Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06213


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXV.
Sexta-feir 5
boj
O DIARIO publici-se todos oj dial que uo
(ori'in ite guarda." O prejo da asiignalura lie
de^OOOrs. porquartel, pagos ailiantaiIo$. O*
annuncies dos asignantes sao Inseridos
rasao de 20 rs. por lintta, 40 n. em typo dif-
ieren le, c as repetlc.3es pela inetadc. O "80
asiignantes pagaro 80 rs. or liuha e l ri.
em lyjio dulciente, por cada publicarlo.
PHASES DA LA KO MtZ DF. JANEIRO.
Cretce ote, a2, s5horas e 19 inln. da maiili.
La cliela, a 8. as 8 horaie l inin.Tla larde.
MiiiL'oante, a 16, 4lioraieS5 mu. da manh.
La uova, a 24, 7 hora e 43mln. da manh.
PARTIDA DOS CORREIOS.

Gofnna r Parahiba, s seRS. e-exias-f,irs.
Hio-G.-du-Nortc, <|uinlas-feira> ao nieio-dia.
Cobo, Serlnliiiem, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
Blacei, no 1.* a 11 c 21 de cada mcz.
Garanlmiis Bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vista Flores, a 13c28.
Vicloria, is quimas-reirs.
Olhida, todoa ol dias.
PKEaMAR DE HOJE.
Pr uncir, a ( hora 18 minutos da tarde.
Segunda, a 1 hora e 42 minutos da manb.
de .Janeiro de I89.
v. m:
- das da semana.
1 Segunda. igufeCircumcIsao do Senlior.
Feriado para s negocios forenses poi
toda a seinaua.
'2 Terca. S.iiuoro.
3 Qu.ma. S. Aprigio.
5 (ulnla. S. Tilo.
5 Sexta. S. Siiueio Estellita.
Sabhado. *>[. Da de Res. Ss. Gaspar.
Kaltliasar e Belrliior.
7 Domingo. S. Thcodoro.
CAMDIOS NO DIA i DE JANEIRO.
Sobre Londres a 25 '/.. d. por 1/ rs. a (0 dias.
a Pars
Lisboa 110 por cenia de premio.
1 -d l.nii ,1 ,1 ail pal .
Desc. de Ion. de linas HrmM af Vi 'ao mea.
Acc-rtcs da cump. de uYbcribc, a50frs. ao p.
(Juro. Oncas bcspanbolas. 29/5H0 a 300(lo
Hordas de (#400 v. 17^100 a 17/200
I lie (i .- ill.l 1,. li; :-.>(> a lli/iim
desuno... ll/zOO a 9/H'
/'rala-Patacocsbraailiiros 1/.I40 a l/lilio
1 Pesos columuarius. 1 mo a 1/90*'
Ditos, mexicanos..... I#IOO a i/j-28
PARTE OFFIGIAL.
subdelegados, inspectores do quartoiro e oscri-
ves, para o que no pquco lem eoncorrido o lor-so
as eollecgocs da legislagilo impftwsa 110 artigo 5.
^ 10 da le do 3 do oulubro do t88l as palavras
m dma s cmara. quando no aulhograplio exis-
tente 110 archivo publico se le em urna s comar-
ca : manda S. M. o Imperador declararas V. Ex. que
d'oraem dianlc.observe e faca observar ns segutn-
tcs legras: nos juizes dodireilo, c onde houver mais
ilcum, ao da 1. vapa crme conipole deferir jura-
mento, c dar posso aos juizes muuicipaes do sua co-
marca. Naqucllas em que existir retaceo, esta at-
tribuiclo ser exorcida peto seu presidente; quando,
porcm, ojuiz municipal tiver por districto de jurs-
dicgflo urna comarca, recebera o juramento e posso
Jo presidente da provin ia. Aos cheles de polica com-
pote deferir juramento, e dar posse aos seus dele-
gados, e subdelegados Nos municipios cmqtlonaS
esliver presente O chele de polica, esta attrbuigo
aera exorcida pelas cmaras municipaosa respeito
dos delegados, e por osles a respeito dos subdelega-
dos. Aos delegados compete deferir-juramento o dar
posse aos inspectores de quarloirfto; quando, poim,
no districto de um subdelegado rilo existir delega-
do>essa altrbuiglo sera exercida pelo subdelegado.
lAos escrivSes das autoridades aupramenciunadas,
sanio o juramento o posso por ellas mesmas defe-
ridos.
Dos guardo a V. Ex. Eusebia de Queiroz Coiti-
nho lalloto Cmara. Sr. presidente da pro-
vincia de-'l'ernambuco. Cumpra-se Palacio do
governo de I'eernambuco, 3 de Janeiro de 1849.
Tela.
MINISTERIO DO IMPERIO.
' Approva a d-cis/io dada peto prndente da provincia do
liio-de-hneiro, acerca do numero de eleilorts que deve
dar a freguezia de S.-Sebaildo de Araruama na ci-
dade do Caba-Frio, aPw''
1.'Seccflo. Rio-de-Janeiro. Ministerio dos nego-
cios do imperio em ti de dezembro de 18(8.
lllin. e Exm. Sr. Tondo merecido a imperial
appvovacflo a decsilo que V. Ex. communicn, em
seu oflicio n. 47, de 7 do correte, ler dado duvi.la
proros'a pelo jui de paz mala volado da froguezia
do S.-Sebasliio do Araruama, da ctdado de Cnho-
Fin, sobre o numero de-leitores daquella parochia,
declarando-lbe que a regra estaheleeida no princi-
pio, do art. 59 da loi reglamentar de cleicfles, que
manda dar um eleitor por votantes, be limitada
pelo final domesmo artigo, que nlo permitte, seja
qual.fra porcSo de votanlos do urna freguezia, que
o mximo de seus eleitores exceda o mnimo dos que
rila tiver dad nos anuos de 1842 011 18ii, senilo
na 5.a parte mais, conforme se v da letra e espirito.
i da citada lei, e j foi explicado pelos avisos de 2'de'
novembro de 1846, 9 de julho de 1817, e 13 de abril
I ultimo ; e que pozar da nova qualificacuo s pode
a referida parochia dar mais um eleitor, alm dos
seis que leve em 1842: assim o communicu a V. Ex.
para seu conbeci ment.
Dos guardes V. Ex. Visconde do Moni' Alegre.
Sr. presidente da provincia do Rio-dc-Janeiro.
Apprnra a retpott dada pelo presidente da provincia
do lio-de Jadtiro ao offlcio do juiz de paz mail 10/0-
do da [regueiia'de Notia-Senhora-do-Carmo no mu-
nicipio de Cantagallo, 11 que, participando a ausen-
cia do retpectieo parocho, pede protidencioi para prt-
encher a tita falla.
t.' Scccffo Rio-de-Janeiro. Ministerio dos neg-,
ciosdo imperio em II de dezembro de 184S.
lllmf e Exm. Sr. Foi presente a Sua Magcstnde
o Imperador o odiciode V. Ex. n. 45, de 6 do corrate,
acompanbanilo, por copia, o que Ihn dirigir o juiz
de paz mais volado da froguezia de Nossa-Senhora-
do-Monle-do-Carmo no municipio de Cantagallo,
participando a ausencia do parodio da dita fregno-
zia, e pe.limo providencias afim do ser aquella fal-
la remptl i ada a tcmro de se celebraron) osados re-
ligiosos recommeudailos no art. 42 da lei de 19 de
agosto de 1816 no dia 17 ueste mcz, por occasilo
da-elc$o primaria pura.o orcencbimenlo da vaga
de um senador; e igualmente consultando se, no
caso do se nlo realisar aquella solemnidade, devo
preceder-se referida cleicilo, ou ser adiada. E o
inesmo augusto Scnhor ln por bem approvar a de-
ci(1o que V. Ex. dera, declarando ao sobredilo juiz
de paz, quanto primeira narlo do seu oflicio, que
11b impedimcnlo do parodio pode ser convidado'
qualquer sacerdote pata o substituir nos menciona-
dos actos; e quanto segunda, que, acontecendo nlo
haver absolutamente alguom que os excrc,a, nem
por isso deve deixar-se de fazer a eleico no dia
marcado, visto que tal ceremonia 'n5o Constitue por
sua natureza urna fornialiilaJe substancial, cuja tai-
ta pimluza Hulli'lade, eseja motivo sudicionte para
ser adiada urna cloicilo. O que ludo co.iimunico a V.
tx. para seu conbecimento.
eos guarde a V. Ex. Visconde do Moni' Alegre.
Sr. presidente da provincia do Rio-de Janeiro.
Declara que urna re perdido, pela mudanca de domici-
lio, o dirtito de fazer parte da mesa parochia!, nao
te recupera pela noca residencia.
1." Seccflo. Ilio-dc-Jane'uo. Ministerio dos nego-
cios do iini orio em 13 de dezembro de 1848.
Sendo presente a Sua Magostado o Imperador "o
dulci dn 8 do crrenle, em que V. m. consulta se,
dada a hypothcse ligurade no art. 12 da lei regola-
mentar das eleicOos, dever convidar para a formaco .
da mesa parocbial dessa freguezia ao 5 votado na plisos":~-do subdelegado do Hecife, omarinheiro
eleicSo dejuizis de paz, que, tendo-se mudado para da frasata Constituicao llelniiro Soarcs, por ser en-
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA l.o DE JANEIRO.
Oflicio.Ao agente da companbia das barras de
vaper, recommendandoa expcdicilodas convenien-
tes ordens, para que o commandantedo vapor Para-
ente receba e transperte para a corte disposicilo do
Exm. ministro da marinba o dispenseiro da armada,
Joo Baptista Melquades da Silva, que pelo com-
mandanledas forjas navaos ser mandado apresen-
tar.-Tarlcipou-se ao comraandante das menciona-
das forjas. .
Hilo.Ao mesmo, mandando dar comedones por
conta do governo no vapor 1'araensn que segu hoje
para a curte ao I." Lenlo Francisco da tosa Reg
ilonteiro.
Dito.Ao mesmo, mandando dar passagem al a
Baha no vapor que seguo para os portos do su I ao
secretario do governo desla provincia Honorio Po-
teira de Azeredo Coulinho.
Portara.-O presidente da provincia ha por bem
chamar a scrviQo de destacamento at 20 do corrento,
na forma da lei, a niatajUselcnla o nina pravas da
guarda nacon;il de Olin la o Iguarass, bem como a
tres Dlcaes da mcsuia guarda nacional; e resol ve
que esta forca tonha a organisaglo e applicacito que
llic bouver de dar o commandanto da praca de accor-
do coni ashecrssidadcs do servi;o.-Fizi'iam-so as
parlicipapes do cslylo.
venia frrja que se acbava em IguaraQ, e ilepois de desta provincia. Aoostinho feznrra daSslca Cn-al-
reundo a ella, s 5 1/2 boras da tarde, marchoi eni canti, coronel commandante superior interino e sub-
direitura para a liba de Ttamarac. Como se dein- delegado suoplenle. a
rasseo vapor, e eu julgasse sufUoicnte a minha lr- Esl!o pois desalojados dosngcnho Cncccoos
q, .1 liz passar a llha as 2 horas da nmte as ordens ,,-
do tenonte-corouel Feliciano Antonio Kalco. revoltosos que all acoutados como que traz.im em
1 Foi cercado oengenbo do Honorio o corrido, suslos as familias pacificas da Muribeca: estiessa
Jiflo se achando boinem algum, os sima faiiliao .
escravos. A mulher do Honorio dis>o que ha das o pwocliilirddtjplflkl0do4)8ndidosqueesrorcavan>
Moraes, o Borges, liorna, Flix Peixolo o Joiio Paulo se ,10|. jcvasta-laf e eremos que o liear para som-
(lli so acharain, mas que fugiiam logo que soulic-1
rm que a fi\a do governo tinlia de iralli, ac res- pro, ltenlas as medidas de cautela adoptadas polo
cenlando que son marido, afim de nilo iiavor fogo
no sed engenho, foi Rreciso distribuir 30.'/000 iis
com a (i\tct para se retirar.
No gyro que a tropa deu, apents encontrn una
guerrlha de 8 homens que deram uns tirse fug-
ram fram, poicm, prosos dous conpotcntemciile
armados; e um quo (icou com o braco quebrado, la o
dexaram...
Huje, s 8 horas do dia, chegou o vapor : li/. des-
embarcar agento o dar .1111 passtio pela Ihn; por-
que, coinquanto uciiliuma resistencia tonha de en-
contrar, por nfro se adiar all o inimigo, comludo
senipro d urna ideia aos habitantes da energa Jo
governo, e que eflo toni frca sulliciente para os ba-
ler, isto lie, aos revoltosos.
Os presas vilo pelo vapor, erbamam-se Mauri-
cio Jos da Costa e Tiburcio Ferroira da Silva.
heos guarde a V. Ex. Quaricl-gencral do rom-
mando das armas a bordo do hrigue-rscuiia Pira/i,
surto em Itamarac, 3 do Janeiro do 1849 ( a I 1/2
hora depois do meio-dia ) Ulin. o Exm. Sr. des-
embargador Manoel Vioira Tosa, presidente da pro-
vincia. Jui Joaquim Coelho.
Esle documenlo lio bstanlo significativo. Ello re-
vela altamente quo os revoltosos j nao teom senilo
o carcter de verdadeiros -bandidos -.apenas sabem
que as frcas legaes se lhe appioximam, correm a
esconder-se as maltas : os seus proprios cheles
nilo pdem conlcdos senilo a poso de dinbeiro .'...
Sirva isto do licito aos que nilo Iremem de inflam-
maras massas, e accender os iras populares : liqucni
ellos saliendo que, ebegadas as cousas ao ponto em
que estilo rssas bordas de vndalos qualii percor-
rcm os bosques, nem as suas vidas, nem as.suas pro-
priedades, estilo acoberto dos riscos a que queremex-
pras dos contrarios; e que, no momento em quo Ibes
rallar aquMIo com quo Honorio conseguio que seu en-
genho no fosse o theatro de tima secna de sanguo
l5cparli<;ao da polica.
KXTItACTO DIARIO* DOS DAS 3 E 4 DO CQRR&NTE.
Fram prosos: ordem do Sr. desombargador
cliefe de polica, Manoel Jos, por suspeito ; Lean-
dro Honriquc, Joaquim llibero, JosSoares do Ol-
voira, Jos Joaquim do Barros, Andr Cuilhcrmo,
Antonio Rodrigues .Coelho, Agoslinho Jorge, Joo
Ribeiro P.z, Pedro Alcxandrino Paz, Jos Eugenio,
Alvaro Joflo, Thomaz Lopes de Sahla-Anna o Jos
Boborlo, porscrem rebeldos; Paulo Jos Francisco,
por indici ado rin riin o L'rmrilr; Luiza Maria da
Conceig.1i>, por offensas physicas; Aleximdro de
Souza, Antonio Jos do Almeida," Jo.-c Theodoro
Braga. Jofo do Mello do Ti indade, o o alforcs do 2."
liuha Ignacio Ron lo dealbvola .-do delegado do >'
districto, o proto cscravo Matheus:do subdelega-
do
sus
o dos Afogados, o paisano Clemente Manoel do Jo-
ns.nfio constando respeito deslcs oito o)motivo das
Sr. Agoslinho Bezerra, quo rerlo nlo consentir
quo clles jamis se reunam.
destruigo, cabiro victimas dnpunhsl ou do ba-
ca marte.
oulra freguezia, voltou a residir nessa ondoso acha
aclualmonle, sem quo todava seja volanlo, porque
nilo est qualiticado : manda o mesmo augusto So-
nhordrclarar-lheque, una voz perdido pela inudau-
ga de domicilio, nilo so recupera pela nova residen-
cia o direito de fazer parle da mesa, da qual alcm
dsso nflo pode sor meinbroo individuo que nem a
volar pode ser admilldo, por itflo estar qualiticado;
cunipiindo, poiUnlo, quo a dar-se nessa freguezia
UjpWMIOH) il;;ui,|.;,i Uil'llcoUatiu HrgO, ClU 1110
V. ni. ein'.vez do 5. ao C* votado na eleigilo de juizes
de paz, r se este fr tambem impodiJo, ao que so Iho
seguir na ordem da votag.lo.
Heos guarde a V. ni. Viscolide de Moni' Alegre.
Sr.juiz do pazraais votado da freguezia do Pa-
quea.
MINISTERIO DA JUSTINA.
contrado com um caivete de mola; e os paisanos
Antonio Francisco do J^iin a o Joflo Nepomuccno, por
cstarem espancando urna mulher..
O I." Amanuense,
Aprigio Jos da Silva-.
DIARIA IIKPIBN.tlKUGU.
nrcirs, ox jakexbo sft uo.
NOTICIAS DE ITAUASACA*.
Em o nosso 2 do 3 do corrente proinetlmos nos
aos cleitores Irazer ao seu conbecimente as parlci-
(s pagoes olTlciaes quo oblvessemos acerca do lUn.a-
negocios da justiga em 20 de dezembro de 1848. [caca : imje vimos tlesemponbar-nos da promessa,
lllm. e Exm. Sr Tendo apparecdo rreguentcs du- tr Bnscrcvendo 0 sfKUne documento,
vidas, e havendo mesmo diversas pralicas a respei- ""waao o sfbmn.e aotuniiiiio.
to das autoridades competentes para deferir jura- mm_ e Exm, Sr. logo que cheguei aoenge-
meulo e dar posso as juizes muuicipaes, delegados, olio Timb, comoj liz participante a V. Ex., pie-
UAIS L'U SFBVIfO DO S!t. ConoXBL AOOSTINUO BEZERRA
DA -II.VA CAVALCANTI.
O Sr. Agoslinho Bezerra nilo porde occasiSo de dar
provas do quanto se esforga por consolidar a tran-
qullidade publica no lugar sb sua jursJicgilo:
ponas lhe consta que os revoltosos esto reunidos,
va pargem cinques"? ellsacliam, eosdestroga,
c os,aprisiona. Ainda onlc-bontom S. S. so portou
de maneira a justificar o que abi lira dito, segundo
constado seguinto oflicio :
lllm. e Exm. Sr. Depois da ler eu va rejado o
engenho Couceig.lo docWadflo Jos Itobrrlo do Mu-
raos Silva, como j coniniuniquri V. Ex. em odlcin
do 8 do prximo passado dezembro, fui informado
que no inesmo engenho novamenlo se reuna foren
rebelde. Fiz partir esta madrugada (as3 horas] una
palrulha de 30 pragas alim do explorar aquellos lu-
gares. Essa patrulha, approximaiido-se aos parti-
dos do engenho, foi sandada por urna descarga de
fuzil, que foi correspondida pelos rebeldes ron ti-
ros do signal em diversos pontos. A patrulha fe/ si-
lo pondu-se cin cautela, porm nada pode obrar em
raso daescurdo da ioito, cchuvas que sohre-
vieram : o commandanto accordou em rclirar-s" pa-
ra oquartel do destacamento, dindo-nic paite do
resultado. v
t Ao amarillecer, de as precisas providencias aun
de serom balidos os rebeldes all existentes, fazeii lo
marchar Orna forca ao mando do alforcs de anima-
rla Jorge Rodrigues Sidreira, (jue bem dcsempeiihou
a commlsslo, pondo em cerco o cngcnbo, o os re-
beldes em grande numero em debanda.hi, liavem o
algumas descargas de paite a parte, sem comtudo
.ave:-"!' rmenlosdenassaparte, licando prlaio-
noirossei rebeldes, e entre ellas um Wlio bastardo
do proprietarib e o administrador docogcnUo; a-
cliando-so no varejo dous bacamartes, c algum cor-
reiamn com as patraas cheias de cailuxos.
Tomcin delib-ragflo de deixar naque le engo-
nhouma fdrga de sessenta pragas commandada pelo
mencionado alforos Sidreira com ordem do azer cx-
ploragOes l conseguir a prisHo ou completa diban-
dada daquelles revoltosos que Unto leem incommo-
dado esla freguezia. .
Cumpro declarar a V. Ex. que o proprielunodo
engenho nilo so encontiop Dfll casa : pr ova V8I mente
pode com lempo acautolir-so.
Dos guarde a V. Ex. Quaitel no engenho San-
BartUoloinou, 2 do Janeiro do 1819. lllm. e l.xm.
Sr. dcseuibargadorMauoelVieiraToita, presdanlo
11-11:11011 !! 11.,..
Uns pnucos dos siillcadoros, que, sacrilegamente
invocando osanlo nomo da IJRERDAUE, lili au lam
de bosque em bosque a commctlor as maiores alra-
cidtdcsj. sorprender ni honlom s 9 horas da ma-
nbSa o engenho Aguiar, capitaneados por Antonio
Alecrim e Antonio Luiz-do Desterro : saquearan! lu-
das as casas sitas ora torras do mesmo engolillo, e
retiraram-socoiuluziu lo toda a boiada c os cavallos
que cstavam no cercado, depois de haverom Ungido
que cstavam disposlos a potipar a vida do propie-
tario daqucllo eslaboleciment, o major Antonio
Lourengo Tavares, as das pessoas quo lho faziain
companbia.
Ainda, porm, n'10 harta urna hora que os cani-
baes linham transposlo a, porteira do engenho, ain-
da Iremiam de susto aquellos quo abi cstavam, vol -
lam os monstros sobro seus pasaos, assassinam br-
baramente a dous HlhOS do rcspoitavel major, de no-
mes Manoel Caniniro de Albuquerquo e Pedro Car-
licirodeAlhuquerqiie, c prendem a otitro, chamado
Jlo Carneiro, bem como a Ignacio de tal e ao veno-
ravel ancio, que, pungido .lo diir por ter (eslemu-
nbido o exterminio de dous dos ohjertos quo mais
amava nrslo mundo, e [ten.lo por rompanheiro do
marlyrio o lillio ijue, quasi por milagro, escapara
sanha dos malfeilores, he levado pelos algo/es para
longo da sua propriedade que abi doixavs devastada,
nDoparaumearcoraondeTossosoTrertormentos mais
lentos do que csse quo a j o haviam subjoitado, mas
sim para corto lugar recndito onde linba de ser fuzi-
lado, pois quo aps alguns inst Hites os moradores da
circumvizinhonga*uuvii'am o estampido da urna des-
carga, disparada dentro do ponto para quo o linham
como que arrastrado !.. .
He para nolarque a fabrica do engenho pode eva-
dir-so cmquanto os carrascos Iriicidavam seus sc-
nliores, o que a esposa o a domis familia do major
Tavares j estavaui cni salva-guarda, quando os sel-
vagens oneelaram a obra de dopredgo o assasii-
nalo (lie hemos referido.
Crande lieos! E consentiris vos que osses mons-
tros prosigam 0111 tito criminosa car re ira '.' Temos l
(iiio nao; conliniiarois por semduvid.i a proteger a
causa da legalidade, e redoblareis os eslorgns da-
quclles quo a defendem, para que possatn expedir
os que contra cl[a" dlonlain de alguns pontos da
provincia que ainda infoslaiu
A PIllSO DE IGNACIO BENTO HE LOT0LA
Ignacio liento .le l.oyolla, esse energmeno que,
depois de haver feito banca-rota, defraudando em
alguna cotilos do ris o corpo de commorciodesla
praga, consllluio-so poltico de esquina, eullima-
montc alvorou-se em redactor do um papel nV
mtindo que all corro sol o abastardado titulo do
Voz dorasi!; Ignacio liento del.oyobj, dizemos
nos, foi preso hoiilein a orden do Sr. desombar-
gador ch.ro de polica, como indiciado nos cri-
mes previstos nos arligos es e 83 do cdigo pe-
nal, manifestados em iKun* nmeros desse papel.
Entretanto, o reJactor do um dos chos da opposi-
co, aoannonc.ir hoje a prisilo do sen mu digno
col lega, lias que ella foi a clbcluada por maulado
do Exm. Sr. Manoel Vicira Tosa, c com esto niolivo
insulta scu modo o di'stinclo magistrado que levo
ILEGIVEL
- -
!(





-i
2
3
bastante patriotismo pnrairocar os commodos da vi-
da quieta o pacifica que vivia cm sua trra natal pe-
los vexumcs iiilicrentcs a presidencia de urna provin-
cia conflagrada e a bracos comsa!t>adorcstfIo desal-
mados como essos que saquearam o cngonho A-
Biiiar, e assassinaram o sou proprielario bem como
os filhos destc.
Maso que lie que pretendo ofanfarrflodo rcdac;
le cun as bravatas c os insultos do quo recbeiou a
noticia da prisiio do scu comparsa? Quor amedron-
tar o Exm. Sr. Vicira Tosta, e leva-lo a condescen-
der com os directores da revolta, em cojo numero
ello entra ? Como se engaa !.. S. Ex. lem bstanle
sangue-frio o resignagflo : quando accilou a nobre,
pnrni diflicil missflo de que so echa encarregado,
sabia quanto ella era espinhosa ; o ha de cumpri la,
e lia do descmpcnlin-la tilo satisfactoriamente quau-
lo lio do esperar de seus honrosos precedentes, mo
grado os uivos dos que Ihc declararam a mais cru-
t'iila guerra apenas elle portou a esla cidade, quan-
do ahi nflo tinha lomado posse da presiJcncia, e
por ronseguinte tifio havia praticado um s acto go-
vomitivo.' Ten m vistas indisp-lo com a gente
linnesta o sensata do paiz ? Vo esforgo, infruct-
fero-trabadlo: ossa gente sabe aquilatar o subido
mrito de S. Ex., conhece-o por domis pelo pa-
pel brilhanle quo ello ha feito no parlamento bra-
sileiro, ondo sempre leu: sustentado com invejavel
intrepidez a causa da ordem, da monarcnia cons-
tituieional o da juslica; e, pois, olha para S. Ex
como para um anjo tutelar e salvador, semifre dis-
posto a sacrificar-so pela conservaeflo dp suas vi-
das o propiedades ; ardendo om desejo do
proporcionar a Pcrnamliuco todos os beneficios nia-
leriacs o inoi aes, de cuja posse estove privado por
mais do cinco anuos; calculando tudo quanto
possa concorrer para a propriedade do commercio
da agricultura e da industria desla trra; co-
gitando no nielbor dos expedientes para, dar a ins-
trurgito publica provincial a conveniente direcgflo ;
- estudando o modo de regular as despezas da pro-
vinria de maneira a fazer observar as regras da mais
bem combinada economa.
Rccue, portanlo, o redactor da empreza quocome-
cou com o cynisino que o caracterisa ; ou cont com
o lidiculo que nflopode cscapar-seaquelleque, afa-
nando-se por conseguir um fim qualquer, acaba por
ver-so burlado peranlo iodos quantos hilo presen-
ciado os seus esforgos por ser bem succedido.
l'ar'as armas governas ha destinado
Um filho de Mavorte valroso.
I>e vil zoilo hilo temas os furores,
Uuo tou nome no mundo se derrama
Escoltado de grabas e.fulgores,
Sobrancciro sn poz ao baixo trama
Quo repelein leu nomc com louvores
O re, a patria, o inundo, a gloria, a fama.
Por um cadete do 2." balalho d'artilharla.
YAKIK)A)E
Commiu.icado.
OS JI'IZES MUMCIPAES DEOIINDA E ICUARASSIT
PODER.lO SUIISl'irUJIl AO JUIZ 1)0 CIVEL
1)0 RECIPE T NAO.
Pela legislacflo osjui/es nao silo substitutos de
nutms cm jurisdiccQ que leem como altribuigflo
prnpria. A lei de 3 de dezemhro de 1841 csUhele-
ceu a ordem das suhstitiiigcs, e della v-se que os
jiiizos do civol rifio silo substitutos do nutres juizes"
In civel os juizes de dreilo do crime nflo sito subs-
lilulos de nufros juizes de direito do crime : os jui-
7cs municipaes uflosflo substitutos do outros juizes
municipaes. Pela mesma lei igualmente se vd quo
nenhiiin juiz municipal substitue senflo aos juizes
de direito que excrcem jurisiliccdl# no termo on lem o mesmo juiz municipal, e que os juizes muni-
cipaes exerceni jurisdirgito civel onde nflo a oxerce
o juiz do civel; art 118 da lei, aviso 79 do 9 de ju-
dio de 1842. Tendo n lei provincial n. 131 art. 2
limitado a jurisdirgito dos juizes do civel da cidade
ao municipio do Itecife, be evidente quocessou a
jurisdirgito desses juizes nos termos de lo a, o ahi
passaram os juizes municipaes respectivos a ser jui-
zes do civel, c exeicertoda a jurisdicco civel : mas
os juizes nflo sito subslilulos d'outrns juizes eni juris-
drcio que leem como allrliiiigflo propria ocon-
uexa a sen lugar, o os juizes municipaes nflo sub-f-
liluem seno aos juizes de direito que leem Juriadic-
gflu no termo onde a leemos juizes municipaes;
logo os juizes municipaes do termo do fra nflo po-
leni substituir no juiz do civel do Itecife, depoisque
levo vigor i lei provincial n. 13i art. 2, feila cm vir-
ludodoarl. 10 I do neto addieiuual. Adveilindo
restas rasoes, arcordou presidencia no i ogiilamon-
lude 12 de Janeiro do anno pascado fl8t8J em jamis
admillir os juizes municipaes do lerniu de fra a
Kubstiluircni aos'juizes do civel do liecife, e s os
faz subslilulos dos juizes de direilo que leem juris-
iHcgflu nos termos do fra ; mus nunca dos juizes do
civel quo all nflo Iccui jurisdicgflo. lie incoulro-
versoqun loda a jursdiceflo vem da lei, o queso om
virtudc desla sople conferir ou oxercer jurisdic-
gflo, e conscquentemenlc admillir txeree-la quein
n lei Ihe nflo da, lio admillir o germen de males iu-
culculaveis e nullidadcs de procesaos.
VANTAf.ENS E UTILIRADF. DA AGRICULTURA.
Do todas asemprozas, por meio daaques o ho-
mem conseguo para si a maior prosperidade, e aug-
menta mais a riqueza real e a frca do estado, a agr
Cultura lie sein COIllradicg.to a principal. lilla lio
fundamento sobre que asseulain todas as mitras, e a
base do ludas as rlese proflssos. Aquelles que, go-
zando do una pequeua riqueza artificial aren mu-
lada por accidente ou por usurpagoes ardilosas
feitaa ao trabadlo honesto olham com desprozo pa-
ra o agricultor quo marcha vagaroso atrs do seu
arado ganbando o sou plio com o suor da seu ros-
10 desprezam a um hornero infinitamente mais uOt
bre, mais rico e melhor do que ellas.
O homern que lavra a Ierra be ri da larra por-
quo s ello pode dispr daquillo que lie necossario
vida Ello excrceuma protissflo mais til para a es-
pecie humana, mais honrosa e mais virtualmento
indepcndenlc do que mesmo aquellesquo dirigem o
governo dos povos. A incerteza que paira sobre to-
das as outras emprezas foge para longo dos traba-
dlos do lavrador ; elle goza de umeeo claro que as
niivens da crise nunca perturban). Mas poucos con-
sidera ni o agricultor como elle realmente merece ser
considerado. Elle nflo lio somonte o possuidor de
campias que .ernem debaixo do peso das lavouras,
c do paslagens cobefjas de innmeros rebatidos ; o
seu trabadlo acba se ahi no fundo de todos essesar-
niazens gigantescos, desses ancoradouros, desses
navios, edessas emprezas mercan lis que por si sos
11 lustro ni mil formas de commercio as quaes se de-
riva m da palmcira da agricultura, bem cont de uina
l'iiiiie iuexhaurivel. Em o nosso paiz.o agricultor lem
tomado urna posieflo mais respeilavcl do que om
neiiiiuiii. Ello he mais j usa monte considerado ,' o
tetn lirado um lucro correspondente ao scu Iraha-
Iho. Suas Ierras rendem-lhe mais do quo as minas
ile ouio da California.
O agricultor, ao passo que sustenta o mundo com
a obra do sua bendice mito, assegura pa mores favores e os mais deleilaveis sortisos da for-
tuna. O solo he o verdadeiro banco etn o qual
trabadlo do homern nunca he protestado, nico om
que elle rende cento por un
Coiilinuem os lavradores a dirigir os sonsacados,
nflo os lacgucm jamis certos de que el I es silo os
sccplros reaes da Ierra.
( The Sun Weekly. )
aa
COESMEitCIO.
ALFAiNDEGA.
RENDIMIENTO DO DA 4........... 5:530,585
Deicarregam hoje, 5 dejanriro.
Uriguo Conceico-de-Maria lagedo.
Ilriguo Chanlicler bacalho.,
Escuna Frederica tahoas de pinho. .
Ilarca Jone-lirowne ferro.
Escuna lauramcrcaJorias.
Ilarca Kavarreidem.
nii'onTACAO'.
Cyuthia, liiiguo inglez, viudo de Torra-Nova, en-
trado no corroda mez, consignado a James Crabiree
& Coiniiaiibin, manifeslou 6 seguidlo :
2768 barricas com bacalho ; aos mesmos consig-
natarios.
Kavane, barca americana, vinda de l'hiladelphia,
entrad no corrcnlc mez, consignada a L. C. Eerrei-
rii & Conipanbia, manifestou oseguinte
1500. barricas farinba do trigo; 45o barriquinhas
bolacliinha, 55 caixas cha, 92 fardos Igoilflozinho
liso, toditos o 7 caixas dito cnlrancailo, 25 fardos
ditos riscados, 25 caixas ditos azues entraiicndos, 3
ditas ganga* amacollas, 44 ditas cadeiras, 3t cadei-
ras de bnaur,!); aos inesnios consignatario*;
CONSULADO.CERAL.
RKNDIMENTO DO DA 4.
luh!ca$3b a puiun.
Geral .
Diversas
roviucias.
3:393,950
1SO,072
3:574,022
NSULADO PROVINCIAL.
REMllMENTO DO DA .4.......... 2:354,823
m^lv<.iwr.N
Movimemo
- -
Navioi en
tino da Silva Iloa-Vista, i. G. dosReis, Manoel da de Andrsde, e em Olinda ra de Malhias Kcrreir
sobrado n 6, brox. 4,000 ris. Nestes mesmos lu-
garos pdem os Srs.. assignantps procurar os seus
exempiares, por cada um dos quaes s pagarflo
Silva MedcirosCarvalljOi. Brasileiros.
OfiervacJo.
Sabio, nadia3docorrente( s 8 horas da noite,
para os porlos do noria, o vapor brasilelro San-Se-
batlido, commandanlo 0 priineiro tenoitto Antonio
Xavier de Nronha ; passageiros, es mosmos que
trouxe dos porlos do sul.
RDITA L.
JoSo Xavier Carneiro da C'uuha, /dalgo cavalleiro da
casa-imperial, cavalleiro S ordem de Chriilo e ad-
minitlrador da meia do consulado detla provincia
poi'S. ti. o Imperador que Ueoe guarde, ttQ.
Faco saber que no dia 10 do corrento, a'o meio-dia,
se bao de arrematar porta da tnesma duas caixas
comassucarbrancodens. 1 e 2, do,engenho Serra-
dor, consignidus a Jaqim Eelix Machado, appre-
liendidas por falsificacSo das taras pulo guarda des-
la mesa Js Corrfia Leal, agente do trapicho da
Companlua ; sendo a acrcmatacflo livre do despezas
ao arrematante.
Mesado consulado de Per na m buco, 5 do Janeiro
do 1849.
O Administrador,
Joto Javier Carneiro da Cunha.
Deca rages.
Pela segunda seceflo do consulado provincial se
faz publico que os 30 das uteis para a cobranca,
bocea do cofre, da decima uabana no primoiro se-
mestre de 1848 a 1849seulimmnodial2docorren-
le, (indos os quaes ficam subjeilos a multa Jo 3 por
cento todos aquelles quo deixarcm de ter pago seus
dbitos.
CAPITANA 1)0 PORTO
Estando anda sem numerneflo a miior parte das
barcadas o candas do velas, pcrleiicentes a esla pro-
vincia, faz-se publico que nenhuma dcssss embar-
ca<;0es que Vierem ao porto desla cidade, podera a- ne tr8pche novo ou na rua d, Cadcia-Velha.-n. 17.
br delle sem que com antecedencia seja aprsenla- segundo andar,
da na praia do arcial, denominada Krn-de-1'oi las,
ara pr-se-lhe no costado ou na vela a numeragflo
que Ihe competir, Irabalho estoque ser feilo por
parlo dcsta capitana, nesse lugar, em todos os das
consecutivos da somana que nflo frcm impedidos,
desde s 8 horas da inanhfla al s 3 da tarde.
Capitana do poito do Poriia,mbuco, 4 de Janeiro
de 1849.
Rodrigo Theodoro de Fieiai,
Capitfo do porlo.
VICE-CONSULADO DE S. M CATIIOLICA EM
PRNAMBUCO.
O inlrascriplo, vice-consul de S M. a rainha de
Hespaulia em Pcrnambiico, previne aos subditos
hespanhes, ncsln residentes, ou que a esta cho-
Kuem, embora se nao demorom, que deverflo aquel-
los virem matricular-se, e estes aprcseiitarem seus
passaportes ou ttulos, sb pena do nflo torem a pro-
teoQflodestc vico-consulado; e islo quando j o nflo
hajam realisado.
Kuno Mara de Seixas,
Vice-consul.
vir.E-coNSuwno da confederac.Io argen-
TINA.EM PRNAMBUCO.
O infrascripto, vice-consul da confederado ar-
gentina nesla provincia, de novo previne ao com-
mercio desla prnca e aos cp*les dos navios de qual-
quer nagflo quo se dcslinareiii aos porlos daquella
confederiitjflo, que, em virtudo d'ordem de S. Exc. o
Sr, general, enviado extraordinario 'o ministro plc-
uipolcnciaiio da mrsma confedera^ito na corte do
Rio-do-Janeiro, e transmiltlda pelo conselado geral
no infrascripto, que ditos cnpitfles deverflo levar to-
dos os seus papis legalisados por este vicfc-consu-
lado, do modo por quo llies fr indiendo ; e que, ou-
i.o sim,ncnhumembarcacno lera entrada em qnal-
quer das nlfatodegas, quando se verifique baja loca-
do na praga do Monlovdo. salvo provado-so que
locara all pnra recoher pratico |ior meio dos seus
consignatarios, e que, inilependcule dos pralicos que
soaelwm a bordo das embarcacOes de guerra es-
trangeiras cm frente a Montevideo, aCha-so lambem
urna escuna compratiro abordo na altura da Pon-
la-do-lhdo, ffcujo prego he alias mais comn.o lo
3uc os oulros ; c que, finalmente, nflo ser admitli-
a no porlo da enscada cnibircacSo estrangeira do
menor lole que 120 toneladas.
O vice-consul argentino,
A'imo Maria de Seixas.
3,000 ris.
Avisos martimos.
------.--------------r-------------------_--------:-------
-- Vende-so o patacho nacional Anglica do lole
de 154 o meia toneladas, 'ecentemenle forrado de
cobro e p rom po de um tudo para seguir viagein :
(tratar na ruada Cruz,- n. 37, segundo andar, ou
com o capitfo. Manoel Antunes de OtivrVa, ou com
Luiz Jos do S Arsujo.
O brigiie-eseuua nacional Olinia segu para
Rio- le-Janeiro impteerivelmente rio dia!5 do cor-
renle : para o resto da carga esernvosa frete e pas-
sageiros irala-se com Machado & Piihciro na rua
da Cadeia n. 37.
Para a lialiia segu impretcrivcl-
mente, no dia ia Jo correnle, o hfalc
S.-Benedicto : para o rjjsto da carga,
(rata-se com D. G. de Maraes. Jnior, na
rua da Cadeia do Recite, armazem n (1.
-- Para o Porto segu viagem com muita brovi Ja-
do o bergantim porluguez San-Vanucl-I, capiui Jo-
s Francisco Carneiro : ainda recebe algum resto d
carga o passageiros : a tratar como mesmo capitn,
ou com scu consignatario, Manoel Joaquim Ramos
o Silva.
Frela-se a liarcaca CneeicSo-de-Haria, de Iota
de 30 caixas, bem esquipada e nova, para qualquer
porto'do norte ou sul, com preferencia para o da Pa-
rahiba, por menos um terco dos fretes do coalume :
quom pretender, pode entender-so con) o mestre i
bordo da niesma, ancorada no Forle-du-.Matlos, jun-
to inspecgfio.
Para o RiO-de-Janeiro sabe, no dia 6 do corren-
te o patacho Doui-lrmaot, recebe nicamente es-
cravos a frete e passageiros: trata-te na rua de Apol-
lo armazcm do assucar, n. 4, ou na rua do Trapi-
che-Novo, n. 6.
-- Para o Aracaly sane, o mais breve possivel, o
hiato Nuvo-Oliiida nieslre Antonio Jos Visnna :
quem quizer carregar,dirija-so ao mesmo nieslre,
Parao Rio-dc-Janeiro sabe, com a maior bre-
Vidade possivel, o briguo Atol*, por ler mais da
motado da carga engajada : para o resto passagei-
ros e escra vos a frete Irala-secom JofJo Francisco
da Cruz", na rua da Cruz, n. 3'.
-- Para Rabia segu com brevidadp, por ler parle
da carga prompla, o hiato San-Joo: para o resto a
passageiros, trata-sc com Francisco Al ves da Cunha,
na rua do Vigario. ..
Para o Rio-dc-Janoiro segu at o dia 10 docor-
rcnlo o brigue Assombro, por se adiar com o seo"
carregametilo de sal; recebo alguma carga muda
o passageiros, para o que lem bons commodos : os
prctendentes dirijam-se a rua da Cadeia do Recife,
n. 61, a Tallar com Joflo Jos Fernandes Magallifles.
Para Lisboa sabe com muila brvidade o bri-
gue porluguez Coneeicdo-de-Uatia, por ler grande
parle de sua carga prompla : quem no mesmo qui-
zer carregar ou ir de passagem, para oque offereca
excedentes commodos, ditija-se aos seus consignar
tarios, Thomaz de-Aquitio Fousvcs & Filho,'jis. rua
do Vigario, n. 19, ou ao capitSo na Praca-d-Com-
merclo.
Para Lisboa sabir, com a maior brevidado pos-
sivel, o bem conliecid o briguo porluguez '/Vu/o-
l'rimeiro, capilSo Manoel do Oliveira Faneco: lem
paite de sua carga engajada: para o resiente o pas-
sageiros para-o quoofferece asseiados commodos,
Irala-se com o capilao na praga ou coro o consig-
natario FirminoJ. F. da Rosa, na rua do Trapicho,
n. 44.
Para Lisboa sabe, com a n.aior brevidade pos-
sivel a barca portuguezu Tejo capitn Manoel dos
llcls, por ter paite do seu carregamento piompla:
quem quizor carregar, ou ir do passagem para o
quo lom exccllenlos,commodos, dirija-se aos seus
cnnshznatarios Oliveira Iriuins & Companhi, na
rua ifa Ciuz, n. 9,ou ao referido'capililo, na praga
do Commercio.
-Para Lisboa partir, com maior brevidade | os-
sivel .obiale porluguez Especulador, fabricado ro-
centeinente; lem parle de scu carrognmento promp-
la faltando-lhe cerca de 3,000 arrobas : quem nelle
quizer carregar a frete, diija-so ao consignalaiio,
Fu ruino J Y. da llosa na rua do Trapiche,!.. 44.
Avisos diversos.
Ao flUm. c .'mu. Sr. biigaileii j
los Joaquim Coc lio.
O tn, a imin'o, o mundo, a gloiia, a Cuna.
N'un eslado de guerra pavoroso,
Pernambueo infeliz jaz abvsmado
Contrista roragoes seo negro fado
I) scu aspecto outr'oia Iflj foruioso
Mas um pi Monarcha jusligoso
Pilo orbe brasileo Jdolalrado,
Cabo-Verdo; 15 dias, naUcbp inglez Cesarlo
tonelada*, cspte i'f.l.T Jt/clunU, equipa
io, de 173
.ii geni 10,
em lastro { a Le llrelou achramm Cf Compnifiia.
Em commissito do governo ; vapor de guerra Urania,
commandanle o capilflo-tenehto Jos Eduardo
Wandencolk.
Rio-de-Janeiro ; 20dias, briguo brasil'eiroStm-I'ar,
de 393 loneladfls. capilao.'l Miago Aguse, equipa-
geni 13, carga fumo o mais gneros ; a A mor m
I rmlos.
IVavfcs tahidoi no mesmo dia.
Rabia; -liintc hrasileirn BtralacHof capito Joaquim
Anlonio de Figueiredo, carga varios gneros. Pas-
sageiros, Joaquim Salvador Percha' Braga, Jos
Doiningiies, llmsileiros.J
Parahiba-; hiato brasilirq Espadarle, capilflo Jo-
s Pcreira, carga varios gneros. Passageiros, Jus-
COR|avlO.
O patacho Dous-lrmdos recebe a mala para o Rio-,
de-Jancir.o amanlifla, c do correnle, s 10 horas do
dia.
TUEiTUODE AI'OLLO.
Ifm'fo interwimlei.' repreunfjcao da companhia fran-
cesa tdb a direcco do Mr. Dupri.
M represenlngOes constarflo de dramas, cantigas;
operas dramticas c jocosas, pantomimas, dansas,
romanses o chansonclas.
As pessnas que quizerem cnliGrrpvi.p psrs dez r
presciilag0es,.1enham a liomlndedo diripir-sc casa
do director, rua da Senzlla-Velbj, n. 142
-*--------------
Publica^Ao literaria.
Sabio a luz o resumo da historia do Brasil
composto pelo professor publico S..11, de Albuquer-
que. Este resumo inlermediado pelas mais bellas
estancias do poema Caramur, e t'-rninado por
qualro in'leressanteS ndices chronologicos o por
urna es'.atislira dos hachareis formados em direilo,
oflercce.ao letor insli uegao o recreio o a commodi-
dadedo cnconlrar em un volumo inuto bem im-
presso e pqr mdico prego aquiilo quo s ^diaria.,
ciii varias obras o por mais dnheiro. Acha-se vn-lrente'atiiio, erercer as funcgOs iuherenlea a scu*
da na rua do Crespo toja n. 16 do Sr. Jos Azevedo I lugares.
Jos Snares do Azevedo, piofessor de lirrgoa
franceza no lyccu, lem aberto cm sua casa', rua lar-
ga do llozario n. 36, segundo andar, utri curso de
CEOGRAIHIA cHISTORIA c outro de RHETORICA a
POTICA. As pes^oas que desejarcm seguir urna ou
putra dcstas disciplinas, pdem dirigir-se b indica-
da residencia a qualquer hora.
A prof essora que mora na rua larga do Rezario>
no primeiro andar d sobrado da esquina dcfronlo
da igreja, avisa aos pas de suas eliminas quealue
asna aula no din olo do crrente, c que contina
a recebar pensionistas o moja pensionistas, cuj
ensino c Iratamcnto escgsado he mencionar, por j
ser bem conhecido.
O hachare! Joaquim Jos de Carvlbo Siqucira
Varejflo faz scieleque no fhoz seguinte do fevere-
ro pretende abrir urna aula de desenlio o pintura,
e nio.'iietln anrcspnlor Q. cano .u...ri..3 gptoi de de-
senlio no fin: do anno, c outro nnno de prtllura:
quem pretender seguir o curso, dirija-so a roa No-
va, n. 38, primeiro andar.
--Deseiicainiiliarain-so dous rolos Je fumo da
marca G os quaes foram entregues a um preto, no
annazoni do Sr. Joaquim Flix da Rosa na Madre-
de-Deos para levar a Fra-de-Portas venda da
liento Antonio Ooitinbo o qual roga a quem delles
souberde darpartona mesma venda que grat fl-
cai.
. A mesa regedora <(a Irmahdade tle N. S. da Ra-
Viagem faz scienlo nos iimaos da mesma, que, na
forma dos aitigos 14 e 15"do compromisso, se deveiu
reunir um mesa geral no consistorio da dita irman-
dade nos dias 7 o 14 doste mez ,'para a nomcagflo do
novo juiz e mais funecionarios que leem de, no cor*.
ILEGVEL I






*
Alugam-ae os altos da cisa ila ra da Cadeia n.
40, tendo todas as commodidades para urna casa
grande do commercio ou grande. fanr!-a '-"atar i
Praca-do-Commercio, n. 6.
~ Jos Mara de Figueiredb, professor particular
de primeiras leltras, participa aos pas do sous alum-
nos o ao rcspeitaveljptihcn, que a do correte a-
bro a sua aula,.admitlndo smcnle 40 alumnos, c re-
cehendo alguns internos: onsina tamben) por prin-
cipios as lingoas portugurza, franceza e latina
quem quizer applicar-so a arguroas doslas discipli-
nas, dirija-so ao beceo de Jos da Cosa, n. 2.
O abaixo assignado, coin aula de priineiras lol-
traa na Passagoin-da-Magdalena, visa aos pais do
seus alumnos o a quem convier, que continan) os
trabadlos de sua aula dol5do crrante em diante,
e sciculifica a todos que as niensalidados eorrerflo
certas pelo ajuste feito e que houver de fazer, aern
jumis baver descont algum por qualqucr falta de
Irequi-ncia dos alumnos mi do annuncianle, inclu-
sive as furias, salvse o alumno drizar do continuar,
precodendo psrcipacno do seu pai ou do quem suas
vezes llzor : e pproveita esta ocqasiflo para agrade-
cer a lodosos Srs. que teem filhos na sua aula o
comportameuto bizarro quo sempro liveram para
com o mesmo.
Franeht Maluquios Soarts Cieileira.
COMPANtlIA RIO-GRANDE.VSE DE REBOQUES DE
VAPOR.
o concedi lo ditecclio faz publico que o vapor
llio-Grantle, de fdrQa de cen cavados, acha-so j
prompto a empregar-so fio servico de reboques ,
qr nesle porto, qur na barra, o que o preijo por
oa ser :
Na parra, por entrada ou sihida.
I. Por embarcarlo de menos do com toneladas
brasileiras 100,000 rs.
II. Para aquellas quefrem de mais de com, 1,000
rs. por cada tonelada.
No porto.
D'osle ancomloro, do do canal da barca, ou do
noito para a barra, ou vice-versa :
III. Por embarcarlo de menos de cem toneladas
brasileiras 60,000 rs.
IV. Para as que frcm dessa lotacSo para, cima ,
800 rs. por cada tonelada.
V. As embarcaces quo frem rebocadas para To-
rada barca, ou vicc-versa porlMido d'esta ancora-
doro, do norte, ou canal da barca, pa garito 130,000
rs., sendo de cem toneladas para menos, o 1,300
rs. porcada tonelada sendo ombarcacffo de mais de
cen.
VI. Os navios, tanto de entrada como do sabida ,
que quizerem ser rebocados devem car os siguana
d'ugoa om quo estivrem o por cima Jestcs a bau-
deira da nacfloa quepertencerein,
Vil. O rscriploiio da companhia be na ra da
Paa, n 167.
Rio-GranJe, (8 do novemhro do 188.
Jote dos Santot Magano.
Daniel! James.
C l. Clausten.
Quem annunciou querer comprar urna marquo-
za sondo queira urna do amartillo Cm. inuito bom
uso dirija-se a travessa do Arscnal-de-Guorra ar-
iiiazem n. S : bem como se vendem 5 duzias de ca-
deirasdepalhinlin.
--Jos Nicacio da Silva tem aula particular de
grammatica latina em sua casa: as pessoas que a
quizerem frequentar, dicjam-se a ra do Hospicio,
Precisa-se alugar urd molequede 14 a 16 ali-
os para algum servico do casa e mandados o que
sr-j-i fiel: na ra larga do Rozado, n. 32.
--Os reiideiros los trapolics alfandegados e por-
tes do cmbarquodi ruado Apollo fazem seiento i
Quem competir quo est em vigora tabella da the-
souraria 'gcral, de 10 de fevereiro do I8t7 desdo o
principio do correte inez.
Apessoa oiiieujo poder se adiar um cavado
ruco grande, faca com urna lislra branca no bei-
co superior, cstradoiroal meio, sendo a estrada
uopassu, desrabado, o quaj fui tomado'no engo-
lillo llussupo pela tropa doMoracs o retomado pe-
la ror^as lgaos no eugenhu Mussupinlio para Con-
luzr bngagens, quoira annunciar onde so. levo
r ou dirigir-seso mesmo engenho Mussupe
rafura a cpncorrercm com o son contigente assig-
nando a dita obra o cooperando desla forma para o
adiaotamento le urna obra escripia dehaio do bcl-
zo sol do Brasil, o sob os auspicios dos (naia aball-
sados oscriptores brasileiros.
-Manoel MaximianoGiiodes embarca para o Rio-
Crande-do-Sul, com escala pelo Rio-do-Janei.ro, o
osera vo erioulo donme llartinbo.
~ O abaixo assignado abre a sua aula de latim c
fitncez no dia 8 do corrente, o do primeiras letras
no dia 15 : contina a reechor pensionistas na rua
do Queimado, n. 37. Padre Jo^o Jo s da Cotia .Ri-
beiro.
Jo.lo Gostou, abridor de firmas e chapas recen-
temeute chegado a esta provincia, offereco o scu
S res timo ao respedavel publico, na rua da Cadeia
o S.-Antonio, n. 26, aonde faz qualqucr obra per-
loncenle a seu offlcib, com o maior gosto e brevida
de pos8iveI.
Oucm precisar de urna ama que cose, engom-
h)a e faz todo o milis sondeo., para rasa to um ho-
mem soltniro, dirija-so a rua to Hortas, n. 74. .
Existe na rua do Nogireira, n. 3, urna cenbora
que corla e cose capotes de carregacSo por coni-
do precje com gratulo desemharaco.
Na rua Nova, n. 18, precisa-se ta urna mulher
Torra queseja boa cozinheira.
Existe na rua (Ja Senzalla-Nova, n. 40, primoi-
ro andar, urna carta para o.Sr. Gustavo 'Jane i o de
Paula.
Precisa-se de urna ama deleito, que soja escra-
va : na rua las Cruzes, n. 18, primoiro andar.jM^
-- Joaquim Facundo do (lastro Silva segu viagem
para o Rio-de-Janeiro.
Aluga-sea casa da esquina da rua do Caldei-
reiro para o porto de.ombarquo com arinaeao pa-
ra venda e comniodos para morar familia : na pra-
ca da Independencia livrarla ns 6 o 8.
- Precisa-so de urna possoa habilitada para ensi-
narportuguez latim o francez distante da praca
50 legdas : a tratar com o professor d primeiras lot-
tras em Jaboalflo.
Precisa-se alugar urna escrava para o servico
de casa : na rua larga do Itoza'rio n. 48, primoiro
andar.
Quom precisar de urna ama para casa ostrangei-
ra ou de outra qualqucr dirija-se a Fra-de-Por
tas, largo 1(5 Pilar, n. 17.
' Fr, JoSo Capistra'no de Mondonga tem aborto
no convento" de S.-An.onio desla cidade um curso
le philosophia e oulro de gnographia : as pessoas
que o quizerem frequentar, po le rilo dirigirse ao
mencionarlo convenio a qualqucr hora.
. Precisa-se de umescravo que calenda do ser-
vico de campo assim como dlio-so tenas om um
sitio bastanto grande, para 6 ou 8 pessoas que quei-
ramfazersuas cnsiuhas para mora rom ," cojo sitio
tem madeira para se ilificar a Casa o capim para a
coberta com a coudigilode botar sentido ao mes-
mo sitio por ser muilo grande a querendo iraba-
Ihar sedar trabadlo todo o atino, e so pagar o
que for justo: quem pretender, dirija-se a rua do
Cabug, loja de relojoeirn, ti 3
Jos L. Paredes embarca pora o Rio-de-Janciro a
escrava de nornc Beatriz.
Quem precisar do um feitor portugus para um
sitio ou outra qualqucr occupacSo, dirija-se a la
Dircita, n. 2.
" Jos Valentn) da Silva, bom conhecido por en-
sinarha 13 annos, avisa a quem convir quo abro a
sua aula dejutim a 8 do corrente, na rua da Alegra,
n. 3S.
'" Procisa-se do dous caixeiros para venda, os
quaesilom fiadores as suas conductas, sendo um,
brasileiro e oulro europeo, o que tenham do ida le
de 12 a 16 annos : na rua do Queimado n. 33, segun-
do andar.
Joaquim Soares Uaiboza faz scientc ao publico,
que, desde o dia |J de Janeiro, deixou de ser cai vi-
ro doSr. Manoel Ferrcira Ramos.
Oabaixo assignado com pajara no Aterro-da-
l!oa-Vi$ln, n. CC, leudo tic retirar-so para a Europa
no pritneiro navio que para ahi parta, o qual eleve
de ser por todo este inez, avisa a quem tem peiilio-
res em seu poder, que os v resgatar da data dcs^n
a qiiin/.e (lias, do contrari passa a ven.ie-los para
sou pagamento.
.,4, Mano ti l'crrelra dos Sanloi.
nidos para no pagarem-na seno a' pesoa a quem
ella pertence. Quom a livor adiado a a qni/er resti-
tuir leve-a a fabrica de fundico Jos Srs. Mosquita &
Du.lra, na.rua do Brnm.
Joaquim Jos da Costa c Silva laz seienle ao col-
leclor das agoas-rardenles que doixou do vendpr dito
genero na sua vonda no Aleiro-da-Uoa-VistiI, n. 8,
lesde o dia primeiro do corrente..
Antonio Jos da Costa e Silva faz seiento aocol-
leetor tas agoas-ardantes ru dci.xou de vender dito
genero lia sua vendado Aterro-da-Boa-Vista n. 2,
"desde > dia primoiro do crranle.
-- Offarece-se um htimetn do campo para feitor de
sitio, o qual sabe todo que secosluma pralicarnes-
ses predios : quem losen presumo se quizer ulili-
aar, dirija-se ao Manguinhu sitio do-Sr. Jus Gao-
lano do Medciros q.ie dir quem "lio o prelendento.
Na ruadas Ginco-Ponlas, n. 112, existen) dous
pequenos brasileiros bastantes aptos para clxei-
ro le qualqucr casa derommcrcin : quem os preci-
sar annuncic, ou dirija-so a mencionada casa.
AULA DE PRIMEIRAS LETTRAS.
O abaixo assignado, tendo determinado lar prin-
cipio aos trabadlos le sua aula de primeiras leltras
e grainniiitici porlugueza no dia 8 do crrente, avi-
sa aos pais de seus alumnos, e em particular aos
Srs. pais de familia quo quizerem matricular os
seusjilhos, que o podorflo procurar na casa de sua ro-
Sidrncuniaiua Velha, n.32. Tambeinsa uusina n>e-
inas a ler o a todas asqualidades do costuras por
urna ir.ensalidade mais couunoda do que em oulra
qual'iuer.parle. I'in Ferreira da Cruz.
IIf)!cl;Cominercio.
Rua da Cadeia de S.-Antonio, n. 13.
Do dia 3 do corrente em liento principiar a ha-
ver sorvetcs, lodosos lias das C horas da tarde s 10
da iioite ,.tendo ejttalro salas decentemente mobilia-
das, sendo duas para hninens e duas para senhoras
-- O Sr. Jollo da Silva Braga queira ler a hondade
de ir a rua do Crespo n 9, que so dio desoja fil-
iar.
Contina no mesmo gyro o botr
quii da Lspcranon na casa n. i2t da rua
da Senzalla-Vellia, confronte a lijves.sa
do Campcllo, nobairro do Hccife,noqual
ncliarao os freguezcsconii lase bebidas de
diversas qualidades, assim como apromp-
lam-se pura fra quaesf|iier comidas de
(odas as qualidades, com o maior asseio e
perfeico : ludo por preco commodo.
Jos Maiia de Soliza, morador no engonlto.Li-
moeirn, na frc};uczadc N. S, da Escada, declara s
autoridades policiues e a quom mais inloressar pos-
sa esto annuncio que, tendo em compaiihia de sua
familia trnzido laqucllo engenho uma cabrinha for-
ra do nomo Cordnlina filha de Alexrand de tal,
daquella mesma freguezia, na qualidado do criada,
por assentinionlo aVscu pni.fm consequencia do ser
do menor idade, acontece quo a dila cabrinha no
a Manoel Germano do -^buquerqueMollo, que grali-
-Precisa-se de urna ama capaz para-lodo o servi-
co de uma casa du muilo pouea familia : no pateo de
S.-Pedro, n. 22.
Aluga-ao, na rua de Hurtas, uma melado lo
casa sendo pessoa capaz : quema pretender diri-
I ja-se a mesma rua entrando pelo pateo do Carmo,
| 11.116.
O abaixo assignado tem a honra do participar!
aos Srs propneiariosdosengenbos de fabricar as-
suca r, e mesmo as pessoas que o rocebem nesta pra-
5a, queo anniincianlcso aclis do novo esthelrci-
docotn ariuazein na rua do Apollo, n. 24, om gran-
das dopqsitos e lodos os nmis proparos precisos,
coni bom embarquo para poJr receber, lauto pelo
lado de Ierra como pela maro pequea todos os as-
i sucares quo seus donos, ou quem os representar qui-
zerem guardar para se tmbarricar ou ensacrar
como niolborlheaconvier para a exportacSo afim
| le ppdcrem vender com maior vaniagem, e niln
osacriicaicm quando chega ao mercado por nflo
baver ondeo doposilom, e isto por uma mdica
coinmissilo i^ue se convencioua a vista no mesno ar-
mazem onde se adiar presente lodosos das e a qual-
qucr hora o mesmo abaixo assignado bem cotihe-
|cido, nflo is como por ler negociado do 1832 at
loHcom assucr mas como agente das cobrancaa
| da atlmjnistrat;ilo dtfxlinela compatiliia do leruam-
buco e Parahiba onde tem merecido a cottfi
dos Srs administradores da mesma.
Jote Antonio de Souza Machado.
X) escrivSo da irmindadc
Scnbora da Conceic&o da Concrf
Kien
*jS"- assignanUs pJem inatidat* buscar os ns.
19,20 e 21 a.coniplelu du segundo someslre o do
segundo volumu dsta puhlicacflo, na rua da Cadeia
do Recifc, loja do livros do Cadozo Ayiea, e na rua
dolrapiclio, n 3i,escriptoiio de Nuvaos S Compa-
irhia oudeaeliarl.ua venda o primeiru e segundo
volumes, a 10,000 rs. rada un, paraos que nlof-
icni assignantes, continuando a aasignalura leste
auno em vantca 6,000 rs. porseuiesire o 12;000 rs
I or anuo como na corle.
Ente peridico, col laborado por muitos homonsde
b liras e rodigido pelo illuslro poeta porluguez.dou-
lorJos Feliciano de L'aslilbd Brrelo o Noronlia,
desea'prnliou calliegoricanienlo nos dous primoiros
voluiurs o lim para quo foi creado e lio de presu-
iiiii qiiocunliiiio da mesma forma, seuipre a me-
J: Orar; por isso sfiocbnvidados os amantes da littc-
i!c Nosa
Scnhora da Conceicaoda Congrfgacao faz
scicnte-aos raos da mesma que se de-
vem de reunir em mesa getal, no consis-
torio da dita igreja, no domingo, 7 do
Corrente, pelas 9 horas da manba, oln>
de se proceder elcicao da nova,mesa ;
na certeza deque, sendo 10horas, sepro-
reder eleicno coni os irmaos que pre-
sentes se achnrem.
O abaixo assignado faz seienle ao respcitavel
puldicoqund ixou de ser calxciroilo Sr. Jo.lo l.citc
deAzevedo desde odia primeiro do correle Janei-
ro: bem como agradece ao mesmo Sr. o bom trata-
metilo que lho deu, Jos Francisco doi Santos
1 Silro.
.Na rua da Cruz, n. 2H precisa-se alugar men-
salmenle um preio para o servido lo casa.
Pecisa-8e alugar um prcto paa entregar pilo
na rua cm companhia de um caixeiro daudo-sc-
Hic o suslcnlo e bou paga sondo possante e sadio :
na rua larga do Rozario, pallarla 11,48.
' -- Precisa-se, confulgencia de uma escrava de
boa conducta que cosa 6 engomme bem para uma
casa distincla ; paga-so bem : na lUa de Aguas-Ver-
des, 11 46.
Precisa-so do um caixeiro de 12 a 14 annos, quo
j lenlia algutna ortica da venda : na rua de Hurlas,
I). 3?.
Precisa-so de 12 trabaibadores forros, ou cap-
tivos, para un) irabaino dentro da ridailo quo pe-
der durar dous mezes pagUndo-se-llics bom sala-
rio : quem su quizer contratar, dirija-se venda da
esquina do caes do Ramos.
Augusto'cneira Pinto < Irn-ito, com Joja ile
miudezas na ma da Cadeia.l Itecifa n. 19, fizem
seienle so rcspeilavel publico quo teem mudadoa
sua firma commcrcial inta a de Piulo St Irmo.
Perdeu-se, ou furlaram da algibcira de una
sobre-casaca lionlcm a noile, junto ao arco do
Bom-Jesus, uina pequea cartoira que, altn de
alguinas cdulas miudas linha uma Icllra do (iilsy
rs. aceita pelo Sr. Manoel CaruoiroLcal, a favor dos
"Sis. Mcsquilu & Dntra e por estes cudossada uo
verso : foi sacada em 30 de dezembto ultimo a cin-
co tutuca. I'revtne-ae ao respoitavel publico que niu-
'guem faca negocio com a referida Icllra pois que
tanto o tcoJtaoto como os saladores ja esiu prove-
da 3.1 do deZetnbro ullimo fugio da casa do sogro
do annuncinnlo as Cinco-Ponas, n. 62, ondeo
hiesmo acha-seabo!e.lailo levando coinsigo uHos
toda a sua roupa como mais cutas da familia do
annuncianto. da serias presumpcOos do quo ella foca
seduzida : mintanlo o annuncianto pelo presente
protesta contra qualquer pessoa que a lenha onl scu
poder, se imniedialanienlea nito vicr entregar, e
da nicsina soiloptolcsta pelo roitbo feito pela dita
cabrinha : uassini roga asaiiloridsdes policiaes to-
da pcsiiuiza, a-bem do a captura-la, tanto mais por-
que a dita cabrinha com facilidade pode ser vendi-
da como escrava por aIguma pessoa m alienta a
sita cor, o anda irais a sua pouca idade o inexpe-
riencia. Seus signaes silo : alia, socea >',n corpo, ros-
to redondo ar alegre cabello carapinhado romo
le preto ; representa do 12 a 15 annos. O annun-
cianto faz etn lempo a presente .'Chiracrio para de
si a Ha si a r qualqucr futura responsabtlidade.
Perdou-no urna potcilo lo vales do charutos,
rapo ede senienle, a lubrica do Francisco Jos da
Gusta Catupidlo, nssignadus por diversas pessoas :
riis-sn aos assiguaUrios do os pagareni smente ao
fabricanle, ou asen filho Vicente l.icinio da Costa
U:atnpello) pois breve !so dar urna Dota dos cxira-
Vl'odoS.
Prrcisa-so le una mulher parda ou prela pata o
Mvico de 1111111 casa ile pouca familia: na rita de
Agoas-Verdes, n. 90.
^CHAPEO>i DESOR
Rua do P'asseio, n. 5.
O fabricantedeste estahelcciniento adverte ao res-
pcitavel publico desla cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sirrtiment de chapos de sol,
assim como chapeos tle sol de seda furia-cures, los
mais ricos que teem apparecido neslo mercado, e de
cdrcs.conhecidas ; ditos para senhoras de bom tom,
adamascados, lavrados, con auas competentes fran-
jas tle retroz, tuduquetem do n ais moderno o do
melhor gosto ; um completo sortimenlo de chapos
de sol de panninbo de todas as cores o do lodos os
tamaitos, para honicns, senhoras o meninos: ha
tamben) igual sortimenlo do faicndas para cobrir ar-
nmcOes, lardo do sedas de cores, como do panninhos
trancados e lisos imitando seda. Adverle-so que os
fri'gue7es .s'errio servidos conilircvidatle, c se achs-
rfio satisfoitos da boaqHalidade, do bom gosto edo
bom areco.
rnteri.i do Iheatro publico.
O Ihesoureiro desla lotera, impossihilitado anda
de poder marcar o dia para o andamento das respec-
tivas rodas, por isso quo a ven la dos hilhetes tem
sido fraca, osom nenhum adiantamcnlo, julgode-
ver declarar ao respoitavel publico, quo, logo que a
mesma venda se adianto mais alguma cousa, ser
enlflu designado o dia definitivo para o andamento
las rolas ; o para quo isto se verifique com brevi-
tldc roga aos amadores dcstejogo, queso aproasen)
a comprar os hilhetes que oxislem em ser.
AlciTo-da-lloa-Vislii, n. lfi,
I'ommatean ciifilciro e
afmciro.
Acaba-sede receber, pelo ultimo navio chegailo da
Frama, um sortimenlo do otilara fina, bom co-
mo : tesouras grandes para alfaiate ; ditas para cos-
tura do sen hora molde rico c do ullimo goslo ;
lilas de jarditn para cortar flores ; ferros de varios
moldes para o asseio tas unhas ; caivetes de mo-
la ; ditos para aparar penuas ; es tojos do viagem pa-
ra lioincni; espingardas; brides; cabezadas; chi-
cotes pata carros; fundas; navalbas para barba,
etc : ludo de superior <|iialidade.
Iiesappareccu, no dia 4 do crrante da casa
ile Bothe &i Bidoulac tu.i do Vigario 11. 4, um ca-
chn inho de rai;a iugleza coni os signaes seguid-
les : pequeo, todo pelo, o orelhas grandes: quem
o achare levar a casa cima, sera bem recompen-
sado.
Compras.
Compra-seo livro Flor-Sanlorum, em bom uso:
na ruada Gloria, n. 87, segundo ailar, ou an-
nuncio.
Compra-so tima marqueza do ronduri.oii ama-
red"; anda que seja nsada, comanlo lito a palhinha
csteja 0111 bom estarlo : annuncie.

Vendas.
m
Uepositu de rap andarahy
c impciia!.
Na rua da Cruz, n. 63, primeiro andar, ccriplo-
rio de Jos de Almeida Brrelo Bastos, vende-so o
bem acreditado rap andarahy e imperial, fabricado
no Bio-dc-Janciro, sendo o nico deposito nesta
provincia ; assim como sempre so achata no mesmo
deposito oinclhor cha nacional brasileiro, cm cai-
xinhas tle 5, S c 16 libras, por proejo commodo. ()
rap vende-sea retadlo as seguinles casas : rua ta
Cruz, n. 62; ruada Cadeia do l.ecife, 11. 17.; rua do
FJncaiilamento, n. 4; rua do Vigario,'n 14; rua da
Cacimba, 11. 2; uta do Cordn 1/, II. 11 ; rua to Col-
legiil, n. 9 ; piara da Independencia, ns. 4 e 39; rua
do Queimado, ns. 10, 16 e 31; rua do l.ivramento,
ns. 4, 5 e 38 ; rua da Penha, venda da esquina, por
baixo do coronel Joaquim Bernardo de Figuclredo ;
rua liireita, ns 6, 16, 33e14i ; rua das Chico-Pun-
tas, 11. 50 ; palco do Carino. 11. 2; rua larga do Boza-
rio, iis. 29 e 33; >ua do Cabug, n. 7 ; rua Nova, 11.
50; Alciro-da-lia-Visla, ns. 2, 46 e 56.
Sementes de flores as mais bel*
mu il mi 111 opa.
He cJiegndo rua I iiga do Hoza rio, n.
a4i o mais bello sortimenlo do semcnlcs
de llores das bellas damos, como sejain :
cravosc davinas, rainuculos de diversas
cores, horbolclbsdc Hollando, goivts de
cores siugelos c dubrados, Jacintas, topes
de i'ainasjunfjiiiihos, seciasdobradas,as-
sim como a vertladeira sement de rve-
llor. Us amadores dt naltireza eucoaira-
r o ah com que, em pouco lempo, ps-
80m (ornar a admiracao da Luropa no
iil'ilil.
roBiu:.
Vende-so cobre para forro e caldeirei-
ro : na roa da Cruz do Hccife, n. 17.
Vetidem-se4 bonitas escravas, sendo las per-
fcitas engnmmaileiras, cdzinheiras e costitrcras,
muilo mocas e sem vicios ; duas ditas boas para to-
lo o servico ; 6 bonitos moleqiios de 12 a 20 annos ,
som vicios netn molestias; nm mulitinho dn I i an-
uos ptimo para pagem ; 3 prelos lions para todo
o sorvico sondo um driles bom carreiro ; um dito
de mcia idade bom pescador e canoeiro por pre-
co commodo ; na rua do Vigario. 11. 21.
Vendcm-se siccas com arroz de va-
por, de superior qualidatle, a -j.saoo rs. a
arroba, editas do mais ordinario, a 1 s'600
rs. : no armazn) do fallecido Uragncz.
-- Acaba ((fulicgar pela barca franceza Juleimui-
Ltosuperior viriTio do 'Bordcaux, tanto em qtiarlnlas,
como engarrafado, cm caltas le I duzia, assim como
lamben) sardinlias cm latas de 1/4 e 1 2, azeite do-
ce o m caxas de urna duzia de garrafas, escollante
vinho de Borgniiha em cestas do 1 duzia, ago'ardento
de Franca. Ghampanha en garrafas, o moias ditas la
vcrdatleira marea Cometa; o que linio se vende por
picaos rasoavois, em caza do Frederico llobillnird,
rua do Trapiche-Novo, n. 18. /
' Venden) se 13 pias de filliar agoa,
lodas jimias on a rclnlho : na serrara do
Cardeal, l'raia de Sinla-Hila, n. i5.
Ven;.'cm-se rolos de fumo avaria-'
dos por barato preco : na rua da Cadeia,
artnazem de lijlos, a. 1^.
Vende-so a venda da rua de S.-Thereza n. 60 ,
bem afreguezada para a Ierra o com poneos fut los:
vcinlo-so por seu dono su retirar para fra : a tratar
na mcsiiia venda.
Sorvftc na rua da Aurora.
Domingo, 7 do corrente, las7 horas da noito em
diente, se dar principio ao sorvete, por preco
commodo
Vcndcm-sc cadeiras de Jacaranda tle difieren tes
modelos, por preco couiinodo, chogadas ultimamen-
le do Porto : quem precisar, pode dirigir-so 10 capi-
lilo ta barca llella-l'ernambucana, na Prat;a-do-Com-
mcrcio, n. 6.
jir Riiias.
- Vendem-se latas lo excellonlos sardinhas vin-
das do Lisboa, melhorcs do que as de Maules : na
rua da Cadeia do Becife, loja de erragons, n. 56.
. Sorvelc.
No buliquin junto as iheatro, llavera sor-
veles todos os lias, com milito asseio o bom
l'eiio das 5 lloras o meia da lardo em
dianlc.
V.endcm-so superit-res lonas americanas, de '
lodosos nmeros ; chapeos do Ghili, unos edo cor
muilo Iva, como Wtm vindo poueos ; potassa nova,
superior, por picc.0 muilo eo.nmodo : na l'i aea-do-
Conimeiciu, 11. a tratar com Manoel Ignacio do
Olivcira.
Contrata-sea venda do 200 a 300 barra to ex-
cedente niel do furo novo : quem os pretender d-
tija-sc a pra^-a do Couiinerciu, n. 2, primoiro uudar.
aaaaaktal


*
Jt
*5=a
Vendc-se na ra da Cadeia do tecife loja de! ment grandq socUmento de ferragons inglezas para
Joloch Cunta Magalh3es,o rimeiro volume dosSe-lcngenhos de assucar cotrosejam : taixas do ferro
te l'c(cados Moraos, por Eugenio Sue traduzido ( coado de differonte modelo, os mais modernos);
fin poituguez por 1,600 rs.; o Mendigo negro de; ditas de ferro batido ; moendas de ferro do modc-
l'aulo Foval, traduzido cm portuguez por A. llego,. lo adoptado para armar cm madeira ; ditas todas
1 v., ; or 1,000 rs .; as poesas de Jo.lo de Lemos Sei-! de ferro, tanto para agoa como para animaos ; ma-
sas Castello-Rranco ; Amor e Melancola, por Cas-, chinas de vapor do Torga do quatro cavallos o de al-
lilho ; o primeiro, segundo o leiceiro volumes da; ta presso o mais moderno asimples que ho possi-
Lizia Potica, vel ; repartideras; espumadeiras ; resfriadeiras de
Vcndc-se, na ra do Trapiche, n.44, um prc-: forro estanhado; formas de ferro: ludo por pfeco
tocrioulo, bom vaqueiro, c que entendo perfoita- commodo.
incnlc de agricultura ; 2 pretas urna de 16 annos ,
o a oulra do 24 a 25 ; do todos estes escravos so
iianea a conducta e perfeito estado de sade.
Calcado para homem.
Vendem-se sapaloes de lustro muito boa fazen-
da ; ditos de duraque com ponteira do lustro, cha-
yados ltimamente, por prego mais barato do que
i'di outra qualqucr parte : na ra Nova
de Domingos Antonio do Oliveira.
n. 30. loja
A #H0 rs.o par.
Vendem-scsn patos de cordoviio para senhora
qualro patacas o par : na ra Nova, n. 30, loja
Domingos Antonio do Oliveira.
--Veudem-sc 4 escravos rara todo o servico ; 2
pardo* mocos, sendo um dclles meslre de assucar ;
' negrinhas do nagfio, do 1< annos : 8 escravos do
lioiiilas (guras : la iu Direita, 3
Vende-so na ra do Crespo, loja do miudezas,
n. II, linha emeaixinhasde oito nvelos sortida a
80 rs a caixinha ; frascos do vemiz para lustro de
lo.la a quididad Uo couro e para correiaine, a 320
is. cada frasco.
Vendc-se a venda da travrssa dos Romcdios,
na Passagem-da-Magdalena com poneos fundos o
quo he muito afreguezada: a tratar na mesma
venda.
Na ra da Cruz, aamazem u. 26, vendem-se os
seguinlcs objortos para liquidag&odo conlas: sola ,
couros miudos, chapos de palha esleirs cera de
carnauba saccascom farinha, e oulros ohjeclos.
Vendem-se taimas america-
lias at 5 palmos de largura
e dclodososcomprimontos.quc ha muito lempo nSo
t, oin viudo o os fregtiezes experimentando a falta
lela cxcelle.nle qualidade. A ellas que sito poucas e
n prego lie barato. Atrs do thenlro, armazcm jun-
io a maro, de Joaquim Lopes de Almeida.
l nacional de S.-Paulo.
Vende-so o muito superior cha de S.-Paulo om
caixas de 1, 2, 6 o 13 libras : na ra da Cadeiu do
liocilo loja de JoSo da Cunta ftlagalhiles.
Vendc-se ca! virgem de Lisboa,
chegada no ultima
Vendem-se accoes da ex-
tincta companhiade Pernambuco
e Parahiba:.no escriptorio de O-
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vendem-se presuntos para fiambre; quoijos
londrinos ; ditos de pralo ; latas com bolactiinha
fina de Lisboa ; ditas de araruta ; conservas novas ;
mostarda ; potes com sal fino ; latas com inarmcla-
da nova ; ditas com hervidlas; caixinhas com mas-
sas linas ; vinho moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licores linos ;e oulros mais genoros, p.ir prego com-
modo : na ra da Cruz, no Itecife, n. 46.
____ : > wta .,,. nn>. r.l.ra O Cdo 1,120 .caada ea 160 r. a garrafa ; lam-
para cima, e a meia i.ataca por libra. u|J,emll8,enM,ipls que se vender maicm conta : h.
deposilo" So estar aborto as II horas e estoo melhor de todos os vinhos que se teem an-
da
navio, cm barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
qucr parte: ua ra do Trapiche, arma-
zcm n I7.
Vcndcm-se barris pequeos com cal virgem de Lia-
boa, a luall nova <|ue ha do mercado, por prefo co-m
modo : na ra da Meada armazem n. 17.
I'olassa.
Dcsembarcou ha poucos das urna por*
cao de barris pequeos, com muito nova
c superior potassa, c se acbam venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se vendia, na ra da Cndeia-Vclha,
armazem de Bailar & Ulivcira, n. 11.
Vinho barato.
Acha-sc cslabelccido na ra da Madre-dc-Dcos ,
n. 3G um armazn de
Violtos da Figueira,
de ptima qualidade, a prego de 1,260 rs. a caada,
c a 160 rs a garrafa ; e para no havor dolo d com-
prador serflo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebondo-se a garrafa vasia, e dando-se inmediata-
mente a outra cheia : tambem ha barris muilo pe-
queos proprios para quem passa a fesla. O pro-
\ riclario deste eslabclecimento pede encarecida-
mente que se nao illudam avahando, pelo diminuto
pceo e svm couliccimento de causa a qualidade de
sua fazenda digna por corto da estima dos verda-
ileiros amantes ila boa pinga. Kilo conta que quem
nina vez provar, continuar com gosto e sem arre-
pendimonto. K o bom preco !! .' A todo o exposto
crresee o asscio o bom acondicionamcnto o que
' ludo se poder vcricar em dito estabelccimcnto.
Farelo,
om barricas a 4/00 rs.; sacias grandes a 3,50o
rs., ditas pequeas 11 2,800 rs : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na ra do Amorim, n. 3.
Cal de Lisboa.
Vendo-ge muito nova e superior ca
virgem ik-.pcdra, desembarcada lia pou-
cos dias, e em liarris pequeos de iiualro
arrobas e meia: na ra da Cadeia-Yellia,
armazem n. 11.
Vcnde-sc na ra da Cadeh do
lecie, n. 3j, cera em velas, fabri-
cadas no l das melbores fabricas, c cm caixas
pequeas, muitabem sorlidas, por
se/ de 3 al 16 em libra; c tam-
ben) lia velas de urna e de meia libra,
brandes, por preco mai barato do
l/jue cm oulra qualqucr paite.
PafA
f
a
I
No deposito de Me. Cal moni & Companlila, na
ruado Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-
RUADCKESl'O, N.5.
I\ov s rscados indianna, a
280 rs. o covado.
Na ioja do Cuimariles & Companhia vendem-so
osnovos riscados indianos, do qualro palmos de
largura cresfixaso padrOes muilo mo'dcrnos pelo
barato preco de 280 rs. o covado.
FAHELO
emsaccas muito grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Rraguez ao p do arco da ConceiQio.
Na ra do Crespo loja de portas n. 12, ven-
dem-sc chapeos do castor prctos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Vende-se una porca de raga bahe, muifo gor-
da c bonita : ua ra da Florentina, n. 16.
Vende-se urna poreflo do casaos de pombos mui-
to bous batedores grandes e de boa raca, por pre-
go muilo commodo : na ruada Florentina, 11. 16.
I.onas inglezas.
Vendem-se peas de lona ingleza, de
boa qualidade, e por preco mais barato
do que era outra qualquer parte; na ra
da Cadeia. do Upcife, armazem n. la.
F0LIII1AS PARA 1849. ,
FOLIIINIIA DE PORTA,a 160rs.
Dita do ALGIBEIRA, contendo, alm do (calenda-
rio, urna colleceio de segredos e remedios para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a quo se reuni o ALMANAK administrativo,
mercantile industrial da provincia : este almanak es-
t accrescentado com todos os estabelecimentos d
porta aberta, a 320 rs.
Vcndem-so na praca da Independencia, livraria
ns. 6 o 8 ; no Alerro-da-Ba-Vista, bolica do Senhor
Moreira ; o em Olinda, botica do Senhor Rapozo, ra
do Amparo. ,
Vendem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra da Sanzalla-
Velia, n. i38.
Vende-se a verdadeira potassa da
Hussia, desembarcada bonlem, por pre-
co muilo rasoavcl, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
ii. i 7, e ra da Cadeia, n. '.'>].
CHA' BRASII.KIRO.
Vende-se, no armazem de molhados atrs do
Corpo-Sanlo, n. 6C, o mais oxcelleuto ch prbduzi-
do em S.-Paulo, que tem viudo a esto mercado ,
por priud muilo commodo.
Sapa tos para Senhoras.
Na prai;a do Corno-Santo, n. 6, se diz quem lem
para vender snalos de Senhora, do couro de lustro,
courinlio do duraque, o alguma obra de homem
poucas, por grosso o mcudo chegailo 8 dias; obra
superior em qualidade, e ultima moda.
Vendc-se a verdadeira e muilo superior fari-
nha SSSF, a retalho e cm poreflo ; dita do oulros au-
tores : na ra do Vigario, armazem do Francisco Al-
ves da Cunta, n. II.
A'cndem-sc barriquinhss rom cal virgem do
Lisboa, muilo nova; IVcliaduras para podas de
armazem; relrozdo Porto; larris com alcaliflo da
Suecia ; |>ilulas da familia ; ancorlas com azeito-
nas, por preco commodo :ua ra do Vigario, n. II,
armazem de Francisco Alvesda Cuuha.
Vcnte-soalgodilo da ierra do superior qualida-
de : na ra do Qucimado, n. 20.
Vende-so vinho do Corlo, muito superior, c
de oulras qualidades cm barris de quarto, quinto,
scilo, stimo, oilavo eein piys, por prego muito
commodo: na ra do Vigario, armazem do Fran-
cisco Al ves da Cunta, n. II.
No armazem de Joaquim da Silva
Lopes vendem-se saccas com caf de es-
culla de primeira qualidade, a 1,700 rs.
a i-toba ; I.a nicas com bacallio de esca-
ma., a 9,000 rs ; ditas com trelos a
4,ooo rs.
' Ven !e-se gelo, na ra da Scnzulla-
Velha n. 113, a 4,000 rs. de urna arroba
meia da.manh5ae depois das a horas
larde.
Na padaria da ra da Guia, no Relfe havor*
lodos os dias a venda o novo pilo de Provenga fa-
bricado por outro mo lo que o actual e da melhor
farinha que h no mercado : por este motivo nao se
pode fazer senflo a 40, 80 e 160 rs.
Contina-se a vender, na ra da
Cruz, n. 60, caixas com cera de Lisboa,'
sortimento vontade do comprador.
Illadcira de pmho.
Vende-ae a melhor madeira de pinho que tora
vindo a esto mercado : na ra da Madrc-de-Deo ,
armazem de Vicento Ferreira da Costa.
rVtgodo trancado da fabrica
de Todos-os-Saiitos da
llahia ,
muito proprio para saccosde assucar e roupa de es-
cravos : vende-se om casa de N. O. Riober & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Agencia da fundicao
Low-Moor, ra da Senzalla*
nova, n. 42.
Neste estabelccimcnto contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, para dito.
Vende-se um lindo inolecte, de
17 a 18 annos de idade, que sabe cozi-
11 liat-.- na ra da Cadeia do Rccife, n. 37.
A 1,800 rs. a peca de JO
jardas.
Na loja do Gaimarfles j Companhia ra do Cres-
po n. 5, vendem-so pegas de algodflozinho do boa
qualidade .com um pequeo toque de avaria,
pelo barato prego de 1,800 rs. a pega de 20 jardas.
Tahoado de pinho da Suecia,
de 10 a 53 palmos
decomprimcnlo, o melhor que tem chegado a este
mercado, em razlo do so poder envernizarcm qual-
3ucr obra por nflo ter nos e ser muito alvo sen-
o costado, costadinho, assoallio, forro e para fon-
dos de barricas: vonde-se a prego que o comprador
far todo o negocio : atrs do theatro, armazem de
Joaquim l.opcsde Almeida.
FARF.1.0 EM SACCAS DF. 90 I.IRIVAS :
vende-se no armazem de-Vicente Ferreira da Costa ,
na ra da Madre-de-Deos,a 3,500 rs.
MAFIAS.
Quarlos de liarriquinliascom
encllenles niacaas, viu-
das no gelo e desembarcados hojo, estilo fresqui-
nhas proprias para presentes : na ra da Scnzalla-
Velha deposito do gelo u na ra do Vigario, ar-
mazem n. II, do Cunta.
Vende-se o ptimo e excedente bacalho de Lis-
boa acaba de ebegar por amostra pela barca Ttjo ;
he tfln superior que s quem comprar e provar co-'
nheerr da sua bondado ; fcasla ser demolhado por
seis horas o depois dcilamlo-se-lrje agoa^a ferver
em vasilha propria onde fique ebafado por um a
duas horas, torna-so tflo cozhihado, alvo, perfeito o
tilo sahorosocomo o mais estimado peixe fresco e
he sobremanelra barato porque apenas so vende a
rasflode 11,500 rs. por barrica, contendo quintal
cada urna: aquellas pessoas que sabom apreciar n que
lio verdadeirarrente bom ( no se encarece o genero,
vindo tflosomenlo para experienciaJ,di.rijam-se ao
armazem do Sr. Racollar, clefioute da cscadinha da
alfamlega ou ao corretor Oliveira.
Vendem-se semeas cm saccas muito grandes ,
a 4,500 rs. : na ra da Madre-de-Dos, armazem de
Vicenle Ferreira da Costa.
_ Vende-se, por prego commodo, para se fechar
conlas bom fumo em folba para, fazer charutos ,
em fardinhos pequeos: no armazem do Joaquim
Flix da Rosala ra da Madre-de-beos.
i-* Vendem-se 3 escravos de bonitas figuras, leu-
do um dclles piincipios de alfaiato, por prego com-
modo : na ra de Trapiche, n. 34.
Vende-se muito boa macella em caixas che-
gada peto ultimo navio do Porto: no armazcnvde
Dias Ferreira no caes da Alfandega.
Vendc-se una cscrava ptima quilandeira, por
prego commodo : na ra do S.-Hila-Nova, n. 16.
-- Vende-se um cavado com boas andares: na
cocheira da ra da Florentina.
uunciado pela sua siinplicidade e ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis deixar de o com-
prar.
Vendc-se muito superior lagedo de Lisboa, e
cal virgem em barris de 4 arrobaa,_por mdico prego:
na ruado Vigario, n. 19.
Vende-se um bonito cavado gordo, ptimo pa-
ra viagem, por ser muilo passeiro o mantoudo : na
ra dosQuartois, n. O, ou na cocheira do Snr. Joo
da Cunta Res.
Vende-se urna caixa com retroz sortido vindo
d Porto :-no Forte-do-Mattos prensado algodflo,
de Joaquim Jos Ferreira.
Chegou da Franga na Julei e acha-se a vanda no
seu nico deposito em casa do Kalkma'na Innflos, na
ra da Cruz, n. 10, o vinho de
Champanha marca estrella
da fabrica de Moet & Chandon em Epernay cujo vi-
nho ultimamenleacliou a maior. approvagflo na Eu-
ropa.
-Vende-se 11 m cont de ris de fazenuas com 20
por canto de alate; na ra do Rozario, venda 11.
39, se dir quem vende.
Vende-se um sobrado de pandares e soto si-
lo na ruado Huiros, n. 1, em clilos proprios: na
travessa do Arsenal-de-Guerra, armazem n. 5.
Vende-se Tilo Livio em pottuguoz por prego
commodo : na ra Nova, loja de funileiro, defronte
da Cohcoigilo dos militares.
Vendem-se muito superiores batatas a granel ,
chogadas no primeiro do corralo me/. 1 a 720 rs. a
arroba, porcAo do 10 arrobas para cima o menos a
800 rs.: da travessa da Madro-de-Deos, armazem
n, 16.
Vende-se um bonito cavado com todos os an- v
dares: na ra Nova, n. 56, primeiro andar.
Vcmdem-so 3 sacadas de pedra da trra urna
cama deangico com corcho>s,8 quadros. grandes
para sala, umamesa, urna marqueza, urna frasqueira,
1 sellim francez : na ra das l.arangeiras, n. 29.
Vondcm-se muilo boas nozes, chegadas lti-
mamente, por prego commodo : no caes da Alfande-
ga armazem do Dias Ferreira.
Vende-se um carneiro gordo e manso, proprio
paracarregar crianga, por j estar ensillado: as
Cinco-Poiilas, n. 83.

llilho.
Vendem-se saccas com milito
loo do Tergo, venda n. 13'J.
a 3,500 rs.: no-pa-
1____.1.
yucijus ie ai mas :
vendem-se na ra da Cnie, armazem 11. 13.
Vnnlo-soa venda dama do Apollo, 11. 21, com
poucos fundos : quem a pretender, dirija-se a ra da
Madre-de-Deos,' tralar com Vicenta Ferreira da
Costa.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barra de 4
arroba* chegada pelo ultimo navio, por'prc;o coinnio-
du : a tratar com Alnala & Fonseca,nrua do Apollo.
Abordo do patacho Alagense, ancorado cm
frente do trapiche do algodao, vende-se farinha de
mandioca de boa qualidade.
PUnOYIMIO DA FIGUeiRA.
Existe no armazem de molhados, atrs do Cor-
po-Sanlo n. 66 urna grande porgffo desle genui-,
uo vinho que se est veudeodo pelo diminuto pre-
Escravos Fgidos
Fugio, no da 3 do passado um eacravo, de no-
meManoel, de altura regular, cheio do corpo,
tem bastante marcas do hexigas: levou caigas de
riscado yelhas e camisa de algodflozinho : quem o
pegar leve-no a seu senhor, Miguel Jos Rarboza
Cui maraes, na ra do Crespo n. 5, que ser grati-
ficado.
Fugio, no dia 18 de outubro do engenho S.-
Jofio, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro, de 1.9 an-
nos, estatura regular, cara redonda, olhos pepuenos,
denles limados ; levou duas caigas urna de brim
pardo e outra do riscado azul; quem o pegar leve-o
ao referido engenho oo casa de Lulz Gomos Fer-
reira no Mondego, quesera generosamente recom-
pensado.
Fugio, de bordo do lirigue Seriarte, na mantilla
do dia 5 de julho prximo passado, um escravo ma-
rinheiro, de nome Francisco de nagfio Jang; re-
resenta ter 30a 35 annos; to-n um sigoal na face es-
querda, falla muito descangada ; levou caigas e ca-
misa de algodflo azul, chapeo de palha pintado de
branco o balde de trazer ragOes e 7,000 rs. em c-
dulas ; falla hespanhol: quem o pegar leve-no a
ra da Moda n. 7, que sera bem recompensado.
-- Desappareceu da casa do coroael Rento Jos Le-
menlia Lins na ra -do Scve na noite de 31 de de-
zembro das 8para as 9hoaas,uma preta de nome
Antonia do Rozario ; levou vestido preto.com jun-
tas brancas ; tem 18 a 19anuos de altura regular,
denles alvos sadia muito ladina ; servio de mu-
cama ; levou tambem urna pequea trouxa com rou-
pa. Quem della der noticia, ou a levar a dita casa, sc-
r generosamente gratificado.
Fugio, no dia 20 da nq^embro prximo passa-
do, as 7 limas da manha urna prcla de nome Filip-
pa, ciioula de 38 anuos ; foi esersva do Sr. briga-
deiro Aleixo, possuindo o mesmo Sr. um lilho qua
essa escrava tinha ; he de boa estatura cheia do
corpo cOrafolada, com o semblante carrancudo;
lem as costas marcadas ; levou vestido de chita ver-
de com quadros azues. Ksla preta j foi -cscrava do
linado coronel Rrederode e de Pinho Rorges, por is-
so be bem condecida ; consta que ella vai algumas
noites pedir os pretos lo linado coronel ngnsallio,
esuppOe-sc que ella anda ielo bairro do Recle, e
que minias vezes vai dormir em Fra-de-Portas em
casa de urna preta forra que diz ser sua madrinlia;
lamhcm consta que as vezes anda pediudo roupa pi-
ra lavar de ganho, e vai lavar no Monleiro, o se-
gundo consta, dizcm que lem para as bandas do Cor-
deiro um irnifio forro-, ondo dormo muilas vezes ;
foi comprada cm dias do mez do outubro prximo
pussado ao Sr. Jos da Silva Moutoiro vendedor de
escravos morador na ra do Kogo o qual derla;
rou no papel de venda a ter comprado ao Sur. Jos
Antonio Uasios morador na ra da Cadiia-Vellu.
Quem a pegar leve-a a ra da Aurora, sobrado o.
52, quo ser generosamente recompensado.
--Coulinaa estar fgido o escravo pardo, i>
nome Jos, comprado pclu abaixo assignado ao Sr.
Francisco aligue) de Siquoira morador na comarca
de l'aja ; cujo'escravo he bem Tliogo alto, refulja-
do do corpo ; lem urna cicatriz em una das magi'
do rosto em procura lo cante do ulho provenionl"
de um couce de cavado, e um calombo do um lado
do pescogo quo as vezes so deixa ver. Iloga-su ao
iiiuMiiu ar rrancisco Miguel de aiqueira ou a q-'
quer outra pussoa quo do dito escravo tiver iiolic'1
u favor do promover a sua prisSo e remossa par "
engenho Covas, que so dar aos conductores 50,000
rs. de graliiicago. -
llahoel Lucas de Atavio Mnheiro.
Ausentou-sc da casa de Jos Rodrigues l'erein
um cabrlnha que representa 14 annos, do non-i
Benedicto natural do llio-Grande-do-Norte ; l'm
alguns denles podres na fente e acabou ha pouw
semanas de ler boxigas das quaes lem as ittarca|
no rosto o pelo corpo; ho baixo e niuito ladino:
quem o pegar love-o a referida casa ,. ou a Victorino
de Castro Moura ua ra da Cadeia, n. 20. Ha "'
licia que o dilo cabritilla anda por aqui porto do B<*
cife.
I'C^n. : na typ. de h. r. de ranu. *>49|
^..
ILEGVEL 1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EB35YQ5OK_830L0G INGEST_TIME 2013-04-13T02:58:34Z PACKAGE AA00011611_06213
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES