Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06205


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*rm XXTV.
So^fn-feira 22
0 DJ '!" publica-ae lodo na diasque n'o
rr*iii 'I1" K'wda: P"fo da aiiignatura he
je4/ii00 r porquartel.jKiflOin/iiiKiidfw. O
J nnuncloi doa assiguanlea aio Inserido*
r isriu de 20 r$. por linha, 40 ri.-ein typo dif-
frrrnt<*i c af repellrdei pela inetade. Otilio
,lgnante pagarSo 80 r. por linlia e 160 rs'
ein tjpo diflereutr, por cada publicacSo.
PI1ASRS DA LA NO MEZ UE DEZEMItRO.
, ,i-nii', a 3, s 5 lloras e 47 mili, da*Urde.
u,i rieia, a 10, s !) horas c25 niln.da manh.
i(.;i,i,imir, a 17, s 8 horas e 53 miu. da manh.
j,., i nova, a 25, s 2 horas e 3 miu. da tarde.
i
PARTIDA DOS CORREIOS.
Gelatina e ParaliDia, is segs. e scuai-leiiis.
Rlo-G.-do-Norle, qnhilai-felras ao mrio-ilia.
Cabo, Serinhacm, f.io-Forinoso, Porlo-Calvu
e M i'-'-iu, mi l., a II i- il di' cada me/..
Garanhuiis e UonltOi a 8 e23.
Boa-Vista e Flores, a 13 t 28.
Victoria, s quintas-feirai.
Olinda, todos os das.
PKKAMAR DE HOJK.
Prlmelra, s2 horaicG minutos da larde.
Segunda, a* 2 horas c30minutos da manh.
<]c. Drzembro diVlHI^.
- -
W. 287.
DAS DA SEMANA.
18 Segunda. Nossa Seiihnradn <>'. Aud. doJ<
dos ni phao,do 1. ci>. edo J. M.Ha 2. v.
I!i Terca. S. Fausta. Aud. do J. do c. da I.
a 2. V. e do J. de \im do 2 dist de t.
2t" Quarla. S. Domingo!da Silo. Feriado pn-
ra os ueg,ieios forenses al ollm du inct.
21 Quinta, ff S. Thoure.
22 Sexta. S. Honorato.
23 Sabbado. S. Mmuto.
24 Domingo. S. Gregorio.
EXTERIOR.
CGItllisSPONDKNCI.V DO DIARIO DE PF.IINAHMJCO.
Lisha, 24 de oulubro de 1848.
A iicliada tic un deposito de nrmas, no tita 18 Jo
frrente, em casa de m offical quo servio junta
Un porlbj chamado Cuillierme de Portugal e Vascon-
celos, que mora ao campo de Sanu-Clara, lem da-
do lugar a novos clamores da paite da impreusa m-
nislcrial, insistindo cm quo se conspira, oque pa-
rir que ein vista da descolora lem algum funda-
mento.
Diz se que houve denuncia, eque, prendendo-se
ocriado de casa, o obligaran) a declarar ameacan-
.jo-ncom rh i hala das. parece auenoquartel do (ar-
mo. Os objectos adiados fram : "9 armas do fogo;
193 chucos, baionelns e espadas; 105 massos de
plvora embalada ; boldris, culturos, cartuchel-
ias, | niel nenas, o..\ Parece quo o dono da casa,
que se acbava lora, scbomisiou.
A imprensa ministerial, reforindo-so a cartas das
provincias, falla tambem continuamente de tentali-
vns niiguelistas, accrescenlaiulo queem alguns pon-
tos se i rctondia l'n/i'r tuna manifcslacao no da '6
do correte, anniversario dD. Miguel. Provavel-
mentc nada haver) a nilo ser a opparicflo de alguns
versos na tfacaOi
o marquez de r'ronlera, despertado de nflo leva-
remos halalhcs nacionaes revista queteve lugar
na 'orcalliola, fez tambem uina .revista com estes
no dia 22 no Campo-de-Ourique. Nflo bou mas assisliram 5. s. M. M o todas as autoridades
militares. OS batalhoes ihahbbraram mal.
A : 11 ti n t,;i qHo a gaz yai em progresan. O governo,
para facilitar auxilios coitipanhia, dizcm que deu
ordein para que varias lajas do venda possam ter
abortas as suas portas at a meia-noite, sem paga-
rcm excesso de licenen, cohlando que sejom illu-
v.i'khI.is pelo gaz da companhia.
diegou de Londres o bario de Moncrvo, porm o
principe de Joinville nflo veio como se disse. O ha-
rild procura urna pnsicflo cm que nflo lenlia medo
das Cabrios que juraran) vingar-rso ddle pela condi-
co*.* doprotocollbde 2l do niaiode1847, que elle
Ssighbu, e que deitou una nodoa tito grande nos
('braos. Diz-se aue o barflo ser nomcadoconce-
Iheiro de estado, e julga-se assini seguro por causa
da inainovibilidade.
No dia 20 houve concelho de estado; e parece que
se Iralou n-'llo do hcgbcio das transferencias dos
jWitlf do I." inslnneia, (icando decidido que se fi>-
zessom as ditas iransfercncias. O caso ho : no Minho
lia nlguns dcstes lugares bastante pingues, aos quaes
(iiiin restituidos os juizes que os descnipenhavam
c Inmaram paite na ultimo revolta, e a rcslluicao
foi em consecuencia da ainnislia. Os Cabracs tifio
pmlerani ver islo com bons lbos, nflo s por Sor
tffrito do prolocollo, mas poique rjucriam os luga-
res paro os seus amigos, o Icem constantemente
filiado pelas transferencias. O governo aprcscnlou
diuis.lcis em cortesa esto rcspcilo, que nflo fram
oppiovadas como queriam os Cabrees j mas aliual
seinpre se approvou urna, porin o governo ale boje
nao a liulia executado, porque o voto do concelho
do estado Ihc era contrario. Aflnal uoineou novos
fnncelbciros, que llic deram o vencimento da ques-
tflo; mas, mesmoassim, hesila em levar a efTelto a
tlcterminacoi tal lio u consciencia que lem de que
oque pretende fazer lie injusto.
Iiiz-se quo as lejas iiiai;onicas cabralistas dirigi-
rn) una deputagflo ao conde de Thomar, pedindo-
liio que nflo parla para Madrid, porque esta uusen-
eia seria mu prejudicial a sua causa. Ocondepa-
i'ici! que respondeu que a sua partida era incvitavcl.
Knlrclanlo, apezar de nflo estar no poder, conti-
na a enllocar liein ns individuos da sua familia,
biz-so que uin irmflo de sua mulher acaba de ser
despachado chele dos guardas da alfanJega. O lugar
ii.1i) he I ni n i oso, mas sim rendoso
O paquelo entrado honlcm trouxo a noticia
de que o cholera lazia progressos ein Londres. Es-
l'eranio-lo aqui lodos os das.
5 de novembro.
lempo, como se cosluma a dizer; e at mesmo pa-. tro do oligem franeeza, intilulado O Trapeirode Pa-
teco que, so allasse de poltica, os seus conselbos r.s; mas, como aprsenla algurua novidadi, i
nflo scriam admitlidos pelo duque do Saldanha. Po-
rm, como este lie acensado do verstil, os cabra-
listas j so Ibes (l(,'ura> ou apparenain figurur-se-lhes
o presidente do concelho dominado pelo Sr. Passos,
e como parece que no paco se alimentan) os mesmos
receios, trnta-se de todos os modos do por o duque
fra do ministerio.
O corto be que so assegura que o marquez de
I'ronleira, governador civil que eslava indisposlo
com Jos Cabral, j fizera aspazescom este, o com
elle todo osen sequilo: alm disso, o mesmo Sr.
Jos Cabral oi muito bem recebido no paco no da
dos annos-d'el-rci, e jantou edm S. S. M. M. Tudo
islo indica que a rracefio Jos cabralistas puros vai
adquirindo influencia, o que nao sera estranno ver
os seus dieres do novo no poder.
I'oroutro lado a conduciu ik> governo vai azendo
cada vez mals descontentes, nflo s pelo atraso dos
pagamentos, mas tambem porque procedo n'outras
cousas como se fsso un) governo absoluto. Ijllima-
mento mandou chamar ao governo civil os dutlds
dos botiquins principaes -la capital, como Marrare',
dem, 31 di oulubro.
Dcpois do mil cohjecturas sobre se parliria ou
nao pura Mullid o conde de Tlioniar, veri(cou-se
com elTeito o partida no dia 24 do correnlc. Lste
aconleciniento que lem sido objeclo de muitos arli-
gns nos jornaes de lodos os partidos desla cupilal e
do Porto, continua ainda a dar lugar dlscusso.
Segundo os jornaes opposicionistas, a partida do
con Ja oi resultado de intrigas do-duque do Salda-
nha, que receinva ver-se supplanlado por elle. Os
jornaes minisleriacs negam o faci, sustentando que
0 conde de Thomar foi para Madrid por muito livre
volitado o na nielhor harmona com o governo, e
1 'iiUi, dizem, que s se demurar na corte de lles-
l'iinha al prxima abertura do parlamento.
1 na Cousa, porm, esclarecen osla paitida, que
'inha estado al agora cercada de fin veo.- He esta
Icr-e conhecido que a desintelligencla que apparen-
tavam os dous innflos Cahr.ies era simulada, por-
'iii o i'.atandarte, orgflo de Jos Cabral, tem appa-
fecido estes dias furioso contra o governo, dizendo
"un foi urna traicao que esto arinou ao conde de
'homar, aquem.tecc mil elogios.
0 que parece he que em consequoncia disto os
cabralistas que nunca perdoam a quem Ihes faz mal,
resolvern! derribar do ministerio o duquo de Salda-
nlia, sarvin-o-llie para issode pretexto as ConUnu"
visitas que faz a secretaria do ruino o Sr. M:- ".'
Oliva PaSOS To.lfWnernilit.am mo '.'" a
Progresso vai all tratar do co- ^ia corifeo Uu'""""'
firego, Suiso, &C e intiniou-lhesque prohihissoin
queem stlas casas se fallasso dril poltica, sb pena
delhesseitJm donfiscados os bens. e se Ihes mandar
fechar as lojas. Isto he um Verdadoiro acto de des-
potismo, contra o qual tem clamado toda a Imprcn-
ia indepctldente. Alm disso, embirrou dom a Aiso-
ciacn p/iilanlropica francesa ', pols, qudrendo esta
reunir-se no dia 22 no local designado para as suas
reunios, fram dalli expulsos os-membros presen-
te?, com o pretexto do o governo ainda nflo appro;
Vara os seus estatutos,quando a lci nflo obriga
tal cousa, porque aqulllo nflo He associneflo eom-
mercial ou industrial. Diz-se que os Francezos prc->
senles e cxpulsos pela auloridade porlugueza pro-
testaran) contra o facto permite o scu ministro, para
ser present} ao governo francez ; porm julga-ae
que pondo resultado tirarflo do scu protesto judis,
segundo asseguratu, o ministro francez, Mr. MallL-
ville, acha-so do lado do nosso governo, qtfo j o
iigraciou com urna commenda de Christo, que elle
accitou nflo obstante ser o representante de urna ic-
publica tjue aboli o ttulos do nobreza.
A q'uestflo das Iransfercncias dos juUes continua
a ser objecto de discussflo na impreusa, O Estan-
darte guena o governo por nflo ter j procedido s
transferencias, visto ser negocio decidido em con-
celho de estado, c porque quer ver empregados os
seus amigos nos memores lugares > islo nflo diz elle,
mas entende-se. A impreusa da opposiclq prgres-
sisla clama que ludoo que solizer B tal respeito he
uina injustica, porque cm consequencia du prolo-
collo de 21 do maio os jui/.cs progressislas,. que lo-
maran) paile na revolta do roilo, estilo legalincnle
nu posse dos seus lugares.
0 negocio do.processo dos presos polticos tem to-
mado ns; ecto Verdadciramclile. escandaloso, mos-
trando cvideiitcinento que o que se pietcnde lie ler
aquelles individuos retidos noLimoeiro. Segundo
publicou a Patriota, cujo redactor he o advogado
dos presos, o processo esteve as inios do e.scnvflo
34 dias para lirar o traslado, e oque o escri-
vflodelle trasladou fram trintu o cinco Alelas fo-
Ibas islo he, veio a trabalhar neste negocio, escrc-
vendo pouro mais.de niela folha por da/I tsto nflo
foi contestado por ninguciii; Oque parece he que. as
nulliilades do processo sfld Iflo grandes; que se rc-
ceia que ello appareca a publico ; e por isao lllou'so
que os presos sahiriam em virtude do urna amui-tii,
quo se publicara no dia dosannosd'cl-ni; porm
esso dia j passou, e nflo se publicou amnista al-
gumm
o Estandarteescreveu ha poneos das un artigo
que inereceu a approvacflo de toda a impreusa da op-
posi^o: Ncllfl muslroU quo a existencia do.ministe-
rio era Ilegal;.porque dous dos ministros f o do rei-
no e oda fazenda ) exerciam lugares no pago, eou-
tros dous (o dos eslrangeiros e oda juslica j um era
nieinhra da commissao liquidtaria da companhia
do tirflo-Par, Mar^nhiio o i'araliibaj e ooulio era
escrivflo da misericordia.
A polmica da Naca com os jomaos liberaos con-
tina, e j vai enfastiando, lie um o outro lado lori-
se pfodtizido argumentos e documentos que nflo de-
smo bem parado ucnbum dos partidos, e era nie-
lhor queso calassem o volassem tudo ao esquoci-
meoto.
Falla-sc da mudanca das principaes autoridades do
P.irlo, subslituindo-so o conde do Casal, comnian-
dante da divisflo niilitar, pelo barflo do Almolalla ; o
o Sr Vasconccllos, governador civil, pelo barllu'da
Luz.
O anniversario dos annos do el-rci lestejou-se co-
mo do costumo com salvas, boijamflo o luminarias,
posto que estas fram diminutas. SS. M.M. esliveram
no tliealro de San-Carlos, onde se ropresenlou so-
pera do Vendi-Alllla, debutando nella a priineira
dama Gresli e o haixo pi*ofundo llenehlti. Ambos
os artistas agradaran), porque sflo professoies, o
teem an'bos boa voe, cada um no seu genero.
Quando SS. MM. so diiigiram ao tbeatro occorreu
um laclo que tem dado que. fallar aos jornaes da op-
pusieflo ; islo he, ao passar o prestito pelo largo de
San-I'aulo, apagaram-so repentinamente todos os
dlidieiros da illuin.,lucilo a gaz, |)orque parece quo
urna caldoira do '.'.eposilo arreboutara. Desto aconte-
c ment fortuito tem a mprensa da opposicao tira-
do partido, figurando tudo cm confusflo coin receio
doalguiv/a bernardo.
deixou do agradar.
dem,
Contina a discussflo entro o partido cabralisla o
o ministerio. O marquez de Fronteira. um dos cori-
feos do cabralismo, acaba de demillir-se do com-
mando geral dos batailies nacionaes, pordcsnitel/i-
gencias que teve com o ministro da guerra, e diz que
nflo tornar a aceitar tal encargo, cmquanto existir
no poder o dito ministro. Como o barflo de rrancos
ho creatura do duquo de Saldanha, o, segundo di-
zem o que o duque quor he o que se faz no ministe-
rio d'a guerra, o lim principal destas losintcllige.n-
ciashe por o governo om apuros, a ver se pregam
com elle em torra, o que mais tardo ou mais cedo a-
ennteCer. .. .
0 conde de Thomar fez a sua joruauS para sianu
por trra, o, segundo os jornaes que sustenlam a
sua polilica, lem sido muiloobsequiado as povna-
efles do Alemljo por onde tem passado He verda-
de quencssasovaccsriguram sompro as autorida-
des que todas portOnCem ao seu partido. Veremos o
que a csse rcspcilo publican) os jornaes da opposi-
eflo, que por certo nflo hilo de hcar em silencio.
A qucslflo da pagado dos cand.e.ros a gaz ni
.. qucslflo...
noito de 29, quando a comitiva real se diriga ao the-
atro, tem'continuado a oceupar os nimos. Os jor-
naes inlnistci iaes falla ni da compra de um guarda pa-
ra fazer essa desfeila realeza, c assegura-sc que se
prosecuo suriimariamente, sobre csseassumpto, nor:
que nessa occasflo o diroctor da companhia, Jos
lletry foi atacado e maltratado por alguns I-ranco-
zes no cargo do Lourelo. Parcco que um dos taes
Francezcs foi preso. Julgo que esta isa nada te.n
com a polilica, C pessoa bom informada me assegura
que nflo houve tal compra dd guarda ; mas smi um
incendio n'um dos canaes da retarla, e quo um dos
empregados sem se lomhrar do perigtj quo corra e
InijQou sobre o canal, o teve a felicdade de 0 fechar
hiToieticartienlo sem se queimar, evitando asslm um
grande incendio, A compra do guarda hi) urna des-
culpa A imprensa ministerial lem feto com isto
grande arruido, a da opposigflo tem mettido caso
a ridiculo. ., _,
A rclnfcflo do Lisboa concedeu honloiii prov monto
ao aggravo de injusta pronuncia intesposto pelos
presos polticos, os quaes, a nflo havor mais alguma
arbilrariedade, estarflo boje sollos. Diz-seque o mn-
rechal Saldanha dissera que so linham cumprido OS
seus desejos, o al ha quem assevere que dora insi-
nuaees para esse resultado, a fin do quo o processo
nflo apparecesse a publico put estar bastante irre-
Falla-se agora de que o governo descobrira un
trama miguelisla ; que aprehender cartas dos
principaes! corifeos dcste partido, o que ja lora preso
u n delles, o conde de Panibeiro.
O ri gimento de cacadores II. 9, quo eslava de guar-
nieflo nocaslcllode S.-Jog, foi mandado para a
Guarda viudo dalli o regiment n. 12, quo parece sn
insubordiiiou por falla de paga montos e fardndo-
los, pois so Ihe lom chegado a dever 15 quinzcnas
Falla-so da mudanca do outros corpos da capital e
suasiinmedioccs para varios pontos, vindoos que a
estilo oceupar os que estes doixam. Para o castello
rol a l.atalliflo de voluntarios da carta cojos olliciaes
e soldados nflo estilo nada contentes; poique, con-
siderado o castello praca do guerra, obrigam-os a
rom la (dos os dias e faidjdos. Talvez isto seja
provisoriamente, e que, dril cheganJo algum curpo
del.'linha, seja o balalhflo rendido.
Allirma-sc que o Sr. D. Marcos, esnioler-nn.r,
val ser, Se J nflo o est, nomcado I). prior da cidle-
gadada Ciiimarflcs, que rende una quatro a cinco
mil cruzados. Como este cargo nflo o obrigd a ir re-
sidir para Chmarfles, oSr. 1). Marcos Picara cm Lis-
boa, acumulando ceta propina as mais que tem.
O conde do Tojal deu lifl dia-ium jantarao mi-
nisterio o outras possoas, achando-sc entre Cslas o
ministro da Itussia e o visconde de Moncrvo.
As noticias de Hespanba manifestain que, ape-
rar de todos os esforcos do governo, nflo Ihe he pos-
sivel extinguir as guerhlhas carlistas pela lrca, e
que lem laucado inao-dc outros recursos pouco hon-
rosos. Falla-so de que lem feto grandes olTei las a
Cabjera, c a outros cabecilbas, alguns dos quaes os
toemaccilado, sendo um delles Aniou, cuuliado de
Cabrera. Tamboin so dz que Forcadell, Uin dos prin-
cipaes cabecilbas, morrra, e que a sua mortojlflo
fra natural. Talvez quo assim so exliipdTrl^^i
faeces, mas uuvida-sc.
PERNAIWBUCO.
LKOlACiANDA' HOMUOl TICA.
JCXVIV.
En) mcJc4. .c(M lio luJo, Ji palra !">"
es non i'mi.
lloio vou oceupar-me com a cura de um hoinein
midas, o'quo tenho mandado para s jornaes, possa
"a u facilidade indagar, u saber por si ni
com lod- -
i- da verdado com quo moorgulho deaiui.
o
Coiili
Pariz, e impressos em o n. 198 deste Diario. Sim :
A'on verba sed faela. lie com os lelos, o nflo com as
palavras quo pretendo mostrar a subliniida da llO-
mu'opalhin ; porque as sciuncia's experimentaos os
factos sflo tudo, e as palavras pinico.
Cl.lNlt'.A HOMORPATHICA.
OSr. Jos Jacintlio Ti vares de Arruda,branco, viu-
vo, com idade de -46 anuos, temperamento lymplia-
lico, compleic') ordinaria, morador om (Huida, on -
de he empregado (continuo, no curso jurdico, veio
ao consultorio no da 1 de juilio do crranle auno,
e rolatou-ine a historia do seus pndecintoirtos. I*e-
pos de ouvi-lo pns.se u.cxaminar os symptomas
qilO apresaulava, e notei o suguillto :
mulT EXTERKO.
Exnrcssflo de tristea. Pello quentc. Pallidez oxees-
viva. Conjunctivas desiurrndaa : .....lemacia do
rosto.
IIA,BIT0 liiTuaso.
Apparclho dijeitiuo. Lingoa ponluda, osbranqiii-
cada, coberta iloum enluci esverdado, o pouco
vcnnolhi nos bordos. Sedo excassiva. Fastio ex-
tremo ; bucea amargosa. Dar pela pressflo na re-
girlo epigstrica. Algum deiraiiiemenlo de serosi-
daile no peritoneo. Constiparan do ventre.
ipparelho glandular. ObalrilcBo conaideravel do
bago, engorgkamento doloroso do ligado, aug-
mentado pela pressflo.
Apparelho circ.ulador. Feble inlens.i todas as lar-
des, seguida de suor.
Apparelho nervoso. Cepbalalgia constante c tonti-
ces. Somno inlerroinpido.
Apparelho res-pira lorio. TO3S0 SCCCa c curta. Ilfii-
euIdade do respirar. F.idiga por quulqiicr exor-
cicio.'
Apparelho locomotor. Dr e calor as cnleiras. In-
chaeao edematosa nas exlreuiidads Inferiores, o
liaq'ueza ein lodo o corpo.
Amlnitrei-lha dmadso homu>opathica de chin,
da 5 diluidlo ;3gl. em 'oncas d'agoa dist. para lo-
mar de una s vez. Passados ."> dias uenhuma alle-
raeflo notei; c, como este medicamento mo parecessu
o mais indicado, insist em sua admunstracao; e 3
dias depois liaviain dcsappareculo a robre e a amar-
gura da bocea. Administre'! entflo uina dose de ars.
(5.*J, e repet esse mesmo medicamento no fin do 8
dias. Todos os symptomas fram desappareeendo,
D a cura se completou com mais 1 doses do chin.
5.'e 15."j, outras duftfl d'ars. ."..eio.', e urna de
more, da 30." dynamisacflo.
Se estedoento (*) se houvcssc suluuelti.lo ao tra-
lameoto allopalliico leria engolillo 5, ou G duxias
depilulas, urna ou dus duztas do pingantes, pro-
vado nina boa porcflO de cosiinenios, e por sobre tu-
do islo nflo escaparla dos competentes custicos ; e
dou de barato que fleasse curado; mas soureuelle
algum marlyrio pelo syslenia homcBopalhipoi Nflo
Macha presentemente sflo e salvo nooxorcicio da
seu emprego? K ainda assim duviJam Teem olhos,
e nflo querein ver; teem ouvidos, e nflo quercni ou-
vir! Louvado seja Dos! !!
Primciro consultorio lioiii.iopalico de Pernambu-
co, lOdedezembro de 1848.
D't. Sabino Olegario laidgero l'inho.
i MAIS I \IA Ll(.:\0.....DE IIOMOEOPATHIA ITIU.
u O maior cego he aquclle tue mo qutr ver.
Sabidohe,pois,queo.sir.imo/oproduz urna espe-
cio de loucura, alegre principalmente. Agora de
he um acontec ment sabido
mr iu-
i
COinmodos de ulero, c por affeccoos n> '^- '
acommottida do una loucura que resisti ui *i'-
cerbou ao emprego de mullos meios quei sem rasfio
nem resra Ihe fram administrados conforme a me-
nem reg
dicna vulgar. Basa loucura era
desordenados movimentos, risos,
caractorisada por
cantares, o todas
e desco-
s\ mptomas
ho
momo da dcima q_
A loucura, que era caraclcrisada poi
seiielhancs aosqueproduz oslraaa, como
noTorio, foi curada con. esla substancia, porque a
lei dos semelhanies he verdadoira.
IV.
san--
iioiiiuo tres motivos tiuiia
a sca"ncia da gravidade do mal, o dosonga.io do quo
ello, o qual
nado Ernesto I phe a mesmissima do que se servio o lductor uos i
? i Um facultativo, a quem elle se dirigi para re-
Ihe aconselliou que sahisse desla cidade,
sequi/.esse viver mais algum
e miiiistrei-llie
ceita-lo
No ieairo de i). U. H representou-SO tambem nos-1 da veraauo com quo u.o 'BV'"" -r"'- -" u 1/A.sse uina viaje-,
sa no,te um drama uovo/intitu.a^ O i^v ^
1 *^?S!!? *il0JSiscurTo^^pronunciado' nalacadomia allopalhica d.| acussoccorros.
f
1
CAMBIOS yo DI \ i n DK/.KMimO.
Sobre Londres a i-'i d. por IfOOn rs. a 00 din
Parla
I.Ih.i l-.'.ll |">r rento de pi.'.ni >
u llii.-de-J iiirini ao i ar.
lii-ie. de Uu. de boaj Bniiisa'T .fK atea
AcfBesda com; Raberlbe, afi/r. ao ]
(Juro.Onras licipaDholai '.V.Wluin ,'tl/l("l
Modas d.- Sf'llO v. 17/000 a ir/-Jno
de(i/4 d4#nO0... 9/200 a O/UOO
J'ralaPataccs braailciros l/UUi' a l/VKO
Pesos elimnanos. I/HGU a l/JHO
. Ditos mexicauoi..... 1/JOO a l#U



MUTILADO J ILEGVEL


\
=5X=
*==
nffo podiam preslar-lhc para nada os meios allnpa-
thicosou antes a certeza loque ellos eram prejudi-
cial*, e nenliuma confiauca na homoeo alnia. A' aua
vista, depnia do ter ido examinar a enferma, cu es-
tudei e ecolhi o medicamento que me pueda con-
virnirlhor; mostrei-lh'o, odemonstrei-lho a rasflo
por que ojulgava o oais liomn'opalhico; entreguei-
Ih'o ; e como se Dos quizesse que uonhumn duvi la
pod8sB liaver contra a verdado, nesaa incsma noite,
antes que tomtute o remedio, a docnlo sahio do sua ca-
sa o foi para o llieatro, ondo apparccou conj a rou-
pa ordinaria com que eslava em casa, e onde fez os
uiesmos desatinos que tinha feito j por vezes. Vol-
tando, lomou a primeira dse, o antes de passadas
as vinle e qualro horas, seu marido mo escrcvia o
scguintc bilhete. Minha scnhora passou um hel-
lo lia : acho-a muito mellior do estado em quees-
>i levo lionlem noite antes de tomar o remedio re-
ceitado por Vm. assim desejo quo Vm. n venha
ver ; lenlio toda a esperanza (|iic Vm. lite reslilu-
e ra a rasflo ; eston muito satisfeito, lie o methor dia
que tenho passado desde o infeliz 17 dejulho.
a De Vm. amigo, etc. luis .Vendes fibeiro. Rio,
5 de agosto de 1848. Fui com efl'cito visitar a do-
ente, que eslava na verdade muito mellior, comc-
gando por ter ronscieucia do seu estado de enfermi-
dade, o desejo de a curar, e tendo ceita conlianca na
liMiiu'npalhia. 1. r ;i Dos que lli'a inspirava.
EDITAES.
Joto Vicente Marlint.
Contina).
COffllWEflCIO.
ALFANDEGA.
RENDIMBNTO I0 DIA 21..........13:199,182
Descarregam hoje, -lude dezembro.
litigue. Luisa azeile de peixe.
lirigue lirandy-Wine farinha./
Rrigue Eugmie nicrcadorins.
Barca Jane-llrown lingoadns de ferro,
liarca Teja mcrcadorias.
Barca Jules idein.
UllW.TACAO'.
Jilic barca franceza, vinda do Havre entrado
nesle mez, consignada a B. Lasserro & C. niani-
estnu o segiiinte :
200 barris e 100 nietos ditos manteiga 3 meias
liarncas farinha de Irigo, 59 saccas farelo, 100 cai-
xas velas 65 pegas fazendas, 10 barril oleo de li-
nhaca 17 fardos cabos, 5G0 gipos hlalas 85 cai-
xas c 100 caixinhas qurijos, llardo lio, 5 barris al-
magre ; a It. Lasserre & C.
1 caixa filas de seda 7 caixas chapos, 2 ditas bo-
netes 3 ditas agoa de Colonia i ditas perfumaras,
1 dita figuras de cera ,2 ditas chapos de sol de al-
gndio 4 ditas lonja, 1 dita calcado o fazendas do
seda 3 ditas chapos do palha, 1 dita suspensorios,
1 dita flores artificiaos 9 dilas fazendas de algo-
doeluvas 1 dita fazendade algodio 4 dilas dita
dela, 1 dita obras de ouro, 1 dita papel pintado ,
S ditas obras do vidro 1 dila estojes 2 dilas couros
de lustro 1 dita raleado 1 dita bonetes, luvas e fa-
zendas 1 dita sedas, bengalas, chicotes e llores; a
Dtdier.Colombiez & C.
2 caixas suspensorios, 2 dilas fazendas de algo-
do I dila miudezas 1 lardo chapos do palha 4
dilos fazendas de lia 5 ditos ditas de seda, 9 dilos
conservas de sardinhas; a J. ldicra C.
1 caixa fazendas de seda ; a E. liolli.
co barra e 15 meios dilos manteiga ; a N. o fiic-
ber & O.
Icaixe modas; aMillochau.
8 caixas miudezas 3 fardos o 2 caixas fazendas
dealgodffo,70gigosrhampanha, llnixas lilas de
seda ; a Kalkmaiiu & Itosenmuml.
1 fardo e 4 caixas fazendas de algodilo G ditas (li-
las de algodHo e seda, 1 dila dilas do seda ; a
Scliafliaillin Tobler & C.
1 caixa objectos de relojoeiro ; a (i. Bellenot.
7 quarlqlas e 30 caixas viudo linio 10 cestos dito
branco, 20 caixas azeile doce, i> ditas sardinhas
em conservas 2 ditas bonetes de algodo 3 Larri
monillos para caf ; a ordem.
1 caixa mangas de vidro 1 dita pndulas 1 dita
relogios t dila obras de ouro c prala ; a C. Carnier
i\ Companliia.
1 caixa confeilos c caixas do papclao 1 dila agoa
do llorde laranja ; a Leduchaud.
O T)r. Jos" ThcmM Nabuco d'Araujn Jnior, /dalgo
cavallciro da cata imperial, ravalleiro da ordem de
Ckristo,e uitrdedireiln da i.* vara do marca do Itecife por S. SI. I., a quem Deot guarde
M.
I'ago saber que, no dia 15 do Janeiro, ha de come-
car a corrrigilo desta cidade e sen termo, o em con-
sequencia no dia 19 do dito mez, em a casa de minha
residencia elvenlo entregarao escriv.to em minha
prezenca ;
i.' Os eicrivles de quaesquer juizos, tahellifes
de notas, scus ajudantes, escreventes juramentados,
distribuidores, contadores, partidores, avaliadorcf,
advogados n!to formados, solicitadores, promotores
de residuos, curador geral, o todos e quaesquer ou-
tros pregados di: foro, e ofciates ttulos, ou proviscs, o (angas, a que porventura
estojam obrigados.
2." Os tabelliSes donlas dcsla cidade, o deJa-
hoato, e S.-l.ourengo da Matla, o escrivUo do pro-
testos, o de liypolhecas, o do registo geral das hy-
polheeas, c os eserivites de paz, os seus livros do no-
las, inclusive os findos n.lo vistos em correiciJo.
3. Os escrivfles, que escrevem no crimo perante
os juizes muncipaes, delegados e subdelegados,
todos os procesaos findos, nfio vistos om correicito,
c os pendentes, acompanhados de um rol dcllcs em
duplcala na forma da ord. I. l., til. 58 $ !.">, o lit.
79 1., o assim tambem os roes de culpados, livros
dos' termos do (ancas, e quaesquer oulros a seu
cargo.
4 O escrivcs das execuges, os dos juizes do
civel, o dos feitos da fazenda, do juio de ausentes,
los delegados, subdelegados e juics de paz, os
prntocollos de audiencias, os dos advogados, os li-
vros dos termos de conciliagao, e quaesquer outros
a sen cargo.
5.Osescriv!les de orphos lodosos livros de tu-
telas, cratelas, c quaesquer outros pertencentes
njizo do ornhfos. os autos de inventarios pen-
dentes o lindos, contas de tutores, curadores e ad-
ministradores, as escrpturas do debito, flaneas, hy-
polhecas pcrlenccntes aos cofres, e urna relacSo dos
tutores e curadores, que prestam contas com indi-
riduaefio do lempo dellas, c dcclaragfio dos quo pres-
taran! ou n.lo.
6 O escrivfio da provedoria do capcllas e residu-
os os livros do registos das capcllas, seus encargos,
tombos de suas propriedades e conlas dos respec-
tivos administradores, e os livros dos icgislos dos
testamentos e codcilios, inventarios, contas de tes-
lanienleiros pendentes o findos ; outro sm os livros
portencenlcs as irmandades, confrarias, hnspitaes,
ordeus tereciras, fabricas o adniinislracSo de capel-
Jas, o una rclnciio dos teslamenleiros, administra-
dores e irmandades, quedevcni prestar contas com
individuacfiodo lempo dellas, e declaraco dos que
prestaran), ou nd.
7.' (-S administradores de quaesquer bospitaes e
dos bens c rendmontos das confrarias, irmandades,
ordens terceiars, fabricas, capellas, etc., ou os seus
thesoureiros, os livros de receta o despezas, os de
conlas, tombos inventarios, coinpromissos, arren-
damentos, contratos, acconlos, termos e outros
quaesquer; assim como os ttulos por que possuom
bens de raz c as liccn^as para dispensa da lei da
amnrtisaclo.
8. Os depositarios geraes' os livros do depsitos.
9. Os distribuidores os livros de distribuijoeg.
10 O escribo do ausentes os livros do que trata
o regulamenlo do 9 do maio de 1842.
I'aco saber que receberei quaesquer denuncias so-
negligencia, omissiio, erros, e quaesquer ou-
lorisaco doi seus fiadores, e all Ibes serSo apreien-
ladaa as mais romlicoes do contrato.
I scriplorio da roinpanliia, cm eisfio de 13 do
dezembrode 1848.
O Secretario,
B. J. h'mandei farrot.
RAIIIItO DO IIKC.II"!:.
Cliafaii/es da ra do llriimtermo medio
da arreradaciio no ultimo se-
mestrepor mez 300,000
da ra da Cruz 600,000
do Forte-do-Mattos 250,000
da Conceicflo 300,000
RAIMO DE S.-ANTONIO.
1:450,000
Cbafarzes do Pisseio
do l'araizo
da riu do Sol
do Carino
da Rihcira
da ra Imperial
330,000
500,000
'i\(\ nnn
800,000
660,000
200^)00
2:840,000
casal oulros bens alm dos que o
seu fallecido lio, Joaquim Jos
Lourcnco Cartaxo, em leslamentaria deixou para os |e,
glimos flaos da annuncianie e
em usoruclo smenle a esla.'
-- lerdeo-se, no dia 18 do corrente, urna lela d
quinhentosmil lis tacada na villa do Rio-FormnJ,
em a de maio de 1848, a favor de Bento Jos da fi. '
U e aceita pelo Sr. Pedro Ignacio Wanderley lenil
ja as costas o nome do dito Rento Jos da >.i.. .
BAIRRO DA ROA-VISTA.
Chaan/cs da Soledade
da l'raga
Os da caixa e ra da Aurora por
administracHo
30,000
300,000
330,000
Avisos martimos.
bre
CONSULADO GERAL.
HEND1MF.NT0D0 DIA o|.
(;uri11........................2:591,798
Diversas provincias............... 147,204
2.739,002
CONSULADO PROVINCIAL.
REMUMENTO DO DIA 21 .'....... 1.988,488
Movimcnto do Porto.
Navios entrados no dia 24.
Sumatra ; 84 dias, galera americana Horneo, do 297
, tonelada, cap lito William C. Nulling, equipagi-ur
15, carga pimenla ; a L. C. Fcrreira 6 Companhia.
Veio a esto porlo recoher ordens.
Trapa ni por Cibrallar; 60 das e do ultimo porto 30
escuna siciliana Regenerosione, do 145 toneladas!
eapitSo Palillo Inzerillo, equipagem 8, carga sal
mais gneros ; a N. O. Uiober.
Navios laliidtis no mesmo dia.
Rio-C.rande-do-Sul; brigue brasileo Uto, capitflo
Antonio Rodrigues Carera', cjrga assucar o sil.
Passageiros, Joaquim Pinto dcAzevedocom 3es-
cravos e 1 dito a entregar.
Costa d'Africa ; barca americana Adelaid, capitflo C.
B. fiamag, carga ago'ardente.
Rio-de-Janeiro pelo Ass ; brigue brasiloiro San-
Slanoel-Augusto, capitSo Manocl SimOes, cm lastro
de arca.
troscrimes dos empregados pblicos.
E para que nio baja ignorancia mando que o es-
criv.lo que esla subscreve notifique peasoalmente
aos sobreditos oscrivacs, e domis pessoas, as qoaes
se refero este edilal, o conledo di lie ; o quo outraf
si ni soja o mesmo aflixado nos lugares mais pubti*
eos, c publicado pela imorensa.
Dado e passado nesia cidade do Recife, aos 18 de
dezembro de 1848. E ou, Jos Affunsn Gnedes Alcan-
forado, escrivflo o subscrevi. Jos Thomaz Nabuc*
de Araujo Jnior.-.\. S. tx-causa.
--Olllm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda
provincial, cm virtude do resolueno do tribunal ad-
ministrativo, manda fazer publico que cm cumpri-
muiitnda lei, perante o mesmo tribunal, vai nova-
mente a praca no dia 22 (boje) do crreme, os impos-
tosseguinte:
2.500 rs. por cabera de gado vaceum quo fr con-
sumido nos municipios abaixo declarados.
Olinda.avaliado novamenle por auno em 3:500 000
Po-dWIho, ditodilo
Nazarctb.dito dito
Sanlo-Aiito, ditodilo
Serinhilem, dilo dito
E nos municipios seguinlcs, nosquacs B pagan
aquellos que lalharem carnu rara negocio, c o cria-
dores o il i/1 mo.
Brejo, avaliado animalmente por
Cimbres, dilo dilo
Flores c Floresta, avaliado novamenlo por
aiiiioem
20 por conlo do consumo da ago'arden-
le no municipio de Iguarass, avaliado
anuualincnlo por
E para constar se mandn alUxar o prsenle 'po-
hlicar pelos Diarios.
Secretaria da thesouraria da fazenda provincial
Periiamliuco, 15 de dezembro do 1848.
m -<'
O segundo escriplurario,
Antonio Fcrreira da Annunciacu'o.
4:000,000
5:500,000
6:000,000
550,000
1:600,000
800,000
3.000,000
200,000
de
Oeclarye
s.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem, com bre-
vidade o hiigue Auombro, forrado de cobre, de
primeira marcha ; deixou de sabir no dia 15 por in-
convenientes : quemquizer carregar, ouirdepas-
sagem, para o que lem ricos commodos diiija-sea
ra da Cadcia do Recife, n. Cl. a fallar com Joio Jos
Fernaodes MagalbSes.
Para o Rio-de-Janeirosahe, com a maior bre-
vidado possivel, o brigue nacional Ligeiro : para car-
ga, passageiros e cscravos a frete, trata-se com Ma-
noel Joaquim Soares, na loja de ferragens ao p do
arco da Conceico ou com Novaes & Companhia, na
ra do Trapicho, n. 34.
Para o Aracaty sahira com brevidade o biate
Novo-Olinda, por ter j tratada parte do seu carrega-
nienlo : quem nelle anda quizer carregar, ou ir de
passagem, se entender com o mostr do mesmo,
Antonio Jos .Vianna, ou na ra da. Cadeia-Yellia,
n. 17, segundo andar.
** Para Lisboa partir, com a malr brevidade pos-
sivel o hiale portuguez Especulador, fabricado re-
cenlemento; lem parte de seu carregamento promp-
ta faltando-lhc cerca do 3,000 arrobas : quem nelle
quizer carregar a frete, dirija-so ao consignatario,
Firmino J F. da Rosa na ra do Trapiche, r.. 44.
Para o Itio-de-Jancro segu, com brevidade,
o brigue S.-Manoel-Augusto, capilSo Manoel SimOes;
recebe carga a irelo passageiros e escravos : quem
pretender carregar .ou embarcar falle com o dilo
captao na praca, ou com Manoel Ignacio de Oli-
veira na praca do Commercio, n. 6.
A barca nacional Tentativa-Feli* segu para o
Rio-de-Janeiro com muita brevidade, por ter gran-
de parte de seu cariegamenloprompla-. para o res-
to e passageiios para e-que ofTereco os mais ricos e
assciados commodes, assim como para escravos,
Irata-sona ra daModa,n. II, com Silva & Grillo.
Para o Rio-Grande-do-Sul seguir breve o pa-
tacho Dous-de-Marco, o qual anda pode receber al-
guma carga o escravos a Trole : quem no mesmo qui-
zer carregar ou embarcar escravos, entenda-se com
os consignatarios, Amorim limaos, ra da Cadeia.
o. 39.
Cadeia di.
ou recompensado
L!J___l___1
Lei l&o.
Chrislopbers & Donaldson, tendo de liquidar
certas conlas, failo leilflo, por intervencSo do cor-
retor Oliveira, do seu deposito'.de preciosos o bom
conhecidbs vinhos de champanha, cxcellenle Ma-
deira, Porto, Xcrez, Clarete, ago'ardente do Franca
branca e escura, e licor de cerejas, tanto engar-
rafados como olguns dos vinhos em barris,
em lotes grandes ou pequeos n volitado dos pre-
tendenles : quinta-feira 28 do cofrentc, s 10 horas
da maiibla, no seu armazem, ra do Trapiche-Novo.
Avisos diversos.
^ebbbbb,
AadministracTO da companhia de lieberibti con-
rata a venda d'anoa nos chafarizes do cada um 'dos
"'"1 a1" cii'^,0 ',or l0,nP ,lc/unl ano, a pa-
garnejitos* nveas#8, e com quem mais der sobre os
; hiato brasleiro tfo.o-Destino, capilo Sreo^extorm da^
EslevSo Itibeiro, carga Aarios gneros.
i companhia no dia 22 do
I corrento pelas 10 horas dajnanha, munidos doau-
*''recisa-so de um Portuguez com preferencia
a hlhodas ilhas, que saiba plantar fiuteiras, ver-
duras c llores para tomar conta de um sitio no lu-
gar do Remedio, c nelle trabalhar e fazer o mais ser-
vico quo o dono determinar pagando-se-lhe men-
salmenle 12,000 rs., comendo a sua custa : na ra
do Crespo n. 14, terceiro andar, das 6 s 8 horas
da manliia e das 2 s 4 da tarde para fazer o ajus-
te o qual nao ser ofleiluado seno a vista de do-
cumentos que abone a sua conducta
Na padaria e paslelaria franceza do Atcrrn-da-
Roa-Vista, n. 50, ondoso fabrica o novo e verdadei-
ro pao de Provenca, Mo condecido o apreciado, aca,-
ba do receher-se pelo navio Julia, chegado recente-
mctito da Franca, um completo o rico sorlimenlo de
conidios o amendoas cobertas, de difierentcs quali-
ilades. doces com traques muito proprios para cn-
tfelenimcnlos de sdrtes, paslilbas; assim como a
inais supciior agoa de flor de laranja e ago'ardente
de I ronca da primeira qualidade ; "tambem foram
receidas mu ricas hcelas de difierentcs gostos
para pfcsenles de confeilos, amendoas c oulros do-
es, eludo se vende pelo prego mais commodo era-
soavel; proco por que ignalmeiitc so promptilicam
enconiim'n.las de doces linos, e bandejas de bolos
delirados para cha, bailes e soais
--Precisa-so alugardous'prclospara o servico in-
terior d*lma casa estrangeira: na ra Velba, n. 78.
- Cierna Roza da Cosa de-
clara que, leudo fallecido sou ma-
rido, Joaquim Jos Lourenco da
Cosa, ctcntlo deixado Ues fillios
de liglUmas nupcias com a on-
nunciante, nao lem ella de fazer
ose da Coala: o
como ja se tenha feito aviso ao aceitante para ntn
pagar senilo a favor do quem ella foi sacada DOr
isso roga-se a quem a achou o favor de entregar e,n
casa da viuva Costa & Fhos, na ra da
Rocife, caso o exijam.
--O Sr. Francisco Pereira Marques queira anoare
cer na ra da Aurora, n 44,a(lm de tratar iu
trega da casa. en"
- Prccisa-so do um caixeiro nacional, ou eslran
geiro, para urna venda Tora desta praca : at ra 1)
reila, n. 17, fabrica de licores.
Aflonso S.-lInrtin com
loja na prega da Indepondenia, ri. 38, lem para ven
der chapeos de seda do mais elegante gosto para se
nhora, assim como de palhinha aberlose lisos tan
lo enfeitados como s os cascos, lindos ramos d
flores arlificiacs filas para os meamos capellas i
dores de pdanlasia ditas de flores de laranaeira,
para noivas, eramos das mesmas para peito *une
rioressedas pretas para vestidos, bicos de blond
para osjmesmos, manteletas, visitas o palitos rica
mente guarnecidos, cortes de seda para vestidos"
mantas e lencos grandes de seda com franja etr
se levar aodomiailio "
- Fugio. no dia 20 do corrente, as 7 horas da noi-
J*',u,n folequo de 8 a 9 annos, com os odos par-
aos ; aaiiu t-oiii coiuuioa de usiopa e n da cintura
para cima; tem alguna signaes do rolho pelas cos-
tas : quem o pegar ieve-o a ra da Praia n. 60 casa
onde se fazem anzes, que ser gratificado '
-----Joflo Matheus embarca para os portos do sul o
eu cscravo Renedicto de ngiTo Cosa.
--Os.Srs. que leem fallado paia arrendarem a pro-
priedado da travessa da ra da Madre-de-Deqs n
16, pdem apparecer queja so ullimaram as obras
queseestavam fazendo em dita casa: na loja dos
Srs. Jos Antonio da Cuaba & Irmaos.fse dir quem
aluga.
- RaymundoFilippo Lobato Jnior propoe-c a
dar ligOes de desenlio ,e de lodosos preparatorios
para a academia jurdica excepto francez do quo
nao tem nogSo alcuma: quem de seu prest mo se
quizer utilisar dirija-se a ra larga do Rozara
n. 23 primeiro andar onde o aedarnoassiduamen-
te. Se por casualidade tiver algum impedimento
far suas vezes o seu companheiro Sebastilo Comes
da Silva Relfort, que em nada o,desmerece.
inventario, porque nao lia no Men -TJ'iago Mara Maya, subdito porlu guez, relira
T l "y. ov isopaia Ponugai a iiawrue sua sonde,

Furto.
Furtaram da sala da frente do sobrado da ra do
Queimado por cima da loja de J. a. dos Santos An-
drada irinflo onde moram os abaixo assignadoso
uniacarteira com diversas leltras sacadas pelos
abaixo assignados, e aceitas por varias pessoas, uo
dia 21 do corrente, pelas 10 doras damanliSa. Roga-se
asauloridadespoliciaesequalquer pess'o do povo
que souberem quem foi o autor deste roubo, que ha-
jam de o prender, licando corto o roubador queja se
aedam prevenidos os aceitantes para n.lo pagarem
senilo aos sacadoaes : bem como roga-se a esla pes-
soa que tirou dita carteira que baja de restituirs
ditas leltras, pelo correio, em carta fechada e quem
descobnrsera gratificado, entregando na ra do
Queimado loja n. 16. Adverte-se que perda-se ao
curioso o dinheiro que lirou de dentro de una cai-
xi n lia. Jos Dias SimOes & Companhia.
Continija a estar rugido, desde 13 do corrente,
pelas 9 horas da noite do lugar de S -Amaro, pr-
ximo a fundigfiodo Sr. Starr, um cavallo rodado,
sellado com^sellim inglez : quemo pegar leve o a
ra de Apollo, n. 25, que sera gratificado generosa-
mente,
Precisa-se de urna ama para o servigo interno e
externo de urna casa de pouca familia : na Ra-Vis-
ta, ra d'Alegria, n. II.
Deposito de rap andarahy
C imperial.
Na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, escrito-
rio de Jos de Almeida Brrelo Bastos, vende-se o
bem acreditado ra| andarahy e imperial, fabricado
no llio-dc-Janciro, sendo o nico deposito nesta
provincia ; assim comosempre se adiar no mesmo
deposito o melhor cha nacional brasileo, em cai-
xinhas de 5, 8 e 16 libras, por prego commodo. 0
rap vonde-soa retalho tas seguinlcs casas : ra da
Cadeia do Recife, n. 17 ; ra do Colleglo, n. 9 ; pra-
ya da Independencia, ns. 4e39; ra do Queimado,
ns. 10, 16 e 33; ra do l.ivramonto, n. 4 ; ra No-
va, i. 50; ruados Quarteis, n. 24.
Vgnes, fabricante de pianos,
na rua do Queimado, n. 12,
lem pianos de novo modelo felos depreposito para
este paiz ; siTo riqusimos e de niachinismo e vo-
zes superiores, o quo se afianga ao comprador : tam-
bem lem pianos inglezos, que silo punco usados ;
concerla e alia pianos com toda a perfeigo; vende
curdas camurgas e todos os aviamentos necessarios
para ditos instrumentos : ludo por prego commodo.
No paleo da matriz do S.-An Ionio, n. *, segun-
do andar, liram-se passaporles para dentro e fra
[do imperio, tambem para cscravos, e correm-se
folhas por prego muito rasoavel.
No escriplorio de Jos de Almeitla
Barreto Basto, rua da Cruz, n. 63,
assigna-se para a mpress3o da segoinle
obra :
Commentarios do Conde de Tracy,
sobre o espirito das lea, do Montesquicu,
e memorias sobre os meios de fundar a
moral de um povo. Subscreve-se por
4,ooo rs. pagos no acto da entrega da
obra,
MUTIL



_ Roga-so no Sr. Itere J. A. P. II. o obsequio
,|e qutnto autos pagar o reato quo llcou a dever a um
!,eu companheiro na viagein quo fe;, para o norte ;
o que so nflo flzer tora o dissabor do ver por extenso
o seu nomo ncsle Diario, at o final ombolgo de seu
i-redor.
__ Jh.m) Simlo do Almeida dcjxou de vender agu-
rdente as suas taberna"*, no beceo da Cacimba n.
I, e becco do Monleiron. 6; o para queoSr. collector
ii ji> se chame ignorancia, se Taz o presento annun-
cio-
OSr. Alejandre Maquelon Tecir, morador no
engenho Sau ou Sausinho, loo urna carta de sua
familiade Lisboa na ra de Apollo, armazem n. 32.
Aluga-se um preto para urna padaria, que sii-
lm miassar., o sirva para vender na ra: quem o
liverdinja-se arua da Madrc-de-Dcos armazem de
Vicente Kerreira da Costa, que se dir quem piccisa
precisa-se de um preto bom trabalhador do
masseira ; d-se bom alufcuel, sendo perito np en
quella fabrica ptimo para ensaccarassucar e pa-
ra rouna de cscravos. O aununciante conla quo ,
alm da bondade da fazenda o caejo de animar o
dosenvolvimento de urna fabrica iiileiramente na
cional, promover o prompto consummo da sua ro-
ceita.
Precisa-so de ilous moleques diligentes par o
servico do urna casa : na ra da Senzalla-Vellia, con-
fronte ao becco do Campello, armazem n. 126.
olcio : na ra do liem-Fica na Passagem-da-Mg-
dalena padaria de Domingos Antonio da Silva Bel-
ris.
Quem precisar do urna ama de leite Torca, diri-
j.i-su a ra Diroita,, passando o becco da l'enha ,
Jo lado esquerdo, sobrado de um andar, n. 45.
Anda se precisa de um caixeiro para deposito'
je padaria, por faltar quem se tratou : na S.-Cruz,
ladaria de urna so porta.
Odoulor Casanova medico francoz, mudou a,
sua residencia da ra Nova para a ruado Crespo, n.
8, segundo andar, onde contina a receitar desdo
:' hu as da manhila at As 9 e de 1 at s 3 horas da
larde a pobreza gratuitamente : quem de seu pres-
- Uni se quizer utilisar, dirija-sc a mesma casa.
A. Daumann, afinador e
concerlador de pianos do
prncipe de Joinville e de
S. A. a Sra. princeza D.
Francisca, tem a honra de
prevenir o respeilavel pu-
blico que chegou ullima-
mente n'esla cidade ; e as
pessoas que quizerem utili-
sar-se de seu prestimo, o a*
cliaro na casa de sua resi-
dencia, ra lardado Rosa-
rio, n. 14, primeiro andar.
Roga-soao Sr. curioso em cuja casa exite um
escravo de nomo Uionizio, que esta fgido ha d-
as, de u vr, ou mandar entregar seu Sr., do con-
traro ter de ver o seu nome escripto nesla folha.
-- O abarco assgnado leudo de retirar-se breve-
mente para Portugal a tratar de sua aade, avisa
pelo presente a todas as pessoas quo teem penhores
ein seu poder, para .que dentro do prazo deoilo das
venham resgalar ; do contrario serSo vendidos para
pagamento doseus dbitos: e para quo ao depois
nao alleguen) ignorancia.se faz o presente annuncio.
Manuel l-erreha dos Sanios.
-Quem precisar de um caixeiro pera tomar con-
ta de urna venda por bataneo, para o quo lean bas-
tante pratica; dirija-so a Pracinha, n. 10.
Lotera do ifieatro publico.
a venda dos respectivos bilhetesesl quasi para-
usada, e por esta rasilo deixaram ainda as rodas de
ler andamento nodia 9 do corrente, segunda vez
para este fim marcado. A vista, pois, disto o thesou-
reiro se escusa por ora demarcar novo dia, o quo
i'..i,i brevemente, visto que est disposlo a empregar
toilas as diligencias para que s ditas rodas andem
anU's da festa.
Da casa de Jeronymo Martiniano
>l'igupira de Mello desaparecen urna
bengala de canna da India com castao
de ouro lavrado : quem a livor e quizer
roatituir, poder leva-la rua do Hospi-
cio, n. i.j, na certeza de que se entregar
11 importancia pela qual a houver. com-
prado, querendo-a receber.
Iiesappareceu, no dia do corrente da casa
do Rolho & Ridoulac rua do Vigario n. 4, um ca-
thnninho de raga ingleza com os signaos seguin-
tes : pequeo, lodo prolo, e orelhas grandes: quem
achare levar a casa cima, ser bem rcconipen-
aiio.
^CHAPEOS DESOL^
Rua do Passeio, n. 5.
O fabricante desto cstahclecimenlo adverte ao res-
peilavel publico desta -culade que elle possue pre-
sentemente um rico soi'lmenlo do chapos de sol,
"ssim como chapos de sol de seda furta-cres, dos
"'ais ricos que teem apparecid neste mercado, e de
cores condecidas ; ditos para senhpras de bom tom,
'damascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas do retroz, ludo que tem do n.ais moderno c do
"lelhor goslo ; um completo soriimeuto de chapos
'o sol do panninho de todas na crese de lodosos
unannos, para homens, senhoias e meninos: ha
ainhoni igual sortimenlo do fazendaspara cobrirar-
"lagOes, tanto de sedas de cores, como de panninhos
tingados o lisos imitando seda. Advetie-se quo os
egueres serio servidos can brevidade, escacha-
do salisfeitos da boa qualidade, do bom gusto e do
bom prego.
fabrica de Todos os Sanios
,' da Itahia.
Firmino Jos Flix da Rosa, com escriptorio nu
'ua do Trapiche, n. 44 avisa eos seus freguezos ,
Que receben pelo hiate S.-Henidiclo, novo soilimen-
' J. A. S. Jane, artista, tem n honra do avisar ao
respeilavel publico, que contina a por denles aili-
ficiaes da porcollana, assim como tambem tira as
caries dos na tu raes que tanto ilamnilicam os lientos e
cooperan para o mo hlito da hocen, nlo sendo li-
radas ; calca com ouro, prata o metal hranco os den-
les forados, na sua residencia, na rua estreita do
Rozario, n. 16. O aununciante assevera a todas as
pessoas que so quizerem utilisar dos seus servidos,
que nilo exigo paga alguma, nSo ficando os denles
lllt> bem posUis que nilo so possam dilTercngar dos
proprios naturaes, podendo-sc mastigar com os mes-
mos toda a coaiida som a menor dr nem receio, e
por cujo motive o aununciante espera na bondade
de todas as pessoas que precisaren de seu prestimo
quenito o deixom de procurar, a vista dos muilos
oxemplos quo ten dado s pessoas que o tom pro-
tegido.
A abaixo assignada, viuvade Jc-a-
qiiiin Jos Lourenco da Costa, pelo pre-
sente declara que tem nomeado seu em
tudo bastante procurador a sen genro,o
Snr. Maooel Antonio d'Azevedo, por pro-
curacao lanada em notas dotabellio Sal-
les, aos 18 do corrente; o qual Pica autori-
zado a receber os alugueis de seus predios,
e cuidar ein todos os negocios que digam
respeito administradlo do seu casal ; fi-
cando d nciihiim clcito todas asprocu-
racoes que a abaixo assignada, e seu de
funto marido, assignaram anteriores di-
ta procuracao.
Cicila Roza da Costa.
Ao respeilavel publico.
O proprietario do armazem de vinho
da rua da Madre-de-Deos n. 36, de-
clara que este estabelecimento no tem
outro armazem filial, como alguem lia
que o inculca ; e para conbecimenlo do
publico, faz o presente annuncio.
aB"Sa)^ww U
9 #
Aluga-se, paira o tempo da festa ou vende- #
?. se um pequaaa sitio na Capunga, com casa
de pedia e cal. concertad e pintada de novo,
S5 com cacimba do boa agoa de beber bastan- ja>
tes arvoredou de fructo, e ludo cercado de li-
| mlo : quem o pretender dirija-so a casa do
? Sr. Jos Antonio de Lima morador no mos-
? mo lugar.
? --_____________
30,00* r. 4e|gratiricaco
a quem touxer a ascrava crioula, de nome Cathari-
na com una (Una cabrlnba de 3 annos cojos sig-
naes achain-se neste Diario nos ns. 240 a 250 : a es-
crava fui seduzlda por o pai da rabrinha o qual he
pescador-, ou pombeiro e mora en urna deslas
praias, al Po-Amarello.
Alerro-da-Boa-Visla, n. Ifl;
Pomtnaleau culilciro c
armeiro.
Acaba-se de receber, pelo ultimo navio chogado da
Franca, um sortimenlo de cutilaria fina, bem co-
mo : tesouras grandes para alfaiatc ; ditas para cos-
tura de senbora molde rico a do ultimo gosto;
ditas de jardim para cortar llores ; ferros de varios
moldes para o asscio das nnlias; caivetes de mo-
la ; ditos para aparar pnnaa,; estojo de viagem pa-
ra honiem; espingardas; brides; cabecadas; chi-
cotes para carros; fundas; navalhas para barba ,
etc. : ludo do superior qualidade.
A. F. de' rigueiredo tem aborto
um curso de pbilosophia, gcomcli ia, n-
glez e francez, na rua estreita do Rosario,
n. a?, primeiro andar.

JVa padaria do becco das Barreiras e deposito
da estrella n. 39, no Aterro-da-Boa-Vista
fabrica-si: o novo pao de Provenga o qual lio
fabricado pelo melhodo ,de seu primeiro in- -
Iroductor nesta provincia rom as mclhores
farinhaseasseioquehe possivef: lembem se
fazem fatias. de gosto hcspanhol, biscouto, *
biscoutinhos fatias, bolinhos cayacas : tudo ?
do mcltior gosto possivcl e proprio para cha. j*
-- Compra-se um oilante i no pateo da S.-Cruz
n. 2.
Compram-so unsenfeilea de rinteiro de meni-
no sendo da bom ouro c sem feitio : no pateo do
Carino, venda n. 17 poc haixo do sobrado de Ca-
briel Antonio.
Vendas.
Folhitihas rara escriptorio.
Vendem-se folhinhas para escriptorio, encartoua-
das em papolflo a 320 rs. cada urna. Estas folhi-
nhas mostram a primeira vista os dias santos Je
guarda os dispensados, os feriados na jnslica e nos
tribunaes, sem roeorrer-so-a tabella dos feriados,
e apenas tomam um expelo de um palmo : na pra^a
d Inilepenileneia, livraria ns. 6ftfi.
6,400
960
2,000
1,800
25,000
1,200
6,000
5,000
3,600
'2,500
5.000
3,000
3.200
1,600
10,000
2,560
3,000
8,000
960
FAREI.0 F.M SACCA8 l)F. 90 LIBRAS :
rende-se no armazem de Viccnto Forre ira da Costa ,
na rua da Madre-de-Deos, a 3,500 rs.
r- Na-rua do Sol, n 13, vendem-se os seguintes
livros:
Actas de lodosos concilios geraes o particulares,
desde o lempo dos apostlo at boje. 8,000
Arte explicada de Madurcira, 2 v. 2,400
Biblia sagrada, por Sarniento, com texto lati-
no em frent.
Tribunal de ordinnndos.
Estudo curioso de llieologia moral-
Panagiricos recopilados dos melhores autores
francezes o italianos 3 v.
Escola palillera,.Iiica, OU de le' Iclti'as anli-
Cas desde a entrada dos (iodos em llespan-
h i at os ni s -ns il a;,
Geographia da Europa*
Flores de llespanha e excedencias do Portu-
gal, em que brevemente se trata o melhor
. de suas historias c as do lodo o mundo,
desde o seu principio alos nossos dias.
Theologiade Cimiliati,2 v.
"stfia da lvolyclu francesa, por Milie.
Atlas elementar que conten 33 caitas Ilu-
minadas, ptima eucadei uaco. -
Dous breviarios.
Um caderno de santos novos.
Oulro dito maior.
Exame de confessores.
SermOcs do padro Viera, 12 lomos.
Sol nascido no occi lente ou vida de Santo
Antonio.
Arte de pregar.
.Noticia succinta dos monumentosanligos da
lingoa latina e dos subsidios necessarios
para o estudo da mesma, por Jos Vicente
ds .Muma, :> V.
Salustio.
Deducco chronologica aondo so v qual o
motivo da extingao dos jesutas. 2,000
Outros muitos livros ja annuuciados, os quacs
todos seendem muilo em conta.
Vende-se um piano em bom uso, c de boas vo-
xes por prego commodo : na rua larga do Rozario ,
n. 48, primeiro andar, se dir quem vende.
Vende-se um rico trem do Jacaranda, com
muilo pouco uso, por preco commodo : na rua afras
da matriz de S.-Antonio, n. 16.
Vende-sc tuna morada de casa, sita
na rua do Farol, ern Fpra-de-Portas, n.
56; ou lia na mesma rua, n. 64, por preco
commodo ; outra em Olinda, biquinba de
San-Pedro, n. i4 : a tratar na rua da
Cruz, n. 63, segundo andar.
Aos Acham-so a venda na toja da viuva Vieira & Flho,
na rua da Cadeia do Rocfe, n 24, bilhetos e mcios
ditos da 48.* lotera a beneficio da S.-Casa da Mise-
ricordia cujas rodas deveriam ler andamento a 18
do andante inez.
A 1,800 rs. a peca de 20
jardas.
Na loja de Cumar3es & Companhia rua do Cres-
po n. 5, vendem-sc pegas de algodilozinho do boa
qualidade com um pequeo loque de a va ra,
pelo barato prego do 1,800 rs. a pega de 20 jardas.
rlimado de pinito da Suecia,
de 10 a 55 palmos
decomprimento, o mellior quo tem chegado a este
mercado, em r.izilo de se po lr evernizar em qual-
3uor obra por nlo ter nos e ser muilo alvo gen
o costado, costadinlto, assoallio, forro o para fun-
dos do barricas : vonde-se a prego que o comprador
far todo o negocio : atrs do theatro, armazem do
Joaqun Lopes de Almeida.
.sia&ffisfe:
Vende-se urna loja de calcado,
ou s a arfnacao, em urna das
melbores ras, para qualqtier es-
tabelecimento : na rua da Cadeia
do llccfe, n. 35.
5S:
F0LHWHAS PARA 1SJI.
FOI.IIIMIA Hf PORTA, alfiOrs.
Dita de AI.UHF.IItA, contend., aln do kalenda-
rio, urna collccgfm da segredos e remedios para uso
domestico, a 320 r.
Dita a quo se reuni o ALMANAK adminUIraUvo,
mercan!le industrial da provincia : esto almanak es-
t accrcsccntado com lodos os estabelecimenlos de
porta ,'lieila, a 320 rs.
Vendem-se na praga da Independencia, livrari*
ns. 6 o 8 ; no Aterro-da-lta-Vista, botica do Senhor
Moreira ;o em Olinda, bolica do Senhor Rapozo, rua
do Amparo.
Vcndcm-se batatas o ceblas, ultimamenlo cha-
padas e do muilo boa qualidade, por prego commo-
do : no armazem n. 31, na ruada Madrc-dc-Deos,do
lado da alfandega.
Vende-se um escravo caba de 20 annos pou-
co mais ou menos ; o qual sse vende com a condi-
gno de ser para fra da provincia : na rua do Quei-
mado, n 31.
Vendem-so calungas para rresepc de todas as
qualidades por prego commodo : bem como hixas
chegadas ullimamiinte. grandes, a 800 rs. cada urna,
e tainheni se alugam a 320 rs. cada una : na rua do
Collegio, n. 9.
Vendem-se, na rua do Collegio, n. 17, queijos
do sertiio de superior qualidade pelo diminuto pre-
go do320rs. a libra.
Vendem-se apolces da companhia do Bcbcr-
be : na ua larga do Rozario, venda da esquina que
volta para o Collegio.
Aos 20:000,000 de ris.
Achain-se a venda na loja da viuva Viera & Pi-
lilo na rua da Cadeia do Racife 4. bilhotcs e
nieiosdiios da quinta lotera concedida a beneficio
da empreza da cultura di: amoreras criagflo dobi--
xo da seda o preparo delln, cuja lotera deva ser ex-
trahida no da 5 do andanto mez.

<^
.*
O
Aos amantes do milito -A
superior c
Purovinlio da Figueira
No Alerro-da-Hoa-Vista, n. 4^, ^&
K) ha urna grande porgrio dcsle superior vi- flS
^ nho que se est vendendo a 1,120 rs. ac- gS
g) nada, c a 160 rs a garrofa : e para no ha- (MI
r*, ver dolo do comprador serflo lacradas as -^,
r- ^
>V
garrafas e com rotulo, recebendo-se o gai
rafa vasia c dando-so mmedialamcnte
outra chcia tambem ha em barra quo se
vender mais om conta. He esto o melhor
do todos os vinhos que se teem annuncia-
do, pela sua simplicdade e ptimo pa-
ladar.
m
Vendem-se 4 pares de brincos > bom ouro do
diferentes lamanhos ; um trem com cspellio, de ja-
caranda; urna banca redonda; dita para meiodosala;
um relogio patente de prata; jogos de bancas peque-
as c grandes, com duas gavetas ; sola d' oleo : tudo
por barato prego : na rua da Cadeia de S.-Antonio, n.
21.
Um aderece de ouro para
pescogo de senlira obra muito rica : vende-se na
rua das Cinco-Pontas n. 25.
Vende-se um piano forte, vertical e de Jacaran-
da, chegado ltimamente com muito' boas vozes,
e de um machinismo de nova nvengito para poras
vozes mais baixas al dous tons o que torna este
instrumento muito ventajoso para cantona; cha-
rulos de llavana por prego mais commodo do quo
em outra qualquor parte ; un completo sortimenlo
de instrumentos de msica, tanto de metal como
de madeira ; bustos do gesso representando muilo
fielmente a rainlia Victoria o o principe Alberto ;
relngios de ouro e de prala chegados ultimamenlo
la Suissa. Estes relogios que silo muito bem aca-
bados se tornam muito recommendaveis a qual-
quer particular, o adverte-so que ha entro elles
alguns que andam oto dias sem precisaren de cor-
da : na rua da Cruz, no Itccife, n. 55.
Compras.
Compra-se um diccionario truncado,
portuguez, dos de Vieira grande o com
uso quero ti ver unaaciv.
nglez-
pouco
Yende-seuma parda, de 18 annos, do bonita fi-
gura, lavadeira, rozinheira, costurcira e propria pa-
ra qualquer servigo de casa : na rua da Oadcia do
Rccife, loja n. 51.
Calcado.
Vendem-se, pelo barato prego de 3,000 rs. p par ,
borzeguins para senbora ; ditos para liomcm a
3,600 rs. ; botins francezes, a 5,500 rs. ; sapa tos de
lustro francezes para meninas, a 1,300 rs. ; ditos de
Lisboa a f-,000 rs.; sapatos inglezcs, a 3,2oo rs.;
dilos de selim branco para sen hora a 1.600, rs. ;
botins de Lisboa a 2,500 rs. ; sapatos de lustro de
entrada baixa e de urna sola para homem, a 2,000
rs. ; ditos doduraquo para meninas, a 500 ; dilos de
lustro com colchles, a 500 e 640 rs. : na rua da Ca-
deia do Recife, n. 35. Adveito-se quo lio a din lie no.
Manuel da Silva Santos vende su-
perior farinba de trigo franceza denomi-
nada Barn.
re fin a cao Franco
Brasileira,
Na rua da Concordia, n. 8 por
detrs i\o ('armo.
O respeilavel publico achara em dita re-
linac.ni assuear de qualidade superior, re-
finado a moda de Franga devendo mere-
cer a preferenga tanto pelo asseio da suji
fabricag.lo, com pela clareza, pureza o bom
gosto ficando dito assuear refinado re-
commcndavel por suas qualidades hygie-
nica sendo dosembaragado de mo chei-
ro, polassa, niel, assidoie outras subs-
tancias mili nocivas a sade.
Os prefos ido ot seguintes : t
Refinado em piles ou ton Oes, primeira
qualidade, a 160 rs. a libra ; dito de so- I
gunda qualidade, a 140rs. a libra ; refina- ,
do em p, primeira qualidade a 140 rs. a '
libra dito de segunda qualidade, a 120 (
rs. a libra. .
'-
Vende-so una porgflo do barris que foram de
oleo de linhaga : na botica de iierlliomomeu Fran-
cisco de Souza, na rua larga do Rozario, n. 36.
Vendem-se figos novos, ebegados
no San-Manoel, a too rs. a libra ; batatas
a 4o rs a libra ; ditas do Uaranbao, muito
alvas, a loors. : no pateo do Carmo, loja
do sobrado dcGabriel -Antonio, n. 17.
Veude-se cal vlrgem de "Lisboa ,' em barra de 4
arrobas chegada pelo ultimo navio, por preco conimn-
u ; a tratar cun Almeida l Fonseca.n ru do Apollo
LADO
K
i




1

J
---------
l !
!
t
i
Vendem-se 6 lindos moleques de t a !H anuo* ;
4 prclos de -.'5 i 30 anuos ; 4 pardo do I a a 20 an-
nos; 2ncKrinha* de 12 anuos ; 2 muUtinhas du t6
auno*com habilidades; 4prclasdo 10 a jo anuos,
iom habilidades: na ruado Coll*gio, n. :i se din
quem vende.
--Vendcn:-se semeas oni IMMI omito glandes .
a 4,500 rs. : na ra da Madrc-de-cos, armazem de
Vicente Kerrcira da Coala.
\ -- Vende-se a venda do pateo do l'araizo n.|l4,
\ rom poneos fundos o comiuodos para familia : a
tratar na niesma venda.
HJROVINIIODA FICUEIIM.
fuiste no armazem de molhados,'atrs ,do Cor-
po-Santo n. f>6 urna grande porco deste genui-
no vinlio queso est vendendo pelo diminuto pre-
co do 1,120 rs a caada o a 160 rs. a garrafa ; tam-
Jjemluem pipas que se vender mais em eonta : he
estoo melhor de todos os vinhos que se teem n-
nuneiado pela sua simplicidado o ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis deixar de o com-
prar.
Na ra do Crespo loja de 4 portas n. 12, ven-
d.Mii-se chapeos de castor prelus, u'o inuilo boa qua-
Jidado,a4,400 rs.
-- Wndem-scbairis com niel: na ra da Cadeia
do Itecife, n.8. Na mesma casa aluga-se un preto
que entenda do servico de casa e de Cozioha.
\a
Pennas de palo.
loja de qtiatro purlas da
ra do
peonas
CLiig, do Duarle, vendem-se
de pato a 4,000 e 5,ooo rs. o mil he i ro,
proprias para reparlicors publicas c cs-
criptorios.
--.No deposito de Me. Calmont & Companliia na
ra de Apollo, armazem n. C achu-se constantc-
niente grande sorlimento de ferragens inglezas para
engcnbos de assucar corro sejam : taixas do ferro
cosdode differuniea modelos, os niais modernos;
ditas de ferro batido ; mocadas de ferro do mode-
lo adoptado para armar em madeira; Hitas todas
ue ferro, tanto para agoa como para animacs; ina-
liuias de vapor de Torca do qnatio cavallos e de al-
ta presso o mais moderno e simples que lie possi-
vel ; repartideras ; espumaderas ; reslriadeiras de
ierro cstanliado; formas de ierro: ludo por pceo
i'ommodo.
-- Vende-so una bomba de despejar pipas ; um
braco de balanca do autor Romiio; um peso de 4 ar-
robas e oulro de mcia arroba : na ra da Senzalla-
uva, n. 4.
Vendem-se acedes da ex-
tmeta companliia de Pernamlnico
e Parahiba: no escriptorio de O-
lveira Irroos & C, ra da Cruz,
n. 9.
Vende-se ca virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte: na ra do Trapiche, arma-
zem n. I7.
Vende-se um lindo molecole, de
17318 flnnos de idade, que sabe cozi-
nbar: na ra da Cadeia do ftecife, n. 37.
Tpeles oleados.
Vendem-se na ra do Cabug, loja do
Pilarte, tapetes de oleado, para mesas de
nicio desoli, consolos, commodas, e me-
sasde jogo ; pioprios para ornamento de
salas.
Contina-se a vender, na ra da
Cruz, n. Go, caixas com cera de Lisha,
sortimcnlo vontadedo comprador.
RtlA DOCKESI'O, N. 5.
IXovos riscados indianua, a
280 rs. o covado.
Na ioja de CuimarUcs & Companhia vendem-so
osnovos riscados indianos, de qualro palmes d
largura r6rcs (xas e padroes muio modernos, pelo
barato preco de 280 rs. o covado.
I ARELO
cmsaccas muito grandes,
a 3sfioo rs. a sacca:
no armazem do Rraguez ao p do arco da Concejero.
Vende-se no pateo do Terco, ven-
da n. 7, vinbo da Figneira, mnilo supe-
rior, a to rs. agarrafa.
Cigarrlhos hespauhes.
O proprietario do artna/em n. 66, atrs da igreja
do Corpo-Santo no Recife, faz sciente aos fuman-
tes do hom lom que elle recebe por todos os vapo-
res viudos do sul, estes deliciosos cigarrillos que
sito do nico deposito bespanhol que ha no Itio-de-
Janeiro.
ViMiiitn-.se urna negra moca, de boa
figura, lavadeira, cozinheira e costurcira,
c propria de todo o seryieo de casa e cam-
po ; um mualo moco, de bea figura e
bom sapateiro, sem vicios, nem acha-
ques : na ra do Crespo, ioja n. 1 A, se
dir quem vende.
Vende-se urna parda do 17 annos engomma-
deira e costureira; urna prota cozinheira engom-
nadeira, e com urna cria de 6 inezes ; urna dilu com
as mesillas habilidades ; t preto do elegante figura ,
muito bom canoeiro j 1 moleque do 18 annos de
u*,ao : todo* este ewravos se vender por seis dono
lerdo reliiar-so : 110 paleo da matriz de S.-Antonio,
sobrado 11. 4 se dir quem ven lo.
Cal de Lisboa.
Vende-se muito nova e superior cal
virgem de pedra, desembarcada ha pou-
cos dias, e em Larris pequeos de quatro
arrobas e mcia : na ra da CadeM-Velha,
armazem n. la.
meninas.
loja do Dimite,
para meninas, em
,00o rs ; c lencos de
llantas para
Na ra do Cabug.
1 b
vendem-se mantas
ponto pequeo, a 1
garca a i,ooTs.
Vendem-se saceos com farelo,
chegados ltimamente, pelo diminuto
prceodc 3,/joo rs.: na ra da Sinzalla-
Vcllia, n. i38.
Vcndc-ae muito superior lagedo de Msba 'e
ral virgem era barril de 4 arrobas, por mdico preco:
na ruado Vigario, n. 19.
-- Na padaria di rui da fiuie, no Recife haver
todos os dias a venda o novo pHo de l'rovonca fa-
bricado por oulro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por este motivo nUo ai
pode lazer leuaoa 40, 80e leo rs.
Linhas de carretel.
Na ra do Cabug, loja do Duarle,
vendem-se linhas de aoo yds., a 700 rs.,
e de 100 yds., a a8o rs. A' ellas, antes
antes que se acauem.
CHA'BRASILEIRO.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs. ; saccas grandes a 3.50o
rs., ditas pcqucnas a 2,800 rs :noarma2emdo J.
J. Tasso Jnior, na la do Amorim,. 3.
Madeira de pinlm.
Vende so a melhor madeira de pinho que te
viudo a este mercado: na ra da Madre-de-lieus,
armazem de Vicente Forreira da Costa.
Aos Srs. armadores.
Vende-se trina, volantes de diversas
larguras, egalocs entrefinos e falsos ; ren-
das douradas o praleadas ; espgmihas de
UilSo ; setins de cores a 800 rs. o covado :
na ra do Cabug, loja de quatro portas, do
D liarte.
Vendrm-sc barris pequeuos com cal virgem de Lis-
boa, a mais i.ova |iie ha no mercado, por preco co-ui
modo : na ra da Moda armazem n. 17.
Potassa.
Desenibarcou La ppucos dias urna por-
cao de barris pequeos, com muito nova
c supeiior potassa, ese acham venda,
por preco mais barato do que ultima-
menle se venda, na ra da Cadeia-Velha,
armazem de Bailar & Ulivcira, n. 12.
Vinlio barato.
Acha-seestabelecido na ra da Madre-de-Dcos
n. 36, um armazem de
Vinhos da Figneira,
de ptima qualidaif, a preco de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para no haver dolo do com-
prador serflo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-sea garrafa vasia, o dando-se immediata-
mente a outra cheia : tanibem ha barris muito pe-
queos, proprios para quem passa a festa. O pro-
prietario deste estabelecimento pede encarecida-
mente que se nHo illudam avahando, pelo diminuto
prego esem conheeimento de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos .verda-
deros ornantes da boa pinga. Elle conla que quem
urna vez provar, continuar com gosto e sem arre-
pendimento. Eo bom preco!!.' A todo o exposto
accrescooasseio e bom Bcondicionamento, o que
ludo se podera verificar em dilo estabelecimento.
Vende-se, no .armazem da molhados, atrs do
Corpo-Sanlo, n. 66, o mais escolenlo cha produzi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por preco muito commodo.
Mcias de seda, de Lisboa.
Na ra do Cabug, loja do Duarle,
ha um soilinuMilo de tneias de seda, de
Lisboa, proprias para os Srs. sacerdotes,
as melhores que aqui teem apparecido, e
se vendem a 4,000 e 5)Ooo rs.
Vcnde-se na ra da Cadeia do
Hecife, n. 3;, cera em velas, fabri- i
cadas no liio-de-Janeiro, em urna
das melhores fabricas, e em caixas
pequea, muito bem sortidas, por \
.-..,. ,i a -.^ .fi 1:1___. ._ ,
.... uv. t aii. t\j .ni iiniii c iillll
bem ha velas de urna e de meia libra,,
brandoes, por pre?o mais barato do '
que cm outra qualquer paite.
--Abordo do palarlio Alago me ancorado .,
fronte do trapiche do algodilo, vendc-10 farinha a
mandioca de boa nulidado. "
Rap novo Lisboa.
P
Aqnantis andas ?
Vende-so um relogio do uro, patente inglez o
melhor sem duvida, que tem apparecido porque,
aluin de ser moderno bem formado e de boa ma-
china, he o melhor regulador possivel: a vista he
que decide: na ra Moda, n. 13 primeiro andar,
de manhfia itasO horas ,e de larde das duas em
diante.
Vendem-se oito molecotcs de na-
c3o ; um preto de meia idade ; um pardo
moro, bom cozinheiro ; Ires molecas com
algumas habilidades, ludo muito barato
pois deseja-se fechar as conla deste an-
uo : na rtia das Larangeiras, n.
gundo andar.
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada hontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34.
Agencia da fundicao
Low-Moor, ra da Senzalla-
nova, n. 42.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moendas
e meias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
i\o A lerro-da-Boa-Vista de-
I ron le da bonecra,
ha sapatos francezes de couro de lustro para senho-
ra a 1,900 rs. o par. Cheguem freguezes que o tem
po he proprio.. A ees, que se esto acabando.
Lonas inglezas.
Vendcm-sc pecas de lona ingleza, de
boa qualidade, e por preco mais barato
do que em outra qualquer parte ; na ra
da Cadeia do Uecife, armazem n. la.
No Aterroda-H,oa-VUa, de-
fronte da bonecra,
ha chegado um novo e completo sortimento de cal-
cado francez de todas as qualidades, lano para ho-
A elle antes que se acabe.
Quem tifio lomar urna pilada deste rap, ceiLium
le nflo sabara apreciaros deleites da vida conten."
poranea. Acaba do chogar do Itio-dtuJaneiro < ve "
ile-seno deposito do mesmo, na ra dos Quarleis"
n. 34. '
--Acaba do chegarum completo sortimento Para
os Srs. armadores; bem como trina volantes lar
gos e calreitos, galilo de todas as qualidades linoi'
o ordinarios; o oulros mu itos objectog que se acliam
a venda na ra larga do Rozario, n. 24.
:' Vende-se no pateo do Terco, ven-
da n. 7, viho de Lisboa, a caada a
t,i^o rs; ;ea garrafa a 160 rs;
Vendem-se presuntos para fiambre; quciios
londrinos; ditos de pralo; latas com bolachinlia
fina de Lisboa ; ditas ,le araruta ; conservas Itorat'
mostarda ; potes com sal tino latas com marmota-
da nova ; ditas com hervidlas; eaixinlias com nds-
sas linas ; vinbo moscatel de Setubal; dito Sherry
licores linos ; e outios mais gneros, por preco com-
modo : na ra da Cruz, no Recife, n. 48,
Cobre
para forro de navios o para caldcireiro: na ra da"1
Cruz, no Recife, n. ij. -
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-Santos da
liahia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa dees-
cravos : vende-so em casa de N. O. Biober & Com-
panhia ha ra da Cruz, n. 4.
Perfuma ra..
Vende-se na un do Cabug, Ioja d
Duarle, lindsimos vasos de crystal
porcelana, com espiritos finos, e banlias;
agoa de Colonia ; e muitas ontras perfu-
maras, sempre novas, c por precos com-
modos.
i

14,
se
-- Vende-scalgndflo da terra de superior qualida-
do : na ra do Queimado, n. 20.
Loja de quatro portas da ra
do Cabug, do Duarte.
Bicos de blonde, prctOfl ; ditos prctos
e blancos imit.cao de blonde ; ditos
de linho, rancezes dilos inglezcs ; ditos
do Porto, dilos Cellos na Ierra, proprios
para loalhasj luvas de pellica enlejiadas;
elroz, com lindos de-
de exquisitas cores ;
. brancas c de cores ;
e de seda de qualquer cor, de senhora
e honiein ; ditas de fio da Escocia, finas ;
dilas ordinarias a aoo rs., o par; filas la-
vradas de nmeros 6, 9 c 12 ; flores
ailificiaes de flor de laranja ; capcJLs,
ramos, de peilos e sollos ; lencos de seda
de senlioias e homem chapeos de palh
da Italia, de senhoras e homem ; ditos
redondos de massa, brancos, com abas
largas; bonetes para meninos. Todos
estes objectos se vendem por precos
commodos, e se dao as amostras aos Se-
nhores compradores.
di las bordados a
sculios ; ditas lisas
ditas para horncin.
mem como para senhora e meninas .- bem como os
bem conhecidos sapatos de Nantes, e do Aracalv
por prego commodo.
Baleias.
Vendem-so baleias pora espartilhos e vestiilo do
senhora : na ra do Passeio, fabrica do chapeos do
sol, n. 5.
-^joquadoiuad
-uioo o qos saiuoid OEiBisasejisoma sy -bjoa b -gj
0t9 a sojpenb o sbj)S|| op uiiiq opoAoa o -sjo09
a oqiiji op i:.)i!il|i: oijo'o o si OO'OS sopBpi|enb
o soojped souMssuibij un sezoooosa s-tpas .' -sj ooo'fi
? oiu||oo Ejsd opvpiienb jouodus ojiniu op oiunS
-jo8 op soijoa sj ooo'E b epns a Br'P sa|i|3 j
000't B'npuazj |cna ap se^uvui i -sj OOO'S op o5
-ojd opouiuioooiad SBpuunassB sajoy sa>iiBja iuoj
a soojpad oiuuSaia op epas op s.i|ip : sj OOS'8 b
'joua.lns o)nui apuazej Rn| ap uinjquiBaap sojip
'BJOOO'81 B 'upas-BssRa apsauooRoui|8snb|j p
-baod o "sj oot b cjn3JB| op soi|Bd t'uiba o vusva
op saojpnd 'sezaouBjj hBipp f sa o?-5 b souij oiintu
SOZUDUBJJ B0pB3.SU OpBA03 o "fj ozt a 09E b saojp
-Bd BOlUIOq 0p SBSSB3 000'C B OpBJ.HU ou q onb
sajoqiaiu sop a sj oOC't- a 000't 'OOS'E b Bjsjq
-uib3 ap s'.ii.n:.) : sajopBjdiuoa sop oijouan! b Bpoi
iiioaajaui oSaji'l oiBJBq o apepi|Bnb aoq nsB|Diianb
' sjiumaas sb 'bSbjiI v ejed ouioa oubiu o kjc oiuuj
' sapupnenh sa sppoi ap Bpuazej op oiuauNjjosop
-m||o3sj o oofj uin op ni.i|b 'japuaA iijud vq orn q
^ jiiiunf (inuisno ap oeSeaajSuoa Bp oaaoq o BjBd
EUMibsa zhj onb *6 mi ufo|' opsuijunO op Bni va
oi.'jii.)]! \
Na loja n. S A da ra do.Crespo, ao
pedo arco de Santo-Antonio, vendem-se
manas de lila eseda, muito bonitas, pro-
prias para meninas, a i,600 rs. cada urna ;
ditas de tarlatana, para senhora, n 1,000
rs. ; assim como chapeos de sol de seda,
nstea de ferro, os mais superiores que ha
no increado, d'S,000 rs.
Desappareceu, do palaceto da ra da AUfofi,
no dia t do correte mee, um.cabrinha cacuro, de
15 a 16 annos; lovoii Cicas e camisa de riscado
azul ; tem os olhos pequeos o os beicos grossos ;
he filho do Cear ; chama-so Jos : quem o pegar
leve-o aO lugar acinja dito.
Fugio, nodiB/0'de outubro do correte armo,
um escravo criou de nome Ahdr, de 40 annos
nouco mais ou menos alto e grosso do corpo; ho
pescador e sabe Tazer rede; iitli tula-so forro ; tem
sido visto emS. -Jos : quom o pegar leve a Fra-
de-Porlas 11. 95, que ser recompensado.
Fugio, na noile do dia (2 do corrente o cabra
acahoclado de nome Raymundo de 30 annos pou-
co mais ou menos, do estatura regular, cheio do
corpo, cara larga, pea grandes; lovou calcas de hrim
branco camisa do madapjilo chapeo de pnlha ,
um surrlo com alguma roupa eho pro vavel mu-
de de trajes. Ksle escravo perlence a Manoel Josii
Pcreira Pacheco, doAracaly. Boga-seas autoridades
policiaca ecapilfles de campo, que o apprehendan
e levem-no a ra da Cadeia do Recife n. 34, casa de
ose Antonio Bastos, que so recompensar.
-- Fugiram, no dia 18 de setembro, de Cainarag'
urna parda, de nome Paula do20 annos, de boni
ta figura com uns pannos na pelle do pescoco ; an-
da calcada : un prelo de nomo Pedro, de nac.au An-
gola de 40 anuos, baixo, quebrado da verilha;
consta quo fOram seduzida por un lal Cosme,
Ihoda Parahiba, acaboclado: quem os pegar le-
ve-osa ra da Cadeia do Recife 11. 28, quo seru re-
compeusodo.
-Fugio, no dia 18 de outubro, do engenho S,-
Joflo, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro, de 19 an-1
nos, estatura regular, cara redonda, olhos pepuenos,
denles limados ; levou duas calcas urna' do hrim
pardo c oulra do riscado azul; quem o pegar leve-o
ao referido engenho ou a casa de Lulz Comes Fer-
reire no Rloudego, que ser generosamente recom-
pensado.
Fugiram, no dia 8 do corrente, do engcnlib
Ramos frpgue/ia do Pno-do-Alho dous escravos
crioulos m de nomo Angelo, alto, preto, um pou-
co vesgo desdentado na frente bem ladino, de 30
o tantos anuos ; Diogo de estatura mediana, pi
alguma cousa apalhelados gago, do 20 e lanos an-
nos; supi/e-se que u pi imeiro lea iilo para o Ca-
luc rei'.nir-se aos rebeldes e o segundo estar-acoi*
lado porceita |essoa nesta cidade Quem os pegar
leve-os ao mesmo engenho ou na ra do Collegio ,
n. 5, que se recompensar : bem como se protesta
contra quem os liveroccullo.
Fugio a escrava Joaquina, Mocartibique de al-
tura extraordinaria, cor fula, cura redonda e com
algumas marcas de hexipas denles ilcitos.; lom o
beico superior Turado ; he bem parecida ; lom sido
vista no Rcc'ife : quem a pegar leve-a uo Manguind ,
sitio defronte do Sur. Hoiculano, quesera recom-
pensado.
--Fugio, no dia 15 do correle, a prela Joaqui-
na de nacio Costa aluna regular grossa do cor-
po cor fula ; tem o nariz quebrado do hulo esquer-
1I11; levou veslido deshelado saia azul c oulra en-
carna da e paniio da Costa : quem a pogar leva-a ao
principio da intendencia, n. 145, que sera recom-
pensado.
Fugio, de bordo do briguo Strtorio, na manhfla
1I0 rinheiro, de nome Francisco de naQilo Jang;, re-
resenta ter 30 a 35 annos ; tem um signal n face es-
querda, falla multo descansada ; levou caica e ca-J*
ni/sadealgoda^azul, chapeo de palha pintado i'
branco, o balde de trazerracose 7,000 rs. em ctf W,-
dulas; falla hespanhol: quem o pegar lo ve-no a fl
ra da Uoda n. 7, que sera bem recompensado.
tn.\.; Mi TTP. ue H.
F. uk ra.B*.- 4w
MELHOR EXEMPLAF


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ3MJT9T9_HZZWCF INGEST_TIME 2013-04-13T02:32:38Z PACKAGE AA00011611_06205
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES