Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06232


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno XXV.

O l> .l/lOpublica-setodosgi diasque nao
fnri'in de guarda. Oprfcn da asaignaiura he
de 1?000 ri. por quarleI, pap aiantadoi. O
[annuncios dos assignaiue. ao Inseridos
relo de 50 r. por litilia, ?) rs. em typo dif-
ferente, eas repetlcoes prla metade. 0 oo
! assignaiKes pagarlo 80 TJ. por Hnha e 160 n.
(ni ivpoiliir.-iL'iiie, porcada publicaco.
P1IASES DA U1A NO UEZ DP. JANEIRO.
Ciejoenie, a.2. a6 hora e 18 mln. da manh.
[.,. c.ela U i. 8 hora. 31 ***$<
T La nova, a 4, s7 hora, e win. d manh.
Segunda-feira 29
_____-,... "i
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Param'ba, t segs. e sextas-felras.
Hlo-G.-do-Rorlc, qutotas-feirat aotneio-dia.
Cabo, .Serlplmein, Itio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no l. 11 e21-de cada mea. ^
Garanhuns e.Bonito, a 8 e 23.
Itoa-Vista e Flore., a 13 e 28.
Victoria, lis qiiinlas-feiru.
Olinda, todo. o. dia..
FREAMAR DE HOJE.
Primeira, 9 horas e 18 minutos da manh.
Segunda, as9 horas cii minuto* da Urde,
de .Janeiro de I84P.
das da semana.
29 Segunda. S. Francisco de Salles. Atid. do
J.do.orph.,doJ. Jdv.edo J. M.da2. v.
30 Terca. S. Martinha. Aud. doj.doc.da I.
v. edoj. de pasdn i. dist. de t.
31 (juana. Pedro Nalasco. Aud. do J. do c.
da 2. v. c do J. de pai do 2. dist. de t.
1 Quinta.'S. Ignacio. Aud. do J. das orph.
e-do t. M. da 1. v.
2 Sexta. > Purlfieac^o deNo.saSenhorra
3 Sabbado. S. liras. Auri.doJ. doc.dal. v."
e do J. de paz do 2. dist. de t.
4 Domingo. S. Andr C'orslno.
HHE"J
" CAMBIOS NO DIA 27 DF. JANEIRO.
Sobre Londre. a 25'/,a'ifid.p.l/rl.a60 dlr.s-
Paris
Lisboa ICS por cenln de premio.
Rio-de-Janeiro ao par.
Drsc. tlcloll. de boas flrinasa I'/i % so mea.
Acedes da coinp. de cberibe, a 50} rs. ao p.
(Juro.Oncas liespanholas. 29/OnO a 20/."iOU
Modas de 67400 v. 17,8*200 a 17^H'
de 0/400 ii. 16/100 a ItifiW
. de4>000.,.. 9/iOO a 9/400
Prala-Patacfle bra.lleiros 1/40 a l/!i00
Peso, columnarius. 1/940 a l.'.Miu
Ditos mexicanos..... 1*880 a 1/90 u
DIARIO DE FE
PARTE OFFICIAl.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 26 DE JANEIRO.
Cilicio.A o commandanle das armas, recommen-
dando hja de expedir sol orden* s 1., para que
sejam enviados ao inspector da pagadoria militar re-
cilio* em duplcala das ambulancias que teem sido
remedidas para di vesos pontos da provincia, fir-
mados pelas pessons a quem hilo sido ellas enlre-
(rues ; tf.% para quo essaH pessoas em lempo oppor-
I tuno deem cotila da applicacAo ou consumo que
tiveram tus ambulancias, e dos rasos em que fu-
ra m mandados os medicamentos j bem come dos Re-
medios que rt-starer ; 3.', para que nos recibos
ttulos de despejas com fomecimenlo de gneros a
torcas em operacOes so declare o fim de semelhantos
I fornocimentos, a frca a que silo destinados, e os in-
Idiwiduos quoos recehem, ou a quem do encaminha-
[doa para lerem o devido destino; *.', em summa,
para que todos oa commanda'ntes de fdreas, destaca-
I nientos, ou quaesqtier autoridades a quem compita
passar documentos de despezas, nSo os entreguen!
s partes em papis avulsos, como se tcm praticado,
mases remeltam a S. Exc. com elucios em que
mencionen) ludo quanlo posea servir de esclareci-
mento para o processo e classilicacao das mesroas
despezas.Partlcipou-se ao inspector da pagadoria
militar.
Dilo.- Ao presidente do coneelho geral de salu-
bridsde.Pelas ras0es:constantes do ofllcio do ins-
pector da alfandega, datado a 41 do dezembro pr-
ximo lindo, c que por copla incluso remello, nlo
be possivel procoder-se em Ierra desinfeccilo das
merendonas que porvenlura huuverem de vir dos
porios onde se tem desenvolvido o chelcra-morbus.
O que I lio declaro em solugto ao quanto Vmc.
pondera na sua representadlo de 2 do indicado mez,
prevenindo-o de haver recommendado ao sobredito
inspector e ao provedor da aade prestem-se ao que
Vmc. Ihes requisitou, e consta de um outro oflit-io
leu dirigido a esta presidencia aos 48 do citado de-
zembro. Noste sentido ofliciou-se ao inspector da
alfandega e ao provedor da sade.
IDKM DO DIA 27.
Ofllcio-Ao inspector da lliesouraria da fazenda,
transmitanlo o aviso de urna Ultra da qtianlia de
1:169,500 ris, sacada pela lliesouraria da provincia
do llio-Grande-do-Norte sobro essa a cargo de S. S.,
ea favor de Barroca. & Pinbero. Participou-se ao
presidente da mencionada prorncia.
Dito.Ao commandanle da pra^a, participando
queS. M. o Imperador houve por bem permittir que
o alferes-secrvlariu do 8. batalhfio de ca;ailores,
Antonio Jos de Santa-Amia, gozc no Cenr a liccn-
qs que ohtivera para tratar de sua sadc nest pro*
vincia. Scicnlificoti-se o inspector da pagadoria mi-
litar.- '
Dito.Ao agente das barcas de vapor, recom-
mendundo mando dar passagem a bordo do va-
por Imperatri* por conta do governo ao voluntario
del.1 linli n, llerculano de Andrade Pcssoa, que ora
segu para-a corte.Communicou-se ao comman-
duntni praija.
TRIBUNAL DA RELACAO.
SESS.lO EM 27 DE JANKIIIO DE I89.
paasinasciA do exm. ss. concaiuEino *zvedo.
Ai horas do csame, achando-se presentes os Srs.
desembargadores Ponrc, Ramos, Bastos, L-sHo, Sou-
za, Itabolloeo Sr. juiz de direito l'eroira Monteiro,
faltanJftfla Srs desembargadores Ayrcs e Nunca Ma-
chado, o Sr. presidente abri a scss.lo.
Jutyamenloi.
proposlos e julgados os siguiles ro-
_A appelacflocrimeda cidadeda Paraliiba em quo
Jos
ocon-
Appell.nle, a juslica ; appeilado, o reo preso
(ornes. Foi a Horadan ppa imposta ao roo i
domiiado a gales perpetuas.
Foi negada a sollura do Euaebio Teixeira' pedida por
Aneeai corpui.
NHo leve provimcnlo o aggravo de peliijo entre Nu-
noMarle deSeixssel.oiz Arrvcl Dubourq.
Ataigii.ou-se o primeiro dia ulil para o julgameo-
lo dos.eguiitcs appellaOcs :
A appelU^ao crimo em que $2o :
Appcllantea, Joilo Manoel e Evaristo Mendos da Cu-
nta ; appellade.ajurtlca.
AsappellatOes civeis em que sOq ; ._ ; V
Appellanle, o juizo de ausentes ; appellade, Jos An-
tonio da Costa Cuimarfies.
Appellanle, l>. Anua Joaquina do Nascimento ; ap-
pellado, Diniz Antonio do Moraes Silva.
AppeHantc, Marcelino Jos Lopes; appellado, Mano-
el Eliu de Moura.
Aprellante, D. Anna RaymuoiU dal'az ; appellado,
Joaquim FlixdaCoala.
Hcviides.
Passou do Sr. desembargador Ponce ao Sr. des--
embargador Ramos a soguinte appeilacSo civel um
que silo :
Appellanle, o prelo Antonio como administrador de
sua filha Mara ; appellajo, Ignacio Joaquim Ac-
' cioli de Vasconcellos. '
Passaram do Sr. desembargador Lefio ao Sr. des-
embargador Souza as acguinlea appellsqcs civeis
em que silo :
Appeilante, Manoel Antonio Ribeiro ; appellado,
Luizlleinardino Soares.
Appellente, Jos Lui de Caldas; appollado, Joto
Baplisla Paes Brrelo.
Do mesmo Sr. desembargador Lefio ao Sr. desem-
bargador Itabello a seguint appellac.to civel cm
que alo: ,
Appellanles, os administradores da casa fallida do
Francisco Jos da Cosa ; appellado, Joilo Viei'ra
da Cunta.
Passaram do Sr. desembargador Souza so Sr. des-
embargador Uabcllo as seguintes appellacOcs :
A appeilacSo civel em que sflo :
Appellanle, Joto Francisco dos Santos Siquoira ; ap-
pellada, I). Francisca Antonia Lina.
A appcllac.o'o crimo cm que silo :
Appeilante, o juizo da enmarca doCrato; apella-
dos, os vereadores da cmara da mesma comarca.
Passaram do Sr. desembargador Itabello ao Sr.
desembargador Ponce as seguintes appellacOcs ci-
veis cm quo silo :
Aprellantes, Jos Thom Rodrigues e JoSo Thom
Rodrigues; appellado, Antonio Francisco Braga,
como administra'lor dos bens da capella de Nos-
sa-Senliora-da-Conceigao da Motilada.
Appcllantea, os herdeiros do padre Antonio Tberczo
de Oliveira Antones ; appellada, a fazenda pro-
vincial.
Do mesmo Sr. desembargador ao Sr. juiz de di-
reito Pereira Monteiro :
Appeilante, Francisco Jos Barboza; appellado, An-
tonio Gomes Villar.
Levantou-so a scsslo.
DIARIO 0EP8BNAilIil)f,(r.
HXOIFE, 38 II JANEIRO DX 18<9.
a' hio n. fi9.
Scmpre que os muito altos e mullo poiercm senho-
r,.qiis teem a fatu idade do se considerarem os re-
presentantes exclusivos cuja Italdade i patrioliiino te acham hoj confuidos os
destinos do Brasil, hilo rosolvido alirnr sobre nos os
convicios, calumnias o injurias, com que sdem brin-
dar a quem qur quo incorre no seu soberano des-
agrado, nflosc Icemesquecidodccstabelecerascoe-
sasdemodo a-disporem o proprictario desle Diario
para nos nao permiltir que Ihes respondamos. Sem
podrem usar do bravatas quando rodigiam o Lidg-
dor, pois qqe nessa poca lamhom soffriam comnos-
co as perseguios da poltica que dominav, el-
les recorreram i bonhomia do nosso amigo, na oc-
casiOo m que nos baralearam por osso peridico
as mesmas regateirices com que nos mimoseram em
a UMIio, cujo numero citamos em principio: agora-
que se suppOem as circunstancias do impdr con-
dies o fazer ameacas, appellam para a fon/ placlio e rtspeilo que dtterlm merecer a este cidadflo
depois de lho haverem perldamonto insinuado cx-
clua da reda^ao do seu jornal a pessu-i, CUJOcrirne
consiste em nlo ir recebor inspiracOes dos conspicuos
i profundos estadistas quo julgam-so com direilo in-
disputavel ao commando em ebefo de todos qan-
losse decidirem a pugnar pela causa da ordemo da
nionarchia.
Entretanto, nada arreceiamos em asscverar-lbes
que por este lado nfio adianlaifio um passosequr :
entro nos eo proprictario do Diario da' l'ernambuco
ha urna allianca tanto fnais duradera e sagrada,
quanto nflo ho filha das conveniencias polticas, que,
sempro v.riareis, jamis dcixam de influir para que
desse defeito so icsinta qualqucr pacto que dolas
asee ; mas sim e tmenle da amizade que recipro-
camente nos votamos. Essa allianca he causa para
*oe consideremos como proprias as offensas, sepa-
radamente reitasa nsou a ello; e pois, quaeiquer
que sejam as hypolbescs figuradas, ninguem conso-

guir quo um de nos concorra, nem mesmo por
mcios indirectos, para quo so menoscabe c insulte ao
outro impunemente.
isto prevenido, entraremos na quesillo, esforcan-
do-nos o maispossivol porconserv.rmos a modera-
5.I0 e a decencia, quo releva presidam aos aclos do
individuo que quer lestemunlinr ao publico sensato e
imparcial a injusticia com que foi qualifleado de mre-
viio, selvagem e gro'telro pelas propriss prunas que,
j o tendo atacado com igual acrimonia, o procla-
maram como digno de certo lugar um pouco impor-
tante para que o nomera o distincto e honrado Sr.
Costa Pinto, assevrando ao mesmo tompo quo se-
mclhanlc nomearno causara sorproza tanto maior,
quanto recabira em ni membro do partido pernoto-
bueano ; queremos dizer, de una faccio do gran-
de partido poltico cuja Italdade n patriotismo se a-
cham lioje cot>Jatloi os deslinos do Brasil.
Ionios victima de tamanha virulencia por tormos
sabido a campo cm defesa do crdito desle Diario,
posto em risco por uina accHtacflo per idiosa, feila a
um trabalho que nlo era nosso; cumpre, pois, que
para rsclarecermos a materia, o mostrar a justeza
do nnsso proceder, remontemos origem dos fac
tos.
Quando, por se ter retirado para a curte do impe-
rio o nosso mui prezado amigo, o Sr. Antonno Jos
de Miranda Falcto, o proprictario desto Diario nos
incumbi da parle da respectiva redaccilo queso re-
fere aos negocies do interior, aquella quo diz res-
peito aos do exlerior cstava a cargo do probo Sr. Dr
Vicente Pereira do Bego, por quem tiveramosa hon-
rarlo se arriscasse a reputa;flo de um Diario, que,
so scesforeava por conservar imparcialidade noto-
cante ap nacional, nlo convinha que deixassc do
lera mesma conduela quanlo ao eslrangeiroi' Nao,
cortamente : a menos quo o proprictario do Diario de
Pernambuco eslivesso disposln a dcixar correr pela
agoa abaixo urna empreza tanto mais credora do
setis cuidalos, quanlo tem de fazer parte do pa-
trimonio dc'seus filhos. N'eslns circumstancias,
fram despedidos os colaboradores, sendo cha-
mado para suppri-los o Sr. Fifppe Nery Coliseo,
n traductor do Christo perante o seculo ; moco do lito
rcconliccido talento, que o Sr. Soares do Azcvedo,
ao cstabolccer aqui o Collrgio l'.mambucano, lho
confiuu a regencia de urna das respectivas cadeiras,
o que apenas tem o grande de/eito de nfo andar apre-
ciando os seus conliccimentoi pelas lujas, nem pe-
los sales.
Operada esta mudanca, as noticias de Franca co-
mecaraiD a appareccr taes quacs era ni; maso na-
zareno achou logo cm que censura-las, notando que
o Diario de l'ernambuco so eslivesso oceupando dp
certas minuciosidades que nada valiam, nem con-
edrriam de forma alguma par o descrdito da
nova repblica, visto que apenas indicavnm que na
torra reoene/arfu davam-so cortos conflictos inevita-
vc.s sOb qualqucr forma do governo.
Nada, cm abono da verdade, nos sorprendom essa
lingoagem do Nazareno, porquo comprelicndmos
que eslava no seu direilo urna gazela ultra-republi-
cana, quando nos critica va por estarmos contribn*
indo para quo o povo pernambucano ficasse cerloo
ra de ser leccionado em inglez e francez no lycon |COI|vencj,j0 je qCSOr vigorando em Franca as for-
desla cidade : o Sr. doulor Reg eontintiou a colla- |I|ll|as g0VernativaS que se Ihe apresentavarn como as
borar para o jornal ot fins do anno do 4847; mas,
bavendo-se, a esse lempo, multiplicado os seus tra-
ballios do adrogado o preceptor ao ponto de Ihe
nlo permiltirem quo so distrahisso com a revislo e
extracto de gazetns estrangeiras, levede retirar-nos
a sua valiosissima coadjuvaco. Entilo, foi escolhi-
lo para snbslitui-lp o Sr. Antonio Pedro de Figuei-
redo ; e este Sr., ajudado por uma,.>essoa r"i't n0*
meainda oerullamos por suppo-la cslranha a ludo
qunnto d'alii para c lem occorrido, entrou cm sua
nova tarefa, que principiou a desempenhar do modo
satisfactorio.
0 Sr. Fguei edo viria na privanca dos Ilustra-
dos escriptores ^ue hoje roligeiri a Vniio, e que
nossa poca enriqueciam o Lidador com as suas nflo
vulgares rrodueces .- isto oi mas que sullicicntc
para que esses Srs, quo nfio concedem geilo para
alguma cousa sendo aquellos que os frequenlam,
o Ihes pedem o mote.sobre quo hilo de glozar,
abrissem um novo titulo no finado peridico, s
para terem occasiilo de clogiarem a parto estertor
do Diario de Pernambuco ; o este titulo nlo foi outro
scnflo o de Revista dosjornaes. Ah elevou-so at s
nuvons esse mesriin trabalho, que ora he qualiflea-
do de mesquinho, e de incapaz de ser considerado
por alguem como ttulo de gloria, ou de motivar aecu-
sacOes de plagalo.'....
Nesso interim, rebenta em Franca a rerolucflo do
fevoreiro ; e, ao passo quo o Sr. Figuciredo & C, ao
extrsetarem das folhas inglczas as novas relativas
aquello paiz, apresentavarn a repblica.como que
concorrendo para u prospcriJadu da patria de San-
Luiz, varios negociantes desta praca, que liam laes
fulbas, asscveravam o contrario, e advertiam ao pro-
prictario do Diario de Pernambuco do que o seu jor-
nal se ia desacreditando, porque adultcrava as noti-
cias de maneira a favorecer as ideias demaggicas :
3 principio se nlo deu muito peso a semelhantos re-
paros, mas ellca so multiplicaram de tal sorte, quo
foi necessario attend-los, e rever o Times depois de
extractado, afim de verificar se as aecusaefles eram
ou niio fundadas. Infelizmente para nos, bem como
para os collaboradores, oa reclamantes linham ra-
sflo. E nesle caso, o quefaier? Consentir que des-
mais proprias para Ihetrazerem a felicidade, aquello
paiz, muilo mais civilisado do que o nosso, e por con
soguinte muito mais preparado do quo elle para roce-
b-las, corra precipitado para o aniquilamenlo,
seria infallivel o muito mais rpida a nossi penla,
so porvenlura adnptassomns somolhantcs formulas.
Ao cabo, porm, de algumas quinzenas, o que vi-
mos nos? Itesuscilou a clebre nWlO dos jomis, quo
eslava como que posta a margem, o senilo quando
deparamos nnlla com urna censura parte exterior
do nosso Diario, por pouco noticiosa,dada tarde e
a ms horas !....
Para logo, litemos desojos delancar mo da pen-
na, o contar toda essa historia que ah fica narrada,
ifim de inloirar ao publico daquillo de queja tinba-
mos eonviecSo ; i^to be, que os elogios a semelhan-
te trabalho, quando nos era ello trazido pelo Sr.
Antonio Podro do Figuciredo, smenlo teiuliam a dar
importancia a esM Sr., e que a censura apenas se di-
riga a desapreciar o nosso novocolloga, que, como
nos linha a nfelicidade do nao estar as boas gra-
Cas dos autores da Revista; mas, para evitar segunda
polmica, lio desagradavel para us c para os nos-
sos verdadeiros amigos quanto fora outra em que j
nos haviamos cmpenliado, conlivemo-nos, o con-
tcnlamo-nos com fazer sentir ao Sr. Figueircdo,
\em certa noilo que elle nos procurou em o eseripto-
lin que desde muilO nerenliinmns essa enredada tflo
mesquinho quanto impropria do genio que se esti-
ma, oque estovamos disposlo a desfia-la, sopor-
ventura persistsscm nclla.
Pareceu nos quo este nosso viso, quo esto nosso
aeto de calculada prudencia, hava de alguma sorto
aproveiado, porquo notamos que dahi em dianto
nf.o appareciam novas provoacfleg;e I releva con-
Tessa-lo; islo nos comprazia, porque nada ha que
nos vexo tanto como o vormo-nos toreado, romper
publicamente com pessons que se dizom dispostas a
sustentar os meamos principios por quo este Diario
jamis deixou do pugnar as mais arriscadas cnses;
queremos dizer :-1 IIROX0,--CONSTITi;iCAO.--PRO-
GRESSO.-EOBDtM.
Achavamse as cousas neste estado, a Vno la seu
caminho, e nos o nosso, quando, ao lrmos o n.* 67


' -v*
daquclle peridico, deparamos com a per/idiosa insi-
nuac Jo, um que se procurova iiculcsr que o Diario
de Pirnamhuco publicara romo seu um artigo que tra-
duzira do Evening Mal. Sobresaltado, dirigimo-nos
o collega que formulara csso artigo, e pcdimos-lhp
informagOes a respcito -. elle nos eftlrmou que era
isto a mais revollanle falsidade. Entilo, % estoma-
gado, prevenido por domis pelas antecedencias,
escrcvemos e demos ao prelo o artigo que se le om o
noMO n. 30.
Ao lomarmos esta deliberagSo, contavamos com
resposta igual essa que appareceu em o n. 89 da
l'niao; mas nto hesitamos um so momento : estava-
mos dispostos a carregar com as iras dos mullo allot
emutto toberanos sen/tare* que sojnlgam com direilo
conttmplacao e respeito de lodos, sem que os tenham
por ninguem !.... Demais, lindamos a rasflo do-nosso
lado, e bastante frga do espirito para afazcrvaler,
como acabamos de prova-|p-de modo inconensso.
Cremos liavcr justificado o nosso passo de manci-
ra a convencer os imparciaes de que ello nada lem
do precipitado, grosseiro, atrevido e selcagem: he o eflei-
. to de inultas causas accumu'.adas pila minada mito
dn-intriganto : deixendo, pois, ao collega, que com
nosco collohora, a refutado daquella parte dacre
o incivil resposta de quo nos tomos ocrupmlo. que
smente a elle compoto, passaremos ao resto do que
a nos lio relativo.
Dizcm os inviolaceisc sagrado redactores da Unido,
que nos volam a mais perfeita indifferenga senflo o
mais soberano desprezo, e quo levam a tuaalta cle-
mencia ao ponto de agraciar-nos ainda urna vez com
osen pirddo. Quanto a este, rcjeitamo-lo com lauta
sincoridado quanto aquella com que repudiramos
urna dse do sublimado corrosivo ; quanto a'quellcs,
porcm, (o mais soberano desprexo e a mail perfeita indi-
ferenca) aceilmo-los como o pagamento de urna
lettra de cambio que sobro elles sacramos desde
muito, segundo o altesta o facto de nunca hflverinos
solicitado as suas rolares.
A rospeilo do empraz'amento com quo os muito al-
to e muito soberanos senhores tcrininaiu a descompos-
tura com que nos honraram, nos o satisfaramos
com a maior faciliddde, se tivessemos tanta dispo-
sigo para transcrever alguns trochos do Diario-No-
vo, quanta a que elles tiveram para exlrnhir dessa
gazeta e do Cvarda Nacional os ltimos brindes quo
nos offereceram.
SIORTK SBITA.
Iloje, pelas 5 1/2 horas da madrugada, falleceu
de um ataque de aroplrxia fulminante, do quo fui
flcommeltido dentro das lujas do Juicio desta ofli-
cina, o compositor do Diario, Jos Victorino de
Abreu.
O Sr. Abreu era um dos mais anligos e habis ty-jferidas para o dito rheu muito ainado fillio
pogrnphos desta provincia : fora o edictor do Diario
de l'ernambuco na ausencia do seu primeiro proprie-
lario, etambem dirigir a imprensa do Pedro II.
Elle morreu solleiro.
A (erra lliesoja leve.'....
Os cuidados e as inqielaefls que temos tidn,
hito sido exuberantemente recompensadas pelo a-
mor e gralid.fo de nosso povo. Mesm ltimamente,
quando intrigas criminosas cqnseguiram pertrrbar
a oiuVm legal om alguns pontos do imperio, fic-
mos satisfeito ao veifauo a maioria do nossos vassal-
los pcrscveraviim n lealdade quo devsm n seu so-
berano. Provas de afiVigfln, as quaes confortaram o
nosso espirito atribulado, nos leem sido frequenle-
mento dadas de todas as partes deslo imperio. .
Porm a urgencia dosacontccimenlos, o a neces-
sidado immoiliata de urna reforma comprehensiva
de nossa s formas de estado, a qual em o mez de mar-
go p. passado procuramos promover, teem-nos con-
vencido cada vez mais deque mitos mais vigorosas
sito precisas para completar esta grande obra.
Depois de madura deliberagflo e convencido da
necessidadn imperiosa desta medida, nos temos mu
solemnemente resolvido resignar a corda imperial
da Austria.
Nosso imitoe legitimo successor no governo, o
Scnhor archiduque Francisco Carlos, que enr todos
os lempos belmente nos lem assislido, lia declarado,
e declara agora pela presente proclamado, a qual
vai tainhem por elle assignada, que resigna igual-
mente a rora austriaca, e o faz m favor, do sen fi-
Iho o legitimo successor, o Sr. archiduque Francisco
Joseph.
lsentando assim lodos os vassallos do estado do
juramento de obediencia que preslaram, nos rocla-
mamos a sua f e lealdade para o bou novo soberano.
a "Viis dirigimos um san loso adeos ao nosso bravo
exercito. I.emhrados de seus juramentos, nossos
soldados serflo em lodos os, lempos umhajuario.
assim contra os inimigos externos, como contra os
Ira .loros internos; elles serflo um modelo do lido-
lidade e do perseverante e ndomavel coragem, o
sustentculo da monarchia amcugada, oorgulhoe
a gloria de nosso commum paiz. Elles serflo igual-
mente fiis e dedicados ao novo imperador.
lsentando os dilTurcutcs povQS de nosso imperio
d* seus deveres para cpmnosco, nos aquisnlemnp-
menle, e. peranlo a face do mundo, transmitamos
lodos os nossos deveros o dircilos a nosso amado
scnhor e sobriuho, como nosso legitimo successor,
e recommendamos o nosso povo graca o especial
protecclo do Dos. Digne-se esto Senhor Omnipo-
tente restituir-Ihe a paz Interna; guiaros desvai-
radosascus deveres, o illumiiiar aquellas que silo
loucos; digne-se ello reabrir as fontcs seccas da
prosperidade, e oulorgar nossa patria suaa mais
ricas bongflos, Iluminando o nosso successor, o
imperador Francisco Joseph I, e dando-lhe Porgas
para que possa bem ilcscinpenhar a sua solemne e
ardua missflo, assim para honra sua,como para glo-
ria de iiossa casa, e para bom do povo austraco.
a Dado em nossa residencia real do Olniutz aos
2 das do mez de dezembro do 1848, decimo-qqarto
do nosso reinado.
FeaNAKDO.--Faxciso Carlos.
Resignaras do archiduque Francisco Carlos.
a Fu, Francisco Ca los, principe imperial o ar-
chiduque da Austria, principo real da Hungra e bo-
hemia, declaro :
Que sua magostado, meu muito gracioso impe-
rador e senhor, meu amado irmflo, me comruunicou
que era movido por importantes rasOes a resignar a
(orna do imperio da Austria, e de ludas as torras per-
lencentos ao mesmo em favor de seu legitimo suc-
cessor; e que, posto, segundo a ordem estabeleci-
da ile successilo, eu dova sur-ceder corda imperial
da Austria, cointudo depois de madura roflexflo, te-
nho resolvido e declaro que resigno irrevogavel-
monte os mcus legtimos dircilos de successilo em
favor de meu lilho primognito c legitimo successor,
o serenissimo archiduque Francisco Joseph e seus
legitimos successorose berdeiros; o ronsinto, no
caso de resignaeflo de sua magostado o mporador
I reinante, em que a cora do imperio da Austria e
dos reinos o Ierras quo Ibc silo auuexas sejam truus-
nerga sem nlerrurgltoi grandoobra da conslltui-
gilo, o procurar deste modo satisfazer, para o bem
ja patria, as expectagOes de vossa magostado e do
povo austraco. Vossa msgestado tom recebido da-
quelle que regula os 'destinos do mundo a sublimo
missflo, nao smenlo do consolidar a fiberdado que
tora concedida por Fernando, o benvolo, senflo
t.imbom de prolcge-l cdfflra todas as tempestades,
e ile curar todas as feridas do passado. As institui-
rles livres silo o mais firmo apoio do tbrono, e um
mona relia, scnhor, dee gloriar-se do governar urna
nagSolivre.
Salve nosso imperador constitucional Francisco
Joseph |. -
Kremsier, 8 de dezembro de 1818.
Em nome da dieta constituinto,
Francisco Smolka, presidende.
COMMERCIO.
NOTICIAS KSTBAKGF.IBAS.
Austria.
O paquete inglez, entrado hontem neste porto,
trouxe-nos o Mornino Ckronicle de K de dezembro, o
varios nmeros do Times, os quaes, posto quo sejnni
anteriores aos quo recebemos pela barca Culumbus,
todava habilitam-nos a dizer algunia cousa acerca
da prxima abdicaeflo do velho imperador da Aus'rln.
Fernandor, imperador da Austria, reda Hungra
c bohemia, &c, o qual, bem como os nossosleiloros
sabem, nasrra a 19 de abril do 1793, e surcedra a
seu pai, o imperador Francisco l em 2 de margo
de 1835, acaba de abdicar a cora daquello estado
em o dia 2 de dezembro do anuo p. passado, na pes-
soa de seu sobrnho o archiduque Fiaucisco Joseph,
lilho de seu irmflo o archiduque Francisco Ca los,
por ter eslo declarado que resgnava lambem u dila
con'iii, e o fayia en: faVOT de SCU lilho c legitimo SIIC-
cessor, o mencionado archiduquo Francisco Josej h.
Parece que fura amnrgurudo de penas, nflo s-
menle por ver que dentro djo poucos mezes os seus
vassallos se linham rehollado contra ella em tos
pontos diflcrcnlrs, c que para salvar a vid fura duas
ve/e* obrigado a fugir da prop ia capital (|0 seus es-
tados, senao tambem por eonhecei que as cousas iarp
do mal a'peior, e que lodos os recursos no imperio
eslavam ja esgotados, que o velho imperador so io-
solveu a dar esto passo, o qual cnchcu de espanto u
todos os habitantes do imperio, quo tal nao rspe-
ravam,
O novo imperador conta apenas 18 annos do idade,
cat adatado sua proclaiiiagiio nflo havia loma io
anda ncnbuina parte na poltica do paiz ; oflo tendo
porlauto.que carregar com u impopularioade, ude's-
tn-zoe odio du velho reinado, Cra-soque faria um
um goveino, oque urna nova era ia cumegarpara
o imperio austraco. Dos documentos seguiules
verSu nossos Itiloreso quo mais houvu a eslo res-
JMtO.
Proclamando do imperador femando l,
SO'S riBNANDO I., POR ORAgA OE DIOS, IMFEftAOOR, &C.
Quando depois da morte de nosso pai, o impera-
dor Francisco I., succedmos ao Ihrono, fomos pro
fin.lamente sensivel a natureza sagrada do nosso
cargo, o logamos a Iwos que nos assi-lisso. I'anor
fustiga e promover a feliciirade da nagflo austraca,
tul tom sido o omponho o o alvo do nosso goveruo.
a Dado na capital real de Ormulz no anno da gra-
ga de 1848 no primeiro de dezembro.
Fkakcisco Carlos.
Mcnsagem do imperador Francisco Joti I.
dieta constituale.
Ns, Francisco loseph I, por graca de Dos, im-
perador da Austria, ioi da Hungra e bohemia, rei
da l.ombardia o Veneza, da Dalmacia, Croacia, Scla-
vonia, Caheia, l.odomiria o lllyria; re do Jerusi-
|em, &c.; archiduque da Austria, gram duque de
Toscana, duque de l.orrcna, de Siilsburgo, Sleyr,
Karnlhon o Ukronia ; gram principe de Seberbur-
gen ; margrave da aloruviii; duque da alie baixa
Silesia, de Modena, Carina, Piancenza, CuasUlla,
Auscbwitz, Zalor, Tesrht n, Frioul, Itagusa e Zara ;
principe c conde de Haisburgo, Tyrol, Kyburgo,
o (radi.-ka ; principe do Tiento c Drixen ; m irgravo
da olla o baixa Lausilz; condo.de Holienembs,
Feldkireh, llregcnz, e Soniinibcrg ; senhor de Tri
este o Caltaza :
A'dieta constituinto reunida om Kremsier en-
viamos a nossa imperial saudagflo.
Em conscqucncia de ler resignado a corda des-
te impeiiu o nosso serenissimo lio, sua magestadeo
imperador Fernando I e do ter tambem resignado o
seu direilo de successilo o nosso serenissimo pai, sua
alleza imperial, o archiduque Francisco Carlos, nos
hiivomos lomado posse do throno de nossos a.nlepas-
sado. O nosso mais ardeule drsejo lio ver concluida
com toda a bievidadc poasivcl a cunstilulgilo do paiz,
e esperamos do zelo patritico da dieta i|iie esto nos-
so desejo ser satisfeito.
Os ministros que nusso serenissimo lio noiw-
ra, hflu,sido por nos coi.lirinndos, ejalhes ordena-
mos que submelam a c.msi leraco da dieta os do-
cumentos relativos nossa elcvagflo ao Ihrono, b as-
seguramos a esta curporagflo a nossa graga e impe-
rial alTefgflo.
Dadu em a capilal real de Ormulz, aos 2 de de-
zembro de 1848.
Francisco Joskpu.
SaudnpaO ila dieta ao novo imperador.
. Scnhor.' He com su mino prazer que nos sau-
d um os a elevaeflo de vossa mageslade ao throno da
Austria. Cnamado a um throno constitucional pela
abdicagflo voluntaria do imperador Fernando I, lio
de vossa mag stade, assim como pela resignagflo de
sua alteza serenisMina oarchiJiiquo Francisco Car-
los, pai de vossa mageslade, vos-a mageslade abra-
cara ludo seu povo com igual amor c beuevolencio,
bem como fez o seu prederessor, o como ello vossa
mageslade achara utia cumpensagflo aos cuidados e
poilurbages do governo na conlanga e leal afloigito
dos habitables da monarchia.
a A dieta, conhecendo bem a importancia de sua
alta taref, esforgar-se-ba por dedicar toda a sua e-
ALFANDEGA.
REiNDIMENTO DO DA 27 .... .
Descarregam koje, 29 di Janeiro.
Ilrigue Beavjeu farinha ofcacalho.
Barca WiUiam-ltvsselt mercadorias.
Calera Bonita ferro. />'
Calera Serafina mercadorias.
Escuna furioso dem.
7:651,825
Cerar .
Diversas
CONSULADO GEBAL.
RENDIMENTO DO DIA 27.
provincias............
3:010,573
107,166
3:117,739
lArfHJ
GONSUia
ItfODIMENTO DO DIA 97.
PROVINCIAL.
...... 1:436,650
_.A.r
PACA DO ItECIFE, 80 DE JANEJItO DR
; AS 3 HORAS DA TAftDE.
Revista semanal.
1849,
Cambios ----- Fizeram-se pequeas transac-
gdes que tiveram por base 25 1/2
a 26 d. por 1,000 rs.
Algodflo ----- Enlraram 521 saccas, e os pregos
fram mais animados, tanto que
li/eram-se vendas do 4,300 a
4,400 rs. por arroba do depri-
meira sorte.
Assucar- As entradas foram regulares, e
bouvo vendas do oncaixdo a 800
rs. por arroba sobre o ferro ; do
emlia rr icado e ensaccado branco,
de 1,800 a 2,200 rs. por arroba ; e
do masca vado a 1.550 rs.
Couros .*- Venderam-se a 95 rs- por Hhrt.
Agoardenlo dem de 50,000 a 55,000 rs. por
pipa. -
Arroz.......dem de 9,000 a 9,600 ris por
quintal do pilado a vapor.
Dacalhao ----- As vendas da semana fram
grandes o os pregos regularan)
de 11,500 a 12,000 rs. por barri-
ca. Ficaram por vender 5000
barricas.
Carno secca O consumo foi grande, e as ven-
das efleituaram-se do 2,800 a
3,500 rs. por arroba da do ftio-
Ci ande, p de 3,000 a 3,200 da de
Montevideo.
Fsriiiha de trigo Ven-leu-so do 15,500 a 20,000 rs.
por barrica, segundo a qusli-
dade.
Folha deFlandres- dem de 24,000 a 26,000 rs. por
caixa.
Ulanteiga-------- dem de 550 a 600 rs. por libra da
ingleza, o a 500 rs. da franceza
Prezuntos dem a 13,000 rs. por arroba.
Vinagro ----- dem d 50,000 a 55,000 rs. por
pipa do de Portugal.
Vinhos ------ dem de 100,000 a 110,000 rs. por
pipa do de Lisboa l'lilt, e de ris
90,000 a 96,000 ode'outros au-
tores.
Ficam no porto78navios, asaber: 4americanos,
2 austracos, 24 brasileiros, 2 dinainarquezes, 4 frau-
cezes, 1 hollandcz, 1 bamburguez, 17 inglezes, 1
prussiano, 4 prtuguezes, 7 sardos, 3 sicilianos e 8
suecos.
Movimcnio do Porto.
Navios entrados no dia 27.
Parlhiba ; 24 horas, hiato brasileiro Parakibano, do
36 toneladas, eapililo Nicolao Fianoisco da Costa,
equipagem 4, carga fariuba de mandioca e ago'ar-
dente ; a Joaquim delivolra. Conduz 15 mari-
nholros e 2 pilotos, pcrloncentes A embarcagflo
franceza Bdmond quenaufragou na altura da Pu-
ralnba.
"Liverpool; 47 das, barca ingleza Jfilliam-Russell, do
298 toneladas, capilflo John D. Coul ling, equipa-
gein 16, carga fazendas c carvflo; a Russell Mel-
birs & Companhia.
Falmoulh, llha-de-Madeira e Canarias; 47 das, pa-
quete inglez Seagutl, commandanle V. Smalle.
Segu para Baha o Kio-de-Janeiro.
Liverpool ; 45 das, barca ingleza Irt, do 215 tonela-
das, capilflo P. W. Young, equipagaa 12, om las-
tro ; l.alham Hibbert& Companhia.
IJem ; 40 das, galera ingleza Maktoctt, de 303 lone-
la.las, capilflo Roberto Cown, equipagem 14, om
lastro ; a ordem.
Londres; 40 das, hrigua inglez Giorg-inn, de 230
toneladas, capito David llrown, equipagem 15,
carga plvora, fazendas, rorveja e mais gneros ;
a Deane Ynule & Companhia. Ficou empedida
por ter vindq do Lou Iros.
Cihrallar; 50 iiias, briguo inglez IjsII's Roockk. do
160 toneladas, capilflo Joflo Maciacovicli, equipa-
gem 10, em lastro; a Nascimonto e Amorm.
Navios sahtuno mssmodia.
Philadolphia ; briguo luhoquenso Aurora, opitnos.
M. Suckom, carga assucar^
Liverpool por l'arahiba ; brtgue inglez Viola. cip.
lito Alien Coodridpe, carga a mesma que troux,
Passageiros, Nanoel Marques Camacho, Pedro kn-
tonio tternardino, brasileiros.
Babia; galera ingleza ilart/-Sitott,fcnpMo Jacob
Meldriim, em lastro.
Paraliiba ; hiae brasileiro Concteat1-ipr-das-VirtH.
dss, capilflo Elias do Rozario, crg varios g8.
eros.
Porlos do sul; vapor prsileiro Imptratns, enm-
mandante o capitao-tenenle Jezuihn La mego Coj.
ta. Alcm dos passageiros quo trouxo dos poitos
do norte para os do' sul leva a seu bordo ; para Ma.
cei, F. Eilemann ; para Baha, llraz Itniz de Si-
quora Maciel, Dionizio F.leuterio deMenezes; p.
ra o Ito-do-Janeiro, o primeiro cadete. Jos de No-
raes Comes Ferroira, Dr. Joaquim Jos Henrqu
com 1 escravo, P. tPaydenot, D. Rozenmutid, c,
iloss.J. Ross.
Navios entrados no da 28.
Londres ; 35 dias, bjrca Ingleza Maru-Queen-of-Scois,
de 256 toneladas, capilflo VViHtam Wilcox, om |m-
tro ; a James Crabtreo & Companhia. Ficou de
quarentena para ti dias do observagflo.
Gefnova ; 57 dias, polaca sarda Fidantatl, 4e 260 tb-4
heladas, capito Pedro Reburat, equipagem 14,em
lastro ; a Lo Bretn Schrainm.
dem ; 40 dias, polaca sarda Constantino,, de 197 to-
neladas, capilflo Filippe Peres> equipagem 11, em
lastro ; a ordem.
Ilamburgo ; 60 dias, patacho dinamarquez Elu, ie
128toneladas, capilflo J. tchade, equipagem I,
carga armamento, ferragens, bezerros e mais g-
neros; a N. O. Itieber. Ficou 6 dias de quaren-
tena em observagfio.
/Vario sahido na^miimo dia.
Havre; barca franceza Julle, capitao Ropuehant,
carga assucar ealgoiflo.
1CDITAL.
Miguel Archanjo Monleiro sk niradt, o/Uial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da di Christo e ins-
pector da alfandega di Psrnambuco,+por S. U. <
Imperador, qut Dos guarde, ele.
Faisaber que, no dia 31 do corrente mez, o
meio-dia na porta da mesma se hilo do arrema-
tar em hasta publica as mercadorias abaixo descrip-
tas existentes nesta alfandega, alm do lempo mar-
cado pelo regulumonto o que j fram annuncii-
das por edilal de 9 de outuhro do 1848.
Alfandega, 26 do Janeiro doH849.
Miguel Archanjo ilonlelro di Andradi.
Ft barrica com 10 garrafas oom conservas,
de quarlilho, urna
IP C C. 10 canastras com louro arruinado
S marca.- 6 barricas com bolacha ordinaria,
arroba
1 dita com assucar grosso
Lcttreiro a Bastos. 1 cmbrulho com o se-.
guinte: $
2 eeroolas dolnho
% toalhas de Irnbo para resto
5 marca. 2 embrulhos com o seguinto :
| longo bordado para mo
6 pares do meias de linbo para senhora, du-
LB. 1 caixa com 11 garrafas de licor, 1 3/4
caada caada
4 ditas com 48 garrafas de ago'ardente de
Franga com 12 medidas .lwfl
\\ 16 Fardos com altheia-arruinad*) 16,990
II. 2 barricas com dita dila
F. 1 dila com 31 garrafa de conservas # do
quarlilho, urna
18JJJO0
1,M
: i,om
2,000
1,000
2,000
6,000
2,000
"1
Declarares.
.........
A administraeflo geral dos. slabelecimentos de
caridade manda fazer publico que, uordi* 29 do cor-
rente, pelas 4 horas o mcia da larde sala das suas
sessOes contrata o fornecimciilo dos vveres abaixo
declarados : arroz branco, assucar refinado, Mi
branco redondo .azeite doce, dito de carrapatu,
cha bysson caf em grSo carne verde faiinha ai
mandioca leile puio les ha da mangue de nis
regulares, galinhos, manlega franceza, massas,
touciiihn de Santos, vinho tinto e biweo.' vinagre
de Lisboa. Os pretendcnles dir^jani-se ao lugar o
hora aprazados, munidos de sua* propostas, as quaei
poderflo contor lodos os gneros cima menciona-
dos, ou so mente aquellos que a cada um dos concur-
rentes couvier fornecor.
Administraclo geral dos estabelccimenlos de ca-
ridade, 22 de Janeiro de 1849. f;.
O cscripturario,
F. A. Cavaleante Csmsse.it
.
Os Srs. accionistas que anda nflo reeeberaino pri-
meiro dividendo ldenrreniettor as suas apone"
ao escr'iptoiio da companhia ondesolba dar"1"
cautela para leceberom o referido primeiro divi-
dendo.
O awjretano,
II. J. Fernanda Barros.
--As malas quo tem de condazir o paquete < b .
M. Britannica sagull nara o Itio-do-Janflir* e I"1
fetham-se nodi 30 do crrenlo, i* II horas d ai -
nlia. P_t
AVISOS
martimo.
Para Angola ( Loanda ; sabir
u muilo veleiro, forrado o eneavi"
taclus americano Louisa- Beatn, en
recebe ainda alguma carga e passa
tom os melhoreBCoiaaiodos : a trata*
co Severiano llabollo & Filbo, no largo da a
provincial.
>s=--


I > 7----------- -
Oht)Voo-OHif pnrlir para Aracaty; no
Jia ssjjbado, 3 do fovcrelr o s recebar carg a,
o ia S. Igiorando-se a morad do alguns Srs. qtio
trataram passgons, se Ihes convida a comparec rom
aleo da primciro. para decdirem definitivamente
com.o.rostre, nolrapicho novo ou na rua daOa-
; doia-Velha, n. 17, segundo n lar.
ParaoCear saln 110 dia ilofevcreiro a snma-
I ca Cariota, por icr a carga prompla : para miudezas
e passagciros, Irata-seeom Luiz Jote do Sn Araujo,
[na ru da Cruz, n. 37, segundo amjar.
-- Para o Rio-de-Janoiro -pretendo seguir vragem,
ira brevidade, a escuna nacioiul Curila, por ter
arta da carga prompla : para o rstanle e passagei-
os, trata-se com o neslre, Domingos Antonio de
[ Azevedo, ou com l.uiz Jos de S Araujo, ra da
Cruz, n. 37, segundo andar.
Para o Assu sal'-, no dia 29 do crrante mez, o
I brigue nacional Sociidade : para carga 011 passagei-
| ros, para os quaes lem lions commodos, trata-so oom
Jos llaptista da Fonseca jnior, na rua do Vigario,
n. 35, primciro andar, ou com Jos Narcellino da
I Roza, na rua Direita, n. 93, 1." andar.
Para o Rio-do-Janeiro segu, com mulla bre-
vidade, o brigue nacional Alalia : para o resto da
carga passagoiros eeicravosa frelo, trata-se com
[ Joflo Francisco da Cruz, na rua da Cruz, n. 3.
O patacjio S.-Joto-Vencedor salte para o Rio-dc-
J Janeiro com a inaior brevidade possivol, para oque
I j te parto do carrngaiiieulo prompla: quem no
Imosnio quizer carregar ou ir de passagem ou
[embarcaralgum oscravo a frote, dirija-so ao seu
consignatario, FranciscoAlves da Cunha na rua
do Vigario n. 11, primciro andar.
Para 0 Rio-Crande-Tlo-Sul sabir*, em poucos
dias, o briguo Juno, por ter a mior parle do seu car-
| regamento, porm anda pode recebcr alguns volu-
! mes, cscravos ficto e passagoiros : quem preten-
der carregar ou embarcar scravos, pode entender-
se com Amorim Iruios, rua da Cadeia, n. 39.
' Para Macelo saliir, con toda a brevidade, o
muito veleiro liialo Smto-Antoniort'lor-io-Rio : quem
nelle quizer carregar ou ir de passagem, dirija-se a
I Lino Jos de Castro Araujo, na praga do Cora mci ci,
j.n. 3, primeiro andar.
Para a Rabia sahe, em poucos dios o biale
'lor-de-Curwipe, novo e de primeira viagem : quem
jh> mosmo qulzcr carregar, ou ir de passageai, di-
rija-se a rua do Vigario, n. 5.
I Para o Rio-de-Janeiro sahe, cm poucos dias, a
Jliarca nacional Teataliva-l'elis, porj se adiar com
I gran le parte da carga a seu bordo : para o reslo, es-
fera vos a frlo e passagoiros, para que otTerece os
inais ricoseasseiados commodos: trata-so na rua
da Moda,' n II.
A barca Bella-Pernambucana pretende salr pa-
ra a cidadedo Porto com brevidade por 1er a maior
parle de sua carga prompla : para o restante e pas-
sageiros para o que tein asseiadps commodos, en-
, tenJam-se com seu capitflo na praga do Commer-
po ou com o consignatario Antonio Francisco
de Moraes, na rua da Cruz, n 31, tereciro andar.
*

Leudes.
Richard Roy le far leilflo por nterveneflo do
jeorrelor Oliveira", de grande porgflo'do fazendas in-
glozas as mais proprias do mercado e que vende-
r para fechar conlas : lerga-feira, 30 do corren-
tia as 10 horas da mantilla, 00 seu armazn da rua
io Trapiche Novo.
George Kenworlby & C. farilo leilflo por inter-
['YWigodocorretorOlitcira e por contado seguro,
ou de quem pertoncer, de urna pnrgilo de madapo-
Iflos, algodoziubos o oulras fazendas inglezas ave-
riadas : quarta-feira, 3t do corrcnle, s 10 lloras da
manliila no seu arinazem da rua da. Cruz.
Jos de AI me ida Uarreto Basto, con
timtar a fazer leilo, por intervencao do
corretor Oliveira, de varias porc5es de cha
verde e prclo, tanto estrangeiro cuino na-
cionitl, cm liles, vontade dos compra-
I dores, a dinlieiroon a preso, conforme se
[convencionar : no dia quintafeira, i" de
ffevereiro do corrente anno, s ia horas
da maulla;), no primero andar de sua ca-
sa, na rua da Cruz, n. 63.
C.T. Show, leudo de retirar-so para fura .da
provincia fura reiblo por inlervencfio do correlor
Oliveira, de luda a mobilia o mais porlencos da ca-
sa de sua residencia no campo consislindo cm ricas
mesas redondas, dita para cha consolos, sophs,
cadeiras ditas de bataneo tanto de Jacaranda, fei-
tas na Ierra com a inaior pcrfcigiio, como de ferro ,
e oulras americanas mi) ptimo lustro de bronze
com quatroluzeseviJrosdu sobrissalonto globos
de cima de mesa, ditos do coi redores palmatorias,
laiilcrnas de metal lino com mangas, leilos inglo-
zl'8 de ferro com lodosos par enees aida nflo usa-
dos lavatoi ios grandes guardi-veslidus, apara-
dores secretaria, armarios, tapetes, esleirs do sa-
la jclosius colimados, cxretlenles vasos para flo-
res, relogios do parede e de cima do mesa una
machina galvnica, mascaras o mais pertoncos para
aprender esgrima a mais linda e admravcl collec-
gno de quadros existentes nesta cidade, lauto a uleo
como ni gravuras liiiissimas, representando as-
sumpos histricos os mais ntereasanlcs Gg. de
porcellana, odous) apparclhos do cha, garios,
lacas, collicres o salvas do metal fino, copos para
vinlio ditos par cliampanha epara agoa, crystaes
diversos un completo tren "do cozinha o outros
muitos objeclos uteis, e quo seria desnecessario
enumerar; hasta alllrmar-soseroiii inleirameule ne-
vos foilos com perfcigflo o dos goslos mais moder-
nos todos os artigos suprameucionados, cuja venda
ser iudubilavclmeiilo fluctuada sein limites em
prec,e : seiln-1'oira, 2 do prximo fevereiro, s 10
Jioiaadarrumhflaem ponto anula que pnucp's lici-
,iHe>l<:i>-.in comparecida a tal hora na primeira
Juascasas novas ltimamente edilicadas 110 sitio
do Sr. Cus sen propietario na estrada Ue Joflo-
du-lUrros, qu*i defrunle do Sr. inspector da al-
Avisos diversos.
* de dous compositores para o/ano
y: os pretendenles dirijam-se a pra^a da
^^Dhiniiu lis. ti e H.
m iic anus de leito para a casa dos ex-
-- Seram de Sena Jorge retira so para Portugal.
y -55 Hojet,a9 4ocorreute, se ha e arre-
matar o brigue Austral, periencente he?
raneado inndo Jos Francisco Collares,
e avaliado en> 3:ooo,ooors. Us pretenden-
tes comparecam s 4 horas na porta do Dr.
juiz de orphfios e ausentes.
O dous pequeos hrasileiros que di/cui que-
rer arrumar-so em urna nasa commcrcial sondo
un dalles queira venda annuncie.
.Na ra Bella, n. 37, primeiro andar, precisa-sede
urna ama para lodo o servido de urna casa de pouca
familia.
No dia 30 do corrente mez de Janeiro fugio um
moleque, cabra, de nnmnGaudencio; levando cami-
sa e ceroula de algodUozinho, bonet de relo de pan-J
no das cores azul e branca ; estatura regular, com
cicatrizas de bextgasainda mui vivas: desappareceu
oom urna gamelinlia de madeira branca : os appro-
licnsoies dirijam-se a rua do Queimado, n. 37.
Luiz Jos de Sa Araujo embarca para o Rio-
Gramhj-do-Snl o seu oscravo crioulo, de nome Pa-
tricio.
scravos de habilidades vUo em praqa por d-
bitos, sem vicios, por a primeira vara do civel, na
terca-feira, se houver, na sala das audiencias, acuito
na sevta-feirn.
C. J. Astley miidno o seu armazem e escripto-
rio para a rua d'Alfandcga-Velha, n 5.
OSr. Or. l,oureiiQO Bezcrra arneiro da Cunha
baja de ir ao palco do Carmo, sobrado 18, que se
lita quer fallar, a negocio de Interesse.
(i abaixo assignado participa ao corpri do com-
mercio desla praca que elle formou socioilade com
o3r. Luiz PhilippeCrocco, da Baha e quo <>s ne-
gocios que elle fez desde o primeiro de dozembro
prximo passaJo perlenecm a nova firma de Croc-
cokc. Elle refere-se s cartas circuales enviadas
ullimamento as casas desla praca. Vctor l.usnr.
abaixo assignado, tondo ha seis anuos sof-
fridouniahydroceiis que uestes ltimos lempos se
ha va augmentado a tal poni, que j llie privava
andar livremonte reoorrou em tal oslado ao lllm.
Sr. Or. Ignacio Nory da Fonseca para quo Iho lizessa
a operato ao que o lito Sr. se prestou ; e como
seacha porfeitamonte curado e liyre de tal incom-
modo, vem por este meio, nao s -tributar ao dito
Sr. o sou agradocimento e protestar o seu roconhe-
ciment eterno ; mas tambero por no dominio do
publico este fado para quosoulros que soITrcrem
soinelhaute padecimento so aprovoitom da delica-
deza, bom grado, proniplidflo o pericia do referido
Sr. doutor. Joaqun* Pereira da Silva Jnior.
Precisa-sede uin pequeo para aprender o olli-
cio de cabelleireiro : na rua Nova n. 39.
-- Na rua do Rangol, n. 43, fazem-se espanado-
ros de melhor gusto queom outra qualquor parle e
por menos preco.
Precisa-se de um feitor quo sirva para tomar
contado um sitio nos Afogados : no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 10.
Aluga-se urna escrava que seja boa quitandei-
ra : paga-se-lhe bem : quem a liver, dirija-se ao
quariel do quinto batalh.o de fuzileiros a fallar
com o capito Joaquim llclfolt Comes.
--Quem liver urna imagem ciuciiicada, com 1
vulto do palmo e meio, outra imagom das Dures,
outra de S. Agostiuho c outra de S.'Jofio Baptista ,
dirija-se rua da florentina n. 16.
ZeUrino Jos dos Santos, Brasilciro, retira-so
para o Penodn com sua. familia.
Aluga-se a casa da esquina da rua doMondego
para a Trompe, muito acreditada para venda pela
sua antiguidade, leudo j armaco para esto estabo-
lecimcnlo : a tratar na bolica do largo da Santa-
Cruz, n.*. .
-- Antonio de Almeida Comes comprou porordem
do Sr. Joflo Vieira l.ima, do Para, porconta dcste o
dos Srs. Sebaslio Jos Salgado Cuimarflcs c Joflo
Manool Marlins Baptista da mesma provincia, os i
ineios bilhetesns 603, CO, C56 o 1703, da ultima
ler<;a parto da 18," lotera a favor das obras do tliea-
tro publico desla cidade, c os remeti ao referido
Lima.
It A pessoa que, no dia 27 do corrente, levou 3
paros de sapalesde couro de lustro da luja de sa-
pateiro do largo do Carmo, e doixou nina casaca
preta do penhor, qucir.i, no prazo de 3 dias, vir pa-
gar os ditos sapalcs o tirar sua casaca, do contrario
ser vendida sem haver alguina respousabilida.lo.
-- Em 35 de Janeiro ausentou-se do sitio da Passa-
gcm-de-Olinda, do l-'rancisco Antonio de Carvallo Si-
queira, o prclo Luiz Paulo, com os signaos soguin-
tes : alejado das duas miios que as nflo abre bem, he
bastante volho, do mediana estatura, levon un) forro
nopi-scoco do marca pequea ejavellio; presme-
se <]no tria para Caranhuns para a fazenda 1I0 Ma-
chado, don Je elle j oi oscravo. pois j lem sido por
umitas vozes pegado em viagom parala: quem 0
liogar podo dirigir-se ao dito sitio, ou a rua lar^a
do ItozarioaoditoSiqueira, quesera recompensado
O professor publico da segunda cadoira da Boa-
Vista,abaixo assignado faz scicnlc ao publico que
o exercico da sua aula coinec.v no dia 3 do fove-
reiro prximo futuro. O padre ^Munuel Tltomaz du
Silva.
J. B.C. Tresse taz sciento a possoa que comprar
o sitio do Sr. Claudio Jos dos Sinlos, m S. Ama-
ro que Ibe comprou o terreno quo tica en fronte do
mosmo sitio com 15 palmos e com fundo do sitio
do Sr. Antonio feliz dos Santos o quo faz entrada
do sitio do annuucianto, I he est vendido por es-
criptura-puulica quo lizeram o mesmo Saui> S au
mullier : e para prevenir engaos para o futuro faz
o prsenle anuuucio.
Francisco Goncalvos do Moraes, doulor om (J.j
medicina, mu Ion a sua rosidencia para o pri- ija>
(SP meiro un lar dacasi n. .",!) da mesma rua da
( Cadeia-Vclha onde morava. T-
9> #
Omrccc-so urna rapaz portuguez para feitor de
silio, ongenho ou para oiilro qu.ilqucr semeo:
quem de seu prcslmo so quizer utilsar, dinja-so
rua cstroita do Rozarlo, n, II.
Precisa.sc fallar com o Snr.Thomaz do Aqui-
110 Percir* de Vasconcellos.para se Iho cntrogar una
carta viuda do Luanda e urna cncommenda : bem
como au Sr. Jos francisco dos Santos, segundo l-
ente de ai tillraria para o mesmo lim : na rua Bel-
la, 11. 37, pi imeii o andar.
Fugio, no dia 21 do corrente da loja de funi-
leiro da rua N'ova n. 38, defroiite da igraja da (.011-
ceicfloi um pelo de mime Joflo, de iiac.lo Congo ;
lio n ollicial ile fiinili iio de alturas corpo regu-
lares, cor preta, olhos grandes, falla grossa, ps
apalhetados, representa 25 annos ; levou catease.
camisa de algodfloazul e chapeo de pello preto :
quem o pegar leve-o a dita loja que sera gratifica-
do generosamente.
Aluga-se o silio n. 2 da estrada do Remedio, com
muito boa casa grande quantidade d arvoredos de
fructo com sejam larangeiras, coqueiros, jambei-
rjs, romeiras', cafoseiros, jaqueiras, ele. "^ es-
colenlo agua do beber urna grande baixa para ca-
pim por proco commodo :'a tratar na rua da Cruz,
n. 51, doposlto de rap.
-- Na rua da Cruz, n. ai, precisa-so de um bom
cozinheiro forro ou captivo o igualmento de utn es-
oravo para o servico de casa.
r)
llomu'opa thia,
m
Primeiro consultorio gratuito para os pobres 1
na rua da Cadeia de S.-Antonio, n. 22, dirigi-
do poloSr. J. B. Casanova medico francez.
Este consultorio estar abcrlo desde as 9 llo-
ras do manlifla at as 4 da lardo. Os pobres
9 receberflo consultas o romedips gratnitamen- 9
i te: apresentandoum attestadodo pobreza de
9 sous vigarios ou mosmo de outro qualqucr '.*
9 sacerdote. 9
Bcrnardino Francisco do Azcvedo Campos, len-
do no Diario n. 21, de 26 do corrente, um annuncio
foilo pelo seu ex-caixoiro Jeronymo Manool de Jess,
declarando achar-ss o annnncianlo obrigado ao pa-
gamento das dividas contrahdns polo dito seu ex-
caixcro, declara que desdo o dia 23 dcste me/ quo
o despedir de sua casa, o une nflo se rcsponsabili-
sn por divida alguma por ello contrahida, soja qua!
filr.a llrma de quo o mesmo se valesse, por nao ter
tidn com elle sociedade alguma commcrcial; assim
como declara igualmento s pessoas que so acliam a
dever algumasquantias fabrica do cliarutqs da rua
eslioita do Rosario, n. 45, nflo pagucm sonflo ao
abaixo assignado sob pena do Iho ser exigido do no-
vo o pagamento, salvo aquellas dividas quo por
urna relac,o assignada pelo annuucianto from
exigidas pelo rcerido sou ex-caixeiro.
Campos e Souza.
Aluga-se a casa do theatro da rua
da l'raia, prontpta de tudo para qualquer
espectculo : a fallar 110 A terro-da-Ba-
Viste, n. 10.
Oficina di encadernaedo, dirigida pelo P. /'. C. do L.
Silva, rua omitido Notario, n. 8.
Esta alucina acba-se provida de lodo o necessario
pera o bom ilcsemponho de qualquer cncadornar;flo
por mais rica quo soja ; bem como lem o abre qual-
quer emblema apropriado as mesmas obras o pro-
meti (romplidflo por ter nlgumas pessoas traba-
Ihando e podo com fa?lidade aparar urna grande
poreflo de resmas do papel diariamente, doura-las
pelas boiras, ele : tudo a um preco moderudo.
Itontisia.
di
M. S. Mawson, cirurgio dentista, tein
a honra de participar a scus freguezes, e
cmgeialao respeitavel publico, que tem
mudado sua residencia para a rua Nova
n. ai, primeiro andar. Espera que todas
as pcssas que precisarem de seu presti-
ntobein rconliecido nesta cidade por mui
tos annos, conlinucm com a sua proteccao ;
enmerando-se elle no cfesempenbo da sua
arte, e remunerando-as coma sua proiii-
ptidao e commodidade nos precos.
Precisa-so do um feitor para um sitio porto
pra;a : na roa de9 -Amaro, venda n. .10.
Olferece-se um rapaz portuguez para caixeiro
de loja de fazendas, do que tem alguma pralica, O
qual d fiador a sua conduela : quem do sou presu-
mo so quizer utilsar annuncie.
Lotera do thcalro publico.
Nfio obstante a morosidade que t^m havido na ven-
da doi hilholes da ultima lesea parle da 18." lotera,
todava o Ibesouroiro, desojse do fazer andar as res-
pectivas rodas mais breve possivel, convida ero-
ga aos amadores desle jogo quo so aprossem a com-
prar o rosto dos hilholes que existom.alin do que,al
o lini.do corrente mez, c quando muito no principio
do fevereiro prximo futuro, posas ser marcado o
dia nfallivol do referido andamento.
feCUA>EO& DESOR
Rua do Passeio, n. 5.
O fabricante desle estabelcciniento adverle ao res-
peitavel publico desta cidade quo elle possue pro-
senlenieiiii'. um rico sortimenio de chapos do sol,
assim como chapeos de sol de seda furia-coros, ilos
mais ricos que teem apparecido nesto mercado, e do
cores couhecidas ; ditos para senboras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas do retroz, tinto que tem de liis moderno c no
tncllior gnsto; um completo sorlmonto de chapos
.lo sol de paiuii 11I10 do todas as cores o de lodos os
tamaitos, para homens, senhoras o meninos : ha
tambem igual sortimentn do faiemlas para cobrirar-
m.iroes, tanto do sedas de cores, como de panninbos
trancados o lisos imitando seda. Advorle-se que os
freguezes serflo servidos com brevidade, o so acha-
ro satsfeitos da boa qualidade, do buin goslo e do
bom preco.
Francisco do Souza Tavarcs lira passaporln pa-
ra o Paco-de-Camaragihe a negocio de seu inlc-
rosse. -
Na (iambi-do-Carmo, sobra lo n.
10, primeiro andar, precisa-se de una
mulher lorro que faca lodo o servico in-
terno de casa cengomme ; a familia cons
ta de tres pessoas, e paga-se bem : qnein
csliver nestas circumstancias, dirija-se
casa cima.
-- Precisa-so alugar um escravo para carregar pflo
e fazer mais algum servico ordinario : lia rua do
pires n. **, ao li da caixa d'agoa.
Precisa-se alugar um preto para andar com um
tiboUiro de fazoiidasna rua daudrj-selhe 12,000
rs. mensacs : na Iravassa do Marisco, n. 24.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. '.3 da
rua do Burgos, com muito bons commodos para
urna grande familia mulo fresco e com bonita vis-
ta porpreco commodo : a tratar no priroeiroin-
djr da mesma casa ou na praca da Independen ia,
us. 13 e 15.
Oireroce-so um rapaz brasilsiro paca caixcir-1 ue
qi'alquorestahelecinont", anda que nflo tenha ra-
t.ja para aquilloquese liaolTcreoer, coniiudo '.em
intellgeneia ; o aptido, para o que d fiador de tua
conduela :^uem de seu presumo so quizer ulilisar,
annuncie.
- Est justa o tratada a compra de um sitio com
casa do pedra e cal, do qual sfio proprielarioso Sr.
Claudio Jos dos Santos e sua mulher l>. Senhor-
iiba Cenn'ana do Espirito-Santo, no lugar de S.-
Aniaro que divido pelo scente com o sitio do Sr.
Antonio Flix dos Sanios, pelo poento como sitio
1I0 Sr. Antonio Alves Barboza peto norlo com o
sitio do Sr. Joflo Baptista Claudio Tresse, epelosul
com a estrada que vai de S.-Amaro para Belm : se-
alguem se julgar com direilo aodilosilio, ou casa .
por titulo do divida, ponhora hypolheca ou por
um outro qualquer titulo queira annunciar por
esta folln, 110 prazo do qua tro dias, contados
da data desle lindos os quaes o compraiUr no
se responsabiliso por cousa alguma.
~ Precisa-so do um liomom para trabalhsr de en-
xada om um sitio perto da prac forro 011 captivo :
na rua estreila do Bozario, n. 16, primeiro andar.
Precisa-se de una preja escrava, que seja fiel,
para o servico de urna casa : no boceo da Lingoets ,
11. 5, segundo andar.
Precisa-so de um bom amassador, llvro ou es-
cravo : as Cinco-Ponlns. n. 30.
Precisa-so de tima ama parda ou preta para una
casa estrangeira do pouca familia qunentenda bem
de engommar e fazer o mais servico do uina,casa ex-
cepto cozinhar : na rua da Cruz, armazom n. 48.
Anda em praqa por voijda, um terreno com ca-
sa de vivenda o algumas bemfoilorias ponborado a
Manoel Francisco <;uimar.1cs porexecu^no de lla-
thous Austtn &C., pelo juizo do civel da segunda
vara o qual ha do ser arrematado no dia 3 de feve-
reiro por ser a ultima pra<;a na sal das audien-
cias ,p quo. ter lugar das 11 horas ao moio-dia, no
lim da audiencia.
Aluga-so a casa da esquina da rua do Caldoi-
reiro para o porto de emharquo com arma?o pa-
ra venda o commodos para morar familia : na pra-
q da Independencia livraria ns 6 e 8.
0 abaixo assignado, temi comprado aos her-
leinis >lo engenho Belm duas parles desle, quer
vende-las agora; se ha algum embarace a quem so
julgar prejudlcado, declaro por esta follia dentro
do prazo do 8 dias documentando o embaraco que
houver, porquodo contrario sera nenhum.
Lourettco Becerra Carntira da Cunha.
0 abaixo assignado,como administrador de sua
mulher,Anglica Maria do Espirito-Santo, faz publi-
co que pinguen) faja negocio ulgum com urna parto
ilc nina casa sita na ruada Cunreicflu da Boa-Vista,
11. 7, assim'como (un terreno sito na villa de Cara-
nhuns, cujos bens locaran dita sua mullier- por
heranca quo liouvo de $ua mfli o irmflo; bem como o
abaixo assignado declara quede presento os dilos
bens se acliam livres e desempedidos.
Maneol Morcira de Mello
Aluga-se um sobrado pintado de novo, do um
andarosolfio.lojas e sitio, na rua da Cloria, 11. 7,
com bastantes commodos para familia, armazeui
para osernvos : o sitio lem bastantes arvoredos de
fruclo parreiras, cacimba com bomba banlio sal-
garlo estribara e oulras commedidades: para
ver, no mesmo sobrado achara quem o mostr, o
para tratar do ojiisle, na rua larga do Bozario loja
de miudezas, n. 35. Na mesma loja lambom se lu-
ga urna casa lenca na rua da Cloria, n. 4, por 9,000
rs. monsacs.
John Caison com sua mullier subditos de S .
M. Rritannic* reliram-scdo imperio.
Torca-feira, 30 de Janeiro so ha do arrematar,
depois da audioncia urna eserara por veuda.
Abiiso Saint-Ifartin
com loja na prar;a da Independencia n. 38 tom pa-
ra vender manteletas, visitas e palitos do gros do
Mapolea guarnecidos de bico do blondo verdadei-
10 o com franjas do retroz, viudos ltimamente de
Pars superiores sedas pretas para vestidos bcos
do blondo para os meamos, chapeos de soda para
souliora ditos de palliinlia abeilos 0 lisos, flores
linas francezas do lodo o genero cortes do seda
para vestidos mantas o leuCOS do seda com franja ,
etc.: se levara 11 domicilio.
Jollj/lVS.
Compram-se 6 a 7 varis do bico lino, largo e
bom fcito para toaIha de bretanha (ua : na rua
do Rangel, n. 36, primeiro andar.
Compra-sc nina escrava que nflo tenha vicios ,
eja posannte c tenha cria : na rua do Mondego 11.
46 das 5 horas da mantilla as 7 c meta o das 4 as
ti da lardo.
Compra-se urna pronsa de copiar cartas quo
seja em segunda mito mas quo estoja em bom es-
tado : na praga da Independencia, 11. 37, ou annun-
cie.
--Compram-se, effectivnmonto, garrafas e botijas
vasias: 110 Alerr.o-da-Boa-Vista, fabricado licores,
17,
Vendas.
Lotera do Rio-ile-Jam iro.
Aos 20:000^000 de i is.
Na praga da Independencia loja n. 37, vondem-se
billiolcs c cautelas da 9.* lotera das casas de canda-
do do Rio-do-Janeiro por prego comaio.lo. A elles,
antes queso acahem, .
Vondem se, no armazn qua fui do uado Fer-
nando Jos Braguoz, ao p do arco da ConceiQ-flo,
Irans com superior toticiiiho do Santos, por com-
modo prego.
-Vondem-se os nicos c mclhores charutos que lia
no mercado, que silo osapiazivois, generosos e pil-
lorscos, e lanibcm rogalos de llavaoa, dopulados,
a vista faz f. regalos ifo Jajn, e outros muitos j sa-
bidos, por muio barato prego : ua fabrica nova do
Atoir-ila-lioa-Visla, n. 43.
No armazom n. 45 da rua da Praia vnnrle-se urna
porgfl de carne o Ceara propria para fabrica, por
estar algum tanto secca, a 1,400 rs., porgos do 8
arrobas, o sendo menos a 1,000 rs. ; sal do reino 0
s, m Asi,600 rs. o alqaciro velho, e novo a 800 rjfr
_^>
..-t.

.J






>6=3
-=/-# ^...............
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, cm barris pe-
queos, por menos do que cm mitra qtial*
qucr parte : na ra do Trapiche, arma-
2cm n. I7.
~ Vende-se vinho do Torio, multo superior, o
de outras quididades cm barris de quarlo, quint,
ae*lo, stimo, oitavo. e om pipas, por proco muito
rommndo : na ra do Vigario, armazn) de Fran-
cisco Alvos da Cunta, n. II.
Tapioca do Itarauhao.
Vcnile-sf.no armazem de farinha, lia ruado Col-
legio n.21, tapioca do Man nio muilo alva por
prego menor do que o do costme. No inesmo ar-
mazem lia inilhn novo eoi saccas, e tamben) fari-
nlia.
Vende-so na na la Cadeia iln Rorifo, toja de
Joo da Cunha Msgalhfles,n primoirovoluine dos So-
to Ceceados Moraos, por Eugenio Sue, Ir.iilu/ido
om portugucz, por 1,000 rs.; o Mendigo negro de
PauloFeval, traduzidocm porltiguez por A. llego,
1 v. por 1,000 rs .; as poesas di Joo (le l.cinos Sei-
xas Casletlo-Rranco; .\nmrc Melancola, por Cas-
tihn ; o primeiro, segundo e lerceiro voluntes da
I.izia Potica.
?s i
8 Vende-so sarja de seda hesp- t%
.^s nhola muitostinerior, setimde Rio- sa
g cao proprio para vestidos, los de g
S linho pretos bordados a seda,meios ;<";
^ prelbsde sed* de peso, panno pre- ||l
^ to muito linoe pro va de limfto, ||
'M caz mira preta elstica, sarja de g|
l listras.selim proprio de Gollete, as- ^
sim como outras multa? fazendas
9 lir.s, proprias pira a qu a resma :
2; Indo niais barato do que em outra
^ qualquer parle: na loja de Jos ^
0 oreira Lopes Se Compartida, r.ia gg
|| do Quemado, quatro cintos, ca- HJ
3 sa amarclla, n. 217. g-
Vende-se Jumo em folha, para fa-
zer charutos, por proco commodo : no ar-
mazem de Josquim Iciix da loza, na ra
d,i Madre-de-l>eos.
i
Agencia ca ftindicSo
.ow-Moor, 1 na da Senzalla-
nova, n. 49*
Nestc estabclecimento contina a ha-
vpr nm rompite aortimento de moenuas
e ineias moendas, para engenbo; ma-
chinas de vapor,e tachas de ierro batido e
coado, de todos os lmannos, para dito.
Taimado de pinho da Succia,
de 10 a 53 palmos
decomprimenlo omellior quetom chegado a esto
mercado, em razSio de so poder envernizarem qiial-
qner obra por nito ter nos e sor muito alvo sen-
do costado, costad!nho, assoalho, forro c para fun-
dos de harricas vonde-se a proco que o comprador
ar lodo o negocio : atrs do thcatro, armazem de
lo.iqn i ni Lopes do Alnioida.
pendimento.Eobom proco!!.' A todo o exposto
Bccresoe0 asselo e boro acondicionamenlo o que
ludo se poder verificar om dito estabelecimonto.
Vende-so a verdadoira e muito superior ran-
nba SSSF, a relnlhoe em pnrcSo ; dita deoutros ro-
tores na ra do Vigario, armazem de Francisco Al-
vos da Cnnhe, n. 11.
Vendem-se saceos com trelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra da Sanzalla-
Velha, n. i38.
- No deposito de Me. Calmont & Companbia na
na de Apollo, armazem n. 6 acha-se constante-
mente grande sortimenlo do ferragens mglezas paia
en-cidios de assucar corro sojain : taixas do Ierro
coado 1I0 diffcronU modelos, os mais modernos;
(lilas do ferio balido ; moendas de rorro do mode-
lo adoptado, para armar em madeira; mas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaos; ma-
chinas do vapor de frca de qualro cavados c de al-
ta pressfto <> mala moderno o simples que lie possi-
V(d repaitidciras ; osnuniadeias ; resfradeiras de
ferr eslanliado; Formas de ferro: ludo por preco
commodo. ,
Vendem-se, por proco commodo 1 i asseados
vasos para jardim : na ra do Trapicho, 11. 44, pri-
meiro andar. .
- Veiulc-sc a vendada ra do Apollo, n.2t, com
poneos fundos : quem a pretender, dirija-so a ra dn
Madre-de-Dcos, a Iralar com Vicente Fcrrer da
Costa.
_ Vende-se cal virgen de Lisboa, cin barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por proco commo-
do : a tratar com Alinala Si l'onscca.na ra do Apollo.
PIlOVIMIO DA FIGLir.lUA.
Existe no armazem de molhados, atrs do Cor-
po-Sanlo n. OG urna grande porcilo Oeste genui-
no vinho que se osla vendendo pelo diminuto pre-
co de 1,130 rs a caada o n lf.0 rs. a garrafa lam-
liem lia em pipas que se vender muis om conta : he
este omellior de todos os vinlios qtie se teem an>
nunciado pela aua simplicidadc o ptimo paladar :
quem uma VOZ o beber jamis deixar do o com-
prar.
Fabrica de Todos-osSantos.
Firmino Jos F. da llosa com escriplnrio na ma
do Trapicho, n. 44, avisa OOS sous tregeles que aca-
ba 'le receber pela escuna Curiosa novo soitimcn-
lo do encllenlo panno de algodflo enlrancado quella fabrica ptimo para ensaccar assucar e pa-
ra ronpa de osravos. O annunoianto cunta que,
a'lm da fazcuda, o desojo de animar o desenvolv-
ment de uma fabrica nleirainonte nacional, pro-
mover o prompto consumo da sua receita.
Venile-sc uma negrinha de 13 annos de linda
figura, com elgumas habilidades oque he propria
para mucama por ser recolhida e muito carlnliosa
para enancas, a qual se vende por havergrande
prcciso : na ra do Fogo, n. 23, se dir quem vendo.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da .
Itahia '
muito proprio para saceos de assucar eroupa de es-
cravos: vende-se cm casa de N. 0. Bcber & Com-
pendia na ra da Cruz, n. 4.
Vende-se a verdadoira potassa da
Rnssia, desembarcada honlem, por pre-
co muilo rasoavcl, vista de sua muito
superiorqualidade : na ruado Trapiche,
u. i", e ra da Cadeia, n. 3j.
Novsriscadns iwonstros chi-
nczes, a SCO rs oCovado.
brasde superior farinha de trigo, da me-
Na ra Nova, n< 5,
c c
llegada ltimamente, pelo barato pre-
Ihor qualidade que vem a esle mercado,] vemlem.scdous moiccotesdo nacilo.de 16 annos ca--
da um muito lindos ; um ditode naQo, do 12 an-
uos ; urna malatinha de 12 annos, quo ja cose sof--
frivel; uma preta boa quitandeira; uma [dita boa
cozinheira ; una dita de 18 anuos quo engomma o
cozinha d-so barato por ter um deleito em um
eo de iG,ooo rs. a sacca.-
Gangas da India,
ruin ellas a peca
ilediai larguras pelo barato preco de dez lustes,
para realisar contas : no armazem do fazondas de
Itaymuudo Carlos l.eito na ra do Qucimado, D. 27.
Gotas egypciaS'
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos inglezcs para
Hambre, chegados no ultimo navio: no armazem
do llraRiiez ao pe do arco da Conceico.
FAREI.0 F.M SACCAS I)C 90 LIBRAS :
vendo-so no armazem de Vicente Forreir da Costa
na na da Madre-do-Dcos, a 3,00 is
elige
oho.
Tai\as para
N fiindiefo de forro da na do llrum", aclia-se a
venda um cmplelo soiiinHMilo de laixas do V a S
pilinos de bocea, por prcc,o commodo, c com promp-
tidSo embarca-so, ou carrega-seem canos sem des-
pozas ao comprador.
;tui <'o Lvraiitenio, *;.
i
na
Na loja de Cumaraes & Companhia, na ra do
Crespo n. 5, vendem-se os uovos ciscados chino-
/es linos i!e padrfies muito lindos o os mas mo-
dernos que teom apparocido nesta cidade, de vara
de largura polo barato proco de 3G0 rs. o covado.
go-
Nesta loja ha ricos coitos de cassa a 3,200 rs. ;
chitas rousas muito linas, pata nllivinr lulo, a 200
rs. o covado ditas decores fixas a ICO, 200 o 2t0
rs. mailapolilo de jardas, muilo lino; dito do iiti
varas a 4)300 rs.; disimila rola; nietn; lenes
de mito oooi luco as puntas e bordados; melim
azul a ICO rs. o covado ; o outras "militas fazondas
que silo pecliinchas pelo baialu proco por que so
vendem.
Na padaria da roa da (na, no Redi fe havera
todos os das a venda o novopBo de l'rovemja fa-
bricado poroutro modo que o actual e da melbor
farinha que ha no mercado : por este motivo nio se
pode fazer senSo a 40, 80 e 1C0 rs.
Vinho barato.
da Madre-de-lieos,
Aeba-se cstabclccido na
n. 36, um armazem de
Viubos da Figueira,
de ptima qualidade, a preqo de 1,200 rs. a caada,
oal6rs agarrafa; e para n9o lia ver dolo do com-
prador serilo lacradas as garrafas o com rotulo, ro-
cebondo-se a garrafa vasia, o dando-se immediata-
meiile a outra cheia : lanihem ha barris muilo pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
pietario dosto estabclecimento pede encarecida-
mente que senflo illudam avahando, pelo diminuto
precio e sem conhccimenlo de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
uma vez provar, continuar comgosto e sem arre-
fls novas casimiras de al
dio, a 860 rs. o covado.
Na loja n. 5da ra do Crespo, vendem-sc as novas
casimiras do algodflo do padrOcs-os mais ricos que
leem ai parecido nosle mercado pelo barato proco
de 5fii) rs. o covado.
Vendem-se semeas cm saccas muilo grandes ,
a 4,500 rs. : na ra ria Madre-de-Deos, armazem de
Vicente Fcrrcira da Costa.
Extracto de salsa-parrlia con-
centrado do l)r. Mead.
lia quatro anuos, desde que esla superior propa-
rac.ni de salsa-purrilha l" condecida no Itrnsil ,
principalmente ao sul onde est conhocda como
um dos remedios mais efcazos para todas as moles-
tias prnduzidaspela impureza do sanguo como
sejam osorophulas ou ilporeas, molestias syihili-
case moreiiiiaes rheumaliamo, chagss ulcerosas,
tumores brancos, dooncas do ligado o da culis,
debilidado goral, etc. ; hetanibcm rocominendada
para as molestias interiores em que se suppOcm
os bofos e peilo alacados, 0 hem assiin naqucilis em
que a constiluicito estiver ai ruinada pelo uso exage-
rado de propara^oes mercuiiaos. As curas que lem
eflcclliado nestas molestias sao Iflo numerosas e
completas, que all lem gallito o titulo de verdadero
restaurador da sade. Vende-se na ra da Cadeia do
llccifo, botica n. 3, dol'imcntao Cruz.
CIIA'P.ltASII.F.mO.
Vende-se, no armazem do molhados atrs do
Coi po-SanlO n. CG, o mais excellente eh a produci-
do "inS.-Paulo, que lem vindo a este ulereado
por proco muilo commodo.
Vende-se muilo superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem om barris de 4 arrobas, por mdico prego:
na ra do Vigario, n. 19.
A'a-rua do Crespo, loja de 4 portas, n. 12, ven-
dem-sc chapos de castor protos, de muilo boa qua-
lidade a 4,400 rs.
[\o arm&zem de Joaquim da Silva
Lopes, na ra da Madre-de-Deos, n. 20,
vendem-se saccas com 6 arrobas e 8 li-
Remcdio sem igual para dor de denles, j bom co-
ndecido 110 Rio-de-Janeiro provincias do sul e lti-
mamente nesta provincia pela sua etlicaca em alli-
viar a dor mais tenaz qucr seja motivada pela ca-
rie, qur por inflammaeflo; mas s a experiencia de
uma prova lbo dar o devido mereciinento. Vnde-
se na ra da Cadeia doltocife, botica n. 3 de Pi-
menta & Cruz.
Vendem-se barrlquinhea com cal virgem de
Lisboa muilo nova; fechadliraS para portas de
irmazem rolroz do Porto; barris com alcalrio da
Suecia ; pillas da familia ; ancorlas com azeito-
nas, por preco commodo : na na do Vigario n. II,
armazem de francisco Alvcsda Cunlia.
Vendem-se taboas america-
nas atS palmos de largura
c ile todos os imprmenlos,que ha muitotempo nflo
teem viudo e os ficeuczescxperih colando a falta
desla escolente qualidade. A ellas que silo poucas e
o preco he barato. Airas do thealro, armazem jun-
to a maro, de Joaquim Lopes de Alnieida.
Prelo,
em barricas a 4,000 rs. ; saccas grandes, a 3,50o
s., ditas pequeas a 2,800 rs : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na 1 ua do Amorm, n. 3.
No armazem de Joaquim da Silva
Lopes vendem-sc saccas com caf de es-
colha de ptimeira qualidade. a 1,700 rs.
a arroba ; barricas com bacalbo de esca-
ma a 9,000 rs. 5 dilas com fardos h
4,000 rs.
Vcn boa a mal i:ova 1e ha no mercado, por pre^o com-
modo : na rus da MoCda, armaietn n. 17.
Polassa.
Desembarcou La poucos das uma por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se achata venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de Baltat ckOliveira* n. 12.
Cha nacional de S.-^Paulo.
Vende-se o muito superior cha de S.-Paulo em
caixas do 1, 2, Ge 13 libras ; na ra da Cadeia do
Itocifo loja de Jofio da Cunba Magalbflos.
Vcnem-se presuntos para Hambre; quejos
londrnos; ditos de prato; latas com holachinha
lina le Lisboa ; ditas do aramia ; conservas novas ;
mostarda ; potes com Sal fino ; latas com marnela-
da nova ; ditas com hervidlas; caixinias com 11)88*
sas linas ; vinho moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, por preco com-
modo : na ra .da Cruz, 110 ecife, n. 46.
FARELO
em saceos muito grandes,
a 3s'Goo'rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da Conceicflo.
--Na ra das Cruzcs, n 22, segundo andar ven-
le-se uma escrava de nacilo Angica de 40 annos,
moleci
anuos,
ollio ; umamolecola de'14 annos, sem habilidades,
mui linda c propria paraseensinar.
lladcira de pinho.
Na ra de Appolio, pegado ao armazem do Sr.
Molla, ha um novo armazem com madeira do pi-
nho da melbor qualidade que tem vindo a esle mof-
eado 0 serrado de todas as grossuras o .comprimen-
los : vende-se pelo menor preco que ho possivol.
___ Vende-se urna armacao toda envi-
dracada, propria para qualquer estabele-
cimnlo : a tratar na ra da Cadeia do Rc-
cife, n. 35. .
Vende-se um preto do 22 annos bom cozinhei -
10, e de bonita figura : 110 caes da Alfandega ar-
mazem de Antonio Aunes, se dir quem vende.
Venlcm-so, na ra do Crespo, n. 11, osseguin-
tos livros: obras completas do J. 1. Rosseau 35 y.
oncadernados. por 320 rs. cada volunte; Principes
dedroitdcla nalure par J. J. Ilurlamarqiie, 5 v.
oncadernados, por 7,000 rs. ; obras completas de
Alexis Pirn, 7 v. encadernados, por 5,000 rs. ; Mis-
toiro de la maison do Auslriche, par P. K. Honri, 5 v,
enead. por 5,000 rs.; llistoiru philosophjqe el
politiquc de la llussic, 5 v. encad. porSiOOO ; ElH-
quencia nacional pelo I'. M. do S. Lopes Cama, pijr
5,500 rs.; Felice, dircito da gente 4 v. por 4.000
rs.; Charm por 5,000 rs. ; Manual maconnique, 1
v. encad. por 6,000 rs.; Resumo da historia do Por-
tugal ; dito do Itrasil ; dilo de Inglaterra; dito do
llollanda ; dito da China por 500 rs. cada m j Ti-
lo Livio ; Horacio ; Virgilio ; Salustio ; Conidio ;
Fbulas; Selecta ; Arle latina de Moura, e do Anto-
nio l'ereira : ludo se vende com 30 porcento do re-
bate hem como a bella composi^fo musical do pa-
pa Pi IX por 1,000 rs. por ser o rosto.
Vendem-se, na ra do Crespo 11. 14 lerceiro
andar, dasG as 8 horas da mantilla o das2 as ? da
tarde, os livros abaixo declarados todos em bom
estado :
1 Itheloiica deQuinliliano, 2v.
I Cicero Oraliones, 1 v.
1 Vicira, diccionario inglcz, 2 V.
1 Homero, lliade.
1 Historia da Grecia.
dmenlo* de civilidade.
1 Monlcpelier.
1 Fonscca, diccionario F P. o P. F. 2 V.
I Meslre francez.
1 l.limond.
1 Telemaque.
1 Historia antiga.
1 Historia sagrada.
1 Horatio,2v.
1 l'hodro, I v.
1 Virgilio.
1 Tito Livio, 1 v.
(
com um filho molcquc de II annos; urna
di Costa de 1G anuos; um escravo do 22
as habilidades se dirlo ao comprador.
As seguintes morliiihas para
piano,
na loja nova de livros do palco do Collogio n. 6, de
Joilo da Costa Honrado : Que preste aos moraos que
preste; A oscolha das Iros llores do Panorama; Quem
um leu sorriso goza ; Poupando votos, a Laura Isa-
bella.
-- Vende-so superior oli bysson ,a 2,000, 2,240 c
2,560 rs. a libra ; mantoiga inglcza 640 rs. a li-
bra ; superior vinho da ligueira, 8 1,1-20 rs a ca-
ada ; dito mais superior a 1,280 rs. a caada ; su-
periores bixns de llamburgo, as quaes tambom se
alugam por preco commodo: no Alerro-da-l!oa-Vs-
ta n. 44, venda que foi do Maya.
-- Vendem-se algiimas dudas de ga rafas vasias :
na ra da Cadeia 11. 37.
Batatas
ltimamentechegadas de Lisboa, em canaslrinlias
de arroba e mei.i, polo diminuto preco de 1,000 rs.
110 caes da Alfandega, armazem n. 1.
Vende-se una poiQo de taboas de assoalho
ecostadintio de amarello o assoalho de louro de
milita boa qualidade por proco commodo : a tra-
tar com Joaquim lliheiro Pontes na ra da Cadeia
do Red fe, II. 54.
Vendc-SO uma preta moca, quo cozinha, lava ,
vende na ra o be boa compradora ; um molcque
de 10 annos; urna mulalinbn com principios de cos-
tura : ludo em conta por ser de possoa que se re-
tira : na ra larga do Hozado, n. 40, primeiro an-
dar.
Vende-se um cavallo bastante gordo, que an-
da baixn al mcio, por preco conunodo : na ra es-
trella do liozario, n. 15.
Vendem-sc dous moloques de 18 annos; 3 par-
dos sendo um bom cancho oulro carpina o ou-
tro ptimo pagem ;4 negrinbas de nacilo ; 6 osera-
vas de bonilas figuras com habilidades; 2 pardas
moQas : todos por prec,o commodo : na ra Direila,
n. 3.
SaluSliO.
F.lomenlo de civilidado.
Manual enciclopdico.
Qiiintilianode Vilalolos. .
Lgica do Condilac.
Melhaphysica de Cardozo.
Droz, aplicacito da moral.
LicHo de geograpbia.
Manual de agricultura brasilcira.
Auxiliador da industria nacional
6.000
1,000
16.000
2,000
!*
1,000
10,000
2.000
2,000
1,280
1,600
3,000
4,000
1,000
800
f:S
1,280
3,000
3,000
1,280
1,280
1,600
1,000
8,000
1,000
INFOUMACOES SEMESTHES.
Vendem-se informaefles semestres para os corpos
do primeira India : na praca da Independencia, H-
vraria ns. 6 o 8.
FOI.IIINIIAS
para sacerdotes, para algibeira, para escriplorio o
para pinta: vendcin-sc na praca da IndepcnJenoia,
livrana ns 6 e 8.
Vende-so, a quem tiver bom gosto o quizar
possuir, um bom cavallinbo perfeilo'em ludo, com
as mellioics qualidades possiveis, e que he mui pro-
prio para scnbori montar, ou menino : na ra No-
va n. 5
Vende-se superior oleo de linliaca lano em
poreocomoa rctalho, por prego mais commodo
.lo que cm outra qualquer parte ; na ra Nova, fa-
brica de caldeirelro, n. 27.
^ Bombas de ferro.
Na fundicilo de ferro da ra d llrum, acham-so
a venda superiores bombas para cacimba, assim
cmodo icpucbo para fazer a agoa subir as casas de
4 a 5 andares.
Escravos Fgidos
Fugio, no dia 33 do corrento, do engenbo Ta-
pera freguozia de S -Amaro-Jahoaliln o escravo
Jos, de 30 annos cor negra cheio do corpr, al-
tura rngular do nacilo Mozambique alrapalbado
110 fallar rosto um pouco redondo com o signal
da tena em que nasceu ; he um pouco desdentado ,
col saliente peritas curtas, res grossos e feios ;
levou calcas de brim branco, camisa do niadapolao,
jaqueta nova de algodilo cor de caf, bonete usado :
quem o pegar leve-o a ra Nova por cima da boti-
ca do Sr. Pinto, ou no mencionado engenbo Tape-
ra, que ser gratificado generosamente.
Fugio, no dia 24 do correle uma mulalinha ,
de nomo Euphrosina de 22 annos, esta tura regu-
lar, roslo redondo, nariz pequeo, cabellos prctos
crespos e quasi estirados; tem o dedo grande da
mflo direila duro que nilo o fecha igual com os ou-
lros peitos grandes; fevou vestido de chita ja usa-
do, panno da Cosa ou chale, argolas de ouio as
orellias sapalos nos ps o uma liouxa de .roupa
da niesina : quem a pegar leve-a a ra cstreita do
Roza rio, 11. 19.
Fugio. no dia 22 do correle, o pretoj Dionizio,
crioulo ollieial do pedreiro ; ho magro, alto, le
18 anuos sem barba ; levou calcas o camisa ; mi
discpulo do meslre pedreiro Amaro : quem o pegar
levo-oa ruadoQueimado, 11. 19, que sera reconl"
pensado.
PC3N. : NA TTP." DI M. F.
DI FAMA. 1849
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5WDCTW0K_A0SLBB INGEST_TIME 2013-04-13T00:10:42Z PACKAGE AA00011611_06232
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES