Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06252


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno
XXV
Quarta-foira 22
FABTWAl DOS COHBIIOS.
r,,nna ,par"ahiba,egundas escjtas-fclras.
^^ndc-dc-Norte, quiota-felr.s .o mel-
CbrSerinhiem. B.lo-Formoo, Porto-Calvo
Ma-e* o 1.. a 11 e 21 de cada me.
Caranhuase Bonito. a8e23.
Boa-VUU e Florea, a 13 e 28.
Victoria, quintas-fciras.
Olinda, todos os dia*.
rasgas d un. Cheia 4, i 1 h. e 32 m. da ni.
Nova a 18, s 3 h. cl3m.da t.
Crec.a25,s 2h.e38ui.da u
rariMAB Di H0JX.
Prime Ira as 8 hora e30 minutos da manh.
Segunda a 8 hora e 54 minuto da urde.
de Aposto tic 1849.
n. i8;
raicoa da subsc&ivqao.
Por tres meze (adianlado) 4/000
Por seis mezes 8/000
Por un anno 15/000
DJA8 DA SIMAN*.
20 Ste. S. Bernardo. Aud. do J.dos orf.e dom. l.v.
21 Tere. S.Joantia Fraucisca. Aud. da chae, do
J. da 1. v. do civ. e do dos fcllos da far.enda.
22 Ouai t. S. Themoteo. Aud. do J. da 2. v. do civ.
23 Ouint. S. Filippe Beuicio. Aud. do J. dos ort. c
do id. da 1. v.
24 Sext. tf> S. Sartholomeu.
Aud. da Chae, c
CAMBIOS II 21 U AGOSTO.
Sobre Londres. 26 d. por 1/000 rs. a 0 dia..
. Pars, 380.
. Lisboa, HSporcento.
Oiiro.Oiicas hcspanl.oes.......
M,,eda*deb>to0velhas
de /40 novas
. de 4/000........
Prata.Palar.Oes brasileiros.....
Pesos coluinnarios.....
Ditos mexicanos
31/nno a bfoo
17/JO'i a 17/-10II
1 filio a lt>?40o
o/oo a n/4011
1/090 a 2*11 u
1/SKI0 a 2/WU
l/9t') a 1/020
DTARIQDE
PARTE OFf IClAi.
MINISTERIO DA JUSTICIA.
c.,-0 0 principio da antguda-le,
ro romo o nico io menos como um do.s
lementos reguladores da promoefles. h
,e arplicdo s quasi to.las as rlaaan ;
n reanlo a rehilo da m a gi gira tura, que
oramor da independencia que a deve ci-
terisar merecera obre esto ponto espe-
cuidado, esta O governo t privado
meios de a c>nhecer e verificar : he ne-
euario, poi. crea-Ios.
Sno.porm.tantas sSo as diuicuidades e os
mliar'aco coro nne he de raister lutar para
rgsnlgar um trabalho, anda mesmo apprn-
mado, nesta materia, que forzoso he re-
nar-se a alguma demora.
Os livros de matricula e os archivos do
uoremo tribunal de justiea silo portal ma-
leir incompletos. qu. ainda mesmo aull-
idos pelo* d secreiaria de estado dos ne-
ocios da juatca, nSo fornecem meios para
anisar urna relicto de magistrados por
rdem de antiguidade, que tenha a menor
pnarenefa de verdade. A respeito da maior
irle delles. nao se pode com exactolSodi-
er nem ao menos os lugares que etrectiva-
'ente serviram!
i Entreunto era necessano comecar, e por
sso no regulamenlo seinc^e ao presi-
lente do supremo IribunaT urna relacao
hronnlogica de todos os junes dedireitn,
compaoliada das declsracoes que habt-
item no futuro o tribunal a julgar das
iniquidades. ... ., .
|gio mesmo seria no lodo inpralicave, a
naoexislirera o* trabalhos da commisso
coniDosta dos concelheiros Maioel Pinto
a-----;_- i* l:., ...... n K f*nf'tann qq
*
isis
rio
ir
ra
foi
-o,
lo-
,p-
Js-
s o
1 f
ne- Inf
pi- I lio
rt
i
S
6S-
uri
uro
90,
*
ti;
.
l
|M
no
en-
'10.
ie*
re-
et-
es-
ift
lisaveis se tornam multas medida que, Ar-
mando por um lado a Independencia dos ma-
gistrados, por outroo Intereiscm no edecilvo
exerelelo de srus lugare.
Foi eale o peniamento que, de aecrdo com
a ordena de Vnssa Magestade imperial. Uve
na confeccSo do rrgulamento seguinte, que
tenho a honra de subinetter ao alto conheci-
mento de Vossa Magestade Imperial, a ver ie
obtein a su? imperial approvac.io.
De Vossa Magestade Imperial o mal reve-
rente e fiel subdito. Entibio de Quitrot Couti-
nao Sfalloio da Cmara.
jibeiro Pereira de Sampaio, F.Jncisco
'aula Pereira Duarte e Jos Piulo de Ft-
guoira NabucodeAraujo. A'* laboriosas
nvesligacOos deste ultimo especialmente
te devem esclarecmenlo que custa a crer
se podessem exlrahir do cahos em que se
nena esta materia..
F-sles Irabalhos.y depois de minuciosa-
mente rcTistos c acci^enlados na secreta-
ria deestado anjeu cargo, habilit-rilo o
oresidente do suireao tribunal a organi-
r a relaflo pela ordem chronologic- das
Iradas na magistratura ; mas, ai:.d as-
m. com inimensas oitaissOes e nSo poucas
oexacli'locs. g
Sobre tilo incompleta e vacillante base
mprudenci* fdra aslenUr qualquer traba-
lio de Hiil:guiddpT e lr ,8S0 oregula-
mento limla-s a flar-lhe a maio>- publici-
daie, anolilica-laaos interessados,ea con
ida-Ios finalmente a pieenclier as lacunas
e corrigir as inexactidOes desso primeiro
nsaio. ,
E>ses eaclarecimenlos e os quo devem
prnduzir os avisos de 30 do maio e 1 de ju-
nhodo prsenle anno babilitarflocertamen-
tn o presidente do supremo tribunal com os
dados uece-sarius parH lenUr a organisaco
da lista por ordem de aulivunlades.
Esse trabalho nSo lie conOndo ainda ao
supremo tribunal. nOo s porque nfio pa-
rece proprio do aa elevada dlegori^ ser
chama* a orgauisar trabalhos que devem
necesaariamente de snflYer nSo poucas al-
-tera-oe, maa nv amo porque.sen o suas de-
cisOes nesta materia verdadeiros julgaroen-
los. doveriam ser precedidos ou audiencia
dos interissa.log, o de um exame escrupu-
loso, que mi ossivel seria quaiido siinulli-
neanienlo applicadoa todos os june dedi-
rriln do imperio. Se as quesle* de helo
offerecem tantas dilliculdades, que so uo es-
paco de um anno o regulamenlo espera po-
der gupera-ls, as quesles do direito pao
sao menog variadas e dilliceis.
Sem fallar no grao de importancia que
devem actualmente merecer os predica-
mento vencidos antes do baixar o cdigo
do proceaso, basta considerar quanlo sSo
ftequentes as interrupQOes de exercicio na/
nossa mgilralura e a diversidad* das;
causas que aa molivam, para coiibeccr quau
melin.lrosa he a queslfio de direilo, mesnu
conhacidos o fados. Podo considerar-su
venceudo anliguidode o magistrado que
etnbora entrasse paraa caneira tljr mullo
lempo, a inlerrompeu voluiilariawftnte pa-
ra dar-se oulra piolissSo ? Daifa a exclu-
so.applicada a esle, comprelieolder oque
aLandoricm a.carreira contra ^k vontade I
Se o abandono loicado nflo iv,vliuipc, iu
de esta limiiagno ap%v4ilar qmlle que
emboraconstraugido rprincipio, ussim se
manieve por annus, sem diligenciar eflicaz-
meDlo a conlinuaflo de servigo ? oe as
commissoea de nalureza mporlanle e tran-
sitoria devem considerar-ge como servio
para concorrer eiu antiguidade, pJem (ler
o .oesmo favor ag connnssOcs do natur,za
Iermanente, e que constilueai carreir* di-
versa?
Esta e outrasquestes.que em cada capeen^
ollcrecem urna fel{5o nova, tornariam uupua-
slvel uina deliberaco do tribunal sobre o lodo
'* lisu.
' AUniiilindo, porm, como fes o regulainen-
I, que os que se suppozereiu prejudicados na
classlricato do presidente usciiein um con-
flicto que o tribunal ^Tc^V ftlividoso inle-
ressados, os Julgamenun jerau inenoTP"1'1
evdos c digno do tribunal que teta de o |
"rir
l-ues conflictos, porCiJi, seriain intenniua
v"s. e neiiliuiii maginVado julgaria segura
la Dliguidade, a nao P marcar um praio
para i disputaran He IdlP o que se ra no
*'t. 10.
Assiiu, pouco depoli
luus annus da promulg
f. osjninsdedir.li,,
dos
de haverem sido dosatlendidas, apezar de
apresentadasno prazo do artigo 4
Art.1t. Apresentada qualquer reclama-
cjTo, ser distribuida, edepois de otivdoo
procurador da cora. soberana e fazenda
nacional, e examinada pelo relator e reviso-
res, ser exposla ; e, se o tribunal entender
que he infundada, a julgar desde logo im-
procedente. Quanlo, porm, Ihe parecer
objecto de quesillo, mandar ouvir os ma-
gistrados cuja antiguidade pode ser preju-
dcail, marcando a c vel, segundo as distancias. Para os que es-
tiverem na corte nlo exeedor de 15 das.
Art. Vi. Findusos prazos marcados, enm
as respostas ou sem ellas, examinado o fe-
lo pelo relator e revisores, lera lugar o jul-
gamento. como se ge Imlasso de um conflic-
to de iurigdiCQo, na forma dos artigos 3 e
35 d lei de 18 de getembro de 1828, decreto
de 10 de abril de 1833
Arl. 13. Logo que estejam definitivamen-
te julgadas todas as rrctamacoes apresenta-
das em lempo, o presidente do tribunal fu-
ra lancar em um livro, para esso fim desig-
nado, a retfQ*a dos magistrados pela ordem
de suas iniquidades, confor.ne os lulga-
menlos do tiibunal, seguindo-ge s cada no-
mo ag decsraQOeg mencinalas no artigo
S-o Esta rolacilo snr escripia pelo secreta-
rio, e assignada pelo presidente e por lodo
os membros do tribunal, sendo ao depois
publicada no jornal quo Imprimir os actos
odiciaes do gnveroo.
Arl. It. Nesse livro sero pelo secretario
registrados lo loi os julgamenlos que o tri-
bunal r proerindo a respeilo da> auligui-
dades. ., ,.
Art. 15. NSo serflo admiltidas questoes
de anliguitado entre os contctnplidos na
rclac.lo de que Irata o artigo 13 seiiflo quan-
do tiveretn por fundameiito all-raQOes pro-
venieotes do fados posteriores ao prazo
marcado no artigo 4 *. OU quai.do o recla-
, maule estivesse lora do imperto, caso om
po que tivercm estado sem lugar na inaglsira-1 0 ()razo puroadO no arltgo 10 ser Ue
tura, e dos motivos por que ; 7., Interrupcao J
da effeclividade ou exercicvo. e se foi devida a j Jecroto, logo que fr pu-
en.prego em quataucr coiumUsa., ou servico *" '" ,,rcso cuviar-so-liao exem-
publico dentro p\i fra do paU. ou a outras b tca.lo 0 causas, e quaef se pelo tribunal forem ubi- | piares ao P'^danU.*PgP^SS 0
das; 8, se Toram suspensos, pronunciados de juslica, /s presidentes oas '>
ou sentenciados/ una ves que disso tcnba o aos jas prfvincias, para o exeoaia't-m na
tribunal cnnhejrWnto offlcial I parto quelites loca. Jiiizebio de Un
REGULAMENTON. 624 DE 29 DE JULTIO
DE. 1849.
Eilabeleei a manrira ptla anal no tupremo triftu-
nai dejuilica ti dtvt verificar a antiguidadt dot
magitlradoi.
llei por bem, usando da attrlbuicao que me
confere o art. 102 11 da conslituicao, decre-
tar o seguinle :
Arl. !. O presidente do supremo tribunal
de juttica, ouvldoo mesmo tribunal, na forma
da le de 18 desetcuibrode 1828, resolucao de
20 de deieinbro de 1830, decreto de lli de no-
vrnibro de 1831, e mals legislacao em vigor,
mandar pelo secretarlo orgauisar urna relacao
nominal de todo os magistrados de primelra
instancia do imperio (sem comprehender os
juiea munlclpaes) por ordem chronolngica de
sua entrada na carreira da magistratura.
Arl. i.* Esta relacao aera organisada vista
da matricula, registros e documentos que exis-
tirn na secretarla de estado dos negocios da
Juslica, na secretarla do tribunal, e de quaes-
quer esclarecimentot que fdrein oblidos, na
forma do art. 7.'
Art. 3." A ineima relacao, em referencia a
cada um dos magistrados e seguidamente a
eus noiues, ser acompanhada : i.". da decla-
raco do prlmeiro lugar de magistratura ; 3.,
data da primeira nomeacao 3.', daU da pnjse
desse lugar e da entrada em exercicio ; 4.',
datada matricula no tribunal; 5, designa-
cao dos lugares em que tenhaiu auccessiva-
menle sido prvidos, e datas das nosses e das
entradas em exercicio ; 6., decl iracSo do tem-
lo da cmara dos deputados na prxima futura rQ Mac|ia,|0 Flins S'tldo logo nomcado meill-
reunio a represenlatao e protesto 'ocioso ()(| commjssjj0 ,|0 pelKjOes. ,
que me foi apresenladon. nnme de alg. n Fo. ,.,, m porccor da commissio
rnr ,Im adnnc.lo das i lau-
da
mente occorrido. reenviando-me a dita repre-
cntacaoe protesto.
Portara.- O presidenta da provincia,
usando da aitribuicOo que Ihe foi conferida
pelo decreto de 11 de Janeiro do crrante ati-
no, tem rcsolvi-lo onceder amnista, em
nomndeS. M. o Imperador, a Joaquim Jos
de Azevodo Jnior pelo enme do rebcl-
lio, ltimamente commeltido nesta pro-
vincia, visto ler ello depOltO as armas e
apresentado-se ao leneute-coronel do 3."
batalhilode arlilliaria a po, Joso Ferreira
de Azevedo.
E para sua rosalva se Ihe passa a presente,
em vrlude da qual licara sem elfeilo qual-
quer processo que coulra elle se houreror-
ganisado. ^___^____^^^___^_
Te.naIbco.'
CMARA MUNICIPAL DO RECIFB.
sissaO bxtraobdinaria em 13 de aoosto de
1849.
Presidencia do Sr. Oliveira.
Presentes os Srs. Barros. Mamado, Cnr-
nern Monteiro, Barata. Franca, l)r. Moraes
e Oliveira, abrio-se a sessfio, o fot Itda e ip-
prnvada a arta da antecedente.
O secretario fe/, a leitura do seguinto ex-
pediente: ., .
cilicio do Exm. Sr. presidenta da pro-
l'm
idarps do Diario
Art. 4 Esta/rela5o sera publicada pela cuuinhqfa|aluso da Cmara, do meu conec-
prensa, e espeeialmenle no jornal emqiieae... nlillirn secretario de estado dos lie-
iiiipriiiiireiu os actos ofiiciaes do governo, pre-1 ",0 ,W,f!
cedida de um dital do mesmo presidente,
P
na
gooios d-i justiea, o tenha assim entendido
rfe
irlo qual. em referencia a este decreto. e 6 f3c ntCUUt. ,
atear a tod os magistrados relacionados Palacio do Itio-de-Janeirj, c n
jiii exercicio, atj sem elle, e a lodos os que do 1849, vigesiiuo-oilavo da ion
deUarcui de ser contemplado por qualquer
motivo, o praao de um anno, contado do dia
da pnblicacio do rrferido cdila| na corle, para jifl-|wp (a Cmara.
dentro deste, sob pena de nao seren mais
altendidos sobre seu direilo de anuguidade
29 dejulho
dependencia
rd imperToT'-Com a rubrica deS. si. o
Imperador. Easeoio de Queiro: louhnho
GOVEKlNODAFBOVINCIA.
expediente do dia 18 de agosto.
relativa, apresentareni au tribunal as reclama-
ces fundada (jue tivercm sobre a rliiniuacao
ou Injusta Inicrlpco e classificatao.
Art. 5." Da irirsma relacao eedital enviara o
presidente do tribunal exeniplares impressos
que pela eereta:.; de estado dos negocio da
juslica Ihe sero liansmlllidos, acompanhan-
do-os de officlos aos presidentes das qualro re-
es^Sa'pubW^
,ncias cou.preliendldas nos dist.lctos de Sua I Kuarda da alfandega desta C.ddde e poslo
Ollcio. Ao Chaf de polica, declaran-
do que p te remeltcr paru o arsena do
arinha.aOm deser empregado nas obras
quo all se est proeedendo, o Afn
bu;
gua
jse re iinuues um .-. ^---i------ .
R-oo, todos requerendo ctistasem que roli a
municipalidade c.mdomnada. enosonlidt
delles sd dcspscliaram-so as peligoes.
O Sr. voreador Karata e/. o jeguinle re-
qucrimoiilo, que foi appro'ado :
.RequeiroqueoSr. procurador lal.sfaca
com a urgencia possival o pnmeiro quesi o
domen requermenlo feito na sossao de l*uo
novembro de I81G --O vercador, Barata.
O Sr. presidente mandou que se decla-
rasse nesta acia que o fiscal de S.-^a dei-
xu rcedil.car urna casa na ra de lorias
com oilfies de um s lijlo, contra o lispoa-
to nas postun, c que fr.m multado* o
proprielaro e tnesire da obra.
OSr Carneiro Monteiro pedio adtamen-
lo .leste negocio ; e foi approvado.
|.os,iacl.ram-s as peltoes UCA"!,^
Pereira Lagos CuinarHe, Antonio Coelho
vincia, remetiendo 2 exenu
de Ptrnambuco ns. 174 c 175 desle auno,
conlendo os avisos que Mram expedidos
pela secreiaria de eslado dos negocios do
imperio em 91, 24. 25. e 31 de malo, 8 e25
de junbo do crrete auno, sulvcn.lo duvt-
dasc rea da execucHo da le. regulamen[ar
I das elecilrs --Que se acusasse a MOepCBO,
o se remetlessctn copias dos avisos aos pre-
sidentes das juntas qualilicnlotas.
Outro do mesnio.participan lo havor dali-
b indo quo a prsenle sessao do j.irv so ce-
lebre na casa das sessiies da ISMIIlbla pro-
viiicit.cial, por nr.o ler os nerossanos com-
modos a em que custiima trb-lhar o mes-
mo iribunal, cqtio para all mandasse a
cmara Iransfetir os movis e maisobjectos
prccisos.-Que so rospondesse lerem sido
Sadas em lempo as providencias neces-
garias. ,. ,
Outro do secretario da prcsidencia.remcl-
lenlo.de ordem da mestna, urna collecilo
dos artos legislativos piovinctaes promul-
gados na sessflo ordinaria do crrente anno.
Que se aecusasse a rOCepcSo.
Outro do capillo do porlo desla provincia,
resHon.len.lo ao que Ihe dirigi a cmara
sobro a pretencfio de Manoel Cardo/o da
loha-se recoihido a|Fonseca.--lnlerada,e despachuu-se a pcli-
nambuc, ello Theiesa da tintilla
l.evai.t..u-seasessr.o. BU, JodoJowttr-
reira de Auuiar, secrelano, a snbsetevi-
OUvilra, ptesidente. -Ganmro lte.ro.
- Vinnua.- Uaraia. -Olivtira. -Maraes.-
Mamede.
F.I.F.ITOTE DA I nWM'KZIA DE FLORES.
VOTOS.
OS SRS.
I)r. Manoel dos PasSOS Baplista
50.-.
S6S
565
iMc^YaMrlwwto-oi aa capital en. que iapoeico de S. S., acha-se recoi nuo a rniiaer,- -ir..r-..-,
esiiver si.uad. relacio. preced.do. de novo. calleja l)a niosm e recommcndando que oilodo dito Cardo
edital. en. que, com referencia a rata decreto diligenClai por descobrtr qual o
inlruduzo o referido Afuca-
averem decorrldo
desle regulanien-
ro todos clalflea-
j Rielo due liver acoinpanhado a relacao,
a Intime aujs u.agislrados subordinados a cada
..... dos diios tiibuuae, e que se. viren, na
reapeollva ovincias, ou por qualquer moti-
vo ..ellas e. >eiu, aluda que nao estejam em
servico. / m .
Art.yC Ig'iaeg exemplares serio ollicial-
mentj remetlidos polo presidente do supre-
mo rihutial de justiea aos presidentes das
inras .lo imperio, para que os enviem
di/Tectatnente a cada um dos magistrados
r exercicio nas respcct.vas provincias,
ando a ludo a maior publicidade possivel,
eao presidente do tribunal conla minucto-
ai do que a respeilo houverom praticado
Art 7 Alcm disso, o presidente do tri-
bunal so dirigir aus meamos presidentes
,las provincias, aos das relacOes, aos minis-
tros e secretarios de egUdodas differenles
renarliceg, o maa autoridades e corpora-
COea a ouem cuinpelir, para que Ihe sub-
ministren! todos og esclarecmentog que po-
drem, em vista das relaQOes. a fim de que
posga sor cumprido o quo dtspOe o artigo 3,
principalmente quanlo aos lis. 6,7 6 8.
Art 8 A' medida que frem chegando
o etclarecimentos o recia.acOes, /-se-hao
fazen Jo, na secreiaria do supremo tribunal,
a respeilo de cada m.gist.alo as declara-
eAM corrccces ou observacOes que delles
resalaren.; o no fim dequatro e pit me-
ta a publicar no jornal que rnpr.miros
dos ofiietaes do governo a relac.lo dos ma-
gistrados com os adJitamentos que tiver
"vrt1 9 o Fndo 0 anno, nBo se admlltrao
riis Veclamces ou mesmo peticOeg para
iunccOes de documentog de interessados,
qualquer que seja a nalureza dellas o o fun-
amento com quo requetram ; e o presi-
nie do tribunal, em visla do que se tiver
aniresentado, organisar a relacao, mas pe-
la "rdem das antiguidade*.
. 10. PublicaJa esta relac,ao pela meg-
aneira recommendada nog artigos 4,
podero reclamar contra a indevi-
.assifitaqso os magistrados quo se sen-
m prejudicados.fazendo-o dentro de um
os que estiverem na provincia de Mat-
?n Vlrosso, ou na cmara do Alto-Amazona;
l, tiro de seis me/es, os que estiverem re-
d" ndo na provincia do liio-de-J-neiro, ou
*"' cauilacs das producas en. que loca...
aqueles de va..or; a dentro de oilo mo-
lido o.- outro iNestas reclamacOe
individuo que inirojuzu nwu ...v-
no i.esU provincia. Scientilicou-se o ins-
pector do arsenal de marinba.
Dilo. Ao inspector da Ihesourana da
fazenda, acensando recebido o olficio do >.
S aoqualveio annexo outro em quo o al-
nioxar.fe do arsenal de guerra, Jo3o B-r-
nardi.io de Vasconcellos, declara mo lite
ser pussive.l adiar quem gublttua aquello
dosseug fiadores que pedir ser desonera-
do ; e significando que, segundo ja commu-
nicu aquella Ihesouraiia. o reendo ulmo-
xanfe se ada suspenso, e que, portante
deveS S. mandartomar-lhe cotilas, razen-
doao mesmo lempo com que se adianlem
as do antecessor delle.-Communtcou-se
ao director do arlen.I do guerra.
Dito Ao bario de Ipojuca, para quo
mande rccolher ao arsenal oe guerra todo e
qualquer carluxame que porvontura exista
um seu poder, ass.m como o armamenlo
que rccelcu para os voluntarios do quo fo.
C* f 11 lli t la <.! ^ *'' i
lliio Ao director do arsenal de guer-
ra aul'origando-o a satisfazer o pedido que,
firmado pelo professor dos apretidizes me-
nores daquelle arsenal, acompanhou o seu
oflcto do 16 do corrente. Inteirou-se o
inspector da pagadoria militar.
Dito Ao mesmo, concedendo a autori-
aacao que S. me pode para despender a
quai.lia de 629,000 rs. com a compra dos
inslrumentos de msica pedidos pelo com-
mandanle do segundo balalliSo do cacado-
ras. Communicou-se ao inspector da pa-
gadoria militar. ,
Dilo Ao mesmo, declarando que pode
mandar conduzir do chafariz mais prximo
e pelos srvenles daquelle arsenal a agoa
necessaria para o consumo diario do referi-
do arsenal e da companh.a dui aorend.zeg
menoreg, vislo egtar finalisado o prazo por
que Francisco JosMarlin coi.lratou com a
uacadoria-mililar fazer scmelbanle rorne-
cimoi.lo. Scientificou-se o inspector da
pagadori amilitar.
Dito.Ao procurador-fiscal da ihrsouraria
da faienda provincial, dixeudo que nao be po-
sivel conceder a dispensa que pede o promotor
Outro do contador, apreseniando a rela-
Cfio da divida activa e paSSva ifa cmara ule
30 de getembro de 1818.Que foss" remelr
tida ao verea.lor Franca que a requeren.
Oulro do mesmo, informando que asdis-
lleverondo Jo .' do Souza Magalhes
Dilo Manoel Fcr.oira llabello Atanhn
JouqtiiiiiConcalv.s Vyres
MnjorClirstovioJoso do Campos Bar-
Professor Antonio Jos to Souza
CspilfJO Manoel Antonio Martina Pereira 564
lleverondo Bclarmino Pereira da Silva
Maior Manoel Domnguea de An.Irade .)G4
Capjlflfl Antonio l.op'8 de Stquetra
Dito Jo.lo Nunes d Silvl
Major Alexandro Jos de Campos
CapiUlo Manoel Ferreira llabello
Alfe.es .Mitn Nnneade Magnlhilcs
Teneote Licinio Porcirlo Norslon o An-
564
56
561
564
..o-
5U1
564
56*
CapUBoJonoPimental doSiqueira Urito 563
os |
es
por suas antiguid^a, goveruo hab-.l'"'\ g0 ,)0derlo por em queslao s ueciara-
'< nara conhe'-tdfcoin exactidao. | nr *n a alvo o caso
publico da comarca do BloEormoso do lugar
le aldante daquelta procuradorla-hscal na
referida comarca, e recon.uienda.ido faca
r o referido promotor que, conv.ndo
aos Intcresses da provincia que o cargo de que
te preteude eicusar esleja annexo ao que ora
exerce, prover cuino couvicr a taes Inleres-
ie, ie elle nSo aceiur jewelhanie bicujnbn-
iii i-rii a r\r\
tas dos processos rrmnacs requerida! por
ot dos Anjos Vieira do Amoriin 6 loa-
quim Claudio Mnuteio montam a 416,977
rs entreunto que do reslu da quota para
semelhanlea despezas no corrente anuo so
existem 69,108 rs.-Quc se Ihn respondesse
que 11.I0 pasee mandado de pagamento, vis-
to n.l.) haver mais quula ufllciontO.
Outro doengenheirocordeador, apresen-
lando dous orcamentoe que Ozera do repa-
ros c arcrescimo da actual ponlealnha do
Monteiro, um cotisidcranderandoa obra de
pedra e cal, e oulro de madeira.qu- importa
urna ponle nleiramente nova.-Que fossem
remetlidos commissao de edihcac.lo pa.a
dar seu parecer sobre quBl deve ler a pre-
ferencia. .
Outro do fiscal da Bl-VliU,participando
baver entregue ao tliesoureiro dos Lazaros a
quantia de 30,020 rs., producto livre de des-
pezas da arremataaode porcos apprehendi-
ilos em correicSo nos das 2 e 4 do correnle
mez.Inteirada. .
Oulro do mesmo fiscal, communtcando
ger a importancia das mullas dadas uo mez
passado de 313,000 rs--Inteirada.
Oulro do fiscal de S.-Jos, participando
ser a impotlanciadas multas dadas no mez
de julho ultimo de 418,000 rs-Inletrada
Oulro do fiscal do Poco, participando ler
dado de multas no mez passado 100,000 rs
Inteirada.
Outro do engenhtiro Jos Mamede Alves
Ferreira, pedindo em conlianca as lolhas du
planta da cidade correspondentes aos pa-
teos do Carmo, S.-Pedro, e ra da Palma,
para a vista dellas poder examinar o pro-
jecto do cale-amento eesgto dessas ruag,
que a cmara Iharemeltcra.-lnleirada, por
i ler sido saliafeita esta requisit;.lo.
Onlro do fiscal do Poco, requisitando
dous carrinhos de nio.du* pas.eduas en-
xadas para a obra do repajos do$.canimbos
da mesma freguej*; que lm de mandar
fazer de ordeoj-oegu camara.--Que o pro-
curador gaiisflftegse.
Oulro dos g%ririog da mesas paro-
chiaes das fpfuozias do lle.iro, S -Jos,
lla-Visla, Af'gados, Jalioatao, Poco, eb.-
Lourengo-daMallu, remetiendo os livro
das acias das eleir;0e de eleilorcs.-lnlei-
l.nci.iiloSiqtier. Campos
Mate.s Ferreira Cmara
Jna I tancisco deMe.doiros
Alfens Manuel Pedro de Souza
(il Irado Nunes Pe.cira da Silva
Tenente Joaquim Nunea da Silva
Antonio Comes dos II.US
Antonio I', reir da Cunha
Joaquim Rlbriro l.eite
Joflo Tranctsco SmOfS
Ba/ilio ileSou/a Ferraz
Alfares Manoel Flix de Veras
FranciscoX .vier Marlins
Zuferino Pereira de Moraes
Juilo Antes Prestantes
SUPPLENTRS.
OS sns.
Manoel Jos Campos
llellarniino uxorio da Cmara
Caldino Pereira de Moraes
Leonel K>rraz Cmara
Mximo Comes Coimbra
Felicif no Jos llodrigues do Saot Anna
Manool Vicente Goncalvos Ayros
Dionizio Alves daStlvcira
Domingos Jos da Sveira
Francisco Rodrigues Florencio
l.uiz Gomes da Ciinha
Vasco Vaz Pereira de Moraes
David JosdeMoura
Alexandrc Ferreira PatfS
Human Ferreira do Araujo
Francisco Jos.- de Medeiros
Manoel de l'ava Bastos
Antonio Mondes da Silva
Benedicto Nogueira de Anlrade
Manoel Carneiro Nogueira de Andrade
iloneiietodeSouxa Cabral '
Reverendo Joaquim Josc do Veras
Antonio Barboza da Cruz
Antonio Francisco Xavier
Simplicio Gomes da Silva
Antonio Gomes da Cuulia
Francscp Joc da Silva
|o de Hedoiros Silva
Jos Antonio Cavalcante
ajor Manuel Viceute da cuuba
Fiaucisco Barboza Nogueira Pa
Paulo Alves da Silvcira
Jos Mnola de Mello
Joilo r.ihciio da Molla
-:*
l'az
563
563
563
563
;>t3
563
56:1
56:i
.-.o:t
563
563
562
:m>
569
563
COTOS.
77
76
76
65
50
40
40
40
t>
40
40
40
40
40
39
39
39
39
39
3i
37
37
37
37
37
4
2
1
1
1
1
1
1
1


er .j^ireagxat^dracsEcaagiaBgaE^^
DIARIO E PERNASBFCO.
RECIPE, 21 SE AGOSTO SE 1849.
Ilercbomos carta d Pjahu-de-Klores, da-
aila n 10 ilo curente, a qual no s ila
iquclla enmaro* no gozo da mais perfrita
az. seiiiio tambem noticia que a freguezis
le Piancda provincia da l'ii rali y ha fi cara
ranquill.-i ; alTirmando que alguns dosespe-
ados daquella freguezia, que, arnslcltados
mi CU*de un tal Saturnino,cunhado de No
>i Paz, uiisuram rosistira una frga do
no que se empenhava por captura-
iidfrani-se dsrrigo com tres mor-
i-iin> feridos.
LommzMiQ.
ALFANDEfiA.
lendlmentododia 21.....14:559.015
IMPOBTACAO.
Esther-\nn, barca ingleza, vimla de Livcr-
iool, entrada no torrente mez, consignada
James Crabtree & C, raanifestou o sc-
;unle:
3 toneladas, 9 quintara e meio do ferro,
40 caixas queijos ; a II. a llrandis & ('..
liO caixas l'i llias de Flandres ; a Itotbe n
tidoulac.
48 volumcs fazenda do algodo, 5 ditos
ila de linlio, 1 caixa objectos deescripto-
io; aJAdamson llowie & .
S vnliiincs fazendas de algodo, 3caixas
itas (lo seda e 18a ; a Fox Brotbers.
112 volumes ruenda de algodo; a
ohnslon P*ler& C.
18 volumes fazendas de algodo, 3 caixas
lindezas, 4 ditas linda do algodo; a II.
oyle.
26 volumes fazendas de algodo, i caixa
versos objectos, 3 laixas de ferro; a Ja-
les Crablree & <;.
? volumes fazendas da algodlo, 3 caixas
Idros, 141 fugareiros, Tfeixosromcliapas
os meamos, 4 f-rdos lin desapateiio, fij
olumesferragens; a \V. C. fox,
1 caixa rom differeliles objectos; a Tho-
az d Aquino.
1 caixa pajel; a N. O. Bieber& C.
1 caixa drogas; a A. s. Corbetl,
24 volu es ferrasen*, 3 caixas drogas, 3
ilas sellins; a S. I'. Joliliston 0 C.
1G volumes fazendas de algodo, t fardo
isin.iras ; a John Slcwarl.
O barris waiitoiga ; a James Cocksholt
C.
3 caixas fazendas de algodo; a Kalkmann
hsmffos.
umesViiios objectos de botica ; a \V.
' fi.
I agoardente de Franca, !> barricas
., y bar leas queijos, 27 presuntos, 2
s conservas, 2 ditas e I caixa sal re-
1 dita presuntos, I Caixa conservas,
. ...ca musanla; aocapilfio,
C toneladas, 11 quintaese meio arcos de
mi, 41 taixas de ferro, 53 Volumes fazen-
i do algodo, 50 barra manteiga, i lone-
da, ISquintaea e 16 libras folbasde ferro;
Me. Cal" onl & C.
8 volu moa fazenda de laia, Ci volumes
zendus de algodo, 1 fardo bacas, "bar-
s ferrag os, 71 dilos pregoa, 21 feixea i as
i ferro, 2 caixas miudeza; a G. Ken-
Drtli* & C.
2 volumes ferragi'iis, 4 amarras de farro,
volumes fazeiliiaa de luibo, 28 ditos di-
. de algodo, 4 CaiXl S ditas de laa.1 caixa
upa de seuboru, 2 fardos llaliela ; a
es Paler & C.
s volumes fazendas de algodo; a II.
bson. ,_
33 volumes fazendas de algodo, 1 caixa
as de la ; a llosas, Brjaga & C.
8 volumes lazena dealgodflo : a Ueane
ule&C.
96 barras 72 chapas do fero ; a Bowman
. allnil!.
vczrs consoguem evitar de seren examina-
da*, romo para que n!to apparegam queixas,
se porventura alguns actos de violencia,
autoriaadaa pelas leis, frcm empregados
contra os reluctantes.
Alfardrga, 14 do agosto de 1849. 0 ins-
pector, /miz Antonio de Sampaio Vianna.
$ 4. do arl. 129. No consentir, seno
nos termos dos arts. 135 e 145 3", commu-
nicago nlguma com a trra, ou com outras
cmbareagfles de guerra ou mercantes, na-
cionaes ou estrangeiras, as emba o igOes em
quarentena e franqua, antes ou depois da
visita, nem as que esiiverem em descarga;
poilendo chamar n falla, mandar arribare
perseguir os escaleres, lanxas ou barcas
quaesquer que passarem pelos anroradpu-
ros, e que se llies izerem suspeitos, no
consentindo que os barcos em descarga jun-
to as ombarcacOcs sejam atracados por ou -
tros barcos.
ii '' r>. Km pregar a forga sua disposigflo
para se conseguir a plena exccugo do re-
gulamento ilo porto, havendo-so todava no
uso della com circumspecgflo e prudencia ;
e no caso de ser acommettida a barca, esca-
leres de rouda e ancoiadouro, por torga
miii' r, pedir auxilio as fortalezas o barcos
de guerra naciunaes
AVISO.
lllm. e Exm. Sr. l.evei anconbeci-
menlo do regente cm nomo do Imperador o
Senbor |). Pedro II o odelo de V. Exc, da-
tado de 17 de desonibro passado, com as co-
pias do olllcio do inspector da alfandega
dessa cidade, c parte do respectivo guarda-
in"-, relativa ho desembarque de gneros
de bordo do paquete ingle* fieogul, que
arali.ua de chegar dos porlos do norte, e o
mesmo regente, inteirado de tolas as cir-
cuinstancias que occorreran poroccasio de
querer a liare* de vigia evitar um tal contra-
bando, manda participar a V. Kxc que nes-
la dula se fazein reparligflo ilos negocios
estrangeiros as convenientes coinmunica-
ges, alini de exiair-se, por all, do minis-
tro plenipotenciario da Gran-retaiiha, ai|iii
residente, as indlspensaveia providencias
para que factos tfio olTensvos as leisdo ptiz,
c contrarios ao arulbin c lo que aquella n.i-
co lein sempre encontrado no Brasil se nao
reproduzam, c que entretanto compre a v
Kxc, para os evitar tanihein paia o futuro,
CONSULADO GERAL.
nilimento do dia 21.......
versas provincias........
1:255,440
76,391
1-331,831
CONSULAr.0 PROVINCIAL,
ndimento dr dia 21...... 1:347,507
ioviiuenio di Porto.
Navios entrado no dia 21.
Itimore 45 das, barca ingleza Crele,
de 225 toneladas, capitu J. A. I.e Brow,
aquii>agem 11, carga farinha ; a Deano
Vouleet Companhia.
Navios aliido no mesmo da.
rtos do norte Vepor brasileiro Per'am-
bicano, conimanilante o primeiro-lencn-
te Joo Milito llenrique. Alm dos pas-
sageiros que Irouxe dos portos do sul pa-
ra os do nuil" leva a seu bordo : par a
Parahiba, Pedro Antonio Bernardino, An-
tonio Alves de Sou/a Carvalbo ; para o
Cear, 2 lenles e65 pracas docorpo Pi-
so de cacadores.
.erpnol Barca ingleza WiUiam-Bunell,
capitu John Coulding, carga a mesma
1 iiu irouxe.
libar.. llialc brasileiro San-loo, capi-
o Francisco Quirico deFigueircdo, Cir-
(a carne, sale oais gneros.
ED1TAKS.
- Pela inspectora da alfandega se man-
fazer publico, p>ra conhecimento de
ni intoressar, e particularmente dos
stres e paliOes de canoas e barcadas, as
uinies disposiedes do regulameuto de 22
junho de 1836, e o aviso do ministerio
liisln; i de 1 j de fevoreiro de 1837, que
tarn e deliiiem as ohrigacOes das barcas
scalerea de viga dos ancoradouros, os
es se acban autorizados a euipregar
ios d frca, quando de outra maneira
i possam conseguir as diligencias que
s >:"'(> incumbidas a bem da fiscalisigo
dos de qualqucr diligencia, de obstar aos
ronliabandos e extravio, romo no caso pre-
sente, que se regulem nella pelas disposi-
gOes das leis, havendo-se com os resisten-
tes pela forma que os autorisa naitigo 118
do cdigo criminal, a prendando os dehn-
quenti s em flagrante delicio, como Ibes
prescreve o artigo 131 do cdigo do preces-
so criminal; e aos respectivos magistra-
dos e promotor publico que procedam pe-
los ineos legues contra os criminosos,
se|a qnal fr a naco que i" ricura.n,
s com a difTerenca do deveiem ser re-
met idas os procesaos dos subditos bri-
taunieos ao respectivo juiz conservador.
Dos guarde a V. Kxc. Palacio do Itio-do-
Jaueiro, (vn 15 de feverero de 1837 ClM-
taro Adulfo de Aguitar l'antnjn. Sr. presi-
dente da provincia da Bal a
Conforme 0 eaciivffo, Lnmaehy,
0 lllm. Sr. inspector da tliesuuraria
da fazenda provincial, em runiprimculo da
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia
desla data, inania fazer publico que nns
dias 22 e 23 do crrente ira a praQa,
peante o Irbuniil adniinistrativo da icgtni
thesourarH, para ser arrematada a qu m
por menos li/er, a pintura da ponte de San*
to-Amaro-Jahoato, sb as clausulas espe-
(iaesabaixo transcriptas e pelo prego de
29(1,000 rs.
As pessoas que so propozerem esta arrp-
matago, comiiaregam na sala das (estoca
do sobredito tribunal, nos das cima men-
ciona.los, pelo mcio-dia, competentemente
habilitadas.
Upara constar se mandn afflxar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Thesournria da fazenda provincial de Per*
n 11:.: .er, 8 de agosto de 1849.O segundo
eacripturario servindo de secretario, Fran-
cisco Antonio Cavalcanie Coutseiro.
Clausulas especiaos da nrremataco.
I." A pintura da ponte de Sanlo-Amaro-
JabnatBo aer feita sb as condigOes o do
modo indicado no orgamento apresentado
approvago do Exm. Sr. presidente da
provincia, pelo prego de 290,000 rs.
2." Asobeas prinripiaro no prszo de
quinzo dias, e acabarlo no de um mez, am-
bos contados em conformi.lade do artigo
10 do legulamenlodas arrematagOes.
3.* 0 pagamento da urremalago reali-
zar-se-ha depois de concluidas as oWas e re-
cebidas pelo engenheiro.
4.* Para ludo o ruis que no esl de-
terminado pelas prsenles clausulas seguir-
se-ha iuteiraiuenle o que dispOa o regola-
ment mencionado de 11 de julho de 1843
Cahinete do engenheiro, 19 de julho de
1819. O engenheiro, J. I.. Ficlor l.ieu-
thier.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumpriiuenlo das
ordcnsdoExm. Sr. presidente da provin-
cia,de 7 e8 do correte, e em virlude da lei
do orgamento vigente, artigo 42, manda fa-
zer publico que, peanle o tribunal adnii-
nistrativo da mesuia thesouraria, se bo de
arrematar nos das 22 e 23 do correle
por venda, aquem mais der, os proprios
provinciaes abaixn declarados :
O sitio na estrada do Espiuheii'O quo foi
de Si l'.-isii '.o Jos da Silva Braga, avallado
em 3:000,000 rs.
Ositio do jardim botnico na cidade de
Olinda, avahado em 2 000,000 rs.
As pessoas que se propozerem i esta
arromataian, compaiegam na sala das ses-
ses do referido tribunal, nos dias cima in-
dicado, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandn afliiar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 16 de agosto de
1819. O secretario, 4nIonio Ferreira rfo-l
AnnunciacaO.
As pessoas que se propozerem esta
arremataglo, comparegam na sala das ses-
soes do sobredito tribunal, nos dias cima
mencionados, pelo meio-dia, competente-
mente habilitadas.
E para constar se mandou afiliar o pre-
sente, o publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial do Pernambuco, 16 de agosto de
1849. ~ O secretario, Mente Ferreira da
Ar.nunciacio.
CondicOct especian.
l. A base da arrematago do forro da
grade velha da ponte da Ba-Visla ser o
prego da avaliago, segundo o termo res-
pectivo, tres mil o seiscentos r'is o quin-
tal, livre do despeza de remoeflo e de peso.
i 2.1 0 arrematante se apresentara no lu-
gar indicado para recebar o ferro que for
extrahido. sendo previamente avisado pelo
arrematante da nova grade, ou por esta ad-
ministragflo.
r 3 A remogflo e peso do ferro ser feita
om prsenos do uai agente nomeado pela
ad ministraran das obras publicas.
Administrago geral das obras publi-
cas, 4 do agosto de 1849. Jos de Barros
Fatcilo de l-acerda, administrador.
O Capillo do porto desta provincia pu-
blica, para conhecimento dotlos os indi-
viduos embregados nos diversos ramos da
vida do mr, a portara abaxo transcripta,
quepeloEx.il. Sr. concelhero de estado e
presidente da provincia Ihe foi remettida
rom o offlco de 16 do correnle mez, vedan-
Jo a entrada e sabida de quaesquer embar-
eacoes pelo lugar denominado Barreta, -
eapplicando s canoas, lanxas, jangadas,
etc a disposigo do artigo 20 do regula-
mrito de 19 de maio de 1846.
Capitana do Porto de Pernambuco, 17 de
agosto de 1849. liodrigo Theodoro de Fre-
tus, caplto do porto.
i O presidente da provincia, julgtndo
contraria a boa tolicia do porto e liscali-
sago dos impostos geraes e provinciaes, a
dupla sabida e entrada que offerece o mes-
mo porto para as cmbarcagOes, resolve o
seguinte :
' a Artigo 1. Fca vedada a sabida n entra-
da de quaesquer enbarcages pela denomi-
nada Barreta, a quid sera trancada por meio
de correles de ferro.
Art. 2 O artigo 20 do regulamento de 19
do maio de 1816, que veda a sabida do por-
to a qualqucr navio mercante depois de en-
trar o sol, OH antes deste nascer, he applica-
vel s canoas, lanxas, jangadas, e quaes-
quer ontras amharctgOes sementantes; os
contraventores incorrero na multa de que
trata o artigo 19 do mesmo regulamento:
a Arl. 3. O capilflodo porto tica cncane-
gado da execugo desta resolugo.
Palacio do enverno de Pernambuco, 16
de agosto de 1819. Honorio Uermelo Car-
neiro Ledo d
Conforme. No impedimento do secreta-
rio, Jos Marccllino Alves da Fvnseca.
No fim do mesmo as duas jovens danga-
ro
A P0LONEZA.
Finda esta, o Sr. Santa-Boza cantar a
sempre applaudida aria que tem por titulo
ANECRA AFRICANA
ou
A Quinlandeira da Baha.
Terminatido o espelaeulo co a jocosa
fatca
OS DOS,
na qnal o dito Sr. Santa Roza far* lodosos
esforgospara bem desem (.cubara parte do
Inglez.
Principiar as horas do coslume.
O Dr. Gervasio (ioncalves da Silva, juiz mu-
nicipal da primita vara do termo do Beci-
fe, por S, m. I. e >'., a quem Dos guarde,
etc.
Fago saber que o roncelbn municipal de
recurso se reunir no dia 9 do prximo fu-
luro mez de telembro, pelas 9 huras da ma-
ntilla, na casa dn cmara municipal, onde
fu necionra, na forma da lei, por espago de
15 dias consecutivos.
E para que cheeue o conhecimento de
lodos, mandei fazer o presente edita!, que
sera publirado pela imprenta, e r.fllxado nos
lugares mais pblicos deste termo, Eu,
Luis Francisco Correa de llritto, escrivo, o
escrevi. Becife, 20 de agosto de 1849.
Gervasio Goncalves da Silua.
Declarares.
A administrago do patrimonio dos or-
phSoa manda fazer publico que no, se ten-
do efl\ ituudo em o dia 16 do correnle a ar-
rematecto dos concertot do collegin dos
o phos continua a praga no dia 23 do cr-
lenle as horas do coslume.
Secretaria da aduiinislrago do patrimo-
nio dos orphfiot 20 de agosto de 1849. O
secretario, Joo Francisco de C/iaby.
Thealro de noile divertidas.
NA REA DA PBA1A.
Direcco do Sr. Achules.
Quinta-feira, 23 de agosto.
Abertura.
0 BOU EOMAO GENIO,
pantomima phantasticn em 4 quadros,orna-
do com 10 tiansformages.
I'ersonagens.
Avisos martimos.
-- Para I.osnda e Benguela o brigue sardo
Universo que se espera da Baha nestesdias,
tem ja a maior parle de seu carregamenlo
prompta : anda se recebe carga e passtgei-
ros para os mesmos destinos : a tratar com
oafconiignatarioi, Crocco & Companhia,
na ra da Cruz, n. 27.
Para a Parahiba saldr impretervel-
mente no dia sabbado o hiato Espadarle:
quem no mesmo quizer carregar ou ir de
passagem, tratena ra do Amorim, numero
36, ou no trapiflied'algodo com o mestre
a bordo.
Para o Bio-de-Janeiro segu vitgem im-
preterivelmente no dia 26 do corrente o
brigue Assomliro i os Srs. que trataram em-
barcar escravos a frete, queiram embrca-
los at o referido dia, para O que Ira a-se
com Joo Jos Fernando* Magalhet, na ra
da Cadcia do Becife, o. 61.
Para o Ccar salle, no dia 25 do corren-
te, o brig':ie-escuna Ftliz-Fentura por ler
parte da carga prompta : para o restante e
passageiros trata-se na ra da Cruz, n. 3J,
com l.uiz Jos de S Araujo.
Para Lisboa o brigue portuguez Subli-
me capitflo Joo Francisco de Amor, sa-
be ruin a maior brevidade possivel, por ler
oseucarregamento qua>i promptu : quem
no mesmo quizer carregar, ou ir de pssa-
gem, dirija-se aos consignatarios Olivei-
ra irmflo* & C., na ra da Cruz, n. 9, ou ao
referido capito na praga do Commercio
O palacho Emulaco segu imrrcteri-
velmento para o Acarac no dia 26 do cor-
rete : quem houver de carregar, ou ir de
passagem deve-o fazer com antecedencia.
Para o Bio-Crande e Porto-Alegre pre-
tende sabir breve o biiguo Hor-do-Sul, ca-
pitu Jos Ignacio Pimenta, o qual tem bons
coinii,odos para receher a frete alguns es-
cravos, e tambem levar alguns passageiros :
quem pretender pode entender-se con) o
sobredito capitflo, ou com Amorim Irmos,
ra da Cadeia, n. 39.
Para o Rio-de-Janriro sahe com brevi-
dade a polaca N.-S.-do-Carmo : para carga
ou pas-ageiros, trata-se com o seu consig-
natario, Francisco Alves da Cunha, na ra
do Vigario, n. 11.
Para a Baha pretende seguir viagem
com brevidade, or ter ja alguma carga tra-
tada, a sumaca Flor-do-Aiigetim,mestre Ber-
nardo de Sonsa, para o restante da carga e
passageiros, trata-se com o mesmo mestre,
ou com l.uiz Jos de Sa Araujo, na ra dt
Cruz, o. 33.
Para o Rio-de-Janeiro pretende sabir
com muita brevidade a muito veleira n co-
ndecida barca nacional Firmeza : para car-
ga c passageiros, ou escravos a frete, tra-
a-se com o capitflo na praga do Commer-
cio, ou na ra da Madie-dc-Oeos, n. 3, ter-
ceiro andar.
Para o Maranho e Para .alie, em jjou-
eosdas, o brigue-escuna laura: recebe
carga a fete e passageiros: traia-se com
o capitflo na praga do Commercio ou com
Novaes & Companhia na ra do Trapiche,
n. 34. *
--Quem precisar de um Portuguez para
caixeiro, ou (administrador de engenho ,
para o que tena todos os esclarecruentot
necessarios, dirija-se ra (das Cruzes,
n. 28.
Alugt-se um sobrado na ra da Uniflo,
com excellente vala para a barra hilas sa-
las, 4 alcovas, 2 grandes qoartos dito na
escada para pretos cozinha fra, grande
quintal murado cacimba : a tratar com
Manuel Alves Guerra. 1
Madama Hillochau tem a honra de
paiticipar que mudou a sua casa de modas
Irancezasdo primeiro aodar do Atorro-da-
Boa-Vista n. 1, para a loja da mesma casa,
aonde tt senhoras achirdo sempre grande
sortimento de modas como manteletes ,
lengos, luva, bicos, fitas florea, bordados e
em geral ludo o que usam as senhoras, por
prego commodo: tambem se fazem cht-
poa, vestidos, camiaiohas: tudo na verda-
deira moda,
O bacrtarel
Vicente Ferreira Gomes advogt no'foro c-
vele criminal : as pessoas que o quizerem
procurar dirijam-se A ra ilo i.ivraniento,
n. 22.

Avisos diversos.
Cassandre.
Pienot.
Fernando
Don Rodrguez.
O Dabo.
Um domestico.
Lucelia.
A fada.
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em virtude da resolugo
do tribunal administrativo, manda fazer
publico que, pera ule o mesmo tribunal, se
a/fin l--gn : o que se manda publicar no I ha do ui rematar nos das 22 e 23 do cor-
lara .i/v.r re.ssar o abuso com quo os I rente por venda, a quem maior piego ohV
.lies das .ar cagas e canoas qua en Ira ni I recer. o ferro da unirle velh ih mnla A..
Povo o criados.
O CABO DEESQUADRAE SUA PATRICIA,
polka cmica pelos Srs, Gabriel eCems.
L'MA SESSAO' DE PI1VSICA E DE ILLUSAO",
pelos Srs. Achules e Gabriel.
O Ibeatro est preparado de novo : illu-
minsgo de gafe boa msica.
As pessoas que prelenderem bilheles,
( que cuslain a 1,000 la. cada um, qurde
platea, qur de galera ) dirijam-se a qual-
qucr hora ao thealro. O prego dos cama-
rotes ( que 'eem assento para 6 pessoas ) he
6,000 rs. Quem tornar 6 bilhetea de 11 .tea
ou galena os obtei a por 5,000 rs.
Thealro de S.-Francisco.
QUINTA-FEIRA, 30 DE AGOSTO DE 1849.
A beneficio de um artista, vai i scena o
grande drama o
CASTELLO DE LAVAL
eo
rei Francisco I. ,.
A repeligSo deste lindo drama tem sido
pedida pur immensas pes.soas, coja altengflo
ello angareou na primeira vez que foi leva-
vado a scena Baste thaatro ; sendo que en-
Lotcria do Guadalupe.
He anda transferido para o dia 31 do cor-
rente o andamento das rodas desta luteria,
visto que este se nao pode realisar no dia
13 anniiuciado por existir anda por ven-
der um numero tal de bilheles, que no ha-
bilitou o respectivo tbesoureiio para efTei-
tuar o dito andamento, que s (lpente da
prompta venda dos mesmos bilheles.
O Sr. Targino, esludante de Olinda,
queira vir pagar o que deve na ra do Quei-
niado, n. 30, pois que com oalheio no se
luxa.
-- Foi furlado do sillo da viuva de Vieira
&"Filhos, residentes na Soledade, um tran-
celn) de ouro, redondo, com o peso de 14
oitavas, sendo ouro de lei : roga-se a quem
forolTerecido porpessoa susicia, do o ap-
prehender e levar ao dito sitio, ou em sua
loja da ra da Cadeia do Becife, 11.24, que
ser generusameulc recompensado.
Deseja-se fallar com o Sr
Dr. Honorio Fiel Signiaringa Vas
Curado : na ra [*iova, n.65, ou
queira annunciar a sua morada.
Jos Maitins de Amorim, cidado por-
tuguez. vai a cidadcdal'aiahibaa negocio.
Precisa-so de um caixeiro portuguez
ou brasileiro para entregar pilo em urna
fiegueziacom um pelo, e que d fiador a
sua conduela : na padaria do paleo da San-
ta-Cruz, n. 6.
Aluga-se um sobrado de um andar, si-
to na ra do Amorim no Forte-do-Mallos,
muito fresco e com ceminodos para grande
familia : a tratar na ra da Cruz, n. 64.
Quem quizer urna ama de Icite sendo
escrava, dirija-se ra do Queimado. n. 13.
Desappsreceu, na n.anha do dia 18 do
corrente do sobrado n. 6, primeiro andar,
no pateo do Collegin,um dedal de ouro.com
ns I.'liras iniciacs II. J. S. II. Roga-se a
qualqucr pessna a quem forolTerecido pa-
ra o comprar que o tome e participe na
mesma casa, que se Ihe ficrs obrigado
e no caso de querer receber gratificlo ,
ser salisfeilo. '
- 'recisa-se de 6:000,000 de rs. sobro hy-
polbeca em tres predios, sitos em bom lu-
gar, que valernomelbor de vinle e qua-
Iro conlos de ris por espago de 2 anuos ,
ea um por cento- ao mez, pagando-se o
premio do 6 em 6 mezas que inipurtam em
360,600 rs. : qu-m quizer fazer esto nego-
cio, aimuncie, ou falle ao Sr. Antonio Fran-
Cliapos de sol $
Ra do PasseOy n. 5.
Nesta fabrica ha presen temen to um rico
sortimento de chapos do sol de tolas as
qualidades,e de todas as cores, asmis
lixas que pdein haver ; chapeos de sol pa-
ra seobora, dos mala ricos e do ultimo gos-
to de Pars: bem como om rico sortimento
de sedase panninhos imitando seda para
cubrir armagdes servillas j chegado lti-
mamente do Franca. Neste estauelecimen-
to tambem ha chapeos muito grandes para
feilores de engenho.
Em um engenho pouco distante deata
praga precisa-so de um feitor que emen-
da de hortalice o de jardim : na roa da Ca-
deia do Becife, n. 9.
Offerece-se um Portuguez de 20 annos,
para feilor de sitio, para o queda fiador a
sua conducta : nts Cinco-Pontss, n. 71.
Quem quizer comprar uns legados na
praga de Chaves do reino de Portugal, os
nuiles consistem em dnus sobrados e trras
de lavadrio eque offerecem muita vanla-
gem dirjam-se a ra do Codorniz, n. 12.
. Antonio da Costa Ribeiroe Mello, como
procurador bastante dos herdeiros do fal-
lecido Francisco da Silva, avisa e roga aos
Srs. que silo devedores ao casal do dito tal-
lecido que venham pagar as suss dividas,
e com elle entender-se i ver se he pos-
sivel tomar algum accordo migavel a res-
pailo del'as, no prazo de SO dia; do
contrario, ver-se-ha obrigado acbaraa-lot
ajuizo.
Prrisa-se alugar um preto que seja
sadio e sem vicios para fazer 6 servigo de
urna casa de pouca familia : d-se-lh o sus-
tento e paga-se Ihe o jornal queseajustar :
quem liverannuncie.
Aluga-se um sobrado do um andar ,
com commodos para grande familia, na ra
do Hospicio ao p do chele d polica : a
tratar com o mesmo chefe de polica.
Desappareceu, na noile do dia 15 do
cosiente, da Soledade um cavallo rugo ;
quem o tiver pegado, leve-o a estribara do
Augusto Fischer, no largo do arsenal ou
onnuncie, que ser gratificado.
lia-se dilieiro a premio at a quaritia
de cen mil rs., sobre penhores de ouro e
prala : na ra da Cadeia, no segundo andar
do sobrado do esquina do breco do Ouvi-
dor, se dir quem d.
Eugenia leopoldina Alves de Brito em-
barra para fra da provincia o seu escravo
Miguel, de nagflo.
Jos Tliomaz de Campos Quiresma,
tendo de entrar no ejercicio da capatazia
da alfandega desta cidade, no 1." do setem-
bro prximo vindouro e sendo urna das
condigOes desse contrato com a thesouraria
empregar no serrigo da mesma capatazia ,
que he dentro da alfandega e no trapiche ,
homens livres al o numero de cincuenta,
convida a quem se quizer empregar em o
dito servigo, que comparega na casa da re-
sidencia do annunriante das 5 is 7 horas
da manha e das S da tarde em diante dos
dias uteis com abono de pessna reconhe-
cida e idnea para ser escriturado sen-
do o jornal do 500 rs. em cada um dia de
trabalho.
O ab-ixo assignado, tendo de
proceder a inventario por lallcci-
meniode sua mulher, roga a todas
as pessoas que se julgarem sus
credores, que se apresentem al o
dia 15 do prximo futuro mez de
selembro. i'.eai, n de agosto de
1849. Victoriano Augusto
liorges.
To Sportsmen.
A few Canisters of Mess." Johr
Hall & .Sous celcliraledGUss Guo-
powder may be had at M.r Cor-
bells office 48, ra da Cadeia,,Ue-
cife
Domingos Alves Malheus, agente da fa-
brica de rap superior areia preta dt Ba-
bia, tem aherto seu deposito na ra dt
Cruz do Rerife, primeiro andar da cas n.
38, onde se achara sempre deste encllenle
e mais acreditado rai que at o presente
so tem fabricado no Brasil : vende-so em
botes de urna e de meia libn por prego
fnaiscoinmoJo do que cm outra qualquer
parte.
Precisa-se de urna ama de leile: na
ra da Cadeia de S.-Antonio, n, IS.
I
f Na praca da Independencia,
3 n. 10, ao voltar para a ra
$ das Cruzes. alganj-se, ven-
| dem-se e tambem se appli
j cam as mclborcs bixas que
' he possivel ha varen no mer- *
I ctdo; limpam-se e tiram-se denles i
com toda a perfeigflo: tambem se*ap 9
plicam ventosas com a niaiordelica- 1
desa que he possivel, e faz-sa tudo
^ niti 0111* nio lannn ., *
MI ITII


- Offerece-so urna muher para ama de
cusa de pouca fa mili : na ra dos Copia-
re, sobrado de um andar.n. Ifse dir quem
pretende. ....
Prccfsa-se de um homem que ja tenha
servido ero prlrarira linha para seriir um
inno por outra praga: q'uem quizer dirija-
l,a a ra do Aleeriro, sobrado n. 2, ou em-
h.iXQ.na venda do dito.

BOVVMAN & MC. OALI.U.M engenhei-
ros mnchinistas t> fundidores de ferro, mu
res pe i tos a mente annunciam aos Sentiores
proprietanos neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peilavel publico, quo o seu ealabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo ejercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meir* qualidade para a pe taita confccgSo
das maiores pegas de machinismo.
Habilitados para emprrhender quaesquer
obras da sua arte, Rowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
aliento publica para a sscgunles, por
terem lefias grande sorlimento j prompta,
as qimes construidas na sua fabfica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanlO m prego como em qua-
lidade das materias primas e mtlo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor cnstrucgllo
Moendas de eanna para engenhos de lo-
dos os tamaitos, movidas a vapor por agoa
ou nimaes.
Rodas d'agoa, moinbos de vento e serra
rias.
Manejos independentes para cavados.
Rodas, dentadas.
AguilhOs, bronzesechumaceiras.
CavilhOes e parafusos de todos os tama-
nhos.
Taixaa, pares, crivos e boceas do toma-
ina.
Moinhos de mandioca, movidos a mBo ou
por animaes, e prensas Para a dita.
Chapas de fogSo e frnos de farinha.
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
brn'fz.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mlo, oor animaes ou vento.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hydrauticas e de parafuso.
Ferragens para navios, carros c obras pu-
blicas.
Columnas, varandas. grades e porloes.
Prensa de copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de mSo e arados de ferros,
&c, &c.
Alm da superioriade das suas obras, j
gerslinente reennhecida, Bo'wman & Me.
Callum garantem a mais exacta confurmi-
dade cornos moldes e dezenhos remedidos
pelos Senhores que se dignsrem de fazer-
llies encommendas, aproveitando a occasiSo
para agradeoerem aos.seus numerosos ami-
gos e fregueses a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nao pouparo esforgos diligencias
para continuaren) a merecer sua confi-
anca.
-- Precisa-se do um caixeiro para venda ,
o qual tenha pratica e de fiador a sua con-
ducta : na ra Augusta, n. 1.
-Filippe Froment, subdito francez, re-
tira-se para o Rio-de-Janetro, ou Rahia.
--l'ieciss-so de 250,000 rs. a juros, ga-
ranlindo se esta quantia com una ptima
escrava : quem quizerdarannuncie.
-Aluga-se urna casa na ra da Palma ,
n. 6, com coziolta, quintil, cacimba e es-
11 pintada e caiada : a tratar ua ra de S.-
Krancisco, n. 30.
-- Na ra Nova ,n. 35, lojn de alfoiale,
se desoja fallar com o Sr. Temotheo Pinto
Leal Jnior, a negocio que llie diz res-
peito.
OfTercce-se urna muher para ama de
casa de pprta a dentro de liomom solteiio,
nu de pouca familia preferindo-se para o
multo : na ra do Itangel, n. 55.
Piecisa-sede una ama secca : na ra
do Rangel, n. 25.
(I ntestre V. F. B. pede respetosamen-
te drscutpa a alguns amigos de nfio ter da-
do carillo para O grande baile que deu no
di t9 do correte, pelo excessivo trabalho
a que se cnliegou de esfregar a casa e
agradece a ludos aquelles amigos que fa-
zendo pouco em seu convite, faltaran) com
assenhnras e meninas para a grande dansa,
tirando desta forma os convidados dansa-
rinos mamados. Uenuvaniente convida a to-
dos os amigos e particularmente aquelles
que cumpa recera ni ao baile para o soar
mon-tio que lemdedar a sua cusa no lia
24 do corrale, na Cruz-do-l'alrflo : os car
toes recebom-se do meslre-sala Joo ma-
luco.
Offerecc-se urna ama para o servico de
urna casa de pouca familia: na ra da As-
.sumpcBo, n. 88.
1.ava-se roupa de varrella de casa de
familia com zelo, promplidao e tidelida-
de : quoin precisar aiiuuucie.
Aluga-aeo quarto andar do-sobrado
da ra Urga do Ruzario, o. 36 : a tratar coih
liarUioloniru Franci.cu de. Souza.
Aluga-se o armazem do sobrado n. 2,
no largo da matriz de S.-Antonio com
quntale cimba: a iratkr oa ra Diruila ,
n. 29, pnineiro andar.
Precisa-se to urna ama que corinhe
para una casa de pouca familia sendo for-
ra ou sera va : na ra do Livramento.
H. 20.
O coronel Casoar de Menezes Vascon-
ccllos Je Diuii.oini, uflo pudendo pela' ra-
pidez da sua (artiJa para Serinhem dos-
pedir-see agradecer pessoalmenle a todas
as pessoas que b djgnamm de obsequa-lo
con, suas visitas durante o tempo que es-
leve nesta cidade prevalece so do prsenle
meto para pedir-ines descuida desta invo-
luntaria omissao, eaomesmo tempo olta-
recer-lhcaalli oseo mui diminutu prestimo.
O liaetiarel furinado Judo ile Barros
Falcilu de Albuquerque Maranhilo advoga
nos jtrizos criminal, civel o ecclesiastico :
na ra estrella do Rozarlo, a. 20, prnneiro
andar.
--Muitoate deseja fallar com o Sr. Joa-
quin Prancisco de Souza e Silva ou a qual-
quer pessua que tenha conhecimento leste
Na ra de Agoas-Verdes casa terrea
n. 26, engomma-se e lava-se toda a quali-
dade de roupa, por prego mais commodo
do que em outra qualquer parte.
Faz-se todo o negocio com
duaslf.ttras vencidas, sendo urna
de* 1:192,760 rs., aceita, por Jos
Manoel Ferreira, moradorque foi
em Santo-A nloehoje em Panel
las, e outra de a:354,64o rs. a-
ceita porThoniaz de Aquino Pin-
to Bandeira : quem pretender ne-
gocia-las annuncie por este Diario
para ser procurado.
Aluga-se, por festa, ou mensalmente ,
urna casa na entrada da Casa-Forte, com
bastantea com modos, um sol o cora dous
quartos, quintal murado com estribara
para 4 cavallos e cacimba com boa agoa :
a tratar com o major J0S0 Valentim Villela.
Manoel de Almeida Lopes que costu-
ma comprar e vender escravos mudou sua
residencia da ra do Vigaro, n. 24, para a
ra da Cadeia do Recite, n. 40
Precisa-se de um forneiro que saiba
desempanhar seu lugar ; na ra Direila ,
n. 26, se dir quem precisa.
I
Novo pilo de Provenga. ij}
Na padaria do becco das llarroirase fe
no deposito da Estrella, no Aterro- m
da-Boa-Vista, n. 39, fahnca-.se o no- $)
vo pao de Proven?, o qual he fabri- jj|
cado pelo methodo do seu primei- m
ro introductor que veio esta provin- jjj
ca e com as melhores farinhasque S
ha no mercado, e asseio que he pos-
sivel: da mesma sorte se fa linca 111 as &
falasda rainha de llespanha boli- a>
ithos, biscoutos, biscoulnhos, fatias, 2
cavacas : tudo do melhor gosto pos- n
sivel e proprio para cha ; tambem ha 1
bolachinhade Lisboa em latas de 8 I
libras, por prego com mudo ; amen- |
doas confeitadas e de varias quali- S
S dad es.
!___ i
Precisa-se de um feitor que trabalhe,
entenila de arvoredos de horta e de vaccas:
na Magdalena estrada nova, primeiro por-
13o de ferro.
Deseja-SB fallar com o Sr. Manoel Jo-
s Lopes dr Macetlo : na ra do (jucimado,
Ir. 44. ou annuncie sua morada.
Perante o Illm. Sr Dr. juiz municipal
da segunda vara do civel, na poita desle,
na ra das Cruzes, lindo os (lias da le, teem
de ser arrematadas as propriedadrs sitas,
um sobradinhode um andar, meu-agoa,no
bcrco da liiin [1:1,e una casa trra na esqui-
na da ra do Fogo que volta para o becco
da Uoniba.
Ocorrelor Oliveira,desojando milito sa-
ber se existe, ou tallecer nesta cidade ou
provincia ,0 Sr. Joo Anastacio da Cunta,
outr'ora escrvilo-depulado no Pai, muilo
penhnrailn ficai a quem dissq souber e llie
quizer dar infurma(lo.
Aluga-se una grande loja na ra Au-
gusta com qualrn quartos, 2 salas, Coli-
nda fra, quiuliil o carimba, por prego com-
modo : a tratar no sohrado por cima onde
leni escriplo.
Precisa-se alugarum preto paia car-
regar um taholelro de lazendas na ra: na
ra da Cadeia do Recite, n. 25.
Por se estar liquidando conlas pedu-se
aosatiaixo declaiados que queirum salis-
fazer os scus dbitos, livrando assim de ser
necessaro declarar seus nomes por eiten-
so : P. E. S. L. M do L. A. do A. M., S.
J. do T., J. A. do M J. F. M. de A.
lima pessoa habilitada se propoo a ro-
ceber alumnos internos e externos para en-
sillar priineiras ledras lingua nacional
franceza, geometra e rlietorica, proiitetten-
doo mais desvelado tratamenlo mediante
um mdico estipendio : as pc.-soas n.ue o
quizerrm frequentar pndero dirigir-se
ra das Flores sobradu u. I, das duas ho-
ras da larde cm liante.
Aluga-se a loja do sobrado n. 24 da
1111 da Aurora.
Quem annunciou querer comprar urna
caileira quasi nova dirija-se *o pateo do
Carino, i-obrado de Cabriel Antonio.
-- O Sr. Dr. Vaseurado queira ter a bon
da de de ir ao llutel-Commcrcio, ou annun-
cie sua inorarla que se lite deseja fallar.
Cralifica-se generosamente a quem
levar no Mondego casa defronte do sitio
do Sr. l.niz t; unes Ferreira um viado que
desappareceu na tarde do dia t9 do cur-
re 11 te tendo tomado para os sitios annaxos
aos fundos la dita casa levando urna cor-
dintia amarrada no pescogo; he multa man-
so, por ter sido criado desde pequeo, por
isso julga-se que elle mesmo procurara al-
guma casa, por ser 11,uilo domestico : quem
o levar a dita casa cima ou der noticias ,
ser gratificado.
Previne-se ao publico que o sitio de
Elias Cocido Cuita jue lem de ir a praga ,
segundo o anuuncio f ilo pelo Diaria de
Pernambiicu. a requurimento de Agostnho
lleniiques da Silva, se acha hypulliecado,
como consta da escpipiura publica muilo
anteiior a penhora : e pira que nSo baja
duvida para futuro, faz-se a presente de-
clarado.
Agencia de passaporlrs.
Na ra do Collegio, n. (0, e no Alerro-
da-Boa-Visla, loja n. 48, conlinuam-se ti-
rar passaporlcs para dentro e fra do im-
perio, assim como despacham-se escravos.
Os con traa I ores lo contrato de 2,500
rs, do municipio do Recita venden) os anuos
renc,o e Luz : os prelen lentes fallem ao
coronel Manoel Cavalcanle de Albuquer-
que Mello socio caixa do mesmo contra-
to no seu eiiguulio Gigut.
; C. Starrck (Jompanlua, con-
vencidos de que a condueco da
Cormas de assucar para a casa de
he sem duvida o servico
mortifica
carros de ferro que facilitam de
urna maneira admiravel este pesa-
dissimo trabalho. As pessoas inte-
ressadas sao convidadas a inspec-
cionar, na fundido d'Aurora em
Santo-A maro, esta mui til in-
venco.
0 doutor (x>1lrenco Trigo de Looreiro
reside actualmente as lojas da casa do
Illm. Sr. desembargador Bastos, na ra da
Aurora entrada peto lado da mesma ra ;
a alii se offerece para advogar, tanto no
civel como no crime, e para ensinar as lin-
goas latina e franceza a quem se quizer
utilisar de seu prestimo.
Denles artificiaes.
J. A. S. Jane, dentista participa ao res-
peitavel publico que contina a exercer a
sua proiissiio, na ra estreita do Rozario ,
n. 16, primeiro andar.
lt ua larga do Rozario,
n.14.
Pradiiies,cullero e
armeiro,
lem a honra de prevenir ao respeilavel pu-
blico e principalmente aos seus freguezes
que ello acaba de recebrr um rico sorli-
mento de espingardas de cae,a do um o
dous canos truncltados e adamasquinados ;
neste sortiinentn ha tambem algumas mul-
to curias para cafar as maltas e lagas.
Seus freguezes acharSo tambem um rico
sorlimento de pistolas tanto de montan
como de tiro ede algibeira muito peque-
as ; boleos de caladores eiilranc.ados ;
formas de fazer balas de lodas as hitlas :
bem como concerta e faz qualquer obra
pcrtencenle ao seu oflicio ; amla sempre
nns tercas, quarlas e sibbadns com perfei-
Quem annunciou querer comprar ac-
Cfles da companhia de llcbenbe, querendo
20, pode dirigir-se ra do Livramento,
n. 26.
Precisa-se fallar aos Snrs. Francisco
Antonio Cavalcanle Cnusseiro e Dr. Vaseu-
rado : na ra do Amorim, n. 13, primeiro
andar.
Quem Ihe faltar um cavallo ruco, de
cstri baria dirija-se ra lo Collegio, n.
6, que, dando os signaes, llie sera enlre-
6UC- ...
--Alugam-se o vendem-sssuperioies lu-
xas de llamburgo: na ra das Cruzes,
n. 40.
a>
a>

>
:>

->
>
k>
->
>
->
>
M
i>
>
>
->

Fabrica especial de
eadeiras na na
largado lo/ario,
n. 10.

Henry Dnman et Jules lmat/. < '
teem a honra do avlstrom ao <
respeilavel publico que ac- "J
bam de abrir sua tema de ^
marreneria onde hilo de ^
fabricar especialmente ca- <
leiras franee7as americanas e al- < >
lemflas sopli o marquezas. Os an- ^
nunclantes, chegados hapouco tem- pode Franca, trazem os iikuIcIos us mais lindos e mais coinniodus que J
se Tazem agora, e por isso se acliam ^
habilitados para salisfazer as pessoas ^
,_ que quizerein Ponra-los com sua gj
\> confiaiifa. Osmesmos lambemseen- jk
i* carregam do concert de qualquer -g
S> mobilia de assenlo que se apresen-
* lar c os seus freguezes ficarSo con- J
W lentes do modo que serflo servidos, J
? tanto em promptidilo como em soli- ^
,. dez e 11 -eco barato. 43
O A A 4 Au :4 ft fi 5 A A A A *>, k &A 4 A O
-- Aluga-se o sitio da estrada do CorJei-
ro, bem condecido, so proprio para nego-
ciante estrangeiro, ou quem tenha trata-
ment, assim como varios sitios o casas
pequeas para passar a festa, tanto na cam-
pia, como na ra da Casa-Forte : a tratar
na ra do Amorim, n. 15.
tmmmmmmmmmmmmmmmmmmammmmmmmmmm
Para prsenle.
Fbulas de Lafontaine em
francez, riquissima edicao Ilustra-
da, em 2 volumes, papel velin,
propria para presente.
Anna de Grierstein, ou a Don-
zella do Nevoeiro, novella de
WalterScotf, excellente tradcelo
portugueza de Lisboa, l\ volumes
in8."
Vende-secada una destas obras
separadamente por 8,000 rs., na
ra do Rozario larga, loja de J. J.
Lody.
Vende-se urna preta crioula mo?a ,
bem parecida semdefeitos, o ptima pa-
ra o servico de compo : na ra da S.-Cruz,
n. 74.
Queijos dequalha.
Vendem-se oa superiores queijos de qoa-
lha, muito frescaese chegados do Cear no
ultimo vapor : na praga da Independencia,
loja n. 3.
Na ra das Cruzes. n. 22, segundo an-
dar, venden- -se 6 escravos sendo : 2 tllD-
lecotes de 18 a 22annos sendo um serra-
dor e oulro cozinheiro ; 3 pretas que cozi-
tidain lavam desalio e vendem na ra ;
urna crioula de 20 anuos que coziulia, co-
se chito, lava desaho efaz renda.
Vendem-se sapatos do Aracaty boa
obra por preQO commodo : na ra do Tra-
piche-Novo, n 26.
Aos !0:000^000 de rcis.
Lotcria do Kio-de-
Janeiro-
lle chepa la a lista da 19.' lotera do Mon-
te-Po e com olla novo sorlimento de bi-
Iheles, meios, quartos, oitavose vgsimos:
na ra da Cadeia, n. 56 loja de ferragens.
Ililliclrs do Kio-de-
Jaiteiro.
Aos 20:000^000 de res
CioiiiprS.
purgar
que mais mortifica a esclavatura
de um engenho, e desejando rinan-
to possivcl he o mellioramenlodos
-- Compra-se a lraduc;no das odes de
Horacio, por J. A da Molla e a tradcelo
me francez de toda obra de T. Livio : quem
tiver annuncie.
Compram-sc ao a 3o acres
da companhia de Beberibe : quem
as tiver annuncie para ser pro
curado.
Compra-se um violSo bom : quem ti-
ver annuncie.
Compra-se um lalim canana e mais
guns objectos quo eslejam em bom sla-
lo para nicial subalterno da guarda na-
cin I : quem tiverannuncie.
Corapia-se urna venda em bom local:
Acham-sea venda na loja Je cambio d
viuva de Vieira & Fiihos, na ra da Cadeia
do Recita n. 24 bllhelese nreios ditos da
lotera a beneficio da fabricado vidros de
S.-Roque eila fabrica de papel deZefcrinn
Ferer. Na mesma loja existe a listada 19."
lotera do alonle-l'io chegada ltimamen-
te no vapor.
Yeudein-sc duas pretas sendo urna
deltas boa lavadeira : na ra do Collegio,
n. 15, primeiro andar.
Vende-se um superior cavallo de carro,
muito proprio para calniolet: na prafa do
Comuiercio n. 2, primeiro andar.
Vende-se rap de LisLa.
chegado ltimamente, a 3,aoo rs.
a libra : na ra da Cadeia do lie-
dle loja de Antonio Joaqun)
Vidal
Vendem-se as obras completas de Ca-
ntiles em 3 volumes, da ultima e mais D-
Inla i l.r.io ro" pceo ini.',li> lllodiCO : na
ra Nova, n. 36.
Alphabelo da malicia das
iiiiillir-irs :
vende-se a 320 is. : na praqa da Indepen-
dencia, liviana ns. 6 e8.
RA DA CRUZ N 15.
AIIMA/.EM DE FORNFXLMENTOS PARA
NAVIOS.
Neste armazem vende-se o seguinte :
Carne salgada
do porco e vacca ,om barris, de muito boa
qualidade e muito nova ;
hemos de faia
de todos os tamaitos ;
Lan/e/nas de patente
de varios tamaitos, propras para navios;
Cabos da fnssia,
de patente, os melhores que ha no merca-
do, o de lodas as grussuras;
Lonas inglesas
o da Russia de varias qualidades tanto
largas como estrellas ;
Brinsda Hussia,
de supoiior qualidade | ara velas ;
Bonetes escocezes
para marojos;
Bandeiras nacionaes,
de 2 at 6 palmos.
Vcndc-se um bonito cabriolel; um
bom cavallo : um preto proprio para o ser-
vico de enxada : na ra do Pires, n. 19 se
dir quem vende.
loni goslo.
Na ra do Queimado. vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se lindos eau-
periores cortes de camhraia de seda com
barra, ricos chales de seda matizados de co-
res, cambraiasshrancas com barras, lencos
de cambraia de linho, e oulras muitas fa-
Vende-se um pardinho de 12 annos e
um mulatinho de 11, ambos muito bonitos,
proprios para oITlcio, ou pagens: na ra lar-
ga do Rosario, n. 35, loja.
Vendem-se ancorlas com azeitonas,
chegada ltimamente do Porto : no caes
da Alfandega no armazem de Francisco
Das Ferreira.
Vende-se a taberna do pateo da S.-
Cruz, ao pe da padaria de una so porta,
quo vende vinle mil rs. diarios; a dlnheiro
ou desobriga a praca : a tratar na mesma
taberna.
Confeitos de Glis
e cont de lactato de ferro, approvado
academia de medicina de Paris, conf
o parecer de urna commissio compost
Srs. Rouillaud, Fouquier e tailly.
As preparaqes ferruginosas se conta..
no numero dos medicamentos, cujas pro-
predades n1o se pJem por em duvida ;
com effeito ha poucas preparares medicas
que tonham sido estudadas con tanto es-
mero por observadores sabios.
Os mdicos mais acreditados receitaram
estes confeitos com muitas vantagens, de-
poisde terem analysado sua composnjao.
O benvolo acolhment que esta prapa-
raijflo obteve da escola de medicina de Pa-
rs nos dispensa de tazer seu elogio.
Estes confeitos silo empregadns com gran-
de successo na clorosis ou paludas cores,
as inflamin-ic/ics chronicas do estomago,
e dos intestinos, na falta deappetite, as
amenorrheas, ou soppressto de mentrus,
nas enfermidades oscrophulosas, e inconti-
nencia das urinas, proveniente da debli-
dade da bexiga : na leucorrhea ou florea
brancas, opilaQo. abatimento de frcas,
no escorbuto, em todos os casos de enfra-
quecimento do organismo, na animya, vul-
go frieldade, na hydropesia consequencia
destas molestias, emlim em todos os casos
em que ha alteraco na composicSo do
sangue.
A respeilo da dse que sedeve tomar,
haslam tres confeitos pela manh.a, eoutros
tres de tarde, e o mais distante possirel das
horas da comida, augmentando progressi-
vamente at 6 de mandan e 6 de tarde.
Relativamente aos meninos, asdsesva-
riam conforme a Idade; mas, tomando o
termo medio, se daro de 6 a 8 lodos os
das, na idade de 6 a 12 annos, e 4 aos mais
jovens.
Km as principaes cidsdes da Europa se
acbam os depsitos dos ditos confeitos, e
em Pernambuco na botica doSr. Parando*
na ra do Rosario estrella, n. 10.
Salsa- parrilha de Sands
para remover e curar
das as enfermidades quo procedem '
radicalmente 'o-
quem tiver aniiuncie
... -...! i.. .i i ,i ii, iiiiii'. %j iiuimi mullan i
- Compra-se urna carrosa de cavallo que MndM nlpnog do em te
I..I. I.l llillt! ASlBlIn />l,ll COIIO /.ilrlH ni .11 ,, L
Vende-se um bom preto mogo e ro-
esleja em bom estado, com seus competen-
tes arreios, esefr com o cavallo melhor
ua ra Imperial, n. 25, ou annuncie.
Vendas.
-- Vendem-se 2 moteques de 12 a 14 an-
nos ; 2 mulatinhos de 14 annos, ptimos
para pagem ; 3 escavas mocas com habi-
lidades : na ra Direila, n. 3.
Na ra da S.-Cruz, taberna n. 1, vende-
se carnauba a rctalho e em por^So.
t^ 99 fe 9 4$ft $ t& 99&
te 9f
< Vendem-se escravos baratos, na ra f>
$ das l.arangeirus, n. 14, Segundo an- ">
te dar, como sejam: molequrs mole- a)
& cas, mol -cries, negras e negros de lo- A
dooseivieo. O
9 *
99S9999999S99<99t999
--Na lvrarians. 6e8 da praga da Inde-
pendencia vende-sc o segu ule :
Manual eleitoral
busto : na ra da Cadeia do Recite, n 39.
Vendem-se tres rotulas de amarcllo em
bom estado, e por preco commodo : na ra
Imperial, n. 25.
Tecidos de algodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-tis-Snntos.
Pa na da Cadeia, n. 5*2.
veudem-se por atacado tres qualidades,
propras para saceos de assucar e roupa de
escravos, a 250, 280 e 300 rs. a vara.
-Vende-se urna negraainda moca,que sabe
lavar, engommar alguma cousa, tem boa li-
gma e cnziiilia o diario de urna casa : na
ra Bella, n. 14, primeiro andar, sa dir
quem vende.
Lotera do Kio-dc-Ja-
neiro
Na praga da ladegundencia, n. 4, ven-
dem-se meius billieles, quartos. oilavos e
pureza lo sangue, ou habito do systr
Fsta medicina est operando con.
nfenlo curas quasi incriveis de moi.
que procedem da impureza do sangir
Infeliz victima de molestias heredit
com glndulas indiadas, ervos mi.
dos, e os ossos meio arruinados, (icou resta-
belecida com toda sua saude e torgas. O
doentc escrofuluso, coberto de chagas, cau-
sando nojo a si mesmo, e a quemoser-ia,
licou peifrilo. Centenares de pessoas que
tinbam solfrido por annos, a ponto de de-
sesperen! da sua sorte molestias cutneas.
glndulas, rlieumalisiuo chronico e muitas
outrasenfeiinidades procedentos do desar-
ranjo dosorgilos de secrego e da circula-
rlo, teem-seerguidoquasi milagrosamente
do leito la morte, e hoje, com constituigtVs
regeneradas, com prazer alteslam a effica-
cia desta inestimavel preparadlo
Coinquantu tenham apparecido grandes
curas al aqui produzidas pelo uso desta
estimavel medicina comtudo a experien-
cia diaria -aprsenla resultados mais no-
taveis.
New-fork, 22 de abril de 1848.
Snrs. A. B. e I). Sands. Julgando ser
um di'ver para com vosco e para com o pu-
blico em geral, remello-vos este cerlifca-
po das grandes viitudcsda vossa salsa-par-
nliia ; para que oulras que boje esl3o sof-
frendo eslabelegam melhor a sua conlian-
ga e fagam sem demora uso da vossa medi-
cina.
Vi-me perseguido com urna grande fon-
da no tornozelo, que se estendia pela canel-
la cima at ao joeltio, lngara gratule por-
giio de iioienia materia, com comichOes
que me privaviin muitas noites do meu des-
canso, e eram muito penosas de supportar.
O Sr. Diogo M. Connel, que havia sido cu-
rado com a vossa salsa-parrlha, recommen-
dou-mc que cu fzesse uso della, e depois
de haver lomado cuno garrafas flquei per-
tatamente curado.
Tendo demorado um anno mandar-vos
este certificado, para conhecer com certe-
za se a cura era permanente, e tendo agora
a maior satisfagflo em declarar que nilo le-
udo visto, nem .sentido cousa alguma du-
rante todo este tempo, e scho-me perlera-
mente restabelecido. Sou vosso, etc.
Sarah M, /mire.
240*, ra Delancey.
Nesta provincia o nico agente deste ma-
ravilhoso remedio he Vicente Jos de Brito.
Vendem-se 3 fortes pianos, chegados
pelo ultimo navio francez de muito boas
vozes, superiores as de outro qualquer que
tenha apparecido, e de novo modello que
nfio deixraio de agradar ao comprador;
charutos de llavana, por prego mais commo-
do do que em outra qualquer parte; un
completo sorlimento de instrumentos de
msica, tanto de metal como de madeira ;
bustos de gesso representando muito fiel-
mente a rainha Victoria e o principe Alber-
to ; relogios de ouro e de prata, chegados
ltimamente da Suissa. Estes relogios que
silo muilo bem acabados, se tornam mui-
to recommendaveis a qualquer particular,
e adverte-se que ha entre elles alguns que
anda ni oito das sem precisaren) de corda :
na ra da Cruz, no Recita, n. 55.
-- Na loja de alaia Ramos & C. vende-
se pelo diminuto prego de 500 rs. um dos
mais bellos romances que tem por titulo
A roseira traduzido do francez por urna
seuliora portugueza. Recommenda-se mui
loaleilura desta obra, principalmente aos
pas de familia; para que, dando-a a lera
seus filhos,, conhegam a grande utilidad
que se lira em derramar por entres moci-
dado liges de tanta moralidad* como as
que se coulem em dito romance. Quem
pretender os ditos livros, dirija-so a ra No-
Ano


Vende se cera de carnauba
milito superior e por preco com-
inodo, em arrobas e a retalho: n
ra Nova, armazem de trastes, de-
fronte da ra de Santo-.A maro,
n. 59.
I
i* do Quoimado, n. 29, vendem-se
) cortes de vestido dacambraia de se- ?
*"* da de moderno gosto, proprios pa- 4
-a baile a 15,000 rs. ditos de rain- raia coro listras de cores imitando 1%
ida a 4,000 rs.; chitas largas fran- 4
ezas padrOcs modernos e de cores (xas a 360 rs. o covado ; lencos de 4>
ir seda da India, para hombros, a 1,800, \
l 2,000 e 2,240 rs.; ditos brancos de <*
ft, cambra a ilelinhn, a 800 e 1,000 rs. ; i%
ir i-outrasfazendas.de gosto a prego C9
4 commodo. ?
-- Vende-se urna mulata ainda moca com
urna cria di; oito mezcs : bo prendada, e a
dona vende-a porse retirar para ora da pro-
vincia: quem a quizer comprar dirija-sea
ra da Mnda, n. 7, priaieiro andar.
Vendcm-se relogios de ou-
ro inglezes e sel lina inglezes els-
ticos : em cosa de Gco: Kenwor-
thy k Gompanhia, ra da Cruz,
11. 1.
Na loja da modas francezas, na esquina
do Ateno-da-Hoa-Vista, n. 1, rocebcu-se pe-
lo ultimo navio viudo do Havre um lindo
soi librillo de chapeos de seda e do palha
lina da nova moda ; ricos manteletes de se-
da e de bico ; dores de todas as qualidades;
luvas do pellica curtas e compridas ; ricas
titas, plumas, bicos cambraias de linho,
camisinhas : ludo vende-se por prego mul-
to em COIlta.
Pichincha.
No Aterro-da-lloa-Vista, loja n. 78, ven-
dcm-se pelles de couro de lustro, a 1,000
e 2,000 rs Estilo so acabando.
Para escravos.
Vendem-so cobertores de algodo ameri-
cano a 560 rs. cada um; zuarte dechadrez,
i 160 rs. o covado; dito trancado, a 200
rs. o rnv iln ; pegas de ganga azul da India,
com 4 palmos de largura e 12 covados a
-',400 rs.: na rua do Crespo, loja n. 10.
--Vendem-se chapeos de senhora Innto
de palha como de seda,Guanteletes de bico
eda chegados pelo ultimo navio de
1: no Alerro-da-Boa-Vista, loja da es-
n. t.
O
Cortes de calcase jaqueles. >
. Na rua do Queimado, loja do sobra- 0
O do amarello n 2!). vendem-se cortes 0
(% de calcas c jaquelas de brim liso par- ra
Q do. a 1,000 rs.; ditos de dito de qua- ,-v
, drinhos, a 1.120 rs ; ditos do brim
. trancado branco e de listras, a 1.280 'Jj.
, rs.; ditos de dito amarello, a 1,500 J?
* r ditos de casimira enconada
Hicimos usamdelles, o por isso quem os
quizer hnnse baratos, dirija-sea rua larga
do Itozario, loja de miudezas, n. 35.
Vendem-se muito bonl co-
bertores de algodSo brancos, as-
sim como escuros, proprios para
escravos, e por preeos muito com-
modos : na rua da Senzalla-Ve-
Iha, n. i38.
Cortes de brim entranca*
do de puro linho a
1,280 rs. ,
Vende-se brim pardo de li.iho 11,280 rs.
o corte, e cor de ganga mutio fino 11,500
rs.: na rua do Queimado, n. 8.
Vendem-se cortes de cambraias ada-
mascadas, propriaspara vestidos, a 3,000
rs. ; ditos de tu Incurra, a 1,600 e 2,500 rs. ;
cassa-chita decores lisas, a 300 rs. ; lan-
zinhas para vestidos, calcas e mu pa de me-
ninos, a 320 rs. o covado ; fazenda de 1,1a
com listras de seda propna para vestido
le senhora a 640 rs. ; lilas para caigas, de
muito bom gosto e de superior qualida.de ,
a 2,200 rs. o corte ; cortes de cassa, a 1,400
rs. cada um ; panninho com vara de lar-
cura a 240 rs. a vara, e a 2,500 rs. a pega
chm 10 varas o meia ; chales i!e pura lTa ,
a 2,000 rs. cada um ; disides para colletes,
a 500 rs. o corle ; e outras minias fazendas
porliaratn prego : na rua do Crespo, loja
n. 15, de Cunha CuimarScs & Companhia.
A 610 rs. a libra.
Que'jos londi'inos.
Vendem-se, pelo barato prego de 640 rs. a
libra queijos londrinos chzgados recen-
temente na rua do Amorim, n. 36.
Vende-so um cachorro da ilha muito
novo hraho e de bonita Maura por preco
commodo : na rua da Concordia passando
a pojitezinlia a direila, primeira casa.
fmm.mmmmmmm mmmwmmmm
cobre com pouco uso que leva a caldeira
50 caadas com muito boa serpentina de
estanto fino que pesa 300 libra : eato
alambique trabalha por dous systemas, um
que serve para destilar garapa, e outro pa-
ra resinar ago'ardente ; para este tem tres
ratificadores os quaes fazem com quo o
alcool saia sem cheiro, muito superior em
grao e muito simples para qualquer pessoa
rodr trabalhar: acha-se montado e promp-
to a trabalhar para o com#rador ver : tam-
bera se vende urna machina de fazer limo-
nada gazosa, agoas niineraes 0 vinho
champanha : ludo por preco commodo : no
Aterro-da-Boa-Vista n. 17 fabrica de li-
cores, de Frederico Chaves.
Na loja do sobrado amarello, na rua
; do Queimado, n. 29. continuam-se a :{;
9t vender 0^ bem acreditados pannos i- %
JE nos cor de caf, djk vinho e verde a :j
f 4.000 rs. o covado ; princeza preta ift
infestada ,] fazenda igual a merino, <}
I a 1,000 rs. o covado; sarja de lila pre- &
ta lavrada propria para forro de *
obras, a 600 rs. o covado ; merino %
\. preto, a 2,500 rs. ; dito muito supe- 3}
1 riir, a 3,000 e 3,500 rs. ; e um com-
al plcto sortimenlo de panno preto pa-
| ra todo o prego.
O
rs. ; ditos do casimira enconada de &
algodflo, a 2,000 rs. ditos de lila a
^j* 2,000 rs. ; ditos de casimira elstica C*
P e de cores, a 4. 5, 5,500, 6 e 7,000 rs., 0
O tendo muito aonde escolher. O
900990999 OOOOOOOol
Vende-se urna loja com ar-
macao ( nicamente), propria pa-
ra f|taIquer estabelccimento, sita
na rua Nova,n. 19 : quem a pre-
tender, (lnija-.se a mesma loja,
que adiar rom quem tratar.
Vendem-se 6 lindos moleques de nagfio
e cridilios sendo um delles bom olliri. I de
alfaiale ,e ptimo para pagem um raula-
linlio de 15 anuos ; 6 pretos muito mogos ,
sendo um delles perfeilo cozinheiro ; urna
iiegriulia de 11 anuos, com principios de
costura ; una preta de meia idade, queco-
zinha, engomma faz doces e d-se acon-
tento ; urna dita de 18annos perfeita eos-
tureira engommadeira faz lavarinlo co-
zinha, lie recolbida e de muito boa con-
ducta; 3 mulatinhasde 16 a 20 annos, com
elgumas habilidades; um cabra muito ro-
busto, proprio para campo; e outros mui-
tosescravos: na rua da Cadeia do decid),
D. 40.
Chocolate.
Vende-se chocolate de varias qualidades,
como sejam amargo e inglez ; e caf moido:
ludo superior, por prego commodo: no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 68.
Vende-se caf moldo em latas de 24
libras; chocolate em latas de 8 libras, viu-
do de Lisboa : no becco do Azeile de-l'eixe,
armazem n. 16.
I'ara senhoras e me-
ninas.
Acabamde chegarde Franga urnas bol-
gas de conlas, com os competentes feches
dourapos, a cousa nais bonita que tem ap-
pa reculo no mercado o emquanto o prego
lie o mais barato possivel: na rua do Quei-
mado n. 22, loja de chapeleiro vindo do
Itozario. D-se amostra com penhores.
Farinha superior.
Vende-te a bordo da sumaca
Feliz~ Aurora, fundeadaem fren-
te do caes do Collogio, a farinha
roais superior que ha no mercado
e por mais barato preco : a tratar
com Machado & Pmheiro, na rua
do Vig rio, n. 19, segundo andar,
ou com o meslre a bordo.
Galao de
Vende-se urna pedn de filtrar agoa ,
nfio pequea com a sua competente caixa,
por 16.01.0 rs. : no armazem do assucar de
Domneos Sor ano Congalves Ferreir.
Vende-se superior cal virgem de Lis-
boa ,em barris pequeos; feches de arcos
-Je pao e rodas de ilito para barricas; cu-
nhetes de pinho abatidos para assucar ;
pregoseaisacs do Porto, em harria de 10
milheimis ; iliios de estuque em barris de
32 a 45 milheirns ; marmelada de Lisboa,
em latas Je 1 e 2 libras ; pillas de familia :
na rua da Cruz, n. 49, primeiro andar a
fallar com Joaquim Ferrcira Hiendes Gui-
marieg.
- Nos armazensde Francisco llias Fer-
reira e no de Leopoldo Jos da Costa Arau-
jo ha para vender o mais superior vinho
do Porto oue tem vindo a este meicado, em
barris de 4., 5." 7. e 8." Os apreciadores
I dem sortir-se porque pouess vezos c
vem fazenda igual.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem de molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 6, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor vindo do sol, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras multas
qualidades que se venderflo mais barato do
que em oulra qualquer parte : bem como
cigarrilhos hespanhes, ditos de palha de
ni i I lio, que se estilo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
AGENCIA
da fiiiulicao Low-Moor,
RUA DA SKNZALT A-NOVA, N. [\1.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de tnoendas e meias moen-
daa, para engenbo ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
A 640 rs. cada um.
Vendcm-se cobertores de algodo ameri-
cano, encorpadose grandes, a duas pata-
cas ; chitas escuras de hons padrOes e co-
res seguras, a meia pataca o covado: na
rua do Crespo, na loja da esquina que vol-
itt ta para a cadeia.
Vende-sealgodSo trancado
da fabrica de Todos-os-Santos a
'.70 e a 3oo rs. a vara : na rua da
Cadeia, n. Si.
Taixas para eiigenho.
Na luiolirao de ferro da rua do Rrum,
acaba-se de receber 11 m completo sortimen-
lo de taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
cu carregam-seem carros sem despezas ao
cimprador.
Cadeiras de palhinha e
de ha la 1 eo,
bem com outros muitos trastes: vendem-se
em casa de Kalkuianii IrmSos, na rua da
Cruz, n.10.
Superior cha brasileiro.
Vende-se superior cb de S.-Paulo em
ca ix 111 has de nina e duas libras: lia ruada
Cadeia do decie, n. 51.
QQQ&GQGGQ0QQQ900
O
O
o
0 dem-se os acreditados brins
O trancados de puro linho.
Cortea de brim trangado pardo, 1
20annos; 10 pretos de 25 a 30 annos.sen- .bonitas figurase mogos, por prego comma.
. .... __!___. .._:.U.!.a n.itvn A>M_ An lin. C.ll illllH rt I i I '1 r_CQ navn fA__
do um delles ootimocozinheiro, outro car-
reiro, outro ollicial de alfaiale, e outro ca-
noeiro; 2 negrinhas de 9 a 12 annos ; 3 par-
das de20 a 24 annos, com alguinas habili-
dades ; 3 preUs de 20 a 30 annos sendo
urna ptima cozinheira: na rua do Colle-
gio, n. 3, se dir quem vende.
Ao bom e barato.
Na rua do Queimado, vindo do Itozario ,
segunda loja n. 18, contina-se a vender
panno fino preto e verde a 2,000 rs. o co-
vi-do; suspensorios de seda a 500 ra. o
par; Uncos pretos do seda, a 200 rs. ; len-
gosbrapcosde cassa a 160 rs.; pegas de
panninho com 10 varas e meia a 2,000 rs.;
chapeos de sol, de seda para meninas, a
2,580 rs.; e outras muitas fazendas por
prego commodo.
Charutos de Havana
verdadeiros; em casa de Kalkmann
mitos, na rua da Cruz n. 10.
N. 9.
Rua da Madre-de-Deos.
Puro vinho da Figueira.
O novo armazem desta pinga deliciosa
acaba des abrir nesta rua, defronte do ex-
tincto armazem ao mesmo prego de 180
rs. a garrafa e a 1,360 re. a caada. Os
amantes deste licor all encontraran garra-
fas prnmptamente lacradas e com o seu
competente rotulo para trocarem por outras
promptamente ; assim como tanthem en-
contraran barris de diversos tamanhos,
por precos bom rasoaveis ; bem como vinho
lira neo de Lisboa a 1,600 rs a caada o a
220 ra. a garrafa. O proprietario deste esla-
beleciment pedeexame para poderem ava-
dar a pureza de sua qualidade e asseio e
que em nada desagradar aos concur-
rentes.
o
O j? loja da esquina que volta M
ty para a cadeia, vendem-se 0
0 os acreditados brins trancados bran- @
Q eos, lisos, de listras e de linho puro, q
f\ a 1.500 re. o corte; dito amarello a q
r\ 1,440 rs. ; dito muito superior, a ~
j 1,600 rs.; picote muito encorpado ~
X proprio para escravos a 180 rs. o X
*J covado ; panno preto multo lino a jj-J
G' 3,200 re. o covado ; cassa de quadros CJ
O para lia liados, a 2,000 rs. a pega ; lu- O
O vas dealgodSo de cor, muito finas, a O
O 240 rs o par ; chitas rouxas com fio- O
retirar-se para fra rj
da Cadeia do Recite
do, por seu dono
provincia: na, rua
n. 39.
Vendem-se riscados escocezes, com
vara de largura, a 290 re. o covado ; cassas
pintadas de cOres filas, a 240 rs. o covado-
pegas de panninho de vara de largura, corr
12jardas,a2,000 rs. : na rua do Crespo'
loja n. 10.
A ellas antesque se acaben).
Vendem-se ricas luvas de pellica para
homem e senhora pelo diminuto progo do
1,000 re. o par.: na rua do Queimado, u. 17,
Dao-se as amostras.
# a
i Para liquidar-se. m,
9 Vendem se, por barato preco cor- (4
$1) tes de vestido de cambraia com barra A
branca e de cores, a 1,440 ra.; meias
% de coros para senhora, a 1,800 rs. a A
Ir- !*> duzia; ditas para meninas, a 1,000 m
rs ; suspensorio de meia a 1,000 4
rs. a duzia ; botoes de. duranue a Q,
240 re. a groia ; len^oa de seda para ^
9 algibeira e homhra de senhora, a #> 400, 5*0. 800, 1,000, < 200, 1,400 (i
?. 1,600 e 2.240 rs.: no paleo do Car- +
m mo, o. 18, segundo andar. %
A 2000 rs. a caua de
cem charutos.
Vendem-se charutos regala de S.-Flix
ditos cagadores, cavalheiros, regalos de la-
vana e outros, todos de superior qualida-
de, pelo mdico prego de 2,000 ra. a caixa
de cem : na rua Nova, casa de comestives,
D. 69.
Superiores carta de
jogar.
Vendem-se superiores cartas d jogar,
em porco e a retalho, por prego muito
commodo: na rua Nova, casa de comestives,
n.6.
Vende-se urna porgSo de bolacha or-
dinaria por preco commodo : na rua Iii-
reiti, padaria n. 26.
Vende-se urna preta sadia : no pateo
da Penha, sobrado n. 4.
Jhscravos Futrictos
Cortes de brim de puro
linho, a 1/280.
-- Vendem-se corles de brim trangado
pardo do puro linho, pelo iliminuto prego
de quatro patucas : na rua do Crespo, loja
da esquina que volta para a cadeia.
Vendem-se relogios de ouro e prata,
patentes inglezes: na ruada Senzalla-No-
va, n. 42.
Rap rolofrancez.
Vende-seo superior rap rollo francez ,
nicamente as lejas dos Sre. Caelano I uiz
Ferreira no Aterro-da-lloa-Vista, n. 46;
Tlmmaz deilatlos I si una na u esma rua,
n. 54 ; Francisco Joaquim lluarte, ruado
Cainita ; pinto & Iruiflo na rua da Cadeia
doltecife, n. 19.
Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
enejada neste mez pelo brigue Hara-Jut :
a tratar na rua do Brum, armazem de
Antonio Augusto da Fouseca, ou na rua do
Vigario. n. 19.
Na loja da rua do Crespo, O
n. 6, ao pedo lampe-So, ven-
O 1,280 rs.; dito cor de ganga, a 1,440
O rs. ; dito muito fino, a 1,600 rs. ; di-
O
O
O
o
o
9
O
o
O
o
C3
0
ouro.
Vende-se de todas as qualidades e largu-
ras por prego commodo : na praga da Inde-
pendencia, 11. 19
I* reconhecido boje unrversalmente
que na presenga de um par de oculos adapta- Vende-se che brasileiro no arm
dosao grao da vista do paciente ca tu- mol.ados, atrs do Corro-Santo, n 66 n
do quaoto os diversos autores, qur anti-l mais excellente cha prodozido er S.-Pau-
nos uur modernos teeni escripto em me-|lo. oue tem vindo a esln fna*emin nm>
* Vende-se superior farinha de man- 9
*" dioca, muito nova por prego mais J
" commodo do que em outra qualquer 5
* parte: a bordo da sumaca Beila-Anje- 2
9- Una, Tundeada defronte do caes do
''* Ramos ou na rua do Vigario, n. 19,
? segundo andar, casa de Machado &
^. Pinheiro.
s
Vendem ae presuntos inglozes para
fiambre; latas com bolacbinhas de Lisboa ;
ditas de araruta ; ditas de marmelada de
1, 2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervidlas ; ditas de chocolate de LisbOa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
de laranja; barris com azeitonas brancas de
Clvas ; garrafas com vinho moscatel de Se-
tubal e da Madeira ; queijos de pralo ,
frescaes : tudo novo e chegado ltima-
mente de Lisbi: na rua da Cruz, no
I lee 1 fe, n. 46.
Vende-se champanha da mais superior
qualidade que tem vindo este mercado:
na rua da Cruz, n 27, armazem de Crocco
k Companhia. '
Vendem-se sellins inglezese
camas de Ierro: na rua da Senialla-
nova, n. l\i.
Ch brasileiro.
lo branco listrado, a 1,500rg ; pico- Q
le, a 180 rs. o covado; chitas escuras Q
e de cores fixas a ICO e 180 rs.; co- Q
berlores americanos minio encor-
pados a 640 re. o corte ; cortes de
cassa branca pa'a vestidos, a 2,000 r
rs. ; pegas de ditas para hallados, a 5*
2,400 ra. e a 32o rs. a vara ; chapeos :"
ile ii i-.vi a 1,600 rs. ; ditos de seda 5
a 640 rs. ; ditos a 400 re ; fustOes pa- O
1 a rllele a 480 rs.; dito superior a O
6l0iis. s
OOOOOOOOO 000000000
FAUINIIA DE MA.MIIOCA.
A melhor farinha de mandioca que tem i
venda be a Ionio do brigue minerva, chega-
do de Santa-CaUarina, e fuudeado na praia
do Collegio, onde se vende a prego mais
commodo que em qualquer outro bureo ; e
lambem se pode tratar na praga do Coin-
mercio, n. 6, primeiro andar.
Barricas,
Vendem-se barricas vasias que fram de
farinha em p e bem acondicionadas :
na rua do Amorim, n. 35, casa de i. .
Tasso Jnior.
A 040 rs.
Vendem-se cobertores dealgodSo, muito
ncorpados, proprios para escravos a duas
patacas cada um : na rua da Cadeia-Velha,
n.33.
Deposito da fabrica de
i'odos-os-S.'intos na llahia
Vende-se em casa deN.O. Bieber & C.
11 rua da Cruz, n. 4, algodSo trangado
daquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar o roupa de escravos.
1,280 ris.
Vendem-se superiores cortes de brim
trangado de puro linho cor de lama de Pa-
ria pelo barato prego de 1,280 ra.: na rua
do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Dias.
Folha de Flandres.
- Vendem-se canas com folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na'rua
do Amorim. n. 35.
Bombas de ferro.
Na fundig.lo de ferro da rua do Brum ,
vendem-se superiores bombas para cacim-
ba assim como de repudio para fazer su-
bir agoa casas al altura de 4 a 5 andares.
Continua-sc a vender mauleiga ingle-
za pelo diminuio prego de 600 re. a libra :
110 Aterro d'-Boa-Vista, venda n. 54.
Vende-se urna preta de 18 annos, sem
vicios e com todas as habilidades : na rua
lio RnilTPl n. 77 RP"-- In andar a nml. 0 rev encarnadas, de tintas seguras, a
f 180 rs. o covado; cassas pretas, pro-
f\ prias para luto, a 160 re. o covado;
y pegas de platilha de algodSo com 25
b varas, a 4,200 re.; e outras muitas
i fazendas por prego commodo.
OO>OOOOO0OOOOOO(&d>0
llarmelada nova.
llegada ltimamente do tio-de-Janeiro,
vende-se por prego commodo.: rl-s do Cor-
po-Sanlo armazem de moll.ados, n. 66.
Vende-se um pardo robus-
o, de 24 annos, perfeilamenle en-
tendido no .sci viro de compo e sem
vicios : 11a loja da rua do Crespo,
n. t.i, de Cunha Guimares &
Companhia.
MadapnlOes muito finos.
Vendem-se pegas de madapoloes muito
finos largos e encorpado proprios para
camisas de homem e senhora, com 20 va-
ras a 4.500, 5,000,5,200 e 5,500 rs. ; dito
ordinario com 20 varas a 3,000 rs. ; len-
cos de toquim com franja, proprios para
meninas, a 640 rs.; luvas de pellica, peque-
as, a 500 rs. ,- chitas de cores muito lixas,
a 140 rs. o covado e a 5.000 rs. a pega : na
rua do Passeio, loja n. 17.
Na rua o Queiinado,n. 8,
vendem-se chitas de cores hons padrOes
a 140 rs. o covado ; cssas de quadros para
bahados a 2,000 rs. a pega, com sote varas ;
algodo muito azul e mesclado para roupa
de escravos a 200 rs. o covado; cortes de
fuslilo alcochotdo para col lele a 320 rs; len-
gos de cassa grandes, com cercadura a 240
rs.; meias finas para meninas a 320 rs, o
par; brim pardo liso de linho a 800 rs. o
corte de caiga, e outras fazendas por prego
commodo.
i Vendem-se atoalhados de puro 11-
-.-. nho com 9 palmos de largura a
Fugio, no da 22 de julho prximo pas-
sado um mulatlnho de nome Antonio, de
21 annos pouco mais ou menos ; levou cal-
gas de brim azul eom quadroa, camisa de
madapollo, lendo livela as calcas, mas
foi visto de trajes mudados, decaigas e ca-
misa de manijo de navio de guerra e cha-
peo de seda ; he bonito, anda a giogar ; be
regrista e dadp-a valente secco do corpo e
baixo ; tem pelo corpo pannos e pelas cos-
as eom grande quantidade, cabellos bem
carapinbadns e penteados peacoco curto,
ps e milos regulares, nariz pequeo e
com nlguma regularidnde. floga-se as au-
toridades policiaes e capitfle de camro,
que o npprehendam e levem-ito a venda da
Lingota, de Joaauim Jos (tabello contie-
ndo por Joaquim da Lingota que he se-
nhor do dito mulatinho, e recompen-
sar,
-Fugio, no da 16 do rorrente, da ca-
deia de Serinliem a eserava Msrgarida ,
crioula, de 35 a 40 anuos pouco mais ou
menos; he alta, cor fula, nariz grusso ,
rosto redondo ; cnstuma tomar tabaco; des-
confiase ter combinado sua fgida como
carcereirn da mesma cadeia, pessoa da
mesma villa, e existir em algum engenho
por aquella cirrumferencia. Boga-se a au-
toridades policiaca, capules de campe e
pessoas particulares que a apprehendam e
levem-na a mesma villa a seu senhor. An-
tonio Joaquim de Mello e Silva, uu nesli
cidade a Lino Jos de Castro Araujo, na
praga do Commercin, n. 9, que serio gene-
rosamente recompensados.
Dosiliode Pedra-alolle, engenbo Api-
pucos desappareceram, na noitedo nialt
do trrenle 4 escravos Blaria Camund,
de altura regular, cheia do corpo.de 35
annos pouco mais ou menos olhds abuga-
lliados : Pedro, da mesma nagfl, de altura
regular, bem preto, moco, surdo de um
ouvido: Francisco Pa? alto, secco, moco,
bem esperto,eJos Bolacha, ambos da
mesma nagOo, preto mogo bem fallante ;
tem urna cicatriz no tornozcllo de um p :
todos fram vestidos de roupa branca. Ha
toda preaumpgo que estes'escravna que
pertencetn a Mara Candida de MagalhSes ,
fram furtados e eeduzidos por un escravo
de D Mara Lucia filha do fallertdu tenen-
le-coronel Francisco da Bocha Paz Brrelo.
Hoga-se as autoridades policiaes e capifles
a2,800 rs. a vara; dito muito supe- ? N campo toda a vigilancia para os appre-
riore com a mesma largura, a 3,200; <* hender, e ha toda a probabilulade que es-
guardanapos, a 3.000 rs. a duzia ; di- V ilc* e*cr*os sejam.vendi'ls para o aut dei-
los superiores, a 9,600 rs. ; toninas da A'U Provincia: aer portento bem gratifi-
mesnia lazenda, e de vanos tamanho, 19 c*do Quem oaapprehenderr *m*
Oes*ppareceu, no dia 14 do correte ,
da casa do abaixo aaaignado, no lugar da
Agoa-Fria, um escravo de nome Jos, de
nagflo Angola, de estatura alta, olhos gran-
des ; tem um dos ps incbado com urna fo-
nda em "ima do mesmo ; representa Irinla
annos pouco meia ou menos; levou cami-
sa e caigas de algodSo da ierre: quem o pe-
A
^ por prego commodo : na rua do Quei-
y mado, lojadosobradoamarello, n. 29. t^j
a>a> A 4oo ris.
Vende-se superior esguiflo de algodo de
quatro palmos meiade largura, proprio r iBf.o.o AUrre-da- Boa- Vale, Iota de
K..lT'"SHde.nnhr' 6 Mue'"'l,e, U.bs.,oun'Ago.-Fri. emees, do Mun-
barato prego de 400 rs. a yara bretanhaa cialll jactAoAffwsoBa,to*.
de rolo com 10 varas .a 1.600 re. ; supe- .. Fugi0i 0 dia do corren(
ores coi tes de fustea alcochuado ,'a crioula de nome
lf^Sr ""^'iu^/^^V toaenoo's estatura re6ular, testante cheia
eJ f P' j Fr,n-|dooorpo, com falla de denles, ou quasi
'sem nenhuin na trente; levou um chale
de seda escuro j osado. Roga-se as autori-
corrente, a preta
Mara de trinta e tan-
Vende-se urna parda de bonita figura ,
com algumas habilidades : na rua da Ca-
deia do Itccife, n. 39.
Pechincha.
dades policiaca ecapities de campo, que a
a pprehondame levem-na a rua de Moras,
em um sobrado contiguo a refinagSo.
Fugio, no da 17 do corrente, o roole-
Vende-se cha hysson de superior quali- Qi>e Jos, de nngo Uenguela de 24 annos
dade, pelo prego de 500 rs. a libra : na rui PouwtMis ou menee, de estatura regu-
do Crespo, n 23. I ler pouca barba e eesa crescida heigos
A bordo do brigue iVrp vende-se bom Broos cara um pouco comprida, caoel-
sebo em rama, por prego commodo. |' Brande ; he om- pouco bisonho e beba
Vendem-se,por preco commodo, no ar- mu'l lem os ps bastante grandes ; he
mazem do Dias Ferreira no caes da Alfon- i'a(leiio, oque mostra pelea mOos e roupa;
dega, saccas grandes com farinha do man- levou camisa de algodfiozinbo e caifas de
dioca viudas do Maranhfio no brigue-escu- fiscado, mas como lem roupa fra talvcz
na Laura ou a tratar cpm Novaes& Com- J* len,,s mudado de traje. Hoga-se as auto-
panhia, na rua do Trapache. n. 34. ridades policiaes e pessoas partiqglares, que
Nos artr.azcns anpjTda Alfandega, de sppielieiniam e levem-no a rua larga do
Dias Ferreira e llacellajl, vendem-se ssccas Krio. padaria n. 18, que serfio gratlfica-
O l\r\ re A,n,l dOS.
A II IT"II


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM4Z7GWEO_KJG8KZ INGEST_TIME 2013-04-13T02:52:03Z PACKAGE AA00011611_06252
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES