Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06203


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^rii
xxiv.
Qiinrtn-ft'irft
PHASES DA LA NO HEZ DE DEZEMBRO.
PARTIDA DOS COEREIOS.
fiolanna e Parahiba, i* iffs. e MlUt-fdraa.
Rlo-G.-do-Norte,qiiinlas-fciras ao mrlo-dla.
Cabo, Srrinbaem, ulo-Korinoso, Porto-Calvo
e Miedo, no l., II e 21 de cada rae.
Carntulase Itonlto, 8c 23.
Doa-ViaU e. Flores, a 13 e 28.
Victoria, a qulnui-fetraa.
Olinda, todas o> diat.
PREAMAR DE HOJK.
Primelra, aoa 30 minutos da larde.
Segunda, aoi 54 G minuto da manh.
DIARIO DE
fl o Dezembro de M9.
If. tfllf.
us da smana.
IH Segunda. Nosi*S*nhoradoi>'. And. doJ.
. oi|.liaos,do l. clv. edo J.M.da 5. v.
19 Trrca. S. Cauda. Aud. do J. do r. da I.
*a!. v. rdo J.depa/do2. riist de I.
uarla. 3. Domingo* de Silos. rVriadopa-
ra os iii'kocIoi foreusri alr olim do niel.
21 Quinta. ifc S. Thouir.
22 Seita. S. Honorato.
23 Sabbado. S. Servulo.
24 Domingo. S. Gregorio.
CAMBIO NO DU 10 DE DEZEMBRO.
Sobre Londres al'> d. por IfOOOrs. a olas.
Part .
Lisboa 120 por canto de piaaiio.
Mn-V-J inrlro ao par.
Desc. de leu. de boas flrnms a I1 t ao "*-
Acedes da NM de Beberil.e. M/ri..
Onro.-Oncas hespanliolai 3INMI0 a dl/lOO
UuVdas d.U/400 v. 171000 a 7/200
. de 0/400 n. l#2O0 a 16/400
d<- <"JO0... 8/200 a 9/300
PrataPaucfles braiilelroi ifOO a 1/W
. Pesos columnarioi. I/KJ0 a 1/OTO
. Diloi meilcanos..... 1/000 1/W"
MAMBUCO.
PAUTE OFFICIAL.
)
MINISTERIO DO IMPERIO.
. SECCAO. Rio-de-Janeiro.Ministerio dos ne-
gocios do imperio em 28 de novembro de 18*8.
Illm. e Exm. Sr. Tendo o nossb agente diploma-
upo as Cidades Livres e Ansiticas participado ao
ministerio dos negocios estrangeiros liaver-se ma-
nifestado a cliolera-morbus, tanto emllamburgo,
oniic adoecera m desdo o t." de setem tiro al o d ia 18,
^ippssoas, dasquaes falleceram 261, sararam85,
eficaram em testamento 267, como em Bromen, os-
tpndendo-sc este flagello pelas margens do Elba c do
iVeser, pelo que havia elle tomado a procauco de
juspender as cartas de sade, recommandando aos
..f-nnaulns dos seus districtos que praticassem o
iesmo: ha por bem S. M. o Imperador que V. Ex.
lome todas ns medidas sanitarias para evitar a i nlro-
duccao de lao terrivel epidemia.
Dos guarde a V; Ex. Visconde de Moni'Alegre.
r. presidente da provincia de Pernambuco.
Cumpra-se e regisle-se. Palacio do governo de
Pernambuco, 14 de dezembro de 1848. Ftrrira
l'enna.
Approva a deliberando, lomada pelo preiidente da pro-
vincia de Uinas-Geraes, de adiar para o dia 19 do
trrenle aelcicdi, comecada a T de setembro ultimo,
de v. rendares e juises de pus da villa de liberaba.
1.' SECQXO.-nio de Janeiro. Ministerio dos ne-
gocios do imperio em 16 de novembro de 1848.
2. Manoel Correa de Olivera Andradc.
3 Corono! liento Jos FerreiraJtabello.
*. Tmenle Manoel Dias da Costa.
S.o MajorJosJoaquim Rocha Farta.
0. Antonio de Arroda-Camara.
Palacio do governo do Pernumbuco, 19 do dezem-
bro de 1818. 0
Hercolako Fkhrbira Pen.sjC
llm e Exm. Sr.-O pedestre Jos Marti08 que es-
ta -administraclo fez expedir no dia 11 do correte
com n mala das correspondencias desta para a da
provincia da Parahiba acaba de participar-me que,
endo seguido ocaminho da praia orno mais conye-
niento o chegando a illia de Itamaraca, fra preso
por urna pequea torca alii acantonada, e levado a
nresenca do com mandante superior Francisco Hono-
rio Bezerra de Menezes, residente nossa mesma ilha,
e do orden deste remctlido em urna canoa com a
moneinnada mala nara a cidade.de Goianna, e-que,
tendo alil aido entregue aos revoltosos reunidos nes-
ga cidade, fra-lne por m dos seus intitulados com-
mandantcs tomada a mala com todas as correspon-
dencias que conduzia, constantes da relacao inclu-
sa Isto posto, julgo noconvir sacrificar assim os
malas com os pedostres que as l.vorem de conduzr
desta para aquella provincia, por isso que conli-
nuam ainda infelizmente a pparecor era alguns lu-
gares da direcc3o das estradas do norto reumes de
revoltosos; al que desapparegam os inconvenientes
que ora se d3o, Togando a V. Exc. a honra de suas
ordons a respeitt) para meu govorno. ,
Dos guarde a V. Exc. muitosannos. Admimstra-
Codocorreio do Pernambuco, 19 de dezembro do
1848 -Illm. o Exm. Sr. Hcrculano Fcrrcira Penna,
presidente desta provincia.Bruno Antonio de Serpa
UrandAo, administrador do correio.
Moraes. por so considerar desertor; Lourcnco Justo
dos Santos, por insultos com palavras indecorosas a
umaltores do voluntarios; Joaqun Jos deSanta-
Anna. por 'estar seduzindo soldados para se rouni-
rem aos revoltoso* ; c o preto Francisco escravo de
Antonio Cordeiro da Cunlu :-do delegado do2di-
tncto, os paisanos Manoel Ignacio Alves, por suspei-
to. o Francisco l'crcira da Luz :-do subdelegado do
Rocifo, um Inglez, dequem nflo consta o motivo da
prisao, assim como do 4." o C.
O I. Amanuense,
Aprigio Josa da SJlva

Illm. Exm. Sr. Subi presenca do S. M. o Im-
perador o offlcio de V. Ex., do 26 de sotembro ultimo,
cornos papis queoacompanharam, noqual da con-
tada deliberado, quo tomara, de adinr para 19 de
novembro a cleco,j comecada no dia 7 do referi-
do mez de setembro, de vefeadores e juizes de paz
da villa deUheraba, em consecuencia dterojuiz
de paz, presidente da assemblea parochial, suspen-
dido a conlinuacSo das ditas eleicOe's, porjulg-las
fraoilulcntas viciadas, e considerar-so compnten-
tapelos arUgoslll e 118 da lei do 19 de-agoslo do
M6 para conhecer das irregularidades deltas. Eo
mesmo augusto sehhnr, depojs de ouvida, em con-
' sulla de 97 do mez find, a seceso-do coneeino de
estado dos negocios do imperio, com cojo parecer
hotiveporhem conforma r-se porsua i inmediata re-
solucao de 11 do crranle, manda declarar que bem
pmccdeii V. Ex. em adiar aquella eleicflo que tinlia
sid inlerrompida, dando por nullns todos os actos
pralicados at entto, por haver sido transgredido,
como toi, o artigo 61 da referida le, e nflo oin-recer
garanta alguma de sua inviolabilidade aguarla da
urna em lugar diverso do que marca a mesma le :
devendo-so impor ao sobredito juizdc paz o mni-
mo da multa designada no n 4 do 1. do artigo 12fi
da le ja citada, visto que elle no tinlia aulondade
paiajulgar dosdetoitos do scmelliantes eleigOes, e
suspender o seu regular andamento.
Dcos guardo a V. Ex. Yiscondede Moni'Alegre.
Sr. prcsidcnlo da provincia de Minas-Geraes.
Besolvt que o primeiro supplenle dojuii municipal da
villa de llena-ente, na provincia do F.ipirih-SatUo,
, 1 nda he competente para convicar o coneelho de recur-
y so; mas eim o seu immediato.
1.' SF.CCA. Rio de Janeiro. Ministerio dos
negocios do imperio em 16 de novembro do 1848,
1 Illm. e Exm. Sr. Foi presente a S. II. o Impera-
' dor, com o odleio dassa presidencia, sb n. 29, o da-
la de 7 do junbo ultimo, o que lhe dirigir a cmara
municipal da villa de Benevente, pedindo providen-
cias para poder ter lugar a convocarlo do respectivo
coneelho de recurso, vistoso havor a isso recusado
1 opiimeiro supplenle do juiz municipal, por ter ja
presidido ao do municipio db Itapomirim, ondo resi-
do: eo mesmoeuguslo scnlior, tendo-se, por sau
1 immediata rcsoluco de II dcorronte mez, confor-
' mailo com o parecer da sccqIo do coneelho do osta-
' en dos negocios do imperio, exarado em consulta de
' 17de jullio do crrente anuo, houvo por bem docla-
'far que com acert resolveu a presidencia, e proyi-
lenciuu no caso occonente, respondendo quo o dito
1 supplenle nao he o competente para convocar o con-
eelho do que se trata ; porque, alin da rasio por el-
le allegada, lie o actual juiz municipal, em conse-
' uucncia dadeiiiissHo pedida pelo propietario, c re-
sido em uutro municipio: mas sir oaupplenle in-
mediato, vista do artigo 34 da lei do 19 do agosto
. de 1846,6 iia.siii falta o que se seguir ; devendo por-
glo a mencionada cmara trunsmitir-lho, na con-
furmidado do aviso o 1.* do fevereiro de 1847, as
precisas ordtms para aquella m. Oque comm'unico
a V. Ex. para seu conlieoimeuto.
Dos guarde a V. Ex. Viscondede Moni'Alegre.
Sr. presidente da provincia du Espirito-Santo.
GOVERNO DA PROVINCIA.
. O presidente da provincia resolve, por assim con-
y"ir ao servico-publico, que os acluaes subsirtutos do
T'niiz municipal e de orpliilos do termo da cidade de
''Di.wina passem a ser collocados na respectiva lista
segundo a oadem numerfta abaixo indicada.
1. Bacharel Jos Ignacio da Cunha Rabello.
EXPEDIENTE DO DIA 17 DE DEZEMBRO.
Officlo. Ao commandante das armas, prevenin-
do-o do qu e vem servir nesta provincia por terom
pralicado o serviQo dearlilharia de montanha o 2.
lenle do 3.' balalho de arlilharia llcrmcs Ernesto
daFonsecs, e o cadete Manoel Deodoro da Fonseca.
Coirjmunicou-so ab commissario-pagador.
Dito. Ao mesmo, communicando ter sido no-
mcado substituto da escola militar o doulor l.uiz Af-
fonsodeEscragnolle, 1. lente, do-2.4>RUll>lodo
artilharia a p. Parlicipou-se ao commissario-pa-
gador. ,
Dito. Ao inspector do arsenal do marinna, trans-
mittindo copia do aviso de 28 de novembro prximo
passado, para que cumpra o que ah se determina
acerca do reparo de que necessitam os lancjues do
briguo Calliepe. Intelligenciou-so o Commandan-
te das frcas navaes. *
Dito. A Francisco de Paula Souza Lefio, ag/a-
decendo o donativo quo fez s tropas do governo dos
dous bois do sua propriedade que focam tomados aos
revoltosos no ataque do Catuc, bem como o genero-
so olTcreciment de seus servicos em prol do resta he-
leciniento daordom elranquillidade publica.
Dito. ao commandante superior da guarda na-
cional do municipio doRecife, participando haver
concedido a reforma pedida pelo tenenie da pnmoi-
ra conipanhia do 8." bafalliSo da uarda nacional do
seu ceniinando superior, Manoel Ferroira dos Santos,
por ter este provado com documentos solrer moles-
tias que o privam de continuar no servido.
Dito. Ao inspector da llicsouraria da'fazenda
provincial, ordonajido mando pagar ao es-delegado
Manoel Jos Serpa a qnautia pendeudol.' de julho ao ultimo de setembro do
corrente armo com o sustento, ago o luz para os
presos pobres da cedeia do termo de Iguarassu, se-
gundo*consta das tres contas que remello. Com-
municou-se ao chefe de polica.
Portara. Nomeando o cidadSo Manoel Jos Mar-
tilla Perira capilSo da stima conipanhia do corpo
de voluntarios. Participou-se ao commandante
do respectivo corpo.
Dita. Nomeando o cidadao Augusto Frederico
doUliveira tenenie secretario do corpo do volunta-
rios. SclentificJ-se o commandante doroferido
corpo.
DEM DO DA 18.
Officio. Ao commissario-pagador, mandando"
considerar como despezas extraordinarias as que se
teem feito e se houverem'de fazer com fornecimenlo
de viveros para sus tentacao das frgas emprogadas
em oporages coulra os revoltosos, abonando-lhes
integralmente os^encimentos quo por lei lhes com-
petirem al que o govcriio imperaldeteiniine o que
j'r mais justo. ,
Portara. Boformando o tenenle-coronel chelo
do 3 batalhao da guarda nacional du municipio Jo
Kecife, Jos Machado Freir Pereira da SJIva, por ser
padocente do molestias quo o impossibilitam de con-
tinuar uoservico. Communicou-so ao comman-
dante superior respectivo.
Dita. Mandando passar patento do tentnle-coro-
ncl chefe do 3." bataio da guarda nacional do mu-
nicipio do Uecifo ao major do mesmo batalhao, Joa-
quini Lucio Monteiro da Franca. Pariicipon-so
ao commandante superior da guarda nacional do
Bocife.
Reparti^a da polica.
EXTBACTO DIARIO PO DA 19 DO CBRENTE.
Fram presos : ordem do Sr. desombargador
chefe de polica, os paisanos AlexaodreTeixeira de
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBUCO.
Lisboa, 15 de oulubro de 1848.
Os rumores que se cspalhsram no principio (leste
mez sobre ter rebentado urna revnlucSo progrcssis-
ta na Catalunba o na Caljza deram-maior frca aos
boatos espalhadospcUimprensa ministerial acerca
das tentativas revolucionarias dos nossos progres-
sistas que, segundo a mesma imprensa, estaouc ac-
crdo, e obram de combinacilo com os progressistas
hespaihes. Felizmonto nlo so connrmou o boato
da revolta nom na Catalunha nom na Caliza.
A imprensa progressista, para se defender de taes
accosacocs. eattonuar o effeito que ellas possam
produzir, diz que o governo he quo conspira, poi-
que infringe continuamente a constituicao, nilo pa-
ga a ningnem, e rouba aos seus credores, como fez
ltimamente aos juristas.
Teem continuado a propagar-se os rumores das in-
trigas que oxslem contra o conde de 1 homar, o
qualtem estado estes dias no seu castelo de Cual-
dim-Paes. mas voltou rto dia 9 a esta capital, e d.z-
se que effecti va mente vacara Madrid como emh.u-
xador, oquealj recebeu a juda de custo. 0^0/-
nal do Pobo, jornal que se publica no Porto sob a in-
fluencia dos amigos do con le, publicou ha pouco
uma'cafla de Lisboa, negando que houvesse desm-
telligencia entre o conde do Tliomar c o duque de
Saldanha. c assegurando que, pelo contrario, rema:
va a melhor harmona ontre os dous, e quo ora em
resultado dessi mesma harmona que o conde acei-
tara o parta para a embaixada do Madrid.
Ilaja ou nao cssa divergencia, o curto he que o
conde do Thomar contina a gozar das boas gracas
da corto ; pos que, logo dopois da sua cliegada ao
sou palacio da Ca!ca'da-da-Estrella, passou por all
S. M. a rainhaem carrnho descoberto, esaudou gra-
ciosamente o "conde easua familia, quo oslavam a
janlla, esperando provavelmcnte a reuia visita.
ltimamente tcm-se asseverado que o condo de
Thomar demora a sua partida para Madrid, porque
tem esperanens de entrar no ministerio ondo dizcm
quo reina bstanlo desharmona.
Ogoverno acaba do tomar, segundo se allinna,
urna medida de reconhocida morulidade ; e he pro-
co.lerarlvamcnle, at passajido ordens de prisao,
Contra os recehedores fiscaes quo leem ficado alcan-
cados, o nflo teem pago os seus alcances.
Mas, por outro lado, a conducta do mesmo gover-
no eslem BoposicUo com estas delerminaces. Diz-
sequo o ministro da fazenda obrigra a caixa de
amortiSBQflo a aceitar urna cautela da importancia
de 107 contos de ris, para com ella pagar os juros
da divida externa casa deColdsmilh. Na actual le
de meios vem urna verba para pagamento destes ju-
ros : e pode muilo bem ser que a nacao pague, em
lugar do 107 contos, 321; isto ho a cautela, a verba
do ornamento e o saque sobre Londres, para se la
pagar por algflm adiantamento.
O vapor de guerra Infanle-D.-Luiz parti para In-
glaterra para concertar as machinas. Parece que f-
ram chamados os Srs. Collares e oulros artistas por-
luguezcs para procedern' a este concert, o que so
compromettam a isso com muto menos despoza
do que o vapor vailazer Inglaterra. Comtujp, as
uropostas dos artistas porluguezes ram des-
prezadas, o vapor la parti para Inglaterra, on-
do vai fazor horrorosa despeza, porque o com-
mandante, alin do seu sold do embarcado, lera
32 libras mensaes para cmedorias. Demais, vai se-
nbor absoluto do navio, poi's nem sequr leva en-
carrega Jo de fazenda. Di'z-se que esta omissfjo nSo
foi por economa, massim porque o vapvrna volta
tleve vircarregado do encommendasquo n3o pa-
guen! direitos, e isto nao so podia fazer sow quo o
eucarregado de fazenda soubesse.
No dia 8 leve lugar no sitio da Porcalhola urna re-
vista de tropas com um simulacro do guerra. As tro-
pas marcharam para o seu destino aoainanhecer, e
voltaram s tres horas-da tarde. Ilouveumi especie
de ataque a um moinlio quo sejulgava detondido
por grandes Torcas. As tropas dividiram-se em duas
brigadas ederaip o ataque, licando vencedoras co-
mo era de esperar. Asseguram os entendedores que
as manobras fram bem dirigidas eexecutadas. Ss.
MM. e A A. assisliram a tu.Io. S. M. a ranilla deu bei-
jamflo aos olliclaes, emquanto os soldados oomiam o
rancho, do que el-rei provou assim como lo pao.
Dlz-se que o principo real quiz ir a frente do regi-
mentle granadeiros de que he commandante,
quaudo foi o ataque; porm sua augusta mal nao
coDsontio receando algum desastre, O que leliz-
ineute n3o houve, como quasi sempre acontece em
laes actos.
sa liberal e o jornal realista a Nacao. A disputa jA
liona comecado antes dn dia 29 de setembro, em
consoquencia de alguns elogios feios pela fiacao ao
troverno de D. Miguel; porm no da 29, que he o
de S.Miguel, a Naco pnblicou uns versos em que
chamava archanjo a D. Miguel. A imprensa liberal
nao pode ver isto indifTerente, o comecou logo a ag-
credir Naco, sendo o primeiro o Patriota, a que se
seeuirain todos os mais peridicos liberaes, citando
todos os actos do tvrannia, as mortes, os desterro*
eoutros actos trozos que se fizeram no lempo de
I) Miguel, cdcdumulodaqui so quem consenta is-
to se podo chamar archanjo. A Paco da sua parto
mo roca, c cita em desforra lodos os malelicios
praticados desde 1843 at boje. A polmica conti-
na e continuar, segund parece, porque nem um
nem outros quorem ceder Em gcral as pessoas sen-
satas lamentan! taes caprichos e imprudencias, que
conduzem a desunir-nos cada vez mais.
As noticias do progresso das racedes em llespa-
nha : do triumho que ohliveram os exaltados em
Fian -a ciccr.do as elei{0es pgrnlaea que all se
verlBciraraTa Lui Napoleao e Baspaill; o os mo-
vimentos republicanos em Vieuua, Bailen, FranKion
e Colonia, tocio causado bastante cuidado aos nos-
sos moderados que rccciain as consequoncias. be-
lizmenlcpara elles os mnviaientos republicanos Ua
Allemanha leem por ora sido suffocados.
-Oprocedimeiitohavidocom os presos polticos ne
na verdado escandaloso Todos esperavam que, lin-
das as ferias, o processo poltico se julgari ; porem
nao aconteceu assim. O escrivflo. que ja linha pedi-
do oito das para copiar o processo. pedio mais tnn-
ta, o o juiz concedou-lhe vinte cinco, e agora o es-
crivao apparece doento para demorar mais a copia.
Tudo sto indica a vontade de ter debaixo do ferros
aquellos obladnos. ,.-.., ..i ia i
Os Srs. Manool Jos Mendos Le te e Manoel de Je-
ss Coolho, ambos presos politicos, fram ltima-
mente responde> ao tribunal crreccional, o primei-
ro como fropriot.no da imprensa da ^g0*
Setembro, o segundo como proprietario da do Patri-
la, por continuaren! a imprimir estes dona joroaes,
es Indo elles presos. O juiz absolveu a ambos, fun-
dad.) em que a prisao por indicios ii3o os inhab.li-
U0 atraso dos pagamentos be consideravel. EsUmo
em outubro, e a maior parle dos servidores doejU-
So ah'da nao receberam julho, apezar dos sacrificio
votados em cortes.- .
O Jornal do Povo, peridico do Porto, foi condem-
nado uelo iury, por ter dito que o encarregado do
r8i.cl.oPdosJcalcelas daquella cidado roubava. accu-
sacao quo nao provou.
O Sr. Florido Rodrigues Ferraz toi despachado vis-
conde de Caslelloos, o o Sr. Costa Carvalho, cunha-
do do Sr. Comes de Castro, baro nao sei de que
O Estandarte tem feito grando alarido com urnas
conferencias que, diz elle, tiveram lugar na secre-
taria do reino entro o duque de Saldanha e o Sr.
Manoel da Silva Passos. \ imprensa da oppos.cao,
sahindocm defensa deste ultimo, diz Wfflo houre
taes conferencias, o nicamente una visite particu-
lar, como o Sr. Passos faz e aceita a algunsidos; re-
dactores do Estandarte ou a outro memhro cabralis-
ta. O Estandarte insiste que visitas particulan no
se fazem as secretarias de estado, o ilie ins nu
quo oSr. Manoel da Silva Passos tem sido convidado
para fazer parte de um ministerio de lusao.
A quesillo das estradas continua a dar lugar a urna
longa polmica entro o Estandarte e a Unido. O Ettr*-
Jarle apoiido no seu saloma ( o decompainnai )
por um novo jornal que aqui so publica em rancez,
ntilulado-MeiIen''a""e'(lued.,zcm, he obf"
de Mr. Clarange Lucotle, o Conipanhia. He quanto
hasta. A Vni&f, aportada pelo Estandarte, ja deelarou
que nao so quera o systema das companh.as pe as
tranqubernias a que ja tinhm dado lugar. Uto dito
pela Unido be bastante significativo.
Orftra quesiaooccupatambem a imprensa; be a do
fornecimento d'agoa aos habitantes da cidade dei Lis-
boa, quo no verilo sobro tudo solTiem falta deste
ohjcto ino essencial. A imprensa ministerial opina
porque seja encarregada urna companh.a do rorae-
cimcnlo, 'introduzindo pr.me.ro no vos ma.'nciaes
de agoa no aquoducto das agoas I.vres. A imprenst
progressista pronuncia-se contra este alv.lro, por
tecr as tranquihernias, assim como tambein nao
admiti nenhum systema de estradas dos que que-
rem o Estandarte ou a Viuno. r,.-i i o
Os Srs. Antonio Jos d'Av.la e Manoe Duarte U-
tiio fram orneados concelhe.ros de estado Fallou-
e tambem da noino.tfo para '"^c*r* J_?."
Manoel da Silva Passos e Souza Azercdo; po.emjsto
nao se realisou. Parece que a nomeacao daquellm
cavaUeiros tom por objecto decidir a queaUo da
transferencia dos juizes.
Falia-se de crise ministerial, e da sabida dos mi-
nistros da guerra o da. fazenda. O motivo da cnsa
dftem ser que estes se oppoem a que se faga urna
promocao no oxercito, em qu.e insiste a repartiese
do commando em chefo do exorcito. Parece que esta
reparticao querquea promocao se faca por antigui-
dades, o o ministro da guerra por merec melos.
O da lazenda oppooe-se por economa toda a pro-
mocao. Tavcz alinal as cousas se accommodem..
A promocao do Sr. Soares Franco, que ah deve
achar-se coinmandando a corveta Iris, lem tambem
sido ventilada na imprensa. O Estandarte disseque
o Sr. Soares Franco subi ao posto em que se acba
preterindo muitos dos seus camaradas. A Unido res-
A imprensa da opposic3o tem jnettido a rediculo a pondo u ao "^**^"*^^
revistad aUqoo.&do.Hf^Wa, em con- ^^^^^^^^OtSZ.
^S^V^V^^^ impren-izenrrjue^o se zera declaracao desta disUnccJto,

_AR ENCONTRADO
*~A
-j


r

'
t
:'
equr l.ni disto o major general declarara ltima-
mente na can di> risco, que ni htvi^oi feitos na-
III occaailo pelo Si. toares I raneo nflo merecan*
Mr elle despachada por dlttlur^lo.
Fallrceu o rpido ile mar o guerra Francisco de
Hurja Pereira .le S F.ra un dos mclhore o niais
honrados ofuciacs da marinlm porluguou.
(i conde lo l'anohn r ral dos thcatros. A csrolha he lioa, porque o conde
lem guala e cnlondc do negocio, o que ludo concorre
parn o mclhoramculu do tiossos Iheatros.
Ja ctiogou a companhia de canto nara o llioalro
do San-Carlos que deve abrir-sc no da >> do coi -
renta com umn opera nova, intitulada l.uiza Asozzi.
A ompanlna he numerosa: conipo-sc, alm das
segundas partes que ca exisleni sempro, de 17 da-
mas, as Sras. Agrest e Cec-Cor ; de dous
tenores, os Srs. baldanza e Volpini ; de dous ba-
ritonoi, os Sr. Zucen ni o Ribas; de dous haixos
absolutos, os Srs. I'oslo e lteiieilctti ; de un com-
positor de dramas, o Sr. Violli; um 1. bailarino,
o Sr. Viinna; duas primeiras bailarinas, as Sis.
king c llussola ; de outras bailarinas comprima-
ras, &c., <*c. Asscgurain que todos os artistas silo
bous, o que nos prometi passarmos boas noites do
invern, se a cbolera-inorbus, que ja se acha ein
Inglaterra, rjflo nos rolivor oa casa, ou nflo nos leva
para a sepultura.
- m 'v'..-r.r'-: ----",'rTM.^rvrn i Bl i a^^aa
Pablicaclloa pedido.
'alacho teuise a/.eile de pcxc.
Ilriguo Eugtnit inercadorias.
Ilarca Zampa idom.
iirigue Conceicao-de-Uaria cal.
lUPllTAGAO'.
Leitis. brigue americano vindo de l'hiladelphia ,
entrado neite mez consignado a Malheus Austin
& C. man i resino o seguinto :
1397 barricas familia 297 caitas cha 50 ditas
velas do espermacele, 400 barriquinhas bolactrnhaa,
50 Tardos e 28 caixas algodflozinho ; aos consigna-
tarios.
Zampa, barca franceza, vinda deMarselha
ila ueste mez consignada a Vctor
lou o segnintc :
uro sKaaaoffa)
Oli'i-ircltlo no Mlm.~ainis;o<-callan Fran-
rl-i-o le Sonsa, Clme Lima, n moileiln llliu.' Se- I>. Francisca Assis
('nina Ciriic.
Triste saudade, nem o sol encaras,
Oh minha flor sentida !
Que ella morreo I... mas nao!.. l nos cos vive.
Cotia Main.
Echo sentido do carpir da rola,
Pobre innocente quo gomeu do ingrato,
U'in... vem acompanhar meu triste canto,
Saudoso como o leu, como ello amargo l
l.asne, nianifes-
(00 barricas fariiiha 300 fardos papel de embru-
Iho ,35 caixas papel de peso 60 ditas azeilc doce,
200dilas vinho moscatel 30 barris vinbo de Bor-
deaux, 365 nmeros do louca, 12 fardos amendoas,
1 caixa chapeos de seda para homem 678 caixas
passas, I dita fazeudas, 5,000 pesos ; a L. I'agcs.
1 c.iixa sementes ; a l'lulippo Monnat.
l.ouisa-Heaton, patacho amcricano.vindo do Luan-
da, entrado ueste Diez consignado a Francisco Se-
verinno Rabel lo, manifeslon oseguinle:
19 cascos azeite de pcixo 7 fardos panno do n|-
godflo ; ae consignatario.
CONSULADO GfillAL.
RENDIMIENTO 1)0 DA 19.
Cera I ...........
Diversas "provincias.
Oh naturezaque gemido he este.
Que calla n'alma resfriando a vida?
Que hora fui essa que soou funrea
l.no sino chrisliio fallando em morte ?
Foi gemido de um peito constrangido
Ouc votos pronunciot, que a alma rejeita,
Sacrificio ainbicilo as mitos do inferno f
1 o duro furacao varrendo os ares
Quo profano vibrara o bronze santo
Acordando os gemidos dos finados ?
Dui'oi... fo... ai! mas victima da morle !
liis um golpe infiel, tnais pronto amargo I
Nao fui simples murchar de flor mimosa,
Misando triste a virgem que zelava ;
Nflo tai sonhada vida de esperancas,
Em soi>lio.comecada, em sonbo sxtincta.
1-oi vida que aprehdeu deveres sanios,
Que devores cumprio, que amou Virtudes .'
I'oi a amiga ea chara esposa,
Foi a viuva gemente e caridosa !!
Fui... morte cruel, porque ncerrasto
Esta vida-de amor entre os favores,
Mcdonhas sombras lgubre aposento ?
CONSULADO PROVINCIAL.
RElNDIMENTO DO DA 10.......... 2:073,705
Movimcnto do Porto.
Navios entrados no dia 19.
La se escuta um gemido e mil suspiros
Do pobre que a implorou, que rio com ella !
Da amena servidao mas desojada
Que a liberdale misera nclemeiito !
Aqu, gente, soluta e se amesquinha
Ti lite lilho cabido sobre a tumba
Verdor e mocidade, amor e vida,
Qual rosa que ndornou, mas que ora murcha
La no ralo qu'amou beija os destrocos !
Ai... ai que ella morreo... dizem saudosas
As almas que a sentirn) Nem sorri/.o
Mssageiro se qur llie rossa os labios !.
Ralbara morte, que a ceifaste ingrata,
Porque mil vivos que te esquecem impos
Deshumanos crois e ambiciosos,
Qual reveno entre os homens derramado
Nao roubasle, e nflo olla ? .' Sim, nao ella ?...
I.B nessa instancia pavorosa edura,
Onde um gemido nem sequr penetra
(Qual desterrado ent NSo lendo nem sequera voz do sonlio !
Quem os seus labios abrir ja Trios ?
Qucm sua fronte susler ja vellu
La cabida? ninguem!... a impla morte!
Ai choremosmorrea que c sosinhos
Tristes seremos sem a mio Scm riso e sem amor, porque ella he trislo !!...
.Mas nflo Paciencia Nflo choremos, basta.
Apurado chorar s levo o crimo.
Nao deve o justo pelo'justo mono I
Impia mortu nflo foi, foi Doos, callemos;
Que a victima no mundo ja caneada
Dos a chamara para dar-lhe um premio.
K tu amigo, filho carinhoso,
Bastando de chorar, guarda saudades
Daquella que lu amou, que entre os seus bracos
Cumpre os preeotos quo ensinou solemnes.
Que a mlu do Eterno distrihue mil premios,
Mil castigos, tanibom protegeaojusto.'
Rio-de-Janero ; 18 das, brigue nglez litro, de 173
toneladas, cupitflo James l.edygley, eqtiipagem 10,
om lastro ; a Dean Yuillo & Companhia.
Camaragihe ; 5 dias, ljate brasileiro Novo-Destino,
de 20 toneladas, capit.lo Eslevflo Ribeiro, equipa-
gem 3, carga assucar e arroz; a Jos Manoel
Mart ns.
Malla por Cibraltar; 39 dias e do ultimo porto 26,
polaca sarda Chanlel, de 219 toneladas, capit.lo J.
R. Iliissolcse, cquipogem 13, em lastro ; a ordem.
Navios sahidos no mesmo dia.
Baha ; barca siciliana Cabriei, caplflo Antonio Ho-
landa, carga a mesma que trouxe.
dem ; barca siciliana Anlonetla, capitiio Jos Piral I o
carga a mesma que trouxe.
Observara/I.
Arribou a barca ngleza Rassemlal, capitSo Edward
Coulding, que tnlia saliidu para Babia no da 16 do
corren te.
vende-te tambem na livraria da praca da Indepen-
dencia ns. 6 e 8, a 4.000 ra. cada cxemplar.
I'URI.ICACAO' DIARIA NA RAIMA.
O TF.MPO.
Jornal poltico, commercia!, iliterario e scienlifico.
Parte poltica. Sem ter urna opniflo cga a rospei
lo de nenliiim partido, o Tempo adoptar os princi-
pios que he parererem justos, reprovando somprc
osados mios de quem qur que seja. Suas colum-
nas eslarTo a bertas aos uscriptos dos dilTerenles par-
tidos, com tanto que nao vflo Terir a delicadeza de
pesaos alguma. Para os artigo* deque fr misler
ignorar-se o nomo do autor llavera um conista n-
ntra- c,paz Je vio,aro segredo quo dellese confiar. Tai-
voz se oceupe com os cmaras j mu* he certo quo so
oceupar com a polica e asscio publico.
I'arte commercial. Todos os dias dar* o Tempo um
esboco exacto do estado do commercio do dia ante-
cedente, as entradas e sabidas das embarcaces, as
noticias commercaes que ellas trouxerem, ele.,
nosabbado asduas ultimas paginas do Tempo olTe-
recciflo um resumo do acontecido duronle a sema-
na.. Este resumo nflo be menos de que urna foltia
j existente com o nome de Preco corrale, o que
continuar a sabir sb a mesma directo.
Parte Iliteraria. \ ltteratura do Tempo ser folbc-
tim, orligossobre diversos ramos do commercio,
poesas, criticas sobro as obras que se frnin dando
a luz, e muitosoulros pontos dilTerenles sobro que
se ha cbj escrever.
Parte scienlifica. Sendo o Tempo Tronco om rece-
bereseriptoscom que seibo quizerhonrar, he mul-
lo provavel que se veja muitos.vezes ventilare sus-
tenlarqueslfi08scenliricas, qur rqedcas, qur ju-
rdicas, qur mesmo de outras sciencias j alm das
descoberlos importantes quo chegarem ao conheci-
menjo o*os directores do Tempo.
O Tempo, lendo um numero de assignantes suffl-
cicnie a sua despeza sabir a luz, pela primeira
vez em Janeiro de 1849, e continuar diario. Seu for-
mato he o mesmo que o do Diario de Pcrnnmhu?n .
seu prego 20,000 rs. por. onno; osannunciosdos as-
signantes serflo impressosgratis, emquanto que os
de oulra qualquer pessoa serllo a 80 rs. por linha.
As policas chegadas ao esciptorio do Tempo al
meia imite esta rilo no cintro dia oo romper da auro-
ra em casa dos seus assignantes. llavera correspon-
dencias na Inglaterra-, na Franca, em Portugal, nos
Estados-Unidos, em Pernambuco e no Rio-de-Ja-
nciro; emlim nada-so poupar para que o Tempo se-
ja estimado por seus leitores, o augmente sua im-
portancia.
Recebem-se assgnaturas na livraria da ra da
Cruz, no Recife, n. 56.
relor Oliveira, do teu deposito de preciosos o bem
ronheridos vinhos do champando, excrllenlc Ua-
deira, l'orlo, Xcrcz, Clarete, ago'ardcnte de Fnnea
branca e escure, o licor do cerejos, Unto onear.
rafados, como alguna dos vinhos em barris"
em lotes grandes ou pequeos vontado dos nre*
tendentes: scxla-feira, 22 do correlo, s 10 hora a
da m enhila, no seu armazrm, ra do Tranihe
Itovo.
(.eilSo que faz J. J Tatso Jnior, por conta dot'
Srs. Ridgway Jiimisou &c. Companhia, de 58 barris
com manteigo ingleza, que se vndenlo pelo melhur
em consequencia do mao acondcionamento dot
barris, em lotes a vontade dos compradores :quin
ta-Teira, 31 do corrento, s 10 horas da manh,1 i
porta da alfandega. '
3:211,781
229,269
3:441,050
Avisos diversos.
--Precisa-so de um Portugus com prefeienci,
a filho das ilhas, que saiba plantar fruteiras ver-
duras e flores para tomar conla de um sitio no lu"
gar do Remedio, o nelle trabalhar c Tazar o mas ser-
vico quo o dono determinar pagando -se-lhe men"'
sal mente 12,000 rs comendo a sua cusa- na ra
doCrospo, n. 14, terceiro andar, das 6 s 8 horas'
da mandila e das 2 as 4 da lardo para fazer o ajus-
te o qual nilo ser elTeituado senilo'a vista de do-
cumentos que abone a sua conducta
Na padaria e pastelaria franceza do Aterro-da-
Boa-Vista, n. 50, onde se fabrica o novo everdadel-
ro pao deProvcnca, tflo cnhecido e apreciado aca-
lla do receber-se pelo navio Julia, chegado recente-
mente da Franca, um completo e rico sortlmento do
conrcitos e amendoas cobertas, de dilTerenles quali-
dades, doces com traques muito proprios para en-
tretenimentos de sortc; pastilhas ; assim como a
rnais superior ogoa de flor de laranja e ago'ardento
rte 'u-j"5" d recebidas -mui ricas bocetas de difTerenles gostos
para presentes de confeitos, amendoas e outros do-
cs, d luse venue pcio prc^o mas eommodo e ra-
soavel; proco porque igualmente se promptificam
encommendas de doces finos, e bandejas de bolos
KIHTAL.
Miguel Jrchanjo Monteiro de Andrade oficial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de Pernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 22do correle, ao meio-dia,
na porla da mesma, se hilo de arrematar em basta
publica 49 pec,as de selim prelocom 2,024 covados,
no valor de 1:800,00() rs. impugnadas pelo guarda
Antonio Lopes Pereira de Corvadlo, no despacho por
factura n. 2555 : sendo dita arremataeflo subjeita o
djreilos.
Allandega, 20 de dezembro de 1848.
liguel Arc/ianjo Monteiro de Andrade.
Avisos martimos.
Declracoe*.
K adeos oh finada '.?... Se na vida
J'or leus caiiiihns lo ofTieci mous risos
Bem alegre eu enlflo, saudoso agora
Pobre te olfreco sobre a dura campa
Humilde voto e meu pranto amigo.
Valb
ALFANDEGA.
RENIMENTO.DO DIA-19..........10:926,835
Descarregam hoje, 20 de dezembro.
Jules farinha e farelo.
Ilriguo tetis farinha e bolachinha.
PatachoAlert alcatr3o.
Harca Tejo mercadorias.
ttrigue Lady-Falkland bacallio.
Barca
CONSULADO RIIITANNICO EM TERNAMBCO.
Faz-si saber ao's subditos brilannicos, residentes
cm Pernambuco, que.no dia sexta-feira, 29 do cor-
rele mez, pelo nieio-dio, teto lugar no consulado
brilannico, ra do Trapicl e/ o njunlamento dos
subscri|itores habilitados para os flns designados no
acto geo: 4. cap. 87. Consulado brilannico, aos
18 de dezembro de 1848.
//. Augustus Coieper,
. Cnsul.
Ocscrivo interino da 1.'seceflo do consulado
provincial faz publico, de ordem do Sr. administra-
dor do mesmo consulado, que no dia 23 do corren-
te, 1 hora da larde, se bao de arrematar em prnca
porla desta reparlicflo 20 barricas com assncaj-
refinado, conlcndo73 arrobas c26 libras, avaluadas
cm 188/960 rs, e upprenbendidas pelo escrivflo do so-
bredito consulado : sendo a arremataciio livre de
despezas oo arrematante. Mesa do consulado pro-
vincial, 18 de dezembro de 1848.
Jos Cata/cante d' Albuqutrque.
--Cartas seguras exMenlea no coneio para os
Srs. Jos Salvador Pereira Braga e Jos da Silva Frei-
r, crdote do primeiro batalliflo de cacadoros.
Public a (ao Li Iterar a.
Sabio a luz o resumo da historia do Brasil, com-
posta pelo professor publico S. II. de Albuquerue.
Este resumo intermediado pelas mais bellas estan-
cias do poema Caramure terminado porqua-
Iro intnressanlcs. ndices chronologicos o por urna
estatistica dos hachareis formados em direilo offe-
rece ao leitor inslruc?flo e recrcio e a commodida-
de de encontrar em um volume muito bem impresso
e por mdico prego aquillo quo s adiara om va-
rias obras e por anais dinheiro. Acba-so a venda na
ra do Crespo, loja n. 16 do Sr. Jos Azevedo do
Andrade, e em Olinda rua de Mathas-Ferreira ,
sobrado n. 6, brox. 4,000 rs. Nesles mesmos lugares
pdem os Srs. assignantes procurar os seus exem-
Para o Itio-de-Janero segu vsgem, com bre-
vdado o brigue Assombro Torrado.de cobre, de
primeira marcha ; deixou do sabir no dia 15 por [in-
convenientes : quem quizer carregar, ou ir de pas-
sagem, para o que tem ricos commodos drija-se a
rua da Cadcia do Recife, n. 61, a fallar com Joflo Jos
Fernandes MagalhSes.
--Para n Rio-de-Janeiro sabe, com a maor bre-
vidado possivel, o brigue nacional Ligtiro : para car-
ga, pnssageiros eescravos a frete, trala-se com Ma-
noel Joaquim Soares na loja de ferragens ao p do
arco da Concoicfo ou com Novoes & Companhia, na
rua do Trapiche, n. 34.
Para a Baha segu viagem com muila brevida-
de o bem cnhecido hiale ExtilacHo, por ter parte da
carga prompta: quem no mesmo quizer carregar ou
ir de passngem, dirija-se a rua da Cadcia do Itecife,
loja de ferragens, junto ao arco da Conceitfno.
Para o Aracaly sabir com brevidade o hiato
Novo-Olinda,- por lee j tratudaparte do seu carrega-
mento : qucm nelle anda quizer carregar, ou ir do
passngem, se entender com o mes tro do mesmo.
Antonio Jos Vianno, ou na rua da Cadeia-Yelliu,
n. 17, segundo atldar.
Para o Maranliflo segu, com a imior brevidade
possivel, o veleiro hiato nacional San-Jos : pode rc-
ceber linda olguma carga anuda: os pertendentes
dirijam-se a rua da Cruz, armazem n. 26.
Pora Lisboa sabe, mpreterivelniente no dia 22
lo corrcnlc o brigue nacional Viriato ; alndarece-
bo algumacargaa frete c passageiros paraqque
offerece bons commodos : a tratar com o consigna-
tario T. de Aquino Fonseca na rua do Vigario n.
19, ou com o capilfln, na praga
-Paraa Babia sabe, impretcrivelmento no dia 22
do correle, a sumaca Hor-do-Angelim, com a car-
ga que tiver a bordo : para a mesma o passageiros,
Irala-secom o mestre, Bernardo de Souza ou com
Luiz Jos de S Araujo na rua da Cruz, n. 26.
Para Lisboa partir, com a maior brevidade pos-
sivel o hiale porluguoz Especulador fabricado ro-
centcinenle ; tem parte de seu carregamenlo promp-
ta fallando-lhocerca de 3,000 arrobas : quem nelle
quizer carregar a frete, dirija-se ao consignatario ,
Firmino J F. da Rosa na roa do Trapiche, r.. 44.
Para o Rio-de-Janeiro segu, eom brevidade,
o brigue S.-Matioel-Augusto, caplflo Manoel Simoes;
recebe carga a Ircte passageiros e pretender carregar .ou embarcar, falle como dito
caplflo na praea, ou com Manoel Ignacio de 011-
veira na praca do Commercio, n. 6.
A barca nacional Tentativa-Feli* segu para o
mo-de-Janeiro com muila br,ovidade, por ter gran-
de parte de seu carregamenlo prompta : para o res-
to e passageiros para o que offerece osmaisricose
asseados comino les assim como para escravos ,
trata-sena rua da Moda n. 11, coa Silva c Grillo.
-- Para o Rio-de-Janeiro segu, com brevidade o
briguc-escuna nacional Olinda : tem pirlo de sua
carga engajada para o resto, passageiros e escra-
vos o rete, trotarse com-Machado & Pinheiro, na rua
da Ladea do .Recife, n. 37.
Para Lisboa pretende sabir, no dia 24 do cor-
rente, o bnguo brasileo Viriato : quem quizer car-
regar ou ir de passagem para o que tom os me-
mores commodos dirija-se oo consignatario, Tno-
maz de Aquino Fonseca na rua do Vigario n. 19,
ou ao caplflo na praca do Commercio
Para o Rio-Crande-do-Sul seguir breve o pa-
tacho Dous-Je-Maico, o qual anda pode receber al-
guma carga o escravosn rete : quem no mesmo qui-
zer carregar ou embarcar escravos, entonda-se com
os consignalarios, Amorim lruiflos, rua da Cadeia.
o. 39.
delicados paro cha, bailes e soars.
Roga-scao Sr. curioso em cuja casa exiteum
escravo de nome Dionizio, que est rugido ha d-
as/dco- vir, ou mandar entregar seu Sr., do con-
trario ter de ver o sou nome escripto tiesta folha.
~ Precisa-se alugar duas pretas para o servico in-
terior de utns caso estrongeiro: na rua Velha, n. 78.
r-Preciso-sede um perito ofOcial de oleiro,que
saiba fazer todas as quolidfldes de pecas de louca,
comosejam potes, jarras etc.: na entrada da rua
do Rangel, n. 7.
-- O abaixo assignado tendo de retirar-se breve-
mente para Portugal a tratar de sua sade avisa
pelo presente a todas as pessoas que teem penhores
em seu poder para que dentro do prazo do oilo dias
venham resgatar; do contraro serilo vendidos para
pagamento de seus dbitos: e para que ao depoit
nSo alleguem ignorancia.se Taz o prsenle annunco. ,
Manoel Ferreira dos Santos.
-O abaixo assignado, administrador de sua mu-
Iher Thoreza Mara de Jess, avisa ao respeilavcl i
publico quo nflo conlraio Iransaccao alguma com ,1
Joso Francisco da Trindade, nem negocio algura
sobre os behsda dlaThereza Mana de Jess por- '
que este nao tem direilo algum nos ditos beus e lu-
do quanto tem Teito he.pormeio de Musito valen- '
do-so da ignorancia da dita senhora por isso loe
tem podido extraviar parlo de seus hens.e at mo-
vis de sua casa juntamente urna pequea escrava
de idade de 6 annos poueo mais ou menos de no-
me Cecilia um oratorio moderno com imagens i
completamente adornadas com ouro e prata, um>
berjo de Menino Doos o a competente bandeira } e
assim, tendo o dilo abaixo assignado de proceder
contra os setos do dito Jos Francisco da Trindado ,
por isso avisa ao respeitavel publico para seu inlei- ,
ro conhecimento porque o mesmo Jos Francisco
da Tnndade lem urna procurlo bastante outori-
sando-lheaiguiis poderes emquanto a mesma The-
resa Mara de Jess solteira e por dolo a n;1o quz l
entregar, exigindo-se, com lins sinistros.
Paulino Manoel Thom Cabuato.
Quem precisar do um caixeiro para lomar con-
la de una venda porbalanco, para o quo lem bas-
tante pralica, dirija-se a Pracinha, n. 10.
O Sr. Miguel de Oliveira Cardozo lem urna car-

la na rua da Cadeia do Itecife, n. 37, escriptorio de )
Machado & Pinheiro.
Uiicui iiiiiuneou querer comprar um braro de
balanca grande com pesos, dirija-se ao p do ar-
co da ConceicSo, no itecife, loja de ferragens de
Joflo Jos de Moraes ou na alfandega a fallar com
o portero que nem s lem um braco de balanza }
grande usada como tambem as conchas todas cha- '
peadas de ferro, comas suas competentes correntes
de ferro e pesos de bronze.
i
'?'! l .. I
Le i loes.
Christopbcn & De
Idftn ifjidr
i, ionio do liquidar I ~
piaros, porcada um oosquaes so pagarSo3,000 rs.:'cerloscotilas, faraoloilflo, por tcrv'oncilo do cor-'padaria n.
Vigncs, fabricante de pianos,
ua rua doQuemaclo, n.-l'i,
tem pianos de novo modelo Teilos depreposito para
esle paiz ; sao riquissimos e de machinismo e vo-
zes superiores, o que se afianza ao comprador : tam-
bem lem pianos inglezos, 'que sflo -poiieo usados ;
concerla c afina pianos com toda a perfeiQflo ; vende
curdas canturas e todos os aviamenlos necessarios
para ditos instrumentos : ludo por prego eommodo.
Na rua do Trapiche, casan. 8, precisa-se alugar
um prcto para tratar de cavallo.
-- Precisa-se de urna preta escrava para o servi-
do de urna casa de pequea familia : na rua do Ran-
gel, n. 17.
Fugio, no dia 13 do corrento pelas.9 horas da
noii de S.-Amnro-da-Cataruna, um cavallo roda-
do sellado com um sellim Inglox i quem o actiou
pode entregar na rua do Apollo u. 25, que ser ge-
nerosamente recompensado. j
-- No pateo da matriz de S.-Antonio, n. 4, segun-
do andar, lirain-so passaporles para dentro e fra
do imperio, tamboni para escravos, e correm-so
follias do- proco muito rasoavcl.
r Fugio, no dia 8 do corren lo, m moloque, dei-
18 anuos, por nome Lino, crioulo, cor fula, com urna
marca no ineio dalesla o oulra em unidos olhos, o
qual tom as pernas um poueo arqueadas: quem o
pegar, leve-o a rua Augusta, sobrado do Colares, pri-
meiro andar, que sera generosa men le recompen-
sado. Caso arguem o queira comprar pode faze-lo
recolher a cadeia e dirigir-se a casa a cima indica- .
da para tratar do ajuste, ou annunciar por estej
Diario. -Jri
Precisa-se de un bom UqMliador
I de maceira : na rua da Sanzalla-Velha,
94-
V
MUTILADO


^f
No escriptorio de Jos* de Almeida
Brrelo Basto, na da C'rtti, n. 63,
isigna-se para a impresso da seguidle
&ra:
Commenlarios do Conde de Trncy,
sobre o espirito das leis, de Mou tesqui cu,
e memorias sobre os ineios de fundar a
moral de um povo. Subscrcve-se por
4,100 n. pagos no acto da entrega da
obra.
_ |TecM-s de urna mullicr para o servido le
uma casa do pouca familia, sendo pelo sustento e
vestir: na roa do Qcimado, n. 57.
Alug-se una preti quesaiba vender na ra
toda equalquer venda: na Ua-Vista, travessa do
Ouiabo, n. 1.
i
jr Na padaria do becco das Barreiras e deposito *
<> da estrella n. 39, no Aterro-da-Boa-Vista f
<*> fabricarse o novo pito de Provenga o qual lie &
y fabricado pelo methodo de scu primeiro in- flr
9 troductor nesta provincia com as melliores
* familias easseio que he possivel: lembem se #
fazcr.i faltas de goslo hespanbl, biscoutog,
f biscoutinhos fallas, bolinhoa., cavacas : ludo
m do mellior gusto possivel e proprio para cha. p>
_ ^
jju$^!8S*w @S
Precsa-se fallaraoSr, Joaquim da Molla e Sil-
va a negocio de seu interesse : no caes du fiamos,
venda da esquina.
.-Precisa-so do um menino para caixeiro: no
principio da ruada Senzalla-Velba, confronte aobec-
co do Compeli, armazcm n. 126.
Precisa-so de dous moleques diligentes para o
servico de urna casa : na ra da Spnl!-Ve!h. con-
fronte ao becco do Campello, armazem n. 126.

Fabrica de Todos os.Santos
da llabia.
Firmno Jos Flix da Rosa, com escriptorio na
ia do Trapiche, n. 44 a tafea ans seus freguezoa*,
{ue receben pelo hiate S.rWenediclo, novo sorlimen-
lu do excedente panno de algodflo entrangado da-
quella fabrica, ptimo para ensaccarassucar, c pa-
ra roupa de escravos. O annunci8nte coI qtio ,
ilcm da bondade da fazenda o desejo de animar o
desenvolvimento do urna fabrica inleiramenle na-
cional promover o promploconsummodasua re-
eeita.
A abaixo assignada, viuvade Joa-
quim Jos Lourenco da Costa, pelo pr-
senle declara que tem nomeado seu em
tudo bastante procurador a seu genro, o
V. Munoel Antonio d'Azevedo, por pro-
uraco lavrada em notas dotabelliao Sal-
es, aos 18 do corrente; o qual Pica autori-
zado a receber os alugueis de seus predios,
s cuidar cin lodos os negocios que- digam
respeito administrac3o Jo seu casal ; fi-
caudo de nenbum eleito todas asprocu-
rncoes que a abaixo assignada, e seu de
funlo marido, assignaram anteriores di-
ta procuracao.
Cicilia Roza da Costa.
Os Srs que subscreveram para a publicaco da
orlliographia do Sr. Antonio AlvarePereira Curuja,
iinprcssa no Itio-dc-Jareiro, pdein vir receber na
livraria da ra da Cruz, n. 56 os ejemplares que
llics (lJleneei.i (a 3,500 rs. os encarnados e a 3,000
r. osbroxados ; at odia 9 do coi rente, passado o
qual, osexcniplares que sobrarom seriio vendidos
as pessoas que os procuraron. -
Ao respeitavel publico.
0 proprietario do armazem de vinho
da ra da Madre-de-Deos n. 36, de-
clara que este estabelecitncnto nao tem
utro armazem filial, como alguem lia
jue o inculca ; e para conhecimento do
publico, faz o presente annunejo.
30,000 rs. de gralificac.lo
I & quem tnuxer a eserava crioula, de nome Xalhari-
>ia com urna lillia ca brinda do 3 annos cujos sg-
uaes acham-se neste Diario nos ns. 240 a 250 : a es-
crava fui seduzida por o )>ai da cabritilla o qual be
pescador, on pombeiro e mora em urna deslas
praias .al Po-AmareJIo.
Preservativo contra os- bichos
que corroem os livros.
Jo3o Rodrigues Coelbo, encadernador,
ainado Queitnado, n. "44> primeiro
andar, usa as encadernacSes dos livros
de certa compsicSo cliimica, ingleza,
^tie os preserva de corrupco ; e enca-
derna por commodo preco, e com segu-
ranza.
I'recisa-se fallar aos Srs. Martinho da Silva Cos-
l,.ou Martinbo da Silva Costa Jnior : na ra lar-
g do Itozario n. 20.
Precisa-se (le um caixeiro do 12 a 14 annos : na
ru eslreila do Itozario, deposito de assucar, n. 43.
--Odoulor Casanova medico francez, mudou a
1 residencia d* ra Nova para a ra do Crespo, n.
segundo andar onde contina a receitar desdo
boras da mauhua al s9 ede 1 at s 3 horas Ja
tarde a pobreza gratuitamente: quem de sou pres-
linio se quizer utilisar, dirija-so a mesma casa.
0 abaixo assignado declara ao respoitavel pu-
'dieo que o importe da letlra por ello acoila em
I 'e setembro ultimo a 3mezes, pela quanlia
1 120.000 rs., a favor do JoSo Leite de Azavedo o
Fio poder deste deseucaminbada, como do annuncio
I publicado neslemesmo Diario n. 245, se acha devi-
'i'iiiiciito pago novencimenlo da mesma, como do
'ceibo em poder do mesmo abaixo assignado o por
lsode nenbum valora referida letlra.
Manoel Curdoxo da Fotuua.
CUAPEOSDESOL^
Ra do Passeio, n. 5.
O fabricante dcslo estabelcciment advortn ao i es-
pcitavel publico desta cidade que ello possue pre-
sentemente um rico sortimenlo de chapeos de sol,
asaim como chapeos do sol de sed furta-cres, dos
mais ricos que team apparecido nslo mercado, e de
corea couhecidas ; ditos para senderas de bom tom,
adamascados, lavrados, com auas competentes fran-
jas de retroz, ludo que tom do n.ais moderno o do
mellior goslo; um completo sortimenlo de chapeos
de sol de panninho de todas as cores ede lodosos
tamanbos, para honraos, senhoras e meninos: ha
tambem igual sortimenlo do faiendaspara cobrirar-
macOes, tanto de sedas de cores, como de panuinhos
trancados e lisos imitando seda. Adverle-se que os
freguezea serflo servidos com brevidade, eseacha-
ro salisfeitos da boa qualidado, do bom gosto e do
bom preco.
Aterro-da-Boa-Vista, n. 16,
Pommatcau culiieiro e
armeiro.
Acaba-se de recebor, pelo ultimo navio chegado da
Franca um sortimenlo de entilara fina, bem co-
mo : tesouras grandes para alfaiate ; ditas para cos-
tura de senbora molde rico e do ultimo goslo;
ditas de jardim para cortar flores ; ferros do varios
moldes para o asseio das un has ; caivetes de mo-
la ; ditos para aparar peanas ; estojo de viagem pa-
ra homom ; espingardas; lirides; cabezadas ; chi-
cotes para carros; fundas; navalhas para barba,
etc. : ludo do superior qualidade.
A. P. de Figueircdo tem aberto
um curso de pbilosopbia, geometra, in-
glez e francez, na ra estrella do Rosario,
n. aa, primeiro andar.
_ i .. -_ .. .-..._-:_. t._,o- r>___I
--OSnr. ncios UCIIIU runcua nioi^i.^ umai
queira mandar entregar os papis que trouxe do
Cearpara oSr.Jos Goncalves Torres, na ruada
Cadeia-Velha, n, 1.
Na ra da Cruz n. 21, precisa-se de* um bom
eozinlieiro.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra
Nova, n. 5 : a tratar na loja do mesmo sobrado.
A. Baumann, afuiador e
concertador de pianos do
principe de Joinville e de
S. A. a Sra. princeza D.
Francisca, tem a honra de
prevenir o respeitavel pu-
blico que chegou ultima-
{--mente n'esla cidade ; e as
pessoas que quizerem ulili-
sar-se de seu presumo, o a*
charo na casa tle sua resi-
dencia, ra larga do Rosa-
rio, n. 14, primeiro andar.
No sobrado n. 8 da ra larga do Rosario, pre-
cisa-se alugar a pessoa capaz urna esciava que te-
nha figura e seni-vicios, isto para pouco servigo,
mas deve ter confiaiica a deixar s junto com urna
menina du 5 annos.
Joaquim Pinbeiro Jacome mudou a sua resi-
dencia para a casa n. 5, na ra do Vigario, da viuva
do Silva & Companliia.
~ Um moco', lillio das Alagos, e de excellente
conducta se oflereco para caixeiro de escripia, por
teruptima letlra, ou mesmo paracobrancas dequal-
quer casa de negacio, aiuda mesmo por mdico or-
denado por isso que deseja arrumar-so o qual da
fiadora sua repulaco a fallar na praca do Com-,
mercio, n. 2, primeiro andar, ou annuncio.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado da ra do
Torres, pegado ao escriptorio do Sr. Joo Piulo de
l.emos com urna boa cozuihao solSo : a tratar na
ra da Cruz armazem n. 26.
Lotera do thcatro publico.
A venda dos respectivos liillieloaosl quasi para-
usada, e por esta rasto deixaram ainda as rodas de
ter andamento no dia 9 do corrente, segunda vez
para esle lirn mrcalo. A vista, pola, disto o Ihcsou-
reiro se escusa por ora demarcar novo dia, o (po
far brevemente, visto que est disposlo a empregar
todas as diligencias para que us ditas roJas aadem
antes da festa.
J. A. S. Jane, artista, tem a. honra do avisar ao
respeitavel publico, que contina a por (lentes atti-
liciaes de pnrcellana, assim como tambem lira as
caries dos naturae-s que lauto damnificam os denlos e
coopera m para o 111.10 balito da bocea, mo sendo ti-
radas ; calca com ouro, prata o metal branco os den-
les Turados, na sua residencia, na ra estreita do
Itozario, n. 16. O annuncinle assevera a todas as
pessoas que se quizerom utilisar dos seus servicos,
que nao exige paga alguma, nao (cando os denles
tflo bem postos que mo se possam dilfercnc,ar dos
proprios na tu raes, podendo-so mastigar com os mes-
oos toda a comida sem a menor dOr nem reccio, e
por cujo motivo o niunciaiile* espora na bondado
.de todas as pessoas qne precisaren! de scu prcstmio
que nfio o derxcm de procurar, a vista dos muitos
exEijiiCS qctwuudo pessoas que o tem p'ro-
tegido.
Aviso importante.
As pessoas que teem procurado o delicioso rap
Novo-I.isba ja o pdem mandar buscar no seu ni-
co deposito, na ra dos Quarteis, n. 24, pois j se
acha despachado.
O bacbarel Joao Paulo Monteiro
de Andraded licocs de francez, inglez,
rbetorica e geographia : quem se quizer
utilisar de seu prestimo, dirija-se ra
das Cruzes, sobrado n. 18, primeiro an-
dar.
Jos Rodrigues do Araujo Porto embarca para o
Itio-de-Janeiro o seu escravo Manoel, crioulo.
Mara Rita da Conccico embarca para o Ijio-
de-Janeiro o seu escravo pardo de nomo Manool,
Na ra do Crespo, n. 11, deseja-so fallar com o
Sr. Joaquim Jos Ferreira natural da fregnezia de
S.-Maria-de-Adarife, emPoilugal^a negocio de seu
interesse.
Da casa de Jeronymo' Marliniano
figueira de Mello desaparecen urna
bengala de canna da India com castao
d ouro lavrado : quem a tiver e quizer
restituir, poder leva-la ra do Hospi-
cio, n. 14 na certeza de que se entregar
a importancia pela qual a bouver com-
prado, querendo-a receber.
-- Aluga-se o bem conhecido sitio na estrada do
Cordeiro, de Nuno Mara deSexas, s proprio para
algum negociante ejlrangiro o outra pessoa que
tenha tratamento : na ra do Amorlm, n. 15.
" hesappareceu, no da 4 do corrente da casa
de Rotho & llidoulac ra do Vigario n. 4, um ca-
chorrinbo de ra?a ingleza com os signaes seguid-
les : pequeo, todo preto, o orelhas grandes: quem
o achare levar a casa cima, ser bem recompen-
sado.
Obrado 11. 7estar a venda boje ao meio-dia nos
ligares ja annunciados.
Compras..
% Aluga-se, para o tempo.da festa ou vende- ^)
se um pequeo sitio na Capunga com casa #
de pedia ecal, concertada e pintada de novo, &
com cacimba de boa agoa de beber bastan- %
O tes arvoredos de fructo, c ludo cercado de li- i
mflo : queui o pretender dirija-ae a cas do j
Sr. Jos Antonio de Lima morador no mes-
mo lugar. %
@^#ff J @fj
Os h.erdcros do fallecido coronel Francisco de
Bredrode e Andrade declaiam queohtivcram jul-
gainento em grande revista no tribunal da relaclo
do Maranhao. na causa quea seu fallecido pai, so-
groe av, dito coronel, havia proposto a Sra. D.
Mara de Pitillo liorgcs, a respeito da venda da sua
parle no engerido Calugi, por cojo julgamento Ibes
compele haver da mesma Sra. a quanlia de 11:000/
res, que havia recobido, e por a mooda da data
em quo leve lugar o reccbimehto ; com os juros na
mesma especie, desde a mesma data do recebimen-
to : e por isso que, para pagamento dos annuncian-
tes, nflo basla a parte que a dita Senbora tem no
referido }ngenho, e Ibes consta que se pretendo ven-
der a cwi de Ues sobrados na ra do Atlerro-da-
Boa-Visw ; fazem o presente para quo ninguem
compre as ditas casas, por estarem subjeilas ao dito
pagamento por Torca d'aquelie julgado.
Praxeat da Fonscca Coulinho.
A!ugaii-bc duus bos com nuiiiu boaa avommoda-
sflea un na campinha da Casa-Forte e ontro na ra
da dita novoaco com cocheiras e cavallarlces ; assim
cauto varias casas, de pre;os COUtunmwa para se paa-
ar a festa ; a tratar na ra do Aimirnu, n. 15.
Comprn-se, em segunda m.lo, um adereco ou
gargantilha de ouro : na ra de llortas, n. 112.
Compram-se douscavallos para conduzir car-
gas, ou mesmo de estribara que, por algum defei-
to sirva para o mesmo fim ; na ra do Hospicio ,
n. 21.
Compra-seum adereco, volta ou cordo gros-
so e alguns transelins usados : na ra do Torres n.
46, segundo andar.
Co.mpram-sc unsenfeilos de cinteiro de meni-
no senJo de bom ouro e seui feiti : no paleo do
Carino, venda 11. I7{, por haixo do sobrado de Ca-
briel Antonio.
Vendas.
Rclacoes semestres.
Ven.lem-se relacOes semestres para os Corpos de
1 linha : na livraria da praca da Independencia,
ns. fie8.
Vende-so urna poreflo do barra que foram de
oleo de lnhaca : na botica de Rerlhomomeu Fran-
cisco de Souza, na ra larga do Itozario, n. 36.
Vendem-se ligos novos, ebegados
no San-Manoel, a ioo rs. a libra1; batatas
a 4o rs a libra ; ditas do Uaranbo, nmito
alvas, a 100 rs. : no pateo do Carino, loja
do sobrado de Gabriel Antcmio, n 17.
Vende-se urna negra crioula; da 20 annos de
idade, do bonita figura, aoni vicios nem achaques,
a qual engomma, ensaba e cozinha, tudo com per-
feicilo : na ra da Santa-Cruz da Boa-Vista, n. 23.
Batatas.
Vendem-se a 800 rs. a arroba fo caes da alfandega,
rmazem de Francisco Das Ferreira, o na ra da
Cadeia do Recife, armazem n. Cl.
Vende-se cal virgem de Lisboa em barris de 4
arrobas cuegada pelo ultimo navio, por preyo coinoio-
do ; a tratar com Almeidat Fouseca.ua ruu do Apollo.
FOini^AS PARA 184).
FOI.IIINIIA DE TORTA, a 160rs.
Dita de ALCIREIRA, contando, alm do kalenda-
rio, urna collcccflo de aegiodose remedios para uo
domestico, a 320 rs.
Dita o que se reuni o ALMANAK administrativo,
mercantil e industrial da provincia : osle Imnale es-
t accresconUdo com todos os estabclecimentos do
porta oberta, a 320 rs.
Vendem-so na praca da Independencia, livraria
ns. ( e 8 ; no Atcrro-da-Boa-Vista, botica do Snnhor
Moreira ; e em Olinda, botica do Senhor Rapozo, ra
do Amparo.
Na loja n. 5 A da ra do Crespo, a
pedo arco de Santo-Antonio, vendem-se
manas de laa estda, muito bonitas, pro-
priaspara meninas, a t.fioo rs. cada urna ;
ditas de tarlatana, para senbora, n 1,000
rs. ; assim como chapeos de sol de seda,
astea de ferro, os mais superiores que ha
no mercado, a 5,000 rs.
~ Vendc-sc um escravo cabra ,-ile 20 anuos pou-
co mais 011 menos ; o qual s so vend com a condi-
gno de ser nara fura da provincia : na ru*a do Quei-
mado, 11 31.
Vendem-se calungas para presepe do todas as
qualidades por prego commodo : bem como bitas
chegadas ullimamnnte. grandes, a 800 rs. cada urna,
o tambem se alugain a 320 rs. cada urna : na ruu do
Collego, n. 9.
-- Vendem-so, na ra do Collego, n. 17, queijos
do serlilo de superior qualidade, pelo diminuto pre-
co d 32G i a. a Libra.
Vendem-se apolices da companbia do Bcberi-
!>e : na ra larga do Itozario, venda da esquina que
volta para o Collegio.
Abordo jo patacho Alagme, ancorado em
frente do trapiche do algndiu, vende-so farinha do
mandioca de boa qualidade.
Na jua da Cruz, no Itccife, n. 2i, vendem-se
velas do carnauba do prmera ijualdade do (i e8
em libja cm caixas de arroba o mca ; esleirs do
carnauba, muito baratas; cournbos miudos supe-
riores charutos superiores de llavana, regalos o
regala; chapeos do palha, feitos no Aracaty.
Rap novo Lisboa.
A olle antes que se acabe.
Quem no tomar urna pitada destorap, cortamen-
te nflo saliera apreciaros deleites da vida contem-
pornea. Acaba de chegar do Rio-do-Janeiro, e ven-
de-seno deposito do mesmo, na ra dos Quarteis,
n. 24.
Acaba de chegar um completo soi timento para
os Srs. armadores, bem como trina, volantes lar-
gos o estreitos, gablo de todas as qualidades finos
o ordinarios; c oulros muitos objeelos queso acham
a vonda na ra larga do Itozario, n. 24.
Vende-sc no paleo do Ter?o, ven-
da n. 7, vinli.) de Lisboa, a caada a
1,120 rs. ; e a garrafa a 160 rs.
Vendem-se presuntos para fiambre; queijos
londrinos ; ditos do paato ; latas com bolachinha
Tina de Lisboa ; ditas de araruta ; conservas novas
mostarda ; potes com sal fino ; latas com marmela-
da nova ; ditas com nervudas; caixinlias com mas-
sas linas ; vindo moscatel de Setubal; dito Sherry ;
licords linos ; e oulros mais gneros, por preco com-
modo : na ra da Cruz, no lenle, n. 46.
A 1,800 rs. a peca de 20
jardas.
Na loja de Gujmaries & Companbia na do Cres-
po n. 5, vendem-se pegas de algodiozinho de boa
qualidade, com um pequeo loque de avaria,
pelo barato prego de 1,800 rs. a pega de 20 jardas.
Cobre
para forro de navios e para caldereiro: na ra da
Cruz, no Recife, n. 17.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os Sanios da
Babia ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos: vende-se em casa do N. O. Bicber & Com-
panbia na ra da Cruz, n. 4.
Chapeos do Chili.
Na praga de Independencia, n. 37 ha superioesr
chapeos do Chili ebegados no ultimo vapor.
Cigarrilhos hespanhes.
O proprietario do armazem n. 66, atrs da igreja
doCorpo-Santo, no Recife, faz sciente aos fuman-
tes do bom tom que elle recebe por lodos os vapo-
res viudos do sul, estes deliciosos cigarrilhos que
s!o do nico deposit liespanliol que ha no Itio-de-
Janeiro.
Vende-se um lindo molecole, de
17 a i8'fliinos de idade, que sabe cozi-
nhar : na ra da Cadeia do Recife, n. 3t.
HU.\ DO CRESPO, N. 5.
Novos riscados indianna, a
280 rs. o covado.
Naiojado Cuimnrfies & Companbia, vendem-se
os novos lscados indianos, de qualro palmos do
largura cores fixas e padrdes muito modernos, pelo
baralo prego de 280 rs. o covado.
Contina-se a vender, na roa da
Cruz, n. 60, caixas com cera de Lisboa,
sortimenlo .vontadedo comprador.
Vende-se no pateo do Terco, Ven-
da n. 7, vinho da l'igueira, muito supe-
rior, a iGo rs. a garrafa.
^ w
I ILEGVEL
i

'i
1
- 1

i
j
\-


I

.-,'
I

i<
'

"-- Vende-se pira pagamento dos rrcdoros, a
enda ila esquina iefronte da igrcjs dos Marlyrios ,
mu os fundos do :mi),oi>ii a 100,000 rs. : quem a prc-
oiider dinji-se a ra da Madie-de-Dcos a tratar
mil Vicente Ferroii da Costa o qual prometa fa-
zer negocio a vender'barato para roalisar.
PLItVINIIODA FIGUF.IRA.
Existo no armazom de molhados, 'atrs ]do Cor-
po-Santo, n. 66 ama grande porefio deste genui-
no \ inliii que se est vendendo pulo diminuto pre-
co de i .un rs a caada e a 160 rs. a garrafa ; tam-
bem ha em pipas quo se vender mais cm conta : he
esto o melhordotodnsos vinlios que se teem an-
iii. 111 i. i I > pola sua simplicidad!! e ptimo paladar:
quem una vez o bober jamis (laxara de o com-
prar.
Vende-se algodilo da trra de superior qualida-
de : na ra do yueimado, n. 20.
Fej5o barato
em saccas u"e 3 quartas pelo diminuto prego do 5/
rs: no caes da Alfandega armazem 5.
Lonas i nuezas.
Vciidemj-se peras de lona ingleza, de
ln>a qualidade, e por preco mais barato
do que em oulra qualquer parte: na ra
da Cadeia do llecile, armazem n. ia.
Ko Atcrro-da-Roa-VMa de-
fronte da bonecra,
hachegadoum novo e completo sortiment do cal-
cado Trance/, de todas as qualidades, lanto para ho-
meni como para senhora e meninas : bein como os
bem conhectdos sapatos de Nantes, e do Aracaly ,
por prego commodo.
Baldas.
Vendem-se baleias para espnrlilhos e vestido de
senhora : na ra do Passcio, lubrica de chapeos de
sol, n. 5.
Vende-se a verdadeira potassa da
Russia, desembarcada bontem, por pre-
co milito rasoavel, vista de sua muito
superiorqualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 34.
Agencia da fund cao
Low-Moor, na da J-scnzalla-
nova, n. 42.
ISesle cstabelecimento contina a ba-
ver um completo sorlimento de moendas
e mcias moendas, para engenho ; ma-
cliinas de vapor,e taclias de ierro batido e
coado, de todos os tamaitos, para dito.
No Aterro-da-Ioa-Vsla dc-
onlc da bonecra,
ha sapatos Oancc7.es de couro de lustro para senho-
ra a 1,900 rs. o par. Cheguem ficguezesque o lum
po Ir' proprio. A ellos, que se estilo acabando.
Toncas para enancas.
Vcndom-Sfl loucas para ciangas, fortindas com
peonas e oulras com llores, polo diminnto prv2a do
l',000 a 3,000 rs. : na rua do l'asseio-l'ublico, n. 13.
Vende-se uiuilo superior lagedo de Lisboa e
cal virgein em harris de 4 arrobas, por mdico prego:
na rua do Vig&rio, n. 19.
Na padaria da rua da Guia, no Recife haver
lodos os (Ilusa venda o novo pilo do Provenga fa-
biicado por outro modo que o actual e da nielhor
faiinha que ha no mercado : por este motivo n5o su
pode l'azcr seniio a 40, 80 e 160 rs.
Linhas de carrelel.
Na rua do Cabug, loja do Duaile,
vendem-se linbas de aoo yds., n 700 rs.,
e de 100 yds.9 a 280 rs. A' ellas, autes
antes que se acajem.
CIIA'RRASII.EIRO.
Vende-se, no armazem de molhados atrs do
f.orpo-Santo, n. 66, o mais excellente cha produzi-
do em S.-Paulo, quo tcm vindo a este mercado ,
por prego muito commodo.
.11 cas de seda, de Lisboa.
Na rua do Cabug, loja do Duarte,
ba um sortiincnto de meias de seda, de
Lisboa, proprias para os Srs. sacerdotes,
as melbores que aqu teem apparecido, c
se venden a 4,000 e 5,000 rs.
& Vende-se na rua da Cadeia do
0 Recife, n. 37, cera em velas, fcbri-
!% cadas no Hio^de-Janeiro, em urna
^ das melbores turicos, c em caixas
~3 pequeas, muito bem sorlidas, por
\ ser de 3 at iG em libra ; e tam-
bera ha velas de urna e de meia libra,
brandSes, por preco mais barato do
^ que cm outia qualquer pai le.
n
=
Vendem-se saceos com farelo,
ebegados ltimamente, pelo diminuto
prero de 3,4oo rs.: na rua da Samalla-
Velha, n. i38.
ende-se um bonito moleque de 13 annos; ,um
dito de 12; lima mittalinh de 7 annos, mu i Itnda ,
o que coso : ludo para Techar contas do venda este
anno : na rua larga do Itozario, loja de miudezas,
n 35.
Vende-sc um lindo presepe, por
barato preco : na rua d'Alegra, n. l\i.
Fardo,
em barricas a 4,000 rs.; saccas.grandes a 3.50o
rs., ditas pequeas a 3,800 rs 1 no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na rua do Amor im, n. 3.
Madeira de pinlio.
Vende-se a melhor madeira de pinho que tem
vindo a este mercado: na rua da Madrc-de-l)eos
armazem de Vicento Ferreira da Costa.
Aos Srs. armadores.
Vende-se trina, volantes iH diversas
larguras, egalOes entrefinos e falsos ; ren
dasdouradas c plateadas ; espiguillias de
Milo ; setins de cores a rjoo rs. o covado :
na riia do Cabug, loja de quatro portas, do
Duarte.
Vende-se urna parda de 17 annos engomma-
deira e costureira; urna nrcla cozinheira engom-
madeira, e com una cria de 6 mezes ; urna dita com
as mesmas habilidades ; 1 prcto de elegante figura ,
muito bom oanociro ; 1 moleque do 18 annos, do
nacilo : lodos estes escravos se veni)em por son dono
tordo retiiar-.se : no pateo da matriz de S.-Antonio,
sobrado n. 4 se dir quem vende.
Cal de Lisboa.
Vende-se muito nova e superior cal
virgem de pedra, desembarcada ba pou-
cos das, e cm barra pequeos de quatro
arrobas e mcia ; na rua da Cadeia-Velba,
armazem n. n.
Mantas para meninas.
Na rua do Cabug, loja do Duarte,
vendem-se mantas para meninas, em
ponto pequeo, a 1,000 rs ;* e lencos de
garca a 1,000 rs.
~ Avisa-se aos freguezes e a quem gostar do que
lio bom queja se acha a vend por atacado e a re-
salho todas as qualidades de doces do paiz tanto
seceo como do calda o mais bem feito que pode ha-
ver por ter sido fabricado com o mais superior as-
sucar, como se deixa ver no caj socco o scu 4>r-
Ihan.tismo e linda cor : tambem se vendem bonitas
castanhas confeiladas e coufeitos. I'repara-se para
um dessor ludo quo quizer c outro tanto so far
para so aprosenlaro mais rico cha, composto das
melhorea diversidades de bolos, sequilhos e especes
a moda do paiz e de dilTerenles paizes estrangeiros.
Na rua da Aurora, n. 26, tereciro andar.
Viilio barato.
Acha-se estahelecido na rua da Madre-de- Heos ,
n. 36 um armazem de
Vinhos da Figucira,
de ptima qualidade, a prego de 1,120 rs. a caada,
e a 160 rs- a garrafa ; e para n3o baver dolo do com-
prador scrSo lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-sc a garrafa vasia, o dando-se inmediata-
mente a oulra cheia : tambem ha barris muito pe-
queos proprios para quem psrssa a festa. O pro-
pietario di'ste cstabelecimento pode encarecida-
mente que se uno illudam avahando, pelo diminuto
proco c sem conliecimenlo de causa a qualidade de
sua (tienda digna por corto da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
urna vez provar, continuar com goslo o sem arre-
pendimento. E o bom preco!!/ A todo o exposto
accrcscc o asscio e bom acondicioiamenlo o que
ludo se poder verificar cm dito estabelecimento.
No armazem do Araujo, beceo do Gongalvcs,
acha-sc urna porefto de taimado de cedro que se ven-
do por prego commodo : a tratar no mesmo.
Farinli 1 de mandioca.
Vendem-se em saccas grandes, por prego commo-
do : ao lado do Corpo-Santo, n. 25.
Vende-so um balcilo do loja, com a frente en-
vidragada ; quatro tabolelA ; urnas poucas de vidra-
gasdevidros grandes, para qualquer armagiode lo-
ja : na esquinada rua da Aurora, loja de louga, nu-
mero 62.
Vendem-se oito molecotes de na-
ci ; um preto de meiabladc ; um pirdo
moco, bom cozinbero ; tres molecas com
algumas babilidades, ludo muito barato,
pois deseja-se fecbar as conlas dcste an-
no: na rua das Larangeiras, n. 14. se
gumlo andar.
-- Vende-se una casa terrea sita em bom lugar,
na ruado Nogueira : na rua da Ciuz, n. 50, so dir
quem vende.
Aterro-da-Ba-Vista, loja n 78.
Vendem-fO sapaloes do bezerro para homem, mili-
to bem feilos, a 1,280 rs, : a clles quo se estilo lin-
dando.
Vende-se cb brasilea a 1,200
rs. a libra : na rua do Rosario, n; i3, e
na rua do Vigario, n. 11.
Loja de qualro portas da rua
do Cabug, do lliiarte.
Ricos de blonle, p re tos' ; ditos pretos
e brancos imitcao de blonde ; ditos
de liidio, rancezes ditos inglezes ; ditos
do Forlo^^litos feilos na trra, proprios
para loalbas ; ltKgs de pellica enfeitadas ;
ditas bordados a rtroz^ com lindos de-
senbos ;ditas lisas de exquisitas cores;
ditas para bomem, brancas e "de cores ;
e de seda de qualquer cor, de senbora
c bomem ; ditas de fo da Kscocia, finas ;
ditas ordinarias a 200 rs. o par ; fitas la-
vradas de nmeros G, 9 c ia ; flores
artificiaes de flor de laranja ; capelles,
ramos, de peitos e sollos ; lencos de seda
de senlioras e bomem ; chapeos de palba
da Italia, de senlioras e homem; ditos
redondos de massa, brancos, com abas
largas; bonetes para meninos. Todos
estes objectos se vendem por procos
commodos, e se dao as amostras aos Se-
nhores compradores.
Potassa.
Desembarcou lia poucos dias urna por
cao de barris pequeos, com muito nova
c superior potassa, e se acbam venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se venda, na rua da Cadeia-Velha,
armazem de Baltar&Oliveira, n. a.
Vcnde-se urna canoa de carreira,. de conduzir
familia : detfs dos Martyrios, estaleiro de Manocl
ds Silva Mariz.
Vendem-se 6 lindos molequos de 12a 18 annos;
4 pretos de 25 a 30 annos ; 4 pardos de 12 a 20 an-
uos ; 2 negrinhas de 12 annos ; 2 mulatinhas de 16
annos com habilidades; 4prelasde 16 a 20 annos,
com habilidades : na ruado Collegio, n. 3, se dir
quem veude.
Vende-se urna canoa que carrega 300 a 350 li-
jlos de alvenaria a dinheiru ou a Iroco do lijlo:
ao lado do Corpc-Santo, n. 25.
Vende-se a venda do Becco-I.argo, n. 1 : a tra-
tar na mesmo venda.
Vendem-se pavios para candieiros francezes ,
dos melhores nmeros pelo diminuto prego de 700
rs. a grosa para quem comprar 5 grosas daqui
parahaixo.,0 em duzia a 70 rs. : na rua larga do
llozario, n. 20, junto a padaria..
Vendem-se 4 negrinhas de 12 a 16 annos, com
algumas habilidades; 3 pardos mocos do bonitas fi-
guras ; 3,'escravas de nafio ; 1 moleque ; 4escravas
mocas de bonitas figuras ; urna parda de 22 annos ,
que cose eengomma : na rua liircita, n. 3.
Calcado.
Vendem-se, pelo barato preco de 3,000 rs. o par,
borzeguins para senhora ; ditos para homem a
3,600 rs. ; holins francezes, a 5,500 rs. ; sapatos de
lustro francezes para meninas., a 1,300 rs. ; ditos de
Lisboa, a J.000 rs.; sapatos inglezes, a 3,2oo rs.;
ditos do selim hranco para senhora a 1,600 rs. ;
holins de I.isliiia a 2,500 rs.; sapatos de lustro de
entrada baixa e de urna,sola para homem, a 2,000
rs. ; ditos de duraque para meninas, a 500 ; ditos de
lustro (mu colchles, a 500e 640 rs. : na rua da Ca-
deia do llecife, 11. 35. Adveito-se quo he a dinheiro.
de
waiM un fltfMMHMHfll
:S:
Vende-se urna loja de calcado,
ou so a armaco, em urna das
melbores ras, para qualquer es*
tabelecimento : na rua da Cadeia
do Recife, n. 35.
Mb......
.1.. i',, ..'.; 1 Uik-:..J ...i...
mu
Na rua do Crespo, loja de 4 portas, n. 12, ven-
dem-se chapeos do castor pretos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 tfi.
Vendcm-sc bairis com mcl: na rua da Cadeia
lo Itcrife, n. 8. Na mrsma casa aluga-se um prcto
que entenda do servigo do casa e de cozinha.
Vendem-se 6 pranehOcs de sicupira de 26 a 30
palmos de comprimento e muito grossos, por prego
commodo : na rua da Cruz, n. 46.
Vende-se um rico piajiocom encllenles vozes :
na rua do Queimado, n. 17.
Na casa de modas franeczas, no Aterro-da-Boa-
Vista n. 1, primeiro andar ha para vender (lores
do todas as qualidades ; chapeos de plha enfeitados
para senhora ; plumas com passarinhos brancas c
de cures para chapeos e cabega ; apellas de laran-
geiras ,(por prego mais barato do quo em oulra qual-
quer parte.
Charutos de Ha va na
Na rua iloTrapichc-Novo, n. 16, existe urna por-
gito dcstes charutos de superior qualidade : bem co-
mo um pequeo sortiincnto de lustroso candelabros
os mais elegantes possivois: ludo mnito proprio po-
ra a festa.
Continda-sea vender manteiga nova a 400,
500, 600 o 800 rs. a libra ; caf em grio a 120 rs. ;
dito moldo, a 160 rs.; bom cha a 2,000 rs ; bo-
lacha ingleza, a 200 rs.; cevada nova, a 100 rs. ; car-
nauba d" 6, 7e 9 em libra a 280 rs. ; epermacetc
de 6 em libra a 880 rs.; macarrflo e lalbarim a
200 rs fletria, a 280 rs. ; familia do Maranho, a
lOOrs. ;queijos imvos, a 1,600 rs. : no pateo do
Carino loja do sobrado de Gabriel Antonio, n. 17'
-- Vende-se una bomba de despejar pipas ; um
brago de balanga do autor Itonio ; un peso do 4 ar-
robas e outro de meia arroba : na rua da Senzalla-
Vova, n 4
Vende-se um moleque de 13 annos bem ro-
busto-; urna iniilaliiiha de 11 anuos, com principios
de costura e de engommar; urna preta boa cozinhei-
ra, eque vende na rua; urna dita boa costureira e
rendeira de 18 annos; urna dila de 18 annos quo
engomma e cose; um parda, que engnmma cose ,
faz lavarintoe cozinha : na rua Nova, n. 21, segun-
do andar.
Vende-se um sobrado do um andar, com mu-
tos commodos quiulal o cacimba, em chSos pro-
prios na rua das Trincheiras ; um violo de muito
boas vozes : na ruada Cadeia do llecife, 11 25, se-
gundo andar.
Na casa de modasfrancezasdo Madami Millo-
chao esquina do Aurro-da-Uoa-Vista defionto do
chafariz, ha para lulo cortes de vestidos mantas de
bareg e chapos do senhora, da ultima moda c
gosto.
Pennas de pato.
Na loja de quatro portas da rua do
Cabug, do Duarte, vendem-se pennas
. pato a 4,000 e 5,000 rs. o milbeiro
proprias para repartieres publicas c cs-
criptorios. <*
ni
ipt( _.
No deposito de Me. Calmont & Companhia ni
.ja de Apollo, armazem n. 6, acha-se constante-
mente grande sorlimento de ferragens fnglezas pam
engenhos de assucar coirosejam : taixas do ferro
coado do dilTerenles modelos, os mais modernos
lilas de ferro batido ; moendas de ferro do modc-
0 adoptado, para armar em madeira; ditas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de forga de quatro cavalloi o de al-
ta prestito o mais moderno esimples que he possi-
vel; repartidoiras ; espumadeiras ; resfriadeiras de
ferro eslanhado; formas de ferro : ludo por prego
commodo.
A quantas andas ?
Vendo-so um relogio de ouro, patente inglez o
nji'lhor ,scm duvida, que tem apparecido, porque,
slm de ser moderno bem formado e de boa ma-
china he o melhor regulador possivel: a vista he
3ue decide: na rua Moda, 11. 13 primeiro andar,
e na o h Ha al as 9 horas e do Urde das duas em
diante. ,
FARELO
cm saccas muito grandes,
a 3s'6oo rs. a sacca:
no armazem do Braguez ao p do arco da ConceigSo
Tapetes oleados.
Vendem-sc na rua do Cabug, loja do
Duarte, tapetes de oleado, para mesas de
meio de sal, consolos, commodas, e me-
sas de jogo ; proprios para ornamento de
salas.
Escravo^Fugidos ^1
Fugio a escrava Joaquina, Mogambique de al-
tura extraordinaria cor fula cara redonda e com
algumas marcas de bexigas, denles abortos ; tem o
heigo superior furado ; he bem parecida ; tem sido
vista no Recife : quem a pegar leve-a ao Manguind ,
sitio defronte do Sur. Ilcrculano que ser recom-
pensado.
83 Fugio, de bordo do brigue Sertorio, na mandila
(lo dia 5 de julho prximo passado um escravo mi-
rinheiro, de nomo Francisco denago Jang; re-
resnla ter 30a 35 annos; tem um signal na face es-
querda, falla muito descangada ; levou caigas eca-
misa dealgodio azul chapeo de-palba piulado de
branco o balde de trazer ragOes e 7,000 rs. em ce-
dulas ; falla hespanhol: quem o pegar love-noa
rua da Moda n. 7, que ser bem recompensado.
Fugio, no dia 18 de outubro do engenho S.-
Joilo, no Cabo, Marcolino, pardo trigueiro, de 19 an-
nos, estatura re||ular, cara redonda, olhos pepuenos,
denlos limados ; levou duas caigas, urna de brim
pardo e outra do riscado azul; quem o pegar leye-o
ao referido engetiho ou a casa de Lulz Gomes Fer-
reira no Moiidcgo, que ser generosamente recom-
pensado. __________
Fugio, no dia 10 do corrento, a tardo, o prcto
Antonio de nagflo Angola quo representa ter 40
annos pouco mais ou menos, porm tem ainda o
cabello preto hede estatura regular ; levou caigas
de algodao branco um tanto curtas, camisa e. cha-
peo de pajba ; tem os ps em baixo um tanto gros-
sos e o melhor signal que tem he ter urna ferid
pequea om urna peina d muilas rbetoricas, ou
para melhor he espcrtalhlo ; be do suppr quo lo-
masse a estrada de (>linda lrlhcdizerem que por
este caminho se va para o serillo ; Veio do (para no
vapor passado. Roga-se as autoridades policial s,
pessoas do povo o capiaes de campo que o appre-
hendam e levem-no a rua da Cruz, no Recife, n. 37,
segundo andar, que serilo gratificados, generosa-
mente.
Fugiram, no dia 8 do corrente, do engenho
Ramos freguezia do l'o-do-Alho dous escravos
crioulos um do noroe Angelo, alto, preto um Pou
co vesgo desdentado na fronte bem ladino de Sil
e tantos annos : Diogo de estatura mediana, pe#
alguma cousa apalhetados gago, do 20 e tantos an-
nos; supp6o-se que o primeiro lora ido para a i.i-
tuc reunir-se aos rebeldes, e o segundo eslar acol-
lado por.ceita possoa nesla cidado Quem os pegar
leve-os ao mesmo engenho ou na rua do Collegio ,
n. 5, que se recompensar : bem como se proiesta
contra quem os livcroccullo.
Fugio, na noite do dia 12 do corrente o cabra
acaboclado de no.ne Rey mundo, de 30 annos pou-
co mais ou menos, de estatura regular-, cheio uo
corpo, cara larga, ps grandes; levou caigas de nrira
branco, camisa de madapolilo, chapeo de paina,
um surrilo com alguma roupa cho pro vave mu-
lle de trajos. Esto eseravo pertenco a Manoei *
Pcreira Pacheco. 4o Aracaly. Itoga-se as autoridades
policiaca ecapitnos de campo, que o apprciienu.n.
e leero-no a rua da Cadeia do Recife a. 34, casa da
os Antonio Baslos, quo so recompensara.
-- Fugiram, no dia 18 do setembro, de Camarag".
urna parda, de nome Paula, do 20 annos, de boni-
ta figura com uns pannos na pelle do pescogo ; n-
la calgada : um prelo de nome Pedro, de nagao An-
gola de 40 annos, baixo, quebrado da venina,
consta quo fram seduzidos por um tal Losme n
llioda Parahiba, acaboclado : quem os pegar ie-
ve-ose rua da Cadeia do Recife n. 28, quo sera re
compeusodo.
Dosapparecc, do palacete da rua da Aurora,
no dia 16 do corrente inoz, um cabritilla escuro, de
15 a 16 Minos; levou caigas o camisa de nscaJ
azul ; tem os olhos pequeos o os beigos grossos ,
he litlio do Cear ;chama-se Jos: quem o pogr
levu-o ao lugar cima dito.
Fugio, no dia 9 de outubro do corrente anuo,
um escravo crioulo de nome Andr, do 40 auno*
pouco mais ou menos alto c grosso do corpo ; nu/
pescador e sabe fazer rede; Iiilitula-se rorro ; te ni
sido visto em S -Jos :. quem o pegar leve a *ora
de-Portas, n. 95,quesera recompensado.
PeBN.1 Ni TYP. DI M. DH F4.BIA. l&*48

\
l
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXZ17O5HR_2DOUIU INGEST_TIME 2013-04-12T22:05:46Z PACKAGE AA00011611_06203
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES