Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06241


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
Qunrta-feira 8
PARTIDAS SOS COKBEIOS.
Golanna eParahfba,segundas o sextas-feiras.
Ilio-Orandc-do-Norlc, quiotas-feiras ao mclo-
dia.
Cabo, Serinbacm, Rio-Kormoso, Porlo-Cal.vo
Slacciu, no 1.', a lt c 21 de cada mei.
Garanhuns e llonito, a 8 c 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-reiras.
di inda, todos os dias.
EPHEJBERIDES.
Piiases i m. Chela a 4, s 1 b. e 32 m. da m.
Miog. a 11, s 11 b. e 13 in. dain.
Nova a 18, s 3h. cl3m.da t.
Creso, a 25, as 2 h. e 30 ni. da t,
FREAMAR DI HOJE.
Primeira s 8 horas e 30 minutos da manh.
Segunda as 8 horas e 54 minutos da tarde.
de Arosto(.cl849\
N.-IW.
PRESOS DA SUBSCRIPTO.
Por tres mezesfadianrado) 4/000
Porseismezes N/tinu
Por um anno 15/000
DAS DA SEMANA.
ti Seg. S.Tbiago. Aud. doJ.dos orf.cdom.dal.v.
7 Tere. S. Caetano. Aud. da chae, do J. da 1. v.
do civ. e do dos feitos da faxenda.
8 Qu.li i. S. Cyrlaco. Aud. do J.da 2. v. do civ.
9 Quint. S. Homo. Aud. do J. dos orf. o do m.
da l. r.
10 Sext. 4 S. Lourcnco.
11 Sab. Ss. Tiburcio e Susana. Aud. da Chana, e do
J. da 2. rara do criine.
12 Dom. S.Clara. ______________________
CAMBIOS El
Sobre Londres. 25 d. por 1/000
. Paria, 380.
. Lisboa, 115 por cento.
Oaro.Oncaihcsnanhocs........
loedasder400velhas.
de 6/400 novas.
de4/J06.........
Prata.Palacoes brasileros.....
Pesos columnarios......
Ditos mexicano
AGOSTO.
rs. a CO dias.
31/000 a
17/2DO a
1U/200 a
9/2i K) a
1/99(1 a
1/090 a
J/.I00
31/500
17/100
HijMOO
9/400
2/0 nt
2/Ulu
1/920
DIARIO DE PEMtWBICft

PARTE OFFIC1A1.
MINISTERIO 1)0 IMPEBIO.
Solve duvidas encontradas na execuco da lei
rrgulameniar das eleiedes pelo juii de par
presidente da junta de qualilicacao da fre-
gueija de Borba, e pela cmara municipal
da vllfa de Ourcm, ambas na provincia do
Par.
1." Seccao.Rlo-de -Janeiro. Ministerio dos
negocios do Imperio, fin ti de malo de 1849.
lllin. e Exm. Sr.Leve! ao cnnheciinenlo
de S. M. o Imperador as seguintes duvidas so-
bre a let regulainantar das eleiedes; e que
conslaiu das copias que arnmpanharain os of-
ficios de V. Bxc. n*. 16 e 27 de 12 r. 17 do mez
prximo passado.
I.' Duvida. Do juii de paz presidente da
Junta de qualilicacao da freguezia de Korba.
e os nirnibros da junta prtem suscitar ques-
t;io acerca da legalidade ou illegalidade com
que funeciona o presidente da niesina por fal-
ta de diploma ou juramento, e tomar conhe-
cimento dos acpaa por elle pralicados.
9.a Duvida. Do inesino juiz de pai. Seo es-
crlvo, que serve perante a junta, pode dar es-
clareclmentos relativos aos trabamos da qua-
llficacso.
3." Duvida. Do dito julz. Se o presidente da
junta pode despedir o membru della que pro-
cura Interroinper os trabalhos com argumen-
tos frivolos, chamando o seu iminedialo para
o substituir, e faz-lo processar.
4.' Duvida. Da cmara municipal da villa de
Ourem. Se o llvro da qualilicacao, deque tra-
ta o art. 21 da lei regulamentar das eleicOes,
deve ficar*em poder do presidente da Junta,
ou ser remedido cmara do municipio.
K o mesmo augusto Senhor, inteirado das
decisoes que V. F.xc. proferto sobre as referi-
dasduvldns, manda declarar-lhe:
1.* Duvida. Que nao foi acertada a decisao
de V. Exc. sobre a primeira duvida primei-
ra, (quanlo d legalidade, ou illegalidade, com
que funeciona o presidente da junta) porque
os membros da junta n5o sao competentes pan
jtilgsr do defeltns do presidente della, seja
por falta de juramento, ou de diploma, seja
porque houvesse vicio ou ir.egularidade em
sua eleico, ou Analmente por outro qualqucr
moiivo, bein coino o nao he o presidente a
respelt,o dos membros da junta, como por va-
rias veses tem declarado o governo Imperial ;
sendo que qualqucr queslao que se suscitasse
aobre esta materia, seria em pura perda. por-
que nenhuma decisao se poderla tomar: se-
gundo, (quanto aos actos pralicados pelo pre-
sidente da junta em vlrlude das altribuices
que Ihe sao couferidnsj porque assim o tem
declarado o mesmo governo no 2. do aviso
n. 63 de J9 de mareo de i847, que se funda as
raides cima expendidas. No primeiro caso
cabe aos membros da Junta representar ao go-
verno) c em um e outro leein elles o dlrello
de fazer Inserir na acta os protestos necessa-
rloa, e as rasdes por que duvldam da legalida-
de contestada, afini de aer.tudo apreciado pelo
poder competente.
2.' Duvida. Que tambein nao he rasoavel a
oplnia de V. Ixc. acerca da segunda duvida ;
porque, posto nao possa o escrivSo ante a jun-
ta Ingcrlr-se de moluo proprio nos trabalhos
da quallflcaco, tem comludo o dircito, e
mesmo he de seu dever, como einpregado pu-
blico que he, prestar os esclarccinientos que
dlle frem exigidos em vil lude do disposto
uo art. 31 da citada le.
S.' Duvida Que seguramente, como V. r.xc.
deeldlo, nSo tem o presidente da junta dir to
dedespedlro membro que ou por ignorancia,
ou de m t propde quesloes frivolas que ten-
damainterroinperos trabalhos, porque a lei
na o autorlsa a iuipr seinelhaule pena, e
mesmo haveria per ge- que Ihe coucedesse urna
tal autorisacab pelo abuso que della poderla
fazer para organlsar a junta com pessoas de
sua parcialidade, como V. Exc. uiui bem pon-
dera ; mas que pode, e deve o presidente da
junta chamar a selis deveres o membro que
perturba os" trabalhos, suspender mesmo a
sessio, quando amiellc mel no seja sufncien-
le, e a interruprao fr tal, que nao seja possi-
vel progiedirem os trabalhos ; e finalmente
requerer a sua punicao autoridade crinuual,
quando baja criine no seu procedlmenlo.
4.' Duvida. Que nao procede a decisao de
V. Exc. sobre a quarda duvida, por ser con-
traria o art. 37 da mencionada lei, explicado
pelo aviso n. 29 de 27 de fevereiro de 1847 que
tnandam remeller o llvro da qualilicacao a c-
mara municipal, logo que elle nao seja mal*
preciso. ,
O que commuulc V. Exc. para sua inte-
ligencia, e para que assim o faca constar ao
juiz de paz, e cmara representantes. t
Dos guarde a V. Exc. Vitconde de Moni-Ale-
are.Sr. presidente da provincia do Para.
SUa duvidas encontradas na cxecugflo da
le regulamentar das eleicOes pelas cama-
ras muuicpaes do Brejo, Serinhnem e Bo-
nito, na provincia dePernambuco.
Primeira secdlo. IWo-de-Janeiro. Minis-
lllm e F.xm. Sr. --Com o oflicio de V.
Exc. n. 35, de 3 do cor rento, fram presen-
tes a 8. M. o Imperador as copias dos cilicios
I das cmaras muuicpaes do Brejo, Seri-
1 nhflem e Bonito, e dss decisoes proferidas
I por V. Exc. por occasifio ds seguintes du-
vidas sobre a lei regulamentar das eleicOes.
1.* Duvida. Da enmara municipal do Bre-
jo. Se o juiz de paz mais volado, e que he
substituto do juiz municipal, pode presidir
. junta de qualificadlo, ou se deve ser subs-
I tiinido pelo teu inmediato em votos.
2.' Duvida. Da mcsuia cmara. Se, teodo
ido qualificados pouco mais de 180 votan
4.* Duvida. Da cmara municipal de Se-
rinhflem. Se, tendo sido annullada a#le-
cSo de 1847, devia a mesma cmara enviar
ao juiz de paz respectivo a copia da acta da
eleicflo de cleitores, que teve lugar em1844,
urna vez que seus poderes haviam expirado.
5 Duvida. Da cmara municipal do Bo-
nito. Communicando esta cmara ter ex-
pedido as convenientes ordens, para que as
juntas do qualificacflo, bem como asassem-
blas parochiaes, funeelonassem as po-
cha's marcadas na circular dessa presiden-
cia, de 28 de marco prximo passado, per-
gunla se devem as mesmas juntas e assem-;
blas as villas do Altinbo e Caruar ser
presididas pelos ju7es de paz da legislatura ,
que findou nodia 7 de Janeiro do correnle,
anno,. visto nflo se ter inda procedido
eleico de juizes de paz as ditas freguezas,
e nflo poder ella talvez estar concluida a
lempo de os novos juizes podorem funecio-
nar naquellas pocas.
E o mesmo Augusto Senhor, estranhando
que a camera municipal do Brejo repita as j
duvidas primeira e segunda, ja por tantas,
vezes decididas pelo governo imperial, e.
acertadamente resolvidas por V. Exc, to;,
mapdo assim o tempo intilmente essa
presidencia eao governo imperial, ha por
bem mandar declarar:
3 a Duvida. Que foi bem decidida por V
Exc. a terceira duvida, que nSo ha rasilo al-,
guma para ser aventada em vista da clara e
(erminanlfl disposico do artigo 1 ta da lei
regulamentar das eleicOes.
4 a duvida. Que, leudo sido annullada a!
eleicodo 1847 que no foi poroutra subs-|
tituida, o havendo expirado os poderes dos
eleitores eleitos em 1841, cortamente nSo
resta outro arbitrio a lancar mfio do que o
do artigo sexto da citada lei, como bem en -
tendeu V. Exc. por analoga da que se dis-
pOem no 7 do decreto n. 480 de 24 de ou-
tubro de 1846, e como expressamente decla-
rou o governo imperial pelo 3 do aviso de
11 de agosto do anno ultimo, expedido ao
presidente da provincia da Parabiba.
5.a Duvida. Quo urna vez que nfio esteja
concluida a eleicflo dos juizes de paz usa
regueiias do Altinbo e Caruar, a lempo
de podrem elles funeconar as juntas de
qualilicaeflo e mesas parochiaes, he indu-
bilavel, como V. Exc. declarou de conformi-
dade com as decisoes imperiacs, que devem
servir os juizes de paz do quatriennio flndo,
aos quaes cumpre alias exercer todas as
funeces de seus cargos, emquanto nflo f-
rem substituidos pelos da eleicflo a que
tero de procedor-se, como tem sido explica-
do por mais de urna vez.
O que communico a V. Exc. para seu co-
nhecimento, advertindoque, havendo S. M.
o imperador declarado em aviso de 27 do
mez prximo passado, expedido em virtu-
de da resolucjlo de consulta de 3 do andan-
te mez de marco, quo a eleicflo de eleitores
marcada para o futuro mez de agosto deve
ser feita pela qualilicacQo deste atino, cum-
pre que V. F.xc, se anda o nflo fez, revogue
a circular de 30 do referido mez de marco,
deque faz meneflo no oflicio que dirigi
cmara municipal do Bonito
Dos guarde a V. Exc. -- Visconde de
aVonf Alegre. Sr. presidente da provincia
de Pernambuco.
Resolve as duvidas encontradas pela juiz.]
municipal substituto, presidente do con-
celho municipal de recurso da Villa-Fran-
ca-do Imperador, na execueflo da lei re-
gulamentar das eleicOes.
1.a Seceso. Rio-de-Janeiro Ministerio dos
negocios do imoerio, em 25 de maio de 1849.
Illm. e Exm Sr. Foi prsenle a Sua Ma-
gestade o Imperador o orficio de V. Exc. n.
42 de 12 docorrente mez, acompanhado da
copia do que em dala de 30 de abril ultimo
Ihe dirigi o juiz municipal substituto, pre-
sidente doconcelho municipal de recurso
da Villa-Franca-do-Imperador, noqu.il cx-
p0o o mesmo juiz que, tendo o presidente
da junta de qualilicaeflo da freguezia da di-
ta villa, depois de qualidcados 104 votantes,
suspendido os trabalhos da junta, sein que
posteriormente a lornasse a reunir para ce-
lebrar a sua segunda sessflo de 5 dias, orde-
nada no artigo 22 da lei regulamentar das
eleicOes, elle presidente do concelho, nio
obstante esta falla, e rumindose na doulri-
na dos avisos de 6 de abril de 1847 ns. 64 e
65, convocou o referido concelho, ao qual
sendo apresenlada urna petieflo de recurso
contendo os nomes de cidadllos habilitados,
e que pela maior parte haviam sido conlem-
terioTosVego-c os do impe o 2 Tde7*i\o flido as qual fic.Oes -nlerior.. das
i" rio quaos a do anuo de 1847 deu 466 votantes, e
a de 1848 653 ; sendo a mesma petiQiio
instruida com a certido authentica do tor-
mo de recurso que fura lavrado no livro das
actas daqualilicac.no com as formalidades
prescriptas no artigo 5. do decreto n. 511 de
18 demarco de 1847, o mesmo concelho,
julgando pelos termos em que estilo conce-
bidos os artigos 8. e 9.a do decreto n. 500
de 16 de fevereiro de 1847, que o no haver-
se tomado conhecimento das reclamacnes
por falta daquella segunda reuniflo equiva-
la a seren desatlendulas as mesmas recla-
macOes, tomou conhecimento do referido
recurso, e Ihe deu provimento, dando lugar
i assim a que nflo ficasse privado de votar um
tes, deve com ludo a freguezia dar o mesmo/ assim a que nao """"",\?. "d"-"
r numero de 25 eleitores, que deu na ullimaVtflo grande numero de c.dadfloshal .1. ados.
I eleicflo : ou se deve elle ser reduzido de ma- (( E o mesmo augusto Senhor, a viaujia^ex-
Inrira quo nflo exceda
ao numero de volan-
tes, caculamlo-se um eleilor por cada qua-
fenta votantes segundo O ai ligo 59 da lei
eguiaiiientar das eiei^Oes.
3a Duvida. Da mesma cmara. Sede-
servir na mesa parochial, que tem de
convocada para a prxima elercflo, os
ai lores da legislatura dissolvida ou os do
III IT
sieflo que taz aquello juiz, e que V. hxc.
bmelleu consideraQSo'do governo im-
al, manda declarara V. Exc. :
Que foi irregular o procodimento do
evidente da jonia de qualilicacQo da fre-
guAia da Villa-Franca-do-Imperador, pois
que V' lin8 elle direit0 Para u*Pe,luer 8
trabalhos da junta pela maneira por que o
fez, q*e importa urna dissolu?o u8o ulo-
II
risada por lei, e expressamente prohibida
pelo 4. do aviso n. 63 de 29 de margo de
1847.
2 Que, nflo tendo a dita junta, como pa-
rece, funecionado por todo tempo marcado
no artigo 20 da lei regulamentar das olei-
cOes, e nflo podendo ser restringidos os pra-
zos Bxadosna mesma lei para os trabalhos
da qualilicaeflo, como por vezes se tem de-
cidido, deve V. Exc., declarando som effei-
to os trabalhos da referida junta, o os que
se Ihe seguiram celebrados pelo concelho
municipal de re-urso, que nflo pdem sub-
sistir pelas rasOes que adiante se expendem,
ordenar que so rena novamente a junta de
qualificacflonaqiiella freguezia, a qual de-
ver celebrar as stias sessOes pelo lempo o
nos termos da citada lei, como em caso
idntico determinou o governo imperial por
aviso de 22 de novembro do anno prximo
lindo $1.0
3. Que no caso, porm, de que a junta ti-
vesse funecionado por espaco de 20 dias,
deve V. Exc. ordenar que ella celebre a sua
segunda sessflo, embora tenha decorrido o
tempo para isto flxado pelo artigo 22 da
predila lei, semelhanQa do que em cir-
cnmUancia anloga se ordenou por aviso de
7 de marco do anno passado.
4." Que illegalmente tomou o concelho
municipal conhecimento do recurso que Ihe
fra presentado, por uso que o caso figu-
rado pelo juiz municipal representante nflo
esti de maneira alguma romprchemlido no
decreto por elle citado n. 500 de 16 de fe-
vereiro de 1847, como suppoz; porquanto,
tendo este decreto nos artigo 8e 9. por
flm explicar o artigo 35 da lei das eleicOes,
nflo poda referir sea faltada segunda reu-
niflo da junta de qualificaeflo, e porlanio
sanccona-la, sendo alias aquella segunda
reuniflo exigida polo artigo 22 da mesma le,
como essencial para o processo da qualili-
caeflo, e para se poder recorrer ao concelho
municipal de recurso, segundo foi declara-
do no citado aviso de 7 de margo do anno
pretrito.
5/ Que, urna vez completos os trabalhos
da junta de qualificac.flo com a primeira e
segunda sessflo, deve ter lugar a reuniflo do
concelho municipal de recurso na poca que
V. Exc. houverde designar, tendo em vista
o que se determina no aviso n. 22 de 25 de
fevereiro de 1847.
6. Que,acontecendo nio polr (car con-
cluida a qualilicaeflo a tempo de poder ser
celebrada a eleicflo de eleitores no dia apra-
zado pelo governo imperial, observan lo-s,
quando haja escassez de tempo,o que dispo
o 4.* de aviso prximamente citado, con-
firmado pelo 8.o do de 23 de Janeiro do
corrente anno, devora V. Exc. Inncar mflo
do arbitrio autnrisado pelo 5 a do referido
aviso n. 22 de 25 de fevereiro de 181", e
8.o do outro que o confirmou. E quando nflo
seja afiida bstanlo rara a su* ultimacflo
todo o lempo que tem do decorrer ate a
poca marcada para a eleicflo dos deputa-
dos a assembla geral, de maneira que nflo
possa at esta poca flcar concluida a elei-
Qflo primaria, como nflo he pertnilldo
transferir-se aquella eleicflo pira onlro dia,
segundo o preceto do artigo 60 da mencio-
nada le de eleicOes, oumpre que nesso ca-
so se proceda eleic.flo primaria, na fregue-
zia om quesillo, pela qualiiicacjlu do anno
passado, na conformi lade da decisflo j pro-
ferida em aviso de 30 de abril ultimo bo pre-
sidente da provincia doMaranhflo.
O que ludo communico V. Exc. para sua
intelhgcncia e governo, cumprindo que V
Exc. fca responsabilisaro juiz de paz pre-
sdeme da junta de qualilicaeflo pelo seu
reprehensivcl c illegal proceJimonto, que
deu lugar a nflo se ter feito a qualilicac,flo
no lempo nurcado pela lei.
heos guardo a V. Exc. Viiconde d Non-
fAlegre. Sr. presidente da provincia de
San-Paulo.
Approvando a deliberacflo lomada pelo pre-
sidente da provincia do Rio-de-Janeiro
'do mandar subsistir o juramento deferido
pelo presJente da transacta cmara mu-
nicipal da villa de Marica aos vereadores
da nova cmara ; e determinando que em
circumstancias anlogas se observe a de-
cisflo do aviso de 2J de junho do 1834.
1.a secgflo. Rio-de-Jaaeiro. Ministerio dos
negocios do.imperio, em 31 de maio de
1849.
Illm. e F.xm. Sr. Sua Magcstade o Im-
perador, tendo por sua immcdiala resolu-
eflo de 26 do corrente, tomada sobre con-
sulta da secQflo do imperio do concelho de
catado de 15 do mesmo mez, relativamente
no objecto do oflicio de V. Exc. do 23 de Ja-
neiro prximo paisado, npprovado a deli-
beradlo do V. Exc. do mandar subsistir o
juramento deferido pelo presidente da
transada cmara municipal da villa de Ma-
ne* aos vereadores da nova cmara, por
nflo se ter reunido numero sufficiente de
membros para formar sessflo, at quo o go-
verno impenal resolvesso definitivamente
a esto respeito, ha por bem ordenar que
subsista com effeito o mosmojuramenlo,
posto que menos curialmente prestado, por
isso que seria grande o inconveniente da
sua annullacflo pela consequente nullida-
de dos actos pralicados pela cmara assim
constituida, ao mesmo lempo que, ii5o ha-
vendo leiou disposieflo alguma que, sendo
expressa parj o caso dado, fosse manifes-
tsmeule violada, nao ha rasflo sufficiente
para so invalidar um acto que, pela sua
santidade, deve merecer toda avenerac.no,
embora Ihe fellasse alguma circunstancia
Inas formalidades externas, cstabelecidas
pela lei para os casos ordinarios. Outro-
sim manda o mesmo augusto Senhor que
em circumstancias anlogas, e qualquer
que seja o motivo por que deixe de liaver
sessflo para o fim de juramentar e dar po*
se i cmara que novamente tiverde func
cionar, seobsorve o arbitrio lembradopor
V. Exc, como o mais legal, o que assenta
sobre a decisflo do aviso "de 23 de junho de
1834, isto be, de o presidente da cmara
municipal que tiver de ser succedida, o om
sua falta o vereador mais votado, com o
secretario convocarem o juramentaretn tan-
tos supplentes quanlos bastero para haver
sossflo, o perante a cmara assim organi-
sada serem juramentados c empossados os
novos vereadores. O que communico a
V. Exc. para saa intelligencia o governo.
Dos guarde a V. Exc. Vscondo de
Monte-Alegre.Sr. presidento da provin-
cia do Rio-do-Janeiro.
MINISTERIO DA. IWZENOA.
EXTRACTO DO EXPEDIENTE DO DIA 18 DE
JLI.IIO.
Circular. Ordena que nos desnachos de
reexpoilaQflo ou baldcaeflo para os porlos
do imperio se observo o seguinle :
l.o Completo o descacho, eembarcada a
mercadura, se passar urna guia, conforme
o modelo incluso, que ser remedida pela
alfandcga ao administrador do consulado,
para junta-la ao manifest debaixo do so-
brescripto sollado, de quo trata o arlign
178 do regulamenlo de 30 de maio do 1836,
e o em pregado que livor passado a guia,
depois que ella tiver sido assignada pelo
inspec'or, averbar competentemente esta
ciicumslancia na nota do despacho
2.0 As guias sehlo cuidadosamente con-
feridas com os manifestos quo acompa-
nliorem.
3. Nflo se dar desembarazo s embarca-
res naconaes, viudas dos pollos das pro-
vincias com carrogamcnlo do mercadorias
eslrangeirns, sem se couferirem os seus ma-
nifestos na parte respectiva s mesmas mer-
cadorias, pelo melhodo seguido a respeito
das embarcarles cstrangeiras, afini deque
possa depois Icr lugar a disposieflo doarl.
123 do regulamenlo de 22 de junho de 1836.
MINISTERIO DA JUSTU'.A.
Decreto de 21 dojulho de 1819. Rene ao
termo de Pomo-Alegre odoJaguary, na
provincia de Minas-Ceraes.
i le por bem decrotar o seguinte :
Artigo nico. Fica reunido ao termo de
Pouso-Alogre o de Jaguar)-, na provincia
de Minas-Coraes, sob a jurisdiccflo do um
juiz municipal que accumular as funches
de juiz de orphflos, e revogado nesta parte
o artigo segundo do decrelo numero du-
zentos quarenta o tres de seis de novembro
do mil oitocentos quarenta e dous. Euze-
bodeQueiroz Couliiiho Mattoso da Cma-
ra, do mou concelho, ministro o secretario
deeslado dos negocios dajustice, o lenlia
assim entendido e faca executar. Palacio
do Rio-de-Janeiro, om viole um de julho de
mil oilocentos quarenta e nove, vigesimo-
otavo da independencia c do imperio.
Com a rubrica de Sua Magcstade o Impera-
dor. Eus$bo de Queiroz Coulinho Halle-
so da Cmara.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA DE AGOSTO,
dllicio.-Aocommandante da praca, trans-
mittindo, para que Icnham o conveniente
destino, as partes accusalorias e ioqulri-
cOes contra Antonio liezerra da Silva, Jos
Manoel da Fonceca o Claudmo Pinto do
Mello, osle soldado do primeiro lialalliflode
cacadores, e Bquelles do segundo de arti-
Ihariaa p.
Dito.Ao mosmo.ommunicando ques.
M o Imperador, ouvido o concelho supre-
mo militar sobre o concelho que so pro-
cedeu acerca da comkicta do capitflo quar-
tel-mcstro Antonio Braulio Lopes do Carva-
Iho, do alferes Serafim Pereira Barbosa e
do alferes-secretario Bernardino Dias Frei-
r, todos do segundo batalhflo de capado-
res, houve por bem, por sua inmediata e
imperial resolugflo de 30 de junho lindo, re-
formarlos nos ma.smos poslos com a terca
parle do respectivo sold, porseachar pro-
vado o mao comportamenlo dolles.Scien-
tficou-se o Mspcctor da pagadura mi-
litar.
Dito.-Ao mesmo, recommendando a cx-
pedieflo de suas ordens para que o alferes
do quinto batalhflo de caladores, I.uiz Co-
mes Ferreir, spja empregado na companhia
dearlifices.
Dilo.~Ao mesmo, communicando que,
por decreto de 13 de julho ultimo, S. M.
o Imperador houvera por bem conceder
passagem para'a oilava companhia do quin-
to batalhflo de fuzileiros ao capitflo da mes-
ma arma Joflo Francisco do l.ivramenlo.--
Inlerou-se o inspector da pagadoria mi-
litar. ,
Dito.Ao mesmo, recommendando nova-
vameote a execuqflo do aviso de 21 de de-
zembro do 1847, generalisandoas disposi-
cOes dos arligos 4, 5 e 6 do regulamenlo ap-
provado pelo decreto n. 293 de8 0fi maio
de 1843. / -
Dto.-Ao mesmo, scenliOcTndo-o de que
por decrelo de 13 de julho ultimo, S. U. o
Imperador houve por bem conceder passa-
gem para o urimeiro batalhflo de cacadures
ao alfares dqiquarto regiment de cavalU-
ria ligeira/tlaeUno Gaspar Lopes de Aze-
vedo Villa-Bas.-lnl?irou-so o inspector
da pagadr/ria militar.
Dito.-Ao mesmo, communicando que S.
M. o Imperador, por decrelo de 17 de julho
ultimo, houve por bem passar o primeiro
tenenle do quarto batalhfln de arlilharia a
p, Augusto Frederco Vasconcellos Souza
Bahianna, para a segunda classe do exerej-
to, nos termos do artigo segundo do decrelo
n 260 de 1 do dezembro de 1841. Scieniiii-
cou-sc o inspector da pagadoria militar.
Dito.-Ao mesmo, ordenando, em cum-
primento do aviso da guerra do 12 de julho
findo, mande dar baixa a Maximiano Fer-
nandes do Souza, cabo de esquadra do oita-
vo batalhflo de cacadores, visto haver sido
julgado incapaz do servico do exoretto.
Dlo.-Ao mesmo, arbitrando 60,000 rs.
de gratilicaijfloao paisano Luiz Moreira do
Carvalho que se offereceu para assentar
praca no primeiro batalhflo de cacadores,
vislo que Ihe foi favoravel o pararecer da
junta de saudoque o inspeccionou.-Com-
municou-se ao inspector da pagadoria mi-
Dito.Ao chefe de polica, ordenando
haja de dar suas ordens para que seja pos-
to disposico do commandanle da praca,
alim de ser conservado em prisflo militar, o
soldado da companhia iix do cavallana,
Joflo Baptsta do Rosario, que se ycha reco-
Ihido cadeia desla cidade a orden, de S.
S. como indiciado em crime de morle.--
Neste sentido olllciou-se ao commandanto
da praca. .
Dito.-Ao mesmo, transmitlmdo copia do
aviso da justiQa de 23 do julho lindo, pelo
qual se determina que.desde que os adunes
amanuenses da repartidlo a cargo de S. S
deixem do nella servir, nflo devotn os novos
nomoados Icr de ordenado mais do quairo-
cenlos mil res.
Dlo.-Ao presidente da rolacfln, remet-
iendo copia do aviso da secretaria dajusli-
ca de 12 de julho ultimo, no qual secom-
uiunca quo S. M. o Imperador houve por
bem ordenare declarar por sua immedial.i
o imperial rosolucflo do II desse mez, que
aos empregados da roparlcito da justic,a,
ou seinm magistrado* ou nflo, somenln
pode concedor-se licenrjas com ordenado in-
tero ou fraccionado depois deterem nflo so
posse mas tamben exercicio, pois quo
aquella sem esto he apenas um ttulo de an-
tKuidade, e nflo d direito a vencimentos.
-Renielluu-se lambem copia ao inspector
da thesourariada fnzenda.
Dito Ao agente da companhia das liarcaa
ue vapor, ordenando mande dar passagem
para o Par a bordo do vapor Impcratrit, no
caso de que haja alguma vaga para passagei-
ros de estallo, ao padre Manoel da ronseca
Hernal, capelluo do tercelro batalho de arti-
Ihariaa p. .
Dito.Ao inspector do arsenal de uiarinha,
iraiismittindo copla do aviso da secretaria de
marinha expedido ao Exm. presidente das Ala-
cias relativamente madeira necessana ao
brlgue que aqu se val construir, e bem assnn
nina outra copia da nota que o mesmo aviso
se refere. ,
Dito.Ao contador de marinha, cominunt-
cando que S. M. o Imperador houve por bem
ordenar que os ofliclaes e mais empregados
subjelio* ao ministerio da marinha pagucm os
dircltos de cinco por cento c o respectivo sello
la corte, onde se expedem as suas patentes o
itulos. ,
Dito.Ao Inspector da thesourarla da faien-
la provincial, transmiltindo dous exemplares
le cada una das notas de i0/ c 50/000 rs. que,
sendo falsas, e imitando as da segunda estam-
pa que ora circulain. fram apprehcndiJas na
provincia de Minas-Geraes, afini de que as dis-
tribua igualmente entre o thesourcno daquel-
la reparticio e o do consulado provincial para
sen governoPartlcipou-se ao Inspector gc-
ral da caixa de ainortisaco.
Dito.Aocommandante do corpo de poli-
ca, ordenando faca recolhcr o destacamento
que se acha na poroafao do Mnntclro c entre-
gar a seu dono a casa que tem servido de quar-
te I ao mesm destacamento.Scienlicou-sc o
inspector da pagadoria militar.
Iiito.--Ao administrador do crrelo, com-
municando que, por portarla de 7 de julho
ultimo, fra nomcado Manoel Marinho de
Sousa Pimcntcl para o lugar de praticante
daquella admiuistracao, bem como que o no-
meado deve perceber 300,000 ra. annuaes, sen-
do tres quartas partes de ordenado e o restan-
te de gratilicaco.
Portara. O presidente da provincia,
usando da attribuidSo que Ihe foi conferida
pelo decreto dott de Janeiro do corrente
auno, lem resolvido conceder amnista em
nomo de S. M. o Imperador a Manoel Bczer-
ra Cavalcante, morador no RioFormoso,
pelo crime de rebelliflo, ltimamente cora-
mettido nesta provincia.
E para sua resalva se Ihe passa a prsenle,
em vii lude da qual jamis podera ser pro-
cssado pelo dilo crime.
Cominanti da pra^a. t
aQarlel do commtndo da maca na cidade 0o He-
ce(tim l'ernamburo, 2 de aaoilo de 181J.
ORDEM DO DA N. 9.
Faco publico, para conhecimento da guarn-
cao.iordem do dia do Exm. Sr. general com-
inadantc das armas de 28 do passado, c boje
recebida, a qual he do teor seguinte :
Ouat Itl-aeneral do colimando dai armas em Pr-
nambueo na villa do Rio-Formoio, 28 a*e>Mffu>
de 1819.
No dia 1." de agosto futuro depois da mos-
tra Ocar dissolvido o corpo fixo do Cear exis-
tente nesta provincia pela maneira seguinte :
. O contingente do 6.a batalho de catado-
res addido ao mesmo corpo ser dividido ao
nielo, fieando urna inetade pertencendo ao i.
e outra ao a.* batalho de cacadores, as praraa
do corno fixo. formando urna companhia ao
mando do official mais graduado do mesmo
corpo, licando addida.o referido batalho.
O Sr inajor commandante interino Tara rc-
nessa para cadaun dos oorpos das guias das
pracas que Ibes dlsserem respeito, devendo
1


OUH
K
contar como pertenccnte j ao 1. batalhao ai
50 pr.ic.as que aqui seacham: o> ofticlaes ein-
jin ;;:nl(n no corpo mandado dissolver scrao
retirados para os seus corpos, e o que frem
do corpo lixo flearao na companhia mandada
organisar.Jo Joaquim Cnellio.
Km cumpriinento do quo, lica dissotvido o
referido corpo lixo do Ceara pela maneira de|
terminada na ordem acuna, devendo o Sr. ca-
pitiio do (i." batalliiio de catadores Francisco
Rodrigues Cardnso, que eommandava interi-
nainentc,dividir .. pra;a> dos tres corpos ad-
dldas, ein tres relaefles, urna de 20 pracas es-
cnlhidas (|ue volunta! lamente queiraut passar
ji.ii .1 o 2. batalhao de artilliarla, c duas rela-
nces iguaes ein numero, urna para ser reaaacl-
lida ao I." batalhao de catadores, comprchen-
didas as 50 pravas que por ordem de S. Exc. j.i
se acham pertencendo ao referido batalhao, e
outra para ser enviada ao 2." balalho da mes-
ma arma que fica pertcncendn metade das
lilas pracas abatiras as primeiras vinte, as
quaes relacut-s enviar com urgencia a este
commanilo, para seren rcnietlidas aos respec-
tivos corpos.
As |.r.i, i-, do corpo lito propriamente ditas
formal ao una companhia que ser coaaiman-
dada prloSr. tenentc-ajudantc do iriesmo cor-
po Jos de Souza Lima, e ficar addida ao anes-
mo J. batalho de caradores; sendo, porm,
desligadas as quatro pracas de pret novanaeaa-
te Incluidas can seu estado rRVclivo com passa-
gem para o mismo 2.' batalhao.
Os Srs. oll'aclaei que se achavam addidos ao
referido corpo voltario aos corpos a que per-
tencem, a saber: o Sr segundo tenenlc Candi-
do Jos da Costa ao 3. batalhao de artilharia,
devendo apresentar-se ao Sr. primeiro tenen-
te do 2* batalhao de artilharia coinmandantc
do respectivo contingente ; eoSr. alferes An-
tonio Jos Baptista Camacho ao 5.* batalhao
de fuzileiroi; devendo apresentar-se ao Sr.
capito coiiimaudanie interino do 5." batalhao
de fuzilriros. os Srs. tcnente llernardo Jos
da Grifa do 0. batalhao de fnzileiros e alferes
1 uii Comes Fcrrelra do 5. batalhao de caca-
dores, licarao addidos ao J." da anesma arma
at seguirem o seu deslino.
O Sr. alferes da quarta classe Jorge Rodri-
gues S'ilrn n.qiii' servia de ajudante, lica dis
pencado do exrrcicio em que se acha.
Finalmente, o Sr. capito Francisco Rodri-
gues Cardoso c tnais pracas du 6.a batalhao de
caradores,que ficaram tiesta provincia,passam
a (car addidas ao J. batalhao da anesma ar-
anaAssignado.Joi Vicentr de Amorim lie-
erra, coronel graduado commandanle.
Quarlel to commando da prora no cidade Jo
llecife 4 de agosto de 1819.
ordem no da. n. 10.
Faro publico para conhccimenlo da guar-
ncflo que, por cilicio do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, de hontem datado, foi
rominunicado que S. M o Imperador, cm
aviso di repartco da guerra do 9 de junho
do crtente nnno, houve por bem mandar
Uie o Sr. secundo-teen te do qnarto bala-
IhflO de artilharia Joaquina da Silva Maya
siga para a corte na primeira embarcarlo de
guerra que liottver (le para all partir.
Outroiim, que o mesnio Exm. Sr., por
portara da presente data, conceden ao Sur.
rapilo graduado ajudaiitoTJa fortaleza do
Huraco Salvador Coelho Dormond o Albu-
quer, em conformidade do parecer da junta
medico-cirurgica, dous mezes do'licenca de
nvor para tratar de sua sade (ora da-
ouelle orte. Assignado Jos Vicente de
Amorim Btierra coronel graduado coin-
iiianilante.
DIARIO DR PBRNAIBDCO.
EXTERIOR.
RECIFE, 7 DE AGOSTO DE 1849.
Pola barca ingleza Esther-Ann que, pro-
cedente de Liverpool, entrara hoje o nos-
so porto,recebmos os Times do i a 16 e de
25 a 29 de junho, rallando-nos os do 17 a 2i
do mesmo mez.
As noticias com que nellos deparamos of-
ferecem*pouco interesse, e por isso lambem
pouco accrescentaroiDos ao que j em ou-
tros nmeros temos publicado.
O imperador da China recusou abrir aos
Inglczes as portas da cidade de Cntalo, l)So
oh'slanlna istq se terobrigado por um Ira-
lado solemne. Este facto lalvoz occasiono
anda a renovaeo das hostilidades entro as
duas naces, o os China tanto estilo persua-
didos disso, quo se estilo preparando para a
guerra.
Em Londres os consols llcaram a 92 1|8 ;
as apolieei do banco, de 19* a 195 1|2 ; os
fondos brasileiros a 80 3|3 ; os pequeos a
811|2; os novos a 80.
Km varios departamentos da Franca ti-
nham occorrido alguns disturbios de pouca
considerarlo; mas fram promptamente
supprimidos.
Carria-que Ledru-Rollin se achava em
Cenebra, na Suissa ; porltl havia lambem
quem asseverasso que o chefe da monta-
nha linda eslava em l'aris.
O imperador da Rtissia tinha chegadoa
Varsovia, aco:npauliado dos condes de Or-
loiTe Adh-rherg.
No dia 20 de junho os Hngaros dcrrola-
ramduas brigadas imperialistas comman-
dadas reos generaes llolt e Theyssmg, mas
ao chegarem em Pered os Austracos encon-
traran! um brigada rtissa commandada
pelo general l'anintin, e por ella ajudados
conseguiram repellir e derrotar os pri-
me i ros.
Os corpos russos que enlraram na Hun-
gra pelas estradas de Dukla, Komuna, (rali
e izliy compo-sode 144,000 homens. l>-
zia-se em Vienna, que parle desta frca ti-
nha jii avancado para Eperiesh e Kashau,
para dalli marchar sobre Debrezin e Groas-
wardein.
Veneza anda se nio linha submellidoaos
Austracos : cria-se firnicmeiite naquelll
ciliado que os Hngaros em Weve iriaui eni
soccorro dos seus habitantes.
A Ventee Gazclle publica urna caria de
Kossiilli a Manin, expressando o seu pezar
por uo poder enviar soccorros a Veneza
com a promptidffo quedesejava, asseguran-
do-lhe todava que empregaria tolos os
seus osforens para faze-lo o mas brevo quo
Ihe fosse possivel, assim como para rcmet-
ter ao mesmo lempo ao governo veneziauo
a somuia de 2,000,000 Rorins.
(i paN,i naio bavaro acha-se j livro dos
insurgentes, e mesmo em Haden tcem eilcs
sido em varias partes desbaratados.
Roma ainda resista aos ataques da seus
inimgos.
vinho branco, 6 pipas vinagre, 20 barr
azeila doce, duas caixas bixas ; ao capito.
1 barril Inhaca, Sciixas e 1 barril dro-
gas; a VriatodeCarvalhoTavares
9 voluraes drogas; Jos Alexandre Ri-
heiro.
8 volumes drogas ; a W. Ilravo G.
1 lata gaiao de ouro; a Tliomaz de Aqui-
no Fonseca. ...
27 barra vinho tinto, U ditos vinho bran-
co, 20 capachos, 2 caixas chapeos o 500 pa-
pis de palitos; a Augusto Cesar de Abreu.
3 volumes drogas; a Jos liarlauoacal-
ves Ramos.
1 fardo peneiros, 1t volumes drogas ; a
Antonio Pedro das Noves.
6G barras com seis quintaos de chumbo.
2 barra com seis quintaes do chumbo do
munieflo, 4 barris alpista ; a Luiz Jos da
Costa Amorim.
300 molhos de ceblas; a ordem.
CONSULADO GEKAL.
Rendimonto do dia 7. ..... 208,115
Diversas provincias........ 21,284
232,399
CONSULADO PROVINCIAL.
lien lmenlo do dia 7...... 294,462
Movimiento do Porto,
Navios entrados no dia 7.
Liverpool 38 dias, barca ingleza l-sthir-
Ann, de 266 tonelodas, capito Thomas
Hunter, cquipagem 16, carga fazendas ;
a James Crabtren & Companhia.
Da commissilo Vapor de guerra brasilei-
ro Thetis, commindante o capil3o-tenen-
to Antonio Francisco Pcreira.
Miraos lanados no mesmo dia.
iiha do Fornando Rrigno-escuna de guer
ra Itgalidade, capito JoSo Custodio de
Ilondem.
Parahba ll.ite brasilciro San-Joto, ca-
pito Joo Vicente Kerreira Passos, carga
varios gneros.
.
KDITAES.
Correspondencia.
NAUFRAGIOS DE NAVIOS CARREGADOS
DE EMIGRADOS, i
A barca Marie, que carregada do emigra-
dos, pnrlio de Limerick para Quehec a 2 do
abril prximo passado, foi despudacada por
un banco de gelo entrada do golfo deS.-
Lourcnco no dia lOdemaio. De 111 pes-
soas que nella iam lOOpereceram as ondas
As nutras fram rccolhidas pelo brigue Futi-
rn depois de havercm passulo niuitos dias
em um bote expostas as inte'peries do ar e
lis mas rrueis privaefes.
Dous oulros navios o Gteoner de 500 tone-
ladas e o Torrenee do porto de Claseow pe-
recer ni do mesmo n odo que a Marie e as
niesn as paragens ; com ludo suas equipa-
gen salvaram-se milagrosamente.
[Journal du Havre.)
O brigue Bannah de 150 a 200 toneladas
parti de Ncwiry para Quebec a 3 de abril
prximo passado, levando a seu bordo 200
emigrados alcm da trpolaco, a qual cons-
taya de 12 pessoaa. A viajem al o dia 27
foi a mas favoravel que so poda esperar,
attendendo-se estaqo do anno ; mas no
dia 28 llannah cneontrou ventos rijos, o a
29 biteu em um recifo de gelo com tanta
frca.que 8) despedacou. O mestre e os dous
primeiros otliciaes, logo quo perceberam
que o navio ira inevitavelmenle ao fundo,
aaltaram dentro do boto e abandonaram-nn,
Os infelizes emigrados, vondo-se perdidos,
romeQiram a pedir soccorro com gritoaque
emliam os ares, e foi com grande difllcul-
dide que o resto da tripolaco pode induzir
estes desgranados a cotnprehenderem que o
nico recurso q-ie IIks restava era saltarem
sobr o gelo ; mas apenas alguns, animados
pelos icarinleiros, saltaram sobre elle, e
sua solidez se toinou apparente, os oulros
sepozerama lutar entre si, a qual deixaria
primeiro o navio. Homens, muliieres e
meninos, nSo tendo comsigo mas que as
roupas de dormir, fram descerni sobre a
massa do gelo. Mu i toa destes desgranados,
eseorregando, cahiram dentrodaagoac.se
ifogaram. Os marinheiro3 fram os ulti-
mof que dexaram o navio, do qual conse-
guiram salvar urna pequea porreo de espi-
rito e alguns cobertores de Lia Tudo isto
se passou em um curto esnaco de lempo,
pnis quarenla minutos depois do choque ja
o navio iifio apparecia.
Pelas cinco borasda tarde, depois do te-
ii'in os infelizes naufragados passado por
mullos soll'rimentos, appareceu a barca 'a-
cargua, a qual, commandada pelo capilSo
Mirshal, se diriga lambem para Quebec.
Esle hotnem caridoao, cuja conducta nesla
oecasiilo be superior a lodoo elogio, cus-
ta dos maiores esforcos conseguio tomara
bordo da barca de seu commando, assim a
tripolaco do llannah, como os emigrados
que se achavam apinhoados sobre o bino
de gelo, a chegou a salvamento ao lugar de
seu destino no dia 10 de maio.
Oaquemorreram afogados avaiiam-so de
50 a 60. Do mestre, e dos dousolliciaes que
com elle se melteram no bote, anda nada
se sabia. #
ijimes.)
Senhores redactores : llavendo eu chega-
do a esta pratja no dia i do convnte, e lendo
una correspondencia que o Sr. Domingos
Jos Ferrera Cuntanles publicou no Diario
n. IC6 contra o Sr. Joaquina Antonio dos
Santos Andrade sondo para se justificar
diz que por elle fallassem diversos; e sendo
en um dos indicados pelo dito Sr. Cuima-
nlos, tenho a dzer quo durante o lempo
que fui caixeiro i; socio do dito Sr. Andrade
sompre fui por elle tratado benignamente,
o csUmos saldos do contas que ajustamos
amigavelmente.
TenllO mais a declarar quo nenhuma parto
tive na puhlicacfn de scmelliante corres-
pondencia, e nunca darei mcu consentimen-
to para que iiinguom use de meu nomo para
se justilicsr e injuriar outrem, e niuilo me-
nos a pessoa du quem nada tenhoadizer
que n;lo seja em sou abono.
Com a publicaQo destas linhas Ihe' Picar
muitoagradecido o seu atiento venorador e
criado. Jeronymo Itibeiro Rosado.
Rccfe, 6 de agosto do 1849.
CB$*|0,
Al.FANDEGA.
Rendlmento do da 7..... 7:800,721
IMPORTACAO.
Constante, brigue sardo, vindo do Geno-
va, entrado no corrente mez, consignado a
Jos SaporKi, manifestou o seguinte
5 fardos fazendas dealgodo, 1 caixa di-
tas de seda, 1 dita oleo de amendoB, 400
ditas e 100 hcelas maasas, 50 caixinhas al-
vaiade, 24 ditas frutas em conserva, 266
fardos papel de embrulho, 17caixas man,
4 fardos fazendas paral velas, 100 ciixascom
garrafas deazeite-doee, 40 volumes drogas,
50 caixinhas agoa de flor de laranja, 2400
resteas de celo-ii, 82 fardos papel branco;
ao mesmo consignatario.
Sublime, briguo portuguez, vindo de Lis-
boa, entrado no corrente mez, consignado
a Olivera Irmos, manifestou o seguinte :
2 pipas o 20 banis vinho branco, 10 ditos
ditoliuto, 4 pipa vinagre, 20 barris azeite
doce ; a Manuel Joaquim Ramos e Silva.
1 caixa mercurio, 1 dita drogas, 1 dita
papel e losna, 1 fardo alccritn ; a Polycar-
po Jos l.ayme.
3 barris'vinho linio; aManoel Luiz do
Mello.
2 caixas e um embrulho livros impres-
sos ; a Ago-lmlio Eduardo Pina.
20 barris toucinho; aManoel Carlos Al-
ves.
15 barris azeite doce; a Joaquim F. Torres.
1 pacote e 1 caixote impressos ; a Miguel
Jos Alves.
26 pipas e 61 barris vinho tinto, 10 pi-
pas dito branco, 40 ditas vinagro, 100 an-
corlas vinho tinto, 30 barris toucinho, 3
caixas velas de cera, 3 barris com 9 quin-
taos de chumbo, 12 caixas velas de sebo,
toditas maasas; a Oliveira Irmos.
56 canastras batatas, 100 saccas fe i jilo,
400 molhos de ceblas ; a Joo Francisco
do Amor
1 caixa com 1 vestimenta de damasco; a
Jos Alfonso Hcgueira.
1 condessa nozes, 1 caixinha marmelada,
1 embrulho seda para borda', 8 caixinhas
obras de chumbo; a Silvestre Joaquim do
Nascimento. I
5 pipas e 15 barris vinho tinto, 10 barris
_L
Pela inspectora da alfandega se faz
publico que, no dia 8 do correte, depoin
de meio-dia, na porta da mesma, so ho de
arrematar cem duzias de cortes de 1,1a *l-
godHo para chinelas, duzia por factura 4,901.'
rs., total 490,000 rs impugnados pelo ama-
nuense Gabriel.AlTonso|Rcgueira no despa-
cho n. 116: sendo a arrematadlo subjeita
a direitos.
Alfandega de Pernambuco, 6 d'agoito de
1849. O inspector. Luis Antonio de Sampaio
Vianna.
O lilil. Sr. inspector da thesourarla
ila fazenda provincial, em cumprimento da
orden>do Kxm. Sr. presidente da provincia
do 9 de maio prximo passado, manda fa-
zer publico que nos dias 8 e9 do corren-
to, [leanle o tribunal administrativo da
mesma thesouraria, se ha de arrematara
quem por menos fizer o fornecimento dos
medicamentos eutensis para a enfermara
da cadeia desta cidade, pelo lempo que de-
correr do dia da arrematadlo a 30 de ju-
nho de 1850.
As possoas que se propozerem esta arre-
matadlo, comparc<;am na sala das sesses
do sobredito tribunal, nos dias cima indi-
cado, pelo meio-dia, competentemente ha-
bilitadas, que ah acharo o formulario e
condicoes da arrematadlo.
E par constar so mandn afllxar o pre-
sento, e publicar pelo Diario.
Thesouraria da fazenda provincial de Per-
nambuco, 1 ile agosto de 1819. Oprimei
ro amanuense servindo de secretatio, I'ran-
cisco Antonio Cavalcanle Cousseiro.
Olllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em qumprimentodi or-
dem ilu l'xin. Sr, presidente da provincia,de
18 de junho prximo passado, manda fazer
publico que uosla 9 de agosto p. futuro,
ir So praca perantc o tribunal administra-
tivo da niestna Ihesouraria, para sorem ar-
rematados a quem por menos lizer, os con-
cert da ponte dos Carvalhos, sb as clau-
sulas especiaes abaixo transcriptas, epelo
prego de 1:699,500 rs.
As pessoas quo se propozerem esta
arrematac.no, comparecen na sala das ses-
ses do sobredito tribunal, no dia cima
mencionado, pelo meio-dia.
E para constar se mandou afllxar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial do Dernambuco, 27 de julho de
1849. O 1. amanuense, servindo de se-
cretario, Francisco Antonio Cavalcanle Cous-
seiro.
Clausulas especiaes da arremalaeo.
1.a As obras dos concertos da ponte dos
Carvalhos sero feitas de conformidade com
o orcamenlo apresentado nesta dala ap-
provac.lo do ICxm. Sr. presidente da provin-
cia, pelo preco de 1:699,500 rs.
2.* As obras principiaro no prazo de
um mez, e sero concluidas no de quBtro,
ambos contado em conformidade do arti-
go lOdo rcgulamento das arromata^es.
ii 3 Todos os matcriies sero previa-
mente examinados pelo engenheiro, o ap-
provado se lavrar um termo
4.a O pagamento do importe das obras
realisar-se-ha depois de concluidos e exa-
minados pelo engenheiro.
5.a Para ludo o mais que nilo est des-
tinado pela prsenles-clusulas seguir-se-
ha inteiraineule o que disi Oe o regulamen-
to das arrematarles de 11 de julho do 1843
Obras publicas, 30 de maio de 1849.
O engenheiro, J. I.. ?ictor Lieulier.
Conforme.0 1." amanuense, servindo
do secretario, Francisco Antonio Cuvalcantt
Cousseiro.
O l.l ni. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em virtude da resolugo
do tribunal administrativo, manda fazer
publico que, em cumprimento da lei, pe-
rante o mesmo tribunal, vai novanicnte a
praca no dia 1(1 do corrente o imposto de
2,500 rs. por rabcea de gado vaceum que
for consumido no municipio de Po-d'Alho.
avahado animalmente por 2:560,000.
A arrematadlo ser feila por lempo de um
anno e 10 me?es a contar do primeiro de
setembro de 1849 a 30 de junho de 1831.
As pessoaa que se propozerem esta
arrematadlo, comparecam na sala das ses-
ses do referido tribunal, no dia cima in-
dicado, pelo oieio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandou aOixar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazanda pro
vincial de Pernambuco, 6 de agosto de 1849.
O a.0aecripturario,servindo de secretario,
Francisco Antonio Cavalcanle Cousseiro.
Pela mesa do consulado provincial se
faz publico, pelo presente cdilal, o arl. 46
da lei provincial vigente, o qual ha dote-
orseguinte :
Fica concedido por 6 mezos o pagamento
da moia cisa dos cscravos que soestivera
dover, contando-se este prazo dodia da pu-
blicacAo dos editaos, e se nullincarflo as ac-
cos J intentadas contra os devedores des-
te imposto que o pagaren dentro dcste lem-
po-
E para que chegue ao conheciinento
de todas as pessoas, a quem possa interessar
o presente, assim o faco publico Mesa do
consulado provincial, 6 do agosto de 1S19.
Pelo administrador, o escrivo chefe da se-
gunda scelo, Theodoro finchado Freir Pa-
reara da Silva.
Declaracoes.
O escrivo sorvn lo do administrador
da recebed.iria de rendas internas genes,
abaixo assignado, avisa a todos os devedo-
res de imposto de lojas ahertas da freguezia
de San-Frei-Pcdro-Concilvea, que venha
pagar o seu debito relativo ao anno de 1848
a 1849, al o dia 10 do corrente mez de
agosto; findo o qual prazo se no recebar
mais, por se estar extrahindo relacSo con-
tra os meamos devedores para ser remedi-
da para juizo, afim de ser arrecadado judi-
caltnenlc. Manoel Antonio SimOes do
Amoral.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, tendo de se fazer diversos con-
cert. na barcas de viga, qualquer car-
pinteiro quo se achar habilitado, queira
comparecer na alfandega, tfim de tratar do
ajuste.
Perante a administraeflo do patrimo-
nio dos orphflos se ho de arrematar a
quem miis der, e pelotempo que decorrer
dodia da arrematac.loao fim de junho de
1852 as rendas disseguintes casas porlen-
centesao dito patrimonio: na ra deS.-
T.oncalo, do bairro da Uoa-Visla n. 22; na
ra do Torres n. 14; na ra do Vigirio ,
n. 27 : as pessoas queso propozerem a ar-
rematar ditas rendas, pdenlo comparecer
no dia 9 do corrente mez, na casa das ses-
ses da dita adminlstraco as 4 horas da
tarde com seus fiadores. Secretara da
administrarlo do patrimonio dos orphos ,
4 de agosto de 1849. Joo Francisco de Cha-
bij, secretario.
Perante a administrarlo do patrimonio
dos orphos se ho de arrematar a quem
mais der varias ferramenta de marcenara
e enlulhadura, com os competentes bancos:
as pessoas que se propozerem a arremta-
las, pdenlo comparecer na casa das ses-
ses da mesma administradlo no dia 9 do
corrente s 4 hora da (arde. Secretaria
da administrarlo do patrimonio dos or-
phos, 4 de agosto de 1849. JoUo Fran-
cisco de Chaby, secretario.
Pela subdelegacia do Recife foi apre-
hendido o eseravo cabra, de nome Antonio,
que se acha fgido, e diz sor eseravo do Ma-
noel Vicente Serino Callado morador no
val de Una desta provincia lavrador do
engenho Mado-Grosso: quem fr seu ver-
dadeiro dono aprsenle seus ttulos para
Ihe ser entregue. O subdelegado, Jos
Joaquim de Oliveira.
- Foi recolhido ao deposito pela subde-
legacia do llecife, um cavallo que vagava
pelas ruis desta cidade : quem se julgar
com dircito ao dito cavallo, aprsenle os
seus ttulos para Ihe ser entregue.
l'ublicacoes Iliterarias.
Acha-se no piolo e brevemente sahr
luz a IraducQo da secfo tercoira das ins-
tituices dodiroito publico ecclesiaslico de
Xavier Gmener, queconttn os direitos dos
imperantes civis circa sacra acompanha-
da de alguns notas extrahidas de varios au-
tores e de apontameutos da legislaco ne-
cessaria ao conheciinento dos que estudam
i sie (Invito. Subscreve-so na praca da In-
dependencia, loja de livros, ns. C o 8.
ndice chronologico, explicativo e remissiro da
legislacdo brasilea, desde 1822 tic 1848.
Sendo da mais reconhecida ulilidade pu-
blica a confecc.lo de urna obra, que, extre-
mando e aposentando por extenso a parte
da legislaco brasileira quo est em vigor,
e mencionando em resumo a leisou decre-
tos que nomcam vlce-presidentes de provin-
cias, criam escolas, concodem caitas de na-
turalisaco, conferem penses. estabele-
cem rr-gulamcntos, e urna inliuidade de ou-
traa semelhaotes disposices legislativas
quo s a urna ou outra pessoa, a urna ou
outra corpora(flo interessa saber em toda a
sus extenso, reduzisse a oito volumea, pou-
co mais ou menos, os vinte e cinco a tiiula,
de queja consta acollecco das leis do Bra-
sil impressas na typographia nacional;
poisqueporesse modo, almda diminuieflo
du cusi a menos de dous tercoa, obtem-se
a vantagem de se achar com minio maior
facilidade una lei que se procura para ser
consultada, e de se saber ao mesmo lempo,
se ella est ein vigor, ou se est revogada
ou alterada por outra, ao mesmo passoque
urna semclhanle collecco de leis se trans-
porta muito mais fcilmente de um para ou-
tro lugar: incumhio-se desse arduo traba-
Iho o Dr. juiz do direito Antonio Manoel
Fernandes Jnior, o qual acaba de dar luz
no Rio-de-Janeiro o primeiro volme de-tilo
til obra, comprehendendoem 200 paginas
in folioa legislaco brasileira de 1822 a 1830.
Varioa exemplares desse primeiro volunte
existem j neslo cidade em nulo do Dr. l.ou-
renco Trigo de l.oureiro, actualmente resi-
dente as lojas da casa do lllm. Sr. desem-
birgador Bistos na ra da Aurora, onde oa
Srs. Dra., lentes e estudantes do curso juri-,
dico, advogados, juizes municipaes, pro-
motores, delegados, cmaras municipaes
mais pessoas quequizerem subscrever para
a impreaso de referida collecco podeio
mandar por carta a declaracBodoseu nome
e residencia ou declara-lo por este Diario,
alma de Ibes aer entregue o dito primeiro
volunte, e os subaequentes a proporeBo que
frem sahindo da imprenaa.
O pre;o da collecco para os assignahtes
ho de 34,000 r. pagos na occasio da entre-
ga do dito pi imeiro volumo e de 50,0*0 rs
para oa que mo aasignarom, aos q'uies so
yendo desde j o dito primeiro volaime no
lugar cima indicado por 6,250 ra. I
Avisos martimos.
Para o Cear sahe impretervelmonio
no dia 20 do corrente o brigue-escum ff.
lii-Ventura, por ter parte (da carga pronii>
ti-. para o restante i pasaageiros. trata.jo
na ra da Cruz, n. 33, com Luiz Jos de Si
Araujo.
Freta-se para qualquer porto a encl-
lente polaca sarda Dina de primeira m>r.
cha e de lote de 3,000 a ,000 sccjS:
quem a pretender, dirija-so aos seus conl
signatarios, N. O. Bieber, na ra da Cru?
n.4.
Para Lisboa pretende sabir por todo o
corrente mez o brigue brasileiro f-iriato
por ter a maior parte da carga promlp: p,.'
ra o restoc passagoiros, para o que offerece
os melhores commo-los, trata-se com os
consignatarios, Tliomaz deAquino Fonse-
ca&Filho, na ra do Vigirio, n. 19, p,.
meiro andar, ou com o capito na praca.
Para o Aracaty tem de seguir viagem o
hiato Nnvo-Olinda, mestre Antonio Jos Vi-
anna : quem nelle pretender carregir, M
entender com o mesmo mestre no Trap.
Novo, ou na ra da Cadei-Velha, n. 17,1.
gundo andar.
Para o llio-de-Janeiro salie,
por estes oito dias, o brigue nacio-
nal Bom-Jesus : para o resto d
carga, passageiros e escravosa fre.
te, trafa-se cora o capito na pra
ca do Comroercio, ou na ra da
Madre-dc-Deos, n. 3 teiceiro
andi r.
--Freta-se para qualquer porto o brigue
francez Armorique, de perto de 3,800 sac-
cas : quem o pretender diriji-se aos seut
consignatarios, N. O. Bieber & C. nT rui
da Cruz, n. 4.
_____ II
Leiloes.
No dialitiarta-fein, 8 do corrente ij
10 gosas da manha no caes da Alfandega,
haver leilode urna poreflode jacaes coro
batatas.
Leililo no caes da alfandega do90c*-
xas com queijos flamengos, no dia 8 do cor-
rente, pelas 10 horas da manha. \

Avisos diversos.
_if Traspassa-se a armaeflo e fazendas,
existentes na loja da pracj da Independen-
cia, n.~*f o local lie o melhor posaivel, a
proprio para un principiante : quem pre-
tender, piie dirgir-se a mesma.
Caetano Xavier Pereira de Hrito, Dr.
em medicima, annuncia ao respeitavel pu-
blico quo fiVvou a sua residencia no Atterro-
da-Ba-Vistfc n. 43 em o primeiro andar,
aonde poderla aer procurado a todas as ho-
ras ; e tamiVem adverte s pessoas pobres
que sempreo ler.loaaua disposicodasseii
horas da manha atibas nove gratuitamente.
Fugio no dia 5 de agosto corrente o es-
eravo cnoulo de nome Jos, oRlcial de mar-
ceneiro, que trabalhra na ra das Cruzes,
de idade, pouco mais ou menos, de 17 an-
uos, com pona do barba, alloeseccodo
corpo; levou vestido camisa o calcas deal-
godo da trra : quem o pegar leve-o ni
ra da Cruz do Recife, n. 12,ein casa de Joo
Leite Pila Ortigueira, quo ser gratificado.
AVISO IMPORTANTE.
Acaba-se de ter seria noticia, de os escra-
vos abaixo mencionados andarein peloi
suburbios desta cidade commettenlo mo-
hos e sendo a note recolhidos am diversos
sitio, por conaentimento doa escravos;
pulanlo previne-se a qualquer que nisto
possa interessar-se, e para que melhor pos-
sam ser capturados. Adverle-se que, po-
dendo conslar-lhes deste aviso, queiram
evadir-se para mais longe, eassim pois, pe-
de-se toda vigilancia as estradas e lugares
siispe ios, para poderem ser apprehendidos.
.Vio obstante darem a certeza do cstarem
to perto, pedo-se encarecidamento s au-
toridades e a todas nutras pessoaa doa luga-
res longincuo, do continuarem na inces-
sante diligencia para os aprisionar, para o
que segu este outro annuncio:
200,000 ti.
D-se esta quantia de gratificado a quem
levar ao engenho Agoas-Claras, de Urucu,
da viuva do Burgos, ou nesta praca, no
pateo do Carmo, n. 18, segundo andar, a
Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de
Len, os dous escravos seguintes que fu-
giram nos dias sabbado para domingo, 9*
a 27 do corrente : Vicente, pardo de 2* to-
nos, de altura regular cabellos crescidos a
carapinhados testa sobresabida olhos pe-
queos, nariz chato, tomador de tabaco da
caco rosto descarnado e com espinhu,
sem nenhuma barba; levou 1 camisa do ma-
dapolo, urna calca de casimira usada, umi
jiqueta de bretanha, um bonete de velludo
azul ja usado, um chapeo de pal lis, am
dito de pello preto : Joaquim, crioulo bas-
tante preto, de 38 anuos, alto, aereo, cira
pequea bem barbado ; tem o cosime de
levar a mSo barba ; he gago ; andar com-
passado; dizem lermi em Pajah-de-Flo-
res; foi eseravo do capito Leandro Bandea-
ra de Moura do Apody o qual se acha pre-
sentemente na comarca de S.-AntSo, e l*m
um sitio em Grvala; presume-so teraffl
paitido para o Apody onda ha mu los p-
renles do dito Moura; comquanto o prrfliei-
ro andasse sempre em viagens dos aerl*s
do sul ao poenle, com oa cobradores deala
casa : este ultimo eseravo levou um chapeo
preto de pello e outro de couro, duas ja-
quetas brancas, 1 calca de brim pardo 1 di-
ta de rscado, 1 camisa de madapolo,
duas ditas de algodo da trra e ceroulas.
Roga-se a vigilancia neste dou eseravo,
que vindo com muila brevidade, se'*g
gratificados ainda com mais do que se offe-
rece.
OSr. Joaquim Miguel, com oflacio de
ourives, queira realisar o negocio da chave
da casa de Olinda na Biquha, n. 16, ae^
noquerque se faca publico qual O ne-4
gocio.
Para a pessoas que tencionam
seguir viagem.
No pateo de S. -Pedro, casa terrea n. 8.
tiram-se passaporlea para dentro e forado
imperio correm-se rollaos e dcspecham-e l
escravos, e para este fim lambem pde-ae
procurar na praca da
vraria na. 8 o S-_____
>
ludepeniencia, li-J


O Sr. Feliz Nunes Cavalcante de Albu-1 tantos o repetidos elogios dos mais sabios o
querque tem urna carta no Aterro-da-Boa-1 respeitaveis mdicos, assim.da Europa, co-
Vista n. 34, primciro andar.
I Fugio, no dia 5 do correnlo, um mo-
leque il qiiim ; he haixo e encorpado ; levou cal-
cas e camisa de nlgodfo azul: qtiam o pe-
gar leve-o roa da Crur.no Recife; n. 13 ,
ou na ra do Trapicho, n. 15, que ser re-
compensado.
-- O Sr. Jos Cypriano de Moraes Lima
qiieira dirigir se 'rua dj Praia, n. 27, a ne-
gocio de seu interesse.
Aluga-se urna ama de leite : na ra da
Madre-de-Deos, n. 36.
Na loja de funiloiro, na ra Nova, de-
fronte da Coneeicfo, precisa-so de officiacs
do mesmo odlcio o de discpulos.
Na ra do Vigarlo, n. 19, pimciro an-
dar, lia cartas para os senhoros capitflo
Joflo Antonio Pcreira Rocha e Manoel de
Souza lavares Estrella.
Aguia, Catholica.
Os senhoros que subscroveram para a
.iguia Catholica queiram mandar buscar o
primeiro numero na livraria ns. 6 e 8 da
praca da independencia, visto que inda nOo
se pdde mandar distribuir.
'-- K peasoa que annunciou querer om-
praraopera da Norma tra>lu2ida em verso
portuguez, com original italiano em Frente,
em um folheto impresso no Rio-de-Janeiro,
assim como mais outros diversos, procu-
re na ra da Aurora, n. 38, at 9 horas da
mandila, e das 9 da tarde em diante.
Aluga-se o sitio da estrada Jo CorJoi-
rn, bem oonhecido, so proprio para nego-
ciante eslrangeiro, ou quem tcnha trata-
mento, assim como varios sitios e casas
pequeas para passar a Testa, tanto na cam-
pia, como na ra da Casa-Forte : a tratar
na ra do Amorim, n. 15.
ar- Aluga-se o armazem pri-
meiro andar do sobrado da ruado
Trapiche-Novo, proprio para cs-
criptorio e nrmazem de recolher :
ijiicm o pretender, dirijase ao
primeiro andar do sonrod da ra
do Trapiche-Novo, n. i4,que a-
I chara com quem tratar.
... Desappareceu fio dia 6 do corrente
Um menino de idade de 9' annos, pou-
co mais ou menos, cor branca, olhos re-
dondos, nariz pequeo, bocea pequea, ros-
to redondo; lem um signal em urna unha da
nulo; de nome Alexandre; levou calca e ca-
misa de chilla, e descalco ; e por isso a
pessoa que Ihe deu agasalbo queira mnda-
lo na ra do Queimado, n. 22, aonde eslava
hamais de 3 annos em companhia do sua
madrinha. A mesma declara qse protesta
conlra-qualquer pessoa quo o roteuha om
sua casa, visto estar autorisada por Joaquim
Jos de Sant'Anna, pai do dito Alexandre,
para o ler em sua companhia ; e roga a
qualquer autoridade policial que o encontr,
n saiba de seu domicilio.haja de o fazer en-,
(regar na dita cata da ra do Queimado, nu-
mero 22.
MITA ATTENCAO". .
Sabbado, 4 do andante, quatro negros
largaram urna quartola com bastante falta
deazeile de peixe no meio da ra, na Ira-
ves.sa da Madre-de-Dos, aonde se lem con-
servado ao lempo ; hojoacha-so recolhida
na mesma ra, n. 5, aonde seu dono, dando
os sigues cortos e pagando as despozas, a
rJe procurar.
Aluga-se o primeiro andar da casa da
ra da Cadeia do Recife, n. 40, com expel-
ientes commodos para escriptorio, ou fami-
lia : a tratar no segunde andar da mesma.
Dilo-se 400,01)0 rs. t premio sobre hy-
polhoca em urna casa* nesta praca : quem
pretender aniiuncie.
--OSr. Joaquim de Uarros, pintor, mora-
dor em linda, quoira vir buscar urna una -
gem que maudou encarnar na loja de pin-
tura na ra daSenzalla-Velha por prego de
C,O0O rs, pois o tempo be bastante de espe
rar, e uito se pode ter obras empaladas, e
nflo ofazeudo uestes tres das, trocar-se-lia
pelo prec8 que mais dor, (cando o Sr. obri-
_ gado a-receber o restante, visto nflo cu m-
nllpriroque trutou ao depois nio se chame
ignorancia.
O labelliao interino das by
liecas mora na ra Augusta,
n.66.
AO PUBLICO.
mo da America, que unsonos abonam e
proclamam sua accffo semprecerla e beni-
gna. Um destes licores he destiuado a
comhater as molestias de olhos, e tem por
principal virtude restituir aos orgflos da vi-
sito suas funccOos ; reanimar e fazer reap-
parecer em sua natural perfeigfio a vista,
quando esta estiver fraca ou quasi extinc-
ta ; comanlo, porm, que nlo haja ceguei-
ra absoluta com desorganisago das partes ;
nflo menos til e enrgico he para desfazer
as cataratas, destruir as nevoas e de prom-
pto dcbellar qualquer inflammapao ou ver-
melhidflo dos olhos. Nfio causa dr, nem
eslimulo na parto.
Outro liquido reslitue a faculdado de ou-
vir os sons ao ouvido tocado de surdez, an-
da que inveterada, urna vez que o mal no
seja de nascenca, sem causar em tompo al-
gum o menor incommodo ao doente, e sem
priva-lo de cuidar em sous negocios.
INSTRUCgES PARA O USO DOS RE-
MEDIOS.
O dot olhos emprega-se do modo teguinle :
O doente pela mandila, emjejum, urna
hora pouco mais ou menos depois quo er-
guer-sedo leito, tomar sobre a palma da
mao pequea porgflo daquella agoa ; e com
ella moldar bem os olhos, fazeudo que al-
gumas gottas caiam sobre o fclolm oceular :
som osliinpar, os conservar molhadosat
quo naturalmente enxuguem : ao deitar-
se a noite praticar o meamo: durante o
tempo que usar do remedio evitar o calor,
acco de fumaba eo vento ; far abstinen-
cia de comidas salgadas, azedas, caduca-
das com especiaras.
polh
Em mu crescido numero contavam os
mdicos al agora molestias incuraveis,
contra as quaes s era permitidlo ao paci-
ente lesigoiico para solfrer um mal deque
j nlo liavin esperanzas do poder librta-
lo, e ao medico philantropico a dr de ver
muitos de seus semelliantes victimas de
onfermidades, contra as quaes se doclarava
impoteiite, podendo apenas lamentar a fla-
queza da intelligencia humana. Mas, gra-
pas aos progressos da medicina, gracas ao
zelo de homens incansaveis, que, nflo des-
esperando da perfeclibilidade da sciencia,
se teem dedicado investigac.lo de rene-
dios quo possam alliviar humanidade de
alguna mates que a allligem, o numero das
molestias repaladas incuraveis vai de da
em dia diminuindo. Assim, adiar depois
de longos trabadlos, do profunda meJtla-
cfto h reiteradas experiencias, medicamen-
tos que nos restituam o uso dos dous mais
importantes sentidos do que he doltdo o
iiniiieni, quando estes ja se achavam no sup-
pnsto estado de incurabilidade e inltira-
ii'ii'nle perdidos, he por certo um dos maio-
ies servicos quo se poda prestar hma-
lo Ja Je; eis o que eslava reservado um
liomem philantropo da cidade de Rraga, em
Portugal, cuja aciencia, rujo amor de seus
sementantes se teem feilo geralmente co-
niiecer O* remedios que ora olereccmos
ao publico, no cntram na classe daquelles
e o rido e ouaado charlatanismo incul-
om roncos o descompassa Jos brados, e
'o crdulo vulgo por ignorancia recebe
boa- f esem discern ment, achando-se
epois tundido; tem, porm, de occupai
distinelo lugar entre os medicamentos
maiores beneficios presta m ao hoinem :
stam elles da dissolucSo aquosa deex-
clos de plantas medicinaes, de virtudes
"i reconhecidas e verilicadas. O longo
*o, as continuadas e severas experiencias
tuepor toda a parte teem elles sido sub-
etlidos, sem que urna so vez hajam falha-
1 em seus bons eiTeitos, e desmentido as
parantes que sobro elles havia fundado
** inventor, Ihe teem grangeado cons-
0 remedio do ouvidot ser applicado do modo
que segu :
O doente pela manhh*a, una hora pouco
mais ou menos depois de erguer-se, anda
emjejum, far derramar dentro dosouvi-
dos quatro ou cinco gottas do liquido, ta-
pando-os depois com algodSo em rama ; a
noile aodeitar-se repetir a mesma opera-
efo. Durante o uso do remedio evitar ex-
l'r, os ouvidos principalmente, acgSodo
calor e do vento, afim de evitar grando
transpiraeflo, lia vendo cuidado om nflo mo-
ldar ospsemagoa fra; linalmente deve
abster-se de comidas salgadas, azedas e
adubadas.
Estes remedios estilo venda na botica de
Rartholomeu Francisco de Souza, na ra
larga do Rosario, n. 36, nico depos'to em
Pornambuco, palo preco de 2,240 ris cada
vidro.
"--No dia 4 do correnle desappareceu um
preto do gento de Angola, de nome Joflo .
de 30 annos pouco mais ou menos ; temos
denles da frente quebrados; he bastante
queixudo; levou camisa de algodflozinho e
ceroulas de estopa, desconlia-su ter sido fur-
tado, tal vez pensando- se que he preto novo,
por elle estar leso c nada fallar depois que
perdeu o juizo. Roga-se a quem for offera-
cido como novo o.n raso de ter boa ligu-
ra.quo nao laca negocio, pois olle lio in-
leiramente leso. O seu legitimo dono mora
as Cinco-Ponas.
- O ministro da veneravcl ordem tercera
de S.-Francisco da cidade de Olinda roga a
todos os irmSos da mesma ordem que com-
parecen) no dia sexla-feira, 10 do corrente>
no consistorio da mesma ordem pelas 9
luirs ila mandila para assistirem a missa
do Espirito Santo e proceder-s a oleifo
da nova mesa.
Manoel de Almejda Lopes mudou a sua
residencia da ra do Vigario, n 24, para
a ra da Cadeia do Rccife, n. 30.
Aluga-se urna casaem Fra-dc-Portas.
ruado Pilar, lado do poente, com com-
modos para pouca familia : a tratar na ra
da Cadeia do Recife, n. 24, loja de cambio
da viuva de Vieira & Filhos.
Precsa-se de um liomem que seja
meslrc tecedor do Porto, ou que enleiida
ile tecer varias fazendas que se fazom na-
queila cidade : na praca a Independencia,
livraria ns. 6 e8.
Precsa-se de um feilor para o sitio da
viuva Amorim na Ponte-de-Ucha.
No pateo da matriz de
S-Antonio, sobradon. 4,
tiram-so passaportes para dentro e fra do
imperio, despacham-se escravos e correm-
so lolhas por preco o mais commodo pos-
svel.
-- Em um engenlio perto de S.-Anlflo
precisa-se de urna pessoa que enlenda de
locar piano para ensinar a duas senhoras,
ese liveralguns preparatorios para ensinar
a um menino, ser melhor por isso que
maior ordenado se olTerecer : a tratar com
o Rurgos no segundo andar do sobrado
ii. 18 do pateo do Carino.
Quinto bataiho de
fuzileiros.
O msico da prmeira companhia do 5."
balalhflo de fuzileiros Adriano Jos Perei-
ra do Azevedo destacado nesta cidado do
Recife, de pois de pago de fsrdamento al
o da 6 do passado Julho, e de sol Jo e eta-
pe alel de junlio talln a revista desde
7 de julho foi consid- rado desertor no dia
15; consta ter-se evadido na fragata l'ara-
guasi quedaqui sahio para u Dahia.
Denles arliiciae.
y A. S. Jane, dentista participa ao res-
pcitavcl publico que contina a exercer a
sua profissflo na ra eslreita do Rozario ,
n 16, primeiro andar.
Sabio a luz o PislIlhSaOUndente, idyl-
lio offerecldo ao Exm. prt-sidente da pro-
vincia : veude-se na praca da Independen-
cia n. 6 e 8 a 240 rs. cada excmplar.
Precisa-sede urna ama para urna casa
de pouca familia a qunl facaws compras e
cozinhe: na ra da Cadeia-Velha n. 41 ,
primeiro andar.
'3
do,procurando ser comprado, um preto
que diz chamar-so Luiz o ser escravo do
Sr. Jos Barbo/a morador em trras anne-
xasao engenhe Bonito, freguezia ou co-
marca de Nazareth-d-Matla : seu senbor
venhi recebo-lo ou negoca-lo, sendo que
o queira vender, (cando certo de que o
abaito assignado nflo se responsabilisa pe-
la fuga do mesmo escravo- Jos Fernand
da Crus.
Desappareceram do lugar Agoa-Fria,en-
tre a cidade de Olinda e o engenho Fragoso,
no da 2 do correnlo, dous quartos castra-
dos e urna besta com os seguidles signaos o
coros : um canino, pequeo, com algumas
reladuras as cosas, marcado nos quarlos
trazeiros, da ambas as partes, com a marca
de ferro de tres peras a maneira do sisca-
dor; um dito da mesma cor c signaes de re-
ladura, ferrado de ambos os lados as per-
as com a ftiarca IcttraO, tendo cima des-
ta tambem outro ferro quasi scmclhantc ao
do outro, com a dilTerenca bem vulgar de
ter o primeiro voltadas as pernas para
tras, e o do segundo para haixo com urna
volta para cima ; urna besta ruco-pedrez,
de*grande tamanho, com aquella mesmo
Trro, tendo mais da parte esquerda a let-
tra P, e esta mesma letlra tambem tem o se-
gundo cavallo : quem achar ditos animaos,
os entregar a Jos Joaquim Rczerra Caval-
cantoem Sanlo-Amaro, defron'cda fortale-
za do Rrum, quo Ihe compensar o traba-
Iho e despeza respectivamente effeituaJa.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado
n. 11 da ra do Rangel, por; 200,000 rs. an-
nuacs com fiador idonio : a tratar na pra-
ca do Commercio, n. 2, primeiro andar.
Precisa-so a lugar um sitio na Magda-
ena, ou Capunga na margem do rio, an-
da mesmo nflo sen Jo a casa grande: quem
o tiver, dirija-se ra do Trapiche, n. 11.
Domingos Alves Matheus, agente da fa-
brica de rap superior area prela da Ba-
ha, tem aherto sou deposito na ra da
Cruz do Recife, primeiro andar da casa n.
38, onde se achara sempro desto excellente
0 mais acreditado rap quo at o presente
so lem fabricado no Brasil: vende-se em
botes de urna e do meia libra por preco
mais commodo do que em outra qualquer
parte.
0 I.IVRO DE IIECS AMORES
poesas erticas de J. Norbcrto de S. Silva,
suhdivididas em tres partea As vises
Osbeijos Armia. 1 volume ti Sagran-
de, elegante e ntida edieflo, capa impressa,
ornado com um retrato. Preco 3,000 rs. ca-
da volume. Publica-se no Rio-de-Janoiro
e assigua-sc ne.-Ja cidade do Recife na livra-
ria ns. 6 e 8 da praca da Independencia.
A pessoa que trm annunciaJo querer
urna s lia de bordado do susto, dirija-se a
casa atrs da Corpo-Santo, por cima da loja
cli'louca, n. 68. a mesma casi se fazein
estas e nut as militas obras, e limdem j
as ha feitas, ensinsnT-so meninas, rece-
liein-s! pensionistas, inda mesmo sendo
pretas, para r-s dar promptas do qualquer
habilidade; barda-so de branco, do miro,
de prala. matizes, de froco o fio ; vestem-se
anjos, alugam-se uniformes par os mes-
mol, vendem-se (lores, fazem-sc espana-
dores, vendom-so pennas para os meamos,
fazem-so flores para caatiCal, chapos de
todas as qualidades, vestidos d bom gosto,
costuras cdflas : tudo muito vonlade:
tambem abrem-se velas com loda a delica-
deza e lii ovla Je. Quem de alguma dessas
cousas precisar, dirija-so a casa cima dita.
Oabaixo assignalo mudou sua residen-
cia para olerceiro andar da rasa n. H7 Ja
ra do Pilar em Fra-de-l'ortas, a pinnei-
ra contigua a capitana do porlo, e que dei-
ta a trazeira para o mar. Francisco de
Paula l'ereira de ndrade.
v.&mmmmmmmm m,mmmmtmm
y
1 Na praca da Independencia, \
Pommaieau, cutileiro.
no Aterro-da-Boa-Vista n. 16,
recebeu agora mais um sortimonto de
esporas do a?o de todas as qualidades e
feities ; eolliercs do metal novo que nflo
desmerecem com o uso; caixinhas com espo-
letas das melhores que ha na pra;a, e tudo
quanto pertence ao seu ollicio.
Deseja-sesnber so existo nosla provin-
cia algum irmflo, ou prenlo do fallecida
segundo-lenenle de exlinco corpo de arti-
Iharia de marinha Joflo Concalves da lio-
cha natural da Porto, caso exista, te-
ir a hondade do annunciar su.a morada
por esta fulha,ou dirija-so ra do Queima-
do, loja de mindezas, n. 25, ou annuncio.

Compras.
--Compra-se um escravo bom trabalha-
dor de padaria : nflo so olha a preco :na
ra Ja Scnzalla-Vclha, n. 98. a
~ Compra-se um escravo de meia idade,
oqual sirva para o servico de campo: na
ra Nova n.59. Na mesma casa so dir
quem d dinheiroa premio sobro penhores
ileouroe prala.
Compram-se, para urna encommenda,
escravos de ambos os sexos do 10 a 40 an-
nos : na ra do Padre-Florianno, sobrado
de um andar, n.7.
Paga-se bom.
Compra-se calcado fcito na Ierra de
toda a qualidade : na praca da Independen-
cia, n. 33.
Compra-se ouro e prata em qualquer
estado que estoja : na ra do Queimado ,
n. 14.
Compra-se um jogo de mangas de vi-
Jro lisas ou lavraJas com casticaos ou sem
elles em segunda niflo : quem liver an-
nuncie.
-- Compram-se o vendem-se escravos: na
ra da Cadeia do Hefiife. n. 40.
Compra -sp urna taberna em bom local,
que seja bem afregupzada e quo tambem
lonha commodos para morar familia : quom
livor annuncio.
Acaba do chegar o Annuario do Brasil,
obra interessantissima para lodosos Rra-
sileiros que quizerem ler conhecimento dos
Tactos nacionacs : vende-so as lojas de li-
vros, da praca da Independencia, ns. 6 e 8 ;
dos Srs. Santos & Companhia, na ra da,
Cruz n. 56 ; no Alerro-da-Boa-Vista loja
do Sr. Chardon.
Vende-se urna escrava do 22 annos _
crioula, com principios de cozinha, engom
madoecostura; urna dita de .10 anuos ,
boa lavadeira do sabflo cozinha solrnvel-
mente o he mnilo diligente para todo o
servico de urna casa : na ruado Brum.no
terceiro andar do sobrado por cima do ar-
mazenr de Reg *c Medeiros das 6 s 8 ho-
i as da mantilla, ou das 2 s 4 da tarde.
Vendem-se as obras seguales, por pro-
co commodo : as Viagens de Acharis em
9 voluntes; Mmoral universal, pelo bario
llolbak, em 8 v. : na ra do Ctbug, loja de
Jos Peres da Cruz, n. 2.
Vende-so um casal do cachorros atra-
vessados ; um guarda-louca ; urna coraaio-
da de angico : tudo por preco rasoavel: na
ruada l.ingota, n. 6
Vende-so urna fabrica de cera; urna
cama do Jacaranda : tudo por preco com-
modo : na travessa dos Quarteis, n. 29.
& o
& Na loja da ra do Crespo, *
!:
n. 10, ao vollar para a ra
j das Gruzes, alugatn-se, ven- ;?
| deni-se e tamhcui se appli- i
cam as melhores bixas que jj
5 he possivel liavarem rro iner- S
O Sr. do engenho Tabatinga, Arito- %
io Comes Pessoa queira ler a bon- :<4
ade de vir ou mandar a ra do Cres- %
o, n. 11, a negocio que Ihe diz res- $
lio. *
cirurgflo Miguel Felicio da Silva
mudoV a sua residencia para a ra da Pal-
ma sobrado novo de um andar, defronte
do Iipccv do Pocinho.
ia 2 do corrente appareceo no en-
os freguezia de S.-Amaro-Ja-
propriedade do abaixo assigna-
wm
No
genho Pi
boato,
^ cado ; limpam-se e liram-so denles SJ
a com toda a perfeiclo : tambem se ap M
plicam ventosas com a maior delica- i!i
^ drsa que he possivel o faz-sa tudo tk
$ o mais quo pertence a arte do sangra- 31
'* drfr : tudo por preco muito rasoavel. 5
1; I
Joaquim Antonio deSan-Tiago l.ossa
mudou a sua residencia da ra de Santa-
Rita para airas da matriz da Boa-Vista, n.
24, sobrado de um andar.
Lotera do Guadalupe.
As rodas desla lotera andain irr-
allivelmenlene dia t3 do corren-
le inez, e os bilhete-i que reslam
acliani-se venda nos lugares an-
nunriados.
Precisa-se alugar urna prela para o ser-
vico de urna casa de pequea familia, e que
saiba cozinhar : na ra da Tiempo para o
Mondego, no sitio que (em a casa com a
frente cor de chumbo.
too y 000 de gratifcaeao.
Fugio, na madrugada do dia 4
do corrente;, o escravo Domingos,
pardo claro, de 18 a 19 anuos, bai-
xo, cara larga e de corpo regular ;
levou comsigo um cavallo de es-
tribara lazao, com um p branco,
lendo manta de couro de onca,
seliim e bridas nglezas, e igual-
mente toda a ronpa que tinba,
entre ella um fardamento de boli-
eiro sendo sobrecasaca de pan-
no azul com gslo de prata e bo-
to es de metal branco : suppoe-
se ter ido para o Cear, donde he
natural : quem o apprehehder le-
ve-o ra da Cadeia do Uecife,
n. ai, a Luiz Antonio de Siquei-
ra, ou na mesma ra, n. /iH, casa
de Augusto S. CorbetJ, que rec-
bela a gratifcalo cima.
Vendas.
iai 11-11 a r\r\
Na livraria ns. 6 e 8 da praqa da Inde-
pendencia vende-se o seguinte :
llanual eleifral
conlcnJo a lei regulamentar das elcicoese
os decretos e deciscs do governo quo dfio
esclarec mentos sobre sil execui;ilo.
Vende-se una taberna com poucos
fundos, sila na ra Nova, esquinada ra
Jas Trinchciras n. 1 um dos melhores lo-
caes desta cidade : a tratar com Narciso Jo-
s da Costa no largo do Carino.
Vende-so urna parda de 1G annos, quo
cose, entornilla, borda e faz doces de todas
as qualidades, tudo com perfcicao o da
qual seafinnea a conducta : na ra da Ca-
deia do Recife, n. 39.
Para escravos.
VenJem-so cobertores de algodilo ameri-
cano a 560 rs. cada um; zuarlo de chadrez,
a 160 rs. o covado; Jilo trancaJo, ,1 200
rs. o cov.-do ; pacas de ganga azul da India,
rom 4 palmos Jo largura o 12 covaJos a
2,100 rs.: na ra do Crespo, loja n. 10.
Vendem-se risoaJos escocezos com
vara de largura, a 290 rs. o covaJo ; cassas
pintadas do cores fixas, a 240 rs. o covado;
pecas de pa minino de vara de largura, rom
12jarJas ,-a 2,000 rs. : na ra do Crespo,
loja n. 10.
Ainda existe urna pequea pnre^o de
luvas de pellica enfeirndas para senhora as
quaes para se acabaren) vendein-se pelo di-
minuto preco de 1,000 rs o par ; bem como
Jilas scni enfeites para liomem e senhora a
800 rs.; Jilas do llgodlo de cores escuras ,
prop ias pura montara; Jilas Jo scJa de
varias rres, curtas e comprlas ; ditas
brancas dealgodSo, com borracha ; fitas li-
sas de seda e do todas as larguras cor de
rosa, encarnada azul, verdo aniarella ,
branca n preta ; ditas de si-Ja lavraJa do
varias cores bonitas, bstanlo largase mui-
to prnprias para enfeites de camas e cha-
pos de senhora ; bicos o rendas francezas
de todas as larguras : papel de machina o de
peso branco e azul em mcias resmas,a 2,800
rs. a resma o a 40 rs o caderno ; e outras
muilas fazendas por preco commodo : no
Aterro-da-lloa-Vista, n. 72.
dos amantes da lotera do Rio-
de-Janeiro.
So ebegadas as listas da 50' lotera da
misericordia c a d:i 10' das matrizes, c com
ellas novo sortimonto dos mnilo afortuna-
dos billictes e cautelas da 19" lotera do
monte po, cujas listas chegam no primeiro
vapor: na ruada Cadeia do Recife, loja de
ujzendns, n 51, de Joo da Cunda Maga-
Infles : a elles antes quo se acaben.
Na ra da Praia, n. 32, vende-se um
mua lindo Je 7 pai a 8 annos; assim como
arroz branco e vermelho por preco com-
modo.
RAPE" DE LISBOA.
Vindodo"1" 'Janeiro no vapor lmpe-
ralriz: VAiuv-rt na loja de Antonio Joa-
quim Vidal, ra 56 A.
Vende-se superior rap de
Lisboa : na praca da Independen-
cia, n. .')<).
Vcndem-se saccas grandes com feijflo
mulatinho, fradinho gruguluba o mantei-
ga, a 1,500e 4,000 rs. a sacca do alquere
raso : na ra do Vigario, arma/0111 11. II,
de Francisco A'ves da Cunda.
Quer-sc Acabar.
Expelientes ceblas, chegadas ltima-
mente, vendem-se por prego mais commo-
do do que em outra qualquer paite : noar-
mazem da ra do Codorniz, n. 11.
-- Vende-se um pardo moco, de bonita
figura proprio para pagom ou para outro
qualquer servico : na ra da Cadeia-Velha,
u. 33, se dir quem vende.
Vende-se um sitio na cacim-
ba de Jatoba, riacho da volta, ca-
beceiras de 1'jeje-de-Flores : no
Trapiche-NotTo ,Ji. i4 1
com quem ^ralar, por
soavel. (
0
se achara
preco ra-
j n. G, ao p do lampeo, ven- 5J
q dem-se os acreditados brins q
O trancados de puro linho. &
O Cortes de brm trancado pardo, a J
O 1,280 rs. ; Jilo cor do ganga, a 1,440 &
O rs.; dito muito fino, a 1,600 rs.; di- O
f-> lo branco listrado, a l,500rs.; pico- 0
Q te, a 180 rs. o covado; chitas escuras {?
rt i: 1I11 cures fixas a 160 e 180 rs.; co- (5
berlores americanos, muito encor- 0
paJos, a 640 rs. o corto ; cortes de 0
cassa branca 1 a-a vestidos, a 2,000 /;,
P? rs. ; pecas de ditas pana babados a ~f
* 2,400 rs. e a 32o rs. a vara; chapeos :
Jj* do inassa ,a 1,600 rs. ; ditos de seda ***
V a 640 rs. ; ditos a 400 rs.; fuslOes pa- V*
0 racollelo, a 480'rs.; dito superior a >
& 6,400 ris. 0
0 ty
-- VenJcm-se 3 molecotcs de 12 a 14 an-
nos : um Jilo do 13 annos; 4 mulatinhos
Je 25 annos ; 2 escravos de iiacio, de bo-
nitas figuras; 2 escravas de nacSo, que
pngfiniinain o rozinham; urna dita de 15
anuos; :i ditas do servico de campo: na
roa Direila, 11. 3.
Vendo-se um bcrco novo de condu-
r feilo a moderna ; um orgflo para re-
pella 011 para casas particulares, obras
feitas pelo fallecido Tresse: tudo por. pre-
Co commodo : em Fra-de-l'ortas, ra Oi-
reta, n. 147. primeiro andar.
Vendem-so duas pretas boas vende-
deiras do ra e quo cozinham o diario de
una casa : na na larga do Rozario, n. 40
segundo andar n fallar com Antonio dos
Santos Fe 1 reir. Na mesma casa se trata a
botar canoas doareia e de lijlo em qual-
quer porto, por preco commodo.
Vcndem-se 4 lindos melaques de na-
rao, de 18 annos; 1 dito de 16 anuos,
o ionio, ptimo para pagem e quo lio olli-
cial dealfaiale; 2 mulatinhos do 16 annos,
muito lindos; 3 pardas de 20 annos, mui-
to prondaJas; 4 pretas com algumas habi-
lidades ; 3 prctos, sendo um delles pe le
lo_co/inlieiro ; bem como oulros muitos es-
cravos : na ra da Cadeia do Recito, n. 40,
segundo mi lar, so dir quem vende.
Madapoloes muito linos.
Vendem-se pecas de madapolOes muito
finos largos o encorpados proprios para
camisas de liomem o senhora com 20 va-
ras a 4,500, 5,000,5,200 e 5,500 rs. ; dilo
ordinario com 20 varas a 3,000 rs.; lon-
cos Je toquim com franja, proprios para
meninas, a 610 rs.; luvas de pellica, peque-
as, a OO rs. ; cliil.i's Jo cores muito (xas,
a 14o rs. o covado e a 5,000 rs. a peca : na
ra Jo Passeio, loja n. 17.
Vende-se um cavallo muito bonito e
pequeo proprio para montara de me-
nino, e de senhora, bom carregador e que
esquipa de carretllha: na ra da Praia,n. 20.
Vende-so urna duzia de cadeiras, uin
sopba, duas bancas, urna dita de meio da
sala, urna cama : tudo em muito bom esta-
do : as Cinco-Pontas, n. 66.
Vende-se, na ra Velhs, n. 127, um es-
cravo de 18 annos, solTrivel cozinheiro, a
pioprio para qualquer servico do casa ou
campo.
Vende-se urna preta da Costa muito
moca de bonita figura e sem vicios nem
achaques: o motivo por que se vende so
dir ao comprador : no Alerro-da-Boa-Vis-
la, n. 17, fabrica de licores, de Frederico
Chaves.
Vende-se cera de carnauba :
na ra da Madre-de-Dcos, loja
n. 34.
Vende-se rap de Lisboa a 3,600 rs.,
dinheiro a vista : na ra da Cadeia do Re-
cife, botica de Vicente Jos de Bri.to, n. 61.
Vemdem-se apparelhos oitavados para
cha e para mesa de todas as cores : tudo da
muito bom gosto : na ra da Cruz, atrs do
Corpo-Santo, na loja de louca, n. 68.
BENEFICIO A HUMANIDADE.
Alphabetopara 0$ surdm-mudoi.
He de grando utilidad para aquellas pos -
soas que quizerem fallar com as mos, ap>
plicaJo a primoira vez para a instruceflo dos
muilos de Franca, com signaes para con-
soantos vogaes algarismos, alphabeto
111.11 sculo.
Por meio deste alphabeto pde-se ensinar
a qualquer surdo-mudo de nascimenlo ; he
una Ingoagem muito fcil e correcta que
se 1 de aprender em poucas horas.
Oabaixo assignado surdo-mudo, chegado
ha pouco da America do Norte, vem respei-
tosainenle implorar a proteceflo deste gene-
roso povo pernambucano.
Cada alphabeto cusa 1,000 rs. c vende-se
na ra da Senzalla, n. 38, na casa do Sr.
Ceorge Francisco, ou no Hotel-Francisco,
ra do Trapiche, n. 3.
Vem!e-se una boa casa terrea- com
grande quintal, cacimba esufiicentes com-
modos, sila nss Cinco-Ponas defronte da
fortaleza : os pretendenles dirijam-se ra
da Cadeia de Santo-Antonio, no segundo
andar do sobrado da esquina do Ouvidor.


eiige n lio.
Vendem-se sellins inglczese
ramas de ferro: na ra da Senzalla-
nova, n. 4*.
Chd brasileiro.
Vende-se ch* brasileiro no armazcm de
molliados, atrs do Corpo-Saiito, n. 66, o
mais excellenle rh proiluzido cm S.-Pau-
lo quo tem viudo a esto mercado por
prego muito commodo.
AGENCIA
da fu lidelo Low-Moor,
RA T>K SKNZALTA-ISOYA, *. /|2.
Neste estabelecimento conti-
na a haver nm completo sorti-
mento de moenras e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coido, de todos os tamanhos,
para dito.
Vcnde-se cal virgem de Lisboa do
superior qiialidade, em barris de arrobas,
chegadl neste mez pelo brigue Mara-Jote:
a tratar na ra do Hrum armazeni de
Antonio Augusto da Fonscca, ou na ra do
Vigario, n. 19.
-- Vcndem se presuntos inglozes para
lianibre ; latas com bolacbinhas de Lisboa ;
litas de araruta ; ditas do marmelada dr
1, 2 e 4 libras ; ditas de sardinbas ; ditas de
bervilhas ; ditas de chocolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
re laranja; barris com azeitonas brancas de
Rifas ; garrafas com vinbo moscatel de Se-
tuhal e da Madeira ; queijos do prato ,
Irescaes : tudo novo e chegado ltima-
mente de. Lisboa : na ra da Cruz no
llecife, ii. 41.
Vene-se ehampanha da mais superior
qualidade que tem vindo esle mercado :
na ra da Cruz, n. 27, armazcm do Crocco
A Companhia.
A 040 rs. cada un.
Vendem-se cobertores de algodo ameri-
cano, encornados e grandes a duas pata-
cas ; chitas escuras de bgns padrOes e ciV
res seguras, a meia pataca o covado : na
ra do Crespo, na luja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Vcnde-se algodao trancado
da fabrica de Todos-os-Santos a
!?70 e a 3oo rs. a vara : na ra da
Cadeia, n. 5a.
Tai xas para
Na fuinlico de ferro da ra do Hrum,
acaba-86 de receber un completo sorlimcn-
lodo taixas de* a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptdilo cmhaream-sc,
ou CBrreyam-se em carros sem despezas 10
/oipprador.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santnsna Babia.
Yrnile-se em casa de IV. O. llieber & (
a ra da Cruz, n. 4, alirodflo trancado
daquella fubrica, muito proprio para saceos
ilo assucar c roupa de escravos.
\,iSo ris.
Vendem-se superiores corles de brim
trancado de puro lindo cor de lama de Pa-
rs pelo barato pceo de 1,280 rs. : na ra
do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Mas.
I-o!ha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na ra
do A un ir i ai. n. 35.
Barricas,
Vendem-se barricas vasias que furam de
farinlia em p e bem accoiuliciiinailas :
na ra do Amorim,,n. 35, casa do J. J.
Tasso Jnior.
A 640 rs.
Vendem-se cobertores dealgodio, muito
encorpados, proprios para escravos a duns
patacas cada un : na ra da Cadeia-Vellia,
n. 33.
Bombas de ferro.
Na fundieo de ferro da ra do Brum ,
vendem-se superiores bombas para cacim-
ba assim como de repudio para fazer su-
bir agoa n casas al altura de 4 a 5 andares.
A Farinha de S-l!aliicns
ift Vende-sefarinba muito superior, por
11 prego commodo a bordo da sumaca %
4 Feliz-Aurora, Tundeada em frente do *\
j, caes do Collegio : a tratar com o ca- A pililo a bordo ou com Machado & Pi- a
j nbeiro na ra do Vigario, u. 19, se- L
r gundo andar.
Vendem-se relogios de ouro o prata ,
patente inglez : na ra da Senzalla-Nova ,
n. 42.
Vendem-se cortes de cambraias ada-
mascadas propriaspara vestidos, a 3,000
rs. ; ditos de talagarga, a 1,600 e 2,300 rs. ;
cassa-cliita decores fixas a 300 rs. ; lan-
zinhas para' vestidos, caigas e roiipa de me-
ninos, a 320 rs. o covado ; fazenda de lila
romlislrasde seda, propria para vestido
de seuliora a 640 rs. ; ISas para caigas, de
muito liom pisto c de supeiior qualidade ,
a 2,200 rs. o corte ; cortes de cassa, a 1,100
rs. cada um; panmnhocom vara de lar-
gura a 240 rs a vara, e a 2,500 rs. a pega
com 10 varas e meia ; diales de pura lita ,
a 2,000 rs. cada um ,- fuslOes para colletes,
a 500 rs o curie ; e nutras militas fazendas
por barato prego : na ra do Crespo, loja
n 15, de Cmilia GuitrtarVjes & Companhia.
Nada ISo bom al boje se ha descobcr-
ta para curar vista cangaua ou curta como
sejam oculos apropriados, os quaes se
vcndem por diversos procos e muito em
conta, por haver sortimcnio : na ra larga
do Ilotario, loja demiudozae, n. 35.
muito boa fazenda;longos de cassa para gra-l
vata a160 rs.; casimira elstica preta a
2,500 rs. o ovado ; casimiras de cores para
caigas ,a 4,000 rs. o corle ; cortes de col-
letes de gorgurflo de seda a 2,500 e 3,200
rs.; chales dn chita grandes a 800 rs. e
perflenos a 500 rs. ; eainda restam alguns
chapeos do crep para scnbora a 2,000 rs.
Camisas francezas
Na ra Nova, n. 14, loja de alfaialo he
chegado um riquissimo sortimento de ca-
misas brancas e de riscados os mais lindos
padrGes o cores lizas, por.prego commodo.
A 1,000 rs. o corte.
Vendc-sc brim liso escuro mu:to fino,
proprio para jaqueta, a 1,000 rs. o curte
dito trancado escuro e muito fino, a 1,280
rs. o corle de caigas ; dito cor de ganga,
1,500 rs. o corte, sendo todos de puro linho;
cortes de cassa do cordRozinho rom 7 va-
ra^ a 2,000 rs.; fustfio alcochoado para
cbllele a 480 rs. o corte ; meias finas para
meninas de varios tamanhos, a (320 rs. o
par : na ra do Queimado, n. 8.
N. 9.
Puiada Madrc-de-Deos.
Puro vinhoda Figueira.
O novo armazem iksla pinga deliciosa
acaba de se abrir nosta ra, defronte lo cx-
lincto armazcm ao mesmo proco de 180
rs. a garrafa e a 1,360 rs. a canada. Os
amanles drste licor alli encnnlraro garra-
las promplamenlo lacradas e com o sen
competente rotulo para trocarem por outras
promplamenlo ; assim como tambem en-
cnnlrariio barris de diversos tamanhos,
por procos bem rasoaveis ; bem romo vinbo
hranro do Lisboa a 1,600 rs a caada, o a
220 rs. a garrafa. 0 proprietario deste esta-
holccimcnlo pede Oame para poderem ava-
har a pureza de sua qualidade e asseio c
que em nada desagradar aos concur-
r ntes.
No armazem da ra da Moila, n. 7, con-
tinia-se a vender superior colla das fabri-
cas do Itio-Crandc-do-Sul, por prego ba-
rato.
FARINIIA DE MANDIOCA.
A melhor farinha de mandioca que tem
venda he a bordo do brigue Minerva, chega-
do deSiinla-Catharina, e tundeado na praia
do Collegio, onde se vende a prego mais
commodo que em qiialquer ontro barco ; e
tanihcm se podo Iratar na praga do Coui-
niercio, n. 6, primeiro andar.
Cal virgen de Lisboa.
Na ra da Cadeia do llecife, loja n. 20,
vende-se cal virgem por prego mais com-
modo doqiieem oulni qualquer parle.
Vendese un pardo robus-
to, de 5.'| annos, perfcilamcnle en-
tendido no servico de rompo c sem
vicios : na loja da rita do Crespo,
n. l5, de (unlia ("iiiiinaracs ck
Companhia.
Superior cli brasileiro.
Vende-se superior ch de S -Paulo em
caixinhas de umaeduaa libras: na ruada
Cadeia do llecife, n. 51.
Vendem-se no armazcm, n.
i, do Calaia, no caes da Alfandc-
ga, por preco commodo, barricas
com farinlia de mandioca, muito
fina, ( soruhy ) assim como saccas
com feijiio novo, muito grandes e
baratas: Irata-se no mesmo arma-
zem, ou com Novaes ckC.a
-Vcnde-se sal do Ass em grandes o pe-
queas porgues : a bordo do patacho Em-
laro, fundeado no Forle-do-Mattos.
-Vcnde-se um sobrado de um andar,
silo na cidade da Victoria na ra da Paz,
que fui do fallecido Jos Ignacio do Tem-
plo e boje peitence a lilha do mesmo,
I). Josephl Mara da Concoigiio : a tratar no
engenho S.-Jos, com Luiz Itaibalho de
Vascencellos que est aulorisado a fazer
dila venda.
Vende-se, por preco muito
commodo, no armazcm de Dias
l'erreira, no caes da Alfandegu,
farinha de Sanla-Calharina, em
saccas grandes,c batriquinlias com
polassa, muito superior: trata-si-
no mesmo armazem, ou com No-
vaes & Companhia.
Vende-se urna mulatinha de 20 annos,
com algumas habilidades: na ra la Mo-
ila n. 0, segundo andar de inuuhfia at as
8 horas c de larde al as 4.
Vende-se una parda do boa conducta,
com algumas habilidades, por prego com-
modo ; um moleque de nagflo, de 18 a 20
anuos de boa conducta, tambuin por pre-
90 commodo : na ra das Cruzes, 11. 20, as
lujas.
Charutos de Havana
verdadeiros: em casa de Kalkmaiin Ir-
mos na ra da Cruz n. 10.
Vende-se urna parda de 15 annos.de
bonita figura e que ho ptima para muca-
ma : no beccodoSarapatel, sobrado n. 12.
Vende-se urna venda com poucos fun-
dos e bem afreguezada na ra da Lingoo-
ta n. 5 : ao comprador se dir o motivo
por quo se vende: a Iratar na mesma
venda.
Vende-so sebo em rama muito supe-
rior : na ra Nova, loja do trastes, n. 59,
defronte da ra de S.-Amaro.
V !f
$ Chegticm Olindenses, ao bom (p
- e barato.
(/ Em Olinda taberna docaminhodo m
*i llecife vende-se vinbo borne bara- #
m lo a 180 rs. a garrafa e a 1,280 rs. (
6;' a canada. *
m r*
Vendem-se alguns escravos e cscra-
vas mogos e sadios ,e quo sfo bem pren-
dados : na ra da Cadeia, n. 30.
llar melad a nova.
chegiida ltimamente do Kio-de-Janeiro,
vende-se por prego commodo: atrs do Cor
po-Santo armazem de moldados, n. 66.
fea loja de sclleiro da
ra do Queimado, n. O,
vendem-se sellins-de todas as qualidades,
lauto para ir.onlaria de homem como para
a de senhora gallegadas inglezas roligas
e chatas ditas do couro de lustro, bran-
cas e pretas ; talinse cananas de todas as
qualidades ; corrcianics de lustro ; barreti-
nas para olliciaes asoldados de cavallaria e
iiifmilaria; bandas etc.; perneiras e guar-
da-lamasde todos os'feilios; canhOes de
couro de lustro hranro o amarcllo para
hutas de criados ; fundas inglezas de urna c
duas venillas } colchoes de lodos os tama-
nhos o felios. Na menina loja se forram sel-
lins com couro de porco inglez licando
romo novos, e se faz toda qualidade de
concert : tudo por prego commodo.
Atleng.lo aos premios vendidos.
Na loja de cambio da viuva Vieira & fi-
Ibos, na ra da Cadeia do llecife, n. 2 4,
fram vendidos da lotera a beneficio das
matrizes do llio-de-Janeiro, os nmerosse-
guintes : 3,605, 10 000,000 de ris ; 820,
260.000 1 s. ; 4,069 o 875,100,000 rs. ; 4,873.
,87i e 5,310 40,000 rs. ; e immensos de
20,000 rs.
& & ^T Na ra ao Crespo, j> 3
^ loja da esquina que palta 2
0 para a cadeia, vendem-se ^3
0 os acreditados brins trancados bran- ^j
0 eos, lisos, de lislras ede linho puro, ^j
0 a 1,500 rs. o corte ; dito amarello a />
a 1,440 rs. ; dito muito superior, a g
^ 1,600 rs. ; picote muilo enrorpado
SJ proprio para escravos a 180 rs. o j
~J covadp ; panno prclo muito fino a 3?
3,200 rs. o covado ; cassa de quadros jg
O para babados, a 2,000 rs. a pega ; lu- J
:> vas de algedSo de cor, muilo linas, a O
(''< 240 rs o par ; chitas rnnxas com fio- Ci
res encarnadas, de tintas seguras, a ^j
180 rs. o covado cassas pretas, pro- ^j
prias para lulo, a 160 rs. o covado; q
pegas de platilhn de algnd.lo com 25 ,:,
Aloldnras donradas
Para liqnidacao.
Na loja n. 5 A, da ra do Crespo, ao p|do
arco de S -Antonio continuam-se a vender
muilo bons corlea de camhraia de cores
com 6 varas e meia a 2,500 e 3,000 rs ; pe-
gas de madapolSo infestado, a 5,500 rs. ,
ile todas as larguras : vendem-sc em casi
de KHlkinaiin IrihfJog, na ruada Cruz, n. 10.
Na ra dasCruzeS, n. 22, segundo an-
dar \endem-sc dous molecotes do naclto,
le 18 a 20 annos sendo um delles ptimo
serrador; urna preta do meia i Jado boa
lavadeira ; um dila do 18 annos, que en-
gomma, cozinha o lava ; urna dila da Cos-
ta ptima quitandcira.
Caderas de palhinlia e
de balanco,
>em comonlros nmitos trastos: vendem-se
em casa de Kalkmann lrmilos, na ra da
Cruz, n.10.
--Vende-so urna muilo linda escrava re-
colhida rio 18 annos, de boa conducta, e
com habilidades proprias de urna mucama :
na ra do Padre-Floriaano, sobrado do um
andar n. 7.
-Vende-se urna preta crioula ,de 18 an-
nos : na ra Nova, n. 16.
Craza iugl^za.
Vende-se graxa ingleza, ,a 200 rs. o pote,
e a 2,300 rs. a iluzia : na pr,'.';a da Indepen-
dencia, loja n. 3.
0
a 4,200 rs.; e outras militas
J' fazendas por prego commodo.
Vendem-se 4 escravas com habilida-
des; urna parda de 30 anuos que enlcnde
de todo o servigo do urna casa, por 300/
rs. j um pardo de 18 annos, de bonita fi-
gura, que he de boa conducta e por laso
proprio para pagem ; um molcciio deriagio,
de 18 a 20 annos bem robusto sem vicios
nem achaques e que he proprio para todo
o servigo : no paleo da matriz de S.-Anto-
nio, n. 4, se dir quem vende.
-- Vende-se um alambique francez e de
robre com pouco uso que leva a caldeira
50 canadas com muilo boa serpentina de
cstanbo fino que pesa 300 libras: este
alambique trabalba por dous syslemas, uro
que serve para destilar gazapa o nutro pa-
ra resillar ago'ardenlc ; para esto tem tres
ratificadores os quaes fazem com que o
alcool saia sem cheiro, muito supesiorem
grao e muito simples para qualquer pessoa
poder Iralinlliar: ada-se maulado e pronip-
lo a trabalbar i ara o comprador ver : lam-
licm se vende una machina de fazer limo-
nada gazosa agoas minoraos e vinbo
rhiimpanba : ludo por preco commodo i no
Alerro-da-ltoa-Visla n. 17 fabrica de li-
cores, de Frederico Chaves
Vende-se farinha de mandio-
ca, muito superior e por preco
commodo, a bordo da sumaca
Villa-Carolina, entrada de San-
Matlieos, a qual se acha fundeada
defronte do caes do Collegio : tra-
la-se rom o capito a bordo, ou
com Alachado & Finh'eiro, na ra
do Vigario, n. ig, segundo andar.
4c$ fumantes de bom eotto.
No armazem de mnlhados atrs do Cor-
pn-Sanlo, n. 66, ha para vendrr, chegados
pelo ultimo vapor viudo do sol superio
res charutos S.-Flix, e de outras minias
qualidades que se venderlo mais barato do
que em mitra qualquer parle : bem como
cigarrilhoi liaspetihoei, ditos de palha de
m ilho, que se estilo vendendo pelo diminu-
to prego de 500 rs. o cento.
A 4 oo ris.
Vende-se superior esguiilo de algodilo de
quatro palmos einoio de largura, proprio
rara camisas de senhora e jaquetas, pelo
barato prego de 400 rs. a vara ; bretanhas
de rolo com 10 varas, a 1,600 rs. ; supe-
riores cortes de fuslOes alcochoado a
1,28o rs. ; ditos miudos a 400 rs. o corlo :
na ra do Crespo n. 14, loja de Jos Fran-
cisco Dias
A aoo rs. o covado.
Vende-se zuarle azul trangado, muito en-
corpado e com 4 palmos e mcio de largura ,
a melhor fazenda para vestir escravo pelo
barato prego de 200 rs. o covado: na loja da
esquina da ra do Crespo, que volta para a f
cadeia.
Vende-se a casa terrea do pedra e cal'
n. 136 da ra imperial ; um WrenojunlO*
mesma para outra casa ja ater ado ludo
at o rio, eom chaos propnos : na ra do
Collegio, n. 6.
Rap roMo francez.
Vende-seo superior rap roblo francez,
nicamente as lojas dos Srs. Cactano Lu.z
Ferreira no Alerro-da-Doa-Vista n. 46 ;
Thomaz de Mallos Estima na mesma ra,
n.54; Francisco Joaquim Duarto ruado
Cabuga; Piolo &lriniiof na ra da Cadeia
do rtecife, n. 19.
Na travessa da Madrc-de-Dcos,
aimazeni n. 9,
vendem-sc quartolus com vinbo de Bor-
dcaux ; frasqueiras com muito superior gc-
nebra do lloltanda ;caixnscom superior vi-
nho moscatel ; ditas com azeite doco em
garraas; papel florete ; dilo alinago de
primeira e segunda sorle ; dito do machi-
na ; dito pardo para botica c chapeleiros ;
banha de porco, em barris e meios ditos ; e
outros muitos gneros proprios para venda.
para curar da phlysica em todos os seus
difTerentes graos," ou motivada por al-
guma das seguinles molestias: conslipa-
goes, tosse, asthma pleuriz escarros de
sangiic, coqueluche, dflr de costase pci-
toa, bronchites dr na garganta e todas as
molestias dos orgilos pulmonares. Esteex-
cellente remedio que tem gozado de tilo boa
reputago nos Eslados-Unidos da America
do Norte, pelos seus bons effeitos na cura
das varias molestias acirr.a'mencionadas, in-
duzio os proprietarios delle a manda-lo pa-
ra o Brasil, onde a esperanga de suas virtu-
des no firam sem fundamenlo como a
experiencia tem mostrado desde a sua in-
Iroducgfo poisos ailmiraveis eflbitos que
tem proiluzido aqui silo iguaes aos melho-
res que alli lem feilo c que sflo bem altes-
lado pelos varios lestemunbos e certifica-
dos das pessoasque teem sido curadas por
este medicamento sem igual, particular-
mente ao sul deato imperio onde foi pri-
meramente introduzido, e j nesta mesma
provincia receitado polos mdicos e sem-
pre com bom sucesso. Novaes & Compa-
nhia, os nicos agentes nesta cidade e pro-
vincia, norneados pelos agentes geraes do
Itio-de-Janciro os Srs. K. C. Vales & Com-
panhia rrudaram o deposito deste xarope
para a botica do Sr. Jos Maria llamos, na
ra dosQuade.'s. n. 12, junto ao quartcl de
policia onde semprc acharflo o nico ver-
dadeiro, vindo daquelle deposito, a 5,500
rs. cada garrafa.
Vinho de Bordeaux e de
< 'hanip;inha ,
de superior qualidade : vende-se em casa
de Kalkmann luimos na ra da Cruz ,
n. 10.
f 9
f> Vendem-se escravos baratos, na ra 4
(i das Larangeiras, n. 14, segundo an- A
t> dar ; um lindo molcciio de nago ; 1 #
^ prela de nago de 16 annos, com (
f principios de ha hilidades ; urna preta ^
de 20 annos de bonita figura ; urna .'?
dila de 26 annos. ptima engomma- )
+ deira ecozinheira ; urna bonila mu- <
# lalinlia de 13 annos, que cose e mar- #
i ca muilo solTrivel ; d >ua pelos para A
o servigo de campo ; um moleque *
9 de 12 anuos.
*
Cortes de brim de puro
linbo, a 1,480.
-- Vendeni-se corles de brim Irangado
pardo de pii'o linho, pelo diminuto prego
de qualro poli cas : na ra do Crespo, loja
da esquina que volla para a cadeia.
Kslao se ecabando
os superiores queiios de prensa : na ra do
(.'mimado, h de miudezas n. 25.
I"ni cxccllcnle quarlo.
Vende-se um excellenle quait!1o:na es-
tribarla por di tras da lojadeluuca do Sr.
Fragozo, na ra da Cadeia do llecife, a fal-
lar cun I'.i'i'iiardino Pinto.
Sorle grande de 0:000^
Lotera do Rio-ele*
Janeiro*
S3o chegadas as lisias da mal i/os e da
misericordia e com ellas grande sortimen-
to de bilhctes meios, quartos, oitavos e
vigsimos da 19.' lotera do Monle-Pio : na
ra da Cadeia loja de ferrageus, de Anto-
nio Joaquini Vidal.
i'Tiica da Indepen !cn-
cia, loja n. 5.
lie rbegaiTo a e.'te estabelecimento urna
porgSo de papel paulado paia msica cor-
dase hordcs para violDo e rabeca : tudo
da melhor qualidade possivel.
-- Vendem-se espelhos de paredo a 400,
480,560,800 o 1,000 rs. cada um; capa-
chos a 480, 640 e 800 rs : no Alerro-da-
lloe-Vista, n.', i.
Vende-se urna bonita commoda di an-
gico, com muito pouco uso e por/prego
commodo; urna dila velha proprfa para
servir em lugar do armario em. cozynha ; 1
balcSo em muilo bom estado e pi o/u io pa-
ra qualquer casa de negocio ; 7 raixilhos
envidragados, muito proprios pura arma-
gflodeloja de fazendas, miudezfea ou cal-
gado, por prego commodo: no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 72.
Vende-se superior cal virgem de Lis.
ba em barris pequeos ; feches de arcos
de pao e rodas de dito para barricas; cu-
ntiles de pinho abatidos para assucir
pregoscaixaesdo Porto, oro barris de to
milheiros; ditos de estuque, em Harria j,
32a45milbeiros ; marmelada de Lisboa
em latas del e2 libras; pilulaade familia' 1
na ra da Cruz, n. 19, primeiro andar, i
fallar com Joaquim Ferreira Mondes Cuj.
manes.
--Vende-se um bonilo moleque de tj
annos; um bonito mulatinho de 13annus
ambos proprios para a prenderen oflicio'
porserem muito espertos : na ra larga i|
llozario, loja n. 35.
Lotera da Rio-de
Janeiro.
Na praga da Independencia, n. 4, ven.
dem-se bilhctes, meios quartos o vigsi-
mos da 19." lotera do Monte-Po. Na mes-
ma loja so uioslram as listas das loteras
passadas.
Vendem-se superiores redes e urna
loalha : na ra do Queimado loja de miu-
dezas, n. 25.
& Vende-se superior farinha de man- <5
* dioca, muito nova por prego mais*
> commodo do que em outra qualquer*
?> parte: a bordo da sumaca Bella-Arge. J
^ lina, fundeada defronte do caes do ^
& llamos ou na ra do Vigario, n. 19, J.
^ segundo andar, casa de Machado & *?
:>
Pinheiro.
-- Na ra de Hurlas, casa da esquina que
volta para S.-Thereza, n. 54, continuam-se
a vender superioies velas de carnauba, tan.
to emlibras como em arrobas : lainlain se
iccebem encommendas do arrobas pm
fra.
Vcnde-se um preto com oflicio de si-
p8lciro : na ra do Queimado, n. 14.
A 610 rs. a libra.
Que'jos londrinos,
Vendem-se, pelo barato prego de 640 rs.-t]
libra queijos londrinos, chegados recen-
temente : na ra do Amorim, n. 36.
Ceblas.
Vendem-se ceblas; saccas com farinha;
ditas com feijiio por muito barato prego:
ao p do arco da Conceigflo, armazem n. 81,
-- Vende-se o engenho Ilaixa-Verde um
dos melhores da Malta situado quasi as
estremas das comarcas de Nazareth e Coln,
na de eujo porto dista 5 legoas de excel-
lenle osiradn, completamente montado pi-
ra tirar-s grandes safras com cercado na-
tivo mattassufllcienles, terrenos proprios
para quarauer plantagSo. Este engenho,
alm de outras vanlagcns, tem os princi-
paes partidos em cima das porteiras e fres-
cos para no$ annos de grando secca terem-se
ceilos mil pos de excellenle assucar. 0
actual proprietario vendo-se obrigado, por
motivos particulares a vender este enge-
nho toiio negocio far. Para mais algumas
informagOes os pretendenles pdem dir-
gir-se ao Atcrro-da-Koa-Vista n. 84, pri-
meiro andar ou no dito engenho a Diogo
Voltio Cavalcante de Albuquerque.
- Vendem-se catleiras, marquezas, sofii
c algumas mesas ; na ra das Cruzes, n. 3"
j ra
s( ravosfi'u/iaos
Fugio, no dia 26 do prximo passado
urna prelada Cosa alta e grossa do cor
po ; tem por costume fazer suas rugidas
c quasi sempre anda pela ra da Guia, mi
agora desconla-se que esleja guardada mu
perto da casa de seu senhor; porque, le
vando ferro no pescogo e correte com se
po no i foi vista no dia 29 no mesmo es-
lado ; chama-se Eva mas muda de nome
e quasi sempre d o nomede Joscpha: quei
a pegar leve-a ao Hospicio, n. 4, a Arsi
Fortunato da Silva.
Fugio, no dia 20 de abril do corren!
anno um moleque ciioulo de 18 annos,
de nomo Joaquim de cor pela, rosto jf
dondo, olhos pequeos, ps emilos grandes,
tem as costas de cima al as nndegas toda*
encalombadas do chicote ; foi compriof
no dia 16 do mesmo mez a Antonio la Sil
va Pereira Portuguez, caixeiro, ou se
crea rio do Sr. Vicente Ferreira Je Paula;
quiindo fugio foi preso em Capoeras pelo
capitlo de campo Manduca onde confes-
sara que dito Portuguez o linha seiluzdo,
para que depois de o vender tornasseafligir
o procurasse sua companhia e tornando i
fugir das mos do ca'pitSo de campo, adia-
se dentro da malta de S.-llenedicto. MfJ
so a todas as autoridades policiaca e cap-
liles de campo, qnedeem lodasas providen-
cias que esliverem em seu alcance, ,IBI
de ser capturado dito moleque, pois o awi-
xoassignado gratificar com cem mil r.
qualquer pessoa que oapprehender.
Jos da Fonieea Silva.
Fugio, no dia 31, pelas ? horas da lar-
de um escravo pardo de nome Vicenta
de cor muito clara, cabello um tanto |i-
chaim; levou caigas de riscado, c"m"'
branca jaqueta de riscado, deixanuo o
chapeo, porm elle bavia ler cuidado al
comprar outro; tem no rosto algumas far-
das ; heollicial de alfiate, o lambem tu-
leude de carpina ; ho muito de suppor, (">
ser muito alvo que se inculque forro,.P01'
diz ler mili forra as Dananeiraa, provincia
da Paradina ; he muilo baquiano, por k
andado com o anligo senhor por S -Aniao
todo o serlSo com gados cm que o seni"
negociava : foi vendido no Ceari, a (patMJ
rio, Antonio de Miranda, que o troui"
comsgo no vapor. Itoga-se as autoridae
policiaes, pessoas do povo o capitaea
campo que o apprehendam o levem-no'
ra da Cruz no llecife, n. 33, que ae
tincar com 50,000 rs.
Fugio, ha dias um preto de
Patricio crioulo de 30 annos pouco in
ou menos ; he bstanle preto, magro, e
dentado com urna lisiula em um ttuclV
levou caigas de riscado ja usadas, jaqr**1
preta ; anda muito de vagar por ler ei
do doente; consla andar no arraii"r
desta cidode, com urna mochila pe'
esmolas como pobre ; tem um po um i-
i ochado : quera o pegar leve-o i ra i
Cruz n. 33, que aera gratilicado.
PN. : NA TIP. 0E U. t. DB FARIA.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3AVBQVTH_AQG9LW INGEST_TIME 2013-04-13T01:08:52Z PACKAGE AA00011611_06241
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES