Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06220


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV.
O DJ-l/TOpnblIci-se todos os diasque nao
forem de guarda. O preceda assiRiiatura he
de-ijOOO-rr. porqtiarlel, pagos ailiantadoi. Os
atinando* dos asslgnantos sao Inseridos a
rasao de 20 rs. por linha, 40 rs. ein typ (NT-
fcrente, r a rrpelictiea pela mctade. Os nao
asslgnantes pagareu 80 rs. por linba e 100 rs.
ein typodiu'ereolc, por cada pubcacag.
IPHASES DA LA NO MEZ DK JANEIRO.
Crescente, a 2, s 5 horas e 10 mln. da rnanh.
Lua chela, a 8. s 8 horaf e 31 min. da tarde.
MlnRnante,al6,as Lua nova, a 24, 7 oras e 43 mln. da maub.
Segn da-fe ira 15
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahiba, s srgs. e sextas-fe ras.
RIo-G.-do-Narle, quintas-feiras ao meio-dla.
Caho, Serinhcm, Rio-Formoso, Porto-Calvo-
Macei, no 1. a 11 e 21 de cada mez.
Garanhiins e Bonito, a 8 e 23.
lina-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, > quintas-fclras.
Olioda, todog o das. .
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, sO horas e 18 minutos da manh.
Segunda, s 9 llorase 42 minuto* da tarde.
de .Janeiro de ?8i9.
N. H
das da semana.
15 Segunda. S. Amaro. Aud. do J. dos orpB.
doJ.dociv.i-(loM.d.i2.v.
Terca. S. Borardo. Aud. do /. do c. da 1.
.* X" e do J- dl' I1" do dist. de .
17 guana. S. Aiiio. Aud. do J. do c. da 2.
v. c do i. de paz do 2. dist. de t.
18 Quinta. S. Prisca. Aud. do J. dos orph.
c do J. M.da l.v.
19 Sexta. S. Canuto. Aud. do J. do cv. c
do J. de pai do 1. dist. de t.
20 Sabbao. S. .Sebastiio. Aud. do J.doc.
da 1. v. e do J. de paz do 2. dist. de t.
21 Domingo. S. Igncr.
CAMBIOS NO DA 13 DE JANEIRO.
Sobre Londres a 25 '/j d. por 1/ rs. a(O diai.
Pars
Lisboa 110 por cento de premio.
Rlo-de-Janciro ao par.
Dcsc. de lelt. de boas firmasa I' ^ ~ ao inei.
Aeces da comp. de Peberibe, a M$ rs. ao p.
Oiirn.Oncas hcspanliolns. 21Hi0 a 29/iull
Modas de (il4tK> v. Hi/fMW a 17/100
> il. lKlOll, il'i.-l'in .. [ 11. :>( ii i
de4^000... U/200 a 'i/loi'
PraKi-l'ataccs brasileiros l/!>30 a I/&M
Petos columnarios. 1/930 a UW>
Ditos mexicanos..... 1/880 a 1/jOO
ARIO
PARTE OFFICIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 12 DE JANEIRO.
Officio.--Ao presidente da_j){>vinc do Pr, re-
eommendando a expedicfto de suas ordetts pifa que
rom mnior brevldade possivo'I sejam enviadas pa-
ra esla cidade nflo s as seis dses de uassac que
fnltam para completara primeira porclo desso me-
dicamento pedida ltimamente pela presiden-
cia, sen'lo tamhem mais vinte ; e declarando
quo vsi mandar.por ilisposiQio ilo presidente do
concelho peral de salubridade publica desta pro-
vincia a quantia necessarla para o pagamento dessa
segunda eneommenda. N'esle sentido officiou-se
ao presidente do referido concellio e ao inspector
da liiesouraria 9 fazenda provincial.
Dito.Ao administrador das obras publicas, de-
clarando que para decidir acerca do contedo no
requerimento de Amaro Fernandes Dallro Jnior,
quo ora devolve com as informaQOes que o acom-
panharam, releva quo S. me. remella urna copia
do contrato, em virtude do qual (icn elle- sendo
considerado como arrematante do 1 lauco da es-
trada da Escads.
Dito.Ao procurador da corda, fazenda sobera-
na nacional, rocommendndo baja de dar o seu pa-
recorAeercadoconlcdoem um requerimento dolhe-
soureiro das loteras concedidas a favor das obras
ilii diestro publico desta cidade, acompanhado de
informarles do inspector da thesouraria da fazenda
c do juiz presidente das loteras.
Dila.-o desetnbargador juiz relator da junta de
justica, transmiltindo o processo .do soldado do
corpo do polica, Manuel Thom, para que d'epois
de visto, o aprsente em sessflo da mesma junta. .
Dito. Ao desembargador procurador da corda,
fuyenda e soberana nacional, exigindo o seu pare-
cer acerca do contedo n'um requerimento do Joflo
lli'lariu de Barros, acompanhado de informales do
coronel commssario-pagador cdo director do ar-
senal de guerra. 0f
Dito. Ao cunmandante das Turcas navaes, par-
ticipando haver revogn.lo a ordom qne expedir a
agencia dos vapores acerca do transporte do escri-
vilo e commisMirio do brigue-cscuna [galidade pa-
ra a corlo do imperio, e officiado ao inspector do ar-
senal de- inariiiha par* que contrate a passagem
dellocm navio de vola. N'oste sentido olllciou-se
ao agento da conipnnhia das barcas de vapor e ao ins-
pector do arsenal do murinlu.
seu officio datado de hoje. OITciou-se nesle senli- caeadores ; 1." tenonto Jos Pedro Hcitor, comman-
doaocommandante das armas. |dantedoartilbaria; capitilo Joflo dos Passos Nepo-
liilo. Ai) mesmo, exigindo o seu parecer acerca jmuceno ; dito Guilhermino Jos da Silva; a I Teres,
do contedo n'um officio do delegado do Rio-Formo-
so, e na segunda parte da circular da presidencia,
que remello por copia.
Dito.Ao administrador das obras publicas, or-
denando mande orear o concert da culpada e gra-
dara da ponte da lina-Vista, e que declare o lempo
em que essa obra pode sor acabada.
Dito.ao mesmo, devolvcmlo o requerimento de
Jos Xavier Carneiro Rodrigues Campello, e siguifi-
cando-llie que lie da presidencia que o supplicante
devede solicitara dcsignacio doengenbciro quo ha
de oxn miniir o docimo lauco da estrada da Victoria,
de que elle lie arrematante.
os
DitoAo commssario-pagador, declarando que
i vencimenios, a quo lem direito p quaitel-mestrc
do 6. balalh.lo do cacadores, Luiz' Jcronvmo Igna-
cio dos Sanio, pelo excrcici do lugar de pagador
junto as Curcas em opertcoesao mando do comman-
dante geral da comarca do Cabo, pasa o qual o-ha
nomcado, sflo justamente aquellos queS. m. Indica,
sendo corlo que nao pode elle exigir de mais urna
pr.it ilicic;lo igual ao ordenado quo percebia o ex-
pagadircomo oinpregailo addido daquella pagadoria,
visto como'esse ordenado lio urna paga de servlcos
que nada leera com a commissflo que Ihe est in-
cumbida.
Dito.Ao presidente da relacflo, recommendando
baja de emittirsua opiniflo acerca do contedo no
requerimento de alguns habitantes da Creguozia do
Poco-dn-PanelCa, e no officio da cmara municipal
desta cidade, que a elle vai annexo.
Dito.-Aodescmbargador procurador da cor, fa-
zenda o soberana nacional, exigindo o seu parecer
sobre um requerimento do JoSo Ozorio de Castro ala-
cid Monleiro, acompanhado da informaco do 2.0
lenlo cncarregado da medieflo des terrenos de
marinha.
Dilo.-Ao mesmo, exigindo o seu parecer Acerca
do contedo n'um requerimento de Ignacio da Silva
Coutinho Jnior.
Portara.Dispensando do frvido da guarda na-
cional aos olciacs do 5.' balalhao abaixo decla-
rados.
'apiflnda 2.' companhiaAntonio Caldas da Silva.
Capitilo da 3." coinpanhia-Josc da Rosurrcicflo Cos-
ta Campello.
Capjtfloda *.'companhiaIgnacio-Alves Monleiro.
Cap to da 5." companhiaJos Laurcutino de Aze-
vedo.
Tcncnte da 3." companhiaDomingos Jos Marques.
Tenenloda 5.a companhiaFrancisco Ribeiro Pavflo
Jnior.
Tencnte da 6.a companhiaJoaquim Jos de Albu-
querquo.
Alteres da 4.a companhiaFelisbino de Carvalho Ha-
pozo.
AilVres da 4.a contpantua Francisco Ceraldo dos
Santos.
Alfares da 6.a companhiaAiUuuiu Joaquim Correa
, Lins Wanderley.
Alferesda 0.a companliia-Camillo Lins Chaves.
scientificnu-se o commandante superior respec-
tivo, por cujo intormedio o commandante do sobre-
dito hatalhilo propoz essai demissOes.
DEM DO DA 13.
Offlcjo.Ao commandante das armas, recommon-
daiido naja do informar Acerca do enntedo no re-
qiiiTiinciiio que remello de Francisco Jos Culos.
Dito. Ao commiss.if D-pagador, declarando ha-
ver recebido e transmitlido ao commandanlo das
armas, para que este encamiuhe ao commissario-
pagador das frcas ao mando do coronel Jo.lo dp
llego Barros, as inst.rucc.0es quo acompanharam o
COMJ1ANDO DAS ARMAS.
Quartel-general do commando das armas de Pernambu~\
co, 7 de Janeiro de 1819 .
ORDEM DO DA.
Francisco Jos Damasceno Rosado, Domingos Alves
Rranco Muniz Brrelo; eadeles, Jos Francisco do
Moraes \asconcellos, Pompeo Capistrano do Reg
Lobo el. sargento Manoel Joaquim Ramos ; todos
do 1." hatalhfuule caradores; ssim como osSrs. :
capullo Francisco Rodriguen Cardozo ; lenle llo-
hcrlo Moreka Cardozo de O i ve ira Pantnja; alferes
Jos Eugenio deJeaus; primeiros sargentos Pedro
da Costa Chaves e Semino Correa Lima ; e segundo
dito Francisco Bnrgcs do Lima ; todos do 6.a hata-
lhilo de cacadorec; e o 1. sargonto do 1, hatalhilo
de artilharia a p, Francsco Gomes de Souza. Tri-
butando, pois, estes elogiosa aquellos que tilo mere-
cidamente os recobem, o general espera que todos
cada vez tnasse esme.-em no cumpnmcnto de seus
TifcVeres, na certeza de que o goveruo de S. M. o Im-
porador no deixari de premiar aquclles que se fue-
re 111 credores dl alta considerarlo do nosso magn-
nimo monarclia.
Assi gnado. Jos Joapuim Cotlk.
Conforme. Cmlhtrme do Santos Sazts Cadl, al-
feres servindo de secretario militar.
TRIBUNAL DA RELACAO.

SESSAO EM 13 DE JANEIRO DE 1819.
l'lirsinKM'H DO SNR. DESEMllHCD0r. A7.FVF.no.
Compareccrom os Srs. descmhargndorcs Ponce,
Ha mos, Bastos e Lclo, o por Taita de numero uno
liouve sessJo.
Tcndo eu, no dia S do correle, movido a columna
de met commando para onde suppunha acharcm-so
os rebordes, succedeu que o 6. hatalhilo de caca-
dores reTprcado com 50 pracas do 1." balalhflo de ar-
tilharia a p, indo pola estrada da Ulinga, enconlrou
toda a forc,a robelde no lugar denominado Mf-Ca-
therins. Todo favoreca a TdrQt rohelde : o escuro da
malla, pois eram quasi 5 horas e meia da tarde; suas
trincheiras, hbilmente, enllocadas o astuciosamente
defendidas; nenhtima Tdrc,a que osdslrahisso por
oulro lado, e a sua existencia u.to esperada naquello
lagar : laes obstculos rertaincnle Tariam recuar
oulra que nilo fosse a fdr^a do governo, a quem ni-
camente incommdda andar procurando aonde exis-
te a fdr$a robelde para latela. Em cumprimento,
portanlo, dos sagrados deveres que ligam atropa do
liuha, o G." Iiatalhilo de caladores, leudo frente o
seu digno commandante, o Sr. major JoSo Guilher-
mede Bruce, carregou sobre a primeira trincheira,
qne seguramente linha 10 brabas de comprmento,
dofondida por um mallo ralo, e, desalojan lo o Inl-
migo, apoderou-se della ; mas oulra trincheira em
proiecfiio da primeira fazia um fugo igualmente vi-
vo sobre aquello tilo distinelo corpo. Ignorando as
;ios(;6es doinimigo, nem perniillindo a escuridn
observa-las, e recoioso de sacrificar a tropa do seu
commando, o Sr. major Bruce mandn Ti/er alto,
retiraudo-se na distancia do 50 passos da primeira
trincheira; e depois de enloar os vivas a S. M. o Im-
perador, ao seu justo governo ca constituidlo, es-
ses vivas que tanto realciiui quando s.1o dados no
meio do estampido do Tuzil, dus gemidos dos fondos,
dosanguo e da morle dos benemritos que scllam
com a vida o juramento sagrado que prestaram,
acampou nessa posicilo, mandando-me lopo dar par-
to do encontr. Kuo podendo cu; como desoja va,
voar om soccorro dessa porgfio de bravos quo faziam
parto da minha columna, puz-m em inarcba logo;
odepoisde laboras seguidas de marcha por entre
maltas escuras e pessiinas do caininhar, clieguc II-
nalmenle a L'tinga por outro lado as 9 horas Jo da 6,
chelo de salisfacao por ver a alegra que reina va na
tropa, que de cerlo nflo pareca ter marchado desdo
as 3 horas da tardo do da 5 al s 9, cima referi-
das. Na Ulinga liz alio, mandei descansar um pouco,
0 dar alimento i frga ; dispuz o ataque; quando,
porui, urna partida minha, mandada as 2 para as 3
horas dn tarde reconhecer certas posi^Oes do inimi-
go, voliou, trouxo a noticia de quo ellos tinham to-
cado fogo em algumas casas o abandonado o campo
1 inmediatamente marChei a encontrar o 6. batalhSo
de caladores, deixando na Ulinga o l.da mesma ar-
ma, e trazoudo o 5. defuzileiros. Entil vi o campo
do uiimigo, o a1 cusi acreditava que elle o tivosso
abandonado, s com o choque quo recobeu do 6."
balalho do eagadores, e com a ehegada do rcslo da
columna, teniendo (icar entre dou4 rogos, nlo obs-
tante as fortiflcagOes. Custo-nos odesalojamcnlo
dos pontos avanzados do. inimigo, ea tomada da thu-
cheirn, durunlo hora e meia de Togo vivo, cinco mor-
ios, vinte cinco Teridos e dous contusos.
J>lnpi>n das totalidadcn dos Jeitos iles/tacliados e distribuido* na relurao de Pcrnainlmrn no anno
de 1848, sb a presidencia do Sr. concclhciro Antonio fgnacio de Aseredo,
com observando dus provincias quo so respectivos.
DEMONSTRACAO.

l
C3
2.
c
-e
Despachados..............
Distribuidos...............
27
27
4*
44
o
X
>
i
Pernambuco.........
Alogoas.............
Parahiba............
R io-Grandc-do-Norle..
Ceor..............
R o de-Janeiro.......
Maranho...........
Babia..............
26 I 4i
I
52
51
98
102

2: 0
186
34
2
5
10
60
II
7
9
18
149
16
5
1
15
128
115
B
o
f.
215
90
4
9
I
II
806
539
05
33
23
16
63
6
f
2
519
Rocife, 90 de de/emhro de 18i8. O secretario da reluci, Domingos Affnnso Ferrcira.
INTEfVOR.
He digna dos maiores elogios a maneira dislincta
for que se portou toda a tropa,c farei especial men-
o do Sr. major Jo.lo Guilhermo de Bruce, tanto pe-
la ayancada, como pela retirada prudente que fez,
achando-se j a p, por ter urna bala alravessado a
anca do cavallo em que ia montado; assm como
dos Srs. : capitao Francisco Rodrigues Cardozo ; l-
ente Roberto Moreira Cardozo de Olivoira l'anloja,
alteres Jos Eugenio de Jess Io sargento Semino
Corroa Lima, que sobre a trincheira do inimigo re-
cebeu urna bala na cosa ; o os segundos sargentos
Frsncisco Borges de Lima e JosGoncalves do Albu-
querquo Lima; lodos do C. balalhflo declinadores.
U resultado desle successo fui que os rebeldes, aban-
donando as suas posiQOes 10 nofte, soguirain para
o sul da provincia a se reunir aos outros que por all
andam, com o que estou puauadido quo nada te-
mos a recelar pelo lado do mme, e eu passo a cjri-
pregar os corpos quo compunhaiu a columna do nrou
commando cunlormo urgirem ss necessidades. I)is-
solvida, portanlo, a columna do norto, passo a dar
cumpriinunlo aoque promiettfna minha ordem do
dia ue 21 de dezembro na povoa^flo do Cruang, e fj-
zendo o elogio a toda ella pela bravura que seinpre
mostrou, o principalmente naquelle dia, parlicula-
risarei os Srs. : lenenie-coronel Feliciano Amonio
Falcilo, com manda uto do 5.*'balalhflo de luz I le roa ;
major Joflo Cuilherme de Bruce, commandanle do
* batrlhflo de caladores ; e dilo Joaquim Rodri-
gues Coelho Kely, commandante do 1.a balalbo de
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUCO.
fio-de-Jnneiro, 3 desondro de 1819.
Os jomaos desta mantilla annunciam a sabida fin
Ptrnambueana para esse porto, bojees 1 horas da
lardo, devondo fechar-so mala al s It horas. A
curle/a de lempo de que, avista disto, pnsso dis-
prtr, nfo consenlcqe minuciosamente scionlifique
os seus leilores das occurrcncias desta corto, en-
tretanto farei o que om mim couhor para satisfazer-
Ibos n curiosiilade, giiardandorme para mais decs-
paco fiz-lo polo /m/iraiiur.-cuja sabida esla annun-
ciada para 9 do corrento.
S. M. o Imperador Toi no dia 28 do passidn, pola
manbfla, visitar as obras do hospital dos alheados,
denominadoHospicio do Pedro II c sito na
Praia-Vormelha. He o mais siberho edificio que con-
1.1 a architectura brasib-ira, o quo lio dovido ao/co
incansavol e ao patriotismo do admiiiistrador,d.i ca-
sa da Misericordia, o senador Jos Clemente. A obra
vai em progresfifo andamento, e 0 que por ora esta
concluido he digno do ser visto por nos Brasilciros,
que Iflo pobres somos do monumentos laes. Entre-
lano, os inimigos do Ilustrado administrador nflo
comprehendendo, ou antes em ludo procurando de-
negrir o mrito c reputaeflo, de que elle justamente
K
do ,
para escarnecer dos Brasileiros quo Iratam-no como
-om taes
Z'i, dc'Dra'Sileiro pbllanlropo cvcrdadoiro amigo
paiz, nflo cesam do invcctiva-lo, dizen lo que,
r..ra escarnecer dos Brasileiros quo Irntam-nr "
irmflo, esta Tazendo construir esse edificio <'fi
proporces, que a simples vista Taz suppr ao es-
trangeiro quo a maioria dos Brasileiros he composlo
de allienados.
NflO me Tazendo cargo de defender o Jos Clc-
monle, nflo posso, comtudo, dcixar de observar
que, se na rcalidado oxistisso ossa desproporco en-
tre o numero provavcl do alheados c a capacidad.-
do edificio, o quo prelendesse julgar do numero dos
allienados pela capacidade do edificio nflo se enga-
arla : porque, na verdade, existe entro nos tnaior
somma de doudos doqun oque gerahnenlo sosup-
pOo, c a prova de que o Brasil abunda em gente no
caso de habitar dezenas de hospitaes desta Capacl-
dade, he que os homens que, como o Jos (dmenlo,
toom envidado esforcos em la/.erem servicns roaos
ao paiz, dotando as cidades com obras do utilidad.-
nalpavelpara o publico, sflo invectivados dcsl arte
nflo por estrangeiros invejosos do cngradecimenlo
do paiz eslranho, mas por seus proprios patricios
Ffelizmente em minora dcsprczivel). Ah existe
nessa provincia um oxemplo que confirma o men as-
serlo Queui mais reaes beneficios lem Coito a Per-
nambuco O homem que mais vilipendiado ha sido
entre nos! No enlanto, honra seja feita aquellos
que em sua vida opposicionisla jamis disseram que
o Cbichorro instituir o collogio de orphflas desva-
lidas, convencido do gr.ndo numero do desvalidas
que lizera na sua presidencia.
Do Rio-Grande lomos dalas al 22 do passado. A
provincia oontina em socego: asqueixas de falla
do numerario toom ablandado um pouco.
dn nieto occorreu n'aquella provincia, quo im-
porta s ibe-lo pela sua excenlricidade. Ei-lo :
Urna senhorn, indo na ausencia do son marido ( so
me nflo engao, um capltflodo oxercito I visitar o
seu pomarzinho 011 jardiin, na planlncflo do qual
om prega va dous protos, foi por um d'elles foread*a
dar segundo Camcs
O que dtu paradnr-se a nalurezn ;
acto que felizmente para n pobre mulhorse nflo con-
summoii, porque as instanciase promessas de al-
forria Coilas por ella ao outro prcto, que ale all so
conservara mudo espectador do combate entre a
honra B a sensual brulalidaJe, resolveram-no a acu-
di-l 1 om Iflo aportado tranco.
Chela do vergonba o do me lo, recolhou-se a pobro
senhora ao seu aposento, nflo se descuidando de fe-
char-lho bem perta ou portos.
Nflo milito depois, sonlindo pisadas, (con n coi-
la la na mais pungente agona ; mas. no auge do po-
ri"o, quando ouvio que baliam porta e reeonhe-
cou sor a voz que a chamava a doousado prclo. ins-
pirn Ihe o porig um mcio de livrar-so da ignomi-
nia que a persegua.
Com eITcilo, corajoso eresignadainenle lavou m^.o
do 111111 navalha, cncainiiliou-so para a porta, a-
brio-a e de novo inplnrou a senhora aseucscravo
que a dcixasse em paz, que ella Ihe daria a carta de
alTorria, qiic nada dira ao marido que eslava a
ehogar; desengaada, norm, do a nada mover-so o
bruto iisou do um artificio que sortio bem : olhan-
do para Cora da casa, grilou ao preto, ah vem ton
senhor, o emquanto ello so voltiva para o lado
jiie II10 ella indicava, .leu Ihe um golpe no poscoco,
quo o detou inmediatamente por Ierra.
As noticias de lluenos-Ayrcs alcancam a 19 do
passado, A questflo Soulhorn continuava.
Publicajani.se as remocoes seguintes, alem da do
Nabuco Jics, das quaes soiibcinos pela sua IblUa :
ODr. MaTOW l.ibanio, juiz do direito da capital a
Clico do polica dn llio-Grande-do-Norle. paasOU 110
mesmo carcter para oCeara; o cx-deputado Car-
io ? Silva, juiz de direito du capital do U-ara, pa-
lie Ce de polica do Itio-G ande-do-.Norte ; 01 ei-
Val'IO .
ra ch.'Co de po,,v
SOtO do Britn, do As para a Chapada no Mani-
la iWancia par
1. iv.iW-mu om
,-amorosas que os gahincles seus antecessores co>n-
meileram para con. alguns magistrados; um, p. r-
, neo paiiiflovoloi no senado pe. eleicflo du Chi-
cborro: outro, porque quiz ser eleilurem sua co-
narca, contra a vonlado do presidonle Iranco deSa,
tino o M prender na enxovia por tres das pelo sub-
uclegado. oslando cmexerccio em sua propria co-
marca, etc.
aat..


!*~
O mercado monetario conserva-se lixo na quota-
cHoque na minha ultima dei-lho.
A alfandega rondeu, apczar dos muitos feriados do
mez passado, 695 cont08 de ris.
Pelo Imperador dir-lhe-hci o pouco que teem apre-
sentado do novo os nossos lliealros.
O calor teni sido excessivo : liontem ao meio-dia
o thermomelro de Falirenheit subi a 88.", hoje que
o calor tem sido muito mal intonso, cstou que subi-
era de 90. Imagine o grao de temperatura do forno
em que temos possado a fosta.
UR10 E PGRMAlBVC.
HECIFX, 1S DI JANIIBO DE 1849.
VAPOR DO ROHTB.
I'clo vapor Bahianna, chegado boje dos portos
do norte, recebemos jornacs do Pora at 28dede-
zembro ultimo, do Maranhflo at 2 do corrente, do
Cear at 8 e da Parahiba at 6.
Todas essss provincias tinbam ficado tranquillas ;
todas ellas estigmtisavam os movimentos crimino-
sos com que anda I litamos.
Dos peridicos, cuja recepto accus'mos mais ci-
ma, loi smente em dotis que tivemos o desprazer
deleralgumas liuhas como qu approvadros dos
actos commetlidos pelos barbaros que, quaes outros
salteadores, abi vngueam por alguns pontos do sul
deste Pernambuco ; eessss duas Tullas silo o Cl-
rense e o Rraiileiro, ambas imprenta no Cear !.'".....
Entretanto, temos f que os homens que abi se esfor-
cam por precipitar Mu irmSos no insondavcl abvs-
mo da guerra civil, nada conseguirffo ; pois quo a
maioria da populacho, no meio da qual oscrevom,
repello suas criminosas doutrinas, refutadas a cada
passo e victoriosamente pelos redactores do Pedro
II, que, firmes em sen posto de honra, nflo perdem
occasilo de esclarecer os seus rom patriotas, e de-
monslrar-lhesqiantocompromclterilo oproprio fu-
turo, o da patria e o dos desrendentes, se so doixa-
rem corromper pelas fallazes theorjas dos que se nio
pojam de procurar justificar os roubos o os assassina-
tos, commetlidos em nomo da I.IBERDADE pelos
vndalos que tanto hito concorrido para que o povo
pernambucano nio possa legar geraco quo ha de
vir um nome heroico o inteiramonte ao abrigo de
recordacOes opprobriosas.
0 Estandarte e o Observador do Maranhflo annun-
ciam que o villa doMorim eslava senda tliontro do
espancamenlos o morticinios, que as respectivas
autoridades policiaes como quosanecionavam, visto
como nio procunj^m puniros conhecidos autores de
semelhantes ci mes, e dormiam o somno da indiffo-
renca, ao passo que gemiam sob o braco deslomido
do malfeitoraquelles cujas vidas e propriedades se
acham confiadas a seus cuidados.
Com este motivo, os contemporneos censuram
acremente o Sr. Amaral por se uo resolver demil-
tir funcionarios que assim se deleixam do cumpri-
mento de suas mais sagradas ohrigaces.
Tendo nos fallado do estado pacifico do todas as
provincias do norte, decidimo-nos a tratar mais es-
pecialmente do Cear e MaranhiTo, por seren as ni-
cas onde se haviam dado fados deque entendemos
dever informaros leitores ; e, se nRo procedemos da
niesma forma corca das demais, be porque nada
nellas occorrera que se faga digno do especiil
meneflo.
ciado polo santissimo padre Pi IX com a commen-
da da ordem do San-Cregorio-Hagno.
O Jornal do Commercio de [25 e 26 '.do passado ,an-
nuncia terem sido escolhidos sonadores pelo Cear
os Srs. Candido Daptista doOliveira o Francisco de
Paula Pessoa.
A 30 de dezembro suicidra-se com um tiro de
pistola, disparado na cabeca, oSr.Andr Gaillard,
dono de urna fabrica de papel em Andarahy.
O infeliz dora cabo da propria vida dentro de urna
fala quo o conduzia do porto da Estrella para aci-
dado !....
Quanlo Babia, apenas temos dizer que essa
provincia, assim como as demais do norte esul, l-
eo ra em soeego, lamentando com ellas o nio fado
que nos porsegue ao ponto do influir para que se-
jamos o nico povo do Brasil que esteja a bracos
com urna revolta tanto mais vergonhosa e immoral,
quanto aquelles que a suslentam estilo hoje roduzi-
dos a salteadores feroses, para quem a vida, a honra
e a propriedade do cidadflo silo as cousas menos res-
peitaveis doste mundo.
SAudacaO a' tropa vinda i>a cdUTR.
Os nossos bravos militares vilo ser secundados em
seus louvaveis esforcos em pro da sagrada causa da
ordem pelo 2 batalhio de caladores que acaba de
chegar da corle bordo do vapor Pernambucano.
Si ja ni bem vindos os briosos filhos de Marte :se
hilo de parlilhar das fadigas de seus nobres ir-
mflos d'ormas, lerflo tambem o prazer de cingir-se
com loiros tilo honrosos como esses que Ibes ornam
as frontes.
novas da rcvolta.
Suppunhamos que, poralguma vereda desconhe-
cida, tivessem conseguido passar-se para Agoa-Pre-
ta ou Barreiros os bandidos desbaratados em minga
o Camua, c por isso dissenios em o n. antecedento
que os revoltosos apenas oceupavam esses dous pon-
tos. Entretanto, assim no acontecer : os saltea-
dores apenas haviam podido furiar-so as vistas das
forcas legalistas quo os perseguiam, o cmlrcnhados
as maltas esforcavam-seporapproximar-so do flio-'
Formoso.
Felizmente, porm, para a causa da ordem, ao
chegarem ellos Csmaragibe, abi eslava o valente
coronel Jo3q do llego Barros frente da Columna
que commanda ; e bateu-os com tal denodo, quo ao
cabo de duas horas de fogo obrigou-os a retroceder
para Jaquar, deixnndo sobren campia os cadve-
res do dous dos seus satcllites.
Prudente como he, o Sr. Reg Barros seguio in-
mediatamente os vndalos; o, segundo nos astevera
pessoa fidedigna, j engajou com ellos novo fogo.
Metaes.
Oncas hesponhlas........31,500a 31,700
mexicanas.........31,300 a 31,500
Pecas de 6,400.........17,400 a 17.Y00
Moidas do 4,000.........9,400 a 9,600
Pstces brasileiros........2,000 a 2,020
hespanhes. '.....2.000]i 2,020
mexicanos.......2,000
{ Mercantil.)
Algodflo
Assucar-
VAPOR DO SUL.
O vapor Pernambucano, que hoje ontrou neste por-
to, procedenlo dos do sul, trouxe-nos a carta do
nosso correspondenle na corte, que os leitores terilo
visto sob a rubrica competente; bem como jornaes
fluminenses at 3 c da Babia al II do corrente.
O Bio-de-Janeiro ficra em perfeita paz.
O magnnimo monarcha brasileiro como que se
esmerava em dar novas provas de plena conflanca
ao actual ministerio; c este, aproveitando-se das
palerriaesdisposicOes de S. Magestade, nada esque-
cia do que podo concorrer para agiandcohia da
ALFANDEGA.
RENDIMENTO DO DIA 13 ,........ 4:341,4!
Desoarregm hoje, iS de Janeiro.
Brigue E.-D. hacalho.
Brigue Sem-Par pipas o barricas vaaias.
Brigue Velocifero farinha do trigo.
Geral .
Diversas
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DA 13.
'.................. 3:168,779
provincias............... 14,448
PRAgA 00 RECIFE, 13 DE JANEIRO DE 1849,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios ----- Fizeram-se pequeas transaccOes
a 25 1/9 d. p. 1,000 rs.
- O de primeira sorte vendeu-e a
4,000 rs. por arroba, e o de se-
gunda a 3,600 rs. Vieram ao
mercado 317 saccas.
- F.ntraram 289 caixas o una por-
Qflo de saccas que nos parece di-
minuta, ltenla a poca em que
estamos. Os brancos fram
mais procurados, e venderam-se
de 1,710 a 2,200 por arroba do
enssecado e embarricado. O
mascivado ohteve maior nume-
ro de compradores, e alcancou
1,450 ra. por arroba em saccaa
e barricas.. O cncaixado con-
servou o preco de 700 a "50 rs.
por barrica sobro o ferro.
Couros ----%- Fram mais procurados do 90 a
95 rs. por libra.
Azeite-doce Venden-sea 2,050 rs. por galflo.
liacalhio -# Tivemos esta semana dous carre-
game.nlos com 4800 barricas, as
quaes se venderam acerca do
11,300 rs. porcada urna. Fic-
ra m em ser hoje 12000 barricas.
Carne secca F.ntraram 1000 arrobas vindas do
Rio-de-Janeiro, e com ellas o de-
posito ficou elevado a 2000 ar-
robas.
Farinha de trigo O deposito orea por 8,000 barri-
cas por ter entrado um carrega-
ment de Trieste com 1650.
As vendas rcgularam a 20,000 rs.
por barrica da de Richoaond ; de
16,500 a 17,000 rs. da de Balti-
more a 17,000 rs. da de Pbila-
delphia ; e a 20,000 rs. da de Tri-
este marca SSSF.
Louca ------ Vcndeu-se a 260 por cento de
premio sobre a factura.
Massas ------ dem a 4 800 rs. por arroba.
Oleodelinlraca- dem a 1,700 rs. por galilo em
cascos de madeira, e de 1,800 a
1,850 rs. em botijas.
Pimenla da India dem a 180 rs. por libra.
Sal ------------Mema 310rs. poralqueire legal.
Existen* no porto 82ernbarcac0cs, a saber : 3 ame-
ricanas, 2 austracas, 21 brasileiras, 1 chilena, 2 di-
namarquezas, 3 francezas, 1 hollandeza, 14 ingle/as,
1 lubequense, 1 oriental, 10 porluguezas, 1 piussia-
na, 1 russiana, 3sicilianas, 10 sardas, 7suecas, e 1
hollandeza.
dos trabadlos das diversas repartieres publicas pro.
vinciaes, avalladas em 2 800,000 rs. por anno.
A arrei. lecflo ser feita por tempo de 5 mezes 1
contar do 1.' de fevereiro ao ultimo 'de junho de
1849.
As pessoasqoese propozerem a esta arrematicflo,
comparecam na sala das sessoes do sobredito tribu,
nal, no da cima indicado, pelo meio-dia, compe.
tentemente habilitadas.
E para constar se mandou aflixar o presente c pu-
blicar pelo Diarto.
Secretaria da fhesouraria da fazenda provincial de
Pernambuco, 13 de Janeiro de 1849,.
O 2. cscripturario,
Antonio Ferreira d'Annunciapio,
Miguel Archanjo Monteiro de Andradi, o/pcial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Christo e aj.
vector im alfandega de Pernambuco, por S. M. 0
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber quo no dia 17 do correnlerao meio-di,
se hno de arrematar cm hasta publica, porta di
mesma, 24 duzias de lencos de cambraia de linho no
valor de 150,000 rs. Impugnadas pelo segundo es-
cripturario Antonio Francisco de Moura, e 30 duzin
de bonetes de panno, no valor de 194,000 rs, im-
pugnadas pelo guarda Manoel da Fonseca de Ariuje
Luna, ludo no despacho por factura n. 2887 ; sendo'
a arromataeflo subjeila aos direitos.
Alfandega, 13 de Janeiro de 1849.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Declarares.
Mov ment do Porto,
3:183,227
CONSULADO PROVINCIAL.
REINDIMENTO DO DIA 13.......... 2:488,242
a do ;z, cuja msii.ria j
roporcioi
oa "ic-
ios beneficios teaes que elle Ihe ha propTTcTnndo no
comego ta sua patritica c sabia adminislraco.
OSr. bacharel Miguel Joaquim A y res do Pascimen-
tp fra nomesdo juiz de dira^o da comarca da Gran-
ja no Cear.
SU. o imperador dign^ra-se de remover:da
comarca da Gran-ja para a da capital do Cear, o Sr.
juiz de direito aligue! Fernandes Vfoira ; da sti-
ma comarca de San-Paulo para a doAss no Rio-
Crande-do-Norto, 0 Sr. juiz do direito Jofo Marcelli-
no de Souza Conzaga.
O Sur. desembargador Luiz Fortunato de Urito
Abreu Souza eMenezcs tivera a honra deseragra-
RIO-De-JANEIRO.
CAMBIOS 'NO DIA 1.' nt: JOEIHO DR 1849,
Cambios sobre Londresr......24 1/1 a 24 1/4
Paris.........386 a 388 .
llamburgo. 720
Melos. Oncas hcspanhlas.....32.nno
n da patria. ...... 31,000
u l'cgas de6,40u, velhas 18,000 a 18,500
Pesos hespanhes. 2,030 2.040
v da patria.......2,00 a 2,030
PatacOes............2,020 a 2,030
Apolicosde 6 por cento......87t|2a88
' provinciaes......... 87 a 88
(Jornal do Commercio. )
Navio entrado no dia 13.
Tamandar; 8 horas, vapor de guerra brasileiro V-
rania, cominandanle o capilo-lenento Jus Edu-
ardo Wandencolk.
Navios sabidos no momo dia.
Hall more; hiato americano Mary- Eleonor, ca pililo
Donnls French, carga assucar.
Parahiba ; hiato brasileiro Santa-Cru* capitflo An-
tonio Manoel Alfonso, carga varios gneros.
Navios entrados no dia 14.
Par, Maranhio, Itio-Crande-do-Norte, Cear e Pa-
rahiba ; 14 dias e 6 horas e do ultimo porto 12 ho-
ras, vapor brasileiro Bhianno, commandante J.
II. Ollen. Passageiros : pnra osla provincia, Fran-
cisco Jos Comes, Cedro Antonio Bernardino. Ma-
noel Marques Camacho, Victorino Pcreira Maia,
Francisco Ferreira do Novaes, o Inglez James llun-
ler e urna escrava a entregar ; para o sul o cade-
te Luiz Augusto Colin, Hermogenes JoaquimLei-
tflo de lmeida, Fernando Marccllino da Silva
. Maa,6pracas de pret, 7 recrutas e 7 escravos a
entrogar
Babia ; 10 dias, barca americana Caroline, de 192 to-
neladas, capilo Oliver P. Lae, equipagem 10,
carga farinha de frigo ; a II. Fosler & Companhia.
CamaragibO ; 5 dias, lale brasileJrn Novo-Destino,
do 34 toneladas, capilo Estcvilo Ribeiro, equipa-
geni 4, carga arroz ; a Jos Manoel Martina.
Richmond ; 42 dias, briguo americano Andrew- .-
Janes, do 196 toneladas, capililo Samuel P. Wille-
by, equipagem 10, carga farinha, resina, bolachi-
nha e mais gneros ;a 11. Fosler & Companhia.
Rio-de-Janciro pela Babia ; II dias o 2 horas de ul-
timo porto 2 das o 20 horas, paquete de vapor
l'ernnmbucnna, de 240 toneladas, commandante
Joilo.Militilo llenrique, equipagem 29. Possagei-
ros : pata esta provincia, Honoiio Pereira de Aze-
redo Coulinho com sua senlmra e 4 escravos,
Francisco Paulo Rodrigues, Claudino Salvador Pe-
reira Braga, Joaquim Salvador Perira Braga, Jus-
to-Rufino Pinto do Almeida, 6 recrutas para mari-
nha, 2 pravas pertencenlcs 'a dita, e o segundo
batallifio de caradores.
Tendo nicamente comparecido um concurren-
te em consequencia do annuncio feito para o con.
Iralo do fornecimentodd gneros para o ranchodo
quarto batalh.lo de arlilhana a p de primeira linhi
de novo se annuncia para que no di 16 do crreme
comparecam at ao meio-dia no respectivo quarlel
daSoledado os que pretenderen! o dito forneci-
ment.
Angelo Simido da Silva,
Segundo-ionente agente.
As malas que teem de ser condu-'
zidus pelo vapor llahianna aos portes
do sul, principiam-se a fechar hoje,
15, ao meio-dia. As correspondencias
que vlerom dnpois dessi hora pagarih) o porte duplo
at urna hora, e passaJa ella nao se receberSo mai?,
Avisos martimos.
Para o Cear sahe, com muita brevidade, por
(6r a maior parte da carga prompta, a sumaca Cor-
lota : para o restante e passageiros, trata-se com o I
mestre, Jos Goncalves Simas, ou com LuizJso de
S Araujo, na ruada Cruz .do Recifo, armazom n.J
26, ou no 2. andar do sobrado n. 37.
O brigue-escuna nacional Olinda deixa de se-
guir para o |Rio-de-Janeiro hoje, 15 do corrente,
por inconvenientes mas sahirimprctervelmente
no domingo, 21 do corrente : p#a o resto da carga, I
passageiros o esoravos a frete lrat-se com Marha-. I
do & Pinheiro na ra do Vigarlo n. 19, aegundo
audar.
Para a Babia seguo viagem impreterivelmenle
no dia quarta-feira, 17 do corrente, o pataxlm,
Dilig-nte, e recebe carga at trca-feir, 16m|
passageiros que quizerem hir, para.o qu temw- (
cellentos commodos, pdem fallar com Jos Aito-
nio de Maga Hies Basto, ou na ra do Vigario, luje
de cabos, de Luiz Borjes de Cerqueira.
A barca Bella-Pernambucano pretende sabir pi-
ra a cidade do Porto com brevidade, por ter a maior
parte de sua carga prompta : para o restante e pas-
sagofros para o que tein asseiados commodoi, en-
leudam-sc cam o seu capitOo na pra?a do .Cummer-
cio^ ou com 9 consignatario Antonio Francisco
de Morars, na ra da Cruz, n 34, terceiro andar.
~ Para o Rio-de-Janeiro sahe, com a maior bre-
vidade possivel, o brigue tala por ter mais di;
metade da carga engajada : para o resto, passagei-
ros e escravos a frete Inila-se com Joo Francisco
da Cruz, na ra da Cruz, o. 3.
Para Lisboa sahe com muita brevidade o bri-1
gue porluguez Conceic/lo-de-Maria, por ter grande
parte de sua carga prompta : quem no mesmo qui-
zcr carregar ou ir de passagem, para oque offereo
excellentes commodos, dirM-se aos seus consigna-1
larios, Thomaz do Aquino Fonseca & Filho, na rui
do Vigarlo, n. 19, ou ao capilUo na PraQa-do-Com-
raerciu.
Para Lisboa sabir, com a maior brevhlade pos-1
sivel, o bem'conhecid o brigue porluguez Ta'ujo-
Primeira, capitflo Manoel do Oliveira Faneco: lora
parte de sua carga engajada : para o restante e pas-1
sageiros para o quo offereco asseiados commodos,
trata-so com o cap to na pra^a ou com o consig-
oatarioFirmino J. F.da Rosa na ra do Trapicho,
o. 44.
JLeilo.
.
BAlllA.
CAMBIOS NO OA 1| DE JAKEIRO M f849.
Londres .
Paris .
Hamburgo
Lisboa .
24 1|2a 24 34
385
nominal
120 p. c.
Navios sabidos no mesmo dia.
Canal; brigue naJez Ludy-laulklund, capililo Y. i.
Faller, carga asfucar.
Ilostou ; brigue americano I'.dward-IIeury, capilUo
David Ellis, Ci.rgasjjjncar.
I.#i commisso ; vapor brasileiro de guerra Urania,
commandante o cupiUo-tenento Jos Eduardo
Weiidencolk.
0 corretor Oliveira far leililo, por ordem do lllm.
Sr. cnsul de S. M. B., c conta de John Wilson di
mobilia da casa deslo ,consislindo eui cadeiras, so-
phs, marquezas, mesas de todas os tnmaiihos, can-
napes, toucadoros, lavatorios, commodas, leito com ,
seus partonecs espedios, quadros una machina <1 j
engominar, loucas, barmetro, candieiro, abun-
dancia de trem docoziuba, gamellas roups e mui-
tos outros artigos : quarla-(eira 17 do corrente,
s 10 horas da manhaa. na rua.de Fra-de-Portas,
n. ii4.
Avisos diversos.
KDITAES.
OUIm. Sr. inspector da tbesouraria da fazenda
pmvineinl, cm virlu.lo da resoluciio do tribunal ad-
ininislralivo, manda fazer publico que, perante o
mesmo tribunal, vilo novamente apraca, no dia 18
do corrente, quem por menos flzer, as impressOes
Aula de primearas letlras.
Jos Xavier Faustino Ramo* partici-
pa aos seus amigos, c particularmente aos
pas de seus alumnos, que os exeacicios
da aula que elle dirige, tiveram comeco no
dia 8 do corrento mez na mesma casa em
que reside, no piincijiio do Alerio-da-
.Ba-Vista sobrado n. 5 prximo
ponte.
ILEGVEL l


_
S
- nemardo Gomes deSouza, subdito portugus,
vai a Portugal tratar do iu* sai. le deixando por
mu procurador bastante a Sr. J-s Martina Pedras :
unamente pede a todo* os Senhores que com el-
eTo^n tido Conlas, e aos que se julgarem seus
oro lores hjam doapresentar suas conlas no pra-
zo o?lo diw para rom p.,m.l- que o an-
.lunriaiile julga nada dever a pessoa alguma.
" O abaixo assignado las sciente ao roipe.tavcl
Dublco.que, tendo-so de retirar desta provincia pa-
rii a do Rio-de-Janeiro, pcl brev.dado de sua sa-
bida do, por ii.dor o lllm. Sr. I)r. Joaquim Jos da
bir morador na barra de Serinhem. sejrecebeu
odinheiro douns sapatos velhos e tamancos quo
eer^apessoadepositou i maro por nflo pre.t.rem.
Uto deseja saber Um curum.
_ prciss-sealugar urna escrava para o servico
de casa do pouca familia : na ra larga do Rozano,
"' A possoa que 'Mr dono do um cscravo do gento
de Angola, estatura regular, bem preto, representa
10 40 annos, o qual he canoelro, e diz chamar-se
Misuele pertcnceraManoel Antonio de Miranda ea
snliora Joanna de tal, cujo escravo foi furlado de
noite do urna canoa d'agoa e conduzdo para o ser-
iao esoacha em Laga-Nova, do Urcjo-d-Area, re-
tido contra sua vontade, sem poder.retrar-se para
a ca*a de seu verdadeiro senhor, queira mandar seus
documentos que proven o seu direito aocapitilo de
canlpo Silvestre Sabino do Olivcira. morador no lu-
tAT da CIaa-da-Cruz, perlencente a meama Ligoa-
Nova, quo est promptoa pegar o dito escravo, pa-
ando-se-ho seu trabalho.
A pessoa que se julgar oradora de Manoel da
Silva Guimaraes.ex^mmissariodo brigue Caliope,
queira a presan lar suas contas, para serem pagas, na
ra da Cadeia n. 18.
No dia 12 do crtenle, appareceu. em casa do
abaizo assignado o escravo Jold, cabra, '|ue diz per-
tencer ao Sr. Joaquim Felioio do Carvalho da villa
dos Touros procurando o annunciante para o com-
prar : por isso, sendo que o dito Sr. o queira vender,
dirija-so a rra-s-Portaa.n. 95, para tratar do
ajusto. Domingo da Bo$.
Luiz Jos Marques Taz setenta ao Sr. collector
das agoas ardentes quo elle deixou de vender dito
genero na sua venda da ra do hangol, n. 8, desde o
lia 1. do correte. ,,j
-- Aluga-so urna casa terrea na ra do Monuego ,
n. -28 do lado diroito : a tratar nos quatro-cantos
da ra da Gloria, n. 91. '
Alug-se urna casa de um andar com mu aos
comn-iodos grande quintal com cacimba no meto ,
sita na ra das Trjiclieiras perlo do largo do Cer-
ni : a tratar na ra da Cadeia do Hecife, n. 25.
-Quem tiver dividas para cobrarem-se polos ser-
iaos do Rio-do-Peixe, Ico, Pombal, Cariry. Aracaty,
Abrao.Inhamuns.Sobral.Uio-Graiido-do-Nort10 Cea-
r.uma pessoa casada, moradora nnsta pra;a,bastan-
te activa e capaz se offereca para cobra-las : quem
de sen presumo se quizor utilisar, annuncie, e po-
dor informar-se de sua capacidado dos Snrs Fi-
gueira Manoel Jos Goncalves o Jos Joaquim da
Costa Lei te. ,,
Manoel de Souza GuimarSes vai a Portugal tra-
tar de sua sale : por isso roga a todas as pessoas
quelhedevcm letlras voucidas ou por outroqual-
quer documento ,.que hajam de ll>e pagar; do con-
trario, ter O annoncianle do deixar poderes a quem
as cobro judicialmente bem como avisa a quem
livor pnliores em poder do annunciante de os ir
resgalar no prazo de 8 das o deixando de o lazer ,
tera de osconduzir. O annun ianto est persuadi-
do de nada de ver-a pessoa alguma; mas, so Imuver
alguma pessoa quo spjulguecredora do anhuncian-
lo por qualquer liluro baja de soapresentar na ra
do Uangel, n. 36, primeiro andar para ser paga.
Hojo, segunda-feira, eslar a venda na praca da
Independencia umavacca com cria boa de loite o
parida de -indias, por 60.000rs.
Precisa-so alugar um sitio, ainda que pequeo,
perto da praca que tenhn nrvoredos de tructo i
nflo exceda a renda a I20,0u0 s. por auno, preto
rindo-se na estrada do Pombal Juo de Barros
estancia e Soledado : quem.trver annunoie por es-
la l'ollii.
--J. J de Souzaombarca para o Rio-Grahde-do-
Sul, polo Hio-de-Janeiro o seu escravo Agostinho,
do nacflo-Congo.
Antonio Joaquim Goncalves Guimaraes retira-
se para fra da provincia.
Precisa-se alugar un sitio da Trompe at a Pon-
lo-de-Uchoa e da Passagcm at a Torre : na ra
Imperial, n. 39.
-- Jo Rodrigues de Araujo Porto embatca para o
Rio-do-Janeiro o seu escravo, de nomo Joaquim.
-- Pordeu-se, na ra Nova o primeiro lomo da
obra de D. Quixolo, (raduzido em allem.lo: quem
o tiver achado c o quizer restituir, dirija-so a rus
da Cruz, n. 10, quesera gratificado.
Fica sem effeilo o annuricio Cuito pelo abaixo
assignado no Diarlo de Dernambuco, de 13 do corre-
te sobre a casa do Manoel Gomes da Silva na Ca-
punga por estar Hvre e desembarcado.
Jos da Sitia Saraivn.
O abaixo assignado declara que toda a pessoa
quo tiver conla com elle, baja de a mandar, em .car-
ta fechada na cidade do Rio-Grande-do-Norte para
ser paga. O inosino abaixo assignado pede aos seus
amigos queIhe queiram perdoar o nao poder cllej
se despedir de alguna pela brevidadn de sua viagem,
o quo agora faz offerecendo-lhej o seu diminuto
preslimo naquelle lugar, para o quo for do seus
servidos. -- Jote /miento do Amiral.
Aluga-sc urna grande propriedade na povoa-
clo d.i Mouleiro que foi do fallecido Francisco da
Silva : a tratar na ruada Cadeia do Itecifo n. 55,
com J. J de Carvalho Momos.
--Alugam-se os segunda e terecira andares da
propriedade da travesa da Madre-de-lleos, n. 16,
no l'.eeifo.
O Sr. P. M. profossor publico de... da..., quei-
ra ira ruado Amparo, oa Oliiida n 36, pagar o"
que deve desde 1835; quando nao, Ter o seu nome
por exlonso.
-- No pateo da-matriz do S.-Antonio, n. *, segundo
andar, tiram-se passaportea para dentro e forado
imperro e rrn escravoa ; tambom corren se fo-
lliascom a maior brovidadd poasivel e
inulto commodo.
por preco
Vign^Sj fabricaiilc cn pianos,
na ra do ^uclmado, n. l.
lem pianos de novo modelo, feitos de proposito pa-
ia e.-le paiz : flo r<|ui..simos, e do machinismo o
vozrs superiore.4, o que se afianca ao comprador:
tamben tem pianos inglezcs que silo peueo usa-
dos ; concerta e alia pianos com toda a perfeicSo;
vendcordas,c'amurQase lodosos aviamentone s-
cssarios para ditos instrumentos : ludo por preco
com modo.
Precisa-se de um menino de 12 a 14 annos, pa-
ra caixeiro : na ra esreita do Rosario, h. 34.
No dia 7 do correle foi apandada urna ca-
noa de conduzir areia, quem for seu dono, dirja-
se ao escriptorio de Manoel Concalves da Silva, na
ra da Cadeia, ou a bordo do brigue Santa-Maria-
Boa-Sorte, ancorado no Forte-do-Mattos.
-- Francisco Ignacio de Atalude sciehtifica a quem
convier que hoje appareceu em sua casa da qual j
tinha conhecimento o mbleque Manoel, de naco,
solicitando para quo elle ocomprasse a seu senhor,
que diz ser actualmente o Snr. Vicente da Cunha ,
morador no engenho Gracuipe, que o autorsara pa-
ra procurar quem o comprasse : e por isso podo o
dito Sr. Cunha mandar tratar a venda do escravo ,
ou tomar conla delleno caso de nao se realisar a
Venda. Recife, 10 de Janeiro de 1849.
-- Aluga-sc ama preta para ama de leile, as Cin-
Pontas, n. 120. Na mesma casa ha urna mulher que
se offereco para criar algum menino impedido.
. Precisa-se alugar um preto para o servico ordi-
nario de padarja pagando-so lodos os mezes o que
se ajustar : na padaria de urna s porla, na pra^a da
S.-Cruz.
VenUem-so 5 bonitos moloques de (2 a 18 an-
nos sem vicios; 3 bonitasescravas com habilida-
des lendo urna dells parido ha 4 mezes, com mui-
to bom e abundante leite o a cria mulatinha : urna
parda de bonita figura de 20 annos e com habili-
dades ; 4 pretos, sendo um delles bom carreiro ; um
dito pescador do alto e bom canoeiro di-so muito
om conla ; um mullinho de 14 annos, ptimo para
pagem : na ra do Vlgario, n. 24,
O abaixo assignado, com sitio no
lugar doGiqui, saliendo que os arrema-
tantes do dizimo do capim de planta 9
tem collectado, e prelendem'haver delle
o importe da coHecta, avisa aos msmos
que protesta nSo pagar a injusta e arbi-
traria collecta ; por quanjo, estando pela
lei smente obrigados a este onus os que
negociam neste producto,oabaixo assigna-
do tem em seu sitio apenas urna pequea
planta para o gasto dos seus cavados,
que ale mesm nao be sufticienle, pois
em militas occasiSes v-se na precisao te
compra-lo, nao est por certo obligado
a pagar o dizimo daquillo que nao vende:
epara que osSenhores arrematantes fi-
quem entendidos, faz a prsenle declara-
ra o.Antonio Joaquim de Mello.
Carlos Francisco da silva subdito brasilciro,
vai a Angola.
Aluga-se a casa da esquina da ra do Galdei-
reiro para o porto do embarque com armac.To pa-
ra venda e commodos para morar familia : na pra-
ca da Independencia livrarla ns. 6e 8.
AULA DE PRIMF.IItAS LETTRAS.
Oabaixo assignado, tendo determinado dar prin-
cipio aos Irabalhos de sua aula de primeiras letlras
e grammatica portugueza no dia 8 do crrente, avi-
sa aos pas de seus alumnos, e em particular aos
Srs. pais de familia que quizerem matricular os
seus (ilnos, que o poderflo procurar na casa de sua re-
sidencia na ra Vlha, n. 32. Tamben so ensina me-
ninas a ler e a todas as qualidades de costuras por
urna mensalidaue mais commnda do que om oulia
qualquer parle. Victnte b'trreira da Cruz.
IIOTEL-COMMERCIO.
(un da Cadeia de Santo-Antonio, n. 13.
Contina a tor sorveto todos os dias de varias qua-
liilade, assiin como aolianlo-qnatro salas decente-
mente mouiliadas, sendo duas para senhoras o duas
para homens.
Agencia de pssaporlcs.
Na ra do Collegio, n. fO, eno Aterro-da-Roa-Vis-
la lojas ns. 48 o 78, continuam-se a lirar pssapor-
lcs tanto para dentro como para fra do imperio,
assim como despacham-se escravos, ludo com bre-
vidade.
Semen tes de flores as mais bel-
las
qaixo do coronel Joaquim bernardo de Figueiredo ;
ra flireita, ns 6, 16, 53 e 141 ; ra das Cinco-Pon-
tas, n. 50; pateo do Carino, n. 2 ; ra larga do Roza-
rio, ns. 29 e 35 ; ra do Cahug, n. 7 ; ra Nova, n
50; Aterro-da-B0a-V3ta. ns. 2, 46 e 56.
3|CMAPjEOS DESOL^g
Ra do Passeio, n. 5.
O fabricante desto estabclecimento adverte ao res-
peitavel publico desta cidade que ello possue pre-
sentemente um .rico sortimanto de chapeos da sol,
assim como chapeos deso de seda furta-cres, dos
mais ricos que teem apparecido neste mercado, e de
cores conhecidas; ditos para senhoras de bom tom,
adamascados, lavrados, com auas competentes fran-
jas de retroz, tudo que tem de mais moderno o do
mclbor goslo ; um completo sortimerito de chapeos
de sol de panninho do todas as cores e de todos os
tamanhos, para homens, senhoras e meninos: ha
tamhem igual sorlimento de faiondas para cobrir ar-
maefles, tanto de sedas de cores, como de panninhos
trancados o lisos imitando seda. AdverU-se que OS
freguezes sertlo servidos com brevidade, e se acha-
nto satisfeilos da boa qualidade, do bom goslo e do
bom preco.
O cscrivo da rmandade de Nossa
Senbora da Gonceicao da Gongregacao.
pelo presente convida a todos os irmSos
paraque se reunamno consistorio da igre
ja, no domingo i/j do correte, pelas 9
horas da manh"a, afim de se proceder
cleicao da nova mesa ; icando eertosque,
em sendo 11 horas, se proceder clei-
cao com os irmaos que estiverem presen-
tes : outro sm,roga aosirmaosque com-
p5cm actualmente a mesa, se digueni
comparecer logos 9 horas, para poder
'ntes da eleicSo trabalhar e ultimar al-
gumas cousas que ha a azer.
Snr. alferes do sexto bstalhffo de caQidores
Fras Villar haja de annunciar a sua morada para se
Ihe entregar urna carta, viuda do Rio-de-Janeiio.
-- Aluga-se urna casa terrea sita na ra da Floren-
lina n. 9, com bons commodos para familia : a tra-
tar na ra da Cruz, no Recife, n. 30.
Quem precisar de urna mulher crioula e livre
paradina de una casa do domen solteiro, ou casado
com pouca familia., a qual lie de bons costumes,
jn nffeila a este genero do vida e sabe fazer todo o
servico Interno do urna casa excepto ehgommado ,
dirija-so a ra da Uni.lo na Roa-Vista, cas terrea
sem numero do lado do poente e com lampeifo
na porla ouannuncie.
Jns Antonio do Souza Machado embarca para o
Rio-dc-Janeiro urna escrava tic sua propriedade de
nome llellina crioula e o rrioulo Francisco da
Cruz que se acha preso na cadeia desta cidade, ror
mandado de'seu senhor o tenenle-coroncl Francisco
de Paula Souza l.eilo,i'or ordem do quem se embarca.
Manoel Luiz Goncalves embarca para o Rio-de-
Janeiro o escravo crinlo de nome Domingos por
ordem ile Ismael da Cruz Gouveia.
l'eideu se uina carteira na noite
fima qualqner dono de estabeleciment, que Por
sua nalureza nao possa ler um cixeiro eTecti1'0 .
accrescendo que o annunciante, alm de ter boa lat-
ir, ser commodo em seus ajustes : quem o pre-
tender annuncie.
~ Na ra da Cruz, n. 21, perdeu-se um cachorro
de fila, novo, grando e com as orelhas cortadas :
d-se boa gral(icac.5o a quem o levar.
Aluga-se um casa nova de um andar, na ra da
Uniao bem repartida o grando, no fundo da casa
de Manoel Alves Guerra da ra da Aurora: a tratar
com o nenio Guerra.
Compras.
Compra-se urna imagen de N. S. das Dores, que
tenha 3 palmos de comprimento e que seja perfei-
ta : na ra da Cadeia do Recife, loja de Jo.lo Jos de
Carvalho Moraes, ou annuncie para so ir ver.
Compra-se ouro, tanto de lei como baito: quem
tiver annuncie.
Compram-se, effecti va mente, garrafas e botijas
vasias: no Aterro-da-Roa-Visla, fabrica de licores,
n. 17.
Vendas.
INFORMACES SEMESTRES.
Vendem-so nformaces semestres para os corpos
80 primeira linha : na praca da Independencia, li-
vrat a ns. 6 o 8.
FOLIIIMIAS
para sacerdotes para algibeira, para escriptorio o
para poita *. vendom-se na praca da Independencia,
livraria ns. 608.
Vendem-se sacras com arroz de va-
por, de superior qualidade, a 3^'aoo rs. a
arroba,editas do mais ordinario, a ts'6oo
rs. : no armazem do fallecido Braguez.
Vende-se no paleo do Terco, yenda
n. 7 ,1'ariiilia muito superior, em saccas.
-- Vcudem-so chamlos da Rabia, os mclliores que
teem apparecido : vendem-se, no s em grandes
por;Oes como em pequeas at urna caixa, por pre-
co muito em conla ; na ra da Madre-do-Oeos, loja
de chapeos, n Zi.
CHARUTOS DA RADIA.
Vendem-M01 melhorea charutos da Rabia: na
ra da Cadeia do Recife, n. 48 primeiro andar.
Pao de fiiillio.
da Europa.
Hechcgado ra lirga do liozario, n.
a4i o mais beio sorlimento de semenles
de flores das bellas damas, como sejam ;
cravos e cravinas, raihocnlos de diversas
cores, borbottasde l!oll*nda, goiv.s de
cores singelos e dobrados,.Jacintas, topes
de ilainasjiiiiquillios, scciasdobradas,as-
sim como a venladeira sement de cve-
tlor. Os amadores d 1 nalureza encontra-
ro nhicom que, em pouco lempo, p"S-
sain tornar a admiracao da Europa no
Brasil.
Jos Morcira Gomrs faz saber ao respeitavel pu-
blico e principalmente aos Srs. negociantes a rela-
Iho.que delxou do sor caixeiro do Sr. Joaquim
1- l_ 1.__- JAJ. Mm 4A iln o.irroilln IHlf
F-
lix da Rosa desde o dia 10 do corrrnte por assim
Ihe convir, o muito agradece ao mesmo Sr. Rosa o
bom tralamcnto quo Ihe deu durante o lempo que es-
teve em sua casa.
Deposito de rap andarahy
c imperial.
Na ra da Cruz, h. 63, pnnfeiro andar, esaripto-
riodoJos do Almeida Rarrelo Hastos, vende-su o
bem acreditado rap andarahye imperial, fabricado
no Rio-de-Janeiro, sendo o nico deposito nesla
provincia ; assim como sembr se achara no mesmn
deposito omelhorch nacional brasilciro', emcai-
xinhas de 5, 8 e 16 libra, por prego commodo. O
rap vende-so a relalho ns seguimos casas : ra da
Cruz, n. 62; ra da Cadeia do Recife, n. 17 ; ra do
Encantamento, n. 4 ; ra do Vigario, n 14 ; ra da
Cacimba, rv. 2 ; ra lo Cordoniz, n. 11 ; ra do Col-
l"BiPi O. 9 ; praca da Independencia, ns. 4 e 39 ; ra
do Queimado, ns. 10, 16 e 33; ra do Livramento,
ns. 4, 5 e 38 ; ra da Penha, venda da esquina, por I
se uina carteira na
do dia 11 docorrenle, entrada do tbea-
tro de Apollo, contendo em dinbeiro
45'ooo rs. e diversas cartas e papis que
s servem ap proprio dono ; por isso se
roga pessoa que a Icnlia adiado, aqueira
entregar na casa doSr. Thomaz d'Aqui-
no Fonscca, ra do Vicario, ou na loja
deferragens, n. 5G, ruada Cadeia do Re-
cife, podendo icar pela sua gratilicacao
com a dila quanlia de l5i00 rs.
Manoel Antonio Vieira Martins, subdito porlu-
guez, relira-se para fra do imperio o declara nada
dever a pessoa alguma, deixando encarregado de re-
cebersuas dividas aoSr. Joflo Antonio de Moraes.
annunciante offorece aos seus amigos e patricios o
sen diminuto preslimo na cidade de Loanda para Oli-
do segu. .
Precisa-so do urna ama para todo 0 servico ue
unin casa de pouca familia, e juntamente de urna
pessoa para tralar de um sitio e fazer todo o mal
servico que se offcreccr : ua ra da Cadeia de S.-An-
tonio, n 21.
A casada Capinga do Manoel Gomes da .Silva
esta embargada pelo abaixo assignado para paga-
mento de quatro letlras no valor de 189,756.
Antonio ter reir da Costa liraga.
AULAS DE PRIMEIRAS LETTRAS.
Do dia 10 do correte mez em dianle, estarao
abortas as aulas de meninos o meninas dirigidas pe-
lo abaixo assignado na mesma casa do sua residen-
cia na lloa-Visla, travessa do Veras, sobrado 11. 13 n
promptas a receber, niio s seus antigos alumnos,
como oulros novos que seus pais queiram coiiliar-llic
a sua educaco com toda decencia, inoralidadcc
prompto adiantamento.
Policarpo A'uhm Correia.
-OSr. .i. C. A. queira mandar pagar 46,000
rs. que deve ha mais do um auno de lubscnpcfio
de pm peridico cuja quantia recebeu de Goianna ;
do contrario se publicara seu nomo por extenso.
-- Aluga-se urna casa na Passagem antes de che-
gara ponto pequea e confronto n casa em que foi
thealro com eXOellentOS commodos grande quin-
tal murado ..cacimba, estriboria, quarto para pre-
tos : a tratar no mesmo lugar n. 1,.
8
b:
m
m
m
sorveies.
O respeitavel publico adiar no
botequim rancez da na Nova, n.
69, um lugar muito agradavel e
fresco para tomar sorvetes ; todos
os dias das 6 horas da tarde em di-
ante.
NB
m
Na ra dos Cuararapes, n 5, em Fra-de-Porlas,
ha Indos os dias excellente pilo de milho a venda ,
feito com o maior nsseio possivel; e igualmente
quatro difTerentes sortes de familia de millio, sen-
do a primeira finissima c propria para cangica e
as outras mais grossas para ang pilo-de t epa-
ra sustento de passarinbos. O proprietario dcsto es-
tabeleci ment, tendo um bom moinho de vento com
que faz esta farinha se comprometi a fbrnecer
qualquer padaria com a ponto que quizer diaria-
mente. O mesmo proprietario chaina a atlcncAo dos
Srs. rommandanles dos corpos de primeira linha
I para este p.lo, que, nito sendo no paladar inferior ao
do trigo e sendo mais nutriento e barato que esto ,
parece por isso niui proprio para a tropa.
A ELLES, FREGUEZES.
Conlinuam-se a venderos chapeos da Italia, pe-
lo barato preco de 1,280 rs. : as Ciuco-Pontas n.
82 c na ra da l'raia, n. 74.
. Gangas da India,
amrellas a peca
de duas larguras pelo barato preco de dez tustes,
para realisar conlas : no armazem do fazondas de
Raymuudo Carlos l.eite na ra do Queimado, n. 27.
Acaba dochegar pela barca franceza Julet mul-
lo superior vinlio 1I0 Rordeaux, tanto em quartolas,
como engarrafado, em caixas do 1 duzia, assim como
lamben.sardinhas em latas d l/4e 1/2, azeile do-
ce en caixas de uina duzia do garrafas, excellente
vinlio de Uorgonba em cestas do 1 duzia, ago'ardento
de Franca, Champanba en garrafal, e meias ditas da
verdadeira marc Cometa; o que tudo se vende por
procos rasoaveis, em caza de-Fredcrico Robilliard,
ra do Trapiche-Novo, 11.18.
-No armazem do Bacelar ..defronte da escadi-
nhadocaesda Alfan lega, vendom-so caixas com
velas de sebo de superior qualidade : os protenden-
tes diriiam-se ao dito armazem ou a ra da Cruz ,
no Recife, n. 6fl.
Vendem-se saccas com boa farinha : ni ra do
Rangol, n. 8, e no becco do Carioca armazem do
Pinto.
(iotas egypcins.
Remedio som igual para dr de denles, j bem co-
nbecido no Rio-de-Jieiro provincias do sul e ulti-
mo metilo nesta provincia pela sua cfficacia em alli-
viar a dr mais tenaz qur seja motivada pela ca-
rie, quer por inflaminaco; mas s a experiencia de
urna prova lhodara o devido merecimento. Vnde-
se na 1 na da Cadeia do Recife, botica n. 3 de l'i-
111.-na & Cruz.
- Vendo-so urna poi co de laboado de sedro, pro*
prio para marcnneiio : no becco do Goncalves, ir-
mazein do Araujo.
Extractode salsa-parrilha con-
centrado do Dr. Mead.
Ha quatro annos, c
rae"!'- de salsa-parril
lesde que esta superior prepa-
fi.i conheeida no Brasil ,
Alugam-so os primeiro e segundo andaras do
sobrado da ra do Caldeitoiro : a tralar no ptlco do
Carmo, n. 9, segundo andar.
Um rapaz brasileiro que tem pratica do escre-
ver commercialmenlo se offerece para o indicado
principalmente ao sul onde osla con lecida como
'um do's remedios mais efflc.zes para toda.M Jj-
lias, produzidaspela impureza do aanguia, eom
sejamescrophulaa ou alporc.s, molestias sjph'li-
e mercuriaes rheun.alismo, chagas u cerosas
tu more br neos doenc-s do ligado o da cutis
dibilidade gcral, ele. ; hetambem recominendada
nar ns molestias interiores em que se suppoen
o bofes a pcilo atacados, e bem assim naquelUsem
n'ue a coiisli.uicnoesliver arruinada pelo uso exage-
?do de reparacos mercuriaes. As curas que tem
fTect a. o ..estas molestias sao tao numerosas a
p/etas, que all tem ganho o titulo de verdade.ro
Jurador da sade. Vende-se na ra da Cadeia do
lecifo, botica n. 3, de Pimenta & Cruz.
con.
resta
f
ILEGIVEL


4
ver sitio por oslar icosliimailo ha anuos om sitio ,
hebom vendedor de fructas, sabo bcm compraros
arranco;> de tima casa enlonde de todo o servigo,
lava ni -i bcm urna casa de sobrado com todo asseio,
por pugo commodo : na na Formosa, na tcrccira
casa.
- Na ra Nova, n. 18, loja do M. A. Caj ha um
completo Bortimento do roupa fcila de todas as qua-
lidades, tanto superior como mais inferior; bem
como hiendas ile todas as qualnlades tendientes a
bomem para se fazer qualquer obra de encommen-
da. Na inesma loja vcude-se um moleque delan-
nos pnuco mais ou menos.
- Vende-se um elegante pardo de 16 annos : pro-
prio para pagem : na ra da S.-Cruz venda n. 3,
sedua ijuem vdnde.
- Vendem-se 50 palmos de frente do terreno que
lindan estrada da (punga indo para o porto da
.Madeira era- Iteheribe tendo fundos ate o rio: na
ra Imperial, n. 21.
Vende-se um piano perpendicular de Jacaran-
da inuito commodo, por mo necupar muitn es-
pado do sala em bom uso : na ra da Cadeia de S.-
Anlonio, n. 17. porcuna doarmazom de lijlo, do
lado da cadeia.
-Vendem-se charutos ehegados ltimamente da
Baha bem como populares, bom-goslo, regala:
dizemque os populares s.lo o melliores que leein
apparecido ueste mercado: na ra Nova, n. 18. Na
mesma loja lambem so vende um par de dragonas
novas para official subalterno, una barretina, utn
barretno, urna canana ludo por proco commodo
Vend
proco
Lonas llglCZIS.
icm-se pocas de lona ingloza, de
boa c|tialidadc, e por preco mais barato
do que em oulra qualquer paite : na ra
da Cadeia do liecife, armazcm n. 12.
Fardo,
em barricas a 4,000 rs. ; saccas grandes, o 3.50o
rs., ditas pequenas a 2,800 rs : no armazcm do J.
J. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 3.
Cal de Lisboa.
Vendc-sc muilo nova e superior cal
virgen) de pedia, desembarcada lia pon-
eos das, e em barris pequeos de qtialro
arrobas e mcia : na rua da Cadeia-Yclha,
armazcm n. ia.
Vcndcm-se harriqu'mhas com cal virgnm do
Lisboa, muito nova; fechaduras para portas de
armazem { retros do Porto j barra com nlcalrln da
Suecia j pilulas da familia ; ancorlas com azeito-
nas, por preco commodo : na na do Vigario n. 11,
armazcm de Francisco Alvesda Cunha.
Ycndcm-sc taboas america*
as al3 palmos de largura
c de todos os comprimcntos.quo ha milito lempo nflo
l'cm viudo e os frepuezesexperimentando a falla
desla escolente qualidade. A ellas que sao poucas e
o | reg he barato. Atrs do thealro, armazcm jun-
to a mar, de Joaquim Lopes de Almeida
-- Vendem-se potas de madapolHo muito largo,
coi i JO varas proprio para fono c roupa'ado escla-
vos a 2,800 c a 3,000 rs.: na rua do Caes, n. 17.
Cha nacional de S.-I'aulo.
Vcnde-sc o muito superior cha de S.-Paulo em
cnixas de 1, 9, 6 e 13 libras .' na rua da Cadeia do
Itccifo loja deJo&O da Cunha Magalhacs.
]No armazcm de Joaquim da Silva
l.opcs vendem-se saccas com cafa de es-
culla de primeira (pulid idc. a i,~oo rs
a arroba ; barucas com bacalho de esca-
ma a 9,000 rs. ; ditas com Trelos a
4,ooo rs.
Vcndcm-se barris pequeos con cal virgem de Lia
boa, a mal r.ova que ha no mercado, por preco co-ui
modo : na rua da Moda armazcm n. 17.
Potassa.
Ucsembarcou lia poneos das urna por-
eiio de barris pequeos, com muito nova
e superior pptassa, e se acbam venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na rua da Cadeia-Velbn,
armazcm de Bailar & Uliveira, n. 12.
Vnlio barato.
Aeha-sc estabelecido na rua da Madre-de-Deos,
n. 36, um armazein do
Vinhos da Figueira,
Agencia da fundicao
Low-Moor, rua la Senzalla-
nova, n. 42.
Neste estabelecimento contina a lia-
ver um completo sortimento de moendas
e nicias moendas, para engenho ; ma-
cbinas de vapor,e tachas de ferro batido e
'nado, de todos os tamanhos, para dito.
Vende-se um lindo moleque de 12 annos ; urna
bonita iiiiil.iiinha ile 7 annos: todos em conla por
serem de pessoa quo se retira : na rua larga do Ho-
zarlo loja n. 35, so dir quom vende.
l'aboado de pnho da Suecia,
de 10 a 5i> palmos
de comprimenlo o melhor que tem chegado a este
mercado, em razilo de se poder envernizarem qual-
quer obra por nflo ter nos e ser muito alvo sen-
do costado, cosladinho, assoalho, forro e para fun-
dos do barricas : vende-so a proco que o comprador
far todo o negocio : atrs do Ihcatro, armazeni do
Joaquim Lopes de Almeida,
FARF.LO EN SACCAS DF. 90 L1BMS :
vende-se no armazcm de Vicente Ferreira da Costa ,
na iu.1 da Madre-de-Deos, a 3,500 rs.
-- Vendem-se mullo boas nozes, chegadas ulti-
ma monle por preco commodo : no caes da Alfan do-
ga armazcm de liias Ferreira.
Venilc-so a venda da rua do Mondego, n. 64
com cnnimodos para pequea familia e com pou-
cos fundos : a trotar na mesma venda.
Vinho barato.
Vcnde-so, na venda n. 88, defronte da matriz da
Roa-Visla junto a botica vinho de Lisboa a 1,120
rs. ; dito do Porto, a 1,200 rs. a caada, c a garrafa a
160 rs.; letria a 260 rs\ ; presuntos a 320 rs. a
libra ; arroz de vapor, a 100 rs. a libra ; "o todos os
mais gneros de venda por prego commodo.
Vende-se ca virgem de Lisboa,
chegada no ullima navio, em barr pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
zeni n. 1?.
sns Caslcllo-Branco ; Amor c Melancola, por Cas-1 ___ Venl.o n tilho ;o primeiro, segundo e terceiro volumos da de*Se. na,loJa de. H1* Porta
a
Vende-se na rua do Vigario n.
p 19, a.0 andar, cera em velas, fabri-
|l cadas no Itio-de-Janciro, em nina
das mclhores fabricas, e em caixas
ff pequeas, muito bem sortidas, por
ser de 3 al 16 em libra e tam- ?
bem lia velas de urna e de meia libra, a
g brandocs, por preco mais barato do
) r *
- que em outra qualquer paite.
1
*l
Vendem-se semoas om saccas muito grandes ,
a 4,500 rs. : na rua i'a Madre-de-Deos, armazem de
Vicente Ferreira da Cosa.
Vende-so a venda da ma do Apollo, n.2l, com
poucos, fundos : quem a pretender, dirija-se a rua da
.Mailre-de-Pcos, tratar com Vicenta Ferreira da
Costa.
Vendc-se cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por prof p commo-
do : a tratar com Ahucida & Fonseca.na rua do Apollo.
PURO VINHO DA FIGUF.IIU.
F.siste no armazcm de molbados, airas do Cor-
po-Sanlo n. 66 urna grande porglo (leste genui-
no vinho que se esl veudendn pelo diminuto pre-
go de 1,120 1 s a- caada o a 160 rs. a garrafa ; lam-
bem ha em pipas que se vender mais em conla : be
esto o melhor de todiis os vinhos que se tcom an-
nunciado pela SUS simplicidado o oplimn paladar :
quem urna vez o beber jamis deisar de o com-
prar.
Vcnde-sc muito superior lagedo de Lisboa e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico prego:
na rua do Vigario, n. 19.
Chcgou da Franca na Met e acha-se a venda no
scu nico deposito em casa do KalUmann Irmflos, na
rua ila Cruz, n. 10, o vinho de
Chanipanha marca estrella
da fabrica de Moet & Chandon em Kpcrnay cojo vi-
nho ltimamente achou a maior approvacflo na Eu-
ropa.
A bordo do patacho yJIngoense., em
frente do trapiche do algodo, vende-se
firiuliade mandioca de muito boa qtiali-
dade, em grandes e pequeas porcoes,
por preco commodo.
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs-a garrafa ; e para-nn ha ver dolo do com-
prador serflo lacradas ns garrafas c com rotulo, re-
eobendo-se a garrafa vasia, o dando-se immciliata-
menlc a oulra cheia tamhem ha barris muito pe-
queos prorrios para quem passa a fesla. O pro-
pietario deste estabelecimento pede encarecida-
monte que so mo illudam avahando, pelo diminuto
prego e som conhecimento de causa a qualidade de armazcm de Vicente Ferreira da Costa,
sua fazenda digna por corlo da eslima dos verda-
delros amantes da boa pinga. Elle conla que quem
urna vez provar continuar com gnsto c sem arre
pendimento. Eo bom preco!!.' A todo a espos
accrosee o asseio o boro acondicionamenr, o rUic
tudo se poder verificar em dito cstahelrteWentoj.
mmftXASfff^%^SSX& muit0 r-P- para saceos de assucar e roupa de es-
toros: na rua do Vigario, armazcm de Francisco Al- icravos : vende-se em casa de N. O. Biober & COm-
ves da Cunha, n. 11. panhia na rua da Cruz, n. 4.
Na padaria da rua da Guia, no Itecife haver ) Vende-so na rua da Cadeia do Recife loja de
todos os dias a venda o novo pilo de Provenga fa- J0T0 da Cimba Magalhies.o primeiip.volume dos 80-
bricado por nutro modo que o actual e da melhor \ lo l'cccados Alorlaes, por Eugenio Sue traduzido
I'.m inha que ha 110 mercado : por este motivo n3o se era nortuguez por I 600 rs.; Mendigo negro de
pode fazer scnSoa 40, 80 c 160 rs. Paulo Feval, traduzido cm poiluguez por A. Rcgo,
~ Vende-se vinho do Porto, muito superior, e t v.", por 1,000 rs.; as poesas de Jofio de Lemos Sei-
Hiadera de pinito
Vcnde-sc a melhor madelra de pinho que lem
'vindoa esto morcado: na ruada Madre-u-t)cos
' Ai^odiio trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Itahia ,
l.izia Pociica.
Vnde-se farinha do reino muito nova assu-
ar letria, macarrSo, passas, farinha, araruta, ta-
pioca, genohra da llollanda superiores vinhos en-
garrafados o a relalho superior cerveja branca
prcla, manieiga franceza o ingleza cha, rap,.ar-
roz, breu esleirs do* su!: tudo do melhor e por
mais barato prego do que em outra qualquer parte :
na rua de Dorias, venda n. 52, na esquina que volta
para a rua deS.-Tbereza.
Vendem-se muito superiores batatas a granel ,
chegadas no primeiro do correnle mez a 720 rs. a
arroba porgo do 10 arrobas para cima e menos a
800 rs. : na travessa da Madrc-de-eos, armazem
n, 16.
Vendem-se duas pretns urna do nagfto, do 16
a 18annos, que cosealguma cousa cozinha e faz
todo o servigo de.urna casa, e a outra crioula
c vendcdei'a de rua : vendem-se por scu senhorre-
tirar-se para lora com brevidade : na rua.da 7'rem-
pc sobrado n. 1.
No deposito de Me. Calmont & Companhia na
rua do Apollo, armazem ri. 6, acha-se constante-
mente grande sortimento de ferragens inglezas para
cngcnhns de assucar corro sejam : taisas do ferro
coado de diffcrenles modelos, os mais modernos;
dilas de ferro batido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado, para armar cm madeira ; ditas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor reTorga de quatro cavados o de al-
ia pressilo o mais moderno e simples quo he possi-
vel ; reparlidciras ; espumadeiras ; resfriadeiras de
ferro eslanhado; formas de ferro:'ludo por prego
commodo.
Vcndcm-se presuntos para fiambre; quoijos
londrinos ; ditos de prato ; latas com bolachinha
finado Lisboa ; ditas de araruta ; conservas novas ;
mostarda ; potes com sal fino ; latas com marmela-
ila nova ; ditas com herv ibas; caixinhas com mas-
sas linas ; vinho moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, por prego com-
modo : na rua da Cruz, no Recife, n. 46.'
FARELO
em saccas muito grandes,
a 3s'Goo rs. a sacca:
no armazem do Braguoz ao p do arco da ConceigSo.
Na rua do Crespo loja de 4 portas n. 12, ven-
dem-so chapeos de castor pretos, do muito boa qua-
I dado, a 4,400 ra.
Vendem-se saceos com farelo,
clipgados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na rua da Sanzalla-
Velha,.n. i38.
Vende-se a verdadeira potassa da
l'ussin, desembarcada hontem, por pre-
co muito rasoavel, vista de sua milito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 3j.
C.lIA'llIUSII.EIItO.
Vende-se, no armazem do molhados atrs do
Corpo-Sanlo, n. 66, o mais excellente cha produzi-
do em S.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por prego muito commodo.
Vende-se panno de algodilo da tejra de mui-
to loa qualidade, a 220 rs. a vara : na rua do
Quoimado, n. 57.
Vcnde-so um moleque de 7 anuos; urna scra-
va com cria muito boa costureira e que faz cha-
peos o toucase engomma bem ; 3 pretas do 16 a 20
anuos com habilidades, e que-sflo boas quitan-
deuas ; um pardo de 18 annos de muito boa con-
duela, e lio 0| timo para pagem : de todos esles es-
clavos se llanca a conduela ; no pateo da matriz de
S -Antonio sobrado n. 4, se dir quem vende.
iXovosriscados monslrcs chi-
nezes, a 500 rs. ocovado.
Na loja dcCuimarflcs & Companhia, na rua do
Crespo f. 5, vendem-se os novos riscados chine-
7es unos, de padrOes muito lindos, e os mais mo-
dernos que leem apparecido nesla cidade do vara
de largura pelo barato prego de 360 rs. o covado.
t\s novas casimiras de algo-
dao, a 1)00 rs. o covado.
Na loj n. 5 da rua do Crespo, vendem-sc as novas
casimiras do algodfio de padrOes os mais ricos que
leem apparecido noste mercado pelo barato prego
de 560 rs. o covado.
Vondcm-so chapos do castor branco, a
4,000 rs.: na rua do Qneimado, u. 22.
(OBUK.
Vende-se cobre para forroe caldeirci-
ro : na rua da Cruz do itecife, n. 17.
Vcndcm-se superiores lonas americanas, de
lodos os nmeros chapos do Chili, linos e de cor
muilo alva, como leem vindo poucos ; potassa nova,
superior, por prego muito commodo : na Praga-dn-
Commercio, n. 6, a iratar com Manoel Ignacio de
Oliveira.
NOVO PAO A PROVENA F. DOLACIIIXIIA
REGALA.
Fabrica-se na Santa-Cruz, padaria de urna s par-
la, com a frente para a rua do Sebo ; assim como
lambem toda a qualidade de bolacha de differenles
tamanhos, en|re cuas a bolachinha d'agoa o sol de
30 cm libra, furadinba, lorradinha e tudo o mais quo
be proprio dcsles cslabelcclmentos, empregando-se
sempre as melliores o mais novas familias quo ha
no morcado: o mesmo so acha a venda na travessa
da Madre-de-Deos, n. 13, deposilo da inesma pada-
ria ;e na esquina da rua do Collegio, venda do So-
bral, tan smenle a bolachinha regala doce.
Vende-se urna casa Ierren de podra o cal, na
estrada do S.-Jos do Manguinho por barato prego :
na rua da Cadeia de s.-Antonio n. 21.
da rua do Cabug, sortimento de bU
eos feitos na9 ilhas, de iinho puro ; e |
as de linho, proprias para lavarintos.
as mais finas que teem apparecido.
Vende- se urna venda com poucos
fundos, no melhor local do Recife, a mi
da Madre-de Dos, n. 5 : a tratar na
mesma venda, 011 na loja de ferragens n.
56, da rua da Cadeia do Recife.
Vendem-se navathas do ago da China pir
barba ; oculo para todas as dados ; tesouras para
unhas; lonetas; o outraa militas miudezas baratas
na rua larga do Rozario n. 35.
Vendem-se do'us molecotes de nago, de (8 an-
nos; 3 escravos de nagio sendo um deles cozi-
nhoiro ; dous ditos da meia dado ; 4 pardos mogos
de bonitas figuras,sendo um delles mestre do si
sucar outro carpinu o 2 de enxada ; 4 negrinhaj
mogas ; duas molecotas de todo o servigo ; 3 cscra.
vas do bonitas figuras : todos por prego commodo
na la ni re la, n. 3. .
Vende-se um Atlas deSimencourt, em muito
bom estado, por 6,000 rs.; urna Arthmelica de lle-
zout, em bom oslado, por 1,280 rs. : na rua do Hos-
picio, n. 4.
Vendem-se filhotes muito gordos, a 400 rs. ctoVl
um ; um lindo casal do pombos mariolas : ua rui
da Florcnlina n. 16.
-- Vende-se farinha de man-
dioca em saceos ; no armazem n. 30, na rua da Mi.
dre-de-Deos, ao lado da alfandega.
Uacaas e caslanhas.
Hoje estaoavenda, no arco da Gonce!-
?ao, o restante das barriquinhas comnu-
cas, viudas no gello. Aproveitem-serJo
pre^o e da qualidade, que poralgum tem-
po c nao vem mais : tambem se vende
na rua do Vigario, armazem do Cunha.
No armazem de Joaquim da Silva
Lopes, na rua da Madre-de-Deos, n. o,
vendem-se saccas com 6 arrobas e 8 li-
bras de superior farinha de trigo, da me-
lhor qualidade que vem a este mercado,
e chegada ltimamente, pelo barato pre-
co de 16,000 rs. a sacca.
-- Vende-se unta boa cscrava moca, sem vicios
nem achaques, e que lava, engomma, eezinha o fz
alguns doces soffrivelmcnte : o motivo da venda ho
por son senhor rolirar-se para a Europa : na rua das
Cinco-Pontas, n. 82.
He barato
I #00O
rs.
f r
Vendem-se esleirs de Angola grandes a 1,(
rs. cada urna ; ditas pequeas, a 400 rs. ; dilas de
carnauba, de varios pregos : todas silo de muilo boai
qualidades e julga-se que por esles pregos mo che-
garfio para as cncommendas, por isso roga-se aoi
compradores que venham fazer a dovida esculla,
se nflo, se nSo: na rua Direila, venda n. 76.
DE G PORTAS Nd8
.Resta loja ha urna grande porgHo de chitas
finase de cores lisas, que para so acabarem
com brevidade, vendem-se, as pegas a 5,800 j
rs., c o covado a 1C0 rs. ; bem como um re-
Ib deriscadomonslro a ato rs..
taas barricas que fram
atrs da matriz da Uon-Vis-
Rap princeza de Lisboa, a
,000 rs. a libra!
Vcnde-se rap fino princeza de Lisboa a dous mil
r. a libra : nada ha mais barato, a elle : na rua No-|
va), n. 30, loja de Domingos Antonio de Oliveira.
Vcndem-so ccnlo e
do Irigo muito novas :
la 11. 26.
Vende-se caf moido para as tabernas, muilo
bom, c mais barato do quo om Outra qualquer parte; ,k
lambem se recebe caf parase moer, por prega
commodo : airas da matriz da Boa-Vista n. 26.
Nadeslitaglodaltibeira, n. 17, vendem-so 2
oscaloresdo quatro remos, um com 20 palmos e
quilha o o oulio de 30, todos novos feitos do so-
dro o bem construidos.
Contint'ia-se a vender espirito de
36 a 41 graos: na rostilagilo da travessa da Concordii.
Vende-se, por prego commodo um lindo car-
ro de duas rodas, que os Fraitcczes chama m tilburv,
com os scus competentes arreios : na rua da Cadeia
do Recife, n. 52. .
Escravos Fgidos
Fugio o consta andar nesla cidade um prolo,
donme Joaquim,'do estatura regular, bstanle i
chcio do corpo .ollios grandes e ahugalhados, ni-
riz muilo chalo ; levou calcas e camisa-de algoino
da Ierra, e bonete proprio de manijo. Bato preW
lem andado embarcado e ja foi do sr. Joaquim La-
pos do Almeida. Quemo pogar leve-o a rua da Cf
daia-Velhu. 11. 33 quo aera gratificado.
Boa recompensa.
Fugin, do engenho Taquary, comarca de S.-Anlilo.
no domingo, vospera de festa do Natal, ocrioulol
Manoel, natural do serian do Sirid; lio alio, il
bom corpo, cor fula, cabello pouco picliaim I
gnma cousa barbado pos e mil os seccas, e cm um
das ni 11 os junto a monheca urna cicatriz tem visi-
vo! proveniente de talho e no pello do.p oposio
outro igual ; tem 90 a lanos annos : quem o peg>r
levo-o ao dilo engenho ou na rua do yueimauo.
n. 27, que sor recompensado. .
PCII*. .* NA TTP. DE M. F. DE FABlA. 1<9
ILEGIVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM5CXTLVV_M0AZZJ INGEST_TIME 2013-04-13T03:33:09Z PACKAGE AA00011611_06220
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES