Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06239


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ir.
Auno XXV.
**,---
Segunda-feira 6
PAKTIDA SOS CORHEIOS.
Coianna e Parahiba,segundas e sextas-feiras.
Ho-Grande-do-Norte, quintas-leiras ao mel-
Cubo, Serlnhem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no 1., a II c 21 de cada incx.
Garanhuni"e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Florts, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-fciras.
linda, todos os da.
XrBEWEHIDZa.
Vnkm o lo. Chela a 4, i 1 h. e 32 ni. da m.
Ming. a 11, as 11 h.e 13 ni. da in.
Nova a 18, s 31i.el3ni.ia t.
Creso.a 25,s 2h.e3tiin.da L
FHEAMAR SE HOJE.
Primeira s 6 horas e M minutos da manh.
Segunda s 7 horas e 18 minutos da tarde.
de Agosto de 1840.
N. 172.
rasos sa nrsscB.iclo.
Por tres mezes (diantado) 4/000
Por seis mezes 8/XK)
Por uin anuo 15/000
SI Al DA SMa-AWA.
6 Seg. S.Thiago. Aud. do J.dos orf. e dom.da l.v.
7 Terf. S. Caetano. Aud. da chae., do J. da 1. v.
do civ. e do dos reitos da fuzenda.
8 Quart. "S. Cyrlaco. Aud. do J.da2. v. do civ.
1) Quint. S. Uoiuo. Aud. do J.dos orf. c do m.
da 1. v.
10 Sext. 'i- S. Louren;o.
11 Sab. Ss. Tiburcio e Susana. Aud. da Chae, e do
J. da 2. Tara do crb/ie.
12 Dom. S. liara. __________^___
cambios w 4 L-
Sobre Londres. 25 d. por 1/000
. Paris, 380.
. Lisboa, 115 por cento.
Ouro.-Oneas iiespanhoes......
MoedasdeoVWOvclhas
de 6/400 novas.
de 4/000..........
Prala.Patacoes brasllclros.....
Pesos columnarlos......
Ditos mexicanos...
AGOSTO.
rs. a (30 das.
'. 31/000. a 3I/00
17/20U
Itt/iOO
9/200
J/990
1/190
i/too
I7/41H)
1UJI400
0/41 MI
oia
All (I
1/J20
diario m vmmumm
PARTE OFFICIAL.

GOVEBNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 2 DE AGOSTO.
Omclo.Ao chefe de polica.Sendo os pe-
uenos destacamentos contrarios disciplina
Jos corpos, cumpre que se no multipliquem
em evidente necessidade; e essa evidente ne-
essidade nao deve existir na povoaedes, fre-
uetlas e difirilos que circulam essa capital,
f que, estando pouca distancia dola, pdem
Ser soccorridas de prompto quando se dem
motivos para que seja precisa a presenca de
una forfS : conieqiientemente nao animo
requisitas que V. S. faz ein omcio de 31 de
ijiilhu ultimo, sb n. 311, de un destacamento
para o primeiro districto da parochia de Ja-
boaio, e declaro a V. S. que, quando, as di-
tas fregueilaa, povoacoes e dlstrictos, se_tiver
do fazer qualquer diligencia para a prisao de
riminosos, releva que a autoridade que pre-
.ender erTectua-la requisite a forja necessaria,
designando o da e hora em que essa forja se
Iba de apresentar, e que, consummada a dili-
gencia, qualquer que seja o seu resultado, re-
kerta aforja para esta capital. Assltn respon-
'do aoditoofficio.
Dito Ao Inspector da thcsourarla da fazen-
da, f ptovandoa arremataciio da capatazia da
Ifandega desta cldade, feita naquella thesou-
arla por Jos Tlioinai de Campos Quaresma
ob as condices de que S. S. remetteu copia.
1 .Dio.--Ao mesmo, Iransiniltindo o aviso de
jiu leitra da quantia de 4:000,660 rs., sacada
ela thsourerla da provincia do Rlo-Grandc-
do-Korte sobre essa e a favor de Diogn e llen-
rique.--Partlcipou-se ao presidente daquella
provincia. ... .
Dito.Ao mesmo, transmlttindo o saque de
nina lettra da quanlla de r.560,700 rs.. felto pe-
la thesqrarla do Rio-Grande-do-Norte sobre
essa e a favor de Barroca t Hlnheiro Com-
inunicou-M ao presente da referida^rovlncla.
Dito.Ao ju's do civel dcsta cidade, com-
municando haver o vice-consul do llrasll na
ci.lnde do Porto reinettldo para esta provincia
na barca portuguesa f'lor-da-Maia o espolio de
Jos Jgaquim Lopes Moreira que fallecer no
mar demandando aquella cldade; enviando
copla d drclararSo do consignatario da fazen-
da perteneente a heranca do finado e dos res-
pectivos despachos,e previnindo-o de que se val
olnclar ao Inspector da-slfandrga para por a
disposico de Smc. os volumes quecontfiem o
referido espolio.veste sentido ofiiciou-se ao
mencionado inspector.
Dito.Ao inspector da pagadoila militar,
approvando a arrematacao da madelra intil
para is obras inllitares,\rla por Jos Antonio
Correa Jnior pela qiianlk de 30,500 rs.
Dio.Ao administrad* das obras publicas,
para que ordene ao engf oheiro Liculhier exa-
miue o estado da ponte fie Iguarassu e orgam-
se o orcamcnlo dos concert, de que ella pre-
cisa. Inteirou-se a cmara daquella villa.
Dito.Aojui/. de paz do iriinciro districto
da fregezia de Ipojuca, declarando que nao
existe a duvlda por Smc. apresentada ; por-
quanto, nao estando concluida a qualificacao
feita m 15 do mea lindo, deve a eleicio ser
feita.coma qualiricacuo anterior, o que se evi-
dencia pelo artigo 11 das inslruccoes que re-
melle. ,
Portarla.O presidente da provincia, usan-
do da" allribulco que Ihe foi conferida pelo
decreto de II de Janeiro do cor rente anno, ha
por bem conceder amnista em noine de S. M.
o Imperador a Joo Soares de Albuquerque
Mella pelo urime de rebelliao, ltimamente
coiiimctlldo urstn provincia.
pera sua resalva se ihe passa a presente,
hki vlrtude da qual jamis podera ser proces-
'^Hdo pelo dito crlme.
Dita.Mandando passar ttulos para os luga-
rs da thesourarla da fasenda provincial abai-
Ro declarados aos cidadaos que nelles vio men-
cionados : ...
Da secretarlo ao segundo escrlplurario que
ora xerce as uneces de tal emprego, Anto-
nio Ferreira de Annunciaco.
De segundo escriplurario ao pnmeiro ama-
nuense francisco Antonio Cavalcantc Cotia-
cirn.
De escrlvao da receita ao segundo amanuen-
se cartorarlo Antonio Cardoso de Queiros Jron-
eeaJtinlor. .
De primriro amanuense ao colloborador
Francisco Geraldo Moreira Temporal.
De segundo amanuense cartorario a Manoel
llenriques Cardlm. ,
De platicantes aJoo Cesar Cavalcanle de
Albuquerque cCoriolano Sllverio do Ainaral.
nicnliflcou-se o lui-pector da thesourana da
fazenda provincial.
Dlta.-O presidente da provincia, tendo ein
vistas a propostt do chefe de polica,dalada de
3l de julno ultimo, e attendendo s necessida-
de doservico publico, ha por bem demillir a
Francisco Joaquim Machado do cargo de sub-
delegado da reguezia da Vanea.Inteirou-se
o cliefc de polida.
Dita.Conc deudo ao capllao graduado aju-
dante da fortaleza dp Huraco, Salvador Coe-
Iho de Drntnniond ilbuquerque, dous mezes
de Hcenca de favnrfpara tratar de sua saudc
fra da dita fortalela.
Dita__Concedendo dez das de Hcenca para
vi; a esla capital ao juiz de dlreito do civrl da
comarcada Victofia, Francisco Elias do Reg
Dantas. )
1DBJ1 Dp DA 3.
Offlclo.-Ao cotnmandante das armas, com-
munlcando haver S. M.\o Imperador por bem
mandar que o segundo lenle do 4." batalhao
de animarla a pe, Joaquim da Silva Maia, si-
ga para a curte na piimoira ciubarcafo de
juerra qup para all liouver de partir Scien-
nificou-sc o inspector da pagadorla inlliur.
Dito.Ao cliefe de polica, mandandi
em Ilberdade os recrulas Suiero Jos dos
los c Manoel Goncalves.
y Dito. Ao Inspector da thesouraria dafatcn-
Lda, autorisando-o a mandar saliafazer a quan-
Ftia pedida pela pagadoria militar para as des-
bezas do inez correle.
Di lo .Ao inspector da thcsourarla da fazen-
da provincial, para quemando pagar ao teneu-
tc-coroncl Antonio Carnelro Machado RIOs a
quantia de 25,000 rs. por que, de ordem da
pvsidencia, fez elle manufacturar urna urna
liara guarda de sedulas.requisilada pelo presi-
Ctdite da cmara munlclal d'Agoa-Preta.ln-
Brpu-se o referido tenente-coronel.
IT^i.. .-... --miln mande naear
mu i.
indo piir
dosSsIu-
a Josi de Mello Cesar de Andrade oque se de-
ver ao delegado do termo de Olinda pelo que
despendeu desde ?0 at 31 de julho ulllino
com o sustento de seis presos pobres de justi-
ca a raso de i60 rs. por da.Communicou-se
ao chefe de polica.
Dito.Ao juiz de direito da comarca de Gol-
osina, Joo Paulo de Miranda.Convindo que
Vine, me informe sobre a veracidade dos fac-
tos que se relatam na pelicao Inclusa, lhc or-
deno que, Interrolnpendo a sua licencia, parta
Iminedlatamente para Golanna. eprocedendo
s IndagacSes necessarlas.se achar que '*>Mf*"
vamente costuinam transllar pela ras da di-
ta cldade grupos de individuos mal intencio-
nados que do gritos de vivas e morras assus-
tando dessa forma aos cidadaos pacficos, e se
achar que o delegado de polica nao d as pro-
videncias necessarlas para se dlssolvorem taes
grupos,entenda-secom o juiz municipal e com
o coinmandantc do destacamento, aos quaes
apresentar esle rnelo para que por ordem do
mesmo juiz municipal e com a ajuda da tor-
ca de que consta o dito destacamento sejam
dissolvidos taes grupos e reprimidos se persls-
tlrem em perturbar a paz publica.
Cu niprida stacommissao.c havendo socego
na sua comarca, poder Vine, reverter a esla
capital para continuar a gozar da sua Hcenca.
Dito Ao juiz de pas do primelro districto
da fregezia de Serlnhaein, declarando que
obrou bem em ler felto a convocar.80 para ler
lugar no dia 5 do corrente a elelcao dos elel-
tores de parochia, cuja dellberacno fol de con-
fnrmidade com o artigo 6. das inslruccoes de
28 de junho ultimo.
Dito.Ao delegado d'Agoa-Pret, declaran-
do que o pao de jangada nao he reputado ma-
delra de lei. e quaulo ao corle d'aquellas que
sSo reputadas taes s pode ser prrinittido as
pessoas que esliverein munidas da competen-
te Hcenca.
DitoAo bacharel Vicente Ferreira Gomes,
scienlificando-o de que val levar ao conheci-
mento do governo imperial o ollicio ein que
Smc. declara que renuncia o lugar de juiz
municipal e de orphos do lermo da Villa-No-
va em Serglpe para que foi removido por de-
creto de 11 de dezembro do anno prximo pas
sado.
Portarla.Nomeando para o posto vago de
coronel chefe da legio da guarda nacional de
Olinda ao tenente-coronel do l. batalhaoda
inesina guarda nacional, Francisco de Paula
Souza Leao.Communicou-se ao nomcado.
EXTERIOR.
CORHESPONDENCIA DO DIAM0 DE PER-
NAMBUCO.
Par, 18 Jaunhode 18*9.
Depois da minha ultima e prxima caita,
teem havido em Paris gravsimos e deci-
sivos sconlecimentos. Eu ji disse Vmc.
que os nossos negocios menores tlnhnm
incalculsvel alcance, equessorte da Eu-
ropa se decida em Paris. Se a minha opi-
niilo nSo he fallivel (e eu nella persisto som-
pre) posso dizer-lhe agora que a Europa est
salva ; pois o que acabamos de ver he o que
aqu se chama principo do /im.
Vou desde j dar comeco narrado dos
Tactos. Screi breve ; mas completo. Acom-
panhando os factos que se deram cm puli-
co, referirei a Vmc. o tenebroso trama da
conspirado que aborlou.
No mesmo instante em que a nossa as-
amblea legislativa recebia a mensagem do
presidente; mensagem da qual j Vmc.
enviei alguns extractos, e que produzio cm
Franca vivissima e felicissima improssflo,
nterpellacOcs do.Sr. Lodru-Rollin acerca
dos nossos negocios na Italia fram trazi-
das assembla.que as espera va com a mais
viva anxiodade. Sabia-se que a opposii;no
montonheza devia engajar sua grande ba-
ta Iha ; e, bem que a massa do povo nilo pre-
viaso mui bem todas as consequencias dcsta
luta parlamentar, lodos enlendiam que a
esses assaltos de furibundas palavras de-
viam succeder barricadas as. ras.
A 8 dcste mez be que as interpellacoes do-
viam ter lugar; mas urna corla del.edru-Rol-
lin annuociou cmara que elle se acbava
doente. Seria real a sua doenca? Duvido: Le-
dru-Hollln be violento e ambicioso: elle li-
nba-se lanzado s cega nos bracos da fc-
Qfio anarchica.nSo podia recuar; mas nilo he
lido por liomem de grande denodo, e falts-
va-lho animo no momento decisivo : se no
eslava doente, desejava eslar. Em aumma,
apezar dos esforcos de alguns monlanhezes
de inferior grao que tentaram fazer bulha.o
debate fui adiado para segunda-feira (II).
Segunda-feira, pois, o Sr. Ledru-Rollin
appareceu na cmara e subi A tribuna.
Havia elle prometlido interpellacOes, e
trouxe-nos urna accusacSo contra o presi-
dente da repblica e seus ministros.
Esta fanfarrice, esle desafio lancado a
maioria, fol acolbidocora desdenhosissimo
silencio. OSr. Od i Ion-lia rrot repelltoesta
odiosa accusacBo denodadamente, e expli-
cou nobremente assembla o orno, em o
negocio da Italia, o governo tlnha altendi-
du e preenchido todos seus deveres, sem
que nunca deixasse de aer fiel consli-
luicHo. "
Foi entfiojjue o Sr. Ledru-Rollin, obede-
cendo i palavra de ordem das sociedades
secretas, a custo, e como que cedeudo a urna
frca superior sua vontade, soltou as se-
cuintes expressOes: ... ...
Est violada a conslituicSo; defende-
la-beiDOS com as armas.
Indignada a cmara, ergueu-se toda ao
ovir tal insolencia da bocea de um treslou-
cado fsccioao. O presidente Dupin cha-
(iio u-o enrgica mente ordem, e fechou-se
o debate sobre as inlerpellacaes.
Mas restava a accusacSo que Ledra-Rollin
tinha leposto sobre a tribuna. O governo
quiz acabar emiim com essas machinas bel-
licas. Um doa ministros, o Sr. Lacrosse,
pedio s,nomeasse urna cotnmissao para,
em u publica, examinar accusacSo ;
e que a assembla resolvesse immediata-
mente a respeilo.
A commissSo, toda composta de mem-
bros da rMioria, rejeitou unnimemente a
prnposta.
EntSo comeca um novo acto desta odiosa
comedia.
Os monlanhezes, tSo empenliados na vos-
pera em aecusarem o ministerio, declaram
que teem urgente necessidade de novas in-
formacOes, e-exigem a apresentaq.lo de cer-
tas pecas olllciaes : ludo sabiam seguoda-
feira, e, na terca, tudo ignorom Porm. o
que tem subida graca, o Sr. Ledru-hollin
esfor<;a-se por justificar as abominaveis pa-
lavras que articulara, eque eu refari mais
cima, asseverando que a ameaca Tora
condicional, eque a opposicSo so recorre-
ra s armas, se a cons'ituicSo fossse viola-
da. Esso homem que de nada duvidava,
passou a duvidar de ludo. Miseravel pali-
nodia !
Entretanto a cmara, depois de curto de-
bate, no qual tomou parte enrgica um ex-
prmelo ministro de Lnil Phlppe, o Sr.
Thiers,deu-se pressa em adoptar as conclu-
sos da commissilo.
Tal era o estado das cousas na terca-reira
tarde. O ministerio e o presidente da re-
publica tnham aido nobremente defendi-
dos. A assembla havia implcitamente
declarado que a constitus8o nSo eslava
violada. Os monlanhezes estavam derro-
tados : seu chefe tnha confessado publca-
meos o delicio. Tudo corra bem ; tudo
pareca acabado; mas nSo era assm. 0
Sr. Ledru-Rollin oxprme-se com mula fa-
clidade. principalmente ha cousa de um
anno. Todas as faccOes anarchistas o hito
resabido Pf chefe, por cansa de sua ardi-
dez parlamentar ; mas sb duras condi-
efles, que a ambiciosa vaidade doSr. Le-
dru-Rollin se subjeitou. A*sm, ao passq
que ello parece o director de seu partido,
nSo he, na realidade, senSoum miseravel
escravo das sociedades secretas e de seus
delegados. Quiz elle, mediante urna reti-
rada, evlar a luta ; porm a sua vontade
deva qoebrar-se ante outra mais forte : o
concilibulo tenebroso tinha decidido a in-
surreicSo, e o Sr. Ledru-Rollin nSo pode
dexar de obedecer.
Quarta-feira, pela manha, lodos os jor-
nacs vcrmelhos, sem excepgSo, conlinliam
lerribllismas proclamacOes: cada una
de suas linhas era 11111 ippello s armas. O
presidente da repblica, seus ministros, os
membros da maioria da assembla tnham
sido postos fra da le. Assgnalou-se um
sitio s facci's para se ergucrem em massa
contra a assembla. Nada faltava esta or-
dem do dia da insurroicSo, nem mesmo a
palavra de reuniSo, que era o grito Viva
a constucSo! Smente algumas particu-
laridades tnham fiVado em silencio. NSo
queriam arrebatar de todo aos Parisionses o
gosto da sorpreza.
Execulou-se completamente o program-
ma. As onze horas da manhSa, dez ou
doze mil individuos so apertavam entre o
baluarte do Templo e o de San-Martinho.
Uns traziam farda da guarJa nacional, un-
iros tnham casacas ou camisolas. Todo o
pessoal das sociedades secrotas l so acha-
va ; mas os obreiros eram raros; o as pes-
soas honradas (excepto alguns palpavos;
nito appareciam. A' frento do ajunlamcnlo
llgurava nm tenente-coronel da guaiMa na-
cional, eum chefe de batalhao, o Sr. Este-
v3o Arago, Irmflo, ai! bem indigno do c-
lebre astrnomo Envergonho-me de d-
zer que as fileiras dessa gnohil multidSo
via-se como que perdido um hom ehonra-
do sujeto, masdeesiiiitoacanhadobir-
rento, o Sr. Ilastide, que, durante oito me-
zes, foi nosso ministro dos negocios eslran-
geiros. .
O tal ajunlamento poz-se a caminho ao
longo dos baluartes, cujas lojas so fecha-
vam medida que elle se adantava ; por-
uanlo nada era mais assustador do que as
guras que deshlavam vociferando lerriveis
amea^as. Tudo correu bem atomeioda
praca Vendoma, onde chegado esse cortejo
pode vr, a alguns centos do passos e
esquerda, urna enorme massa de couracei-
ros e dragOes, cuj-as armas e capacetes br-
havamaosol. Isso comeqava a tornar-so
serio ; porm essa respeitavcl cavallaria,
reunida em Trente do palacio do general
Cbagarner, n,lo se mecha, e pareca quo
estava de sentinella. A multdo conlinuou,
pois, a seguir pelos baluartes ; mas, quan-
do se dividi quasi em duas partes iguaes,
essa cavallaria moveu-se com o general
Changarner testa, e alirou-se aos baluar-
tes abrindo larga estrada em meodo cor-
tejo. Entao soou o brado : Salves quem
poder. A serpente cortada pelo meio n3o
curou de reunir a cauda cabeca. Cada-
qual safou-se a todo o correr; e as ras con-
tiguas llcaram apinhoadas de fugitivos. A
mor parte destes s buscavam esconder-se ;
porm os mais enraivecidos gritavam :
A't armai! Elles nilo sabiam o quo di-
ziam; pois nem um s foi empunhar urna
espingarda _
Tal foi o primeiro incidente deste da ho-
roi-comico.
AsShorashouveoutro incidenle.bemque
mais grave, nSo menos burlesco : fallo da
empreza de Ledru-Rollin e da montanba.
Como eu ja disse a Vmc, o concelho se-
creto lloba decidido na vespera que Ledru-
Rollin devia, cuslasse o que cuitasse, sacri-
ficar sua pesaos.
Elle obedeceu; eeis como iscousts se
psssaram.
Nos tinhamos entSo (j nSo, temos hoje
graqas ao co a um decreto do presidente)
urna legifio de arlilliaria da guarda nacio-
nal, conmandada por um republicano no-
INTERIOR
vato, tilo vermelho quanlo idiota, (oSr.;
Guinard) e composta da flor de nossos de- _____
magogos. Tinham contado com ella para _____,,,,- i.fniwixi
servir de guarda peretorianna montanha ; CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAM
e, pois, o Sr. Guinard reuno-a no Palacio- Bt-t-w-
Real ; mas de dous mil homens, pouen ma- ] Rio-de-Janeiro, 22 di julho de 1840.
s ou menos, da quo constava o seu effecli- Fstamos cm vesoeras de eie-
vo.stresentosseapTesentaram. Arcngou- e'vet,J"*- .E"me^n JeM dosea-
asas t*". "":"' KH3rfe
llaviam escolhido as arles e offieios, por-
quo imgnavam quo a Icgiito do districto e
o seu coronel sympathisavam inleiramente
com as opniOes monlanhezas. No direi
que tnham julgado mal o coronel; mas l-
futura cmara deputa__
bem fcil he tambein prevr-se que balda-
do ser o seu intento : todava louvo quo
so empenho na luta, n3o s para mostrar
quo possuo frca e recursos de que podo
lispr, eque seus Iriuonphos do quinqu-
iiu,. 1.......... j.....-- ------,--- iiispor, e quo seus inuoipno u m.....i"-,
nham certamente julgado mal a legifln, que n0 passaj0 nn0 fram smente devidos 1
nao correspondeu as esperances conce- nnuencill do po(icr; como para evitar que,
bidas. fra da peleja, calam os adiados nesse es-
OSr. Ledru-Rollin,flanqueado pelos dous tado de inercia que, destrundo a acQ.1o e
sargentos reprosenlantes, lloicliote Raltier, movmento natural dos partidos, acaba t-
e seguido pela sua escolta de artilliaria o rando-lhes a vida. Comhatam, po4, no
gaialos, atravessou Paris em meo do silen-iCamp0 constitucional ; anda mesmo sem
ci fla populacho. 0 arrogante tribuno es- osperancas de vencer, contando com a der-
tava mais morto que vivo, e alguns gritos: rola, deve lodo partido pleitear sua causa,
de- obaixo o facciotoillangados das jancl- pugnar pelos se'is principios : ("dado o ca-
las, veram anda augmenlar-llie o modo, so quo entro nos tenham elles principios
Chegado o cortejo praca da Victoria, en- Jistinctos o bem firmados) a victoria do
conlrou por diaute um troco do quinze a' nimigo pode sor muita vez um trumpho
vinte homens de linha, ao qual nlmaram I para o vencido, quando os factos sao jul-
que entregasse as armas, sargento, mi-( p,|os pela rasflo esclarecida. Conscos
litar veterano, (deram-lhe a cruz da honra) jSSOf ou antes nutrindo esperances quanlo
respondeu queso com a vida entregara sua |a Minas e S.-Paulo, trnbalham os homens
espingarda. Esses homens julgavain tor o
exercitu a seu favor.' Otroro, nSo sendo
asss utnneroso para defender-se, rolruu-
se cm boa ordem, eeodeuolugar aos arti-
Iheiros.
Es, pois, o Sr. Ledru-Rollin e os seus
de posse do conservatorio das artes c ofll-
cios. Seu director, sabio chymico, o Sr.
Puuillet, em baldo tonta dar-Ibes a enten-
der que doviam buscar asylo n'oulra parle ;
o Sr. Ledru-Rollin insiste, o alinal conse-
gue urna sala na qual se aloja com os seus
collegas.
Domoraram-sn ah cousa de urna hora : o
que ellos l lizeram.oprocessjjudiciariono-
lo dir cabalmente ; mas j se sabe alguma
cousa. Conslituiram-se em convonglo na-
cional ; declararan! fra da lei o presidonte
da repblica, seus ministros o a assembla ;
crearam um governo provisorio,noqual oSr.
Ledru-Rollin ligurava como ditaclor, ele ,
etc., etc.; mas no meio de todas essas lou-
curas, o susto atarava a assembla, o o pro-
prio Sr. Ledru-Rollin nunca teve a lingoa
Uto viscosa. Com effeito, a algazarra da
ra chegava at a essa burlesca convonco.
Ojvio-se dlzor quo se approximavam as tro-
pas : os semblantes annuviaram-o: em
vez de dictarua era a cadia, ou telvez cou-
sa peior, o que se esperava. Una descarga
echa repentinamente, e isto basta : cada
qual s cuida em ftigir; mas por onlo 1
Pela porla ? Cahiam no meio dos sitiantes
OS Sitiados tentaram saltar pelas janellas,
quebraram-Ihe as vidracas ; mas o salto era
perigoso. Emfim, o Sr. Puuillet compade-
ceu-se desses pobres c atcmorisados tribu-
nos, dando-lhes escpula pelo jardim, e por
urna porta trazeira.. A tropa cnlrou subila-
menlo na sala; e garrou seto ou oilu dos
menos ligeiros.
Tal be a historia dcsta empreza da mon-
tanba. Se he este o seu lim (o eu espero
que o seja) ellaacabou singularmente.
Ergueram-so algumas barricadas, edis-
pararam-se alguns tiros ; mas as admira-
veis medidas tomadas pelo general Chan-
garner ora breve dissiparam todos os obs-
tculos : nossa mesma tarde Pjis j nfiu
senta abalo; e as ras estavam prrfeila-
mente socegadas.
Entretanto a assembla, viuva de seus
monlanhezes, tinha-se declarado perma
nenie. governo apresenlou logo um pro-
jeclo de decreto, que punha Pars o os de-
partamentos crcumvizinbos em estado de
sitio. Esle decreto foi approvado mme-
.liatamenle em sessao publica. No da se-
guintc appareceu novo decreto, que autori-
sava diligencias contra Ledru-Rollin, Con-
siderant, e os sargentos llochot e Ratler :
as diligencias contra os representantes pre-
sos na casa das arles e ollicios j tinham sido
aulorisadas a 13. Saxla-fera outros oito
repiesentantes fram, por outro decreto,
despojados de sua inviolabilidado : nSo pa-
rar ahi a acciio da justica ; e, medida
que as provas ou os indicios toreo appare-
cendo, novas autonsaqes ser .lo pedidas.
Julga-se que a montanha (cara assitn livre
de cincoenta ou sessenta de seus mais furi-
bundos membros.
Tal he o acontecimento que acaba de ter
lugar em Pars, e que ter em toda a Euro-
pa a mais saudavel influencia. Os nossos
departamentos souberam felizmente mili-
to a lempo a victoria da causa da or-
dem. Urna nica cidade, LySo, centro de
obreiros turbulentos e audaciosos, estevo
profundamente agitada, mas acha-so bem
guarnecida ; e, posto que o exercilo dos
Alpes acabe de perder o glorioso marechal
que ocommandava, o valonte Uugeaud, es-
se exercilo far seu dever.
Oessencial he que o goferno n3o esque-
cs suas ubrigaces : nos contamos com a
firmeza do presidente ; mas o ministerio
nSo tem talvez toda a energa que a silua-
cSo exige. Seja k> que fffr, a maioria da
assembla nao ecuara, nem he posstvel
que recueanto/a victoria.
JA Aa *, major, qu.
MI TI Af\r\
com ardor. No Ilo-de-Janciro julgo ser
o triumpho dos saquarcmas 1,1o completo,
que se de facto, como me dzem, a chapa
que orgsnisaram be de 12 candidatos, sen-
do 8 lixos o varaveis, ficarSo com os dous
primeiros supplentes. Naquella duas pro-
vincias, porm, me pareco que o negocio
nao ir com tanta facilidaJe. Posto n) di)
muito crdito ao quo de ambas escrevem
os correspondentes do Mercantil, quo di-
zem que a despeito de todas as violencias
e canibalismo das autoridades, lurmcnte
11.1 primeira a victoria portencerao parti-
do liben!, supponho quo se nBo vencer
urna chapa cerrada, especialmente em 8.-
l'aulo ; mesmo porque o Pires da Molla niin
he homem que se preste a manejos elcito-
racs ; tanto que o candidato que corre ma la
risco, e lem quasi certeza de nao serelcito,
he o ssu muito particular amigo Pimenla
Buono, que, guerreado cruelmente pelos
vendas, ou povo tuliiarum, guerreado'alnda
por grande parte dos saqtiaremas, dirigi-
dos pelo Pacheco, s pode deixar de nau-
fragaren! sua candidatura so fr fortemen-
te sustontado pelo presidente, e ho o que
1180 acontece. E anda mais, achando-se
elle aqu na cit, como membro da rela-
Qffo, lem a desvanlagem da ausencia, quo
lio seguramente de 30 por cento.
Entretanto, como muita cousa pode acon-
tecer daqui at la, bom be nao desesperar,
e ir sempre para dante 1 em taes circtitns-
laneiaa o abandono da esperanza be por cer-
to un suicidio. Bem l'aco eu, que a hora
em que esta escrovo, Ignoro qual seja a
chapa de eleitores que voga na minha frr-
guezia ; e roe est parecendo que no din 5
de agosto deitarei na urna a lista que me
der o primeiro amigo cabalista que cu en-
contrar porta da igreja : tambom he o
nico favor quo na poltica posso fazer aos
meus amigos, e como negar-lhes ? Sou 13o
dcil !...
Na manliSa do dia 15, pela volta das 5 ho-
ras c nina, quo aqui anda ho escuro por
estarmos no invern, lzeram os capoera
altas cavallarias. Era domingo, e n3o me-
nos de duas Testas de igreja doviam ter lu-
gar nesse dia ; quizeram olles dar cutno-
co ao festejo, e reunidos em numero de 30
e tantos, entre os quaes contavain-se mui-
tns quo nao eram captivos, percorreram ein
folgaii^a as ras da cidade, dando tacadas
nos prelos que enconlravam, que se nao
reuniam sua procissao, e tambemem al-
guns brancos caixeiros quo aquella hom,
sem nada supprem, se haviam lovanlado o
chegado porta de sua luja ou taberna. O
jornacs mencionara smente tres pretos
mortos, alin dos feridos que fram re-
colhidos santa casa da misoricordis ;
mas goralmenle tenho ouvido dar o duplo
desso numero aos quo mor era ra. E Uo
insolentes so mostraran), que dous dias de-
pois, mais de meia duzia, capitaneados por
um tal Patricio, vulgo Karata, que estava
armado de pistola, todos forros, aiacaram a
sentinella do chafariz do campo de Sant'An-
na, tentando assassina-la : est fol soccor-
rida logo pelos soldados da guarda que os
perseguirn ; e, apparecendo tambem a
policia, fram felizmente capturado todos.
O chefe de polica, na parte que deu ao
ministro, diz que nao suppo que a laes
horas se reunssem tantos capoeiras polo
caso; quer antes crer que, achando-se
entre elles muilos calcados, fosse aquillo
o effeito de algum plano quo elle nSo pode
bem explicar, abstendo-se de declarar cor-
tas conjecturas. O Mercantil oceupou-se
la questSo, e censurou a autoridade por
ser a propria que, devendo dar as precisas
providencias que garanlissem a seguranca
individual e tranquillisassem o publico, es-
crevesse em um documento olllcial phra-
ges indiscretas, que nenhum fundamento
pJe justifiear, e s servem para derramar
mais susto na populacSo. NSo vou longo
disso.
Na tarde do 13 do corrente sabio para
Santos o O. Affonso, e voltou no dia 19, le-
vando 00 pracas do quinto batalhao de
cacadores, commandadas pelo respectivo
major, qurdevem substituir aguarda ua-




cional destacada na capitalde S -Paulo. Es-
cusa.Io he dizer que a opposicBo enxerga
nisso planos eleiloraos, e chama om sua
lingnagom irnica protcogHo ao voto
livro.
Na Urdo de US, M. passou revista a tod."
a frga dclnha aqui pxistentee permanen-
te', que, formandn-se no campo de Santa-
Anua, executou diversas manobras,- com-
mandada pelo conde de Caxas. Os corpos
apresentaram-se com bastante asseio, e
trabalharam bem : o quinto com as suas
400 pragas (tudo he negro) fui que tnais
lirilhou pelo desplante e arrogando verda-
deiramente marcial. O Mercantil descrevo
cssa revista com todos os pormenores e
particularidades, commettendo apenas pe-
quenas inexaelides quanto s manobras,
e ao numero da Torca, que sendo de 1754
pragas, elle deu de 1450.
Por decreto do 22 do passado foi removi-
do o juiz de direito. Alfonso Cordeiro de
Negreiros Lobato da comarca de Cequti-
nhonha, cm Minas, para a do Matto-Grosso,
c desla para aquella Jeronymo Mximo de
Oliveira e Castro; e por outro do 8 do cor-
rente foi creado un juizo do municipal e
de orphos no municipio da villa do Con-
de, na Pabia, com o ordenado de 400/rs.;
sendo nomeado com a mesma data para o
respectivo lugar o bacharel Francisco Mar-
ques dos Santos.
Por decreto de 7 do corrento ordenou-se
qued'ora em diante sejam feitos por factu-
ra os despachos de calcado estrangeiro.
Com data de 12 expedio o ministro da
justica circular aos presidentes de provin-
cia, commiinicando quo em resolugo de
11 se ordenara que aos empreados daquel-
le ministerio, magistrados ou nao, semen-
t pode conceder-se licenca com ordenado
inteiro ou fraccionado depois de tercm nSo
s posse, mas tamhem exercicio, porquan-
to aquella sem este he apenas um titulo de,
antiguidade, mas que nao da direito a ven-
cimentns, como so deduz do art. 103 da lei
de 4 de outubro de 1831 e assentus de 9 de
dezembro de 1635; notando-se quo, pira
que os magistrados remov los possam ven-
cer seus ordenados sem interrupeflo, foi"
necessario que a lei de 18 de setembro de
1845 estabelecesse no art. 40 urna disposi-
Co especial, quer alias faz dependente esse
favor da apresenlagflo do magistrado den-
tro do prazo marcado, e que portanto dis-
pensa os que preenebem essa condiciTo, e
exclue os outros daslicengas com venci-
' mentos.
Foi festejado no dia 19 o primeiro ani-
versario do princifC imperial o Sr. I). Pe-
dro, sem haver parada : esperava-se que
liouvesse despachos de gragas o proposta
para oexercito ; porm anda maisessa vez
licaram gouradas bs esperangas de muita
gente. Dizem entretanto quo ficou isso
guardado para amanhla, anniversano da
coracflo : o quo houver dir-lheshei.
dem, 26 di julho.
O Paraeme, entrado dos portos do norlo
na larde de 22, trouxe-nos noticias dessa
provincia que alcangam at 10. S agora
he que licamos saliendo da nomeacSo do
Dr. Jos liento para presidente de Alagas.
Diz-se que o que dora motivo dcmissSo
do scu antecessor tora o nfloquerer-se el-
le subjeilarao suplicio de Taalo, (cando
com sude no moio d'agoa ; islo be, ver fa-
zer-se rleicOes, concorrer para que outros
sejam eluitos, e n3o fazer eleger a si. Ro-
almonte isso no duro ; eu por certo, no
caso delle, (icaria com a bocea chcia d'a-
goa.
Pilo Imperalrii, chegado a 21 do sul,
temos noticias do Rio-Grande quo chegam
a 16, 4 de Santa-Catbarina al 18. Nesta
n;ida havia occorrido de novo : o presiden-
te havia recommendado sautoridades prin-
cipa es a maior vigilancia sobre asquelhe
fossem subordinadas, afm de que liouvesse
amis plena liberdade as eleicOes; tiuha
tamhem dispensado guarda nacin! do
si'rvico durante a poca elcitoral, alim de
que cada um licasse inais livre para compa-
recer as suas parochias. Na primeira con-
tinuava anda a sentir-se faita de seguranga
indivipinil. Funccionava anda a assetu-
blea provincial; e j tinba sido votado o
orc:rr.ento provincial que dovia subir a
sauccito da presidencia. Sb indicacilo do
Pedro Chaves tinba sido votada una feli-
ctagao aogoverno geral pela pacilicacAo
de Pernambuco, e fram nomeados mem-
bros da commissSo quedeve apresenla-la
o mesmo Pedro Chaves, Oliveira Bello (juiz
de direito all, e que fra deputado s duas
ultimas legislaturas; e SavSo Lobato (chete
de polica)
As ultimas datas que temos do Rio-da-
Prala nuda d;1o de inleresse.Segundofolhas
de Buenos-Ayres descobrio-se all ltima-
mente minas ouro que, pelo que parece, do-
vem sermuto abundantes desso metal.
De Valparaso temos noticias al 29 de
maio que nos fram trazidas pela corveta
ingleza Calypso, procedente de Mazatlilan,
na costa mexicana, donde salina em 25 de
margo: nada houvera occorrido de novo.
Havia all noticias um pouco medonhas da
California: as molestias,o roubo eo assas-
sinato Uvravum pela populacSo.
A Calypso segu para Inglaterra levando
cousa do tres millioes de dollars em pesos,
c o valor de um iiijIIiHo cm ouro da Califor-
nia, por conta de negociantes de Valparaso
Anda isso ah por uns seis mil conlos. He
urna famosa piopina para o comuiaudante
Worlh, cuja parle da commissSo (metade
das porcentagens) deve ser do cincoenta
contos, pouco mais ou menos; a oulra mo-
tad, segundo a ioi ingleza uu regulamen-
los do alniirantado, lie dividida em duas
>2>
partes iguaes, urna para o chefe da cstacAo
na coi le do Mxico, e a oulra para o hds-
pilaldeGrcctiwick.
O paquete inglcz Seagull, chegado a 23 de
lalmoulh, com 46 das de viagem, trouxe-
nos dalas de Londres al 4 dejuulro e de
Pars ale 3. Nello vieram de passagem o
ministro da Russia junto a esta corte, o con-
de Jieden, e sou secretaVio, o barflo Ming-
den. Anda nSo tiveram a audiencia de re-
cepgSo.
Por decreto de 18 do correnlo foi romov-
do o bacharel dos Innocencio de Moracs
vieira, de juiz municipal do termo da Cons-
tituido, em San-Paulo, para o de lUpeti-
ninga na mesma provincia ; sendo removi-
do umbem para aquella o bacharel Antonio
l)uai te Novaea, juiz municipal e deorph.loa
do termo de Campias da referida provincia
O Arcenio Pompeo Pompilo de Carpo, de
quera, na pastada Mlei, alii appareceu pelos
jumaca com publicagOes de artigos de fo-
ihas tnguzas, e cartas que dfreraes olli-
1
cia^s de marinha dessa nagio Ihe dirigirn!,
em que so lem os maiores elogiosa sua
pessoa,como inimigo do trauco, o cavalhei-
ro obsequiador de taes odlciaas. A' trans-
cripto desses documentos precedo urna
arenga ou que elle falla muito da violencia
commeltida conlra sua pessoa, vectivando
a terceiros; mas anda om ludo isso nada
encontrei que podesse agora destruir essas
suspeitas que lovaram a polica ao ponto de
tomar urna deliberado que, por ser pouco
commum, sempre he baseada em motivos
fortes. N9o duvdo, creio mesmo, que o
generoso commendador seja digno de so-
melhantes elogios, o bem tenha merecido
da Inglaterra, ao ponto de lord Palmerston
ter escrpto cartas a scu favor ao governo
portuguoz; sei que ha muitos contraban-
distas de escravos, tanto aqui como n'Afri-
ca, que por isso nao dnvem ter-lhe affeicSo;
mas nada dsso quer dizer que est soffrn-
do perseguidlo injusta, e que nto seja ca-
paz do involver-se em outras quaesquer ne-
gociaces to criminosas como o trafico, so-
n3o mais. Por ora nio vejo quo se tenha
justificado.
Como estou fallando em trafico, em In-
glaterra e em lord Palmerston, occorre-mo
dizer que um communicante do Correio da
Tarde, sb o pscudonyaio de Narvaez, tem-
se oceupado (o discutido com bastante ca-
lor) como aprisionamento do barco negrei-
ro pelo vapor inglcz Rifleman, queja noti-
cici. A lodos os lirasleiros que, como eu,
dateslatn do fundo d'alma a poltica da In-
glaterra, recommendoa leitura de seus ar-
tigos, especialmente o segundo o toreciro
A penna he de mestre, que parece saber
muito do poltica externa e relaces inter-
nacionaes: qualifica o infiernan de pirata,
com a autoridado do proprio lord Alber-
deon, e reclama do governo medidas contra
somelhantes altentados pela uccessidado de
defender o territorio brasilero e a dignida-
de da cor ; indicando algumas quo rao-
Ihor servem ao caso.
o A Inglaterra, diz o comrnunicante.trata
com difTerenca aos nossos gneros la impor-
tados, isto he, obrga-os a direitos mais
pesados, sendo conduzidos em navios bTa-
sileiros do que em navios inglezes; pois
imitemos a Inglaterra, ftcamo-lhe desde
j o mesmo. Nem se pense que nUo por
prui loncia, mas por meJo adoptaremos este
alvitre ; nflo : Inglaterra podemos appli-
car o dito fuil, fuit hac repblica virlus,
j se foi, ja se ncabou o polr inglez. O
Ilustre americano Rosas, ctiefe de urna na-
?fo que conta pouco mais de 600 mil habi-
tantes, deu-lhe um pontap mortal; e o c-
lebre Hespanhol Narvaez cavou-lhe a sepul-
tura, l no vclho mundo.
De facto, assim he : os lnilores hilo de
lembrar-se queja em outra occasiao louvei
o procedimonto do dictador de Uuenos-Ay-
res. Bem conhocido he o facto occorrido
com o ministro inglez na Hespanha, e con-
vm nunca/isca-lo da memoria, para sem-
pre nos lombrarmos que a Inglaterra s he
valente com os fracos. Lord Palmerston,
esseagilador-mr que, empunhando o ar-
dite da desorJem, iucendou toda a Euro-
pa, o quo est sendo bem castigado pelo
triste papel que representa na poltica eu-
ropea, arrastado pelas consequencias de
aeu proceder sempre Iraigoeiro, nio sats-
feito anda com a queda em Franca da dy-
nastia de julho, quo o ludibrira na ques-
W dos casamentos hespanhes, meditava
Umbem vngar-so do governo do Madrid
O general Narvaez, presidente do concelho,
que, segundo a expressilo de um poltico do
boa tempera, he depois do imperador Ni-
colao o uuico homem quo na Europa sabe o
que quer levo provas de quo Mr. Boulewer,
ministro inglez junto a corte de Hespanha,
tinha relaces com os monlemolenitlat; n3o
foi preciso mais, nem lionva denora. -- Mr.
Boulewer recebeu os seus passaportes sem
que os pedisse, e ordem para doixar Madrid
dentro de 48 horas procisas. O que acn-
loccu depois disso? Deelarou a Inglaterra
porvenlura a guerra Hespanha *....... Sa-
bem todos que esta nagilo est inteiramente
tranquilla; Cabrera o suas guerrilhas f-
ram aniquilados,
Bem sei que somos fracos, que nao temos
a frca da Hespanha; mas transcreverei
anda asseguinles palavrs do referido com-
muncanle, c uno resposta a essa objecgo :
Se a Inglaterra pode bombardear algu-
mas de nossas povoages belra-mar, so-
bram-nos frgas para a repellirmos..... De
um dia para outro podemos coalliar os ma-
res de corsarios que arruinen] todo o seu
commercio para as Indias Orientaos e para
o Pacifico. Reflicta o Sr. Hudson (ministro
inglez nesta corte) no que acabamos de ex-
pr; para que depois n.lo dig-i : N;1o cui-
dei!...: Esse recurso he rcspeitavel.
O Jornal do Commercio deu, ha poucos
das, a noticia de achar-se nomeado o Dr.
Jo i ij ii i ni Candido So i res I,- Meirelles, medi-
co do pago, crurgi.tn-inr da armada ; o
quenflo dexou de causar algtima expeetc-
gilo por ser esse doutor membro bem pro-
nunciado, posto quo moderado, do partido
lu/i.i, e al foi um dos deputados de 1843;
o Brasil, porm, posteriormente diz qu
aquella noticia he menos exacta. No sei a
qualdos doussedevo dar crdito; ambos
tivni ras.lo de saber o que dizem. Sei que
de facto, j ha das, Iratou-se de fazer a-
quella nomeagfio; mas parece exacto que
agora appareceu algum ombarago: anda
nilo estive com pessoa que me puasa infor-
mar o quo ha de verdadeiro, nada aventuro
por ora.
iNfosecom que fundamento lem-se aqui
ltimamente fallado em demissQo do presi-
dente da l'arahiba, substitundo-o o Dr. Na-
buco, juiz do direito ah no Recife.
Com a chegada do vapor do uorte espa-
Ihou-se quo o Sr. Tosta fra chamado para
a pasla da marinha; no da seguinte unnun-
ciaram as gazetas que por decreto de 23 do
correte livera lugar a nomeagao de S. Esc.
Mercantil moslrou-se maravillado dando
a noticia em Ictlras muiusculas, e aerts-
centa o seguinte: j
A coincidencia dessa noinenofo com as
noticias da admnislragSo do ir. Honorio,
al certo ponto reaccionaria, t a.-sumpl
digno do ser meditado. Sura Exc. he aqui
esperado at o dia 30, envque deve chegar
-1 VflM- Vil/ lin.f. r '
tos ser-milito maior do que o dos que flea-
rem satisfeilos. Comprehende-se agora
raslo..., ?
Ha quem diga que a proposta para o exer-
cito est feila, e j assijnada com data de
19 do correte, e que.btVvemente ser pu-
blicada; outros, porm, alirmam que o que
houve foisflLffnte para algunsofliciaes ge-
neraos. O qrra me parece que he exacto he
o seguinte : Tenente-general Callado, re-
fonnado com o polo do marechal de exor-
dio, continuando a ter exercicio no conce-
lho supremo militar; o marechal Eleziario,
tenente-general graduado; o brigadeiro Iti-
ttncourt (ex-presldenlo do Cear) mare-
chal graduado. Daqui por diante tudo he
conjecturas, mais ou menos fundadas, e al-
gumas inteiramente absurdas.
Tcem sito novamenlo capturados alguns
rapoeiraa que faziam parte do grupo do dia
15 de que cima fallo.
mmmmmmmmmmmmm^Mmmmm^mmmmm
\)\\m DE PaalMIBOCU.
BKCn, S BE AGOSTO DE 1849.
Para refutar quanto dissemos em o Dia-
rio de 30 de julho ultimo acerca do ultimo
movimenlo de tropas com direcgSo Agoa-
Preta, os redactores do Diario-Novo osero-
vera m dous artigos, eosfizeram publicara
2 e 3 do corrente.
llevemos urna resposta aos contempor-
neos ; mas procuraremos ser o mais lacni-
co possivel.
O prjmoiro desses artigos contm em sua
summa : primo, a descoberla de urna con-
tni'licgflo entre as nossas palavrs acerca da
existencia de Pedro Ivo as mallas daquella
pnvoagSo eo que acercada tranquillidade
publica disse o Sr. Tosta a seu successor no
relatorio com que Ihe passou a administra-
go da provincia : secundo, a demonstrac.no
da desnecessidade do urna evolugflo de tro-
pas to comideravel para acabar com um va-
Ihacouto ; termo que os collegas suppem
exprimir reuniSo de criminosos que nenhum
pensam'.nto pdem allegar im leu favor,ver-
dadeiros riot de pulira, e por conseguate in-
dignos da amnista.
Vejamos se esta argumenUgIo foi feliz,
"ii tem a frga que Ihe suppozeramaquel-
es que a empregaram.
Antes de tudo observaremos que a esUda
de Pedro Ivo as maltas, emquanto elle se
limitava a conservar-so na defensiva, nada
influa sobre a tranquillidade publica, e
que esta se podia dar romo restabelecida,
nflo obstante acuella oceurrencia; pois que
urna parte quasi imperceptivel nao altera
marcha regular do todo. Ese assim n.lo
fra, muitos administradores desta provin-
vincia, inclusive esse mesmo que anda
l|oje merece os maiores encomios dos nos-
sos contendores, faltavam a verdade, men-
tiam escandalosamente em varios documen-
tos olliciaes em queasseguravam que Per-
nambuco eslava no gozo da mais perfeila
paz, no entretanto que Vicente de Paula se
achava as maltas que limitam esta-provin-
ca com a de Alagas,para asquees se reco-
lhcu desde que abandonou as de Panellas,
e as quaes, desgragadamente, ainda per-
Calmo e pacifica foi ooje o procejso elei-
toral nesta cidade : as mesas parochiaes das
quatro froguezias que a compOem organi-
saram-seregularmeute, e sem que nem ao
menos soasse urna voz mais forte : as ras
estiveram 19o tranquillas como em qualquer
litro dia : tudo'respirou ordem, tudo re-
velln o acert das medidas tomadas pelo
litui. Sr. concelheiro do estado e presiden-
teda provincia.
* .
A carta do nosso correspondente de Pa-
rs, inserida nesto numero do Diario, nos
foi trazlda pela barca Jeune-Nili*; mas,
fondo viudo por intermedio do um particu-
lar, smenlo hontcm nos chegou s mos.
O vapor Imperatris, chegado hontem dos por-
Ioi do sul, trouxc-noi ai duat carias, que no
lugar compleme inserimos, escripias pelo
dosio correspondente da corte, bem como jor-
naes inlneirog, ilumnense.-, rio-prandenses e
bahianoi : os primeiroa al 14, o segundos
al 16, e os lerceiros at 26 do pastado ; os l-
timos, einfini, at 1 do corrente.
Minas flera tranquilla; mas era notavel o
afn com que o* partidos ah se preparavain
para pleitearem as eleces que hoje se
deve proceder em todo o imperio.
Ao que o correspondente refere quanto
ao Ro-de-Janeli--<:uios q*ue*additar alguina
cousa.
A nomeacaodo Sr. Tosta pjira a paita da ma-
rinha dera lugar que passaiie para a da guer-
ra o Sr. Mano-' Felisardo. Sem que nada dis-
teise cera do despacho deste, o Mercantil
nao p''c esconder a sua sorprea quanto ao
daqu"'e. e ao noticia-la accrescentou, como
j Oi'tKUO nienno correspondente,que a coln-
cidincia dessa nomea(So com ai noticias da
adral'airacSo do Sr. Honorio, at certo pon-
lo raei'<"K>ria, heaisumpto digno de ser me-
c ditado.
ReglatrJndo aqu estai phraies do contem-
porneo, nao pudemoi deixar de observar-lhe
3ue aadniinisiracao do Ex<-i. Sr. Honorio na-
a tem d( reorrinFi'iriii: est sini de aceordo
com as circuinsiancias da actualidade, ai
quaes peruiiUem que o governo pona desen-
volver voplade a poltica de TOLERANCIA E
JUSTICA, ie.ni os tropeos de una guerra cl-
siste.
Provado desl'arle que se n3o d a contra-
dicg0o apontada pelos contemporneos,
resta provar-lhes com a autoridade de um
classicodo grande nota, que a palavra-wi-
/Aacou/o-nilo se presta per si s ao sentido
que Iho quzeram attribuir, e que,'portan-
to, silo mal cabidas as reflcxes quo, nisso
baseados, ellos fizeram a tal respeilo.
Abr qualquer dos volumes do dicciona-
rio critico eestymologico da lingoa por tugue za
por Francisco Solano Constancio, e na pag
953, columna 2.-, hullas 66 a 68, adiareis o
seguinte:
Valuacocto, s. na. (de valir, e eonln}, lugar
seguro, forle, defensavel asylo, refugio.
K vista disto, imhiirris ciu allegar que os
neio conciliatorios, que bem avisadaioenie tra-
duziites por amnista, nao devem de ser em-
pregados para dealojar os incautos das refe-
ridas mallas de Agoa-Preta, sOb o fundamento
de que os que appellam para csse meios sao
os inritnos que diteiu achar-ie all una por-
co de crimino/u/, que ninhuin pensamtnto p-
dem allegar en seu favor ;veriadiint reos de
policial Ciemos que nao; porquauto, legun-
do a defiiilco que ahi dfixaiiios copiada, o
termo no//iucoiilo, bar li s e sem adminiculo
algum, e-xjn inie layar seguro, onde pJem aiy-
iar-se Unto os ciiminoioi polticos, coma o ver-
daderos reos di polica, e quaudo nos servimos
delle rricrimo-nus queiles, mas nao a riles.
O que, levamos dilo lora bastante para des-
moronar todo esse castello que contra ni er-
gueslea: entretanto, notaremos de passagem
que claudicares quando qualillcastei de con-
sidcravcl evolucao de tropas a sabida de CEN-
TU E TANTAS pracas do i." balalho de caca-
dores, segundo o vosso proprio tesleinuiiho
c que a coinmissiio de pacificar esse lugares
foi confiada ao Sr. marechal coinmandaute das
armas, porque o Exin. Sr. concelheiro d'eita-
do e presidente da provincia enlendeu sem
duvida que era elle o mais proprio para bem
deseinpenha-la, j pelo prestigio que Ihe cni-
p
1
manejar
Fernandos, oadousfilhos desta, denoroa*
Jos o Mara ; o primoro de 14 annos, a ,
segunda de 13: sendo que, no dia Immeda.
lo ao do attenlado, fallecer a misera me-
nina, victima da barbaridade de um paren
lo desalmado. *
Perseguido pe' autoridade por ter ron-
hado m JaguarSo um fombilho de prau n
coronel Oriental Arena, um tal Jos Lope.
clebre por seus actos de requinUda malva-
deza, resistir ordem de prisio a ponto
de obrigar o encarregado de eueitua-|aa
atravessa-lo com a espada que irazia cin-
tura. Jos Lopes tinba tuo criminoso pro-
cedimonto, quo iipirava horror i propria
familia.
Segundo urna carta publicada pelo/|(0.
Grandense, helastimavel a 5ituagodoiut.
ViiUntes da frontera do Chuhy, sempre a
bragos com o roubo e o assassinato, como so
vedo trexoseguinte:
Os roubos e assassinalos, praljcadosni
frontera do Chuhy, se nelles nlo tem to-
mado parte o famigirado Lemos. pelo me-
nos gente sua os tem commettid. Lemoj
acha-se, ha ver tres mezes, em Montevideo
e porconsegunlo os implicados nessesai-
tentados silo vagabundos o salteadores que
sempre o acompanharam, e que hojanio
reconhecem superior algum. Divagan) de
um para outro lado sem temor lei, ev5o
commettendo todos os das no vos crines
novos roubos, gelando de espanto os M
lieos habitantes da frontera. OesUdodo
Chuhy bao maisdeploravel ,-posqua,4
prvidos de frgas para podrmos fazer rei-
peilar os nossos direitos, acliamo-nos ex-
postos urna repentina invasflo que vira di
todo langar por terr nossas mais charas
esperaiigas. O capilo que aqui se ach
destacado n5o pude, com urna frga Uto di-
minuta, operar em abono da nossa caui,
nem obstar que todos os das se succedim
trgicas aceas.
Em Bag, o subdito portuguez ti. ftttt-
ra, poucos das depois de tiaver altercado
com o negociante Rosendi sobre ajuste de
contas, fra assaltado na propria casa por 3
vilque', redifcindo o paii a um citado exeep- assassinos que, trizen lo as carasiovolUs
cional, provoc.em brneBclo do mesmo paii em leijcos. desearregaram-lhe tantasatao
' profundas' punhala|as, que o den.rara m
imminente risco de%aj.
Commettid odelloto, os asstasinos po-
deram evadir-se; mas a polica apressra-
so om capturar Rosendi, bem como a dou,
pardos aecusados pela fama publica deba-1
verem sido mandatarios daquelle negoci-
ante.
A 23 de mao, pelas ti horas da noile,
Brigido Gomes, soldado dqaetimp batalbo I
>te cagadores, assassinra, na ra da Van. |
nn*a, com a bayoneta que trazii, a outro
" i r.untingente de linha, de nema J
rancsco. Preso em dagranta,
ser processado.
r termo narrativa dos triatai
ntos havidos na provincia deS.-
ndo do Diario do Rio-GrantU o \
com referencia aos trabalhos j
legislativa daquella proviocii,
so sabe, funeciona em Porto-
reila o posto de que teacha encarregado, j
idas prova que ha dado de ser to babil em
) San-Salvador.
Passou-se o dia 33 de julho e nada de des-
pachos: novas gaperaogas gouradas. Ap-
pella-se para 7 enraetembro; e creio quo de
facto entao algum ha d#Jiaver. Por ora
nflo julgo que os ministros Hejam tuo fall-.s
de lino que Ul (Izesscm : a\loigos an-
da nao estao. follas, oquanJo forom publi-
cadas as gragas, o numero dos \lescoaien-
. r a espada, quanta eui apreseular o
ramo d oliveira, quando j nao ha uecesslda-
de de lancar mao daquelle meio acerbo.
Parece-nos que temos respondido cabal-
monlo aoprimeiro dos artigos que os con-
tempoiaueos nos dedicaran!; o, pois, oceu-
I ar-tios-hemos do segundo.
Ahi os cullcgas lmilaram-se a ullii mar
que nao tcem scioncia dos movimentos de
I edro Ivo, que ignoram tudo quanto elle ha
praticado ; o ccrcscn'.am quo as medidas
quo o Exm. Sr. presidente tem lomado em
po da liberdade do voto bao de sor Iludi-
das pelos agentes da polica.
Praza a Dos que seja verdadera a *(lir-
mag5o dos collegas ; pois quo, ueste caso,
elles nenhuma parte lerSo n.sse paito
de rematada ioucura ; e, agora que j ndo
estao fra da lei, quo o< cornial j lia n*o
ido vedados, pdem utilisar-sc da influencia
que leem sobro Pedro Ivo para o obrigarem
a abandonar o desesperado plano que con-
cebeu decollocar-se eai aiiitude hostil, e
que certo nao-lograr ; concorrendo assim
para que nnotenhamos que lamentar ace-
as 13o | ungentcs como essas que infeliz-
mente teslemunhmos, ou nos fram rela-
tadas em poca nao muito remola.
Quanto lluso das medidas d presi-
dencia pelos agentes policiaes, asseveramo-
vos que, se ella ae verificar, csses agentes
.si-rao punidos com a severidade de quo se
lornain dignos os ompregados pblicos que
nSo sabcmcdmp'rirasordens que, cscLda-
dosnalei, ihesexpedem os superiores, bol
que tcem o arrojo de sophisma-las.
medidas tambcio cxcepcionaei e capazes SV
corlarem o mal pela raz.
Destruida assim a especie de con liad icp'-
que o collega enxi-rgoii entre a nomeacao
Sr. Tona e a poltica paternal que nesta pr
vincia vai desenvolv'udo o Exm. Sr. Honorl."
releva que ainda traniiultlaiiioi aoi lt-i t- *
algumas noval da corle.
Tinliam lido nomeados i*ohefe de po
de Hatto-Groiso, o Dr Viriato Bandeira "
te ; --comuiaudante da companl.ia de ii.
aennarinheiroi da meima provincia, e ~.
tordo rcipectivo trein naval na ausencia du
inisio, o segundo tenente d'armada Antonio
Joaqulin Ferreira Ramos ;secretario da ca-
pitana do porto da l'arahiba, Irajano Evaris-
to Ferro Castello Branco;inspector da tbe
louraria da fazenda de Sergipe, Manoel Ale-
xandrino de tirito, e da do Rio-Grande do lu
Raphael Arcbanjo Galvo ;direclor-geral dos
Indioi em Minas-Geraei, Manoel Alve de Tol-
ledo Ribas ;administrador da recebedoria do
municipio neutro, Hermenegildo Duarte Mon-
teiro;eicrivao, o primeiro eicripturario Joao
llaptistada Silva:primeiroeicripturario,o se-
gundo escripluraiio Justino Ferreira da Sil-
va :segundo eteripturario, o amanuense An-
tonio Luil de Moracs Sarment ;amanuense,
opraticante Benedicto Jo de Araujo ;pri-
meiro otlicial do correio geral da corte, o se-
gundo ofllcial Antonio Ferreira de Faria se-
gundo offlcial, o praticante Jaciulbo JoiGon-
c.ilves Silva ;themureiro, o legundo offlcial
Jos Antonio de Figueiredo;praticante, o
addido Joaqulm Gomes de Almeida ;addido
Flix Jos doi Santos.
Fra reformado no posto de alfere por con-
tar maittle trin'a i cinco annos di trrico, o pri-
meiro cadete do asylo de invalido! Jos Candi-
do Sardiuha de Gusino.
Obllvera demisiao do tervico do exerc to o
alferes da primeira claue do eitado-maior
Jos Navarro de Andrade.
Siibmettidos a julgaiiiento, haviam sido con-
demuados :na pena do 1. artigo l..da lei
de 26 de maio de 1835, por excelso de licenca,
o tenenle Germano Antonio da Silva Meneiei
cm 20 annos de prisao, por extravio de di-
nheiroi, o alfere quartel-mestre Manoel do
O' Rodrigues Azedu;a 4 annoi de priiSo,
dando-ie-lhc depoi* baixa, o primeiro cadete
do 1." batalbo de fuzlciros, addido ao 2.* da
mesma arma, Luiz Brrelo Falco, que com-
meitra criinede imubordinaco.
No Jornal do Commercio n. 194 de 7 de ju-
lho ullimo lomos o seguinte :
Ante-hontem do noile, na occasiSo em
que passava a procissSo pela ra da Impe-
ratriz, um individuo de faria e bonete, pa-
rando junto urna janella em quo estava
com oulra pessoa Balbina Anglica do Car-
ino, dirigo-lhe algumas palavrs desho-
nestas ; e, como esta as repellisse, o mal-
vado, puxando de um punhal que traza oc-
culto, ferio-a gravemente. O ferro, dirig-
do ao rosto, resvalou rompendo-lhe as car-
nes da face, e vndo parar no estomago, on-
de fez urna ferida pouco profunda. O aa-
sassino consoguio evadir-so, desapparecen-
(lo por entre a muliidao que apinhava a ra.
Nenhuma das pessoas que presenciaran
facto o conheccu, nem sequera propria of-
lendida, que deelarou ignorar a causa que
levou esse homem a tentar assassin-la
Balbina Anglica do-Carmo foi reco-
llnda Santa-Casa, e ha csuerangas de sal-
va-la.
O citado Jornal
sol
Epifa
Brigi
Vam
acontec
Pedro, o
artigo
da assemb
aqual, co
Alegre :
Fra
pulado t'cW
II A
olere em o seu n. 200,
que desapparocra o sacristSo da Misericor-
dia, deixando ao respectivo administrador
urna carU em que diz achar-se roubado sem
saber como; que tentara suicidar-se, mas
que, nflo o consoguindo, evadia-se.As fal-
las encontrad consistem ti'uma ambola de
ouro com 210oiUvaa,oto bragos de serpen-
tinas de prala, urna salva, urna baca gran-
de, urna (.alea e urna chave do sa raro: o
que tudo fra avaliado em cerca de res
As noticias da provincia de San-Pedro do
sul rovelam que os crimes sao ahi commet-'
tidos em grande escala, ou por falta da ne-
cesaria repressao, ou pelo estado da m-
moraiidade a que reduzio aquella provincia
a guerra que nella durou por tantos anuos
A 6 e 10 do passado alguns Allemflei pro-
nibiram, por meio das armas, que em Cam-
po-Bom e na Picada-dos-Dous-lrmilos se
procedesse ao alistamento da guarda nacio-
nal, levando o arrojo ao ponto de maltrata-
ren! com pancadas ao interprete que acom-
panhava um dos espitaos encarregadosdo
mesmo alislamento.
A 31 de maio prximo (indo fram a/sas-
smados uafrcguezia de Nossa Senhoril dos
Anjos os tres irmaos Marcos Ignacl dos
Santos, Manoel Ignacio dos Santos e/Hyoo-
lito Ignacio dos Santos. c7
Na paroehia da Aldeia Joflo Aolov.feira
rraveineate. a tua nn"^
do defloite na ra oSr. de-
, Cintra por certo estrangeiro
quem alludira atyjassagem n'um seu dis-
curso. O aggrcssor ,. tentou assassinir i
nobre deputado com V pr*iiS.Le
o negocio ao conheoinffcuio das autolraades,
foi o aggressrrr jrlRiedialaineiito prese
mas pode evadr-seVpor una circunstan-
cia que mudamente conta o nosso corres-
pondente, enaqual figura com demasiado
desdouro o nomo, do Sr. deputado Bar-
cellos.
Assim, pois, domina tanto aHI a maaii
de punir com o assassinato qualquer offen-
sa recebida, que at o deputado arrisca i
vida quando do alio da tribuna solta algu-
mas palavrs em desabonf deste ou daquel-
le individuo ; e desl'arle os acelerados vao |
tirando ao representante da provincia a ir-
responsabilidade que He confere a lei pe-
las opinies que como tal emittirl..
Segundo o poriodico attuo por ultimo al-
ludimos, a opposigSo rio-grandense publi-
cara una circular, na qual apresonla cora
seus candidatos deputrtao geral osSrs.'
Drs. Israel Rodrigues BVcellos, Francstft |
Carlos de Araujo Brusqie, Jos AlTonso
l'ereira o Luiz de Freitas, Castro, bem co-
mo oSr. Jos de PaivaaVgalhaesCalvet>
NSo concluiremos esta (mirle do ilosso tra-
balho, sem declarar que a referida ssem-
bla provincial, depois do urna -flscusslo
animadissima-, approvara lia sessaO de II os
julho a seguinte felicitacno eS.M- o Impe-
rador pela pacificag3o desta provincia :
Senhor! Alguns bomens ambiciosos,
che fes de um partido que se intitula libt-
ral, e que nao sabe conquistar o poder sa-
nan pela frga armada, ainda urna vez fize-
ram o ensaio de suas subversivas doulriuas,
oe colheiam Pernambuco para thealro do
drama sanguinolento que lam premaegao.
Osanguo brasleirocorreu, e o coragSo sa
maga com a recordag.lo dasseenasde hor-
ror e vandalismo que all tiveram lugar.
Felizmente esses dias de lucio nflo fram
longos, gragas solictude de V. M. Impe-
rial e a seu governo, que, confiado na Divi-
na Providencia, nao appellou em vio para o
herosmo dos Pernambucanos e para o boa
sonso do paiz.
n A pacilcagfjo de Pernambuco est con-
cluida, e he geral a aleuf por este aconte-
cmento, quo, pondo tVmo a urna guerra
nipia e desastrosa, tora&u- ao mesmo lam-
po mais patente esta gramle verdde, qua
o Brasil quer a liberdadeBnas sem exiga-
ragilo; o ama a ,'monrmii como condi-
gno esscncial da aua exKencia t ptoP-
ridade. m
A assombla leaislaafa da provincia de
San-Pedro do sul dRpa rlilha o regozqo
publico, e chom deKbiVp folicU a Vossa
.agestada linparri^or tSo grato motivo.
Digne-sa/Vussa Magostada Imperial a-
ceitar as rerVitacVs da aateqibla provin-
cial e oseu protestos do adhesao monar-
eliia conslitucional o sagrada pessoa
Vossa'Mgestade Imperial.
Babia gozava de paz. Nada de extraordi-
nario havia ahi occorrido.
-----------rf-|~iTHnMl!Tirii**TF-"
ALFANDECA.
Rendimento do dia 4.. i'A99,f
IMPORTACAO. ,,
Sutord-Fisk, galera ingleza vnda de If-
verpool entrada no corrente oie* CQJ^jQ
nada a Me. Calmont & Cumpanbia ,
featou o seguinte -.
ISO UapmIc


Deane
ualgod3o. 4 Jilas ditas de lioho; a
Adamson Howie&C.
100 brrs manleiga ; a Johnstoa
& Companhia.
3 fardos fazendas de linho; a
J240 brrris manleiga 42 fardos e 3 caixas
iiendas de algodflo 7 ditas ditas de li-
nh0, i fardo lona, 69 talxas de ferro coa-
do 25 ditas de dito batido, 9 toneladas de
forro em barras. 50 gigos louca, 1 embru-
llio matoriaes para escrever; a Me. Cal-
mont& C.ompanhia.
31 fardos fazendas de algodSo, 3 ditos lo-
na 6 caixas fazendas de algodflo, 3 fardos
fjo'porrete, 3 pacotes fazendas de Ifia 3
caixas brim de linho, 5 ditas cassaa de
quadros, 2 ditas lencos de cassa; n J. Crab-
tree&C. ,
4 caixas amostras de ferragens; a E.
Ilavmer.
2 barricas farragens ; a W. C. Cox.
3 caixas ferragens, 100 potes de ferro, 4
toneladas de ferro em barras, arcos e folhas;
a B. a Brandis & C.
80 barris manleiga ; a Manoel Joaquim
Hamos e Silva.
100 barris manleiga ; a N. O. Bieber &
Companhia.
75 barra manleiga 1 embrulho com re-
lorio de ouro, urna loneta e 3 duzias de bo-
tos de metal, duas barricas presuntos; a
Latham ft Hbbert.
i caixa livros impressos; a II. Christo-
phers & C.
7 caixas e 6 fardos fazendas de algodo ;
a Kalkmann Irmflos.
4 caixaa cobre, 1 barrica prego; a J.
R. Pontea.
5 caixas cobra; a S. A. Santos An-
drade. f
2 fardos e urna caixa fazenda de algodSo,
1 dita meias de dito 20 barris salitre; a S.
Corbelt.
16 caixas miudezas 7 ditas fio de algo-
dan, IIfardos fazendas de linho, 1 fardo
bata ,5 caixas e 13 faros fazenda de algo-
dflo ; a C. Kenworthy & C.
11 fardos e 23 caixas fazendas de algodSo,
10caixas fio, 2 ditas boles de osso, 2 ditas
hullas; a Roy le.
18fardos Acareas fazendas de algoJSo.
4 ditas miuder>l dita fazenda de linhoe
Igodflo j a H. Cibson.
,1 caixa vidros a J. J. Monteiro.
7 fardos fazendas de algodSo 15 caixas
obre em folha 2 fardos fazendas de Ifla ,
caixa materiaes para escrever 2 barricas
cerveja. Setlxas queijos, 2 presuntos, 3
ixaa fazendas de linho; a Uussell Mellors
& Companhia.
1 barril ago'ardento 7 barricas e 10 cai-
xas censervaa, 1 barrica cidra 44 presun-
tos, I barrica materiaes para escrever ;ao
capito.
1 barril berimbaos, 1 caixa cordas,3'ditas
tesouraa, 9 ditas boles de madte-perola ,
dita estojos para agulhas; a G. Kruger.
1 caixa e 1 fardo fazendas lie linho, 100
barricas manleiga ; a It. Jameison & C.
6 fardos e 5 caixas fazendas de algodSo ,
dita lencos de seda 45 meios gigos lou-
ca ; a Fox Brothers.
4 barriayinho ; a The Mellor.
6 barricas frigideiras, 3 ditas trem deco-
inhs 300 fogareiros 20 barricas enxa-
las; a A.N. da Suva Barroca.
3 fardos e 4 caixS* fazendas de algodSo ,
dilas ditas de ina\;John Stewart.
100 barr manieig 2x osas Braga & O. f
65 fardos e 5 caixas fazenda de algodSo,
dita chales de dito, 1 barrica cuidara ;
Jone Patn & C.
16 voluntes drogas ; a V. Bravo & C.
CONSULADO GERAL
endimento do di 4....... 450,919
.......715
com 2,600 barricas, quo f-
ram vendidas de 18,500 a
19,000 rs. por barrica; e
outro de'Richemond com
3,200 que se eslSo retallan-
do de 20 a 21,000 rs. por
cada urna; sendo o pnjeo
da de Philadelphia de 17 a
19,000 rs. Ficaram em
deposito cerca de 8,000 bar-
ricas
Genebra Vondeu-se a J.800 rs. por
duzia de botijas.
Manleiga -- dem de 520 a 540 Ts. por
libra da ingleza; do 440 a
460 rs. da franceza; e a 250
rs. a libra da de porco.
Ficaram no porto 73 embarcacOcs, a sa-
ber: 1 austraca, 4 americanas, 41 brasi-
leras, 4 francezas, 1 hamburgueza, 1 hes-
panhla, 10 inglezas, 5 portuguezas e 6
sardas.
ca
liversas provincias
CONSULA
Rendimento do
451,634
0VINCIAL.
365,776
RIO
CAMBlOa N
Cambios aobre Laneros
> Pars
Hamburgo .
Metaea. Onfat beapauhla .
> da patria .
a Pifa de 6/100, velhas.
> Peao licapaiihes. .
da patria. .
Patacdra .
Apolice de 6 por cento .
( proviuciaes
JANEIRO.
IA 24 DS JULIIO.
25 a 25 1|i
376 a 380
695
32/000
30/700 a 90/900
17/800 a IHOOO
1/980 a 2/000
1/iKiO a 1/080
1/960 a I/W0
80 1/2 a 86 3/4
86 a 80 1/2
(Jornal do Commerrio.)
BAHA.
CAMSia H0 U 3l U JULIIO.
ondrea........ 25 'A
'aria......... nominal.
lambareo....... >
MU** Porto..... 115 p.%.
usarais,
toja heapaiihlas. 31/700 a 3I/9O0
inrxicana .... 31/600 a 3i/700
CM de 6/400..... 17|500 a l7f700
nova ...... 16/500 a 17/000
Modaj de 4/000..... 9/500 a 9/600
Patacocs braiileiro. 2/000
hespauhe 2/000
* mexicano. 2/O0
(/canil/.) -
|PRAQA DO RECIFE, 4 DE AGOSTO DE 1849,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Meviita imana!.
mbios Fizcram-se pequeos sa-
ques a 25 d. por 1,000 rs. ;
ha lettras offerecidas a
leste preco.
- (Entraran) 223 saccaa. Os
)rec,o continuaram a unc-
ir entre 4,750 a 4,800 rs.
trroba do de primeira
Atsucar- F.i.ralbs mu limitadas, a
sem difterefaca dos ltimos
precos/ '
Couros --------Emapathia.
IJacalhao-------Rotalhou-ae de
r i or barrica ; e
por vender 6,000
Larne-secca Chegaram tres csrre
lientos, os quses concerr
ram para que hoje seja o
deposito de 60,000 arrobas.
Conluuou a vendor-se
de 9 a 9,600 rs. por arroba.
lia ..... Vendeu-se da 1,600 a 1,700
rs. por libra do llysson.
spmgardas- dem a.4,400 rs. aslazari-
na;.
fJInliadetrigo-Chegaram dous carrega-l
ment : un de Trieste | quem a
Movmento do Porto.
Navios entrado no dia 4.
Rio-de-Janeiro e portos intermedios 8
dias e 4 horas edo ultimo porto 131/2
horas, vapor brasilero Imperatrii, de 407
toneladas, commandante o primeiro-te-
nente Joaquim Salom Ramos, equipa-
ge m 30. Passsgeiros, Joaquim Jos Go-
mes, o Pnrtuguez Antonio Jos Vieira de
Araujo, Dr. Caetano Xavier Peroira de
Brito com sua senhora, 2 lilhos menores
e 2 escravos, o Francex Augusto f.ahors,
Francisco Antonio Msrinho com 1 escra-
vo, Jos Francisco Mamede, Jos Filippe
deSouza Rodrigues com ama fillia menor
e duas escravas, I soldado rebalsado,
Francisco Rodrigues Augusto e 3 escravos
a entregar, 1 a JoSo Soares e 2 a Manoel
Jnaquim Ramos e Silva.
Babia 4 dias, sumaca hrasiloira Flor-de-
Angelim, de 99 toneladas, capitSo Ber-
nardo do Souza, equipagem 10, carga fa-
ri ii lia de mandioca, fumo, charuto c mas
generosa Luiz Jos de S Araujo. Passs-
geiros, Jos Luiz dos Santos, Antonio Jo-
s Soares e 3 escravos a entregar.
Nariet tahidot no meimo dia.
New-Bedford Barca americana Winlow,
cap tilo Henry Simona, carga a mesma que
trouxe.
Liverpool Galera inglezaSerafina, capi-
lilo John Taylor, carga algodSo e assucar.
Passageiros, Charles lluschek, Austraco,
George Kenworthy, Alfredo Yuillo, In-
glezes. ,
Ci nova Polaca sarda Fidansarlt, cafUSo
Pedro Rebufe, carga assucar.
Buenos-Ayres Barca brasleira Tenlati
capitflo Antonio Fernandos da Silva, c
ga assucar e ago'ardento.
Navio entrado no dia 5.
Babia 8 dias, barca franceza Tourvill, de
362 tonelada, capililo Fnurber, equipa-
gem 16, em lalro; ordem.
Navioi ahidoi no memo dia.
Km commissSo Vapor brasileiro de guer-
ra Thitii, commandante o capilSo-tenen -
le Antonio Francisco Pereira.
Buenos-Ayres Brigue brasileiro Princi-
pe-om-A/fumo, capitilo Francisco da Sil-
va Anhela, carga agu'ardeuto.
KD1TAES.
Pela inspectora da alfandega se faz
publico que.no dia 6 docorrente, se ha
de arrematar em hasta publica, e na porta
da mesma, depuis de meio-dia, um barril
com 35 caadas de vinbo do Lisboa ava-
llado pela (aiifa a 480 rs. a caada total
16,800 rs. apprehendido pelos emprega-
do da conferencia do brigue portuguez No-
vo-Vencedor, por nilovir manifestado: sen-
dos arrematadlo livro de direito
Alfandega de Pernambuco, 1. d'agosto de
1849. O inspector. Luiz Antonio deSampaio
fianna.
-- Perante a admnslrac,So da mesa do
consulado, i porta da mesrna, se hilo de ar-
rematar em hasta publica no dia 6 do cor-
rento mez, ao meio-dia 14 arrobas e 2 li-
bras de algodilo no valoi de 4,700 rs. a ar-
roba e 2 arrobas e 3 libras no valor 4,300
rs. a arroba, apprehendidas pelo arquea-
dor Joaquim Ignacio de Barros Lima, ser-
viudo de l'eitor : cuja arrematadlo he livro
dedespezas. Mesa < consulado de Per-
numbuco, 2 de agosto de 1849. O admi-
nistrador Jo3o Xavier Carneiro da Cunha.
Deca races.
-- Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, tendo le se fazer diversos con-
cert as barcas 'de vgi, qualquer cr-
pinteiro quo se adiar habilitado, queira
comparecer na alfandega, am de tratar do
ajuste.
Perante a administrarlo do patrimo-
nio dos orphSos s hilo de arrematar a
quem mas der, e pelo tempo que dreorrer
do dia da arrematado ao fin de junho de
1852 as rendss das seguintes cas perten-
centesao dito patrimonio: na ra de S.-
Concalo, do bairroda Boa-Vista n. 22; na
ra do Torres n. 14; na ra do Vigario ,
n. 27 : as pessoas que se propozerem a ar-
rematar ditas rendas, pdenlo comparecer
no dia 9 docorrente mez, na casa das ses-
soesdadila adminstraoslo as 4 horas da
tarde com seus fiadores. Secretaria da
adminislrac&o do patrimonio dos orphos ,
4 de agosto de 1819. Joto francisco di Cha-
by, secretario.
Perante a administrac.no do patrimonio
dos orphos se bao de arrematar a quem
mais der varias ferramenlas de marcenara
e enlalhadura, com os competentes bancos:
as pessoas que se propozerem a arremta-
las, pdenlo comparecer na casa das ses-
sOes da mesma administrado no dia 9 do
corrente s 4 horas da tarde. Secretaria
da admiiiislracau do patrimonio dos or-
phos, 4 de agosto de 1849. Joto Fra*-
ciico de Chuby, secretario.
As malas que leem de se-
guir para os portos do norte
no vapor Imperatrii focha m-
se hoje (6 i ao meio-dia im-
prelciivluiente.
signatarios, N. O. Bieber, na ruf daCrnz,
n,4.
-- Para Lisboa pretende sabir por todo o
corrente mex o brigue brasileiro Pinato,
por ter a maior pate da arga promtpa: pa-
ra o resto e passsiwro*, para o que offorece
os mclhores commodos, trata-se com os
consignatarios, Thomaz de Aquino Fonse-
ca&Fhos, na ra do Vigario, n. 19, pr-
meiro andar, ou com o capil,3oj| praca.
m Para o A'acaly tem de seguir viagem o
liiate Voeo-OJi'nda, mestre Antonio Jos Vi-
anna : quem nelle pretender carregar, se
entender com o mosmo mestre no Trapi-
Novo, ou na ra da Cadoia-Velha, n. 17, se-
gundo andar.
Para o Rio-de-Janeiro sahe,
por estes oito dias, o brigue nacio-
nal Bom-Jesus : para o resto da
carga, passageiros e escravos a fre-
le, trala-se com o capito na pra
ca do Commerrio, ou na ra da
ladre-de-Deos, n. 3 terceiro
andrr.
Para o Aracaly sshe, no dia 15 de agos-
to infallivelmonte, a escuna nacional Mana-
Firmina, por ter parte de seu carregamento
engajado -. para o resto, dirijam-se a Jos
Antonio Bastos, na ra da Cadeia do Re-
cite, n. 34.
Vende-se o bem conhecido
brigue-escuna americano R -F.-
Loper, encavilbado c forrado de
cobre,de superior marcha e promp-
to a seguir viagem para qualquer
parte : os pretendentes dirijam-se
ra do Trapiche, n. 36, a tratar
com Matheus Austin &C.
Freta-se para qualquer porto o brigue
francez Armorique, de perto de 3,800 sac-
cas : quem o pretender ,dirija-se ao seu
consignatarios, N. 0. Bieber & C., na ra
da Cruz, n. 4.
Avisos diversos.
isos martimos.
-s para qualquer porto a excei-
laca sarda Dina de primeira mar-
e Iota de 3,000 a 4,000 saccas:
atender, dirija-se aos seus con-
A pessoa que quizer comprar urna di-
vida de-l:377,ooo rs., proveniente de ren-
das do engenho Ilnaem S.-Antilo, ja ven-
cidas, cujo rendeiroainda seacha no mos-
mo engenho e esta cobranca nao ge effei-
lua por impossbilidade physica do proprie-
lario, dirija-se ao palco do Carmo n. 18,
primeiro andar, do sobrado do fallecido
Poixe.
O LIVRO DE MF.US AMOKF.S
poesas erticas d J. Norborto de S. Silva,
subdivididas em tres partes As visos
Osbeijos Armia. 1 volme in 8. gran-
de, elegante e ntida edffln, capa impressa,
ornado com um retrato. Proco 3,000 rs. ra-
da volume. Pub|ica-se no Itio-do-Janeiro
e assigna-so nesta cidade do Rocife na livra-
r ia ns. 6 e 8 da praca da Independencia.
Roga-se a J. S. L. que, quando tonda de
retirar-se de seu Icito, nao pens que n. 7
he 18, equeas iniciaes cima silo J. C: M.
Santa Luzia.'
A pessoa que annunoiou querer man Jar
fazer urna saa de bordado de susto, que-
rendo negociar urna que se acha quasi lin-
da, dirija-se ra da Gloria, na boa-Vista,
casa n. 86.
Perante olllm. Sr. Dr.juix de direito
da Ia vara do cvel,na audiencia de 7 do cor-
rente, linda a mesma, hea ultima praca da
casa terrea de pedra ecal, sita na oslada
que vai da Soledide para o Manguinho,
achando-se dita casa enllocada em um mag-
nifico terreno do 30 palmos de frente e fun-
dos bastantes, tendo cacimba propria com
cxccllente agoa, tanque para banho, diver-
sos ps de frnteiras, cercado de limo o es-
po do, (echada a frcnledo muro com grade
de ferro : sendo, oslo proprio c avadada
em 900,000 rs. penhorada a seu ligilimo
proprietario e sua mulher, por exoouco do
seucredor ehypothecario da mesma csa.
Os pretendentes a dita casa e sitio pdum
lirigir-se ao indicado lugar para seu exa-
me, onde verflo que boa propriedade por
tSo diminuta quantia, a qunldaiia em ou-
tro tempo tres conlos de tis.
--Perante o lllin. Sr. Or. juiz de direito
da primeira vara do civel, na andiencia de 7
docorrente, (inda a mesma, he a ultima pra-
ca da casa terrea n. 11, sil no Ir eco tapa-
do, defronto da matriz de Santo-Autonio,
avallada em 600,000 rs. e penhorada aos her-
deiros de Jos Mauricio do Olivcira Maciel,
por exccuco de um seu credor.
A pessoa que tem annuncado querer
urna saia de bordado do susto, dirija-se a
casa atrs do Corpo-Santo, por cima da loja
de louc.a, n. 68*. Na mesma casa se fazein
estas e out as militas obras, e tambem j
as lia feitas, ensinam-.se meninas, rece-
be m-se pensionistas, Inda mesmo sendo
pretas, para s dar promptas do qualquer
habilidade; borda-se de branco, do ouro,
de i raia. matizes, de froco e fio ; vestem-se
anjos, alugam-se uniformes para os mes-
mus, vendem-se flores, fazem-sc espana-
dores, vendem-se pennas para os inesmos,
fazem-su flores para castice, chapeos do
todas as qualidades, vestidos de bom gusto,
costuras chas : tudo muilo vontade:
tambem abrem-se velas com (oda a delica-
deza e brevidade. Quem de alguma dessas
cousas precisar, dirija-se a casa cima dita.
100^000 de gratificaco.
Fugio, na madrugada do dia 4
do corrente, o escravo Domingos,
pardo, de iH a uj anuos, baixo e
de rorpo regular ; levou comsigo
umcavallode estribara castanho
com sellini e brides inglezas, e
igualmente toda a roupa que t-
nlia, entre ella um fardamento de
bolieiro, sendo sobrecasaca de
panno azul com galo de prata e
botSes de metal bronco : suppoe-
se ter ido para o Cear, donde he
natural : quem o aprehender le-
ve-o ra da Cadeia do llecife,
n. si, a Luiz Antonio de Siquei-
ra, que receber a gratificaco a-
Oabaixo assignado mudou sua residen-
cia para o terceiro andar da casa n. 147 da
ra do Pilar "em Fra-de-Portas, a pirmei-
ra contigua a capitana do porto, e que dei-
ta a trazeira para o mar. Francisco de
Paula Pereira de Andrade.
Desppreceram do lugar Agoa-Fria,en-
tre a cidade de Olinda e o engenho Fragoso,
no dia 2 do corrento, dous quaitos castra-
dos e urna besta com os seguintes signaos e
cores: umcardo,pequeo, com algumas
reladuras as costas, marcado nosquarlos
trazeiros. de ambas as partes, com a marca
de ferro de tres pomas a maneira do sisca-
dor; um dito da mesma cor e signaes de re-
ladiini, ferrado de ambos os lados as per-
nas com a marca lettra D, tendo cima dcs-
ta tambem outro ferro quasi semelhante ao
do outro, com a dfferenga bem vulgar de
ter o primeiro voltadas as pernas para
tras, e o do segundo para baixo com urna
volta para cima; urna bes'a ruc,o-pedrez,
deprende lamanho, com aquella mesmo
ferro, tendo mais da paite esquerda a let-
tra P, e est mesma lettra tambem tem o se-
gundo cava lio : quem arhar ditos animaos,
os entregar a Jos Joaquim Bezerra Caval-
ennte em Santo-Amaro, defronie da fortale-
za do Brum, quo Iho compensar o traba-
Iho e dospeza respectivamente efeitua la.
-- O abaixo assignado paiticipa ao Sr.
Marcellino Antonio Pereira que a sua escra-
vaLuiza Iheapparecou no dia primeiro do
corrente, aflm de a comprar; por isso o
mesmo senhor queira vir lomar conta da
referida escrava. Joo Frederico de Jbreu
Reg.
Os abaixo assignados fazem soiente
que Jos Bernardo GoiiQalves Ferreira dei-
xou do ser seu caixeiro desde 28 do prxi-
mo passado,quee sero nullosquaesqurr re-
cibos passados por elle em nomo Jos annun-
ciantes depols desta dala. Tinoco & Ro-
cha. *
Muga-so o primeiro andar do sohrado
n. 11 da ra do Rangel, por 200,000 rs. an-
imaos ca,m (ador idonio : a tratar na pra-
ca do Commerrio n. 2, primeiro andar.
Precisa-se alugar um sitio na Magda-
lena, ou Capunga na margem do rio an-
da mesmo nito senio a cas grande: quem
o tiver, dirija-se i ra do Trapiche, n. 17.
No dia 2 docorrente appareceu no en-
genho Pintos freguezia de S.-Amaro-Ja-
hoato, de propriodadodo abaixo assigna-
do, procurando ser comprado, um preto
que diz chamar-so Luiz, e ser escravo do
Sr. Jos Barboza morador em trras anne-
xasao engenho Bonito freguezia ou co-
marca de Nazareth-da-Mtla : seu senhor
vonha recebe-lo ou negocia-lo, sendo que
queira vender, licando certo de quo o
abaixo assignado no se responsahilisa pe-
la fuga do mesmo escravo.' Josi Fernandi
da Cruz.
# 9
O Sr. do engenho Tabatinga, Auto- 4
t- dio Gomes Pessoa queira ter a bon- #
? dade de vir ou mandar a ra do Gres- *
# po, n. 11, a negocio que lhe diz res- #.
? peito. #
9 % 99999 w&9 9 99 99tw9Q9tQt
Francisco Gomes de" Olivcira embarca
para os po: tos do sul o seu escravo de no-
nio lenlo,
O Cirurgilo Miguel Felicio da. Silva
mudou a sua residencia para a ra da Pal-
ma sobrado novo de um andar defronte
do boceo do Pocinho.
oflereee-se, para ama de casa do um
homem solleiro, ou mesmo que tenha pon-
es familia nina ama que entonde perfecta-
mente do trafico interno de qualquer casa :
Suemdeseu prestn.o se quizer utilisar,
irija-se ra da Gloria, n. 21, ou annun-
cie.
Jos Andr de Oliveira declara polo
presente que os annuncios ai parecidos
nesta folha ns 166,167 e 168 relativos aoSr.
coronel Joaquim Cavalcante de Albuquer-
que silo seus, o nSo de Francisco Tavares
Correia como por engao sahio no n. 168.
Quem precisar de um rapaz de 16 ali-
os para caixeiro de loja de fazendas, ou
miudezas o qual chegou no ultimo navio
do Porto, dirija-se ra da Cadeia do lied-
le, n. 23.
--Sahio a luz o PastilhoOlindente, idyl-
lo offerecldo uo Kxm. presidente da pro-
vincia : vende-sena prac,a da Independen-
cia n. 6 e 8 a 210 rs. cada exciTiplar.
II. Didier relira-se para a Europa.
Prccisa-se de urna ama para urna casa
de pouca familia a qual faca as compras e
cozinhe: na ra da Cadeia-V'elha n. 41 ,
primeiro andar.
O tonente-coronel Luiz Antonio Favil-
la, nilo lhe sendo possivel despedir-se de
todas as pessoas de sua amizade pela pre-
Qa com quo embarco para coito o faz
por este jornal, oerecendo naquolle cor-
te o seu pequeo prestlmo aos seus ami-
gos no caso que delle se queiram utilisar;
do que tora muita salisfacfio.
Quem pretende alugar urna casa de 2
andares no bairro do llecife as ras que
declara querendo urna na ra da Cadeia ,
n. 40, com bons commodos e asseiada,
dirija-se a loja da mesma casa ou na pra-
ca do Commerco n. 6, primeiro andar.
A pessoa quo deseja saber quem re-
presenta nesta cidade pelos herderos de
Domingos Antonio Fernandos fallecido na
cidade do Porto pode dirigir-se a praca do
CommerciO, n. 6, primeiro andar quo ahi
achara pessoa competentemente habilita-
das para tratar qualquer negocio tendente
ao fallecido.
Ao [lubrico.
O abaixo assignado, tendo comprado 4
meios bilhetes da segunda parte da lerceira
lotera de N. S. do Guadalupe, por ordem
do Sr Jos Goncalves do Res residente na
cidade da Paradina succede que na noite
di 21 para 22 do prximo passado foi
roubada a casa de negocio do mesmo Sr.
uaquella cidade e juntamente os qualro
meios buhte; de nmeros 2,917, 1,551 ,
2,908 o 1,583, e assignados por Jos (ion-
calvos do Res Paca, Manoel da Costa Ra-
mos Cornprido e Remigio Jos Dias. Roga-
se ao Illm. Sr. major Gusmao, thesoureiro
desla KNstia, que, sendo sai premiado os
Jilos hlleles e lhe sojam apresentados os
noj Sigue, e faca o favor de avisar as
Cinco-Pontas n.' 66 francisco Tatares
Correia. ,
Arronda-se,Hm grande sitio com casa
do vivend, terreno para planlaiCcs, pasto
permanente cara duas vaccas de loile: a
tratar na rus/ do Collegio, n. 3, segundo
andar. /
Para as pessoas que tencionam
seguir viagem*
No pateo del-Pedro, a terrean. 8.
liram-se passaportes para dentro e fra di.
imperio corrim-se folhuse despscham-se
escravos, e para este fim tambem pode-se
procurar na pra?a da Independencia li-
vraria ns. 6 e S. ia
-Precisa-se al|ar um primeiro e se-
gundo miares no bairro do Rec.fe, sendo
as ras da Cruz. Cadeia, Vibrio, Trapi-
che-Novo Alfandega-Velha ou praca do
Commerco: quem tiver annuncie.
- O dontor Louronco Trigo de Loureno
reside actualmente as lojas da casa o
Illm. Sr. desembargador Bastos, na ra da
Aurora entrada pelo lado da mesma ra ;
e ahi se offeroco para advogar, tanto no
civel como no crime, e para ensinar as lin-
goas latina e franceza a quem se quizer
utilisar de seu prestimo.
Lotera do Guadalupe.
As rodas desla lotera andan in-
fallivelmenteno dia i3 do corren-
te mez, e os bilhe'tci que restant
acham-se venda nos logares an-
nunciados.
__ O Dr. Lobo Moscoso conti-
na a receber doentes em sua. ta-
sa, no Alcrro-da-Ba-Vista, n. $$,
onde ha commodos sollicienles,
nao s para se tratarcm de suas en-
fermidades, como para se Ihcs fa-
zer qualquer operacao : as pessoas,
portaulo, que se quizerom curar ou
mandar algum escravo, pdem di-
rigir-se ao annnnciante em dita ca-
sa, certos de que serao tratados
com todo o desvelo.
Engomma-secom perfoic/lo loda a qua-
ldade de roupa para homem e senhora, as-
sim como tambem se ensaboa por comrmi-
do preco : na ra da Senzalla-Nova, na loja
da casa n. 18.
Compras.
-- Compra-se um armazem de carne sue-
ca com todos os seus poi teneos : quem livor
annuncie.
Compram-se, para urna encommenda,
escravos de ambos os sexos de 10a 40 ali-
os : na ra do Padro-Florianno, sobrado
de um andar, n. 7.
Paga-se bem.
Compra-se calcado feito na trra, de
toda aqualidade :ana praca da Independio
cia, n. 33.
Compram-se palacOes mexicanos a
i,900 rs. : na esquina do l.ivramenlo -toja
de 6 portas.
Compra-se a opera da Norma, trsduzi -
da em verso portuguez com o original ita-
liano frenlo, em um folbeto impresso no
Rio-de-Janeiro: quem tiver annunoio.
Compra-se um casal do coclhos bran-
cas : na na Cruz, n. 6i.
SSSHMHMHBBHHSBBBW
Vendas.
cuna. i
Mi itii i\r\r\
Na livrarans. 6 e 8 da_ praca da Inde-
pendencia vende-su o soguinle :
manual eleitoral
conlendo a lei regulamentar das eleicfioso
os decretos e declses do goyerno que dlo
esclarecmentos sobre sua execuglo.
Vende-se um sitio da coqueiros, no
lugar do Rio-Doce denominado sitio da
Bacca-do-Rio, um dos melhores que lia
no dito lugar, j pela Incalidade em que se
acha e mesmo por oulras vantagens que
ollorece como bons lugares de viveiros'lej-
os pela natureza o juntamente para sali-
nas, coqueiral todo novo o que carregam
lodo anuo oulra planta nova casa de vi-
venda de laipa o coberla de palha mas re-
bocada e caiada, com commodos para una
familia :'esto sitio tem duas posses de curral
que se inrluem na mesma venda, assim co-
mo cinco portas de smarollo para urna boa
casa ; tem mangues para se tirar lenlia; em
lim, s a vista do prelendenle podor-se-liu
mostrar tudoqu-nto llca dito: na ra es-
trella do Rozario, loja de cncadertiuco ,
n. 2, se dir quem vende
Vende-se urna prela da Costa, muilo
moga do bonita figura e sem vicios -neui
achaques: o motivo por que se vende se
dir ao comprador : no Aterro-da-Bita-W.
la, n. 17, fabrica de licores, do Frederico
Chaves.
Vende-se urna loja de couros o sola,
na ra do l.ivramenlo, n. 37 : a tratar na
mesma loja.
-- Vende-se um bom cavallo carregador
baixo a meio, por prego commodo : na ra
Direita, n. 17.
Quer-sc acabar.
Excellcntes cobolas, chegadas ultima-
mente, vendem-se por preco mais commo-
do do que om outro qualquer paite : no ar-
mazem da ra do Codorniz, n. 11.
Vende-se cera de carnauba :
na ra da Madre-de-Deos, loja
n. 34.
. Vende-so rap de Lisboa a 3,600 rs. -
dinheiro a vista : na ra da Cadeia do Re,
rife, botica de Vicente Jos de Brito, 11. 61.
Vemdem-se apparelhos oitavados para
cli.i e para mesa de todas as cores : tudo de
muito liooi gosto : na ra da Cruz, atrs do
Corpo-Santo, na loja de louca, 11. 68.
Aos* amantes da lotera do liio-
m de-Janeiro.

SBo chegadas ss listas da 50'lotera da
misericordia e a da 10* das matrizes, e com
ellas novo sorlimento dos muito afortuna-
dos bilhetes e cautelas da 19a lotera do
monte po, cujas listas chegarn no primeiro
vapor : na ruada Cadoia do llecife, loja d"
fazendas, n. 51, de J0.I0 da Cunha Maga-
lliflcs : a olios antes que se acabem.
" Vende-se, na ra Velh, n. 127, um es-
cravo do is anuos, soll'mol cozinheiro, e
pioprio para qualquer servico do casa ou
campo.


Vende-se farinha de mandio-
ca, nmito superior c por preco
commodo, a bordo da sumaca
I'illa-Carolina, entrada de San-
IHatheus, a qual se acha Tundeada
defronte do caes do Collegio : tra-
ta-se com o capitj) a bordo, ou
com Macbado & Pinbeiro, na ra
do Vigario, n. 19, segundo andar.
des fumantes de bom gosto.
No armazem do molhados atrs do Cor-
po-Sanlo, 11. 66, ha para vender, cliogados
pelo ultimo vapor vindo do sul, superio-
res charutos S.-Feix, o de nutras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
(|tie em outra qualqlier parle : bem como
cigarrilhos bespanbes ditos de palha de
Bulbo, que se estilo veudendo pelo diminu-
to prego de 500 rs, o cento.
Cortes de brim de puro
linlio,.a 1,280.
-- Vendem-se corles de brim trancado
pardo de puro linho, pelo diminuto prego
de qnalro patacas: na ra do Crespo, loja
da esquina que volta para a cadeia.
AttencHo.
Na ra do Crespo, loja n. 5 A, junto ao
arco de S.-Antonio, vendem-se ricos mau-
las de seda de novos lavrores a 6 e 8,000
rs., tanto para senhora como para meni-
nas ; alm deslas fazendas ha un rico sor-
timento de leques com enfeites inteira-
menle novos, e que se vendem maisem
corita do que em outra qualquer parte.
Vendem-se, no armazem de Francis-
co Dias Ferroira, ao p da alfandega cebo-
las novas do Porlo, em resteas ; fumo de ca-
pa superior; charutos regala, muilo em
conti.
Vende-se a casa terrea do pedra e cal
11. 136da ra Imperial ; um terreno juntoa
mesma para outra casa j aterrado, tudo
at o rio, e em chaos proprios : na ra do
Collegio, n. 6.
^f?EDB<%
para curar da phtysica em lodos os seus
diflerenles graos, ou motivada por al-
guma das seguinles molestias: constipa-
res, tosse, asinina plcuriz escarros de
sangue coqueluche dr de costase pci-
tos, bronchites dr na garganta c todas as
molestias dos orgilos pulmonares. Este ex-
cedente remedio que tem gozado de 13o boa
reputagto nos Estados-Unidos da America
do Norte, pelos seus bons efleitos na cura
Vis varias molestias acimalmencionadas, in-
duzio os proprietarios del le a manda-lo pa-
ra o Brasil, onde a esperanga de suas virtu-
des no foram sem fundamento como a
experiencia tem mostrado desde a sua in-
IroduccSo, pois os admira veis efleitos que
tem produZido aqui silo iguaes aos mellio-
resquealli lem feito e quesSo bem attes-
tado pelos varios testemunhos e certifica-
dos das pessoas que leem sido curadas por
este medicamento sem igual, particular-
mente ao sul deslo imperio onde foi pri-
meramente introduzido, e j nesta mesma
provincia receilado pelos mdicos e sem-
pre com bom sucesso. Novaes & Campa-
nilla, os nicos agentes nesta cida*de e pro-
vincia, nomi ados pelos agentes geraes rio
Itio-de-Janeiro os Srs. K. C. Yates & Com-
panliia mudaran! o deposito deste xarope
para a botica do Sr. Jos Mara Hamos, na
na dos Quarteis, n. 12 junto ao quarlel de
polica onde semprc acharo o nico ver-
dadero, vindo daquelle deposito a 5,500
rs. cada garrafa.
A bordo do hiate S.-Joo, Tundeado
defronte do l'asseio-I'ublico vende-se boa
lrnha de mandioca por prego rasoavel: a
tratar com o mestre do mesmo hiate, ou
com Amorim lrma"os na ra da Cadeia ,
n. 39.
Rap rola" o francez,
Vende-seo superior rape rol.lo francez ,
nicamente as lojas dos Srs. Caetano Luiz
Ferrera no Aterro-da-Doa-Visla n. 46 ;
Thomaz deMattos Eslima na mesma ra,
n. 54 ; Francisco Joaquim lluarte ra do
Cabug ; Pinto&lrmao, na ra da Cadeia
do Recito, n. 19.
Vende-se a muito acredita-
da lirinlia franceza Barn, chega-
da ltimamente, e por preco rasoa-
vel : na ra da Senzalla-Velha,
n. 138. ^
A 4oo ris.
Vende-se superior esguio de algodao de
quatro palmos e meio de largura, proprio
para camisas de senhora e jaquetas, pelo
barato preco de 400 rs. a vara ; bretanhas
de rolo com 10 varas, a 1,600 rs. ; supe-
riores cortes de fustOes alcochoado a
1,28o rs.; ditos miudos a 400 rs. o corte :
na ra do Crespo, n. 14, loja de Jos Fran-
cisco Dias
A 200 rs. o covado.
Vende-se zuarle azul trancado, muito en-
corpado e com 4 palmos e meio de largura ,
a melhor fazenda para vestir escravo pelo
barato preco de 200 rs. o covado: na loja da
esquina da ra do Crespo, que volta para a
cadei*.
Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de4 arrobas,
chegada ueste mez pelo brigue Maria-Joi:
a tratar Da ra do Brum, armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vigario, n. 19.
-- Vendem se presuntos inglezes para
fiambre ; latas com bolachinhas de Lisboa ;
ditas da araruta ; ditas do marme.ada de
1, 2 e 4 libras ; ditas dr sardinhas ; ditas de
hervilhas ; ditas de chocolate de Lisboa
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor-
de laranja; barris com azeitonas brancas de
Elvas; garrafas com vinho moscatel de Se-
tuhal e da Madeira ; queijos de prato
frescacs: tudo novo e ohegado ltima-
mente do l.isbs : na ra da Cruz, no
Itecife, n. 46.
Na loja da ra do Crespo, n. 6, ao
p do lampeSo, continuam-se
a vender fazendas baratas.
Cortes de brim trancado amarello, a 1,440
rs.; ditos de dito escuro da melhor qua-
lidado 1 j 111 tem vindo a este mercado, a
1,280 rs. ; dito hranco strado a 1,500 rs. ;
cobertores do algodfio mais encorpados
dos que os de outra parte, a 640 rs.; chitas
para coberta a 200 rs. o covado ; chitas es-
curas rom corea lixas a 1G0 e 180 rs.; cha-
peos do m.issa a 1,600 rs. : ditos desfila ,
.1 64o rs.; cassa para hadados e cortinados,
a 2,400 rs. a peca o a 320 rs. a vara.
Vendem-se sellins inglezese
camas de ferro : na ra da Senzalla-
nova, n. lyx.
Cha brasileiro.
Vende-se cha brasileiro no armazem de
molhados, airas do Corpo-Santo, n. 6fi, o
muis expeliente cha produzido em S.-Pau-
lo que tem vindo a esto mercado, por
prego muito commodo.
AGENCIA
da fundicito Low-lfoor,
HU DA SENZALt A-NOVA, N./|2.
Neste eslobelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenbo ; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
Vendc-sechampanha da mais superior
qualidade que tem vindo este mercado :
na ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
& Companhia.
A 640 rs. cada un.
Vendem-se cobertores de algod.to ameri-
cano, encorpados e grandes a duas pata-
ras ; chitas escuras de hons padres e co-
res seguras, a meia pataca o covado: na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Vende-se algodao trancado
da fabrica de Todos-os-Santos a
270 e a 3oo rs. a vara : na ra da
Cadeia, n. 5i.
Taixas para eng-enho.
Na fundic.no de ferro da ra do Brum,
araba-so de receber um completo sorlimen-
tode taixas de 4, a 8 palmos de bocea, as
quaes scham-se a venda por prego com-
modo e com proniptidSo eniharcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
tomprador.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santosna Baha.
Vende-se ero casa deN.O. liieher & C.
la ra da Cruz, n. 4, algodao trancado
daquella fabrica, muilo proprio para saceos
de assucar e roupa de escravos.
1,280 ris.
Vendem-se superiores cortes de brim
trancado de puro linho cor do lama de Pa-
rs pelo barato prego de 1,280 rs.: na ra
do Crespo, n. 14, loja de Jos Francisco
Dias.
Folha de Flandres.
Vendem-se caixas com folha de Flan-
dres : em casa de J. J. Tasso Jnior : na ra
do Amorim. n. 35.
Harneas.
Vendem-se barricas vasias que foram de
farinha, em p e bem acondicionadas
na ra do Amorim, i). 35, casa de J. i.
Tasso Jnior.
A/tenco ao batato.
Na ra do Livramento, n. 14, vendem-se
cortes do lila de bonitos padres, a 2,100
rs. o corte; riscados monstros a 260 rs. o
covado ; loncos decamhraia de linho, mui-
to finos, para senhora ; pegas de madapo-
13o tino, a 2,800,3,800, 4,000 e 4,500 rs. ;
chitas escuras de cores fixas,a 160, 180 e
200 rs., e muito finas, a 240 rs. corles do
camhraia para vestidos, de ricos padres ; e
nutras muitas fazendas baratas.
A 040 rs.
Vendem-se cobertores de algodao, muito
encorpados, proprios para escravos a duas
patacas cada um : na ra da Cadeia-Velha,
n. 33.
13 o mitas de ierro.
Na fundic3o de ferro da ra do Brum ,
vendem-se superiores bombas para cacim-
ba assim como de repudio para fazer su-
bir agoa casas at altura de 4 a 5 andares.
4
gura a#10 rs. a vara, e a 2,500 rs.a pega
com 10 varase meia ; chales de pura 1.1a,
a 2,000 rs. cada um; fustes para colletes,
a 500 rs. o corte ; e outras muitas fazendas
por barato prego : na ra do Crespo, loja
n. 15, de Cunha Guimares & Companhia.
Para liquidacao.
Na loja n. 5 A, da ra do Crespo, ao p do
arco de s.-Antonio, conlinuam-se a vender
muito bons cortes de cambraia de cores
com 6 varas e meia a 2,500 e 3,000 rs; pe-
ces de madapolSo infestado, a 5,500 rs. ,
muito boa fazenda;lencos de cassa para gr-
vala a160 rs.; casimira elstica prola a
2,500 rs. o covado ; casimiras de cores para
caigas a 4,000 rs. o corte ; cortes do col-
letes de gorgur.10 de seda a 2,500 e 3,200
rs.; chales de chita grandes a 800 rs., e
pequeos a 500 rs.; eainda rcslam alguns
chapeos de crep para senhora a 2,000 rs.
Camisas francezas
Na ra Nova, n. 14, loja de alfaiate, he
chegado um riquissimo sortimento do ca-
misas brancas e de riscados os mais lindos
padres e cores lixas, por prego commodo.
Nada 13o bom at hoje se ha descober
lo para" curar vista caneada ou curta como
sejam orillos apropriados, os quaes so
vendem por diversos pregos, e muito em
conta, por haver sortimento : na ra larga
doltozario, loja demiudezas, n. 35.
A 1,000 rs. o corte.
Vende-se brim liso escuro muito fino,
proprio parajaqueta a 1,000 rs. o corte;
dito trangado escuro e muilo fino, a 1,280
rs. o coi te de caigas; dito cor de ganga, a
1,500 rs. o corte, sendo todos de puro linho;
cortes de cassa do cordilozinho com 7 va-
ras a 2,000 rs.; fuslffo alcochoado para
collete a 480 rs. o corte ; meias finas para
meninas de varios tamanhos a 320 rs. o
par: na ra doQueimado, n. 8.
N. 9.
11 ua da Madre-de-Deos.
Puro vinho da Figueira.
O novo armazem esta pinga deliciosa
acaba de se abrir nesta ra, defronte do ex-
tincto armazem ao mesmo prego de 180
rs. a garrafa o a 1,360 rs. a caada. Os
amantes deste licor all encontrarfio garra-
fas promptamento lacradas e com o seu
competente rotulo para trocarem por outras
promptamenle ; assim como tambem en-
contrado barris de diversos tamanhos,
por pregos bem rasoaveis ; bem como vinho
hranco de Lisboa a 1,600 rs a caada o a
220 rs. a garrafa. O propietario deste esta-
heleci ment pedeexame para poderem ava-
har a pureza de sua qualidade e asseio e
que em nada desagradar aos concur-
rentes.
--No armazem da ra da MoJa, n. 7, con-
tina-se a vender superior colla das fabri-
cas do Rio-Grande-do-Sul, por prego ba-
rato.
FARINHA DE MANDIOCA.
A melhor farinha de mandioca que tem
venda he a bordo do brigue Minerva, chega-
do deSanla-Catharina, e fundeado na praia
do Collegio, onde se vendo a prego mais
commodo que em qualquer outro barco ; e
tambem se pode tratar na praga do Com-
mercio, n. 6, primeiro andar.
Cal virgem de Lisboa.
Na ra da Cadeia do Itecife, loja n. 20,
vende-se cal virgem por prego mais com-
modo do q-ueem outra qualquer parte.
"Vende-se superior fio de al-
godao para velas : na ra da Cruz,
n. a, casa de Geo: Kenworthy &
Companhia.
Vende-se um pardo robus-
to, de 24 annos, perfeitamente en-
tendido no servico de campo e sem
vicios na loj da ra do Crespo,
n. i5, de Cunha Guimuraes &
Companhia.
parelha de embonos de sedro, muito hn
para barcaga; urna canoa de carreira
algumas jangadas.
- Vende-so a taberrta da Passagern-rt.
Magdalena, n. 60, com os fundos do -Z\
rs. : a tratar na mesma taberna. '
Na loja de selleiro da
ra do Queimado, n. 9
vendem-se sellins de todas as qualidada,'
tanto para montarla de homem como nr'
a de senhora ; cabegadas inglezas ro|f,a
e chatas; ditas de couro de lustro bran
case pretas; talinse cananas do todas
qualidades ; correiames de lustro barren
as para ofllciaes asoldados do cavallariai
infanlaria; bandas, etc.; perneirase suar
da-lamas de lodos osljleitios; canhes di"
couro de lustro bratico o amarello n.r,
botas de criados; fundas inglezas de uma
duasverilhas; colchOes de-lodos os'tami
nhos e eilios. Na mesma loja se forrim sel
linscom couro do porco ingluz, licand
como novos, e so faz toda qualidade da
concert : tudo por prego commodo.
Atleng3o aos premios vendidos.
Na loja do cambio da viuva Vieira k r,
lhos,narua da Cadeia do Itccifo, n o!
fram vendidos da loteria a beneficio di
matrizes do Itlo-de-Janeiro, os nmeros J
guinles : 3,605 10:000,000 de res m
200,000 rs. ; 4,069 e 875,100,000 rs. i '
4,874 e 5,310 40,000 rs. ; e immanses d.
20,000 rs.
- Vendem-se cadeiras, marquezas, gofas
e algumas mesas : na ra das Cruzes, 37
LIVROS.
Vendem-se, na ra Nova, n. G, os seguio-
- Vende-se um engenbo sito na Trege- J" !7*0US' urs de droit ,,.tB.
ziadeSerinl.aem, 4 legoas distante do em- '*" -"oix, aritlimetica ; Cerousez, ph.
barquo.com muilo boas obras, moe com ?**'" >.0"81'"1 h,slory ofEngland;
agoa com meia legoa de trra de frente e "omero ",ad" ? Ihompaon, seasons; llis-
como\itra lana de fundo: a tratar na ra '"r'ar",nna '.'l\ '^>Si Lopes Cama,
do Crespo, loja n. 17. eloquencia nacional; Ovidio; Gaultier, ge
ao crespo, lojain. 17. graphia ; Novo methodo latino : Salstio
CharutOS de Ha\ alia tudoem muito bom estado, e muitoibai
verdadeiros: em casa de Kalkmann Ir- nto'
mitos, na ra da Cruz n. 10.
Molduras douradas
de todas as larguras : vendem-se em casa
de Kalkmann Irrtiiios, na ra da Cruz, n. 10.
Cadeiras de palhnha e
de bala neo,
hem com outros muitos trastes: vendem-se
em casa de Kalkmann lrmilos, na ra da
Cruz, n. 10.
Vendem-se saccas grandes com feHo
mulatinho, fradinho gruguluba e mantel^r"""- >cndem-se* escravas com habllida-
ga. a 1,500 e 4,000 rs. a sacca de^Iqiu?4rej(les : "mB P"rJa ue3 annos que entend
raso: na ra do Vigario, armazeron/li, Ido toto-tr!",ico de urna casa
de Francisco A'ves da Cunha.
Vendo-seuma mulatinha do 20 annos,
com algumas habilidades: na ra da Mo-
da, n. 9, segundo andar de manhaa at as
8horas,edetan'eatas4.
Vende-se um escravo proprio para todo
oservigo, principalmente para trabalhar-do
enxada : na ra do Queimado loja de fer-
ragens.n. 14.
-- Vende-se urna parda de boa conducta,
com algumas habilidades, por prego com-
modo ; om moleque de naglo. de 18 a 20
annos de boa conducta, tambom por pre-
go commodo: na ra das Cruzes, n. 20, as
lojas.
> O
O S3S- Nu ra do Crespo, ^r> <3
$ loja da esquina que volta fl
para a cadeia, vendem-se q
0 os acreditados brins trangados bran- @
Q eos, lisos, delstrasedelinho puro, ^j
a a 1,500 rs. o corte; dito amarello a q
}Z 1,440 rs. ; dito muito superior, a ,,
JX 1,600rs.; picotemuito oncorpado
J proprio para escravos a 180 rs. o x
covado; panno preto muito lino, a J*
P 3,200 rs. o covado ; cassa de quadros j*
O para babados, a 2,000 rs. a pega ; lu- v
O vas de algodSo de cor, muito finas, a O
Q 240 rs o par; chitas rouxas com fio- O
Q res encarnadas, de tintas seguras, a Q
Q 180 rs. o covado ; cassas pretas, pro- Q
f\ prias para luto, a 160 rs. o covado; q
pegas de platilha dcalgodSo com 25 g*
% varas, a 4,200 rs.; e outras muitas x
i fazendas por prego commodo.
i
* \ ende-se superior farinha de man- _
^ dioca, muito nova por prego mais *
commodo do que n cuy qualquer
& parte: a bordo da sumaca Bilta-Xrgt-
& lina, fundeada defronte do caes do i
[ llamos ou na ra do Vigario, n. 19,-*
S segundo andar, casa de Machado & *
J. Pinbeiro. *
........ 2
Barris com azeite de peixe ;
vendem-se na ra do Vigario, n. II.
Vinho de Bordeaux e de
Champnha ,
de superior qualidade : vende-se em casa
de Kalkmann Irmos na ra da Cruz ,
n. 10.
$S
* m
% Vendem-se escravos baratos, na ra *
a> das Larangciras, 11. 14, segundo an- ."?
? dar ; um lindo molec.to de nagHo ; 1 #
?' pretade nBgTo, de 16 annos-, com f
?-.' principios de habilidades; urna preta >
# de 20annos, de bonita figura ; urna >9
dita de 26 annos. ptima engomma- ?
% deira ecozinheira; urna bonita mu- #
latinha do 13 annos, que cose e mar-
ca muilo soll'rivel; diius prctos para
o servigo da campo ; um moleque
i
de 12 annos.
rjr?>'riQ0 ae urna casa por 300/
rs.; umpardo d 18 annos, de bonita fi-
gura, que" he de Iroa conducta e por laso
proprio para pagem ; um molecflo denegri,
de 18 a 20^annos, bem robusto, srn vicios
nem achaques, e que he proprio para lodo
oservigo: ni paleo da matriz de S.-Anlo-
nio, n. 4, se dir quem vende.
Vende-se um alambique francez e da
cobro com pouco uso que leva a caldaira
50caadas, com muito boa serpentina de
eatanho fino que pesa 300 lifcras: este
alambique trabalha por dous systemas, um
que serve para destilar garepa, o outro pa-
ra resillar ago"ardente ; nara esta tem tres
os quaes lazern com que o
ratificadores ,
alcool saia sem cli
grao e muito simple,
poder trabalhar: ac
toa trabalhar para
bem se Vende urna m
nada gazosa, ago
champanha : tudo porfcrego commodo : no
Aterro-da-Boa-Visla 1.17 fabrica de li-
cores, de Frederico Chata*.
muito superior em
ara qualquer pessoa
se montadoe promp-
mprador ver : tam-
lima do fazer limo-
mineraes e vinho
Escravos. npuso*
Farinha de S-IIa Ilieus A
Vende-se farinha muito superior, por
T prego commodo a bordo da sumaca ^1
A Feliz-Aurora, fundeada em frente do A
^ caes do Collegio : a tratar com o ca- aj
,A) piOo a bordo ou pom Machado & Pi- T
tb nheiro na ra do Vigario, n. 19, se- S
gundo andar.
A
Superior cha brasileiro.
Vende-se superior cha de S -Paulo em
raxinhas de urna e duas libras: na ruada
Cadeia do Itecife, n. 51.
A'endem-se 6 lindos moleques de 12 a
20 annos ; 8 p re tos de 25 a 30 annos sen-
do um dellescozinheiro outro carreiro e
outro canoeiro ; duas negrinhas do 9 a 12
annos ; 3 pardos de 20 a 25 annos com al-
gumas habilidades ; 5 pretas de 20 a 25 an-
uos com algumas habilidades : na ruado
Collegio n. 3, se dir quem vende.
Vende-se um bonito moleque de na-
giio Mogambique, de 18 annos, que cozi-
nha muito bem n3o tem vicios nem acha-
ques, o que se afianga ao comprador: na
ra da Concordia, passando a pontezinha,
direila segunda casa torrea.
Vendem-se no armazem, n.
t, do Calaia, no caes da Alfande-
ga, por preco commodo, barricas
com farinha de mandioca, muito
fina, ( soruhy ) assim como saccas
com feija novo, myito grandes e
baratas : trata-se no mesmo arma-
zem, 011 com Novaes &C.1
-Vende-se sal do Ass em grandes e pe-
quenas porgues : a bordo do patacho Emu-
la<;o, Tundeado no Forte-do-Mattos.
Espadas.
Vendem-se espadas de roca, bainha de
ferro e prateada : na ra Nova, n. 37.
Vende-se um sobrado de um .'andar,
sito na cidade da Victoria na ra da Paz,
que foi do fallecido Jos Ignacio do Tem-
plo e hoje perlence a lilha do mesmo,
U. JosephaMaria da ConceigSo : a tratar no
engenbo S.-Jos, com Luiz Barbalho de
Vascencellos que osla aulorisado a fazer
dita venda.
Vendc-se, por preco muito
commodo, no armazem de Dias
~ Vendem-se relogios de ouro o prata ,
patento inglez : na ra da Senzalla-Nova ,
0.42.
Vendem-se cortes de cambraias ada-
mascadas, proprias para vestidos, a 3,000
rs. ; ditos de lalagarga, ai 1,600 e 300 rs. ;
casia-chita decores fixas, a 300 mb lan-
zinhas para vestidos, calcas e roupaVe me-
ninos, a 320 rsro covado ; fazenda de 13a
com lisiras de seda propina para vestido
de senhora a 640 rs.; ISasy para calcas, de
muilo bom gosto e de supertor qualidade ,
a 2,200 rs. o corte ; cortes delassa, a 1,400 j
rs. cada um ; panninho com Vara de lar-1 vaes & Companhia.
Ferreira, no caes da Alfandega,
farinha de Santa-Catharina, em
saccas grandcs,e barriquinhas com
potassa, muito superior : trata-se
no mesmo armazem, ou com No-
Na ra das Cruzes, n. 22, segundo an-
dar vendem-se dous molecoles de nag.to,
de 18 a 20 annos sendo um delles ptimo
serrador; urna preta de meia i Jado boa
lavadeira; um dita de 18 annos, que en-
gomma, cozinha e lava ; urna dita a Cos-
ta ptima quitandeira.
Vende-se urna cadaira de bragos, to-
da envidragada o em bom estado : na ra
da U11 i fio casa de Jos Mariano do Albu-
queque.
Caf de escolha,
de superior qualidade, em saccas de 5 ar-
robas: no'caes da Alfandega, armazem
n. 1.
Vende-se urna muito linda escrava re-
colhida de 18annos, de boa conducta, e
com habilidades proprias de urna mucama :
na ra do l'adre-Florianno, sobrado de um
andar n. 7.
Vende-se urna preta'crioula ,de 18 an-
nos : na ra Nova, n. 16.
Graxa ingloza.
Vende-se graxa ingleza, a 200 rs. o poto,
e a 2,300 rs. a duzia : na praga da Indepen-
dencia, loja n. 3.
Vende-se urna parda do 15 annos, de
bonita figura o que he ptima para muca-
ma : no becco do Sarapatel, sobrado n. 12.
- Vende-se urna venda com poucos fun-
dos e bem afreguezada na ra da Lingoe-
la n. 5 : ao comprador se dir o motivo
por que se vende: a tratar na mesma
venda.
Vende-so sebo em rama muilo supe-
rior : na ra Nova, loja de trastes, n. 59,
defronte da ra de S.-Amaro.
#
Cliegucm Olindenses, ao bom
e barato. ^
Em Olinda taberna docaminhodo
Recife vende-so vinho bom e har- ,<>
#|lo a 180 rs. a garrafa o a 1,280 rs. m
9 a caada. )S
# 4
Vendem-se alguns^escravos e escra-
vas mogos e sadios e que silo bem pren-
dados : na ra da Cadeia, n. 39.
i
Batatas do Rio-de-
Janeiro.
Vendem-se jacaes com batatas de 2 a 3 ar-
robas cada um a 1,280 rs. a arroba : no
caes da Allandega armazem do bacelar.
Marmelada nova.-'
chegada ltimamente do ftio-de-Ja/ne
vende-se por prego commodo: atrs Uo Cor-
I po-Sanlo, armazem de molhados.jT 6.
1 Vende-se, na ra da Praia, n*f24, urna
Fugio, no dia 26 do Ipcximo passado,
urna prelada Costa altaL. grossa do cor-
po; tem por costume fazer suas fgidas,
e quasi sempre anda pela ra da Guia, mas
agora desconfia-se que esleja guardada mui
perto da casa de seu sefilicr; porque, le-
vando ferro no pescogo afrrente com se-
po no p foi vista no di29 no mesmo es-
lado ; charoa-se Eva mis muda de nome.
e quasi sempre d o nome de Joseplia: quera
a pegBr leve-a ao Hospicio, n. 4, a Arsenio
Fortunato da Silva.
Fugio, no dia 20 de abril do crranle
anno, um molequecrioulo, de 18 annos,
do nome Joaquim do cor preta, rosto re-
dondo, olhos pequeos, ps mlos grandes;
tem as costas de cima at as nadegas todas
encaloiiibadas de chicote ; foi comprado
no dia 16 do mesmo mez a Antonio da Sil-
va Poreira l'ortuguez caixeiro, ou se-
cretario do Sr. Vicente Ferreira de Paula;
quando fugio foi preso em Capoeiras pelo
capitao de campo Manduca, onde confes-
sara que dito l'ortuguez o linha seduzido,
para que depois de o vender tornassea fugir
o procurasse sua companhia e lornandoi
fugir das mdos do capitflo de campo, adia-
se dentro da malta de S.-Uonedicto. Roga-
se a todas as autoridades policiaes e capi-
lies decampo, qnedeern todasasproviden-
cias que estiverem em seu alcance, a'm
de ser capturado dilo moleque, pois o abai-
xoassignado gratificar com com mil rs. 1
qualquer pessoa que o apprehender.
Jos da Fonteca Silva.
Fugio, no dia primeiro do correal*,
o crioulo llaymundo defl8 annos; leou
caigas de riscado usado /misa de inad-
pohlo chapeo de palha
decorpo regular, cor
nos, vista bafxa ,
nariz chato, bem
signal mais visive
de de um p m
escravo foi com
nhem Ua y i 1 i
pegar lew-o,g0
se^JwgJ^fecoinp.
I'a
m?os.
Fugio, do Arraial, o escravo de Anto-
jlo de Angola baixo oheio do corpo'
quando falla abaixa a cabeca; levou ca' "
deilgodSo azul urna sobre-casaca de ris-
cado J velha quem o pegar love-o 1 cas*
de Joflo Henriques da Silva ou ao dito lu-
gar, 110 sitio de Havmundo da Araujo Limi
quesera gratificado.
PK. : Ni TYP. DE M, i, DE FAMA. 1
filio; ha baixo,
olhos Roque-
do rosto altas,
ftdo no fallar; o
he o dedo gian-
^erto para fra. Este
o\vigario de Tracu-
ligalvesda Luz: quem o
^eo do Tergo n. 6 qu
usado. Julga-se estar p^
Res da Varzea, TracuoliBein ou V
pois lem uestes lugares pai e


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOM2I0ZJ6_MYRRQX INGEST_TIME 2013-04-13T03:25:15Z PACKAGE AA00011611_06239
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES