Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06208


This item is only available as the following downloads:


Full Text
it> XXTV.
Sxf!i-fcira 50
i f O W""IOpublic-ielodot ni dial que n!o
, f "orrui de guarda: o prefo da asignatura he
ile 4/001) ra. por i|Uirlel, pujo rfinndirii. O
anniincloi a o asiignaules alo inseridos
raiiode 20 ri. por linha, 40 n. cui tjrpo de-
ferente, cas rrpeticon pela inetade. Os nao
astignantespagaro80n. por linhae Hio ra
eiu lypu dlll'ereute, por cada publicacao.
PHASES Di. LA NO MF.7. E DF.7.F.MBRO.
CrttrnU, a 3, i 5 horas e 47 mln. da Urde.
Luachtia, a 10, s 9 hora e25 niln.da inauh.
4/jHyoiit*, a 17, s 8 horas c 5'imln.da inauh.
M mm, i,2 hora e 3 ma. da larde.
PARTIDA DOS COMIMOS.
Guarna e Parablba, aega. e eila-felra.
RIo-G.-do-Sorle.qiiInUa-felraa ao inrio-dla.
Cabo, Serlnhaem, Klo-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no I.*, a II e 21 de cada mex.
Garanhun* e (lonito, a 8 e 2.1.
Boa-V|,u e Plore, a 13 e 28.
Victoria, s quinlas-fciras.
Olinda, todo o da
PREAMAR DE HOJE.
Prlmeira, i*7 horas e 42 minutos da tarde.
Segunda, as 8 horas e minutos da inauh.
de Drzembro de I***.
!f. 00
DAS DA SE*A!U.
2fi Segunda. <+ NaselmriilG de Nossu Se-
uhor Jesus Chrlato.
2d Terca. ++ '* oltava. S. Kstevao Proto-
inarlir. .
27 Quarta. + 2." oltava. S. Joiio Apotlolo e
Kvangelula.
28 Qulnu. 3.* oltava O Santos Innoccii-
te.
20 Seita. S. Thomai
30 Sabbado. S. Sabino.
31 Domingo. S. Sllvcatre.
CAMBIOS 140 DA 21 DE DE/HMIin.
Sobre Londres a N d. por I ,000 ra. 80 da.
Paria
* Lisboa 120 por canta de ptaaiio.
R|o-de-J.incro ao par.
! l.-si- de lelt.de boa urinas a 1' % ao me/
Accoes da comp. de Keberlbe, aV)/ r. ao p.
Oiiro.Oneaa hespanholaa 31*000 a 31/101
Mu.das de67400 v. 17/000 a 17/20-1
de (i/400 n. 1 u/200 a 16/401.
de 4/OO... 9/200 a 9#30o
Prala-Palacoe. braailelro 1/900 a l/MO
. Petos columnarios. 1/WW a 1/SMW
Dito mexicano...... 1/900 a 1/92')
PARTE OFFICIAl.
MINISTERIO DO IMPERIO.
1 SeceSo. Ro-de-Janeiro. Ministerio dos ne-
gocios do imperio, om 7 de dezemhro do 1848.
lllm.-e Exm. Sr. Sendo presentes a 8. M. o im-
perador n ofllco de V. Ex de 10 de oulubro ultimo,
e os documentos que o acompanham, no qual V. Kx ,
communicando que se linhain concluido em pleno
socego as elevos de juizes do paz evereadores a
que se procedeu na villa do Lagarto no di) 7 de so-
temhro antecedente, submette ao conhcciinento do
governo imperial que todava apparcceu vigorosa
ccr.tc5t3C"0 sobre s sus regularidad*: cnnsistindn r>
ponto essencial doqueslfloallegaromquarentaodous
cidadios eleitores c suplientes de cleitores que oju-
iz de paz presidente da mesa paroehial, apresenlan-
do-se na matriz no referido da 7 antes da hora que a
Ici marea,.acompanhado do cerlos e determinados
individuos, com ellos orgaiiisou a mesa paroehial,
hem quo ejeitores c supplontes nflo fossem, nilo obs-
tante cstarem presontes os mencionados quarenla 0
dous representantes, e reclamaren seus diretos o
a exrr-uQn da le; e por forja e voloncia os obrigra
0 dito presidente da mesa o delegado a calaren!-so
e a se rclirarem; nflo podendo V. Ex. deixar de ctm-
vencer-se que a victoria s se p'le explicar por sor-
preza e manifesta violaco da lei na organisacflo da
mesa paroehial, cujos trahalhos consequentemente
1 lio parecem nullos ; e ponderando mais V. Ex. que,
ha vendo empregado lodos os esforcos para quo a
guarda nacional c da polica nflo exercessem na-
quellas oleicOes influencia offlcil, nfio tem rasoes
para suppr que urna ou outra interviesso lllegal-
meiilo, como aecusamos representantes, cantes er
que os vencedores usaram nfio do forca, mas de cri-
minosa astucia : o mesmo augusto senhor, tondo so-
bre todos os indicados papis ouvido a sccc.fo do
conreino de estado dos negocios do imperio, e con-
formando-so por sua immediata resolucilo le 29 de
novembro lindo com o parecer da dita seceso, exa-
rado em consulta da 45 do mesmo mez, ha por bem
declarar millas e denenhum eTTellO as moncionadas
eleicoes do verea.loros e juizes de paz da villa do
Lagarto, e ordena que V. Ex. de as convenientes
providencias, aflm de que quanto antes so proceda
a outras. tendo em vista, para marcar o dia dellas,
o que dspe o artigo 9V da lei de 19 de agosto
de 1846.
Oque participo a V. Ex. rae SHa mtolligencia e
cxccuQio. Dos guarde a V. Ex. Fisconde de Moni'
Alegre. Sr. presidente da provincia de Sergipe.
MINISTERIO DA JUSTICA.
Decreto de 30 do novembro do 1848 removenloo
juiz municipal e deorphfos Genuino Antonio da Sil-
va Peres do termo do llio-Pardo para o do Presidio,
na provincia do Minas-Geruos, por assim o haver
podido.
- dem da mesma data nomeando o baeharel Be-
nedicto Jos de Araujo Toledo juiz municipal o de
orphlos dolermodeTaubat na provincia de S.-
Paulo.
dem da mesma data commulando em 200,000
rs. para o hospital dos Lazaros a pena de um auno
do prisflo e inulta correspondente metade do lem-
po em quofoi condomnado Sebastiiio da Cosa Tei-
xeira.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Illm. e F.xm. Sr. Em olicio de 9 do correte an-
nolz saber presidoncia as ocowrwneia* que entilo,
tiveram lugar nniln ilha ,c nosta occasio passo a
dar contas V. Esc. do quanto occorreu dselo
aquello lempo at esta data.
Est concluida a obrada estrada calcada que do
porlfo da balarla de Santa-Anna vai para o porto da
villa. Esle lugar oulr'ora de diulcil accesso, e que
razia eorar de pejo aos nacionaes cheffada de qual-
quer estrangeiro, lie boje aprazivel o offereco ao via-
jante urna soffrivel perspectiva. Entre a parode do
muro que guarnece a estrada e a obra quo forma a
balara esta urna casa que serve de deposito das
agoas que constantemente correiu do duas ftUfti;
na altura de 5 palmos, as agoas saagram por un
cano perpendicular em outro horizontal subterra-
neo, que vai ter a urna praca quadrada se derra-
ma dentro do um lauque dividido em rcpartrcOes
para as lavagensdas roupas. Noste mesmo lugar se
fazcm as aguadas dos navios quo urna ve/, por outra
demandam o porto para este lim o tal he a abun-
dancia d'agoa que corre depois de suspenso um tc-
gistro de forro que est na casa d'agoa, quo om me-
nos de tres horas qualquer navio ter feito toda
agoada que precisar.
Eslflo reparadas na fortaleza dos llcmedios as ca-
sas quo ameacavam ruina, bem como o quarlel do
destacamento ocallabnuQo e outros quarlei* ; rc-
prou-sea face da1 paro le que forma a escada do
Cavalleiro e fizefam-se outros colicortos de urgen-
te necessdade.
Reparou-se a casa da fazenda do gado vaceum c
addcionou se-lhe urna casinha que ica por fal-
ta de dous ou tres milheirosdo telhas coberta com
palha de coqueiro. Gontina-se no calijanienlo do
pateo da villa, e fizeram-se outras obras e concertos
menores.
Na horta do Sancho fica aborto um assu le e o do
curral foi escavado e augmentado, ambos estes c
aquelle do Charo, quo mapde cscavar no anno
pastado ,"con4om bastante agoa. Fioam pendentes
bm vesperasda colheita as safras do milho, fCijoc
mandioca.
Os gados vaceum, cavallar, langero e cabrum
prosperam, como V. Exc. ver do mappa junto : tam-
hem remello o mappa do pessoal dos convictos e o
modo por que silo elleg empregados : do estalistico
ver V. Exc. o numero de almas que existem nosta
ilha c por elle vai oread? que 990 alqueires de fa-
rnha molida velha,abastecerlo a ilha desdo Ja-
neiro at junho do anno futuro de 1849 ; e actual-
mente ficam os armazens provisionados at dezem-
brodo corrento anno.
Dos guarda a V. F.xcQuarlel general no presidio
de Fernaiido-de-Noronha, 26 de julho de 1818.
Illm. e Exm. Sr. Domingos Malaquias de Aguiar Pi-
res Ferretea presidente desta provincia. 'ranch-
eo Sergio de Uliveira, brigadeiro coinmaiidanto mi
litar.
3.
Exc.
MINISTERIO DA GUERRA.
sccc.no.Illm. o Ezm. Sr. Communico a V.
.. pura sua inlelligencia, que, a contar da data
da publicacilo da lei do ornamento vigente, he con-
ce lida aos secrotarios de todos os corpos do exercito
a gratificacilo nicusal do 4,000 res, e semelhanle-
mente a clape cni lempo de paz officialidado dos
corpos do ex*rcito, conformo o que dispOe o ait. 6 *
15 da filada lei, devendo-so para este lim observar
o seguinle : .
4.* Que toem direilo a elapo todos os oiTiciaes que
percehem a gralificagrio addicional, excepto os dos
corpos fixns, a quem se abonar nicamente uando
deslacari'tn para fra de suas respectivas provincias.^
2 o Quo esle abono s'er leito pelo valor lixado se-
mesiralmenti; para as pracjis de piel.
3 Finalmente, que a rabilo de vinbo ser addi.-
cionada nicamente quando os corpos se acbarein
rni exercicio, nos termos da le de 24 do selembro
de 1828.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-dc-Janciro,-
em 5 do dezembro do 1848. Manoel Felitafdo de
ouzu e Mello.Sr. presidente da provincia de Per-
nambuco. Cumpra-so e registro-so. Palacio do go-
verno do Pernainbuco, 23 do dezembro de 1848.
Feneira Ferina.
MINISTERIO DA MARlNIU.
Extracto do expediente de 28 de novembro de 1848.
Ao quartel-general da marinha, communicando
quo por decreto de 25 do crrente mez fram pro-
movidos ao posto de segundo Lente os guarda-ma-
riilhas Nicolao Nelto Carnoiro Lefio, Antonio Carlos
Cesar de Mello e Anilr*ade: Inifneennio da Gunhn Gal-
vilo o Manoel Ernesto de s'ouza Franca. Na mesma
contormidadeao primeli'i) commandanto da ac Ic-
iiiij de marinha e a contadura geral.

o-,
a 5
2
? ="
I?
II
"0 -O > 01"80
2 n a a 5 o =
o w u. 3 ^.^> o
= ?. ? = 2 S S-
g> -* :
I i!
m
fi
"s
K
a.
n a.
2 o
il 5
I =
SI
c- ce ,-i
c: toe
to
^^^.^^so:
w
wt^-
a, ^ toce cj
sj CJifr
ce cj J>
o '
ul KS M-
5L-
K
s 2
15 a 20
20 a 30
30 a 40
40 a 50
50 a 00
00 a 70
70 a 80
SOUMA.
W.'lM'lllillO
Fiminno
Masculillo
Fiminno
Ma sctilino
l''iiniii i mi
Masculinn
Kiiiiinini)
Uascu liiin
Kiniininn
Masculino
Fiitinino
Mascullo
Finiiuinu
Masculino
Fim i n i no
4 a 5
5 a 10
10a 15
45 a 20-
20 a 30
30 a 40
40 a 50
50 a 60
SOXMI.
TOTAL.
:mplar encontrado
o
3
3
03
3
C
B*
2 5*8
o 3 333
.-,v sr 5
D.^= -i 2
S'S S
0 q a =
s-n o a
S ai
Mil
OaT C -*
E 5 8*5'
I"
V. 3 B.
= S =
-l o i
.5-3 =
:S %
c "
-. o B
raS-a.=
1 M f)
3 'j> v r
as yo
ffl
O O."
Un q
3 li 2
O r>
22$ 5
3 3? 5
9
SI sgS^:
ri
>
>
5!


M ^ i r.
n ^- *- i.
O ^ U i
Ifl X V* V ,
5 i VU)ti?0_'-
S I 5a j*. b- c v- c.
*q ^
3-
re
ic
w <
"5'afi
5S-S3
o = *.
o. a,"
* S =..-5
ce a a a
i IS''
lis
c i c
i o a
n
nal':
b a s
c3?
n *
i::ft|
3 2 B
n o
-I
-y
vm
-'
e o < "
3 2.2-3
5LT2.
f SSi-3
8 *4S
9
r
>
>
B
Si
m
o
n
- i
9
t

3Ia|>pi da distribtdcao do servico dos senten-
ciados existentes ueste presidio.
Servico rural
3 ,Pdreiros. .
1 \ Carpina* .
3 j Pcrreiros. .
o ITanociros. .
.Hospial e botica........
i Igrcja..............
t aboa de aldcia.........
Escrcventrs ...........
Mislrc de escola.........
[Tiradores de arria pela .
ICorietorcs dos mallos.....
]''arvoeiros............
. S. i i-ailnies............
ri iniii.-s..............
JAgoadeiro ;............
Il.availeirns.............
(Srvenles do alinoxaritado .
Alfaiates e sapaleiros.......
\ .n|iieiios dos dillercnles gados .
as borlas.............
i N"a ilha de ftatoi........ .
'Srvenles as obras publicas. .
Cantaradas e pescadores dos embregados.
Dispensos prlii governo da provincia .
Invaliilos por velhos e alejados......
Ooentes no hospital............
no quarlel ........... .
1105
21
Sfiiiiina.
!l(i
Quartel general no presidio de Fernando-de-No-
ronha, 26 de julho de 1848.
Francisco Sergio de Oliveira.
COM M A INDO DAS AUMAS.
Quartel-general do colimando das armas de Vernam-
buco no erigen ho Morojo 25 de dezembro de 1848.
nllDEM D0 HIA.
^>
O general commandante das armas tem a satisfa-
co docommunicar columna do seu cominaiuio,
que no dia 23 aportou i cidade do liedle o Exm. Sr.
Manoel Vireira Tosa quo vom suceeder na adminis-
trac.'io da provincia ao Kxm. Sr. llercuiauo rerreira
Peona que segu a presidir o Maranhfio. O cominan-
daole das ui oas, cooio org3o dos seiiliinentos que
animam o nclito varfo a quem 13o acertadameiile
S, M. o Imperador liouve por hem conTiar o* desti-
nos desta provincia, laz cerlo a toda a tropa que a
presidencia actual nella deposita amis inteira eon-
liancii, e espera a continuac.no des importantes servi-
cosque el/a preslou duraule ajduiinialraqrio do seu
digno antecessor.
Josa'. Joaooim Coelho.
OlARIOIIEPEBXilDt'CO.
BECirt, 28 DE DEZEMBRO DE 18*8.
EXTRACTO OR C.AZETAS DO VAI 1'AKAlZO.
O Jornal do Conmeroio n. 833 de > o corroic, af-
anando folhas de Valparaso al 80 de ouluhro. re
sume assim oque nellas seconlem i
No Cliili continuara a reinar a maior ordem.
Ocougressj ocrupava-se com a diseusifo do orna-
mento.
a Do relatarlo do ministro dos negocios estrangoi-
ros'vfi-se que as reluees da repuhliea com as nt-
coes estrangeras alio da mas perfeila cordialidade,
menos com Uuenos-Avrej. O governo chileno espera
que o goveino argentino fara justica as exigencias
doCliili. ,.. ,. ,
k O ministerio nfio pode vencer as dilheuldades
que se oppOem a um ajaste commercial com o Rrasil.
A renda geral do Cbili em 1H4T montou ....
a :I,7I4,0"S pesos, e n despeza a 3,695,842 pesos.
0 saldo no '.liesouro para IHVSsbc a 2,173,338 pe-
sos; sendo em dinheiro 817,011! pesos, e o resto em
especies estancadas, madeiras e outros materiaes,
dividas, etc.
Ocongresso do Kquador tinha-s Quito si'ili maos auspicios para o poder execulivo,
pos principiaram as cmaras por eleger seus presi-
dentes e secretarios dcnlre o partido da opposic?ln
Tnham-sc apresentado ja varias accusaqOes contra
o presidente da repnblica.
a No Per inanifeslava-se o governo receloso do
um movimento revolucionarlo em Lima, e linha des-
envolvido grande apparato de frcas. f.ra-se porm
eeralmente que as medidas do governo tinham por
lim smente impr silencio orposico, equene-
nhuma prohabilidade havia de rompmento na ca-
pital.
a Bolivln esl enlregue novamenle aos horrores
da guerra civil. O Mercurio de Valparaso de 28 da
oulubro diz o seguidlo :
O estado anmalo de Bolivia nfio poda subsis-
tir por mais tempo. A anarebia lomou as armas, e
acba-so o paiz em plena reviluc,fo.
< Para comprchender a situado de lloliva, basta
o fado de ser capitaneada a nsurreicfio por um mi-
nistro de estado.
n De algum lempo a esla parle alguns dos homens
da administracSo propendiam aboitamento para en-
tregar as redeas do governo ao general Santa Cruz,
eal chegaram aconvda-lo para apresentar-se em
Bolivia.
Reunido o congresso, devia constituir-se logo
o poder executivo, ecom aeleiefln do presidente ter-
minavam as prelencocs dos que trabalhavam por le-
var do novo ao governo o ex-protector. O momen-
to era decisivo, mas com um manejo hahil ecom
um pretexto especioso conseguiram adiar a cleic,ao.
lis-aqui como :
Os bomens da actual adminislracSo, ao sublova-
rem-se contra o governo de llallivian, invocaram a
MnslituicflO annullada de 1830. Conslituidos logo
em governo provisorio, proclamaram esta consli-
luicno.
Para que nfio bouvesse, porm, cleicjio de pre-
sidente na aclualidade, era misler que nao houvesso
consliluic.1o, fazendo declarar pelo congresso a ne-
cessdade de refoima-la, ou antes de promulgar
outra.
" Conseguirani-n; e, declarada a necessdade da
reforma, licou-lhe subjeila a organsagilo do execu-
tivo, nfio pode levar-se a effeilo a ulecao de presi-
dente, decrc.tou-se a con(nuac.lo do governo pro-
visorio, e reviveram as esperancas da presidencia
Sania Cruz.
O general lelzn, ministro da guerra, quo tiuha
aspirarjOcs primeira magistratura, e via compro-
mcllidos assim seus desejos, aproveta estas circuin-
stancias o aprsenla ao congresso vanas cartas do
rhcfcs do exercito,partidarios seus, protestando con-
tra toda e qualquer elciciio que nfio recabisse no ge-
neral Melzu.
Ocongresso agita-se, os debales tornam-se tor-
mentosos o icni inaiu com una resolur;5o para que
todos os mcmbios do executivo, incluindo o gene-
ral llelzu, preslein na sala juramento de sustentar
com suas vidas e fazenda as decises do congresso.
u Expedio logo o congresso decretos fulminantes
contra os que inleulasscm cppr-se a suas decises,
deu ordem para que ncnhuin membro do execulivo
abandouasse seu posto, nemsahsseda capital, e in-
citou-o execulivo alomar medidas activas.
a Ciimiiiiin, nessa mesma noile sabio furtivamen-
te da capital o general llelzu, com direccio a Oruro,
onde se achavam as principaes frcas dos revolu-
cionarios.
ii Carlas de Tacna de 18 de oulubro assegucam
que Oruro e l Paz, o departamento mais importan-
te de Bolivia, estavam ja sublevados o em armas con-
tra o governo.
& Nfio adianiam mais as noticias ira/idas pelo va-
por. A'hora em que eserevemos Bolivia nada no
sangue dos seus iiliios.



f

\
im.-Y.'X'
1 '
m
4N XH< muy* IK IniTIMIKTU Bu MAio
MU nuno i WM e aocia.
Vo dia dn frrenlo, as", horas da larde, apre-
scl-rani-se .-nnoviH.. o largo Jo palacio .lugo-
vemn I < omp.mh. d arliflces do arsenal do guerra,
a de voluntarios operarios, o urna scelo da f inte
'""cebo dos educandos do mesmo arsenal, guar-
ikocimJo nina [yoca deaiti'haria de calibre I.
r-.sla frca sol. o cmninando do director do arse-
nal, o niajor Jofio Pedro de A mujo o Aguar, logo
que fez alio, apresentou armas a Sua Esc, os Sre.
Hercolana rmetn Pono* o desembargado? Manoal
Vieiraio-la, quo da veranda do palacio a conlem-
uiatta (topla marchou em continencia, pela frente
do mesmo palacio, precedida pola banda de msica
da fragata CanitilulcOo, c deslilou para o quartel.
Soai i:\cs. Ilcaram salisfeilos, nao << da disciplina
do que toda a forca den inoslraa, sumi tamben
iiniuimidade e verdadeiro arrogando militar q
observaran) na companhia do voluntarios operarios.
Minia gente se aplnhoou no largo de palacio para
assistir a revista, c toda ella se nao canea va do elo-
fiiar o digno director do arsenal de guerra, que, sem-
|-ro disposlo a sacrificar-se pela causa da ordem e
da monarcliie, jamisdeixa .lo desenvolver suroma
aelividade, sempre que se trata de ilispr as cousas
de modo a inulilisaros planos dos qucousain tentar
contra 1.1o sagrada causa.
da
. NOVAS DA RF.VOI.T*.
Consta que Va i crescendo a dispersan dos revolto-
sos ja nao ha em Pasmado Iresentos desses dege-
nerados, pois quo uina poroso dellos foi bomisiar-
se em Colinguiba, julgando pouco seguro aqnlle
outro ponto.
Assim, pois, cada \c? mal nos convencemos de
que a rcvolta est i expirar, e de que nao tarda o
da em que lenha mns de ver voltarem para a capital
as l'rcas legalistas trazondo-nos a lisongeira noticia
lo liavernn desbaratado rompletamenle esses gru-
pos de desordeiros que anda alii vaguciam.
iii< us i:s-iT.Av;riius.
fteceli.'-mos vanos orines inglezes dos quaesOS
niais recentes san datados de 14 donovembro prxi-
mo pasado.
V Inglaterra continuava tranquilla.
Oii consol* tinliam tirado a 86 I i; asarolires do
lianrn, de 187 a 189; os tres por cento reduzidos,
de 83 a 85 1 '8; ostros e um quarto por rento, de
85 5 8 a 83 3 i ; os fundos brasileiros, os pequeos,
a Til :l 8.
\a llespanlia nada de extraordinario liavia ocoor-
Ji lo.
As corles, segundo grralmenle se cria, deviam
reunir-so no da 16 de dezembro.
A presidencia do senado linha sido oflerecida a M
Istiirilz, ecorria nuc o duque de Gor seria nomcado
mnistrode llespaolw em Vieuna, eM. Donoso Cor-
to? em Berlim.
(I principe e a prineza de Capua estavnm para
partir de Madrid para Cibraltar, Sevilha o Cdiz, em
cnnscqncncia de baver protestado o principe Garini,
minislro napolitano, contra a residencia dos mes-
nios naquelia rerle.
(I Mrmnrlal des l'yrfnes de 6 de novembro annun-
ii i que Cabrera, sendo perseguido de perlo pelo bri-
gadeiro Oribe, abandonaran forca com que entrara
em Aragflo, e se retirara gmente com fi liomens
para a Calalunha.
O general Angles rhegra a Huesca no1.de no-
vembrn com 19.") prisioneiros do bando republicano
que ultimamento se lili lia sublevado, c mais 82 ca-
vallos.
Conforme a Gaulh, oschofes carlistasCnmundi o
Montas linham fgido para a Cataluuba, Itarrera c
Alia mira tinliam sido exoculadoa.
A Franca fc.ira tranquilla.
No dia 10 tic novembro foi all | roclamada com
grande pumpa e no moio do maior soreg a nova
canstitui(Io -lo paiz.
Apenas o ohcfe do concellio acabou a Iritura de
lao imporlante peca, o povo cheio de^tnthusiasrao
poz-se a gritar de urna maneira atioadora: Viva a
repblica Viva Cavaignac Viva a consti-
tuyo b
Segundo o Cnnstitulioncl, o general Cavaignac of-
ferecra a mciliac.no da republira francesa para o
fim do romper a desintrlhgcncia ltimamente sus-
citada entre a Suis-a e a Santa-S por causa da pri-
8.l0 do hispo calliolico de I'rihnrgo
Km Calais tinliam apparecido dous casos do cho-
lera asiatiro.
Da Italia sabemos que o Cointituiionnle Subalpino
de 4 de novembro publicara o i rojecto de le eloilo-
ral i ar a ronvocacio da asscmbla constituidle ita-
liana. fMa asscmbla devera preparar um paci fe-
deral, qui-, rcsprilaiido a existencia dos diirerenles
eslailnso sua Horma de governo, contribua para as-
segurar a liberdade, uiiiiioe independencia da Ita-
lia. Todos os osta.tos tlcverflo clegi-r um igual nu-
mero de repre-e .i.uites. A asscmbla devor reu-
nir-sc em liorna um intz dopois que o projeclo elei-
toral liver sido apprnvado pelos tres pnrlaincntos
italianos. Os deputadbs da Lombinla dcveriTo ser
eleitos pila consulta l< mbardt, e os das provincias
venezianas pelas cornil issoos e pe asscmbla de
Vcneza. Os deputados de .Modena e leggio deverflo
ser kilos pela Camina de ilnmitndos sania. A con-
federagiJo dovera compe-r-se do grao-ducado de ToSCana, dos dominios j onlili-
los, dan-no do Naj.ules.e..io reino de Sicilia-.- Ella
llavera ter umcxerciio, uina armada, um thesouroi
c iirn representaban diplomtica no exterior. Sua
autordade central di vera constar de um congresso
legislativo, ede un |oder exoculvo permanente. -
O congresso ser cimp 'Sto de duas cmaras, em
nina das quaes cada estado sera igualmente repre-
sentado ; e na oulra a ro pros enlacio devera ser pro-
porcional populacho. Ambas deverAo ser electivas.
poderes eonsliluilos dn cada estado, e oda segun-
da pelo povo. (I poder rxeciilivo constar de um
presidento responsavcl, e de um roncellio de mini-
tios, igualmente roupousaveis. U presidente aora
Horneado pelo roucelbo legislativo por um cs|iaco
do tempo detei minado, e os ministros o serio pelo
presidente. O congresso deliberar sobro todos os
negocios de Intoresse geral para a confederacHo;
elle dever intarvir no caso de collis/lo entre os esta-
dos confederados e algum pai/. estrangeiro, ou no
caso de urna dcsintnlligencia entre os mesmos esta-
dos confederados, &c.; os gneros transportados de
nni estado para nutro nlo deverflo pagar neubuns
direltos. A confedorac1o proclama a liberdade da
imprensa, a liberdade individual, as instiluicoes
munieipies livres, odireitodeassociacito e de petl-
9"o; a igualdade civil, piililica o religiosa, &c.
Corra que um novo armisticio pelo tempo do tres
inezes fOra concluido entro a Austria e o l'iemonte.
Segundo uina carta do Turim os insurgentes da
l.omhardia iam pardeo lo terreno de dia em dia.
O marechal Hadetzky enviara urna grande frca
militar para l.odi aflm de obrar ronira Garibaldi no
caso de (toe elle alli apparecesse: entretanto os Ve-
nezianos tinliam alcaucado algumas vantagens con-
tra os Austracos.
liorna c.\a polea goza va m tranquillidado.
Vicua conlinuava anda em oslado de sitio. Ava-
lia-sc em lut;,0UO homons o exercilo actualmente
concenlrado em torno daquclla ridade.
Urna grande desorden) levo lugar em Lemberg nos
dias 1 e 2 de novembro.
No primeiro (lestes dias os guardas nacinnaes,
apoiados pelo povo, nlaearam os militares, e depois
do conslruirein barricadas exigirn) par una depu-
tacflo que elles fi'issem removidos para lora du ci-
dade.
No dia seguinto rennvaram-se as bostilidades, o
povo armado conecntrou-se na unversidado c arvo-
rou sobre urna das barricadas, que construir, una
handoira encarnada; poim dentro do poucas ho-
ras filrain estas varridas pela artilbaria. I'ela tarde
urna commiss&odos revoltosos dirigio-se ao gene-
ral rnmmaiidanle e propoz entregara cidadodebai-
xo das seguintes condicOes :
1." A dissolueflo edesarinamonto da legiao aca-
lomica.
2 A rcorginsaclo da guarda nacional debaxo
la siipriinteniieiii'ia do general imperial.
3.* O alslameuto de lodos os estrangerns.
O ministro do interior da Uaviera ordenara s au-
toridades policaca daquallo reino a expulsflo immc-
liala de todos os esludantos pertenoentes a universi-
dad!; de Vienna para lora do territorio bavaro.
Na l'russia cuntinuava anda a crise ministerial.
O conde de Itraudeburgo dora a sua demissao, c
corra no dia ti de novembro que M. Von Duruh,
presi lente da asscmbla nacional, liniia sido cncar-
regadoda furmacilodo novo ministerio; entretanto
reinava na populaclo grande excilamento.
Movlmcnto do Porto.
0 Navio minti ao dia 28.
CalhdHt>Li*a 88 dias, barca fngloza llriiitk-
Mcrchant, do 334 toneladas, capillo Abraham San-
dirsou, equipagem 16, carga guano; aocapitao.
Vem refrescar e segu para Liverpool.
Navio tahidm no metmo dia.
Liverpool por Parabiba; barca ingleza llossenalt,
capitflo K. I i.iiiililing, carga assucar e algodTo,
Maranhflo; biate brasileiro San-Joii, captao Jos
Manuel llodrigucs, carga varios gneros. I'assa-
gero, Julio Marciano Galv.lo, Brasileiro.
toa sobr q-sesquer mitras tala das sesada* do con-
ceibo dn a.iiniuistra(.1ii naval. 23 da dezembro de
1848 (i *crrtro, ChrtHoti* Santiago dt Ollrti .
Na noite do dia 24 do corrrnte appareeeu un
quarto ruco-p".li'/, tirando a voi mclho o com can i1
go baixo, vagan lo orla ra : quem s julgn> com di-
reito, dirija-so subdelegada dos A fugados, que,
dando os signacs ci l"S, I he sera entregue.
Canuto Joii fritoio da Siltuira,
Subdelegado.
O vapor mperalri: fecha as malas pa-
ra os porto do norte boje, 29, as 11
horas da mandila imprelerivelmente.
M
---------------Obunutto.--------------------------
Entrou no dia 27 do correnle, vindo do Terra-No-
va, com 38 dias de viagem, a barca americana Mar-
tin-W.-ret, de 232 touelidas, captao I). Wighman,
equipagem 10, carga 2.700 tinas com bacalhao; a
Me. Caluionl Avisos martimos.
KMTAL.
CO!WEBCS0.
ALFANEGA.
RENDIMBNTO DO niA 28..........
Descarregam hoje, 29 iledezembro.
Ilriguo Daino massas.
Patacho Frederica paos de pinho.
Ilriguo Gabriele alhos.
Escuna llegencratdo dem.
Ilrgue C'.ute-Conett macias e castsnha.
Iliate Mary-Etcnnor farinha.
PatachoAnnah mercadoras.
Itrigue Edward-Jlenry gelo o mac.Sas.
PatachoS.-Anna bacalhao.
Patachol'abiut dem.
Brigue C.-T.-Solton idem.
falucho Anglica farinha.
Barca Zampa louca e farinha.
Brigue llrundij-W'ine idem.
CONSULADO GERAL.
RENDIMIENTO BO DIA 28.
9:342,942
V
Cera I .
Diversas
provincias.
2:761,206
71,944
2:833,2(0
CONSULADO PROVINCIAL.
RENMMENTO DO DIA 28...........1:278,509
ItlO-DE-lANElRO.
ptMBIOS no DIA 11 DR ni:/: .Miii-.o de 1848.
Cambios sobre Londres.......24 1/2 a 24 1 4
Pars.........390
llamburgo......'*-^
Metaos. Oncashcspanhlas.....31,600 t 11,700
da patria.......31,600 a 31.700
Pecas de 6,400, velhas
i) Pesos hespanhes.
> da patria. .
Ptaces......
Apoliccsde 6 por cento .
provinciacs ....
18,000 a 18,500
2,020 a 2.040
2,020 a 2,040
2,020 a 2,040
88
87 112 a 88
O Dr. Jotl Tilomas Nabuco d'Araujo Jnior, fi,!alr/o
cavalltiro lia caa imperial, caralleiro da ordem de
Chritto, e fui* de rlireito da I. vora do crime da co-
marca do llecife por S. II. I., a quem Deo guarde
ic.
I'aco saber que, no dia 15 do Janeiro, ha de come-
cara corrceilodesta cidadoe scu termo, o em con-
sequeucia no da 49 do dito niez, em 8 casa de minha
residencia devenlo entregarao escrivflo em minha
prezenca :
1." Os escriviles de quaesquor juizos, tabelliiles
de notas, seus ajudanles, cscreventes juramentados,
distribuidores, contadores, partidores, avaliadores,
advogados nilo formados, solicitadores, promotores
' rCiUGS, CUrur f^cTai, C .Iiib qUacouc OU-
trosempregados dofro, e ofliciacs de juslica, seus
ttulos, ou provisOes, e flaneas a que porveniura
esteiam obrigados.
2. Os tabelliiles denotas dcsta cidade, os deJa-
boatao, e S.-Lourenco da Matta, o escriv.lo de pro-
testos, o de Itypothecas, o do registo geral das hy-
polheras, e os escrivaes de paz, os seus lvros do no-
las, inclusive os (indos mo vistos em corroic.lo.
3. Os escrivaes, que escrevem no crimo perante
os juzes municipaes, delegados e subdelegados,
todos os processos (indos, mo vistos om correicflo,
o os pendentes, acompanhados de um rol dcllcs em
duplcala na rrma da od. I. 1., til. 58 l., e til.
79 l., e assim tamhcm o roes de culpados, livros
dos termos de lianzas, e quaesquer uniros a seu
cargo.
4 Os escrivcs das execu<;0cs, os dos juzes do
civel. o dos fetos da fazenda, do j tai /o do ausentes,
dos delegados, subdelegados e juies de paz, os
protncollos do audiencias, os dos advogados, os li-
vros dos termos do conciliario, e quaesquer outros
a sen cargo.
5.<>Osescrv.1es do orph.los lodosos livros de tu-
telas, cratelas, e quaesquer outros pertencentes
anjuzo de orph.los, os autos de inventarios pen-
dentes o lindos, contas de tutores, curadores e ad-
ministradores, s escriipturaa do debito, flaneas, liy-
polhecas pcrtencentesaos cofres, o urna relaeflo dos
tutores e curadores, que prestam contas com indi-
viduaeflo do lempo dellas, e declaraciio dos que pres-
taram ou mo
6 o O escriv.lo da provedora do capellas e residu-
os os livros de registos das capellas, seus encargos,
lombos de suas propriedados e contas dos respec-
tivos administradores, e os livros dos registos dos
testamentos e codiclios, inventarios, contas de tes-
tamenteiros pendentes e lindos; outro sim os lvros
portencentes as ir mandados, confrarias, hospitaes,
ordena tercoiras, fabricas eadmiuistraQilo de capel-
las, o urna relacfo dos teslamenleiros, administra-
dores e irmandades, que devem prestar contas com
individuacilodo lempo dellas, e declararlo dos que
prestaram, ou nao.
7.* Os administradores de quaesquer hospitaes o
dos bens e rendimentos das confrarias, irmandades,
ordena lerceiars, fabricas, capellas, etc., ou os seus
tliesoureiros, os livros de receitao despezas, os de
conlas, tombos, inventarios, compromisos, arren-
damenlos, contratos, accordaos, termos e outres
quaesquer; assim como os ttulos por que possuom
bens de raz e as liceucas para dispensa da le da
ambrtisacilo.
8.* Os depositarios geraes os livros do depsitos.
9. Os distribuidores os livros de distribucors.
10. O cscriv3o de ausentes os livros de que trata
o regulamenlo de 9 do maio de 1842.
Faco saber que receberci quaesquer denuncias so-
bro negligencia, omiss.lo, erros, e quaesquer ou-
troserimrs dos empregados pblicos.
E para quo nfio baja ignorancia mando que o es-
crivao que esta subsrrcvo noliflque pessoalmentc
aos sobreditos escrivaes, e demais pessoas, as quaes
so lefere este edital, o contedo delle ; e quo outro
sim soja o mesmo afllxado nos lugares mais publi-
e publicado pela imprensa.
Para Lisboa saho, com a maor brevidade jlmT
tivel a barca porlugueza Tejo captao Manoel dos
llcis, por ter parte do seu carregamento prompta :
quem quizor carregar, ou ir do passagem para o
que toin cxcellentcscommodos, dirija-se aos seus
consignatarios Oliveira Irmilos & Companhia, na
ra da Cruz, n. 9, ou ao referido capitflo, na praca
do Commercio.
-- Para o Aracaty seguo com brevidade o hiato
Novi-Oliuda, mestre Antonio Jos, Vianria : quem
nelle quizer carregar, dirija-se ao mesmo mestre, no
trapiche Novo, ou na ra da Cadea-Vclha, n. 17, se-
gundo andar.
Para o ho-de-Janeiro segu viagem, com bre-
vidado o brigue Anombro, forrado de cobro, de
primera marcha ; deixou de sabir no dia 15 por in-
convenientes : quem quizer carregar, ou r de pas-
sagem, para o que lem ricos commodos dirija-se a
ra da Cadca do Recife, n. 61, a fallar com Joflo Jos
Eernandes .MagalhSes.
Para o Bio-de-Janeiro sabe, com a maor bre-
vidade possivel, o brigue nacional Ligeiro -. para car-
ga, passageiros e escravos a frote, trata-so com Ma-
noel Joaquim Soares na loja de ferrigi-ns ao p do
aiK.x, as .iwiiiiyiu i uu ..un iiutbcb t* uuui|iauiiia, na
ra do Trapicho, n. 34.
~ Para o lio-de-Jatieiro segu, com brevidade, o
brigue-escuua nacioral Olinda: lem pirlo de sua
carga engajada para o resto, passageiros e escra-
vos a fele, trata-se com Machado & Pnheiro, na ra
da Cudria do Becife, n. 37.
Para Lisboa partir, com a maior brevidade pos-
sivel o hiato porluguez Especulador fabricado rc-
ceiilcmeuto ; lem parle de scu carregamento promp-
ta faltando-lhe cerca do 3,000 arrobas : quem nelle
quizer carregar a freto, dirija-se ao consignataiio ,
l-'irmino J. I", da Bosa na ra do Trapiche, i.. 44.
A barca nacional Tentaliva-Feli segu para o
Bio-de-Janeiro com muila brevidade, por ter gran-
de parte de seu can cgamento prompta : para o res-
to o passageiros para o que offeiece os mais ricos e
assciados rommodes, assim como para escravos,
trata-so ua ra da Moda, n. II, com Silva & Grillo.
~ Vende-so o patacho americano t'abiui, de pri-
mera classe, recentemente fabricado, forrado o en-
cavilhado de cobre, de superior marcha, o muito pro-
pno para o trafico cosleiro por demandar somonte
17 palmos d'agoa, carregado que eslejs de 16,000
arrobas : os pretendentes dirijam-se aos consigna-
tarios, Me. Calmunt <\ Companhia, praca do Corpo-
Santo, n. II.
Leilfto.
eos.
Dado o passado nesta cidade do Becife, aos 18 de
dezembro do 1848. E cu, Jos Afronto Gnedtt Alcan-
forado, escrivflo o subscrovi.Jote Thomas Nabitco
de Araujo Jnior.V, S. ex-causa.
Deciarac^es.
( Jornal do Commercio.
BAHA.
CAMBIOS NO OA 19 DR DEZEMBBO DR 1848.
Londres.......... 24 1|2 a 24 3|4
Pars............... 385
llamburgo............ nominal
isboa.............. 120 p. c.
Uetaet.
Ocas nespoibrilas .". ". \ i 31,5008 31,700
mexicanas......... 31,000 31,300
Pocas de 6,400 ......... 17,400 a 17,600
Jioedas de 4,000......... 9,300 a 9,500
l'alacocs brasileiros........ 2,000 a 2,020
" hespanhes....... 2.000 a 2,020
mexicanos....... 2,000
- O arsenal de guerra compra azeite de carrapa-
to, dito decco, velas de carnauba, fio de algoflo
epav.os : quem les gneros so propozer vender
comparece naaala da directora do mesmo arsenal
no da 4 de janeiro do prximo futuro anno, com
sua proposta cm carta fechada o as amostras.
Arsenal de guoira, 28 de deaembro de 1848.
O escripturaio,
Francitto Serfico di Assii Carialho.
d"nS? o conceibo de administra-cflo naval lom
mi i U "morrematacao, para'o rorneci-
mentodos navios da armada oenfermsria do mari-
. pelo lempo que convenconar-se, o seguinle
rlente, assucar branco. arroz niUiln oirn!
Chnslophers & Donaldson, tendo de liquidar
certas contas, faiflo leilflo, por inlervonQ.lo do cor-
relor Oliveira, do seu deposito de preciosos c bem
condecidos vuihos de Champanha, oxcellente Ma-
deira, Porto, Xerez, Clarete, ago'ardenle de-Franca
branca e escura, e licor de cerejas, tanto engarrafa-
dos, como alguns dos vinbos em barris, om lotes
grandes ou pequeos volitado dos. pretendentes
quarta-feira, 3 de Janeiro, s 10 horrada manhila,
no seu armazeuj, ra do Trapiche-Novo.
Avisos diversos.
ona
&T'n3 anco' "no7- p'i.
e^fi S S "r- i...?r muido! carnesecca.
azeite-
cariie verde, carne do porco" o de Vacca sag^da.
P. i r i --#-"-*" m; rauta aaiunua. ia-
nidia, fe.jao, lenha em achas, pflo, velas do esper-
macete, ditas de sebo, loucinho e vinagre ; para o
queconvida-so a quem convier fazer laes forneci-
mentos a apresentar suas propostas ao mesmo
concomo as 12 horas do dia 3 do tindouro mez de
(Janeiro, declarando o menor preco o o norte do fia-
juor, quesera pessoa
Procisa-so de um distribuidor para distribuir
este Diario em Olinda, o qual dove saber ler e pres-
tar flanea : nesta lypograpbia.
--M."'Paulino de Crouble, subdita belga, leli-
ra-se para fura da provincia.
-- Jos da Maya subdito brilannico, vai fazer urna
viagem por poucos dias fura da provincia
SicarJ, relojoeiro, ra Nova, n. 15, acaba de re-
ceber um sortimento de relogios patentes, sabone-
les de oro c de vnrias outras qualdades.
-- Precisa-se de um feitor-para engenho, o qual d
fiador idneo a sua conducta e que nflo lenha fa-
milia : serve possoa idosa pois mo he para cam-
po : no engenho Novo de Murbcca.
Precisa-se de um caixeiroCom pratica de ven-
da e que d fiador a sua conducta : na ra larga do
Boza rio, n. 52.
--Precisa-sede um caixero de 12 a 14 annos ,
pa ra una venda e que de (ador a sua conducta :
no Decco-Largo, n. I.
-O ministro da veneravcl ordem torcoira de S.
Francisco, da cidade de Olinda, roga aos seus irmilos
o muflas da mesma ordem quecomparecam no pri-
meiro de janeiro do anno vindouro de 1849, pelas 4
horas da tarde na groja da mesma ordem, para as-
sistoremoacto da sorte do registro quo so faz na
mesma ordem.
Contina no niesmo gyro o boti-
quim da Kspcranc na casa ti. i2t3 da ra
da Senzalla-Velha, confronte a tnvessa
do Canipcllo, no bairro do Recife,no qual
acharao os freguezescomMa.se bebidas de
diversas qualidades, assim como apromp-
lam-se pitra fra quaesquer comidas de
todas as qualidades, com o maior asseio e
perfeico : ludo por preco commodo.
Desaparecen ou furtou-se 'do consulado britan-
nco, na ra do Trapiche-Novo, no dia 23 do corren-
te, ao meio-dia, urna mala de tapeto de cor encarna-
da e com ramagem de cor, contendo carnizas, cal-
sas. etc., sujas : roga-so a pesso* a quem frtr offere-
cida para comprar, ou soubei ondo existo, oe a ap-
{reheudrr o leva-la ao dito consulado, que seri era-
lihcada com 20,000 rs.
-- Precisa-so alugar um prcto que saiba tratar de
nm sitio multo pertO da praca : quem o ti.vo. o qui-

MELHOR EXEMPl




l
O botiqlitn ria Ksneranoa recebe
iiioleqtie ; pira ciiiii ir ou apcrl'cicna-los
serem bons cotinlieiro*, tinlo empas-
telara como ern massciri, em punco
lempo.
1'reciia-aealugar don nrolos para o servigo do
urna casa eatrangeira [na ra Yelda, n. J.
Na ra da.Cruz, n. 21, precisa-sede un botn co-
s ulieim,
Ouerace-se urna ama, do porta* para dentro,
pm casa de liomem solteiro, a qual sube coier, em-
goininar, o cozinliar : quera precisar do icu presu-
mo, dirija-se a ra do Hu tas, n. 7*. -
Lotera do liieatro publico.
tOHlltxiureiro drsla lotera, impossibilitado anda
i poder marcar o da pura o andamento das respec-
tivas rodas, por isso que a venda dos hillietcs lem
sido Traca, esom nenhum adlantamenlo, julgodo-
ver declarar ao respcilavcl publico, que, logo que a
mesma venda so adianto mais alguma cuusa, sera
epto designado o dia definitivo para o amlamenlo
das rolas ; e para que isto so verifiquo com brovi-
dado roga aos amadores deste jugo, que se apressom
a comprar u* hilates que oxislem oui ser.
O mnibus da rua da Cadeia parlo no dia 31 pa-
ra OlinJn, as 10 liaras da manlia e as tres da tarde,
no caso que teha gente que ello possa ir, so nio s
ira as 3 huras da larde.
Precisa-selugar um moleque que cozinho o
diario ile urna cusa : na ra larga do Ruzario, n. 26.
-- Precisa-se de um caixeiro para urna venda, que
tenha bastante pralica deste negocio, e seja do boa
conJucti : na venda da estrolla na riboira da Boa-
Vista.
-- Precisa-se de urna mulher forra de meia dado,
que queira cozinliar para um liomem solteiro : na
ra Nava, n. 2G.
Wuga-se urna casa terrea na ra bella com 2
------., |iut.nji, >,./.inii,i un,!, i|iiiuiai e cacunuu :
a tratar na ra do Collegio, n. 15, segundo andar.
-- Quem annuucou querer comprar um candiei-
ro fcancez, dirija-se a ra Nova, n. 38.
Quem I lie Tallar um carnoro, dirija-se a ra dfl
S.-Amaro, n. 10, que, dando os signaes cortos, I lio
sera entregue, pagando os annuncios e a despeza
que se lem Teito.
-- Precisa-so de um distribuidor activo para dis-
tribuir urna obra e arrecadar o importe Jas assg-
naturas : paga-se bem : na ra da Unido, n. t.
Quem tiver um prelo para o servigo de una ca-
sa exceptuando cozinliar que o queira alugar
niensalmente, dirija-se a ra das Cruzcs, n. 18, ter-
ceiro andar, ou.annuncie.
--esappareceu, no dia 26 do correnle um par-
nimo Turro, de 8 a 9 anuos cabello corrido com
caigas de riscado pardo, camisa de madapolfio, e
com sapatos nos pos : quem delle der noticia asna
mili, na ra do Rom-Costo, na Cabanga ou na i ua
Uireita, n. 22, que ser graticado : bem como se
protesta usar do i gordas Icis contra quem o tiver
oceulto talvez para o vender, visto que o referido
menino he (Iho de pas forros, e chama se Vicente
Ferreira do Paula.
Sementes de flores as mais bel-
las (Ii Europa,
He clicgado ra lirga. do Hozarlo, n.
o mais bello sortmento de sementes
de flores das bellas damas, como sejam :
cravos e cravinas, raimientos de diversas
cores, borbolctasdc llollanda, goivcs de
cores singelos e do lirados, Jacintas, topes
de daina,junqulhos, scciasdobradas,as-
srri como a verdadeira sement de cve-
llor. Os amadores di naturezi encontra-
r o ah rom que, em pouco tempo, pos-
sain tornar a admiracao da Europa no
Brasil.
O Sr. Francisco Pereira Marques queira appare-
cer na ra da Aufoia, n 44, aiin de tratar da en-
trega da casa.
Prccisa-so de um caixeiro nacional, ou estran-
geiro, para urna venda Tora desta praga : na ra Ui-
reita, n. 17, fabrica de licores.
Alfonso S -Ilarln
ca da Independencia, na. 4 a 39; rua do Queimado,
na. 10, M a 31; rua do l.lvramriil), n. 4; rua fo-
va, ti. 50; rua loa us ren, n. 24.
- Nu paleo da matiiz de S.-Antonio, n. 4, segun-
do andar, liram-Mi passaportet para tWntro e fura
do imperio, Umbem para oscr.ivos, e correm-ae
Tullas por prego muilo rasoavel.
No escriplorio de Jos de Almeida
Narreto Uasto, rua da fru, n. 63,
assigna-se para a impressfio da Mguinte
obra:
Caminen laros do Confie dr Tracy,
sobre o espirito das leis, de Montesquicu,
e memorias sobre os meios de fundar a
moral de um povo. Subscreve-se por
4,ooo rs. pagos no acto da entrega da
obra.
Na rua da S.-Cruz, n. 3, so dir quem vende, por
preco mdico os seguiutes livros, quasi novos ,
mu proprios para quem quizer aprender ingle/.]:
grammatio de Constancio; diccionarios do Vieira
Historia de Inglaterra e Tooipson; alm dislo encon-
tra-se o Panorama do 1838 u 1843 em 6 volumes ,
bem encailernados; Geograpbiu deCauliier; uina se-
cretaria urna mesa de meio de sala : lujo barato e
um boin estado.
~ lliii (Huida, na nova podara do Variulouro, rua
do Baldo, fabrica-seo muilo lamoso pilo de Proven-
go, recommendavel pela suu pureza e alvura, poden-
do-se alliiincar aos freguozes que sora lubrcalo com
a melhor Tarinlia que houver no mercado ; laiubein
se Tubrica bolacha lina da mesma familia, e se Tai a
lodo o estoico para merecer a preferencia a outra
qualqucr.
le do cha Tari/ !a ponte rrcebeu-se palo ultimo na-
vio viiMo do Franca um mudo lindo eico lii-
mentn de camislntias borla las para scnhnra ; cam-
liraias brancas o de cores para vest lo*; lindas man-
tas da 1,1a e seda ile milito rica cores; troncas
brancas eda cores para sufeites do venidos; luvas
de pellica, curtas e compridas, com oufeite* e sem
ellas ; chapeos de pal' uberla. mutoalvae da ul-
tima moda ; capellas ii<: II irai de laruugeiria ; dilu
de cores e ramos de limes linas ; rica pluma para
chopeo c entiesa ; chapeos de soda e lomas para
senhora ; manteletes-palitos, e avontaes pira so-
iilm: :i ; bonetes de montara ricamente bordados ;
bicos de blondo o de lin'.io ; lencos do milo ; eam-
hraiade linho puro ; gravatinhas de fita para mon-
tara ; mcius de seda lisas e bordadas para senhora.
Na mesma casa so fazom electivamente chapos ,
loueaa c vestidos de senhora por preco commodo,
com promptldno e gesto.
e
do
de
D.
de
*4,
A. Daumann, afinador
concertador de pianos
principe de Joinville e
S. A. a Sra. princeza
Francisca, tem a honra
-prevenir o respeilavel pu-
blico que chegou ultima-
menle n'esla cidade ; e as
pessoas que quizerem ulili-
sar-se de seu presumo, o a-
cliaro na casa de sua resi-
dencia, rua larga do Rosa-
rio, n. 14, primeiro andar.
, con>
luja na praga da Independencia, n. 38,\tem psra ven-
der chapos do seda do mais elegante gusto para se-
nhora, assim romo do palbiuha abortse lisos, tan-
to, eufeilados como s os cascos, lindos ramos do
llores arliiciaes fitas para os mesmos, capellas de
llores de phanlushi ditas do limes de larangeiras
para noivas e ramos das mesmas para pcilo supe-
riores sedas protas para vestidos, bicos do blondo
para os'niesnius, manteletas, visitas o palitos rica-
mente guarnecidos, cortes de soda para vestidos ,
mantas e lencos grandes de seda com franja tic.;
se levar ao domiailio
Furto.
Fuitaram da sala dafrcnlodo sobrado da rua do
Queimado por cima da luja do J. A. dos Santos An-
draila & Irnio, ondo moram os abaixo assiguadoso
una carteira com diversas leltias ,, sacadas pelos
abaixo assignados, e aceitas por varias pessoas no
da 21 do correnle, pelas 10 horas damahhfla. ftoga-se
as autoridades policiaes e uunlquer pessoa do povo
quesouberem quom Toi o autor desto roubo,4|M lia-
jam de o prender, (cando corto o roubador quo j so
acham prevenidos os aceitantes para n.lo pagarcm
senio aos sacudoaes: bem como roga-se a esta pes-
soa quo tirou dita carteira quo hoja de restituirs
ditas lettras, pelo correo, em corla Techada e quem
descubrir ser gratificado, entregando na rua do
Queimado loja n. 16. Aborte-so que perda-sc ao
curioso odinliciroquelirob.dedentro do urna cai-
xinha. Jos DiasSimOct & txmpankia.
Deposito de rap andar!)\
c imperial.
Na rua da Cruz, n. 63, primeiro andar, escripto-
riode Jos ile Almeida lian-oto bustos, veriit,.. seo
bem acreditado rap undarahy e imperial, fabrtcado
no Ho-dr-Jauiro, sendo o nico deposito nesj,a
provincia ; ossim como sempre so achara no mrsmu
deposito omilhorch nacional brasiloiro, em cai-
xinhaa de 5. 8 ir, libras, por pregn c rap veirde-soa retalho as seguimos casas : rua du
Cadeia do ReciTe, n. 17 ; rua do Collogio, n. y ; pra-
Iiesapparecou, no dia 4 do correnle da casa
de Itoihi! & liidoiilac rua do Vigario n. 4, um ca-
chn inho de raga ingleza com os signaos seguin-
los pequeo, todo proto, o orelhas grandes: quem
o achare levar a casa cima ser bem recompen-
sado.
^CHAPEOS DESOL^
Rua do Pusseio, n. 5.
O fabricante desto oslabclcciuiento adverte ao res-
peitavcl publico desta cidade quo elle possue pre-
sentemente um rico sortmento de chapos de sol,
assim como chapos de sol do seda furla-cres, dos
mais ricos que teem apparecido neste mercado, o de
cores couhecidiis ; ditos para senhoras do bum tom,
adamascados, lavra los, com suris competentes fran-
jas do retroz, ludo que tem do i!.ais moderno e do
melhor goslo; um completo sortimonto de chapos
de sol de panninho de todas ns cores o do todos os
tainaubos, para bomens, senhoras e moiiinos: lia
tambem igual sorlimento do fatondas para cobrir ar-
mages, tanto do sedas de cores, como do paniiinhos
ii .meados o iisos imitan io soda. Adverle-so quo os
fregue/cs seriio servidos com brevidade, o se achi-
ra" o satisfoilos da boa qualidade, do bom goslo e do
bom prego.
Ao respeitavrl publico.
O proprietatio do armazem de vinho
da rua da Madre-de-Dos n. 36, de-
clara que este eslabelecimento nao tem
<>uto artnazem lili il, como alguem lia
que o inculca ; e para conbecimenlo do
publico, faz o prsenle annuncio.
Perdeu-so, no dia 18 do correnle, urna leltra de
quinhentos mil teis sacada na villa do lo-l'oi nioso,
em 3 de maio de 1848, a fayor'de fenlo Jos da Cos-
ta o aceita pelo Sr. Pedro Ignacio Wanderley, tendo
j as costas o nome do dito Benlo Jos ila Costa: c
como j se tonha Teito aviso ao aceitante para nao
lagar senio a favor do quem ella foi sacada, por
isso roga-se a quem a achou o favor de entregar em
casa da viuva Costa & Fhos, na rua da Cadeia do
Recifn, quo (cardo obrigados, ou recompcnsarilo
caso o exijam.
-- Precisa-so de um bom padeiro braneo quo on-
teuda pcrTetanienteda arto, para adminislrar uns
poucos deescrftvos, o ojuda-los naquollo servigo
que eslivor cm sou alcango : na rua larga do llozario,
n. 18, padaria junto ao quarlel de polica.
flerece-se cem mil lijlos de alvenaria, j bem
conhecidos pola sua qualidade o tamaito, por
1:4)0,000 rs. postos no porto mais perto da obra do
comprador, como prazo de 4 a 8 inezes : os prelcn-
dentes dirijam-se a rua larga do llozario n. 18.
O abaixo assignado faz publico que abri a sua
taberna, no Uia 22 do crrente, na rua do Codorniz,
u 9 e llalla principia vender bebidas do produc-
ido brasileiru. Antonio Martins Duarle.
I'rocisa-so do urna ama pura cozinliar o faz, io
mais servigo do una casa : nu ru i da Cruz, no Iteci-
!c i,. 43.
.Na casado modas francezas do madama Millo-
cliau na esquiua do Alcrro-da-Boa-Vvisla, defron-
Aluga-se, para o lempo da Tosa ou vende- '$
se um pequeo sitio na Capunga, com cusa *
&i de pedia ocal, concertada o pintada de novo, {*
c.un cacimba de boa agoa do beber bastan- (fr
tesarvoredos de Tinelo, c ludo cercado do li-
9) milo : queiu o pretender dirija-se a casa do (k
"^ Sr. Jos Antonio de Lima morador no mes- &
mo lugar. S>
i T
OsSrs. quo teem fallado para arrendaren! a pro-
pricJade da travesa da roa dn Uadre-dc-lioos, n.
16 pode m u parecer que j so nltini.ir.uii us obras
quo se cstavaniTazeiiilo mu dita casa: na loj dos
Srs. Jos Antonio da Cunha o. Irinflos, [se dita quem
aluga.
Vigncs, fabricante de pianos,
ua rua do Queimado, n. 1*1,
IciVi |iiliS ,i: iiOVO modelo f'J!!"* i1,mi'-"'l; ,,',,-, pa
oslo paiz ; sao rquissimos o do macbinsino o vo-
lea superiores, o qun se Bitanga ao comprador tam-
bem lem pianos inglezos, que sao pouco usados;
conceMa o alia pianos cooi toda a perfeigo ; vende
cordas cainurgas e todos os mmenlos uecessarios
pura ditos instrumentos : ludo por prego commodo.
Alugam-se os segundo o torceiro andar da casa
da rua do Vigario, n. 19: atratar na mesma casa.
Precisa-se de una ama para o servigo interno e
externo do urna casa do pouca familia : na lloi-Vis-
la, rua d'Alegria, n. II.
30,000 rs. do'gratilicagfio
a quem touxer a escrava crioula, de nome Calliari-
na com urna filha cabritilla do 3 anuos cujos ig-
naesachain-se neste Diario nos ns. 210 a 250! a es-
crava foi seduzida por o pai da cabriiiba o qual he
pescador ,ou pombeiro e mora em una deslas
praias al Po-Amarollo.
Atcrro-da-Boa-Vista, u 10,
1*0111111 a lean cutilciro c
armeiro.
Acaba-se de receber, pelo ultimo navio chegado da
l-'ianea um sorlineiilode cutilaria fina, bem co-
mo : tesouras grandes para alfuiuto ; ditas para cos-
tura do senhora molde rico e do ultimo gosto;
ditas do ja rd i ni para cortar lloros ; ferros de varios
moldes para o usseio das lionas ; caivetes do mo-
la ; ditos para aparar peonas ; es tojos do viagom pa-
ra liomem ; espingardas; brides; cabegadus ; chi-
cotes para carros; fundas; navalhas para barba ,
etc. : ludo do superior qualidade.
J. A. S. Jane, ai lisia, ten a honra do avisar ao
rospeitavel publico, quo conlini a prtr (lentes mti-
liciaes de porrcllana, assim como (ambein tira as
curies dos nituraesque tanto ilamnificam os denles o
cooperam para o nuio balito da bocea, nao sendo ti-
radas ; caiga com ouro, pruta o metal braneo os den-
les forados, na sua residencia, na rua ostreita do
Itozario, o. 16. O ajiuunriautc assevera a todas as
pessoas que se quizerem ulilisar dos seus servigos,
quo nflo exigo paga alguma, nao Picando os denlos
tilo bem postos que uno so possam dlTercngar dos
proprios naturaes, podendo-se mastigar com os mes-
mos loda a comida sem a menor dr nem recco, e
por rujo motivo o anuunciautc espera na boudado
do lodas as pessoas qno precisaron) do seu prestimo
que nilo o doixom do procurar, a vista dos mu tos
oxemplos quo lem dado s pessoas que o tem pro-
tegido.
Compras.
Compra-so urna marqueza de condur usada ,
com lano quo a palbinha esteja em bom estado:
quem tiver annuncio.
Compra-so um candieiro Tiancez, gran !e, om
bom uso: quem tiver aniinncic.
Compram-so 12 cadeiras de oleo en meio uso :
na praga da Independencia n. 19.
Compra-s um vestido para crianga de dous me-
zcs proprin para baptisado e quo seja elegante ;
quom livor annuncie.
Vendas.
Folhinhas rara escriplorio.
Venlom-sc Tolhinhas para escriplorio, encartona-
das cm papolio a 320 rs. cada urna. Estas Tolhi-
nhas moslram a primeira vista os ritas santos de
guarda os dispensados, os feriados na juslig.i o nos
tribonacs, sc:r. rscorrer-sa a tabella dos feriados,
e apenas lomamum expago do um palmo : ua praga
da Independencia, livraria ns. 6 e 8,
LAR ENCONTRADO
Aos 90:000,000 de ris.
Yendom-e hlhtes la lotera do Uio- le-Janeiro
Livor da S.-Casa d Misericordia cuj rolas an-
!ai no dia 10 ,ln riirenle a a I Uta 11 e.pera por
estes das no prim lio vapor q isonegar : na rua da
C idqla d,> l'.ecifo, l"ji; '''
.No puteo do Terco, deposito de ussncar, n. 2,
vente- o assucar rcn.ilo a mo la de I" runga, de pri-
meira torio, 12) rs. a libra ; dito de segunda sorle,
a 100 rs. ; dito em pedra, a 160 is. e de nutras qua-
lidade : ludo muilo alvo o sem catinga alguma.
Vende-se urna casa terrea na rua do \ogueini:
na rua da Cruz, n. 50, so dli a quem vende.
Pasta de flor de lyrio.
Esla superior preparaglo, a melhor at boje co-
nhecida para limpur os denles c conserva-Ios bc.h-
pre alvoo lvres da podra e carie conserva a forti-
icagao dasgengvas o evita a accumulagflo do tr-
taro polo seu usu regular: costa cid boi.lo 2,000
rs. e vai envollo no competente recoituario : ven-
de-so no escriplorio de Novaos <* Compendia, na rua
do Trapiche, n. 31.
SAl.S.V-l'AItltlLIIA Di: SANDS.
Kste exccllenle remedio cura todas as enfermi-
dades, as quacs sHo originadas pela impureza do
sangue, ou do system.i; a saber :
Escrfulas rlioumatismo erupgdes cutneas ,
brebutlias na cara, hemorrhoidcs, doongas chroni-
cas, brebiilhas, bertoeija, tinha, iucbagocs, dores
nos ossos o juntas,olearos, doongas venreas,citica,
enfermidades que atacam pelo grande uso do mer-
curio, bidropisia cx;josIos a una vida extrava-
gante Assim como chronicas desordens da cons-
hiuii-ao seriio curadas por esla lo ulil o appro-
vada medicina.
Itio-dc-Janeiro 14 do dezembro de l8i".
.Sr. I'rcdertc li. Southwoith.
Tendo eu lido no Jornal do \Commercio e no Otar"'
do Uio de Janeiro por diversas vezas annuncios da sa'-
sa-paniiia do a. II o l>. Sauds, que so vendo na
rua ilo Rozarlo, n. "!>, por Frodcnco II. Soulliworth,
n este me dirig o llio couiprci urna caixa com 12 vi-,
Iros do dito extracto c uchundo-mo rom um gran-
ilo tumor no SOVBCO do brago direito o parlo do pei-
to, soffienilo immcnsas dores por todo o corpo mo *
deliberei a lomar o extracto da dita salsa ; e tendo
lomado dous vidros e usando delle, |ojo ao segun-
do vidro couliec immensas melborcs, c continuan-
do fiquei perToitamoiito bom ; c leudo alguns
amigos meilS Teito USO do dito extracto para rheu-
inalismo, tom no uso doli por fim do lerom tomado
S a 10 vidros lieado bous, do que lem resultado man-
ilarcm-me do dulcientes parles cncomniondus da
lila salsa para fra dcsl.i corto a diversos que teem
eiflo uso ilella o so teem restabelecido perfeilamente;
e mandaodo-meagradecer, assim considero ser um
acto do bumauidadc e OlirgacSo niinb.i fazer publi-
co tSo eflicaz e salular remedio. Joaquim l'errcira
de Soma Flore.
Itccorhego verdadeiro o sgnal supra. lio, 15
dedezambro do 1847. Em lostcmunho do vorda-
do Joaquim Jos de Castro.
Vende-se nicamente om Peraarobuco na botica
do Vicente Jos do tirito, na rua da Cadeia do Ite-
ci fe
Vendom-se instrumentos do msica militar;
rabocas violOese flautas do lodas as qualidades *
pianos de armario, do eleganlo modelo c de pti-
mas vozes : ua rua da Cruz, n. 10 em casa de Kal-
kmann & Itoseiuiuind.
lmcasa d Kalkinann Cruz, n. 10 vendo-se chanipanha da marca cometa,
ver.ladeira por sor recebida dos proprios fabrican-
tes em Ay ; a_go'ardeiitodc Franca, de boa qualida-
de a 10,000 rs. a duzia ; um resto de duziasdo mui-
lo superior vinho do Itheno, a 20,000 rs. fa duzia.
~Veude-se, para fechar contas em casa de Kal-
kamann & Roscnmund, rua da Cruz, n. 10 por mui-
lo baratos pregos um resto de mobilia, consistindo
em commodas, mesas, cadeiras armarios burras
de ferr e outrs mais objectos.
Vistas de Peruambueo,
coloridas cem fumo proprias para ornamento de
sala sendo urna lomada da ladeira da Misericordia
em Olinda oulra do forle do Brum e outra em
colleccOcs de seis em formato mais pequeo : na
rua da Cruz, n. 10, casa de Kalhmann & Rosenmund ;
na rua da Catiba do Recite, luja da viuva Cardozo
Avies.
Gotas egypciaes.
Remedio sem igual para a dor de denles, ja bem
crinliecido no Rio-de-Janciro c as provincias do sol,
pela sua "fluencia ern alliviur rpidamente a dor mais
tenZ.qur seja,motivada pela cario,qur por inllam-
biacffo; mas' s a experiencia do urna prova Rio da-
r o devido niorecimeiito. Vcndc-se no escriplorio
de Novucs & C, rua do Trapiche, n. 34.
Agoa de perola.
para tirar sardas, rugas e em-
bel le/a r o rosto.
Esto celebre cosmtico foi por muito tempo s
conhecidode poucas pessoas nos Estados-Unidos
porm sua grande utilidade tornou-o o comestic
mais popular que se usa nostoilols modernos : cus-
a rada frasco 2,000 rs. cuvolto no competente ro-
ceitUario; vende-se no escriptuiio do N'ovaes ct
Companllia, na ruado Trapiche, n. 34.
Agoa de mcl
para foitilicarc limpar o cabello, removendo a cas-
pa couservando-lheo lustro o massioza e'promo-
vcmlo ao mesmo tempo a acgo salular das raizes
o desta sorle faze-los cresccrcom mais vigore bcl-
078. Esla til c agradavel agoa he preparada e des-
tilada do mcl de abelbas, contm nao s todas as
suas virtudes como tambem um aroma superior
aos mais agraduveis perfumes : vende-so no escrip-
lorio de Novaos & Companhia na rua do Trapiche
n. 34. *
.Varope do bosque do doutor
Alotts.
Continua-se a vender este xarope nicamente no
escriplorio de Novaos ic Companhia na rua do Tra-
piche n. 34, e na rua da Cadeia do Rocife loja du
miude/a-,, u 9.
Vendeiii-so meias do linho pora honiem ; ditas
do algndilo ; peneiras do rame : bitas e amhur-
go ( que tambem se alugam ) ; pilulas da familia:
na rua do llozario, padaria junio a igreja, dofronlw
a botica do Sr. Paranlius.




<
W------- -ii- .-gJ-an-J. "l .' "
FIILIIIMIAS PAIA 1849.
lOI.IIINIIA F. POIITA, -alf.Ors.
Hita o algiheiiu, eontendo, alm Ju kalenda-
rio, urna collecgno de segrodos demedio* para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a que se reuni o AI.MANAK adminlitralivo,
mercantil t indmlrial da provincia osle almanak es-
ta aecresccnlado com todos os estabelecimentos d
jiorla nherln, a 330 rs.
Vendem-se na praga da Independencia, livraria
ns. 6 e8 ; no Aterro-da-Ua-Vsta, botica do Senhor
M >rcira ; o cm Olinda, botica do Senhor Raposo, run
In Amparo.
Vendem-se 4 pares de brincos de born ouro do
dilcrentes lamanhns; um trem com espelho, de a-
caranda{ urna hinca redonda; dita para mcio de sala;
mu relogio patente de prala; jugos de bancas peque-
nas O grandes, com duns gavetas ; sola d' oleo : linio
por barato prego : na ra da Cadeia de S.-Anto-
nio, n. 31.
-- .Na ra do Crespo loja de 4 poitas n. 12, ven-
dom-se chapeos de castor pretos, do niuito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Vende-se cal virgem Je Lisboa em barris de A
arrobas chegada pelo ultimo navio, por proco comino-
do ; a tralarcom Aducida li Fonseca.narua do Apollo.
PUROVINIIODA FICUF.IRA.
Fuiste no armazn de molhados,'airas do Cor-
no Sanio n. 6 urna granito porgflo deste genui-
no vinlin queso est vendenilo pelo diminuio pre-
go de 1,120fS a caada e a IfiO rs. a garrafa ; lam-
bem ha em pipas que se vender mais em conla : he
esto o mellior de todos os vinbos que se teem an-
nunciado pela sua simplicidade e ptimo paladar :
queni urna vez o beber jamis dcixar de o com-
prar.
Vendem-se semeas em sarcas muito grandes ,
a 4.500 rs. : na rua da Madre-de-Deos, armazem de
Vicente Ferreira da Costa.
A 1,800 rs. a peca de 20
jardas.
Na loja de Cuimnrfles & Compsnbia rua do Cres-
po n. 5, vcndem-se pecas do algodflozinho do boa
qualiilade com um pequeo loque de avaria,
pelo barato prego de 1,800 rs. a pega de 20 jardas.
Taimado de pinito da S'uecia,
do 10 a 55 palmos
de cooipriinenlo o melhor que tem chegndo a esle
mercado, em razflo de se poder enverpizareni qual-
qiicrolua, por nflo ter nos e ser muito alvo Ben-
ito costado, costadinlio, assoallio, Torro c para fun-
dos de barricas : vende-se a prego que o comprador
l'ar todo o negocio : atrs do theatro, armazem do
Joaquim Lopes de Almeida.
FARFI.O F.M SACHAS l)F. 90J.IRRAS :
vende-sc no armazem de Vicente Ferreira da Costa ,
na ruada Madrc-do-I>eos,a 3,500 rs.
.
V
OK<=

Nova refiiaco Franco-
Brasileira, i
Na rua da Concordia, n. 8, por
detrs do ('armo.
O respcitavel publico achara em dita re-
finaco assucar de qualidade superior, re-
finado a moda de Frauga devendo mero-
cr a prpferi'iiga tanto pelo asseio da sua
labrcagflo, com pela clareza, pureza c bom
gusto Picando dito assucar retinado rc-
coinmendavel por suas qualidades hygie-
nica sendo desembaiagado de mao chci-
ro, potassa, mel, as-idos e outras subs-
tancias mui nocivas a sade.
Us prefos tilo os uguinlet:
Refinado em pes ou lor.es, primeira
qualidade, a 1f<0 rs. a libra ; dito de se-
gunda qualidade a 110 rs. a libra ; refina-
do em p, primeira qualidade a 140 rs. a
libra; dito de segunda qualidade, a 120
rs. a libra.
Vcnde-se um lindo molecoto, de
17 a 18 minos de idade, que sabe cozi-
nliar : na rua da (adela do ileriie, n. 37.
Cigarrlhos hespanhes.
O proprietario do armazem n.66, airas da igreja
do Corpo-Sanlo no Recife, faz sciente aos fuman-
tes do bom toirl que elle recebe por lodos os vapo-
res vindos do sul, estes deliciosos cigarrilhos que
sSo do nico deposito hespsnhol quo ha no llio-de-
Janeiro.
Contin-a-se a vender, na rua da
Cruz, n. Go,caixas com cera de Lisboa,
soi hncalo ronladedo comprador.
RUA DO CRESPO, N. 5.
ftovos riscados indiamia,
280 rs. o covado.
a
Na ioja do Guimariles & Companhia vendem-sc
osnovos riscados indianos, do quatro palmos de
largura cores finas e padrOes muito modernos, pelo
barato prego de 280 rs. o covado.
FARELO
emsaccas muito grandes,
a 3sf)oo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da Conceig5o.
No deposito do Me. Calmont & Companhia "
ua de Apollo, annazem n. 6, acha-se constante-
mente grande <>t tmenlo do ferragens ingU'zas para
engenho* dnaisucar coirosejam : laxai do ferro
coado de diflercnle* modelos, os mais modernos ;
ditas de ferro balido ; mocadas de ferro do moli-
lo adoptado para armar cm madeira ; ditas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaos ; ma-
chinas do vapor de Torga de quatro cavallos o de al-
ta press.lo o mais moderno o simples que lio possi-
vcl ; repartidoras ; espumadeira ; resfriadeiras de
ferro cslanhado; formas de ferro: ludo por prego
commodo.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
ebegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
zem n 17.
Vende-se no pateo do Terco, ven-
da n. 7, vinbo da Figueira, muito supe-
rior, a 160 rs. agarrafa.
Cal de Lisboa.
Vende-se muito nova e superior cal
virgen de pedra, desembarcada lia pou-
cos dias, e em bairis pequeos de quatro
arrobas e mcia ; na rua da Cadeia-Velha,
armazem n. ta.
Vendem-se saceos com farelo,
ebegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4<>o rs.: na rua da Sanzalla-
Vel'ba, n. i38.
B? > o 11\
em barricas a 4,000 rs. ; saccas grandes, a 3,50o
rs., ditas pequeas, a 2,800rs : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 3.
Vcndem-se batatas e ceblas, ltimamente che-
gadas e de muito boa qualidade, por prego commo-
do : no armazn n. 31, na rua da Madre-de-Deos, do
lado da all'andega.
Ala noel da Silva Santos vende su-
perior farinba de trigo franceza denomi-
nada Barn
Vcndcm-sc barris pequeos com cal virgem de Lia-
ba, a mais nova que ha no mercado, por pre;o co-ui
modo : na rua da Moda armazem n. 17.
Potassa.
Desembarcou La poucos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
e superior potass-a, e se acbam venda,
por preco mais barato do que ultima-
mente se venda, na rua da Cadeia-Velha,
armazem de Bailar ckOliveira, n. \i.
Vinlio barato.
Acba-se estabelecido na rua da Madre-de-Deos,
n. 36, um armazem de
Vinbos da Figueira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a ICO rs- a garrafa ; e para n5o haver dolo do com-
prador serflo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se inmediata-
mente a outra cheia : tambem ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
prietario dcste estabelecimento pede encarecida
mente que se nSo illudam avaliando, pelo diminuto
prego sem conhecimenlo de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
urna vez provar, continuar com goslo e sem arre-
pendimento. Eo bom preco!!.' A todo o exposlo
accresce o asseio e boro acondicionamcnto, o que
ludo se puilcra verificar em dito estabelecimenlo.
- Vendem-se accoes da ex-
mela companhia de Pernambuco
e Paralaba: no escriptorio de O-
liveira lrmos & C, rua da Cruz,
n. 9.
Vcndem-se presuntos para fiambre; quoijos
londrinos ; ditos de pralo ; latas com bolachinba
fina de Lisboa ; ditas de araruta ; conservas novas !
moslarda ; potes com sal lino ; latas com mermela-
da nova; ditas com hervillias; caixinhas com mas-
sas linas ; vinlio moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, por prego com-
modo : na rua da Cruz, no llecife, n. 46.
Madeira de pinito.
Vende-se a melhor madeira de piuho que tem
viudo a esto mercado: na ma da Madre-de-Deos,
armazem de Vicente Ferreira da Costa.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Saiitos da
Ituhia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-so em casa de N. O. Biober & Com-.
panbia na rua da Cruz, n. 4.
Agencia da fundico
Low-AIoor, ruada tScnznlla-
nova, n. 42.
Neste estubelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido c
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Na loja n. 5 A da ru do Crespo, ao
p.
mantas de 12a eseda, muito bonitas, pro-
prias para meninas, a t ,60o rs. cada uuia ;
ditas de tarlataua, para senhora, a 1,000
tu. ; assiin como chapos de sol de seda,
astea de ferro, os mais superiores que ha
no mercado, a 5,000 rs.
Vende-se na rua da Cadeia do
^ Recife, n. 37, cera em velas, fabri-
% cadas no Hio-de-Janeiro, em nmi
das melhores fabricas, e em caixas
9 pequeas, muito bem sorlidas, por
B ser de 3 al 16 em libra; e tam-
a bem ha velas de urna e de mcia libra,
|J branddes, por precn mais barato do
j| que cm outra qualqucr paite.
Verde-se a verdadeira potassa da
lUissia, desembarcada hontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 34.
CHA' un asile uto.
Vende-se, no armazem de molhados, atrs do
Corpo-Santo n. 66, o mais escolente ch produzi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
cor r*vCO imUc cohticJo.
lonas inglczas.
Vendem-se peas de lona ingleza, de
boa qualidade, e por preco mais barato
do que em outra qualquer p3rt; na rua
da Cadeia do Mecife, armazem n. 12.
)

Puroviiihoda Figueira
No Aterro-da-Boa-Vista, n. 4^,
ha urna grande porgSo deste superior vi-
nbo que se esl vendendo a 1,120 rs. a ca-
cada, c a 160 rs a garrafa : e para nao ha-
ver dolo do comprador serflo lacradas as
garrafas e com rotulo, recebendo-se a gar-
rafa vasia e dando-so immediatamente
outra cheia : tambem ha cm barris que se
vender mais om conta. He esle o melhor
do todos os vinhos que se teem annuncia-
do, pela sua simplicidade e ptimo pa-
ladar.
e
m
i
Vende-sc no pateo do Tero, ven
da n. 7, vinlu de Lisboa, a caada a
i,tao rs. ;e a garrafa a ifio rs.
Vcndem-se chapeos do pallunha da Italia, mul-
to delicados e bem feitos, tanto para bomem como
para meninos, pulo barato prego do 1.2S0 rs. cada
um ; bem como cociros bordados-para crlangas : na
rua das Cinco-Vontas, ns. SO e 82.
Vende-se sal de Lisboa, a bordo do patacho por-
tuguez D.'Anna : 110 escriptorio de Francisco Sovc-
rianoltabclloctFilho. ,
Vende-sum ponche de\ panno azul, com 32
palmos de roda, quasi uovo : na rua de S.-Rita ,
n 91.___ ^ >..______
Vende-se muito superior lagedo de l.isboa e
cal virgem em barris de 4 arrobas, por mdico prego1.,
na rua do Vigario, n. 19.
Na padaria da rua da Guia, no liecife haver
todos os dias a venda o novo pflo de Provenga fa-
bricado por oulro modo que o actual e da melhor
farinba que ha no mercado : por este motivo n3o se
pode fazer senfio a 40, 80 e 160 rs.
Vende-se gelo, na rua da Senzalla-
Vclba n. na, a 4>ooo rs. de urna arrobs
pira cima, e a meia pataca por libra. O
deposito s estar aberto s 11 horas e
meia da manhaa e depois das 2 horas da
tarde.
Vendem-se as seguidles rece i las .- sahflo para
todas as sortes de manchas para tirar manchas de
cera da seda para tirar nodoas de seda branca ,
para limpar e fazer reviver os galOes e bordados do
ouroe prata para- limpar guiso de ouro e prata ,
para lavar obras de ouro on de seda sobre qual-
quer qualidade de panno o p-Ia nova, para limpar
livros o estampas para fazer diversas qualidades
.uaaH...eiesfiaos, para fazer.diferentes fj!'Ja-
dos de lacre, para fazer velas que durara muito lem-
po para restituir aos perfumes ao cheiro primiti-
vo, para fazer oleo de canella agoa sem igual, di-
ta (lojusmim, dita do cravo, dita de flor de laranja ,
dita dealfazema o de mangerona para tirara essen-
cia das flores sem fogo para fazer agoa e espirito
de rosas, para agoa da rainha de Ungria, para fazor
vinagre muito fino em duas horas, para tirar do fer-
ro a ferrugem pos para malar o? piolhos diversas
receilas para se fazerem licores e di Hercules leos de
cheiro para fazer crescer,, desencrespar e nascero
cabello, differentes reccitas para se fazer marmela-
da fina de diversas qualidades e outras muitas re-
ceilas que todas se vendom a 610 rs. cada urna, sem
augmento nem di mi 1111ie.no de prego, e parecendo ao
annonciante fazer-se com duas patacas aquillo quo
so nflo comprara por 2,000 rs., deliberou annunciar
aos econmicos essa rara pechincha : na rua da Ca-
deia de S.-Antonio, n. 15, botiquim junto ao Hotcl-
Commercio.
Vende-se um coeiro de casimira novoe borda-
do por 0,000 rs. : na rua dos Copiares n. 27.
-- Vende-se, por precisflo, urna cabra do 30 annos
pouco mais ou menos, que cozinha. engomma, en-
saboa e faz lavarinto, e he de boa conducta o que
seafianga : na rua das Cruzes, loja n. 14, se dir
quem vende.

Vendem-se ceirascom figos a 1,000
rs.: no armazem n. 20, defronte da guar-
da da alfandega.
Vende-seo bello e critico romaneo de Frede-
ricoSoulic ns memorias do Diabo, em 8 v. lti-
mamente publicadas em Lisboa por prego commo-
do : na rua do Queimodo loja n. 3.
Vende-se superior familia galega, em meias
barricas : no armazem da rua da Seuzalla-Velha,
de Malheus Ausliu & C.
Vendem-se e alugam-se as verda-
deras bichas de llamburgo, no deposito
de Joaquim Antonio Carocho, na rua da
Cruz, n. 43.
Sapatos para Senhoras.
Na praga do Corpo-Sanlo, n. 6, sp diz quem tem
para vender sapatos de Senhora, de couro de lastro,
courinho de duraque, e alguma obra de homem
poucas, por grossoe meudo chegado 8 dias.; obra
superior em qualidade, e ulljma moda.
Vende-se a verdadeira e muito superior fari-
nba SSSF, a relalho e em porgflo ; dita deoutros au-
tores na rua do Vigario, armazem de Francisco Al-
ves da Cimba, n. II.
Vendem-se barriquinhas com cal virgem de
Lisboa muilo nova ; fechaduras para portas de
armazem ; retroz do Porto ; barris com nlcalrflo da
Suecia ; pilulas da familia ; nncoretas com azeito-
nas, por prego commodo : na rua do Vigario n. i I,
armazem de Francisco Alvesda Cunha.
Vende-so algodflo da ierra de superior qualida-
de : na rua do Queimado, n. 20.
VenJe-se vinbo do Porto, multo superior, e
de outras qualidades em barris de quarto, quinto,
setlo, stimo,oitavo eem pipas, por prego muito
commodo : na rua do Vigario armazem do Fran-
cisco Alves da Cimba, n. 11.
-- Vendem-se, na rua do Trapiche, n. 44, duas
negras sendo una de 30 anuos, que engomma e
cose perfeilamenlc ; esta criando, porm nao tem
cria ; e a outra de 16 a 17 anaos ptima para todo
u servigo de casa o melhor para andar com meninos.
Vendem-se bules e cafeteiras de metal, com ri-
cos mpdels: na rua Nova loja de Jos l.uiz Pe-
reira.
Abordo do patacho Alagonut, ancorado frente do trapiche do algodflo, vende-so farinba de
mandioca de boa qualidade.
Rap novo Lisboa.
A ello antes que se acabe.
Quem nflo tomar urna pitada deste rap, certamen-
le nflo saliera apreciaros deleites da vida contem-
pornea. Acaba de chogar do Ilo-de-Janeiro, e ven-
de-seno deposito do mesmo, na rua dosQuarteis,
n. 24.
Acaba de chegarum completo sai tmenlo para
os Srs. armadores, bem como Irinav volantes lar-
gos c eslreilos gatflo d todas as qualidades finos
e ordinarios; o oulros muilos objeclos que se aclium
..... '-----(> Rn*ario n. 94
Escravos Fgidos
Fugiram, nodia 18 de setembro, de Camerag,
urna parda, de nome Paula, de 20 annos, de boni-
ta figura com uns pannos na pelle do pescogo; an-
da calcada : um prelo de nome redro, do nagflo An-
gola de 40 annos baixo, quebrado da verilha ;
consta que foram seduzidos por um tal Cosme, 11
IhodaParahiba, acaboclado: quem os pegar, le-
ve-osa rua da Cadeia do Recife n. 28, quo ser re-
compeusodo.
Fugio, nodia 18 de dulubro do engenho S.-
Joflo, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro, de 19 an-
nos, estatura regular, cara redonda, olhos penuenos,
denles limados ; lovou duas~ca1<;as urna de brim
pardo e outra do riscado azul; quem o pegar leve-o
ao referido engenho ou a casa do Lulz Gomes Fer-
reira no Mondcgo, que ser generosamente recom-
pensado.
Fugio, de bordo do brigue Seriarlo, namanhfla
do da 5 de julho prximo passado, um escravo ma-
rinheiro, de neme Francisco de uac.no Jang; re-
resenta ter 30 a 35 annos ; lem um signal na face es-
querda, falla muito descansada ; levou caigas e ca-
misa de algodflo azul chapeo de palha pintado de
branco, o balde de trazer rages e 7,000 rs. em ce-
dulas ; falla hespanhol: quem o pegar le.ve-no a
rua da Moda n. 7, que sor bem recompensado.
- Desappareccu, no da 21 do crrente, da casa
de seu senhor o crioulo de nome Joaquim de al-
tura icgular, grosso do corpo ,cr prcta, bem bar-
bado e cabelludo ; falla fina e baixa : he oulcial do
sapateiro : quem o pegar leve-o a seu senhor, JuliSo
Porlclla da Silva na rua do Livrainento n. 37, quo
ser gencrosameile recompensado.
Fugio, no dia 3 do corrento, um escravo, do no-
mo Manoel, de altura regular, cheio do corpo,
tem bastante marcas de bexigas; levou caigas de
riscado velhase camisa de algodflozinho : qu*m o
pogarlove-uo a seu senhor, Miguel Jos llarboza
Cuimarfles, na rua do Crespo, n.5, quo sei grati-
ficado.
Fugio, no dia 23 po corrente, a escrava Joan na,
representa ler 40 anuos; tem O rosto coniprido o
mcio fechado ; sabio com lengflo de procurar se-
nhor ; levou vestido de chita azul o oulro branco
com dous babados contas ziws no pescogo brin-
cos encarnados eout ros de ouro francez panno da
Costa : quem a pagar leve-a ao Alerro-da-Uoa-Visla,
n. 14, quo ser gratificado.
Fugio, na iioito do da 27 do corrente 0 escra-
vo Simflo de estatura baixa, do 35 annos, criou-
lo cor fula, chelo do corpo ; lem uina fstula no
rosto do ludo direito ; levou caigas de brim do lis-
ias branco s chapeo de palha. Uoga-so a todas as
autoridades e capililes de campo quo o apprebcn-
dam loreiP-no a rua do Trapiche-Novo, n. 6, ou a
Soledadc n. 38, quo serflo gratificados.
Fugio, no dia 24 do correte, o oscravo Manui-
no, de nagflo, alto, magro, cara descarnada, des-
dentado na frente, beigudo, embigo grande, pes
grossos t quem o pegar leve-o a rua larga do Koza-
rio n. 48, ou ao silio que fui do Paulino na es-
trada quo sali da Casa-Forte para o Arraial, ao Sr
Lulz do llego Uarros, que serecompensar. |
T

ps I
za- ^ f
:
PeV. NATTF. DE U. F. DESFAMA. I
848

MELHOR EXEMP


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERDVS5F6H_G8SST9 INGEST_TIME 2013-04-12T23:30:40Z PACKAGE AA00011611_06208
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES