Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06285


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVI
Ter?a-feira 50
FABTIDAS nos OOMBOI.
Coiannae Parahlba, segunda e.exta felras.
K-Grande.do orle, quinta. reirs ao rne.o-
Cabdo,,Sernh8em. Rio-Formo.o, Porto-Calvo
e Macelo, no 1., a 11, e 21 de cada mez.
Garanbunje Bonito, a8c2d.
Boa-Vista c flore, a IJc 28.
Victoria, quima reir.
O linda, todo o dia.,
. ., J I'hases Dt i.ru.
/Miag.
I Nova
Cresc.
(Chela
rasa,
a 4, 1 h. e24m. da t.
a 12, a Hih. c27 ni. a 19, 7 h. e 47 ni. da in.
a 2(i, 9 b. e 1 m da in.
nlaHAH DE HOJ.
Primeira aos
Segunda ao
6 hora
7 hora
e 54 minutos da manhia.
e 18 minutoda tarde.
de Abril de 18K0.
N. 07.
ruegos da subscrifoao.
Portremetes(adiantadoi) 4/000
Por seis mete 8/0001
Por um aono iS/OOOj
M
das da ckmawa.
129 Seg. S. Pedro Martyr. Aud. J. do orf. e m. 1 v.
|30 Tere. S. Catharina de Sena. Aud. do chae, do
J. da 1. v. do clv. e do do feito da fazenda.
1 Quart. >< S. Filippe e t. Tiago.
2 Quii. S. Atbanaiio. Aud. J. do do orf. e do
ni. da 1. v.
3 Sext. S. S Invencao da Santa fur:.
4 Sab. S. Monlca. Aud. da Chae, e do J. da 2. v.
do crlme.
5 Dom. A Maternldadedc Nona Senhora.
tsm
0AMBIO3EM 29 HiBM
Sobre Londres. 28 d. por 1/000 rs. a 00 dias.
. Par, 346.
Lisboa, 95 por cento.
Onro.-Onea heipanlioes......... 29/000 a 29/500
Moeda de 6/400 vclha... 16#800 a 17/dui
de 6/4(10 novas.. 16/100 a 10(1000
. de 4/000........... 9/200 a 9/400
/Vala.-Patacee braslleiro...... g> */%*>
Pe.o.colu.nnario........ g *
Dito mexicano.......... I/0" '#""
ERRATA.
No resumo do discurso do Sr. Jos Pedro,
publicado hontem, em vez de oa/aneo ix-
pl,cativo om svpplementar, la-se balan-
do explicativo do exercicio de 18*8 a 1849.
PARTE OFFICIAL.
GOVERNODA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 91 DE MARCO.
Ofllcio. ~ Ao presidente do Santa-Catha
ria, remeltcniio as guias du innjor Manoel
Lopes Pcccgueiro, e do capitilo Thomaz He
Villa Nova, bem como adoalferas Tito Li
vio da Silva, que. como aquclles, levo pas-
cagem do oitavobatalhSo de cagaderos par*
o sexto da mesina rma.
Dito -Ao commandante da praca, recom-
mondando a expedicilo de suas orden* para
que a troca de primeira linlia existente ties-
ta capital, msreho no dia 25 do crtente,
anniversario do juramento da consliliiicflp
da imperio, reunida 6 guarda nacional (les-
te municipio e sob o mando do respectivo
comandante superior, e prevenindo-o do
que a guarniclo da prarja nesse dia e no an-
tecedente, leve ser feita pelas pracas da re-
ferida guarda nacional, que nilo estivercm
fardadas.e pelo 1 "batalhuodoinnncipiodi'
Ulinda. Expediram-se neste sentido at
necessarias ordena.
piro. Ao mesmo, communicando haver
S. M. o I. concedido dons mezes de liconca
com sold simples para ir corte, ao len-
te do segundo batalhiio tic fuzileros Fclix
Jos da Silva. Inlelligenciou-se o inspec-
tor da pagadoria militar.
Dito. Ao director do lyceu, inteirando-
0 de ter concomido 3 mezes de 11 cenea coa
0 ordenado ao professor adjunto de Fran-
ecz e inglez do mesmo lyceu, o Lachare!
Caetano EsteltaCavalcnnte Pcssoa.
Pilo. Ao commandante do corpo de
polica, pan que o corpo sObseu cominan-
do, dea guarniclo da cadeia dcsta cidade
no dia 25 do correnle.
Portara. -- Damiltido a Antonio Jo-
Dnarte do lugar do amanuense da secretaria
do governo. -- Fizeram-se as convenientes
comunicages.
IDF.M DO DIA 22.
Ofiicio. Ao commandadanle da praqa.
Sari mandar pesiar na lente da malri?
g Boa-Visla no dia 27 do corrente, pelas 7
huras da manhiia, urna guarda de honra de
um dos corpos de linlia, afim de acompa-
nhar a procisso do Senhor aos enfermos.
Dito Ao administrador do correio.
Tcndo-me sido c >mmunicado om aviso im-
perial de 18 de feveriro prximo pastado.
que pelos exanics a que so procedeu na ad
nunistrac3o do correio da corte, nao consta
queem lempo algum fosse remcllido para
all o processo em que fram pronuncia-
dos os ingle2es Eduardo Burus, John Wight
e outros ; bem como no tribunal da rela-
cSo da corle nao consta ter chegado o
menconido processo, segundo o aviso de
19 do referido mez, cumpre que Vmc. haja
de informar-me o que constara tal rr-speito.
Dilo. Ao director do lyceu, para por
novamente a concurso, a cadeira de primei-
ras letras do sexo feminino da cidade do
Victoria, visto nao ter apparecido a ella op-
ponlora alguma.
Portara. Non eando interinamente para
fes lugares yugos de feitor conferente da al
fandega tiesta cidade, ao bacharel Pedro
Gaudiano de Ralis o Silva, e ao primeiro es-
criturario da mesilla Jenuino Jos Tavarcs.
Communicou-se ao inspector da lliesou-
raria do fazenda.
MSI'ADO DEPELINANfiUC.
D. o/lo da Purifcaro Marquu Perdiglo.
caneyo regrante de Santo-Agoilinko, por
graca de Dos e da Sania Se' Apostlica bis-
po de l'ernambuco do concelhodi S. U. Im-
perial e Constitucional ele.
Por especial mandado deS. M. Imperial
communirado pelo inpeiial aviso de lid'
ipbo de 1829, expedido pela secretaria de
estado dos negocios da justica, pomos en
concurso i do prsenle cdltal as leguinles
igrejas vagas deste bispadoa de Nossa Se-
nhora da Pena dolluriti, adeS.-Joo Bai>-
tista de Porto Alegre, a de S -Jos de Cari-
nhanha, a de Sail'Anna de Upanema, a de
Nossa Senhor da ConceiQo de Cabaceira.
ld>' Nossa S'nhora da Penha da Santa Cru?
da L'ruburetam, a de Santo-Cosme Damifii
da Serra do Pcreira, a do Senhor Bom Je
sus do Bom Fin d'Assemhla, a de No-s
Senhora das Monlanhss >la villa de Cimillos,
a de Nossa Senhora da ExpecUc,3o da cida-
de do Ico, s de S.-Jos d'Agoa Preta, a di
Nossa Senhora dos milagrea do Cariri Vplho
du villa >lu S.-Jo.lo, a de No.ssa Soidiora da
Concerno de Pao de Ferros, a ddfiLlion
Jess do F.x, a de Nossa SenlioraflKsca-
il.i, a de Nossa Senhora do Uesswro dt
1 tamb.
Todo o Rvd. sacerdote ou clrigo, qu<
queira fazeropposicSo s igrejas cima re-
fer idas apresente-se com seua ppeis promp-
tos e correidcs na forma do estillo para se-
ren adniillidos, hiendo termo de oppsicao
dentro do prazo de 60 dias, lindos os quaet
se fai o concurso, em o qual respoudbrSo
os llvds. oppositores novo casos de moral
e cniHciencia, e farflo urna exposigUo ou ho-
mila do evangelho qi.e assignarmos : para
piopormos a S. M. o Imperador os que se
jnlgaiem mais dignos na forma dos sagra-
dos caones e cune, tiid.
Da loa m Olindasob o sello da chancella-
ra e nosso signal, aos 29 de abril de 1850.
Eu o padre Joaquim d'AssumpcSn, escri-
vSo da cmara episcopal osubscrevi.
Jodo, hispo diocesano.
F.stsva o sollo das armas episcopaes.-i4s
$umpeo.
Edita) pelo qual manda S. Exc Rvm. por
a concurso as igrejas vagas desto bispado
em conformidade com as imperiaes ordena
Para V. Exc. Rvm. assignar.
Comn.-indo das armas.
Qurtel do commando das armas na villa
d'Agoa Preta, 21 de fevereiro de 1850.
ORDEM DO DIA N *
O mareehal de campo graduado, co'n-
mandantedas armas,nrdeoa, que o Sr. nri-
jor do segundo batalho de creadores Jos
da Silva GuimarSes, entro no exercicio de
commandante interino do seu respectivo
batalhlo recolhendo-se ao quinto de caca-
dores, a que pertonco, o Sr. major gra-
duado l.uiz Antonio Ferraz, que passi a ser-
vir as funecos de fiscal, visto que o Sr
tenente-Loronel Martinhu Baptisla Ferreira
tamarindo, commandante do mesmo hata-
lAo, esta prompto para o servico.Jn/oM/o
Corriia Stani.
Quarlel general na villa d'Agoa Preta, 22 de
fetertiro de 1850.
ORDEM DO DIA N. 5.
0 mareehal de campo graduado, com-
maridanle das armas, faz publico, que, por
portaras da presidencia da provincia data-
das a 16 do corrente, fram nomeados alfe-
resdecommissao, para servirem ns forQI
de Indios na villa de Cimbres Felippe Flix
de S.-Tiago c Alberto di Brilo Cavalcanli,
sargeritcs da mesilla frca..tnlono Correio
'era.
Quarlel general na villa do fonito, 26 de fe
vtreiro de 1850.
ORDEM DO DIA N 6.
O Sr. mareehal de campo graduado.
Antonio Coneia Seara commandante de
armas de-la provincia ordena, que o hos-
lilal regimental estabelecido tiesta vil-
la, e que se acha a cargo do terceiro bata-
l'So de arlilharia a p, do I." do prxi-
mo fuluro mez de marco, fique a cargo
do quinto batalhilo de fuzileiros. Oulro-
sim ordena o mesmo Sr. general, qu os
Srs. commandaiiles dos conos fa?am rea-
lisar a cntregi dos vcncimei.tos daspraes
dos halalhOes dos seus com'mndos, que re-
ceberam curativo em os hosptaes eslabele-
cidos tiesta villa, e em o d'Agua Preta, em
o ullimo dia do mez em que forem venci-
dos, pudendo supprir com quaesquer fun-
doa dispensaveis a deliecncia, que porvon-
rura possa occorrer, de fundos destinados
para o pagamento dos ditos vencimentns ;
O que ludo o mesmo Sr. general multo re-
commenda, sol) a mais restria responsa-
hilidade dos Srs. commandanles dos corpos
Feliciano Amonio talado, lencnle-coronel,
ajudante geral.
INTERIOR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. prn-
denle Dr. Jos Dent da Cunha Figueiredo.
28 DE MARCO.
Ullicio. Ao commandante do vapor Urania,
dcclarando-lhe que lendo-se j mandado ,i-
llsfater as suas rcquisifdes, tanto dos 250,000
rs., como das duaa pipas d'ago.n, cumpre que
eatrja promplo para partir depois d'amanha
para Pernainbuco, logo que receher a corres-
pondencia da presidencia da provincia,
Dito. Ao mesmo, exigindo que declare ir
a falta do primeiro lente Pedro Thom de
Castro e Araujo que S. me. ndica para er en-
carregado da capitania do porto at a volla do
capito de fragata Fillppe Jo Ferreira. n3o
poder causar algum tranitorno su. viagem
para Pernainbuco.
Dito. Ao primeirat tcnente da armada Pe-
dro Thom de Castro e Araujo, encarregando
o da (uneces de capllao do porto desta pro-
vincia, duraute a amencia do capito de fraga
ta Fillppe Jos Fenclra.
Dito. Ao commandante do vapor Urania.
coniiuunicando-lhe a nomeacao cima, e di-
ciido-lhe que, vito S. me. declarar etn leu
ullicio dc(hnje que nriihiiiii inconveniente po-
da causar para sua viagem a falta do primeiro
lente Pedro Thom de Cailro e Araujo, haja
de delaca-lo, fazendo-lhe entregar a dita no-
meacao.
Dilo. Ao coronel da legiao de Porto-Calvo,
declarand'i-lhe que pode diipenar toda a for-
ca da guarda nacional, que actualmente eiistr
naqm-lla villa, deixando llcarum deslacamen-
to de 25 prafas para guardar o armamenlo e
iiiunicoes que all existen).
DEM DO DIA 30.
Odilo. Ao commandante do vapor l'raiu'j,
para dar transporte para Pernambuco no dito
vapor ao Dr. Jos de Soma Res e tita familia.
c ao eiludanle Adolfo de barro (Javalcanti.
Dilo. Ao mcuio, diiendo-lhc que pode re-
greaur hoje para pernambuco, entregaudu
peisoalmente ao Exm, concclheiro pretideult
da provincia o olUcio que e Ihe remetlem.
Dito. Ao inspector da theouraria de fazen-
da, iirdeiiando-lhe c|ue mande pagar at duas
conla que vo junta, urna da quanlia de ii-
112,480, attignada pelo capito Jos Anlonin
Ferreira Adnao, a a outra da quanlia de 27,280
rs., assjgnada pelo aifrres agente do hoipilal,
ambas piov nicnlrs dat ullimai despe/asl'ci
las cjiii os Alricauos que exliliam em deposilu
e fortn ha ponto distribuido.
Dito. Ao mesmo, tranmltliiido-lhe o olli-
cio do intendente de uiarinha da llahla, einqui
d os esclareciinentos pela ihetourarit pedido
para poder etiecluar a compra da madeiras
que daquella provincia forain encoumendadat.
PERNAMBUCO
CMARA MUNICIPAL DOBECIFE.
SISSXO EXTBXODINU DE 15 DE ABIL
DB 1850.
Presidencia doSr. Oliveira.
Presentes os Srs. Barros, Mamede, Carnei-
ro Montero, Moraes, Pires Forrcir e llenri-
ques da Silva, faltando com causa o Sr. Vi-
anna ahrio-so a sesso, e foi li Ja e approva-
da a acta da antecedente.
Foi lido o seguinto expediente :
Um olllcio do Kxm. presidente da provin-
cia, remoliendo os exemplaros do peridico
publicado na corte do Rio-de-Janeiro pela
sociedade Auxiliadora da Industria Naci
nal nos me-zes de agosto, outubro, novem-
bro e deiembro do uno passado, para se-
rem franqualas aquem os quicr consul-
tar.--Que se archiva>sem os exemplares, i
se acusasse a recepefto do ofllcio.
Oulro, rsineltendo um exempl ir do Diario
de Pernambuco n. 27, deste anno, coniondo
dous avisos espedi !o* pela secretaria de es
lado dos negocios do imperio, solvendo du-
vidas occorridas na execjeSo da le regula
mentar das eleicfles.- Que se acusasse a re-
cepQilo, e se lizessem as remessas do cos-
tutne.
Oulro, mandando quea cam ra fa^a re-
mover da ra de S.-Francisco a porcln de
madeiras, o outros materiacs que alli sf
acham depositlos, quasi defrontn do res-
iiectivo convento, e mande proceder ao at-
ierro, ou empodramenlo di paite da mesma
ru, que com as agoas pluviaes se alaga e
lifliculla a comtnuiucar;1o com o palacio du
presidencia.-Que se expedase ordena ao
liscal de Santo-Antonio, para fazer com que
o dono, ou dunos dos materiaes os remn-
vam no piaio de 24 horas, e c so o niio fa-
(jam, mande elle fiscal remove-los e logo
(|uo se isto effectue, trate de accordo com o
cordeador de | roceder ao atierro da men-
cionada ra.
Oulro do presid nte do concelho de salu-
bridade publica, reclamando contra a con-
tinua infraccHo das poslu'as municipaes pra-
licada por Francisco de Paula Carneiro Leilo
e Carlos Chidloe, e rogando que a camarn
ordeno aos seus Iscaes procedam contra
tac- infraclores.Que se respon Jesse que a
cmara j havia dado ordem aos fiscaes para
procederem contra os individuos queexer-
cein nesta cidade a arle de curar, sem ha-
bilitacSo legal, e que to novo ia repetii
casas ordens, exigindo nformaces so-
bre o cumplimento ou no cumprimento
del las.
Outrodo advogado, respondondo aoque
se Ihe consultou reUlivaroenteao telneiro
existentona praca do capim.-Que se orde-
nasse ao liscal de Santo-Antonio houvesse
de in lagar queni he o dono esse lelheiro,
se foi ou nao constru lo com Ucenca, t
quanlo por elle pede seu dono, alim de se
tratar quanlo antes de sua demolido, visto
servir elle do abrigo a mal intencionados e
de se praticarem actos immoraes.
Ouiru do mesmo, informando a respelo
do que dispOe o aviso de 12 de julho de 1833
edojreton. 459 de 27 do julho de 18t6 re-
lativamente o ordenado que deve percebei
os que servem os lugares dos deputados,
quo silo empregados publicos.--Adiado.
Oulro, de Jos Fernando da Cruz, provan
do com allesladode facultativo uo se adiar
anda restahelecido do grave ncoinmodo
que solTrera em sua sade, e no poder as*
si ni tomar ausento nesta cmara, para o que
foi de noo conviJado. Inleirada.
Oulro, do fiscal de S-Jos, datado de ho-
je, participan Jo leronlrado no gozo da li-
cenca que a cmara Ihe conceder, e dando
a i.is.ni porque nilo liuha laucado no livro
competente as mullas que dea na freguc-
za do Santo-Antonio, durante o lempo qui
ahi servio 111 Le i mmenle, mas que na con-
tadura existen as respectivas notas.In-
leirada, e que se uflicUsse ao fiscal dos Alo
gados, para funecionar em dila fregue-
zia.
Oulro, do fiscal da Boa-Vista, pedindo
providencias contra o abuso desetazerem
despejos pblicos no largo do Hospicio, lem-
brando ser conveniente postar urna senti-
nella nesse lugar.Que se communicasse
islo mesmo ao guverno da provincia, ro-
gando-lhe houvesse do providenciar para
que do quarlel do llospiciu se vedasse poi
meio de urna seulinella a cuntinuaco do se-
inelhaule abuso; visto nao ser dito lugai
designado para despejos.
Oulro do mesmo fiscal, pedindo houvesse
a c mar de piovideiiciar para que a seuli-
nella postada na ponle ua Boa-Vista para
vejaros despejos que as extremidades da
mesma ponte se lazein, faca extensiva se-
nielliaute obngaeao por lo lo o litoral da
roa ta Aurora onde tambein se cstSo h2eu-
do despejos, e se preste a icquisifOos dellt
liscal, quando liver de fazer a polica so ni
una da sua freguezia.Quo nesto sentido se
ulliciasse ao coiiiuiaudauc iuierino do cur-
,io de polica.
Oulro, do liscal da Varzca, communican-
do haver o l-.xiu. cummendadur Francisco
le Ca valho Paes de Andrade leitj sua elis-
ia, ea pedido doli liscal, urna bomba dt
pudra e cil no lugar denominadoTolo
que melburou coiisiJeravelaieute o transito
oor esse lugar.Inleirada.
Oulro do mesmo fiscal, informando a pe-
li(So de Antonio Carneiro I uo, pedindo
iicenca para inutilistruma estrada que pas-
sa pela sua propriedaJe denominadaAm-
bul.Indeorio-se a preten^ao.
A cmara encarregou o Sr. vereador Ma-
mede de indagar quom he o propriulariodo
terreno que forma a praca do Capim, no lis
da ra de Santo-Amaro, e quanto pede por
ello, afim dse tratar pelos meios le^aes de
sua desapropatelo, pedindo-se previamen-
te quota no corpo legislativo provincial par
a*M dospeza.
O Sr. vereador Carneiro Monleiro ficou
encarregadn de realisjr a compra do terre-
no destinado para cemilerio publico, visto
se tonar doente o procurador, exigindo des
lo a quanlia de 11:000,000 rs que para este
fim recohera da Ihesouraria provincial, as-
sim como de fzer as despezas oecessa-
rias com a obra do aqueducto do paleo do
Carmo.
O mesmo vereador requereu, o foi apprn-
vado, que seencarregsre a urna commis-
s.lode exuminaras posturas em vigor, alim
le indicar a supressHo dsquellcs arligos que
pela pralica se tem conhecido inexequi-
veia, e a a.lopvo do outros que forem con-
veniente*.
Fram nomeados para esla commisslo os
Srs Carneiro Uonleiro, Dr. Moraes e llen-
rique da Silva.
Man'oii-se annunciar por eJitaes que a
cmara tinha de fazer a nomeaefio de fiscaes
supplentes para as freguezias de Santo-An-
tonio, S.-Jos e Bill-Vista.
O Sr. vereador Pires Ferreira foi nomea-
do membro interino da commissilo de edi
Mcaean, e i mesilla commissSo mandou-se
remelter o requerimento de Manoel Anto-
nio Congalves, e outros possuidores de pre-
dios as ras da Glora, e ponte Vclha, ci-
jos fundos deitam para a ra da Alegra, pe
dinlo modificacilo da plante daquelles lu-
gares, no sentido da que apresetitarain, a
fim de que informe sobre tal pretenC/So, ou-
vin lo o cordeador.
Despacharam-se as peticOea de Albino
Jos Ferreira da Cunha, de Antonio Itodri-
gues Lima, de Antonio Carneiro Leo, de
I) Antonio do l.ocio e Sybles, de Clara Cle-
mentina Carlota de Brlo, do Francisco \'i
Ionio de CsrvalhoSquei'a, de Francisco Pe
reir da Silva Santos, de Francisco Jo d.
Mello, de JoSo Deodalo Bomar, de Ignacia
Brgida de Mello, de Manoel Pestaa de. An-
irade, da viuva Cunha Guimares, c levan
um -se a aessflo.
Eu, Manoel ferreira Accioli, secretario in-
terino a escrevi Olireira, presidenle./a
mede.Carneiro Monleiro Ferreia. lien-
rique da Silva.
UAMJSCO DO COFRE DA ADMINISTRADO'
1)0 PATRIMONIO HOSORPIIAOS, YEII1FI
CADO NO l. DE JANEIRO A31 DE MARCO
DE 1850.
RFXEITA.
Rendimento do nstrlnonlo 6;004,5I3
-.dlir.i do collegio dot orphaos 131,ISO
Dilo dilo das orphiias 98,910
Resliluiciio feila pela viuva e her-
deiros de l.uiz Ignacio Ribeiro
Roma por conla do que ficou de-
vendo como Ihesourciro desta
adminlslracao 220,000
7:051 633
29,87'.'
7~08.5l2
Saldo em 31 de dccinbro de 1849
DESPEZA.
Ordenados ao eniprcgado
Diarias ao eillnclo congregado
Collegio dot orplmoi.
Ordenados ao empregados
Jornacs aos serventes
Diarias aos orphaos e empregados
Cancertos di collegio
Collegio das orphaas.
Ordenados s empregadas
Joruaes is srvenles
Diarias s orphas e empregadas
Saldo cni 31 de marfo de 1850.
237.500
198,000
1 08MM
4),00'
1:731,900
230:000
449,fi7(i
288,00(1
1:394.700
G:W,574
1:015,938
7:084"^5l
Secretaria da administracao do patiiinuiu.
dos orphaos, em 4 de abril de 1850.
O ihetoiireiro.
Domingos Aflamo Nery ferreira.
Oiecretario interino,
Antonio Bodriguei de Almeida.
humo he i'ERwmrr.o.
BKCirE, 19 DI ABB1X. DI ISiO.
A assembla continuou hoje a segunda
liscussao du projecto n. 3, que fixa a forca
policial da provincia para o anno financei-
ro de 18501851 ; mas aemelhante discus-
8:1o .- chegou o artigo 3.*, que ficou lau-
do pela hora.
O artigo l.'foi approvado com urna c-
menda que sutoria o governo s supprimii
uindoa lugares de lercciro cummaudanle
em cada companhia a prupurc.au que forem
vagando, se assim o permillirem as neces-
sitlades do servido.
Oartigo2* passou lal como esl no pro-
jecto, por ler sido rejpitads urna eaien-
ila em que propoz o Sr. Jos Pedro, que o
sold do major do corpo fmsse elevado a
90,000 rs. mensaes ; e haver o Sr. S l'erei-
ra retirado outa, que dava ao cirurgiao
mor a gradusfSu de capito.
Tomar-ni parle no dbale os Srs. Jos
Pe 1ro, Mello llego, Manoel Cavalcauli, Flo-
ripeseSa Pereira.
A ordem do dia para amanilla 30 lio n
mesma du boje.
Como nos obsequisssem hoje com o Jour-
nal of Commerce de New-York de 10 do mez
corrente, o qual fra trazido a eata praca
pelo vapor N rtliernal, ap,ressaaio-noa a
communicar aos nossos leitoros um resumo
nm
das noticias importantes quo nclle encon-
tramos, visto nlo podermos da-las tudas
por extenso por ser j bastantemente
tarde.
Em Franqa e principalmente trn l'aris,
donde temos noticias a< 21 de marco, rei-
nav grande agitaQo, om conseqnenria di
victoria ganha pelos socialistas na eleom a
que so prorodeu a 10 do mas no mez, para
preeneher as vagas deixadas pelos repre-
sentantes, que foram ullimamenti con-
demnados pelo supremo tribunal da Ver-
stiles.
Nodopurlamento do Seallos os in-
dividuos eleilos (tres) so socializas, e nos
outros d.ipaitameutas denlre vint" o oil>
rcpresootanles, dezoito pertenenm ao me
mo credi polit'Ci, e smentj del p i
(eneo-n ao partido moler'^ c ennici-
vador.
Osf.inlos francezos haitaram em Loo-
tres, Vionna, Berlim e Madrid, logo quo s i
recobeu nestascapilaes a noticia deiiintal
resulta lo ; mas cie-sa que este etlettn ser
transitorio.
No dia 18 de ma'co o resultado da el"ic"'>
foi solemnemente proclamado-d- um taa-
lo frente do Hotel de Ville ; mis n* ven-
cedores ahsi i vera m-se de assislir a este arlo,
em virtude de varios avisos, que foram an-
tecedentemcnle publicados pelas gazetas do
seu parli lo.
Eis aqui um dcstes avi-os:
O poyo conhecej o resultado aaseloi-
efles, e pnri.inlo deve abster-sn de ir :u>
Hotel de Ville. Este consclho Ihe d luda
.1 imprensa independente, a qual tom pora
isso bem boas rasoes. No nns convem cor-
rer o risco de mudar urna victoria pacifica
cm um conflicto sanguinario. Sabemos que
a policia se esforcar por provocar um con-
flicto A commissilo democralicii-socialista,
sendo informada de que os inimgos di re-
pblica desejam urna collisKo diante do
Hotel de XUle, no perde um momento om
aconsclhar a todos- os seus concilladnos
quosoabslenham de ir assislir proclama-
ndo dos novos reirescntantcs.
O ministro da ju-lica Mr. Fernando Bar-
ot dera a sua demiss'io, c fra substituido
por Mr. Baroche.
Roma licara tranquilla at o dia U de
marco a que alcancam as noticias qu de la
recehOmus O papa clia-su inda sm Porli-
'ii, porm cria-so que do 7 a 10 le ab il es-
tara do volla para o Vatio no. Fallando
nom um persona gnu, que hoja se ada cm
Roma, S. Ssnlidade exprimio-se. assim :
Circumstancias graves leem-mc obri-
gado duas vezes a nSo levar a efleilo a re-
solucflo que havi'i tomado da vollar ao Va
ticano ; porm lenho determina lo sgora fa-
z lo, o desta vez cumprrei a tninha pa-
I iVI.I
O Vito Amico do Rolnnha de 11 do m ireo
diz, que. o exercilo pontifical ser e.omp >st>
de tres legOes estrangeras; isto he, um i do
Austracos, urna de Francezes o unta de lies
palillo'S OU SuiSSOS.
Da Allemanha sabemos, que no din 20 de
marco tivera lugar em Erfurt a abertura lo
parlamenlo germnico, pronuncian lo o ha
ro Radowiiz, por oommiss.lo oa re ua
Prussia, urna falla, na qu il dera conla a as-
sembla dos principaes acontec muios que
al aquella data linham tilo lugar no paz.
O reino de Hanovre separou-sc da liga, e i ni
eii nsequenei i disto o rei da Prussla inaiidoii re
tirar de l o seu enviado.
No dia 15 de marco abrlo-se a assembla de
Wurtcinherg, que fra eleila para o fin de re-
ver a coiisliltiicao do paii.
Estt corpnrafiio acha-sc dividida em dous
partidos, o deinocralico e o liberal O Sr.
Se oder. chefe do primeiro,foi eleilo presiden-
te por 44 votos conlra iS, nue (oram dados ao
Sr. Roeiuec, chefe do iegiindo.
Or. Schnder, ao tomar pisso da cadeira,
fez una falla na qual elrtgtou inulto a coiuti-
tuicao feita pela assembla coiisliliiintc de
Kreakfttrl. Elle atacou os grandes governoi
da Allemanha e declarou que a recente afilan-
ca daavicra, Saxonla e llinovre nao concor-
rerla para a tulucao da quet*o germnica
mala do que tinha feito a. alliaoca da Prusla,
Saxonla e Hanovre.
Como a maioria da assembla tenias mes-
illas opinle democralieas extremas do sen
presidente, crc-sc que urna dlssoltic.io he ine-
vilavel.
Nalnglterranada de extraordinario lia-
via lido lugar. O parlamenlo cunlinuava
regularmente em seus trabalhos.
Em Londres os consola a 22 do marco fice
ram, de 95 3|8 a 95l|2.
Na Uniilo Americana tambein nada de ex-
traordinario havia occorr lo.
A aegninte correapondenca do N. Y. tilo-
be interesaa a lodos os brasileiros, a por is
so a publicamos :
Osocretario da marinha ain la no no-
ineou o ollicial, que deve commandar o es-
liiadr.u) brasileno. Este commando, som-
pre importante, tem-so tornado agora de
maior consideragflo pela ron ln;o critica
cm que se acham as i ulacu, onlie o Brasil
e a Cran-Bretauba. Se esta ultima potencia
tentar sustentar as reclamaccs de seus ri-
dados, como lie, do raSo, por iiieio.iouu
bloqueio nos i ortos do primeiro, urna seria
inlurrupcao lera lugar'no coimnerc dos
Esla Jos-Unidos com este paz, o qusl recebe
do nos toda a farinha de trigo que consom-
m, &.
Em lodo o caso, precisamos de um olli-
cial iulelligenle naquella ostsc;o, que soja
proprio para qualquer emergencia qu possa
occorrer, quojiailia proteger nossus inie-
rosses cominerciaes o esleja preparado para
isso. &.


ISWK3?
Correspondencia.
Fus. KiitCTORgs.BrtyiM ascsmadres, ats-
cobrem-se as verdades. (fio adagio da pro-
sodia. )
NSo pudeler desanguo f'ioo post-scripto,
ou rabo leva do Sr. r>r. Sabino contra o Sr.
Casanova no Diario n. 92. do corrente ati-
no. Com que arrogancia, com que azedu-
me, comque tom dictatorial o increpa, e
nmetica pira o seu rcgressn de Coiana E
porque tanta animis ertleslibus irte ? Porque
o dito Sr. Casanova tem perpetrado o imper-
doavel ciinie de annunciar dses medic-
naes a 5 e a 9/000 rs., quando estas no
mercado homo3opathico goiuvam do inva-
riavel preco de tolano rs. cada urna tem,
porque roceita lombrigueras, sinapismos e
purgantes. Itm, porque consulta odoente,
se qur allopathia, ou homceopathia.
Antes, porm, de tratar destas accusa-
cles permta-me o mesmo Sr. Dr. Sabino,
Ihe faca algumas observacOes a respeito da
sua annunciada viagem cida la de Goian-
na, a ver se pela homceopathia salva das
garras da morte a utn homem, que sendo
tractailo pela medicina ordinaria ( allopa-
tbia )acha-se reduzido ao ultimo extremo.
Se o Sr. Dr. Sabino quera annunciar a todos
os seus doentes, e aos que o hajam de pro-
curar a sua auzencia por poucos dias, em
que tem de fazcr as suas vezes o Sr. Dr. I.uz
pessoa de toda a sua confianca ; que preci-
so i iiili;i de Irazer tilo patheticamente pin-
tado o misero estado desse bomem deGoian-
na, que invoca o seu ministerio homceopa-
tico, para ver se escapa morte immiiienl*,
a que o tem reduzido a allopathia ? Mo re-
co'.hcce o Sr. Dr. Sabino quanta Talla de
modestia pode bruxolcar a malicia human
nessa sua carta de despedida ? Qualquer,
que no tenha a minha natural simpleza,
dir toque qur o Dr. Sabino, he inculcar-
le por homcm necessario, indispensavel e
salvador das vidas humanas : o que elle
pretende com essa sua participado do en-
fermo de Con una he cullier urna grande
vantagempara o seu crdito ; porque se o
homem morrer, nSo ha duviJa que foi vic-
tima da medicina ordinaria ; mas, se esca-
par, eis mais um milagre das (loses homeco-
paihicas pelo Sr. Dr. Sabino .' Estas e ou-
tras stralegias o exagerarles encomiasta-,
fazem cun que muila gente de lumo no
olho desconfi da mystenotia homceopathia.
A ver Inde sempre fui singella, innocente e
sobretudo modesta.
Vamos agora ao Sr. Casanova. Que im-
porta que o Sr. Dr. Sabino seja o pai da ho-
mceopalliia em l'ernambuco, para aggredir
com tamaita indignaco a aquello Sr. ? Se
oSr. Casanova mistura a homceopathia com
a allopathia, o que se segu he, que no he
non ucopathia pura ; he sectario de urna me-
dicina composta, ou combinada de um e de
outrosystema ; e nSo reconheco na paterni-
dade doSr. l>r Sabino o direito de mal
Iractar urna sua B#, que alias pde-sr
chamar de nalureza hyhrda. Quem sab-s-
o Sr. Casanova descobrio na sua clinica,
que o verdadeiro metltodo de curar esta na
prudente coinhinacSod'unia e d'outra es
cola f Quando indaga do doente, se qur
allopathia ou horr.ceopathia, parece-me ho-
mem prudente, que, convencido da incerte-
za de todas as medicinas, dectde-se pela IV
do enfermo, e bem se sabe quanlo pude na
saucic humana a f no medicamento. Ora,
vale-se dosovinhos de aranha, ota, laetca
mio dos sinapismos, dos purgantes, etc. ,
ora, combina urnas cousas com outras. O
quo se segu he, que tem mais recursos Dar
curar.
Mas, o grando caso he, que o Sr. Casano-
va. se quizer, p le apresentar um estirado
catalogo de doentes, que tem curado. E que
outras provas produzem os Srs. homrcopa-
tas puros da virtude da sua medicina ? Por
ora, anda |h'as no vi de outra especie.
Morrem doentes ao Sr. Casanova? E quanto-
n.lo teem morrido e vflo morrendo aos se-
nhores das dses inlnitesimaes? He dizer
que os que morrem i nio fallam, nem ap-
parereni em catalogo alpum do Diario,
leudo sido tratados homooopatliicameiite.
Desengaare o Sr. Dr. Sabino,que apezardo
8pu saber c da sua muita sagacidade nio
levara aocaboo persuadir, que a sja lio-
iiiceopatiiia tem a virtude de ser ndefecli-
vel; porquo se assim fosse, o homem seria
immnrtal.
Mi S liTi PnllOS tempOS do rei velho iiavia
urna insltuicSo chamada o Protomedica-
to, que nHo consenta recetar a quem nio
fosse medico e cirurgiiio. Iloje quo e-tamo-
no srrnlo das luzeg, e da liberdade engarra-
fada,cuido quelalallrihutcfo passou i ai aa-
ramaras municipaes. Eu nio estranho que
os senhnres facultativos siga ni em sua clini
na este, ou aquella syslema de Therapeu-
tica ; porque, emlim tem i lies um titule,
legal ; eos seus erros cobrem-se de trra,
ou enlaipo-se uoni pe Ira o cal. Mas, n3i
nio posso olhsr com indiffeienca para esse
enxame de Dulcamaras, que surgem do luda
a parle, e andam por esse mundo armados
d'uma carleirinha, que he botica, incul-
cando-se de professnres e milagrosos dou-
tores homoeopalhas .' Ser a arte de curar
Ihiii ceopathicameiile cousa (So simples, t.o
comezinha, que dispense os conhecimentos
da anatoma, da phisiologia, da palhologia,
d therapeutca, da materia medica, da
botnica, dachimlca, da pharmacia, etc. ?
Pois, cabe em cerebro, que no seja do ga-
linlia, ou de camerSo, que homensenrane-
cidos nesses estudus, e na pralica de tratar
enfermos muilas vezes claudiquen e nao
saibam o que receitam ; e mis esganarellos
que nada sabem dessas materias, com meia
duzia de fracas explicaees d'uns caderni-
nhos deshanquen) os Uichats, osPinels, os
Velpeaus, os Andrales, os Razoris, os Tho-
mazinis ? Se o systema homceopathico he
urna especie de chegaa todos, e aprende-se
como se pode apTender a bisca, ou os tres-
setes ; declaro que dou muila preferencia
medicina do Dr. Sangrado.
Oh quepragade Dulcamaras! Que es-
peculado! Osujeilo que heimpressor de
urna lypograplna, vendo a mesquinhez
dessa industria, atira-se nova California,
arvora-se em Dr. hoir.ceopatha ; e, ei-lo
apregoadocomo homem milagroso; por-
quo a lgica do povo he o post hoc erg,, prop-
terhoe, eo maravilhoso sempre acha ad-
miradores e sectarios .' At cocheiros lar-
gam os carros e os cavados, e alist3o.se
na lucrosa brigada dos curadores homceo-
| a Illas.'
Eu Sr. Dr. Sabino parece zangar-se dos
nnnuiicias das dses a 5 e a 20000 rs, ? Nlo
exlranhu esse resultado, que he da iia-
tureza das cousas ; o fique certo S. S. que
proporcffo que crescer o numero dos Dul-
camaras, ha deabaixar infallivelmento o
preco das milagrosas dses, e isso por urna
rasSo bem simples da sciencia econmica.
Q'iando um genero abuoda no mercado,
baratei* ; e pelo geito que leva a especula-
c.lo curaodeira homecopathica, nio 'arda-
i'.in nnnuncins a dez instos : e quem sabe,
se anda teremos de ver quitandeiras aprer
goando pelas ras em seus tabolelros -v-
drinho' de dsos homoeopathicas a pataca
para dr de caberla, para sezes, para lom-
brigas, para hemorrodias, etc. etc.!Quiz
Doos que anda viva neste seculo das es-
peculares, e das espertezas o simples cu-
rioso observador
O 'adre Lopes Gama.
Publcaca a pedido.
Senhore re,larfore Tomo iua bem concei-
tuaila folha. Se he crime de minha parte na
Ju.ilidade de infell desterrado, agradecer o
cree de huinanldade e de bonomia que coin-
inigo teem pra tirado o (enhoret rx rom man-
danles deste presidio, ioilan.1 dejejirri que V.
me enumere mais um por que serci grato fiu-
quanto vivo for, ao actual commandante desta
Iba o liiiu Sr. coronel Cypriauo Jos de Al-
inela.
Fernando, M de abril de 1850,
O desterrrado, D. B. de Sanl'Jnna.
Keparlicao da polica.
Illm. eExm. Sr.--Fram honlem presos
a minha nrdom : Antonio Manoel AITonso,
para averiguacOes policiaes; eJosescra-
vo de Joilo Vieira Lima, requisieflo de seu
senhor; ordetn do subdelegado da fre-
guezia de S. Fr. Pedro Goncalves, o portu-
guez Joio Francisco de Souza, porinfrac-
en do postura municipal; Gaudino escravo
le Joo Jos do Itego, por furto; e do
subdelegado da freguezia de Santo-Antonio,
o prelo Antonio escravo, por correcQilo.
Dos guarde a Y. Exc. Secretaria da po-
lica de l'ernambuco, 3 de abril de 1850.
Illm. e Exm. Sr. Honorio llermcto Carnei-
neiro Lelo, concelheiro de estado, presi-
dente desta provincia,--Jos NicolaoItiguei-
ra Costa, cliefe de polica interino.
Illm. eExm. Sr.--L'os olficios quo por co-
pia remelto a V. Exc, um do subdelegado
da freguezia do Santo-Antonio e outro en-
viado pelo subdelegado da freguezia de S.
Fr. Pedro Connives do llecife, ver V. Exc.
as oceurrencias que na nole de hontem ti-
veram lugar nesta ultima freguezia, cujo
subJelegado tica averiguando o facto para
a respeito delle proceder na forma da lei.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da
polica de Pernambuco, 21 de abril de
1850.Illm. e Exm. Sr. Honorio Ilermto
Carneiro l.eo, concelheiro de estado, pre-
sidente desta provincia.Jos Nicolao Rt-
gueira Costa, chefe de polica interino.
Illm. eExm. Sr.Aleen do queja coen-
muniquei a V. Exc. por meu cilicio desta
lata relativo s oceurrencias que tiveram
liontem lugar na freguezia de S. Fr. Pedro
Goncalves do llecife, cunsta mais das partes
boje recibidas terem sido presos: urde-n
lo subdelega lo daqui-lla freguozia o sol
lado do oitavo batalhio de cacadores Joa-
quim Jos llamos, por se ler encontrado
eotn urna pistola; e do subdelegado da
freguezia de Santo-Antonio os pretos e>-
cravos Antonio, JoSo o Mara por desordem.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria d*
polica de l'ernambuco, 2t de abril dr
1850 Illm. e Exm. Sr. Honorio Ilermto
Carneiro Lco, concelheiro de estado, pre-
sidente desta provincia. Jos Nicolao Re-
gueira Costa, chefe de polica interino.
Illm. e Kxm. Sr.Fram hontem preso*
a minha ordem : Jos Antonio do llego llu-
ros, por insulto ; a ordem do juiz munici-
pal da segunda vara desto termo, Juaquim
Ignacio Lopes, por no ler dado conla do
deposito que ihe fora confiado ; e do sub-
delegado da freguezia de Santo-Antonio do
Recife a preta Mara escrava de Rita Ma
ra da Conceic3o, por correegilo.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambuco, 25 de abril de 1850 --
Illm. o Exm. Sr Honorio Ilermto Carnei-
ro l.cfo, concelhiro de estado, presidente
lesla provincia Jos Nicolao ligueira Cos-
ta, chufe de polica interino.
m. eExm Sr.Das parles hoje recebi-
das uesla eeparticJIo, consta terem sido pre-
sos ordem do juiz municipal da segunda
vara desto termo, o poilugucz Antonio
Jos Esteves Guimanes, por no ler dado
nula do deposito, que 11 n lia sol sua guar-
da ; a ordem do subdelegado da fregucii
rleS. Fr. Pedro Goncalves do Kecife o sol
dado do segundo batalhio de cacadores Jofln
Itaymiindo dos Santos, por haver sido en-
contrado fra de horas armado de urna
baiuneta, e o pardo Manoel do Sacramento
por desordem ; e a do subdelegado da fre-
guezia de Santo-Anlonio, o prclo Antonio
Jom' lavares, por insultos.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambuco, 26 de abril de 1850
Illm. e Exm. Sr. Honorio Ilermto Car-
neiro LeSo, concelheiro de estado, presi-
dente desta provincia.Jos Nicolao Riguei-
ra Cotia, chefe de polica interino.
arrobas e 17 libras de assucar, 210 mlhos
le palha de carnauba, 2,000 mcos de sola,
100 barricas farinhs de trigo e23 ditas ce-
vadinha.
Trieste, brigue austraco Contc-llaitig, de
376 toneladas : conduz o seguinte :
25 caixaa e 4,500 saceos com 23,648 1/2
arrobas de assucar.
Liverpool, barca ingleza WiUiam~Russcll,
le 472 toneladas : conduz o seguinte :
54 caixas com 3,073 1/2 arrobas de assu
car e 1,365 saccas com 7,622 arrobase 1 li-
bra de algodllo.
Penedo, hiale nacional Santo-Antonio-
Flor-do-Rio, de 33 toneladas : conduz o se-
guinte :
5 caixas, 3 fardos e 1 carino fazendas, 1
caixa pomada, 2 barricas farinha de trigo e
I pacota chitas.
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
' INTERNAS.
Rendimento do da 29......314,460
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 29..... 1:892,303
vtovimento do Porto.
Navios entrados no dia 29.
Cette 36 dias, brigue dinamarquez Fedes,
de 210 toneladas, cap tilo H. P. Claster,
equipagem 11, carga vnhos e mais ge-
ti"i'os; a viuva Lasserre.
Feume 58 dias, brigue austraco Atron,
de 271 toneladas, capililo Francisco Ce-
roavich, equipagem 11, carga farinha de
trigo ; a N. O. Bieber & Companhia.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rio-de-Janero Brigue nacional Venus,
i'ipito Luiz Antonio Rodrigues, carga
assucar e mais gneros. Passageiro, Joo
Thomaz Pascoal Ramos, Brasileiro.
Liverpool Calera ingleza WUliam-Russtll.
capilSo Jsmes Shelford, carga assucar e
algodflo.
Val-I'araizo Barca ingleza Novelly, capi-
1,1o J. Ilarison, carga assucar.
EDITAES.
MJtriftaEtfiJiO.
ALFANDEGA.
Rendimanto do dia 29.....11:223,407
Deseanegam hoje 30.
Brigue hespanhol Julio-- pipas com vi-
olto.
Patacho nacional San-Jos sola.
Brigue francez Arago mercadorias.
Brigue portuguez Ventura-Felit cebo-
las e batatas.
Patacho americano l&per faiinha e bo-
lachinha.
CONSULADO GERAL.
Rendimiento do dia 29.....
Diversas provincias......
2:439,38''
152,397
2:591,785
EXPORTACAO.
Despachos martimos no dia 29.
Rio-de-Janeiro, galeota nacional Sanssi-
ma-Trindade, de 223 toneladas : conduz u
seguinte :
1,700 saceos e 320 barricas com 11,069
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no dia 1. do maio prximo, de-
mis do meio-dis se ha de arrematar em
>iasta publica, porta da mesma, oito du-
zas de grvalas de seda ( sendo dezoito de
molas J urna dza 6,000 rs. total 48,000
rs., Impugnadas pelo amanuense Concalo
Jos da Costa e S, no despacho por factura
sb n. 513 de27 do corrente : sendo a arre-
matarlo sujeita ao pagamento dos di-
reitos.
Alfandega de Pernambuco, 29 de abril
de 1850. O inspector, Luiz Antonio de
Sampaio Vianna
- Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, eio dia 1. de maio, depois do
meio-dia, porta da mesma, se hilo de ar-
rematar em hasta i ublica 12cttes de col-
letes de lila bordados, por fictura um 4,000
rs. total 48,000 rs. ; e 1,810 varas de re-
quifes e franjas de seda, por factura urna
vara 300 rs., total 543,000 rs.: tudo im-
puenado pelo spgundo escripturario Gabriel
\ffonso Regueira, no despauho n. 513 de 27
le abril corrente : sendo a arrematado su-
jeita a direitos.
Alfandega de Pernambuco, 29 de abril
de 185!). 0 inspector, Luis Antonio de Sam-
paio Vianna.
- Para Lisboa com escala pela ilha de
S.-Miguel segu viagem o bergantn) portu-
guez Tanijo-Tereeiro, capilSo Francisco An-
tonio do Almeida : quem no mesmo ber-
irantim quizer earrogar ou ir de passagem
Jirija-se ao mesmo capillo ou a seu consig-
natario Manoel Joaquim Ramos Silva ou a
loo Francisco Cordeiro.
Para Lisboa salie com a maior brevida-
de possivel a barca portugueza flor de-l'an-
qu, a qual offerece excedentes commodos
para passageiros: quem na mesma quizer
carregar, 0u ir de passagem, dirija- se aos
seus consignatarios, Oliveira lrmSos& C",
ra da Cruz, h. 9, ou com capitSo Vicente
vnastacio Rodrigues, na praca do Com-
murcio.
Para o Rio-de-Janeiro sahe muito bre-
ve o patacho Sma.-Trindade, forrado e euca-
vilhado da cobre, de superior marcha : re-
cebe carga a frete, passegeros e escravos a
frete : a tratar com Francisco Alves da Cu-
nha, na ra do Vigario, n. II, primeiro
andar.
--A velera escuna nacional Emilia, de
que he capilSo e pratco Antonio Silveira
siacel Jnior, deve chafar do Par por
estes dias, para onde vollar com esca-
la pelo MtrranhSo, com a maior brevi-
dade: quem na mesma pretender carre-
jar, ou ir de passagem, dever eotender-se
com Jo9o Carlos Augusto da Silva, na ra
di Cruz, no Recife, n. 13, armazem.
Para o Cear segu at o dia seis de
maio prximo futuro com (oda a bre-
vidade o brigue nacional Josefina : quem
no mesmo quizer carregar ou ir de pas-
sagem, trate com Domingos Rodrigues
de Andrade, no Trapiche-Novo, n. 4, ou
com Jos Carlos Ferreira Soares Jnior, na
ra da Cadeia do Recife, ou com o capilSo
do mesmo, Marcos Jos da Silva.
-Segu viagem para o MaranhSo, at o
lim do crrenle mez, a escuna Haria-Firsni-
na : anda recebe alguma carga e passage-
geiros : a tratar na ra da Cadeia do Recife,
escriptorio de Jos Antonio Basto.
Para o Porto segu com a maior bre-
vdade o brigue portuguez Ventura-Fe lis de
que he capitSo Zeferino Ventura dos San-
tos: recebe carga e passageios, para o que
tom excedentes commodos, a tratar com
o referido capilSo, na praca do Commerco,
ou com o cosignatario Joaquim Ferreira
deudos Gumarlcs, na rna da Cruz n. 49
primeiro andar.
I'. THPHP"
PKIMEIROEGRANDK
consultoriohomoeo- \\
Ipalhici). |
Dirigido pelo facultativo 1. B. Casa-
nova.
Rua da Cadeia de S.- 9
Antonio, n. .
As dses e eonsultaa homceopathi- M
cassloreduzidasa 5,000 rs para as m
pessoas livres, e a 2,000 rs. para os m
escravos.
Os doentes serio visitados todus os 9
diassem nenhuma outra paga. m
Toda a pessoa que se apresentar %
no consultorio declarando ser pobre, g
recebar consullas e remedios gra- S
tuitamente.sem p'ecisarde attestado. m
Lei loes.
Declaraces.
Faz-se publico, pela segunda seccSo do
consulado provincial, que se esta fazendo
a cobranca do imposto de 20 por cento do
consumo dasagoas-ardentes de produccSo
brasileira, vencido no semestre de dezem-
bro do anno prximo passado, e que, Pendo
o presente mez, se proceder execulivamen-
le contra todos os que dcixarem de ter pago
o referido imposto-
Pela segunda seccSo do consulado pro
vincial passa a chamar-se as pessoas abai-
xo mencionadas, alim de pagarem o impos-
to de 12.800 rs. :
Jo.lo Soum, Antonio Jos da Costa Gtii-
marScs, Francisco Xavier do Lago, Custodio
Mves Rodrigues da Costa, Domingos Perei-
ra da Rocha, Joaquim da Silva Pinto & C.\
Antonio Jos Coelho do Rozarlo, Manoel
los Correia Juuior, Luiz Pedro das Neves,
Fortunato Cardoso de Gouvea, Manoel Fran-
cisco Marlins, JoSo Martina Goncalves, Gui-
Iherme Alm heves, Joio Carlos Augusto da
Silva, W. Bonck. Jos da Graca Torres, Luiz
Ferreira de Andrade, Manoel Ferreira da
Costa, Manoel Joaquim Goncalves e Silva,
Domingos Joaqun Fernandes. J. O. Elster,
Pe Iro Marciano, Jos da Rocha Paranhos,
Jorge Francez, Jos Miguel dos Santos. Joa-
quim Jos Ribeiro, Manuel Goncalves Pe-
en-a, Manoel Marlins Lopes. Costa & Rocha,
Duarte Antonio de Souza, Domingos Xavier
Roque, JoSo Scott, Jos Joaquim da Silva.
lUymundo & Companhia, Nicoli, Donsley
& Companhia, Luiz Pistor, Francisco Anto-
nio Coelho, JoSo Francisco do Carvalho,
Joio Leite de Azevedo, Miguel Antonio da
Costa e Sil;. r Continuar-se-ha )
Contina, no da quarta-feira, 1."de
maio, s3 horas da tarde, peanle osubde-
b'gado e Santo-Antonio, a arrematarlo de
porcos, visto nSo se (ter concluido no dia
27 do orrente. ________
avisos marttxios.
A. V. da Silva Barroca far leiliio de
cinco liarris com presuntos do Porto, por
conla de quem pertencer : terca-feira, 30
do corrente abril s 11 horas da enanhSa,
no seu armazem da rua da Madrc-de-Deos,
n. 26.
O corrector Oliveire far leiliio, por
ordem o em presenca do Sr. cnsul da re-
publica franceza, de varios penhores que
exisliam em poder do lina do JoSo Dubois,
subdito francez, consistindu em obras de
ouro como sejam : cordes, trancelins, au-
nis, cruzes, alfinetes, fivellas de cinto, bo-
les para peitos e punhos de camisas, etc.,
o de varias obras de prata, inclusive salvas,
casticaes, copos c colheres. Sabbado, 4
do maio, s 10 horas da inanhSa, no res-
pectivo consulado, primeiro andar da casa
da rua do Trapiche com entrada pela do
Torres.
Para o Rio-Je-Janeiro salie,
em poucos dias, o brigue nacional
Liziti : para o resto da carga, pas-
sageiros e escravos a frete, trata-
se com o capitao, na pra$a do
Gommercio, ou com Novaes & C.,
n rua do Trapiche, n. 34.
O brigue pottuguez Tarujo-I, segu pa-
ra Lisboa itnpreterivelmcnie no dia iodo
me/vindouro.
Segu para o Aracaty at o dia 7 de
maio o hiato Flor de Cururipe, muito ve-
leiro e forrado de cobre : quem no mesmu
quizer carregar ou ir de passagem enfeuda-
se om Luiz Antonio de Siqueira, na ruada
Cadeia do llecife.
Para a Baha segu em poucos dias o
hiate nacional ieeiro,depriu,eira marcha,
pregado e forrado do cobre: para o resto
da carga e passageiros, trata-so ua rua do
ligarlo, u. 5.
Avisos diversos.
Aviso ao ublico
Hoje 30 de abril, pelas 5 horas e meia
da tarde, ser benzida, pelo Exm. Sr. his-
po diocesano, a nova iuiagem do Trium-
pho do Sagrado CoracSo de Mara, viuda da
Italia, e hoje collocada na igreja dos reve-
rendos missionarios capuchinhos, onde,
com a maior solemnidade, hSo do princi-
piar entSo os interessantes etercicios do
mez Mariano.
Avsam-se a todos os devotos de ssn-
toenczde Mariano que no dia ultimo do
corrente, se far a abertura da mesma de-
vocSo na igreja da Madre-de-Deos, como os
mais anuos ; por isso pede-se aos (levlo-
que nSo deixem de assislir a esta santa de-
vocjlo, que muito interessa para o bem es-
piritual.
Jo3o Jos' Ferreira de Aguiar
miiiiou a sua residencia da rua No-
va para a da Autora, n. 60, onde
morou o desembargador Belmont.
As fazendas baratas i venda por tras
do Iheairo vellin, n. 20, fram transferi-
das para 1 rua do Rozario larga, no primei-
ro andar, por cima da palaria do Sr. Va-
lonea.
Pergunta-se ao dono da ven la da rua
do Cordoniz, n. 9, se o seu annuncio in-
serido no aNoJde hontem se entende com
JoSo Jos de Lima.
Jos de Freitas Ribeiro vai provin-
cia do Cear a tratar de negocios.
O obaixo assignado declara que fie
sem effeito um letra, anda nSoselada, de
rs. 211,360 a vencer em 15 de julho futuro.
sacada peloSr. Joilo llar hoza Cordeiro, de
Goianna a favor do annunciante, cuja le-
tra se desencaminhra com urna carta do
mesmo Sr. Cordeiro; e para obviar duvidas
futuras se faz o presente annuncio. J0&0
Psreira Koutinh.
Martinho Jos de Mello, brasileiro ,
vai provincia da Parahiba a tratar de ne-
gocios.
Um matulo, que aosahir da imito do
dii 24 do corrente, vio o seu cavalloquasi
i!Q''o, no nrircinio do aterro ds Boa-Vis-
ta, e arrecentadas duas ancoras, que leva-
va, urna chcia de vinho c outra de vinagro,
ludo por um carro, que, segundo foi infor-
mado, pertence a um tal Aurus'o de Fras
de Portas, a era dirigido por um bolieiro de
nome Paulo; roga as autoridades policiaes
desta praca hajam de providenciar, para
quosemelliantes fados nSo se reproduzain
mais: pois assim como os almocreves sSo
obrigados a puxar seus ra va I los pelo ca-
bresto, taenbem deve ser prohibido aos taes
Srs, bolieiros o arrojarem seus carros so-
bre os cavados dos mesnos, chicoteando
esles animaes sem a menor necessidade.
Precisa-se do um olllcial de lecer pa-
lhinha ; a pessoa que esliver nesta cirems-
tancia, dirija-so a rua do mundo novo, casa
n. 34.
Precisa-se de um bom amassador: na
rua Direita, n. 79.
tsiriHi wmw'mmwwww*
Liviode Souza, subdito portuguez, re-
lita se para fra desta provincia.
Precisa-se de urna ama forra, ou capti-
va, para o servico interno de urna casa, que
saiba engommar e cozinhar: na casa pe-
gada a cadeia, n. 21, segundo andar.
No recolhimento das freirs de Olinda,
vende-se doce de caj secco, a 480 rs. a li-
bra, sendo em porcSo por menos preco.
OSr.Manoel Pereira da Silva Bram-
blla, estudatite do segundo anno, queira
apparecer to Recife, rua Augusta, sobrado
11. 1, a negocio que Ihe diz respailo.
Na rua do Livramenlo, n. 4, precisa-
se de urna ama de leite, furia ou captiva.
Os Srs. Antonio Joaquim Pinto Serodio
e Jos Antonio fe uto teem cartas ua rua
Nova, n. 42.
Pergunta-se ao dono da taberna da rua
do Codorniz, n. 9, se o seu annuncio do dia
28 docosreole, com as iniciaesJ. J. L., sa
entende com JoSo Jos Leal.
Cy ni a no Jos Correia, cidadSo portu-
guez, rntira-se para Portugal levando em
sua companhia sua mulher, Mara Thereza
da ConceifSo, e seus fllhos menores, Maris,
Joaquina e Cypriauo.
Precisa-se alugar um preto que seja
fiel, para o servico de ums casa estrangei-
ra : na rua da Cruz, n 38
Aluga-se um moleque que cozinha a
faz o mais servico do urna casa : quem o
pretender, dirija-se a praca ds Indepen-
lencia, n. I, loja.
Aluga-se a mei'agoa da rua do Alecrim,
n. II : a tratar no armazem junto ao arco
da ConceicSo, n. 64.
Aluga-se urna casa terrea na rna da
matriz da BOa-Vista, com duas sslss, seis
quartos cosinha fra, corredor ao lado e
quintal murado.com cacimba de muito bOa
gua de beber : quem a pretender dirija se
tua da Aurora, n 58.
Aluga-se um sitio na Trempe, bastan-
te grando, com urna grande baixa para ca-
pim ecom bastantes arvoresde fruto, como
sejam larangeiras, mangueiras, jaqueiras,
coqueiros, cajueiros, etc. e c mi um so-
brado de um andar coen bastantes commo-
dos para urna grande familia : quem o pre-
tender dirija-se ra ds Aurora, ti. 58, o
ao tnestre-ferreiro, Manoel Ferreira, junto
ao portSo do dito sitio.
Anenla-se um sitio na estrada dos
Affliclos, com boa casa de vivenda, estriba-
ra, bastantes arvoredos de fruclo, boa agoa
de beber, por preco commodo : a tratar na
rua Velha, n.78.
A requerimento dos administradores
e hordeiros do Aado JoSo Mara Seve tem
de ser arrematado nos dias 22, 25 e 89 do
corrente, porta da casa do Dr. Juiz de
orphSos, na rua do Rozario estreita, urna
morada de casa terrea, sita atrs do Ampa-
ro, na cidade de Olinda, para pagamento do
um credor : os licitantes deverSo compare-
cer nos dias indicados, is 4 horas da larde.
Temptte, alfaiate, avisa aos seus fre-
gueses que mudou-se do Aterro-da-Boa-
Vista para a rua Nova, loja do Sr. Caj, 11.
18, onde acharSo os freguezes um rico sor
lmenlo de casimiras o cortes de colletes,
pannos de todas as qualidades, e qualquer.
I'azenda que Mr preciso para bomem ; bem
como um sorlimento de roupa feila jde to-
das as qualidades, tanto inferiores como su-
periores ; vestidos de montara, e bom vel-
ludo do ultimo goslo. O annunciante pro-
meti servir com promplidfio.
Precisa-se alug r urna preta que sei-
ba lavar, engommar e coser, para urna casa
estrangeira : na rua do Torres, n. 34, dss
II horas da manhSa s 3 da larde. Na mes-
na casa tambem se precisa alugar um pre-
to que entenda do servico interno e de Ira-
lar de cayalloa.
Precisa-se Je urna ama de leite, que se-
ja zelosa e captiva : a tratar a qualquer ho-
ra do dia, na rua Formosa, quaila casa, a
direita.
Un jeun'homme brsilien que parle,
ecrive e traduit tees bien la langue fran-
ca ise et doiiue des hons resseignemens, de-
si Irouver une place dans quolque mai-
son de commerce etrangre. S adresser par
lellre cachetee i I. lt. ru du Crespo, n. II.
Precisa se de urna ama de leito, que o
tenha bastante ebom, preferndo-se escra-
va sem fllhos : na rua do Amoiim, n. 25, ou
aniiuncie.
OSr. Joo Germano de Paula queira
Jirigir-se rua do Cabug, fallar com Jo-
s Peres da Cruz.
Precisa-se de um caixeiro para tomar
conla de urna venda, o qual tenha toda a
pratica do negocio ed fiador i sua conduc-
a ; i 1 na o aiijiios, 11. 36.
--AJfc|-seo armazem da rua do Torres,
" 5' JP"1 escritorio do Sr. JoSo Pinto
le LeemB & Fillio : trata-secom Luiz Jos
de Sa Araujo, na rua da Cruz, n. 33
-- JoSo Alves de Carvalho Porto faz sci-
ente que delxou de ser seu caixeiro, desde
o dia 22 do corrente, o Sr. Antonio Joaquim
Lamas.
Precisa-se de um homem, |que saiba
mugir leite etrabalhar em sitio: na Mag-
dalena, estrada nova, primeira casa azul.
ti oas.
Fazem-se caixas de guardar joas, obra
bom Taita, por diminuto prego : na rua das
Flores, n. 19.
Alugam-se os segundo e tercero an-
dares do sobrado da rua da Craz, tfbr cima
do escriplorio de James Crabllree & Com-
panhia ; a tratar ao dito escriplorio,


-- Offerece se urna mufher par ama de
casa do homem solteiro, afiancando a boa
conducta: trala-se na ra larga do Roza-
rio, sobrado n.' 8.
Precsa-se alugar urna prela que sai-
bi lavar, engommar, e que faga todo o ser-
vigo interno e externo de oma casa de fa-
milia : no largo das Cinco-Pontas, casa do
teenle-coronel Bruce, defronte da Igreja.
D. W. Baynon cirurgio dentista, res-
petosamente informa ao publico desta ci-
dade que elle pretende brevemente retirar-
se dcsie imperio, e as pessoas que aindt ne-
cessitam seus servidos durante ste tempo,
serSoattendidos, procurando-o no seu do-
micilio, na ra do Trapixe-Novo, n. 14.
Quem precisar comprar um elegante
bote, deis ps de comprmanlo, novo e
bem construido, com velas, roastros, etc.,
dirija-se Fra-de-Portas, casa de Bernar-
do estirador, ou na ra do Trapiche, n. 13.
Aluga-se o segundo andar dosobrudo
atrs da matriz da Boa-Vista, n. 86, muito
fresco e com bastantes commodos : a tratar
na mesma ra, n. 33.
Os Srs. Joaquim Pessoa Cezar da Cu-
nta e Francisco Berengel de Almeida Gue-
des dirijam-se a ra do Passeio, n. 9, loja
nova de Albino Jos Leite, a negocio que
nau ignorara.
Perdeu-se,
aegunda-felra, 32 do correle, das 5 as 6
horas da tarde, um cachorro inglez, rateiro
e novo, de tamanho regular, cor parda, ca-
bellos arrepiados : quem o adiar leve-u ao
seu dono na ra da Alfandegi-Velha, n. 43,
que recompensar geuerosametito. Adver-
lindo-s. que sibendo-se que o dito cachor-
ro existe em qualquer casa, se proceder
contra a pessoa com todo o rigor da lei.
Na ra de Agoas-Verdes, casa terrea
11.36, engomina se e lava-so toda a qi.ali-
dada de roupa.com todo asseio e prompli-
do, por preco mais commodo do que em
outra qualquer parte.
Deseja-ae fallar ao Sr. Francisco Gon-
calves da Silva a negocio de seu inleresse,
pelo que se lhe roga queira annuuciar
sua morada.
Precisa-se de um foroeiro : na ra Di-
reita, n. 34, padaria.
Precisa-sede urna ama para o servigo
de urna s pessoa : na ra estrella do Ho-
zarlo, n. 37.
I'.oga-se ao Sr. J. M. G.
morador na estrada Nova, o favor
de mandar entregar os cinco vo-
Itimesdo Universo Pittoresco que
pedio emprestado quasi ha dous
annns.
Aluga-se a loja n. 39 do Aterro-da-
Roa-Vista, por preco commodo : a tratai
no primeiro andar por cima da mesuia
loja.
-- Aluga-se um preto para o servigo di-
urna botica : airas da matriz do S -Anto-
nio. n,18. sbralo.
Albino Pacheco Ferrcira, subdito por-
tugecz, relira-se para tora do imperio.
Alga-seoarmazem da ra do Sol, n.
25: a tratar com Jos fypriano de Moraes
Lima, no Foitc do-Mallos, n. 8, defronte do
chafariz.
-- Bernardino Pcreira, subdito portu-
guez, retirase para fra do imperio.
A pessoa que anniinciou precisar de
um homem para o fabrico de assucar no
Amazonas no Para, querendo um perito em
ludo que exigo, dirija-se ra larga do
Roza rio, n. 35.
-- Na ra Nova, loja n. 58, ae dir quem
di a juros as quantias de 300, 400, 500 e
600,000 rs. sobre liypothcca em casas ter-
rea*.
O pintor,
Domingos Jos doOliveira Soares retira
se para Portugal a tratar da sua sade. Fav
ver ao respeitavel publico o seu reconheci-
menlo, pelo bom conceito e concurrencia
de seus freguezes: tambem faz se ente de
que Mea substituindo o seu lugar o pintor
I.uiz de Franca Araujo Santo, com a mesma
casa de pinturas, na ra do Bozario larga,
junio ao quartel de polica, n. 8 ; pede <
faz conhecer ansseus freguezes a capacida-
de de seu successor, para que continen!
na mesma freguezia,
Passa portes.
Tiram-se passaportes para dentro o f-
ra do impe io, despacham-sc cscravos e li-
ram-se ttulos de residencia para sempre :
para este lirn procura-sa na praga da Inde-
dencia, livraria n. 6 e8, e na ra doQuei
nudo n. 25. loja de miudezas do Sr. Joa-
quim slonteiro da Cruz.
Precisa-se de duas pessoas que quei-
ram applicar-se ao cilicio do marcenara,
para o que d-se sustento, alim de assisli-
roai na mesma casa : na ra da Caduia de
S.-Antonio, n 18.
Caeiauo Meles da Cunha Azevedo
encarrega-se de comprar e vender escravos,
medanle urna comniisso rasoavel, para
o que promelle empregar toda actividade
no mellior deseuipenho dessa tarefa: os
pretndanles o acharflo prompto em casa de
sua residencia na ra da Alegra, n. 26, na
Boa-Vista.
Precisa-se de urna ama para
casa de pouca familia : na ra do
llangel, n. 52.
--O Sr. Bu y mundo N. Schilk queira un-
nunciar sua residencia, ou dirigir-se ra
das Cruzes, n. 30. que se lhe deseja fallar.
Aluga-se urna preta para to
do o servico de urna casa : quem
precisar, wSrijase so hOSdc,
sitio n. 8,junto da viuva (unia.
Precisa-se de urna pessoa quo entenda
de pharmacia, e que queira ir para una bo-
tica fra da presa : na ra do llangel, n
46, primeiro amar.
Quemquizer comprar una preta cri-
oula, boa cozinheira, engommadeira, e que
cozesolliivelmente, dirija-se ra Nova,
n. 52, secundo andar.
Afioacao .Miriam-se pianos por diminuto preso
na ra das Flores, n 19.
-- Traspassa-se o airendamento de um
engeoho de boas Ierras de produs3o, por
preco rasoavel : tambero se venrleiii os per-
tences do rendeiro, sendo animaes do roda,I
muilo bons e gordos, poldros, lavouras e|
safra a colher: os pretenden les, dirijam-se
ra estreita do Bozario, o. 32, que se di-
r quem faz este negocio e se darSo todas
asinformages.
Por preco muito commodo.
Tiram-se passaportes para dentro e fra
do imperio, despacliam-so escravos e cor-
rern-se tullas com a maior brevidade pos-
sirel: no pateo da matriz de S.-Antonio,
n. 4 sobrado.
Precisa-se de qualro coritos de rs. a
premio de um por cento, dando-se em hy-
pothuca um sobrado nesta prac, : na pra-
ga da Cuino, n. 36.
Precisa-se de um feitor pa-
ra um sitio perto da praca : quem
estiver nestas circumstancias, di-
rija-se atrs da matriz da Boa-Vis-
ta, sobrado n. 18, ou ra do
Trapiche, n n. 36.
Antonio Jos Coelho, cidadSo portugue;
retira-se para" Portugal, levando em sua
companhia sua mulher, Antonia Mara da
Conceis3o, e seus Mitins menores, Mara,
Joo, Antonio, Jos, Joaquim e Bernardo.
Lembra-se ao Sr. A. J. S. A. o concluir
o negocio que nSo ignora.
-- Precisa-se por aluguel mensal de um
escravo, que n.loseja muito afeito a bebi-
das, para o servico ordinario de padaria,
ilaudo-se-lhe o sustento e doze mil ris ca-
da mez: na padaria, n. 106, na prasa da
Santa Cruz.
Aluga-se o segundo andar da casa n.
26, no Aterro-da-Boa-Vista : a tratar na ra
Velha. n 55.
PerJeu-se hnnlem da ra da Caricia do
lie -ife at a ra Nova urna carta volnmos
com o sobreescrpto ao Sr. Jos Feij de
Mello ausente sua senhora ; julga-se que
esta carta conten alguns papis, que s
servem para a pessna, quem so dirige :
pede-se, porlanlo, pessoa, que achou a
caria entregue-a no aterro da Ba-Vista n.
65 ou ni ra da Cadea do Recite, na loj
do Sr. Jos Comes Leal, i cuja merc ella
vinha : quem entregar receber urna grati-
Mcugfm.
-- lloga-se aoSr. Fr. Francisco de San-
ta-Theresa venha ra do Queimado, n.
22, tratar de cumplir com os seus prometli -
mentos,islo no prazo de tres das, pelo con-
trario se declara qual he o negocio, por ex-
tenso.
Precisa-se fallar com o Sr. Antonio
Jos Itibeiro da Silva para se lhe entregar
certos gneros, que vieram da Babia ; quan-
do uo. suro vendidos para paganv.ulo do
frete : o mesmu seobor dirija-se a ra do
Vigario, loja de cabos de Luiz Borges Cer-
queira.
No botequim da ra do Bozario larga,
n. 27, precisa-se alugar um moleque par
ajudar a levar os almogos ejantaies fra,
assm como ensina-se a cosinhar qualquer
um outro quo quizer aprender ; na mesma
cisise fazemalmogos, jadiares por prego o
mais commodo possivel, para fra.
Precisa-se de urna escrava por aluguel.
para o servigo interno e externo de urna
casa de homem solteiro, oom excepcSo do
de cosiniia : na casa n. 6, defroate do
trapiche-novo.
Lembra-se nos Srs. proprietarios de
ven la, que toem o escandaloso coslume de
vender, ou conssntem que se venda em sua
casa ago'ardente a escravos sem licenga de
seus senhores, que as posturas da cmara,
t lulo 11, arligo 9, imps-lhe apena da r.s.
30,000, e na reincidencia 60,000 rs ,e 15 das
de cadeia. No entanto, eu nunca r:ei bi I he-
te aos meus 4 escravos que tenho, para be-
berein ago'ardente e todas as vezes que os
mando fra chegam lito bebados que n3o
d3o sccflrdo de si, e a mor parle das vezr-s
fleam fgidos 15 di as e um mez, botando
fraoquelevam, alera da pagn quo se faz
aos capites de campo que os trazem. Oc-
casiOes lem havido que todos (icam beba-
dos, que me pe em um desespero. Porlan-
lo, se estes senhores no evilarem um t. 1
abuso, o continuaren! a vender ago'ardente
a oscravos com tanta deshumanidade que,
vendo-os ja meios bebados, continuam a
dar-Ilies bebidas al cahireni ; protesto en-
tregar una relago rlestes proprielarios aos
Srs. fscaes para elles poderem dar cumpri-
nieolo a ilita postura. O dtsetptrado.
Precisa-so alugar urna casa Icrrea com
auintal, dando-se alguns mezes adianla-
os esendonas seguintes ras: Trinchoi-
ras, Flores, pateo ou CambAa-do-Carmo :
em a loja da esquina da ra do Cafcug, nu-
mero.....junto a botica.
Francisco Dias Fortes, nao tenJo lem-
po para se despedir de todos os seus amigos
por billa de sade, o faz por meio drsle,
offereccndo-lhes os seus servlcos na cidade
de i.ish i, para onde se retira, e deixa por
seu bastante procurador, o Sr. Be/nardo
Jos Cosa Valeute.
Troca-se um relogiode piula, coberto,
put-nio inglez, por outro de orno, tambem
cun-i lo o da mesma fabrica, voltando-se o
que fr de rasflo : no Aterro-da-BAa-Vista,
n. 17.
O abaixo assignado avisa pelo presente
a senhora Francisca de tal, mSi do Sr. Jos
Carnoiro Nogueira de Andrade, morador
em Urucury, que o seu escravo Antonio o
procurou no da 31 do corrente, e acha-se
em casa,do abaixo assignado, que nSo se
responsabiliza por fuga ou outro qualquer
inconveniente que possa haver, relativo ao
mesmo escravo. os Mara remirada
Cunha.
--Precisa-sealugar urna casa terrea no
bairro de Antonio, que seja em lugar fres-
co. Tambem se a luga urna preta, quecozi-
nhe o diario de urna casa e engomme :
quem liver urna ou outra cousa, dirija-se
i un do Culoveilu, il. 55.
Precisa-so de urna ama de lele forra,
quo seja desimpedida : ua ra de Agoas-
Verdea, n. 48, segundo audar.
Sobastiflo Jos Gomes Penna, desdo o
primeiro de Janeiro do corrente anuo, ven -
deu o seu eslabelecmeuto de moldados da
ra do Collegio, n. 12, com tonas asoivi-
dus existentes, ao Sr. Francisco Jos l.eilo,
o qual lica eucarregado da liquidagSo com
todas as pessoas com quem lem transaeges
de commissAes de assucar, continuando o
referido Sr. Lile no mesmo gyro de ne-
gocio.
OlTerece-se para tirar copias de appel-
lacAescivci* ecrimes um mogo, que lem
bastante pralica desle IrBbalho; assim co-
mo para escrever em qualquer cariorio ou
escriplorio dos Srs. advogados, para o que
s
tambem lem alguna (.rtica alianga-se a
boa conducta : na ra da Soledade, n. 42,
Ol a inmuno.
A pessoa que precisar de um caixoiro
brasileo de 2i anuos, para venda ou ra,
do qual lem milita pralica, annuncie a sus
morada. O mesmo d fiador a sua conduc-
ta, e se fr para tomar conta de venda por
balango nSo duvidar tambem dar pelo pre-
juizo quehouver.
O Sr. Jos Poncio do Reg Barros an-
nuucie sua morada por esta folha, ou diri-
ja-se ao pateo do Terco, n. 1, sobrado.
Arrenda-se o grande s to do Espi-
nbeiro, na estrada de Belm, com casa de
lijollo e cal, ecom aviamenlos para fazer
farinha, e com forno de cobre: tambem
vonde-seou permuta -se por casas terreas
na praga : quem lhe convier fazer este ne-
gocio, dirija-se ao seu proprietario, Silves-
tre Antonio de La ge, que se acha moran-
do ao p do sitio do cirurgiSo Silva, para
tratar o negocio de qualquer dos modos .
noPoso-da-Panella.
O abaixo assignado pede a quem se
julgar seu credor, por dbitos em seu no
me conlrabidos, Icltias assignadas ou en-
dosadas, ou obngagoes anda por vence-
rem, de se apresentar coar seus documen-
tos, no prazo de oilo dias, para serem pa-
gos. Sebailiao Joi Gomes l'tnna.
- Aluga-se, por prego commodo, um
crioula forra, para o servigo de casa, unid,,
mesmo de familia : quem a precisar, dir-
ja-se a ra das Cruzes, n. 41.
Na ra Direita, n. 6, existe urna cari
paraoSr. Benlo Jos Antonio Pereira, que
se nao a tem entregado, por se ignorar sua
morada.
Aluga-se, ou compra-so um escravo
que entenda do servigo de padaria : na ra
Direita, n. 82, padaria.
-Aluga-se urna casa terrea na ra Bel-
la, com duas salas, 5 quartos, corredor ao
lado, cozinha fra e quintal : a tratar na
ra de S.-Francisco, casa apalagada.
O Sr. J. J. L tenha a bm-
dade He dirigir-se a taberna da
ra do Codorniz, n. 9, satisfazer
a quanliade 83,i35 rs. importe
de gneros que com pro u nos me-
zes de novembro e dezembro do
anno prximo passado, para pas-
sar a Testa !! Kspera-se deste Sr.
o emliolco por estes tres dias ; do
contrario, ter de ver sen nome
por extenso neste jornal e em al-
guns outros.
Precisa-se de um criado : no pateo do
Collegio, loja do livro azul.
Precisa-se de um homem forro para o
servigo diurna reCinagSo, com pralica ou
sem ella 1 lambom se precisa alugar um
escravo para o servigo da mesma : na ra
ia Concordia, n. 4.
A viuva de Jos Joaquim de Misquita
avisa as pessoas que liiiham penhores em
po 1er do dito finado, para que hajai de os
resbalar dentro do prazo de oilo dias, con-
tados da data desle; do contrario, serSo
vendidos para pagamento de seus dbitos :
bem como avisa ao publico que a loja con-
tina to smente para liquiJac,&o. lleci-
fe, 27 de abril de 1850
Koga-se ao Illm. Sr. the.sou-
i'i'irn da lotera da matriz da Boa-
Vista, cujos bilhetes estao a ven-
da, que se por sorte sahir algum
premio 110 meio bilhele n. 680,
assignado pelas costas por Caro-
ina e Catharini, luja de o nao
pagar se nao a estas duas pessoas,
egitiinas donas desse meio bilhe-
le, que l'ni extraviado ; as quaes
em tempo competente, se mostra-
rlo habilitadas para oreceber
Aluga-se urna casa terrea no Aterro-da
Boa-Vista, n. 73, muito propria para p-
negocio e morar familia, pelos bous com-
modos que lem: a tratar na venda imme
diata, ou na praga da Boa-Vista, botica n. 6
No sitio do cajueiro ha casas para v
alugarem, por mez, ou por mais tempo,
conforme o ajuste : a tratar no mesmo si-
tio.
OSr. que annunciou querer ser cai-
xeiro de venda, dirija-se a Fra-de-l'ortas,
pateo do Pilar, n 21.
--Joaquim Jos das Neves, eslabelecidn
com loja e ofcina de calgado na ra Direi-
la n. .., faz publico, que he senhor e pos-
suidor de um moleque crioulo de nome Cos-
me, o qual houve de seu segro, que o rece-
beu em pagamento de um seu dcveJor do
interior da provincia em 1842, sendo o dito
nolejue muilo conhenido desde ento por
grande parle dos moradores daquella ra.
K como quer que succedesse vir da mesmu
paragem oulro irnio gemeo, em tudose-
melhante, com o nome de DamlSo, o qual
pertence actualmente ao Sr. Jos Antonio
de tal, morador na Baviagom ; e consta ao
aiinuiicia nie, que o referido DamiSo se acha
fugitivo, faz o prsenle para evitar duvidas
e 11 Desloes futuras ; declarando que os dous
irmosse distinguem presentemente em le
o DamiSo marcas de agoutes pelas costas e
nadegas, segundo declarag.lo do seu pro-
pr 10 senhor ; e o Cosme, escravo do aniiun-
ciante, em ter 1 p e a perna corresponden
te mais grosso do que o outro, por elleiio
de erysipela, e n3o ler sido anda castiga-
do com ag-rules.
I). Cernina Mara Pereira Vianna, tendo
de pioceder pelo juizo de orphos desla ci-
dade a inventario dos bens que ficaram poi
fallecimento de seu marido, Francisco Pe
reir 1 horno, que ja requereu para dar par
tillia a sousfilliose herJeiros, convida aos
credores do casal, iuclusive debypolheca <
pinhores, para apresenlarem a seu procu-
rador, Jos Luiz da Silva GuimarSes, na ra
larga do Bozario, n. 33, primeiro andar, os
documentos credilivos que tiverem do dili.
seu linado marido, no prazo de oilo das,
am de poder conliecer o debito passiva do
mesmo casal, e tratar da forma do paga
monto.
Domingos Jos de Oliveira Soares, em
consequeiicia de sua rpida viagem para
Lisboa, e de *>us mullos sfazeres, rio llie
he possivel despedir-se de todos os seus
amigos, e com uspecilidade daquellas>pea-
sois, quosemprao honraramcom sua con-
liaoc; 1 ; o faz por meio do presente annun-
cio, olio recen'lo-1 lies ao mesmo lempo o
seu diminuto prestimo naquella cidade.
Ufferece-se para capcIISo de qualquer
engenho, mesmo disttiiln desla praga, um
reverendo sacerdote : quem precisar, pode
dirgir-se ao escriplorio de Rodrigo da Cos-
ta Carvalho, na ra do Apollo, n. 23, a fal-
lar com o mesmo.
O abaixo assignado faz sabor ao Sr.
fabricante do asphato em Pernambuco que
no prazo de oito dias, contados da data
tem em mSo do abaixo assignado, ou na
falla pagar os juros vencidos, ao contrario
ser vendido para pagamento do principal e
uros.itionio os Vertir de Miranda.
Roga-so ao Sr. Dr. A. |J. S. G. que
tenha a hondada de ir na loja de fazeudas
la ra do Passeio n. 21 pagar a quanlia de
142,117 f saldo da sua letra, vencida a 28
le maio de 1839, do contrario se far publi-
co o seu nome por extenso.
Agencia de passaportes.
Tiram-se passaportes para dentro e fra
lo imperio, por commodo prego : na ra
lo llangel, n. 57, sibrado.
O Sr. Jos Miguel de Lira tenha a bon-
lade do ir receber urna caria, vinda do sul:
11a ra da Florentina, casa da esquina, con-
fronto ao theatro novo.
11. Pommateaux, cutei-
10, etc., com
a loja n. 16 no Aterro-da-Boa-Vista, recom-
rnenda a seus amigos e freguezes o seu no-
vo sor ti ment de objeclosde melhor gosto,
chegados pelos ltimos navios do Havre,
ntreos quaes ha estojos da maior elegan-
cia pa:a senhora e homem, em gran le es-
eolha ; estojos para viagem, contendo co-
lher, garfo, faca, saca-rolha e um copo par
beber, tudo islo furmandqo menor volume
possivel; um lindo sorlimenlo de lesouras,
Unto para costura e bordar, como para
millas, cirurgia, jardineiros, cabellcreiros
bar bellos ; navallias da melhor qualidade
possivel e com os competentes afiadores de
couro de anta ; facas de algibeira ; facas ro-
manas para caga ; caivetes com lesouras;
litos para cortar callos ; iustrunentos para
impar as unlius ; faquinhas para costuras ;
estojos para mdicos e dentistas ; espin-
gardas de caga de todas as qualidades com
is competentes pertences, como -jun
lu nbeiras, polvarinhos e baleiras de to-
los os calibres ; eabeea.las do pita ( serla
vegetal ); brides para montara o carros ;
un las de todos os moldes; eslojos matlie-
malicos; bengalas para limpar espingardas
p.ira passeio ; e oulros muitos objectos de
nlilidadd : tudo pelos pregos mais commo-
dos possiveia.
fe Chapeos de sol &k
Ra do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sorlimenlo desles objectos de lodas as co-
res c qualidades, lauto de seda como de
panninlio, por presos commodos; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto : estes chapeos
silo feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa so acha igual sorlimenlo de seda e pan-
mnlios imitando sedas, para cohrir ai-
mages servidas : lodas estas fazendas ven-
de n-se em porg5o e a relalho : tamben" se
'oncena qualquer chapeo de sol, tanto de
liasteas de ferro como do baieia, assim co-
no umbelas de igrejas: tudo por prego
commodo.
\t I.tnica de caideirciro
da iua Imperial, n. 18i,
de Jos i\ab<> & Braga,
fazem-se machinas de Drosme o de outro
'jualiiuer modelo para espirito, ferragens
unarellas, alrnofurizes, candreiros de di-
senliora^a800 rs. ; cortes de cassa-cliit i de
bonitOTPilroes, a 2,000, 2,400 e 3,000 rs. ;
e tudo o mais se vende muilo em conla por
se querer apurar dioheiro e surtir a loja do
fazendas novas.
Antonio Jos Soares Jnior retira-?
para Portugal, levando em sua compinliia
sua mulher e3 lilhos de menor i lade.
Aviso aos amadores e
apreciadores de mus*
cas novas c de bom
gosto.
Joflo Vignes, morador na ra larga do
Bozario, n. 28, primeiro andar, acaba de
rcceDer pelo ultimo navio vindo de Franga,
um grande sorlimenlo do mosteas, como
sejam : valsas, variagOes, polk is, quadri-
Ihas, modinhas brasileras e oulras italia-
nas ; bem como o melhor metliolo para
piano, solfejos para cantoria, tudo pelos
in.'ltiures autores ra Europa e da mais mo-
derna escola. Na mesma casa vendem-se
os mais ricos pianos que teem vndo a Per-
nambuco, os quaes sao feitos de proposi-
to ecom novo macliinismo, para que W-
iiliam grande durago; assim qomo tam-
bem achlrto na mesma casa pianos ingle-
zes, com pouco uso, vendendo-se ludo pe-
lo mais commodo prego.
Kiigeiiho Qtielnz.
Freguezia de I pojuca.
Traspassa-se o arrendamento do dito en-
genho, o qual tem a presente sufra a tirar,
e Ires a criar. A tratar na ra da Aurora,
n. 26, ou no mesmo engonho com Miguel
Augusto de Olive i a.
NB.O engenho tem excelente pasto,
lie bom d'agoa, e tem bons cercados; e,
caso haja quem queira comprar a safra,
ser-lhe-ha ella vendida, entregando-se in-
mediatamente o estabelecifliento.
Compras.
Compram-se Diccionarios inglczcs ; llis
loria romana em inglez; O'rammalica in-
glesa: ludo em segundi milo : na ra do
Collegio. n 4.
Compram -se escravos de
ambos os sexos, de toa l5 annos ;
na ra da Cadeia do Kecife, n. :ji ,
primeiio andar.
Compra-se urna escrava moga, de bo-
nita ligura, sadia, de bons coslumes, o que
cozinhee engomme pe fulamente : na ra
das Cruzes, n. 30.
Compra-se, era segunda m3o, um co-
fre de ferro, nio precisa muito grande:
quem liver annuncie.
Compra-so urna balanga grande o urna
dita pequena.com pesos ou sem elles: na
ra Direita, n. 32.
Compra-se urna ovelha que d bastan-
te loite : paga-se bom : na casa do fallecido
Joio alaria, na ra rio Seve.
Compra-se um cava lio rugo para car-
ro : na ra do Trapiche-Novo, n. 10, pri-
meiro andar
Vendas.
Vende-se urna escrava moga sem vi-
cios : na la do Sebo. n. 15.
-- V. o lem-s.i pes de madapolfio largo,
com 20 varas, proprio para forro e roupa de
escravos por ser muilo forte, com algum to-
que.de mofo,a 2 500 rs ; evarejado,a 140 rs.;
pegas de chita com algum sujo, a 4.000 : ua
ra larga >lo Bozario, n.--por cima da pa-
daria do Sr. Vaienga.
Vendenwe luvas de pellica, a 1,000 rs.
o par ; .litas com bolola, a 1,51)0 ia
. pon-
as do lertaruga para prender o cibel.'o;
versos modelos, escrivaninlias, perfumado- ocuIoj pan todas as vistas ; ricas abiteadn-
r--s, palmatorias, esporas de salto e de cor-
rea, lorneiras para alambique, Na mesma
'.linea acham-se olllciaes promplos a sa-
'irpara qualquer engenho desla provincia,
.ara concertaron machinas e alambiques i
tambem ha para vender areia de funJir,
chegada ha poucos dias, e da mellior qua-
lidade que tem apparecido. Fundem se
lironzes para engenhos, parafuzos para ro-
las d'agoa e (oda e qualquer obra de cobre
e bronze quo seofTerecer nesle estabeleci-
menlu, com legaliilade e consciencia, em-
-juanlo a quulidado de metaes, por muilo
nais barato prego do que em oulra qual-
quer parte.
C ros Claudio Tresse,
fibricante de orgaos e
realejos, na tua das
Flores, n. 10,
irgiiose realejos, pOe marchas modernas
leste paiz, coucerla pianos, seraphinas, cai-
las de msicas, accordSos, o qualquer ins-
irumonto queapparega : tambem faz obras
novas,e vende um orgSo proprio para capel-
la, oualtar-mor, com boas vozes, por preso
commodo.
Ja se abri a loja de seis
portas.
O novo administrador da loja sita em
frente da igreja de Nossa Senhora do l.i-
ramenlo, querendo trocar por sedlas os
nuios alcaides que achou na dita loja,
lem resolvido vend-los por todo o prego,
e desta forma offerece vantagens aos che-
fes de fumiss e senhores ds engenho s rc-
fazerem-se de vestuarios por commodo
preso, podendo dirigir-se dita loja a exa-
minar a boa qualidade das fazendas, e esco-
Mierem as que melhor conta lhe lizerem,
achando-se esta loja aberta das 6 horas da
manhfla at as nove da imite, offerec ndo
assim com n. rol ida des a algumas senhoras,
que de passeio queiram ir pessoalmenle es-
colber e comprar a seu goslo e vontade : a
vista, pois, de alguns presos que aqu men-
ciona, conhecera oleilorque he exacto o
le lhe manifesla, como sejam chitas de
bons pannos escuras, a 140, 160, 180 o 200
rs ; chales de rede, a 320 rs. ; lensos da
mesma rod, a 160 rs. ; ditos brancos de
mSo para senhora, a ?40 rs. ; panno da Cos-
a com 8 palmos de largura, a 320 rs. ; bre-
tunlu de rolo com 10 varas, a 1.600 rs. ;
lensos de seda para algibeira e hombros de
ras para casaca ; e suspensorios de seda pa-
ra homem : ludo por prego commodo; na
ra larga do Rozario, loja de miude/s,
il. 26.
Postilias.
Na ra do Passeio, n. 21, vendem-se pos-
tillas de direilo erniiinil c do direilo co.il-
mercial, heni copiadas.
Vende-se um sobradinho de um andar,
na ra da Senzalla-Volha, em chaos pro-
prios, por 600.000 rs. oquil rendo nien-
salmente 10,000 rs .- no arco da CouceiCao,
loja de roupu feita, n. 6.
Vende-se um palanquim quasi novo,
dous pares de consolos com lampos de pe-
aftoucador
por prego
n. 9.
dra, uii sof de Jacaranda e u
de dito : ludo em bom estado o
muito commodo na ra do Sol.
Chapeos rance/es.
Vcndcm-se, na ra do Queimado, loja n.
19, os de melhor qualidade que ha, o de
mais bonitas ? modernas formas.
Vende-se farinha de I'hiladelphia pelo
barato prego de 8,000 rs. a barrica ; graxa
em bairicas de n. 96 ; barris com breu ; pre-
suntos americanos; bolacha americana,
propria para rancho de navio; papel alma-
SO florete e de machina; banha de porco ;
e ai u i los outros gneros por prego rasoavel:
na Iravessa da Madre-de-Dos, n. 9, atha-
i'.'io com quem tratar.
-- Vendem-se 2 bonitos pretos de 25 an-
nos, muito bous ^aulladores de ra ; urna
preta de 25 anuos, que engomma e cozinha
perfeitamentc, faz doce e cose; 3 ditas mui-
io 1111'1,'is, ruin algumas habilidades, e que
sao muilo boas quitandeiras ; urna parda de
25 annos; urna prela de mca idade, que se
vende muilo em nonta ; assim como outros
muitos escravos: na ra da Cadeia do Be-
cife, n.5!, primeiro andar.
Vende-se um sitio i beira do rio, com
mais de mil palmos de frente, baixa de ca-
oln para mais de 30 feixes por dia, com
boa casa moderna, contendo 2 salas gran-
des, 2 gabinetes, 2 alcovas, 3 quartos e co-
zinha fra ; be perto da praga, por s ren-
tes de clieg..r ao Pogo-da-Panella : o ar he
muito saudavel, pois nunca all penetrou a
(ebre epidmica ; tambem se venda urna
casa terrea na Sulidade, n. 50. em chaos
I roprios, com um terreno contiguo, fazen-
do ao todo cerca de 6t> palmos de frente,
quintal com mais de 300 palmos do fundo,
alguns ai vore.los c cacimba, cu o local he
propiio para qualquer esUbeLciinento que
tenha de. ser transiendo para fra da cida-
de : na ra de S.-Ainaio, n. 16.


Na bem contienda padaria de un s
pnrla, boje debiixodo sobrado dapsjsquina
da ra Velha, n 106, deManoel Ignacio da
Silva Teixeira, constantemente se fabrica a
bolachinha doce, intitulada regala, s abi e
na esquina da ra do Collegiq, venda do
Sobral, se vende a 320 rs. cada libra, as par-
tes de sua composiQBosfio da melhor quali-
dade possivel ; ussirn como falias e biscou-
tinhos da ^osma qualidade, o excellente
po Provenga e do antigo, bolacha Turada
de 4, 8 e ii. 'iu libra, bolachinha da mesma
massa de 32 em libra, sendo qualquer del-
tas muito lorradas e da mMhor farinh, e s
d'agoa e sal: tambem lia bolachas para ven-
da e para escravos, por menos precodo que
em oulra qualquer parte, o puro caf inoido
o de cevada, cha superior, assucr dn todas
as cualidades, tanto em caroQo como reu-
nido : ludo por preco rasoavel.
Vende-se um piano inglez, em muito
bom estado : na ra do Trapiche, n. 17, ar-
mazem de Jos Teixeira Basto.
Vondem-se ricos capotinhos de blondo
os milis modernos que ha, assim como lu-
vas de trogal paro senhora e meninas, che-
gadas ltimamente de Lisboa,por prego mui-
to em conta : na loja de F. J. Duarte, ra do
Ctbug.
Algodo da trra
Na ra do Qucimddo, n. 20, se recebeu
novamente urna poreflo do superior algo-
d3o da trra, que se contina a vender pelo
barato prego de 200 rs. a vara em porcilo, e
a ruta I lio a 220 rs.
Vende-so sal do Ass a bordo do bri-
guo I'aquele-de-Pernambuco, Tundeado na
volta do Forlc-do-Mattos ; assim como boa
palba de carnauba : a tratar a bordo, ou
rom Leopoldo Jos da Costa Araujo, na ra
da Moda, n. 7.
Para as igrejas.
Vendc-se missalc romanum :
no pateo do Collegio, loj do li-
vro azul.
Vende-se Direito publico
do Dr. Aullan, para o prime i ro
e segundo annos da aculrmia ju-
rdica .- no pateo do Collegio, loja
do livro azul.
Boa farinha.
Vende-se Tarinha de mandioca de milito
boa qualidade, sacca de alqueire, medida
de bordo, por preco mais barato do que em
oulra qualquer parte: na ra do Livrmen-
to, loja, n. 14.
0 F. II. Lultkens vender por conla @
,.> de urna viuva as obras seguintes : Q
SByron, 12 v. ; Scbiller, 7 v ; Goethe,
Vende-se marmelada multo nova che-
gada ltimamente,por preco muito commo-
ilo: na ra do Collegio, venda da esquina
n. 25.
He bom e barato.
Na ra do Queimado, vlndo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se lencos de
cores ((oda Escocia ) para grvala, a 210
rs. ; meias pretas dealgodSo para senhora,
a 200 rs. o|par; ditas para homem, a 10O
rs.; ditas brancas para meninos, a 80 rs.;
cortes de setim prelo lavrado para colletes,
a 1,600 rs.; pecinhas de ganga azul com 12
covados, a 1,000 rs. ; chitas para coberta, a
5,500 rs. a pega, ea 160 rs. o covado; cha-
pos de castor pardo, a 1,600 rs.; e oulras
Tazendas por barato preco.
~ Vende-se boa Tarinha de mandioca,
emsaccas de alqueire, a 3,200 rs. e barri-
cas a 4,000 rs. ; arroz pilado, a 11,000 rs. o
alqueire ; dito de osea e mHho : na ruada
Praia, berco do Carioca, armazcm de An-
tonio Pinto Soares.
4'

Para manteletes.
a 2.; Viagens de llumbnld, 6 v.,
j Steins, geographia, 3 v.; Sleyets uui-
versum ( grande numero de caler- S
nos son vistas.) Tedas estas obras %
)= em allerr.no. Voyage hislorque au-Jg
9 tour du monde, 1 v.; le mecanicien ^
P anglais, 3 v. ; l.'artdela [eche, 1 v ; y
0 Recueil amusans de voyages par dif-
O Terenls uleurs, 7 v. ;"e muitosou- G
',vJ tros livrosem franceze allemo. G-
o o
31armelada peitoral.
Na escadinha da ra do Crespo, n. II, ven-
de-se, a quem liver bom gosloe queira re-
gular o peito com urna boa quartnilia d'a<
poB, e mesmo Tazer um bonito pn sent,
lindas bocetas da inferior marmelada pei-
toral, tilo recommendavcl a todas as | cs-
soas que tiveram Tebres.
He to barato.
Cortes de brim de linho, pelo diminuto
preco de 1,400 rs. o corte, a elles que a la
zenda va : no prsseio publico, n. 19, loja
de Lemns Amaral & C.
Lanternag para carros.
Vendem-se la olenas para carros, recen-
temente recebidasde Inglaterra, do ultimo
gosto e excellente qualidade; assim como
ditas para n>flo, de diversos Teitios, candi-
eiros pura cima de mesa, proprios para es-
tudantes; bules e caTeteira de metal, oculos
de ale mi-, caixinhas de Tolha envernisada,
e i.otros diversos muges de bom gusto c
superior qualidade: em casa de F.duardo
II. Wyatt, ra do Trapiche-Novo, n. 18, pri
meiro andar.
--Vende-se, ou permuta-se por alguma
casa, sita desde a ra do l.ivramento at o
Aterro-dos-A togados, ou a troco de Tazen-
das, a arvjjpg.lo da loja de Tazendas, n. 17,
do Passeio-Puhlico, propria para qualquer
pessoa se estabelecer, visto achar-se em
ba luculidade a lialar em dia loja.
Por 50,000 rs.
Vende-se um relogio de miro, orizoulal,
muito regulador, pelo barato prego de
.vi,uno is- na ra da Pcnlia, venda por
baixodo sobrado do Sr. coronel Joaquim
bernardo
470,000 rs
Vende-sc um pardo de 18 annos pouco
mais ou menos, ptimo para pagem e com
principios de sapateiro, por preco com mo-
do : na ra doRrangel, n. 36, armazem.
Vende-se boa tinta preta de
escrever, em garrafas grandes:
no pateo do Collegio. I. ja do li-
vro azul.
Vende-se um moleque de bonita figu-
ra, de 14 a 15 annos : vende-se por seu do-
no retirar-ge para Tora do imperio : n ra
da Cadeia, n. 1, venda.
Ku loja de Maya Hamos
& C., na ra Nova. n. 6,
vendem-se ricas guarniges de flor de la-
ranja, grynaldas e ramos de dila e de ou-
lras; iranias para vestidos, modernas, de
diftcrenles cores e larguras ; luvas de pe
lica, lisas e com enTeites, para senhora ; di-
tas pelas para lime o e senhora ; bicos de
algud.lo, linho e de blonde, brancos e ['re-
tos ; sapatos de panno marroquim, de lus-
tro c de setim luaiico de todos os lama-
nlios; borzeguins para senhora; e oulras
mullas Tazendas por preco commodo.
~Vende-so, muito em conla, dousre
Jogios, sendo um de ouro e outro de prata
na ra do Queimado, n. 10, loja.
Vende-se chamalole de seda prcta,
padres bonitos, proprio para man-
teletes, a 2,000 rs. o covado na lo-
ja do sobrado amercllo, dosquatro-
cantos da ra do Queima lo, n. 29.
S.-Felix.
No deposilo de charutos da ra da Cruz,
no Recite, n 49, vendem-se, alm de mu-
las qualUlades de hons charutos os incom-
paraveis everda leiros S.-Flix.
~ Vende-se um sitio na primeira Capun-
ga que vai para o rio, com diversos arvo-
redosja dando Tructn, um tanque moderno
para banho, e poco de boa agoa do beber;
um sobrado de 2 andares no pateo do Pa-
raizo ; um terreno na ra dos Prazeres por
detras de S-Goncalo, com 150 palmos de
Trente : ludo por prego barato : no Aterro-
da-lloa-Vista, n. 61, loja de ourives.
Vendem-se, na ruado Crespo, n. II,
as obras seguintes : Magnum l.eiicon, ed-
cilo Tranceza, por 5,500 rs. ; Diccionario de
Roquete, porluguez e Trancez, por 3,000 rs.;
Gramnialica de Sevne, nova, por 5,000 rs;
Wslkmis, pronouncing, diclionary, por
5,000 rs ; o Cerco do Porto, por 800 N ;
GeoBrapliiadeGuallier, por800 e 1,000 rs.;
Arte de nadar, por 320 rs.; Selecta latina,
por 640 rs. ; Cantos sagrados, por 200 rs. ;
Cernido da alma, por 80 rs. ; Peleja entro o
a alma, o lliabo e S. Miguel, a 120 rs. ; e
oulras muitas obras baratas.
lez Mariano.
Vende-se o livro denominado NOVO HEZ
DF. MARA, adoptado pelos reverendos pa-
dres do hospicio da Penha, a 1.000 is. : na
praca da Independencia, livraria ns. 6 e8.
Xa ra do Crespo, n. 12,
loja de A portas,
vende-se a pataca o covado de chita fran-
cza de descubrs muito modernos, cores fi-
xas e pannos de superior tecido ; estas nlo
enganam, como tem acontecido em annun-
cios Tcilos em oulras parles, motivo por que
estes se teem tornado de pouco arreen :
venliarn os Treguezes, que conhecerJou pu-
reza da verdade.
Vemle-se urna canoa de carreira.no-
va ; un'i rede de pesraria, tamlieni nova,
cilio -..'."id i :iimi li ii\i- ; um curral para pes-
cara, sitalo na trente do sitio denomina-
do Pina, aosul da ilha do Nogueira ; uma
pnrcAo de madeira p'ccis [ara se levanlaj
nutro curial, por preco rasoavel : na ra es-
treila du Ituzario, n. 16, primeiro andar.
Para agradar os fre-
guezes
Vendem-se poesas portugue-
zas de excellente gosto, boa enca-
dernecSo de capa de couro e dou-
rada, por 5oo rs. smente ao>
frrguezes; para os uniros, custa
dous cruzedos : no paleo do Col-
legio, loja do livro azul.
Vcndeni-se frasquinbos com
tinta prcta, que servein tambem de
tinteiro, a 8o rs. cada um : no pa-
leo do Collegio, loja do livro
azul.
.>ia r a do Crespo, n. 10,
loja de Tazendas, da viuva Frcilas Cuima-
rfiea, veDdeOHte ti Ta/e^das ubaixu men-
cionadas :
AlgodSo azul de xadrez, pelo baratis-
simo prego de cada covado a 80
Camisas de meia para meninos, a 120
Coi les de colletes de Tusles du coi es
diversas, a 240
Chales de chita de diversas cores, a 500
Cortes de rambraia com lislras de se-
da o de lindos padres, a 2,000
Riscado monsiro, o covado a iso
Lencos de hl de linho de 3 ponas,
muilo bonitos, a
Camluai Tranceza, o covado a
Riscados l'iancezcs, laigos, o covado
Meias.casemiras de lila, o covado a
Fitasacliamalotada.a vara a
llrnsdepalha e linho, a vara a
Coi tes de cassa-chila, a
. Vendem-se diversas miudazas por pre-
Cos comino los na ra larga do Rozario n
22, antfgamente ra dos Quarteis, a sa-
ber : bicos largos e estreitos, rendas c
fitas de seda lavradas, volantes c galos
brancos o amarellos, bicos eespiguilha di-
to, tinteiros de vidro, retroz de todas as
cores e trancas de 18a para vestidos.ilhozes
de coleles e sapatos, papel de peso e al maco
e do cores, dito de cores para capa de livros
e outros enTeites, pentes de tartaruga, ditos
Quem nao comprar ?.
Casemiras Trancezaa rapadas e de cores,
prias para palitos de homens e meninos, a
900rs. o covado; gangas amarellas com
lislras do cores, o mais Tino possivol o tam-
bem proprias para palitos e caigas de ho-
mem, a 560 o covado ; os mais modernos
riscadinhosdequadros miudos e intitula-
dos imperiacs, Tazenda propria para vesti-
dos eroupes para senhora e meninas, a
travessos, adereces de vidro e filigrana, as- 320 rg. o covado. DSo-se as amostras como
sim como brincos ; graxa n 97edita em competente penhor: na ra do Queimado,
latas, rozarios de ossoecoras proprias pa-
ra as devotas da Senhora da Penha, ra-
pe Casse fino, grnsso e meio grosso, bo-
tes em grosas e abotoaduras de seda.para
casaca, linha de peso das libas, barretes do
lila decores para homens e meninos, alfi-
netes de peito finos com pedra, fio amarello
e cru de sapateiro, botOes de madreperola
de diTTerentes padres para vestido de se-
nhora, toalhas'grandes e pequeas vindas do
Porlo, linhas de carretel de 100 a 200 jar-
das, vernz prelo em frasqoinhos, a 40 rs.;
t idem dito cha hysson ordinario, frasqui-
f)j olios pequeos com tinta, alfinetesde Trro
para encost ou pregar caixilo, camisas de
meia para homem, tesourinhas para costu-
ra de senhora, caivetes de peno de urna
a linas Tullas, orlos de armaQio, e pe-
queos talheres de garro e fac para
mesa por prego commodo, Tacas de bom
corlo proprias para cozinha, colxetes pre-
lose ditos brancos batidos e Trancezes, li-
nhas de meiada pretas muito lina, assim
como brancas de cambraias, carteiras de
marroquim com mola esem mola : ludo se
vende na loja de Victorino & Cuimariles.
(Jualio passaros por qo.ooo rs.
Vende-se um bom checheo, e tres sabias
da malla, por 20,000 rs. : no Alorro-da-
l!oa-Vista, n. 58, loja de selleiro.
Pnrinha.
No armazem do barateiro, Silva Lopes,
na porta da alTandega, vende-se farinhi
Tranceza Barllo, primeira qualidade que
vem a este mercado.
Vende-se uma preta moca, que engom-
ma, cozinha, cosee Taz todo o servio de
una casa com [lerTeicHo, reunindo a tudo
isto boa conducta ; um mulatinho de II an-
nos, muito habilidoso, e que he proprio
para aprender qu.lquer ollicio ; oculos pa-
ra todas as idades, recenlemenle chegados
da Al lemaiilia i, que he amule, ha os melho-
res oculistas : na ra larga do Rozario, n
33, loja.
o a
^ Na loja do sobrado amarello, nos q
fjj quatro-cantosda ra do Queimado, m
g\ n. 29, vemlem se corles de vestidos p\
, de seda de cores; ditos brancos para f
T casamento; ditos de cores, Tazenda C
X a mais superior que aqu tem appa- ^
^J recido ; ditos de chamalote preto; ^
' ditos de camhiaia de seda, padres ^
O niodernos chales e mantas de seda ; O
O cortes de colletes de setim bordados, O
O brancos e de cores ; esguilo e cam- 9 liiaia de linho; meias de algodflo Q
Q para senhora, de fio fino da E-cocia ; Q lencos brancos de cambraia de linho; 0
;\y chapeos de sol, de seda de cores; q
q panno de linho de 4 larguras ; e ou- <;v
g tras Tazendas finas e de gosto : ludo
p. por prego que agrada ao comprador, 'i:
Vende-so una preta que engomma,
cose, cozinha e Taz com perTeicHo o mais
servic.0 de uma casa ; um bonito pardinho
de II annos, proprio paia qualquer cilicio:
na ra larga do Rozario, n. 35, loja.
Deposito da fabrica de Todos-os-
Santos na Babia.
Vende-se, em casa de Domingos Alves
Malheus, na ra da Cruz|doJteciTe, n. 59,
algodes trancados, muito proprios para
saceos deassucar e roupa de escravos ; as-
sinVcomo fio de algodilo, proprio para ve-
las : tudo por prego commodo.
n. 17.
Vende-se uma preta de 20 annos, que
cozinha muito hem, lava, engoma, faz do-
ces, con ontras mais habilidades, o com
muito bom leite para criar : na ra do Li-
gamento, n. 1, primeiro andar.
O barato obriga a com-
prar.
Na ra do Queimado, loja n. 19, vendem-
se pegas do panno de linho com 15 varas, a
7,000 rs. ; di tas de panninho com 10 varas,
e de vara de largura, a 2,400 rs.; corles de
chita finas, com 13 covados, a 2,000 rs.; di-
tos de colletes de setim de cores, a 1,600 rs.
e de ISa e seda a 640 rs.; lengos de la va-
rilo, a 360 rs.; ditos de cassa com cerca-
dura de cor, a 240 rs., e brancos a 180 rs.;
meias para senhora, a 210 rs. o par; ditas
para meninas, a 180 rs. ; ditas para meni-
nos, a 80 rs.; luvas brancas de algodilo
para homem, a 120 rs,, e em duzia por
menos.
A 5,600 rs. a peca.
Vende-se novo madapolo encorpado,
com quatro palmse meio de largura, pro
prio para lenges, toalhas de mesa, ele. ,
pelo diminuto proco de 3,600rs. a pega;
lindissimos tapetes com Tranjas de 15a ma-
tizados com o mclhor goslo e diversidades
proprias para castigaes, jarros, lanlernas,
vidros de cheiro, campainhas, ele.: tudo
chegado ltimamente: bem como um com-
pleto sortimenlo de tazendas finas e ordi-
narias, ror pregos muito baratos : na ra
do Queimado, n. 37, armazem de tazendas,
de Raymundo Carlos Leite.
Vende-se um pardo bom ofllcial de al-
Taiate : na rus da Cadeia do ReciTe, loja n.
56, so dir quem vende.
Vendem-se 12 escravos, sendo 5 mogos
e de bonitas figuras; um ptimo moleque
oleiro ; umdito que cozinha bem o diario
de uma casa, de 22 annos ; um dito carrei-
ro; um moleque de to annos; 3 negrotas
de 14 annos, 4 escravas muito lindas, que
rosem, engommairiecozlnham o diario de
uma rasa ; 2orgflos contendo varias pegas
de msicas ; duas fardas de guarda nacio-
nal, 1 espada, 2 bandas em bom estado, la-
Iiiii e canana: na ra liireita, n. 3.
320
100
120
420
40
320
1,000
Corles de cambraia branca bordada, a 2,000
1,600
1,000
3,000
3,000
400
2,000
Mantas de fil de linho preto, a
iUsdiUs brancas, a
Ditas ditas de seda, a
Chales de 10a seda, a
Sedas brancas lavradas, o covado a
Ve.'tidcsdecambraia branca de bar-
ra, a
e oulras muitas Tazendas que se venderSo
por baratsimos pregos, e que ser3o ofl'e-
recidas na u.esuia loja aus compradores.
A ,800 rs.
No armazem da ra do Rangel, n. 36, ven-
de-se Tarinha de mandioca, a 2,800 rs.
sacca.
Vende-se urna casa de tres
andares, sita na travessa do Quei-
mado, n. I : a tratar na ra da
Cadeia-Velha, n. 3.
.
Cassa s (Va ii ce zas a 500
rs. cada vara.
Na ra do Queimado, n. 8, vendem-se
cassas Trnncezas de cores fixas, dos mais
modernos padres, a cinco tostes a vaja :
dflo-se as amostras.
-- Vi n le -si', bom o barato, trancinhas
brancas de 1.1a, proprias para debrum de
obras de alfa ate ; assim como gargantillas
de vidro e lilagrana preta para lulo, com
brincos e sem elles; aboluaduras de vidro
de dousboles para prender casaca adian-
te, sobre-casaca e jaquelas ; ditas de boles
de seda completas e do bonitos padres :
na loja de Victorino & Cuicntrfles
Vende-se uma escrava moga, sadia e de fa -
bonita figura na ra larga do Rozario, n.
26, segundo andar.
Vendem-se superiores e elegantes
chapeos de montara para senhorn, a
Amazona, ou camponeza, Tazenda
ainda nflo vinda a este mercado
chapos brancos, prelose pardos, ri-
camente rnTeitados para homens e
meninos; bonetes para meninos.de
novos, apurados gostos ede difieren-
tes qualidades ; completo soriimen-
to de chapos Trancezes e suissos,
vindos pela primeira veza esta cida-
de, tornando-se estes mu recom-
mendaveis, nSo soporserem de ex-
relleutes formas e qualidades, como
uteis as pessoas que coslumam suar j
muito a cabeca, para mo repassar o
suor ; cha; eos do Chile, de abas pe-
quenas e do ultimo tom ; ditos da |
Italia, dos mais finos que ha no nier-
cado; excellentes palas francezasde f
todos os modelos e qualidades; pa- 9
K pi I grande do differenles cores, em W
V porcaoea relalho ; e lodos os mais 9
II ubjectos perlencentes a chapos, por !,
prego commodo na praca da Inde-
pendencia, ns. 24, 26 e 28.
tt i
Sem o menor deleito.
Vendem-se exccllentes chitas azues com
flores amarellas, a 6,000 rs. s peca ; ditas
linas cor de ganga, claras e escuras, a 5,800
rs.; ganga da India amarella de duas lar-
guras, a 1,000 rs. a pega; lengos de ganga
encarnada, a 3,000 rs. a duzia cobertores
dealgodaodobrados, os melhorcs, a 1.000
rs. ; lino madapolflo da India, com 21 jar-
das, a 3,800 rs. a pega; modernos Chapeos
Trancezes, a 7,000 rs.; e lodo o mais sorti-
menlo de Tazendas Gnas e ordinarias, por
muilo baralo prego : na ru do Queimado,
n 27, armazem de Tazendas, do Raymundo
Carlos Leite.
Vendem-se as santas mis-
3 v. .Historia de Ronarie, bV. ; Gustavo, 3
v.; Telemaco ; Calculo de Rezout; Corroa
Telles ; Oigesto porluguez; Direito poltico,
por Micare ; Grammatica iugleza por V. P.
do Reg, Euclides ; Geometra ; Dicciona-
rio Trancez por Constancio, 2 v.; Gramma-
tica Tranceza por Sevene ; Trgnometria de
Lacroix; Novo Testamento : ni praga da
Independencia, n. 12.
Y
V Manteletes.

w Ricos manteletes, cada um em seu
? cirlSo, chegados ltimamente de f
Franga: vendem-se na ra do Cres- *
Y po, n.9, loja amarella. y
m
Vende-se uma moleca crloula, de i*
annos: na ra de S.-Rita, n. 14, se dir
quem vende.
Vende-se um Atlas gcographico, com
38 cartas :,n ra estreita do Rozario, n 39
loja. '
Vendem-se 5 apolices da compinhia
de Beberibe: no armazem ao p do arco da
ConceigSo, n 61.
Uma propriedade.
Vende-se uma propriedade de tres anda-
res, sita na ra do Pilar, deronte da inteo-
deucia, n. 145. a qual, alm da ptima vis-
ta quedalliofferece.so acha collocada em
bom lugar para conservar qualquer estabe-
lecimento : a tratar na mesma rus, n. 111,
com o Sr. patrio-mr.
Millio.
No armazem da ra do Rangel, n. 36,
vende-se milho novo, a 2,600 rs. a sacca ; e
mais legumes por diminuto prego.
Vendem-se duas pretas mogas e nm
preto, proprios para todo o servigo de uma
casa : na ra Nova, n. 39, segundo andar.
Kf era vos fuari sos
ses feilas pelos religiosos capu-
chinhos, a 4 o rs. cada uma : no
- Vende-se urna preta criouls, de bonita nalpn Hn ('iilli-.'in Irtia rln livr
figura, muito boa engommadeira, cozinhei- Patf d0 ^^^g10 ,0ja 00 livro
azul.
>a loja de Maya Ramos
&C la. ra Nova, n. 6,
ra, costureira, ecom todas as habilidades
necessarias para o servigo de uma casa : na
ra larga do Rozarlo, n. 39, no seguudo ou
terceiro andar.
Vende-so uma escrava nova de bonita .
figura, sabe Tazer todo o servigo de urna vende-sonco papel para Turrar salas, guar-
casa de lamilla, lava, cose chao, Taz lava- i '"v"* e barras de bonitos padres, e enlre
rjato, he [eiTeita engommadeira, cozinhei- ellts u*s ''' lle P""gens, sendo uma a
ra : o motivo porque so vende so dir ao l"ada de Roma pelos Trancezes em 1848, e
oulra a balalha de Jal y pelos mesmos ; lan-
lernas de vidro, metal e rasquiuha para ci-
compiador, na ra da Noticia aos bous fre*
};iiey.es.
ni ii de mesa e piano: jarros de porcellana
| dourados ; eslojos de inalhematica ; ditos
' de limpar denles ; lindas perfumara ; e ou-
lle chegado um carregamento de pinho tr*8 uiuilos objectos por preco commodo.
daSuecia, branco e vermelho anda aqui Q&QW3>W(i>Q($WQQOO
nilo visto, de 10 a 30 palmos de compri-' O
ment, sem nos, proprio para se cuvern- t>
zar ; tendo tambem costado, costadinho,! <>
assoalhos e Torro para fundos de barricas,
h'scuzado he declarar o prego, porque o an-
tigo barateiro est dispuslo a vender por
ludoodinheiro, e quem quzcr em maior
qnanlidadee Ihe clarear a vista, cantndo-
me ao ouvido, sera bem altendido : atrs do
llieatro velho, armazem junio maro, ou
a Tallar com Joaquim Lopes de Almeida,
chincho de Joiio Malheus.
Vndese a nielhor ago'ardente de Fran-
ga ( pal brandy )que tem vindoa este mer-
cado, em caixas de urna duzia, por prego
muito commodo : na ra da Cadeia do Re-
cite, n. 48, casa de Augusto S. Corbett.
Homoeopatbia pura.
Ra do Trapiche, n. 40.
pa-
& Boticas e livros para o tramonta-
<> ment dos enfermos pela homoeopa-
< Una : acham-se a yenda por n odi-
ti eos pregos.
,. U I ir. Luz se offerece dar todos
" os esclarecimesntos necessarios
O ra o melhur uso dos mesmos.
Vende-se um Cavallo alazo, bastante
gordo e muilo bom andador de baixo a es-
quipar : tambem se vendein os arreios ne-
cessarios para oesquadriiode cavalUria da
Vende-se um e-cravo de 24 annos, bem I guarda nacional; na ra do Mundo-Novo,
sadioe robusto : vende-se por seu dono cocheira do Pessoa.
lerderetirar-se : narua do Torres, n. 20,1 Vendem-se os seguintes livros: LobSo,
<* V>
\ segundas liubas, 3 v.; ordeuagOo do leino,
-- Fugio, no dia 28 do corrente, o escra-
vo Lourengo, perlcncente a Luiz Francisco
de Barros llego, o quaj eslve tugid por 6
me/e-, e durante esto lempo esteve embar-
cado, e foi apirehendido no dia 23 do cor-
rente e tem os signaes seguintos : be alio,
cheio do enrpo, cor tula, e natural do Para:
quem c pegar leve-o a ra da Cruz, n. 46;
bem como se previne aosSrs. capites de
navios para que nflo recebam a seu bordo.
Gratificac.af'.
Fugio, daCidadede Macei, no corrente
abril, a escrava de nome Colecta, do dou-
tor Jos Tavares Bastos, egratiflea-se a sua
apprehensflo nesta praga, ra do Rangel,
n. 36, segundo andar: signaes seguintes :
criouls, moga, disfargada, boa estatura,
corpo espigado, peilos escorridos, e com
visivcl queimadura no rosto.
Fugio, no dia 22 do correnle anno, o
prelo lien ardo, de estatura baixa, de 40
annos pouco mais ou menos; tem os ps
bem feitose canellas finas; lem uma cos-
tura de gomma em cima da garganta e duas
mais a roda ; traz um lengo cobrindo as di-
tas costuras, por estarem ainda averlerom ;
sabio a vender finetas em um taboleiro; le-
vou caigas e camisa, o sem chapeo; mas
quando Toge, cos uma Irazer sempro al-
guma cousa n3o mito para fingir que anda
Ti zendo recados. Km das de margo fugio
lambem uma preta, contienda por Mara
Cajueiri, de 40 annos, baixa, cara redonda ;
he muito Talladeira; tem sido vista, al-
gumas vezes, por S. Amaro tirando ma-
risco. Roga-seaos capites de campo e miis
pessoas da polica, que os appichendam e
levem-nosa ra da Cadeia do Recite, de-
Tronte do Recco-Largo, n. 25, que seiilo
gratificados.
Fugiram, de bordo do br-
gue nacional Sem-Par, vindo do
bio-de-Jeneiro, tres escravos, ven-
do : Sabino, pardo, de 30 annos
potiro mais ou menos ; levou cal-
cal e camisa azues, e bonete en-
carnado : dous ditos criouios, de
nomes Euzebio e Antonio, que re-
presenlam#er ?5 annos cada uro,
de estaturas altas ; levoram cairas,
camisase bonetes azues. Hog-se
as autoridades policiaca c capites
de campo, que os apprebendam e
levem-nos a Novaes & Compa-
nliia, na ra do Trapiche, n. 34'
Fugio,|do engenho de Tres-bocea?, no
da 17 de fevereiro passado, um prdo com
os signaes seguintes: baixo, grosso, sem
barba, de 20 annos pouco mais ou menos,
cabellos enroscados, olhos grandes e aga-
ropados, bem felo de corpo, perna e pos,
nariz chato, beigos grossos, bocea tegular o
com todos us denles ; inliiula-so forro, e
como lal vem monidodeum passapoite fal-
so com O qual 11 ludio as autoridades de
Barrs-Grande : quem o pegar leve-o ao di-
to engenho, ouao ReciTe, em casa de Ma-
nuel Joaquim Ramos e Silva que em qual-
quer das parles ser generosamente recom-
pensado.
Fugio de bordn do palarho Asira em
13 de Tevereiro prximo passado um escra-
vo 11111 inliin o, de nome Joaquim, crioulo,
he alto, u ni barba por baixo do queixo,
bexigoso, cheio do corpo e representa ler
40 anuos, o qusl consta que tem mili na
cidade de Olinda : tan bem Tugio de bordo
do patacho l>ot-de-\luri;ti em 16 deahril
correnle, um escravo marinheiro de nome
MigueV naco Mina, cor prela, estatura
regular e cheio do corpo, representa ler 30
annos, levou vestido roui a de algodSo usa-
da e inculca-se ser forro, os quacs silo de
propriedade do Sr. Francisco d Silva Flo-
res, negociante do Rio-CramU do sul. Pe-
de-sea todas as i'litoi ulailcs policial.s a ve-
rilicagu de quaesquer escravos, que sejam
capturados, e aos capites de campo muilo
u 11 n........'iiiln sua captura, gratificando-se
a quem os Irouser, na ra da Cadeia, n 39,
casa de Auiorim Irmilos, reconhecendo-se
ospropiis, pelo primeiro com 100,000 rs. e
pelo segundo com 50,000 rs, oque se ga-
rante pelo presente.
PgKN, U TTP. DEM. |, DB FA1U.-1850


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5E7KB0IJ_X5ET3D INGEST_TIME 2013-04-12T23:58:03Z PACKAGE AA00011611_06285
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES