Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06206


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4MI* XXIV.
Sabliado 95
1 01,41110 publlca-ae todo* oa diasque no
em de K'i"': P" ailsatura be
i*u)il r pr |Urlel, pagoi tuliiiNJaiioa-. O
..mloi doi aida-nanle 3o Inaerldoi i
fedi 20 porlTnb, 40 r. e.n trno dlf-
...- r m re petiyAe pela metade. O iio
...l.n.nlet Pg I' "
,, typo Ulerete, por cada publloafio.
MASES DA. LOA NO MEZ DE DEZEMBRO.
ireic"- 5 bofa e ^ ",'n "** U|-d-
/llllf/iia, a 10, iQhoraa e 25 mi.da manh.
,oruii,a 17, 8 huras e.Wmin. da manli.
'.nova, a 2S, 2 horM e 3 mi. da Urde.
PARTIDA DOS OORREIOS.
Goianna e Parablba, Al aef. e esU-felraa.
RIo-C.-do-Norte, qulntaa-felra ao meio-dia.
Cabo, Serinhiem. RioPormoio, Porto-Calvo
Macelo, do 1.*, a II e 31 de cada me*.
Caranhun e Bonito, a 8 e 2.1.
Boa-VIau e Plore, a 13 e 28.
VlctorU, i* qulntat-felra.
Oliada, todos oa das.
PREAMAR DE 110JK.
Prlmelrt, ai2 lioraa e 54 mlnutoi da tarde.
Segunda, > 3 borat e 18minutoi da manh
le Denembro de 1*4*.
Ff.
das da sema>a.
1S Segunda. Nosaa Senhora do O'. And. do I.
lo orphaot.doJ. clv. edo J. M. d.i >.. y.
10 Terca. S. Pailita. Aud. do J. do c. da I.
da 2. r. e do J. de pax do 2. lll da .
20 Ouarta. S. Domingo de Rilo*, Perladop>
MMMa;aMfbrM*Mal1 o Ihn di> ......
21 Quinta. S. Tlioinc.
22 SexU. S. Honorato.
21 Sabbado. S. Servulo.
24 Domingo. S. Gregorio.
CAMBIOS NO DA DE DEZEMIlRO.
Sobre I tmtf a 25 d. por I fOOO n. 60 dlaa.
. Parla
|.laba 120 por cento de piamia.
niii-dr-i:iiielro ao |>ar.
Dte, do lell. de boa* Iran i I' | ***
AocOM* coinp. do Iieberlbe, 50/ r. ejj.
oJra.-Oiifa. beapanholaa 31*000 51 #W
. Moeda. dttftoo IT^KMI a 7/20.
de 0/400 ii. 10/200 a WJ[
. d.-4/KX)... 1./200* 0/30.
Praa-Patace braallelroa l/W a 1/9W
. Pejoa columnarlo. 1/w a i/W"
Dito mexicano..... 1>000 a 1/KW
DIARIO D
PARTE OFFICJAl.
MINISTERIO DA JUSTICIA.
3. eceflo.Rio-de-Janeiro.Ministerio dos ne-
pocioa da juslica em 7 de agosto de 1818.Illoi. e
Km. 8r.Com referencia ao offlci que V. Exc.
e dirigi, sb n. 12, e dala de 13 de julho prxi-
mo pssado, solicitando novamenle a decisio da
qiiestno queo antecessor de V. Exc subraeltra ao
ovcrno imperial, relativamente a poder ser ou nao'
alterada a ordem ctn quo se aclia ni col locados, na
respectiva lista, os aupplenles dos juizes muuici-
*ies, tenho a> commuaicar a V. Exc. que no aviso
di copia inclusa, dirigido ao presidente da provin-
c.a de S.-Paulo em dala de 19 de norembro Je 1845,
chara V. Exc. resolvida a questilo proposta.
- ....... l ir c i,Ui'i Mnnnrl Hii/'nmnm
lieus iu *-C. ------------------- _."j ',
,Ve//o.Sf. presidente da provincia do Rio-ae-Ja-
neiro.
-jio-de-Janeiro.Ministerio dos negocios da justi-
caam i9denovembro de 1845.-lllm. eExm. Sr.
Fin resposta ao ofllcio n, 4, de 13 de Janeiro deste
anno. cm que V. Exc. expoe a duvida que se llio olTd;
roce em atiende' a algumas redamacOss de supT
pente de juizes municipaes que teew sido demitti-
[los, e d'aquelfes cujos nomes hilo sidb alterado,
ni ordem de sua collocacflo na lista respectiva, os
quaes, fundados na disposieflo dos avisos de 15 de fe-
vereiro e 28 de marco do anno passado, requerem
i sua reintegraeflo, tenhoa eommunicara V. Exc,
que a prlica dealterar-se, por motivos de ulilidade
publica, a ortiem cm que possam estar collocados
ossupplentea dos juizes municipaes tem continua-
do, nflo obstante o segundo dos avisos que V.
Exc. allude, e que esla prlica, na oplniflo do go-
erno imperial, nflooffendea legislacilo em vigor,
6cando por consequencia resolvida a questilo pro-
tosta no supracittdo ollicio.
Dos guarde a V. ExcAntonio Paulino Limpo
de Abreu.- Sr. presidente da provincia de S.-Paulo.
* GOVERNO DA PROVINCIA.
Illm. eRxm. Sr. AlgunS cidadflos moradores
na freguezia da Vanen, ambicionando coadjuvar
activamente a manutengSo daorJom publica, dese-
jam formar um companhia de cavallana, addida
a .le voluntarios desta cidade, como V. Ex. ver lo
nllkio junio, acompanhffdo das assignaturas dos
mesmos cidadios, e a mim dirigido, no qual podem-
ine que leveao conhecimento de V. Ex. sou leal olre-
reciniento, e peen a V. E*. sua approvacSo: e, como
en julguedigno'detodo o louvor procedimento tilo
natriotico, apresso-me a apresenta-lo V. tx., para
quo so digne tomar na consideraeflo de que so Taz
merecedor, -..
Daos guarde a V. Ex. por minios anno?. Recle,
21 dedezembro de 1818. Ulm. eExm.Sr. Ilercu-
lano Ferreira l'enn, presidenlo da provincia. e-
balito do Reg Barros, tenente-coronel comman-
ilantOi
Illm e Exm. Sr. NHo podendo eu ser inililleron-
le is calamidades que nllligcm actualmente a nossa
palria corrmum, venho ollerccer ao Em. 8r. presi-
ilente da provincia, por intermedio do \. fcx., os
neus servigose os dos cidadflos de que reza a rela-
eflo inclusa, em qualidale de voluntarios.
Dos guarde a V. Ex. por minios annos. (.asa de
minha risidoncia na freguez.a d Varzea, 20 dede-
zembro de 1848. Illm. e Exm Sr. concelhe.ro Se-
basliflo do Uego Barros, dignissimo commandante
docorpo de voluntarios. francisco Xavier Carnei-
ro Lins, capitflo da guarda nacional reformado.
RelacSo dot eidadot abaixo attignadot, moradoret na
fregvetia da farsea, que requerem ao Kxrn.br pr-
ndente de provincia formar urna companhta de ca-
xaltaria, addida ao corpo de voluntarlo. .
Francisco Xavier Carneiro Lins.
neroniano Pi l'edra.
"Podro Marinho.
I.uiz da Franca de Souza.
Joflo Alberto de Figueiredo.
Antonio Carlos Pessoa de Saboia.
Antonio Silvestre Bezefra.
Joaquim Jos de Oliveira Jnior.
Manoel Francisco da Silva.
Flix Ramos l.ieutier.
Thom Correa Jnior.
Filippe Garlos SimOes dos Santos.
Manoel Goncalves da Silva Queirs.
Manoel Caelano da Fonseca.
Antonio Affonso de Carvalho.
Francisco de Paula Corra de Araujo.
Jos Januario de Carvalho Paes de Anlrade.
Miguel deSanta-Anna de Souza Teixeira.
Manoel de Carvalho Paes de Andrade.
Jos Corroa Leal.
Antonio Pinto da Molla.
Antonio do Carmo do Patrocinio.
Manoel Joaquim Correa Gomos.
Antonio da Silva Fragoso.
Antonio Francisco dos Prazeres.
Antonio Joaquim de Farias.
Jos BernardHio Pereira de Brito.
Antonio Jos da Costa. *
Manoel Jos dos Santos.
iiz da Franca Miranda.
Izidoru Marlins l.ins Soriano.
loso da Silvolra Borges Tavora.
J*s da Silveira Boraes Tavora.


"lllin. Sr. Accusando a recopefio do ollicio que
V. S. dirigio-mo em data de boje, com outrodo ca-
pitflo reformado da guarda nacional Francisco Xa-,
vior Carneiro Lins, offerecenilo-se por si, o em nomo
ile oulros cidadfios'cujas assignaturas vieram jun-
tas, para coadjtivarem o governo no reslaholcci-
ment da ordem publica, formando urna companhia
de cavallaria, addida ao balalhflo .le voluntarios sob
o commando de V. 8., ten!o a rosponder-lhe, que
aceito e mili agradeco o generoso oiferecimenlo quo
essos briosos cidadflos fazom dos sous servicos, po-
dendo porlanlo V. S. dar as precisas ordens para
a organisaeflo da companhia addida, requisitando-
ine o que for necossario pura o seu armamento o
equipamento. .
Inclusa devolvo a rolacflo a que a cima me refiro.
-Dos guarde a V. S. Palacio do governo de Pernam-
buco, 21 de dezembro de 1848. Herculano l'erreira
Piwu. Sr. concelheiro Scbastlo do Reg Barros,
commandante do corpo de voluntarios,
Illm. e Exm. Sr. observando eu o enthusiasmo
que nulrem a bem da ordem publica e da suslcnta-
eflo dothrono hnperial os operarios emprcga.los no
arsenal do guerra sb minha direceflo, tonho a hon-
ra de propr a V. Ex. a organisaeflo de urna compa-
nhia de voluntarios operarios para o sorvicq extraor-
dinario, nflo s deste mesmo arsenal, como desta
capital, offerecondb o plano incuso, que V. Ex. jul-
gando attendivel, se dignar dar-me a sua appro-
vacflo. ...
Dos guarde a V Ex. Directora do arsenal de
guerra, 21 d dezembro de 1848. Illm. o Exm. Sr.
commendadorHerculanoFerreira Penna, presidente
desta provincia. Joto Pedro de Araujo e Agmar, me-
jor director.
PLANO para a creaeo de urna companhia de volunta-
rios operarios do arsenal de guerra.
Commandante................ t
4.* sargento.................. 1
2." ditos*.................... 2
Furriel.................... 1
Cabos de esquadra ............ 4
Tambor......,.............. 1
Soldador.................... CO
70
Directoria do arsenal de guerra, 21 dedezembro
de 1848.
Joao'Pcdro de Araujo e Aguiar,
Major director.
Tenlio presento o offieio que Vmc. dirigio-mo en;
data de liontem, propondo a organisaeflo de urna
companhia do voluntarios, composta dos operarios
desse estabelecimenlo, que para isso so offorcrom
espontneamente; ecm resposta loidio a dizer-lhe
que, louvandb muilo os nobres senlimentosde que
so acliam i.ossuidos os mesmos operarios a bem da
ordem publica, approvo a organisaeflo propost, se-
gundo 0 plano que acompanhou o seu menciona.lo
ollicio. Dos guarde a Vmc. Palacio do governo do
l'eruambuco, 82 de dezembro de -1848. Herculano
Ferreiru Penna.Sr. major Joflo Pedro d'Araujo e
Aguiar, director do arsenal de guerra.
O Presidente da provincia tem resol vi lo reformar
o major do 8." balalhflo da guarda nacional do mu-
nicipio do llocife, Jos Mendos Carneiro da Cunlia,
o nomcia para subsiitui-lo no dito posto a Jos Fran-
cisco de Souza Leflo, a quem se passar a competente
patente.
Palacio do governo de Pcrnambuco, 20 de dezem-
l,ro de 1848.
LIsbcolnno 1'hiirkiiia Penma.
Repartida0 (,;i polica.
EXTRACTO DIARIO DOS DAS 21 E 22 DO CORRENTE.
Frarrt presos : or.lem do Sr. desembargador
chefe de polica, Joaquim Francisco TorresCalindo,
por ter dado una bofetada em Manoel Joaquim de
Santa-Auna ; Manoel do Figueiredo Lopes, por ha-
ver insultado o guarda do consulado Francisco Jos
de Veras; Julio Francisco Flix Pinheiro, para re-
ci uta ; o preto Caetano, escravo de Cypriano do tal;
a o pardo Pedro de Alcntara.Destes dous nflo
consta o motivo das prisOes.
\
i 0 t. Amanuense,
I Avrigio Jos da Silva
PEaiVAWBUCO.
PROPAGANDA HOMOGOPTICA.
* XXX.
Em moJictaa m felo, i3o lujo,' 0 u pala,ni jiouco,
mi non ,',/.i.
Mais um fado e um facto importante vai ser hoje
publicado para confusSc dos incrdulos e boma
da homueopathia. Mais um argumento poderoso,
com que vou demonstrara rerdade da epigrapbo-
non verba, sed faca.
Ao consultorio homfflopalhico mandn no din II
de setombro o Illm. Sr. Arscnio Forlunato da Silva ,
morador ra do Hospicio, n. 4. o seu escravo
Movss com iJade de 2 anuos, o do temperamento
lyniphaticn. Achava-se elle enfermo de nararca
(incliacflo e.loir.atosa do tocido cellularj o tflo desn-
guraJo e abatido, quo fazia crr nflo resistir ao mal
por muitos dias. lluvia Jorra mmenlo de serosida-
de no peritoneo ascitcs); o pulso bata 130 panca-
das por minuto, liaba muita repuguancia para os
alimentos, muita sede, e conslipacflo de yentro.
Adminislrei-lhe urna dso de ars. da 5.' diluicflo
(1 gl om 2 onc,as d'agoa disl.) para tomar metade a
noile, e outra metade na manhfla do da seguinlo.
Neuhuma dilTeronca pude nolar, e como o perigo
era eminente tornei a dar-lhe o mesmo medicamento,
meta.le na manhfla do dia 13, e a outra metade
noile. No dia 14 vio doente, e nonhuma diminu-
eflo notavel dos symptomas pude apreciar, e como
slivesse crsasdldo que Ma substancia (o ars.; era
a maisToma'opalhica'para o c.igo, inslsii em sua ad-
minislracfloomdynamisacflo mais alta fl5.V odia
16 comecaram a declinar os symptomas ; a Tebre lia-
via desapparecido, ej elle recebia com salisfagflo
o alimento. No dia 20 repeti a mcsina dose, e poucos
diasdepois tive o prazerde v-lo salvo. Esto enfer-
mo foi abandonado pola allopalbia.
Eis-aqui um faci digno de toda a meditacao O
mesmo incdieamento, emquanlo foi administrado
em baixa dynamisacflo, nenhum elTeilo produzo
na economa, operando elle mesmo cura maravilnosa
em dynamisa?flo muilo mais elevada ; ou por outra
emquanlo houvo muilo maior quunti.lade de metal
nada experimentou o organismo, qut> soflreu urna
modilicacflo salutar quando essa quantidade se di-
niinuio a tal ponto que s o pensamento pode com-
prehender!! !....
E... pergunlai aos sabios da cscriptura
Q'scgredos sflo estes de natura...
.rimeiro consultorio homa-opalhica de Pcrnam-
buco. 10 de dezembro de 1848.
Dr. Sabino Olegario I.udgiro l'inho.
MAIS IUIA LICAO... DE HOMUEOPATHIA PURA.
K O maior ceg he aquellc que nio quer ver.
V. .
Provado era j que o slramonio linha sido bem
escolbido. mas a sua aceflo nflo eslava csgolada :
qualquer imprudencia na applicacflo do outra dose;
ou qualquer mmlanca para oulro medicamento, lia-
veril comprometilo, lalvez sem remedio, o xito
deala cura. Espcrei que, so a cura nflo fieasse com-
pleta com esla nica dose, no menos clara fosso a
inainfestagflo dos symptomas que restassem acom-
bater : renppireceram, passadosdias, mas cm mui-
lo menor grao, os mesmos symptomas da molestia ;
o mesmo remedio ainda eslava indicado; adminis-
trei segunda dose en dynamisacflo mais elovada,
islo be, mais atlenuada emauanto materia, porem
t'ioporcionalinonte mais forte nos effeilos secunda-
rios e na duraeflo. Todos os syinplomas da loucura
dcsappareceram completamente, e a enferma recu-
perou perfeilamenle a sua rasfl*, tendo pleno co-
nhecimento do oslado enfermo do que se ia restabe-
locon.lo, e nflo llio licando aquella especie de aca-
iihaineuto quo ica nos enfermos que, por acaso,
com os mcios ordinarios, ou, para melhor dizer,
apezar dolles, recuperam a sua raso perdida. Cer-
tameiito be nutavcl esta circumstancia peculiar nos
tralamentos honiccopalhicos : mas he fcil de com-
prehender-se, allendendo a que nom os remedios
bomocopatliicos, nemas dietas debililam os enfer-
mos ; e por isso, passada a inlensidado da moles-
tia, segue-se poucos passos a sade, sem carecer
Jo longo lempo do convalcsccnca. J completa-
mente restabeleci.la a rasflo desta senhora, appare-
ceram enlflo pequeos incommodos-de ulero que re-
clamaran, urna dse de belladona, queos rcmediou;
e boje mais una familia inlcira d Bragas a Dos por
lerfoitocom quo a homceopalhia fsse dcscoberta,
e mais urna occasiflo lenlio cu para apreseular um
exomplo bem claro da verdade das doutrinas ho-
moeonatbicas.
VI.
Insistirei n'uma nota quo j por muitas vezes le-
nho publicado, o que som duvi.la me ha de ter gran-
geado nflo pequeo numero de inimigos. Essa nota
be a do nflo serem necessarias muitas dses de reme-
dios, o muilo menos ser necessaria a mudanga de
remedios, para so oMer urna cura perfeilamenle ho-
mojopalica. Duas series de interesse, offendidos por
esta nota, se oppein a quo ella seja lomada nade-
vida considcragflo ; urna he a dos interesan* ficticios
do doente, que julga poder curar-so cm menos lem-
po, tomando inuilosrcmedios; nutra be a dos inlo-
resses do vulgar dos mdicos, que, rcccilando muilos
remedios, e fazeudo muitas visitas, julgam adquirir
melhor jus a melhor paga. Knganani-se us e ou-
lros. O .lenlo nflo se cura com mais rapidez por-
que loma remedios todos os dias : pelo contrario,
uns remedios destroem a acgflo dos oulros. o a mo-
lestia progrede ou so exacerba, ou, curada apparen-
leinenle, se transforma u'oulra, monos apparatosa
lalvez, portn de cerlo mais perigosa : o medico nflo
ganha mais por cxlorquir ( queassim so pode drzor
Ja paga inmerecida que elle recebo por visitas ilu-
tis e desnecessarias, ou remedios quo nada recla-
ma va m collamente nflo ganha mais porextorquir
avulladassominas a tal ou tal numero de enfermos
quo depositan! nellesua conliauga, porque larde ou
cedo essa contlanca he perdida, e por urna reaceflo
Den justa seguc-se-ttie o descrdito e at mesmo a
deshonra, que peior he mal que a pobreza. Os remed
os homaiopathicos ;j o tenho dito muitas vozese nflo
mo canso de o repetir ), os remedios hoina-opathi-
cos, uns por oulros, tcom acgflo, termo medio, por 8
ou 10 dias: nflosedeve administrar, nos casos or-
dinarios, segundo remedio antes de haver esperado,
ao menos seis ou oilo dias, pela acgflo do anteceden-
te. O contrario disto prova urna .le Ires cousas : ou o
remedio foi mal oscofhido, e ontflo bouve ignoran-
cia ou dosleixo da parte do pralico; ou o remedio
foi bem escolbido, e o segundo serve para perturbar
a acgflo do primeiro, o tornar a molestia mais longa
ou mais lucrativa ; ou nflo se em prega remedio no-
vo, mas quer-se nflo perder trabalhoe scadminis-
tra'r a agoa pura para fa/.er jusa paga. Pode ser que
a boa f presida a qualquer dos dous primeiros pro-
cederes ; mais isto lio caso raro e excepcional, que
necessariamente ir sendo cada vez miis raro, con-
rrmc os progressos que a homoepathia fizer. O que
nflo p.le sor he consentir eu que com a bomccpalbia
so fagan, traficancias que a deshonren,, porque UMtiio
semprc presente ao BOeu espirito que Jcsus-Chnsto
deitou fra do templo os trancantes a golpe de azor-
rague.
VIL
OSr. I.uiz Mendos Ribciro lio homem de avulta-
dos bens e generoso, o nada acreditava ilo systema
nenhum de medicina, o eslava desesperado, e con-
Itderava a homojopalhia como a sua nica taboa de
salvagflo. Eslava oSr. I.uiz Mondes Ribeiro as mo-
Ihorcs circumstancias para sor victima de urna fa-
mosa especulagflo : sem dilUculdade nonhuma podia
eu ter dado asna senhora pelo menos vinte reme-
dios ou vinte dses de agoa pura, gabhando uns du-
zonlos mil ris, afora o quo houvesse de esperar do
sua generosida.lo, visitando a sua enferma duas ou
tres vezes por dia. E o que fiz eu ? O que deveriam
fazorsempro todos os homreopatbas, para que so
nfld podessodizer de algum delles que ahragra a
homffipatbia como Ujriain abragado o dflicio do car-
rasco n'uma poca de terror, se fsse bem pago pelas
execugoes. Ilei somonte duas dses do stramonio pa-
ra curar a loucura, o mais urna dse de belladona pa-
ra remediar alguns incommodos do ulero que sub-
sistan! : nflo fiz mal* de cinco ou sois vizitas em lo-
do este periodo; nflo exaltei o mrito dosla cura
com mysleriosas investigages, nem proguoslicos
propheticos, nem descripgOes inlerminaveis de mar-
chas e contra-marchas da enfermidade i mostre des-
de o pcincipio qual era a linha de proceder que mar-
cava invariavelmentc a materia medica, segundo a
lei dos semclhsntes : servi-mo desta observagflo cl-
nica para dar urna ligflo pratea de homu'opalhia ao
Sr. L. M. R., c assm traztHo a causa tflo pleiteada
da vordadera sciencia de curar. Agora mesmo nflo
publico esta historia, nem por oslenlacflo de sabor,
nom por inoulcar-me pino desata tralicancias que
por ah se fazein com n vida o os s..lTr montos dos
hoinens : tenho em vista nicamente, publicando-a,
chamar a allengflo de todos para a lioinceopallvia.
como para urna vcrdnde provad por toda a especio
doarguinentagflo, c demonstrada por este facto pal-
pavelmonte. Nflo advogo os mcus interesses nom os
da classe dos hoiiusopallias ; advogo a causa da hu-
manidado o os interesses de todo o pai de familia,
quo se acaso por uieia hora cm w.la da eslu Jar urna
pagina dos livroi que tratam de homa'opathia, so
nflo doixar sem roflexflo raso nenhum de enfermi-
dade tratada honiu-opathicamente, e se fizer bem as
contal oa despeza quo todos os annos faz com boti-
ca e medico, e se altcnder promptidflo com que p-
dem ser soccorridos hoinocopalhicamenle os enfer-
mos, o simplcidade, socogo e asscio dos tralamen-
tos homecopatheos, ba de necessariamente concor-
dar comniigo em que a hoinn;jpalhia he preferivel a
tudo.
a Joao Fcente larlins.
(Contina.)
RELACAO do bitos do wm de novembro ultimo nssla
freguezia de Santo-Antonio-do-lecife.
1 Posa, prela cscrava, solleira, do 16 annos de ida-
de, de hidropesa; com o sacramento da peni-
tencia.
Ursulina, parda, 10 annos e meio de idade.
2 Francisco, Africano Jcscravo, 50 annos de ida-
de, do phlhysica ; com a Santa-UncSo.
5 Rosa, crioula, com 10 dias de idade, telano.
Francisco Xavier d Ressurreigflo, branco, casa-
do, com 39 annos do idade, de phlhysica; com
lodos os sacramentos.
a Francisca Xavier, parda, viuva, |de nOammagOes
de intestinos; com todos os sacramentos. (Pobre.)
Jos, Africano escravo,60 e tantos annos do idade,
de phlhysica; sem sacramentos. ,
Venanca, crioula escrava, de 12 annos de idado ;
do totano; sem sacramentos.
7 Antonio, branco, dolimezes do idade; de con-
vulsdes. ... .
8 MargaridaSenhorinlia Cavalcanti, parda, soltei-
ra, 43 anuos de idade, de hidropesa; com todos
os sacramentos. (Pobre.)
a Joflo, branco, receirinascido; de ttano. (Pobre.)
10 Antonio, branco, de 7 annos de idade, de febre ;
com a Ungflo.
Mara, branca, rcccmnascida.
13 Manoel FYancisco, preto forro, solteiro, de 80 an-
nos de idado, molestia interna : sem sacramen-
tos. (Pobre.)
Vicencia Mara do Rosario, crioula, de 7 anno da
idade, do aslhma; com a SafiU-L'ngflo. (Pobre.)
Genoveva Francisca do Andrade, branca, sollei-
ra, 19 annos de idade, de phlhysica ; com aSan-
ta-l'nco.
ENCONTRADO
r~-

/
v^
4^
i
i
I
A
I


II Domingo*, Africano escravo, lo atino* lo idmlc,
deapoplexia ; com a SanU-t Intjlo.
IV Jofln, branco, rom 4 anuo de idade: de consti-
pado.
I'i Ann.i Mara Medina, somibiatn ,i, solli-ir.-i, rom
/.i;......i* da id ido, de nioiplici com lodos os la-
cramantoa. Pobre.
Auna Mana CavalcantO, liranc.i, rasada, rnm JO
mnos di- idade, d un cancro ; com lodos os sa-
ramentos. (Pobre .
Domingas Parralra Paasoe, parda, soltoira, com
1h anuos da idade, de febre ; com a SantaUnca*0.
i i Mara, crioula cscrav, recemnaSC ida. da ttano
17 Joaquira, pardo, com aono e meio de Idade, de
coiivuImcs. I'olire.:
< Maiia, hranra, com un me/ de idade, de tabre.
18 Maria Victoria do Sacramento, crioula, solteira, |
rmn 24 annos de idade, do desinleria ; com a
Santn-t ncHo. (Pobre.,)
Antonio, prclo escravo, com 45 anuos de idade,
dediarrhea; sem sacramentos.
1! l.iidtigero, ciioulo,com 7 mezes de idade, de con-
vulsOee.
u I). Joaquina Nones, branca, casada, com 40 e tan-
tos anuos de dad.;, de apoplexia; som sacra-
mentos.
20 Joo, pardo, com 9 mezes de idade, de hidro-
pesa.
i Mara Francisca da ConceicSo, branca, solteira,
de molestia interna; com lodos os sacramen-
tos. (Pobre )
.. Francisco, branco, com 13 mezes de idade, de fe-
bre. (Pobre."
21 Flohaiino, branco, com 13 metes de idade, de
convnlsOes. Pobre)
Si lilla, crioula cscrava, com 40 anuos de dade, de
bexigas ; com a Santa-Unclo.
Jl Rarlholomeu, branco, com 3 mezes de dado, do
febre.
Antonio, crioulo, com 7 anuos de idade, de tta-
no. (Pobre.;
' Maria, parda, com 2 mezes de idade, de nllam-
nnr0es-
25 Ravmunda, pela escrava, com Hialinos de ida-
de," de febre ; com a Sanla-liiciio.
Joo Izidoro dos Santos, pelo forro, soltciro,
COfll 50 anuos do idade, de molestia interna;
com todos os sacramentes. (Pobre.;
36 D.imiana, preta, com l mezes de dade, de es-
pasmo. (Pobre.)
Joaquim, branco, rom cinco mezes de idade, de
denles.
27 Amonio, ciioulo escravo, com 46 annos de dade,
phtliysico.
28 Filippa.crioula cscrava, com 7 mezes de idade, de
rongestOo cerebral.
O vigario, Venancio llcnriuues de Hcsendt,
.Vari'of tahidn no mtimo da.
I i-I i ; brigue braslleiro Viridio, rapil.lo Augusto
Antonio da folla, carita nssuor.
dem ; barca pnrtuguc/a l.i'/eira, capitflo Anl olio
Joaquim Rodrigue, carga aasiirar, algodlo e cou-
ros. Passageiros Jo.tu Antonio Concalves da Fun-
le, I. Cartrudea Magna da Assumpr.lo, Jos Missa,
Portuguaiaa.
Km rommiss.lo do governo vapor dn guerra hrasi-
leiro irania, commaudante o capiblo-tauente J-
se Eduardo Waldeucolk.
^
EDITA L.
ALFANDEGA.
I CNDIMF.NTO IM) ni A -2-2
..8(14,036
Descarreyam hoje, -3 iledezembro.
Rrigua Braniij'Win$ faiinha.
luiguo Concfico-de-Varia mercadorias.
Barca Jejo idem.
arca /ant/Htdem.
IMPORTA CAO'.
Bugenfi, brigue belga, yindode Antuerpia, entra-
do no corrento moa, consignado a N. O. Bieber &
Companhia, manifestou o segiiinto :
63 barril pregos ; a Lutlkoiis. t
i caixa livros; a Santos & Companhia.
7 caixas pedra-marmore, 198 garratocs oleo de li-
nhaca, 12 caixas forragens, 2 ditas feitcs para os-
pingardas; aN O, Bieber & Companhia.
300 caixas vidros para vilr.ic is, t fardo fazendas
de algodilo, 1 caixa massas para chapos; a Joflo
Keller a; Companhia.
2 caixas fazendas do algodilo ; a Kalkmann c '.o-
senmund.
77 caixas vidros para vidraeas ; a Schafh 'illin To-
bler & Companhia.
1 caixa livros; a t. Jos Vieira t'.outinhn.
1 caixa tinta paraescrever ; a J. P. Adourct Com-
panhia.
157 barris pregos, 1 caixa livros, 40 caixas papel,
1 caixa bracos do batanea, 1 caixa miudezas, 7 bar-
ricas bacas do la 13o, 2 caixas tapetes, U dilas conso-
lse mesas redondas de marmore, 2 ditas pannos,
:il ditas armas, 2 ditas fcixos para espingardas, 20
ditas fcrragens ; a llrandcr a brindis.
Ilrundy-Wiiic, brigue americano, vindo de l'hila-
dclphia, euliado no crrente mes, consignado a Mu-
tleos Austain & Companhia, manileslou o seguinlo :
1428 barricas e 183 meias dilas familia do trigo;
aos mesmos consignatarios.
CONSULADO GEBAL.
RF.NDIMF.NTODO DA 22.
O ir. Joti Thoinas fiahuco d'Araujo Jnior, fitlalao
' cataileiro da rasa imperial, ravalleiro da ardem de
Chriito, e ;uia de direilo da i.* vara to i-rime da ro-
mana do llecife por S. M. I., a quem Deot guarde
de.
Faro satier que, no dia 15 do Janeiro, ha de come-
cara corrcicflodesta cidadee seu termo, o em con-
secuencia no dia 19 do dito mez, em a casa do minha
residencia devcro cntregarao escrivio em minha
prezenca:
1.' Os esrrivfcs do quaesquer juizos, tabclliiles
de notas, seus ajudanles, escreventes juramentados,
distribuidores, contadores, partidores, avaliadores,
advogadoa mo formados, solicitadores, promotores
de residuos, curador geral, o lodos e quaesquer ou-
Irosempregados do foro, e olllciacs do Justina, seus
ttulos, ou provises, e (laucas a que porventura
estojam obrigados.
2." Os tabellines donlas dcsla cid,ade, os deJa-
boatlto, e S.-I.ourenco da Malla, o escrivito do pro-
testos, o de hypothecas, o do registe g^ral das hy-
polhecas, c os escriviTos do paz, os seus livros de no-
tas, inclusive os lindos nflo vistos em correicHo.
3. Os escrlvfles, que escrevem no crimo perante
os juizes rounicipaes, delegados e subdelegados,
lodosos processos (Indos, n3o vistos em correic.lo,
c os pendentes, acompanhados de uin rol delles em
duplcala na forma da ord. I. 1., til. 58 $ 1., e lit.
79 *i I., c assiin tambem os roes de culpados, livros
dos termos do bancas, e quaesquer oulros a seu
cargo.
4 Os escrivies das oxecuertes, os dos juizes do
civel, o dos foitos da fazeqda, do juico de ausentes,
dos delegados, subdelegados < juies de paz, os
protncollos do audiencias, os dos advogados, os li-
vros dos termos de conciliacHo, e quaesquer outios
a seu cargo.
5. Os escrivies de orphltns lodosos livros de tu-
telas, cratelas, o quaesquer oulros pertencentes
aojuizo do orphflos, os autos de inventarios pen-
dentes e lindos, cuntas do tutores, curadores e ad-
ministradores, as cscripturas de debito, llancas, hy-
polheeas porlenocnles aT)s cofres, o una rclar;o dos
tutores e curadores, que prestam contas com iudi-
viduacao do lempo delias, c declararlo dos que pres-
taran) ou mo.
6. O escrivflo da provedoria de capcllss e residu-
os os livros do registos das capellas, seus encargos,'
lomlius ile suas propriedades c contas dos respec-
tivos adminislradoios, o os livros dos tegislos dos
testamentos e codicilios, inventarios, contas de tes-
lamenteiros pendentes e lindos ; oulro sin. os livros
pertencentes as iimandados, contrarias, hospilaes,
ordeilS tereciras, fabricas e adminialra^no de capel-
las, e urna relacfo dos testamenleiros, administra-
dores e irmanilades, que devem prestar contas com
individuaQiiodo lempo delias, e declaracilo dos que
prestaran!, ou nfio.
7.* Os administradores de quaesquer hospilaes e
1
ro pilo de Pro ve nc a, tilo con berilio c apreciado, aca-
ba dn rccrlirr-sr pelo navio Julia, rhegado recenle-
niente da Kianca, un rompido e rico aortimenlo de
confeitos o amendoas cobertas, da diirerenlcs quali-
dades, doces com traques muiln proprios para en-
(rctonimcntns de sorles, pssllhis ; assim como a
'"II- superior agoa de flor da larauju e ago'ardenle
de I ranea di pi iinm qualidade ; tambem fram
rerobidas mui ricas bocetas do difTerentea goslos
para presentrs de confeitos, amendoas o oulros do-
(s, e ludo se vende pelo preco mait commodo e ra-
soavel; pceo por que igualmente se promptilicam
encommendas de doces finos, c bandejas de bolos
delicados para cha, bailes e soars.
- Cicilia Roza da Costa de
clara que, leudo fallecido seu ma-
rido, Joa<|uim Jos Lourengo da
Cosa, e leudo leixado tres filhos
de ligitimas nupcias com a an
nuneiante, nao (em ella de fazer
inventario,-porque nao ha no seu
casal oulros bens alm dos que o
seu fallecido lio, Joaquim Jos
Lourengo Otrlaxo, em di^posigo
testamentaria deixou para os le-
gtimos filhos da annunciante, e
em uso lindo smente a esta.
Perdeu-se, no dia 18 do correte, urna leltra de
I ti i ii lientos mil i os sacada na villa do Itio-Formoso,
em 2 de maio de 1848, a favor de Denlo Jos da Cos-
ta e aceita pelo Sr. Pedro Ignacio Wanderley, tendo
ja as cusna o iuiiie do dito liento Jos da Costa: e
como j se tenha feito aviso ao aceitante para nilo
pagar senilo a favor de quem ella Ib i sacada, por
isso roga-so a quem a achou o favor de entregar em
casa da viuva Costa & Fhos, na ra da Cadoia do
Mente, que lieiau obrigados, ou recompeiisarflo
caso o exijam.
Muito so precisa comprar urna escrava sem de-
feito que sai lia bem engommarc coser, e tenha
boa figura ; paga-se bem; na ra de Agoas-Verdes,
n. 46.
-- Precisa-se de um bom padeiro branco, que en-
tenda perfeilamenteda arto, para administrar uns
poucos de escravos, e ajuda-los naquello servido
que esliver em seu alcanzo : na ra larga do Hozarlo,
n. 18, pailaria junto ao quartelde polica.
-- Oflerece-se cem mil lijlos de alvenaria, j bem
conhecidos pela sua qualldade e tamanho, por
1.- lo.ooii rs. poslos no porto mais perlo da obra do
comprador, com o prazo de 4 a 8 mezps : os preten-
dentes dirijam-se a ra larga do Rozario n. 18.
O abaixoassignado faz publico que abri a sua
taberna, no dia 22 do correte, na ra do Codorniz,
n 9 ,e nella principia a vender bebidas de pruduc-
eiio brasiliira. Antonio Martin* Duarle.
Prccisa-se do um aprendiz do charlenos: no
Aterro-da-lloa-Vista fabrica nova, n. 43.
Perdeu-se, da ra de Hurlas at as Cinco-Pon-
as urna carteira encarnada com as ponas doura-
iias cimiciido ciitio(*a,ooo i. sendo urna cdu-
la de 20 000 rs duas de 10,000 rs., duas de 2,000
rs. urna de 1,000 rs. c varios papis de importan-
cia. Iloga-se encarecidamente a quem tiver achado
dita carteira sendo qu-j tenha consiencia que di-
rija-so a ra de Hurtas, n. 120 que ser gratificado
r.-------------
O lillAOO A RAZA0 N. 8.
Achar-se-ha a ronda As 9 horas do dia, nos luga-
res do cosime : traz boa variedad* em versos.
Alugam-se os segundo etereciro aodar Ja cata
da ra do Vigario, n. 19: alratar n mesma casa.
-- Em (Miada, na nova padatia do Vaimlouro, ra
dollaldn, rbrca-se o muito famoso pilo de Proven-
cu, rocommendavel pela sua pureza e alvura, poden-
do-se alllancar aos freguezes quesera fabricado com
a melhor fariuha que houver no morcado ; lainbem
se fbrica bolacha lina da mesma farinba, o se fara
todo o esforco para merecer a preferencia a outra
qualqucr.
Abre-se amanhSa (24 do
Si: correnle ) um bolequim, ^

dos bens e rendimetilos das confrarias, irmandades, com motada la quuntia
or.lcns Ictceiars, fabricas, capellas, etc., ou osscus Itoga-so ao Sr. subdelegado de S.-Jos que|te-
Ihesoiireiros, os liviosilo reccita o despezas, os de nha a bondadodc langar suas vistas sobre aquclles
contas, tonillos, inventarios, compiomissus, -arren-'sujeitos c sujeilas que quizerain fazer o presepe no
daim;ntos, contratos, accorditos, termos e oulros'paleo do Tergo e como u nao conseguiram querem
quaesquer; assim como os ttulos por que possuen^ fazer em a ra do Hurtas, onde moram, e leucomam
bens lo raizo aallcencaa para dispensa da lei da'fazer lodo o seu barulho : e nilo he so barullio;
amoitisaco. jas donas da casa levam insultando todas as pessoas
8.' Os depositarios geraes os livros do depsitos, que transitan pela ra e tnesmo a vizinhanca com
9.u Os distribuidores os livros do distribuices. | palavras olfensivas o atacantes, esto procedunento
10 O escrivio de ausentes os livros de que trata he de gente igual a quem o tom... be um quei-
o rogulamento del) de maio de 184-2. | xoso que transitava nesia noileque houvira as uiais
l'aco saber que receberoi quaesquer denuncias so- insolentes eousas quo so podiam ouvir.
S com denumnag3odeJs/>?- g
m
m
m
m
&. riinq'i, na casa n. 126 da
: ruada Sanzalla-Velha, con-
g ronle travessa do Cam
m pello, no bairro d.) Recife, H
^| no qual ackarao os fregu- :^
r zes comidas e bebidas de je
%\ todas as qualidades; assim Ifj
; como apromptam-se para g
lora auaesnuer comidas,
a:
m
quaesquer
com o maior asseio e pre*
y&
&> feico. ludo nor preco com- =S
?;
aj modo.

ou eslan-
na ra Di-
coro
bro negligencia, Oinissto, erros, e quaesquer ou-
lros crimes dos emprogadoj pblicos.
K para que nfio baja ignorancia mando que o cs-
Offiiece-se urna mulher j do idade e de boa
conduela para ama de urna casa de pouca familia,
para todo o servico dn portas a dentro : quem do seu
erivilo que esla subscreve notifique prssoalmenle prestimoso quizer utilisar, dirija-sea ra da Ci-
nos sobrcdiios escrivies, e domis pessoas, as quaes rJ) n. 25.
se refero esto cdital, o conledo dille ; c que outro
Cera I .
Diversas
provincias.
2:765,(02
70,104
2:835,100
CONSULADO PROVINCIAL.
REMmiENTO 1)0 DIA 22.......... 1:719,727
Movimenio do Porto.
sini soja o uiesnio afflxadonos lugares mais pbli-
cos, e publicado pela imcivnsa.
Dado o passado nesta cidade do llecife, aos 18 de
dezembro do 1848. E ou, Joti Affuiiso Gnedes Alcan-
forarlo, escrivio o subscrevi.Joie Thomnz Nabnco
de Aruujo Jnior.--X. S. ex causa.
Avisos i.if itimos.
Naviot tntradot no dia 22
Casho; 38 das, brigue inglez T.-C -S-itlon, de 197
toneladas, capitulo John l.e lirun, equipa ge 12,
carga 2634 barricas e caixas com bacalho ; a Me.
Calmont & Companhia.
Ccnova ; 35 dias, barca sarda (iu.i'pplna, do 291 to-
neladas, capullo Andr Prev, equipagem 14, em
lastro ; a l.e Hrelon.Schramm.
llio-rto-Janeiio 23 lias, brigue brasilero .lala, de
187 toneladas, capit.lo Marcos da Rocha Pires, c-
quipngem II. carga sablo o mais gneros ; .1 Joqo
Francisco da Crus. Passagciro, Jos Jacomo Tasso,-
llaliano.
~ Para o bio-dc-Janeiro segu vipgcm, com bre-
vidado o brigue Assombro forrado de cobre de
pi ni eir marcha ; deixou de sabir no dia 15 por in-
convenientes : quem quizer carregnr, ou ir de pas-
sagem, para o que tom ricos commodos diiija-se a
ra da Cadoia do llecife, n. 61, a fallar com Joo Jos
Fernandos Magalhltes.
-- Para o llio-dc-Janeiro sabe, com a maior bre-
vidado 1 ossivel, o brigue nacional Liyeiro : para cai-
ga, passageiros c escravos a ficto. Ira la-so com Ma-
nuel Joaquim Soares na loja do ferragens no p do
arco da Concolcilo ou com Novaos & Companhia, na
ra do Trapicho, n. 34.
Para o Itio-de-Janeiro segu, com brevidade o
brigue-escuna nacional Olinda : tom p irlo de sua
carga engajada para o resto, passageiros e escra-
vos a frote, trata-se com Machado & Pinhoiro, na ra
da Cadeiado llecife, 11. 37.
Para Lisboa partir, com a mnior brevidade pos-
sivel.ohiate porluguez Especulador fabricado re-
cenlemente ; lem parlo de seu carregamenlo promp-
la fiiltanilo-lhe cerca de 3,000 arrobas : quem nello
quizer carregar a frete, dinja-se ao consignatario
Firiiiino J V. da llosa na ruu do Trapiche, 1.. 44.
A barca nacional Tenlaliva-Felit segu para 0
Rio-de-Janeiro com muila bievidado, por ter glan-
de parte deseu canegamenlo prompla : parao res-
to o passage'uos para o que offuiece os mais ticoso
assojyidos coniinodes assim como para escravos ,
trata-so na ra da.Moda, 11. II, com bilva > Cillo.
Avisos diversos.
Na padaria e pastelaria franceza do Alerro-da-
lloa-Vista, n, 50, onde se fabrica o novo e verdadei-
Precisa-so le urna ama para cozinhar e fazer o
mais servido de una casa : na rui da Cruz, no lleci-
fe n. 43.
'Desappareceu, do quintal da casa n. 74 da ra
Augusta na noitedo dia 21 para 22 do correnle,
um cavallo pedrez de meio, descarnado e novo
quem o tiver apanhado, ou dello liver noticia, di-
rija-so a dita casa, que ser recompensado.
No dia 25 do con cuto, conlinuar-sc-ha, na pa-
daria da roa larga do Rozario, n. 18,junto aoquar-
tul do polica, a fabricar um pao de meia libra, po-
lo bar,1I0 preco de 60 rs. cada um : tambem se tinao
do urna o duas libras, sua qualidado nilo se aprega,
com a vista e uso os amadores Ihe fa rito o devido
elogio e saberilo o bom goslo que tem a guarn*
cito d esquadra nacional, surta ueste porto, a quem
so fornecu diariamente.
--.Na casa do modas francezas de madama Millo-
chau na esquinado Aterro-da-Uoa-Vvisla defrou-
le do cbafari/. da ponte recebcu-se pelo ultimo na-
vio vindo de Franca um muilo lindo cscolhi-
mcnlo do cainisinhas liordadas para senhora ; cam-
liraias brancas e do coi es para vestidos ; lindas man
tus de Ifla e seda de muilo ricas cores ; trancas
brancas e de cores pata enlejes de vestidos ; luvas
de pellica, curtas ecompridas, com enfeites e sem
elles ; clia|os de palhaabeila muiloalvae da ul-
tima moda ; capellas de flores de larangeiras ; dilas
de cores eramos de (loies linas ; ricas plumas para
chapeos o cabera ; chapeos do seda c toucas pura
tnliord ; manteletes-palitos, e aventaos para se-
nhoia ; bonetes do moutaria ricmenle bordados .
bicos de hlonde e de Irtiho; lencos de mo ; cam-
bniiade liuho puro; gravatinhas do lita para mon-
ta na ; meias de seda lisas e bordadas para senhora.
Na mesma casa se fazciu ciroclivamonto chapeos ,
toucas e vestidos de soultora por prec,o commodo,
com promptidilo egesto.
Na ra da S.-Cruz, 11. 3, so dir quem vende, por
pre?o mdico os seguiilos livros, quasi novos
mu propiius para quem quizer aprender inglez :
graininatica de Constancio ; diccionaiios >lu Vieira;
Historia de loglalerra eTompson; aliiin disto encon-
tra-se o Panorama do l-*3 a !8V>, em C votamos ,
liem encadernados ; Ceographia dcCauliier; urna se-
cretaria urna mesa de meio de sala : tudo barato e
em bom estado.
--O Sr. Francisco Pereira Marques queira appare-
cer na ra da Aurora, n 44, alim de tratar da en-
trega da casa.
Precisa-So de um caixeiro nacional,
geiro para urna venda fra desta praca :
reila, n.17, fabrica de licores.
Aflbnso S.-Martn
loja na praqa da Independencia, n. 38, tom para ven-
der chapeos de seda do mais elegante gosto para se-
nhora, assim como do palliiuha aberlos e lisos, tan-
to enfeitadoscomo s os cascos, lindos ramos de
flores artificiaos, filas para os mesmos, capellas de
flores de phanUsia ditas de llores do larangeiras
para noivas, e ramos das mesmas para peito supe-
riores sedas pretas para vestidos, bicos de blondo
para os]mcsmos, manteletas, visitas e palitos ric-
menle guarnecidos, cortes de seda para vestidos ,
mantas e lenQos grandes de seda com franja etc.:
se levar aodemiailio
Fugio, no da 20 do corrente, as 7 horas da noi-
le, um molequo de 8 a 9 annos, com os ollios par-
dos ; sabio com ceroulas de estopa, e n da cintura
para cima; tem algunssiBnaea-dft-relho pelas cos-
tas : quem o pegar leve-o a ra da Praia n. 60, casa
onde so fazem anzes que ser gratificado.
Joo Matheus embarca para os po: tos do sul o
seu escravo Benedicto de nclo Costa.
Os Srs. que tecm fallado pata arrendarem a pro-
prieJado da travessa da ra da Madre-de-Deos, n.
16 pdcn apparecer queja se ultimaran) as obras
queseestavam fazendo em ifila casa : na loja dos
Srs. Jos Antonio da Cunta & IniHos, [se dir quem
aluga.
--Raymundo Filippe Lobato Jnior propfle-o a
dar lenos de desenlio e de lodos ns preparatorios
para a academia jurdica excepto franco* do quo
nlo tem nociio alguma : quom do seu prestimo so
quizer ulilisar dirija-se a ra larga do Rozario.
n. 23 primen o andar onde o acharflo assidiiamen-
te. Se por casualidade liver algum impedimento ,
far suas vezos o seu companheiro Sebastian Comes
da Silva lielfort, que em nada o desmerece.
Furto.
Furlaram da sala da frente do sobrado da ra do
Queimado por cima da lojadnj. A. dos Santos An-
d 1 ada & Irmlo, onde moram os abaixo assignad:iso
unararteia com diversas lettras sacadas pelos
abaixo assignados, c aceitas por varias pessoas no
dia 21 do crrente, pelas 10 horas damanhila. Roga-se
as autoridades policiaes c qualquer pessoa do povo
que souberem quem fui o autor deste roubo, quo ha-
jam de o prender, licamlo certo o roubador queja so
ac ham prevenidos os aceitantes para nilo pagarem
se na o nos sacadoaes : bem como roga-se a esta pes-
soa quo lirou dita carteira que baja de restituir as
ditas lettras, pelo correio, em carta fechada e quem
descubrir ser gratificado entregando na ra do
Queimado loja n. 16. Adverle-so que perdos-sc ao
curioso o dinlieiro que lirou de dentro de una cai-
xinha. Jo$i DiasSimts & Companhia.
Contina a estar fgido, desde 13 do correnle,
pelas 9 horas da noito do lugar de S -Amaro, pr-
ximo a fundicaodo Sr Starr, um cavallo rodado,
sellado com'sclliin inglez : quemo pegar levo o a
ra de Apollo, n. 25, quo ser gratificado generosa-
mente,
Piecisa-se de urna ama para o.servico interno e
externo de urna casa de pouca familia : na lla-Yis-
ta, ra d'Alegria, 11. 11.
Deposito de rap ancMrahy
e imperial.
Na ra da Cruz, n. 63, prmeiro andar, escriplo-
riodoJos de Almeida arre.to Bastos, vende-so o
bem acreditado raj andarahy e imperial, abncado
no Rio-de-Janeiro, sendo o nico deposito nesta
provincia ; assim como sempre so achara no mesmo
deposito o melhor cha nacionaMirasilojro, emeai-
xiulias de 5, 8 o 16 libras, por preco commodo. O
rap vende-so a rclalb > as seguimos casas : ra da
Cadeia do Recife, 11. 17 ; ra do Collegio, 11. 9 ; pra-
ca da Independencia, ns. 4e39; ruado Queimado,
ns. 10, 16 e 33; ra do l.ivramento, 11. *; ra No-
va, n. 50; ra dos Quarteis, n. 24.
- Tliiago Maria Maya, subdito porluguez retira-
se para Por 1 ngal a tratar de sua sade.
Roga-so ao Sr. alferes J. A. P. II. o obsequio
de quanto antes pagar o resto quo llcou a dever a um
seu couipaulieiro na viagom quo fez para o norte;
o que so nilo (izar lora o dissabor do ver por extenso
o seu nome neste Diario, at o linal omboco da aeu
crodor.
1 1
t
MELHOR EXEMPU



Lotera do llicatro publico.
A venda do< respectivos hilhetes est quasi para-
lada, e por esta rasflo deixaram anda a roda* de
ler andamento no da 9 do crrante, segunda vez
para este flm marcado. A vista, poi*, disio u thetou-
reiro ie escuta por ora de marcar novo da, o que
fura brevemente, valo que est dsposlo a empregar
todas as diligencias para que as ditas rolas andem
antes da Testa.
Vigncs, fabricante de pianos,
na ra doQucimado, 11.1*2,
tem planos de novo modelo feitos depreposito para
este jais ; aflo riquissitnos *-d machinismo e ? zcs superiores, o que se llanca ao comprador : tam-
ben lem pianos ingieres, que alio pouco usados;
concert c Alina pianos com toda a perfeicHo ; vende
cotilas camurcas e todos os aviamentos necessarios
para ditos instrumentos : ludo por preco commodo.
No pateo da matriz de S.-Antonio, n. 4, segun-
do andar, liram-sc passaportcs para dentro e fra
do imperio tambero para escravos e correm-se
tullas por preco muito rasoavei.
No escriptorio de Jos de Alenla
Barreto Basto, ra da Cruz, n. 63,
aasigna-se para a impressSo da seguinte
obra:
Commentarios do Conde de Tracy,
sobre o espirito das leis, de iMontesquieu,
e memorias sobre os tneios de fundar a
moral de um povo. Subscreve-se por
4,"oo rs. pagos no acto da entrega da
-obra.
Joflo SimSo do Almeida dexou de vender ago-
srdente tas sua Uernas, no becco da Cacimba n.
1, e becco do Monteiro n. 6; e para que o Sr. col lector
nfio se chame a ignorancia, se faz o presente annun-
cio.
"'-iOSr. Alexandre Maquelon Tecir, Imorador no
engenho Sau ou Sausinho, lem urna carta de sua
familiade Lisboa na ra du Apollo, artnazcm n. 32.
AJuga-se um preto para una padaria que sai-
ba anussar e sirva para vender na ra: quemo
tiver drija-se a rua da Madre-de-Dcos armazem de
Yiccnle l'erreira da Costa, que se dir quem piccsa.
Precisa-se de um preto hom Irabalbador de
masseira ; d-se hom alu^uel, sendo perito no scu
olcio : na ra do Bem-Fica na Passagem-da-Mg-
dalena padaria de Domingos Antonio da Silva liei-
r.is.
Quem precisar do urna ama de loite forra, diri-
ja-se a ra Direila,, passando o beceo da l'cnha ,
do lado esquerdo, sobrado de um andar, n. 45.
"Odnulor Casanova medico francez, mudou a
sua residencia da ra Nova para a ra do Crespo, n.
8, segundo andar onde contina a receitar desdo
7 horas da manlifa at s9 e de 1 at s 3 horas da
larde a pobreza gratuitamente : quem de scu pres-
timo se quizer ulilisar, dirija-se a mesma casa.
A. Baumann, afinador e
concerlador de pianos do
principe de Jonville e de
S. A. a Sra. piinceza D.
Francisca, lem a honra de
prevenir o respeilavel pu- )
blico que che^ou ultima- j
mente n'esla cidade ; e as
pessoas que quizerem utili-
sar-se de seu presumo, o a-
charo na casa dencia, ra larga do Rosa-
rio, n. 14, primeiro andar.
Iiesapparccou, no dia 4 do correte da casa
do Rotho & liidoulac ra do Vigario n. 4, um ca-
chorrinho do raca ingleza com os signaes seguiu-
tes : pequeo, lodo proto, o orelhas grandes: quem
o achure levar a casa cima, sera hum recompen-
sado.
Da casa de Jeronymo Martiniano
Figueira de Mello desapareceu urna
bengala de canna da India com casto
de ouro lavrado : quem a tiver e quizer
restituir, poder leva-la ra do Hospi-
cio, n. i4, na certeza de que se entregar
a importancia pela qual a bouver com-
prado, querendo-a receber.
CHAPEOS DESOLfe
lina do Passeio, n. 5.
O fabricante desle estahelecimento adverte ao res-
peilavel publico desta cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sortiment do chapos de sol,
assim como chapeos de sol de seda furia-cores, dos
mais ricos que teom apparecido noste mercado, e de
cores condecidas ; ditos para senhoras de hom lom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas de retroz, ludo que tero do n.ais moderno o do
melhor goslo; umcompletOjSoriimeuto de chapeo
de sol de panniuho de todas as cores o do todos os
tamaitos, para homens, senhoras o meninos : ha
tambnm igual sortimento do fazendas par* cobrir ar-
maefles, tanto de sedas de cores, como de panninhos
trancados e lisos imitando seda. Adverle-se que os
freguezesserao servidos com brevidsdc, cso.avha-
ro satisfeitos da boa qualidade, do hom gosto e do
bom preco.
. -- Precisa-so de dous molrques diligentes para o
sei vico de urna casa : na ra da Senzalla-Vellm, con-
fronte ao becco do Campello, armazem n. 126.
Fabrica de Todos os Santos
da Itahia.
I'irmino Jos Feli* da llosa, com escriptorio na
ra do Trapiche, n. 44, avisa aos seus freguezo* ,
que receben pelo hiale S.-Hcntdielo, novo soi tmen-
lo do excellciile panno de algodflo enlruucado da-
quella fabrica ptimo para eusaccarassucar e pa-
ra roupa de escravos. O annunciante conta que ,
alm da bondade da fa/.cn.la o desejo de animar o
desenvolvimenlode urna fabrica inleirameute na-
cional ,promuver o promptoconsummodasua ro-
ceita.
A o respeilavel pubKco.
O proprietario do armazem de vinho
da ra da Madre-de-Deos n. 3G, de-
clara que este estabelecimento nao tem
otitro armazem filial, como alguem lia
que o inculca ; e para conbecimenlo do
publico, faz o presente annuncio.
((^i? "K
9
9, Aluga-se, para o tempo da fasta ou vende- 4
? sr o io pequeo silio na Capunga coro casa #
9 de pedia ecal, concertada e pintada de novo, 9
com cacimba de boa agoa de beber bastan- ?
? tes arvoredos de fructo, e ludo cercado de li- l
? inflo : queiu o pretender dirija-se a casa do #
*> Sr. Jos Antonio de Lima morador no mes- ?
? mo lugar.
m. m. ^
99^999^9999999 #
30,060 rs. de'gratificafaf
a quem touxer a eerav crioul, de orne Csthsri-
na", com urna filha cabrlnha de 3 anuos cujos sig-
naes aeham-se neste Diarlo nos ns. 210 a 250 : a es-
crava fui seduzida por o pai da cabrinha o qual he
pescador, ou pombeiro e mora em urna destas
praiss, al Po-Amnrello.
Aterro-da-Boa-Vista, u. 10,
Pommalcau cutilciro c
armeiro.
Acaba-se de receber, pelo ultimo navio chegido da
Franga um sortimento de cutilaria fina, bem co-
mo : tesouras grandes para alfaiato ; ditas para cos-
tura de senhora molde rico do ultimo gosto;
ditas de jardm para cortar flores ; ferros de varios
moldes para o asscio das unhas ; caivetes de mo-
la ; ditos para aparar peonas ; estojes de viagem pa-
ra homem ; espingardas; brides; cabezadas; chi-
cotes para carros; fundas ; navalhas para barba ,
etc. : ludo de superior qualidade.
Compras.
Compra-se um diccionario truncado inglez-
portuguez dos de Vieira grande e com pouco
uso : quem liver annuncio.
Compra-se um oitante : no pateo da S.-Cruz ,
tr. 2. r
Cornpram-se 12 cadofras de oleo e.n meio uso :
na praca da Independencia n. 19.
Compra-se um vestido para cranca de dous mo-
zos, proprio para baptisado e que seja elegante;
quem tiver annuncie.
Vendas.
Folbiiihas ara escriptorio.
Ven lem-se folhinhas para escriptorio, encartona-
das oro papolilo a 320 rs. cada urna. Estas folhi-
nhas mostraro a priroeira vista os das santos de
guarda os dispensados, os feriados na juslic i e nos
Irbunacs, sem recorrer-se a tabella dos foriados ,
e apenas loroam um expaco de um palmo : na praca
da Independencia, liviana ns. 6 e 8.
Vendem-se cetras com ligosa i,ooo
rs.: no urmazem n 20, defronte da gnar
da da alfandega.
Agoa de mcl
para fortificar e limpa'r o cabello, removendo a cas-
pa couservando-lhco lustro e masseza e'promo-
vemlo ao mesino tempo a uceflo salutar das raizes,
e desta sorte fnzo-los crescer com mais vigor o bel-
leza. Ksta til e agradavel agoa he preparada e des-
tilada do-.mel do ahelhas, conlm nilo s todas ns
suas virtudes como- tambero um aroma superior
abs mnis agradoveis perfumes : vende-so no escrip-
torio de Novacs cV Coropanhia na ra do Trapiche,
n. 34.
Xarope do bosque do doutor
II o lis.
Conlina-se a vender este xarope nicamente no
escriptorio de Novacs & Compaiihia na ra do Tra-
piche (i. 34, e na ra da Cadeia do Itecifu loja de
miudezas, n 9.
-- Vendem-se meias de linho para homem ; ditas
de algodilo ; peneiras de rame ; bixas de llambur-
go ( que tambero se alugam ); pilulas da familia:
na ra do Itozario, padaria junio a igreja, defronle
da botica do Sr. Paranhos.
Gotas egypeiSes.
Remedio sem igual para a dordd denles, ja bem
conhecido no Rio-dc-Janeiro o ns provincias do sul,
pela sua elllcacia cm alliviar rap^lnmenle ador mais
tenaz.qur si^ja,motivada pela carie,qur por inflam-
ma^lo; mas s a experiencia do urna prova Ihe da-
r o dev ido merec ment. Vendc-se no cscri| de Novaes & C, ra ilp Trapiche, n. 34. ,
Agoa de pcrola.
para tirar sardas, rugas e em
bellezar o rosto.
Ksto celebre cosmtico foi por omito lempo so
conhecido de poucas pessoas nos Estados- Unidos ;
porm sua grande, utilidado tornou-o o coroestico
mais popular queso usa nosioilcts modernos : cus-
a cada frasco 2,000 rs. cnvollo no coropelenlo r.e-
ceituario: vende-se no escriptorio de Novaes &
Companbia, na ra do Trapiche, 11. 34.
-Vende-se muito superior lagedo de Lisboa e
cal virgem em harria de 4 arrobas, por mdico prego:
na ra do Vigario, n. 19.
-- Na padaria da ra da Cuia. no nenie havera
lodos os das a venda o novo pao de Proven?, fa-
bricado poroutro modo que o actual o di melhor
farinha que ha no mercado : por este motivo ufio se
pode fazer sendo a 40, 80 e 160 rs.
Liuhas de carretel.
Na ra do Cabug4, toja do Duarle,
vendm-se linbas de aoo yds., a 700 rs.,
e de loo yds., a 280 rs. A' ellas, antes
antes que se acacm.
CIIA'BRASII.KinO.
Vende-se, no armazem de molhidos atrs do
Corpo-Santo n. 6C, o mais excellente ch produci-
do eroS.-Paulo, que tem vindo a esle mercado ,
por prego muito commodo.
Meias de seda, de Lisboa.
Na ra do lsbug, loja do Dujrtc,
lia um sortimento de meias de seda, de
Lisboa, propriaspara os Srs. sacerdotes,
as melliores que aqui tcem apparecido, o
se vendem a 4,000 e 5,000 rs.
Vende-se na ra da Cadeia do '^
Recife, n. 3j, cera em velas, fabri- ^
ca.las no Hio-de-Janeiro, em urna 9
das melliores fabricas, e em caixas '*
pequeas, muito bem sortijas, por %
ser de 3 al 16 em libra ; e tatn- 5
bem lia velas de urna e de meia libra, 9
brandoes, por preco mais barato do j
que m outra qualquer paite.
.AR ENCONTRADO
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada liontem, por pre-
90 nniilo rasoavei, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapicbe,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34.
Agencia da fundicao
Low-Moor, ra da Scnzalta-
I10V1, 11. ^'i.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e, meias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro balido e
coado, de todos os tamaitos, para dito.
l\'o Aterro-da-Boa-Yista de-
fronte da boucera,
ha sapalos francezes ile couro de lustro para senho-
ra a 1,900 rs. o par. Cheguem freguezes quo o lem
po he propiio, A ellos, que se estilo acabando.
Lonas iuglczAS.
Vendem-se pecas de lona ingleza, de
boa (|tiali()adc, e por proco mais barato
do que em outra qualquer parle : na ra
da Cadeia do Itecife, armazem n. la.
No Aterro-da-Boa-Vi ta de-
(Voiicda bouecra,
ha chegado um novo e completo sortimento de cal-
ando francez de todas as quididades, lano para ho-
mem como para senlpre c meninas : bem como os
bem condecidos sapillos de. Nanles, e do Aracaty ,
por preco commodo.
Baleias.
Vendem-se baleias para espartilhos e vestido de
senhora : ha ra do Passeio, fabrica de chapos de
sol, n. 5. .
'JOqu.id 0)uad
-iuoo o qos s.iiuaiBd oejujso sbjisoiub sv jba b sj
0*9 sojpenb o sbj)s op muq f opeAos o -sj 009
b oqini ep BDd| 0|JO0 o si OOO'O b sopepiienb
esaoJpBd souiissinbij opsezaoossa sapas -SJ OOO'C
B 0]3||03 e.i'.'d opBf i|imli jouadus oinr.ii .<[< or.inr
-joS op saijpo -sj O00' b 'pos a ski ap sa|Rqa sj
000't i BpuazBj |Bnl! ap g 11711 ui -sj 000*5 op o5
-oj>\ opouiuioa o|ad SBpuuiiassB sajorj sapuiJS 11100
o saQjpgd .iiin:.".>|.i ap upas ap sa|mia sj oos'k "
' .10i.i.i 1 ns 111111111 epuazej rjji ap B|BjquiBjnp sonp
'M 000*61 B 'epos-.BSSBa op soiJpj souiissinbj op
-BAoa o -sj 00* b Bjn3j8| o(> soui|ud t'uia o S8B3
ep sagjpBd 'sbzo3iibjj sbi|i|3 sjo?5 b souy oimiu
s.i/oju imj sopB3S|j .' opBAoa o 'sj oft o 09G .8 sayjp
-ed soiiuoq op sesssa OOO'C b opiojatu ou bi| onb
sajoi||aiu sop o sj OOS' aooo't 'OOS'C B!BJ(1
-1111:.1 ap s.ii.io.) : sajopBJdmos sop 0|!3uaiiB e spo)
lu.i.i.u.iiu 0.V1.11 oh'.hm] a apRp|enb Boq ensK|adanb
'saiuin8assn *5Bjd b bjbiI oiuoa oniu objbiI 0)ubi
' sopnpi|Hnb sb supo) ap SBpuszBj ap oiuaujii-iosop
-ii||o3sa 0 o3ii mn ap uia|B 'japua.\ bjbiI Bq oeuui
V JOlunf neuisn'j ap oi;5b93juo:} b|> oaaoq o ejgd
cuinbsj zkj anb '6E -u fo|' opaujanO op biu n
'oijiaii i
-^- Na loja n. 5 A da ra do Crespo, ao
p do arco de Santo-Antonio, vendem-se
mantas de la eseda, muito bonitas, pro-
prias para ueninas, a 1,60o rs. cada utua ;
ditas de larlatana, para senhora, a 1,000
rs. ; assiin como cbapos de sol de seda,
astea de ferro, os mais superiores que ha
no mercado, a 5,000 rs.
tfw
novo, por c,000 n. tu 1 'lu Copiares n. il.
Mod re Lttl
M
Napolefioi
Vendein-soos mili m 1 la noi elupooi, rtmtdot
ltimamente da Paria, 1 biiw tw oot Mu 1 na
ra do Ouelmado loja rhspoi, n. 38.
Vende-seo bello O erilico rame deFieile-
rico Souli, as memorias do Piabo, em 8 v, lti-
mamente publica las ein l.ishi por pieco coinuio-
do : na ra do Uncinado loja n. 3.
Vende-se superior farinha galega ero meias
barricas: no armazem .la ra da Sen/alla-\ellia ,
de Malhens Austin C. ------
Vendem-se e alugam-se as verda-
deras bichas de llainbtirgo, no deposito
de Jonquim Mitonio Carneiro, na ra da
Cruz, n. 43.
Vende-se urna negra crioul, do 20 annos de
idade, de bonita ligura, sem vicios tem achaques,
a qual engomma, ensiba e coxinha, todo co n per-
faifOo : na rua da Santa-Cruz da Boa-Vista, n. 11.
Batatas.
Vendem-se a 800 rs. a arroba: no caes da alfandega,
armazem de francisco nias Ferreira, o na rua da
Cadeia ilo lleril'e, arma/ero 11. 61.
Sapalos para Senhoras.
Na piaca do Corno-Sanio, 11.0, se diz quem tero
para vender sapalos de Senhora, do couro de lustro,
courinho de duraque, e alguma obra de hoineiii
poucas, por grosso e meudo chegado a 8 das obra
superior em qualidade, e ultima moda.
Vende-se a verdadeira e muito suporior fari-
naa SSS!1', 2 relalho e e.r. vr^.'j ; dita oulio au-
tores na rua do Vigario, armazem do Francisco Al-
ves da Cunha, n. II.
Vendem-se barriquiulias enm cal virgvn de
l.sba muito nova ; Techadoras para portas do
armazem ; retroz d Porto ; barrs com alcatrilo da
Suecla; pilulas da familia ; ancoretas com azeito- /
as, por preco commodo : na rua do Vigario D. II,
armazem de Francisco Alvesda Cunha.
Perfumara.
Ven le-se na 1111 do Cabug, loja do
uarle, lindissiinos vasos de cryslal e
porcelana, com espirilos finos, e bauliis;
agoa de Colonia ; e militas oulras perfu-
maras, sem pie novas, e por procos com-
modos.
Vendem-se oito molecotes de na*
c3o ; um preto de meia idade ; um pardo
moco, bom cozinheiro ; Iros ninlecas com
algumas habilidades, todo muito barato,
pois deseja-se fecharas contas dcste an-
iki : na rua das Larangeiras, n. 14. se-
gundo andar.
Vende-so algodo da trra de superior qualida-
de : na rua do Qucimado, n. 20.
-- Vende-se vinho do Porto, muito superior, e
do nutras qualidades em barris de quarto, quinto,
scUo, stimo oitavo e ero pipas, por preco muito
commodo: na rua do Vigario armazem do Fran-
cisco Alves da Cunha, n. II.
Vendem-se, na roa do Trapiche, n. 41,duas
negras sendo nina de 30 annns que engomma e
cose perfeitamento ; esta criando, porm nao tem
cria ; e a outra ile 16 a 17 anaos ptima para todo
e servico de casa 0 melhor para andar com meninos.
Vendem-se bules o cafeleiras de metal cen ri-
cos modelos : na rua Nova loja de Jos Lull Pe-
re ira.
Loja de qualro portas da rua
do Cabugii, do Duarte.
Uic s de blondo, prclos ; ditos pretos
e brancos mitacao de blonde ; ditos
de linho, francezes ditos inglezes ; ditos
do l'orlo, ditos l'eitos na trra, proprios
para toalhas ; luvas de pellica enfeitadas;
dilas bordados a retroz, com lindos de-
seulios ; ditas lisas de exquisitas cores;
dilas para-homem, brancas e de cores;
e de seda de qualquer cor, de senhora
e homem : dilas de fio da Escocia, linas ;
dilas ordinarias a 200 rs. o par; fitas la-
vradas de nmeros 6, t) e 1?. ; flores
ailificiaes de flor de laranja ; capelL-s,
ramos, de pcilos e sollos ; loncos cj seda
de senhoras e homem chapeos de pal lia
da Italia, de senhoras e homem ; ditos
redondos de tuassa, brancos, com abas
largas; bonetes para meninos. Todos
estes o!. 1 celos se vendem por precos
commodos, e se dfto as amostras aos Se-
nhores compradores.
Abordo do patacho Alago'ntc, ancorado 'in
frente do trapiche .do algodo, vende-se farinha do
mandioca de boa qualidade.
Rap novo Lisboa.
A elle antes que se acabe.
Quem mo tomar urna pitada desterap, certamen-
te nlo saber apreciar os deleites da vida contem-
pornea. Acalia tle chogar do llio-de-Jniro, e ven-
dc-se no duposito do mesnio, na rua dos Quarteis ,
n. 24. 1
Acaba de chegar um completo sortimento para
os Srs armadores, bem como trina, volantes lar-
gos a estrcitos, galao de todas as qualidades (nos
o ordinarios; o uniros miiilos objectos que se acbam
a venda na rua larga do Itozario, n. 24.
Vende-se no pale do Terijo, ven-
da n. 7, vinho de Lisboa, caada a,
1,120 rs. ; e a garrafa a 160 rs.
.
mtm



.A
*-'

'AIIKLO EM SACCAS ni. 9.1 l.ililtAS:
venue- e no armazem de fier-ntelutreirtla Costa ,
11 ni. Ja Madn-de-lieos.a S.MOra.
--Na ra do Sol, n 13, vendem-se os scguintcs
ACi"e l?dso concilios gcraes c particulares,
8,000
9,400
desde olempo dos apostlo, ale bol*.
Arte e\ dicada de Maduroira, 2 v.
Itihlia sagrada, por Sarniento, com texto lati-
no ent frenl.
Tribunal du ordlnandoi.
Estudo curioso de Ideologa moral.
Panagirrcos recopilados dos mclliore autores
francezes a italianos :i v.
Escola paliografhica, ou de le lettraa uli-
cas desde a entrada dos (iodos em llespan-
lia ati- o.s noasos das.
Gaogcaphia da Europa-
Flores de llespanha e cxcellenciasde Portu-
gal, em quo brevemente se traa o melhor
de suas historias e as do lodo o mundo,
desdeoseu principio a'-os nossos dias.
TheolqgiadCimiliati,9 v.
Historia da revolucio france-za, por Minlie.
Alias elementar que conten 33 caitas Ilu-
minadas, ptima eneadornafRo.
i mjs breviarios.
I'm caderno de santos novos.
i iiiiin dito maior.
Examc de confessores.
SermOea do padre Vieira i-j ionios.
Sol nascido no occidente ou vida de Santo
Antonio.
Arlo de pregar.
Noticia succinta dos monumentos* anligos da
lingoa latina e dos subsidios necessarios
para o estudo da nicsina, o Jos Vicente
dsMoura, -J v.
SallUlfo.
DeduccSo cbronologica aorule se ve qual o
motivo da exiineflo dos jesutas,
(luiros muilos livros ja annuiiriudos, os
todos se vendein muilo cm conta.
Vende-se um piano em boni uso c de boas vo-
xes por preco coinmodo : na ru.i larga do Rozarlo ,
n. 48, primeno andar, se dir i|iiein vende.
Vende-se um rico trem do Jacaranda, com
minio pouco uso, por proco coinmodo : na ra atrs
da matiiz de S.-Antonio, u. tC.
Vende-sc una inorada de casa, sita
na ruado Farol, em Fura-de-Portas, n.
5o'; ontra na niesma ra, n. f>4, por preco
commodo ; otra etnlinda, biqiinha de
Son-Pedro, 14 : a tratar na ra da
Cruz, n. 63, segundo andar.
A 1,800 rs. a peca de 20
'jardas.
Na loja de Guimares & Companhia ra do Cres-
po ii. 5, vendem-se pegas do algodflozmlio de boa
qualidade com um pequeo loque de a varia,
pelo barato prego de 1,800 rs. a pega de 20 jardas.
Taboado de pinito da Suecia,
de 10 a 55 palmos
de comprimento o melhor que tem cliegado a este
mercado, em razflo do se poder enverniziircm qual-
querohra por mo ter nos e ser milito alvo sen-
do costado, costadinlio, assoaHio, forro o para fun-
dos de barricas : vende-se a preco que o comprador
far todo o negocio : atrs do Ihealro, aruiazem do
Joaquim l.opcs de Almeida.
6,100
ICO
2,(100
1,800
25,000
1,200
6,000
5,000
3,600
3,600
5,000
3,000
3 200
1,600
1(1,000
2.560
3,000
8,000
960
2.000
quacs
FOLHIMIAS PARA 1849.
I'OI.IIIMIA lE PORTA,a 160 rs.
Dita de Al i.llll.lltA, contendo, alm do kalenda-
rio, urna colleccrio desegredos o remedios para uso
domestico, a 320 rs.
Dita a que se reuni o AI.MANAK atlminittrativo,
Mercantil $ industrial da provincia : este almanak os-
ta accresccntadn com todos os estabelecimontos d-e
porta aborta, a 320 rs.
Vendem-se na praca da Independencia, livraria
ns. 6 e 8 ; no Atcrro-da-B >a-Vsta, botica do Senhor
Moreira ; e em Olinda, botica do Senhor Rapozo, ra
do Amparo.
Vendem-se 4 pares de brincos de bom ouro do
diferente! tamanhos ; um trem com espelho, de Ja-
caranda; uma banca redonda; dita para meio de sala;
um relogio patente de prata;jogos de bancas peque-
as e guandos, com duus gavelas ; sof d' oleo ludo
por burato ;ircgo : na ra da Cadeia de S.-Antonio, n.
O
Nova refina cao Franco- O
Rrasiicira, fl
Na ra da Concordia, n. 8, por ($
detrs do ("armo. A
O respcitavel publico adiar em dita re- f
finacao assucar de qualidade superior, re- V
lili.- o a moda de Franca devendo mero-
Hl c'7 a P^ferenca tanto peloasseio da sua *

llfl gost" (icando dito assucar retinado re- M
ivjf commendavel por suas qualidudes hygie- 5
nica sendo desembarafado de mo chei- S
ro, potassa, niel, assidose outras subs- fl
launas mili nocivas a sade. V
Os prepus to o seguinle: ''
Refinado em piles ou ton Oes, primeira a
qualidade, a 160 is. a libra ; dilo de se- "^
gunda qualidade, a 140 ra. a libra ; refina- rf
do em |iu. primeira qualidade a 140 rs. a v.
libra;dito de segunda qualidade, a 120 O'
rs. a libra. t
jffl?*^
s a armaran, em uma das |>;H
l>)3
W
>>1
I) .
I>>
!> '
.....
Vende-se una loja de calcado,
ou
memores ras, para qualijiicr es.
fahelecimento : na ra da Cadeia
2 do Uecie, n. 35.
: -^^v,..:
Vende-se uma parda, de 18 annos, de bonita fi-
gura, lavadeira, cozinheira, eostiireira e proprii pa-
ra qtialquer seivico de casa : na ra da Cadeia do
Recife, loja n. SI.
Calcado.
Vendem-se, pelo barato prego de 3,000 rs. o par ,
borzaguina para senliora ; ditos para liomcm a
3,600 is. ; botina francezes a 5,500 rs. ; sapatos de
lustro francezes para lucilinas a 1,300 rs. ; ditos de
Lisboa a 1,000 rs. ; sapatos ingle/es, a 3,2oo is.;
ditos ile setim branco para senliora ,a 1.600 is. ;
bolins de Lisboa a 2,500 rs. ; sapatos de lustro de
entrada liaixa e de uma sola para lioinem,n 2,000
rs. ; ditos de duraque para meninas, a 500 ; ditos de
lustro com clcheles, a 500 c 640 rs. : na ra da Ca-
deia do Itecife, n. 35. Adv.-ite-seque he a dinlieiro.
JO!noel da Silva .Santos vende su-
perior farinha de trigo franoeza denomi-
nada Barn.
Vendem-se batatas c ceblas, ltimamente ehc-
gadas e de muilo boa qualidade, por prego commo-
do : no armazem u. 31, na ra da Madre-de-Deos, do
lado da alfandega.
Vende-se um piano forte, vertical e de Jacaran-
da, cliegado ltimamente com muito boas vozes,
e de um m.icbinismo de nova invencSo para poras
vozes mais baixas ale dous lons, o que torna este
inslrumenlo muilo vantajoso para cantona; cha-
rutos do llavana por prego mais commodo do que
em outraqualquer parle; un completo sortimenlo
de instrumentos de msica, tanto de metal como
de madeira ; bustos do gesso representando muito
fielmente a rainha Victoria e o principe Alberto ;
relogiosdeouroe de prata chegados ultimmenlo
la Suissa. Estes relogios que so muito bem aca-
bados se lornam muilo recomincndaveis a qual-
quer particular, e ailverte-se que ha entro riles
alguns que andam oito dias sem precisaren de cor-
da : na ra da Cruz, no Recite, n. 55.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barr* de 4
arrohas chegada pelo ultimo navio, por preco commo-
do : a tratar com Almeida fc Fonseca.narua do Apollo.
-- Vende-S0 um escravo cabra de 20 anuos pou-
co mais ou menos ; o qual s se vende com a condi-
gno de serpara lora da provincia : na ra do Quci-
mado, u 31.
Vendem-se cilungas para presepe, de todas as
qualidadcs | or prego commodo : bem como bixas
Cllegadas ultiuiainiiule, grandes, a 800 is. cada una,
e tambero se alugam a (20 rs. cada urna : na ra do
Collegio, u 0.
-- Vendem-se, na ra do Colle&io, u. 17, qucijns
do serillo de superior qualidade pelo diminuto pre-
go do320rs. a libr.i.
PUROVINIIODAFICUORA.
F.xisle no armazem de molhados, airas do Cor-
po Santo n. 66 uma grande porgfio dcsle genui-
no vi ti lio que se esta vendendo pelo diminuto pre-
go de 1,120 rs a caada o a 160 rs. a garrafa ; lam-
ben] ha em pipas que se vender mais em conta : be
esto o melhor de lodos os violtos que se teem an-
niin.'iailii pela sua simplicidade e ptimo paladar:
quem uma vez o beber jamis deixar de o con -
irar.
Vendem-se semeas cm saccas muilo grandes,
a 4,500 rs. : na ra da M Vicente Kerreira da Costa.
-- Vende-se a venda do pateo do Para izo n. 14 ,
com poneos fundos o commodus para familia: a
tratar na mesilla venda.
Na run do Crespo loja de* portas n. 12, ven-
dem-so chapeos de castor pretos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
Veiidein-scbairis com rael: na ra da Cadeia
do Itecife, n. 8. Na inesnia casa uluga-se um preto
que'cnlcnda do servigo de casa e de cozinha.
P
I

i
^ cs" Aos amantes do muito """>
J superior e
*J Purovinlio da Figiicra
" No Aterro-da-Boa-Vista, n 4a
g, lia uma grande porgfio deslo uperior v-
sk nho quo se isla vendendo a 1,120 rs. a ca- ,
yl nada, c a 160 rs a garrafa : o para nto ha- \f)
ver dolo do comprador serflo lacradas as ^r1|
J' garrafas e com rotulo, recehendo-se a gar- W;
S) rufa vasia e dando-so iminedialamente f\.
y oulra cheia : tambem ha em harria que se ?'
5 vender mais em conta. He este o melhor *&
do totlos os vinhos que se teem aniiuneia-
|) do. pela sua simplicidade e ptimo pa-
indar.
m
Felinas de palo .
Na loja de quatro portas da ra do
CaLug, do Uuarle, vendem-se pennas
de palo a 4,000 e 5,ooo rs. o millieiro,
prop'rias para repartieses publicas e es-
criptori s.
-- Po deposito do Me. Calmont & Companhia, na
ra de Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-
mente grande sortimenlo de ferragens inglozas para
engenhos do assucar corro sejam : laixas do ferro
coado ilc difTercnles modelos, os mais modernos;
ditas de ferro balido ; moondas de ferro do mode-
lo adoptado para armar cm madeira ; Hitas lodas
de ferro, lano para agoa como para animaos; ma-
chinas do vapor du figa de quatro favallos o de al-
ta piesso o mais moderno e simples que he possi-
vel ; renal tldeiras ; espumaderas ; reslriadeiras de
forro eslanhado; fOrmas de ferru : ludo por prego
commodo.
-- Vende-se urna bomba de despejar pipas ; um
brago de halanga do autor Roniilo ; mu peso de 4 ar-
robas e outro de me i a arroba : na ra di SunzalU-
Vcva, n. 4.
Vende-se ca virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na ra do Trapiche, arma-
zem n. ly.
Vende-se um lindo inolecote, de
17 a 18 annos de idade, que sabe coti-
nliar : na ra da Cadeia do Recite, n. 37.
Tapetes oleados.
Vendem-se na ra do Cabug, loja do
Duarte, tapetes de oleado, para mesas de
meio de sala, consolos, commodas, e me-
sas fie jogo ; proprios para ornamento de
salas.
Contina-se a vender, na > ra da
Cruz, n. 60, caixas com cera de Lisboa,
sortimenlo vontadedo comprador.
RA DO CRESPO, N. 5.
'ovos riscados ndianna, a
280 rs. o covado.
Na ioj* do Culmar.les & Companhia vendem-se
os novos riscados indianos, do quatro palmos de
largura cores lisas e padres muilo modernos pelo
barato prego de 280 rs. o covado.
FARELO
em saccas muilo grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
o armazem do Braguez 20 p Jo arco ds Cosceijo.
Vende-se no pateo do Terco, ven-
da n. 7, vinbo da Figueira, muito supe-
rior, a 1G0 rs. agarrafa.
Cigarrilhos hespanhes.
O proprietario do armazem n. 66, atrs da igreja
do Corpo-Santo no Itecife, faz sciente aos fuman-
tes do bom toiri que elle recebe por todos os vapo-
res viudos do su I, estes deliciosos cigarrilhos, que
sSo do nico deposito hespanhol que ha no Rio-de-
Janeiro.
Venden-se uma negra moca, de boa
figura, lavadeira, cozinheira e costureira,
e propria de (odo o aervico de casa e cam-
po ; um mualo moco, de bia figura e
bom sapateiro, sem vicios, nem acha-
ques : na ra do Crespo, loja n. 2 A, se
dirquem vende.
Cal de Lisboa.
Vcnde-se muito nova e superior cal
virgem de piedra,^desembarcada ha pon-
eos dias, e em barris pequeos de quatro
arrobas e mcia ; na ra da Cadeia-Yclha,
armazem n. 1 a.
sus fizenda digna por certo da estime doa verda-
deros amantes da boa pinga- EHe conta que quem
uma vez provar, continuar comgosto e sem arre-I
pcndlmento. K o bom prego!!.' A todo o exposto
accresce o asseio e boro acondiciona ment, o quo
ludo se poder* verificar em dilo estabeleciment.
- Vendem-se acedes da ex-
onda companhia de Pernambuco
e Parahiba: no escriptoro de O-
liveira limaos & C, ra da Cruz,
n. 9.
llantas para
Na ra do Cabug,
meninas.
loja do Ihiilc,
para meninas, cm
vendem-se mantas
ponto pequeo, a 1,000 rs ; e lencos de
garca a 1,000 rs.
Vendem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
preco de 3,4oo rs.: na ra da Sanzalla-
Velha, n. i38.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes, a 3.50o
rs., ditas pequeas a 2,800 rs : no armazem do J.
i. Tasso Jnior, na ra do Amorim, n. 3.
Xladeira de pnho.
Vende-so a melhor madeira de pinho que tem
vindoa este mercado: na ra da Madrc-de-Dcos,
armazem de Vicenlo Ferreira da Cosa.
Aos Srs. armadores.
Vcnde-se trina, volantes de diversos
larguras, egnldcs entrefinos e falsos ; ren
das dourailas c plateadas ; espiguilbas de
.Milao ; setins de cores a 800 rs. o covado :
na ra do Cabug, toja de quatro portas, do
Duarle.
Vendm-ie barrlt pequeo* com cal virgem de Lii-
ba, a mal nova que ha no mercado, por prefo co-111
modu : na ra da Moda armazem u. 17.
I'olassa.
Desembarcou Ta poucos dias uma por-
co de barris pequeos, conr muilo nova
e supeiior potassa, c se achara venda,
por pre90 mais barato do que ltima-
mente se venda, na ra da Cadeia- Velha,
armazem de Rallar &Oliveira, n. 12.
V11 lio barato,
Acba-scesUbelccido ua ra da .Madrc-de-Dcos ,
n. 3C um armazem de
Vinhos da Figticira,
de ptima qualidade, a preco de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para no haver dolo do com-
prador sero lacradas as garrafas e com rotulo, rc-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se immedlala-/
mente a outra cheia : tambem ha barris muito pe-
queuos proprios para quem psssa a Testa. O pro-
prietario deste eatabelecimento pede encarecida-
mente que se no iltuda.ro avahando, pelo diminuto
preco e sem conheciinenlo de causa, a qualidade de
Vendem-se presuntos para fiambre; queijos
londrinos ; ditos de prato; latas com bolachmha
lina de Lisboa ; ditas de araruta ; conservas novas
mostarda ; potes com sal fino ; latas com mermela-
da nova ; ditas com hervilhas ; caixinhas com mas-
sas linas ; vinho moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licores linos ; e oulros mais gneros, por prec,o com-
modo : na ra da Cruz, no Recife, n. 46.
Cobre
pare forro de navios e para caldeireiro: na ra da
Cruz, no Recife, n. 17.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-San tos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende-se em casa de N. O. Bieber & Com-
panhia na ra da Cruz, n. 4.
Escravos Fgidos
Desapparereu. do palacete da ra da Aurora ,
no da 16 do correte mez, um cabritilla cacuro de
15 a 16 annos; levou cale,as e camisa de riscado
azul ; tem os olhos pequeos o os beicos grossos;
he filho do Cear ; chama-se Jos : quem o pegar
leve-o ao lugar cima dito.
Fugio, no da 9 1 le outubro do correte an'no ,
um escravo crioulo do nome Andr, do 40 annos
pouco mais ou menos alto e grosso do corpo; he
pescador e sabe fazer rede; inlitula-se forro ; tem
sido visto emS.-Jos : quom o pegar leve a Fora-
do-Portas n. 95, que ser recompensado.
Fugiram, no dia 18 de setembro, de Camcrdgi,
uma parda, de nome Paula, de 20 annos, de boni-
ta figura com uns pannos na pelle do pescogo; an-
da calcada : um preto de nome Pedro, de nagflo An-
gola de 40 annos baixo, quebrado da veriiha ;
consta que foram seduzidos por um tal Cosme, (i
Iho da Parahiba, acaboclado : quem os pegar, le-
ve-osa ra da Cadeia do Itecife n. 28, que ser re-
compeusodo.
Fugio, no dia 18 de outubro do engenho S.-
Jolo, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro, de 19 an-
nos, estatura regular, cara redonda, olhos pepuenos,
denlos limados ; levoo duas calcas uma de hrim
pardo e outra do riscado azul; quem o pegar leve-o
ao referido engenho ou a casa de Lulz Gomos Fer-
reira noMondcgo, quesera generosamente recom-
pensado.
Fugio a escrava Joaquina, Mozambique de al-
tura extraordinaria, cOrfula, cara redouda e com
algumas marcas de bexigas denles abeitos ; tem o
beico superior furado ; he bem parecida ; tem sido
vista rio Itecife : quem a pegar leve-a ao Manguind
sitio defronte do.bnr. lien-ulano que ser* recom-
pensado.
--Fugio, de bordo do briguo Serlorio, na mantilla
do da 5 de julho prximo passado, um escravo ma-
rinhoiro do nomo Francisco de nacflo Jang ; re-
resenta ter 30 a 35 annos ; tem um signal na face es-
querda. falla muito descansada ; levou calcas e ca-
misa de algodilo azul, chapeo de palha pintado de
branco, o balde de trazerracOese 7,000 rs. em ce-
dulas; falla hespanhol: quem o pegar leve-no a
ra da Moda n. 7, quo ser bem recompensado.
Desappareccu, no dia 21 do crrenle, da casa
de scu senhor, o crioulo de nome Joaquim de al-
tura regular grosso do corpo cor preta, bem bar-
bado o cabelludo ; falla fina o baixa : he oflicial do
sapateiro quem o pegar leve-o a seu senhor, Juliio
Poriella da Silva, na ra do vrametito n. 37, quo
sera generosamente recompensado.
Fugio do Serinhflem, ha um mez, o crioulo
Gregorio de cara redonda cheio do corpo pernas
arqueadas para fra bons denles e limados : levou
camisa e ceroulas de algodn azul, e outras de al-
godflo de hstras jaquela de linho azul com qua-
dros o chapeo de palha usado : quem o pegar levc-
o a ra do Vigano venda 11. H, quo sera generosa-
mente recompensado.
--Fugio, no dia 20 do correte, uma preta criou-
la do nome Benedicta bai xa nariz chato, beicos
g'ossos fula ; levou vestido I raneo de ores pan-
no da Costa e uma Uouxa com roupa : quem a pe-
gar leve-a a ra do Collcgio, n. 6, botica de Ci-
priano Luiz da Paz, que recompensar.
J-ugio, no da 3 do correte, um eucravo, don-
me Manoel de altura regular, cheio do corpo
tem bastante marcas de bexigas; levou cateas de
riscado velhase camisa de algodilozinlio : quem o
pegar leve-no a seu senhor, Migi.cl Jos Barboza
(.uimarles na ra do Crespo n. 5, que sei grati-
ficado.
-Fugio, no dia 19 do corrente, o escra'vo, de no-
me stmao de 35 annos, crioulo, c*r fula, cheio do
coipo.com uma listla no rosto do lado direito
levou calcas do riscado, caniin de algodao branco'
chapeo de palha ; julg.-se ter seguido a diieccflo de
Olinda. Iloga-se as autoridades policiaes o capiliirs
do campo que o apprehendam e lever-no a ra do
Trapiche-Novo n. 6 ou na Soledade, n. 38 ano
serBo recompensados. H
Fugio, em dias do corrente mez a preta An-
na, cric-ufa, de 35 aunos altura regular sreca do
corpo. beicos grossos, olhos grandes ; tem algumas
sarnas as cestellas, eem uma peni, uma erealriz
Koga-so as autoridades policiaes o capiaes de cam-
po, que a apprehendam e ievem-na a ra Nova, u.
?I, que serilo gratificados.
1 l*rjnr
'ebn.: na ttp. dim. f. de fabia184S
MELHOR EXMPi


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQH1525MD_5DO5A4 INGEST_TIME 2013-04-12T22:13:30Z PACKAGE AA00011611_06206
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES