesmu dia.
Lisboa Barca portugueza Carlota e Ame-
lia, capSo Caetatio (aspar Pestaa, car-
ga assucar.
Canal Brigue lubrkense llenreck Gusta),
capilSo M. II. Franrk, carga assucar.
Navtos entrados no dia 19.
llamburgo 60 das, escuna hanoveriana
llernard, de 77 toneladas, capiSo G
Heckmann, equipagem 5, carga fizendas
emais gneros; a Kalkmann & Irmo.
libas Sanuwich 104 dias, galera ameri-
cana Eabeus, de 432 toneladas, capitSo P.
S. Wing, equipagem 31, carga azeile; ao (minado pela presente clausula, seguir-se-
0 Doutor Antonio Ignacio de Azevedo do
ronselho de sua Magestaiie o Impera-
dor, commendador da Ordem de Chrisio
dezemhargador e presidente da relajo
desta Provincia &.
Faco sabor que peloE&ra. presidente do
supremo tribunal dn Justina me foi inviado
oomooflicio de tres do corrente o editil
respectivo, e relajo nominal, assign:ida
em 20dedezembro ultimo dos magistra-
dos de primeira instancia, organizada em
virtnde do artigo nono do regulamento n
624, de 29 ebegue noticia da todos os ditos magis-
trados subordinados a esta relac3o, que
servirem ou por quaesquer motivos, reze-
dirdem, ainda nio estando em exercicio
ms Provincias dasAlagas, P'rnarnbuco.
I'arahiba Bio Grande do Norte, e Ciara,
seta este, a que a co npaiiba a mencio-
nada relcelo, publicado na folba, em
i|ii) se iiiprimir os actos olTtaiaes da
preziilencia desta provincia, ahm de que
os mesmns magistrados promovilo o qm
Ibes convier ahem de seus direitos, nos tor-
mos proscriptos no citado decreto. Recife
18 do Janeiro de 1851.
Eu Domingos AlTonco Ferreira, Secreta-
rio da relajo subscrey'i, Antonio Igna-
cio d'Az'vtdo.
O lllni. Sr. inspector da thesouraria da fa
zenda provincial, em cumprlmento da ordem
do K.xin. Sr. presidente da provincia de 3i de
dezembro prximo passudo, mandafazer publi-
co, (ue nos dias 21, 22 e 23 do correle ir a
|.i i. i peranle o tribunal administrativo da
inesina Ibetotirarl", para ser arrematado a
|ueiu por menos ficr a pintura da ronle pen-
sil do Cachaog, avadada em 385,000 rs. e sb
as clausulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem aestaarre-
m^co comparecaiu na sala das sessdes do mes-
no tribunal nos dias cima mencionados, pelo
nelo-dla, competentemente habilitadas na for-
ma do artigo 24 do regulamento de 7 de maio
lo prximo passado auno.
E para constar se maiidou afnxar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da tbesouraria da fazenda provin-
cial de Peruambuco, 3 d Janeiro de 1851.
O secretario,
Anlonio Ferm'r.i d'^nnuneiaedo.
a Clausular etpeeiaes da arr*matacio:
1.* A pintura da ponte doCachang ser fe-
(a pela (orina sb as condices e do modo in-
dicado no orcamento apreseutado a approva-
caodoExin. Sr. presidente, pelo preco de rs
0,000.
2.a As obras prlncipiaro no piaso de 15dias,
e serio concluidas no de 40, ambos principia-
dos a contar da entrega do termo da arre-
matacao.
3.* O pagamento elt'ectuar-se -ha depois de
concluida toda a pintura, e examinada pelo en-
genheiro.
4.a Para ludo o mais que nao esl determi-
nado as presentes clausulas seguir-se-ha o
que dispdeo regulaineiilo de 7 de maio de 1850.
Recife, 16 de dezembro de 1850.
O engenbeiro chele da 2." da sc:cao,
Joo lu: Vctor Litulhier.
Approvadas pela directora em conselho, do
dia I6de dezembro de i850. O director, Jo
Umiiiilr Alis Ferreira. 11. A. Milet.l. Luis
I ieoi Litulkitr
Approvo. Palacio do governo de Pernambu-
co, 31 de dezembro de 1850. Suuia Itamns.
Conforme. O olcial, /anor Jos ilartins
Ribiiro.
Conforme. O secretario, Amonio Ferreira
d'jnnunciacao.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria
fazenda provincial, em cumprimento da
ordem do ExtD. Sr. presidente da provincia
de 12 do correte, manda fazer publico
que nos dias 21, 22 e 23 de Janeiro prximo
vindouro ir a pra^a porante o tribunal i-
ministractivo da mesma thesonraria, para
ser arremata a quem por menos lizer a obra
do segundo lanQo da estrada do norte, ava-
hada em 8:633,966 ris, esob as clausulas
especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a esta ar-
rematado compareci na sala das sessfies
do mesmo tribunal nos dias cima mencio
nados pelo meio competentemente habili-
tados na forma do art. 24 do regulamento
de 7 de maio do corrente anno. E para
constar se mandou alixar o presente e pu
hlicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Peruambuco, 16 de dezembro de
1850. Oaecretario, Antonio Ferreira da
Annuneiaflto.
Ctausulaes especiaes da arremalaco.
1.Os Irabalhos e obras doste lamo de
estrada sern folios pela forma, sb as con-
dices, e do modo indicado no orcamento,
planta e perliz, apreseutados nesta dala a
approvacSo do Exm. presidente pelo preco
de oito contos seiscenlos e trinta e tres mil
nove centos e sessenta e seis mil ris (ris
8:633,966. )
2. Em todos os pontos onde a estrada
nova runenle,ou eiirnnli nr-se com O velho
caminho actual, devora ser dirigido o ser-
vico do modo tal que haja sempre um tran-
zito fcil.
3."As obras principiarSo no praso de
um mez, e Ildanlo no de oito mezes, am-
bos contados de conformidade como art.
30 do regulamento de 7 de maio de 1850.
a 4."Para ludo mais que no est deter-
ha inteiramente o que dispe o regulamen-
to das arrematarles de 7 de maio.
llecifo, 25 de novembro do 1850.0 en-
dnheiro chefeda segunda secrfio, Jodo Luis
Vctor l.ieuthier. Approvado pela directo-
ra do conselho no dia 3 de dezembro de
1850.O director, Jos Mamede Alves Fer
reir.l'loriQnw,Delir Portier.--Approvo.
Palacio do governo do Pernambuco, II de
dezembro de 1850.Souza Hamos.Confor-
me. No impedimento do ofliclal maior, o
olcial Domingos os Soares.
Gonfor'me.O secretario, Antonio Ferrei-
ra d'Annunciaco.
O coronel Francisco Mamedo de Almeida,
presidente do conselho de qualifcac<1o
da guarda nacional da freguezia de S.
frei Podro Goncalves, etc., etc.
Fsqo saber que tenho marcado o dia 3 de
fevereiro prximo vindouro pelas 9 horas
da maniia i, para a instalacSo do conselho
de qualicaco da guarda nacional desta
freguezia, que lera lugar no consistorio da
referida matriz, e em consequencia aviso
pelo presente a todas as partes interessadas
na qualilicacilo para que na forma proscrip-
ta pela lei n. 602 de 19 de setembro do an-
no prximo passado, e inslnicees n. 722
de 25 de outubro do mesmo anno, se apre-
senlem ao conselho, aflu de reclamaren! o
direito que por ventura Utos assista em face
da mencionada lei. E para constar, e por ob-
servancia do art. 8 das citadas instrueces
faco o presonle que serii publicado pela im-
prens, e afiliado nos lugares do coslume.
Freguezia de S. Frei Pedro Goncalves do
llecife, 19 do Janeiro de 1851.
francisco Mamede de Almeida,
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva,
lente coronel reformado, e presidente
do consel'io de qualificacno da freguezia
do SS. Sacramento da S. Antonio, em vir-
tnde da lei.
Em nbsorvancia do art. 8 do decreto n.
722 de 25 de outubro de 1850, fco publico
para conhoci^iento de quem for interessado
que o conselho do qualilicacilo da freguezia
de S. Antonio, reunir-se-ha no dia 3 do
mez prximo vindouro, em o consistorio
da igreja imiriz da mencionada fregue-
zia, ahm de fazer novo alislamento o clas-
cilicacilo dus guardas nacionaes. Fre-
guezia de S. Antonio, 19 de Janeiro de
1851.
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva.
Rodolfo lea i IIir il i de Almeida, cavalheiro da
impeiia! ordem da Rosa e da de Christo, te-
nente-coronel coiiimandante doquarto bala-
Iho de guarda nacional do municipio do Re-
cife e presidente do conselho de qualilicaeo
da guarda nacional da parochia do Santissi-
mo Sacramento do bairro da lloa-Vista.
Faco caber, em virCude do artigo 8." do de-
creto n, 722 de 25 de outubro de 185o, que no
dcimo-quinto dia, contado da data deste edi-
i il, ter principio a reuni.ni do conselbo de
lualiflcacao desta parochia, no consistorio da
matriz, ao qual. as pessoas interessadas devem
allegar seus direitos na forma do mencionado
regulamento.
E para que chegue ao conhecimento de to-
dos se passou o presente que ser aflixado nos
differrntes distnctos desta paroebia e publica-
do pela iinprcnsa. Recife, 16 de Janeiro de
185i.
Iloilulfo Jlo Barata de Almeida.
Ujelaraco^s.
Theatro de ganla-Isabel.
. 3g.' RECITA DA ASSIGNATURA.
QUiBT FEIRA, 22 Di INBI0 DE 1851.
Estra de madamoiselle Marieta Baderna,
rrimeira dancarina absoluta do theatro de
Milfio, ltimamente de S. Pedro de Alcn-
tara do Rio de Janeiro, (aondo foi sempre
admirada pelos amadores do verdadeiro
mrito) de madamoiselle Alie Moreau, e
de Frederico Tati, baixo profundo.
Depois de urna agtadavel ouvertura, a
companhia nacional representar a inte-
ressante comedia em 3 actos :
As niiiiiui'iiis No fim do primeiro acto o Sr. Tati canta-
r a bella aria do Pirata seguindo-se
por mandamoisello Marieta Baderna e Ali-
e Moreau
O PAS DE DEUX
do segundo acto do Lago das Fadas.
No lim do segundo acto o'Sr. Frederico
Tati cantar a ariadi Silvada opera Er-
nani, do maestro Verdi, com urna nova ca-
boletta, escripia expressamente pelo maes-
tro Giannini director do canto, depois da
qual madamoiselle Baderna daocar em
carcter
O Bolero.
Terminar o espectculo com o muito
applaudido duelo da operaLucia de ta-
tntmoorcantado pelo Srs. Tati e Capurri.
Come cara as 8 horas.
s bilhetes acham-se venda no lugar
do costume. ______
VicocoiiMUlatlo le Espita en
l'ri iianilnico.
Habiendo la Legacin de S. M. en Bio de
Janeiro, remolido a este vice-consulado co-
pia de la Real instruccin para formar el
alislamento y matricula de los espaoles
subditos de S. M. residentes en esla provin-
cia, so previenes los mesmos debern pre-
zenlarse, los queso bailen en esta capital,
y sus mediaciones en el termino de un
mez, y los que estn mayor distancia, en
el de dos meses, por si per apoderado le-
galmonte autorizado al efecto cumplir
con las determinaciones de la expresada
inslrucion. .Peruambuco, 16 de Janeiro de
1851. -- Joaquim llaplisla Moreira, cnsul
de Portugal, fazendo as vezes de vice-con-
sulde liespanha.
Pela-subdelegccia da freguezia do
S da i .i la lo cadoia da mosma cnlade a preta crioula,
de nome Domingas Mana Francisca, por se
supor escrava, e estar fgida; pois a
mais de 4 mezes existe nesta cidade em
differentes casas, mas o culta, comduz um
balaiofeito decipim luca, he comprido,
lem dentro varias mi lozas em mo es-
tado, o -instan, de linhas, 3 tizouras, papis
d'agulhas, botos e outros objectos mais
o que ludo se aclis na dita. Sub-delegacia ;
adila preta dis que tem mii, a qual
foi ama do lll n Sr l'rachedes da Fonceca ;
a ella lambem dis que foi ama do hum
Snr. de nomo Estasnilao Pereira da Sil-
va, j falecido; a dita crioula, hesita,
seca, falta de denlos nfrenlo daparte d-
cima, muito espelicada qnando falla, e falla
minio. Olinda 17 de Janeiro 1851. Mi
guet os Teixeiru, sublelegado suplente.
COItKElO.
Lisia gert das cartas entrada al o ultimo de
dezembro de 1850.
Ignacio Jos Torres, Ignacio Pereira Val-
la, Ignacio lio Ingues Carvalho, Justino An'-
t .um Hamos, Justino Alves, Justino Ferrei-
ra, Justino Jos Mallos, Justino Mdreira u-
os, Jacinto Augusto da Silva, Jicinto Dan-
tas Reg, Jacinto Faria Jnior, Jacinto Ig-
nacio, Jacinto Jess Sores, Jacinlo Jos So-
ares, Jacinto .Nones da Costa, Jacinto Pavflo
Reg. Joaquina Isabel Magallules, Joaquina
MagalhSos Coimbr', Joaquim Azevedo J-
nior, Joaquim Almeida Coelho, Joaquim
Alves Cunha, Joaquim Alves Freilas, Joa-
quim Alves Soares, Joaquim Antones Leite,
Joaquim Garrelho Castro, Joaquim Antonio
Cardozo, Joaquim Antonio Concalves San-
tos, Joaquim Antonio Olivoira, Joaquim
Anlonio Pereira, Joaquim Antonio Pereira
CuimarSes Josquim Anlonio ,llodrigues
Joaquim Antonio da Silva, Joaquim Anlo-
nio Santos, Joaquim Antonio Silveira, Joa-
quim Costa Campos, Joaquim Costa CBldas,
Joaquim Costa G mpos, Joaquim Caelano
Souza C. Joaquim Costa Santa-Anna, Joa-
quim Costa Pereira, Joaquim Domingues
Fernandos, Juaquim Francisco Cartelas,
Joaquim Francisco Santos Mais, Joaquim
Francisco Sania RiK, Joaquim Fraucisco
Silva, Joaquim Francitco Silva Vieira, Joa-
|uim Fraucisco Santos, Joaquim Fernan-
do Oliveia.
(Continuarse-ha.)
Avisos martimos.
Iteal cotnpnnliin de paquetes a
vapor entre o Brasil e a (.'ra
Bretanha.
No dia 31 do corrente at o primeiro de
fevereiro, deve aqu chegar procedente de
Inglaterra, o vapor da companhia Tweed,
commandante Rwlt, o qual deve demorar-
si aqui 6 horas, para proseguir o seu desti-
no para os portos do sul: qualquer pessoa
que pretender pisssgem para qualquer dos
portos ondeo mesmo lenha de tocar, haja
dedirigir-se con antecedencia a casa dos
respectivos agentes n llowie&C, ra do Trapicbe n. *2, para
Iratir dojajute, que sera regulado pela se-
guinte tabella de passageiros:
Para a Bahia 25 pataedes brasileros ou hesp.
> Rio de J. 50
TtlontevId.liO
Buenos A.120
O mesmo vapor deve aqu chegar de vol-
U para a Europa no dia 15 ou 16 de fe-
v ro: as pessoas portanto que pretenderen)
passageni no mesmo para os portos deS
Vicente, Tenerifo, Maleira, Lisboa, e In-
glaterra, poierSo logo fazer o seu engaja-
tuento, para que depois nSo aconleca que
nos portos do sul se prehencham os lu-
gares.
- Para o Acaracu e Granja, sague visgem
o hiato Aguia llrasileira, at 25 do corrente
mez, quem no mesmo quizer carregar ou
Ir de passagem dirija-se ao escriptorio de
Manoel Gonc.aWs da Silva, ou a bordo do
mesmo, a falar comocapilSo, defronte do
trapicho do algodSo.
--Para o Maranhito tocando no Cear,
pretonde sabir nestes 8 dias o hiate Novo
Olinda, por tor'promplo e j tratado dous
torcos de sua carga : para o resto e passa-
geiros trata-se com o respectivo mestre An-
tonio Vianna no trapiche do algodao, ou
na ra da Cruz, armazem do Sr. Manoel
Jos de S Araujo.
Para o Kio de Janeiro o brigue nacio-
nal Aiimmislor, pretende seguir com inuila
brovidade : quem no mesmo quizer carre-
gar ou ir de passagem, trala-se com os con-
signatarios Machado & Pinheiro, na ruado
Vigario n. 19, sogundo andar, ou com o ca-
pitSo na ii.ioa
Para o Rio de Janeiro
segu visgem em poucos dias, o brigue na-
cional D. Afinso, por ter parle de sua carga
prompta: para o resto, escravos e passagei-
ros, trata-se com Machado & Pinheiro, na
ra do Vigario n. 19, segundo andar.
Para com brevidade a sumaca nacional Carlota,
mostr Jos Goncalves Simas : quem na
mesma quizer carregar ou ir de passagem,
pode entendnr-se com Luiz los de S Arau-
jo, na ra da Cruz n. 33.
Leiles.
Cals IrmSos farSo leilSo por interven-
eflo do corretor Oliveira, e de ordem do
gerente do consulado da repblica france-
za, com assistoncia de um delegado do mes-
mo, de duas caixas com alfinetes avariados,
viudos pelo navio francez Comli Roger, en-
trado em 11 de junho de 1850 : segunda
feira, 20 do corrente.as 10 horas, no seu ar-
mazem, ra da Cruz n. 19.
Kalkmann IrmSos farSo leilSo por in-
loi vene, "ni do corretor Oliveira, de um com-
pleto sorlimento de fazendas de seda, 13a,
11 mii o algodao, todas proprias do merca-
do: segunda feira, 20 do corrente, as 10 ho-
ras, no seu armazem ra da Cruz.
rTendini Bortolo, tendo de
retirar-se uestes oito dias, vende
muito em conta todos os seus ob-
jectos que I lie restam para ador-
nos de palacio, salla e jardim a
quem queira especular aleo dia 17
do corrente, e o que Ihe restar a-
r o ultimo leilo, por interven-
cao do corretor Miguel Carneiro,
segunda-feira 20 do corrente, s
10 horas da rnanhaa, no seu depo-
sito, na ra do Aterro da Boa Vis-
ta n. 53.
Avisos diversos.
O abaixo assignado avisa ao Sr. T. G.
que receheu em pagamento urna sua lettra
de 7l2.il2rs vencida em 31 de dezembro
ile 1848, sacada no engenho Massangana,
para que mande pagar no praso de 8 dias,
pois que toda a tantlica no recebimento da
dita lettra causa grande prejuizo. Serve-se
o abaixo assignado deste meio de aviso, por
que de outro modo sabe que nflo produz
nenhum resultado.
Frvncisco Cavaleanti de Mello.
;0 abaixo assignado arrematante das
aflericOes deste municipio do necife, faz
certo aos habitantes das freRuczias de S.
I.ouronco, S. Amaro de JabualSo, e de Muri-
beca.que lem vendido a arrecadacSo do im-
posto das mrjsmas afericOes e revistas, sen-
do das tavernas e dos talhos das mesmas
freguezias ao Sr. Manoel Pedro do Reg, e
por isso faz certo para que nao hBja duvida
alguma em ser o dito senbor o arrecadador
dos ditos estabelecimentosem as ditas fre-
guezias, sendo do corrente anno munici-
pal de outubro de 1850 selembro de 1851.
Antonio Goncalvet de Maraes.
O abaixo assignado, roga a todos os
seus credores, que no praso de tres dias,
contados da data deste, Ihe apresentom
suas contas, para serem mediatamente pa-
gas, na casa de sua residencia na ra do
Vigario n. 15, terceiro andar; advertindo ao
mesmo lempo que ao depos deste praso nSo
aiiniiiri qualquer reclamacBo que se Ihe fa-
ca por dbitos conlrahidos at esta data,
Recife, 90 de Janeiro de 1851.
Manoel ot Barbosa Braga.
Precisa-se de um fetor para um ailio :
no pateo do Colleglo, casado l.ivro Asul.
lo:ooo$ooo rs.
DSo-se 10:000,000 rs. a premio, por junto
ou separado, com garanta de pinhores ou
hypoteca em predios, por um anno on ma-
is : -quem pretender dirija-so a ra do Ro-
zario es'-eita n. SO, segundo andar, que se
dir quen, oa d.
O alferes Gullherme Luiz Bernardos,
tendo aido removido a seo pedido, pelo go-
verno de S.M. o Imperador,dos cacadores n.
a para o n. i, roga a seus companheiros do
armas, Ihe permitam que por este meio|lhes
diga um adeos saudozo. Tendo comvosco
servido a mais de onze annos, sendo teste-
munha de vosso valor, de vossa disciplina,
de todas as vossas virtudes militares emlim,
eu sinto um nobre orgulho por ter feito
parte de um tSo brioso, como distiucto
corpo do exercito brasileiro ; e em qoal-
3uer parte aonde me chamar odever ou o
estino, procurarei sampre modellar mi-
nhas ac,0es pelos exemplos que de vos rece-
bi. Abracindo-vos carneradas, eu vos agra-
deci a amiza le com que sempre me tratas-
tes, amizade propria de verdadeiros imSos ;
eu vos dezejo todas as venturas. Possa a
surto vos ser propicia. A Icos. O mesmo
a lf res tendo de retirar-se no primeiro va-
por para o sul,agradece as pessoas que nesta
provincia o honraram com sua amizade, e
Ihes offerece seu prestmo eai qualquer
parte aonde o arroje o destino. Ao ter de
deixar as plagas desta bella e heroica pro-
vincia, o alferes Bernardas nSo pode esqui-
var-so ao sentimeolo da mais viva saudade,,
e jamis olvidar o nome de um povo tilo
hospitaleiro e generoso. Tambem aprovei-
ta esta occasiSo para declarar que qualquer
pessoa que si julgar seu credor.o pode pro-
curar na rus do Jardim n. 51, ou na aecre-
taria dos cacadores n. 2, as Cinco Pootas,
afim de serem inmediatamente salisfeiios.
Precisa-se arrendar um sitio perto des,,
ta nraca, tendo casa descont para familia
alguns ps de arvoredos de fruto, campim
para cavallos, ainda que principie o arren-
damento do fim do corrente ou meiado do
vindouro mez endiante: para tratar na ra
das Larangeirasn.23.
Dezeja-se saber se existem nesta praga
os Srs. Casuar Leite da Silva natural de Cui-
marSes, e Francisco Jos de Cerquera Al-
ves Barboza natural de Valiente do Minho ;
este Sr Barboza consta que em 18*5 eslava
trabalhando em urna paderia na ra das
Cinco Ponas : queiram ter a bondade de
apparecer na ra da Senzalla velha n. 90,
que muito se Ihes dezeja fallar.
- Precisa-se de urna ama paracozinhar;
na ra da Senzalla velha n. 90.
ha-se dinheiro a premio em pequeas
porgues, sobra pinhoros de ouro : na ra do
Cabug n.l C
-- Aluga-se o terceiro andar, sotSo corri-
do, com muitos quarlos e grande cozlnha,
e dous quattos, du sobrado n. 13, da ra
do Vigario : a tratar no armazem do mes-
mo sobrado.
Elias Baptista da Silva embarca para o
Rio de Janeiro o seu escravo Jos, de nac,3o
Cabinda.
Sala de sorvetes para senhoras.
Na confeitoria da ra do Rozarlo estreita
n. 43, contina a ter sorvetes todos os dias,
com muita promplidSo e asseio, a 200 ria
o calix, havendo presentemente duas salas,
urna para homens e oulra para senhoras.
--O abaixo assignado, morador na Gam-
boa do ('.anuo n. 8. deseja fallar ao seu pro-
prietano oSr. Pedro da Silva, que era mo-
rador no Caxang, e como nflo soja possl
vel descobrir-se a sua residencia, faz o pre-
sente, visto ter o mesmo abaixo assignado
de se retirar para fra da provincia, e ter de
tratar um negocio de muito interesse com
o mesmo Sr. Pedro da Silva ( o qual nSo ig-
nora ), e se nSo apparecer no prazo de oi-
to das, subjeilar-se-h a transac$So que o
mesmo abaixo assignado flzer com outra
qualquer pessoa. Recife, 17 de Janeiro de
1851. JocIj Goncalves Lucas Lisboa.
O abaixo assignado, tendo botado seus
animaes no lugar de Tambor para l passa-
reen o invern, e tendo-lhe desappareeido 3
beatas, suppOe terem desodo com as de al-
guns engenbos, que tambem costumam
passar o invern por aquellos lugares de
Tambor e Caiahy, as quaea sSo duas pol-
tras cardSes e urna quasi ruca com a ponta
de urna orelha quasi tronxa, todas com o
ferro AC: roga, portanto, o mesmo abaixo
assignalo a qualquer senhor de engenho,
que, se por acaso apparecerem taes beatas
em seu cercado, de annuuciarem por esta
folha, ou avisarem ao abaixo assignado,
morador em Tamboat, termo da cidade de
Nazaretb.
Antonio da Molla Silveira Cavaleanti.
s abaixo assignados axem
sciente ao respeitavel publico, e
principtlmente aos seus devedo-
res, qutfpelo presente teem auto-
risado ao Sr. Flix Antonio Alves
Mascarenhas para cobrador de
suas dividas. Scasso & Becker.
Precisa-se de unta ama para casa de
pouca familia, smente para engommar e
ijudar a outra pessoa a cozinhar : na ra do
gueimado, esquina que vira para o Rozario,
terceiro andar.
Cose-se e engomma-se com asseio e
promptidSo : na ra Augusta n. 81. Na mes-
ma casa vende-se urna rede de 15 brajas por
entaihar.


W4CI


O rendoiro do trapiche Ramos, avisa a
quem interessar que de hora om diante
obriga-se a mandar por os taceos com as-
socar, e volumes miudos descarregadbs no
mesmo trapiche nos lugares que seus do-
nos ou consignatarios indicaren), pelo mes-
roo carretoquecostumam a pagar nos oulros
trapiches.
Traspassi-se o arrendamento do enge-
nho Queluz, sito na freguezia de Ipojuca,
vendendo-se a safra no campo, o engenho
lie copeiro e bom, e lem bons cercados : a
tratar com Miguel Augusto de Olivelra, na
sus'residencia no enganho Camassari, na
freguezia de S. Amaro JaboatSo, ou com
Tbeolonio da Silva Tieira no engenho Ca-
xoeira da freguezia de Ipojuca.
-OSr. Dr. Caelano Estellita Cavalcanti
Pessoa, queira dirigir-se a rus da Cruz do
Recife n. 59, primeiro andar, ou annuncie
sua morada, aflm de se lhe fazerentrega
das chaves de sua casa da ruado Caldeirei-
ro, visto que sua senhoria flcou dcasvir
receber desde o dia 1 do corrente mez, e
at hoja niiotem apparecido.

BOWMAN & MC. OALLUM, engenbei-
ros machinistas e fundidores de ferro mu
respei tosa mente annunciam aos Senhores
propietarios de engenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, quooseu estabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualidade para a perfeita confeccSo
das maiores pegas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman de Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
attencfo publica para a sseguintes, por
terem deltas grande sorlimento jiprompta,
as quaes construidas na sua fabrica podem
competir com as fabricadas em paiz es-
trangeiro, Unto em prego como em qua-
lidade da materias primas e mo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor construcc.So.
Moendas de canoa para engenhos de lo-
dos os tamaiilos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento eserra-
as.
Manejos independentes para cavados.
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzesechumaceiras.
Cavilhoes e parafusos de todos os taa-
nnos.
Taixas, paros, crivos e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogdo e tornos de farinha.
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repuebo, mo-
vidas a mo, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferrageus para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnss, varandas, grades e portees.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros do mSo e arados de ferros,
etc ,etc.
Alm da superioridade das suas obras, ja
geralmenle reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remettidos
pelos senhores que se dignarem de fazer-
hesencommendas, aproveitandoa occasiSo
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que n.1 o pouparSo esforgos e diligencia?
para continuaren! a merecer a sua confi-
anca.
Carlos Claudio Tresse, fabrican-
te de orgaos e realejos, na ra
das Flores n. 19,
avisa ao respeitavel publico, quo concerta
orgSos e realojos, e pOe marchas modernas
deste paiz, tambem concerta pianos, sarafi-
nas, caixas de msicas, accordes e qual-
quer instrumento que appareca, e faz obras
novas. Na mesma casa vende-se um orgSo
proprio para capel I ou altar-mr, com boas
vozes, por preco commodo.
Jos Valentim da Silva, bem conheci-
do por ensinar latim ha 15 annos, lembra a
quera convier, que su'aula abre-se no dia
13 de Janeiro, na ra da Alegra n. 38 ( na
Boa Vista ), onde recebe alumnos externos
e pensionistas. Tambem ensina em horas
reservadas aos que nSo poderem frequen-
tar as horas da aula.
- Aluga-se o sobrado de dous andares
da piafa da Boa-Vista o, 6 : a fallar na bo-
tica da mesma casa.
4 Chapeos de sol.
*K Roa do Passeio, n. 5.
M*sta fabrica ha presentemente om rico
sorti ment destes objectos de todas as c-
rese qualidades, tanto de seda como de
panninho, por precos commodos ; ditos pa
ra senhora, de boro gosto: estes chapeos
s3o IV i tos pela ultima moda ; seda adamas
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sorlimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
marles servidas : todas estas fazeodas ven-
dem-se em porcSo e a retalho : tambem se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de igrejas: tudo por preco com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engenho, por seren
dos mais fortes que se pdem fabricar.
Engoroma-se e lava-se toda a qualida-
de de roupa com todo asseio e muita promp-
tidfio, por preco mais commodo 41o que em
oulra qualquer parte : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 36.
O Sr. que annunciou a compra de lene
(os de lavarinto, querendo um bem desem-
penhado em cambraia de linho, e outro que
se pode concluir at o Om lo prximo mez,
pode, querendo, dirigir-se i ra da Senzala
Nova n. 42, segundo andar.
O abaixo assigaado, tendo
de retirar-se para Portugal, e nao
podendo pela brevidade de sua
viagem despedir-se pessoalmente
daquellaspessoas que o honram
com sua estima, e a quem vota
considerado e amizade, o faz pe-
lo presente. E tambem offerece
seu diminuto presumo a estas pes-
soas em qualquer parte onde se
adiar, assverando quesera inenn-
savel em dar provas de gratidao
de qualquer natureza que possa
ser. Sendo que nao poupar, no
lugar para onde segu, de promo-
ver todos os incios de provar aos
Pernambucanos, quSo illuzoriabi
a imputacao que immerecidamen-
tese lhe fez nesta provincia : con-
vencido como est o abaixo ar.sig-
nado de que um dia os Pernam-
bucanos lhe Carao justica, nada
mais accrescenta. Recife, 16 de
Janeiro de i85i.
Benio Jos da Silva Magalh&es.
Urna moca solteira, que se acha em
companhia de seus pais com todo recato e
honestidade, propOe-se a ensinar a ler, es-
crever, contar, grammatica universal, mu-
sica, doutrioa chrislSa, coser, fazer lavarin-
to, bordar, marcar por differentes modas e
fazer flores, recebendo tambem discipulas
internas : as pessoas que de seu prestiino se
quizerem nlilisar, dirijam-se ra Direlta,
sobrado n. 43, segundo andar.
Quem annunciou no Diario n. 12 que-
rer comprar tres lencos de lavarinto, que-
rendo de cambraia de linho, annuncie para
ser procurado.
O Dr. em medicina Carlos Frederico
Muller, lendo voltada da Europa, acba-se
exercendo a sua arte na sua antiga residen-
cia, na ra da Cruz n. 15, segundo andar.
I'recisa-se de um sitio, que nSo seja
distante desta cidade do Recife, com baixa
decapim, campo para pasto de6vaccase
com casa de vi venda solTrivel: paga-se
bem : quem tiver, innuncie, ou dirija-se ao
Aterro da Boa Vista, botica do Sr. Moreira,
que achara com quem tratar.
Arrenda-se, por mu i lo com-
modo preco, um sitio com matas
para fazer carvo, tendo casa de
vivenda, estribara, casa de fari-
nha e trras para plantar rocas,
e como seja hoje o carvao um dos
bons negocios, por isso mesmo of-
ferece vantagens, e he muito per-
lo desta praca : quem o pretender,
dirija-se Boa Vista, ra da Con-
ceicao n. 39, ou em Apipucos, na
venda de Jacintho Jos de Souza.
--Precisa-sede urna ama para o servico
de urna casa de pouca familia : na travessa
do Corpo Sanio n. 27, segundo andar.
Aula particular.
Umbilina Wanderley Peixoto, faz sciente
ao respeitavel publico que desde o dia 13 do
corrente, acha-se aberta a sua aula de pri-
meiras lettrase bordados, na ra da Cadeia
de Santo-Antonio no segundo andar do so-
brado 11. 14, na esquina do Ouvidor, conti-
nua a receber pensionistas, meias pensio-
nistas e externas. Aquellas de suas disci-
pulas que se quizerem applicar a danca,
msica vocal e piano, desenho, francez e
geographia, serSo limonadas por habis
professores e de reconhecida probi lade.
Quem pretender edificar duasou tres
moradas de casas, querendo comprar um
terreno na ra do Alecrn) com fundos al
outra ra, pode dirigir-se ra ireita, so-
brado n 119.
Ao publico.
Deve sal i 1- do prelo em poucos dias a se-
guinte inleressante obra :
Manual dos Negociantes,
contendo toda a legjslacfio moderna, que
pode interessar ao corpo docommercio, a
saber :
O cdigo commercial do imperio do Braril.
O novo regulamento do lello.
O regulamento n. 737, de 25 de novembro
de 1850, estabelecendo a forma do proces-
so no juizo commercial.
O regulamento n. 738 para os tribunaes do
commercio, e para os processo das quebras.
Noval dispoiicdee legiilativas tendentes a
reforma das slfandegas e varias outras dis-
posiees.
Este manual torna-se urna necessidade
momentosa para cada pessoa do commer-
cio, porque abrange toda a legislarlo a res-
peito, n3o s pelo que toca aos negocios do
foro commercial, como da administracSo
\ da fazenda publica, a cujos tribunaes ou
' repartieres raro he o dia, em que nSo te-
nhamos necessidade de occorrer para as-
sumptos do nosso proprio interosse. Reu-
nida assim a legislacSo competente pode
ser consultada por qualquer pessoa sem ne-
cessidade de occorrer as grandes collecOos,
difliceis depossuir-se pelo seu alto preco
e tambem incommodas para consultar-se
pela multidSo de outras disposQOes incon-
nexas, que neohuma relajo lm com as
leis puramente fiscaes.
Neste caso, altendendo-se a grande des-
peza, que foi mster fazer-se para con-
seguirmos urna obra ntidamente impresas,
abrimos urna assigoatura pelo preco de
6,000 rs. cada exemplar, conten Jo as mate-
rias cima mencionadas. Fechada a assig-
oatura custarcada exemplar 8,000 rs. As-
signa-se no pateo do Collegio, casa do Li-
vro Azul.
Precisa-se alugar um preto, que saiba
coznhar e sirva para fazer o mais servico
de urna casa de pequea familia : na ra do
Trapiche n. 6. ... ...
A meeting ofthe subsenbers, to the
British Mechanics Library &lnstitulion will
beheldon Fridsy nesJ, lliea*.th nal: at
7 dock. P. M. at their rooms, ra d Auro-
ra, S. Amaro. JosephReeve,
' Secretario.
Aula.
O abaixo assignado Taz publico, que no
dia 1.* de fevereiro abrir em sua cas, ra
do Pilar n. 40, a aula para meninos, ja an-
nunciada por este Diario. Os pas que qui-
zerem mandar a ella seus Unos, se pode-
rHo entender com o mesmo nhaixo assigna-l
do, no escriptorio dos Srs. C. Siarr & C,
na ra da Aurora. -- loiida Haya.
A pessoa que se julgar habilitada a tra-|
tarde um sitio pequeo com todo o esme-
ro, pode comparecer i ra do Hospicio,
junto casa da Viuva Cunta, n. 8.
Os abaixo assignados lazem
sciente ao corpo de commercio
desta praca, que no dia 3i de de-
zembro de l85odissolveram ami-
gavelmente a sociedade que ti-
nhamnaloja da ra do Qucima-
do n. ag,que gyrava sobre a fir-
ma de Jos Moreira Lopes & C ,
ftcando a cargo do socio Lopes a
liquidaco da mesma,tanlonoacti-
vo como no passivo. Itecife, l5de
Janeiro de 1851. Bento Jos da
Silva Magalh&es. Jos Morei-
ra Lopes.
Desappareceu do estaleiro, em Santo
Amaro ( Cidade Nova ), na noile de 13 para
14 do corrente, um prancli.lo d? amarello
de 3 112 a 4 costados : quem delle liver no-
ticia, queira participar no mesmo lugar,
casa da Manel Cardoso daFouseca.a quem
pertence, que gratificar.
O abaixo assignado, tendo
de retirar-se para a Europa, pelo
presente convida a lodos os seus
devedores de vir ou mandarem pa-
gar suas contas at o fim do cor-
rente mez. Scasso.
Perdeu-se, no dia 3 do corrente, urna
loneta de ourn : quem a adiar a poder en-
tregar no pateo de S. Pedro, casa do cirur-
gSo Leal, que recompensar generosa-
menle.
Rangel D. 38, segundo andar. Na mesma ca-
sa vende-se urna pratinha muito em tonta.
~ Compra-sn urna bomba de ferro em
bom estado : no pateo do l'araizo n. 20.
--Compra-sn um lustre de seis ou oilo
luzes : nesta Ty.iographia, ou annuncio.
Compram-se escravos de am-
bos o sexos : na ra da Cideia do
Hecife n, 5l, primeiro andar.
Compra-sn urna mora la do casa no
hairro da Boa Vista at a Suledade, no va-
lor de 700 a 800,000 : 1 -1 -mi livor, dirija'-se
ra Veiha n. 57.
Compra-se meia duzia docadeiras do
palhinha, que estejam em bon estado, sen-
do de j 11' 'nni 1 ., amarello, ou mesmo do
oleo : quem liver, annuncie.
Vendas.
9 l'nulo Galgnoux, dentista
IS francez, olTerecc seu prest-
* ino ao publico para todos os #
s niisteres de sua proflss.ao : *
pode ser procurado a qual- $
quer hora em sua casa, na #
# ra larga do Kozario, 11. 36, *
m srgundo andar. *
--Precisa-se de um caixeiro para urna
loja na cidade do Rio-Formoso, de 12 a 20
anuos : a quero convier, dirija-se ra do
Crespo n. 23.
Precisa-se de urna ama de leile de boa
conducta, paga-se bem : na ra da Cadeia
do Recife n. 42, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama de leite, que
tenha bastante sade, para crear urna me-
nina de tres mezes : paga-se bem na : ra
do Collegio, botica n. 6.
- Precisa-se de urna mullier que esteja
acostumada a andar com negocio do fazen-
das, assim como de urna preta moca para
carregaro taboleiro das mesmas : adverte-
se que as pessoas cima referidas devem dar
lianea as suas conduelas : a lniliir-ua ra do
Trapiche Novo, armazem n. 44.
-- Precisa-se alugar um molecote, que se-
ja forte, fiel e de boos costumes, para ven-
der na ra frutas ou verduras: paga-se bem:
quem o tiver equizer alugar, dirija-se ao
principio da estrada dos Alictos, primeira
casa terrea pintada de azul, do lado dimito,
ou no Recife, ra do Trapiche Novo n. 18,
segundo andar, das 9 horas Ja maohSa s
3 da tarde para tratar do ajuste.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra Direita 11. 20, com commolo para
grande familia : na ra ireita n. 93, pri-
meiro andar.
00(&0<&06t&0)>&00t>9
O Consultorio howoeopathico, O
& ra do Collegio, n. 25, O
O Do Dr. P. de'A. Ixtbo Hotcoio. O
) fllir. Moscoso d coosultas lodosos :,>
C dias. Os doentes pobres s3o tratados -
~[ degraca. SserSo visitados em suas g
*? casas squelles que nSo poderem vir O
O ao consultorio, ou que suas moles- O
& tias nao possam dispensar a presen- O
O Qa do medico. O
000000000ooooooooo
Casa de commissSo de escravos.
Recebem-se escravos de ambos os sexos
para se venderem de commiss3o, tanto pa-
ra dentro como para fra da provincia, com
a maior presteza possivel, por isso que se
ofierece muita seguranza aos mesmos, tan-
to na fuga como na boa venda : a vista do
escravo se far o ajuste : na ra das Laran-
geiras n. 14, segundo andar.
-- Acha-se justa e contratada a venda do
sitio denominado Mangueira, na estrada de
Relm, pertencente a Frederico Chaves ; se
houver alguem com diroito a mesma pro-
prie.la Je. queira anniinciar uestes oito dias.
Recife, 13 de Janeiro de 1851.
a ra estreila do Rozario 11. 28, se-
gundo andar, se dir quem d. dinheiro a
premio. Na mesma casa vendem-se transe-
lins de ouro, cordOes, anelOes, colares,
brincos, botOes para puohos e bertura, ro-
zetss, 1 vernica, 2 relogios patentes iugle-
zese urna corrente
-- Pede-se a quem souber, o favor de de-
clarar por esta lollia, em que lugar he a re-
sidencia do Sr. Joaquim de Figueiredo Li-
ma, ou quem seja nesta cidade seu procura-
dor, para tratar-se de uro negocio que diz
respeito ao Sr. Lima.
-Furtaram da casa do abaixo assignado,
urna colher de sopa bastante grande e pesa-
da, de prata lavrada e superiormente polida,
com as iniciaes L. C. Ferreira : quem con-
correr para que ella seja apprelieudida rece-
bar o valor da mesma colher e mais 3,200
rs. de gratiOcacjo. -- Luis Gomei Ferreira.
Vendem-se chapeos di Chi-
le, pequeos, pelo barato preco de
5 e 6,000 rs. e riitos da Italia,
chega lo ha poucos dias ; na ra
Nova n. 44 fabrica de chapeos.
Vendem-se candieiros para meio desa-
la, muito ricos, com os competentes rIo-
bos, canudos e torcidas, dando luz a mais
brilhante possivel na ra do Trapicho nu-
mero 8.
Um bom olicial de pedreiro.
Vende-so um escravo, preto, oflicial de
pedeiro, mOfiQ e de bonita figura ; urna par-
da boa cozuiheira e engommadeira, com
umalilha de 4 mezes ; e um preto, moco,
robusto, "lili traballior de enxada, proprio
para engenho ou armazem de assucar, por
ler muila Torga 1 na roa larga do Rozario,
n. 48, primeiro andar.
VenJe-se fio porrete, vinJo do Porto ;
caixas de pinho vasias ; rodas de arcos de
pao para barricas de assucar ; pregos ripaes
do Porto : na ra da Cruz n. 49, escriptorio.
Vendem-se sapatos do Arac^ty feitos
a capricho : na ra larga do Hozarlo n. 35.
Vende-se cera para limas de
cheiro a 1,000 rs. a libra : na ra
do Kangel, sobrado de um andar
5i.
Compras.
Compram-se dous ou tres lencoes de
bretenha ou esguiSo de linho com lavarin-
to em roda, e que nao eslejam inda servi-
dos : quem os liver, annuncie.
Compra-se urna uegrinha crioula, de
12 a 14 annos, que tenha principios de cos-
tura e que seja de bonita figura: paga-se
bem : na ra do Trapiche, armazem n. 40.
Compram-se escravos de ambos os se-
xos mocos e de bonitas figuras : na ra lar-
gar do Rozario o. 48, primeiro andar,
Compram-se escravos de ambos os se-
xos com habilidades e sem ellas: na ra do
numero
Na ra das Cruzes n. 22, segundo an-
dar, vende-se urna escrava parda de 26 an-
nos, com habilidades; urna linda crioula
de 22 annos, com habilidades; 4 ditas de
na^ao do 20 a 21 anuos, que enzinham, la-
vam ile St>3o c Sflo quilandeiras ; urna lin-
da negrinha de 12 annos, ptima para ser
educada ; e 1 escravo 22 anuos, ptimo canoeiro e que n2o tem
molestia alguma.
Vendem-se queijos londrinos e presun-
tos inglezrs, latas com bolachinhs ingle-
zas e conservas de diferentes qualidades:
tudo chegado ltimamente : na ra da Ca-
deia do Recife numero 2, venda do Fonto &
Irmflo.
A sorle grande.
Vcndem-se netos bilhetes da
lotera de N. S. do Livramenlo,
cujas rolas andan no dia 31 do
corrente, a 5,5oo rs. : no pateo do
Collegio, casado Livro Azul.
Aos Srs. babuleiros.
Vendem-se alguns meios de sola, propria
para forrar malas, a precos mui rasoaveis :
no Aterro da Roa Vista, loja n. 5S.
Vende-se rap l'aulo Cor-
deiro, viudo no ultimo vapor ; na
ra da Cudeia n. 5g, loja de fer-
ragens de Jos Dias da Silva.
Vende-se urna casa de laipa, com mui-
tos com modos e em um dos melliores luga-
res para ler qualquer negocio, ua matriz da
Varsea : os preleudeutes dirijam-se ra do
(ueimailo n. 53.
Vendem-so batatas inglezas, ultima-
mente chegadas e de superior qualidade,
bolachiuha de araruta, feijao prets>, mula-
tinlio e fradinlio : na ra da Madre de Dcos
n. 31, ao lado da alfandcga.
Vendem-se arado.) america-
nos dos modelos mais approvados.-
na ra do Trapiche n. 8.
Casa de eonslgnaco de escravos,
na ra do Hozarlo larga 11. 28,
segundo andar.
Vende-se uuia bonita crioula recolhida,
de 18 annos, que sabe engommar e coser
com perfeicto ; 3 ditas com habilidades
de bonitas figuras; 6 pretos bons tralialba-
dores de enxada ; 1 mulatinho para pagem,
muito esperto e de bonita figura; 1 preto
n)0(o, bom canoeiro, que se nSo poe em du-
vidadar-se para experimentar, pois he de
boa conducta; e urna negrinha de 12 annos,
muito linda e com principios de costura.
Aos 5:ooo,ooo ris.
Boa numeracSo.
Quem tiver vontade no premio grande da
lotera de N. S. do Livramenlo, procure no
Aterro da Boa Vista, loja de miudezas n, 48,
que encontrar bons bilhetes e meios de
numerado escolhida.
A 400rcis.
Vendem-se as mais superiores chitas lar-
gas, Trance zas, de todas as cores, gostos in-
leiramente novos, imitando seda, a 400 rs.
o covado : na ra do Crespo n. 14, loja de
Jos Francisco Dias.
Vendem-se lalinhas com urna
libra de excellente cha a a 000 rs.
cada urna : no pateo do Collegio,
casa do Livro Aznl.
nencias, medicamentos que nos resiiunm o
iisi dos dous mais importantes sentidos deque
lie dotado o hoinein, quando este Ja se acha-
am no supposto estado de iucurabilidade e
inte ira mente perdidos, he por certo uin dos
maiores servaos que se poda prestar liuma-
nidade; es o que eslava reservado a um ho-
mein pliil.-.ntiopo di cidade de Hraga, em Por-
tugal, cuj scienea, cuja amor de acui seme-
Inantes se teem fallo geralmentc cunhcccr. Os
remedios que ora oBVrfcemoi ao publico, nao
entran nacl.isse daquellei que o vido e outa-
do cbarlataalaino inculca com mucos e des-
compastado! brados, e que o crdulo vulgo
por Ignorancia recebe na boa ( r sem dicer-
ninieulo, aclnndo-se depnis llludtdo; tem, po-
rc'ni, de oceupar mu dlstlncto lnt;.ir cutre os
inedicanieiitiis queinalores beneAciot nreatam
ao hoiiicn : ......um elles dadlssollICM aquo-
si (le extractos de planta! iiiciliciuac, (le vir-
tudes iiiu reconheoldaa verificadas. O longo
uso, as continuadas e severas experiencias.
que por toda a parte teem elles sido subinctli-
dns, sem (|ue una i vez bajaui falhado em
seus bonselt'eilos, e desmentido as esperanca
(|uc sobre elles bavia fundado o seu inventor,
lhe teem graugeado constantes e repelidos elo-
gio! do! mus sabios e respelaveis medico*,
assim da Europa, como da America que uniso-
no! aboiiam e proelamam !ua ac9o seuipre
certa c benigna. Um (lestes licores he desti-
nado a combater as molestias de olhos, e lem
por principal vrlude restituir aos orgaos da vi-
sao suas funeces : reanimar e faxer reappare-
cer em sua natural perfeicao a vista, quand*
esta estiver fraca ou quasi extlncla ; cointaiuo,
I><> 1 <- 11. que nao baja cegueira absoluta com
desorganisacao das partes; nao menos til e
enrgico he para desfaier as cataratas, destruir
as nevoasede prompto debellar qualquer in-
llaininacao ou vermelhidao dos olhos. Nao
causan! dor iicni estimulo na parte.
Outro liquido restltue a faculdade de ouvir
os son! ao ouvido tocado de surdez, ainda que
inveterada urna veiquc o mal nao teja de nas-
centa, sem causar em lempo alguiu o menor
iiiciiinmodo ao doentc, e sem priva-lo de cui-
dar em seus negocio!.
INSTBUCCUES l'ABA O USO DOS REMBDIOS.
U dos olhos emprtga-se do modo seuuintc
O (lenle pela maiihaa, em jejuiu, urna hora
pouco mais ou menos depois que erguer-se do
leito. tomar sobre a palma da inao pequea
pnrco daquella agoa ; e com ella iiiolhar
bem os ollios, faiendo que alguma! gotUS
.11.1111 sub e o globo occular : sem os liuip.tr.
os conservar molhados at que naturalmente
eniugucm : ao deitar-!C noile praticar o
mesmo : durante o tempn que usar do reme-
dio evitar o calor, aeco de fuinaca e o vento;
far abstinencia de comidas salgadas, aiedas e
adubadas com especiarlas.
O remedio dos ouvidos sir applicado do modo que
sigue.
O doentc pela manlia, una hora pouco
mais ou menos depois de erguer-ic, anda eiu
jejutu, far derramar dentro dos ouvidos qua-
trn un cinco golta! do liquida, tapaudo-os de-
po! com algodo em rama ; noile ao deitar-
se repetir a mesma operaco. Durante o uso
do remedio evitar expr, os ouvidos princi-
palmente, acfilo do calor e do vento, alim de
evitar grande transpirarlo, havendo cuidado
em nao molhar os ps em agoa fra; finalmen-
te deve obiter-se de comidas lalgadas, aedas e
adobadas.
Ksles remedios estao venda na botica de
I! u 1 lint iiui-ii Francisco de Soma, na ra larga
do Rotarlo, D.9B| nico deposito em Pernain-
buco, pelo preto de i.O rs. cada vdro.
Vende-se um lerreno na ra do Ale-
crimcoin fundos al a outra ra, em cujo
terreno se pote edificar duas ou tras casts
na ra Direita sobrado de um andar n. 119.
^a*X"fl|av
Ao publico.
Em mui crescido numero contavam os mdi-
cos at agora molestias incuraveis, contra ai
quaes tO era permitlido ao paciente retigna-
9.10 para sollrer um mal de queja nao havia
esperancas de poder liberta-lo, e ao medico
philantropico a dor de ver uiutos de seus se-
inelhantei victimas de enfermidades, contra ai
quaes se declarava Impotente, podendo apenas
lamentar a fraqueza da intelligcncia humana.
M.is, graca! aos progreO! da medicina, gra-
caa ao /.rio de homeu! incanaaveis, que, nao
desesperando da perfectibilidade da sciencia,
se tem dedicado investigaco de remedioi
que poiiam alliviar a bumanidade de alguns
niales que a afligen!, o numero das molestias
reputadas iucuraveit vai de dia em dia dimi-
uuindo. Assim, achar depois de loncos traba-
para curar da phtysica em todos os seu
differentes graos ou motivada por consti-
parles, tosse, aslhma, pleuriz, escarros de
saugue, drde costase pcitos, palpitarlo
no corac3o, enquelucho, bronchites dor
na garganta e todas as molestias dos orgflos
pulmonares.
De todas as molestias que porheranqa fi-
caman corpo humano, nenhuma ha que
mais deslruitiva tenha sido, ou que tenha
zombado dos esforcos dos homens mais
eminentes em medicina do que aquella
quo he geralmcnte conhecida por moles-
lia no bofe. Em varias pocas do se-
culo passado, tendo-se offerecido ao publi-
co diflerentes remedios com attestados das
extraordinarias curas que elle tem feito ;
porm quasi que em todos os casos a ilusa.
lem sido apenas passageira e o doeulo
torna a recaliir em peor estado do que se
achava antes de applicar o remedio t3o re-
commendado outro tanto nSo acontece
com es le extraordinario
Xarope de bosque.
Novaes & Companhia, os nicos agentes
nesta cidade e provincia, nomeados pelos
Snrs. It. C. Yates & Companhia, agentes
geraes no Itio-de-Janeiro mudaram o de-
posito deste xarope para a botica do Snr.
Jos Mara G. Ramos, na ra dos Quarleis, n.
1 -i. junto ao quartel de polica, onde sempre
achanlo o nico o verdadeiro, a 5,500 rs.
cada garrafa.
Vendem-se confidencias de I.amarlina
em 3 volumes eestojos para mathematica :
na ra Nova, loja de ferragens n. 16.
Na loja de seis portas, em frente
do Livramento,
continua-se a trocar fazendas por sedulas,
a presos rasoaveis, como seja : cassa pinta-
da de differentes cores, a 900 e 940 o cova-
do ; chitas, a 10,140, 160, 180 e 900, de
bous pannos e gostos; es^uiOes de algo-
1 "id, a 9,240 a pega de ii jardas, proprios
para carnizas de senhora e homem, por ser
mais largo que madapolSo ; cassa lisa, a
409 a vara ; cambraia lisa, a 400 e 480 a va-
ra ; riscado mooslro, a 200 e 960 o covado,
muito largo ; ortes de chita preta com 11
covados, a 1,280 ; cassa preta, a 120 o cova-
do ; lencos brancos para mSo de senhora, a
240 ; sarja preta larga hespaubola, a 1,920o
covado ;e todas as mais fazendas por pre-
SOS quo satisfazem aos compradores.
Vende-se urna preta de bonita figura,
de 24 annos, com algunas habilidades: na
Utos, de profunda mcdita[o e reiteradas expe-| ra do Vigario u. 19, segando andar.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO



I
4
Vcndem-se caixas com cera
em vellas, fabricadas no Rio de
Janeiro, sortidasaodesejo do com-
prador ; retroz da fabrica do Si-
queira, no Porlo, de todas as co-
res : trata-sc com Machado & Pi-
nbeiro, na ra do Yigario n. 19,
segundo andar.
Fnrinha le mniiiliora.
Vende-so superior farinha de Santa Ca-
tharina, por preco commodo,a bordo do pa-
taxo nacional Nereida, fondeado defronie
do caos do collepjo, 00 tratar com Novaes
Si C, ra do Trapxo n. 3*.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
diTerentes modelos : na ra do
Brum ns. G, 8 e 10, fabrica de
machinas efundicSode ferro.
- Vende-se farinha galega em barricas e
neins ditas, velas de espermaceta america-
no ech hyson de superior qualidade, em
lotes a vontado do comprador: no escrip-
loriodeMatheua Auslin & Companbia, ra
do Trapichen. 36.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42.
IScste estabeleeimento conti-
na a baver um completo sorti-
mento de moendaso meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tatnanhos, pa-
ra dito.
Venlc-se superior farinha
gallega, em meias barricas : no esenptorio
do Oeane Youlet C, ou ero seu armazem
dobecco doGongalves.
A 4o rs. a caixinha.
Vende-se a melhor qualidade possivel de
palitos para tirar fogo, pelo barato pr.'co de
40 rs. a caixinha de pao, e a 20 rs. a de pa-
pel : na ra do Queimado n. 16, loja de Jos
Dias Simi's.
Chumbo de municao.
Vende-se no armazem de J.J. Tasso J-
nior, ra do Anuir mi n. 35.
Os melbores gostos, padres
novos.
Vendern se chitas escuras, muito finas,
cor de brome, padrOes miudos e ramagem
inteiramente nova, pelo diminuto preco de
2i0 rs. o covado : na ra do Crespo d. 14,
loja de Jos Francisco Dias.
Aneto c < iii nonti, Vendem-se vellas de pura carnauba, as
melhoresatc hojfl fabricadas; urna destas
vellas accesa e dentro de urna manga devi-
drodura 11 a 12 horas sem ser espevitada,
vende-se de urna libra at a porcHo que s<
exigir : na ra da Cadeia Vellta do Itecife,
loja do rinrgard.
--Vendem-se bois mansos e novos, as-
sim como gado de criar, sendo deste nume-
ro novilhas e vaccas de leite a tratar com
o proprietario do engenho Utinga-de-Cima
ua freguezia do Cabo.
-- Na roa da Cruz do Itecife n. 33, arma-
zem de l.uiz Jos de Sa Araujo, vende-se
supeiior farinha.de mandioca a 2,000 rs. a
sacc, para acabar ; tijollode limpar me-
taos de urna ora, fabrica da Europa ; sola
superior ; couros de cabra ; sapatos ; pen-
nasdeema; e superior cera de carnauba
cm saccas.
iicii- lioma-opntliicns, na rnn
lo Crespo, Iiij,< n. 4.
Vendem-se boticas de 2, 36 e 60 tu-
bos, grandes e pequeas, com osseus com-
petentes livros, viudas ltimamente do Kio
de Janeiro, do grande estabeleeimento cen-
tral dt ra de S. Jos n. 59.
Enxofie.
Ia porta da alfandega, arma-
zem n. ao, vende-se enxofre em
caixas, muito barato.
Veodem-se amarras de ferro : na ra
da Senzalla nova n. 42.
A 1,600 rs.
Vendem-se novos cortes de brim tranca-
do escuro com duas varas e meia cada corte
a 1,61)0; cassa franceza do bom gosto.a2,600
rs.; pecas de esguiSo de algodao com 12
varas, a 2,400 rs. a peca ; cobertores de al-
godio de cOres, a 720 rs. : na ra do Cres-
po n. 6, loja ao p do lampe.lo.
Deposito le cal virgem.
Na ra do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cal oova em pedra, chegada ullma-
nienle de Lisboa no brigue 'Iarvjo-Terctiro.
Cal>eralas ingle zas.
Yendem-se renegadas inglezas roligas e
chatas, loros e silbas de 15a: na rna do Tra-
jiijlie n. 10.
Aos Srs. de engenho.
Vendem-se chapeos de palha por commo-
do prer;o : na ra da Cadeia do Itecife n. 23.
JMiiilis.sirnn barato para acabar.
Vcndem-se vellas de carnauba do Araca-
1 y, sapatos, courinbos, espanadores, eslei-
rs e chapeos de palha ; turto muito barate
por se querer liquidar e vindo do Araraty
no ultimo navio: na ra da Cadeia do Ite-
cife n. 23.
Km Fra de Tortas, largo do I'ilarn.
13, ha para vender-se |paos de jangada de
45 a 50 palmos decomprido ede5, 5 1|2a
6 de grosnura, proprios para Fernando.
~ Vende so urna linda esorava crioula,
recolhida, de 19 anuos e com habilidades,
para mucama : na ra de Santa Itita n. 14.
Vendem-se chitas limpas i 2o rs.
Pecas de chitas limpas, rxas, para luto
aliviado, a 4,500, e 120 rs. o covado ; cortes
de cambraias com 6 varas e meia, de boni-
tos padres e de cores ixas, a 2,600 ; e 100
saceos novos de estopa, cada um cjhi 2 va-
ras, por atacado a 320 rs. .- na ra larga del
Jlozario d. 4*, primeiro andar.
SSSF.
Farinha nova da marca SSSF, chegada
ltimamente: na ra do Amorim n. 35, ar-
mazem de J. J. Tasso Jnior.
Potassa la Russia.
Vende-se potassa da Russia, recentemen-
te chegada, e de muito superior qualidade :
na ra do Trapiche n. 17.
Lotera le N. S. lo Llvramciito.
Aos ."i:......su"",
Na ra da Cadeia n. 46, luja do miudezas,
vendeu-se o meio bilhele n. 1454 da lotera
de N. S. do l.ivramenlo em que sabio a sor-
te grande do 5:000,000 rs., e oslSo expos-
tos venda os afortunados bilhetas e cau-
telas da mesma lotera, que corre imprcto-
rivelmente no da 31 de Janeiro crente.
Itilhetes 11,000
Meios 5,500
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Taixas para engenho.
Na fundico de ferro da rifa do Brum,
acaba-se de receberum completo sortlmcn-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
gotas acham-se a venda por preco com-
modo, e com promptidao embarcam-se, ou
earregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Moenrins superiores.
Na fundico de C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-se i venda moendas,
de ranna, todas de ferro, de um modelo e
construcgSo muito superior.
Gratule sortlmciito le charutos
la fabrica le S. Flix, no ar-
mazem le Crocco & companhia,
ruada Cruz n. 21.
SSo chegados a este armazem os verda-
deros charutos regalos, regala, cacadores,
deputados, venus, senadoras e soberanos
de Hilvana, em caixas de cem e 250, por pre-
Cos rasoaveis.
Liquida) :io le fazendas.
eos ] proprios para correlame de tropa de
linha : na praca do Commercio n. 2, pri-
meiro andar.
A 4o rs.
Vendem-se agulheiros de pao
com cem palitos de fogo a l\o rs. :
no Aterro da Boa Vista, loja nu-
mero q8.
Deposito da fabrica le Tolos os
Santos mi Babia.
Vende-se, em casa de N. O. Itieber&C. ,
na ra da Cruz n. 4, algodo transado da-
quella fabrica, muito proprio para saceos do
assucar e roupa de cscravos, por preco com.
molo.
Vendem-se caixas com cera
em velas do Kio de Janeiro .* na
ra da Alfandega Velha n. 5, es-
criptorio,
Vende-se farinha de trigo
franceza de Marseile, a melhor do
mercado, chegada ltimamente as
casas de Lasse e do Saporiti: a
fallar como barateiro Silva Lo-
pes, na porta da alfandega.
ntigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. I7, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue 7arujo 111.
Vndese muito boa farinha
de mandioca, recentemente chega-
da de Santa Catharina,em porc5o
Na ra Nova esquina quo volta pira a rlnli>o ni r nreco commo-
camboa do Carmo, loja n. 23 de Antonio Go-1 ou a rela" > Pcr Pr.eV commo
do.- a bordo do brigue Aoares,
mes Villar, estilo se vendendo fazendas quo
nesta loja j existiam por menos a terca
parte de uns primitivos precoz, e entre as
militas qualidades teem as seguintes por
estes precos.
Jarros linos de banha 1,000
Fitas de sarjas, de setim e tafet
largas, vara 320
dem, de 4 dedos, vara 240
dem, de 3 e 4 dedos a 120 e 160
dem, de velludo estreila de
cores
l.uvas de pellica para senhora e
para homem
l.eques de papel, cabo de osso
fino,
dem, deescomilha prela
dem, de papel linos, cabo de
marfim, de 4,000 a 20,000
Chapeos de palha finos,lizos, a-
bertosebordados.de 3,000 a 4,000
Grvalas de chitas 160
dem, de seda, pretas e de cores 320
dem, de couro de lustro para
militar 240
Setins de cores lizos, rovado 640
dem, branco milito boa fazenda 800
Sarjas de cores para vestido, co-
vado 1,200
Corles devestidodesedabrancos
para noivas. 30,000
Mantas de setm de cores mati-
sadas 8,000
dem, de sarja, dita, dita 10,000
Chales de seda furia cores 4,000
l.uvas curtas de lioho para se-
nhora, o par 1(
dem, de seda abertas para se-
nhora 320
Meias de seda abertas branca pa-
ra senhora 1,000
Mein, pretas para senhora 1,000
dem, para homem 1,000
dem, lizas para homem 1,000
dem, branca para dito 1,000
Carteiras linas de feixo 320
apalos de setim pretos, o par 1,000
liolins gaspiados, pretos e de
cores para senhora 1,000
Sapatos de setim branco para 1,000
menina, 1,000
Chinell
a
fundeado na volta do Forte do
Mallos, ou na ra da Alfandega
Velha n. 5. escriptorio.
- Vendem-se dous fiteiros envidiados,
j usados, para loja de miudezas; urna ca-
briada bonita e com habilidades; e urna
dita para todo o servico de casa, menos en-
gomla r : ludo para liquidar contas deba-
t lanco : na ra larga do Rozario, loja n. 35.
I Vendem-se relogios de OU-
500 roeprala, patente inglez : na ra
640 da Senzalla Nova n. \,x.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de Santa Catharina, a
melhor que existe no mercado, em saccas
ou sem ellas, por preco mais cmodo do que
em outra qualquer parle : na ra da Cruz
do Itecife o. 40, primeiro andar.
-- Na ra da Cadeia velha, primeiro an-
dar da rasa n. 24, de Manuel Antonio da Sil-
va Antunes, vende-se um rico sortimenlo
de fchapos de palha da Italia, a herios para
senhora, camisetas de cambraia, rolen-
uhos, rpmeirss, manguitos, punhoa, ludo
excelentemente bordado, bicos finissimos,'
ricas lilas, capotinhos e manteletes de fil
e de seda prelos, e outros objeetos de gos-
to ; bem como um completo sortimenlo de
fazendas: tudo so vende por precos muito
rasoaveis.
las de marroqum deco-
res para homem, 1,000
Chapeos de sol de seda para se-
nhora 2,000
lencos de cambraia de lioho, li-
zos, de 1,000 a 3.000
dem, bordados com bicos 4,000 a 20,000
dem, de seda prela e de cores
para gravata 3,000
Chicotes de junco ou cana para
carro, de 2,00o a 4,000
dem, de balpa para carro 3,000 a 6,000
llengallas finas de junco e
cana de 320 a 2,000
Chicotes finos para monta-
ra, do 1,000 a 2,000
l'ni grande sorlimento de flores finas sen-
do canos, ramos, rosas para vestido, pe-
nas de multas aualidades, bicos de blondes
de todas as larguras, bicos de dentelle pre-
tos, estreitos c largos de muito boa quali-
dade para capotinho e manlellete,ludo mui-
to ero conta.
Deposito de cal e potassa.
Gunha & Amorim, na ra da
Cadeia do Kecife n. 5o, recebe-
ram pelos ltimos navios de Lis-
boa JSovo Vencedor, Carlota e
Amelia barris com cal virgem, e
vendern, tanto a cal como a po-
tassa, por menos preco do que em
outra qualquer parte.
He barotisslmo.
Corles de cazemira a 3,200 res, cambraias
de seda a 900 res o covado, meias de seda
preta e de cores para homem a 600 ris o
par : na ra do Crespo loja n. 2, ao pe do
arco.
Vendem-se bichas pretas de
superiorqualidade, por metade do
preco ppr que os harbeiros alugam:
na ra di Cadeia do Becife n. i.
Para fechar contas.
Vende-se cera de carnauba, courinhosde
cabra, sola e una Palanca com bracos, con-
chas, crrenles de ferro e pesos, propria pa-
ra armazem de carne, venda ou bordo de
embarcugSn: Indo por preco commodo ; na
ra dos Tanoeiros, armazem n. 5.
Vendem-se couros garroteados ( bran-
iACIDADEDEPARIS.
liua do Collcgio n. [\.
Neste estabeleeimento se encontrar sem-
pre o mesmo sorlimento de chapeos de sol
j annunciados, assim como sedas e pannos
em peca para as armacOea servidas, baleias
para vestidos e espartilhos de senhors.
Concerta-se toda a qualidade de chapeos de
sol, tudo por menos preco do que em outra
qualquer parle.
Mlama Kosa Harly, modista
brasilclra, ra Nova n. 34.
Annuncia ao publico e particularmente
aos sus freguezes que tem para vender um
completo sorlimento de grosdenapln de
furia cor e preto muito superior, assim co-
mo sarja e chamalote preto de primeira
qualidade; finos cortes de grosdenaple de
furta cor adamascado tanto para mantele-
tes como para capotinhos; ricas franjas
rrquife de seda de furta cor, proprio para
inleites dos mesmos, a qual se vender
comprando alguina porcBo da fazenda ci-
ma (illa ; um rico sorlimento de mantele-
tes, capotinhos e palitos de grosdenaple de
fui la cor e de chamalote preto, tudo de
muita consistencia e feiios em Franca ; ca-
potinhos de lil de linho preto ; ditos para
meninas de 4 a 8 anuos ; um variavel sorli-
mento de bonitos chapeos de seda de todas
as cores; ditos de fina palha de Italia para
inhora e menina, elegantes chapos inhos
de seda com lindos infeites proprios pura
baplisados; ditos de ptima pallnnha para
menina e menino ; os melhores e mais com-
modos espartilhos que tem chegado a esta
praca; novase riquissimas capellas muito
proprins para casamenlos e bailes; ricos
cachos de dores para infeilar chapeos de se-
nhora ; luvas de pellica com infeites de su-
perior qualidade para senhora ; ditas de di-
ta corlas para homem e senhora ; um gran-
de soi tmenlo do bonitas litas e e diileren-
tcscus; chapeos deso para senhora;
perfumaras linas ; armacOes pretas e bran-
cas para chapeos de senhora ; gorgurSu de
cores proprio para chapos de dita ; sapa-
tos de setim branco ; camisinhas e romeiras
para senhora : e ouiras multas fazendas de
gosto moderno.
Cimento.
Vendem-se barricas com superior cimen-
to, chegado no utlimo navio do llamburgo:
na ra do Amorim n. 35, armazem de J. J.
Tasso Jnior.
Arados de ferro.
Na fundico da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Deposito de potassa e cal.
Vende-se muito nova e superior.'potessa,
assim como cal virgem e pedra, recente-
mente chegada de Lisboa, por prego rasoa-
vel: na ra da Cadeia do Recite n. 12, ar-
mazem.
Roga-se aos fresuezes que tenliam
toda atteiica> para o novo sor-
timeuto que existe na loja la
ra do Crespo n. 6, ao p do
lampead.
Vendem-se cassas pintadas de cores (xas
a 260 e 280 rs. o covado ; cortes de brim
branco de linho puro, a 1,920 rs ; lutos de
fustSo muito finos, a 560 e 6.40 rs.; cassa
prela propria para luto aliviado, a 120 rs. 0
covado ; zuarte de cOr, a 200 rs.; riscad0
de linho para casacas, a 240 rs. o covado, e
nutras muitas fazendas por prego commod0i
\+ No deposito da ra da Moda n. 15, 41
a> ha para vender superior cal em pe- 9- dra, recentemente chegada de Lis- *
> boa, em o brigue Conceieo de Ma- *
& ria, por preQO rasoavel : tambora ah <|
* se vendern pesos de duas e de urna ]*
arroba, por prego commodo; ha 2
T tambem effectivamente no mesmo _,
y deposito barris de mel para embar- ^
)> que. *
Lotera de N. S. do Livramento.
Na praca da Independencia n. 4, loja de
miudezas, vendem-se os afortunados bilhe-
tes, meios e cautelas da mesma lotera, que
corre imprelerivelmente no dia 31 do cor-
rente mez.
Bilhetes 11,000
Meios 5,500
QuartOS 2,600
Quintos 2,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Cal virgem de Lisboa,
da melhor que ha no mercado, e
chegada ha dias pelo brigue Ern-
preza: trata-se com A. C. de
Abreu, na ra da Cadeia do Ke-
cife n. 37.
Bom e barato.
Na ra do Passeio-Publlco, loja n. A, de
Albino Jos Leite, vendem-se chitas roxas,
a 4,500 a peca o em cortes a 120; riscados
monstros, a 200 rs. o covado; cassas de
quadros para babados, a 240 rs. a vara ; co-
bertores dealgodfio para escravos, a 720
rs. chales de chila.a 500,800 e 1.200 rs.;
chapos de sol com armagSo de ac e as-
teas de baleia, a 2,000 rs.; o outras muitas
fazendas, que nSo he possivel anounciar-
se para nSo oceupsr tempo.
Cheguem a pechincha que se es-
tao acabando.
Vendem-se relogios americanos, proprios
para cima de mesa, mu bons reguladores e
por prego muito commodo para chegarein
aos pobres : na ra do Trapiche 11. 8, e na
ra de Agoas-Verdes n. 62.
A 80 rs. o covado.
Na loja de seis portas, pracinba do Livra-
mento, vende-se ganga azul para calcas,
jaquelas e vestidos do pretos a 80 rs. o cova-
do, assim como contina a vender-se toda a
qualidade de fazendas por menos prego que
he possivel.
--Vende-se milho em saccas grandes de
Iqueire, muito novo: no armazem do Dias
erreira, na escadinha da alfandega, e na
na da Praia n. 52, armazem de carne, por
reg commodo.
-- Vendem-se coleges do Medico do Povo,
le 1 a 21, na ra do Crespo, loja n. 4.
Fazendas baratas.
Na loja de alfaiate de Jacinlho Soares de
Menezes, na ra Nova n. 35, alcm de um
completo sorlimento de obras feitas, tem
para vender o seguinte : lengos do seda de
mui lindos padrOes, por 1,600 cada um;
cortes de casimira, a 4,500 ; ditos, a 5,500 ;
dilos, mui superiores, a 6,500 ; espatilhos
para senhora, modernos, a 2 e 3,000 ; cor-
tes de collete de 13a, a 1,500 ; dilos de gor-
gurSo, a 2,500 ; dilos de fust.lo, a 1,000 rs.;
e outras muitas fazendas : tudo muito bara-
to, a p parecen do os freguezes.
Aos 5:ooo,ooo rs.
Vendem-se meios bilhetes da
lotera a favor das obras da igreja
ile ;N. S. do Livramento, que cor-
re no dia 31 do corren te mez : no
Aterro da Boa Vista, loja de cal-
cado n. 58.
Quem quer 5:ooo$ooo i
Quem quizera sorte grande da lotera do
Livramento, que infalivelmente corre n<
dia 3() do rorrete mez, apresse-se a com-
prar algum dos poucos bilhetes que anda
restam, as lujas da esquina da ra do Ca-
bug ns. 11 e 9, juntas botica de J0S0 .Mo-
ren.1.
Vende-se cera de carnauba : na rna da
Madre de Dos, loja n. 34.
Novo <-< ni par cozinlia.
Vendem-se chaleiras, cassarollas, fregi-
deiras e pancllas de ferro forradas de por-
cellana, bacas de rame para hanho, facas
e garfos com cabos de marfim, e tambem de
osso muito finas, colheres de metal do prin-
cipe para terrina, assucar, sopa echa, ma-
chinas para fazer caf, buls e cafeteiras de
metal: na ra Nova, loja de ferragens n. 16,
de Jos l.uiz Pereira.
Tecido de algodo trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 5a,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa do
escravos.
Fio para sapateiro e para saceos.
Veude-se um restante de ptimo (lo pa-
ra sapateiro em novellos, e dito em rocia-
das para saceos, por prego commodo para
liquidago de facturas : em casa de Adam-
son llowia & Companhia, ra do Tropiche*
numero 42. *
Farinha a 2,000 ris
a saces : vende-se no armazem do Campel-
lo I'ilio, ra da Cadeia do Itecife n. 64.
Vende-se o engenho Agoa-Azul, cima
de C'uang legoa e meia, e distante da pra-
Ca 20 legoas, novo e construido em ponto
d'agoa lacilimo e abundante, rico de ma-
tps, mui fresco, que nao perde, e abunda
sompreem safras inda mesmo as seccas,
fecundas trras e proporgdes para grandes
safras: a fallar com seu proprietario no
mesmo lugar, ou troca-so por ontro. O pro-
prietario obriga-se a da-Io lvre e desemba-
rgado de questOes.
Na ra da Cadeia do Recife n. 34, ori-
meiro andar, ha para vender-se tinta pre-
ta em frascos, em porgo e a retalho, por
menos do que em outra qualquer parle, o
bollas expelientes para tirar nodoas de gor-
dura, d'oleo ou de resina, vindas ultima-
mente do Ro de Janeiro. Na mesma casa
compram-se caixas de velas de cera de car-
nauba em porgOes.
Vende-se farinha de Santa
Catharina a 2,000 rs. o alqueire,
e sendo em porc&es de mais de 5
alqueires a I ,8qo rs.
Vendem-se tres rotulas de amarello,
tendo 12 palmos de comprimento e 6 de lar-
gura ; na ra da Manguelra, bairro da Boa
Vista, casa n. 11.
Vende-se a casa de pasto da ra do
Codorniz n. 18, por prego commodo : quem
a pretender, dirija-se a mesma casa, que
achara com quem tratar.
--Vendem-se 10 saccas de superior car-
nauba ; 250 courinhos de cabra ; 13 pares
de sapatOes de couro de lustro, mui bem
feilos e de talho moderno ; urna toalha de
bretanha de linho com lavariolo, muito bom
acabada e fina : tudo se vende por commo-
do prego: na ra da Cadeia Velha n. 24,
primeiro andar, do mantilla alis 9 horas,
e a qualquer hora da tarde.
Vende-se urna preta moga, gorda e ss-
dia, que engomms bem, cose, cozinba e la-
va, o que ludo se alianga : na ra larga do
Rozario n. 46, primeiro andar.
Deposito de e-pelhos das ma-
nafacturasde Franca: na ra do
Passeio n, 19.
Aos 5rooo,ooo rs.
Vendem-se meios bilhetes da lotera de N.
S. do Livramento, que corre imprelerivel-
mente no flm do torrente mez : na pracinha
do Livramento n. 67, loja de Jos Martina da
Cruz. _____
- ~aja*jS
Escravos futidos.
aoo,ooo ris.
Fugiram de bordo do brigue
Sem-Par, vindo do Rio de Janei-
ro, dous escravog, sendo um de
nome Sabino, de cor parda, esta-
tura regular, de ao annos pouco
mais ou menos; levou calcas e
carniza azues, e bonete encarnado;
0 outro de nome Euzebio, criou-
lo, de 24 annos pouco mais ou
menos, estatura alta ; levou cal-
cas, carniza e bonete azues. Roga-
se as autoridades policiaes e capi-
tSes de campo, que os apprehen-
dam c levem-nos ra do Trapi-
che n. 34, casa de Novaest Com-
panhia, que recompensar.
F.ugio no dia 10 do passado o cscra-
vo crioulo, de nome Jos, de 40 annos, al-
tura regular, cheio do corpo, ollios ama-
rellos, rosto bexigoso, ps chatos egrosos}
levou caiga de 13a escura : quem o pegar,
leve-o a seu senhor, no armazem de assu-
car, largo do Pelourinho, ns. 5 e 7, de Ito-
mSo Antonio da Silva Alcntara.
mmwmmmwtfmmrnmmmmmm1
0 mulalinho Agostinho
fgido.
Na noite de 11 para xa do i
passado ausentou-se o es- |
cravo Agostinho, pardo a- aj
caboclado, cabellos pretos e
lisos, ps grandes com os de-
dos grandes grossos e camba- I
dos para dentro ; he filho do :
sertSo, muito fallador e fio- m
ta: roga-se as autoridades 1
policiaes, capitSes de cam-
po, assim como a toda e
qnalquer pessoa qne o en-
1 conlrar, de prende-lo e con-
% duzi-lo a seu senhor lien-
I to Jos Taveira, na ra da
Cruz n. 30, que nao s paga-
r todas as despezas, como
offerece urna generosa re- 8
compensa a quem o trouxer.
mmmmwmvmmm-mmmmmmwmM
Fogio, no dia l.dc dezembro de 1850
o escravo l.uiz Pereira, pardo, estatura or-
dinaria, cor macilenta, cabellos pouco ca-
rapinhados e alejado de um dedo de urna
das nulos; tem o dedo mnimo de um dos
ps ligado a o outro, aspecto pouco agrada-
vel, canhto, de 30 annos ecom ofiirio de
sapateiro: di-se 100,000 rs. a quem o levar
ao engenho Carana, freguezia de Santo
Amaro de Ja boa tilo, out ra da Cruz n. 46,
primeiro andar.
-- Fugio, no dia 16 do mez prximo pas-
sado, do engenho Onga, freguezia de Una,
um casal de escravos, de nome Itaimundo e
Mirla, tendo o primeiro 3S annos pouco
maisou menos, acaboclado, cabellos caria-
dos, cara larga, com falla de denles na fren-
te, baixo, cheio do corpo, pernaa um tanto
arqueadas e grossas. Este escravo ja foi da
cidade de Sobral, o qual foi vindo pelo Sr.
Manuel Googalves da Silva a Ignacio Ferrei-
ra de Mello : Mara de 25 a 30 annos, de na-
gSo Angola, muito ladina, baixa, corpo re-
gular e ps pequeos ; tem na testa alguns
cabellos brancos. Roga-se, pos, a todas as
autoridades policiaes e Capitiles de campo,
assim como a toda e qualquer pessos que os
ditos pegarem, leve os a sen senhor, mora-
dor no dito engenho cima, ou nesta praga
a .Manuel Antonio de Santiago Lessa, mora-
dor na ra Formoss, que se recompen-
sar.
Pfl'ny. rV\TVR DF y\.V nr Fa'ia.-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EALD7IWNI_FO1K62 INGEST_TIME 2013-04-13T00:02:55Z PACKAGE AA00011611_06300
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES