Diario de Pernambuco

Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06211


This item is only available as the following downloads:


Full Text
lino XXV.
0 DIA R/Opiiblica-se lodua os di que nao
(urrn de guarda. O prevo da assignatura he
deJOOOrs. por qnartel, pago adimtadoi. Os
annuncioa dos asignantes ao inseridos n
raso de 20 ra. por Huta, 40 ra. em (jpo dif-
fercnlc, cas rrpclifoes pela metadc. Os nao
asslgnantrs pagarn 80.rs. or lioha e 100 rs.
em tjpo dlffereotc, por cada pultllcacao.
P1IASKS DA LA NO HEZ DK JANEIRO.
1
CrescMte, 9. aso horas e 19 inln. La chela, a 8. a. 8 horas e 31 inln. da larde.
HOngoar^e, a 16,s 4horase36 mo. Ja nianh.
La nova, a 24, s7 hora* e min. da inaoh.
PARTTDa'dOS CORREIOS.
Coianna e Paralaba, ,is sega, e sextas-feirar.
Hio-G.-do-Norlc, quintaa-feiras aomelo-dia.
Cali, Serinharm, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, no 1.* a 11 e 21 de cada me/..
Garanhuna e Bonito, a 8 e 23.
[loa-Vista e Flores, a 13 e 23.
Victoria, s quintas-reirs,
Olirida, todos os das.
PREAMAR D HOJE.
Prinieira, as II horas e 42 minutos da mauh.
Segunda, s 12 horas c 6 minutos da tarde.
de Janeiro de 1849.
N. %
das da semana.
1 Segunda. >;<>{. Circumclso do Srnhor.
reriado para os negocios forenses por
toda a semana.
2 Terca. S. Uldoro.
9 Quarta. S. Aprigio.
.'> Oulnta. S. Tito.
5 Sexta. S. Simcao Estellita.
0 Saobado. > Dia de Rcis. Ss. Casuar
Halthaaar e lielchior. '
7 Domingo. S. Thcodoro.
CAMBIOS NO DIA 2 DE JANEIRO.
Sobre Londres a 25 '/. d. por 1/ rs. aO diai.
Paris
> Lisboa 110 por cento de premio.
Rin-dc-Janrlro ao par.
Dse, de lett. de boas li rutas al', ',',' ao me?.
Aeches da comp. de Kebcribr, a Uf rs. ao p.
Ouro.(Incas hcspanbolas. 29#3 Alocuas deu/iOOv. 17/000 a 17/2(10
> a de (1/400 n. 16/200 a I)i00
de tyOOO... 9/200 a 9/400
Prala-I'atacoeshrasileiros 1/>J10 a 1/nOl
Pesos columnarios. 1/040 a l/!Ml
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/020
DIARIO DE
PARTE OFFICIAl.
GO*RNO DA PROVHCiA.-----l
/y/a. e.Ex*. Sr. Respondendo o ofuco que V.
Ei. me dirigi em Mil mez pissalo, communi-
camlo-me as desagrada veis -oceurrencias havidas
. n'essa provincia, cbmpro-mo significar a V. Ex; qurt
deploro os tristes acontecimentos alii occorridos;
Sorm-que multo se deyo esperar das sabias tnedi-
is lomadas, por V. Ex. para rnstabelecor a ordom.
Approveilo -o entejo para communicar a V. Ex.
qun esta provincia a dual menlo se conserva tran-
quilla.
Iscos guarde a V Ex. Paitlo do govprnode S.anta-
Cathcrina, om 5 de dezembro de 1848. lllm. c
Kxn>. Sr. Herculin.) Farr eiraPoniia, presidente da
provincia de Pernambuco. 0 presidente, Antera
Jos Ferrara di Dril:.....
lllm. Exm. Sr. Tanno i onra de participar a
V. Ex. qne esta provincia goza do perfeita lauquil-
lidade.
Dos gtiarJ.es V. Ex. Palacio do governo da pro-
vincia de Minss-Gcraes, 10 de dezembro de 18*8.
lllm. e Exm. Sr. presidente da provirrcla de Perntm-
Imco. O presidente, Jos Ildefonso de Soma Ramo,.
lillm. e Ex. Sr. Tenho a satisfazlo do com mu-
nirara V. Ex., que esta provincia contina a gozar
delranquillidade.
Dos guardo a V. Ex. Palacio do governo da Baha,
30 do dezembro de 1848. lllm. e Exm. Sr. presi-
dente da provincia de Pernambuco. Francisco Uon?
calves Marlins. .**'
lllm. Kstm. Sr. Tenlio a salisfacflo de commu-
nicar a V. Ex. que esta provincia contine em per-
frita tranquillidade.
Daos guarde a V. Ex. Palacio do governo era Ma-
celo, 1." de Janeiro de 184*. lllm e Ex. Sr. peosi-
dente da provincia de Pernambuco. O presidente,
Jobo Caftslrano Bundeira de Mello.
CONTINUACAO DO EXPEDIENTE DO DU 23 DE DE-
ZEMBRO.
Oftlcio. Ao commtndanle das armas, transmit-
lindo copia do avisa da secretaria d'eslado dos ne-
gnos da guerra do qual consta que S. M. o I., que-
i finio dar urna prova do quanto Ine foi agradavel o
rnnhecimenlo da maneira distincta com que no rom
hato de Mussupinho se porlaram o coronel gra la-
do, Jos Vioento de Amorm Rezerra, o capullo Izl-
doro Jos da Rucha do Brasil, o lente Manool
Aniancio d'Almeida c o cadete I,ni/ de Albuquerque
Marnnhao, houve por bem condecorar o l. com a
commenda da ordom da rosa, o 2 com a insignia
de offlrial da mesma ordem, eo 3.'com a de caval-
Iciro da de Christo, e promover o ultimo ao posto de
alferes.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fazenda,
participando que S. M o I. Iiouvc por bom conceder
ires mezes do licenca cora ordenado ao bacharel Al-
varo Rarharho Uchoa Cavtlcantn, juizdodireilo'da
comarca do Limoeiru, para tratar de tua saudo.
Scieiitilioou-se o presidente da relcflo.
Dito.Ao inspector do arsenal de marinht trans-
niitliinlo por copia o aviso, pelo qual houve S. M. o
I. por bem mandar que nesse arsenal se proceda coro
toda a brevidade A conslruccfio do brigue, segundo
o risco que acompanbou o aviso de 9 de agosto ul-
timo, que uflo ser alterado de forma nlguma, e de-
clarar que essa obra e a qiioarestar fazer na barca de
scavacHo deve ser dirigida pelo segundo constructor
do arsenal de mariuha da curte, Jos Joaquim lli-
briro Pntenla, que se aclui no da Babia, recolhcndo-
seaeste 2. constructor Manoel do (oes M un i z Flix
que esl encarregado da construcefo d- referida
barca. Communicou-se ao contador de nurinha.
Dito.An commniidaiilo das armas, commumean-
do que S. M. o Imperador houve por bom concoder
baixadu servico no '2.a cadete d 2." batalho de ar-
lilbaria p, Pedro d'Alcanlara Perrier.
Dito.--Ao inspector da thesouraria da fazenda pro-
vincial, ordenando mando entregar a Jos da Costa
d'Alhuquerqi.e Mello, fomcco.'or do sustento dos
presos pobres existentes na cadeia desta capital, a
nuanlia il 53/MOra importancia ra dosnevn Teja
no mez da noverobro prximo pastado. Partici-
pnn-se ao ebefe de polica.
Dita.Ao inspector do arsenal de marinht, remet-
iendo por copia o aviso orno qual se determina quo
a barca de escavacuo que se esl construindo nesse
arsenal Jeto Mr concluida e posta em exercicio,
visto que por sua forma de coiisirucgilo tem a van-
tagem de tulo precisar do outra pata a robocar quan-
do cstivor em servieo, e poder ser empregada em
oulra qualquer provincia so o governo imperial a
julgar conveniente.
iMlo.Ao rresnio. traiiamittiudo Copia do aviso
em o quul se determina quo a patacho I'impama
siga para o Ilio-OanJc-do-Norte afim do conduzir
os olijcctos que ae salvaran! naufragio do transporto
ii. 1 e que leem de t*r aproveilados uesso arsenal, e
ordenando que O referido patacho faca-se do vela
para aquella provincia logo que, negrease da viageni
que foi fater a llha-do-Fertiando. Scientrflcou-se
o inspector doarsenal de marinlia da corle.
Dilo.-Ao director do arsenal de guerra, autori-
zaudo-opara despender a quanlia de 210/ ra com a
compra de auteile, velas o oulros [srligps para for-
necimento de luzes as fortalezas e curpos da provin-
cia no mez de Janeiro do prximo futuro anno.
^aojuMjHieou-tft) U0 ci)iUWiSrig-pajjadur.
Di lo. Ao juiz municipal da I vara, ordenando
mando levar ao trapiche do arsenal para all muhar-
ra rem os presos que leem de ir para a llha-de-Fer-
nando.
Dito.Ao juiz do orph.los desta cidado, partici-
pando Ijaver approvado a proposta que S. Me. fez da
Joflo Facundo da Silva Guimaracs para excrcer pro-
visoriamente o lugar de escriv3o dquelle juizo.
Portara.Exonerando do cargo de supplentos do
delogado do 2." districlo do termo do llecife, quo
passou a ser 3. pela nova divisuo, a Jofio Carneiro
d'Albuquerqur, JoSo Carneiro da Cunha, Jo.lo Coelho
da Silva, e Manoel Soares do Figueredo ; o nomean-
do para substitu-los em I.* lugar o coronel Jos
Peres Campello, em 9. o tenente-coronel Francisco
Antonio Peroira da Silva, em 3 aa Lourenco de S
e Albuquerque, em 4. o tenle-coronel Manoel
Lucas de Araujo pinheiro e em 5. o alforos Antonio
de Hollanda Cavalcanto de Albjiquerque. Fizeram-
se as convenientes participaccs.
Dita.Nomeando para 1 supplente do delegado
do 9.* districlo do termo do Reeife, novamente cre-
ado, a Joaqnim Jos da Coala, para 2 a Joaquim
Juvencio da Silva, e para 3 ao major Thoroaz Jos
da Silva Cusmfio Jnior. Expediram-so as conve-
nientes participacOes.
Dita. Domiltiiido dos cargos degupplontes do
delegado do 1.* districlo do termo do Reeife, a Joa-
quim Bernardo de Figueredo, ao bacharel Antonio
d'AssumpQo Cabral e a Antonio Ricardo do llego,
e nomeando para subslitui-los em 1. lugar o inmu-
te-coronel Domingos Alfonso IScry Ferrcira, em 2
que se acha vago o tenente-coronel Thoodoro Ma-
chado Freir Poreira da Silva, oem 3 o capullo
Jos Rento da Casta. Fizeratn-se as participarlos
do cstylo.
Dita. Constando de representacSo do adminis-
trador do consulado provincial, appensa a outra-do
inspector da thesouraria respectiva, que o fiel da
inspeccSo do asaucar e algodflo, Joilo Francisco dos
Santos, consentio que embarcassom por contrabando
a bordo do la le Espadarle vinle barricas de assucar
refinado que foram apprehendidas pelo scriv.lo da
1.a seccHo do mesmo consulado; o presidonte da
provincia resolve demittir o tobredito fiel, e ordena
que pela secretaria do govorno se expecam as conve-
nienlcs participacOes.
Dita.Mitineando a Joaquim de Jess Piolo para o
lugar de fiel da inspeccSo do assucar e algudiio,' va-
go pela demissao dada a Joilo Francisco dos Sanios.
Participou-se ao. inspector da lliesourari o ao
nomeada.
Dita.Nomeando professor substituto das cadoi-
ras de inglez c francez do lycco desta cidade, que so
acha vago, a Caetano Estelita Cavalcante Pessoa.
l'articipou-sn ao inspector da thesouraria da fazen-
da provincial e ao director lo lyco.
Dita.Nomeando o tcncnle reformado de 1.' 1-
nha Francisco Cancalves do Amula inslruclor da
guarda nocional do municipio de Coianna. Scien-
tilicou-se o inspeclor da thesouraria da fazenda,
comtnaudante das armas a commaiidante superior
rospeclivo.
Dita. Demiltindo do lugar do instructor da guar-
da nacional do Reeife a Pompeo Romano deCaiva-
Iho. Fizeram-so as participacOes do eslylo.
Dita. Nomeando instructor da guarda nacional
do municipio da llecife o alferes ajudante reforma-
do de primeira linha, Antonio liernardino dos Iteis.
Expodiram-so as convenientes parlicipacO?s. .
DEM DO DIA 24.
omctfl. Ao commandanto das armas, transmit-
tindo copiado aviso, do qual consta que se mandn
auiantarao coronel Traiano Cesar Burlamtque que
tem de seguir para o Rio-CranJe-do-Sul a quanlia
de Soo^OOOris, para Ihe ser descontada pela quinta
parle de todos os seusvencimenlos; bom como que
so defiri a supplic em quo e mesmo coronel pedio
deixar sua amilia nesta provincia o respectivo sol-
do. Scienlificou-soo commissario-pagador.
Dito. Ao major commandanto do corp.o de poli-
ca, mandando pOr em liberdade o recruta Antonio
Sinfronio Rodrigues Luna quo se acha recolludo a
om dos calIabouQoS do quartel do corpo do seu com-
mando.
DEM DO DIA 27.
Ofilcio. Ao commissario-pagador, determinan-
.i0j...aB a coninctente.guia, pagando o sold
e maiaVanlageni al o lim do corronlo inez.au aira-
res do 9 balaltvuo de fuzileiros Manoel Bapliala IIi-
beirodeFaria que segu om commissAo para a pro-
vincia do Maraiiho.
Dito. Ao cninmandanto da praca, recommen-
dando a expedicilo de suas ordena para que o i. to-
neitto ilo 2. balalhSa de artilhana a pc^Francisco
Itauliacl de Mello Reg, se aprsente agora mesmo
a S Ex. a fim de ser enipregado s ordens da presi-
dencia.
ra, por suspeilos; Francisco Jos de Sanla-Anna, lenha sonso commum, que lio oque basta para nuo
Benedicto Germano do Espirito-Santo, Jos Joa- se faca delle o devjdo conceilo '
quim deOliveira, Jos Joaquim Alvos de Oltvoira el Est, como geralmonte se sup'punha, ucolhido se-
Joo Francisco do Oliveira. por bnga ; Andr Alves nador pelo Rio-do-Janeiro o ministro da mariuha o
mello, por Turto; Mana Joaquina da Conceicno, guerra, Manool Felisardo. Se bom quo ussa escollia
em nada viesse contrariar a espoctaliva publica,
comtudo cu nao quizera quo ella apparocesse sola-
da, ou, antes, quizera que filssa precc'la da esco-
llta do concelheiro Paulino pelo Maranhao. A este,
como chefe do partido saquareina, compela a sena-
toria por esta provincia ; mas como concorresse elle
na lista triplico por aqu com o Felisardo, c lambem
se aclie incluido na do MartnhOo, era urna prova de
cavalhcirismo dada a seu chefe ile partido pelo Feli-
por desordeira e dcscompor a um inspector de quar-
leiro ; oescravo Jos, por espaucar um homem,
e o preto Conrado, escravo de Antonio Jos da Cos-
ta :do delega.lo do 2. districlo, os paisanos Sa-
turnino Jos Uandeira e Francisco Duarle Ferroira :
- do.subdelegado'do Reeife, Antonio, escravo do
Francez Adour. tiestos qualro ltimos nao consta
o motivo das prisOes.
O l. Amanuense,
Aprigio Jos da Silva.
INTERIOR.
'CORRESPONDENCIA DO DIARIO DF. PERNAMBUCO.
Rio-de-Janeiro, 22 de desembro de 1818.
A poltica nada nos offerece de extraordinario,
ReparQto da polica.
EXTRACTO l)lltT6*DQS DAS 31 DO PASSAD9
E 1.' DO CUMENTE.
Fram presos : ordem do Sr. desombargador
cliofo de polica, os paisanos Januario das DOres Lo-
pes, Joronymo Agosliuho, Manoel Sabino, Manoel
Joaquim, Candido Clemonlino do Carvulho eii.m-
ciscu Marintio de Miranda Castro, para remitas ;
Hermino Jos Simplicio, Innocencia Peregrino do
Nasciniento, Manuel Iguaciu o Juviuo Pacheco Viei-

salvu so se acreditar nos boatos que circulan! de lia-
ver levado o Impertirte o decreto do suspensfi de
garantas nessa provincia, o a carta imperial no-
meando o deputdo Tosa presidente della ; boatos
cuja veracidade nao serei en quom conteste, porque
se me houvcsso a snrte collucado nessa Iflo subida
posicilo de ministro do estado, posicilo que (seja
dito de passagem) nao ouso crgucr as minlias aspi-
racOes, ni nao varillara as acluaes circumstanri-
as em aconselha>- a tutpentflo de garantas corOa
e de bom grado referendum o decreto, soni que me
tremesse a milo. Isto quanto suspenso de garan-
tas. Pelo que respeita nomeaeo doTosta, creio
lambom que mu liem avisado andou o ministerio,
se fez esla iinnmaeflo ; un porque presuma cu o
Penna pouco habilitado para administrar a provin-
cia, pelo contrario hahilissimo administrador he
elle, o pude bem administrar qualquer provincia do
imperio, no estando em estado fra do ordinario ;
mas o grao (le importancia que aqu, devida ou in-
duvidamcute nao sei, se tem dado aos aconleci-
mentos de Pernambuco; a missilo, porassim dizer,
de paz de que foi olio para ah incumbido ; o seu ca-
rcter nimiamente dcil o condoscendeule talvez,
nOo o fa /em por cort'o mais apto para o encargo,
qiiamlo so leem por em exccuc.To medidas enrgicas,
reclamadas pelo estado pouco lisnngeiro da provin-
cia ; e o governo tanto pareco alimentar a mesma
opiniilo qne d'olle faco, que ("anda prestando ouvi-
dos aos boatos, porquo nada sabe-sc ao certoj no
o dominio, sim removeu-o para o MxranliTo, para
onde por carta imperial do anterior data havia sido
o iinoa.lo o hoje indicado seu successor na presiden-
cia de Pcrna.nbuco. Aceito, pois, este segundo boa-
to como consequencia necessana do primero. Dos
failo bom o novo presdanlo ; porque realmente cor-
ta as cordas do coracilo ver-so o quadro qne apr-
senla essa provincia, levada anarchia pela ainhicilo
sem limites do mola du/a do..... (nflo sei que nomo
lies dj ; e o que he mais, he que lovam-na ao abys-
mo em nomo da tuthordade, do povo e da liber-
dade!
'A anxiedade com que s.o aqu espera las as noti-
cias dessa provincia teem sido em parto tatiifcilt;
porquanlo as temos conslanlomonlo receliido pelas
muitas emharcaces. procedentes ilosso porto. As
mais recentes alcancam al 11 do corrente, que deu-
nos hontem a barca Tentativa, sabida no mesmo da
em quo sabio o paquete inglez l'etercl, quo ueste
instante entra no porto desta cidado.
. Com geral satisfcelo tem sido recebida a nova da
derrota que soffrerain os revoltosos no da 10, devi
da a bravura da tropa da legaldade, cuja frenlo
commanda o valonte general Coelho.
Receba ni, pois, os bons l'ornambucanos amibos
da ordom os meus emboras pelo feliz resultado quo
osl blenlo a sua causa.
Anlos que passe adianle, nflo deixarcj do cliamar-
Ihe a atienen:)para o modo usolito Olflopouco res-
peilador da pjssoa inviolavol do Imperador, porquo
se lom aqui portado o Crrelo Mercantil em tildo quo
respeila aos negocios de Pernambuco. i Pondo do
parte o ridiculo em quo tem elle cabido, tentando
om balde abalar o crdito Iflo bom bateado dos seus
contemporneos, decanos da imprenta brasilcira,
o Diario do Rio, Jornal do Comtnercio o a sua folha ;
sempre impvido, peijauu diaiiameiiie as suas co-
lumnas do insultos de todo o vulto contra as Iros ra-
lbas qua menciono, nflo incluindo o llrasite o Cr-
relo da Tarde, porque contra estas os insultos que
prodigalisa o Mercantil nao leem mflos medir; nflo
contente com transcrever os insolentes o vcrgoiilio-
sos arligos do Diario Movo, quo tanto dopOem con-
tra a civilisacSo de Pernambuco para aquellos que
dessa provincia nflo teem pleno conliecimcnlo ; sa-
hiu-scu orgilo opposicionista com urna que poza
todos de queixo por Ierra.Abrazado no fogo santo
da liberdade. cuja causa*, s elle advoga, ha poucos
das, quando excreta olio a sua honrosa missilo do
denunciar ao povo o despotismo do actual ministerio,
os actos de canibalismo do sanltudot assassino Penna,
que manda ah amarrar com cordas a cidadflos pac-
ficos quo passeiam pelas ras da cidado c transilam
pelas etlradas, para turra los o envia-los aqui para
a cOrle gemeudo 0b o poso das cadeias no purflo
dos vasos de guerra ; diz elle no n. de 15 ou 16 do
corrcnlo .--Seria melhur que 8. M., om vez de ir a
operas italianas e ao cullegio de Pedro II atsistir a
Jislriliuicao de premios, fuste pelo ministerio con-
vidado para ir inquerir detses infolizesa causados,
seussolirimcnlos.Sfloiuuioisquacsquercommenta-
rios sobro.islo : corra o Nercajttit por mflos de quom
sardo nilo acousolhar a sua esculla, sem que se ve-
rificasse a do Paulino por aquella provincia.
A eleicflo dos eletores quo leem deeleger um se-
nador que preoncha a vaga deixada pelo falieci-
menlo do Ilustre philosopho marquez do Marica, te-
ve lugar no dia 17 do corrente, monos na freguezia
da Gloria desta cidade, onde, despeilado o juiz do
paz, quom competa a presidonca da mesa, por-
que nilo foi contemplado na lista combinada entre
governittat c oppoticionislas da freguozia, nilo com-
parecen para presidir eleicflo, achando-se dos jui-
zes immedialos uus ausentes o oulros impedidos.
Este juiz de paz lie um tal Pillar, dequem contam
cortas gentilezas, que nao ahonam nada o seu cre-
dilo. Entie oulrascuriosidades, contamdelle, quo
hcrdra.sem quosesailia por quo titulo, grossa som-
ni.i de dinlieiro do um miseravel usurario, quasi
millionario, c.tuliecido pelo nonio de Ferraltraz, o
qual levava a sua usura ao ponto do anJar emuiu-
lambado nflo fallo dos mulainhos do Pernambuco 1
como um mendigo polas nas desta cidade, e des
comer polas tabernas o cousa que nflo levasso a sua
despeza diaria a mais de dout lustOes. i'.clala, pois,
achrouica, que osso pobte diabo, estando em tuna
taberna, prestes a dar a alma a lieos ou ao diabo, re-
cebera do Pillar urna visita, da qual rcsullot ser o
moribundo levado improprio carro do Pillar para
sua casa, ou cousa que o valha. Poucos das depois
cotria de bocea em bocea por toda esta cidado, Ique
o Fcrrabraz havia morrido, dcixando por herdeiroo
Pillar e um intimo detle, que pouco depois tambem
fallcceu, dcxando-lhe a horanca.
Tornando s leicAOt, nMo pottO deixar, por mais
esforcos que faca para conlcr-me, de narrar-lho um
novo systema do cabalas que aqui so poz em pralica
por parle de alguna partidarios da opposicflo.
A opposicflo, cuja ferlilidade. de ongenbo para at
invences he ja boje proverbial, inventuu e poz em
pralica o systema de cabalas que passo a narrar.
Nflo sei so tomen.lo a derrota, ou nflo qumendo
por excesso de modastia, que," segundo Andr Che-
nier, hacxci'ssodoorgulhu, derrotar osgurernistas
na lula eleitoral, fez correr-a opposicflo que nflo
pleiteara a eleicflo ; os saquaremas, porm, que,
depois daquella famosa licao que Mies dou o 2 do fo-
verciro, coudemnain sempre
(I capitn que diz, OU nflO CUdoi
nflo eslveram pelos autos, o trataram de segurar-so.
Cbega -do o dia da elcco, porm, conheccram quea
opposicflo, aqu no mtinicipioneulro principalmente,
havia cabalado fortemenle para que fsse votar o me-
nor numero de votantes possivol. Como o fim da ca-
bala uflo era la dos mais dlliceis do accodor-se, sa-
hio-so victoriosa na sua cabala, porque realmente
foi bem circumscripto o numero das cdulas reco-
Ibidas as freguezias dosta cidade.
Qtu esso proceder da opposicflo tem algum alcan-
ce, uo be inisler ter olhos do lynce, nem o. tacto de-
licado do Tailleirai'.d para conhcc-lo. Nao tarda
or-se no Mercantil: A maioria do povo nflo quiz
volar, se votasso o triumplio sera nosso ; o povo es-
t cansa lo de tantas e tflo amudadas clecoos; e
tiestas circumstancias ser conveniente a dissolueflo
da cmara P EttaS e oulras colisas sao sempre di-
las ao povo o pelo povo..... Pobre do povo! Tem el-
lo tanto quom nlvoguo a sua causa, que J3 nflo sabe
quem ltenla O resultado to perder a caboca, dar
por paos o por podras, como foz oda Franca, como
fa-lo anda hojeo da Austria e esta ah TazcnJo o
desta provincia O que, porm, em ludo issoso co-
Ihode reale proveitoso, he a famosa licito que nos
vai dando a experiencia, de quoo povo nunca
dexoit de acr, lio e nflo ha nsperancas do que dexe
dn si-lo para o futuro, o instrumento ceg da espo-
culacflo dos ambiciosos.
dem, i de Desembro.
A sabida do paquete a vapor S.-SebastMo para os
portas do mirlo esta aununciada para amanhiia le
madrugada, fecha-se pois a mala loje as .i horas da
tarde.
Celcbrou-se no dia 13 a missa pelo repousu da al-
ma da primeira Impcratriz do Itratil, que, .em con-
sequencia doenrerramcnlodc SS. MM. II. pelo fal-
lecimento da raintia mfli des. M. Umpcratriz, nflo
pode ter logar no dia 11. Concorrcram ao piadoso
acto no rccoliiimcntu da Ajuda SS. MM os minis-
tros de estado c mais possoss da corle. Depois da
missa, cantaran! os religiosas o l.il>:-ra me. c SS. MM.
lram orar au pe do tmulo em que descansam os
rcslos d'esse virtuosa Imperatriz, e borriTaram-nu do
gua henla.
O bem conhecido deputadj r.errnz, na inspectora
da alfndoga destacone, lom dado provas de extre-
mado zelo pela boa liscalisaQflo da renda publica, o
da corrupto que lein reinado no pessoul d'essa rc-
partieflo, Foi oxcessivo o icndimcnto da alfandega
no mez de novembro p. p ; montn a 912 cotilos de
rcis; e o do corrente me/., npezar dos minios dial
feriados, nos quacs tem oslado fechada areparlicflo,
monta, allionloni ,, a OtiO c tantos conlos.
| ILEGIVEL
aVs^aaaa^al



<


____
candidato a senatoria por esta provincia ; hontcm
puhlicou o Jornal do Commercio a sua carta aos eloi-
tores.
Nflo fecho esla sem annunciar-Ilie que o Mercantil
de hontejn participa a seus leitoras, que do l. de
Janeiro m diante muda de proprietano, e queva
combater pela causa do povo, quo por todos os ngu-
los da Europa afugenta espavorida o velho despotis-
mo. Mclhor he que tire ja essa mascara de monar-
chismo que tanto ja Ihe pesa.
0.cambio sobre Londres tem estado todo o mez ri-
zo a 24 1/2; as apolices, de 6 /a estflo lamben filas
88 o us pro vincules a 87 e 1/2 e 88.
0 conde de Casias deixou ocoinmando das armas
da corle inlerinamento ao maree bal Cibral, e parti
antes de hontcm para a sua fazenda.
DIARIO OE PIINAIBDCO.
azoirx, a dk mneieo se IMa.
VAPOR DO SOL.
Mas o que nlo te.m isto custado ao Ferraz Nada
menos de grosseiras descomposturas pelos jornaes e
t, secundo me aflirma pessoa da* intimidarte d'cllc,
cartas anonymas ameagando-o com punhaes, &c. Mi-
seraveis Dcrraudavam a fazenda publica con es-
cndalo inaudito pelo delcixo de uns c complcidade
do outros dos cncarregados de arrccada-la o fiscali-
sa-la, e porque um homem ha que se nflo tcm que-
rido corromper, injuriam-no. ameagam-no com pu-
nhaes Espero, e he crenga geral, que esse mogo
tilo Ilustrado quanto honrado, tenlia a coragem
suillciente para continuar a desprezar as ameagas, e
a perseguir delapidadores da fazenda publica.
Os nossos Ihearros conlinuam na mesma marega,
isto he, um o de S. I'edro do Alcntara continua
porquissimo; pobre de cantores e actores, riquissi-
mo de pulgas o percvejos. No enlanlo o outro o de
S. i,iiiii;irio-, cujoemprezario he o hbil actor bra-
sileirn Joflo Cactano, tem-nos dado divertimentos
interessantissimos.'N'estcs ltimos das deu-nos elle
tres novas produeges, urna o grande drama de A
Humas, extrahido da sua obra o Condo.de Monto-
Cln isto- levado a scena pelacompanha franceza ;-a
oulra extrabida por um dos nossos litteratos do fa-
moso poema de Castilho a Noite do Castello ; a
terecira producgflo toda brasileira, extrahida do in-
te ressa rito romance do Dr. Maeedo, a Morcninlia
Tivcmos, pois, no theatro deS. Jannario um drama,
una tragedia o urna comedia. O drama Conde de
Monto-Christoabsorveu duas imites de espectculo,
que for.im a de 19 c 21 do correnle, foi levado a sce-
na patmiblement; a tragedia Noito da Castello nflo
leve milita aceitago, e entendidos tenhoeuou-
vido dizer que a primorosa obra de Castilho foi
desapiadadamente estropeada; a comedia Moreni-
nha, esta sim, mereceu as maiores ovages; tem
ido repetidamente a scena e sem pro com geral ap-
plauso. O emprezarlo Joflo Catano, accedendo as
instancias do muitas pessoas, fez boje annunciarem
os jornaes que amanhila 94) as 4 horas da tarde da-
la urna representagilo extraordinaria da Moreninha.
Um correspondente do Jornal do Commercio cnlhu-
siasmou-se tanto con a representagilo desta come-
dia, que chegou a achar lindissimo o rosto da mor c-
niuha, encantadores osseusoihos, o conclue excla-
mando : que ollioi '. que olhoi! .. Quem fez o papel
de moreninba foi urna Sra. Lobo, que he na verdade
engragada etem lindos oihos ; mo he, portanto, de
admirar o enthusiasmo do tal correspondente pulo
physico da moreninha.
O Giannini, director ou cousa scmelhanle da com-
panhia lyrica italiana do theatro de S. Pedro, foi
Europa contratar urna nova companhia lyrica italia-
na. Dizcm que brevemente se fechara o theatro para
proceder-se pintura
Vcrificou-sc no dia 15 do corrento, na presenga de
S. M o Imperador, a dislribuiglo dos premios do ral-
le:: io ile Pedro II, o baeharelaio em lettras do 10 ostu-
danles, entro os quacs figura um til ho do senador
Honorio.
Tcve tambem a sua dislribuico de premios no dia
vi a academia de bellas-artes, m presenga do minis-
tro do imperio. O jornal do 20 traz o relatorio do di-
rector do eslabelecimonto, pronunciado na presenga
do ministro no dia supracitado.
J devem ahi ser couhecidos os despachos quo para
iln levou o Imperatriz, queso ha puuros dias fram
-aqu publicados.
Esln.nomeado chefe de polica de San-Paulo o ba-
charel Joaqun Firmino Pereira Jorge; ejuiz muni-
cipal do l'irahy o baeharcl Francisco Xavier Caval-
rnnta do Albuquerqtic.
Por decreto de II fram demittidos do cargo
de vice-presidentes do Minas o ex-ministro Jos
Pedro, os cx-presidentes Quinliliano e Queiroga j
nomeados na nipsma dala, 1 vico-presidenta o
Vasconcellos ( Francisco ) ; 2., o Teixeira de Sou-
u: :i o barflo do Sabara; 4., o coronel Romu-
O concelheiro MonUzum. .present-so, de nova, [ M nos teem roduzido algn, irmilos degenerados ;
Chegou hoja so porto desla ciliado, procedente
dos dosul, o vapor San-Sebaelido, trazendo-nos as
duas cartas do nosso correspondente na corto, que
os leilores torflo vislo sb rubrica competente,
bom como jornaes da Babia at 23 o do Rio-dc-Ja-
neiro ate 21 de dezembro ultimo.
Na liahia nada novo occorra. 0Mercantil asseve-
ra, o nos acreditamos, que a provincia prospera com
a adminslragflo do Sr. Congalves Martinsque, mo
grado a gritara dos dous peridicos que se lho de-
ca rara m om opposigfio, contina nis boas gragas
dos homens justos, daquellcs quelhesabem aqui-
latar o subido mrito.
Nlo s essa provincia senio tambem as demais do
sul goza va m de plena tranquillidadc, como o com-
provam as primeiras pegas officiaes quo'exaramos
nesto numero do Diario: Pernambuco, pois, he o
nico ponto do Brasil, onde o soreg publico est
alterado, porque assim o exigirn os nteresses pri-
vados do mcia duzia do loucos que, no cumulo do
desespero, e j sem o mnimo recurso, ligaram-se a
Antonio Borges da F-onseca, que conservaran oncar-
rera do por muitos niezes nacadeia desta capital como
o individuo mais perigoso cusa da monarchia, da
quul se (ingiam amigos ; e, esposando suas idoias a-
narchicas, ousam tentar contra oa direitos da cor,
contra a inlogridade do imperio, e lalvez mesmo
contra a religiflo de nossos pail!....
Pobres homens !.. Nos nos compadecemos da m-
sera siluagilo a que vos reituzistcs, e que, afflictiva
como he, vos levou a ligarlos com aquello mes-
moque por mais de'urna vez arrastrastes aos trihu-
naes e fizestes condomnar, nito poupando insultos
o ducstos a quem qur que, compadecido das penu-
e nos permitlirSo que continuemos a transmiltir-
Ihes as noticias que col hemos nos jornaes cuja re-
cepgilo aecusmos mais cima.
A corte conservava-so em paz.
SS. JIM. II. tencionavam ir passar o verflo em Pe-
tropolis ; ecria-se que partiriam para all em prin-
cipios dealo mez.
O ministerio cada vez recebia mais pravas decon-
flinga do monarcha, e como que ia adquirndo no-
va frirga, mcrecendo ao mesmo lempo os louvores de
quantos nada mais desejam do que a prosperidade
do paiz.
OSr. Dr. Bernardo Rabello da Silva Pereira fra
aomcads desembargador da rolacao desta provincia.
Por decreto* de 19 de dozembro resol vera-fe que
passassem a servir na rclagflo do Rio-de-Janeiro os
Srs. desembarga do res da de Pernambuco, Antonio da
Costa Pinto c l.ourcngo Jos Ribeiro; bem como os
da do Maranhflo, Jos Marianni e Albino Jos Barbo-
zade Olivcira.
Aoescolhero Sr. Cosa Pinto para funecionar na
primeira rclagSo do imperio, ogovcrnodeu, quinto
a nos, um toslemnho solemne de que sabe apreci
o mrito dos funcionarios pblicos. S. S. he um
desses magistrados que, por seu saber profundo e
incorruptivel probidado, honran o paiz que os
possue.
A 13 do mez citado o tribunal de jurados da corte
confirmara a sentenca do gales perpetuas que o 9
do oulubro prximo passado fdra proferida contra
Francisco Jos Pereira Lisboa, aecusado do havrr
tentado contra a existencia do eirurgiSo Jos l.ulz
da Costa.
Vctima de certa molestia que a medicina decla-
rara ncuravel, suicidara-se a 13 dedezembro ojo-
ven francez Raymundo Forticq, caixeiro dos Srs.
Farouch e Baillion.
Ao que o nosso correspondente refere acerca do
Rio-Crande-do-Sul, entendemos dever accrescenlar
a nova do urna occurrcncia, que tanto mais nos pren-
deu a altengio.quanto comprehende um desses casos
em quo a naluroza, offendda em seus mais sagrados
direitos, como que se rovolla contra o que postergou
os seus preceitos, e brada por promplo e ejemplar
castigo. Para relatar o Tacto servir-nos-hemos las
proprias palavras do Jornal do Commercio :
Manuel Muniz Fagundes, no districto de Arroio-
Grande, confiara a vigilancia de um seu lilho de
l nonos cf ra porgo de rezes. Por falta de cui-
dado.lgumas extraviaram-se. Qjefaz odesna-
turado pai para castigar o lilho? Amarra-o, sur-
Paula Sanies.
Por decreto de 19 do mesmo mez cxlinguio-se o
lugar do juiz de dircito ilo cvel da comarca do Uro-
jo, nessa provincia ; removeu-se o ex-chefo de poli-
favor, sem com ludo advogar a poltica de que se
ello diza representante.'..
-Mas, ao passo que assim lastimamos o triste o ver-
cia Antonio ILMiriques, para o Brejo, noMaranl.no; o g0nboso espectculo que estis dando ao mundo in-
h.icharel Alexandrc Bernardino, do Brejo, no Mam- r, ^
nhflo, para o Bonito, en Pernambuco ; o I. Manoel, | teir. reconhecemos que este vosso ullimo passo vos
laucn as profundidades do abysmo de qno vos
aprximastes desde que commellestes o primeiro
crime, isto he, desde que vos armastes contra o dele-
gado do governo imperial s porque vos tirou al-
gumas poMCoes olliciaes do que dependa a in-
fluencia de que tanto alardeaveis, e queja mais re.
conquistareis se continuantes a poitar-voa como
at agora, se persistiris no systcma de alliar-vos
ios mais encarnizados inimigosde anda ha pouco,
denunciando dcsl'arto quo a ambicio do loJr lio
o nico novel de vossas arges, e que tendea bas-
tante diiposiglo para (aerificar a essa ambiguo
todos os sentimentos do liorna.
Sim; quem se recordar do encarnigamei.to com
quo perscguisles a Borges da Fonscca, e da roaneira
como o cnxuvalhastes pelas folhas quo vosaerviam
de echo, nao poder dcixar de maravilhar-se au ler
os elogios quo ora lho teccis, ao saber que o repu-
tis o proclamis como um dos mais apr/iVoilavos
alijados;-n.lo poderA drixar do flcar intimamente
convencido de quo nao leudes bandeira alguma pol-
tica, e de quo nilo trepi.iai eis anto o maior dos delic-
io*, sochegardos a persuadir-vos que por esse meio
tocareis ao nico alvo que buscis; queremos di-
tei, SivSv-rois O pci*. E q! si O resultado
de semelhahte conviegu ? Toda a gente honesta e
I.rio-a, toda a gente sisuda e de pundonor, repellir-
vos-ha para sempro. Entilo, entregues aos vossos
mnguados recursos, o a bragos com um governo
enrgico ojusticeiro, quo nada poupar para obri-
gar-vos a retroceder da carreira tortuosa porque
obstinadamente caminhais, vos aniquilareis inlci-
ramenle, e por todo o fructo de tanta abjecglto nada
mais tereis do que o desprozo da maioria da nagilo.
do Brejo, em Pernambuco, para a primeira vara ci-
vel da corto ; nonieou-se descmbnrgador para Kio-
de-Janciro, o juiz da primeira vara Val Vieira ; para
i relagilo de Pernambuco, o presidente da Babia,
Congalves Martina; para a do Maranho, o juiz da
primeira vara criino da capital da mesma provin-
cia.
Foi exonerado do commando superior da guarda
nacional da corlo o tcneuto-general Pinto Peixoto, e
nomeado para substlui-lo o marcena! decampo Mn-
noel da Fonccca, ex-presidente do San-Paulo c ex-
niinistro da guerra.
O governo approvou o controlo feilo pelo inspec-
tor da i I l'.i n lega da corte com o preprieturio da fiui-
digilo de ferro da Poritn-da-ArCa, para a construc-
gilu de urna barca de viga A vela, pela quantia do
28:5OOS00Ores.
Com o n;esmo proprielario mandou o governo que
contratasse o intendente de marinba da corto a
coustrucgo de urna barca que comporto a machina
lo npor Comi Dratiteiro.
Concedeu o governo sciigio dos direitos de 1:800
toneladas inglezas de ferro em lingiudo, 130 do fer-
ro eni chapa, e 50 de fatidn, para o consumo aun nal
da fundigiTo de David Wilham |towman o Arcbibald
MncCaluui, nes-a provincia
As ultimas noticias d Rio-Crande-do-Sul resam
que a .i.v'i i.ico coiiiuierciai li'aqucila pruga reun-
ra-sc, para representar ao govrno sobre a prohibi-
go da entrada de gados do Eslado-Oriental; pro-
bibigo que teem causado urna apalliia espantosa
em todos os ramos do commercio, a ponto de adiar-
se o poito daquella cidndo coalbado de navios em
busca de carga ; porque barco parado uo ganba
frele imagine-ao o grao de penuria A que team che-
gado os negociantes do Uio-Crandc. O Diario do e
Orande diz que nunca naquella pivga senlio-sc lan-
a falta de diiiheiro.
Ti vemos esta semana noticias de Montevideo ale 4
do coi i ente. Oribe Concedeu li renga para se cstalic-
Iccerem charqueadas em Bucen ; lim do fazer aco-
dir para all todo o gado, cuja sabida, romo digo
cima, prohibi pelas fronleiras do llio-Grundo.
Do 30 do passado sito US dalas do Buenos-Ayi es.
A quesillo .Southern nflo tirilla tido soiugflo alguma.
Do relatorio do miilislro da faZOnda do Clnli, v-
sc quo nos Iros ltimos anuos importou o Uratil ua-
quello estado um milliflo cenloselcnla e novo mil
qiiinbeiiios e cinco pesos, eoChili no Brasil, tre-
zentos setenta e um mil noveccnios e noventa.
As cnliadas de assne.ir de PernnIllbuCO form CX-
traordiuaiias de 1 a 15 do correte: maulan a ti,
ra-o, e, em vez de deixar-se abrandar pelassup-
plicas do infeliz, apunhala-o, e por fin degola-o.
Acode, porm larde, um primo da victima, e
destecha urna pistola no execrando algo/, que ca-
he mor to junto ao cadver do lilho.
BOATOS.
Corro quo Antonio Borges da Fonceca se aclis em
11 a na rara, c que, ajudado por algumas jangadeiros,
quo pode Iludir, ou coagir, registra a todas as
barcag.is que por all pissam, e manda saquea-las,
leudo entrado em o numero destas a que trazia a|-
guns presos de Coianna para esta cidade, e que, pou-
co. guarnec Ja, Cabio em poder dos libirae$-pralas.
Atea hora em que escrevemos estas lindas f ti
1/2 da noite) nSo ha participages olUciaes a res-
peito; o, pois, ainda mo damos crdito a somelhan-
le boato, que he bem possivel soja Uo falso como
outros muitos que os promotores da revolla teem fei-
lo circular pelas mas desla cidade, bem como o da
mor te do xm. Sr. general comniandante das ar-
mas. Entretanto, aguardamos as sobreditas parti-
cipages, o, logo que asobtirermos, p-Us hemos sb
o dominio do publico.
iibeagao a peiuo.
Os leilores perdoar-nos-hflo, sem duvida, esta di-
lra< loressln mo nn fnrrou ilAr de non nm pnlimn "
mil saceos e barricas, e So se leu eectuado venda 18res'3o a S"0 "os rorcu Ur de quc nos "mos Jei de ,5 j^ 00em|frg ^ |g3,f >rt. 5I> s 14 e regu-
de importancia. jrepassadoso considerar na condigao excepcional admenlo. /
SUPREMO TRIBUNAL OE JUSTICA.
SKSst6 01 5 ou oizembro na 1848.
Vrttidencla do Sr. concelheiro Dr. Figueiredo.
OSr. presidente abri a aesslio com os Srs conce-
Iheiros Pinto, Nubuco, Cirne, Ouarle, Peganha, Per-
digan Malhciros, Almcida. Brrelo Pedroso, Slquei-
ra, Mallos, Veiga e Carneiro, &c.
Stntenca a. 4015.
Visaos, exposlos e reala los os presentes autos c-
vejs entro partes, recorrent Joso Joaquitn do llego
Barros, e recorrida a fazenda'nacional, concedem a
revista pela inju-tiga notoria com que o accordam
de f. sustentando o de f. privou o recrrante da pro-
proJado e posso quo por mais da canto c sessenta
annos linha por si de seus antecessoras de parto dos
terrenos concedidos pelas cartas do sesmaria a f:
porquanto verificando-se por ellas queao cap tfio-
mr Joflo do Rogo Barros fram concedidos, de pro-
priedade e livres de pensfio, em remunoracao de
servigos, terrenos comprehendidos antro o mar e o
rio, no lugar boje denominado Fra-de-l'orUs, he
manifest quo essa conCssAo comprehendeu terre-
nos que slp propriimeate do marinlia, segundo a
He incontestavol a validade dessa concessSo, por
isso que foi feita em nome e por autorsacBo da co-
ra nessa poca revestida de piona soberana, bem
como o ho que as expresses, com quo se acharo
enunciadas as mesmas concesses, constiluem titu-
lo expressO'O especial, de que falla o oflicio do Ihf-
souro publico de 24 do setembro de 183S, dirigido
ao presidente da provincia do Rio-de-Janeiro, ne>
cessario pira que se entendam concedidos taes ter-
renos.
Prnvada assim a legalidade da natureza da ron-
cessflo, he manifest o direilo da propriedada e de
posse que tem o recorrenle nesses trrenos, direilo
'garantido pela conslftuicSo do imperio, quenfiofoi
invalidado pela citada lei de 15 de novembro de 1831
e Irgistseflo posterior. Accresce qua nflo poda o
recorrenle ser privado desso direito do propriadade
o posse de mais de cenlo o sessenta annoa em bene-
ficio da fazenda publica, sem que fosee por ella
competentemente accionado, o qua se verillca dos
autos que nSo aconleceu, tendo sidojulgado impro-
cedente a reconvengflo a f. com que Vek o proourt-
dor-ilscal pelo accordam a f que passou em iulgado.
Rometlam-se os autos relaco d Rio-de-Janei-
ro para seu novo julgamenlo.
COMMERCIO.
CONSULADO GERAL.
RRNDIMENTO DO DIA 8. t
Diversas provincias.
C:017.505
22,189
6:039,694
RENDIMENTO NO MEZ DE DEZEMBRO DE 1848.
Consulado de 7 por cento 58:342,580
Dito de 9 por c. ..... /
Dito de i ;........... 59,479
-------------58:375,059
Ancoragem para fra do im-
perio................ 5:816,975
Dita para dentro do dito.,., 403.S77
-------------5:790,632
Sello fixo....., ,........ 676,080
Dito de ttulos ... 15/500
*------------ 691,580
CorlidOes............, 14,920
Siza do 5 p. c............ 790,000
Dita de 15 p. c........... 607,500
Mullas................... /
66:199,711
Divertat provincial.
Dizimo do algodflo da Parahiba. 718.537
Dito do algodao do Uio-Crandc -
do-Norte............... 4,030
..... 732,567
Dito do dilo d'assucar das Alsgas 1:5I3,S67
68:U6,245
Deposito oxistonte....... 6:916,893
Ditos restituidos........ 1:927.969
O administrador,
Sedo Xavier Carmir 4* Cunkm.
CONSULADO PROVINCIAL.
REMUMKNTO DO DIA 2.......... 3:353,983
RENDIMENTO NO MEZ DE DEZEMBRO DE 1848.
Direitos de exportagflo do 3 por cento 24:235.201
Ditos de dita de 5 por cenlo..... 1:791,292
Taxa............ I:84S>,3(!0
Capatazia........... 771,sin
Decima urbana. ........ 16:379,418
Meia ciza dos escravos...... 947,000
Meio sold o sello do palontes ds guarda
nacional............"' 222,200
Novos e velhos direitos. .... 416,994
l'assaporles de polica ....... 4,800
Escravos despachados...... 30,000
Sello de brancas e legados..... 331,010
Imposto do serrara ....:.. 12,800
Dito do fabrica de chapeos. .... 12,1*01
2,500 ris por cabega de gado. ... 90,000
Multas.....-...... 49,742
Juros.....*...... 1 -2,820
47:160,301
Resliluicio.......... 4,275
Liquido --------
47:156,031
Mesa do consulado provincial, 30 de dezombro de
1848.
Oescrivfloda primeira seceflo,
Joio Ignacio d Reg.

17,885
1:115,0*7
485,730
212,268
6,0w
268,41*
IMPORTANCIA DOS RFNDIME.VTOS ARRECAD.VD0S
PELA RECEBED0RIA DE RENDAS INTERNAS CE-
RAES DA PROVINCIA DE PERNAMBUCO, EM TO-
DO MEZ- DE DEZEMBRO PRXIMO FINDO.
A saber :
Poros de terrenos do marinba .
Ciza dos bens de raz ......
2* dcima de mflo niorta......
Direitos novos e velhos......
Ditos do chancellara.......
Dizima da mesma........
Sello fixo ,........1:101,450) 9.7M 050
Dilo proporcional. ..... .1:654,8001 *""'
Premios dos depsitos pblicos..... 188,910
Imposto de casas de modas........ 360/000
Dito de despachantes da alfandega .... 2j.0W
Emolumentos do cerlides....... i**
Carlas de hachareis ....... 12.000
Imposto do lojas aherlas........4:383,100
Dito de barcos do interior....... 14,400
Taxas do escravos ,........ 292,000
Total.....10:137,768 j
Itccebedoria, 31 de draembro de 1848.
O escrivao,
afea**; Antoni* Sintitt V

*
m
l


^_-
V
t i..,.' I J-
RI0-DE-JANE1R0.
CAMBIOS KO OH 23 DE DEZBUBBO I)B 1818.
Cambios -sobro Londres.......8* 1/2 241/4
, Pars.........300
> llamburco .<-!. 720
Metaos. Oncas liespai.holas T .... nominal.
da pltia. ;.....31,000 a 31,200
Ppeas de 6,400, velhas 18,009 a 18,500
- Pesos hospnhes......>20 a 2,040.
. w da patria....... 2,020 a 2,040
a. Patacoes..........* 2,020 a 2,040
Apolicesde 6 por oonto......8S
provinciaes........ 871|2a 88
( Jornal do Commercio.)
fc
Leilfto.
BAHA.
fMHOS NO DA 21 DE DEZKHBaO DE 1848.
Londres '. .'......_. 241[2aS43|4
Paris .'
. Ham burgo
Lisboa .
Christophers & Donaldson, tondo de liquidar
certas con tas, fa rilo le liio, por intervencflo do cor-
redor Oliveira, do seu deposito de preciosos e bem
condecidos vinhns de Chaoipanhs, cxcellente Ma-
dnira, Porto, Xerez, Clarte, ago'ardenle do Franca
branca e escura, o licor de ccrejas, tanto cugorrafa-
dos, como alguns dos vinhos em barris, om lotes
grandes uu pequeos a vontade dos pretcndentes :
hoje, 3 do Janeiro, s 10 hores-da [manhila, no seu
armazem, ra do Trapiche-Novo.
Avisos diversos.
385
.
...........nominal
........ 120 p. c.
Jfetaei.
Oncas hesponblas........31,500a 31,700
> moxicanas........". 31,000'a 31,300
Peca do 6.400.........17,400 a 17,600
Modas de 4,000........' 9.300 a 9,500
PatacOe brasiloiros........ 2,000 a 2,020
hespanhes. ,.....2,000 a 2,020
mexicanos .' 2,000

C Mercantil.)
Movimcnto do Porto.
Ntpio mirado no da 2.
Bio-de-Janeiro, Baha e Macei ; 9 dios o rio ultimo
porto 19 horas, vapor brasileiro San-Sebtutiilo, de
300 toneladas, commandanle o prinfeiro lente
Antonio TorresSo, equipagem 29. Passageiros :
para esto provincia, o coronel Joflo Jos da Costa
Pimenlrl con 2 camarade e 1 criado, 1 fuzilciro
naval, 1 marinheiro, Srecrutas para marinha, 2
desertores e I ox-soldado com sua mullier; para o
norte, Roberto Alejandre Rasset e 2 ex-soldadoi.
/Vacio takiiot no meimo da.
Em eommis3o ; vapor de guerra Urania, comman-
dMitc o capiluo-lenento Jos Eduardo Wanden-
colk.
New-York ; galera americana Shiffeld, capililo E.
II. VVbilc, carga a mesma que trouxe. ,
m
Declaracoes.
Peranlo o conccllio de adminislracilo naval tom
de contratar-ge em arremalacilo, para o forneci-
inenlo dos navios da armada o enfermara da mari-
nli, pelo lempo que convencionar-se, o seguinle
ago'arilente, assucar branca, arroz pilado, azeile-
doce, bacalbo, bolacha, cf muido, carne secc,
carne verJe, carne de porro 'ode vacca salgada, fa-
milia, fctjffo, telilla em acbaa, pfio, velas do esper-
maccle, ditas de tobo, toucinbo e vinagre ; para o
que convida-se a quem convier fazer laes forneci-
n'.ehtos a aprcsenlar suas propostas ao mesmo
eoncelho a 12 horas do da 3 do vindouro me/de
jaBoiro, declarando o menor pi eco e o neme do fia-
dor, que ser pessoa para esse lim habilitada ; bem
como nSodmiltem-se propostasque offerecam aba-
tes sobre quaesquer oulras Sala das sossoes do con-
cellio de adminislracilo naval, 23 de dezembro de
1848 O secretario, Chrittotio Santiago de Oliveira.

Avisos martimos.
Paia Lisboa sabe com muita brevidado o bri-
guo portuguez Conceicdo-de-Mana, por ter grande
parle de sua car(?a prompla : quem no mesmo qui-
zer carrrgar ou ir do passagem, para oque oflereo
excedentes rommodos, dirija-so aos seus consigna-
tarios, Thomaz do Aquiuo Konseca & Filho, na ra
do Vigario, n. 19, ou ao capilOo na Praca-do-Com-
mcrcio.
Para Lisboa ssbira, com a maior brevidado pos-
sivjl, o bem conbecid o lirigue portuguez Tarujo-
Primeiro, capililo Mantel du Oliveira Fanec: lem
pa> te do aua carga engajada: para o restante e pas-
sageiros, para o quo offerecc assciados c'ouimodos ,
trata-se com o capil&o na praca ou com o consig-
natario FirminoJ. F. da llosa na ra do Trapicho,
n. 44.
Para a Rahia sahe, por estes dias o hiato F.xa-
iacio : quem no mesmo quizar carregar, ou ir do
passagem dirija-se a luja de ferragens junto a
ConceicSo. .
Para Lisboa sahe, com a maior brevidaJe pos-
sivel, a barca portugueza Tejo capitilo Manoel dos
Beis, por tor parle de seu carregamento prompla
quem quizor carrrgar, ou ir do passagem para o
que lem cxcellentes com modos, dirija-so aos seus
consignatarios Oliveira Inultos & Companhia, na
ra da Cruz, n. 9 ou ao referido capililo, na praca
do Commercio.
Paro o liio-de-Janeiro segu vixgem, comlre-
vidaile o biigoe A nombro forrado de cobre de
primeira marcha ; dcixou de ahir no dia 15 por in-
convenientes : quem quizer carregar, uu ir de pas-
sagem, para o quo tem ricos commodos dirija-so a
ra da Cadoia do Itccife, n. 61, a fallar com Jofto Jos
remandes Magalhacs.
I'.1r.1 i lfM.Ho_l'ii>ftifA codito nr>,r, >.,....: I- I- I
- -..- "*t>--, -- -i.ikiiuD U
ongue-cscuna nacional Ollmda : lem parlo de sua
carga engajada para o resto, passageiros e esera-
vosa reie, irata-se com Machado & Pinheifo. na ra
da Cadeia do Recite, n. 37.; '
-Para Lisboa partir, com a maior brevidado pos-
sivel. o liiaio portuguez tipeeutndor, fabricado je-
cenlrinente ;.tem parle de seu carregamento prome-
ta fallando-lbe cerca *e 3,000 arrobas : quem nelle
quizer corregara frete, dirija-se ao consignatario ,
riru.ino J F. da Rosa na ra do Trapiche i.. 44
Vende-so o patacho americano Aaiii, de pri-
meira elasse, recentemente fabricado, forrado e cn-
cavilbado de cobre, de superior marcha, o mullo pro-J
prio para o trafico cosleird por demandar asneulo
17 palmos d'agoa, carregado que esteja de la.ooo
arrobas : os pretcndentes dirijam-se aos consigna-
tario, Me. Calinoiil Compaiibia, praca Uo Corpo-
Santo.p. ||.
Joilo Coslou, abridor de (Irmas o chapas, recen-
temente chegado a esta provincia, offerecc o seu
presumo ao rospeilavel publico, o ra da Cadeia
do S.-Anlonio, n. 26, aonde faz qualqucr obra per-
tencente a seu oflicio, com o maior goslo e brovida-
de pusslvel. '
0 BRAfX) DA RA7.AO N. 9.
Achar-se-ha venda hoje ao meio dia nos lugares
do costume : traz oxcelienle poezia.
O abaixo assignado faz scienlo ao respeilavel
publico quo deixou de ser caixeiro do Sr. Julio Lcite
deAzevedo desde odia primeirodocorrente Janei-
ro: bem como agradece ao mesmo Sr. o bom trata-
mento quo lho deu. Joi Francisco dot Santo
e Sika.
Na ra da Cruz, n. 21, precisa-se lugar men-
salmente um preto para o servico do casa.
A pessoa que annunciou por eslo jornal querer
comprar um canilieiro fiancez dirija-so a rua No-
va luja do funileiro, defronte da ^ConceicSo dos mi-
litares onde achara satisfazlo o que procura por
preco commodo.
r- Prccisa-se alugar uin preto pai a entregar pfio
na rua cm companhia do um caixeiro, dnudo-se-
Ihe o sustento e boa paga, sendo possante e sadio:
na rua larga do Rozario, padarla n. 48.
-- Precisa-se, com uigencia ,_ de urna escrava de
boa conducta que cosa o engomme bem para urna
casa distincta ; paga-so bem': na la de Agoas-Ver-
des, n 46.
Precisa-se do um caixeiro de 12 a 14 annos, que
j lenha alguna pratica de venda : na rua de llorlas,
n. 38.
--AgustoFerreiraPinto & Inulto, com loja de
miudezas na ma da Cadeia do Recite n. 19, fazem
scienteao respeilavel publico quo lecm mudado a
sua firma coinmercialpar a defini & IrmSo.
--Perdcu-se, ou aWtaram da algibeira de urna
sobre-casaca liontam .lioite, junto ao arco do
Bom-Jesus, uan pequea carleira que, alm do
algumas cdulas miuW,4lnha urna Ictlra do 098/
rs., aceita pelo Sr. Mae ata! Carnciro Leal, a favor dos
Srs. Mesquita & Dutra e por estes endossada no
verso : foi sacada em 30 de dezembro ultimo a cin-
co mezes. Previne-se ao respeilavel publico que nin-
guem faca negocio com a referida lellra, pois que
tanto o aceitante romo os sacadores ja estilo preve-
nidos para nfio pagarem-na senfio a pessoa a quem
ella perlence. Quom a livor achado e a quizer resti-
tuir leve-a a fabrica de fundiefio dos Srs. Mesquita &
Dutra, na rua do Bru. .
Precisa-sede urna ama secca para eozinbar o
diario de urna casa de homem soltciro, e que sub-
jeite-se s compras de rua : na rua da Pruia, n. 66
Joaquim Jos da Costa e Silva laz scionle ao col-
lector das agoas-ardentes que deixou do vender dito
genero na sua venda no Aterro-da-Roa-Visla n. 8,
desde o dia primeiro do corrente.
Antonio Jos da Costa c Silva faz scienlo aocol-
lector das agoas-ardanles que dcixou de vender dilo
genero na sua venda do Aterro-da-Boa-Vista n. 2,
desde o dia pri meiro do corrente.
Oflerece-se um homem do campo para feilor de
sitio, o qual sabe tudo que se cosluma praticar nes-
ses predios : quem do sen presumo se quizer Utili-
sar, dirija-se aoManguinho, sitio do Sr. Jos Cae-
lano de Medcirus, que dir quem he o prctendento.
Na rua das Cincu-Pontas, n. 112, existem dous
pequeos brasilciros bstanlos aptos para caixei-
ro de qualqucr casa de commercio i quem os preci-
sar annuncic, ou dirija-so a mencionada Cosa.
AULA DEPRIMEIIIASLETTRAS.
O abaixo a>signado, lendo determinado dar prin-
cipio aos trabadlos de sua aula do primeiras ledras
e grammatica portugueza no dia 8 du corrente, avi-
sa aos pas de seus alumnos, e em particular aos
Srs. pais do familia que quizerem matricular os
seus'lilhos, que o podero procurar na casa de sua re-
sidencia na la Vellia, n. 32. Tambcm se onsina mo:
ninas a ler e a todas as qualidades do costuras por
urna mensalidae mais commoda do quo om oulra
qualqucr parto. Vicente Ferreira da Crvt.
Qiitcl-Commcrcio.
Rua da Caricia de S.-Antonio, n. 13. .
Do dia 3 do corrente em dianle principiars ha-
ver sorvotes, lodos os dias das 6 horas da tarde s 10
da noile tondo qualro salas dtcentemenle mohilia-
das, sendo dos para homenseduis para senhoras
Quemliver para alugar um preto ainda moco,
diligente e (el, dirija-se a rua du Cadeia-Velha n.
15, que se Ihe pagara bem c se i lie dar de comer e
vestir.
Precisa-so de 12 trabalhadoros forros, ou cap-
tivos, para um trabalho dentro da cidade quo po-
der durar dous mezes pagando-se-lhes bom sala-
rio : -quem so quizer contratar, dirija-so vendada
esquina do caes do Ramos
O Sr. Antonio Lope Pereira Bastos annuncio a
sua morada, ou dirija-se a praca da Independencia,
as. 52 e 15, "."" se Ihe deseia fallar.
-- O Sr. Joilo da Silva braga queira ler a bondade
de ir a rua do Crespo n 9, que so Ihe desoja fal-
OSr. quorecebeu urna caria do Rio-de-Janel-
ro, em que se aecusava a rcmessa do urna caixa
com doco, lenha bondade de ir ou mandar a ca-
sa n. 34, na ruj do Trapiche, para a recelier.
Jos Mara de Souz, morador no engenho Li-
moeiro, na fregueziade N. S. da Kscada, declara as
autoridades policiaos, ea quem mais inloressar pos-
sa esle annuncio, que, tendo em companhia de sua
ramilia trazido daouelle engenho urna cabrinha for--
ra de nome CordoliiW, lilha de Alexrando de tal ,
daquella mesma freguis na qualldudj do criada,
por assenlimonlade seu pai, em consequencia de ser
de menor idade acontece que a dita cabrinha no
dia 31 de dezembro ultimo fugio da casa do sogro
do aiiuunciaiile as Cinco-PonUs, n. 62, onde o
' i.
mesmo acha-se aboletado levando comsigo, nlo s
loda a sua roupa como mais outras da familia do
annuncianto. Ha serias presumpcOcs do que ella fura
seduzida :noentanlo o annunciante pelo prsenlo
protesta contra quarquor pessoa quetonha em seu
poder, se inmediatamentea nfio vicr entregar, o
da mesma sorte protesta pelo roubo Teito pela dita
cabrinha: o assimroga as autoridades policiaes to-
da pesquiza, a bem do a captura-la, tanto mais por-
que a dita cabrinha com facilidado pode ser vendi-
da como escrava por alguma pessoa ni ltenla a
sua cor, o ainda mais a sua ronca idade e inexpe-
riencia. Seus signaes sfio : alta, secca do corpo, ros-
to redondo ar alegre cabello carapinhado como
de preto ; representa de 12 a 15 annos. O annun-
ciante fazem lempo a presente declaradlo para de
si amistar qualquer futura responsabilidade.
Perdcu-se ou furtaram da algibeira da sobre-
casaca do um moco na ante-vespera de festa um
par do brincos deouro matizado, com folhas fin-
gindo tres rosas de ouroesverdeado.com quasi tres
pollcgadas do comprido : quem os tiver achado, ou
tiver tomado de alguem que os andasse tandeado ,
evo-os a ro do Kncantamento armazem do mo-
Ihados, por baixodo reverendo vigario do llocifo,
que ser recompensado.
A pessoa que precisar do um criado para fra
desta provincia dirija-se a rua larga do Rozario ,
n. 28.
Precisa-se de urna mullier parda ou preta para
o serviQo de urna casa de pouca familia sendo pe-
lo sustento o vestuario : na rua do Queimado, n. 57.
Aluga-sc urna grande iropriedadc na povoaco
do Monleiro que foi do fallecido Francisco da Silva:
a Iralar pa rua da Cadeia do Recifc, n. 55.
Deposito de ra\i andarahy
e imperial.
Na rua da Cruz, n. 63, primeiro andar, escriplo-
rio de Jos de Almeida Brrelo Bastos, vende-seo
bem acreditado rap andarahy e imperial, fabricado
no Rio-de-Janeiro, sendo o nico deposito nesta
provincia ; assim como sempre se adiar no mesmo
deposito o melhor cha nacional brasileiro, emeai-
xinhas de 5, 8 e 16 libras, por preco commodo. O
rap vendo-soa retalho as seguintcs casas : rua da
Cruz, n. 62 ; rua da Cadeia do Recite, n. 17 ; rua do
Kncanlameiilo, n. 4 ruado Vigario, n 14; rua da
Cacimba, n. 2; rua do Cordoniz, n. 11 ; rua doCol-
legio, n. 9 ; praca da Independencia,,ns. 4e 39; rua
do Queimado, ns. 10, 16 e 33; rua do l.ivramento,
ns. 4, 5 e 38 ; rua da Pcnha, venda da esquina, por
bnixo do coronel Joaquim llernnrdo de Flgucircdo ;
rua Dircila, ns 6, 16, 33 e 141 ; rua das Cinco-Pun-
tes, n. 50 ; pateo do Carino, n 2 ; rua larga do Hoza-
rlo, ns. 29 e 35', rua do Cabug, n. 7 ; rua Nova, II,
50; Aterro-do-ba-Vista, ns. 4, 46 o 56.
-- Perdeu-so una porcilo de vales de charutos,
rap e de sement, da fabrica rio Francisco Jos da
Costa Compeli, assignados por diversas pessoas :
roga-so sos iissigiiiitM ios do os pagaren) smento oo
fabricante-, ou a seu'filho Vicente Liciio da Costa
Compeli ; pois breve |so dar urna ola dos extra-
viados.
Os Srs. socios da socicriado llarmonico-Thealial
que quizerem serassignintes das primeiras dez rc-
presentaefles que a cumpauhia francezo pretende dar
no theatro d'Apollo, sb a direcefio do Mr. Dupr,
acharflo no salflo do mesmo llicatro as competentes
listas para platea, e para primeira o segunda galera,
cm que poder.losubscrever seus nomes.
Uabjio assignado declaro ao respeilavel publi-
co que dcixou de sor caixeiro de sua casa Jos Fran-
cisco dos Santos e Silva, c quo nlo lem mais geren-
cia alguma desde hoje em dianle, (cando autoi isado
para receber suas cotilas o seu filho Jos l.uiz de A-
zovedo Maia. Ilecife, 30 de dezembro do 1848.
JoSj l*ite de Asevedo.
O boliqtiim da Espcianca precisa
de um menino de loan annos para cai-
xeiro, e de um preto ou moleque diligen-
te para setvenlia da casa.
Aluga-scT) segundo andar do sobrado n. 21 do
rua Nova, com duas salas sendo a da frente com
todo asseio e forrada de papel alcova, 3 bous quar-
tosccozinliafra : a tratar na loja do mesmo so-
brado.
-- Precisa-sede um homem de idade, e que teja
capaz do lomar conta do um sitio no Capunga o tra-
balhar no mesmo sitio sendo casado mcltior: na
rua do Caldeireiro n. 46, otras dos Marlyrios.
-- L. G. Ferreira & C. deelaram que I". A. Dose uo
lie mais seu caixeiro.
Contina no mesmo gyro o boti-
quim da Lsperanc na rasa u. i26daru8
du Senzalla-Vellia, confronte a Irivessa
do Can!pel!o, no Lairro do Perife.noqonl
acharao os freguezes comidas ebebidas de
diversas qualidades, assim como apromp*
tam-se pura lora quaesquer comidas de
todas as qualidades, com o maior asseio e
perfeicao : ludo por preco commodo.
Quem Ihe fallar um carnciro dirija-so a rua do
S.-Amaro, n. 10, que, dando os signaes certos Ibej
ser entregue, pagando os annuncios e a desjeza
que se tem feilo.
Precisa-se do urna ama de loile: na rua da Moe
da, ii. 11.
tenientes de flores as mais bel-
las (I it o ropa.
He chegado rua Lrga do lozario, n.
*4. o mais bello sortimento de semcnlcs
de llores das bellas damas, como sejam :
era vos c cravinas, rainuculos ,de diversas
cores, borbolilasdc Molland, goivs de
cores singelos e doblados, Jacintas, topes
de daina,junquilhos, seciasdobradas,as-
sim como a venladeira scinenlc de tve-
flor. Os amadores d i nalureza e.nconlra-
r3o alucoin que, em pouco lempo, p. sam tornar a admiraco da Europa no
Brasil.
Os Srs. que tecm fallado para arrendarem a pro-
priedado da trovessa da na da Madrc-dc-Dcos, u.
16, pdeiii.apparccerquoj se ullimarain as obras
quoseestavam fazendo em dita casa: na loja dos
Srs. Jos Antonio da Cunta & Irmiios, [se dir quem
luga.
No escriplorio de Jos de AlmeJa
Rarrcto Basto, rua da Cruz, n. f3
assigna-se para o iinprcssSo da segante
obra:
Coiiuneiitaros r/a Conde r/V Tracj;
sobre o espirito das lei., de Wontesquieti,
e memorias sobre os metal de (undar a
moral de
um povo.
pagos uo
Sdbscreve-se por
acto da enirega da
4,000
obra.
Desapparoceu, no dia 4 do corrente da casa
de Rotho & Uidoulao rua do Vigario n. 4, um ca-
chorrinho de raca ugleza com os signaes seguin-
tes : pequeo, lodo prtto, e orelhas grandes: quem
o adiar o levar a casa cima, ser bem recompen-
C APEOS DE SOL
Rua O-fabricante deste eslahelecimento adverte ao res-
peilavel publico desta cidade quo elle possue pre-
sentemente um rico sortimento do chapeos da sol,
assim como chapeos do sol de seda furla-cdres, dos
mais ricos que teom apparecido ueste mercado, e de
cores conliecidas ; altos para senhoras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas de rctroz, ludo quo lem do ii.ais moderno o do
melhor goslo; um completo sorlimonlo de chapeos
do sol do panninho de ludas as cores e do todos os
lmannos, para homeiis, senhoras e meninos: ha
tiimbeiu igual sortimento de faiendas para cobrirar-
macOes, tanto de sedas de cores, como do paniijnbos
(raneados e lisos imitando sed. Adverle-se que os
fregueses serio servidos com brevidade, e se acha-
rilo satisfeitos da boa qualidade, do bom goslo e do
bom preco.
Ao respeilavel publico.
O proprictario do armazem de vinho
da rua da Madrc-de-I)eos n. 36, de-
clara que este eslahelecimento nao tem
outro armazem filial, como alguem ha
que o inculca ; e para conhecimento do
publico, Caz o prsenle annuncio.
- Precisa-so de um distribuidor activo para dis-
tribuir i; ni .-i obra e orrecadar o importe das assig-
noturas : paga-so bem : na rua da llniio, n. 1.
Lotera do llicatro publico.
0 Ihesoureiro des I o lotera, imposibilitado ainda
de poder marcar o dio para o andamento das respec-
tivos rodas, por isso quo a venda dos bilhctes tem
sido fraca, esem nculiiim adiantamcnlo, julgode-
ver declarar ao respeilavel publico, que, logo que a
mesma vendo se,adianto mais alguma cousa, ser
enliio designado o dia definitivo para o andamento
das rodas; o pora que isto so verifique com brevi-
dade roga aos amadores deslcjogo, quo se apressein
a comprar os bilhctes que existem em ser.
9 W>
ft; Aluga-se, para o lempo da fesla ou vende- 4
? de pedia e cal, concertado c pintada de novo, ?
om cacimba de boa agoa do beber bastan- ?
d tes arvorerios de fructo, e ludo cercado de Ii- <4
) niilo : quem o pretender dirija-se a casa do *
a Sr. JosAutonio de Lima morador no mes-
fi mo lugar. p
*
30,000 rs. do'gratificac.lo
a quem loiixcr a escrava crioula, donme Cathari-
na com una lilha cabrinha de 3 annos cujos sig-
naes aehain-se ueste Diario nos ns. 240 a 250 : a es-
crava foi seduzida por o pai da cabrinha o qual be
pescador, ou pombeiro e mora em urna destas
praias al Po-Amarello.
Aterro-da-Boa-Vista, n. 10,
l'ommatcau cutileiro o
ariDciro.
Acaba-se do receber, pelo ultimo navio cliegodo da
franca, um sortimento de cutilaria fina, bem co-
mo : tcsour.is grandes para nlfaiale ; ditas pora cos-
tura do senhora molde rico o do ultimo goslo;
ditos de jardim para cortar flores ; ferros de varios
moldes para o asseio dos millas ; caivetes de mo-
la ; ditos paro aparar peonas j estojo de viagom pa-
ra homem : espingardas ; brides ; cabezadas ; chi-
cotes pora carros; fundas; navalhas para barba,
ele. : ludo de superior qualidado.
Sorvetc.
Na rua d> Bangel, deronte do becco
loTreni, est prompla urna saia para re-
ccbei aquellas familias que goslam de to-
mar o bao sorvetc das l'ruclas do lempo
prsenle tendo mesas para homens, sc-
pnradas das senhoras; ter tambcm se-
nhoras para servir : principiar, domin-
go, 3.1 do correntf, de seis horas cm di-
anle.
Vendas.
Folhinhas ara escrpiono.
Vciiioni-se folhinhas para escriptornveneertoua-
daseinpaiolo, a 320 rs. cada um. EsUl IWni-
nhas mos'lram a primeira visto os das santos de
guarda os dispensados, os feriado na juslicae nos
Iribunacs.semrecorrer-se a lohclla dos feriados,
o apenas luiiiam um expaQO de um palmo : na praca
da Independencia, livrarie M.6 e 8.
m ( ()li!U..
10
Vende-sc cobre para forro e caldeirei-
: na rua da Cruz do llecife, n.. 17.
Vciidcm-sc a5 pias de filtrar agoa,
lodas jimias ou a retalho : na serrara do
Cardeal, Praia de Sapta-Uita, n. i5.


'
.
*
h
Vendem-se semeas cm saccas muilo grandes ,
a 1,500 rs. : na ra da Madru-de-Deos, arinazein de
Vicente Kerrcira ila Costa.
ile trigo franceza dcnoini-
A 1,800 rs. a peca de 20
(jardas.
Na loja de Cuimarlies & C.ompanhia ra do Cres-
po n. 5, vondem-se pegas de algodaozinho de boa
qualidade com um pequeo toque do avaria,
pelo barato prego de 1,800 rs. a peca de 30 jardas.
Taboado de pinito da Succia,
de 10 a 33 palmos
de comprimonto o melltor que tero chegado a esto
increado, em razflo de se poder envernizar em qual-
quer obra por nSo ter nos e ser muito alvo sen-
do costado, costadinho, assoalbo, forro e para fun-
dos do barricas: vende-se a prego que o comprador
far todo o negocio: atrs do theatro, armazem de
Joaquim Lopes de Almeida.
FARKI.O EM SACCA9 l)E 90 LIBRAS :
vende-se no armazom de Vicente Forreira da Costa ,
mi ra da Madre-de-Deos, a 3,500 rs.
No deposito do Me. Calmont & Companhia na
rua de Apollo, armazem n. 6 achn-sc constante-
mente grande snrtitnento de ferragens inglezas para
engcnlios deauucar corro sejam : taizas do ferro
coado de diffcronles modelos, os mais modernos
dita* de ferro batido | moendas de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira ; uilas todas
de Ierro, tanto para agoa como para animaes ; ma-
chinas du vapor de frca de quatro cnvallos o de al-
ta pressilo o mala moderno e simples que be possi-
vel ; repartideiras ; espumadeiras ; rcsl'riadoiras de
ferro cslanhado; formas de ferro: ludo por prego
commodo.
Vende-se ca virgetn de Lisboa,
clicgada no ultima navio, em Larris pe-
queos, por menos do que em outra qtial-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
xem n I7.
Manuel da Silva Santos vende
perior (arinha
nada liaron.
Vcndein-ie barril pequeos com calvlrgcmde Lia-
boa, a maii te va que ha no mercado, por prec-o co-ui
modo : uarua da Moda, armazem n. 17.
Polassa.
Desetnbarcou lia poneos das urna por-
efo de Larris pequeos, com muito nova
e superior potassa, c se acham venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se vendia, na rua daGadeia-Velha,
armazem de Baltar&Oliveira, n. a.
Visillo barato.
Acha-se estabelecidn na rua da Madrc-de-Dcos ,
d. 36, um armazem de
Vinlios da Figucira,
de ortima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para nilo liaver dolo do com-
prador sero lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se immediila-
mente a outra cheia 1 tambem ha barra muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
pietario dcste cstabelecimento pede encarecida-
mente que se nflo illudam avahando, pelo diminuto
prego e sem conhecimenlo de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
urna vez provar, continuar com gosto e sem arre-
pendimenlo. E o bom prego!!! A todo o exposto
uccres.ee o asscio e boro acondicionamento o que
tudo se poder verilicar em dito cstabelecimento.
Fardo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes a 3,50o
rs., ditas pequeas a 8,800 rs 1 no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na ruado Amorim, n. 3.
Cal de Lisboa.
Vende-se muito nova e superior cal
virgetn de pedia, desembarcada La pou-
cos das, e cm Lairis pequeos de quatro
arrobas e mcia ; na rua da CadeM-Yelba,
armazem n. 13.
^eiafQitf^^^w^tiaaiiiy&iB?^
Vende-se na rus da Cadeia do
5 Recite, n. 37, cera cm velas, fabri-
cabas no Hio-de-Janeiro, em urna
das mclliorcs fabricas, e cm caixas
pequea, muito bem sortijas, por
ser de 3 ate iG em libra ; e tam-
bem lia velas de urna c de meia libra*
Lrand5es, por preco mais Larato do
que cm outra qualqucr paite.
1
Vendem-se actjes da ex
unca companhiade Pernambuco
c Parahiba: no escriptorio de O-
liveira limaos & G, rua da Cruz,
n. 9.
-Vende-so urna prcla de nagflo, perfeila engom-
madeira, cozinheira, bolcira, onsaboadeira o copci-
ra ; nilo tem vicios ncm dofeitos, oque se garante;
ou troca-si! por um moleque de nagflo, cozinheiro :
na rua da lni'io, ultima casa do lado esquerdo.
Veudein-ae presuntos para Hambre; quoijos
londrioos; ditos de prato; latas com bolachinha
finaie Lisboa; ditas de araruta ; conservas novas ; 1 deposito 80 estar aberto s II bofas
mostarda ; potos com sal fino ; latas com marmela-1 fflea j manbjia, e denois das 1 horas da
da nova ; ditas com hervilhas; caixinhas com mas-|i_
sas linas ; vinlio moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, par preco com-
modo : na rua da Cruz, no Recife, n. 46.
RUA DO CRESPO, N. 5.
WovosriscadQS-indianna, a
280 rs. o covado.
Na ioja de CuimarSes & Companbia, vendem-se
osnovos riscados indianos, de quatro palmos de
largura cores flxas e padrOes muilo modernos, pelo
barato prego de 380 rs. o covado.
FARELO
em saccas muito grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da ConceigSo,
Na rua do Crespo, loja de 4 portas, n. 12, ven-
dem-se chapeos de castor pretos, do muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Na loja 11. 5 A da rua do Crespo, ao
p do arco de Santo-Antonio, vendem-se
mantas de laa eseda, muito bonitas, pro-
pi as para meninas, a 1,600 rs. cada uuia ;
ditas de tarlatana, para senbora, a 1,000
rs. ; assim como- cbapos de sol de seda,
astea de ferro, os mais superiores que ha
no mercado, a 5,000 rs.
Lonas inglezas.
Vendem-se pecas de lona inglcza, de
Loa -qualidade, e por preco mais barato
do que em outra qualquer parte : na rua
da Cadeia do llecife, armazem n. a.
tarde.
Na padaria da rua da Guia, no Recife, haver
todos os dissa yenda o novo pao de Provenga fa-
bricado por outro modo que o actual e da melnor
farinha que lia no mercado : parate motivo nfio se
pode fazer aenSo a 40,80 e 160 rs.
Cenlina-se a vender, na rua da
Cruz.n. (Jo,caixas com cera de Lisboa,
sortimenlo vontade do comprador.
1
POLHIfflAS PARA 1849.
FOLHINHA DE PORTA, a 160 rs.
Dita do ALGIBEIRA, contendo, alm do kalenda-
rio, urna collecglo desegredos e remedios para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a que se reuni o ALMANAK administrativo,
mercantile industrial da provincia : osle almanak es-
t accrcscentado com todos os estabelecimentos de
porta abcrla, a 320 rs.
Vendem-se na praga da Independencia, livraria
ns. 6 e 8; no Atcrro-da-Ba-Visla, botica do Senhor
Moreira ; e cm 01 inda, botica do Senhor Rapozo, rua
do Amparo.
Vendem-se saceos com farelo,
ebegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo is.: na rua da Sanzalla-
Velha, n. i38.
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada bou tem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua nitiito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 3$.
CIIA'BRASILEIRO.
Vende-se, no armazem de molhados atrs do
Corpo-Santo, 11. 66, o mais excollente ch i produzi-
doemS.-Paulo, que tem viudo a esto mercado ,
por prego muito commodo.
Snalos para Scnlioras.
Na praga do Corpo-Sanlo, n. 6, so diz quem tem
para vender sapatos de Senliora, do cnuro de lustro,
courinho de duraque, e alguma obra de bomem
poucas, por grossoo meudo chegado 8 das; obra
superior em qualidade, e ultima moda.
Vende-se a verdadeira e muito superior fari-
nha SSSF, a rctalho e em porgio ; dita do ou tros au-
tores : na rua do Vigario, armazem de Francisco Al-
ves da Cunha, n. 11.
Vendc-se superior farinha galega em meias
barricas: np armazem Ja rua da SeuzalJa-Vciha,
de Matheus Auslin & C.
Vendem-se barriquinhas com cal virgem de
Lisboa, muito nova; fechaduras para portas de
armazem ; rclruzdo Porto; barris cpin alcatrflo da
Suma ; pilulas da familia ; ancoreUs com azeito-
nas, por prego commodo : ni rua do Vigario n. II,
armazem de Francisco Alvos da Cunha.
Vende-so algodilo da ierra de superior qualida-
de : na rua do Queimado, n. 20.
Ven Je-so viuho do Corlo, muito superior, e
de oulr.is qualidados, cm barris de quarto, quinto,
Malo, stimo, oitavo eem pipas, por prego muito
commodo: na rua do Vigario, armazom to Fran-
cisco Alves da Cunha, n. II..
A bordo do patacho Alagme, ancorado >m
frente do trapiche do algodfto, vende se Tariulia de
mandioca de boa qualidade.
I'l HOVI.MIODA FICUEIRA.
Existe no armazem de rrilidcs, atrs de Cor-
po-Santo IV. 66 urna grande porgo dcste genui-
no vinho que se est vendendo pelo diminuto pre-
go do 1,120 rs a caada e4 160 rs. a garrafa ; tam-
bem lia em pipas que se vender mais cm conta : be
oslo o melhorde lodos os vinhos que se teem an-
nunciado pela sua simplicidade e oplin* paladar:
quem urna vez o beber jamis deixai de o com-
prar.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barris de i
arrobas chegada pelo ultimo navio, por pre,o commo-
do : a tratar com Alincida & Fonseca.ua rua do Apollo,
Vende-se muito superior lagedo de Lisboa, c
" .viffcein em barris de 4arrobas, por mdico preco:
ruido Vigaiio, n. 19.
Madeira de pinho.
Vende-se a melhof madeira de pinho que te
vindoa este mercado: na rua da Madrc-de-Deos,
armazem de Vicente Ferreira da Costa.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
Babia ,
muito proprio para saceos deassucar e roupa de es-
cravos: vende-se em casa de N. O. Bieber & Com-
panbia na rua da Cruz, n. 4.
Agencia da uiidicao
Low-Moor, rua da Senzalla-
nova, n. 49.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimenlo de moendas
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e taehasde ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Vende-se um lindo molecole, de
17818 annos de idade, qne sabe cozi-
nhar : na rua da Cadeia do Recife, n. 37.
Gigarrilhos hespanlies.
O proprietario do armazem n.66, atrs da igreja
do Corpo-Sanlo no Recife, faz soiente aos fuman-
tes do bom lom que elle recebe por ledos os vapo-
res vindoa do sul, estes deliciosos cigarrilhos, que
sSo do nico deposito bespanbol que ha no Rio-de-
Janeiro.
-- Vendem-so 226 mcios de sola : na rua da Praia-
de-S.-Rita n. 3, defronle da ribeira do peixe.
Vende-se o ptimo e excedente bacalhio de Lis-
boa acaba de chegar por amostra, pela barca Tejo;
he tito superior quei quem comprar e provar co-
nbecer da sua bondado ; basla ser deinolhado por
seis horas, edepois deitando-se-lhe agoa a ferver
em vasilha propria onde fique abafado por urna a
duas horas, torna-se t,1o cozinhado, alvo, porfolio e
Uosaborosocomoo mais estimado peixe fresco e
he sobremaneira barato, porque apenas se vende a
rasflo de 11,500 rs. por barrica, contendo quinlul
cada urna: aquellas pessoas que sabem apreciar o que
he verdaderamente bom ( nSose encarece o genero,
vindo tilo smente para experiencia ) dirijam-se ao
armazem do Sr. Racellar, dcfionteda escadinha da
alfandega oo ao corretor Wiveira.
Vende-se urna escrava moga com algumas
habilidades : na rua llireila, n.20, primeiro andar.
Contrata-sola venda doj-zOO a 30J barris de ex-
cellcnto mcl de furo : quem os pretender dirija-ae
a praga do Commercio u. 2, primeiro andar.
Livros em brancos paulados
e borradores.
Vendem-se livros cm branco, pautados, de 50 a 400
folhas, de muito bom papel, assim como borradores
de 500 folhas de papel almasso, l.'sorte, por prego
commodo; na loja do palco do Collegio, n. 6, do Jolo
da Cosa IKiurado.
Vende-se um molecole de 20 annos, de boa
figura : na rua Nova, n. 16.
Vendem-se espadas com baiuh de ago, muito
em conta; na roa Nova, n. 16.
-- Vende-se um moleque de nagdo, de 18 annos,
de bonita ligura; na rua do Queimado, loja de ferra-
gens, n. 3i.
Papel almasso-primeira sorte
muilo bom.
Vende-se ns loja de livros do pateo do Collegio, n.
8, de Joflo da Cosa Doura.do.
iii.-u;.i.\s
Quartos de larriquinliascom
cxccllenlcs maclas, vin-
Jasnogeloo desembarcados boje, estilo fresqui-
nli.is, proprias para presentes : na rua da Senzalla-
Velha, deposito de gelo, ou na rua do Vigario, ar-
mazem n. II, do Cunha.
Vende-so, na rua de Agoas-Verdcs, n. 46, urna
bonita molcca do 16annos, com boas habilidades,
c que he rccolbida ; icscravas para todo o servigo;
um esciavo de 25 anuos, que lie mostr pedreiro;
um dito ptimo para sen ir a qualquer casa, por ser
muilo fiel; um dito bom carreuo ; um pardo alfaia-
le; urna mulalinha de 18 annos, quo cose nuii bem;
o moiivo da venda se dir ao comprador.
Vendo-so, por prego commodo, para se fechar
cotilas boan fumo em folha para fazer charutos,
eS fsruinhos pequccs: no ar'"iam l'clix da Rosa, na rua da iladre-dc-licos.
Vendem-se 3 escravos de bonitas figuras, Ion-
do um dolles principios de alfaialo, por prego com-
modo : na rua de Trapiche, u. 34.
Vende-so inuitoboa macclla em caixas, che-
gada pelo-uilimo navio do.Porto: no armazom de
tiias Ferreira no caes da Alfandcga.
Vende-so urna escrava ptima quilandeira, por
prego commodo: na rus da S.-Jtita-Nova, n. 16.
Vende-se um cavallo coi bous andares: na
coche a da rua da llorentiiia.
Vende-se a venda da rua do Apollo, n.2i, com
poucos fundos: quem a pretender, dirija-se a rua da
Madre-de-Ueos, i tratar com Vicente Forreira da
Costa.
-- Vendem-se duas escravas, de 15 annos cada
urna, proprias para to^p o servigo ; um moleque, de
12 annos; urna niulatmhi, de 7 annos : ns rua do
Fogo, n. 23, se dir quem vende.
Vende-se sal de Lisboa a bordo do
pitacbo poriuguez D.-Anha: noescrip-
torio de Francisco Sevcriano lt abe lio &
Filfao,
r No armazem de Joaquim da Silva
Lopes vendem-se saccas com caf de es-
collia de primeira qualidade, a 1,700 ra.
a arroba ;'barricas com bacalho de esca-
ma a 9,000 rs ; ditas com Trelos a
4,0oo rs.
Hoje, 3docorrnte, estar a ven-
da no largo da cadeia umavacca prenhe,
prxima a parir, a qual se vende pelo do-
no nao ter onde a tenlia.
Vendem-se instrumentos de msica militar;
raliccas violese Oaulaa de todas as quadadea ;
pianos de armario, de eloganto modelo, e de pti-
ma vozes: ua rua da Cruz, n. 10 em easa de Kal-
kmann & Roseamund.
Agoa de perola.
para tirar sardas^ rugas e em-
bellezar o rosto.

Este celebr cosmtico foi por muilo lempo
conhecido de poucas pessoas nos Estados-Unidos;
porm sua grande ulilidade tornou-o o eomestico
mais popular qu se usa nos toilets modernos : cus-
a cada frasco 2,000 rs., envolto 00 competente re-
ceiluario; vende-se no escriptoiio de Novaes ii
Companbia, na rua do Trapiche, n. 84.
Agoa de mcl
para fortificar o I impar o cabello, remo vendo a cas-
pa conservando-llio o lustro e massieza e'promo-
vendo ao mesmo lempo a acgilo salutr das rsizes,
e desta sorlo fazo-Ios cresccr coir mais vigor e bel-
leza. Esta til e agradavel agoa lie preparada e des-
tilada do mcl de abelhas, conlcm nSo s todas as
sussvirtudes, como tambem um aroma superior
aos mais agradaveis perfumes : vende-so no escri-
torio de Novaes & Companbia, na rua do Trapiche,
n.34.
Xaropc do bosque do doulor
MoKs.
Conlina-se a vender este xarope nicamente no
cscriptorio de Novaes & Companbia na rua do Tra-
piche n. 34, e na rua da Cadeia do Recife, loja da
miodeza.s, n 9.
Vendem-se meias de linho para homem ; ditas
de algodilo ; pendras de rame ; bixas lie llambur-
go( que tambem se alugam J; pilulas da familia :
na rua do Rozario, padaria junto a igreja, defronle
da botica do Sr. Prannos.
Pasta de flor de lyrto.
Esta superior proparagflo, a melho'r al boje eo-
nhecida para limpar os denles e conserva-las- seai-
pre alvos e livres da pedia ecarie conserva a forti-
iicagLo das gongivas e evita a accumulago do lar-
taro pelo seu uso regular: cusa cads boiflo 2,000
rs. 0 vai envolto no competente receituario : ven-
de-se no cscriptorio de Novaes & Companbia, na rua
do Trapiche, n. 34. -*
Gotas egypciSes.
Remedio sem igual para a dor de denles, Ja bem
conhecido no>Rio-dc-Janoro e lias provincias do sul,
pela sua efllcacia em alliviar rpidamente a dor mais
tenaz.qur seje,motivada pela carie,qur por inflani-
mag.lo; mas so a experiencia do urna prova llie da-
r o devido mcrecimento. Vendc-se no cscriptorio
de Novaes & C, rua do Trapiche, 11, 34.
Escravos Fgidos
Milho.
ca
luruldoVigaiio, n. 19. Vendem-so saccas com rollbo, a 3,500 rs.: no pa-
K' Vdii'Je-se gelo, na rua da Senialla-|teodoTl'rco vondao. 139.
Velba n. i a, a 4>ooo rs. de uoia ai
para cima, e a meia pataca por libra
rrob 11
A. O I,
Queijps de Minas:
vendem-se na rua da Cruz, armazem o. 13.
Fugio, no dia 3 do pasudo um cscravo, de no-
meslanoel, de altura regular,- cheio do rorpo,
tem bstanle marcas de bexigas; lovou caigas de
riscado velhas e camisa d algodflozinho : quem o
pegar leve-no a seu senhor, Miguel Jos Ilarb07i
CuimarSes, na rua do Crespo, n. 5, que ser grati-
ficado.
Fugio, no dia 18 de outubro do engenho S.-
Joilo, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro, de 19 an-
nos, estatura regular, cara redonda, olhos peimcnos,
denles limados ; levou duas caigas unia.de brim
pardo o outra de riscado azul; quem o pegar leve-o
ao referido engenho ou a casa de l.ulz Comes Fer-
reira no Mondcgo, quo sera generosamente recom-
pensado.
Fugio, de bordo do brigue Sirtorio, ns manhiH
dodia 5de julho prximo passado, un cscravQ ini-
rinbeiro, de nomc Francisco -, de mgilo Jang; rc-
resenta ter 30 a 35 annos ; lem um signal na face es-
querdo, falla muito descantada ; levou caigas ees-
misa do algodao ayul, chapeo de palha pintado le
branco, o balde de Irazer ragOes e 7,000 rs. em c-
dalas; falla hespsnhol: guem o pegar leve-no
rua da Moda n. 7, que ser bem recompensado.
Desappareceu da casa do eoroacl Rento Jos Le-
nicnl.a Luis, na rua do Scic na noile de 31 de *
zeniliro das 8 para as 9 lunas, oma pn-ta de nooie
Antonia do Rozario ; levou vestido i reto com I1'11'
tas brandas ; lem 18 a 19 annos, de altura regular,
denlos alvos sadia muito ladina ; servio de mu-
cama ; levou tambem urna pequea liouxa com rou-,
pa. Quem della der noticia, ou a levar a dita casa, se-1
l generosamente gratificado.
Fugio, na noile do di* 27 do passado o escri-|
vo de nomo Si nulo, cstalura baixa de 35 anuos,
crioulo cor fula cheio do corpo com urna Oslu-
la no rosto do lado direiloi levou caigas de brim I
brancodelistrase chapeo do palha. Quom o pegsrj
leve-o a rua do Trapiche-Kovo n. G, ou a .Soledade,|
n 38, que ser recompensado.
FMMM, i NA TTF4 DI M4 f4 OWAJl.1 Wo
I
\
'- *
r," .-- _


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWUSADX6Z_4ER6D5 INGEST_TIME 2013-04-12T22:28:23Z PACKAGE AA00011611_06211
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES