Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06258


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno
XXV
QuaH.V-fe.ra 99
jFAIlTIPAt XH COBMlOt.
Cloianna cParahlba.irguoda. cscxias-Wras.
RifrGraodc-do-Rorlf, qulnlas-felras ao meio-
cibofserinhcra, lUo-Foriiioso, Porto-Calvo
Macc, no l.'.'a II o 21 de cada mci.
Oaranhuns e Konilo, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 2.
Victoria. quintas-feiras.
Ollnda, todos o ("
%-te-rs
IHOK1HDU.
Pbsbsd ib. Chela 4,isl n". e32m. ;Jam.
Miog. all.sUh.el3m.dam.
Nova a 18, as 3h. c Idm.da t.
Cresc.a2S,i 2h.e36m.da L
rntiMAB DI HOJE.
Prlmelraas 2 horas c ti minuto da tarde.
Segunda as 2 horas c 30 minutos da manh.
diario ii i:
(lo Agosto de 1849.
N-'I91.
ruceos da sobscbipco.
Por tres mfers {aHanladot) 4/000
Por seis mezes b/000
Por um anno l.tyOOO
das da mal*.,
27 Srg-. S.Ritfo. Aud.doJ.dosorf.edom.dal.
28 Tere. S. Agostinho. Aud. da chae, do J. da I.
r. do Clv. e do dos fritos da fazenda.
29 Ouart. S. Adolfo. Aud. do J. da 2. v. to eiv.
30 yuint. S. Gaudencio. Aud. doJ. dos or. e do
ni. da I. r. ,
31 sexl. S. Kayinunilo Nonato. Aud. do J. da 1. v.
do clv. du dos fcilos da fateuda. .
1 Sab. S. KgKlio. Aud. da Chae, c do i. da l. v.
do criine.
2 Uuiii. INossa Senhora da PennA.
CAMBIOS IM M M AGOSTO.
Sobtc Londres. 26 d. por 1WI r. 60 da.
. Pars. 380.
Lisboa, 110 por cenlo. lijfia
,Uro.-.,ea.he?an jos ... 3/000 a 31*00
de6>liMinoras.. I6|i00
detyuOO.....
rVafe.Palacdes bra-oleiros.. .
Pesos colutnnarloa.....
UilOS llll'MCUU'S
16400
9/200 a V<00
|>W a 2/010
|/J>00 a J/9W
PABTE 0JT.CU1-
goveu.no da provincia.
EJCPEWENtfe DO DA 27 DE AGOSTO.
Officlo.Ao Exin. ministro plenipotenciario
do Brasil na corle de Lisboa, Antonio de Me-
nrze Vaseoncellos de Drumond.Tendo a as-
scmblea desta provincia, pela stla lei n. 24h de
lOdejunhode 1849, da qual envo a V Exc.
1 gftt r templar, decretado soccoirot em favor
dafestudante Antonio de Araujo Ferrrira Jaco-
, ],|na Jnior, que actualmente seacha frenuen-
| tando os rstudo inathf inaticos na univemda-
de de Ciiiinbra, e sendo nrcessano, para o
cunrnrinienlo da diti le, que se c.elebrassc
i nntrato com o referido estudanle, resolv la-
2er uin regulamento para Indicar as estipula-
roes convenientes ; e parecendo-me que era
mil para a boa execucao das intencoes da as-
amblea provincial que o contrato loase cele-
brado pelo Emi. ministro plenipotenciario do
I rn-.il na corte de Lisboa que representasse
por parle do goveruo desta provincia, contan-
do com o patriotismo e benignidade de V. Exc ,
asslm regnlei o objeclo. e-perando que V.
Rao., annulndo s ni!nhaSol1cltacoe. se pres-
tira s Incumbencias designadas no mencio-
nado regulamento : he, pola, para rogar-lhe
este favor que agora me dirijo a V. Exc., de-
i iarsndo-lhe que tenho participada ao gover-
no iinperi.lt pela aecreUria dos negocios cs-
irangelros este meu passo, prdindo a sua ap-
PrRf**o a V. Exc. a primeira va de urna
Irttra delibras sterllnas 160 que llz sacar pelo
inspector da thesonrarla desia provincia em
favor de V. Exc. para ser empreada com o
estudanle referido, na forma do regulamento
i de que remello uin exemplar.Kxpediram-se
segunda e'tercelra vas, acompauhadas de ou-
tras tanta da ultra cima cilaila.
Dito__ao ehefede polcia.-Reupondcndo ao
ofliciodr20de junho prximo passado, que,
por secunda va c sb o n. 186. V. S troixe
tenho de declararle
por segu
ao meu ennhecimento,
que nao approvo a substlliiic.no do actual dele-
gado de polica do termo do Brc.jo, Antonio
Ir amlico Cordeiro de Carvalho ; e que, por-
tanio. deve V. S. propr smente os cldados
ipielhe parecerem inais aptos para os lugares
desegundocterceirosupplcntcs daqurlle dele-
gado. quce achaui vagos bein como para os
de priiuriro e qiiarto, do quaes, i vista do
que se cnriit'm no citado oftVin, dcniiltl por
portarla de hoje a Francisco Xavier de Paula
l aralcanlc e Lourenco Bezerra Cavalcante.
Dito.--Ap mesino. Accusando a repeccao
doseuomcio datado de 18 do correntc, em
que pede passagem a bordo de algum vapor
ou navio de guerra para o pardo menor de no-
me Jos, que,sendo rcmettldo da provincia do
i Vara para esta, frn aqu rcduzido a escravi-
diio, tenho a rrspondcr-lhc que deve \ h.
eoinpellir a pessoa que vendeu o pardo em
nncstao, e na sua falta aquella que o retinha
em ervedao, a pagar a sua passagem para o
erar,rrrocedendo criminalmente contra elles,
caso rcciiscni faie-lo.
Dito.Ao mesmo Tendo, preseute a sua
inl'orinacao datada de ?3 do corrente, sobre o
requerimento em que Maria Jos da Concei-
rao, l'.07.auia lavares de Vaseoncellos e Anna
Maria dos Prazeres pediram se mandasse soltar
0 cabra Flix, resolv por despacho de hoje de-
clarar a snppllcantcqiie recorran! as Justi-
nas ordinarias. 0 quecommunico a V. ."*., para
seu conhecimento, ordenando-lhe que mar-
que aoreipccivo delegado un prazo rasoayel
para dentro delle proceder contra o referido
abra pelos criines de que he argido, c se
nesne prazo nao fr elle pronunciado o ponha
\ S a dlspoaico de un dos juizes munici-
paes, para qii parante elle se decida a qnes-
tao ae he liberto ou escravo, e de queiu seja,
para se entregar a seu legitimo senhor, ou ser
posto em liberdade.
Hilo.Ao inspector da thesouiaria de fazen-
da, acensando rcccbldas as quatro va da Ict-
tra sobre Crbtrce Akid C. de Liverpool, en-
dossadas ao Kxni. Sr. Antonio de Meneses Vas-
roncellos de Drumond por Jos Pedro IMoreira;
p commuiilcando que expedito as convenientes
ordens alim de que a thesourai a da fazenda
provincial pague ao endossanle a quanta de
1 -.476.922 rs., em que a inesma letlra impor-
ta.-Neate sentido ofliciou-se ao inspector da
thrsourarla da fazenda provincial.
Dito.Ao coiiimandauU! auperior da guarda
nacional do municipio do Itecife, para que
seja Oi-pensado do servio activo da guarda
nacional sbseu coiuiiiando superior, emqiian-
to cstivrr no rxrrcirio de ineprctor do srliiuo
quartrir.'io da freguezia da Boa-Vista, o guar-
da Daauingos de S Peixolo. que pelo subdele
ga^K inesma freguezia fra iiomeado para
aqnelle cargo.-Coiuiiiuuicou-se o ehefede po-
licla.
Dito.Ao commandsnte superior da guarda
acionnl dos municipios de Olinda c lguras-
s, ilrrlaranilo que a proposla dos nlliciaes
suballcroos da guarda nacional de seu Interi-
no commando superior uao deve ser feita se-
nao depnis de providus os olliciaes superiores.
Dito.Ao lencnie-coronel Joa i l.eile Torres
lialiudo, ordenando que faca recolher ao arse-
nal de guerra as cen armas que por parte da
presidencia frain mandadas pela de Alagas
ao delegado'do termo de Cimures, e que, se-
.MinjK flbnsla de cilicio do mesmo delegada^
Sm^aVs receben delle.
Dito.Ao bacharel .lose Mainede Aires Fer-
da galera CaMa6riiul para bordo da corveta
^loni, fasendo-os acompanhar por nm guar-
da de conlianca, sem dependencia de exame
dosefl'eltos, c rompimento dos sellos postos
pelo cnsul, -
Dito.A cmara municipal do Bonito.nao
tendo cssa cmara podido dar execucao a or-
dem de 26 de selembrode 1848. pela qual esta
presidencia, rcineltendo-lhe copias dos decre-
tos de 13 de novembro de 1832 e 21 de jiilho
de 83.1, llie deterininou que, ni forma pros-
cripta pelo arl. 3. do I. dos decretos citados,
ou de conformldadc com o duposto no i. em-
possasse a cmara de Caruari, e isto porque
d'entiio para c nao perinttiram as circnms-
tancias da provincia que n^lla se prncedesse
senao agora a eleicao de juises de paz e verea-
dores ; releva que Vmcs. deem iuteiro cuiu-
prlinento a quanto naquella ordein se contem,
tomando as necessarias medidas para que a
referida posse se verifique a 9 de setcnihro
prximo futuro ou a lli desse mesmo me, se
porventura houver algum inconveniente pelo
qual deixe ella de realisar se no dia que cin
primeiro lugar marque!.
Portan.-" presidente da provincia, usan-
do .i- attnhuiQilo que llie fo oonfardl pe-
lo decreto .te II de Janeiro do correte an-
uo, lia porbem conci'der amnitia, em li-
me doS. M. o Imperador, a Francisco de
Paula Carnairo l.cilo, pelo crlmedo relicl-
li;*io, ultimaniento commellido na mesma
provincia.
B para sua resalva se llie passi a presente,
em virtudo da qual Ticara sera eiToito qual-
quer pronuncia contra elle pelo referido
crime, ese llie dar liaixa na culpa, e nao
poder mais ser processado pelo dito cri-
me.
Dita O presidente da provincia resolve :
Arl. I. A dsposco do arl 1." da rcsolucao
da presidencia de 16 de agosto corrente lie ex-
tensiva a todas e quaesquer aberturas que
existam no recife ao sul do pliarol, as quaes se-
rao todas naneadas do .mesmo modo que csia
determinado para a denominada nrrela.
Art. 2. O capilao do porto fica enearregado
da exeeuelo desta resolucao. Scientilicou-se
o capilao do porto.
Dita Demitlndo o coronel Francisco Xa-
vier de Paula Cavalcante e o piaior Lourenco
Bezerra Cavalcante doa lugares de primeiro c
Suario supplentes do delegado do termo do
Brejo. ...
Dita.O presidente dr provincia,em virtudc
o art. fl. do legulamciito n. 122 de 2 de fe-
rondam com as formalidades maroadn uo re-
gulamento, ordena que se faca eBeetlvo o
mesmo regulamento em todos os pontos inhe-
rentes ao servico.Assignado.Frnaeiieo Cnr-
lo$ liorna Wernnmp
te d'ordens.
primeiro lente ajudan-
reira, eoinuiuiilcanddque, em virtude do avi-
so da secretaria dos negocio da mariuha de ? I
de joHio ultimo, leiu resolvido encarregar a
Sino da dlrecfio das obras do melhoramento
do porto desta cidade, e recommendando qu?
cnue immrdiatamenle em exerelelo, certo de
que val propr ao gaverno imperial, eui con-
lurmidadc du mesmo aviso, o vencimento de
S-'iO.OOO rs mensac, que se llie dever abonar
por esta coiiunissao."leste sentido officiou-se
ao inspector do arsenal de maiinha e capilao do
porio bem como ao contador de marinha.
Dito.Ao iusprctor da alfandega.Tendo o
cnsul da repblica franceza representado ver-
halmente, reclamando providencias para que
Ihe seja permit ido fazer transportar da galera
Chnltaubriand para a corveta de guerra jlrfnnM
que tem de s.'guir para llrest o falo e mais ef-
lelio pertrncentrs ao capilao da galera i ha-
vereirode 1812, ha por bem nomeai a Manod
da Silva e Souza para o cargo de primeiro snp-
plente do juiz municipal c de orphaos do ter-
mo de Caruarii.Igual a Joao .Salvador da
Cruz para segundo supplente.Fizcraiii-se as
participacoes do eslj lo.
ComiiiaiHio da pr ><<.
Ounrlel do commando da proco rm /'eninmliuro,
> de anoslo de t849.
OREM DO DIA N. 21.
llavendooExin. Sr. presidente da provin-
cia observado a relaxarao no servico das guar-
das, mrmente as scnlinellas da cadeia, con-
forme communicou a este commando em of-
ficio de 23 do corrente, pelo que Ibi rendido
c preso na fortaleza do Brumo comiiiandante
da dita guarda na noitc daquelle dia 23. n Kr.
alferesdo2. batalhSo de caradores Antonio
Joaqun! Fcrreira Pinto; chamo a attenco dos
Srs. commandantcs dos corpos e contingentes,
c mui especialmente dos Srs. ofliciaes de da na
guarnirn, para que os primeiros se esmerem
na lottruccau neaetsarla s pracas de seu res-
pectivos commando, relativa ao crapr I men-
t dos drveres inlierciiles ao exerccio de i lll
postos, tendo em vista o.i preceilos de disci-
plina, e os que determina a marcha do servi-
co em geral conforme as leis e o regulamen-
to; e os segundos para que tenhain a maior
vigilancia em que o servico das mesillas guar-
das se execulecom a ponlualidade,forma eres-
tiicco, marcadas no mesmo regulamento ;
ciiinprindo que rondeni c vistelo as mesnias
guardas diversas ve/es no dia c durante a noi-
le, exigindo saber se o servico se taz etn regia,
corrigindo a-, faltas que encoiitrarein, c que
esiej mi a seu alcance remediar, quando no,
dar logo parte alim de se providenciar como
convier.
Por esta occasio nao posso dispensar-me de
declarar guarnicao que mais de urna vez eu
eo ajudante da raca temos observado desali-
nlio e pouca vigilancia de algumas sentinellas,
e desleixo de alguns coiiiinandaiites de guar-
das, especialmente na da cadeia, faltas que le-
udo mandado corrigr com priso nos quarjes
e fortalezas, e advertido em leinbranca, nao o
tendo feito com publicidade afiui de guardarlo
conveniente decoro e clrcumspeccao, e nao
parecer que logo 1109 primeiros das de meu
commando procurara encontrar defeitos no
serviro da piara.
Espero, porlanto, que os Srs. commandan-
tes dos corpos a queui o regulamento autorisa
a visitar as guardas que san composlas de pra-
cas de eucoiiunando, coaJjuyrm na flscalisa*
fio de que o servico da guarnicao se faja em
resni e conforme manda o regulamento.
Finalmente, os Srs. officlaes de dia sao os
pinuciros responsaveis pelas fallas occorridas
as guardas que por sua negligencia as nao
coniinuiiicarem em lempo de seren corrigi-
das, ou as nao providenciareiu eabendo em
suas aitribuicoes o faici.Assignado.JosJ i-
cenl de Amorim biierra, coronel graduado e
com mandan le.
Qaarttl do commando da prta em 1'crnamotico,
25 de agosto dt |849

iiudi.m aihhcciona;. A DU DIA.
0 lllm. Sr. cnrouel comaiandante da prafa,
manda drelarar aos Srs. capilaes de da na
guarnicao que o lirado d'armaa das guardas
uao be por continencia devida graduaco dos
ditos Srs. capitacs, ms siui para que clles fis-
calisem as guardas, e por Uso no nodem ncm
devem dispensar que ellas se frmein como
alguns eostuiiiam.
Determina o mesmo lllm. Sr que o Srs.
eapilaes de dia partieipem iinmedlalamente
por escripia qualquer oceurrenca que houver
coubespondencia do diario de perx.im-
llt'CO.
Rio-de-Janeiro, 13 de agoilo de 1849.
m successo ilesgracado tem-nos aqui en-
chido da maior consl-rnaijao : um i horro-
rosa exidoso leve lugar no dia 8 na falirra
do plvora da Estrella, II Ic/oas distante
desta cidade. Para p-tupar p.lavras de tiar-
racSo, transerevo o aeguinte irtlgo com que
um dosjornaes do dia noliciou o aconteci-
mento
Hoje pelas 9 horas da manlifta, poueo
mais 00 menos, liouve tima forte BSOloSnO
na fabrica da polvorilla Estrella. Inliamnia-
ram-seolira de 2.000 arrobas d.-sse misto,
queexisliam na oflicina da granuiacffo. Es-
te edilicio voou, fallecendo o meslre Joiio
Concalvesde .Masillles (suppomos quelr-
milodoSr. (ir. Magilliflea que se ncha na
legicn do Tuiini) o contra-mcslre Fran-
cisco Barbosa, 91 escravos o oilo Africanos
livres. o abalo da iletO"B?8o senlio-so
grande distancia. Consta-nos que ag por-
tisdicisaem quo mora o director da l'a-
luica fdram arrancadadeseus eixtis, o to-
das as vidragas quebradas : essa casa Tica
distante do lugar da e.atastroplie talvez iOO
brabas.
Ignoramos a causa desso lamcnlarel
successo. OSr brigadeiro folias maro hall
director desso astabelecimento dnigia-se
oara visitar as oulci as, como lemporcc-
turne Indas as nianhnas, quando l'oi sor-
prendido polo torrivel e.strondo.
Nlocomprehendocomo haveudo a expo-
Silo feito sentir seus ellVilos at na casa da
residenciado marechal dircelor, arrancan-
do as portas dos gonzos, uo oflendesso a
este, que, acbanlo-se de caminho para as
ofllcinas deviaestar mais proximodo lugar
da catastroidie. Seniio Coi milagre, oi de-
sejo muilo forte de fallar no nomo do dircc-
tjr sem necessi laic.
A fragata ingleza Apollo, procedenlede
Cnrk com destino a ludia, para onde con-
duz um regiment de infantina de 700 pra-
vas, entrou neste porto no dia 7C0m ban-
doira amarella lijada no maslro de proa, o
fundeou grande distancia doancOlWouro.
Ao ai proximar-se a visil i da sade, decls-
rou o commandnnle que.haveiido-se desen-
volvido a bordo durante a viageni urna ino-
slia queaffecUra 50 pessoas, das quaes 18
Llleeiram, com synii lomas de cholera-
morbus, resolver pr-se de quarenlena
para evitar que 0 mal caso fsso essa mo-
lestia; sa communicasse as pessoas de lor-
ia; e assim inlelligcnciava a visita para
que fsscm tomadas as necessarias provi-
dencias. o da seguinte os jomaos, na
parte das entradas, mencionaran! achar-e
a fragata do quareulen i por suppoi'-se tra-
zer cl.olcta-inorbus; para logo derramou-
se grande susto pela populacho que, leudo
loJos os dias a narradlo dos estragos que
osse mal loui loito e va i fazendo em oulros
paizes, nfio podia deixar de horroriaar-aa
com urna tal noticio. O govorno, correo*
pondeudoao seiiliniento publico, prrslooj a
maior soliciludo ao negocio, providencian-
do o tomando todas as medidas precisas
prra Iranquillisar a poutliaQlto. Reuniram-
so os ministros no arsenal de marinha, e
ah deliberaran a vista do parecer do cor*
po de saiide, que, nRo obstante declarar es-
te que o resollido dos examesdemonslrava
ser urna dcsinteria a molestia que moiivtra
as dezoilo moiles, e uo cboloia-morlins,
convinlia tomar precaucOes, em todo o caso
necessarias, pelo menos para restabcUcer
o socego no lelo das familias.
E, i os, de Brcordo com o ministro inglez
o o commandante da fragata, digno de lou-
vor pelo seu prudente escrpulo, ivsolveu-
se quo esta sahisse do porto e fosse fundear
fra junio a qualquer das ilhas que ah ha,
que mola commodidadoo apresentasso pam
o desembarque da tripolarjlo, eniqiiantose
pinlasse e lavasse o navio. Escolheu-sea
ilha de Palma, urna das chamadas do Sanla-
Anna ao sul da barra, que tem urna peque-
a bahia abrigada, e para ahi segulo n fra-
gata no da 10, sendo-liie prestadas |'lo
nrsenal do marinha barracas de Campan ha e
velas para fazer os barraeoes neccasarios
n Acomianba a fragala o wipor D.-I'eiro,
diz o Jornal do Commrrciodaquelle da.abor-
do du qual seguetn cinCneiila imperiaes
maritiheiros que teein de fazer o eordilo sa-
nitario em rodado lugar onde se aquarto-
lar a tropa e a tripolae.o da fragata O .
Pedro obstara a coinmunicmao por mar, i
ficarilo por esla manrira os Inglezes inteira-
inenie solados. O Sr Tliomaz llowden,
nomeado pelo enearregado de negocios de
S. M. B. vaj lambem no D.-l'tdro para ser-
vir de interprete e prestar os servicos que
esliverem ao seu alcance.,, O estados'Hi-
lario da fragala continua a ser satisfac-
torio.
Desde que a Trgala approximou-se deste
porlo cessou o mal notado; o quando sa-
nio linha em seu hospital-apenas t enfer-
mos de molestias diversas. Estilo, porlan-
to, dissipados lodos os terrores doquedei-
xarimapossir-seoajliabitanlesdesta cidade,
rrela iJeia da apparic'So da cholera-morbus
aiz,alhi.jeisentodeliohorrivel
te agoa pura : felizmente nao foi preciso
laso
Por decretos do 28 do pissado forarn no-
meados os seguintes juizes de direilo :
Francisco da Serra Carvalho pnra a comar-
cado Alto-Amazonas, do Para; Francisco
Marinni para a comarca do C.avalcanti, da
provincia de Gogaz, vaga por nRo ter loe
F-ancisco de A'ruda Cmara, para ell no-
meado por decreto do 19 do dezcmtvo do
anno passado, solicado inda o sen res-
pectivo titulo rara entrar em exeic co ;
Polycarpo l.opcs do l.eiio pana comarca
da Chapa la,di provincia do Mnranhilo, va-
ga pe'a mes na ra-ilo. por n.lo Imver Flix
Peixolo de Britoe Melloap'icltailo o titulo
para entrar em ex-reieio ; Antonio Frm-
risco de Salles parala comarca do Principe-
Imperial, di provincia do Piauhy, que
lanibem se aelta vaga por nao ter Jos Fran-
cisco da Silva Amaral, nomeado por de-
creto de 17 do novembro do 1840, entrado
para olla. Por onlro da mesma dais de 28,
foi removido o bacharel Caetano Vrenlo
do Almcida do lugar de jniz de direilo da
comarcado Alto-Amazonas P*1 o de juiz
d*direilo do cima da comarca do Bonito,
em Pamambuco.
Ja he conheci lo o resultado das oleicos
de .S do crrenle em mais de meta lo dos
onUegios eloitoroos: o partido govcrnisla
Icm ve icido em mais de ires quartos do
iiumeio 'lestes. No municipio da CfuS a
opposiofio vi-nceu na frpguezia da l.igoi
( 9 eloilorea ) Inhimi (5 eleitores) o t"vo
melado dos eleitores na da Cloria ; IQ'a
perdo'u complelameiile.em Sanli-Uila, Can
delaiiao Kniienho-Vellio. Faz-ae ainla a
aptuacio de Sanla-Anno c Sac amento,
q e por ora aprsenla dilTorenca poueo
sensivel em favor du goveno j lio de crcr.
em reanlo, que ussasilias rreguezis nlo
triuinphea cnpa cerradoi oont'ein eleito-
res opiiusicionisias.
Ciloula-sa ipie em o lotal dos eleitores
da provincia e municipio neutro a onpo-
sicAo.venha a loruitsSSO votos, o o gover-
uo mais de 800.
Na manhflado ti entrn o Imperador dos
ponos do norle, trir/.en lo datas dessi pro-
vincia at 31 do passado Ficamos salien-
do que Podro Ivo ah la conserva gente reu-
nida para o lado de Agoa-Preta. O que
podero anda pretender esso senhores?
Diz o Mercantil q ue sede facto aquello ca-
pitfld acha-se iiovomeiito oum armas n.a
mflo, nina amnilia itria o mero mais promp-
lo e benfico de chamar a obiiemia legal esse
dtttmeto Branlrirol Esqueceu-se talvez de
pedir um posto do ace-'sso e una penao !
I'^ra uiMii he ipconCebivel que actual-
mente anda baja c beca 1.1o troslourada
que admita a nlcia de prolongar a mais
insensata Iota que so pode dar, parader-
ramar-se nuis o precoso sangoe braai-
leirol E para que Om? O que be quo se
pifente ? Se no comeen nada alc.iiicaram
muilo menos o alcancarflo ajora quando
fe cha disperso e aniquilado o txtreilo
liberal constamnte. lio verdade que acabo
de lr no Diario-Novo que a conslituinte
he a cruz do partido liberal, quo como
Chrlslo ha de leva-la ao Calvario; mas
lera o coiiilemporaneo csludado ejprccia-
do devidamonle o alcance do scmelhanto
IdeB 7 Sibeo que qu. r c pode fazer com
urna constiluinte Onde cqual o mal que
s ella pode curar Quaes as necessida-
uam t Qu- be-
um piiz cuja consliluico estabelece o mo-
do por que dave ser reformada. Esoa Idea
Iraz corasigoacreacuodeura poder anor-
mal, superior a ludo quanto existe, arma-
do de lo las as ficuldades sem rostriccoes
nem limites. Mudar a dynastia se Ihe op-
prouver. onsupp'imir a reat-za. malna-
r o imperiocm quintas nciona|i zer, eslahelccer urna aristoencia de raga,
abolir a escravido ; em summa orginisi-
r. como Ihe parecer, a snciedade segundo
seus interesses e preconceitos.
Entidades da nitnrcza deataa nllo sur-
m noestido ordinirio disocielad, Co-
mo o raio nilo lampeja no meio di bnnanc',
o como o raio, ludo desUoem sem nada edi-
ficar.
As sociedades nada locram com a ex-
posiijlo da theorias mais ou menos aoaixo-
nadas e extravagantes que brotam na estu-
fa incandescente do enthusiasmo popular.
Adiic.ussno vaga, sem limites, sobre lodas
as formas de governo, ahali as crencas na
efficacia de cada urna dallas e produz o scep-
ticismo. As ambiges crescem ao lado da
poimlariduJe que os alimenta, t justiga
pissa fe ser urna miquidade, a ra ro, a verdade urna hernia ; o interesse pu-
blico emmudece, as utopias se cruzam, as
pnixOeslascinam. a eloquencia arrasta, e a
p.ecepilago termina aquillo que o enthu-
siasmo comegnu. Dahi vem que desde que
ha constituintes no mundo anda n3o hou-
ve obra de conslituinle que vingase.
Quizera eu qu* os libenes-constituintes
dcpuisdelerem cssas lellexoes, e medita-
ren um poueo. tralassem de comhal-lis
coinsisudeza clealdade. Se cum snevrda-
de, e para bem do paiz, querem a constitu-
inlc, cxnonham francamente as rasflesdo
seu pensar. ir.ii'*-
Nfio falla as paixoes que pode ral'
rasSo.
Tehnawbuco.
em nosso pal
.les o vaotagens que a rectaui
neficio es.eram uo sua rcSTsagao r miiiio
de.-ejo ouviraesse respeitoos partidarios
dola: quero que me digamo que prelen-
dem, poique at o presente anda me nlo
apnniaram ;ecreio que no po lerflo fazi>-
|o una s necessidode que nSo possa ser
SOtiofeilO pelos meios pacficos c regula-
res do system representativo.
Perniiltam-me os leitores quo aqui llies
de a lr as seguintes n QexOea que sobre
esse assumpto escivveu ha poucoum Ura-
sileiro minio Ilustrado, rujo nom omit-
i, por me parecer que por modestia de-
seja conservar 0 anonvnio no seu esenpto :
um poueo longo he o tre-ho, mas eslon
ce. to que os homens sensatos nilo arrepen-
doi-se-lino de o tiaver lulo : ...
a O scnlimento de adhesiio constitutgUo
he o mais prolnn lamente arreigado na nos-
sa viopulac-io, pira que, com quo lim desar-
reigo-lo? Abandonar o prsenle conbeci-
do por um futuro que s-- perJo as incerte-
zas do acaso, no vago de aspiragOes inde-
fenidas, be dar falal applicaguao aplogo
do cao que delta a realidado pela sombra.
Anda se consltuigo prelondesse os
furos de imiiiiilavel o infallivcl, hypotbcses
se podwiam dar, quando ella no enrres-
pondesse a novasoxigenciassuciaes.em que
uiii.i assmbl> consliiuinle se loruasse nc-
ccssaiii. relizmeiito isso no so da. A cons-
liluiciio estabelece os iranmites pelos quaes
deve ser refononda. Prescindir Melles pira
so fa?cr revolucionariamenic aquillo que
so ple conseguir pelas vas legaes lie um
luxodoanarchi que nenhum homem de or-
dinario senso commum ple admrltir.
A convocagilo de urna conslituinte,
mrmente nesse estado de eflervescencia
cmqueacalaslrophe da dynaslia de jullio
cullocou os espritus, lieum cartel de desa-
li langado ao genio das rovulugOes que o
aceitara para reproduzir enlre nos as cala-
midades que pesaran sobre f Frauca nos
das do fevereiro ojunlio do anno passado.
Ent.'io o solo ha,oV tremer agitado em di-
versos partidomelo impulso desordenado
de lod.s as paixfl e interesis. N hora do
calaclvsma quem haver lo privilegiado
..._ ti;..K-> fihnr> Ara
CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
SESSA EXTnHOnDtSXRI F.M 20 D AGOSTO Dt
18W.
Presidencia do Sr, Otiveira.
Presentes os Srs. Barros, Mamado, Car-
neiro Montairo, Rirala. Franca, lr. Moraes,
Olvera e Miciol Vianna, faltando com cau-
sa participada o Sr. Franca, abrio-sea ses-
so, e foi lda e approvada a acia da antece-
dente. ,
secretario foz a leitura do seguinte ex-
pediente :
l!m oiliciodo ongenheiro cordeador, pe-
dindo explicigio dos arts. II c 90 do til. 7.
los posturas em vigor.Que se responderse
que, quanloao artigo II, nada Ihe diz res-
peito, porque he da privativa competencia
dos fiseses ; e quanto ao 30, v o eaecutan-
do e represente quando houver reclama-
ran dos particulares.
Outro do mesmo, requisitando um gr-
phometro, urna bosaola, umo plancheta
com sualdade, um nivel com suas compe-
tentes miras, o seis bandeirolas, para os
trabalhosaseu cirgo, visto se achajem os
instrumentos gnphicos que actualmente
possuo a cmara completamente estraga-
dos.-Que o procurador salisfizesse a requi-
sigHo feita exeepgflo do graphomelro.
Outro do fiscal de S -Jos, participando
nao poder comparecer sessSo por se
adiar no jury. Inteirada.
Oulros dos secretarios das mesas paro-
ehiaes da freguezia de S.-Anlooio e Var-
zea, remelln lo os livros das actas das
eleiges ultimamenle feilas.Inteirada.
Outro do juiz municipal da primeiro va-
ra, pe lindo urna lista dos eleitores da fre-
guezia de S.-Anlonio, e perguntandoseha
algum obstculo a que o concelho munici-
pal de recurso se rena no da 9 de setern-
bro futuro n casa das sess-s desta cime-
ra.Queso envasse a lista pedida, e quan-
to o mais so respondessealUrmativamente.
Mandou-so expedir ordem aos clavicla-
nos dos cofres municpaes para dellea tira-
rem e entregaron ao procurador um letra
de 3:334,000 ris, e outra de 205 000 res,
alim do se realsirem suas cobrancas para
se acudir a certas despezas urgentes, Bcan-
do o mesmo procurador obligado a prestai
as contis dessas despezas na sessflo vin-
doura. ...
Desfacharam-se as petigoes de Antonio
Pedro das Neves, de Antonio de Assump
Co Cabial, de Antonio Carneiro LeSo,
de Joaquim Demetrio Cavalcante, deJo*>
Peres Campello. de Jos Nabo do Amara
Lobo, de Jos Feliciano Portella, do Joi
Jos de Moraes, de Manoel Sabino da Costa
de Manoel Alexanlre de Souzo, de Pedn
Jos Nunes.^le Pedro Paulo dos Santos.
I.evanlou-se a sessilo. Eu, JooJwFtr
reir de Aouiar, secretario, o subscrev.-
OUveira, presidente. Hmrrot. Car**ir
Uonleiro.Drala.OUveira.branca.
EI.F.ITOTES DA FREGUEZIA DE BARREIROS
OS SF.SH0SBS.
Coronel Jos Antonio Pessoa de Mello.
Major Francisco Santiago Ramos.
CapitSo Joao d Rocha Wanderley.
Vigaro Zoilo Biptista Vieira.
Cirurgio Ignacio Alves da Silva Santos.
Subdelegado supplente Joaquim Cavalcan
le de Albuquerque e Mello.
Capitflo Francisco Cavalcante de Albuquer
que o Mello.
rie..lfn Anlnnin nrilioodeHollanda Ct
LADO


,'.' I .U..OXHEW
;^,...ti.mn-
03 SR.
fapiSo Manoel de Carros da Rocha Han-
derley.
CdadadiTo Joo Cuilherme AfiFouso de Mello.
Cirpl3o Pedro Ignacio Wanderlev.
Cidadlo Fernando de Barros Lia*.
FI.F.ITORES DA FRF.CUEZIA DO liflF.JO.
OS SBS. I0T0S.
Tenante-coronel Anto Francisco Cor-
deiro deCarvalho
Reverendo Jos Tlieodoro Cordeiro
Tcnente-coronel Izidoro Jos Dias dos
Sanios
I'rofessor Manon de Mello e Albuquer-
que
Tenente Antonio Alves Campos
l'rcdeiico Cordeiro de Carvalho
Mejor Francisco Cordeiro Dias dos
Sanios
Hilo Francisco Cordeiro Lima Falco
Candido Ladislao Cordeiro Carvalho
Ouinlino Herculino Monteiro (le An-
drade
Coronel Francisco Xavier de Paula Ca-
valcante
Manoel Cordeiro dos Sanios
Ilajnr Lourenr;o Bezerra Cavalcante
Capit.lo Bento Rodrigues da Costa
Alferes Francisco das Chagas I'creia
Collector Joilu Jos Vellio
Doutor Manocl Teixeira l'eixoto
Doutor Umhcliuo Ferreira Calilo
Antonio da Silva Barros
i'srrivflo Elias Francisco Bastos
Alferes Joaqun) Jos 'lavaros de Souza
Jos Cordci'O de Souza
Miiiin-1 Aprtgio Patriota
Major Joaquim Manoel de Mcdciros
Jos Curios Caldas
SUPPLENTES
OS Sns.
Antonio Joaqun) de Mello
Flix Cavalcanlo do Albuquerque
Antonio Bezerra Cavalcante
loflo Jos Vianna
Antonio Jos de Siqueira
los Francisco de Padua
Jos Antonio Pereira
los Joaquim lavares
1 rancisco de Paula Sales
Paulo Jor.luo da Silva
ligarlo Pedro Mariuho Palofo
'edro Ferreira Monteiro
llano! Flix Cxlumhy
'o> Tnvares da Fonseca
'e iro Cavalcante de Albuquerque
os Thoodoro Pereira
IhiiopI Ferreira do ,\ascimento
miSo do Sacramento Roza
'ulycarpo J.i.s de Albuquerque
oan Ricardo Cordeim
li| Ido da Silva e Alhurquerque
i Francisco Cordeiro
i de Albuquerque
freir de Azcvedo
n...o Fernandos Torres Galliodo
493
490
485
471
4 68
467
467
466
457
449
439
436
376
375
367
.;.'."
347
.39
325
319
316
309
303
303
VOTOS.
268
201
172
169
148
140
135
126
111
84
74
54
48
47
36
28
2C
26
26
25
24
20
20
-'o
1
despnmdeu-se dos bracos da familia, nao
trepidando um instante entre o dever de
cidaiblo e o de esposo, voou a affrontar a
morte em defensa da monareba, das ins-
lituicoes do paiz o da prosperidade da
patria. Tomou parte um varios combates
que ah boiiveram lugar, em um dos quaes
vio cahir niorto o cavallo- em que monta-
va, correndo sua vida eminente perigo. He,
pos, tilo disliocto correligionario que
apresentamos aossenhores i-leitorcs, corao
candidato deputaciio provincial. Seus
servidos sio tantos e tro relevantes, seu
mrito be lo conbecido, sua intelligencia
he tftodemonstrada,o linalmenle suaadliusiio
aos principios do partido constitucional
t.lo experimentada e provada, que nos
atrevemos a esperar que nao ha ver u ni
4681 eleitor que, leudo delles sccncia, deixe
de Ibe prestaro seu voto.
E deleito, se amor aos principios de or-
dem, firmeza e independencia de carcter,
capacidade intcllectual o servicos relevan-
tissimos coi prol da causado paiz, sao ha-
bilitarles bastantes dcpulacSo provincial,
quem as possuir em mais subido grao?
Quem neste ponto poder disputar psimazia
ao Doutor Lourenco Avellino de Albuquer-
que Mello ? E conscguintomnnte, quem
com justica llic negar o seu suffragio ?
Seria por certo, quanloa nos, injuslira,
ngralidao da parte de nossos amigos po-
lticos, agora que se aprsenla a opporlu-
ndade de galardoar os benemritos da
patria, csqiieccrino-nosdelle, nao Ibe dar-
mos um testcmunho publico do apreco
em que o temos, urna prova de gratdio,
urna recompensa em sunima digna de sua
dedicacAo. Esperamos, pois, que, vista do
que expendemos, nossos correligionarios
cleitores, compenetrados do grandioso
pensamento remunerar o merecimento -
de boni grado acolherSo a lombrauca c
recommoiidacfio que em favor de Uto pres-
timosocidado Ibes faz
_____________Um elcilor de Oliiula.
2
tOWffWEl(;|Oa
9:015,913
ALFA.\I)ECA.
Reudimento do dia 28.....
CONSULADO CEKAL.
Rendimento do dia 28....... 659,597
provincias........ 39,204
Diversas
698,801
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 28......
529,567
E para constar se niandou afiliar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesnuraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 24 de asusto de
1849. O secretario, Amonio Ferreifa da
XnnunciurnO.
O Illa. Sr. inspector da thesourariada
fazenda provincial, em virtude da resoluto
do tribunal administrativo, manda fazer
publico que, perante o mesmo tribunal, se
ha de arrematar no dia trinta do cor-
rente por venda, a quem maior pceo offe-
recer, o ferro "da grade velha da ponte da
Boa-Vista, avallado a 3,600 rs. o quintal, e
esb as condicoes abaixo transcriptas.
As pessoas que se propozerem esta
arrematadlo, comparecam na sala das ses-
sOos do sebredito tribunal, no dia cima
mencionado, pelo meio-dia.
E para constar se mandou afiliar o pre-
sente, o publicar pelo Diario.
Secretaria da Ibesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 24 de agosto de
1849. O secretario, Antonio Ferreira da
Annunciaco.
ii CondicSet especiaes,
1.* A base da arremataco do ferro da
grade velha da ponte da Boa-Vista* ser o
preco da avaliacilo, segundo o termo res-
pectivo, a tres mil e seiscenlos ris o quin-
tal, livre do despeza de remoco e de peso.
2.' O arrematante se apresentara no lu-
gar indicado para receber o ferro que for
extrahido, sendo previamente avisado pelo
arrematanto da nova grade, ou por esta ad-
minstrac.lo.
3. A remoco e peso do ferro ser feila
empresenta de um agento nomoado pola
adrainistraeflo ds obras publicas.
o Administrarlo coral das obras publi-
cas, 4 de IROStO do 1849. Jos de llanos
inicio de cerda, administrador.
--Ocaptlo do porto desla provincia pu-
blica, para conhecimento de todos os indi-
viduos empregados nos diversos ramos da
vida do mar, a portaria abaixo transciipta,
que pelo EXni. Sr. concelbciro de estado c
presidente da provincia Ibe foi remetlida
como ofllcio de 16 do corrale mez, vedan-
lndiee chronologico, explicativo e retnistiro da
legislacBo braiiliira, dude 1822aiV' 1848.
Sendo da mais reconhecida utilidade pu-
blica a confeccOo de urna obra, que, extre-
mando e apreseutaado por extenso a parte
da legislado brasileira que est em vigor,
e mencionando em resumo as leis ou decre-
tos que nomeam vice-presiilentes de provin-
cias, cria ni escolas, conceden) cartas de na-
luralisacao, cooferem pensfles, estabele-
cem regulamcnlos, e urna inflnidade de ou-
tras semelhantes disposicoes legislativas
que sij a urna ou oulra pessoa, a urna ou
oulra eorporacflo interessa saber em toda a
sua extcnsSo,reduzsse a oito volumes, pou-
co mais ou menos, os vinte e cinco a tunta,
de queja consta a colleccSo das leis do Bra-
sil iropressas na lypographia nacional;
pois que poresse modo, alm da diminuirlo
do custo a menos de dous tercos, obtam-se
a vaatagem de se adiar com niuilo maior
t'acilidade urna le que se procura para ser
consultada, e de se saber ao mesmo tempo,
se ella estem vigor, ou se est revogada
ou alterada por oulra, ao mesmo passo que
urna sen.elhanto collec$3o de leis se trans-
porta milito mais fcilmente de um para ou-
tro lugar: incumbio-so desse arduo traba-
Iho o Dr. juiz de direito Antonio Manoel
Fernandes Jnior, oqual acaba de dar luz
no Rio-de-Janeiro o primeiro volunto de tilo
til obra, compreheodendo em 200 paginas
iu l'olioa legisiacHo brasileira de 1822a 1830.
Varios ejemplares desse primeiro VOlume
existem j nesla cidade em nio do Dr. Lou-
icnco 'I ligo de Louiciro, actualmente resi-
dente as lujas da cas? do llim. Sr. desem-
bargador Baslos na ra da Aurora, onde os
Srs Drs., lentes e estudantes do curso jur-
dico, advogados, juzes municipaes, pro-
motores, delegados, cmaras municipaes e
mus pessoas quequizeiem subscrever para
Precisa-sealagar um sitio perto daei-
dade que lenha arvoredosde fruclo e de-
cente casa para morar familia : quem tiver
annuncie.
11 na largado 11 o/ario,
n.14.
l*ra armeiro,
tem a honra de prevenir ao respeila vel pu-
blico e principalmente aos seus freguezes
que elle acaba de receber um rico sorli-
mentode espingardas .de caca, de um e
dous caaos truncliados o adamasquinr,do<;
neste sortment hatambem algumas mui-
to cuitas para cacar as maltas e lag<.
Seus freguezes achario lambem um rico
sorlimento de pistolas, tanto de montara
como de tiro e de algiboira muito peque-
as ; boleos de cacadores entrancados
formas de fazer balas de todas as bieolas:
bem como concerta e faz qaalquer obra
pertencente ao seu ofllcio ; amla sempre
as torcas, quarlas e sabbados coro perfei-
C3oe brevidade.
-- Tendo apparecido no.Diariode Pernam-
buco un) annunco em que se procura in-
sinuar, que por sedcelo de escravos ineus
desapareceram escravos do po Candida de MagalhSes, devo com toda ener-
ga repel ir tSo injuriosa quanto inexacta
n>si(i'iac,io, pois que trahalhando eu como
herdeira nica de meu fallecido pai, o tW
nente-coronel Francisco da Rocha Paos
llarreto, para pelos meios judicines haver o
que he meu e que da heranca da meu pai
querem injustamente dedzir, nfotenho in-
teresse alguin em quesesubtraiarn bensque
me conven) exislam guando se tiver de
a mpressilo de referida coIIpcqo poderolr?,llMr segunda partilha como espero,
mandar por carta a declaragSodo seu noroe
e residencia ou declara-lo por este Diario,
fim de Ihes ser entregue o dito primeiro
volumo, e os subsequentes a proporcilo que
freni sabindo da imprensa.
O preco da colleccfio para os assignantes
he de 3t,000 rs. pagos na occasi.lo da entre-
do a entrada o sabida de quacsquer'embar- a dodito Pf'"'.e'ro volume e de 50.000 rs
cacoes pelo lugar denominado --Barreta,- F ,ra. 0S(l".e ,ll, ?*"gnarom, aos quaes se
Oapplicando as canoas, lanxas, jangadas,
. dimiii h mmmu.
RtCirc, i BB AGOSTO SX 18*
O paquete j-plez Seagull, entrado boje
este poito, tiouxe-nos jornaes IIun ncii-
s c baluaoos : estes ate 24, e aquellivi al
i do Correle
Nos peridicos do Rio-de-Janciro nada
mus aiem do que diz o nosso correspon-
de d^ corle na caria que r.omcllesre-
bnios, o que inse mus no lugar com-
iente. "
Quanto a Babia, polmos asseverar aos
itores que ella ficara peritamente tran-
i'lla.
Correspondencia.
AOS SENIIORES ELEITORES.
Hesem duvida urna occasi3o do grande
omento, do muilo apreco para todas as
as generosas, para todos aquelles em
jos coracesseaninham senlimentos de
alidilo o reconhecimenlo, a (|ue Ibes pro-
rcionu urna demonstradlo solemne de
lanto Ihes sflo charos sentimentos tilo su-
mes.
Esta occasio so ofTcrcco agora a todos
senhores eleitores da provincia, agora
elie quesillo da cscolha de nossas renro-
ntantea provinciaes. Conheccndo o genio
> carcter pernambucano, conscioda jus-
a que tanto enobrece e distingue o gran-
pariido saquarema da provincia, e con-
guintemente corlo de que nossos votos
rm ouvidos, nilo hesitamos um momen-
em fazer-lho um appello em favor d'um
s nossos mais prestantes c dedicados
religionarios, o loutorLorcnro Avcl-
ro de Albuquerque Mello.
Esto Ilustrado cidadilooi um dos pri-
liros que, arrostando com coragem as
rsoguiqOesda furibunda praia.quaodono
der se aprcsenlou no campo do jorna-
mo para a profligar, para a combater,
ra Ibe disputar palmo a palmo o terreno,
ando as sangras largas, as unturas do
la erao do alto da imprensa praicira pro-
madas e aconselhadas como mcios de
r fra do combate seus adversarios poli-
os, quando ludo era pavor, quando a
a de pona, e o ccete vonciam as cloi-
)s, e o adro de nossas matrizes como
; so assemelhava a urna floresta de pu-
les, o doutor Lourenco Avellino de Al
perqu Mello jamis deixou d'ahi se
escotar, do dofeoder s direitos do par-
o, de deouociarso publico as atrocida-
da lacean, suas ioiquidades/seus cri-
s, suas violencias.
ua dodicacSo Ihe azia desprezar todos
pengos, o levava a tudo envidar em prol
causa que esposava ; e roVmo nos tri-
taes sua voz mais de uma'veie fez ou-
e i. favor dos correligionarios oppri-
lose perseguidos pelo espirito de par-
o. Por toda parle a praia sempre o
:ontrou oppondo Ihe ombaracos, dispu-
do-lhe o campo, sempre deparou n'elle,
n3o o mais tcmivcl, ao menos o mais
istante o firmo adversario. E quando,
ada do poder, a accflosoltou o grito da
olla, o 'outor Lourenco Avellino de Al-
luerque Mello, que se achava uo Rio-For-
so.foi dos priiueiros que, acu.lindo ao1
RI0-DE-JANEII10.
CAMI1IOS NO DA H I1E ACOST.
Cambios sobro Londres 25 718 a 2(!
Pars :.S a 37J
" ilaiiiluir^M Ii8ll a 685
Metaea. Oncas bespanhdlas 30JD&0 a3i/ono
da patria iy5no a jx<8(io
PeeaadeQawO, vettias. i7>oo a isooo
Pesos lirspanbiics. 1^980 n -Ni mu
da patria 1/linO a l^.iliO
Pa Incoes .... l^ftO a l^JGO
Apnlicea de (i por rento 86 3/4 a 87 1/-
provinciaes 80 a 8(i 1/2
(Jornal ilo Commereio.)
BAHA.
cumas no niA 3 ni acost.
Landres........25 Pars .......... nominal.
ll.ilnliUn.n.......
Lisboa e Porto..... ltp. /.
natas.
Onfas hespauhlas. 3i>700 a 3i>"900
mejicanas .... 31/liOO a 3i/700
Pecas de G/4U0 ..... 17#500 a l/#700
novas...... iGTKiOO a 17^)100
Mocdas de 4,f0n0..... 9>j00 a 9/OO
Palaces brasileiros. "lyiiuo
.. hespanhes 2^000
mexicanos. 20u0
Mtrcanlil.)
.vloviruemo do 'orlo.
Navios entrados no dia 28.
Glasgow 63 dias, brigue inijlez Corf, q>
152 toneladas, caiiil.lo John shan, equi-
paeom 9, carga carv.lo de pedra, serveja.
I'.uendas e mais gneros do paiz ; a llid-
gway & Jamison.
Rio-C.rande-do-Sul 35 dias, brigue brasi-
h iro F.rhn, de ^M) toneladas, capitn Ala-
noel Joaquim "os liis, equipagem 13,
carga carne; a Jos Per-ira da Cimba.
Rio-de-Janeiro e Rabia lidias e do ulti-
mo porto 4, paquete ingle/Seagull, com-
mandante o lenle Smaille. Segu* para
Falmout!) com ospassageirosque conduz.
Navios subidos no mesmo dia.
Ass Briiue brasileiro Incunsavel-iHaciel.
capitlo Luiz dri Penna, em lastro
Bueno\ y res patacho hambuigucz Cari-
Kdolph, capilao .N. F. Fick, carga assucar
c ago'ardeiite.
liba de Fernando lliate brasileiro I'ara
hibano, capilao .Nicolao Francisco da Cos-
ta, carga varios gneros.
Paralaba Ibale brasileiro F.spadarte, ca-
pilAo Victorino Jos Pereira, carga va-
rios gneros.
apmiifanamnmsmaaa-a^
ote a disposii;o do artigo 20 do regula-
monto de 19 de maio de 1846.
Capitana do Porto de Pernambuco, 17 de
agosto de 1849. Rodrigo Theodvro de Frei-
los, capit.lo do porto.
O prcsidenlo da provincia, julgando
contraria a ba polica do porto e fiscali-
sar^So dos imposlos geraes e provinciaes, a
dupla sabida e entrada que oflerece o mes-
mo porto para as emliarcac,Oes, resolve o
seguinte :
Artigo 1. Fica vedada a sabida c entra-
da de quaesquer oinbarcacfles pela denomi-
nada Brrela, a qual sera trancada por meio
de correntes de forro.
Art. 2 0 artigo 20 do rogulamento de 19
de maio re 1846, que veda a sahida do por-
to a qualquer navio mercante depois de en-
trar o sol, ou antes dt-ste nascer, lie applica-
vel as canoas, lanxas, jangadas, e quaes-
quer outras embarcaes semelhantes ; os
contraventores incorrerSo na multa de que
Irata o artigo 19 do mesmo rogulamento:
o Art. 3. O capullo do porto tica encarre-
gado da execuco desla resoluco.
Palacio do governo de Pernambuco, 16
de agosto de 1849. floncrio Bermelo Car-
neiro Ledoo
Conforme. No impedimento do secreta-
rio, Jos Marcdlino A/mi da Fonseca.
vendo desde j o dito primeiro volume no
lugar cima indicado por 6,250 rs.
'i i i j j ti ......
Avisos martimos.
Declararles.
EDITA ES.
-- Pola inspectora da alfar.dega so faz pu
blicuque, ao da 29 do corrate, uo meio-
dia, se hilo de arrematar em hasta publi
ca oito duzins de lencos 'lo se la, por neto-
Ha duzia "7,500, total 220,000 rs., impug-
nadas pelo guarda Manoel da Fonseca dr
Araujo Luna ao despacho a. 566 do 22 do
corrate : sendo a uiremataraq^subjeita o
di re i los.
Alfandega de Pernambuco, 27 de agosto
de 1849. O inspector, Luii Antonio de
Sampaio Vianna.
Olllm. Sr. inspector da Ibesouraria da
fazenda provincial, em comprmanlo da
ordons do Exm. Sr. presidente da provin-
cia,de 7 e 8 do correte, e em virtude da le-
.lo orement vigente,artigo 43, manila fa-
zer publico que, perante o tribunal admi-
nistrativo da mesma Ibesouraria, se h.lo de
arrematar no dia 30 do corrento por ven-
da, a quem mais der, os proprios provin-
ciaes abaixo declarados :. .
O sitio na estrada do Fspinheiro que foi
re Sebastiflo Jos da Silva Braga, avahado
em 3:000,00o rs.
Parante a adininislra(3o do patrimo-
nio dos orphos se bao do arrematar, a
quem mais der, e pelo tempo que decorrer
do da da arreoiatacao al o fim de juubo do
1852, as rendas do aro azein da casa n. 14
da roa do Passcio c as da casa n. 27 da ra
doVigario ; ebemassim a quem por me-
nos liaer, os concertos de que precisa o col-
legiu dos orpbaos em Olinda: as pessoas
rjuo se | ro o/ciem a arrematar ditas ren-
das e concertos pdenlo comparecer no dia
30 do presento nioz na casa das scssOes da
mesma adniinistiaoao s4horasda tarde
comseus liadorcs.
Para a Babia sahe em poucos dias, por
so arbarcom mais de meia carga a bordo,
a sumaca Flor-do-\ngelim, mesnc Bernar-
do do Souza : para o restante e passageiros
trala-se com o mesmn mostr, ou com Luiz
Jos de Sa Araujo, na ra da Cruz n. 33.
-- Para o Aracaty tem de seguir com mui-
ta brevidade o lliate Novo-linda, por estar
muito udiantado em carga, alm da que
lem engajada : quem aiuda pretender car-
regar e ir re passagem, para oque tem es-
paco suMieicnle, se entender com o mes-
tro, Antonio Jos Vianna, no trapiche do al-
godn, ou na ra da Cadeia-Velba, n. 17,
segundo andar.
-- Para Lisboa o brigue portuguez Subli-
me capit.loJo2o Francisco de Amor, sa-
he com a maior brevidade possivel, por ter
o seu carregamento quasi prompto : quem
no mesmo quizercarregar, ou ir do passa-
gem, dirija-so aos consignatarios, Olivri-
ra Irmos i C., na ra da Cruz, n. 9, ou ao
referido capitSo na praga do Commereio.
A bem condecida
ii-iiiu ib. jardim botnico na cidade de
lamo da patria, c.rreu as armas a debrl-lOlinda, avallado en. 2 000,000rs.
a anaren-a, a combatir, com as armas I As pessoas que se propozer
"rilo, esse mpiriin n.iii.r,. ----- i
pessoas que se propozerem esta
Thealro de S.-Francisco.
QUINTA-FEIRA, 30 DE ACOST I)E 1849.
A beneficio do um artista, vai seeoa o
grande drama o
CASTELLO DE UVAL
oo
re Francisco I.
A repetiefio desle lindo drama tem sido
pedida por inmionsas pessoas cuja altonco
ello ancareou na primeira vez que foi leva-
vado a scena oeste thealro : sonrio que en-
tre ellas primam os Ilustrados Sra. acad-
micos, a quem o beneficiado lem a hunra de
se recommendar.
No fim do mesmo as duas jovens danea-
riio
A POLONEZA.
Fiada esta, o Sr. Sar.la-Roza cantar a
sempre applaudida aria que tem por titulo
A NEGRA AFRICANA
ou
A Quinlandeira da Baha.
Termiuando o cspetaculo co a jocosa
far?a
OS DOS,
na qual o dito Sr. Sania Roza far lodosos
esforcos para bem desem penhara parte do
Inglez.
Principiar as horas do coslume.
**S-MHBiaH
e veleira
barca nacional Firmeza, capilao
Narciso Jos de Sant'Anna, sahe
para o Hio-de-Janeirocom a maior
brevidade possivel : quem preten-
der car-regar, ir de passagem ou
embarcar escravos, trate com o
mesmo capilao, na ra da Madre-
de-eos, n. 3, terceiro andar.
Para o Rio-Ci ande-do-Norte, com a
carga que tiver, a barcada Diligencia : quem
uclla quizer carregar, dirija-se ra do
Vigario, a. 5.
visto como a primeira foi julgada aulla, o
s quem procura prejudicaroa meus direi-
tos podera ioteressar-se em que v3o oc-
cultamente para qualquer parle escravos
da heranea, reeebendo seus valores, para
na occasijio da partilha nao existirem e ailo
serem computados em prejuizo da herdei-
ra ligitima. O meu interesse, o meu proce-
dimenloea minha digaidade repellem es-
sa malvola iusinuaefioe injuria, que pe-
los meios legaes hade opportunamente ser
vindicada. Recife, 20 de Agosto do 1849.
tlaria Lucia de Uendonea Faes Brrelo.
**'-oiw!W:si^Rt^ww^wvwW i*.9.Rr>p{9?iMaaMaaaaiaRf7'
t; m
<% Na praca da Independencia,
I n. 10, ao voltar para a ra i
fdas Cruzes, alugam-se, ven- j
s dem-se e tsmbem se appli
^ cam as melhores bixas que ||
f he possivel havarem no mer- S
cado; lmpam-sn o tiram-se denles 'i-
Si! com toda a perfeicSo: lambem se ap jjj)
ft; plicam ventosas com a maior delica- %
% desa que be possivel o faz-sa ludo -
X o mais que pertence a arte de sangra- 9
t dor: ludo por preco muito rasoavel. P
Le i loes.
Gmwm&mim mwtmmimmm
-- Pede-se ao Sr. Jolio Nepomoceno Fer-
reira de Mello, morador ein Salgadinho,
que lenha a bondadode ler o seguinte an-
nunco, para saber se serSo os escravos ap-
parecidos em sua casa, se forem dignar-se-
lia mandar debaixo de toda a seguranza pa-
ra esta cidade a entregar ao Burgos.
AVISO IMPORTANTE.
Acaba-sc de ter seria noticia, de os escra-
vos abaixo mencionados andarem pelos
suburbios desta cidade commettendo rou-
bos e sendo a noMo recolbidos em diversos
sitios, por consentimento dos escravos ;
portanto previne-se a qualquer que nisto
possa interessar-se, e para que melhor pos-
sam ser capturados. Adverte-se que, po-
ili-ndo conslar-lhes desle aviso, queiram
evadir-so para mais longe, eassim pois, pe-
de-se toda vigilancia as estradas e lugares
suspeitos, para poderem ser apprehemiidos.
N;lo obstante darem a cerlesa de estarem
tSo perto, pede-se encarecidamente s au-
toridades e a todas outras pessoas dos luga-
res longincuos, do continuaren) na inces-
sante diligencia para os aprisionar, para o
que segu este oulro annunco:
200,000 rs.
O-se esta quanlia de gratificado a quem
levar so engenho Agoas-Claras.de Uruc,
da vi uva do Burgos, ou nesta praca, do
pateo do Carmo, |i. 18, segn lo andar, a
Iloje, 29docorrcnle, ha leillo de urna
pequea porco de barricas com bacalho,
em lotes e a vontade dos compradores : oo
arina/eui de Uncellar.
-- James Crablree & C. farSo leilao, por
intervencSodo corredorOliveira, devana*
porefles iio fazendas inglezas que sero ven- Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de
didas para ultimac.lo de certas cuntas- '-eon.os dous escravos seguintes que fu-
hoje, 29 do conente, as 10 horas da g''0) nos dias sabbado para domingo, 26
manlia em ponto, uo seu ai mazem, ra da a a7 d0 corrente : Vicente, pardo, de 26 an-
Cruz. nos, de altura regular cabellos creseidos e
O leillo de fazeodas de Adanison llow- 'P'nhadoa., testa eobresahida olhos pe-
ie & C. fica transiendo para quinta-feira Que,,os uariz chato, tomador de tabaco de
30 do correte, e lera lugar no seu arma- c,co ,osto descarnado e com espiabas,
/.em, na do Trapiche-Novo. | sul" uenhuma barba; levou 1 camisa do ma-
Quinta-fcin, 30 do corrente, no Cie, da Alfandega, armazem do Caala, |,av. Jaquelada bretanha, um. bonete de velludo
Iciio decaixasde massas, em lotes a von- 8Zul J' U9*do um cn,Peo Pl'a, 0"m
lade dos compradores.
dito de pello preto : Joaquim, crioulo bas-
tante preto, de 38 anuos, alio se eco, cara
iequeiia bem barbado ; lem o coslume da
ovar a mSo a barba ; he gago ; andar com-
U- passado j dizem ter m5i em Pajab-de-Flo-
m amigo do br. Dr. Jos res; foi escravo do capitao Leandro Bandei-
Bento da Cunha c t'gueredo es-|radeMoor,'do Apody .1u,,,e!cha pre
Avisos diversos.
la aulorisado para allitnar que el-
le nao se propoe pela piovincia
das Alaga deputaco geral.
O bactiarel formado Jofio de Barros
sentemeiite na comarca de S-Anlo, e lem
um sitio em Cravata ; presume-so terem
partido para o Apody onde ha muitos p-
renles dodito Moura; comquaulo o primei-
ro. andasso sempre em viagens dos aertOes
sul ao poente, com os cobradores desta
Publicaces I i iterar as.'
Publicou-se na Babia, onde tem tido mui-
ta aceitac.lo, e acha-se a venda nesta cida-
de do Recife liviaria da ra da Cruz, n.
56, o excellente livrinbo destinado espe-
cialmente para a leilura dos discpulos da
escolas primarias, o qual tem por titulo o
UOM MENINO, coritos de um mestre elemen-
tar, publicados por Cesare Cantil, traduzi
lo da II.' edic.lo de Milito, em portugue,
or llernanlinri f'arvalhn a., c,r...... .-------
Paleto de Albuquerque" Marnnhao advoga casa: este ultimo escravo levou um chapeo
nos juizos ciminal, civel e ecclesiastico :
na ra eslreila do Hozano, n. 20, primeiro
ndsr..
3S: Chapeos deso ^
Ra do Passcio, n. 5
Nesta fabrica ha presentemento um rico
sorlimento de chapeos de sol de todas asi
ijiialida.les, e de tudas as cores, asmis
lixas que pdem baver; chapeos do sol pa-
ra seuhora, dos mais ricos e do ultimo gus-
to de Pars: bem como um rico sorlimento
de sedas e panninhos imitando seda para
cobrir armaces servidas ebegado lti-
mamente do Fianca. Neste estabelecimen-
o tamuem ha chapeos muito grandes para
feitures de engenho.
preto de pello e oulro de couro, duas ja-
quetaa brancas, I caifa de brim pardo, i di-
ta de riscado, I camisa de madapolio,
duas ditas de algodao da trra e ceroulas.
Roga-se a vigilancia uestes dous escravos,
que vindo com muila brevidade, serSo
gratificados anda cora mais do que se offe-
rece.
-- Precisa-se de urna mulher idosa para o
servicc- de urna casa de portas a dentro: na
ra do S.-Jos, n. 3.
Precisa-se de urna ama para casa de
pouca familia : na ra do Livramento, n.
38, se dir quem precisa.
O Dr. Lourenco Trigo de Loureiro re-
side actualmente oas tojas da casa do lllm.
Sr. desemhargador Bastos, na ra da Au-
rora, entrada pelo lado da mesma_rjj
MUTIL/


Precisa-se alugar um escravo pera o
I servio da um estrangeiro: paga-se *>em .
na rua do Sol, n. I j.
-- 0 abixo assignado, senhor do enge-
nhoCsnand.iba faz saber a quem quizer
comprar o engenho Camassary-dos-Frades,
que o respectivo prior o reveron.lo fre
Joo reconhecendo o abuso e e grande
prejqiio que so lhe se haver levantado mala de quatro palmos
a ptrededoacudesrandedo mesmo enge-
nho Camsssary, lhe havia promettido que,,
ao pasar a respectiva ascriptur* de venda,
se preveneri ao comprador do esbullio que
se fa7ia ao abaixo assignado com se haver
elevado a parede do dito acude mais do que
era ordinariamente, ou poria a condiefin de
ser o aceresefroo da referida parededomoli-
do e o a^ude posto em aeu estado natura!.
K pira qoe qualquer comprador nfio se cha-
me a engao entendeu o abano ass-gna-
do fatei o presente annuncio loM" oa-
quim da Chngas.
0 contratante d'agoa dos chafarizes e
bieas do squedueto do Prata tem resolvido
arremataros ditos chafaaizes e bicas por
bairros ou rarriaes : os prelendentes di-
rijam-seao Aterro-da-Boa-Vlsta n. 44, das
6 as 9 horas do da e das 3 as 5 da tarde ,
que ahserflo patentes as condicOes ou a
ra daaLarangeiras. n. 18. primeiro andar.
Mreoise-se de urna pessoa capaz que
fres um hico largo de toalha e de outra
que lave roune de varrella : na ru* estrella
dodtozario, n. 43, primeiro andar.
- Alugam-se 4 pretos, bons para serven-
tes : na praca da Independencia loja n. 3
Quem quizer roup lavada e eniromma-
da com perfeicao dinja-ae ra Direita ,
n. 29.
Precisa-sede urna mujher para pensar
urna enanca de 9 annos na Camboa-do-
Carmn, n. 10, primeiro andar.
Deseja-se fallar encarecidamente com
n Sr. Jnfto Estevea Freir de Andrade na
ra da Cruz venda n. 31, para o seu roa-
no llre fazer entrega das recoro mendaces
que tem recobido de seu mostr, pois u an-
nuncaiil* ignora a sua residencia ; por isso
faz o presente annuncio para ver se mis
depreasa apparece, ou alguem que delle
de noticia.
Precisa-se de um boro amassador : no
pateo do Terco, n. 30.
Quem precisar de urna ama para todo
o servic.0 de portas a dentro, diiija-se ra
do Hurtas, n. 28.
Alugam-se, trocam-see vendem-se ca-
v. los : derronteda repaiticfio da polica,
loja do convento de S. Antonio.
Preeisa-seall-r ao Sr. Jos Antonio
de Mallos peixoto Guimarfies, qu veio pa-
ra ei>t cidade ero dezerobro de 1839, ou Ja-
neiro de 1810 : na ra do Trapiche, n. 34,
segundo andar. .
O abaixo assignado desde o anno pas-
sado que recebe assucar e mais gneros do
paiz para vender em commissfio : quem do
seu prcslimo se quizer ulilisar, dirija-se a
ra Direita, venda n. 23. -- Joo Hypolilo de
Mtira Lima.
Precisa-se de um homem, preferindo-
se casado e com pouca fan>ilia, que esteja
no caso de leccinnar coro perfcicfio a cinco
meninos primeiras e segundas lettras em
um engenho distante desta praca nove lo-
gos : quem esliver neslas circumslancias
e queira ontrar em ajusio, dirija-so a ra da
Cadeia do Recie, escriptorio de Jos Perei-
ra da Cunha. No mesmo escriptorio prcci-
sa-se de urna pessoa para caixeiro em um
ongenho.
Precisa-se de uro prelo para trabalhar
em um sitio : a tratar na ra da Cruz, n. 2
-- Aluga-se una bonita casa nova, para
se passar a festa, sita no Poco-da-Panella,
so p dorio o junto a doSr. Vioira Mon-
Iciro : a tratar na ra Imperial, n. 67, ou
na ra do Vigario, n. 7, primeiro andar,
onde tamben se alugam escravos.
*
# Cactano Xavier Pereira de Btito, 4
$: doulor em medicina, annuncia ao .4
> respeitavcl publico, que fixou a sua ,*
> residencia no Aterro-da-lla-Vista, 4
$ n. 43, onde poder ser procurado a 4
t> qualquer hora ; o d consullas graiit <
* aos pobies, das as 9horas da roa- 4
f nliaa. $
<
Precisa-se de um pequeo para caixei-
ro de venda: na ra Velha, n. 16.
Lotera do Gi.adnlupe.
He anda transferido para o dia 31 rrnle o andamento das rodasdesta lotera,
vi sin que osle se nao prt.ie realisar nu da
13 anuuncado, por exist' arala por ven-
der.um numeio tal de bdhetes, que nfio ha-
bilittiu o respectivo tliesoureiro para effei-
tuaro dito andamento, queso depende da
prompta venda dos mesinos bilheles.
Na ra do Queimado, n. 14, se dir
quenVd dinheiro a premio. Na roeama ca-
sa com am-i' obras deouro e prata no es-
la oem queestiv rem.
Uo ningos Alvos Mthcus, agente da fa-
brica de tape superior aieia preta da Ba-
bia, lem aberto seu deposito na rm da
Crut do Recife, primeiro inania casa n
38, onde se achara sen>| re deste excellent*
e maia aeieditado rap que at o presente
se tem fabricado no Itiasil : vende-se em
botes de urna e de meia lilira por prec<>
mais commodo do que em outra qualquei
parle.
-Manuel de Almeida'Lopes que costu-
ina comprare veuder escravos nmdou su
residencia da ra 00 Vigario, n. 24, para a
ra da Cadeia do Ib cite, n. 40.
Daniel Osoiio de Souza, l'orluguez, re-
lira-se para forado iii>perio.
Urna mullier .ie idade se dispOe a ser-
vir ero casa de humero solleiro, sem paga
11.culo, porm sim pelo su-ti-nto e o aposen
lo : na rua da rraf-uo-Caldeireiio, n. 17.
Precisa-se de 300,0<0 rs. a piemio so-
bre hypotheca em urna escrava : quem qui-
zer dar annuncie.
Quem tiver reeebido ha seis mezes ou
lia I auno a esta parte alguna negocios viu-
dos da cidade do Porto por mando de Do-
mingos Francisco Maia, queira declarar poi
estafolha, uudirigr-se a ruada l'raia, n
H, aen Aluga-se urna casa terrea ero Olind*,
na 1 na do Amparo, 11. 31 : a tratar na ra da
Cadeia do Kecife, 11. 52.
por seus bastantes procuradores aos Srs.
Leonardo Scbuler, C. A. Bordorf e A.
Schlaipriz. ......
- Perlenee ao Sr. Manoel de Mello Albu-
querque, professor de primeira leltras do
Itrejo-da-Maure-ue-Deos, o tneio bilhete de
n. 2.6i4 da segunda paite da torceira lote-
ra favor das obras da igreja deN. S. do
Guadalupe da cidade de Olinda.
-Quem quizer dar Iresa quatro contos
de rs. a pieroio com hypotneca em urna
propriedade e com os juro* do un aum e
um quarto, anm.neie: a piopuedade he mu-
rada e tem baixa para capim.

BOWMAN & MC. CALI.USI engenhei-
ros roachinislas e fundidores de ferro, mu
respeitosamente annunciam aos Senhores
proprietanos ileengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negocianles, fabricantes e ao res-
peitavel publico, quooseu eslabelecimenlo
le ferro movido por machina do vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acba com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualidade para a perfeita confocefio
das maiores pecas de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arle; Bowman k Me. Callum
destejan mais particularmente chamar a
sttencSo publica para a sseguintes, por
terem dellas grande sortimonto ja prompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas ero paiz es-
trangeiro, lano em preco como ero qua-
lidade das materias primas e mito d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor construyo.
Moendas do caima para engenhos de lo-
dos os tamauhos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra
ras.
Manejos independenles para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzes e chumaceiras.
CavilbOcs e parafusos de todos os tama-
itos.
Taixas, pires, crivos e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por animaes, e prensas para a dila.
Chapas de fogilo e lomos de farinha.
Canos de ferro, torueiras de ferro e do
brnnze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a nio, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macaco.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, verandas, grades e porliies.
Prensas do copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de mfio e arados de ferros,
&c, &c.
Al.Mii da superoriade das suas obras, j
gralmcnle reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remettidos
pelos Senhores que se dignareni de fazer-
Ihes encommendas, aproveitando a occasiSo
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por clles honrados, e asseguram-lhes
que niio pouparfio esforcos e diligencias
para continuarem a merecer sua coni-
inca.
K. Kayner retira-se para fra da pro-
vincia.
Quem annunciou querer comprar o
livro Temporal e eterno querendo a obra
formada em 5 tomos ero um s volume, di
rija-se ra do Mundo-Novo n. 30.
Precisa-se de uro caixeiio para um de-
posito de padaria : no pateo da S.-Cruz, pa-
daria de urna s porta.
Quem annunciou querer lavar roupa de
varrella dlrija-se ra do Rangel, n. II ,
primeiro andar, na esquina que volla para
0 irem.
I'ergunta-se ao Sr. Manoel dos Carva-
lliaiso quequer dizer em porluguez a pa-
lavra Irompetudo ''
O abaixo assignado estudanle do se-
gundo anuo da academia de Olimia, doac-
cordo com seu pai, tem transferido a sua
residencia para a ra das Flores, sobrado
n. 1 e all se propde a reccher alumnos
exbrnose internos, para Ibes insinar as
primeiras leltras, lingos nacional e fian-
ceza geometra, e rlietorira prometlen-
lo o mais desvelado IraUmento, medanle
um mu non extipendio. As pessoas que o
referida residencia das 2 horas da larde ero
d 1.1 ule. Vaiconcelloi Coimbra luniur.
I)3s-se 500,000 rs. a premio de dous
por cent ao mez sobre penho> es de mu-..
e prhta ou hyrolbera ero alguroa casa :
quem quizer aununcie.
Mi ama Millochau tem a honra de
naiticipar que niudou a sua casa de mo i^
francezas do primo andar do Aleiro-da-
lioa-Vista n. 1, para a loja da niesma ca-
s, aonde as si horas echarlo sempre un>
grande sorhmeiuo de modas como : cha-
1 eos, manteletes, iencos, luvas. Lieos, flas,
flores, bordados, e ero geral ludo que us-m
as senhoras por preco comniodo : tam-
bero se fazem chai eos, vestidos, raniisi-
uhas, etc. ludo na verdadeira moda.
l'in rapaz portuguoz se ollerece para
caixeiro de venda ou para outro qual-
quer negocio, por ter bastante pratlCa de
commeicio e dar Mador a sua conduela :
quero de seu prestimo se quizer ulilisar ,
dirjase a ra Direita, n. 35.
Quem tiver um sitio com boa cas ,
* que seja perto do riue com lugsr parase
tomar baiiho, sent queira alugar, dirja-
se SO I lo te I-Fia iic isco. *
Precisa-sede um homem que entenda
le tratar de um sitio : na estrada que vai
para Helui, na primeira casa do lado es-
ijuerdo, n. 4
No sitio do abaixo assignado foi ter urna
escrava que diz ter do Sr. doulor Rales,
procurando quem a comprasse, por assini
estar aulorisada, e como nfio levou aulori-
sacSo alguma, o abaixo assignado previn-
do estar lugida, pioaeteu-lbe de ir fallara
-eu seu senhor para dilo lim, e pelo presen-
te participa ao Sr. doulor Rales para a mau-
lar buscar pois seiiiio respousabilisa pela
r... .1 a.i. .n... 1 p aut.-.'.. j.
leeoas e junto da cidade da Victoria 2 le-
gn, a tratar cora o senhor do dito en-
gC-Piecisa-sodeum rapaz rara caixeiro
dP ru : na ra da Cruz armozem n. 26 ,
ou no segundo andar por cima do mesmo
precisa-se do um caixeiro para entre-
gar pso em una freguezia com um prelo :
no palea da S.-Crux, n. 6.
.1 ppde-se por o' sequo ao dono do cer-
lalojadefazendasd Boa-Vista que anee
suas vistas de compaixSo para a sua loja,
alim de providenciar, e poder entrar no
ennhecimento das immensas psurams que
all se rraticam por seu caixeiro o que ho
dse lastimara imprudencia deste rapaz,
e a roesma com que estas pessoas sem ex-
cepcSo, permitiera a dizer-lhe que a nfio ser
a su envenenad lingoa nfio lhe resul-
tavam s'quatro bengaUdas que no di 26
do|corrente as recebu. so miseria, da fr-
gil naturez que efleilo nenhum produz-
rmero abono de sua emenda, e se tallo
desta maneira .razOes para isto tenbo, que
a tanto me obripam porque ja vivo cansa-
do com o peso de suas infamias, cujas co-
mo vizinho, na minha presenca sao prali-
cadas 1 pens com a presente lembranca
nfio offender ao Sr., do que lhe peco des-
culpa por ser o seu Amigt vitwho.
Anda se aluga a casa da ra da Palma,
n. 6 : a tratar na ra do Mundo-Novo, n. 30.
Na ral Nova, n. 35, loja de
alfaiate, precisa-se de costureiras
para colletes.
THEATRO l'E S.-FRANCISCO.
Tendo-se perdido os bilheles de n.. 7, 8.
18, 30, 35 e 50 pra o beneficio de dous par-
ticulares no di 6 de selembro ; os bene-
ficiados previnem quo nfio teem val
taes bilheles acim,csoap arecam. Os
mencionados bilheles eram em papel ama-
relio, a se-fio substituidos por ouiros em
papel branco, e levam as costas alm da
llrmados beneficiados a declarado s.-guin-
te: Por se ter perdido outro. Isto en-
lende-se nicamente com os nmeros do*
bilheles cima mencionados.
Umbelina Wanderley l'eixoto, com au-
la de primeiras lettras n ra da Cadeia,
no segundo andar do sobradcyla esquina do
bateo do Ouvidor, acceitarpensionislas,
meiis pencionislas o discipulas externas,
pelo preco seguinte :
Pensionistas, commedoria e ensino. SO.flOO
Meias ditas, dita dilo. 10,000
Discipulas exlernas. 2,000
Serfio tratadas com lodo o desvello, en-
sin-sea lr, escrever, contar, giaminalic
portugueza, lavarinto, marcar e boidar de
todas as quali'lades : e llavera mesties de
msica edanca
<*
*
*
?
<
- Vende-se um. taberna coro poneos fin- ~ V^SSPT\. oatq'uin. que"
dosebemafreguezada.na ra do ^V^^^%x^AoJ.^^-^
n. 19 : a tratar na roesma Irti-rna. volts par a rm das <
- A borda da escuna Tentadora, ebegada
A bordo da escuna lenlaaan, cieg.oo e. ^- "V ;, com Im8 mo-
do Rio-Crande-do-Sul, ven.le-se sebo ero ^J^^^J'^jSmJM,
|: Fabrica especial de
cadeiras, na ra
larga do Rozaro,
11. 10.
^ llenrv Dnman c Jules Imalz
teem a honra de avisaran
respeiUvel publico que ac- .
Liiiii de abrir sua tenda de J
marceneria. onde hilo de ^
fabricar especialmente ca- ..
P deiras francezas, americanas e al- ^
s> lemfias, sophas e marquezas. Os an- *
* nuncianles, chegadosha p'ouco tero-
* po de Franca, Iravemos modelos os *
JT mais lindse mais comroodos que j
^| so fazem agora, e por issose acham ^
'i^. habilitados para satisfazeras pessoas ^
^ que quizerem honra los com sua f
y. confianca.Osmesniostanibemseen- *
carregam do concert de qualquer <-
* mobilia de assento que se apresen- *
* lar, eos seus freguezes flcarflo con- *
J" tentesdo modo que serfio servidos, J
lauto em promptidSo como em sol- ^
S dez e preco barato. <
gk. #
mmemm
Coiopris.
Comprase urna escrava quo seja de
na< fui: na ra do Nogueira, n. 15.
Coropram-se um caliriolel: na travessa
da Mllllre- lie- l'eus, II. 18.
Compra-se effeclivamente ago'arden-
te em pipas pelo preco coi rente, aind
mesmo seiu'o aniaieila : na fhluica ders-
piritos, na rus da l'raia-de-S.-llila, n. 17
Compram se os livrns seguinies :
Flos Sancioium ; o Desengao dos perca
dores ; DhTereiic entre o temporal e ter
no ; urna estante pequea : quero tiver au-
nuncie.
Compra-se um relogo de ouro pa-
tente inglez cujo preco nfio exceda de
160,000 rs.; um annelCo dos que se usa.
rom o peso de 3 a 4 oitavas anda mesmo
com alguro fciiio : na ra da Senzalla-Ve-
Iha n 96, se dir quem compra.
-Compra-se um moleque de 12 a 18 au-
nes que seja de bonita figura e de boa
conduela : na ra Nova, n. 20.
Vendas.
Vendem-se 5 lindos moleques de na-
Clo e crioulos. de 12 a 20 annos, sendo um
delTes bom oflicial de alfaiate ; 3 mulali-
nhos, de 11 a a 18 annos, buns para pagero ;
3 n ulatinhas de 16 a 20 annos, coro algu-
roas habilidades ; 4 pretas para lodo o ser
vico ; I dita com todas as habilidades ; 2 di-
tas de meia idade e que se tendera em con
la ; 6 pretos bons para lodo o servico ; an-
s ni como oolros muilos escravos : na ra
da Cadeia do Recife, n. 40.
Vende-se a obra franceza completa ,
deJ J. Rousseau 25 v. ; o msicas para
band mililar : na ra Direita, n. 39.
Vende-se, na loja do Dutrle, na ra do
Cahug o. 1 C., loucas de Ifia .para senho-
ra e meninas ; seda para bordar de todas a.-
cores e flores viudas ltimamente de
Lisboa.
Na livrara da praca da Independencia,
ns. 6 e 8, vende-se
Manual elciloral
rctroz e de melal dourados, P n ag M g8 Venilem ns rua larga or gosto que toro vmdo a M wi n 35 ,., do miudezas.
ado; ricas caixas de costura *} vendem-se saccas com arinha de mu-
_^ a* .-nnlmfl CllliarlOa ttaft a> .. .1. > n m lim II 1
rama, ror barato preco.
Vende-e urna escrava do 18 annos, com
cria ecom todas as habilidades: quem a
pretender, dirija-se rua da Praia, n. 43,
segundo andar, que se dir -quera vendo.
$Mk*aiximMi aww.^fflg
At*ncao aos barote;rus|
do Aterro-da Boa-
Vjsa.
No Alerro-da-Roa-Vista loja fe I
miudezas, n. 54, dos bom conbecido*
| barateirosEsliina& llamos, vendo- v
8 seom ricosortimento de botOes de j
' seda de rctroz a de melal dourados, $
2 do mclhor
fl esle mercad,,
"M com realejos para senhor ; supeno
't res estojos com navalhas de mola, a
t chefWos ltimamente do Inglaterra; -
^ ricas filas de seda lavrada e do to las p
% as larguras ;bicose rendas de linho if|
| do raelhor gosto possivel; supeno-
res escovas para denles; loucas do f
Ifia para meninos e senhora ; papel de ijf
co-es ; dito par lulo ; dito de peso;
dito de machina ; dito de perlina ; >q
peonas mnito superiores o de todas jg
as quididades; lapis para dosenho ; ~,
g crefies finos par canelas ; Caivetes g
? linos pira p-nnas ; superiores lesou- |
I ras par unhas ; ditas para alfaiale ; w
| ditas para senhora ; bant'jas de lo- i*
das as qualidadcs ; meias de algo-lito *
decores, para senhor e meninas; |*
| ditas brancas ditas de seda preta ; |?
escovs para cabello casaca ai cha-
peo; facas egarfos de cnlio do mar- |
$ fim ; ditas do cabo de unicorne ; leilo s!
$ virginal de rosas para lirar manchas l
m esardas do rosto; lencos francezes ;B
I do algoilfio; suspensorios da todas
-J as qualidadcs; peines de marlira e de
I bfalo superiores ; agulhas france-
'4 zas; bengalas de balis ; o nutros
i muilos ohjoctos quo a vista da boa
8 qualidade e proco commodo niu-
^ gera deixar de comprar.
i liara inumawu.
- Vende-se um excellente cabriol de bo-
niln raor-i", i"""" ". r .. vi<>.
las e muito forte : no Atterro-da-Bda-V.sta,
cocheira lo Haymundo.
- Vendo-se ura pardmho de 13 annos,
por necessidade : na rua do Fogo, u. 2J,
so dir quem vende. .
_ Vende-so urna pardinha coro IM"j
de linda (hjura, propria para mucamba .
no boceo do Sarapatel, sobra lo, n. ia-
- Vendoro-sees ids prate.das para ol -
ciaesda guarda nacional: na rua Nova, loja
de ferrayens, n 16. de Jos Luiz IVre,1-
- O mellmr culileiro de Londres desco-
hrio una t-mpera da CO que fel um*'''
roa .Me capidicada sobre outra qualquer
o redoi a p, o he desto mesmo ac que
agora forera fricadas as melhores nava-
lhas de barba, muito superiores as aa \mi-
, to boa qualidade; couro de onc ; ura di-
I lo de lontra; 4 onneloos ; um cordao jI J
cruzes de ouro: ni rua do Queimado. n. i.
--Vndese um burro novo, muito bom,
! chegado lia pouco do serlfio : na rua da ca-
deia do Recife, n 51. _
- Vondo-so u m prelo moco, Dom oiu-
cial de sapateiro: no pateo do Terco, n.
20, primeiro andar.
Chitas a IttO rs. o
v:
ki
Veudem-se duas du'/ias de cadeiras de
Jacaranda, 2 cnn|s, dous jogos de han-
cas. 2 mesas de iii-o de sala com alguin
uso, cadeiras de oleo, mesas de jopo, ditas
le meio de sala, camas de aninrello c de
angiro, eoulros diversos trastes, por proco
commodo : na rua da Cadeia de Saulu-An-
tonio, n 18.
Continua-se a vender a muito superior
manteiga ingleza (polo diminuto preco de
6*0 rs. a libra : no Alerro-da-lloa-Visla, ven-
da n. 54, pegada loja do Estima,
Vende-se um escravo peca, de 20 annos,
hora para o traballiode campo ou da praca ;
una preta de 40 annos, por 300,000 rs., que
eozinlia rauito bein, lava e faz todo o mais
servieo n. 21, primeiro andar.
Na loja do Ihiaile, na rua
do Cnbug, n. i C, vendein-se fi-
las de selim lavradas, stns de
cores, bicos de linlio e seda, e le-
souras fabricadas cm Giiiinaraes.
--Na rua das Cruzes, n. 22, segundo an-
dar, vendem-so 5 escravos. sendo : Q mole-
cotes de 18a 22 anuos, sendo um serrndor
e outro cozinheiro ; urna ciioula ro 18 mi-
nos, com habilidades ; 2 pretas de 30 a 40
annos, que sfio quitandeiras.
\'ei,den -e pocas de panninbo com vara
de largura e de 12 jardas, a 2,000 is. ; pe-
cas de somma, do 10 varas, a 2.000 rs.; ipe-
cas do zuarto da India com 12covados, a
2,400 rs.; cobertores de algodfio america-
no, a 560 rs.; picote azul,a 160 rs. o cov^do;
e pul ras militas fazendas de linho eseda por
barato ireco : na ruado Crespo, loja n. 10.
Baratissimo.
Vendem-so meias de seda brancas e pre-
tas, compridaso nlgnmas abertas, del,000
at 2.00U rs. o par ; Infusado pellica para
liuoiem e senhora, de IC^Tl 1,000 rs. o
par ; iim faldamento proprio para pagem de
palaiiquini ou cadeiiiiiba, de panno azul,
muito fino ecom abotoadura dourada": na
rua do Ciespo, loja u. 5 A, eo p do arco de
Santo-Antonio,
Vendo-se, por preco commodo, na rua
do Toin s, n. 46, um braco de halanca com
Conchas, 11 arrobas de pesos raixfto para assucar com 3 reparlinonlos,
2 sucaiorcs, 63 letlras de cobre, urna p de
re ro.
Vendom-se orulos do armaefio azuese
brancos, pira todas as idade*, a 800 rs o
par ; lin mIo pellica linas, a 1.600 rs o pr;
balius para guardar joias, a 800 rs. ; ben-
galas grossas, a 1,000 rs. ; fianjas para cor-
tinados ; meias de sed para senhora; ca-
misas de ii eia para hornero ; lencos de se-
da para siguiera, a 1,600 rs.; filas lavlas
de seda, piopiias para chalos de palhi-
iiLa ; suspensorios de seda ; ditos de borra-
cha ; meias de laia para padres; ci pachos,
a 720 rs.; carleiras de alglbeira, a 240 rs.;
e unirs minias miudezas baratas : na rua
larga do Ro/ario, b ja n 26.
'Vendem-se galoes e volantes de todas
as qualidades; i na espeguilha o rondas
Lraiicaso aniarella : ludo por preco com-
modo : no i-ni a/oni de molhados, n. 11, por
baixo do sobrado do reverendo vigario do
Recife.
Vendem-se 6 lindos moleques de 12 a 18
annos; oiio pretos do 20a 25 anuos, sen-
a
covatio.
Vendem-se chitas do cores escuras, a 120
rs. o cova lo ; riscadinhos francezes finos e
de cores lixas, muilo lindos, a 240 rs. o
covado ; lencos de cassa cora eorcadura pa-
ra hombros de senhora, a 240 rs. cada um:
esguifio do algodfio lino, coro quatro pal-
mos e meio de largura, proprio para cami-
sas de senhora, a 320 rs. a vara : na rua do
Queimado, n. 8. Dfio-se as amostras.
-Noarmazem dobaraleiro Silva Lopes,
na porta da alfandeg, vende-se vinho de
Rordeaux, era quartoUs, e da melhor qua-
lidade quo vero, a este mercado.
Quvijos londri :os e pre-
suntos
para fiambre ; conservas ; latinhascom bs-
coulinho inglez : ludo chegado de Liver-
pool pelo ultimo navio, por preco mais
commodo do quo em outra qualquer parle :
atrs do Corpo-Santo, armazemde molha-
dos, ii. 66.
Relop,ios tle nova invengo.
No Aleiro-da-Uoa-Vista, loja n 48, aca|a
de recebor-se urna pequea porefio d-
logios para cima do mesa, de muilo
gosto, os quaes regulara muito bem, ^
muito bons para os Srs. de engenho, l
ser fcil a conducefio : s restara 6.
__ Vende-se um pardo robus-
to, de a/| annos, perfeitamente en-
Icndido no servico de compo e sem
vicios na loja da rua do Crespo,
n. i5j de Cunha (Juimares ck
Companliia.
JNo enligo deposito de cal
virgem e de potassa, na rua do
Trapiche, n. 17, vende-se muilo
nova e superior cal virgem de
Lisboa e potassa da lUissi, por
precos muito commodos.
\'ond-se um superior eavallo, preprio
para cabnolot: na cavallarice do Sr. David,
na rua de Appollo.
Nos armazens de Francisco Dias Fer-
reira o no de Leopoldo Jos da Cosa Arau-
jo, ha para vender o mais superior vinno do
Porto que tem vindo a este mercado, era
barris de 4'. 5o, V e 8' os apreciadores p-
d-m soilir-se porque pouess vezes c vom
fazcnila igual.
Vende-se superior lio de
algodo para velas: em casa de
Gco: Kenworthy & Companhia,
nu rua da Cruz, 11 a.
___ Yende-sc um bonito carro
de quatro rodas com assentos para
6 pessoa* e arreios com guarnicScs
de melal branco, feito na Europa
e sem uso algum: na rua do Quei-
mado, n. 17.
Vendem-se massos de meias
de linho, ltimamente chegadas do
Porto ; dilos de algodo grosso,
por preco muito commodo : na
praca da Independencia, casa ama-
relia, n. 1.
Vende-se urna preta crioula, de 16 a 18
anuos, que sabe determinar o servico de
urna casa, engomis, coseecozinha sofTri-
velraente, a qual he propria para una fa-
milia ingleza, por fallar a respectiva lin-
goa : c comprador se dir o motivo por
que se vende : na becco da Lingola, n. 5.
Vende-se urna escrava moca, que cose,
lava de sabfio e varrella, coziuha o diario
de urna casa, e nfio lem vicios nem acha-
ques, por preco commodo : na rus Velhs,
numero 16.
A 'ihO rs. o le 1190.
Na rua do Queimado, loja de miudezas,
ile Jos Dias dmes et Companhia, vnden-
le ; duas negrinhas de 9 a 12 annos ; 3 par-
das de 23 a 24 anuos, cora algumas habili-
dades ; 4 pelas de 20 a 30 anuos, sendo
una dellas boa cozinhoira : na rua do Col-
lcgio, n. 3, segundo andar, se dir quem
vende.
Pechinchas
do dous cozinheiros c um oflicial ue alfaia- ;se, por 2M rs. linos lencos de carabraia de
algo So, coro cercadura do mimosas llores,
proprios parfmfiosde .senhura, u lambe ra-
para humero.
Bicos da India e China.
Na rua do Queimado, n. 16, loja de miu
dezas, de Joa Das Simos & Companhia,
vendem-se bicos de superior qualidade, de
todas as larguras, proprios para babados.
por preco mais barato do que em outn
qualquer parte.
Franjas para cortinados.
Na rua do Queimado, loja de miudezas
n. 16, de Jos Dias SimOes & Companhia
Na rus Nova, defronle da ConceicSo, ven-
dem-sc lencos de IBa, a 160 rs.; chales de
Ifia, a 560 rs.; cambraias muilo finas e de
bom gosto, a too rs. a vara ; riscados em
cassa muilo finos, a 280 rs. o covadu ; cas-
sas francezas muito linas; apalea de linho;
contendo a le regulsmeniar das eleicfles* | hnns linos; casimiras, a 5,000 rs. o corto;
ADO


Para escravos.
Vendem-se cobertores de algodflo ameri-
cano a 560 rs. cada um: zuarte de charirez.
a!60rs. o covario; dito trancado, a 800
rs. o fiiviln ; pecas de ganga azul da India,
con 4 palmos de largura e 12 covados a
2,400 rs.: na ra do Crespo, loja n. 10.
Queijos londrinos.
Vendem-se pelo mais barato preco de
610 rs. a libra, superiores quoijos londrinos,
chegados recentemenle : na ra do Arao-
rim, n. 36.
Cortes de brjm enfranja-
do de puro linho a
I,80 rs.
Vendo-so brim pardo de linho a 1,280 rs,
o corte, e cor de ganga mutio fino a 1,500
rs.: na rui do Queimado, n. 8.
Vendem-se corles de cambraias ada-
mascadas proprias para vestidos, a 3,000
rs. ; ditos de la lagares, a 1,600 e 2,500 rs. ;
cassa-chita decores fixas a 300 rs.; lan-
zinnas para vestidos, calcas e roupa de me-
ninos, a 320 rs. o oovado ; fazenda de lila
com lislras de seda propria para vestido
de senhora a 610 rs. ; ISas para calcas, de
nuiilo liom gusto e a 2,200 rs. otrle; cortes de cassa, a 1,400
rs. cada um ; panninhocom vara de lar-
gura a 240 rs. a vara, e a 2,500 rs. a peca
com 10varase meia ; chales de pura 1,1a ,
a 2,000 rs. cada um ; fustoes para rlleles,
a 500 rs o corte ; e outras omitas fazendas
por barato preco : na ra do Crespo, loja
n 15, de Cunha Gtiimares & Companhia.
Cortes de brim de puro
linho, a 1,280.
- Vendem-se corles de brim trancado
pardo de puro linho, pelo diminuto preco
de quatro patacas : na ra do Crespo, loja
da esquina que volla para a cadeia.
Vendem-se relogius de ouro e prata,
patentes inglezes: na ruada Senzalla-Nu-
va, n. 49.
Rap roldo francez.
Vende-seo superior rape rolSo francez ,
nicamente as lojas dos Srs. Caetano l.uiz
Ferreira no Aterro-da-Boa-Vista n. 46 :
Thomaz do Mallos Kstima na mesma ra,
n. 54 ; Francisco Joaquim Duarte ra do
Cabug ; Pinto & IrmBo na ra da Cadeia
do Recito, n. 19.
Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
chegada neste mez pelo brigue Haria-Joii:
a tratar na ra do Brum, armazem de
Ap'onio Augusto da Fonseca, ou na ra do
;o. n.19.
Vcndem se presuntos inglozes para
.. re ; latas com bolachinhas de Lisboa ;
trnas de araruta ; ditas de mermelada de
1, 2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervilhas ; ditas de chncolate de Lisboa;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja; barris com azeitonas brancas de
Klvas ; garrafas com viudo moscatel de Se-
tubal e da Madeira ; queijos de prato ,
frescaes: tudo novo e chegado ltima-
mente do Lisboa : na ra da Cruz, no
Itccil'o, n. 4G.
Chd hrasileiro.
Vende-se cha hrasileiro no armazem de
niolliados, airas rio Corro-Sanio, n. 66, o
mais excellente cha produzido em S.-Pau-
lo que tem viudo a este mercado, por
preco muilo commodo.
Vende-se um alambique francez e de
cobre com pouco uso que leva a caldeira
50 caadas com muito boa serpentina de
estanho fino que pesa 300 libras : este
alambique trabalha por dous systemas, um
que serve para destilar ga'apa o oulro pa-
ra resillar ago'ardenle ; para este tem tres
ratificadores os quaes fazem com que o
alcool saia sem cheiro, muito superior em
grao e muito simples para qualquer pessoa
poder Irahalhar: acha-se montado o promp-
to a trabalha r i ara o comprador ver : tam-
bem se vende urna machina de fazer limo-
nada gazosa agoas mineraes e vinbo
champanha : tudo por preco commodo : no
Aterro-da-Boa-Vista n. 17 fabrica de li-
cores, de Frederico Chaves.
4cs fumantes de bom %o%to.
Noarmazem de mnlhados atrs do Cor-
po-Sanio, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor viudo do sul, superio-
res charutos S.-Flix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em oulra qualquer parle : bem como
eigarrilhos hespanhes, ditos de pal ha de
milho, que se estilo vendendo pelodiminu-
o pre^o de 500 rs. o cont.
AGDNCIA
da fu n di cao Low-Moor,
RA DA 8EWZALT A-NOVA, N. t7.
Neste estabeleciuiento conti-
a a haver um completo sorti-
nento de moendas e meias moen-
Jas, para engenho; machinas de
apor, e tachas de ferro batido e
:oado, de todos os lmannos,
>ara dito.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de ajgodfio amen-
uno, encorpados e grandes a duas pata-
as ; chitas escuras, de bons padrOes e e-
es seguras, a meia pataca o covado : na
ua do Crespo, na loja di esquina que vol-
para a cadeia.
Taxas para engenho.
Na fundico de ferro da ra do Brum,
caba-se de receber um completo sorlimen-
ode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
uaes acham-se a venda por preco rom-
nodo e com promptidfio mbarcam-se,
iu carregam-seem carros sem despezas ao
imprador.
Cadeiras de palhinha e
de bataneo,
iem cono oulro muito*trastes: vendem-se
m casa de Kalkmann IrmSos, na ra da
Jiuz, n. 10.
Vende-se champanha da mais superior
(validado que tem viudo a este mercado : i
Superior cha hrasileiro.
Vende-se superior cha de S.-Paulo em
caixinhasdeumaeduis libras: na ruada
Cadeia do llecife, n. 51.
(Barricas.
Vendem-se barricas vasias queforam'de
farinha em p e bem srcondicionadas :
na ra do Amorim n. 35 casa de J. J.
Tasso Jnior.
A 640 rs.
Vendem-se cobertores de algodflo, muito
ancorpados, proprios nara escravos a duas
patacas cada um : na ra da Cadeia-Velha,
G> Na loj da ra do Crespo, O
* n. 6, ao p do lampeao, ven- 1
dem-se os acreditados hrins "fe
O trancados de puro linho. 0
& Cortes de brim trancado pardo, a O
O 1,280 rs. ; dito cor do ganga, a 1,440 O
< rs.; dito muito fino, a 1,600 rs.; di-
O lo branco listrado, a 1,500rs ; piro- (
g> te, a 180 rs. o covado; chitas escuras Q
q e de cores fixas a If.O e 180 rs.; co- Q
a berlores americanos, muilo encor- /y
C pados a 640 rs. o corte ; cortes de ,
i? cassa branca pa'a vestidos, a 2,000 Y
L rs. ; pecas do ditas para bandos, a Sr
;? 2.400 rs. e a 32o rs. a vara ; chapeos Je
g de massa a 1,600 rs. ; ditos de seda 9
9 a 640 rs. ; ditos a 400 rs.; fustes pa- V
O ra rollete, a 480 rs.; .dito superior a >
0 640 res. &
& O
OOOOOOOOO OOOOOOOOG
FARINHA DF. MANDIOCA.
A melhor farinha do mandioca que tem
venda he a bordo do brigue Mintrva, chega-
do deSanta-Calharina, e fondeado na praia
do Collegio, onde se vende a preco mais
commodo que em qualquer oulro barco ; e
lamhem se pode tratar na praca do Com-
mercio, n. 6, primeiro andar.
Deposito da fabrica de
rodos-os-S'nlns na Baha
Vende-se em casa de N. O. Humor & C.
ia ra da Cruz, n. 4, aleodSo trancado
aquella fabricaamnito proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
1,980 ris.
Vendem-se superiores cortes de brim
trancado do puro linho cor de lama de Pa-
ria pelo barato preco de 1,280 rs.: na ra
do Crespo, n. 14, loja de Jos Francisco
Das.
A 400 ris.
Vende-se superior esguiflo de algodlo de
qualio palmse meio de largura, proprio
para camisas de senhora e jaquetas polo
barato preco de 400 rs. a vara ; bretanhas
do rolo com 10 varas, a 1,600 rs. ; supe-
riores c>tes de fustes alcochnado a
1,28o rs.; ditos miados a 400 rs. o corlo :
na rus do Crespo, n. 14, loja da Jos Fran-
cisco Dias
l-otha de Flandres.
Vendem-se caixas rom folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na ra
do Amorim, n. 35.
Bombas de ferro.
Na l'unilicfio de ferro da ra do Brum ,
vendem-se superiores bombas para cacim-
ba assim como de repucho para fazer su-
bir agoa casas al altura de 4a 5 andares.
Charutos de Ilavana
verdadeiros: em casa de Kalkmann Ir-
mSos na ra da Cruz n. 10.
Marmelada nova.
chegada ltimamente do Rio-de-Janeiro,
vende-se por preco rommodo: r ras do Cor-
po-Sanlo armazem de un.II,arios, n. 66.
Pichincha.
Vende-serba hyssnn de superior quali-
dade pelo preco de 500 rs. a libra : na run
do Crespo, n. 23.
A 'i,000 rs. a eaix i de
cencha rulos.
Vendem-se charutos regala de S.-I'elix ,
ditos Catadores, cavalheiios, regalos de Ila-
vana i- culi iis lodos de superior qualiitn-
ile, pelo mdico preco de 2,000 rs. a caixa
de rem : na ra Nova casa de comestives,
n 69.
Vende-se rap de Lisboa,
chegado ltimamente, a 3,aoo rs.
a libra : na ra da Cadeia do He
rife loja de Antonio Joaquim
Vidal
Superiores cartas de
Vendem-se superiores cartas de jngar,
em i'Orco e a retalho, |or preco muito
commodo: na ra Nova, casa de comestives,
n.69.
Castorina francez, a 650
rs. cada covado.
Na loja que faz esquina para a ra do Col-
legio n. 5, vendem-se os novos castorns
francezes muilo encorpados, padioes no-
vos. escurse com lislras pela beira, pelo
barato pirco de 560 rs. o covado.
Vendem-se riscarios escoeezes cooi
vara de largura, a 290 pintadas de cores fixas, a 240 rs. o covado;
pecas de panninho de vara ile largura, com
12 jardas, a 2,000 rs. : na ra do Crespo,
loja n. 10.
A ellas antes que se acabem.
Vendem-se ricas luvas de pellica para
hornero e senhora pelo diminuto proco do
1.000 rs. o par: na ra do Queimado, o. 17.
l).1o-se as ao ostras.
Vende-se um preto proprio para o ga-
nho, ou qualquer servieo bracal, por ser
muilo retorcido um moleque: na ra la
Cadeia do Recito, n. 39.
A 360 rs.
4
cores muilo fixas, a 200 rs.; ditas lavradas
de diversas cores, a 180 rs. o covado : na
ra do Crespo, n. 14, loja de Jos Francisco
Dias.
Tecidos de aljodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-Santos.
IVa ra da Cadeia, n. i>'2.
vendem-se por atacado tres qualidades,
proprias para sacros de assucar e roupa de
escravos, a 250, 280 o 300 rs. a vara.
Pannos finos preto e aznt,
a 3,000 rs. cada covado.
Na loja da ra do Crepo. n 5, de Cuima-
ra>s& llenriques, vendem-se pannos !*-
lo e azul, linos, pelo barato preco de 3,000
rs. cada covado c alm destes ha um com-
pleto sortimento de todas as cores e pre-
sos commodos.
Chales de Roberto do
Diabo.
Na loja de (mimarnos & llenriques, ra
do Crespo, n. 5, que faz esquina para a ra
do Collegio vendem-se os novos chales
grandes intitulados Roberto do Diabo pe-
lo baiato preco de 1,600 rs. cada um : esla
fazenda se torna muito recommendnvel ,
porser do padrOes novos, e de lindas
franjas.
Ha ra do Crespo, n.5
loja que faz esquina para a ra do Collegio,
vendem-se chitas francezas largas e de pa-
drOes muito modernos pelo barato pieco
do 280 rs. cada covado.
Na ra da Cruz, n. 3, vende-se cera do
carnauba de superior qualidade por preco
commodo.
Vende-se um panlinho de 12annos o
um mulalinhodell, ambos muito bonitos,
proprios para ollicio, ou pagens ; ua ra lar-
ga rio Rosario, n. 35, loja.
m
(> Para liquidar-sc. m
<* Vendem-se, por barato preco cor- 4
fifi les de veslWo decamhraia com barra <^
branca o de cores, a 1,440 rs. ; meias %
+ decores para senhora, a 1,800 rs. a 4
? duzia ; ditas para meninas, a 1,000 (>
#>; rs. ; suspensorios de meia, a 1,000 p
* rs. a duzia ; botoes do duraquo a (
<% 240 rs a grosa ; lencos de seda para 4
* algibeira c hombros de senhora, a ?
{> 400, 500, 800, 1,000, 1 200, 1,400
> 1,600 e 2.240 rs. : no pateo do Car- t>
% mo, n. 18, segundo andar. 4
m
lloinho de vento
Vende-se o monlio de vcnlo eslaheleci-
do em Fra-de-Portas para o fabrico de
farinha de milho com as competentes ma-
chinas de penetrar e ventilar. As vanlaBens
que este estahelecimento offerece so to
manifestas, que intil se torna fazer dellas
aqu minuciosa desrripcHo. O moiiihosella-
se em eslado peifeilo e em tiabalhoeffec-
tivo o moe para mais de 2 alqueires ( 12
arrobas) de milho diariamente, o disto
qualquer se pude convencor indo-o exa-
minar i oralguns minutos quanrio est tra-
bnlbando. Os pretendentes dirijam-se a
qualquer hora ao mesmo monillo que ahi
achar.lo com quem tratar. Observa-se que
esle monho de vento, sendo lodo feito de
ferro sobre fortes esleios de madeira pode
em poucos horas ser lirado do lugar em
que est e collocario em qualquer oulro que-
mis convenha ao comprador.
JNovidade.
Na ra do Collegio taberna de Antonio
Jos Alves da Fonseca, vendem-se bixas no-
vas viudas ltimamente do Lisboa por
preco mvis barato do que em oulra qual-
quer parte.
Veniieni-se8 escravos de 18 a 95 an-
nos sendo dous co/inheiros; um pardo do
18 anuos, de elegante (guia o que he pro-
prio paia pagem ; j escravos proprios para
o servieo de campo, por enlenrierein mili-
to desso Irabalho ; um moleque para lorio
o servieo; una panla por commodo pro-
ejo ; 2 pretos do 20 a 25 annns, rom ulguns
principios de habilidades: todos estes es-
cravos vendem-se por preco commodo : no
pateo da matriz de S.-Antonio, sobrado n.
4, se iina quem vende.
Vendem-se portas, janellas, carros de
mito peritas de cantura, armacOes para
camas de vento um jogo de gamito : na
ra da Praia, dei'ionte da ribeira, ns. 9 e 12.
A 1,600 rs.
Vendem-se casimiras escuras com 6
palmosilc largura e elsticas, proprias para
palitos, calcas e jaquetas, a 1,600 rs. o co-
vado : na ra do Crespo, loja n. 5 A, ao p'
do arco deS.-Antonio.
Ao baralo.
Vendem-se, na luja dama do Crespo,ao pe
do arco de S.-Antonio.n. 5 A,corles de cassa
com sete varas e de cores fixas a 2,500 rs.;
ditos superiores a 3,000 rs. ; corles de col-
lele dcT?orgur!to de seria a 2,500 rs ; dilos
de fusilo branro a 500 is ; i reas de cas-
sa para babarios, a 2,560 rs. ; cortes de cal-
Cas de pello do diabo, fazenda 4nui(o en-
corpada a I.OtiO rs.; ricas manas de seda
para senhora meninas, a 6 e 8,01.0 rs ; cor-
les de casimira elstica de urna s cor cla-
ra, a 4,000 rs.: bem como lambeni se ven-
dem objeclos de armador como sejam es-
pegu Ibas, iends, volantes, ele
aeccoe de calda, em porcCcs grandes e. pe-
queas, por barato proco: na ra Impe-
rial, n. 67.-
lslojose yisporas.
Cheguem ao resto aritos que se cabe.
Na ra do Queimado, n. 22, vmdo do Ro-
zarlo segunda loja, rendem-se estojos pi-
ra senhora, com urna c.ixa de msica e
maispertenecs para costura; es'njoi com
todos os perlences para barba ; boleas da
China proprias para senhora ; grandes e
divertidos jogos de visporas: tudo mais
barato do quo em ootra qualquer parte.
0 <3
O loja da esquina que volta
0 para a cadeia, t'endern-se q
f\ os acreditados brins trancados bran- @
rt eos, lisos, de listras e de linho poro, q
i a 1,500 rs. o corle; ditoamarello a j
J? 1,440 rs. ; dito muilo superior, a q
X 1,600 rs. ; picote muito encorpado
s proprio para escravos a 180 rs. o .
9 covado; panno prelo muilo fino, a ^
O 3,200 rs. o covado ; cassa de quadros W
O para babados, a 2,000 rs. a peca ; lu- y
5> vas de algodilo de cor, milito finas, a 'c
0 240 rs o par ; chitas rouxas com fio- O
<:', res encarnadas, de tintas seguras, a \-i
q 180 rs. o covado ; cassas protas, pro- (}
ry, priaspara luto, a 160 rs. o covado; g
pecas de plalilha dealgodSocom 25 *j
i( varas, a 4,200 rs.; e outras muitas ^
9 fazendas pur preco commodo.
Madapoles finos a
3,600 rs. a peca.
Vendem-se madapoles linos, com 24 jar-
das com um pequeo loque de mofo pe-
lo preco de 3,600 rs. a peca : na ra do Cres-
po lojada esquina que volln para a ca^
dea.
Qlieijosde quallia.
Vendem-se queijos de qualha muilo
frescaes, chegados do Ceara pelo ultimo
vapor : na praca da Independencia, loja
n. 3.
Vende-sciun sitio no lugar do Arraial,
com boa casa de vivenda e diversos arvo-
redos o .ju.nl foi do fallecido Jolo Dutra :
na ru de S -Amaro, n. 10.
Vendem-se 18 barricas j promptas para
assucar, por barato pr*CO : na ra do Amo-
rim, n. 13, primeiro andar.
Vende-se urna batanea completa, de pe-
sar assucar, com ptimo braco novo o o
mais certo possivcl : no armazem de assu-
car por detrs do arsenal do marinha na
ra rio iirum.
Vendem-sedous lindos mulalinhnsdc
14 annos-; um ptimo moleque de 14 an-
nos ; 3 boas escravas de bonitas figuras ,
que engommam bem ; 4 ditas de lodo o ser-
vico ; um ptimo esciavo : na ra llireita,
n. 3.
Vendc-se urna cscrava parda de 20 an-
nos que corta e faz urna camisa de ho-
men o um vestido de senhora e todo o
mais servieo de urna casa de familia ; um
moleque de 16 annos de boa conducta c
quo he ptimo para o servieo de urna casa,
ou para o servieo de campo : na na do Col-
legio, n. 21, primeiro andar, se dir quem
vendo.
Vendem-se queijos frescaes do Cear ,
a 320 rs. a libra : na ra estrella do Roza-
rio, venda n. 1.
Vcnde-se a Historia do cerco do Porto,
em dousgrossos volumes com um map-
pa das posicoes que ocenparam os partidos
naquella poca pelo diminuto preco de
0,000 rs., encadernada : na ra do Quei-
mado, n. 11.
Vende-se um moleque de 15a lan-
nos, de bonita figura : na ra da Cruz, no
Recito, n 43, loja de harheiro.
Vcndem-sc eouros miudos de cabra :
na run Nova, n. 20.
*\ Cera em velas. *,
$5 Vendem-se caixas pequeas com
A
cera om velas B muilo bem surtidas.
i
Farinha barata.
Vendem-se sacras com muilo boa fa-
rinha de mandioca por barato pre- f
CO : no armaiam do Racelar, em fren- f
leda rampa da alfanriega a tratar
com Machado & Pinheiro.
Linhas de bordar.
Na ra do Queimado, loja de miuriezas,
n.16, de Jone Dias Si ni Oes & Companhia,
Vende-senamburgo muilo fino, de 3 pal- vendem-se linhas de superior qualidade,
1S C meiO de larPnri nrnniin rr ln

5 por ser del at 1l em libra, fabrica-
da no Rio-ilo-Janeiro em um a das t
I melliores fahriras por preco mais i
V barato do que em oulra qualquer par- V
A te : trata-se com Machado & l'inheiro, ft
y na ruado Vigaiio, n.tfl. B
>
Nectarea bebida
O mcllnr vinho do Porto,das colheilas de
32, 36 e 1842, em barris de qualro, sete 0
oito em pipa proprios estes para mimos,
vende-s pelo oorrwlnr Oliveira, e no ar-
mazem rioSr, Jos Rodrigues l'ereira : es-
le vinho he rio melhor que se bebe na In-
glaterra e muilo apetecivel para aquellas
que silieni aprecia-lo ; mas quem esto pre-
djcfrio nilo liver escusado he procura-lo,
porque tan hem n.lo saliera ebegar ao pre-
CO. embora barato relativamente a sua qua-
lidade, que por ptima escusado he enea-
recer-se.
Vende-se um carro de mito, de 4 rodas,
muito bem construido, pa>a conduzir toda
c qualquer qualidade de volumes: na na
do Brum, armazem de assucar, por delras
uoarsenai du marinha.
-- Na venda que foi de Jos da Penha, na
ra Direita, ti. 23, vende-so Hiisnteiga in-
gleza de 480 a 800 rs b libra.
Vende-se, na ra Direita n. 27, vinho
160 rs a garraa e 1,240rs. a caada ; car-
ne de touciuho nova n 90 rs. o libra ; nian-
leiga ingleza muito boa a 640 rs. a libra, e
azeite de peixe a 320 rs. a garrafa.
j\a ruado Jlangcl, n. 8,
vende-se aletria boa talhrm o macarriio,
pelo diminuto preco de 140 rs. a libra; ar-
roz de 8 libras para rima, a rasio de 2,000
rs. a arroba ; fejSo superior ; farinha da
Ierra ; e outros gneros de boa qualidade:
ludo por preco commodo.
Chogw in ao barato que
poueas vews apjrarece.
Na praca da Independencia, casa ama
relia, n. 1, vendem-se conos da fazenda de-
nominada pelle rio diabo, de superior qua-
lidade a 1,440 rs. ; ditos de brim rrtr do
^ayij
lores de slgodo americano, a 560 rs..
ahilas de ssento escuro o de cores llxas, j
160 e 200 rs..o covado ; os hem cmihecidoi
riscadinhos do qnadroS de pOrt linho, a
?00 rs.; ditos de chita proprios para cami-
sa, a 180 is. o covado.
, Vende-se, para fura da provincM', um
scrvo de 20 annos, de bonita figura, sem
vicios nem achaques perito offlcjal de
oleirode toda obra como quartinhas, mo-
ringos, etc.: o motivo por que so vende se
dir ao comprador : na ra do AragSo n
15, ou na otaria do Sr, doutor Percira.
Vendem-se dous csixfles para vend,
um balcSo do amareljo em bom estado, um
Imlanca grande, Ccaixasdc pinho para de-
posito de alguma cousa licores, azeite do-
ce, vinho, ago'ardenle branca, d aniz e rj0
reino, vinagre, e outras muitas cousas
ludo por muito menos de seu valor: na ruj
do Colovello, n. 31.
Vende-se um jogo do breviarios novos,
por preco muito commodo ; um Horacio
traduzidoaop da Ultra: na ra da Ca-
deia do Recito, loja de torragens, n. 63,
Vendem-se alguna mergulhos de par-
reir moscatel, proprios para, serom leva-
dos para qualquer parte : no pateo da S.-
Cruz padaria do urna s porta.
Vende-se Ainho engarrafado a 3 annos,
lano linio como branco o maie superior
quohahoje no mercado: bem comovinltn
daFigueira, a 160 rs. a garrafn : na ru,i
dasCruzes, n, 20.
Na ra da Cruj, n. SJ armazem de a
Araujo, veude-se urna poreiio de calcio
feito no Arcaty: bem como sola e couros
miudos. .... f
fcscr>*\oft l-iii/u o>
Fugio, no dia 26 do correnle, a prelt
M>ria, de naco Benguela com marcas de
chirote no peito esquordo o as rostas;
tem urna marca de queimadura no braco e
osps grossos* com gaforiha ; levou ves-
tido rie chita rftxa e panno da Costa : quem
a pecar leve-a ra do Itangel. n. 27.
Tea 50.000 rs. ''e graiificacflo quem
aprehender o escravo Caetano do cor fula,
pouco mais alto do que o regular de W
annos pouco mnisou menos; tem asprr-
nas zamhias ps mal feitos, peraes finas,
o as canelas com marcas de fi-ridas; tem
signaes de acoites as nadegas ; fbi preso
no uia 17 do correnle e fugio na estrada do
sul no Barro: quem o levara Jolo Xavier
Caineiro da Cunha, nesta praca, ou a Jos
Pedro Vellozo da Silveira e na fregue/ia
da Kscada ao engenho Casanga recebe-
rariilagratificac.lo-
-- Fugio, em das do mez pnssdo, o es-
cravo Patricio, crionlo.de 30 anuos poucu
mais ou menos ; he desdentado na frente;
tem urna fstula no rosto,, .por. causa dos
denles, c de mais a mais he capado de um
grifo ; qilandn fugio anda nfo poda andar
muito bem por causa de urna molestia que
leve : tem os ps um tanto nchados ; quan-
do sabio ia em trajes de pobre de pedir es-
molas, com um pao na mSo e um sueco ati-
ra-collo branco, mas foi visto na ribeira da
Boa-Vista como quom era torro e andva
tirando esrnolas, porm como he muilo
manhoso edepoisque se achasse nielbor
talvez tomasso a estrada do sertAo por elle
muito conheuid a.principalmenU daqui ate
o B.-da-M.-de-Deos, aonde tem sido pieso
peloHlm. Sr delegado Cordeiro de Carva-
Iho por duas vezes e remellido pas esta
praca. Roga-se as autoridades policiaes ,
capitiics de campo epessoas particulares,
que oapprehendam e levem-no a ra Oa.
Cruz, no Recito, n. 33, que serlJo recom-
pensados.
-- Fugio, no dia 24 do correnle, do sitio
da passagem dos Arrombados, o prelo Jos,
do nacflo Mocamhique, de 40 anuos, alio ,
secco quebrado do embigo cara trislo-
nha, e fingida ; tem cicatrzes rio assenlo,
rom duas argolas de ferro nos ps que as
calcas encobro ; levou roupa em um sacco.
F.ste escravo perlence a Domingos Jos Cor-
deiro e ritsle passou ao doutor Francisco
Rorges Buarque, o primeiro morador em
Una no engenho Arass e o segundo em
Porto-Calvo Roga-se as autoridades poli-
ciaes ecapilSes decampo, quo o apprehen-
dam c levem-no ao dito sitio ou nesta pra-
C1 na esquina do becco do Peixo-Filo, que
serilo gratificados : bem como se protesta
contra qualquer pessoa queo tenha oceulto
em sua casa.
Fugio, aoamanhecer do dia terca-fei- ,
ra 14 de julho do 1849, do engenho Can- }
p, na freguezia de Iguarass o pardo
escuro, vulgarmente cabra,' com 30 anuos ,
grosso do corpo, barbado, olhos pequeos,
papudos e embranquicados com falla-'le
denles na frente, pernas algum tanto linas;
levou bata encarnada debrunhada de 4im
s lado duas camisas de algo l.ozinho e
chapeo de palha conduziodo um cavallo
caslanho capado, com tomadeiras; foi com-
prado na praea do Rerife ao Sr. Kaymundo
Caitos l.eite, como procurador do Sr. An-
on w |.uiz Alve Pequenu Jnior, qoe toe
reuMlteu da villa do Crato. em C.nrys-No-
vos. Roga-se as autoaidades policiaes ca-
pilAesdecamio, que o ai>pie/>ndam o le-
voiii-no a si seuor, Luiz Antonio da .Sil-
va, em o sobredito engenho, ou nesta pra-
ca aos Srs. Jos Pereira da Cunha e Balihar
& Oliveira ims ras da Cadeia e Cruz,
ondo *ei5o gratificados. t
AtlencSo.
Tugio, no dia 23 do^orrente, da ru
eslreita do Rozario, n. 26, sobrado de um
andar, defronte de outrq de tres ditos o
"preto Cesar, de naeSo Nag ( Costa. de es-
tatura mais que a ordinaria, bem conforma-
do, de 24 a 25 annos poucu mais ou menos,
puuc* barba e e$l de cabello fino, com l-
guns riscos na cia com todos os denles o
eslrsclaros, meio bucal; de dizer o sen
nome de Cesar por Sergio; foi comprado ao
Sr. Manuel de Almeida l.opcs, vindo da Ba-
ha por orden do Sr. Joaquim Jos Baplis-
la ; levou camisa de brim branco com ou-
tra por cuna de beta encarnada, calca
pardas de algodflu de lislras entrancadas e
por baixo outras de brim hranco, e chapeo
de palha.; anda va na ra a trabalhardo i|"0
Java salaiioou jornal; ueste mesmo da
23 trabalhou no aisenal de marinha ale "
ineo-diacm riesombarcar carvSo-de pedra;
levou maiscoupa de son uso i quem o levar
a dita casa cima, sera recompensado con)
gnnerosidade.
i
MUTILA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGCV6EZRQ_N72M7X INGEST_TIME 2013-04-13T00:24:54Z PACKAGE AA00011611_06258
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES