Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06296


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Quarl.vfna 15
i


\
;
?
pAUTIDiS SOS OOBBEIOS.
Goiauna e Parau.lba, s segundas e sexta Tetras.
nju-Grande-do-Norte, todas as quintas felras ao
meio-dl.i.
Cabo, Serinhaem, Rlo-Formoso, Porto-Calvo e
Macelo, nol.'.a II e 21 de cada inri.
aranhuns e Honlto, a 8 e 23.
Iioa-Viata e Plores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas felras.
Ulinda, todos os dia.
Piusas Di LOA.
PHEMIHIDZ9.
Nora, a 2, as 8 e 24 ui. da ni.
Cresc. i ltl, as 2 h. e 2 m. da t.
jChela, a 17, as 2 h. t 33 ni. da t.
Uling. a 24, s 5 h. 57 ni. da n.
FBIAMAB DE HOJE.
Primeira s2 horas e M minutos da tarde.
Segunda t 3 horas e 18 minutos damanhua.
de Janeiro de 1851.
N. U.
FBE90 da subCimpcao.
I Por tres meses plantados) 4/000
Por sala metes 8*000
Por um anno 15iW0
das da semana.
13 Seg. S. Hilario. And. doJ. doso 14 Tere. S. Fells. Aud. da Chano, do J. da se-
gunda vara do c. e dos feitos da fazenda.
15 i iii.irt. S. Amaro. Aud. do J. da 2. vara.
16 onini. 8. i'.ernardo Aud. do J. dos cu l. e do
ni. da primeira vara.
17 Seit. S. Anliio. Aud.do J. da I. vara do civel,
e dos feitos da faienda.
18 Sab. A c. de S. P. ein R. Aud. da Ch. e do J. da
2. v.do c.
19 Dom.OSS. Nome de Jezus.
CAMBIO XIX 14 BE JANEinO.
Sobre Londres, 29 '|s a 30 d. p. 1/000 rs. 60
.. Pars, 320 por fr.
Lisboa, 85 a 90
Ouro.-Oncas hespanholas .... 29/000 a
Mocdaa de 6/400 velhas. 16/0(10 a
de 6/100 novas 16/000 a
> de 4J000....... 9/1)00
Prata.Pataces brasileiros.... 1/N20 a
Pesos columnarios..... Je59 a
Ditos mexicanos........ 1/bSO a
dias.
29/500
163200
I-00
9/100
1/940
1/MO
1/700
:i;Z?fmm
PAftTE GFFICUL
GOVERNO DA PltOVlNCIA.
EXPEDIENTE DO DA 41 DE JANEIRO
DE 4854.
Oflicio. Ao Etm. bispo diocesano, ro-
gando hajs de ordenar que seja remettido a
presidencia, aflm de instruir o relatorio
que oeve presentar a assembla legislativa
provincial em sus prxima reuniSo, uaj
mappa que demonstre o numero de alum-
nos, que, durante o anno civil prxima-
mente findo, frequentaram as aulas do se-
minario episcopal com as observaces, que
occorrerem a respeito do aproveitamento,
moralidadee talento de cadaum.
Dito. A thesouraria de fazenda, para
mandar adiantar ao director das obras pu-
blicas, qaeassim requisita, aquanliade 43
cernios de ris para continuoslo dos repa-
ros do palacio da presidencia. Inlelligen-
ciou-seao mesmo director.
Dito. A mesma, inleirando-a de haver
o promotor publico da comarca da Roa Vis-
ta bacbarel Jos Piauhilino Mandes de Ma-
ga I h8M, communicado qu no da 42 de
dezembro ultimo entrara no exercicio da-
quelle lugar. OITIciou-se neste sentido ao
referido promotor.
Dan. A pagadoria militar, para que, a
vista dos prels e recibos que remelle, man-
de iiagar, estando conformes, a Augusto
Eduardo Pina a quanlia de 742,000 rs. em
que imporiam os vencimenlos pertencentes
ao mez da liezemhro ultimo, do ollicial e
pencas do corpo ixo do Cear, destacado no
termo de Flores.
Dito. A mesma, para mandar pagar a
Antonio da Silva CusmSo a quantia de ris
434,400, em que, segundo a conta e rel-
celo que remelle em duplcala, imporlam as
despezas feitas com os recrutas, vindos do
Ouncury.
Dito. A thesouraria da fazenda provin-
cial, para mandar adiantar ao engenheiro
II. A. Milet, conforme requisita o director
das obras publicas, a quantia de 3 000,000
rs. sendo 2:000,000 rs. para o 48. lanco da
estrada da Victoria, e o resto para a ponte
sobre o rio Tapacur Communicou-se ao
refetido director.
Dito. A mesma, para que mande adi-
antar ao engenheiro Flnrianno Deser Por-
thier, visto assim o requtsitar o director das
obras publicas, a quantia de um cunto de
ris para dar comeco ao primeiro lango de
ramificado da estrada do sul para a villa
do Cabo Scienlilicon-se ao referido di-
rector.
tilo A administrarlo dos estabeleci-
meiilos de cariilade, ordenando que al o
da 45 de feveieiro prximo futuro remella
um mappa des enfermos tratados no gran-
de hospital no decurso do anno prxima-
mente lindo, um outro dos lazaros e final-
mente oh 11 n dos expostos recebidos, e exis-
tentes na respectiva casa, durante o mesmo
tempo.
Dito. A directora do collegio das or-
phSas, para que al odia 45 do fevereiro
prximo vindouro remella um mappa das
alumnas que frequentaram aquelle colle-
gio durante o anno prximamente lindo,
declarando quantas externas e quantas da
casa dos exposlos, e acrescenlando todas as
mais observarles que occorrerem sobre seu
approveitamento c talento.
Dito.Ao director do collegio dos or-
phSos, ordenando que aleo dia 45 de feve-
reiro prximo futuro remella um mappH
dos ala nos, que frequentaram aquelle
collegio no decurso do mino prximamen-
te lindo, com as observaces que occorre-
rem aobre o aproveitamento, moralidade e
talento Je cada um,
Dito.Ao delegado do primeiro districto
do termo do Itecife, dizendo que faz-se pre-
ciso queSmc. diligencie obter e remella-
um mappa, que demonstre o numero de re-
colhidas do convento de Nossa Senhora da
Gloria desla cidade com os demais esclare-
clmentos, que poder colher e servirem para
se formar urna ideia ajustada do estado da-
quelle estabelecimento.Nesle sentido of-
liciou-se ao delegado do termo de Goanna
acerca do numero de recolhidas do conven-
to da Solidado na inulta cidade, e ao de
giiarss a respeito do convento de Nossa
Senhora da Conceicfio da mesma villa.
Dito.A cmara municipal do Recite,
approvando a arrematado dos talhos dos
acougues pblicos perlencenles a mesma
cmara pela qusnlia de 475,500 rs., sb a
coiidic.no de poder essa cmara llavero ai,
quanrio Ihe forem precisas as casinbas, em
que elles se acham collocados.
Dito.Ao commandantesuperior da guar-
da nacional do municipio deSanto-AntSo,
recommendando a expedicao do suas or-
dens para que o primeiro ualilho da mes*
ma guarda nacional se rena alim de as-
sislir a Tesla de Santo AnlSo, e bem as-
sim acompanhar a procissSo do mesmo
santo.
Dita.Ao commandanle superior da guar-
da nacional dos municipios de Olinda
Iguarass. Constando esta presidencia
que os conselhos de qualificacSo da guar-
da nacional das freguezias da S e de S.-
Pedro Mariyr de Olinda enlram em duvida
onde devem ser alistados os moradores do
districto de Beberibe, por quanto o arl.
5.* da lei n. 152 o fez pertencente a fregue-
zia de S. Pedro Martyr e oulra cousa se diz
na portara desta presidencia, que extin-
gui a respectiva subdelegada, lenho de
declarar-lhe para fazer constar aos ditos
conselhos, que na mencionada portarla
houve equivoco, devendo-se proceder em
conformidado a cilada le.Oh*Iciou-se nes-
te sentido ao chela de polica.
Commantlo das armas.
Quarltl do commando das armat na cidade i
Recife, em\\ de Janeiro 4854.
ORDEM DO DI A N. 34.
Tendo sido inspeccionado pela junta de sau-
de em sessao de 3 do corrente, e julgado inva-
lido em consequeocla do seu estado morboso,
o primeiro cadete almojarife da fortaleza do
Hriini Joao Marlnho Falcao, tica porlaoto exo-
nerado desteeinprego, e nomelo para almoxa-
rife da mesma fortaleza o furriel do segundo
balalhaode artllharia a p Jos Virgilio de Le-
ntos .
(hamo a attencao dos senhores chefes dos
corpos para o disposto na ordein do dia deste
coiiiinaudo do primeiro de outubro do anno
pretrito,sb o n. 96,acercados exercicios que
oa inesmos corpos derein faier nos dias de lio I*
ga, e incluo no numero dos batallies em dita
orden) designados o seguodo dcartilharia a p
e oquarto di- cae olores que ento se nao acha-
vam nesta capital.
Jote Vicente de Amorim Beserra.
TRIBUNAL d'rKL \CAO'.
SESSAO' DE 11 DE JANEIRO DE 18ai.
PRESIDENCIA DO KXM. SISUOR COSSELHEISO
AZEVEDO.
A's 10 horas da manha, achando-se presen-
tes os senhores desembargadores Villares, Has-
tos, Leo, Souza, llebello, Luna Freir, eTelles,
oSr. presidente declara aberta a sessSo.
julgamrntos.
Recuno crtmt.
Recorrente, o julio; recorrido, Adolfo Manoel
Camello de Mello Araujo. Conlinnaram o
despacho de nao pronuncia.
Recrreme, o juizo ; recorrido, Loureaeo Be-
serra Carneiro da Cimba. Ficou adiado o
julgameiito para a primeira scsso.
Recorrente, o promotor publico ; recorrido, o
Juizo dedireito. Ficou adiado para a pri-
meira setso.
Appellacao' crime.
Appellante, o juizo; appellado, Alexandre da
Silva Mourao. Mandaram a novo jury.
Appellacao eivtl.
Appellante, Francisco Jos Perelra; appellado,
M.u liiilni de Borges. Despresaraui oa em-
bargos.
desig.ma(Ces.
Appellantes, Manoel Lopes de Souza e mitins,
appellados, JooZefenno de Hollanda Caval-
cantl e sua inulher.
Appellante, Joaqulin Antonio dos Santos An-
drade; appellado, Antonio Botelho Pinto de
Mosquita.
Appellante, Poumaleau; appellado, F. Pouvler.
Appellante, Mara da Mternldadeda Invencao
da Santa Crui; appellada, Maria Manoela de
Jess.
Appellante, a administracao do patrimonio dos
orphaos desta cidade ; appellado, o Exm. bis-
po de Marianna.
Appellante, Ellas Coelho Cintra; appellado,
Agostinho Henriquca da Silva.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio Jos
da Rosas.
Appellante. Manoel Joaquim da Silva ; appel-
lado. o julio.
Appellante, o Juizo ; appellado, Germano dos
Santos Cavalc.1 nli.
EvrsOS.
Passaram do Sr. desembargador Villares ao
S. desembsrgador llastos as seguintes appel-
lacoes em que sao :
Appellante, l). Maria Felismlna do Reg Uomes;
appellados, Joaquim Aurelio Pereira de 6ar-
valho e sua mulher.
Appellante, o juizo ; appellada, Agulda da NI-
va Maya,
nppellante, Antonio da Cunha Soares Gulina-
res: appellado, Jos Jacome Tasso Jnior.
Appellantes, Amalla Josephina de Mello Ac-
cioli e outros; appellados, Manoel Marques
da Cost boares c outros. .
Appellante, Francisco Vu da Silva; appellado,
Jos Joaquim Correia da Lu.
Appellante, Antonio Heierra; appellado, o
Recorrente, Antonio Morelra da Losta Gufma-
res ; recorrida, a fazenda nacional da pro-
vincia de San Paulo.
Passaram do Sr. desembargador Bastos ao
Sr. desembargador Leo as seguintes appella-
cea em que sao : ...
Appellante, Joao Bapllsta Pereira Lobo appel-
lado, II jlll/cl
Appellante, Alexandre Jos domes; appella-
dos.Jos Antonio de Souza Machado eoutros.
Appellante, \iina Elisabet Adelle Poerson ; ap-
pellado, Alfonso S. Martin.
Passaram do Sr. desembargador Leao ao Sr
esembargador Souiaas seguintes appellacdcs
ni que sao:
ipnellanle, o Juizo; appellado, Pedro Carneiro
rreir.
Appellante, Antonio Jos de Mcdeirot llitan-
coutt; appellado, Jacintlio Nogueira Covas.
Do .....sino Sr. ao Sr. desembargador Rabel-
lo a seguinte appellacao em que sao :
Appellantes, o guardlo do coovento de ban-
Francisco como tutor da menor Carlota ; ap-
pellada, a faienda publica.
Passaram do Sr. desembargador Souza ao Sr.
desembargador Rabello as seguintes appella-
coes em que sao :
ppellante, o juizo ; appellado, Joaquim Hy-
polilo Vercosa.
Appellante, Jos Vleira Brasil e outros ; appel-
lado, Jos Fern andes da Gru.
Appellante, Mara Francisca do Carino ; appel-
lada, a purda Pulcheria por seu curador.
Passaram do Sr. desembargsdor Rabello ao
Sr. desembargador Luna Freir as seguintes
appellaceseuiquesao:
Appellante, Jos Antonio da Costa ; appellado,
Antonio Jos de Medeiros Bitancouri
Appellante, o julio; appellado, Pedro Antonio
Appeliante,oiuizo; appellado, Jos Maria dos
Santos Cavacanti.
Passaram do Sr. desembargador Luna Freir
ao Sr. desembargado!- Telles as seguintes ap-
pcllacdes em que sao: ____
Appellante, o jui.o; appellado, Antonio eacra-
vo de Joao Pedro da Silva.
Appellante, Hrltes Sebastiana deMoraes; apel-
lado, Anacido los de Mendonca.
Appellante, D. Rachel Carlina Manricia d
Mello; appellados. Joaquim Pedro do Re-
g e sua mulher.
Passaram do Sr. desembargador Telles ao Sr.
desembargador Villares as segnintes appella-
ces em que sao :
Appellante, o julio ; appettados, Theodoro Jo-
s dos Santos e Anna Felicia Xavier.
Appellante, o juizo ; appellada, Maria Fer-
nandes
Appellante, o julio; appellados, Joao Josln-
nocencio Pogge e outros.
Appellante, o julio; appellados, Sebastiao An-
tonio Paes Rarreto e outro.
IHSTRIIIUICOKS.
AoSr. desembargador Luna Freir o seguin-
te aggravo em que sao i
Aggravante, Manoel AlvesCuerra ; aggravado,
Bento Jos Perrelra Rabello.
Ao Sr. desembargador Bastos o seguinte re-
curso em que sao :
Recorrente, o juio ; recorrido, Lourenco Be-
zerra Carneiro da Cunha.
Ao Sr. desembargador Souza o seguinte re-
curso em que sao:
Recorrente, o promotor publico ; recorridos,
Francisco de Paula Soare da Cmara e outros.
Levantou-se a sessao depois de duas hora da
tarde.
PRNAMBUCO
CMARA MUNICIPAL DO RECITE.
6.a sessaO Ordinaria dr I3de dezemrro
de 1850.
Presidencia do Sr. Oliveira.
Presentes os Srs. Mamede, Barros, Vian-
na e Figueiredo, faltando com causa os
mas Srs., abrio-sea sessSo, e foi lida eap-
provada a acta da antecedente.
Foi lido o seguinte expediente :
Um offico do Exm. presidenleda provin-
cia, dizendo que a sua ordera com data de
40 do corrente, versando sobre a inhonta-
cSo dos cadeveres dos soldados de primeira
linha no cemiterio desla cidade, podia ser
execulada tal qual foi expedida sem depen-
dencia do regulamento do que esta cmara
fallou em sen ofllcio de 41 do corrente, por
quantn.para fazer o servico lie que se trata-
va, n3o he loce-s u'iii sor empregado publi
co enm attrihuicOes marcadas em regula-
lamentos, e que entrelanto havia preveni-
do ao coronel commamlanle das armas, que
mandando conduzir para o oemib-rio os ca-
dveres, proviilcnci>spe ao niesrrro temposo-
bre o que convier para a inhumacSo delles
Inteirada.
Outro do mesmo Exm. [-residente, appro-
vando a arrematarlo leila por l.onrenco de
Je/os Maria e Amaro Pereira da Cruz, da
obra das duas casas ao lado do po'tlo do
cemiteiio publico pela quantia de 4:345,000
rs. cada urna.Que se lavrassein os termos
de contrato.
Outro do fiscal do Pogo, participando que
as multas dadas e.m dita freguezia no mez
de novembro, Imporlaram em 3*,000 rs.
Inteirada.
Oulro do mesmo, dizendo que o imposto
ri !(', dado em (lila freguezia de 500 rs. por
cabera de gado vacum as duas semanas ul
timas de 23 a 29 de novembro, importou
em 51,000 rs., e que havia entregue aojpro-
curador*5,900 rs deduzida a porcentagem
que Ihe cabe.Que se commnnicasse a con-
tadura.
Outro do mesmo, expondo as necessida-
des de sua freguezia.Inleirada.
Foi approvado um parecer da commisso
de edificado relativos prelenc.uo de Victo-
rino Jos de Souza Travasso, sobre terrenos
de marioha, e no sentido do uiesmo parecer
se mandn informar ao Exm. presidente da
provincia.
Deliberou a cmara que se ofiiciasseao co-
ronel commandanle das armas, em respos-
la ao seu cilicio lulo na srssiio de 42 do cor-
rente, que conforme o cilicio do Exni. pre-
sidente de 13 do corrente cima menciona-
do, nada tem a mesma cmara que provi-
denciar a respeito das ionjumacOes dos ca-
dveres de soldados de primeira linha, no
cemiterio desla cidade, visto que S. xc,
lem dado suas ordena a tal respeito ao mes-
mo Sr. commandaulo das armas, commu-
nicando-se-lhe que Manoel de Sa e Souza
esla aulorisadoa indicaros lugares das se-
pulturas.
Despacharam-se as petifOesda irmanda-
de do I.mmenlo, de Manoel Joaquim da
Hora, Manoel Rodrigues da Costa, Victori-
no Francisco dos Santos, e levaolou-se a
sesso.
Eu, JoSo Jos Ferreira de Aguiar, secre-
tario a subscrevi. Oliveira, presidente.
ilamede. Barros.Morac$.--Carneiro Mon-
leiro.________________________________
VMRIlt PERNASBIJr
mSeiFX, 14 DE JANEIRO DK1851.
Iloje pelas 3 horas da madrugada, houve
um principio de incendio em urna taberna
n. 2, do pateo da Sauta Cruz no bairro da
Roa-Visla, o qual sendo logo descoberlo por
dous individuos, que a essa hora passavatn
pelo lugar, foi promptamento apagado por
estes e por varias pessoas, que para esse lim
concorreram, e entre as quaes esverair. os
Srs. commandanle do corpo de polica e o
subdelegado do destricto.
Segundo nos informan), foram os dous
individuos, de que cima fallamos, os que
mais servidos preslaram na exiincc.&o do lo-
go, sendo esle occasionado por um maco de
palitos pbosphoricos, que ardeu.
Recebemos pela vapor J'aratnis entrado boje
do sul jornaes do Rio com datas at 4 e da Ra-
bia at 10 do corrente.
SS. MM II. e as augustas princesas partlram
no dia 2 para Petropolia com o designio de all
passarem o lempo do calor.
De Kuenos-Ayres e do Rio-Grande do sul ne-
nhuma noticia importante temos a cominunl-
car. Reinava all at 18 de dezembro passado
perfeiu calmarla ; o que segundo o pensar de
certo correspondente do Jornal do Commtrcio
deve ser considerado como presagio de golpes
/iidii, iiienio o bem conhecido carcter do dic-
tador Rosas. Entretanto a Gaceta Mercantil con-
tlnuavaa oceupar-secom a publlca;ao por ex-
tenso das scsses de 2, 3 e 4 de outubro do an-
no passado com o lim sem duvida de entreter
os odios e indisposices da populacao.
Oque porm nos parece certo he que Rosas
guarda silencio, e parece hesitar einquanto as
noticias de Pars o nao habilitam a declarar
formalmente suasintenedes, que grandemente
depeudem da conducta da assemlila nacional
de Franca. Houveram em Cordova alguns fu-
lilamcntiis motivados poi tentativas de ambi-
(io do poder provincial.
No Rio Grande do sul tinha a assembla pro-
vincial encerrado os seus trabalhos no dia 6 de
desembro passado, depnis de ter approvado as
duas representaces ao governo e a assembla
geral, deque j inteirainos os leitorea em a
nossa resenta passad.i.
No dia 24 do pascado embarcou no vapor Im-
perador vm destino a mesma provineia o Sr.
inarechal de campo Antonio Correa Sera, que
vai tomar conta do respectivo commando das
armas, levando comsigo 330 pravas do quinto
balalhao de fuzileiros; licando a partir em
todo o mei de Janeiro corrente o restante do
balallio de fuiileiros com 470 pr.if.is, oquar-
to de cacadores com 600 e um dos batalhes de
aitllharia com outras 600 : com esta tropa li-
car elevada a forca de infantaria de linha do
Rio Grande a 10,000 homens ; a cavallaria, in-
clusive a guarda nacional, a igual uumero; a
a arlilharia de 30 a 36 boceas de fogo.
O Sr. Jos Joaquim Rodrigues Torres minis-
tro da faienda acha-se no goso de um mei de
l lem. i licando a sua pasta durante ella en-
carregada ao Sr. Panlia sainittro dosestran-
griros.
No dia primeiro do corrente installou-sc em
urna das salas do paco da cidade o tribunal de
eiHinn.liun do Rio. assistindo S. M. o Impera-
dor a esse acto O Sr. senador e conselheiro
de estado Jos Clemente Pereira prouunciou
por esta occasiao um importante discurso, on-
de se encontra una exposicao arrasoada do
syslein i du novo cdigo enininerel.il, e dos
principaes motivos de algumas de suas dispo-
Blfdes,que por falta de lempo deixmos de pu-
blicar boje.
ii vapor de guerra Urani* apresou em -.V.i do
passado um blata com 291 Africanos e enlrou
no Rio com elle a reboque no dia 31 do mesmo
mes.
Ti nli.un sido recolhidos a cadeia eticavam a
diaposicao do subdelegado da (,'andelaria dous
i.iiiueiius de nomes Manoel Rodrigues Avinle,
c Jos de Castro Pereira, os quaes tendo sido
poslos de vigia dentro da alfaudrga com o lim
de obviaren! os estragos dos cascos de lquidos
duraiile os dias santos, e aniiunciaremqual-
quer tentativa de arrombainento, usaram da
esperlesa de abrir fielmente alguns fardos e ti-
rar delles dillerentes objectos que lancavaiu
por una janella, que deilava para um trapiche,
li'iniile eram levados por outros rigilantei do
exterior Tinha-se dado pela falta de chapeos
de sol, pecas de panno fino de la, de casimira,
e at de i elogios ilc ouro, sendo que a paga de
muilos deslcs objectos tem recahido sobre as
capa tailas.
Foi condecorado por decreto de 2 lo pas-
sado com a gia-cmz da ordem de Aviz o
Sr. in.oceliai de campo Jo3o Paulo dos San-
ios Brrelo em considerares dos seus ser-
vidos militares.
OSr commendador loto Baplista Morei-
ib cnsul geral de Portugal foi agraciado
por S. M. Fidclssima com o titulo do seu
conselho.
Foram condecorados com o habito de
Chrislo, os Srs. Raphael Ignacio da Fonse-
ca l.ontra, I ir, Bernardo Glemenle Pinto,
Joaquim Pedro Velloso e Dr. Antonio Perei-
ra de Barros medico da colonia de Peiropo-
lis, pelos servidos que preslou em Nilherohy
durante a epidemia, que all reinou.
rinham sido nomeados para presidente
lo conselho de salubridade da corle o Dr.
Francisco de Paula Gandido, e para chefe de
polica de Minas Geraes o Dr. I.uiz Antonio
Barble, para vice-presidente do tribunal
de commercio do Ido o Sr. JoSo Pereira
Darrigue Faro, e paia secretario do mesmo
o Dr. Antonio Alves da Silva Pinto Jnior.
Tinham sido removidos da comarca de
Pirucicava para a de Ouro Preto em Minas
o Sr. Firmino Rodrigues Silva, e da do Rio-
das-Uortes para a de Piracicava o Sr. Pan-
taleuo Jos da Silva Santos
Baixaram mais a secretaria de estado dos
negocios da instiga os seguintes despachos:
Joaquim Gnilheruie Xavier de Brito e
Olavode Mello Mallos, olciaes da secreta-
ria do tribunal do commercio do Rio-de-
Janeiro.
Por portaras da mesma data so despa-
charan! para a inesma secretaria :
Gaspar Antonio da Costa Leal, amaouen-
se; Americo de Castro, dito interprete ;
JoSo Joaquim Pizarro, dito archivista ; Joflo
Baplista de Souza, porleiro ; JoSo da Silvei-
ra Pinto, ajudante do ni.i.-ino.
Decreto de 13, aceitando a desistencia
que faz Jos Correa Porto dos cilicios de
partidor, contador e distribuidor do termo
do Rio Bonito, na provincia do Rio de Ja-
neiro.
dem, removendo o juz municipal e de
orphaos Miguel de Castro Mascarenhas, do
termo de S. Leopoldo para o de Porto Ale-
gre, capital da provincia de S. Pedro do
Itio Grande do Sul, por assim o haver pe-
dido.
dem, apresentando o padre Ernesto de
Oliveira Valle na igreja parochial de Nossa
Senhora das Brotas, no arcebiapado da
Baha.
dem, commutaudo em gales perpetuas a
pena de morle imposta aos reos Ricardo e
Alexandre, escravos, por senten^a do jury
da villa de l.ages.
IJnon, idem, em 400,000 rs. para o hos-
pital dos lazaros da corte, a pena de nm
mez de prso e .multa correspondente A
motade do tempo em que foi condemnado
Bartholomeu Casanova, por sentenca do
juz municipal da primeira vara desta ci-
dade.
a Decreto de 20 de dezembro, removendo
o juz municioal e de orphSos JoSo de Car-
val ho Fernandes Veira do termo do Princi-
pe Imperial na provincia do Piauhy oara os
termos reunidos de Caxas e S. Jos nade
Maranho por assim o haver pe ido,
dem reconduzmdo o hachare! Antonio
Buarque de Urna no lugar de juiz munici-
pal e da. orphSos dos termo* reunidos de
Porto Calvo e Porto de Pedras na provincia
das Alagoas, por tempo de quatro anuos, na
confnrmiila le da lei.
I lem idem o hachare! Ignacio los de
Mendonca L'choa no lugar dejuil munici-
pal e de orphSos dos termos reunidos das
Alagoas, Santa Luiia do Norte e S Miguel
na provincia das Alagis.
Idem nomeandoobacharelVirgioiollen-
rique Costa juiz municipal e de orphSos
los termos reunidos de rombal e Tucano
da provincia da Babia, por tempo de qua-
tro annos, na conformidade da lei.
Idem idem o bacharel KsperidiSo do
Barros Pimentel juiz mnnicipal o de or-
phSos do termo de Macei, capital da pro-
vincia das Alagoas, por tempo da quatro
annos, na conforaiidade da lei.
Idem idem o bacharel Rozando Cesar de
Ges juz,municipal e deorphffoi dos termos
reunidos de Anadia, Poxini e Palmeira na
provincia das Alogoas, por tempo de quatro
annos, na conformidad,) da lei. *
Da li i ina nada ha de interesie.
Dos estados americanos o qnenos cons-
ta de mais importante he a tentativa de as-
sassinato na pessoa do genral Belz pre-
sidente da Bolivia. No da 6 de setembro
passido foi o general acrommettido no Pra-
do da cidade de Jucre por um bando de
malvados,que o deixaram por morto ; havia
porm esperanzas desalvar-he a vidan3o
obstante a gravidade 'las feridai. O* assasi-
nos foram declarados fora d lei.e as cama-
ras reunidas no dia 7encariegnram o minis-
terio do governo da repblica durante a en-
rermidade do presidente, daiido-ilies pode-
nsdictotoriaes ; o qual logo nodia7sus-
pendeu as cararitiasconstitucionaes, e esta-
beleceii conselhos de guerra permaneules
as capitaes dos departamentos.
Correspondencia.
5rs. redactores l'ara mellior defender,
me, e convencer aos Srs.da Impresa, quan
lo foram injustos em aecusar-me dep'oce-
dimentcs menoshoneslos.baseando essa ac-
cusac.no em una caria firmada pelo sub le-
legadoda Malta o juiz municipal suppleute
Francisco Xavier Soares de Albuqucrquo ;
vou de novosubnietler no uizodu publico
nssa carta, o nfio s os documentos com que
ja urna vez prove sua falci lade pela i'nio,
come oulros, que Bulto mais devem con-
fundir aos meus gratuitos inimigos. Eis a
carta :
c lUm. Sr. major Manoel JuliSoIguaras-
18 de novembro de 1850 l'rzo a sua
saudeede sua illustrissma familia : como
seja V. S. a pessoa mais condecida que le-
nho para me fazer as partes, quero merecer
o favor de V. S. lembrar a vuva e herdei-
ros de Taquara, que a mim devem ser pagas
as cusas do inventario que all se procedeu,
visto ter sido eu que del a principal e ulti-
ma sentenca desle inventario na qualidade
de juiz suppleute, parece-me que V. S. nSo
ignora que neste termo he urna praxe cons-
tituida pelo juizo eftclivo, que o juiz que d
hIiiihI sentenca se conslitue com o direito
as cusas, embora tenham sido ellas pagas,
de novo se robram, e al o presente nSo re-
cebi um real da quanlia de cento e tantos
mil ris que perlence ao juiz : V. S. sabe
que os suppleutes nJo percebein ordeuado,
s para o juiz, assi.n mesmo nnguem se
torce'as'exigencias destes, eu que com es-
las oceupaces alrazo os meus inleresses
particulares, parece rasoavel fazer esla ad-
vertencia, e nSo esperdicar aquelle coitume
e praxe que o juiz constituo, como com V.
S. se passou e outros, por isso que a V. S.
me dirijo, confiando que por mira far as
refleOes que o caso exige aos Srs. herdei-
ros e meeiros da fazenda : para o que vir
Ihe possa ser til : tambem me offereco, de-
sojando jeceber suas ordens para mostrar
que com estima prezo serDe V. S p. e
amigo venerador e obrigado. Francisco
Xavier Soaretde Albuquerque Junitr.
Assevera o subdelegado, que o juiz muni-
cipal effectivo eslabeleceu o precedeuta de
cobrar todas as causas de um processo,
quando nelle houvesse dado sentenca final,
embora oulros juizes fuocconassem no
mesmo processo; e para prova dessa ca-
lumnia cita o testemuuho de Manoel JuliSo
da Fonseca Pinito, dando-o como um dos
pacientes desse precedeule. Lam os Srs.
da Imprenta, o que diz Manoel JuliSo em
sua carta sb n. [1, vejara mais a cerldSo
sb n. e eulSo se convencerSo de que foi
pbrjnim principiado e acabado o inventario
dos bens que ficaram por falleciraento da
mSi de Manoel JuliSo da Fonseca Pinito.
Assevera Xavier na sua carta que se tem re-
cebido cusas duas vezes, 16a-se a sua ex-
plicado i easo respeito, e ua qual, diz elle,
ter ouvi.io lelo a Antonio Cornado de Car-
valho, e prelendendo jnslilicar-se com urna
carta do mesmo Antonio Conrado, aprsen-
la em juizo a que se segu sb a. 3, coaten-




r.-\ '-rSaB/tiSka.'KitASV'l.-J'-? X8*. jjjhjlbjbw
l$i
fcsal
do ella a mitilia mclhor defeza, o molleo
porque se fez do novo esse inventario. Diz
o mesmo subdelegado otn sua orla, que
Dd j recebeu um real le costas.' l.eatn essis
expliracoes dadla por ello, (documento n.
*); c verilo ser o mesoio homem quem falla
c declara om juizo que r. ceben dous mil
rcis Altentcm bem nessas explicaefies, c
coiihecerflo o liomem, sb o testemunho de
cuja carta me aecuzam; e que diz elle a meu
reapeito? Justilica-me plenamente, confes-
sandoassmsero mais precipitado calum-
niador. Mo para anda ah : esse mesmo
liomem, em audiencia publica, perant o
honrado delegado de Iguarass, c sendo
presentes leslemunhas conspicuas, como
que invocando um perdlo, dirigio-se a
mim, e disse ser falso ludo quanto escreveu:
eu conhecoque sou criminoso, e merejo
doua mezes de cadeia para exemplo meu e
de outros. Me um desses momentos em
que um reo guilhoado profundamente
polos lira los de sua consciencia, com a face
em trra confesa o seu crime, buscan lo
atenuar, com a manifestarlo de sincero ar-
rependimenlo, a gravidado das penas, que
pondeu mais que ten lo ouvido do Antonio
Conrado do Carvalho dizer quo linha pago
0 seu inventario duas vozes, o isso porque
f.iltou no primeiro inventario a assignatura
do juiz que o crcou na sentenca {de pal tillia;
o entendeu elle respondente que se davam
US mesmas circunstancias no inventario de
francisco Comes da Taquara, e que por isso
poda tamliem cobrar as custis desta in-
ventario, acreditando ser isso prase estabe-
lecida pelo juiz effectivo, mais que bojo es-
a evidentemente convencido quo tal praxo
nunca fui estabeleci la, o que o juiz offeetivo
cobra restrictamente suas cusas, e queel-
11! por mera ignorancia escroveu aquella car-
ta. Com cuja declaroslo so satifcz o re-
quercnlo l)r. juiz municipal, o requereu se
juntasse aos auto. urna carta de Antonio
Conrado de Carvalno, dando explicsces do
que lhe havia dito como cima se ve exara-
do. Itequereu mais o Dr. juiz municipal ao
dito delegado que se perquntasso ao res-
pndeme Francisco Xavier Soares de Albu-
querque Jnior, se percebeu alguma quan-
lia pela sent-nqa que deu o mologando a
ai i illi i no inventario do fallecido Francis-
lbe impOe severas as leis. Desde esso mo-Ico Comes Taquara, om resposta diasa o di*
mento lancei sobre i cabeca desse infelujlo Albuquerque Jnior, que tinba recibido
2,000 rs. no dia em que julgara as p u lillias;
do que tudo para constar se lavrou este ter-
mo om que assignou o dito delgalo, par-
tes e l'siflmunhasEu,A lolpho M a noel Ca-
m-llo d'ArauJo de Mello escrivfo o escre/i.
Campello.--Lourenco Hezerra Carneiro di Cu-
nta. Francisco Xavier Suores (le Albuquer-
que Jnior. Joo Antonio Cavaleanti de Al-
Ouquerque. Luiz da lioa-Venlura Salerno.
-- Jo/lo Francisco do Amarnl. Belarmino
Jos de Araujo. Gervasio Rodrigues Cam-
pillo.
um solemne perdlo; protestei nfio incom-
moda-lo peranle os tribunaes, e al faco
\votos para que to indulgente Ine possa ror
a juslica publica. A' vista disto, senhores,
> !o se os facas que ouzaes publicar, dau-
do-os como provados, tcm esse cunbo de
ver laile ? vi le quo valor devem merecer as
vo*sas continuas dcclamaces ? Julgai e
julgai em vossis consciencias, cujis deci-
ses nunca se acham do accordo com o que
diariamente publicaes.
Agradeco-vus sinseramente o me averdes
proporcionado os indos de paienlear ao
publico quanto silo infundados os boatos,
que a meu respeilo propalam esses que
despertados por decepe.es eleiloraes, mali-
ciosamente altribuidas a mim, vulam-ine
Odio rancoreso, e aquelles que nilo poden-
do contar Com a minlia docihda lo a exage-
radas pretenedes de interesse em suas cau-
sas injustas, querem, por faz ou por nefas,
arredar-me do caininbo em que me acbo.
Bem desigual temsidoa lula; mas a ver-
dade lnninpli.ua. e nada mais posso apete-
cer do que a publicarlo de meus actos,
sempre adulterados, sempre innegrecidas.
Lourenco Hezerra Carneiro da Cunha.
1Moa. Sr. Manocl Juliio da Fonseca.
Anda que nilo tenha a honra de entre-
ter relaces do amizade com V S., vou pe-
ilir-lbc, que em abono a verdade, se dig-
ne responder ao pe desta as seguinles per-
puntas : Funccionou em o inventario dos
bens, qu licanm por morte da senliora sua
mili, nutro juiz, que nflo fosse cu ? Pagou
V. S. cusas duas vezes ? Com a resposla
muito grato sera oDe V. S. atiento venera-
dor e criado, Lourenco Hezerra Carneiro da
Cunha.
Iguarass, 14 de dezembro de 1850.
lllm. Sr. Dr. I.ourenco Itezena Carneiro
da Cunha.--Acenso a recepto da carta sup-
pra de V. S. datada ern 14 do corrente, e
cerln em seu coute lo passo a respomlej
ao p ila inesma issim como me ordena. He
rertoque no Inventario dos bens que fica-
ran. p ir inoile de minha finada mi, nilo
funrcinnnu nutro j .iz a nilo ser V. S. e
neni tanibem paguel cusas duas vezes.
Julgo ser o que me cumpre responder, se-
gundo n pergunta feita por V. S.--Suu de V.
S ltenlo venerador c criado, Manuel Ju-
lia* da Fonseca l'in/to.
ii Tspipir, 18 de dezembro de 1850.
; Kstava reconhecido.)
2 O escrivilo Cavaleanti certifique
qii.il o juiz, o.i juizes que funcclonaram no
inventarlo, a que so proce leu dos tens, que
fiearam por morte da miSi de Manocl Juliilo
da Fonseca Pinlio.
Compra. Iguarass, 14 de dezembro
de 1850.--Carneiro da Cunha.
Fin observancia da i m tarja suppra do
lllm. .Sr. Dr. juiz municipal e de orphos
I nurenco Bezem Carneiro da Cimba ; cer-
tifico que o inventario da finada I. Joaquina
Vieira de1 Queiroz, mi do majnr Manocl Jo-
lino ila Fonseci Pinho, foi principiado e ul-
mado pelo mesmo Sr. Dr. joiz municipal
a de orpbilus, o qual l ve principio em 0
de marco do correle anuo, e lindo pin o
primeiro de agosto do mismo auno. O re-
ferido be verdade e consta dos proprios au-
tos de inventarios que me reporto, Villa de
Iguarass, 16de dezembro de 1850 Km le
de vcidade o escrivilo deorpb3os, lodo llap
lisia Teixeira Cavaleanti.
3 lllm Sr.Francisco Xavier Soares de Al-
buiuerque Juninr.cm resposla a carta de V.
S.ein que pi-de-me que lhe Mllrine se paguei
ou nSo o inventario feito por f.illecimenlo de
minha mulher duas vezes; tenho a allirmar-
Ihe que sim ; um ao juiz supplento Cosme
Joaquim da Fonseca GalvfiO, e o oulro ao
Dr. juiz municipal Lourenco Uezerrra Car-
neiro da (di.lia ; lenio sido as cusas do
primeiro 65,000 rs. : e a do segundo 83,000
agora resta-me dizer-lhe qual o motivo que
deu lugar ao segundo inventario ; leudo eu
requerido para tirar por certidiloo primei-
ro inventario e tendo-rr.e o escriviio da lo a
certidao airmando-a e em f de verdade
i "i l'.av da oiesma que nflu acbava-se o
segundo na partiha, o juiz r os partidores;
vista disto foi ter com o juiz que so acba-
va ni vara o qual respondeu-me que o in-
ventario estava millo e por isso procedeu
o segundo ; be o que tenlio a dizer-lhe a res-
peito do que pede. Kstarei prompio p^ra
firmal no publico o que vai dito.
Dos guarde a V. S. como lhe deseja es-
te seu atiento venerador. Caiap, 30 de
.,/.' 1.1 -o de 1850. .inlonio Conrado de
Carvalho.
4--Aos 8 das do mez de Janeiro de
1851, nesl villa de Iguarass comarca da
eMade do Recife da l'ernambuco, em publi-
ca audiencia que un rasa de sua residen-
cia aos l'eitos e parles e seus procuradores
fazia o delegado de polica do termo o co-
ronel Mmioel Tliomaz Itodrigues Campello,
e seuJo ahi compareceu o juiz municipal
.(mido Mip| lente Francisco Xavier Soares
e Albuquerquo Jnior notificado por este
juizo a requei miento do Dr. juiz municipal
1. alienen Hezerra Carneiro da Cunha alim
do mesmo nesla audiencia fazerandara ex-
idicac/io exigida em sua petit.lo, a qual
lhe sendo lida deelarou o espoiideiite que
u ca la tinba sido escripia por el le,a cuja cu li-
liceo presenciaran! as teslemunhas, os Sis.
bichareis JoSoAntonio Cavaleanti deAlbu-
qu rque, Luiz da Doa-Vcnlura Saleruo, Jn.iu
Francisco (Jo Amaral, Uelarmiuo Jos de A-
raujo e Cervazio Itodrigues Campello. res-
Keparti^o da Policia.
PARTE DO DA 13 DE JANEIRO DE 1851.
Foi unicamenle preso a ordenado subde-
legado da freguezh de S. Jos, o escravo
Francisco, por infraccilo de postura muni-
cipal.
COMUIERCIO.
AI.FANDECA.
Kendimonto dodia 14.....8:877,955
Descarregam hoje 15 de Janeiro.
Barca Ester mn mercadorias.
Barca Serafina idem.
Polaca-- licencia -- vinhos.
Hriguc h'rey familia de trigo.
Iliate Aguia gneros do paiz.
Hiato Duvidoto ilem.
Bngue -- Gustavo Hellin carvSo.
CONSULADO CEKAI .
Itendimento do dia 14. 4:968,07-2
Divorsas provincias...... 433,398
5:401,470
RECEBEDORIA DE RENDAS CERAES
INTERNAS.
Itendimento do dia 14.....2->1,580
CONSULADO PROVINCIAL.
Itendimento dodia 14......2:780,636
RIO-DE-JANF.IttO.
CAMBIOS NO DIA 3 DE JANFIBO.
Londres, ^111/4 a 3u:i|4 d. cslerls. por 1/rs.
Paria. 300 rs. pur franco.
Lisboa 88 a 90 por cenlo de premio.
Ilaublirgo. B66ra, por marco banco.
METAE E rl'.voos POHLICOS.
Metis. Oncas licspanlilas 29^000 a 29/200
da patria 29#t,00 a 29*200
)> Pecas de 8/400, vclbas. 16*0110
n Modas de 4/1100. 9/000
Pesos hcspanlics. 1/900
.i da patria 1/850
Patacocs .... 1/020
Apolicc9 de 0 por cento 8(5
proviuciacs .
(Jorn/ do Commtrcio.)
BAHA.
CAMBIOS DO lll.SlILUMUll.
Londres.......
Pars........
Ilambuigo.......
Lisboa e Pcrlo.....
MBTABa, On^as licsjianlilas.
> mexicanas .
Pecas de 0/400.....
novas ......
Modas de 4/000.....
Patacocs hrasileiros. .
ii hespanhes .
b mexicanos.
30
320
593
ion,
30/000 a 30/200
29JO00 a 3U/000
10/000
l0/000
. 9/000
. 1/H20
. 1/920
l/!'00
(Slercanti.)
ton, ei]lipagem 10, carga fazendase caV-
vilo ; a Me. Calmonl & Companhi.*
dem 27 dias, barca ingleza Carliton, de
404 toneladas, capitn Ceorge Jones, e-
quipagem 15, em lastro ; a James Ryder
fvCompanhia.
Midi sahido no mesmo dia.
CamaragibeHiato nacional Novo Destino,-
mestro EstevSo Ribeiro, carga bacalho
e mais gneros. Passageiros, os Hrasilei-
ros Pracliedes da Silva CusmSo, Ernesto
de Aquino Fonseca, Vicente Ferreira e
Marcellino Jos de Mello.
Observac&o.
A galera ingleza llannak, que funtleou no
Lameirio no dia 2 do corrente para acabir
de cjrregar, fez-se de vella para a Nova-
Hollanda.
EmTAES.
U Janeiro de 1851. -- Jeronymo lUarlinianno
Figueira de Mello.
Deca ra^oes.
0 lllm. Sr. inspector da Ihcaouraria da fa-
zenda provincial, em cuinprimento da ordem
do Exin. Sr. presidente da provincia de3ide
dezembro prximo passado, mandafazer publi-
co, que nos dias 21, 22 e 23 do corrente ir a
praca peranle o tribunal administrativo da
mesma iliesouran para ser arrematado a
quem por menos fizer a pintura da poate pen-
sil do Cacbaug, avahada em 385,000 rs. e sdb
as clausulas especiacs abaixo declaradas.
As pesioas que se propoierem aeslaarre-
ni .i,rio eoMip.ii ee mi ua sala das sesses do mes-
mo tribunal nos das cima mencionados, pelo
melo-dia, couipcteatemeole habilitadas na for-
ma do artigo 24 do regulaineuto de 7 de maio
do prximo passado auno.
E para constar se mandou affixar o presente .
e publicar pelo Diario. t
Secretaria da thesouraria da fazenda provin-
cial de Fcrnanibuco, 3 d Janeiro de 1851.
O secretario,
.Inferno Ferrtira d"Annunciacdo.
Clausulas eipeeiaes da arrtmalacHo:
1.a A pintura da ponte doCachang ser fei-
ta pela forma sb as condices c do modo in-
dicado no ni.; menlo a | n e.sr n l.liln a appl'OVa-
Co du Exm. Sr. presideute, pelo prejo de rs.
385.C00.
2.' As obras principiarao no praso de 15 dias,
c serio concluidas no de 40, ambos principia-
dos a contar da entrega do termo da arre-
mataco.
3." O pagamento eflectuar-se -ha depois de
concluida toda a pintura, e examinada pelo en-
genheiro.
4," Para tudo o mais que nao est determi-
nado as presentes clausulas seguir-sc-ha o
que di- |ie o ir; n lamen lo de 7 de maio de 1850.
Recife, 10 de driembro de 1850.
O engenheiro chefe da 2.a da sereno.
Joo uis Vctor Lieuthier.
Approvadas pela directora em conselho, do
ia 10 de dezembro de i850. O director, Joj
Luis
a i/90
a 1/910
Movimento do porto.
Navios entrados no dia 14.
Rio de Janeiro e porlos intermedios 9
dias e 18 horas, e do ultimo porto 19 ho-
ras, vapor l'araense, de 200 toneladas,
ci'iniiiinidaiiie o capitn d fragata Cos-
ta l'ereira, equipagem 29. Passageiros :
para esta provincia, o alf.res Mello Re-
g, os Italianos Frederico Tali, Filippe
rali, Constante Capurri, Joaquim Cianni-
ni e Marieta Itaderna com urna escrava,
o lnglez J. S. Ooghterton, o Fraucez C
L. R l.ahanteiro, o Dr. Thom Feriian-
des Madeira de Castro, Carlos Martins de
Almeida, Fr. Fructuoso da Soledade, Ma-
noel llenriqoes de Faria, o Dr. Antonio
Thstflo l.opo llrair.ioo, JoflO Cun.lira, o
padre JoSo Francisco de Codos, o cadete
Franklin l'ereira Dourado, Antonio Ma-
noel Arroxelles CalvSo com I escravo, Jo-
s Joaquim deoliveira, 3 desertores, 2
ex-soldados de ai i Hiai ni de marinha, 4
ex-suldados e 67 recrutas para o exerci-
lo : para o Maranbiio, os Drs Tito i ni/ de
Siqueira e SebastiSo Jos da Silva Draga,
Francisco II. J. V. de Mello com sua se-
nliora e duas esenvas, Frederico Magano
de Ahranches, 3 ex-soldados, 3 mullieres
dos mesmos e 1 escravo a entregar.
Genova --33 dina, brigue sardo Jaino, de
179 toneladas, capitSo Mainel Bozano,
equipagem 12, em lastro ; a Oliveira Ir-
mitos.
Havre 39 dias, brigue francez Cetar, de 152
toneladas, capitao erns, equipagem 10,
carga fazendas ; a Avrial "Fires. Passa-
geiros, os Francezes Letellier Vctor eo
Dr. em medicina C. F. Mullercom sua se-
nliora.
Antuerpia -- 47 dias, gsleota brlga Fanny,
de 180 toneladas, capitao P. Ochet, equi-
pagem 10, carga queijos, pregos e mais
geneos ; a li'auder a Brindis Compa-
nliia.
New-Castle--54 dias, brigue sueco Gustaf
Meliiii, ni' 260 toneladas, capitn C. II.
Schelu, equipagem II, carga carvo de
podra ; a Me. Calmonl & Coinpanhia.
Liverpool 48 dias, brigue iuglez Ariel, de
151 toneladas, capiUo Iticbard llanuing-
Mamede Altes Ferreira. //. A. ttilel. J
lcloi Lieutliitr-
Approvo. Palacio do gnverno de Pernambu-
co, 31 de dezembro de 1850. Soma Ramos.
Conforme. O nll'u i.il, tlanoel Jos Marina
Ribnro.
Conforme. O secretario, Antonia Ferreira
d'^nnunciiico.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento da
ordem do Exm.Sr. presidente da provincia
de 12 do correte, manda fazer publico
que nos dias 21, 22 e 23 de Janeiro prximo
vindoiiro ir a praca peranle o tribunal a 1-
miuislractivo da mesma thesonraria, para
ser aremaia a quem por menos fizer a obra
do segundo Unco di estrada do norte, ava-
hada em 8:633,966 r-is, e sb as clausulas
especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propo/erem a esta ar-
rematadlo compareci na sala das sessdes
lo mesmo tribunal nos dias cima mencio-
nados pelo incio competentemente habili-
tados na forma do ni. 24 do regulamento
de 7 de maio do correte anno. E para
constar se mandou alisar o presente e pu-
blicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de l'ernambuco, 16 de dezembro de
1850. O secrctaiio, Antonio Ferreira da
AnnunciacBo.
Clausulaos especiaes da arreinalaco.
i I."--u.- tra baln e obras deste limen de
estrada sern fetos pela forma, sobas con-
dices, e do modo indicado no orcamento,
planta c periz, apresentados nesla data a
approvarilo do Exm. presidente pelo preca
de oilo contos seiscenlos e trinta e tres mil
nove centos e sessenta eseis muris (ris
8:633,966. )
* 2.- Em todos os pontos onde a estrada
nova coincide,ou encontrar-se com o velho
caminho actual, devera ser dirigido o ser-
vico de modo tal que haja sempre um tran-
zitoficil.
3.uAs obras principiarSo nopraso de
un mez, e lindarlo no de oito mezes, am-
bos contados de conformidade como art.
30 do regulamento de 7 de maio do 1850,
4.-l'ara tudo mais que nSo est deter-
minado pela presente clausula, seguir-se-
ha inteiramente que dispoe o regulamen-
to das arremataras de 7 de maio.
Recife, 25 da novembro do 1850.O en-
inheiro chefe da segunda seceso, Joio Luiz
Vctor Lieuthier. Approvsdo pela directo-
ra do conseluo no dia 3 de dezembro de
1850. O director, los IMamede Alves Fer-
reira. Florianno Dsir l'orlier.--Approvo.
Palacio do governo de l'ernambuco, II de
dezembro de 1850.Souza Ramos.Confor-
me.No impedimento do ofllcial oaior, o
ollicial Domingos os Soares.
Conforme.-O secretario, Antonio Ferrei-
ra d' Annunciatdo.
Jeronymo Mariinianno Figueira de Mello,
desembargador honorario, chefe de poli-
ca desta provincia por S. M. I., etc.
Faeo SHber, que pe'o Exm. Sr. conselhei-
ro presidente da provincia me foi dirigido o
olTicio seguintc :
lllm Sr.Faz-se preciso que V. S. exi-
ja dos propietarios das fabricas existen-
tes nesla cidade, para serremettida com ur-
gencia cci taris desta presidencia, urna
inforinacSo circumstanciada do seu esta-
do, especificando se o seu trabalho fai-se
com bracos livresou escravos, que numero
de uns e du outros emprega cada urna, e
que quantidadu de productos expOem anim-
almente ao mercado, accrescentando V. S.
as observarles que sirvam orientar o go-
verno as providencias quo deva dar para o
progresso o melln amento das mesmas.
Dos guarde a V. S. Palacio do gover-
no de PeriiBinhuro, 10 de Janeiro de 1851.--
los Ildefonso de Souza Ramos. Sr. desem-
bargador chefe de polica.
Porlaulo, convido a todos os proprieta-
rios das fabricas existentes nesta cidade a
darer-mo por escripto os csclarecimentns
indicados no referido oflicio, alim de serem
quanto antes encaminhados ao governo
imperial pelo mesmo Exm. presidente.
Pela-subdelegada de S. Jos do Reci-
fe foi apprehendido, no dia 10 do corrente,
em mo de um prcto, escravo de JoSo Coe-
llioda Silva, que andava fgido, um caval-
I qastinho, com cangilha, um par de cam-
bitos o deus saceos, cojo cavallo e mais per-
cances seaelta em deposito na mSo de Can-
dido Jo da Fonseca, morador na ra das
Cinco-Pontas desta freguezia : quem frseu
lono, comprela na mosma subdelegada
munido dos respectivos documentos, alim
de se expedir ordem ao dito Fonseca Dar
ihe ser entregue.
Pela subdelegada da freguezia dos
\ ro-'ilns lora ni aprehendidos tres civallos,
o primeiro rui-o-pedrez, o segundo ruco,
0 terceiro mellado: quem se julgar com di-
reitos aos referidos cavallos comparece
na mesma sub lelegacia, que dando os sg-
naes IheserSn entregues.
- Cartas seguras, existentes no correio,
oara os Srs. Jos Pedro Velloso da Silveira,
Fr. David da Natvidade de N. Senhora, A
morim & IrmSos, Jo5o Vicente Martins,
Viuva Anuir mi & Filhos, Jo.lo da Cunha Ma-
galhes, Jos Carlos Teixein, Joanna Mara
da Concc;3o, Auna Ermelinda Arruda Ma-
chado, Jos llygino de Miranda, Jofio Pinto
de Lemos & Fiiho, Leopoldo Jos da Costa
Araujo e Silverio Maximiano Quevedo de
1 acerda.
As malas que tem de condu-
zir o vapor Paraense para os
portos do norte principiam-
se a fechar hoje < 15 as duaa
horas da tarde, e recebe correspondencias
com o porte duplo al as tres.
Theatro de Santa-Isabel.
36. RECITA DA ASSICNATURA.
Ill-ll-:, 15 DE JANEIRO DE 1851.
Depois da execu^So de urna das melhores
ouverturas, a coinpanhia nacional repre-
sentar aexceltente tragedia em 5actos:
OTIIKLO.
Personagens.
OthcloGermano.
LoredanoSilvestre.
PezaroCosta.
Moncenico Doga de VenezaSebistio.
n la I bei I n Coi in lira.
HedelmomlaI). J. Januaria.
ErmanreD. Rita.
Senadores, ofllciaes, etc.
Terminara o espectculo com a graciosa
far^i
O Juiz le paz la roen.
Comecara as 8 horas.
Os bilhetes acham-se venda no lugar
lo costme
Avisos marilimos.
Pan o Rio de Janeiro at o dia 18 do
corrente pretende sahir impretenvelmeote
o brigue nacional Iao, por j estar com a
carga prompta, recebe tilo soment passa-
geiros : a tratar com Joaquim Ribeiro Pon-
tes, na ruada Cad.na n. 54 ; adverto-se tam-
ben* aos e.urcg limes do mesmo, hajam de
apresentar seus documentos al o dia 16.
Para o Maranho, tocando no Cear,
seguir viagem nestes oitos dias, o hiate
Novo Olinda, por ter dous te eos de carga
proinptos e tratados : pira o eslo e passa-
geiros. trata-se com o respectivo mestro,
Antonio Jos Vianna, no trapiche do algo-
do, oo na ra da Cruz, arinszem do Sr.
Manocl Jos de S Araujo
Para o Aricaiy sahe at o dia 20 do
corrente o hiate Anglica por ter ja parle
da carga prompja : quem quizer carregar,
ou ir ue p8.vsag.im diriji-searua da Cadeia:
do Recife n. 49, a tralar com Antonio Joa-
quim Seve.
Vende-se a barcassa 5. Jos, de lote de
iOc.iiXi.s, quasi nova, feita a dous anuos,
muito bem construida, e de muito boas ma-
leiras : quem a pretender a pode examinar,
e tratar na roa Jim ila n, 69, com Antonio
Alves de Miranda CuimarDcs.
Para o itio de Janeiro sa-
he em poucosdias, por ter a maior
parte do sen carregamento promp-
ta, o brigue nacional Leo : quem
no mesmo quizer carregar ou ir
e passagem, dirija-se a Joaquim
Ribeiro l'untes, na ra da Cadeia,
ou a Novaes ck Companhia, na ra
do Trapiche n, 34
Para o Rio de Janeiro
segu viagem em poucos dias, o brigue na-
cional li. Afonso, por ter parte de sua carga
prompta: para o resto, escravos e passagei-
ros, trala-se com Alachado & Pinheiro, na
ra do Vigario n. 19, segundo andar.
lacas tiiTiTWisw'lsmb >curta
Leiles.
- No dia 6 deste mez ao depois do jan-
tar desappareceu um preto de nagn An-
golla, com os signaos aeguintes: altura me-
liocre, barbado, tientes na frente, nariz
chato, peitos salientes, e mais dous signaos
bem caractersticos, que silo, urna cicatriz
ntiga na parte inferior da ante-perna, que
hem se suppoOe ser a direita; e o penltimo
lo dedo mnimo do p da mes na porn ,
lia mais curto, e levantado para cima, tenlo
isse p mais grosso que b oulro, que pouco
se divulga : o qual chama-se Pedro e levou
comsigo urna cal^a de panno lino azul, com
relas de casimira asul clara, outra de gan-
ga de lislras qoadradas, outra de xila asul
ejaqueta do mesmo panno ; um pallitd de
eiiith preta, um rebufSo preto de priuceza,
hata encarnada e algumas camisas ; segun-
do algumas informacoes, esse relo tinba
um baulzinho forrado de couro fra de cas,
e urna grande amisade com um preto tam-
bem morador tiesta prafs, de nomo Jos,
velho, que morou na ra Augusta qual-
quer pessoa que o pegar, haja de leva-lo a
ra Direita casa n. 43, segundo andar, que
ser recompensado do seu tnbilho.
Furtarim ao amanhecer do dia sabba-
do II do corrente, de dentro do armazem
do trapiche do Giqui um casal decarnei-
ros de fra : quem descobrfr aonde estive-
rem, ou quem os furtou, recaber 90,000 rs.
de gralificacao, e segredo da pessoa que
.lescobrir; para o que pode dirigir-sea lo-
jadefezendas da ra do Passeio n. 21, ou
no mesmo trapiche do Giqui.
- No dia 17 do corrente na sala das audi-
encias peranle o Sr. Dr. juiz do civel da pri-
meira vara, se ha de arrematar a armacio
e o resto dos gneros ds taberna da ra do
Alecrim n. 3 : quem pretender compare?
que he a ultima praca.
Precisa-se alugar 2 pretos para o ser-
vico de armazem de assucar, durante a sa-
fra : quem os tiver, dirija-se a ra do Apol-
lo iruiHZi-m n. 2 B.
Na ra da Glorii n. 88, tem para hlu-
gar-se um primeiro indar: na ra do Amo-
rim n. 14.
-- Jos Joaquim de Abreu, Portuguez,
retira-se para fra do imperio a tratar de
sua sade.
(jasa de commissSo de escravos.
Ilecebem-se escravos de ambos os sexos
para se venderem de commissSo, tanto pa-
ra dentro como para fra da provincia, .com
a maior presteza possivel, por isso que se
offerece muita seguranga aos mesmos, tan-
to na fuga como na boa venda : a vista do
escravo se far o ajuste : na ra das Laran-
geiras n. 14, segn lo andar.
jewmsBj,ff yyyyyyy^yify^
F Homceopalhia. *
;* Gosset Bimont, professor de lio- ^
> na; ipailna pela escola liomceopa- ^
. > thica do Rio de Janeiro, de volta de > sua viagem Franca, onde praticou -4E
'f. com os primeiros homceopathas da- jsg
& quelle paiz, principalmente no con- <|
*
J. J. Tasso Jnior faz leililo por conla de
quem|pertencer,e por intervenco do corre-
tor Miguel Carneiro, de 130 pipas,20 quarto-
las e 40 lian is de vinho de Cette em cascos
calales, e de qualidade muito apropriada
para este mercado, em lotes de urna ou
mais pipas a vontide dos compradores
quinta leira, 16 do corrente as 10 horas d
mantilla, no caes da Alfandega.
Dti'endini Bortolo, tendo de
retirar-se nestes oito dias, vende
muito em conta todos os seus oli-
jeclosque lhe restam para ador-
nos de palacio, salla e jardim a
quem queira especular at o dia 17
do corrente, e o que lhe restar fa-
r o ultimo leilo, por interven-
cao do corretor Miguel Carneiro,
segunda-feira ao do corrente, s
10 horas da inaudita, no seu depo-
sito, na ra do Aterro da Boa Vis-
ta n. 53.
irn-nasimbmmmu 1 ,
Avisos diversos.
Precisa-se de um pequeo para pada
Secretaria da policia de l'ernambuco, 13 |ria : na ra larga do Kozario n. 48.
sultoro do instituto homceopatbico 43
de Pars, poder ser procurado a qualquer hora, em sua casa, Aterro i.
da Boa Vistan. 26, segundo andar. ^
Os pobres recbenlo consultas e 43
remedios gratis.
Preeisa-sede urna ama lorra ou capti-
va para o -ei vico de urna casa de pouca fa-
milia : no pateo de S. Pedro n. 7.
Ha para sealugarem duas boas escra-
vas, que cozinhara e fazem todo o servigo :
na ra do Collegio o. 6, botica de Cypriano
Luiz da paz.
-- Acla-se justa e contratada a venda do
sitio denominado Mangueira, na estrada de
lielein, perlenconte a Frederico Chaves ; se
houver alguem com diroito a mesma pro-
priedade, queira annunciir nestes oilo dias.
Recife, 13 de Janeiro de 1851.
Precisa-se de um marcineiro para tra-
balhar efectivamente : na ra do Rozariu
estreita n. 8.
Na ra estreita do Rozari 11. 28, se-
gundo andar, se dir quem d dnheiro a
premio. Na mesma casa vendem-se traose-
luis de miro, cordes, anelOes, colares,
brincos, botos para puohos e bertura, 10-
zetas, 1 vernica, 2 relogios patentes ingle-
ses c u 111.1 curen U:
Monto 11 lia.
O permiltido he devido, nilo quero faltar
ao juramento de nossos pas, porque sou
Portugal velho'..'1 NSo tendea de vos es-
cantillar, porque mais leve nSo pode ssr,
poisos pedidos furam muitos, e eu nSo po-
da faltar ao meu juramento.
Precisa-se de urna ou duas mullieres pa-
ra o semen interno diurna casa de fami-
lia, exige-se que saibam cozinhar, que se-
jam de boa conducta eque dem fiador as
suas capacidades : pigi-se bem eassegura-
s -lites bom tratamenlo : na ra da Cadeia
de Santo Antonio, sobrado n. 25, primeiro
andar.
Precisa-se alugar um moleeote, que se-
is forte, fiel e de boas costumes, para ven-
der na ra frutas ou verduras: paga-se bem:
quem o tiver e quizer alugar, dirija-se ao
principio da estrada dos Alllictos, primeira
casa terrea pintada de azul, do lado direito,
ou no Recife, ra do Trapiche Novo n. 18,
segundo andar, das 9 boras da uianhSa s
3 da tarde para tratar do ajuste.
Precisa-se alugar seis pretos escravos,
sendo fortes e com cap; cidade, para plan-
tado de capim perto da praca, pagando-so
bem; assim como tambem um moleque
bem deligente para servir em urna caaa-ea-
Irangeira, ou compra-se : a fallar na ra do
Trapiche n. 40, armazem de Miguel Car-
neiro, corrotor geral.
Mappas.
Riscam-se todas as qualidades de map-
pas com pe feic.3o e asseio, mediante urna
mdica gratificado : na ra da Cadeia de
Santo Antonio, no segundo andar do sobra-
do n. 14, esquina do quvidor.
Precisa-se de ofliciaes de cbaruteiros:
na ra do Rangel n. 23.
Precisa-se alugar um primeiro andar
as seguinles ruis Queimado, Rozarlo es-
treita ou larga, e Nova.
- O Sr. Manuel Jos Freir de Andrade,
morador em Ierras de Paulisla, tenha a
mrlalo de vir ou mandar pagar o que dave
{ 12,880 rs. ) 110 Atierro da Ba Vista, venda
numero 80.
-- Precisa-se de um caixeiro portuguez,
para lomar conta de um deposito de pada-
n 1 no ta no de S. Antonio, dando-se tne-
i.'.de dos lucros, prestando um bom fiador a
sua condula: a tratar na ra do Culuvollu 11.
29 0 31.
I
i,


i
-

i
.
I
noga-se ao Sr. EstevJo Jos Pie Bsr-
reto, senhor do engenho Campo Alegre,
tenha a bondade responder as cartas que
se Ihe teem escripto, e que dizem respei-
toa certo negocio que dita de muitns an-
uos, do contrario se far esse negocio publi-
co, o continuar a te-lo at que o dito se-
nhor Ihe d urna solucao satisfstoria.
Na ra da CruX n. 43, casa do dentista,
segundo andar, precisa-se alugar urna pre-
ta, que lave, engomme ecozinhe, esaiba
tomar conta de urna casa, nSo se duwda
pagar o que ella merecer.
Precisa-se de dous canoeiros forros 011
cativos: quem quizer dirija-se a ra da
Praia de Santa Rita n. 25, primeiro andar.
O Dr. J. S.Santos Jnior, $
O medico homoeopatha mora <>
# na ra Nova, n. 58, primei- Q
q ro andar.
Casa de commissao de escravos.
R'ecebem-se escravos de ambos os sexos
para se venderem de commissSn, tanto para
dentro como para fra da provincia, com a
maior presteza possivel, por isso que se of-
ferece muita seguranza aos mesmos, tan-
to na boa venda como na fnga : avista do es-
cravo se far o ajuste, na ra do Rangei n.
38 segundo andar.
Precisa-se alugar um prelo
para o servico internas externo de urna
casa de hometn solteiro : na confeitoria da
ra doRozario eslreita n. 43, paganlo-se
bem.
Para a Babia pretende seguir viagem
com brevidade a sumaca nacional Carlota,
mestre Jos Connives Simas: quem na
mesma quizer carregar ou ir de passagem,
pode entender-se com Luiz Jos de S Arau-
ju. na ra da Cruz n 33.
1 oo.ooo rs. de gratificarlo.
Fligio a 7 de majo de 1817 urna parda de
nome Valentina, aqual pertencia aos bens
do fallecido Jos da Silva Botelho, o boje ao
abaixo assignado, com os signaes seguin-
tes: bastante alta, cheiadocorpo.bem feita,
bracos e mSoscompridas.ca bello (> que Ihe
chamam de cabra ) corlado como de ho-
mom, e na frente lem marra fas com pentes,
denles miudose limados, urna cicatriz de
talho as costas da mo direita, pelas bi-
xigas ficaram-lhe as marcas mais escuras,
isto be, no rosto, e tem o mesmo bem tira-
do, tem urnas manchas brancas em ambos
os carcanhares, beicos regulares, andar fir-
me enQo ligeiro, ollios pretos e regulares
no tamanho, a dita escrava he natural de
Paje de Flores, donde veio com i Jade de 20
a 25 annos, he (llha de urna crioula escrava,
de nome Josefa, a qual acha-se nesla pra-
ca, nSo se pode oar noticia da roupa porque
levou loda quanlo tinlia, inclusive sapatos,
cordfio e brincos de ouro : qualquer pessoa
que a pegar e trouxer na ra das Cruzes n.
36, primeiro andar, receber 100,000 rs.
tlegratio*c,So.
O abaixo assignado soube com certeza
que dita escrava foi seduzda o vendida
para osul da provincia,e protesta perseguir
o tal negociante se comeffeito realisar-sea
denuncia.Jado Carlos Marmho Pulharn.
Precisa-se de urna ama de leite forra :
na ra da AssumicSo n. 24.
Na ra das Cruzes n. 22, aluga-se urna
ama com muito bom leite para criar.
Precisa-se de um bom cozinhoiro e de
um moleque para urna casa franceza : na
ra do Collegio, fabrica de chapeos de sol
numero 4.
' fiseriptnraen eommercial.
A abertura da classe para escripturacSo
eommercial por partidas dobradas, annun-
ciada pelo abaixo assignado, por nSo torem
concorrido alguns dos alumnos, em rasflo
deestarem passando a festa, lica transferi-
da para odia 20 do corrente ; devendo-se
advertir, que depois da segunda licito n.lo
poleraoadmittir mais alumnos para el-
la. Os dias de licSo s9o segundas, quartas
e sextas, das 7 s 9 horas da noite, na ra
do Pilar n. 40.
a)> Consultase remedios de graga aos <
S pobres, todos os dias, desde as 8 lio- 4
# ras da manhSa al 1 da larde, no con- 8sultorio homcDOpathico do facultati- vo J. B. Casanova, ra das Cruzes <$
# numero 28. 1
O encarregado do reconhecimento e
mediefo dos terrenos de mariuha, convida
ao Sr. Jos Policarpo de Freitas a compare-
cer na casa de sua residencia, na ra Direi-
ta n. 78, para assignar o termo de medicSo
do terreno que Ihe foi concedido, aflm de
ser remeltido thesouraria da fazenda com
o seu requerimento para ser passado o res-
pectivo titulo de aforamento; igualmente
convida ao Sr Manoel Pestaa de Andrade
a virdar-lhe alguns esclarecimentos sobre
o seu terreno da ra Imperial, para poJer
informar o seu requerimento.
-Precisa-se alugar urna preta forra ou
captiva, que saiba lavar e tratar ee urna cri-
anca : na ra do Vigario n. 3.
Precisa-se de urna ama de leite sem
cria : na ra doQueimado n. 32, segundo
andar.
No dia 15 do corrente a portado Dr.
juiz do civel da segunda vara se ha de arre-
matar as 4 horas da larde, um sobrado na
ra de S. Francisoo, n. 5 : quem o preten-
der comparrea que be ultima praca, na
ra da Madre de Dos onde mora o dito juiz.
Precisa-se de um caixeiro que lenha
pratica de venda, e que d fiador a sua con-
ducta : na Lingoeta venda n. I.
William Walsh.subdito britanico.reti-
ra-sa para fora da provincia.
Deseja-se f llar com o reverendo Flo-
rencio Gomes de Oliveira, a negocio de seu
interesse : na ra da Cadeia do Recife, loja
deJ.daC. MagalhSes.hi. 51.
Aula particular.
Um bu I i na Wanderley Peixolo, faz sciente
ao respeilavel publico que as ferias de sua
aula, na ra da Cadeia de Santo Antonio no
segundo andar do sobrado da esquina do
Ouvidor n. 14, seacabam no dia 13 do cor-
rente mez, e que continua a receber alum-
nas externas, pensionistas e meia pensio-
nistas, e a easinar com zelo a 1er, escrever,
contar, grammatica portugueza, cozer,
bordar e marcar de todas as qualidades a
fazer labirinto e lencos ettreiroz. A annun-
cianle contractou com usTosigues artistas o
Sr. Jo3o Rodrigues para ensinar a danca, e
o Sr. Amaro Francisco Barboza a msica
vocal e piano ; com-rometto-sa tambero
ornecjr aquellas de suas alumna qtie.se
quizerem applicar ao francez, desenlio e a
geographia mestre com as habitacOng
precisas. A annunciante o anno pretrito
leve o rogosijo de suas alumnas aprscnta-
rem um adianlamento satisfactorio como
pdem alteslar os Srs, pais da mesmas.
Primeiras ledras.
O abaixo assignado, avisa ao respeitavel
publico qu desde o dia 7 do corrente acha-
se aberta a sua aula de primeiras lettras na
ra do Mondego, n. 44. O annunciante con-
tina receber pensionistas, moios pensio-
nistas e extornos. Por mais de urna vez tem
ello patenteado ao publico as vantagens que
offerecc a sua aula pela raso da localizada
e pels accommodsc.Oes que a casa aprsen-
la. NSo poupsr cerlamente estorbos o an-
nunciante para conseguir que os pais de fa-
milias que,lbe confiarem seus filhos, fiquem
inleiramente satisfeitos, nSo s pelo que
respeita ao tratamenlo, como ao progresso
intellertual e moral dos meninos. Outro sim,
para evitar que os meninos frequentcm ou
tras .aulas fra da casa, perdendo assiin
lempo com prejuizodos costumes, o abaixo
assignado tem escolhido mestres de msica
vocal e instrumental e bem assim professor
de lingua latina, reconhecidmente peritos
nessas materias,para darem lines aos alum-
nos que se qu7erem applicar ellas. O
abaixo assignado espera do publico, e es-
(ii nalmente, dos pais de familias moradores
fra da praca, que apreciem os esforcos
do annunciante, animando o seu nasceule
mais tSo til estabelecimento.
Francisco de Salle de Albuquerque.
d'aurora
C. Slarr & Companhia teem a honra de
avisar aos seus freguezes, e ao publico em
geral,quea sua grande fundcllo em S-
Amai'ii, alm do sortimento que constan-
temente tem acha-se de novo provida de
militas nincndas clu raima, e de varios ta-
maiilins, feitas no mesmo estabelecimento
pelos mais peritos ofliciaes, e com o maior
cuidado e perfeleflo ; tanto assim he, qus
os annuncianlesse tifanam em garant-las
pelo primeiro anno. As moendas inteiras
todas de ferro construidas as oflicinas
dos annunciantes slo muito superiores a
quaesquer oulrasda mesma nalureza que
at agora teem sido aqui offerecidas, pois
aquellas encerram em si cortse importan-
tes melhoramentos resultado de mais de
20 annos de experiencia e pratica no paiz.
--Guiado pelo meu muito digno collega
e amigo o Sr. Joao Vicente .Martina, desde
sua ciiegada a esta capital puz em pratica
o systema homooopalhico, e avista das cu-
ras que obtive, ja as molestias agudas, j
as chronicas que tratei, n conheco hoj l a
superiuriJade da homocopalhia, e a tenho
como a nica, pura e verdadeira medicina
que abraco, e promelti consagrar-lhe o resto
dos meus dias. Mas amiudo irei publicando
as curas obti las al boje, e as que foren
apparecendo.FrancMro loi Rodrigue*.
precisa-se de una ama para comprar
e cozinhar : na ra da Concejero da Boa-
Vista, n. ti.
--Aluga-se urna escrava, que saiba cozi-
nhar e comprar, para una casa do urna s
pessoa : na ra da praia de Sania Hita, casa
terrea n. 31, onde tem lampeSo.
-- Aluga-se um grande armazem na praia
do San Francisco, com esquina para o bec-
co, proprio para qualquer estabelecimento :
a tratar na ra da Cadeia de Santo Antonio
n. 9, casa da viuva Cunha GuiotarBss.
- Faz-se almoco ejantarpara fra com
muito assnio e perfeicSo : na ra da Praia,
beccodo Carioca, sobrado da esquina.
U.iia senhora de boa conducta e com
bastante pratica de ensinar meninas, se of-
ferece para ir ensinar fra da prac : quem
de seu prestimo se quizer ulilisar, dirija-se
ra do Rozario larga, loja do miudezas
numero 35.
No aterro da Boa-Vista, loja de miude-
zas n. 12, se dir quem d dinheiros a juros
com hypotheci em casas terreas.
Quem quizer mandar fazer qualquer
costura, por quem j tenha bastante pratica,
assim como fazer labirinllio de todas as
qualidades, segn lo as amostras quo se ha
de mostrar dirija-se ao becco da Cacimba
n. 10.
-Fuitaram da casa do abaixo assignido,
urna colber de sopa bastante grande o pesa-
da, de prata lavrada e superiormente pulida,
com as iniciaes L. C. Ferreira : quem con-
correr para que ellq seja apprehendida rece-
ber o valor da mesma colliere mais 3,200
rs. de gratificarlo. Luis Gomei Ferreira.
__Precisa-se de um caixeiro para (ornar
conta de urna padaria por balanco, as dando
fiador a sua conducta : atrs da matriz da
Boa-Vista n. 22.
0 capitSo G. B. Crocco, da polaca sarda
La Speranzn. vinda deCagliari.com carga
sal, a qual foi fretada aos 4 de lezenil.ro de
1849, pelo Sr. G. A.Uhlich, de Trieste.roga
pessoa oue liverem ordenspara a dita polaca,
de aprlentar a ellesou no consulado sardo
dentro de 24 horas da dala deste aviso.
Pernambuco, 12 de Janeiro de 1851.
Pede-te a quem souber, o favor de de-
claiar por esta lolha, em que lugar he a re-
sidencia do Sr. Joaquim de Figueiredo Li-
ma, ou quem seja nesla cidade seu procura-
dor, para tratar-se de um negocio que diz
i-e.-| eiiu o Sr. Lima.
Curios Claudio Tressc, fabrican-
te le orgaos e realejos, na ra
das Flores n. 1,
avisa ao-respeitavel publico, quo concerta
orgaos e realojos, e pe marchas modernas
deste paiz, lambem concerta pianos, sarali-
nas, caixas de msicas, accordOes e qual-
quer instrumento que appareca, e faz obras
novas. Na mesma casa vende-se um orgSo
proprio para capella ou altar-mr, com boas
vozes, por prego commodo.
Precisa-se alugar dous pretos para o
servico do armazem de assucar, durante a
safra : quem os Uvert> dirija-se a ra do A-
pollo, armazem n. 2 B.
Jus Valeutim da Silva, bem conheci-
do por ensinar latim ha 15 annos, lembra a
quemcouvier, que su'aula abre-se no da
.rvi "- -----
13 de Janeiro, na nn di M'iii n. 38 ( na
Boa Vista ), oodn recebe alennos externos
0 pensionistas. Tamhem en-i.ia em horas
reservadas aos que no po lercm frequen-
tar ms horas da aula.
Paasaporles.
Tr.am-BB passapnrtes para dentro o fra
do imperio, corrom-so folhas, despaeham-
se escravos e tiram-se ttulos de residencia
para sempre : para este flor procura-so na
prac da Independencia ns. 6 e 8, e na ra
do Queimado n 25, loja d miudezas do Sr.
Joaquim Monleiro da Cruz.
-Aluga-se o sobrado de dous andares
da piaca da Boa-Vista n. 6 : a fallar na bo-
tica da mesma casa.
Chapeos de sol.
Ra doPasseio.n 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes objeclos de todas as c-
rese qualidades, tanto de se la como (le
panninbo, por precos commodos ; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto: estps chapeos
sHo feitos pela ultima moda ; seda adamas
cada com ricas franjas deiretroz. Na mesma
casa se acha igual sortimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
ma^es servidas : todas estas Tazn las ven-
dem-se em poreflo e a retalh >: lambem s
concerta qualquer chapeo do sol, lauto de
hasteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de igrejas: tildo por preco com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores do engenho, por serem
dos mais fortes que se pdem fabricar.
D3o-se boas alviqaras a quem restituir
um caninde, que fugio nos das de festa da
Cruz de Alinas*, no sitio de Filippe Menna,
ou na ra do Collegio n. 13, nos lias uteis
das 10 oras da manhn s 3 da larJe : o
can i ii -te he inulto manso e fallador.
P/ecisa-se de trabalhadores de enxa-
la : a tratar no sitio do Sr. Filippe Menua,
ou na ra do Collegio n. 13.
A Viuva Amorim & Filho parlieipam ao
publico, que o seu esciptorio contina a
ser na ra da Cruz n. 45, na mesma rasa eni
quo era o de Nascimento & Amorim.
-Precisa-se le um creado nacional ou
eslrangeiro, que seja de bons costumes e
d fiador sua conducta, para servir urna
casa de pouca familia. I)irigir-se a ruadas
Trincboiras, sobrado n. 19.
Precisa-se alugar um moleque ou ne-
gro feito, que seja diligente o sem vicios,
para o servido de urna rasa de poura fami-
lia : paga-se bem, Dirigir-se ra das Trin-
cheras, sobrado n. 19.
abaixo assignado, tenda
de retirar-se para a Kuropa, pelo
presente convida a lodos os seus
devedores de vir ou mandarem pa-
gar suas contas al o lim do cor-
rente mez. Scasso.
Perdeu-se, no dia 3 do corrente, urna
loneta de ouro : quem a adiar a podara en-
tregar no pateo de S. Pedro, casa do cirur-
giilo Leal, que recompensar generosa-
mente.
4} <"* ( > *** 0, si *?* ^ ? 1 f> ? % ^ f,% 9
'"" ''auln >' i" nuil \ dentista ->
*M francez. offerece nn prest!-*
"^ 1110 no publico para todos os <#
.-v mlsterea de. sua proflssao : 4$
^ pileser procurado a qual- 9
# quer hora em sua casa, na *
0 ra larga do Itozario, 11. 3G,
4M segundo andar. #
^jp|-a>'>##f|'P''^'^
Precisa-se de urna mulher que esteja
acostumada a andar com negocio do fazen-
das, assfm como de urna preta nioQa para
carregar o taboleiro das mesmas : adverte-
se que as pessoas cima referidas devem dar
llanca as suas conductas : a tratar na ra do
Trapiche Novo, armazem n. 4t
Aluea-se o segundo andar do sobrado
da ra Direita 11. 20, com commodo para
grande familia: na ra Direita n. 93, pri-
meiro andar.
*> Consultorio hotnoeopaluico, O
O ra do Collegio, n. 25,
> Do >r. P. de A. Lobo Hoscoso. O
:> O Dr. Moscoso d consultas lodosos ^
Zl (lias. Osdoenles pobres sao tratados "
"X degrada. S serflo visitados em suas J*
2 casas aquelles que n9o poderem vir
O ao consultorio, ou que suas moles- O
9" lias nflo possam dispensar a presen- (p
& ca do medico. fj>
F.ngomma-se e lava-se toda a qualida-
de de roupa com todo asseio e muita promp-
tidlo, por pre^o mais commoJo do queem
nutra qualquer parte : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 26.
Precisa-se alegar um prelo, que seja
bom cozinheiro, para urna casa de pouca
familia. Dirigir-se a ra das Trincheiras,
sobrado n. 19.
Compras.
Compram-se effectivamente sapatos de
todas as qualidades : na ra da Cruz do Re-
cife n. 61, primeiro andar.
Compra-s um lustre de seis ou oito
luzes : nesta Tyrogra; bis, ou annuncie.
Compram-se escravos de am-
bos os sexos : na ra da Cadeia do
Kecife n. 5l, primeiro andar.
__Compra-se urna loja de miudezas com
poucos fundos : quem a quzar vender, an-
nuncie para ser procurado.
Compra-se urna vacca parida de pun-
co, e que tenha bastante leite : na ra de
Santo Amaro n. 16.
Compra-se urna bomba de ferro em
bom estado : no pateo do Paraizo n 20.
"^""
Vendas.
Madama liosa. Hardy, modista
brasilelra, ra Nova n. 34.
Annuncia ao publioe particularmente
aos seus freguezes que lem para vender um
completo sortimeuto de grosdenapM de
furia cor e preto muito superior, assim co-
mo sarja e chamalote preto de primrira
qualidade; finos cortes de grosdenaplo de
furia cor adamascado lano para mantele-
tes como para capotinhos; ricas franjas e
1. quite de seda de furta cor, proprio para
infeites dos mesmos, a qual se vender
comprando alguma uncao da fazenda ci-
ma d'ila ; um rico sortimento de maiitelo-
tes, capotinhos o palitos de grosdenaplo de
furta cor o de chamalot preto, tu lo de
inuit consistencia e felOJ em Franca ; ca-
potinhos do fil do linho preto ; ditos para
meninas de 4 a 8 annos ; um variave.l sorti-
mento de bonitos chapeos do seda de todas
ns cores ; ditos de fina palha de Italia para
senhora o menina, elegantes chaposinhos
le sed rom lindos infeites proprios para
baplisados; ditos de optiini palhinha pira
menina e menino ; os mclhorcs o mais uom-
modos espartilhosque tem chegado a osla
prar;a ; novas o riquissimas capellas muito
oroprias para Calamentos e bailes; ricos
cachos de llores para infi)itar Chap >s de se-
nhora ; luvas de pellica com infeites de su-
perior qualidade para senhora ditas de di-
ta curtas para homem e senhora ; um gran-
de so-tmenlo do leinil is'lit is e .le difieren
le roes; chapos deso para senhora;
perfumaras linas ; armagOes pretas e bran-
cas para chapeos de senhora ; gorgurSo de
cores proprio pira chapeos de dita ; sapa-
tos de selim liianco ; camisinhas e romeiras
para senhora : e outras muitai fazen Jas de
gosto moderno.
Vende-se um terreno no Aterro dos
Afosados rom i-2 palmos l|2 de frente, e
fundo ate a baixa-mar, cujo terreno tem
um alicerce na fronte, onde O vendedor Jo5o
Itiri.fioja morn cu o s.11 profissilo le pes-
cador, e como so acha livre e desemlura
eado, por isso quem o pretender, p le tra-
tar com o annunciante.
-- Vende-se urna grande casa de campo,
com miiilos coinmodos e terreno suflicien-
to para capim o mais planlaces : na ra de
S. Amaro n. 16.
Aos Srs. de engenho.
Vendem-se chapeos de palha por commo-
do preco : 11 ra da Cadeia do Kecife n. 23
iMuitissiino barato para acabar.
Vcndein-se vellas de carnauba do Araca-
ly, sapatos, courmhos, espani.lores, estei
ras e chpeos lie palha tuto muito barato
por su querer liquidar, vin.lo do Araraly
no ultimo navio : na ra da Cadeia do lie-
cifen. 2
<> a litigo harateiro do praselo
publico 11. II. loja de Kirniiano
Jos i-:oii 1 -i::m- Ferreira.
"* Annuncia ns seguidles fazen las como se
jam cintas fraacezas linas de ricos padies,
a 310 rs ocovalo multo larga; casimiras
superiores, a 7,000 rs. 0 corte ; ditas mais
abaixo, a 5,000 rs. ; meias casimira, a 3,200
rs. o corle; cortes de si-tim macaudeert-
ras, a 4,000 rs. ; panno lino preto, a K.OOO
rs. o covado ; chapeos de nuca frailee/, a
7,000 rs.; letlfll lavra tos para vest los de
senhora, cassas chitas de cores, a 1,280 rs
orarte; cambalas Irans renles, a 2,000
a pessa de 10 varas j gorgui^s de seda,
1,200 rs. o cirtc de colete ; corles de cohe-
tes de 1,1 e se la, a bO'd rs. ; chales de lii e se
da ; ditos le ca.mbraias braucos e de cores,
Inins de linho do quadros, ditos trancado
braucos e de cores, fazenda muito superior;
cutios do linho pira pallitores, lila supe-
rior, princezii, lencos de Cimbraii dfl b-
co, bicos e rendas de linho, lencos de seda
de cores, castores de cores e por lodosos
presos ; madapolOes finos, a 3,i0(l 3,500
3,6U0 ,1 OD 4,000 1,8)0 5,o'"0 o 5,500 ; U-
pur i oros chitas 1^ tolas as qualidades,
11 m sor. i liento completo e nutras i. 11 mensas
fazeiidaslqiio se vendeao a presos que agr*
-larilo aos Srs. compradores.
1/alH'ica de licores.
Na fabrica de licores lo Atierro da Roa
Vi-ta 11. 17, acha-se um grande sortimento
le licores linos com ricas tarjas louradas,
ditos entre linos n ordinarios, xarupes de
inaracui e fl ir de laranja, dito do verda-
leiro sueco da groselha, dito la gomma do
angico, cboculate laimmi^'itbico, dito de
sao.le, 1. i. 1 le canella e bannillia, espirito
le 38 gios, gen-lira da Ierra em caadas
e botijas, agurdenle do reino, aaiz, e-. mi-
cu de ziiiilno, diti de canella, dita de lima,
e dita de cravo.
-- Vende-se una casa de pedra e cal, cita
no Poco, por 300,000 rs. : no Manguind 11.
35. o um sitio pequeo no mesmo.
I'rizeinlrfs baratas.
Na loja de alfaate de Jacinllio Snares de
Menezes, na ra Nova n. 35, alera de un
completo sortimento de obras feitas, tem
para v.nd'T o segiiinlo : lencos de spia de
mui lindos palrOes, por 1,600 cada um;
cortes de casimira, a 4,5G0 ; ditos, a 5,500 ;
ditos, 11.ui superior s, a 6,500 ; espatillios
para senhora, mo lernos, a2e3,000; cor-
tes do Gollete de 1.1a. a 1,500 ; ditos de gor-
gurSo, a 2,500 ; ditos de fusto, a 1,000 rs. ;
e outras muilas fazendas ludo muito bara-
to, api arecendo os freguezes.
Enxolie.
Na porla da alfandega, arma-
zem n. ao, veode-se enxofre em
caixas, muito barato.
Vende-se um moleque com principios
de co/inlii'iro e p" ti ru ; na tema de ta-
noeiro, na travessa da ra do Trapiche.
Sapatos d.'coiiro de lustro.
Vendem-se sapat0e*--<4o lustro, de 3 a
4,000 rs. o par ; dilie br.-nlpus do Aracaty,
de 800 a 1,500 rs.; pales dejbezerro frail-
ee/., a 2,800 rs. : no mterrplda Boa Vista.
loja 11. :>H, junto .lo JB^IJjt/ ,
Vendem-se 50 couros do cabra, escolhi-
dos, por 20,000 rs. : no Aterro da Boa Vista,
loja 11. 58, junto de selleiro.
Fio para sapaleiro.
Vende-se lio para sapateiro, a 750 rs. a
libra ; dito amaiello, a 1,600 : no Aterro da
Boa Vista, loja 11. 58, junto loja de sel-
leiro.
Aos 5:ooo,ooo rs.
Vendem-se meios bilbetes da
lotera a favor das obras da igreja
de N. S. do Livramento, que cor-
re no dia 3i do corrate mez : no
Aterro da Boa Vista, loja de cal-
cado n. 38.
Vendem-se 120 palmos de cornigia feita
de madeira de amarello e louro, a qual ser-
vio em urna das gruudos lojas da la Nova
desta cidade, com parle do encaixilhamen-
to j envidrando, por prego uiuilo commo-
do : quem pretender, dirija-se a mesma roa
numero 23.
Vende-se urna escrava de 20 annos, a
qual cose, engooima, cozinba, lem bonita
figura e nSo lem vicios.....n molestias : na
travessa da ra Bella 11. 6.
Vende-se a armacSo da venda da ra
lo Col.irniz n. 16 : qmm apretenl^r, d:-
rija-se a m -s na casa, que se dar em conta.
Vendi-s > cera de carnaubi: na rna da
Madre de lieos, loja n 31.
Deposito de espelllOJ djs manufactu-
ras da Franca : na ra do Passeio n. 19.
Ao publico.
Era mui crescido o amero contavara mdi-
cos at agora molestias iocuraveis, contra .15
quaes s en pcrmitlid a paciente resigna-
cao para soll'icr 11111 nial de queja nao b.ivia
etperaneai de poder lilierta-lo, e ao medico
phllantroplco a dor de ver amitos de seus se-
iiielhanti'S victimas de cnfeiiiiidades, cunlr.1 as
cinaej se declarara impotente, podendo apenai
lamentar a fraque* da Intelllgenola liuuiana.
Mas, Ria-as aos piogrcssos da medicina, gra-
tas ao /.rlu de boiaens incaosaveis, que, nao
desesperando da prrfectibllidadc da sciencia,
se tem dedicado invesliga-o de rcinediof
que possam alliviar a biiinaiiidade de alguns
males que a altligeiii, o numero das molestias
reputadas incuravei vai de di ein da dinii-
niiiudo. Assim, achar depois de loados traba-
Ibos, de profunda nicdita-ao e reiteradas expe-
riencias, medicamentos que nos resliiuam o
uso dos dous mal! importantes sentidos deque
lie dotado o homem, quando estes j se acha-
vaia 110 supposto estado de incurabilidadc e
inteiraaicolc perdidos, he por certo 11111 dos
inaiores servicos que se podia prestar liimia-
nidade; eis o |uc eslava reservado a um ho-
mein philanlropo da cidade de llraga, em Por-
tugal, cuja sciencia, cujo amor de seus seme-
Inanles se teem feito geralmente conhcccr. Os
remedios (|ue ora otVeircemos ao publico, nao
entrara. ia classe daqucllcs que o vido e ousa-
do charlatanismo inculca com ioucs e des-
compassados lirados, e que o crdulo vulgo
por ignorancia recebe na boa fe e sem dUcer-
oimento, achando-se depois Iludido; tcm.pi-
rra, de oceupar mui disUncto lugar entre o*
no i 11 1 un11 tc-i que inaiores beneficios prcslam
ao homem : cointam ellos dadissolucao aquo-
Ifl de extractos de planta* medicinaes, de vir-
ludes mui reconhecidase verificadas. O longo
uso, as continuadas e severas experiencias,
que por loda a parte teem elles sido submclli-
los, sem que una f ve halara falhado em
seus bousell'eitos, c desmentido as esperan-as
que sobre elles havia fundado o seu inventor,
Ihe leein grangeado constantes e repetidos elo-
gios dos mais sabios c respeitaveis mdicos,
assim da Europa, como da America que unso-
nos abooaia e proclamara sua ac{5o sempre
certa e benigna. Um destes licores he desti-
nado a conibater as molestias de ollios, e tem
por principal virtud* restituir aos orgaos da vi -
fio suas funccOes ; reanimar e l'aier reappare-
ri'i- em sua natural perfel-fio a vista, qnaiid
esta estiver fracaou quasi ettlnCU ; comanlo,
pnicm, que nao haj cegaeira ahsolul i na
lesorganisacSo das partes; nao menos ulil e
enrgico lie para desf.uer as cataratas, destruir
as nevoase de promplo debellir qualquer 11-
llainmaco ou vermelhidao dos ulhos. Wo
causara ddr era estimulo na parle.
alro liquido resume a faculdade de onvir
ossons ao ouvido tocado de sarde/., .linda quo
inveterada urna ve/, que o mal nao seja de nas-
oenca, sera causar era lempo algiiia o menor
Incoiuraodo ao doenle, e sera priva-lo de cui-
dar em srus negocios. ____
INSTBOCCBS PARA O USO DOS IIEMF.DIO?.
U tus olhos tmiirrga-ie da moilo irguinle I
O doenle pela aianlnia, em jejum, urna hora
pouco mais ou menos depois que ergucr-sc do
leilo, tomar sobre a palma da niao pequea,
porco danuelta agoa ; e com ella uiolhara
bem os ollios, fatendo que algumas gottas
calara sobre o glibo oceular : sera os iiinpar,
os conservara moll.ados al que naturalmente
rniucuein: ao deilir-sc noite praticara o
mesmo : dor inte o tinp que asar do reme-
dio evitar* calor, ae-ao de fiiiuaca c o vento ;
far abstinencia de ooinlda salgadas, aicda a
adubadaa oom especiaras.
0 remediodotOUtUos ser applirado do modo qt
segur.
O doeute pela aiaoha, una hora pouco
mais 011 menos depois de erguer-se, anida em
jejum, fu derramar dentro dos ouvidos qua-
Iro ou cinco gottas do liquida, lapaudo-os de-
pois cora algodo em rama ; noite ao deitar-
se repetir a mesma operacao. Durante o uso
do remedio evitar expor. os ouvidos princi-
palmente, acefio do calor e do vento, aliin de
evitar grande transpiracao, haveodo cuidado
em nao miilhar os ps era agoa fra; tin.ilraen-
ledeveobslei-se de comidas salgadas, azedas e
adobadas.
hstes remedios estio a venda na botica de
B.irlhnloiiiea Francisco de Soua, oa raa larga
do Rosario, 11. 30, nico deposito em Pernam-
buco, pelo piejo de 2,210 rs. ca la vidro.
BltESTOX SALSA PAHRILHA AMERICANA.
ilelAor e mus extraordinaria do mundo.
Pieservaliva infallivel entra as tabres.
A salsa parrillia original egenuia do Hres-
lol possue tolas as virtu les para curar to-
das as eafermidades que provem de um li-
tado de impureza de sangue das secreccOes
morvi las do ligado e estomago, e em to-
los os casos que npcessitam remedios para
purlcsr o robustecer o sistema. Em to-
dos os casos d* escrophulas, erisipelas, ti-
nlia erupcoes cutneas, manchas, bilis, en-
namteSoe debililada nos olhos, iaebaclo
das glaadolas, dores lombares, affeccOes
rheumaticas, dores nos ossos e as juntas
hydorpcsia, despepsia, aslbmo, dearrhea,
lesenleria, tosse resfriados, enflammacno
do pulmjs phlhisica quando provem da
obstruefio dos bronchios em pessoas escro-
pulosas, enfluenza, Indigesto, ictericia
debilidade geral do systema nervoso, lebrel
agudas, calores, f nfermidades das molhe-
resenfermidades beliosas, e em todas as
afeccOes provenientes de uso moderado do
mercurio. Esta salsa parrilha se emprega
com rfllcacia em lo los os sobredilos casos,
e he reconhecida como a melhor medicina
que existe. Os frascos de salsa de Bristol
teem mais de qualro tamaitos dos de sal-
sa de Sands entretanto que os de llristol
se venden por 5,000 rs. eos de Sands por
3 000 rs. Deposito central no Ido de Janei-
ro, casa de Vital l.apupe, e em Pernambuco
na botica de Jos Mara Goncalves Ramos,
na ruadosQuarteis pegado ao qualtel de
polica.
Vende-s< um grande sitio no lugar do
Manguind, que lica defronte dos sillos dos
Srs. Carneiros, com grande casa de viven-
da, de qualro agoas, grande senzalla, co-
ebeira, estribara, baixa de capim que sus-
tenta 3a* oavallos, grande cacimba, com
bomba e tanque coberto para banho bas-
tantes arvoredos de fructo 1 na ra da Con-
cordia, primeiro sobrado novo de um andar.
__Vendem-se relogios de ou-
ro e prata, patente ingle: na ra
da Senzalla Nova n. 4a.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de Santa Catharina,
melhor que existe no mercado, em saccas
ou sem ellas, por preco mais cmodo do que
em oulra qualquer parte : na ra da Cruz
Jo Itecifen. *0. primeiro andar.
Vendem-se balancas decimaes de 400 a
600 libras, mui proprias para armazens da
assucar em casada C. J. Astley & Compa-
I tibia, ru do Trapiche n. 3.


--
I JL.
^cvaaMteiaMt... kj|


Vendem-se caixas com cera
cm vellas, fabricadas no [lio de
Janeiro, sortidasaode*ejo do com-
prador ; rctro7. da fabrica do Si-
queira, no l'orto, de todas as co-
res : Irnta-sccom Machado & P-
nheiro, na na do Vigario n. 19,
seg-^n :o andar.
Boa cozinheira e engommadeira.
Vende-se urna bonita escrava, parda, de
20 anuos de idade, com urna lilhinha do e
n\P7e<, a qual cozinha e engomma berr, hl
muilo fiel e nSo tem vicios, o quo ludo so
;ilimi.'.i ; e 1 preto, mo(o, milito robusto,
proprio para armazem do assucar ou enge-
nho, por ter muita forca : na ra larga do
Itozario n. 48, primeiro andar.
Fnriiilin de mnntliorn.
Vende-se superior brinda de Santa Ca-
tharina, por preco commndo.a bordo do pa-
taxo nacional Nereida, Tundeado defronte
lo enes do collegio, 011 tratar com Novaes
& C, roa do Trapix n. 34.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
fundico de Ierro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
difl'erentes modelos : na ra do
Brum ns. 6, 8 e 10, fabrica de
mne .iuas e fundico de ferro.
Vcnde-se fannha galega em barricas e
meias ditas, velas de espermaceto america-
no e cha byson do superior qualidade, em
lotes a vontade do comprador: no escrip-
torio de Matheu.t Austin & Companliia, rual
do Trapicho 11. 36.
AGElNCIA
da fundico Ltw-Moor.
KCA DA SENZAI.LA NOVA N. 42.
Tueste estalieleeimcuto conti-
na a ha ver um completo soiti-
mento de moendas o meias nioen
das p^ra engeoho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Vende-ce superior fnrlnlia
gallega, em meias barricas : no ecriplono
do Deane Youle& C, ou e.n scu armazem
do becco o Concalves.
A 4o rs a caixinba.
Vende-so a mcllior qualidadc possivel de
palitos para tirar fbgo, pelo barato prego de
40 rs. a oilxinlia do i o, e a 20 rs. a de pa-
pel : mi ra do Qutimado n. 16, loja de Jos
Dias Simos.
Vendcm-se chapeos do (hi-
le pequeos, muilo linos, por 0 e
7,000 rs. : na ra do Ctespo nu-
mero s3.
Chumbo de munico.
Vende-se no armazem de J. J. Tasso Ju
tilor, ra do Amorim n. 35.
Vende-se a historia criminal do gover-
no inglez, revoluto de l'ernamliui'o de
1817, amizade ingleza para com Portugal, *
Inglalcrra vista em Londres, memorias d
campanha do l'or'o, ditas histricas d re-
voIuq.Io do l'i.rto em 1828, historia deNa-
polefio, com cutio de geographia univer
sal. rcsuiiio da historia do Itrasil, a rainli,
Margte geographia de Gaullier : na praca
da Independencia n. 17.
Os melhores oslo*, padroes
novos.
Vi ndem-se cliiles escuras, muilo finas,
cor r)e hronze, padroes miudos e ramagem
inteiramente nova, pelo diminuto pricod"
240 rs. o covado: narui do Crespo n. 14,
loja de Jos Francisco Dias.
Vende-ae urna armactlocom todos os
s'iis perleoces, na ru da Serizalla Veiha
n 48 : quem a quizer comprar, dirija-sea
mesma ra, a fallar com Domingos Jos d>
Silva Amorim.
Asuelo e economa, le Gem libra.
Vendem-se vellas de pura carnauba, ai
nelhoresalhoje fabricadas; urna desta-
vellas accesa e dentro de una manga devi-
drodiua 11 a 12 horas sem ser espevilada,
vende-sede urna libra at a por^ilo que se
exigir : na ra da Cadeia Velha do liecife,
toja do llorgard.
Refrescos para u estacadealntose.
Na rua do Hoz;rioeslroita n. 43, cunfei-
lana, venttem-se refrescos ile flor de laran-
j, tamarindos, capil. grcelle, o igual-
mente um deposito de filtrar agoa, por prc-
50 cornmodo.
Ilup prlnccza le l Isboa.
Na pracinlia dol.vramentn n. 1, luja de
fazendas de Jos Rodrigues COelho, vende-
se superior rap de Lisboa a 40 rs a oitava,
assim como tamhem venden -se risradinhos
de linho para calcas o jaquela, a 320 o co-
vado ; chamelote da algodiln, de padroes es-
curas, proprios para manteletes, a 20(1 rs. o
covado ; e outias muilcs fazendas, por me-
nos pr. co do que em nutra qualquer parte.
Vendem-se-bois mansos e novos, as-
sim como gaJo de criar, sendo deste nume-
ro r.ovilhas e vaccas de leite : a tratar com
o proprietario doengenho tilinga-de-Cima
ua freguezia do Cabo.
Na roa da Cruz do Itecifo n 33, arma-
zem de l.uiz Jos de Sa Araujo, vende-se
su ei ior familia do mandioca a 2,000 rs. a
.sacca, para acabar ; tijollo de limpar me-
lies de urna nura, fabrica da Kuropa ; sola
superior ; couros de cabra ; sapatos ; peo-
nas de ema ; e superior cera de carnaha
em saccas.
Vende-se a casa terrea D. 12 do becco
de Joilo Francisco, na (toa-Vista : quem pre-
tender compra-la, pode dirigir-se a loja de
iniudezas do Aterro >a Boa-Vista n. 72, que
se dir quem vende.
-- Vendem-se aaccag grandes com alquei-
ro de milito, muito novo : na roa da l'raia
11. 52, ai iiiazorn de carne.
- Vendo-so cimento de llamburgo, na
roa da Cadeia n. 64, e garrafas vasias 11-
glezas, ira i>- eco do Roncal ves n. 8, a pre-
sos com modos.
3o.
"Craxa n. 30, a mais superior que al ho-
jo tero vindo a este mercado, pelo esmero
que o seu autor tem ltimamente emprega-
do. Esta graxa he a mais orompta em dar o
mais brilhante e aturado lustro, assim co-
mo a mclhor para conservar o calcado :
vende-se nos armazens de J. J. Tasso J-
nior, na ra do Amorim n. 35.
A l,6oo rs.
Vendem-so novos cortes de brim tranca-
do escuro com duas varas e meia cada corle
a 1,600; cassa franceza de bom gosto,a 2,600
rs.; pecas do esguiio de algodilo com 12
varas, a 2,400 rs. a peca ; cobertores de al-
gori.lo d.i cores, a 720 rs. : na ra do Cres-
po n. 6. loja so p do lampeiio.
Dcpoeito tic cnl \ ir;i ni-
Na ra do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cbI nova em pedra, chegada ltima-
mente de l.lsha no hrieue Tnrvjo-Terceiro.
Cabecndas hmli /.:i-.
Vendem-se cabeqadas inglezas roliQas c
chatas, loros e sthas de 1.1a: na rna do Tra-
pijhe n. 10.
5SSF.
Farinha nova da marca SSSF, chegada
ltimamente: na ra do Amorim n. 35, ar-
mzem de J. J. Tasso Jnior.
Potnssn .! Itnssia.
Vende-se potassa da Itussia, recentamen-
te chegada. c de muito superior qualidado :
na ra do Trapiche n. 17.
Lotevia de N. S. do Livranicnto.
Aos 5:oooSfooo,
Na ra da Cadeia n. 46, loja de miudezas,
venden-se o majo hilhele n. 1*54 da lotera
de N. S. do Linimento em que sabio a sor-
te grande de 5:000,000 rs., e estSo expos-
los venda os afortunados bilheUs e cau-
tlasela mesma lotera, que corre imprcle-
rivelmenle no da 31 de Janeiro crenle.
Itilhetes 11,000
Meios 5,500
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Vende-se farinha de man-
dioca a 2,000 rs. o alqueire com a
sacca, e sem ella a 1,800 rs. : ni
ra da Praia n. 32.
Taixas para engcilbo.
Na fundidlo de ferro da ra do Itrum,
acaha-se de receher um completo sortimen-
to do taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as '
qua.is aclinm-se a venda por preco com-l
modo, e com promptidSo emharcam-se, ou |
carregam-se em carros sem despezas .0
comprador.
Moeudas superiores.
Na fundicSo de C. Slarr& Companbia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas,
de eanna, todas de ferro, de um modelo e
construcc-to muilo superior.
Grande sortlmcuto de charulos
da fabrica de s. Flix, no ar-
mazem de Croeeo & compaiiliia,
ruada Cruz 11. 21.
Silo rhegados a est ar.mazem os verda-
deros charutos regalos, regala, caradores,
depuiados, venus, senadoras e soberanos
de llavana, cni caixns de cen e 250, por pre-
sos rasoaveis.
I.t(|iiidai:io de fa/.eudas.
Na ra Nova esquina que volla para a
gamboa do Carao, loja n. 23 de Antonio Co-
mes Villar, estilo se vendendo fszeildas que
n parle de nos primitivos precos, B entre as
muilas quMidades leem as seguintes por
estes 1 recos.
Jarros linos de hanha 1,000
Fitas de sarjas, de setim e lafet
largas, vara 300
loem, de 4 dedos, vira 240
dem, de 3 e dedos ai20cl60
1 lem, de velludo estreita do
cores 120
l.nvas de pellica para senhora e
para hornero 500
l.eques de papel, cabo de osso
fino. 640
dem, deescomilha preta 400
dem, de papel linos, caho de
mnrfim, de 4,000a 20,000
Chapeos de palhl finos,lizos, a-
bfiloseliordados.de 3,000a 4,000
Deposito de caKe potassa.
Cunha "& Amorim, n ra da
Cadeii do ftecife n. 5o, recebe-
ra m pelos ltimos navios te Lis-
boa Novo Vencedor, Carlota e
Amelia barris com cal virgm, e
vendem, tanto a cal como a po-
tassa, por menos preco do que em
oulra qualquer parte.
He bnvatissimo.
Cortes de cazcmir' a 3,200 ris, carobraias
Je se in a 900 ris O covado, meias de seda
preta e de cores par homem a 600 ris o
par : na ra do Crespo loja n. 2, ao p do
arco.
Venem-se bichas prctas de
superior qualidade, por metade do
preco por que os barbeiros alitgam:
na ra di Oadcia do Kecife n. 2.
Par fechar emitas.
Vende-se cera do carnauba, courinhosde
cabra, sola e una halanca com bracos, con-
chas, correntes de ferro e pesos, propria pa-
ra armazem de carne, venda ou bordo de
emharciQio : ludo por prero cornmodo : na
ra dos Tanociros, armazem n. 5.
A 4o rs.
Vendem-se agulbeiros de pao
com cem palitos de fogo a 4 fs- :
no Aterro da Boa Vista, loja nu-
mero 48.
Lotera.
Vendem-se hilhetes da lotera de N. S. do
l.ivramento, cujas rodas correm infalivel-
menle no dia 31 do correte : no pateo do
Collegio^casa do l.ivro Azul.
Deposito da fabrica de Todos os
Sanios na Hnbia.
Vende-se, em casa deN. O. ltieber&C. ,
I na ra da Cruz 11. 4, algodiio transado da-
quella fabrica, muito proprio para saceos de
BSSOCir e roupa de escravos, por prego com-
mojo.
~ Vendem-se duasescravas de20annns
o de bonitas figuras, que coznham, en-
gommam c coSOO ; urna dita boa para o tra-
halho d campo ; Um parda de 20 annos,
que cose, engomma e faz todo o aerviCO de
una casa ; dous moleques pegas de 18 an-
nos, bous fiara lodo o trabclho; um preto
muito bom servidor de urna caso, e que ga-
nha na ra 610 rs. ; um casal de escravos
de meia idade, bons para traballiarem em
um silio, por a isso estarem acosluoiados :
o um moleque de 5 annos, muito esperto e
que j serve hem a urna casa : na la do
Collegion. 21, primeiro andar.
-- Vende-se rap prince/a de J. Paulo Cor-
deiro, chegado ltimamente : na ra da Ca-
d 1.1 do Itecife, loja com fazendas, n.51.
CDbEDEPARI5.
t Vende-se farinha de trigo
franceza de Marseile, a melhor do
mercado, chegva ltimamente as
casas de Lause e do Saporiti: a
fallar como barateiro Silva Lo-
pes, na porta da alfandega.
nligo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue 7orujo 111.
TecirJo de algodao trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 52,
vendem-so por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa do
escravos.
Vendem-se chitas limpas a 12o rs.
Pe^as do chitas limpas, rosas, para luto
aliviado, a 4,500, e 120 rs. o covado ; corles
de cambraias com 6 varas e meia, de boni-
tos padrOes e de cores fixas, a 2,600 ; e 100
saceos novos de estopa, cada um com 2 va-
ras, por atacado a 320 rs. : na ra larga do
Itozario n. 48, primeiro andar
Cimento.
Vendem-se barricas com superior cimen-
to, chegado no ultimo.navio de llamburgo:
na ra do Amorim n. 35, armazem do J. J.
Tasso Jnior.
Arados de ferro.
Na fundillo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados ue ferro de diversos m-
jelos.
Deposito de potassa e cal.
Vende-se muito nova e superior potassa,
assim como cal virgem e pedra, recente-
mente chegada de Lisboa, por pre^o rasoa-
vel: na tua da Cadeia do Recife n. 12, ar-
mazem.
llosa-s nos fiTitir'/.c que tenhnm
toda attencao para o novo sor-
tlmcuto rua do Crespo n G, no'p do
I u mpen o.
Vendem-se cassas pintadas de cores fixas
a 260 c 280 rs. o covado ; cortes de brim
blanco de linho puro, a 1,920 rs ; ditos de
fu-llo muito finos, a 560 e 640 rs.; cassa
preta propria para luto aliviado, a 120 rs. o
covado ; zuarte de cor, a 200 rs.; riscado
le linho para casacas, a 240 rs o covado, e
nutras minia fazendas por preco cornmodo
?-tfVVV9ff?:?Vf:VVVffV?0
Grvalas de chitas 16i>
I lem, de seda, pelas e de crtres 320
dem, de couro de lustro para
militar 240
Patios de cores lizos, rovado 610
dem, branco muito boa Cateada 800
Sarjas de cores para vestido, co-
vado 1,20o
Corles devestidodeseda brancos
para noivas. 30,000
Mantas de setim de ci'ires mati-
sadas 8,000
dem, de saija, dila, dita 10,000
Chales de se.:a furta cores 4,000
l.uvas curtas do linho para se-
nhora, o par ico
dem, de seda abertas para se-
nhora 32o
Meiag de seda aheitas branca pa-
ra senhora 1,000
dem, prctas para senhora 1,000
dem, para homem 1,000
Ideo, lizas para homem 1,000
dem, branca para dilo 1,000
Carleiras finas de feixe 320
aialos de sdim prelos, opar 1,000
bolins gaspiados, prelos e de
cores para senhora 1,000
Slalos de sttim branco rara 1,000
menina 1,000
Chinellas de marroquim de co-
res para homem, 1,000
Chapeos de sol de seda para se-
nhora 2,000
1 em;o> de cambraia de linho, li-
zos, de 1,000 a 3,000
dem, bordados com bicos 4,000 a 20.000
dem, de seda preta c de cores
para grvala 3,000
Chicotes de junco ou cana para
carro, de 2,00o a 4,000
dem, de haleia para carro 3,000 a 6,000
Rengadas finas de junco e
cana de 320 a 2,000
Chicotes finos para monta-
ra, de 1,000 a 2,000
Um grande sorlunento de flores linas sen-
do caixos, ramos, rosas paia vestido, pe-
nas de muitas qualidades, bicos de hlondes
de todas as larguras, lucos de dentelle pre-
los, eslreilos o largos iie muito boaquali-
daiie para capolinho e ni>nlellete,tudo mul-
to em cotila.
Vendem-so amarras do ferro: na rua
da Senzalla nova 11. 42.
1 na do Co legio 11. '|.
Neste rstahelecimcnto se encontrar sem-
pre o mesmo sorlimento de chapeos do sol
j.i anniinciados, assim como sedas e pannos
em peija para as armacA-s servidas, haleias
para vestidos e espartilhns de senhors
Concerta-se loda a qualidade de chapeos de
sol, ludo por menos preco do que em outra
qualquer parte.
5D( p< sito da fabrica dej
S T: dos o .Santos, na <
:: Baha. I
ifls Vcnde-se, em casa de Domingos Al-^
a>vcs Matheus. na rua da Cruz n 52,"*
jprimeiro andar, algoddO trancado da-*
aquella fabrica, inulto proprio para sao-*
?cos e roupa de escravos; bem como
B[flp proprio para reiles de pescar e y:i-
^vios para velas, por preco cornmodo.^
^:A *. A *:. A A 11 I AI % lalAQ
AltencSo.
Vende-se, no Aterro da Roa Vista, vende
n. 80, por haixo do sobrado onde mora o es-
cnviio C'rdoso, os seguintes efTeilos, que
pela sus qualidade, assim como pelo proco
So men ce 'ores da concurrencia do publi-
co, cha byssou, o melhor do mercado, a
2,000 rs. ; manteiga ingleza, da melhor e c
mais nova, a 720 ; velas de espermaeete
720; farinha doararuta, a 240 ; Chocolate
verdadeiro de Lisboa, a 4*0 a libra ; caf
em earoco, a 180; cevada nova, a 100 ; vi
nho do Porto engarrafado, velho e proprii;
para doenles, a 560 ; lats com holaehinhas
de aiarula, novas, a 3,200 ; e oulros muitos
gneros, que. dcixam de ser publicados para
tifio cansar a paciencia dos compradores
Vende-se um piano ero bom uso, pro-
prio para quem quizer aprender a tocar, por
preco commoilo na rua Nova, no segundo
andar do sobrado 11. 55.
Vende-se, a presos commodos, chuoi-
bo de mumciio, enxadas, chaleiras, panel-
las, pregos de Ierro de muitas qualidades,
bacas de rame, rame de latilo fino, facas
e gallos 1 ara niesa, facas para cbarqoear,
ditas de sapateiro de cabo leve, navalhas,
limas ingle/ase illemles, serrotes, varru-
mas, bandejas piuladas, bot>s de madre-
perola, illtos de duiaque e d'oco e pennas
d'aco: em casa Vendem-se 16 escravos mocos, ptimos
para lodo o seivieo, leudo entre estes va-
rias prelas cun habilidades : na rua Diici-
ta 11. 3.
Vende-se muito barato 10 tabpas de cos-
tado de cedro e nina potito de refugo de
louru u amarello, por se querer desoecupar
o lugar para se lazer obra onde lem sido
serrarla : na rua da l'raia de Santa Rita nu-
mero 21.
-- Vendem-se dous (luiros ehvidra(tdos,
j usados, para loja de 11 ludezas; urna ca-
tiriuha bonita c com habilidades; e-uma
dita par lodo o servigo de cas, menos en-
gomiiiar : ludo para liquidar conUs de ha-
I anco : na rua larga do Rozarlo, loja n. 35.
<5
45
m
4S
<-.
41
4
4?
^ Ko deposito da rua da Mu la 11. 15,
.> ha para vender superior cal em pe-
* dra, re ce lilemente chegada de l.is-
* boa, em o brigue Conceitio de iVa-
'< rin, por preco rasoavel : tamhem ahi
^ se vendem pesos de duas e de urna
arroba, por pieco cornmodo ; ha
C lamhem effeclivarr ente no mesmo
E deposito barris de mel para embar-
r> que
Of-AAiifts^-AifciuiAAiiilili!
-- Vende-se um lindo moleque de 17 an-
nos, muito bom enzinheiro e copeiro, pro-
prio para pagem ; um cabrinhade 12 annos,
muilo esperto e ptimo 1 ara aprender olli-
cio ; o una preta com habilidades e de ex-
cellcnte conducta : vi-ndc.n-se estes escra-
vos paia liquidacHo : na rua das Cruzes,
venda n. 20, se dir quem vende. Na mes-
ma vende-Se Vnho cngarraf-ido de mais de
8 anuos, da melhor qualidade que ha hoje
110 mercado.
Loleria de N. S. do Livramento.
Na 1 r,-:i;a da Independencia n. 4, loja de
miuJe/as, vendem-so os afortunados bilhe-
tes, meios e cautelas da mesma loteria, que
corre impreterivelmente no dia 31 do cor-
rele tnez.
Itilhetes 11,000
Meioa 5,500
(.loarlos 2,600
Ouintns 2,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Cal vitgem de I/isliVi,
da mclh.tr que ha no mercado, e
chegada ha dias pelo brigue Ern-
preza : trata-se com A.'C. de
Abren, na rua da Cadeia do He-
r fe n. 37.
Bom e barato.
Na rua do I'asseio-Publlco, loja n. ft, de
Albino Jos l.eile, vendem-se chitas roas,
a 4,500 a peca e em cortes a 120; riscados
monslros, a 200 rs. o covado; cassas de
quadros para bailados, a 240 rs. a vara ; co-
bertores dealgodflo para escravos, a 720
rs. ; cheles de chita, a 500, 800 e 1,200 rs.;
chapeos de sol com armado de ac e as-
teas de haleia, a 2,000 rs. ; e outras muitas
fazendas, que nflu he possivel annunciar-
se para nSo oecupar lempo.
- Na 1 ua das Cruzes n. 22, segundo an-
dar, vende-se urna escrava parda de 26 an-
nos com habilidades, 4 pretas mocas, que
cozinhnm, lavamdesabSo e silo quitandei-
ras;l linda negrlnha de 12 annos; e dous
prelos de nai.no, de 20 a 24annos, sendo i
canoeiro e o oulro ganhador do rua.
Conlinua-se a vender manteiga fran-
ceza muilo nova, a 480 e 400 rs. ; farinha do
reino, a 90 rs.'; caf moido, a 180 rs. a li-
bra ; dito de carneo, a 160 ; cevada de caro-
C", a 80 rs. a libra ; dila moida, a 160 ; tou-
einbo, a 280 rs. a libra ; arroz, a 90 e 60 rs.
a libra ; vellas de espermaeete de 6 em li-
bra, a 700 rs. ; ditas de carnauba de 6, 8, 9
10 em libra, a 300 r ; bolachinha ingle-
za em bariiquinhas pequonas, a 240 rs a
libra ; cha superior, a 2,240 rs. a libra ; vi-
udo engarrafado de 4 anuos, a 640 rs. a gar-
rafa ; bisculose fatias, proprios "para cha,
a 240 rs. a libra; superiores charulos de
vintem, tres por dous e a dez rs. : na rua de
Moras, venda que volla para a rua de San-
ta Tnereza, u. 52.
Cheguetn a pechincha que se es-
lao acabando.
Vendem-se relngios americanos, prnprios
para cima de mesa, mui bons reguladoros e
por .lein mimo cummodo para chegareui
aos pobres : na rua co Trapiche n. 8, e na
rua de Aguas-Verdes n. 62.
Vcnde-se barato, por j lerem tido
uso, as seguintes obras: historia da revulu-
CSo franceza por Thiers, em portuguez ; di-
ta em portuguez de 1818, poi K. Pelleta r ; a
desmoralisacao o oseculo, por Sebastijo
J. Ribeiro deS ; a noite do castalio; os
ciumos do bardo : e a confissSo de Amelia,
todos tres poemas por A. Feliciano de Cas-
tilho : naruado Collegio, loja da esquina.
A 80 rs. o covado.
Na loja de seis portas, pracinha do l.ivra-
mento, vende-se ganga azul para calcas,
jaquetas e vestidos do prelos a 80 rs. o cova-
do, assim como contina a vender-se toda a
qualidade de fazendas por menos prefo que
he possivel.
Vende-se milhoem s.sccas grandes de
alqueire, muito novo: no armazem do Oas
Ferreira, na escadinha da alfandega, e na
rua da Praia n. 52, armazem de carne, por
preco cornmodo.
Vendem-se caixas com cera
em velas do Rio de Janeiro ; na
rua da Alfandega Velha n. 5_, es-
criptorio.
Vendem-se duas meia agoas por preco
o mais cornmodo possivel, as quaes rendem
mensalinento nove mil rs.: a tratar na rua
do Fagundes, loja n. 39.
-Vende-se uma escrava crioula, de 25
annos pouco mais ou menos, multo boa
vendedeira de rua e sem molestias nem vi-
cios : quem a pretender, dirija-se rua do
Collegio n. 17, terceiro andar.
11 intuir, de la revolution franraise, por
Thiers, obra completa em 10 voluntes, e ou-
lros muitos livros'por preco mais cornmo-
do do que em outra qualquer parte vnde-
se na ruado Crespo n. 1 i.
Vende-se muito boa farinha
de mandioca, recentemente chega-
da de Santa Catharina, em poreflo
ou a retalho, por preco commo-
ilo ; a bordo do brigue Soares,
tundeado na volta do Forte do
Mattos, ou na rita da Alfandega
Velha n. 5. escriptorio.
Boticus iioiiiu'opalhicas, na rua
do Crespo, loja n. 4.
Vendem-se boticas de 24, 36e60 tu-
bos, grandes e pequeas, com os seus com-
petentes I i vros, vindas ltimamente do Rio
de Janeiro, do grande estabelecimenlo cen-
tral da rua do S.Jos n. 59.
Vendem-se colecOes do Medico do Povo,
de 1 a 21, na rua do Crespo, loja n. 4.
Vendem-se 43 accOes da companhia de
lleberibe : na praca da Uuiflo n. 19.
I'ara quem quizer principiar.
Vende-se urna armado para taverna, fei-
ta ha pouco lempo e de muito bom gosto,
assim como temos de medidas de folha e
de pao, canleiros, urna pipa com lorneira de
metal, fileiro, mostradores, temos de pe-
sos, balauca, etc.: ludo por menos do seu
valor : a tratar na alfandega com Joaqulm
Francisco Franco, das 9 horas da manhfla
s 3da tarde.
Escravos fgidos.
300,000 ris.
Fugiram de bordo do brigue
Sem-Par, vindo do Rio de Janei-
ro, dous escravos, sendo um de
nome Sabino, de cor parda, esta-
tura regular, de 10 annos pouco
mais ou menos ; levou calcas" e
carniza ozues, c bonete encarnado;
0 outro de nome Euzebio, moti-
lo, de 24 annos pouco mais ou
menos, estatura alta ; levou cal-
cas, carniza e boneteazues. Roga-
se as autoridades policiaes e capi-
I3es de campo, que os apprehen-
dam e levem-nos tua do Trapi-
che n. 34, casa de Novaes & Com-
panhia, que recompensar.
Fugio no dia 10 do passado o escra-
vo vi mu lo, de nome Jos, de 40 annos, al-
tura regular, cheio do corpo, olhos ama-
rellos, rosto bexigoso, ps chatos agrosos ;
levou calca de 13a escura : quem o pegar,
leve-o a seu senhor, no armazem de arsu-
car, larg do l'elourinho, ns. 5 e 7, de Ho-
lllo Antonio da Silva Alcntara.
Fugio no dia 7 do crreme urna escra-
va de nacSo Rehollo por nome Marta, idade
18 a 20 anuos estatura baixa, bem feita de
corpo, rosto redondo, muilo ladina que pa-
rece crioula, cor bem preta, com urna mar-
ca de ferro da nacSo 110 braco direito, e
urnas de xicote j antigs junto ao pescosso,
levou pao da Costa j desbotado ; roga-se
a quem a pegar de leva-la no Forle do Mal-
los rua do Cordoniz, na quina da Mode,
primeiro andar, que ser recompeocado.
m*m-mwm O mulatinho Agostinho
fgido.
H Na noite de it para 13 do
: passado ausentou-se o es-
1 cravo Agostinho, pardo a-
caboclado, cabellos pretos e
lisos, ps grandes com os de-
dos grandes grossos e camba-
dos para dentre ; he ilho do
serlo, muito lallador e flo-
ta: roga-se as autoridades
policiaes, capitSes de eam-
po, assim como a toda e
qnalquer pessoa qne o en-
contrar, de prendc-lo e con-
duzi-lo a sen senhor Ben-
to Jos Taveira, na rua da
Cruz ti. ao, que nSo s paga-
r todas as despezas, como
offerece urna generosa re-
compensa a quem o trouxer.

Prriv. maTvkdr M.F.dr Pauta..


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHA226U25_ZWUJ1D INGEST_TIME 2013-04-13T02:08:03Z PACKAGE AA00011611_06296
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES