Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06236


This item is only available as the following downloads:


Full Text
)..
y\ uno X &. V
" Quinta-fcira S
FARTIDAS SOS COBRIZOS.
r,,nna eParahib;egundas cextaa-felras.
{.Orande-do-Norle, qulnlas-felras ao roco-
r.EbdaScri0haem. Rio-Formoso, Porto-Calvo
Maeci, no 1., a 11 c 21 de cada inez.
nrauliun c Honito, a 8 e 23.
Kl.iae Floree. a|3e 88.
Victoria, i quintas-feiras.
Olinda, todos os das.
I tr'"
lHEMDHIDIS.
rASs D lo. Chela a 4, s 1 li. c 32 ni. da m.
Mlog. a 11, s 11 h. e 13 ni.dam.
Nova a 18, s 3h.cl3m.da t.
Cresc.a25,s 2h.e3lim.da i.
PBEUUB DE BOJE.
l'rimrira ;is3 horas cS2 minutos da tarde.
Seguuda s 4 horas c 0 minutos da m.uili.
do Aposto (IcIS^O.
N. 160.
paEfOs da. soBscaiPC/Ao.
Por tres mezes (adiantodos) 4/000
Por seis mezes tyUOO
Porumanno 15/000
IIjl______I liliII ...............II "
das da semana.
30 Scg. S. Rufino. Aud. do J.dos orf.e dom.da l.v.
31 Tere. S. Ignacio de Loyolla. Aud. da chae ao
J. di 1. v. do clv. e do dos fcilos dn fazenda.
1 Ouart. S. Pedro ai vincula. Aud. do J.da2 v. civ.
2 0"lnt. N.S. dos Anjos. Aud. do J.dos or. o o
ni. da 1. v.
3 Scxt. S. I.ydio. Aud. do J. da 1. v. do civ. c
do dos folios da fazenda.
4 Sab. S. Domingos de Gusiuo. Aud. da Inane.
c do J. da 2. rara do criine
Don). N. S. das Nev*.__,____
CAMBIOS EM 1 DE AGOSTO. .
Sobre Londres. 25 d. por 1/000 rs. a 60 das.
Pars, 380.
. Lisboa, 115 Pf cento. ,. m0 .M-ioo
de 4/000........... r 2-,,0
Pn.l Pesos columnarios....... j/j^ ^
PARTE OFFICIAt
GOVERNO DA PROVINCIA.
Illm Sr. Tendo de se proceder eleicao de
tlellore no da 5 do corrente inez, julgo con-
siente recominendar a V. S. que se enten-
d com osjuliei de pai que leem de presidir a
din eleicao, para que de aecrdo com ellesie-
iim tomadas s medidas convenientes para ae-
ren desarmadas todas as pessoas que no refe-
rido da concorrerem s igrejas e transitaren
velas mas, prendendo-se osque forem encon-
irados Bin armas prohibidas. Outroslin, re-
coinniende V. S aos ditos juizes de paz que
lomem as medidas necessarias para reprimir
jnuellesque dentro do jeclnto destinado para
a eleicao levantcm o lirado defra rebelde
ou nuaesquer outros capaics de Intimidar ou
injuriar os votantes, e V. S. tomar a seme-
Ihante respeito as medidas que frem necessa-
riai para essa repressio fra do mencionado
recinto.
Dos guarde a V. S. Palacio dn governo de
Pernambiico, I.* de agosto de 1849.--Honorio
lUmil* Carneiro Ltilo.Sr. chefede polica.
Ordena Vine, ao cominandantc do brigue-es-
cuna Lrgalidalc que se apromple afim de se-
jlirtm eommissao para llha de Fernando at
* da 7 do crreme, devendo o respectivo
mnandante diiigir-sc a esta secretaria para
eber expediente que tem de levar para
irllailha.
Dos fuarde a Vine. Palacio do governo de
1'ei'ii.iinbnco, l. de agosto de lS49.--//nnori'o
lemelo Carneiro Leo.Sr. comiuandante da
corveta JJatsrp.
dante e ofiiciaes do mesmo batalho, que
nflo se pode autorisar semellianle despeza,
oumprindo queelles as reclamem na corte,
caso se julguem com direito a ellas.
Commautlo da pr. a.
Quarlel dn caminando da prnca na cidade do
ltecifa, 29 de julho de 1849.
OIWF.M DODIA. N. 5.
Face publico,par conbecimento da guar-
niese, que, por ofllcio do F.xm. Sr. presi-
dento da provincia, dirigiilo ao F.xm. Sr.
general coinmaiulanle das armas, em vir-
lu le do aviso Ja repartico da guerra de 9
do corrente, msndou se dar baixa de sorvico
por ter excedido o prazo marcado pura os
voluntarios ao cadete do segundo batalho
dn artilharia a p, a.ldido ao primeiro da
rpesma arma, Jos de Morses Comes Fer-
rcira.
Oulrosim que, por despacho do mesmo
Exm. Sr. presidente, de 2(i do corrente, e
que me foi boje apresentado, tem baixi do
servico o soldado do oitavo batalho d, ca-
ladores Antonio Josl.uiz.
Foi nomeado eommaiidante da fortaleza
do lirnm, om substituirlo iluSr. major Ser-
gio Tertuliano Castcllo-Branco (que volt
rommnndar o forte do Huraco) o Sr. le-
nente-coronel do eslado-maior da primeira
classe do excrcito Jos Mara Ildefonso Ja-
come da Vega Pessoa de Lacorda. Assig-
nado. Joti Vicente de .Imorim Becerra.
Qi'iirlel do commando du prnca da cidade do
neaft, 31 de julho de 18(9.
OUDEM ADDICI0NALAO0 DIA.N.-6.
O Illm. Sr. coronel commandanlc da pra-
ca ordena que os coraos, comp.uihias e con-
tingentes da guirnico passem amarilla
revista gcral de itMMtri em seus respeclivos
quarteis, pela forma seguinte s 6 horas
da nianlila o corpo lito do Cear, as fi e
mei companbiii da arlilices, as 7 quinto lia-
tallio do fuzileiros, as7e meia coinpanhia
de cavallaria, s 8 segundo batalho de cs-
cadores, e os conliiigcnles do primeiro e
segundo batalho de arlilliar, sttquar-
to hstalhSo de artilharia a p e o conlin-
gontedo primeiro bitalhilo dn oteadores.
O mesmo Illm. Sr. coronel coimnandaiile
da prae.i lom nesta dita iiomeaJo paravo-
gaesdoconcelho degueira da presidencia
do Sr. coionel Cluby aos Srs. majles Jos
Gabriel de Moraes Mayer e Jos Francisco
de Mello, cmsubsiiluicilodosSrs. loiienle-
coronel Jos Mara Ildefonso Jaconte da
Veiga l'cssoa e major Manocl Lopes l'cce-
Oulrosim, manda declarar o mesmo Illm.
Sr. comniandanle que o segundo lenle
do primeiro balalhflo de arlilliana a p Mi-
guel alaria de \oronha FeUl segu para a
cile com o sexio bitalhao do cagadores,
por ordem do Exm. Sr. presidente da pro-
VIIIOI fl
Francisco Carlos Boeno Ikschampt,
Primeiro teneole s ordem.
EXPEDIENTF. DO DU 3l DF. JULHO.
Circular ios presidentes das provincias
do sul.-Toda ost provincia se ada Iran-
nuilla, excepto das mallas r limi-
tam pelo sul.onde Pedro Ivo Velloso da Sll-
veira e o amnistiado Caetano Alvw teem er-
Irelido algum agitarlo reunindo em armas
difTerenUs habitantes das maltas e de nl-
guns engenhos.que se surpOemcliegarcm a
rohomeos, e que, posto n.lo atnquem as
fress do governo, conservam-se em posi-
ees de deles. He provavel que taes reu-
nOessedisspem por si mesmo, desde que
ge pantenleie a falsidade dos motivos que
entr!ecm a agilaquo entre os habitantes d. maltisi
Por ordem do meu antecessor foi oceu-
pado o engenbo du Verde por urna forca de
durent homens deseados do oitavu ba-
lallioque se ochava/estacionado na Agoa-
Preta. /
Este engenho pertence ao sr-'*o do capi-
luo Pedro lvo Velloso da joi^f/'l. e a foro*
queooccupou se destinx.'o",,prender ou
desalojar delle o dito eapi.ao quo ahi se
ochava. Este desesperado, querendo inle-
ressar a muilos em sua causa especial, fez
correr o boato de que a dita frga se desli-
nava nilo s a prendor bo amnistiado Cae-
tino Alves, mas tsmLam a todos os habitan-
tes das maltas que se linham pronunciado
pela revolla, felizmente terminada.
Esses falsos boatos deram causa s reu-
niOes qee menciooei, e as eommunicacfies
das frgas eslacionadas no Verde com as de
Agoi- l'ieta (icaram interrompidas.
Sabidas estas oceurrencias na villa do
Bonito, foi inmediatamente; soccorrido o
destacamento do Verde com um reforco do
terceiro balalliSo de artilharia, que o habi-
lita a repellir quslquer ataquo. Desta cida-
de Di marchar o primeiro batalho de ca-
cadores e pos o commandanle das armas
que vaihaliililado com as iiislrucgOes ne- ^V"Hatoi"'Leio" SouzaTRebello, Luna Fre
cessarias.ou pura pacificar os habitantes das ro e 0 nr_ az de direito Pereira Mmiieiro. fr.l-
mitUs, e desinteressa-los da causa de Pe- (ando com cansa Sr. desembargador Pon-
dro IVo, ou para rombal-los se persislirem ce, o Sr. presidente declara aberta a sessao.
em conservar altitude ameac,adra. julomintos.
l.mcio -Ao inspector da, thesaurara da |/ fuzend, autonsando-o a satisfazer o pedido "" 0 d1 sSj|w?-Fol denegado,
da pagadoiia militar, cuja importancia he, |liU) .>i(|opor Oenuino Celestino da Cruz,
tle tres contos de lis, visto quo elle nao ^ _Foi conccdldo para o dia G de agosto,
excede o crdito (Ixailo.
Dito.Ao mesino.transiniltindo o aviso de
urna letra da quintil de 2.(00,000 ris, sa-
cada pela thesouraria da fazenda do llio-
outros; appellada, D. Mara AnnaJolquina
da Silva. m>
Appellantcs, Gabriel Germano de Aguisr Mon-
t.irroyose outros ; npprllados, M a noel Fran-
cisco Diniz e outros.
Appellante, Pedro da t'onha Freir ; appella-
do. Alexandie Jos Ferrelra.
Appellante, Antonio Lopes Pereira de Mello ;
nppelladn, Antonio Joaquim de Almeida
Guedei Alcanforado.
Passaram do Sr. desembargadoi Villares ar
Sr. desembargador Hastos as appellaces ci-
veis em que sao:
Appellantcs, os administradores do patrimo-
nio dos orplios ; appellado, o Kxm. hispo
de M.n i mu i.
Appellante. Agostinho Fcmandes Catando de
Vasconcellos ; appellado, Joao Fiederico de
Abreu llego.
Appellaute, o coronel Joaquim Cavalcante de
Albuquerque; appellados, D. Anibro/ia de
Hrilo Itezerra e outros.
Appellante, D. Anua Joaquina do Nascimento;
ippellado, Diniz Antonio de Moraes Silva.
Appellante, Joaquim Jos do Nascimento ; ap-
pellado, Fillppe I ucas da Cunha lama.
Appellante, Francisco le Salles de Moraes Al-
ves appellado, Antonio Francisco Pereira.
A appellacao criine em que sao :
Appellante, o promotor publico ; appellados,
Srlia-ii.'n> Pereira da Silva e Antonio Alves
da Silva.
Passaram do Sr. desembargador Pasto ao
Sr. desenibargaiior Leao as apprllacci elveis
cm que sao :
Appellante, Joao Porfirio da Motta ; appella-
do, Manoel Antonio dos Sanios.
Appellante, Joiio Ksperanle ; appellado. Uc-
zeiido Alves da Silva.
Appellante. Francisco Alves de Medeiros ; ap-
pellado, Andr barbosa de Miranda c S.i.
Appellante, Joaquim Amonio dos Sanios An-
drade ; appellado, Antoulo llotelho Piulo de
Mesquila.
Appellante, o reverendo gimdiao .lo conven-
to de S.-Anlonio do Kccife ; appellada, a fa-
zenda publica.
Passaram do Sr. desembargador boma ao
Sr. desembargador Rebello as appellacoei el-
veis em f|iic sao:
Appellante, Jacinlho Moreira Sevenanno da
Cunha ; appellado, Joiio de llarrus llego Ac
Appellante, o pelo Antonio pnr sua filha Ma-
ri; appellado, Ignacio Joaquim Accioll
Waiidcilcy.
Appellante, Manoel Ellas de Moma appella-
do. Joo Pinto de Lemos.
Appellante, a parda Sibaslianna com assisten-
cia do l)r. curador-geral ; appellado, Fran-
liai "...... da ennecien.
Appellante, r'ranr srn Das l.irclri; appclla-
do, Juo Paulo dos Sanios.
O recurso civel em que ISO :
Recrreme. Lima /.rliiina Hosa de Lima | re-
corrido, Isaac Amsalat.
Passaram do Sr. desembargador Rebello ao
Sr. desembargador Luna Freir as appellaco. s
eiveis em que sao :
Appellante!, Antonio Alves Ferrelra c sua mu-
Iher ; appellado. Jos Joaquim llo/.erra Ca- J,e pr(,c,.r( a referida reparli(;o
TRIBUNAL DA HELACAO'.
SESSAO' EM 31 DE JULHO DE 19.
PHRSIDRNCU DO EXM. SRNIIOR
CONCRLIIEIBO A7.RVRDO.
A's dez horas da m.inha, arhando-se pre-
sentes os Srs. desemhargadores Ramos, VII-
AppMactt crimei
Appellante, o Julio ; appellados, Jos C
tino c outros Jnlgoii-se improcedente.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos M#rtin<
da Silva.Julgou-se procedente.
Appellante, o joiio ; appellado, Manoel Fran
cisco DiasJulgou se improcedente.
Graiid-dO-Norle sobre essa e a favor de
Joiio Evangelista de Vasconcellos Lima.
Particlpou-se ao presidente daquelln pro-
vincia.
Dito.Ao juiz dos feitos da fazenJa,
transmillindo urna carta precatoria de de- Appr||ante, Antonio Francisc
ligencia Ciycl, passada a favor do^thesotiro concellos ; appellado, Joao
Outro do contador desta cmara, partici-
pando ler duvidado remrtter ao prociirndor
doze termos de achnda do fiscal da freguo-
zia de San-Jos com a multa de 30,000 rs
rd um, todos por inftacco do artigo 17
titulo 7 das posturas em vigor, por Iho pare-
cer que o artigo II capitulo 2." da le do
nrQamento municipal vigente, que restrin-
ge 4,000 r-.. o mximo da mulla pela in-
fracco indicada, se opp.^ a ilisposicfo d-
quelle outro das posturas, e que, no caso de
assimtamhem o entender acamara, orde-
nasso ao fiscal a reforma dedilos termos
Mamlou-se reformar os termos na raso
de(,000 rs. de mulla.
Outro dn copleador, informando sobre a
obra que se est lazendo dent da rihera
da freguezia do San-Jos. Que se reinel-
tessae a informnco por copia ao respecti-
vo fiscal para fazer guardar na dita obra as
providencias lembradas pelo cordeador.
Outro do mesmo cordeador, requililando
(00 iinpressos semelhantes ao que juilava
para nelles passir s cordencocs, segundo o
costme. Que o procurador salisli/.esse.
Outro dovereador Jos Joaquim deOll-
vera, participando nllo poder comparecer
nssflo de boje. Inteiraila.
Ontrodo fiscal de San-Jos, participando
ler feito corrida de porcos no dia 19 do cor-
rente, n entregue osen liquido producto
(8,000 rs.; ao tbesoureiro do hospital dos
lazaros.
Outro do fiscal do Poco, parlicipando a-
rbarem-so s estradas daquella freguezia
carecidas de concertos, especialmente os lo-
sares fronteiros casa do l'iiibeiro, estrada
ila Casa-Forte, ra do mesmo nonm, e o la-
meirUo do Uonleiro; ehem assim que a
punle do Monleiro, ja bstanle velha o ar-
ruina, precisa tambem de concert. Que
se mandasse fazer os colicortos reclamados
para oscaminhos. c quo o engenliciro cor-
deador organisasse dous orcamcnlosda des
peza que podra fazer dita ponte, um con-
siderando a obra de pedia e cal e outro de
madeira.
Entrando em discusso o parecer seguin-
te da commisso de ediflcicflo, ficoii preJU-
dirada, por ser substituido pelo requeii-
mento, abaixo delle transcripto, do verca
dor Carneiro Monleiro.
A commisso doedifieico, aquemf-
ram presentes o orcamento da deipcza com
0 calcimunlo dealgiimasruiisilisla cidade,
seus planos, porfa, etc., entendondo que o
governo (leve de ser consultado sobre essa
obra, visto como di ve ella de liear em har-
mona com qiiRPSqucr obras publicas a car-
go da respectiva repartiofio, entenao que
1 rinieiramenlc i-e deve de sulimetter i con-
siderado do Exm. Sr. presidente, afim de
quo este d a sua approvuco, omindo, se
valcante c sua lunlher.
Appellante, Francisca Joaquina da ConccicSo ;
appellado, Pedro Jos Pereira dos Santos Al-
varenga. .
I'.-mu do Sr. desembargador Luna Freir
ao Sr. descinliargador Ramos a appcllaco ci-
vel em que sao :
Appellantes, os administradores e lierdeirns
da casa do finado Joo Mara Seve ; appella-
do, Ellas Coelho Cintra.
As appellaces crimes em que sao :
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Lou-
renco Mai un-
Appellante, ojuio; appellado, Francisco Jo-
s do Nascimento.
JJi Ao Sr. desembargador Rebello o recurso cri-
ine do juizo de direito desta cidade em que
Recrreme, o bacliarel Vicente Pereira do Re-
to ; recorrido o julio.
A appellacao civel do juizo municipal do l>e-
nedo eni que sao :
Appellante, Manoel Antonio (orne Riliciro ;
appellado, Jos Ignacio de Barros Leitc.
Ao Sr. desembargador Luna Freir o recur-
so criine cm que sao I
Recrreme, o bacliarel Vicente Pereira do Re-
g ; recorrido, o juizo.
Ao Sr. desembargador Ramos o aggravo do
Frt. com efeito, par lastimur que, nes-
se di, semelhante grito cchnasso as igre-
jas n.atrizcs desta eapilal e Pr0Tinc','|""
lando testa dos negocios pblicos del a o
estadista eminentemente constitucin!, e
quemis se tem esforcado, querna triu-
iin.qiir iiosconcelhosda cor, por enca-
minhar as consas dn modo que em nad se-
ia sopbysmado o systema monarcluco-cons-
titucionalj fon. em verdade, para la-
mentar que algiins homens menos pensa-
dores, e dominados por paiXuM ruina, len-
lassem desta arle assemclhar as eleicOea de
1810 s de 181. 18(5 e IRI*; sohre"
modo censuravel que, inadvertidamente e
cedendoaos impetos do momento, os quo
so proclmm govornists dcsenvolvessem
ti> reprebensivel procedimento, e rorcas-
se.n o mesmo governo, do cujas doutrina
so ostentara sectarios, a fazer infigir-lhes
as penas de que se tornam dignos os turbu-
lentos, aquelles que introduzem a des-
or.lem em todaa as parles onde porventura
apparecem, sem attenco santidade do lu-
gar ; que o acaso ou o rroposil_o_ os^contlu-
zio, setn consideraQo
a gravidade do
rava-
Appellafes civeil.
co Xavier de Vas-
Manoel Dias.
Desprczaram os embargos do appellante.
Anpellantes, os administradores da casa do fal-
lido Francisco Jos da Cosa ; appellado,
Joo Vieira da Cunha Despiezaran! os em-
bargos dos appellantes.
Annellante, Jos Antonio Gomes Jnior; ap-
pellado. o juizo dos residuos.-Foi a senlen-
ca confirmada.
DMi'onofes.
da provincia do Para no juizo dos feitos
respectivo, afim de ser citado"tiesta o cadete
JoSo Florencio dos Sanios.Communicou-
seao presidente da referida piovincia.
Dito. Ao inspector da pagadori militar,
determinando que remelta'para a pagadoria
das tropas da corle todos', os documentos
quo possam habiiiU-la a ajustarcom o quar-
tel-meslr do sexto batalho de caladores,
l.uiz Jcronymo Ignacio dos Santos, que ser-
vio de agente daquella repartido em Itio-
Formoso, as conlas relativas semelhante Appe.
scentilicando-o do ler o Exm. presidente .'^"(e Aloandre Ferrelra dos Sanios Ca-
da provincia da Parahiba expedido as coit^.'Pf|ina 'appellado, Joo Francisco Pegado.
i venientes ordens a thesouraria tespetfva
' para ser arsenal a cargo de Su-c. indemnisa-
do da i'iipurtancia dos objeclos ahi promp- uiweira muu-.-
tfic.d0SPp.r. USO da Caanla do porto da- Appe.anl;..Antonio D^fo ^Al..l. P.^
quella provincia.lt excepeflo da peca de son- a,X appf' i
- lareza com o peso de tres arrobas o sele li- "' fu B", .... nuc sao :
bras. qu.l passava a devolver por nao ,,o- A .prllacao crine e m quesao
dr Mr applicacflo ao mister para que foi Appellantes, Joao Manoe alende e Evaristo
pedida, visto que a drica deve ser araeolo MeJides ; appellado. o juizo.
dea5librsdepeso. | \ Rieiei.
' Dito. ~ Ao agento da companbia das bar- Vm do Sr. desembargador Ramo ao
cas de vapor, declarando que ser.lo pagas Sr*jSjLlDalgador Villares as appelUcde c-
as passagen9 das mullieres casadas com sol- : ..fl-ue sao :
dados do sext- batalhfio decaadores,eque Apf,',.",*; Josefa F.piphaua da Fonseca ; ap-
teem de seguir para a corte no vapor Impe- peiiadS *a"<"' da ,1,'SR?r?'fn,1(ho e
, '*~ n.into as comedorias do c/nman-, APpeiian*i pra"ac da Fon,ec* Coul1
juizo do civel desta cidade em que sao :
Aggravante, Jos Franeisco Hrauco ; aggr.
do, Francisco Carneiro da Silva.
Ao Sr. desembargador Leo a appellaro ci-
vel desta cidade em que so :
Anpellanle, Florencio Jos Carneiro Monlei-
ro; appellado, Manoel Caetauo Soares Car-
neiro Monleiro.
Ao Sr. desembargador Souza a appcllac.ao
civel do juizo municipal de Iguarass cm que
Appellante, Luii Sevenno Marques llacalho;
appellado, Amonio Jos Marques llacalho
por seu curador.
I.cvantou-sc a sesso s 2 horas.
Foi assignado o 1. da til para seren jul-
gadas as appellaces elveis em que l0 :
Appellamc. Jos Carlos Tei.eira ; appellado,
Appellantes, o padreSebasllao Antonio de Me-
'nrzes e outros ; appellado, l.uiz Ignacio de
OliA-eira Maciel.
Sala das scssiies da cmara municipal do
Rerife, em 1* de julho de 181. Os verea-
dores. Barata. franca.*
Requeiro que esta cmara peQi ao en-
genhelro Jos Mamede Alves Ferreira que
verifique se a planta tirada pura o cala-
mento do pateo do Carino se ocha c infor-
me. ~ Carneiro Monleiro.
A cmara,depois de ouvir o seu advogado,
conceden Ires mezes de I i cenca Com orde-
nado no ajudaitle do porleiro Jos Clemente
dos Santos Siqueira, para tratar de sua sau-
de no serlo.
Dcspacharam-so ns petQoes de Claudio
Duboux.do Jos Clemente dos SanlosSiquei-
ra, de loanna Baplisla Pereira Prente, li-
jse Leonardo, do padie Joaquim Pereira
Freir, de JoSo da Cosa Dourado, dejse
Joaquim Das Fernandes, de Manuel Fran-
cisco Rodrigues, de Mesquila Dutra, e levan-
tou-se a sesso.
Declaro em lempo que, a enmara ilelilic-
rou que o procurador contraa um srvenle
para fazer os trabalhos materiaes da casa
desusa sessoes, conduzir ollcios e outros
qiiacsi|ucr trabalhos que possam occorrer,
mediante a iode.nnisaco de 500 ris dia-
rios, sb pivia approvac.no da cmara.
Declarou mais que se autorisasso ao dito
procurador a mandar deitar chaves novas
na urna quo coiitm os nomes dosoidldOOS
qualilicados jurados. Eu, Jodo Jos ferrei-
ra de Aguiar, secretario, asubscrevi. Uli-
veira, presidente. Barros. Barata.
franca. Carneiro Monleiro.
acto que nssistom. Quemquer que assim
se porlaase ; quem quer que por tal lor-
maseerrojassea viciar urna das mus im-
portanJes solemnidades polticas A que se
procede por virltnle dasliberaes insUOlCOM
que nosregem, lornar-se-hia nvligno rio
militar sb as bandeiras do partido co-
tucianal, Incorreria na desgrac de sor dello
expcllido como incapaz do concorrer para
o grande fim a quo se dirigem as altas ca-
pacidades que o eommandam em chce.
So alguin opposicionista, querendo'dar
m copia de si, c dcsicredilir o lado a quo
pertonce.preteoder turbara eleicHo, no se
corrija um erro com nutro erro, no so res-
ponda a urna provocarlo com otitra provo-
cacilo, nem tflo pouco se pgue um insulto
com outro insulto : baja f as inslituicoes.
Conhrccdor.-s do seus direilos o devores,
os Srs presidentos das mesas parochiaes ho
de saber contor a ordem, c no caso de ne-
eessidado requisitaro a quom competir
lorqa de que precisarem para tazerom cum-
prir a sitas deeises.
FJ, demais, quo significago podera ler
c-sa odiosa e afllictiva denominacilo dore-
fteWa em occasiSo cm qii'< todos so acham
exercendo um direilo permito o muitissi-
mo legitimo? Ruino nllo so tratara de re-
helliSo, ou n5o rebelli9ot tuto se limitara
a escjlhr aquelles que de.vem de nomear
os cidados quo na legislatura prxima Tu-
tura bo do representar a l'ornambuco na
cmara qoatrienujri e se, como he ver-
dade.as idei.is de ordem e verdadeira liber-
dade, o espirito conservador, o amor a mo-
na rebia constitucional, esto incarnados na
maio/ia dos habitantes desla bella provin-
cia,
11
U
BiARHiimPiiSiMiirai..
BEC1FE, 1 BE AGOSTO XW 18*9.
CAHAHA MUNICIPAL DO RliCIFE.
SBSSAO cXTnAOBOINABU EM 23 UE JULHO DE
1849.
Presidencia do Sr. Oliveira.
Presentes os Srs. barras, Carneiro Mon-
leiro, Franca e l)r. Moraes, abrio-se a ses-
so, e foi lid e approvada a acta da an-
tecedente.
O secretario fez menc.lo do seguinte ex-
pediente :
Um olTicio do Exm. presidente da provincia,
remetiendo um ezemplardo aviso da secreta-
ria do estado dos negocios do imperio de 28^le
iunho ultimo, dando instruece para execu-
cao da Ici regulainenlar das eleleOc.Que se
aecusasse a recepcao e le reinetleiscm copias
do inc-ipo aviso aos presidente das juntas
qiialiucadora.
Outro do juiz de paz Agostinho Bezerra da
Silva Cavalcante, communicaedo ter cessado
o seu impedimento, c baver entrado em func-
cus, Inleirada.
O governo quer que a liberdade de voto
scjareligiosamenlegttiantida, e est rcsol-
vido a empregar todas as medidas legses
que possam concorrer para quo esso direi-
lo sagrado, qin a constituiqo do paiz con-
fereaoscidauos brasileiros, seja oxercido
por todos cujos nomes se acharem inscrip-
tos as listas pelas quacs os presidentes das
mesas parochiaes liouverem de fazer a cha-
mada no dia 5 do corrente, e nos que se
Ihe seguirem. .
Isto posto, corre-nos rigorosa obrigacao
advertir a todos os governislas, a lo-
s aquelles quo desejam dar provas de sin-
cera adbeso poltica dominante, que
no lera comprehendido tal poltica, que
contrariar as vistas do, aqui a representa o dirige, o mesmo se
subjeitar a sdr punido1 como perturbador
de um acto to solemne como esseque deve
de verificar-sino citado dia 5, ludo aquelle
que, pelo gr' j (ora rebelde -. pretender
alfastar dasAirnas cleiloraes a quaesquci^de
seus irmiUM que deltas se approxtmar, con-
vidado pft* autoridide competente.
*ri.. -
,, seaquasi tolalidado dos Pernambuca-
nos e dos domis Rrasiloiros que aqui do-
mnram est sb o dominio do tao salutares
principios, elles triumpliaro sbreos ou-
Iros, sem quo soja necessario recorrer-se a
um Blvilre tao torpe, e que a nada menos
ton lera do quo a marear, acnxovalhar urna
victo'a qun podo ser alcancada snmamini-
ma offensa da moralidade que deve carac-
terisar todas as ac<;0es daquelles que aspi-
ra ni a.-tar-se as lileiras governislas, OU
desejam ser ahi conservados.
eprimam-se as animosidades, respei-
le-se o direito de tolos, observe-se res-
trictamense a loi, e o iriumpho sera glorio-
so visto que no vira por vias deshonrosas,
e 'que jamis merecero a approvac3o da
gente sensata
Nada de improperios, nada do apupos :
mo le aco c bonestidade : sirva esta olei-
CO du modelo a todas a que anda so hou-
ver de proceder.
He esta volitado do governo : he este o
censo ment dos seus mais fiis ulliados.
Acabamos de ler varios nmeros das gaze-
tis francezas trazidss pela barca yun-
Neully, entrada bonlcm em nosso porto, os
quses. posto quo nlcancem smente a 19 de
iunho. todava habiliUm-nos a accrescentar
mais alguma cousa s noticias que no pre-
cedente numero publicamos.
Em l'atis, depois que foi supprimda a
ultima insurreico, varios guardas nacio-
naes e soldados reunidos commetteram ai-
uunsexcessos O direito de propnedade
uo foi por clles respeitado, pois invadi-
ram edistruiram diversas typogrsphias em
que se imprimiam tolhas socialistas. Km
timadellas o estrago feito foi avahado em
200,000 francos. ,
A Inglaterra licou tranquilla. O tribunal
criminal central havia concluido o ulga-
mento do desgracado llamilton, o individuo
nuc iu ha muilo disparara urna pistola
sobre a rsinha laquclle pai. A sentenga
contra elle proferida he do leor seguinte :
. O reo atirou sobro a rainha com urna
pistola carregnda de plvora secca para o
um de sssusU-la. No se pode suppr que
ouizesse olTen-la. A arma de qtio se ser-
vio no lena podido fcilmente len-la, o
demaisa maneira pela qual a pistola eslava
carreada, bem como oestrondo da deto-
nac'do lugar a pensar quo mo eslava
catregadii com bala.
o reo tambem no tem cmplices: esto
facto esta provado. Filie nflo foi movido
senflo pelo desejo de fazer com que se fai-
lasse por algum lempo de si, sem querer le-
nr a rainha. He bom, portento, que elle e
todos quantos quizerem imita lo, privando
assim S. M. da liberdade de ic$i1o, e o povo
do nrazer de ver sua sobonna, he bom que
saibam que esta notoriedade he de pouca
'duraco e ntlrahe sobre o culpado nlo s-
mente grandes soffiimenlos, senflo tam-
bem a degradaQao. A senlenca que damos
mi itii Anr.



actsrt.;
contra o reo, e que dover servir de ligfio
para outros, ho esta : o reo ser* trans-
portado para alem dos mares.
William Hamilton ouvio esta sentenga
com plena indifTerenga.
O governo hespanhl publicou ultima-
mento nm decreto concedumlo amnista
'limpela, geral c sem cxcepgo para todos
o delictos polticos anteriores publicagfio
do mesmo.
Para qualquer gozar do beneficio desta
amnista, liaste apresetuar-se dentro de um
mez s autoridades compelentis, e prestar
juramentle fidelidade rainha Izabel.
Km Turto liouve recentemcnlo alguns
disturbios. Km conscquoncla do Icr una
gazeta daquella cidade, a Concordia, an-
nunciado varias vantagens alcanzadas pelos
Romanos sobre seus nimgos, ajuntamen-
los tumultuosos percorreram a ra do P o
praga do Castello, gritando Viva liorna!
viva a rtpubli a romana viva Giiribatdi!
mas os canibinciros e lanceiros, carregando
sobre clles, obrigaram-nos a dispersa-
re n^se.
Veneza anda no se tinlia submettdo
aos Austracos.
A deputagfio que, segundo j noticiamos,
dcpois da tomada de Malge se dirigir
aocavalleiro de Bruck, teve com elle urna
conferencia, na qual declarou que a cidade
consenta em submHter-se-com tanto que
osse tratada como Trieste e formasse una
provincia separada do resto da Italia, com
um territorio suflcientemente extenso, mas
O ministro austraco nfio quiz consentir
nestas enndigoes,
A cidade do Ancona nos esta los romanos
iambem anda se nfio tinha rendido aos Aus-
tracos, nlo obstante o rigoroso bombardea-
mento que lem soll'rido.
Temi a assembla eonslituinte germni-
ca reunida em Stutlgard demttido o poder
central, e nomeado urna regencia de cinco
membros para exercer o poder eiecutivo,
liem como j noticiamos, o governo d
Wurtemberg protestou nfio smenle contra
ademiasOo do poder cendal, sendo Um-
bem contra a iiisliluigfio da regencia. Elle
declarou alem disso que nilo concede a esta
regencia o direilo de dispr, sem o seu con-
centimento, nem das tiopas, nem dos di-
nheirbs de Wurtemberg.
Os regentes nomeados pela assembla
constituale acham-se em una sftuacfio
penivel. Kilos nilo podeo apparecer em
publico que nfioscjam perseguiJos porde-
monstracOes hostis.
Ao passoque stotem lugar cinStutlgard;
o poJor central provisorio de l-rankorl deu
ordens para que elles fossem presos.
No da 13 dejunlio o prmeiro ministro
ocavalheiro Itoemer dirigi una carta clli-
cial aos membros da regencia provisoria,
declarando-llie que o nleresse do Wurtem-
berg exiga que dexassem o paiz e fos-
sem estabelecer-se em oulra parle, e que
elle portanlo icdia-llies que asMn o fizes-
sem. A regencia respoudeu-lbe que nilo
podia tomar em consideraclo o pedido que
lile fazia, eque ella permaneceiiaem Stut-
lgard einquanto a assembla nacional ah
tivi sse a sua sede.
acompanha tambem desta vez. O cholera e
o typho fazem nelle grandes estragos.
Das gazetas portuguozas. trazidas pela
barca Flor-da-Maia, a qual procedente do
Porto entrara bontem a barra desta cidade,
consta que Portugal lcra tranquillo, mas
(iie o ministerio Saldanlia (avia dado a sua
cmissio, o 011 tro fra organisado em seu
lugar da maneira seguinte:
Prcsideuto do concolbo o ministro do rei-
no, conde de Thomar ; ministro deeslran-
geiros, coiio do Toja I; ministro da justi-
ga, Fclix Pereira de Magalhies; ministro
da hienda, Antonio Jos do Avila; minis-
tro da guerra, Guilhcrme Adriano Mauricio
Kerreri; e ministro da marinha, viseondode
Caslclhes.
O ex-rei de Sardenha, Carlos Alberto, nilo
era fallecido, como hoje annuncimos, ro-
feriudo-nos a gazetas franeczas. S. M. ti-
nha estado com effeito gravemenlo enfer-
mo, mas felizmente sua sade tinha muito
melliorado.
Com mu ni culo.
!No da |4 de junho a asaenbl blicou uina prorlamaco ao povo em rcposla
a mitra do archiduque loto. Esta proclamaciio
coniein a seguinte passagem :
Aj aincacasdcssc arcliiduque Joto no p-
dfin assustar-vos, porquanto nao se apolam
rni iieiiluima baso legal. Vos as desprrtareia,
liem como o li.....pin corajoso desprezu as
auioacaa de sru inimigo. Vos reprlllreis pola
forca a quem <|ucr cine ousar penetrar rin vos-
im territorio com inteiicdes hostis, sobretodo
resistiris qUellei que, sob a mascara da li-
lierdade e da ordem, nao teem cm vista senao
inlrrcsses de principes.
Os plenipotenciarios dos estados ge%ia-
nicos, que reconbeceram a consttuigfio de
Frankfort, pediram ao ministerio do impe-
rio explicacOes sobre suas intoncOes a ros-
peito da allianca da Prussia, Saxonia e Ila-
nnvre, assim como a respeilo da trasllda-
(fodaassembla nacional para Stutlgard.
(I ministerio responden que o poder ge-
ral he completamente cslranho n nova alu-
enga dos tres reinos cima mencionados;
que, para se resolver, precisa eonliecer prj-
melro qu la.allilude dose.-tadosallemfies,
pois que a adhesfiO (lestes estados, deven-
do conduzr urna situaefio definitiva, po-
ria termo s funeges do poder central, o
qual de sua natureza he provisorio; e que
quanto trasladagfio da assembla nacio-
nal para Stultgard, o poder central a decla-
ra no fundada em direito, por isso que es-
t em opposigfio com as rcsolucfles anterio-
res por ella tomadas, as quaes lixim a sua
sede em l''rankfort.
No ducado de llesse reina grande agi-
tacftu. Segundo urna folha de Frankfort,
as seguinles nsoluges fram adoptadas cm
urna assembla de debutados dasassocia
gOcs democrticas de Uffeiibach :
Declarar ao gr.lo-duque que o governo
de llesse perder a confanos do povo, o
qual sympathisa com Haden e o Palalinado.
Declarar traidor ao estado todo aquclle
que reconheccr a constituirlo organisada
pela Prussia, Saxonia e llanovre.
a Submeller a accusagfio o ministerio
Jaup, etc.
O governo de Mecklcmburg adbcrio
conslituigfio das tres potencias sb a reser-
va de ser aceita pelas cmaras do paiz.
Conforme aiinuncinni as folhas rhenanas,
ominislerio prussiano todo inteiro deu a
sua den isso. A redacgfio da le de elei-
ees fui a causa desta retirada. O Cunda
d'Arniiu fui encarregado da forraago do
novo gabinete.
A Ctrrespondenra Gtralpublica a seguin-
te carta que llie foi enviada das fiflnteiras
da Polonia :
As prisOes do Varsovia conlem, ha j al-
gum lempo, mais Russos que Polacos. Um
grande numero do ollleiaes russos acham-
se retidos presos na fortaleza desta cidade.
O lim da conspiragio que foi dcscoberla era
como em 1825 a fundaglo .le urna repbli-
ca federativa slava. Centenas de ollleiaes,
presos, e urna commissS'o especial dirige
as inyestigages que so estilo fazendo. Um
grande numero de individuos pertcncejites
ao exercilo russo em operagOes na Hungra
teem sido transportados de la para Varso-
via, donde serflo logo enviados para a Sitie-
ra e para as minas do Oural. Os soldados
ru.-sos entrar na Hungra com vivo descon-
tentamento, e muitos se passarSo para os
Magyares, sobreludo se he verdade quo seus
cheles prometieran! tres rublos deprata a
cada soldado que isto lzer. A doonca.com-
paneira insoparavel do esercilo russo, o
O MANIFEST DK GlF.RItA CONTRA O EXM.
SR. C0NCEI.HF.1R0 HONORIO IIERJIK-
TO carneiroleAo.
No ha duvida; os homens da facg;To
anarebica quo desenrolou o estandarte da
rebellilo em novembro p. p., j nio pJcm
soffrer os dttpotinnn$ do Exm. Sr. Honorio
llermto Carneiro L"ilo, o ei-los que, per-
dendo as mais bellas esperancas, e arrepen-
didos do lanas decepcSet, declaram-lhe
guerra por urna maneira bem terminante :
pois que de nvolla com o manifest veern
ogoas hostilidades.
O l> he bem explcito a ene respeito, o nilo dei-
xa duvida deque a opiiosigo nilo se con-
tenta eom justiga c tolerancia, e quo ainda
mesmo r convicta de conspiradora contra
a ordem publica, contra o governo, contra
o tlirono, contra as inslitingoes do paiz em
sumrna, julga-se com direilo ile governar,
e impor conseguinteincnte todas as suas
veleidades.
K que oulra rasflo tem a faego para ag-
gredir ao Exm. Sr. prndente da maneira
por qu o faz o Diario-Novo; qua ndo S. Kxc.
al boje nfio tem prateado umsacto que
nilo seja dictado pelo espirito dojustig c
tolerancia; um s acto que possa merecer
sequr a mnima censura i' Quandc S. Kxc.
se tem portado da maneira que os o'gilos
da faccBo mesma teem interpretado muitos
deseos actos como verdadeiras hostilida-
des ao partido constitucional, eos ha to-
mado como pn texto para assoalbarem des-
intelligeneia entre S Exc o algumis influ-
encias desse par ido ?
Em verdade soquen) nfio (verobservado
a marcha administrativa do Exm. Sr. con-
celheiro Honorio llermto Carneiro l.eilo
rmder ignorar quo o nico crime que S.
Kxc. tem para com a fargiio, he nfio ter se-
guido as suas inspiragOes, lie olio ter acei-
tado as suas imposigOes. be conli'ular-sc
do trata-la com tolerancia, he fazer-lhe
justiga Era mister que S. Kxc. nfio se li-
mitarse apenas a esses actos que pelo Dia-
rio-Novo mesmo siio apoutaJos Como actos
de crmsumma !a justiga, c que elle mesmo
confessa queflzeram a faceflo cooceber as
mais lisongeras esperanzas ; era mister
que S Kxc. se pozesse merc da facgfio,
que llie obedeeesse asrdeos, quelhese-
cundasse os planos, que Ibo garanlisse a
turbulencia, para evitar essi guerra queja
sofferam os Kxms. Sis. Penna o Tosta, e
que soffrerno todos que nfio se constiluireni
um ver.tadeiro instrumento da faccilo, urna
machina, por assim dzer, de assi'gnar lo-
dos es firman* decretados em seus clubs.
Assim que o manifest do guerra ao Exm.
Sr. concelheiro Honorio llermto nfio nos
causou a mnima sorpreza ; porque certos
de que S. Kxc, delegado do gabinete de 29
de si-t 'ti bro, o tilo cmihecidu no paiz por
suas opinlOes polticas, todas de ordem, de
estabilidade das instltugOes juradas, ndo
poda lransviar-se da senda que ha sentare
seguido para favorecer poltica dos hroes
da eonslituinte, revolucionarios impeniten-
tes, que no contentes de naverem ja en-
annguenlado o solo patrio, ainda continuam
a excitara tempestado revolucionaria, pre-
vimos logo que S. Ene, ou mais cedo, ou
mais larde, tvria de ser aggredido pela fac-
gtlo, por maior quefosse a tolerancia e jus-
tiga quo purvenlura revelasse em seus
aclos.
K no nos engaamos, e S. Kxc. j est
sendo victima da mais injusta o violenta
guerra, e a facgfio j se acensa desuafaci-
lidade em crer nas linas inlcngOes do S. Kxc
Mas, vejamos para maior (nova, quaes os
faflos que dflo lugar virulenta accusagilo
do Diario-Novo; e convencer-nos-hemos
que em ultimo resultado ludo so resume
na eleicfio, e todo o crime doS. Kxc. he nilo
ler proporcionado a facgfio lodos os meios
de conquistar com o ccete e a facca do
pona a eloigio, pondo os amigos do go-
verno, os homens do partido constitucio-
nal n discrigilo dos turbulentos e anar-
ehislas, ontregando-OS s violencias dos ar-
dentes partidistas Ili na verdade demazia-
d'i cynismo.
A circular do Exm. Sr. concelheiro Hono-
rio llermto Carneiro l.ei), quo bem urova
que S. Kxc. se acha possuido do desejo de
que as urnas j'X|iri.iinm o voto real dopai/,
liada a prove tOO, diz o Diario-Novo, anlcs
produzio o effeito coutiario. K porque?
Porque as nuloridades eslfiu pronunciando
comanti-data!! I Porque uo se verifica-
rain os boatos adrede espalhados pela fac-
gfio, e nfio fram demittidos ncontonente
quantos agentes de polica nilo teem a feli-
cidade de merecerem a confianza da fac-
gfio !! Porque o Sr. Dr. Nabuco tem suspen-
dido alguns liberaes que exercem os lugircs
de juizes municipaes supplentes, e consta
que os vai meller em processo// Porque
correu, ha di as, o boato do que 200 homens
de linha oceuparam o engenlio do Verde !
Porque marcharan! para Bonito 150 plagas,
e una nutra frga foi mandada para Rica
Formoso, Una e Agoa-Preta II
E, com el)'fito, pondo de parte as taes pro-
nuncias com anli-data, que s existem no
cerebro escaldado dos escriplores do Diarlo-
Noto, quem duvidara que S. fixe. tem com-
inellido um peeeado m&rtal reurvado con-
servando autoridades que desagradam i
facgfio .* Quem negar que oVr. Dr. Nabucu
ataja de fronte o voto livre, Vxerccndo as
suas funcgOesde juiz criminal, ss^endendo
e processando liberatt quo teem mizelas pa-
ra isto P Quem nfio crer que urna frga no
Verde, no Verde I engenho do Sr. Marfinho,
he a maior violagfio que pode haver lber-
dado de voto ? Quem nfio sabe que marchar
conlra Pedro Ivo e CaeUno.Alves, quando
essos dous liberis querem garantir o voto
Inre, he nfio querer que as urnas expriman)
o veto real do paiz?
Mas, deixemo-nos de ironas. Os movi-
mentos de tropa, que tiveram lugar, j es-
tilo sufllcientemento explicados, ese a fac-
gfio nfio queiia que elles appareccssem,
porque nfio aconsclhnu aos seus caudilhos
Pedro Ivo o Caetano Alvcs quo estivessem
ao menos quietos ?
Sibemos que a facgfio enlende por liber-
dade do voto o direito de fazer quanto desa-
tino ha, do commetter toda a casta de cri-
mes, sem queauloridadeslgoma v s nios
dos criminosos ; mas nfio he islo oque o
Exm. Sr. Honorio enlende por lber la.le de
voto, oque culpa tem elle de que se qu-
zesse ella illudir pensando tor na presiden-
cia o seu Chichorro ?
Diz o Diario-Novo, que aconselha aos seus
amigos quo abandonem o campo eleitnr.il,
porque nfio quer sa rilcios, porque nfio
quer sangue Ora, na verdade o collega nfio
gusta dosangue ? Earebellio de novem-
bro quem a fez ? Se a facgfio abandonar o
campo, ho porque esl convicta do sua nul-
lidade, e sabe que so recorrer violencia
ser repellida : o mais he hypocriiia.
Correspondencias.
Sn. redactor. Havcndo despedido o
meu caixeirooSr. Domingot Jos Ferreira
(luimaret por ler para istojustos motivos,
chegnu ao meu conheciinenlo que ello, para
encobrir as causas verdadeiras de sua des-
pedida,tratava doabocanbar-me, e por isso
I i/, publicar os annuncios constantes do
Diario ni. UM. 162 e 163; cm resposta a
estes annnunciossahio-se aquello Sr.Guima-
rvom a correspondencia que se le no Dia-
rio n. 166 procurando ofTender-me por um
modo s digno delle, c dos que o dirigem
Sei perfeitamento que alguom se tem
aproveitado deste entejo, servindo-sedesle
instrumento, para me dizer injurias, o
que be tilo miseravel e ridiculo, que s
merece o desprezo a qiiq voto estes meios;
e como uo seja aquello Sr. Guimarttt mais
que um lesla de ferro, estou resolvidoa nfio
enlreter com elle polmicas, reservando-me
para usar dos meios que me conferem as
leis; limitando-mc a esla simples declara-
gilo ; por cuja insergfio Picar agradecido o
seu assignanle
1. A. doi Santoi Andrade.
Genova 43 das, polaca sarda Dina, de
252 toneladas, capitfio Francisco Dodoro,
equipogem 14, em lastro; a N. O. lieber
& Compunhia.
San-Mathous 10 dias, sumaca brasleira
Helia-Argelina, de 64 toneladas, capitfio
Desiderio Jos Barreto, oqupagem 5, car-
ga farinha, caf c tapioca : a Machado &
Pioheiro. -Passagciro, Jofio Antonio de
Souza Moreira, Brasileiro.
/Vario tahido no mesmo dia.
Liverpool por Macoi Barca ngleza IF-
liam-Ruuell, capitfio J. D. Coulding, car-
ga nssucar.
Aracaty Patacho brasileiro Santa-Crus,
capitfio Joaquim Pereira, carga varios g-
neros. Passageiros, Manoel Ferreira Ta-
vares com 1 fillio, Antonio Borgos da Cos-
ta, Anlono Maria Borges da Costs, Agos-
tinlio Moniz Moreira, joaquim Jos de A-
raujo, Umbelino Garca Chaves, Antonio
Fernandes de branles, Brasileirns.
Parabha lliate brasileiro Nova-Cruz, ca-
pitfio Jofio Alves de Faria, carga varios
gneros.
ObsirvefOes.
Sahio hojee nfio hontem para os portos
do sul o vapor Imperador.
am ilion, tendo sahido para o Rio-Gran-
de-do-Sul no dia 18 do pa.--.sado, por ter ren-
dido o mastro de pros, o brigue brasileiro
Formato, capitfio Manoel Gongalves.
EDITA ES.
Sn. redactte. Morador como sou no
segundo districto da freguezia dos Afnga-
dos, nfio posso ser passivel vendo as aggres-
sOes e violencias pralicadas por pessoas
mal intencionadas, j conlra as nossas pes-
soas, ej contra os nossos hens ; e tanto
mais vendo o deslexo e absoluto abandono
da polica daquclle lugar : por isso me de-
lheret pomelo desta chamar aattengfio
do Sr. subdelegado para que lance suas vis-
las sobro ludo para os furtos quo de dia
em dia all se commettem ; e pa^a melhor
informar ao Sr. subdelegado e o respeila-
vcl publico, passarei a fazer menefio de al-
gn que s teem dado no presente mez de
julho : fiii'laram no lugar mesmo da Mag-
dalena um cavalloao preto Manoel Campel-
In; furia rain mais ao Sr. Antonio Alves, quo
se acliava arranxado na estrada nova em
casa do Sr. Xavier, urna novilha, o mais
urna vacca ao Sr. Ilypolilo Francisco da Sil-
veira Lins, 1 cavallo ao crioulo Jos, mora-
dor em trras do Sr. Jofio Carneiro ; fiam
mais casa do proprietario o Sr. Jofio Fer-
reira dos Santos, c I orlar.un urna Irouxa do
roupa, arrombaram um quarlo onde tinha
varios objoclos, entre os quaes levaram 6
couros silgados, o sendo nosla occasifio os
ladres presentidos os deixaram no fundo
do sitio ; aoSr. S Leilfio levaram algumas
gallinhas e um casal de gangos ; ao Sr. An-
gelo levaram-lhe tambem as gallinhas; f-
ram casa do Sr. Chfame arrombaram
urna dispensa, o sendo presentidos nfio le-
varam o que havia ; fram ao sitio do Sr.
Araujo, jonto ao viveiro do Sr. Avelino,
fnrtaram 22 gallinhas, as quaes fiam logo
tmalas por seus pretos; fram ua noite do
dia 20 do correnle mez a casa do Sr. (de-
ber, levaram tambem as gallinhas : e mais
outros furtos se leem dado que seria eufa-
-louho niii era-Ios : a vista, pois disto, j
v o Sr. subdelegado a pouca aclividade de
sua polica: resta, pois, que sua senhoria to-
me providencias, alim de que minore tantos
furtos, os quaes tanto flagellam aos habitan-
tes do seu districto.
Agora ja ve o publico que nfio sou im-
prudente em servr-me deste jornal, j he
muito soffrer.
Queiram, Srs. redactores, dar publicida-
de a estas ludias, que muilo obrigarfio ao
seu constante leitor
O lia gdulmente.
Pela inspecloria da alfandegs se faz
publico que no dia 3 de agosto ao meio-dia
na porta da mesma se hfio de arrematar
em hasta publica oilo pegas desetim pre-
to com 371 covados a 1,730, total 641,830
rs.; eseis Chapeos de palha para senhora a
4,000 rs., tota I 24,000 rs.; impugnado pelo
guarda Antonio Lopes Pereira de Carvalho
no despacho por factura sb n. 470: sendo
a arrematagilo snbjeita aos diretos.
AlfanlegadePernambuco, 31 de julho de
1849. O inspector, /.u? Antonio deSampaio
Yianna.
Olllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazonda provincial, em cumprimentoda or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia.de
18 do junho prximo panado, manda fazer
publico que no dia 9 de agosto p. futuro,
irfio piara peraute o tribunal administra-
tivo da mesma thesouraria, para seren ar-
rematados a quem por menos lizer, osroa-
certos da ponte dos Carvalhos, sb as clau-
sulas especiaes abaixo transcriptas, e pelo
prego de 1:699,500 rs, _
As pessoas quo s propozerem a"*est
arremalagfio, comparegam na sala das ses-
ses do sobredito tiibunal, no dia cima
mencionado, pelo meio-dia.
K para constar se mandou aflxaro pre-
sente, o publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 27 de julho de
1849. O 1. amanuense, servindu de se-
cretario, Francisco Antonio Calateante 6'oui-
seiro.
Clautulai especiaes da arrematado.
1.' As obras dos concertos da ponte dos
Carvalhos serfio fetas de conformla le com
o orgamenlo apreseutado nesla dala ap-
provagfio do Exm. Sr. presidente da provin-
cia, pelo prego de 1:699,500 rs.
2.a As obras principiaran no prazo de
um mez, e serfio concluidas no de qualro,
ambos contados em conformidade 'do arti-
go iodo regulamento das arrematages.
3* Todos os maleriaes serfio pivia-
mente examinados pelo engenheiro,"e ap-
provados so lavrar um termo
a 4.' O pagamento doraporlo das obras
realisar-so-ba depois de concluidos e exa-
minados pelo eugenlieiro.
5.* Para ludo o mais que nfio est des-
tinado pelas presentes clausulas seguir-se-
lia inieiramele oquedispo o regulamen-
to das arrematages de 11 de julho do 1843
Obras publicas, 30demaio de 1849.
O engenheiro, J. L. Helor Lieutier.
Conformo. O 1." amanuense, servndo
do secretario, Francisco Antonio Cavalcante
Cousseiro.
- Perantea admnistrsefiodo patrim r
dos orphSs se hfio de arrematar i0 'I
por monos Gzer os concertos de que n?""'I
o edificio do collegio dos orphfios, avitit!!*!
em 644,450 rs. : as pessoas quo se nrcW
rom a arrematar ditos concertos, oorl.^"
compa'fernodia2do correnle m a.
gosto, ro casa das sessOes da dita admi.V^
iragfio, is 4 horas da tarde com sauTa J
dores. "f
Peranto a adminstralo do pi-ma. I
dos orphfios se hfio de arrematar ta,|
mais dr, pelo tempo quodecorrer d?
da arremalagfio ao fim de junho de ik?
as rendas das seguinles casas pertetW
tes ao mesmo patrimonio : n. 22 iaraid
S. Concalo do bairro da Boa-Vista t ,
ra do Torres, 54 e 56 na ra do Amor I
18 na ra do Burgos, 27 na ra do Vw.rM
132 e 134 na ra da Senzalla-Velh, 'I
pessoas ouo se propozerem a arreaaifl
ditas rendas poderfio comparecer na
das sessos da administraefio no>diijj
curren te mez de agosto, as 4 oras di (w!
com seus fiadores. a:|
Theatro de S.-Francisco.
HOJE, 9 DE AGOSTO DE 1849.
ULTIMA. RErMSEIIT*g
de passagens mgicas, physcas, etc. nju.!
nebeio do Sr. J
W. F, Walter.
Depois que urna caprichosa orchesutl
honver desempenhado a brilhante Tilia
da Norma, dar principio o especlaculops)!
maneira seguinte: J
Parte I.
Extraordinarias passagens e transforgu.1
gfies do melhor gosto, e intelramenle nonti
nesla capital,em as quaes o artista moslrirtl
a dllieuliosa melamorphose do Peas a j
ravilhoso.
Parte II.
Grande scena de danga, em a qual kr.l
Adolpho e mademoiselle Kilismina danenI
o Pas Hongroit, a carcter nacional. '
Parte III.
DilTerentes e novas lluses do gibinH
physico. Nesla occasifio o Sr. W. .JKa
ter ntroduzir a admiravel machina gilrj
nico-magnelica, com a qosl intretei*obi
nignos especladores com diversasexptriei.|
cias de electricidades, sem ser precisoppI
garem o scenario.
Parle IV.
applaudida e dillicultoii ligeireuI
encantada.
da
Parte Y.
e jocoso pantomimo em umic.1
mente chegado de Pars, nlitu<|
OEIROS DE SAN-CLAUDIO ;
esla parte e o espectculo coa I
cena de (langas de alegra,
serfio preenchidos com ul
dos autores mais celebres,!
Brilha
to, recen
lado
ost;
terminan
urna joco;
Os interv;
seguinles
terceto da oper^.ucrecta Borggia, Novo f\
gar e yVnouco(fonoior,ciiidadosamentedeim-|
penhadas pela indiestra, dirigida peloami|
hbil Mr. Theodoro Oreste.
O artista espera que, altendendo ao gran-
de ensaio que lem feito de todas as ptsu-
geus que ha de apresentar ao publeo.os res-1
veis especladores serfio sullicieule-1
e divertidos. I
mbem julga de seu /dever agradeceras I
senhores que se dignaram concorrer sui
ultima representagfio, e Ibes protest que |
jamis se esquecer das demonstrigoesJ |
sympalbia que Ihe patentearam.
Os bilhetes acham-se venda na cm I
contigua ao theatro, residencia do director
do mesmo, o Sr. Santa llosa, aos pregusto |
costume.
fliil)licacao Iliteraria.
ue en:
:
i
Deolaracdes.
LOvnitrttij,
ALFANDECA.
Itendlmento dodia l.. 19:565,807
IMPORTAC-O.
W. II. D. C. H'rj/fi, briyue americano, viu-
do de l'.n liinniid, enirado no crreme mea,
consignado a Deane Youle c C., inauili-stou o
eguinte:
a,u48 barricas e -leu ineins ditas farinha, Zi
iinai tolas fumo, c 100 presumo ; ao uh-siuus
consignatarios.
Itichard, brig%e ingtei, viudo de Liverpool,
entrado no corrate inei, consignado a Jaiuei
l.rabiiee Si C, iiiaoili'siini o te^uinle :
300 toneladas carvao de pedia aos incsnios
consignatarios.
CONSULADO GERAL.
Itendimento do dia 1.'...... 918,615
Diversas provincias........ 64,654
983,269
COMSULADO PROVINCIAL.
Iteiidimeiito do da 1.* .
859,269
^vlovimento do *orto_
\
Navios entrad s no dia 1.
Genova por Gibraltar 46 dias e do ulti-
mo puilo 30, polaca sarda Constante, de
189 toneladas, capitfio B. Bamogine, e-
quipagein 12, carga lastro, oass-is, papal
o mais gneros; a Jos Saporily.
Administragfio da consulado geral pre-
cisa de serventes livres e robustos para se-
ren empregados no servgo da capatazia,
com o jornal do seiscentos e quarenta ris
diarios, e por isso convida as pessoas que
so quizaren! engajar bajam de comparecer
na referida administragfio das novo horas
da mantilla s tres da larde.
-Olllm. Sr.capilfio do porto manda fa-
zer publico que, segundo Ihe participou o
capilfio do porto da provincia da Parabha,
apparecra nealhada, na costa ao sul da-
quella provincia, no lugar denominado
Ponta-dos-Coqoeiros. duasou tres legoas
o norte da barra de Cnianna, urna pequea
lanche, j usada, sem bancos, nem pala-
menta dentro ; a qual ao encalhar abri as
costuras e dous rompos, e foi logo puchada
para osecro, onde se acha acondicionada:
devendo aquella pessoa a quem dila lancha
perlencer apresentar-se naquella capita-
na, onde smente Ihe poder ser entregue,
comprovando ser o proprietario della.
Secretaria da capitana do porto de Per-
nambuco, 26 de julho de 1849. Oseen ta-
rio, Thom Fernandes Madeira de Castro.
As 12 horas da manbfia do dia 3 do cor-
rete lem de conlratar-se peranle oconee-
Iho da a dminislragfio naval, por arremala-
gfio, o fornecimenlo de caf moido e velas
de sebo ou carnuaha, para os navios arma-
dos ; a quem convier fazer semelhanles
fornecimenlos comparega com suas pro-
postas na sala dassesses do mesmo conce-
Iho as horas indicadas.
-- A adminislragfio geral das obras pu-
Acha-se no prelo e brevemente sihiri i
luz a traducgfio da secgfiu terceira dii ia>
tituiges do direilo publico ecclesiastico da
Xavier Gmener queconlm os diretos dos
imperantes cvis ci'rca sacra, acompanhi-
da de alguns notas extrahidas de tuto* au-
lores e de apontametilos da legislagflo n-
cessariaao conheciinenlo dos que esludirn
esto direito. Subscrove-se na praca di la-1
dependencia, loja de livros, ns. 6 e 8.
tilicas, pelo respectivo almoxarifado.
de comprar para o concert do lorrefi
alfandega onde existo a rcpartigfio, o
guintesobjeetns : 2laboasde assoall;
amarello, de 30 palmos de comprim
2 de largo, limpas ; 3 frexaes de 16 pa
200 pregos de guaroigilo; -00 ditos de
Iho ; 200 ditos ripaesda Ierra ; 50 lfl.|h,
4 alqueirea deca prela ; 8 ditos de rea i
as pessoas que taes objectos quizereHj f0r-
necer comparegam al o dia 4 de aPosio
cerios de que, sendo recebidos com a)ppr0_'
vacfio do inspector encarregado da obf-n^e.
rilo immediatamenlo pagos. Adm exre-
gfio geral das obras publicas 28 (iB \uau.
de 1849.:-O administrador Josd,ifarr"
FaicSo de Lacerda. "^
avisos martimos.
Freta-e para qualquer porto o brigue
francez Armoriqe, de perto de 3,800 Me-
cas : quem o pretender, dirija-se aos eui.
consignatarios, N. O. Bieber & C., na rui
da Cruz, n. *.
Para Maranhfio e Para pretende seg1',
at o dia 8 de agosto prximo futuro, be0
conhecida escuna Galante-Uaria : pars
resto da carga e passageiros, trta-se cos
Silva & Grillo, na ra da Mocda, n. II-
Para o Aracaty sahe, no dia 15 deafe"
(o infallvelmonte, a escuna nacional Harta-
Firmina por ter parle de seu carregimentt
engajado : para o resto, dirijam-se i 1**
Antonio Baslos, na ra da Cadeia do Re*
cife, n.34
Para o Rio-de-Janeiro segu, al o al
prmeiro de agosto prximo futuro, o ota
conhecido brigue Assotnbro, < or ter o K"
ca i e-a memo prnmpio : recebe algumac^^
ga miuda e passageiros, para o que lm
bous commodos ; os prelendentes dirijaia-
se ra da Cadeia do Recite, n. 61, a fsb
ar com Joo Jos Fernandas Magalhfies.
- Quinta-fewi, 1 de agobio, haver leil
IV 4 uma^po/gso de canastraa comalhofc
porta" do rmazem de Itacellar.
Avisos diversos.
di-.
A pessoa que quizer comprar urna
vida de 1:377,000 rs. proveniente de ren-
das do engenho Una em S -Antfio, Jajen-
cidas. cujo rendeiro anda se acha u"TrT
mo engenho e esla cobranga nfio se elle
la porimpossibilidade physica do propri"-
lario, dirija-se ao pateo do Carino '
prmeiro andar, do sobrada do faiiec
l'oixe. ,.
Precsa-se de um pequeo pira ca
ro de venda: em Fora-de-Potla*, ^al


- Preciaa-se de um compositor na typo-i54| Victorino Francisco dos Santos, o
graphia UniSo : dirija-se na mesma lypo|bem recompesar.
Sahioaluz o PtitilMo Olindente, idyl-
io oflTcrecido ao F.xm. presidente da pro-
s fabrica pdem
Jas em paiz es-
como em qua-
e inflo d'obra,
rconstrucc,3o.
gentos de lo-
or por agoa
serra
graphia, roa daUniSo.
FUNDIQAO DE FERRO
E FABRICA DE MACHINAS NA RA DO
BRUM. Bowman 6t Me. Callutn, engenhei-
ros roachinislas e fundidores de forro, mu
respetosamente annunciam aos Senhores
proprietanos deengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
ppilavel publico, que o son estabelecimep,
de ferro movido por machina de vaporcon-
tina em efTectivo exerricio, e se/viia com-
pletamente montado com appa.tihos da pri-
meara qualidade para a petfelta confcc^lo
das maiores pecas de machjiismo.
Habilitados para emprehider quaesquer
obras da soa arte, Bowmafcc Me. Caflum
desejam mais parlicularnVnto chamar a
altencSo publica para afgseguintes, por
terem dolas grande sortinfento j prompta,
as quaea construidas na /
competir rom as fabrica-
trangeiro. Unto em proc.
lidade das materias prim
saber:
Machinas de vapor da me"
Moendas de canna para
dos os lmannos, movidas
ou animaos.
Rodas d'agoa, moinhos de
rias.
Manejos independentes para ca"
Rodas dentadas.
Aguilhes, bronzesechumacei
CavilhOes e parafusos de todo
Inhot.
Taixss, pares, crivos e boceas
Ubi.
Moinhos de mandioca, movidos a mlo \
I por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogilo e frnos de farinha.
Canos de ferro, torueiras de ferro e de
Fbronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
|vidas a mlo, por animaes ou vento.
Cuindastea, guinchos e macaros.
Prensas hydrsulicaa e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
Iblicas.
Columnss, varandas, grades e porlOes.
Prendas de copiar carias e de sellar.
Camas, carros de mSo e arados de ferros,
|C, fiC.
Alm da superioriade das suas obras, j
feralmente reconhecida, llowman & Me.
Callutn garantem a mais exacla conformi-
dade com os moldes e dezenhos remedidos
pelos Senhores que se dignarem de fazer-
tama-
rna-
incia : vende-sena praca da" Independen-
lia n. 6 e 8 a 2(0 rs. cada cxemplar.
--Prccisa-so mandar fazer urna saia de
ordado de susto : quem se quizer encar-
egar dese trabalhn annuncie.
-- Precisa-so de um bom feitor para um
Tigenlio distante desta cidade; preferin-
do-so porlugucz, e que dft fiador, ao monos
informaeflo idnea de sita capacidad* : na
ruado Rangel. n. 11, segundo andar.
OH I DA POLICA.
-vavrin do Rnzario ha, mas he um inso-
lenta e eu que snu psdocenle, por isso de-
nuncio. F.u mesma A negra do ate i li.
AVISO IMPRTAME.
Acaba-se de ter seria noticia, de os. escra-
vos abaixo mencionados andarem pelos
suburbios desta cidade commetlendo rou-
hos e sendo a noile rerolhidos em diversos
sitio, por consentimento dos escravos;
portanto previnc-.se a qualqucr que nisto
possa interessar-se, e para que melhor pos-
sam ser capturados. Adverte-se que, po-
dendo constar-lhes deste aviso, queiram
evadir-se para mais longe, eassim pois, pe-
de-se toda vigilancia as estradas e lugares
suspeitos, jara poderem ser apprehen Nlo obstanle darem a cerlea de estarem
tSo perto, pede-se encarecidamente s au-
toridades e a todas oulras pessoas dos luga-
res longincuos, do conlinuaretn na ioces-
sante diligencia para os aprisionar, para o
que segu este outro annuncio:
200,000 rs.
D-se esta quantia de gratificaran a quem
levar ao engenbo Agoas-Claras, de Crur,
da viuva do Burgos, ou nesta praca, no
tuteo do Carmo, n. 18, segundo andar, a
Al'onio Carlos Pereira de Burgos Ponce de
''?Sfit, dous escravos seguinles que fu-
giram RTme* saldado para domingo, 26
a 27 do corrente : Vicente, pardo de 26 an-
nos, de altura regular cabellos crescidos e
carapinhados lesla sobresabida olhos pe-
queos, nariz chalo, tomador de tabaco de
caco rosto descamado e com espinhas,
sem neuhuma barba; levou 1 camisa do ma-
dapol.lo urna calca de casimira usada, urna
jaquela de bretanlia, um bonete de velludo
azul ja esado um rhapo de pallia, um
dito de pello preto : Joaquim, crioulo bas-
tante preto, de 38 annos, alio, secco, cara
pequea hem barbado ; tein o costume de
levar a niflo barba ; lie gago ; andar eom-
nassado; dizem ter mili em Pajah-de-KIo
^AURORA
fhes encommendas, tproveilando a occaj St&S*ten\ 'Io rpit" e"1mlro ?,nde'-
1_____..j^,___.'......________.. J*1. ra de Moura do Apody o qual se aclia pre-
ara agradecer! aos seus numerososffnii-
Igose freguezes a preferencia en"- t*em
pido por elles honrados, e as. i-lhes
nSo pouparflo esforcos e "oifigeiicas
para continuarem a merecer a sua coni-
|nca. /
O Sr. Manoel Augusto de/Figueiredo
Iqueira quanlo antes dirigir-A ra do
lAmorim, a. 1S, a negocio queche diz res-
ipeito.
-- Precisa-se-de urna aq*para o servi-
[co de urna casa do urna afcnhora solteira :
I na ra do Fogo, n. 13.
oao-se 400.000 rs. a premio com hy-
miheca em urna casa nesta praca: quem
pretender annuncie. *
DUo-sc 200,000 rs. a juros sobre penho-
Iresdeouroou prata :-ii ra de S.-ltita,
|n. 18. i X
Dflo-se 400,000 rs. premio do dofk
por cento ao mez, com penhores de olV
|e prata ou boas firmas : em Olinda nos
juatro-Canlos, luja de fazendas, se dir
juom di.
Aluga-se'o primeiro andar do sobra-
Ido n. 24, no Aterro-da-Bou-Vista com duas
salas 3 quartos,.cozinha fra e esl caia-
Joe pintado de novo : a tratar na ra Ve-
pha, n. 55.
Precisa-se de um liotr em que seja
nestre lecedor do Porto, ou que enlenda
de tecer varias fazendas quo se fazetn na-
quella cidade : na iraca da Independencia,
livraria os. 6 e8.
Sociedade Harmnico-
Theatral.
O primeiro secretario avisa aos Srs. so-
rios que os bilheles para a recita do dia 4
do corrente ejJis.ua buejn nos dia* 8, 3 e
"i ,no salflodo mesmo theatro : lembiahdo
los Srs. socios, que deverflo rubricar no
verso os bilheles de galera ; e que a direc-
b;lo se reunir no dia 3, s 4 horas da tarde,
para approvacflo de convidados, nflo sendo
llepois admitlidas mais propostas.
-- Na ra das l.arangeiras ti. I i, engooi-
na-se roupa de liomem e senhora : tam-
bem se lava de sabilo e varrella : ludo com
perfeieflo e por proco commodo.
Furtaraui, na madrugada do dia ori-
neiro do corrente, de um quintal, nos Cuc-
hos um cavallo alazo-caboclo, com
Jrente aberla, bebe em branco, sem muda
lur fazer cauda curta ; lem signa) de mal
le tiestas ua barriga junio ao quidril:
luem o pegar leve-o ao mesmo lugar, na
liara) de Jos Carneiro da Cunta que re-
ompensar.
- O corretor Jos Roberto Padillia tem
ilabelectdo o seu escriploiio no sobrado
um andar, junto ao trapiche do l'elou-
Blio.
|" USo-M 600,000 ra. a premio sobre pe-
tores de ouro e prala.ou boas firmas:
frua larga do Rozario, n. 28, primeiro
seiileinente na comaica deS.-Ant.1o, e lem
um sitio em Cravat; presume-.se terem
partido para o Apody onde ha mu tos p-
renles do dito Moura; comquanto o primei-
ro andasse sempre em viagens dos serios
dosulao pculo, com os cobradores desla
sa : este ultimo escravo levou um chapn
Prto de pello e outro de couro duas ja-
'lutas brancas, 1 calca do brim pardo 1 di-
la o-, nscado 1 camisa de madapollo,
duas tas d0 algodilo da trra e ceroulas.
Roga-s a vigilancia nestes dous escravos,
que Tildo com muita brevidade, serilo
qrflliliCL-|os aiiitla com mais Jo que se offe-
rece.
~ AIug..Sfi0 armszem, n. 5S, da ra do
riangel, o i,L.,| iia ina, je 10 anuos lem
servido do ougue, e conserva todos os(
utensisdo nwmoir(cu : na (,ra?ll ja |.
dependencia.|g, 6e8
O aliis assignado encarregado doj
reconhecimtqjo ( mediclo e i|p>"....."
tos terrenos MUn
cussionarios e pusseiros Jcsles terrenos.que
teetn requerido albrumentns, a compare-
cerem na casa de sua residencia, na ra Di-
reita, n. 78., de manlnla das 7 as 9 horas ,e
de tarde das 2 as 4 alim do se podiV dar
cumplimento aos despachos da presiden-
cia, lanzados em varios requerimentos que
paramem suas mflos, para so proceder a
respectiva medievo, a qual n.lo so pode
procede".s/bm a presenta dos concossioua-
rios e posseiros, ou de seus procuradores
( como determina o art. 7 das inslrucgOes
do 14 de novembro de 1832; o nein os t-
tulos de aflramentos pdem ser passados
pela Lhesoiraria da fa/euda sem primeiro
C. Slarr & Compendia teem a donra de
avisar aos seus freguezes, e ao publico em
geral, que a sua grande fundicflo em S.-
Amaro alm do sortimento que constan-
temente lom acha-se de novo provida de
militas moendas de canna, e de varios ta-
manhos fetas no mesmo eslabelecimont'
pelos mais peritos officiaes, e com o maior
cuidadoe perfelcSo; tanto assim he, que
os annunciantcs se ufanam em garant-las
pelo primeiro anno. As moendas inteiras
todas de ferro;, construidas as oflicinas
dos annunciantcs silo milito superiores a
quaesquer oulras de mesma natureza que
at asrora teem sido aqui oiTerecidas, pois
aquellas encerramem si certose importan-
tes melhoramentos resultado de mais de
-.'0 annos de experiencia e pratica do paiz.
Lotera do Guadalupe.
As rodas desta lotera andam in-
fallivelmenteno dia i3 do corren-
te mez, e os bdhete-i que restam
acliam-se venda nos lugares an-
nunciados. .
A viuva de Francisco'lartins Ramos
faz scinle a seus credores para reuniid, no
dia quinta-feira 2 de agosto ao meio-dia,
para deliberaren) a respeiln de seus interes-
sos, na ra do Vigario, n. 20, segundo an-
dar.
-- Arrenda-se o sitio do Espinheiro na es-
trada de Bolm, rom casa de pedra e cal,
com slito, casa du farinha e forno de cobre
e bstanle torra para plantar : quem o pre-
tender, diiija-se Estancia, na pt uncir ca-
sa defronte da cacimba.
Aluga-sc o sobrado de um andar com
lojas na ruadosQuarteis n. 10: a tratar
com Luiz Comes Ferreira no Mondego.
Precisa-se de urna ama paru lodo o ser-
vido de urna casa de pequea familia: no
Para izo.
Quer-se alocar mensalmente mira pre-
ta fiel que sirva para vender na ra : quem a
tiver pata esse fin, procure na ra da Man-
gueira da Boa-Vista, n. 5. ou annuncie.
-- Engomina-secom perfeicflo toda a qua-
lidado de roupa para homem e senhora, as-
sim como tanibem seciisaba por commo-
do pi eco : na ra da Senzalla-.Nova, na loja
da casa n. 18.
#eft;ta&a&K ^ 5 *:*
I
Novo pflo de Provenga.
f: Na padaria do bcccodasllarreira.se
no deposito da Estrella, no Aterro- jjj
| da-Boa-Vista, n. 39, fabnca-sc o no- ;}
i- vo pilo de Provenga, o qual he fabti- j|
ffi oado polo melhndo do seu priinci- y
S ro introductor que veio esta provin- j;
1 cia e cotn as melliores fnrinlias que tj
ardente, queneste mez de julhodeixou de
continuar com o negocio da sua casa sita
na ra do CotoVello, n. 31. Manoel Tacares
de Ai/uino.
Joaquim Silvcrio de Souza, Brasileiro ,
retira-se para Lisboa a tratar do sua sde.
Precisa-so tingar um primeiro e se-
gundo andares no bairro do llecifi), sondo
as ras da Cruz. Cadeia, Vigario, Trapi-
che-Novo, Alfandega-Veltia o praca do
Cosnmercio : quem tiver annuncie.
O tloutor l.ouronc,o Trigo do I.oureiro
reside actualtnento as lojas da casa do
lllm. Sr. desemhargador Bastos, na ra da
Aurora entrada pelo lado da mesma ra ;
abise offereco para advogar, tanto no
civel como no crinte, e para onsinar as lin-
goas latinee franceza a quem so quizer
utilisar do seu presumo.
A pessoa que anaunciou querer lu-
gar urna preta para andar com taboleiro de
pazendas com oulra dirija-se ra de S.-
Francisco, casa apaTicada.
Roga- se encarecidamente aos Srs. abai-
xo declarados para que venbain ou mau-
dem satisfazer seus dbitos aonde nao igno-
ram: F. II. da C. C., 33,120 rs.; J. V. de C,
20,680 rs. ; M. de B. V., 32,300 rs. ; J. F. de
P. L 29,660 rs.
-- A viuva e herdeiros do commendador
Izidro Francisco do Paula de Mosquita, es-
lando a proceder 'f inventario pelo juizo
de orphos desta cidade, avisam n todos os
credores do casal do dito fallecido, que de-
vemquantoantesjuslifiraras suas dividas
perantoaquellc jnizode orph.los alim de
que referido inventan. possa tero aeu
andamento regular para sem dos mesmos
credores.
O abaixo assignadoannuncia ao publi-
co deniln fazer contrato nonhtim com urna
lettra de 2:100,000 rs .saccada em junho pas-
sado pelo Sr. Manoel Piros Ferreira, c acei-
ta peloSr. Antonio da Silva Cusm.to, endos-
sada cm branco, pelo motivo deseterdes-
encamlibado dita lettra, e terem-sedado to-
das as providencias para n.lo ser paga soniio
ao abaixo assignado que he seu legitimo do-
no. J. P. de /.finos Jnior.
Jos Rernarilino Concalves Pereira,
subdito portugus, relira-se para Angola.
-- Descja-se fallar ao Sr. Francisco Perei-
ra dos Santos l.enho, ou alguma pessoa por rua de Apollo, n. 4.
Na livraria ns. 6 o 8 da praca da Inde-
pendencia vende-se o seguinle :
Alaniiat cleitoral
onntendo a lei regulamcntar das elcicGoso
os decretos 6 deeiscs dp poverno quo dflo
esclarecimenlos sobtsija execu<;no,expeli-
dos at abril do cirrente enno, com notas
explicativas fundadas nestes mesmos escla-
recimenlo*? _.,
ICISPROVINCIAES DE 1849,
vendem-sea 480 rs. o volume deslo anno ,
na livraria a praca da Independencia,
ns. Ge8.
Venclc-se urna taberna com poucos
fundos, sita na rua Nova na esquina da
rua dasTrinchfiras, n. 1, local este o me-
lhor desta cidade a tratar com Narciso Josa
da Costa no largo do Carmo, esquina da
rua do Hurlas, n. 2.
Vondem-se 3 bonitas escravas dei na-
co, de 15 a 18 annos com boas habilida-
des ; duns ditas mais ordinarias por com-
modo prego ; 3 escravos o um inoleque na
ruu de Agoas-Verdes, n. 46 se dir quem
vende.
Cal virgem de Lisboa.
Na rua da Cadeia do Recife, loja n. 20,
vende-se cal virgeni por preco mais com-
modo do que em outra qualquer parte.
Nenenles de hortalice.
Vendem-se sementes de hortalice de to-
das as qualidades, por proco commodo,
para acabar emquanto chove : na rua Direi-
la, n.i6.
Vende-se urna duziade cadeiras, um
soph, urna cama duas bancas, urna dita
de moio de sala : tudo com pouco uso e em
bom estado as Cincn-Pontas, n. 66.
PARA UQUIDACAO
Vendem-se na rua lo Codorniz,n. II, dif-
forentes gneros de urna venda, emoaquaes
cntram utna porcilo de lou;a da Ierra e urna
port&o de archotes, a vender em quantida-
dc a vontade do comprador, e a proco o mais
commodo possivel, por ser para concluir.
Vendc-so um inoleque de nacflo, do
23 a 24annos, quetrnbalha do catraeiro, e
he proprio para qualqurr servico : vnde-
se para fra da provincia ou para engenbo:
precejder es\ diligencia ; assim como con-
vida/ tinloi aq
Idar.
IAnenda-sa, ou vende-se o sitio En-
lutado em Beberibe-de-aixo, com boas
loi,orcOas e casa: fallar com o padre
>Mlho.
-- A pessaa que no dia 13 do abril p. p
Improu Juma sueca cem feijflo na porta do
|n azeni do Sr. Das Ferreira, querendo res-
luir o aeu importe, dirija-so ao mesmo,
*-se o presente annuncio por haver equi-
co de iiouies.
r- Uma pessoa de conducta regular e ac-
f, aqui condecida, ao oOerece aos nego-
anles desta praca para cobrar dividas (do
U lem pratica] para os sertes do Ico,
l'*a-do-Texeir, llio-do-Peixe, e oulros
exos : quem do seu preslimo se quizer
' aunuucie por este Diario.
-Ha 8 das furlaram do poito do Sr. JoSo
iBrito Crrela,por detrs da Ribeira, uma
ha aberla e curia, e que pega 600 lijlos
lalvenaria;eslava all amarrada ha quatro
es, com grossa corda de piassaba, tem
poupa bertas a fui mito as letras V.F.S..
> della souber aviae ao dito Sr. Briio,
Precie ]
quesaiba i
lequona
servido exl
Codorniz, *M
Oabaixd
l.quolles que estilo na possede
taes Terreno* Vos quaes j foram medidos c
demarrado*, para que venliam assignaros
respectivosWmos ; certos de que se por
algnni motivo ellos deixarcm de ser assig-
nados licirflo de neuhum elfeito. An-
tonio Egidit du Mica, segundo lente de
art ilharia.,
e lugar urna prela captiva,
nliar o diario de uma casa com
ia, o juntamente qun faga o
i da mesma casa : na rua do
n. 10, segundo andar,
assignado, como administra-
dor de sua mullier 1) Allina Poppo da Silva
Lopes lili" do finado Jos Antonio Alvos
da Silva .avisa a qualquer devedor que se-
ja da casa Vla'iuelle finado para que nilo
pague o importe de seus dbitos, sem ser
do accordo com todos os herdeiros, e nem
mesmo ao herdeiro procurador liquidatario
da dila casa por nilo estar autorisado pelo
abaixo assignado, visto que as ditas divi-
das s.uichan invenlariodas, o teem de ser
divididas entre a viuva inventariante meiei-
ra e os herdeiros ; e nem mesmo as dividas
que anda nilo fram inventariadas e isto
por nilo perlenceiem exclusivamente a um
s herdeiro: assim, pois, obrando os deve-
doros .fardo um grande beneficio a mullier
do abaixo assignado por ainda nilo se
achar na posse da heranca de seu finado
pai. Nurcellino Jos Lopet.
-- No dia 16 de junho do corrente anno,
appareceu no engenbo Caraba, na freguc-
ziadeTracunhSoiii, urna escrava crloula ,
de 16a 18annos, de nome Faustina, que
diz pertencer ao Sr. Herculano Ferreira da
Silva morador na Varzea, rreprjozia de
Bom-Jatdim, no l.imoeiro. Uannuncianle,
atlendendos consequencias prejudiciaes
occasionaJaa pela fuga de escravos a seus
donos, fezdeter adia preta que, almde
estar mullo doeKe, o procurava nara ser
vendida; poroi inimediatamente ccrlili-
couaesso Si. Herculano, de quem ainda
nao obteve resposta : por isso roga que.
quanlo antes, queira dar o destino quo I be
(or conveniente, declarando que nilo se
responsabilisa por qualquer incidente que
tenha lugar e\ara maior prova da sua ir-
reponsabiiuNdiJfaZ este annuncio em que
se assigna. C \<* <> ^e julho de 1819.
-i Margues Jjacalko. DerLe
L\^l ITII ARO
ha no mercado, e asseio que he pos-
^ sivel: da mesma .orle so fabricam as
$ fatias da rainha de ilespanha bnii-
-s nhos, liisooiilos, biscoutinhos, fatias,
$ cavncas : ludo do melhor gosto pos-
I sivel e proprio para cha ; lambem ha
v iiolacliiolio '- unieu- j
' /arias quali-
.j uoHS coiiivitauas e uc <
9 dados.
Denles o UC*C!'
"l,,la "ta participa ao res-
i. A. S. Jane, dentlfconiina a exercer a
pcilavel publico que slrcila do Itozario ,
sua profissflo na rui.
n. 16, primeiro andoc|0 do arodourado e
Perdcu-se uti^ u achar far o favor de
caixa verde : que. 6 e 8 na praca da Inde-
eutregai' na loja ns,cjei
pendencia, ou un j
Precisa-.
i x' i -armo
de I\. S. do
uma imagen)
tjtie tenlia de
, o i palmo c meto :
al (ira um palmo., i i___ .i.
v. I N Ion de mttide-
na rua do llabug" J
reciro an-
..n.6:
j;j Allm

'g
zas, n4 i I).
Alugam-se os segundo c U
dares da casa do largo da Assem
a tratar com Joaquim Francisco
no Forlc-do Mallos.
Dentista,
^g^ O. W. Baynon, cirurgiilo detitistaa-
^^romericano breve se ictira desla pro-
vincia e pelo pouco lempo que aquli so de-
mora, lem a honra de offerecer ao\ respei-
lavel publico o sen preslimo, na irua do
Trapibe-Novo, n. 14.
-- Aluga-se, vende-se ou permuta-se |a ca-
sa tortea, n. 20, entre asduas pontes da
Passagein, em ciilos propros, cujo ler reno
tem 40 palmos de frenle e 160 de fundo por
algum sitio pequeo, ou casa com gr. ande
-puntal, no mesmo bairro da Ba-V [isla,
comanlo que soja mais perto ao de Sa nlo-
Anlonio du que ao daquella:a quem con vier
algum dos referidos negocios, queiru an-
niinciar por este Diario, ou dirigr-sean se-
gunilo andar da casa da rua Nova, n. 47, ou
ao Sr. Oliveira, na casa junto ponto | 'e-
quena da dita Passagem.
Grande galera ptica
Vende-so 100 vistas das principaes pa
do mundo obra muito rica pela na
reza apropriada dos objectos, 12 oplin
vidros e outros perlenccs para qualqi
pessoa expo-las aqui, ou em oulra provin-
cia : na rua Bella n. 36.
Precisa-sede um feitor que trabalhe,
enlenda de horta o de vaccas : na Magdale-
na estrada nova, primeiro purtilo de ferro.
Os abaixo assignados, credores do fad-
lido Jos Manoel Mouleiro Braga, avisam a
todos oa devedores do mesmo Braga para
que llio nao pagem quantia alguma,visto lu
lodos os seus bens se acham penhorado*. e
dito Braga inhabilitado para fazer qualquer
irausaccao. Hinry Cibion. eune X.ovU
d Companhia. Porprocura^lo de Me. Cal-
monl Ai Companhia Alfttd Witlers
0 abaixo assignado faz sciente a quem
ncer o recebimento do Jrmuosto djtgoa-
olle, a negocio do seu interesse : na rua da
Soledade n. 29 ou annuncie.
Precisa-se do uma criada portugueza.ou
das ilbas, do bons rotlumcs para o servi-
co interno de uma familia estrnngera ; na
rua do Colli gio, n. 9, primeiro andar.
No dia 15 de abril prximo passado
fram seduzidos, cem lempo so 'piova-
ra quem os mandoii seduzir.do proprieta-
rio do engenbo Carrapalo da freguezia do
Itio-Formoso, Francisco Antonio Bandei-
ra, os escravos seguinles : Itoborlo preto,
do genlio de Angula de -20 annos, clieio do
oorpo cara chala o beiros grossos : Anto-
nio, preto, crioulo de 25 anuos estatura
baixa pos apaltietados : quem os pegar,
ou dclles der noticia leve-os ao dito en-
genho, ou nesta praga, na rua da Alfando-
ga-Velha armazem n. 36, quo ser recom-
pensado.
--Aluga-se o sitio da estrada do Reme-
dio, n. 2, com solTiivel casa de morada,
sonzalla para prelos boa ngoa, bastaotcs
arvoiedos, como sejam : larangoiras, man-
gueiras, j.iqneiras, calezelros, coqueiroso
jambeiros altn de uma exeelleni" >
para oi| im : faz-so todo f n, uupo-
i>usi'ja-se sancr sede presente esta nes-
ta ir>'de o Sr. bacltarel i.ouicdqo Acciolo
Wandorlcy, morador no Passo-dc-Caniara-
gibo de Alagoas, ou quem nesta cidade do
Itccife seja seu correspondente, para tia-
tar-se de negocio interessante ao dito Sr. :
roga-se o favor de annunciar por este 7J/a-
rio, ou de ditigir-so a rua Nova, n. 47, se-
gundo ailar.
Agencia de pasgaportes.
Na rua do Collogio. n. 10, e no Atcrro-
da-lla-Vista, n. 48, conlinuatu-se a tirar
pussaportes para dentro efra do imperio,
assim como dcs|uchain-so escravos : ludo
com brevidaJc.
--[O aliaixo assignado, vendo no Uiario
de Pernambuco n. 161 um annuncio fcito
polos Srs. Jos Vicente Dias Trrese Rober-
to liias Tot res, respeito a una vinculo que
dizem herdarum de seu finado av na illia
de S -Miguel, declarando quo veiideni o va-
le do arrcudninento veDCid.OyA-feTlio novo,
decate o abaixo a.ss'-jla'jo que linguorn
faca V"-'l0 com Ul arreodamenlo o m;a-
mo cornos vencidos que dizem; pois <,ue
c te vinculo foi vendido a Francisco la.oel
lavares, pai do abaixo assignado de cuja
vnd. se sucitou h.ver urna gran, c onan-
da (iuc durou mullos annos, c aflnal 10 de-
ced.do em Lisboa a favor do mesmo nvn-
res como se pode ver da sontcnc.a quee.is-
U em poder dos herdeiros, que ex.stm
ainda na Iba de S.-Miguel.
Manoel .errara Talares
Comoras.
Compra-se um tronco"
na rua do Vigario n
compra.
Compra-se um
as Cinco-Ponta elllm
a bom estado .
se dir quem
cm meio uso
Ycnde-se superior fio de al-
godiio para velas : na rua da Crd,
n. a, casa de Geo: Kenworthy &.
Companhia.
Vende-se um pardo robus-
to, de 2/1 annos, perfeitamente en-
tendido 110 servico de campo esem
vicios na loja da rua do Crespo,
n. i5, de Cunha Guimares c
Companhia.
Superior cha brasileiro.
Vende-se superior cli de S.-Paulo em
cnixinliasdeumaeduas libras: na ruada
Cadeia do llccife, n. 51.
Chitas, a 4,500 rs. a peca.
Vendem-se pegas do chitas novas boni-
tas c com toque de avaria a 4,500 ra. o
a seis vnicos a relalho : na rua do Passeio,-
n. 17._____-------
_ v -, ..Tn*Jrn'rt a 30 annos, sen-
um dolas cozinhejro outro carreiro e
outro canoeiro ; duas negrinhas de 9 a 12
anuos; 3 pardos de 20 a 25 annos, com al-
giimas habilidades ; 5 prelas do 20 a 25 an-
nos .com algnmas habilidades: na ruado
ColWgio n. 3, se dir quem vende.
Vende-se por preco commodo, ou
pormula-so por casas terreas, ou.escravos ,
urna terga parte ile um ptimo sobrado de
dous andaresc soto, com bom quntale
cacimba, no Alerro-da-HoB-Vsta, n. 94, o
qual rende 700,000 rs. annuaes : no Ater-
ro-da-I!oa-Vista n.17, fabrica de licores,
de Frederico Chaves.
Vende-se um sobrado de dous anda-
res e sol So silo na rua do Aguas-Verdes :
no palco do Carmo, n. 9. segundo andar,
das 6 horas da mantiSa s 9 o das 9 da
tarde em dianta.
Vende-se um bonito moloque de na-
cSoMocamhique, de 18 annos, que coli-
nda muito hem nilo tem vicios nem acha-
ques, o quo so afianca ao comprador;*4
rua da Concordia, passando a pontex**"1
a direila .segunda casa terrea. > .
Na rua da Cruz armazem n,-^13, do s>a
Araujo vendein-80 superiores queijos de
qualha chegados pelo ujifimo vapor ao
Cear de todos os tamaarnos at meia ar-
roba muilo frescaes^T de superior massa,
por sercm feitos devencommenda.
Na ruMas ^iea n. 22, aegt|ndo an_
.lar, wndep-^4, 4 escravos, aent,,. um mo.
loque de- ( -j,u de 18 aino9^M p^,,,
,'' Or unos quo cozmham ""V.u^sl.
,8Va_ Vcndem-se no 9*Stmt n.
i do Calata, no caejja Alfande-
"'a, por preco fihmodo, barricas
cotn farino^de mandioca, muito
fina, 1 -uhy ) assim como saccas
cowijSo novo, muito grandes e
-se
dOUS
82bos mansos pataratas: trata-se no mesmo arma-
zem, 011 com JNovaes 6c C*
YeneVM urna mulatinha de 20 anno,
com algnmes habilidades: na rua da Moe-
. ...... 1 .......
carrosa, q>" ,-Bo ..-
os livor .; srjam grandes o gordos (
faz e ( d.rija-sc rua do Crespo.
.quina para a rua das t'f>J7ndo nu-
Compra-seo primoir^,, nom esta.
mero do Brinco dai t*(Jta 11. 58.
do : no Aterro-da-Uem.
l.l'JUo fcilo na torra de
Compra-r" na pruca da Indepeiidcu-
. toda a' ,
11 (.....npram-se 30 pes de larangeiras e
limeiras pequeas : na rua do I.mmenlo,
n. 14.
*
Vendas.
Vende-se una preta do nac3o, de 18
annoa: ao comprador se dir o motivo por
que se vende : na rua do Brum 11. 5.
Vendem-se, superiores queijos (lamen-
tosa 1,280 lls, ditos a I.GUOris, Iclraa
S40 ris, dita a 180 ris, talharim a 160 ris,
macan ao a 100 ris, vinho verde a 160 ris
agarrafa, seivcji branca muito superior
360 leis a garrafa ; tudo por menos do que
em oulra qualquer parlo : na rua Direita,
numero 18.
da n. 9, segundo andar de manhna al as
8 horas, e de tarde at as 4.
V011de-.sc um escravo proprio para lodo
o servico, principalmente para trabalhar do
enxada : na rua doQueimado loja de fer-
rager s, n. 14.
Vende-se uma parda de boa conducta,
com algumas habilidades, por preco com-
modo ; um moleque de nacilo, do 18 a SO
annos ue boa conducta, tambetn por pre-
co commodo: na rua das Cruzes, n. 20, as
lojas.
Vendse, por preco muito
commodo, no armazem de Diaa
Ferreira, no caes da Allandega,
farinha de Santa- atharina, em
saccasgrandes,e barriquinhas com
potassa, muito superior: lrata-s
no mesmo armazem, ou com No-
vaes &c Companhia.


\
\
h
1
Vondem so presuntos inglozes para
fiambro ; Iotas rom bolachinhas de Lisboa ;
ditas d.' ara ruta ; ditas do marmelada de
!.:' libras ; ditas de sardinhas ; ditas de
li'Tvilli.is ; ditas de chocolate de Lisboa ;
frascos de conservas ; ditos d'agoa de flor
do laranja; barris com zeitonas brancas de
l'.lvas ; garrafas com vinho moscatel de Se-
lubal e da Madeira; queljos de prato ,
frescaes: tudo novo e chocado ltima-
mente do Lisboa : na ra da Cruz, no
liecife, n. 48.
Vende-se vime, chegada ltimamente
no brigue Novo-Vencedor: na na do Apol-
lo armazn) de Antonio Augusto da Fon-
seca.
Vendem-se sellins inglczese
camas de ferro: na ra da Se rizal la-
nova, n. t\i.
Cha brasileiro.
Vende-se cha brasileiro do armazem de
niolliados, atrs do Corpo-Santo, n. 66, o
maisexcellente cha produzido cm S.-Pau-
lo quo tem vindo a esto mercado, por
proco mu i lo commodo.
--Vende-so urna cabra de 40 annos pouco
mais oii menos, a qual chegou agora do
serillo; um mulatinho de bonita figura ,
muito sadio o bastante esperto : na ra do
i,uieini:id(t, loja de fazendas, n. 45.
AGENCIA
da fundiclio Low-Moor,
RA DA SKNZALT A-NOVA, N. l\1.
Neate estabelecimento conti-
na a havor um completo sorti-
mento de moendas e mcias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
com'.'), de todos os tamaitos,
para dito.
Vende-se champanha da mais superior
qualidaile que tem viudo este mercado:
na ra da Cruz, n. 27, armazem de Crocco
& Companhia.
A 6*40 rs. cada un.
Vendem-se cobertores de algodilo ameri-
cano, encorpadose grandes a duns pata-
cas ; cIiIhs escuras de bous padies e c-
'res seguras, a meil palaca o covado : na
ra do Crespo, na loja da esquina que vol-
ta para a cadeia.
Vende-se algodao Ir,meado
da fabrica de Todos-os-Santos a
270 e a 3oo rs. a vara : na rna da
Cadeia, n. 5a.
Taixaa para engenho.
Na l'imilicfin de ferro da rna do Itrum,
acaba-so do receber um completo sortimen-
tode laixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por preco com-
modo e com promplidSo embarcam-se,
ou caricpani-'sc cm carros sem despezas ao
fomprador.
Deposito da fabrica de
Xndos-os-Santosna Itahia.
Ka ra da Cruz, n. ?, aJkuu. er & C.
(aquella fabrica, mu i lo proprio para sacc
de assucar c roupa de esrravos,
1,280 ris.
Vendem-se superiores cortes do brim
trancado de puro linho cor de lama de Pa-
rs pelo barato preco de 1,280 rs. : na ra
do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Dia, *
Foi ha de Fia ndres.
Vendem-se caixas com folha de Flan-
dres : em casa do J. J. Tasso Jnior : na ra
do Amorim. n. 35.
N. 9.
Ra da Madre-de-Deos.
Puro vinho da l'igueira.
O novo armazem riesla pinga deliciosa
acaba-de se abrir ncsfirwua, defronte do ex-
finclo armazem ao mesmo preco de 180
'Vf Parrafa e a 1,360 rs. a caada. Os
C .Ajiles desle licor alliencontrarilo garra-
comi>e7m'',lmenle lflCra()*8 com o scu
Drnmnt&! r"lul parl' '"""carern por outras
C0^2i3?ehS2 ; Msim Como ll,ml, "rj4 de diversos tamanhos,
com Machado & Pinheiro, na rna
do Vigario, n. 19, segundo andar.
4cs fumantes de bom gosto.
No armazem do moldados atrs do Cor-
po-Santo, n. 66, ha para vender, chogados
nelo ultimo vapor .vindo do sul, superio-
res charutos S.-Felix, e de outras muitas
qualidades que se venderSo mais barato do
que em outra qualquer parte : bem como
cigarrilhos bespanhes ditos de palha de
roilho, que se esto vendendo pelo diminu-
to preco de 500 rs. o cento.
Cha barato.
Vende-se muito bom cha, pelo preco de
500 rs. a libra : na ra do Crespo, 11. 23.
Direito das mulheres
e injuslica dos homns, traduzido por urna
Brasileira : vende-se Sa 640 rs., na praca
da Independencia, livrria ns. 6 e 8. *
Cortes de brim de puro
linho, a/1,280.
-- Vcndem-se corts de brim trancado
pardo de pu'o linho, pelo diminuto proco
de qualro patacas i na ra do Crespo, loja
da esquina que volt para a cadeia.
Attenccto.
Na ra do Crespo, loja n. 5 A, junto ao
arco de S.-Antonio,vendem-se ricas mau-
Us de seda de novo* lavrores a 6 e 8,000
rs. tanto para senhora como para meni-
nas ; alm destas fazendas ha u.n rice sor-
timento de Icques com enfeiles inieira-
mente novos, e que se vendetn maisem
conta do quo em outrn qualquer parte.
Charutos de S.-Felix.
Na loja de Antonio Joaquim Vidal ven-
dem-so superiores charutos do S.-Felix,
verdadeiros os quaes se recommenda sos
bons fumantes.
Vende-se a casa terrea de pedra o cal
n. 136 da ra Imperial ; um terreno junto a
mesma para oulra rasa j aterrado, tudo
al o rio, e om chos proprios : na ra do
Collegio, n. 6.
Vende-se cal virgem de Lisboa em
barris pequeos ; feches de arcos de pao e
rodas de ditos para barricas; cunbetes do
pinho abatidos para assurar>; pregos cai-
xaes do Porto em barris de 10 millieiros ;
ditos de estuque em barris de 3-2 milheiros;
marmelada de Lisboa em latas de 1 e 2 li-
bras ; pilulas de familia ; cadeiras de pao
preto, angico e cerdeira, chegadas ltima-
mente do Porto : a tratar com Joquim Fer-
reira Mendes Cuimares na ra da Cruz ,
n.49.
^0ED0>
o.M r ?' ,'600 rs a C8na,la c
' ,? 7'nJfTnt\ PrC^etrio .leste esta-
i;e/ec7nlo pede oxame para poderem ava-
"arapurl^de sua qualidao'^ e asseio, e
W VTOALHAhr iip nnnn ...,.. "Ss
ITOALIIAUtf DE Puno .LINHO.
m
y- -loalhado depuro linho, J
*o largura, a 1,600 rs. J
S Vende-se .. superior, com 8 21
j^ com 6 palmos .. com II ps|-2
tp. a vara ; dito muito -iesma fa- <;
palmos, a 4,000; dito rj0 e ^
i> mus. a 5,000 ; loalhas da >. -,3 <;
i* zenda, com 7 palmos decomp! 4g
^ 6 do largo, a 2,000 ; o fcurdanap>.
** a 3,000 rs. a duzia : na loja do sobra- maz doMatJos Fslii
ff doaiuarello da ra do Quoimado, s 3l"~i
n. 29. ^
'.:' 11 i A IA A A A A A A A A -5 A A A A (9
--No armazem da ra da Woda, n. 7, con-
lina-se a vender superior colla das fabri-
cas do Kio-Grandc-do-Sul, por prego ba-
rato.
FARINHA DE MANDIOCA.
A melhor farinha de mandioca que tem
venda he a bordo do brigue Minerva, cliega-
do de Santa-Catharina, e Tundeado na praia
do Collegio, onde se vende a preco mais
commodo que em qualquer outro barco; e
timbero se podo tratar na prega do Coin-
mercio, n. 6, primeiro aodar.
Vende-se farinha de mandio-
ca, muito superior e por preco
commodo, a bordo da sumaca
Filia-Carolina^ entrada de San-
Alatbens, a qual se acha fundeada
defronte do caes do Collegio : tra- i
para curar da phtysica em todos os leus
difierentes graos," ou motivada por m-
guma das seguidles molestias: constipa-
Ces, tosse, aslbma pleuriz escarros de
sangue, coqueluche, dorde costase pei-
tos, bronchites dor na garganta e todas as
irolestias dos orglos pulmonares. Esteex-
cellente remedio quo tem gozado de tilo boa
rcputaco nos Eslados-Unidos da America
do Norte, pelos seus bons effeitos na cura
das varias molestias acima'mencionadas, in-
duzio os proprietariosdelle a manda-lo pa-
ra o Brasil, onde a esperanca de suas virtu-
des nao fram sem fundamento como a
experiencia tem mostrado desde a sua in-
roduccSo poisos admiraveis effeitos que
tem produzido aqui sSo iguaes aos melho-
res que all tem feilo e que silo bem attes-
tado pelos varios lestemunhos e certifica-
dos das pessoas que teem sido curadas por
este medicamento sem igual, particular-
mente ao sul desto imperio onde foi pri-
meira* nt-oduzido, e j nesta mesma
provinV, "los mdicos e seni-
pre cql-mcnle ... ^,mn,_
t >cia rcceitado p..
.n bom suceso. Novaes o t....,
os nicos agentes nesta cidade e pro-
na, nomcados pelos agentes geraes do
le-Janciro-, os Srs. K. C. Vates & Cum-
ia [i o 'lu ii ni o deposito deste xarope
a botica do Sr. Jos Mara Ramos, na
dos Quarleis, n. 12 junto ao quaitcl de
cia onde semprc achaiOo o nico vor-
Jeiro, vindo daquclle deposito, a 5,500
. cada garrafa.
--A bordo do hiato S.-Jodo, fondeado
.'"' rronto do l'asseio-l'ublico vende-se boa
tratar coi., je mandioca por preco rasoavel: a
com AmTin.T, o mestre do mesmo hiale ou
i9- "* Irmaos, na ra da CadeiaJ,
Rap.
Vende-se o soperio. ""ofrancez.
nicamente as lojas dos ap "rolo francez ,
"a. 00 Aterro-da-lioa- Sw.CaeUno l.uiz
_ na v'st n. 46 ;
Xliif^ncisco Joaquim Duarte ""esma ra,
"' 5*T*^L|r,Di'0 "a ra da c. Mln t,rj
Cabug Prll^ 'dt-ia
doneCife.n.l9Xmtoacr(ldi(a.
Vende-se>L_ .
de i i ^llj ciicea-
.1 lirinlia lianceza^^ &
da ltimamente, e por pW^*
vel : na tua da Senzalla-v
138.
A 4 oo ris.
barato preco de 200 rs. o covado: na loja da
esquina da ra do Crespo, que volta para a
cadeia.
Vende-se cal virgem de Lisboa de
superior qualidade, em barris de 4 arrobas,
chegada neste mez polo brigue Maria-Jot:
a tratar na ra do Uruoi, armazem de
Antonio Augusto da Fonseca, ou na ra do
Vigario, n. 19.
Na loja da lAia do Crespo, n. 6, ao
p do lampean continuam-se
a vender azendas baratas.
Cortes do brim trancado amarello, a 1,440
rs. ; ditos do dito escuro, da melhor qua-
lidado que tem vindo a este mercado, a
1,280 rs. ; dito branco strado a 1,500 rs. ;
cobertores de algodao mais encorpados
dos que os de outra parte, a 640 rs.; chitas
para coberta a 200 rs. o covado ; chitas es-
curas com cores lixas a 160 e 180 rs.; cha-
peos do massa, a 1,600 ra. : ditos de seda,
a 64o rs.; cassa para babados e cortinados,
a 2,400 rs. a peca e a 320 rs. a vara.
Barricas.
Vcndem-se barricas vasias queforamde
farinha em p e bem accoudicionadas:
na ra do Amorim, n. 35, casa de J. J.
Tasso Jnior.
Vendem-se accoes da com-
panhia de Pernambuco cParabi-
ba : no escriptorio de Olivf.ira Ir-
maos &c Companhi, ruada Cruz,
n. 9.
O 0
r> FAZENDAS BARATAS. 0
3 Vendem-so cortes de brim trancado 0
0 pardo, a 1,280; ditos de dito hran- A
,x co trancado o de listras, a 1,280; di- g
? tos de dito amarello, a 1,500 ditos ?
jr de macedonia, pudines de casimira, 2
j* a 2,000; ditos do casimira do algo- *
O dSo, fazenda escura e muito encor- (r
O pada, a 2,000; eoutras muitas fazen- &
O das baratas : na loja do sobrado ama- 0
0 relio da ra do Queimado, n. 29. 0
Na loja de Carlos llardy, na ra Nova ,
n. 32, vendem-se manteletas prelas para
senhora; chapeos de seda o de palha para
senhora o meninas. Na mesma loja tambem
se fazem chapeos de encommenda o ha um
sortiinenlo de lindas toucas para meni-
nas por preco mais barato do que em
outra qualquer parle.
Vendem-se pannos finissi-
mos cor de caf, verde, preto, azul
c cor de vinho,a 45800 rs. o tova-
do ; dito mais abaixo e das mes-
mas cores, q 3.200 e 3,6oo rs.;
dito encamado muito fino, a 3,5oo
rs. : tudo para liquidar contas ; na
rtu do Queimado, loja n. Si.
Silencio ao batato.
Na ra do Livramctilo, n. 14, vendem-se
corles de lila de bonitos padrOes, a 2,100
rs. o corle; riscados ministros, a 260 rs. o
covado ; lencos de cambraia de linho, mui-
to linos, para senhora ; pecas do madapo-
flo lino, a 2,800, 3,800, 4,000 e 4,500 rs. ;
chitas escuras de cores fixas.a 160, 180 o
200 rs., e muito finas a 240 rs. ; cortes do
""liraia para vestidos, de ricos padres ; o
"*-----'"baratas.
- Vende-se urna escra va de nacao, de94|' nos que coz.nha o diario de urna casa, phina. de vapo de dr^ de 4 canlloi, JT
- muito boaIpressao, reparlldeiras, espumadeir.g .
Recife. n. Ide ferro estanhado. Na mesma agencia'1.1
'se um sortimonto de pesos para balinV *"
escovins paia navios, ferro em barra i?!'
.0 redondo, safra par.'fcT0
annos .
lava d sabfioe varreHa e be
quiiandeira : na ra da Cruz, no
23, se dir quem vende.
Para Ijquidcao.
Na loja n. 5 A, da ra do Crespo, ao p do
arco de S.-Antonio continuam-se a vender
muito bons cortes do cambraia do coros
com 6 varas e meia a 2,500 e 3,000 rs; pe-
Cas de madapolflo infestado, a 5,500 rs. ,
muito boa fazenda;lencos de cassa para gr-
vela aioo rs.; casimira elstica preta "a
2,500 rs. o covado ; casimiras de cores para
Micas ,a4,000 rs. o corte ; cortes de coj-
lelos degorguro de seda a 2,500 *,w
rs.; chales de chita grandes, a 80014^^
pequeos.a 500 rs.; eainda restam alguns
chapos de crep para senhora a 2,000 rs.
O
GZT Na rna do Crespo, J& O
q loja da esquina que volta j
0 para a cadeia, vendem-se q
0 os acreditados brins trancados hran- <;:>
0 eos, lisos, de listras e de linho puro, ,.':-.
a 1,500 rs. o corte ; dito amarello a a
1,440 rs. ; dito muito superior, a
1,600 rs. ; picote muito encorpado z,
proprio para escravos a 180 rs. o x
covado; panno preto muito fino, a y
- 3,200 rs. o covado ; cassa de quadros **
& para babados, a 2,000 rs. a peca ; 1 u O
O vas de algodSo de cor, muito linas, a O
O 240 rs o par ; chitas rouxas com fio- <3
C:> res encarnadas, de tintas seguras, a 0
0 180 rs. o covado ; cassas prelas, pro- Q
0 priaspara luto, a 160 rs. o covado; a
ja pecas de plalilha dealgod.locom 25 >-,
p, varas, a 4,200 rs.; e outras muitas i
fazendas por preco commodo. y?
O
Vendem-se cortes de cambraias ada-
mascadas propriaspara vestido, a 3,000
rs. ditosde talegada, a 1,600 0(2,500 rs. ;
rassa-chila decores lixas, a :HI0 rs. ; l-m-
zinhas para vestidos, calcas e ro^P" de me-
ninos a 320 rs. o covado ; liizeijula de 1.1a
comlislrasde soda, prupna pana vestido
de senhora a 640 rs.; ISas paralcalcas, de
muilo bom gostoe de superior qualidade
a 2,200 rs. o corle ; corles de casj'a, a 1,400
rs. cada um ; panninho com vara de lar-
gura a 240 rs. a vara, e a 2,500 )rs. a peca
com 10 varas o meia ; chales de aura 15a ,
a 2,000 rs. cada um ; fustOes para Icolletes,
a 500 is. o corle ; e outras muitas /fazendas
por barato preqo : na ra do Crespo, lo)a
n. 15, de Cim hi Cuimar3es & Companhia.
Vendem-se resmas de papel de peso
branco, de superior qualidade ; ditas de pe-
so azul ; ditas de almaco, por preco bara-
to : na praca da Independencia n. 4.
Vcndem-se 8 casaes de pombos, bs-
tanlo grandes, muito bons batedores, boxf*]0' os prfl
nitos e Je excellcnteraca por preco cgni- aonRO '
modo ; um porca de rc bati muito or- m,'nos '
pai
quadrado comoiouuimu,
ro, e urna porclo de tinta verdo am i,u'" f
tudo por barato preco. >>1S
Camisas Jfrancezas
\jNa ra Nova, n. 14, loja de alfaiau k
chejtaijo um nquissimo sortimento rj'.
misas brancas e de riscados os mais lind
padrOes e 2tH.es fixas, por preco commodr
- Tabos de sedro.
Vendem-se 3 duziaa de taboas de sedr
por preco comrnbdo: atrs do Iheatro ,",'
inizens ns. 16 4,s-
l'echlncha.
porcao de bolacha 8lr,
teco muito em conuj",
Va n. 26.
1 relogio de ou.ro, noder-
bue trabalha ,nhnZ.
Vende-se un
embarque por [
ra Direita, paila
Vende-se ul
no e horizontal Mu irahalha ?ohnt
diamantes : na ruaSu Itangel n.54, tu
lar cot Victorino Francisco dos Santo.
jttscrvos Fiifriiso
da o propria para negocio : na ra da/"i.-|0.
renlina n. 16. i
Vende-so urna carroc nova, [a/fa
tada a oleo e com fortes rodas de m- i n
Fuginm em agosto de 1832, Catha-
rina do paco Cacange, de 14 annos, bi.
xa, eheia do enrpo, com falla de um denle
na fente; hojedeve representar 31 innoi:
Jacob pardo de 18 annos, secco do cor.
po, cabellos estirados; tem um pequeo ti.
I lio na niac^a do rosto, e falla-lhe umoen.
te na frente o mais visivel signal be a mar-
ca de um caustico as costa fugio em d.
zembro de 1847; quem os pegar leve-os
ra Nova a Jos l.uiz l'ereira, que gratifi-
car*.
Fugio, no dia 28 de maio proinopn,
sado um preto de nomeManocl, de rutJo
Benguella, mas parece crioula, por ter u-
tudo no mallo muilo lempo; f.lli ben
claro ; he, baixo, grosso do corpo; bem bar-
bado cor fula ;*em os beicos grotso, e
no inferior urna cicatriz ps apalhfUJo,
olhos o rosto de quem he bastante ebrio,
toca vio'a a moda do serillo ; tem sido yu-
to desde a Passagem at o Cacbang; jul-
ga-se ter mudado o nome e anda cotiM
titulo de forro : quem o pegar leve-o i mil
da Cruz, no liecife, n. 31, que ser. gnero.[
smente gratificado. -
Acha-se fgido o escraso^B'Jorentio,;]
crioulo de 35 anuos ^hrio do corpo, di I
lioa altura', falta-lh^ralguns denles; leal
o i'oVlo chejoj^" cau#sa braVca e chtpo de palha ; nonni-l
tof"
X^Fug
lo, os prt
I'IOJ-^
raV-at
esti
: ve-o a
a pin/
sir> 1.1--ira :
esta obra pela sua construcQflo he f. melhor
(lllll llllllllliH
e China es
linenlo Jos I
que pode appareccr : na ra
na n 1G.
--Aiinia e.-ia por vender a ve
ro-da-Boa-Vista n. 22 com
dos o com bons commodos
familia -. a tratar na mesma
romo um braco do bataneo
"Tobas cm pesos, proprio |
Coar-
ta fgida ha 12 dias: qma
a ra da Cadeia do llccifc,
sera recompensado.
am, no dia 30 do prximo p*
'os Joaquim, de nacSo Cm
a, de 24 annos pouco miis
latura regular com algumi
scentosas noeslamago : Joilo, t
u.,..-. ., .nnyli.. do Jiaiiiuis pono mais'ot
I menos eslaturfcos^uiar grusso do cora,
com dous dcdoMjcijados na niao direita,
um a cicatriz loiyiesma milo e congrio
cipio de um rcbcibo tambem na me
marcas de
da do Aler-
poucos ra-
para morar'
venda : bem
ra armazem
mfo. Roga-se as\()toridades policiaes e ci-j
pitliesde campo i"qu
Cartas da India
pas pelo bem co-
tem varios relia\iacio de Andradc;
dos de personagerrtos litho^rapba
gincuas trras : ei aulor hasta para b\"fin> o nome do
iy seu elogio : a
po : na ra da
voluntes em bom
Cruz, n. 9.
de.
A 640
Vendem-se cobertores TS.
encorpados, proprios para uealgodilo, muito
p tacas cada um : na ru- esCravos a duas
"-- a da Cadeia-Velha,
liomban
Na rondicfi- (Ic fcri'0'.
ha" 1 m~S' ,le ferr0 d* ru* do nrum
blncc J suPrr'ores bombos para cacim-
*_ si m como de repucho para fazer su-
y y
$ Farinha de s-llaihensA
V P
fa Veiide se farinha muito superior, por ft.
v7 precio commodo a bordo da sumaca y
^ /'f/i'r-.iiroH, Tundeada em frente do >
S caes do Collegio : a tratar com o ca-
A pilfca bordo ou com Machado & Pi-
^ nhriro na ra do Vigario, n. 19, se-
gtando andar.
- Naiua do Cicspo, loja n.
G, 10 p do lampcao, vcndem-se
pro as de cassa de quadros, muito
linfas, por a,ooo rs. a pera e a 320
rs/ a vara.
- Vende-se urna mobilia de Jacaranda,
ob ra bem construida, eem bom estado : na
pr ac da Independencia, 11.1.
-- Vende-se cha brasileiro, o melhor que
11 apparecido ueste mercado, por preco
nmodo : cm casa de Elias Baplisla da Sil-
na ra do Sol, n. 1.
- Vendem-se relogios de ouro o prala ,
ente inglez : na ra da Senzalla-ISova ,
42.
Vcndem-se4 escravas, a saber: urna
rinha de 7 annos; dous mulatinhos,
de 7 annos e outro de 13 ; um moleque
12 annos, muito bonilo : todos minio
conla.atendendoa falta desles objeclos:
ra larga do llozario, loja n. 35.
Vende-se urna parda propria para o
ser vico de urna casa : na ra da Cruz, n. 28,
* irialar com Lima Jnior & C
He chegada
nov remessa dos superiores queijos de
quaha Iguaes aos que vieram pela pri-
"'"* vez muilo frescaes e grandes : na
U melhor fazenda para vestir cr.vo pelo ru. JOu^pwdo, loja demiudezas, n. 25
n.
({Vende-se superioresguiilo de algodilo de
quatro palmosemeio de largura, proprio
para camisas de senhora e jaquetas, pelo
barato preco de 400 is. a vara ; brelanbas
de rolo com 10 varas, a 1,600 rs. ; supe-
riores, cortes de fustOes alcochofdo a
1,28o rs. ; ditos miudos a 400 rs. o corto :
na ra do Crespo n. 14, loja da Jos Fran-
cisco Dias
A 200 rs. o covado.
Vende-se zuarle azultrancado, muito en-
*, '--_____,.,:- k__j corpado e com 4 palcos emeio de largura,
ta-se com o capitao a bordo, ouj, roeihor fazenda para vestir acravo .pelo
da l'lorcnti-
111,nj. iuiKn-sc.3>(jiuiiiiiiu
v^inoiw^idam
levem-os a sed scfJMpT l'iogo ItodriguesJ
em Fra-de-Portas ,^Kiida n. 135.
Fugio, no dia 29 Vp prximo
do engenho l'ereiras, rfeguezia de JaboiU
rrnde, com 9 (0 prolo |,-||,,K)f ( criodo, de estatura ordi
" liara cheio do conjo, olhos pequeBM^
pouca barba falla um tanto roca
quem o pegar leve-o ao djlo e
prca ao Sr JuSo PwWI
uo recompensar.
25 do prximo pa*siii
, escra vo do Sr. Joot
.-dosQuarleis, n.15,1
giinhadelOa 15 annos, com principios do vnu C8|8S 0 CHmisa brancas, chapeo preto;!
habilidades ; 2'pardas de 20 aiyis urna re|ircscnla 18 2o annos; lem uns bicos pe-'
das quaes lie perfeita erigonimadcna, que |as foutes ; Talla bem desembaracido; ic-
cose bem chao, cozinhae faz o^ni3isoar- ,ja bastante apressado ; lem cara redondi;
ranjode una casa ;2 prelas com gumas
habilidades; e outros niuitos escravos : na
rna do Vigario, n. 24.
ATTfcNCAO : \
Vende-se, na ra do CollegtoJp. 17, vi-
nho da Figueira muito superiol pelo pre-
Co de 160 rs. a garrafa e 1,200 .ayana-
da : pede-se os amantes da boa*pi"rtga que
apparecam, visto ser esle tjjnesmo que
deixou de se vender na luaB Madru--Je-
Deos.
Vende-se graxa ingleza, JOO rs. o po-
te e a -2,31111 rs. a duzia : naHacu da In-
dependencia, loja de miudezaHi. ;).
.Nada 1,'i.j bom at hoje seH dcscober-
lu para miar vista ci ncada mili la como
sejam oculos apropriados H quaes se
vendem por diversos precosB muito em
conta, por naver sortimento M ra larga
do Itozario, loja de miudozas Jo. 35.
A 1,000 rs. o co^te.
Vende-se brim bao escuro m uilo fino ,
proprio para jaqueta a 1,000 rs*. o corle ;
dito trancado escuro e muito lino, a 1,280
rs. o coi le de calcas ; dilo cor de ganga, a
l,500rs. o corte, sendo todos de puro linho;
cortes de cassa do cordilozinho com 7 va-
ras a 2,000 rs ; fuslflo ulcochoado para
collele a 480 rs. o rite ; ine'as finas para
meninas de varios tamaitos a 32b is. o
par : na ra do Queimado, n. 8.
Vende-se um bonito t-scravo cabra de
25 annos pioprio para pagem ou para al-
(-ikii sitio por ser trabalbadorde enxada e
entender de plantajes; o qual he muito
robusto e de bonita figura : na ra dy Ca-
bug, 11. 16, segundo andar.
Na loja de Maia llamos & C. vende-
se pelo diminuto precu de 500 is. um dos
mais bellos romances que tem p.ir titulo
A roseira traduzido do francez por urna
senhora portugueza. Kecnuimenda-se mui-
lo aleitura desta obra, piincipaluienle aos
pas de familia; para que, daudd-a a ler a
seus lillius,, Ciinlieciiiii a graudolutilidadu
queso tira em derramar por entrpa nioci-
dado licoea de tanta moralidade cumohs
que s contem em dito romance. Quem
pretender os dilos livros, dirija-su a ra No-
va, 11 6, na indicada loja acuna.
Agencia de i! (hyin Maw.
Na ra de Apollo armazeinln. 6, de M. Cal-
mont&Cnmpanhia, acha-se tonstantomerile
um grande sortimento de felragens inglezas
para engeiihos de f.bricf assucar, bem
como laixas de ferrocoadi balido de dif-
ferenles tamanhos en- moendas
de dito, lano para armaiBapaj^adeia como Pbvi.
pressado m -|
he secco do corpo o baixo ; tem um l M|
peito esquerdo : quem o pegar leve-o 1 iu
casa que sergretificado.
-Auscntou-se, no dia 26 dopioximopwi
sado. urna prela de nacilo Cambindi, maioi
de 40 annos, de estatura regular, rosn
comprimo, feicOcs grosseiras, dereii"-
da.mlo airona : xein um caroc? em'ui
orelhu; consta ter andado a seruijo deurr
casa na ra do ngel: quem a pegar
ve-a a ra do Collegio n. 16, seguudo
dar, que ser gratificado. n
Fugio, ha dias um preto de no
Patricio crioulo de 30anuos poucom"|
00 menos ; he bastante preto, magro, 1
dentado com urna fstula em um quei
levou calcas de riscadoja usadas,jaqj
preta ; anda muito de vagar por W".1
do, doenle; consta andar nos ,rr,D*''
desta cidode, com urna mochil pew
esmolas como pobre ; tem um p"
inchado : quem o pegar leve-o a ru
t;ruz n. 33, que. ser gratificado-
- Fugio, no dia 31, pelas 4 borl
de um escravo pardo de nome J
de cor muito clare, cabello um ln"
chaim-, levou calcas de riscado, wl
riscido, deix"J
lldad*'
branca jaqueta de
cha|o, porm elle bavia ler cu
comprar outro ; tem no rosto |Kuin"'
das; heollicial de alfaiate, elamne'
tenue de carpina ; he muito de supp'i
ser muito alvo que se inculque forro,
diz ler mili forra as Bananeiras, pr>
da l'arahiba ; lio muilo baquiano, P*j
andado com o antigo senhor por -
lodo o serlilo com gados en que
negociava ; foi vendido no Ceara, *
rio, Antonio de Miranda que '
com sigo no vapor. Roga-se as aoi
policiaes, pessoas do povo e cap*
campo, que o apprehendan1 e w
ra da Cruz no lUxire, n. 33. que *
tilicar com 50,000 r.*
- Fugio, no dia 26
urna prelada Costa alta e groaa .
po ; tem por costme fazer su>
e quasi sempre anda pela ru da J\ .,,
agora dcsonfla-se que esleja gu"r" oe,'
perto da casa de seu senhor; 9 ^ ,
vando ferro no pescoco e correni a<
po no i ro vista uo diaJI9 00 w ^
chma-wEva.iitilmud'^-
llrt'
lado
e quasi sempre d o nonie de Josep A|
a pegar leve-a ao Hospicio, n.
Forlunalo da Silva.
:q*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEKE2LKN7_0RE8J8 INGEST_TIME 2013-04-13T02:40:14Z PACKAGE AA00011611_06236
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES