Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06242


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXV.
Quinta-feira 9
PARTIDAS DOS COHBZIOS.
Oolanna eParahiba, segundas esextas-feiras.
Uio-Grande-do-Norle, quintas-felras ao niclo-
i dia.
Cabo.Sernhicm, nio-Formoio, Porto-Calvo
Macelo, no 1.*, a II e 21 de cada mez.
fiaranhun c Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flotes, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-felras.
i Huida, todos os dias.
mana,
Phasisd-^o. Chela a 4,s 1 h. e32 m.dam.
Ming. a 11, as 11 h. c 13 m.dam.
Nova a 18, as 3h. cl3m.da t.
Gresca 25,s 2 h. e3uin.da i.
PBKAHAB DE HOJE.
Primelra s 8 horas o 30 minutos da manh.
Segunda s 8 horas e 54 minutos da larde.
(10
Agosto de i40.
N. 178.
PRECOS DA SUBSCIWPCAO.
Por tres mc7.es (adan fados) 4/000
Por seis mezes 8/000
Por mu anuo
das DA BMAVA.
Seg. S.Thiago. Aud. do J.dos orf. o dom.da l.v.
7 Tere. S.Caetano. Aud. dachanc.do J. a l. v.
do civ. e do dos feitos da fazenda.
8 Ouart. S.Cvriaco. Aud. doJ.da2. v. do clr.
9 Qulnt. S. lomao. Aud. do J. dos orf. c do in.
da 1. v.
10 Sext. S. Lourcnc.o.
11 Sab. Ss. Tiburcio c Susaua. Aud. da Chae, e do
J. da 2. vara do criine.
iK > a i- vara u.
'"""j 12 Den. S. ciara
CAMBIOS MU
Sobre Londres. 25 d. por IJOOn
. Pars, 380.
. Lisboa, llSporcento.
Oaro.-Oiitas hesp iihoes........
Moldas de 0/400 velhas.
de B/4II0 novas.
. de 4/000..........
/'rata.-Pataces brasileros.....
Pesos columnanos......
Di tos mexicanos
ACOST.
r>. a 150 dias.
. 31/noo a 3I/.V")
. 17/200 a 17/400
. ll#200 a l<*0U
. 9/200 a !),/40O
. 1/990 a 2/0H.
1/)0 a 2/111"
' 1/900 a 1/K"
DIARIO HE
PARTE 0FFIC1AL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
Approva a resposla dada pelo presidente da
provincia do Rio-de-Janeiro ao juiz de
paz presidenle da onta de qualificaeiJo
da freguezia ds ftibeira, do municipio de
Angra-dos-Reis, declarando-lbe que nio
podia elle incluir o r.ome do cidadio Fja-
phael Jos da Costa Junior na lista dos
qualificados, depois de encerrada a se-
cunda sesso da mosma junta.
1. Seceso--Rio-de-Janciro. Ministe-
rio dos negocios do imperio em 31 do maio
de 1849.
Hlm. e Exm. Sr.-Merecendo a imperial
approvacuo a resposta que V. Exc. deti ao
iuiz da paz presidente da junta de qualifi-
caflo da freguezia ila ffibeira^ do munici-
pio de Angra-dos-Reis, declarando-lhe qoe
nSo poda elle, depois do encerrada a se-
gunda sesso da junta, incluir na lisia dos
qualificados o nome do c'nladflo, empregado
publico, Raphael Jos da Costa Junior, que
por esquecimento, como diz o mesmo juiz
de paz, no fra contemplado na qualiica-
cSo a que se procedeu no corrente anno,
por isso que urna tal falta somonte podia
ser remediada por meio dos recursos auto-
risados pela Ie regulsrmentar das elci-
c-Oes ; eque.portanlo.q mesmo cidadio nio
pode ser admittido como votante senilo por
occasi.lo ds revisSo da qualificae.So que ha
de ter lugar no anno vindouro : assim o
communicoaV. F.xc. para sua inteligen-
cia, e em resposla ao scu officio de 25 do
corrente mez.
Dos guarde a V. F.xc.-- Viscondede Ilion-
fAlegre.-Sr. presidente da provincia do Rio-
do-Janeiro. /
Declara legal a decislo do presidente da
provincia deSergipe, ordenando que Do-
mingos Jos Mendes, vercadnr mais vo-
tado da cmara municipal da villa de Nos-
sa-Senhora-dos-Campos, mo fizesse par-
ledo concelho de recurso, nem funecio-
nassa na mesma cmara por nao eslar
qualilicado votante ao lempo de sua elci-
cilo : outrosim que n;1o fosse -chamado o
primeiro supplente da cmara municipal
da villa do Espirito-Santo, pela mesma
rasfio de falta de qualilicacao, devenlo
em seu lugar ser convocada o supplente
immediato.
1 SeccSo. Rio-de-Janeiro. Ministe-
rio dos negocios do imperio, em 31 de maio
de 1849. ..
Illm. e Exm. Sr. Sendo ouvida a scc-
cilo do imperio do concelho de estado sobre
os objectos dos o lucios de V. Exc, de 22 de
marc.o prximo passado, sb ns. 41 e 43, e
papis que os acompanharam ; e tendo Sua
Msgestade o Imperador, por sua inmediata
resoluto de 26 do corrente mez, se con-
formado com o parecer da mesma seceso,
exarado em consulta de 16 do dito me?.: ha
porbem declarar que legal e competente-
mente decidi V. Exc. que uo devia ser
chamado para fazer parle do concelho mu-
nicipal de recurso o cidadao Domingos Jo-
s Mendes que sanio vcremlor mais vota-
do da cmara municipal da villa de Nossa-
Senhora-dos-Ompos, por isso que, nio es-
lando elle qualilicado votante ao lempo em
que leve lugar a sua eleic.no, nilo poda ob-
ler votos para aquello emprego con I orine o
disposto no arl. 4" da le do 1 do outuhro
de 1828, o 98 da lei rcgulamcolar das 8161-
cfas, combinado com o ai t. 50 da mesma,
ordenando ao mesmo tempo que nao con-
tinuasse elle a funccioiiBr na cmara, por
nilo poder ter assento nella. E que da mes-
masorle resolveu V. Exc. acertadamente,
que nflo fosse chamado o primeiro sup-
plente da cmara municipal da villa do Es-
pirito-Santo, o vigario encommendado An-
tonio Joaquim l'ilaiiga Mu i, nfio *o por mi-
litar a seu reapeito a mesma raso do falta
de qualic8io, como porque aleo disto
ii1o linlia elle os dous anuos de domicilio
no termo, que exigem os citados arts. 4o e
98, devemlo em seu lugar ter convocado o
supplente immedialo. O que communico a
Exc. para sua inlelhgencia.
Dos guardo a V. Exc. Vitconde de Mon-
u-Alegre. Sr. presidente da piovincia do
Sergipe.
Ajprova a decisflo do presidenle da provin-
cia de Minas-Gt raes sobre a duvida da
cmara municipal de Jaguary, que posto
nao sejotn as mesas parochiaes compe-
tentes paraconhecer do merecimenlo dos
cidadfios votados paia qualquer cargo de
eleicao, como tem declarado o governo
imperial, comtudo podia a mesa paro-
chial da freguezi de Santa-Rila lazar de-
clarar na acta a falla de renda do cidadio
votado para quarlo juiz de paz da fre-
guezia.
Piimeira sercSo. -- Rio-de-Janeiro. Mi-
ni-leiio dos negocios do imperio, em 8 de
junliu de 1849.
** Illm. e Exm. Sr S. M. o Imperador, ten-
so ouvido a seceflo do imperio do conce-
lho de estado sobre o objecto do oflicio de
V. Exc. n. 119 de 20 de novombro do anno
aproximo paasado, e papis que o acompa-
nharam : houve por bem appruvar a den-
silo que V. Exc. prefeno por occasio da
duvida proprosta pela cmara municipal da
villa de Jaguary, isto he, que posto iiao.se-
jam as mesas parochiaes, como tem decla-
rado o governo imperial, competentes para
conhecerdo merecimento dos cidadflos vo-
lados para qualquer cargo deeleic,flo, com-
t'idi) podia a mesa parochial da freguezia de
\'i-llil> fazer declarar na acta, como fez,
a falta de ronda do cidado que obteve vo-
tos para quarto juiz de paz da freguezia, co-
mo est decidido, entre outros, pelo aviso
tiesto ministerio de 13de feverciro prximo
prelerito.dirigido ao presidenle da provincia
de Sanla-Catharina, afim de que o poder
competente resolva sobre esta falta de ha-
billlaeilo, ordenando referida cmara, que
com audiencia do interessado obtivesse to-
dos os esclarecimentos precisos sbreoste
objecto, de modo a habilitar o governo a re-
solver com conhecimento de causa, se de-
ver ou nno ser empossado do cargo de
quarto juiz de paz o cidadio de que se trata.
O que communico V. Exc. para sua inlel-
ligencia.
Dos guarde a V. Exc- Vise onde di Moni -
Alegre. Sr. presidente da provincia de
Minas-f.eraes.
Declara ao presidente da provincia do Rio-de-
Janeiro que o arl. 52 da lei egulamenur
das rleirops, na segunda parte smente,
compreheode as parochias tujo cresciinento
de popularlo tenha lugar por qualquer mo-
tivo dentro dos scus amigos limites, c nao as
que o houvercm por accrcscimo de territo-
rio de outra, ou outras parochias.
I. Seccao Rio-dc-Janeiro. Ministerio dos
negocios do imperio, em 8 de junlio de 1849.
Illm. e Exm. Sr.Foi presente aS. M. o Im-
perador o officio de V. F.xc n 30, de 17 de no-
vembro do anno prximo passado, e copias
que o acompanharam, relativas duvida pro-
posta pelo primeiro juiz de paz da freguezia
de Guapymirlm, municipio de Mag, acerca
da inlelhgencia do art. 52 da lei rrgulamentar
das eleicOcs na applIcacSo da sua segunda par-
te a una annexaco de parle dode onira pa-
roebia, como acontece aquella qual foi an-
nexado o territorio do Sumidouro pertencenlc
ao municipio de Nova-I-'riburgo, que conten,
segundo dii o mesmo juiz de paz, de 250 a 300
volantes. E poique pareceu conveniente rever
as decises imprriacs em que V. F.xc. se fun-
dn na resolucio da referida duvida, visto
que, se por uin lado sao ellas bascadas na let-
tra do citado artigo, parece nao se accommo-
ilarem mdavin ao seu espirita : houve o mes-
mo augusto Senhor por acertado ouvir a sec-
cao do imperio do concelho de estado, alim de
fixar a intclllgencia do sobredito artigo de mo-
do que, prevenindoo abuso que elle leve por
fin evitar, nao v privar o augmento de elei-
tores naquellai parochias, cuja populaco haja
tido mu augmento vlsivcl e real, proveniente
de ncorpnraciio de territorio rstranho ; e con-
l'ormando-se com o parecer da mesma leocao
que opina ueste sentido, ha por bem declarar
que o mencionado art. 52, na segunda parte
smente, coinprehende as parochias cujo eres,
cimento de popolacfio tenlia lugar por qual-
quer motivo dentro dos seus antigos limites,
c nao as que o houvercm por accrcscimo de
territorio de outra, ou outras parochias, pois
que neste caso, alm do numero de eleilores
que na conl'ormidade daquellc artigo da lei
Ihc compete, deve dar mais tantos, quanlos
frem os mutipulos de 40 votantes que se coin-
prehenderem no solo nnnexado ; c que na
mesma pioporco seja diminuido o numero de
eleitores das parochias de cujo territorio se te-
nha desmembrado alguina parte, seja de que
importancia fr, para se annexar a outras. O
que communico a \ Exc. cm resposla aquelle
seu oflicio, e para que assim o faca executar
seni embargo das dccisies cm contrario que
ficain sem eUVo.
Dos guarde V. Exc FifonoY de HoNl -Ale-
Ugrt.Sr. presidente da provincia do liio-de-
Janciro.
Annullaaquallificac.no feita na casa da re-
sidencia do juiz de paz do primeiro anno
da freguezia do Arrozal, municipio de
l'irahy, da provincia do Rio-dc-Janeiro ;
e ordena que a elcic.no de eleitores se faca
pela qualilcac.!Io qoe so procedeu na
igreja matriz sol a prcsider.na do juiz de
paz do terceiro anno. -.
1." Secrilo.Rio-dc-Janeiro Ministerio
dos negocios do imperio, em 25 de junho
de 1849
Illm. e Exm. Sr.--Foi presente a S M o
mperador o oflicio lo V. Exc n. 73, de 11
do roirenle mez, accompanhado das duas
listas da qualiflcacAo que so procedeu a
froguo7a de S. Joo llaptista do Arrozal,
municipio de l'irahy, bem como dos offlcios
o mais papis com que V. Exc. inlorma
acerca dos motivos que deram lugarafa-
zer-sea mosma qualicaijilo cm duplcala:e
o mosmo augusto senhor, dando o devido
peso exposicno que faz V. EC, e julgan-
do bem deduzida a conclusao quo tira em
favor da qualicaejio feita na igreja matriz,
e presidida pelo juiz de paz do terceiro
anuo, ha por bem ordenar que por ella se
faca a elaicflo de eieitores, e nno pola quo
oi celebrada na casa da residencia do juiz
de paz do primeiro anuo, soba sua presi-
dencia.
o portanto a competencia daqnelle nos ter-
mos do art. 2 dn lei reeulanicnlar de clei-
Coes.
Estabelecida assim a compotenciado juiz
do paz do terceiro anno, n.To lie menos cor-
to que deve ser preferida a qtMliflcacSo fei-
ta siib a sua presidencia, o nao a outra; por
isso que, nao havendo motivo algum que
impossibilitasso a celebrseno deste acto na
igreja matriz, caso nico que poderla jus-
tiliear a designadlo de outro edificio, pois o
art. 4 da citada le nflo d aos presidentes
das juntas o arbitrio, que so tem arrogado
esse juiz de paz do primeiro anno, segundo
se tem declarado em varios avisos, torna-se
a qualifica^o feita fra da malriz muilissi-
mosuspeita.sobretudoaltendend-seaoem-
penho quo tom constanlcmenle patenteado
o mesmo juiz do paz em fazer na sua casa
todos os actos relativos a elec.(5es, nomo foi
entre outros o da eleicSo de setembro do
anno prximo passado para venadores o
juizes de paz, cuja annullacto leve por
principal fundamento a infrarc,iio do citado
artigo, e essa pertinacia com que continua
a affrontar a lei o as ordens do governo, e
dessa presidencia, o que o mesmo governo
nSo pode dcixar docondomnar, annullan-
do osados que ella d origein, cmodo
presente annulla a qualilicacao feita na
casa da residencia do primeiro juiz de paz
Jos Joaquim de Souza Rreves.
Nno prejudica qualifieacjlo preferida,
feita nos termos lgaos, a arguiofio monos
verdadeira de ler ella comprehen lido pa-
rochianosdo l'assa-Tres, por isso que, co-
mo se prova mosmo por um oflicio daquelld
juiz de paz do primeiro auno, ossuppostos
moradores tiesta parochia perloncem a urna
fazenda que esta dentro dos limites assim
oivis, como ecclcsiaslicos da freguezia do
Arrozal ; tanto que nella. tem sompro con-
currido aos artos oleitoraes, o esto subjei-
toa ao inspector de quarleirOo, que, ruino
diz o dito juiz de paz,da obediencia na
mesma freguezia -; o quando pdrventura
nilo fosseni essea individuos realmente mo-
radores no Arrozal, contra sua indevida
i|!ia lii.i'in 'i i s caberiam os recursos i|iie a
lei concede, como ja lem fcilo ver o gover-
no imperial em idnticos casos.
( que ludu communico a V, F.xc. para
sua iotelligencia o osccuqo, e para que
aca responsaliilisar o juiz de paz do primei-
ro anno, Josa Joaquim de Souza Breves,
pelo tacto rajietido de iul'i ingir a lei o des-
obedecer s ordena superiores.
Dos guarde a V. Iac Vlitmee M<>n-
fAlegre. Sr. presidente da provincia do
, propondo as a.leracr,, q,, j b.m._por.^^1^^^^!!!
julgar convenientes, Unto respe'to do | j^^Taocapilflo doprimeiroda
dkjs&i^tSH^ffiarma Jo5
usando da attribaMo que I .e to. conferida c,o de a eler.d > *
polo derroto de II de Janeiro do rrcnlt. lopaiiici aa I j mez houTe por bem
anno. temresolvido conceder aminstu em P"rdfr,t meei ;uteenenie do quarto bata-
nme de S M. o imperador ao a, ^ ^ ^n" le "ambari. Augusto Frederico d
maro Jos Lopes (.outinlio, morailor em .\.i-
zareth, polo orimo de rebelliilo, ullimamen-
te commettido nesta provincia.
E para sua resalva so Iba passa a presente,
em virtude da qual jamis podcr.scr pro-
cessado pelo dito erime
Dita. O presidente da provincia, alten-
dondo isnecesaidadea doaerritjo publico,
uflo do arlilbaria Augusto Frederico de
Vasconcellos Souza llahianoa para a segun-
da classe do exercito, nos termos do artigo
segundo do decreto u. 260 do primeiro do
de/.embrodo 1841. ._,.
rinalmente.o mesmo Exm. Sr presidenlo
ordena que o Sr. alferes do quinto batalhilo
de oacado.es, l.uiz Comes Ferretra.seja cm-
dendu as necesaidadea doaervico publico,. -.--. hii de artlfices. As-
haporbemdemiUir a Joaquim (.orre.a le.PW0 "V^e/" de mor/ *irrr ,
Araujo do cargo de subdelegado do primei- | n". ^duVd0n commandante.
ro districtO da Ircguc/iajile san-l ouren?o ; coronel grauunu
Rio-de-Janeiro.
Sondo a igreja matriz o lugar designado
pela lei para os actos oleitoraes o processo
da qualilicac.no dos votantes; o lenilo o
governo impetial, bem como essa presiden-
cia, ordenado por mais de urna voz que fos-
sem estes actos celebrados na freguezia do
Arrozal na igreja que Ihe serve do matnz,
por isso que ella olfcroce a necessaria'segu-
ranca e iccommodeco, como se ha prova-
do pelos exames que V. Exc. tem man-
dado proceder para convencer a irrogulan-
primeiro anno, Jos Joaquim do Souza Bre-
"ves, na insistencia em continuar a semr-se
da aeanhada casa da sua residencia para a
celebrsco dos meamos actos, mullo acer-
atamente, os eleitores e supplcoles, que
o adheriam ao capricho do dito juiz, so
niram naquella igreja para o acto da
licacao dos votantes, quo leve lugar
ianetio do corrente anuo; e tambem
muWolegalmenteassumiooju.zde paz do
terebiro anno a presidencia da junta, urna
vez Wie nno se apresenlava o do primeiro
anuo por nio querer funccionar naquclle
temp*. e nem u juiz-do segundo anno,
pois qie se vericara a ftjla de ambos estes
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 7 DE AGOSTO.
Oflicio.Ao COininandanU das armas, re-
conimeiidando mande fazer cllecliva a balsa
do msico do ti. batalhio de caendores, Jero-
nymo Emiliano Monteiro, visto que de Infor-
iii'acao de S. Exc. consta que cm ordein do dia
da presidencia do Maranliao de (> de dexembro
de 1847 lora publicado o aviso de (i de noveni-
bro antecedente pelo qual entre outras pra.as
se mandara dar baixa ao referida Monteiro,
Dito.--Ao director do monte pi gcral dos
servidores do estado, transniiltindo Ulna le-
Ira de 574,111 is., sacada por CaudlOO Agosll-
nh de llanos sobre Tinoco U Medelros a li-
vor do thesoureiro daquella monte po, pela
Importancia do que at 3i de julho prximo
findo c depois da ultima remessa a thfsourarla
de fazenda desla jirovincia arrecadou dos con-
tribuintes do mesmo inonte-pia, mencionados
na rrlacao que acomp.inlia a dita leltia.bei-
cnlilicoii-se o inspector da Ihcsourain.
Dito Ao inspector da iliosuiiioiia da fa/.en-
de, ordenando, em consequencia do que re-
prescnlou o contador de marinliaacerca da in-
suflici.-ncia da rubricacorpo do armadano
corrente anno linanceiro, que faca supprir a-
quella rubrica com a quanlia indispensavel
para pagamento do sold e mais veueimcutos
do primeiro lente d'armada, Francisco Du-
arte da Costa Vidal, que se acha nesta provin-
cia disposicio da presidencia, ale que o l-.xm.
Sr. ministro da iiiarinlia resolva a respeilo o
que fr servido.
Dito.Ao inspector da thrsouraria da fazen-
da provincial, transuiiuiudo, para que tenha a
devida applicacao, o auto de avaliacao do silio
do Espiuheiro.
Dil.--A0 commandantc do urigiic-cscuna
I.rqal boje com o briguc-eseuna sb seu coinmando
para a liba de Fernando, devendo antes de par-
tir ir rcecbcr a correspondencia que se dirige
ao commandantc da referida ilha ; o recoiu-
mcndaiido que,logo que all chegar.regresse a
este porto, trazeiulo a seu bordo os presos que
para all havlira sido remetde*.Neste sen-
tido oOiciou-se ao coinmandanie da mencio-
nada illia.
Dito.Ao inspector da pagadona militar,
ordenando mande entregar ao colleclor .las
rendas provinciacs do rejo, Joao los Vellio,
ou a sen procurador, al'uu de que seja reco-
Ihida a thesouraria da faienda provincial, a
quanlia de 51,350 is. por elle prestada ao com-
mandantc superior Leonardo Bezcrra de Si-
queira Cavalcante para occorrer s despe/as
feitas uoni a frca all existente, e declarando
que igual quanlia deve ser debitada ao reren-
do coinmaiidantc superior para llie ser descon-
tada no ajuste de conlas com aquella pagado-
ra.Coiuiiiuiiicou-sc ao inspector da liesou-
rara da faienda provincial.
Dito.Ao contador de maiinlia, devolvendo
convenienlemente despachada a fullia que
acompanhou o seu oflicio de i4 de julho ulti-
mo, alim de que seja indcinnisado o arsenal
de guerra da quanlia de 3:661,500 rs em que
importa o armamento fornecldo a fragata l'a-
raguaii, acrvela Eulerpe e ao brigue-escuna
6'anopo, e que deisou de ser recolliio ao mes-
mo arsenalNeste sentido ofliciou-se ao direc-
tor do referido arsenal e ao Inspector do arsc-
ual de uiariuha.
Dito. Ao Dr. Jos Eustaquio Gomos,
remcltendo um projeclo de regulamenlo
proposto para a enfermara da cadeia desla
cidade, alim de que se sirva de reve-lo o dar
a\ M IT-ll M ar-v
mu.....viv"-!!--------.-- -
o ordena que pela secretaria se lacan as
convenientes communicacoos. Seientili-
cou-se o chefe de polica.
Com o a n do da pra Qilfirtcl dn commando da prnca na citlwlr do
Red fe 7 rfe agotlode isi).
OltDRM DOMA. R. 11.
Faco publicas,para conlierimento da guar-
niQao, as communicacoos que me fram rel-
ias pelo Exm. Sr. presidenle da provincia
em diversos olUcioS datados de honleni, a
saber : ...
Primeiro, que por aviso da repsrlicno da
guerra del do mez de julho lindo Ihe foi
participado que S. M. o Imperador, ouvido
0 concedi soppremo militar sobre o con-
celho a que se proceden acesca da conducta
do capitfio quartel-mestre Antonio Biztlio
1 opes de Ca valho, do alferes Seralnn l'o-
reira Barbosa, o do alferes-secrotario Ijer-
nardino Dias Preire, todos do segundo ba-
lalhao de encadles, hoUVO I or bem, por
sua immediala e imperial resolugao uc3u
de julho lindo,reforma-Ios nos niosmos pos-
tos com a terca parlo do respectivo sold,
por se achar provado o mao compoilaiiion-
lo delles.
Segundo, que por aviso da mesma ropar-
tieflo de 12 do dito mez foi ordenado quo te-
lilla baixa do servido o cabo deesquadra
do oiUvo balalhno do caladores Maximiano
Fernandes da silva, vislo haver sido migado
incapaz do servico do exercito em inspec-
CSo do sailde.
Terceiro, que por aviso da mesma ropar-
tiefio do 17 creto do dia 13, houve por bem s. M. o Im-
perador conceder passagem para o pri-
meiro batalhflo do cegadores ao alferesdo
quarto regiment de cavallaria ligeira Cae-
Uno (.aspar do Azeredo Lopes Villas-Boas.
Quarto, que por aviso da mesma reparll-
eno, lambem lo 17 do dito, lito foi par-
ticipado haver S. M. o Imperador por
TRIBUNAL DA KELACAO*.
RRUNIAO BM : DE ACOST DE 1849.
A*
raasioaNCU oo exm. senhor
CONCEI-HKinO AZEVEDO.
der horas da manhfia. achando-sc prc-
sentes osSrs. desembargadores Villares I.eao.
Souza Ucbello. fallando com causa.aiSrs.
desemblrgadorea Ponce. riamos, Bastos c Luna
Freir, por nio'haver numero para for.nai
mesa, nao houve sesso. .,.:
o sr. presidenta maadou cumprlr as seguln-
los revistas ; .
A revista civcl desla cidade em que sao
Iteeorrcntes, .loo Xavier Carneiro da i. nina .
recor,"da.D. Joaquina Mari. iWlfJjVUaM".
rtecorrente. a faienda nacional; Jrc""ld-
Dr. Jeronvmo Marliniano Flgurlia de Me lio.
lie. "i rente,' Francisco Antonio de Ullttna.
recorrido, f'.abrlel Antonio.
Ui'tribHicaei.
A revista civcl da provincia do Maranhao cm
Itecoireiites, Antonio Jos Fernandos dcOlivci-
r., c outro; recorrido, o desembargador .los,-
Marianno, conm cabrea de sua mullier.
SES9AO DF. 4 DO COItRF.NTE.
OSr desembargador Souza passou ao Sr.
desembargador Itebello as appcllaces civei.s
cm que sao :
Appellanle, Manuel Joaquim Soares ; appella-
do, o curador da beranca jaceau daJoau
Francisco Collares
Ippellantes, Manuel Lopes de Souza o outros
alquilados, Joiio /el'uino dellollanda Caval-
cantee sin mullier.
Appellantes, JosO Maria da (osla Carvalho c
outros ; appellado, Joao Antonio Maciel.
Appellanle. Jos Dias Maeieira appellado,
Manuel Jos Salgado.
julgamenlo de appellacao crime cm que
Annellantes. Joao Manoel Mendos da Cimba
Azevedo e Evaristo Mendes da Cunta Axe-
v, .i<> appellada, a justlca.ConOrmaram
quanto ao peculam, e relbrinaram quanto ao
mais, .
. -j-c <
,U.U l'.l
tlemoHMlmlIro de /tilos dexpachaiU* t thsinbnulo* ua
reltKM ''< Peruamhuea no irimt i>- nemeslre to ctm rni<
auno de is i^', com declarado da* provincias a que sao
respeclirosi
licci e, 8 de ullio de I840.-O secreUl o da rclacao. Dominjor Alfonso Ferreira.
EXTEMOft.
A I.M.VO GERMNICA.
Londres, 4 de junho
A assembla do Frankforj. cessou de exij-
,,rom virtude da resolucHo final, lomada
pelos poneos membros que Ihe restavam, de
transferir a sede do scus ulteriores Iraba-
llins para a cidade do Slullgard, onde pio-
vav luiente ella Retornar o ncleo do mo-
viinento republicano que j lavia cm Badn
e no l'alatinado. A piesonqa de um tal cor-
po na rapital de Wurtemborg nao pode ser
consistente com a duracdo daquella monar-
chia. Ao passo que a aaaemblea de rranK-
fort lomava osla ultima e decisiva medula,
os governos da l'russia, llanovro e Saxonia
promulgaram a liga constitucional para a
qual procuram o assenlimento dos outros
estados da Allemanha, e este lio o resultado
dos eslranhoa, o devenios dize-lo. tortuosos
procedimcntos do gabinete do Berlim. M
he a primeira, aenSo a tercera vez depois
do comeco da lovolucao, que temos t do
occasi.lo de deplorar com pasmo a uiesolu-
co e inconsistencia com que o re da I rus-
sia ha abandonado a sua causa mesmo no
momento em q/io pareca ter a partida ga-
nlia. i;m maV^o de I8t8, quando as tropas
por sua diac/pliua e v^lor tinham.jronse-
guido fazer/bda a sua ascendencia sobre o
povo, o rci as mandou retirar' o acceden
aquellas fatacs condicOes queporespaco do
oilo mezes converleram Itcrlim cm urna sce-
na do anarchia. Lm novembro de 1848 un
cnup d'ctat foi tentado ecom o maior suc-
cosso; porm, apenas a cora restaurou a
ordem capital o a aulori Jado ao govurno,
abri m5o deslas vantagens, promulgando
urna ConsUlblCO to absurda eimpratica-
vel que, passadas tres semanas.roi necessa-
rio recorrer a outro eoupdtat para salvar
opaiz Este foi igualmente bem succedi-
do o exercito e o landioer houveram-se no-
hrcoicnle | os excessos dos republicanos
im escandalisando as classes medias; a
cuiislituicno de Frankfort e a assembla
i a ni rpidamente calando em o merecido
desprezo, quando de reponte soubemos que
as conferencias de llorlim nSo tinham lido
outro resultado quo a adopQHo deum pro-
jeclo subjoilo a quasi todas as objecijoes, ja
feitas contra a constituido de Frankfort.
Se orei da l'russiaesl disposto a obligar
os seus confederados a aceitarem esto pro-
jeclo smenlo com a concurrencia da Saxo-
uia e Ifanovre, onliio nao podemos compre-
heuderquaes os motivos quo teve para re-
ieilar poremploriamonlo a cora imperial
quando Ibe foi offerecida pelos demcratas
be Frankfort e os -2S estados menores; por-
suanlo, sem descer s pequeas dHTerencas
que distingucm asduas conslilunOe*. ellas
Jno idnticas nos qualro pontos essenciae.-;


sa
ftJ
r iaif "*"
inu
- a oxclusSo il Austria, a supremaca per-
manente da Prussia, a divisfio do resto da
Allemaalia, e a introducto de urna forma
de governo bascada no sufragio universal,
e segundo eremos, praticamente impos-
sivel.
resultado immediato dosta proposta se-
r dividir a confederado germnica om
tres, e lalvez em qualro partes a Austria,
qual nenbuma allusSosa Tez no projecto,
e que, para evitar questes, admiltimos ce-
der sua antga posicSo entre os oslados ger-
mnicos ; a Prussia a frente deste concellio
de principes o liga federal de soberanos ; o
os republicanos quo actualmento dominam
em dons ou tres estados da Allemanba me-
ridional, e que sem duvida lanr irflo mSo
de todo o pretexto para rejeitarcm esta ou
qualquer outra constituido que emane dos
diplomatas de Berlim. A estas4res scccOes
pode acrescentar-se a Baviera, a qual adia-
se presenlemente mettida entra os extre-
mos. Ella nega o seu assentimento ao pla-
no da Prussia. o smente os ulti,,ios extre-
mos de compulsitn induzirSo o representan-
te corado da casa calholica de Wittelsback
a reconheeer como seu superior o represen-
tante da casa protestante de llohenzollern.
Mas de outro lado, a Baviera v j sua pro-
vincia rhenana oceupada por um governo
provisorio republicano, e nSo be mprova-
ye\ que a porefio franconiana de seus domi-
nios, aceite a conslituicfio da Prussia. Em
qualquer outro momento a poltica natu-
jal da Baviera seria urna estreita allianca
com a Austria, e he esta urna carreira que
ella anda poder adoptar, porm o apoio
que a corte de Vienna actualmente pode dar
a corle de .Munich he extremamente fraco.
A' Baviera pode, he verdade, ticar separada,
como a Austria, da nova liga adherindo s-
mente as obrigacOes de 1815, mas esta sug-
gestSo be obviamente Ilusoria, desde que
a dieta da antiga confederado cessou de
existir; assim, tentativas continuasserflo
feitas pelo novo corpoou imperio para ab-
sorver aquelles estados e provincias que re-
pudian! a sua autoridade. A unidade da
Allemanba, nesta forma e por estes mcios,
implica a divisio da confederarlo germni-
ca em tres ou quatro parles, as quaes so
pdenlo ser annexadas ou suhjugadas u Pir-
ca de armas, e urna tal combinacSo devera
Jieressariamentccomecarpor utua lula par-
cial, quando nOo seja geral pela supremucia
c independencia.
O mundo j tcm alguma experiencia das
asscmhluas populares germnicas, e nflo ha
rienhuma rasSo para crermos que a dieta da
nova liga deferir materialmente ((aquellas
quoateem precedido. A base deste poder
legislativo heosulTrago universal masca-
lado pelo subterfugio da eleicSo indirecta,
o no estado actual da Allemanba occiden-
tal (oda aiissetnhla eleita desta maneira
ser necessnriamente do carcter o mais de-
mocrtico, conceibo executivodo princi-
pes eo senado, do qual urna metade dever
ser Horneadas i i-Io governos, ea outra eleita
polo povo, ar-liar-sc-hfm em opposicfio di-
recta a esto corpo popular, ea constituefio
so poder ser posta em movimeuto, subver-
tendo um ou outro desies elementos con-
trarios. As imitactfes continentaes das ins-
M incoes biitannicas teeni infelizmente per-
dido sempre de vista duas condiefles essen-
ciaei do nosso syslcma : a primeia beque
i coiislitncSo deste paiz obra pela uniflo
dos tres poderes, e i5o por sua opposicim,
de ;orte que nos procranos evitar urna
ro)lis.1o entre as duas casas do parlamento
acoia por urna caucho continua o sa-
crificios ocrasionaes ; a segunda he que o
parlamento da Inglaterra, por seu bom sen-
r-o e trsdiccoes, abstem-se escrupulosamen-
te de usuriar-os direitos do governo exe-
ciitivo ; entretanio que a tendencia das as-
semblas democrticas modernas do con-
tinente be nSo tolerar nenhuma divisSo de
poder, esmagar toda a resistencia externa,
'converter os ministros de estado em me-
ros servos de urna convenci. Vilo vemos
rasOo para esperar quo o prxima corpora-
c.ilo legislativa germnica, ou dieta seja
isenta destas illusocs perigosas.
O rei da prussia ha sido aecusado por
una grande autoridade de um designio en-
coberto de assegurar para si na Allemanba
por frca eaustucia a supremaca que re-
jetou quando Ibo foi ofTerecida pela demo-
cracia de Frankfort. Por nossa parte nflo
podemos fazer urna opiniSu tilo baila de
aua conducta e de seus motivos; pois, com-
quanto so tenba continuamente mostrado
falto de firmeza e juizo, todava eremos em
PERNAMBUCO.
THESOURARIA DA FAZENDA PROVINCIAL"
Demonslracao do saldo existente na caixa
do exercicio de 1847 a 1849 em 31
de ulho de 1849.
Saldo por balando
om 30 de i ii ii tu *
P- P- ......
Iteccita do crranle
mez........
Despeza do corrente
mez.......
7-.945/02G
I
Saldo.
7:9*5^026
2:0*8/542
5:896/48*
Em
cobre .
nulas.
4/484
5:892/000
5:896/48*
Tliomas Jote da Silva CutmSo Jnior,
luiz de Pinito Horges.
i- i o
n I- I co
ll o i -*
<-, l a,
l- ir> i ?i
o- I TI
00 O I
I!
TI
r
I*-
5.^ I
I- f
rt
SO *
S
eo 9
i- o
I
I
2 i
^
co
a
B^3
H E
- co
-'- I
<> O |
6,
489
489
489
489
489
488
488
488
488
488
487
487
486
485
474
473
472
471
470
5 I
"= M
O 4>
n g
E o
o =
l
5
f 5
& o
- -3
O
Q, 3
il
a
o
ES
ui O
SX
o o
g_0"3
3
o
3
CJ
T3
-;->
O o.
E
U
..O j 00
'..'i
I 00
SIS
3 i 3 i
s si
a ti !
o
5 - n ?
io n >r. -t o
J> ' <**
*
U TI 00
L O 1 -
ce
c co
13
3 i
aa

1
sua rectidfio e honra. Esperamos, portan-
to, que urna plena explicaco ser dada das
rasOes que justificam a adopcflo deatu pro-
jecto com o assentimento smente da Sa-
xonia e Hanovre, depois de ler a corte de
Berlim feilo as mais solemnes asseveracOes
de que obrara com a concurrencia de todot
os principes allemcs, assim como depois
das declaragOes recentemente repelidas de
que adhera juntamente com a Austria aos
principio! da uniSoeslabelccida em 1815.
Se o resultado desta liga fosse constituir
urna Allemanba poderosa e unida, capaz de
supprimir a anarebia no interior, e de man-
ler na Europa urna posicKo respeitavel, mal
licaria aos estadistas e escriptores pblicos
desle paizo procurureni desconceiluar tilo
grande e obvio beneficio causa da paz e
da liberdade. Nflo be, poi tanto, nossa in-
tencSo censurar os sent meatos desses so-
beranos que sacrifican) sua propria existen-
cia poltica, e a heranga de sua lamilia ao
bem da patria commum na firme crema de
que na gloria e grandeza desta encontra-
ro urna completa compensaeflo de ludo ,
mas no projecto que temos a vista, nada
dcscobrimos que justifique estas altas es-
perancas. Elle, parece-nos, contribuir an-
tes i ara a desunio e guerra civil do que
pra a unidade e paz; pois, debaixo das,
ha muito, de.sejadas formas do governo
constitucional, evoca outra vez o cnlhro-
oiza os mos poderes da democracia abso-
luta e da anarchta. Todava he possivel
que a peior destas consequencias nflo seja
mmediata; com urna grande habilidad,-
talvez ellas possam ser eviUdas ; e no esta-
do em que actualmente se acha a Allema-
nha nSosea pequeo bem conseguir que
o espirito publico se acalme e fique slu-
reiloporalgum lem,o, assim como quo i
Pruss, 8eja habilitad, para tomar medidas
militares vigorosas, alim de supprlmlra re-
volucio que. com rapidez espantosa, val la-
viando pelos estado do sudoeste.
i
iTUtm.)
.8-S

E
B
E
a
o o o o tu o |3
.1T O 0 'T n i-;
T ^ TI TI aO 30 l
o -t o> f* 1
,T 'T u f> o
i *! m > 1
e( tiiji TI 1 w .o I 3 5
J
ES 0 B 9 e
8l.ll B 9
i*-. O * 5
Tenonte-coronel JoSo do Reg Barros
EalcBo
Empregado publico Jos Antonio dos
Santos e Silva
Negocio Caelano Mendos da Cucha Aze-
vedo
Padre Albino de Carvalbo Lessa
Escrvao Francisco de Barros Correa
CapilSo Marcellino Jos Lopes
Empreg. P. Jos Marinho Pereira dos
Santos
Dito Simplicio Jos do Mello
Dito Francisco Antonio Cavalcanto
Cousseiro
Padre Francisco Alvcs de branles
Capitilo Jos Concalves da Silva
Negocio Bento dos Santos liamos
Dito Joaquim Joso Forroira da Penlia
Emp. I. Joaquim itod/iguesPinheiro
Solicitador Jos Marianno de Albu-
querque
Dr. Jos Quinlnn de Castro Lofo
Major Jos Joaquim Antuncs
Boticario Jos Maria Freir Cameiro
Escrivo Antonio Jos de Oliveira Mi-
randa
Emp. P. Rufino Jos Correia deAlmcida 469
l'roprietario Anacleto Jos deMendonca 469
lscrivilo Pedro Jos Cardoso 460
Emp. P. Maximiano Francisco Duarte 459
Negocio Theotoiiio Tiburllno Cuuro
Dantas 450
Emp. P. Jorge Vctor Ferreira Lopes 449
Negocio Joilo Pinto de Leinos Jnior 430
SUPPLENTES.
08 sns. votos.
Dr. Alexandre Bernardino Beis Silva 123
Negocio Bernardo Jos Martins Pereira 121
Artista Ignacio Jos da AssumpcSo 120
Tencnte Antonio Pereira deSouza 120
Artista Miguel Rbeiro do Amaral 120
Negocio Bento de Barros il'alclo La-
cerda
Empreado I. Joflo Policarpo dos San-
tos Campos.
Dito Francisco Jorge de Souza
Negocio Pedro Alfonso llegueira
Artista Jos Ignacio da AssumpcSo
Tonente-coconel Antonio Cennano C-
vale nte Albuquerque
Artista Antonio Lopes CuimarHos
Dito Mathias Jos da Lapa
Negocio Manoel Caetano Barboza
Emp. p. Francisco de Lemos Duarto
Negocio Francisco Lopes Vianna
Emp. p. Jos Paulino da Silva
Negocio Jos Barros Correa Selle
Dito Antonio Peres Galv.lo
Ai lista Alexandre dos Santos Barros
Dito AleixoSoares Pereira
Dito Joaquim Jos de Santa Anna
Aldante J0S0 lo Monte de Jess
Artista Joito Francisco da Lapa
Tenante Antonio Bernardino dos Res
Negocio Joaquim Mileto Mariz
Dito Jos Thomaz da Silva
Artista hacharas dos Santos Barros
Dito Jofin Miguel Teixeira Lima
Emp. P. Jos Xavier Faustino Ramos
Dito Luiz da Veiga Pessoa
Negocio Thcmoteo Pinto Leal Jnior
Dito Antonio Augusto da Cmara Ro-
drigues Sel te
Dito Thomaz Antonio Maciel Montero
Dito Guilhermlno de Albuquerque Mar-
Iiris Pereira
Emp P. Jos Ignacio Snares de Macedo
Dito Caetano Aureliano Carvalbo Cotilo
Negocio Antonio Alachado Pereira Vi-
anna
Artista Jeronymo Bebianodc Coveia
Emp. P Jos Antonio de Oliveira e Silva
Boticario Joaquim Jos Moreira
Dito Jos Joaquim da Costa.
(6 Jos Feliciano Portel la
17 Carlos Martins de Almeida
18 Antonio Ayres Velloso
19 Vigaro Francisco Luiz de Csrvalho
20 Mtnoel Teixeira de Oliveira
ELEITORES DA FREGUEZIA DE IPOJUCA.
qs sis. votos.
1 Jos Francisco do llego Barros
2 Joilo Manoel de Barros Wanderley
3 Pedro Cavalcante Wanderley
4 Lourenco de S Jnior
5 Joan de S e Albuquerque
6 Manoel Jos de Siqueira
7 Francisco Manoel de Siqueira
8 Francisco de S Albuquerque
9 Antonio Juvencio Pires FalcSo
10 ChristovSo de llollanda Cavalcante
11 Miguel Tolentino Pires FalcSo
12 Paulino Pires FalcSo
13 FilippeBenicio Cavalcante
14 Joaquim Pedro do Reg Cavalcante 690
15 Vigaro JoSo Mauricio da ConceQ3o 688
(6 Manoel Marques da Costa Soares 686
17 Izidoro Camello Pessoa de Siqueira 685
18 Thomaz Marques da Costa Soares 684
19 Manoel Ignacio do Siqueira 682
20 Dr. Victoriano de S e Albuquerque 6S0
21 Salvador dos Santos de Siqueira 680
22 I ir. Alfonso Arlhur 680
23 Jos Joaquim dos Santos 680
24 Antonio Alves da Silva Araujo 680
25 JoSo de Barros llego Accioli 680
706
704
701
701
700
700
700
698
697
695
696
693
691
DIARIO BIPPJMIBCO.
BEOIFE 8 BE AGOSTO DE 1849.
120
120
120
r.'o
120
120
120
120
120
119
119
119
119
109
98
98
98
98
98
08
98
95
9*
9*
9*
92
92
92
92
85
85
85
71
50
50
10
10
Si! O 1 -5 ... a> 9 VI > fea-O O 'f
"l a, a> a. o = 2
cj 3 tu EES
=
a e
.-.: esa
ELEITORES DA FREGUEZIA DE S.-FI1EI-PE-
DltO-GONCALVES.
OS SRS. VOTOS.
Coronel Francisco Mamede de Almeida 465
Tcneute-coronel Antonio Comes Leal
Antonio Delinque Mafia
JoSo Francisco Teixeira
Jos Francisco Marinho
Jos Paulo da Fonseca'
Francisco Mamede do Almeida Jnior
Padre Franc^co Jos Tavares da Cama
Kirmino Pessoa da llama
Commendador Manoel Gonfalves da
Silva
Dr. Jos Joaquim de Souza
Jos itodrigues Pereira
JoSo Marques Correa
JoSo Baplista Fragoso
Padre Primo Feliciano Tavares
Francisco Cavalcante de Mello
Manoel Estanislao da Costa
Joaquim Alves da Silva
Jos lbciro de Brillo
Vicente Cardoso Ayres
Elias Ignacio de Oliveira
Domingos Soriano Concalves Ferreira
460
458
458
456
*54
454
45*
454
453
453
*52
452
449
447
444
44t
373
364
336
329
271
ELEITOI1I S DA FltECUEZIA DO SANTISSI-
MO SACRAMENTO DA BOA-VISTA.
Ossas. votos
Tenente-coronel Antonio Carneiro Ma-
chado llios 521
Dr. Antonio Peregrino Maciel Montoiro 514
Commendador Manoel de Souza Tei-
xeira 513
Tenente-coronel Antonio Carlos de Pi-
nito Borges 510
Proprietario Jos Marques da Costa Soa-
res 510
Dito Augusto F'rederico de Oliveira 507
Capitfio Amaro de Barros Corris 500
EscrvSo Francisco Ignacio de Alhayde 500
Proprietario Vicente Antonio do Espiri-
to Santo i 500
Dito Luiz Antonio Rodrigues de Al-
meida 499
Desembirgador Jeronymoi Marliniano
Figueir. de .Mullo. V 490
Empregado publico Joaqun Jos da
jCosla \ 490
Barros
ELEITORES DA FRECCEZIAJ DOS APO-
CADOS.
OS SrMIOBKS.
1 Francisco Luiz Maciel Vianna.
2 Dr. Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
3 Anacleto Antonio de Moraes
4 Severiuo Henriques de Castro Pimentel.
5 Jos Francisco do Reg Barros Jnior
6 JoBo Amistado Camello Pessoa.
7 Theofilo de Souza Jardim.
8 Antonio Cardoso deQueiroz F. Jnior.
9 Jos Lucio Lns.
10 Manoel Claudio deQueiroz.
11 JoSo Jos de Miranda.
1 Francisco Ferreira de Alcntara
13 JoSoBaptista de Souza Lomos.
SUPPLENTES.
OSSESHODES.
1 Joaquim Jos Bello.
2 Simio Correia Cavalcante Macambira.
3 Amaro Concalves dos Santos.
4 Jos Pedro de Parias.
5 Jos Joaquim deSanl'Anna FrazSo,
6 Joaquim Jos de Mello.
7 luiz Jos Concalves da Luz.
8 Alfonso Barboza de A. Maranhao.
9 Antonio de llollanda Cavalcante.
10 Manoel Zefeiino de Castro Cintel.
11 Manoel de llllanda Cavalcante.
12 JoSo de AllemSo da Cmara Sisneiro.
13 Manoel Jos Mauricio doSenna.
ELEITORES DA FREGUEZIA DO POCO.
OS sus. VOTOS.
146
1*6
1*6
116
1*6
146
1*5
1*4
143
143
142
141
4I
131
129
116
VOTOS.
31
26
25
21
19
18
"16
15
14
13
12
11
10
9
8
() Diario-.\oi-n pul'licou cnioscu nume-
ro 55, de boje, duas representaces dirigi-
das presidencia, em as quaes se attribuem
attentadose crimes ao ex-subdelegado da
freguezia de Bezerros, Joaquim Jos da Sil-
va Vieira.
Se niio estivessemns acoslumados a ver
aquello jornal designar como assassinatos
todas as unirles de seus correligionarios,
resultantes de combates em que elles f-
ram os aggressores, promovendo a rebelliSo
que infelizmente conllagrou urna boa parte
desta provin ia, diriamos que o mesmo ex-
subdelegado era um scelerato consumma-
do ; mas releva desconfiar das aecusaces
do Diario-Novo: lodosos que impediam de
qualquer forma o triumpho de seu partido,
e a consuinma^Sn do crime que elle pro-
jeetnu, sSo malvados eassassinos.
A esse pensamento intimo de partido at-
(ribuimns a accOMCffO feita ao ex-subdele-
gado pelo juiz de paz Manoel Francisco de
Azevedo Lira. De sua propria represenla-
cBo consta que as nortea imputadas ao ex-
subdelegado tiveram lugar no dia 13 de fe-
vereiro por occnsiSo de entrar elle em Be-
zerros, aconipanhado de urna frca sua
dfsposlcflu: he, pois, provavcl que essas
mortes, se desgracadamcnle houveram, fos-
sem o resultado de um combate em favor
da nrdom eda restauracSo das leis.
Na lingoagem cynica do Diario-Novo, taes
nortes sSo sempre assassinatos; mas s'io
actos meritorios o exterminio dos que com-
hateram em pro das instituicOes juradas, e
fram victimas de sua lealdade.
(.'orno qur que seja, a verdade he que,
muito antes de ser presente ao Exm. Sr.
concelheiro d'estado e presidente da provin-
cia a reprcsentacSo transcripta no Diario-
Novo, adatada de 23 do julho, o cidado
Joaquim Jos da Silva Vieira fui demittido
do cargo de subdelegado da freguezia de
Bezerros, como consta da poetarla que a-
baixo transcrevemos, nSo obstante a termos
j inserido em o n. 163 do nosso Diario.
* O presidente da provincia, atienden lo
s necessidades do servico publico, resoive
dcmillir a Joaquim Jos da Silva Vieira do
cargo de subdelegadoda fregueziade Bezer-
ros; e ordena que pela secretaria se facam as
convenientes communicaefies Palacio do
governo de Pernambuco, 21 de julho de
18*9. Honorio Hermlo Carneiro I So.
i-iymmz
C've,
10.
1 Ai Ionio l.ins Caldas
2 Francisco de Paula do Reg Barros
3 Francisco Jos Alves Gama
4 Jos Camello do llego Barros
5 JoSo Francisco do Rogo Ueia
6 Sel.aslia,) Aiilooio do llego Barros
7 Jos Ignacio Pereira da Rocha
8 Francisco Miiniz Tavares
9 Joaqun) Jos Carneiro Monleiro
(0 Jo> Francisco Carneiro Montero
11 Jos Theodoro de Sena
12 Florencio Jos Carneiro Montero
(3 Manoel Caelano Soares C. Monleiro
14 Pedro Jo Carneiro Montero
15 JoSo Loito Rodovallio
16 Jos Francisco do Reg Barros
SUPPLENTES.
OS SRS.
1 Flix Ramos Lieulhier
2 JoSo Severiuo do Rogo Barros.
3 Miguel Joaquim do llego Barros
4 SebastiSo Jos do llego Brrelo
5 Bento da Rocha Wanderley Lns
6 Jos Lopes CuiuiarSes
7 Joaquim Jos de Amorim
8 Joaquim Tavares Itodovalho
9 JoSo Pires Forreira
10 Joaquim de Albuquerque F. Cama
11 Francisco Cezario de Mallo
12 Antonio Flix Miciel
13 Manoel Joaquim do llego Barros
14 Joaquim Jos Cavalcante
tS Joaquim Tiburcio Ferreira
ALFANDEGA.
Rendlmento do da 8.....
CONSULADO GERAL
Rendmcnto do da 8.......
Diversas provincias........
se tratar da compra dallas pelo menor nfet.
quo so ofTerecer. "v
Alfandega, 8 de agosto de 1849. o n,
pector, Luis Antonio de Sampaio Vianna
O lllm. Sr. Inspector da thesourarli di
fazenda provincial manda fazer publico nu-
do dia 13do corrente m diante, princip
mesma thesouraria a pagar ordenados o
mais despezas vencidas at o mez de julho
prximo findo.
Secretaria da thesouraria da fazendi
provincial de Pernambuco, 8 de agosto da
1849. O segundo escriturario, s8rvn,j0
de secretario, Francisco Antonio Cavaleuut
Cousseiro.
O Hlm. Sr. inspector da thesounm
da fazenda provincial, em cumprimentoi,
ordem do Exm. Sr. presidente da provine^
de 9 de maio prximo passado, mandan,
zer publico que no dia nove do corroa,
te, perante o tribunal administrativo j,
mesma thesouraria, se ha de arrematan
quem por menos fizer o fornecimento <|0S
medicamentos e ulensis para a enfermirii
da cadeidesta cidade, pelo lempo quede.
correr do da da arrematacSo a 30 do jj.
nhode1850.
As pessoas que se propozerem 4 esta arre-
mataron, rompan-rain na sala das Sssoei
do sobredito tribunal, nos das cima indi-
cado, pelo meio-dia, competentemente ha-
bilitadas, que ah acharilo o formulario e
condiQOes da irrcmatarSo.
E para constar se mandn afiliar o pro
sent, e publicar pelo Diario,
Thesouraria da fazenda provincial de P.
nambuco, 1 de agosto de 1849. Oprime:,
ro amanuense servindo de secretario, Fra.
cisco Antonio Cavalcante Cousseiro.
O lllm. Sr. inspeetor da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimentoda or-
doiii do Exm. Sr. presidente da provincia,di
18 dejunho prximo passado, manda fuer
publico que no dia 9 de agosto p. futuro,
i ron praca^peranle'o tribunal administra-
tivo da mesma thesouraria, para serm ar-
rematados a quem por menos fizer, os r-
enlos da ponte dos Carvalhos, sb as clau-
sulas especiaes abaixo transcriptas, pelo
preco de 1:699,500 rs,
As pessoas quo se propozerem esti
arrematacSo, comparecam na sala das sea-
ses do sobredito tribunal, no dia aciaja
mencionado, pelo meio-dia.
E para constar se mandou afJixaro pre-
sente, o publicar pelo Diario.
Secretaria da lliesourari da fazenda pro.
vincial de Pernambuco, 27 de julho da
1849. O 1. amanuense, servindo de se-
cretario, Francisco Antonio Cavalcante Com.
seiro.
Clausulas especiaes da arrematado.
1.* As obras dos concertos da ponte dos
CarvalhosiserSo feitas de conformidade cora
o ornamento aprcsenlado nesta data i ap-
provacSo do Exm. Sr. presidente da provin-
cia, pelo prego de 1:699,500 rs.
a 2.' As obras principiarSo no prazo de
um mez, e serSo concluidas no de quatro,
ambos contados em conformidade do arti-
go 10 do regulamento das arremataces.
3* Todos os materaes serSo previa-
mente examinados pelo engenheiro, a te-
provados ?o lavrar um termo
4.a O pagamento do importe das obras
realisar-so-ha depois de concluidos e exa-
minados pelo engenheiro.
5." Para ludo o mais quo nSo est des-
tinado pelas presentes clausulas segur-so-
lia inleiramente o quedispOe o regulameo-
to das arremataces de 11 de julho de 1813.
Obras publicas, 30 de maio de 1849.-
0 engenheiro, J. L. fictor l.ieulier.
Conforme. -0 1." amanuense, servindo
do secretario, Francisco Antonio Cavalcanls
Cousseiro.
lleciaracoes.
14:154,722
2:405,22*
274,540
2.679,76*
CONSULADO PROVINCIAL.
Remlimenlo do da 8 ..... 1:865,487-
SBBBBBaBMBanB
^oviiaento ro Porto.
A'aeo entrad no dia 8.
Richmond 4S das, galera americana
Louisiana, de 296 toneladas, canilSo John
B. Norton, equipagem 15, carga farinha,
fazendas, fumoe mais gneros; a Dcane
Youllel Cnmpanha-
Norias sahidos no mesmo dia.
Em eommissSo Vapor brasileiro Thetis,
commandantc o capilSo-tenente Antonio
Francisco Pereira.
As-i llrgue brasileiro Vencedor, capitfio
Jos dos Santos Lessa Jnior, em lastro.
tiUlTA&S.
-- Pela inspectora da alfandega se fi
publico que, no da 9 do correte, ao meio-
dia, na porta da mesma, se hSo de arrema-
tar em ha*la publica 519 pecas de fitas fran-
cezas de selim lovrado de 13 varas cada
peca, com 6747 varas, por factura 170 rs a
vara, total 1:146,990 rs. : impugnada pe
lo segundo escripturano Antonio Fran-
cisco de Moura, no despacho por factura n
110: sendo a anematacSo subjeta a di-
reitos.
Alfandega de Pernambuco, 6 d'agosto ti
Vianna '"Spector- Lui: Anlonio de Samjmio
-- Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que.lendo e se lazer o concert doaf-
mazein n. 1, precisa-se para o mesmo d 4
travs de 31 palmos de comprido e 9 potio-
gadas era qu.dro, 8 travs de 35 pairos do
comprido e 8 pollegsdas em quadro, 10 1+,
vesenchamois de 92 palmos de compra"
7|01|egadas em quadro, sendo daatdei
lasapocaia, embeiiba, ou niassareW.i,,
as pessoas que se propozerem a for
tas oadeuas comparecam na mea
O escrivSo servindo do administrador
da recobedoria de rendas internas gerae,
abaixo assignado, avisa a torios os devedo-
res de imposto de loj is abertas da freguezia
do San-Frei-Pedro-Gonclves, que venha
pagar o seu debito relativo ao anno de (848
a 18*9, al o dia 10 do corrente mez de
agosto; (indo o qual prazo se nSo receber
mais, por se estar extrahindo relacSo con-
tra os mesnios devedores para ser remelt-
da para juizo, afim de ser arrecadado jud-
ela I mor le. Manoel Antonio SimOes do
Amaral.
Perante a adminstracSo do patrimo-
nio dos orphSos se hSo de arrematar i
quem mais der, a pelo lempo que decorrer
do da da arrematacSo o fim de junho de
1852, as rondas das seguidles casas perten-
centcsao dito patrimonio : na ra deS.-
Gongalo, do barroda Boa-Vista n. 22 ni
ra do Torres n. 14; na ra do Vigaro,
n. 27 : as pessoas que se propozerem a ar-
rematar ditas rendas, poderfio comparecer
no dia 9 do corrente mez, na casa das ses-
sOesda dila administrarlo as 4 horas da
tarde com seus fiadores. Secretaria di
administracSo do patrimonio dos ondulas,
4 de agosto de 1819. Joilo Francisco de Cktr
by, secretario.
Perante a adminstraefio do patrimonio
dos orphSos se hSo de arrematar a quem
mais der varias tarramentas de marcenarii
e entalhadura, com os competentes bancos:
as pessoas que se propozerem a arremta-
las, poderfio comparecer na casa das ses-
sOesda mes na administracSo no da 9 do
corrente s 4 horas da larde. Secretaria
da dminisliBQS do patrimonio dos or-
phSos, 4 de agosto de 1819. Joto Frt*-
cisco de Chnbij, secretario ______
a visos martimos.
ardi-
das 9
horu da nunb^t j. da tOTflm de ande r.
Para o Rio-de-Janeiro subo com brevi-
dade a polaca N.-S.-do-Car$no : para carga
ou passageiros, trata-secom o seu consig-
natario, Francisco Alves da Cimba, na ra
do Vigaro, n. 11.
Freta-se para qualquer porto o brigue
francez Armoriaue, de perto de 3,800 sacj
cas : quem o pretender .dirija-se aos seifr
consignatarios, N. O. Biebor & C., na rui
da Cruz, n. 4.
Para o Rio-de-Janeiro salie_
por estes oito dias, o brigue nacio-
nal Bom-Jesus : para o resto da
cargA, passagf iros e escravos a fre-
le, trala-se com ocapitSo na pra-
ca do Coinniercio, on na ra da
ladre-tlc-peo, n. 3, terceiro
ti.
N
Ai


Para o Cear sahe impreterivelmente que em outra qualquer parte : na ra deS.-
noda 20 do corrate o brjue-escuna A-{Cecilia, antigamenle abobada da Penhi,
-Ventura, por ter parte (da carga promp-
ta: para o restante passageiros, trata-so
na ra da Cruz, n. 33, cora Luiz Jos de S
Araujo.
.- Para Lisboa pretende sabir por todo o
torrente mez o brigue brasileiro Uriato,
por ter a maior parle da carga promtpa: pa-
ra o restoe passageiros, para o que oHerece
o melhores commodos, trata-se com os
consignatarios, Thomaz deAquino Fonse-
ca&Filhos, na ra doYigario, n. 19, pri-
nifirn andar, ou com o capitSo na praca.
Para o Aracaty tem de seguir viagem o
date Noto-Olinda, meslro Antonio Jos Vi-
amiii: quem nelle pretender carregar, se
entender com o mcsmo mestre no Trapi-
Novo, ou na ra da Cadeia-Velha, n. 17, se-
cundo andar.
Para o Maranhito pretende seguir via-
gem, por estes tres das, a bom conhecida
escuna OaUnte-Maria : anda pode recebcr
alguina carga e passageiros, para o que tra-
la-se rom Silva ct Grillo, na ra da Mo-
da, n. II.
n.29.
Leilo.
C. J. Aslley far leilflo, por interven-
go do corretor Oliveira de Scaixascom
couro de lustro : sexta-reir, 10 do cor-
rente s 10 horas da manlia, no seu arma-
zem da na do Trapiche-Novo. _____
Avisos diversos.
Jos de Barros Falcilo de l.acerda faz
saber que tica de nenhum elTeilo a procura-
do bastante que elle declarante deu ao Sr.
Francisco de Moura Acciole para a cidade de
r.oianna ; devendo portanto cessar os po-
deres que, em virtude della, fram conce-
didos ao mesmo Sr. Moura.
Preciaa-se de um caixeiro nacional ou
rstrangeiro para urna venda : a tratar na
ra do Trapiche-Novo, n. 28.
Precisa-se saber se existe
nesla praca ou ira della Manoel
jUoitinho dos Santos ou a familia
destemesmo Sr.,a negocio d in-
teresse.
--Avisa-se ao caixeirinho muilo boniti-
nlio de certa loja de lazeinlas da Boa-Vista,
que mellior ser que continuo com os seus
pisseioa de carro, e frequentar as socieda-
des Iheatraes, porque com isso n5o incom-
inda ninguem, anles concorre com oseo-
brinhos, do que continuar na missflo de
seus namoros tflo cheios de immoraiidade e
com tanto escndalo que privara das fami-
lias cnegarem s janellas.
Ao herdeiro inventariante
dos bens dcixados pelo finado Sr.
Sebastian Antonio de Mello liego
pede-se que appareca na ra do
Crespo, loja n. lo, para negocio de
seu ioteresse.
C. J. Astley retira-se parafra da [pro-
vincia deixandocoma procurado de sua
casa oSr. Rodotph Kruckenberg.
-- Aluga-se no Monltiro a casa torrea
contigua ao sobrado que lira defronto do
Sr. Joaquim Tiburcio,, com lodosos com-
modos ,e que he ptima para so passar o
verSo : a tratar na ra da Aurora n. 48.
-- O Sr. Pedro Muniz llarreto do Aragflo
e Menezes queira dirigir-se ra da Cruz,
n. 33, casa de S Araujo.allm de recebcr
urna carta da Baha, o urnas encommendas
vindas na sumaca Flor-do-Angelim.
Custodio Jos da Silva Moroira cida-
dflo porluguez vai a Portugal.
I'recisa-se de um caixeiro que lenha
pratica de venda o qual d conheciment
de sua conduela : em Fra-de-Porlas,
n. 135.
Opera da Norma.
Quem annunciou querer comprar a opera
Norma da maneira que exige dirija se
ra da Cruz venda n. 32, que achara mul-
to niais em conta do que cm outra qual-
quer parle.
Aluga-se a loja do sobrado da esquina
dnsQuatro-Cantos em Ulinda mu lo pro-
pria para venda u outro qualquar csia-
belecimento por ser um dos melhores lu-
gares daquella cidade: tamben) se vende
uma armacflu que aimla au l'ni servida, e
que pode ser transferida para dita loja : as-
sim como se vende una casa terrea, com
sala e gabinete na fenle, quintal e cacim-
ba, sita na ra da Itica-de-S -Pedro-Martyr,
junto a casa desotflo confrontan lo coma
ra que vi para Boa-Hora : a Iralar na ra
'lo I.mnenlo n. 8 ou em Olinda ra de
S.-Pedro-Novo, casa teirea da esquina, com
cornija amarella.
hbaixo assignado faz publico pelo
presente que, no da primeiro do corrente,
venden aos Srs. Narciso Jos Nello e JoKo
-los dos Santos a sua taberna da prara da
Boa-Vista, n 15, que outr'ora pertenceu a
sociedate de Paulo Jnior & C., e ulti.-
menle aoabaixo assignado e por isso sflo
os ditos Srs. os legtimos donos da referi-
da taberna desde aquello da emdiaute,
"" Mies a tur o abaixo assignado vendido|,
ivre e desembarazada devendo toda e
aualquerpcssnoa que tiver transaccoes ten-
entesa exmela firma de Paula Jnior &
C. rnltnuer-se cm o mesmo abaixo assig-
nado conforme ja por vezes annunciou.
Joaquim de I'aula tepes.
Quem tiver para arrendar um silio
grande, com casa de vivenda arvoredos
de fruclo, terreno para planlafOcs e pas-
to permanente para 12vaccas de loile di-
rija-se ra do Collegio, n. 3.
Aluga-se uma casa terrea era Olinda ,
na ra do Amparo, n. 31 : a tratar na ra
ila Cadeia do Recife, n. 52.
Adulfo Scbafheitlen retira-se para lora
vV imperio.
V l. precisa-se de una criada poitugueza ,
[ ou das i litas de bous rostumes : na ra da
U'fuz, no Kecife, n. 9.
W*~ O Sr. Jos Faustino d= Cima tem uma
P'rla vinda do Rio-Janeiro na ra da
FCtdoia do Itecife, loja de faiendas, n. 51.
-Manoel Joaquim l'ascoal Ramos con-
tinua a receber escravos por cmmissao ,
Para fazer vendas dellea, por conta e risco
le seus enhorca : quem de seu prostinio
se quizer ultliaar dirija-se ra do tolle-
n'o, n.21 primeiroaudar.
-- Eogomma-se roupa mais em coala do
--Alugam-so e vendem-se superiores bi-
sas de llsmborgo: na ra das Cruzes,
n. 40.
Oannuncio com as lellras iniciaes J.
V. de C. nflo se entende com o Sr. Joflo Vc-
tor de Carvalho.
FUNDICAO DE FERRO
E FABRICA DE MACHINAS NA RA DO
BRUM. Bowman & Me. Callum, engenhei-
ros machinistas e fundidores de ferro, mu i
respeitosamente annunciam aos Senhores
proprietanos de engenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, quo o seu estabelecimento
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em efTectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualidade para a perfeita confcccSo
das maiores pecas do machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmenlo chamar a
alinelo publica para a sseguinles, por
terem dellas grande sortimento jproropta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir com as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade das materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de va por da melhorconstruccSo
Moendas de canna para engenhos de lo-
dos os tamaitos, movidas a vapor por agoa
ou animaes.
Rodas d'agoa, monillos de vento e serra
rias.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzes echumaceiras.
Cavilhoes e parafusos de todos os taa-
nnos.
Taias, pares, crivos e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por auimaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogflo e Tornos de familia.
Canos de ferro, lorueiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a inflo, por animaes ou vento.
Cuindasles, guinchos e macaros.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferrsgens para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e portees.
Prensas do copiar cartas e de sellar.
Camas, carros de titilo e arados de ferros,
&c, &c.
Alm da superioriade das suas obras, j
geralmente reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade cornos moldes e dezenhos remeltldos
pelos Senhores que se dignarem de fazer-
lln-s encommendas, aproveitando a occasifio
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gse freguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhcs
que nflo uouparfio esforcos e diligencias
para conttnuarem a merecer a sua confi-
anza.
Traspassa-se a armaefio e fazendas,
existentes na luja da praca da Independen-
cia, n. 1 ; o local lie o nielhor possivel, e
proprio paia um principiante : quem pre-
tender, pode dirigir-se a mesma.
Caetauo Xavier Pereira de Iluto, Dr.
cm medicina, annuncia ao respeitavel pu-
blico q*ue fixou a sua residencia no Atterro-
da-Ha-Visla n. 43 em o primeiro andar,
aonde poder ser procurado a todas as ho-
ras e tanibem adverts s pessoas pobres
que sempre o lerfu a sua disposicflo das seis
horas da maiilifla at s nove gratuitamente.
Fugiu no dia 5 de agosto corrente o es-
cravo crioulo de nome Jos, ollicial de mar-
ceneiro, que trabalhra na ra das Cruzes,
de idade, pouco mais ou menos, de 17 an-
nos, com pona de baiba, ulioesecco do
oorpo ; lovou vestido camisa e calzas de al-
godo da Ierra : quem o pegar leve-o na
i na da Cruz do Itecife, n. I2,em casa do Joilo
LpIc Pita itigueira, quo ser gralilicado.
OSr. Joaquim Miguel, com ollicio de
ourives, queira realisar o negocio da chave
da casa de Olinda na Biquinha, n.lC,se
nflo quer que se faca publico qual o ne-
gocio.
Varo a pessoas que tencionam
seguir viogem-
No pateo de S-Pedro, cssa terrean. 8,
tiram-se passaportes para dentro e fra do
imperio, correm-se billas e despacham-se
escravos, e para este fin tambem pde-se
procurar na praca da Independencia li-
vraria ns. 6 eS.
Na ra do Vigario, n. 19, primeiro a-
ilar, ha Carlas para os senhorus capitSo
Julio Antonio Pereira Rocha c Manoel de
Souza Tnvhivs Kstrella.
Aluga-se tima ama de leite : na ra da
Madre-do-I)eos, n. 30.
Quem precisar de um administrador
para engenho, o qual entende de todo o tra-
balho, diiija-sea praca da Independencia,
loja de relojeiro do Sr. Meroz, que se dir
quem he.
Precisa-so de um feilor quo trabalhe,
entenda de arvoredos de borla e de vaccas:
na Magdalena estrada nova, primeiro pur-
iflo de ferro.
O doulor Louienco Trigo de l.oureiro
reside actualmente as lojas da casa do
Aluga-se o silio da estrada do Cordei-
ro, bem conbecido, so proprio para nego-
ciante estrangeiro, ou quem lenha trata-
mento, assim como varios sitios e casas
pequeas para passar a festa, tanto na cam-
pia, como na ra da Casa-Forte: a tratar
na ra do Amorim, n. 15.
Do-se 400,000 rs. a premio sobre hy-
potheca em uma casa nesta praca : quem
pretender annuncie.
OSr. Joaquim de Barros, pintor, mora-
dor em Olinda, queira vir buscar uma ima-
gen que mandou encarnar na loja de pin-
tura na ra daSenzalla-Velha por prego de
6,000 rs, pois o lempo he bastante de espe-
rar, e nflo se pode ter obras empatadas, e
nflo o fazendo nestes tres das, trocar-se-ha
pelo preco que mais der, Meando o Sr. obri-
gado a receber o restante, visto nflo cum-
i)iir o que tratou : ao depois nflo se chame
ignorancia.
O tabellio interino das liv
potbecas mora na ra Augusta,
n. 66.
Manoel de Almeida Lopes mudou a sua
residencia da ra do Vigario n. 24, para
a ra da Cadeia do Itecife, n. 40.
Precisa-se de um feitor para o sitio da
viuva Amorim na Ponte-de-Uchoa.
No pateo da maliiz de
S -Antonio, sobrado n. 4,
tram-so passaportes para dentro e fra do
imperio, despacham-se escravos e correm-
so folhas por prego o mais commodo pos-
sivel.
Em um engenho perto de S.-Ant3o
precisa-se de uma pessoa que entenda de
tocar piano para ensinar a duas senhnras,
e se tiver alguns preparatorios para ensinar
a um menino, sermelhor, por isso que
maior ordenado se offerecer a tratar com
o Burgos no segundo andar do sobrado
n. 18 do pateo do Carmo.
, Precisa-se do um hotnem que seja
mestre tecedor do Porto, ou que entenda
de tecer varias fazendas que se fazem na-
quella cidade : na praca da Independencia,
livraria ns. 6*e8.
Quinto batalhao de
fuzileiros.
O msico da primeira companhia do 5.
batalhflo de fuzileiros Adriano Jos Perei-
ra de Azevedo destacado nesta cidade do
Itecife de pois de pago de fardamenlo at
o dia 6 do passado Jullio, e de sold e eta-
peel3 de junbo laltou a revista desde
7 de jullio foi considerado desertor no dia
15; consta ter-se evadido na fragata /'ara-
guasi quedaqui sabio para a Bahia.
lenles arliicine--.
J. A. S. Jane, dentista participa ao res-
peitavel publico que contina a exercer a
sua profissBo, na ra eslreita do Rozario ,
n 16, primeiro andar.
Precisa-sede uma ama para uma casa
de pouca familia a qual faca as compras e
cozinne: na ra da Cadeia-Velha n. 41 ,
primeiro andar.
O rirurgiflo Miguel Felicio da Silva
mudou a sua residencia para a rita da Pal-
ma sobrado novo de um andar delronte
do becco do Pocinho.
No dia 2 do"corrente appareecu no en-
genho Pintos fteguozia de S.-Amaro-Ja-
hoato de propriudade do abaixo assigna-
do procurando ser comprado, utn preto
que diz chamar-so Luiz ser cscravo do
Sr. Jos Barboza morador em trras anne-
xasao.engenho Bonito freguezia ou co-
marca de Nazareth-da-Matta : seu senlior
venha recebe-lo ,-ou negocia-lo, sendo que
o queira vender, licando certo de que o
abano assignado itilo se responsabilisa pe-
la fuga do mesmoescravo. Jos l'ernand,
da Cruz.
O Sr. Flix N'unes Cavalcante de Albu-
querque tem uma caria no Alerru-da-Boa-
Visla n. 34, primeiro andar.
OSr. Jos Cypriano de Moraes Lima
queira dirigir-se a ra dj Praia, u. 27, a ne-
gocio de seu nteiesse.
I
co mais ou menos, cor branca, olhos re-
dondos, nariz pequeo, bocea pequea, ros-
to redondo; tem um signal em uma unha da
mSo: de nome Alexandre; levou calca e ca-
misa de chilla, e descalco ; e por isso a
pessoa que Ibe deu agasalho queira mnda-
lo na ra do Queimado, n. 22, aonde eslava
hamais de 3 annos em companhia do sua
madrinha. A mesma declara que protesta
contra qualquer pessoa que o rotenha em
sua casa, visto estar autorisada por Joaquim
Jos de SanfAnna, pai do dito Alexandre,
para o ter em sua companhia ; e rogaa
qualquer autoridade policial que o encontr,
ou saiba de seu domicilio.haja de o fazer en-
tregar na dita casa da ra do Queimado, nu-
mero 22.
Fommafeau, culileiro,
no Aterro-da-Roa-Vista n. 16,
recebeu agora mais um sortimonlo de
esporas de ac de todas as qualidades e
feitios ; colheres de metal novo que nflo
desmerecem com o uso; caixinhas com espo-
letas das melhores que ha na prag, e tudo
quanto pertence ao seu oftlcio.
10O.VOOO de gratiicacao.
Fugio, na madrugada do dia 4
do corrente, o escravo Domingos,
pardo claro, de 18 a 19 annos, ba-
xo, cara larga e de corpo regular ;
levou comsigo um cavallo de es-
tribarla lazo, com um p branco,
tendo manta de couro de onca,
sel I i ni e bridas inglezas, e igual-
mente toda a roupa cpie tinha,
entre ella um fardamenlo de boli-
eiro, sendo sobrecasaca de pan-
no azul com galo de prata e bo-
t5es de metal branco : suppoe-
se ter do para o Cear, donde be
natural : quem o apprcbender le-
ve-o ra da Cadeia do Recife,
n. ai, a Luil Antonio de Siquci-
ra, 011 na mesma ra, n. 48, casa
de Augusto S. Coibett, que rec-
bela a gratificarlo cima.
Aluga-se o armazem c pri-
meiro andar do sobrado da ra do
Trapicbe-Novo, proprio para cs-
cripiorio e armazem de recolber :
quem o pretender, dirija-se ao
primeiro andar do sobrado da ra
do Trapicbe-Novo, D. i4?quea-
char com quem tratar.
11 ...... "" -
Compras.
m
lllrn. Sr. desembargador Bastos, na ra da
Aurora entrada pelo lado da mesma ra ;
e ubi se ofiereco para advogar, lauto no
civel como no crime e para ensinar as lin-
goas latina e franceza a quem se quizei
utilisar de seu pi estimo.
F.ngomma-secom perfeicSo toda a qua-
lidade de roupa para bomem e senhora, as-
sim como tambera se ensaba por commo-
do preco : na ra da Senzalla-Nova, na loja
da casa n. 18.
Ollerece-se um rapaz que da fiadora
sua couducta, para caxeiro de engenho, ou
de ra : quem precisar annuncie.
Fugio, no dia 5 do coi rente, um mu-
lo pin: de n.ic,i) Mozambique, de nome Joa
qt|im ; he baixo e encorpado ; levou cal-
cas) e camisa de algodflo azul: quem o pe-
gerUeve-o a ra da Cruz, uo Recife 11. 13 ,
ou.niruado Trapiche, n. 15, que ser re-
compensado.
-.'Na loja de funilciro na ra Nova, de-
fronie.da Conceicfio, precisa-se de offlclaes
do niekmo ollicio e de discpulos.
Aluga-se o primeiro andar da casa da
ra da^.adeia do Recife, n. 40, com excel-
entes cmmodos para eacriplorio, ou fami-
lia : a trillar no segundo andar da mcsuia
O Sr. do engenho Tabalinga, Anto-
dio Comes Pessoa queira ter a I1011-
fi dade de vir ou mandar a ra do Cres-
# po, n. II, a negocio que Ihe diz res-
# peito. ?
Domingos Alves Malheus, agente da fa-
ll ica de rap superior arcia pela da Ba-
hia, tem ;.licito seu depusito na ra da
Cruz, do Itecife, primeiro andar da casa 11.
38, onde se achara sempre deste excellente
c mais acreditado rape que al o presente
se tem fabricado no Brasil: vende-so em
botes de uma e de meia libra por pceo
mais commodo do que cm outra qualquer
parlo.
O I.IVRO DE MFXS AMORES
poesas erticas do J. Norbcrto de S. Silva,
Mih.hvi,lulas em tres portes As visees
Os beijos Armia' I volunte in 8. gran-
de, elegante e ntida edic,flo, capa impressa,
ornado cora um retrato. Preco 3,000 rs. ra-
da volunie. PubliCa-se no Itio-de-Janeiro
e assigna-sc nesta cidade do Recife na livra-
ria ns. 6 e 8 da praca da Independencia.
Oaliaixo assignado mudou sua residen-
cia pura o lerceiro andar da casa n. 147 da
ra do Pilar em Fra-de-l'ortas, a pinnc-.
ra contigua a capitana do porto, e que del-
ta a Irazeira para o mar. Francisco de
Paula Vertir de Andrade.
Joaquim Antonio deSan-Tiago l.essa
mudou a sua residencia da ra de Santa-
Rita para atrs da matriz da boa-Visls, n.
24, sobrado de um andar.
Lotera do Guadalupe.
As rodas desta lotera andam 11-
fallivelmenle ne dia i3 do corren-
te mez, e os bilbetes que restam
acbam-se venda nos lugares an-
nunciados.
Descja-sa saber se existe nesla provin-
cia algucu irmfio, ou prenle do fallecido
segundo-lenente do extinco corpo de arti-
Iharia de marinha Joflo Concalves da Ro-
cha natural do Porto, caso exista, le-
nha a bondade de annunciar sua morada
por cata fnlba.ou dirija-so ra do Queima-
do, loja de mindezas, n. 25, ou annuncie.
Desappareceu no dia 6 do correpte
um menino de idade de 9 annos, pou-
-- Compra-se um escravo bom trabalha-
dor de padaria : nflo se olha a prego : na
ra Ja .Scnzalln-Vclha.n. 98.
Compra-se um escravo do meia idade,
o qual sirva para o servido de campo: na
ra Nova 11. 59. .Na mesma casa se dir
quem da dinheiroa premio sobre penhores
de orno c prala.
Compra-se ouro o prala cm qualquer
estado que esteja t na ra do Queimado ,
n. 14.
Compra-se ura jogo de mangas de vi-
dro lisas 011 lavradas cora castices ou sem
elles em segunda mo i quem tiver an-
nuncie.
Corapram-se o vendem-se escravos: na
ra da Cadeia do Re6ife. n. 40.
Compra-se urna preta e un preto v.i-
llius c que sejatn por preco commodo : na
ruado Collegio, 11. 21, primeiro andar se
dir quem compra.
Compram-se algumas canoas de cstrti-
me de boa qualidade, postas em um sitio
na Passagem-da-Magdalcna : na ra do Li-
vramonto, n. 33. _______
Vendas.
Indc-
Na livraria ns. C e 8 da prac,a da
pendencia vende-se o seguinle :
Alanual cleitoral ,
coiitendoa lei regulamentar das eleicocsc
os decretos e decises do governo que dito
esclarerimentos sobro sua execuc,flo.
Vende-se uma taberna com poucos
fundos, sita na ra Nova esquina da na
das Trincheiras n. 1 um dos melhores lo-
caes desta cidade : a tratar com Narciso Jo-
s da Costa no largo do Carmo.
Vende-se uma parda de 16 annos, quo
cose, engomma, borda e faz doces do todas
asqualidades, ludo com perfeicflo e da
qual seafianca a conducta : na ra da Ca-
deia do Itecife, n. 39.
Vendem-se 8 lindos moleques de 12 a
20 annos; 10 pelos de 25 a 30 annos
sendo um delles ptimo coznheiro, outro
carreiro outro canoeiro e outn official de
atraale ; 2ncgrinhas de 9 a 12 annos; 3
pardas com algumas habilidades de 20 a
24 annes ; 3 prelas do 20 a 30 anuos sendo
uma dellas ptima cozinlieira : na ra do
Collegio, n. 3, se dir quem vende.
Na ra do Vigario, n. 7, vende-se una
bonita preta de nacflo Nago, ainda moga.
Vende-se cera de carnauba de boa qua-
lidade :"na na da Cruz, n. 3.
Vendem-se 3 sacadas de pedra da trra,
una cama de angico, 1 mesa, 1 marqueza,
8 elegantesquadros, 12 garrafas, 3 com-
poteras de vidro : na ra das Larangeiras,
n."29.
Na ra do Cabug loja de Francisco
Joaquim Duarte, vendem-se ricas toucas
com flores finas c pennas para baplisados
de crianzas, por mdico preco.
Vende-se um cavallo alazilo muilo man-
so, I (mito,que anda bem baixo, e he ptimo
para carro,assim como uma carroca nova to-
da pintada de oleo,com fortes rodas de sicu-
pira, eixos de ferro, etc.: esta obra pela aua
construceflo he a mellior que pode appare-
cer: na ra da Florentina, n. 16, defronle
da cocheira do Sr. major Sebasliflo.
Vende-se cera de carnauba :
na ra da Madre-de-Deos, lo|a
n. 34. /
-- Vende-se/ima preta crioula ,de 18 an-
nos : na rua/iova, n. 16.
Vendem-se oito casaos do pombos to-
dos juntos, ou separados, sendo elles mul-
to bons batedores, grandes, de exceiientes
racas, muito bonitos, e proprios par qual-
quer encommenda: na ra da Florentina,
n. 16, defronte da cocheira.
Vendem-se saccas com arroz pilado ,
branco e de boa qualidade : na ra do Quei-
"-vnde-se uma excellente agultia de
marcar, toda de metal: na ra da Cruz
n.64.
Para escravos.
Vendem-se cobertores de algodflo """-
cano, a 560 rs. cada um; zuarle de cnadrez.
a 160rs. o covado; dito trancado, a 200
rs. o covado ; pecas de ganga azul da India,
com 4 palmos de largura e 12 coyados a
2,400 rs.: na ra do Crespo, loja n. 10.
Venlem-se riscados escocezes com
vara ae largura, a 290 rs. o covado ; cassas
pintadas de cores fixas, a 240 rs. o covado;
pe?as de panninho de vara de largura, com
12jardas,a 2,000 rs. : na ra do Crespo,
loja n. 10. .
Ainda existe uma pequea porcao de
luvas de pellica enfeitadas para senhora as
quaes para se acabaren vendem-se pelo di-
minuto preco de 1,000 rs. o par; bem como
ditas sem enfeites para homem e aenhora a
800 rs.; ditas dealgodOo de cores escuras ,
propriaspara montarla; ditas de seda de
varias cores, curtas e compridas; ditas
brancas do algodflo, com borracha ; litas li-
sas de seda e de todas as larguras cor de-
rosa, encarnada, azul, verde amarella ,
branca e preta ; ditas de soda llavrada de
varias cores bonitas, bastante largase mui-
lo proprias para onfeites de camas e cha-
peos de senhora ; bicos e rendas francezas
de todas as larguras ; papel de machina e de
peso branco e azul em meias resmas, a 2,800
rs. a resma e a 40 rs. o caderno ; e outras
umitas fazendas por prego commodo : no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 72.
Na ra da Praia, n. 32, vende-se um
mulatinhode7para 8unnos; assim como
arroz branco e vermelho por preco com-
modo.
RAPE' DE LISBOA.
Vindo do Rio-de-Janeiro no vapor Impe-
ra/riz: vendo-sc na loja de Antonio Joa-
quim Vidal, ra da Cadeia do Recife, n.
56 A.
Vende-se superior rape de
Lisboa : na praca da Independen-
cia, n. '"!().
Qucr-sc acabar.
F.xcellcntes ceblas, chegadas ltima-
mente, vendem-so por preco mais commo-
do do que em outra qualquer parte : no ar-
mazem da ra do Codorniz, n. 11.
Vende-se um pardo moco, de bonita
figura proprio para pagem ou para oulro
qualquer servico : na ra da Cadeia-Vellifl,
n. 33, se dir quem vende.
Vende-se um sitio na cacim-
ba de Jatoba, riacho da volla, ca-
beceiras de 'eje-de-Flores : no
Trapiche-Novo ,Jn. 14 se achara
com quem Iralar, por proco ra-
Boavel.
Acaba dorhegaro Annuario do Brasil,
obra interessantissima "para lodos os Itra-
silciros que quizerem terconhecimento dos
factos nacionaes : vende-se as lojas do li-
vros, da praca da Independencia, ns. 6 e 8 ;
dos Srs. Santos & Companhia, na ra da
Cruz n. 56 ; no Alerro-da-Boa-Vista loja
do Sr. Chardon.
Agencia de fdwin Maw.
Na ra de Apollo armazem n. 6, de M. Cal-
mont&Companhia, acha-se constantemente
11 m grande sortimento de ferragens inglezas
para engenhos de fabricar assucar. bem
romo taixas de ferro coado e batido de de-
ferentes lamanhos e modelos, moendas
do dito, tanto para armar em madeiracomo
todas de ferro para animaes e agoa, ma-
chinas do vapor de lorca de* cavallos, alta
pressflo, repartideras, espumadeiraa, etc.
de ferro eslanhado. Na mosma agencia acha-
se um sortimento de pesos para.balances ,
escovins pala navios, ferro em barra, tanto
quadrado como redondo, salra para errei-
ro e uma poreflo de tinta verde em latas :
tudo por barato preco.
Vonde-se uma escrava de 22 annos,
crioula, com principios de cozinha, engom-
mado e costura ; uma dita de 30 annos ,
boa lavadeira do sabflo cozinha soflrivel-
niente, o he muito diligente para todo o
servico de uma casa : na ra do Brum, no
lerceiro andar do sobrado por cima do ar-
mazem de Reg & Medeiros das 6 s 8 ho-
ras da inanhfla, ou das 2 s 4 da tarde.
Vendem-se as obras seguintes, por pre-
co commodo : as Viagens de Acharsis em
9 volumes; Moral universal, pelo barflo
llolbak, em 8 v. : na ra do Cabug, loja de
Jos Peres da Cruz, n. 3.
Vende-se um casal de cachorros alra-
vessados ; um guarda-louca ; uma commo-
1I.1 de angico : tudo por preco rasoavel: na
ra da Lingola, n. G
Vende-se uma fabrica de cera; uma
cama de Jacaranda : ludo por preco com-
modo : na travessa dos Quarteis, n. 29.
Vendem-se3molecoles de 12a Han-
nos ;um dito de 13 annos; 4 mulatinhos
de 25 annos ; 2 escravos de nacflo, de bo-
nitas figuras ; 2 escravasde nacflo, que
engoniinam e cozinham; uma dita de Ij
annos ; 3 ditas do servico de campo: na
ra Direita. n. S.
Vende-se um berco novo de condu-
r. Peito a moderna; um orgflo para ca-
pella ou para casas particulares obras
relias pelo Tallecido Tresse : tudo por pre-
co commodo! em Fra-de-Portas, ra Di-
reita, n. 147, primeiro andar.
Vendem-se duas pretas boas vende-
deiras de ra ,e que cozinham o diario de
uma casa : na ra larga do Rozario, n. 40
segundo andar a fallar com Antonio dos
Santos Ferreira. Na mesma casa se trata a
botar canoas de areia e de lijlo em qual-
quer porto, por preco commodo.
Vende-se, na ra Velha, n. 127, um es-
cravo de 18 annos, soffrivel coznheiro, e
proprio para qiydquer servico do casa ou^
Ca-Pvcnde-se uma duzia de cadenas, um
sopha, duas bancas, uma dita de 1mo de
sala, lima cama : tudo em muito bom esta-
do : asC.iDco-Pontas, n. 66.
Jl 11-11 A r\/\




Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de arrobas,
chegada noste mez pelo brigue Mario-Jote:
a tratar na ra do Bruro armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vicario, n. 19.
Vondem se presuntos inglozes para
fiambre ; latas com bolachinhas do Lisboa ;
ditas de araruta ; ditas de mnrmelada de
1, 2 e 4 libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
hervidlas ; ditas de chacolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
do laranja; barris com azeitonas brancas de
Elvas ; garrafas com vinho moscatel de Se-
tubal e da Madeira ; queijos de prato ,
frescaes : tudo doto e choteado ltima-
mente de Lisboa : na ra da Cruz, no
liecife, n. 40.
Vende-se champanha da mais superior
qualidade que lem vindo estf mercado:
ua ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
f. Companhia.
Vendem-se sellins inglezes e
camas de ferro : na ra da Senzalla-
nova, n. 4"*-
Chbrasileiro.
Vendc-se che brasileiro no armazem de
molhados, airas do Corpo-Saiito, n. 66, o
mais excedente cha produzido em S.-Pau-
lo que tem vindo a este mercado, por
prego nniito commodo.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor,
RA 1U SKNZAI.T-A-NOVA, N. 4^.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de. todos os taannos,
para dito.
A 640 rs. cada um.
Vendem-se cobertores de algodSo ameri-
cano, encorpadose grandes, a duas pata-
cas ; chitas escuras de honspadres e co-
res seguras, a meia pataca o covado : na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Vende-se algodao trancado
da fabrica de Todos-os-Santos a
270 e a 3oo rs. a vara : na rna da
Cadeia, n. 5a.
Taixas para engenho.
Na fuudicSo de ferro da ra do llrum,
acaba-so de receber um completo sortimen-
t de taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por proco com-
modo e com promplidlo embarcam-se,
ou carregam-seem carrossem despezas ao
/nmprador.
Deposito da fabrica de
Todos-osSantosna Itahia.
Vende-se em casa de N. 0. Hieber & C.
a ra da Cruz, n. 4, alcodSo trancado
daquclla Mrica, milito proprio para sacros
do assurar e roupa de escravos,
1,900 ris.
Vendem-se superiores corles de brim
truncado de puro linliocdr de lama de Pa-
rs pelo barato prego de 1,280 rs. : na rua
do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Dias.
I o!ha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na ra
do Amorini, n. 35.
Barricas.
Vendem-se barricas vasias que fram de
farinha em p e bem accoudicinnadas :
na ra do Amorim, n. 35, casa de i. J.
Tasso Junior.
A Vendem-se cobertores dcalgodSo, muito
encorpados, proprios para escravos, a duas
patacas cada um : na ra da Cadeia-Vclha,
n. 33.
Bombas de ferro.
Na fundigflo de ferro da ra do Brum ,
vendem-se superiores bombas para cacim-
ba assim como de repudio para fazer su-
bir agoa casas at altura de 4 a 5 andares.
0'aH>
\
^FarinhadeS-IIalheusfe
i $
l Vende-se farinha muito superior, por di
t prego commodo a bordo da sumara ^
fa Fcli:-Aurora, Tundeada em frente do ^
- caes do Collegio : a tratar com o ca- W
a pitSoa bordo ou com Machado & l'i- X
Z nheiro na ra do Vigario, n. 19, se-
T gundo andar.
*'?"' 3- >#
Vendem-se relogios de o uro o prata ,
patente inglez : na ra da Senzalla-Nova ,
n. 42.
Vendem-se cortes de cambraias ada-
mascadas propriaspara vestidos, a 3,000
rs. ;ditosde talagarea, a 1,600 e 2,500 rs. ;
rassa-chita decores fixas a 300 rs. ; lan-
zinhas para vestidos, calcas e roupa de me-
ninos a 320 rs. o covado ; fazenda de lila
comlistrasde seda, propria para vestido
de senhora a 640 rs. ; ISas para calcas, de
id 1111 o bom posto e de superior qualidade ,
a 2,200 rs. o corte ; cortes de cassa, a 1,400
rs. cada um; panninhocom vara de lar-
gura a 240 rs. a vara, e a 2,500 rs. a peca
com 10 varase meia ; chales de pura 1.1a,
a 2,000 rs. cada um ; fustOespara colletes,
a 500 rs. o corte ; e outras muitas fazendas
por barato prego: na ra do Crespo, loja
n. 15, de Cimba Guimarfiea & Companhia.
Nada t9o bom at hoje se ha descober-
ta)para curar vista caneada ou curta como
sejam oculos apropriados, os quaes se
vendem por diversos precos, e muito em
cunta, por haver sortimento : na ra larga
do Bozario, loja de miudezas, n. 35.
Vende-se um bom escravo de meia ida-
de, e que entende de campo' para trabalbar
de enxada e alguma cousa de plantacOes :
. o motivo por que se vende' he por haver pre-
cisflo : na roa de Moras, n. 120, das 0 as
9 horas da manhs, e das S da tarde em
diante.
~ Acha-se a venda pelo preco de 3,000
rs. o muito curioso romance em sete can-
tos Palmira ou a Ccguinha Brasileira ,
pele doutor Francisco Bonifacio de Ahreu :
na prega da Independencia, livraria ns. 6 8
N. 9.
Ruada Madre-de-Deos.
Puro vinho da Figueira.
O novo armazem dcsta pinga deliciosa
araba de se abrir nesta ra, defronte do ex-
tincto armazem ao mesmo preco de 180
rs. a garrafa e a 1,360 rs. a caada. Os
nmantes deste licor alli onconlrarSo garra-
fas promptamento lacradas e com o seu
competente rotulo para trocarem por outras
promptamento ;* assim como tambem en-
contrario barris de diversos tamanhos,
por precos bem rasoaveis ; bem como vinho
brancode Lisboa a 1,600 rs a caada o a
220 rs. a garrafa. O proprietario deste esta-
belecimento pede eximio para poderem ava-
har a pureza do sua qualidade e asseio c
que em nada desagradar aos concur-
rentes.
No armazem da ra da Mooda, n. 7, con-
tina-se a vender superior colla das fabri-
cas do Bio-f.rande-do-Sul, por preco ba-
rato.
FAI1INIIA DE MANDIOCA.
A melhor farinha de mandioca que tem 11
venda lie a bordo do brigue Minerva, chega-
do de Santa-Catharina, e fumleado na praia
do Collegio, onde se vende a prego mais
commodo que em qualquer outro barco ; e
tambem se pode tratar na praga do Com-
mercio, n. 6, primeiro andar.
Cal virgeni de Lisboa.
Na ra da Cadeia do liecife, loja n. 20
vende-se cal virgeni por prego mais com
modo do que em oulra qualquer parle.
Vende-se um pardo robus-
to, de i!\ annos, perfcitamenle en
tendido 110 servico de compo esem
vicios : na loj da rua do Crespo,
n. l5} de (unlia Guimarites s:
Companhia.
Superior cli brasileo.
Vende-se superior cha le S-Paulo, em
caixinhas de urna e duas libras: na ruada
Cadeia do Itrrife, 11. 51.
Vendem-se no armazem, 11.
1, do Calaia, no ces da Alfande-
ga, por preco commodo, barricas
com farinha de mandioca, muito
fina, ( soruhy ) assim como saccas
com feijao novo, muito grandes e
baratas : trata-se nomcsino arma-
zem, ou com Novaes &:C.a
Vende-se um sobrado de un andar,
sito na cidade da Victoria na rua da Paz,
que foi do fallecido Jos Ignacio do Tem-
plo e boje peitence a lilha do mesmo,
I). Josepha Maria da ConceicSo a tratar no
engenho S.-Jos, com l.uiz llarbalho de
Vasreneellos que est autorisado a fazer
dita venda.
Vende-se, por preco muito
commodo, no armazem tic Dios
Ferreira, no ces da Alfindcga,
farinha de Santa-Catharina, cm
saccas grandes,e barriquinhas com
potassa, muito superior: trata-se
no mesmo armazem, ou com No-
vaes & Companhia.
Vende-se urna parda de boa conduela,
com nlgumas habilidades por prego com-
modo ; 11 m moleque de nagflo, do 18 a 20
annos de boa conducta, tambem por pre-
go commodo : na rua dus Cruzes, n. 20, as
lujas.
( lia mi os de Ha va na
verdadeiros: em casa de kalkmann Ir-
m3os na rua da Cruz n. 10.
Molduras dnuradas
do todas as larguras : vendem-se em casa
de Kalkmann brunos, na rua da Cruz, n. 10.
Cadciras de palhinha e
de balaren,
hn com outrns muitos trastes: vendem-sc
em casa de Kalkmann lrniSos, na rua da
Ciuz,n.10
Vendem-se alguns escravos e escra-
vos mogos e sadios e que so bem pren-
dados : na rua da Cadeia, 11. 39.
llar melad a nova.
chegad ullimmenle do lo-de-Jimeiro ,
vende-se por prego commodo: atrs do Cor-
po-Sanlo armazem de molhados, n. 66.
\a loja de selleiro da
rua do Queimado, n. O,
vendem-se sellins de todas as qualidades,
tanto para nontaria de homem como para
a de senhora ; cabegadas inglczas religas
e chatas ; ditas de couro de lustro, bran-
cas e pretas ; talinse cananas du todas as
qualidades ; correiames de lustro ; barreti-
nas para ofliciars e soldados de cavallaria e
infantaria; bandas ele; perneiras e guar-
da-lamas do todos os feitios canhes de*
couro de lustro branco e amarelln para
botas de criados ; fundas inglczas do urna e
duas venillas ; colchOes de lodos os laina-
nhos c feitios. Na mesma loja se forram sel-
lins com couro de porco inglez (cando
comonovos, e se faz toda qualidade de
concert : ludo por prego commodo.
Attengito aos premios vendidos.
Na loja de cambio da viuva Vieira & fi-
Ihos, na rua da Cadeia do ttecifo n. 24,
loram vendidos da loleria a beneficio das
malrizes do Itio-de-Janeiro, os nmeros se-
guintes : 3,605, 16 000,000 do ris ; 820,
200.000 rs. ; 4,069 o 875, 100,000 rs. ; 4,873.
4,874 e 5.310 ,40,000 rs. ; e iminensos de
20,000 rs.
Vende-se um alambique francez e de
cobre com pouco usoi que leva a caldeira
50 caadas, com muitrlboa serpentina de
estanho fino que pesa) 300 libras: este
alambique trahalha pordous systemas, um
que serve para destilar gazapa o outro pa-
ra resiilar ago'ardenlo ; para esto tem tres
ralificadores os quaes fa-Aem com quo o
alcool saia sem cheiro, mu feo superior em
grao e muito simples para qualquer pessoa
poder trabalhar. acha-se montado e promp-
to a trabalhar para o comprador ver : tam-
bem se vendo urna machina do fazer limo-
nada gazosa agoas mineraes e vinho
champanha : tudo por prego commodo : no
Aterro-da-Boa-Vista n. 17 abnca do li-
cores, de Frederico Chaves
-- Vendem-se 4 escravas com habilida-
des; urna parda de 30 annos, que entende
de lodo o servigo de urna casa por 300#
rs.; um pardo do 18 annos, de bonita li-
gura, que he de boa conducta, e por isso
proprio para pagem ; um molecao de nag.70,
de 18 a 20 annos bom robusto, sem vicios
nem achaques e que be proprio para todo
o'servigo: no pateo da matriz de S.-Anio-
nio, n. 4, se dir quem vende.
> -3
& <-r Na rua (o Crespo, .=> O
9 loja da esquina que volta |j
% para a cadeia, vendem-sc q
rt os acVcditadosbrins trangados bran- Q
A eos, lisos, dehstrasedelinho puro, q
%, a 1,500 rs. o corte; ditoamarello ,.a q
% t,440 rs. ; dito muito superior, a
X 1,600 rs.; picote muito encorpado
2 proprio para escravos a 180 rs. o
2 covado ; panno prelo muito lino a J^
O 3,200 rs. o covado ; cassa de quadros y
O para babados, a 2,000 rs. a pega ; lu- O
& vas de algodno de cor, muito linas, a <3
& 2*0 rs o par ; chitas rouxas com (lo- O
ft res encarnadas, de tintas seguras, a 0
pi 180 rs. o covado; cassas pretas, pro- Q
a priaspara luto, a 160 rs. o covado; q
prcas do platilha de algodao com 25 q
|X varas, a 4,200 rs.; e outras multas v
? fazendas por prego commodo. j
__Vende-se farinha de mandio-
ca, muito superior e por preco
commodo, a bordo da sumaca
Villa-Carolina, entrada de San-
Mtlieus, a qtial se acha Tundeada
defronte do ces do Collegio : tra-
(a-sc com o capitao a bordo, 011
com Machado & Pinheiro, na rua
do Vigario, n. 19, segundo andar.
esfumantes de bom gosto.
No armazem dn molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, n. 66, ha para vender, chegados
pelo ultimo vapor viudo do sol, superio-
res charutos S.-Flix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em oulra qualquer parle : bem como
cigarrilhos hespanbes ditos de palha de
roilbo, que se estilo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
J 4 00 ris.
Vende-se superior esguio de algodio de
qualro palmos emeio de largura, proprio
para camisas de senhora e jaquetas pelo
barato prego de 400 rs. a vara ; bretanhas
de rolo com 10 varas, a 1,600 rs. ; supe-
riores c les de fustfles alrochoado a
1,28o rs. ; ditos miudos a 400 rs. o corte :
11a rua do Crespo n. 14, loja de Jos Fran-
cisco liias
A 2co rs. o covado.
Vende-sn zuarte azul trangado, muito en-
corpado e com 4 palmos e tncio de largura ,
a melhor fazenda para vestir escravo pelo
barato prego de 200 rs. o covado: na loja da
esquina da rua do Crespo, que volta para a
cadeia.
Vei)de)-se a casa terrea de pedra e cal
n. 136da rua Imperial ; un terreno juntoa
mesma para oulra casa j aterrado, tudo
aleo rio, e em chaos proprios: na rua do
Collegio, n. 6.
fo pe roldo francez,
Vende-se o superior rap roblo franrez ,
nicamente as lojas dos Srs. Caeluno l.uiz
Feneira no Alerro-da-Iloa-Vista n. 46 ;
Thomaz de Mallos^ Istima na mesma rua,
n.54; Francisco Joaquim finarte, ruado
Cabufl ; Pinto & IrmSo, na rua da Cadeia
do liecife, n. 19.
Na travessa da Madre-de-Dcos,
aimazem n. 9 ,
vendem-se quartolas coro vinho de Ror-
deauXj frasqueiras com muilo superior ge-
nebra de llollauda ; caixas com superior vi-
nho moscatel ; ditas com azeite doce em
garrafas; papel llrete; dito ah aro de
primeua e segunda sorte ; dilo de machi-
na : dito pardo para botica e chapeleiros:
banha de porco, em barris e meios ditos ;*i
outros muitos gneros proprios para venda.
^o* D0 *0
para curar da phtysica em todos os seos
difTerentrs graos, ou motivada por al-
guma das seguintes molestias: constipa-
gOos. tosse, aslhma pleuriz escarros de
sangue coqueluche dr de costase pci-
tos, bronchiles dr na garganta e todas as
molestias dos orgHos pulmonares. Fsloex-
cellente remedio que tem gozado de 13o boa
reputagfio nos Estados-Unidos da America
do Norte, polos seus bous effeitos na cura
desvaras molestias acuna'mencionadas, m-
duzio os propietarios de Ir a manda-lo pa-
ra o Brasil, on le a esperanga de suas virtu-
des nflo frain sem fundamento como a
experiencia tem mostrado desde a sua in-
Iroducg.lo, poisos admira veis effeitos quo
tem produzido aqui sfio iguaes aos melho-
res que alli lem fcito e que sSo bem altes-
lado pelos varios testemunhos e certifica-
dos das pessoasque leem sido cuiaJas pon
este medicamento sem igual, particular-
mente ao sul deste imperio onde foi pri-'
meiramonte nlrodui.doTe j. nesta mesma
provincia receitado pelos "
pre com bom -sucesso. Novaes & Compa-
nhia, os nicos agentes nesta cidade e pro-
v^nci.nome.dos%e.os agentes gei-aes^o
Rio-de-Jane ro os Srs. K. b. 1 aies 01 com
oanhia mudaram o deposito deste xarope
p ?a.boUc.doSr. Jos Mari. Ramos, na
rus dosQuarteis, n. 12 .J"100,''".'^'dre
polica onde sempre acharflo, o nico ver-
dadeiro, vindo daquelle deposito a 5,500
rs. cada garrafa.
Vinho de Bordeaux e de
Champanha,
de superior qualidade : vendo-se em casa
do Kalkmann Irmaos, na rua da Cruz,
n. 10.
8
S> vendem-se escravos baratos, na rua 4
* das Larangeiras, n. 14, segundo an- m
m dar ; um lindo molecslo de nagHo ; 1
f. preta de nagSo de 16 annos com fc
fr.: principios de habilidades; urna preta *
^ de 20 annos de boniU figura ; urna ,'?
^ dita de 26 annos. ptima engomma- 4
f deira ecozinheira ; urna bonita mu- ,'?
# latinha do 13 annos, que cose e mar-
? ca muito sofTrivel; d ius prctos para M
o servigo de campo ; um moleque
? de 12 anuos. A
* *
fff9999 99 99^ 431
Corles de brim de puro
l.nho, al,280:
Vendem-se corles de brim trangado
pardo de puro linho, pelo diminuto prego
de quatro patacas : na rua do Crespo, loj
da esquina que volta para a cadeia.
Eslo-se acabando
os superiores queijos do prensa : na rua do
Queimado, loja de miudezas n. 25.
Um excedente quarlo.
Vendc-se um excellente quartflo : na es-
tribarla por detrs da loja de louca do Sr.
Fragozo, na rua da Cadeia do Recite, a fal-
lar com Bernardino Pinto.
Sorte grande de 20:000$
Lotera do Kio-de-
Janeiro*
SJo chepudas as lisias da malrizes e da
misericordia e com ellas grande sortimen-
to de bilheles, meios, quarios, oitavos e
vigsimos da 19.a lotera du Monte-po : na
rua da Cadeia loja de ferragens, de Anto-
nio Joaquim Vidal.
Praca da Independen-
cia, loja n. 5.
He chegado a e.-te estabelecimento urna
porgSo de papel pautado para msica cor-
das e bordOes para vinillo e rabera : tudo
da melhor qualidade possivel.
Vendem-se espedios de parde, a 400,
480.560.800 e 1,000 rs cada um ; capa-
chos a 480, 640 e 800 rs : no Aterro-da-
Hoe-Vista.n. 12.
Vende-se urna bonita commoda de an-
gieo, com muito pouco uso, o por prego
commodo; urna dila velha propria para
servir em lugar de armario em co/inha; 1
bolcloem muilo bom estado e proprio pa-
ra qualquer casa de negocio ; 7 caixilhos
envidragados, muito proprios para arma-
gfodeloja de fazendas, miudezas ou cal-
cado, por trego commodo : no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 72.
Vende-se superior cal virgem de Lis-
boa ,em barris pequeos; feches de arcos
de pao e rodas de dilo para barricas; cu-
nheles de pinho abatidos para assucar ;
pregoscaixaesdo Porto, em barris de 10
milheiros; ditos de estuque em barris de
32 a Smilheiros ; marmelada de Lisboa,
em latas de 1 e 2 libras ; pillas de familia :
na rua da Cruz, n. 19, primeiro andar a
fallar com Joaquim Ferrcira alendes Gui-
mariies.
~ Vende-se um bonito moleque de 12
anuos; um bonito mulalinho de 13annos,
ambos proprios para aprenderem officio:
porserem muito espertos : na rua larga do
Bozario, loja n. 35.
Lotera da llio-de
Janeiro.
Na pruga da Independencia, n. 4, ven-
dem-se bilheles, meios quartos e vigsi-
mos da 19." lotera do Monte-Pio. Na mes-
ma loja se mostram as listas das loteras
passadas.
' Vendem-se suieriores redes e urna
toalha : na rua do Queimado, loja de miu-
dezas, n. 25,
Vende-se superior farinha de man- "j
j* dioca, muito nova por prego mais J
a> commodo do que em outra qualquer ^
^ parte: a bordo da sumaca fella-Arge- ^
!> lina, Tundeada demnie do caes do <-.
W Ramos ou na rua do Vigario, n. 19, _^
^ segundo andar, casa de Machado & 9
;>
l'inheiro.
<"
Na rua de dorias, casa da esquina que
volta para S.-1'hcreza, n. 54, cciiliouam-sc
a vender superioies velas de carnauba, tan-
to em libras como em arrobas: lambem se
rerebem encommendas do arrobas para
filia.
Vende-se um preto com offlco de sa-
palciro : na rua do Queimado, n. 14.
A 610 rs. a libra.
Que-'jos Imid inos
Vendem-se, pelo barato prego de 640 rs. a
libra queijos londrinos, chegados recen-
temenle : na rua do Amorim, n. 36.
Ceblas.
Vendem-se ceblas ; saccas com farinha ;
ditascom feijffo por muito barato prego:
ao p do arco da Couceigflo, armazem n. 64.
Vende-se o engenho llaixa-Verde um
dos melhores da alalia situado quas as
estreas das comarcas de Nazareth e poian-
na de cojo porto dista 5 legoas de excel-
lente estral completamente nion'ado pa-
ra tiror-se grandes safras, com cercado na-
tivo maltas sufficienles, terrenosproprios
para qualquer plantagllo, Este engenho ;
II I
fet *


alm de outras vantagens, tem os prinej.
paes partidos em cima ds porteiras. e fres,
eos para nos annos de grande secca terem-sj
certos mil pues de excedente assucar. q
actual proprietario vendo-seobrigado, p0r
motivos particulares a vender este enge.
nho todo negocioVar. Para mais algumaj
nformagOes os pretendenlee pdem dr^
gir-se ao Aterro-da-Boa-Vista n. 84, pr^.
meiro andar ou no dito engenho a Diogo
Velho Cavalcante de Albuquerque.
Vinho da Figueira.
Aviso aos amantes da
boa pinga.
No novo armazem deste delicioso licor,
na rua do Collegio, n. 13, vende-se a is
rs. a garrafa e a 1,280 rs. a caada ; um.
bem ha em barris. O proprietario deste es-
tabelecimenloassevera aos seus novos fre.
guezes que este liquido he o melhor o miij
puro que desta qualidade se pode presen-
tar no mercado e quem urna voz experi.
mentar nSodeixar de continuar.
Na rua da Cruz, armazem de molhados,
n. 27, vende-se o seguinte :
Carne salgada
de porco e vacca ,em barris, de muito boi
qualidade, e muito nova ;
Remo de faia
do todos os tamanhos ;
Lanletnas d% patente
de varios tamanhos, proprits para navios,
Cabos da Russia,
de patente, os melhores que ha no mera,
do, e de todas as grossuras ;
Lonas inglezas
e de varias quslidades tanto largas con
estreitas;
Brim da Russia,
de superior qualidade para velas ;
Bonetes escoceies
para marojos.
-- Anda osla por vender a venda do Al
ro-da-Boa-Vista n 22, com poucos funJJ
dos e com commodos para morar, familia:
tambem se vende um brago de balrncj
grande com 9 arrobas em pesos, propri
para armazem de assucar, ou carne di
Cear : a tratar na mesma venda.
$VVfVVfVfVfVfffl
>
* Vendem-se molecOes de 16 a 20 an-
** nos de nagilo e crioulos, sendo um '
* de 16 annos e de nagilo bom cozi- |
^. andar.
*" nheiro e de onlima conducta : na 2
r> rua das Larangeiras n. 14, segundo ^1
Vendem-se relogios de ouro e prata,I
patentes Inglezes : na rua da Senzalla-No-|
va, n. 42.
Vende-se um pardo mogo, de bonilal
figura proprio para pagem, ou outro quat-l
quer servigo : na rua da Cadeia-Velha n.l
33, se dir quem vende.
-Vende-se um Thompson e um Alias
gpographico porCoujon, ainda novo, porl
prego commodo : na rua do Cabug (ojal
n. 7.
Vendem-se ricos coeiros de cairn'iri|
bordados: no Passeio-Publico, loja n 11.
.- Vende-se urna preta com urna filhsdel
10 annos: a preta cozinha, lava o vende nal
rua ; urna dita boa para o trabadlo de can-I
po, por estar a istoacostumada : na rua cal
Collegio, n. 21, primeiro andar, se din|
quem vende.
--Vende-se urna barrica com gomma
engommar, por prego commodo: na nt
das Cruzes, n. 40.
Vende-se sag de primeira sorte, gor
ma de araruta tapioca do MaranhSo, ceta'
dinlia de Franga cevada : na rua das Cru-j
zes n. 40.
Escravos Fgidos
- Fugio, no dia 31, pelas 4 horas da la
de um escravo pardo, de nome Vicente
de cor muito clara cabello um tanto pi
chaiin; levou caigas de riscado, canl1*
branca jaqueta de riscado, deixando i
chapeo porm elle havia ter cuidado di
comprar outro; tem no rosto algumassar
das; heoflicial de alfaiale, elamliemen
tende de carpina ; be muito de suppr, po1
ser muilo alvo que se inculque forro, po>
diz ter mili forra as Bananeiras, provine
da Parahiba ; he muito baquiano, por t
andado com o antigo senhor por S -Anlaoi
todo o serlilo com gados, em que o sento1
negociava ; foi vendido no Cear, a Desid"
rio, Antonio de Miranda, que o trou'
comsigo no vapor. Boga-se as autonda1'
policiaes, pessoas do povo e capitfles
campo que o apprehendam e levem-noi
rua da Cruz no Hccie, n. 33, que ae gra-
tificar com 50,000 rs.
- Fugio, ha das um preto de no
Patricio, crioulo de 30 annos pouco mi
ou menos ; he bstanle preto, magro, ae.
dentado.com urna lislula em um queiw
levou caigas de riscado ja usadas jafl"''
prela ; anda muito de vagar por *{,.,
do doente; consta andar uoa arrabaiur
desta'cidode, com urna mochila Pei"\
esmolas como pobre ; (em um p um lan
incitado : quem o pegar leve-o rua
Cruz n. 33, que ser gratificado. _
-- Fugiram, no dia 30 do prximo Ps*
do, os prelos Joaquim de naCAo c"."u"j
(longo ula, de 24 annos pouco nims o
menos, estatura regular; lem ,6U"'
marcas de ventosas no estamago : J"0.
nagao Congo, de 24 annos pouco "' l
inenos estatura regular BfM dome,"'
temdous dedos meioaleijados na mBo 4
reila urna cicatriz e P''"'cd"ejiiunl'
binlio as costas de dila mSo. Joga-so
auto, idades policiaes e capiUea de campo
queoapireheodam e levero-no a roi-
I'orias, venda n. 135 a seu wnhor, !>'
Ilodrigues, que recompensara.
- Fugio, no dia 4 do corrente ,
Balbina de nafio Cagange, de -0 aun
secca do corpo, rosto comprido, dete fc
raados bem preta ; levon vestido de en
delistras ; porm pode ser que lenna j
dado de traje, por ler roupa na rua, km*
lar estar na Capunga em um sitio por
hium prelo do seu conbeclmenjo q
j pegar leve-a a rua de S.-Bom-Jesus-d
Crioulaa, n 31.
PlN. : N TTP. DE M OE F*iA.
-18-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENZU2Q9SX_E9ES0Y INGEST_TIME 2013-04-13T00:35:22Z PACKAGE AA00011611_06242
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES