Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06274


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXVI.
Qnarta-fera 17
*AB.TIDAS BOi OOUHM.
Goianna e Parahiba, segundas esextas felras.
Rio-Grande-do-Norte, quintas felras ao mcio-
Cabo, Serlnhaera, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.*, a 11, e 21 de cada rae?..
Oatanhun e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-VIsta e Florea, a 13 e 28.
Victoria, s quintas reirs.
Ollnd, todo o o''-
wrmemxnusxM.
Phases da mis.
Mlng. a 4,
Nova a 12, s
Cese, a 19, s
Cheia a 20, s
1 h. e 24 ni. da t.
10 h. o 27 m. da ni.
7h.e47 in.da m.
9 b. e 1 m. da m.
rattNiH DE HOJI.
*-
Primeira as 8 horas e 30 minutos da manhaa
Segunda as 8 horas 54 e minutos da tarde.
msm~
de Abr! N. 0.
FHEQOl DA CBIOaiVpO.
Por tres mezes (adianlado) 4/000
Por seis mezes 8/000
Por uhi anno ___ 15/000
DAS DA SXMAJfA.
15 Seg. S. Bazillssa. And. di J. dos orf. e m. 1 v.
16 Terj.S. Engracia. Aud. do chae, do 1. da I.
v. do civ. c do dos feitos da fa/.enda.
17 Quarl. S.Aniceto. Aud. do .1. da 2. v. do civel.
18 Quint. S. Caldino. Aud. do J. dos or', c do m.
da I. v.
19 Seit. S. Hermogenes. Aud. do J. da 1. v. do
civ. e do dos I'eitos da fatenda.
20 Sab. S. Igne/. de Monte Policiano, Aud. da Ch.
e do J.'da 2. v. do crime.
21 Dom. S. Anselmo.___________________________
r,A*wtf*T-.iv,iNJt'73iUS9mBSBBMiaHBaRSBI^H
CAMBIOS EM 16 DEAJ1TUI.
Sobre Londres, 28 c 28'/, d. por 1/000 rs. a 60 dias.
. Pars, 346.
Lisboa, 95 por cento.
.r.U.-PaUcaefbSi-roJ...... 1/W> J/*
Pesos columnarios....... *H0 a M9W
Ditos mexicano..........__1/800 a I/M-
;W5SB!?. -' -
INTERIOR.
baha.
Temos a sumira satsfacflo de noticiara
chegada neste vapor doF.xm.Sr marech.il
Jos Joaqun Coelho. que por decreto de
31 do dezembso passado foi nomeado para
de novo commandar as armas desla provin-
cia. Si-ja bem vindo o honrado e valentc
militar, a cuja espada deve a bella cidado
do Recifc a sua existencia, e talvez o lira-
dos motivos ero quero entrar agora na m-
dagac.no delles ; vejo que assini acontece:
preferem-se os bilhetes do Mio-de-Janeiro
aos da nossa provincia.
Depos, o noliro depulado vem assim a
establecer um monopolio dos bilhetes ds
loteras ila provincia, o que elle oBo rule
fzer, porque nos nflo podemos embarazar
que outras provincias extraan as suhs ffi-
teriss. A consliluicUo niln quer Uto. Ha
rom tal privilegio nma falta de equidade,
ha mesmouma injuslica.
Entendo que a roncessflo de loteras ho
de utilidade para esta, ou aquella provincia.
sil a conservaeflo das suas institoices ;" ;V,i,,;0 aquell.sobas; istohe verds-
Sim, porque a nflo apresentar-se o illuslrc ','! a *T... I'i.j.. .. nmvinoi. d*vm
general, como pnr um milagre, na cauda
das hostes ronstituintes que no dia 2 de fe-
vereirode 1819 se arrnjaram sobre aquella
capital, a cidade do Rt-rife seria aniquilada
e a constituicfln o trhono sofTrerain um
embate lerrivcl. Novos o immarcessiveis
loiiros coroaram felizmente a fronte de S.
Exc. nesse dia para sempre. memorando ;
a hydra d'anarchia que segura contaya
supplantor em todo o Brasil a ordem publi-
ca, despregando nasmais provincias asna
ensnguentada bandeira, vio esvaccer-lho
a arrojada ousadia ins ras da capital do
Pernambuco, ante o imcomparavel sangue
fri do Exm. Sr. Tosta, e a bravura e pere-
da militar do nohio general Coelho. Anda
em 26 de Janeiro dcste anno, leve S. Exc.
inais um ensejo de dar novo realce sua
tSo bem adquirida renutaeflo de bravo,
2 delirando o encanto das famosas mallas
'Agua-Preta, onde se julgavain seguros os
bandos que no sul da provincia continna-
vam a atacar a socieuade, derrotando-os
completamente e obrigndo-os a recorrer
pres.surosos magnanimidade imperial.
Honra pois ao denodado soldado do Impe-
rador, ao bravo defensor da constituidlo,
ao inabalavel sustentculo da ordem e da
jntegridade do imperio!
( Mercantil de 8 do trrenle. )
de; mas cuno todas as provincia* devem
concorrer para que suas irmflas gozem do
iguacs privilegios e favores ; parece-me que
a assembla de Pernambuco nao pode esta-
beleeer um privilegio para si.
Runflo eslava preparado para a materia,
mis me parece que esias poucas rellexoes Jrcm. Eu noto que, quandn se trata dcqual-
haslem nara pesar no animo da casa. Nos qurr beneficio para dentro da capital, vota-
deveinos'sustentar integralmente a consti- se fcilmente. A dcmolicflo, por cxemplo.
impostos;'mas, para assim proceder, cum-
pre quo esteja compenetrado de semclhante
necessidade.
O Sr. Guedes de Mello : Sr. presidente,
sempre que apparecam nesta casa ideiasde
beneficio para a provincia, cu farci votos
para que ellas passem : na escolha dos
meins para rcalisa-las, que pertence antes a
2 discussflo, votarei pelas emendas irais
convenientes.
A utilidade de um acude publico em um
lugar secco, como ho o l.imociro, ha ina-
nifest, he reconhncida.
O nobre depulado que primeiro falln,
lembmu milito bem os meins convenientes
de realisar o pcnsamenlodo projecto; e pru-
dentemente se reservn para a discusso
opportuna.
Sr. presidente, as pessoas que mnram em
lugares abundantes d'agoa, nflo sahem o
que he a falta ilella para aquelles que a sof-
Ouanto. pois, ao l.imociro asseguro, porjminlstracao. nos eommunicou as medidas por
xpericncia propria, que a necessidade he elle emprearlas em orden. "iS5hM.
i amalar nuche iiossivel Nflo nolirosa ""<"> que Ihe havia sido Incumb la
a, nmaior qm, ni. possnei. anoBOV,rno imperial, e a que se havia elle
em outro lugar possa liaver pro|M5,0, d, lllleu., eooinpleUpacmeaeSode
sidadc ; mas n;io maior. | tnl|a a provincia, fim que se pode diter quasi
experiencia propri
alli extrema
duvido que
igual necessida
Agora, apreciando a mancha por que o conseguido, mediante'as acertadas, rpidas e
projecto esta concebido, nSo BCho inconve- enrgicas |irovidencias, pelo mesmo Emn. pre-
niciite algum ; pois que o governo lien au- jsidentc tomadas; restando apenas o qneso-
torisado a mandar fazer ns acudes, e he ca-! mente pode ser resulla.lo da marcha tarda do
- le parecer que esla asseinhlea.ap-
ro que deve proceder aos exames nece- temp; he de parecer que esta assembla. ap-
.' i.' ,. .r. i ... ..i,,.,, v-, p aud ndo tao fausto contecimenlo, e eorros-
sar.os para levar a effeilo cssi obra. Nflo L>dwidojdItteoiiniBft omeimo Rain.
ha pois inconveniente algum, c por ISSO eu ,r<,unU deposit.m em seu seio. iiossiiidoen-
de todo o mcu COraQflO vol, em 1." 2' :i." rnortti dossenilmentodeamormooarchln,
e quintas diSCUSsCeS hOUVer ll favor do inlegrid.ide do Imperio, e nossi cnnslitui-
"rojecto, porque be ulillissimo o exequivcl cao poltica, sagrados penhores que de marte
Quanto a Caruar, n"'o sei por exporion- foraioameaeado* pelo movlmento ariaadoquo
a se esta as mesinas circu.nslancias do desgracadaiiiente rntre nos se apresenlou, e
ci
Limoeiro; mas louvo-me as infurmacOes 1
mas innocentes nos cuslnii, sr
eoiigralnle eoni o inesino Kllll. presdeme piu-
lo nobre deputado, e por ISSO lambein \o- Vl.,.^lvi,la ,la ror,PI1, da anarclda as nostas
lo pelo projecto nesta parte.
O Sr. Jos l'edro rcllexiona em goral a-
cerca ta materia e reconhece a neecsai-
dude de abastecer d'agoa os habitantes do
centro ; porm entende que be na le do
se deven) consignar esta
PEiNAMBUCO
ASSEMBLA
}." sas0
PROVINCIAL.
OalJINARIA, EM 15 DE ABRIL
dr 1850.
Presidencia do Sr. l'edro Cavalcanli.
(Conclusilo.Vide o Diario n. 85.)
ORDEM HO DIA.
n posto
reputo tambem
inconstitucional, el devem ser transferidas as venerandas ima-
Primeiradiscussflo do projecto n. 2, que
revoga asegunda parte do artigo da lei n.
40 de 9dejunho de 1837 e extingue o lugar
de escrivflo privativo das hypothecas.
NSo havendo quem acerca delle
palavra. be submeltido a vota^flo
vado
Entra em primeira discussfloo projecto
n. 3, que regnlarisa a administra^flo das lo-
teras da provincia, e prohibe a venda de
bilhetes de loteras estrangeiras, e de outras
provincias.
O Sr. Mello Rugo : Sr. presi lente, eujnflo
posso dizerque nflo sabia que esta materia
tinha do ser discutida boje, porque eslava
presente quando V. Exc. a deu para ordem
do dia; mas outras ocnupaces nm priva-
ra m de a estudar : entretanto aventurarei
algiini.is duvidas que tenho a resoeito da
copstilucionalidade do projecto aprescnla-
do pelo nobre deputado, aquem peco licon
(i .para as fazer.
Sr. presidente, com quanlo na primeira
discussflo de qualqucr projecto smenie se
deva tratar da sua lilil lade ou vantageni;
todava, seguindoo cxemplo que me deu o
nobre deputado quando em una das sessOes
da qual proporei em breve a revogagSo. | gons-; s vezes, como a primeira ideia, per-
As asseoiblas provnciaes nflo podem im- cebe-sc que he um beneficio para a cidade,
I r sobre objectos geraes ; a coostitiii(Aoj nlo se atiendo ao resto; quando, porm,
deu igues dueitos a lodas as provincias, so aprsenla urna medida como esla que o
deu as mesmas garantas a todos; maso no j projecto consigna, eis ah as duvidas.....nflo
bre deputado pelo sen projecto vai destruir se allendendo a que os habitantes do cen-
essa igualdad" que a conslituiQo estabelo-, trosoflYern muito,soffrem crses de mor-
ceu, vai crear urna odiosidade entre as uu-, te falla d'agoa, e nflo teein as vantagens
tras provincias nade Pernambuco, qur que gozam os habitantes dos lugares ame-
assim destruir esses sentimenlos de frater-' nos da provincia Falta d'agoa, Sr. presi-
iiidade, que he innato ao bomeni, de cha- j dente, nflo he folguedo : he urna necessi-
mar seu irmflo fruQflo commuin dos dado tflo vital que, havendo um nobre de-
mesnins gozos. I putado que leve assento nesta casa, coneor-
O nobre deputado com a sua proposla rldo para abastecer uina villa do interior, o
ple otiender a susceptibilidade das outras Ouricury, com a construceflo d'umaQude,
piovincias, crear indisposigOes e odios que esse empenho foi to Inuvado, que at os
nos tdem levara um estado desgranado,' adversarios desse deputado, habitantes des-
poja que poden) promover mesmo algum se lugar, anda hoje proclaman) esse gran-
perigo para os lac,os da uniflo. de beneficio.
Peco a casa que atienda bem para a res- Voto, pois, pelo projecto em 1." discus-
ponsabilidade que sobre si vai tomar. silo, para que receba as emendas necessa-
Eu entendo que estas medidas pouco con- riasna segunda,
sideradas pdem dar estes rasultados quoi O Sr. Munoel Cuvakanlc sustenta a opi-
apontei; e be tal o susto que ellas me ins-' ifla que ja cnittra, e responde aos orado-
pirain, que desde j me opponho ao pro- res, que rallaran) cm sentido opposlo, fa-
jeclo, e votarei mesmo contra elle, em pri-: zendo algumas consideracOes geraes.
meira discussflo. j O Sr. Gitirana : Sr. presidente, foliz-
O Sr. Jos l'edro suslcnta o projecto res- mente o projecto coiucqou a ser impugnado
pondendo a todos os argumentos do prece- por um Sr. depulado. que reconheceu a sua
denle orador, e fazendo largas rellexOes so- utilidade, o quo me faz crerque esteSr. lie-
bre a materia. | nhuma duvida ter em dar t> seu assenti-
O Sr. Maiioel Cavalcanle : Voto contra o ment, una vez que em primeira discussflo
projecto; por isso que elle vai oftender um s se trata da utilidade do projecto. Diz o
a toma imposto geral, isto he, o de oito por cento nobre deputado que o projecto he mcoin-
" "' que as loteras pagam fazenda nacional ; pelo, porque nao trata da planta e do orca-
.eappro- vsto qUe a assembla provincial, anda ment que deve preceder factura dos anu-
dando niaiores interesses ao thesouro, nflo des.
pode revogar, ou nullificar una disposi?flo O projecto, Sr. presidente, dando ao go-
gcra|_ j verno a faculdade de mandar fazer os aQU-
O Sr. Preiidente : A quostflo parece-mo des, tem implicilamente ordenado que se
quetem estado fra da ordem : os nobres levante previamente a planta, que se raga o
leputados iinpiignam um artigo do projec- ornamento, e que se ponha a obra em arre-
to, cuja exclusflo importar a nflo existen- mataeflo, porque todos sahem qu- taes con-
cia do mesmo projecto. I sas preceden factura de qualquor obra
Demais, quando pela primeira vez se dis- publica. Quando assim nflo fosse, o nobre
cute aualuuer projecto, apenas se o deve deputado tinha o direto de oirercccr as
considerar em geral, para decidir do sua emendas precisas em segunda ou terceira
utilldade; e nflo he isto o queso tem feito. discussflo, com o que licavam satisfeitos
OSr.Gucde* de Mello entende que so de- os seus desejos.
ve votar pelo projecto en I.' discussflo por I Outro Sr. deputado impugnou a utilidade
que acha do milita conveniencia que se re- do projecto. Quem, Sr. presidente, podera
gularsem as loteras da provincia para ani- negar a utilidade do projecto cm discussflo,
ma-las, mxime quando forem a beneficio urna vez que tenha, ja nflo digo morado,
dos estabelecimentos pos. I mas transitado por l.imociro e Caruaru?
0 Francisco Judo sustenta o projecto, o Estas duas villas, comquanlo bellas, e plan-
responde aos argumentos quo contra elle tadas, urna a margem do Capibaribe, cou-
iiiiiii r 7-" m"-------- ---------- -""> an-pcpnia.iac i Ira margen do (boluca, resentem-se tan-
rTdTo "a'umout ^Z&T^^fV^S^obmn* de novamenle' lo da fallf d'agoa'. ^ue he lastima dzO-.o.
r d.vcu! Lue a uiscussao corre em um terreno me- Seus habitantes no inve.no beban d'agoa
me-hci apenas da maieria db artigo 5' Jo, Que
uese discute, o qual diz assim :
Doiis me/es depois da promulgarlo des-!'
... n__ ~...t.;i...l.. ..An.. .1.. i ii. .i .. .
c exige quo se ella limite so- immunda, de quo o rio abunda, enoverflo,
qU.6 n^sl^esVepi'a'ptmlgacflo des-^ hre Md/de" SffiK '-Te Ke do qiie quando o rio seca, o que hoje he consta,,,,.;
^^S^rXSSSVmSS leve tratar em vista do requerimento. vem-so ob^.foSjfi.W pO^Wtodo
Anda lallam acerca da materia os Srs.' 'o, para d'ahi tiraren) agoa, o esta salohra,
Blello Reg, Jos Pedro e llanocl Caval- com que matam a sede que constantemcri-
cant te supportam. Ora, lugares tflo necessita-
Encerrada a discussflo, he o projecto ap- dos d'agoa nflo merccciflo acudes ? Crcio,
turflo^^osrnasasscnir.rVs'^roviirci^s provado em primeira discussflo para passarjquesin. Dresidente nrovr-
nflo potemos por urna lei suspender 8S dis- a segunda. -o he possive, sr. presiuente, prove
Eutra om !. discussflo o projecto n. 4, se d'agoa ao mesmo lempo, como alguem
todos os lugares da ~
o cautelas de loteras estrangeiras o de
outras provincias do imperio >
En assento que este ai ligo est inteira-
menle em opposicflo as disposines da cons-
dente orador.
D a hora, e a discussflo lica adiada.
O Sr. I'resiilcute designa a orden) lo dia,
e levanta a sessflo.
siste s assemblas provinciaes para conce- no projecto. Entendo que mais regularmcn-
der loteras OpiniOes moito respeitaveis te se pode obter a construceflo dcstos acu-
lenho ouvilo nestesentido; tenho ouvido des, autorisando o governo a mandar le-
mesmo que nem os poderes geraes as devm vanlar a planta c fazer o orcamento da
conceder, quanto niais os provinciaes; mas obra, pudendo despender mesmo alo esta
em fim no nosso piz lem-se adoptado isso ; somina, designada no projecto ; mas, man-
a assembla geral tem concedido loteras, o dar fazer a obra sem sabor so ella convem,
ns assemblas provinciaes tambero toem :'o me despeza exigir, nflo mo parece acer-
eu, pois, nflo ucompanharei a discusslo lado,
neste terreno, e at lomo a quesillo sb o] Como o mais que tinha a dizer sobre esta
ponto de vista de que as assemblas provin-, materia he mais propro de 2." discussflo,
ciacs pdem conceder loteras; mas digo reservo-me para cntflo.
que nflo pode prohibir que sejam vendidos] oSr. Manoel Cavalcanli: Eu nflo reco-
os bilhetes das de outras proviucias. [nhecoa utilidade do projecto; o visla
A vsntagem, ou ofim que o nobre depu-doa abusos a que deram lugar as leis aqu
tsdo leve em visla foi smenle favorecer as [ voladas, mandando construir acudes, nflo
loteras da provincia, urna vez que a venda prestarci o nieu voto ao projecto que ora so
dos bilhetes das de outras provincias pode discute. Esaas leis a que me refer autori-
emliaracar a das desla. Uu isso verdade ; savam a conslruc;flo de tres acudes ; mas
mas me parece que tl proliibicflo ir tam- gastou-so o dinhoiro, e os acudes so nflo II-
bem forcar a populagflo a compiar 13o s- zoram. Votarei para que o governo mando
mente bilhetes de certas e determinadas examinaros lugares de que so trata ; o, s
loteras, as quaos talvez ella nflo tem con-'depois do estar convencido da utilidade da
llanca ; pVque, sejamos francos a popula-'obra, a autorisare; mas assim, nflo. Para
eflo inflnei dos motivos) nflo tem confianca obras e quaesquer outras despozas de pal-
lias loteras da provincia. Ilepito, nflo sei pitante necessidade, eu votarei al novos
lAR ENCONTRADO -
dos, estou prompto a aceitar qualquer e-
menda que tender a tal fim, porque na la
mais dezejo do que remediar o mal que
presentemente sott'rcm os habitantes de du-
as importantes villas da provincia.
O Sr. I'loripes -- Nflo so pode comhatcr,
ou contestar a utilldade dcste projecto,
ella salta aos olhos ; c, so alguna Srs. (lepu-
tados nao pdem reconhecer Cata utillida-
de, eu a posso reconiiecer, porque fui pre-
feto no Limoeiro quasi dous anuos, alli
eslive, bebi daquellas aguas do rio, ila-
qucllas cacimbas. Quando o verflo aperta,
o rio lica secco inteiraincnto ; os habitan-
tes profundam buracos at que tiram agua
muito salobra. No meu lempo I,a va alli
um harreirojque encina no invern j o dono
conceda a ulgumas pessoas de amisade ti-
rar agoa ; mas o tutal da Villa bebia urna
agoa salobra, ruim, pessima, o at preju-
dicial a saude ; e as vezes, quando a secca
era grande, anda mesmo cavando-so muito
profundamente, nflo se achavaagoa.
Portaulo, cssa uecessidado he vital, e nflo
so devem deixar essas pessoas do centro na
penuria em que estflo.
sesi~0.
Prssi.lenca do Sr. l'edro Cavalcanli.
summarIO.pproi-aco da acia. Expedien-
te Altura de prnjectas, e pareceres.~Di-
cussrf) do parecer MtAo sobre a moro do Sr. FloripM '*/>-
provaro desse parecer ; dos prnjrct'is ni 5
e G em primeira itteuui'i, e lo de n I cm
segunda.--NomtacSo da dcpulacd i/ite lea
de congratularse enm o Sr. presidente da
provincia pe'a pacificarlo desla --Dispensa
de intersticio para os projeclot ns. 2 e 3.
A'< II horas di manhfla, feita a chamada,
verifica-se eslarem presantes 8 Srs. depu-
la los, filiando sem causa participada o
Sr. laclado Itios.
OSr. Presidente declara a berta a sessflo.
O Sr -2 i Secretario l a acta da sessflo
antece lente, que he approvada.
O Sr. i.o Secretario menciona o seguinte
EXPEDIENTE.
Un ofllcio d) E vincia, participando liaver olliciado c-
mara municipal para que ella se regule pela
apuraeflo feita por esla assembla, quando
houver de chamar supplentes para lomare n
assento na mesma assembla. Inleirada.
Um requerimento de Manoel Ignacio de
i) :ve ra Lobo, arrematante da cipalazia do
algodflo, pedindo que ; por um acto legis-
lativo, se Ihe mando pagara quantia de rs
IG0 por cada urna das saccas de algo-
dflo, que teem entra lo durante o espaco de
viole mezes contados desde que o suplican-
te eillrou na elTeclividade do servigo da uies-
ma capalazia, e que se Ihe man le abonar
igual quantia pan as mais que tapm entra-
do, e coiilinuarem a entrar, al o fim do
triennio da arremalacflo, sendo descontado
na somma o que OSUppllcaoteJ lem recebi-
do da fazenda provincial.
Fica adiado, por haver pedido a palavra o
Sr. Queiroz Fonseca, o parecer que se se-
gu.
A commissflo de fazenda o ornamento,
q ial foi remetdo o reqin*i imento de Ma-
noel Joaquim Ramos e Silva, Antonio de
Moraes (Jomes Ferreira e Adriano Xavier Pe-
re ira de brillo, em que peden) a esta assem-
bl< para retirar a re resenlacflo por ellos
feita, e que na pastada commissflo existe
desde 8 de junho de 1849, sob o pretexto de
nflo liaver esta casa tmalo deliher.icflo al-
gumi sobro o contedlo della; enlendendo
lepois Je considerar maduran,eiilo o obiec-
toda rcpreseiitaciio para conhecer da jus-
tica do requerido, que aos triliunaes do paiz
compele ulaar a quesiflo, he de parecer
que sej deferido o requerimento dos sup-
plicantes-
a Sala das sessOes, 1G de abril do 1850.--
farros lliirrelo. Manoel Cavalcanli. Joie
Pedro da Silva.
lia lido, julgado objecto de delib?rs-
eflo, e mandado imprimir o seguinio pro-
jecto :
A assembla legislativa provincial de-
creta :
Arl. UniCO. Fica elevada categora de
cidade a villa do Itio-Formoso.
Ficam revogadas todas as disposiqoes
em contrario.
P.ico da assembla, 15 de abril do 1850.
-. l'edro G. de Bats e Silva.os Antonio
Lopes -Florianna Correa de llritto. -Francisco
do llego llarros Jarreto.
O Sr. Francisco Joo (pela ordem) : Tenho
a honra de apreseniar a cunsideraco a vasa,
como menibro da cniuiiiiss'ai de aonstltulcao c
poderes, o parecer que Ihe foi incumbidii, so-
bre a IndtoacfiO ofl'erecida pelo nobre deputa-
do o Sr. Dias Brrelo: o resultado do seu 1ra-
balho lie oque passo a lr/
A commissao de coinliluicao e poderes,
enearregada de inlerpor o seu juio sobre a in-
dicato que Ihe foi presente, olltrccida pejo
Sr. depulado Dias brrelo, cm que se propOe
que esta assembla nomee urna cuinmissu es-
pecial enearregada de apreseularao Exm pre-
sidenta da pruvincia mu voto de agradecinien-
to pelos relevantes servicos por elle prestados
cm a sua ailuiliilsiracu, com toda a atlencao
exaininou o peiuauenlo da referida indicaco.
E coiuidcrandu que o Esm. presidente apreseu-
lou o mais nobre e louvavel eiupeuhu na coo-
clus."io da guerra das maltas que nos devorara,
.ijin-i-......iiuaiur lealdadc efranqueza, fazen-
' do a historia de todos os trabalbos da sua ad-
agrada Inslltnicoei, gracaa sua sincera de-
vococvica, gracas ao valor e IldelliUde do
exercilo, gracas.i dedicacao da popul irao del-
ta briosa e inleressaiile pruvincia, que p.n Tu-
da e euthuslasticaniente o ajudou eni laosama
e justa causa. E conclu' indicando que sej i
nonieada urna coiuinlsaiio oomposta de seis
Miembros para manifestar da maneira a mais
espressiva e leal taes seiiliiiienlos, que sao os
deque se aelia aiiimaila esl> asMmbUU.
Sala das oiimiiiissoes, l6 de abril de 1850.
Praneiseo lo&o Curnriro daiCunka,Jote (tiln-
lino de Castiu l.eaa.Francisca di PauUCacnl-
ranli de Albugunque.
OSr. I'teiidentr. Esl cm discussflo o pa-
recer.
U Sr. Flnripes : Peco a palavra.
O .Sr. Presidente: Fica adiado.
0 Sr. Frnnriseoiono: Hequeiro a V Exc. a
urgencia da discussflo.
Consultada a casa, annue ao requerido pelo
Sr. deputado.
(Continuar-se-ha.)
tlMOEOPATIUA PURA.
FF.UIIE EPIDMICA EM PEP.NAMIiECO.
Movimcnto do grande consultorio
hom'iopalhico.
I llua do Trapiche, Hotel-Francisco.)
Um grande mal revestido do carcter epi-
dmico lem aterrado a pnpul>cflode>ta bel-
la ci lade. A Mire manifestando-so debaixo
de fmiis differentes tem feito tremer o po-
vo, e a morte com o seu ascelo hediondo
tem arrebatado communhflo dos vivos
nma granito parle de saus memhros! Cho-
ra o pai a perda de seu lilho, chora a espo-
sa a perla de seu esposo, chora o amigo
amargo [iranio sobre os restos de seu ami-
go! E lulo he dr. ludo lagrimas, ludo
trisleza E n Iflo desgracada situaeflo ouvio
Dos as supplC'S dos seus levitas, e do >eu
povo, e, esquecendo a enormid ido do nos-
sos | eccidus, lem abrandado o rigor do cas-
ligo.
Com o corceo anda partido de d los soTrimentos dos nossos semelhantes,
nos he grato eonitudo annunciarque j tem
desapparecido quasi Inteiramente desta ca-
pital ii flagelo com que nos punir a Divln-
dale odendida
Altos sflu os juizos de DeuS Era necessa-
rio um grande mal, para se poder perfeita-
menle conhecer um grande bem Era nc-
cessario que gemesso a humanidade, para
que ella podesse apreciar devdainente OS
beneficios de umaseiencia salvadora Sim :
a li'Pimi'o, aibi i Iflo calumniada e comba-
tida moslrou na presente qu.idra sua subli-
nii la le. Ella salvou a to los quantos se sub-
niettcram a seu tratamento, i-o manifesta-
rem-seos primeiros syuplomas da moles-
tia. E se temos do lamentar urna ou oulra
perla, podemos todava afl'micar quo f-
ram ellas devidas s imprudencias dos mes-
mos doenles, ou dos seus enfermeirus, que
ceden loa cousellios de alguns indiscretos
se afastaram das regras proscriptas em nos-
sa clnica. Neuhum su dos que se entrega-
ran) exclusivamente a nossos cuidados, e
que ciiu'prirain exactamente com as nos-
sas ^OterminsQOes, suecuinhio. E se isto
nflo he assim desafiamos a lodos os nteres-
sudos para que nos desmiutam.
Muitus frain os enfermos, que rocorre-
ram ao nosso ministerio nos ltimos ins-
tanies de vila, quando j nflo era possi-
ve oppr,'coni vanlagem, ao mal alguma
huma a medicina. O estado em que elles
se arliivam, po le minio bem ser avahado
por todos que leem tido doenles graves em
suas casas tratados pela anliga, empiica e
sanguinaria medicina. Seus corpos, alm
dos soiriimentos produzidos pela molestia,
eslavam macerados pela violencia dos sa-
napismose dos custicos, e denunciavam o
lim prximo, que os esperava. Todava al-
guns lraui salvos' mediante o emprego dos
no so. agentes ihorapeulicos.
Graeas a Dos .' A lionue ipathia acha-se
huje gonerahsada em Peruambuco. Crande
ho o'nujnerodos seus apologistas; e cada
lente curado ho um poderoso argumento
contra os nossos adversarios. Sirva isto ao
menos do recompensa ios nossos trabalhos !
Estando nsconvencidos do que s a esla-
lislica podera foruecer una base certa, pe-
la qual se possa conhecer das vantagens ou
desvalangeus da nossa veina mcJicina, ro-
gamos aos nossos collegas da allopalhia
queso nSo escusem do trabslho de apre-
seniar a iisla de todos os doontes, que tra-
taran! durante a epidemis, e os resultados
queobliveram. Nos o vamos fazer de nossa
parto mencionando casa por casa, familia
por familia. A humanidade reclama esta
r nii| ,.11,'ao, e nflo he justo quo deixemos
dosalislazor tflo rasoavel exigencia.
Ur. Sabino Olegario Ludgero Pmho.
Rccife, 10 de abril de 1850.


BiARIO !E PIIHBim
AECIFE, 16 DE ABRIL DE 1850
A aiirmblca occupar-sc-ha amanhaa (17) de
tritura de projectos, parecrre e indcaefles ;
primeita dlicuaiao do projectos ns. 7e8;
segunda dos de nmeros 2 e 3; contnuacao
CoaiDJiiu'ca 3o.
A r.MAO" N. 240.
I.endo a Unido n. 237, deparei com um
rommunicadoassgndoporum ISortitta, e
eniflo milito nio admirou. que ella recebesse
emsuas columnas um artigo de tal nsture-
z, que cortamente causa nojo a quem nflo
osla acostomado a envolverse em semelhan-
leslamacaes: muito me admirou, e nimia
niais por ler rasoes particulares para snp-
idrdesua paite um proedimento diverso.
Aviim, pois, fazendn-nie cargo de dar urna
respoila ao tal Nortisla, nflo pude deixar
de l-zer sentir, inda que de leve, a estra-
nhez que me causn o pricedimenlo da
Unido. Mas somonte i or dizer, que um
peridico se nao entergunliou de manchar as
suas paginas com um lecido de infamias,
hienden aehar-se ferid em sua altadig-
r.ulade; o Coi eniflo mister para combater-me
laucar milo da arma do insulto, pois, se he
a menos digna, hetainhem a mais fcil.
Assim, pois, em o unieo artigo do seu n.
210, niloduvilou vomitar contra mim di-
versos e mesquinhns insulto, que certa-
niente nflo i u leu, ferir-me; mas nflo bou eu,
que, actuando o desafio, saiaa terreiro a
jogar boletidascoma Unido. Aquestflo i
que me convi la, lie toda iudivi lual, e pr-
tanto pequenina e odiosa.
Assim, pois, nflo duvido em responder-
me com o silencio, certo de que insultos
desla natureza nfloolTenlem a aquella a
quem sflo dnigidos, mes antes ao que os di-
rige.
Senhor redactor, com a puhlicacflo des-
tas Imitas muito obligar o seu constante
leitor
Um lio-Grandente.
Uiate nacional Exalarjlo -lamilla.
CONSULADO GKRAL.
Rendimento do dia ir,.....4:588,438
Diversas provincias...... 113,908
4:642,310
EXPORTACAO.
Despachoi marilimoi no dia 16.
Porto, brigue portuguoz Maria-Feliz:
con'tuz o seguinte:
146 barriscotn mel, 76 quintaes de pao
tatajubi, 628 barricas, 7 cnixas e 727 sac-
eos com 1,616 arrobas e 39 libras de assu-
car, 19 saccas de arroz, com 95 arrobas e 16
libras, 47 saccas com gomm, 2,590 pontas
le boi, 8 barricas el caixn com 73 arro-
llas e 22 libras de vidrn, 1 barrica com 3 ar-
robas e 26 libras de metal, 244 cactes, 50
couros soceos de refuljo, 2 caixes com 4
arrobas de assucar, 2 caixO-s com relos,
135 couros salgados com 3,826 libras. 12
ras de assucar com 13 arrobas e 11 libras,
I caixflo com 4 ai robas de doce, 5 gana-
ntes de ago'ardenle, vinle e cinco couros
espichados, sesscnla eduas barricas com 236
arrobas e I libra da assucar, 1 caixflo com
16 ditos deduce pesando 96 libras, i m-
l'ioseoiu iairobas de embira, 183 saceos
com 910 ai robas de assucir, 3 caixas con
156 arrobas do dito, 18 couros salgados
com 457 libras, 6 meios de sola, 1 barril
ago'ard-mlc, 1 caita roupa d uso.
Rio-Grande do sul, patacho nacional
Dous-de-Varro, de 116 toneladas : conduz o
seguinte :
50 pipas cachaba com 180 medidas cada
una, 151 barricas com 984 arrobas ell li-
bras de assucar, 554 alqueires de sal, me-
dida vi'llla.
RECKBEDORIA HE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 16......757,570
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 16..... 2 889,810
wovi'txieiito do Porto.
mf
cho de I. Soum, e avallado em 20,000 rs ; sen-
t i a arremStaco liro de direilos.
Alfandega de Pcniambui-u.il de abril
do 1850.O inspector, Luis Antonio de Sam-
paio Vianda.
Pela inspectora da alfandega se fai pu-
blico que ae lia de arrematar em hasta publi-
ca no dia 17 do cimente depois do ineio-dla,
'iiini taceos de tapete de vlagem, avallados a
2,500rs., total 5,000 rs,; e un embrulho com
nove libras de corda* de llnho branco, avalla-
das a 220 rs., total 1,980 rs., apprehendMas pelo
ajiidaiitc do giiarda-inr a borde da barca In-
gleza fiuail i por nao eitarein manifestadas ;
sendo a arrematarn livre de direilos.
Alfandega de Pernambuco, 13 de abril de
1850. O inspector, Lula Antonio di Som-
puio \ianna.
Pela inspectora da alfandega se fai pu-
blico que, no dia 17 do corrente, depoii do
meio-dia, se bao de arrematar em hasta publi-
ca 195 grosas de hntes de seda para facto, por
factura groia 1,030 rs., total 200,850 rs.; 48
guarnieres de metal dnurado lavrado para di-
to, nina 420 rs., total 20.160 rs.; e 48 duzlas de
allinetes dourados, duzia a 210 rs., total 10,080
rs. : tudn impugnado pelo segundo escriptu-
rario Gabriel Alfonso lligueira, ni despacho n
221 de 13 do corrente: sendo a arrematado
suhjeit.i a direilos,
Alfandega de Pernambuco, 15 de abril
de 1850. 0 inspector, Luis Antonio de
Samptito Yianna.
Oeclara^oes.
-------------------------------------- ^^
Correspondencia.
Stnhore reitactorn. Vou rogar a Vv. Ss. o
ohsequio de publicar as curas que por occasiao
das 1,1,1,1 IzIioiikc ipathicaine.Ke, principian-
do pelas familias seguiutes:
Da Exm. Sra. marquesa.K Kxma. Sra. mar-
queza, (gravemente dorle] l)r. Salvador Pe
reir de S e Hcnevidcs, (gravemente, doente)
sua senhora D. Thrrcta Augusta Lins Pcreira
de Se Francisco Paej Haneto.
Crindns. Mara liabrl, Rila Mara da ton-
reicao, 'milito mal) Paulina Mara do Espirito
Samo, Genoveva Mana do Espirito Sanio, Ma-
nuela Maiia.
Burato!. Benedicta, Mequilioa, Cerirudes,
Micaela, Albina, Fausta, Filumena, Jos, l.uiz,
Luis,Thoniai,Oaudeucio, Lourenco, Lcopoldj,
Jost e Eugenio.
Nesta casa nenhiiin s.i fjlleceu.
Do roronrl loi di Hnrtoi Fale. Jos de
Harros Falcan de Lcenla, I). Ilernarda Fran-
cisca da Cnncricao Cavalcaute de Lacerda,
Francisco de barros Falcao (Javalcante de Al-
buquerque, D. liara do i .armo de Marros ta-
v .ii> iit- de Lcenla, D. Francisca Felisiliina
de narros Cavalcanle de Lacerda, Amonio H-
brlro de Lacerda, 1). Maria Kduardo de Alen-
cauro, D. Leonor Augusto de Aleocastro, Sil-
verio M ni n,ii', Qucvcdo de Lacerda e Maria
da Paz.
Eicrarot. Mara Jos, Honorata Mara, Qui-
tea, Francisca, Maria do Terco, Therrz.i de
Jesui, Ltliu, Celinla, Candida, Eulalia, Luis,
Gil Uraz. Miguel, Jos c Guillieriuc.
Nesta caa nrnhum falloceu.
De Lhiz da Costa l'nrtociirreiro. Lu/, d.i
Coila l'oitocarreiro, Auna Josellna de Mello
PortOCSrrrlro, Jeronyma Candida de Mello e
Silva, M.ii i,i tlenri'iiiela da Silva Mello, Mara
Josilna de ello Mouteiro, Joaquina Francis-
ca de Mello llouicro.
Kseraia. Antonia.
lio Sr. Franciieo }oii llarbota. Francisco
Jos liarboza e sua senhora I). Carlota Joaqui-
na de Albuquerque Barboza, Cailota Juaquini
de Albuquerque Karboia llilha), Anua llill de
Allin,|ii, i qii.i harbuza, D. Auna Theodora Fer-
reira de M., I). Carolina Julia Siac.Tilo Augus-
to de -\ 11,11,111, -1 111. l'ortocarrrro,
Eirrattit Juo, Jos e R,,sa.
Neslas casas laiubem nu houve falleciinen-
to tlgum,
Ao lodo G7 doeutes.
Carmiro Cafa,
!{e|)arlcio da polica.
lili, e Exm. Sr.--Si-guinlo aa parls,on-
tem e boje recebidas nesia re arlicflo, fii-
ram smenlo presos : ordem do sub 'ele-
gado da freguezia de S.-Antonio, o pardo
Manoel, rscravo de JoSo Ib Tinques, por
hnga; Francisco Joaquin Gonealvea do
Carato, por desobediencia ; Joflo Evangelis-
ta, e Fiancisoo Manoel liarroso, por desor-
den! c a preta Joann, escrava de Vicente
Coimbra. para aterigusQOes pol ciaes.
O subdelegado da freguezia de S.-Jos
desta cidade, participou-me que no da 13
do corrente junto a ponte dos Afosados, ti-
nlia sido encontrado o cadver de una
niulher, o qual eslava com Iros fculas, e o
rosto bastante machocado, sendo qunapc-
zar das diligencias em.uegadas ainda senflo
sama qual o autor de semelhante altcn-
tado.
Dos guaide a V. Exc. Secretaiia da po-
lica de Pernambuco, 15 de abril de 1850.
Illm. e Exm. Sr Honorio llermlo Carnei-
nciroLeflo, concellieiro de estado, presi-
dente desla provincia.--Joi Nteolno lteyuei-
ra tosa, chefe de polica interino.
r
.i
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 16.....12:824,205
lieicurregam hoje 17.
Brigue porluguez -- Fetos Ipgedo.
Barca ingleza H.-Wussetaboase fero.
Brigue portuguez Conceii-ao-de-Iari
pedias.
Brigue inglez Leten-Larremercaduras
litigue inglez Atldo-Smilh dem.
Brigue bi'iisileiro Leso. cha, pimriila,
&c.
y avio entrado no dia 16.
Rio-de-Janeiro -16 ,lias, barca portugupza
Flor ilc-Penque, de 360 toneladas, ctpi-
lo Vicente Anastacio Rodrigues, equipa-
gem 14, em lastro; a tilivcira lrmflos&
Cu Dpaubia.
Navios lakidos no mesmo dia.
Porlos do norteVapor nacional Impera-
dor, roininandante o i riineiro-t>'nente
Ignacio Eugenio Tavares. Alom dos pas-
sagelros que trouxn dos porlos do sul pa-
ra ns do norte leva a seu burdo : para a
Pararnos, o priineiro-lonenlo Leopoldo
da Silva Azeve lo com 1 escravo, o SOgun-
do-li|i ule Joaquim Fall icio de Millos,
1 strgento e sua mull r : i ara o Cea'i,
o desertor Manuel Jo- do Carino, Anto-
nio Vital l'onseca iianmeira e Joaquim
Francisco TavaresUananeirs: parosla*
ranhfio, Fihppe da Mulla Azevedo Cr-
rela paia o l'ar, o l>r. Joflo Das Xavier
da Cuiill, o seulencioilo Franci-c i Ca-
raciole de l.iru Barros e Francisco Mala-
quisa So res.
Consts lili un la --E-cuna ingleza Diudcm,
Cipilflo Jullll llernorl, cirg.i tssucn
Assi'i -- li.rea nacional Princesa, capilfln
.Manuel Antonio da Silva Lobo, em lastro
do rea.
Em comn,issflo. Vapor nacional de guer-
ra Tlittis, cummandante ocapiSa-lenen-
te FrauciCu Antonio l'ereita.
Obstrvacdo.
A polaca franceza terrier, capitflo Ville-
m 'ui,', rliegado no da 15 da Rabia, veio de
lia i sel lia pela Italna, com carga de azeiln,
viuho, papel e oulras mercadoiias.
-- Faz-se publico, pela segunda seceflo do
consulado provincial, que se est fazendo
a cobranza do impnslo de 20 por cento do
consumo das agoas-ardenles de produceflo
brasileira, vencido no semestre do dezem-
bro do anuo prximo passade, e que, lindo
o presente mez, se proceder exeeutivamen-
te contra lo los os que dcixarem de ler pago
0 referido imoosto.
Convida-se a tolos os individuos li-
vres que se queiram empregar como ser-
ventes as obras do arsenal de marinha, e
as do melliorainenlo do porto, a seenten-
deretn como respectivo inspector, o qual,
na conformldade dasordens do Exm. Sr.
presidente da provincia, Ibes garante a
iseneflo do recrulamento. Tambem se ad-
miti os escra vos em taes obras, dando-se
lauto a eslos como a aquellos individuos o
jornal deCtOrs. Inspeccu do arsenal de
marinha de Pernambuco, 30 de marco de
1850. O secretario, Thom Fernanda ftla-
ilcira de Catiro.
lela subdelegan da freguezia deS.
Fr. Pedro i. nciln'i do Recife, foi ap.irelieu-
diJo um quarlao pediez, que vagava pelas
mas -la nicsma freguezis, o qual ge aclis
depositado quem fr seu dono, compa-
reca na nicsma sulideb'gacia, par llie ser
entregue, dando os signscs verdadeiros.
Pe i tnesma suinlclcgacia so fz publico,
que foi appropendido em inflo deum men-
liguo, um dos lomos da collergflo das leis
do imperio: quem fr seu doui compare-
c na referida subdelegada para Ihe ser
entregue.
ED1TAES.
Itom Judo da PurifeJfdo )lanues I'trdlg&O
conego reijranle tic S. A de Uros e da santa iv apostlica, hispo ile
Pernambuco, da concelho de S. M. I. c C.
A todo o clero (leste bispndo sade c paz
cm o Senhor.
Por suprema resoluco de S. M. I. de 4 de
junho de 1820, foi servido o mesmo Augusto
Senhor confirmar o aliar das ultimas fe
cold -des, concedidas qunnto nos concursos
e iropostas dos beneficios vagos : c como
presentemente estoja vaga a cadeira da dig-
nidndcdc arceiliago em a nossa santa ca-
thedral, por fallecimento do seu reverendo
proprietario, pomos a concurso pelo pre-
sente edita I a referida cadeira Todos os re-
verendos sacerdotes que quizerem concor-
rer, spresentem-se, dentro do prazo de 30
dias, contados da fixacflo do presente Mi-
tal, com nsseus reqiierimentos, instruidos
das llabilitaQes exigidas pelo referido ai-
vara e mais documentos que Ihe fizorcni a
bem, precedendo tambem as nossas infor-
maces particulares de vita el moribus ; p,
rcito o concurso, proporemos a S. M o Im-
perador tresds mais benemritos o dig-
nos, conforme os sagrados caones o conc.
Iiid.
Dado em Olinila sol o nosso signal e sel-
lo, aos 15 de abril de 1850. E eu, o padre
Joaquim d Araumpcffo, escrivflo da cmara
episcopal, o subscrevi.
Jodo, hispo do Pernambuco.
AtsitmprSo.
Edilal polo qual S. Exc. Rev. manda por
a concurso a cadeira vaga da santa s de
Olinda, como cima se declara.
Para V Exc. Rev. assignar.
-- A cmara municipal desta cidade, ten-
do de nunic' r Dscaes supplentea pata as fre-
gueziaa deSanto-Antonio, S-Jos e Itou-
VlSla de conformidad com a lei do 1. de
ouliibro de Isjn, convida as pessoas que se
julgarmn |ilas a exercer'in ditos empregos,
a lequererem por p*i\qOe$ no dia 22 do cor-
rente. E para quo chegue ao conlierimeu-
to de quem couvicr, se manduu publicar o
presente.
l'.'Co d.i i-airara II)uiiici al do Recife, cu
se.ssflo de 15 de abiil de 1850Francisca
Antonio de Oliveira, presidente Manuel Fer-
rara de Acetle, secretario inleiino.
Pala insnrctotla da alfandega se faz pu-
blico que soba de arrematar em hasta publica
no dia 17 do coriente, depois do meio-ia.
I,rla da incsuia, uto frasco com una I bra de
indi de llor de lar.uigcira, Sporehcndldo
i,, conformldade do arig > -ju.'i pelo feltor inte-
rino Lu/, da Veiga Pessoa eiu nota para Uespa-
K'nblicacos li ti erarlas.
Sabio a luz
FII.IIO NATURAL
ou
AS PROVAS HA VIIITUDE,
rom 'dia em 5 actos cm prosa, por liiderol,
iraduzda do fr.mcez por um senhora na-
lunl dests cida le : venle-se na praca da
InJependencia, livraria ns. 6 e 8, por 1,000.
O BELLO SEXO.
Este peridico rollahorsdo por urna asso-
ciaeflo de jovnns acadmicos, he especial-
mente destinado diversflo daquella frar-
eflo do genero humano cujo nome o adorna.
A sua publicteflo ser meusal cm livrafes
d^ 12 a 16 paginas em 8." portuguez, e ten-
do de sabir do prelo por todo o .nez vin-
douro, as-igna-se para ello na livratia da
praca da independencia, ns. 6 e 8, a 1,000
rs. por trimestre.
carregamenlo quasi completo : pera o res-
tante, passsgciros e escravos a frete, trata-
se com o capitn, ou com l.uiz Jos de s.i
Araujo, ns ra da Cruz, n. 33.
Para o io de-Janeiro
egue impreterivelmente, no dia 19 do cor-
rate, o patacho nacional .Imieade-L'oni-
tante : pura o resto da carga e passagoiros
trala-se com Machado & Pinheirn, na ra
do Vigario, n. 19, ou com o capilflo a
bordo.
ParS o MaranhBo.
O patacho nacional Josephina, com desti-
no psra o Para com escala por MarsnhBo,
ainda pode recpber alguma carga miuda e
passageiros: ns pretendentes queiram diri-
gir-seao cipilflo Jos Manoel Baiboza, ua
Praga, ou a Jos Baptista da Fonseca Jnior,
na ra do Vigario, n. 23, segundo andar.
Para o Itio-de-.laneiro sahe,
com a maior lirevidade possivel,
a escuna nacional Ttntadoia, com
a maior parte de seu carga promp-
ta : para o resto, passageiros c
escravos a frete, tratase com An-
tonio Alvcs de Miranda Guima-
res, ou com Novaes & Compa-
nliia, na ra do Trapiche, n. 3'|.
Para a Babia
spgueem poucos dias o hiatc nacional I.i-
getro, pregado o forrado recentemente de
cobre : quem quizer carregar, dinja-se
ra do Vigario, 11. 5.
Para o Hio-de-Janeiro se-
gu, com a maior brevidade pos-
sivel, a polaca nacin il Socieda-
de- Feliz : quem na tnesma qui-
zer cari egar, ou ir de passagem,
dirija-se aos seus consignatarios,
Oliveira lrmosck liompaiiliia, na
ra da Cruz, n. 9.
~ Pera o Rio-de-Janeiro segu impre-
terivelmente, no da 17 do corrente, o bri-
gue brasileiro Venus, por ter parte do seu
carregamenlo promplo : para algum resto
de carga, passageiros e escravos a frete,
queiram os pretendentas dirigir-se ao es-
criplono da viuva Cuadino & Fiiho, praci-
nha do Cnrpo-Sanlo. n. 66.
-Aveleira escuna nacional Emilia, de
que he capitflo e pratico Antonio Silveira
Maciel Jnior, deve chegar do Para por
estes das, para onde voltara com esca-
la pelo Mratihflo, com a mai> brevi-
dade: quem na mesma preteuder cane-
gar, ou ir de pnssagem, dever eulender-se
com JoSo Carlos Augusto da Silva, na ra
di Cruz, no Recife, n. U, armzem.
Para o Rio-de-l, a breviJade o brigue nacional loiefina :
quem no mesmo quizer carregar ou ir de'
pa-sagem, trate com Domingos Rodrigues
de Audrnde, no Tiapiche-Novo, 11. 4, ou
m Jor Carlos Fon eir Soares Jm un, n
-- O absixo asignado faz scienie so res-
poitavel publico, que desde o dia 15 do cor-
rete deixou de sercaixeirodoSr. Prauaii-
cnMrlinsde Lemos no armazem de carao
secca da ra da Prsia, n. 39; eaproveitao
nsejo para por meio do nrello agradecer ao
dito senhor e sua Ilustre renvlh, as
bellas jnaneirss com que dignaram-se tra-
t-lo no decurso de seis mezes e meio de
son oroprego; por cujo acolbimento snto
urbinoqusnto maravilhoso, jamis o abai-
spassisnado doixar de fazer Brdenteos
bem merecios encomios so dito Sr l.emos,
a quem rog baja de aceitar este simples,
mas sincero testemunho de eterna en.lidfl*.
"l""J Manoel Pereira Viunna.
ENGKNIIO DASSUrAR.
Arrenda-se por preQn muito commodo o
engenho denominado B-Vista ua fiegue-
zia da Escada, distante doze l-goas desta
pracs, o qual engenho est moente corren-
te com animaes presentemente, por se ter
arrombado o acude, com qne moia, cujo
rep.-n o com pouco Irabalho o tornar excel-
lente moedor com agoa ; para o que tem
ptimas, proporces : tem ptimas trras
de va i-zeas, lolas lavradias, de ptimo as-
sucar e muito commodas so engenho para
a conducrflo da can: maltas precisas para
o trafico do dito, casas de purgare do en-
genho pegadas afeitas detijolo muito no-
vas e do excellentes commodidades : o cer-
cado he o melhor de pasto que he possivel
e mais commodidades ver quem o preten-
der negociar : que podera dirijir-se ao mea-
mo engenho a tratar com O proprietario,
que promette fazer o negocio mais commo-
do possivel ao que houvr de, arrendar.
-- OsSrs Joflo Baptisla Carneiroda Cu-
nha o Antonio Bezerra Casneiro da Cuoha,
queiram apparecer no primeiro andar do
sobrado n. 5, da ra da Cruz do Recife.
par receberem urnas cartas vindas do Rio-
de-Janeiro e oulros paueis de interesse.
Precisa-se de urna senhora, que este-
ja em ciicumstancias de criar um menino de
seis mezes, que segu viagem para as ilhas
dos Azores : a pesso que se conhecer capaz
o com bom leite tenha a bondad" da anuun-
ciar a sua residencia, ou de procurar na
ra da Cadeia velha, n. 12.
IIOMOEOPATIIIA.
Ra do Trapiche, n 40.
0 Dr. Luz avisa s pessoas que Ihe
y pcdi'am lioroie boticas homceopathica
7 que os tem recebidopnlo ultimo vapoi
I

1
que os tem recelo do pelo ultimo V por _
_ recemchexado do sul; assim como ?
" continua a preslar-se a lo loe qual-
? quer esclarf cimento necesssrio para o f
v melbor uso dos mesmos mndicamen- W
V tos no tratameuto das molestias. %
(tA^AAtMA AAt^AAAAftftf A
Ilojo. 17 do corrente, portt du Sr.
Dr. jmz municipal da segunda vars, se hito
1 de arrematar de renda por tr*s annug os
predios pertencentes viuva e h-i-d -ir.'.s de
.m.*!52r.,l!frS^rIa S'""'eS ,UMOr'',,;J)q'um Leocadio de Oliveir. Guima-fleg"
ra da l.adea do Recife, ou com o capitflo
du mesmo, Marcos Jos da Silva.
Para o Kio-de-Janeiro
segu em poucos dias o patacho
nacional slmizade-Constante, por
ler parte de sua carga prompta :
para o resto da carga, escravos e
passageiros,
do v\ Pinheiro, na ra do Vigario
peiihorados por execneflo de seus ere lores;
os predios sfloo sol alo de tres n lares
na ra do l.ivramento, e a casa decampo
no lunar do Cordeiro.
-- Roubram-se,hojo 16 do correnle.uma
casaca e sobre-casaca pretas: aqnem fdr of-
ferecido, queira turnar ou denunciar ao
ihxo nisignado ; ceito de que aonJe quor
serflo
avisos martimos.
O brigue porluguez O/i'teirasaheimprr-
lerivelmonte par.ilha de S.-Miguel com
escala pela Terceira, no dia 21 do corrente:
os Srs. carregadores queiram levar os Co-
iihecinientos aleo dia 19, na ra do Viga-
no, n. 8 ; bem como os Srs. passageiros
pagaron lusa 1 assi-gens al o dia 17.
Para o Rio-dc-Janeiro sahe muito bre-
ve o patacho Sma -Trindade, forrado e enca-
nillado de cobre, do superior marcha : re-
eehe carga a frelo, passegeiros o escravos a
frete : a iralsr com Francisco Alves da Cu-
nha, na ra larga do Rozaiio, n. 1|, pr|-
meiro andar.
--Segu para o Aracaty, aleo fim deste
mez, o hule Flor-de-Cvruripe, mnilo vtlei-
ro e forrado de cobro: quem 110 mesmo
quizer carregar ou ir de passagem, emenda-
se com Luiz Antonio do Siqueira, na ra
da Cadeia do Recife.
Para Lisboa com escalla pela Parahiba,
pretende sabir al odia 29 do corrente o
brigue portuguez Conceicao de iBon'u.por ter
maior parte de sua carga piompla : para
o rosto o pas-ageiros, t,ara o que offereca
os melhores commudos, liata-se com os
consignatarios Thomaz d'Aquino Fonseca
& Filho, na ra do Vigario, n. 19 primei-
10 andar, ou com o capitflo, Alexandre
Biaz de Mullos, ua pracj do' Comuercio
Adv"ite-se as pessoas, que quizerem carre-
gar ou ir de passagem, que o dito brigue
apenas lera de den ora lia Parahiba 4 ou 5
dias, e daquolle porto seguir em direitu-
ra pura o de Lisboa.
- Para a Babia .- ,hc no fim da semana o
hute/.i7/ci>o,r.,riadoe pregado decobre.p-
ra o resio da carga ou passageiros Irt la-
se na ra do Vigario, n. 5.
-- Scguo para a Babia, no dia 28 do cor-
rete, impreleriveluiente, o hyalo S Joao,
e para o resio da Carga. Irala-se com o S>.
Antonio Paula Pernandei Eiras : noarma-
zem do Sr. ias Fereira, no Cues da al-
fandega.
Segu viagem para MaranbSo, o mais
tardar ale o Um do cureme mz, a escuna
iVnriVi Firmtna, .s Ihe falta um quartuda
carga: quem quizer carregar ouinlepas-
sagetn, dirija-so a ra da Cadeia do Recife,
escriptorio do Jos Antonio Bastos.
Para o lliu-de-Janeiro sahe impreleri-
velmenle no da 18 do corrente o patacho
1111 Al ulilll f ia*j...j\ .--i-L -& _- _L ...
que apparecam, serflo tomadas, urna vez
Irala-se com Macha-, qu teem certos signaos por onde se co-
conhecem : na ra das Larangeira*, rasa
terrea 11. 17.Antonio Franciieo Honorato.
H o ubo.
n. 11), ou com o capito a bordo'
do mesmo patacho
PARA A CIDADE 1)0 PORTO,
segu o biigue portuguez tom-Piistor.rcce-
be cargs a frele e passageiros,pura os quaes
offerece excellentes commodos : os preten-
dentes dirljam-sa ao capitflo. Jos Comes da
Silva, ou a Bailar & Oliveira, na ra da Ca-
dea-Velha, armazem, n. 12.
Para o Rio-Crande do sul sabe com bre-
vidade o brigde nacional IHurianna, capilflo
Jos Dias Corris d Silva : recebe pequea
poreflo de carga a Telo e escravos : quem
pretender embarcar, entenda-se cum u ca-
i'itflo, ou com M411011 Ignacio de Oliveira,
na praca do Commercio, n. 6, primeiro
andar.
Vende-se o patacho ameri-
cano fo/np, de lote de Ia6 tone-
ladas americanas, forrado de co-
I) e, muito veleiro e promptopara
seguir qualquer viagem : os pre-
tendentes tliiijam-se aos consig-
natarios, Ilenry Forster &C. na
na do Trapiche, n. 8.
Leilo.
-- Quarta-feira, 17 do corrente, haveri
leilflo de 15 caitas com queijos, por conla
de quem pe lencer, em lotes a vonlade do
compiador: 110 armazom de J. J. Ins.o Ju
Dior, ra do Amonio, 11. 35, Ss lu horas da
manbfla.
-- Thomaz de Faria fara leilflo, no tia
quinta feira, 18 do crrente, pelas 10 horas
da 11 anima, no caes da alfandega, do 37
barricas com bacalhao muiissimo novo e
em bom estado, viudas de l.i.-tua pelo na-
vio poituguez Abreu-I.
Jnflo Koller & C. faiflo leilflo, por in-
terveneflo do correlor oliveira, por conla e
risco de quem peiteucer, e em presentado
delegado do Sr. cnsul da repblica Fran-
ceza, de P. 11. 182, urna caixa contendocerca
du 40 Juzas do chales de cambraia ada-
mascada, vanados a bordo do navio frail-
ee/. Francoii-Xavier, Capilflo Moisaot, na sua
recente viagem do Hvre a eslo porto, oiidn
apurlou aos 5 de margo prximo passado :
quiila-ieira, 18 do Crrenle, ao meio-dia
em onlo, no s,-u armazom d ra da Cruz.
James teablieo c C. farflo leilflo, po-
inii-rveni;ilo o currdor oliveia, de um
completo so'tiinenio de fazeuJas ingle/as,
todas proprias do meicado ? sexta-feir*,
19 do curenle, as 10 horas da tiunlifla, nu
seu armazem, ra da Cadeia.
Avisos diversos.
Quem annuncmu querer comprar urna
cabra (bichoj manca com bom leite: diri-
nacional Curioso, por se adiar com o seu j-se a ra da Sauzalla-Velha, u. 106.
Furtiratn, do sitio do absixo sssignsdo,
em Ponte-de-Ucho, um relogio de ouro,
com vidro, palete iiiglez.de Dinnisls, Li-
verpool, n. 8,705, com urna correntinha
tambem de ouro : gralifica-se com 50,000
rs. a quem der noticia onde se ada o dito
'elogio ; assim como se dar a quanlia que
alguem lenha drdo sobre o mesmo por pe-
niior, ou compra ; na falta, promette-se
perseguir rom lodo o rigor di lei o pos-
suidor do mesmo relogio, logo que se sai-
' quem he ; assim como ja se sabe do rou-
bador J J. Tao Jnior.
Precisi-se de umeaixeiro : ni ra Di-
reita. n. 2, ao p da torre do l.ivramento.
0 Sr. alferes A M de A. C. tenh a boa-
ddedo mandar saldar sua conla, na ra
du Crespo, 11. 16 ,- do contrario, sera seu
nome publicado por extenso.
Na ra estreita do Rozarlo, n. 98, te
dir quem d diuheiro a premio.
J. N. Moreira e sua familia retirara-se
desta provincia.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
airas da matrii da Boa Vista, n. 2C, muito
fresco, e com bastantes commoJos: a tra-
tar na msma ra, n. 22.
Oflrrece-se unr.' n.iiilier para sma de
urna casa de louca familia, ou de humen)
solleiro, para lavar, engommar e fazer o
mais serviQn interno.-na ra do Padre-
Floriano, n 46.
--O segundo lente Joaquim Fabricio
de Millos, secretario doqusrlo batalhflo de
aMilhrri, leudo de partir para a provincia
da Parahiba a servico, despade-se de todas
aquellas pessoas que se dignararo honra-lo
com sua eslima e consi leracflo : e declara
que nflo deve a pessoa alguma desta praca.
- Joaquim Xavier Vieira Ligo, cidadflo
porluguez, relira-se para a Kuropa.
Achando-seoSr. Ju- Joaquim de Fa-
ria Ferr:ra enrarregado da cobranca de
ulgumas dividas no l'asso-de-Camaragibe,
houve alguem que pretendendo marear sua
roputicflo Ihe imprestra inlencflo de que
he incapaz ; e por isso o abaixo assignado,
que igualmente o incumbir de recebimen-
lo de nflo pequeas quantias, apress-se em
declarar ao respeitavel publico, que o mes-
mo Sr. acaba do preslar-lhe rectas comas de
tu 10 que liveraa seu cargo, e que est de
novo incumbido de igual servico.
J. O. Maya unior.
-- Francisco de Oliv-ira Franca retirase
para a Europa : quem fdr seu credor, d'ri-
ja-sea ra do Rangel, n. lu, no prazo de 8
dias, para ser sslisfeito.
Il-je, 17 do corrente, aporta do Illm.
Snr Dr. juiz da 2.* vara, se hflo de arrema-
lar diversos movis, e urna taberna, sita na
ra das Cruzes, peuhorada a Joflo Jacinlho
Moreira, porexecurjflo do Joaquim Pinhei-
ro Jacoine e oulros : he a ultima praQa.
Itotho e BidouliC tem constituido seus
bastantes procuradores, no primeiro lugar,
o Sr. F. H. Luttkotis, o 110 segundo, o Sr. J.
D. Wolfbopp.
MFI HOR FXFMPL


Precisa-so de ara preto padeiro: na
ra da Senzalla-Velha, n. 90
Quem liver um sillo nos suburbios
deata cidade para arrendar, e que lenha
planta decapito, annuncie.
No dia SO do correle, se hilo de arre-
malar, porta do Dr.juiz do civel da so-
gunda vara, na ra da Madre-de-.os, as
4 horas d* lanli*. dous escravos penhora-
dos por execuclo de Matheus Auslln & C.
contra Jos Burles & C., cscrivflo Bap-
tisU.
Sexta-feira, 19 do corrente, no sobra-
do so pedo arco de S.-Antonio, pelas 10
horas da manhfla.em presentado Sr. juiz
de or. hflos, se arremtenlo s fazoudas per-
tencentes a loja do finado Vicente Jos Cor-
res.
Quem qulzer por em urna casa para
aprender a coser, bordar, marcar e fazer la-
varinto, alguma negrinha, ou mulalinha,
ilrija-sea ruadas Cinco-Pontas, n. 82.
Urna cria da branca, viada ultmamen
le de Portugal, para urna pessoa lora da
praca.jiflnquereodo subjeitar-se estar no
mallo, olIerece.se a qualqner pessoa ties-
ta praga : a tratar no Mondego, em casa de
J.uiz Gomes Ferreira. -
Jos Luiz da Silva Guimariles, (endo-
se proposto a procurar em particular quaos-
quer negocios forenses de sua prolissSo,
ofTerece ao publico o seu diminuto prest-(dos possiveis.
mo, podendoser procurado cm seu escrip-
torio, ni ra larga do liozario, n. 33, pri
metro andar, das 8 horas da mnh3a s 4 da
tarde, nos das uteis.
--Osbaiioassignados fazem scienleao
publico que compraram a venda de Anto-
nio Joaquitn de Mello, sita na ra do l.i-
vramenlo, n. 38. ioi Luiz de Mallos An-
tonio Piulo Uagnlhei.
Aluga-se o segundo andar e sotSo de
um sobrado na ra Bella, eom bnns com-
modos: a tratar na ra de S.-Francisco,
casa apalacada.
Thotnas C. Masn, socio da casa e firma
Je Diogo Cockshotl & Companhia nesl
cidade, letiran lo-se, dexa os seus poderes
para continuara liquidac.lo 'la mesma fir-
ma, aos 8rs. Samuel Power Johnston &
Companhia.
-Na ra do Amoro, n. 6, deseja-se fallar
coro a Snra D. Joaquina Antonia Florencia
Bessone, ou com seu filho, a negocio que
lho diz rrspeito, ou ent3o annuncie sua
morada.
Precisa-se de um caineiro para entre-
gar pito a urna freguezia com um preto : no
pateo da S -Cruz, n. 6, padaria.
Ignex Francisca deMoura, com vend*
no Vartdouro deOlinila, faz scienleao res-
peilavel publico, que do dia 15 do corren-
te em diante, n9o se rcsponsabilisa poi
qualquor divida que faca em seu nome, An-
tonio Jos Je S Atujo : e para que conste,
faz o presente annuncio ; e lambem porque
o dito Araujo recebia o dinheiro da annun-
ci'te para as compras, e ia lomar fiado em
seu nome. A annunciante lambem roga as
pessoas a quom dever de dirigirem-se ra
i) i Senzalla-Velha, n. 46, a casa de Dcrnai-
dinode Souza Pinto,para sn tomar condec
ment dellas.com acondgSo ue declararen
de quem foram.
pesappareceu, nodia 12 do corrente
da ra Di'eita at' o Alerro dos-Afogados,
um caballo ruco, capado, com oancallia,
arrobas de carne do Cear, 20 libras de ha-
calho, 3 courng seceos. 2 pares de sarco."
vasios. Iloga-se as autoridades policiae-
e qiiai s |ui'i- pessoas, que o peguem e le-
vem-noa rna D engenho [Unic, do Sur. I)r. JoSo da Bo-
cha, que serln recompensadas.
O abaixo assigna.lo relira se para Por-
tugal a tratar de sua sale, e leva em su
companhia sua mulher, Mara de Jess Sita-
res, e seus filhos menores, Jo lo liapiisi.
Soaie, Antonio de Oliveira Soares, Manoel
HeiiriqueSoares, Domingos Augusto Soa-
res, e Luiz Je 1 rauca Suares.
Domingos Jote de Oliveira Suares.
No dia 14 do coirente, polas 6 horas
da tarde, voou para os quintaos da ra do>
Qnarteis um papagaio novo : quem o live
adiado eoquizer resliluir, leve-oarua do
Cubuga, toja de quatro portas, n. 1 (',.
Frontispicio do Marino.
Tendo-se da festejar a SEMIOBA 10
CABMO DO FItOINTISI'ICIO, no dia 21 de
maio prximo vindouro, convida-se, por-
tanlo, aos Sis. procuradores da actual elei-
efio, abaixo declarados, a comparreereo
no iresmo couveiitn, no dia 16 do corren
te, pelas 4 lunas !a ijide, alim de so tra-
tar da distribuirlo das cartas e arrecada-
gfo das esmolas. Kzequiel Jos de Carva-
Iho, Thomaz Ignacio Carrel, Manoel Jos de
Oliveira, Joflo Pereira da Silveira, Romn
de Sou liell -
Precisa-se de um eaixeiro para venda,
que tenha pratica e d fiadora sua conduc-
ta : quero estiver nestas circumsiancias,
dirija-se ra da Cadeia'do Recife, n. 43.
Avisa-se ao Sr. M de C. P. de A. G que
vetilla titiif o snu lenhor, que se ada na
ra Nova empenhado pela quanlia de ris
90,000; do contrario, se passara a Tender :
espera-se ateo dia 20 do crtenle.
se querer apurar dinheiro esortira loja de
fizendfls novas.
N. Pommateau, cutileiro, ele., com
a loja n. 16 no Aterro-da-Boa-Vists, recom-
menda a ses amigos e freguezes o seu no-
V'i sorlimentode objeclos de melhor gosto,
chegados polos ltimos navios do Havre,
ntreos quaes ha estojos da maior elegan-'
ca pata senhora e homem, em gran te es-
culla ; estojos para viagem, contend! co-
llier, garfo, faca, saca-rolha e um copo para
beber, ludo isto formando o menor volume
t ossivel; um lindo sorlimento de tesouras,
tanto para costura e bordar, como para
urdas, cirurgia, jardineiros, cabellcreiros
e barbeiros; navathas da melhor qualidade
possivel e com os competentes afiadores de
courodeanti ; facas de algiheira ; facas ro-
manas para caca ; caivetes com tesouras;
ditos para cortar cal os ; instrurrentos para
limpar as unhas ; faquinhas para costuras ;
estojos para mdicos e dentistas ; espin-
gardas de caga de todas as qualidades com
os competentes pertences, como sejam
chumbeiras, polvarinhos e baleiras de to-
dos os calibres ; cabegadas de pita (se la
vegetal ); brides para montara e carros;
fundas de lodosos moldes; estojos matlie-
maticos ; bengalas para limpar espingardas
e para passeio ; e outros mullos ohjectos de
utilidad.) : ludo pelos presos mais comuio-
kJ
Tresse,
orgaos e
ra tas
J se abri a loja de seis
portas.
O novo administrador da loja sita em
frento da igreja de Nossa Senhora do Li-
vtmenlo, querendo trocar por m.lulas os
miiilos alcaides que achou na dita loja,
te ni resolvido vend los por todo o prego,
e desla forma offerece vanlagrns aos che-
fes de familias e senhores de engenho a re-
fa2erem-se de vestuarios por commodo
preco, podendo dirigir-se dta loja a ex.
minar a boa qualidade das fazendas, e esco-
Iherem as que melhor cunta Ihe fizerem
crindose esta loja aherta das 6 horas da
manlia at as nove da imite, ofiVrecendo
assim conimodidades a algumas senhoras,
que de passeio queiram ir pessoalmcnie e>-
colher e comprar a seu gosto e vonUde :
vista, pois, .le iilguns piegns que aqu men-
ciona, couhecera olcilorque he exacto <
une Ihe mauifesta, como sejam chilas d.
bous pannos escuras, a 140, 160, 180 o 2oi<
rs. ; chales de rede, a :i n rs. ; lencos da
mesma rede, a 160 rs. ; ditos brancos di
mao para senhora, a ?40rs ; panno da Cos-
a com 8 palmos de largura, a 320 rs. ; bre-
tanha de rolo com 10varas,a 1,600 rs.
lenQos deseda para aLilieun e hombrosd
senhora, a 801) rs. ; corles de cassa-clnti d
bonitos padius, a 2.000, 2,400 e 3,000 rs.
e ludo o mais se veode muito em conta poi
Pela praga do juzo da primeira vara
do civel desla cidade, no dia terca-fetra, 16
do corrente, se ha de ariematar do rende, a
casa terrea na rua de Hurtas, n 39, perlen-
cente a heranca do fallecido Francisco
Congalves Itodrigues.
Alfredo Bocea, subdito sardo, retira-
se para a Baha a tratar de seu negocio.
Manoel Joaquim da Silva, cida.lo Bra-
sileiro, vai ao Aracaty, levando em sua
companhia sen (ilho, Antonio Cesario da
Silva, seu sobrinho, Toriano Calislo Juca,
ambos menores, e o seu escravo Francisco,
denagflo Cosa.
Quarla-feira, 17 do correle, se ha de
arrematar, por ser a ultima praga, na porta
do llltit. Sr. Ilr. juiz municipal da segunda
vara, Jos Raymundo da Costa Menezes, na
rua da Madre-do-Deos, pelas quatro horas
da tarde, um sobrado de um andar com so-
lito debaixo decoberta, na rua da Boda, n.
48, avahado em :i uuo.uuu rs.; urna casa
terrea em armazem, na mesma rua n. 52,
avahada em 500,000 rs; metade de outra
dita, lambem em armazem, n. 54, avaha-
da na nirsmn quantia : todos estes tiens vilo
a praija por ordem do mesmo juiz, para pa-
gamento dos legados e dividas que deixou o
finado Antonio dos Sanios Serpa.
Bernardino Jos Ferreira Guimariles
relira-se para forado imperio.
Oliveira |rm3os & Companhia fazem
sciente que deixou de ser seu eaixeiro Luiz
de Oliveira Mello.
Luiz de Oliveira Mello relira-se para
fra ilo imperio : quem se julgar seu ere
dor, de ohjectns para elle, ou em nome del lo
comprados, dirija-se, no prazo deoilodias,
;i i na ui Gru, n. 9.
Perdeu-se, ou liutiium, em
o rr.c/. passado, do Cnchang, um
lilinete de peito de cornalimli en-
carnada engrasada emouro de lei.
0 qual he ovado e lem por delrs
armas gravadas : rogu-se a quem
ocomprou, ou o achou e o quizer
resliluir a seu dono, de o levara
rua do Pires, sitio da esquina que
vai para o corredor do Bispo, ou
no Cachang, em casa de Joo M-
beiro, onde se promelte gratificar
com generosidade, e mesmo se da-
r o impoite por que tiver sido
vendido.
~ Fugio na noite de II do correnle urna
cscrava de nono Mara, nacao Costa,
haixa, goida, cor retinta, com marcas de
hexigas no rosto, tendo em urna das faces
um s -nal de carne ; figura ler 35annosde
idade, liem fallante, e o andar he pro. rio
de negra trabalhadora de enxada ; foi esca-
va de Manoel Antonio Pereira, mora lor em
1 rras do engenho de Sanla-Ann*, pa>a
ondese suppOe ler fgido, por ja ler sido
la pegada em outra fuga que f-z hapouco
lempo; levava vestido de chilla astil com
listrai brancas, sendo o roupinho mais cla-
ro do que a saia, panno da costa e mais urna
Irouxa com um vestido de chita amarella,
oulio branco, duas saias de lila pela e
um panno prelo ja velho, Iros camisas e
um frasco de agoa do Colonia : roga se, por-
lanlo, nao su s autoridades policiaes, co-
mo os rpita*s de ramio ernais pessoas
que virem dita preU, de pegarem e levar
>ua dos Qnarteis, loja de miudeza, n.--que
sern liem recompensa do de seu trabalito :
prolesta-se contra qualquer pessoa que a
occulle em sua rasa.
Deseja-se empregar urna pessoa que
escreve perfeitamenie, ecom (odasssre-
Kras de orlhographi,sendo alm disso mui-
to expedita. Ess* pessoa tem bastante co-
nhecimento theorico e pratico da legisla-
do criminal e policial do paii, e algum da
legislacflo civil; e por consequencia serve
para coadjuvarqualquer Sr. advogado que
lenha bastante partido; para escriplorio
de negociante.Ique precise de pessoa hbil,
ja para escnplurarao, j para agenciar di-
vidas judxiaes, principalmente pelo matlo;
linalineiito he apto|para todos os negocios
em que se requeira promphdSo, habilidade
e estrategia. Dar todo o ponhecimento
preciso de sua capacidade, moralidade o
conduela : quem pretender annuecie:
Carlos Claudio
fabrica o le de
realejos^ na
Flores, i. ID,
avisa ao respeitavel publico quo concerta
orgflos e realejos, pOe marchas modernas
deste pai, concerta pianos, senphinas, cai-
xas de msicas, accordDos, o qualquer ins-
trumento que.appareca : timbetn faz obras
novas,e vende um orgiio proprio para capel-
la, oualtar-mor, com boas vozes, por prero
commodo.
\a fabrica de caldeireiro
da rua Imperial, n. IJ5S,
de Jos \ab< & Braga,
fazem-se machinas de Derosme e de outro
qualquer modelo para espirito, ferragens
amarellas, almofarizes, candieiros de di-
versos modelos, escrivaninbas, perfumado-
res, palmatorias, esporas de sallo e de cor-
reia, torneiras para alambique, Na mesma
fabrica acham-sc olliciaes promptos a sa-
bir para qualquer engenho desta provincia,
para concertarem machinas e alambiques:
tambero ha para vender areia de fundir,
chegada ha puncos das, e da melhor qua-
lidade que tem apparecido. Fundem-se
bronzes para ensenhos, parafu7os pata ro-
das d'agoa e toda e qualquer obra de cobre
e bronzeque seofferecer nesle esUbeleci-
mento, com legalulade e coiisricncia, em-
quanto a qualidade de melaea, por mudo
mais barato pret^o do que em outra qual-
quer parte.
Aviso aos amadores e
de musU
de bom
Jos Joaquim Bamos Villar, residente
na cidade do Para, ofTerece o seu presu-
mo a todas as pessoas nacin es e estran-
geiras, mesmo a qualq jer c:ipit5e.s ou en-
carregados de embarr.acoes, para lho servir
de guia em sus afa/.eres nesta provincia ;
bem como para dar entrada as estsefies
competentes das embarca(0es, tirar passa-
port^s, lixar navios epo-los crrenles a se-
guir sti.i derrota : ludo por motlico estepen-
dio, regulado em propurciio de seus a*fa-
zeres.
Cralilica-se liem a quem apprchender
um cabra de nomo Alhauazio, de estatura
regular, grosso do corpo, cabello estirado,
pone,i barba, nariz afilado, com falta de
denles na frente, heicos grossos, com nina
cicatriz nos peitos, fallaudo-llie no pes-
querdo dous dedos ; levou vestido carniza
lealgodilo azul, Caifa prela de n.ertti ja
usada, cha,o preto t-inbem ja usado, cujo
cabra desippareceu no da 8 de abril do cor-
rente anuo, e julga-se elle andar pelos tra-
piches do assucar : por isso roga-se a todas
as autoridades policiaes e capilSes do cam-
po que o approliendam e levem-no a casa
dos senhores Mosquita llulra na fundictlo
da rua do Brum, ou na rua .Nova, n. 35.
vt*f|fttfffff#
apreciadores
cas novas e
goslo.
Joilo Vigne<( morador na rua larga do
Rozario, n. 28, priinciro andar, araba de
receberpelo ultimo navio vindo de Franca,
um grande sorlimeuto de msicas, como
sejam : valsas, variacOes, polkas, quadri-
Ihas, modinhas brasileiras e uulras italia-
nas ; bem como o melhor methodo para
piano, solfejos para cantoria, ludo pelos
ni llioi'o.s autores da Kuropa e da mais mo-
derna escola. Na mesma casa vendem-se
os mais ricos pianos que teem vindo a l'er-
nambuco, os quaes sSo feitos de proposi-
to e com novo macliinismo. para que te-
nliaiii granile durazno ; assim como lam-
bem (Charflo na mesma casa pianos ngle-
zes, com pouco uso, vendendo-se ludo pe-
lo mais commodo prego.
Kngenbo Queluz.
Freguezia de Ipojuca.
Traspassa-se o arrcndamonio do dito en-
genho, o qual tem a prsenle safra a tirar,
e tres a criar. A tratar na rua da Aurora,
n. 26, ou no mesmo eiigeuho corn Miguel
Augusto de Oliveira.
N B.O engenho tem excelente pasto,
he bom d'agoa, e tem bous cercados: o,
caso baja quem quoira comprar a sala;
ser-lhe-ha ella vendla, ei trepando-se in-
mediatamente o estabelecimento.
Atiendo.
Agencia de passaportes-
A antga agencia da rua do liangel, so-
lirado n. 9, conliiii a lirar passaporlcs
para dentro e fra do imperio, e despa-
chan! se escravos, por mais commodo pre-
go quo he possivel.
Furlo.
No dia C do corrente, II8 lloras da noi-
te, um prelo canil idor furlou do porlo das
canoas da rua Nova, u.,i bahuzinlio de Tu-
lla pintado do azul, conlendo 3 imagens,
urna do Senlior Gtucilirado, ijuiia de S-
Anna, e oulra de S.Antonio, estando esta
ultima paramenluda de ouro ; bem como
um espelho de moldura dourada e algumas
camisas de homem, loilhas, ele. : quem de
tal furtosouber, fara o fvor de aprehende
Nova casa de pasto
No passeio publico contina a ler
todos os das boas comidas c cafe, e
B nos domingos e dias santos, logo
* cedo.mOo d vacca e cabidella, e mais
pettscos; assim como lamlieni da
jantares para fra, por prego conimo-
P do, o com assoio ; o llavera o bom
^ sorvete, as horas do eostume.
AiT'ii l.i-s) o segundo andar da casa
n. 8 da rua da Aurora : a tratar con lllro.
Sr. JoSo Pinto de l.emos Jnior.
-- Na rua Nova, loja n. ."is, se Jira quem
daa juro., quanliasde 300, 400, 500 e 600^
rs sobre hypolliec* em casa, terreas
Manuel Ouarle Rodrigues, legatmente
autorisa-o por Manoel Jos Francisco
Quiteria Maria, residentes m Portugal,
nai e nifii. universaes herdeiros do falleci-
do Antonio Jo-rancisco Veig^i, para pro-
mover a arrecadagilo dos bens deixados,
convida os crednres a apresentarem suas
cuntas no rua do Trapiche, n. t!6, parase-
rom alleiididos; e roga a todos i s deredores
le inandarem pagar seus dbitos, no mais
curto es*paco de tem,o, pare pudr dar
cuntas aos ditos herdeiros.
Na rua das Gruzes, n. 40, venda de Do-
mingos da Silva Campos, ba bichas ham-
hurgiiezas para alugar e vender, tanto a
relalho como em porcHo : por preco com-
modo.
Precisa-se de um feitor que trabalhe,
onien,i,, de horta, arvoredos e vaccas: na
Magdalena, estrada nova, primeiro sitio da
pin i mi de Torro.
;_>
>
>
J-
>

->
>
-->
>
Consultorio homoeo- %.
pathico. %
Rua do Trapiche,
Francisco,
Dirigido pelos doutores SahinoO. I J|
-"'
Hotel-
l'inlio, J. A Luz, e C. ChiJIoe.
-- l'recisa-se de urna ama de leile i na rua
da Moeda, n. ".primeiro andar.
Atiene, o!
Aluga-se urna excellente casa de 4 anda-
res cun grande armazem, na rua da Cruz,
n 40,ciii que lem escriplorio o Sr. Kdwaido
llolli : quem a pretender, dirtja-se a rua da
Gadeia do Sanlo-Aittotiio, casa junta uo es-
criplorio da companhia de lieheribe.
-- l'recisa-se de um huinein t|uuenlcnda
de andar com carro, ou bolear: tiesta tv-
pographia se dir quem | recisa.
No boceo do Sarapatel, n. 13, ha urna
pessoa Torra que sabe lavar, eugoinmar e
co/inhar, que se ofTerece para urna urna de
casa.
Afinacito de pianos.
Alinanise pianos por diininulo prego:
na rua das Flores, ni!).
I oas.
Fazem-sc caixas de guardar joias, obra
hem leda, por diminuto prego i na rua das
Flores, n. 19.
Todos os dias, desde as 7 horas da <:
mandila aleas 3 da larde, pdem ser <
;* procurados qualquer desles Snrs.
> As consultas serilo recebidas por
* qual'iucr dos tres mdicos que se
^ lidiar no consultorio.
\y As pessoas neci asiladas conlinua-
^> riio a receber gratuitameiite, toJos
> OSSoccorros de quo precisarem, a ^> qualquer hora do din ; adverlinlo <

que, serijo soccorridos com preTe- ^r
reiicia, aquellos que logo no princi- *
pin da molestia recorrerem a no- *
ii-if i|iailiia, sem haver tomado re- ]2
medio algum allopalhico. ^-';
OftAA.^-.ftAAAAA.ftAAAASiAO
l'recisa-se alugj r urna prela que sai-
ha lavar, cngonimar e coser, para urna casa
cslrangeira : na rua do Torres, n. 34, das
11 horas da matiha as 3 da tarde. Na mes-
ma casa lambem se precisa alugar um pre-
to que eulenda do servigo interno e de tra-
tar de ciiv illos.
Precisa-so de urna ama de leite forra
ou captiva, e que tenha bastante leile, an-
da mesmo que n5o soja muilo pichosa para
o tralamento de friticas : na rua do lian-
gel, n. 36, primeiro an lar.
I'recisa-so de urna ama para urna osa
de duas pessoas : na rua das Cruzes, n. (8,
segundo andar.
--Joo |i-odato Itoman reside na rua lar-
ga ro liozario, n. 4G, segn lo andar, onde
pode sor procurado das 9 horas da mandria
al as 4 da tarde, ou no seu sitio da Pac-
sagem.
--Uueni annunciou querer comprar um
armario de cizinha, em bom slalo, diri-
ja-se a rua do S.-Francisco, sobrado de um
andar, confronte ao thealro.
An publico.
--O ahaixo assignado sondo avisado por
una pessoa que vio dous sugetos desco-
nlieeidos estareni tratando, que em certa
loja se havia dilo que o liaviam mandar ns-
sassinar, e caso e^eapasso com vi la, nilo
: deixaria de ficar alcijado e initil de poder
Nossa Senhora da l'az.
O estado de ruina em que se acha a igre-
ja matriz de Nossa Senhora da l'az dos
Afolados, o os pequeos rendimentos que
ella iossuo, que mesmo litio Chegam para a
c >nservagflo e asseio do templo, ohrigaram
alguns levlos a daiein principio uocon-
eeito, fundados na beuignidade dos liis,
a quem rogam queiram concorrorcoin a es-
mola que suas posses permelir para conti-
nuucu da obra, a qual sera entregue ao Sr.
leiieiite-COronel Manuel Joaquim do liego
Alhuqurrque, ou ao tenonle Anlonio Gll-
galves do Mor: es, aquelle residente na re-
ferida povoig'io, e este na rua da Assuinp-
gfi desla cidade, casa da nf rigo.
-- O Sr. Teodoro de Alineida Costa quoira
apparecer na ruado Vigaiio, n. 19, a nego-
cio que lho diz respeilo.
--1. vam-seceiigommam-selse lengosI irabalharpelos ohlcios de caldeireiro"o la-
'e Imito; lamliem se cose costura de al- |0eiro
faialc : na rua da Aurura, n. 42.
-- l'recisa-se de um feitor para um sitio
perto da praga : na la de S.-A naro, u. 10.
O abaixo asignado declara pelo pre-
sente annuncio que lem contratado com
e como o abmxo assiguado nlo
lenha tiesta cida le inmigos rencorosos se
IK.0 Manuel i'arneiro l.eal o Joaquim Anto-
nio dos Sanios o Andrade, pur causa de lio
ler querido mais se subjoilar ser simples
olficial de ollicio, e se ler eslabelecido com
Jo3o Fructuoso da Silva a compra d taber-'sua casa na rua Imperial, para melhor ca-
na, sita no unida rua deS.-lheresa: quem, |lar p8on suslenlar sua familia : noen-
Ovas do serto
He chrgado alguns pares deste excel-
lente petisco : n* rua do Queimado, loja de
ferragens, n. 14.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
at-as da matriz da Boa- Visla, n. 26, muito
fresco, e com bastantes commodos : a Ira-
lar na mesma ru, n. 22.
* A directora do colbgio de meninas, que
ora va na rua Nova, declara ao publico que
ja principioueom osshus Irahalhos desde
o da 3 do corrente : quero com ella preten-
der fiUr,flirij-se ao seu sitio na diada
nova, que lica confronte ao sitio do Sr Mi-
guel Archanjo, ou do Sr. Antonio )omiii-
gosl'into : na rua Nova, loja de trastes, ba-
vei pessoa para ensillar o mencjuiVado
sitio.
lo e participar na rua do Collegio, n. 16,
segundo andar, o mesmo so roga a tudas as
autoridades policiaes.
Fr. JoSo Gapistrano de Mendonga lem
alerto, na rua das Cruzes, n. 18, piimeiru
andar, um curso de rhelorica e potica, e
outio de geographia e historia : as pessoas
quequizerem estudar qualquer destas dis-
ciplinas, o pdenlo procurar na menciona-
da cas i das 10 horas do dia em diante.
-- Precisa-se de um oflicial desapateiro,
para tomar cunta do urna leuda, na rua do
Amorim : a tratar no Foite-do-Maltos, rua
do Co lorniz, n. 13.
~ Pede-se ao Sr. Manoel Uomingues de
Sania-Atina o favor de dirigir-se rua do
Queimado, n. 18, segunda loja, a negocio.
-- Piccis-se alugar urna casa terrea, ou
um andar uo bairro de S.-Antonio, a qual
lenha duas salas, quatro quarlos, coziuha
fra, e que es leja limpa : quem liver, an-
nuncie.
Precisa-sede um feitor para o sitio da
viuva Amorim, em Ponte-de-l'cha.
Quem aun uncin querer co nprar ca-
x-is vr litas de ama rol lo, dtrija-se a ru Au-
gusta, ll. 34.
Precisa-so alugar urna canoa de car-
reira:quem tiver annuncie, ou dirija-se a
loja de l.uiz de Frauga e Souza, quedit
quem quer
Maria da Penda, viuva de Theodoro
Jos da Silva l.acerda, faz sciente que nin-
cuein contrate negocio algum com Jos
Olegario sobre as casas que elle possue,
pois a annunciante o seus lilhos teem parte
nellas : por isso quem contratar qualquer
negocio con; elle, perJe o seu dinheiro. O
dito Olegario acha-so preso uo callahougo
de polica, por causa de um escravo que
agasalhou.
-- Precisa-se lugar um sitio que seja
perto da cidade, pata um rapaz solicito, c
que tenha estribara para um ou dous ca-
vallos : a tratar na rua da Cruz, n. 40, le -
ceiro andar.
-- Um Urasileiro de illibada conducta,
com bastante praltca de Cuinmercio, eque
da fiador a sua conducta, se offerece paia
eaixeiro, com excepeo de Venda: na rua
do liangel, n. 57.
Precisa-sede um pequenn do 12 a 16
anuos que queira ir ser eaixeiro em urna
d.s melliores lujas de fazendas do Rio-For-
moso, preferiudo-se algum dos ltimos
chegados do Porto : na rua do Queimado,
n. 17.
do por nadase rcsponsahilisa.
Harlollod'i Cotia Maura.
--Traspassa-se o airendamento de um
engenho de boas Ierras de produgo, pur
ureco rasoavel : lamhom se vendem os per-
lences muito bons e gordo', poldros, lavouras e
safra a colher : os preteudentcs, dirijam-se
rua estrella do liozario, o. 32, que se di-
r quem faz este negocio e se dar3o todas
as informagVs.
Prope-sea administrar qoalqoer en-
gcnlio, do que tem bastante pralic, um
II'asileiro solleiro; as'sitn comoentende per
feiUmente do methodo de fazer assucar, e
tem habilidade de curar escravus em a cu-
mas enfermidadrs : quem de seu presliino
se qulzer utilsar, dirija-se rua Nova ,
n. 49
-- Jos Hitarte das Neves lemhra ao Sr.
Jos Lopes Guimariles a conclusio do nego-
cio quo conlialiio em 7 de agosto do IMS.
Precisa-so de um fomeiropara lrru-
inar em urna padiu i,-i no pogo-da-l'.-iif Ha.
quem convir dirija-te a rua larga do lio-
zario. n. 48, padaria.
quuusS'S. I.eal e Andra le sejam capaz de
mandar pralicar urna infimia c que quei-
ram lomar urna vinganga tilo misquinha.
Jos riibo do Amoral Libo.
| Consultorio liomoBO- i
palliico.
gRIlVBACADF.IV DES.-ANTONIO, l
* rale consultorio oslara abeito to-
S dos os dias, desde as 7 horas da ma-
fj ulifla al as 3 da tarde.
^ Os pobres serSo tratados gratuita-
mente.
ti
i
asi
;Wffi"---->^5-'S!fe'rSerr-' ':
Compras.
S.rfie.
o principio da rua da A ti- J
I rora, no armazem confronte a ponte, 5$
9 haver d'ainanhn en diente sorvete ;
it muito bem feilo o com'muito assoio ;
e juntaniei.te bom licor marasquino
I e ctiarulos ; pois nao s achaiSo urna
casa com decencia, como (amhem um
" gabinete separado rom muito asseio
g pata senhoras, das 6 e meia horas da
tarde em dame.
Compra-so um paramento para urna
padre, sendo branco por fra o rouxo por
dentro, para celebrar as missas em S.-Se-
basliflo, em Oiiuda : quem liver annuncie.
--Compra-se urna estante para livros, em
bom uso : na rua do Gollgio, n. 16, pri-
meiro andar.
~ Compra-se um quarlo gordo que sir-
va para viagem : na rua do Queimado, n.
27. se dir quem compra.
Compra-se tartaruga : paga-se por mais
do que em outra qualquer parte': na rua das
T | Trincheiras, n. 5, loja de tartarugueiro,
i -- Comprase um armario usado, mas em
11 bom estado, proprio para coziuha: quem
f liver, annuncie.
i -- Comprase urna casi terrea, com pre-
^; ferencui em S.-Anlonio : na rua de Apol-
lo, n 8, se dir quem compra.
Coinpra-se umcordflo de ouro de lei,
sem feilio, eque lenha 12a 16 oitavas : na
ruado Viariu,n. 14, taberna.
Compram-so ot Jornaes do Commercio
do Rio-de-Janeiro, do mez de fevereiro pr-
ximo passado : as Cinco-Pontas, o. 91,
ou annuncie.
AR ENCONTRADO
O Sr. A. J. de S. G., morador na cidade
deOlinda, naja de ir na luja do fazendas da
uado Passeio, 11.21, pagar o saldo da sua
lellra vencida a 28 de maio de 1839. isto no
prazo de 3 dias.
O pmprielario de urna letlra da quan-
lia de um cont de res, aceita pelo Sr |)r
foflo Antonio do Souza RellnVi do Araui
Pereira, vencida em 10 de abiil, ou a vencer
em 10 do maio, queira procurar o soii .Ti: -;*e"Ue-se banha de
ment em casa do erretor Oliveira. fe g0| J,",* 360rs'"libra :
Vendas.
porco derretida e
na rua do Ran-


~fci
-Vende-se resina "de angico, as libras o
ni porgito : na ra da Cadeia, loja de Joo
Jos de Carvalho Moraes.
Gaz.
Contina-se a vender na destilaeflo fran-
ceza na travessn da Concordia, gaz epa-
vios para candiciros de tilo : tanibem se
concerlam e limpam-se ditos candieiros.
, Folha de Flandres.
I in casa de J. J. Tasso Jnior, na ra do
Amorim, n. 35. ha um ptimo sortimenlo
de folha de Flandres, de todas as marcas, e
a retalho por prego mais barato do que cm
outra qualquer parte.
Arroz ac casca a 3,200
rs. a sacca
vonde-se na ra do Amorim, n- 35, arma-
zem de Tasso Jnior.
--Vende-se, na ra do Crespo, n. 11, a
obra do Judeu Errante, por Kugenio Sue,
traduzido em portuguez por Caslilho, 20
volumes novos, encadernados em 9, e ou-
tra* muitas obras por prego commodo.
Potassa da Russia.
Vende-se superior potassa da llussia, da
mais nova que ha no mercado, por prego
commodo : na ra do Trapiche, n. 17.
Farinha de mandioca.
Vende-se familia do Cear, em sacras,
por proco commodo : na la da Cruz, no
Itecif.-. n. 43.
Vende-se cobre e metal amrrello pata
forro do nvios, por prego commoilo : na
ra da Madre-de-l)eos, armazem de J. V.
da Silva Barroca.
Cal virge ro ilc Lisboa.
Vende-se cal virgem de Lisboa, por com-
modissimo prego : na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 50, luja de Cunha & Amorim.
Vende-se a taberna d esquina da rua
Nova, junto a ponte da Roa Vista, n. 71 :
faz-se lodo o negocio, urna vez que o com-
prador desonereao vendedor do que deve
aos Srs. da alfandega.
Lindas de !O0 jardas o
carretel.
Vende-se muito superior qualidade de
linha em carretel oe20Ojardas.de ns. te
a 130 : na rua do Queimado, n. 11,, loja, de
Jos Dias Sin Oes.
- Vendcm-se 5 escravo, sendo itous de
15 anuos, uin ptimo cozinheiro e 2 rarrei-
ros; 3 negrotas de 14 anuos; 4 escravas
mogas.de honilas figuras : na rua Direila.
n.3.
Vende-se urna rarda muito sadia e
forte, de boa conduela, c que cozinha, en-
goaima, ciisaboa e cuse chito alguma cou-
sa : n3o se vende | or menos de 500,000 rs. !
na rua da praia de S.-Rita, n. 25,2.' andar
da cusa em que leve serrana o Snr. Vicente
Alves Machado.
na rua das Larangeiras, n. i/,
segundo andar.
Pechinchas novas.
Vende-se madapolflo fino, com nm pe-
queo toque de mofo, no barato prego de
3,500 rs. ; cortes de cassa-chita com 5 va-
ras, cor segura, a 1,400 rs.: no Passoio-Pu-
bllco, n.11, loja de Firmiano Jos Itodri-
gues Fcrrcira.
Novo trem de cozinha.
Vendem sechaleiras, fregidoiras, cassa-
rolasepanellas de ferro forradas de por-
celana ; cafeteiras e bules de metal i na rua
Nova, n. 16, hija do fonagens, de Jos Luiz
Pereira.
Vende-se urna espingarda de dous ca-
nos, obra muito bem feita: na rua Nova,
n. 16, loja.
. Vendcm-se espadas prateadas para
ofliciaes da guarda nacional : na rua Nova,
n. 16, loja de ferragns, de Jos l.uiz Pe-
reira.
Attencao.
Na rua da Cadeia do Ilecife, loja n. 50,
vendem-se cortes de cambraia superiores, a
2,000 rs.; cassa piulada, superior fazenda
nm i] ii. I ulitili', a 2,000 rs. ; cortes de casimi-
ras de algodao, de muito bous padrOes, a
360 is. o covado ; bom lom, fazeml pro-
pria para vestiilos de senhora, a 320 rs. o
covado; chapeos de Cstor preti>, a 4,000
rs. ; chapeos franceses superiores, a 6,800
r.; eoutasmuilas fazenda* que a visla
do comprador se mostiarflo, por prego com-
n.o io.
Vende-se a taberna da rua larga do
llozario, n 40, com poucos fundos e seni
alcaides: a tratar na mesilla taberna.

Na rua do Crespo, n. 14,
loja de Jos Francisco
DiaS,
vende-se esguiSo de algodao, fa-
senda dequatro palmo.-- e meio de
largura e fin a, pelo barato preco
de 320 rs. a vara ; brim tranca-
do b raneo muito encorpado e de
lislra ao lado, a 1,-180 rs. o corte ;
dito de puro linlio cor de ganga, a
1,600 is. o coi te ; c um completo
sortimenlo de blendas" por bjralo
preco.
Faz multa cotila.
nha monstro, a 5,000 rs. a pega com 24 jar-
das ; casimiretas de 1.1a pretas e de cores,
proprias para caigas e palitos do homem e
meninos, pelo diminuto prego de 1,000 rs,
o covado; brim trangadobranco, muito en-
corpado, proprio para militares, a 640 rs.
avara; assim como outras fazendas por
barato prego : a ellas, antes que se 1-
cabem.
Na rua do Crespo, loja
da esquina que volta
para a cadeia,
vendem-sc cortes de casimira prota, muito
boa, a 5,500 o 10,000 rs.; panno preto, mui-
to bom, a 3,200, 3,800 c 5,500 rs. o covado ;
cortes do collete de distilo, a 640 rs. ; ditos
de setim de cores, a 2,000 ra.; ditos de gor-
gorito, a 1,600 rs. ; esguiflodo linho, muito
lino, a 1,280 rs. a vara.
Vende-se um alambique de cobre, em
meio uso, com serpentina de estanto fino,
levando a caldeira 50 caadas, e elevando a
ago'ardente a 36 graos na primeira destila -
gflo: acha-se montado para o comprador
ver, eda-se por prego commodo : no Ater-
ro-da-Roa-Vista, n. 17, fabrica de licores.
-- Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, vindas do Itio-de-Janeiro no brigue
iosefna, por prego commodo : no armazom
de Dias Ferreira, defronte da escadinha, ou
a tratar com Domingos Itoilrigues de Ari-
drade, na rua do Trapiche-Novo, n. 4. Ad-,
verle-so que as saccas silo grandes.
-- Cliegou uovamente gelo e se vendo ao!
mesmo prego do enligo, advertr-se quo
negocio a vista de urna e outra cousa, vol-
tando-seoqueforde rasilo, com as mes-
mas condiges: lambem se vende um pe-
queo sitio cm Bemflca, no principio da es-
trada nova, com boa casa, bem repartida
e rectificada do novo, todo murado, com a
portos de ferro na frente, cocheira para 2
cavallos, um grande pogo de agoa de be-
ber, bastantes arvoredosde fructo, sendo a
maior parte larangeiras e um bom parrei-
ivI: a tratar na rua da Cadeia do Recite,
n. 54. loja de fazendas.
Vende-se urna prcta moga, quo engom-
la, cose, cozinha e faz com porfeigBo o
mais servigo de urna casi; um bonito par-
dinhodell annos, proprio para qualquer
servigo: na rua larga do llozario, n. 35,
loja.
Vendem-se 40 pipas vasias, vindat do
Rio-de-Janeiro; urna porgSo de taboas do
assoalho de amarrello : na rua da Cadeia do
Recife, n. 51, loja de fazendas.
Vende-se um pistn novo, com sua
competente caixa, por prego muito com-
modo : na rua estrella do Rozario, n. 28,
terceiro andar, das 2 horas da tarde em
(liante.
Venlem-se os seguintes livros, na rua
estreita do Rozario, n. 8 : Magnum Lexicn;
Diccionario de composigiio latina ; dito da
fbula; dito potico; Selecta; Fbulas;
Virgilio; Horacio ; Tilo l.ivio ; Terencio ;
Oiagfles de Cicero; Ouvidio ; Methamorplio-
zes de Ouvidio ; Ksuosilor de Salustio ; Bur-
ro de Salustio ; dito de Horacio; dito de
Virgilio ; Tratarlo das partculas por J. J.
da Cosa e Sa ; Horacio latino o portuguez
:*m
nSose tomarii mais bilhetes, visto o vende- Pd'> me>mo ; Resumo da Historia Sagrada;
dorter perdido alguna, e-nao Ihe convem ""Iros mullos livros latinos, que para se
venler assim, os portadores tra-flo o im- j>o azer extenso o annuncio se n1o pu-
portedo eelo quo quizernm ; hem como D,lram.
nao se recebem cdulas estragadas. iCllfCIICm aO 1)1al(' VO.
INn rua Augusta, taherna do Victorino,'
des precisas para servir urna familia na run
do Rangel, n. 57.
- Veride-se um bon ito moleque de 18 an-
nos, de boa conducta : na rua do Rangel
n. 57. '
-- Vendem-se 3 moradaa de casas meia-
agoag, por detrs de S.-Theresa : na rua
Imperial, n. 34.
-- Vende-se a loja de ferragens do falle-
cido Caetano Luiz Ferreira, sita no Aterro-
ua-Boa-Viate, porbaixo do sobrado ondo
n0rV). coronel Chaby : na prega da
"1" ,' ."'' segundo andar, por cima
da botica da viuva Cunha.
*"n"nn!nden,;>" lj0los P"r* ,imPar fac,s' a
l ?n a Uzia '' "servas inglezaa, a
8,000 rs.aduza: no armazem que foi do
fallecido Braguez, perto do arco da Con-
ceigno.
Vendem-se amarras ao 1OTro: na rua
Ja Sciizalla-Novn, n. 42.
lifcravos Futido
N rua do Crespo, n 11, loja de livros,
vendem-se Cantos sagrados, por 200 rs. |rs- manleiga inglesa, a 400rs
Pelejado ltiaboeS.-Mie.uel, por 120 rs ; *
Gemido d'alma, por 120 rs ; Testamento do
gallo, por 80 rs. ; dito da gallinha, por 80
n. ; cartas para enterro, por 20 rs. livros
para aulas, por prego muito connnoiio.
Farinha de mandioca
Vende-se muito nova farinha de mandio-
ca, ero saccas grandes, por prego commodo:
na rua do Queimado, n. 14.
A 1,800 rs.
No armazem da ruado Rangel, n.36, ven-
de-se farinha de mandioca, a 2,800 rs. a
sacca, e tambein a retalho ; arroz pilado e
de casca feijflo, esleirs, e palha pjra cha-
peos : ludo por prego commodo.
A 2,800 rs.
No armazem da rua do Rangel, n. 36,
vende-se milho, a 2,800 rs. a sacca, chegado
Ullimaieute do Cenia.
Farelo a 5,000 rs. a
sacca,
eomelhorque tem vindo a este mercado :
na rua da Madre-de-Deos, armazem de Vi-
cente Ferreira da Costa.
6 Chegaram uovamente rua da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de miro e prata
patente inglez, para homem e senhora.
Corram ao barato
Na nova loja do Passeio-I'ublico, n. 19,
de Lemos Amaral & Companhia, acha-se
um completo soiti ii-iito de fazendas, co-
mo seja.n : pegas de chitas finas c cores li-
zas, a 6,000 is. e a 160 is. o covad; ditas
muito linas, a 7,000 rs. e a 200 rs. O cova-
do ; ditas de madapoln muilo fino, a 3.800
e 4,40.) rs. ; corles de meias casimiras, a
1,600rs.; ditos de cassa para vestidos, a
1.280, 2,240 e 3,000 rs. ; chales de lila, a
1,800 rs. ; lengos de leda para senhora, a
1,000 rs. ; e outras multas fazendas quo se
mostrSu aos comprado;es ; bcui como cor-
es de casimira, a 5,000 rs.
Vende-se, por precisilo, urr, escravo
com officio de canociro, pescador, e com
piincipiosde padana : na rua do Jardim,
n. 43.
Vende-se urna bonita preta de 20 an-
nos, queengomma muito bsm, cozinha o
diaiio de urna casa e cose, sem vicios nem
molestias, o que se nfiaiiga : defronte da
ribeira do peixe, n 3.
\enoe-se um relugio patente, que tem
corda para 20 e lanos dias, para cima de
mesa, pega esta mais rica que tem appa-
ricidono Brasil, temi um dansarmo de
corda e 4 msicos a locarem dilferenles ins-
trumentos, con tantas pegas de msica
quantas horas tem um da : o dansarino
dansa antes de repetirs horas, e tem mais
um resisto que o faz dansar em qualquer
occasio, e tem mais oulro resisto que o fuz
parar mesmo as boias : na la do Cabuga,
luja de qualro portas, n. 1 C.
JVovidadc.
A l.OOOrs. o covado.
Na loja dos barateiroa da rua do Queima-
do, n. 17, vendem-se casemiretas de 13a,
pretas e de cores, proprias para caigas e
palitos para liuiiieiu e meninos, a 1,dOU rs.
o covado.
Vendem-se duas lindas mo-
iecas, proprias para se educarem :
Na rua do Queimado, vindo do Rozario,
n. 18, segunda loja, vendem-se pegas de
melini verde, a?tll e cor de caf, rom 20
covados, pelo Commodo prego de 2,2110 rs.
a peca ; meias de cores para meninas, a loo
rs. chai eos le massa para n cuinos, a 500
rs. ; e nutras omitas fazendas.
-Ven e-se supriior cha lysson, a 2,000
. cyf mol-
do, a 200 rs, : arroz branro novo, a 80 is. a
libra : no pateo o Carao, 11. 2, venda
nova.
Vende-se urna gran le tina nova e pin-
tada para bando, e que leva :i baldes d'agoa;
cylindro de cobre quecsiui uta a dita agoa
em urna hora, roii a diminuta deapera de
40 rs. de e.irviio; una gamella grande
comprida, lamben) para banbo, nova e pin -
lada ; 11111 bergo novo, uor ler s servido 5
mezes : na rua da Alegra, n. 9.
Vende-se um prelo perito cozinheiro
de massas, fumo o fogo n8o havemio du -
vida, dar-se-ha a contento para fazer um
janlar :narua do Collegio, n. 21, sonde
tambein se vende um oulro preto bom re-
mador de escaler, e que he mogo.
f? Acabam de chegar lola de cha- &
O pos, deJoaquim de Oliveira Maya, 4*
ules arvoredosde fructo, e boa casa de P"". P"r Preco commodo: na rua da
venda de pedra e cal : na rua Direita, 11. Crmi"',* ''.
1, segundo andar. -Vendem-se pianos de ezccllentes vo-
conliiu'ia a haver boa carne do sertflo, a
240 is. a libra, e lingoigas.a 320 rs. ; bem
como bolisqueijos de Minas, a 830 rs.
Vende-se urna pr. ta moga, de bonita fi-
gura, sem vicios nem achaques, e com ha-
bilidades : o motivo por quo se vende se
dir ao comprador : na rua da Concordia,
passando a pontezmha, esquerda, segun-
da casa terrea sediiquem vende.
Vende-se, ou permuta-se por escravos,
um sitio de terreas ao entrar da estrada do
Arraial, rom muila largura e fundo, bas-
ta
vi
40
Vende-se sal em pequeas porgues, e
s ceos do superior colla das fabricas do llio-
CrauJedo sul : no ariiiazeui n. 7, rua da
Moeda,
Vende-se sola e couros miudos, malas
roberas de sola e babas, ditos d couro:
tudo por prego mais commodo do que em
outra qualquer parle : na rua do Collegio,
loja de Ralis, 11. 23 .Na mesma loja lambem
se fazem obras de eucommenda.
Vende-se urna preta de 20 anuos, com
una lilha de 10 me?es, e que tem muito c
bnin leile, 1 or isso oplima para criar uma
crianca, e tambein engomma e cozinha,
tinto muilo bom : na rua do Collegio, n. 21,
primeira andar.
Estrella.
Vende-se superior (iolachinha estrella, a-
guada, mui 1 ropria para doenles, por nfio
ouiiler eni si assidns e ser de boa farinha :
na rua Direita, n.79.
LIMA.
Rua do Queimado, obrado n. 19.
Vende uniformes militares para todas as
patonles de olliciaes do exorcito e guarda
nacional, inclusive olliciaes gencraes o
commandantes superiores ; lendo o me-
Ihor galito de ouro para d-visas do padrilo,
hoje em uso na corte ; espada de metal do
principe, e ludo quanlo pertence aos ditos
uniformes, qur de grande ou pequea
galla, estando habilitado para promptifi-
car o uniforme completo para qualquer ba-
taltiSo, assim como para msicas para o
Na loja nova do Passeio-Publico, n. 19,
de Lemos Amaral & Conpanhia. vendem-
se pegas de chitas muilo finase rores ixas,
denominadas D. Isabel, t rio baratissimo
prego de 8,500 rs e a 210 rs. o covado;
ditas de madapolo de jardas muito fino e
com 2. varas, polo baratissimo prego de
4,700 rs.; e outras muitas fazendas que por
baratas nilo se annunciam, DiJo-se amos-
tras com penhores.
Vendem-se telhas de vidro, prxima-
mente anegadas, em grandes e pequeas
No da 15 docorronte, de rnanhfla ce-
do, desappan cernm 6 pretos cum os ne-
nies seguintes : .Matheus, de estatura t\\
da nacio Costa : Paulo, tambero alto, d
nagito Angola : Thom. de Angola, um pou-
co mais baixo : Domingos, da mesma na-
Co : Simflo e Ambrozio, baixns. Rogase
as autoridades policiaes e capitiles de cam-
po, que os apprehendame levem-nos rua
do Amorim, n. 8.
Desappareceu, no dia 3 do correte, o
molequeMarcolino. de nagflo Quigama, de
15 annospouco mais ou menos, de bonita fi-
gura, secco do corpo, um tanlo fdescorado
por causa das febres, nfio.leni signa! algum;
Ir-vou roigas de algodDo azul, o camisa de
riscado tambem azul; supp0e-selersi duzido, api zar do ser mnilo ladino. Roga-
se as autoridades policiaes e capitiles de
campo, que o apprehrndam e levem-no
rua da Cacimba, n. 4, que sei3o recompen-
sados.
Fugio o prelo de nome Pedro, de 30
annos pouco mais ou menos, de nagflo, al-
tura regular, secco do corpo, cor fula ;
tem um dente lirado na frente do lado su-
perior, eos pos meios tonos para dentro e
bem cnuvos por baixo ; tem um calombo
pequeo as cosas ; levou camisa de al-
godflo de listras e caigas do mesmo, ou de
algodSo da Ierra, um lengol de algodao
americano, tudo hem sujo: quem o petar
leve-o a Venda-Grande, freguezia da Mu-
ribeca, a seu senhor, Manoel da Silva Bar-
ros, ou ao Uei'il'e, rua do Queimado, loja de
ferragens, n 14, que ser bem recompen-
sado.
Fugio, do bordo do patacho Asthrea,
no dista de margo prximo passado, um
escravo marinhelro. de nome Joaquim,
crioulo, alto, com barba por baixo do quei-
vo, bexigoso, eheio do corpo, representa
40annos pouco mais ou menos; he natu-
ral desta provincia ; desconfia-se que este-
ja pela cidade de Olinda. Roga-se as auto-
ridades policiaes e capitiles de campo, que
o apprrhendam e levem-no a rua da Cadeia
do Ilecife, n. 39, casa de Amorim Irmilos,
quegialifienra com 100,000 rs .conforme
a longitudc em que lor pegado.
--Fugio, 110 da 7 do crrenle, o cabra
l.eaiidrn : lev.111 caigas de riscado de algo-
dSo, camisa de madapolSo e bonete velho
na rabera ; tem os denles limados, e as
pernasalguma cousa arqueadas para tris;
consta ler apparecido pela Estancia, Ponte-
de-Ucho.i, Monteiro e Capunga : quem o pe-
gar leve o ao Aterro-da-Boa-VisU, n. 66,
padariade Andr Nauzer, que recompeu-
sar.
Fugio, no dia 12 do passado, pelas 9
horas da noile, o prelo .Benedicto, crioulo,
que representa ter 24 annos, de altura re-
gular, sem barba, cara redonda, olhos car-
rancudos; lem os ps torios, e he cambado
de uma perna ; levou caigas e camisa de
edificar, por ser de esquina Vfici'rpe'rto" do!riscaJo e eslaJ ro'i e bonete quem o
zes, o receulemente chegados : na rua da
Cruz, 11. 48, armazem.
Vende-se um sobradinho na rua da
Senzalla-Velha, n. 23, em chlos proprios :
no Passeio-I'ublico. 11. 7.
Vende-se superior palha de carnau-
ba : airas do Corpo-Sanlo, n. 66.
File i ros.
Na loja n. 48, do Aterro-da-lloa-Visla,
vondem-se tres lilciros, a 3,000 rs. cada
um.
Vende-se leite purissimo, a200rs. a
garrafa : na rua estreita do Rozario, na por-
ta da venda que volta para o Carmo, das 6
as 7 horas da manila.
Vendcm-se ancoras, correntes de fer-
ro, e taixas de cobre: na ruado Trapiche,
11. 12, priinciro andar, em casa de Ridgway
Ja 11.i.-i'ii 6 C.
Vende-se uma morada de casa terrea
em Fra-d-l'ortas, defronle do Pillar, n. 11,
rom grande quintal que bota para a mar
grande : na da Praia, n. 15.
Vende-se um pequeo resto de farinhi
de l'hiladelphia, a 8,000 rs. a barrica, para
liquidar : na rua do Vigario, n. 8, ou na
travessa da Madre-de-Deos, n. 9.
--Vende-se uma escrava cabra, vinda do
sorto do Cear, sadia e robusta, que cozi-
nha elava : na rua do Queimado, lado do
becco da CongregacSo, n. 45. luja.
---Vende-so um terreno, ptimo para se
O os muitos desojados e elegantes cha- O 1"e aprcscnlara dilTerenles figunnos. Em
pos do Chile, finos, de abas penue- K Sl." CKSa sc ',odem vtr os l|Surinos com as
nasccopabaixa; bem como um sor- a '^lleraco,es 'llle recentemenie soir-oram os
tmenlo de ditos grandes, por uio- 1 crPs la guarnigSo da crte.cque t"em de
dico prego. >r ser imitados por lodos os do ejercito.
2 V| -Estilo a venda as seguintes modernas
*v *. ^ -. i-% j-, ^. ** poesas. Cantos sagrados; o Gemido da alma;
OQClQ>?0(& OO Meditagilo sobre a morte: na Boa-Vista, loja
Pechincht para os bahu-|^An-de"s'd0^---ima^s'n-48;-em
leros.
Ionio, roa estreita 00 llozario, n 4,
-- Venden -se queijos de Minas a 280 ris :
na rua Direita, venda, n. 18
Vendem-se chitas proprias para forros de Vendem-se 8 lindos moloques de 12 a
bahs porestarem tracas, a 3.500, 4,000 e 18 annos; 6 pretos da 20 3 25 annos, sendo
5,5,0 rs. : na rua do Crespo, loja da esqui- um dellcs ptimo sapaleiro : 2 pardos Je 20
quina que vylta para a cadeia. a 25 anuos, seodo um delles perito cozi-
--Vende-se um cavallo hora andador de nheiro, boiieiro, empalhador, o quo he de
baixo a meio, sem achaque algum : ven- ptima conducta ; duas pardas com habi-
de-se com arreios 011 sera elles: na rua do lidades; 5 pretas cora aigumas habilida-
pegar leve-o a rua da Cadeia do Rccife, n.
51, que ser bem recompensado.
200,000 rs.
Fugirim, no dia 13 de Janeiro do corren-
te, do engenho Novo de Serinhilem, OS es-
cravos seguintes: Thomaz, cabra-escuro ;
tem os olhos e palmas das nios amarella-
das, cor fula, representa ter 25 a 30 annos,
Vendem-so, no aterro li" Bon-vist* com nlcio de pedreiro. pescador e de ror-
loja n. 58, sapatOes de couro de lustro-di- t,,r,ar"cJ i,e mu>l regrista : Amaro, ca-
rio, tendo uma casa de taipa, sito ha baixa-
verde do Manguinho; assim como uma pe-
quena casa rectificada de novo, confronte
ao mesmo terreno, com camboa no fundo o
porto de embarque na rua da Penha, n. 1
primeiro andar.
~ Vende-se.por prego commodo, uma es-
crava de n.eia idade, cujas habilidades se
dirilo ao comprador: na rua Velha, n. 71.
Queimado, loja n. 10.
Vende-se um moleque de 10 a 11 an-
nos e de booila figura: na rua d'Apollo,
numero 19.
Vende-se urna boa escrava com habi-
lidades, sem vicio e muito sadia : na rua de
Santa-Rita, n 91.
Na rua Nova, loja de ferragens, n. 20,
de Jo3o Fernandes Prente Vianiia, ven-
deni-sa muito superiores espadas pralea-
das de roca e sem rota, assim como linlssi-
mos estojosde navalha* pra barba.
--Vendem-se pegas de madapolo, mui-
lo largo, com 20 varas e com algum toque
de moro, a 2,500 e 2,800 rs. o a sote vi l-
teos a lelallio ; assim como chitas a sois
viniens o covado : por tras do lliealro ve-
lho, 11. 20, primeiro andar.
Vende-se umi escrava com aigumas
habilidades: na rua da Penha, 11 32.
Vende-se, ou trora-se | or uma casa
terrea um sitio na estrada da Varzea, com
iniiitas fructeiras, boa tiaixa para capim,
com rio rente d'agoa doce \.o fundo, com
casa de vivenda : na rua Nova, n. 28.
-- A. Colombiez, com loja franceza na
rua Nova atrs da matriz, lem para vender
ralgadu feito na fablica franeeza em Per-
nainbiiro, romo seja : snalos de couro de
des, tendo urna dellns um til lio do uin
no: na rua do Collegio, 11 3.
Vende-se cassa-chita muito fina, de
bonitos padrfles e cores ixas, a 320 rs. o
covado : no Aterro-da-Boa-Vista, n. 18,
loja.
Vndese, para se pagar uma divida,
uma escrava crioula, sem vicios nem acha-
ques, que engomma, cozinha e faz barrel-
la : na rua do I ivramento, n. 4, se dir
quem vende.
Vende-se o diccionario ingle do Viei-
ra, dous tonos grandes : na praga do Cor-
1 o-s uin, n. 2
Vendem-sc 24 acgOes da companhia de
Ueberibe, pelo valor em que esto de 42/
rs. sendo agora boa oCCatiflo de comprar,
visto queso la Ha m 15 dias para so receli-r o
dividendo : na rua da Cruz, n. 8, segundo
e terceiro andaros.
Xa rilado Crespo, n 14,
loja de Jos Francisco
Dias, vende-se
riscado fraucez de quadros escuros, fazen-
da muito fina e ixa, pelo barato prego de
20urs. o covado; pegas do esgUM de al-
tos do Aracaly, brancos e pretos, sapatns
envernisa ios para senhora a 2,000 >s. o par;
ditos de cordavn, t ,440 rs ; ptimo couro
de lustro.a 4.0::0 rs a pelle ; pe le de he-
bra claro, de 45 a 50 anuo*, com bstanles
cabellos brancus, peritas finas, ps apalhe-
tados ; he muito preguigoso para qualquer
servigo ; he canoeiro; cosluma andar sem-
zerro francez.a 3,500 rs. ; graxa ngleza em pre eur' : estes escravos quando fugiram
lustro, forma ingle**, para homem ; borze- S^f^. KS '." ''fui* C.3!J0. va"
guins, sapatos de marioquim e de lustro
para senliora ; ditos de duraque preto e de
tapete; dilos de dito para homem; bolins de
cores gaspeados de couro de lustro pira
meninos.
Brcl;i unas monstro I
A 5,ooo ris.
Na loja dos baratnos da rua do Queima-
ras e nina, a 8,900 rs. a pcgi, e a 320 ra. a
vara.
-Vendo-sea i I ha denominada S.-Jo!Jo,
ao p dos A togados, sorcada de rios, com
cento e tantos ps do coquoires, 2 escl-
lenles viveiros, duas casas de pedra e cal,
novas e com commodos para duas grandes
familias, enpim para sustentar duus caval-
los durante um auno : da-se por prego mui-
to commodo, ou troca-se por alguma casa
potes.a200 rs ; e ern lata,a lio rs" ; mar-
roquim.a 2,000 rs. apelle; bonetes france-
zes para meninos, a 500 rs.; ditos de meri-
no, a 2,000 rs.
Volta re te.
Caixinhas com fizas e lentos para jogo de
vollarete, recentemenie chegadaa de Fran-
ga, por prego commodo : vendem-se na rua
do Crespo, ao p do arco, loja de miudezaa.
Vende-se um moleque bonita flgura.de
de 12 annos, proprio para aprender olicio,
ou para qualquer oulro servigo : na rua do
Crespo, ao p do aico, loja de miudezas
Vende um vendo bstanle grande e
manso, por prego commodo : no armazem
da rua Nova, n. 67.
Vendem-se postillas de diroito 'crimi-
nal o do diieilo commercial, bem copiadas:
na ru.i do l'asseio, loja n. 21.
Vende-se uma armacRo envidragada,
propria para sapaleiro, charuteiro, deposi-
to de assucar ou oulro qualquer eslaheleci-
meuto ; e juntamente se aluga a casa on-
de existe a mesma, na rua do Amorim : :
l.alar no Forte-do-.Maltos, rua do Codorniz,
n. 12
.- Vende-se um linda escrava de 20 anuos,
de nagilo Haca, que cozinha o diario de uma
ca, e he engommadeira : na rua do Rangel,
n. 57-
Na casa de molas franezas de Mada-
ma Rucssard Milb.chaii, no Alerro-da-Boa-
Vista. n 1, ha para o escolhimeiilo das se-
nlioras nm grande so.-limenlo de chapona;
manteletes, capotinhos, lengos, fitas, ca-
mi.sjnhas, cabeges, lavas e flores, que se
vendem por prego muito ero conta.
Vendcm-se dous pares de mangas de
vidro bordadas de cores o do Ityjn gosto ;
uin par de jarros delirados, multo lindos;
um lindo relogio de cuna de mesa, de pedra:
na rua do Rangel, n. 57.
Vende-se uma linda mulatinha reco-
foram a praia do Gamella, do Itio-Furmoso,
ondo compraram uma jangada e seguiram
na mesma para a provincia das Alagoas, de
onde o dito Amaro he natural, e que tem
prenles para o centro : quem os pegar le-
ve-osao dito engenho, ou nesta praga, em
casa de Silverio Joaquim dos Santos, na
Camba-du-Carmo, n. 33, que ser gratifi-
cado com 200,000 rs.
Desappareceu, da rasa de Prxedes da
Fonseca Coitinho, no dia 20 do passado
me/, um pardo claro, de nome Eustaquio,
de estatura regular, secco do corio, bem
I arecido, representa ler 24 uunos ; he ofll-
cial de sapaleiro ; quando anda arrebita
os dedos dos ps; traz semprc as ventas
chelas de tabaco: quem o pegar leve-o a
praga da Roa-Vista, n. 6, botica, que ser
recompensado.
Fugo-, no dia 5 do corrente, o preoj
Joaquim, de nagflo Angola, de 45 annos;
levou caigas c camisa de algod8o ameri-
cano azul, chapeo de palha ; tem orna le-
ri la na perna esquerda, o outra na direita ;
he alto, e lem os olhos grandes: quem o
pegar ieve-o a rua da Cruz, n. 31, quesera
generosamente recompensado.
Fugio, do engenho de Tres-Roccf?, no
dia 17 de l'evcreiro passado, um pardo com
os signaes seguintes: bBxo, grosso, sem
barba, de 20annos pouco mais ou menos,
cabellos enroscados, olhos grandes e aga-
ropados, bem feito de corpo, pernas e ps,
nariz chalo, beigos grosaos, bocea legular o
com todos os denles ; intitula-so forro, e
corno til vimii monido de um passaporte fal-
'so rom o-qual il I tul io as autoridades de
llarra-Grande : quem o pegar leve-o ao di-
to engenho, ou ao Recife, em casa de Ma-
noel Joaquim Ramos e Silva que em qual-
quer das partes sera generosamente recom-
pensado.
i j------- i--------------------- I......"i......" r" o.bum.o un icir.ie-.se urna iinua ruuiaiiiina reco-1
do, n. 17, anda existe um resto de breta-1 nesta praga, sendo nos tres bairros, e faz se' Ihida, de 18 anuos, com todas as babilida-(pBn. : R*. ttp. de m. t. de mu.1860
MELHOR EXEMPL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZPG8D5UK_E0V2G2 INGEST_TIME 2013-04-13T03:32:13Z PACKAGE AA00011611_06274
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES