Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06217


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-
Anno XXV.
//.l/i/dpublic.i-sc todos os das que nao
forem de guarda. O prefo da assignatra lie
de iMliHl i s .por q annuiicioJ dos assignaiucs ao Inseridos
rao de 20 r. por liulia, lo rs. eui typo dif-
/erenle, e as repeue.de* pela uielade. O na o
;i; u.iiiirs p'agaro 80 rs. por liolia e ICO i*,
cm lypo difireme, por cada puullcacfio.
MIASES DA LA NO MEZ DE JANEIRO.
Crescenie, *?. a6ho.ras e19 niln. da man.
La chela, a 8, s 8 bora* e 31 inini da tarde.
Mingnaute, a 16, as 4 horas c 35 inlu. da manli.
La nova, a 24, as 7 hora* e43mi. da mana.
Quinfa-feira 11
PARTIDA DOS COHREIOS.
Goianna e Paradina, s srgs. e srxtas-feiras.
RHo-G.-dO'Nortc, quintaifeiras ao ineln-dla.
Cabo, Srrinliriii, Kio-Forinoso, Porto-Calvo
Macelo, no I." 11 e 21 de cada mez.
(jnraiiliuns e Bonito, a 8 23,
lina-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s qiiinlas-feira.
Ohnda, lodos o das.
PREAMAR DE HOJE. '
Primclra, s 6 hora* e 6 minutos 'da manb,
Segunda, s bora e 30 ni nulos da Urde
de Janeiro de 1849.
N. nr
DAS DA SEMANA.
8 Segunda. S. 1,011 renco Jusliniano. And.
do J. dos orph.,doJ. do clv. c doM. da2.v.
Terca. S. Julio. Aud. do J. doc. da I. v.
e do 1. de |iai do 2 dist. de t.
10 Ouaii.i. S. Paulo.l.eremita. Aud. do J.do
c. da i. v.c do J. de paz do2. dist. de t.
11 Quinta. S. llygino. Aud. do J. dos orph.
e do J. II. da 1. v.
12 Sexta, s. Salyro. Aud. do J. do civ. c do
J. de pai do 1. dist. de t.
13 Sabbario. S. Hilario. Aud. do J. doc. da
1. r. e do J. de paz do 2. dist. de t.
14 Domingo. O Santissimo Nomc de Jess.
CAMBIOS NO DA 10 DE JANEIRO.
Sobre Londres a 25'/3d. por l/rs. a 60 das.
Pars
. Lisboa 110 por cejilo de premio.
Rio-de-Janciro ao par.
Dse, de lett. de boas Urina* al1/, % ao mez.
Aeros da cump. de Beberlbe, a j rs. ao p.
Orno.Oncas lieapanhla*. 2!)a?>ii0 a 30#i)ni>
Mudas de 6*400 v. 17/000 a l'^zOO
de ffiW) ii. lli/Jni 3 llislun
de4^000.... 0/2U0 a 9/401'
fraa-Patai-oesbralleros 1/1)40 a 1/MiO
Pesos coluninarius. 1/040 a I.W
Ditos mexicanos..... 1^0 a I/M20
PARTE OFFICIA!.
I^'r .-----------------------,----------------------------
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 9 DE JANEIRO.
OfTIcio. Ao tenente-coronel commandante do
corpo de vainllanos. Acensando roeebido o ofll-
rotlc6 do corrcnlc, com que V. S. me rrinclleu o
de 4, ero ge olTeroecrn para prestaron) satis servicos om pro da
onlem c da trahquillidade publica, incorporados afl
balallin de volntanos que V. S com manila, tenbo
de significar-lhe nlosoque aceito lito patritico c>f-
Irreiiniento, s'nnSo tanibem que luuvo os elevado
scnlimonlos daquolles cidadios, que sincera e ex
ponlaneamtHia qurem coadjiver os briosos volun-
tarios nosesforcos por queseeslo distingu ndo em
bem de sen paiz.
Dito. Ao commandante da frcas navaes. -Ac-
enso reccbldo.o ofllciodeS do correte, com que V.
8 me remellen o de l, em que o capitfl-tenente
Joaquini Jos da Silva, segundo commandanto da
fragata Coniiituicdo, d conla do resultado da sua
expedidlo ilha de tamarac, para onde, en) Ciirn-
primenio de orden) desta presidoneia, havla elle par-
tido a bordo do vapor Uranio, com a frca de mar
que assentei de fazer seguir para all, quando me
eonstou que os revoltosos oeeupavam aquello ponto
liespondenilo no seu citado olllcio, tenhe de re-
cotnmendar-lhc faga constar ao sobrcdito capito-
tonenlc o. as pracas quo o acompanharam na expe-
l ieo, que llicsngradcco o bom desempenho da com-
issflo, e louvo o bom espirito qoe tanto distingue
a marmita nacional, cujos servicos em pro da iran-
quillidade publica tiesta provincia silo om verdade
ssignalado; fazendo-lhos sentir ao'mcsmo temp
que o seu procodimenlo ser levado ao coliliccmcn-
1o do Exm. Sr. ministro e secretario de estado dos
negocios da marmita, que certo o tomar na dovida
cOnsideraco.
Dito. Ao presldenlo e secretarlo da associa$o
commercial desta prac. Grato assoeiae.no com-
[ "mercial desta praca pela felicilacao' quo em seu no-
mes Vv. Ss. mo dirigein etn seu Officio do 3 do "cor-
renle, pelo facto de ha ver S.'M. o Imperador conda-
do de mim a presidencia desla bella provincia, eu
| aceito o lugar de socio honorario da mesma asso-
fciacflo, para quo Vv. Ss. me convidan), e asseguro-
! Ibes que nada pnuparei por dar ao commcrcio o -a-
poio proleccHo que ello se receber em lodos os
paues bem administrados, como urna das priineiras
fonlos da riqueza publica.
Dilo. Ao director do arsenal d guerra, autori-
sando-o a dispender a qtinlia de 268,000 rs. com a
compra do 12 toneladas do carvo do podra o 50 res-
mas de papel caituchinbo para provimcnlo dos ar-
mazensdesso arsenal e continuacijo dos Irab.ilhos
do laboratorio e das ollcinas de lerceira c quarta
classe. l'articipou-so ao commissario-pagador.
Hilo. Ao mesmo, roineltendo o conliccimcnto
da plvora que iccebcu no arsenal do guerra da cr-
InlliiagoAnhosa, mostr dobrigue nacional Sem-
I nr, com destuio esta provincia, a do Rio-Cmidc-
do-Noito o a duCeara, alim do quo receba a meneio-
I nada plvora, o baja de faz-la por a bom recado, na
| indiligencia do quo em occasiDo opporturta,dcver
ser enviada para as duas provincias, que mo refe-
r por ultimo, a porc,(lo desse genero quo Ibes per-
Dito,Ao coronel commissario-pagador, ordo-
nando que pague a Tbiago Anhoza, mestre do brigue
nacional tm-Par, o froto de 21* arrobas do plvora
qne receben na corte, a ras.lo de 1,000 rs. porcada ar-
roba, logo quo prove com documento que entrogou
no arsenal de guerra- desla proviucia a mencionada
plvora.
Portara. O presidente da provincia, lendo em
vista que o art. 49 da Ici n. 73 do 30 do abril de 1839
mo veda a domissSo dos oflieiaos da guarda nacio-
nal, autOMsda polo artigo I."das disposicOcs pera-
es da lof n. 63 de 2 do main do 1830, mas somonte
conserva aos demitlidos as honras dos ppstos, re-
sol ve nesa conformidade dispensar do servico da
nicsinn guarda aos oflieiaos d 2." lia la I hilo da guar-
revohiQ.to do .1846. Ncsto encargo, assim como n
sua gerencia como ollicial maior da secretaria da jus-
tica, o Sr. Pereira dos Iteis, be acensado do algu-
mas lanquibernias, segundo se diz; e agora, sondo
um dos redactores do Eilandarte, no so fazia oppo-
siTo ao governo, mas parece quo se aproveilava dd
sua posieo na secretaria para guerrear o mesmo
goycrno.atacando-o com o quo era segredo de oslado.
I 'ni por isto que no dncrcto da sua domissan se loom
as segu ules palavras: pnr na convir ao nico publi-
co '. Esta formula tom foito levantar .altos clamores
ao Estandarte, e ao mesmo Sr. I'ereia dos Iteis que
j deelarou no referido jornal que, logo que so abris-
sc o parlamento, inlerpellaria o governo sobro tal ob-
jecto, por ntlo tercommellido erro de olllcio, ou ou-
da nscionaJ do municipio de.Sanlo-Ant.lo abaixollro crime pelo qual devessosordemiltido.
mencionados, por assim convir ao servico publico.
Alleros secretarioPedro (jomes de S Tiago.
Tennteda !.'compnnhiaJos Francisco da Silva.
Capillo da 2 qpinpanhiailauoelComes Silverio
CapilHo da 5.' companhia-Manoeljdo Amorim Lima
Tcnento da 5.* companbia Ignacio Teixeira de
Farias.
Alfcres da 2.* companhiaAngelo Ilorges Alves.
Participou-se ao commandante suporior respec-
tivo.
Dita.Nomeando tenonte cirurgilo-mr do cor-
po de voluntarios ao doutor Francisco Concalves de
Moraes. Scienlilicou-se o cmmandanle do iefo-
rido corpo,
Dita. Nomeando a Ignacio Firmo Xavier Jnior
alferos ajudante do cirurgiilO-mr do corpo de vo-
luntarios.Parlicipou-se ao commandante do men-
cionado corpo.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMIiUCO.
Lisboa, 30 de novembro de 1848.
Os aconteeimentos que so succodem, os boatos
que circulam, ludo faz prever que estamos as *cs-
perasde urna crise, cujo desenlace be difllcjl Indi-
car, lie fra do toda a duvida que o presidente de
eoncrlho de ministros se aoha em guerra aborta
com a fraceflo rabralina, o lia quem asseguro que
tem nisso grande parte os conselbqs do Sr. Passos
Manoel, que, comecando ao principio por inlimidar
o niarechal com urna nova sublevaeao nopsz, son
influencia cabralina fosso pordianle, soubo alinal
indisp-lo de tal
Ao Estandarte nllo Ijo s a formula do decreto da
domissilodoSr. Pereira dos Reis que I lie faz levan-
tar alta gritarla, lio o receio bem fundado de que i
domisslo do Sr, liis se sigam outras dos coi feos
cabralinos ; pois ha quem asseguro que o marcehal
Saldanba diz cm toda a parle, o al mesmo no paco,
que ha do dar cabo dos Cabrees, que silo uns ladros,
ele. ; o' j circulou que o decreto da demissilo do
marquez de Fronteira o de seu irmfio D. Carlos es-
tayam lavrados. O Estandarte d como successor ao
primeiro o conde do Tavarele, genro do duque do
Salda liba, o an segundo o Sr Ximcnesou o Sr l)a-
masio, ajudanles d'or.li'iis do mesmo duque; piirein
Ues indigitacOesnno loom fundamento algum". O
subslitulo quo as pessons meihores informadas dilo
ao marquez do Fronteira he o viscondo de Valon-
go, possoa respcitavel, o que adquiri urna elevada
rcpula'cfio o os inelhorcs crditos pela prudencia
e sabcdoria'i'om que desempenhou anula ha pouco
os cargos de governador civil do Coinibra o do Porto.
Emquanto ao subslitulo do Sr. D. Carlos Mascarc-
nhas, anida nenlium se designa, mas por corlo que
ser individuo mais conspicuo queosSrs. Ximeucs
e Demasi.
Estas demissOes, porm, no passam de meros
boatos, mesmo porque a verilicarem-se talvez se-
jam motivo do urna bernada que os cabrees nilo tra-
Um de dissimular, pois j dizent aborlamento que
lie preciso sabir para a ra a combater all a mar-
cha do governo. Ore, o marocha! nao lie tilo louco,
quo lente taes moJidas sem contar com os moios
deas sustentar, e como sabe quo lomando-as lora
contra si parto da guarda municipal, sen.lo loda, o
rigimento n. 16, muita goute dos butalbOes nacio-
naes o o rogimento do lanceiros, tem toma lo as
sitas providencias, mandando vir para Lisboa n re-
giment n. 7, queja seacha no seu quarlel de Val-
dc-l'erciro, o o regiment n. 12 quo foi para lle-
. maneira co:n os (^abracs, que.
lio hoje um impossivol que o duque do Saldanba I '*n,5 porque o ti. 1 que all eslava, foi render ao cas-
retrograde depois, dos passos quo tem dado na[le".uo}''-Jorbeo baUlha da caria, que foi posto
tence.
Dito. Ao inspeclor da IhDsouraria do fa'enda
rocommendando baja defdar as precisas providen-
cias, para que o inspector da airandega permita a
desimcho de com harria com duzenjas e quator-
ze.arrobas do plvora, que Tbiago Anhoza, mcslro do
brigue nacional Sem-Par, recebou no arsenal do
[guerra da corto para entregar no desla provincia
[com destino ella, bom como s do Cearaollio-
Crande-do-Norte.

MEMORIAS D LM MEDICO, (*)
'o aieyanore ^uma
nova senda poltica que parece 80 propOa seguir.
Almdisso, o Sr. Passos Manoel, como hbil politi-
ce, depois de involver o marcehal na intriga, c
quando vio quesetornava necessarlo, safou-se, islo
he, relirou-se para a sua casa d'Alpiarca, depois de
urna pequea altercaco com o marechal, o qual no
lia seguidle (o da partida do Sr. Passos) so anda
all se acliava, o so sabia ter elle partid* mal com
o marechal. He islo o queso diz por possuas que
deven) estar ao.facto dosto* manejos o'inlollgeii-
cias, accrescenlando-so que o duque do Saldanba
vai mandar chamar o Sr. Passos para continuar a
ser o seu mentor.
Os resultados dosta mdanca do poltica leen) sido
alm do quo ja Ihe communiquei na minha ultima,
a domisslo do Sr. Antonio Pereira dos ftois do ofll-
cial maior graduado, chefe do rcparlicflo do mi-
nislerio da justica, o do metnbro de varias commis-
sOes, demitlindo-se elle da de reforma dos corrcios
dequo ou.lo foi pelo governo talvez por esqueci-
mciito.
O Sr. Pereira dos Reis he um mctnhro conspicuo
do partido cabra I i no, o lem-lho feito relevantes ser-
vicos. Foi Secretario da junta do Porlo na rcvolta
do 27 do Janeiro de 1812; o ltimamente commissa-
rio regio na provincia do Minlio, por occasiilo da
TEIlCKIltA PARTE.
XXX.
: US SS BMOVSTRA US O CAMINBO DO MI-
nsTtnio wAo sta) acata:abo de rosas.
OacvallosdoM. do llieheliou correrameom effei-
lo mal lignos que os doscommiinarios, |10s que
h marechal chogou prmieiio que elle*- ao paleo do
alacio do d'Aiguillon.
O duque j nio esperava pelo lio c preparava-s
para yollar a l.uciciines, alim do anniinciar a mada-
ln Dbarry quo o inj^Digo se tinha desm iscarado
pa o i oneiio, annuiiciando o marechal, lirou de
fon lorpor este espinio desanimado.
['I Vid Diario n. 7.
0 duque corrott ao encontr do lio e pcgou-lho as
mfios com urna aflectaco de ternura proporcionada
ao inedo quo tinha (ido.
O marechal.nada Ib.- lirou dcvcndo: o quadro foi
palhelico. Via-se entretanto quo M. d'Aiguilliinf
apressava o momeiilo das cxplicacO 's, ao pssso quo
o marechal o retordava o mais quo poda, examinan-
do j um quadro, j urna figura de hronze, ja urna
lapecsria, e qucixando-se do urna ladi-a mortal.
O duque corlou a retirada a seu lo, fazendo-o
senlarem urna cadeira de biacos, bem como Mr. do
Villars lizera ao principo Eugenio em Marcliietines,
o comecando o ataque disse :
Ser corlo, met lio, quo V'm., o lioincr mala
espirituoso do toda a Franca,me tem jnlgado 13o mu,
quo ebegou a crer quo ;u o aacrlicaria anien
egosmo.'
N1o era mais possivel fecuar. Ricbelieu tomou o
sou partido.
Que ests dizendo? respondeu ello; em quo he
que adas quo le tenli* julgado bem ou mal? Dizc
la, anda.
Meu lio, Vm. me impacienta.
Eu.coin quo inteiicDo?
Oh dcixo-so de lergivcrsacOos, senhor maro-
clial; V. Ex. fugo do rnm quanlo cu mais necessi-
dade tcnlio do sua assistencia.
Pelavra do honra, nilo comprelien lo o quo
dUca.
Etit.io eu nic explico. O re hilo qutz nomear
la V. Excelleiicia ministro,' e como ou'aceitei o com-
n)ando da cavallaria ligeira, V. Excelleocia suppe
d'ali fra, segundo todos acreditan!, para tirar aos
c.ibralistas un grande ponto do apoio. Alm disso
diz-se que anda vem para Lisboa o batalhao de ca-
(,'adoros ti. 5, do cummaudo do lenenle-coronel Ca-
breira, individuo lodo dedicado ao duque do Sal-
danba.-
Quando.cste liver sua dsposieo quatroou cin-
co corpos do linlia em que conlie, nao se duvida
quo entilo d o guipe quo predio lila, islo be, doiuil-
ni'ii governador civil, o coinuiandanle da guanl,i
municipal, e alguns outroscomniandanlos do cor-
pos quo Ihe silo adversos. Mas, soffrerao oscahracs,
i>lo impunemente i1 lio o quo uinguein acredita por-
que se sabe, quo li ani.iui laplo aqu, como no Porto,
pata proo ta ra una bernardo. O xito da lula
hodillicil de prever, posto quo todas as probabilida-
des estejaiii pelo marechal,. Ora, se este vencer,
em quem so ha do apuia i ,-' No partido setombrisla ;
o do mesmo modo, se licar voncido, nHo tem oulro
recurso quo lancar-se nos bracos dosso pailido. K
no caso de licar Iriumphante, apoia-lo-ha o pacer
contra ostiabraes? N3o armara a caaiarilha outra
intriga, comoannou ao dcfuulo liaran da Riboira do
Saluusa, no caso do nilo ter oulro recurso para evi-
tar que os selomhrislas lenbam ingerencia n poder
directa ou indirectamente?
Silo estas as .conjecluras que se fazem ; e por isso
lodos auguram graves aconlecimentos tiesto psz,
que tom estado al agora no remanso da paz, e quo
bom seria que continuasso a gozar do Uto grande
beneficio."
A imprensa setombrisla, posto que disfareaiIamCR .
to, tem mo&lrado nTo Ihe dcsacradar a demissiio do
Sr. .Pereira dos Ros, quo na sua opiniiln lio urna
jusla recompensa das miuncrosas e injustas domis-
sdos quo os Cabracs teom dado a mu i tos individuos
conspicuos c honrados, lano sclombrislas como cir-
lislas da opposn;o; nas, como agora o poder demis-
sorio Ihe loca por casa, gritim quo lio arbitrario-
dade, nio se lembrando que deslas arbitrariedades
commetorau) ellos muitas Entre os jornacs, que
mais se teem oceupado disto, nola-se o Patriota, no
s polos faetos que tem ctalo, como por cerlaszum-
baias quo tem dirigido ao duque de Saldanba, o que
faz mais capacilar da existencia do convenio entre
o duque c o partido sotpmbrisla. Entretanto ha
muita gente da oppnsic.lo que uo tenha goslado
desto procoJer do Patriota, acbando-o pelo menos
imprudente.
Ilonlom foram descoberlas para os silos da Jun-
Queira OU Beln) ninas duzentas armas que esta va m
om deposito. Segundo uns, cram dos setembrislas
para as suas tentativas; OSITOS querom que perten-
eaia nos cabralislas para, a bernurda que irazcm en-
tre as rolos, o lempo aelaia' o negocio.
Apczar das nossns dissencOes polticas v-se que
uo so descuidan) os interesses tnateriacs do paiz.
Alm da liga promotora dos interesses nacionaes
que se criou em Lisboa, lem-se insinuado em Vzeu,
Sanlarui o outras ierras prinripaes do reino asso-
ciaQOcs agrcolas, figurando Unlo n'uma como cm
outras individuos de todas as cores polticas, que,
allcndendo s ao bem do paiz, equecein as suas quei-
xas particulares.
A junta do crdito publico tem continuado a pa-
gar os juros das suas inscripces.
Falla-se da sabida do gabinete do ministro da
fazenda Falco. Diz-so quo se convidou o Sr. Fran-
ztni para se encarregar novamente desto ministe-
rio, mas que ello uo quizera aceitar, e por em-
quanto no so iiuiigila mais uinguem. A saluda do
Sr. Falcan he altrihuida a querer esquivar-so do
dar cotila no parlamento dos votos do conlnca quo
Ihe li'iram concedidos, o que na vei dade lie cscin-
doloso ; porque o ministro que tomar conla dessa
ropartifSo, quando fr pergunlado sobro esso as-
sumplo, responde, e com raso, que nada he com
ello, porque uo foi a quem sa concejera m tres vo-
tos de coulianc i ; o paiz lie. ignorando o que so
tem feito dos seus recursos ; oSr. Falco rindo-so
do todos.".
S. M. a rainln j ebegou ao lercoiro mez da sua
nova gravidez, pelo que se iiiandaraui fjzeras preces
do costume.
As noticias das provincias naJa offerecem de im-
portante om quanlo poltica. No acontece oulro
tanto relativamente a liiimaiiidade, pois quo quasi
to los os correios os jomaos do Porto o Coiuvbra nos
innuiiciam multes, feriiiientos o outros malelicios.
Botrotanto goza-so de socego em toda a parto, e
esses Crimea **fio obra de uialfeitores isolados, con-
sequeneia de rixas, &. .
Mllll! il,, ruiUlllllUI.
*: ssnaauarUHFC-xm
quo o tenbo abandonado e (rbido. A cotulessa quo
ama de lodo o coraeo a V. Excelleucia.....
Aqu RiChelieu applico os ouvidos, porm lio
foi Miinenle as palavras do sobrillho.
Tu dizes que a condessa mo ama de todo o co-
raeo ?
Digo, e posso prova-lo.
Porm, mcu charo, eu uo contesto isso... Eu
le maudei chamar para me ajudares. Tu s mais
mogo quo ou o cousogunilcmenle mais forte ; lu s
feliz, eu desgranado; islo osla na orden), o por ini-
nlu f quo no compivhcnlo por que raso leus lu
todus eslesescrpulos: se promovesto os iiieus in-
lercsses, no tcns quo rec-iar nada de mim ; se pelo
contrario os guerreaste, conla que to pagari na
mesilla moda. Precisa isloalguuia esplicacilu ?
Me ti tio, e:n verdado ....
Tu i urna crianza, duque. Tua |>osico he
magnilica : par de Frauda, duquo, com:nan.Iaiiio da
Cavallaria ligeira, minislio daqtii a seis semanas, tu
doves moslrar-le superior a qualquer ftil censura ;
o successo absolve ludo, mcu amigo. Suppi5;. ... cu
goslods aplogos.... Suppe que somos os dous
mulos da fabola.....Porm que bulla lio osla que OS-
tou ou vi mo:1
No be nada, meu lio, continuo.
Pois no ouco urna carruageui no palco.
Meu lio, no so interrumpa, ou Uro peco, sua
conversa me iutercssa mais quo ludo; ande, eu lain-
liein gusto dos aplogos.
p'ois bem, mouamigo, cu queria dzor-to que
emquanto foros feliz nllo acharas nunca quom le di-
rija reproches, ueifl leras que temor o des>eilo dos
BECirX, 10 DE JANEIRO DE 1849.
NOVAS 11* RCVOLTA.
Os revoltosos, semprc destrocados c afanando-se
por aportar-so o mais possiVcl das frfas legalistas,
pasaran) boje cm Dous-Bracos, e dabi seguirm para
Campestre.
lavajosos; porm, so manquejares, so cahires.....
ah loma sentido, que. lio entilo quo o lobo alara;
poi.n oslas ouvindo, hemledizit eu, ha rumor ahi
na antecmara ; sem duvida trazem-to a pasta.....
A enndessinha ha do ler trabalhado por li na al-
eo va.
0 porteiro cntrou, e disse com inquietado :
Os aosliores commissarioa do parlatnonlo.
Olha disse Ricbelieu.
Commissarius do parlamento aqu i'
Que qucrcn ellos commigo? Respondeu o du-
quo pouco Iranquillisado pelo son i/o do lio.
' Da parlo dorei, arliculou nina voz sonora no
fundo da anteeainara.
Oh! oh! exrlamou Ricbelieu.
M. iPAiguillon levantnu-se plido, o dirigio-se
pafa a porta da sala alim il? pessoalmente inlrodu-
zir os dous coiinnis.sarios.aps os quaes appareccram
dous ullleiaes do Justina impassiveis, o alguno cousa
mais distante una legio de criados espantados.
Qucrcn alguina cousa commigo? perguntou o
duque com una voz agitada. ,
He ao senhor duquo ilAigutllon que temos a
honra de fallar? disse um dosCommissarios.
Eu sou oduquefd'Aiguillon, senhorc.
Entilo o comaiisi.'irio, fazendo-lhe una profunda
reverencia, lirou do cinto um auto do boa forma, o
qual li cm voz alia o inlolligivel. .
Era a sentones eirciinistanciada o completa quo
leclarava o duque d'Aiguillun gravemente aecusa-
do c indiciado do suspeils e mesmo de fados que
naculavam a sua honra, e o suspenda das iuncccs
de par do reino.
__
L*k Maas



.1
Os bravos que defendein a causa da nrdcm, do
throno e da consliluqflo, conlinuam a persegui-los .
u, supposlo que elles caminhem coin a pressa do cri-
minoso que fugo ante os agentes da justca cujos
picedlos ha postergado, todava lio de suppr que
os alcancem, c os desbaratvin completamente.
Pela niaicha que levam os bandidos, he clar que
se elles esforcam por evacuir o norte da provincia,
que temos f licar intcramcnte livro dcssas hor-
das selvagcns, visto como todos os pontos por ondo
po lem ellas tentar o regresso para'este lado da nossa
Ierra estno tflo hem guarnecidos, quelbes mo sei
posivol penetra-los.
NAVIO i>i i isik'ia.
Entrn hoje no porto dcsla cidado, procedente do
daquella capital, o brigue inglez Broad-Axe,- tra-
zendo-nos apenas acallado nosso correspondente,
quo inserimos ncsle numero do Diario, e que resu-
me Indo quanlo occorreru cm Portugal at o din
30 de novemliro ultimo, de que vem datada.
"" """".''' for^EhcoT"......""""'"
ALFANDKGA.
BEJIDIMENTO 1)0 DA 10.......... 7.795,866
Descarregam hoje, 11 de Janeiro.
Patacho- llope bacalhao.
Brigue Cynthia idem.
Rrguc Sem-Par pipas vasias.
[ligue Ilor-tlo-Tejo incrcadorias.
Ilurca laura carvflo depedrn.
Brigue A.-/). bacalhao.
IMPORTA CAO'.
K.-P, brigue hamhurgiicz, vin.lo do Terra-Nova i
eiitia.lo no correnlo inez, consignado a N. O. io-
her c. Companhia, manfcsloii o seguinlo :
2600 barricas bacalhao, 38 pecas cabos, t barrica
velas, 4 caixas vldros, 6 barricas e 3 caixas geneitra,
ion espeques, 508 cairelis, 8 caixas, 2 barricas pe-
xe salgado.; sos oosmosconsignatarios.
llope, palacho americano, viudo do Terra-Nova,
mirado no correnle mez, consignadlo a James Ciab-
tree & Companhia, manifestou o seguintn -.
2131 barricas bacalhao; aos mesmos consigna-
arios.
CONSULADO GERA1.
RENDIMENTO DO DA 10.
Goral ........................2:436,537
l> i versas provincias............... 39,540
2:476,077
CONSULADO PROVINCIAL.
ItEMlIlfENTO DO DA 10.......... 3:039,074
Movirncnio do Porto*
Kavict entrados no dia 10.
Lisboa ; 40 dias, brigue ingle/. Broad-Axe, de 136 to-
neladas, capitflo Charles Cornil, cquipngom 9, car-
ga sal ; a Me Calmont & Companhia.
Trieste ; 59 dias, brigue snrdo Velocefiro, de 197 to-
neladas, capitflo Antonio Guerrello, ei|uipagcm
11, carga farinlu o papel ; a N. O Biebcr & Com-
panhia.
Coquimbo ; 47 dias, galera dinamarqueza Ilarpe, de
220 toneladas, capitflo K Boisen, cquipngom 13,
carga jurra de cobre ; ao capitflo. Vein refazer-
se d'agon'c sogue para llaltimore. .
Aracnty ; 12 dias, hiale brasileiro Duvidoso, do 43
toneladas, capitflo Jos Joaquim Alvos da Silva,
equipasen) 5, carga cauros, sola o cora de Carnau-
ba ; a Jos Manocl Marlins. Passagciros, Tilo as
cimento de Castro e 1 cscravo n entregar.'
Parahiba ; 24 horas, hiato brasileiro Trei-IrmSos, de
32 toneladas, caintao Manocl Ignacio da Cuiha,
equipageiii 4, carga toros de mangue ; ao capitflo.
*nm*ar'-- < ai}Ma'Maer.T.rair- i 111 i jTTlipjpi
O tiuque otlvio esta lclma como un homcm ful-
miado otive o rebombo to Irovio. Kilo licou imnio-
vel ln'in como umn estatua sobre o:seu pedestal, e
nem mesmo eslendeu a inflo para recebar 6 o pa ta.
sentcncaquo o commissario do parlimcnlo llie oT-
ferocia.
Fui o marechal quero, tamhcm cm pe, porin vivo
o lesto, lomou este papel, leu o o rrlrihuio a reve-
rencia dos concelhciios. lisies ja iam longo, u anda
o tiuque d'AiguilIou pe rmanecia no mesmo es-
panto.
t Eli um golpe b<*m lluro, disse Itichelicu, tu
llflo s mus pardo tranca, islo he liumilllantc.
O duque vollou-se para seu lio, como se s ueste
momento Uvera, recupciado a vida eo peiisamciilo
Nflo esperavas por islo? disse Richelicu no
me -o ii luiii.
E Vio., meu lio? responden vivamente d'Ai-
guillou.
Qucm ha quo podesso suspeilar que o parla-
mento se atrevera a ferir tflo violentamente o valido
to roi etla favorita ? Aquellos liomeiis querein ser
pulverisados.
O duque senton-se, c poz a mio sobro a face, a
qual eslava incendiada.
Ora, ronlinuou o velho marechal cravandoo
punhal na Cerilla, se o parlamento te degrada da'tlig-
mdaile do par sHente porque fiVns nomeado com-
mandante da cavullaria ligeira, por corlo quo lo de-
lirla ni a prisio, e"t condemnara ROfogO, quando
filies nomeado ministro. Aquellos homtft* le ubo-
nim.iiii, U'Aiguillyu, dcscoMia Uellus.
Navio sabidos no metmo da.
Rio-dc-Jaiieiro; brigue porluguez Terc-ra, capilo
Jos Roberto de Freitas, carga a mesma e os mes-
mos passageros que trouxe. -
Marsoille ; barca franela Zampa, capitflo Carlos Jo-
s Maco, cama assucar.
f.ibrallar ; polaca sarda Rosa, capitflo l.ourcnco Mar-
chse, carga assucar e couros.
HIMTAES.
Olllm. Sr. inspector da thesourarta da fazenda
provincial, cm virtude da resolueflo do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico auo, Pernl
mesmo tribunal, se ha de arrematar, hoje, II do cor-
te quero PO' menos fizer, as imprcsses dos tra-
balhos das diversas repartirles publicas provtnciaes,
avallados em 2:800,000 rs. por anno.
A arrcmaco ser feta por lempo do 5 mezes a
contar do I. do fovereiro ao ultimo dejunho do
"S pessoas quese propozerem esta arremBtacno,
comparecen, na sala dassessOcs do sAredJtfltnbu-
nal, no dia cima indicado, pelo meio-dia, compe-
tentemente habilitadas. ... _
E para constarse mandou afiliar o presento o pu-
blicar pelo Diario. ,
Secretaria da Ihesouraria da fazenda provincial de
Pemambuco, 10 de Janeiro do 1849.
0 2. cscriplurario,
Antonio Ftrrtira d'JnnunciacHo.
Esta reprsentaeflo constar de um drama em
grande espectculo o a carcter, em 5 actos, inter-
mediado do cantona, dansa, ele., c de um vaudevil-
le, seguido de romances modernos.
PREGO DAS ENTRADAS.
Camarote do bocea da soena a 12,000 rs., e por as-
signatura a 10,000 rs.'; primeira asegunda galera,
por cada pessoa, a 2,500 rs. c por assignatura a
2,000 rs. ; terceira galera, por cada pessoa, a 1,800
rs., e por assignatura a 1,500 rs.; platea, por cada
pessoa, o 1,200 rs. ,e por assignatura a 1,000 rs.
Para Msignaturasou compra do bilhelcs com an-
tecedencia, dirijam -se a casa de Mr. Dupr. na da
Senzalla-Velha, n. 1*2, Has 10 horas da mandila s 3
da lardo, enotheatro.no dia da ropresentaeflo, das
2 horas ds tarde cm dianle.
N. B. Esta recita nSo coroprehend'e as da assig-
natura.
carregamcnlo de sal; recebe alguma carga miuda
o passagciros, para o que lem bous commodos: os
pretentlcnles i'injam-se a ra da Catloia do Itecife,
n. 61, a fallar com Joflo Jos Fernandos Magalhfles.
Para Lisboa sabe com muita brevdade o bri-
gue porluguez Conceictlo-de-Mo.iia, por ler grande
parte de sua carga prompta :'qucm no mesmo qui-
zer carregarou ir de passngem, para o que ptforeca
exccllentes commodos, dirija-se aos seus consigna-
tarios, Thomaz do Aquino Fonseca & Filho, na ra
doVigario, n. 19, ou ao capitflo' na Praca-do-Com-
mercio.
, Para Lisboa saliir, com a maior hrevdado pos-
sivel, o bem conhecid o hrigue porluguez Twujo'
l'rimelro, capitflo Manuel do liveira Faneco: teot
parte de sua carga engajada : para o restante e nas-
sageiro*, para o quo offereco asseiados commodos,
trala-se com ocapito ira prnca ou coro o consig-
natario lirmino J. F. da llosa na ra do Trapicho,
D. O.
O lllm. Sr. inspector da thesournria da fazenda
provincial, cm virtude da resolueflo do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que, perante o
mesmo tribunal, so ha do arrematar a qucm mai,
,1er, nos dias 16, 17 c 18 do correnle, a renda do si-
tio que foi leSehastiflo Jos da silva I raga, no boc-
eo do Fsninheiro, com casa de vivenda, cacimba e
arvo.es'de fructo, avahado aunualmonto cu 150,000
AarremaUeflo ser foita por lompo de dous anuos
o cinco mezes, a contar do 1. de feverciro do cor-
renle anno al 30 dejunho de 1851.
As pessoas que se propozerom a esta arromalacao
comparecamnnsalailas sossOes do sobredi lo tribu-
nal, nos dias cima indicados, pelo moio-dia, com-
petentomenlo habilitadas.
Epara constarse mandou aflixar o presente e pu-
blicar pelo Diario. .
Secretaria da llicsourana da fazen.la provincial o
Pernambuco, 10 de Janeiro do 1849.
O 2. cscriplurario,
Antonio t'erreira d'Annunciacao.
CURSO JUIIIDICO.
Faco saber a quem convier, que desdo o dia 3
defevoreiroal 15 do marco prximo os que sehou-
vercm do examinar em preparatorios se-Io-hflo na
rasflo dos exames que j tiverom feito ; pelo quo os
requerimenlos quo para isso fizerem deverflo sor
instruidos com as cerlidOes dos exames ja feitos. Os
requerimenlos quo nflo apresentarem nenhuma dcs-
sas ccrtidOes serlo considerados como de quem
pretende fazor os seus primeiros exanies no curso
jurdico.
Olinda 8 do Janeiro de 1849.
O director.
Padre Miguel do Sacramento Lnpe Gama.
THEATRO PURJ.ICO DE SAN-FRANCISCO.
Nimiamente grato ao respeitavel publico pela pro-
leccflo que delle ha recebido sempre que ha appel-
lado para a sua magnanimidade, rertu deque essa
protci;fio Ih ser continuada, Podro Baptsta de
Santa Rosa nffo hesilou um momento sequr ora lo-
mar sobro si a empreza do theatro de-fian-Franciscn,
tanto mais arriscada e dispendiosa, quanto hesabi-
do que esseedi(icio seacha muito arruinado, o o
annuncianle tom rigorosa necessidade do ropara-lo
do modo a lorna-lo digno de ser frequenlado pelos
Ilustres habitantes desta ciliado.
Se Sania Rosa allendcsse mais aos seua nteres-
sos do quo ao commodo dos. seus protectores, certo
se conservara na direceflo do theatro da ra da
Praia, porque mesmo ah sempre fo honrado pela
presenta de mullos espectadores; mas como, ao pos-
so que proroove os moios do subsistencia,, quer faz-
lo tle modo a nflo abusar da bou lade tlaquel les que
so dignam do ejuda-lo emsemolliante tarefa, toinou
a deliheracfio de arrondar o do San-Francisco, onde
as familias encontrarlo camarotes feghados e sepa-
rados uns dos outros, cuja falta era tflo scnslvel na-
quoll'oulro em que elle principiou a receber provas
nflo equivocas da disposigflo em quo eslava o publi-
co desla cidade de coadjuva-lo a preparar um futuro
menos critico para urna familia numerosa,- do quem
lie o nico arrimo.
Isto posto o novo empresario espera qTio o Ihea-
Iro hoje sol stia direceflo, cuja posicilo tic por do-
mis excellente, e est ao abrigo de quaesquer re-
cordarles dolorosas, seja anda mais frequenlado do
quo o fura oda ra da Praia durante o lempo que
estevo a seu cargo ; ten lo assm urna rasflo de mais
para convenecr-se de que os habitantes do Rccfe
eslflo resolvidos a esteuder inflo auxiliadora a um
artista brisileire que, para assiin dizer, anda ago-
ra comees, a viver.
Av.isos diversos.
Avisos martimos.
Deca raides.
**
Pela segunda seceflo do consulado provincial i
faz publico que os 30 dias uteis para a cobranca,'
bocea do cofre, da dcima tiabana no primero 1_
meslre de 1818 a 1849 se ultimam no dia 1-2 to corre
le, lindos os qunesficam subjeitos a mulla dq 3 por
cenln todos aquclles quo deixarom de ter pago seus
dbitos.
CONSULADO DE PORTUGAL EM PERNAMBUCO.
A chancellara ileslc consulado foi mudada para a
casa n. 6 defronle do Trapiche-Novo.
AGENCIADA COMPANHIA BBASII.EIRA DE PA-
QUETES A VAPOR EM PERNAMBUCO.
O escrplorio desta agencia fo mudado para a ca-
sa n. C defronle do Trapiche-Novo.
THEATRO DE APOLLO.
Qnnta-feira, 11 do correnle, lera lugar no thea-
tro de Apollo, com aulnrisacflo do Sr. chefo do poli-
ca, a primeira lepivsenlacflo da companhia tralicc-
za, snb a direceflo de Mr. Dnpr.
A barca Bella-Pernambucana pretende sabir pa-
ra a cidado do Porto com brevdade por ter a maior
parlo de sua carga prompta : para o rstanlo e pas-
sagciros para o que tem asseiados commodo, en-
tendam-se com o sen capitflo na praQa do Commer-
cio, ou com o consignatario Antonio Francisco
de Moracs, na ra da Cruz, n. 34, terceiro andar.
--ParaoMaranhaosaho.com a maior brevidade
possivol o brigue-escuna nacional Laura, de ex-
cellente marcha : quem no mesmo quizercarregar,
ou ir de .passagem dirija-sc ao capitflo na praca, ou
Mr Njifaes & Companhia na ra do Trapiche, n. 34.
' Para o Rio-de-Janejro sahe por lotla a presen
te semana sem falta, o brigue Ligeiro: para o resTo
da carga, passagciros, ou escravos a frele, trata-
se com Manocl Joaquim Soares na loja de ferra-
r gens ao p do arco da Cnncoicflo, ou com Novaos
& Companhia, na ra do Trapich, n. 34.
Paia o'Xraeaty tem do sabir no da |8 do cor-
rento o hiato Novo-Olinda, por ter j tratada gran-
de parle de sua carga : quem nelle pretender anda
earrogar ou ir de passagem ,-dirija-so ao mes tro
do mesmo, Antonio Jos Vianna no trapiche novo,
ou na ra da Cadcia-Vclha, n. 17, segundo andar.
Vende-se o patacho nacitoial Anglica de lote
tle 154 e iiieia toneladas, recentemcrile fu/rado de
cobre e promplo de um ludo para seguir viagein :
a tratar na ra ta Cruz,'n 37, segundo andar, ou
com o capitflo, Manocl Autunes do Oliveira, ou com
l.iii/ Jos do S A i a iijn.
~ O brgue-es'una nacional Olinda seguo para o
Ifio-.le-Janeiro i n- pi ele ivelmcnte ni) dia 15 do Cr-
renle : para o resto da carga escravos a frete e pas-
sageiros trata-sc com Machado & Puheiro, uu ra
ila Cnilcia n. 37.
Parao Ro-de-Janero sabe, com a maior bre-
vdade possivel, o hrigue tala, por ler mais da
melado ta carga engajada : para O resto, passagci-
ros c esclavos a frete, trala-so com Joflo Francisco
da Cruz, na ra da Cruz, n. 3.
. Para o Ro-dc-Jtncrosegu at o da 10 docor-
rente o'brigue Atsombro, por so adiar com o seu
Oduquc fupportou osla horrvel zombaria com
u ma constancia do heme; sua desgrana o engrande-
ca, ella a: inav.i sua alma.
Iliclin lieujulgou que esta constancia era insensi-
bililadc, falla do inlelligonria lalvcz, equeaspi-
caJas nflo linhan sido haslante pnifuridas.
Nflo sendo mais par, tlisse ello, tu sers menos
cxposlo ao odio desles ninstrinhos... busca refu-
gio, d'Aguillon, em alguns anuos de obscuri lade.
Demais, a oPscurdade, tul salvaguarda, via a ti som
quo o queiriis ; dOgradSdO tas funecoes tic per, ser
mili ililllcil quonhegues ao ininislcrio ; slo le livra-
l (lo Irahallios, entretanto que se quizeros hitar,
meu amigo ;...ipasnh tu leus po.r ti a madama Du-
barry, ella to amo de todo ocor.^flo, o o seu apoio
llO Solido. -J '
M. d'AigujIlon levantou-se. Ello ncm sequr lau-
cn no marechal um olhar do colera por lodos os
soil'rimenlos que o velho Ihe lnha feilo padecer.
Vine, tem raio, meu to, respondeu elle trau-
quillaineiite, esua saheiioria rovela-se nesta ulliuib
couselho. A seuhora condessa Dubarry, a quem Vmc,
levo a hondailc do me a-irosonlar, o a qucm disso do
mim lanto hem e com lauta vehemencia, como lodo
o mundo pode al tostarem Lucionncs, madama Du-
barry me defondera (iracas a Dos, ella me ama,
ella he corajosa, e tu lo pode sobro o espirito do S.
Magestaile.
Obrigadu, meu lio, pelo seu consclhn, cu me re-
fugio nelle como em um pono tic salvacflo. Aproiup-
ta os cavallos, Bourgiiignon Vamos para Luciennesl
O marechal parou no meiu do um sorriso que ha-
Via cuinucudo. j
ama:' rvr, -.sz?:. t : .vssB&ErSKnw.'srrcrasB
M. d'Aiguillot saudou respoitosamcnlo a seu lo
e sabio da sala, dcixamlo o muito enrollado e sobre
ludo confuso do encarnec ment com'quc linlia que-
rido morder esla carno nobre o viva.
.Foi urna con.siilaeflo para o vellio marochal o lou-
co prazer a que se enlregaram os Parisienses, quan-
do uniti; jeram os dez mil exciup|art'S da senleuga,
os quaes arebalavam uns-aos outros as ras. Po-
j-rm elle nflo p.le deixnr de suspirar quando Rafl
Ihe pergiiulou o quo se havia pnssado.
Todava contuu-the ludo sem nata omiltir.
Visto isso elle aparou o guipe ? disso o secre-
tario.
Sim, e nflo, Raft ; porm a ferda nflo he mor-
tal ; entretanto, lomos cm Triauon cousa inclhor,
em que me arrependo de-nflo ter nicamente cuida-
do. Nos quizemos, Bail, matar dous cocidos de
urna cajadada.. .. bo grande loucural....
Loucura como, se apauhamos obom? ropli-
cou Ralle. ^t
> Ah meu charo, obom, dcmhra-lo disso, he
sempre aquella que f^o, e por elle qualquer daria
tle boa vontadu o que nflo fugio e l'oi apauhado.
llBft encollieu oijiombros, o todava M. do Ri-
chclieu lnha rasflo.
Er, V. Excelencia, tlisse elle, que M d'Aiguil-
loi poiler sahir desles desbuxos ?
Cis tu, tuleirflo, qoo o re nflo poder sabir
dces?
Oh el-rei oscapule-se por (oda a pirle, mas
nflo sci quo so Iralo d'el-rei.
Por oiiJo el-rei passar, passar madama Du-
barry que est tilo ligada com elle... e por onde ma-
-- O abaixo assi^oado, amigo
de Antonio Manoel dos Santos
Caminlia, declara ao publico e s
autoridades cjue o mesmo Santos
Caminha se acha desde muilo au-
sente desta provincia; e que, pois,
he indevidamente e sem aulori&a-
cao do dito seu amigo que o nome
deste contina a apparecer como
o do impressordo Diario Novo.
Becife, 10 de Janeito de 1849.
I Ildefonso Manoel dos Santos.
O abaixo ussigoalo, vendo no Dia-
rio de ante-hoeltem, 9 do correnle, a parle
da polica, em que se diz i a preso, or-
dcm do subdelegado do Recite, Joaquim
Lopes de \ i incida Jnior, declara que
nao se enlende com pessoa alguma de'stia
familia.Joaquim Lopes de lmenla.
Jos Soares de Azevedo, p'ofessor de lingoa
franceza no lyccu, tem aberto cm sua casa ra lar-
ga do Rozario n. 36, segundo andar, um curso de
PHII.OSOPIIIAe oulro de -LINGOA FRANCEZA. A(
pessoas que quizerem estudar urna ou outra destas
disciplinas, pJem drgir-se indicada residencia,
a qualquer hora.
Nflo se enlende com os'Srs. Antonio da Silva
Cuimarfles c Antonio da Silva Gusmflo os avisos pu-1
blicados nesto Diario com ns ledras inioises A. G.
OfTcrece-se urna mulher para ama de casa de |
liomem solteiro ou de pouc.i familia : quem tle seu
prest mo se quizer ulilsar, dirija-se a ra do Pa-
dro-Floranno, n TO.
O abaixo assignade declara so respeitavel pu- |
ilico que tiesde o dia 10 de Janeiro do corrente an-
no dcix'iu de ser eaixeiro do.Sur. Jos Joaquim de
Freitas Cuimarfles e aproveitando o ensejo muito
agradece as boas msueiras e urbanidade poique
sempre foi tratado polo mesmo senhor.
Jodo Carlos Layme.
Na ra do Trapiche-Novo, n. 8, primeiro andar,
preciSa-se alugar urna mulher que saiba cozinhsr,
qur seja foira ou cscrava.
OSr. quo pelo Diario de Pernambuco lem exi-
gido que um tal A. S. C. mande pagar o que deva j
do siihsc ipQlo do ccrlo. peridico ha mu i tos annos,
baja de declarar so ossas letlras iuiciaes se onlendoni
com o abaixo assignado. Antonio da Silra Cus-
mBo.
Um homem habilitado a cnsinar primeras le-1
trasegrammatca portugueza cm casas paitcula-
res, contina no mesmo uso e promello o cumpri-
mento do laes deveres coin aptidflo : quem o preci-
sar annuncie.
O abaixo afsignado faz scicnto aos Srs. proprie-
ta ros dos pr>dios urbanos dos bairros de S.-Fre-1
IVdro-Goncalves e lloa-Visla. que, na qualidado da
empregado da, mesa do consulado provincial, lora
Horneado pelo III.iK Sr. administrador da respectiva
mesa pa ra proceder ao hulea diento da decima do< re- i
feridos bairros, o qual lera oonieco iminlifl), 1ldo|
correnle principiando pelo barro ta Itoa-Visla.
Ucrifo, 10 do Janeiro de 1819. Uaximiaao francis-
co Dunrte.
Anda est fgido, desde dezembro do' 1847 ol
cscravo ciionio, do nome Pedro de 20 anuos pourol
mais ou iiu-nu* bonito de corpo ; dcsconfla-so qml
ande em Serinbflem onde foi vislo o anno passadotl
quem o pegar love-o a ra do Vigario (scriptorio|
n. 4, que se gratilicar com l>) ,000 rs.
dama Dubarry liv.nr pastado M. d'Aigu ilion pnssiril
tambom ; vlleql..... Mas tu nao enten-drs nada Jl
poltica, Raft. I
Senhor, nflo be esta a opiuiilo de mostr FU-I
gcot.
Qual be cnlflo a sua opiuflo ? mas primeirs-j
m ente dizc-mo que homem he. este ?
lie um | rocurador, senhor.
Quo nnis? .
Mais nada, senhor; elle pmenle que cl-rel|
m esmo nflo po 'era saln da embrulhatla.
t- Oh yh .' quem oppori obsinCuus a ie.lo ?
A f, sentior, que ser o rato !:...
Kiitflo ser meslre FIacot!
File diz quo sm.
K tu o acreditas t
- Ku acredito sempro a um procura lor que pro*|
melle fazer mal.
Nos veremos, llaft, quaos os meios do mcstrtl
Flageot.
lie lambern o quo eadigo, senhor.
Knlflo vino colar, que quero ir deitr-mc--' 'c"l
nbo-mo mignstia.lo minio por ver que meu pobres"*I
brinhoj nflo he par de Franca, nem sera, ri"'4"*I
M. deRicbelicu poz-se a suspirar, o depois poz-*" I
rir. I
Knlretanlo, V. Excellencia tem agora oque n'|
preciso, para ser ministro, Ihe repticou Raft.
(Continuar-st-ht-)
II FflX/FI


.- .- __
"-: mi
rt
fc
Anda resla para vender urna pnrgio do ptimo
vi lio de lladeira ein garrafas : no escriplorio de
Rolde & liidoulac na ra do Vigario, n. 4.
m
m
m
:
Sor votes.
O respeilavel publico acbar no ||
botequimfrancez da ra Nov.,.n. ;@
1.SJ 69,11111 lugar.niuito agradavel e
fresco para tomar sorvetes ; todos
os dias das 6 Horas da tarde em di-
ante.
[
m
Alugam-seos primeiro e segundo andares do
I obrado da ra do Caldeireiro: a tratar no pateo do.
(Carmo, n. 9, segundo andar.
HOTEL C0MMKRC10, RA DA CADEIA DE S.-AN-
TO.MO.TI. 13.
Tcndode retrar-se para a provincia da Jlhia o
I francez Si mito Luiz participa ao respeilavel publico,
que anda tem um novo sorlimento de obras de 011-
Iro e brillantes do varias qualidades chegadas 11I-
'mmente do Franga do melhor gosto e del cade-
ia aderegos proprios para casamento : tudo por
prego commodo, porser para urna liquidagilo de
i'ontns : as pessoas que se quizeiom aproveilar des-
ta oceasiSo dirijam-se ao lugar cima indicado .-.l
as 10 horas da manlifia n das 4 da larde em diante.
--Antonio de Souza Ramos Torres faz setenio ao
espeilavol publico quo co-->prou os portences da
irmazem da rua da Praia 11. 63, que pertencia a
Antonio Francisco Alves : e como nada mais lenha
Bindito armazem o Sr. Alvos, faz o present an-
luncio.
Acha-se nesta cidado urna pessoa que possue
Ithooricn e pratiramriilo os iiecessarios conhecimen-
los para i>em dirigir qualquer estabelecimonto ,
como fuodicilo de ferro, ele., toda a qualidade de
llllacli losmos delineando e secutando qualquer
inodelo em mn leira mola I, etc.", soja qual fur a
isua complicagflo. Ksla pessoa tamben) se suhjeita
o trabalhode toruoe lima, exocutnn lo neste mis-
jter qualquer Ira balito com a perfeigilo necassaria. .0
emprezario da qualquer estabelecimenlo a quem
|iossa fazer contn oseu preslimu e "quizer ver al-
juns do seus traha|ltos ou contratar-so podor di-
ll'igir-se a ra da Crespo, 11. 9, onde obtura as ueces-
saras iitforniacOes.
O proprietario da venda n 23 da ra (l)ireita
ladvorte ao Sr. que o foi rollertar em 6,400 rs. para
I vender ago'ardente que fui un dos primeiros quo
I annunciou que deitava do vender esto genero por
Inflo estar autoiisado para reconher llrmas e tem
[examinar quem lio escravo nem forro por isso que
Intuitos ha quo nilo se couliecem : e para conheci-
Iment do novo colleclor faz o presenta annuncio ,
leerlo de que nada paga salvo se8. S. revogara posr
tura da cmara.
--Furtaram, no dia 8 do correnle, da casa do abai-
Ixo assignado na la de S -Francisco, n. 4, urna let-
llra da qnanlta do 500,000 rs., aceita por Victorino
Me Castro Moura a favor de Jos Itodrigues de Arau-
10 Porto, e por este cedida cuja se venceu em 5 do
torrente e variojootros papis que s teein valor
[|>ara o annunciaule alguui dinlieiro em cdulas, um
Irancelim um holilo do ouro, 10 acgdos da com-
[panttia de lleberibe dos ns 3,431 a 3,440 perten-
[ cuites a Antonio Jos do Abreu e Silva. Roga-se -a
-qualquer pessoa a quem frem ouerecidos ditos, ob-
I jectos que os apprehenda e leve ao anrinuiician-
! te na misma cas a cima ou na praga da Indepen-
dencia, n. 3; e se delles tiver noticia, sera reeompeu-
[sailo; lieni como previne que pessoa alguma faga
liansacglJo com ditas lellras, pois ja se pievenio aos
aceitantes para as nilo pagarem a pessoa algum: tam-
bem se previne no secrelai io o thesouroiro da men-
cionada companhia de lieheribe para nilo levar em
1 cunta o nem pagar o primeiro raleio que se fez o os
queso forem vencendo senflo ao abaixo assigna-
do como procurador do dito Abreu. Jos Joaquvn
Uorges de Castro.
O Sr. Felisbino de Carvalho Rapuzo queira por
I obsequio entender-se com Manuel l.uiz da Vciga a
nogocio do seu interesso ou aitnuncie por esta fa-
lla onde em que dia e hora podo ser porcurado
I nesta praga.
-- Aluga-se urca casa na Passagem antes de che-
gara ponte pequea e confronle a casa um quo foi
Uiualru com excdlentos coininoJ..s ,' grande quin-
til unrselo cacimba, estribara, qoario para pre-
los : a tratar no inesino lugar n. I.
DomingosJosSoarcs, subdito portuguez, reti-
ra-so para a Babia.
Manuel Tlmmaz Rodrigues Campello ombarca
para 11 ltio-de-ianeiro sua escrava Victoria, de nagu.'|
L Ilili rapaz brasileiro que tem pralica do cscre-
fver commerciaimonlu se olleroco para o indicado
I liui a qualquer donu ile estabeleciincnlo, qui por
[sua naitireza mo puisu tor um ciixeiro uffectivo ,
I accroscciido que u annunciaule, alm do ter ba let-
ttra, ser cu umiid.i em seus ajustas : quem o pre-
, tonder anituncic.
Na ra. das Cruzcs, n. 19 precisa-so da una
, ama para o servido interno o externo da rasa de umu
pessoa sollcira e seut lilhos.
; Os lendeiros dos trapiches da ra do Apollo
declaran) que nao silo puntos alfandegados
0 Sr. cadete T. do quarto batalhito de artilha-
ria a p queira mandar ou ir pagar oque deve na
vondada l'onte-Velha ; do contrario, se usar dos
meios que a loi concede.
A o respeilavel publico.
O proprietario do armazem de vinho
da ra da Madre-de-Deos n. 36, de-
clara que este estabelecimenlo n3o tem
outro armazem fiijil, como alguem lia
que o inculcj ; e para conhecimento do
publico, faz o presente annuncio.
- A moeting of the subscriters to the British
Mecbanics'l.ibrary will be -held on friday next tbe D.r
ta.'Mns.' at7P. M. at theirltuoms, ra da Aurora,I,,,.,
S.-Amaro. |8p|u
James Broadfool,
Secretar y.
fem-se justo e contratado com o Snr. Manoel
Comes da Silva a compra de urna casa terrea de tai-
pa no lugar da Capunga, nova, do lado direito in-
do pelo rio : quom so julgar oom direito a mesma
annuncie por esta folha, noprazb de 3 dias.
-l'recisa-se alugar urna preta. cjhe entenda do
eozinhar-e Ongommar: no largo do Livraniento ,
n. 8.
-- Manoel Jos Concalvoi de Almeida retirase
para fra da provincia.
No dia 7 do corrento a lar.Ie, sahio a passeio ,
dizendo que la procurar um freguez, o caixeiro An-
tonio Jos Rodrigues da nadara do abaixo assigna-
do na ra Real do Manguinbo, II. 51, 0 como at o
presente nflo leulia appareeido, e consta quo fra
visto a cavado na Casa-Forte, roga aos seus freguo-
zes que nilo facam pagamento alum. Joia Amo-
nio Carpinleiro da Silva.
OSr. i. M. C. A. queira mandar pagar 46,000
rs. quodoyeba mais do um anuo de suhscripcflo
de um peridico .cuja quaulia rccebeudo.Coianna ;
do contrario se publicara seu nomo por extenso.
O abaixo assignado faz setenta aos seus devo-
dores que o Sr. Jos Juliio Camello Lins esla encar-
regado de recebor as suas dividas amigavol ou judi-
cialmente,
Antonio Ftrreira da Costa Draga.
Prccisi-se de urna ama para o servigointerno de
urna casa de pouca familia : na ra da Cruz do Reci-
fo, loja de barbeiro, n. 53.
Na ra da Cruz do f.ecife, loja do baibeiro, n.
53, precisa-se de um ofllcial e um aprendiz, para o
inesmo oltciu.
6 bacbarel em direito Luiz Lopes Castello-Bran-
co o Silva offerece seus servigos a quem delles se
auizer utdisar pudendo sor procurado das 6 horas
a manlifla em diante, na i ua do Queimado n. 19,
primeiro andar.
-- 1'recisa-sdMe unta ama forra; que cozinhc o
diario do una casa do pouca familia : na ra larga
do Rozario, n. 26.
AULAS DE PKIMEIftAS LETTRAS.
Do dia 10 d crrente mez em dianle, estarflo
abrtns as aulas.de meninos o meninas dirigidas pe-
lo abaixo assignado na mesma casa do sua residen-
cia na Roa-Vista, travessa do Veras, sobrado n. 13 e
promptas a receber, nflu s seus anligos alumnos,
como ou tros novos que seus paisqueiram conliar-lbo
a sua educagflo com toda decencia, uioralidadeo
prompto adiantainuulo.
I'olcarpo A'iwm .Correia.
~ Quem precisar de um administrador som fami-
lia, que tem pralica econhecimontos uecessarios pa-
ra administrar qualquer engenho ou qualquer es-
ta beleciment agrcola para o que d couhociineu-
lo de seu procediineutoo conducta nesta praga, ou
fra ilella pelos homons probos, dirija-se a ruu du
l'.angel, venda d,e Luiz Jos Marques.
-- l'recisa-se alugar um preto, uu moleque, quo
cozinhe o diario de urna casado pouca ftmilia : na
ra Nova. n. 20.
Machado & i'inheiro muda'ram a sua residen-'
cia para a ruado Vigaiio, n. 19, segundo andar.
Pi'ecisa-se alugar unta preta para o servgu do
urna casa estrangeira : na ra Vella, n. 92.
Precisa-se do um trsbalbador de masseira : na
ra larga do Rozario, padara n. 48
Precisa-se de uina ama para todo o servigo de
urna casa e que cozinhe : no Forle-do-Maltos, ra
do CoJoruz n. 4, por cima de urna fabrica de cha-
rutos.
W-sepSo- de veniagenv de bom lamanho e
com mairnres vantagens quo em outra qualquer par-
te : na ra larga do itozario, n. 48.
Precisa -se alugar um proto para conduzir pito
para a ra com um caixeiro, dando-sc-dho o susten-
to e bom pagamento sendo o preto possanie: na
ra larga do Rozario., padara n. 48.
Procisa-se alugar urna preta ou prclo, quo en-
tenda de cziuha para urna casa estrangeira : na
ra da Cruz, n. 1.
--Manoel de Souza Cordeiro Simes professor
tlcular de primeiras lellras faz sciente ao res-
itavel publico o particularmente aos pss de sous
umos, que abri a sua aula no dia 8 do corrci.to,
na ra eslreita db Rozario, n. 23.
--Preleude-so comprar a casa terrea sita na ra
do Rozario da Roa-Vista n. 19, se houvcr alguma
pessoa quena referida casa tenha penhora ou ou-
tra qualquer.obrigagflo do pagamento, annuncie
por esta ful ha no prazo du 3 dias.
No dia 11 do crrante se ha de arrematar, peran-
la o Sr. Dr. juiz de orphflos e ausentes a taberna e
sous pertences parle da heranga doixada pelo (na-
do Jos Vicente da Cruz. A taberna he sita em muito
bom lugar do Aterro-da-Uoa-Vista. Os licitantes com-
paregam pelas 4 horas da tarde.
Agencia tic pass i portes.
Na ra do Collego, n. 10, c no Aterro-da-ltoa-Vis-
ta lojasjis. 48 o 78, continuam-se a tirar passapor-
les, lauto para dentro como para fra do imperio,
ossim como despacham-sc escravoa ludo com bre-
vidude.
i Deposito de rap andarahy
e imperial.
Na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, escriplo-
rio de Jos de Almeida llai reto Bastos, vende-seo
beni acreditado rap andar.iby e imperial, fabricado
no Rio-de-Janeiro, sendo o nico deposito nesta
provincia ; assim como'sempre se achara no mesmo
deposito o melhor cha nacional brasileiro, emcii-
xinhas de 5, 8 e 16 libras, por prego commodo. O
rape vende-so a retalhn nas seguimos casas : ra da
Cruz, n. 61; ra da Cadeia do Itecife, n. 17 ; ra do
Encantamento, n. 4; ra do Vigario, n 14; ra da
Cacimba, n. 2; ra do Cordoniz, n. 11 ; ra doCol-
legio, n. 9 praga da Independencia, ns. 4 e 39; ra
do Queimado, ns. 10, 16 e 33; ra db Livramento,
iis. 4, 5e 38 ; ra da Penha, venda da esquina, por
baixu do coronel.Joaquim Bernardo de Figuciredo ;
ra liireila, ns 6, 16, 53 e Itl ; ra das Cinco-I'on-
tas, n. 50 ; pateo do Carino, n. 2; ra larga do Roza-
ro, na. 29 e 35 ; ra do Cabug, n. 7 ; ra Nova, n.
50; Alerro-da-Bda-Vsla, ns. 2, 46 e 56.
Na casa de sorvetes da rui do Ran-
gel contina a ter promptos lodos os
lias s 11 horas da manliaa, e das 0 als
io horas da tarde, sendo cada dia de
urna quulidade, com o maior asseio ios-
si ve I.
Compras.
Atcrro-da-Bo.i-Vsla, n. 10,
l'ommalcau culiiciro c
armeiro.
Acaba-se de receber,.p lo ultimo navio chegado da
Franga, um sortimentude culilaria fina, bem co-
mo : tesouras grandes para alfaato ; ditas para cos-
tura de senbora molde rico 0 do ultimo gosto ;
ditas de jardjni para cortar llores ; ferros de varios
moldes para o assrio das unhas ; caivetes co mo-
la ; ditus para aparar peonas ; eslojos do viagem pa-
ra hon.eill ; espingarilas ; brides ; cabegadas ; chi-
cotes para carros; fundas; navalbas para barba,
ele : tudo de superior qualidade.'
. Na ra da Cruz, u. 21, perdeu-so um cachorro
do fila novo grande e com as orelbas cortadas:
da-se boa gratilicagito a quem o levar.
. Aluga-se a casa da esquina da la do Caldei-
reiro para o porlo do embarque com armagito pa-
ra venda c contmndos'para morar familia : na pra-
ga da Indf pendencia livraria ns 608.
Fr.Joilo Capistrano do Mendonga tem aberto
no convento do S.-Antonio'lcsla cidado um curso
lie pbilosophiao oiijr de geographa : as pessoas
quo o quizeruin frequentar, po lerito dirigirse ao
-- O abaixo assignado, vigario da freguezia de S.-
PeJro-Martyr de Ollnda, anuunca a quem conver,
quo, aprcsentando-se-lhe na larde do dia 3 do cor-
relo mez de Janeiro os pretes velhos Luiz e Joa-
quina .dizendo sorem casados eliojo perlenccnlcs
ao dominio delle anniucianle Como prente que era
de sua finada sehhora, I). Francisca da Cunha e Mel-
lo, que, temi sido casada com Antonio l.ourenco de
Mello fallecer depois desle, sem descendentes,
na freguezia de Una ello annunciaule, quo com ef-
feto ho primo da dita finada l>. Francisca da Cunha
e Mello os rcclheu em sua casa al que apparega
quero ten ha melhor direito ao senhorio delles.
Quem, pois, o livor apresonle-se ao annunciaule
que, musirndo-se-llie melhor titulo, promptamen-
te os entregara, nilo so responsabilisando todava
por ellos, se succeder fugrem ou morrerein antes
disso. (Minda, 4 de Janeiro de 1819.- O vigario,
Joio Josa l'treiru.
Conlinta no mesmo gyro o boti-
quim da Lsperanfi na casa n. 126 da ra
da SenzaJIa-Vellia, confronle a travessa
do Campello, no bairro do ReciA;,no quall"
acjiarao os freguezesconii lase bebidas de '
diversas qualidades, assim como apromp
tam-se pt'ia fra quaesquer comidas de
todas as qualidades-, com o maior asseio e
perfeiro : ludo por preco commodo.
--O-abixoassignado faz publico que seu (libo
Cypriano Caldino da Paz, de ida.le de 16 anuos fu-
gia de sua companhia na uoite do dia 8 do crrente,
seduzido pela escrava de Jos Carlos Porcincula, de
iiumo Luziajseudo esla segunda vez que o dito seu
lilllofoge Jesoa companhia sedu/do pela dita pre-
ta u.lo obstante ler-su o aimnociante queixinlo ao
senhor da mesma prela para dar as providencias que
eslivessemao seu alcance, o elle o contrario Tez,
que al prolegcu a coininunicago da mesma como
rapaz, a ponto quo depois da fuga a mesma preta
foi nsullar oannuncianlec sua familia, que o obri-
gou a rebater os insultos com empurros na mesma
preta; al que ella a torga so relirou para casa do seu
senhor. F. como pode ser quo o dito sen fillio tonto
ein nome do aiinuiicianto contrahir alguinas divi-
das o annunciaule declara quninguem lite li.i fi-
endas, ou Ihe de dinbeiru porque por cousa al-
guma se responsabillas. Itecife, 9 dp Janeiro de
1819 Cypriano Luiz da Vas.
Aula de rrimeiras lellras
Compra-se papel de embrulho ( diarios ), a 100
rs. a libra : na S.-Cruz, padaria do una s porta e
no Itecife travessa da Madro-Deos n. 13.
Compra-se unta duzia de cadeiras com asento
de palliinlia : na ra Imperial, n. 95.
Compra-se um violilo ein segunda mSo com
melhodo ou sem elle com lanto que seja do boas
vozes : quem tiver annuncie com presteza.
Vendas.
INFORMALES SK1IF.STBES.
Vendem-se nfonnages semestres para os corpos
de primeirit liniia : na praga da InJcpendoncia, li-
vraria ns. 6 e 8.
FOLIII.MIAS
para sacerdotes para algibeira, para escriplorio o
para porta : vendem-se na praga da Independencia,
livraria ns 6 e 8.
Vende-se uini bonita negrota de
naciS, que engomma c cozinlia ; um dita
criolita ; Iros molcqucs de bonita figura ;
ni moiecSo de narao, bom cozinheiro ;
m dito muilo forte, bom para Ira bal bar
e nem
ratno eompribeudidas na labela de lo de levcro.roI i.n'c'irrti'do convento a qualquer ba.
^lo 1817., nem fazem alteragito Iguma no prego dosl
voluntes que ali se emba|Tarem.
I Aluga-se, por prego commodo, o segn lo an-
idar e solao ilo.sobrado n. 22 atrs do lliealro : a
! tratar na ra da Cadeia ilo Itecife, ii 52.
-- Precisa-so de um caixeiro para vende, que le-
Fnba pralica : mi ra do Rangel, n. 0.
--1). Anua Ciaudina llosa professora'do prime!-
i ras lellras faz sciente a lodos os pas de familia,
i quo abro a sua aula no dia 15 du correnle, conti-
nuando a ensinar a ler, escrever, contar, gramma-
Uica poilugiii'ia, doulrinacnrislita, coser, burdac ,
la/i'i laviiriiito marcar, msica para cantar e to-
car piaiio cuja aula bu dirigida pelo compositor ita-
liano J. Facliiiiclb : os pas uu fanuliu que so quizu-
rem ulilisar de seu prostimo,duijun-su a ra da Po-
nda n. 29, segundo andar.
-- Aluga-se um casa nova de um andar, na run du
Ibio ; beiu repartida e grande, no fundo Ua casa
de Manoel Alves Guerra da ra com o mesmo Guerra.
-- l'rrcisa-se ilc una mulher parda ou prela para
o servigo de urna casado pouca familia: na ruado
Queimado, n. 57.
--Aluga-se, ou vende-se, em muito bom uso ,
urna canoa aborta quecarrega mil lijlos : na ra
do Aiiioiini, n. 7,
AULA DE PRIMKIRAS LETTRAS.
O abaixo assignado, leudo determinado dar prin-
cipio aos Irabalbos de sua aula do primeiras lellras
e grammalica porlugueza no dia 8 do curenlo, avi-
sa aos pas de seus alumnos e em particular aos
Sis. p.iis de Familia quo quizerem matricular os
SCU9Ribos, que o pdenlo procurar na casa de sua re-
sidencia na ra Velha, n. 32. lamliem se er.sir.s o
ninas a ler e a todas as ijualidades du costuras por
urna mensalid a de mais couimuda do quo em oulia
qualquer parte. Vicente Fereir da Cruz.
IIQTEI.-COMilEltCI.
Ilua da Cadeia de Santo-Antonio, n. 13.
Contina a ler soi vele Indos os dias de varias qua-
lidade, assim romo acharad qualro salas decenle-
menle mobiliadas, sendo duas pjtra senhuras e duas
para bomen.
Muito se precisa comprar urna escrava sem vi-
cios, de bonita figura recolhida quv cosa eengom-
iito.: paga-so bem : na ra de Agoas-VerJes, n. 46,
Precisa-se de urna mulher forra uu captiva que
se queira subjeitar a rozinhar e comprar na ra,
para urna casa de bomem soltciro : na ra do Quei-
mado loja u. 44.
O. abaixo assignado participa aos Srs. pas de seus
alumnos, e bem assim aos Srs. ebefes de. familia ,
iho os exercicios da aula por elle diiigida comega-
i mu no dia 8 do correnle na mesma casa em quo
reside na na do Alerro-da-Roa-Vista, n 5, onde es-
ta prompto a recooor o leccionar os lilhos duquollaa
pessoas que, nello confiando ,. quizcrcui encura-
lo da educagito dos ntesinos prevetiindo porin quo
em seu cslabelecinienln lem cessadu pur ora o rece-
biineulu du alumnos inleinos.
Jos Xavier Faustino tamos.
AtToiiso S.uiil-fir tin,
com loja na praga da Independencia n. 38, tem pa-
ra vender manteletas visitase palitos guarnecidos
de blondo verdadeiro e de franjas do retro/., tudo na
ultima moda e viudos agora proximanjenlo de Paria,
superiores sedas i retas para vestidos, lucos de blon-
da pua os iiosiuos chapeos de seda do mais ele-
gante gusto pira .senbora .ditos de palliiuba berta
o lisa tanto eufuitadoi como s os Qascos lindos
ramos de dores o lilas pura os mesmos capellas de
flotes, lano para fantasa como para noivas o ra-
mos para pcilos das mesmas curtes do seda do cu-
res para vestidos mantas de seda longos grandes
com franjas idem : so levar no domicilio.
Seiiieutes de flores as mais bi-1-
lis da Knropa.
He chegado rna lirga do l'ozario, n.
i(\. o mais bello sorlimento de seinentes
de lloiis das bellas clama.s, como sejaiii :
cr.ivos c cravinas> rainuculos de diversas
cores, buibolitsde Mollanda, goivis de
cores singelos e doiirados, Jacintas, topes
de damasjunquilhos, sucias dobradas,as-
sim como a verdadeiru sement de cve-
flor. Us amadores d t naturesa encohtra-
rao aln rom que, em punco lempo, p s-
saia tornar a admiraran da Europa no
Brasil.
cili armazem de nssucar; um pelo de
meia idade, por 220,000 rs., e mois al-
guns escravosque se mostraro aos com-
pradores: na rua das Larangeiras, n. 14,
segundo andar.
-- Acaba dechegar pela barca franreza Jules mul-
lo superior vinho do Bordoaux, tanto em quarlolas,
como engarrafado, ein Caixas de I duzia, assim como
tambern s irdinhas em latas de 1/4 e 1/2, azeite do-
ce em caixasde una duzia de garrafas, exccHenle
vinliode llorgouba em cestas do I duzia, ago'ardento
de Franca, Cliampanha en garrafas, c meias ditas da
vordadeira marca Cometa; o que tudo se vende por
pregn rasoaveis, em caza do Frederico Robilliard,
rua do Trapiche-Novo, n. 18.
Vendem-se rolos de fumo avaria-
dos por barato preco : na rua da Cadeia,
armazem de lijlos, 11. \n.
-- Na rua eslreita do Rozario, loja de encaderna-
gito, n. 31, vundein-so os seguintis livros : Musen
Pittorcsco,jornal publicado em Lisboa, 1 v. com
42 ric is estampas, por 12,000 rs. ; Cilbraz, [4 v. por
3,000 rs.; o Espillo do campo neutral, 4 v., por 3/
rs. ; Evaristo e Theo.lora, 4 v. por 3,000 rs. ; a For-
mosi Donzela do Perih, 2 v por 1,600 rs. ; a Philo-
sopha por amor, 2 v., por 1,600 rs. ; Manual de
chimica, 1 v., por 2,500 rs. ; Corda serfica, 1 v. ,
por 2,000 rs. ; ObservagOcsa carta constitucional, l
v. por 1,500 rs. ; Historia da revolugiio de Pernain-
bueo, 1 v,, por 1,600 rs. ; I). Joilo de Castro, 1 v. .
por 1,000 rs ; .Novo testa 111 o uto, 1 v. por 1,500 rs. ;
Aritliiiiei.C du liesout, 1 v. por 1,200 rs. ; Rccrea-
gnesdo-lioinemdo bem, I v. por 1,000 rs.; As
quiltro eslagOcs do dia 1 v. por 1,600 rs. ; ditas
do anuo, poema, 1 v., por 1,600 rs. ; a Moditago ,
poema I v. por 2,000 rs. ; Gergicas porlugue-
zas, poema, 1 v. por 1,600 rs ; Poosiasde Costa o
Silva, 2 v por 3,000 rs. ; Grammalica porlugueza,
por Constancio, I v por 1,500 rs. ; llego, dita in-
gleza, 1 v.., por 3,000 is. ; diu por Constancio por
1,600 rs ; Virgilio, 3 v. por 3,000 rs.; Tito Livio ,
I v,, |or 2,000 rs. ; Conidio, 1 v., por 2,000 rs. ;
lluuieio, llliada, 1 v. por 1,600 rs.; Pbedro, 1 v. ,
por 1,000 rs ; Cicero, 1 v por 1,000 rs.; Saluslio,
burro, 1 v por 2,000 rs. ;dilo em lalini 1. v. ,
por 1,000 rs ; Soleta, I v. por 800 rs.; Historia da
Inglaterra em inglez ,1 v. por 1,000 rs. ; Arle po-
tica 1 v. 1 or 1,600 rs. ; o Sino das duas horas 1
v. pur 1,000 rs. ; llrilo, tragedia, 1 v. por 800 rs. ;
biblia em liilm niuilo util rara os sacerdotes, 1
v. por 6,000 rs. is'a mesma loja conlinua-so a
trocar obras
Vende sena ruado Itangel, sobra-
do n. 5j, cera para limaa decbeiro de co-
res, a 1,000 rs. a libra.
Vende-se um moleque de 12 a 14 annos, de
bonita figura o sem achaques : na rua do Livramen-
to, u 3.
Na rua de Agoas-Vcrdes n. 46 vendem-se 3
escravas do nngflo com habilidades oque nilo sao-
viciosas; iiiiin ma ba qiiilandeira, por 300,000 rs. ;
um famoso o ptimo escravo odicial de pedreiro ; 2
ditos para lodo o servigo ; uuidilo sem vicios nem.
achaques de 25 anuos ; 2 bonitos moloques; umu
bonita mulatinba prende, motivo por q Vendem-se sacras com orroz de va-
por, de superior qualidade, a is'200 rs. a
arroba, c ditas do mais ordinario, a t s'6oo
is. ; no armazem do fallecido braguer.
*. -


--Vendem-se pegas de madapolSo muilo largo,
com 20 varas, proprio para forro e roupa de escla-
vos a 2,800 e a 3,000 rs : na ra do Caes, n. 17. .
Vende-se urna porgo do bolacha ordinaria,
propria para escravos, por prego commodo : na ra
Direita padaria n. 26.
Vcnde-se, na ra do Trapiche,-n. 44, um pre-
to crioulo hom v&queiro, e que entendc perfoila-
niente de agricultura ; 2 prclas urna de 16 annos ,
e i outra de 24 a 25 ; do lodos estes escravos s
ifiauca a conduela e porfolio eslodo de sade.
Calcado |>ara,homem.
Vendeni-se sapalOes de lustro, muilo boa fuzen-
da ; ditos de duraquo com ponleira de lustro che-
gados ltimamente, por prego mais barato do que
etn outra qualqucr parle : na ra Nova n. 30, luja
de;i)omngos Antonio de Oliveira.
Vendem-sc barriquinhas com cal virgem de
Lisboa, milito nova; fechaduras para portas de
armazem ; relrozdo Porto; barris com alcatrAo da
Suecia ; pillas da familia ; ancorlas com azeito-
nas, por preco commodo : na ra do Vigario n. 11,
armazem de Francisco Alvesda Cunha.
Na loja de cambio da ra da
Cadch do Rccifc, 11? 58, .
vendem-se meios bilhetesda 4. lotera do thoalro
de S.-Pedro. A ellos anlcsquc se acabem cci.los do
que iiesta casa esleve a venda o mcio bilhelo n. 5,243
que sabio premiado com Ki.iihii. '.Ir ruis na ulticoa
lotera que correu no llio-dc-Janciro, eveio a lisia
pelo ultimo vapor chegado em 2 do corrent.
Vendcm-sc laboas america-
nas al 5 palmos de largura
e de lodos oscomprimcnlos.quc ha muilo lempo nfio
teem viudo e os fiepuczcs experimentando a falla
dcsla cxcclli ule qualidade. A ellas que so poucas e
o prego he barnto. Atrs do thealro, arinazcm jun-
to a maro, de Joaquim l.o| es de Almeda.
Cha nacional de S.-Paul.
Vcnde-sc o muilo superior cha de S.-Paulo em
Caixasdo 1,2, 6c 13 libras ; na ra da Cadeia do
Recito loja do Joo da Cunhu MagalhAcs.
No armazein de Joaquim da Silva
Lopes vendcm-sc saccas com caf de cs-
cnllia de primeira qualidade, a 1,700 rs.
a a rio La ; barucas com bacallio de esca-
ma 9,000 rs ; dilas com fardos 1
4,000 rs.
Venden-te barris pequeos com cal vlrgcm de Lis-
boa, a mal nova que ha no mercado, por proco co-ui
uindu : na na da Movria arma/.nn n. 17.
Tolassa.
Dcsembarcou lia poucos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
c superior potassa, e se acham venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia-Velha,
armazein de Bailar & Oliveira, n. a.
Viiiho barato.
Acha-se eslabelecido na ra da Mudrc-du-Dcos ,
n. :k um armazem de
Vinlios da Figueira,
de ptima qualidado, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs- a gairafa ; c para n9o haver dolo do com-
prador serilo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebondn-se a garrafa vasia, e dando-se immcdiata-
nienle a oulra cheia : tambem ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a fcsla. O pro-
pietario dosto eslabelooimento pede encarecida-
monte que se nflo illudam avaliando, pelo diminuto
prego e sem conhecmenlo de causa u qualidade do
ma fazenda digna por corto da estima dos verda-
deros amantes da bon pinga. Elle cunta que quem
una vez provar continuar com goslo o sem arre-
1 endimento. E o boni preco!!.' A todo o exposto
aocresoe o assoio e boro acondicionamenlo o que
ludo se poder verilicar om dilo eslabelccimciito.
1

sexto, stimo, oitavo e.cm pipas, por. prego muito
commodo : na ra do Vigario armazem de Fran-
cisco Alves da Cunha, n. 11'.
-- Vondem-se muilo boas nozes, chegadas lti-
mamente, por preco commodo : no coes da Alfando-
ga, armazem do Dias Forre ira.
Vende-se na ra da Cadeia- do j
^ Recife, n. 3;, cera em velas, fabri- I
!| cablas no Hio-de-Janeiro, em urna
das melbores fabricas, e em caixas 2
0 pequeas, muito bem sorlidas, por fS
1 ser de 3 at 16 em libra ; e tam- s
1 bem lia velas de urna c de meia libra, O
0 branddes, por preco mais barato do j
if que em oulra qtialquer paite.
A i#80 rs.o par.
Vendcm-so snpalos de cordovAo para soiihora a
qualro patacas o par : na ra Nova, n. 30, loja de
Domingos Antonio de Oliveira.
Fardo,
om barricas a 4/00 rs. saccas grandes-, a 3.50o
rs., ditas pequcuas a 2,800 rs : no armazem do .J.
J. Tasso Jnior, na 1 na do Amorim, n. 3.
Cal de Lisboa.
Vcnde-se muito nova e superior cal
virgem de pedra, desembarcada lia pou-
cos dias, e em bairis pequeos de quatro
arrobas e mcia ; na ra da Cadei.i-Velha,
armazem n. 12.
Vcnde-se ca.' virgem de Lisboa,
ebegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
qucr parte : na ra do Trapiche, arma-
zem ii- I 7.
Vendo-scuma armaciio que se va desmanchar,
propria para quem quizar pralguma venda de no-
vo ou mesmo paru qualqin-r oiiiio csiaticicciineii-
' to por ser de madeira muito grnssa ; umhombal-
eAo e mais poi loncos : na ra du Cruz, no liccife, ar-
mazein 11. 26. :
Na ra da Cruz, armazem 11. 20, vendem-se os-
seguiutes objectos par liquidngAo de omitas : sola ,'
rouros mudos, chapos do pulha esleirs cora do
carnauba saccas com familia, o outros objectos.
Vcnde-se a verdadeira e muilo superior fari-,
nha SSSI-', a rclalho c cin porgAo ; dila de outros uu- ;
torea : na ra do Vigario, aniazcm de Francisco Al-!
ves da Cunha, n. II.
Na padaria da ra da Guia, no Recife haver
tOdo* os dias a venda o novo pAo de Provenga fa-!
bricado por oulro modo que o actual e da nielhor,
l'.iiinha que ha no mercado : por osle motivo ufio so
pode fazer senAo a 40, 80 e leo rs.
~ Vende-so vinlio do Porto, muilo superior, e.
do oulras qualidades, em barris de quarlo, quinto, I
Agencia da fundico
Low-Moor, ra da Scnzaila-
nova, n. 42.
Nesle estobelecimenlo contina a lia-
ver um completo sortimento de moendas
e mcias moendas, para engenbo; ma-
chinas de vapor,e tachas de- ferro batido e
co:'do, de todos os tomanhos, para dito.
Vende-se um lindo 'molqque de 12 anuos; urna
bonita nuil ilinha do 7 iinnos : todos em conta., por
serrn de pessoa que se relira : na ra larga do Ro-
zarlo luja u. 35, se dir quem vende.
A 1,800 rs. a peca de 20
jardas.
Na loja do CuimarAes & Companhja ra do Oes
po n. 5, vendom-se pegas do algodoznho de boa
qualidade, com um pequeo loque de avaria,
polo barato prego do 1,800 rs. a pega de 20 jardas.
Taboado de pinito da Sucoia,
de 10 a 55 palmos
de comprimento o melhor que lem chegado a este
mercado, cm rav.Ao de se poder envernizarem qual-
qucr obra por nAo ter nos c ser muilo alvo sen-
do costado, costadinlio, assoalho, forro e para fun-
dos do barricas : vend-se a prego que o comprador
far todo o negocio: atrs do thealro, armazem de
Joaquim Lopes de Alenla.
FARF.l.O EM SACCAS DE 90 LIBRAS :
vendo-se no armazem de Vicente Ferreira da Costa ,
na ra da Madre-de-Deos, a 3,500 rs.
Vcndem-se semeas cm saccas muilo grandes,
a 4,500 rs. : na ra da Madre-de-Deos, armazem do
Vicente Ferreira da Costa.
Vende-se, por prego commodo, para se fechar
coritas bom fumo em folha para fazer charutos,
em fardinhos pequeos: no armazem de Joaqun)
Flix da Rosa, na ra da Madre-dc-Dcos.
Vondc-sc a venda da ra do Apollo, n. 21, com
poucos fundos : quem a pretender, dirija-se a rus da
Madrc-de-ueos, Iralar com Vicente Ferreira da
Costa.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobas chogada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar com Almcida&x Fonseca,narua do Apollo.
rUROVIMIOOA FICUEIRA.
Existe no armazem de molhados, airas do Cor-
po Sanio n. 66 uina grande porgflo doste genui-
no vinho que se est vendendo pelo diminuto pre-
go de 1,120 rs a cunada o a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem ha om pipas que se vender mais cm conla : he
eslo o mollior de lodos os vinhos que se tcem n-
nunciado pela sua simplicidade e ptimo paladar:
quem-una voz o beber jamis dcixai do o com-
prar. *
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico prego:
na ruado Vigario, n. 19.
Chogou da Franga na Jul.ei e acha-so a venda no
seu nico deposito em casa de Kalkuiaun IrmAos, na
ra da Ci uz, n. 10, o vinho de
Champanlia marca estrella
da fabrica de Moet & Chandon em Epcrnay cujo vi-
nho ltimamente achou a maior approvacSo n Eu-
ropa.
Vendem-se cassas bordadas, brancasc decores,
a 320 rs. a vara ; cassa-chila muilo lina a 500 rs. a
vara ; los prctos para senhora a- 2,000 rs. ; meias
de seda para houicm a 900 rs. o par ; ganga azul,
a 80 rs. o covado ; mcias para meninas, a 200 rs o
par ; dilas prclas para senhora a 200 rs. o par o
outrasmuitns-fazendns por prego commodo: na ra
doQueimado, n. 47, loja do duas portas.
Vcnde-se um sitio pequeo por prego muilo
commodo : no Manguinlio, n. 85.
Ainda existe um resto de chocolate do musgo
eslandico ou Ihesouro do pcilo fiara tosse e do-
res de pcilo : vende-se nicamente n ra do (nei-
mado lis. 16 e 17.
Vondc-se um piaho pelo diminuto prego de
200,000 rs. : na ra do Queimado, n. 17.
So cliegudos os mclliorcs charutos do S.-Flix :
vondem-se na ra do Queimado, n. 17. Dao-so amos-
tras aos compradores.
~ Vemle-se urna escrava crioula de 30 nnnos
pouco mais ou menos e do honila lignra : em l'o-
ra-do-Poitas, n. 145, sodir quem ven le.
Vendem-se os utensilios do urna venda, todos
completos, e c'aivOos, latnbcm armaguo para ar-
mar, pipas arqueadas de ferro,o um tonol, tudo
de ago'ardenU e cm bom estado : na ra do Kangol,
n 50.
Vende-so una casaca nova do panno azul com'
sua pmpeteme abuluadura do uso : ludo novo e
aindo sem ser servida : no paleo do Tergo, n. 28.
-r- A bordo do patacho fagoense, em
frente do trapiche do algodao, vende-se
firinha de mandioca de muito boa quali-
dade, em grandes e pequeas porcSes,
por preco commodo,
Vende-se a muilo superior linha do roriz, em
caiias : na ra d Vigario, n. 19.
Vendem-se muilo superiores batatas a granel,
chegadas.no primeiro do correte mez a 720 rs. a
arroba porfi de 10 arroba^ para cima e menos a
800 rs.: na travessa da aladrc-de-Deos, armazem
n, 16.
Vende-se um sobrado de dous andares, na ra
cstreita do Rozario n. 6 : a tratar na ra da Con-
cordia com Jos Antonio Correia Jnior, que est
autorisadoa vende-lo.
Vendem-se superiores quoijos londrinos, fras-
cos com conservas, ditos para podins, latas com
hervidlas ; dilas com sardinhas ditas com Isgosta
guizada vinho do Porto, Madeira, Shcrrr, Constan-
cia lloclc, frasqueras com genebra da Mol la rula',
a^o'ardente de Franca, latas com scidlitz ; sobre-
csacas de brim delinhoe palitos, a 3,500 rs. cada
urna : na ra do Trapiche, armazem n. 44.
Uaddra de pinho
Vende-se a'melhor madeira de pinho que tcm
vindoa este mercado: na ra da Madrc-de-Deos,
armazem de Vicente Ferreira da Costa.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : rende-se em easa de N. O. Biober & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife, loja de
Joflo di Cunha Magalhftes.b primeiro voluuie dos Se-
to Peccados Moraos, por Eugenio Sue IraduzidO
em porluguez por I 600 rs.; o Mendigo negro de
Paulo Feval, traduzidoem portuguez por A. Reg,
1 v. por I.OOOrs .; as poesas de JoA de I.emos Sei-
xas Caslello-Rranco ; Amor e Melancola, por Cas-
tilho ; o primeiro, segundo e terceiro voluntes da
Lizia Potica..
Vendem-se 5 lindos moloques de 12a 16 anuos;
3 prelos de 25 30 annos ; 4 pardos de 16 a 25 an-
nos ; duas mulatinbas de'yt annos, com habilida-
des ; 5 protas de 19 a 20 annos algumas dellas com
habilidades : na ra do Collegio, n. S, se dir quem
vendo.
Vendem-se duas prelas, urna de nacflo, de 16
a 18annos, que cosealguma cousa coZnha e faz
todo o servigo de urna casa e a outra crioula ,
e vendodeira de roa : vendem-se por seu senhor re-
tirar-se para fora.com hrevidade : na ra da 7Yem-
pe, sobrado n. 1.
No deposito do Me. Calmorrt & Companhia na
ra de Apollo, armazem n. 6, acha-sa constante-
mente grande sorlirnento de ferragens inglezas para
engonhos do assucar corro sejam : taixas de ferro
coado do difTercntes modelos, os mais modernos;
ditas de ferro balido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira; ditas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de fdrga de quatro cavallos e de al-
ta pressAo o mais moderno e simples que he possi-
vcl ; repartidoras espumadeiras ; resfriaderas de
ferro eslanhadoj formas de ferro: tudo por prego
commodo.
" Vendem-se acedes da ex-
mela companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptorio de O-
liveira Irmos 8 C.,.rua da Cruz,
n. 9.
Vendenvse presuntos para fiambre; queijos
londrinos; ditos de pralo; Taias com bolachinba
finado Lisboa ; ditas do amula ; conservas novas;
mostarda ; pules com sal fino ; latas com inarmcla-
da nova ; dilas com hoivillias; caixinhas Com n:as-
sas finas ; vinho moscatel de Selubal; dito Sherry ;
licores tinos ; e outros mais gneros, por prego com-
modo : na ra da Cruz, no Recife, n. 46.
BA DOCRESrO, JN. 5.
Nov srscados indianna, a
200 rs. o covado.
Na inja do CuimarAes & Companhia vendem-se
os imivus ciscados indianos, de qualro palmos de
largura cores lisas o padres muilo modernos pelo
barato prego de 280 rs. o covado.
PRELO
em saccas muilo grande,
a 3stoo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da ConccigAo.
Na ra do Crespo loja de 4 portas n. 1S, ven-
dcm-so chapeos de castor pretos, do muilo boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Vendem-se saceos com fardo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na rtia da Saiualla-
Velha, n. i38.
Vende-se a verdadeira potassa da
iuissia, desembarcada honlem, por pre-
co muito rasoavel, vista de sua muilo
superior qualidade : na ruado Trapiciie,
n. 17, c ria da Cadeia, n. 3).
CHA' IlliASII.KIIIO,
Vemle-se, no armazem de molhados .atrs do
Corio-Santo n. 66, o mais ex.ccllc.nte ch prodnzi-
do em S.-Paulo que tem viudo a este mercado
por prego muito cOmmodo.
Vcnde-soago de Millo, dito grosso em barras
largas, j>or prego commodo : na ra do Vigario n.
4, escriptorio de Itotli & lli loulic.
-- Vendem-se 3 bancos de marceneiro j usados,
por prego commodo: na ra eslreita do Rozario,
loja de marceneiro, n. 32.
- Vcnde-so panno de algodao da teara, de mui-
M

to boa qualidade, a 220 rs. a vara : na ra do
Queimado, n.H.
-- VcnJcm-se 8 compoteiras 8 garrafas 8 co-
pos de vidro fundido, urna porgAo do palos de to-
dos OS tamanhos ; ganga azul trancada a 160 rs.
dila lisa a 120 rs., propria para caigas e camisa do
escravos do engenho : na'rua das Laraugciras, b. 29.
Novos riscados luonslros chi*
nezs, a 360 rs o covado.
Na loja deGuimaraos & Companhia, na ra do
Crespo, n. 5, veudem-se os novos riscados chine-
zes finos, de padres muilo lindos; e os mais mo-
dernos que teem apparecido nesta cidade, de vari
de largura pelo barato prego de 360 rs. o covado.
As novas casimiras de algo-
dao, a 860 rs. o covado.
Na loja n. 5 da ra do Crespo, vendem-so as nnj
casimiras de algodflo do padres os mais ricos qui
teem apparecido'ncsie mercado pelo barato prc^
de 50 rs. o covado.
Vendcrti-se cfiapos de castor branco, i
4,000 rs.: na ra do Queimado, n. 22.
COBHK. >
Vende-e cobre para forro e caldeirei^
ro : na ra da Cruz do llccf, n. 17.
Vende-se urna vacca com urna cria na cstradt
de Rclm junto ao sitio do Sr. Claudio : a tratar ni
ruados Tanoeros, armazem, n. 5.
Vendom-se superiores lonas americanas,
lodosos nmeros; chapos do Chili, finos e de cor
muito alva, como teem vindo poucos ; potassa nova,
superior, por prego muito.commodo : na Praga-do-
Commcrcio, 11. 6, a Iralar com .Manuel Ignacio de
Oliveira.
NOVO PAO A PROVENGA E BOLACHWUA
BOM.IA.
Fabrica-se na Santa-Cruz, padaria de urna s por-
ta, com n frente para a ra do Sebo; assim como
tambem toda a qualidade. de bolacha de differentn
tamanhos, entre ellas a bolachinha d'agoa e sal
30 em libra, furadinha, lorradinha e tudo o mais que
he proprio (lestes estabelccimentos, empregando-se
aempre as mclhores e mais novas farinhas quo ln
no mercado : o mesmo so acha a venda na Iravessi
da Madre-de-lieos, n. 13, deposito da mesma pada-
ria ; e na esquina da ra do Collegio, venda do So-
bral, tAo smenle a bolachinha regala doce.
IIYM.NODOPAPAPIOIX.
Na ra do Crespo, n. 11, vende-so o rasto da bel-
la composigAo musical a 1,000 raa cada um ; o Ca-
pibaribe est a venda na mesma loja avulso a 80 rs.,
e tambem livros para aulas'de latim e francez, ludo
por barato prego.
Vende-se um escravo pardo, bom official de ar-
pia : quem o pretender dirija-se a ra da Cadeit
do Recife, n. 38.
I.onas inglezas.
Vendem-se pecas de Joa ingleza, de
boa qualidade, e por proco mais barato
do que em oulra qualqucr parte; na ru
da Cadeia do Hecie, armazem n. a.
--
Escravos Fgidos
Fugio, no dia 3 do passado um escravo, de no-
mo Manoel de altura regular, choio do corpo,
tem bastante mareas de bexigas ;. levou caigas de
riscodo vclhase camisa de algodAozinho : quem t>
pegar leve-no a seu senhor, Miguel Jos llarbon
CuimarAes na ra do Crespo n. 5, que ser grati-
ficado.
Fugio, no da 18 de outubro do engenho S.-
J0A0, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro. de 19 an-
nos, estatua regular, cara redonda, olhos pepueims,
denles limados ; levou'duas caigas, una de brm
pardo e oulra do riscado azul; <|uem o pegar leve-o
ao referido engenho ou a cafa de l.ulz Gomes Fer-
reira no Mondego, quo ser generosa mente recom-
pensado. .
Fugio, de bordo do brlgue Sertorio, na manhi
do dia 5 de julho prximo passado, um escravo mi-
rinheiro de nomo Francisco ,' de nag.lo Jang; re-
resenta ter 30 a 35 annos ; tem um aignal na face cs-
querda, falla muito descangada ; levou caigas e ca-
misa de algodAo azul, chapeo de palha pintado de
brsnco, o balde de.trazer ragoes e 7,000 rs. em ce-
dulas; falla hespanhol: quem o pegar leve-no 1
ra da Hocda n. 7, que ser bem recompensado.
Ausentou-se da rasa de Jos Rodrgaos Pereir1
um cabritilla que representa 14 annos, de nonie
Benedicto., natural do Rio-Crandc-do-Norle ; lem
alguna denles podres na Trente e acabou ha poucis
sainanas de ter bexigjs das quaes lem as marcas
norosloe pelo corp ; ho liaixo e muito ladino:
quem o pegar leve-o a referida casa ou a Victorino
de Castro Moura na ra da Cadeia, n. 90. Ha no-
ticia que o dito cabritilla an la por aqui pe lo do Re-
cife.
Fugio, anteado dia do fosta do Natal o prcto
J0A0, de nagAo Angico ; levou camisa e ccroula's de
algodao ; he hiistanle alto, socco do corpo, cabfCI
pequea ; lem falla de denles ps grandes, dcdui
rombudos; tcm um Icbinhu cima da cxa direi-
ta cabega j pintando de cabellos broncos baslan-
U embaragado no fallar; lio tirador de ca'anguei-
jos ; lem sido visto 110 logar dos Remedios o Man-
guind : quem o pegar love-o a ra. do LivranicnWi
n. 45, loja de fazondas, que ser recompensado.
Itoa recompensa.
Fugio, do engenho Taquary, comarca de S.-AnlAo,
no domingo, vesp.cra de festa do Natal o crioulo
Manoel, natural lio sei tAo do Sird; lo alto, ||B
hom corpo cor fula, cabello pouco piebaim '*
gUOla Cousa hailudo, ps e mAos secas, e em n"1.1
das (naos junio a uioiilieca Una cicatriz bem visi-
vel proveniente de Ulbo.cno pcilo do p opusl"
oulro igual ; loni 20 e tantos annos : quem o pegar
le\e-o ao dilo engatillo ou na ra do gucimadu,
11. '27, quo ser recompensado.
Pon. : n typ. na m. r. ne ru. 1^'9
11 rri\/ci


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL6WMBJEK_UDB3AB INGEST_TIME 2013-04-13T00:50:50Z PACKAGE AA00011611_06217
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES