Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06221


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV.
Tcr^a-fera 16
O fl/^n/Opublicj-selodosos diasque nao
forero de guarda. O preco da assignatura he
deyOOOrs. porqnarlel, pnyoaiianladoi. Os
nomnelo* dos assigruntes silo Inseridos
rasao de 20 rs. por linba, 40 rs. ein tjpo dlf-
forenlc, cas repeliles pela melade. Os nao
asslgnantes pagarao 80 rs. porlinba e lliO rs.
em lypo duTercotc. por cada publlcacao.
[IPIUSES DA LOA NO MEZ DE JANEIRO.
Cretcenlf, aS. s5horas e 19 min. da inanh.
La chela, a 8. as 8 hora e 31 min. da larde.
Mlngoante.al6,s4JioraJemin.damanti.
La nova, a 24, s7horas e min. da inanh.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahiba, s sega, e sextas-reiras.
Hio-G.-do-Norlr, quintas-reirs aomeio-dia.
Cabo, Serlohaein, Rio-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no 1." a. II, e 91 de cada mei. ^
Garanhuns e Bonllo, a 8 e 23.
lioa-Vista e Flores, a 13 c 98.
Victoria, s quinlas-feiras.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE IIOJI-.
Prinieira, s 10 horas e 6 minutos da inanh.
Segunda, s 10 llorase 30 minutos da larde.

de Janeiro de 18i).
N. lj
DAS DA SEMANA.
15 Segunda. S. Amaro. And. do J.dos orph.
doJ. duciv.edo M.da2. V.
I Terca. S. Bcrardo. Aud.do J.do c. da 1.
v. c do J. dc-paz do 2. dial, de t.
17 Quarla. S. AnlSo. Aud.do .1. do c. da 2.
v. e do J. de p.i/. do 2. dist. de t.
18 Quinta. S. Prisca. Aud. do i. dos orph.
< do i. .M. da I. v.
19 Sexta. S. Camilo. Aud. do J. do civ. c
do T. de pa< do 1. dist. de t.
20 Sableado. S. Sebastio. Aud. do J. doc
da I. v. c do J. de paz do2. dist. de t.
21 Damiogo. S. Ignc.
CAMBIOS NO DA 15 DF. JANEIRO.
Sobre Londres a 25 '/. d. por 1/rs. aliOdiai.
Pars
Lisboa 110 por cenlo de premio.
Rio-de-Jant'iro ao par.
Deac. dclelt.de boas Urinas a l1,, Ifao mez.
Acces da coiup. de llcberibr, a 50f rs. ao p.
(Juro.ticas hcspanholas. 29/000 a M/SO
. Mocdas de liflUO v. 18/9110 a 17/10
de (i/400 n. IQ/100 a l/20
de4>000.... 9/200 a U/iCP
PrataPalacdes brasileiros 1/130 a l/i.'.O
Pesos coluinnarlos. 1/930 a l#95l>
Ditos mexlcauos..... 1/880 a 1/WO
PARTE OFFICIAU
COVERNO DA PROVINCIA.
Illm. e Exm. Sr. O orncio do V. Exc, de 17 de de-
zembro ulflmo, d noticia bem circunstanciada do
estado das dosnrdons dessa provincia, o he bem da
erer que Avista das sabias providencias dadas por V.
Etc., e dos rocos empreados para baler os anar-
chistaa. ello* j se Irflo dispersando, o etn pouco ser
renbelecido o socego publico em toda provincia,
pois nflo he possivel qtio semrlhnntc gente so possa
sustentar nem ter encontrado sympalhins as mais
provincias do imperio, emalgumas das quaes, como
aqui, ji muito se leni solTrido com robellios e des-
ordena
Aproveilo a occasifo para participara V. Exc. que
ncsla provincia contina a havor inallcravel socego.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do governo do Ma-
ranhflo, 5 de Janeiro do 1849.Illm. o Exm Sr. ner-
oniano Ferreira Pcnna, presidente da provincia de
pernambuco.Antonio Joaquim Alvares do Amaral.
Illm. e Exm. Sr.Tonho a satisfacilo do participar
a V. Exc. que esla provincia goza da mais perfeita
tranquilizado.
Dos guarde a Exo. Palacio do governo do Cear,
em 8 do janei'o de 189. Illm. o Exm. Sr. presiden-
te da provincia do Pernambuco. O presidente, lam-
i Augusto de Aguiar.
Illm. e Exm. Sr. Tenho presentes os officios do V.
Exc. e de datas da 27 de dezembro passado e do 3
do corrente mez, pelos quaes se servio V. Exc.de
scicnlilicar-me de quo tomn pnssc da prosidencia
dessa provincia em 25 do mez pas-ado, e bem assim
deqiilo estado de tranquillidado dessa provincia.
Agrndccendo V. Exc. os scnlinieutos do benevo-
lencia c estima com quo se dignou do honrar-me, c
que com satisfaefio rolribuo n V. Exc, aproveilo a
oocasiflo para enmmunicar V. Ese. que osla pro-
vincia se acha em tranquillidado, o quo he infunda-
do nleiramente visla de cariase pailicipaces olli-
ciaes hoje mesmo recebidas o boato, pela sabida ifo
vapor paraosul adicde ospalhado tnnibem boje, de
que o Crato ncsla provincia se uchava cin armas.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do govorno do Cea*
rii, cm 9 do Janeiro de 1819- Illm. c Exm. Sr. des-
emhaigador Mannel Vicira Tosa, presidenlo'da pro-
vincia de l'crnambuco.O presidcnle, /busto Au-
gusto de Aguiar.
Illm. e Exm. Sr.Tenbo a satisfaefio do commu-
nicar a V. Exc. que esla provincia goza de tranquil-
lidado.
Doos guarde a V. Exc. Palacio do governo da pro-
vincia do Para, 29 do dezembro de 18*8 Illm. v
Exm Sr. presidenlo da provincia do Pernambuco.
Jeronymo Francisco Coelho.
Illm. c Exm. Sr.Tenbo a salisfacflo de commu-
nicar a V. Exo. que esta provincia fica tranquilla.
ricos guarde V. Exc. Palacio do govorno do Itio-
Crmide-do-'Norte, 5 do Janeiro do t49. Illm. e
Exm. Sr. presidente da provincia de Pernambuco.
O vice-presidento, Joao Carlot Wuiukrtey.
Illm. c Exm. Sr.Communico a V. Exc. quo esla
provincia esl tranquilla.
Doos guarde a V. Exc. Palacio do governo da Pa-
ralaba, 13 de Janeiro de 1849.-Illm. e .Exm. Sr.
desembargador Manool Vicira Testa, presidenlo da
provincia de Pernambuco.O presidente, Jv*o An-
tonio de Vasconcelloi.
Illm. e Exm. Sr.Tenho a honra do commtinicar populacSo das grandes ci lades em donativos ao diversas autoridades silo tilo grandes, que excedem
a V. Exc. que esta provincia contina a gozar per-1 povo, ou antes classo mais baixa do povo, cusa, -
fcita tranquillidade.
Dos guarde a V. Exc. Palacio da governo de Ser-
gipo, 2 de Janeiro de 1849. Illm eExm. Sr. presi-
dente da provincia do Pernambuco. Zacaras de
Gott e Vasconcello, ,
illm. o Exm. Sr.-Tenho a salisfacflo de commu-
nicar a V. Exc. quo esta provincia goza do Iranquil-
lidailo.
Doos guarde a V. Exc. Palacio do governo da ba-
ha, II de Janeiro de 1819. Illm. o Exm. Sr. presi-
denlo da provincia de Pernambuco. Francisco Gon-
calves Uarlins.
Illm o Exm. Sr.Tenho a honra de enviar a V.
Exc. diias colloc<;es dos actos legislativos desta
provincia, promulgados cm sua sessflo ordinaria do
corrento anuo. .
Aprovoilo a occasifo pira communicar a V. Exo.
3uc esta provincia contina a gozar do Iranqulli-
ade.
Dos guardo a V. Exc. Palacio do govorno de S.-
Paulo, 23 de dezembro de 1848.Illm. o Exm. Sr.
presidente da provincia de PornainbucOiVicente l'i-
ret da Molla.
EXTERIOR.
MEMORIAS DE UM MEDICO, (*)
ron aiejwwore jMmw,
TEIICKIIU PARTE. '
XXXIII.
AS COUSAS EMBHTJI.HAM-SE CADA TEZ MAIS.
Madama Bearn poz por obra lilteralmenl^ 6 consc-
llio de llichclieu ; duas horas e incia depois que o du-
que adeixra, achava-bqella na antecmara de I,u-
cionnes com Zamora.
Unvia j bstanlo tempo que a velha condessa nflo
ia a casa de madama Dubarry; sua presenca, portan-
to .roduzo all um grande effeito de curiosidade.
M. il Aiguillontambem mo tinhu perdido seu lem-
po ; ello conspuava com a favorita, quando Clion foi
pedir audiencia para madama do Itoarn
O duque quiz rctirar-se, porai madama Dubarry
o delevo.
Espere, disse ella; no caso de quo velha
me vetilla pedir algum dinheiro emprestado, o sua
presenta me ser de grande utilidade, ella pedir
menos.
O duque esperou.
[*) Vid Diario n. 10.
FINANZAS FRANCEZAS.
landres, 6 de novembro
A assembln nacional do Franca oceupa-se anda
com a discusso daquillo a que por corlczia so d
o mime do orcamento de 1818; mases primoiras
autoridades nestas materias nilo so teem mostrado
disposlas a entrar na nvesligacSo do oslado aclunl
das linincis da repblica. Se vier um governo for-
te c regular aps a fraqu-za o confusilo do rgimen
actual, um dos seus mais importantes devores se-
r o do sondar as profundozas deslo vacuo, o procu-
rar rcslabclccer as finanzas do paiz logo quo o cro-
ilito nacional livor recuperado anecessaria estabili-
dado para admiltir que na conla da divida perma-
nente se lance o costo destas revolutos.
Por ora, porm, lie o l'elion sobre o Ossa a ik>-
leixada extravagancia da rtdmn4ttraco revolucio-
naria accrescetitada imprevidente r nili.uic i e des-
pezas da monnrehia do sorlo quo a Franca genio
hojnsb um peso nilo conbecido cm nonhum dos
periodos anteriores da sua historia, aggravanlo
sua miseria e desgrapa a certeza de que o produelo
de todos estes sacrilicios lica ainda muito aqum
das prodigiosas exigencias do governo.
lia dias disse o Sr. Hillaut que a renda do paiz li-
li lia ido ein progrcssilo arithinelica : durante o in-
perio raras vezes exceden de 500 a G0O (nilhues ; no
lompo da restauracilo chogou gradualmente a ,0:i0
millKK's. Na inonarchia de l.uiz l'hiliiipo subi a dos-
peza a 1,500 niilhoes ,a repblica principia com en-
cargos quo monlam a 1,800 milhOcs por aiiuo (i).
Scmelbanle augmento poderia ser menos intole-
rante ejnquanto o paiz avanc rapidaiiicMitc om
"llluenria e prosperidade ; masom om miz falaldi-
.'iiiii'.niain ou desapparecoram lodos os recursos da
riqueza particular ao mesmo tempo quo as exigen-
cias dos collcctores se tornaram mais excessivas c
insaciavels.
Na delirio de prodigalidad0 Vo se *eguio revo-
lufflo de fevereiro dissiparam-se 125 millics com a
(I) 720milcontos.
Madama de Dearn com o rosto sereno, sem em-
bargo das circunislancias em quo so ichava, scnlou-
so om frente da condes-a na cadeira que osla Ihc ol-
ferecera, o, trocadas as primeiras civilidades, mada-
ma Dubarry so exprimi assim :
Podcrei acaso saber quo boa fortuna a trazaqui,
senhora?
Ah condessa, disse a velha litigante urna
grande, desgraca.
lima grande desgraca I
Una noticia quo muito ha deaflligir a S. IMa-
gostado.....
Diga depressa o que lio, senhora.
Os parlamentos.....
Ah! ah! resmungou o duque d'Aiguillon.
Aqui esl osenhor duquo d'Aiguillon, di se a
condessa, aprosentaiulo o sou hospede niadaina de
Rcarn alim do evitar alguma oquivocaffio.
Mas a vellia condessa era tilo fina qnanlo todos os
cortezfios reunidos; (lia nilo commettia equivoca-
Cilo senu de proposito, e quando isto Ibo pare-
ca til.
Eu conhe^o, disse ella, toda a infamia destes
minisii inlios', e o pooeo que respnitaiii o mrito e o
nascimenlo.
Eslo cumprimento, lirado queima-roupa sobro
o duque, allrahio a litigante una boa saudaeo de
sua parle, a quid ella levant.indo-sc retribuio.
Porm, proseguio ella, nilo lio do senhor du-
que que se trata, lie de lo la a populacho ; os parla-
mentos tifio querem funecionar.
Devoras! exclamou madama Dubarry, recli-
nando-se sobre o sof, nio haver mais julir,a cm
Franca..... e que mal resultar dabi ? .
O duque soi rio. Madama de Bcarn, em vez do
tomar a cousa em graca, carregou ainda mais o seu
semblante melanclico.
He um grande desastre, senhora. disse ella.
Que,est dizendo? respondeu a favorita.
bem entendido, de tola a naofo eem concessoes
pemiciosissimas s theorias do l.ui/ Rlinc c aos
emissariosde l.edru-Hollin. Castou-so tambom lo-
go outra somma de 100 milluYJS com o augmento do
exercito armamento e sold da guarda movol, cu-
ja (idolidado lio agora Uo duvidosa, organisacflo do
exercilo dos Alpes, que tom sido a arma inoffensiva
da poltica italiana do Sr. Bastido, e gastos militares
das operaQes do jiinho.
Alm destas soinmas lem a assemhlca concedido
inmediatamente ao govorno os crditos pedidos.
N3o podemos Mlirmar a quanto montain estes credi-
los : mas lomos certeza de (car aqu n da somma,
oreando o augmento real da despoza de fevereiro
para r em 12 milhocs osterlinos(2j.
Com a nica excepeo da lista civil nenhuma
reduegrfo si fez ou tentou faaor na despoza. A dille-
renca, porm, entro a despeza e reeeila da repblica
augmentou enormemente com a diminuicIJo da re-
eeila do todas as foules ordinarias Alfandegns, com-
merco colonial, sellos, laxas, ludo diminuio.
Para fazor fuco esla dillieuldade, siilimelleu-se
com reluctancia o paiz, por um auno somonte, ao
augmento do 43 por cenlo em todas as conli-huleos
directas, f esta laxa extraordinaria produzir. cer-
ca do seis inilliOi's esterlinos. Para o anno, porm,
falbar este recurso, sentir-sc-hrio mais as oulras
(liininuiries, o mesmo, abstraccio foita de recej-
os do novas convulsos polilicas, lodos reco-
nhccem que no anuo de 1850 ser o delicil muito
maior.
No anno correle um empreslimo de seto mi-
llics, urna taxi extraordinaria que produz seis mi-
llics, c a nceiumil.lefio do m>is de cinco un Hules
que se acharam no thesouro publico cm 24 do feve-
reiro, deram recursos extraordinarios quo monta-
ra m i nada menos de 18 mi I lios esterlinos (3^. Ou-
tro empreslimo he o nico recurso que rosta ; mas.
no estada actual da Europa, um tal empreslimo s
poderia ser contrahido cooi rondices milito niais
desfavoraveis do que o ultimo. Em vordade, a mo-
nos de haver esperanzas razonveis de que dentro de
pnuco lempo se rcstahclccer a tranquillidade o a
prosperidade do p.-MZ, impossivul be que a uro cx-
cesso enorme de despeza se possa fazer face com
emprestiiiio, embora esleja disposto o govorno
acedar condc0os onerosas. O futuro desconhecido
dei.xar de prestar um refugio e urna compensarfo
s desgranas do presente, u o propro horizonte se
oontiahii a maneira que a nacito mais o mais se
prid'uiidar nestu ahysmo do perigos.
E pois s parece liaverdous modos do solii(j*io
a banca-rota, disfarcada em papoUmoda, ou franca-
monto proclamada com aausponsflo dos paga mon-
tos pblicos, ou urna reduccao grande na despeza
doc-lado. A primeim alternativa lio porsemduvi-
daaque desefam e defendemos demcratas*como
Lciiru-ltollin, masa soguilla be o servico maior e
mais essenoial que se poda prestar Franca. Esta-
mos convencidos de que O ministro ou governante
que lvesso loica e rapacidad para elTectuar eslo re-
dc(flo merecerla e obteria a eonflanca real e o a poli
dos seus compatriotas.
Como a maior parto dos clculos aprescnladosa
legislatura, tanto a rospeilo da reccita coinodados-
peta, asscnlam antes em conjecliiias do que na ex-
periencia, impossivel he discutir com algum grao
de conflanes ou procisflo o estado real do lliesouro.
As dlercncas que so nolam entro os relaloriosdas
(2) 120 mil contos.
(3J180 mil contos.
Bem se v, senhora condessa, que V. Euccllon-
cia lem a fi lioidade do nilo ter dcmaiidas.
llem fez M. d'Aiguillon para nllrahira alteii-
code madama Dubany que comprehendeu alinal
a insinuacilo da liligante.
Ah sonhora, disse ella logo, he verdadof V.
Excellencia me faz lembrar que, se cu nflo tenho de-
mandas, V. Excellencia tein una licm importante !
Oh! sim !.....senhora....., c toda a demora me
ser prejudicial.
Pobre senhora !
Ser preciso, sonhora condessa, quo ol-rcl to-
me urna resolucio.
Oh senhora, S. Magcstade esl disposlo : elle
desterrar os senhoros concclhciros, e ludo flcar
acabado. .
Mascnlo, senhora, lio um adiamento inde-
finido.
Sabe, V. Excellencia, algum remedio para is-
so? lonba a bondadede no-lo indicar.
A litiganlo oceultou-so debaixo de sais cnifas,
bem como Cczar as vascas da morto debaixo de sua
Haummcio, disso entilo d'Aiguillon, porm
lalvez S. Mageslade nflo o queira emprega
Qual he? pcrguutou a litigante
dado.
O recurso ordinario da realeza, quando se acha
muito embancada em Franca, he convocar o parla-
mento o de cima de seu throiio dizer : Eu quero '.
Exccllente ideia exclamou madama do Bearn
entusiasmada. ,. ,.
Masque nflo convin que seja divulgada, repli-
cou com (nina d'Aiguillon, fazendo um gesto que
madama de Bearn comprehendeu.
Oh senhora, disse cnlao a litigante, V. Excel-
lencia que lem lauto poder sobro S. Mageslade faca
renda total de alguna oslados poderosos.
P.issarcmos, pois, destes detalhes incerlos eassus-
tadoros para os principios geracs quo produziram
o produzcm anda esle calamitoso oslado de cousas,
porquanlo oslas cousas devem affectar grandemente
a condieflo (iiancoira da I-Yanca.
A primeim destas causas lie a tendencia dos go-
vornos democrticos para a prodigalidad exces-
sva, sempre que a vaidado, as paixes ou as nc-
COtsldfdes-do povo pdem servir de pretexto a dcs-
pezas. Um governo sabio de (orinas mais ros I rielas
lio obrigado a medir suas emprezas pela hitla dos
seus recursos, porque lem do lutar constantemente
com a resistencia quo o genero humano oppe s
laxas, o porque suas vistas dovem csten-lor-se do
presento ao futuro. Mas um governo qua diz re-
presentar o principio popular mais lato, torna a
propria nacflo parto na extravagancia que a ar-
ruina.
Esta profusflo augmenta-se militas vezes para sa-
tisfazer desejos populares. As roduocOes lornam-
SOquasi Impoisivois quando exigem ahnegai;flo po-
pular o oslabclocimeiilos mais moilestos ; e o go-
verno do rila, cnnhecendn que nflo est seguro, se-
gu; as pisadas de seu antecessor c entrega o futuro
a si mesmo.
Em urna palavra, com laes governos falta absolu-
tamente cssa aceflo forte, osso systema permanente,
sem os quaes impossivel he regular as dospezas da
um oslado e eslahelecer o seu crdito.
O povo francez gome lobo peso de grandes im-
postos, mas ainda nflo exigi al boje a diminiiicflo
da despeza. A vaidado nacional compromclteu-se
na necupacn da Argelia, o o exercito do quo Carero
aquella possessflo cusa quatro milhes esterlinos
1 por anno. O orgulho do paiz dirigio-sn para a
armada ; e o orcsmcnlo desse ramo do servc publi-
co iguala do lia anuos o nosso, nflo lendo resulta-
do dahi senflo um augmento imincnso as dospezas
n a vaos do ambos os paizos, sem a menor alteracflo
no seu poder martimo relativo. Aim disto, as obras
publicas, cuja execueflo se exige do estado, sobrecar-
regaram o govorno franco/, com emprezas enormes,
qunsem poca de prosperidade o de paz poderflo
r completadas.
Em lodos estos casos lom-se aiil.ireiio aiguma
aixflo ou desejo particular, nem sempre raznavel
ou poltico, custa da toda a nacflo ; e o thesouro
publico, quo lio meramente o canal por onda corro
a riqueza nacional, lem sido esgotado com tflo
pouco escrpulo como se fra o proprio resorva-
toro.
RITOS como estes silo resultado da ignorancia po-
pulare consequencias innvitaveis da entrega do po-
der supremo a uina multidflo que mais fcilmente
lio dirigida por impulsos do que cuntida pola re-
(loxilo o autoridado o resultado doslas impruden-
cias lio oxaelamente o contrario daquillo que a
nacflo realmente desoja. Ambiciona possosscs co-
onlies o poder marilimo, quo sao os membros de
um estado, mas compra-os a custa da sua indepen-
dencia (iiianccira de que dependo a sua vida. Quor
o esplendor o expira cm banca-rota. Amaldica
os encargos quo pesam sobro ella, ocomludo aug-
menla-os lodosos dias, pralicando novos actos de
imprevidencia.
( Times.)
(4) 40 mil contos.
com anxic-
i com que ello diga Eu quero que a demanda de ma-
|dama de Bearn seja julgada. Demais V". Excellencia
(Jornal do Cvimtrcio )
bem sabe que he islo urna cousa, ha muito lempo
promctlida. ,
M. d'Aig!::!!"" mordeu os bcn;os, saudou com os
ollios a madama Dubarry, e retirou-so do cima-
rim. Elle linluouvido rodar no paleo a cirruagem
dorci.
Kl-rci! disse madama Dubarry, Icvanlando-so
para despedir a litiganlo?
Oh! senhora, porque nflo mopermittir V. Ex-
cellencia lancar-me aos pos de S. Mageslade.
Pan Iho pedir a renniflo do parlamento, con-
linto ; repTeon vivamente i condessa. Fquo ah, se-
nhora, pois que tal lio a sua'vontado.
Apenas madama de Bearn ajustara sua cofi, el-
roi entrn,
Ah! disse elle, esls do visita, condessa?.....
lio madama de Bcarn, senhor.
Senhor, justici! exclamou a velha, fazendo
urna profunda reverencia.
Oh! oh! disse l.uiz XV com urna mora inintel-
ligivel para qnom o nflo condeca; alguem vos ofren-
den, senhora i*
Senhor, cu pero justiqa.
Contra quem ?
Contra os parlamentos. ,
Estibom' exclamou o re, bateniio pal-
mas: a senhora "se quexa de mcus parlamentos
Pois bem! faoa-me o favor de mellos na rasflo.
Eu tambem tenho nimbas queixas dalles ew-lhe
igualmente juslica, cnntinuou l.uiz W, Imitando a
rcvcrt'ncia da velha condessa.
V. Mageslade afina! lio re, he senhor.
liei, sim ; senhor, nem sempre.
Senhor, expresse a sua vontade.
_ He o que eu faco todas as tardes, senhora, e el-
los todas as manhflas expressam tambem a sua. Ora,
ComTeitM < v,,,,ladcs Sil diametralmenlo op-
,,oslas urna i outra, succede comnosco como com a
erra o a la que correm sempre una apos a outra,
som nunca se encontraren).
tflta
t


\

2
ommim.
ALFNDEGA.
iiendimknto do da
13
8:858,71*
Descarregam hoje, itilejannro.
llrigue^ Stm-Par farinha fumo.
Brigue Velocifero farinha de Irigo.
Brigue K.-D. mcrcadorias.
Barca Carolina farinha do trigo.
IMPOBAGiO'.
Carolina, barca americana, vinda da Babia, entra-
da nocurren o mez, ^consignada a II. Foster panbia, manifest!! osoguit.te-
^barricas fannha do Iriso, I moi. barrica carno
di'porco : aos mosmos consignatario*.
CONSULADO GERAL.
RNDEME NTO DO DA 15.
Cera I .
Diversos
I rovinoias.
, 4:529,585
191,736
4:721,321
CONSULADO PROVINCIAL.
ItEMIIMKNTO DO DA 15........
2:23,0I8
Mov ment do Porlo.
en minan-
Wandon-
Itaylot entrados no da 15.
Em commissflo ; vapor de guerra VraniaK
danto o capitflo-ieneno Jos Eduardo
collc.
Curun'pt;6 dias, hiato hrasileiro Flor-de-Cumript,
de TOtoneladns, cpitflo inflo Antonio di Silva,
cquipagcm 9, carga toro* do mangue o farinha do
mandioca j a Tiburcio Valeriano Kantista. Passa-
geiros, Francisco Concalvos de Araujo, Francisco
.Manoel da Voiga, Nicolao (IcOliveira Silva, l!ra-
sib'iros.
Parahiba ; 3 (lias, hiale hrasileiro Pur'za-dt-Varia,
capitfloioSo Alvi'S do Paria,- vquipngom *, carga
ago'ardcnlc e loros de mangue ; a Joflo Perclra da
Silva. Pusagoiros, Jos Concjilves dos Dios c 1
<'sciavo entregar,
Liverpool; 59 dias, barca inglesa HoptwU, de 350
toneladas, capililo James iSewton, cquipagem 17,
. em lastro a Me. Calmnnt & Companbia.
rhiladi'liibia ; 39 dias, brigue americano l'uluam
raujoLuna, no despacho por factura n. 2810 : sendo
a arrematado subjeita a dircilos.
Allandega, 15 de Janeiro de 1840.
'Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Oeclaracoes.
Helaro dot devedoret da derima de predio urbano* que
tem de ter excutadoi te m'w saldaren seas debilot
at o fim do andante me: de Janeiro.
A sabor:
A cmara municipal desta cidade 367,792
D. Mara Francisca do Naacimento Noves 293,302
llcrdeiros de Mara Josepha de Mattos 206,257
Nuno Mara do Sexas 800.1 ti
Paulo Caetano do Alhuquerque 386,909
Dr. Ignacio Nery da Fonsoca 190.035
Francisco l.uiz Maciol Vanna 151,675
Silvestre Joaquim do Nascimento 74,050
Antonio Bolelho Pinto do Mosquita 361,530
llcrdeiros de Jos Maria de Jess Muniz 383,407
A ordem tcrc'eira do Garmo 419,001
llcrdeiros de Jos Manoel Fiuza 411,680
Viuva o herdeirns de Jos de Pinho Borges 336,315
Manoel Ferreira llamos 912,839
Maria Candida da Silva 180,950
Joflo Ferreira dos Santos 190,313
Viuva o herdeiros de Jos foncalvcs Cascflo 134,183
Mara Francisca dos l'razeres 46,723
Jos da Fonseca e Silva 7.l[233
Amaro Concalves dos Sanios 135,527
Pedro Ignacio Baptisla 161,635
Para Lisboa sahir, com a rhaior brevdade pos-
sivel, o bem conhecid o brigue portugus Tamjo-
Primeiro, capilflo Manool de Oliveira Faneco: tom
parte de sua carga engajada : para o restante o pas-
sagoiros, para o quo offerece asseiados commodos,
trala-se com o capito na praca ou con) o consig-
natario FirminoJ. F. da llosa na ra do Trapiche,
n.44.
Leilfto.
5:080,503
(Conlinuar-te-ha.)
O corretor Oliveira far leilfo, por ordem do Illml
Sr. cnsul de S. M. B., e conta de John Wilson da
mobilia da casa desto conslstindo em cadeiras, so-
phs, marquezas, meis de todaaos tamanhos, can-
napes, toncadores, lavatorios, commedas, leito com
seus pertenecs espedios, quadros urna machina de
entornillar, nticas, barmetro, candcro, abun-
dancia de trom de cozinha, gamellas roupas e mu- '
los ou tros artigos : quarta-feira 17 do corrente
s |0 horas da manlifla, na ra de Fra-de-Porlas ,
n. 124.
Avisos diversos.
f'ublicucao literaria.
UM GALUCHO,
Romance dp. C. P. dr Kock.
Esla obra impressa em bom papel, o limpa do cr-
rns typographicos, constar de quatro Voluntes a
500 ris cada nin.
O l. volunte (leve cliegar aqu no corrente mez, c
os oujrns de 20 om 20 dias.
Assigna-se as loj;ls de livros soguintes : ra da
Cadeia do Itocil'e, hija da Sr.' Viuva Ca.-doso Ayros ;
largo do Collegio, n. 6, luja do Sr. Dourado ; o n. 2,
loja da Sr.1 Viuva llomu.
Avisos martimos.
Para o Aracaly sahir imnreterivelmento as
prximas ngoas o hiato Noeo-Qlinda, mostr Anto-
nio Jos Vianua, por ter j quasi todo osen carre-
gament tratado : quem nclle anda quizer 'arregar,
ou ir de passagem, se entender com o mesmo mes-
tro, no Trapiche-Novo, ou na ruada Cadeia-Velha, u.
17, segundo andar,
de 187 toneladas, capilflo ioseph Farrell, equipa-1 ~~ Para o Ccar sahe, com mula brevdade, por
peni 10, carga farinha, fazenlas, bnlachinha e,lora maior parlo da carga prompta, a sumaca Car-
lota : para o rstanle o passageiros
lral-so com o
mais gneros ; a II. Fosler & Companliin.
I'ar.ihiba ; 2 dias. Afile hrasileiro Espadarte, do 98f nwrt* Joso Goncalve* Simas, OU com l.uiz Joso le
luuyUda*, cupltiio Victorino Jos Hereira, equipa- 8A Araujo, na ruada Cruz do Itecifo, armazein n.
geni 4, carga assucar e toros de mangue; a Joa-
quim de Oliveira.
Mar-Pacifico, leudo sabido de New-lledford ha 28
me/es, galera americana Caroline, de 364 tonela-
- das, capilflo N. C. Carry, equipagem 36, carga a-
zeito de pcixe; au capilflo.
Navio tullida no metmo dia.
Portos do su I; vapor hrasileiro llahiannu, comman-
lantc J. II. Oltcn. Alm dos passageiros que Irou-
xn dos poilos do norle para os do sul leva a seu
bordo : para Macoi, Fr. Jos de N. S. da Sa lo,
II. G. Dennis; para o Itio-tle-Janoiro, Pedro lloss.
EDIT l'L.
Miguel Archanjo Monteiro de Aniradi, oficial da im-
perial ordem da llosa, cacalleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de I'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Deot guarde, etc.
Faz saber que no dia 18 do corrente, ao moio-dia,
se bflo de arrematar, porta da mosma, 1100 maesas
para chapeos, (frarrcezas) novator do 250,000 ris,
i mgugnadas pelo guarda Manoel da Fonseca de A-
A voz de V. Magostade, senhor, he bstanlo po-
derosa para cobrir loila a vozeria daquella gente.
Est engaada, condessa. Eu nflo snu ndvoga-
do, e clles o sflo. So eu digo sim, elles dizem nflo ;
he, impossivcl cntendermo-nos..... Ah se sube uin
meio de impedi-los do dizer nflo, quand eu liver
dito sim, eslou promplo para fazer allianca coma
senhora.
Senhor, cu tenho esto meo.
Qual he elle 1'
Rena V. Mageslade o parlamento, o do cima
de sen Uirono diga : Eu quero.
Eis-ahi oulro embaalo, dase o re. Reunir o
parlamento sb uiiiiba presidencia lia quasi nina ro-
vo! iicfio.
lie um meio de dizer em face a esta gente ro-
lilde, que V. Mageslade be senhor. V. Mape-tadc
tem sahe que, quandn cl-rci manifest assini asna
vonlade, e elle lein direltu le fallar, ninguem res-
ponile. ,V. Magpslade Ibrs dir: Eu quero, e elles
26, 011 no 2. andar do sobrado n. ST.
O hrigue-cscuna nacional Olinda dnixa do se-
guir para o llio-dc-Janero hoje, 15 do corrente,
por inconvenientes, mas sahir iinpielerlvelmcnto
no domingo, 21 do corrento : para o roslo da carga,
passageiros o e ser a vos a frcle Irata-so com Macha-
do &Pnbeiro, na ruado Vigario n. 19, segundo
audar.
A barca Pella-Pernambucana pretendo sabir pa-
ra a cidade do Porto com brevdade por ler a maior
parte de sua carga prompta : para o restante e pas-
sageiros para o que lein asseiados commodoi, en-
lendani-sc com o seu capilflo na praca do Commer-
cio ou com o consignatario, Antonio Francisco
de Morara, na ra da Cruz, 11 34, tereciro andar.
Para o Itio-dc-Janeiro sabe, com a maior bre-
vdade possivel, obligue tala por ler mais da
melado da carga engajada : para o resto passagei-
ros c cscravos a frelo trala-se com Joflo Francisco
da Cruz, na ra da Cruz, n. 3.
Paia Lisboa sahe com muita brevdade o Cris
gue portuguez Conccicdo-de-Maiia, por ler grande
parle de sua carfca prompta : quem no mesmo qui-
zer earrcgnr.ou ir do passagem, para oque olferoca
excellentes eominoi|os, diiija-se aos seus consgna-
la! ios, Thomaz do Aqnino Fonseca Filho, na rna
do Vigario, n. 19, ou ao capilflo na Praca-do-Com-
tnereo.
condessa Dubarry, que a
mas boa,
udi\Hrflo a i ,i!m r:.....
O certo be, disso
ideia he pomposa.
Pomposa, sim, replicou Luz XV
nflo.
Todava he bella, proseguio madama Dubarry
ron. calor; ocorJejo, os gTitis-homen.s, os pares'
luda a casa militar dVI-101, calcm disso urna im-
mensa multidflo de povo e um throno comporto de
cinco alinofadas ornadas com flores de lis bordadas
de ouro..... A f que ser urna bella cerimonia !
TuocrCs, uisseel-rei, um poucoabaado em
su as conviccOcs.
E o magnifico veatiilo real, o manto forrado de
urminlio, os diamantes da corda, o sceplro de ouro,
todoobrlho que convm a um semblante augus-
Desde a infancia do V. Mageslade, disso mada-
ma de Bearn ; a lembranca de vossa reaplandecenle
belleza, senhor, lcou gravada em todos oscora-
cOefc
Edemais, conlinuou madama Dubarry, seria
esta unta boa occasiflo para o senhor chancellar oiu-
piegar sua rudo e concisa cloquencia, alim de asina-
gar aqu lies homens debaixo da verdade, debaxo
da dignidade o da autoridaile.
Ser mister que eu espero pelo primero delic-
io do parlamento, disso Luz XV; quando isto tiver
lugar, enlflo verei.
Que delicio espera V. Mageslade maior do que
este que ella acab do cominelter ? .
Eque fez ello enlflo, vejarnos?
Nflo o sobo V. Mageslade?
Elleanojou um pouco a M. d'Aigullofl, he ver-
dade ; mas isto nflo lio la nenhuin criiuo capiUI.....
bem que, disso el-rei olhanJo para madama Djbar-
iy. bem que esto charo duque seja um dos meus a-
O BRADO DA nASO N. 11,
acha-se avenanos lugares j annunciados : traz
um hymno offerecdo a brava tropa de 1.' linha em
operacoes.
Na ra Augusta, n. 9t, so acha um candiciro
frncez, que um prelo foi offerecor, dizendo que o
tinha adiado na rbeira : quem fr seu dono, dando
os signaes, Ibo ser entregue.
Um rapaz hrasileiro se offerece para caxeiro
do qualquer estabelecimento, excepto venda, o qual
d fiador a sua conduela : quem do seu prestimo se
quizer utilisar, dirija-so a ra da Flores, ao portflo
conlronle o escriploro do Sr. Francisco ioaquim.
Kxislindo preso desde 8 do moz vigente 110 cal-
lahn:iQo do quartel de polica, por ser encontrado
as 9 horas da noito com urna pequea faca, o escravo
crioulo Manoel Paulino, do finado cadete do 1.* ba-
talhflo de cacadores Jos da Silva Freir, morto no
combate de Cruangy, nao houve al o presente pes-
soa alguma que por elle se interessasse, oslando o
infeliz a morrer de romo na prisflo : o aliaxo assig-
nado, porm, coinmiserando-se da triste situaeflo
do referido escravo, solicitou e obtevo do lllm. Sr.
Dr. .1.'iunymo Martinianno Figueir do Mello, chefe
de polica, sua soltura, ficando em poder do abaixo
assiguado, que, publicando o occorrido, declara-so
uo responsovel por morto ou fuga do mesmo, al
quecheguedo campo o. batalliflo mencionado, a
cujo commandante pretende enlrega-io.
Itecif, 15 de Janeiro 1849.
O Ajudanto,
Manoel .Porfirio de Castro Araujo.
O alferes Fras Villar assiste na ra da Madre-
de-Deos, n. 1, onde se poder entregar a carta vinda
do llio-de-Janero.
CCP' A pessoa quo annunciou no Diario do quinta
feira querer comprar um violflo, sendo anda queira,
dirija-so a rqadeHortas, loja de larlarugueiro, n.
30, uno achara um de Jacaranda com exccllenle voz.
Quem annunciou querer cobrar dividas no nor-
te querendo prestar dador idneo pola sua boa
conduela dar-sc-lho-h diversas dividas quo mon-
tan) em mu 1 quantia bem avultada, da qual, cobran-
do mesmo a quorla parle, tirar bastante vuntagom:
hem como a pessoa que, com igual condicSo quei-
ra cobrar nos scrlOesila parto do sul com que se
dflo as mesmas circunstancias dirijam-se ao pateo
do Carino ,11. 18 segundo andar.
Hoje, 16 do corroute se lia do arrematar, do-
pois da audiencia doSr. Dr.jutzde dreilo da t.'var
do civel, 1 casa de laipa, com una armac,flo de ven-
da e seus utensilios sita na Boa-Viagein perton-
cenle a Jos Verissimo de Alhuqerque Padilha, por
cxecur,flo do Jos Pereira da Silva.
IVecisa-se de um preto cuzinheiro,
que seja fiel e diligente no servico, c pa-
ga-se bem : na ra Nova, armazeni
n. 67, ou na praca do Commercio, loja
de cabos, de Joo Leite de Azevedo.
No da 18 do corrente, pcranleoSr. Dr. juiz de
orphflos o ausentes, so ha de arrematar, pelas 4 ho-
ras da larde, a taberna sita 110 Alerro-da-lla-Vista,
pertcncenle a heranc,a do finado ios Vicente da
Cruz. Os prelendenles comparojam na porta da
mesina venda.
O bacharel J. J. da Fonseca, yendo no Diario do
hontcm, 15 do corrente, um aununco, oni que oSr.
Manoel Gomes Crrela declara dcixa-lo por fiador,
pela brevdade de sua sabida para o Itio-de-Jancro,
apressa-se cm avisar quem interessar possa, que
V. Mageslade quer ter ahondado do uvr-mc ?
Fallo, condessa.
lingos. Ora, so o pailamento unojou o duque, ou ro-
p'diei a injuria pela mirilla determinadlo do houtem,
ou do ante-honlem, nflo mo lembro mais. Eslamos
agora d conlas justas.
Pois bem sejihor, disse vivamente madama
Dubarry, a senhora coudossa vinha-vos annunciar
quo esla inanlifla os taes saibores de capa preta lize-
ram urna anda peior.
O que he que fizoram enlflo? pcrgunlou el-re,
franzindo as sohrancelhas.
Falle, sonhora ; S. Magostado d liccnca, disso
a favorita.
Senhor, os senhores concclheiros resolveram
nflo ir mais ao tribunal, cmquanlo V. Magestade nflo
coder.
Nflo pode ser, disse o rei; a senhora est enga-
to e bello. Oh I quflo esplendido Ocarieis assim, j nada, isto seria um acto de rebelliflo, e rneu parla-
senhor! I ment nflo se atrever a voltar-se ; "!m *--'
- Ha muilo lempo que se nHo ve isso, disse Luizl
XV com alienada indolencia.
Senhor, eu vo-lo asseguro.
Oh! senhora, sflo boatos.
assim o espero.
Pois bom o meu procurador entregou-ine es-
ta n iniifla os documentos da minha causa.. ., elle
disse-me quo n.to era preciso fazer arrasoados, por
i:so que nflo haveria mais julgamentos.
Sflo boatos, j Ihc disso, tentativas, espantalho.
E, dizendo isto, cl-rei passeava agitado pelo
gabinete.
- Senhor, V. Mageslade acreditar a M. do flicbe-
lieu mais do que a mim f Pois declaro a V. Magesla-
de que em minha presento Ihc fram entregues o
documentos da sua causa, c que elle se retirara suin-
mamcnlc indignado.
Fslflo batendo porta, disso el-rci para mudar
de conversa.
Ho Zamora, senhor.
Zamora ontrn.
Minha ama, aqui esl urna carta, liase ello.
V. Mageslade d liceuga ? perguntou a con-
dessa.....
A1 i meu Dos exciamou.ea, apenas acabou
do ler a carta.
Que uoviilades ha f
Mr. de Maupeou, senhor, sabendo que V. Ma-
gostado se dignara do vir visitar-me, solicita a mi-
nha interveneflo para alcancar um momento doauA
diencia. .
Pois .sim, elle quo entre.
Val dizer ao senhor chancello^ quo podo en-
trar, disse madama Dubarry aZimora.
A condessa de Bearn lovantou-so para retirar-se,
porm o re nflo coiisonlio em lauto.
Ilons dias, Mr. de Maupeou. Que ha de novo ?
Senhor, disse o chancellar inclinando-so, so o
parlamento vos incomniodava, venho annunciar-vos
queja nflo tendea mais parlamento.
E como assim P Morreram todos? Tomaram ar-
snico ?
--------------------=4
nflo assignou fianen alguma, o nem. por qualquor
modo se responsabiligou pelo dito Sr. a pozar de se
Ihe ter pedido para o allanqar peanlo a repartieflo
da polica, alim do poder elle tirar o seu passaporte,
Aos pas de familias.
Josephs Henriqueta do Miranda Barros, professor
particular de primeiras loltras, avisa tos pas de
suns alumnas que abri a sua aula no dia 16 do cor-
rente ; e a mais alguna pas de familia que quizerem
mandar educar suas filhas, que ella est prompta
paraensinara ler, escrever, contar, arlhmetica,
doutrina cbrislfla, grammatica nacional, marcar,
bordar e fazer lavarinto: quem de seu prestimo se
quizer utilisar, dirija-se a Boa-Vista ra da Ale-
gra, n. 42.
Um bomem que sahe grammatica portuguez e
arilhmetica se offerece para qualquer esoripturacuo,
e lambem para ensinar meninos em casas particu-
lares com muito respeilo prudencia e adianti-
mento: quem precisar annuncio.
Precisa-se, para uina encommenda djdua*
escravas que saibam pe feitamenle engommar e cu-
ser e que nflo sejam viciosas : pagam-se com gene-,
rosidade : na ra de Agoas-Verdes, o. 46.
Precisa-sede urna ama, anda mesmo idosa,
para o servico de portas a dentro do urna casa com
muito pequea familia : na ra do Nogueira n. 26,
primoiro andar.
A Inga-so um moleque para o servico de caa ,
o qual tem alguma ortica de cozinha preferimlu-
se para casa estrangeira : a tratar na ra do Cres-
po n. 19, loja dos Srs. Carvalho & Maya.
D-se um conloo cem mil rs. a juros a um o
meio por cento sobre hypotheca em alguma pro-
priedade nesta cidade : no pateo Collegio n. 6, se
d ir quem faz este negocio.
Precisa-se de um menino para caizei.ro do ven-
da : nas.Cinco-1'ontas, 11. 16
Precisa-se alugar um preto : as Cioco-1'on-
tas, n. 16.
Manoel da Silva GuimarSes, ex-commiasarodo
brigue Caliope leudo de retirar-so para a corto, por
ordem do governo tem a honra de despedir-ge de
seus amigos offerecendo-lhes seu diminuto pres-
timo naquella corte. O mesmo annuncanle,con-
vencido ost que nada dever a esla praca ; mas,
como possa haver algum esqecimento previne as
pessoas que sojulgarem crodoras do annuncanle,
quoapresentem suas cuntas para serom pagas na ra
da Cadeia do Recifo, n. 19, loja de Augusta Ferreira
Pinto &, Irmflo.
Precisa-so alugar um sitio que. tenha boa bai-
xa para capim e que nflo exceda de urna legoa pou-
co mais ou menos distante dcsta praca: quem ti-
ver annuncio
Urna parda de bons coslumes, livreedesemba-
racada, por ler vndo do mal(>, se offerece para o
servico de qualquer casa de familia : quom a prelen-
ler dirija-se a ra de Senzalla-Vellia, n. 2{.
Aluga-scum prelo para todo o servico: bem
como um mulalinbo muito alvo, proprio para pa-
gom : o largo da Boa-Vista no principio da ra do
Aragflo.n. 19.
--Precisa-se de um feitorparaum sitio parto da
praca : no Forte-Matlos casa do Jos Francisco Be-
lm.
Roga-se encarecidamente aos Srs i. S. A. J"
T. I). que hajam de ir pagar o quo devem quanto
antes no sitio do Hospicio ; quando nflo so pro-
ceder nr forma do estilo,o se decararflo es seus no-
mos por extenso.
-- Maria Francisca da Paz .annuncia quo nin-
guem fa$a negocio algum com seu marido, Jacintbo
Jos da Costa, relativamente as duas crias do casal,
Joflo e Juliana esta de 5 anuos o aquello do 7, vis-
to que obtevo a annuncianto mandado para seren
ellas depositadas, em consequoncia da acgflo que
move a sou marido o qual as tem oceultas.
Aula de primeiras leltras.
jse Xavier Faustino llamos partici-
pa aos seus amigos, e particularmente oos
pais de seus alumnos, que os exercicios
da aula que elle dirige., tiveram comecono
dia 8 do corrente mez na mesma casa em
que reside, no principio do Alerro-da'-
Ba-Visla i-obrado n. 5 prximo a
ponte.
--No dia 12 do corrente, apparecou em casa do
abaixo assignado o escravo Joflo, cabro, quo diz per-
tencer ao Sr. Joaquim Felicio de Carvalho da villa
dos Touros procurando o annuncianto para o com-
prar : por isso, sendo que o dito Sr. o queira vender,
dirija-so a Fra-da-Portas n. 95, para tratar do
ajuste. Domingo da Rota.
Provera a Dos .'.... Nflo, senhor, ellos vive m
porm nflo qiicrcm mais trahalbar, o dflo as suas do
misses. Eu acabo d recob las todas juntas.
Bem vos dizia ou, senhor, quo.o negocio ca
serio, observou a condessa om voz boixa.
Muito serio, respondou l.uiz XV cm impacien-
cia. Pos bem senhor cbancellor,- que lem Vaic.
feilo ?
%- Sonhor, eu vim rnceber as ordens de V. Ma-
geslade.
Heslcrremos cssa gente, Maupeou.
Nflo he desterrando-os, senhor, quo V. Mages-
lade os obrigar ajulgar.
Enlflo inlimenio-lhes que julguem.... mas, ali!
as iniimaeies ja nflo teom lorca... os decretos lam-
bem a nflo toem.....
Senhor, desla vez, lio preciso mostrar volitado-
Sim, tcnsrasSo.....
Coragem, disso baixinho madama do Rcim a
madama Dubarry,
E mostrar que V.-Magestade ho senhor, lando
js lanas vezes mostrado que lio ni I Bje|nou a
condessa.
Chancellar, disse vagarosamente el-re. eu s
sci um moio: ello be grave, porm efficaz. Eu que-
ro reunir o parlamento debaixo de minha presiden-
cia, ho preciso que aquellos homens iiemam un.a
vez.
Air.' senhor, oxelamou o' chancellen, isto be
quo he fallar ; dobrem ou quebrem.
Senhora, conlinuou ol-rei dingindo-se liti-
gante, so a sua causa nflo fr julgada, a culpa nflo so-
r minha. ,
Senhor, Y. Magostado he o maior re do mundo.
Oh! sim..... exclamaran! ao mesmo lempo
condessaj Chon e o chanceller.
.Nflo he entretanto isso o que. o mundo z, ob-
servou o rei.
(Conlinuar-se-hi.)
ILEGIVEL


Bernardo Gomes de Souza, subdito portuguez
vai 11 l'orlu^nl tratar do su saiilft, deixando. por
sou procurador bastante au Sr. Jos Martina Pedras :
igualmente pede a todos os. Senhores que com el-
le tcorn tido cotilas, e eos que se julga.rem seus
credores hajam do apresentar suas cotilas no pra-
zo de oito das para seren paga, anda .ue ,n_
uunriantejulga nada devera pessoa alguma.
-Pergunta-se a um praioiro que se intitula gua-;
bir, morador na barra do Serinh.flem. soja recebeu,
od.nheiro do uns sapatos vellios e tantlicos que
corta pessoa depositcu na maro por nflo prestarem.
Isto desoja saber Um curto$o.
Precisa-sealugar urna escrsva para o servigo
do cas* de pouca familia i ra larga do Rozarlo,
n. 48.
__Aluga-se ama casa de um andar, com muitos
commodoa grande quintal com cacimba no meio ,
sita mrua das Trincheiras periodo largo do Car-
mo : a tratar na ra da Cadeia do itecife, n. 25.
Quem tiver dividas para cobrarem-se polos ser-
tesdo Rio-do-'Peixe, Ico, l'ombal, Cariry, Aracaty,
Abrio.lnhamuis,Sobral,Kio-Grande-do-Norto e Cea-
ra.uma pessoa casada, moradora nosta praca,bastan-
te activa e capaz se ofTorcce para cobra-las : quem
de sen preslimose quizer utilisar, anuuncie e po-
llera informar-se de sus capacidado dos Snrs. Fi-
gueirda Manoel Jos Congalves e Jos Joaquim da
Costa Mito.
.-Manoel de Souza Cuimaraes vai a Portugal tra-
tar de sua sao, le : por issd roga a todas ss pessoas
que Hiedevom lettras vencldss ou por outroqual-
quer documento que hajam de |lie pagar do con-
trario, lera o annuncianle de dcixar poderes a quem
as cobre judicialmente; bem como avisa a quem
tiver penliores em poder do annuncianle de os ir
resga lar no jira zo de 8 das e deixando de O fazer ,
tera de os conduzir. O annun iantc est persuadi-
do de nada dever a pessoa alguma; mas, se houver
alguma pessoa que so julgue credora do annuncian-
le porqualquer titulo baja dse apresentar na ra
do Itangcl, ii. 36, primeiro andar para ser paga.
Precisa-se slugai' um sitio, anda que pequeo,
perlo da praca que lenha .arvoredos de Crudo e
iiilo exceda a renda a 120,000 rs. por auno, prefe-
rindo-se na estrada do l'ombal, Jeito de Barros,
Estancia o Suledado quem tiver annuncie por es-
la fot lia.
Antonio Joaquim Goncalves GuimarSes retira-
se psrs fra da provincia.
Precisa-se singar um sitio da Trompe al a Pon-
lo-de-Ucba e da Psssagem at a Torre : na ra
Imperial, n. 39.
Perdeu-se, na ra Nova o primeiro lomo da
obra de D. Quixote traduzido em allemito : quem
o tiver adiado e o quizer restituir dirija-so a ra
da Cruz, n. 10, quesera gratificado.
*- Aluga-so urna grande propriedade na povoa-
cilo duMonleiio, que foi do fallecido Francisco da
Silva : a tratar na ra da Cadeia do Recifo n. 55,
com J. J de Carvalho Moraes.
Alugam-seos segundo e terceiro andares da
propriedade da travessa da Madrc-de-Deos, n. 16,
no Itecife.
O Sr. P. M., profossor publico de.., da..., quei-
ra ira ra do Amparo, om 01 inda n 36 pagar o
(ne deve desde 1835; quando tuto, ver o seu nomo
por extenso.
r- No pateo da matriz de S.-Antonio, n. 4, segundo
andar, tiram-se passportcs para dentro e Tora do
imperio e para escravos : tambem. correm-se fa-
inas com a maior brevidade possivel o por prego
inuito commodo.
Antonio Cordeiro da Cunha embarca para o Rio-
de-Janeiro o seu esemvo Francisco, cabra.
O abaixo assignado, vigario da frcueza de 8.-
Pe Iro-Marlyr de Ollnda, aiinuncia a quem convior,
que, aprcscntando-sc-lhc na tarde do dia 3 do cor-
rente mez de Janeiro os pretos velhos Luiz e Joa-
quina dizondo screm casados e hojo pertencentcs
au dominio delle annuncianle como prente que era
de sua finada sen hora, II. Francisca da Cunha e Mel-
lo, que, lendosido casada com Antonio Lourengnde
Mello fallecer depois desle, som descendentes,
na freguezia de L'na ello annuncianle, que com ef-
feito hprmo da dila Uada li. Francisca da Cunha
e Mello os recolbcu cm sua casa at que appareca
quem lenha melhor direilo ao scnliorio delles.
Quem, pois, o tiver apresente-se ao annuncianle
que, mostrando-se-Ihe melhor titulo, promptamen-
le of entregar nlo se responsahilisando todavi
porelles, se succeder fugirem ou morrorem anlos
disso.-r Olinda, 4 do Janeiro do 18*9. O vigario,
Joio Jote l'trtiru.
Aluga-se a casa da esquina da ra do Caldei-
reir'o para o porto do embarque com armadlo pa-
ra venda e commodos para morar familia : na [na-
ca da Independencia livraria ns. 6 o 8.
AULA DE PRIMEIRAS LETTRAS.
O abaixo assignado, tendo determinado dar prin-
cipio aos traballios de sua aula do primeiras lettras
e gnammatica portugueza no.dia 8 do corronte, avi-
sa aos pais de seus alumnos, e em particular aos
Srs. pais de familia que quizerem matricular os
seuslilhos, que o podorflo procurar na casa de sua re-
sidencia na ra Velha, n. 3-2. Tambem se ensina me-
ninas a ler e a todas as qualidades de costuras par
urna uiensalidaue mais commnda do que em outra
qualquer parte. Vicente Ftrreira da Cruz.
IIOTEL-COMMERCIO.
Ra da Cadeia de Sanio-Antonio, n. 13.
Contina a tor sorveto todos os das de varias qua-
liilaile, assirn como achanto quatro salas decente-
racnle mobiliadss, sendo duas para senhoras e duas
para homens.
Agencia de passaportes.
Na ra de Colleglo, n. 10, o no Aterro-da-Boa-Vis-
ta lojas ns. 48 o "8, conlinuam-se a tirar passapor-
tes tanto para dentru como para fra do imperio,
assim como despacham-se escravos, ludo com bre-
vidade.
Ao rcspeitavel publico.
O proprietario do armazem de vinbo
da i ua da Madre-de-Dos n. 36, de-
clara que este estobtlecirhento nao lem
ouro nnatfm filial, como alguem lia
i -
que o inculca ; e para coiihectmenlo do
publico, faz o presente annuncio.
IRIS.
Os Srs. assignantes pJem mandar buscar os ns.
19,20 o 31, o completo do segundo semeslro e do
segundo volumedesta publicacSo, na rus da Cadeia
du Itecife, luja de livros do Cardozo Ayres e na ra
do Trapicho, n. 34, escriplorio do Novaos & Compa-
nhia onde acharo a venda o primeiro e segundo
voluntes, a 10,000 rs. cada um paraos que naofu-
ii'in assigliantes, continuando a assignatura deste
annoem vnnlea 6,000 rs. por semestre o 12,000 rs
por anuo como na corle.
Esto peridico, collaborado por muitos homens do
lellraae redigid.t pelo illuslrc poeta portuguez, dou-
lorJos Feliciano de Caslilho Itarretoo Noronha,
desumpenhou ralliegoricamenle nos dous primeiros
volumos o fim para que foi creado, e lio de presu-
mir que contine da mesma forma, sempre a rne-
Inorar; por isso sito convidados os amantes da lilto*
raiura a coucorrercm com o seu conligcnle assig-
nundo > dita obra e cooperando desta forma para o
diamntenlo de urna obra escripia debaixo do b'el-
zo sol do Brasil e sb os auspicios dos oais abali-
sados escriptores brasileiros.'
Fullera do tli'eatro publico.
Otbesqureiro dcslaloteria, impossibilitado anda
de poder marcar o dia para o andamento das respec-
livaa rodas, por isso que a venda dos bilhotes lem
sido fraca, osem nenhum adiantamonto, julgode-
ver declarar ao respeitavel publicoy quo, logo que a
mesma venda se adianto mais alguma cousa, ser
enlSo designado o dia definitivo para o andamento
das rodas ; e para quo isto se verifique com brevi-
dade roga aos amadores deste jogo, que se apressem
a comprar os bilhetes que existem em ser.
A. Baumann, afinador e
cohcerlador de pianos do
principe de Joi'nVille e de
S. A. a Sra. princeza D.
Francisca, tcm a honra de
prevenir o respeilavel pu-
blico que chegou ultima-
mente n'esla cidade ; e as
pessoas que quizerem uiili-
sar-se de seu preslimo, o a-
cliarao na casa de sua resi-
dencia, ra larga do Rosa-
rio, n. 14, primeiro andar.
Precisa-se de um menino de 12 a 14 a unos, pa-
ra caixeiro : na ra oslreita do Rozario, n. 34.
No dia 7 do corrente foi apandada urna ca-
noa de conduzir arcia, quem fr seu dono, dirja-
se ao oscriploro de Manoel Goncalves da Silva, na
ruada Cadeia, ou a bordo do brigue Santa-Nuriu-
Doa-Sarle, ancorado no Fortc-du-Mattos.
- Precisa-S alugar uin proto para o servico ordi-
nario de padaria pagando-so todos os mezes o que
se ajuslar : na padaria de urna s porta, na praca da
S.-Cruz.
Carlos Francisco da Silva subdito brasileiro ,
vai a Angola.
Vigfies, fabricante de pianos,
na ra do Queimado, n. I 'i.
lem panos de novo modelo, feilos de proposito pa-
ra este paiz : sit rii|uissimus, o de machinismo o
vozes superioros, o quo se afianca ao comprador
tambem tcm pianos inglezcs quo s.to pouco usa-
dos ; concerta e afina panos com toda a perfeicflo ;
vende cordas ca murgas o lodosos aviamentos ne-
cessarios para ditos instrumentos : tudo por prego
commodo.
Senieules de flores as iiiais bel-
las da Europa.
Hechcgnd ra l.irga do Hozario, n.
a4-o mais bello suri miento desementes
de flores das bellas damas, como sejatn :
chivos e craviiias, rainuculos de diversas
cores, borbolctasde Uollanda, goiv^s de
cores singelos e dobrados, Jacintas, topes
de damasjunquilbos, seciasdobradas,as-
sim como a verdadeira sement de cve-
flor. Us amadores d i natureza encontra-
ro alii com que, em pouco tempo, pos-
sam tornar a admiracao da Europa no
Brasil.
Deposito de rap andaraby
e imperial.
Na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, escriplo-
riodeJos de Almeida Itarreto Bastos, vende-seo
bem acreditado rap andaraby e imperial, fabricado
no Rio-dc-Janeiro, sendo o nico, deposito nesta
provincia ; assim como sempre se achara no mesmo
deposito o melhor cha nacional brasiloiro, omcai-
xinhas de 5, S e 16 libras, por prego commodo. O
rap vende-soa retalho as seguimos casas : ra da
Cruz, n. 6i ; ra da Cadeia do Itecife, n. 17 ; ra do
Encantamento, n. 4; ra do Vigario, n i* ; ruada
Cacimba, n. 2; ruado Cordoniz, n. 11 ;rua do Col-
leglo, n. 9 ; praca da Independencia, ns. 4e 39 ; ra
do Queimado, us. 10, 16 e 33; ra do l.ivramento,
ns. 4, 5e38 ; ra daPenha, venda da esquina, por
baixo do coronel Joaquim Bernardo de Figucircdo ;
ru Direila, ns 6, 16, 53 e 141 ; ra das Ciuco-Pun-
tas, n. 50; paleo do Carino, n. 2; ra larga do lio/a-
rio, ns. 29 e 35 ; ra do Cabug, n. 7 ; ra Nova, u
50; AteiTo-da-lia-Visla, ns. 2, 46 e 56.
C11 APEOS Dfi'SOLjg
Ra do PasseiOf n. 5..
O fabricante deste estabelecimento adverte ao res-
peitavel publico desta cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sortimenlo de chapeos de sol,.
assim como chapeos deso de seda furta-cores, dos
mais ricos que teom apparecido ueste mercado, e de
cores conhecidas ; ditos para sonhoras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas de retroz, tudo que tom do mais moderno e do
melhor gosto; um completo sorlimento de chapeos
deso de panninho de todas as cores o de lodosos
tamaitos, para homens, senhoras e meninos: ha
tamben) igual sorlimento de faxondas para cobrir ar-
macOes, tanto de sedas de cores, como de panninhos
trancados e lisos imitando soda. Advorte-se que os
freguezes sero servidos com brevidade, e se acha-
nto satisfeilos da boa qualidade, do bom gosto edo
bom proco.
O'escrivao da irmandade de Nos9a
Senhora da Gonceico da Gongregacao.
pelo presente convida a todos os innios
para que se re imam no consistorio da igre
ja, no domingo i4 do corrente, pelas 9
horas da manhSa, afim de se proceder
eleicS da nova mesa ; (cando certos que,
em sendo 11 horas, se proceder elei-
90 com os iiiiios que estiverem presen-
tes : outro sim, roga aos irmaosque coin-
p5em actualmente a mesa, se dignem
comparecer logos 9 horas, para poder
antes da eleicao trabalhar eultimar al-
gumas consds que ha a fazer.
Perdeu se nina calicha na noite
do dia 11 do corrente, entrada do thea-
tro de Apollo, centendo em dinheiro
45s'ooo rs. e diversas cartas e papis que
s servem ao proprio dono ; por isso se
roga pessoa que a tenha achado, aqueira
entregar na casa doSr. Thomaz d'Aqui-
no Fonseca, ra do Vigario, ou na loja
deferragens, n. 5G, rita da Cadeia do He-
cie, podendo licar pela sua graticaciSo
com a dila quanlia de !\ :sooo rs.
Precisa-se de urna ama para todo o servico de
uina casa d.e pouca familia, e juntamente de urna
pessoa para tratar do um sitio e fazer todo o mais
sei vico que se odoreccr : na ra da Cadeia do S.-An-
tonio, 11 21.
AULAS DE PrtlMF.IIUS LETTRAS.
Do dia 10 do corrente mez em dianle, oslaro
abertns as aulas de meninos o meninas dirigidas pe-
lo abaixo assignado na mesma casa do sua residen-
cia na Boa-Vista, travessa do Veras, sobrado 11.13 e
promplas a receber, nao s seus antigos alumnos,
romo ou tros novos que seus paisqueiram confiar-llio
a sua educacio com toda decencia, moralidadeo
prompto adiantamcitto. .
Policarpo Nunet Corrtia.
~OSr. J. M. C. A. queira mandar pagar 46,000
rs. quo deye ha mais de um anuo do suhscripcSo
de um peridico cuja quanlia recebeude Comuna ;
do contrario se publicar seu itoinc poroxtenso.
Aluga-so uu.a casa na Passagem antes de che-
gara ponto pequea o confronte a casa em que foi
iheatro coqt excedentes eommod .s grande quin-
tal murado, cacimba, estribara, quarto para pre-
tos : a tratar no mesmo lugar n. 1.
Yendas.
1NFOUMACOF.S SEMESTUES.
Vendem-se nformacOes semestres para os carpos
de primeira linha : na praca da Independencia, li-
vraria ns. 6es.
FOLIIINIIAS
para sacerdotes paraalgibeira, para escriptorios
para porta: vendem-se na praca da Independencia,
livraria ns 6 e 8.
Vendem-se, na ra do Crespo, loja n. 11, caxas
de liulias com8 nvelos, a 80 rs.; urna cabelleir*
para senhora chegada no ultimo navio urna ca-
saca nova que se vende por nilo servir ao dono; i
colchos de lila hespanhola para passageiros, por
prego commodo ; urna obra de Magasin universal ,
7 voluntes novos e oncadernados, por 18,000 rs.; u>
Capibaribe a 80 rs. avulso.
Vende-se um palanquim por preco commodo;
na ra de S.-llita, 11.18
CHA' BARATO.
Na ru do Crespo loja n. 23, vende-se cha em la-
tas o em caxas a 500 rs. : quem quizer procure na
referida loja sonde ha tambem cha preto que sa
vender mais barato.
Vendc-se um cenlo de couros de cabra, por pre-
go commodo : na ra Direila, n. 63.
Vende-se urna armag.lo de loja, envidragada :
no Alerro-da-Ba-Vista, n. 72.
'- Na ra de A^oas-Verdes, n. 46, vendem-se 4 es-
oravas mogas com habilidades ; urna bonita ntula-
tinha paca todo o servigo ; urna escrava quitandeira
e lavadeira por 280,000 rs, ; urna bonita escrava ;
um lindo mulatinho; um escravo padeiro : tudo por
menos prego do que em outra qualquer parte.
Vende-so urna venda com poneos fundos, na
travessa do Marisco, n. 24 1 a tratar na mesma venda,
Vende-se urna casa terrea sita n ra de S.-
Rom-Jesus-das-Crioulas, n. 35 1 a tratar na mesma
casa.
Vendem-se, na ra do Crespo n. 14, terceiro
andar das 6 as 8 horas da mantilla e das 2 as 4 da
tarde os livros abaixo declarados todos em bom
estado:
1 Atlas de Simmencourt.
I Ithclorica de Quintiliaiio, 2 v.
I Cicoro (rallnos, 1 v.
t CamOos, luziadas, 1 v.
1 Vieira, diccionario ingle/, 2 v.
1 Montero, lliade.
1 Historia da Grecia.
Elementos de civilidade.
1 Montepelier.
I Fonseca, diccionario F. P. e P. F. 2 v.
Me&lre francez.
I.hmond.
Telemaque.
Sevone.
Historia antiga.
Historia sagrada.
llora lid 2 V.
ruello, I V.
Virgilio.
Sorvetes.
O respeilavel publico achara no
gj botequim francez da ra Nova, n.
SR
IR
IR
m
:r
I Tilo l.ivio, 1 v.
1
5.000
6,000
1,000
1,600
16.000
2,000
1,000
800
1,000
10,000
2.000
2,000
1,280
4,000
1,600
3,000
4,000
1,000
800
2,560
1,000
1,280
3,000
3,000
1,280
1,280
1,600
80O
1,000
8,000
1,000
r@
IR
w
m
m
$l 69, um lugar nimio agradavel c
^; fresco para lomar sorvetes ; todos
r: os dias das 6 Iioims da tarde em di-
| ante,

Alugam-sc os primeiro e segundo andares d
sobrado da ra do Caldeiieiro a tratar no puteo do
Carino, n. 9, segundo andur.
Na ra da Cruz, n. 21, perdeu-se un cachorro
le fila novo, gratulo e com as orclhas cortadas:
d-sc boa gratiflcagflo a quem o levar.
--Aluga-se um casa nova de um andar na ra da
llnio bem repartida e grande, no fundo da casa
do Manoel Alves Guerra da ra da Aurora: a tratar
com o mesmo Guerra.
0 abaixo assignado lem a honra de participar
aos Srs. proprietariosdos engenho c fabricar as-
sucsr, e mesmo as pessoas que o recebem nesla pra-
5a, que o annuncianle se aclia de novo eslaboleci-
do com armazem na ra do Apollo, n. 24, com Bran-
das deposito! e lodos os mais preparas precisos,
com bom embarque para peder receber, tanto pelo
lado de tena como pela mai pequea todos os as-
sucares que seus donos, ou quem os representar qui-
zerem guardar para so embarricar ou ensaccar
couro melhor Ihos convior para a cxporlagSo, afim
de poderem vender com maior vanlagem e nilo
osacrificarem quando chega ao mercado por nao
haver ondo o deposilem, e isto por urna mdica
commissilo quo so convonciona a vista no mesmo ar-
mazem ondo se achara presente lodosos diasea qual-
quer hora o mesmo abaixo assignado bem coiilie-
Cido nflos como por ter negociado de 1S3 ale
1814 com assucar mas co.:io agente das cobrangas
da administragao da exlincta companliia do l'ernam-
buco e Parahiba ondo tem merecido a conlianga
dos Srs administradores da mesma.
Josi Antonio de Souza Machado.
Compras.
Compra-se um oratorio pequeo, de quatro a
cinco palmos, sondo novo ou usado : na ra Augus-
ta, n. 94. '
Compram-se garrafas prclas sendo limpas.a
80 rs. cada urna : na rita du Madre-de-Ueos, n. 36.
Compra-so unta armago que sirva para loja do
miudezas: no Aterro-da-Ba-Vista, n. 21.
.Compra-se ouro, tanto do lei como baivo: quem
tiver annuncie.
Cornpram-se, efectivamente, garrafas e botijas
vasias: noAterro-da-Boa-Vista, fabricado licores,
n. 17.
Salustio.
Elemento de civilidade.
Manual enciclopdico.
Quintilianode Vilalolos.
Lgica do Cumular.
Methaphysica de Cardozo.
Droz, apiicago da moral.
1 Luziadas, 2 v.
1 Lig.lo de geographia.
I Manual de agricultura brasileira.
1 Auxiliador da industria nacional.
Vcndc-seum par de rodas de sicupira, proprias
para carroga de cavado, novas : no Recco-Largo do
Itecife junio as taixas do ferro ondo se vende li-
jlo e telha por barato prego.
-- Vendem-se 5 molequos de 12 a 16 annos ; 3 pre-
tos de 25 anuos ; 4 pardos de 16 a 25 annos; urna
pardinha do 16 annos ; 5 protas de 12 a 20 annos,
tendo algumas dolas habilidades : na ra do Colle-
gio, n. 3, se dir quem vende.
Milho,
a 120 rs. a cuia 00 alqueire a 3,800 rs.: no psloo
do Tergo, vendas ns. 1 e 139.
Veiulem-so bulos e cafeteiras de metal, de ricos
padrdes : na ra Nova, loja do Jos Luiz Percira.
Vendont-so espidas com bainhas d'ago e tam-
bem pratcades : na ra Nova, 11. 16.
Vendem-se duas a tres mil patitas de coqueiros,
postas no Pago-da-llarreta : na ra eslreita do Ro-
zario, n. 30, primeiro andar, so dir quom vende.
Vende-se um deposito de assucar e caf com
poucos fundos na ra Ilireita n. 54 : a Iratar oa
ra de Hurlas, n. 7.
Vondcm-se mcias de linho muilo finas e aber-
las para senhora na ra du Queimado, loja de miu-
dezas n. -25.
Vende-so urna preta de 20 annos, sem vicio, e
que faz todo o servigo de urna casa de familia: ua
ra da S.-Cruz, 11. 18.
Gangas da India,
,1111 re las a peca
de duas larguras pelo barato prego de dez tusldes,
para realisar conlas : 110 armazem do fazendas de
Kaymuudo Carlos l.oitc na ra do Queimado, n. 27.
No armazem do Bacelar dcfronle da escadi-
ubadooaesda Alfandega vendem-se caixas com
velas de sebo de superior qualidade : os prolenden-
tes dirijam-se ao dito armazem ou a ra da Cruz ,
no Itecife 11. 66.
Vendem-se saccas com boa fai inha : na ra do
Itangcl, n. 8, u no boceo do Carioca armazem do
Pinto.
Vendem-se 5 bonitos moloques de 12 a 18 an-
nos, sem vicios; 3 bonitasescravas com habilida-
des tendo una dellas parido ha 4 mezes, com mul-
to bom e abundante leile, o a cria mulatinha : urna
parda de bonita figura de 20 annos e com habili-
dades ; 4 pretos, sendo um delles bom carreiro ; um
dito pescador do alto e bom canooiro da-so inulto
cm cunta; um mulatinho do 14 annos ptimo para
pagem : na ra do Vigario, n. 24,
otas egypcias.
Remedio sem igual para dor de denles, j bem co-
nhecido no Rio-de-Jaueiro provincias do sul e lti-
mamente nesta provincia pela sua efllcacia em alli-
viar a dr mais tenaz, qur seja motivada pela ca-
rie, qur por infla mniago ; mas s a experiencia de
urna prova lhe dar o devido merecimento. Vende-
se na ra da Cadeia do Recite, botica n. 3, de Pi-
uienla & Cruz.



di
rnile-e i;m piano perpendicular, de jararan-'dosdo barricas: vende-se
a prego que o comprador
mazem de
ininio commodo, por nflo oceupar muilo es-! farii lodo o negocio: atrs do theatro, arm
pac,o (1.n sal em bom uso : na ra da Cadcia doS.- ; Joaquim l.opcsde Almeida.
Antonio, n. 17, porciina doormazom de lijlo, do ^'...ii .,'.....
lado da cadcia. I ARELO EM SACCAS PE 90I.1WUS :
T, N""lleni"so barriquinhas corneal virgem de, vende-so no armazem de Vicente Ferreira da
r.isnoa muilo nova; techadoras paro portas tic na rua da Madre-de-Deos, a 3.500 rs.
rmazem ; rctroz do Porto ; barra com oleatriio da
SUeciOj pilulas da familia ; ancoretns com azeito- Viiilin liir'ilri
as, por prego commodo : na ra do Vigario n. II,
armazem de Francisco Alvesda Cunha.
Vendem-sc taimas- america-
nas at." palmos do largura
Cost
o do toilos os comprimcntos.qno lia muilotempo nio
tcem vindo e os freguezesexperimentando a falla
lesia cxcellente qualidade. A ellas que sflo poucas e
o prego ho barato. Atrs do llicalro, armazem jun-
to a more, de Joaquim Lopes de Almeida.
1.onas nglczas.
Vcndem-se peras de lona inglcza, de
lia qualidade, e por preco mais barato
do que em oulra qualquer paite : na ra
da Cadcia do Uccife, armazem n.
Vende-se, no venda n. 88, defrontc da malriz da
Boa-Vista junto o botica vinbo de Lisboa a 1,120
rs. ; dito do Porto, a 1,200 rs. a caada, o a garrafa a
160 rs. ; letria a 260 rs.; presuntos a 320 rs. a
libra ; arroz de vapor, a 100 rs. a libra ; e todos os
mais gneros de venda por prego commodo.
Vende-se ca) virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte: na ra do Trapiche, arma-
zem n. I7.
--Vomlem-se semeas em saccas muito" grandes,
a 4,500 rs.: na ra da Madre-do-Dcos, armazem de
Vicente Ferreira da Costa.
12.
Fardo,
rioDa ; Lanicas com baolbodc esra-
ditas coni lardos a
em barricas a 4/00 rs. ; saccas grandes, a 3.50o
rs., ditas pequeos a 2,800 rs : no armazem do J.
J. Tasto Junior, na ra. do Amorim, n. 3.
Cal de Lisboa.
Vende-se muilo nova e superior cal
virgem de pedra, desembarcada ha pon-
eos dias, e cm barris pequeos de quatro
arrobis e mcia : na ra da Cadeii-Vclha,
armazem n. 13.
--Vcndcm-se pegas de madopolito muilo Inrgo ,
coro 20 varas proprio para forro o roupa do escra-
vos a 2,800 c a 3,000 rs. : na ra do Caes, n. 17.
Cha nacional de S.-Paulo.
Vcnde-se o muilo superior cha do S.-Paulo em
raxasde1,2, 6 o 13 libras: na rua da Cadcia do
lenlo luja do Jo.to da lunha Magullles.
No armazem de Joaquiui da Silva
Lopes vendem-sc saccas com cafe He cs-
Collia de primeira qualidade, n 1,700 rs.
a a
na a f),ooo rs
/j,ooo rs.
VVndem-sc barris pequeos com cal virgem de Lis
ba, a mais r.ova que ha no mercado, por prefo co-m
mido : na ru.i da Moda armazem u. 17.
Poiassa.
Desembarcou La poucos dias una por-
co de barris pequeos, com muito nova
e superior potassa, c se acbam venda,
por preco mais bartto do que ultima-
mente se venda, na ra da Cadcia-Vclba,
armazem de Bailar &(Jlivcira, n. 12.
Vinho barato.
Acba-sc estnbelccido na ra da Madic-ilc-Dcos,
n. 36 um armazem de
Yinhos da Figueira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
c a 160 rs n garrafa ; e para n3o baver dolo do com-
prador serfio lacradas os garrafas e com rotulo, ro-
cebendo-se a garrafa vasia, o dando-se inimediala-
mente a outra efieia lamhcmha barris muilo pe-
queos proprios para queni passa a fcsla. O pro-
pietario deste estabc-lccimento pede.encarecida-
mente que se nio Iludan avallando, pelo diminuto
preco csem eonhecimento de causa a qualidade do
sua fazenda digna por cerlo da estima dos verdo-
h-iros ornantes da boa pinga. Ello conta que quem
urna vez provar continuar com gosto c se.m arre-
pendimento. E o bom prego!!.' A todo o exposto
aerresen o asscio o boro acondicionamento o que
tudo se poder verificar cm dito estabeleeimento.
Vcndo-se a verdadeira e muilo superior fari-
nlll SS8P, a relalbo e cm porglo ; dita de outros au-
tores na ra do Vigario, arma/eni de Francisco al-
vos da Cu litio, n. 11.
Na pa Jara da ra da Guia, no Recite liaver
todos os dias a venda o novo piio de Provenga, fa-
bricado por oulro modo que o dual e da melhor
farinha que lia no n ercauo : por este motivo no se
pode fazer scnSoa 40, 80 e 160 rs. .
Vende-se vinbo do Porto, muito superior c
de nutras qualidades em barris de quarto, quinto,
soito, stimo oilavn eem pipas, por prego "
comniodo : na ra do Vigurio, armazem di
cisco Alves do Cunta, n. tt.
muito
e Fran-
Agencia da fundicao
Low-Moor, ra da Sen zalla-
nova, 11. 42.
Neste eslabclccimento contina a ha-
ver um completo sortimento de atoen tas
e meias n-.oendas, para engenhn; ma-
chinas de vapor,c Im lias de ierro batido e
coado, de todos os tnmanhos, para dito.
Vende-se um lindo mojeque le 12 anuos ; urna
bonita mulntinha dc7 annos : todos em conta., por
serrn de prssoa que se retira : na na larga do Ho-
zarlo I o ja 11. 35, se dir .quom vende.
Taboado de pinito da .'necia,
de 10 a 55 palmos
de compriincnto o melhor que tem chegado a este
mercado, em r/tzilo de so poder envernizarcm qual-
quer obra por nio ter nos e ser muito alvo sen-
tid costado, cosladlnbo, assoalbo, forro e para l'un-
LdJ&v
Neslo loja lia una grande porglo do chitas
finas e le coras (xas, que pora so' acabarem
com brevidade, vcndem-se, as pegas a 5,800
rs. e o covado a 160 rs. ; bem como um res-
to de riscodo monslro a 240 rs..
Vcndc-sc o venda da ru lo Apollo, n. 21, com
poucos fundos: quem o pretender, dirija-su a ra da
Madre-de-Deos, a tratar com Vicento Ferreira da
Costa.
Vemic-se cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobfis chegado pelo ultimo navio, por prcf o commo-
do : a tratar com Almeida si Fonseca.narua do Apollo.
PURO VINHO DA FIGUEIRA.
Exislo no armazem do moldados, atrs do Cor-
poSanlo n. 66 unta grandn porglo deste genui-
no vinbo que se esl vendendo pelo diminuto pre-
go do 1,120 rs a caada c a 160 rs. a garrofa ; tam-
ben! ha em pipas que se vender mois cm conta : lie
este o melhor de todos os vinhos que se tcem an-
nunciado pela sua simplicidade e opllmo paladar:
quem urna vez o beber jamis deixar de o com-
prar.
Vende-se muito superior lagedo do Lisboa, o
cal virgem cm barris le 4 arrobas, por mdico prego:
na ru lo Vigario, n. 19.
Chegou da Franga na Julei e acha-se a venda no
seu nico deposito em casa do Kalkmann Irmtos, na
ra da Cruz, n. 10, o vinho de
Champanha marca estrella
do fabrica le Moet & Cbandon cm Epcrnay cujo vi-
udo ltimamenteachou a maior approvagflo na Eu-
ropa.
A bordo do patacho Jlogoense^ em
frente do trapiche do algodao, vende-se
firinbadc mandioca de muito boa quali-
dade, cm grandes e pequeas poreocs,
por tueco commodo.
Ufad eir de pinho
Vende-se a melhor madeiro de pinho que lem
viudo a esto mercado: na ra do Madrc-e-l)cos ,
armazem de Vicento Foi reir da Cdsla.
Algodao trancado da fabrica
de Todt>s-os-Santos da
Itahia ,
muito proprio para saceos de assucor e roupa de es-
cravos : vendo-so cm casa de N, O. Biobor & Com-
panlii.i na na da Cruz, n. 4.
Vende-so na ra la Cadeia dn lecife loja de
J080 da Cunha Magalhfles.a primeirn volnmc los Se-
to Pcccados Morlaes, por Eugenio Sue ttaduzido
cm poituguez porl 600 rs.; o Memligo negro de
Paulo Feval, Iraduzidoem poiluguez por A. llego,
1 v. por 1,000 rs ; as poesas de Jolo de l.einos Sei-
xas Caslcllo-liranco ; Amorc Melancola, por Cas-
lilho ;o primeiro, segundo o teiceiro voluntes da
I.izia Potica.
--Vcndem-se ccnlo e tantas barricas quo fram
de trigo, muito novas : otros da matriz da lloa-Vis-
ta n. 26.
Vende-so cr.f modo para as tabernas, muilo
bom, e mais barato do que cm outra qualijucr parte:
tKinbem s-recebo caf para so moer, por prego
commodo : atrs da matriz da lioa-Vista n. 26,
Conlinna-se a vender espirito de
36 a 41 graos: na restilago da trovessa da Concordia.
Vende-se, por juego commodo um lindo cor-
ro de las rodos, que os Francczcs chamam tilbu'ry,
rom os scus competentes arrcios : na ra da Cadcia
do Recife, n. 52.
--No deposito le Me. Calmont & Companhio na
ruado Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-
mente grande sorlimcnlo de ferragens inglczas para
engenljos dn assucar corro sejam : taixas do ferro
coado le dilTeronles modelos, os mais modernos;
lilas le ferro balido ; moenilos de ferro lo modo-
o adoptado, para armar em madeira ; lilas lodas
de ferro, lauto |>ara agoa como |>ara animaos; ma-
chinas de vapor de forga do quatro cavallos c de al-
ia pressiio o mais moderno o simples quo be possi-
vel ; repartideiras ; espuinadciras J'rcsl'riadeiras de
ferro eslanhado; formas do ferro: tudo por prego
commodo.
Vendem-se presuntos para fiambre; qnojos
lonilrinos ditos de prato ; Islas com bolachinba
fina do Lisboa ; ditas de araruta ; conservas novas ;
mostarda ; potes com sal fino ; latas com mermela-
da nova; ditas com bervilbas; caixinhas com mas-
sas linas ; vinho moscatel de^etubal: dito Sherry ;
licores linos ; e outros mais eneros, por prego com-
modo : na na ds Cruz, no Itecifo, n. 46.
FARELO
em saccas muito grandes,
a 3s'tioo rs. a sacea:
no armazem do Braguez.ao p do arco da ConceigSo.
- Na ra do Crespo loja do portas, n. 12, ven-
dom-se chapeos do castor pretos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Vemlem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4<>.o rt.s na roa da Sanxalla-
Vcha, a. 138.
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, c rua da Cadeia, n. 34.
CHA'BRASH.EIRO.
Vende-se. no armazem de moldados atrs do
Corpo-Santo, n. 66, o mais excellente. en produzi-
do emS.-Pauln, que tom vindo a esto mercado
por prego muito commodo.
Vende-se um moleque do7 annos; urna escra-
va com cria muito boa costureira o quo faz cha-
pos o loucas o engomma bem ; 3 prelas de 16 a 20
annos eom habilidades, o que sito boas quitan-
leiras ; um pardo de 18 annos de muito boa con-
ducto, c ho ptimo para pagem : do todos estes es-
cravosse alianga a conducta : no paleo da matriz de
S.-Antonio sobrado n. 4, se dir quem vende.
Novos riscad< s monslros chi-
neases, a 560 rs. o covado.
Na loja deCuimores & Companhio na ra do
Crespo n. 5, vendem-se os novos meados chine-
yes finos lo padrAs muilo lindos e os mais mo-
dernos que leem opparocido nesta cidade, do vara
do largura pelo barato prego do 360 rs. o covado.
As novas casimiras de algo-
dao, a 1560 rs. o covado.
Ihor qualidade que vem a este mercado,
e chegada ltimamente, pelo barato pre-
90 de 16,000 rs. a sacca.
Vende-se farinha de man-
dioca em saceos ; no armazem n. 30, na ra da Ha-
dre-de-Deos, ao lado da alfandega.
Macaas e caslanhas.
lloje es'.io a venda, no arco da Concei-
cSo, o restante das barriquinhas com ma-
5as, viudas no gello. Aprovcitcm-se do
preeo e da qualidade, que'poralgum lem-
po c n5o vem mais 1' tambem se vende
na ra to Vigario, armazem do Cunha.
Vende-se unva boa escrava moca sent vicios
nem achaques e que lava, engomtna, cozinha e faz
alguna doces solTrivelmenle : o motivo' da venda lie
por seu senhor retirar-se para a Europa: na ra das
Cinco-I'onas, n. 82.
He barato I#000 rs. !!
Vendem-se esleirs de Angola grandes a 1,00o
rs. cada urna ; ditas pequeas a 400 rs.; ditas do
carnauba, d varios pregos : todas silo de muito boai
qualidades o julga-sequo por estes procos nilo che-
garfio para as encommendas, por isso roga-se aos
compradores que venham fazer a devida esculla,
se nflo, se no: na ra Direila, venda n. 76. \
Extracto de salsa-par rilha con-
centrado do Dr. Mead.
Ha quatro annos, desde que esta superior prepa-
ragSo de salss-parrlha foi conhoeida no Brasil,
principalmente ao sul onde est conhecida coma
um dos remedios mais efllcazcs para todas as moles-
tias produzidas pela impureza lo sangue como
sejam escrophulas ou alporeas, molestias syphlli-
case mereuriaes rheumetismo, chagas ulcerosas,
tumores broncos, doengas do ligado e da cutis,
debilidade geral, etc. ; be tambem recommondada
paro as molestias interiores em que se supp6cm
os bofes e pcito atacados, e bem assim naquellasem
que a constiluigfio esliver arruinada pelo uso exage-
rado de preparagiles mereuriaes. As curas que tem
offectuado nestas molestias sao tito numerosas o
completas, que all tem ganho o titulo le verdadeiro
restaurador da sade. Vende-se na ra da Cadeia do
Itecifo, botica n. 3 de Pntenla & Cruz.
Vendem-se saccas com arroz dva-
Na loja n. 5 da ra do Crespo, vendem-so as novas
casimiras de algodfio do padrbes os mais ricos quo
teom apparecido ueste mercado pelo barato prego por, de superior qualidade, a > s 200 rs. a
560 rs. o covado. ..l, .jk.. J.lj.J..J.': 'fi_.
de_
Vendem-se chapeos do castor bronco, a
4,000 rs.: na ra do Qncimado, n. 22.
COBBK.
Vende-se cobre para forro e caldcirei-
ro : na ra da Cruz do Recife, n. 17.
NOVO PAO A PROVENGA K BOLACHI.MIA
REGALA.
Fabrico-se na Santa-Cruz, podara de urna s por-
ta, com a frente para a ru do Sebo; assim cmo
tambem toda a qualidade de bolacha de diflerenles
tamaitos, enlreellas a bolachinha d'agoa o sal de
30 em libra, furadinha, lorradinha e tudo o mais que
be proprio destcsestabelccimenlos, empregando-se
sempro os melhores e mais novas farinhas que lio
no mercodo o mesmo so acha a venda na travessa
ila Madre-de-Deos, n. 13, deposito da mesnia poda-
ra ; e no esquina da ra do Collcgio, venda do So-
bral, tilo smenle a bolacbinba regala doco.
Vende-se 11 na cosa terrea de podra e cal, na
estrado InS.-Jos doManguinho, por barato prego :
na ra da Cadcia de S.-Antonio n. 21.
Rap piinceza de Lisboa, a
2,000 rs. a libra!
Vende -se rspii fino princeza de Lisboa a dous mil
rs. a libra : nada, lio mais barato, a elle : na ra No-
va n. 30, loja le Domingos Antonio do Olivcira.
Vende-se na loja de quatro portas
da roa do. Cabug, sorlimcnlo de bi-
cos feitos as ilhas, de linho puro ; e li-
nas de linho, proprias pora lavarintos,
ns mais finas que (eem apparecido.
Vende-se urna venda com poucos
fundos, no melhor local do Recife, a ra
da Madre-de-Deos, n. 5 : a tratar na
iiicsma venda, ou na loja de ferragens n
56, da rua da Cadeia do Becife.
Vendem-se navalhas de ago da China para'
barba ; oculo pora lodos as idades ; tesouros para
unhas ; lonetas ; o outros muitas miudezas baratas :
na rua larga do.Rozario n. 35.
Vende-se na rua do Vigario n.
tr), a. andar, cera em velas, fabri-
cadas no itio-de-Janeiro, em urna
das melhores fabricas, e em caixas
pequeas, muito bem sortidas, por
ser de 3*atc 16 em libra; e tam-
bem ha velas de urna e de meia libra,
braudSes, por preco mais barato do ]
que cm outra qualquer paite.
Vendo-se um Atlas do Simcncourt, em muito
bom estado por 6,000 rs.; urna Arillimelica de Be-
zout, em bom estado, por 1,280 rs. : na rua do Hos-
picio, n. 4.
Vendem-se Tilhotes muilo gordos, a 400 rs. cada
um ; um lindo casal do pombos mariolas : na rua
da Florentina n. 16.
No armazem de Joaquim da Silva
Lopes, na rua da Madre-de-Deos, n. 10,
vendem-se saccas com t arrobas e 8 li-
bras de superior farinha de trigo, da me-
arroba, editas do mais ordinario, a t'600
rs. : no armazem do fallecido Broguez.
Vendem-su charutos da Itahia, os melhores qus
teem apporocldo : vendem-se nflo s em grandes
porgues como em pequeas al urna caixa, por pre-
go muito em conta ; na rua da Madre-de-Deos, loja
de chapeos, n 32.
CHARUTOS DA BAHA.
Vendem-sc os melhores charutos da Babia : ni
rua da Cadeia do Becife, 11. 48 primeiro andar.
Pao de inilho.
Na ru dos Cuararapcs. n. 5, em Fra-de-Portas,
ha lodos os dias encllenle pfio de milito a venda,
feito cpm o maior asseio possivel; e igualmente
3uatro diflerenles sorles de farinha de milito, sen-
il a primeira finissima o proprio para cangica
as nutras mois grossas para ang, pio-dc-l e pa-
ra sustento de passarinhos. O proprielario deste es-
tabeleeimento, tendo um hom munho de vento com
quo faz esta farinha, so comprometa a fomeccr
qualquer padaria coma porg.to que quizer diaria-
mente. O mesmo proprictario chama a ltcng;loilos
Srs. rommandantes dos cor'pos de primeira linhi
para este pfio, que, nflo sendo no paladar inferior ao
de trigo c sendo mois nutriente e barato que esto,
parece por issomui proprio para a-tropa.
A BUJES; FREGUEZKS.
f.ontinunm-se. a vender os chapeos da Italia, pe-
to barato prego de 1,280 rs.: as Ciuco-Pontas n.
82 e na rua da Praio, n. 74.
Acaba dechegar pela barca franceza Julei mul-
to superior vinho de Bordeaos, tanto em quarlolas,
como engarrafado, cm caixas d t duzia, assim como
tambem sardinhas em latas de 1/4 e '1/2, azeite do-
ce em caixas de urna duzia de garrafas, exrellonto
vinho de llorgonlia em cestas do 1 duzia, ago'ardenlo
de Franga, Champanha en garrafas,, e meias ditas da
vordadeiro morca Cmela; o que tudo so vende por
pregos rosoavois, em caza de Frederico Robilliard,
rua do Trapiche-Novo, 11.18. -
Vende-so urna porglo de taboado de sedro, pro-
prio para marceneiro : nobecco do Gongalves, ar-
mazem do Araujo.
Escrvos Fgidos
-- Fugio e consta andar nesta cidade um preto ,
de nome Joaquim de estatura regular bstanle
cheio do corpo olhus grandes e obugalhadus, na-
riz muito chalo ; Icvou caigas e camisa do algodo
da trra, e bonete proprio de manijo. Esto preto
tem andado embarcado o ja foi do Sr. Joaquim Lo-
pes do Almeida! Quem o pogar leve-o a ruada ('
doia-Vclha. n, 33 que ser gratificado.
Boa recompensa.
Fugio, do engenho Taquary, comarca de S.-AnUo,
no domingo, vespera do festa lo Natal, oerioulo
Manuel, natural uo serbio do Sirid; he alto, bom corpo cr fula, cabello pouco pichaiin al-
guma colisa barbado pos e mitos seccas, Q cm un
das nulos junto a montura unta ioaliiz bem visi-
vel proveniente de tu [lio e 110 jieilo do p opoto
outro igual ; lem 20 e lanos annos: quem o pegar
lovo-o ao dito engenho ou na rua. do utimado ,
n. 27, quo ser recompensado.
Contina a eslar fgido desde dezembro do
1848, o pardo Jacob do 18 anuos, secco do corpo ,1
cabellos estirados ; tem falto de um dfnle na frente,
e a marga de um caustico : quom o pegar leve-o
rua Nova a Jos Luiz Percira que gratificar.
RCSN. : NA TTF. Dt. F. DI FAHIA. 18*0
II


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL23RII8R_XGWEMW INGEST_TIME 2013-04-13T02:32:03Z PACKAGE AA00011611_06221
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES