Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06253


This item is only available as the following downloads:


Full Text
XXV
Quinta-feira 25
ABTIPA
DOS OOBBXIOS.
. D.mhib. segundas e .extat-felras.
r "serinhaem. Itio-Formoso, Porto-Calvo
Garnl.un.eBonho,a8e.23.
Boa-Vista *"'' a,328-
Vlcloria, a quintas-reir*
Olinda, todo ot diaa.
flISES DI LO
EPHIMEHIDE1.
-Chela 4,. lh.e32m.dam.
Mog.alI,Ilh.eldm.dam.
Novi a 18. s 3h.cUm.da t.
Crec.a2o,* 2h.e3Sm.da t.
PEI1KAH DJS BOCT.
Primclra as 9 horas e 18 minutos da manh.
Segunda as 9 horas minutos da tarde
de Agostle 1849.
DAS XA 8A.
SO Seg. S. Bernardo. Aud.dol.dosorf.edom.l.v.
21 Te.c. S.JoaonaFraocIsc.. Aud dacbanc do
N. I8C>.
vascos b svHscairoAo.
Por tres meie* (adianlaoVw) 4/000
Por seis mezea M
Por um anno "W"1
. IrdVl^rcW^Xdof^d^zend.
22 Quart. S. Themoteo. Aud. */*? Il*rCf' V
23 Qulnt. S. Fillppe Benic.o. Aud. do J. dos or. c
do m. da 1. v.
24 Beit. iff S. Barlholoraeu.
25 ab. S. Luis Re de Fra.. Aud. da Chance
26 t"^- Mara Sanllss.ma,
CAMBIOS KM 12 BK AGOSTO.
Sobre Londres. 25 d. por 1/000 r. a 00 das.
. Pars, 380.
. Lisboa, 115 porceoto.
^-^edade^^m..::
, de 6/4110novas..
' de 4/000...........
/>ru.-PaUe8es bra.ileiros......
Pesos columnarios....... >'
Pilos mejicanos.......... >f
31/000 a 3I/T.00
17/200 a 17/4O
16/200 a 16*400
9/200 a 9/4IKI
1/990 a 2/010
1 ?ff
ilAKn Tfl PERA IMBIMJ
-Lr _.-! -^ -M-m"-M- ^r_-- .......------......--- ~-------- .,_ _____. .,,,,, Gabriel Germano de Agu
PARTE OFFICIU.
MINISTERIO DA FAZENDA.
EXTRACTO DO EXPEDIENTE DO DA 87
DE JULHO.
Ao inspector da airandega, declarando
que os cmpregado, das "'"S'de
toa tm virtude de pronunoia em delicio de
rSooort dad. nflo tem direl o a respec-
Uv.P porcent.gem, como ja foi dec.d.do por
aviso de 6 deale mez.
Dia 28.
Aoinapector da alf.ndega, que, emvisU
do ai informou obre o requenmento de
Antonio de Ar.n.g.. fique ai laMIgonci.
de que, nflo fendo pralicavel a MP>cto
aoV albos aso. dos n?^***?.
didosem cada restes, fogoso he que ere-
plem avari.des aquellas em que Itoworo
algn* altios nesse estado, e se proceda com
e fas como pretende oaupplicanto, (cando
PntendX que o hachos nSo se devem
haver como .variados, po.s, se "";
cham, he porque j sahiram Uea do lugar
da procedencia.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 20 DE AGOSTO.
Offlclo.-Ao coronel commandanle da praca,
communicando haver o Exm. presidente da Pa-
rai.ib remetlldo para esta provincia no vapor
afane o saldado do 6 batalhao de catadores
Jos Vicente da Silva, o qual recebis all os
venciinentos conslantea da guia qOe remelle.
Dito.Ao rorswo, declarando que, para po-
der comprlr o aviso da secretaria da guerra de
28 de taino ultimo, releva que i. S., ouvinde
o con.n.and.n do 2.' batalhao de catadores
de suss ordens para que saja rtjcebidce
transportado para acorte no vapor fla.a-
m,ocapitSo tenante Raphael Mendes de
Moraes e Valle.
Dito. Aomesmo, determinando iM
su.s ordens par. que sejam lnsnortados
no vapor Bahina para a corte a iodo F ran-
cisco Ribeiroe par. ti^*
tista Pedroso os quaes tiverambaixa do ser-
de fszer seguir com o Exm presidente das
Alagoal. afim de ficaralli s su.s orden .. o
2 lente do quarto batalhno de artilha-
r. .pe. Pedro Augusto de Alean Un, Nabu-
co de Araujo. Inteirou-se o inspector da
pegador IHtor^ cororriUnlC.ndo haver
em culo .rchlvo deve eilsllr o processo do res-
nectlvo alteres JoSo Jos Alves, informe cir-
cunstanciadamente cerca do requerimen o
que remelle, no qual o mean alfere. pede
perdfio da pena a que foi condemnado pelo
concrlho supremo militar.
Dito.Ao mesmo, determinando, em cuin-
prlmento de ordens Imperiaes, expecn'as con-
venientes or-lens. afim de que o rcllg oso fi an-
clscanofrei Jos de S.-Lulx Bimbert siga a reu-
nlr-se a'o 7. balalhao de cac.dorea, ora exis-
tente noIUo-Grande-do.Sul, e para oqnala
M. o Imperador dlgnou-ae de nomea-lo capel
lo por decreto de 31 de julho ult.ino.-t.cleo-
llucowae o inspector da P'g*d|orl"n'll||tarH M
Dito --Ao mrsmo, communicando que i>. M.
o Imperador, por sua Immediata e Imperial
res"lucio de fte Julho ultimo, houve ,.or
"en mandar paaaarpar.a wrcrlra.cla.se do,
officlaedo exercito o capilao do batalhao
de c cadore. Joaqui. Jos do. Sanio, por aof-
frer molesllaa incuravei. e achar-se por sso
cgmpreheud.do as diapoai{o>a do art. 260 do
Secreto do i. de dexembro de I84l.-lnleuou-
se o inspector da pagadorla m""';- .
Di 0.--A0 mesmo. sdenllflcando-o de que
S U o imperador bouve por beiii.por sua i.u-
";.reolUSode28 de Julho ul.iu.o. Inde-
fVrlro requerlmenlo do lente do 1." bala-
Ihsdeca'adorea. Jos do. Santo. anea li-
ma, por nao ter provado a. preierlcoes alie-
eaD".-Ao mesmo, communicando haver o
Exm. pre.idenle da provincia do Rio-Gr.nde-
dolSorte remellido para aqu no P B-'-
la o desertor Jos ferrelra da Losta que fra
meso na villa do Principe, afim de que S. S o
Se "eceber a bordo do endonado vapor
e he d o conveniente deslloo.- .scienlilcou-
iVopreaMeo da referid, provine, e o com-
mandante do dito vapor.
Dito -Ao ine.mo. para que expe{a as con-
venientes ordens afim de que sigam amanl.aa
pra o Cear a bordo do vapor Prnam6cana o,
offlciae. e prt.s do corpo fixo daquella pro-
vincia que poderem partir para all.
Dito.--Ao mesmo, communicando que h. M.
o Imperador houve por be ,nnd!rsd" ^'^1
doservico .o primelro cadete do bata mu
dearlilharia. p Itenj.mim Peres fe A'bu-
querque MarauhJo.que e acliava add.do a um
dos corpos da guarnfcao da corle.
D110.AO inspector da-the.ouraria de falen-
da, transmllllndo o. aeUoai|6b n. 4.6,1cO
da thesourvla do R^-Grnde-drf^^1r'eroC|' I
inunicansto saque sobre etsa de qualro let-
ras no valoree 2:682,000 r.. e a favor de Joa-
nulra Ignacio Pereira. Pedro de Alcaniara Deao
2Fran?iaco Paulino de Castro^^ ...rroca.-lntei-
rou-se o presidente da referida provincia.
DIW.-Ao mesmo, transmllllndo os avisos
deduce lettras sacada, pela "ur"'ardo.
RIoGrande-do.Norte sobre e.f""!
Jos Gie. da Silva, Canuto Ildefonso fcrne
reucUno, Ignacio Ferreira Jnior e Antonio
liento da Cou. a prlineira na H,Por1,nS?05n
J.IOO.OPO rs.. asegunda e a tercera de otM.JUU
a quaria na de 500,000 rs.. a quinta emnm,
taiubeiu na de 500,000 rs.--Parliclpou-e ao
presidente daquella provincia.
Dito.Ao chele de ponda, para que mande
rrceber a borde-do vapor ffaa servado na cadeia desla cldade a que possa
ser enviado para a illxa de Fernando, o senten-
ciado Hanoel de Castro e MI va que ve o do Ru-
Gr."de-do-Norte para ur este deslino.-Om-
clou se ao comuianuante do ...encionado vapor
para .Ar a dlspositao do chefe de pblletn o re.
ferldo seniencladn.e sclcnliflcouse o presiden-
te daquella provincia. k...
D.I0.--A0 agente da companhia d.s barcas
de vapor, ordenando d suas ordens afn, de
que sejeuransporlado. para P/
TahUmlot lliomax da Silva e Uanoe ?er-
re Ira. a quaaa liverai baixa do servico do
exercito.
Dilo. Aomesmo, para que mande dar
paasagem uo vapor Aanisea para a corte
ocirurgiiio ror do sexto baUlhSo de ca-
cedores, Sebasliflo Jos Gome-', e para a Ba-
bia aojicgundo lenle do quarto batalhao
dearfllliaria a p Angelo Seoiiao da Silva.
Dito. Ao mesmo, recommendando baja
(\s><- oassaseo Dar as Alagoas a
vico do exercito.
Dilo. Ao director do arsons de guerra,
ordenando mande apromptar n aquello ar-
senal, para serem enviados aoExm. presi-
dente do Rio-Grande-do-Norte que os re-
quisita, dous phares de neo com forros de
lllte verde e encarnado, proprios para exe-
cucSo do novo regiment de aignaes de na-
vio em perigo, o declarando que deve re-
metter a cunta da.despeza que se houver
de fazercom semelhantes objectoa afim de
que se possa exigir o respectivo pagamento.
Dito. Ao inspector da pagadona mili-
tar, determinando mande adtai.tar dous
mezes desold, inclusive o corren te ao se-
gundo lenle do quarto balalb.10 de art-
Iharia a p, Angelo Semino da Silva, que
tem de seguir para a Babia. ____
Dito Ao commandanle do corpo de po-
lica, declarando qu nao pode ter lugar o
abono de gratificado de commando de com-
panhia sos primeiros commandantes dellas
que estiverem em servico fra do corpo;
porquanto.devendoesse vencimento rever-
ter para os ofiiciaes que subslituirem aquel-
es em dilos commandos, importarla um
tal abono duplcala de pagamento.
Dilo -- A Jos Viera de Mello, comman-
danle do esquadrlo de cevallarie da guarda
nacional do Bonito, duendo VN*Wl
me remelter para o arsenal de guerra o ar-
mamento e municOes que se acham om seu
P)fto. Ao capilSo-tenente Joflo Custodio
d'llondain, communicando ter sido S. me.
nomeado para lomar o commando da cor-
veta Kulerpe do qual foi exonerado o capi-
lilo leneiile Raphael Mendes de Moraes Valle,
e recommendando passe a tomar boje mes-
mo conla do referido commando, lazeudo
entrega do do brigue-escuna Legalidade ao
capiao-tenenle Carlos Augusto da lloclla
Freir. -- Nesle sentido lizeram-se as con-
venientes communicacOes.
Dito. Ao provincial do convento de >an-
lo-Anloiiio .lesta cidade, Iransmitlindo, em
cumprimenlo de ordem imperial, o re-
querimenlo em que o religioso francisca-
no Fre Jos da lmmaculada Concento pede
ser nomeado capellilo de um dos batalhos
de piimeira liuha do exercito, afim de que
S. llvm. baja de informar sobre a preteucSo
do supplicante. .
I'orlaria. O presidente da provincia,
usando da altribuc,ao que Ihe foi conferida
pelo decreto de It ue Janeiro do correle au-
no, ha iiorbem conceder amnista, em no-
mo de*S. M. o Imperador, a Manuel Fidelli
Nunes Machado pelo crime de rcbelltao,
ltimamente commettido nesla provincia
E pata sua resalva se llie passa a prsenle,
m virtude da qual jamis ser processado
pelo dtocrme.
DEM DO DIA 21.
Art. 2.' Fica.tambemanulladoocon-jAppella^ Manoel Fr.n-
nilo. Ao mesmo, ..
S.M o imperador dgnado-se de prorogar
por seis mezes. liceiiQ. sem soldc com .
5u.lse.cb.nest. prov.nc.a 9M|mdo
deledo prmeiro rgimen lo de, civ.larta
liceira, Francisco de Carvalbo Medeiros.
'"Di'tc-.'-Ao inspector da UltOO"|
fazends, scentlficando-o de que S. M o Im
porador honve por bem approvjr i.del hera-
CSo que a presidencia tomo., de mandar a-
bonar por aquella thesouraria as quanlias
precisas para as despezas com a rubr cai-
rca naval at o (m do mez de luohO
do correte anno. Nesle sentulo ofl.ctou-
se ao inspector do arsenal de mannha e ao
contador de marinha. .
Dito. Ao commandanle superior de
guarda nacional do municipio do Reo.re,
communicando que, por decretos delW
julho ultimo. S.M. o Imperador houyo por
bem nomear a Jos Ignacio Soares de Ma-
cado ea FirminoJos de Olivera, o prmei-
ro para o poslo de mejor ajudante de or-
dens e o segundo para secretario geral da-
tracto parafornecimentos dos medcame..-.
tos destinados para o hospital da Soledauc,
feito com Jos Mara Freir Game.ro
< Art 3 Os leitos e todos os outro^
utensilios do hospital regimental do e_
batalhao de arlilhana a p sern
quelle commando superior; c recommen-
dando faca constar aos agraciados afim de
que soliciten! as respectivas plenles pela
secretara de estado dos negocios da jus-
l'SDto -Ao agente da companhia das bar-
cas do vapor, r.commen.lamlo baja de ex-
pedir suas ordens para que sejam transpor-
tlos para o Cear* no vapor rernambucana
os ofiiciaes e prac.as do corpo so daquella
provincia, constantes do mappa que remet-
e, bem como as mulheres que forem casa-
das com algum.l das teferidea pracas e que
quzerem aecompanhar a seus mar.dos.--
Participou-se ao presidente da mencionada
provincia e ao commandanle da praca.
Dlo.-Ao mesmo. detcrmiuaudo baja de
dar suas ordens para que o commandanle
do vapor 'ermimiucana receba do director
do arsenal de guerra urna corneta de loque
para a entregar ao Exm. presidente do R.o-
Grande-do^orle.- Partic.pou-se ao presi-
dente da mesma provincia. ___
Dito.--Ao inspector do arsenirt de man-
nha. communicando que S. M. o Imperador
houve por bem approvar o eonltalo cele-
brado entre Smc eos macbnisas (.. Starr
& C. cerca do colicorto da machina de va-
por da barca de escvacSo pelo preco de
3:800,000 rs., e declarar que nDo se abone
nenhuma gratificac.ao aos dilos machinlas
alm de 900,000 rs. pelo assont.inet.lo do
machnismo.--Inteirou-se o coatador de
m Portara. 0 presidente da provincia,
usando daaltribuicao quelite foi conferida
pelo decreto fle 11 de jane.ro do correte
anno, tem resolvipo conceder amnialia c.n
nomo de S. M. o Imperador ao buharel Pe-
dro llezerrs Pereira do Araujo Relimo, pelo
crniede rebellao, ltimamente commetti-
do nesla provincia.
E para sua resalva se Ihe passa a presente,
. .,n..,io daqual fica sem elretto qual-
gundo
transportados para u n|i......'",,
estaheleei Jo na Sole-lade. preparando-seal
as enfermaras que frem necessar.a Pa
o numero de doentes ex.sienles nos don
Art"*4 Se o edificio da Soledado nilo
for sufflcnnld para commodo estabeleei-
mento de todo as enfermaras necossar.as.
applicar-se-ha aos eslabelecimentos das di-
tas enfermaras a parte do Miarle da So-
ledade que (lea eonligua ao dito edtlicio.
Art. 5. Os crurgoes-mores e mdicos
dos bospilaes ora existentes procederOo
immediaumente a organ.sar o rormule-
rio que deve racllar o recettuarto e prom-
ptificacao dos medicamentos, o qual pelo
intermedio do commandanle das armas,
ou dequem suas vezes fizer, e depoia de
rubricado, ser enviado a presidencia, alim
de que seja arbitrado o preco dos medica-
mentos, e se proceda arrematado em has-
ta na forma ordenada pelos artigos 21 o i.
do citado regiment.
Art 6 O commandanle da praca dar
as providencias necessarias para execucao
da prsenle delberacSo.
Palacio do governo de Pcrtiambuco, 17
de agosto do ,8.9.-ffoaerormeloCer-
neiro Uo. Conforme, o ollictal-ma.or,
Hortanno Coma de Brillo.*
Ass.gnado, ot Vicente de Amonm Ilezer-
ra, coronel graduado commandanle.
cisco Ol- desembargador Bastos ao
Sr'de^mbaVdor 8K pV"^ -"
Appeane0. Claudio Dubeux; appc.lado. Agos-
Ar;;a^roiiuito!^..do.JoaoB.pt.a
A^TC-A^rUo"?GoS^^.^
pellado. A "na,lspml)arga,lor Souxa ao
rh53. &- as^ppel.a.Oe. ci-
els en. qui
Appellante
co ; appi
Appellanle
is"""ue ^Mariade le.u. Teixeira Fr.n-
!;ao:JoaquimFrfnci.coDin.Xe
A,AC:r0aPpFe-dtCAnlonoa,,Ftrac-,.oPe-
Anelante, o coronel Antonio Alves Vlanna ;
Soares.
Od
Aggrava
lia de apparecer em que sao' g1_
clvels em que s3o Carneiro Montel-
Appena,ue,torenco WC.'^SoaresCal.
reir i
TRIBUNAL A lELACAO'.
SESSAO EM 21 DE AGOSTO DE 1849.
PRSIDRNCI DO EXM. SF.NIlOR
CONCELIIEIRO AZEVEDO.
A's dex horas da manilla, achando-sc pre-
* ......KarirmlnrPli \\ \\__
e o Sr. Dr.
ro; appellado, Uanoel Caelano
^a^SnocYS^cT^e
VAeplpdTan;eC. Domingo. Pereira Mendan.
pellado. Joaqui... Ferreira.
Levanlou-se a sessao a 1 hora
III Iltn.i- m ihbphi------ til
.entes os Srs. de.e.nbargadore. Ramos.^ilhi-
res Bastos, l.eiio, Souxa, Rebello
Si de dlrelto Pereira Montelro, faltando com
cauta o Sr. desembargador Ponce, o Sr. pre-
.idenle declarou abena a sessao.
JULOAMENTOS.
Nnbeas-eorpu, de Jos Custodio.Foi conce-
,l,;. para a sessao de 25 do corren, mandan-
do-se ouvir o Sr. chefe de polica.
ylppfKares rrimM.
appellado,
ado pro-
ra
Officio. Ao commandanle da praca, re-
metiendo, em cumprimento de portara do
concelho supremo militar, o requenmento
em que o coronel da extnc,. segunda l.nha,
joaquim Bernardo de F.gue.redo, pede a
S ll o imperador ser reformado afim de
q'ueS S. o faca inspeccionar e informe a-
erca de sua pretcncSo, enviando o resulta-
do da nspcccHo. r
Dito Aomesmo,communicando, alim
de que o Taca constar ao major do pnir.eiro
batalhilodecaQadores, Joaquim Rodrigues
Coelho Kelly, que, por imperial resolucBo
de 21 de julho ultimo, S. M. o Imperador
houve por bem idelerir o requenmento
em que o mesmo major peda ser promovi-
do a lenenle-coronel ou ao menos a gradua-
CSO deste poslo ; porque, alem ii ato ter
elle provado as preler.f;0es que allegou, ne
o decmo-nono em anlguidade entre o> ma-
iorrsd'armaa quepertonce.
Dito. Ao mesmo, scientificandode que
S.M. o Imperador houve por bem mandar
dar baixa do servico ao soldado do quinto
batalhSo de fuzileros. llanoel Sever.no
Marques, por ter sido julgado incapaz pe
iuntadesadede nelle continuar.
Dilo. Ao mesmo, transmilundo copia
darrovisSo do concelho supremo militar
sobre conerir-se o grao de hachare! com
dreitoaodedoutor em malheroalicas aos
alumnos que estudaram na escola militar e
na antga academia. lv.L..
Dito. -Ao mesmo, communicandoliav.r
S. U. o Imperador por bem mandar addir ao
primeiro batalhao de arlilharii ai p,
ulterior del.beracSo, o segundo; lente do
segun.1odam..m..rm..Jose Pedro olas-
i, virtude -
quer pronuncia que baja contra elle pelo re-
ferido crme. ese dar ba.x. na culpa, e
n.lo podei oais ser processado pelo mes-
mo crime.
Appellanle, o promotor publico ; ap
Wnclanno Jos de Souxa.-tol julg
crdente o recurso.
Annellanle, o Julio de dirello appellado. Ma-
A1,Pocl Alves do N..olinen.-FnlJulgade im-
procedente o recurso.
ppel/afoc cien''.
innellante, o i.iixo; appellados.
Itieber V C.iFram desprexados os em-
Amanante, Loureneo Jos das Nove, i appel-
Udos. SI. Cal,..onl& C-Fram desprexados
n embarcos do appellante. .
Annc. antea, os administradores do patnmo-
To dos orpLaos ; appellado, o Ksm. bi.po
de Marianna.-Mandaram que MM envido o
S?. desembargador procurador da -
AondUoie.. Jos Pereira Lagos e futres: ap-
io llerculano Jos de Freitas.-tram
Mcolno O.
appellado,
INTERIOR.
, Perer da Cunlia, que actualmente se
acha na cOite. Scienlificou-so o inspec-
tor d. pagadori. n.ilit.r.
Dilo.Ao mesmo, inteir.ndo-o uc que o.
M. o Imperador houve por bem conceder
dous mezes de licenca com sold ao pnoei-
ro lente do segundo batalhao de ertilhe-
rta a p. Ignacio Kery da Fonaeca. -Jhcieii-
tificoq-se o inspector da pagadona militar.
Dito. Ao mesmo, enviando, em com-
primen de portara do concelho supremo
militar, o requenmento em que o Judanie
do oilavo batalhSo do cagadores, Martinho
Jos da Silva, pede a S. M o Imperador con-
Gommando da pra*^a.
Ouarel do commando da praca M Pernamiuro,
18 de agoilode 1849.
ORDEM DO DIA N. 1C.
Publico para conhecimento da goarolco
o office^do Exm. Sr. presiden da prot.n-
ta" datado de l.ontem, que acompanhou
coi copia a portara do mesmo Exm. Sr., de
gual data, rdenando algumas disposigOes
etivaaaoa hospitaes rgimen es da mes-
ma"uarnicto ; sendo o dilooflic.o e porta-
ra iin toor seguinlo : .
. Illm Sr.-Transmilto V. S., para a de-
vida ntelligencia e execucao, a incusa
copia da portara desla data pela qual re-
solv. declarar nullos os contractos fe.tos
parao fornecimento de medicamentos aos
Sospitaea regimenlaes des c.dade, deter-
minando outro sm que o da Gloria se re-
na.o da Soledade procedendo-se ao edifi-
cio deste s obras necessarias para as ac-
commodrcOes das enfermar.as, ficando Mj
carregadodas ditas obras o mostr Manoel
Ravmundo dos Pr.zeres sob a.inspecSto
nel comm.ndanto da Praca.
. O presidente da provincia, cons.deran-
do que l>"" ""' n furncclnl 9nl dlS
pellad .
desprexados os embargos
Annellanle. olullO dos ausentes ..
loa uim dosJ Hela Gon.es.-Mandara.n de*.
ce?aoJnUenwparaJnlgar o. embargos.
Apllanie, Ann Rav.nund d. Paz appella-
do! Joaquim Felixda Silva-Mandaran, a-
An"an.aedAn.'oalo Martina Ribeiro appel-
'ildo. I ourenen Baslos.-Foi confirmada a
uSSS*. Caet.no Pereira Gonc.lve. da Cu
...a; appellado, Chrlatovo Dlonix.o de Bar-
ros --Fo julgada a hab l.lacao.
Anneilantes e Ippellados conjulamente Ma-
Apnp0e "udlo de Quelri a a fnda naele-
"Si -andaram ouv.r o Sr. desembargador
nroe.trador da cora e fazenda.
Amellantes. D Maria Helena l'e.soa de Mello
recebidos os autos
'So appeliad; faqun, da Silva Perel-
ra--F6rain ""
UcH.
Appcllanles
outro*
inenore* o advogado dos mesmo*.
,tes, Domingos Rodrigues de Araujo e
ipnellados, Jos de Lima R.beiro
'oV-Slandarain ouvir o curador-gera
.lujraro.
ojui-
hasla para o fornecimento
nedicamentos para o hospital regimental
do segundo batalhno de artimaa, fe.taem
setembro de 1848, nSo foi regular, e oulro
bnolul regimental da Soledade n3o per-
nulifo quofae fizesse basta .guiar para o
resoectivo fornecimenio, e tendo em con-
sXacnu a economa que deve resulU d*
orgausacao de um so bospilal como per-
mute oa. ligo nono do regulemento de 17
de fovereirO de 1832, resolve :
... ..-..ll.ii. n.r. na nrodu-
Aecravante. Juslino Meros ; aggravado
7i Neeou-se provlmenlo.
Agravante. Francisco Casado Lima aggrava-
do, o juixo.-So to.naram conhecimento
Drsj afies.
Foi assignado o I. dia til para eren jul-
gadasas appellaces ei"lc,"19uryi"R.
Appellanle; Francisco de Paula Pire* Ra
appellado, Manoel Alves Guerra.
Anneilantes, liento Jos da Costa e sua
Ihe. appellado.. Jo. Joaquim Bexerra Ca-
Appril.".. ppellad., D. Maria Anua Joaquina da Silva.
Appellante, D. Anoa Joaquina do Nascimenlo;
appellado, Dinix Antonio de Moraes Silva.
Appell.nte. Joaqui... Jos do R.scl.nenlo ; ap-
filad, Hllppe I uc.s da Cunl.a Luna.
AppeHanle. o prcto Antonio da Costa por ai
Hiha Mara; appellado, Iguaclo Joaqui
Accoli de Vaaconcellos. ,
...a
ni
Rtviiei.
Paitaran) do Sr. desembargador Ramo* ao
Si.- desembargador VlUar.e* as appellacoe cl-
vels em que sao :
Annellanle, Francisco Alves de Sousa Carva-
Iho ; appellado, Jos Luis Pereira Lima.
Appellante, Manoel Antonio da Silva Molla;
MAHANHAO.
GOVERNO DA PROVICIA.
A" cmara municipal da cidade de Alcan-
oantara.--No di* 20 do corren fot-me en-
trecue o oficio que essa cmara dingto-me
rom data .1 14, denunciando as iiifraccoe-s
da constiluicflo, e oulros crnnes que asso-
vera terem sido conimelttdos por vanas au-
toridades polciaesdeseu termo; e, mere-
cendo-me este objeclo a mais solicita al-
toiicao passol immediatamente ouvir c
chefe de polica, euj*s informacOes, assiir
como os documentos existentes na secreta-
ria da presidencia babiltam-me agora pr
respoiider-llie.
Consiste o primeiro ponto d accusacac
no'modo Ilegal e violento por que ah s
fez o recrutamenlo nos ltimos das d
malo do corren anno. Segundo a expo-
sicaoda cmara quebrantaram-se urna poi
urna as formalidades que grantem a lber-
de individual, de sor que ninguem man
tinha emsua casa um asylo inviolavel, sen-
do a qualqucr hora do dia ou da noi as
saltados os cidadBoi pacficos e industrio-
sos em seus retiros domsticos por agen?
polciaes que os cac,avam para recrulas.sen
distinceflo do sexo, ou idade, uns por si, i
oulros para dar conla de seus filhos, irmaos
ou prenles. Para exemplo e prova d.
sua assercao s apresen a cmara, alor.
oulros muitos casos, que julgou conven.en
le omiltir por amor da brevidade, urna cari
dirigida Anna Raymunda Pereira Sudr
pelo subdelegado do destucto de Sanlo-An
Ionio o Almas, Jos Jeronymo de AraOj
Cerveira. A cmara a qualilica como um
circular, afllrmando estar ella competente
mente reconhocida; mas tal reconhecimen
lo nSo se acha assignado por pessoa algu
ma Posta, porm, de parte qualquer du
vida que se podesse suscitar sobre a lerac
dade Jessa carta, o que prova ella. Qu
aquello subdelegado tendo de proceder a
recrutamenlo em virtude de ordens quo 11
fram competenlemeote Iransmiltidas pt
n3o apparecer individuo algum no seu di
trelo que quiesse engajar-se voluntar
na forma das novssmas instruccOes que
governo mandou publicar, tomara o exp
diente de avisar com anucipacao de o
das a Anna Raymunda; para que aprese
tasse seus filhos em um lugar determina,
afim de virem assentar praca na capital.pc
que os considerava subjetos a sso, acere
centando quf, *e nSoobedecessem, mand
ra prende-IOs. Se esles individuos est
vam manifesla e inquestionavelmenle ise
tos do recrulamenlo, podr-se-ha descob
na carta do subdelegado urna ameaca, i
excesso digno de severa reprovar0o ; m;
em quanlo se nao mostrar, como nao
mostra de manera .lguma, essa isenc
ninguem desconhecer que em vez de co
metter urna violagilo procedeu elle com i
m.sada bondade e imprevidencia, fazen
semclhanle aviso, quando se approximav;
dia 5 de junho em que se devia suspende
recrutamenlo, e o facto assitn o demonst
porque nem consta que fosse preso fil
algum daquella mulher, nem que por
motivo dirigase ella qualquer quena
autoridades superiores.
Em, resultado de lodas as diligencias
ram nicamente remettidos do termo
Alcntara para esta capital quatro recrut
numero es que seria por si s um arf
,:._ -..;. j-
,n I....X* j
Ann


. .
praca Jos Theodoro da Silva, por ser corne-
ta de un. dos batalhfies da guarda nacional,
alom do nflo 1er a idade marcada por lei;
lew Joaquim da Silva Cuimar.les. por ser
moco hem comportado, e agenciador, que
servia de sustentculo a urna familia nume-
rosa de pnis idojos, rmos menores; eSevr-
riano Ignacio de Rrto, porser pal de varios
lilhos--: mas o que sei com certeza he que
to.los esses recrutas foram por mim pessoal-
menio inspeccionados, que pcrgunlei-lhos
o tinham a alagar qualquer motivo de
>nc;1o, que para isso Ihes conced mais
e sullicienle prazo antes de terem praca, e
3 nenhum delles o fez, nem destruio por
meira alguma as inrormacesoTfiealmen-
to enviadas ao governo, das quaes consta
que o primeiro, sendo aprendiz de corneta
da guarda|nacional, nflo cuidava das suas
ohrigicoes, mostrando-so turbulento e in-
subordinado a ponto do dirigir formaes in-
junas ao proprio delegado de polica ; que o
segundo nflo linha ofllcio nem oceupaeflo al-
gnma de que vvesse boneslamenfe, e que o
tereciro com quanto allegasse como rasfln
de iseneflo o ter filhos, era tambem solle-
ro, vadioe turbulento, o primeiro, que a
cmara nflo menciona, chama-se Brigido e
lni de nflo constar rasflo alguma que o
isentasse do recrutamento, laes represen-
taces leve o ebefe de polica sobre sua
conducta, que julgou necessaro mandar
Erend.-lo por ser prejudicial ao lugar que
abltava.
Cravissima accusac'o recabe mais parti-
cularmente sobre o subdelegado do dispe-
lo da cidade, o Hr. Joflo Ignacio Itolelbo de
alagalhflcs, por baver mandado entrar alta
noite e sem as formalidades da le na* casas
dos cidadilos busca de Manuel Raymundo
Percirajque nSo era criminosojmas as infor-
maces que a cmara obteve sobre este fac-
to, e que julgou sufflcieiites para affirma-lo,
silo inteiramente destituidas de exaclidflo.
He verd8de que na madrugada de 22 de
abril prximo passado lenlaram doussolda-
dos do destacamento de Alcntara de nomes
Francisco Antonio, e Hoque, quoseacha-
vam ebrios, arrombar a porta da casa de
Raymundo da Franca, afim do prenderen)
seu lilhoManoel da Franca l'ereira, servn-
ilo-se para isso do mime e autnrdade do
subdelego, mas este que por nenhuma ma-
neira bavia auorisado Iflo Ilegal tentativa,
n.lo so os fez immediatamente rrcolher
prisflo, mas deu parle do caso ao chele de
polica eni oflicio de 21 do mesmo mez.para
)ue foscni conduzidosa capital, o punidos
na forma do respectivo regufamento, como
defacto o fdnim cm virtude de ordemda
" 'denria, eommui.icada ao commandan-
orpo em portara do 20.
ibiisos que denuncia doscobre a ca-
iim lim poltico, aln do criminoso
nto de npprimir o vexar os cidadflos pa-
sc industriosos, slu he, o de inti-
.. .jr os votantes e obriga-los a seguir o
partido que pertencem as mes mas autori-
dades; mus esta simples imputadlo nflo
basta para justificar qualnuer procedimen-
lo do guverno conlra ellas. Quem Tr as-
siin aineacado ou aggravado em seus direi-
tos lem livies os recursos que as lois facul-
tm para taes casos, e so algum Tacto ilesta
nalureza cheger ao mcu conhecimenlo,
arompaiihailo das indispensaveis provas,
no doitarei do proceder, como j fiz nffi-
cialmente constar a lodos os delsgadoa e
subdelegados, contra aquelleque, abusando
la sua autoridade, ou do nomedo governo,
inipedir de qualquer mnneira que volem os
cdadfoa legnlin-nte qualificados.ou contri-
uiircom pronicssas, an cacas ou quaesquer
litros meios illicilos para que a eleic,flo re-
-aia oudcixedo recabir em determinadas
pessoas.
Suspenso o recrutamento em virtude da
ei regulamentar das ele^es, cu|a Gcl ob-
tervancia foi mu positivamente recommen-
lada pelo governo da provincia, novas vio-
encas appareccram, segundo assevera a
amara, de diversa nalureza sim,~inas nao
nenos capazes de espalhar o susto o o let-
or em todo o municipio, porque consisten)
m monstruosos processos,adredo formados
'lis mesmas autoiidades policiaes que,
'omo mancomniiinadas,resolverin-se quas
i um lempo a ferir por este meio os seus ad-
'orsarios polticos dos mais distiuctos e fa-
llientes, com (i lim nico e palente dos
mil 11 i.-iir para as eleices futuras, e de ar-
edar das urnas os seus numerosos amigos,
gualmente atemorisados -- l'ara prova dis-
0 cita a cmara tres processos:um frma-
lo pelo subdelegado do disirielo de San lo -
>nlonio e Almas conlra os cidadflos Jos
lento Caldas, Manuel Jos CinLaiibde e
os Maranno Cantandde, pelociime ina-
uncavel de resistencia juttica, que nunca
e deu ; oulro no mesmo dislriclo contra
cdadflo Joo Duarlo Alves pelocrimede
iliio.na'; e outro finalmente contra o pro-
ssor de primeiras letlras da freguezia de
an-Jodo de Corles, que, indiciado em 1845
jiii/.o municipal, s agora continuou a
querimento do collector de Alcntara
os dous nilhues nao tenbo infonnacucs,
as quanto ao primeiro creioque, se a ca-
ara averigoar escrupulosamente a sua or-
m e circunstancias, reconbecer que silo
ui diversas das que expOe. Consta de
irtes ofllciaes que,achando-se Manuel Mar-
Mino de Souza Sudr incumbido pelo sub-
ilegado de fazer o recrutamento no dis-
eto, cconduzindo iluda primeiro de ju-
io um recruta de nome Maugel, guardado
ruma escolla de cinco pracas, fra esta
cada pelas pessoas que a cantara men-
ina, e por varios escravos seus, todos r-
idos, quo depuis de aturada resistencia
nseguiram tomar o recruta, dando isso
olivo b Tormacflu de um processo etn vir-
de de recommendacflo do cliefe e polica.
i taes circunstancias s me cumpria es-
rar que a investigado judicial descobris-
a verdade dos Tactos para resolver o que
tse justo, mas nem por isso deixoi de fa-
r sentir io subdelegado que nflo proced-
regularmente incurnbiudo o recrutameu-
a um individuo que nflo linha o carcter
funecionario publico, e que em taes di-
encas deveriam ser empr gados os ins-
Ctores iloquarteiriio ou officiaes dejusli-
, auxiliados pur escolla da guarda naoio-
1 na falta deforma policial, e de prirueira
iba, nflo s para que se podesse fazer ef-
iva a responsabilidade em que incorres-
m por qualquer omissflo. excessonn ahn.
Iflo infundados como parecem cmara,
ella deve tambem saber que o seu comeco,
direc^flo e final resultado silo inteiramente
independentes da aceflo do governo, e que,
se esto pode destituir os mos funeciona-
riosque illudem a sua confianca, deve so-
bre tudo ser justo nflo tomando por base de
um tal procedimento qualquer queixa das
partes ofTendidas ou interessadas, quo se
Ibe aprsente destituida de proras.
A' transferencia que ltimamente fiz de
certos supplentes do juiz municipal o de or-
phflos de um para outros lugares da respec-
tiva lista altribue a cmara a mor parte das
violencias e persoguicOes, a que diz osla-
re m exposlos os habitantes do seu munici-
pio, porque a parcialidade dos dous prmei-
ros que a cmara entende serem juizes no-
meados ad hoc conlra a lettra o espirito de
nossa legislarlo patria priva os oppriniidos
de lodos os recursos. Prescindindo da ques-
illo que a cmara suscita sobre a legalidade
do sementantes transferencias, porque o go-
verno imperial a lem j resolvido de um
modo terminante, sjulgo necessaro asse-
verar-lhe que as nfl ) liz sem ter ouvido in-
formacns e queixas que me pareceram
dignas do allencflo, e sem ter pesado as ra-
scs de conveniencia publica que as acon-
selharam, nao po leu lo entretanto deixar
doadrrirar quo esses mesmos supplentes,
cuja nomeac.no fra outr'ora considerada
pela cmara como nina prova da benevolen-
cia e sympathia da administraeflo provin-
cial para com o seu municipio, sejain boje
por ella qualilicados como instrumentos de
perseguieflo o viuganca, e que Iflo illegal
llie parce i a transferencia cm questflo ao
mesmo lempo que descobre flagrante n-
iustiQS em nflo sor conservado no primeiro
lugar ocidadflo que o oceupra em virtude
de nomeafflo feita durante o quatriennio
com prcteri^Ao de todos os outros.
Iiuas oulras medidas da presidencia leem
grandemente concorrido, no entender da
cmara, para dar vulto ao alarma, edes-
confianca geral, que so espal entre os
habitantes do municipio, de que alguma
cousa exordinaria se trama conlra as pu-
blicas libcrdadcs, islo he, o augmento do
destacamento dessa cidade, e o dosarma-
menlo da guarda nacional ; mas ningucm
haver que,aprecian lo desapaixonadamin-
te estes fados, sem as odiosas circumstan-
cias de que a cmara os revesle, possa des-
cubrir o menor fundamento para Iflo tristes
apprebensOes, Chamar a servido a guarda
nacional, quando falta a tropa de polica,
ou de linha, he o nico meio legal que resta
ao governo para salisfazer as requisices
das autoridades que toein a sen cargo a
manulen<,'fln do socego, o seguranza pu-
blica e individdtl, e sendo islo constan-
temente praticado tanto nesta, como em
todas as provincias do imperio, mal se pode
comprehender que os habitantes de Alcn-
tara se assustem por verem assim empre-
gadas Irinta pracas da guarda nacional do
sen proprio municipio, distribuidas por di-
versos dislriclos.
Tambem labora a cmara em manifest
engao, chegando a fazer alroz injusli'a
s inteii(es das autoridades superiores,
quando assevera que se toin procedido ao
ilesariiiainento daguarda nacional com or-
den) de serem depositadas as armas cm po-
der do individuos que por seus precedentes
inspira ni grandes reclaseos povos. A ver-
dade he que, entrando em exercicio o novo
commandanlc superior nomeado pelo go-
verno imperial, iratou logodecumprir um
dos seus principaes deveres, que Ihe foi
tambem recoinmendado pela presidencia,
determinando um revista de todo o arma-
mento para ser distribuido pelas pracas
mais promplas, mais subordinadas, e capa-
zes de prestar servico, por nflo ser sullici-
enle para todas.
Contestar ao ebefe da guarda nacional o
uso de urna tal faculdade, descrever como
um attentadn que se premedita conlra a l-
berdade do cidadfln o emprego que o go-
verno faz da frc,a que a lei Ihe lem confia-
do para satisfacen das necessidades publi-
cas, seria negar-lhe a possibilidade de cum-
prir os seus mais imperiosos deveres, o esta
parte da represenlaco da cmara nflo dei-
xar tambem de ser lida como milito apai-
xonada pur quantos observarem que o pre-
sidente da provincia he o primeiro a re-
commendar aos funecionarios que pdem
influir as cleices a mais severa imparcia-
lidade, que he o primeiro a afianzar por
lodosos meios ao seu alcance a liberdade
do voto aos diversos partidos, quo a frfa
publica s be empregada como elemento
de ordem, e que finalmente se nflo apo-
senta um s Tacto para provar que as novas
autoridades de Alcntara lenham ahusado
da parte dessa f'r^a que esta confiada
sua direceflo.Quando laes provas appa-
recerem, far-se-ha ellVctiva a sua responsa-
bilidade; mas antes disto seria o governo
summamenle injusto se dsse credit a tflo
graves accusac,es contra cidadilos que Se
moslram dignos de intuir confian;, nflo
s pelas garantias que offerecem de sua
independencia e do interesseque tomam
pelo socego e prosperidade do municipio
do Alcntara, mas lambem pela palnolica
dedieacSo com que se prestaran) ao servico
publico aceitando os lugares que hoje oc-
cupflo, quando oulros que forman) a actual
maioria da propria cmara municipal jul-
garam conveniente resigna-Ios, correspon-
dendo com insultos benignidade com que
eram tratados, e Ta/.endo escandalosa osteu-
tacflo de sua hostilidade administrafflo
actual.
Persuadido de haver demonstrado quanto
sflo inexactos os Tactos e as informaces
em que a cmara municipal baseou a sua
representaeflo, concluirei asseveran io-lbe
que tchar-me-ha disposlo para acudir com
tojas as providencias que de mim depon-
derein a quaesqner soTTrimenlos dos habi-
tantes do seu municipio, sempre que se
resolva expor-m'os com a imparcialidade
que deve caracterisar seus actos, evitando
a exageraeflo e suspeilas proprias do es-
pirito da parlido, que s servem para
exacerbar, e encubrir a verdade a ponto
de tomar impossivel em muitos casos
fiel appl'cacilo das leis, ainda que o go-
verno a considere como o principal dos
seus devores.
DIARIA Di PnUMROCfl.
BXCIFS. 22 BE AGOSTO X>K 18(9.
O vapor Cuapiass, chegado hojo da Ba-
ha, trouxe-nos jomaos dalli que alcancam
a 18 do corrente.
A provincia ficra cm plena tranquilli-
dade.
Em consequencia do que se resolver em
urna des respectivas sesses, a assembla
legislativa provincial badiana dirigir ao
Exm. Sr. Tosta a segulnte mensagem :
Exm. Sr.concelhtiro Mantel Vitira Tot-
ta. A pacificaeflo de l'ernambuco nflo foi
um Tacto que inleressasso nicamente
tranquillidade o aos bros daquella provin-
cia irmfla, Toi tambem de grandes^ o Telizes
consequencias para lodosos Brasilirosque
olham a monarchia constitucional e a inle-
gridade do imperio como os mais podero-
sos elomentos do engrandecimeuto e pros*
peridade de sua patria.
A assembla legislativa da Babia nflo
podia, pois, deixar de pagar um tributo de
reconhecimento ao administrador distincto,
a quem por snas luzes, por suas acrisola-
das virtudes cvicas se deve aquella pacli-
cacfln; e a assembla o Taz pela presente
mensagem, que so dignar V. Exc. de rece-
her como a expressflo geral da provincia
que ella tem a honra de representar. Paco
da assembla legislativa da Babia, 1 de a-
gosto de 1849.
A esta mensagem S. Exc. responder co-
mo abaixo so vai ler :
xms Sn. presidente e tecrelarim da ai-
nhol Catador, de 120 toneladas, capitflo
JoSoltozes,equipageor ll,m lastro; a
Joflo Pinto de i.emos. Despacnou pera
Barcelona e Trieste.
Natiot fallidos no mesmo dia.
San-Tho.n por HsranhSo Barca Trance-
za Catimire-de-la-ftgne, cnpilflo Fallibar,
cm lastro.
Mace Calera ingleza Svccess, capitflo Ho-
lelt, sarga a mesma que trouxe.
EDITAES.
semOIra legislativa da liahia, Nenduma re-
compensa mais subida e nobre podia eu de-
sejar pelos pequeos semeos que prestel ao
P'iz na dolorosa crise por que passou a he-
roica provincia de l'ernambuco, do que o
voto de reconhecimento, expressado na
mensagem honrosa quo a assembla legis-
lativa da Rabia so dignou dirigir-me em
nome de seiiscon>tituinle.. Tflo alta prova
de apreso, em que minha patria tem o fraco
tributo que oaguci sagrada causa da mo-
narchia constitucional, penhorou profunda-
mente minha gratidflo. Rogo a VV. EExc.
que se sirvam Tazer presente mesma as-
sembla este sincero testemunho dos meus
sentinentos, bem como o respeito e consi-
deraeflo que Ihe consagro. Dos guarde a
VV. EExc. 2 de agosto de 1849. Manoel
i'ieira Totla. >
Em a noite de 15 dcste mez houvora no
salflo da piarla do Commercio um bile dado
ao mesmo Exm. Sr. Tosta por alguns ami-
gos, anqual assistiram cerca de 800 pes-
soas, inclusive mais de 200 senboras.
A 17, o cambio fluctuava na prafa de San-
Salvador entre 25 1/4 a 25 1/2.
Re Sanlo-Antflo escrevem-nos o seguinte
em data de 10 do corrente :
Domingos Jos l'ereira, cabra, casado
com Ignacia de tal, da mesma qoslids.de,
morador em trras do engenho Honda da
Treguezia de Santo-Antflo, no 10 do corren-
te leve una desorden) com sua muiber, ( a
qual vive doentn, he entrevada, e mal ar-
rasta-sede um lugar para outro J o puchan-
do de urna parnahiba descarregou-lhe urna
cutilada no braco esquerdo, a qual todava
nflo pro hmo Terimenlo giave ; porque,
sendo mu baxa a casa de morada de Do-
mingos Jos Pereira, ao itescarrgar este a
parnahiba, succedeu que ella pegasse em
um caibro, e dalli viesse com pouca Torca
ao braco da Ignacia. Esta, apenas se vio f-
rula, dirigi juntamente com urna mtilher
sua vizinha, equeenlflo ahi se achava, al-
gunas queixas contra o marido.
Depois de ter assim obrado, vai Domin-
gos ver urna espingarda cqmprida, pOe a
bocea da arma em si, e com um ticflo(em
rasflo de com o dedo do p, por ser grosso,
nflo poder desarmar a arma ) loca Togo a
espingarda, que, disparando, nflo o ollon-
deu, em consequenea, sem duvida, do ter-
se a bocea d'arma desviado do corpo do des-
almado, quando se elle debrugou para lan-
zar Togo a escorva.
Domingos Jos Pereira, vendo frustra-
das as suas tences, procura urna pistola
velba que tinha, carrega-a, corta urna bala
do grauadeira pelo meio, e melle um destes
peducosna pistola, qual com a inflo es-
querda a applica ao peno esquerdo, e com
a iln ,-ila alaca-lbe Togo com o mesmo tieflo
de que anteriormente se servir ; e, logran-
do Uesla vci os seus desejos, corta os lios
da propria existencia, deixando quatro fi-
lhos pequeos.
Vimos cartas da li .iiia, as quaes noliciam
que no dia 18 do crrente o Exm. Sr. Tosta
seguir dessa provincia para a corte a bor-
do da Tragata Conslilulcao, lim de ir tomar
conta da (asta da marinha, que, como os
leitores saboin, Ihe fra confiada por decre-
to de 23 do mez passado.
COMMEftCtft.
Dos guarde V. Mes. Palacio do governo
An llaronhlln l i..ll. > Mntn Wt .-
AI.FA.NDECA.
Rendltnento do dia 22.....20:289,348
MPOItTAgAO.
Dealriee, barca ingleza, vinda de Liver-
pool, entrada no corronte mez, consignada
a Drene Youle r\ C, uianiTcstou o seguinte :
220 voluntes Tazendas de algodflo, 103 to-
neladas carvflo de pedra, 3 caixas Tazondas
de algodao e lila, 30 gigos, 70 meios ditos o
I bar ilones, 300 barricas vasias, 25 em-
brulbos de aduellas e urna porcSo de arcos
de barricas, 30 barris de alcalrflo, 50 barri-
cas de pixe; a Deane Youlo Si C.
8volumes Tazendas dealgodfio, 1 caixa
miudezas ; a II. Gibson.
52 volumes Tazeudas de algodflo ; s Ricd
Jatnissou & C.
CONSULADO GERAL.
Rendimenlo do dia 22....... q.16 fi6o
CONSULADO PROVINCIAL.' '
Rendimenlo do dia 22...... 1:880,415
Moviuiemo do .Porto.
Navios entrados no dia 22.
Babia --3dias, vapor de guerra brasileiro
Pela inspectora da alfar.dega se faz pu-
blico que, no dia 23 do corrente mez, se
lio de arrematar em hasta publica, na por-
ta da mesma, depois do meio-dia, na forma
do 4. do artigo 263 do regulsmento, 4
caixas com 3 arrobase mea de massas, a-
valiadas pela tarifa a 4,000 rs. a arroba, to-
tal 14,000 rs., a requermento da parle, por
se acharen) rom avara geral: sendo a ar-
rematado livre de direitos.
Alfandega de Pernambuco, 18 de agosto
de 1849. O inspector, Luis Antonio de
Sampaio Vianna.
O lllm. Sr. inspector da thesoursrla
da Tazenda provincial, em cumprimentoda
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
desta dala, manda Tazer publico que no
dia vinte tres do corrente ir a praca,
pe ante o Irbunal administrativo da mesma
thesouraria, para ser arrematada a quem
por menos fizer, a pintura da ponle de San-
to-Amaro-Jahoatflo, sb as clausulas espe-
ciaes abaixo transcriptas e pelo preco de
290,000 rs.
As pessoas que se propozerem esta arre-
mataeflo, comparecam na sala das sesses
do sobredito tribunal, nos dias cima men-
cionados, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandn afOxar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Thesouraria da Tazenda provincial de Per-
nambuco, 8 de agosto do 1849. O segundo
escripturario servindo de secretario, Fran-
cisco Antonio Cava/cante Cuusieiro.
Clausulas espeeiaes da arrematacSo.
1.' A pintura da ponte de Santo-Amaro-
Jaboatiio ser feita sb as condices e do
modo indicado no ornamento apresentado
approvaciio do Exm. Sr. presidente da
provincia, pelopreco de 290,000 rs.
2." As obras princrpiarSo no prazo de
quinze dias, e acabarflo no de um mez, am-
bos contados em conformidade do artigo
iodo regulamentodas arrewalaces.
3.' O pagamento da arrematado reali-
za r-se-lia depois de concluidas as obras e re-
celadas pelo engeuheiro.
" 4." Para tudo o mais que nflo est de-
terminado pelas presentes clausulas seguir-
se-ha inteiramente o que dispe o regla-
me uto mencionado de 11 do jnido de 1843
Gabinete do engenheiro, 19 dejulho de
1849. O engenheiro, J. L. Fictor Lieu-
thier.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
Tazenda provincial, em cumprimenlo das
ordens do Exm. Sr. presidente da provin-
cia,de 7 cu do corrente, e em virtude da lei
do oi'camento vigente, artigo42, manda fa-
zer publico que, peranle o tribunal admi-
nistrativo da mesma thesouraria, se hflo de
arrematar no dia vinte tres do corrente
por venda, a quem mais der, os proprios
previnciaes abaixo declarados :
11 sitio na estrada do Espinbeiro quo foi
de Sebastiflo Jos da Silva Braga, avahado
em 3:000,000 rs.
Osilio do jardim botnico na cidade de
Olinda, avahado em 2 000,000 rs.
As pessoas que se propozerem i esta
arremataeflo, comparecam na sala das ses-
ses do referido tribunal, nos dias cima in-
dicado, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandou afiliar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 16 de agosto de
1849. O secretario, Antonio Ferreira da
knnunciaeaU.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em virtude da resolueflo
do tribunal administrativo, manda fazer
publico que, perante o mesmo lribunal.se
ha de arremata no dia vinte tres do cor-
rente por venda, a quem niaior pieco offe-
recer, o ferro da grade velha da ponte da
Ba-Visla, avadado a 3,600 rs. o quintal, e
esb as cundieres abaixo transcriptas.
As pessoas que se propozerem esta
arremataeflo, comparecam na sala das ses-
ses do sobredito tribunal, nos dias cima
mencionados, pelo meio-dia, competente-
mente habilitadas.
E para constar se mandou aluzar o pre-
sente, o publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial do l'ernambuco, 16 de agosto de
1849. O secretario, Antonio Ferreira da
Ar.nunciacdo.
CundicSes espeeiaes
1 A base da arremataeflo do ferro da
grade velha da ponte da Boa-Vista ser o
preco da avaliacflo, segundo o termo res-
pectivo, a tres mil e seiscentos ris o quin-
tal, livre do despeza de remoeflo e de peso.
2.' O arrematante se apresentar no lu-
gar indicado para receber o ferro que for
extrahido, sendo previamente avisado pelo
arrematante da nova grade, ou por esta ad-
ministraeflo.
3.* A remoeflo e peso do ferro seri feita
em presenca de um agente nomeado pola
administraeflo das obras publicas.
Administraeflo geral das obras publi-
cas, 4 de sgosto de 1849. Jos de Barros
Falciode lacerda, administrador.
Cassandre.
Pient.
Fernando
Don Rodrguez.
Personagens.
0 Diabo.
Um domestico.
I.ucetta.
A fada.
Pavo o criados.
O CABO DE RSQUADRA E SUA PATRICIA,
polka cmica pelos Srs. Gabriel eCems.
' UUA SESSAO* DE PHVSICA E BE ILLUSAO,
pelos Srs. Achules e Gabriel.
O tdealro est prepsrado de novo : il|u.
minaeflo degazobos msica.
As pessoas que pretenderen] bilhetes,
( que custam a 1,000 rs. cada um, qurde
platea, qur de galera;) dirijam-so a qual-
quer hora ao theatro. O precio dos cama-
rotes ( que 'eem assento para < pessoas) he
6,000 rs. Quem tornar 6 bilhetes de platea
ou galera os ohteri por 5,000 rs.
' i -^a-^^-
Avisos martimos.
Para a Parahiba sahir mpreterivel-
mente no dia ssbbado o dale Espadarte -.
quem no mesmo quizer carregar ou ir de
passagem, traleina rus do Amnrim, numero
36, ou no trapiche d'algodflo com o mestra
a bordo.
Para o Rio- de-Janeiro segu viagem m-
pretervelmenle no dia 26 do. corrente o
brigue Kssombro : oa Srs. que trataran) em-
barcar escravos a frete, queiram embrca-
los al o referido dia, para o que traia-se
com Joflo Jos Fernandos Magalhfles, na ra
da Cadeia do liecife, n. 61.
Para Lisboa o brigue portuguez Subli-
me capitflo Jofio Francisca de Amor, sa-
be com a maior brevidade possivel, por ter
o seu carregamento quasi prompto : quem
no mesmo quizer carregar, ol ir de passa-
gem, dirija-so sos consignatarios Olivei-
ra IrmSos & C., na ra da Cruz, n. 9, ou ao
reTerido capitflo na praca do Commercio.
Para o Rio-Grande e Pbrto-Alegre pre-
tende sabir breve o brigue flor-do-Sul, ca-
pitflo Jos Ignacio Cimenta, o qual lem bons
commodos para receber a frete alguns es-
cravos, e tambem levar alguns passageiros
quem pretender pode entonder-se com o
sobredito capitflo, ou com Amorim IrmSos,
ra da Cadeia, n. 39.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com brevi-
dade a polaca N.-S.-do-Cartuo : para carga
ou passageiros, trata-se com o seu consig-
natario, Francisco Alves da Cunba, na ros
do Vigario, n. 11.
Para a Baha pretende seguir viagom
com brevidade,i or ter ja alguma carga tra-
tada, a sumaca 1'lor-do-Angnlim,mesire Ber-
nardo de Souza, para o restante da carga e
passageiros, trata-se com o mesmo mostr,
ou com Luiz Jos de Si Araujo, na ra da
Cruz, n. 33.
Para o Rio-de-Janeiro pretende sahir
com milita brevidade a muito veleirs e co-
nhecida barca nacional Firmeza : para car-
ga e passageiros, ou escravos a frete, tra-
ta-se com o capitflo na praca do Commer-
cio, ou na ra da Madre-de-Deos, n. 9, ter-
ceiro andar.
Leilo.
Moje, 23 do corrente haver leilflo de
loucinho em jacazes nd*eaea da Alfande-
ga na porta do armazcm de Joaqun) da
Silva Mourflo.
Avisos diversos.
Deca raides.
A administraeflo do patrimonio dos or-
pdfios manda fazer publico que nflo, se ten-
do effeiluado em o dia 16 do corrente a ar-
remataeflo dos concerlos do collegio dos
ore hilos continua a praca no di* 23 do cor-
rente as horas do costme.
Secretaria da adniinialracflo do patrimo-
nio dos orphflos SO de agosto de 1849. O
secretario, Jodo Francisco de Chaby.
Theatro de noite divertidas. -
NA RA DA PRA1A.
Direreflo An Sr a,.i,;ii,.
Lotera do Guadalupe.
He anda transferido para o dia 31 do cor-
rente o andamento das rodas desta lotera,
visto que este se nflo pode realissr no dia
13 anuunciado, por existir anda por ven-
der um numero tal de bilhetes, que nflo ha-
blitou o respectivo thesoureiro para effei-
tuar o dito andamento, que s (lpenle da
prompla venda dos mesmos bilhetes.
. Foi fui indo do sitio da uva de Veira
& Filhos, residentes na Soledade, um tran-
celn) de ouro, redondo, com o peso de 14
oitavas, sendo ouro de lei : roga-se a quem
froll'eroro porpessoa suspeita, de o ap-
prehender e levar ao dito silio, ou em sua
luja da ra da Cadeia do Kecife, o. 24, que
sera generosamente recompensado.
Dcseju-se fallar com o Sr.
Or. Honorio Fiel fciemariiiga Vas
Curado : na fu Nova, n. 65, ou
queira annunciar a sua morada.
Jos Martina de Amorim, eidsdflo por-
tuguez, vai a'cidado da Parahiba a negocio.
Desappareceu, na mandila do dia 18 do
corrente do sobrado n. 6. primeiro andar,
no pateo do Collegio,um dedal do ouro.com
as leltras iniciaes II. J. S. I). Roga-se a
qualquer pessoa a quem fr offerecido pa-
ra o comprar, que o tome e! participe na
mesma casa, que se Ibe fiorS obrigado ,
e no caso de querer receber gratilic$5o ,
ser satisfeilo.
-- Madama Miltochau tem a honrs do
paiticipar qo mudou a sua casa de modas
rancezas do primeiro andar do Aterro-da-
Boa-Vista n. 1, para a loja da meama ca,
aonde as senboras acharflo sempre grande
sortimento de modas como manteletes,
lencos, luva", bicos, fitas flores, Bordados e
em geral todo o que usaoi as senhoras, por
prego commodo: tambem se Tazem cha-
peos, vestidos, camisinhas: tudo na verda-
dera moda,
38? Chapeos deso >j|
Ra do Passeio, n. 5
Nesta fabrica hs presentemento um rico
sortimento de chapeos do sol de todas as
qualulaJcs.e de todas as coros, as mais
fi&as que pdem haver; etiapos de sol pa-
ra senhors, dos mais ricos e do ultimo gos-
to de Pars: bem como um rico sortimento
de sedas e panninhos imitando seda para
cobrir arma?es servidas, chegado lti-
mamente de Franca. Ncste estabelecifflen-
to tambem ha chapeos muito grandes para
feilores de engenho. *
lo Sportsmeu.
MUTIU


r priroei.as letlm. l-" '?' Kh.i.r motoli.s de Qlho., e Um por ... 5, ser recompensado.______,,_
Um, lo. ^nuJerproPer. re
ceber
f^c^^met^V^eWcSrprornetten-
, oo mais develado traUmento .mediante
um iTodlroTrtipeodio : s pessoas que o
Tizerrm froquentar poderte, d.r.g.r-se
nn^as Flores, sobrado U. i, d.S du. ho-
ras da larde em dianU.
.. Aluga-se a toja do sobrado n. 2 da
ra da Aurora.
Quem annunciou querer comprar urna
cadeira quasi nota dirija-se eo pateo do
Carmo, sobrado de Gabriel Antonio,
t Gratifica-so generosamente a quem
levar no Mondego casa defronte do sitio
do Sr. Luif Gomes Ferreira um viado que
desapparece na Urde do dia t do cor-
rente lendo tomado para os sitios anrt-axos
I aos fundo dinha amarrad no pescoco; be muito man-
so, por ter aido criado deade pequeo por
I isojulg-e que ello meamo procuran 1-
cuma casa, por ser n*.uito domestico: quem
1 o levar a dita cas cim -oo der notlcis ,
ser gratificado.
Agencia de passaporles.
Na ru do Collegio, n. JO, e no Aterro-
da-Boa-Vista. loja n. 48. conlinuam-se ti-
rar passaporles par dentro e r do im-
perio, assim como despacham-se escrvos
_ O contratadores do contrato de 2,500
rs do municipio do Recife vendem os armos
da fregu lia de S.-Amro,Muribec, S.-Lou-
renco e Luz : o pretendenles fallem ao
coronel Mnoel Cvlcnte de Albuqucr-
que Mello socio cana do mesmo contra-
to no seu engenho Gigul.
C. Starr& Compsnhia, con-
vencidos de que a conduccao das
formas de assucar para a casa de
purgar he em dovida o servico
que mais mortifica a escravalura
de um engenho, e desejando quan-
to possivcl he o mellioramento dos
senhores agricultores, teem inven-
tado e conseguido construir varios
carros- de ferro que facilitam de
urna maneira admiravel este pesa-
dissinio trabalho. As pessoas inte-
ressadas sao convidadas a inspec-
cionar, na fundico d'Aurora em
Santo-Amaro, esta mui til in-
vencSo.
b doutor Lourenco Trigo de Loureiro
eside ctulmente ns lojas d casa do
lllm. Sr. desembargador Bastos, na ra da
Aurora ,entrd pelo ldo d mesma ra ;
e alii se offerece para dvogr, tanto no
civel como no crime, e para ensinr as lin-
goas latinee franceza a quem s quizer f|
ulilisar de seu presumo.
Denles artificiaos.
J. A. S. Jane, dentista participa ao res-
peitavel publico qbe contina a exercer a
sua proissBo, na ra estreita do Rozario ,
n. 16, primeiro andar.
Ilua larga do Rozai io,
n.I4.
Pradines.culilero e
armeiro,
tem honra de prevenir ao respeitavel pu-
blico r principalmente aos seus rreguezes
que elle acaba de receber um rico sorti-
mento de espingrdas do caq de um e
dous cano trunchedo e damasquinados ;
neste soriimento ha tambem algumas mui-
to curta* para cafar as mallas e Iagas.
Seus freguezes acharto tambem um rico
soriimento do pistolas, tanto de montana
como de tiro ede alglbcira muito peque-
as; boleos de cacadores, entraados ;
formas de faaer balas do todas as hillas:
bem romo concerta e faz qualquer obra
pertcncente ao seu ofllcio ; amla aempre
na tercas, quarlas e sabbados com perfei-
cQo e hrevidade.
Alugam-see vendem-se superiores bi-
sas do llmnburgo: na ra das Cruzes,
n. 40.
AO PUBLICO.
Em moi orescido numero conlavam os
mdicos at agora molestias incuraveis,
contra as qiiaes s er permitido ao paci-
ente reeignaeflo para sofirer um mal de que
i nBo eavia esperance de poder l'herta-
lo, e o medico pbilanlropico a dor de ver
muito de eu 8omelhnte victimas de
enormidades, contra as quae e declarav
impotente, podendo pens lamentar rra-
quez da i.lelligenci humana. Mas, gr-
cis o progressos d medicin, gracas o
zelo de bomen incosaveis, que, nao des-
esperando da percclibilidade da sciencia.
se team dedicado investigarlo de rea e-
diosque pogum alliviar i humamdade de
alguna males que a Aligero, o numero das
molestia reputadas incuravei vai de da
,en dia dimiuuindo. Assim, achar depois
de longo tmbalho, de profunda medita-
co m reiterada* experiencias, med ice men-
t que nos restiluam o uso dos dous mais
importantes sentidos do que he dolado o
liomem, quando estes j se achavam oo up-
poaio estado de incurabilidad e inteira-
mente perdidos, he por certo um dos maio-
res tenido quo se podi prestar huraa-
nulade ; eis o que eslava reservado um
homem philanlropo da cidde de Braga, em
Portugal, cuja sciencia, cajo mor de seus
semelhntes se leem feilo geralmente co-
nhecer Os remedios que ora offerecomos
ao publico,nfio ontram na classe daquclles
que o vido e oussdo charlatanismo incul-
ca com roucos edescompassaJos orados, e
que o crdulo vulgo por ignoranc recebe
na boa fesem discernimento, achando-se
depois Iludido; ten., porm, de occupai
mui distinelo lugar entro os medicamentos
que msiores beneficios prestam ao homem :
constam elles da dissolusBo quosa de ex-
tracto de plantas medicinae, de virtudes
mui reconhecidas e verificadas. O longo
uso, as continuadas e severas experiencias,
toda arte teem elles sido sub-
combster as molestiss de olhos, e Ubii por
principal virtude restituir < orf*>8_^_*'
sao suas funcefles ; reanimar rwer reaP
parecer em ua. natural perfeiflo rvuta,
quando eiU e.liver fr.c. ou quas. Une
U comanlo, porm, que nao naja ceguei
r. ;bsotu co'n? desoganisa^o das pa,es,;
nao menos til e enrgico he par.. desfazer
"oTroVq'um^estitue .faculdade de ou-
vir os sons ao ouvldo tocado de surdez, ain-
d, que"nveter.da, urna vez que o mal nao
eja de nascenca, sem causar em tempo al-
Kum o menor incommodo ao doente, e sem
priva-lo de cuidar em seus negocios.
INSfRUCCOES PARA 0 USO DOS RE-
MEDIOS.
O dos olhot emprega-s do modo seguinle :
0 doente pe mnhfi, emjejum, urna
hora pouco mais ou menos depois que er-
Kiier-se do leito. torar sobre plm da
mao pequen poreflo Jaquel a go ; e com
ella molhar bem os olhos, fazendo que al-
gumas gotlascaiam sobre o wlobooccular :
lemoslimp.r, os conserv.ra molhados al
que naturalmente enxuguem : ao datar-
se anoite praticar o mesmo: durante o
tempo que usar do remedio eviUra o calor,
accao de umaca eo vento; fura abstinen-
cia de comidas salgadas, zedas, e adula-
das com especiaras.
0 remedio do$ ouvidoe tera applicado do modo
que legue :
O doente pela manl.8, urna hora pouco
mais ou menos depois de erguer-se, anda
emjejum, far derramar dentro dosouvi-
dos quatro ou cinco gottas do liquido, la-
pando-os depois com IgodBo em rma ; a
noiteaodeiUr-se repetir a mesm opera-
cBo. Duranle o uso do remedio evitar ex-
pr, os ouvidos principalmente, accSodo
calor e do vento, afim de evitar grande
transpiracBo, havendo cuidado em nBo mo-
Ihar ospsemago fri ; finalmente deve
absler-se de comidas salgad, azeds e
aduhadas. ". .
Estes remedios eslBo venda na botica de
Barlholomeu Francisco de Souz, na ra
larga do Rosario, n. 36, nico depos-lo em
Pernambuco, pelo preco de 2,240 ris cada
vidro. _...
Precisa-sedeumcaixeiro pra pana-
na : na A-Cruz, padaria de urna so porta.
-- Aluga-se um sobrado n ru d Uniao,
coro excellente vista para a barr boa sa-
las, 4alcovas,2grandes quartos dito na
escada para pretos cozinh fr, grande
quintal murado, cacimba : a tratar com
Manoel Alves Guerr. .^^^
fymm^mmnmmm mmmmmmm9
Na praca da Independencia, |
n. io, aovoltar para a ra W
das Cruzes, alugam-se, ven- g
dem-se e tamhem se appli- 2
cam as melhores bixas que
he possivel havarem no mer- |
cdo; limram-so e tiram-se denles *
com toda a perfeiQBo : tambem se ap 9
plicam ventosas com a roaiordelica- 8
drsa que he possivel e faz-sa ludo i
o mais que pertence a arte de sangra- I
dor: ludo por preco muiturasoavel. ;
I
w mmm Precis-se de um homem que ja teniia
servido em phmeira linha para ser vi 9.11111
anno por oulra praca : quem quizer dirja-
se a ra do Alecrim, sobrado n. 2, ou em-
bsixo na venda do dito.
-- l'recisa-se do um caixeiro para venda ,
o qual tenha pratica e d fiador a sua con-
ducta : na ra Augusta, n. 1.
"FilippeFroment, subdito francez, re-
tira-se para o llio-de-Janeiro, ou Baha
-- Precisa-ce de 250,000 rs. a juros ga-
rantindo-so esta quanlia com una ptima
escrava : quem quizer dr nnuncie.
-Aluga-se una casa na ra da Palma ,
n. 6, com cozinh, quintal, cacimba e es-
t pintada e caiada : a tratar na ra de &.-
Frsncisco, 11. 30.
--Precisa-sede umaam secca : na ra
do llangel, n. 25.
-- Aluga-se, pelo tempo ds fesla, ouan-
nuilmenle, urna casa terrea com muito
commodos sila no l'oco-da-Panella a
margemdo rio e que foi do doutor Joao
Lopes: a tralar na praca da Boa-Vista, h. 32,
segundo andsr.
-- 0 abaixo assignado participa a Sr* 1).
Auna Senborii.lia do engenho S.-Jo3o-da-
Matta que osouescravo crioulo, de nome
Cosme, no dia 21 do correnle o procurara
para o comprar : a mesma senbora queira
vir ou mandar tomar conU do dito escravo,
o qual diz que a mesma senhora tem uin
illio de nome Joaquim Correia do Araujo.
senhor do engenho Muribara. Ra de Agoas
Verdes, o. 46. iodo Frederico de Airea
Reg.
O BEIJA-FLOR N. 6
esU a venda nos lugares do costume.
Precisa-se de 140,000 rs. com o premio
de um o meio por cenlo, pelo lempo de 8
mezes, dando-se por garante pessoa abo-
nada : quem quizer dar annuncie.
Aluga-se um excellente escravo para
alguma casa estrangeira, com todas as boas
qualidades, alm de ser bom cozmheiro, he
copeiro e bolieiro: a tratar no Fortc-do-
Mattos, ruad Mod,n. U, segundo n-
dar,
Quem annunciou, no Diario de 22 do
corrente. querer tomar roup pr lavar
de varrella em alguma cas de familia di-
rija-se ra Bella, sobrado de dous andares
onde moru o vigario de S.-Antonio.
l'recisa-se de Um preto par trabalbar
em padaria ou mesmo brenco, dando-se
bom ordenado : na ra da Florentina, n. 3.
OSr. Jos Perer Lins, que morou no
Rio-Formoto, Um urna cart de seus paren-
tes na prac d Independencia, livraria
os. fie8.
Quem annunciou querer comprar
IrtduccSo de Horacio dirija-so ru do
Sol, n. 23, segundo andar, defronte do por-
to das canoas.
11. 5, ser recomponsado.
Quem precisar de um ama par o ser-
vico de portas a dentro de urna casa do Ho-
mero solteiro, dirija-se ao becco do Dique.
Ao Sr. Manoel Barboza Camello.como se
descuidasse de mandar procurar o seu es-
cravo Cosme, desde o dia 12 do .corrente ,
declaro que d daU deste em dianto nBo
me rosponsabiliso pelo dito escravo.
Miguel Carneiro da Cunha.
O acadmico TrginoCndido das Na-
ves roga ao autor do annuncio publicado no
Diario de hontem em que pede ao estudan-
te Targino que"v pagar o que deve na ra
doQueimado, n. 30, o favor de declarar se
com elle se enlende o refjrido annuncio.
A pessoa que annunciou, no Diario de
20 do corrente. querer comprar urna cadei-
ra de arruar, dirija se rus Direita n. 26 ,
que adiar urna quasi nova e de bracos.
Precisa-se alugar urna prela : na ra
Direita, n. 18, se dir quem precisa.
-Precisa-sede urna criada para o servi-
co interno de urna casa j na ra Formosa ,
na esqu'na da ra da UniBo.
Precisa-se Tallar con. o Sr. Francisco
Antonio Cavalcante Cousseiro e o Snr. Dr.
Vascurado : na ru do Amorim 11.13, pri-
meiro andar. ,
Perante o Sr. Dr. juiz municipal da se-
gunda vara na ra das Cruzes, pelas 4 ho-
ras da tarde do dia 29 do corrento se ha de
arrematar um escravo do gento de Ango-
la, penhorado pelo coronel Chaby aos her-
deiros de Francisco Xavier da Fonseca C01-
tinho cscrivo Molla.
Quem annunciou querer comprar um
l.lim, canana e mais alguna ojelos en.
bom estado proprios para ollicial subal-
terno da guarda nacional, dirija-se a ra da
ConceicBo da Boa-Vista, n. 9. Na mesma
casa vende-se um rico violSo em muito bom
estado por preco commodo.
Os Srs. coronel Diogo Lopes de Araujo
Salles, Manoel Joaquim de Souza Ramos,
JoaoPoreira de S Vianna Antonio Cun-
ea I ve Lope Macieira, Manoel Jos de Arau-
jo Costa Alexan'dre Jos Silva Raymundo
l'ereir da Costa J080 Martins dos Santos
Cardozo, Manoel Carneiro Lins e Albuquer-
que queiram annunriar por esta folba suas
moradas, afim de Ibes serem entregues car-
tal I
-- A pesso que annunciou, no Diario de
22 do corrente precisar de 250,000 rs. a
premio dando por garanta urna escrava ,
dirija-se atrs da matriz da Boa-Vista, n.
24, sobrado de um andar, que se dir quem
faz este negocio.
O Sr. JoBo May, procurador de papis,
aueira apparecer na ra da Moeda n. 25 ,
para dar soluc.lo do quo so Ihe cncarregou
na mesma casa ; cerlo de que, se o DDO M-
zor, ter de vero negocio por extenso nes-
ta folha enBo se dev.e queixar do resul-
tado. .
OfTerece-se urna mulbcr para ama de
casa de porla a dentro do homem solteiro,
ou de pouca familia preferindo-se para o
matto:narua do Hangel,n. 55.
l.ava-se roupa de varrella do cas ue
familia com zelo, promplidSo e lidelida-
de: quem precisar nnuncie.
--Aluga-seo quarlo andar do sobrado
da ra larga do Rozario, n. 36 : a tratar com
Bartbolomeu Francisco de Souza.
Aluga-se o irmazem do sobrado n. 2,
no largo da matriz de S.-Anlomo, com
quntale cimba: n Iralar na ra Direita ,
n. 29, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama que cozlnhe
para urna casa de pouca familia sendo for-
ra ou escrava: na ru do l.ivramenlo,
n. 20.
N ra NOv n. 35, loj de alfaiale,
se deseja fallar com o Sr. Temotheo Pinto
Leal Jnior, a negocio que Ihe diz res-
peito.
O coronel Gaspar de Menezes Vascon-
celos do Drumond, nBo pariendo pe ra-
pidez da sua portilla par SerinliBcm dcs-
pedir-se e agradecer pessoalmenle a todas
as pessoas que 60 dignaram de obsequia-lo
com suas visitas durante o tempo que cs-
teve nesta cidade prevalecc-so do presente
meio para pedir-Ibes desculpa desla invo-
luntaria omissflo, e o mesmo lempo olTe-
reccr-lbesslli oseu mui diminuto preslimo.
-- O baciiarel formado J080 de Barros
botes de urna e do meia libra por preco
mais commodo doqueem oulra qualquer
parlo. .
- PeranU o lllm. SrDr. juiz municipal
da segund vara do civel, n porta dcsle,
na ra das Cruzes. lindo os das da le. teem
de ser arrematadas as propriodades sitas,
um sobradinhode um andar, mcia-agoa.no
boceo da Bomba.e urna casa Ierra na esqui-
na da ra do Fogo que volU para o becco
da Bomba. ., .
-O corretor Ollveira.desojando muito sa-
ber se existe, 011 fallecer nesta cidade, ou
provincia o Sr.JoBo Anastacio da Cunha,
otitr'or escrivSo-deputsdo no Paia, mu lo
penhorado ficar a quem disso souber e Ihe
quizer dar informacSo.
Em um engenho pouco distante desla
praca precisa-so de um foitor que enten-
da deborUliceede jardim : na ra da Ca-
deia do Recife, n.9. ___
Compras
Compra-se a tradurefio das odes de
Horacio, pnrj. A da Molla e a traduceflo
me francez de toda obra de T. Livio : quem
tiver annuncie.
Gompram-sc 20 a 3o acroes
da companhia de Beberibe : quem
as tiver annuncie para ser pro
curado.
Compra-se um violBo bom : quem ti-
ver annuncio.
Compra-se um lalim canana'e mais
alguns objeetos que estejam em bom esta-
do para ofllcial subalterno da guard na-
cional : quem liver annuncie.
Compra-se urna venda cm bom local:
quem liver annuncie.
Compra-se um carioca decavalloque
estej em bom estado, com seus competen-
tes arreios, ese fr com o cavallo melhor:
na ra Imperial, n. 25, ou annuncie.
Para prsenle.
Fbulas de Lafontaine em
francez, riquissima edicao illustra-
rj, em a volumes, papel vehn,
propria para presente.
Anna de Grientem, ou aDon-
zella do JXevoeiro, novella de
WalterScott, excellente traduccao
portugueza de Lisboa, /, vohinv
in 8- 1 *
Vende-se cada urna destasobra.
separadamente por 8,000 rs., na
ra do Uozario larga, lojade J. J.
kodv. ,
- Vende-se o sobrado de um nd.r n. w,
no Alerro-da-lloa-Visla *~f
commodos e grande quintil, W,
menlo d hypolhec que tem a Sr. D
ria Rita de Queiroga 1 a tratar como Sr. Ko-
dolpho JoBo Barata de Almeida ou com o
Sr. Francisco Jos da Costa. .
- Vendem-se hules e cafeteiras de metal,
com lindos modellos, e mschinss P"""
fe.: na ra Nova, loja de ferragens, n. ie ,
de Jos Luiz Peira. .
-Em casa do Adamson Howie & C. ra do
Trapiche, n. 42. vendom-se sel luis ingle*
da melhor qualidade, coro todos os mais
perlences.
\ enuas.
Vendem-se escravos baratos, na ra
* dasl-arangeiras.n. 14, *#*" 9
a> dar, como sejm: moloques, mole- m
# cas, nioleces, negras e negros da lo-
^ do o servico.
Visporas.
Acaba de ebegar pelo ultimo navio de
Franca ra do Qucimado, loja de ferra-
gens, n. 37 A, junto ao becco da Congrega-
do, um soriimento dos mais divertidos
jogos de vispora os melhores que teem
vindo a esla prac ; bem como um sorii-
mento de estojos para costura de senhura ,
com lodos os seus pertcnecs, contendo mais
umacawii.ha com cinco pecas de musica
cada urna ; um rico soilimento de estojos
para barba, com todos os seus perlences. A
elles anies que seseaban!
Momlio de vento
Vende-se o monho do vcnlo estableci-
do rm Fra-de-I'ortas para o fabrico de
farinba do millio com s competentes ma-
chinas de peneirar e ventilar. As vanlagei.s
queeslecslabelccimenlo offerece s3o 13
manifestas, que intil se torna fazer dellas
aqu minuciosa descripcHo. O monho adia-
se em estado peifeilo e cm tiaballio efTec-
livo o moe para mais de 2 alqueires ( 12
arrobas) de milho diariamente, e disto
qualquer se pode convoneer, indo-o exa-
minar por alguns minutos quando est tra-
bajando. Os pretendenles dirijam-so a
qualquer hoia ao mesmo monillo que ahi
acharBo com quem tratar. Observa-so que
osle monho de vento, sendo lodo feito de
ferro sobro fortes estelos de madeira pode
em poucos horas ser tirado do lugar em
que est e collopado em qualquer oulro que
mais convenha ao comprador.
A 560 rs.
Vende-se hamburgo muito fino, de 3 pal-
mos c meio de largura propiio para len
ces e ceroulas, pelo barato prego de 360
rs. a vara ; chitas muilo linas, escuras e de
cores muilo fixas, a 200 rs.; ditas lavradas
de diversas cores, a 180 rs. o covado : na
ruado Crespo, n. 14, lojade Jos Francisco
Dias.
Vende-se um prelo propno para o ga-
nho, ou qualquer servico bracal, por ser
muilo reforcado; um molequo : na ra da
Cadcia do Recife, 11. 39.
Pannos Anos preloeazol,
a 3,000 rs. cada covado.
do Guima
o joa Na loja da ra doCrepo, n 5,-------.....
FalcSo de Alhuquerque MaranhBo advoga | rBes& llenriques veiniem-so pannoaipre-
. i_____iiL.i ;i ..,.i.; ,.i,. inn7ni linn* ni In 1,1ra o nreco de 3,UU0
I lili IM' ^ ....W^M".^-------------------------------- **
nos juizos criminal, civel e ecclesiasticu :
na ra estreita do Rozario, n. 20. prineiro
fe mmsmmmmm* mmmmm.mn
Novo pfio de Provenca.
Na padaria do becco das Barrciras e
U no deposito da Estrella, no Aterro-
5 da-Boa-Vista, n. 39, fabnca-se o no-
vo pBode Provenca, o qual he fabri-
cado pelo methodo do seu primei-
ro introductor que veio esta provin-
cia e com as melhores farinhasque ,
ha no mercado, e asseio que he pos- jj
sivel: da mesma sorte aefabncam as &
faliasda rainh de Hespanha noli- g
nhos, biscoutos, biscoulinhos, fatias, &
cavacas : ludo do melhor gosto pos- S
sivel e proprio para cha ; tamhem ha S
bolachinha de Lisboa em latas do II
libras por preco commodo ; amen- 3
doas confeitadas e de vris quali- |
dades.
mmwmwmmm mmwrnmmw*
Aluga-se, por fesl, ou mensalmenle,
urna casa na enlrada da Casa-Forte, com
bstanles commodos, um solfio com dous
Mininos, quintal murado com estribara
para 4 ca-vallose cacimba com boa agua :
a Iratar com o major JoBo Vtlentim Villela.
Manoel deAlmeida Lope que cosiu-
ma comprar e vender escravos mudou sua
residencia da ru do Vigario n. 24, para a
ra da Cadeia do Itccif", n. 40
Precisa-sede um feilor que trabalho,
entenda de arvoredo, de horU e de vaccas:
na Magdalena estrada nov, primeiro por-
tSo de ferro.
Desejs-se Tallar coro o Sr. Manoel Jo-
s Upes de Macedo: na ra do Queimado,
n. 44, ou innuncie sua morada.
Domingos Alves Matheus, agente da Ja-
.H"3 V*- 11*111 |Uia* I rw>-w----------------r
loe azul, linos, pelo barato preco de 3,000
rs. cada covado e alm destes ti um com-
pleto soriimento do todas as cores o pre-
cos commodos.
Vende-se um terreno com urna peque-
a casa de pedia e cal no lugar da Capun-
ga oreiroao doutor Jacobina, por preco
commodo : na ra da Scnzalla-Vclha casa
terrea, n. 24.
Chales de Roberto do
Diabo.
NalojadeGuimaraes & llenriques, ra
do Crespo, n. 5, que faz esquina para a ra
do Collogio vendem-se os novos chales
grandes intitulados Roberto do Diabo pe-
lo barato preco de 1,600 rs. cada um : esla
fazenda se torna muito recommendavel ,
porser de padrOes novos, e do lindas
franjas.
fea ra do Crespo, n. 5.
loja que faz esquina para a ra do Collegio,
vendem-se chitas francezas largas e de pa-
drOes muito modernos pelo barato piecu
de 280 rs. cada covado.
Vendcm-se 3 saccadas de pedra da Ier-
ra, una cama de angico, urna marquen,
8quadrosgrandes desala, urna mesa, 12
garrafas, 3 compoteiras de vidro, urna se-
creta, 1 porla-licor e oulro de azeile : a tra-
tar na ra das Larangeiras, o. 29.
Na ra da Cruz, n. 3, vende-se cera de
carnauba de superior qualidade por preco
commodo.
Visporas.
Acabam de chegar pelo ultimo navio vin-
dO de Franca, na ra do Queimado, lojade
chapos, n. 22, pegada a esquina do Rosario,
um soriimento dos mais divertidos jogos
de vispora os melhores que teem vindo a es-
la prac, assim como um sortimento dees-
loios para costuras de senhora com todos o
* "T_i______ ___... -a-----:-------------->-!
-Na livnirUns. 6e 8 da praca da Inde-
pendencia vende-se o seguinte :
Manual eleitoral
contendo a lei regulamentar das eleicOesi e
os decretos e decisoes do governo que aao
escUrcimentos sobre su execucBo.
Tecidos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Va ra da Cadeia, n. 152.
vendem-se por atacado tres qualidades
prourias para saceos de assucar e roupa i
escravos a 250, 280 o 300 rs. a vara.
-Vende-so urna negra ainda moca.q
lavar, engommar alguma cous, tem
cura o cozinh o diario de urna cas
ru Bella, n. 14, primeiro andar, so
quem vende. .
Lotera do Rio-de-Ja-
nciro
Na praca da Indegendeneia, n. 4,, ven-
dem-se meios bilhetes. quartos, oilavos o
vigsimos a beneficio da (brtoa dejMTU\.
na mesma loja so mostram as listas das loto-
rias pasnadas. __. -
Vende-se um pardinho do12annos a
ummulatinhodell. ambos muito bom os,
proprios para olllcio, ou pagens: na ru lar-
ga do Rosario, n, 35, loj.
Vendem-so ancorlas com zeitonas,
chegadas ultimaroonle do Porto : no caes
da Alfandega no aimazem de Francisco
Das Ferreira.
Vende-se a taberna do pateo da h.-
Cruz, ao p da padaria de una porta,
que vende, vinle mil rs. diarios; dinheiro
ou desobriga praQa : a IraUr na mesma
taborna.
Confeitos de Glis
a cont de lactato de forro, approvdo pela
academia de medicina de Pars, conrornu
o parecer do urna commiss.lo composta doi
Srs. Bouillaud, Fouquier a Uailly.
As preparacocs ferruginosas se contarr
no numero dos medicamentos, cujas pro
priedades mo so pdem pOr em duvida
com elTeito ha poucas preparacOes medie;
que lenham sido estudadas com tanto os
mero por observadores sabios.
Os mdicos mais acreditados reeeilarjn
estes confeilos com muitas vntgens, de-
pois de lerem analysado su composicBo. i
O benvolo acolhimento que esta prep i
racBo obteve da escol de medicin do Pa
ris nos dispensa do fazer seu elogio.
Estes confeitos s3nompregadnscom gran
de suceesso na clorosis ou paludas cores
as nflammmes chronicas do estomago
n dos intestinos, na falta de appetite, na
amenorrheas, ou soppressno de mentrus
as enfermidades escrophulosas, e inconli
nencia das urinas, proveniente da debili
dade da beziga : na leucorrhea oo ore
brancas, opilac-lo. abatimento de rweai
no escorbuto, em todos os casos de entra
quecimento do organismo, na animya, vul
go frieldade, na hydropesia consequenc
destas molestias, emfiro em todos os casri
em que ha alterado n composicflo d
singue. _
A respeito d dse que se deve toma
bastam tres confeitos pela manhfla, e outri
tres de tarde, e o mais distante possivel di
hora da comida, augmentando progresa
va mente al 6 de manhBa e 6 de tarde.
Relativamente aos meninos, sdosesv
riam conforme a Idade; mas, tomando
termo medio, so darBo da 6 a 8 todos i
dias, na iddo de 6 a 12 anno, e 4 aos ma
jovens. ,, _
Em as principaes cdsdes da Europa
acham os depsitos dos ditos confeitos,
em- Pernambuco na botica doSr. Paran
na ra do Rosario estrella, o. 10.
Cheguem ao barato qu
poucas vezes apparece.
N prc dlndependenci, cs aman
la n. 1, vende-se bnro de listras cOr de ga
K ede linho puro], pelo barato preco -
1,000 rs. o corte ; dito prdo de aupen
qualidade a 1,280 rs. o corte; dito bran.
de lislras a 1,600 rs.; dito trancado de
godSo a 1,200 rs.; chitas de asento e
curo e de cores 0x, 160 ra. o covadi
meias para senhora, muito finas a 5tH> r
n n.- ri>.Hinl>na miillrn o (le Core tiZ
ADO


'P *
-- Vcnde-se urna mulata anda moca com
un cria do oito mezes : he prendada, o o
clona vende-a porse retirar para ora da pro-
vincia: quem a quizer comprar dirija-sea
na da Moda, n. 7, priuieiro andar.
Pechincha.
No Aterro-da-Boa-Vista, loja n. 78, ven-
dem-se pelles de couro de lustro, a 1,000
e 2,000 rs Estilo se acabando.
Para escravos.
Vendem-se cobertores de algodilo ameri-
mo a 560 rs. cada um zuarle de chadrez.
160 rs. o covado ; dito trancado a 200
.. o covdo ; pecas de ganga azul da India,
com 4 palmos Ue largura e 12 covados a
2,100 rs.: na ra do Crespo, loja n. 10.
Vendem-se chapeos de senhora tanto
de palha como de seda, manteletes de bico
o de seda chegados pelo ultimo navio de
Franca : no Aterro-da-Boa-Vsta, loja da es-
quina n. 1.
Vendem-se relogios de ou-
ro inglezcs c sel litis inglezes cls-
ticos : em casa de Gco: Kenwor-
tliy & Companhia, ra da Cruz,
n. a.
Na loja da modas francezas, na esquina
do Alerro-da-Boa-Vista, n. I, recebcu-se pe-
lo ultimo navio vindo do Havre um lindo
sortirrenlo de chapos de seda e de palha
fina da nova moda ; ricos manteletes de se-
da e le bico ; flores de todas as qualidades;
luvas de pellica curtas o compridas: ricas
fitas, plumas, bicos camhraias de linJio,
camisinhas ludo vendo-so por prego mul-
to em corita.
Vende se cera de carnauba
milito superior e por preco com-
modo, em arrobas e a retalbo: na
ra Nova, armazem de trastes, de-
i'ronte da ra de Santo-A maro,
n. 59.
? *
flj Na loja do sobrado amarello, na ra 4
A 1I0 Queimado, n. 29, vendem-se^
% cortes de vestido de cambraia de se- ?
tr da de moderno gosto, proprios pa- 4
4 ra baile a 15,000 rs. ; ditos de cam- <*
(4 braia com listras de cores imitando 4
* seda a 4,000 rs. ; chitas largas fran- *
P, eezas padrOes modernos e de cores 4
# lisas a 360 rs. o covado ; lencos de (i-
f) seila da India, para hombros, a 1,800, 4
* 2.000 e 2,240 rs. ; ditos branena de ?
mbraia ilc linho, a 800 e 1,000 rs. ; 4
miras fazendas de gosto a prego 4
minlo. <>
Vendem-se cortes de cambraiaa ada-
mascadas proprias para vestidos a 3,000
rs. ; ditos de talagarga, a 1,600 e 2,500 rs. ;
cassa-chita decores fixas, a 300 rs. ; lan-
zinhas para vestido*, calcas e roupa de me-
ninos, a 320as, o covado ; Cazenda de Illa
com listras de seda, propria para vestido
de senhora a 640 rs. ; Mas para calcas, de
muito bom gosto e de superior qualidade ,
a 2,200 rs. o corte; cortes de cassa, a 1,400
rs. cada um ; panninhocom vara de lar-
gura a 240 rs. a vara, e a 2,500 rs. a peca
com 10varase meia ; chales de pura lila,
a 2,000 rs. cada um; fustOes para colletes,
a 500 rs. o corte ; e outras muitas fazeno>s
por barato prego : na ra do Crespo, loja
n. 15, de Cunha Cuimar3es & Companhia.
9toMKmmmimM mmmmma
K m
Na loja do sobrado amarello. na ra ij|
y% lo Queimado, n. 29, continuam-sc a :f-
*t vender os bem acreditados pannos (i- ij
f| nos cor de caf do vinbo e verde a
" 4,000 rs. o covado ; princoza preta jS
infestada ,) fazenda igual a merino, >
s a 1,000 rs. o covado; sarja de 13a pre- .-.
ta lavrada propria para forro de *
wi obras a 600 rs. o covado ; merino
prcto, a 2,500 rs. ; dito muito supe-
riir, a 3,000 e 3,500 rs.; e um com-
pleto sortimento de panno preto pa-
ra todo o prego.
4
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodfio ameri-
cano, encorpadose grandes, a duas pata-
cas ; chitas escuras de bons padrOes e co-
res seguras, a meia pataca o covado: na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Taixas para eng-enho.
Na fundigSo de ferro da ra do Brum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Vendem-se 6 lindoa moleques de nagio
ecrioulos sendo um delles bom official ile
alraiate e ptimo para pagem um mola*
tinlio de 15 anuos ; 6 pretos muito mogos ,'
sendo um delles pirfeilo cozinheiro ; urna
negrinba de 11 anuos, com principios de
costura ; urna preta de meia idaile, queco-
zinha, engomma faz doces e d-sc acon-
tento ; una dita de 18annos perfeita cus-;
lurelrs eagommadeira faz lavarlnlo, co-'
zinhe, he rerolhlda e de muito boa con-1
duela; 3 mululinhas de 16 a 20annos.com
"Igumas habilidades; um cabra muito ro-
busto, proprio para campo; e outros mui-j
tos escravos: na ra da Cadeia do llecife,
Chocolate.
Vende-se chocolate de varias qualidades,
como sejam amargo e inglez ; e caf muido:
ludo superior, por prego commodo : no
Alerro-da-Boa-Vista, n. 68.

Vende-se superior cal virgem de Lis-
boa em barris pequeos ; feches de arcos
li" pao-e rodas de dito para barricas; cu-
nhetes de pinho abatidos para assucar ;
pregoscaixaesdo Porto, em barris de 10
milheiros ; ditos de estuque em barris de
32 a 45 milheiros ; mermelada de Lisboa ,
em latas do 1 e 2 libras ; pilulas de familia :
na ra da Cruz, n. 49, primeiro ailar a
fallar com Joaquim Ferreira .Mondes Cui-
mar.les.
Cortes ce hrim de puro
linho, a 1,280.
Vendem-se cortes de brim trangado
pardo de puro linho, pelo diminuto prego
de quatro patacas : na ra do Crespo, loja
da esquina que volta para a cadeia.
Vendem-se relogios de ouro c prata,
patentes Inglezes: na ruada Senzalla-Nu-
va, n. 42.
Rap rolo franca:.
Vende-seo superior rap lolSo francez ,
nicamente as lujas dos Srs. Caetano Luiz
Ferreira, no Aterro-da-Boa-Vista* n. 46;
Thomaz deMatos I simia na mesma ra,
n. 54 ; Francisco Joaquim Ruarte, ruado
Cabug ; Piulo tlcmso, na ra da Cadeia
doRccife, n. 19.
Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
obelada ueste mez pelo brigue Maria-Jot:
a tratar na ra do Brum armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vigario. n. 19.
Cadciras de palhinha e
de ha lauco,
bem comoutros muitostrastes: vendem-se
em casa de Kalkmann lrmSos, na ra da
Cruz, n. 10.
Superior cha brasileiro.
Vende-se superior cha de S.-Paulo em
caixinhas de urna e duas libras: na ruada
Cadeia do llecife, n. 51.
Barricas.
Vendem-se barricas vasias quefram|de
familia em p e bem acondicionadas :
na ra do Amorim, n. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
A C/50 rs.
Vendem-se cobertores dealgodffo, muito
ncorpados, proprios para escravos a duas
patacas cada um : na ra da Cadeia-Velha,
n.33.
i I
O Na loja da ra do Crespo, O
g n. C, ao pedo lampeao, ven-
j dem-se os acreditados brins
O Cortes de brim trangado pardo, a O
O 1,280 rs.; dito cor de ganga, a 1,440 O
O rs.; dito muito fino, a 1,600 rs.; di- )
O lo lira uro lislrado a 1,500rs. ; pico- 0
O te, a 180 rs. o covado; chitas escuras 0
J e de cores (xas a IfOe 180 rs.; co- 0
0 berlorcs americanos, muito encor- g
meninas, a 640 rs.; luvas de pellica, peque- a libra : na ra da Cadeia do R
nao CA re nit i tac i\a xAroa mniln dvnc _. > 'v*.
as, a 500 rs. ; chitas de cores multo lisas,
a 140 rs. o covado e a 5,000 rs. a pega : .na
ra do Passeio, loja n. 17.
Vende-se um pardo robus-
to, de a4 annos, perfeitamente en-
tendido no servico de campo e sem
vicios: na loja da ra do Crespo,
n. i5, de Cunha Guimaraes &
f% pados a 640 rs. o corte ; cortes de X
pi cassa branca pa>a vestidos, a 2,000 52
r rs. ; pegas de ditas para babados a J?
T 2.400 rs. e a 32o rs. a vara ; chapeos ^
^r de massa a 1,600 rs. ; ditos de seda 2
jj a 640 rs. ; ditos a 400 rs. ; fustOes pa- O
raeollete, a 480 rs.; dito superior a &
O 640ris. A
o O
FARINIIA DE MANDIOCA.
Companhia.
O O
9 q loja da esquina que volta g
0 para a cadeia, vendem-se q
0 os acreditados brins trancados bran- ^j
0 eos, lisos, de listras e de linho pnro, q
0 a 1,500 rs. o corte; dito amarello a X
0 1,440 rs. ; dito muito superior, a
1,600 rs. ; picote muito encorpado ~
,x proprio para escravos a 180 rs. o X
9 covado ; panno preto muito fino a jj
J* 3,200 rs. o covado ; cassa de quadros
Cr para babados, a 2,000 rs. a pega ; lu- O
& vas de algodflo de cor, muito finas, a O
!"> 240 rs o par ; chitas rouxas com fio- O
O rea encarnadas, de tintas seguras, a Q
0 180 rs. o covado ; cassas pretas, pro- Q
0 prias para luto,a 160 rs. o covado; q
0 pegas de platilha de algodSo com 25 j>
.* varas, a 4,200 rs.; e outraa muitas J
pi fazendas por prego commodo.
A 4 oo ris.
Vende-se superior esgui.lo de algodSo de
quatro palmosemeio de largura, proprio
para camisas de senhora e jaquetas, pelo
barato prego de 400 rs. a vara ; bretanhas
do rolo com 10 varas, a 1,600 rs. ; supe-
riores corlea de fustoes alcochoado a
1,28o rs.; ditos miudos a 400 rs. o corte :
na ra do Crespo, n. 14, loja de Jos Fran-
cisco Dias
Vende-se urna parda de bonita figura ,
com algumas habilidades : na ra da Ca-
deia do Hccife, n. 39.
Pechincha.
'oaquitr,
Oucijns londi nos.
Vendem-se, pelo mais barato prego de
40 rs. a libra, .superiores queijos lm trino-,
chVgados recenlemenle : na ra do Amo-
rim, n. 36.
--Vende-se um fanlamento completo e
liai nflo servido para oflieial, ou inferior
de cavallaria da guarda nacional tambem
se vender qualquer pega a vontade do com-
prador: na ra Nova, n. 16.
1 ai nha superior.
Vcnde-se a bordo da sumaca
Feliz-Aurora, fundeadoem fren-
te do caes do Collegio, a farinha
mais superior que ha no mercado
e por mais barato preco : a tratar
com Machado & Pinheiro, na ra
do Vig.rio, n. 19, segundo andar,
ou com o mestre a bordo.
Gulao de ouro.
Vendo-sede todas as qualidades e largu-
ras por prego commodo : na praga da Inde-
pendencia, n. 19.
- He reconhecido hoje umversalmente
que na presenga de um par de oculos adapta-
dos ao grao da vista do paciente cai lu-
do quanto os diversos autores, qur anti-
gos qur modernos teem escripto em me-
dicina tendente a curar vista curta ou
cansada; e Unto isto he ceno, que ellos
mesmos usam delles, e por isso quem os
quUcr bons e baratos, dirija-se ra larga
do Hozano, loja de miudezas, n 35.
OOOCJOOOOO ooooooooo
O 0
0 Coi tes de cagase jaquetas. 0
9 Na ra do Queimado, loja do sobra- 0
0 do amarello n 29, vendem-se cortes 0
Q de caigas e jaquetas de brim liso par- r\
4h. t\n a f\r\n >a Jila* J_ lla_ a Hr
j Vende-se superior farinha de man- jt
** dioca, muito nova por prego mais J
<* commodo do que em outra qualquer ^
* parte: a bordo da sumaca Bella-.\rge- ^
P lina, fumleada del'ronlo do caes do J,
W llamos ou na ra do Vigario, n. 19,
gj, segundo andar, casa de Jlachado & 12
a. Pinheiro. j*j
fc>
^ rs.; ditos de casimira encorpada de *
~ algodilo, a 2,000 rs. ; ditos de ISa a O
W 2,000 rs.; ditos de casimira elstica Q
3 e de cores, a 4, 5, 5,500,6 e 7,000 ra., O
9 tendo muito sonde escolber. O
30O&Q0Q9O 000090000
Cortes de britn entianya
do de puro Jinho a
I.QRf rs.
Vendem se presuntes inglozes para
fiambre ; latas com holacliinhas de Lisboa ;
ditas de manila ; ditas de mermelada de
1,2 e 4 libras ; ditas de sardinlias ; ditas de
hervilhas ; ditas de checolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja; barris com azeitonas brancas de
F-lvas ; garrafas com vinho moscatel de Se-
tuhal e da Madeira ; queijos de pralo ,
frescaes: tudo novo e chegado ltima-
mente de Lisboa : na ra da Cruz no
llecife, n. 46.
Vende-se champanha da mais superior
qualidade que tem vindo este mercado :
a ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
k Companhia.
Vendem-se sellins inglezes e
canias de ferro: na ra da Senzalla-
nova, n. \i.
Cha brasileiro,
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molledos, atrs do Corpo-Santo, n. 66, o
mais excelicnte cha produzido em S.-Pau-
lo, que tem viudo a esto mercado, por
prego muito commodo.
~ Vende-se um alambique francez e de
cobre com pouco uso que leva a caldeira
50 caadas com muito boa serpentina de
cslanho fino que pesa 300 libras: este
alambique trabalha pordous systemas, um
que serve para destilar garapa o oulro pa-
ra reslilar ago'ardente ; para este tem tres
ratificadores os quaes fazem com que o
alcool saia sem cheiro, muito superior em
grao e muito simples para qualquer pessoa
poder trabalhar: acha se montado e promp-
to a trabalhar para o comprador ver : lam-
bem se vendo urna machinado fazer limo-
nada gazosa, agoas mineraes e vinho
champanha : ludo por prego commodo : no
Aterro-da-Boa-Vista n. 17 fabrica de li-
cores, de Frederico Chaves.
des fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parte : bem como
cigarnlhos hespanhes ditos de palha de
milho, que se eslao vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
A melhor farinha de mandioca que tem i
venda he a bordo do brigue Minerva, chega-
do de Santa-Catharina, e Tundeado na praia
do Collegio, onde se vende a prego mais
commodo que em'qualquer outro barco ; e
lambem se podo tratar na praga do Coin-
mercio, n. 6, primeiro andar.
Deposito da fabrica de
rodos-os-S.iutos na llahia
Vende-se ero casa de IM. O. Bieber & C.
ta ra da Cruz, n. 4, alcodflo trangado
(aquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
1,380 ris.
Vendem-se superiores cortes de brim
trangado de puro linho cor de lama de Pa-
rs pelo barato prego de 1,280 rs. : na ra
do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Dias.
I olha de Flandres.
Vende-se cha hysson de superior quali-
dade pelo prego de 500 rs. a libra : na ra
do Crespo, n 23.
A bordo do brigue ero vende-se bom
sebo em rama, por prego commodo.
~ Vendem-se.por rrego commodo, no ar-
mazem do Dias Ferreira no caes da Alfan-
dega, sccas grandes com farinha do man-
dioca vindas do Maranhilo no brigue-escu-
na Laura ou a tratar com Novaes& Com-
panhia, na ra do Trapiche, n. 34.
Nosarmazens ao p da Alfandega, de
Dias Ferreira e Bacellar, vendem-se saccas
com farinha de mandioca a 2,000 rs. cada
urna.
bonitas figuras e mogos, por prego commo-
do por seu dono relirar-se para fra da
provincia: na ra da Cadeia do Recife.
n. 39.
Vendem-se rscados escocezes com
vara de largura, a 290 rs. o covado ; cassas
pintadas de cores fixas, a 240 rs. o covado;
pegas de panninho de vara de largura, com
12 jardas, a 2,000 rs. : na ra do Crespo,
loja n. 10.
A ellas antesjque se acabem.
Vendem-se ricas luvas de pellica par
homem e senhora pelo diminuto progo de
1,000 rs. o par : na ra do Queimado, n. 17.
DAo-se as amostras.
Vendem-se caixas com folha de Flan-
dres : em casa deJ. J. Tasso Jnior : na ra
do Amorim. n. 35.
Bombas de ferro.
Na fundgflo de ferro da ra do Brum ,
vendem-se superiores bombas para cacim-
ba assm como de repucho para fazer su-
bir auna casas al altura de 4 a 5 andares.
-- Continua-sc a vender manteiga ingle-
za pelo diminuto prego de 600 rs. a libra :
no Alerro-di-Boa-Vsla, venda n. 54.
-- Vende-se urna preta de (8 annos sem
vicise com todas as habilidades : na ra
do Bangel, n. 77, segundo andar a qual-
quer hora dodia.
Ao bom c barato.
Na ra do Queimado, vindo do Bozario
segunda loja n. 18, contina-se a vender
panno fino preto e verde a 2,000 rs. o co-
vedo; suspensorios de seda a 500 rs. o
par ; Itngos pretos de seda, a 200 rs. ; len-
gos brancos de cassa a 160 rs.; pegas de
panninho com 10 varas e meia a 2,000 rs.;
chapeos de sol, de seda para meninas, a
2,580 rs. ; e outras muitas fazendas por
prego commodo.
Charutos de Havana
verdadeiros: em casa de Kalkmann
mos, na ra da Cruz n. 10.
N. 9.
Ruada Madre-de-Deos.
Ir-
Puro vinho da Figueira.
AGLNCIA
da fiiudico Low-Moor,
HIJA DA. SENZA.LLA-KOVA, K. fa.
JNeste estabelecimento conti-
na a baver um completo sorti-
mento de inoendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
O noy armazem desta pinga deliciosa
acaba de so abrir nesta ra, defronte do ex-
tincto armazem ao mesmo prego de 180
rs. a garrafa e a 1,360 rs. a caada. Os
amantes deste licor alli enconlrarSo garra-
ras promptamente lacradas e com o seu
competente rotulo para trocarem por outras
promptamente ; assim como tambero en-
contrado barris de diversos tamanhos,
por pregos bem rasoaveis ; bem como vinho
brancode L.sba a 1,600 rs a caada e a
220 rs. a garrafa. O propietario deste esta-
belecimento pedeexame para poderem ava-
har a pureza de sua qualidade e asseio e
que em nada desagradar aos concr-
re 11 tes.
Marmelada nova.
legada ltimamente do Rio-de-Janeiro.
vende-se por prego commodo: rl-is do Cor-
po-Sanlo armazem de molhados;n. 66.
Madapoloes muito finos.
y*ni|em-se pegas de madapoloes muito
# Para liquidar-se.' ?
Vendem-se, por barato prego, cor- >4
< tes dn vestido de cambraia com barra 4
(9) branca o de cores, a 1,440 rs. ; meias
> decores para senhora, a 1,800 rs. a
f duzia ; ditas para meninas a 1,000
4$ rs. ; suspensorios de meia, a 1,000
# rs. a duzia ; botos de duraque a
# 240 rs. a grosa ; lengos de seda para
A algibera e hombros de senhora, a
+ 400, 500, 800, 1,000, 1 200, 1,400
*>, 1,600 e 2,240 rs. : no pateo-do Car- {.
fmo, n. 18, segundo andar. 4
A 1,000 rs. a caua de
cem charutos.
Vendom-se charutos regala de S.-Felix
ditos cagadores, cavalheiros, regalos de la-
vana o outros, todos de superior qualida-
de, pelo mdico prego de 2,000 rs. a caixa
de cem : na ra Nova casa de comestives.
n. 69. '
Superiores cartas de
logar.
Vendem-se superiores cartas de jogar,
em porgo e a retalho, por prego muito
commodo: na ra Nova, casa de comestives,
Vende-se urna porgo de bolacha or-
cife loja de Antonio J
Vidal
Bilhetes do Rio-de-
fauciro.
Aos 90:000^000 de ris.
Acham-se a venda na loja de cambio j,
viuva de Vieira & Futios, na ra da Cadeii
do llecife n. 24 bilhetese meios dtom,
oteria a beneficio da fabrica de viroi S.-Roque, e da fabrica de papel de Zefermo
Ferrer. Na mesma loja existe a lista da 19
-lotera do Monte-Pio chegada Dltimaneo.
te no vapor.
Vende-se um superior cavallo de cirro
muito proprio para cabriolet : na praga do
Commercio n. 9, primeiro andar.
Vendem-se sapatos do Aracaty boi
obra, por prego commodo': na roa do Tu-
pi che-Novn, n 26.
Aos 20:000^000 de ris.
Lotera do Rio-de-
Janeiro*
He chegada a lista da 19.' lotera do Mon-
te-Pio e com ella novo sortimento de bi-
lhetes, meios. quartos, oitavos e vigsimos:
na ra da Cadeia, n. 56 loja de ferrageos!
Vendem-se as obras completas de Ci-
mOes em 3 volumos, da ultima e mais n-
tida edig3o, por prego multo mdico: ni
ra Nova. n. 36.
Aphabeto da malicia das
mulheres :
vende-se a 3S0 rs. : na praga da Indepen-
dencia, livraria ns. 6 e 8.
RA DA CRUZ N. 13
AllMAZEM 1)E FORNECIMENTOS-PARA
NAVIOS.
Neste armazem vende-se o seguinte:
Carne salgada
de porco e va cea ,em barris, Je muito boi
qualidade, e muito nova ;
Remo de jaia
de todos os tamanhos ;
Lantetnas fie patente
de varios tamanhos, proprias para navios;
Cabos da Russia,
de patente, os melhorea que lia no merca-
do, e de todas as grossaras ;
Lonas inginas
e da Russia, de varias qualidades, Unto
largas,cumo estreitas;
Brins da Hastia,
de superior qualidade para velas-;
Bonetes escocezes
para marojos;
Bandeiras nacionaes,
de al 6 pannos.
Vcnde-se um bonito cabriolet; um
bom cavallo : um preto proprio para o aer-
vigode enxada : na rus do Pires, o. 19, se
dir quem vende.
Bom gosto.
Na ra do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se lindos e periorescortes de cambraia de seda cem
barra, ricos chales de seda matizados de co-
res, cambraias brancas com barras, lengos
de cambraia de linho, e outraa multas fa-
zendas por menos do queem ottra parte.
Vendem-se tres rotulas de amarello em
bom estado, e por prego commodo : na ra
Imperial, n. 25.
Castorim francez, a 650
rs. cada covado.
Na loja que faz rsqu legio n. 5, vendem-se os novos castorins
gjfraneezes, i
I
i
, niiiito encornados, padrOes no-
vos escuros e Com listras pela boira pelo
barato preco de 560 rs. o covade.
Vende-se um sobrado de dous andares,
sito na ra da Lapa, n. 3: na ra larga do
Rozario, n. 29.
Ca^aBSBtVHHSfSBBHBBaBBVSSBBSSBBV
scravos tupiaos
"nut-a um porgno ue oouena or-
dinaria por prego commodo : na ra I)i-
reita, padaria n. 26
I
Vendem-se atoalhados de puro li-
nho-------- --*
es nno com 9 palmos de largura, a m
1 a 2,800 rs. a vara ; dito muito sope- J
riore com a mesma largura, a 3,200 ;
? guardanapos, a 3,000 rs. a duzia ; di- V
tos superiores, a 9,600 rs. ; toalh'as da A
? mesma fazenda, e de varios lamanho,
!} por prego commodo : na ra do Quei- A
^ Diado, loja do sobrado amarello, n. 29. U
Vende-se urna preta crioula moga
bem parecida sem delitos, e ptima pa-
ra o servigo do compo : na ra da S.-Cruz
n. 74.
Queijos de qualha.
Vendem-se os superiores queijos de qua-
lha muito frescaes e chegados do Cear no
ultimo vapor : na praga da Independencia,
loja n. 3.
-NaruadasCruzes. n. 22, segundo an-
ear, venden--se 6 escravos, sendo: 2 mo-
Iecotesdel8a22annos, sendo um serra-
dor e outro cozinheiro; 3 pretas que cozi-
"ham lavam de aban o vonH.m .. .... .
--Fugio, no dia 22 de jlho prpximo pas-
sado um mulslinlro de nome Antonio, de
21 annos pouco mais ou menos; levou cai-
gas de brim azul com quadros, camisa de
inadapolilo, ten Jo (vola as caigas, roas
foi visto de trajes mudados, decalcas e ca-
misa de manijo de navio de guerra e cha-
peo de seda ; he bonito, anda a gingaf; he
regnsta e dado a vlenle secco do corpo e
baixo ; tem pelo corpo pannose pelas cos-
tas com grande quantidae, cabellos bem
rarapnhadose penteados pesroco curto,
ps e m3o8 regulares, nariz ptqueno e
com alguma regularidad. Iloga-se as au-
toridades policiaes e capit&es de campo,
que o apprehendam e levem-noa venda da
Lingoeta, de Joaauim Jos Rabello conhe-
cido por Joaquim da IJngota quena *e-
nhor do dito mulalinho, e recompen-
sar.
--Fugio.no da 16 Jo rorrete, da ca-
deia de SernliSem a escrava Uargarid,
crioula, de 35 a 40 annos pouco niaia ou
menos; be alta, cor fula, nari grosso ,
rosto redondo; costuma tomar lab'co; des-
confiase ler combinado sua fgida como
carcereiro da mesma cadeia, pessoa da
mesma villa, e existir em algum engenho
por aquella circumferencia. Roga-se as au-
toridades policiaes, capit&es de campo e
pessoas particulares que a apprehendam e
levem-na a mesma villa a seu senhor, An-
tonio Jusquim de Mello e Silva ou neala
cidade a Lino Jos de Castro Araujo, na
praga do Commercio, n. 2, que seiu gene-
rosamente recompensados.
Fugio, no dia 17 do correte, o mole-
qne Jos, de ngflo Rengela de 24 anuu*
pouco mais ou menos, de estatura regu-
lar, pouca baiba e essa crescida bucos
grossos, cara um pouco comprida, cauel-
lo grande; he um pouco bisonho e bebe
muito; tem os ps bastante grandes; he
padeiro, oque mostra pelas indos e roupr>;
levou camisa de algodfiozinho e caigas da
riscado, mas como tem roupa fra talvez
ja leona mudado de traje. Roga-se as auto-
ridades policiaes e pessoas particulares.
MUTILA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXXQEIA0A_O5TB9K INGEST_TIME 2013-04-13T01:13:18Z PACKAGE AA00011611_06253
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES