Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06228


This item is only available as the following downloads:


Full Text
nr^-.s
Anno XXV.
0 0/,47I7(7ptibIic.i-setod..sus Manque nao
forem d* guarda. O preco da asignatura he
de4.'000rs |or<|nartrl, pujon-'i-inlndoi. O
aiinonclo doi ssignauif ao inserido a
raso C 20 r. por liulia, 40 n. cm typo dir-
IV.rnt. o a r. fctleaM pela melad*- Osi ..no
aMitt"-* i"8arau 80 rs- ?or "s^ir
cmtypodUl'c.ei.tc, por cada publica?..
MUSES DA I.A NO ME/ DE JANfclRO.
Creante, a2, 5 hora Minio, da man..
cUeU. a 8,. 8bore 31 I, da urdle.
1 I ua nova, 24/* 7 hora e 43mo. da mann.
. Quai(a-feira 24
, PARTIDA dos gorreios.
Guianna c Parahib, l rg. e ie*la-feiras.
Hio-G. -du-No-rlc, quinto feiras ao melo-dla.
Cabo.Seiinl.aeiii, lUo-Formoso, Porto-Calvo
Macelo; nc-.l. a 11 e 21 de cada *(t
Giranbuiis e. Bnnilo, a 8 e 23.
Iloa-Vljta e Flores, a 13 e 28.
Victoria, qiiliitas-felrai.
OUnda, todo o das.
rilEAMAR DB UOJE.
Piinirira, 5 horas e 18 niiniitosilainaiili.
Segunda, 6 horas e 42 minuto da larde,
de Janeiro de 1819.
N. 10.
DAS DA SEMANA.
22 Sreunda. S. Vicenta. Aild. d" J. dos
nrpb.doJ.doclv etloJ. M. d2. V.
23 Torta. S. lldrfonso. A.ul. doj.doc. (la 1.
v. e do J. de pai do 2. dlst. de t.
24 Quai l.i. Noss.i Senhora da P,i. And. do J.
doc.da 2. v. o do J, de pat nl dial, de i.
25 Quinta. S. Ananias. Auil. do J. dnsorph.
e do I. M. da 1. v.
2(i Sexta. S. Polycarpo. And. do J. do elv: c
do J. de pi do I. disl. de t.
27 S.ihliailo. S. Joio Chrysostoino. Aud.doJ.
doc. dal. v. c do J. de paz do 2. dlst. de t.
28 D*mingo. S. Cyiillo.
CAMBIOS NO DA 23 DE JANEIRO.
Sobre Londres a 25 '/, d. por 1/ rs. a 60 dia-
, Pars
> T.lnboa IIC por ccnlo de premio.
Kio-dc-J.iiieiro ao par.
Dse, de lett. de linas lirini a l'/i X o me*.
Acedes da eninp. doeberibe, n 501 r. ao p
/uro.-Onea fipspanhdlaj. WOI.O a 29/..MO
Moldas de 0/100 v. 1(^800 a I7/M00
, de (1/401) n. 16/101) a idilio
dc4>t0... u/Ofta 0/400
Prala-Pataccsbrasileiro 1^)40 a I/&U0
Pesos cohimnarlos. 1/940 a 1/Btf
. Ditos mexicano..... 1/880 a I/90
parteoffic.au
cada devo^.r ..mitad, .. .o espeeia. que foi, .oi ^"^"Qftggft ffi'em' J gSfljSfe "^ CnVCne"
.. m. .i.i-.m..u m... n..nn. .nniicn.la na ce- resneilo para entilo se determinar o prazo cm iiii wi^"P"Y1___ ,,;,.,., no,i;n n MdadS
cada tima deve ser limitada ao caso espec.nl que lo. ic. rcguia.nouiar por ella determinado, mas nunca appllcada na ge- respeilo para cotilo se '^orrninar o zo cm que
noralidndeque a V. F.xc p.rcceu applicavel; pois devenatrabalh.r omre"c',n" "' qU
.i....:....;.'.. :. :.i....k .....ra ni.a nnr. cammumeo a V. hs para sen connecimonio.
MNISTEiUO DO IMPERIO.
2.'Secco. Rio-de-Janciro. Ministerio dos ne-
gocios do imperio, em 23 de dezembro de 1848.
lllm. o Exm. Sr. Tcntlo Sua Mageslade o Impe-
rador approvado dcllbcraf5o, que V. Ex. tomn,
do adiar novamenten eleiclo de verendores e juizes
do na7,em vat-.os municipios dessa provincia, para
quando esllvcr reslabelccida a Iranquillidade pu-
Mica, o do declarar qttodevem continuar em excr-
ricio os aeltiaesvcrendorcsejtiizes dopa.em d,uan-
I to nSo frem legalmenlc sul)?ttuidos : asslm o com-
I inunico a V Ex. em soIuqBo ao seu oTicio de 9 do
Icorrente. .
tleoa guarde- V. Ex. FKWirf d Hnnt Alegre
\ Sr. presidente da proTineia do Pcrnambuco.
Ao presidente da provincia do Malto-Grosso, sol ven-
do as uvidas presentadas pela cmara munici-
pal da capital daquella provincia sobro nao so ha-
ver procedido elcieflo de eleitores e juizes do
paz na freguesa de Podro Segundo, pelo impedi-
mento do ju.z de paz na occasio do presidir jun-
ta de qualificacSp.
1.'Sccco. Rio-de-Janeiro. Ministerio dos nego-
cios do imperio cm 22denoverobro de.1818.
lIIni. eExm. Sr.Poi prsenlo a S M. o Impera-
dor o> ofllcio de V. Esc, de 18 de Janeiro ultimo, con
copia do qua llm dirigir a cmara municipal da ca-
lila! dessa provincia, noqtial, ponderando nflo se
liaver procedido eleicilo de eleitores e juizes de paz-
na freguezia de Podro Segundo, em ennsequencia
do impedimento do juiz dpaz na o'ccasiilo de pre-
sidir junta do qualilicaQIo para funecionar nos tor-
mos do arl. 28 da lei- rrgulamentar de eleic.ocs,
presenta as soguintes duvidaa :
1." Se se deve ultimar a qualIficaQtb principiada
no anno panado ou proceder i nova, despezndo-
se a que n.o foi concluida.
8." Quaes as pessoasque devem ser chamadas para
formar a junta ; pois, tifio tendo Itavido eleigOes de
jui/es do paz e de eleitores ta dita freguezia, enten-
de a mesma cmara municipal que cessados estilo os
poderes dos eleitores o supplenlcs, que eleilos foram
na penltima clcic/to, e que estes, nlo obstante,
devem servir para formadlo da junta e mesas paro-
diaos, por julgar pplicavel cm casos taes a dispo-
sieflodoart. 112da citada lei.
3.* Se a elcicio do juizes de paz o vareadores (levo
ser feila naquella freguezia antes do dia 7 de se-
teiiiliro, marcado para a cleicn cm lodo o imperio,
ou so devo (car a mesma freguezia sem juiz de paz
al que pela cleic,;1o gem sejain dados
Eo mosmo augusto Senhor, conformando-ser por
sua mmedinla resolucHo de 18 do crrenle, como
parecer da sec^Ho do concel.lio do estado dos nego-
cios do imperio, exarado om consulta do 4 do refe-
rido mez, manda declarar V. Exc. :
1. Que, nilo tendo havido qualificacq naquella
freguezja, ncm so podendo presumir se, por se nflo ter cnnipli lado o processo dos ails
2,', 23 c2ida mencionada lei, deve proceder-sede
novo ella.
2." Quo a llovida posla em segundo lugar est re-
solva no % 7.o do decreto n. 480 de 24 de oulubro
de 1816.
3. FinJmenle, que em caso nenhum se pdedei-
xardo proceder eicieo do juizes de paz, cinbor*
no lempo marcado pela lei se nlo livcsse procedido
ella, devendo o exercicin da judicatura do paz, no
caso do ser extempornea a eleicao, durar smenle o
lempo determinado no arl. 116 da mencionada lei.
Dos guarde a V. ExcVhconie de Monle-Aleg re
Sr. presidente da provincia de Matto-Grosso.
Approva a reso'.uco do presidente da provincia do
(iear, sobre a duvida proposta pelo juiz de paz
mais volado da freguezia da capital (aquella pro-
vincia, acerca da sua competencia para presidir
mesa parochial, na cleiqfio do dia 7 de sele'mbro
do correnlc anno.
t. Sc-orto. rtio-de-Jnelro. Ministerio dos nego-
cios do imperio em 92 do novembro de 1818.
Mnf;* Exm. Sr.rol presente a S. M. o Impera,
dor O -ofllcio de V. Exc, n CO, de 16 de selembro ul-
timo, que participa ter resoivi.. r.cgstivsrtsenle
a duvida prnposta pelo juiz de paz mais votado da
freg.iczia da capital ilessa provincia, sobre a sua
competencia para presidir a mesa prncliral naseb'i-
cdos- do di 7 diiquolte mez, visto liaver elle servi lo
no posto de mujor da guarda nacional dentro do nua-
diiennio da sua judicatura; apoinudn-se V. Esc,
para assim resolver, as daciaos do governo impe-
rial communicadas em aviso de 9 e 29 de novembro
de 18<6, de 21 de dezembro do meamo anno, e de 8
de marco de 1847, c at no arl. II da lei do 18 do
agoslo de 1831. li o mesmo augusto Seulior, eon-
funrando-sp, por sua immedUla resolucno de 15 do
correlo mez, com o parecer da sccq'co do roncelho
de e.-tdo dos negocios do imperio, exarado em con-
sulta de (lo dito incz.liouve por liem declarar que de_
lodas as decitOcs citadas nica apropriada ijuella'
especio he de que falla o aviso de 9 de novembro ;
porque s de mais comprehendom oulras especies, o
d'ahiseguir-se-ia a indiicgilo necessaria, mas inex-
acta, da incompatibilidado absoluta da accotntila-
So do omprego do juiz de paz com qualquer outro ;
Icando, portante, dpprovada a resolucfSo.de V. Exc,
visto ser conformo decisio do citado aviso de 9 do
novembro do 1816, e por esto fundamento. O que
participo a V. Exc. para sua inlclligencia e gnvorno.
Dos guarde a V. Exc Kieonu* de Monle-Ategre.
Sr. presidente da provincia doCeara.
Dddara ao presidente da provincia de S.-Paulo, que
devem ser impossados os juizes de paz do dislric-
to de Palma,- a quem a cmara municipal da villa
do Castro recusara dar posse, por ter sido a mesa
da assembla paroeliial organisada com os eleito-
res e supplenles de 1847.
! Scelo. Itio-de-Jineiro. Ministerio dos nego-
cios do imperio cm 22 do novembro de 1848.
lllm. e Exm. Sr.Suido presenca deS M. o Im-
perador o ofllcio dessa presidencia de 2fl do jnlho ul-
timo, comospapeisquooacompanlinram, relativos
a recus da cmara municipal da villa do Castro em
dar posse aos juizes de paz do districto de Palma,
novamento creado, com o fundamnlo do ter sido
organisada mesa da assembla parochial com os
eleitores o supplenles de 1817.
E o mesmo augusto Senhor, conformando-se, por
sua immodiata resoliiQio de 15 do corrcnlo-, como
parecer da sccijao do concelbo do estado dos nego-
cios do imperio, oxaradoem consulta de 8 do dito
mez, manda dcclartr V. Exc que devem ser im-
posstdos os referidos juizes de paz; porquanto,
tendo a cmrn dos senadores decidido quo nSo pro-
vinba iiullidadeoleicio de um senador,que ultima-
nente leve lugar na pioviuci de S.-Podro, do facto
de serem formadas aujiimis mesas paroebiaes com
eleitores da ultima cleicHo, veio esta decisfio lixar
a repta para o cso de que se trata, c para lodos os
que da inesma especie possam occorrer no futuro.
Dos guarde a V. Exc Vitonnde d Monte-Alegre.
Sr. presidente d provincia de S.-Paulo.
.Approva a deliberado, tomada pelo presidente da
provincia de Piauhy, de mandar proceder nova
qualilicaQfio de volantes na freguezia do Puly.
I.* Seccflo. rtio-de-Janeiro. Ministerio dos negocios
do imperio om23 de novembro de 1818.
lllm, e Exm. Sr. Subi prosenga do Sua Ma-
gostada o Imperador o ofllcio do V. Ex. de 21 de
agosto ultimo, com os documentos quo o acompa-
nham, expondo os motivos por quo mandn proce-
der nova qtialillcacilo do volantes na freguezia do
Puly : e o mesnio'augustfi Senhor, conformando-se,
por sua i m mediata resojucffo de 18 do correnlc, com
o parecer da secefin do concelbo d'eslado dos nego-
cios do imperio, oxara lo em consulta de II do dito
me/, houv per bem approvar aquella delMicracfio
do V. Ex por ser conformo com a doutrina dos avi-
sos de 85 de feverciro e 23 de abril do anno passa-
do, e de (i de maioe28de agosto do cnrrcnle, com
dedaracilo, porn.de que a nova qualilicacllo uo
podia obstar eleicilo do vereadores o jnios de psz,
qua.deveria verilicar-se improlerivelmente no dia
7 de selembro, coovocando-se os cidadilos quahli-
cados no snno antecedente naquellas parochius, ein
que, como na do quese traa, nilo podessoa quah-
JicacSo concluir-se antes do dia 7 de selembro, co-
mo determinan) os avisos do 5 de julho o o ja citado
de 28 de agosto.
U.!os guarde a V. Ex. Vizconde de Moni legre.
Sr. presidente da provincia do Piauhy.
Approva a decisflo dada pelo presidente deSergipo
duvida que na execuco da lei regulamenlar das
elcicOes cncontrouo juiz municipal snpplento da
villa do Lagarto.
1.' Secco. Rio-de-J.ieiro Ministerio dos nego-
cios do imperio em 27 do novembro de 1818.
lllm. e Exm. Sr. Foi presente a Sua Magostado
o Imperador, com o ofllcio de V. Ex., n. 46, dei 31 do
maio ultimo, o quo Ibe dirigir o supp enle do juiz
municipil da villa do Lagarto, pedindo esclaroci-
mentossobro'a seguinte duvida quo Ibe occorna na
execucilo da lei regulamenlar das clcicocs.
Se, icndo sido'inslallada a junta rcvisora naqnolle
municipio no din 20 de fevereiro por assim n ter
marrado cssa presidencia, c a de rerlamacjlo, depois
-.!e decorrido o ntervall" que marca a citada le,
dpvpria dio lor convocado o concelbo de recurso
para a-tecceira dominga do mez do abril, dia desig-
... ... __,... I....' I l.n simtiria ,14
communico V Ex para sen conbecimenlo.
Dos guarro a V. Ex. Vhcende de Moni legre.
Sr. presilontoda provincia deSergipo.
COVERNO DA 1'ROVINGIA.
EXPEDIENTE DO DIA 22 DE JANEIRO.
Ofllcio. Ao chefe do polica interino, recom-.
mendandn, em cumprimcntododispnsto no aviso da
secretaria de estado dos negocios da guerra, em pre-
gu todos os meios sen alcance para que sejam
recolhidas ao arsenal de guerra as armas pertencen-
tes a fazenda publica, que seacham cm poJr de
par i dula res.
Dito. Ao cnmmnn lanle dn praca, enmmuniean-
doqneS M. o Imperadordignnra-se do permitlirque
o lente do eslado-maior do eXercito, Jos Bernar-
do l-Vrnandos Gama, cunlinuo a residir na provincia
da Babia, opdo aclunlmcnlc snaoh*. l'arlicipou-
seao inspector da pagadoria-mililar
Dito. Ao mesmo, participando quo S. M. o Im-
perador houvc por bem conceder um mez de licenca
para vir a esla provincia ao primeiro-tcnento do se-
gundo batalliio de artilhari.i n pc\ JollO Evangelisl.i
Nery da Fon ser a, que enllo se achava destacado na
dolagoas. Scienlillou-se o inspector da piga-
duria-mililar.
Dilo. Ao mesmo, recommendando fa?a exlra-
li.r do livro mostr do secundo liatallllto de artilharia
a pe e remella a secretara da presidencia nnicor-
tidiio dos ssentamnntosdo cap.tflo dooitavo bala*
Iblo de caladores, Martoel Lopes Maciel.
Dito. Ao m'esino, participando que de ofllcio do
Exm. presidente da Babia constava ler (icado na-
quella provincia, pordoente, o segundo-tenente do
quarlo balalbto de artilharia a p, Feliciano de Sou-
za Aguiar, quo daqui seguir para a corte afim de
ultiu.arosseus o tudos na escola militar.
Dito. Ao mesmo, remetiendo copia do Ofllcio
em quo o marechal de campo, director do arsenal de
guerra da coi le, da conla dos bons resultados que lia
obtido as experiencias que lem foilo con os olin-
ses mencionados no dito ofllcio, aflm de que baja de
faze-locliegar ao conhecimeuio dos commandautes
dos balalhOes ns. 2. o 4.* de artilharia a p.
Dilo. Ao inspector da psgadorU-miiilar, Irans-
miltindoo modello da tabella demonslriliva que S.
Me. deve de oiganisar no fin do anno llnancero c >r-
ronte para ser remellida secretaria do estado dos
negocios ira guerra, afim de que. avista dclla, se-
i un innultidns os saldos das verbas em quo os hou-
ver, e convenientemente dotadas aquellas rubricas
em que so reconliercr deficiencia, de mancira que no
semestre addicionl possam ser solviJas lulas as
duvida*.
Dilo Ao director do arsenal do guerra, auton-
gando-0 a despender I uuanlia de 2:387,830 rs. pan
(O ler salisfazer o pedido, que devolve, do vanas pe-
cas de fa/dament para a companlna de ai lbeos dea-
se arsenal, visto ser esta a summa em quo devem do
importar as referidas pecas, regulado o pceo do
cada urna dallas do cooformidado com a tabella de 8
de Janeiro do anno lindo, que baixou com 0 decreto
n, 547 da mesma dala. lntelligcnciou-se o inspec-
tor da pagadona-militar.
Dilo Ao mesmo. csigindo que formule c remet-
a com o maior brevi.lade possivel um lelalono- cir-
cumslaiiclado corca do estado daquclle cstalielcci-
inoulocomdeclaracfo dosempregad.is c operarios
quo nello traballiam ; dos vencimonlos daquelles e
salarios desles; dos objeclos existentes nos arcia-
zens daquelln arsenal; do estado o n. das respec-
tivas ollicinas; das obras, omlini, quo ah se bao ma-
nufacturado.
Dilo. Ao commandanle da pra?a, recommen-
dando que, com a maior brovidade possivel, baja de
organisar o rcmelter .ilpresldencia um relatono clr-
cuuistanciado do estado dos hospilaes e enfermaras
militaresdesta provincia; do estado dos quarlois aqu
oxenles, c dos reparos de que possam carecer, com
declaracfo daquelles que sf.o maiS urgentesi e tlnal-
meulo do oslado das fui trezas e obras do rortilica-
cSo, bem cmodo suas guaiincoes c armamento
Dito -Ao director das obras militares nesta pro-
vincia, determinando formule o remella a secreta-
ria da presidencia com a maior hrevidade possivel
um relalorio circumstanciado acerca docsta.lodas
obras militares ora em andamento tiesta provincia,
com declaracfio das quo inda silo reclamadas polas
necessidadesdo sorvico, bem como dasdespezas que
com ellas se bflo do fazer.
Dilo-Ao directur do arsenal de guerra, remet-
iendo os fltN.1 presidencia sob ns. n e 143.
bem como os ppenla q" ellos se reb-rom, ..lali-
tcs participares
Dita.Goncedendo a dispensa que pedio o cida.lilo
Jos Januario Soares Fernura do cargo de 2sup-
plente do juiz municipal do termo do Pao-ile-Alh",
e nomeando para sulislitui-lo a Silvstro Antonio
de Olivcira Mello. Exjiediram-so as participacOcs
do cstvlo. i
Dita".O presidcnle da provincia, altendcndo as
necessidades da adminislrac.fio da justiga em alguns
termos, e aulorisado polos aviaos impenaos do 19
do novembro do I8V5 o 7 de agoslo do 1818, resolvo
quo nossupplont-s dos juizes municipacs se guardo
a ordm abaixo designada. A 3aher :
MUNICIPIO DO BF.CIFE.
1. **.
i.' Jos dos SantosJunos do Oliveira.
2. Jos Machado Freir Pcroira da Silva.
3. Bacbarel Jos dos Aojos Vi.-ira daAmorim.
4." Joaqnim Antonio de Furia.Abrou e
Lima.
5.* Jos lligino de Miranda.
6. Felicsimo Joaqnim dos Santos.
2.' VAIU.
1. Bicliarel Francisco Rodrigos Sollo.
8.1 JoslUymunlodaCjiU MonoiCJ.
3 o '- Jos Flix de Brillo MacJo.
4. Antonio Ferreira d'Aniiuncincflo.
5.0 Bacbarel M.inoelJoM- rcreira de Mello.
6." Uanoel Florencio Alvcs do Moracs.
OLINDA.
i.' Dr. Nuno Ayquo de Avelos Aine de Brillo
Inglez.
2." Cinirgio Francisco Jos do Ama ral.
3.o Jos Tavarrs Gomes da Silva. ^
4 Filippe Haooel de Curete Leal.
5.* Jos Joaquim de Almcida Guodes.
6." Jo Paulo Ferreira.
Ll.MOFirtO.
1. Bacharel Jos Francisco da Costa Gomes.
2. Francisco Joaquim da Silva.
3. Chrislovto das Mercez Goncalves (ucrra.
4.0 Jos TheodoroGomes.
5. Antonio Inuoconcio do Pinho.
6. Jos ll'ufino Pessoa de l.acerda.
PAO-D'AI.IIO.
i.' Silvestre Antonio de Olivcira Mello.
2.' Mauricio Francisco de Luna.
3. TllOina.Z Jofo de C.arvalho.
4 Joito Baptisla Cabral.
5." JofloCarne.ro da Silva Beltrfio.
6." Pe Iro Delgado do Ilorba.
IIIO-FOIIMOSO.
1.1) Bacbarel l.ourenqo Avclino de Abuquerquo
Mello.
2.0 Francisco Machado Teixeira Cavalcantl.
3.u Tbomnz Cavnlcanli daSilvera Lins.
.4. prajicUco Antonio Dandeira de Mello,
j.o Francisco de Coveia e Souza.
O.o Joo Baplista lies Bartolo.
(ARANIIUNS.
1. Antonio Teixeira do Mac/lo.
2.o Francisco Ignacio do Paiva.
3. Bacbarel Francisco Micliado Oias.
4.0 Antonio do Paiva o Mello.
5.0 Manoel Jos Correa.
C.o Liiiz Jos da Silva Burgos.
Fizcram-sc as parlicipa?Oes do os'y""-
Jl.llJftPBBSi|RKO.
BEOirB. 23 DE JASHEO DI "
NOTICIAS PA BtinOPA.
/,,,- AUemtmKu, Prusm, Mnamarco (Grecia.
Recebemos nolicias le N.poles atol, do dezom-
na7oV"co^^
^r^^oVtendo'^^^
'. hro prximo passmto. millidado; po-
,. o palx lo,lo gozava do pebiUjrsMK diJo ser
,- ,m a quesillo siciliana m la nao imna P,
( qwiimiu um umva.1.'" ..w.|..- --- .__ .....
Traiano Cesar Burlamarquo ; al.m de que, tendo om
Vista estes documentos o a resj.osta do mencionado
coronel, ouvindo o almoxarife dessa rcparlicuo, o
nrocedendo aos necessarios oxames, haja de inior-
mara respeilo com o que Ibe occorror; o declaran-
do que com a sua inforiiiaijno devem de ser restitui-
das a presidencia as vanas pegas a que 80 le... re-
_ _____.. ..n'.^L,. .1.* n,>min:in, :uili'. (liiS
uo.tendo ''11v
*IIV .1111" si-.^mw *^..,.~.- f--------
concelbo d'eslado dos negocios do importo, o con
formando-so, por su immediata resoluijao du 22
do correte mez, com o parecer da dita secejio, exa-
rad em consulta de 17 de julho ultimo, ha por bem
declarar que V; Ex. decidi com corlo, responden-
do que o concelbo de recurso devra funecionar em
prazo mais Pastado do da junta de reciamac/lo, se-
"undo o espirito da lei, o qual prazo deixou entilo
Jo marear, porque, como livcsse d~ '
concelbo o elctormais volado, q
actual legislatura, e nio era sabido .
zoda cmara temporaria acerca da legitimid.de dos'supplenledo ju.z miHi.cipod da 2. r '' ,... rpeaes que so acham
eleitores da provincia, segundo oarU.ai da ciUda Recle, e uonieindo para subsUlui-lo o bacuaroi
re
regulada. ..,.* nie a Sicilia livesso
Os mediadores ...sistn n q ^ .^ AMn
um iwrcite seu; o reJ"" a,|ministrac.iIo se-
CnnS''"!,,m,-arlamentotembemse-
quf,u.-iiwu... ..... um par amento winnix -"--
parada, assim Cnn omMi ^^ ^j
parado, o estn- 'i" d(J seus jirel los
montan, a un a. ",' (lo rl nBo nuerer ce-
soberanos, (.orna J
L ILEGVEL


~^^~
t rflo
que reine socegadamente em Palermo um p"
j* que ellas duvem chamar usurpador.
O ministerio sardo havia dado a sua de.nisso, c
um novo gabinete fura denit miento constituido cm
a la'Sc lo ilia 15 de dozombro. Os indiviJuos que o
ompOun soosseguintes :
Giobcrli------Presidcnto do coneelho sem pasta.
s'no.....Ministro dajustica.
Ralazzi--------Ministro do interior.
'tleci.....Ministro da fazenda.
" Montezimolo- Ministro das obras publicas.
* Durini .... Ministro da agricultura u#com-
mercio.
Hixio- ... Ministro da instruccilo publica.
DelaMarmora- Ministro da guerra o marinha.
Acamara dos deputados approvra no dia 14 do di-
to mez dedezembro, por 12 votos contra 19, o [.ro-
jelo de le relativo uniuo dos ducados de Piacen-
i, Paima, Modena, Guastalla o Iteggio com o Pio-
inonte.
Em Ganova tinha occorrdo algn* disturbios, o
povu havia percorrdo as ruasdaquclla cidade, dan-
do gutiis sediciosos e exginJn a convocarlo de una
"onstitulnlo italiana ; porin felizmente ludo se aca-
bara sein ter sido preciso reoo:rer ao eiuprcg das
arroaa, Disla-M alii que o rci Carlos Alberto esta-
ba resolvi.lo a abdicar a cora na pessoa de seu fi-
Iho, oduqueileSaboia.
A quesillo lombarda ia ser regulada em BriiX'llas.
A Austria annora finalmente a isto, e tinha ja 00-
moado oseu ministro plenipotenciario.
Na Allomanha nenhuma novidade havia occorri-
do. ,\ assembla nacional em Granckf irl prosegua
em seus trabalhos, arhando-se ja multo udianlada a
clisrussSo da consltuico pela qual o paiz dovia ser
reg Jo. o choro do estado, tinlia-se vencido que 11-
vesse o liUilo do inperador.seii'in esto cargo,porm,
electivo c nao hereditario. Unta grande parte diquel-
laassemhlea eslava inclinada em favor do rci da
l'nissia, o que tinha causado muitos desgostos ans
amigos da casa d'Auslria, osquaes todos sedentitti-
ram dos lugares quenecupavam.
A Prussi.i ficra em paz. O roiglisenlvera a assem-
bla nacional, eoutorgara urna eonsliiuieo, a qna
fora bem receida pola populacho ; todava os ni-
mos anda se achnvam Kraniieiiiento oscilados.
A Dinamarca contina em perfoito socego. O -re
concordara ni abertura da negoeiaco em Londres
para a conclusb deOnilivada paz com a Allomanha
sobro as SCguinles bases : S. Mages'ade propoz, mi
dividir o ducado do Schlcswig o resta belocor o status
quounte bettum, mo lificado pela unio dos slalos
provinciacs doadous ducados ; ou dar a ambos ellos
unta independencia absoluta com lima constituidlo
e unta aduiinislraco separadas, do soitoque ricm
peitencam i Dinamarca nem a Allomanha, porm
constituant meramanlo um estado com a primeira
relativamente sitocesso ao lltrono o suas nlac/ios
rom as potencias estrangeiras. Esto ultimo arranja-
inento era preferido pe a Dinamarca, o cria-se que
tinha obliilo plena approvaco do rol da Succia o de
lord Palincrsluii.
A Grecia licara em piz. Km o mez de novembro
prximo passtdo o rei em pessna abrir as cmaras
legiilatlvasdo paiz ; porm em sua falla nada SO en-
contra que.inicrcssar possa a um leitor eslian-
geiro.
Coral .
Diversas
CONSULADO GERAL.
REND MENT DO DIA 23.
provincias..........
3:102,669
81,658
3:184,327
CONSULADO PROVINCIAL.
It LA DI MENT DO DIA 23.......... 1:380,985
Correspondencia.
Moviruento do Porto.
Navios entrados no dia 23.
Rio-Grande-do-Sul; 29 dias, escuna brasilira San-
Joat-Itaptisla, de 69 toneladas, espito Jos Fran-
cisco Persea, cquipagem 8, carga couros esola; a
Amorim limaos.
Kalcuana, tendo sabido do Now-Bedford ha 29 mo-
zos a pesca da baleia, galera americana liuphrales,
de 365 toneladas, capitn I). C. Edwr I, carga a-
teite de peixe; ao capitn.
Itio-de-Janeiro ; 28 dias, brigue brasileiro Fifi'
Destino, Noves, equipagem 13, carga lastro e mais gne-
ros ; a Leopoldo Jos da (.'osla Araujo. Passagei-
ro, o Dr. Clemente Jos Ferreira.
Ilavana ; 72 dias, patacho hespauhol Paquete-de-
Trindadt, de 90 toneladas, capillo Joio llaplisla
Ahlecoa, equipagem 14, carga ago'aidenlo o fu-
mo ; a Oliveira li unios.
Babia ; ludia-, escuna brasilira Cur/oiir,de 116 to-
neladas, capitn Domingos Araujo de Azovedo, o-
quipagem 13, carga charutos, fuo etnais gana-
ros ; a l.uiz Jos do Si Araujo. Passageiros, Jos
Joaqun! Bibciro Cimenta com sua familia.
Navios sahidos no mesmo dia.
Em commisslto ; vapor brasileiro de guerra Urania,
rnmmandanlc o capJlo-Lcncnlc Jos Ivluardu
Wandencolk.
Boston ; barca americana Ccrolini, capit.lo Olivcr G.
Lae, carga assucar.
Liverpool: b'igueingiez Chantictear,capilfloRober-
to Pul, carga assucar calgoilo.
Buenos-Ayrea ; patacho dinaniarquez Apenrad-Pa-
ckel, capitn P, J. Ilcimitut, carga assucar o agoa-
tii lente.
Rio-de-Janeiro ; brigue-esenna brasileiro OUnda, ca-
pilo Manoel fiirciano Ferreira, carga assucar e
ago'ardonle. Passageiros, Joaquim Rodrigues Vi-
eira, Brasileiro; c 3 escravos a cnlicgar.
Observaras.
l'undearam nol.ameiro, para acabar de carrega-
rem, n hinca chilena Joma, capito Martin Kundsen,
e o brigue inglez Lena, capito llenrique l'lain.
pelo Exm. Sr. presidente da provincia pelo proco de
513/19*.
2." As obras principiarflo no prazo de quinzo dias,
e acabarn no deum mez, contado em conformi-
dado do artigo 10 do rcgulamenlo das arrematacoes.
8.' 0 pagamento do importe da arrematarlo rea-
lisar-se-ha no fimila obra, depois do examinada e
recebida pela reparlicodas obras publicas.
4.a Para ludo o mais que nio -est determinado
as presentes clausulas, seguir-se-ha inleiramente
o que Itepartgo das obras publicas, 22 de Janeiro do
(849.
O engenheiro,
/'. Rodrigues da Silva.
CURSO JURDICO.
Faco saber a quem ennvier, que desde o dia 3
de fevereiro ale 15do marco prximo os que sehou-
verem do examinar em preparatorios se-lo-Jto na
rasodosoxamcsque j tiverem fcito ; pelo que os
requerimenlos que para isso fizorem devoran sor
instruidos com as cerlidoos dos exames j feitos. Os
requerimenlos quonoapresentarem nenhuma des-
sas rertidoes, sero considerados como de quem
pretcn'le fazer os seus primeiros exames no curso
jurdico.
O inda 8 de Janeiro de 1819.
O director.
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
08 V1NTE SOLDOS DE PERINETTE,
Canconela moderna, cantada pela Sr.* Nalhalle.
U.M ROMANCE NOVO,
Cantado pela Sr. Nathalie.
PAI E PORTEIRO,
Vaudcville jocoso em dous actos.
, PASSO STYRIANO,
Dancado pela Sr." Camoin e o Sr. Adolpho.
SER AMANTE DE SI MESMO,
Vauderillo em um acto por Mr. Scribe.
O thcatro estar alieno as 7 1/2 horas da larde e o
espectculo comocar s8.
i___________ i ii i mmmsmmBmm
EDXTAES.
O lllnt. Sr. inspeclnr da lliesouraria da fazenda
provincial, cm virtudc da resolucffO do tribunal ad-
mini.vtraclivo, manda fznr publico que, i erante o
nicsuio Di bu na I, te ha de arrematar no da 25 do cor-
Srs. Reductores. I.endo alguns nmeros do Cor- r"to, a quem por menos (izer, as mprfMfia dos
reio Mercantil, publicados na coi te, doparei com al- trabalhos das diversas reparticOcs publicas |tovn7
gunsarligns.quc mais mereccm onomc de calumnias ciaos, avadadas em dous contos e ,o;tocentos mil ra,
que de enmmunicados. Qucrendo ptnlar-se a sorte
tle infelizes, aquelles que querem a todo o cusi eot-
polgaro poder sacrificando assim a estes, que boje se
acham presos abordo dos navios de guerra, deni-
ere-se o comportamenlo da brilhanlo olllcialidade
desses navios, assacando-lhe injurias proprias dn
iiiesquinlioz das almas dos autores dessas corres-
pondencias, olanlo ao tralamculo -daquollcs dura ti-
lo o lempo de SUaS priaOOS. Sondo ou unta dessas.
vielinas, forcosn he que levante a ni i n ha Iraca voz
para fallar em favor dos benemritos commandantes I
o oliciaesda fragata ConstiluicuS 0 corveta liulerpe.
Huante todo o lempo que Icuhoeslado presn, te-
iihorccebidodelles o mellior tratamento possivel,
e se he bitrbaridade dar do comer a desgranados,
que para ah teein ido, vesti-los om sua nudez, tra-
ta-Ios em suas enfermidades, como lom acontecidn
com mais da duzenlos piisioneiros que aqui leein
estado, praza aos reos que em todos os trances cr-
ticos da niinha vida porque tenho i\o paseareu os
sofl'ra. Dosei'ganem-se homens que s seivom para
sacrifica i pobres victimas, que, trilliando a senda da
calumnia, nunca pdenlo airosamente chegar aos
seus lins.
Declaro, pois, que tenho recebido dosSrs. com-
mandantes, unn.ediatos e ollciaes da fragata Cons-
tiliiic'iO e coi veta tuterpe o melhor tralainento, as-
sim como os meus companheiros de inforlunio, e
termino com as palavms domuito digno comniHii-
.ii anuo
A arremalaco ser feila por lempo do 5 mezes
acontar do primero de fevereiro ao ultimo deju-
nlio do 1819.
As pessons que se propozerem a esla arremalaco
comparece.!*) na sala daa sessOes do sobredito tribu-
nal no dia cima indicado pelo nieto dia, competen-
temente habilitadas.
E para constar se mandn afllxaf o presente e pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da lliesouraria da fazenda provincial de
l'ernanibuco, 19 do Janeiro do 1849. ',
0 2. cscripturario,
Antonio Pendra d'Annunciaco.
Pcrante a cmara municipal desla cidade andar
boje em praca para ser arrematado por quem mais
der o iit publicas.
Paco da cmara municipal do Rccife em 22 do
Janeiro de 1849.
Manoel Joaquim do llego Albvquerque,
Presidente,
yoilo Jos Ferreira de Aguiar,
Secretario.
Avisos martimos.
Francisco do Reg tarros, lente do primeiro bntalhfa
da ouarda nacional da cidade tle blinda, e fiscal da
S, por S. M. I eC ele. .
Faz saber aos proprictarios da dita fregnoza que
deveroconcertar as calcadas o terem limpas as fron-
tes de seus predios c terrenos dentro do prazo de 8
dias que se contato da pblicago dcsto em diante,
lindos os qitacs paatt o mesmo fiscal a dar inloiro
cumplimento as posturas da cmara municipal a
a tal respcilo : e para que nao allegitem ignorancia ,
faz o presente que ser eflixado nos lugares do cos-
lumc Francisco do Mego Barros.
Declarares.
O lllm. Sr. inspector da Ihesnurara da fazenda
provincial, cm viitudeda resoluco do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, pcrante o
tnosoio I ri bu nal se lia do arrematar a quem mais"
der, no dia 25 do coi rente, a renda do aillo que foi
de Sebastin Jos dos Santos Braga, no boceo do Es-
pitiheiro, com casa de VVenda, cacimba c arvnres de
fruclo, avallado innualii'onlo em 150,000 rs. A ar-
remalacflo ser feita por lempo de 2anuos c 5 me-
zes a contar do 1.' de fevereiro do crtente nnnoal
30 ile unlio de 1851.
As pessoas que se propozerem esta arremalaco,
dan le da fragata, cm um attigo publicado boje :| comparece ni a safe das sesades do sobredito trbu-
. pritneiro-tenoiite Siqucira, e osofiieiaes da I nal, no da cima indicado, pelo inoio-dia, compe-
len temen te habilitadas.
E para constarse mandou affixiiroireseiite c pu-
Idtcar polos Diarios.
Secielaiia da lli.souraria da fazenda provincial do
Pcrnambuco, 19 de Janeiro do 1819.
O 2 o cscripturario,
Antonio Ferreira d'Annuncioc/lo.
fragata Constituirs teent o seu crdito de liomets do
he.o c de militares briosos sulllcieiitemenio eslabc-
leci lo, e por isso nao lemeui a venehosa haba do
i epelil da calumnia.
ordo da itagata Consliluicao, 17 de Janeiro de ia-
ncirodelMt.
Antonio Francisco da Cnnha,
Teiienle da guarda nacional reformado. -
QMMERCrlQ.
ALFANDEGA.
IIENItIMENTO DO DIA 23
3:204,292
Descarugam hoje, Hile Janeiro.
Brigue Socicdade pipas vasas.
Brigue Andrew-M.-Jones barris de breu o bar-
ricas abatidas.
Bares Navarre farinha de trigo.
Galera Bonita mercaduras.
Escuna Gulante-Varia dem.
Galera Columbas dem.
lliate -Gil-fras idem.
(alera Serafina taixas'o barras de ferro.
O lllm. Sr. rsreclor da lliesouraria da fazenda
provincial, em ciimrrimenlo da ordem do Exm. Sr.
presidente ila provincia, de ((da correle, manda
fazer publico que nos ilias30(f3l do correnlo e I."
iU< fevereiro prximo vndotno Da a praca perante o
tribunal administrativo, para ser arrematada a quem
por menos fuer, a pintura da ponle do Caehangii, srtb
i.s rlansas especiaos abaixo transcriptas, e pclopreco
de 513^194 ruis.
As pessoas que so propozerem esta arremataco,
comparceam na sala tfas sesses do sohredilo tribu-
nal nos illas cima indicados, "pelo meio-dia, com-
petentemente habelitadas.
I. para cunstar so mandou allixar o presento e i u-
licar pelos Diarios.
Secretaria da lliesouraria da fazenda provincial de
Pcrnambuco, 22 de Janeiro de 1849.
0 2.escripturario,
i4ni-nt'o ferreira d'Annunciucdo.
Clausulas especale.
i,' A pintura da ponte pensil do Cachang ser fei- J
Tendo sido capturado nesla cidade pelas dez
horas da noite do dia 15 do correle, e recolhido,
ordem do Sr. cltefe de polica, ao diablico do quar-
tel do corpo policial, o pardo de nnme Jos, que
com osupposto nomo de Manoel Francisco das Cha-
gas se inlitulava do liberto, sendo alias escravo na
villa do Pillar da provincia das Alagoas, como cons-
ta da parle dada pelo Sr. oflicial de guarda nacional
que o capturou ; manda o mesmo Sr. cltefe de poli-
ca fazer publico por esta folba, para conbecimcnlo
de quem pe lene t, e aliin de qtto possa solicitar pe-
la respectiva secretaria a entrega do sobredito es-
cravo, urna ve/, que so aprsente munido dos com-
petentes litlos sufilcicntemciito legalisados, que
provem a legitimidaJe do seu direito ao menciona-
do escravo.
Secretaria da polica de Pcrnambuco, 19dojanoi-
ro de 1849.
O Io Amanuense,
francisco de Barros Falcao Cavalcanli d"Albvquerque.
Tendo o arsenal de marinha de admittir para os
seus trabalhos oflleiaes de carpna e sorventes, sendo
estes cm numero de 30, preferindo-se os livres a es-
cravos com o Jornal cada um do 560 rs. ; assim
maiidn o lllm. Sr. inspector fazer publico para eo-
nliocineiilo dos que possBtn inleressar, devondo os
prelcndcntes apresenlar-se-lho com toda a brovi-
dade.
Secretaria da itisperco do arsenal de marinha do
Pernautbuco, 19 de Janeiro de 1819.
Alexandre Rodrigues dos Anot,
Secretario.
-- O arsenal de guerra precisa comprar panno azul
cm quantidade do 210 covados para frdelas da
companbia de artfices; brim branco 390 varas
panno alvadio para capotes, 369 covados; e 78 es-
leirs de Angola : quem lites gneros se propozer a
vender, comparecer na sala da directora do mes-
mo arsenal, no dia 27 do cotrcnle, com sua propos-
ta em carta fechada o as amostras.
Arsenal de guerra, 23 de Janeiro de 1849.
O escriplurarin,
F. Serfico de Assii Carval/io
--Pela subdelegada de S.-Josc do Recife foram
apprehcndidos, nodiado lOcorrentc, 2 qttartos
tucos osquaes acbam-fe no deposito geral : quem
se considerar com direito a ellos cumpareca ni
mesma. --Subdelegada do S.-Jos do Itecfo 23 de
Janeiro de 1819. A/ano*/ Jos Teixeira Bastos.
O subdelegado supplento da freguezia de S.-Jo-
so do Recife di as audiencias cm casa de sua resi-
dencia, na roa dos Marlyries, n 21 primeiro andar,
nos das quarlas-feiras c sabbados, e, sendo estes
feriados nos dias antecedentes. Subdelegada d
S.-J0 do Recife, 23 de Janeiro do 1849. Manoel
Jas Teixeira Bastos, subdelegado supplente.
-- Faz-se saber aos subditos brilatnicos residentes
em Pernambuco que no da segunda-feira 29 do
correle ao meio-dia lora lugar no consulado bri-
lonntco, ra do Trapiche-Novo, o primeiro aiunla-
mento animal dos residentes qualilicados paraos
lins designados no apto Geo : 4. Cap. 87 : lindas as
disrusses desta reunio haver a elcico para um
tiiuigio ao hospital brilannico.
Consulado brlannco om Pernamauco. 20 de ia-
netrode1849. J
~ Para a Baha sahe, em poucoS. dias, o ltalo
Flor-de-Cururipe, novo c de primeira viage'm : quem
no mesmo quzercarregar, ou ir de passagent, di-
rija-se a ra do Vigario, n. 5.
Para o Rio-Grande-do-Sul sahira, em poucos
dias, o brigue Juno, por lera maior parte do seu car-
regamenlo, porcm anda pudo recober alguos volu-
mes, escravos a rrclo e passageiros : quem preten-
der carregarou embarcar escravos, podo entender-
se com Amorim Irmos, roa da Cadeia, n 39.
Para Macelo saltii, com toda a brevidade, o
milito veloiro hiato Santo-Anlonio-Flor-do-Kio; quem
nello quzor carrejar ou r de passagem. dirjase a
Lino Jos de.Castro Araujo, na praga doCommercio,
n. 2, primeiro andar.
Para o Aracaly segoir impretcrivolnienle as
prximas agoas o hiale Novo-ONnda, mostr Antonio
Jos Vianna, por ter quasi completa a sua carga
quem nclle anda pretender carregar ou ir do passa-
gem, se entender com o mesmo mestre, ou na ra
da Cadeia-Velha, n. 17, sogundo an lar.
Para a Bahia sabe, com a maior brevidade pos-
sivel o hiato nacional S.-Jo/o : quem no mesmo
quizer carregar, ou ir de passagem ,. dinja-sea No-
vaes& Companbia na ra do Trapiche, n. ,34.
Para o Ro-de-Janciro sabe, cm poucos das, a J
barca nacional Tentativa-Feliz, por j so adiar com j
grande parte da carga a seu borJo : para o resto, es-
cravos a frelc e passageiros para que offerece os
mais ricos easseiados comino los: trata-so na ra
daModa, n II.
A barca Bella-Pernambucana pretende sabir pi-
ra a cidade do PorV com brevidade por ler a maior
parlo de sua carga piompta : para o restante e pas-
sageiros para o que lein asseiados com modos en-
lendam-secom o seu capitn na praca do Comnier-
cio, ou com o consignatario Antonio Francisco
de Moraes,.na ra da Cruz, n 34, tereciroandar.
Paia Lisboa sabe com muita brevidade o bri-
gue porluguez Conccicilo-de-Uiia, por ler grande
parte de sua carga piompta : quem no mesmo qui-
zer carregar ou ir de passagem, para oque offerece
excellentcs cotnmodos, dirija-so aos seus consigna-
tarios, Tltomaz do Aqnino Fonseca & Filho, na ra
do Vigario, n. 19, ou ao capitDo na Pruca-do-Com-
mercio.
Para Lisboa subir, com a maior brevidade pos-
sivel, o bem condecid o brigue porluguez Taryo-
Primeiro, capito Manoel do Olivcira Faneco : tem
paito de sua carga engajada : para o resiente e pas-
sagiros, para o quo ol'ereeo asseiados commodos,
trala-se com o capito na praca ou coro o consig-
oalarioFirminoJ. F.da Rosi na ra do Trapiche,
u. 44.
Leilo.
Jos de Almeida Brrelo Bastos far leilo, por
inlcrveiico do correlor Olivcira do varias porces
do cha verde e pelo tanto cslrangero como na-
cional cm lotes a voutade dos compiadoros, e qur
a dinheiro ou a prazo conforme se couvencionar :
quinta-feira, 25 do correnlo, as 10 oras da manha,
no primeiro andar de sua casa, na ra da Cruz,
n. 63.
Avisos diversos.
H. Aiiyusius Cowper,
Cnsul.
|ta da maneira indicada no ornamento approvado ISr. Adolpho.
THEATRO DE SAN-FRANCISCO.
QUINTA-FEIRA, 25 DE JANEIRO DE 1849.
0 CAPITO ROUND,
Vaudeville cm um acto por Mr. Arago.
DANCA.
Pa$ de deux noble, dancado pela Sr." Camoin
Aluga se o sitio n. 2 da estrada do Remedio, com
mttito boa casa grande quantidade de arvoredos rructo .comsejam larangeiras, coqueiros, jambei-
ros romeras, cafeseiros, jaqueiras, etc., ex-
cellonlo igoa de beber urna grande balsa para ca-
p m, por prego comm o do ; a tratar na ra da Cruz,
n. 54, doposto de rap.
--Preciso-sedo urna ou duas pretas que sejam
ailigcntes para voridercm louca vidrnda :1 pagi-se-
Ihes boa yendagom : na rita do Rangel, n. 17.
- Jos Corro Cabra! rotira-se para fora da pro-
vincia a tratar da sua sattde.
Aluga-se urna canOa de milheiro com seu ca-
jiootro, ou sem ello, mensalmettto : na ra larca do
Rosario, padarfa n. 18.
lotera do liieatro publico.
i Nf '''.',s,,flnle n morosidade que temJisvido na ven -
da dos billtetes da ultima torca parte da 18.' lolcru,
todava o thesourciro, desejoso de fazer andar as res-
pectivos rodas o mais breve possivel, convida ero-
ga aos amadores desto jogo quo so apressem a com-
prar o resto dos hilhelcs quo exstem,n.n de quc.al
o um do correnle mez, equandomuito no principio
de fevereiro prximo ruturo, possa sor marcado o
da infallivel do referido andamento
--Por execuVno dos Itcrdeiros do finado Manoel
Jos Vieira contra os herdeiroa da finada IV Anua
Joaquina Dulra licando transferid* a praca para bo-
je 24 do correte por ser a ultima praet .lo I"--
juiz da segunda vara municipal dosta cidado um
sitio de-torras proprios o casa grande do vivenda,
de pedra o cal, no principio do Arraisl.
Lstando o abaixo assignado em qualidade do
testamonteiro procedendo-a inventario nos bous
quo Iicarajt por fallec ment de sua mfli, D. Louren-
ca Correia pelo juizo do civel da prlmoira vara
desta cidade escrivo Rogo declara a quem scjul-
Igar credor nosso inventario, que compareca em F
ra-de-Porlas, em casa da residencia do mesmo abai-
xo assignado .dentro do prazo do 8 das, com as
compctonles contas IcgaliSadas.
o o
Manoel da Silva Necee.
- Clementina Ross, subdita britannica.com urna
litha menor, relira-se para o Rio-de-Janeiro.
ILEGVEL l


*
--Quem livcr penhoresem mo de Mi noel Ferrol-
ra Hamos luja" de os ir tirar no praio de oito dias ;
do contrario serHo vendidos para pagamento de seus
dbitos.
r Achn-se rccolhido cadeia desta cidade o preto
Amaro, por estar fgido, oqualjdiz p>rtcncer n Jos
Joaquim Correia da.Crur,morad u- no cngonlio Novo:
quem so julgar com ilireito ao referido escravo, com-
parara ncsl a subdelegan*, munilo.de seus ttulos,
pan Ihesor entregue. Boa-Vista, 23 do Janeiro
de 18*9. Espirito-Santo.
Olterece se una mulherde boa conducta para
ama do qualquer casa para Tazar todo o servico de
portas a dentro: quem do sen prostimo se quizor
utilisar, dirija-So a ruada Cadela-Vetli, loja n. 33.;
I'crdeu-se na ultima represonlacao do llieatro
S.-prancisco uma caixa de tartaruga com um bo-
ta da prala na lampa: quem a aeliou.querondo res-
tituir, podo lefa-la no dito thealro.
MiiiokI Jos Ribeiro Jnior faz sciente ao publi
co que, por haver outrode gilI nom'eV so assigha-
r de hojeem diante Manoel Ribeiro do Carvalho.
.ilug-se um mnlatinho proprio fiar pagem ,
oii para outro qualquer servico : quem o precisar,
dirija-se a ra das Cruzes, n 12.
Desappftreeeram do primeiro andar n. tfi da
ra da Cadeia di'fronlc do hotel ,* 5 tomos do Pa-
norama e o primeiro da historia de Inglaterra, com
estampas; supne-so que um escravo da casa os
vender. A' quem os entregar se recompensar.
Precisa-so do uma mullier porluguczi para ir
em compnnhin de urna familia para Lisboa pagn-
do-se-lhna passagem : quem se qulzor ulilisar de-
11 (icraslo aitn'uucie sua morad* para se tratar a
respeilo.
Quem annunciou querer fallar a Francisca Se-
nhnrinha viuva do Jos l'rhand da Silva dirija-so
a Solrdade, n. 8, defronle da igroj.
Prccisi-se alugar um sitio pe to da praca, quo
lenha pasto para 2 ou 3 vaccas de Icile o com al-
guna arvoredos de fruclo : na ra de llortas, n. 52.
Oflerece-se um preto cslrangeiro para cozi-
nheiro de qualquer casa o qual sabe fjzcr ludo que
lie concemento a sen ollicio : quom do seu presu-
mo se quizer utilisar, dirija-seo S.-Jose-do-Man-
guinbo, casado Sr. I'cJro.
No lia a5 do corrente se ha de
arrematar o brigue Austral, pertencenle
heranca do finado Jos Francisco Colla-
re, c avaliadocm.'i:oooooo r.s.O s preten-
ded tes comparecan s 4 '"iras na porta
do Dr. Juiz de orplios e ausentes.
Precisa-so de una ama de mria idade para o
servico de Casa : na ra da Florentina, n. 30.
Preclsa-se de uma ama do Icile livre oU es-
crava :jia ra das Cnizes n. 18, primeiro anJar.
Aloga-sc a casi do thealro da ma
da Praia, proinptn de ludo para qualquer
cspectculo : a fallar no Aterro-da-Ba-
Vurta, n. o.
-- Antonio Joaquim do Mello embarca para o Rio-
de-Janeiro o leu escravo Antonio, 'preto.
I). Roscnmund retira-so para fra desta pro-
vincia.
Oahaixoassignado vende um encllenle torre-
no, por ser em unidos melhoresloeaes da Ponte-de-
Uchoa com 200 palmos de frente e prximo a mil
de fundo, com alguna .'arvoredos um formi lavel
Vivelro cnin a competente porta d'agoa o com
mis proporcoes- para outro viveiro tratar no
mesmo sitio No mesmositio ha uma feitordas Ibas
quo se olTercce paro tratraillar em algum epgcnho.
Jone l'ernnndes l'.irat.
Mariana Augusta Munteiro de Mello omharca
para os poilos do sul o seu escravo pardo, do nomo
Rufino.
-- l'recisa-se do um preto pora andar com um la-
boleiro ile fa/.en las na ra : na ra Impeml n. 47.
Antonio Forreirn Braga faz sciente a' quem con-
vier,que lem feilo sociedade cuminercial com seu
caiteiro Dpniingns Jos Ferroira na sua loja de sel-
leiro na ra do Calinga, n. 3, entrando o annun-
cianto coma ."capital, leudo o sucio a metade nos
lucros, deduzi Jas as despezas o (cando o socio eu-
c;i negado de comprar vender o fazer tolas as tran-
sat^Oi's inhoicnlosa mosma sociedade, tilo smente
rom a firma rj0 Antonio Fcrreira Braga & C sondo
obrigado a pagaras dividas passivas que o cslabcie-
cimei-.to dever, nflo so rrspousabilisando o annun-
Ciente por mais do que o que fOr restrictamente re-
lativo a sociedade Rccife, 22 de Janeiro de 1849.
Joaqui ni Jos Fon eir embarca para o Rio-de-
Jineroa.suanegriuha crioula leme Androza
do 12 anuos.
Na ra Diroila, n. 37, botam-so vldros do to-
aos os lmannos por preco commodo : tamben se
vendem vidros para espelbos.
-- O professor publico do latim da freguozia de
-Jos desta rida le ab.iixo assigundo, faz sciente
o publico que o exenicio da sua aula comecar no
0| priineiro de reverciro prximo futuro : quem so
quizer matricular, diiija-sea ra Augusta, n. 5*.
Manuel Francisco Coelho.
Offlaina de encadernaco, dirigida pelo I'. F. C. de L.
Silva, ra eUreiti do Honorio n 8.
Esta oflicina acba-se piovida de todo o necessario
prra o bom desemponbo de qualquer cncadernaejio
por mais rica que seja ; bom como lem e abro qual-
quer emblema apropriado as mesmas obras c pro-
meti prouiptido por ler algumas pessoas traha-
iiiaiido .epodo com facilidade aparar uma grande
porcao de resmas de papel diariamente, doura-las
pelas beiras, ele : tudo a um preco modera,lo.
'4,
- Precisa-sede uma ama quo'tenha bom lil:
na ra Diieita, n. 69.
Quem precisar de um caiseiro brasileiro para
qualquer casa de negocio ou mesmo venda, o qusl
escrevo bem e tem pratica de negocio e de escripia ,
diriju-se a ra das Cruzes n. 41 ou Rnnuncie.
--No pateo da matriz de S-. -Antonio, n. 4, segundo
andar, tiram-se passaportes para dentro e forado
imperio e para escravos : tambem correm-se fo-
lliascom a maior breviJade possivel e por preco
milo commodo.
Semoites de flores as mais bel-
las da Europa.
Hechcgado na larga do Rozario, n.
o mais bello sortimento de sementes
de flores das bellas Jamas, como sejam :
cravos c cravinas, rainuculos de diversas
cftres, borliolctasdc Hollanda, goivos de
cores singelos e do lirados, Jacintas, topes
de llamas,|iiii(jiillios, sccias doliradas,as-
sim como a yerdadetra sement de cve-
llor. Us amaJores di natureza cncoiilra-
r3o nhi com que, em pouco lempo, pos-
sam tornar a admiracao da Europa no
Brasil.
--t'ma crioula livroque sabe fazer todo o servico
de urna casa e de cosluincs irreprehensivois se
uuVcce para servir em casa de bomem solleiro ou
casado com poura familia para fazer todo servico
interior menoseng'.'mmar: quem de. seu pru.>lmo
se quizer utilisar dirija-sea ra da UnIJo na Boa-
Vista casa terrea som numero do lado do poon-
to com lampeflo na porta.
Manoel.Jos Monteiro declara ao pnblico que,
bavendo nesta provincia nutro de igual nomo, se
assignar do hojo em diante Manoel Monteiro do
n c m\s.
r. *Ar^.''S8gna"u's Plom mandar buscar os"na.
., *, i;uiii|.Uii, un Botiiiil someslro e do
segundo voluma desta publicaijao na ra da Cadeia
< n.-e.fe loja ,ln ijyros do Ca-dnio avres o na ra
ilo/lrp,cbe, n 3, escriptorio do .Novaos & Compa-
nhia onde acharan a venda o primeiro e segu-lo
volumea, a o 000 r. d. um ,Ppa?. os que ifao f-
.emassignantes, contmuando a assignatora dcslo
anrt*em vantea G.OOO rs. por scmeslro"o 2 000 rs
por anno como na corle.
Este peridico, colaborado por muitos homensde
leltr.se red.gido pelo Ilustra poeta portlg^ "lou.
torJoso Feliciano de Castilho tlarreto o Nor'onha
deseo penhou categricamente nos dous primeiros
volumea o fim nara que Coi creado e bo de presu-
mir que contine da mesma forma, sempro a me-
lliorin; por issosfto convidados os amantes da litte-
rafura a concorrercm com o sen colitigante assig-
nando a dita obra o cooperando desta forma para o-
adiantamenlode uma obra-escripia dehauo do bcl-
zo sol do Brasil e sb os.auspicios dos mais abali-
zados escriptores brasiloiros.
Azeved.
Deposito de rap andaraliy
c imperial.
Na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, escripto-
rio de Jos de Almcida Brrelo Bastos, vende-son
bem acreditado rap nndarahy e imperial, fabricado
no Rio-dr-Janeirn, sendo o nico deposito nesta
provincia ; assim como sempre se achara no mesmo
deposito o mi'lhor cha nacional brasilciro, emeai-
xinhas de 5, So 16 libras, por preco commodo. O
rap vende-so a relalho nas seguimos casas : ra da
Cruz, n. 62 ; ra da Cadeia do Recife, n. 17 ; ra do
Encantamento, n. 4 ; ra do Vigario, n 14; ra da
Cacimba, n. 2; ra do Cordoniz, n. II ;ruadoCo-
legio, n. 9 ; piara da Independencia, ns. 4e39; ra
do QueimadQ, ns. 10, 16 e 33; ra do l.ivramenlo,
ns. 4, 5 e 38 ; ra da Penha, venda da esquina, por
baixo do coronel Joaquim Bernardo de Figuoiredo ;
ra Direita, ns 6, 16, 53 e 141 ; ra das Cinco-Pun-
tas, n. 50 ; pateo do Carino, n. 2; ra larga do Roza-
rlo, ns 29 c 35 ; ra do Cabug, n. 7 ; ra Nova, u
50; Alerro-ua-Ba-Visla, ns. 2, 46 e 56.
feCHAPEOS DESOL^
Rita do Passet'o, n. 5.
0 fabricanlodesto estabelccimento adverte ao res-
peitavol publico desta cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sortimento do chapeos de sol,
assim* como chapos de sul de seda forta-coros, dos
mais ricos que teem opparecido neste morcado, e do
cores condecidas ; ditos para senlioras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas de retroz, ludo que tem do n.ais moderno o do
melhor goslo ; um completo sortimento do chapos
de sol de panninho do todas as cores o do tolos os
lamanhos, para homens, senhoias o meninos : ha
tambem igual .ni lmenlo de faicndas para cubrir ar-
macOes, tanto do sedas de cores, como de panniihos
trancados e lisos iniilando seda. Ailvcrle-se quo os
freyuezesserao servidos com brevida.le, esc achi-
ran satisfeitos da boa qualidado, do bom goslo c do
bom preco.
l'recisa-se alugar um preto ou molequo para
coziuhar : na ra Nova, n. 26, loja de l'izeudus. Na
mesma loja vende-se um bom rclogio de ouro, por
preco commodo.
--Precisa-so de urna ama com bom c bastante
leite : no Aleiro-da-lloa-Visla, loja n. 78.
Aluga-se a casa da esquina da ra do Caldei-
reiro para o porlo de embarque com armaco pa-
ra venda e commodos para morar familia : na pra-
ca da Independencia livrarla ns Ge 8.
IIOTEI.-COIIMF.RCIO.
Ituft da Cadeia de Santo-Antonio, n. 13.
Contina a ter srvele lodos os dias de varias qua-
lidado, assim romo acharan qualro salas decente-
mente mobiliadas, sendo duas para seuhuras o duas
para boinens.
Vlgncs, 'abricanle do pianos,
na ra do Qucimado, ni l.
lem pianos de novo modelo feilos do proposito pa-
ra este puiz : s,1o riquissimos, e de machinismo o
v'ozcs superioros, o quo se alianca ao comprador:
tambem tem pianos inglezcs que sao pouco usa-
dos ; concerta e atina pianos com toda a perfeicao ;
vende curdas ('amurcas o lodosos aviamenlos nc-
cossrios para ditos iiislrunientos : ludo por precu
oommodo.
i_/!">"l:"l t
M. S lawson, cirnrgio dentista, tem
honra tic participar a seus ficguezts, c
em gcial ao respeitavel publico, que lem
mudado sua residencia para a ra Nova
n. ai, primeiro andar. Espera que todas
as pessoas que precisarcm de seu prosti-
mo bem reconbecidouesta cidade por mui-
tos annos, continuem com a sua prolcccao ;
esmerando-se elle no desenipenho da sua
arle, c remunerando-as coma sua prom-
ptido e coinmodidade nos preeos,
-- No Atrrr-da-Ba-V'isla, sobrado n. 5, procisa-
so de urna ama de leite, que, sobre ser sadia, lonha
boine abundante leite.
~ Precisi-se tingar um preto para osorvico ordi-
nario do padaria, pagando-se por mez o que so ajus-
lar: na praca da Santa-Cruz, padaria de urna s
porta.
--Quem annunciou querer comprar uma batanen
Rran lo com conchas dirija-ae a ra da Cloria n.
87 que se dir com quem se dove tratar do juste.
- Francisco Jos de Araujo, Portusuez, vni a Por-
tugal tratar do seu negocio, deixando por seu pro-
curador bastante Bernardino da Silva Lopes,nostk ci-
dade ; da mesma forma avisa a to las as pessoas com
quem lem tilo negocio.ese consideraren? suas credo-
ras, hajamdc, no prnzo do tres dias, apresentar suas
contas para seren pagas, apezar doannunciante jul-
gar nao dever nada a pessoa alguma,
Precisa-se de um trabalbador do masseira : na
ra larga do Itozario, n. 48.
--Precisa-se alugar uma prcta para o servico de
casa c rus : na ra larga do Rozario, n.;48.
5 s
lloiini'opntliia.
Primeiro consultorio gratuito para os pobres (<}
9 na ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 22, dirigi- "
# do peloSr. J. B. Casanova medico franco/.
U Este consultorio estar aborto desde as 9 lio- l
ft ras da manlia al as 4 da tardo. Os pobres
recebero consullas o remedios gratuitarnen-
^ le: apresentando um tlestado do pobreza de ->
W> sous vigarios, ou mesmo de outro qualquer *
sacerdote.
#if@
--Antonio Botelho Pinto de Mosquita como tu-
tor dos menores Ribos do fallecido Jos Maria do
Jess Muniz e sus mullier II. Auna Procopia da
CruzMuniz pode001 llovedores4o casal dos ditos
fallecidos que, no termo de 30 dias da data desta ,
man lem pagar o quocsto a dever ; porque, nflo pa-
gando no doclarado prazo, o auiiuneianlo nffo po-
"er prescindir de mandara cobranza judicialmen-
te, oque n"lo desoja e s o f.ir para retirar do si
qualquer responsabilidado.
IIolcl floramcrcio, na da Ca-
deia c S.-.\nlo'io, 15.
0 Franccz Simo l.uiz participa ao publico que
anda so demora por alguna dias I sua via^cm para
af Babia : por isso avisa a lodos os seus (reglKZOS c
ciis pessoas em-particular quo lencioriarom com-
prar obras de ouro o branles, o quizerem apro-
veilar esta occasiiln, dirijam-se ao lugar cima men-
cionado ale as 10 horas da mantilla; e das 3 da tardo
em diante.
-- OscredorcsdcCouto Vianna & Filho Icom au-
torisado a Ceo : Kcnworlhy & Companhia crodores
tambem dos meamos para venderem a casa de so-
lirado de dous andares ll. 33, amado Amorro,
bairro do Recife a melado do sobrado du ra da
Cadeia, n. 27,IJue Ibes fdra'm adjudicadas por sen-
lenca para sen pagamento : que ni quizer comprar
um coulro predio, entend-SO com OS cima men-
cionados quo esiao autoritarios para cssa venda.
Oahaixoassignado, leudo enmprado sos ber-
deirosdo engeuho Belui duas partes deste, quer
vendo-las agora ; so lia alguui einbaraco quem se
julgar prejudiendo declare por esta folba dcnlro
do prazo do 8 das documontamloo embaraco que
houver, porque do contrario sera nonhum.
Lonreneo fleserra Carneiro da Cunha.
Precisa-so de urna mullier do meia dado que
cozibhco diario de urna casa do bomem solleiro : na
ra larga do Rozario, n. 2(i.
-- Alugam-se mobilias para casa conformo o lem-
po que couvicr DOS prelen Ionios, por prcoe commo-
do : no armasen da ra NoVa, n. 67.
AOSPAIS DE FAMILIA.
Urna senbora que lem loilgl pratica do ensinar
primcinis lettras, (ifTercce-se ios pas de familia que
queiram dcil i contiar o ensino do suns lilbas pro-
mcllendu desvelai-se em dar-llics as precisas ius-
truccoi's, nao s no ler, escrever grainmaticalmenle,
como nos principios de rilhAiclioa c doulrini ehris-
taa : i|uem de sen preslimo so quizer utilisar, di-
iija-se a na da Ribeira da Boa-Vista n. 86.
0prioste duso de (Hind faz sciente a quem
ennvier, quo a casa terrea da ra das Cruzes dosta
cidade do liecilc, n. 12, quo se aclia em praca para
ser arrematada, esta bypoiberada a mosma s p> 1
quihtl'a de 1:000,000 rs. vencendo os juros do 5 por
centono anno. oslando a dever dous unos pouco
mais ou menos.
Precisarse do um caisciro para padaria que to-
nba pratica de negocio, eseja maior de 20 anuos,
abonando sua conducta : na praca da S.-Cruz, pa-
darhde umas porla.
Pol l'oidcnol avisa ao respeitavel publico que
lem do rolirar-se para o Rio-de-Janeiro.
Aluga-se urna loja bem repartida e nova na
ra da l.'iiiao por detras da casa de Manuel Alvos
Guerra: a tratar com o mosmo Guerra.
lloga-se a quem acliou um periquito,
que UgiO da ra do Queimado n 22,
que, sendo o quena entregar, o leve
mesma casa cima,
sar genetosmenle.
que se recotnpen-
Compras.
Compra-se um diccionario porluguez-franccz,
por Roquolo em segunda mflo na ra Nova, n.
52, icrceiro andar.
--Compram-se garrafas c botijas vasias: pagam-
se bem : na ra Direita n. 17.
Comprarse uma eseravaque nao lenha vicios ,
seja pnssanl e lenha erra ja em estado do sor des-
mamada : na ra do Mondegn, n. 46, das 5 as 7 ho-
ras p mein da nianhila e das 1 as 6 da tardo.
Compram-sc garrafas pretas sendo limpns.u
80 rs. cada urna : na rna da Hadre-dc-Ueos, n. 36.
Compra m-se, ell'ecliva mente, garrafas e botijas
vasias: noAterro-da-Boa-Visla, fabricado licores,
n. 17.
--Compra-se um bonito-cavado, que seja bom
andador sem achaques e novo: paga-so bem:' na
praca da Independencia n. m.
Vendas.
-- Vcndc-sc una rica cadeiru do arruar: 111 ra
Relia ultima casa do lado do sol, confronte u tra-
vessa do mesmo nomo.
Vendem-seossos'ilntes livros: Diccionarios"
Mntmum Lexicn Fons"'a, de composicSo e da fa-
bul Solela. Fbulas. C.ornelio, Rutropio Cartas
de Cicero Cicero do ollltie Ovidio Horacio, Ar-
tes lalinas de Maya, Antonio Pereir e outros auto-
res, Saluslio, e tambem traduzido ao p di lettra,
cartas de a h c tabeadas, r-artilhas, calbecismos do
dontrina chrlstffa de dilTerentes autores procura-
qocs bastantes, ledras pautas, traslados, Oireclor
F.spirilual Breviarios romanos em 4 mui ma-
neirosdo roimpressao encadernaeno, Syno!>sis ,
Itesposta aoconego Januario, colleccfo das leis do
imperio e alsumas leis provinciaes do difTerentes
annos Prosodia do Antonio Pereira Calipias d*
ultima edicto ,e outros muitos livros: na ra es-
(reita do Rozario, n. 8.
Vendo-se farinha muito boa a 5,190 rs o al-
queire: na venda do licceo da ingoota, n. 5.
Vendem-se saccas com superior
arroz pilado, e saccas com farinha, tudo
por preco commodo : no Forte-do-Mattos,
defronte da fabrica de cafe.
Vcndem-so duas escravas : nos A fugados, largo
da Taz, n 21.
Vende-se um preto do 22 annos bom cozinhei-
ro e de bonita Itgura : no caes di Alfan lega ar-
ma zem do Antonio Anuos se dir quom vende.
Vcndom-se dous livros ja riscados para diarios
e contas correles para osa de commercio muito
diem feitos ; duascarleir.is em bom uso, sondo do
uma face ; uma marquesa de amarello nova ; um
par de jsrros do procellana com flores do ultimo gos-
lo ; urna banca nova de amarello ; um lauque muito
fornido do boa madeira o forrado de folba, que ser-
ve nara qualquer ol-.'o c leva de G08 a 700 caadas :
tudo pon preco muito barato por scu dono retirar-
se para fra : na TrOippo, sobrado 11.1.
Vcndem-so lijlos de alvenaria grossa do bom
barro e do boa marca por proco commodo, ao por-
to da otarla ou posto na obra : a tratar na ra es-
trella do Rozario, n. 15.
Vi ndem-so 5 lindos moloques do 12 a 16 snnos;
4 pardos de 16 a 23 nnnos ; 3 prclos de 25 annos;
urna pirdinha de Ifinnncs ; i pretas de 12 a 20an-
uos algumas dellas com habilidades: na ruado
Collogio n. i, se dir quem ven le.
Vendom-sc 40 millieiros do palbas do carnauba,
chegadas ltimamente pela barcaca s.-Joao-Uaptiita.
na ra da Cruz, no Recife venda do Joflo Jos Ro-
drigues l.oluVr, ou a bordo da mesma barcaca, fun-
dcada tlcfronto do lr,:|iche novo.
SAI..SA-1'ARnil.llA DESANDS.
Este excedente remedio cura todas as enfermi-
dades, as quacs sao originadas pela impureza do
sanguo, 011 do systcma ; a saber :
Escrfulas rhcumalismo crupces cutneas,
brebutlias na cara, homorrboides, doencas chroni-
cas, brvbulhis, bortooija, ti 11 ha, inchacoes, dores
nos ossos ejuntas,ulcnras, dnoncas venreas,citica,
ciil'ermidados que alacain polo grande uso do mer-
curio, bidi'opisia cx.'.ioslos a uma vida extrava-
sante Assim como chronicas desonlens da cons-
tilui{ifo sordo curadas por esta tao til o appro-
vada medicina.
Rio-do-Janeiro 14 de. dezembro de IflIT.
Sr. 'reJeric II. Soulhworth.
TcudPeu lido no Jornal da \Commercio c no Diario
do Kio de Janeiro por diversas vezes annuneios da sal-
sa-parrilba de A. 0 o I). Sands que se vendo na
ra do Rozario, n. 79, por Frcdcrico II. Soulhworth,
a esto mo dirij,'/' c Ibo C.rnprci urna caixa com 12 v-
dros do dito extracto e nchando-me com um gran-
de tumor no sovaco do bracodirelto e parte do pei-
lo, soll'rendo iinmonsas dores por lodo o corpo mo
dolibcrei a tomar 0 extracto du dita salsa ; o lendo
tomado dous vidros usando dedo, lepo ao segun-
do vidro eonheci inmensas melbores, o continuan-
do fiquei perfeilamonto bom ; o leudo alguns
amigos meus Coito uso do dito extracto para rbeu-
malismo, lom no uso doli por fim do lerom tomado
H a 10 vidros licado bons. do que tom resultado man-
dareni-me de dilTerOHlOS partes oncommoudas da
dila salsa para fra desta coi lo a diversos quo leen
eifto uso dola o so toom rcstabelecido perfeitamcnte;
0 mandaudo-iiic agradecer, assim considero sor um
aclo de liumanidadc o ohrigactlo minha fazer publi-
co llo eltioaz e salular remedio. Joaquim Ferreira
de Soma Florea.
ReconheQo verdadeiro o signil supra. Rio, 15
dode/ombro do 1847. Em lestomunho de vorda-
de Joaquim Jos de Castro.
Vende-sennicamente em Pcrnambuco na botica
do Viccnlo Jos do tirito, na ra da Cadeia do Re-
cife
Yende-se sari' de sed hesp-
nliola miiilo superior, setimde Ala-
cao |nii|ii:o para vestidos, los de
liniio pretos bordados aseda,ine8s
pretas de sed-i de peso, panno pre-
to muito fino e prova de lnnao,
caz mira pela clstica, sarja de
listias.setim proprio de collete, as-
sim como otitras militas fazendas
linas, pro?ras para a quaresma :
tudo mais barato ilo que em outra
qualquer parle: na loja de Jos
Moreira Lopes 6c Companbia,r.ia
do Queimado, quatro cantos, ca-
sa amatclla, n. Ji).
IJEWB
_ Vende-se um piano forle, verl.es! de pama
di, rhegadoullimamenle, com muito Doas vo/cs,
e de um machinismo do nova invcncJo.,- P' P*f "
vozesmaisbaixas ale dous lons, ojque lorna este
instrumento muito vantajoao para cantona; cha-
rutos de llavana por preco mais wm"od em nutra qualquer parle;. co|,"P.,lom"?r.tl """'
de instrumentos de msica, tanto de metal como
demadeira; bustos do gesao representando muito
fielmente a rainh Viclor e o principo1 Alberto1,
relogiosdoouroo do prata chegauos uiu....u...-
da Suialae Estas relogios que sito muito bem aca-
bados so lornam muito rccommendaveis a quai-
ouer particular, e avcrlc-se que ha entre
alguns que undam oito dias som precisaren!
,1 : na rua da Cruz, 110 Recife, n. 55.
-- Vende-so, na travossa do Corpo-Santo, n. 27,
um pardo bom ollicial do sapalciro e sem VICIO al-
guin, o quul vende-se por scu dono ter de relirar-se"
ellas
de cor-


US!
-Jimi.___
Vende-se fumo cm folha, para fa-
zer charutos, por preco commodo : no ar-
mazn) de Josquim 1' el i k da Hoza, na ra
da Mcdre-de-Deos.
Vwidc-sc urna rica antis "o do amarello, toda
enviditcada por prego coi nodo : no Alerro-da-
lloa-Visia, loja da esquina do neceo.
Vende-se una mohilia de Jacaranda, nova e do
inuito bom goslo ; urna mesa clstica para 10 pes-
noas; urna marqueza de condur ; um armario en-
vidrando para Iimr.-i ; urna emitir de umnrello de
unta faco cuvernizada e coni pea torneados; urna
comxtoda de amarello; un).hercio do' armago : lo-
doa estes trastes s veudem por prego rom modo ,
por seu dono se retirar; para ver, no Alcrro-da-lloa-
Vista, loja da esquinado neceo.
Vendem-se 3 escravos de bonitas -figuras, pro-
prios para todo o servido por prego commodo : na
ra do Trapiche, n. 34.
--Vonilem-se semeas em sacras muito grandes ,
4,500 rs.; na ra da Madre-de-Deos, armazem de
Vicente Kerrcira da Costa.
Extracto de salsa-parrilha con-
centrado do Dr. Mead.
II qnatro annos, desde que esta superior prepa-
raco de salsa-parrilha foi conhecida no Brasil ,
principalmente ao sul onde est conhecida romo
un dos remedios mais efileazes para todas as moles-
tias produzidas pela Impureza do sangue como
sejarn escrophulas ou alporcas molestias syi hui-
rs c mereurias rheurrialismo. chagas ulcerosas,
tumores hrancos, doengas do ligado e da culis,
debilidadc gorai, etc. ; he tem bem recopimendada
para as molestias interiores, em que se suppcm
os hofes o pejlo atacados, e hem assim naquellas em
que a consliluigioeslivcr arruinada pelo uso exace-
rado de preparares mercuriaes. As curas" que tem
offectuado nestas molestias so. tflo numerosas o
completas,que alli tem ganlo o iKulo de verdadeTo
restaurador ila sade. Vendc-se na ra da Cadeia'do
liccifo, botica n. 3 de Pimenla & Cruz.
Vendem-se chapos de castor branca, a
4,000 rs.: na ra do Qncimado, n. 22.
Vendom-se presuntos para fiambre; queijus
loiidrinos ; ditos de pralo ; latas com bolachinha
finado Lisboa ; ditas de amula.; conservas novas ;
nioslarda ; potes com sal fino ; latas com innrnicla-
da nova ; ditas com liervilhas ; CaixllibsS com IPit-
sas linas ; vinho moscatel de Selubal; dito Shen y ;
licores linos ; e oulros mais gneros, por preco com-
modo : na ra da Cruz, no lenle, n. 46.
FARELO
cm saccas muito grandes,
a 3sGoo rs. a sacca:
no armazem do Braguozao pedo arco'da Conccgo.
Vende-se urna escrava engommadeira Cozi-
nheira bolelra e quitandeira sem vicios nem acha-
ques, o queso garante : prefero-se para fra da pro-
vincia : n,a ra Nova, n. 58, primeiro andar al as
!> horas da mandila e das 3 da larde cm diaaV.
-- Vendem-se pregos balidos, muito proprios para
barricas de assucar: na ra do Trapiche-Novo ,
n. 16.
A bordo do patacho dlagoense, em
frente do trapiche do algoclao, vende-se
.riithade mandioca de muito boa quali-
dade, em graitdcs e pequeas porcoes,
por preco commodo.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em harria de 4 arrobas, por mdico prego:
na ra do Vigario, n. 19.
!\a ra do Crespo loja de 4 pollas n. 12, ven-
dem-se chapos de castor pretos, de.muito boa qua-
lidade ,a 4,400 rs.
fto armazem de Jonquim da Silva
Lopes, na ra da Madre-dc-Dcos, n. 20,
vendem-se saccas com (i arrobas e 8 li-
hrasde superior farinha de trigo, da me-
lhor qualidade que vem a este mercado,
c cliegada ltimamente, pelo barato pre-
co de 1 C>,ooo rs. a sacca.
Gangas da india,
amrellas a peca
de duas larguras pelo barato prego de dez luslOes,
l>ara realisar cantas : no armazem.de fazendas de
llavmiiudo Carlos Leite na ra do Quoimado, I). 27.
teneos, cspelhos para sala, mesas elsticas par* 20 e
30 pessoas, um palanquim, o oulros muitos nbjectos
que vista do comprador se farSo patentes, por
preco muilo em contn no armazem da ra Nova,
11. 67.
Vende-se a armacHo de urna loja de fazemia, que
lumbemservepr.r.; r.iiiBs, no sc'.wr '"* -'o
Ucrro-da-Roa-Visla feila do amarello envenza-
da e envidracada a moda o he nova : lambefli tras-
nassa-se a chave da dila casa: no Ateiro-da-Boa-
Vista, n. 2t.
Vendem-so queijos londrinos muilo freseaes;
frascos com mostarda ; ditos com fructas para pas-
tis ; ditos com consorvas ; latas com sardinhas ; di-
las com hcrvllhas ; dilas com lagosta guizada ; ditas
oom leite em conserva ; garrnf8V:om ago'rdanlo de
Franca ; ditas com vinho do Porto; Sherry Madei-
ra Constancia llock ; cha hysson e prcto ; sohre-
casacas c rats do.brim pardo, a 3,500 rs. cada um ;
camisas brancas com pcilos de bretanha ; dilas de
riscadoditaspara pretos ; ditas de baeta : na ra
do Trapiche, armazem n. 44.
-- Na padaria da ra da Guia, n Becife haver
todos os dias a venia o novopSo de Provenga fa-
bricado poroulro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por esto motivo nSo se
pode fazer senSo a 40/80 e 160 rs.
Livros baratos para aulas.
Na ra <\o Crespo loja n. 11 vendom-se os sc-
eninles livros : Diccionario porliiguoz-francez o
franrez-portuguez por Jos Joaqun da Costa o
S 2v. por 25,000 rs. ; Diccionario Maguum Le-
xicn por 5,000 rs.; dito de composicilo por 5/
rs. : dito frajicez de Constancio por 3,000 rs.; dilo
inslezile Vieira. por 3,0(10 rs ; Atlas de Sinicncourt,
por 10,000 rs. ; melhodo do piano por 4,000 rs: ;
Crammalica franceza do Scveno, por 5,000 rs. ; dila
de Constancio, por 1,200 rs. ; dila de Lhomqnd, por
1,600 rs.; dita de Monteverde, por 1,600 rs. ; Coo-
metria d Lacrois por 5.000 rs. ; Algebra por
4,000 rs.; Arithmeliea por 1,600 rs. ; Trignome-
trla por 1,600 rs.; Diccionario geographieo por
5,000 rs. ; Philosopliia por Cousin por 6,000 rs.;
Tratado da religiflo, por 4,000 rs. ; Biblia portuguc-
za, por 4,000 rs. ; Alias do gcogaphia por de La-
ma rebe el Balhi por 3,000 rs. ; les sept codc-s, i v.,
por 1,600 rs. jl'naclieal navegation, 1 v., por 4,000
rs. ; Memorias histricas do llio-do-Janeiro por
8,000 rs. ; Tratado da navegado, por F. X do Bo-
go por 3,000 rs.; Memoria sobre a litteraltira pnr-
tugurza,7 v., por4,000 is. ; Tratado de rhetorica
geral romanceada, por J II. Cordirn, por 1,000 rs.;
Tilo Livio 1 v. por 2,500 rs. ; Horacio, 2 v. por
3.000 rs.; Virgilio, por 3,000 rs. ; Saluslio por \g
rs. ; Cornelio, por 1,000 rs. ; Fbulas, por 800 rs. ;
F.ulropio por 1,000 rs. ; OragOes de Cicero em-por-
tuguez por 3,000 rs.;Crammalica latina, por Anto-
nio Perch a, por 600 rs ; Besposta do general Abreu
c Lima, por'l,000 rs. ; Historia geral da Blgica, 7
v por 4,000 rs ; ejercicios sobro os participios da
lingoa franceza, por 5,000 rs< ; Chafc d'ceuvro do
Vollaire, por 2,000 rs. ; livros de dlrcilo; e oulras
militas obras que se veudem com vinlo o trinla por
cento de rebate.
Vende-se na ra da Cadeia do Ileciro, 'loja de
Jolo da Cunta Magalhlcs.o primeiro volume dos So-
lo Pcccados Mortaes, por Eugenio Sue Iradundo
emporluguez, por 1.600 rs.; o Mendigo negro de
Paulo Feval, Iraduzidoem portuguez por A. llego,
1 v. por 1,000 rs .; as poesas de Jolo de Lentos Sei-
xas Caslello-Branco; Amore Melancola, por Cas-
tilho ;o primeiro, segundo e torceiro voluntes da
Lizia Potica.
Vende-se a verdadeira e muito superior fari-
nha SSSF, a relalho e em porgo ; dita de oulros au-
tores : na ra do Vigarioj armazem de Francisco Al-
ves da Cunha, n. 11.
--No deposito de Me. Calmont & Companhia na
ra de Apollo, armazem n. 6 acha-so constante-
mente grande sortirpento de ferragens inglezas para
engenlins do assucar corro sejam : luisas do ferro
coado de diflerentes modelos, os mais modernos;
dilas le feno balido ; moudas de ferro do modo"
o adoptado para armar cm tnadeira ; oitas todas
de Ierro, tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de frgr de quatro cavallos o de al-
ia presso o mais moderno esimples que be possi-
vel ; repnrtideiras espumadeiras ; reslriadeiras de
ferro eslanhado; formas de ferro : ludo por prego
commodo.
Vendc-se urna pela moca, de boa
figura, lavadeira c restureiru, e piopria
de lodo o servir o de cesa : na iua do
pos o toucas e enpomma bem ; 3 pretaa le 16 a 20
annos com habilidades, e que 6o boas quitan-
deiras ; um pardo de 18 annos, de muito bo con-
ducta, e he ptimo para pagem : de todos estes es-
cravosse afianga a conduela : nit palco da matriz de
S -Antonio sobrado n. 4, s dirn quem vende.
Novos riscados iwonslros cui-
nczes, a 'RfiO rs ocovado.
Na lxju dcCuimartes & Companhia na ra do
Crespo n. 5, vendem-se os novus riscados chinc-
7Cs finos, de padrees muilo lindos, e os mais mo-
dernos que teein apparecido nesta cidade do vara
de largura pelo barato prego de 360 rs. o covado.
\s novas casimiras de algo-
dao, a 500 rs. o covado.
Na loja n. iHi ra do Crespo, vendem-so as novas
casimiras de algodlo de padrdes os mais ricos que
leem apparecido neste mercado pelo barato prego
de 560 rs. o covado.
CHA' BlUSILEino.
Vende-se, no armazem de molhados atrs do
Corpo-Santo, n. 66, o mais excellente ch i produzi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por preco muito commodo.
Vendem-so barrlquinhas com cal virgem de
Lisboa muito nova; fechaduras para portas de
armazem ; retroz do Porto ; barris com alcatrflo da
Suecia ; pilulas da familia ; ancoretas com azeito-
na, por prego rom modo : ha ra do Vigario n. II)
armazem de Francisco Al ves da Cunha.
Cotas egypcia
Itcmedio sem igual para dr de denles, j bem co-
nhecido no Bio-ile-Janeiro provincias do sul e ulii-
maiiienle nesta provincia pela sua efiicacin em olli-
viar a dor mais tenaz qur seja motivada pela_ ca-
rie, qur por iiiflammgi'o.; mas f a experiencia do
urna prova lhedai o devido nicrecimcnlo. Vnde-
se na i na da Cadeia do Becife, botica n. 3 de Pi-
menla & Cruz.
Vende-se a venda da ra do Apollo, n.21, com
poucos fundos; quem a pretender, diiija-sea ra da
Madre-de-Deos, tratar com Vicente Ferreira da
Cosa.
__Vende-se cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobaa chegada pelo ultimo navio, por prc{o commo-
do : a ira lar com Alinoida Si Fouac, ra du Ajiulio.
PUBO VINHO DA FIGCf.lKA.
F.xiste no armazem do molhados, airas do Cor-
" po-Santo n. 66 urna grande porclo desle genui-
no vinho ; queso esta vendendo pelo diminuto pre-
go do 1,120 rs a capada e a 160 rs. a garrafa ; lam-
" bem ha em pipas que se vender mais cm corita : he
este o melhor de todos os vinhos que se teem an-
nunciado pela sua simplieidade e ptimo paladar :
quem smi vez o beber jamis deixar de o com-
prar.
Vende-se um grande sortimento de movis, com-
rehendendocadeiras do palhinha a 24,o00, 32,000,
6,000, 50,000, 72,000 e 84,000, rs, a duzta ; bancas,
mesas de meio desala rodondns, sofs, camas, lano
para solleiro com lastro de'palhinlia, como para ca-
sado, estantes far livros, guarda-vestidos, excel-
lenles bergos de diflerentes modas, carteiras para
escriplorio, ditas de viagem com todos os seus per-
Vcndem-se taboas america-
nas at5 palmos de largura
o do todos os comprimcntos.que ha milito lempo nrto
leem vindo e os freenezes experin enlando a falta
dcsla excellenle qualidade. A ellas que silo poucas e
o prego he barato. Atrs do thcalro, armazem jun-
to a maro, de Joaquim Lopes de Almeida.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs. ; saccas grandes, a 3.50o
rs., ditas pequenas, a 2,800 rs : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na ra do Amorioi, n. 3.
No armszem de Joaquim da Silva
Lopes vendem-sc saccas com cafe de es-
colha de.piimcira qualidade. a 1,700 rs
a arroba ; barricas com bacalho de esca-
ma a 9,000 rs. ; ditas com fardos a
4,000 rs.
Vendem-se navaihas de ago da China para
barba ; oculo para Indas as idades ; lesouras para
indias; lunetas ; e oulras muitas miudezas baratas :
na ra larga do Bozario n. 35.
Cha nacional de S.-Paulo.
Vende-se o muilo superior cha de S.-Paulo em
eaixas de 1, 2, G c 13 libras : na ra da Cadeia do
Iteeifo loja de Jolo da Cunha Magalhilcs.
Vendem-sc barril pequeos com cal virgen) de LU-
ba, a maii cova que ha no mercado, por prejo im-
modo : na ra da Moda armazem n. 17.
Potassa.
Desembarcou lia poucos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muilo nova
e superior potassa, c se acham venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de Bollar&Uliveira, n. la.
~ Vendem-se dous molrcotcs de nagilo, do 18
annos; 3 escravos pardos sendo um carpinao 011-
tro carreiro ; um ptimo pagem; um prelocozinhei-
ro ; 2 negriuhas muilo linilas; 4 bonitas escra-
vas; duas pardas com habilidades: na ra Direila ,
n. 3.
Vendem-se 9 lindos molcqucs da nagilo e erion-
ios de 18 anuos, sem vicios nem molestias! um mu-
Crespo, loj-tn. 3 A, se dii quem vende.
ifadeira de pinho^
Vendc-se a melhor madeira de pinho que tem
vindo a. esto mercado: na la da Madre-de-Deos,
armazem de Vicente Ferreira da Cosa.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Daliia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos: vende-se em casa de N. O. Bieber & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Vcndem-Se saccas com farinha do mandioca ;
cera em velas muilo alva ; meias d algodo dobra-
do feilas eml'orlugal, por prego corhinodo: na
ra da Praia, armazem 11. 37.
\'cndc-se rhampanha, marca C& C o. vende-
so boje este superior vinho ao rcduzido preco de
24,000 rs. a duzia, om porgues de 5 cestos para mais,
e a 25,000 rs. relalho ; dito Xerez engarrafado ,0
melhor qng ha neste mercado a 14,000 rs a duzia ;
dilo fie llordeaux cm barris e engarrafado do boa
(|nalidade a diversos pregos: na praga do Corpo-
Sauto, 11. 11, fl Vemieiii-se saceos com fardo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo r*.: na ra da Sanzalla-
Vel'ha, n. i38.
Vende-se a verdadeira potassa da
(us.sia, desembarcada honlein, por pre-
co muilo rasoavcl, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 3.
Vende-se um moleque de 7 annos; um escra-
va com cria muito boa costureira e que fai cha-
latiiibo de 14anuos, muito lindo ; 3 protos de boni-
tas figuras de 25 annos sendo um dellos bom car-
reiro ; um dilo bom ca pina; 4 bonitas e sera vas com'
I habilidades, sendo urna dolas de meia i Jado, por
muilo commodo preco ; urna parda de 20 annos ', de
bonita figura e rom algumas habilidades : na ra
do Vigaiio, n 24.
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos inglezos para
fiambre chegados no ultimo navio: no armazem
du liranuez ao 1 do arco da Conceigio.
Vendc-se urna escrava de 20 annos propria pa-
ta lodo o servico de urna casa de familia: DO pateo
da S.-Cruz, n. 18.
KAUKI-O EM SACCAS DR 901.IBBAS :
vendo-sc no armazom de Vicente Ferreira da Costa
na 1 ua da Madre-de-Deos, a 3,500 rs.
Vende-se cu! virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra quah
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. 1 7
Vende-se vinho do Porto, muflo superior, e,
do oulras qulidades em barris de quarto, quinto,
sclo, elimo oitavo eem pipos por prego muilo
commodo : ua ra do Vigario armazem de Fran-
cisco Alves da Cunha, n. II.
Vende-se urna venda confronte ribeira do pei-
xe, n. 1, com poucos fundos, ecom com modos para
urna pequea lamina : quem a pretender, dmja-so a
mesma casa.
Vende-se far \u\\\ de man-
dioca medida cinalquciicvelho; saccas com fe-
jlo mulalinho : no armazem defroulo do caes da
Alfandega, de Dias Ferreira.
Vidros.
Vendem-se vidros par vidragas, de todos os la-
manbos : na ru Nova, loja'de caldeireiro, n. 27,
-- Vende-se a venda da ra de S.-Thereza, n. 60,
com os fundos de 300 a 4QO,0OO rs. c depois de ba-
lanceada |pelas entradas se ftr algum descont
conforme se conreneionar, por soh dono estar mui-
to breve a sabir para Portugal: a lralar na mesma
venda.
Tapioca do laranhto. .
Vende-se, no armazem de farinha, na ruado Col.
n0 r> n, tapice?.,,n x'rnbilo multo alva, por
prego menor do que'o do costume. No mesmo ar-
mazem ha milito novo em saccas, e tamben farN
liba.
DEPOSITO DA ESTRELLA.
KuaNova,!. 56.
Noste deposito acharlo os fumantes as melhores
qulidades d charutos que veom a esto morcado o
pelo menos prego possivel, como sejam : quem-i
mar-sther, deputados, senadores, melindro, a
ta-faz-f lamos-ennelios, regalos do Havanj^iTO-
jante-cavalleiro regala de dlfersas qulidades
oulras muitas qulidades do charutos que so farffo
Silentes aos compradores, c de que se aliangam II
0*s qulidades.
Vendc-se urna casaca nova de panno anu, por
prego commodo': no ra das Cinco-Pontas, n. 35.
Vinho barato.
Acha-se estabelecidn na ra da Madre-de-Deos, \
n. 38, um armazem da
Viudos da Figucira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ;e para no haver dolo do com-
prador serlo lacradas as garrafas e com rotula, re-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se mmeditti-
mente a outra cheia : tambem ha barr* multo pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
pietario desle estabelecimento pede encarecida-
mente que senoilludam avahando, pelo diminuto
prego e sem conbecimenlo de caus a qualidade de
sua fazenda .digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da bo pinga. Elle conta que quem
urna vez provar, continuar com gosto e sem arre-
pendimento. E o bom preco!!.' A todo o cxposlo
acoreseo o asselo e boro acondicionsmonto o que
tudo se poder* verificar em dilo estabelecimento.
-- Venilc-se urna mulatinhade 7a 8 annos, com
principios de costura : ni ra do Livramento por
cima da venda u. 3 com a entrada pela ra do llau-
gel.
Agencia da undieao
Low-Moor, ra da Scnzalla-
nova, n. 42.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um complet sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e tachas de Ierro batido e
coado, de todos os tmannos, para dito.
Taboado de pinho da Su cera,
de 10 a 55 palmos
de comprimento o melhor que tem chegada a esla
mercado, em raziTo do se poder envernizarom qunl-
2ncr obra por nflo lee nos e ser muilo alvo sen-
o costado, costndinhn, assnalho, forro e para' fun-
dos de barricas : vende-se a proco que o ertmpradnr
far todo o negocio : atrs do theatro, armazem da
Joaquim Lopes de Almeida.
Vende-se o Mvteu l'iitortsct, com ilca estam-
pas ; diccionario portugus vpor Fonseoa t tudo por
prego commodo : na ra doQueimado, n. II.
Vcndem-sc, no armazem da
ra da Hadre-de-leos
n. 31 ao Uilo da alfandega, saccas rom farinha,
alguidares vidradosdo todos os tamanbos ; penoiras
de rame : ludo por prego commodo.
Vcndcm-se 3 canoas abortas de conduzir mali-
na es, cm bm estado, urna dolas foi rejuntada de
novo e anda est por calafetar : no Aterro-da-Iloa-
Vista, n. 29.
Vendem-se duas pardas com boas habilidades,
sendo urna delias muito carinhosa para enancas : no
Alcrro-da-Boa-Vista, n. 29-
Vende-se um carro de quatro asientos,. mo-
derno e asseiado com 1 parollia de cavallos pnr
prego commodo : na ra Nova, cocheira do Sr. Adol-
pho, n. ai.
Escravos Fgidos
-- Fugio, nodia 18 do correnta o eseravo Luir,
crioulo, de30annos, sem barba rosto redondo,
cor fula alto, cheiodo corpo ps grandes e mil
fcitos com urna marca anda nova de urna ferid
no lornozolodripcsquerdo; anda sempre cora s
ventas muito sujas de tabaco; levon camisa de !-
gedlo azul, caigas escuras chapeo de patita ; sup-
pOe-se ler ido para as bandas de N.' S. da Git" 'a >
do onde elle bo natural: quem o pegar leve-o o
seusenbor, Antonio Annos Jocoiue ,.na ra i
Praia de S -Hila que recompensar.
Luisa, crioula, de ba estatura, reforgada da
corpo, cara no pequea pcilos grandes o com un
slgual levantado cm rima do esqunrdo e. oulro maiof
na p do mesmo lado ; tem o andar vageroso; levou
vestido de riscado escuro em asseuto encarnado,
panno da Cosa ja usado: quem a pegar levo-'
ra da S.-Cruz, n. 66. defronle da ribeira que se-
r recompensado.
-- Fugitt um eseravo do nomo Tiburcio. b.iixo, cor
fula ; lie muilo regrjsta ; lom os beigos groasot e
uqia corda n cabega de cirregar peso; ignorase
roupa quo lovou : quem. o pegar lvelo a ruaesirer
la do Rozario n. 11, que sera gratificado.
-- Fugio, na tardo do dia 21 do correte a prel r|
Rosa do nago Cavaugti. cor fula ja idosa rom
urna costura de Ulho oulro as sobiaoselbas f*'lf
descansada ; tem algumas margas de chiclo ns
costas ; levou vestido do chita ja usaua panno d"
Costa um laboleiio e um guardanapo de cercadiua
azul: quem a pegar love-a a rita da atadre-de-eos>
II. 1, que ser gratificado.
msf-
PCM. : NA TTP. DI M. r. DI A1I*. ^49

ILEGVEL
" -


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETUWI4SKY_OBKK3Y INGEST_TIME 2013-04-13T03:14:01Z PACKAGE AA00011611_06228
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES