Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06291


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVH
Qiiinta-Jcira 9
PARTIDAS DOS COBBiroa.
('ianna e Pnrahlba, s segundas 1 lOXtai fciras.
Hio-Grande-do-Nortc, todas as quinta* fciras ao
incio-dia.
Cabo, SerinhSem, Rio-Kormoso, Porto-Calvo c
Maccki, nol.,a II e 21 de cada inci.
aranhuns e bonito, a 8 e 23.
Moa-Vista c Flora, a 13 c 28.
Victoria, s quintas reirs.
Olinda, todos os diac
.. -ir-sti-.:
FlIASES D* i.rt.
PHEIKEIV1DES.
Nova, a 2, as R p 24 m. da ni.
Cresc. a li'. as 2 li. c2 m. da i.
Cheia. a 17, as 2 h. e 33 in. da t.
IMing. a 24, s 5 h. 57 ra. da m.
fBEinAB DEJHOJE.
Primeira s 10 horas e 54 minutos da nianha.
Segunda s 11 horas e 18 minutos da tarde.
de Janeiro de 1851.
N. 6.
PHECO DA 8UBCIIIFC AO.
Por tres meirs /adiantadosj 4/000
Por seis metes 8^000
Por um anno 15/UOJ
gcv i' wi w aianijnma;.
vi
-. w^ujc. ur rrmsK3Kiv
DAS da semana.
6 Sog. v^>< Da de Res.
7 Tere. S. Theodoro. And. da Chino,. do .1. da
segunda vara do c. e dos (Vitos da (azoada.
8 (Juart. S. I.ouronco J. Aud. do I. da 2. vara.
9 Qulnt. S, Julin. Aud. do J. dos mi'. e do ni,
da primeira vara.
10 Si'xt. S. Paulo. Aud. do J. da 1. vara do civel ,
e dos (Vitos da (aienda.
11 Snb S. Theodoro. Aud. da Chae. c do J. da
2. vara do civel.
12 Dom. S. Satyro.
BOX* mi .WrW.^^^WKa
1 ""..... "''.....
CAMBIO DE 8 DE JANEIRO.
Sobre Londres, a 30 d. p.1/000 rs. 60 dias.
Parla, 33C por fr.
Lisboa, 85 a 00 _
Ouro.-Oncashcsp.inholas-------20/000 a 2!l/;>00
Moedasde(400vellias. 16/000 a 1(021111
de t/4011 novas 16/000 a HW2MI
ddJOOO....... O/oOO a 0/10"
Prata.-Pataccs brasileiros.... 1/920 a 1/01"
Pesos columbarios..... 1/020 a OM0
Ditos mexicanos........ 1/680 a 1/TtlH
t'OK.'.

. _* tata -^^3st-iLrBeB3Er3Bas
PARTE CTFICUi.
Commando das armas.
Quarltl do commando das armai na cidade do
Hecife, en i de Janeiro a>t85l.
ORDI M no DA N. 29.
Olllin. Sr. coronel comiuandante das armas
ein vista das cominunicacdes que recebeu do
Esm. Sr. presidente di provincia, as datas de
SO e 31 de dezembro do anuo prximo linio.
e de2 de Janeiro do correntc ; manda declarar
a guarnicao o que ac segu:
1." Que o governo de S M. o Imperador hnii-
ve por lirin por aviso do ministerio da guerra,
de 30 de setembro ultimo, conceder proroga-
co por tres mezes da licenca de favor com que
se acha na provincia de San Pedro do Rio Gran-
de do sul o Sr. capio do segundo balalho de
catadores Francisco Antonio de.Souia Camisan.
2. Que por aviso do mesmo ministerio de 30
de novembro, foi servido o governo imperial
conceder ao segundo cadete do primeiro bala-
lho de arlilharia a p Fillppe Marques dos San-
ios, (res mezes de hccnca de favor para vir a
esta provincia.
3.* Que por aviso de 6 de desembro se orde-
irou que fique sem elleito qualquer procedi-
iii<-iitu d'apresenlaco nesta provincia do Sr. primeiro
tei'cnic benedicto Jorge de Faria despachado
para a couipanhia de anilici s desta guamico,
traucando-se qualquer nota, que possa ter sido
la i, cada por tal motivo eni seus assentainentos,
visto que a demora proveio de se achar o mes-
mo Sr. primeiro lente muito distante da ca-
pital de Hatto Grosso.commandando o uonlo de
Casalvasco, quando Tora despachado. "
4." Que por aviso circular de 17 do referido
mez de deiembro, se drelarou que nao tcm
dircito passagem por eonta do estado as bar-
cas da companhia de paquetes a vapor, os es-
cravos dos ofliciaes do exercito, embora estes
siga ni (ni seivico, e assiiu, que quando as pre-
sidencias das provincias maudareiii dar passa-
gem aos mesmos escravos, deverao logo coiu-
inunicar a secretaria de estado dos negocios da
guerra, com declaracao ao nome do official a
quem pert< nce o escravo para se Ihc faier o
competente descont nos seus sidos.
;")." lin.lmeme Que por outro aviso circular
de 25 de noveuibro se declaiou abusivas as II-
cencas, que contra repelidas oidens do minis-
terio di guerra, as presidencias das proviucias,
li ni coucedido olliciaes com o sold por iu-
teiro, e mesmo com, lodos os venciiucnios,
quaudo uq forma dessas ordens, s pdein con-
cede-las com un ni sold, e para evitar esse
abuso, o governo impeiial fui servido determi-
nar que as pagaduras militares e as thesoura-
rias das pioviucias nao paguem aos agraciados
com laes Medicas, quaesquer venciiiieutos a-
l.ni do mcio sold, e que os euiprigados que o
contrario pralicarem, sejam respoiisabilisados,
pata o que se expedir aviso nesle sentido ao
fcxni. Sr.ministro da lazenda, e a contadura
geral da guerra, pata nos exames das coutas
das di |iei:is do ministerio da guerra, as pro-
viucias glosar as que se lucrcm com pagamen-
tos temelliaules, quando as licen^as nao forem
concedidas pelo dito ministerio.
Antonia il ana Rabillo,
Capitao aj mlanic de ordens.
DEM D DIa 5.
Orddem do da n. 30.
Faro publico para cniheciaicnlo da guar-
incTiu e (ns convenientes o oflicio du Kxm
Sr. presidente da provincia datado de hon-
U'in alii'ixii transcripto.
llm. Sr. Tendo cessado a rasSo que
motivou encarregar-se da dincgSo do hos-
pital regimental o I ir. Alejandre do Sou-
za Pereira do Caroio, lenho deliberado des-
pensa-lo da dila direccilo, que devora ser
incumbida ao ciiurgiSo militar de maior
grtduae8o que supponho ser o do 4." bata-
lli&o de capadores ; o que com ni un ico a Y.
S. para exi u.iqo de suas orJens, ueste sen-
tido, e conveniente participado ao dito
Doutor Carino.
Dos guarde a V. S. Palacio do governo
de Pnrnamburo, 4 de Janeiro de 1851. os
Ildefonso de Souza llamos. Sr. coronel com-
i aud aii le das armas .
Km cun i rmenlo do que, deve aprsen-
la r-se o Sr. capilSo cirurgiilo-nir do 4.
balalliSo do catadores Manuel Muiiloiro de
Azevodo, afim de ser encarregado do hospi-
tal regimental a cargo do 2." batalho da
mesma arma, o qual Ibe ser entregue pelo
Sr. I)r. Alezandie de Souza Pereira do Car-
Dio coiu as foroulidades do estillo.
Jos Vicente de Amorim lleztrra.
s!DBsssa.iiei.^.,czsi-.ia-(-i.''rc i .--
EXTERIOR.
COIIItESPONDKiNCIAS DO DIAKIO DE PEH-
NAMBUCa
Parit, 3 de detembro de 1850.
A FFinca nesta ultima quinzena tem es-
tado bastante calma. Exceptuando urna
pequea cidade que (ica ao sul, Si. .indol
na qual a Corea publica foi obrigada a fa-
zer uso de suas armas para reprimir mu
disturbio de pouca importancia que ahi te-
ve lugar, os r.ossos departamentos gozam
de perfeita Iranquillidade. A asseuibla
de sua parta) faz pouco fallar de si, pele que
ii.ciicc louvores, pois quando eiia se agi-
ta, o paiz se inquieta e as transares la-
zen.-so com dilliculdade. ToJis as sessOes
se tem passado em debales de negocios, ou
antes em discusses de proposlas ridiculas
apresentadas pelos montanhezes, as quacs
todas lem sido regeitadas. A Franca co-
lillero ja bastante os Srs. republicanos ver-
melhos e n2o quer_mais servir de materia
s suas loucas es-periencias.
Entretanto -e'slivemos a ponto de ver le-
vantar-.se um debate, o qual iufallivelmen-
te toiia jiroduzid'o una profunda divisu
no seio da maioiia.
Um representante orleanista que gosta
'muito de fazer fallar de si, apresentou una
' proposta ledente a fazer revogar a lei que
legilimistns, os quaes nao admittem que
seu pretendenle torne a entrar em Franca
com outro titulo que nflo seja o de rei,
nao querem urna revogat;flo qu em nada
Ihe pode aproveitar. Di outro lado o go-
verno pensa que <"a medida, nao obstante
ser justa e humana he anda interdicta pe-
la poltica, por causada agitadlo dos es-
piritos. Os orleanistas sSo por tanto os ni-
cos que sustenlam a revogacSo, e mesmo
assim n5o silo concordes acerca da oppor-
tunilade desta medida. Ilavia pois mui
grandnperigo na discuss.To, porqtianto os
duzentos votos dos montanhezes teriam
decidido da maioria, e sem duvida nenhu-
ma teriam apoiado aquella lado que offe-
recesse maior probabilidado desuccesso
mrebia. Oscibecas do partido da orden
romprehenderam estes inconvenientes e
obtiveram, posto que nflo sero diflieuldade,
de seus soldados,que a dlscusso fosse adia-
da para daqui a tres mezes.
Outro incidente parlamentar asss cu-
rioso foi provcalo por um veterano do
exeroilo, homem rouilo hnnrado, porm
mui potteo intelligenleem poltica, o gene-
ral Fabvier.
Este representante perguntou ao gover-
no porque rasilo nao dava ao emir rabe
Abdel-Kader a librame que Ihe tinha si-
do promellida pelo duque de Aumale ha
(iccasi:1o de o fa?er presioneiro. lio verda-
de que quando Abdel-Kader se entregou a
nossas tropas, foi-lhe promeltido que o
li'ixnriam relirar-so para a .Merca com sua
familia, mas o governo n5o ractificou esta
promessa feita pelo Sr. general Lamnricicre
e pelo duque de Aumale, no que fez milito
hein, por qminio (leixai Ablel-Kadcr ir a
Meca, era abrir-lhc oulra vez o caminho da
Algoria, e renovar por mutotempo unta
guerra sanguinosa n ilispnndinss que aca-
luva de ser terminada folizmente. A as-
semliliM upprovou plenamente esta con-
ducli.
Um debate mais imtiortante se abrir
quinta- feira 5 do crrente, e he oque se
refere ao pedido dos crditos necessarios
para urna leva de quarenta mil hnmens,
pois sem duvida nessa occasio se exami-
narSo os pontos mais graves de nossa po-
lines exterior. Opirecer da commisso res-
pectiva sobre < do a assembla desde sabba lo piusa lo
Eu voltarei logo sobre ello quando fallar a
Vm'j. da situacSo da Allemaiiha.
A quesillo dessa conjiiraC/1u estravagan-
te contra a vida do presidente da assem-
bla e do general Changaruier, da qual j
Dio Mlei na ultima que Ihe esrrevi, adia-
se lioje coniplelameute eschrecidi. Ajus-
ticia depois do urna longo o minuciosa in-
vesligafiTo decidi que a denuncia do agen-
te de polica Aliis fosse despiezada, e que
o mesmo fosse preso e proc ssado como
falso denuncian'.e Todas as pegas do pro-
cesso lio sido publicidad o di lias resulla
a prova a mais rlirade que a conjuracilo
nunca existi, senilo na imaginago de Al-
iis, o qual ja confessou a sua menina, res-
la agota saker-se qual a rasSu que leve es-
te homem para assim obrar. Esperando
que o processo que vai ser instaurado nos
instrua deludo, sempro diroi a Vmc, que
a opiniSo publica aecusa os legilimislas
le le in parle nessa tenebrosa itit'iga.
Nossa assembla legislativa lera breve-
mente que oceupar-se do tratado concluido
pelo almirante Le Prdour com llosas e
Oribe, tratado que nSo pJe ter licito so-
u.lo pela sanelo do poder legislativo. He
mui provavel que esta discussSo viessea
lermiuar na raclificago, mas um inciden-
te do qual Vine, tem bastanteconliecimen-
t pJe mu lar completamente a face das
cousas ; fallo do rompimenlo diplomtico
que acaba de ter lugar entre o lirasil e llo-
sas, segundo as noticias que recebemos pelo
ultimo paquete
Este incidente vai dar nova forca aos ad-
versarios de llosas, os quaes silo mui nume-
rosos em a nossa assembla. He impossivcl
levar mais lotige a velhacaria do qne fez o
dictador argentino, e certamente a Franca
dever desconfiar de um homem que tilo
descaradamente viola as primeiras regras do
direilo das gentes. Como me interesso por
tu lo quanlodiz respeilo ao Brasil, lenho
lido com attenc3o as principaes pecas da
negociaQo, o declaro a Vmc. em minha al-
ma e consciencia que nSo he possivel ter
mais rasaodoque o ministro brasileiro o
qual fez ao desojo de conservar a paz
todas as concessOcs compattveis com a dig-
nidade do seu governo. Accrcscentare
que os despachos do Sr. Paulino Jos Soa-
resde Souza nSo fomente proyam o direilo
que lem o Brasil, senSo tambem que este
similor lie dotado de um admiravel talento
de discussSo que Dio permitliria oceupar
um Ingar eminente entre os mais habis di-
plmalas da Europa. Por minha parte es-
pero ainda que esse rompimenlo n3o ser
seguido pela guerra, e que Rosas ser mais
prudente, mais justo o mais sabio do que o
seu obstinado negociador.
Allemanha. Os negocios da Allemanha
tem-su tornado mui sombros e ciiticos
durante esta quizena, e quasi que sumos
rhegados ao momento no qual a guerra pa-
reca inevilavel sempre pur occasiSo dessa
desgranada quesio da llesse eieiioral. Vuu
ilar-lhe uma aualyse rpida dos fados que
se tem passado, citando somonte alguns ex-
tracto! indispensaveis entre os numerosos
documentos ofliciaes.
Depois de ter convocado o seu l.andwer,
o rei da Prussia julgou -inda a prouosilo
convocar as suas r.un .ras. Foi commelter
imprudencia sobro imprudencia, pois repi-
banue do solo fruucez os meuibros uusjlo, Fredenco (iuillieruie uo quur governar,
iloiis ramos da familia dra ItnurhAtw i is ',. n uinlinlln ,ieenci,ii,:i,!a un- ,,,i-is me.ti,las
-
Uous .ramos da familia dos BourbOes. Os'e aagitaco occasiouada por estas medidas
deve contrariar singularmente os se'is pro-
jectos.
As cmaras prussianas reuniram-se a 21
do passado. O rei abri a sesslo recitando
um discurso muito extenso, do qual trans-
creverei smente a parte que diz retpeito
da aaieaeas do guerra. Eis-tqui como o
nona relia sa exprimi depois do ter fallado
Ion preparativos militares :
Minhas relaciVs pacificas com as gran-
des potencias europeas nSo si achim in-
terrompidas, he vordade, porm infeliz-
mento minha inlODQlo de procurar pira os
estados alieaies n na cmsl 11 un; lo en liar
atona com suas neceas! lades, nBo tom po-
dido realisar-se al o presente Confiden-
te no porvir, persisto na i lea que at boje
tem dicta lo todos os nieus esforcos, porm
n3o procurarei realisa-la sobro novas bi-
ses, senilo quando a organisacilo futura de
toda a cijnfeJeraco germnica estiver de-
cidida.
o Tenhoa esperanca de que as negocia-
COos quo a ella se referoin le o prompta-
menle um resultado falii,
A paz com a Dinamarca est concluida
e ratificada, mas aiivla uo foi posta em
xeciie i em lo las as suas clausulas,
c Conflictos da natureza a mais desagra-
avel tem lido lugar em um paiz allemflo
situado em nossa visinlunca. Urna tenta-
tiva de intervenco feita de um s la lo,
imi'ae i va alacar os direilos da Prussia, e
leu lugar a desinlelligencias, as |uaeste-
mos directamente tomado parlo. As ob-
jeeges qucfizemos funda las sobro nossa
;i isiivio geographica e militar, nao oblivo-
ram do soberano desso paiz nem du seos al-
lia los a alienen i que merecan.
Alm disso em paizes apattadosdo thea-
Iro dessas discussOes, e visnhos do nossas
frotirs, liveram lugar ConcentraQOqs de
tropas quo a>u aravam a se^uranca da mo-
Dfrcha. Foi entilo que pula minha paite
tainhem no pude mais ilefferir o quo ha
tanto lempo tinha hesitado em faier. Cha-
nioi ao servico tuda a forca militar do pa7,
e he com orgullio e prazor quo vojo que toda
a parto do meu povo apto pira pegar em ar-
mas, se levanta como um s homem, e se
junta ao meu exercito, cuja bravura e fe-
delidade sSo expariincitadas.
Muito breve nos acharemos mais forle-
meiite-armados do que em o- nliurna po-
ca dos lempos anligos ou mo lernos. Nflo
procuramos a guerra, nSo queremos atacar
os direilos de ninguom, uo queremos iin-
por nossas propostas a quem quer que seja ;
mas exigimos urna organisacilo da patria
iMininiiui que seja conformo cnii a posicla
que actiialmonle occupamus na Allemauli,
e na Europa, e que correapon la aos direitu-
que Dos poi em nossas nios. Temos poi
oi o dircito nos o defenderomo;, o pei-
uianecere nos fui tes e prepara ios d. baxi
das armas, al que tenhamos a ceiteza de
que esse dircito lom sido reconhecido.
sso nos o daremos a Prussia, nos o do
vemos Allemanha.
Tenho a COnOace de que nossa alttudo
bastar para salvar DOMOS direilos : delta se
seguir-mos esto li.n no resultar iieulin n
perigo para o repouso da Europa, porquan-
lo,meu povo lio iSo sabio, quanlo forte.
A vs loca, Srs. habilitar-mc cum os
meos necesssrios para cliegar a este lim.
I-ti lamento ossacrilicios quo para esle ob-
jocto devomser impostos a nacilo, mas sei
que vosso zelo no sera inferior ao de i o la -
as classesda populagao. Vos daris a prova
de que nossa consliluicuo, qual sou invio-
lavelmenle afTeicuado, longo do parausar a
acco enrgica da Prussia, lerve para faci-
lila-la.
ii E do mesmo modo quo no atractivo du
momento, todos os partidos se confundirn!
no povo, do mesmo modo que o povo e o
exercito se uniam comuiigo e entre si,
assim tambem vis Srs., que sois os repre-
sentantes deste povo admiravel, vos unis-
seis a ni im unnimes e firmes nos pengos
do presente.
Seja. pois nossa divisa uni.lo e fideli-
dade.confianfa em Dos e em um mesmo
espirito, o anligo e verdadeiro espirito
prussiano.
Assim como Heos tantas vezes e tilo
poderosamente nos tem ajudado, tenho a
(irme confianca de quo nos ajudar
ainda.
Este discurso agitou vivamente a oppino
na Prussia. O partido da guerra achou-o
muito fracoe mstico: o da paz demasiada-
mente forte e provocador para com a Aus-
tria. A bolsa que com qualquer cousa se
espanta, assuslou-se, e os fundos prussia-
nos experimentaratu urna baixa conside
rsvel.
Isto nSo he ludo, esperava-se com ancio-
dade a oppiniilo das cmaras. Ainda no
era chegado o Jia de discutir a resposla a
falla do Himno, mas a cmara electiva ti-
nha que escolher um presidente, c essa es-
culla poda ser significativa. <;,,Mi elleito,
essa cmara elegeo o conde de Schwerim,
liouiein moderado, porm que ao lomar
posse .da cadeira presidencial, pronunciou
um discurso extremamente bellicoso. O
vento soprava pois para a guerra e para
augmentar esses tristes symplomas, eia que
se espalda em Berln a noticia de que he
chegado um ultimtum d'Austria, u qual
exige a retirada inmediata dos Piussianos
do ducado de llesse, e que o embaucador
austraco o Sr. de Prolkesch pedir imine-
li,llmenle os seus passaportes se esta exi-
gencia uo foi salisfoita.
em palavrae, porm tiniiam coinposto muito i dem.Ilermina, crioul, escrava, nasc-
bem a commlssSodo voto de grabas, pois .'en- Ida a dez mezes, lilha de Varia Ancolia, es-
tre 21 inembros 13 eram amigos da pai. O ul- |crava do Cosme DamiSo dos Santos.
,nos j dem -lacintho, braneo, oaaeldo em 3 do
lezembro di-18t7, lilho legitimo de ,1a in-
da llesse tinhi <;onie|lit'i sido entregue ao ga-
binete, mas oSr. de Prolkesch nao fallera em
partir, e tinha concedido para a resposla lima
'lilacaii de tres dias. Ituraiite esse teinpo os
dous prinieiros ministros da Prusiia e Austria
leviam ter una entrevista em Oimut/. o tudo
larri esperar que ., queslao do luoiiiento se ar-
rancara aiiiigavelinenti .
r.ss.n raperanca afio foram frusladas, se he
verdad*, como hoja se annuocia, que achara-
se (iialinente mu expediente para terminar
honrosamente a quesillo hessiana. Ris-aqui
em que consiste esse expedii'iiie. Os Prussia-
nos nao querem retiiar-se dlantedoi Bavaros e
dos Austracos, porm contenten! de boa von-
tade em abandonar t^assel ao seu soberano le-
gitimo. Ora decidio-se o eleitor da llesse a tor-
nar a entrar oni sua capital, a qual prompta-
inente se Ihe submette.
Assim se acha arranjado um dot pontos do
debate entre a Prussia e a Austria Reatara an-
da outros mullos, mas teulio a firmo conflan-
ca de que estas duas potencias consideraran!
I'e n antes de lirigarein par amor de outros.
Ellas ambas devein saber bein que o primeiro
Uro de peca desparado na Allemanha desper-
tara todas as esperanzas da demagogia, a qual
procurar por lodosos tueios por a Europa em
clianiinas. He impossivcl que os grandes ga-
binetes da Mlemaiiha nao recuem dianle desta
eonsequenola quasi inevilavel de una lula.
Seja couin for, a Kranca loma suas precainaies.
O recrutamento de 4 mil liomens de queja
l'allei a Vmc. lem sobretudo por lim enviar pa-
ra as margena do Itlieoo Coreas asss considera-
rais para conter em respeilo os demagogos da
Siiissa e da Allemaulia, e llrsr-lhes a fantasa
de teiitai algiiiua cousa sobre nossas fronteiras.
Infltlerra, O novo cardeal Wisenian acaba
de pulilicar una brochura, a qual faaeill In-
glaterra a m lis viva tensacSo. Ella tem por lim
responder s diversas aecusaroes feitas contra
o breve do pipa, que instituir quaturzc dlocc-
/.es oatholicat na (Iran-Hi elanlia. 'fodn o mun-
do concorda em louvar o talento, a lgica e a
extrema miideraco deste escriplo. Os calho-
llcos dao prova de una verdadelra oaridode
ehrislai, moslrando-se moderados jura com os
Seus adversarios, pois nao ha dia que nao nos
traga algiima nova narracia de violencias e ve-
xaces exercidas contra ellcs.pela pupulaca in-
glesa sempre excitada pelo clero anglloano.
rspanli'i. As cmaras hespanliolas couti-
niiaiii a discussan do voto de gracas. O Sr. Mar-
tille/, de la llosa pionunciou ua cmara dos se-
n litares uui di., m -, que fe a mais viva seii-
saeno. a maioria em favor do ministro Nar-
v.ic he mui cuusideravel cui ambas as c-
maras.
I'ivmnnlc. O rei do Piemonte abrir a ses-
so parlamentar no da 25 do uattado, e nessa
occasio pronunciara um discurso mili liberal,
o qual oblivera um grande successo. O nio-
narclia passou depois revista guarda nacional
de l'iiriu e foi coberlo de applausos Alguns
disturbios liveram lugar em Sardeona, mas fo- \
rain prnuiplainriile comprimidos.
/'olUlim iln bulia. Durante o ine* passado a
I lio da Silva e Josefa Mara do Lirramento.
Mello.
dem 14.Jos,pardo,nascido In 7anno,
filho legitimo do Jos Coelho o Auna Joa-
qu na.
I lem 15.-Jos, braneo, nascido em 23 de
agosto d'sto auno, lilho legitimo de Jos
Antonio do Souza o Carolina Ferreira do
I lem 17.Florianni, parda, esoravs, na- -
i'ida em 5 deoutuhro deste anuo, lilhi do
Aun, parda, escrava de Antonio Hilarlo !e
Oliveira llego Jnior.
dem.Geraldo, pardo, nssci io en ai de
setembro de 1839, filho legitimo de Anto-
nio Valenlim dos Santos e Sebastiana Egyp-
ciaea Ferreira, :receheu os santos leos.)
dem 19.Esperanza, crioula, filha do
Hoza Anguila, escrava de Julio de Uarvalho
II ipozu, n.ise lo em II desmembro do ISiT.
dem 20.Victortana, crioula, escrava,
lilha de There/.a Anguila, escrava !e Fran-
cisco Haciel do Souza, nasciJo em 23 do
marco deste anno.
Idoui.-Jos, braneo, nase lo em 21 de se-
leniliro deste amo, lillio legitimo de Lud'
geio Antonio de Albuqueiquc M II i e Ign z.
Martins Teixeira de Mello.
dem.Agripino, lumeo, nascido em ."
de abril de>tu aouo, (ilho legitimo de Fiao-
cisco Cavalcanti de Albuquorque o lldnri-
| n'l i Clall lina lia valeaiiti dd Alliiiqui'l que.
demManoel, braneo, nasoido em 13 de
ab il deste anno, liihu legitimo do Jos
Jo quiin hilarle e llionizia Mara Pereira.
I lom. Peiro, cnoulo, esorsvo, nascido
em 30 do juuiio deste anno, egeravo Je Joo
du Freitas liarlinza.
dem 21 --Podro, braneo, nascido em 21
do junlio desle auno, filho legitimo de Ma-
l ie| da Costa lie/erra e Joaqun i d Lina.
I lem 27 Guilhermina, parla, nascida
em I de novo abro de IS49, lilha natural do
I! iza Mua da Conceico.
dem Mara, branca, uasci la em 2 desta
auno, lilha legitima do Jos Martins da Su-
va e s -bastiana Pacheca Osuna.
lom.Jos, braneo, nascido etn 10 do so-
lomlno desto auno, lidio legitimo de Fortu-
nato Pereira da Fonccca Bastse lia.oima
l.oopol lina Jorg-; Bastos
dem. Hornos, braneo, nascido en 9de
marco deste anno, lilho legitimo de Manoel
liias Fernaudes e Candida Hoza do Espirito
Sanio Fernandos.
Idem.Joaquim, brinco, nasciloem I i
de junhode 1845, Olliu legitimo do Manuel
Pereira Magaln s o Joantia Joaquina de Ma-
ga I hites, |a falescila.
dem 29.OoMineiiJoute, braneo, nasei-
i ''Um IO VUilU. KOI JI1U O lili L |,e-"l,l I, ,i,v.n. ...........-. ~r vvhvv, ,.-....-
holsa francesa esteve inulto agitada, e grandes do em 19 do setembro de I89, filho legili-
moviineulo.s de alta e baixa liv ramu ella lugar,
segundo a natureza ilas noticias que cliegaraiu
da Allem uilia.
Os cinco por cerno franceses Acara a 92, 50.
Os Irespor ccnlo ditos a.'iT, 10,
Os consolidados Ingleses do 9li7(Sa 97 1(1.

A guerra pareca portanto inevilavel. mas
chegou tambem a vo dos partidarios da pai, e
as probabilidades n:\o tardaran] em uiostrar-sc
em seu favor. Us dcpulados tiuham, he ver- I gsn la, crioula, escrava
dade, uoiucuio uui presidente um pouco vivo llamos.
flEUCAO DOS BAPTISADOS DA FREGU-
/.IV DE SANTO A.M'O.MO 1)0 RECIFE i\0
MEZ DE OUTUBRO DE 1850.
Da 2 --JoiSu, biancii, nascido em 26 do
mam desto anno,(ilho legitimo de Francisco
Celestino liamos e Joaquina Maria da Cruz.
I lem Maria, branca, nasoida em 27 de
agosto de I89, filha legitima do Jeroiymo
Ignacio ValadSo o Antonia da Trindade.
I lem 3.Manoel, pardo, nascido em 3 de
setembro desle anuo, lilho legitimo de Ma-
nuel Agapito da Annunciago e Laurinda
Emilia ca Silveira llamos.
dem.Antonia, branca, nascida em 13
dejunho de ist, lilha legitima de Joo Ig-
nacio d'Avila e Atina Marques d'Avila.
dem 5.Antonio, braneo, nascido em lt
dejunho deste anno, filho legitimo do Anto-
nio Pereira da Fonsoca Jord&O o Isabel Ama-
lia de Souza Jordo.
Moni.Corsina, branca, nascida em 4 de
fevereirode 1849, filha natural de Antonio
Jos do Oliveira.
Idem.Tbomaz, braneo, nascido em 1 de
maio do corrento auno, filho legitimo de
Ventura Pereira Pcnna u Maria Joaquina da
Conceico
dem 6.Felsberto, crioulo, nascido em
22 de agosto desteauno, lilho de Joaquina,
escrava de Joiio l.uiz llangel.
I lom.Manoel, pardo, escravo, cotn 6
mezes. filho de Rita, escrava de Amia lio
/erra Mtiin/.
dem.--Roza, branca, com 3 mezes, filha
iiil iii .i 1 de Cuilhormina das Dores, solteira.
dem.--Maria, bianca, nascida eni12de
junho desle anuo, lilha legitima de Antonio
Jos de .sihiii Jnior e Mara Joaquina Fiu-
zi do Souza.
I lom 7.Joo, crioulo, escravo, com 3
mezes, lilhu de Calharina, escrava de Ma-
noel Germano do Amarsi.
I.lem 12Mara, nascida em 8 do junho
desle anuo, lilha de Sopliia, preta, escrava
deC.lara Clementina t;arlota do Brito.
dem 13.-Antonio, crioulo, escravo, nas-
cido etn 17 de dezembro do 1849, lilho de
Joaquina, preta, escrava de llenrique Jorge.
Idem.Albeito, braneo, nascido em 18
do agosto do 18i3, lilho do Jos Soares de
Azevo lo e Ismonia da Graga Galvilo
ldom.#Alfredo, biauco, nascido em 28
de outubro de 1844, filho de Jos Soares do
Azevudu e 1-mma ua Grafa Galvilo.
dem Rernali, cnoulo, escravo, nasci-
do en, 11 do junho deste anno, lilho de Mar-
do Helena Roza
mo do Matioel Pereira Magalhaes o sua se-
gunda mulher Silvana de Almeila Ma-
galhSes.
Ilom.Ailliif, braneo, nascido em 1 do
setembro deste anno, lilho legitimo do Dr.
Antonio Anuos Jacomo l'ir s Jnior a. Ale-
xandt na Anuos Jacome Pires.
Ao todo 37.
Santo Antonio, 15 de novembro de 1850.
l'adre io/io os da Cosa llibei'o,
coadjutor pro parucho.
lAifl d HWmf
SECIFE, B DX JANEIRO DE 1851.
Ilouvc liMiiein una desgrafa na estrada da
Victoria. Perto do riacho Seraliiu desabou
una pnrcao do Ierra de nina ribiuceira, sem
duvida occasionado pelas ebuvas dos dias ante-
cedentes, e succedeu licareiu morios cinco dos
ii ib illi i,l,ii es. c outros pisados; estes porcui
(orain de pronipto soccorridos pelo Ur. Vital,
que a convite doSr.chcfc de polica se ir.uis-
poilou a aquel i iue, ir.
O paquete inglez Seagul chegado hojo de
Falniotilh, 11 iiiixo-nos a carta do nosso cor-
respondente do Pars, a qual os leitoros
aehai i estampada eoi outro lugar desta
tolo i, e l'cm assim varias gazetas inglezas,
datadas de 2 a 4 de dezomhro do anno pr-
ximo passado, mo nos leudo aindo chega-
do as nios as que foram publicadas de 12
ao ultimo de novembro do mesmo auno,
as quaes MO duvida nos foram remettidas
poralguma embarcaco de marcha inferior
ao do paquete, untament e com a carta de
queo (lito nOMO correspondente do Pars faz
inenco na que hoja publicamos, a qual
anda nao recebemos.
Os receios do guerra entre a Prussia e a
Austria, achavam-so ja desvanecidos. O
eleitor da llesse tendo resolvdo recolher-
seaosou paiz, e terminar a quesillo exis-
tente enlre elle e o seu povo, de urna ma-
nen a constitucional, tirara as duas gran-
des potencias germnicas rivaes todo o mo-
tivo do contendas. Com ell'eilo as tropas
austracas na llesse estavam-se j retirando
para llansberg, e as prussianas para a re-
taguarda das posices que oceupavam.
Um despacho de Vienna recebido pelo
conde I'iiiiu em Frankfort, informara a
Odio cavalhero de que a llesse sena evacua-
da no lim de quinzo dias.
EleicOes paia una nova dieta tinham ti-
du lugar naquello (ducado, sendo os eleitos
constitucional s moderados.
As noticias de llamburgo fazem mencjlo
io uuia uiediacuo pacifica entre aduna marca
e llnl-icin. A i,i aa idoiauha lora escolUt-
da para potencia mediadora.
Corra que os stadlholders tinham pedi-
lo negociar com um co.imisssario federal,
sondo levados a isao pelo prospecto do una
uiterveugAo armada.


a
->
30 000
j ... .. *,k!.a.iliii Nol meloda, competentemente habilitadas na for-
cando de pagar o *^j^*j\Z do artigo 24 do regulamento de 7 do malo
Declaracoes.
pela commissilo especial para sso nomea-
il, he inteiramente ministerial, e criase
que a cmara o aprovaria gpm emendas.
Na G'ecia a rainha, na ausencia do rei,
abrir a sessflo do parlamenlo, pronuncian-
do mu pequeo discurso, no qual de.ots
es concedidos ao paiz, e ao rovo pelo zelo
e Adeudado que lem mostrado para como
sen soberano chama a atlencHo dos repre-
sentantes da i>a(,-no para as necessidades da
n. es ni a.
Carlas de Constantinopla annunciam que
os rebeldes do Aleppo tonta completamen-
te exterminados pelas tropas de Kenm Pa-
cha, e que os de Bosnia foram lambem der-
olados por Ornar Pacha.
OAraldo, peridico militar publicado em
aples annuncira em o seu numero de
14 de novembro do anno prximo passado
que o governo napolitano prohibir as se-
guinles obras :
O comoi de llumboldt, as obras de Sehil-
ler, Shakspeare, Moliere, Lamartine, Tlii-
ers, sismondi, Ovidio, Luciano, Lucrecio e
Sophocles.______________________________
VARIKIMM5
CARTA DE BRAZ, TIZANA, BOTICARIO DE
LITBOA, AO BARBEIRO.
Oulubro 23.
Mon eher. Appzar de que entre os ingle-
zes pass8mos por um povn sem civilisaco,
entre ellos lambem ha muitas ratices popu-
laros que fazem rir No norte de Inglaterra
ha urna opiniflo extravagante, mas arrei-
gida, que he a seguinte. Acere liU-se all
que appresentando ao mesmo lempo na pia
haplismal um rapaze urna rapariga, se o
rapaz ni!o se baplisa primeiro, Picar sm
l>arba lodos os dias da sua vida / lia dias
o pai de um muchacho, chegando pia com
o filho a encontrn oceupada por urna
Ncoihitade18 Abris, e o hon.em preferio
marchar para casa, e esperar um anno at
que se dissipe a mi influencia da raja-
riga !.'
O embaixador inglez em Madrid, Lord
llowden, manifestou o desojo de possuir,
custasse o que custasse, urna espala e urna
mdela do famoso Touroiro Montes Este,
mal que soube o appelite inglez, icou mui-
to sattsfeilo, e tifio s lhe mandou urna es-
pada, mas tambero a rapa que levou na ul-
tima tarde qi e sabio a praca, ludo acom-
panbtdo de urna carta ; na qual lhe dizia
que a tal espada tinha dado a morte a mu -
tos bichos! Um Sombreireiro de Madrid,
calculando que a llespanha em breve tora
um rhuveiro de canlcaes, mandou fabricar
chapeos cardinalicios, cuja amostra oflere-
ceu ao respoilavel!
No mesmo dia em que o duque de Sotto-
Maior, ministro hespanhol em Paria, entre-
gou a Mr. le presidente o lusilo ilo ouro, que
trouse o Imperador Carlos V, e Fernando
Vil, Mr. te presidente o condecorou cum t
griio eordfio da lejiito de honra Com eflei-
tu Mr. le presidente j possue una grande
tabulla Imperial e real I! chete poltico
de Madrid, o Saragoca, mandou ao livrei-
ro Munier que recolhesse, e no Tendease
alguns livros francezrs, ltimamente clic-
pailos, que escandecan) as cabreas Um
delles tem por UU\\o-Jesu$-Chritto icranle
vm conselho de guerra '.
A nova lei de Imprenta poueo por ora tem
produzido a favor do ministerio publico,
penas me dizem que quenlaram da na-
efio. O patriota, a revolucSo, e oulros mais
acharam meios d cacoar os grandes legis-
ladores comioscripcesdefavorl Eonro-
iiiioMailins do Burlesco, aue ji tmba re-
digldo a sua despedida, foi instado pelo
patriotas para continuar dehaixo da res-
ponsibilidede do Manoel de Jess Coelho.
O governo lirou apenas com um advogado .'
A Icidasmens A unido relirou-se em boa
orJem,e deu parte da mora. A naclo, o
estandarte, a ievolu?3o,e o patriota esses
siioopposicflo.
F.gtive lia sexta noite no theatro de D.
Fernando para ver como se sabia a Regina
Persolli, qii" fol substituir a irma Catliari-
ii.. na Venia del l'uetlo. A Regina quiz l'a-
zer este sacrifirio fugitiva Cia, e o res-
pcilavel, que era numeroso, a; reciou a me-
linilrosa posiefio da pequena, e Iho deu
gaz com repelidos apiilauso9,c ale a cha-
muu fra, e pede a verdade que se diga
que a Regina trema, e vestida com os tac-
tos da irona, deitava a sua lagtimasita mu-
to a proposito Ao ullimo concert da Jen-
ny l.ind em Castre Garen assis'.iram 8 mil
pessoas!' .
No dia 27 do pastado fui a cidadeTorlo-
sa na Calahii.ha invadida, n3o por una
guerrilba de trabcanos, mas sim por urna
legiflo de mosquitos, que tolas as casas e
edificios ficaram cheios desles hospedes /
Tralou O povo de os por fra, mas nlo fui
possivel! As autoridades tomaran) mil pro-
videncias, mas os mosquitos cnQoaram com
as autoiilados I llavia um baile em um sa-
ino, os mosquitos atlrahidos pelas luzes
invadirn) o salflo, levaram a aoarchia aos
grupos dancanles, e foram Untas as ferra
dlas, que se suspenderam as polkas e
Walsaa, e elles e ellas foraui para sua
sa !.' Um esquadrflo dos taes mosquitos en-
tiou em um corral de gado langero, e ma-
tou 25 rezos !.' Em todas as casas se lize-
ram fogueiras para qneima-los, mas pouco
efleito tem produzido I Os taes mosquitos
s3o maisgrossos que os communs, canlaro
menos ererram mais !!
Acha-se em Satagoca causando grande
seiiac!io o gigante hesnanhol F.leisegur,
natural de Alzo, Cuipuscoa. Tem de liUdti
26 annos, 8 ps e 5 polegalas de estatura, e
de peso 16 arrobas !' Moircu em Madrid O
tenante-general hespanhol Ferraz. lam-
bem acaba de morrer em Franca o marechal
de campo marque* de Panges : militar an-
tea da revoluto, servio as guerras do im-
perio, depois as guardas vermelhas de Luiz
XVIII: era dos antigoa pares, e tinha 80 au-
no. Na noite de 17 do agosto represen-
lou-se no theatro de S. Jo*o na Baha um
novo drama em 4 aclos e 5 quadros, tirado
da historia porlugueza, e intitulado-Grn/-
doiem Furor, ou a tomada de hvora ; he
eofltpOStO |or Pedro da Rocha Felgueiras.
lielUaoqiiefizrra a escrlplura, r as duas lesle-
iniinhas que linham aslido .
O baliio collossal de Mr. Godartl, que subi
aos ares no Hippodromo de Pars, fol cahir om
GlIS, entre Bruges e Ostende, isto he, na Blgi-
ca. Parti s 5 horas e 20 minutos da urde, e
locou em trra s 10 em ponto. Andou em 4
horas e 35 minutos mal de 100 legoas, quasi 20
legoaspor hora 1 nao leve perigo. Corie o
boato de que o arcebispo do Oriente Torres ira
breva administrar a mitra primal de Braga,re-
tirando se o arcebispo cardeal Pedro Paulo.
Tanto a prima D. Diu/.llla Mugoiani como o
lenor De-eiii, que cantaran) no theatro de 1).
Fernando, ficaram por ora (ora do servieo, pe-
tar do phosphorlco enlhuslasmo de flores c
veraalhada com que Ibc quizerain formar uina
i eput i i. :i" artstica !
U marque* do Fayal, novo duque de Palinei-
la. chama-se U. Domingos de Souza e Holsteln:
succedeu na casa a seu irmao mais velho o con-
de de Calharii: fol official demarinha : naa-
ceu a 28 de junho de 1818, e casou em 3 de ju-
dio de 1836 com a riqusima filha do conde da
Povoa D. Mara Luiza de Sanipayo e Noronha-
Julgo que a poltica pouco ou nada pode espe-
rar de S. Exc.
Chegou no paquete o ministro inglez Sey-
inour : velo tambem o ministro prusslano ba-
rio deKonitz; este trai despachos, que diz
elle, ha de entregar pessoalmente a rainha.
Dizcm que o Scymour vem fazer politlca, e que
he provavel que o conde do Tojal ceda a pasta
ao visconde de Castro, que julgam mais apto a
tratar com o tal Si'ymuur. Na segunda-feira
pelas cinco da tarde chegou o cardeal patriar-
cha a esta capital, sendo esperado em San Jor-
ge peto arcebispo de Mytelene e mais estado-
inaior ecclesiastlco que acompanharain o car-
deal a San Vicente de Fra. Morreu no dia 19
a l-.xni i D. Hara da O-loria de Campos Gulma-
r.'ies, joven de 17 annos.
Corre hoje o boato de que o conde de Penl-
clie acceilarao governo civil Je Evora, de que
fra demillido o Albergara Freir. O meu
praticante meconta agora que hontem pelas 6
horas da manliaa una criada de servir que roo-
rava em um segundo andar na ra do Ouro te
lancra da janella aballo, c entregara a alma
ao Creador No da 3 foi juatlcado ero Palma
deMaorca Droas Nieto por terassasslnado sua
inulher Catharna Amenguo e no seguinte dia
4 foi tambem ejecutado em Palma del Rio Joi
Prieto Fernandes, por ter assassinado a sua
chara nu-tade, que eslava pojada 11 Eslas dnas
palmas, e estas duas consortes assassluadas fa-
zem-nie cismar :
No diados fiis defuntos se despedem os bai
I.nios do theatro de ouro: a Marsigliani eo
marido v-o para o Plcnionle, segundo se dlt.
Esta Marsigliani he Porluguea, c lem propor-
ces para ser uina boa Sylphide. A chuva ti-
nha diminuido a concorrencia i feira do Cam-
po Grande; felumenle, porm, na segundan
dia esleve brilhanlc, e a coucorrencia foi aspan
losa alugnu-se ludo, nao escapou a mala in-
significante capoeira, e nao ficou fra do servl-
co cavalgadura alguma menor! As praias do
mar vao (cando desertas, eso com pescadores!
o fro espanca as bellotas, c os Janotas com o
seu retuda transparente nao podem resistir
liunianidade.
Sou cni uouie da naci e da rainha. seu a-
migo,
Ce Citoren
Brat Tisana.
Suido, patacos e fraternldade.
Do Peridico doi Pobres no Porto.
O secretarlo,
Antonio Ferreira d'Annunciacdo.
v Clauiulai eipeciaet da ammalacao:
1 A pintura da ponte do Cachanga ser fel-
ta pela forma sb as condiees e do inedo In-
dicado no orcamento apresenlado a approva-
cio do Eim. Sr. presidente, pelo preco de rs.
385,000. ,..,..
2 As obras prlnclpiarao no praso de 15 dia,
c serlo concluidas no de 40, ambos principia-
dos a contar da entrega do termo da arre-
mataco. ,
3'0 pagamento ellecluarse-ha depois de
concluida toda a pintura, e examinada pelo en-
genheiro. ,
4 Para tildo o man que nao esta determi-
nado nas presentes clausulas egur-e-ha o
I1.IUU ii.." i" --------- -;- m M = _, toen
aue dlspe o regulamcnlo de 7 de malo de 1WU.
Becife, 16 de deiembro de 1850.
O engcoheiro chefe da2.* da seccao,
Joo Luii Vctor I.iiuthier.
Anprovadas pela directora em conselho, do
da 16de dezembro de .850. -O director, os
MamedeAlves Ferreira. -H. A. Mttit.-i. Un
Felo Lieathier.
Annrovo. Palacio do governo de Pernambu-
co 3 de deterobro de 1850. -Sou> Ramos.
Conforme. O ofBclal, Hanol Jo) arlmi
'conforme. O secretarlo, enlomo Ferreira
d'Annunctaco.
- Pela segunda scoflo da mesa do con-
sulado provincial se faz publico que os 30
lias u'.eis para a cobranQa, a bocea do co-
fre, da decima dos predios urbanos desta
cidade se lindam no dia 11 do corrente mez,
e todos os que deixarem de pagar at esse
dia o primeiro semestre do corrente anno
(inanceiro de 1850 a 1851, incorrem na mul-
ta de 3 por cento sobre o valor de seus d-
bitos.
--Francisco Jos Silveira acha-se em exer-
cicio de iuiz de paz do primeiro dislricto da
fregupzia de S. Fr. Pedro GoncsWes; da au-
diencia nas torta e sextas-feras de cada
semana pelas 4 horas da Urde, no primeiro
andar do sobrado o 50, silo na rus da Cruz,
e despacha nos dis competentes, das oito
horas da manha s qualro da Urde
Jo8o Francisco Teixeira acha-se em
exerciciodejuiz de paz do segundo distnc-
to da freguezia de S. Frt Pedro Concalves ;
d audiencia nas quarta-feiras e sabbados,
as quatro horas da tarde, na casa de sua
residencia, na rus dos Guararapes, e despa-
cha nos das competentes.
CONSULADO DA CONFEDERADO SUISaA
EM PEBNAMBUCO.
O cnsul da Confederacao Suissa, inven-
lariante dos bens do falecido relojoeiro
Ulysses Droz, estando para proceder, daqui
a pouco ao leilHo dos bens inventariados a
BarSo de Capibaribe, barioi de Ipojuca,
Bizilio Antonio Carrasco, Bolchiorde Arau-
io Bello, Belarmino Firmino Bezerra ||,
liento Jos de Almeide, Bento Candido Bo-
tolho, Bento Candi lo Bololho, Bonlo Can-
dido Moraes R., Bento Joaquim Carvalho,
Bernardino de Araujo Ferreira, Bernardino
Antonio Pereira Bastos, Bernardino Das
Ferreira Grillo, Bernardino los de Araujo,
Barnarlino Antonio Maia, Beroardino Fer-
reira Lima, Bernardino Jos Costa Guima-
riles, Bernardino Jos Ferreira GuimarSes,
Bernardino Jos LeitBo, Bernardino Luiz
Ferreira, Bernardino Oliveira Silva Cunha,
Bento Pinto Ferreira Bernardino Ribeiro
Coelho, Bernardino Santos, Bernsrdino
Silva, Bernardo Alves Pinhoiro, Bernar-
do Angelo Bouco, |Bernardo Antonio Mi-
randa, Bernardo Cerqueira Castro M. ,
Bernardo Goncalves Mais, Bento comes de
Souza. ^^^^_
O Ilion. Sr. inspector da thesouraria da elleficio dos berdeiros do defunto, lorna a
Uremia provincial, em cumprimento da convdir (,,l. presente aviso, a qualquer
ordemdoExm.Sr. presidente da provincia l)iesS0B que tinha relogio na inflo do dito,
de 12 do corrente, manda fazer publico ou oui_ro qualquer negocio, a dirirgir-se a
que nos dias 21, 22 e 23 de Janeiro prximo rua da Cruz ,,. 51| no consulado suisso, para
vindouro ir a praca perante o tribunal ad-
ALFANDEGA.
Itendimentododia 8.....7:236.99
Descarreqam hoje 9 de Janeiro.
Itrigue -- Pauline mercadorias.
Hr gue G. Ilobiiion bacalho.
Itrigne /'. Malheus -- idem.
Polaca ~ Unce mercadorias e vinho.
Iliate Anglica -- idem.
CONSULADOGERAL.
Iteittdimonto do dia 8.....
Diversas provincias.....,
3:010,620
246,427
s
ca-
3:257,047
EXPORTACAO.
Despachol martimos no dia 7
Havre, patacho francez inseph Proiptr, de
260 toneladas: conduzo seguinte: 1510 san-
cos com 7,550 arrobas de assucar, 591 sac-
csscom 3,086 airobas e 26 libras de al-
godilo.
Rio Grande do sul, brigue nacional Pira-
tinim, de 204 toneladas : conduz o seguin-
te : 4,250 alqueircs de sal.
RECEBEDOBIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 8......920,203
CONSULADO PROVINCIAL.
Reudlmento do dia 8 _. 4:178,723
NOTICIAS COMMF.HCI \F.S.
Liverpool, 3 Je diimbro de 1850.
Algodao. O mercado abrio-se com anima-
5S0 comparado com os procos. Os procos dos
algodes da America subiram 1)4id. por libra
n.is qualidades ordinarias e medians, c 1/8 d.
por libra em todas as domis qualidades. Em
lodas as oulras descripcOe'i ha una pequea
alleracao. As vendas sao 7,000 a 8,000 saccas,
das quaes 6,000 sao da America. 130 da Baha,
5o do Kgyplo8d.8 1/2 d., 1,200 de Surrale de
5a 5 1)4 d. Os especuladores tomaran) pouco
mais ou menos i.OOO saccas da Americ, eos
exportadores 1,000 de Surrate. A tolalidade das
vendas desde qunta-foira orcava po 25,000 sac-
cas, e a importaco he de 5,00>l-
.Isfuear. Nao houverain vendasen) assucar
que vala a pena menclonar-sc.
Cali. l)eve-se mencionar 30 saccas da Ja-
maica de 52 a 105 s. 6 d. para o ordinario ao
lino, 100 saccas de San Domingos a 48 s. por
11 u I n la I.___ _
iVlovtmenlo.clo porto.
Navios entrados no dia 8.
Falmouth 32 dias, paquete inglez Seagul,
commandante Smail.--Fundeou no La-
moirflo.
Babia -7 dias, brigue lubequenso enrigui
Cvitav, de 233 toneladas, capitflo M II.
Frinck, equipagem 11, em lastro; a N.
O. Bit ber & Compaohia.
O lllm. Sr. Inspector da lliesourarla da fa-
zenda provincial, em cumpriinenlo da ordem
Uo Exin. Sr. presidente da provincia de 3i de
dezembro prximo passado, manda fazer publi-
co, que nos dias 21, 22 c 23 do crreme ir a
praca peranle o tribunal administrativo
inesina thesourarl-, para ser arrematad
quero por menos flzer a pintura da ronte pen-
sil do Cachaog, avahada em 385,000 rs. c sb
ministractivo da mesma Ihesonrana, para
ser arremata a quem por menos fizer a obra
dose"undo laen da estrada do norte, ava-
hada em 8:633,966 ris, esb as clausulas
especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a esta ar-
rematacSo compareci na sala das sessOes
,io mesmo tribunal nos dias cima mencio-
nados pelo meio competentemente habili-
tados na forma do art. 24 do regulamento
de 7 de maio do correnle anno. E para
constar se mandou alizar o presente e pu-
blicar pelo Diaria,
Secretaria da ihesourana da Uzenda pro-
vincial de Pernambuco, 16 de dezembro de
1850.O secretario, Antonio Ferreira da
AnnunciueHo.
Clausulaes especiaes da arremalaco.
(i |.-Os trahalhos e obras deste lanco de
estrada serflo foitos pela forma, sb as con-
dices, e do modo indicado no orcamento,
planta e perfiz, apresentados nesta data a
approvacflo do Exm. presidente pelo prego
do oito contos seiscentos e trinta e tres mil
nove centos e sessenta e seis mil ris ( reis
8:633,966. )
2.-Em todos os pontos onde a estrada
nova coincide.ou enconlrar-se com o velho
caminho actual, devei ser dirigido o ser-
vico de modo tal que haja sempre um tran-
zito fcil.
3.As obras principiarSo no praso de
um mez, e findarflo no de oito mezes, am-
bos contados de conformidade com o art.
30 do regulamento de 7 de maio de 1850.
4.-Para ludo mais que nflo esl deter-
minado pola presente clausula, seguir-se-
ha inteiramente n que dispfie o regulamen-
to das arrematac^s de 7 de maio.
Becife, 25 de novembro do 1850.O en-
uinheiro chefe da segunda seceflo, Jodo Luiz
Vctor Lieuthier.Approvado pela directo-
ra do conselho no dia 3 de dezembro de
1850 O director, Joie Mamede Alves Fer-
reira. llorianno Ditir Portier.Approvo.
Palacio do governo de Pernambuco, 11 de
dezembro de 1850.Souza Hamos Confor-
meNo impedimento do oflicial maior, o
ollicial Domingos os Soares. n
Conforme.O secretario, Antonio Ferrei-
ra a" Annunciacdo.
OSr. inspector interino desta pagado-
tia militar de ordem do Exm. Sr. presidente
de 23 de dezembro proximmo passado an-
nuncia que tem de comprar para ser re-
mollido para a ilha de Fernando os gneros
Constantes da relagSo seguinte : as pessoas
que taes objetos quizerem vender compare-
cam com as suas proposlas em carta feicha-
da nos dias 7,8 e 9 do correnle tiesta pagtdo-
ria para ser preferido a quem por monos
dr.
Pagadoria militar de Pernambuco, 4 de
Janeiro de 1851.No impedimento do escri-
vio.-- O ollicial, Francisco Vertir Bastos.
RelacAo dos objeclos precisos para forneci-
mento do armazem do almoxarifado da
ilha de Fernando.
Limas chatas de desbastar, 4 dusias.
Ditas, ditas do 10 pollogadas, 4 dilas
Ditas, triangolar surtidas, 4 ditas.
Ferro da Suecia barra estrella, 4 arrobas.
Serrle* grandes, 6,
Madeira de Sicupira para 2 carros.
Tijolos de alvennria grossa, 8 mil.
Paos dejuigada para a bale,e do servieo do
porto, 12.
Cabo de cairo de 5 pollegadas de grossura
para o servieo da mesma balea, 2 pecas.
iiltnnlns para o anno de 1851, duas.
Pagadoria militar de Pernambuco, 4 do
Janeiro, de 1851. No impedimento do escri-
vilo. Oollicial, loaquon Vertir Vastos.
O Sr. inspector inle'iuo desta pagado-
ria militar de ordem do Exm. Sr. presiden-
te de 30 do dezembro prximo passado an-
nuncia que tem de serem vendidos em bil-
la publica peranle esta pBgadoria os objec-
los constinlos da relago seguinte : viudos
da ilha de Ferium lo pertencentes fazenda
nacional, por sor prolucto da mesma ilha:
quem nos mesmos quizer lancarcomparota
nos dias7, 8 e 9 do corrente miz nesta pa-
gadura cujos gneros te acbam lecolhidos
na rua da Praia armazem do Sr. (ardial on-
de pdenlo sor vistos pelos interessado*.
Pagadoria militar de Pernambuco, 4 de
Janeiro de 1851. No impeJimento do escri-
vio. O oflicial, Joaum Pereira Bastos.
Relacu dos objeclos viudos da lina na Fer-
nando, abaixo declarados que tem Je se-
rem ai rematados; a saber:
3-2 saceos com 67 arrobas de algod.li de
ensecuinie successo, que dlieni li-'as clausulas especiaes abaixo declaradas.
h !r en, O ninue, o he o seguinte Ule ** peaioaa que se propozerem aeita arro-
Tora | iK ero ,^UPL ,,, |Ua lllacilocon.pare5a,n na sala das sessdes do roes-
roa aipiuia de venda de una bc.dade, fl- mo tribunal no dia cima mencionado,, pelo
caroco
60 sarcos com 60 alq. de milbo
31 couros de boi.
150 pelles decarneiro
47 dilas de cibras.
Pagadoria militar de Pernambuco, 4 de
ianoiro de 1851. No impedimento do e vao. O ollicial, Joojmm Pereira Bmtot.
i
#
i
ontender-se com o cnsul a esse respeito.
--smalas que tem de conduzr o pa-
quete inglez Seagal para o Rio de Janei-
ro e Baha, principiam-se a fechar hoje
9 as duas horas da tarde, e recober cor-
lespondeociss como porte duplo at as 3
horas. ., ,,,
Lista gtral das cartas entradas at o ultimo
de dtsembro de 1850.
( ConclusSo. ;
Antonio Avel.no Amaro, Antonio AtJ-
guslo Coi rea S Antonio Almena Brandflo
Souza, Antonio Augusto Sou*a Pinto. An-
tonio Alves rosta, Antonio Alves PavSo,
Antonio Alves Res, Antonio Alves Souza C,
Antonio AlTonso Vianna, Antonio Adriano
Vasconcelos, Antonio Corque.ra Carvalho
& C. Antonio Chaves Carvalho. Antonio
Cordeiro Santos. Antonio Correa heara ,
Antonio Costa Almeida Antonio CostaCa-
das Antonio Cruz Barboza, Antonio Costa
Pereira. Antonio Costa Martina. Antonio
Costa Reg M Antonio Das Silva Anto-
nio Ferreira Marinho, Antonio l-erreira Pin-
to, Antonio Fernandes Bamos O., Antonio
Fernandes Carmo, Antonio ernsndes Ri-
beiro, Antonio Fernanles Silva Antonio
Fernandes Thom, Antonio Francisco Bar-
reto Antonio Francisco Cordeiro, Antonio
Francisco Correa C, Antonio Francisco Ca-
nastreiro, Antonio Francisco Guedes An-
tonio Francisco Santos Leite, Antonio Fran-
cisco da Suva, Antonio Francisco Xavier,
Antonio Gomes Araujo. Antonio Gomes
Silva, Antonio Cotes Oliveira Santos, An-
tonio Gomes Relo, Antonio Gomes Ribei-
ro, Antonio Goncalves Costa', Antonio Gon-
calves Pereira Lima,Antonio GoncMves I -
reir, Antonio Gon?alves Silva, Antonio Hy-
polito Marques B. Antonio llenriques Ro-
drigues Antonio Jacintho Juliano S.. An-
tonio Joaquim Antonio Joaquim de Araujo,
Anto nio Joaquim Amoral, Antonio Joaquim
Ferreira, Antonio Joaquim de Azevedo, An-
tonio Joaquim Ferreira, Antonio Joaquim
Ferreira Silva, Antonio Joaquim Ferreira
Tabora Antonio Joaquim Ficitas Cuima-
rSes Antonio Joaquim de Lima, Antonio
Joaquim Maiato, Antonio Joaquim Pedras
Costa, Antonio Joaquim Ribeiro, Antonio
Joaquim Santos, Antonio Joaquim Soares
Jnior Antonio Joaquim Silva, Antonio
Joaquim Silva Figueiredo, Antonio Joaquim
Silva Paulo, Antonio Joaquim Teixeira
Chaves, Antonio Jos Arantes Pereira An-
tonio Jos Alvos Lages, Antonio Jos Alves
Silva, Antonio Jos Bernardo, Antonio Jos
Brrelo, Antonio Jos Barboza, Antonio Jos
Carvalho S. Tiago, Antonio Jos Costa Fer-
reira, Antonio Jos Costa, Antonio Jos Das
H. Antonio Jos Dias Braga. Antonio Jos
Ferreira Braga, Antonio Jos Gil, Antonio
Jos Lial, Antonio Jos Lisboa Oliveira, An-
tonio Jos Lopes Albuquerque, Antonio Jo-
s Lopes Silva, Antonio Jos Mendes, An-
tonio Jos Moreira, Antonio Jos Moreira A-
zevedo, Antonio Jos do Oliveira, Antonio
los Oliveira Braga Antonio Jos Pinto,
Antonio Jos Pereira, Antonio Jos Bocha,
Antonio Jos Bogo, Antonio Jos Rodrigues
Cunha, Antonio Jos Rodrigues Beis Anto-
nio Jos Rib iro Silva Guimarf-s, Antonio
Jo, Soares, Antonio Jos Silva. Antonio
Jos Silva Grispiniaiio, Antonio Jos Silva
Veiga, Antonio Jos Teixeira, Antonio Jos
Villas-Boas, Antonio Leal Barros, Antonio
Luiz, Antonio Luiz Gonsalves Jnior, Anto-
nio Luiz Souza Antunes, Antonio Moraes,
Antonio Marques Albuquerque Antonio
.Moma Bastos, Antonio Machado Cruz, An-
tonio Maximiano Martina, Antonio Muniz
ConcalvM, Antonio Monleiro Almeila C
Antonio Muniz Machado, Antonio Marques
Albuquerque, Antonio Maria Marques Fer-
reira, Antonio Moreira Rwis Antonio Morei-
ra Silva, Antonio M-galhfles Silva, Antonio
Manoel Lemos.Antonio Manoel Pereira Vian-
na Antonio Manuel Souza, Antonio Nones
Inglez, Antonio Oliveira Cachoeira, Anto-
nio Oliveira Alves & C Antonio Oliveira
Borges, Antonio Oliveira Diniz Antonio
Peixoto, Antonio Pedro Carvalho Antonio
Pereira, Antonio Pereira Barroso Magalhfles,
Antonio Peroira Costa, Antonio Pereira de
Carvalho, Antonio Pereira Mendes, Antonio
Pereira Miranda, Antonio Pereira Machado,
Antonio Pereira Pinto, Antonio Pereira Sao-
tos Antonio Pereira Silva, Antonio Pinto,
Antonio Pinto Azevedo, Antonio Pinto Ro-
cha, Antonio Pinto Soares, Antonio Rocha
Santos, Antonio Rib ir<> Fernandes, Antonio
Reg Duartr, Antonio Rodrigues Pinto, An-
tonio Rodrigues l'ossi, Antonio Rodrigues
Silva, Antonio Rodrigues Valentim Anto-
nio Silveira Nunes, Antonio Silveira e Sou-
za, Antonio Silva Angelo. Antonio Silva Bes-
sa, Antonio Silva Gonzaga, Antonio Silva
Marques, Antonio da Silva Riboiro, Anto-
nio Souza Aguiar, Antonio Souza Azevedo,
Antonio Souza Baptista, Antonio Souza Cu-
nha C Antonio Souza Espirito Santo An-
tonio Souza Moreira Pinto, Antonio Souz
Maia, Antonio Souza Pinto, Antonio Veiga
Campos, Antonio Vieirs Martins.

Theatro de Santa-Isabel.
36.' RECITA DA ASSICNATURA.
izaQA raan, 14 deiankiso de 1851.
Depois da execuQSo de urna das melhores
ouverturas, a companbia nacional repre-
sentar a excellente tragedia em 3 aclos
OTHKL.O.
Personagens.
OthcloGermano.
Loredano Silvestre.
PezaroCosta.
Moncenico Doga de VeneziSebastiao.
OdalberloCoimbra.
HedelmondaD. J. Januana
ErmanceD. Rita.
Senadores, ofllciaes, etc.
Terminar o espectculo com a gracioaa
tarca
O Julz de pass da roca.
Comecar as 8 horas.
Os bilhetes acham-se i venda ao lugar
do coslume. _______
Avisos martimos.
Para o Aracaly sabe atoo dia 90 do
correnle o hiate Anglica por ter ja parte
da carga prompia : quem quizer carregar.
ou ir de passigem dirija-searoa da Gadea:
do Recite n. 49, a tratar com Antonio Joa-
quim Sevr.
Para o Rio de Janeiro
segu viagem com inuita brevida-
de o brigue nacional D. Aftonso,
novo, forrado e pregado de cobre,
de primeira marcha: quem no
mesmo quizer carregar ou ir de
passagem, para o que offerece ex-
celentes commodos, trata-se na
rua do Vigario n. 19, segundo an-
dar, com Machado & Piohciro, ou
com o capiSo Antonio Jos Perei-
ra Parobe, na praca do Com-
mercio.
Para a Bahia pretendo sabir imprelen-
velmente no dia 10 do corrente mez o hiate
Flor de Curuript. por j ter parte da carga
abordo: ptraoreslo ou passageiros, tra-
ta-so na rua do Vigario, armazem n. 5.
.- Vende-se a barcassa S. Jos, de lote de
40caixas, quasi nova, feita a dous annos,
muito bem construida, e de muito boas ma-
deiras : quem a pretender a pode examinar,
e tratar na rua Direita n. 69, com Antonio
Alves do Miranda Guimar3es
Para Lisboa sahe com a maior brevi-
dade possivel o brigue portuguez Novo
Vencedor, por ter o seu cirregamento qui-
si completo : para o testante e passageiros,
para o que offerece bons commodos, trata-
se com os consignatarios T. de Aquino ron-
seca & Filho, na rua do Vigario n 19, pri-
meiro andar, ou com o cspilSo na praca.
Para o l\io da Janeiro sahe
com a maior brevidade possivel o
patacho nacional Valente : para o
resto da carga e passageiros, tra-
ta-se com o capilSo a bordo, ou
com Novaes & Compaohia, na rui
do Trapiche n. 34
Para o Porto sahe. at 19 do corrente,
a veleira e bem conhecida barca Sania Crut:
quem na mesma quizer carregar, ou Ir de
passagem, dirija-se ao seu consignatario,
Francisco Alves da Cunha, na rua do Viga-
rio n. II, primoiro andar.
-- Para o Rio de Janeiro sshe, ate o dii 1*
do corrente, a veleira galeota Santissima
Trindade, por ter a maior parte da carg
prompta : quem na mesma quizer carregir
ou ir de passagem, dirija-se ao aeu consig-
natario, Francisco Alves da Cunha, rua do
Vigario n. 11.
Para o Rio de Janeiro sa-
he em poucosdias, por ter a maior
parte do seu carregamento promp-
ta, o brigue nacional Le&o : quem
no mesmo quizer carregar ou ir
de passagem, dirija-se a Joaquim
Uibeiro Pontes, na rua da Gadeia,
ou a Novaes & Companhia, na rua
do Trapiche n. 3\.
Para Lisboa sahe, at 19 do corrente,
barca porlugueza Margando, capitSo Silve-
rio Manoel dos Reis : quem na mesma qui-
zer carregar ou ir de passagem, para o quo
offerece excedentes commodos,dirija-se aos
consignatarios Oliveira Irmlos & Compa-
nhia, na ruada Cruz n. 9, ou.'ao referiJo
capilo na prai;a do ommercio.
-- A birca porlugueza Carlota & Amelia,
da qual he capitflo Caetano Gaspar Pestaa,
sahir para Lisboa no dia 19 do crrante
mez : para o restante da carga a passagei-
ros, para o que tem bons commodos, tr-
ta-se com os seus consignatarios F. S. R"
bello & Filho, ou ao mesmo capitflo a bor-
do, ou na praca do Commercio.
Leil
uo.
Deten Jini Borllo fr leilflo por inier-
vengflo do corretor Miguel Carneiro.dos ma-
is va'iaJos ricose modernos gostusem obr*
de alabastro inarmore, pedra agatlia bew
como um sorliihento de oulras variaJ*. elegantes obras em barro cozido o enyernt-
II
n l\/C7 I
f


m
um ',-.
sado representando estatuas, lees, globo!,
[vasos, e outros mullos objectos para ador-
Dos de jardins, salas e palacios, tudo do
I mail apurado (tost, o vindos ultimamente
da llaiia, quinta feira 9 do corrente as 10
horas da manhfia, no seu deposito no Atier-
ro da Ito Vista n. 53. _____________
Avisos diversos.
Jos Soares de Azevedo, prolessor de
lingoa franceza no lyceu, tem aberlo em
sua casa, ra das Trincheiras n. 19, um
curso de PHILOSOPHIA e outro de LINGOA
FRANCEZA. As pessoas que desejarem estu-
dar urna ou outra destas disciplinas, podem
dirigir-se i indicada residencia a qualquer
hora.
Eu abaixo assignado participo aores-
peitavel publico, quetenho dissolvidoa so-
ciedade que tinha com Domingos Jos Fer-
reira na loja de selleiro n. 3, na ra do Ca-
buga, desde o da 31 de dezembro prximo
passado, e de hoje em diante lico eu abaixo
assignado responsavel tanto'pelo passivo,
cono para receber o activo, gyrando a
mesma casa debaixo da firn:a Antonio Fer-
reira Braga. Antonio Ferreira Rraga.
Avisa-so ao Sr. com manda n-
te do forte Pao Ama re I o, Pom
peo Romano de Carvalho, que ve-
nlia pagar, na ra da Praia n. 32,
a quantia de 4<>>ooo rs. y do con-
trario se lancar mao dosmeios ju-
diciaes.
-- Desappareceu, no dia 27 de novembro
pelas qualro horas da madrugada, a escra-
va Isabel, de uagilo S. Thom, de 35 a 36
annos, baixa, corpo regular, um tanto Tu-
la, nadegas empinadas, com Talla de den-
tes na Trente, bem Tallante e ps curtos ;
levo vestido de chita azul com ramagem
ji desbolada, panno da Costa velbo sem
franjas, oulro novo com franjas e urna trou-
xa de roupa de seu uso, Roga-se as auto-
ridades policiaes e capitSes de campo que
a apprebendame levem-na i cidade deO-
linda, ra do Couxo d. 12,ouno lucilo, ra
da Senzalla Velha n. 1(2, primeiro andar,
que serio bem recompensados
;'" faWr/ISJs.iWt 11 fil tt Mt"^: l rH +
HoMqai '.'lino A1,", *.V. tW"'*'!wi ^J-vTi^v.iaBj.ajBjf % O telralista adaguerreotypo,
lendo de retirar-se com brevidade I
| desla provincia, offerece-se para du- J
1 ranleopouco lempo que tem de re- $S
I residir nesta cidade, ir tirar retratos jj
| pelas casas das familias que os pre- fe
9 lenderem, tanto na cidade comoem 1
% qualquer sitio; as pessoas que pre- S
C lendendcrem dirijam-se a ra da Ca- i_;
9 deia de S. Antonio n. 26, segundo M
andar.
- Faz-se almoco ejantar para Tora com
muito asseio e promplidlu : na ra da
' Praia, becco do Carioca, sobrado da es-
quina. Na mrsiiia casa toma-se conta de
roupa, tanto de liomem solteiro como de
; familia, para se lavar e engommar, Mendo-
se responsavel pelas Ttllas, cosem-se todas
as qualidades de costura, tanto de liomem
como de senhora, e ensinam-.se negras a
engommar, coziuhar e coser.
'-- O Sr. M 'F. tenha a bondade de
mandar pagar Aquantia de 11,600 rs. pro-
veniente de calcado que deve ha dous an-
nos, na loja que S. S. nflo ignora : islo se
Ihe pede, afim de evitar o troco a moda
que diz tem para pagar, e no caso denSo
comparecer, ttr o gosliuho nos seguintes
nmeros de ver seu nome por extenso.
-- Um mogo portuguez se ou'erece para
caixeiro dequalquer casa de negocio, do
que tem bstanle pratica: quem do seu
prestimo sequizer utilisar, annuncie.
-Obacbarel Tormado Gervasio Congal-
ves da Silva, tendo concluido o seu qualri-
enniodejuiz municipal da primeira vara
deste termo do Recife, advoga ante os audi-
torios desta cidade, e tem estabelecido o
seu cscriplorio no primeiro andar do sobra-
do n. 12 da ra o Crespo.
-- Perdeu-se "m caxorrinho inglez de ra-
ga, de apanharratos, he prelo e muito no-
vo i quem entregar na ra da Concejero
da Boa Visla n. I i, ou na da Praia n. 1, se-
r recompensado.
Os abaixo assignados pedem a Ilustre
redacgfio do Diario de Pernambuco, que se
digne declarar seosmesmos abaixo assig-
nados Toram osautoies, ou ao menos ti ve-
ra m parle directa ou indirecta no que a
mesma Ilustreredacgilo disse no Diario u.
298 do anno prximo passado, o no de n. 4
do coricnle anno acerca do Terimenlo fe ito
por um cabra, escravo de urna mull x Tor-
ra ; assim nomo tambem que se digne de-
clarar mais se os abaixo assignados ja re-
metteram a mesma redaccSo alguma cor-
respondencia, communicado ou annuncio
de qualquer natureza que aeja, e nesta hy-
pothese quaes elles Toram, com o que mui-
to obrigarSo aos mesmos abaixo assigna-
dos. .Manoel Jvaqum de Miranda Lobo.
Wolffiopp & Companhia, ra da Cruz n 16.
--li.li.--e boas alvigaras a quem restituir
um canind, que fugio nos dias de Testa da
Cruz de Almas, no sitio do Filippe Menna,
ou na ra do Collegio n. 13, nos dias uteis
das 10 horas da manhSa s 3 da tarde: o
canind he muito manso e Tallador.
--Precisa-se de trabalhadnres de enxa-
da : a tratar no sitio do Sr. Filippe Menna,
ou na ra do Collegio n. 13.
--Fugio, no dia 10 de dezembro de 1850,
o preloManoel, de nacSo Costa, de 28 an-
nos, com 5 ps e meio de altura, magro e
com poucas suissas; levou camisa de risca-
do azul com um remend as costas de al-
udi da trra e caiga branca toda rasgada ;
he de suppr que j tenha mudado de Tacto,
assim como desconfia-se que esteja aeou-
lado em casa de algum prente ou Turtado :
roga-se as autoridades policiaes e capitSes
de campo, que o appreliendam e levem-no a
Fra de Portas n. 57, a Tallar com a viuva de
Jos Fernandes da Silva Monteiro. A mesma
protesta usar de todo o rigor da lei contra
quem o tiver desemeaminhado.
O abaixo assignado, morador na estra-
da nova, declara que deixou de ter venda, e
Taz o presente para conhecimento de quem
convier. -- Serufim los de San'Anna.
--D8o-se 500,000 rs. apremio com hy-
potheca em urna casa nesta praga, ou com
boas (Irmas : quem pretender, annuncie.
Dilo-se 450,000 rs. a premio com hypo-
theea em urna casa nesta praga : quem pre-
tender, annuncie.
No dia iodo correnle, depois da audi-
encia doSr. Dr. juiz do civel, se ha de ar-
rematar um terreno com tres legoas de
Tundo, proprio 'para plantagSaa) e lambem
para crear gado, na provincia do Rio Gran-
de do norte, no lugar denominado Cear-
inoii un, por execugao de Joaqulm Ribeiro
de Brito contra Antonio Bernardo Ferreira
esua mulher.
Precisa-se saber noticias do Sr. Anto-
nio Lucio de Mallos para negocio de seu
particular interesse i na ra do Sol n. 1.
O abaixo assignado avisa as pessoas
que teem penhores em seu poder, baja de
os ir tirar no prazo de oitodias, na ra Ve-
lha n. 72; do contrario serSo vendidos pa-
ra seu pagamento.
Amonio Franciscodo$Sanios.
Quem precisar de urna ama crioula
para o diario de urna casa de portas a den-
tro, dirjase a Boa Vista, becco dos Ferrei-
ros n. 6.
Deseja-se fallar aos Srs. Antonio Mar-
ques de llollanda Cavalcanti, Custodio Fer-
nandes I opes, Francisco Jos Leile, Julio
Jos Gomes Pinheiro, Dr. Joaquim Jerony-
mo Fernandes da Cunha, Jos Candido Dias,
Jos Joaquim Congalves Bastos, Manoel do
Nascimento Kouseca, Manoel Ribeiro de Car-
valho e Manoel RoJrigues Pinto, defronte
do trapiche novo n. 6, ou auuuociem suas
moradas.
Ludano Pinto de Paiva, com venda na
ra Velha n. 67, pede a todos os seus deve-
dores, que no prazo de oito dias hajam de
ir satisfazer suas conlas; do contrario te-
rilo de ver seus nomos por extenso nesta
folba.
-- A Viuva Amorim & Filho participan) ao
publico, que o seu esciptorio contina a
ser na ra da Cruz n. 45, na mesma casa em
que era o de Nascimento & Amorim.
Precisa-se de um pequeo que tenha
alguma pratica de botica ousem ella, eque
d fiador sua conducta : na praga da Boa
Vista, botica n. 32.
-- I la -so il i ii heno a juros sb penhores de
ouro : no pateo de S. Pedro n. 3.
Digoeu abaixo assignado, que desa-
parte! a socio lado que tinha dado ao Sr.
Custodio Lourengo Marieira em minha ta-
berna, na ra do Codorniz n. 1, o que ser-
vir de prevengSo para todos os Srs. que
teem sido francos em vender seus gneros
aodiloSr. Custodio, pois que desde j de-
claro que nSo respondo mais por qualquer
negocio ou transacgSo que fagam com o
mesmo, e para lastimar minha sorlo basta
o depennoem que rr.e deixou. Dos o aju-
de com o pralicar desta Trma, o Sr. Custo-
dio he liom rapaz e perdoa a quem o enga-
ar, etc., etc.
Manoel Domnguez Pereira Ramos
Rallar v: Oliveira embarcam para o Rio
Grande do Sul a osera va Maria, de nag3o
Baca, comprada para os Srs. Modeiros &
Lamia, a quem vai ser remetlida.
-D-se a quantia de 600,000 rs. a juros
sb penhores de ouro e prata : quem pre-
tender, dirija-se ra das Cruzes, taberna
n. 16, que se dir quem d.
Precisa-se alugar um sitio perto desta
praga, com casa decente para Tamilia e com
algumas Truteiras, preferindo-se um que
lenhacapim: na ra das Larangeiras n.
23, se achara com quem tratar.
-- Precisa-se de um caixeiro que tenha
pratica de venda e que d conhecimento de
sua conducta : a tratar na ra das Laran-
geiras n. 23, do meio-dia sduas horas da
tarde, ou demanhSa al s 7.
O abaixo assignado ruga a lodos os
seus credores Ihe apresentem suas conlas,
para seren pagos, em sua casa, largo do
Carino "n. 2, segundo andar.
Narciso os da Cosa.
Quem precisar de um mogo portuguez,
solteiro, de 22 annos e de boa conducta, pa-
,_> ---------------------------------------------
tante esperto sud flete indar escondido dentro e fora do imperio, e titulo de rosi-
dencia.tudo com preste/a'e commodo prego.
('.andino do Reg lima.
O Ion-har! Antonio de Vascoocellos Mc-
nezesile Drumond, advogado da relagSo e
oais auditorios desta cidade, reside na ra
do Hospicio n. 9.
f^VV'VWVVv'v 1f<'WlfyW9W
* Consultorio do tnstitnio lio- <"-'
-* iiio-opatliico lo Brasil.
Gratuito para os pobres.
Jtiio Goncalvcs Rodrigues Franca.
Nflo teem parte os Srs. Franga e Lobo DO^g'gjxe',ro"e venda, ou mesmo para tomar
artigo que mencionara
*
- Os. RR.
-"o abaixo assignado, professor particu-
lar de primeiras lettras, disciplinado em
preparatorios no lyceu desta cidade, parti-
cipa so res;eitavel publico e aos pais de
seus alumnos, que segunda-feira, 13 do
correte,abre su'aula, e debaixo dessa mes-
ma disciplina ensina por principios a gram-
matica porlugueza, latina h franceza, ad-
miltindo nesse recinto pencionislas e meios
pencionisls. Os pais de Tamilia quequize-
rem appllcar seus flhos a alguma dessas
disciplinas, podem dirigir-se ao pateo do
Carino n. 7, segundo andar.
Jos Mara de Figueiredo.
Ceseja-se saber se existe nesta cidade
ou na provincia o Sr. Francisco Antonio ta-
na, natural de Evura, filho de Alberto An-
tonio de Faria e de Marianna Bernarda,
tendo sabido de Portugal pouco depois da
convengfio de Evora-Monte ; constando que
em selembro de 1841 estivera aqu andan-
do embarcado. So o dito Sr. existir nesta
cidade, pede-se-lhe o particular obsequio
dedirigir-se casa n. 1 da ra do Sol, e o
mesmo favor se roga a quem o conhecer ou
tiver delle noticia,
\ Os credores da massa do fallecido llen-
'rique Gamillo Ferreira podem mandar re-
* ceber o primeiro ratelo, em casa de J. D.
alguma por balango, do que tem muita pra
tica, dirija-se ra da Florentina, venda
numero 30.
Aluga-seo terceiro andar da casa da
ra do Rozario n. 30, combons commodos
para qualquer familia : a tratar na ra da
Florentina n. 21, ou na praga do Corpo San-
to n. 17.
O abaixo assignado participa ao Sr.
Manoel Camillo Pires, doengenho Guerra
do Ipojuca, que hontem pelaa'8 horas da
noite appareceu no engenho Velbo de San-
to Amaro de JaboatSo um preto que diz
chamar-se Feliciano e ser escravo do-dito
Sr. cima, por isso scientifica-se ao mesmo
Sr. para mandar quanto antes conduzlr o
referido escravo, cerlo de que protesta o
mesmo abaixo assignado no se responsa-
bilisar por qualquer extravio qoe possa
aucceder ao dilo preto 6 de Janeiro de 1851.
los Francisco Pereira da Silva.
__No dia 29 de dezembro prximo pas-
sado sabio da casa do heverendissimo Sr.
padre inglez, pelas 2 horas da tarde, o pre-
to Alexandre, o qual eslava alugado na dita
casa des le o dia 12, tendo estado os mezes
antecedentes na fundigSo dos Srs. C. Starr
& Companhia, em Santo Amaro. Este pre-
lo, de nagSoS. Thum, he bem couhecido
no Rio-Doce, he forte, alto, robusto e bas-
pelas matas da Cidade, lingindo-se Torro:
quemo pegar, queira-o entregar a seu 88-
nhor, Eduardo RolD, ra da Cruz do Reci-
fe n. 51, ou na Roa Vista, casa do Sr. Jos
Gomes Leal, ra da Uniflo, dofronte do caes
novo, que receher alvigaras.
Na loja de miudezas n. 16, da ra lar-
ga do Rozario, precisa-se do um caixeiro
para a mesma, com pratica ou sem ella,
portuguez ou brasileirode fra da cidade.
Precisa-se de urna ama que tenha bas-
tante leile esem cria: no Aterro da Boa
Vista, sobrado por cima do funilciro, an-
tes de chegara matriz.
Aos pais de familia.
Josefa llenriqueta de Miranda Barros par-
ticipa aos pais de suas alumnas, que no dia
20 do correnteabre sua aula qualquer paj
de familia que de seu prestimo se quizer
utilisar, poder dirigir-se ra da Alegria
numero 4ii.
Collegio das orplias.
A directora do collegio das orphSas, em
virtude do srt- 38 dos estatutos do mesmo
collegio, recebe costuras de todas as quali-
dades, para as orphSas apromptarem, as
quaes serao feltas com perfeigSo, e mais
baratas que em outra qualqnor parte.
Aluga-se urna preta ou um moleque pa-
ra o servigo moderado de urna casa de pou-
ca familia : na Ponte Velha n. 14.
Na ra de llortas, n 54, casa terrea na
esquina do becco que volta pira ra de
S -Thereza, engomma-se toda a qualidade
'le roupa, por prego commodo.
100,000 rs. de gratificaran.
Fugio a 7 de maio de 1847 urna parda de
nome Valentina, a qual pertencia aos bens
do fallecido Jos da Silva Botelho, o boje ao
abaixo assignado, com os signaes seguin-
tes : alta, cheia do corpo, bem Coila, tra-
gos e mSos compridos, cabello ( o que Ihe
chamam de cabra ) cortado como de ho-
roem, e na frente tem marrafascom pentes,
denles miudos e limados, urna cicatriz de
talho as costas da mSo direita, pelas bi-
xigas ficaram-lhe as marcas mais escuras,
isto he, no rosto, e tem o mesmo bem tira-
do, tem urnas manchas brancas em ambos
os carcanhares, beigos regulares, andar fir-
me e no ligeiro, ollios pretos e regulares
no Umanho, a dita escrava be natural de
Paje de Flores, donde veio com i lado de 20
a 25 annos, he (llha de urna crioula escrava,
de nome Josefa, a qual acha-se nesta pra-
g i, no se pode dar noticia da roupa porque
levou toda quanto tinha, inclusive sapatos,
cordo e brincos de ouro : qualquer pessoa
que a pegar e Irouxer na ra das Cruzes n.
36, primeiro andar, recebera 100,000 rs.
de graticcgSo.
ludo Carlos Marmho Palhares.
Aluga-se um prelo para o servigo de
sorvele, ISo smente, psgando-se bem:
na confeitaria da ra eslreita do Rosario
n. 43.
Atlengo.
David Alves Falcfio Taques avisa aos fu-
mantes de bom posto, que abri um depo-
sito de charutos da trra oila Babia,0 de to-
das as qualidades que se procurar, como se-
jatn : senadores, regala, melindre de yaya
du vintem e Ires por dous e de S. Flix, etc.
Na cidade da Victoria, esquina do becco do
Capim, nocorror da botica.
No dia 2 do correnle furtaram do se-
gundo andar da casa n. 3, no Aterro da Boa
Visla, quatro garfos e qualro coliieres de
prata, c um lengo de seda encarnada; os
garfos silo de molde e marca porlugueza e
;,s en Hieres do moldee marca franceza:pede-
se a quem for oflerecido de apprehcnder c
participar na loja franceza ii. 1, no Aterro
da Boa Vista.
l.ava-se e engomma-se com prompli-
dSo e asseio, e por prego muito commodo,
lambem ensinam-se escravas a engommar:
as pessoas que pretendorem, podem diri-
gir-se a Fra de Portas, ra do Pilar n. 24.
Precisa-se de duas pessoas
que entendam de fazer tamancos:
na praca da Boa Vista, na primei-
ra loja de sapatos, junto a venda
da esquina que vira para atrs da
matriz.
--O abaixo assignado declara an respeita-
vel publico, que o brinco de brilbantes, per-
di,lo na Capunga, eannunciado no Diarlo
de 4 do correnle mez e anno de 1851, fui
entregue a pessoa de confianga do seu le-
gitimo dono, in lopeiidcntn da gratilicagilo
prometlida de 50,000 rs. *
Diogo os Ixi'.c 'Guimardes
(|^(^f ^ya/4,'f)r f f f f f f^A^ff f
9- llomoeopathia.
ho-
>
Ra do Aterro da Ra Vista n. 47.

y Fundado pele cirurgiiJo Joo Vi- J
^. cento Marlins, primeiro secretario ^
.> porpetuo do instituto homcoopathi- ^
h co doKrasil,em 18 do dezembro de ^
^ 1850, dirigido pelo eirurgiio I'ran- <1
* cisco Jos Rodrigues. *5
;> Este consultorio est abeito todos <
. os dias uteis das 9 horas da mantilla .-
& atao meio-dia, nelle os pobres re- 43
ceberSo consultas e remedios de <
graga ; os que 11S0 poderem compa- m
recer por causa de suas molestias se-
1 "1 1 visitados em so- domicilios a
toda e qualquer hora do dia, parti-
cipando no consultorio, ou na casa
amarella, defronte da nutriz, tercei-
^. roanlar, na mesma ra.
1, *> *.'; & A \ \ ft 4 .' ft *! *j A ^ *
(Jasa de commisso de escra vos.
Recebem-s? escravos de ambos os sexos
para se vonderein de coiuinissu, tanto pa-
ra dentro como para fra da piovincia, com
a maior presteza possivel, por isso que se
offerece muila segurang aos mesmos, tan-
lo 11a fuga como na boa venda : a vista do
escravo se far o ijuste : na ra das Laran-
geiras 11. 14, segn lo andar.
Precisa-se de urna ama para cozinhare
comprar: na na da Conccic.'i 1 da Boa Vis-
ta n. II.
Alfonso Jos de Oliveira, professor ju-
biladu de geographia e historia do lyceu
desta cidade, ensina primeiras lettras e
grammalica latina : ajjkessois que de seu
prestimo sa quizeremWlisar, poden pro-
cura-lona ra Direita, segn lo an lar do so-
brado 11. 36. Aos seus alumnos avisa que
no dia 7 principia a leccionar.
:>
tilica do Bio de Janeiro, do volta de <^
sua viagem Franga, onde praticou <5
com os primeiros homecopalhas da- ^
quelle paiz, principalmente no con- - sultorio do instituto homceopatbico ja
de Paris, poder ser procurado a ^
qualquer hora, em sua casa, Aterro
da Boa Vistan. 26, segundo andar. ^
Os pobres recebero consultas e ^
reniedios gratis. m
AiiA AA4)AAAAi)S)!iAi AA A
Precisa-su de um leitor para um sitio 1
do pateo do Collegio, cesa do Livro Azul.
O abaixo assignado, tendo
de retirar-se para a Europa, pelo
presente convida a todos os seus
devedores de vir ou mandaren) pa-
gar suas contas at o fim do cor-
rente mez. Scasso.
Aluga-se urna canoa que carcega mi i
tijollos : quem a pretender, dirija-se a ra
de San-Francisco, casa apalagada.
Precisa-se le um creado nacional ou
estrangeiro, que seja de bons costumes e
d fiadora sua conduela, para servir urna
casa depouca familia. Dirigir-se a ruadas
Trincheiras, sobrado n. 19.
Precisa-se alugar um moleque ou ne-
gro feito, que seja diligente e sem vicios,
para o servigo de urna casa de pouca fami-
lia : paga-se bem. Dirigir-se ra das Trin-
cheiras, sobrado n. 19.
Agencia de passaportes e ttulos
de residencia.
O abaixo assignado mudou a sua resi
dencia da ra do Raugel para a de Santa
Rita, sobrado de um andar n. 14, e nidia
continua com agencia de passaportes, para
l'nulo GftlffnoUXi dentista
w frailee/,, offerece seu prest- 9
* Dioao publico para lodosos *v
* mlsteres de. sua proflssao : *
? pilcser procurado a qnal-
9 qner hora cni sua casa, na #
na larga lo Kozario, n. 3G, i
o si'U'iinilo andar. #
^^IB^^V^W^^^^^^'JItw^w^S'
Precisa-se de urna mulher que esteja
acoslumada a andar com negocio de fazen-
das, SSSim Como de urna preta moga para
carregar o taboleiro das mesinas : adverte-
se que as pessoas cima referidas devem dar
Manca as suas conductas : a tratar na ra do
Trapiche Novo, armazem n. 44.
Aluga-se urna sala para liomem soltei-
ro, na ra do Livramento, n. 1, primeiro
andar : nesta typographia, se dir quem
aluga.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra Direita n. 20, com commodo para
grande familia : na ra Direita ti. 93, pri-
meiro andar.
Precisa-se alugar urna una para casa
de liomem sulteiro, que tenha todas as ha-
bilidades necessanas, bem como coziuhar,
engommar, coser, fazer doces, e que seja
capaz de tun>ar a seu cuidado conta da ca-
sa, pois na mesma existem escravos para o
servigo, preTere-se branca e de idade, pois
que a vista de sua conducta e trabalno se
far o ajuste que merecer : a tratar na ra
da Ca leia do Recite n. 56. \
Consultorio lioinocopathico, O
^ ra do Collegio, n. 25, O
O Do Dr. P. de A. lobo Moscoso. O
p O Dr. Moscoso d consultas todos os &
dias. Osdoentes pobres s3o tratados
francez, sendo estas duas disciplinas lecho-
nadas por habis professores.
Chapeos de sol. -<*jb>
Ra doPasseio,n 5. 3*jtT
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sormento destes objectosde todas as c-
rese qualidades, tanto de seda como de
panninho, por pregos commodos ; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto: estes chapeos
silo feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas do retroz. Na mesma
rasase acha panninho imitando sedas, para cobrir ar-
magoes servidas : todas estas fazendas ven-
dom-se cm porgo e a retalho : lambem se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
ha-toas de ferro como de haleia, assim como
umbelas de igrejas: tudo por prego com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engenho, por serem
dos mais fortes que se podem fabricar.
Compras.
-
Compra-se urna escrava preta ou par-
da para fra da provincia, que seja costu-
rera, engommadeira e saiba fazer lavarin-
to, sendo de bonita figura e moga nSo se
olha a prego, pois he para urna pessoa ge-
nerosa : na ra das Larangeiras n. 14, se-
gundo andar.
Compram-se escravos de am-
bos os sexos : na ra di Cadeia do
Recife, n. 5l, primeiro andar.
Compram-se effecti va mente sapatos de
todas as qualida Jes : na ra da Cruz do Re-
cife n. 64, primeiro andar.
Compra-se um selli-n om bom uso : na
ra do Itangel n. 48.
Compra-se urna escrevaninha de ama-
relio ou de Jacaranda, que sja pequeo e
em bom estado na ra do Crespo, loja n.
3, ao p do arco de Santo Antonio._______
Vendas.
>
de graga. S ser fio visitados em suas
O
. ,,,,..... .,_...., ......,. -~ p.
y casas aquellos que nao poderem Vir V
ao consultorio, ou que suas moles- O
3 tias nilo possam dispensar a presen- O
^ ga do medico. O
-- Engomma-se e lava-se toda a qualida-
de de roupa com lodo asseio e muila promp-
Ililao, por pieeu mais comino lo do que em
outra qualquer parte : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 26.
Sr. Man* el Silvestre Ma-
chado, ou seus herdeiros, qtieira
annunriar sua morada, ou diri-
gir-se a ra da Cruz do Uecife n.
49, primeiro andar, a negocio de
.vil interesse.
-- Alugn-se o segundo andar do sobrado
la ra do Itangel defronte da botica : a fal-
lar na ra do Calinga loja de Joaquim Jos
da Costa Fajozes..
Perdeu-se, no dia 3 do corrente, urna
loneta de ouro : quem a adiar a poder en-
tregar no pateo de S. Pedro, casa do cirur-
giSo Leal, que recompensar generosa-
meute.
-- Precisa-se de um feitor para um enge-
nho ou mesmo para caixeiro de casa de pur-
gar, e que entenda de horlelSo : na ra do
Passeio loja n. 21.
Precisa-se alagar um prelo, que seja
bom cozinheiro, para urna casa de pouca
familia. Dirigir-se a ra das Trincheiras,
sobrado n. 19.
Precisa-se de urna ama do meia idade
para casa do liomem solteiro, que saina co-
zinhar e engommar : em Fra de Portas nu-
mero 86.
Passaportes.
A amiga agencia da ra do Rangel n. 9,
contina a tirar passaportes para dentro e
fra do imperio, despacham-se escravos e
tiram-se folhas corridas e ttulos do resi-
dencia, qur com prazo qur sem elle: tu-
do com presteza e prego muito commodo.
Instrucco primaria.
O estabelecimenlo de instrLcgSo prima-
ria, dirigido por Jos Xavier Faustino Ra-
mos, no Aterro da Boa Visla n. 5, junto a
ponte, comees os seus exercicios no da 13
do corrente. Disto laz scienle o annuncian-
le aos Srs pais de seus alumnos, aos quaes
agradece a confianga di"He depositada. Es-
cusa-seo mesmo annuiiciant de formular
um estirado annuncio recbciado de promes-
sas, o se limita a declarar que uo seu esla-
belecimento couliua a recebur alumnos
leslernos para primeiras lettras, latim o
Vendem-se barriszinhos com 900 sar-
dinhas, muito novas: no caes da alfandega,
armazem da esquina, do Sr. Francisco Dias
Ferreira.
Vendem-se quatro lindos moleques de
8 a 18 annos; seis pretos, s ui lo um oplimo
cozinheiro ; dous pretos sapaleiros ; dous
pardos de 17 a 25 anuos, leudo um bons
principios de carpida ; duas pardas de 16 a
18 annos com habilidades ; e seis pretas de
12 a 25 anuos, sendo algumas com habili-
dades e proprias para lodo o servigo : na
ra do Collegio 11 3.
Veiulem-se bons charutos a 3,000 rs. a
caixa de 100 : na ra do Crespo, luja n. 3,
ao p do arco de Santo Antonio.
O indicador do cainliiii. banco e.
ooiiinici ci. < ni partidas do-
bradas.
Esta obra bastante precisa para as casas
de cambio e de grande negocio, porque
com presteza inostra qualquer disconto de
dias, mez e anno, vende-se na livraria do
pateo do Collegio 11. 6, de Joao da Costa
Dourado.
Vende-se urna parda de 18 annos, que
cose chao, faz renda, engnmma, cozinha o
diario, lava do sabfio evarrela, propria pa-
ra qualquer servigo de casa, muito fiel e
muito vendedeira, e um escravo, pro; rio
de todo o servigo na ra da Cadeia de San-
to Antonio n. 25, segundo andar.
-- Vende-se um moleque de 15 annos de
idade, de bonita figura e robusto : em (Hui-
da, no Varaduuro, ra do Balde n. 24.
Vende se a inverna sita no paleo do
l'arai/o 11. 30, e urna casa na ra da Praia
n. 40 : a tratar na mesma venda cima.
Vendem-se caixas com superior cha-
rutos de regala, cata-flor e beija-flur, che-
gados recenlementrt da Bahia no brigue
Marianna : na ra da Cadeia do ReciTe u.
49, primeiro andar.
-- Vende-se um lindo moleque e 17 an-
nos, muito bom cozinheiro e copeiro, pro-
prio para pagem ; um cabrinha de 12 annos,
muito esperto e ptimo para aprender ofll-
cio ; o una preta com habilidades e de ex-
cellenle conducta : vendem-se estes escra-
vus para liquidagSo : na ra das Cruzes,
venda n. 20, se dir quem vende. Na mes-
ma vende-se vinho engarrafido de mais de
8 annos, da melhor qualidade que ha hoje
no mercado.
Vendem-se duas escravas de 20 annos
e de bonitas figuras, quo cozinham, en-
gommam e cosem ; urna dita boa para o tra-
badlo decampo ; urna parda de 20 annos,
que coso, engomma e faz todo o servigo de
urna casa ; dous moleques pegas de 18 an-
uos, buns para todo o Irabalho ; um preto
muito bom servidor de urna casa, e que ga-
nda na ra 640 rs. ; um casal de escravos
de meia idade, bons para trabalharem em
um sitio, por a isso eslarem acoslutnados ;
o um moleque de 5 anuos, muito esperto e
que j serve bem a urna casa : na ra do
Collegio n. 21, primeiro andar.
Vendem-se lOacgdes da companbia de
Beberibe com algum prejuizo : na ra lar-
ga do Rozario n. 46, loja.
Vendem-se dous lileiros envidragados,
j usados, para loja de miudezas; urna ca-
brinha bonita e com habilidades; e urna
dita para lodo o servigo de casa, menos en-
gommar : tudo para liquidar contas de ba-
lango : na ra larga do Rozario, loja 11. 35.
Para fechar contas.
Vende-se cera de carnauba, couriohos de
cabra, sola e una tialanca com bragos, con-
chas, correles de ferro e pesos, propria pa-
ra armazem de carne., venda ou bordo de
embarcugSo: tudo por prego commodo : na
ra dos Tanoeiros, armazem o. 5.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na Babia.
Vende-se, em casa de N. O. Bieber&C.,
na ruada Cruz 11. 4, algodfio transado da-
ijudla fabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por prego com-
modo.
Vende-se urna mulalinha de 10 annos,
muito sadia e com principios de costura:
no Aterro da Boa Vista n. 14.
Vendem-se balaugas decimaes de 400 a
600 libras, mui proprias para armazens de
assucar :em casado C. J. Astley & Compa-
nhia, ra do Trapiche n. 3.
Vende-se farinha de mandioca de su-
perior qualidade de S. Malheus, por menos
prego do que em outra qualquer parte : em
.tacas, 11a loja de Joaquim Kibairo Poutes,
ra da Cadeia do Recife, e em medida, a
bordo da barcaga de virar uavios, defronte
do caes do Ramos.


"I .
-'.....
/!

--Vendem se duas negrinlus de 11 an-
nos, sabendo una l)em coser, marcar e fa-
zer lavarinto, [e a outra ho recolhidaij 4
pretos mocos ; uro dito ptimo podreiro ;
duas pretal mocas, com algumas habilida-
des ; e duas ditas de meia idade, que se
vendem muitoem conta : na ra das 1.a-
Hiigciras n. 14, segundo andar.
Msicas novas.
ISua larga do Itozario n. 28.
Grande sortimento de msicas, as mais
modernas quo lia e dos melhores autores, a
salier: variares para piano a duas e quatro
miios, valsas, quadrilhas, polkas, pecas pa-
ra cantona com acompanhamento de piano,
varages para piano com ral'eca, ditas pa-
ra flauta, ditas para violSo o methodos para
aprender a tocar piano; tambem ha boas
msicas militares.
Hua do Kozario larga n. ni.
Vende-se urna mulatinha de 13 anuos,
muito linda e de bom genio, com princi-
pios de costura, propria para educar-se ou
dar-se de mimo a urna menina ; duas pre-
tas mocas com habilidades; urna dita boa
quitamlcira ; um moleque de 16 anuos, de
bonita (gura e de boa cooducta, o que se
afianga ; c pretos bons trabalhadoresde
enxada.
Ventlem-se caixas com cera
cm vellas, fabricadas no Rio de
.laneiro, sortidasao desejo do com-
prador ; retroz da fabrica do i-
qlieira, no Porto, de todas as co-
res : truta-se com Machado & l'i-
nheiro, na ra do Vigario n. 19,
segundo andar.
Vendem-se chapeos de palha
americanos, finos e de superior
qtulidade: na ra do Trapiche
numero 8.
Boa cozinbeira e engominadeira.
Vende-se urna bonita escrava, parda, de
20 annosde idade, com urna filhinha de e
me7es, a qual cozinba e engomma bem, h4
muito fiel enSotem vicios, o que ludo se
alianca ; e 1 prcto, moco, muito robusto,
proprio para armazem de assucar ou enge
nho, por termuita torca : na ra larga do
Rozarlo 11. 48, primeiro andar.
Farinha le mandioca.
Vende-se superior familia ile Santa Ca-
tharina, por preco cnmumdo.a bordo do pa-
lazo nacional Nereida, tundeado defronte
do ces do rollegin, ou tratar com Novaes
& C, ra do Trapize n. 34.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo.
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
lundicao de Ierro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
differentcs modelos : na ra do
Buim ns 6, 8 e 10, fabrica df
macinas e lundicao de ferro.
--Vor.dem-se duasherangas no engenho
Cuian buca, moenle e correte, e oulias
duas Do engenho lacho do Padre, toda
por menos das avaliages : a tratar no es-
criptorioda Viuva Gaudiuo *i Filho, ruada
Cruz n. 66.
Vende-se una balanza de folha para
venda com os pesos al duas arrobas : na
ra larga do Itozario n. 50.
Vende-se.una preta de naco, de 22
anuos, sem achaques nem vicios, proprli
para o servicu de casa ou roa : juu'o de
venda da esquina da Gamboa do Carmo e
pateo 1I0 inesmo.
Vende-se urna escrava recolhida, de l
aunse rom habilidades : na ra de Sania
Cita, sobrado n. 14
-- Vende se urna crcoula de muilo bonita
figura, loa 1 ngommadeira, cosinha bem,
cose, faz lavsrinlo e lamben doce o moti-
vo se dir o com rador, sendo para Torada
provincia, urna dita de 10 unios com prin-
cipios de custura : na ra do Rangc-I n.
38, segundo andar.
Ra do 1'. o/a lio larga n. aa.
Vemlc-se una negriiiha de 11 aunos, mui-
to linda, com |ilimpios de costura, pro-
pria para educar-se ou dar-se de mimo a
una menina por ser muito esperta.
Vendem-se relogios de ou-
roe prala, patente ingles: na ra
da Senz'illa Nova n. \-i.
--Vende-se familia galega em barricas e
meias ditas, velas de espermaeete ameiica-
nu e cha hyson de superior qualidade, em
loles a vou'tade do comprador : no escrip-
loriodeMalheus Auslin; Companhia, ra
do Trapicho 11. 36.
Sementcs de hoi tabees.
Vendem-se semenles de hoitalices de to-
das as qualidaues, chegadas prximamente
do Poilo, por preco muilo commodo : na
ra llireila 11. 76, venda da esquina do bec-
co dos Peccados Mortaes.
O Deposito geral do superior ra-
p Areia-I'reta da fabrica
deGantois l'ailhetck C. ,
na I!,ilii,i.
Domingos Alves Matheus, agente da
^fabrica de rap superior Areia-Prela da&
0Bihia, tcm aberto um deposito na ra
s3da Cruz, no liecife, n. 52, primeiro an-
<3dar, onde se achara sempre deste ex-i
SJcellentee mais acreditado rap: ven-
Qdc-se em botes de urna e meia libra,*?/
?
O
Opor prego commodo.
AGElNCIA
da lundicao Low-Moor.
IL'A A SK.NZAl.LA NOVA 42.
Neste estabeleeimento conti-
niia ahaver um completo sorti-
mento de inocudas o meias moen
das para engenho, machinas di
vapor, e taixs de ferio batido e
coado, lie todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Chumbo de muntcSo.
Vende-se no armazem de J. J. Tassp^Ju
nlor, ra do Amorim n. 35.
3o.
Graxa n. 30, a mais suporior que at bo-
je tem vindo a este mercado, pelo esmoro
que o seu autor tem ltimamente emprega-
do. Ksta Rraxa he a mais prompta em dar o
mais brilhantee aturado lustro, assim co-
mo a melhor para conservar o calcado :
vende-se nos arirazens do J J. Tasso J-
nior, na ra do Amorim n. 35.
Chapeos dp Chille.
Vendem-se por preco commo-
do, chapeos de palha do Chille,
muito alvos e finos: na ra do
Trapiche n. 34, a tratar com No-
vaes ck Companhia.
Vende-se superior Cari 11 ha
gallega, en> meias barricas : no escnplorio
de Deaoe Youle& C., ouem seu armazem
do becco do Gongalves.
Fumo em lolha para charutos.
Vende-se por preco muito com-
modo fumo em folha para capa e
milo de charutos, assim como fu-
mo regaba, desembarcado ha pou-
cos dias: Irata-se no caes da al-
fandega, armazem n. I, de Dias
Ferr ira, ou com Novaes & Com-
panhia, na ra do Trapiche n. 34-
A t.Goo rs.
Vendem-so novos cortos de brim tranca-
do escuro com duas varas e meo cada corte
a 1,600; cassa franccza de bom g(>slo,a2,600
rs.; pegas de esguiao de algodSo com 12
varas, a 2,400 rs a peca ; cobertores de al-
godSo de cOres, a 720 rs. : na ra do Cres-
po 11. 6. loja ao p dfkJampe3o.
Deposito W cal v irse ni.
Na ra do Torres n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegada ultima-
mente de Lisboa no brigue 'farvjo-Terctiro.
Cnbecndas inglezas.
Vendem-se cabecades inglezas roldase
chatas, loros e silhas de 13a: na rna do Tra-
piahen. 10.
SSSF.
Farinha nova da marca SSSF, chegada
ltimamente: na ra do Amorim n. 35, ar-
nuzem de J. J. Tasso Jnior.
Potassa da Kussia.
Vende-se polassa da Kussia, recentomen-
(e chegada. e de muito superior qualidade :
na ra do Trapiche 11. 17.
Cigarrilbos hespanhes.
SSo chegados os excellenles cigarrilbos
hespanhes ao deposito da ra da Cruz, no
Iteccife n. 49.
Lotera de N. S. do Livrnmenlo.
Aos 5:ooo$ooo,
Na ra da Cadeia 11. 46, loja de miudezas,
vendeu-se o meio bilhele 11, 1454 da lotera
de N. S. do l.ivramento em que sahio a sor-
te grande de 5:000,000 rs., e estilo expos-
tosavenda os afortunados bilhet.s e cau-
telas da 11 e.mii lotera, que corre hnprete-
rivelmenle no da 31 do Janeiro crenlo.
Ililhelea 11,000
Meios 5,500
Decimos 1,100
Vigsimos 600
A a,000 rs asacca.
Vende-se farinha de mandioca,
em saceos grandes, chegada lti-
mamente, superior fa/enda : nos
armnzens de Gouva & Dias, e
Dias Fetreir, no cesda alfanle-
ga, a halar nos mesmos.
Vendem-se queijos londrinos ullima-
mente chegados de Liverpool na galera Ho-
nita, assim como conservas de carne e fruta,
e mais outros gneros ullimaniente chega-
dos, por preco rasoavcl : na ra da Cruz n.
7, armazem de l)a\vis& C.
Venden.-se cebollas 110 caes da Alfan-
dega a 8(10 rs. o molho, ditas despencadas
a 600 rs cocelo a 1,000rs. ; ludo isto
para liquidar cuntas: quem quizer, dirja-
se ao 11.1 .Mii" caes.
Tnixas para engcnlio.
Na fundigiio de Ierro da ra do llrum,
acaha-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
quaas acham-se a yenda por preco com-
n odo, e com promptidilo embaicam-se, ou
carregam-se tm carros sem despezas ao
comprador.
Mocndas superiores.
Na fundigo de C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-se a venda mocndas,
do canna, todas de ferro, de um modelo e
conslrucgSo muilo superior.
Ai da humanidade !
Se n3o fura Alexandre Suina, descubri-
dor dos oculos para nariz no seculu XVI, as
pe.'soas miopes, ou de vista cangada 11,01
sahiriam de casa logo que soffressem tal
moleslia, ou rhegassem a certa idade, sob
pena de anilarem dando espectculo pelas
ras, servindo de bobos, ja pelas caricatu-
ras que un', lariam quando quizessem en-
carar os oljectos, e as quedas que dariam
outros quando andassem ; como anda a-
contece as nsgOes antipotagas, que os ve-
Ihos a quem geralmente accomroetle tal
molestia nio saheem do copiar de suas ca-
banas ou residencias, e s servem de con-
sultorios, curandeiros ou oulais bobeias. I.
de mais, como ao par do rpido progresso
das .ciencias e artes se poria um miope ou
presbtero sem o auxiliu de um par d'ocu-
los despulida a ivcdicina quer moderna
quer anliga : asimples roflexto a tal res-
peito toi na melanclico au mais jovial pen-
sador, e he por isso que se rccomuienda a
quem solTrer tal iucommodos os v procu-
rar, chegadinhos ha pouco, na ra larga do
Itozario 11. 35.
Grande sortimento de cliarutos
ila Califica de S. I t li\. lio lll'-
ma/.ciii de 1:1 uceo &. Coiiipanliia,
na 1a Cruz 11. 21.
SSo chegados a este armazem os verda-
deros charutos regalos, regala, caladores,
deputados, venus, senadoras e soberanos
de II.. va na, em caixas de cein e 250, por pre-
go s rasuaveis.
I.ijilidarao le ta/.cilda*.
mes Villar, estilo se vendendo fazendas que
nesta loja j existiam por menos a terca
parte de uns primitivos preco*, o entre as
muilas quilidades teem as seguintes por
estes 1 reco!".
Jarros linos de banha 1,000
Fitas de sarjas, de setim e lafet
largas, vara 32
dem, de 4 dedos, vara 240
dem, de3e4dedos a 120 e 160
dem, de velludo estreila de
cores
Luvas de pellica para senhora o
oara hornero
l.eques de papel, cabo de osso
(no.
dem, deescomilha preta
dem, de papel linos, cabo de
marfim.de *,000 a 20,000
Chapeos'de palha finos.lizos, a-
bertos e bordados, de 3,000 a 4,000
120
500
640
400
160
320
240
640
800
1,200
30,000
G
Na na .Nova esquina que volla para a
cauboa do Carmo, loja 11. 23 de Antonio Go-
Gravalas de chitas
dem, de seda, pretal e de cores
dem, de couro de lustro para
militar
Setins de cores lizos, covado
dem, branco muito boa fazenda
Sarjas de cores para vestido, co-
vado
Cortes de vestido de seda brancos
para noivas.
Mantas de setim de cores mati-
sadas 8'000
dem, de sarja, dita, dita 10,000
Chales de seda furta r-es 4,000
Luvas curtas do linho para se-
nhora, o par 16
dem, de seda abertas para se-
nhora 320
Meias de seda abeitas branca pa-
ra senhora 1,000
dem, pretas para senhora 1,000
dem, para homem 1,000
dem, lizas para homem 1,000
dem, branca para dito 1,000
Carteiras finas de feixe 320
Sapatos de setim pretos, o par 1,000
Itolins gaspiados, pretos e de
cores para senhora 1,000
$apatos de setim branco rara 1,000
menina 1.000
Chinellas de marroquim de co-
res para homem, 1,000
Chapeos de sol de seda para se-
nhora M ,. u ,. 2,000
I neos de cambraia de linho, li-
zos de 1,000 a 3.000
dem, bordados com bicos 4,000 a 20,000
I tem, de seda preta c de cores
para grvala 3,000
Chicles de junco ou cana para
carro.de 2,000a4,000
dem, de baleia para carro 3,000 a 6,000
Penga lias finas de junco e
cana de 320 a 2,000
Chicotes finos para monta-
rla, de 1,000 a 2,000
tim grande sortimento de flores finas sen-
do caixos, ramos, rosas para vestido, le-
nas de muilas qualidades, bicos de blondes
de todas as larguras, bicos de dentelle pre-
tos, estreitos o largos de muito boa quali-
dade para capolinbo e nuntellete.tudo mui-
to em conla.
-- Vende-se, por prego muito comnio lo,
a casa terrea n. 30, sita na ra do Sebo do
bairro da Boa-Vista, nova, con muitos bons
commodoa, eoi chaos proprios. com grande
quintal tolo murado, com arvores de fruto,
cacimba de boa goa e porto ao lado da ca-
sa para serventa independenle : na prac.
da Bol-Villa, botica n. 6.
Novas eaiubrnias.
Vendem-se ricos cortes do cambraia aber-
tas com 6 varas e 3|4, le listas e ramagem
de cor, fazenda muito fina de lindos gostos,
pelo barato prego de 4,000 rs. o corte, chi-
ta de cores muilo mudinlias, pannos mui-
to linos, cores fixas, a 200 rs. o covado ;
hrins de linho amarellc, cor de ganga,
lista ao lado, fazenda milito lina, pelo ba-
ratsimo prego de 2.000 rs. o corte: n;
ra do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Dias.
A 6,000 rs. a sacco.
V a ^eis mil ris a sacca : no arma
zem n. 1 do Dias Ferreira, no caes
da alfandega.
Deposito de cal e potassa.
Cunha & Amorim, na ra da
Cadeia do Hecife n. 5o, recebe-
iani pelos ultimes navios de Lis-
boa Novo Vencedor^ Carlota e
.inclu barris com cal virgem, e
vendem, tanto a cal como a po-
tassa, por menos preco do que em
outra rjualquer parte.
Vende-se a laverna de molhado da ra
do llangel 11. 4, com poucos fundos, fazen-
do-se todo o negocio a contento de ambos,
visto que tem de relirar-se o dono para fora
da provincia : quem pretender dirija-se a
11.i-r.niii venda que achara com quem tratar.
Vende-se um cavallo rugo capado,
constante carregador baixo, muito ardigo,
por 50 000 ris : na coxeira na travessa da
la do S. Amaro para a ra do Sol.
He iiai al i--iiiio.
Corles de cazemira a 3,200 ris, cambraias
de seda a 900 ris o covado, meias de seda
preta e de cures para homem a 600 lis o
par: ua ra do Crespo loja n. 2, ao p do
aicu.
Vendem-se bichas pretas de
superior qualidade, por melade do
preco por que os barbeirosalugnin:
na rua da Cadeia do Hecife n. a.
- Vende-se a laverna da rua da Lingoeta
n. 5, com poucos fundos : a tratar na Boa
Vista rua do CamarSo n. 7.
--Na rua da Cadeia do Hecife n. 48, exis-
te pata vcuder-se por prego commodo um
rico capote de setim macan, e bem assim
boas losillas de lavarinto : quem quizei
comprar taes objeclos, o deve fazer quanto
antes, do contrario os nao achara mais.
Na rua da Palma por detrs da rua de
Santa There/a, armazem n. 10, vendem-se
enxami is de 20 a 36 palmos, rnSos Iraves-
sas de 25 a 32, caibros de 25 a 30, e outras
madeiras, lod^s de boas qualidades e pre-
gos muilo commodos.
Vacca.
Vende-so urna linda vacca turina com
cria j grande, ambas viudas de Lisboa i
para ver e tratar no sitio do Tasso, na Cruz
88 Almas das Mogas.
..__ Vende-se farinha de trigo
franceza de Marseile, a melhor do
mercado, chegada ltimamente as
cavas de Lasse e do Saporiti: a
fallar como baraleiro Silva Lo-
pes, na porta da alfandega.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue Jarujo III.
4o,ooo rs. a duzia.
Verdadeiro e legitimo champanh
em casa de Avrial & lrm3os, rua da
AY
Cruz
orna MV -- -- *
20- u
Vendcmse 16escravos, sendo 1 oom
moleque de 18 aneos; 1 dito carreiro, que
entende do pedreiro ; 6 escravas do servtgo
de campo ; 3 pardos de 18 a 30 annos ; urna
linda mulatinha de 12 annos e recolhida,
que cose, engomma liso, faz bem lavarin-
to e marca delinhajuma dita de bonita
figura, que engomma, cozinha e he reco-
lhida ; duas escravas de 18 a 22 annos, quo
engommam e coscm ; 6 ditas de todo o.ser-
vico de rua; e duas ditas de meia idade,
por prego commodo : na rua Direita n. 3.
Lotera de N. S. do Livramento.
ios 5.000,000rs.
Na loja Je miudezas da praga da Indepen-
>endem-se bilhetes, meios,
1 de r
llistoirede Napolen, 1 voluma em 8" com
rica encadernac,5o dourada e ornado do lin-
das gravuras. Na mesma loja tambem so
acham a venda mullos livros de aula -. tudo
por prego commodo
Vende-se, por precisSo, urna negri-
nha de 13 a 14 annos, de bonita (igura, sem
vicios nem achaques, a qual coso e he boa
mucama de casa: na rua da Concordia,
quem vem da ponte, a esquerda, segunda
casa terrea se dir quem vende.
Vende-se urna casa na encruzilhada do
Arraial, coberta de telha, com quarto pro-
prio para venda, quintal com arvoredos,
larangeiras, jaqueiras, limeiras, pitombei-
ras eoiticors, por prego commodo : a tra-
tar na rua Nova, venda n. 65.
Vende-se urna escrava de nagSo muilo
boacozinheiraequitandoira, e um mole-
que de 10a 12 annos, proprio para apren-
der todo e qual quer ofllcio 1 na rua do Hor-
tas, taberna n. 52, se dir quem vende. Na
mesma ha urna poreflo de barricas mas de
farinha, proprias para assucar.
Vendem-se dous escravos mu mogo,
com ofiicio de sapateiro e coznheiro, e ou-
tro dito muito bom serrador : na rua do Li-
vramento n. 9.
Vende-se urna excellente preta, que
cozinha o diario de urna casa, lava e he
muito boa quiUndeira, vende-se pela mes-
ma assim o pedir : quem a pretender, di-
rija-se a botica do pateo do Carmo, defron-
te da igreja, que la se dir quem a vende,
equem tem 400 at 500,000 rs. para dar a
juros de dous por cento, sobre penliores de
ouro ou prata.
Novo tratado de arithmeti-
ca commercial, ou desenvolvimento sim-
plificado de todas as regras de arilhmetica
relativas ao commercio, acompanhadas de
dencia n vendem-se mneles, meios, relativas ao commerciu, n.um|iin."
qoartos, "decimos e vigsimos, que corre um grande numero de exemplos de excr-
imprelerivelmente no da 31 de Janeiro. Na cicios, os qnaes facili am o methodo de re-
solver qualquercalculo que tenha reiiMo
com o trafico mercantil, regido do modo 1
estar ao alcance das pessoas que se dedica-
ren com algum attengo ao estudo desla
sciencia. por Paulo Perestello da Cmara :
vende-se na livraria do pateo do Collegio n.

mesma loja venderam-se os dous meios bi-
lhetes ns. 1179 em que sabio a sorte 1:500/
rs., da mesma lotera, que correu no da
24 de dezembro do auno passado. Inteiros
11,000, meios 5,500, quarto 2,600, decimos
1,100 e vigsimo 600 rs.
Tecido de algodSo trancado na fa-
brica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia n. 5a.
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias parasaccos de assucar e roupa de
escravos.
Ao0 ao:ooo,ooo de res.
Na rua larga do Itozario, botica n. 42, re-
cebeu-se a lisia da lotera a beneficio da
greja de S. Jolo liaptista da Alaga, ealn
foram vendidos os seguintes nmeros que
sahiram premiados, a saber: 5585200,000
rs. 3676-200,000 rs. 3147 -- 100,000 rs.
3150 100,000 rs. 4213 40,000 rs. ; bem
como bilhetes da 13,* lotera a beneficio do
theatro da imperial cidade de Nictheroy,
chegados ltimamente pelo vapor, os quaes
se vendem pelos precos seguintes: inleiro
22,000, meios a 11,000, quarlos a 5,800,
oitavosa 2,900 e vigsimo a 1,400.
Vendem-se chitas limpas 12o rs.
Pegas de chitas mpas, lxas, para luto
aliviado, a 4,500, e 120 rs o covado ; cortes
de cambraias com 6 varas o meia, de boni-
tos padrOes e de cores fixas, a 2,000 ; e 100
saceos novos de estopa, cada um com 2 va-
ras, por atacado a 320 rs. : na rua larga do
Hozaiio n- 48, primeiro andar
--Vende-se um superior cavallo de ca-
briole!, com bons andares, muito manien-
do e novo : na cavallarice do l'essoa.no fim
da rua da Itoda, das 8 horas da manliSa as
5 da tarde.
Carnauba.
Vende-se muilo boa carnauba, por prego
commodo : no armazem do llarcellar, junto
a escadinha.
-- Veude-se urna preta crioula, moga,
que cose pouco, engomma perleramente,
ne ptima cozinbeira e doceira, e com urna
cria cabra de 3 para 4 mezes : no pateo do
Carmo 11. 14, casa terrea.
Cimento.
Vendem-se barricas com superior cimen-
to, chegado no ultimo navio de llamburgo:
na rua do Amorim 11. 35, armazem do J. J.
Tasso Jnior.
Vendem-se amarras de ferro : na rua
da Senzalla nova n. 42.
Arados de ferro.
Na fundici) da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos m-
jelos.
Deposito de potassa e cal.
Venue-se muito nova e superior potassa,
assim como cal virgem e pedra, recente-
mente chegada de Lisboa, por prego rasoa-
vel: ua la da Cadeia do Hecife n. 12, ar-
mazem.
lua-M' aos fregnezes que icnliam
nula attengo para o novo sor-
tiuteuto que existe na loja la
rua lo Crespo 11. t, no p lo
laiupea.
"" Vendem-se cassas pintadas de cores fizas
a 260 e 280 is. o covado; cortes de brim
blanco de linho puto, a 1,920 rs ; ditos de
fuslftu muilo finos, a 560 e 640 rs.; cassa
preta propria para lulo aliviado, a 120 rs. o
covado ; zuarle de cor, a 200 rs. ; riscado
de linho para casacas, a 240 rs. o covado, e
u\iti as minias fazendas por prego commodo
_> Ao deposito da rua da Moda u. 15, > ha para vender superior cal em pe- <:-
da, recenlemente chegada de Lis- boa, em o brigue Conceic&odt ,Va- *
ha, por prego rasoavel : tambem ahi :
so vendem pesos de duas e de urna
ai 1 uliii, por prego commodo ; ha
tambem ellectivaoiente no mesmo
deposito barris de mel para embar-
que.
0JAAA&AA:AAA&AAA:ffcA!4iil Cal vigeiu ciu pedra
chegada de Lisboa na barca Curala e Ame-
lia, vende-se a prego commodo : no arma-
zem de Silva Barroca, ua rua do llrum, nu-
mero 28.
Na livraria da rua do Crespn. II, ven
dem-se as seguintes obras: Galera Uni-
versal, collegfio de bellas estampas coloii-
das representndoos (rajos de todos os po-
yos do mundo, as quaes podem servir de
II;;nrii.os para os bailes de mascaras do pr-
ximo carnaval ; o llecopilador, publicagu
eucyclopedica (.or urna .-ociedade de Ilite-
ratos, coutendo excellenles romances dos
uielhores autores, poesas, biugiaphias,
etc., quatro volumes em 4. encadenados;
6, de JoSo da Costa Dourado.
Camisas feitas.
Na rua Nova n. 35, loja de alfaiate, de Ja-
cinlhoSoaresdetdenezes, lie chegado um
completo sortimento de camisas muito fi-
nas, vindas pelo ultimo navio francez, e
feilas ao ultimo gosto de Pars, as quaes so
vcudem pelo diminuto prego de 2,500 e
3,000 rs.
Cheguem a pechincha.
Vende-se superior lingoig* de porco do
SerUo, a 320 a libra ; pagas superiores, a
200 rs. ; figos comadre.a 200 rs e outros
muilos gneros superiores, por precos ra-
soaveis : nos quatro Cantos da Boa Vista,
esquina de San Goncallo, venda por baixo
do sobrado n. 1.
Vende-se urna bonita parda de 20 a 22
anuos, com algumas habilidades, assim co-
mo dous ricos espelhos grandes, proprios
para urna senhora se vestir, e um terreno
com 180 palmos de frente o 320 de fundo,
com alguns arvoredos, sito na nova rua do
Hospicio que segu ao palacio do hispo:
os pretndanles podem dirgir-se a rua dos
Pires n. 19.
Vende-se urna, escrava com 20 annos
de idade, boa engomniadeira, cozinlieia e
coslurcira, sabe bem vistii urna senhoia e
fater lodo arranjo de urna casa com perfei-
gilo : na Iravessi da rua Bella n. 6.
Escravos fgidos.
Fugo no dia 10 do passado o escra-
vo crioulo, de nome Jos, de 40 annos, al-
tura regular, cheio do corpo, olhoi ama-
rellos, rosto bezigoso, ps chatos egrosos;
levou caiga de 1.1a escura : quem o pegar,
leve-o a seu senhor, no armazem da acu-
car, largo do l'elournho, ns. 5 e 7, de 110-
mflo Antonio Ja Silva Alcntara.
Fugio do engenho Itapegoca o pardo
Itoliiin, que reprsenla ter 18annos; tcm
os denles limados, alto, aero, cor natural
de pardo, cabellos meio vermelhos, sem
barba, tem a perna direila com um (eitu
acambalhado pouco visivel, anda calcado
titulo de forro, caigas pretas, jaqueta de ris-
cado, chapeo branco de pello ; fugio no dia
primeiro do correte : quem o pegar leve-o
na Boa Vista rua da Gloria sobrado 11. 70.
que ter a graticagflo de 50,000 lis.
-- -- $mmmvwwwmNL
O mulatinho Agostinho
fgido.
% Na noite de 11 para 1 a do
- passado ausentou-se o es-
I cravo Agostinho, pardo a-
1 caboclado, cabellos pretos e
I lisos, ps grandes com os de- 2
i dos grandes grossos e camba*
i dos para dc-ntre ; be filho do
; sertao, muito tallador e fio-
:!.. ta: roea-se as autoridades
:

roga-se
Ij policiaes, capitSes de eam- I
i* po, assim como a toda e |
|t qnalquer pessoa qne o en- i
I conlrar, de prende-Io e con-
I; duzi-lo a seu senhor fien-
9 to Jos Taveira, na rua da
I Cruz n. ao, que nao s paga*
f: r todas as despezas, como
g offerece urna generosa re-
g compensa a quem o trouxer.
Cratifica-se bem.
-- Fugio, no dia 22 do passado mez da
dezembro, o preto Antonio, denagfio C-
binda, representa ter 45 annos de idade,
altura regular, cheio do corpo, rosto abo-
cetado, bastantes cabellos brancos na ca-
hega, e jinnin cabelludo dos peilos : levou
caiga e jaqueta de ganga azul; he oflicial
de caldeiretro da fabrica da rua do Brum
n. 28. Desconfa se que tenha ido P"
o mallo, por ter j estado fgido perto ao
11 m anno em algum engenho : rogi-ae, P'*<
a quem o apprehender, leve-o aosSrs. mesmo escravo, Mesquita & Dutra, na dil'
lab ic.i, que go recompensar.
TTl
d
c
c
1
I
' r
1
I
,e
t
,1
c
X
j
II FGIVFL.
.-.tjtmLXW&l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E37AVMFG5_K0L74S INGEST_TIME 2013-04-12T22:16:34Z PACKAGE AA00011611_06291
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES