Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06227


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXV.
Terca-feira 25
O 0M/lIOpublici-setodosoadlasquenao
forero de guarda. Oprecodaaaslgnaturahe
de 4f 000 rs. por qiinrtel, pagot adiantadoi. Os
annuncios dos asignantes sao inseridos a
rasao de 20 rs. por linda, 40 rs. em typo dlt-
fereute, e as repelieses pela nietadc. Otaao
asslgnjnles paarao 80 rs. por llnha e loo .
em lypodiffereolc, por cada publlcaeao..
IPHASBS DA LA NO MEZ DE JANEIRO.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahiba, s segs.e sextas-felras.
RIo-G.-do-Norlc, quintssfeira ao meio-rtia.
Cabo, Sertnliaeio, Rio-Forinuso, Borlo-Calvo
Macelo, uol.'a II e 21 de cada mcz.
Garanbuiis e Bonito, a 8 e 43.
Iloa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, ris qnliiws-fclras.
lina, todos os das.
PREAMAR D BOJE.
Priuielra, a 3.horas 42 minutos da Urde
Scguuda, as 4
I horas e 0 minutos da maiiba.
de Janeiro de 18*9.
N. 18.
das da semana.
22 Segunda. S. Vicente. Aud. do J. dos
orph.,doJ.dociv.(lo J. BI. da2. v.
23 Terca. S. Ildefonso. Aud. doj. doc. da 1.
v. e do J. de pa do 2. dlit. de t.
24 (uarta. ftossa Scnbora da Paz. Aud. doJ.
doc. da 2. v. edoJ. de pai do2. dlst. de t.
25 Quinta. S. Ananias. Aud. do J. dosorph.
e do J.Al, da 1. v. v
2(5 Sexta. S. Polycarpp. Aud. do J. do cifi e
do J. de pai do 1. dist. de t.
27 Sabbado. S. JoaoChrysostomo. Aud.dpJ.
do c. da 1. v. e do J. de paz do 2. dlst. de t.
28 Domingo. S. Cyrillo.
CAMBIOS NO DI A 22 DE JANEIRO.
Sobre Londres a 25 'A d. por \ rs. a00 da'
i Pars
' Lisboa 110 por ccnlo de premio.
Rio-ile-Janeiro ao par.
Desc.delctt.de boas firma a I'/i Sfao iucz.
Aceites da comp. de Beberlbr, a SOf rs. 41 P-
C/uro.-Oncas hespanholas. 2'.i/0(K) a 29#50O
Moldas de 8/400 v. Ib7800 a 17/000
. ,|c (i/41111 n. liyiO a lofMO
de4/000.... 9/200 a 0/400
PralaPatacoes braattetros 1/M0 a 1/W
Pesos columnarlos. 1/940 a 1/9UP
. Ditol mexicanos..'... 1/880 a 1/900
DIARIO DE
PAUTE OFFICI'AL.
1,1
V
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 19 DE JANEIRO.
Onicio.Aocpmmandanle das armas.Acensando
a recepeto do olllco que V. Ex. dirigio-mo cmdala
de 15 docorrcnle, acompanhadn da copla da ordem
do da do 13 do coronel Joflo do Reg Barros, desere-
vendo o combate quo leve lugar no engenho Cma-
ragibe entre as forcas ao mando do mesmo coronel
c as dos rebelde, se me offerece tlizer a V. Es. que
lico seicfite do quanto V. Es. participa, e ja lovoi no
cnnliecimento Jo govorno imperial tnaia osle trium-
plio oblido pelas armas da legsldadc, o muito lou-
ro a bravura dos leaes defensores da ordem, agra-
decendo os imporlantes.servicos qu teem prestado,
oconflo que conlnuanto a prestar para restituir a
pozosla bella .provincia. Oquo ludo V. Es. fara
constar ao mencionado coronel.
Dito- Ao inspoctor da ihesouraria da fazenda,
declarando que.para poder cumprir o dlsposlo em o
aviso da secretaria de estado dos negocios do impe-
rio, precisa queS S. faga organisor e remella a pre-
sidencia cun a maior brevidade possivel urna conta
circumstanciada da aanlia que sena despendido
cora a obra aquesemandou proceder no palacio dos
antigos governadores desta provincia, alim do se po-
der remover para aquello edificio o curso jurdico de
Olinda. ...
Dilo. Ao administrador das obras publicas, or-
denando que com a maior brevidado possivel mande
S.Mc.examinaroestadoem que soachaaobra, que
6e procedeu no palacio dos antigos governadores de
Olinda, bem como organisar o ornamento do que
provavelmcnte se lera de gastar com a conclusfio de
aemelhanla obra, o que traga aocotilecimento da
presidencia o resultado de tal exame e o ornamento
esigido.
Dilo. Ao commandante da preca, transmitln-
du,para que lenlia o conveniente destino,a parte ac-
eusaloria do soldado desertor do contingento do 3.
balalhflo de artilharia a i da provincia das Alag*,
Manoel Francisco do flascimenlo. Comniuncou-
seao presidente da referida provincia.
Dito. Ao mesmo, participando que por decreto
de 2 do correnle liove 8. BI. o Imperador por bem
conceder passagem para o 2." regiment de cavada-
ria ligeira ao lenle da compaiiliia (xa da mesma
arma desla provincia, Manoel Francisco Monleiro.
I'jriicipou-sc ao inspector da pagadura militar.
Dito, Ao mesmo, remetiendo copia das inslruc-
ces porque se duve reger aoaisa militar, filial a
iagadoria desta provincia, quo S. BI. o Imperador
louve por bem resolver so cstabelcca aqu em cum-
primento do que dispo o artigo 3. do decreto de
20 de abril de 1844, para que subsista cmquanto o
t-xigiram as necesidades do servido e o estado ex-
cepcional desla provincia, e tique cncarrogada de
todos os pagamentos s forcis em operarles. Sci-
enlificou-se o inspector da pagadura militar.
INSTIIUCCES para creado de urna caixa militar na
provincia de Pernambuco, conforme
o avilo dula data.
Artigo 1.' Fica eslabelecida na provincia do Per-
nambuco una caixa militar, filial espectiva paga-
dona, com um pagador, um cscrivflu commissario
de (ilustras, o o numero de amanuenses queloroin
necessarios.
Art. 9.a Estos emprcgados.quo silo todos decom-
missfio, poderflo ser lirados da pagadura,, ou esco-
lliidus denlre os llicaesda 3.' o 4.* ciasse do exerci-
lo que tcnliam as necessarias habililaces, sondo os
quesabirein da pagadura substituidos por addidos.
Art. 3.* Seus voncimeutos ser1o pagos pela ver-
ba de ovenluaes excepto o sold, se forein mi-
litares, porque ueste caso se lites abonar pela ver-
ba respectiva..
Atl. PcrceberDo emeampanha as rac,oos de
elapo e forragem que llu-s comptem pelo regula-
monto da roparti;i1o de viveros do exercito.
Art'. 5.* O pagador, (que prestar flanea idnea
fia rasfio decupla do vencnnunlo respectiva) quand
tenh de acompanliar qualquer frca militar para
fura da capital, recebar do jhosoureiro-pagador as
sommas quo designar o inspector da pagadoria,*,
conforme us InslrucOes qo por osle lliefrom da-
das, (us quaes deveilto ser subuiejldas approva-
em operafGes, precedendo a revista de msica, o
almdissoserencarrcgado da compra dos gneros
para etapo-da tropa, pagando-os ou dando os com-
petentes documentos aos fornecodores para seren
pagos vista delles.
tamente coulas lis pagadona militar, e imlependeu-
le disto, enviara suas coulas o doCunioiiloa a paga-
doria sempre que so llie proporcionar occasio.
a A'rt; 7.' Teri um livro de reccla e despeza, e
tantos quadernos auxiliares quanlos forom us corpus
a quelcnha de |>ag8r para uelles formar oscumpo-
tenles assenlamcntos, o averbar os pagamentos quo
fizer; ealm desles, oulro para lanc.ameiilo de ludas
as despezas que nilo rorem relativas a sidos, gralili-
cagOes e mais vencimetitos mililnres, e i|ue llio f6-
rem determinadas pela presidencia da provincia, ou.
pelo inspector da pagadura militar.
Art. 8. Kestahclecida a ordem na provincia,
ecessando a uecessidaUo dosla caixa, ccssai laut-
bem a commissao evantagens doseus emprogados,
c lomadas as contas dnr-se-ha quitac.no ao pagador,
exonerando-so seu fiador.
b Palacio do Itio-de-Janeiro, em 4 de Janeiro do
1849. Vanoel Felizardo fe-Soma Mello.
. Dito.Ao mesmo, transmiltindo copia das ins-
.truccoes para a pagadoria militar desta provincia,
que baixaram com o decreto de 21 dedezembro do
anno prximo (indo.Participou so ao inspector da
pagadoria- militar eao da Ihesouratia da fazenda.
Dilo.Ao mesmo Iransmittindo, para quetenlia
o convenionto destino, a guia do soldado do 2. hata-
ho do artilharia a p, Manoel Caolano da Silva,
que seguio dss Alagas para esla provincia, aflm de
reunir-se ao respectivo corpo.Intelligenciou-so o
presidente da provincia das AlagOas.
Portaras.Demitlitido do scrvigopxapito secre-
tario-goral da guarda nacional dos municipios da
Scrinhfiem, Rio-Kormoso e Agoa-I'reta, Manoel de
llollanda Periquito, e Horneando para o sustituir o
cidadflo l.aurenliuo Jos de Miranda.Scienlilicou-
so o coinmandante superior rospeclivo.
, IDKlf DO WA 20. -
Oficio. -Ao presidenta da relaclo, parlicipando
que por decreto de II de dezombro prximo lindo
houvo S. BI. o,Imperador por bem remover o hacha-
re! Vicente Ferreira Gomes do lugar de juiz munici-
pal da 2.* vara desla cidade para o de juiz municipal
e dp orphuos do termo da Villa-Nova da provincia de
Sergipe.Fizecam-se as convenientes participagoes.
Dilo.' Ao commandante do vapor Pemambucann,
ordenando receba a seu bordo e conduza para a cor-
te do imperio o cadete do 2. batalho de artilharia
a p, Jos Peres Campello Jucome da Gama.
Dito.Ao inspector do arsenal de marinha, auto-
risando-o a osquipar um cscaler com um palrflo e
seis remadores, vencendo o i.o a mensalidadade
18,000 ris o os de mais a de 14,000 com a respectiva
ra'c,8o diaria, aflm dooccgpar-seconsiantemenlo em
revistar as barcaras, canoas e qtiacsquer oulras em-
brcameles de pequeo Idto quo liouverem de sabir
pela barreta do norte, bem como rondar lodo o lito-
ral do mosqueirb desde a mencionada barreta at a
do sul; cdoclarando que devo S. me. levar rubrica
arsenal-as desperas queso flzerom em conse-
quencia desta autorisaco.- Parlicipou-se ao ins-
pector da Ihesouraria da fazenda.
Dilo.-Ao inspector da pagadoria militar, orde-
nando pague a Antonio Joaquim dos Sanios a qusn-
tia de "20,000 re por que contratu conduzr em
urna barcaca para a cidade de Cuianna quatro solda-
dos porlcncenles frQa da Parahiba quo baviam sa-
bido du hospital regimenlal, onde linham oslado em
tralamcuto.Scienlilicou-so o commandanto das
armas.
Dito.Ao presidente do concelho goral do salu-
bridado, participando liaver norocado a Ivo Pinto de
Miranda e a Jos Maria llrayuer paia exercerem in-
terinamente as func?Oos de delegado d'aquelle con-
celho, o I.4 no municipio de Agoa-Prcta, e o 2." no
do Bonito, sb a condicjlo, porm, do s percebe-
rem o respectivo ordenado depois que cessar .o esta-
do de perturbago em que se acham os mesmos mu-
nicipios, e os nomoados provarem documcntalmcnle
terem entrado em excrcicio.Communicou-se ao
inspoctor da Ihesouraria da fazonda provincial.
Dilo.Ao' juiz de orphilos, remetiendo o reque-
rimento documentado de Manoela do Nascimenlo de
Jess, acompanhado do informaclo do director do
arsenal de guerra, afim do quo Taca cumprir a res
peito do Ribo da supplicanto, Antonio do tal, c- que
(lispOeo art. 4.' do regulamVo n. 113 de 3 de Ja-
neiro de 1842. .
Dito.Ao inspector do arsenal de marinha, de-
clarando que, visto nilo perlencer aquella reparticao
a canda de queS. mo. Irata, dove manda-la eiurcgar
ao inspector d'alfandoga, por dever ser a que ui en-
centrada com um contrabando do mana, appre-
benifido pelo comrr mdante do corpo de polica.
Portatia.-Plomeando para o lugar vago de l.sup-
plenle do delegado do termo de Cranhuns o major
Ci.ristovnpToiseira do Macoio.-r'izoram-so as con-
venientes parlicipar;(jes.
Dita.- Demittindo us pnmciros supplonles de suu-
delegapoabflixo declarados: .
Kreguozia da Serra-Talhada-Manoel Joaquim do
Magallifles. .. .
- Dislriclo de S.-Franciscb-Jos Peres Ribeiro.
Kxpadiram-se as convenientes parlicipacoes.
Dita.-orneando para primoiros supplonles de
subdelegado os cidadaos abaixo declurados :
Villa do Flores Marcos Ferreira Cmara.
Freguezia de Serra-Talbuda-Uraz Nunes do Ma-
calhaes. .
Districlo de San-Francisco-Antonio Gon^alves
Torras.
Districlo da Daixa-Verde-Arnaute Nunes do Ma-
galhfln*.
Fizeram-se as parlicipatjoes do estyio.
Italia. Nos diremos anda alguma cousa acerca ilos-
le ultimo paiz, para dopo.s tratarmos das outras
nacOos da Europa. __fc_-
uando, pela manhSa do da 25 do novombro, se
ileu om Roma pela fgida do papa, toda as classes
da sociedado em geral ficaram estupefalas, nin-
tiom so attrcvia a enunciar o seu pensamento, c os
individuos olhavam-se uns aos outros em dusespo-
ro, como se o reinado do terror Uvera choga lo No
di 96,.porm.o professor Folchi propoz na cmara
alia quo so insttusse um govorno provisorio para
que olios podessem licar habilitados a deliberar lo-
galmentona ausencia do chafe do poder execulivo;
todava estaproposta fui rejeitada.
No da 3 de dezombro cliegou Roma um rescrip-
to do papa, annullando todos os actos do novo mi-
nisterio, o ordenando a dissolucfto das enmaras. O
presidente da cmara dos leputados, a quem esto
rescripto fra communicado, convocou immeJiala-
meute a assomblca om scssSo extraordinaria. A ca-
sa reunio-so pela meia-noite, e dopois de urna dis-
cusso que duroj ale a nianliaa do da segmnle. foi
resolvdu quo o rescripto de sua santidade fdsse con
siderado corro de nenhunr valor, por isso que nao
eslava assinado por nenhum ministro rcspousavcl.
A assembla resolvett mais que urna (lepirtagao das
dtias cmaras sse enviada ao papa para o llm do
pcdir-llio se dignarse So voltura Roma.
No da com elbilo a doputaQilo das duas cama-
ras partir para Gacla; mas, ao chegarom seus mem-
bross rronteiras napolitanas, um inspector do po-
lica Ibes pcrgunlara se inrn a (iaela, e como Ibes
rospondessem alWrinalivamente, communicra-lhes
que linda ordem de nSo deixar a depulaQo entrar
no lorrilorio napolitano. Os (leputados requereram
quo esta rospost Ibes Msse dada por escrito, maso
inspector declarou que isto exceda s sitas inlruc-
efles. Os' deputados podiram dopois que Ibes fsse
permiltdo enviar urna carta ao cardeal Antonelli,
mordomo dos palacios pontificios, afim de infrma-
lo do objeclo da misso do que seachavam cncarre-
gados; o que a final Ibes foi concedido.
Poucas horas depoiachogou a resposta do cardeal.
Sua ominenca declarara que o pontfice, tendo pu-
blicado om dala de 27 de novembro os motivos quo
Uvera para ausentar-so temporariamente de Roma,
nao poda recebar a depulacao. masque rogava ao
Omnipotente se dignasso de volvor seus olhos mise-
ricordiosos para Roma e para o estado.
A dcputacts nsio leudo podido cumprir a sua
misso, rogressra cidade eterna.
O pontifico anhela vqltar Roma, mas desoja ra-
z-lo por pedido do pov, c nao a instancias daquel-
Ics que usurp.-iram o poder contra a sua voutado, e
o deliveram no,Quirina! em osltota pristo.
No dia 8 do dczelnbro fra extraordinariamente
convocada a cmara dos deputados para o fim de ou-
vir o rclatoro da depula?ao que tinha sido enviada
aGneta. .
Depois de linda a lcitura desla pec,a, a qtial cm
substancia nao conlm mais do quo cima deisamos
dito, subi tribuna BI. Paiilalconi, eassim se ex-
iiressou:Srs., nos temos um devor quo cumprir,
o he preciso quo nos mostremos igiiaes as circums-
tancias, por mais serias une ellas sejam. Fu pro-
ponho; pois, a esla assembla nomeie urna commis-
sHo do cinco membros, a qunl, dopois de examinara
siluaco do paz, adoptar de aecrdo com o mini*-
torio as medidas necessarias para a scgurai^a do os-
lado.
O principe do Canino (Luciano llonaparte) oppoz-
so nomeactlo do urna conimissao, por causa da de-
mora fatal que isso ocrasionaria, o propoz o ostabe-
leciincnto de urna regencia, composta ao dous secu-
lares e um clrigo. A assembla, porm, rcjclou I
proposta do'principo de Canino, eadoptou a do ci-
DIARIO JJE PBUNAUBUCO.
^atf-jii
AKOITB, Sa SE JANEIRO DI 1849.
NOTICIAS O* EUROPA.
llalla e Austria.
Em o numero precodente deste Diario, terto visto
os nossoa leitores o estado em que ltimamente fi-
caram a Inglaterra, Portugal, llespanha, Irania o
dadilo Panlalconi, nonieando para membros da com-
missao oscidadilosStuibnelti, Fusconi, Rtoxl, So-
renr-o Lunctli, os quaes o presidenle couvidou a rcu-
nirom-se iminedialamente.
O povo, mo saUsfclo com esta medida, poz-se a
gritar: Abaixo a cmara I Queremos umgoverno
provisorio popular. O moviincnloa ia tomando um
carcter asstislador, quuudo algumas possoas^ue li-
nham tifluertcia. nos nimos, conseguirain acalmar
a effervesecnca do povo, o indu/.i-lo a esperar um ou
dous dius mais, afim de quo seus desejos fssom Ie-
galmcnle cumpridos.
Mr. I.unali, ministro da fazenda, o Mr. Seren, mi-
nistro dajuslifa, deram u sua deinisso. Blr. Blamia-
ui mostro Inmbcm desejos de resignar a pasta i|iio
hebaviasido cunliada polo povo e pela assembla,
e n3o o fez por a isso so ler enrgicamente upposlo
o principe do Canino, o qual inslou-o para que con-
vucasso urna asseinbla consliluinte, eleito por suf-
ragio universal, alim de decidir aliual o coufliclu
que se dava enlrc o papa e o povo.
No da 11 finalmente fra proclamado o governo
provisoriu ; ello compde-se dus senadures de Roma
e Uolonha o da Gonfaloniere de Ancona. Fui declara-
do quo o papa ta va per^iu u seu pudor temporal;
ministro Slorbini falln ao povo, e anntinciou que
'ao pontifico,smenlo na quaiidade do hispo, seria
permiltdo vollar Ruma, mas quo u entrada na-
quella cidade seria prohibida aos caldeaos caos pre-
lados. O povo, cheio de urna alegra entlvusiastica,
pcrc.orreti as ras dacidado, gritando : Murrum us
card'eaes!
Tendo inloirado os leitores de todas as oceurren-
cas que liveram lugar om Roma, vamos agora fal-
lar-llies do quo fizera o papa depois que ebegru
u Gaetu.
Apenas o santo padre entrara naquclla cidade, des-
pachara immedialamento um mensageiro com urna
carta autograplia para o rei de aples, conununi-
cando-lhe que se h*Va refugiado em seus dominios;
porm quo, com o presupposto de nSo causar ao go-
verno dello,rei nenhum embaraco, tinda-sodoixado
ficar o mais prximo qu lhe fra possivel da fron-
teira.
O pontifico declarou lambem que dous vapore,
um francez oulro hespanhol, baviam sido postos
sua disposiQHo polos representantes dos govornos
dos respectivos paizes, o quo, se o rei imaginas
que a presenta dello pontifico podoria ocrasonar
algrt'm dcsor.lom, por mais pequea que fsse, cm
seus estados', ou qualquer desintelligcncia com al-
guma oulra potencia, eslava prompto a retirar-se.
Este despacho foi rocebido no dia 2j da novombro
pela incia-noto, o a resposta que o rei lhe deu, foi
mandar apromptar (inmediatamente dous vapores,
avisar a rainha e o principe quo se preparassem para
partir sem demora paraGaela, e ordenar que um re-
giment do guardas partisse quanto antes para a
mesma cidade. listes preparativos fram logo con-
cluidos, eao romper do dia orei, a rainha eos in-
fantes roaos embarcaram-se em um vapor para irera
renderhomenagem aosps do supremo pontifico o
olL-recerem-lhe ludo quanto a mais liberal hospita-
lidadepodia inspirar. Pelo meo-da dous vapores
lram com cfTeito despachados, um conluzinlo o
regiment quo devia servir de guarda de donra
pesioa do papa, c o oulro carregado lo todos os
Utensilio*que so necessarios para a Cozinhl o mo-
fa, levan lu a sen b ird t um grande numero do cria-
dos, os quaes fram postos disposeto do mesmo
augusto sonhor.
Qjasi todo o corpo diplomtico se retirara de Ru-
ma, eso transportara (acta parj junto da pessoa
do papa ; nao menos de 2!) canicas linham lambem
chegado a musma cidade, o que habilitara o ponti-
fico a reunir um consistorio. De todas as partos,
nobres o plcbcus corram a receber a hencHo papal,
e o santo padro gaslava quasi lo.lo o lempo em rece-
ber a inullidto anciosa que mplorava o seu val-
mento.
A crenca gcral era quo sua santidade voltaria
lloina a instancias do povo, o qual, esporava-so, fa-
ria alinal.uma demonstragilo em seu favor; nilo sen-
do, portento, precisa a intervencao armada do nenhu-
ma potencia italiana ou estrangora.
A respeito da ub licacJo do imperador da Austria
nada podemos dizer, visto nao termos anda roce-
bido os nmeros do iinxet que delta tratara.
Todava oiTorecemos a consderaeflo dos leitores
os tres documentos segulntes, que Ido sao relativos :
n Quarlcl-gencral de MilSo, 8 do dezembro.
< Soldados Illontom vos informei do sublimo o
generoso acto, em virlude do qual um imporador
poderoso desceu du ihrono por amor a seu povo,
pois julgou que cm lempos 1.1o dificultosos como o
presento as redeas do esla lo devam sor dirigidas
por maos mais vigorosas. Eu vos communico agora
as carias soberanas que din fram enviadas nesU
solemne OCCasiBo por Sifas Magcs.lados, o imperador
Fernando, e o imperador boje reinante, Francisco
Jos. Eu besilei um inslaule tiesta resoluclo, a mi-
uha modestia assustava-sn com a idoia de proclamar
a vos c au mundo as espressns nimiamente lison-
geiras que ellas cnnloin; porm a benevolencia do
mcu imperador nao he minlia pro|inedade exclusi-
va _vs participis della commigo. O esplendor
que, bem como o raio do sol qtisndo so pa depois
do um dia brlliante, ella derrama sobro o occaso de
ni inlia vida, he obra vossa; mintiascoi.siderac.oos sao
dovidas ao vusso valor. Camaradas, guarda firme-
mente em vosios teacs corceos as palavras do voiso
imperador. Tonde-as sempro presentes om vossa
memoria, cortode uue cu vos lembrare dellas, so
os inimigos da patria nos obngarom outra vez a ar-
rancar a espada.
O mareclul Radctzkij.
< Meu charo marcchal Radolzky.-Eu deiso o
llirono do meus antepassados com a consoladora
convccHo de uo ler volunlarramanle despre/.ado
nada que podosso contribuir para o bem do meu po-
vo A minba prsenlo losoluca.i, sobre a qual tcnl.o
maduramente pensado, he fundada neste senilmen-
te. No momento de oxeculo-la, nao posso de.xar
de dirigir, alguma* palavras ao homem a quem tli-
SlU devu o^ter po lido tiansm.." on.r-
cl.ia cm sua integridude o meu amado sohr.nho e
cessor. DepuTs dos ^<>rli'l,l* 3 ib^
por mais de n.eo socio c com ""a comanloJber
d.doc urna .,ctivdade infat.gavel M*g
frenle de meu heroico exercito,--v,w me v co
riosamenlo Uvradoo import da !J"|'0'
migo numcricaniento superior Amona relia ser
vo-ha etoiuamento grata por esles rettOje no mo
ment cm que entrego as redeas Wg?; "K
mais vigorosas, aceitai os meus prolunlus o roiie
radus agradecimentos.
Olmulz, 30 de novembro do 184.
lernando.
a Mcu charo raarechal, cunde nadotzky.
i un Maccstadc o imperador, meu
Honrado po Sua MagMi Jo te.
mono "^ foffir. oiinba Artja aindanto
nho P?';'"d'uel;' concellio e assistencia dos
expenmenlad.. nquer o mereeido.bem do
STtS --"j- pnmeiros entre elles. o nes-
b> lu parnie fazer co.ihecer que sois o general
amad i honrado pelo rrfeo heroico exordio, cuJo
espirito vivificis, Cuja loaldade confirmis, e cujo
valor exaltis.
sissa


F
Eu ppello conseguintemenle, por vosso nlerme-
M"1 5tfo,501" minhas bravas tropas, e rogo-
vosIbes declaris o muito que aprecio o seu mrito
assim corno o muito que cordialmente as amo '
r i.!!0 jCOinde' ea vos W>> convencido de que
sois homem de honra, que me assistais com vossa
3 "'"''dade. Eu preciso tanto de vossos
conselhos, quanlo de vossos servicos.
Olmutz, 9 de dezembro de 4848.
2

Francisco Joieph.
AL'KMGIO DO
SBLVAOEaiA
BRICUE FRANCEZ i/edMOND. ACTOS OF.
E DEPBEDACAO, PIUT1CADOS P0B OC.CA-
siaO desse smiSTRO.
Confiaram-nos urna carta escripia em Oabedello
aos 15 do corrcnle, cujo contedo nos contrretou so-
bremaneira ; n&o s por dizer respeito a um desses
scontecimentoaque, pormais frequentosquosejam,
nunca deixam de causar pezar profundo a quem nilo
podo esquivar-se o senlimonlosdedr quandosabe
que ha sc-flrido mais ou menos urna porgio de irmilos
seus; scnflo tambem porque narra alguns actos de
barbaridade o latrocinio, que jamis quizerams
fossem pralicados por liomens quo pcrtencem ao
mesmo paiz em que naacinos.
Refero a carta que o brigue franccz I.'F.dmond, ca-
pitSo Adam, tendo sabido do Havre a 25 de novem-
brode!848 com destinos Valparaso, perdera-soem
a noite de 13 para 14 do correlo Janeiro em frente
da fortaleza de Cabedello, sita entrada dorio Pa-
rahiba ; que, felizmente, foi possivcl salvar a
equipagem do navio e os respectivos passageiros -
masque, ficando ello inleiramente despedazado, o
capillo leve de ver devorada pelas ondas a mor parte
Uocarregnmenlo.
Pungente por duris era o espectculo que entilo
so overela aos cdlios dos habitantes do lugar: qua-
si que por milagrc, alguns do scus semelhanles aca-
bavam de ecapnr-se Amorte; e, anda no resta-
belecidos do sostoc do terror, afanavam-so por co-
Iherccrlosobjectosque, como ellos, havlam sido
arrancados ao furor do caprichoso elemento pe-
lo dedo poderoso da PROVIDENCIA. Quem qur
que, sb o dominio dos mais triviaes principios
dehumanidado, tivesse presenciado somolhante es-
pectculo, correr iminediatamenle em soccorro
dos nufragos, e os ajudra a por em hom re-
cado aquillo que as ondas Ihe havlam deixado:
entretanto os degenerados, a cujas vistas se desen-
rolava essequadro melanclico, abaando os gritos
da conscencia, e procurando asscmelhar-so a essas
h ordas bravias que demoran) as madonnas e inhs-
pitas praias de que ninguem so approxima impune-
mente, atiram-so com a gana do salteador sobre o
grupo infeliz, roubam ludo quanto lhcs cabo debai-
xo das nulos, o de mais a mais maltratan! alguns dos
desgranados que ousam oppdr-se a que clles prali-
quem accOes tilo hediondas como criminosas.
Sim; um dos marinheiros quo levo cora geni bas-
tante para so resolver a defender do saque urna par-
te das mercadorlas, he amarrado a um poste;
oulros dous quo lentam imita-lo, silo esbordoados ;
muitos punhacs, em summa, so erguidos sobre os
pcitos do conlramestrc, da domis maruj e dos pas-
sageiros : nflohouvo remedio senlo abandonar aos
lobos a sua preza.
Consta-nos que o cnsul da repblica franceza
. nesla cidade, logo que foi informado desses fados,
deu as precisas providencias para que fssem ellos le-
vados ao conhecimenlo das autoridades territoriaes,
. e eremos que estas farSo punir dividamen te lodosos
individuos que tito vergonhosanjenlo prostorgaram
as leisda hospitalidade, bem como as da ociedado
no mcio da qual vivemos.
Dacarregam hoje, Ilrigue Andrew-M .* Jones farinha.
Escuna Galante-Marta fumo esabilo. '
lliale Gil-Brat pipas vasias.
Calera Bonita mercadorias.
Galera Serafina idem.
Calera Columbus idem.
MPOllTACAO'.
Revoco, polaca sarda, vinda de Huonos-Ayres, en-
trada no crrente me/, consignada a Amorim & Ir-
milos, manifeslou o seguinte:
3*50 quintaes de carne secee, 60 couros, <50 du-
zias de lingoa, 99 caixas velas do sebo ; aos mesmos
consignatarios.
CONSULADO GEBAL.
RENDIMENTO DO DA 22.
Gcral .
Diversas
provincias.
6:775,287
110,309
6:885,596
CNSUL A DU PROVINCIAL.
RUDIMENTO DO DA 22.
3:209,177
Mov ment do Porto.
Navios entrados no dia 22.
Ilha do Sumatra ; 90 das, barca americana Lucillo,
de 290 toneladas, ca pililo Gcorgo Hopea, equipa-
gem 12, carga pimenla; ao capilo. Vem rece-
ber ordens.
Rio-ile-Janeiro ; 20 dias, barca ingleza Malcolm, de
350 toneladas, capilo Jonalham Sim, equipagem
12, em lastro a Dean Yullo & Companhia.
Santos; 30 dias, brigue dinamarquez kdteard, de
180 toneladas, capilo Paler Mtiller, equipagem 8,
em lastro ; ordem.
Tcrra-.\ova ; 33 dias, briguo inglgz Viola, de 139 to-
neladas capilo Alien CoodrJdge, equipagom 9,
carga I80O tinus com liacallio ; ao capitilo.
Itio-do-Janeiro 22 dias, brigue brasilciro Sociedade,
de 139 toneladas, capitilo Manool Joaquim Lobato,
equipagem 12, carga caf e pipas vasias ; ao capi-
tilo. I'assagciro, Antonio Rorgcs Calvilo Ucha,
Diasileiro.
Navios sahidos no mesmo dia.
Maranhflo ; brigue ingloz Mldus, capilo diarios La-
e, carga a mesma que trouxe.
Lisboa ; hsrcea porlugueza Tejo, capilo Silverio"
Manocl dos Iteis, carga assucar. I'assagciro Thiago
Mana .Maia, 1'nrlllgUCZ.
Portos do sul; vapor brasileiro Pernambucana, com-
mandante Joo Mili tilo Henrique. Passageiros: para
Macei.Jos Valeriano de Pinho com 1 cscravo; pa-
ra llahia, James Taylor, Inglez ; para oRio-dc-Ja-
neiro, Samuel Suutham.
VbservacaO.
Fundeou no l.ameiro, para acabar de-carrgar,
a barca ingleza Ben-Nevis, capilo l'etre Dowood.
E para constar se mandou afiliar o presente e pu
blicar pufos Diarias.
Secretarla da thesouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 22 do Janeiro de 1849.
O 2. escriturario,
Antonio ferreira d'Annunciacto.
Clausulas especian.
I.' A pintura da ponte pensil do Cachang sera fei-
ta da maneira indicada no orga ment approvado
pelo Exm. Sr. presidente da provincia pelo prego de
513/194.
2.* As obras principiaruo no prazo de quinze dias,
e acaharilo ne? de um mez, contado em conformi-
dade do artigo 10 do regulamento das arrematares.
3." O pagamento do importe da arrematacoo rea-
isar-se-ha no lim da obra, depoisde examinada e
recebida pela repartidlo Jas obras publicas.
4.' Para ludo o maia que no est determinado
as presentes clausulas, soguir-se-ha inleiramente
oquedespOeo regulamento de 11 dojulhode 1843.
Repartico das obras publicas, 22 de Janeiro do
1849.
O engenbeiro,
F. Rodrigues da Silva..
CURSO JURDICO.
Fago saber a quem convier, que desde o dia 3
defeverciroal 15do marco prximo os que sehou-
vercm de examinar em preparatorios se-lo-bo na
raso dos exames que j tiverem foilo ; pelo que os
requerimentos quo para isso fizerem devcro ser
instruidos com as cerlides dos exames j feitos. Os
requerimentos que no apresentaretn nenhuma des-
tas certidOcs, sero considerados como de quem
pretende fazor os seus primeiros exames no curso
jurdico.
Olinda 8 do janoiro de 1849.
O director.
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
THEATRO DE SAN-FRANCISCO.
QU1NTA-FEIRA, 25 DE JANEIRO DE 1840.
O CAPITAO ROUND,
Vaudeville cm um acto por Mr. Arago.
ANCA.
Vas de deu noble, dangado pela Sr.* Cimoin o o
Sr. Adolpho.
OS VINTE SOLDOS DE PERI.NETTE,
Canconela moderna, eantada pela Sr.* NaUulie.
UM ROMANCE NOVO,
Cantado pela Sr.* Nathalie.
PAI E PORTEIRO,
Vaudeville jocoso em dous actos..
' I'ASSO STYBIANO,
Dancado pela Sr.* Camoin e o Sr. Adolpho.
SER AMANTE DE SI MESMO,
Vaudeville em um acto por Mr. Scrbe.
O theatro estar aborto as.7 1/2 horas da tarde e o
espectculo comecar s 8.
Avisos martimos.
EDITAES.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fuenda
provincial, cm virtude da resolugo do tribunal ad-
minitraclivo, manda fazr publico que, perante o
mesmo tribunal, se ha rento, a quem por menos lizor, as miresses dos
trabalhos das diversas repartieres publicas prov'in-
ciacs, avahadas em dous contos e (oitocentos mil rs,
por no.
A arromatngo ser folla por lempo do 5 mezes
acontar do priincjro de fevereiro ao ultimo deiu-
nbodo18l9.
As possoas quo se propozerem a esta arremalago
comparceam na sala das sesses do sobrcdito tribu-
nal no dia cima indicado pelo mcio dia, competen-
temente habilitadas.
E para constar se mandou aflixar o presente e pu-
blicar petes Diarios.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial de
l'ernambuco, 19 de Janeiro de 1849.
Manoel Josi Teixeir.a Bastos, subdelegado supplenle da
freguetiade S.-Jotido Recipe, em virtude da lei.ete.
Faz saber que, por ordem do lllm. Sr. Dr. chefe
do polica interino tica inleiramente prohibido aos
chamados atravcssadores.corretores ou oulras'quaes
quer pessoas o atraveasarem a farinha que so dirige
ao mercado publico desta freguezia, seja qual fr o
pretexto que para isso possam allegar; assim como
quo os roceiros, conductores de farinha, so rigoro-
samente obrigados a leva-la ao mercado, o alii von-
de-la ao povo e nunca pelas ras da froguozia aos
particulares salvo depois das duas horas da tarde
em diante. Faz igualmente certo aos donos de ca-
noas e barcagas que conduzirem dito genero, que
ellos smente o podero vender a retalho sendo-
llies absolutamente vodada a venda por atacado, ou
em grandes porgOes. Os que infringirem qualquer
das disposices cima declaradas sero presos e pu-
nidos como desobedientes. E para qu em iienhum
caso possam allegar ignorancia se fez o presente,que
ser publicado pela imprensa caffixado nos lugares
mais pblicos desta freguezia.
Subdelegacia de polica da freguezia de S.-Jos
do Rccife, 22 de Janeiro de 1849.
Manoel Jos Teixeira Bostos.
Francisco do Reg Barros, lente io primeiro bata/lio
da guarda nacional da cidade de Ulind.e fiscal da
S, por S.M. I.eC,etc.
Faz saber aos proprietarios da dita freguezia que
devero concertar as calgadas o terem limpas as fren-
tes de seus predios e terrenos dentro do prazo de 8
dias que se conlaro da publicaco desle em diante,
undosos quaespassa o mesmo fiscal dar inteiro
cumprimento as posturas da cmara municipal a
a tal respeito : e para que no flleguem ignorancia ,
faz o presente quo ser efllxado nos lugares do eos-
turne. Francisco do liego Barros.
O 2." escripturario,
Antonio Ferreira d'Annunciacto.
Oeclaraccs.
Correspondencia.
Srs. Redactores. Eu fallara a um dever sagrado',
qual he o da gratrdo, so dcixsse do publicar a ma-
iioira pela qual o lllm. Sr. delegado. Antonio Camel-
lo Machado Ros, euvidou; na qualidadu do .autori-
tlade policial, a maior actividade para doscobrir os
Qbjectos que me fOram roubados por urna parda ano
se diz chamar Olimpia, eque, na qualdad deania
cm minha casaso chava ; pois que, lendo-nio .liri-
gi.lo ao mesmo Sr. delegado na mania do dia 1A
do correle mez, o expondo-lho que na noite do dia
transacto, pelas 10 horas, se me bavia frito o rou-
do. equeexistiaiu presun.pgOos deque a roubadn-
raeslivessehomisiada no bairro da lla-Visla acn
teceutereunosso mesmo din, pelas 6 e neia horas
da tarde, aido entregue de. todas as pegas roubadas
com falta smente de unannelo, o a perpctiaddraJ
recolhida cadea, ondese acha : o fado quo venbo
do exiOr nada mais releva do que demonstrar
quanio de enrgico e activo, no desempenho da ar-
dua cespinhosa larefa de auloiidade policial, |,e o
dito Sr. delegado, o qual se digno do receber o eter-
no reconbeeimenlo do abaixo assignado.
O lllm. Sr. insreclor da thesouraria da fazenda
provincial, cm. virtude da resolugo do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, perante o
mesmo tribunal se ha do arrematar a quem mais
der, no dia 25 do correlo, a renda do sitio que foi
de Sebastio Jo dos Santos Braga, no beceo do Es-
pinhciro, com casa de vivenda, cacimba e arvores de
froclo, avahado aunualnicnlo em 150,000 rs. A ar-
remalago seT feita por lempo de 2 anuos c 5 me
zes a contar do I.* de fevorciro do correte anno al
30 dejunlio de 1851.
Yendo aido capturado nesla cidade pelas de?,
horas da noite do dia 15 docorrente, e recolhido,
ordem do Sr. chefe de policia, ao calabougo do quar-
tel do corpo policial, o pardo de nomo Jos, que
com o supposto nomo de Manoel francisco das Cha-
gas so intilulava de liberto, sondo alias escravo na
villa do Pillar da provincia das Alagoas, como cons-
ta da parte dada polo Sr. ollcial de guarda-nacional
queocapturou ; manda o mesmo Sr. chefe de poli-
ca fazer publico portsta folha, para conhecimenlo
de quem pertencer, c afim de quo possa solicitar pe-
la respectiva secretaria a entrega do sobredito cs-
cravo, urna vez que so aprsente munido dos com-
petentes ttulos siifQcieiitomento legalisados, que
provem a legitimidado de seu direito ao menciona-
do escravo.
Secretaria da policia de l'ernambuco, 19 de janoi-
ro de 1849.
0 1. Amanuense,
Francisco de Barros laido Cavalcanli d'Albuguergue.
--.Tendo o arsenal do marinha de admillir para os
seus trabalhos ofllciaes de carpina e serventes, sendo
esles om numero de 30, preferndose os livres a es-
clavos com o jornal cada um de 560 rs.; assim
manda o lllm. Sr. inspector fazer publico para co-
iibocimento dos que possam interessar, devendo os
prelendentes apresentar-se-lho com toda a brevi-
dade.
Secretaria da inspecgo do arsenal do marinha de
Para Macelo sphir, con toda a brevdade,
muito veleiro hiale Santo-Antonio-Flor-do-Rio : quem
nelle quizer carregar ou ir de passageni, dirja-se i
Lino Jos de Castro Araujo, na praga do Commercio,
o. 2, primeiro andar.
Para o Aracaty seguir impreterivelntente nis
prximas agoas o hiate Novo-OHnda, mostr Antonio
Jos Vianna, por ter quasi completa a sua cat-gi
quem nelle ainda pretender carregar ou ir de passn-
gem, se entender com o mesmo mostr, ou na ra
da Cadea-Volha, n. 17, segundo andar.
Para a Baha sabe, com a maior brevdade po-
sivel o hiate nacional s.-Joao: quem no mesmo
quizer carregar, ou ir de passagem dinja-se a No-
vaes& Companhia na ra do Trapiche, n. 34.
Vende-seo patacho nacional S -Joao-Venc*dcr,
forrado e encavHhado de cobre, bons apparelhoi,
e de loto de 143 toneladas promplo a seguir va-
geni com 7 cscravos marinheiros : tambem se ven-
de sem os escravos : a tratar na ra do Vigario, com
Francisco Alves da Cunba.
Para o Ro-de-Janeiro sabe, cm poiucos dias, a
barca nacional Tentativa-Felit, por j se achar cooi
grande parte da carga a seu bordo : para o resto, es-
cravos a frelo e passageiros, para que offerece os
mais ricos easseiados commodos: trata-se na-ra
daMoeda, n 11.
Para o Cear sabe, com muita brevidade, por
ter a maior parte da carga prompta, a sumaca Car-
lota : para o restante e passageiros, trata-se com o
mestre, Jos Conga 1 ves Simas, ou com Luz Jos de
Sa Araujo, na ra da Cruz do Recito, armazom n.
26, ou no 9. andar do sobrado n. 37.
~ A barca Bella-Pernambucana pretende sabir pi-
ra a cidade do Poi to com brevidade por ter a maior
parte do sua carga prompta : para o restante a pas-
sageiros para o que lem asseiados commodos, tn-
tendam-rse com o seu capilo na praga do Commer-
cio ou com o consignatario Antonio Francisco
de Moraes, na ra da Cruz, n 34, tercelro andar.
Para Lisboa sabe com muita brevidade o bri-
gue porluguez Conceic/to-de-Uatla, por ter grande
parte de sua carga prompta : quem no mesmo qui-
zer carregar ou ir de passagem, para oque offerece
excedentes commodos, dirja-se aos seus consigna-
tarios, Thomaz do Aquino Fonseca & Filho, na ra
do Vigario, n. 19, ou ao capilo na l'raca-do-Cooi-
mercio. '
- Para Lisboa, sahir, com a maior brevidade pos-
sivel, o bem conhecid o brigue porluguez Tarujo-
Primeiro, capilo Manoel do Oliveira Faneco: lem
parte do sua carga engajada: para o restante e pas-
sageiros para o quooilereco asseiados commodos,
trata-se com o capilao na praga ou coro o consig-
natario FirmmoJ. F. da Rosa na ra do'Trapicno,
Leii&o.-
Jos de Almeida Brrelo Bastos far lelilo, por
intervengo do correlor Oliveira de varias porgues
do cha verde e preto tanto eslrangeiro como na-
cional ,om lotes a vontada dos compradores, e qur
a din he i id ou a prazo conforme se convenclouar:
quinta-feira, 25 do correte, as 10 horas da manlia,
no primeiro andar de sua casa, na ra da Cruz,
n. 63.
As pessoas que se propozerem esta arrematagiTo, Peruambuco 19 de ia
mpa.egam na sala das sessOes do sobredito IriWj ero Jos Guedes Salgueiro.
COMMERCIO.
ALfANDEGA.
RENDIMENTO DO DIA 22 .
com
nal, no da cima indicado, pelo ineo-dia, coinpc-
tonlc.nente habilitadas.
Epara constarse mandou ulTixar o presente e pu-
blicar pelos Diarios.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial do
Pernambuco, 19 de Janeiro de 1819.
t*jM cscriplurario,
Antonio Ferreira d'Annunciacdo.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, om cumprimento da ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, do 18 do correte, manda
mier publico quonos de fevereiro prximo vindouro ira a praca perante
al administrativo, para ser arrematada a
o
quem
por menos fiicr, a pintura da ponte de Cajtianc, sAb
? ct.u.??.os.Peciaes ba'xo IranscrpUs,f pelo prego
do 513/1 4 res.
matago,
3:330,811
As pessoas quo se propozerem esta_
coniparccam na sala das sessOos do safctdilo Irbu-
na nos das cima indicados, polo m#Mia, com-
IpetenlemenlehabelUdu. '
AUxandre Rodrigues dos Antos,
Secretario.
Por ordem da adminslrago da mesa do consu-
lado de Peruambuco se faz publico, que, para me-
Ihor (iscaliaagodosdireitos nacionaes, se no por-
mettiflo mais embarques para cxporlago do cou-
ros seceos ou salgados em outros pontos que no so-
ja m os do bairro do Recito.
Mesado consulado de l'ernambuco, 22 de Janeiro
desta.
Pelo escrivio, -
Francisco de Paula Lopes Res.
Faz-se saber aos subditos britannicos residentes
om Pernambuco que no da segunda-feira ,29 do
correnle ao meio-dia lera lugar no consulado bri-
lannico, ra do Trapiche-Novo, o primeiro ajunta-
mento anuual dos residentes qualilicados para os
lins designados no acto Geo : 4. Cap. 87: lindas as
discussOes desta reunio liaver a eleico para um
cirurgio ao hospital britannico.
Consulado britannico om l'ernamauco 20 de Ja-
neiro de 1849. '
H. Augustus Coieper,
Cnsul.
Avisos diversos.
Joaq uim Cajueiro de Campos, conego da s me-
tropolitana, profossor do lingoa latina e vice-direc-
lor do yceu da Baha, tendo vindo om companhii
do lllm. e Fxm. Sr. desembargador Manoel Vieiri
Tosta daquella para esta e devendo retirar-se hoje
para a sua provincia no vapor Pernambucana, tema
salisfago de agradecer a lodos os Sri. que Ihe l'u"-
rama honiadco visitar e obsequiar, e pede nu0
Ihe deseulpem alguma falta, mormente se o annun-
cianto por inadvertencia doixou de despedir-se e ra-
ceber as ordens do algum dos Srs. referidos quo sa
dignaro aceitar esta ultima pro va de sua eterna
gratidilo. Recito, 22 de Janeiro de 1849.
Precisa-so de una ama de meia idade pra o
aervigo de casa : na ra da Florentina, n. 30'
Venancio Ribeiro de Aguiar mora na ra da S.-
Cruz dofroute da ribora da Boa-Vista,. 61 .oque
pelo presento faz saber ao Sr. do briguo Douro, que
diz ter urna carta para Ihe entregar, o qual pode pro-
cura-loa qualquer hora.
Prccisa-se do urna ama de lelte livre ou es-
crava : na ra das C'ru/.es n. 18, primeiro andar.
- Precisa-se, cun brevidade de urna ama que
seiba cozinhar para casa do um ostudante : na ru>
tro Hospicio, casa Ierre nova;
O lllm. Sur. Domingos Francisco Cavalcanti
queira dignar-se ir a Olinda fallar com Francisca
l'creira de Souza Jnior, alim de tratar um nego-
cio que Ihe diz respeito.
ILEGVEL


&
Alnga-se a casa do theatro da ra
da Praia, prompta de ludo para qualquer
espectculo: a fallar no Aterro-da-Ba-
Viste, n. io.
Antonio Joaquim do Mello.embarca para o Rio-
de-Janeiro o sou escravo Antonio, preto,
D. Itosenmuinl rotira-se para fra desla pro-
vincia.
Qfnem precisar de oma mulher para ama do to-
do o servigo de urna asa de homom soltciro dirija-
so a ra do Padru-Florianno, casa da esquina do bec-
co do Lobato.
Oabixo assignado vende un exeellonle torre-
no. por ser em um dos melhorcs locaes da Ponte-dc-
Ucha com 200 palmos de frente e prximo ,a mil
de fundo com alguns.arvoredos, um formidovel
viveiro com a competente porta d'agoa e com
mais proporgOes para outro viveiro : a tratar no
ni es m o sitio. No mesmo sitio ha urna foitor das ilhas
que se offerece para trabalhar em algum engenho.
Jos Fernandas Eiras.
-- Mariana Augusta Monteiro de Mello embarca
iara os por tos do sul o seu escravo pardo, de nomo
luflno.
Precisa-se de um preto para andar com un ta-
boleirode fazendas na rua : na ra Imperiil n. 47.
Pcdc-se ao lllrn. Sr. vigsrio da freguezia de S.-
Jos o obsequio de mandar publicar os dous olTicios
que domingo antes da missa parocliial foram lidos
por S. 8., acompanhados do algumas ob-crvagOcs ,
a respeiloda irmandade ilo S. Sacramento do sua
freguezia.
Antonio Perreira Braga fazseicnte a quem con-
vier, quu te'm feito sociedade commerclal com seu
caiieiro Domingos Jos Ferreira na sua loja de sel-
leiro narua doCabug, n. 3, entrando o annun-
rianle com o (capital lendo o socio a melado nos
lucros dcduzidas as despezas e Picando o socio en-
carregado de comprar, vender e fazer todas as Iran-
acgOesinhoreiilesa mesma sociedade, trio smente
com a Arma de Antonio Ferreira Braga & C sondo
ohrigado a pagaras dividas passivas quoo estabole-
cimento dever, nflo se responsabilisando o annun-
ciantc por mais do que o quo fr restrictamente re-
lativo a sociedade Recito, 22 de Janeiro de 1819.
Joaquini Jos Ferreira embarca para o Rio-de-
Janeiro a sua negrinhi crioula donme Andreza,
do 12 annos.
Na ra Direita, n. 37, botam-so vidros de lo-
dos os la man los por prego com modo : tambe ni se
vendem vidros para ospellios. -
-- O profossor publico de lalim da freguezia de
S.-Jos desla cidaile abaixo assignado, faz sciente
ao publico quo o ejercicio da sua aula comegari no
da primoiro de feverero prximo futuro: quem se
quizer matricular, dirija-se a ra Augusta, n. 54.
Manoel Francisco Coelho.
Estar eiposto por espago do 15 dias, na gro-
ja do Corpo-Sanlo, a vcnorogflo dos liois o milagroso
S.-Scbastiflo advogsdo da (.este. No lim deste lem-
po regressar para a sua igreja do Pilar om solemne
procissflo.
Offloina de encadenucHo dirigida pelo P. F. C. de L.
, t Silva, ra estretta do notario, n. 8.
Esta ofllcina acha-se provida de todo o necessario
pi'i'a a bom desemponho de qualquer. cncadernagilo
por mais rica que seja ; bom como lem e abre qual-
quer emblema apropriadn as mosmas obras e pro-
meti promptdfl por ter algumas pessoas traba-
lliando',e polo com faoilidade aparar urna grande
porgffo de resmas de papel diariamente, doma-las
pelas boiras, ole : ludo a um prego niodorado.
Homceopathia.
# Primoiro consultorio gratuito para os pobres
0 na rua da Cadejo de S.-Anlonio, n. 22, dirigi-
do peloSr. J. B. Casanova mdico francez.
# Este consultorio estar aberto desde as 9 lio
ras da manhfla al as 4 da larde. Os pobres
# recbenlo consullas o remedios gratuitamen-
te te: aprcserUendo un attestadode pobreza de
seos vicarios ou mesmo do outro qualqucr
% sacerdote.
Offerece-se um rapaz portugus para caixeiro
de loja de fazendas do que te'm bastante pratica ,
o qual dd fiador a sua conducta : quem de seu pres-
umo se quizer utilisar annuncie.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio, n. 10, eno Aterro-da-Boa-Vis-
ta lojas ns. 48 o 78, continuam-se a tirar passopor-
tcs, tanto para dentro como para fra d imperio,
assim como despacham-se escravos, tudo com bre-
vidade.
Aluga-so urna escrava ou moleque para o ser-
vigo de urna cas* de pouca fumilia : quem livor di-
rija-se a ra do Queimado, n. 37, piimeiro andar.
-- OscredaresdcCouto Vianua & Fillid" teem au-
torisado a Geo : Kenworthy & Companhia crodores
tambein dos mesmos para venderem a casa do so-
brado de dous andares n. 33, na roa do Amorim ,
bairro do Itecife a melado do sobrado da ra da
Cadcia, n. 27, que Ibes foram adjudicadas por 'sen-
tenca para seu pagamento : quem quizor comprar
um e outro predio, entenda-sc com os cima men-
cionados que estilo autorisados para essa venda.
--O abaixo assignado, tendo comprado aos her-
deirosdo engenho'Belm duas parles deste, quer
vende-las agora ; se ha algum embarago, quem so
julgar prejudicado, declare por esta folha dentro
do prazo do 8dias .documentando o embarago que
houver, porquo do contrario ser nenhum.
Lourcheo Beterra Carneiro da Cunha.
--Precisa-se de urna mulher de ineia idade que
cozihheo diariode urna casa de homem soltciro : na
ra larga do llozario, n. 26.
Perdeu-se, do Manguinho ao Mondego urna
pulseira do cornalinas encasloadas om ouro : quem
a achou querendo entregar leve-a a ra do Hos-
picio, n. 32, que ser generosamente recompen-
sado.
Alugam-se mobilias para casa conforme o lem-
po que convieraos preten lentes, por prego comino-
do : no armazn da ra Nova, n. 67. '
Precisa-so de urna ama para urna casa de pou-
ca familia, que seja capaz para o servigo de portas a
dentro, e d liador a sua conduela : na ra da Santa-
Cruz, casan. 24.
-- Aluga-se urna grando casa terrea com duas sa-
las, 7 quartos coziuha fra quintal murado e ca-
cimba sita na ra Imperial: tratar no theatro
novo.
O abaixo assignado, por autorisagflo que (om ,
faz sciente ao respeilavel publico que passu a ven-
der todo o peixe dos curiaos do norte, quo lite lio
remet ido pelos mesmosdonos dos cumies para es-
te ser vendido, por conta dos mesmos Srs. ao povo:
o para que todos (quem ccrlos, pdein manjar scus
escravos na casa do annuiicianlo na ra do Pilar ,
n. 95, que proniptameule so vender, havendo.
Uamingot da Rula.
AOS PAS DE FAMILIA.
Urna senhora O/ue tem tonga pratlca de onsinar
primeiras leltras, ofTercco-se aos pais de familia quo
'uciramdella confiar o ensino de suas (Ibas, pro-
metiendo desvelai-se em dar-Ibes as precisas ins-
IrucgOes, nflo s no Icr, escrever grammaticalmonle,
como nos principios de arithmetica e doutriua chris-
tfla: quem do seu prestimo se quizer utilisar, di-
rija-se a ra da Ilibeira da Roa-Vista n. 86.
Lotera do theatro publico.
Othesoureiro desta lotera, impossibilitado anda
de poder marcar o dia para o andamento das respec-
tivas rodas, por isso que a venda dos bilhelos tem
sido Traca, osem nenhum adnntamcnlo, julgodo-
ver doclararao respeilavel publico, quo, logo que a
mesmo venda.se adianto mais alguma cousa, ser
entilo designado o din definitivo pata o andamento
das rodas ; e para que isto se verifique com brevi-
dade roga aos amadores deste jogo, quise apressem
a comprar os bilhetesque exislem em ser.
Precisa-sealugarum preto, ou molequo para
cozinhar: na ra Nova, n. 26, loja de fazendas. Na
mesma loja vende-se um bom relogio do ouro, por
prego commodo.
--.Osabaixo assignados, lendo um annuncio fir-
mado pelo Sr. bacharel Louronco Bezerra Carneiro
da Cunha declaram quo elles teem sido bem preju-
dicodos, porque estilo no descmbolgo de seu d-
nheiro tilo tempore sem jmis poderom ser pa-
gos pelo seu devedor o Sr. bacharel, e como talvez
agora elle conscienciosamente queira pagar, l'.i-
zem o presento para quo olle quanto antes ou ues-
tes oito dias os indemnise.
Viuva Burgos & FUhos.
Aos pas ce familias.
Josepha llenriqueta ile Miranda Barros, professora
particular de primeiras leltrts, avisa aos pais do
suas i I ti ninas q ue abri a sua aula no dia 16 do cor-
rete ; e a mais alguns pais do familia que quizerem
mandar educar suas flllias quo ella est prompta
para ensillar a ler, escrever, contar, arithmeliea ,
doulrina ehrislfla grammalica nacional, marcar,
borJar o fazer lavorinto : quem do seu prestimo so
quizer utilisar, dirija-se a Boa-Vista ra da Ale-
gra, n. 42. >
Precisa-se do urna ama com bom o bastante
cite : no Aleiro-da.-Boa-Visla, loja n. 78.
Caetano Estellita Cavalcanti Pessoa, cstudante
do quinto anno de direilo lento substituto do in-
glez c francez no I yceu, contina a eusinar os pre-
paratorios, excepto lalim : a quem convier dirija-se
a qualquer hora a casa do sua residencia, na ra cs-
treita do Rozario n. 15.
-- Aluga-se a casa da esquina da. ra do Gsldei-
reiro para o porlo do embarque com armagilo pa-
ra vonda o comniodos para morar familia : na pra-
ga da Independencia livraria ns. 6c 8.
Compram-s, efroctivamentp, garrafas e bol'jas
vastas: no Aterro-da-Boa-VisIa, fabricado licores,
n. 17.
-- Compra-se um bonito cavallo que seja bom
andador, sem achaques o novo: paga-so bem : na
praga da Independencia n. 19,
Vendas.
7" Vendc-seboa salsa-parrilha,
?inda do Para, cm casa de KaU
krn'aim Irmos, ra da Cruz,
n. 10.
Vende-so, na travessa do Corpo-Santo, n. 27,
um pardo bom oIUci.il do sapateiro o sem vicio al-
gum, o qual vende-se por seu dono ter do relirar-se.
Vende-se um cavallo castanho, de bonita figu-
ra, com todos os andares, assim como o apparelbo
do mesmo, ainJa novo : na ra .la Cadoia do Reei-
fe, loja de ferragens, n. 56. Na mesma casa vendem-
se fardos com fumo para charutos, por prego com-
modo.
Agencia da fiindicao
Low-lloor, rua da Scnzalla-
nova, n. 4*2.
Neste eslabclccimento contina a ha-
ver um completo sortimento de motadas
e mcias moendas, pura engenho ; ma-
chinas de vapor,c (.i lias de Ierro batido e
coado, de todos os tamaitos, para dito.
Tnboado de pinito da Suecia,
de 10 a r,i palmos
de comprimento o melhor quo tem chegado a esto
mercado, em razo de se poder enverniznrem qual-
quer obra por no ter nos e ser multo alvo, sen-
do coslado, cosladiiiho, nssoalho, forro c para fun-
dos do barricas : vende-sc a prego que o comprador
far todo o negocio : airas do Iheutro, arniazem do
JOaquitti Lopes de Alnicid.
Antonio Bolelho Pinto do Mosquita como tu-
tor do menores nidos do fallecido Jos Mara do
Josii Mumz e sua mulher I). Annr Procopia da
Cruz Muniz pede aos devedoresdo casal dos ditos
fallecidos que,-no termo de 30 dias da data desto ,
mandem pagar o quoestfloa dover ; porque, nio pa-
gando no declarado prazo o aununelaule nlto po-
der! prescindir do mandara cobranga judicialmen-
te, oque nflo desoja e s o far para rolirar do si
qualquer responsjbilidade.
Antonio Joa.quim Rodrigues propOe-so a fazer
qualquer especie de escripturagflo, exclusive mercan-
til, que por ventura lhe queiram confiar. O annunci-
ante suppO-#e habilitado para o misler a que so
dedica, visto que tem urna longa pratica, adquirida
cnimais do 16 annos que trabalbou nocarloriodo
orphflos, dorWe acaba de ser cxpellido, smenle por-
queassim approuvn pessoa a quem se acha con-
fiado o mesmo carlorio, ou ao respectivo juiz, quo
ccrlo nflo podori aprescnlar um nico factoque de-
sabone a conducta do annuncianle. Ello reside na
rua dos Flores, casa terrea de duas portas, n. 31, junto
a cochelra de Jos Mara; o espora que seus patricios
o procuren), para fornecer-lbe trabalho quo a habi-
lite a mantera si ea sua familia, concorreudo desc-
arte para que seja reparada em parto a clamorosa
iujustica de que acaba do ser viclimi.
-- Os Srs. Francisco Jos Borges vago-mostro do
quarto batalho desrtilharia a p, o Jos Procopio
Tavares, cadete do mesmo batalbilo, queiram ir
quinto antes i vendada Ponte-Velha, na Boa-Vista,
.pagar o que devem; de contrario, se usar dos meios
judiciacs.
HotelCommcrcio, rua da Ca-
deia de S.-Antonio, 15.
O Francez Simio l.uiz participa ao publico que
anda se demora por alguns dias a sua va^em para
a Bahio: por isso avisan lodosos seus freguezes e
mais pessoas em particular quo tencionarem com-
prar obras do ouro e brlhanles.e quizerem apro-
veitsi* osla occasiilo, dirijam-se ao lugar cima men-
cionado ts 10 horas da manlifla, e das 3 da tardo
em diante.
L. Dclahaye, ourives francez,
chegado recentemenle de Franga, avisa ao res|ieta-
vel publicodestu cidade, que faz e concerta todas
as qualidades de obras de Ouro; igualmente avisa aos
ourives que lem um laminador com o qual traballia
mais barato quo outro qualqucr : quem so quizer
utilisar do seu prestimo dirija-se a sua residencia,
na travessa dos Kxpostos, por detrs da Matriz de
Santo-Antonio, n. 16.
Roga-scao cadeteL. A. G. V., que baja do
pagar o que deve na rua das Cinco-Pontas n. 25 ;
do contrario se usar dos meios competentes.
Antonio More ira Iteis faz scienle a todos as pes-
soas que tiverem perihores cm seu poder hajai de
os ir resgatar no prazo de 8 dias pois tem de se re-
tirar para fra da provincia : por isso faz o prsenle
annuncio par* quo nflo se chamcm a ignorancia :
lambem faz o mesmo aviso a todas as pessoas que
lhe devem, para que no dito prazo hajam de lhe ir
pagar; do contrario, usar dos meios competentes
que a lei lhe faculta.
O prioste dase do Olinda faz scicnlo a quem
convier, que a caso terreo da ruh das Cruzes desla
cidado do liecife, n. 12, que se acha cm praga para
ser arrematada, est hypolliecada a mesma s pa
quantia de 1:000,000 rs. vencendo os juros de 5 por
cento ao anno, estando a dever dous annos pouco
mais ou.menos.
*- Precisa-se do um caixeiro para padnria que te-
nha pratica de negocio, espjn maiorde 20 anuos,
abonande sua conducta : lis praga da S.-Cruz, pa-
d:n.' de urna .'porta.
Pol l'oidenol avisa ao respeilavel publico que
tem de retirar-so para o Rio-do-Jsneiro.
-* Aluga-se urna loja bem repartida e nova na
rua da UniAo por detrs da casa de Manoel Alvos
Guorra : a tratar com o mesmo Guerra.
|* lloje de) os da audiencia ho arrematarlo de
urna .escrava, por venda.
Roga se a quem achou um periquito,
que ugio da rua do Queimado -n al,
que, sendo o queira enlrcgir, o leve
mesma casa cima, que se recompen-
sar generosamente.
Quem annunciou querer comprar urna blanga
grande com conchas dirija-se a rua da Gloria, n.
87-, quo so dii com quem se dove Ira lar do ajuste.
'Francisco Jos de Araujo, Porluguez, vai a Por-
tugal tralardo seu negocio, deixando por sou pro-
curador bstanle Rernardirio da Silva Lopes.nesta ci-
dade ; da mesma forma avisa a lo las as pessoas com
quem tcmtldo negocio,eso consideraren) suas credo-
ras, hajam de, no prazo de tres dias, apresentar suas
contas paraserem pagas, apezardoannunciante jul-
gar nao dever nada a pessoa alguma.
--Precisa-se de um trabalhador do masseira : na'
rua larga do llozario, n. 48.
Precisa-se alugar urna prela para o servigo de
ca$a e rus : na rua larga do Rozario, n. 48.
NoAterro-da-Bn-Vista, sobrado n. 5, precisa-
se de urna ama de leite, que, sobre ser sadia, lenha
homo abundante leite.
Precisa-se alugar um prelo para o servigo ordi-
nario de padaria, pagando-se por mez o quo se ajus-
lar: na praga da Santa-Cruz, padaria de urna s
porta.
Alugam-se os segundo e terceiro andares da
propriedade da travessa da Midre-de-Deos, n. 16,
no liecife.
IIOTEI.-COMMEflCIO.
Rua da Cadeia d Santo-Antonio, n. 13.
Contina a ter sorvete lodos osflias de varias q,ua-
lidade, assim romo aoborflo qualro salas decente-
mente mobiliadas, sendo duas para senhoras e duas
para bomons.
Vigiles, fabricante de pianos,
na na do Queimado, ti. i 8.
tem pianos do novo modelo feitos de proposito pa-
ra esto paiz: sflo riquissimos, e de machinismo c
vozes superiores, o quo se ofinnga ao comprador :
iambein tem pianos inglezcs (|uo sflo pouco usa-
dos ; concerla e afina pianos com toda a perfcigflo ;
vende cordas camurgaso lodosos aviamentos no-
cessarios para ditos instrumentos s tudo por prego
oommodo. fc
lima crioula livre que sobo fazer todo o servigo,
de urna casa e de costumes irreprehensiveis se
or/crece para servir em casa de homem soltciro ou
casado com pouca familia para fazer todo servigo
interior, menos eng'mmar: quem do seu prestimo
se quizer utilisar dirija-se a rua da Unido na lloa-
Visla caso terreo sem numero, do lado do poco-
te, com lampeflo na porta.
Manoel Jos Monleiro declaro ao pnblico que,
havendo nesta provincia outro de igual nomo se
asignar do boje cm dianlo Manoel Monteiro de
Azcvcdo.
Precisa-sede urna oma que lenha bom leite:
na roo Direita, n. 69.
O abaixo assignado, lendo deparado, no Diario
de Ptrnambuco n. 15,com um annuncio em que so
pede encarecidamente SOS Srs. J. Si e A. J. T. B. ,
que hajam de ir pagar oque devem quanto untes,
no sitio do Hospicio c romo o mcumo abaixo rssg-
nailo m' nflolembra dever nada no dito sitio icde
ao autor d mencionado annuncio, que baja do de-
clarar se as iniciiies J. S. cnlcndcm-sc com elle.
J. Saporiti.
Aluga-se-o segundo andar do sobiado da rua do
Rangel, n. 77 com comrnodns para urna grande fa-
milia : a tratar na rua da' Aurora, n. 58.
Offercco-so urna pessea para cuixeiro de loja de
fazenda, a qual tem algum piincipio : quem de seu
presumo so quizer ulilisor, dirija-so o rua do Pa-
dic-Florianno, n. 40.
Quem precisar de um caixeiro brasileiro para
qualquer casa de negocio ou mesmo venda, o qual
escreve bem e tem pratica de negocio c de escripia ,
dirija-se a rua das Cruzes, n. 41 ou annunee.
Deseja-se saber aondemora a Snra. I). Francis-
ca Scnlioi mlia, viu va do Sr. Jos Urbano de tal, pa-
ra so lhe entregar una caria de interesso : annun-
cie suo motada.
Precisa-so alugar urna escrava : tambem preci-
sa-se de urna ama parda ou preta para tratar de me-
ninos : na rua da Cniflo n. 1, ou annuncie.
--A abaixo assignada, viuva il Joaquim Antonio
daSilvcira, fazscienteos pessoas que linbain e-
nhoresem poder do seu fallecido marido, que os
vflo resgatar no prazo do 30 das, pois que tem de
dar contas c com os quo nflo o fizerom se usar dos
meios que a lei concede.
Francisca de Sales Ferreira.
Precisa-sede urna ama de meia idade que 00-
zinhe o diario o urna casa de um homom solteiro :
na rua Augusta, n. 94, ao pedo viveiro do Muniz,
No pateo da matriz do S.-Antonio, ti. 4, segundo
andar, tiram-se passuportcs para dentro o lora do
imperio o para escravos : tambein correm-se fa-
llas cqm a maior brevidade possivel o por prego

Nesta (ojo ha urna grande porgflo de chitas
finas e de cores (xas, que para so acabarem
com brevidade, vendem-se, as pegas a 5,800
rs., o o covado a 160 rs.; bem como um res-
to do riscudo monstro a 240 rs..
-- Vende-se a vendo do rua de S.-Therezo, n. 60,
com os fundos de 300 a 400,0Ors. e depois de ba-
lanceada pelas entradas se far algum descont
conforme ss convencionar por sen dono estar nim-
io breve a sabir para Porliigal : a tratar na mesma
venda.
Tapioca do Alaranhao.
VcnJe-se, no armazcm de farlnho, na ruu do Col-
legio n. 21, tapioca do Maranliflo muito alva por
prego menor do quo o do cosime. No mesmo ar-
mazem lia inilho novo em saccas, e lambem fari-
nba.
DEPOSITO DA ESTRFLLA.
Rua Nova, n. 5*6.
Nesle deposito arbariio os fumantes as melbores
quaMitades de charutos que veom a esto mercado e
pelo menos-prego possivel, Como sejam : quem-fu-
mar-sber depulados, senadoras, melindre, a-vis-
ta-faz-f, fairos-ennclios, regalos de llavana via-
jante-cavallero regala de iliversas qualidodes e
oulras militas qualidades do charutos que so fardo
patentes aos compradores, c de quo se aliangam as
bocs qifalldsdos,
Vcndc-sc una ensaco novo de panno azul, por
prego commodo : na rua das Cinco-Pontas, n.25.
Vende-se sarja de seda hespa-
nliola miiilosupcrior, setimde 31a-
co proprio para vestidos, \s de
linio prelos hordedos aseda,nieias
inuilo commodo.
Compras.
_ Compra-so urna escrava quo nflo lenha vicios ,
seja possnnte e tonha cris jii cm estado do ser des-
mamada : na rua do Mondego, n. 46 das 5 os 7 ho-
ras e meia da monhflo e das 4 os 6 da tarde.
Comprsm-segarrafasprelHs sendo limpas,n
80 rs. cada urna : na rna da Madro-do-Deos, n. 36.
Compram-se garrafas e botijas vosas: pagam-
se bem : na rua Direita n. 17.
Compra-so urna armaeflo que sirva para loja de
miudozas: noAterro-da-BOa-Vista, n. 21.
prels de.seda de peso, panno pre-
to miilo fino c prova de limao,
czmira prela elstica, sarja de
listras.selim-propiio de collete, as-
sim como oulras milita? fazendas
finas, proprias para a quaresmi :
tudo mais bn-to do que em outra
qualquer parte : na loja de Jos
l Morara Lopes Se Compinhia, r.ia
jg do Queimado, qnatro cantos, ca-
'?$ su amarella, n. 21).
- Vendo-so urna vendo conrronlc a riboira do pei-
xe. n. I, com poneos fundos, erorn com modos para.
urna pequea familia: quem a pretender, dinja-sca
mesma casa.
Vendc-se farinha de man-
dioca medida om alqueire vclho ; saccas com fei-
jflo miilatinlio : no aimazem defronlo do caosjda
Alfandega, de Dias Ferreira.
Vidros.
Vendem-so vidros para vidragas, de todos os ta-
manhos na rua Nova, loja de caldcireiro, n. 27.
-L
-^


Yende-se gomtna demandioca, em
saccas e meias saccas : na ra da Cadeia
do Recife, n. 9.
jB9 Vendcm-se chapos de castor bronco, a
<^^1 4,000 rs.: naruadu Qneimido, 11. 22.
-Vendem-se presuntos para fiambre; quoijos
londrinos ; ditos de pralo; latas com bolachinha
fina de Lisboa ; ditas Je araruta ; conservas novas j
rrioslarda ; potes com sal fino ', Utas com mermela-
da nova ; ditas com hervilhas; caixinhas com mas-
sas linas ; vinho moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, por prego com-
modo : na ra da Cru2, no Recife, n. M.
FARELO
em saccas muito grandes,
a 3 600 rs. a sacca:
no armazem do Braguezao p do arco da Conceigllo.
Vendem-ie 11 travs de inuilo boa madelra
na praga do Commercio, n. 2, primeiro andar.
' Vende-se fumo em folln, para fa-
zer charutos, por preco commodo : no ar-
mazem de Josquim Flix da Hoza, na ra
da Madre-de-Deos.
Vendc-se urna rica armado de amarcllo toda
envidracada por preco commodo : no Alerro-da-
Moa-Visla, loja da esquina do hecco.
Vende-se urna mobilia do Jacaranda, nova edo
muito bom oslo; urna mesa clstica para 16 pes-
soas ; urna marqueza de condur ; um armario en-
vidracado para louca ; urna carteira de amarello de
urna face envernizada e com ps torneados ; urna
commoila do amarello ; um bergo do armac.no I lo-
dos estes trastes so vcudem por preco coinmoilo,
por seu dono se retirar s para ver, no Atcno-da-Boa-
Vista, loja da esquinado becco.
Vndese um prcto de meia idade bem ro-
busto por prego muito em conta ; um pardo de 20
annos born alfaiate proprio para pagem no pa-
teo da matriz de S.-Antonio, sobrado 11. 4, se dir
11 ii o 111 vo'ide.
Na ra das Cruzes n. 22, segundo andar, ven-
de-se urna escrava de naglo Angica de 40 annos ,
que cozinlia, lava o vonde na ra, com um filho 1110-
lequede 10 annos, muito lindo j com principios
do marceneiro ; um lindo escravo de 22 annos pro-
prio pera lodo o servico; urna linda parda do 18
annos quo engomma, cose faz renda e lava de
saMo.
-- Vcndc-se urna preta de naciJo moca bem pa-
recida oplima para todo o servico principalmen-
te para mucama de qualquer senhura : vende-se por
precisfio : na ra do Paguiidcs, sobrado n. 5.
Na ra de Agoas-Verdes ,
n.46,
vende-se um escravo do nagflo de 25 annos de bo-
nita figura ; lie mestre pedreiro o com boa conduc-
ta ; 3 ditos edous molecoles do 13 a 16 annos; 2
esrravas com todas as (labilidades e quo sSo reco-
Ihidas ; 2 lindas mulatinhas ; 3 escravas para o scr-
uico do casa e ra ; urna dita por 260,000 rs., ptima
quitandeira e lavadeira.
Vendem-se 3 escravos de bonitas figuras, pro-
prios para todo oservigo por prego commodo : na
na do Trapiche, 11. 31.
Vendem-se dous faqueiros do prata, obra do
Porto, novos, do ultimo gos'10 c som uso algum ,
por prego commodo : na ra do Vigario n. 25, se-
gundo andar.
Vendo-se um lindo prcto do 20 a 22 annos com
nflicio de ferreiro : na ra do Vigario, n. 25, pri-
meiro andar.
Vende-se por commoilo peego, um relogio do
ouro, ptente inglez excellente regulador, e mais
alguns de prata : no praga da Independencia, loja
de rclnjoeiro do Sr. Verissimo.
Vendem-se seineas em saccas muilo grandes ,
a 4,500 rs. : na ra ila Madrc-dc-Deos, armazem de
Vicente Fcrrcira da Costa.
Extracto de salsa-parrilha con-
centrado do Dr. Alead.
Ha iinatro annos, desde que esta superior prepa-
ragilo de salsa-parrilha foi couhecida no Brasil ,
principalmente ao sul onde est conhecida romo
um dos remedios mais efllcazcs para todas as moles-
lias producidas pela impureza do sangue como
sejam escropbulas ou alporcas, molestias syphili-
case mereuriacs rheumatismo, chagas ulcerosas,
tumores brancos, doengas do. ligado c da culis,
dchilidade gcral etc. ; betambem recominendada
para as molestias interiores, em que so suppem
os bofes e pcitn atacados, e bem assim naquellas em
que a constiluiclo esliver arruinada pelo uso exage-
rado de preparagOes meteuriaes. As curas quo tem
(Tectuado ne.stas molestias silo tilo numerosas e
completas, que all tem ganlio o titulo de verdadeiro
restaurador da sade. Vendo-so na ra da Cadeia do
Itccifc, botica n. 3 de Pimcnla & Cruz.
Vendem-se saccas com arroz de va-
por, de superior qualidade, a as'aoo rs. a
arroba, e ditas do mais ordinario, a 1 .s'Goo
rs. : no armazem do fallecido liraguez.
Chegou da Franga no Julei e eha-so a venda no
6eu nico deposito em casa de Kalkmanii Irnulos, nu
ra da Cruz, n. 10, o vinho de
Champanha marca estrella
da fabrica do Moet & Chandon em Epernay cujo vi-
nho ltimamente achou a maior appiovoco na 1 u-
1 opa.
A bordo do palacho sJlagoense, cm
frente do trapiche do algodao, vende-se
farinha de mandioca de muito boa quali-
dade, em grandes e pequeas porcoes,
por preco commodo.
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em harria de 4 arrobas, por mdico prego:
na ra do Vigario, n. 19.
Na ra do Crespo loja de 4 portas, n. 12, ven-
dem-se chapeos de castor pretos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
*
E
vendem-se saccas com ti arrobas e 8 li-
brasde superior farinha de trigo1, da me-
Ihorquaiidade que vem a este mercado,
e chegada ltimamente, pelo barato pre-
co de 16,000 rs. a sacca.
Gangas da India,
ainrellas a peca
de duas larguras pelo barato prego de dez tustoes,
para realisar contas : no armazem do fazondas de
Itaymuudo Carlos Leite, na ra do Queimado, n. 27
Gotas egypciag
Demedio som igual para dOr de denles, j bem co-
nhecido no Rio-de-Janeiro provincias do sul e lti-
mamente nesta provincia pola sua officacia em alli-
viar a dr mais tenaz qur seja motivada pela ca-
rie, qur por infiammaglo ; mas s a oxperiencia de
urna prova lho dar o dovido merecimento. Vend-
se na ra da Cadeia do Itncife, botica n. 3 de r-
menla & Cruz.
Vende-se a venda da ra do Apollo, n.2!, com
poucos fundos : quem a pretender, dirija-sea ra da
Madre-de-Dees, tratar com Vicente Ferreiro da
Costa.
Vende-se cal vlrgein de Lisboa, em barra de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar coin Almcida & Fonieca.narua do Apollo.
PURO VINHO DA FIGUEIRA.
Existe no armazem de moldados, atrs do Cor-
po-Santo n. 66 urna grande porgflo deste genui-
no vinho que se est vendendo pelo diminuto pre-
go do 1,120 rs a caada o a 160 rs. a garrafa ; lam-
ben) ha em pipas que se vender maiscm conla : he
esto o melhor de todos os vinhos que se teem an-
nunciado pela sua simplicidado o ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis deixar, de o com-
prar.
Vende-se um grande sorlimcnto de movis, com-
prehendendocadeiras de palhinha a 24,000, 32,000,
46,000, 50,000, 72,000 o 84,000, rs, a duzia ; bancas,
mesas de nicio desala redondas, sofs, camas, tanlo
para solicito com lastro do palhinha, como para ca-
sado, estantes para livros, guarda-vestidos, excel-
lentes horcos do difTerentes modas, carteiras para
escriplorio, ditas do viagem com todos os seus per-
tenec, cspclhos para sala, mesas elsticas para 20 o
30 pessoas, um palanqiiiin, o oulros miiilos objectos
que vista do comprador so fariio patentes, por
prego muito cm conta : no armazem da ra Nova,
n. 67.
' Vende-se a armagfto de timo loja de fazonda, que
tambem serve para miudezas no melhor lugar do
\tcrro-da-Boa-Visla feila de amarcllo enverniza-
da e envidragada a moda c he nova : tambem tras-
passa-se a chave da dita casa: lio Ateiro-da-Uoa-
Vista, n.SI.
Vendem-se quoijos londrinos muito fresca es ;
frascos com mostarda ; ditos com fructas para pas-
tis ; ditos com conservas ; latas com sardinhas ; di-
las com homilas ; ditas com lagosta gizada ; ditas
com leite em eonserva ; garra fasjcom agurdenlo de
Franga ; ditas com vinho do Porto; Sherry Madei-
ra Constancia Hock ; cha hysson e'prcto ; sobre-
casacas e i aillos do brim pardo, a 3,500 rs. cada um ;
camisas brancas com peitos'de bretanha ; ditas de
riscado ; ditas para pretos ; ditas de baca : na roa
do Trapiche, armazem n. 44.
Na padaria da ra da Guia, no Recife haver
todos os das a venda o novo pilo de Provenga fa-
bricado por outro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por oslo molivo nao se
pode fazer senSo a 40, 80 e 160 rs.
Livros baratos para aulas.
Na ruado Crespo loja n. 11, vendem-so os se-
guinlcs livros : Diccionario portugucz-fioncez o
francez-porlugiiez por Jos Joaquim .da Costa o
S 2v. por 25,000 rs. ; Diccionario Maguum Le-
xicn por 5,000 rs.; dilo de couiposigao por bg
rs. ; dito franco/ de Constancio por 3,000 rs.; dito
inglez de Vieira, por 3,000 rs ; Alias do Sinicncourt,
por 10,000 rs.; mclhodo do piano por 4,000 rs. ;
Graminaljca ftanceza de Sevcne, por 5,000 rs.; dita
de Constancio, por 1,200 rs. ; dita de Lhomond, por
1,600 rs.; dita de Monteverdc por 1,600 rs.; Coo-
metria do Lacroix por 5,000 rs. ; Algebra, por
4,000 rs.; Arithmelica por 1,600 rs.; Trignome-
tria por 1,600 is ; Diccionario geographico por
5,000 rs. ; Philosophia por Cousin por 6,000 rs. ;
Tratado da religiflo, por 4,000 rs. ; Biblia portugue-
za, por4,0i)0rs. ; Alias do gcogaphia por.de La-
marche el Balbi por 3,000 rs. ; les scpl aodes, 1 v.,
por 1,600 rs. ;l'raclicol navegation, 1 v., por 4,000
rs. ; Memorias histricas do tlio-do-Janeiro por
8,000 is. ; Tratado da navegagilo, por F. X do Bo-
go por 3,000 rs.; Memoria sobre a litleralura por-
lugueza ,7 v., por 4,000 is. ; Tratado de rheloricu
ge ral romanceada, |0r J. B. Cordeiro, por 1,000 rs. ;
Tilo Livio 1 v. por 2,500 rs. ; Horacio, 2 v., por
3,000 rs.; Virgilio por 3,000 rs. ; Salustio por \ff
rs. ; Cometi, por 1,000 rs. ; Fbulas, por 800 rs. ;
F.ulropio por 1,000 rs. ; Oragoes de Cicero cm por-
tuguez, por 3,000 rs. Crammalica latina, por Anto-
nio Pcrcira, por 600 rs ; Resposta do genera! Abrcu
c Lima, por 1,000 rs.'; Hisluiia geral da Blgica, 7
v., por 4,000 rs.; cxercicios sobro os participios du
liugoa frauceza, por 5,000 rs. ; Cliefs d'ccuvro de
Vollaire, por 2,000 rs. ; livros du dlreilo; e'oulras
muilas obras que se vendem com vihle e trinla por
cento de rebate.
Vende-se um escravo crioulo, do 20 a 25 annos,
que he ptimo Irahalhador de campo, por estar a
isloacostumado; 3 pelas com algumas habilida-
des as quaes se vendem por precisSo : na ra do
Fogo, n. 23, se dir quem vende.
Vende-se um trem de jacarando cm muito
bom uso, por prego commodo : na ra atrs da ma-
triz deS.-Antonio, n, 16,
Vende-se na ra da Cadeia do Bccifo loja do
Jo.To da Cunha Magalhiles.o primeiro vlume dos So-
lo Peccados Morlaes, per Eugenio Sue traduzido
cm portuguez por 1,600 rs.; o Mendigo negro de
Paulo Feval, traduzido em portuguez por A. Bogo,
1 v. i <>i i,uoo rs .; as poesas de Jofio de Lentos Sei-
xas Caslcllo-Branco ; Amor e Melancola, por Cas-
lilho ; o primeiro, segundo e lerceiro voluntes da
Lizia Potica. '.
Vende-se a verdadeira e muito suporior fari-
nha SSSF, a relalho e em porgflo; dila do oulros au-
tores : na ra do Vigario, armazem de Francisco Al-
"N armazem de Joaquim da Silvajves jjCuniw.n. 11.
t a tu j 1 r No deposito de mu. L,i
.Lopes, na ra da Madie-dc-Deos, n. 30,lruade Apollo, armazem n
No deposito do Me. Calmont & Companhia na
6, acha-se coustanle-
mente grande sortimontode ferragens inglezas para
cngonbos de assucar corro sejam : taixas de ferro
coado de differonles modelos, os mais modernos;
ditas de ferro batido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado, para armar em madeira; ditas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de Torga de qua tro ca val los o de al-
ta pressiio o mais moderno esimples que he possi-
vel ; repartideras ; espumadeiras ; resfriadeiras de
ferro esta nhado; formas de ferro: ludo por preco
commodo.
Vende-se urna preta moca, de boa
figura, lavadeira e costureira, e propria
de todo o servico de casa : na. ra do
Crespo, lojan. a A, se dir quem vende
Madeira de pinhoS
Vende-te a melhor madeira de pinho que tem
vindo a este mercado: na ra da Madrc-de-Deos,
armazem de Vicente Ferreira da Costa.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Bicber & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
VENDE-SE,
no pateo do Terco venda
7, farinha
em saccas de alqueire da medida velha e em cuias,
alliors.
Vendcm-se saccas com farinha de mandioca ;
cera em velas muilo alva ; meias do algodfio dobra-
do l'eitas om Portugal, por prego commodo : na
ra da Praia, armazem n. 37.
Vende-se champanha, marca C&C, e vende-
se hoje este superior vinho ao rcduzido prego de
24,000 rs. a duzia, em porgOes do 5 cestos para mais,
e a 25,000 rs. a relalho ; dito Xerez, engarrafado e
melhor que ha nesto mercado a 14,000 rs a duzia ;
dilo de Bordcaux cm harris e engarrafado do boa
qualidade a diversos pregos I na praga do Corpo-
Santo, n. 11, casa de Me. Calmont & C.
Vendem-se saceos com fardo,
ebegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,400 ri.: na ra da Sanzalla-
Vel'ba, n. i38.
Vende-se a verdadeira pota'ssa da
Bussia, desembarcada bontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua multo
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34*
CHA' BitASII.KIBO.
Vende-se, no armazem de moldados, atrs do
Corpo-Santo n. 66, o mais excellente ch i produzi-
do ern S.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por prego muito commodo.
,Vende-so um moleque de 7 annos; urna escra-
ra com cria muito boa costureira e que faz cha-
pos e loucas e engomma bem ; 3 pretas de 16 a 20
annos com habilidades e que sao boas quilan-
deiras ; um pardo de 18annos, de muito boa con-
ducta, he ptimo para pagem : de todos estes es-
cravos se alianga a conduela : no pateo da matriz do
S.-Antonio, sobrado n. 4, s dir quem vende.
Novos rucados njonslros chi-
nczes, a 360 rs ocovado.
Na loja de C.uimarfles & Companhia na -r.ua do
Crespo n. 5, vendcm-se os novos riscados chine-
zes finos de padrOes muito lindos, e os mais mo-
dernos que teem apparecido. nesta cidade, do vara
do largura pelo barato prego de 360 rs. o covado.
As novas casimiras de algo-
flflOi a 860 rs. o covado.
Na loj n. 5 da ra do Crespo, vendem-se as novas
casimiras de algod.tu do padrOes os mais ricos que
teem apparecido ueste mercado pelo barato prego
de 560 rs. o covado.
Vende-se urna casa terrea de podra e cal, na
estrada do S.-Jos do Manguind por barato prego :
na ra da Cadeia de S.-Antonio n. 21.
Vendem-so barriquinhas com cal virgem de
Lisboa muito nova ; fechaduros para portas de
armazem ; relrozdo Porlo; barra com alcalino da
Suecia ; pilulas da familia ; ancoretas com azeito-
nas, por prego commodo : na ra do Vigario n. II,
armazem de Francisco Alvcsda Cunha.
Vendetn-se taboas america-
nas at 3 palmos de largura .
o do lodos os com primelos,que ha muilo lempo nao
teem vindo o os fregnezesexperin enlaudo a falta
dcsta excedente qualidade. A ellas que So poucas e
o prego be barato. Atrs do theatro, armazem jun-
io marc, do Joaquim Lopes de Almeida.
lonas inglezas.
Vendem-se pecas de lona ingleza, de
boa qualidade, e por preco mais barato
do que em otra qualquer parte; na ra
da Cadeia do Uecife, armazem n. I.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas-grandes, a 3,50o
rs., ditas pequeas, a 9,800 rs : no armazem de i.
J. Tasso Jnior, na ra do Amorim, ti. 3.
fio armazem de Joaquim da Silva
Lopes vendcm-se saccas com caf de es-
colba d primeira qualidade.' a 1,700 rs.
a arroba ; barricas com bacalbo de esca-
ma a 9,000 rs. ; ditas com farelos a
4,000 rs.
Vendem-se] navalhas de ago da China pan
barba ; oca I o para todas as idadea ; tesourat pira
unhas ; lonetas ; e outrss muitas miudezas baratas
na ra larga do Rozarlo n. 35.
Cha nacional de S.-Paulo.
Vcnfje-so o muito superior cha de S.-Paulo em
Misa* de 1,9, 6 el* fibras: ni1 rpa da Cadej UQ
Becifo Joja de Jofio da Cunha MagalhSes.
FREGUEZIA.
No pateo do Terco, vendan,
7 contina-so a
a vender a boa pinga da Figueira a 160 rs. a garri-
r, e de Lisboa a 1,120 rs. a caada, a 1 140 rs. ,
garrafa.
_ Vendem-K barra pequeo com calvlrgeaade Li,.
boa, a mala cova <\ae ha no merpado, por preyo imB,
modo : na ra da Moda, armazem a. |S.
Potassa,
Dcsembarcoij lia poucos das urna por.
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acbam venda,
por preco mais barato do que ultima
mente se venda, na ra da Cadeia-Yelha,
armazem de Baltar&Oliveira, n. 12.
Na Livraria nova do pateo do
Collegio, n. 6,
acaba-se de recaber o mais excellente cha hysson,
3ue vende-so de quarta para cima por muito commo-
o prego.
Cal de Lisboa.
Vcnde-se muilo nova e superior cal
virgem de pedra, desembarcada lia pou-
cos dias, e em barris pequeos de qualio
arrobas e mcia ; na ra da Cadeia-Yelha,
armazem n. ta.
Vende-se urna escravo ongommadeira, cozi
nheira, boleira e quitandeira aem vicios nem acha-
ques, o que se garante : profero-se para fra da pro-
vincia : n,a ra Nova, n. 58, primeiro andar at as
9 horas da mantilla e das 3 da larde om diante.
> Vende-se urna venda rom poucos fundos, era
urna casa com bom quintal com muitas frutei.-as:
noManguinho, n. 35.
. Vendem-se pregos balidos, muito proprios pan
barricas de assucar: na rus do Trapiche-Novo,
n. 16.
Vendcm-se dous molecotes de nagilo. de 18
annos ; 3 escravos pardos sendo um carp na e ou-
tro carreiro ; um ptimo pagem; um prelo coztnjici-
ro ; 2 negriuhas (muilo lindas; 4 bonitas este-
vas ; duas pardas com habilidades: na ra Direita,
n. 3.
.-- Vendem-se 9 lindos moloques de nagQo e criou-
los, de 18 annos, sem vicios nem molestias! um mu-
laiinho de Uanuos, muito lindo ; 3 pretos do boai-
las figuras de 95 annos sendo um delles bom cir-
reiro ; um dito bom carpina ; 4 bonitas eScravas com
habilidades., sendo urna deltasd* meia Jada, por
muito commodo prego ; urna parda de 90 annos, di
bonita figura e com algumas habilidades : na rui
do Vigaiio, n 24.
Presuntos.
Vendcm-se superiores presuntos inglezes. pin
fiambre ebegados no ultimo navio; to arinazeu,
do Uragucz aop do arco da ConceigSo.
r- Vende-se una escrava de 20 annos propria li-
ra lodo o servigode urna casa de Tamilia : no pilco
da S.-Cruz, n. 18.
FARELO EM SACCAS DE 90 LIBRAS :
vendo-se no armazom de Vicente Ferreira da Costi 1
na ra da Uadre-de-Deos, a 3,500 rs.
Vende-se caJ virgem da IJsboa,
ebegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. 17.
Vende-so vinho do Porto, muito superior, e!
do oulras qualidades em barris de quarlo, quinto,
soilo, stimo oitavo eem pipas, por prego muilo I
commodo : na ra do Vigario armazem de Fran-
cisco AI ves da Cunha, n. II.
Escravos Fgidos
-- Fugib, nodia 18 do correnta, o escravo Lui.
crioulo de 20 anuos, som barba rosto redondo,
cor rula alto, chcio do corpo ps grandes e mal
fcitos com urna marca aluda nova de urna ferid
no tornozclo do p esq uerdo; anda sempre com is
ventas muito sujos de tabaco ; levou camisa de !
gedflo azul, caigas escuras .chapeo de pillia ; sup-
pOe-se ter ido para as bandas de N. S. da Gloria,
do onde elle lio natural: quem o pegar leve-o i I
seu senbor, Antonio Annos Jocome na ra Praia de S.-ltila quo recompensar.
Luiza, crioula, de boa estatura, reforgadi J"
corpo, cara n.lo pequea peilos grandes e eom um
sigua i ova niado em cima do esq uerdo e ou tro maior
na p do mesmo lado ; tem o andar vageroso ; Jovou
vestido de rACado escuro em asseuto encarnado,
panno da Costa j usado.- quom a pegar leve-ii
ra da S.-Cruz,*n. 68, derronte da ribeira que si:-1
r recompensado.
Auscntou-se de casa de seu senhor o c.cri*
Manoel, de nago Angola de 45 a 50 annos; levou
caigas protas camisa de algodio americano, "'
chapeo; he baixo, barba um lanto branca, com un; |
talho no nariz do lado esquerdo, beigos grossos,
olhosalgunia cousa afogueados : quem o pegar I'*
ve-o a ra das Cincu-Pontas, 11. 38, quo ser grati-
ficado generosamonle.
Pon. : na ttf. di u. r. di fama.>**49


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM6V4D4YB_OPXHXB INGEST_TIME 2013-04-13T00:05:50Z PACKAGE AA00011611_06227
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES