Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06224


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.
Anno XXV.
0 D/^/J/Opublica-sc todoos diaique uo
forem de guarda. Oprejo daanignalurahe
ilcifOOOrs. porquartel, pagAti'linnladoi. O
annuDCios do asignantes ao Inserido
ras?o de 20 rs. por liqha, 40 r.m tjpo dif-
fereqte, es repelife pela meiade. Os un
asiignantrs pagarao 80 rs. por linha e IW
eiu typodiOercole, por cada publlcaclo.
PHASES DA LA NO MEZ DR JANEIRO!
Cre.cenie, a*. 5hora. e Mmln. jai mtnh.
La chela, a 8, a 8 hora e 31 mn. Mlnnnl a 16 i4horase35mln.damanli.
&i V&hora a 43mln. da ...fe
Sexta-feira 19
PARTIDA DOS COHREIOS.-
Golannae Parahiba, s rgs. e sextaa-feira.
Hio-G.-do-Norir, quinlas-felral ao melo-dia.
Galio, Scailihein, Rio;Fonnoso, Porlo-Oalvo
Macelo, no 1." a 11 e 21 de cada mei.
Caranliun e Bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vlata e Flores, a 13 e 28.
Victoria, nqunia-feira.
Olinda, todos o das.
PREAMAR DE UOIE.
Prlmeifa, ao 30 minutos da manhaa.
Segunda, a o 54 minutos da tarde.
de .Janeiro ce 1849..
N. 1$.
das da semana.
15 Segunda. S. Amaro. And. doJ.d orph.
d6J. 16 Terca. S. Berardo. Aud. do J. do r. da i.
v. e do J. de pa* do 2. dist. de t.
17 Ouan.i. S. Anio. Aud. do J. doc. da 2.
v. e do J. de paz do 2. dlst. de t.
18 Quinta. S. Prisca. Aud. do J. dos orph.
e do J. M. da 1. v.
19 Sexta. S. Canuto. Aud". do J. do civ. c
do J. de pa< do 1. dist. de t.
20 Sabbado. S. Sebastlao. Aud. do J. doc.
da 1. v. e do J. de paz do 2. dlst. de t.
21 Domingo. S. Igne.'. .
CAMBIOS NO DA 18 DE JANEIRO.
Sobre Londres a 25 '/a d. par l.f rs. adia-
Pars .
. Lisboa 110 por cento de premio.
> (lio-de-Janeiro ao par.
Dse, de lett. de bos Urinas al'/, o ao mez.
Acedes da coinp. de Beberibe, a50f rs. ao p.
(Juro unco bespanholas. 29/000 a 20/500
Mocdas de 6/400 v. IG/900 a 17/IOr,
, de 6/400 n. 16/100 a 11*200
de4/000... 9/200 a 9/40,,
Prata-Patacdesbrasllelros I/OTO a 1/WiO
Peso coluinoariot. 1/930 a 1-M
. l)itojnexleanos..... 1/880 a 1/90*

DIARIO DE
-
PARTE 0FFIC5AI.
MINISTERIO DA JUST1CA.
i. seccaO.
Decreto de 91 do novembro de 1848, nomcando ao
bochare! Francisco Visir* da f.osU para juiz de di-
roilo da comarca do Ro-Grande,'em Minas.
dem da mesma data, romovendo o juiz de direilo
Antonio Gomes Candido, da comarca de S.-Francis-
co para ade Piracicava. na mesma provincia.
Idem idem, Manoel Jos Gomes Rebollo Horta, da
comarca do Ouro-Prcto para a do S.-Francisco.
dem idcm, Luiz Antonio Barhoza, da deGiquili-
nhortha para a deOuro-Preto,
Idem idem, Alfonso Cordeiro do Negreiros Loba-
to, da do Rio-Grande para a de Giquitinhonha.
Idem idem, Franoisco Diogo Pcreira de Vasconcel-
los.da S.'vara crime da capital do Para para chefe
de policia da provincia de Minrt. _
Idem idcm, JoTo Salom Queiroga, da comarca de
Plrocieovo para u do Porto-Imperial, em GdiR.
Idem idem, removendo o juiz municipal c de or-
phos Joaquim Caetano da Silva Gumar0es, do ter-
mo de S.-RomAo para o deVaracatu.
dem do 27 de dezembro de 1848, apresentando o
padre JoBo Carlos de OHvoirn Pantoja no canonicato
de ordora diaconal qne se acha vago na calhedral do
Para,
Idem da mesma data, fazendo merc ao mojor Ma-
noel Rodrigues Valenca do ollicio de escrivao do jui-
zoda l.Wara civel da capital da Babia.
dem n. 569 de 28 do mesmo mez, desannoxondo
do termo do Sobral o da Villa-Nova-do-lp, na pro-
vincia do Cear.
Idcm n. 570 da mesma dula, rcunindo o termo da
Jacobina aoda Vill-Nova-da-Rainha, na Babia
hlem n. 571 da mesma dala, marcando os or-
denador dos corcoreiros das cadeias das villas da
Estrella e" do Rio-Bonito, na provincia do Rio-de-
Janeiro.
Mero da mesmn data, fazendo merc a Manoel Jo-
s Teixeira Netto do oflicio de partidor do geial e de
orphflos do termo de Saqiiarcmo.
Idem idem, Horneando o hachare! Manoel Francis-
co Fernandcs Vieira juiz municipal e de orpltos da
Villa-Nova-do-lp, noGoaro. *
Idem idcm, o bacharcl I.duieriqo Rezcrra Carnciro
da Cu nba para juiz municipal c de orphos do Igua-
rass, nni l'ernambucO.
iJeni idem, removendo o juiz municipal o de or-
phos Antonio Jos Alvcs Fcrrelra, dos termos do
Rio-Formosoe Sernhfem,fom Pernambuco, para o
do Alto-Amazonas, no Para.
dem idem, Antonio Trislilo de Sorpa Rrando, do
termo de Iguarass para o do Egn, no Para.
Idom idem, niantlando que o jui/. municipal n de
orpbos do termo de Jacobina, Francisco Morcira
Sompajo, continu a servir, at lindar o qualrieunio
da Ici, nos turnios de S.-Mulbeiis e uiuicxos, da pro-
vincia do Es p i rito-Sanio.
Idcm idem, mandando que o juiz municipal o de
orphos do termo da Villa-.Nova-da-Kainlia, Jos
Antonio Sai-aiva, continu a servir, at limli.r o qua-
triennioda lei, nos termos reunidos da Villa-Nova-
da-Rainba e Jacobina.
Idcm de 30 do mesmo mez, concedeudo ao hacha-
re! Jo.'io Jos Goutirrho a demisso que pedio do juiz
municipal o de orplnlos dos termos do reas e Que-
luz, cmS.-Pauio.
dem idem, romovendo o juiz municipal e do or>
pidos Joaquim Firmino Itilieiro Cootinho dos lermos
do S.-Matheus e annexos paro os do Aras o Que luz,
por.o ler pedido.
dem idem, nomcando o bachsrel Francisco Au-
gusto de Oliven Muniz para juiz municipal e de or-
phos dos lermos dolguape c Xiririca.
Idem idem, nomoando-o bacharcl Antonio Pinto
da Silva Valle para juiz municipal e de orphos do
Mogy-das-Cruzcs.
Idem idem, nomeando o bacharcl Domingos Go-
mes Ferreira Velloso para-juiz municipal e do or-
phos do termo do PilSo-Arcado, na Babia.
Idem idem, nomcando o bacbarol Antonio de Ag-
uedlo Ribciro para juiz municipal o de orrinilos do
termo deSanla-isabeirde-Paraguas.su, na Babia.
Idom idem, nomeando o bacharcl Filippe Correa
Pacheco para juiz municipal e de orphos do termo
de Algrete, na provincia do S.-Podro.
dem idcm, fazendo merc a Francisco Baptista
do Almeida do ollicio dedopositario goral do termo
do Recite.
Idem idem, apresentando o padre Quinliliano Jos
Concalves de Miranda na freguezia de S.-Goncalo o
S'onhor-do-Bom-Fiin-du-Estiva, do arcebispado da
Rabia.
Idem idem, removendo o Dr. Manoel Libanio Pc-
reira de Csslrs de chc'c do poci:; do Gear para
juiz do dreito da comarca do Anadia, as Alag'as.
Idem idem, nomeando o juiz de direilo da comar-
ca de Anadia Francisco Dominguns da Silva para che-
fe de policia do Ceara.
f6ra dolle, nSo ha rasilo alguma para duvidar-se de
3ue csteja na mesma lei comprohendidaa questo
a troca do bons situados no imperio por bens si
tuadosom Portugal.
--A'da Bahia, responde sduvidsssobre quedis-
|>0eo i." doart. 9 sobre roupa, calcado c obras do marcenara fabrica-
das no cslrangeiro, que a taxa do 80 por cenlo deve
ser cobrada gcralmonle, quer a respeito dos gneros
classilicados na pauta, qur dos que se despacbam
por factura.
MINISTERIO DA CUERRA
DECRETO N. 268 DE 2i DF.ZEMBRO DE 1848.
Approva as inslruccOes paro as pagodorias milita-
res- das provincias d Para, Pernambuco, Babia
e Mallo-Crosso.
Hoi por b'em approvar asinstrucctJcs -para as pa-
gadorias militares das provincias do Para, Per-
nambuco, Bahia e Matto-Crosso, que contesto bai-
xam, asslgndss pelo Dr. Manoel Folzardo de Sotiza
e Mello, do meu concelho, ministro e secretario de
estado dos negocios da niarinha, cncarregado in-
terinamente dos da guerra, que assim o tenha enten-
dido e expeca os despaclios uccessarios. Palacio do
Rio-de-Janeiro, em 2* de dezembro de 1848, vigo-
sinio-setiino da independencia e do imperio. Gom
a ruhrica deS. |M. o Imperador. Manoel t'elisario
de Soma e Mello.
Tnstruc^Oex para as pagadoriui militares das provincias
do ParA, Pernambuco, Baha e Mallo-Grosso, a que
si refere o decreto desla data,
Art. W Os commissarios-pagadores das pagado-
rias militares creadas as-provincias do Para, Per-
nambuco, Babia e Malto-Grosso serfio d'ora em di-
unli denominados inspectores.
Art. 2. Asattribtiiccs que Ibes confere o artigo
2." das altribuicdes do 14 (le agosto de 1844, nos
9, 10 e ll,passam a Picar a cargo dos thesoureiros
das thcsotirarias das ditas provincias.
Art. 3.0Estcslhesoorelrosservirao depagadoros
das pagodorias miUtaee, o pcrcebcrSo a gratiirca-
Co que Ihes concede a Ici do orcamento.
Art. 4.' Processados cm duplicadu lodos os do-
cumentos de despez do ministerio da guerra, se-
ro diariamente, rcmeltidos ao thesoureiro-pagodor,
com o competente paguc-sedo inspectorda pagado-
ria militar, c, efTcctuodo o pagamcnlo e notado com
a palavra Pago rubricado polo llicsourciro, so-
nlo diariamente devolvidas ao inspector as primei-
ras vas dos documentos, (cando as segundas cm
podr.do pagador.
Art. 5. No principi de cada mez far o inspec-
torda pagadoria crganisar doushalnncetcs, tim dos
quaos remetiera ao inspector da llicsouraria da pro-
vincia, c outro, ncompanhado das tabellas explica-
tivos o dos documentos, enviar directamente ao
contador geral da reparticlo da guerra.
Artigo6.,Ficam em vigoras mais disposiges do
r"ecrelo e instrncgOes de 14 do agosto de 1844.
Palacio do Itio-dc-Janeiro, cm 24 de dezembro de
1848. Manoel Feliz ardo de Souzu t Mello.
MINISTERIO DA FAZ EN DA.
ENTRAGTO DO EXPEDIENTE DO DA 30 DE DE-
ZEMBRO DE 1848.
A' thesouraria do Espirito-Santo, conforme a re-
soluco de consujla da seccfio de fazenda do conce-
lho de oslado, so declora que, nao leudo a lei do 31
deoutubrode 1835, urt. 9., ^ I, eslabelecido dis-.
linccSo alguma entre bens situados no imperio ou
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO D!A 17 DE JANEIRO.
Ollicio. Ao commandsnle das ormos; rncommen-
dando o cxpcdico de suas ordens, paro que srjom
postes dous ordenoncos do covoHorio a disposfcfio
dos delegados do piimciro esegundo dislrictos des-
le-termo nos noilesem que elles hoiiverem de ron-
dar. Partcipou-so ao chefe de polica.
Dito. Ao commissario-pagador, determinando
entregue ao agente da componhla das barcas le va-
por a quanlia do 90,000 rs pora pagamento dos co-
mcdori.is de embarque que elle forneceu nos olll-
ciacs do exercito, Pedro Alfonso Ferreira, Joaquim
da Costo Reg Monleiro o Francisco da Costa llego
Jonteiro, quo ltimamente ssguiram para acorte.
Gomniunicou-so ao agente da cotnpanhia de va-
pores.
Dito. Ao presidente do concelho geral de solu-
bridade, declarando quo considere como vago o lu-
gar do delegado daquello concelho no municipio de
Olinda por se ter ausentado o seu servrntusrio,
Bcrnardino Jos Serpa ; e recommendando faga
Chegar ao conhecimenlo da presidencia a proj osla
' i individuo quo deve exercc-lo.
Dilo. Ao director do arsenal de guerra, remet-
iendo o requerimenlo de Francisca Mara do Espirito
Sanio, quoacompanhouasua nformagao, bem co-
mo o termo de lutella de quo trato o ortigo 4. do
regulamcnlo n. 113, do 3 do Janeiro de 1812, oque
f! ssicnado, perante o juiz ilo orphos dtrsta
cidade, por Jos Mariano de AiuuqiicVqiiu. par
que foca admlLlir (i conipanliia de aprenuizes me-
nores-tlaquelle arsenal sos dous sobrinhos da sup-
pliconte, deriomes Athanasio c Ignacio, visto como
so ocham precnchidas todas as formalidades legues.
Dilo. Do secretario do governo o Francisco
Baptistsde Almeido, parlicipundo, de ordem de S.
Exc. o Sr. presidenlo da provincia,que S. M. o Im-
perador dignou-se defazer-lhe merc da serventa
vitalicia do lugar de depositario geral do termo des-
la capital.
Portara. Nomeondo poro o lugor do delegado
do termo doCaranhuns, que seachovogo, e coro- (
nel Ante*nic Teixeira do Macedo. Fieram-so as
purticipaces do cstylo.
CORPO DE VOLUNTARIOS.
, m.ajor do batolliflo devoluntorios, em cumpri-
mento os ordens do Exm.*Sr. commondonto do mes-
rao balalhSo, levo oo conhecimanto dos Srs. com-
mondsnles de componhios, o componhia d cavalla-
ria, o ollicio junio do mesmo Exm. Sr., afim do que
lite dem immediata e prompla cxccuclo na parle
que Ibes lora.
Ouartcl lo Recife, 16 de Janeiro de 1849. Luis
Antonio Alvet Matca'rcnhas.
lllm. Sr. majar. Pora mclhor reguloridade do
serviQo do corpo d voluntarios, e poder eu tomar
lgumas providencias para oleancar esto liin, rogo a
V. S. queir fazor chogar oo conliecimcnlo dos Srs.
commondanlcs de companhiasoseguinto : quo de-
venidles, notlia mmodioto a qualquer rcuniilodo
bataHiio e dascoinpanhiss de cavallario, parlicipar-
mo quaes os voluntarios quo fnltaram e os motivos;
que u mesmu porllcipacilo. so faca dos que fallarcm
rondo, o declarando, em ambos os casos, os guar-
das nacionocs que cstio cmscrvigo nocorpo; que
os Srs. eorpmandantcs de componliias nilo pdem
despedir voluntario ulgum, seja qual for o seu irre-
gular procedimenlo, caso se esquerum dos deveres
que contradirn), quando voluntariamente so olTore-
ceram oempenharam sua palavra, p*ra coaJjuva-
rcm a frca de priineira linha o paro lodo o qual-
quer servido quo o governo dcllcs exigisse, sem or-
dem minha; devondo elle?, porm, porlicipor-me de
ludo quato baja deoccorrer, para que eu inleiro-
do d as providencias quo me porecerom convenien-
tes ; oque finalmcnle mandem os Srs. commandan-
tes das companhios,todos os dios as 6 horas da tordo,
acosa derV. S. ver o sanio por um dos cabos, para
ser entregue aos commondanlcs dos palrulhos ron-
dantes do cada freguezia, nilo devendo nenhuma dol-
as rclirar-se do lugor do parada, sem que cheguom
as que vleremsubstitui-las; partlcipondoseu com-
mandante do que houver oecorrido so lllm. Sr. Cho-
le de policia e o mlm.
Dos guardo o V. S. por muilosannos. Rocife,
15 de Janeiro de 1819. Sebattiio do Reg llarrot,
lpente-coronel commandanle. lllm. Sr. Luiz An-
tonio Alvos Mascsrenhas, mojor do batalhflo do vo-
luulorios,
INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIVRIO DE PERNAMBUCO.
Rio-de-Janeiro, 8 de Janeiro de 1849.
Posto eslea persuadido que o Imprrador nao so i
na madrugada do manhia, comtudoniTo quero dei-
xar de prevenir-mc, man lando esta para o corrcio.
. As ultimas dotas que. d'abi temos sao as tra7nlas
pilo SanMbvdar quo entrn tiesto porto o 27.do
mez possado. Estamos, portanlo, na m*is comido-
la ignorancia dos successos que porventura Injam
ahi oecorrido depois de 18 do pausado; porque,
mesmo o Mercantil, tiio noticioso como be, oque,
cm todo o lempo, qur baja chega.lo embcelo, qur
mo, tnm corlss de pessoos fidedignos denunciando
o canibalismo do sanhuJo Penno, para publicar,
tom estado tilo calado, queja algumos pessoos leom
inferido do seu silencio que, com a mudanca do pro-
prielario e rcdaccflo, dexou ello de esposara causa
praieira ou caluc (como he aqu denominada o
praio depois das proezas do mallo doCatucaj; ou,
porm, quetenho dados mili pouco falliveis-creio
nuoa mudanca do redocQo o de proprictono deve
produzir um effeito inteiromonlo opposloao quo so
suppOe; isto he, que, tendo deixado o podro Mori-
nlio o Mercantil, segundo conslo-me, o os Ollonis
a redaccilo do mesmo so Poranhos, indubitavelmen-
to estilo os catucs de muito mr!h8f partido com
esto do quo com osoulros, quo, tendo umu poltico
que rcalisar, (seja qual for, nilo importo) e l'"Je"-
dodo diaem dio boa porlo do crdito qOfl gozan
dehomens de honro e carcter, com o alJianca de
ovenlurciros, indubitavclmenle j Ibes no laziam
todas as vonto.les como o Qzeram em 45. levauos
pelos opporencios e engonodos polos intrigos.
Aguardamos, pois, anciososo Varuente, qu"ja vra c estar hontem, mas que olo ogora no nos
tom querido dar signal de si.
Celobrram-se no dia 4 do correnlo, no cipim
imperial, os exequias pelo follecimenlo dos. n. a
riiiuha mi do S. M. a Imi.eratriz. Eslivcrom de
bandeira moio pao os vosos do guerra e forlnioza:..
salvando do cinco cm cinco minutos n esse o no uia
:nine lalo. p
lio aceito como facto consummado o boato quo cir-
cula de ser annulloda a eloigilo do M
irar salistactoriaiiHMiie, v ,- lkMj
cuia uc ser aniiuiiaon a cidiv" -----""";. ,t.,\ ns dos mceiw, aneutr de hda a fucitiaaie que y"
que mais me Taz cr-lo sem a menor WW** XTeclor do arsenal, parte de um plano que sihala-
no ser verdico, lio o lorem o llratil c ...1,lj /,. h,
teem vencido do escado do podr e consoquentemonte
maior somma de probabilidades ha de se realisarcm
as ideias do parlldo^OM estilo, por assim dizer, en-
carnadas em um hnmmque lio considera.lo o euei
tro de. acco do parliar!^ que tcitamente contralle
Qhrgacflo de rcaliso-los, mis que, par faz-lo,
cumpre ser rodeado de todo o prestigio o conside-
races, -degros da oseada do poder, lima das coli-
sas do descrdito croque sempre cabo, no poder, o
partido saiita-luzia, provm do falla de concenlra-
Ciodo vontndc, etahez de ti-iidndc do pe.osamento
tambera ; falla quo se manifesl.i incviUvelmeiite
sempre quo um partido mo tom chefe. ou que lodos
scusmembrosquercm slo. Os partidos-polticos
devora ter umo tl qual disciplina ; da fulla de.sto
resulla, j o desconchovo de idoins, ja n onDaqucei-
mento do ocgo, incvilavcl quando ella,-cm vez de
partir de um centro, parle de pontos diversos, c:n
diversos sentidos, sem ordem nom proporcOos.
No Ibe pareqa que faqo estas consideroco 'S, ur.i-
n de ter descobcrlo i qiiadralura do circulo e.n po-
ltica; nilo : estes principios sao por llmala comesi-
nbos n lo sabidos quo no tra/em gloria i quem os
invoca ; IrogO-ps sement para mostrar como os
que ilclles se desviara, cominpam so hOO P"" a pro-
prio mino, ao menos sem resultado.
Com effeilo, se boje o npposir;.lo so compenetrosse
doslo verdade, longo de fa/er publicar ou consentir
na puhlicacile do papeluchos (dcsculpe o termo, que
me porece um pouco eslrongoiro) incendiarios, toes
como o tirito Nacional, que, sobro pregar os moU
onarchiasdntilrinras, fo-lo em papel ora verde, ora
omarcllo; lnnge, digo, de fazer publicar ou consen-
tir que sepuhliquoin sses papeluchos incendiarios
que s pdem trazor cm resultado o desvario de ni-
mos pouco lllustradns, deveria tratsr do dar umo or-
ganisago ao seu podido, diseiplina-lo, cont-lo,
poro quo nilo hoja oecasio de usar-se da receila do
finado e sempre Sembrado morquez de Marica. Esse
Ilustre philosopho, poilCOS dios entes de morrer,
estando rodeado ilc mullos possoas ilesua intimido-
dea fallar sobre os ultimes oconlecimonlos do Fran-
ca, dis.se {Felizmente no receio que ossas deso--
de'ns cnliam echo no Brasil; so bem que eu no
desconheco que existem entre nos algnns germen?
dfl desordera ; mas paro curar osle mal o remedio
he obvio : dse d?. comer aos talentosos e surra aos es-
tpido. ... i
Ora, o porlido saquarnmo quo n adopto dos prin-
cipios enunciados dove em grande parle o suo im-
portancia no podr e foro del le, obra, no meu fraen
entender, com muito acorto preferin lo a lan'lidalu-
ra-Paul'ma candidat'ira-Vinn'iu.
Na minha penltima, so me no mcnlo a memo-
ria, disse-lho que era anu o I-erra/, mu guerreado
nelos contrabandistas, porque se cninpoita na ins-
pectora da alfandr-Ro com toda a inloirezi, z.Ho o
honradez; o om abono do meu dito vou producir
um Tacto, ullimomenle occorri lo, que leva a convie-
r-o aos nimos os mais incrdulos.
Em urna roprescniaco que o commissno da prapa
docoinmercio dirigi no governo sobro os voxames
sobrevinlos ao commcrcio da cxccuco doart. SI
do rcgnlumento do capilania do porto, quo prohibo
o transito de escoleres e notes pelo ancorodouro do
carca o descarga, depois do tiro de reco her, exo-
cuco reclamada do inspector do arsena.1 de monona
pelo da alf.in.lega, l-se o scgulnlo trecho que ser-
ve de remate rcpresentaco :
i A romiiiisso aproveila esta occasio pora expri-
mir o senlimento de quo esto possoldo o corpo do
eommercio. vendo que, oo passoquoo governo ,m-
nerial conseio dos vcxanics e absurdos do actual re-
S llmenlo das alfandegos, traa do modillcor suos
disposiQ.les no senlidn de conchar ^'.sacfl da
renda com os interesses e commodida.les do com-
Zrra l inspectora da alfandega lalvez co-n os
ma s lo um veis inlcncdes, mas nduhtlavelmcnte sen.
oncees ario criterio, trola doexecutor disposicOes
ninor.nexequivei nunca P.r.-.m postas cm pral,-
c", e dooxagTaros vexoraes e dilllculdodes com quo
lua o commcrcio. ....
I Ferraz que. desdo o dio 30 do possodo no ia a
olfandeea, enejado pelo fallecimcnto do rom, igno-
rva com deiomento quo se tratava de miniar oo
Koverno urna reprcsontaco cm quo se punha Unto
?m duvida a sua cnpocidade, c s della leve conhe-
cimenlo quando o leu no Jornal de 5. No da segu.n-
lepubliOM pelo mesmo jornal urna correspon, en-
cia em-justincoco do seu procedimenlo, na qualI la-
menta que a commisso nao IfNrtiMllMN
comprobatorios do vexamo em quo tero cll. ta
commcrcio pela sua incapacidode ; Por,,ue. so ella os
tivesseproduzi.lo, fcil lito seria o resposto como,
porm, representado toro ** Jf
ello inform.,1, aguarda esta occas.ao para demon,
trar satisfactoriamente, que toda a us^nc a do da
nao ser vuriuicii, n iit ------- ,,,
Tarde proclamado o Cndidalura doconcelheno i au-
lino no clercOo que so ha de verificar a 17 ao cor-
renlo paro prcenenimento da vaya dcixatia no so-
nado polo morquez de Marica, senador pelo Rio-de-
Janei.o. Assim, ohida osla vez no val ao senado O
concelheiro Vianna, ex-minist;o da fazendo no ga-
binete do 80 de Janeiro, que levo por organisador o
concelheiro Honorio, o quo he um dos que mais sa-
crificios teom feilo, ou antes lein sido sacrificado as
couvenieifeias do partido.
No faco oslo reparo, porque seja de roto que o
Paulino Ibe cejfo posso n'esta elei(So ; pelo con-
trario, cu qui*ro quo j ao Poulino nflo tivcsse o
Manoel Fc|izardo tomado a diontciro na passada.
Em polilica, o primeirodever dos partidos consislo siiua to. ^ q ,,odcriara apporecer, quo m
em elevar os seus chufes s primoiras posicOes; por- '*"u:| 0 nspectbr do arsenal o Uvre transito 00%
que, quanto mais elevados se acharem, mais degrios consentir v
^Tm&tm /tro fr m {ftf "ZunZ
rajar. (so suas proprlM n'' '"^."^oliibicao ;
nryc. mais concludonto do UUe i ,pi v
Quanto, send JJ^^ffigS ao'r
calores aos ^*2S?& o livro transito
somma do rasao, deye-so n^s d|(B ,. 0 ,
por entro MATtMi JW" SourkHfal para roaU-
wMiamofconlw^nlhtaada p o o
^^rr^ilaex^roxecucito do artigo, em
Furrazfoi ?V0 "J" ll6 nests ultimes lempos
21-ffi o que snoquomprovados pelo grande
S l^ eaonrohensoes quo so leerr. eilo. Deraa.s,
ffl {?,' os o era pratioa uro roela que e.nquo-
*, atotold do destruaos inconvenientes queda
si >"a l_0"" ....: ,..,.ifi,m nnarecer. uuo he


2U
<]srleres noile, trazendo lanterna. Nfio so con-
. Milerou.dizoFerraz ; nao se consideren isto insqf-
ijcionte ; e era'mister a resistencia' eo livre trajelo
de tudo o de lo Jos ; porque considera-sc prolercflo ao
commercio a livre faciildadc de ludo fazer seni al-
teneflo as leis liscaes. K depois de estranhar que a
cammietUo se deixasse levar por seus desaflectos,
que de sua ausencia si) havim valido para obterem
dola cssa represcnlacflo, apeznr de, as conferen-
cias que com os propos signatariosdella lem tido,
ter merecido seus louvuies, couselhos e revelares,
conclueassim:
Quando a ;ilfandepa chogou ao estado de r.elaxa-
QIoemque se chava, qun snITria com o atraso do expediente icom mil outros
abusos oexiorsoes, contse leem dignado revelar-
me muilos Srs negociante!", qur vcrhalmente, qur
por escripia, a voz da Ilustrada commissflo da ira-
ca do commercio nflo linba frca para levantar-se
conlra tanl immoralidade! Tudo corria bem, ludo
era um mar do rosas Unjo nada presla, leis, regu-
lamenlos, ordens, tudo be absurdo. O mesmo ins-
pector nem capacidade lem para com criterio execu-
lar a Ici, be perseguidor do commercio, contravindo
assim as henificas meneos do governo imperial E
ale cm um lulves se pGe ein problema suas boas
pioncos. _t_
Depoisdo que acnlio de JFiV-, j-il-n demasiada-
mente justificado o meu likjjtaVl'iv o Ferraz.
O poverno annullou as eloTcOrS ile juzes. de paz e
vareadores da (reguezia de Graplunba, provincia da
Babia, por tero juiz de paz prcfidetito da mesa, no
din marcado para a elciefo, a juetoxto de se Icr op-
poslo o vipario, ido faz-la em casa particular, fura
da pnvnacn, quundo oalvilfc que Ihe competa in-
ina r era -"diar us eloiroes, al que se dessom as pro
videncias heeessariaa; Irregularidade aluda mais hg-
gravada por nutras faltas que, nflo sendo cada urna
de per si suflicienlp para determinar a nullidadcdas
eleicoes, o silo no son complexo.
Approvou-se lambem a delibi racflo tomada pelo
presidente de Alinas do mandar reformar provisoria-
mente as rlaicAffl do juizes de paz e verradores da
freguuzia dos Panos, termo de Jacuby, por nprcsen-
tar, al ii de nutras irregularidades que pdem in-
lluir no resultado da cicllo, a de se nlo teroui feito
as chamadas determinadas pela lei, epralieado todos
osados legislativos em um s da.
Pelo ministerio da guerra pudio-so inforimces
ao presidente do Maranhto sobre o estado da fami-
lia ilo alferes Monotes, mol to no ataque do Catuca,
a qual so mandnii alionar o iDojti sold, lie bom (|uu
o g'iveino va mostrando que nao se descuida de am-
purar as familias dos RraaileiroS quo derramam seu
sanpue combatendo pela ntcg'idado doimporioc
t'anquillida le publica.
Ilouveram algumas rcmocoes e nomencOes do jui-
zes municipaes, que uo menciono, porque nflo di-
zem respeilo essa provincia.
.Nunca em tflo vasta escala Col aqui explorada a ri-
ca mina do ensillo da iwssa inoculado cmo boje em
dia. Os jurnaesapparece de alto a baixo cobeitos
de nomes de meninos upprovados bplime cum lad
em .lilfercnlpsramos decsluJo com diversos collo-
gios; einiiin, a julgar so pelo quo publicaui os di-
rectores dos collupios, nao lia mocidado mais estu-
diosa, mais talentosa o de mais variada instruccio
do que a nossa. Ultimamenle um tal Fieose, dando
coilla das honras concedidas no exame simestral em
i seu Institulo-Collegial do Nova-Friburgo, menoio-
ii i que o alumno tal fui premiado com a uiedalba do
miro pela sua inl'aligavel industria, c que lodosos
milis dislinguiram-se \\a industria. Deu isto lugar a
nina correspondencia intcrcssaiilc quo no Jornal de
."> do crrenle pullicou um senlior /. /.., que da-so
por sapateiro, mas qne o be tanto como en sou Mod-
n. l)iz elle que, sendo sapaleiio, de cujo ofllcio lira
os meios de subsistencia | ara si, sua mullioic lilbos,
aos quaes deseja dar mais inslrucQflo do quo a delle,
para se nfio verem no me-ni o embarazo em quo so
elle v cscrovendo a sua correspondencia, nlo quer
todava que sejain seus filbos bochareis, pragaess,
na pinino de Uin seu vizinho (pie llio parece enten-
der ila colisa, abundante de mais ntrenos, e que lem
cantado nao piucos males ao llrasit. Na alternativa,
pois, de ou mandar ensillar aos lilbos qualquer ai lo
mecnica e n.stecaso nflo ser possivel fazer dar-
Ibes o grao de nsliuceflo que desoja, ou do mnda-
los csludar e ciilo fallai-llie o lempo para mlle-
los no cilicio, depacou no dia 4 de mandila com o
ai ligo do Freese. l'uz-mc lere relcr, diz elle, e
live um palpite do prazer, parecendo-me teracbado
o que tanto desojo legar aos uieus lillius. isto be, um
olllcio mecbanico a par dealguma inStruccSo. Diz
o ai tig que quasi lo.ioa os alumnos se teem distin-
guido na industria: por toda a pe to vejo essa pala>
vra industria que tiinlo me apiada, c ainda
permitta que nflo fique aqui o cumpnmonto da pro-
messa que fez a directora de fechar o theatro para
se proceder pintura. O theatro de S.-Januario
tem-nos dado algumas novidades. Todos os domin-
gos d duas representarles; uma s 4 horas da tar-
d', nutra as 8 da imite. Hontem no espectculo da
tarde du aja muilo vclha Nava-Castro e pela pri-
meira vez urna comedia intitulada o fabricante deae-
las de sebo; no da imite, den tambeni pela primeira
roz outra nova produceflo do mesmo genere, tradu-
zida do francez denominada THomat Itiquiqui;
ambas estas producoes dizem-me serem soIlViveis.
A companbia lyrica franceza no mesmo theatro Icnv
Conlinuadoa levar a scona Miule del'ortfci; mas
prometi endiablar-te desde 0 beneficio do made-
moisella l'rti at licarmos lodos endiabrados. O be-
neficio 'esta excoento cantora consta da primei-
ra representaeo da l'arl iludiabie, opera cmica era
3 actos, e mais um veaudovilla Bal d'ouvrttis Depois
da Part du diable a companhia nos ir dando o Da-
ble I' Ecolc, as Memoires du diable, o outras mais
diabruras de que me nflo record agora.
DIARIO DE PERtBBUCO.
BBOIP, 18 DI JANEIRO OX 1S49.
RIO-UE-JANE1RQ.
ICstimamos poder annunciar quo o poverno in-
glez contratoii com os Srs. Ilrooks, Ralford e Le-
main, de Londres, a condufQflo das malas para o lira-
sil mu cmliarcncdes movidas por vapor.
Os cnnlratadorcs obrigaram-se a mandar cons-
truir seis vapores a hlice da lotafflo db oitocentas
toneladas, que devom sabir todos os mez.es de Li-
verpool para o Rio-dc-Janciro, tocar na Madeira, Te-
nerife, Pernamboco c Baha, e de volta na Babia u
l'ernambuco, faZ.cndo a viagem redonda em sessenta
dias. Os vapores ilevom licar promplos a navegar em
principios de outubro destoanno, e o governo paga-
r nos contratndores a quantia devinta e duas mil
lihraS esterlinas poranno.
A imporlnnciu commcrcial do Brasil reclamava de
ha muilo esta medida. Tcndo-se diminuido espan-
tosamente as distancias quo sepuravam quasi todos
os mercados do grande centro das trausaeces do
mundo, nflo era possivel que por mais tempo ficas-
semos nos privados do mcio rpido do conimunica-
clo com csse centro que se tinha facilitado a lodosos
mais paizes.
O governo Idglez, reconbecendo cssa necessidade
o as grandes vantagens que assegurarflo ao com-
mercio as eoiiimnnie.iees rpidas e regulares com
o Rrasil, salisfez os votos do corpo commercial. Por
sua" parte estamos que faro o governo imperial ludo
oque estiver aoseu alcance para quo esta empre-
za possa prosperar e cumprir as obriga^Oes que con-
traliio.
MATTO-GUOSSO.
i
C.L'IABA 27 DE SETF.MBRO.
Domingo, 24 do corrente, s 10 horas da ma-
nbfla, chegou a esta capital o Exm. Sr. major do
imperial corpo de ongenheiros, lir. Joaquim Jos
de Oliveira, presidente e com manto das armas
dcsta provincia, trazendo Ires mezes e novo dias
do viagem de Sorocaba para esta, vencendo os
incoinmndos de tflo longa viagom por sertOes in-
cultos, escabrosas serras, e mal trilhados cami-
nhos, com risco nflo pequeo de sua existencia,
por serem os mesmoi sertOes infestados do Indios
bravios.
A' uma legoa distante da cidade foi S. Ex. encon-
trado pelo Exm. Sr. vice-prcsidcntc, commandanlo
das armas, autoridades civis o militares, e grande
numero do cidadflos dos mais grados do lugar. Con-
duzidna palacio, dirigio-sc calhedral, onde o
VAPOa DO SUL.
Pelo vappr Imperador, chegado hoje dos portos do
sul, recebemos a carta do nono correspondente na
corle, que os leilores acharflo sob a rubrica compe-
tente; bem como jornaes fluminenses at 9 e da Ba-
bia at II do corrente.
Aos extractos que fizemos dos primeiros dos cita-
dos jornaes pouco temos que accrescentar.
' As datas de Montevideo alcanQavam a 83 do pas-
sado, as de Buenos-A jrres a 18, e as de Nev-York a 8.
Em Montevideo quasi que nada occorrra digno de
especial mencao.
O governo espassra por mais (res mezes a execu-
clto do decreto relativo ao imposto sobre as Tartanas,
e contratara com certa casa commercial da pracao
fornecimentoda'guarmcao por um semestre, conta-
do do t. do presente mez.
Do Buenos-Ayres sabia-so qne o governo argenti-
no gaslra para mais do dous milhOes o meio na
compra de municoes de guerra, parte das quaes
mandara para Enlrerios e Corrientes.
A quosiaoSoulcrn permaneca no mesmo p.
De New-Yorck, conslava quo se concluir a apu-
ra^flo da eleicSo para presidente da uniSo ameri-
cana, colhendo o mais completo triumpho o general
Taylor, Candidato do partido conservador; pois
que, ao passo que obtove 183 votos, o seu competi-
dor, o Sr. Casa, nflo pode reunir sendo 127.
Quinto Bihia, temos asatisfaeflo de annuncia
que ossa provincia, bem como as demais do sul, go-
zava da mais perfeita tranquillidade, e com ellas
como que aboncoava o monarcha brasileiro por ter
depositado es destinos da na$5o as mflos dos expe-
rimentados estadistas, que, aprovetando-se devida-
mente da con Ranea da cora, nada poupam por pro-
mover o bem-estar do paiz.
- '
MKsaB&ssamiMSBsasam 11..... "I=g|
Melaei.
Ongas hesponholas ...:.... 31,600a 31,800
mexicanas.........31,300 a 31,500
Pecas de 6,400 ......... 17,800 a 18,006
Modas de 4,000 ,........9,400 a 9,600
PatacOes hrasileiros. ....... 2,000 a 8,02o
x hespanhes ....... 2,000 a 2,020
mexicanos ...... 2,000
{.Mercantil.)
COMMERCIO.
pernvaoExm. ellevm. Sr. bispo diocesano coniT l*~YJloe!,r7 fa'inha d".,rig0-
que lano me apiada, c anda mais
observo que o alumno premiado c.m a medalha do j "tropa de > liiiha'cm"n"gor7jso" uniforme
u cssa grande honra a sua infatigavd in- lUava em fenlo do palacio;
clero; assistio ao santo sacrificio da missa, e vollou
para palacio no mcio de grande concurso de povo.
que se mostrava possuido do inmenso prazer, e
Icslemunhar&m fa/endo confundir o estrondo da
nrlilliaria com as girndolas c rujoes, que com pu>-
fLSflo li/eram subir.
No dia 26 lomou posse do commando das armas
com as formalidades do costume, prestando jura-
mento as milos do Exm. Sr. vico-presidente.
( Echo Cuiabaiio. )
- 4 DE OUTUBRO
Ufo dia 27 do mez (indo foi S. Ex. o Sr. Dr. Joaquim
Jos de Oliveira empossado do cargo de presidente
tiesta provincia, recebendo as redeas da dministra-
c,;lo, queS. M. o Imperador se dignou confiar-lhe,
com as solemnidades devidas e aprazimenlo geral
dos habitantes desta capital.
Ao raiar da aurora jii o clangor dds cornetas e o
r i bombo dos tambores sonvam em todos os ouvidos
se per-
os sinos vibravam
ALFANDE6A.
RENDIMENTO DO DIA 18.......... 4:112,910
Descarregam hoje, WJcjannro.
Rrigue -Putuam farinha de trigo.
Rrigue Andrete-M.-Jones barriquinha de bola-
chinha.
Movimento do Porto,
Navios entrados no da 18,
Rio-de-Janeiro, Baha e Macp 8 1/2 dias; vapor
brasileiro Imperador, de 467 toneladas, commn-
dante o primoiro-lpuente Fortunato EugenioTa-
vares. Paasageiros, vindos da Baha para esta pro-
vincii, Domingos Alves Malhous curh 1 oscryo,
Joilo Pedro de L, Gordilho com 1 scravo; ditos
de Macei para esta provincia, Manocl Vendiarino
Pinto com t oseravo, Manoel Francisco da Silva
Carneo, JoSo Diogo do Mello, Jos Paulo dos Res,
Eugenio Jos das Neves Andrade, Jaeintho Ma-
nuel ds Silva, Joaquim Pereira do Carmo com t
escravo. Remani I'creir do Carmo Jnior, Ber-
nardino Maia da Silva, Cbristiano Augusto Boor-
sen, Hamburguez ; e 1 escravo a entregar.
Ro-de-Janeiro; 26 dias, patacho Jirasileiro San-
Jado-Veneedor, do 143 toneladas, capitflo Francis-
co Jos de Araujo, equipagem 12, carga sabflo e
lastro ; a Francisco Alves da Cunha.
Ass ; (9 dias, brigue brasileiro San-Manoel-Avgusto,
de 236 toneladas, capitflo Manoel SimOes, equipa-
gem 15, carga sal e palha ; a Manoel Ignacio de
Oliveira.
Navios sabidos no mesmo da.
Rio-Orsnde-do-Sul pela Rahia ; hiale brasileiro For-
tuna, capitflo Francisco Antonio Pacheco Molla,
carga sal.
Camaragibe; hiale brasileiro Novo-Destino, capitflo
Eslevflo Ribeiro; carga varios gneros.
Em commisaajo; vapor brasileiro Ptruambucana,
com mu nda n te Juo Mil ilfio lleni que.
dem ; vapor do guerra, brasileiro Urania, comman-
denle, o caplflo-tenenle Josp Eduardo Wtnden-
colk.
Rio-do-Janeiro ; patacho americano Hope, capitflo
Charles Hall, carga lastro de arcia.
Baha ; patacho brasileiro Diligente, capitSo Fran-
cisco do Castro, carga varios goneros. Passagei-
ros, Fr. Honorato do Sascimento de Mara, Silves-
tre Jos de Freitas, Rrasileros; Vctor Liethier,
Francez ; Domingos Jos Soares, Portuguez,
EDITAES.
Pataclio-5o-yrt-Fnc/or caixas com sabflo.
duslna. rodavia preciso e umaeJlpllCaCilo quaes ,|e legri, e os cidadflos em geral se dispun
sao os ramos i!eiii/if*/n quo se ensinam em casa do iiaru assistir ao"'"
i acto da posse. A"s 9 horas, entoau-
Sr. Fcese? Qual aindustria que merecen au alumno'(j(l a msica o hymiio nacional, S. Ex. oE
ohr.joflo Francisco (.arneiroNiaiiiia lamanlia honra? Sr. vcc-presidcnle dirig
Aprendera a alfi*le, carpiuteiro, IVneiro ou maree-, ra municipal, acompanhados do gr!
neiio? Vejo multa indushid no artipo, mas quizera ,lc cidadflos que, trajando gala, des.
isto nuns explicado siiumeiu bronco ccusta-moa'se destendendo n'umn diagonal ci
entender as cousas, sobro ludo em lellra redonda.
giram-se aos pacos da eaina-
andu concurso
agglomerayam-
agonal confusa, rmrcm
- cheiu de realce, e recebdos por urna coinniissao nos
O pioprio titulo lo artigo me fa< conrusao: Insts- degros da entrada, frum condu/idos ao recinto da
tulo-cotlegiul '..... Parec -me assim uma cousa multo sessiio
grande, mas Ignoro o que seja Pedi es..prestado o Prestando S. Kxc. o sagrado juramento, retiroti-so
diccionario de meu v.zinl.o boticario e procurei sobre seus pasaos com o numeroso concurso, pas-
luslrar-mc. Acliei tnslilulo, ael.e. collegio o colU- \ gando pelas bombardas que utroavam os ares com
MPORTAGAO'.
Andrfu,, brigue americano, "viudo de Rchmond
entrado no corrente mez, consignado a II. Fosler
Companhia, manifeslou o sepililo i
1537 barricas farinha de irlgo, 200 barriquinhas
bolirlimlia, 150 barricas breu, 160 ditas abatidas e
seus perlences, 1 caixa arreios para cavallos- aos
mesmoa consignatarios.
l'uluam, brigue americano, vindodePhiladelphia,
entrado no crrenlo mez, Consignado a fl. FusterA
Companhia, manifeslou o seguidle:
1269 barricas farinha delrigo, jodias bolacha.
69 saccas pnncnla, 250 barriquinhas bolachinha 50
caixas velas de espermaccle, 99 presuntos, 404'pa-
coles canella, 45 barris mantoiga de porco, 53 far-
dos pannos de algodflo liso; a II. Fosler & Compa-
nhia. '
1 caixa mercadorias; a W. Da vis.
1 caixa morcadorias; a C. ('.. Salinas.
CONSULADO GERAL.
BENDIMENTO DO DIA 18.
provincias...............
Geral .
Diversas
nw^'^ni i ? tTn,,U' se t,|lS""" monias religiosas, e, deprecando ao Omnipotente
res mecnicas, e, alen d' isto, Icr, escrever, coa- \u necossarias gracas, rocollieu-so a palacio em
lar lu.poas.Ac. te. .y assim for, (e espero quo o'companhia de S Ex. Rvma quando o astro lu-
Sr I-1 cese dignara illUbtr.r-mc ) cont elle com mioso dodiaj ao ochava perpendicular. Agallo-
nes lilhos meus lous do meu v.z.nhoalfaiato ou rasda tarde, rodeado S. Ex. das autoridades e cha-
do meu compadro n.nrCeiie.r..._ porque-eslao j.reen- fes ds 1B|,rlces publicas, servio-so du eapion-
(hi.os.os nussosmalores desejos. L couc ue pe- didojanlai-que ll.c lu.via ofertado o Exm. Sr vi-
dm lo|aos redactores do Jornal quo poiiliam algumas cc-prcsidonle, e, ao termina-lo, o Sr Dr. Pedro
virgulas na sua correspondencia para uuiicousa nia$ Paos Leme rectou um discurso cheo do iu-
MMo.no inujdigive; pois quo na virgulacilo hoque |,lo duque todos so apoderavam, e ai '
cllomais soatrapalha. Se eu l.vcsso relaeoes com reeiprocidado de polidez e afTabilid
ea.se tupa taro acoiisclhar Ihe-hia que nao desso mais ss. Exs. se congratulavan na successl
. 4:707,703
152,420
4.860,123
CONSULADO PROVINCIAL.
HEMIIMENTO DO DIA 18.......... 8.556,649
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade affleia da im-
perial ordem da oea, cavalleiro da de Christoe ins-
pector da alfandega de l'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 20 do corrente, ao meicwlia,
se liflo de arrematar em basta publica, poifrds
mesma, 30 podras de marmore polidas para cohrir
mesas, no valor de 280,000 rs.., impugnadas pelo
guarda Manoel da Fonseca de Araujo Luna, no des-
pacho por factura n. 2911 : sondo a arrematadlo sub-
jeita aos direilos.
Allandcga, 17 de Janeiro 'de 1849.
Iliguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade, ik.
Faz saber que, no dia 20 do corrate, ao meio-dia,
se hao de arrematar em hasta publica porta da
mesma 75 percas do sodas pretas lisas para veslidos,
com 1,652 varas, no valor de 2:700,000 ra.; 4? cor-
tes de seda para colletes com 90 varas no valor
de 300,000 rs. ; 66 duzlts de lencos de seda para
grvala no valor de 320,000 rs. ; 9 duzias de ditos
parir sen hora no valor do 130,000 rs ; 25 duzias e
3 manas de seda, no valor de 1:200/ rs.; 8 duzias
de chales de seda, no valor de 600,000 rs.; 823 pe-
cas de'r*ssa bordada eslami ada com 5,434 varas,
novalorde 1:490,000rs ; 17 duzias e 5 chales de
fil no valor de 400,000 rs.; 332 'duzias de len-
cos de cassa bordados no valor de 500,000 rs.; 43
duzias de chales do cassa bordados, no valor de
350,000 rs.; 272 duzias de suspensorios de algodflo,
ii" valor de 400,000 rs. ; 196 chai eos de palha para
meninos, no valor de 200,000 rs.; 50duzias de len-
cos do algodflp e seda no valor de 200,000 rs.; 40
pecas do i isca'dos de algodflo o seda com 720 varas ,
no valor de 250,000 rs ; 6 caixas de 100 n.cias lulas
e 3 ditas de qu arlos com sardinbas rm conserva no
valor de 300,0 00 rs.: ludo impugnado pelo guarda
Manoel da Fonseca do Araujo Luna, na nota por
fac ni a : sendo a aricmalacflo subjeila a direilos.
Alfandega, 17 de Janeiro de 1849.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
in-irui i ao aos lili.os do que a que rile lem ; qup
eiisinasae-oa elle proprio, que 0 adianiameulo do
seus liinos seria, sciim'xageragflo da uiiiilia parte, o
quadruplo mais Cousideravel u que su ello os mau-
dasse para osFreeses, cuja industria dai-lhe-ha cabo
da bolsa, e da de lodo aquello que a laes industrio-
sus diixar a educado de seus fillios.
Como na minha ultima prometli-lhe fallar n'eslo
dos theatros, nflo quero deixar do faz-lo, apezar
do nflo apresenlarem nada de extraordinario, e do
estar a dar hora de fechar-se a mala.
0 theatro dtS.-Pedro nflo d signaes de vida pre-
sumo que est fechado, segundo a proinessa. Dos
inda mais pela
lado com que
flo do honroso
cargo. ( dem)
-- No districto das Brotas dous tiros do espingar-
da lora ni disparados na imite de 27 do mez Ando no
capitflo Victoriano Soures da Silva esua mulher D.
Annn Esmera de Souza, quejnntos estavam na por-
ta de casa de sua habitando. As viclimas acham-se
gravemente offendidas, o at agora rlb se sabe quaes
os aggressores. -^
(Jornal do Commercio.)
-RIO-DErJANEIRO.
CiMDIOS NO Ol 8 DB UKKlllO DE
1849.
Cambios sobro Londres...... 24 1/J
Pars .'..,,'.... 386 a 388'
, llamburgo......720a 710
Metaes. On^as hespanhias.....32,000
da patria.......31,000
Pegas de 6,400, velhas 18,000 a 18,500
Pesos hespanhes. ... 2,030 a 2,040
v da patria.......2,0i0 a 2,033 -
PatncOes............9,020 a 2,030
Apolicosde 6 por cento......87lj2a 88
provinciaes.........87 a 88
( Jornal do Commercio.)
BAHA.
CAMBIOS NO DIA 14 DE JAKBIa'O OE 1849.
Londres..............34 3|4 a 25
Paria.................380
llamburgo............ nominal
LisbOa..............130 p, c.
Tendo o Exm. Sr. presidente da provincia consi-
derado vago o lugar de delegado do concellio geral
de salubridade publica no municipio de Oliuda o
nilo ha vendo naqueHe municiuiopessoas que tonham~
as habilitarles exigidas peta lei provincial n. 143 21 de mam de 1845, o concelho manda publicar a
resoluco de S. Kxc, alim de que so apresen tem
pessoas que, revestidas das liabilitagOes necessrias,
possam ser propostas ao governo Sala daa sos-
sOes, 18 de Janeiro de 1849 No impedimento do
secretario, Dr.'J. l-'erreira da Silva, mdico ilo mu-
nicipio*
Deca raides.
*0 arsenal de guerra compra seis duaias de la-
boas de assoalho do louro : quem tal gonero liare* e
qui/er fornecor, pode comparocor na sala da direc-
tora no dia 20 do corrente, com aua proposla em
carta fechada.
Arsenal do guerra, 17 de Janeiro de 1849.
O escriplurario,
Francisco Sera/Ico de Atsit Carvalho.
O capitflo do porto desta provincia, ein virlude da
ordem que recobou do Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, em ofllcio com data de boje, faz constar a
3uem coovier que csl vedada a sabida, pela barreta
o sul e outros lugares 110 sul da mesma barreta, das
barcacas, canoas e outras pequeas embarcacOes
que navegam de barra-fura, em consequencia de po-
11 rftivn i


.
^^5
sssss
drom somonte sabir pela brrela do norte at o sol
posto, emqusnto subsistirem as circumstanclas ex-
traordinarias em que se acha esta provincia ; c ajud
ussim, dopois de revistadas pelo navio do guerra, uo
registro, o pelos oscaleros dos demais navios, capita-
na e alfandega, so para isso as chamarem, para o que
deverSo taes emparcartics prestar-se corr a, maior
promptidno, sb nena, pela contravengo, de hcarcm
subjeetas aosdamnosque lieos possnm prov.r, peto
emprego da frca, que em caso contrario se faro, a,
lm dlfiparem as respectivas gu.arn.gcs subjeetn
tambem as em que conscgu.ntemente incorrem, co
mLt1U.WdCo,l;orto de Pemambuco, 18 de janeir*
de 18W* Rodrigo Tkeodoro de Frtllas,
. Capililo do porto,
ConfinaeHo da relacio doi devedore* da dcima de prt-
diot urbanas que leem de eer exentado te nao sal-
durem seus dbitos at o fim do andante otra de Ja-
neiro.
A saber:'
Jos Rodrigues do Passo 1:725.179
Viuva e herdeiros do Joaquim Leocadio
do Oliveira Gumaracs 781.277
Herdeiros de Jos Kerreira Colares 137,5G6
jlargarida'Francisca da Silva 141,831
Joan na da Hoclia de Jess 11 V,7i8
Jos Fraucisco Maniedo de Al incida 83,430
Antonio Joilo Ramos 67,856
Joamia Molilana de Jess 186,448
liliiuilin Martinlia ilo Sacramento 216.963
liiiiaiulaile do S.-Jos 336,231
Antonio l.uiz Preira Bastos 65,056
Joauna Ma'iada Conceig.to 90,302
Francisco Rbello Pavlo 137,937)
J.inuario Alejandrino Hilieiro Caneca 154,436
Jo.lo BapliSta Fernandos 36,153
Herdeiros de Jos Kerreira Hamos 74,160.
Fr. Joflo de Santa-lzabel PavOo 81,205
4.330,868'
N.'B. No debito de Jos Rodiigucsdo Passo acnal
se incluida a quanlia de 1:009,396 que cm 1847 fo-
rcmellda em relcflo para juizo, e da qual nada
niuJa enlrou peala rupartieflo.
O vapor Imperador recebe as malas pa-
ra os porlos do norte, lioje, as 2 horas
da tardo.
ssgeiros para o queolTereco asseiados oibmodos.
trala-se com o capilo n praca ou com o consig
galario Firmino J. F. da llosa na ra do Trapiche ,
n. 44.
THE ATOO DE 3AN-FRANC1SCO.
DOMINGO, 21 1)0 CORREN-TE.
Ropresentagilo extraordinaria dada pela com pa-
nilla Cranceza sb a direcefl de M. Dupr.
0 CORONEL CHABERT,
ou
UM CENERAL DO IMPERIO,
inania em dous actos, intermediado do cantoria,
porfialzac.
ENTRE-A
ANTO.
(ira n Je aria do Barbeiro de Seviiha, opera de Ros-
slni, cantada peloSr. Alexandrc.
UM CAVALLEIRO E DMA DAMA,
Vaudeville jocoso em um acto.
UM NOVO ROMANCE,
Cantado pelo Sr. Achules.
UM ASSENTO PARA DOUS,
Vaudeville jocoso om um acto.
O theatro estar abeito as 7 1/2 horas da tarde, e
o esperliiculo comegar precisamente s 8.
Mr. Duprc lem a honra dc.prevenr o publico quo
acaba de diminuir o proco das cnliaJas no theatro
San-Francisco.A saber :
Camarotes de frente de 1 0 2.1 ordem 12,000
Dito do lado de I.* ordem 8,000
Hito dito de 2.* ordem 7,Of>o
Dito dito do 3.' ordem 4,000
Cadeiras por pessoa 2,000
Platea 1.CO0

-- Caetano Estellita Cavalcanli Pessoa, esluda nte
do quinto anno de direilo lente substituto do in-
gle/ e franco/ no lyceu, contina a ensinar os pro*
paralnos, excepto latim : a quem couvierdirija-se
a qualquer hora a1 casa de sua residencia, na ra es-
treita do Rozario n. 15.
A pessoa que tiver a Pretse, jornal franrez ,
deoutubrode 1847 em diante quer.ondo vender ,
dirija-so a loja de livros ns. 6 e 8 da, praga da Inde-
pendencia, ou, as nlo querendo vender, rngaso-
Ihe O favor do emprestar i|iie se be restitu a.
Est fgida crioula Leonor que, feudo de >m-
bsrogada e livrede inhiba propriedade, eu a liavia
ajudcado por titulo legal ao Sr. Dr. Sarmonlo : es-
ta cscravaj fugio de casa do Sr. depositai io geral
Almcida e me consta ter estado aceitada na ra
Nova ; depois de alguna dias revoiieu-me para a ca-
sa e a fiz entregar nu mesmo Sr. Dr. de onde fugio :
qualquer pessoa a poder entregar a elle, ou a mim
quo recebera o prqiif do saurabalho e promet-
i nio entregar pessoa nlgma logo que no ap-
pareca senflo aquella a quem a traspassei de minha
exponlanea vontade, por escriplur.
Antonio Manoel de Maraes da Mesqutia Pimenttl.
Itoga-se encarecidamente ao Sr. 1. S. e ao Sr.
A. J. T. U., que hajam de vir pagar o quo dovem
quahto antes, no sitio do Hosplo ; do contrario so
proceder* na forma do estilo, e sodeclararilo os seus
nomos por extenso.
No'dia 17do corrente pelas 10 horas da noi-
te r.oubou urna pnnla anda moca com algumas
nscripces nos bracos* palmas azues, feitasa agu-
llias a qualsedizia chamar Olimpia, o que, pelas
imlagacoes at este momento colindas pelo abaixo
assignado sabe chsmar-ae Francisca lilha do urna
crioula de nome Leonor moradora na Passagem,
o seguinte ouro : urna gargantilla de borlas do ou-
ro uns coraes de pescoco engastados em ouro um
trnncelim com um EspirtorSanto, 3 annelIOes, 2
de diamntese um com urna esmeralda, um dito
liso com diamante, um cordita grosso com urna
moda de 2,000 r. encasloada qiu puro, um par
de brincos de chapa com diamantes, urnas rosetas
de diamantes um adOrecp de pescogo com brincos
ealfinete, umbotozinho pequeo do puuho, urna
roselinha pequea de diamantes, diversas pecas de
reupa vestidos pretose de cores de soda, ditos de
chita ecassa tuu*o novo, um chales do seda, urna
manta de dito, um veo prelo, tudo do soda: pelo
queomesmo abaixo assignado protesta proceder
contra qualquer pessoa que a acoilar e mesino lhc
comprarqualquer dp objectos furtados, do que tu-
do es la cabalmente inteirada a polica.
Jos Guedti Salr/ueiro.
Precisa-se saber onde mora o lllm. Sr. major
Joaquim Ignacio Carneiro de Almeida a negocio de
seu interesse : por isso o mesmo Sr. sirva-se man-
daren) carta fechada sua moradia para a loja da
ra do Qucimado, n. 1.
--O abaixo assignado, tendo comprado aoa her-
deiros do engenho Belm duas partes dcste, quor
vende-las agora ; se ha algum embaraco, quem so
julgar prejiidicado, declare por esta folha dentro
do prazo de 8 dias documentando embaraco que
bou ver, porque do contrario ser neuhum.
Lomenf o Beterra Carneiro da Cunha.
Precisa-se de urna mulber de incia dado, quo
cozihho o diario de urna casa do horneen solloiro : na
ra larga do Itozario, n. 26.
-- A. Vieira de Mello embarea para o Rn-de-Janei-
ro o seu oscavo Lino.
Perdeu-se, do Manguind ao Mondego urna
pulseira do cornalinas encastoadus em ouro : quem
a acbou .querendo entregar lcve.-aa ra do Hos-
picio, n. 32, que ser generosamente recompen-
sado.
mesmo o seguinte -- metade de Christov Gulher-
me Brekmfeld e o resto de Manoel Joaquim da Ro-
cha -- : previne-se, por tanto, ao lllm. Sr. tliosou-
rciro da mesma lotera, quo o nio pague, caso saia
premiado, sonflo a algum dos dous nssi^nado's.
-- Nos da 20, 2* o 27 do correnle mez, porantc
o Sr. Dr. juiz do civel'da 2.a vara, na sala las audi-
encias, depois desla, se hade arrematar urna boa
cas^n terrea, com 4 portas defrente, na ra do Atier-
ro da, Boa-Vista, n. 58, pinhorada a I). Marianna Ker-
reira Duart'o Res : quem a portender, compircga
que be ultima praca.
0 abaixo assignado protesta pela manelra mais
explcita contra o procedimento iuiquo do Sr. Joilo
Evangelista da Costa e Silva em apossar-se clan-
destinamente dos seua bens, a saber; leltras do cam-
bio, ouro, joas, dinhero, &c, &c, retftr contra to-
dos o direilo a sen arbitrio, comopraticou depois
de sediizir sua inecnsata o sexagenaria mulber, D.
Anua Francisca dos Reis, para que Iho levasse todas
estas preciosidades para a enmpanhia e casa delle ;
e para melhor proteger scmolhante delapidag'ilo, em-
pregou todos os meios do fraude, arlimanba e ca-
lumnia, para desta or' tollicr ao abaixo assignado
a procurar seu direilo, e prevenir o extravio de seus
bens, en'"gando aquello perverso ambicioso a ro-
coirer a calumnias, para mais o orrprmir, sendo
denunciante de crimes imaginarios, cujo processo
he digno de ser visto pelas pecas quo incerra ; n-
gom, vendo quo prcvalecuu a verdade, e indi ha
jiii^es iiicorruptivcis taes como os da rclacilu ineiru-
politaha quo se nfo dobraram a nenhuma seducclo,
tralou esse hypocrrta de se desfazer da sua deposi-
tada pola mesma manera que a houve para sua
compaiihia, isto he, por empoulioscsem que a parle
fjscouvida como era de justiga, julgando que assini
licaria livre de entregar a* mencionadas preciosida-
des que toen ca seu poder sem autorisafilo ou for-
inaliilade. alguma, o que pelo presente protesta ha-
ver do mesmo Sr. Joilo evangelista da Costa o Silva;
e para prova da connivivencia dosso Sr. quo muito
inloressava cm dolapidar-mo transcre\e-so o docu-
mento abaixo, em que se v o mosmo a quem eslava
conliada a guarda de urna souhora por deposito que
ello solicitou, em sua presenta eslivesso veudendo
as leltras que siiblrahio a son marido o mo tiuiiain
porteiigo, e por isso ello marido'linlia prevenido ao
publico pelos Diarios de novembro do 1817.
Antonio Manuel de Moraee da Mesquita l'imentcl.
Compras.
-- Compra-so um |jrac,o do balanza grando o urnas
conchas para a mesma : na ra Imperial, n. 39.
Compra-so um folie para matar formigas : na
rus da Cruz, n. 21.
Compra-se um oratorio pequeo, de quatro a
cinco palmos, sendo novo ou usado : na ra Augus-
ta, n. 94. ,.
Compram-se garrafas pretas sendo limpas,a
80 rs. cada urna : na rna da Madre-de-Deos, n. 36.
Compra-so urna armacflo que sirva para loja do
niiudezas : no Atorro-da-Ba-Vista, n. 21.
Compram-se, eficclivamente, garrafas e botijas
vastas: noAterro-ds-Boa-Vista, fabrica de licores,
n. 17.
t,tt%wmmm$tt%ttttttttttttmmimettttttt%tetmememetmmmmmm
Vendas^.
Vendo-so um vioiio de Jacaranda com pouco
uso, do muito boas vozes ; um carneiro muito man-
so par motilara tic menino ao que est acostu-
modo I atrs da l'enhn, ra do S.-Cecilia, n. 9.
Avisos martimos.
Para o Rio-dc-Janeiro sabe, em pucos dias, a,
barca nacional Tentalival'eli:, por j se acbar com
grande parle da carga a seu bordo : para o resto, os-
tra vos fele e passageiros para quo olTcreco os
mais ricos e asseiados commodos: trata-so na ru
da Molda,'n 11.
-- Para o Araeaty sabir -imprcterivelmenlo nas
prxima agoas o hiato Novo-Olinda, mostr Anlp-
nioJosc Vianua, por ter j quasi todo osen carre-
garrento tratado : quem ncllo anda qulzerrarregar,
ou ir tr, no Trapiche-Novo, ou na ra da Cadeia-Velha, n.
17, segundo andar.
Para o Cear sabe, com muita brevidade, por
lera maior parte-da carga prompla, a sumaca Car-
lota : par o restante e passageiros, lrat-se com o
mostr, Jos Concalves Simas, ou com l.uiz Jos de
S Ai i lijo, na ra da Cruz do Itecifo, aruiazem n.
26, ou no 2. andar do sobrado n. 37.
A barca Helia-'ernambucuna pretendo sabir pa-
ra i cidado do Poilo com brevidade, por ler a maior
parlo do sua carga prompta : para o restante e pas-
sageiros para o-que lem asseiados commodoa, en-
mdm-so com o seu capilio na praga do Commcr-
cio, ou com o consignatario, Antonio Francisco
de Muraos, ua ra da Cruz, u 34, trceiro andar.
I'ara o ltio-dc-Janeiro saln, oom a maior bre-
vidade poasivel, o | gue AMa BOr ter mais da
melado da carga eng.ij,,| : pirB 0 resto passagei-
ros e escra vos a frelo trala-aacom Joilo Francisco
da Cruz, na ra da Cruz, n. 9.
Paia Lisboa sane com mulla brevidade o liti-
gue portugurz Concelcao-de-UoUa, por tor grande-
parte do sua carga prompla : quem no mesmo qu-
zcrcarregarou Ir de passagem, para o qua orTerece
excedan tes commodos, dirija-so aos seua cotuigna-
larios, Tbomaz de Aquiuo Fouseca & Filho, na ra
doVigarlo, n. 19, ou ao capilSo na Prag-do-Com-
enercio.
Para Lisba subir, com a maior broviiiado pos-
sivel, o bem conlu-ci-l o hriguo porluguez Tarujo-
Primeiro, fcapilSo Mauoel do Oliveira Faneco: lem
vpai te de sua carga engajada: para o retanle e pas-
Os Srs. Francisco Jos Borges vago-mostr do
quarlo batalbo doarlilbaria a [, eJos Procopio
Tavaros, cadete do mesmo balalliit, queiram ir
quanlo antes a venda da Pont-Velha, na Hoa-Visla,
pagar oque devutn; do contrario, so .usar dos nietos
judiciaos.
' ~ Delfina Rodrigues Kerreira casada, rclira-se
para lora do impeli a tratar de sua sade.
Jos Joaquim Lopes Morcira vai a Portugal tra-
tar do sua sa le (cando onearregado de lodosos
negocios seu ir.mfioo socio Dioniziollelario Lopes.
-- Una pessoa, que d liador a sua conducta, so
propOoa cobrar dividatdo qualquer casa do nego-
cie, sendo os devedores moradores nesta cidado, ou
mesmo ua do Oliud i, pelos por ionios quo se ajus-
harom : quem de seu proalimo so quizor utilisar an-
nuncio.
Offerccc-se um mogo portuguez para caixeiro
de qualqucrestabolecimcnlu. para dcu.lro ou fura
da praca o qual sabe Icr e ecrever : quoeii o pre-
tender dirija-se a ra da Cruz confronto a casa
ondo esteveo consulado p< rlupuoz, n. 1.
Joilo Pinto de Lomos & Filho emliaicnn por nr-
dom de seu ssnlior.Joilo Itaplisla TdIos,o escravo M i-
noel, do nacao Angola.
; --Joaquim Kreire de A'moida subdito porlu-
euez rclira-se para a cidado da llahia.
--Vio s entumi com o Sr. Joaquim Mendos da
Cunha Azevedo o aviso que tom sabido com as lel-
tras mieiacs J. M. C. A.
Os abaixo as.sn;nl(is clcclnram ao
respeitarel publico, e a quem mais con
vicr, que deixaramde trobailiar na ly
PGgraqliia da Fpz do Brazil, nao por se-
rven comprados pela polica, como por
all .propalan) pessoas afames e vis, ( lal-
vez costtimadas a se venderem ) mas
siiii, pelas circumstancias do lempo cm
queasua lingoagcm se tornava permi-
ciosa.Francisco Malaquias dos Santos
Manoel Silvestre Pimental.
Iluje | orante o Sr. Dr. ju"2 do civel do 1." vara,
na sala das audiencias, so hilo de arroma lar as fa-
zendes e armgilo da loja do Uado Juilo da Silva
Santos, por cxecuco do seus credores, escrivao
Molla,
Precisa-so a lugar um escravo trabalhador do
masseira: na ra Diroita, padaria n. 82.
I'er.leu-sc roeio bitheton. 373 da lotera do
theatro,a mais prxima a correr, tendo no verso do
A elle!
Vemle-se um rclogtd'ouro patente inglez, muito
superior: na ruado Amorim n. 13, at as 9 horas do
dia e das 2 da tardo em diantc.
Vende-so um escravo crioulo, de 20 a 23 annos,
quo he ptimo trabalhador do campo, por estar a
isto acosluni.ulo j 3 pelas com algumas habilida-
des us quaes se vondem por procislo : ua ra do
Fugo, n. 23. so dir quem vende.
Vendein-se 8 barris vasios que fram ite azeito
Joco: cm Fra-de-l'ortas, na dos Cuaraiapus ,
ei.34.
Vende-se, ou hypolheci-se um terco de um
sobrado de um andar no baino de S.-Antonio, por
prego comrcodo : quem quizer annuncie.
Vcnde-se uen trem de Jacaranda, cm muito
bom uso por prego comino lo : na ra atrs da ma-
triz de S.-Antonio n. 16.
Vendein-se cassas bordadis, brancas c deco-
res, a 320 rs. a vara ; dilas de cores muilo fina?, a
300 rs. a vara mojas para meninas a 200 rs. o par;
longos de seda para ditas a 360 rs.; uvas de soda
para ditas, a 200 rs.; cortes do collelesde fusto, a
i60 rs. ; ditos de gorgurOQ do seda a 2,000 rs.; se-
, ,. ., ,-,. Jtins relos o do cores a 600 rs ; ganga azul a 80
aSr Antonio Monle.ro de I anas.-Rec.fc 19 le '"/c,)Va(Jo rua'do Qucimado loja de duas
dozeeiibro do 1848. Como porsonlenga lu .i I da r ., ,7
relagilo metropolitana esleja concluida a meu favor
essa destungada questilo quo me propoz a louca do
sua comadre, por insinuago daquelles dous malva-
dos intrusos, ou ellos em nome della, como j sabe;
cumpi'e-mo promover o recebimenlo de mcus di-
nboiros paro adjutorio das despezas, nilo obslanlc
anda estiren) ns miiihns leltras em poder de Jo.lo
Kvangelista espero me venha ou mande pagar que
Iho passarej recibo emquanto as nilo rocebo para
enlilo entrogar-lh'as cm troca do recibo, e serei obri-
gado pela promptldilo. Seu venerador attoncioso.
Antonio Manoel de floraes da Metquila l'imentcl.
Reposta. lllm. Sr. Em rosposta ao podido
de V. S. digo que fui chamado da casa de Joo Evan-
gelista da Costa c Silva, o l oncontrei minha coma-
dre a Senbora 1). A nna Francisca dos Reis Miranda,
o como ella, em presenga do dono du casa Joilo Evan-
gelista sua mulber o mais familia, me pedissoosso
dinheiro e me mosti8Sse quolinlu a lellra que eu
aceitei a WS ,eu paguci-lhea quanlia dequinlion-
tos mil rs., que era osen valor, o I lie doi uessa mes-
ma ocasio mais quaronta mil ris, dos dous bois
que V. S. linba cm meu poder : nilo s recebi a mes-
ma lellra, como o recibo que tenho, e desejanilo
condescender com minha comadre s nilo pudeamiuir
a queme passasse o recibo com ante-dala, porm sim
da data do recebimenlo que lio dos primeiro mc-
zcs do correnlo auno de 1818. do V S. venerador
e criado obligado,
Antonio Monleiro de Furias.
Cuilherme Augusto Rodrigues Sel-
le vai ao Bio-de-Janeiro.
Joaquim Rodrigues Vieira relira-so para o Hio-
dc-Janeiro.
~ PnrczccuQ.lo dos herdeiros do finado Manuel
Jos Vieiia contra os herdeiros da finada I). Auna
Joaquim lUilra vai a praca no da 20 do correnle
mez, por ser a ultima praga doDr. juiz da segunda
vara municipal desta cidado um sitio de Ierras i ro-
piias.com casa grando da vivonda do pedia ocal ,
no principio do Arraial.
-- Manoel Tosa Vieira, lortuguez, retira-so para
o Hlo-de-Janeiro.
Jos Com-s dos Santos Porcira de bastos em-
barca para o (tio-Jo-Janciro a sua csrrava crioula,
do nonio Fitina.
Sabbn lo, 20 do cui rente, so pretende, na ma-
triz do S.-Antonio suleninisar com mis-a canta-
da nladainhaa noito ao gloriosos. Schaslin, ad-
vocado ooi:i i a a pesie quebojo lano nos veixa ,
Meando o mesmo santo a venoragilo do fiis por es-
pago de oito dias que linalisra no da 28, com
outi'.i lailaiulia a noito.
Ilolel lommcrcio, ra da C
dcia de S.-Anlouio, 15.
O Francez SiniHo l.uiz participa ao publico que
anda se demora por alguns dias a sua viagem para
a llahia : por isso avisa a lodos os seus froguezos o
mais pessoas em particular que tencionaruin com-
prar obras do ouro o brillianles o qnizurom apro-
veitar ostapecasiilo, dirijain-so ao lugar cima men-
cionado al s 10 lloras da munhiia, e das 3 da larde
om diante.
Quem quizer ser ama do urna casado pouca
familia-, para oservigo interno dirija-se a ra es-
Ireita do llqzario no primeiro andar du sobrado
Jen-unto da J vi aria doSr. pinto.
OfTcreco-se um rapaz portuguez pura caixeiro
le loja de fazuudas do que lem baslanto pralica ,
o qual d fiador a sua conducta : quem do seu pres-
iono se quizer utilisar aniiiincio.
Eu, abaixo assignado', declaro ao respoitavel
publico o particularmente a nieus freguozes, quo m
consta andarem alguns cigarreiros a otTerccercrn pe-
las portas cigarros do fumo poire com a minha mar-
ca I). K. C., e como eu nilocostamo vender cigarros
pudro nom ir qu mandar OITorecer a porta des
compradores, por isso fago osla declaragUo.
Dominaos Francisco dji Cru*.
Precisa-so de.um caixeiro porj.uguez ou brasi-
Iciro para oservigo de padaria, o entregar pilo com
um preto na ra, o quil se recebi, anda uo sa-
bendo o mosmo odlcio : no pateo da Sanla-Ceiiz,
padaria II. 6
portas, ...
Vende-se, na ra do Rangel, so-
brado n. 5t, cera para limas de clieiro
de-cores, a i sooo rs. a libra.
Vende-se una casaca nova de panno azul, por
prego commodo : na ra das Cinco-Pontos, n. 25
-- Vunde-se bolacha para cscravos, pelo barato
prego de 2,560 rs. a arroba : na ra Jlireitn pada-
ria n. 24.
Vende-se champan!), enarca C & C, o vnde-
se boje este superior vinho ao reduzido prego de
l.HOO es. :\ duzia, em porgOes de 5 cestos para mais,
o a 25,000 rs. a rolalbo ; dito Xerez engarrafado o
melhor que ha ueste mercado a 14,000 rs a dalia ;
dito de Rordeailx, em barris e engarrafado lo boa
qunlidade, a diversos tregos: na praga do Corpo-
Sanl, n. II, casa de Me. Calmont & C
Vcndem-so bules o cafotoira de metal, do ricos
padres : na ra Nova, loja do Jos l.uiz Poreira.
Mo(li Vendem-se superiores chapos franeczes ao gosto
mais apurado de Par chegiulus ltimamente da
Franga na barca Julet; bem como chapeos do palba
a napolitana, ao diminuto prego de 1,200 rs.; bonete
de palhinlia a parisiense, a 2,000 rs.: na ra do Qui-
niado loja do chapeos, n. 38
-- Vende-so um par de rodas de sicupira proprias
para corruga de cavallo, novas : no llecco-Largo do
Itecifo junio as taixas de ferro ondo so vendo li-
jlo e telba por baralo prego.
Millio,
a 120 rs. a cuia,, c o alqueire a 3,800 rs.: no pstoo
do Terco, vendas ns. I e 139.
Vcmlem se espidas com bainhas d ago o tam-
beefl pratcadas : na run Nova, n. 16.
Vcnde-se um dcposilodo assucar e cafe, com
poucos fundo, na ra Diroita, n. 54 : a tratar na
ra de llorn, n. 7. ....
Vendom-se meins do linho.muilo finase aber-
las para sonhora i na run do Queimado, loja de miu-
dezas, n. 25.
Vcndeso urna prelado 20 annos, sem vicio, e
que faz todo oservigo de urna casa de familia: na
ra da S.-Cruz, n. 18-
Gangada India,
ainrellas a peca
de duas larguras polo barato prego de de/ tustdes.
arinazem do fazondas de
niiiio Carlos Leile, na ra do Quoimadq, n. 27.
para realisu' coalas : no
Pi-
-'-No arnazcm do Hacclar defronto da escad-
nha do caes da Alfandega, vendem-sc c.iixas com
velas do sebo de superior qunlidade i os prolendon-
tesdirijam-se ao dito nrma/em ou a ra da Cruz ,
no Receta ^ n. 66.
Golas egypctfl
Itemedio som igual jiara d/ do denles, j bom co-
nhecido no Rio de-Janeiro orovincias do sul c ulli-
mamento nesta provincia pela sua elllcacia cm alli-
viar a drtr mais tenaz qur soja motivada pela ra"
rio, qur por inllamenagilo ; mas s experiencia ilo
urna prnva Iho dar o devdo mercciincnto. Vendo-
so na ra da Cadeia do lleclfe, bolicj n. 3 tle
menta & Cruz.
Vende segomma de nu
saccas c meias saccas : na ra
10 llecile. n O.
- Vondeavaa duas moradas de casas, sita na ra
da Roa-llora. emUlinda o... ebJasjMwlM. Ii-
vresc dcsemb.ragadas : na ra da Senzalla-Vell.a .
11 no se diraquein vende : tambein se taz negocio
para se recober no Porto, ou fB-
- Vendem-se dous moloques de 18 anno ao na-
c3o 3 nardos soe.do um carpiua o o outro born
carriro; mn ptimo pagem ; dous escravo de mem
idade sendo um di lies coznhcro ; 2 negriiebas ; 8
cscravas do bonitas liguraa : na ra Direila, II. 3.
- Vende-se una barcaga nova.', que carrega 20
aaia o quo o acha prompta a viajar : na ra da
Cadeia, botica n. 3.
llJioCJ, t: ni
da Cadeia
.yi



-
-*
A
Vendem-se dou cavallos mellados, novos e
Cog bons andares', e que silo proprios para carro,
por sercm muilo ipuaes : na na Dircila, n. 88.
-- na ra da Riheira da lloa-Visin n. 86, vende-so
o milagroso oleo de curar glndulas ja experimen-
tado por militas pessoas dcste paiz.
Viiilio barato.
Acha-se estabelecido na ra da Madre-de-I)cos,
n. 36, mu armazem do
Vinlios da Figucira,
de ptima qualidade, a prego de t,900 rs. a caada,
e a 160 rs-a garrafa; e'parn5o haver dolo do com-
prador serilo lacradas as garrafas e com rotulo, rc-
cebendo-so a garrafa vasia, e dando-so mmediata-
mente a outra oheia : tambem ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a fesla. O pro-
prietano deslo eslabelecimento pede encarecida-
mente que se nflo illudam avallando, pelo diminuto
preco e sem conhecimenlo de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da eslima dos verda-
dclros amantes da boa pinga. Klle conla que quem
urna vez provar, continuar com goslo e sem arre-
pendimento. E o bom preco !!.' A todo o exposto
accresce o asscio e boro acondiciniiamcnto 0 que
ludo se podera verificar em dito eslabelecimento.
Vende-so vinho do l'orto muito superior, e
de nutras qualidades em barris do quarto, quinto,
kcUo, stimo oitavo e em pipas por prego muito
commodo : na ra do Vigario armazem de Fran-
cisco Alvcs da Cuuha, n. II. '
Agencia da fiindicao
Low-Moor, ra da Scnzala-
nova, n. 4'i.
Ncslc eslabelecimento contina a ha-
ver mu completo soitimenlo de moendas
c meias moendas, para engenho; ma-
cliinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Taboado de |>inlio da Suecia,
de 10 a Sl palmos
decomprimcnlo o melhor que tem cliegado a este
mercado, em raziio de se poder ciiverniznr em qual-
qner obra por nflo ter nos e ser muito alvo sen-
do costado, costadinho, assnallio, forro e para fun-
dos de barricas : vende-se a preco que o comprador
fura todo o negocio: atrs do iheatro, armazem de
lo,K] ii i ni Lopes de Almeida.
FARELO F.M SACCAS I)F. 90 l.lliHAS :
vende-so no armazem do Vicente Fcrreira da Costa ,
na i na da Madre-do-l)cos, a 3,500 rs.
Vinho barato.
Vende-se, na venda n. 88, de fronte da matriz da
Boa-Vista .junto a botica vinho de Lisboa a 1,120
rs. ; dito do Porto, a 1,200 rs. a caada, o n garrafa a
1(10 rs. ; letria a 260 rs. ; presuntos a 320 rs. a
libra ; arroz de-vapor, a 100 rs. a libra ; e todos os
mais gneros de venda por prego commodo.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n I7.
Vcndeni-sc seme.is cm saecas muilo grandes ,
a 4,500 rs. : na ra da Madru-de-Dcos, armazem de
Vicente Ferreira da Costa.
&
i
1
I

1
es
&-*Oiiiv .
DE 6 RQRTAS
mmmkm
Nestn loja ha urna grande porcio de chitas
finas e de cores (xas, que para so acabaren
com brevidade, vendem-se, as pegas a 5,800
rs., e o covado a 100 rs. ; bem tomo mu res-
to de riscado monstro ,-240 rs..
Vcnde-sc a venda da ra do Apollo, 11. 21, com
poucos fundos: quem a pretender, dirija-soa ra du
Madre-de-Deos, a tratar com Vicente Fcrreira da
Costa. ,
Vende-se cal virgem de LisbAa em barrij de 4
arrobas chegada prlouKimo navio, por prejo commo-
do : a (talar com Almeida & Fonseca.na ra do Apollo.
runo vinho iu figueira.
Exisle no armazem de moldados, atrs do Cor-
po-Sanlo n. 66 urna grande porgflo deste genui-
no vinho que se est vendendo pelo diminuto pre-
go de 1,120 is a caada c r 160 rs. a garrafa ; tam-
ben' ha em pipas que se vender mais era conla : lio
esto o melhor de todos os vinhos que se teem nn-
nunciado pela sua simplicidade e ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis dcixar de o com-
prar.
Na na do Crespo loja de 4 portas n. 12, ven-
dem-sc chapeos de castor pretos, do muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
teem apparecido : vendem-so, nflo s em grandoe
porgues como em pequeas al urna caixa, por pre-
go muilo cm conla : na ra da Madre-de-Deos,. loja
do chapos, n. 32. '
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico prego:
na rua do Vigario, n. 19.
No armazem de Joaqtiim da Silva
Lepes, na ra da Madre-de-Deos, n. o,
vendem-se saecas com G arrobas e 8 l-
brasde superior farinha de trigo, da me-
lhor qualidade que vem a este mercado,
e chegada ltimamente, pelo baraJo pre-
co de 16,000 rs. a sacca.
IKaeaas e caslanhas.
lloje estilo a venda, no arco da Concei-
c3o, o restante das barriquinhas com ma-
cjias, viudas no gello. Aprovcitem-se do
preco e da qualidade, que por algum tem-
po c nao vem mais : tambem se vende
na riu do Vigario, armazem do Cimba.
Extracto de salsn-parrilha con
rcnlrado do I>r. Mead.
lia quatro en no?, desde que esta superior prepa-
raeffo de snlsa-parrillia foi conhecida no B'asil ,
principalmente ao sol onde est conhecida como
um dos remedios mais efllcazes para todas as moles-
tias produzidas pela impureza do sanguo como
sejam escrnpbulas nu alporeas, molestias syi liili-
eas e mercuriaes rheiimatismo, chagas ulcerosas,
tumores brancos, dorngas do figudo e da cutis,
debilidadc geral, etc. ; he tambem recommendada
para as molestias interiores em que se suppfiom
os bofes e pello atacados, e hem assim naqucllas em
que a constituidlo esliver arruinada pelo uso exage-
rado de preparnges mercuriaes. As curas que lem
effectuado nestas molestias silo lilo numerosas e
completas, que alli tem ganho o titulo de verdadeiro
restaurador da sade. Vendc-se na ra da Cadeia do
liecifo, botica n. 3', do Pimenla & Cruz.
Vendem-se saecas com arroz de va-
por, de superior qualidade, a 2S200 rs. a
arroba, editas do mais ordinario, a is'600
rs. : no armazem do fallecido raguez.
CHARUTOS DA BAHA.
Vendem-se os melhores charutos da Baha : na
ra da Cadeia do Kecife, n. 48. primeiro andar.
Pao de inillio.
Na ra dos GuaTsrapes, n. 5 em Fra-dc-Porlas,
ha lodosos dias cxccllenlo pilo de milho a venda,
feito com o maior asseio possivel; e igualmente
qut tro dilTerentes sorlrs de farinha de milho, sen-
do a primeira (inissima o propria para cangica c
as outras mais grossas para ang pao-de l e pa-
ra sustento de passarinbos. O proprielario deste es-
labelecimento, lendo um bom moinho de vento com
que faz esta farinha, so compromette a fornecer
qualquer padaria com a porgflo que quizer diaria-
mente. O mesmo proprietario chama a atlengilo dos
Srs. commandantes dos corpos do primeira linha
para este pilo, que, nflo sendo no paladar inferior an
de trigo e sendo mais nutrienlo e btalo que eslo ,
parece por issomui propriopara,'a tropa.
Vendem-sc chapos de caslor branco, a
4,000 rs.: na ra do Qneimado, n. 22.
Acaba decbegar pela barca francesa Julei mul-
lo superior vinho do Bordeaux, tanto cm quarlolas,
como engarrafado, em caixas do I duzia, assim corno
tambem sardinhas em lalasdo 1/4'e 1/2, azeite do-
ce em caixas ile urna duzia de ganafas, cxcoHonlc
vinho de llorgonba em cestas lo 1 duzia, ago'ardentc
de Franca, Champanha en gai rafas, e meias ditas du
verdadeira marca Cometa; o que ludo se vende po'r
pregos rasoaveis, em caza de Fredcrico Robilliard,
ra do Trapiche-Novo, n. 18.
Vendem-so presuntos para fiambre; queijos
londrinos ; ditos de prato; Utas com Jjolachinha
finado Lisboa; ditas de araruta ; conservas novas;
moslarda ; potes com sal fino ; latas com mermela-
da nova ; ditas com heivilhas ; caixinhas com mas-
sas linas ; virrlio moscatel de Setubal; dilo Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, par prego com-
modo : na ra da Cruz, no Itecife, n. 46.
FAHELO
em saecas muilo grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da Conceigff o
Vendem-se saceos com farelo,
clregados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra da Sanzalla-
Velha, n. i38.
Vende-se a verdadeira potassa dn
l'us.sin, desembarcada hontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 3.
CIIA'BRVSILEIRO.
Vendc-se, no armazem de moldados atrs do
Corpb-Sanlo 11. 66, o mais excellcnle ch prodozi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a esto mercado ,
parvee |>i
M
- Chcgou da Franga na Jvlet e acba-se a venda no por prego-muito commodo.
- Vende-se ummoleque de 7 onnos; urna esera-
muito boa costureira o nuc faz rha-
sru nico deposito em casa de Kalkmann Irinflos, na
rua da Ciuz, n. 10, o vinho de
-Champanha marca estrella
da fabrica de Moet & Chandon cm'Epcrnny enjo vi-
nho ullimamcnleachou a maior approvugflo na Eu-
ropa,
A bordo do patacho Jlagoeine, cm
frente o Impiche do nlgodo, vende-se NoVOS 1'SCadrS IVOhSlroS ch-
-nczes, a SS0O rs o corado.
va com cria muilo noa cosiureira e que faz
pose loucas e engomma bem ; 3 prelas de 16120
annos com habilidades, e que sfto boas quilan-
deiras ; um pardo de 18 annos de muilq Jio* con-
ducta, o he oplimo para ragem : de todos estes es-
cravosse allanga a conduela : no paleo da matriz de
1S -Antonio sobrado n. 4, so dir quem vende.
firitilia de mandioca de muito boa quali-
dade, em grandes c pequeas porcScs,
por preco commodo.
Vendem-se charutos da Babia, os melhores que
Na loja de Guimarlcs & Compsnbia na rua do
Crespo, n. 5, vendem-se os novos riscados chine-
zes, finos, de padres muito lindos, e os mais mo-
dernos que teem apparecido nest cidade, de vara
do largura pelo banto prego de 360 rs. o covado.
As novas casimiras de algo-
dao, a 1560 rs. o covado.
Na loja n. 5 da rua do Crespo, vendem-se as novas
casimiras do algodilo de. padrOes os mais ricos que
leom apparecido neste mercado pelo barato prego
de 56o rs. o covado.
NOVO PAO A PBOVENCA E BOI.ACIIIMIA
RECADA.
Fabrica-se na Santa-Cruz, padaria de urna s por-
ta, com a frente para a rua do Sebo; assim como
tambem toda a qualidade de bolacha de difTerenteS
lamanhos, entro ellas a bolachinha d'sgoa e sal de
30 cm libra, furadinha; lorradinha etudo o mais que
he proprio desles estabelccimentos, empregando-se
semprn ai melhores e mais novas farinhas que ha
no mercado : o mesmo se acha a venda na travessa
da Madre-dc-Ufos, n. 13, deposito da mesma pada-
ria ; e na esquina da rua do C.ollegio, venda do So-
bral, tifo smenle a bolachinha regala doce.
Vende-se urna rasa terrea de podr e cal, na
estrada do S.-Jos do Manguinho por barato prego :
na rua da Cadeia de S.-Antonio n. 21.
Rap princeza de Lisboa, a
,000 rs. a libra !
. Vende -se rap fino princeza deJJ.ishAa a dous mjl
rs. a libra : nada ha mais barato, a elle : na rua No-
va n. 30, loja de domingos Antonio deOlivcira.
- Vemlc-sR um piano perpendicular, da Jacaran-
da muito commodo, por nflo oceupar'muito es-
pago de sala em bom use : na rua da Cadeia de S.-
Antonio, n. 17, por cima do armazem de lijlo, do
lado da cadeia.
Vendem-se navalhas de ago da Chine para
barba ; oculo para todas as idades ; lesouras para
unhas ; lonetas ; e outras muitas miudezas baratas :
na na larga do Rozario n. 35
Vendem-se barriquinhas com cal virgem de
Lisboa,'muito nova; fechaduras para portas de
armazem; relroz do Porto ; barris com lilcalrilo da
Suecia ; pillas da familia ; ancoretas com azeito-
nas, por prego commodo : na rua do Vigario n. 11,
armazem de Francisco Alvesda Cunha.
Vciideni-sc taimas america-
nas al 3 palmos de largura
e de todos os comprmanlos,que ha muilo lempo nflo
teem vindo e os freguezesexperimentando a falta
desta cxcellenle qualidade. A ellas que silo poucas e
0 prego lie barato. Atrs do Iheatro, armazem jun-
to a more-, de Joaquim Lopes de Almeida.
lonas inglezas.
Vendem-se pecas de lena ingleza, de
boa qualidade, e por preco mais barato
do que em outra qualquer parte 1 na rua
da Cadeia do itecife, armazem n. la.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs.; saecas grandes, a 3.50o
rs., ditas pequeas a S.800 rs. : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 3.
Cal de Lisboa.
Vende-se muito nova e superior cal
virgem de pedra, desembarcada ha pou-
cos dios, e em liarris pequeos de quatro
arrobas e mcia : a rua da Cadeia-Velha,
armazem n. 12.
--Vendcm-se pega* de madapollo muito largo,
com 20 varas proprio para forro c roiipa do escra-
voS, a 2,800 c a 3,000 rs.: na rua do Caes, n. 17.
Cha nacional de S -Paulo.
Vende-so o muito superior cha de S.-Paulo em
caixas do 1, 2, 6 e 13 libras na rua da Cadeia do
Recifo loja de Joflo da Cunha Magalhiles.
No armazem de Joaquim da Silva
Lopes vendem-se saecas-com caf de es-
collia de primeira qualidade. a 1,700 rs.
a arroba ; barricas com bacalho de esca-
ma a 9,000 rs. ; ditas com fardos a
4,000 rs.
Vendcm-ie barris pequeo cora cal virgem de Llar
boa, a mal nova que ha no mercado, por prefo co-m
modo : na rua da Uoda armazem D. 17.
I'olassa.
Desembarcou ha poucos dias urna por-
co de barris pequeos, com muito nova
superior potssa, c se acham venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se vendia, .na rua da Cadeia-Velha,
armazem de'Bailar ckliveira, n. 13.
- Vende-se um oplimo candieiro francez por
prego commodo : na rua Nova, loja de funileirq,
defronle da Conceigio dos militares.
Na Livraria nova do pateo do
Collegio, n. 0.,
acaba-se de receber o mais excellcnle cha hysson,
quo vondc-scdequaita para cima por muito commo-
do prego.
Vcndc-se farinha de man-
dioca em sacras : na rua da Madre-de-Deos ao la-
do, da alfandega n. 31.
Vende-so na rua da Cadeia do Recifo loja.de
Joflo da Cunha lagalbilcs.o primeiro volume dos Se-
to l'cccados Morlacs, por Eugenio Sue traduzido
em porluguez por I 600 rs.; o Mendigo negro de
Paulo Feval, Iraduzi Jo em portuguez por A. llego,
1 v. por 1,000 rs .; as poesas de Joflo de l.emos Sei-
xas Csstcllo-ltraiico ; Amor e Melancola, por Cas-
tilho ; o primeiro, segundo e terceiro volumes da
Lizia Potica.
Vendem-se ricos apparelhos de metal para cb,
do elegantes modelos ; hem como ricas machnaspa.
ra se fezer caf ; pendas, [frigideiras e chaleiras
forradas de porcellana para cozinhar as quaes ge
lornam recommendaveis pelo seu asseio: ha ru
Nova loja do ferragons., u. 20, do J0B0 Fernandos
Prente Vianna.
Vende-se caf modo para as tabernas muilo
bom, e mais barato do que om outra qualquer parte:
tambem se recebe caf parase moer, por preco
commodo : atrs da matriz da Boa-Vista, n. 26.
VENDE-SE ,
no pateo do Terco venda n.
7, farinha
emsacctgdealqueire-damedda velha eem culis1
a160rs.
Vendem-se duas camas, uma.de angiro e 1
outra de Jacaranda, usadas : noAterro-da-BfjB-Viits
loja de trastes do Leal, junto a matriz.
FREGEZIA.
No pateo do Terco, venda n,
7 continuarse a
a vender a boa pinga da Figueira a 160 n. a garra-
fa, o de Lisboa a 1,120 rs. a caada, e a 140 rs. a
garrafa^ '-..'
Vende-se 1 verdadeira e muilo superior fari-
nha S5SF, a retal lio e em porgflo ; dita deoutros au-
tores na rua do Vigario, armazem de Francisco Ai-
ves da Cunha, n. 11.
Vende-se 11raducgflo de Tilo Livio em porlu-
guez: na rua Nova, loja de funilcirb defronte di
Conceigio dos militares.
Soivete, a 200 rs.
Vende-se aorvete bem feito e com todo asseio : ni
rua da Cadeia loja que faz esquina para a ruada
Madre-de-Deos, das 6 horas da larde eut diente.
Contina-sn a vender espirito de
36 a 41 graos: na restilagfioda travessa da Concordia-
Uadeira de pinito
Vende-se a melhor madeira de pinho que tem
vindo a este mercado: na rua da Madrc-de-Dco,
armazem de Vicente Ferreira da Cosa.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Baha ,
muito proprio para saceos deassucar e roupa dees-
cravos: vende-se em casa de N. O. Biober & Com-
panhia na rua da Cruz, n. 4.
Vende-se, por prego commodo um lindo car-
ro de duas rodas, que os Frncezes chamam lilburv,
com'os seus competentes arreios : na rua da Cadeia
do Recife, n. 52.
No deposito de Me. Calmont & Companhia ni
rua de Apollo, armazem n. 6, echa-se cqnatanle-
mente grande sortiment de ferragens inglezas pan
engenhos deassucar corro sejam : taixaa de ferro
coado lc dilFcrontes modelos, os mais modernos;
ditas de ferro balido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira; ditas todas
dp ferro, tanto para agn como para animacs; ma-
chinas de vapor de Torga de quatro cavallos o de al-
ta pressflo o mala moderno e simples que he possi-
vel ; repartideiras ; espumadeiras ; resfriadeiras de
ferro eslanhado; formas de ferro : ludo por prego
commodo.
Vende-se urna casa trros no hairro do Recile:
na rua das Trncheirns, n. 29, so dir quem rende.
Vende-se um sellim em bom uso; na ruado
Queimado, n. 17.
Vende-se urna preta moca, de boa
figura, lavadeira'e costureira, e, propria
de todo o rerviro de. casa : na tua do
Crespo, lojan. o A, se dir quem vende.
---Vcndem -se muito boas semcntei de couve man-
teiga : na Capunga, indu-se pela estrada para o rio,
voltando-so a esquerda antes de so cliegar as casas
do Sr. Lasserre no terceiro portfio.
Vendem-so saecas com farinha de mandioca ;
cera em velas muito alva ; meias do algodilo dobra-
do feilas em Portugal, por prego cou.modo: na
rua da Praia, armazem n. 37.
Escravos Fgidos
Fugiram, no dia 15 do corrente, dous molo-
ques canoeiros deixsndo as canoas csrregadas de
lijlo nos porlos de seu destino, urna na Estancia e
e outra no Mundo-Novo e como nio vollasscm mais
as canoas at n'oulrodia, suppoe-se lerem cllesse
ausentado o que .nflo tinham por rostume : J*'
quim, do naglo ; representa 18 a 20 annos,'com pon-
a de barba, cara redonda, nariz bastante chalo,
e em volta do mesmo lem a pelle franzida que pa-
rece lor sido queimadura beigos groSsos cabello
grande mfios e ps bastante grandes ; he oleirn e
padeiro ; levou camisa c ccroulas de algodilo cha-
peo do pal ha: Caetnno de nagfio ; repiosenta 20
22 annos, sem pouta de barba estatura regular,
bastante fula .picado das hexigas; tem no ladodi-
reito o esq uerdo signaes de dous custicos; amos
silo quebrados; levou o mesmo traje do oulro:
quemes pegnrlevc-os a rua dos Quarteis n. 181
que ser recompensado.
Contina a estar fgido dosdo dezembro de
1848, o pardo Jacob de 18 anuos, secco do rorpo,
cabellos estirados ; lem falta de un denle na fredo,
e a marga de um caustico as costas : quem o pei!r
leve-o a rua Nova a Jos Luiz Pcreira que gialili-
car.
Fugio, no dia 8 do corrente um moleque o
nomeLniz, crioulo, de 19 annos; levou camisa do.
riscado de algodilo ceroulas de algodilo da ierra > |
chapeo do palha e tambem levou outras raigas de
riscadu de algodilo, e porisso lalvcz as (ragacalgadas;
lem andar vagaroso fulla mansa; be rlsoidio
quem o pegar levo-o ao Aterro-da-Boa-Vista n. 60,
quo ser recompensado.
Pon. : na ttf. om. r. di r a tu.H"9
II
IWETI


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EY1OWCEPX_0Q18H0 INGEST_TIME 2013-04-12T22:46:42Z PACKAGE AA00011611_06224
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES